sábado, 16 de abril de 2016

Dia 17: o Brasil vai conhecer os golpistas, traidores, e também os defensores da democracia e da legalidade. Não vamos esquecê-los!





Deputado Rogério Correia em entrevista hoje, 28, no Senado, revelou que o relator do golpe do impeachment da presidenta Dilma naquela Casa, Anastasia, quando governou Minas cometeu pedaladas para todo lado. E muito mais graves. Confiram.

* * *




O Brasil acordou hoje, 28, com os protestos organizados pela Frente Povo Sem Medo, que reúne dezenas de movimentos e entidades populares, entre os quais o MTST - movimento dos sem-teto. O Trancaço nacional acontece em todo o Brasil, com mais de 100 rodovias fechadas pelos movimentos sociais que repudiam o golpe em curso no Brasil e em defesa dos direitos e conquistas da maioria do povo pobre. Acompanhem tudo ao vivo no link do Mídia Ninja, já que nas telas da Globo você verá no máximo pequenos flashes e os comentaristas da Casa Grande defendendo o golpe. Clique aqui para acompanhar a mobilização de hoje.

* * *



Globo, Band, Itatiaia, Veja e Folha, entre outros, ajudaram a construir um exército de fascistas, que precisam de tratamento psicológico e psiquiátrico - é isto, em outros termos, o que diz a filósofa Márcia Tiburi. Entre outras reflexões. Vale a pena ouvir a entrevista. 

* * *

Editorial - dia 27 de abril de 2016

Atenção pessoal da luta: podemos afirmar com grande convicção que não temos mais um regime democrático no Brasil. E explico o porquê. As instituições ditas democráticas e republicanas estão falidas: o congresso nacional, um verdadeiro covil de bandidos, com as honrosas exceções; o STF, um órgão acovardado, omisso, que mantém solto um bandido que presidiu a derrubada de uma presidenta honesta e nada diz sobre o golpe do impeachment, que rasga a nossa constituição e anula os votos de mais de 100 milhões de brasileiros (mesmo os que votaram contra Dilma estão sendo desrespeitados, embora eles não percebam isso); o Ministério Público é pautado pela mídia. Arquivou todas as denúncias contra o PSDB e se transformou num órgão auxiliar do golpe, inclusive participando de atos ilegais, como a divulgação do grampo da conversa da presidenta Dilma com o ex-presidente Lula. E por último, a mídia, sobretudo rádios e TVs que são concessões públicas e são dominadas por meia dúzia de famílias cujos interesses estão ligados aos donos do PIB, ou seja, aos bilionários. Trata-se de uma mídia golpista, que chantageia as instituições, que fomenta ódio na cabeça do povo brasileiro e que esconde o que acontece de bom - agora com o desgoverno Temer provavelmente a mídia vai mudar o tom. É uma mídia golpista e serviçal dos piores interesses. Inclusive foi humilhada pela imprensa internacional que fez o que a mídia local não teve coragem: chamou o impeachment sem crime de responsabilidade de golpe! Basta ver os blogs que indico ao final dos meus posts para vocês perceberem a quantidade de notícias, de críticas às mentiras divulgadas e de movimentos de protestos que acontecem diariamente no Brasil e no mundo e que a mídia golpista simplesmente esconde do nosso povo. Isso não é imprensa é um panfleto midiático da direita com seus porta-vozes muito bem pagos - geralmente com publicidade de governos e estatais, além de banqueiros e outros tipos.

Do desgoverno Temer podemos esperar o pior: a desindexação do salário mínimo com os gastos previdenciários - o que significa reajustar os benefícios de aposentadoria abaixo da inflação; o congelamento do salário mínimo; a flexibilização trabalhista, o que significa cortar direitos trabalhistas para atender aos anseios dos capitalistas; a redução das políticas sociais, como Bolsa Família e Minha casa minha vida, entre outros programas; e o fim dos percentuais obrigatórios nas áreas sociais, como 25% na Educação e 12% na Saúde, entre outras maldades que assistiremos a cada dia do novo desgoverno nascido do golpe, sem votos, e com o patrocínio da Globo, da Fiesp, da operação golpista lava-jato, dos donos do PIB e da subserviência de parlamentares picaretas e canalhas. O poder Executivo, portanto, passa ao domínio de um presidente que não foi eleito diretamente pelo povo brasileiro e que tem 2% da preferência eleitoral, segundo as pesquisas. Logo, como podemos chamar esse sistema de democrático?

