terça-feira, 16 de agosto de 2011

A greve continua! Estou otimista! O governo terá que ceder e pagar o piso! Aguentemos firmes, colegas, porque falta pouco!



A greve continua! Estou otimista! O governo terá que ceder e pagar o piso! Aguentemos firmes, colegas, porque falta pouco!


Bravos colegas de luta. Acabo de chegar no bunker neste momento, às 21h20m. Vou ter que fazer um lanche, tomar um banho, repor as energias e depois sentar para fazer o relatório do dia.

Inicialmente deixou-lhe a minha impressão pessoal de que a greve está muito próxima de arrancar o piso a que temos direito. Vou falar sobre isso mais tarde.

Alguns dados importantes para vocês perceberem:

- o governo revelou que 153 mil educadores fizeram opção para o antigo sistema remuneratório. Isso é importantíssimo. O blog chegou a prever um limite de 150 mil. Errei por 3 mil, tá bom, né?

- o governo revelou também que o custo da implantação do piso do MEC é de 2,5 bilhões. E que isso representa 3,4% da folha de pagamento. Minha avaliação: é muito pouco para o governo deixar de cumprir uma lei federal e pagar o piso.

- e por último, o sindicato deixou claro para o Ministério Público, que espera que o governo apresente para a categoria a tabela do piso implantado, mesmo que seja o proporcional do MEC. O Ministério Público se incumbiu de mediar a negociação com o governo e entrará em contato com a direção sindical assim que obtiver uma resposta.

- foi uma das maiores assembleias, com cerca de 8 mil educadores, que votaram por unanimidade pela continuidade da greve, até que o governo pague o piso.

Não é hora de falar em voltar. Estamos no caminho certo, muito próximos da vitória! Um forte abraço e até mais tarde com as nossa análises de costume. E um abraço especial às dezenas de combativos e combativas colegas que encontrei durante a assembleia das mais variadas regiões de Minas. Impressionante como esse blog se tornou um espaço de intercâmbio entre os valentes educadores.

Até daqui a pouco e força na luta, até a nossa vitória!


***

Agora sim, vamos retomar o nosso diálogo com a turma da luta que acompanha o blog.

Conforme estava previsto, fui mais cedo um pouco, para participar da reunião do Comando Estadual, que aconteceu logo após a reunião entre o sindicato e o governo no Ministério Público.

A coordenadora do sindicato apresentou um relato das duas reuniões com o governo. Sobre a primeira reunião, já conhecemos o informe dado pelo próprio sindicato e analisado aqui por nós. Em relação à reunião de hoje (16/8), aconteceu mais ou menos o seguinte:

- o governo queria fazer uma discussão sobre a tal proposta de ajuste do subsídio, conforme havia dito anteriormente. O sindicato, corretamente, recusou-se a discutir sobre o subsídio, já que nossa luta é pela implantação do piso no vencimento básico, e não por ajustes no subsídio. A direção sindical agiu corretamente, na nossa avaliação (quando é preciso criticar, a gente critica; quando é preciso reconhecer os acertos, não temos nenhuma dificuldade em fazê-lo);

- depois o governo apresentou o número de educadores que retornaram para a antiga carreira: 153 mil educadores. Considero que tivemos sucesso na campanha que fizemos pelo retorno ao sistema de vencimento básico. Ainda mais se considerarmos que, como foi apresentado no informe do sindicato: dos 390 mil servidores, 110 mil são aposentados (e boa parte destes já estavam no antigo sistema), e 70 mil são designados que não puderam fazer opção de carreira. Logo, dos 200 mil educadores na ativa (já exluídos os designados, que não tiveram escolha), podemos dizer que mais de 50% optaram pelo sistema de vencimento básico. Ou seja, o regime que está em extinção é do subsídio, não o antigo, que, apesar de todas as manobras rasteiras do governo, foi o escolhido conscientemente pela maioria;

- o governo informou ainda que o custo da implantação do piso proporcionou do MEC seria de 2,5 bilhões. Vocês poderão me perguntar: e os 4 bilhões do deputado Rogério Correia? Muito provavelmente a secretária do Seplag deve ter dito para ele este valor caso o piso fosse implantado para todos os 390 mil servidores e no início do ano. O novo valor deve ser referente aos 153 mil servidores que optaram pelo antigo sistema. Não sei responder a partir de qual data o governo levou em conta para apresentar este cálculo. Isso não foi esclarecido pelo sindicato. Seria a partir de janeiro de 2011? Ou maio de 2011?

- O governo disse ainda que o impacto da implantação do piso seria de 3,44% a mais na folha de pagamento. É muito pouco para o governo enrolar por mais tempo a aplicação do piso. Se a preocupação era a LRF, com este percentual dá para perceber que a maestria contábil do governo tem condições de tirar isso de letra, se assim o desejar. É bom lembrar que a arrecadação de impostos está em alta em Minas, e que no final do ano a tendência é que aumente ainda mais, com as compras do 13º e as festas natalinas. Logo, não há mais qualquer pretexto para não pagar o piso, ainda que seja o proporcional do MEC;

- um outro dado importantíssimo é que o sindicato revelou com muita ênfase que os biênios não foram extintos para quem ingressou no estado após 2003. Isso é de suma importância, pois terá um peso fundamental para os servidores, agora que o piso ganhará outra aparência, mais robusta;

- um dado a ser considerado, é o quanto o governo é contraditório e precisa pagar logo esse piso para não se enrolar ainda mais na teia que tentou montar para justificar o injustificável. Agora que o jogo já ficou definido, ou seja, já não há mais possibilidade de deixar o subsídio, o governo reconhece perante a autoridade do Ministério Público, que o pagamento do piso proporcional do MEC representa um valor muito superior àquele que o governo pretendia investir com o subsídio. Ou seja, com o subsídio para os 390 mil servidores, o governo investiria R$ 1,4 bilhão. Já com o piso no antigo sistema, somente com os 153 mil que optaram pelo antigo sistema, ele terá que investir pelo menos mais R$ 2,5 bilhões. Logo, além dos contracheques provando que não recebemos o piso, temos uma confissão pública por parte do governo de que o subsídio representa um confisco no bolso dos educadores mineiros, tal como vínhamos afirmando aqui, incessantemente;

- após a reunião com o governo, o sindicato se manteve em reunião com o Ministério Público. Este ofereceu-se para mediar e tentar resolver o problema junto ao governo. Reparem que o MP não está agindo como um fiscal da lei, papel que lhe é próprio, mas como um mediador entre as partes. Tudo bem. Vamos considerar que nessa altura do campeonato, se o MP conseguir pelo menos convencer o governo a pagar o piso, já será aceitável. O correto seria ali mesmo, na reunião, o MP determinar o pagamento do piso e ajuizar ação pública contra o governo de Minas por não cumprir a lei. Mas, estamos em Minas Gerais, pessoal, outro país, e é por isso que a mediação do MP já é um ganho para nós;

- uma nova assembleia ficou marcada para o dia 24 de agosto, quarta-feira que vem. Nessa mesma data haverá manifestação de protesto em Brasília. Aliás, vários colegas de luta cobraram, durante a reunião do comando - inclusive o bravo camarada Rômulo - uma discussão mais séria sobre a omissão do MEC e do governo federal na questão do piso;

