sábado, 13 de agosto de 2011

Analisando, comentando, conspirando... mas em greve, até que o piso seja pago



No momento em que os estudantes chilenos dão ao mundo uma aula púbica de luta e de resistência, achamos justo lembrar a memória do cantor, professor e revolucionário Victor Jara, que foi preso, torturado e executado pela ditadura militar do criminoso comum Pinochet - que, traiçoeiramente, a serviço do grande capital e do latifúndio e do imperialismo norteamericano, golpeou o governo legítimo, popular e democrático do "companheiro presidente" Salvador Allende, em 1973. A canção acima, Venceremos, é também uma homenagem a todos os que lutam, incluindo os nossos valentes educadores de Minas e do Brasil.



Estudantes de Alfenas dão o exemplo de consciência e cidadania. Retirado do Blog Minas Acontece.


Analisando, comentando, conspirando... mas em greve, até que o piso seja pago

Nosso post de hoje estará voltado para a análise e comentário dos acontecimentos destes últimos dias. No geral, acho que estamos indo bem, resistindo com muita garra, coragem e determinação.

O povo mineiro e brasileiro pode se orgulhar dos educadores que estão em greve aqui em Minas Gerais. São 65 dias incansáveis de resistência, numa luta que certamente já faz parte da nossa história.

Se considerarmos a herança maldita dos muitos governos mineiros, que trataram com descaso e castigo aos educadores e à Educação, especialmente na gestão do faraó e do seu afilhado, podemos dizer que a categoria dos educadores, através dos que estão em greve, recupera com dignidade a autoestima e a importância que atribuem aos verdadeiros educadores.

Numa passagem rápida pelos fatos, vemos que temos atuado em muitas frentes. Este espaço conseguiu divulgar, pela generosidade dos que aqui visitam, uma síntese da movimentação ocorrida de norte a sul de Minas.

Pudemos registrar a "carroçada" organizada pelos valentes colegas de Venda Nova, uma turma muito combativa, muito atuante. Registramos também através de foto e fatos trazidos aqui, acerca do apoio à nossa greve por parte de um grupo de alunos, em número três vezes maior do que um outro ato que a imprensa tentou inutilmente capitalizar como sendo contrária ao nosso movimento.

Em várias cidades recebemos notícia do fiasco que tem sido a tentativa de contratação dos tais professores-tampão, nessa condenável prática de uma secretaria que, a cada dia que passa merece menos o título de Educação, e mais o de carrasco de educadores.

O esquema tampão do governo não tem funcionado por vários motivos: em alguns lugares não aparece candidato; em outros, nossos combativos/as colegas vão até a escola e convencem os candidatos a desistirem; e ainda há os casos onde os próprios alunos se recusam a aceitar essa improvisação absurda, envolvendo pessoas não habilitadas para brincar de lecionar com os nossos alunos. Um desrespeito total, com o dinheiro público, que será jogado fora com esse esquema-tampão; com os educadores de verdade, com os alunos e com os pais de alunos. Não merecemos isso.

Quero registrar aqui também dois dados, em regiões de um extremo a outro de Minas. Na região de Carangola, Zona da Mata e terra do nosso bravo Sebastião de Oliveira, onde cresce o apoio à greve nas cidades da região (Divino, Espera Feliz, Caparaó, Caiana, Faria Lemos, Fervedouro e Tombos). Em algumas dessas cidades, a confirmar a adesão dos colegas, mas já assegurada a participação de quase todos os "elos da corrente", no sábio dizer da nossa combativa colega Educadora Mineira.

Num outro quase extremo, no Vale do Jequitinhonha, recebemos um comentário de uma colega valente, que viajou 15 horas para participar da nossa última assembleia, e a quem eu tive o prazer de conhecer durante a passeata. E depois de mais 15 horas de volta para casa, ela escreveu dizendo: "... querido colega nós de Santo Antônio do Jacinto, Vale do Jequitinhonha te saudamos e reiteramos o compromisso de ficarmos firmes nessa batalha porque Deus tem visto nossas lutas e algo me diz que ela está chegando ao fim."

E por toda parte é isso que temos encontrado: gente muito determinada, disposta a levar essa luta até o final, pois estão (estamos) todos conscientes de que lutamos por um direito constitucional, uma lei aprovada e reafirmada pelo STF, e que o governo de Minas vergonhosamente vem sonegando este direito aos educadores.

Ficou claro, pelas dezenas de manifestações espontâneas aqui neste blog, oriundas das mais diferentes regiões de Minas, que há um pensamento comum: não queremos ajustes no subsídio, queremos o nosso piso. E aqui eu falo por mim: pode ser até o piso proporcional do MEC, mas que seja como manda a lei, implantado no vencimento básico, obedecendo a nossa tabela salarial (com 22% de reajuste entre os níveis e 3%de progressão), e mais as gratificações conquistadas ao longo da carreira.

Há também o terço de tempo extraclasse, que o governo deveria implantar, ou, no mínimo, provisoriamente, até que faça a mudança formal no plano de carreira, deveria pagar as horas excedentes que estamos exercendo na jornada de 24 horas. Vou republicar depois a tabela correta com estes dados: o piso proporcional do MEC e o terço de tempo extraclasse, para que novamente nossos colegas possam analisar aquilo a que temos direito, no mínimo.

Há de se registrar também a reunião dos representantes dos movimentos sociais e sindicais em apoio à nossa greve, que aconteceu no sindieletro. Esse movimento é importante e deve ser reforçado, já que a nossa greve tornou-se a grande referência de resistência contra os ataques do governo do afilhado. É muito importante construir essa unidade na luta de todos estes e outros movimentos, tanto em apoio à nossa greve, como também para futuras lutas por direitos e pelos interesses comuns dos de baixo. Que prevaleça diversidade e o respeito mútuo.

A reunião em Brasília também foi importante, mas não trouxe, ainda, elementos concretos voltados para cobrar dos governos a aplicação da lei do piso. Por enquanto prevalecem a proposta de uma mesa de negociação a ser construída, de medidas de retenção de verbas federais, etc, tudo ainda no plano de propostas e estudos a serem desenvolvidos.

Pessoalmente, acho pouco provável que qualquer uma destas propostas seja levada adiante no curto prazo. Há muitos interesses políticos e financeiros envolvidos nessa história, inclusive da parte do governo federal, que até agora não se dispôs a abrir os cofres e pressionar os governos estaduais e municipais a pagarem o piso.

A direção sindical apresentou as considerações que vem defendendo aqui, nos fóruns do sindicato. Agiu corretamente. Mas, ao que parece não trouxe do encontro com o MEC uma contrapartida formal - uma declaração textual registrada em ata, um documento, uma resolução, enfim - que servisse de base documental para apresentar na justiça contra o governo de Minas. Foram feitas declarações, de parte a parte, o que, em termos jurídicos, têm pouco valor, já que o que pesa é o rigor textual e interpretativo da lei. Claro, fora deste âmbito a mobilização popular, ou seja, a força da nossa greve é que dará o tom do avanço ou retrocesso nas negociações com o governo.

Infelizmente o ministro do MEC não participou da reunião, demonstrando o descaso com o qual vem tratando as questões afeitas ao ensino básico, notadamente às políticas de valorização dos educadores. Como tenho dito aqui, trata-se de um ministro falastrão, mas sem compromisso com a nossa causa.

Em suma, temos que recarregar as nossas energias nesse final de semana e nos preparar para a assembleia do dia 16, quando estão previstos os seguintes acontecimentos: às 10h, reunião do sindicato com o governo no Ministério Público; às 13h, reunião do comando estadual de greve; e às 15h, a assembleia geral da categoria, que seguramente decidirá pela manutenção da greve, caso o governo não apresente a tabela implantada do pagamento do piso nos nossos vencimentos básicos.

Se a greve permanecer por um tempo maior, tenho como proposta que organizemos em nossas cidades um grande momento de confraternização com a comunidade, com barraquinhas e exposição de fotos e vídeos e falações, e danças e artes em geral, para um envolvimento maior da comunidade, e para arrecadar fundos para a nossa greve e para a sobrevivência dos colegas com maior necessidade.

Os educadores estão acostumados a organizar festas juninas e outras para levantar renda e cobrir aquilo que o estado deixa de investir na educação. Podemos organizar grandes atividades culturais para divulgar a nossa luta, pedir apoio e arrecadar fundos para o nosso movimento.

Por agora é isso. Estamos firmes na luta e devemos permanecer em contato e com a mesma disposição demonstrada nos últimos 65 dias. Sem o piso implantado no nosso vencimento básico mais as gratificações não voltamos para a escola.

Um forte abraço e força na luta! Até a vitória!

***

P.S. Não poderia deixar também de registrar a intensa atividade realizada por dezenas de educadores através da Internet, que complementa o trabalho de corpo a corpo dos combatentes da educação. Uma combinação explosiva, que o governo não vai aguentar por muito tempo.

P.S.2. Quero registrar aqui o meu abraço fraterno à combativa amiga educadora Graça Aguiar, do Rio de Janeiro, onde os trabalhadores da Educação realizaram uma corajosa greve de mais de 60 dias pelo reajuste salarial. Infelizmente a categoria em assembleia acabou aceitando um reajuste muito aquém do que mereciam os educadores. A nossa colega Graça votou contra, mas teve que acatar a decisão da maioria. Apesar disso, a luta continua, e agora a colega poderá se dedicar, na medida do possível, aos embates nacionais pela federalização da folha de pagamento e por um plano de carreira nacional dos educadores. A combativa Graça Aguiar é coordenadora do blog S.O.S. Educação Pública, que pode ser visitado aqui.