Por isso é importante que cada vez mais ocorra a ocupação das ruas e praças pelo povo brasileiro através de suas organizações populares, como a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, que reúnem dezenas de movimentos e entidades populares e progressistas. No dia 1º de Maio haverá grandes manifestações em todo o Brasil: contra o golpe, pelas garantias democráticas, pelas conquistas sociais e trabalhistas, pelo respeito às minorias e à diversidade cultural. Participem e conversem com os colegas, familiares e amigos sobre o que está acontecendo hoje no Brasil. Precisamos reconstruir alternativas que considerem os nossos sonhos, os sonhos dos de baixo em favor de mais conquistas sociais, menos desigualdade e real participação popular nos destinos do nosso povo. Os golpistas não passarão!

* * *




Pirâmide do golpe. Faltou a logomarca da Globo.



Hoje, 23, o movimento popular Levante Popular da Juventude realizou protesto em frente ao Palácio Jaburu, onde se encontra o vice-presidente golpista e traidor. No dia 21, este mesmo movimento cercou a casa de Temer em São Paulo, que saiu escondido em um carro para fugir do escracho. A vida de golpista sem voto não será fácil, é o que garantem os movimentos sociais que planejam manifestações, greves e protestos em todo o Brasil contra o golpe e em defesa das conquistas sociais e trabalhistas e das garantias individuais e das minorias, hoje ameaçadas

*  *  *




A deputada portuguesa Joana Mortágua faz um discurso coerente e esclarecedor sobre o golpe no Brasil. E revela aquilo que todos sabemos: apesar da blindagem local, a mídia mundial está denunciando o golpe. Enquanto isso, a mídia brasileira - Globo, Itatiaia, Band, Folha, Veja, entre outros - esconde a nossa realidade, mente, mente e mente sobre o que está acontecendo. Até mesmo porque esta mídia é parceira e patrocinadora do golpe. É ela que forma e deforma milhares de pessoas como as que vão para a av. Paulista, sob o patrocínio da Fiesp e convocadas pela Globo. O circo de horrores da votação na Câmara de deputados no dia 17 foi mais uma prova de como a direita montou o golpe lançando mão dos piores tipos, de pretextos sem fundamentos e de pessoas que estão preocupadas apenas em escapar das denúncias de corrupção, ou em conseguir favores e privilégios. Estão cassando 54 milhões de votos e reinstituindo eleições indiretas para presidente - via Câmara de picaretas - e a mídia e seus comentaristas de aluguel não dizem nada. Uma vergonha.

* * *




No vídeo abaixo, assistimos um pouco da patifaria dos 367 picaretas. Agora vamos publicar aqui o vídeo produzido pela Mídia Ninja, emocionante, bonito, que mostra o Acampamento Nacional pela Democracia e contra o Golpe, em Brasília, entre os dias 10 e 17 de abril de 2016. São milhares de combatentes índios, negros, mulheres, sem-terra, sem-teto, estudantes, o povo brasileiro, enfim. A rica diversidade cultural que tem a nossa cara, bem diferente dos coxinhas padronizados da Av. Paulista, patrocinados pela FIESP e convocados pela Globo. Nosso povo, não. Vejam a beleza e a poesia dos lutadores, verdadeiros heróis anônimos do povo brasileiro, que constroem a resistência e a luta em defesa dos nossos interesses comuns.

