sexta-feira, 6 de maio de 2016

A comédia - se não fosse trágico - do golpe




Foto: Mídia NINJA - "Rolezinho na casa do Temer".

22 de maio, domingo - Um final de semana agitado em todo o Brasil. Manifestações de rua, ocupações de equipamentos da cultura e escolas públicas, passeatas e protestos contra o ilegítimo governo Temer. Três  momentos, entre vários outros, chamaram a atenção de todos pelo alcance e repercussão nas redes sociais - claro, já que a mídia golpista não noticia quase nada contra o governo golpista. O primeiro, a calorosa recepção da presidenta legítima do Brasil, Dilma, na abertura do 5º Congresso dos blogueiros progressistas. Cerca de 40 mil pessoas marcharam no Centro de BH para receber a presidenta Dilma e gritar: Fora Temer! Quem apostava na impopularidade e no isolamento da presidenta Dilma se deu  mal. Dilma cresce em apoio popular - e acredito até que esteja crescendo também politicamente em relação aos equívocos que cometeu no seu segundo mandato. Já o golpista que ocupa interinamente a presidência está totalmente isolado e cercado, e não pode sequer aparecer em público. Não só ele. Vários senadores e deputados federais que votaram "Sim" em nome da família deles, do Deu$$$$$$ deles, e de outros intere$$es escusos têm sido vaiados e criticados por onde andam. O segundo momento que destacamos é o da Virada Cultural que ocorreu em São Paulo, quando milhares de pessoas em diferentes locais gritaram "Fora Temer", demonstrando com isso o grau de impopularidade que o governo de poucos dias  dos golpistas conseguiu contra si. E o terceiro momento digno de destaque aconteceu no final da tarde deste domingo, quando cerca de 50 mil pessoas da Frente Povo Sem Medo avançou em passeata em direção à moradia do presidente interino, num bairro "nobre" de SP. O local já estava cercado pela polícia militar e mais cedo o presidente ilegítimo resolveu fugir para Brasília. Mesmo assim, os manifestantes do Povo Sem Medo resolveram ocupar as ruas próximas da casa de Temer. Montaram barracas de lona preta, improvisaram cozinha, banheiro e prometem ficar até que o ilegítimo governo Temer revogue a decisão de anular o decreto criado pela presidenta Dilma de construir 11 mil moradias para entidades como o MTST. Entre outras reivindicações dos sem-teto. Todo este movimento transmitido ao vivo pela Mídia Ninja, já que as rádios e TVs da direita agora escondem as manifestações de protesto. Não poderia deixar de enfocar também o maravilhoso movimento do pessoal da Cultura, que ocupou dezenas de equipamentos federais do antigo Minc, que o presidente golpista rebaixou e anexou ao MEC. Diante das manifestações que atraíram artistas e apoiadores em todo o Brasil, o impostor voltou atrás e afirmou que vai retornar com o Ministério da Cultura. Claro que isso não satisfaz aos milhares de manifestantes, que querem também o fim do governo ilegítimo e a defesa das conquistas sociais, políticas e trabalhistas do povo brasileiro. Em poucos dias de existência, o desgoverno Temer mostrou a sua cara: formou uma equipe de baixíssimo nível, boa parte da qual citada na lava-jato e com denúncias de práticas não republicanas; atendeu todas as indicações do "delinquente" Cunha, mostrando-se refém da quadrilha formada no congresso nacional e da Globo; atacou as áreas sociais e culturais; agrediu as minorias e maiorias ao não indicar um único negro e uma única mulher para o ministério; revogou todas as medidas populares tomadas pelo governo Dilma - no Minha casa minha vida, na proteção de terras indígenas, entre outras; tem ameaçado congelar o salário mínimo, aumentar a idade mínima para aposentadoria e reduzir o piso dos aposentados; flexibilizar as leis trabalhistas; privatizar tudo que puder, sobretudo a Petrobras e o pré-sal; e tratar os movimentos sociais e as manifestações populares como atos terroristas. Ou seja, um governo de direita, ao estilo PSDB e DEM, agora associado com a ala mais podre, fisiológica e de direita do PMDB e outras seitas partidárias, especialmente dominadas por evangélicos fanáticos de direita e mercenários como Malafaia, Feliciano, entre outros. O Brasil não merece isso! Se o STF e o Senado não voltarem atrás e anularem esse golpe vão ter que conviver com manifestações cada vez mais crescentes, que podem se tornar grandes rebeliões. Reparem que o proletariado organizado ainda praticamente não entrou em campo, o que não tardará a acontecer. Aí teremos milhões de estudantes, trabalhadores, aposentados, sem-terra, sem-teto, artistas, poetas, enfim, a grande maioria do povo brasileiro em resistência e luta em favor da democracia, do fim do golpe, da derrubada do desgoverno Temer e das conquistas sociais e trabalhistas e políticas ameaçadas. Não é pouca coisa. Não é pouca gente. Se as instituições não forem capazes de perceber essa mobilização em curso no Brasil e no mundo e voltarem atrás nas atitudes golpistas que tomaram, certamente a população brasileira saberá encontrar os meios, o momento e as melhores formas de conquistar suas demandas. Os golpistas não passarão

