domingo, 28 de setembro de 2014

Mídia golpista tentará impedir que Dilma vença as eleições já no primeiro turno


Pesquisa da Vox populi divulgada hoje, 29, mostra que Dilma amplia a vantagem sobre os adversários; falta pouco para ganhar no primeiro turno. Apesar dos golpismos diários da mídia serviçal dos piores interesses.


http://www.mudamais.com/daqui-pra-melhor/manifestacoes-de-junho-respostas-de-dilma-vozes-nas-ruas

Dilma reconheceu a legitimidade do movimento de junho de 2013; recebeu e dialogou com várias lideranças deste movimento. E ao invés de promessas, criou o Mais Médicos, o Marco Civil da Internet, sancionou o PNE (10% do PIB para a Educação) e defendeu o plebiscito para a realização da Constituinte exclusiva para a reforma política. E os outros? Só discurso oco.


Apesar de toda a campanha midiática nos últimos anos contra a presidenta Dilma, detonando o seu governo e o Brasil, a candidata do PT resistiu heroicamente aos ataques e cresceu junto ao eleitorado brasileiro. As últimas pesquisas apontam um claro favoritismo da presidenta Dilma sobre os dois principais adversários, Marina e Aécio, que representam a direita brasileira.

De forma sistemática, a mídia golpista realiza um trabalho vergonhoso contra o governo federal. Nos telejornais, o que se vê é uma ampla campanha somente contra o PT e contra Dilma, enquanto os candidatos da direita são poupados. A Globo, por exemplo, faz uma campanha aberta em favor dos candidatos Aécio e Marina, enquanto detona a candidatura Dilma. Basta ver qualquer telejornal. Eles escolhem sempre os piores momentos da presidenta - quando está de costa, ou quando caminha sozinha; selecionam frases fora do contexto, para fazer parecer uma pessoa que não fala coisa com coisa. Totalmente diferente do que fazem com os candidatos preferidos dos banqueiros e da direita golpista. Aécio é sempre filmado ao lado de muitos apoiadores, sorridente, dando respostas - ainda que ocas - aos temas que a própria emissora levanta em reportagens anteriores. Marina, da mesma forma, é focalizada como uma espécie de candidata certinha, quase acima do bem e do mal.

A mídia, talvez por julgar as pessoas por sua própria régua, deve achar que todo brasileiro é idiota, incapaz de pensar criticamente, de comparar as coisas, ver o que é mostrado e o que é realizado de fato. O povo não é bobo, rede Globo, Itatiaia, Band, Veja, Folha, O Tempo, Estado de Minas, etc., etc. As pessoas são mais inteligentes e dignas do que vocês julgam que elas sejam.

A publicação que agride a inteligência dos leitores e eleitores de forma mais descarada do mundo chama-se revista Veja. Uma revista da ultradireita brasileira, que produz capas anti-petistas, anti-Lula e anti-Dilma semanalmente, com denúncias furadas, verdadeiros factóides, sem qualquer prova, mas que alimentam a as matérias do esquemão midiático que envolve a mídia de todo o Brasil. TVs, jornais e revistas e rádios reproduzem as baboseiras da revista Veja como se fossem verdade absoluta.

A Polícia Federal prendeu duas pessoas ligadas a esquemas de lavagem de dinheiro, propinas, etc, que inclusive aderiram à delação premiada. Estes personagens supostamente teriam feito acusações a pessoas ligadas ao PT, acusações essas supostamente vazadas por agentes da Polícia Federal que estariam descontentes com o governo federal. Estas acusações de pessoas envolvidas em esquemas criminosos, totalmente sem provas, ganham a força de verdade absoluta nas páginas de uma mídia irresponsável, que procura mudar os rumos das eleições. Se isto não é um golpe, é o quê então?

Na semana passada a assessoria jurídica da presidenta Dilma conseguiu um direito de resposta que possivelmente será publicado na próxima semana na revista Veja, que acusou o PT sem prova alguma e terá que publicar um texto redigido pelo PT desmentindo a notícia. O problema é que o estrago já foi feito. E esta mídia irresponsável joga com isso: fazem as denúncias sem prova, para fisgar algumas pessoas que não estão a par do que está em jogo no país, e muito tempo depois estas publicações são desmentidas.

Hoje mesmo, um articulista que foi secretário de Imprensa do governo Lula - Ricardo Kotscho - revelou o porquê de tanto ódio da revista Veja contra o PT e contra Lula e Dilma. É que Lula, quando foi eleito presidente, teria feito uma redistribuição das verbas publicitárias, atingindo em cheio os cofres de alguns órgãos de imprensa, entre os quais a editora Abril, cuja principal revista quase quebrou. Daí em diante todas as capas da revista Veja em véspera de eleição têm o objetivo de destruir o PT e os governos Lula e Dilma.