* * *




O circo de horrores, festival de baixaria, e a demonstração pública de que precisamos mudar urgentemente a realidade política do nosso país. Dá para levar a sério uma turma dessa? E depois dizem que Dilma é a culpada por tudo. A maioria desses deputados está envolvida em falcatruas, privilégios, recebimento de propinas, caixa dois, favorecimento de familiares, etc. São eles que deveriam ser impedidos, não a presidenta Dilma.

* * *



Apesar da mídia golpista brasileira comemorar a usurpação do governo federal pela "Câmara de bandidos", segundo um analista político português, fora do Brasil a imprensa ficou chocada. De acordo com o comentarista Miguel Sousa Tavares, de Portugal, uma "assembleia geral de bandidos, comandada por um bandido chamado Eduardo Cunha", destituiu a presidente Dilma. Vejam o vídeo.

* * *



O voto de Jean Wyllys from Luiz Carlos Azenha on Vimeo.

Uma das 137 vozes da resistência na Câmara dos 367 picaretas. O deputado Jean Wyllys, apesar de fazer oposição à esquerda ao governo Dilma, soube separar bem as coisas: impeachment sem crime é golpe.


* * *



Líderes da base do governo comentam o show de horrores do dia 17 na Câmara dos Deputados


*  *  *

367 picaretas se curvaram às ordens da Casa Grande. Em nome do Deus do vil metal, das tenebrosas negociatas, da traição e da molecagem

Foi um show de horrores. O dia 17 de abril entra para a história do Brasil como uma data infeliz, quando a Câmara dos deputados, mais precisamente 367 picaretas aprovaram o impeachment de uma presidenta honesta. Na direção dos trabalhos, o maior corrupto do país. Dava nojo ver os deputados falarem "em nome do combate à corrupção" e em seguida votarem em favor do golpe dirigido por uma quadrilha de ladrões. 

Entre os discursos decorados desses moleques travestidos de deputados, era comum a referência aos filhos e netos e a Deus para justificar o ato ilegal, covarde e desonesto de derrubar uma presidenta legitimamente eleita pelo povo brasileiro. Verdadeiros pilantras, pois não foram eleitos para cassar 54 milhões de votos dos cidadãos brasileiros - o meu, inclusive - em nome de favores pessoais e de outras malandragens. 

Com este golpe, instituíram novamente a eleição indireta para presidente, via congresso nacional, retrocedendo ao período da ditadura civil-militar de 1964. A mídia e seus comentaristas de aluguel, obviamente acharam normal o  que aconteceu, uma vez que eles são meros reprodutores do pensamento dos seus patrões, que são bilionários e fazem parte da elite dominante, sempre egoísta, preconceituosa, colonialista e babaca, claro.

Mas, por outro lado, houve nesse processo todo, que ainda não terminou - foi apenas uma batalha que os inimigos venceram no terreno deles - uma importante vitória: a do renascimento dos movimentos populares, de esquerda e democrática nas ruas. Nessas últimas semanas, milhares de pessoas saíram às ruas em defesa das melhores causas: a democracia, as garantias individuais e coletivas, o estado democrático de direito, as conquistas sociais e trabalhistas ameaçadas pelos donos do PIB através dos seus agentes golpistas: Globo, OAB, FIESP, deputados picaretas, juiz Moro com sua operação seletiva lava-jato, entre outros.

Portanto, se as elites pensam que a vitória de Pirro na Câmara dos picaretas foi o golpe final contra os interesses do nosso povo, estão muito enganadas. Como disse a corajosa deputada Jandira Feghali, "a luta apenas começou". Abro parênteses aqui para parabenizar os 137 deputados que tiveram postura digna e votaram contra o golpe. Eles serão lembrados nas páginas da história como heróis da democracia, ao contrário dos 367 picaretas e traidores do povo.

Eles podem usurpar o poder da única forma que sabem fazer, via golpe, mas não vão sufocar a indignação coletiva de milhares de pessoas. Nos próximos dias, várias frentes de batalha ganharão força. Tanto no Senado, onde o processo de golpe prossegue, quanto nas ruas, onde a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, que reúnem dezenas de organizações e movimentos sociais, como MST, MTST, UNE, CUT, partidos de esquerda, entre outros grupos, tendem a fortalecer as ocupações e manifestações de rua. 