- o governo tentará de tudo para esvaziar a nossa greve. Para nós, voltar agora, seria a maior burrice que poderíamos fazer (como nos lembra acertadamente o combativo colega Sebastião de Oliveira, de Carangola). Depois de 70 dias de greve, por tudo o que passamos, quando o governo já esgotou seu estoque de maldades, e só lhe resta pagar o piso, recuar agora, nem no meu pior pesadelo eu imaginaria uma coisa dessas. Pelo amor de tudo o que vocês crêem, pessoal, temos que segurar e fortalecer essa greve, ainda mais, pois essa é a grande oportunidade de arrancarmos uma conquista histórica, que vai prevalecer por muitos anos na nossa memória, na nossa vida, na nossa carreira, na memória das lutas sociais de Minas e do Brasil;

- todo o Brasil acompanha a nossa luta. Em Minas Gerais, nós, educadores, tornamo-nos a referência de luta para todos os movimentos sociais e sindicais - e não é à toa que todos vieram abraçar a nossa causa e já produziram manifesto público em nosso apoio. Dezenas de entidades e personalidades estão nos apoiando;

- considero importante que a direção sindical tenha colocado para o Ministério Público, nosso mediador, que o sindicato está disposto a aceitar a proposta do piso proporcional do MEC e submeter tal proposta do governo à aprovação da assembleia. Tal como havíamos dito aqui no blog, essa atitude mostraria que nós, educadores, não somos intransigentes e tiraria da boca do governo a acusação de que estamos pedindo um valor que não é reconhecido pelo MEC. Agiu corretamente a direção sindical com essa atitude, pois não podemos dar pretextos ao governo para não pagar o piso. Como ele reconhece o piso proporcional do MEC e até o indica para a sociedade mineira, então que seja coerente e pague o piso aos educadores;

- não há como o governo escapar desta responsabilidade constitucional. E como o sindicato disse ao MP, não voltaremos para a escola sem uma proposta formal de implantação do piso, pois essa coisa de negociar após a greve não funciona.

Sem a greve para pressioná-lo o governo fará o que bem entender, podendo inclusive retirar e confiscar mais direitos dos educadores. Por isso, é preciso manter a greve. Não tem esse negócio de diretor ligar ameaçando, dizendo que o colega vai perder a vaga, que o mundo vai acabar, que a escola vai ser vendida, tudo isso é papo furado de diretores sem consciência política e sem compromisso com a nossa luta. Esses diretores são passageiros, são pau-mandados, eles passam, a nossa carreira e o nosso piso, não. Após a greve, com a nossa vitória, certamente haverá negociação para garantir a não perseguição, e a manutenção do quadro funcional sem qualquer prejuízo aos colegas que participaram (participam) desse heroico movimento de luta;

Então, pessoal da luta, vamos manter a mesma disposição de luta. É hora de marcar novas reuniões com os colegas, discutir os pontos fracos, refazer as estratégias e avançar no fortalecimento da luta. Se o governo perceber que a greve está enfraquecendo, ele não vai pagar o piso; agora, se ele se der conta de que o núcleo duro desta greve não se verga por nada, que avança na luta, enfrentando com destemor a batalha, ele terá que ceder e cumprir a lei.

Mesmo porque, não vai demorar muito e será publicado o acórdão, que poderá ser inclusive desvantajoso para o governo, conforme dissemos no post anterior. Além disso, o ano letivo de 2011 está ficando sem calendário para fechar este ano... e isso é muito ruim para o governo.

Que o governo crie juízo, saia da ilegalidade e pague o piso!

Nada menos do que isso pode acontecer aqui em Minas Gerais. Do contrário, se arrastar por um tempo maior, vou começar a discutir seriamente com as centenas de pessoas que visitam este blog uma campanha pública pelo impeachment do governo. Nós não vamos aceitar nada diferente do pagamento do piso, que é um direito constitucional e já tarda em ser aplicado nos nossos vencimentos básicos.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

P.S.: Mais tarde um pouco eu volto com mais informações e análises.

P.S.2 Acabo de receber um e-mail do combativo colega Lendro, que me lembrou de uma coisa importantíssima: o sindicato disse que a categoria continuará em greve, mesmo que a justiça declare a greve ilegal, como aconteceu no ano passado, quando ficamos 21 dias (do total de 47) na "ilegalidade" decretada pela justiça mineira. Só que agora, pessoal da luta, estamos lutando pelo cumprimento de uma lei federal. Se alguém está na ilegalidade, sem aspas, é o governo mineiro.

***

A globo tenta incriminar a revolta espontânea dos de baixo na Inglaterra. O sociólogo dá um banho nos repórteres. Veja a seguir:




172 comentários:

  1. O quê é o piso proporcional do mec ???? 712,00 ??? Para quem não tem vantagens é menos do que o subsidio ...

    ResponderExcluir
  2. Sidney - ESPERA FELIZ16 de agosto de 2011 21:50

    Oi Euler!
    Estava ansioso por uma resposta positiva do governo! Mas continuaremos a luta! O MP vai pressionar juntamente com a conosco!
    VITÓRIA JÁ! Ruma ao PISO NACIONAL!

    ResponderExcluir
  3. Profº Euler e demais colegas, falar o que ? Viva nós. Vamos conseguir na marra. E vamos cobrar mais. Esse é apenas o começo. Agora ninguém mais vai nos avaliar sem dar os recursos didáticos necessários para o bom desempenho das nossas funções. Eles que nos aguardem.

    ResponderExcluir
  4. O governador e suas marionetes estao vendo a força que temos .E quando somos bem orientadas ficamos melhor ainda .Aqui em Monte Carmelo a greve continua forte .Gostei de saber que podemos ter esperança de dias melhores.Vamos comemorar nossa vitoria !Abraços a todos os combatentes!Ficaremos na historia!

    ResponderExcluir
  5. Se alguém pensa em voltar à escola, não desista, pois perderá a chance de voltar vitorioso! E mais: respeitado como cidadão que não foge à luta, ainda que seja uma luta penosa, eu sei.
    Abraço a todos

    ResponderExcluir
  6. Olha Euler, no interior a situação não é bem assim não...
    Li agora a pouco que em Mutum tem um carro de som na rua chamando os alunos pra escola amanhã, pq a greve acabou, estão ignorando os grevistas...
    A minha escola volta a funcionar normalmente amanhã, as diretoras daqui estão ligando pessoalmente convocando pra voltar, falando muito educadamente, que a SEE já disse que essa greve não vai dar em nada, que o Anastasia não pretende dar nada a mais do que o governo do Rio deu e a maioria está acreditando!
    Então, o que fazer agora? É um momento muito delicado da greve, muita gente está falando em voltar amanhã sim. Temos que ser realistas.

    ResponderExcluir
  7. Queria ver a cara desse governadorzinho depois da nossa vitoria.Pensou que ia nos enfraquecer com suas mentiras .Foi desmascarado perante nossa sociedade,tera que pagar os professores contratados e ainda nos pagar o que nos cabe por direito.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,bem feito

    ResponderExcluir
  8. Grande Sub-comandante Euler, temos que ficar firmes, Minas sempre foi berço de grandes guerreiros, vamos vencer, tenho certeza, sem o piso, mais do que nunca, naão volto para a escola.