Na mensagem que nos deixou, respondendo ao nosso comentário, a companheira Graça Aguiar disse:

"
A greve aqui no Rio acabou, mas continuo em greve junto com vocês, pois essa não é uma luta regional é nacional, e a vitória dos companheiros de Minas, será também a minha vitória porque pertencemos à mesma categoria e lutamos contra os mesmos inimigos."

P.S.3 - Como escrevo de madrugada às vezes esqueço coisas importantes - não sei o que tem a ver o horário da escrita, mas vá lá, foi o pretexto que encontrei, rsrs. Fato é que, deixei de registrar um importante acontecimento no dia de ontem: a panfletagem realizada na BR-381, na ponte metálica sobre o Rio das Velhas, entre Sabará e BH. O evento foi muito importante, sensibilizando a todos os motoristas que por lá passaram. Digno de registro também as manifestações realizadas em algumas SREs. É isso aí, nosso embate não dá trégua e acontece em muitas frentes ao mesmo tempo. Uma verdadeira guerrilha urbana sem armas, ou com outras armas, quando atacamos o inimigo por todos os lados. Afinal, somos centenas de milhares, lutando contra uma máquina poderosíssima. Venceremos!

***

78 comentários:

  1. Bom dia Euler
    Ai gente por favor!
    Os professores do Rio acabaram com uma greve de dois meses com aquela marreca.Nós não podemos fazer o mesmo.
    Se é para copiar alguém que copiemos os chilenos...
    Não quero saber de subsídio , quero o meu piso e de quebra a demissão da Gorgonzollona ,a feia.

    ResponderExcluir
  2. Oi colega
    Salve Heródoto!
    Aposto que nana já mandou felicitações para o cabral.
    Os professores do Rio colheram uma flor chamada derrota nos calcinados campos de uma guerra sem equilíbrio das armas.
    Estamos todos de luto.

    ResponderExcluir
  3. Sou aposentada e seguidora ativa de seu blog.Gostaria de pedir uma força para os valentes colegas da cidade Rio Manso ,que estão resistindo bravamente esta greve desde 08/06.É a unica cidade aqui da região que esta em greve. Região esta que tem recebido pouquíssima atuação da subsede do sindicato de Brumadinho.

    ResponderExcluir
  4. Olha aí, pessoal, uma notícia interessante que saiu no portal O Tempo:

    "Greve

    Governo só consegue 11% de professores substitutos

    Diretora de escola disse que está difícil encontrar educadores com qualificação"

    Eis o link para quem quiser visitar:

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=179362,OTE

    ResponderExcluir
  5. Em Mariana Berço da civilização mineira,foi contratada uma pessoa não habilitada para ministrar aulas de matemática. Acho que ela formou recentemente em economia. Pior esta substituindo minhas aulas. Sou concursado , formei na UFOP em licenciatura em matemática e fiz pós na UFLA em matemática e estatística.

    ResponderExcluir
  6. Amigos professores, este é o combate determinante, a hora é agora, estamos no caminho certo, a contratação de tampões para o 3º ano realmente não está dando certo, pois ontem o diretor da minha escola me ligou com a seguinte proposta: trabalhar apenas nos 3º anos e continuar em greve nos demais, Pode!!!! kkkkkk
    Soraya, Bom Sucesso.

    ResponderExcluir
  7. Fátima - Professora de História13 de agosto de 2011 09:27

    Esse Pinoquinho que nem para encantar as crianças com suas travessuras serve,acha que o povo mineiro é bobo.Com suas mentiras propagada por entre as montanhas de Minas por uma mídia corrupta e traidora,tenta calar o grito dos educadores que clamam por justiça. Somos sim um povo tranquilo, trabalhador, responsável que ama e defende a paz. Mas somos também em nossa simpliscidade um povo sábio,corajoso e que não se cala e jamais se calará diante das injustiças cometidas por governantes que não o respeita.
    No século XVIII Minas Gerais não se omitiu diante das injustiças cometidas pela coroa portuguesa contra o povo brasileiro. Mas uma vez Minas não se calará nem se curvará. Afinal em nossas veias corre o sangue do nosso grande herói, orgulho do povo mineiro, o nosso Tiradentes.

    ResponderExcluir
  8. Prezados colegas de luta Euler e professores
    Já repercute na opinão pública as atitudes do governados e suas asseclas. Aqui na minha região em belo horizonte estamos vigilantes quanto a possibilidade de contratação de tampões.
    No STF ja se encontra em movimentação a ADI 4631 que pretende derrubar a lei do subsídio.
    e no site da uol encontramos várias fotos do nosso movimento
    http://educacao.uol.com.br/album/982011_greve_mg_album.jhtm#fotoNav=36
    Também no site http://direitodoservidor.wordpress.com/
    encontramos uma fala muito interessante sobre a aplicação do piso para os professores e uma possível ameaça de posicionamento em definitivo no subsídio.
    Precisamos ficar atentos a isso.
    Também devemos procurar saber como estão sendo feitas essas contratações já que esses substitutos estão sendo colocados em cargos ocupados.
    E o governador "voldemort" mediocre com suas secretárias "comensais da morte" igualmente mediocres continuam a falar bobagens na imprensa.
    Ah sim também assisti na rede minas uma reportagem com a coordenadora da copeve UFMG que, quando perguntada sobre a relação da greve dos professores com o desempenho dos alunos no enem, respondeu que não existe nenuma relação porque o ENEM avalia o aprendizado desde o início da vida estudantil do aluno e não só o terceiro ano. ou seja foi desmascarado mais uma falácia da secretária de indicação Gazola.
    Abraço e força na luta
    David

    ResponderExcluir
  9. Flavio coimbra santos13 de agosto de 2011 09:57

    Caro Euler guerreiro, tenho de informar que aqui em Teofilo otoni mais duas grandes escolas aderiram ao movimento para ajudar na luta pela implantação do sonhado piso!!!!Meus coridais cumprimentos...Flávio Coimbra -- Teofilo otoni

    ResponderExcluir
  10. Olá Euler, Parabéns por tuas palavras de alento e força, tu tens sido como oasis de verdade num deserto de mentiras, há uma nação que luta bravamente contra a tirania dos governantes e nós temos sede de justiça. Palavras e ações como as suas, levam à libertação pessoas que estão assoladas pelas grades da desinformação, prossigamos em guerrear contra este governo tirano e injusto.
    1-Ps. continuamos aqui em Resplendor totalmente "parados" até que a justiça nos seja feita.
    2-Ps. Convidamos nossos colegas de Ituêta a se levantarem para a luta, lembrem-se: somente se pode rasgar um livro página por página, se estivermos juntos estaremos seguros.

    ResponderExcluir
  11. QUE COISA BOA,QUANTO MAIS DIFÍCIL FOR ENCONTRAR PROFESSOR SUBSTITUTO,MAIS FELIZ EU FICO.QUE VÁ A GORGONZOLLONA PARA AS SALAS DE AULA JUNTAMENTE COM O GOVERNADOR E A FAMÍLIA DELE.ELES NÃO SÃO PROFESSORES?

    ResponderExcluir
  12. Josias guedes ( Carangola)13 de agosto de 2011 10:21

    Caro Euler e Colegas:
    Estivemos em Caparaó e lá vi olhos sedentos em aderir a greve e lutar por dias melhores. É sempre bom estar em contato com os colegas que passam a entender a importância desse momento histórico. Como é bom ouvir a Prof. Doutora Ivete, minha querida Professora no curso de História e Direito, exemplo em sala e com uma vontade de transformar Minas que dá gosto! O mesmo digo de Penha e de Sebastião de Oliveira! Geane obrigado por abrir nosso diálogo e nos levar em seu carro e sempre com fé de que um dia as coisas melhorarão.
    Colegas de nossa subsede, estamos de portas abertas para vocês nos procurarem quando desejarem, temos uma equipe e podemos pedir ajuda uns aos outros, temos colegas que podem auxiliar em diálogos em toda a região: temos os colegas de Divino, de Espera Feliz, de Carangola que podem se organizar e ir até a sua escola... Se na sua escola tem gente com sede de justiça e olhos como os que eu vi em Caparaó procurem os baluartes da educação, procurem a subsede de Carangola que a Miriam nossa Diretora mesmo adoentada estará encaminhando apoio para juntos conquistarmos o que é nosso por direito.Não podemos nos enclausurar! Como sempre digo nas escolas: "essa luta é nossa: servidor efetivo,efetivado,designado, Professores, Serviçais, Secretárias, Diretores o piso vai representar ganhos para todos nós."
    Não é o sindicato que faz a greve, até porque nós somos o sindicato. Sempre digo nos nossos encontros que quem bate o martelo é a escola que em sua autonomia pode aderir à greve! Vamos dialogar! Mais do que nunca vamos dialogar colegas!
    Se alguém da Escola Estadual Nascimento leal ler este post e também estiver com vontade de participar desta corrente me procure, a luta pelo piso também depende de nossa escola, chega de ser uma escola que virou o Triângulo das Bermudas na regiâo.Se somos educadores temos que primar pelo diálogo e não nos fecharmos em um mundo globalizado. Vamos lutar juntos e colher juntos!Vamos dar exemplo para os alunos e através da prática mostrar que quem move a História somos nós!
    Um abraço e com diz Beto Guedes: "Um mais um é sempre mais que dois..."