O governo ilegítimo, sem voto, que assume, não terá trégua. Até porque a agenda dos golpistas é muito clara: querem o sangue do nosso povo. Vão tentar aprovar de forma definitiva a terceirização generalizada, a flexibilização das leis trabalhistas, a destruição dos serviços públicos, especialmente os da Saúde e da Educação, que pretendem privatizar ao máximo; vão tentar entregar o pré-sal e a Petrobras para os gringos; vão reduzir os investimentos em programas sociais como Bolsa Família, Mais Médicos, Minha casa minha vida e Pronatec. E, é claro, vão sufocar de vez as operações de combate à corrupção. Os coxinhas que tanto falaram em derrubar o governo atual para combater a corrupção, agora vão aplaudir o conchavo feito entre ladrões para garantir a impunidade de todos eles. 

Enfim, o programa deles é o programa das elites dominantes, dos donos da Casa Grande. Da nossa parte, dos de baixo, é preciso fortalecer o diálogo com os trabalhadores, fortalecer as mídias alternativas, inclusive na Internet; fortalecer as lutas e as manifestações de protesto nas ruas para que esta aventura golpista não dure muito. E também para que possamos tirar como saldo um projeto de poder popular que transcenda os limites apresentados nos 13 anos de gestão do PT em coalizão com setores fisiológicos e oportunistas. Muitas conquistas foram obtidas nesse período, mas há ainda muito o que avançar.

A esquerda deve retirar dessa experiência prática - e é assim que as pessoas aprendem da melhor forma - os erros cometidos durante a última década, entre os quais: o menosprezo no combate à monopolização da mídia; o republicanismo ingênuo praticado pelo PT, que entregou postos-chaves das instituições para inimigos do povo; o distanciamento dos movimentos sociais e de suas demandas, enfraquecendo aqueles que realmente defendem nas ruas as conquistas do nosso povo; e uma necessária reforma política para acabar com os privilégios e o distanciamento entre os poderes constituídos e a população. É preciso, portanto, defender as conquistas dos de baixo e avançar em novos direitos.

No final, os 367 picaretas não vão substituir a vontade de 200 milhões de brasileiros e brasileiras. Eles não nos representam! A luta continua! Sempre! Até a nossa vitória!


* * *


Deputado Sílvio Costa faz um pronunciamento esclarecedor sobre o que está em jogo na votação do golpe do impeachment.


Pronunciamento da presidenta Dilma


Dia 17: o Brasil vai conhecer os golpistas, traidores, e também os defensores da democracia e da legalidade. Não vamos esquecê-los!

Vou ser breve no texto de hoje. Faltam poucas horas para que algumas centenas de deputados federais decidam os destinos de uma nação. Na prática, são duas as opções: votar em favor do impeachment da presidenta Dilma, ou votar contra o impeachment. A primeira opção, é a dos golpistas, traidores do povo brasileiro, pois joga o Brasil na incerteza, na ilegalidade, já que anula 54,5 milhões de votos que legitimaram a eleição da presidenta Dilma. A segunda opção, ao contrário, derrota momentaneamente o golpe, e abre a possibilidade de um novo momento, inclusive para o governo Dilma, que precisa mudar de rumo em favor da retomada das políticas geradoras de emprego e renda. Desta feita com o apoio direto dos movimentos sociais.

Mas, sejamos objetivos: a votação do impeachment não está julgando o governo Dilma. Quem faz isso são os milhões de eleitores brasileiros a cada quatro anos. Os deputados estão julgando a acusação de um crime que não existe, ou seja, estão na verdade julgando uma armação golpista montada pelo vice traíra Michel Temer – que tem 1% de preferência eleitoral apenas – e pelo seu comparsa Eduardo Cunha, aquele que recebeu muitos milhões em propinas, que depositou dinheiro nas contas suíças e que aparece em todas as listas de caixa dois das empresas da lava-jato.

