quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Uma leitura refinada da reunião no Ministério Público



Uma leitura refinada da reunião no Ministério Público


Pessoal do combate
, comecei agora, às 23h59m, a pensar e a redigir uma análise refinada da reunião ocorrida hoje no Ministério Público, entre o sindicato e o governo de Minas. Vou tomar como base as duas versões publicadas nos respectivos sites, do sindicato e do governo. Quero pincelar e analisar com detalhe o que está nas entrelinhas de algumas afirmações publicadas nos textos. Então, o nosso post pode demorar um pouco, já que eu escrevo ouvindo música, fazendo cálculos, pesquisando fontes e dando pausa para tomar um chá com biscoitos. Mas, quem não puder esperar até mais tarde, poderá acompanhar o novo post nas primeiras horas da manhã de amanhã. Então, até mais tarde!


***

Tão importante - ou mais até - quanto saber ler e interpretar o que está escrito, é tentar entender aquilo que não está escrito. Procurar perceber, dentro do contexto, o que está nas entrelinhas dos textos analisados, é o nosso desafio neste post.

Começaremos pelo texto divulgado pela SEE-MG, no seu site oficial. Eis o que diz o título do texto:

"Governo de Minas reitera compromisso com o aprimoramento do novo modelo de remuneração dos profissionais da Educação".

Ou seja, o compromisso do governo de Minas é com o subsídio. Nem uma linha sequer do texto foi dedicada a admitir a possibilidade de implantação do piso no antigo sistema remuneratório. Pelo contrário. A secretária da Seplag disse:

""A sistemática de remuneração antiga está em extinção".

Afirmação perigosíssima, pois mostra que o governo tem estratégia para tentar acabar com o antigo sistema.

No parágrafo seguinte, o texto traz um complemento à afirmação anterior:

"Atualmente, cerca de 75% dos cargos da educação em Minas Gerais são remunerados por meio do modelo de remuneração em valor único. A promotora de Justiça Maria Elmira do Amaral Dick, coordenadora estadual do Ministério Público para a Educação, considerou relevante o número de cargos que já estão posicionados no novo modelo implementado pelo Governo de Minas."

Vejam: se o número total de servidores da Educação em Minas gira em torno de 400.000 educadores, o percentual apontado indicaria que em torno de 100.000 educadores teriam mudado para o antigo sistema remuneratório. Mas, este número deve aumentar, considerando o dia de hoje, que não estava computado na indicação feita pelas secretárias.

Além disso, é importante checar dois elementos fundamentais: primeiro, saber o peso proporcional em relação àqueles que puderam optar pelo antigo regime (efetivos e efetivados), e não sobre a totalidade dos educadores, já que os designados e os aposentados que não têm paridade com os cargos da ativa ficaram de fora dessa opção.

Suponhamos que este percentual, excluídos os segmentos citados, suba para algo entre 35% e 40% dos educadores. É um percentual muito expressivo, sobre o qual não se pode dizer que esteja "em extinção".

Mas, este dado deve ser visto ainda submetido a novo corte qualitativo. Por exemplo: qual o percentual de professores na ativa que fizeram tal opção pelo antigo regime remuneratório? Pode ser que este elemento represente a verdadeira expressão da vontade da maioria em favor do antigo sistema remuneratório.

Por que faço esta observação? Porque é natural que uma numerosa parcela de educadores aposentados não tenha recebido as informações necessárias para optar pelo antigo sistema. Neste caso, eles poderão inclusive ingressar com ação na justiça - e vão ganhar, seguramente - caso percebam que foram prejudicados e não receberam nenhuma informação adequada para apresentar tal mudança de sistema.

Além disso, é normal também que muitos daqueles segmentos de educadores que estavam (ou estão ainda) com dúvida sobre o alcance da expressão "profissionais do magistério", tenham apresentado dificuldades em retornar para o antigo sistema. Logo, esta análise qualitativa de quantos professores na ativa (efetivos e efetivados) optaram pelo antigo sistema é muito significativa.

É importante chamar a atenção para o dado que deu lugar ao título do artigo publicado pelo governo: o aprimoramento do "novo modelo". Em todo o texto o governo frisa que pretende aprimorar o novo sistema remuneratório (mencionaram a palavra subsídio apenas uma vez, assim mesmo entre parênteses. Por que será?). Vejamos:

"...as secretárias anunciaram que o Governo de Minas se dispõe a implementar possíveis aprimoramentos para o novo modelo. O anúncio foi feito na presença de representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE/MG)."

E em seguida:

""Estamos abertos a estudar propostas para melhorias no novo modelo", informou a secretária de Estado de Educação, ..."

Como podemos perceber, o tempo todo as secretárias bateram na tecla do aprimoramento, do melhoramento, do ajuste no "novo modelo", também conhecido como subsídio. Mas, a parte mais venenosa ficou reservada para o final do texto. Vejam:

"Durante a reunião, a diretoria do SindUTE/MG assumiu o compromisso, perante o Ministério Público Estadual, de levar aos professores da rede estadual que aderiram à paralisação as propostas de aprimoramento no sistema de remuneração em valor único que serão apresentadas pelo Governo de Minas." (grifo nosso)

Vejam que contradição. Os educadores da rede estadual que aderiram à greve são justamente aqueles que optaram pelo antigo sistema remuneratório. Quem ficou no subsídio não tinha razão para fazer greve, isso é fato. Já estão satisfeitos. E nem o governo está preocupado com eles. Logo, apresentar a proposta do aprimoramento do subsídio para quem optou pelo antigo sistema significa dizer que o governo planeja abrir uma janela para o retorno de quem optou pelo sistema de vencimento básico.

Já havíamos cantado essa pedra aqui, aliás, que nos parecia evidente demais. Depois a própria entidade dita sindical que atua como linha auxiliar do governo se apressou em pedir ao governador que abrisse essa possibilidade, que aliás está prevista na lei 18.975/2010 - lei do subsídio. Vejam:

"Art. 6º. O servidor que manifestar a opção pelo regime remuneratório anterior, nos termos do art. 5º., poderá requerer seu retorno ao regime de subsídio estabelecido nesta Lei.

SS 1º. O retorno ao regime de subsídio poderá ser requerido em período a ser fixado anualmente, conforme procedimentos a serem definidos por resolução conjunta dos titulares da SEPLAG e da SEE."

E como o governo não assumiu formalmente nenhum compromisso com o sindicato de que vai pagar o piso pelo sistema de vencimento básico, fica claro que o governo pretende ainda, antes de pagar o piso, tentar atrair um número significativo de profissionais da Educação para as asas tenebrosas do subsídio. Infelizmente, há muitos desavisados, que ficaram desesperados com a jogada ilegal do governo de reduzir salários, que poderão cair nessa cilada.

O nosso blog alertou, desde o início, que deveríamos trabalhar a não redução de salários como um eixo fundamental de campanha, inclusive juridicamente. O sindicato alegava que a implantação do piso resolveria este problema. Mas, nosso dilema não era o após a aplicação do piso, mas o antes da aplicação deste. A realidade está mostrando que nossa análise tinha fundamentação.

No texto do sindicato, por haver elementos com os quais toda a categoria concorda, em linhas gerais, chamou-nos a atenção duas passagens feitas numa mesma frase reproduzida no texto. Vejamos:

"“Este resultado é fundamental para os trabalhadores na negociação junto ao Governo de Minas, pois irá mostrar a realidade e a opção feita pela categoria. As secretárias consultarão o Governador sobre a possibilidade de apresentar a tabela do Piso Salarial no vencimento básico e também o cálculo de impacto financeiro dessa proposta na reunião que será realizada na sede do MPE, no próximo dia 16”, informou a coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG)...". (grifos nossos)

Há duas coisas aqui que temos que tomar muito cuidado para não cairmos nas ciladas armadas pelo governo. Primeiro: a aplicação do piso não pode estar condicionada à quantidade de pessoas que aderiram ao antigo sistema remuneratório. Mesmo que a maioria tenha ficado no subsídio, o piso precisa ser aplicado no antigo sistema, seja para um, para 10 ou para 120 mil educadores que optaram pelo sistema de vencimento básico. Não há que se falar aqui em quantidade maior ou menor de servidores que optaram por este ou por aquele sistema, principalmente considerando as condições impostas pelo governo, quais sejam:

1) o subsídio foi implantado compulsoriamente para todos,
2) o retorno ao antigo sistema se deu antes da aplicação do piso, sem o conhecimento prévio das tabelas do piso implantado,
3) o governo reduziu a remuneração dos servidores que optaram pelo antigo sistema, de forma ilegal, e de modo a intimidar os que ainda não haviam feito tal opção,
4) pelo menos um quarto do total dos servidores estava impedido de optar pelo antigo sistema.

Portanto, o sindicato não pode querer disputar com o governo no percentual de quem teria feito a opção pelo antigo sistema. Ao contrário, deve denunciar as limitações impostas pelo governo e insistir na tese de que o "novo sistema" é ilegal e contraria a lei do piso.

A outra coisa que precisamos estar atentos é em relação a esta tabela do piso implantada e seu impacto no orçamento, mencionados pela direção do sindicato. Seria importante, neste particular, que a direção do sindicato cobrasse do governo duas tabelas, pelo menos, e os respectivos impactos: a do CNTE integral, defendida pela categoria; e a proporcional do MEC, que é reconhecida pelo governo.

E por que eu faço esta observação? Porque o governo poderá na próxima reunião apresentar somente a tabela da CNTE com dois argumentos: 1) que o governo não reconhece essa tabela, pois ela não trabalha com o piso do MEC; e 2) o impacto no orçamento dessa tabela pode se mostrar por demais inviável para a realidade orçamentária de Minas. Se o impacto do piso do MEC custaria, segundo o deputado Rogério Correia (que continua devendo a confirmação dessa versão) algo próximo de R$ 4 bilhões a mais no orçamento, imagine-se qual a cifra seria apresentada com o piso integral da CNTE? É muito provável que o governo diga que se pagar esse valor toda a folha de pagamento do estado será atingida pelos educadores. E mais: como o MEC não reconhece esse valor, nem adianta provar que não pode pagar, pois ele não tem obrigação de complementar aquilo que ele (MEC) não indica e não reconhece.

Logo, seria muito importante que a direção sindical exigisse do governo a tabela e o impacto também do piso proporcional do MEC.

De início, é essa a leitura que apresento para a apreciação dos nossos combativos visitantes.

Lembrando sempre: o piso implantado no nosso vencimento básico é a condição sem a qual não pisamos em sala de aula.

Um forte abraço e força na luta! Até a vitória!

***

P.S. Amigos do combate, devido ao grande número de comentários que o nosso blog tem tido a honra de receber, e em função do tempo que está corrido, não estou tendo condições de fazer a segunda publicação dos comentários abaixo do texto inicial. Mas, eles são aprovados e estão incorporados logo abaixo da matéria que abre o post. Esta segunda publicação que faço dos comentários é manual e requer um certo trabalho, pois tenho que copiar, colar, alterar o tamanho da letra para maior, mudar a cor da fonte, e às vezes até o tipo, etc. É uma forma de valorizar a brilhante contribuição dos colegas, e de horizontalizar o debate. Mas, o tempo está escasso, pois temos que sair às vezes para visitar escolas, ou fazer alguma pesquisa pela Internet. Por isso, espero retornar a fazer tal segunda publicação assim que puder. Conto com a compreensão de todos e agradeço pela belíssima participação da nossa categoria também através deste espaço. Temos recebido uma média de 100 comentários por dia e algo em torno de 5.000 visitas / dia. É um pouco a expressão da força do nosso movimento, que será vitorioso, graças a este apaixonado engajamento de centenas de bravos / bravas guerreiros / guerreiras da Educação. Sem o piso implantado no nosso vencimento básico, mais as gratificações, a greve continua até a COPA de 2014, se necessário for! Contem comigo para o que der e vier. Um forte abraço e força na luta!

145 comentários:

  1. Caros companheiros de luta


    "Quem abandona a luta,
    não poderá nunca saborear o gosto de uma vitória." (Textos Judaicos)

    Este vídeo foi postado por mim. E deixo um recado aos amigos de combate, essa batalha que começou no dia 8 de junho já atingiu o ponto mais alto (o de um GOVERNADOR desesperado) e agora o que resta é o desfecho com a nossa vitória (categoria da Educação de Minas). Todos satisfeitos por ajudar a construir uma Minas Gerais mais justa. Isso é aula de cidadania. Quando estiver cansado, com raiva e sem graça ao ver e ouvir tantos noticiários "pagos e comprados" e pensando nas horas de ouro que tivemos desde o dia 8 de junho e de tantas pessoas boas que você conheceu, assista este vídeo:
    Recado ao GOVERNADOR
    http://www.youtube.com/watch?v=zABP_lbj2qY

    ABRAÇO a todos.
    Gleiferson Crow
    LEIA: o Jornal do José Elias Issa

    ResponderExcluir
  2. Oi Euler,boa madrugada.
    Excelente análise.
    Queria fazer duas observações:
    A- a esta altura não sei se é possível acreditar nos dados apresentados pelo governo.Temos como comprovar a veracidade dos
    números de servidores que optaram pelo vencimento básico?
    B- o governo pode usar o argumento de que não é hora de aumentar gastos,como a Dilma anda falando.Penso que estão usando a crise externa para desviar o olhar do cidadão das falcatruas nos ministérios.Isso é sacana pois a crise é mais light que s de 2008 que naquele momento foi , como disse oLula uma marolinha,nem nos atingiu.Esta nova crise tb não nos afetará mas, estão fazendo uso político dela e aí sim pode atingir diretamente nossa luta.

    ResponderExcluir
  3. Professor Euler;
    Professores de Minas Gerais.

    Esta arrogância do Governo é nojenta.

    Mas para pagar o Piso Salarial, existe o FUNDO DE EXCEPCIONALIDADES E CUMPRA-SE A LEI.

    Peça aos advogados do Sind UTE, para estudarem esta matéria na lei do PISO NACIONAL.

    Se existir uma janela para voltar ao regime de subsídio, deverá existir também a mesma janela para volta ao regime REMUNERATÓRIO.

    O PRAZO NÃO VENCEU.

    O Sind UTE, precisa ter um advogado de plantão em Brasília, para acompanhar o processo no STF.

    PRECISAMOS AGORA DE ACOMPANHAR CONSTANTEMENTE, DIARIAMENTE, INSTANTANEAMENTE O PROCESSO NO STF.

    A DECISÃO DO STF É DECIDIRÁ ESTA PARADA.

    NOSSA LUTA É JUSTA.
    FORÇA E PERSISTÊNCIA.
    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS)

    *** A FORÇA DAS ÁGUAS REPRESADAS CONTÉM ENORME ENERGIA.

    * ELES ESTÃO ESQUECENDO DISSO.

    Bom dia a todos!

    ResponderExcluir
  4. EU ESTOU TÃO FELIZ SOU VITORIOSA!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia companheiros de luta!
    Tudo bem amigo e combativo Euler, mais uma vez foi um grande prazer poder reencontra´-lo na nossa Assembléia. Certamente uma conversa contigo nos deixa mais animados nesta batalha...

    Nesse momento crucial dessa grande Guerra que os Educadores Mineiros estão travando com o governo de Minas, com muita coragem, muita luta e determinação; gostaria de parabenizar a todos os companheiros, em especial aos colegas da E.E Conceição Avelar que desde o primeiro momento aderiram ao nosso movimento e estão firmes na luta, com exceção dos professores do primeiro ao quinto ano que ainda não entenderam a importância dessa histórica greve. Fica registrado o nosso apelo, para que reflitam e possam nessa reta final e crucial somar forças conosco, pois são pessoas valiosas que certamente farão à diferença.

    ABAIXO O SALÁRIO(SUBSÍDIO) TAMPÃO! ABAIXO O PROFESSOR TAMPÃO! ABAIXO O DITADOR...

    Companheiros de luta esperamos que a justiça seja feita. Não é possível um governo que queira na vida real imitar “Timótio – O Terrível”. Um governador que se diz professor querer menosprezar a inteligência da nossa classe e de todo o povo de minas, mentindo,mentindo e mentindo descaradamente a todo momento, jogando nosso dinheiro no ralo, contando mais mentiras na mídia, desrespeitando as leis, assumindo uma postura ditatorial, tentando jogar a sociedade contra professores... Estaria esse governo acima da CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA?
    Através dos MOVIMENNTOS SOCIAIS A SOCIEDADE ESTÁ DANDO A RESPOSTA. A GUERRA TRAVADA EM MINAS GERAIS É DE TODA A SOCIEDADE CONTRA UM GOVERNO DITADOR...! ACREDITO QUE DIANTE DO COMPORTAMENTO DESSE GOVERNO DEVERIA SER FEITO UM PLEBISCITO PARA SABER SE O POVO MINEIRO QUER A CONTINUIDADE DESSE, QUE NÃO ESTÁ REPRESENTANDO OS INTERESSES DA MAIORIA DA POPULAÇÃO MINEIRA.
    Esperamos que a Justiça seja feita, pois se não for, nós SOCIEDADE MINEIRA a faremos... COM LUTA, COM GARRA , O NOSSO PISO SAI NA MARRA!
    PS – Seria o caso de um plebiscito, ou um movimento direto de impedimento?
    Força na luta companheiros!
    Professor Odair José

    ResponderExcluir
  6. Euller,
    Essa elite pensante é um saco de maldades.Percebemos claramente que em nenhum momento essas infelizes pensam em cumprir a lei e pagar o piso.Agora nem é mais subsídio rssssssss, é novo modelo.Isso ta com cheiro de enxogre no ar...
    Fico preocupada com esse pessoal do MPE.Lei é lei e a lei diz que nos temos direito ao PISO e que piso é o salario base, mais as vantagens pessoais.(Fala essa do relator , também jurista da ADI), mais MG tem rasgado a CF e tem contado com o silencio de todos(quase 100 mil efetivados sem concurso público)omissao e compra da mídia, com investimento em massa de publicidade enganosa( choque de gestao, deficit zero), MG crescendo a mais de 10% ao ano( vi ontem essa propaganda,professor da família) etc.
    Dá uma sensacao de desanimo pensar nisso...
    Colegas, concordo com o Euller, nao podemos deixar o mal vencer.O PISO reconhecido é o do MEC.Temos que bater nessa tecla.
    VAMOS TODOS JUNTOS, NAO DESANIMEMOS.
    Maria - Contagem

    ResponderExcluir
  7. vejam matéria publicada no Estadão (SP) e os comentários.Colegas ficaremos em greve até a vitória http://br.noticias.yahoo.com/professor-s%C3%B3-pensa-sal%C3%A1rio-diz-vereador-jacare%C3%AD-184000447.htmla.