    ResponderExcluir
  13. João Paulo Ferreira de Assis13 de agosto de 2011 11:03

    Prezado amigo Professor Euler

    Não sei se o prezado amigo percebeu, mas durante esses dois meses eu nada falei da posição da minha escola. Estava ENVERGONHADO. A EE Deputado Patrus de Sousa em Carandaí seguia em suas atividades, e eu ia para a sala de aula sentindo morder-me a consciência. Até que na sexta-feira, dia 05 de agosto teve uma reunião na escola, com a presença do Mário, da Indiamara, do Maurílio e de outros amigos da subsede Barbacena do Sindute. A escola decidiu paralisar no dia 09 de agosto. E uma comitiva foi a Belo Horizonte. Na quinta-feira dia 11, houve uma reunião para informar os companheiros sobre a Assembleia do dia 09 em Belo Horizonte. Estavam presentes o Diretor, as vice-diretoras, e grande número de auxiliares de serviços gerais e o pessoal da Secretaria (note bem, da Secretaria, que é do Sindpúblicos, e não do Sindute). Tudo para engrossar o número de votos contrários e DERRUBAR A GREVE. Tinha livro de atas aberto, e os papeizinhos do voto secreto já estavam picados sobre a mesa, e a caixinha que os receberia também estava junto aos papeis picados. Perguntou-se quem queria voto aberto levantasse a mão. Eu e mais vinte companheiros erguemos as mãos pela votação aberta. Mas 26 quiseram votação fechada, como, aliás, queria o diretor. Os papeizinhos foram distribuídos, e em vez dos 47 que se manifestaram pelo voto aberto ou secreto, apareceram 60 votos, sendo 32 contra a greve e 28 a favor. Eu confesso que perdi as estribeiras. Disse que já que a escola escolheu trabalhar, então que fizéssemos a campanha da cesta básica para os companheiros que tiveram o vencimento cortado, como os valentes e dignos professores da EE Gentil Pereira Lima, do Distrito de Pedra do Sino, que nos deram uma lição de cidadania estando em greve desde o dia 08 de junho. Simplesmente deveria ter proposto que nós fizéssemos a campanha dos 150 reais, que seriam pedidos a todos até às auxiliares de serviços, já que elas estão em geral satisfeitas com os seus vencimentos (digo em geral porque um ou dois desses auxiliares somam conosco). Depois o companheiro Mário nos disse que poderíamos nos declarar em greve independente do resultado da reunião. Colega nossa com a indignação dos justos solicitou a todos que não fossem professores que se retirassem do recinto. E aí fizemos a votação, deu 23 a favor e oito contra a greve, mas alguns que eram contrários depois somaram forças conosco. Comunicamos o fato ao Diretor na mesma noite, e lhe demos ciência que a partir de 2ª feira, dia 15 nós estaremos em greve. Não entramos imediatamente no dia 12, porque devíamos uma satisfação aos alunos, inclusive uma indicação de sítios da Internet em que eles pudessem pesquisar vídeoaulas. Na sexta-feira, dia 12, porém, ocorreu um fato incrível, difícil de ser crido. Na hora do recreio, que às 15 horas, o café dos professores não foi levado à nossa sala. Uma versão diz que as senhoras da cantina tomaram a decisão, outra diz que houve ordens superiores para tal, porque elas teriam se sentido ''humilhadas'' por nós. Um dos nossos colegas, veterano na escola, entregou dinheiro a outro colega e pediu que fosse à padaria buscar merenda para nós. Vieram duas garrafas de coca cola, sanduiches de pão e mortadela, e um bolo. O mais incrível de tudo é que eu ouvi depois que a nossa greve não é contra o Anastasia (na verdade não é mesmo, é pelo cumprimento de uma lei federal que nos ampara) MAS CONTRA A EE DEPUTADO PATRUS DE SOUSA. Até parece piada mas é verdade.

    Saudações, e ATÉ A VITÓRIA!!!!

    ResponderExcluir
  14. caro amigo Josias
    E com orgulho que digo amigo, pois mesmo na situação em que se encontra não deixa de nos incentivar tornando um icone em nossa subsede-Carangola.
    Abraços
    Isabel - Caiana
    Caiana já aderiu a luta pelo piso.

    ResponderExcluir
  15. Euler,
    Temos que continuar em greve até o PAGAMENTO DO PISO SALARIAL. Professor-tampão, até quando a educação será vista como "bueiro"? Queremos respeito e dignidade.

    ResponderExcluir
  16. Olá, combativo Euler,
    Gostaria antes de mais nada, reiterar que sem piso, não há conversa.
    Depois, contar o absurdo que aconteceu na escola em que leciono ( Pandiá Calógeras - que está com o turno da manhã paralisado - turno da tarde, não entra em greve ). Ontem, cerca de 50 pais se reuniram na escola tentando "convencer" professores a voltar para as salas. Dois colegas e a vice-diretora foram e quase foram "linchados". Havia alguns professores que estão na escola ( assinando o ponto ) e não quiseram participar da reunião e ainda mandaram recado que reunião de pais deve ser na porta do governo.
    Também mandei um recado: voltava sim imediatamente para a escola..... se o governo pagasse meu piso. Detalhe: havia pai que nunca apareceu na escola, não sabia nem quem era a vice. Interesse pelos problemas do filho, pelo visto é zero. Porém, interesse pela babá de luxo que somos.... Vergonhoso.
    Vergonhosa a atitude desses pais,mas não de todos, pois muitos outros pais dão total apoio aos professores, e prova disso, é que alguns dos manifestantes de 4ª eram bravos alunos do Pandiá.
    E, por último: já sei de onde o governo pode tirar "professor-tampão": esses pais, com certeza podem "dar aulas", afinal, o primeiro quesito exigido pelo governo - desrespeito ao professor -eles já têm.
    E finalmente, obrigada, Euler, por resistir tão bravamente. Sua força se torna a nossa.
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Caro Educador Euler

    Meu nome é Maria José sou professora de História em Divino, divulgo diariamente o seu Blog que é maravilhoso,para meus colegas.Parabéns!!!!
    Maria José

    ResponderExcluir
  18. Vou responder ou comentar a alguns / algumas colegas neste comentário:

    - Amigo João Paulo, parabéns pela atitude que vocês tomara, de adesão à greve. Temos que mudar uma cultura muito comum nas escolas, onde os diretores lançam mão da pressão sobre o pessoal da secretaria e auxiliares de serviço para fazer número contra a greve. Isto porque alguns destes colegas não entram em greve, mesmo quando a maioria decide pela greve. Logo, eles são penalizados por trabalharem durante a greve e após a greve. É preciso fazer um trabalho com estes colegas, para que eles participem da greve, tal como os demais colegas. Além disso, a greve é aprovada em assembleia, e não nas escolas, e é legítimo que o educador, mesmo isoladamente numa escola se declare em greve. De toda forma, ficamos felizes com a decisão tomada na sua escola. Um forte abraço e força na luta!

    - Combativos colegas Josias, Isabel e demais colegas de Carangola e região, vocês já se tornaram referência de luta para o nosso movimento. Adorei a idéia de fechar os elos de uma corrente. Sempre defendi a ideia de formação em rede, pelo caráter horizontal e descentralizado, mas a ideia da corrente é deveras apropriada para usarmos em cada subsede. Devíamos montar inclusive um gráfico em cada subsede, incluindo as cidades e as escolas, controlando rigorosamente as adesões, os lugares que precisam de reforço, etc. uma organização da qual vocês dão o melhor exemplo. Parabéns!

    - Combativo Flavio Coimbra de Teófilo Otoni, parabéns pelo trabalho e pelas adesões à nossa greve. Boas notícias, que mostram o fortalecimento da nossa luta por toda parte. Seguuuuuuura, afilhado do faraó!!

    - Combativo Diego Velasco um forte abraço e os nossos cumprimentos à brava turma de Resplendor. Força na luta!

    - Um abraço também aos guerreiros/as Fátima, professora de História que nos lembra a passagem de luta protagonizada nas terras mineiras; Soraya de Bom Sucesso e David. A luta continua firme, até a nossa vitória!

    ResponderExcluir
  19. João Paulo Ferreira de Assis13 de agosto de 2011 11:55

    Prezado amigo Professor Euler

    Mais um blog se solidariza conosco. O Tribuna Petista do companheiro Guina, de São Paulo. Como eu não sei colocar links,sugiro a busca pelo Google. Nosso contracheque está retratado lá, e ainda tem um artigo chamado ''a piada do PSDB sindical'', com uma caricatura em que um operário ensina a dois senhores do PSDB de terno e gravata a diferença entre um parafuso e uma chave de fenda!

    ResponderExcluir
  20. " Carlinhos do Machado"13 de agosto de 2011 12:11

    O governo tem nos afrontado em não dar à categoria o que é de direito.Continuando agindo assim não sabe ele < o desgoverno > que está injetando, em nossas veias,dignidade,hombridade,respeito e conciência da comunidade em querer engana-las com os supóstos professores tampões. Continuaremos em fazer o trabalho, de sensibilização com os colegas que ainda estão em atividade.A nossa luta continuará firme e forte, e espelhando na força e crença de uma companheira de luta que sai do seu aconchego por 15 horas para nos apoiar,por que ela acredita em nossa vitória, e tem tantos guerreiros tão próximos que ainda não estão conosco, não entendo o por que. VENHAM TODOS DAR AS MÃOS E UNIRMOS EM UM SÓ PROPÓSITO QUE É DE TODOS, E A LUTA CONTINUA COMPANHEIROS...

    ResponderExcluir
  21. Caro Euler.Gostaria de pedir aos nossos colegas de Carangola e região(subsedes), para que pudessemos continuar a fechar essa corrente no entorno de Muriaé.Percebo que,com essa atitude poderemos transformar essa corrente em uma avalanche a favor de nosso movimento.Esse desgoverno trabalha com o tempo,por isso não podemos deixar que,nos tentem desestimular.Vamos em frente pois estamos com nossa vitória muito próxima.Força na luta sempre.Paulo E. Silva,Espera Feliz.