    ResponderExcluir
  9. Caro Euler,

    Fiquei triste por não terem conseguido o piso...
    Que pena!!! Olha, torci muito por vocês, mas, infelismente não deu né?
    Então mesmo voltando as aulas amanhã(pq minha escola volta amanhã), vou abraçar todos meus professores e dar parabéns pela coragem.
    Laura aluna

    ResponderExcluir
  10. Caros professores,
    Concordo com o Euler,realmente não é hora de falar em voltar. O Governo não tem outra saída, tem que negociar a implantação do piso. Hoje às 14:30hs o presidente da Assembéia Legislativa, Dinis Pinheiro, assumiu o compromisso atendendo pedido do Deputado Rogério Correia de convocar a comissão de negociação dos deputados para interceder junto ao Governo em favor dos professores. Solicito a todos que mantenham firmes, porque a vitória está próxima.
    Pessoal, a recompensa desta luta será muito positiva, podem acreditar.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  11. Força companheirada,fraqueja agora? Nunca, logo agora que a batalha está quase ganha.Piso já senhor governador fora da lei.

    ResponderExcluir
  12. João Paulo Ferreira de Assis16 de agosto de 2011 22:42

    ''Temos que ser realistas''

    O anônimo está propondo que a gente volte para as aulas sem nada conseguir?

    ResponderExcluir
  13. Caros colegas:
    Agora, mais do que nunca, não podemos desertar.
    Jamais estivemos tão perto de conquistarmos o que é nosso por direito diante de um governo prepotente.Nossa greve é legal, o MP está se mostrando empenhado em possibilitar as negociações. Aguentemos firmes. Não podemos perder essa oportunidade histórica. Tenho certeza que essa será a 1ª vitória de muitas outras que virão.

    ResponderExcluir
  14. caro colega Euler desde 08/06 estamos nesta luta e até agora este governo ñ importa com a qualidade ndo ensino, espero que até aamanha isto fica charo

    ResponderExcluir
  15. Colegas de Mutum permaneçam firmes, conseguimos uma grande adesão à greve no interior do leste de minas e não podemos vacilar nesse momento em que estamos tão perto da vitória, lembre-se nós de Resplendor, Aimorés, Ituêta e tantos outros estamos firmes e contamos com vocês. Vou contar uma fábula que sempre conto aos meus alunos do 3* ano:
    "Um homem resolveu atravessar um rio muito extenso e caudaloso, porém sabia que do outro lado estava sua liberdade então não deu atenção às dificuldades manteve-se firme em seu desejo de atravessar o rio. Depois de ter nadado vários minutos, lavantou a cabeça e percebeu que já havia nadado 1/4 do rio, já estava cansado mas tomou fôlego e continuou. Num segundo momento, em que sua força já fraquejava, levantou a cabeça e percebeu que estava na metade de realizar seu sonho, então encontrou forças e continuou ainda com mais garra, e decidiu só parar se chegasse ou se não conseguisse mais, e quando não conseguiu mais parou e estava a dez metros da margem, mas como não aguentava mais, virou as costas ao seu sonho e retornou". Eu sei que o momento é de limite, mas dar as costas a esse sonho é suicídio, como um professor pode continuar nadando depois de ter tão perto seu sonho, tire forças de onde for mas vença esses dez metros de limite. Cordialmente, Diego Velasco de Paula.

    ResponderExcluir
  16. CHARLOTTE SAMPAIO ALERTA:

    A verdade é que o perigo mora ao lado, colegas. Se depois de 70 dias de paralisação e com essa última assembléia com aproximadamente 8.000 professores houver uma debandada de professores para as escola o movimento e nossa dignidade estarão enterradas para sempre.
    Se, ao contrário, o movimento se fortalecer, aí sim, será o nocaute do governo e nossa mais importante vitória.
    Ou seja, como bem diz um ditado antigo 'ESTAMOS COM A FACA E O QUEIJO NA MÃO. Agora só depende de nós. Da nossa consciência de classe, da nossa união.
    A hora é de convencer a todos a não se intimidarem diante das ameaças das diretoras. NINGUÉM voltar e conseguir mais adesões.
    RESISTIR E AVANÇAR: esse é o nosso ÚNICO CAMINHO!!!
    QUE NÓS TENHAMOS CONSCIÊNCIA DE NOSSA FORÇA!!!
    GREVE ATÉ A CONQUISTA DO PISO!!!

    ResponderExcluir
  17. Fico feliz com os acontecimentos, porém ansiosa, pois já sinto falta dos meus alunos e de toda energia que eles transmitem. O que tem me dado muita força é a certeza que Jesus Cristo foi um grande político e lutou pelo que acreditava e não suportava opressão e que nos ensinou a não ter medo de cargos políticos que são semelhantes a cargas( um dia é preciso entregar para outros donos. Anastasia deve muito aproveitar do que vive no momento,porque professor não tem memória curta como muitos acreditam e Ele jamais ganhará qualquer eleição ou quem estiver do lado dele. Aqui em MOC faremos campanhas para mostrar que quem não respeita um educador, não pode se considerar um.

    ResponderExcluir
  18. Em RIO MANSO as contrataçoes para o 3ano foram ,, o fim ,formados em geografia dando aula de portugues.Atendentes de banco dando aula de matematica,estudantes de letras dando aula de sociologia.QUe preparaçao para o enem.KKKKKK.GREVE ate o fim.

    ResponderExcluir
  19. Nesse contexto desfavorável ao professor, é bom chegar a uma assembleia da categoria e ver o núcleo duro, os resistentes, combativos que não se dobram e nem se amedrontam com cortes, ameaças, falsas notícias e, principalmente, não tem medo.
    Avante, pois não há luta sem sofrimento, mas não há conquistas sem lutas. E que venham os que estão perdendo o trem da história...
    Abraços Alex Bh

    ResponderExcluir
  20. Essa conta de 153.000 pode aumentar mais um pouco deve ter muito mais
    pois a minha opção para vencimento básico e de muitos colegas mais ainda não foi processada

    ResponderExcluir
  21. Kct, essa Assembleia de hoje foi demais. Voltei fortalecido para a luta. Não voltarei á Escola sem o piso de jeito nenhum. Essas Diretoras,que se fodam (ah, esqueci, não poderia usar esse palavreado, sou professor, só que professor fud...(quase me esqueci de novo).OU PAGUE O PISO,OU PAGUE O PREÇO DO ANO SÓP TERMINAR EM 2012.
    Um abraço colegas de luta.

    ResponderExcluir
  22. Euler ,na minha escola os professores de 3 ano foram substituídos inclusive eu ,fico receoso pois o contrato da designação foi até o dia 31-12 ,tenho medo do judiciario julgar ilegal a greve pelo comprometiemnto do ano letivo e eu perder minhas aulas o que vc acha?to achando que essa semna sai essa judicilaização da greve .Me responda por favor.

    ResponderExcluir
  23. Desistir jamais! Também sinto que a vitória está próxima. O governo não tem mais como escapar. Estamos dando uma verdadeira lição de força, coragem e vergonha na cara. Enquanto não vier o pios, é GREVE!

    ResponderExcluir
  24. GRAÇA:
    Boa noite Prof Euler,

    A primeira vitoria a ser comemorada com orgulho: " o retorno á legitima carreira foi maciço! 153 mil optantes! Fazendo as contas por alto, descontando os que não tiveram chance ou não precisaram optar, em numeros aproximados: designados- 80 mil,efetivados - 70 mil,
    diretores, secretarios - 20 mil, servidores comissionados da SEE e SREs - 20 mil, ou mais.
    Portanto, somos maioria sim, quem disse que a nossa carreira esta em exitinça hein???????

    O fato do governo não ter apresentado as tabelas com o piso,(que sabemos ja estão prontas), é sinal que ainda há o que tirar do saco de maldades, que parece não ter fim! Mais que nunca o Sindute precisa intensificar as ações no interior para ampliar a greve!
    Euler, Sinta-se orgulhoso a excelencia de seu trabalho, através de seu blog energizou a greve on line! Parabéns!

    ResponderExcluir
  25. Nossa que feio!
    Colocaram uma pessoa (o Paulo Henrique - vide foto site sindute) na comissão de negociação sem consultar a categoria. E a gente aqui pedindo para o Euler participar.
    Muitooooooo feio isso!

    ResponderExcluir
  26. professores guerreiros16 de agosto de 2011 23:24

    Companheiros de Guerra. Este e o ponto marcante da história, não vamos nos fraquejar esta acredito é a última cartada do governo. Já nos tirou o pagamento, nos ameaçou contratar professores e em alguns lugares isso aconteceu.Mas ele não poderá nos tirar a dignidade de ser pensante e lutador, não somos marionetes ele já sabe disso. Ufa! resistimos e estamos resistindo.Avante colegas! Força e fé a luta continua.

    ResponderExcluir
  27. Realmente falta pouco, já resistimos a corte de salário a omissão da mídia e porque fraquejar agora? Avante companheiros!

    ResponderExcluir
  28. Com essa greve tenho algumas considerações que devemos analisar
    1- Se o Governo diz que são 153.000 que voltaram para o regime antigo pode ter certeza que deve ser muito mais pessoas
    2- mostra a total desinformação que infelizmente muitos colegas tem em acreditar em diretores, vice diretores ninguem questiona embasado em que que eles estão falando as coisas
    3- mostra a arrogancia e a prepotencia desse governo é tão grande que está mostrando o tanto que eles são incompetentes
    4- mostra como alguns diretores são uns pau-mandados que querem ficar no poder a qualquer custo, pois com esse subsidio eles levaram uma "tinta " tão grande mesmo assim fazem esses papeis ridiculos
    5- verificando no site da SEE diz que 62% dos cargos da educação que corresponde a 249.000 está regidos ao subsidio só que no site esqueceu de dizer que não deram opção a eles de mudança de regime remuneratório
    6- Esse ano será um ano bastante atribulado para o judiciário pois qdo nossos valorosos colegas que se mantiverem no subsidio descobrir que foram enganados muitos entraram na justiça.

    ResponderExcluir
  29. Braaaaaaaava gente brasileeeeira !!!

    tÔ cansado, mas muito feliz. No retorno pra minha casinha, em Capim Branco, pertinho de Sete Lagoas, acompanhado pelas estrelas e pelo murmúrio dos meus pensamentos, comecei a refletir desde o dia 8 de junho. Com todo esse cenário fiz uma reflexão sobre esse pensamento:

    "Primeiro eles te ignoram, depois riem de você,
    depois brigam, e então você vence."
    (Mahatma Gandhi)

    Juntos venceremos, caminharemos juntos e unidos até a vitória !!! Os astros e as almas estão intercedendo por nós, e Deus está nos acompanhando em cada passo, em cada pensamento, em cada atitude e no fim, que esta próximo, venceremos.

    Hoje meu coração chegou (parece) ao limite, tô até rouco. Tenho sede por justiça e detesto ser enganado.

    abração a todos
    ----
    "Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar. Ai daqueles que, em lugar de visitar de vez em quando o amanha pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e o agora, se atrelarem a um passado de exploração e de rotina." (Paulo Freire)
    ... ---

    Gleiferson Crow
    LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  30. Aos colegas que estão dizendo que no interior muitos professores estão voltando porque há escolas ignorando a posição dos grevistas e convocando-os ao trabalho, penso que não é bem assim,pois existem muitos educadores de cidades no interior que estão bravamente mantendo-se firmes, desde junho,. Suponho que se isso está acontecendo é porque há uma desinformação por parte dos próprios colegas, já que não é possível não saber do que está acontecendo, uma vez que há sempre alguma notícia nos jornais na internet, nos portais e nos blogs, todos esses meios nos dão notícias sobre o movimento. Diante dos relatos dos colegas sobre alguns comportamentos, fico analisando que o NOSSO DESINTERESSE pela informação precisa e séria e, também, pela coesão do grupo é tão pernicioso quanto o DESGOVERNO que DESGOVERNA o Estado. Logo, está na hora de termos postura, esse negócio de agir porque ouviu o outro dizer sem buscar a fonte fidedigna fica terrível para quem se diz EDUCADOR. Não é à toa que outro dia disse nesse espaço que ao acabar tudo isso, precisamos olhar para dentro de nós mesmos e fazermos uma reflexão, porque há atitudes expostas nesse espaço por parte de colegas pelo Estado que estão deixando a desejar como verdadeiros EDUCADORES.
    Vejo que há uma necessidade de passar a nossa responsabilidade para outros e não é assim, essa LUTA é nossa, somos nós os responsáveis, não podemos fugir à responsabilidade do momento e dizer que não estamos informados, porque as informações sobre o movimento e as reivindicações estão para todo lado na rede social! Então deixemos de desculpas e permaneçamos unidos!!

    ResponderExcluir
  31. shley sgrilli
    BH
    Brincadeira esse governo ou melhor desgoverno de MG. 70 dias sem fazer aquilo pelo qual ele é eleito pra fazer... ou seja , dialogar com o sociedade.Se 153 mil funcionários voltaram para o regime do PISO( Vitória retumbante do SINDUTE)e de blogs como o do Professor Euller Conrado e outros bravos combatentes da Educacão, esses sim, Mestres,essas secretárias deviam pegar o seu banquinho e sairem de fininho, porque falar em categoria a beira da extincão é brincadeira depois dos dados confirmados pelas próprias não é??? Não queremos Sub sub sub rsssss queremos o piso. Tabela já para quem optou pelo piso senhoras... Queremos o que é nosso por Lei Federal e se demorar demais, vamos querer desde 2008 e ai já imaginou o tamanho da bomba né ... 5,4,3,3,1 já. Sem o piso, nada de pisar na escola. Ah, adorei... Nem usando desavergonhadamente do fato de termos um grande número de desempregados em MG, se so para o 3 ano era necessário contratar 3000 professores e apareceram 10%, imaginem para o resto todo?? e se os professores endurecerem e resolverem a não pagar essa reposicão da greve?? já foi descontado mesmo!!! já passamos nossos apertos mesmos...sei não.. Tou achando que o pessoal do governo não esta fazendo a leitura correta da coisa não. Será que vamos precisar da caixa de lápis de cor, como disse uma colega, para elas entenderem o recados dos educadores do chão da fábrica??? Sem o piso, náo pisamos na escola, até a votória, ou seja, até o pagamento do Piso, que seja ele o do MEC. Ashley\
    PS TAMBÉM ESTOU OTIMISTA.
    VAMOS FIRMES .
    pOSTEI ESSE COMENTARIO NO JORNAL O TEMPO ONLINE.