    ResponderExcluir
  8. O Sind UTE precisa agora mais do que nunca ser uma entidade pensante, o racional deve prevalecer sobre o emocional, o setor jurídico do sindicato deve provar que é competente e eficiente e sobretudo acreditar naquilo que defende, temos que basear na lei federal e no piso proposto pelo MEC, que é pouco mas mesmo proporcional é bem maior que os 369,89 reais pago pelo governo de Minas a um Professor que possui o ensino médio (Antigo magistério)por 24 horas semanais, na orientação do MEC o valor pago a este professor pelo salário base deveria ser aproximadamente 712 reais e não 369,89. O governo deveria ao menos corrigir esta distorção no modelo antigo de remuneração e incidir sobre este valor todas as vantagens do servidor adquiridas ao longo da carreira. Isso ainda seria muito pouco mas seria o começo, e aí sim deveríamos unificar forças com os demais estados da federação para que o MEC acatasse a proposta da CNTE. Temos que convencer o judiciário para que se aplique a LEI e não confundi-lo e dar brechas para o desgoverno Anastasia, temos que ser coerentes e firmes (mesmo que isso nos custe alguns trocados, que para nós vale muito frente ao salário de fome que recebemos). Se estamos abrindo mãos de direitos adquiridos através de muita luta por uns míseros trocados é porque não nos valorizamos como deveriamos OU porque o nosso salário é de FOME. Temos que pensar nesta hora, olhar a história das conquistas dos educadores e educadoras de Minas Gerais e reconhecer que há muito tempo este povo vem lutando e muito pouco foi alcançado, mas o POUCO que se alcançou não pode ser jogado no LIXO. Temos que garantir mais direitos e não abrir mão daqueles que já conquistamos.
    FORÇA, QUE A VITÓRIA VEM!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Euler!
    Importante a sua análise. Gostaria de falar que o sindicato, pelo que pude entender,não está disputando os percetuais de quem voltou o não para o vencimento básico. Na verdade a quantidade apenas corroboraria o NÃO da categoria a essa forma de remuneração. Mas a direção, pelo que tenho visto, tem clareza de que o governo precisa cumprir a lei do piso ainda que seja para 1 pessoa.
    Além disso, quero salientar o fato de os designados não terem podido fazer a opção. Espero que isso tenha sido deixado muito claro para MP. De tudo fica mais do que claro o tanto que essas secretárias saõ sem caráter e mentirosas. Afirmaram que menos de 70 mil sairam do subsídio, sendo que o diário oficial de MG publicou mais de 80 mil nomes no vencimento básico, e ainda tinha muito mais a ser publicado.
    Governo tosco!

    ResponderExcluir
  10. Bom dia, companheiros de luta. Como sempre, o nosso companheiro Euler nos brindou com análises muito sóbrias. A luta pela implantação do piso é da categoria e não apenas de um segmento do funcionalismo. Vamos cobrar do Sindicato outros tipos de ações judiciais, mas não nos esqueçamos da nossa mobilização, da nossa coesão e firmeza na defesa de nossos ideais. Precisamos demonstrar força, derrotar este governo e todos os outros que demonstrarem atitudes despóticas com os movimentos sociais. Derrotar este governo significará ainda a ruptura do acordo perverso de grande parte da elite mineira cooptada pelo poder.

    ResponderExcluir
  11. A hora é agora.
    Ou não será nunca mais!
    O momento é de ESTARMOS UNIDOS.
    Quem está presente nesse MOVIMENTO sabe, exatamente, o que significa e por isso não abandona o barco.
    Quem luta ganha sempre.
    Estamos juntos!

    ResponderExcluir
  12. Euler,
    Excelente análise, realmente precisamos observar melhor o que está nas entrelinhas dos textos publicados tanto pelo governo quanto pelo sindicato. Seria muito bom que você enviasse sua análise para o blog da Bia. Precisamos estar a todo momento, atentos às possíveis armadilhas deste DESgoverno para sabermos nos defender. Faz-se necessário que mais profissionais venham lutar conosco, pois quanto mais EDUCADORES aderirem à greve da CATEGORIA, maiores serão as chances de negociações à nosso favor. FORÇA NA LUTA até a conquista do nosso PISO SALARIAL NACIONAL! LUTAR SIM, DESISTIR JAMAIS!!!

    ResponderExcluir
  13. Pessoal, não podemos retornar às salas de aulas enquanto não atingirmos o nosso objetivo final, ou seja, o PAGAMENTO DO NOSSO PISO SALARIAL! Força na luta até a vitória! Se desistirmos no meio do caminho então de que valeu sonharmos e acreditarmos na realização deste sonho?

    ResponderExcluir
  14. Euler e todos/todas colegas da Educação,
    Vivemos os instantes finais, (creio) da greve da categoria. Tanto a direção sindical, quanto todos nós devemos ficar atentos às negociações,pois não podemos e nem devemos deixar "a toalha cair" nesses momentos finais!!!! Importante ficarmos atentos às coisas ditas nas entrelinhas.
    Força e Fé !
    Vânia-Gov. Valadares

    ResponderExcluir
  15. Governo vai pagar o piso no sistema antigo de remuneração!!!

    ResponderExcluir
  16. Olá, Euler,
    Li e reli seu texto. Confesso que fiquei meio ressabiada.As estratégias e manobras do governo são bem transparentes para nós, professores. Mas quanto o sindicato vai "cair" ou se deixar levar por essas manobras? Até que ponto o MP vai nos apoiar, visto que é uma greve por piso, e dar ganho de causa aos professores? Preocupa-me, principalmente, o fato de o MP, apesar de ser jurídico, ser manobrado: quantas armadilhas jurídicas existem que conseguem livrar ladrão de cadeia! Não quero voltar para a sala novamente com a sensação de que o sindicato nos abandonou e se deixou levar pelo governo. Gostaria até de ser um " insetozinho qualquer" para ver como o sindicato se comporta nessas "rodas" de negociação com o governo - e o MP, se com a mesma veemência com que fala com a categoria.
    E finalmente, como é o jurídico do sindicato, pois quem me atendeu, durante a questão do subsídio foi uma estagiária, que nada entendia, pelo menos não me esclareceu nada. São advogados capazes de "tirar ladrão de cadeia" ou acompanham vendo o que vai acontecer?
    Nessa luta de Golias e Davi, as chances de Golias ganhar ainda são grandes, se Davi não tiver pulso forte .
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Euler,
    eu colei esta matéria abaixo do site do SindUTE MG:

    "O direito de greve dos servidores públicos é legítimo, estando previsto constitucionalmente no artigo 9º da Constituição Federal de 1988: “é assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender”. A regulamentação deste direito foi estabelecida pela Lei Federal No. 7.783 de 28/06/89, por força da decisão proferida no Mandado de Injunção No. 708 do Supremo Tribunal Federal (STF).
    Por isso, é vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos (art. 7º, § único da Lei 7.783/89). A ausência do trabalho por motivo de greve não pode ser confundida com falta injustificada, não podendo ocorrer punições pelo governo do Estado.

    Art. 7º - Observadas as condições previstas nesta Lei, a participação em greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais, durante o período, ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da Justiça do Trabalho.
    Parágrafo único. É vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos (...)".

    Voltando, então, ao assunto das designações de professores-tampões, tenho uma sugestão:
    Se elas realmente acontecerem, que tal a gente chamar a polícia naquele momento para fazer um BO?
    Isso pode inibir a ação dos diretores que fazem cumprir todas as determinações... até as que ferem a LEI. Principalmente considerando que eles terão que enfrentar pessoalmente tais processos.
    É uma ideia.

    ResponderExcluir
  18. É EULER ,A SECRETÁRIA GORGOZZOLA ESTA ENGANADA, O QUE ESTA EM EXTINÇÃO NÃO É O SISTEMA ANTIGO DE REMUNERAÇÃO E, SIM O PROFESSOR ,ACHO QUE ELA DEVE FAZER UMA DENUNCIA NO IBAMA .



    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179167,OTE&busca=greve%20professores%20mg&pagina=1

    ResponderExcluir
  19. Caro companheiro Euller, fico preocupado com a possibilidade de nossa luta ir por água abaixo depois de tanto trabalho feito em prol do nosso tão suado piso salarial! O que que a justiça está fazendo? Assistindo a tudo de braços cruzados? Lei não é para ser cumprida? Cadeia para esse Governo AnastAZIA Timotinho(Cordel Encantado). O que os nossos ministros do STF estão esperando? Quer dizer que eles julgam uma lei, e o Timotinho cumpre se quiser ou se achar conveniente? Onde que estamos? Isso é Brasil? Não Concordo! Acho que a nossa categoria tem que se posicionar agora, JÁ, e ir ao STF e fazer a cobrança!!! Estou Indignado!!!

    ResponderExcluir
  20. Ola, bom dia!

    Cumplicado este investir no subsidio nao queremos subsidio.
    Acho que teremos lutar agora para o pagamento do piso como vencimento básico, acredito que a conscientização vai se da agora de maneira que todos os servidores que retornaram a carreira antiga, entre com ação na justiça, cobrando o piso, o pagamento retroativo desde janeiro de 2010 ou antes se for possivel.
    Vamos juntos, somar forças.
    Outra questão que podera nos salvar desta ladainha de investir em melhorias do subsidio e o STF julgar inconstitucional a lei do subsidio, complicado.
    Vamos alimentar a ideia de uma conjunta de todos nos que retornamos ao antigo sistema de pagamento no estado.

    ResponderExcluir
  21. Dia 20 de agosto receberemos uma visita na nossa ciadade(Arceburgo). O senhor governador de Minas irá receberum título. Convidamos a todos que venham prestiajar não o governador mas,a nossa classe.... OS PROFESSORES.... abraços.

    ResponderExcluir
  22. Caro Euler!
    Amigos do blog! O que será necessário para que nosso companheiro Euler participe efetivamente das reuniões do Sindicato com o Governo e o MP. O grande acompanhamento e debate do movimento ocorre aqui neste espaço democrático. Portanto,nada mais justo do que termos um representante deste Blog nas rodadas de negociações. Fica aqui a minha proposta concreta de se colocarem todas as contradições esclarecidas de uma vez por todas. Tais como: nosso piso é o do MEC, o subsídio não deveria ter sido implantado compulsoriamente, não se publicou nehuma tabela para o sistema remuneratório após a constitucionalidade da Lei do Piso, houve a reduçao ilegal dos salários e muitos não tiveram a opção de retorno. Brilhante"mente" Euler levantou todas estas questões, que por si só, já coloca o governo numa situação de incoerência para não se falar de manipulação. Lanço aqui esta opção de ter este nosso companheiro seguindo mais de perto toda essa negociação. Euler, verei que um filho seu não foge à luta!!! Um forte abraço a todos os "Educadores Mineiros". Força na luta até o Piso.

    ResponderExcluir
  23. Euler não podemos perder o nosso objetivo que é o piso salarial. E o sindicato não deve abaixar a cabeça pela escolha de um número menos consciente de professores que não tem visão de futuro.
    Espinosa -MG

    ResponderExcluir
  24. GRAÇA

    Bom dia Prof Euler,

    Muito esclarecedora sua análise.Importante ressaltar: a greve foi pela aplicação do PISO, fundamentada em parecer do Supremo, aceitar outra coisa que não isso, é compactuar com a ilegalidade crescente das ações do governo de MG. IMPORTANTE: Diretores e Secretários,da ativa e aposentados tiveram o reajuste em janeiro, mesmo permanecendo no quadro anterior, pois, não foram "compulsoriamente enquadrados", porém, receberam "Cartinha Convite para Adesão ao subsídio". Como não "foram obrigados a manifestar a opção, não terão a perda do reajuste, medida aplicada a todos os demais que optaram pelo retorno. Tal situação realça mais um desrepeito ás normas constitucionais, que proibe a irredutibilidade dos salarios. A cartinha esclarecedora não foi enviada aos demais aposentados. Portanto, estes podem e devem ingressar na justiça, caso fiquem prejudicados.Em nossa região fizemos campanha de esclarecimento e a grande maioria dos aposentados retornou à antiga e legitima carreira.É imprescíndivel que o Sindute tenha em mãos todas as informações para ser capaz de não só de "negociar", visando ativos e aposentados.e MAIS: As secretárias se referem à nossa carreira ,cuja lei está em pleno vigo, como extinta? Os deputados votarão a favor disso? Mais que hora de apertar o cerco à Assembléia e listar todos os deputados que se omitirem nesse momento, concorda?
    Att
    Graça

    ResponderExcluir
  25. Vejam a derrocada do DESGOVERNADOR

    PROFESSORES SUBSTITUTOS NÃO APARECEM
    Publicado no Jornal OTEMPO em 11/08/2011Avalie esta notícia » 246810.NATÁLIA OLIVEIRA

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179167,OTE


    Todos aqueles que têm o nome e a profissão a zelar não vão se envolver nessa insanidade deste DESGOVERNO. Serão poucos os cara de pau que terão a coragem de ir para lá ganhar um TROQUINHO. Mas os que forem também vão ver o que é bom, aluno de 3º ano não é bobinho, eles são críticos e diante dessa confusão armada pelo governo, o professor TAMPÃO vai para os ares igual aos tampões dos bueiros dos centros de BH que começaram a explodir como os do Rio. rs

    ResponderExcluir
  26. Euler parabéns!!Só você mesmo para nos informar de primeira mão, com textos magníficos, sobre o movimento de greve.
    Mas continuo dizendo que esse povinho birrento e o desgoverno maldoso não sabem o que falam. pense bem: se o sistmea de pagamento através de PISO NACIOANAL foi extinto por que a opção de retorno para o mesmo? ou a lei do PISO NACIONAL foi revogada?
    força na luta. sem o piso, é como se não tevesse acontecido um movimento tão grandioso como este.
    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  27. GRAÇA

    O TEMPO: PROFESSORES
    Substitutos não aparecem
    Mesmo com aval dado anteontem pelo governo do Estado para convocar substitutos aos professores grevistas, os diretores de escolas estão com dificuldades para encontrar profissionais para ocupar as vagas. Eles temem não cumprir o prazo dado pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) para que as aulas sejam retomadas a partir da próxima segunda-feira.http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179167,OTE

    ResponderExcluir
  28. Em meio a tantas turbulências, uma ótima notícia: os colegas de Ipatinga estão acordando para a greve, finalmente.Mas, antes tarde do que nunca, não é? Hj mais uma escola aderiu ao movimento, a E.E. Nacif Selim de Sales". Sinal claro que o nosso movimento está se fortalecendo a cada dia.
    Um grande abraço e até a vitória.

    Carla

    ResponderExcluir
  29. GRAÇA

    85 a 90 MILHÕES P/ ANO = de 7 MILHÕES P/ MÊS = MAIS DE 236 MIL POR DIA, É O QUE MG GASTA SÓ COM "PROPAGANDA DO GOVERNO."
    PARE DE GASTAR E PAGUE PAGUE O PISO MINIMO DOS PROFESSORES!!!!
    VEJAM ENTREVISTA
    O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), participou do programa “Poder e Política - Entrevista" conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues

    Folha/UOL: Publicidade: o governo de Minas Gerais tem sido um governo entre os governos estaduais que investe bastante em publicidade. O senhor pretende manter a média de gastos de publicidade do governo anterior, que em parte foi seu, ou reduz? E mais: acha um bom investimento para a população esses gastos em publicidade?

    Anastasia: Nós fizemos um levantamento de um ranking de quanto que Minas gasta per capita com publicidade, vis a vis dos outros Estados e do governo federal. Minas Gerais é dos últimos Estados. Então, ou seja, a nossa despesa de publicidade é muito pequena. Minas Gerais não gasta por ano... São R$ 85 [milhões], R$ 90 milhões de reais por ano. Gastamos menos do que a prefeitura de Belo Horizonte, em termos per capita. Eu acho um investimento importante na medida em que leva informação, que leva quais são os programas que estão acontecendo. Muitas vezes nós observamos as políticas públicas e as pessoas nem sabem... Ainda mais Minas que é um Estado muito grande, muito desigual ainda, as pessoas nem sabem da existência dos diversos programas. Eu acho que é um gasto importante. Agora, a cautela nos recomenda hoje, hoje, que nós não façamos novos investimentos em nada, exatamente em razão da situação econômica mundial.

    Folha/UOL: Algumas associações de jornalistas às vezes reclamam sobre a influência que o governo do Estado de Minas tem sobre os meios de comunicação no Estado de Minas Gerais. Isso existe?