    ResponderExcluir
  22. Galera de Belo Horizonte, sou de Ipatinga mas vejo que é preciso visitar as duas escolas mencionadas no site da SEE que retornaram e já estão repondo a greve. Pois a secretaria estão usando essa duas escolas na tentativa de tornar o movimento fraco. Se possível convidem a Bia. essas escolas precisam aderir novamente o movimento. Aqui em Ipatinga o movimento só está crescendo dia a dia. Saudações a todos Idinei de Ipatinga;

    ResponderExcluir
  23. Caros professores,
    Este filme está indicando um final feliz. Agora é hora de firmesa total, ninguém poderá abandonar esta luta. O governo tem que ceder, pois os professores estão amparados por uma Lei Federal julgada e reconhecida pela Supremo Tribunal Federal.Numa competição, se queremos vencer, temos que usar táticas, malícias para enganar o adversário ou ceder em alguns pontos. Neste momento a direção do sind-ute deve abandonar esta combrança de R$1.597,00 para 40 horas e aceitar o valor reconhecido pelo MEC de R$1.187,97 para 40 horas ou seja R$712,78 para 24horas semanais como Piso.
    A palavra subsídio tem que ser excluida na negociação.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  24. onde esta o sindute de uberlandia ? como estão as coisas por lá? alguem pode informar ?
    abraços

    ResponderExcluir
  25. Olha aí, pessoal do combate!

    Recebi um e-mail do Blog do COREU, que transcrevo a seguir.Trata-se de ofício da direção colegiada do Sind-UTE dirigida aos diretores das escolas estaduais, recomendando que estes não realizem as contratações impostas pelo governo, pois são ilegais. (Nota: não estou conseguindo acessar o site do sind-UTE. Será que foi derrubada por algum hacker do governo?)

    Leiam a seguir:

    "Aos dirigentes das escolas estaduais

    Belo Horizonte/MG

    Senhores/as dirigentes

    O governo do Estado de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado da Educação, Sra. Ana Lucia Gazzola expediu em 08 de agosto a Resolução 1905, autorizando a contratação de Professores para alunos em fase de conclusão do Ensino Médio.

    Em primeiro lugar, é importante destacarmos que a greve que já ultrapassou os 60 dias, sem que houvesse nenhuma negociação para o cumprimento da lei do Piso Salarial Nacional. Sabemos o quanto é desgastante a tarefa de dar retorno cotidiano à comunidade escolar ansiosa pela retomada das aulas. No entanto, temos clareza que a responsabilidade pelo fim da greve, embora passe necessariamente em nossos fóruns, cabe ao governo do estado.

    Essa comunicação do sindicato se prende a necessidade de nesse momento estarmos nos fortalecendo para assegurar as conquistas da categoria. Alertamos também para a ilegalidade do ato do governo de autorizar a contratação de profissionais para substituir aqueles em greve, embora tal ato esteja respaldado pela citada resolução, o que pode ensejar penalidades para quem executar tal ato.

    Lembramos aos senhores/as que nenhum servidor público pode ser punido por não cumprir uma ordem manifestamente ilegal, como é o caso em discussão e desde já estamos colocando o departamento jurídico da entidade a disposição de todos/as. A diretoria estadual do sindicato já ajuizou ação contra a resolução 1905,com o pedido de responsabilização

    Portanto, orientamos essa unidade a não abrir, em hipótese nenhuma, contratação de servidores, para que a unidade da categoria não seja rompida e possamos continuar pressionando o governo a atender as nossas reivindicações.

    Sem mais para o momento, renovamos nossas saudações sindicais.

    Atenciosamente

    Diretoria Colegiada do Sind-Ute

    Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação

    Rua Ipiranga, 80 - Floresta - BH - MG - CEP: 30.015-180 - Tel(31) 3481-2020 - Fax(31) 3481-2449"

    ResponderExcluir
  26. As duas escolas de BH que retornaram estão servindo de propaganda no site da see. Seria importante a visita a essa unidades para que eles não continuem servindo de instrumento de desarticulação nas mão de nossos algozes. Colegas, reflitam e retornem à luta, agora não é o momento de recuar. Muito pelo contrário , seguir em frente, sempre em frente até a vitória.
    Maria Helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  27. Olá Euler e demais guerreiros,
    até agora não me acostumei com os comentários sem as letrinhas coloridas desse nosso blog, kkkkkkkk.
    Também não consigo acessar o site do sindute,será que foi mesmo derrubado? Não seria a primeira vez.
    Deus abençoe e acalme todos os valentes e determinados soldados desta nossa luta.Abraço e até a vitória.

    ResponderExcluir
  28. Olá, combativo colega Sebastião de Oliveira,

    Estou de acordo com a sua análise. Embora a proposta do piso de R$ 1.597,00 seja a mais justa, infelizmente não é reconhecida pelo MEC e pelos governos estaduais e municipais - e muito provavelmente nenhum juiz tomará a indicação de uma entidade sindical como referência mais apropriada em contraponto com aquele valor indicado pelo MEC e pela AGU.

    Infelizmente também, como já dissemos aqui outras vezes, a lei do piso faculta aos governantes a possibilidade de pagar o valor proporcional do piso em relação às diferentes jornadas de trabalho. Foi outra concessão feita na redação final da lei do piso. Agora, mudar isso, só em Brasília, no Congresso Nacional.

    Assim, penso que seria prudente exigir do governo o pagamento do piso no nosso vencimento básico, sem necessariamente exigir um valor determinado. Temos a nossa proposta, mas se o governo apresentar a tabela com o piso proporcional do MEC já será uma importante conquista da categoria. Depois brigaremos em Brasília para reajustar o valor, que tem aplicabilidade automática em todo o país.

    Mesmo porque, se o governo de Minas disser que não tem condições de pagar os R$ 1.597,00 por falta de caixa, o governo federal dificilmente aceitaria complementar os valores com base numa soma que ele próprio não reconhece.

    Por último, não podemos deixar para o governo este pretexto de que não paga o piso por não reconhecer o valor apresentado pelo sindicato. Eu já havia alertado sobre isso há 5 ou 6 meses atrás. O importante agora é fazer o governo reconhecer que ele tem que aplicar o piso no vencimento básico, mesmo que seja o proporcional do MEC.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  29. Profº Euler, te falei que após a Bia falar que o governo havia cancelado as férias prêmios publicaram as minhas. Agora estou sem moral pra ir convencer os amigos a entrar em greve e o comando aqui em Santa Luzia está fraco. Os professores estão muito revoltados porque o ano passado a gente não queria o fim da greve. A Bia acabou com greve e deu em subsídio. Não aceitem votação pra acabar a greve em praça pública. A greve tem que acabar em reunião fechada, com apresentação de contracheques para adentrar no recinto da votação. A greve do ano passado tinha muita gente que nem professor era e foram infiltrados no meio dos professores, pelo governo pra acabar com a greve. Chegaram onibus e onibus lotados de pessoas, que repito NÃO ERAM PROFESSORES, que o governo e outros mandaram, pra votarem contra a greve, essa pessoas estavam rindo da gente. Sinto que o sindicato estava a par desse fato pois pouco antes a Bia falou que chegariam alguns alunos e que a gente deveria manter a calma que alguns poderiam falar coisas que não eram favoráveis a nós mas que todos tinham direito de pensar a favor ou contra. Só que foi um golpe baixo pois ter direito a voto, não. E como separar em uma praça quem votaria e quem não votaria ? E não fizeram nada procederam a votação e a greve que tava fortíssima acabou, sem mais nem menos, deixando a todos nós perplexos e revoltados. Por um contentário que ouvi, penso que esse fato irá se repetir de novo. Pais que estão contra iram votar pelo fim da greve. Esse ano, os professores todos que eu falo me responde com tudo isso que relatei e olha que ano no passado a greve aqui foi muito forte.
    Os professores dizem: Acaso eles perguntaram se a gente queria subsídio? Agora eles tem obrigação moral de acabar com ele. Nós não confiamos mais em ninguém. Estou em afastamento prelimicar em um cargo e agora férias no outro. Tenho habilitaçâo em vários conteúdos,e estou pedindo aos amigos pra não aceitar cargo dos amigos em greve, pois isso não é ético e o próprio governo quando voltar a real não valorizará traidores pois saberá que esses nunca serão de confiança (Do tempo que estou no Estado, quase 28 anos, nunca vi um traidor vencendo). Mas mesmo de férias estou indo e falando com os amigos que a força da nossa categoria está na nossa união. Estou a dispodição de vocês para o que for preciso, sempre.Dinheiro não tenho, mas tenho força de trabalho e disposição para a luta. Queria solicitar a visita do pessoal de Venda Nova a nossa região. Uma bela carroçada daquela , é pertinho. Por favor. Venham na Segunda feira. Quanto a mim só não quero que apareça aquela palavra no meu contracheque. Pelo amor de Deus !

    ResponderExcluir
  30. Olá professor. Deixo o link http://www.minasacontece.com.b​r/noticias.asp?act=noticias&ac​t2=ver&id=805 que relatou de forma clara a manifestação em alfenas. até
    Força na luta.

    ResponderExcluir
  31. Olá colega de Alfenas,

    O link correto é:

    http://www.minasacontece.com.br/noticias.asp?act=noticias&act2=ver&id=805


    Obrigado pela indicação, que recomendamos aos visitantes do blog.