    ResponderExcluir
  32. Boa noite companheiros,
    Continuemos firmes no nosso propósito: GREVE ATÉ O GOVERNO CUMPRIR A LEI! SEM PISO NÃO VOLTAMOS PRA ESCOLA!
    No Norte de Minas a adesão cresce cada vez mais! E também muitos pais e alunos em Montes Claros estão manifestando apoio à nossa luta!
    È IMPRESSIONANTE O PÉSSIMO EXEMPLO QUE O (DES)GOVERNO ESTÁ DANDO! PREOCUPAÇÃO COM EDUCAÇÃO NÃO FAZ PARTE DESSA "ADMINISTRAÇÃO": ABAIXO O PROFESSOR TAMPÃO!
    COM LUTA! COM GARRA! O NOSSO PISO SAI NA MARRA!
    Grande Euler, juntos com mais 153 mil companheiros , com FÉ EM DEUS, iremos ser vitoriosos! FORÇA NA LUTA!
    Professor Odair José

    ResponderExcluir
  33. O anônimo do primeiro comentário esqueceu-se de 1/3 extra-classe e de que, segundo o critério adotado pelo MEC,o aumento do custo-aluno será de 21,62% (portaria 1459). Ou seja, já temos garantido na data-base, esse percentual de aumento, segundo a lei do PISO e parecer da AGU. Primeiro é garantir que o Governo cumpra a lei. Depois disso, os próximos passos, são provocar o MEC até que revise o valor segundo o índice da portaria 221 de 2009 e seguindo o critério explícito Nela e não essa interpretação estranha da AGU. Outra luta a ser travada é garantir o Acórdão a ser publicado com o retorno do Ministro Joaquim Barbosa (STF). Acredito que esse documento será o definidor se o valor mínimo a ser pago como piso salarial é ou não proporcional à carga semanal oficial de trabalho (faço muito mais do que está registrado). A máscara caiu!!!!!... O DES(governo)terá que revogar o subsídio, pois os trabalhadores em Educação demonstraram alto grau de consciência, apesar do alto grau de contra-informação implantado durante todo esse período (desde o ano passado). Amém pelo dia 06/04 e suas excelentes consequências... Mesmo a muito contragosto terão que começar anos respeitar... Não podemos esquecer dos que nos é devido retroativamente. Temos que protocolar os processos individuais. Esse é outro fator que deve ser aclarado como parecer final do Supremo. Aliás, pelo que li no noticiário da Corte Suprema, a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4631, deverá ser acatada, enterrando este estorvo que pretendia acabar de vez com nossas esperanças de uma escola pública de qualidade em Minas Gerais(Lei Estadual 18.975/2010).
    Para comemorar: antes agora que nunca - a greve em GV multiplicou-se por seis nesta última semana e cinco cidades circunvizinhas aderiram em massa (Itueta, Conselheiro Pena, Nacip Raydan, Virgolândia e Capitão Andrade). Sobrália, Naque, Itanhomi, Aimorés, Resplendor e Fernandes Tourinho são os combatentes de primeira hora. Em várias outras cidades daqui da região há trabalhadores em GREVE. Como não domino a informação sobre todos, peço que me corrijam, se cometi engano.O movimento para adesão nas Escolas da cidade aumenta todos os dias, mesmo que de forma individualizada ou com grupos fechados. Pessoal de Mutum:vocês são referência de CORAGEM! Não se esqueçam desse fato, vamos continuar mobilizados! O momento é de somar forças. Vamos interagir aí com os alunos e pais, fazer a legítima política, vamos avaliar o momento positivo vivido hoje em BH. Mantenhamos nossa mobilização de base!
    Belíssima demonstração de CIDADANIA!

    ResponderExcluir
  34. Caro Euller e companheiros(as)
    FORÇA! CORAGEM! AVANTE! Chegou enfim a nossa vez.Nossas vozes foram ouvidas no eco pelas montanhas de Minas. A JUSTIÇA se fará,finalmente.Pode ser questão de dias, quiçá de horas. Recuar de jeito nenhum, não vamos dar ouvidos aos medrosos de sempre, aos covardes que fogem à luta, medo de que, cara pálida??? De ser feliz ? De fazer a história ? Se Minas são muitas como muito bem definiu nosso imortal escritor, nós somos muitos(as) guerreiros(as) que levaremos esta luta até a nossa GLORIOSA VITÓRIA. JUNTOS conseguiremos o nosso justo piso profissional.
    FORÇA E FÉ NA LUTA a todos.
    À VITÓRIA BRAVOS(AS) BRAVÍSSIMOS(AS) COMPANHEIROS(AS).

    ResponderExcluir
  35. Por favor, companheiros de mutum e o anônimo das 23:07, não tenham medo, vamos continuar na luta,pois está próximo de acabar e se Deus quiser vai ser com vitória.Voces merecem estar no palco dos vitoriosos.Estão até aqui e não desistam! Diretor nenhum tem direito de ameaçar,coagir e fazer o que os de Mutum estão fazendo.Se juntem e mostrem a eles que existe lei para ser cumprida.Eles não podem fazer nada com voces.Não deixem que estes diretores,pau mandados vençam voces.Estou nesta luta sozinha,na minha escola e na minha cidade e nem por isso vou desistir.Toda semana quando chego de BH,da Assembleia,agradeço a Deus por estar neste movimento e por presenciar momentos tão lindos,emocionantes e de garra dos companheiros,que juntos comigo não desistem! A voce,anônimo das 23:07, não tenha medo,se o governador sentisse que a nossa greve era ilegal,ele mesmo já teria pedido o julgamento dela.Mas não pede,porque sabe que a partir do momento que a justiça julgá-la LEGAL( pois só queremos que ele cumpra uma lei federal) ele não
    vai poder empurrar mais,VAI TER QUE PAGAR O
    PISO.Por isso,não tema companheiro,estamos juntos nessa,continue na luta, não deixe que diretor nenhum saia vencendo com ameaças e falta de respeito.Procurem ajuda,denunciem,façam tudo para mostrar que a força de voces é maior que toda essa falta de respeito.Muita força para voces aí,em Mutum e mais uma vez,NÃO DESISTAM POR FAVOR.Abraços a todos e até a nossa querida VITÓRIA.

    ResponderExcluir
  36. João Paulo Ferreira de Assis17 de agosto de 2011 00:33

    Prezado amigo Professor Euler

    Peço licença para repetir um dos meus comentários, pois acho que a hora é de união, e não de desertarmos. Esta possivelmente será minha última greve, pois eu deverei me afastar da Regência tão logo complete os 25 anos de magistério, e já conto de idade 52 anos.

    João Paulo Ferreira de Assis disse...
    Prezado amigo Professor Euler

    Li alguns comentários de companheiros que revelam que suas escolas voltaram sem acreditar no pagamento do Piso. E que estão pessimistas. Gente, não podemos ficar pensando em coisas ruins. MAUS PENSAMENTOS TRAZEM MAUS FLUÍDOS. BONS PENSAMENTOS TRAZEM BONS FLUÍDOS. Tenham cuidado pois o pensamento tem força, assim como a palavra também tem. Um exemplo: quando eu cursava minha graduação de História na então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Mater Divinae Gratiae, da FUPAC (hoje UNIPAC), dos Andradas de Barbacena, havia certas aulas que davam sono. Incrível, a aula de Sociologia me dava sono. Eu esperava o professor marcar uma atividade, resolvia-a e ia para a Biblioteca. Eu tinha lido sobre a carta de Estevão Fróis a Dom Manuel, 30 de julho de 1514, que insinuava que o Brasil tinha sido descoberto em 1494. Algo me dizia que eu iria ler a tal carta. Um belo dia na Biblioteca tirei um livro da estante e o abri... NA EXATA PÁGINA ONDE ESTAVA A TAL DA CARTA.
    Outro exemplo: meu tio paterno Inácio Loyola de Souza, contra a vontade da minha avó foi consultar uma vidente de bola de cristal sobre o seu futuro. Primeiro a tal mulher lhe disse que a sua amada noiva iria desfazer o noivado. E que ele, desconsolado bateria com o Chevette vermelho dele contra um poste e levaria uma pancada na cabeça. Depois disse que o meu avô faleceria. E que ele Inácio, em virtude da pancada ficaria com um tumor maligno no cérebro do qual morreria. Meu tio saiu de lá transfigurado. E acreditando em tudo que a tal mulher lhe disse. Pois bem, o meu avô faleceu em 10 de novembro de 1979, e meu tio em 20 de novembro de 1980.
    Então gente, se alguns estão pessimistas, melhor nem comentar, pois pessimismo é doença que pega mais do que a peste negra de 1348.

    Força, camaradas. ATÉ A VITÓRIA!!!!!!

    ResponderExcluir
  37. O piso de 712,00 companheiro é para o professor que tem só o segundo grau de instrução. Ocorre que quase não existe mais professor só com o segundo grau, por isso uma vez disse que estavamos sento punidos porque estudamos muito. Se fossemos tipo a maioria dos militares que tem apenas o segundo grau o governo nem sequer iria questionar. Pra nós com curso superior, o governo terá que construir a tabela do plano de carreira. Isso que faz do NOSSO PISO a melhor lei já feita para os trabalhadores da educação.
    Quando a gente conseguir o piso na nossa tabela, todos que não puderam optar vão entrar na justiça.
    Aí sera a extição das secretarias de educação.
    Não vamos receber 712,00 porque esse é referente ao segundo grau de instrução, calmaaaa.

    ResponderExcluir
  38. PAULO DINALI JUIZ DE FORA17 de agosto de 2011 00:37

    QUERO APROVEITAR ESTE ESPAÇO PARA PEDIR AO BRAVOS GUERREIROS AQUI DE JUIZ DE FORA E REGIAO PARA CONTINUAREM FIRMES EOS QUE AINDA NÃO ADERIRAM QUE VENHAM FORTALECER ESSA GREVE. NÃO PODEMOS DESISTIR AGORA!OU PAGA O PISO OU O ANO LETIVO ACABOU!

    ResponderExcluir
  39. Engraçado,mandei tantas correspondencias pedindo para rever meu posicionamento na carreira onde foi ignorado minha escolaridade e sumiram com o meu tempo ,reclamo desde 2006 agora a secretaria diz que podera´ ser revisto o subsidio com ajustes visando melhoras para servidores mais antigos . Senhora secretaria quero meu piso com a graduaçao que tenho desde 2005,meus 4 quinquenios,10 bienios,pó de giz. Com certeza a senhora e sua equipe sabe fazer contas e sabe também que meu salário deveria estar alguns degraus acima dos; Um mil ,cento e oitenta reais que seu ''maravilhoso'' subsidio me presenteia como remuneraçao.FORÇA E UNIAO .

    ResponderExcluir
  40. Fátma -Professora de História- Ubá17 de agosto de 2011 01:22

    Esse governo é muito prepotente mesmo, já sabe quantos e quais são os professores que não querem nem ouvir falar neste tal de subsísio,
    então porque ele não paga o piso que por lei os professores tem direito. Se os professores que foram obrigados a permanecerm no subsídio tiveram seus valores corrigidos, porque a turma do piso não tem direito a adequação dos seus salários.
    Como o nosso grande cantor e poeta Cazuza já dizia "A burguesia fede,a burguesia só quer ficar rica, enquanto houver burguesia não vai haver poesia".

    "fazei-me justiça, oh Deus,
    E defendei minha causa
    Contra um governo sem piedade:
    Livrai-me do homem pérfido e perverso.
    Sois meu Deus e meu baluarte.
    Por que ando eu triste sob a opressão do
    inimigo?
    Enviai a vossa luz e a vossa verdade:
    Elas hão de guiar-me.

    Que a luz do Senhor ilumime os caminhos daqueles que perderam as esperanças para que possam continuar auxiliando na luta para a construção de um mundo melhor para os que aqui estão e para os que estão por vir.
    Força companheiros, Deus está conosco.

    ResponderExcluir
  41. Aos bravos/as guerreiros/as de MUTUM:

    Quero antes deixar aqui mais uma mensagem aos educadores de Mutum, que tem um registro histórico de luta: resistam! Não se deixem dobrar pela propaganda de carro de som ou pressão de diretores. Eles não fizeram esse mesmo barulho e movimentação para defender nossos direitos. Somos nós que devemos lutar para garantir o cumprimento da lei do piso. Assim que o governador sair da ilegalidade, pagando-nos o piso, voltaremos para a escola.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  42. Ao anônimo que falou que o piso de R$ 712,20 é menor que o subsídio:

    talvez você seja novato aqui no blog, por isso merece um esclarecimento extra (os mais antigos aqui no blog dão até aula sobre este assunto, rsrs).

    O piso do MEC proporcional para as 24h é de R$ 712,20 para o professor com ensino médio (PEB1), que representa um percentual muito pequeno na categoria.

    Mesmo assim, sobre este valor incidem as gratificações e vantagens, como: pó de giz, biênios e quinquênios, etc.

    Para quem tem curso superior (PEB3), o piso proporcional é de R$ 1.060 de valor inicial (712,20 + 22% + 22%). E sobre este valor incidem as gratificações mencionadas.

    Além disso, a lei do piso assegura reajuste anual pelo custo aluno ano, que este ano é de 22% e deve ser aplicado sobre o vencimento básico em janeiro de 2012, de acordo com a lei.

    Além disso, o sistema antigo preservou os percentuais de promoção e progressão na carreira (22% e 3%).