    Anastasia: Basta ler os jornais de Minas Gerais nesses últimos meses, não é... A oposição normal, as observações em relação ao governo, que são próprias do dia a dia. Então não acho que isso... De fato criou-se uma certa lenda urbana no passado, mas que nesses últimos... Nesse meu mandato, ao contrário, eu poderia até aqui... é... Me lamentar, o que não faço, de ter uma vigilância correta, que faz parte do dia a dia.

    Folha/UOL: Que nota o senhor dá, de zero a dez, para o governo Dilma até agora?

    Anastasia: É muito difícil a um governador que é de oposição dar uma nota. Porque se eu vier a dar uma nota alta, o meu partido... "Ah, o governador tinha [ininteligível] nota baixa". Se eu der uma nota baixa gera uma situação de desconforto. Então...

    Folha/UOL: Ainda assim.

    Anastasia: Mesmo assim, nessa hora me permita avocar a minha condição de político mineiro e, por isso mesmo, apesar de ser professor e gostar de dar as notas, eu acho melhor não dar uma nota. Porque a nota é sempre muito relativa.

    INTEGRA ENTREVISTA AQUI: http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/antonio_anastasia-2.shtml

    ResponderExcluir
  30. JOÃO PENCA

    Meu medo é o Sindicato aderir a essa conversa mole do Governo "melhoria do subsídio".
    Entrei na greve desde o primeiro dia, e sozinho na minha escola,pelo PISO.
    Subsídio não me interessa!!!!
    Ah, Sindute... tô de olho. A categoria não vai suportar mais uma rasteira do sindicato. Foram muitas no passado recente. QUEREMOS O PISO DO MEC!!!

    ResponderExcluir
  31. EDUCADORES DE SÃO MIGUEL DO ANTA11 de agosto de 2011 11:16

    Euler e demais colegas,
    Nós, PROFESSORES/EDUCADORES da E. E. PEDRO LESSA, reunimo-nos hoje (11/08) e decidimos em unanimidade manter a greve por tempo indeterminado, ou seja, até o CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO.
    Redigimos em conjunto uma CARTA ABERTA À POPULAÇÃO, que segue abaixo que fica como sugestão para outros colegas que queiram fazer o mesmo.
    São Miguel do Anta, 11 de Agosto de 2011.
    CARTA ABERTA À POPULAÇÃO – A RESPEITO DA GREVE
                                         “ Por uma causa qualquer  grande ou pequena  alguém tem que sofrer, há um mínimo de dignidade que o homem não pode abrir mão ,
      nem mesmo em troca do Sol e da  sua própria liberdade  ”.          
      ( Dias Gomes )
    OS PROFESSORES EM GREVE agradecem aos PAIS, ALUNOS, COMUNIDADE e demais servidores pelo apoio e compreensão da luta da CATEGORIA pelo pagamento do Piso Salarial Nacional da Educação. Pedem também que outros se juntem a essa luta; alunos, Pais, companheiros de outras escolas como: CAPIVARA, CANAÂ E ARAPONGA que sempre se comprometeram com uma Educação Pública de Qualidade para Todos.

    Se existe alguma forma diferente de negociar com o governo, todas foram esgotadas, mas o governador nem sequer recebe a CATEGORIA PARA NEGOCIAR. Não brigamos só por salários mas por melhores condições de trabalho, saúde e qualidade digna de vida. Os EDUCADORES DE SÃO MIGUEL DO ANTA, não podem ficar de fora desta luta . Todos somos responsáveis e queremos a valorização da categoria e da Educação de Qualidade. A Educação não pode permanecer sucateada, esquecida. Que condições de trabalho estaremos deixando para os próximos educadores ?

    Que educação nossos filhos e netos terão nessas escolas estaduais onde os nossos direitos e a cidadania não são respeitados e valorizados ?

    Um país, um Estado, uma cidade, um cidadão só se faz com justiça social. Somos um grupo onde mártires não são mais necessários, mas a conquista dos nossos direitos valerão para todos, inclusive para os que não aderiram À GREVE.
    Seus filhos e nossos alunos jamais serão prejudicados por nós! Esta estratégia de contratar professores para os alunos do 3º ano, demonstra a falta de compromisso com as outras séries e com a Educação de Qualidade, uma vez que estes substitutos não precisam sequer ser habilitados para a função. É PURA PRESSÃO PSICOLÓGICA E É IMORAL E ILEGAL!
    OS EDUCADORES TÊM A OBRIGAÇÃO MORAL DE LUTAR PELOS SEUS DIREITOS! É UMA AULA DE CIDADANIA!
    POR ISSO, PEDIMOS O APOIO E COMPREENSÃO DA POPULAÇÃO NESSE MOMENTO HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO!
    PROFESSORES/EDUCADORES EM GREVE DA E. E. PEDRO LESSA

    ResponderExcluir
  32. Um viva aos colegas de IPATINGA!!!
    Vamos mostrar pra esse governo que nos ver como massa de manobra do NOSSO SINDUTE, pois a todo instante suas secretariazinhas fazem esse alarde.
    Segundo ELE, o governinho, NÃO PENSAMOS, somos manobrados.
    Mais de 60 dias de resistência!
    Qual é a próxima, SR. AZIA?
    E OS 3.000 PROFESSORES SUBSTITUTOS?
    Percebam que só o governo não sabe ainda o quanto esse PROFISSIONAL está escasso no mercado.
    Muito otimista esse governo das MINAS GERIAS.
    Juntos com o olhar fixo na nossa meta.
    PISO JÁ!!!

    ResponderExcluir
  33. JECA TOTAL

    Subsídio 'MELHORADO'???
    Nossa conversa só aceita PISO.
    Espero que o Sindicato não mude o rumo da nossa prosa!!!
    Espero que o sindicato permaneça firme no PISO...
    Se o Sindute trair a categoria agora, depois de 2 meses de luta e sacrifício, é melhor enterrar de vez esse sindicato!!!!
    PISO! PISO! PISO!!!

    ResponderExcluir
  34. Oi Euler. Infelizmente eu fui forçado a permanecer no subsídio, não por que eu queria ou que fosse necessário, mas porque para mim não foi dada tal opção, é trite saber que depois de tanta luta, eu posso, assim como muitos desginados, voltar para sala e ter a nítida impressão de que foi em vão a nossa, minha luta, formei em 2008 e não pude nem prestar um concurso descente, com uma carreira descente, e estou sentindo com esse desfecho final, que eu lutei para dar força ao movimento, e muitos colegas de trabalho que podem ser beneficiados, estão em sala de aula quietinhos como cordeirinhos, reproduzindo a aulinha do governo e até acreditando na falácia do discurso da secretária de educação.
    volto segunda para a escola, com ou sem aprovação da assembléia. pois não vou lutar mais, estou desanimado, e sentindo que a luta não é para mim, já que provavelmente devo continuar na carreira nova para todo sempre.
    Um desabafo.
    Josiano João Monlevade.

    ResponderExcluir
  35. E aí Euler, internacional;
    Reiterando suas analises e partindo de outros pressupostos, podemos levar em consideração outros dados de suma importância:

    - O Sind-ute deveria solicitar “as abençoadas“ a desserviço dos mineiros, os motivos pelos quais o governo não quer apresentar ao governo federal as planilhas de custo com a remuneração dos profissionais da educação.

    - Não podemos nos esquecer também que nossos representantes deveriam cobrar insistentemente a correta aplicabilidade das leis ao MP. Dentre elas, é claro a lei do PSPN, a lei do FUNDEB e também a CF, nos artigos que tratam sobre o direito de greve.

    - O confisco dos dias em que estivemos em greve e o assalto promovido pelo governo do Estado subtraindo de nossas “ajuda de custo” a diferença entre o subsídio e o antigo sistema de remuneração.
    - O cumprimento dos 200 dias letivos que é obrigação do governo.
    - Sem mencionar o cumprimento de questões éticas, morais, coerentes, verdadeiras e realmente compromissadas com o desenvolvimento de nossa sociedade.
    - E por fim deveriam cobrar também as NOTAS FRIAS que vêm sendo lançadas nas planilhas de custo, devido à utilização indiscriminada de óleo de Peroba e verniz para lambuzar a cara de pau desses(a) canalhas.
    É isso aí meu brother e companheiro, aproveitando a oportunidade, acho interessante homenagear e ao mesmo tempo levar força e esperança aos companheiros, cito aqui o grande Renato Russo:
    “Não me entrego sem lutar, tenho ainda coração. Não aprendi a me render, que caia o inimigo então”...

    PAULÃO
    PS.: Quero agradecer e parabenizar alguns dos companheiros da EE Francisco Viana, que resolveram aderir ao movimento, Vespasiano é quase 100% de adesão ao movimento.

    ResponderExcluir
  36. Caro Euler,

    o jornal "O TEMPO" PUBLICOU HOJE, 11/08/2011, UMA MATÉRIA QUE APONTA PARA A NOSSA VITÓRIA.

    SIMPLESMENTE NÃO HÁ PROFESSORES PARA SE EFETIVAR A VIOLAÇÃO DE NOSSO DIREITO DE ESTARMOS EM GREVE COMO ASSEGURA A CONSTITUIÇÃO.

    EULER, AGORA É O MOMENTO DE TIRARMOS PROVEITO DESTA VANTAGEM. O GOVERNO TEM QUE CUMPRIR A LEI FEDERAL DO PISO E NÃO PODE NOS DEMITIR. SIMPLESMENTE PORQUE NÃO TEM MAIS PROFESSOR. NINGUÉM ACREDITAVA QUE UM DIA FALTARIA PROFESSORES. AGORA A REALIDADE BATE A PORTA DA NOSSA SOCIEDADE DE FORMA DRAMÁTICA. ATÉ A EDUCAÇÃO PRIVADO-CAPITALISTA CORRE SEUS PERIGOS!!!

    FORÇA NA LUTA COMPANHEIRADA!!!

    O CHÃO DE MINAS TEM QUE TREMER, JÁ!!!!

    ResponderExcluir
  37. BOAS NOTÍCIAS COMPANHEIRADA!

    NÃO HÁ PROFESSORES PARA NOS SUBSTITUIR!!! QUEM NÃO ACREDITAVA, PODE VER COM SEUS PRÓPRIOS OLHOS NO JORNAL "O TEMPO" DE HOJE.

    ANASTASIA-GAZOLIN(A)HA FORAM PEGOS COM AS CALÇAS NAS MÃOS.

    ACABOU!!! É O FIM PARA O GOVERNO!!!!

    NÃO TENHAMOS MEDO COLEGAS EDUCADORES!

    100% DE GREVE JÁ!!!

    FORÇA NA LUTA COMPANHEIRADA!

    ResponderExcluir
  38. Bom dias Euler.
    Excelente reflexão.Muitas vezes não temos tempo para analizar as falas ou as vemos por outro prisma. Daí, a importância destas reflexões em seu blog.
    Devemos estar atentos a todo ato do governo, porque sempre há uma armadilha,não podemos nos deixar enrolar.
    Que Deus, senhor supremo do universo, ilumine a todos, principalmente àqueles que nos representam, direção do sindicato.
    Educadora Apreensiva.

    ResponderExcluir
  39. Euler será que existe alguma lei camuflada pelo governador?Já que a maioria escolheu subsidio somos obrigados a permanecer neste sistema?E ele fez dessa opção (vencimento básico x subsídio) na verdade um plebiscito aos educadores? E agora não temos mais o que fazer fomos engolido pelo leão?

    ResponderExcluir
  40. Greve dos professores já dura quase dois meses (parte 2) - Balanço Geral
    http://www.youtube.com/watch?v=5FTrg5eGBJM&feature=player_embedded

    ResponderExcluir
  41. ISSO AÍ COMPANHEIRADA! FIRMES NA LUTA,. ATÉ QUE SAIA O PISO.....QUEREMOS É O PISO! NÃO VAMOS RETROCEDER! A VITÓRIA É NOSSA.
    GRANDE ABRAÇO A TODOS OS COMPANHEIROS EM LUTA!
    ACREDITO QUE A GREVE ESTÁ COMEÇANDO A TOMAR PROPORÇÕES AINDA MAIORES. AQUI EM GV ALGUMAS ESCOLAS ESTÃO COMEÇANDO A ENTRAR NA GUERRA CONTRA ESTE GOVERNO FORA DA LEI.
    ATÉ A VITÓRIA COMPANHEIROS.

    ResponderExcluir
  42. Melhoria na tabela do subsídio só se for: 5 mil inicial, mais mil por cada ano de serviço. Topa Gazzola??? Não, né? Então, deixe de conversinha, pague o piso que é lei e vamos todos trabalhar, inclusive a Senhora.

    ResponderExcluir
  43. Caro Euler,
    Quero fazer um comentário a respeito das reuniões realizadas e as que estão para acontecer, pela negociação da implantação do piso com o Governo. Ao meu ver, acho que a palavra subsídio deveria ser excluída durante as negociações. A greve está sendo feita pelos professores que optaram em retornar ao antigo sistema remuneratório. O Governo criou pela própria lei do subsídio duas formas de remuneração, então tem que respeitá-las, dando tratamento diferenciado. A promessa do Governo em fazer aprimoramento do novo modelo, tem que ser feita com a categoria que está no subsídio, mais isto em outro momento e não agora. Dizer que a sistemática de remuneração antiga está em extinção é brincadeira de mau gosto, pois com a lei do subsídio ele poderia ter acabado com ela. Agora querendo ou não, ele tem que conviver com os dois tipos de remuneração, pelo menos até o julgamento da ADI 4631. De acordo com meu comentário, acho que a Beatriz não deveria levar para os profesores na assembléia do dia 16/08, nenhuma proposta do governo a respeito do subsídio.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  44. JASPION:

    CONCORDO PLENAMENTE COM O QUE DISSE O COLEGA Sebastião de Oliveira:

    "acho que a Beatriz não deveria levar para os profesores na assembléia do dia 16/08, nenhuma proposta do governo a respeito do subsídio."

    AFINAL, O QUE ESTÁ EM PAUTA DESDE O INICIO DA GREVE É O PAGAMENTO DO PISO

    ResponderExcluir
  45. Olá Euler e companheiros!
    “Existem nas recordações de todo homem coisas que ele só revela aos amigos. Há outras que não revela mesmo aos amigos, mas apenas a si próprio, e assim mesmo em segredo. Mas também há, finalmente, coisas que o homem tem medo de desvendar até a si próprio…” (Dostoiévski)

    Recado para os pelegos:

    Você da área de TI do Governo que de hora em hora corre as vistas nesse micro blog, diga ao Anastazista, Velhinha e Gorgozzola que, esse tripé judiário/legislativo/midiático articulado por vocês, cairá em breve.

    Diga ao craquécio que aquela reuniãozinha feita à época do MENSALÃO - no porão do Palácio da Liberdade afim de verficar algum documento ou algo que pudesse comprometer o Governo mineiro -, será ventilado na rede para que jornalistas contrário ao PIG se degustem.

    Diga também que suas pretensões de chegar à presidência da república dependerá da boa vontade do professorado mineiro. Em 2010, tiveram o apoio de empreiteiros, mineradoras e financeiras para dar a reviravolta durante as eleições. Ahh, esqueci daquela turma do Jabá que participa de inaugurações e ficam à beira do palanque aplaudindo vocês: Milton Nascimento, Samuel Rosa, Rogério Flausino, entre outros. Vocês pensam que o professorado irá compactuar com essa precarização montada por vocês neoliberais? Aguardem!

    Não vejo a hora do Governo colocar em prática a parceria firmada com a Google. Será um tiro no pé! Já pensaram na facilidade de articulação entre os servidores com as benesses (micro blogs e e-mails) oferecidos por vocês? O movimento ficará ainda mais forte!

    Observem quantos acessos esse micro blog teve desde 08/Jun.
    Mais tarde tem mais...

    ResponderExcluir
  46. Ola Colegas e caro Euler.

    Uma leitura que faço nesse momento onde o governo continua com descaso e morosidade, é que os colegas estejam atentos à PUBLICAÇÃO da sua VOLTA para a CARREIRA ANTIGA, pois este governo já fez tanta coisa que deixar de publicar uma quantidade significativa dos que optaram pela carreira antiga para ter mais um argumento de que pouca gente voltou (o que não justifica a não aplicação do piso) eu não duvido que ele não tenha coragem. Portanto quem não tenha sido publicado esteja atento para DENUNCIAR caso seja necessário.

    ResponderExcluir
  47. Euler, tenho aprendido muito contigo em ler nas entrelinhas, por isso separei um trecho de uma entrevista do desgoverno de Minas para o UOL, postada aqui por Graça. Sem querer fugir do foco, mas já fugindo. Leia atentamente e confira o tamanho do tupete dessa "Bolinha de Azia".

    Folha/UOL: Algumas associações de jornalistas às vezes reclamam sobre a influência que o governo do Estado de Minas tem sobre os meios de comunicação no Estado de Minas Gerais. Isso existe?

    Anastasia: Basta ler os jornais de Minas Gerais nesses últimos meses, não é... A oposição normal, as observações em relação ao governo, que são próprias do dia a dia. Então não acho que isso... De fato criou-se uma certa lenda urbana no passado, mas que nesses últimos... Nesse meu mandato, ao contrário, eu poderia até aqui... é... Me lamentar, o que não faço, de ter uma vigilância correta, que faz parte do dia a dia.

    Pelo que entendi, o "Azia" com todo o aparato midiático que controla ainda não está satisfeito. Nessa sua fala ele deixa bem claro que poderia ser ainda mais rigoroso na censura... Será que vai usar o calote dado na folha de pagamento da educação para adestrar a internet também?

    Engraçado, o Estado que mais se vangloria com o termo liberdade, tem no governo um "ideal nazifascista"!