    ResponderExcluir
  32. Caríssimo professor Euler,
    Estou tentada a iniciar uma campanha pela
    sua participação na próxima reunião junto
    ao MPE e os representantes sindicais.Penso ser justa e claro,se for de seu interesse.
    Talvez soará como impertinência da minha parte
    mas tenho um respeito tão grande por
    você que creio,sua presença junto aos nosso representantes daria uma super força nesta
    rodada de negociação.Quem fosse favoráves,postaria comentário referendando a proposta.
    Caso você não concorde,humildemente cedo minha orelha para um puxão(não tão forte,claro...rsrsrs).
    Abraços,
    Helena Taereh(firmíssima na greve até o piso)

    ResponderExcluir
  33. GRAÇA:
    Boa tarde Prof Euler,

    SÓ PARA LEMBRAR: o ultimo dia para opção de retorno foi dia 10/08, quarta feira. Os requerimentos são protocolados e enviados na hora "on line", a SEE teve quinta, sexta e segunda dia 15 para os devidos procedimentos, portanto, dia 16/08 terá que divulgar o NUMERO TOTAL E REAL DOS SERVIDORES OPTANTES PELA ANTIGA E LEGITIMA CARREIRA.

    E MAIS: NÃO SEI SE HÁ COMO ORGANIZAR, PORÉM,A APRESENTAÇÃO DO CONTRACHEQUE E IDENTIDADE DEVE SER EXIGÊNCIA INDISPENSAVEL PARA SE VOTAR NA ASSEMBLÉIA DO DIA 16/08.

    "GATO ESCALDADO TEM MEDO DE ÁGUA FRIA!

    ResponderExcluir
  34. EXTRA... EXTRA... EXTRA... Notícia em primeira mão! Remarcado o dia da volta às aulas, não só para alunos do 3º ano, mas para todos: será no DIA EM QUE O GOVERNO CAIR NA REAL e pagar nosso Piso. Está sendo o maior mico que um governador e uma secretária poderiam pagar: achar que professores se encontram em qualquer esquina ou beco de nossas cidades. Caiam na real: tem muita gente formada que não quer nem pisar na sala (ainda mais sem o Piso) e as faculdades já não estão formando mais professores (ninguém quer dar aulas e receber mixaria). Os professores que por acaso aparecerem para substituir os grevistas, com certeza, são biqueiros da educação e não têm nada a acrescentar aos nossos alunos. E por que não mandou substituir para as outras turmas também? Elas não têm os mesmos direitos? O governo sabe que o fiasco seria pior. Portanto, o melhor que o governo pode fazer é valorizar o que tem: estes profissionais de carreira que foram formados nas melhores escolas e faculdades. Rezei tanto para chegar o dia em que a população ia enxergar que os professores estão em extinção e que nós então deveríamos ser protegidos com unhas e dentes. Este dia chegou. Chegou a hora também de darmos um basta em políticos que usam a educação para se promoverem. Em campanha, são uma coisa; depois de eleitos viram as costas para o povo. O que está acontecendo em MG é uma revolução. Nossas escolas nunca mais serão as mesmas depois desta greve e espero que a cabeça da população também não. Abaixo aqueles que são inimigos da Educação. Rogério Trindade - Curvelo

    ResponderExcluir
  35. Diga NÃO ao PROFESSOR TAMPÃO, que o GOVERNADOR DE MINAS autorizou a contratar para acorbetar o erro dele de NÃO negociar para acabar a greve. O ENEM ja esta prejudicado, o futuro de voces. Culpa do GOVERNADOR que finge nao enxergar isto, e tenta colocar a culpa na GREVE. Fique espertos, corra atras do direito de voces, entre para briga tambem, voces pagam impostos, tem direito a educação, saude, e de boa qualidade. Diga NÃO as medidas paliativas do governo. E seus colegas, parentes, amigos das outras séries não precisam estudar NÃO? Temos que lutar e pelo fim da greve, o GOVERNADOR reconhecer que perdeu esta batalha e cumprir uma LEI FEDERAL. Nós temos que cumprir lei e o senhor GOVERNADOR, porque NÃO? Entre num banco e tente falar ao celular, vc e advertido pelo guarda. Isto é lei estadual, temos que cumprir. Estes dias virei para o guarda e disse que o GOVERNADOR não cumpre a lei do PISO SALARIAL DOS PROFESSORES, então não somos obrigados a cumprir lei criada por ele.

    ResponderExcluir
  36. ''Não é possível pensar em sociedade sustentável com uma Educação para os nossos filhos e outra para os filhos dos outros'', diz o filósofo e educador colombiano Bernado Toro
    .
    Fonte: Valor Econômico (SP)

    Se os filhos dos políticos, e dos funcionários públicos em geral estudassem em escola pública, as greves não durariam nem uma semana.

    ResponderExcluir
  37. Olá, combativa Helena Thaereh,

    Não vou puxar sua orelha, rsrs, mas seria prudente não mexer na comissão de negociação, nesta altura do campeonato.

    Um forte abraço e força na luta!

    P.S. A além disso, a minha presença naquela mesa poderia causar um choque traumático nas secretárias, rsrs. Imagina se eu resolvo subir em cima da mesa com um quadro na mão e um giz, para desenhar a diferença entre o piso e o subsídio?

    ResponderExcluir
  38. ProfºEuler, boa tarde ! Permita - me correções.
    Onde se lê: contentario, prelimicar e dispodição. Leia - se : comentário, preliminar e disposição. A vantagem de ser professor é poder corrigir a si próprio. kkkkkkk...
    E sigam também...
    http://sindutesantaluzia.blogspot.com/
    Tudo que falo foi o que percebi e debati entre nós no onibus no dia do fim da greve, ano passado. Falo só por mim. Deixo claro também, que a crítica que fiz quanto estar fraco em Santa Luzia, não se deve ao companheiro Antonio, da subsede. Contudo a total falta de estrutura oferecida a ele pelo sindicato central. A gente não é bobo pra não perceber mesmo que ele próprio não comente, que ele faz muito, com a pouca estrutura que tem .

    ResponderExcluir
  39. Helena, idéia brilhante do Euler ir negociar. Pois ao meu ver não está havendo coerencia entre o que se fala no palaque e a no minitério público. Custa falar: LEI É PRA CUMPRIR. E os professores que retornaram odeiam a palavra subsídio. Levar um dicinário e demonstrar que isso não é Salário e que a constituição federal da direito a SALÁRIO NA CLT e tem várias medidas de proteção do mesmo e a gente ainda pra assegurar tem a lei 11 738/08 mais linda, completa e moderna. Fala em PLANO DE CARREIRA, DATA BASE, ÍNDICE e tudo que a gente nunca teve direito e que a gente não vai abrir mão dela . Pois o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL FALOU QUE NÃO EXISTE OUTRA FORMA DE PAGAR O TRABALHADOR DO ENSINO se não for através dela. Profº Euler, aceita . Só a sua coerencia pra nós salvar e representar. Leve uma caixa de giz colorido pra desenhar pra eles : CUMPRAM A LEI, VOCÊS SÃO OS GUARDIÕES DA DELA, NÃO RASGUEM A CONSTITUIÇÃO FEDERAL. APROVEITA E LEVA UMA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, A BANDEIRA DO BRASIL E UMA BIBLIA PARA QUE ELES REPITAM O JURAMENTO QUE FIZERAM NO DIA DA POSSE. QUEM SABE ELES RECORDEM QUE ESTÃO A SERVIÇO DA LEI E DA ORDEM, e não do capital.

    ResponderExcluir
  40. conversando descobri que + ou - 40% dos inscritos no enem já terminaram os estudos e alem do mais o enem dá certificação de conclusão para o ensino médio.QUER SABER ISSO É PALHAÇADA!!!!

    ResponderExcluir
  41. O ENEM DA CERTIFICADO NINGUEM PERDE O ANO.!!!!

    ResponderExcluir
  42. Euler, estou muito aflita, com muito medo da greve acabar sem sermos atendidos em nossas reivindicações. Como disse uma colega acima, a votação em praça pública permite que "inimigos" da educação votem em favor do término da greve. Temos que estar muito fortes e unidos no dia 16/08 e ficar de olho se há pessoas se infiltrando em nosso meio. Eu não posso nem pensar em terminar essa greve como ano passado, com uma "bomba" de presente. Só podemos sair dessa greve com o PISO. Se chegamos até aqui, seria uma covardia, uma burrice, uma idiotice sem tamanho voltarmos sem o Piso. Eu NÃO POSSO ACEITAR ISSO e sei que muitos colegas também não. Então vamos nos mobilizar e fazer MUUUITO barulho dia 16/08. Sem PISO NÃO PISAMOS NA ESCOLA!

    ResponderExcluir
  43. Companheiros de luta. Falou-se em professor tampão e bueiro . So pra lembrar , essa combinação e explosiva!
    Começou no RJ e agora no centro de BH. Cuidado professores tampões.

    ResponderExcluir
  44. Caro Euler, na verdade elas não são burras não, são de uma esperteza ímpar, porém com desvio de caráter, utilizam suas inteligências a serviço de tudo que existe de mais asqueroso no mundo, que é mentir para milhões de pessoas e enganar a população na maior cara de pau. O desgovernador, juntamente com suas secretárias sabem muito bem as diferenças entre PISO e (sub)sídio,(notaram que esta MALDITA palavra tem um prefixo SUB? Pela raíz da palavra já podemos perceber seu significado. Qualquer um que saiba ler pode interpretar a LEI do PISO, que simplesmente é VENCIMENTO BÁSICO + GRATIFICAÇÕES E VANTAGENS,porém estes sacanas estão querendo inventar outra interpretação para uma coisa simples que qualquer idiota pode entender. Isto por si só já demonstra o conjunto de intenções desta turma, portanto se ele e elas fossem burros não seriam políticos, pois infelizmente no Brasil pré requisito para político é ser CANALHA.
    Abraços
    Ruy Aguiar

    ResponderExcluir
  45. Olá, pessoal da luta!