A mídia nada diz sobre os inúmeros escândalos envolvendo políticos do DEM e do PSDB, como: o mensalão tucano em Minas, o trensalão tucano em São Paulo, o mensalão do DEM em Brasília, o esquema envolvendo Cachoeira, Demóstenes e a Veja; a privataria tucana na era FHC, a compra de votos para reeleição de FHC, entre dezenas de outras denúncias. O aeroporto do tio de Aécio em Cláudio seria o mais brando dos escândalos.

Mas, a mídia golpista praticamente nada diz sobre estes escândalos. Houvesse o envolvimento de políticos do PT e o tratamento seria outro. Durante semanas, meses, anos a fio a mídia trataria de lembrar aos brasileiros deste envolvimento, como fez com o chamado "mensalão do PT". Contudo, como se trata de políticos que serviram e servem aos interesses dessa mídia e dos banqueiros e dos grandes empresários, logicamente que tudo fica encoberto.

Na atual conjuntura eleitoral, a mídia golpista, os banqueiros, os grandes empresários e o governo dos EUA apoiam duas candidaturas: Marina Silva e Aécio Neves. São dois representantes das elites que sempre dominaram e exploraram o Brasil e o povo brasileiro. Essas elites passaram 500 anos sugando as riquezas do país, explorando mão de obra escrava do povo brasileiro, só deixando os ossos para que o povo pudesse roer. Tirando os revolucionários que tentaram mudar radicalmente o país, como Zumbi, Marighella, Gregório Bezerra, entre outros, o Brasil conheceu alguns importantes momentos de conquistas sociais. No governo Jango, por exemplo, o Brasil tinha tudo para avançar e superar grandes desigualdades. Mas, o governo Jango foi derrubado por esta mesma elite que hoje tenta impedir uma nova vitória da presidenta Dilma.

Nos últimos anos, os governos Lula e Dilma realizaram políticas públicas de grande importância para o nosso povo pobre. É verdade que Lula e Dilma erraram em não politizar essas conquistas. Tanto assim que muitos dos beneficiários das políticas sociais hoje votam na direita golpista cuja prática, quando está nos governos, é: arrocho salarial, desemprego, mais privilégios para os de cima. Basta analisar os oito anos do governo FHC e comparar com a era Lula e Dilma.

Considero até
uma cretinice por parte da chamada esquerda radical tratar os governos Lula e Dilma como iguais ao governo FHC. Trata-se de uma total ignorância da nossa realidade, para não dizer má fé. É verdade que os banqueiros tiveram lucros astronômicos, que os grandes empresários também ganharam muito. Alguém imagina que pudesse ser diferente, num país capitalista, num mundo capitalista? Só quem desconhece as leis do capitalismo para imaginar algo diferente nos marcos do capital. Mas, ao contrário da era FHC, os de baixo também tiveram grandes conquistas. A começar pelo ataque à fome e à miséria, que atingiam a milhões de brasileiros. Isto não é uma coisa qualquer, banal. É MUITO IMPORTANTE que um governo tenha, através de políticas públicas, conseguido retirar mais de 30 milhões de pessoas da linha da miséria e da fome. Como é muito importante também que durante os últimos 12 anos o Brasil tenha conseguido manter uma combinação de inflação baixa, baixo índice de desemprego e aumentos reais nos salários, especialmente no salário mínimo. ISTO NÃO é POUCA COISA meus amigos da esquerda radical.

O receituário neoliberal é o de combinar desemprego em massa com arrocho salarial. Num ambiente assim, de desemprego e arrocho salarial, tal como acontecia antes, não se pode falar em greve, ou mesmo em ganhos reais de salários. Quantas vezes eu participei ou apoiei greves nas décadas de 80, 90 e também mais recentemente nos governos TUCANOS de Minas e o que colhíamos era sempre mais arrocho salarial, demissões, perseguições políticas. Nos últimos anos os trabalhadores têm experimentado greves com conquistas reais nos salários, e isto é inegável. E tudo isso debaixo de uma tremenda crise internacional, que obviamente atinge a todos os países do mundo. Espanha e Portugal, por exemplo, amargam altos índices de desemprego. O receituário neoliberal é o desmonte do estado, ou seja, dos serviços públicos, o corte nos salários, tornando a vida de milhões de pessoas um inferno.

Claro que o capitalismo é o inferno. Mas, enquanto sobrevivermos sob este sistema, temos que lutar por conquistas em favor dos de baixo, da classe trabalhadora, do povão pobre que sempre sofre as maiores consequências pelos desmazelos das crises no capitalismo. Isto se faz com organização e luta. Mas, é preciso reconhecer quando um governo desenvolve políticas em favor dos de baixo, ao invés de ficar na crítica vazia pela crítica, servindo apenas aos interesses dos de cima.