    Oh, MInas Gerais!!!

    É BOLINHA DE AZIA, SUA BATATA TÁ ESQUENTANDO... COM ESSA ARROGÃNCIA TODA ESTÁ PRESTANDO UM DESERVIÇO A SUA COMPANHEIRADA CHIC, POIS OS ESFARRAPADOS E ESFOMIADOS, PAGADORES DE IMPOSTOS E TODA SORTE DE MALTRAPILHOS PRODUZIDO PELO SEU DESGOVERNO QUEREM PROVAR TAMBÉM DE UMA TETA MAIS GENEROSA.

    Euler temo que ao contrário do que parece o governo está procurando meios de recrudescer ainda mais... Meu santo é forte mas, com essa gente todo cuidado é pouco. Precisamos fortalecer nossa pressão, pois é ela que fará a diferença na mesa de negociação (nojento falar de negociação se o que exigimos é o cumprimento de uma lei!). A propósito porque o sindicato aceita conversar longe do nosso barulho (nos termos do nosso carrasco), Deveriamos ocupar todos os espaços e principalmente nessas rodas de negociação, para olharmos na cara dessa gente que se diz preocupada com o povo.

    DEPOIS DE DOIS MESES EM GREVE, MARCA-SE UMA REUNIÃO, REMARCA PARA OUTRO DIA... É, por isso digo e repito:

    ESSA GREVE SÓ ESTÁ COMEÇANDO... E SÓ SAIREMOS DELA COM O NOSSO PISO!!! CASO CONTRÁRIO:

    NÃO REPOMOS OS DIAS PARADOS!
    NÃO REPOMOS OS DIAS PARADOS!
    NÃO REPOMOS OS DIAS PARADOS!
    NÃO REPOMOS OS DIAS PARADOS!
    NÃO REPOMOS OS DIAS!
    NÃO REPOMOS OS...
    NÃO REPOMOS...
    NÃO.

    ResponderExcluir
  48. Prof. Sebastião, concordo plenamente com sua observação, penso também que a Beatriz não deva levar proposta alguma de subsídio para se discutir em assembleia, pois não estamos em greve por todos esses dias para ao final aceitarmos uma remuneração maquiada pelo governo na tentativa de ludibriar, mais uma vez os educadores. Nós nos propusemos a aderir à greve com uma determinação, obtermos o PISO SALARIAL. E essa terá de ser a nossa proposta até o final das negociações.
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  49. CHARLOTE SAMPAIO:

    Na minha opinião é hora de radicalizar(ai, odeio essa palavra); mas agora não temos outra alternativa. Sugiro que se até dia 16 próximo o governo não se comprometer a pagar o piso, o sindicato deveria organizar uma ROMARIA de todos os grevistas até Brasilia e por lá acampar até a presidenta tomar uma atitude favorável a nós. Ou será que até a presidenta vai desconsiderar um lei federal?
    Vamos lá, ver o que a Dilmete tem a dizer... ou será que ela não sabe o que está acontecendo no país que ela "governa"???

    ResponderExcluir
  50. Oi Euler, quanto tempo... mas leio o seu blog várias vezes por dia. Hoje vi na internet que o governador anastasia está exigindo uma CPI no governo de Dilma. Olha só que audácia, ele exigindo CPI. A Dilma tinha que ficar sabendo, assim ela entra na nossa briga. Quem é esse governadorzinho de meia tigela. Ele mesmo precisa de um CPI. Um grande abraço, Paula.

    ResponderExcluir
  51. O que importa a quantidade de pessoas que retornaram ao antigo sistema de remuneração para que o ministério público exija cumprimento da Lei do piso? Isso foi uma forma de protelar. Se apenas 1 funcionário estivesse no sistema antigo, ele teria direito ao piso no vencimento básico. Ou o governo vai obrigar todos a voltarem para o subsídio? Outra coisa, se o antigo sistema está acabando, como diz a secretaria, por que os diretores não foram colocados no subsídio desde o começo? É muita enrolação pro meu gosto. Só espero que não aconteça como no ano passado, pois eu estava na assembleia e houve uma pressão enorme para que a greve acabasse, inclusive pelo próprio sindicato. Aquele documento que o governo assinou foi mesmo que nada, pois o Anastasia anunciou o subsídio quando o sindicato ainda estava reunido com o governo. Agora ficam dizendo que o sindicato concordou. Precisamos ficar atentos na assembleia do dia 16 para que não aconteça o mesmo. Se a peoposta não for o piso, não vamos nos deixar levar e não vamos aprovar o fim
    da greve.
    Em tempo: a reportagem do balanço geral fala, insistentemente, que os professores querem aumento. De que adianta noticiar a greve se as informações são erradas?
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  52. Pessoal é difícil demais está a frente de um movimento como Beatriz, pois a mesma nem apresentou proposta ainda não vamos confundí-la pois ela saberá o que fazer ou melhor nenhuma atitude é tomada sem que a categoria tome uma decisão , vamos esperar de repente a proposta é boa ou melhor ótima tem que ser ótima ! pois eu fui uma das que ontem na ultima hora mudei de situação mais estou esperançosa. abraços! Euler aqui é uma colega de Aguas Formosas que esta de greve desde o dia 08 e até a copa se for preciso.

    ResponderExcluir
  53. Marilia Cândida - Mutum11 de agosto de 2011 13:18

    Combativo Euler,
    Não posso nem sonhar em melhorias no subsídio para nós que estamos em greve, e que GREVE! O sindicato não pode aceitar outra coisa que não seja o piso salarial, é a nossa bandeira de luta. Estaria ele jogando por terra toda nossa luta e esforço.
    Aproveito para parabenizar os colegas que estão aderindo a greve agora, e deixar um recado para os professores de Mutum que não aderiram a greve e que estão furando a greve: Vocês estão atrapalhando e muito nosso movimento.Pense melhor no que vocês estão fazendo!
    Até a vitória final!

    ResponderExcluir
  54. Boa tarde Euler,
    esse vídeo do balança geral no youtube é maravilhoso!!!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  55. É triste, vergonhoso e inadimissível observar profissionais da educacação cumprindo sua rotina de "dar aulas",enquanto colegas batalham pela implementação do piso salarial ,que irá beneficiar a todas.Essas pessoas disponibilizam seu tempo,seus compromissos particulares e abriram mão do sálario mensal,que mesmo vergonhoso, garante a sobrevivência.Será que os nobres colegas que estão trabalhando não se sentem incomodados por essa atitude tão avessa aos objetivos da categoria?Dizer que a adesão à greve enquadra numa porcentagem que não seja 80 ou 90%, é deixar claro a falta de união da classe.Se fosse unida,o nosso movimento já teria conquistado a vitória.Pena que muitos são desinformados,medíocres, esperam que tudo caia do céu,sem se mover do lugar. Acorda,gente!Vocês se tornaram um impecilho para nossa vitória!

    ResponderExcluir
  56. Prof°. Euler, mais uma vez, governo apresenta motivos torpes para não cumprir a Lei. Se ele afirma já cumprir e contrata 3 mil funcionários a salários superiores derruba o próprio argumento de que o Estado empobreceria. Por isso dá aumento de 100% para as polícias subindo o piso delas para 4 mil reais ? Não respeitando nem o mesmo modelo de pagamento para todos os funcionários do estado? Novo modelo só para "castigar" os professores? Tirar direitos constitucionais adquiridos há centenas de anos: quinquênios,
    biênios? Não cumpre a CONSTUTUIÇÃO com os professores. Sindicato apresenta fraca argumentação. Deixa de questionar dentro da Lei Federal, que é completa por si só. Ministério Público se "esquece" que está abaixo da CONSTITUIÇÃO FEDERAL que é o guardião do cumprimento da mesma. Estudaram tanto quanto a gente e recebem salários altíssimos para nos julgarem escravos, trocando o angu da senzala pelo salário de fome. Cuspindo na Classe trabalhadora que os fizeram crescer na profissão. Desse jeito ninguém suporta mais. E quando a gente apresenta essa fala, nenhum blog publica. E quando publica, retira logo. O que está acontecendo nesse País? Uma Democracia com propriedades das Ditaduras? Uma ESCRAVIDÃO BRANCA? 0 STF quando aprovou o PISO e criou o FUNDEB, fundo complementar para a implantação do PISO. Esse foi aplicado só nesse fundo 4 bilhões, em Minas.Como citou programada TV ASSEMBLÉIA, dia 09/10/2011: VALORES E ATITUDES:TRANSPARÊNCIA, EFICIÊNCIA E AUSTERIDADE. Considerando que ele foi criado em 2008 já com aplicação de 2 BIlhões para a implantação progressiva do PISO... Nenhum dos textos fazem leitura da realidade que é O PISO É LEI. Bastaria o sindicato lembrar que: LEI É PARA SER CUMPRIDA. Apresentar uma defesa embasada CONSTUCIONALMENTE DO PISO, pois todos esses argumentos que o ESTADO apresenta agora já foram derrubados pelo SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL que ainda julgou em caráter definitivo e ainda dizendo com todas as letras : NÃO CABE MAIS NENHUM RECURSO.Diante disso custa o sindicato ler a Lei 11. 738/08 anotar os pontos onde está desmonstrado que ela terá que ser cumprida e derrubar os argumentos fracos do goveno e do ministério ? Pois a nossa esperança está no julgamento do subsídio no STJ, mas se a CNTE for pra lá com essa falinha de pré primário, VAMOS PERDER ATÉ UMA CAUSA GANHA por fraca argumentação legal. COM JUÍZES A GENTE CONVERSA USANDO TERMOS LEGAIS, E APRESENTANDO LEIS, PARÁGRAFOS, ALÍNEAS... Em síntese, temos que ter bons advogados nos assessorando. O departamento jurídico do Sind-UTE deixa muito a desejar. Quando vamos para assuntos que envolvem só a gente e a escola, eles argumentam que advogado do sindicato é para a categoria. Quando o assunto é da categoria eles ficam com cara de paisagem. LEI É COISA SÉRIA e não podemos perder de vista o fato que ANASTASIA é doutor em DIREITO professor da UFMG, ele é capas de achar "brechas" até na CONSTITUIÇÃO FEDERAL, será ? Amigos, vocês devem me ajudar a cobrar argumentação jurídica sólida e a FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO. Educação é a teta que segura muitos govenos nos palanques. Vamos arrumar um advogado particular para impetrar um MANDADO DE SEGURANÇA pra gente garantir os nossos direitos. Obrigada.

    ResponderExcluir
  57. Pelo amor de Deus, não queremos mais ouvir a palavra subsídio. Queremos o NOSSO PISO. Não há negociação sem o PISO. Quantas vezes vamos ter que repetir a mesma história? PISO é diferente de subsídio, o governo têm que respeitar as nossas escolhas e CUMPRIR A LEI DO PISO. GREVE até a conquista!!!

    ResponderExcluir
  58. Excelente comentário Gracieusa Brito.

    ResponderExcluir
  59. Aos colegas que colaboram com o governo:

    Saiam do quadrado da sala de aula.

    Deixem de se ver como mero transmissor de conhecimento.

    Não fiquem presos ao valor do salário do próximo mês.

    Tenha consciência do seu valor para a sociedade.

    Existe uma GRANDE AULA ACONTECENDO. E o espaço, no momento, não é a sua sala de aula.

    Venha cumprir seu papel , ajude aqueles que já estão na luta desde o dia 8 de junho, a DEFENDER
    A SUA CARREIRA.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  60. Gostaria de compartilhar com os colegas o teor de e-mail enviado por mim à APPMG, por estar indignada com sua postura diante das reivindicações dos professores ao governo do estado:

    “Prezada Senhora
    Como pode uma entidade ser representante dos professores e se prestar ao papel de ser capacho do "desgoverno" de Minas? Qualquer pessoa alfabetizada sabe a diferença entre "piso" salarial e "teto"salarial (entenda-se: subsídio).”

    Resposta da entidade:


    “O Piso salarial do professor é NACIONAL portanto envolve todos os professores da rede pública do Brasil. Como é do conhecimento da prezada colega, no Brasil de dimensões continentais, existem prefeituras, no Piaui, Ceará, Maranhão e outros Estados que pagam somente o salário minimo o valor total da remuneração dos educadores. O STF não deu acórdão do assunto, pois foi empate, portanto passaram a bola para a Dilma.
    Para ela mandar pagar R$1.597,97 como o sindicato de Minas quer para a Rede Estadual, e por 24 horas trabalhadas, terá que ser para todos os professores públicos do Brasil.
    No quadro anterior não tem 40 horas para o professor. Portanto qualquer coisa tem que ser proporcional a 24 horas.
    Você acha que ela vai fazer isto? As prefeituras estão de pires na mão ou você não sabe que arrecadação de imposto está concentrada na União desde a ditadura militar. Parece que o buraco é mais embaixo. Já tem o piso de R$1.187,00 por 40 horas do MEC. Você sabe que o MEC é Nacional. Se você me chama de desinformada, eu peço delicadamente que racione politicamente comigo. Você já viu os militares e bombeiros pressionando o Congresso Nacional por um piso para eles. Nem esse piso minimo nosso eles têm. Isto é: eles não tem lei de piso nenhum. Pense bem colega, nas injúrias que você está fazendo. A patrulha ideológica é a pior censura que um País pode ter.

    Um feliz e abençoado dia para você.

    Atenciosamente,

    Joana D'arc”

    ResponderExcluir
  61. SOCORRO!!!
    NÃO PODEMOS ABRIR MÃO DO NOSSO SOFRIDO PISO! JÁ PERDEMOS O DIREITO DAS FÉRIAS PRÊMIO ( O SINDICATO NEM FALA DISSO.),DESIGNADOS GANHARAM DE PRESENTE O "SUICÍDIO" E VAMOS SÓ PERDENDO...
    NÃO VOLTO SEM MEU PISO!
    QUERO VER A LEI NESSE PAÍS VERGONHOSO FUNCIONAR A NOSSO FAVOR!

    ResponderExcluir
  62. "Sem o PISO, não pisamos na escola."

    Caros companheiros, amigos alunos, amigos professores, amigo pai, amigo mãe, amigo, vamos caminhar juntos, agir juntos, pensar juntos, para que a vitória seja de todos nós.

    Ontem estive em uma escola que esta funcionando, e fui muito bem recebido pelos companheiros que estão trabalhando, não irei citar o nome da escola. E sai mais alegre com o convite para retornar e falar com mais professores sobre a nossa luta, que é uma luta da categoria: "a greve foi deflagrada em 08 de junho último e, desde então, a categoria intensifica esforços na tentativa de abrir negociação com o governo do Estado, que se nega a implantar a Lei 11.738/08, que institui o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN)." http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=2183. O convite foi de vários amigos que reencontrei, pois já lecionei, fui PROFESSOR EDUCADOR nesta escola.

    Diga não ao professor tampão, somos professores, servidores da educação, seres humanos, seres pensantes e formadores de opiniões). Sou professor e jamais participaria de uma "estratégia do governo de tampar buraco", tampar sol com peneira" substituindo um cargo que não existe. A secretária de educação e toda a equipe deveriam preocupar com a legislação vigente e providenciar o pagamento imediato do PISO SALARIAL PROFISSIONAL Lei 11.738/08. Tampar sol com peneira em pleno século XXI, um país com uma excelente CONSTITUIÇÃO FEDERAL, tempos de concursos, designações dentro da lei, tudo isso traz lembranças da época que eu era designado com qualificação LP (sem nenhuma chance de assumir a vaga, pois verificava até xerox de contagem de tempo - autenticada- e xerox de comprovante de votação era motivo para assumir ou não a vaga, digo novamente V-A-G-A.


    Deixo o recado novamente a Sub Sede do SindUTE de Sete Lagoas: por favor façam uma visita as escolas que ainda estão funcionando.

    Governador Antônio Anastasia (PSDB)

    "Cadê o meu PISO, governador? "

    Piso Salarial é Lei Federal 11.738/08
    Educação é um direito de todos.
    Recado ao GOVERNADOR e sua EQUIPE
    http://www.youtube.com/watch?v=zABP_lbj2qY

    Este vídeo foi postado para deixar um recado aos amigos de combate e para esse governador fora da lei. Essa batalha que começou no dia 8 de junho já atingiu o ponto mais alto (o de um GOVERNADOR desesperado que tenta confundir a sociedade com informações distorcidas e incompletas divulgadas nos meios de comunicação) e agora o que resta é o desfecho com a nossa vitória (categoria da Educação de Minas). Todos unidos para construir uma Minas Gerais mais justa. Isso é aula de cidadania. Quando estiver cansado, com raiva e sem graça ao ver e ouvir tantos noticiários "pagos e comprados" . Pense nas horas de ouro que tivemos desde o dia 8 de junho e de tantas pessoas boas que você conheceu.

    abraço a todos os companheiros de luta !!!

    Gleiferson Crow
    LEIA: O Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  63. Saudações a todos gueirreiros e guerreiras, não devemos preocupar com melhorias no subsídio. Estamos de greve pela implementação do piso nacional para os que optaram pela tabela de vencimento básico. Negociação é negociação, o governo fará sua parte e nós faremos a nossa, lógico que tudo que for apresentado em mesa é obrigação da Beatriz apresentar para categoria e tenho certeza que a mesma induzirá a todos a votarem contra uma proposta diferente da implementação do piso. Em greves futuras estaremos lutando por duas carreiras melhorias no piso e melhorias no subsídio caso ele seja julgado constitucional, mas nessa greve estamos lutando contra o subsidio. Com certeza a Beatriz sabe disso. Greve até a implementação do piso nacional.Sem ele não voltamos para escola.
    Abraços a todos.
    IDINEI CORRÊA De Ipatinga

    ResponderExcluir
  64. Cidadão atento

    É isso aí Euler, seu blog é leitura obrigatória, além de esclarecedora e estimulante.