    Sobre o risco de haver pessoas levadas pelo governo para votar pelo fim da greve, acho pouco provável. Contudo, se percebermos uma movimentação numérica acima do habitual, podemos levantar questão de ordem e transferir a votação para outro dia, em local fechado com exigência de contracheque. Mas, acho que não vai ser preciso, pois as nossas assembleias têm contado com a participação de mais de 5 mil pessoas, com posição unânime em favor do piso. Não acredito que o governo consiga mobilizar número semelhante de funcionários-tampão para votar contra. Nem os 3.000 professores-tampão eles estão dando conta de arranjar.

    Um forte abraço e força na luta! Sem o piso a greve continua, até a Copa 2014!

    ResponderExcluir
  46. Ruy Aguiar disse:

    "...infelizmente no Brasil pré requisito para político é ser CANALHA."

    Frase forte, combativo colega Ruy, mas verdadeira.

    ResponderExcluir
  47. Falam que Anastasia é muito inteligente, acho que nem tanto, pode ser inteligente bastante para fazer maldade, principalmente com os professores. Um dia a casa cai e ele será condenado. Vou dar dois exemplos como ele não é tão inteligente como anda falando.
    1º) A intenção dele ao criar a lei do subsídio era acabar com a carreira antiga, mas deichou um artigo que permitiu a volta de quem quizesse.(quebrou cara).
    2º) Não cumprindo a lei do Piso, corre o risco de pagar na justiça, o gasto será muito maior.

    O governador e a turma do choque, querem brincar com os professores.
    O Ministro do STF Marco Aurélio disse: o ESTADO NÃO PODE BRINCAR COM O CIDADÃO.

    Voces professores guerreiros vencerão esta batalha.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  48. não vi nada sobre uberlandia. onde estão os professores dessa região ?
    Não tem mais greve por ai?

    ResponderExcluir
  49. Boa noite Euler e companheiros de luta!
    Vejo as notícias do jornal e acho incrível a cara-de-pau da nossa digníssima secretária de educação: "O sistema de remuneração com vantagens de tempo esta em processo de extinção..." A pergunta é: POR QUAL MOTIVO CARA PÁLIDA? Porque outras áreas do funcionalismo continuam com direito a biênio, quinquênio, trintenário e etc, e só na área de educação é que esse "modelo está sendo extinto?"
    Eles devem nos achar com cara de idiota, MAS NÂO SOMOS!!!
    Agora adotam o eufemismo de "novo sistema remuneratório". Observem nas entrevistas nos jornais "O TEMPO" e "HOJE EM DIA": ESTÃO EVITANDO A PALAVRA SUBSÍDIO!!!
    Dizem que no "novo sistema remuneratório", os professores recebem bem mais que no antigo, mas se pagaram o piso no sistema antigo, o Governo de Minas não terá condições, esbarra na responsabilidade fiscal e mais um monte de baboseira... Então filhota, como a droga do subsídio pode ser mais vantajoso??? Vai pro inferno com esse subsídio!!! Tô perdendo a paciência com as falácias e demagogias desse governo!!!
    Agora, temos que ser mais radicais nas cobranças, protestos e campanhas de mídia. Sei o quanto é caro pagar propaganda, mas devemos dizer para a população que o governo só oferece o subsídio para a educação, que o governo quer cortar todas as vantagens do professores que já tem um salário paupérrimo e tudo mais!
    Penso que, apesar da indiferença de boa parte da população, devemos trazer a sociedade para o nosso lado. Mostrar ao cidadão mineiro as reais condições do professor da rede estadual de Minas Gerais.
    Peço desculpas pelos excessos, mas confesso que a minha indignação está afetando minha paciência...
    Prof. Eduardo
    B.H.

    ResponderExcluir
  50. João Paulo Ferreira de Assis13 de agosto de 2011 20:06

    Prezado amigo Professor Euler

    Segue aqui um comentário meu postado no site remediosmg lá da minha terra, Senhora dos Remédios, local que até 2004 era curral eleitoral dos Andradas, e pior, desprezada por eles.

    A revista Isto É diz que Luiz Fernando Faria é corrupto, mas não escreveu nenhuma linha sobre os verdadeiros corruptos. Que nome pode ter um homem que desobedece contumaz e sistematicamente uma lei federal (aliás, os municípios também o fazem), que efetiva quase cem mil funcionários numa lei flagrantemente inconstitucional, visto que pela Constituição Federal só pode adquirir o estado de efetivo quem foi aprovado em concurso público de provas e títulos. Que confisca os vencimentos dos professores com o tal subsídio que fecha todas as possibilidades de melhoria salarial dos professores, que contrata ''professores'' (para mim não são professores mas PROSTITUTOS) em flagrante desobediência à lei 7783 (lei de greve) que proíbe contratação de substitutos durante a greve. Que nome podem ter os políticos que apoiam um governador fora da lei?

    Desculpe pela veemência. Não estou defendendo Luiz Fernando, pois que eu saiba, ele também defende essa gente da Cidade Administrativa.

    Eu moderei minhas palavras porque além de ser um site lido por partidários do Anastasia, se eu escrevesse termos como corja ou quadrilha, eu ia arranjar um monte de inimigos a mais em Senhora dos Remédios. E pior, dentro da minha família, o que seria muito triste. E confesso que não estou disposto a conquistar mais algumas inimizades. Bastam-me as que eu já tenho.

    ResponderExcluir
  51. Caro Euler, sou designado desde o ano passado e, por isso, nao tive a opção de mudar para o sistema antigo. Com a aprovação do piso, como ficaríamos?

    ResponderExcluir
  52. João Paulo Ferreira de Assis13 de agosto de 2011 20:22

    Prezado amigo Professor Euler

    É preciso sim, tomar precauções. Você imagina se o governo resolve forçar o fim da greve levando gente a troco de suco e pão com mortadela? Vamos lembrar como Newton Cardoso escapou do impeachment. Ele mandou levar um grupo de partidários seus de Nova Contagem, região que deve a ele todos os melhoramentos recebidos. A cada voto pelo impeachment uma sonora vaia ecoava no Plenário e o Presidente nada fez. Muitos parlamentares ficaram intimidados e votaram contra o impeachment.
    Nós temos que tomar nossas precauções. Cada um que for à Assembleia leve sua carteira de identidade e seu contracheque.
    Lá estarei no dia 16 de agosto. Na hora em que pus o meu nome no rol dos professores que irão a Belo Horizonte, eu disse - dane-se a minha tromboflebite. Eu vou.

    ATÉ A VITÓRIA!!!!!!

    ResponderExcluir
  53. CONVERSANDO COM UMA ADVOGADA QUE IMPETRA UMA OUTRA MINHA NA JUSTIÇA, SOBRE A REAL SITUAÇÃO DA GREVE, ELA ME DISSE QUE ELE VAI TER QUE PAGAR O PISO DE QUALQUER JEITO. TOMARA QUE FOSSE LOGO, POIS NOSSOS SALARIOS FAZEM VERGONHA, NAO E DIGNO NEM DE SUPORTAR O BASICO PARA A SOBREVIVENCIA DIGNA.
    COM RELAÇÃO A EXTINÇÃO MENCIONADA PELAS DUAS SECRETARIAS, EM TOM ATE DE NERVOSINHO NA RADIO ITATIAIA, DA A ENTENDER COM O LANÇAMENTO DO EDITAL PARA O CONCURSO, QUE ESTA CARREIRA SO EXISTE PARA NOS QUE RETORNAMOS AO VENCIMENTO BASICO, OS QUE VIRAM DE AGORA PARA FRENTE, NAO TERAO ESTA OPÇÃO, ENTAO COM O PASSAR DOS ANOS SERA EXTINTO ESTA FORMA DE PAGAMENTO NO ESTADO, MAS NO TEMPO HABIL QUE O DESGOVERNO QUERIAM, PODERA DEMORAR ATE DECADAS, DEPENDENDO DO TEMPO QUE O SERVIDOR AINDA TEM DE CARREIRA PELA FRENTE.
    O QUE IMPORTA E QUE NOSSO PISO ESTAR POR VIR, QUEM NAO QUIZ RECEBER NA FORMA DE VENCIMENTO BASICO, VAI SE ARREPENDER. MAS TEVE O DIREITO DE ESCOLHA, NAO QUIZ, FOI LUBIBRIADO POR ESTE DESGOVERNO, FAZER O QUE?
    ATE A VITORIA COM O NOSSO PISO.

    ResponderExcluir
  54. Muito bem, amigo João Paulo. Sua presença será muito importante. Esperamos que o governo apresente uma proposta decente, ou seja, o pagamento do nosso piso implantado no vencimento básico. Do contrário, é bom nem levar outra proposta.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  55. Quero através desse blog manifestar meu repudio aos colegas da EE Mario Elias de Carvalho(Contagem) e EE Olegário Maciel (BH) que são elogiados pelo Site da SEE por terem voltado as aulas.Lamentável que tenham desertado da luta.Se eu trabalhasse em uma escola dessas acho me sentiria mal pela fraqueza e desanimo desses colegas.Já começaram até a repor aulas.ISSO É UMA VERGONHA.

    ResponderExcluir
  56. A greve do Rio linda como estava terminar com 5%? Apostos que o governo de Minas ensinou o mesmo que fez aqui ano passado.
    E as duas secretarias fizeram Bia "prometer" ao Ministério Público que levaria a proposta de "melhoria" do subsídio, ecaaaa. Cuidado gente... to avisando. Essa greve pode acabar em 5% sim.