* * *





* * *




"Nascerá um novo dia fruto da revolução"


Dia 16 de maio de 2016 - Cresce a resistência e as lutas contra o ilegítimo desgoverno Temer. Os dois brasis se mostram: de um lado, as forças de esquerda e progressistas, trabalhadores, sem-terra, sem-teto, movimentos sociais e estudantis, mulheres, negros, índios, comunidade LGBT, a força do povo, enfim, que se mobiliza para defender as conquistas dos de baixo e protestar contra os golpistas. Do outro lado da trincheira, os inimigos do povo brasileiro: as TVs e rádios e jornais e revistas dominados pelos golpistas que servem aos donos do PIB, aos senhores da Casa Grande; Globo, Fiesp, Temer e seu sinistério; Cunha, Moro, Gilmar Dantas, Aécio, Anastasia, Perrela, os partidos da direita golpista, os evangélicos da direita fanática e mercenária e seus afins na igreja católica; enfim, uma verdadeira quadrilha que assaltou a democracia brasileira confiscando 110 milhões de votos, incluindo os de quem votou contra a presidenta Dilma, eleita legitimamente por 54,5 milhões de brasileiros e brasileiras. Derrotados nas urnas em quatro eleições consecutivas, os golpistas se uniram em várias frentes para derrubar o governo. Inventaram operações midiáticas, como a lava-jato, criada para criminalizar o PT, Lula e Dilma e a Petrobras, e com isso, em parceria com a Globo e afins, alimentar o clima político de ódio e de um pretexto falso de combate à corrupção. Mobilizaram milhares de imbecis que se vestiram de verde-amarelo atendendo ao chamado da Globo contra o governo Dilma. Como resultado dessa palhaçada, que impediu o governo Dilma de governar e paralisou a economia do país, essa turma da direita conseguiu o que queria: implantar um governo sem voto e totalmente submisso aos interesses das elites dominantes. Um governo cercado de corruptos, inspirado pelo chefe das propinas, Eduardo Cunha, com as bençãos da Globo, do STF e do Ministério Público Federal. O desgoverno Temer formou um ministério sem mulheres e sem negros, mostrando claramente o seu perfil anti-povo brasileiro. As emissoras de rádio, TVs e jornais e revistas, que antes batiam diariamente no governo Dilma e em Lula e no PT, agora pedem tranquilidade, paciência, tolerância e apostam no fim da crise que eles criaram. Roubaram os votos do povo brasileiro e têm a cara de pau de não reconhecerem o golpe. Tratam o desgoverno ilegítimo da forma mais natural do mundo, como se tivesse havido um processo normal, democrático de substituição de uma presidenta eleita por um outro. Nada mais falso, o que demonstra além de tudo o mau caratismo desses personagens que adoram falar em nome de "família, Deus, honestidade", etc. Nada mais falso, cínico e hipócrita. Contudo, apesar disso, milhares de pessoas se mobilizam e ocupam as ruas de todo o Brasil. A mídia da direita esconde isso, mas a imprensa alternativa, aquela que realmente nos representa, como a Mídia Ninja e os blogs sujos acompanha e repercute tudo, com a nossa ajuda nas redes sociais. O povo brasileiro está resistindo ao golpe e tem recebido apoio mundial. Vários países da América Latina - Venezuela, Nicarágua, Uruguai, Cuba, El Salvador, entre outros, não reconhecem o desgoverno golpista de Temer e seu grupo. Milhares de pessoas em vários continentes organizam manifestações de solidariedade ao povo brasileiro contra o golpe. Até mesmo a mídia internacional reconhece que o Brasil passa por um golpe de estado e com isso humilha a mídia "nacional", aspas, que esconde do povo brasileiro o que realmente está acontecendo. A elite brasileira se comporta de forma vergonhosa, com a mesma postura colonialista, submissa aos interesses de minorias privilegiadas. Por isso mesmo, cresce a cada dia as mobilizações e ocupações de rua, que organizam centenas de pessoas e criam as condições para uma virada em favor dos de baixo. Como resposta ao golpismo da direita, pode nascer a revolução dos de baixo quando tudo poderá ser revisto: os privilégios políticos e da alta burocracia estatal; a profunda desigualdade social existente no Brasil; as riquezas nacionais e seu atual controle por interesses privados minoritários; a ausência de maiores investimentos na Saúde pública, na Educação pública, na Cultura, entre outras áreas de interesse da maioria da população. O golpe, ao mesmo tempo que procura retirar direitos e conquistas do nosso povo, acaba criando, como resposta, as condições para que um novo movimento surja a partir de baixo, quando as amplas massas exploradas saberão construir o presente e o futuro em favor dos de baixo. A luta continua! Os golpistas não passarão!