    O que eu me pergunto é: o sindicato que negocia com o governo leva em conta suas análises?

    Considero que vc tem uma excelente capacidade de fazer uma leitura correta e atenta desse governo e seria uma temeridade o sindicato não levar isso em consideração.

    Tb fico me perguntando se realmente a sra. gazolla foi mesmo reitora da maior universidade de mg. Considerando o papel dela nesse desgoverno imagino que tenha feito uma gestão bem patética. Se assim não foi, não está se importando em jogar sua biografia no lixo. Imagina só, menosprezar a inteligência dos servidores da educação com os argumentos que utiliza,além de querer tungar as merrecas que o estado paga.

    Me desencanta tb o posionamento dos tribunais de faz-de-conta, dos ministérios sem público e demais patotinhas pró-governo. Causa perplexidade o tanto que são ingênuos e se deixam usar pelo governo.

    De uma coisa pode ter certeza, depois desse movimento Minas não será a mesma.

    E que seja para melhor. Principalmente para nós.

    ResponderExcluir
  65. GENTE FIM DA GREVE SÓ COM O PISO. NÃO TEM CONVERSA, NÃO TEM OUTRA PROPOSTA. É O PISO E PRONTO. VAMOS ESCREVER NO BLOG DA BEATRIZ PARA QUE O SINDICATO NEM VENHA COM CONVERSA DE MELHORAS NO SUBSÍDIO. NÃO QUEREMOS SABER DISSO NÃO. É O PISO E PRONTO. É POR ESSA CAUSA QUE ESTAMOS EM GREVE DESDE DO DIA 08/06. JÁ SOFREMOS DEMAIS, COM CALÚNIAS, FALTA DE RESPEITO, CORTE NO SALÁRIO. NÃO FAREMOS PAPEL DE PALHAÇO E NÃO SAIREMOS DA GREVE SEM O PISO. AH! E NÃO VAMOS REPOR OS DIAS CORTADOS. GOVERNO DESAFORADO, COVARDE, VAI TER QUE APRENDER A NOS RESPEITAR NEM QUE SEJA NA MARRA.

    ResponderExcluir
  66. Euler se subir a página está lá:
    http://admgeral.otempo.com.br/webeditores/editorsimples/20110811fotoavulsa_10082011211538.jpg

    MENTIRA DE NOVO, BASTA PEDIR O REUQUERIMENTO(DOCUMENTO) ASSINADO NO MODELO DO NOSSO QUE RETORNAMOS AO SISTEMA DE VENCIMENTO BÁSICO, ELES NÃO TEM.
    ESSA IMAGEM ESTÁ NESSA MESMA PÁGINA
    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179167,OTE

    ResponderExcluir
  67. A nossa luta não é apenas uma luta pela legalidade deste Estado, mas sobretudo pela dignidade da nossa categoria. Temos que fortalecer a nossa identidade como classe social politizada, consciente e, em larga medida, revolucionária.

    ResponderExcluir
  68. Não estamos interessados em aumento no subsídio, queremos é receber o PISO em nosso vencimento básico. A negociação que interessa à CATEGORIA, EM GREVE, é o PAGAMENTO DO PISO!

    ResponderExcluir
  69. BELLA CHARLOTE

    Acho que a conquista do Piso vai marcar o início de uma nova luta a ser travada: o fim da proletarização da nossa categoria e o resgate de nossa dignidade profissional.
    PISO JÁ!!!

    ResponderExcluir
  70. Se o Sindicato aceitar qualquer coisa que não seja o Piso, pode enterrar SindUte e todos os seus diretores e representantes. O Sindicato só deve levar para a Assembleia algo que mencione mudança no valor do Piso. Nossa greve é pelo Piso!!!!!!. Caso o governo apresente aumento no suicídio, os membros do Sindicato na negociação, nossos representantes, devemn na HORA, DIZER NÃO!!! SÓ NEGOCIAMOS PISO!!!!

    ResponderExcluir
  71. Companheiros, nessa luta que travamos com o ditador que ocupa o Governo de Minas Gerais, cada declaração, cada ação do governo nos remete a certeza que estamos no caminho certo e que não podemos arrefecer na busca pela implantação do PSPN. Interessante lutar para se cumprir lei! Lembrando que aquelas que nos penalizam são implementadas imediatamente.
    Algumas reflexões que reforçam que o piso salarial na carreira antiga é a melhor opção, são conhecidas e muitas foram aqui postadas. Sabemos que o governo tentou nos convencer a ficar no subsídio e como bem avaliado em seu post, continuará tentando nos devolver da nossa opção pela carreira antiga, já que na lei do subsídio está prevista a possibilidade do retorno. Precisamos pensar que se o governo me quer no subsídio é porque o outro é melhor. Afinal em qual dia o governo se preocupou com o servidor? A falta de argumentos da parte do governo revela quem está com a verdade. As senhoras secretárias repetem o mesmo discurso ensaiado, até com as vírgulas.
    Entretanto esta semana ouvi uma história que reforça nossas certezas:
    Os companheiros do Tiradentes estão vinculados à Secretaria de Defesa Social, mas estavam no subsídio e deveriam fazer a opção. Numa determinada unidade todos ou quase todos preencheram o requerimento de retorno ao sistema antigo e entregaram na escola. Passadas algumas semanas aparece "um chefe" e diz que não havia protocolado pois o subsídio era melhor e eles só teriam os 100% de reajuste da segurança se ficassem no subsídio. Segundo esse chefe os mesmos índices da polícia seriam dados aos professores do Colégio Tiradentes. Muitos optaram por retornar a carreira antiga e disseram que já que fazem parte desse rejuste da polícia, que eles queriam o reajuste na carreira antiga, mas foram informados que NÃO, somente quem fica no subsídio vai ser alcançado pelo benefício.
    Embora sejam civis vinculados à PM, fica claro nesse episódio que o governo joga com todas as armas para conduzir o servidor ao subsídio. Podemos refletir que se o governo não fosse pagar o piso independente de qualquer coisa e estivesse certo na sua interpretação deixaria o servidor optar e pronto.
    Portanto fica claro que, O GOVERNO SABE QUE É OBRIGADO A PAGAR O PISO na CARREIRA ANTIGA e terá que fazê-lo.
    Dessa forma companheiros precisamos reunir todas as forças nesse momento da luta. Muitos se juntaram nessa luta nos últimos dias.
    SE VOCÊ NÃO ESTÁ NA LUTA É HORA DE ADERIR!
    Força na luta até a vitória!

    ResponderExcluir
  72. Euler,

    "...o impacto do piso do MEC custaria, segundo o deputado Rogério Correia (que continua devendo a confirmação dessa versão) algo próximo de R$ 4 bilhões a mais no orçamento..."

    Olha só:

    SE 100.000 PROFESSORES TIVESSEM UM SALÁRIO FABULOSO DE R$5.000,00 (CINCO MIL REAIS), O GOVERNO TERIA UM GUSTO TOTAL DER$500.000.000 (QUINQUENTOS MILHOES DE REAIS). AGORA TE PERGUNTO: DE ONDE SE RETIROU ESSE VALOR ABSURDO DE R$4.000.000.000,00 (4 BILHÕES DE REAIS)?

    O governo tem que ter lógica na conta. Não adianta inventar números... ele tem que Provar os custos.

    ResponderExcluir
  73. Colegas,
    vejam notícia no site da SEE:
    Dia do Estudante com boas notícias para os alunos do terceiro ano do ensino médio
    Qui, 11 de Agosto de 2011 13:22
    É preciso desmentir.
    Abraços
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  74. Euler, já que o senhor Antônio Anastásia se diz professor, por que ele nao assume a vaga de um grevista como professor tampão?
    APELO:Senhor govervador, não estão encontrando professores dispostos a ser Tampão de greve!!! Assuma essa vaga!!!

    Ass:Priscila,Uberlândia

    ResponderExcluir
  75. Olá, novamente, Euler e combativos companheiros.
    Acabei de enviar uma mensagem ao site do sindute e acredito que todos deveríamos fazer o mesmo, afinal a greve somos nós quem a fazemos.
    Abraços
    Rita
    O e-mail que enviei é:

    Olá, sindicato,
    Vocês representam uma categoria, portanto, peço encarecidamente que nos comuniquem sobre a reunião de ontem. Usem esse instrumento chamado site, assim como o blog da Beatriz.
    E, por favor, não falem em subsídio. Já saímos dele, ele não nos interessa mais. O que nos interesa é o piso salarial.
    Mantenha a mim e aos outros professores grevistas informados, afinal, a greve só existe por nossa causa, que perdemos nossos salários, mas não perderemos nossa dignidade voltando para as salas sem que tenhamos conquistado o piso.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  76. Olá caros companheiros de luta

    Recebi esta mensagem da amiga e companheira de luta, a Karina

    "Vejam a derrocada do DESGOVERNADOR

    PROFESSORES SUBSTITUTOS NÃO APARECEM
    Publicado no Jornal OTEMPO em 11/08/2011Avalie esta notícia » 246810.NATÁLIA OLIVEIRA

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179167,OTE

    abraço a todos
    Gleiferson Crow
    LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  77. Acho que Renato Russo era um vidente e qpesar do nome da música, poderíamos entitulá-la EDUCADORES REAIS.

    Fábrica:
    Nosso dia vai chegar,
    Teremos nossa vez.
    Não é pedir demais:
    Quero justiça,
    Quero trabalhar em paz.
    Não é muito o que lhe peço
    Eu quero um trabalho honesto
    Em vez de escravidão.

    Deve haver algum lugar
    Onde o mais forte
    Não consegue escravizar
    Quem não tem chance.

    De onde vem a indiferença
    Temperada a ferro e fogo?
    Quem guarda os portões da fábrica?

    O céu já foi azul, mas agora é cinza
    O que era verde aqui já não existe mais.
    Quem me dera acreditar
    Que não acontece nada de tanto brincar com fogo,
    Que venha o fogo então.

    Esse ar deixou minha vista cansada,
    Nada demais.
    A vitória está próxima. Força na luta.

    ResponderExcluir
  78. O governo colocou propaganda do ligue minas 155 no jormal O TEMPO, agora acho que o TEMPO vai fechar pra nós...ksksksksksksksksksks

    ResponderExcluir
  79. Olá companheiro que fez o cálculo de 100000 professores ganhando cada um deles R$5.000,00, cujo gasto será de R$500.000.000,00(quinhentos milhões). O valor absurdo que o governo tirou, ou seja R$4.000.000.000,00(quatro bilhões) foi resultado de pouco conhecimento que ele e suas secretárias tem de matemática. Como prova deste desconhecimento fica evidente, quando suas secretárias compara a menor remuneração do subsídio R$1.122,00(incluindo todas as vantagens) com o piso R$712,78(sem todas as vantagens) e afirma que a remuneração do subsídio é 57% maior que o Piso.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  80. É isso aí, companheiros! Li todos os comentários e, com esse fôlego, levamos a greve até dezembro, se preciso for. A Diretora da minha Escola tentou colocar uma colega que não está em greve para me substituir, mas ela não aceitou. Ainda existe um pouco de dignidade nesta categoria. Aqui em minha casa eu e minha esposa estamos em greve - temos três filhos e um neto - que dependem do nosso salário. Mas, só voltaremos com o piso.
    Um abraço até a vitória.

    ResponderExcluir
  81. Olá Euler!!!

    Moro e trabalho como Educadora em Piranguinho... Uma pequena cidade do Sul das Minas Gerais... conhecida pelos seus deliciosos pés de moleque... por sua tranquilidd, seu ar puro... a beleza da Serra da Mantiqueira como cenário!!!... Mas, Piranguinho também é conhecida pelo comprometimento de educadores, que sempre lutaram e continuam a lutar por uma melhor qualidade na Educação Pública... A participação dos educadores da Rede Estadual em movimentos grevistas sempre foi realidd em nosso meio e em épocas passadas com adesão total, parando totalmente a Escola para reinvindicarmos nossos Direitos...
    Nesse ano, apesar de não termos conseguido a adesão total de nossos colegas (quisera eu, fossem companheiros, no sentido pleno da palavra...), conseguimos pelo menos ao início do movimento parar a escola... Agora, há companheiros q já voltaram... Mas a maioria que iniciou a greve continua firme na Luta!!!

    Escolhi essas palavras de Eduardo Galeano para saborearmos...

    "De nuestros miedos
    nacen nuestros corajes
    y en nuestras dudas
    viven nuestras certezas.
    Los sueños anuncian
    otra realidad posible
    y los delirios otra razón.
    En los extravios
    nos esperan hallazgos,
    porque es preciso perderse
    para volver a encontrarse."

    Avante na Luta, companheiros... A Vitória virá!!!

    ResponderExcluir
  82. Olá colegas
    Saibam que estou gostando deste lance de designação...
    Na minha escola falta gente no corredor,na cantina,na limpeza. Olhem só que bacana!Quando assumirmos O NOSSO LUGAR, estes contratados podem ter sua função desviada.Só assim as nossas queridas serventes e cantineiras terão uma ajudinha extra.Nosso imenso corredor vai ficar um luxo.

    ResponderExcluir
  83. Companheiros de luta e de profissão... Fazer Greve não é fácil... A situação não é tranquila, ficamos mtas vezes ansiosos... inseguros, não é??? Mas a força está no apoio do outro, daquele q tb está na luta, q tb sofre as consequências de um (des)governo que sequer tem a coragem de negociar, que parece desconhecer completamente o que é Ser Educador (ou faz de conta q não o sabe), q insiste em nos menosprezar, mostrando claramente o q pensa realmente sobre a Educação, ou seja, uma "coisa" sem importância...

    O mais incrível é sermos tratados como "invisíveis" pela mídia. A mesma mídia que insiste em declarar que a solução para o país é a Educação, apoia um governo "descompromissado" com os Educadores e ainda não mostra à sociedd o q está acontecendo em Minas! A pergunta q não quer calar: Onde está o compromisso com a verdade???

    Bem... Sei que só poderemos realmente educar com atos, com nossos exemplos! Palavras? Palavras são subjetivas demais se não estiverem atreladas às ações... Portanto, educador de verdd é aquele que não só tem um profundo conhecimento e procura aprimorá-lo sempre, como tb VAI À LUTA, QUANDO NECESSÁRIO, mostrando aos alunos, qual o verdadeiro sentido da palavra Educar!!!

    Abço a todos!!! Juntos, até a vitória!!!

    ResponderExcluir
  84. Que pena que profissionais tão úteis a sociedade, sejam tratados com tanto desrespeito.Tomara que consigam resistir e não recuem da luta.

    ResponderExcluir
  85. Subsídio, juridicamente falando, não é salário. Não sendo salário, não há que se falar em data-base ou reposição inflacionária. Assim, reajustes de subsídios serão sujeitos à discricionaridade do governante do momento, ao voluntarismo ou a manobras populistas e eleitorais. Também não servem como base para concessão de abonos ou adicionais por tempo de serviço, por desempenho ou outras gratificações. A esperteza está na escolha do ente jurídico chamado "subsídio", porque ele desobrigará totalmente o Estado de seguir qualquer norma legal que se refira a salários. Assim, quem optar pelo recebimento de "subsídio" estará se sujeitando ad aeternum às decisões autocráticas do Governo e não terá possibilidade jurídica de discutir nenhum direito, pois o ´"subsídio" não gera qualquer direito a quem o recebe, sequer o da habitualidade. Devemos lembrar também que a natureza jurídica do ente "subsídio" determina que o mesmo seja temporário, ou seja, não pode durar para sempre, o Estado deve estabelecer quem será beneficiado pelo "subsídio" e por quanto tempo os beneficiários receberão seus "subsídios". É o caso, por exemplo, dos deputados, senadores e vereadores, cujos "subsídios" devem ser votados ao final de cada legislatura, para vigorarem na legislatura seguinte. Se conseguir emplacar o pagamento de "subsídios" aos professores, será questão de tempo para que o Estado estenda a mesma política às demais categorias profissionais do Serviço Público Estadual. Assim, todos os demais servidores públicos deveriam, no mínimo, ficarem atentos ao desenrolar da greve dos professores estaduais, porque o resultado dela poderá afetar profundamente o futuro de todos.

    ResponderExcluir
  86. Pais de alunos! Entrem realmente na justiça contra a realização do ENEN na data marcada. Será impossível reverter toda a situação em tão pouco tempo, mesmo com os "realmente" professores voltando para a sala de aula. As aulas serão repostas, aos sábados, feriados provavelmente e nós sabemos que realmente não funciona. Nossos filhos nessa situação estão realmente prejudicados, não há mais o que fazer quanto a isso. Quanto aos professores substitutos, melhor nem imaginar! Mas podemos modificar essa situação e situações semelhantes futuras. Agora é a hora. Vamos nos unir e exigir do governador, que respeite, que valorize a categoria e acabe com esta greve e outras futuras. Vamos mostrar ao governador que nós (sociedade, alunos) não aceitamos o que ele vem fazendo com os professores (que estão pedindo o mínimo para sobreviver, que não têm tempo para estudar, para ler, para se atualizarem, precisam correr de uma escola para outra para poder manter sua família e seu carro , o meio mais rápido para se deslocar entre tantas escolas, e convenhamos R$1.000,00 não dá). Pensemos em nossos filhos, nas mãos de professores trabalhando numa só escola , recebendo dignamente, podendo estudar, preparar bem a aula do nosso filho, seria pedir muito? Não somos massa de manobra, exijamos que ele zele pela educação, que é dever dele.

    ResponderExcluir
  87. Com a educação, saúde, segurança, com o fisco, meio-ambiente. Não sou professor e sou solidário a vocês! O governo é o primeiro a descumprir a lei e utiliza da midia e do dinheiro do contribuinte para colocar propaganda enganosa.

    ResponderExcluir
  88. OS PROFESSORES TAMPÕES TERÃO QUE PASSAR OLEO DE PEROBA NA CARA PARA TER A CORAGEM DE ASSUMIR VAGA DE QUEM ESTÁ LUTANDO POR UMA CARREIRA DIGNA E VALORIZADA. OS ALUNOS VÃO CAIR DE PAU E OS COLEGAS TAMBÉM. SERÃO OLHADOS PARA SEMPRE COM DESPREZO POR SEUS COLEGAS DE PROFISSÃO.É PRECISO NÃO TER ÉTICA PARA SE PRESTAR A ESSE PAPEL EM FAVOR DESSE GOVERNO MAU CARÁTER.

    ResponderExcluir
  89. É hora de a população apoiar os professores em peso!!! Entendo que os alunos não deveriam perder aulas, mas de que adiantam essas aulas sem estrutura??? Melhor perderem uns meses e conseguirem algo melhor para eles e para as futuras gerações! Até quando vamos tratar a educação como algo de segunda importância??? A PM pressiona e o governo negocia logo. Professor pressiona e o governo se esquiva. Educação é menos importante que segurança? Educação melhor não gera mais segurança? Escolas melhores não diminui a necessidade de presídios? Pelo amor de Deus! Que esse governo mude sua mentalidade pequena e invista pesado na educação, com mais qualidade e segurança nas escolas.

    ResponderExcluir
  90. ÔOOOOOOOOOO beleza! A SEE vai começar a perceber que ninguem ta doido querendo dar aulas para ganhar a gorjeta do governo! Vai ter que negociar com os heróis que ainda têm um resto de vontade de voltar pra sala de aula. "Somos exército de um homem só" todos dias damos show de "Se vira nos 50 (minutos de aula)"

    ResponderExcluir
  91. Caros colegas que ainda não entraram na luta. Deixem de lado o medo, o comodismo ou quaisquer outras amarras que os impedem e se unam aos combativos colegas que lutam para conquistas que vocês também irão usufruir.
    Entendam que, não aderindo a essa batalha, vocês estão,de certa forma, contra seus colegas,e contribuindo para o (des)governo continuar intransigente. E o que é pior, alimentando suas mentiras.
    Se vocês não tomarem a atitude de unirem à categoria, vocês contribuem para que a situação fique mais penosa para aqueles que já sacrificaram tanto com: corte de pagamentos, viagens sem confortos para participarem das assembleias, visitas as escola e outras infinidades de situações, todas extenuantes. Sem contar ainda,no final da greve, o compromisso com os alunos de repor todos esses dias parados (desde 08/06).
    Está mais que na hora de darem suas parcelas de contribuição nessa luta que também é de vocês . Pois quanto mais unidos mais fortes seremos. VENHA!... Queremos você do nosso lado, não do lado de nossos algozes.
    Maria Helena ( Ipatinga)

    ResponderExcluir
  92. Euler,
    A Secretaria de Educação enviou para cada escola, via e-mail às 17:00 do dia de hoje (11/08), um ofício-circular autorizando a designação dos professores substitutos no prazo de 24 horas. Você sabe informar algo sobre a liminar que o sindicato enviou ao MPE? Já saiu o deferimento ou indeferimento? Qual atitude, nós grevistas, devemos tomar diante destas designações? Por favor tente nos orientar o mais rápido possível!!! Abraços e força na luta.

    ResponderExcluir
  93. Boa noite, pessoal! Estamos na luta, dividindo ansiedade e força...aqui no "nosso blog" é assim: juntos, até o piso! Bem, estava previsto reunião do sindicato com o Ministério da Educação hoje. Será que aconteceu? O que será que aconteceu???????????

    ResponderExcluir
  94. Turma do combate, alguns dados:

    1) nos meus cálculos, o ano letivo de 2011 não fecha mais em dezembro. Se a greve terminasse hoje (o que não vai acontecer, lógico) teríamos 20 sábados, os 05 dias da semana de outubro, 03 dias feriado, totalizando 28 dias. Como já ultrapassamos mais de 30 dias de letivos em greve, o ano letivo de 2011 só fecha em 2012.

    Ou seja: o governo de Minas, na sua atual gestão, vai entrar para a História como aquele que não cumpriu os 200 dias letivos em 2011 por não ter cumprido uma lei federal, dando calote nos educadores e deixando de pagar o PISO, que é direito constitucional dos trabalhadores em educação.

    2) esta resolução que visa contratar professores-tampão para substituir nossos valentes guerreiros, deve ser impressa e colocada num quadro como exemplo, para as gerações atuais e futuras, de como, um dia, governantes tiveram coragem de rebaixar o exercício do magistério a um grau degradante que jamais imaginaríamos que acontecesse. Contratar pessoas, inclusive sem habilitação, para substituir professores em greve é vergonhoso, tanto para as pessoas que tiverem a cara de pau de assumir esta tarefa, quanto (principalmente) para o governo, que se mostra abaixo da crítica. Não vamos esquecer este ato, nos próximos 50 anos, pelo menos.

    3) não queremos subsídio, queremos piso. Isso já deveria estar claro para o governo. E seria bom que o sindicato, ao se reunir com o governo, deixasse claro: quando quiserem discutir a implantação do piso, podem nos chamar. Do contrário, não nos faça perder nosso tempo.

    4) precisamos forçar o agendamento de reuniões e audiências, com: a) comissão de Educação da Câmara Federal (onde estão os deputados e senadores que dizem apoiar a Educação?); b) ministro-relator ou presidente do STF; c) ministro do MEC; d) promotor de Justiça; e) OAB Nacional; f) a CNBB,, g) o Papa, h) Edir Macedo, etc., etc., etc.

    Expor claramente para todos eles que Minas não cumpre a Lei e não piso. Queremos que todos eles se manifestem, pois não podemos viver nessa omissão generalizada. As entidades sindicais e sociais já estão se mobilizando. É preciso pressionar também os chefes das instituições. Ou eles se pronunciam ou vamos propor uma rebelião neste país, pois não podemos conviver com essa canalhice. Ou eles cumprem a lei e nos pagam o piso ou vamos denunciar isso inclusive nos fóruns mundiais...

    ... e diremos que a Educação pública no Brasil é uma farsa. Não querem que os filhos das famílias de trabalhadores recebam uma Educação de qualidade. Gastam dinheiro com Copa do Mundo, com obras faraônicas, como juros de banqueiros, mas são incapazes de cumprir uma lei federal e pagar um miserável piso para os educadores de um estados mais ricos da Federação.

    Não vamos aceitar isso! Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

    ResponderExcluir
  95. Anastasia
    Eu aposentado ir pra sala de aula?
    Vai de catá Timotinho.

    ResponderExcluir
  96. João Paulo Ferreira de Assis11 de agosto de 2011 20:48

    Prezado amigo Professor Euler

    Preste atenção à nova tática dos diretores: convocam uma reunião com todos os funcionários e professores. Mas antes tratam de conversar ao pé do ouvido com cada um dos auxiliares de serviços gerais e secretaria para garantirem votos contra a greve. É assim que a greve tem sido derrubada em algumas escolas da SRE de Barbacena. E usam votação secreta para isso. Sei de duas escolas onde este expediente foi usado, porém, eu me calarei. O silêncio é de ouro. Mas posso assegurar que os professores não irão dobrar a cerviz.
    ATÉ A VITÓRIA!!!!!

    ResponderExcluir
  97. Caro Euller,
    Já que o governadorzinho TIMOTIN CABRAL(anastAZIA) está querendo que a SEE contrate professores para alunos dos 3º anos, que ninguém reponha as aulas após o fim da greve. Que ele contrate professores também para todos os outros alunos que estão sem suas aulas. Se caso ele não encontrar professores, que vá ele e sua corja de comandados para a sala repor aulas para os alunos do 1º, 2º ano do ensino médio e também aos alunos do ensino fundamental do 1º ao 9º ano. Por FAVOR Coloque esta proposta na reunião do conselho de terça feira(16/08) e que seja levada para assembléia. Já que nosso salário de fome foi cortado e conseguimos vencer mais essa dificuldade que diferença faz, repor aulas para receber de qualquer jeito ou quem sabe nem receber, não é mesmo???...
    Grande abraço a Vc e aos companheiros de guerra. Somos professores de Espinosa(MG)

    ResponderExcluir
  98. O cúmulo da cara de pau foi a secretária da Educação dizer que os aposentados poderão assumir esta vaga de "professor-tampão" em substituição aos guerreiros educadores em greve. Imaginem só! A infeliz secretária quer que os valentes educadores aposentados, que dedicaram uma vida inteira ao magistério público, tornem-se fura-greves. As nossas conquistas serão usufruídas também pelos aposentados. Mas, este governo cínico quer explorar inclusive a situação de mendicância em que se encontra os educadores, tanto os da ativa quanto os aposentados. Essa gente não tem limite. E quanto mais se comportam assim, mais aumenta a revolta dos educadores, dos alunos e pais de alunos conscientes, e de toda a sociedade.

    ResponderExcluir
  99. Caro amigo João Paulo,

    De fato, esta tática tem sido usada por toda parte. Nossa orientação é clara: os guerreiros e guerreiras não podem se curvar e aceitar as manobras. A greve é de toda a categoria e não é decidida nas escolas isoladamente. Qualquer profissional tem direito a não acatar decisões tomadas contra a greve nas escolas, pois o fórum de decisão é a assembleia da categoria, que já decidiu pela continuidade da greve. Quem estiver contra a greve, deve participar da assembleia, pedir a palavra e defender seu ponto de vista.

    Portanto, vamos combater essa tática estando juntos com os colegas em greve. Qualquer ameaça de diretor deve ser denunciada e ele deve ser informado que o comando de greve irá denunciá-lo publica e judicialmente. Mexeu com qualquer um de nós, mexeu com todos os educadores!

    ResponderExcluir
  100. Um abraço aos valentes educadores de Espinosa e de toda Minas Gerais. Impressionante como este espaço tem reunidos manifestações de coragem e dedicação à nossa luta!

    Aliás, a nossa greve tem se tornado uma verdadeira escola pública de cidadania. Já perceberam nos comentários a quantidade de poetas, pensadores, filósofos, escritores da literatura clássica são citados? Impressionante como os nossos educadores, apesar do descaso, do tempo corrido, dos baixos salários, conseguem manter este elevado grau de consciência, de conhecimento universal, e de compreensão dos nossos direitos. Parabéns a todos / todas os/as educadores e demais trabalhadores de Minas e do Brasil que estão em luta!

    ResponderExcluir
  101. Olá, Euler,
    antes de você começar a escrever um novo ânimo para nós, professores em luta, gostaria de deixar meu ânimo. Essa música me faz acreditar que tudo vai dar certo.
    Amanhã , de Guilherme Arantes,
    Amanhã, será nosso dia! E será pleno.
    Até o piso, até a vitória!
    http://www.youtube.com/watch?v=LBcsxSiJCMo

    ResponderExcluir
  102. Comentário que deixei no O Tempo:

    Anastasia vai sair da história como o governador que quase destruiu a educação mineira. Quase, porque nós educadores não vamos deixar. Vai pagar um MICO dos grandes, pois vai ver que professor de verdade está em extinção. Professor que assume vaga de grevista não é SUBSTITUTO, mas PROSTITUTO de um sistema que não valoriza educação pública. O governo afirma que 300 mil ficaram no subsídio? Não nos importa. Dá-nos o que é nosso, sejamos 2, 3 ou mais de 100 mil. A própria lei do subsídio já nos garantia a volta à remuneração antiga. Voltamos... agora nos pague o Piso como ele deve ser aplicado (mesmo que proporcional, o do MEC mesmo). Mesmo merecendo muito mais que isso, aceitamos como um ponto de partida para mais valorização. Essa batalha deve ser de todos que acreditam (de verdade) que a Educação é a melhor forma de mudar os rumos de uma nação que cada vez mais se envergonha dos seus representantes. Para estes, basta que os jovens saibam operar máquinas e apertar botões (principalmente os da urna) que já estão preparados. Mas, enquanto EDUCADORES esperamos mais de nossos alunos, principalmente que eles sejam capazes de fazer opções que beneficiem não só a si próprios, mas a toda a coletividade.Precisamos de uma revolução nacional em prol da Educação ou iremos ter de nos acostumar com as bandalheiras que se fazem cada vez mais presentes no meio político. Povo informado não se deixa levar por palavras bonitas ou propagandas exuberantes. Talvez aí resida o problema de nós educadores: sabemos ampliar horizontes e fazer nossos alunos enxergarem mais longe, contrariando a intenção dos governantes que os querem cada vez imbecilizados. Por falar nisso, "tô besta" com a atitude da Presidente Dilma e dos Ministros do STF que até agora não publicaram o tal ACÓRDÃO. Acorda, gente. Dizem que a justiça é cega, mas aqui em Minas ela está cega, muda e tetraplégica. Rogério Trindade - Curvelo

    ResponderExcluir
  103. Ao estudante com carinho

    11 de agosto - Dia do Estudante

    Mensagem do LEIA: O Jornal do José Elias Issa

    Carinhosamente desejamos que o
    Dia do Estudante seja maravilhoso

    Caro estudante e amigo


    "Se na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas falar de minha utopia, mas participar de práticas com ela coerentes." (Paulo Freire)


    O Dia do Estudante é uma data muito especial para todos nós, até isso esse governador Antônio Anastasia foi capaz de fazer, nós deixar longe de vocês.
    Caro estudante e amigo, somos seres humanos e temos sentimentos, amamos, sorrimos, choramos, brincamos e aprendemos juntos como a vida pode ser doce... (pausa)...Acreditamos no caráter das pessoas e no amor que cada um tem no coração, frases de sabedoria, de saudação, de entusiasmo
    fazem parte de cada hora de ouro, de cada momento de alegria, de tristeza e de conquistas compartilhando o saber e o aprender..
    A você estudante, desejamos um Dia do Estudante recheado de amor, de paz, de esperança, (pausa)... justiça, e pedimos que o dia que vocês já estiverem saboreando e colhendo os frutos do amanhã lembrem-se (pausa) que este dia 11 de agosto, nós professores e demais profissionais da educação estávamos impedidos de dar aquele abraço carinhoso, de dizer uma frase de carinho, de conversar e refletir sobre o Dia do Estudante.
    Esse impedimento é devido a uma reivindicação da categoria, "a greve dos trabalhadores em educação foi deflagrada em 08 de junho último e,
    desde então, a categoria intensifica esforços na tentativa de abrir negociação com o governo do Estado (Antônio Anastasia - PSDB), que se nega a implantar a Lei 11.738/08, que institui o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN)." o nosso
    movimento é para que a Lei seja cumprida neste país e neste estado maravilhoso que é Minas Gerais e (pausa) ...
    Que o Dia do E-s-t-u-d-a-n-t-e seja sempre lembrado.

    Agradecemos o carinho de todos os estudantes e familiares de Minas Gerais que tem apoiado o nosso movimento com respeito e sabedoria e em especial aos nossos estudantes e seus familiares da EE José Elias Issa - São José da Lapa e seus familiares .

    Gleiferson Crow e Família José Elias Issa

    LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  104. Helcilene/Brasilia de Minas11 de agosto de 2011 22:41

    oi Euler..
    Aqui na minha região a SEE enviou uma mensagem pedindo que fóssemos sensiveis e voltássemos a escola no dia 17 para aplicar as provas das olímpiadas de matemática. Que a escola deveria sensibilizar os educadores para esta tarefa e convocar os alunos para retornarem as aulas neste dia. Fiquei com tanta pena que quase choro.. de raiva. Como um ser humano que corta salários, mente e ainda ameaça professor pode pedir tal absurdo. Sensível estamos com a atitude de coragem dos nossos bravos guerreiros professores, que tem suportado tudo e permanecem firmes.
    A nossa vitória está próxima...

    ResponderExcluir
  105. Euler,
    Acabei de escrever o seguinte post no Blog da Beatriz:
    Beatriz,
    Que "silêncio" no seu Blog! É aterrador ficar sem notícias...
    Bia, será que o Sind Ute pode convidar alguém para representar, de fato, os anseios dos Professores, para ajudá-la nas negociações com a Secretaria de Educação? Em nome de todos os colegas, sugiro o nome do Professor Euler Conrado. O E-mail para contato com o Blog está exposto lá, por isso, acho que posso citá-lo aqui:
    euler.conrado@gmail.com
    Quem sabe ele aceitaria? Se não aceitar, tenho certeza de que será claro em seus motivos.
    Sugiro a você levar calculadora, lápis e papel e um exemplo de situação de Professor na próxima reunião, para mostrar por A + B que o governo não paga o piso. Seria interessante também levar uma caixa de lápis de cor: pode ser que você precise desenhar!
    Estamos torcendo por um feliz desfecho, mas não se esqueça: nem queremos ouvir falar em subsídio. Vamos tirar essa palavra de nosso vocabulário. Inteligentes, vamos substitui-la por outra mais simpática e atraente.

    Força e fé!

    ResponderExcluir
  106. Euler e demais colegas, fico pensando se não tem um p* de um repórter capaz de perguntar para a gangue do governo por que eles não pagam o piso no antigo regime remuneratório.

    Fico pensando o que o governo vai inventar quando semana que vem a greve continuar e não tiverem os 3 mil professores substitutos.