    ResponderExcluir
  57. Euler,
    Obgda por disponibilizar o vídeo com a participação de meus alunos aqui em seu blog... Tenho muito orgulho dessa galera... Eles criaram um grupo do Facebook - JAC - Juventude Ativa e Consciente - e estão organizando uma manifestação na porta da E. E. Dr. Emílio Silveira na próxima segunda feira. O perfil do JAC está nesse link
    http://www.facebook.com/groups/203877613003218/
    Alfenas, firme na luta até a implantação do Piso Salarial...
    Abçs fortalecidos,
    Eliane

    ResponderExcluir
  58. Euler, a secretaria falou que 300 000 alterações foram registradas para o regime de subídio no jornal. Inverdade flagrante pois o regime de subsídio foi compulsório. Eu mandei o link da noticia para o Sind-UTE a a CNTE, e disse para pedirem provas dessas supostas alterações, tipo o modelo de documento que tivemos que assinar para retornarmos ao regime de vencimento básico e temos até mesmo os protocolos. Mas do jeito que o pessoal é inocente eles reunem e votam e apresentam atas. Tem que ficar atento a esse fato também.Veja lá, só subir a página e encontrará a imagem. Eles agem de má fé o tempo todo. Eu salvei a imagem.

    ResponderExcluir
  59. Caros combatentes, percebo que alguns colegas resistentes à greve, estão se confundindo. A luta não é contra a escola nem contra aqueles que não querem a greve, a luta é contra o des-governo. Não é hora de dividir, é hora de somar. Estamos todos do mesmo lado, o lado da valorização, do respeito ao Magistério mineiro.Não estamos lutando contra diretores, colegas, alunos, estamos a favor de melhorias que atingirão a toda comunidade escolar.É hora de união.
    Em tempo: Parabéns aos combativos colegas da E.E.Dep. Patrús de Sousa , de Carandaí, pela coragem e valentia. Até a vitória.

    ResponderExcluir
  60. Boa noite a todos, no meu ponto de vista as secretárias do governo pediram para Bia falar em nome do governo que o subsidio será aperfeiçoado é simplesmente devido ao fato que o governo trabalhou intensamente para manter um grande número de educadores no modelo de subsídio. Então agora ele tem que justificar, para os que optaram pelo subsidio que ele pagará o piso em cima do vencimento básico, mas os demais aqueles que permaneceram no subsídio não devem preocupar pois um dia..... o subsídio será melhoradoooooooooooooo.
    idinei corrêa de IPATINGA

    ResponderExcluir
  61. a pata da gasola nem sabe o que diz,achar professor substituto a essa altura.e sabemos que esses sao eticos e sabem que estamos lutando pela causa deles tambem.

    ResponderExcluir
  62. De fato, combativa colega Gracieusa, esses dados do governo são colocados sem uma leitura qualitativa.

    Neste número de 300 mil estão incluídos, provavelmente, os 70 mil designados que não puderam optar, além de outros segmentos da Educação.

    Além disso, ele não especifica qual o percentual de professores na ativa optou pelo sistema de vencimento básico.

    Mas, este dado revela um perigo iminente: ele significaria, a se confirmar, que quase a metade dos servidores públicos de MG já estariam enjaulados no sistema de subsídio. E o próximo passo do governo seria enquadrar outras carreiras mais frágeis neste sistema. Claro que a segurança seria deixada por último, assim mesmo para os novatos.

    Talvez por isso o governo esteja falando em "sistema em extinção". Que todas as carreiras do estado coloquem a barba de molho, pois a nossa derrota representa também a derrota de todos.

    Que estejam todos em alerta pois o que o governo tenta fazer com os educadores é apenas o prenúncio do que fará com os demais servidores do estado de Minas.

    Um abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  63. Caríssimo comandante Euler, sonhei esta noite que ao acessar o seu blog estava escrito em letras garrafais VITÓRIA, VITÓRIA, VITÓRIA, o piso será implementado de imediato, travamos o bom combate e ficaremos com certeza na história de Minas, viva. Tomara companheiro, opa, comandante Euler. Um abraço e força na luta.

    ResponderExcluir
  64. Fátima - professora de História14 de agosto de 2011 00:53

    Euler, esse artigo foi publicado em maio do ano passado no jornal O tempo.Pela riqueza de seu teor, achei oportuno postá-lo em seu Blog.

    Como praticar justiça salarial aos professores?
    MUITOS PELA EDUCAÇÃO, POUCOS PELOS PROFESSORES
    Como praticar justiça salarial ao professores? Se o leitor procurar respostas nas contas do orçamento público, certamente não serão encontradas. Mas se quiser garantir qualidade no ensino, há necessidade de remunerar melhor os profissionais da educação.
    Do ponto de vista do orçamento público, é uma conta que pode ser feita na rubrica de custos ou na de investimentos.Atualmente, a administração pública encontra-se refém da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas não é essa a única lógica a prevalecer.
    Defender a educação é lugar-comum, mas, contraditoriamente, poucos defendem os professoes. Desnecessário enumerar as razões óbvias de que a educação não se pratica sem mestres.Mas é comum deparar com algum equívoco que ofusca essa permissa. A prioridade educacional no país é alcançar o acesso universal à escola, mas a valorização do magistério não acompanha esse princípio. Relegados ao segundo plano na política educacional do país, cumpre aos professores conquistar a solidariedade da sociedade civil. Ao Estado cabe garantir a educação, mas é a sociedade civil a principal interessada nos frutos obtidos através da educação.
    O Brasil encontra-se numa encruzilhada entre avançar na direção dos países desenvolvidos ou retornar a persistentes ciclos viciosos. para seguir em frente, somente através da estrada da educação é possível alcançar o desenvolvimento pleno. Nenhum país chegou lá a não ser através dessa estratégia. Não existem atalhos.
    A nação tem que fazer suas escolhas sob pena de fragmentação das conquistas alcançadas até aqui com imensos sacrifícios. A tecnocracia considera a mão de obra barata uma das vantajens comparativas do Brasil. Em nome desse paradigma, vários sacrifícios foram impostos aos trabalhadores brasileiros. Se várias categorias libertaram-se desse preceito e conseguiram melhorias salariais, o mesmo não aconteceu com os professores.
    Quando trabalhei no Qatar, testemunhei o extraordinário poder transformador da educação. Em apenas três décadas, de povos beduínos os qatarianos alcançaram um dos melhores índies de desenvolvimento humano do planeta. Lá o magistério é a categoria mais valorizada. O país que só tinha petróleo e deserto, hoje tem conhecimento.
    Educação é custo ou investimento? Essa é a pergunta certa a se fazer neste curso da história do Brasil. Na visão dos estadistas, recursos públicos aplicados na educação são investimentos; na ótica míope dos tecnocratas, é custo. Trata-se de diferença crucial para o país: escolher entre o comodismo de continuar sendo um dos maiores vendedores de commodities ou aplicar os royalties recebidos dessas vendas na educação.
    Recursos naturais se esgotam e privam as gerações futuras de usufruí-los. Conhecimento, ao contrário, é uma riqueza legada às próximas gerações.São essas as respostas para corrigir as injustiças salariais praticadas contra os professores.

    ResponderExcluir
  65. Saudações a todos.
    Caros colegas.Vocês falam como se este povinho fosse ficar para sempre no poder.Ainda bem que não, mesmo porque seu nastasia pode ir tirando o pônei da chuva porque por estas bandas ele não se elege mais.Quando estes neoliberais aloprados forem banidos toda esta lambança que fizeram será desfeita e novamente teremos um governo que respeita a Carta Magna.Nas próximas eleições fiquemos atentos.PSDB never more.Tá passando da hora do povo brasileiro começar a reivindicar uma reforma política efetiva!

    ResponderExcluir
  66. Professor Euler;
    Bom dia!

    PARABÉNS PELAS 390.000 VISITAS A ESTE BLOG.

    BLOG DE UTILIDADE PÚBLICA PARA OS PROFESSORES DE MINAS GERAIS.

    OBRIGADO PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO NESTE ESPAÇO.


    ... O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    ResponderExcluir
  67. Professor Euler,
    Professores de Minas,

    O dia 16/08/11, será um dia de decisões. Porém acho que não devemos colocar muitas expectativas para solução desta crise.
    Estamos num jogo e, o governo sabe de sua força financeira, política e vai experimentar mais uma vez, a nossa resistência.
    Não devemos abrir mão de nenhuma reivindicação.
    A situação limite para ELES é o dia 22/08/11.
    Precisamos saber esclarecer o máximo possível as nossas propostas diante o Ministério Público.
    Conversar com o governo, só através de documentos. Eles não são confiáveis.

    Precisamos mostrar ao Ministério Público a real situação dos EDUCADORES e também a realidade do sistema educacional em Minas Gerais.
    Precisamos mostrar ao Ministério Público que, com medidas paleativas não se resolverá esta crise. Não vamos trocar seis por meia dúzia.

    A HORA É AGORA, FIRMES NA LUTA, COMPNHEIRAS(OS).

    Qual é a proposta do Governo para a Educação e para os EDUCADORES?

    Este tal de subsídio, nem pensar. Não vamos discutir e nem perder tempo com esta proposta.

    ESTE É UM GOVERNO HIPÓCRITA, FALSO, QUE SÓ TRABALHA COM APARÊNCIAS.
    SÃO ÍDOLOS COM PÉS DE BARRO.

    *** A força das águas represadas contem enorme energia.

    Eles estão esquecendo disto.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    *** EM 2014 MOSTRAREMOS PARA TODO O BRASIL, COMO O AÉCIO E O ANASTASIA TRATAM OS PROFESSORES.
    VALORIZAM OS SISTEMAS E DESVALORIZAM AS PESSOAS .
    ELES PODEM TER CERTEZA DISTO.

    ResponderExcluir
  68. Olá Professores,

    NESTE MOMENTO DECISIVO, O NOSSO MOVIMENTO ESTA CRESCENDO.