* * *


(Foto: Mídia NINJA - Manifestação de protesto contra o golpe na Paulista, em 12/5/2016)

12 de maio de 2016. O golpe foi dado. A presidenta Dilma, eleita com 54,5 milhões de votos, foi afastada da presidência. No lugar dela, assume o traidor. Mais um grupo de ministros, homens brancos, golpistas. Nem uma mulher. Nem um negro. Todos golpistas. Sete deles citados pela lava-jato. É um desgoverno baseado na trama golpista urdida pelos donos do PIB brasileiro e seus associados internacionais. Globo, Fiesp, Temer, Cunha, Aécio e afins. A elite branca, machista e colonialista, atracada ao Brasil feito carma. A história aqui se repete muitas vezes, ora como farsa, ora como tragédia, ora como plágio. A elite golpista brasileira é cínica e acha que as pessoas acreditam no que ela diz. Julgam as pessoas pelo seu compasso (das elites golpistas). Cinismo, hipocrisia e mau caratismo. Se há algo de positivo - e sempre há - a extrair desse contexto é a divisão que se cria - ou se assume - finalmente na sociedade brasileira. Estar ao lado do golpe torna-se uma identidade, quase uma revelação de quem você é. A menos que se trate de um analfabeto político, destes que se informam apenas através da Globo ou da Itatiaia ou da Band ou da Veja, e que somente o tempo e alguma paciência podem salvá-los. Do outro lado estamos nós, contra o golpe, contra a farsa montada pelas elites para assaltarem o governo federal sem votos. Montaram um circo midiático com várias frentes: operação espetaculosa lava-jato - para tentar provar que o governo federal do PT era formado por uma quadrilha - e é justamente essa quadrilha que AGORA, sem o PT, assume o governo em nome da moralidade e da ética; os constantes ataques da mídia e seus jornalistas, aspas, de aluguel, que são pagos para reproduzir o que pensam seus patrões, todos golpistas e serviçais dos piores interesses; um judiciário do tempo do império, formado, com as devidas exceções, por mauricinhos da classe média alta que nunca tiveram contato com a realidade do nosso povo; um congresso formado por dezenas de bandidos, com as devidas exceções; grupos empresariais que desejam mamar ainda mais nas tetas do dinheiro público. Enfim, é este conjunto que derrubou a presidenta Dilma. Que cometeu equívocos no governo - como desenvolver políticas neoliberais em pleno ataque da direita ressentida pela derrota eleitoral, entre outros. Mas, não é apenas a derrota da presidenta Dilma o que conta. É o ataque à democracia brasileira e ao que virá em seguida, com esse novo desgoverno. Pelo anunciado e pelos personagens, podemos esperar o pior em matéria de confisco das conquistas e dos direitos dos de baixo. Contudo, que ninguém se iluda: haverá resistência. Desta vez muito superior aos movimentos das décadas de 80 e 90 dirigidos pelo PT. Há um forte movimento social que transcende os partidos, sem excluí-los obviamente. A manifestação de hoje em São Paulo, na Avenida Paulista, organizada pela Frente Povo Sem Medo, cuja principal organização é o MTST, é uma prova