    Fico temeroso ao ler que o MP estadual declara que é considerável 300 mil profissionais estarem no subsídio, mas sequer questionam o governo que eles estão no subsídio à força e por que o governo não paga o piso no ant. regime.

    Quando a Sra. Secretária enche o peito para falar que o antigo regime está em extinção, acho que ela infelizmente tem razão se não fizermos algo, minha análise é a de que temos 300 mil no subsídio e nos próximos concursos infelizmente todos entrarão já no subsídio.

    Os 100 mil que fizeram a opção pelo antigo regime, depois serão 90, 70, depois 50 mil , isso com o passar dos anos, pois muitos aposentam, mudam de profissão, etc., sendo assim, será fácil o governo, ou pagar o piso de 50 mil, ou numa atitude mais autoritária ainda, esmagar estes que lutaram para ter uma carreira na educação.

    A situação é clara, pena que muitos não perceberam que é o fim da carreira de professor na rede estadual de MG enquanto o PSDB for governo.

    Enfim, é hora de ninguém, nunca mais votar em alguém do PSDB.

    ResponderExcluir
  107. Vejamos mais esta!
    FAÇAM O QUE DETERMINAMOS, MAS NÃO FAÇAM O QUE FAZEMOS!


    Que coisa, hein, nós os professores estamos há dois meses lutando por um salário irrisório e os senhores promotores querendo ser BEM GRATIFICADOS quando exercerem a função de Professor no Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público . Será que a profissão lá é mais NOBRE?!

    "Conselho barra manobra de promotores e sevidores


    Ministério Público mineiro tenta assegurar gratificação de magistério que eleva salário acima do teto de R$ 26.723

    Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) freou manobra do Ministério Público de Minas Gerais (MP), que instituía gratificação para os promotores e servidores. O recurso beneficiaria promotores que fossem trabalhar como professores no recém-criado Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) do órgão. Com a verba, os procuradores poderiam acumular até R$ 22 mil, além do próprio salário e ultrapassariam o teto constitucional do funcionalismo, que é de R$ 26.723,13"

    http://www.hojeemdia.com.br/noticias/politica/conselho-barra-manobra-de-promotores-e-sevidores-1.32421
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  108. GREVE ATÉ O PISO. SEM MAIS...

    ResponderExcluir
  109. 12 anos de tédio com o governo Anastasia no poder... Se é que complete.
    1- Fim de biênios e quinquenios aos que ingressarem a partir de 2003;
    2-Fim de matérias importantes para a competitividade dos nossos alunos com os de escolas privadas;
    3- Subsídio que corrói a carreira dos professores;
    3- Professor tampão para cobrir vagas de colegas guerreiros que lutam por dignidade;
    4- Lei 100 que inoja até mesmo os que usufruem dela.
    5- Pagar a imprensa para fazer propagandas dos seus desmazelos com o dinheiro público.
    6- Não paga o piso dos professores, garantido por LEI
    7- Paga um salário irrisório aos professores
    Precisa mais motivos para se convencer que a nossa greve é justa?

    ResponderExcluir
  110. Euler, a SEE já enviou um calendário de reposição para as escolas. Tem mais 10 dias de dezembro - de 19 a 23 e 26 a 30. Brincadeira né??

    ResponderExcluir
  111. Caro Euler,
    Faça as contas: se o impacto na folha de pagamento com a implantação do piso for na ordem de 4 bilhões, como diz o deputado, divida-os por (cerca de) 400 mil servidores da educação e teremos um salário de 10.000 reais por mês. Temos ótimos matemáticos no governo, não?

    Antônio.

    ResponderExcluir
  112. EULER, TA CERTO QUE A JUSTIÇA É CEGA. AO MENOS ELA USA AQUELA VENDA, MAS ANDO DESCONFIADA QUE ELA LEVANTA AQUELE PANINHO DE QUANDO EM VEZ. DEPENDENDO DE QUEM A CLAMA POR ELA. POIS COM TANTOS PROFESSORES GRITANDO NO PAIS, ELA É SURDA, CEGA E MUDA. NEM TA AÍ PRA NÓS OS POBRES PROFESSORES. SERÁ QUE NÃO DA PRA NOS UNIRMOS TODOS E IR A BRASILIA? QUEM SABE LÁ DE PERTINHO ELA NÃO NOS VEJA ? Quem sabe o STF não ve o total de insatisfeitos ? Somos alérgicos a subisss... atchimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm...

    FEDERALIZAÃO DA EDUCAÇÃO JÁ !

    Ou o Brasil já é CAMPEÃO MUNDIAL DE GREVES DE PROFESSORES. Vamos comprar uma taça pra entregar ao estado que tiver o maior números de professores parados. Pedir a um apresentador de tv pra ser o padrinho da COPA MUNDIAL DOS SEM PISO SALARIAL.

    Euler, veja o nível de satisfação dos professores do Brasil :

    10/06/2011 - 21h23 / Atualizada 10/06/2011 - 23h28

    Professores da rede pública estão em greve em pelo menos oito Estados:

    1) Greve em São Paulo
    Segundo o Sinteps (Sindicato de Trabalhadores do Centro Paula Souza), 70% dos professores e funcionários das Fatecs (Faculdades de Tecnologia) e Etecs (Escolas Técnicas) estão em greve desde o dia 13 de maio. No total, são 12.475 mil docentes, 250 mil alunos e 249 instituições.
    2) Greve no Rio de Janeiro
    Na terça-feira (7), foi decidida a greve por reajuste emergencial de 26% e o descongelamento do plano de carreira dos funcionários administrativos da rede estadual, entre outras reivindiações. O Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação) fala em 65% das escolas paralisadas, enquanto a Secretaria de Estado de Educação diz que apenas 2% dos professores estão fora das aulas.
    3) Greve em Minas Gerais
    Desde a quarta-feira (8), 50% das escolas estaduais mineiras estão paradas, segundo o Sind-UTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais). A secretaria de educação ainda não tem estimativas do alcance do movimento.
    4) Greve em Santa Catarina
    Cerca de 70% das 1.350 escolas estão sem aulas no Estado desde 18 de maio. O principal pedido é a implementação do piso salarial nacional de R$ 1.177. O governo do Estado encerrou as negociações com os professores em reunião nesta sexta-feira (10) e requisitou o fim da greve.
    5) Greve no MT
    Os professores da rede estadual de Mato Grosso estão em greve desde a última segunda-feira (6) por melhores salários. O movimento continua na próxima semana. A Seduc (Secretaria Estadual de Educação do Mato Grosso) estima que 40% das 724 escolas do Estado estejam paralisadas. Eles reivindicam piso salarial único de R$ 1.312 .
    6) Greve em Sergipe
    Pelo menos 300 mil alunos da rede estadual de ensino de Sergipe estão sem aulas desde o início da greve de professores no dia 23 de maio. Em assembleia realizada nesta quinta-feira (9), a categoria se recusou a voltar ao trabalho. Os professores reivindicam reajuste salarial de 15,8%.
    7) Greve no Rio Grande do Norte
    No Rio Grande do Norte, a greve de professores da rede estadual completou 43 dias nesta sexta-feira (10). De acordo com a assessoria de comunicação do governo, das 710 escolas estaduais, 335 estão fechadas.
    8) Greve no Ceará
    De acordo com a secretária geral do sindicato, Ana Cristina Guilherme, cerca de 96% da categoria aderiu à greve. A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT-CE), ameaçou suspender o adiantamento de 40% do 13º salário dos professores da rede municipal para os profissionais que mantivessem a greve.

    Isso sem falar nas ESCOLAS FEDERAIS E MUNICIPAIS,AI O NÚMERO AUMENTA MAIS AINDA!-> (comentário meu.)

    * Com reportagem de Angélica Feitosa (Fortaleza), Carol Guibu (Recife), Thiago Minami (São Paulo) e Valéria Sinésio (João Pessoa)
    na integra:
    http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/06/10/professores-da-rede-publica-estao-em-greve-em-pelo-menos-oito-estados.jhtm

    ResponderExcluir
  113. Professor Euler;
    Professores de Minas Gerais
    Bom dia!


    Escolhas!

    Esqueça os dias de nuvens escuras...

    Mas lembre-se das horas passadas ao sol .

    Esqueça as vezes em que você foi derrotado...

    Mas lembre-se das suas conquistas e vitórias.

    Esqueça os erros que já não podem ser corrigidos...

    Mas lembre-se das lições que você aprendeu.

    Esqueça as infelicidades que você enfrentou...

    Mas lembre-se de quando a felicidade voltou.

    Esqueça os dias solitários que você atravessou...

    Mas lembre-se dos sorrisos amáveis que encontrou...

    Esqueça os planos que não deram certo...

    Mas lembre-se de

    SEMPRE TER UM SONHO...
    E SEMPRE LUTAR PARA TORNA-LO REALIDADE.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    NOSSA CAUSA É JUSTA.
    FORÇA, CORAGEM E PERSISTÊNCIA.
    A VITÓRIA ESTÁ APROXIMANDO.
    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(

    ResponderExcluir
  114. Professor Euler;
    Professores de Minas Gerais;
    Bom dia!


    Escolhas...

    Esqueça os dias de nuvens escuras...

    Mas lembre-se das horas passadas ao sol .

    Esqueça as vezes em que você foi derrotado...

    Mas lembre-se das suas conquistas e vitórias.

    Esqueça os erros que já não podem ser corrigidos...

    Mas lembre-se das lições que você aprendeu.

    Esqueça as infelicidades que você enfrentou...

    Mas lembre-se de quando a felicidade voltou.

    Esqueça os dias solitários que você atravessou...

    Mas lembre-se dos sorrisos amáveis que encontrou...

    Esqueça os planos que não deram certo...

    Mas lembre-se de

    SEMPRE TER UM SONHO...
    E SEMPRE LUTAR PARA TORNA-LO REALIDADE.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    NOSSA CAUSA É JUSTA.
    FORÇA, CORAGEM E PERSISTÊNCIA.
    A VITÓRIA ESTÁ APROXIMANDO.
    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(

    ResponderExcluir
  115. Professor Euler;
    Bom dia!

    Quero fazer um pedido especial:

    - Informações sobre a CONSULTA sobre a legalidade das contratações autorizadas pelo Governo.

    - Informações do andamento da ADI 4631 no STF.

    PRECISAMOS ESTAR BEM INFORMADOS.
    ESTAMOS ANSIOSOS POR ESTAS NOTÍCIAS.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  116. Professor Euler,

    NOTA

    O Blog não está conseguindo dar a devida ATENÇÃO, RESPOSTAS E INFORMAÇÕES aos que aqui visitam.
    O número de visitantes está muito ALTO.
    PRECISA-SE DE ADAPTAÇÕES.

    Faço esta crítica no sentido positivo.

    Precisamos muito deste BLOG.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  117. Professores,

    O blog da Beatriz Cerqueira, faz 3 (tres) dias que não é atualizado?
    Não há interação.
    Deste jeito não dá.

    Será o que está acontecendo?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  118. bom dia, professor Euler Conrado.
    sópiso na escola para dar aula se for com a implantação do piso.
    pode cortar o pagamento. é tão pouco que nem fez diferencia para mim.
    professor de história ,municipio de mutum.

    ResponderExcluir
  119. Que isso Euler,,congelaram seu Blog,,tenho ums 2 dias que não muda os comentários ,,ta igual o blog da Bia,,rsrs,,brincadeira.Não desanime não esse blog é muito importante para todos nós.

    ResponderExcluir
  120. Olá Euler ,,tem algunha informação sobre a reunião do sindicato ontem com o ministério da educação,,precisamos de informação. A Bia acho que anda muito ocupada,,custa passar as informações,,estamos todos anciosos ,,nesse momento agilidade nos informes é fundamental.

    ResponderExcluir
  121. Olá Euler,
    É com gde satisfação que venha informar uma vitória. Conseguimos "impedir" a contratação de substitutos na E.E. Judith Vianna, aqui em
    Alfenas. Havia muitos pretendentes, mas argumentamos e conseguimos convencê-los a não assinarem o contrato. Angariamos tbem mais guerreiros para nossa luta. Na parte da tarde, faremos uma manifestação em frente a E.E.Dr. Emílio Silveira. As convocações de lá estão marcadas para 14.30...mais tarde informo sobre a manifestação...
    abçs,
    Eliane

    ResponderExcluir
  122. Senhores professores;
    porque ao invés de fazerem greve todos os anos,voces nao trocam de profissao?Acho que todos voces estao deslocados e super insatisfeitos.
    Quantos pais de familia que trabalham mais de 60 horas por semana e ganham um salario minimo para sustentar a familia?Pois é,e voces se achando os melhores porque fizeram uma faculdade ou isso ou aquilo...Quer dizer que voces se julgam melhores que todos?O qaue voces querem?Acabar com a educacao em Minas?Mostrar que voces sao unidos,prejudicando a todos?
    Tenham consciencia!!Claro que os vossos filhos estao em escolas particulares,porque voces mesmos sabem e dizem que o ensino em Minas é pessimo!!Sabem porque??Porque voces nunca estao satisfeitos.
    Espero que sejam contratados mais professores substitutos e que todos que aderiram a greve sejam mandados para rua.

    ResponderExcluir
  123. Professores de Minas,

    ANÁLISEM!

    O GOVERNO RECONHECEU O regime remuneratório, oferendo direito de OPÇÃO.

    Srs. advogados do Sind UTE, SE EXISTE O RECONHECIMENTO DO REGIME REMUNERATÓRIO por parte do Governo , resta então ao Governo,CUMPRA-SE A LEI E PAGUE O PISO.

    Outra recomendação aos Srs. advogados é que não aceitem a apresentação da nomenclatura (DESPESAS COM EDUCAÇÃO).

    - O CORRETO É "INVESTIMENTOS EM EDUCAÇÃO"

    ...E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ...E A LUTA CONTINUA.

    A NOSSA CAUSA É JUSTA.
    FORÇA, CORAGEM E PERSISTÊNCIA.
    A VITÓRIA ESTÁ APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  124. Professor Euler,

    PARABÉNS PELAS 380.000 VISITAS A ESTE BLOG.

    BLOG DE UTILIDADE PÚBLICA PARA OS PROFESSORES DE MINAS GERAIS.

    OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE DEMOCRÁTICA DE EXPRESSÃO.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... NÃO PODEMOS DEIXAR DE SERMOS FELIZES, ENQUANTO O SOL NÃO DESISTIR DE RENASCER.

    ResponderExcluir
  125. Professor Euler,

    EM TEMPO!

    SUA RESPOSTA FOI PARA O LEITOR E COMPANHEIRO ERRADO.

    Por favor, reconsidere.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  126. Professor Euler,

    PRECISAMOS DE INFORMAÇÕES:

    - CONSULTA DA LEGALIDADE DAS CONTRATAÇÕES POR PARTE DO GOVERNO.

    - ANDAMENTO DA ADI 4631 NO STF.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  127. Faço questão de responder à provocação do anônimo das 12h36m.

    Nós não vamos mudar de profissão, mude você, de país, ou de escola, ou de planeta, se assim preferir.

    Se a Educação está do jeito que está, em grande parte se deve a pessoas como você, que é capacho do discurso oficial de um desgoverno que só aplica recursos em obras faraônicas e em juros de banqueiros, para proveito dos amigos deles.

    O que nós queremos, pessoa desinformada e alienada, é um direito assegurado em lei. E que o governo não cumpre. E ainda consegue jogar pessoas infelizes e atrasadas como você, contra os educadores.

    Portanto, siga o meu conselho. Antes de pedir que mudemos de profissão, mude você, de país, de planeta e até de escola, se não está satisfeito(a). Nós continuaremos educadores com muito orgulho; e educadores em luta, não-alienados e não prostrados perante a arrogância e o descaso dos governos!

    ResponderExcluir
  128. Olá Professor Euler,

    CONTRATAÇÕES!

    PRECISAMOS SABER SE ESTAS CONTRATAÇÕES ANUNCIADAS SÃO LEGAIS.

    SEGUE MATÉRIA DO HOJE EM DIA - 12/08/11


    As contratações seguirão o mesmo procedimento usado atualmente, quando as instituições precisam repor profissionais que estão de licença médica ou férias. O salário oferecido é de R$ 1.320 para professores de nível superior, para uma jornada de 24 horas semanais. As vagas poderão ser ocupadas por professores aposentados, pelos que lecionam outras matérias e até mesmo por profissionais recém-formados.

    Fonte : Hoje em Dia
    12/08/11

    *** E OS ALUNOS E PAIS, VÃO ACEITAR ESTE ABSURDO.

    ResponderExcluir
  129. Atenção pessoal da luta:

    Tive informação em primeiríssima mão de que as diretoras das superintendências regionais estão pressionando os diretores das escolas de forma direta e descarada!

    Estão dizendo pra eles: "Vocês são os donos das escolas; dêem um jeito de acabar com a greve, de convocar os professores e retomar as aulas urgente!".

    Considero isso uma pouca vergonha, uma falta de ética, e mais um grave desrespeito às leis vigentes no pais.

    Vamos explicar as coisas para as diretoras das SREs:

    1) a greve é decidida em assembleia da categoria. Diretor de escola não manda nada em relação a isso. Professor que se submeter a chantagem de diretor(a) pau mandado, merece ganhar salário mínimo, ou menos;

    2) a LDB e todas as leis educacionais vigentes neste país determinam que haja progressiva autonomia das escolas e democracia nas instâncias escolares. Vocês são a negação do que diz a lei. Respeitem os educadores e a Educação pública;

    3) a greve só terminará quando a categoria decidir, em assembleia, pelo fim da greve. E isso só vai acontecer quando o governo nos pagar o piso, que é um direito nosso. Vocês deveriam ter vergonha na cara de tacho de vocês, e respeitar o nosso direito legal de lutar pelo piso. Com essa atitude vocês demonstram que não merecem ficar na Educação pública, pois isso não é atitude de educador, mas de carrasco de cadeia de quinta categoria.