Ou seja, neste domingo, 17, o Brasil assistirá ao espetáculo midiático montado em parceria com a tradicional golpista Globo e seus filhotes midiáticos – Rádio Itatiaia, Band, Veja, Folha, Estado de Minas, O Tempo, etc – todos eles afinados com o golpismo. Essa gente não se importa se o Brasil mergulhará numa crise sem solução, já que assumirá um governo ilegítimo e claramente comprometido com os piores interesses caso vingue o golpe montado por personagens como Aécio, Temer, FHC, Eduardo Cunha, Serra, juiz Moro, Feliciano, Globo, Fiesp, OAB, e outros tipos. Na Câmara dos Deputados, uma verdadeira quadrilha quer derrubar uma presidenta honesta – é este o resumo do momento atual.

No outro lado da trincheira estamos nós, o povo brasileiro. Os cantores, os poetas, os escritores, os sem-terra, os sem-teto, movimentos como MST, MTST, UNE, CUT, partidos de esquerda e grupos e pessoas independentes e progressistas. Mesmo quem não aprova ou quem não votou em Dilma, mas que defende a legalidade e as garantias individuais e as conquistas sociais e trabalhistas ameaçadas estão CONTRA o golpe do impeachment.

Não há meio termo nessa luta. É a luta de classes. Que nem sempre assume uma forma ideal ou “perfeita” entre pessoas ou grupos radicais de um lado e os grandes capitalistas e latifundiários, de outro. Na vida prática não é assim que as coisas acontecem. Muita gente boa, mas ingênua, mesmo pertencendo ao proletariado, acaba embarcando no discurso e na ideologia pregada diariamente pela mídia golpista. São os iludidos, alfabetizados pela bíblia neoliberal e fascista da burguesia através da mídia golpista. Mas, não há dúvida que as melhores cabeças, as pessoas mais comprometidas com os interesses do nosso povo, as pessoas mais ligadas às históricas lutas de libertação do povo trabalhador, dos de baixo, essas pessoas estão do lado da democracia, contra o golpe. Pela democracia, pela legalidade, pelo respeito à diversidade cultural do nosso povo.

É só olhar o álbum de fotos com algumas figuras para ver quem é quem nessa história. E que não deixa dúvida sobre qual lado devemos estar e qual o nosso posicionamento no dia a dia. Inclusive neste dia 17, quando devemos agir em todas as frentes, nas redes sociais, nos blogs, nas ruas, nas praças de todo o país. Porque na segunda-feira, seja qual for o resultado, o Brasil será outro. Se passar o golpe, os brasileiros de baixo precisarão se mobilizar e se organizar para enfrentar os inimigos do povo que assaltaram o poder sem voto, num golpe de bandidos.

Por outro lado, se o impeachment for derrotado, é hora de nos unirmos ao governo Dilma e Lula e cobrar mudanças de rumo para fortalecer as políticas sociais, com mais investimentos, menos cortes, mais empregos, menos paralisia provocada principalmente pelo circo da lava-jato em parceria com a Globo e seus filhotes igualmente golpistas.

Portanto, é hora de irmos à luta! Para que as novas gerações não recebam como legado um Brasil de traidores, de silvérios dos reis, de canalhas que deveriam respeitar a vontade soberana da maioria do povo brasileiro, e que, ao invés disso, negociam cargos e vantagens pessoais. Esses traidores serão lembrados nos livros de História, que envergonharão seus filhos e netos. Ao contrário, os que votarem pela legalidade, contra o golpe, serão lembrados como verdadeiros heróis da democracia, que não sucumbiram às pressões midiáticas e não traíram o seu povo.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

MST

* * *

Abaixo, você assiste em tempo real ao canal TVT, um dos poucos que não é controlado pela direita golpista. Caso queira ouvir algum vídeo no blog, clique na imagem do canal para interromper a transmissão online.