O governo Dilma enfrenta a crise internacional de uma maneira muito firme. De um lado investindo em setores estratégicos para gerar mais empregos; de outro, injetando recursos com aumento do salário mínimo e subsidiando inúmeros setores e políticas voltadas para gerar mais renda e mais empregos. Todos os programas sociais dos governos Lula e Dilma, ao contrário dos governos tucanos, envolvem milhões de pessoas beneficiárias destes programas. O PSDB é que tem mania de fazer programas para 0,1 por cento da população. O governo federal com o PT, não. Vejam os programas mais conhecidos: Pronatec - 8 milhões de beneficiários; Bolsa Família - 40 milhões de beneficiários; Mais Médicos - 50 milhões de beneficiários; Luz para todos - 15 milhões de beneficiários; Prouni - 1,2 milhão de beneficiários; Minha casa minha vida - 10 milhões de beneficiários (considerando uma família de três ou quatro pessoas). E por aí vai.

Todos estes programas sociais dos governos Lula e Dilma geram milhares de empregos, que, juntamente com outras políticas (como o corte nos tributos de determinados produtos) movimentam o mercado interno brasileiro, gerando mais emprego e mais renda. Nunca se vendeu tanta geladeira, televisão, computador, carros, casas, etc., como nestes últimos 12 anos. Nunca os mais pobres viajaram tanto, inclusive de avião, coisa antes impensável. Nunca tantos jovens mais pobres conseguiram bolsas para estudar no exterior.

E os dados estatísticos mostram que houve crescimento na renda, especialmente dos setores mais pobres. Ou seja, ainda que de forma tímida, tem havido sim uma distribuição de renda, que precisa aumentar, precisa ser maior, mais radical, etc. Mas, dizer que este processo todo é igual aos governos de direita e neoliberal dos tucanos e afins, vai uma grande distância da realidade. Só a cegueira ideológica impede uma leitura real.

Poderão dizer que ainda existem muitas pessoas na miséria, que a escola pública não é de boa qualidade, que a saúde pública deixa a desejar, etc. Tudo isso é verdade. Contudo, imaginar que todos os problemas do país pudessem ser resolvidos em 10 anos, seria muita ingenuidade. Ainda mais considerando que os governos mais populares e progressistas enfrentam enorme oposição golpista, de direita, que controla parte do judiciário, do parlamento e toda a mídia brasileira. Não é pouca coisa. Dilma é chantageada o tempo todo pela mídia, por banqueiros, pelo agronegócio, por pastores fanáticos, por uma classe média alta imbecilizada, acostumada apenas a se informar através da revista Veja, da Globonews e demais órgãos de desinformação.

Marina e Aécio têm discurso, apenas. Marina quer entregar o Banco Central para os banqueiros e promover o consenso de Washington no Brasil, com o receituário clássico do neoliberalismo: mais arrocho, mais desemprego, mais precarização do trabalho, mais desmonte do estado, mais privatização. Aécio segue a mesma cartilha. Ou Marina segue a mesma cartilha de Aécio, já que este reclama a paternidade das políticas neoliberais. No fundo são iguais, e querem privatizar a Petrobras, entregar o Pré-sal para os gringos, entregar o Brasil para os EUA, como as elites sempre fizeram. Vendem barato as riquezas nacionais em troca de privilégios e alguns trocados.

Muito diferente é a postura de Dilma. Na ONU, recentemente, ela fez um discurso valente, em favor dos palestinos, contra os ataques de Israel, dos EUA e dos países ricos da Europa no Oriente Médio. Dilma não embarcou na propaganda midiática serviçal, que queria que ela apoiasse os ataques contra o tal Estado Islâmico. Ela tocou na ferida: os radicais do mundo islâmico são a consequência das políticas de agressão do Ocidente. Eles não surgiram do nada. São o resultado da invasão do Iraque, da guerra civil na Síria provocada pelo Ocidente; da guerra na Líbia e da covarde ocupação do território palestino pelo estado de Israel. Dilma tem um posicionamento claro, em favor da paz, do respeito à autonomia dos povos; do respeito à diversidade cultural. Diferentemente de Marina e Aécio, que querem colocar a política externa do Brasil à reboque das políticas de rapina dos EUA e países ricos da Europa, que só pensam em guerras, para movimentar a lucrativa indústria bélica e se apropriarem das riquezas dos países agredidos.

Por isso, esta mídia golpista tem tanto ódio do governo Dilma, de Lula e do PT. Porque eles defendem internamente as políticas públicas em favor dos de baixo, e externamente não se alinham ao poderosos que querem recolonizar o Brasil e o mundo.

É neste cenário de final de jogo que a mídia golpista fará de tudo para tentar impedir a vitória da presidenta Dilma já no primeiro turno, como indicam as pesquisas. Não podemos permitir que isso aconteça. Claro que se houver segundo turno, vamos à luta para vencer. Mas, Dilma tem chance de liquidar a fatura já no primeiro turno. Para o bem da maioria do povo brasileiro, da América Latina, e dos povos excluídos de todo o mundo.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!


                                     ***