    4) tal orientação não seria feita se não tivesse a aprovação da secretária da Educação. Por isso, eu exijo que o sindicato peça um esclarecimento público da parte da Secretária da Educação sobre essa conduta das diretoras da SRE. Se ela negar publicamente, vamos exigir a retratação das diretoras das SREs que estão fazendo esse tipo de pressão. Recebi contato de algumas diretoras, que pediram para não se identificar, falando sobre esta pressão.

    Acorda, Minas Gerais, ou daqui a pouco estaremos de tal forma presos a uma ditadura que não será possível fazer nada, por terem se calado, quando deveriam ter falado!

    ResponderExcluir
  130. Professores,

    IMPRENSA, LEIAM
    TEXTO DE UM GRANDE JORNALISTA.

    Luis Nassif online

    A greve dos professores de Minas
    Enviado por luisnassif, sex, 12/08/2011 - 08:52
    Por Paulo Silva
    Prezado Luis Nassif
    Não faço aqui um comentário, mas uma solicitação diante de um grave problema que ocorre em Minas Gerais. Trata-se da GREVE DOS PROFESSORES DA REDE ESTADUAL que dura mais de 60 dias sem a devida atenção dos meios nacionais de comunicação. Registram-se nas diferentes cidades do estado fatos que levam a acreditar em atos de violência vejamos:
    1 - As direções das escolas ficaram autorizadas a contratar substitutos para as turmas de 3º ano do Ensino Médio, entretanto diante da falta de pessoas qualificadas, naturalmente em greve, ficou autorizada a contratação de pessoas sem a devida formação ocasionando revolta em muitos alunos e pais além da baixa procura por parte de estudantes universitários ou mesmo formandos do ensino médio.
    2 – O jornal O TEMPO na edição de hoje – 12/08 – revela um confronto em escola no município de Contagem – grande BH – entre direção e professores que ameaçados de demissão ocuparam a escola e impediram a contratação de substitutos.
    3 – Em Belo Horizonte registram-se diariamente passeatas de alunos exigindo abertura do diálogo entre governo e professores.
    4 – O corte no salário dos professores gerou problemas não somente individuais tendo em vista que muitas cidades dependem dos recursos dos aposentados e professores para manter o funcionamento do pequeno comércio local.
    O quadro em Minas é grave e necessita de uma solução urgente existindo a preocupação do agravamento da crise diante da ameaça de fome para os professores SEM SALÁRIO. Caro Nassif a sua contribuição analisando o fato será muito importante.
    Muito obrigado Paulo Silva
    Luis Nassif
    Introdutor do jornalismo de serviços e do jornalismo eletrônico no país. Vencedor do Prêmio de Melhor Jornalista de Economia da Imprensa Escrita do site Comunique-se em 2003, 2005 e 2008, em eleição direta da categoria. Prêmio iBest de Melhor Blog de Política, em eleição popular e da Academia iBest.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  131. Olá Professores,

    Não tenho percebido apoio dos partidos políticos populares nesta luta dos professores mineiros.

    - Onde estão os vereadores,deputados estaduais e federais, presidentes partidários, etc... do PT, do PSOL, do PC do B, e outros?

    PRECISAMOS OUVIR SUAS VOZES NAS TRIBUNAS E NA IMPRENSA.

    ANO QUE VEM TEM ELEIÇÕES.
    FIQUEM ATENTOS

    *** LEMBREM-SE:
    - As águas represadas contem enorme energia.

    OS PROFESSORES SÃO FORTES E PRECISAM SABER DO VALOR QUE POSSUEM.

    ResponderExcluir
  132. Caríssimos companheiros
    Para mim dia hoje de grande vitória!!! A nossa escola começará com a paralisação na próxima terça-feira e após debate virá a greve. OBRIGADA A TODOS OS COMPANHEIROS DE LUTA. E RUMO À VITÓRIA, NOS ESPERE SENHOR GOVERNADOR, ESTAMOS AMPARADOS PELAS MÃOS DIVINAS. QUE DEUS NOS ILUMINE MUITO E DÊ JUÍZO AOS GOVERNANTES. AMÉM!

    ResponderExcluir
  133. SOCORRRRRROOOOOOOOOOOOO!!!!
    Tenho 26 anos de serviço em prol da EDUCAÇÃO, me ofereceram um salário (subsídio) de 1.320,00, que não aceitei,é claro, pois prevaleci no sistema antigo. Hoje, vejo que estes canalhas oferecem a mesma quantia, 1.320,00 a um professor-tampão!!!!!!!!!!! O que é isto? O que vale os meus 5 quinquênios, muitos biênios, trabalho duro em escolas longínguas????? Querem que me aposente como? Com um salário de um professor iniciante, com meus cursos de pós e outros? VERGONHOSO, ATERRORIZANTE, ASSUSTADOR, ESTE GOVERNO MERECE VOTAÇÃO: Nota ZEEEEEEEEEEEERRRRRRRRRRRRROOOOOOOOOO. Me aguardem nas próximas eleições, e elas chegam logo...

    ResponderExcluir
  134. NA PONTA DO SERTÃO DE GUIMARÃES - HÁ MUITA COVARDIA

    CARO EULER

    NA PACATA CIDADE DE SÃO JOÃO DO PARAÍSO, HÁ GENTE QUE TRABALHA NA EDUCAÇÃO QUE PENSA COMO ESSE CARA DE PAU QUE PEDE AOS OUTROS PARA MUDAR DE PROFISSÃO. NO MÍNIMO É ALGUM, COMO DISSE LAMPIÃO : CABRA PESTE, LAMBE BOTA DO GOVERNO. EM, 2010, UM SUPERVISORA, NOS TRATOU DA PIOR FORMA, AO FALARMOS SOBRE GREVE. OUTRAS DIZEM : ACHEI QUE SERIA NO MÁXIMO UMA EMPREGADA DOMÉSTICO - POR ISSO, ESTÁ BOM DEMAIS, TENHO DINHEIRO ATÉ PARA ESPICHAR O CABELO - CARO EULER, É TRISTE OUVIR TUDO ISSO .
    MAS , SEMPRE FOI ASSIM, NOS CAFUNDÓS, NUNCA HÁ CIDADANIA - POR AQUI, AS PESSOAS DEFENDEM QUEM ESTÁ NO PODER E NÃO A VERDADE.

    ANO PASSO, NA HORA DAS AVALIAÇÕES, PERSEGUIRAM EU E A MINHAS ESPOSA - QUEM FEZ ISSO, OS CALADINHOS, AQUELES QUE FALARAM PARA OS ALUNOS QUE NÓS GANHAMOS BEM - QUE FAZEMOS GREVE PORQUE SOMOS TUMULTUADORES -
    PARABÉNS PELO SEU TRABALHO

    ResponderExcluir
  135. Olá Professores,

    INFORMAÇÕES

    O blog da Beatriz Cerqueira está totalmente desatualizado.
    Não se tem informação nenhuma.
    Até parece a “IMPRENSA MINEIRA”.

    PRECISAMOS DE NOTÍCIAS, DE INFORMAÇÕES.
    ISTO NOS MOTIVA.

    SE FOREM BOAS, VAMOS COMEMORAR.
    SE NÃO FOREM TÃO BOAS, VAMOS COLOCAR MAIS FORÇA NA LUTA.

    COMPANHEIRAS(OS), DEEM SUA OPINIÃO, VAMOS DEBATER.
    NÃO PODEMOS FICAR ASSIM TÃO MORNOS, VAMOS ESQUENTAR ESTE BLOG.

    PEDIMOS INFORMAÇÕES:

    - PRECISAMOS SABER SE AS CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS PELO GOVERNO SÃO LEGAIS.

    - PRECISAMOS SABER O ANDAMENTO DA ADI 4631 NO STF.

    FORÇA, CORAGEM E PERSISTÊNCIA.
    A VITÓRIA ESTA APROXIMANDO.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  136. boa noite, Euler

    A poucos dias fiz um comentário assumindo que não estava em greve apesar de apoiar o movimento. Fui criticada de forma áspera por você e pelos colegas grevistas.

    Hoje, por acaso, estava na E.E. Benvinda de Carvalho onde estava havendo uma designação para preenchimento de vaga de professor grevista. Eram aulas de História. Quando a diretora informou que, segundo a resolução, professores que estiveram ou estão em greve não poderiam ocupar o cargo, meia dúzia de professorem se levantaram tristemente e foram embora. São esses grevistas que os nobres colegas querem que eu acompanhe? Que vergonha, acho que vergonha até maior do que não estar em greve.

    ResponderExcluir
  137. Cara Ju Oliveira,

    Uma coisa não justifica a outra. O exemplo que indicamos é o de quem está em greve, quem está na luta, que é a situação de centenas de educadores; e ao que parece, se for verdadeira a sua informação, estes colegas que lá estiveram não estão mais na luta; abandonaram as trincheiras, não sendo capazes de resistir.

    Mas e você? Por acaso estava nesta escola por que trabalha lá, ou por que queria pegar uma contratação?

    Pode ser que você não queira responder, é um direito seu. Mas, você continua em sala de aula, e assim continua ajudando o governo a nos golpear. Mesmo que não seja esta a sua intenção.

    Ainda tenho a esperança de que você mude de ideia e entre em greve, nem que seja em solidariedade aos colegas que estão em luta verdadeiramente.

    Pode ter certeza: levar vantagem pessoal nesta situação, quando os educadores em luta vivem um grande ato de sacrifício para salvar a carreira e o piso, não lhe fará bem. Se você aderir à greve será bem-vinda.

    Caso contrário, respeitamos o seu direito, embora achamos que isso possa marcar a sua vida profissional - e a de todos os que não participaram da luta comum que travamos - por um bom tempo.

    ResponderExcluir
  138. euler,

    mostro minha cara. já me sujeitei aqui mesmo no seu blog, que aliás, é maravilhoso. Não etava para concorrer à vaga alguma. Sou prof. de Língua Portuguesa e sou efetiva. Fiz o concurso de 2001 e trabalho na rede particular. Relamente, mais um cargo no estado não me interessa. O que tenho já me decepciona demais.

    Estava na escola por ter dado carona a um professor que até hoje não teve condições de trabalhar já que todas os cargos vagos estão inconstitucionalmente nas mãos dos "Lei 100". e como cada um se agarra ao que aparece, ele foi concorrer à vaga divulgada no portal.

    Abraços. de sua seguidora que SEMPRE mostra a cara.

    ResponderExcluir
  139. Boa noite Euler, boa noite Educadores de Minas Gerais...

    Penso que essas palavras de Paulo Freire, Educador q dispensa comentários, ilustra maravilhosamente esse momento em q vivemos... a resistência, apesar das adversidds da luta...

    "Verdades da Profissão de Professor

    Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas que permitimos que esses profissionais continuem sendo desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho.
    A data é um convite para que todos, pais, alunos, sociedade, repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demonstramos o compromisso com a educação que queremos. Aos professores, fica o convite para que não descuidem de sua missão de educar, nem desanimem diante dos desafios, nem deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda."

    Sou professora de História... trabalho com o Ensino Fundamental, com a EJA e com o Ensino Médio... Acredito com toda a minha convicção que nós Educadores temos essa linda missão de transformar as vidas daqueles que são nossos alunos e essa transformação perpassa pela capacidd crítica, pelo desenvolvimento de um pensamento elaborado, que com ctza os transformarão em águias, prontas para voar alto, enxergar longe e criar seus próprios caminhos, pq terão recebido de seus educadores o q há de mais valioso... o conhecimento sólido, coerente, transformador!!!

    Já que somos Sujeitos de Nossa História, não nos cabe sucumbir ante às dificuldds, às mentiras, à indiferença de um governo, que está mto distante de ser um exemplo de democracia, de liberdd ou de respeito!!!

    Firmes na luta, prosseguimos!!!

    Juntos, com ctza somos mais!!!

    Abço a tds os companheiros de luta e de esperança!!!

    ResponderExcluir
  140. Caro Euler,estou cansada de tanta mentira,falsidade,safadeza e muitas coisas mais,deste governador imbecil.Estou na greve sozinha,na minha escola e na minha cidade.Já estou ficando conhecida,pois parece que tudo que tá acontecendo na escola que trabalho,a culpa é da professora que está em greve.Olha,abandonar o barco da luta,jamais farei,mas o que mais me chateia é que ao tentar convencer os colegas que a luta é de todos,eu quase me enfarto de ódio com o que escuto.Tô perdendo as estribeiras e mando todos para a casa do chapeu. São uns bandos de parasitas,que esperam que os outros lutem por eles,para depois receberem os mesmos benefícios.Será que não entendem que a luta é de todos????Me desculpe pelo desabafo,mas sei que sem luta,nada se consegue e vou até o fim,custe o que custar.Força para nós todos até a nossa querida vitória!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  141. Olá Caro Euler,

    Não sei como explicar meu sentimento. É um misto de indignação e humilhação. Hoje pela manhã conseguimos impedir a contratação de professores em uma das escolas aqui de Alfenas. Saimos de lá revigorados para a luta e fortalecidos para impedir contratações na escola onde trabalho. Infelizmente, o resultado não foi positivo. Temos aqui uma Universidade Federal (Unifal) e outra particular (Unifenas). Infelizmente, os bancos universitários pelo que constatamos não estão formando formadores de opinião. Nunca fui tão humilhada. Ouvi acadêmicos dizendo que estavam ali pelo dinheiro, que não eram professores, só queriam a grana. Outro, formado em Direito (pasmem, agora será professor de Sociologia) disse que estava tentando qq coisa enqto não conseguisse um emprego. Vejam bem, a educação virou "qualquer coisa". Infelizmente, no Brasil existe meio-professor, aquele indivíduo que formou e não conseguiu nada e vai fazendo bico na educação enqto espero por coisa melhor. Vc já ouviu falar em meio médico, meio engenheiro? Tenho certeza que não! Somente a educação permite esse tipo de profissional. O frustrado e muitas vezes incompetente que não conseguiu nada em sua carreira, vai até uma Delegacia de Ensino, consegue o seu CAT e é despejado em sala de aula. Sem didática, sem compromisso com a causa e com os alunos. Estou indignada. Mas, por outro lado, tivemos uma surpresa agradável: o apoio de nossos alunos. Eram poucos, mas ficaram firmes e de nosso lado. Prometeram fazer uma manifestação na segunda feira. Não querem educadores sem formação. Tbém demostraram a indignação com a postura do governo.A imprensa local, através do Jornal dos Lagos posicionaram a nossa favor (depois envio a matéria). O site Minas Acontece tbém registrou a movimentação que já está disponível na página (http://www.minasacontece.com.br/noticias.asp?act=noticias&act2=ver&id=805).
    Estou triste, mas não desiste. Segunda feira teremos manifestação junto com os alunos em frente à E.E. Dr. Emílio Silveira,depois iremos na designação de outra Escola...
    Boa Noite...

    ResponderExcluir
  142. Olá combativa colega Eliane França,

    Pelo que eu acompanhei dos seus relatos, acho que vocês tiveram mais êxito do que derrotas. Pode descansar hoje tranquilamente, com a consciência do dever cumprido, porque você e os/as bravos/as colegas de Alfenas estão de parabéns.

    Não vale a pena ficar com raiva por conta de meia dúzia de imbecis, que não têm a menor noção de ética, de consciência política, de cidadania. Que nível de profissionais que certas escolas de ensino superior estão formando, hein?

    Perto deles, nossas escolas de ensino básico, graças aos valorosos educadores que estão (estamos) em greve, dão um banho de cidadania e de visão crítica de mundo.

    E que bom que os alunos vão reforçar a nossa luta por aí também.

    Um forte abraço e tenha uma noite de ótimo e merecido sono.

    Euler

    ResponderExcluir
  143. Profº Euler, boa noite.
    Já viu o resultado da reunião da Bia com o MEC no site do Sind-UTE/MG. Tem falas animadoras. Veja lá e dê o seu brilhante parecer.

    ResponderExcluir
  144. João Paulo Ferreira de Assis13 de agosto de 2011 00:29

    Prezada companheira Tina

    Receba minha solidariedade. Saiba que eu sou um grande admirador seu, visto que foi você que deu a pá de cal naquele blog fajuto, o forasindutemgja.blogspot. Depois daquela sua resposta eles não tiveram alternativa senão fechar aquela espelunca. Infelizmente é assim mesmo. Hoje ouvi de alguém que detém uma posição na escola onde leciono que a nossa greve não era contra o Anastasia mas contra a escola em que lecionamos. Quisera te brindar com uma bela frase do romance ''Sem Família'', de Hector Malot, mas na Net só encontro as edições francesa e portuguesa de Portugal, e não encontro na bagunça que é a minha biblioteca o meu exemplar do livro, do qual retiraria uma frase, tipo ''as mais belas rosas são as que tem mais espinhos''. Felicidades.

    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  145. Olá, brava colega Tina,

    Faço minhas as palavras do combativo amigo João Paulo.

    Você é uma lutadora, uma guerreira, e os educadores da sua escola, que pena, não acordaram para a luta. Deveriam mirar no seu exemplo, ao invés de fazerem o jogo do governo. Mas, em toda Minas Gerais, a luta se fortalece, e uma hora dessas o movimento acaba arrastando uma parte dos educadores da sua escola também.

    De toda forma, você fez e está fazendo a sua parte, com dignidade, merecendo o nosso respeito e a nossa admiração.

    Um forte abraço e força na luta, até a nossa vitória!

    ResponderExcluir