    Além disso, você poderá conquistar novas gratificações e vantagens, como: gratificação por pós-graduação, que varia de 10% a 50%.

    Sem falar no tal ADI que teoricamente substituiria o quinquênio para quem ingressou após o ano de 2003.

    Em suma, não é à toa que o custo da implantação do piso, mesmo o proporcional do MEC é muito maior do que o subsídio; e também não é a toa que o governo esteja resistindo tanto a aceitar que o subsídio não teve sucesso entre os educadores.

    Um abraço,

    Euler

    ResponderExcluir
  43. Sobre os professores-tampão, a orientação é: tentar impedir que assumam a vaga, onde for possível. Caso não consigam, fazer o levantamento de quem e quantos não possuem habilitação adequada e enviar para sindicato com cópia de denúncia junto ao Ministério Público local. Algumas cidades tem acontecido de chamarem a polícia e fazerem um B.O. Afinal, a substituição de grevistas é um ato ilegal, ainda que a justiça mineira (que não é necessariamente brasileira) não reconheça enquanto tal. Uma outra atitude é tentar convencer os próprios candidatos às vagas a não aceitarem as mesmas nessas condições, pois eles serão demitidos assim que a greve acabar e ficarão conhecidos como fura-greves. Por último, uma boa conversa com os alunos também ajuda, pois em vários locais os alunos e pais de alunos estão protestando contra essas contratações ilegais e imorais.

    Um forte abraço e força na luta!

    (P.S.: atenção turma de Vespá e São José, estejamos atentos para as contratações nas escolas da região!).

    ResponderExcluir
  44. Em Vespasiano mais um escola aderiu à greve: é E.E Francisco Viana. Aos bravos e bravas educadores/as desta escola, os nossos parabéns. Hoje mesmo, na assembleia, encontrei com alguns colegas daquela escola que estavam representando os demais. Força na luta, colegas, até a vitória!

    Também na E.E. Guilherme Hallais França, vários/as combativo/as colegas já aderiram à greve e participam conosco das mobilizações, inclusive foram no nosso ônibus para a assembleia.

    Ou seja, a nossa greve se fortalece. E é este o relato que temos visto por toda parte, apesar de alguns poucos retornos. No cômputo geral, a greve está se fortalecendo e pode crescer ainda mais.

    ResponderExcluir
  45. Euler,

    estive ontem na Assembléia e digo com todas as letras: Nunca vi tantos professores reunidos na ALMG como ontem. Havia muita animação e certeza da vitória. Realmente continuamos firmes na luta.

    Força companheiros!!!

    ResponderExcluir
  46. Euler,
    gostaria muito de lhe agradecer e dizer que nós (os 153000) jamais teríamos conseguido chegar até aqui sem seus esclarecimentos e sua força.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  47. Caríssimos
    É degradante a nossa situação.Cento e cinquenta mil bobos achando que existe alguma luz nofim do túnel.Não há.
    O que há é uma quadrilha de políticos,respaldados pelo conluio entre as várias instâncias do poder,esperando-nos com vaia;ladeando os metralhas estão nossos alunos com piadinhas a respeito da nossa miserável situação.Completando este quadro tenebroso,teremos nossa autoestima no pé e um arrastado resto de ano que promete se estender ao infinito.Até a greve de 2012...
    QUEM QUISE ESCAPAR DO TENEBROSO QUADRO ACIMA DEVE CONTINUAR NA LUTA.VOLTAR AGORA É COMPRAR INGRESSO PARA ASSISTIR AO PIOR FILME DE TERROR DE TODOS OS TEMPOS:
    VER ALI BABA E SUAS DUAS "LADRONAS"SAÍREM POR CIMA...

    ResponderExcluir
  48. Estou me arrumando para uma assembleia no SINDUTE, mas antes passarei próximo à Escola onde trabalho para ver se tem edital para as minhas aulas, caso tenha, vamos tentar desarticular a contratação. " A vida é dura para quem é mole, vamos firmes companheiros, a vitória já está ao alcance de nossas mãos. Desistir... jamais!
    Maria helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  49. Euler e amigos do blog (já estou intima pois é como se conhecesse a todos, rsrsrsr, bom dia...
    Durante a nossa passeata que estava linda, o "governador" como sempre, passou de helicóptero para ver a extensão da nossa luta. Deve estar pensando: "mexi com a classe errada. Vou ter que pagar o piso, caso contrário vou ser desmoralizado mais e mais". Parabéns a todos nós que a cada ato do governo para nos prejudicar voltamos mais e mais fortes. Não tenho dúvida que estamos perto da nossa VITÓRIA.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  50. Socorro Euler!!!!!!!!!!!!
    Hoje todos os professores do 3º ano da minha escola voltaram... E já que terão que ir na escola pra dar as aulas do 3º ano, estão dizendo que voltarão a trabalhar com as demais séries tb(pq a maioria é professor do 1º e 2º tb). Com isso, a greve vai acabar.... Ai meu Deus!!!

    ResponderExcluir
  51. Euler, professores-tampão aparecerão. Sabe aquele resto que não consegue nada na área que deseja, pois é, a SEE agora resolveu acolhê-los e dar-lhes o nome de professores. Quanta pena dos nossos alunos! Quanta pena dessa secretária! Quanta pena de Minas Gerais! ENEM??? Ilusão, meu Deus!!! Os alunos e familiares serão usados mais uma vez. Vou presenciar algumas aulas e depois relato o que vi, isto é, se achar algum covarde para fazer este triste papel. Agora, uma coisa é certa, se estou em greve e for decidida a reposição, quem fez greve tem o direito de repor. Logo, o governo deveria negociar o piso e acabar com a greve, deixar as escolar voltarem ao normal. Deus está nos abençoando nessa luta. ABC

    ResponderExcluir
  52. ontem logo após a assembleia recebi uma ligação da diretora da escola onde trabalho me convidando para retomar minhas aulas e falando que as negociações não tinham avançado e que o governo agora cogita a substituição de todos os grevistas. Chorei muito. Como pode uma pessoa que tem o poder de governar um estado agir com tanta frieza e descaso? As vezes penso que esse homem não pode ser considerado um ser humano. Será que ele não deu conta de perceber a quantidade de pessoas que estão prejudicadas por causa dele?

    ResponderExcluir
  53. Bem não podemos esquecer quem entrou depois de 2003 ganhar um valor de R$1.060,00 ao invés de R$1.320,00 pode fazer diferença, assim o sindicato deve se preocupar em defender também esses funcionário que por falta de possibilidade de mudança para a carreira antiga e mesmos aqueles que por ventura ainda ficaram no sistema de subsídio que garantam também algum reajuste,nesta negociação, pois em conversa com alguns colegas, o sentimento é de abandono pelo sindicato, assim pensam em voltar para a sala de aula.

    ResponderExcluir
  54. Vi no orkut, ontem à noite, uma comunidade criada por alguém que se identifica como stuartlittlejnior@yahoo.com.br, é aluno. A comunidade se chama "Todos contra Anastasia" e é pública. Na descrição da mesma ele reconhece o erro do governo para com os professores e alunos. Fala do risco de perderem o ano e conclama os contatos da net para se mobilizarem e cobrarem uma solução do governo. Ele diz que devem se comportar como os "Cara-pintadas" que pediram o impeachment de Collor.