    Na paralisação do dia 16/08/11 teremos mais companheiras(os) juntos pela nossa causa.
    Várias Escolas, principalmente no interior aderem pela primeira vez á PARALISAÇÃO.

    NÃO TENHAM MEDO.
    A NOSSA CAUSA É JUSTA.
    FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.
    A VITÓRIA ESTA SE APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  69. sOlá Professores,

    Sobre a argumentação do Governo, de sua capacidade de pagamento, vamos voltar á lei:
    - Está previsto na lei do PISO NACIONAL que, havendo dificuldades para o pagamento dos vencimentos aos professores, RECORRE-SE AO FUNDO DE EXCEPCIONALIDADES previsto na mesma.

    Portanto não vamos nos preocupar com esta parte, pois estamos reivindicando o JUSTO.

    Temos o direito ao que é justo e, na minha opinião, devemos reivindicar o que realmente o que é:
    - R$ 2.400,00 por jornada de 24 hs semanais. Sendo reajustados anualmente pelo índice de inflação + 5%.

    A HORA É AGORA, A CATEGORIA ESTA MOBILIZADA, VAMOS EXIGIR O QUE NOS É DE DIREITO.

    SEGUIMOS FIRMES NA LUTA.

    ResponderExcluir
  70. Olá Professores,

    IGUALDADE DE OPORTUNIDADES NA EDUCAÇÃO.

    Cristovam Buarque: Não existe futuro sem Educação. O mundo inteiro vive a economia da Educação, o progresso depende dela. Além disso, é importantíssimo lembrar que o Brasil é uma república e em uma república todos têm os mesmos direitos perante a lei, não existe isso de alguns terem Educação de qualidade e outros estarem privados disso, a igualdade tem de prevalecer.

    *** Volto a repetir que este GOVERNO EM NINAS GERAIS ESTA PROMOVENDO UMA ENORME DISCRIMINAÇÃO AOS ALUNOS DA REDE PÚBLICA EM RELAÇÃO ÁS ESCOLAS PARTICULARES.
    COM ESTE SISTEMA DE RESULTADOS (MAQUIADOS), ESTÃO INDIRETAMENTE CAUSANDO UMA GRANDE DESIGUALDADE SOCIAL, ENTRE OS NOSSOS JOVENS.

    ATENÇÃO SRS. PAIS, FIQUEM ATENTOS.

    VERIFIQUEM QUEM ESTÁ ASSEGURANDO VAGAS NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS, AS MELHORES E GRATUITAS.

    SEUS FILHOS ESTÃO TENDO IGUALDADE DE OPORTUNIDADES?

    VALORIZAM OS SISTEMAS, DESVALORIZAM AS PESSOAS.

    ...Enquanto isso os professores também estão sofrendo com baixos salários.

    ... E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.

    ResponderExcluir
  71. Caros companheiros de luta

    "Primeiro eles te ignoram, depois riem de você,
    depois brigam, e então você vence."
    (Mahatma Gandhi)

    Na sexta-feira, visitei uma escola que estava funcionando, o motivo da visita foi para convidar nossos companheiros para aderirem ao movimento da GREVE e para participar da PARALISAÇÃO NACIONAL dia 16 de agosto, próxima terça-feira, o nosso movimento não é de apenas um ou dois professores, e a greve é um direito Lei Federal no. 7.783 de 28/06/89, é a reivindicação da categoria dos profissionais da educação do ESTADO de Minas Gerias, cujo a principal causa desta luta é a implantação do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério, e ainda, "o Piso Salarial não é apenas para professor, mas para todos os profissionais da educação básica A Lei Federal 12.014/09 determina quem pode ser considerado profissional da educação."

    E estou aproveitando todas as oportunidades e contatos que tenho para esclarecer dúvidas que a população e a comunidade escolar tem. Na quinta-feira via msn detalhei para um aluno sobre a contratação dos professores apenas para o último ano do ensino médio, fato esse que, mesmo amparado por uma legislação vigente, é um verdadeiro desrespeito com os outros alunos e com o professor. Esse meio de comunicação tenho adotado nos outros sites de relacionamento, mantê-los informados dos fatos é uma demonstração do carinho e respeito que temos com todos.

    "Sem o PISO, não pisamos na escola."

    Abraço a todos.
    Um abraço especial para os PAPAIs !!!

    Gleiferson Crow
    LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  72. Olá Professores,

    SOMOS "AS VERDADEIRAS AUTORIDADES DA EDUCAÇÃO".
    LEIAM:


    RETIRADO DO BLOG DE SÔNIA MARIA ARANHA – (brasilianas.org)
    (14/08/11)

    VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES VAI ALÉM DO SALÁRIO

    A este respeito, impressionou-me de forma positiva o discurso da Presidenta Dilma (para além da polêmica, também adoto presidenta). Ela disse: "Mas só existirá ensino de qualidade se o professor e a professora forem tratados como as verdadeiras autoridades da educação, com formação continuada, remuneração adequada e sólido compromisso dos professores e da sociedade com a educação das crianças e dos jovens." Me pareceu que há uma intenção de mudar o modo de lidar com o profissional da educação, devolvendo-lhe, principalmente ,a dignidade perdida.

    *** COMEÇAM A PERCEBER O VALOR DOS PROFESSORES.
    COMEÇAMOS A ATINGIR NOSSOS OBJETIVOS.

    FORÇA, CORAGEM. PEERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.
    A VITÓRIA ESTA SE APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  73. Olá Professores,

    A argumentação do Governo sobre o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, que ELE então diminua os gastos com PUBLICIDADE.

    VOCÊS SABEM QUANTO ESTE GOVERNO GASTA COM PUBLICIDADE?
    - SE NÃO SABEM, ENTÃO PESQUISEM E, FICARÃO ATORDOADOS.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  74. Olá Professores,

    A REALIDADE CRUEL DO GOVERNO AÉCIO/ANASTASIA.

    “choque de gestão” ou de marketing?

    Gasto com publicidade em Minas supera R$ 1 bilhão
    da Revista do Sindfisco-MG , número 8, Setembro de 2010

    CONTROLE DA MÍDIA.

    “A outra questão – talvez a mais grave – é que os governos dispõem de um volume tal de dinheiro para injetar no mercado anunciante que se põem em condições, ao menos em tese, de influenciar o comportamento dos órgãos de imprensa mais vulneráveis a pressões políticas. Isso conspira contra a liberdade de imprensa.”

    “Quem é bem informado e conhece um pouco sobre leitura crítica de comunicação já percebeu que a imprensa mineira, diga-se a grande mídia, há quase oito anos, só pauta um lado da notícia, quando se trata de ações do governo estadual. Seria graças a benevolentes verbas do estado com as propagandas?”
    Durante os dois mandatos do governo Aécio Neves em Minas, não houve espaço na grande imprensa mineira para qualquer contraponto aos números apresentados pelo governo. Por trás do controle sem precedentes sobre a mídia o que se vê é um governo que se esquiva do debate dos problemas do Estado com a sociedade.

    *** TODOS MINEIROS E BRASILEIROS, PRECISAM SABER DESTA VERDADE, VAMOS DIVULGA-LA.

    ...E O SOL NASCE NOVAMENTE;
    ... E A LUTA CONTINUA.
    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  75. Professor Euler e colegas,

    Acho que o Sind UTE MG, no dia 16/08, na reunião com o Ministério Público e o Governo, deverá pedir um prazo para oferecer um contraproposta.
    Precisamos em primeiro lugar ouvi-los.
    Em seguida apresentar uma segunda proposta, sempre mostrando boa vontade, nas negociações.
    Esta crise durará pelo menos até 23/08/11.
    Temos que aprender a jogar com ELES.

    FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.
    A VITÓRIA ESTA SE APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  76. Professor Euler e colegas,

    NEGOCIAÇÕES

    Precisamos estar sempre dispostos a ouvi-los, Ministério Público e Governo, em seguida solicitar a apresentação da contraproposta em 72 hs no mínimo.
    Nunca jogar diretamente alguma proposta DELES, para decisão da Assembleia geral da categoria.
    Estudando as táticas do Governo percebo que é assim que ELES jogam.
    Professor Euler, peço que passe estas análises para a direção do Sind UTE.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  77. Professor Euler, Deus lhe abençõe e lhe retribua pela luta p garantir o mínimo de dignidade aos seus irmãos professores. Eu particularmente bebo mingal sem gordura p distribuir esta gorgeta q nós professores ganhamos p tratar da minha familia e ainda estudar 2 filhos amados e muito cheios de fé em Deus, pois o q ganho ñ dá, mas Deus está multiplicando ele e estamos na luta e venceremos, Deus é maior.Nenhum governador, nem o Anastasia,nem o Aécio ... nunca passaram p situação financeira deplorável de um professor p estudar filhos, p cuidar dos pais velhinhos, p sobreviver as despesas de uma familia c esta migalha, então acham q estamos recebendo salário! Vamos pedir a Deus q toque nestes corações endurecidos pelo dinheiro q teem e pelo poder, p q possam ser dignos pelo menos c uma gorgeta melhor, pois salário!!! Quando teremos? um dia no céu! na terra? Com estes governantes??? Difícil de ter esperança!

    ResponderExcluir
  78. Professsor Euler, gostaria de enviar umas linhas p o nosso governador, para a nossa presidenta, será quantos minutos eles conseguiriam sobreviver c este salário de Professor? Bebo mingau de sal sem gordura p estudar meus filhos, só Deus sabe o sacrifício. O governador sabe disto? Ajude-nos, ñ desista, vá a luta por nós, Prof Euler, Deus irá lhe recompensar, preciso muito, muito, mas muito mesmo deste salário com um aumento. Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir