terça-feira, 4 de maio de 2010

Que piada! Não sabia que a Educação era um serviço essencial!


Um infeliz e maroto desembargador que atende também pelo nome de Wander Marotta teve a coragem de considerar a greve dos trabalhadores em educação de Minas como "ilegal" na tarde de hoje, 04 de maio de 2010.

No rol dos argumentos utilizados, está o de que a Educação é um serviço essencial. Mas, que piada, heim? Um serviço essencial cujos profissionais recebem piso salarial de R$ 369,00 para um trabalhador com ensino médio e R$ 500,00 para professor com curso superior. Já pensaram se esse serviço não fosse essencial?

Não vimos essa mesma Justiça se manifestando em favor dos profissionais da Educação quando o governo de Minas cortou direitos históricos como quinquenios e biênios para os novos servidores; também não vimos a Justiça se pronunciar quando o governo deixou de pagar o piso salarial profissional, que é lei e não é cumprida.

Ah, mas eu havia me esquecido de um detalhe importante: o salário dos profissionais da Educação não é essencial. O dos juízes e desembargadores, acima de R$ 25.000,00 mais verbas indenizatórias, este sim, é essencial; o dos deputados, acima de R$ R$ 30.000,00 entre salários e verbas indenizatórias, também é essencial. Agora o salário de um pobre professor, que ganha R$ 500,00 para cumprir uma tarefa considerada "essencial" pelo desembargador, aí não. É só um detalhe.

O desembargador teve a áudacia de dizer que, com a extensão da greve, mesmo se houvesse a reposição das aulas, a qualidade da educação ficaria comprometida. Que qualidade, senhor desembargador? Por acaso o senhor já visitou alguma escola pública de Minas nas periferias dos grandes centros urbanos? Por acaso o senhor conseguiria realizar algum trabalho de qualidade na sua área do Direito se recebesse salário de professor em Minas Gerais?

Por isso, com todo respeito que tenho aos bons desembargadores - por exemplo, aquele que proibiu a demissão de servidores em greve em respeito aos mandamentos constitucionais -, não posso deixar de externar o meu mais profundo sentimento de indignação contra a (in)Justiça que temos no Brasil e em Minas.

Somos vítimas de pessoas que se arvoram defensoras do texto da Lei Federal, mas que muitas vezes agem em favor de interesses escusos, a serviço de governantes que manipulam a opinião pública, compram a mídia e realizam políticas de irresponsabilidade para com as reais necessidades da população. Governantes que não investem adequadamente na Educação pública e têm a coragem de responder aos pleitos dos educadores através de métodos os mais anti-democráticos.

Ao mesmo tempo em que o governo de Aécio-Anastasia entrou na Justiça contra a greve, contando certo com a benevolência de alguns
marotos desembargadores , na outra ponta, perseguiu professores ameaçando de demissão, de corte de ponto, enquanto pagava matéria na imprensa com inverdades sobre a política remuneratória praticada pelo governo mineiro. Em 2008, havia prometido pagar o piso inteiro, sem penduricalhos e não cumpriu este compromisso. Onde estava a Justiça naquele momento? E a imprensa?

A resposta da categoria terá que ser dada nas ruas. Estamos fartos de governantes e de alguns juízes (não tdos) que não respeitam os direitos legítimos conquistados pelos trabalhadores em luta, como o direito de greve. Se a Educação é considerado um serviço essencial, que passem a pagar um salário decente aos educadores. Do contrário, não dá para se falar em qualidade de ensino, a não ser como hipocrisia.

Mais do que nunca torna-se necessário lotar a assembléia estadual de amanhã para refletirmos juntos sobre os nossos próximos passos dessa luta bonita e forte, que vem crescendo a cada dia, assustando o governo e levantando a moral dos educadores. Nós não vamos voltar de cabeça baixa, sem uma conquista.

A luta continua, companheiros, até a nossa vitória!

Links associados: 1 e 2

5 comentários:

  1. Infelizmente cada vez mais vemos o descaso que a justiça tem com os trabalhadores deste país. É claro que eles são regiamente pagos para isso. Não se deu ao trabalho sequer de analisar a torre de Bebel que virou o salário dos professores, a isonomia salarial entre os poderes e o descumprimento da lei federal do piso salarial do magistério.

    ResponderExcluir
  2. " A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio" .
    (Martin Luther King Jr.)

    ResponderExcluir
  3. PARECE MESMO PIADA , EULER!!!!!
    "EDUCAÇÃO SERVIÇO ESSENCIAL""!!"
    E PROFESSORES?????
    COMO SERÁ QUE ELE CLASSIFICA?????
    "BABÁ"? PARA AS CRIANÇAS, JOVENS, ADOLESCENTES NÃO FICAREM NA RUA, COMO INFELIZMENTE ALGUNS PAIS ESTÃO PREOCUPADOS????
    E A QUALIDADE? É MEDIDA COMO QUANTIDADE???? SÓ UMA LEMBRANÇA( ESTUDEI COM 180 DIAS LETIVOS E APRENDI MUITO MAIS QUE NOSSOS ALUNOS APRENDEM HOJE COM 2OO. POR QUE SERÁ??
    PODERÍAMOS VOLTAR E FICARMOS DE BRAÇOS CRUZADOS VENDO O "CIRCO PEGAR FOGO" MAS ESTARIA TUDO BEM! AFINAL DE CONTAS ESTARÍAMOS TOMANDO CONTA DOS FILHOS DOS OUTROS...
    MAS ESTE NÃO É O NOSSO CASO!!!
    NÓS SOMOS EDUCADORES POR VOCAÇÃO E QUEREMOS QUALIDADE VERDADEIRA E NÃO ESTA MENTIRA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO EM MINAS QUE VEMOS NOTICIADA A TODA HORA.
    REPITO: “SOMOS EDUCADORES POR VOCAÇÃO, MAS PRECISAMOS SER RESPEITADOS, VALORIZADOS POR NOSSO EMPREGADOR:” O GOVERNO”, PARA QUE ESTA VALORIZAÇÃO E RESPEITO SE ESTENDAM PARA A SOCIEDADE DE UM MODO GERAL E TENHAMOS CREDIBILIDADE PERANTE TODOS.
    NÓS, DA CLASSE EDUCACIONAL, ESTAMOS SENDO IGNORADOS HÁ MUUUUUUUUUIIIIIIIIIITOOOOOOOOOOOOO TEMPO E DE CERTA FORMA SOMOS ATÉ CONIVENTES COM A SITUAÇÃO QUE NOS ENCONTRAMOS POR SIMPLESMENTE CONFIARMOS QUE MINAS GERAIS APÓS “ARRUMAR A CASA” IRIA CORRIGIR O NOSSO SALÁRIO!!!!

    SANTA INGENUIDADE DE NOSSA PARTE!!!!

    MAS NÃO PODEMOS DEIXAR NOS ABALAR PELA FALTA DE JUSTIÇA EM NOSSO PAÍS, COMO BEM SABEMOS OS DESMBARGADORES, JUÍZES, MAGISTRADOS EM GERAL GANHAM E GANHAM MUUUUIITOOO BEM...
    FICO AQUI A ME PERGUNTAR: QUEM FOI RESPONSÁVEL PELA FORMAÇÃO DELES MESMO??????
    MAS ACREDITO AINDA EM UMA REVIRAVOLTA NESTA DECISÃO PORQUE NÃO É POSSÍVEL QUE UM PROFISSIONAL COMPETENTE QUE OCUPE UM CARGO DESTE NÍVEL NÃO SEJA IMPARCIAL????!!!??!??!!??

    VAMOS CONTINUAR COM NOSSA LUTA, "ATÉ NOSSA VITÓRIA" COMO VC MESMO DISSE.

    ResponderExcluir
  4. Assino embaixo, Cristina!

    Força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  5. Eliane Lourindo Alves11 de maio de 2010 16:20

    Triste, triste a decisão desse desembargador. Antes de começar a greve, será que o senhor governador recebeu o nosso sindicato? é de lamentar. a greve foi o único recurso que nos restou.

    ResponderExcluir