disso. Quase 40 mil pessoas ocuparam a Paulista no exato momento em que o traidor assumiu interinamente a presidência da república. E em todo o Brasil, inúmeras manifestações e protestos, que a mídia golpista e das elites não viu, não noticiou, mas que, graças às mídias alternativas, como a Mídia Ninja, os blogs sujos e outros, podemos acompanhar em tempo real. Cada vez mais é preciso dialogar com a população brasileira, inclusive convencê-la a não assistir os canais de TV, ou os rádios - e jornais e revistas - da mídia golpista. Que todos nós busquemos as informações nas mídias livres e alternativas, sobretudo hoje com a Internet. Outro dado importante é a retomada da ocupação das ruas e praças pelos movimentos sociais, de esquerda e progressistas. Aquela fase da ocupação da direita, com os lobotomizados pela mídia, a cada dia perde mais força. Muitos ficarão envergonhados quando perceberem que foram enganados. Lutaram por uma coisa que lhes disseram ser o correto - derrubar Dilma para acabar com a corrupção -, e dessa mentira resultou a instalação ilegítima de um governo formado e cercado por corruptos e golpistas. Verdadeiras quadrilhas. Não duvidem que em muito breve veremos boa parte dos coxinhas protestando contra o novo velho governo. Mas, a última palavra mesmo será pronunciada pela força dos trabalhadores, da juventude, dos movimentos sociais, das minorias, de todos esses personagens, enfim, que se uniram para travar o bom combate ao golpe. Do ponto de vista dos interesses dos de baixo, ter se posicionado contra o golpe e em defesa da democracia e das conquistas do nosso povo foi e continua sendo o lado certo da história. No bojo desse embate, um grande número de grupos, coletivos e movimentos sociais ganhou as ruas, ocupou escolas, praças e rodovias; enfrentou a hipocrisia das elites e os aparatos estatais nas suas diversas formas. Embora tenhamos sido derrotados no campo privilegiado dos nossos inimigos - o parlamento e o judiciário - certamente estamos nos fortalecendo no nosso campo: nas ruas, no chão das fábricas, no campo, nas periferias, porque nesses espaços o papo é outro. "Não faz curva". Os interesses de classe são muito bem definidos. E não há propaganda que consiga enganar a maioria por muito tempo. E não vão conseguir dourar a pílula das medidas draconianas do desgoverno do conhecido mordomo de filmes de terror. No voto, eles foram derrotados; no tapetão midiático, judiciário e parlamentar, claro, eles ganharam uma batalha; mas, as lutas decisivas ainda estão por acontecer. O tempo, agora, urge contra eles. E dias virão em que eles sentirão saudades da generosidade quase ingênua dos governos Lula e Dilma para com os interesses dos de cima. Com a ascensão de uma esquerda renovada e radical, a história pode ser outra, senhores golpistas. O mundo inteiro parece ter percebido isso. Menos vocês e seus chefes imperialistas. Aproveitem, portanto, os poucos momentos de sossego que vocês terão daqui pra frente. O tempo agora começa a contar... contra vocês.

* * *



10 de maio de 2016. Em todo o Brasil, grandes manifestações de protesto contra o golpe, inclusive trancamentos de rodovias, organizados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem medo. Para acompanhar em tempo real, visite aqui (Mídia Ninja) ou aqui (radar Brasil de Fato). Acompanhem também as análises nos blogs "sujos", que indicamos ao final do post. Ontem, 9, o Brasil assistiu a mais um farsante capítulo dessa novela do golpe, quando o agora presidente da Câmara Waldir Maranhão anulou aquele show de horrores do dia 17 de abril. Dizem que foi uma decisão combinada com o bandido Cunha, para mostrar que ele continua dando as cartas. Em resposta, o presidente do Senado rejeitou a decisão e mostrou que ele também está à frente do golpe e quer uma fatia grande do condomínio de ladrões que o traíra Temer chefiará a partir do dia 11. Enfim, o Brasil assiste a este golpe jurídico, midiático e parlamentar, golpe televisionado, com boa parte da população não entendendo nada, ou apenas percebendo como uma briga de poder entre os de cima. De certa forma seria isso mesmo, se entre os atores que "brigam" pelo poder não existissem distintos projetos: de um lado, o PT, o PCdoB, o PSOL, as frentes de esquerda e popular, os movimentos sociais, enfim, defendendo as conquistas e os direitos dos de baixo; do outro, a Globo, a Fiesp, os partidos de direita - PSDB, PPS, DEM, PP, PMDB, entre outros - , o juiz Moro, Janot, o STF omisso, todo o aparato midiático (Globo, Itatiaia, Band, SBT, Record, entre outras), Temer, Cunha, Aécio, Renan, entre outros, representando a Casa Grande. Na briga entre essas duas frações, que representam os interesses de classes entre os principais sujeitos da realidade brasileira, não há como ficar em cima do muro ou dizendo que são todos iguais. Esta é a postura de "puros", daqueles que não querem se envolver nessa briga, mas que com essa atitude já estão envolvidos em favor dos poderosos, dos donos do PIB, da direita golpista. Omissão, neste caso, é conivência com o golpe. Portanto, todo apoio às lutas sociais em defesa da democracia, do estado de direito, das conquistas sociais e trabalhistas que serão canceladas num governo ilegítimo e golpista do traíra Temer.


* * *



Momento marcante do 1º de Maio em BH: o escracho na residência do senador Anastasia, relator da comissão do golpe do impeachment no Senado. Apesar de ter pedalado em todas as direções quando governou Minas, ele teve a cara de pau de considerar que Dilma cometeu crimes com as "pedaladas fiscais". Detalhe: Dilma pedalou para manter em dia o pagamento do Bolsa Família, do Plano Safra e outros programas do governo. Anastasia e Aécio pedalaram para não pagar os 12% da Saúde e os 25% da Educação. E colocaram as vacinas em cavalos como gastos na Saúde Pública. Vejam o vídeo produzido pela Mídia Ninja com os/as valentes militantes do Levante Popular da Juventude e do MST, entre outros grupos e coletivos.

* * *


Concerto pela democracia. Maravilha! O que há de bom e de melhor no Brasil em favor das melhores causas. Fora Cunha, Temer, Aécio e demais golpistas!

* * *



A comédia - se não fosse trágico - do golpe

Por enquanto (dia 06 de maio de 2016), fiquemos com o vídeo do artista Bemvindo Sequeira. Mais tarde um pouco e nos próximos dias, faço o relato desses dias de golpismo das elites e das mobilizações dos de baixo. O Brasil inteiro está assistindo a um circo de horrores. O que há de bonito nessa história, além do humor, é o renascimento das mobilizações de rua. Dos movimentos sociais, das manifestações e das ocupações. Da Mídia Ninja que se fortalece enquanto mídia alternativa popular, ao lado dos blogs "sujos". Da turma do Levante da Juventude Popular, que escracha os patifes que votaram "sim" no golpe do impeachment. Das manifestações e mobilizações da CUT, do MST, da UNE, do MTST, além de centenas de artistas, escritores, poetas, cantores populares e grupos das periferias do Brasil. Um grande movimento social, com a diversidade cultural que caracteriza o nosso povo; as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e centenas de grupos e coletivos e pessoas e comunidades LGBT, indígenas, de negros e de mulheres, além das manifestações nas redes sociais que se espalham. No Brasil e em todo o mundo. Impressionante a força da resistência e do crescimento da crítica e da condenação ao golpe da direita, organizado pelo que há de pior no Brasil: Globo e afins, Fiesp, PSDB, DEM, PPS, PP e afins, juiz Moro e sua equipe de Curitiba, o procurador Janot e um STF omisso, a maioria de patifes do Congresso Nacional, entre outros. A elite plutocrata que serve aos donos do PIB e não está nem aí  para o nosso povo. O golpe é para ferrar ainda mais os de baixo, e não apenas para derrubar o PT, Lula e Dilma. Mas, claro que Lula é o alvo principal, bem como o governo Dilma. Como a direita não ganha as eleições presidenciais nem com reza brava (ou com o apelo dos fanáticos evangélicos), precisa de um atalho, eleições indiretas via congresso de picaretas, salvo honrosas exceções. O golpe foi dado, mas não se consolidou. Enquanto houver resistência, luta, ocupações, denúncias, não haverá sossego para os golpistas. Um dos principais agentes do golpe, o bandido que presidia até ontem a Câmara dos Deputados, foi afastado por um STF omisso, que esperou que o "delinquente" e sua turma derrubassem a honesta presidenta Dilma; que fizesse, portanto, o serviço sujo, para depois afastá-lo temporariamente, para que não ficasse essa impressão negativa demais - ainda mais - junto ao novo e ilegítimo desgoverno do traidor Michel Temer. Mas, eles sabem que Temer e mais 200 deputados, inclusive muitos aqui de Minas, como os da turma da bala somente contra bandidos pobres, todos eles estão nas mãos do Cunha. Se Cunha abrir o bico cai uma republiqueta e meia. Cunha é o grande operador das propinas do PMDB e de outros partidos também. Por isso é um homem-bomba, capaz de chantagear não só o traidor Temer, mas também a metade do Congresso Nacional e boa parte do judiciário e do MP e da PF e da mídia. Vejam como Globo, Itatiaia, Band quase nem falam no Cunha, pois ele era o homem do golpe. E das propinas para muitos e muitas. Esse processo golpista mostra que as instituições ditas democráticas faliram. O povo brasileiro cada vez mais começará a cobrar mudanças radicais na política. O governo do traidor certamente vai atacar os interesses e as conquistas dos de baixo nos últimos 13 anos e até nas últimas décadas. Quem pensa, portanto, que o golpe se consolida com o afastamento da presidenta Dilma após o dia 11 está muito enganado. A luta está só começando. E acredito que muitos que estão patrocinando o golpe, e fazendo propaganda contra Dilma, vão se arrepender e vão desejar que nunca tivesse acontecido o seu afastamento. Vocês abriram a porta do inferno com os Cunhas e outros tipos, de um lado, mas, ao mesmo tempo, mexeram com muita gente que estava acomodada. Milhões de brasileiros e brasileiras que ainda não pronunciaram a sua última palavra. Ainda mais agora, que cassaram os nossos votos no tapetão, num golpe parlamentar e judicial e midiático, vamos ter que nos pronunciar de outras formas. Se os nossos votos não valem nada, certamente nós, os de baixo, saberemos reconstruir o nosso protagonismo da forma que acharmos melhor pra nós. Aguardemos o desenrolar dessa novela midiática golpista. Já cientes de que o desfecho não será definido por vocês, canalhas, mas por nós, pelo povo brasileiro!

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

MST

* * *