    ResponderExcluir
  55. CHARLOTTE SAMPAIO LANÇA CAMPANHA INSTITUCIONAL:

    Na minha modesta opinião acho que agora o Sindicato tem que ir com tudo pra cima dos colegas que continuam trabalhando para sensibilizá-los. É crucial nesse momento a greve ganhar MUITA adesão. Deve ser feita uma campanha INTENSA para os que ainda estão nas escolas. Uma campanha RADICAL, com cartazes, vizitas nas escolas, chamadas nas Tvs e rádios.
    Do contrário corremos o risco do movimento retrair justamente quando estamos com A FACA E O QUEIJO NA MÃO. E outra coisa é certa: A PARTIR DE AGORA O GOVERNO VAI JOGAR MAIS PESADO AINDA... o que, aliás, é típico de um pequeno DITADOR!!!
    ABRAÇOS PERFUMADOS E CHEIROSOS dessa dondoca aqui do VALE DAS VERTENTES!!!

    ResponderExcluir
  56. Tudo que o governador espera de nós é que desistamos de continuar na luta. Mas ele é quem pode desistir desta ideia. Quem aderiu à greve sabe muito bem o que quer, enquanto não conquistarmos, de fato, o nosso PISO SALARIAL no vencimento básico não iremos sossegar. Nenhuma atitude arbitrária dos que se acham "poderosos" fará com que abandonemos a batalha! Força e greve até o PISO SALARIAL!!!

    ResponderExcluir
  57. Bom dia, Euler! Será que vc poderia nos esclarecer melhor, assim que vc tiver mais informações, essa notícia sobre o nosso direito (aqueles que ingressaram após 2003) ao biênio? Por que já questionei a respeito disso na SRE e lá eles dizem que não temos direito... se tivermos mesmo, eu já tenho direito a 2 e ainda não estou recebendo.... É dinheiro nosso que o governo está confiscando! Por favor, nos dê notícia! Obrigada

    ResponderExcluir
  58. Não querendo ofender ninguém, mas é triste perceber que ainda existem pessoas que se dizem professores e que não sabem fazer contas básicas. Não se contrata mais professores com apenas nível médio de formação e, aqueles que já são efetivos há muitos anos, com certeza, já fizeram algum curso de nível superior, portanto não temos professores que irão receber apenas 712,00 pelo PISO, como foi descrito pelo anônimo. Precisamos informar-nos melhor para compreendermos a situação em que estamos e não fazer comentários sem fundamentos. Cuidado! Porque esta atitude é típica dos corruptos e dos aliados do nosso DESgoverno! Greve até o PISO SALARIAL no vencimento básico.

    ResponderExcluir
  59. Com a lei do piso sendo aceita, porque aprovada já foi pelo governo federal, o que acontece em relação aos designados que também participaram dessa luta, já que ficaram no subsídio? E os outros profissionais da educação? Existem discussões para eles?

    ResponderExcluir
  60. GRAÇA
    Bom dia Porf Euler,

    No site da SEE: "O sistema em parcela única é utilizado para remunerar 62% dos cargos da Educação em Minas Gerais, ou seja, 249 mil contratos de trabalho são regidos por este modelo remuneratório."
    https://www.educacao.mg.gov.br/

    Analise: se 153 mil optaram pelo retorno à legitima carreira, somados aos diretores, secretários de escola e todos ocupantes de cargos comissionados,das SREs e SEE(da ativa e aposentados)que não precisaram optar pq continuam na legitima carreira, deve totalizar aproximadamente bem mais que de 200 mil servidores na antiga carreira.

    Pergunto: A informação da SEE confere? Como não foi publicada ainda, sera que o Sindute tem em mãos a relação nominal dos optantes?

    ResponderExcluir
  61. Caro colega Euler.
    Sobre professores-tampão, caso termine a greve o governo garante a permanencia ods mesmoa até 31/12/11 e qual é o impacto disso? O governo tem dinheiro para ficar fazendo gracinha e não tem para tomar uma atitude séria e ter o respeito dos professores e da sociedade em geral.

    ResponderExcluir
  62. Olá Euler e blogueiros!

    FANTÁSTICA MANIFESTAÇÃO (16/8)!

    Efetivos, efetivados e designados que ainda não participam do movimento: não é fácil assumir que, de fato, são analfabetos culturais.

    Grandes transformações que ocorreram ou ocorrem no país, não necessáriamente começam ou começaram em Minas Gerais. Mas, certamente, passam pelo nosso crivo. EDUCADORES DE TODO PAÍS estão acompanhando atentamente nosso movimento. Essa é a grande chance de mostrarmos para todo o Brasil que esse modelo de gestão pública forjado por esses neoliberais - Choque de Gestão que faz a farra de empreiteiros, mineradoras, financeiras, etc., em detrimento de investimentos públicos incluindo o servidor -, não serve para MG, muito menos para o Brasil.

    Parabenizo novamente os companheiros Rômulo pelas críticas ao MEC e CONLUTAS que, mais uma vez, questionou a inércia da CUT/CNTE e o açoite da presidenta Dilma em relação aos aposentados. E ainda, o ministério da educação não pode servir de visibilidade política para Haddah disputar prefeitura de São Paulo.

    CAMPANHA IMPEACHMENT DO ANASTAZISTA JÁ!

    Na próxima quarta(24), várias entidades e movimentos sociais engrossarão a manifestação. Professor efetivo, efetivado ou designado que não participa da greve é professor-tampão também. Em tempo:vamos ajudar o Anastazista na compra de ABSORVENTE porque não tem tampão suficiente para preencher o cargo.

    Todos firmes de pé!
    Sem o Piso, não piso na escola!

    ResponderExcluir
  63. Euler, sou seguidora fiel deste espaço. Estou de greve desde o dia 08/06/11 e sem o piso não piso na escola. Estou enviando o link do que filmei ontem. Acho interessante você blogar aqui.
    Amplexos,
    Elenice Vidal Prata

    http://www.youtube.com/watch?v=TDQOkO6NqXE&feature=channel_video_title

    ResponderExcluir
  64. " BOM DIA EULER E TODOS COLEGAS QUE ESTÃO NA LUTA. QUE PROFESSOR DE DIREITO É ESSE DESGOVERNANTE QUE NUNCA APARECE PARA NEGOCIAR COM O SINDICATO?SERÁ QUE ELE AINDA NÃO CONHECE DIREITOS E DEVERES DE UM CIDADÃO?OU SERÁ QUE NA UNIVERSIDADE QUE ELE E A GAZOLONA LECIONARAM ,ELES TAMBÉM FORAM PROFESSORES TAMPÕES? QUE AS ALMAS INTERCEDA POR NÓS A TODO MOMENTO,DEUS NOS ABENÇÕE!"

    ResponderExcluir
  65. COLEGAS
    NÃO SE DEIXEM SEDUZIR PELO CANTO DAS TRÊS SEREIAS-nasta,gorgonzollona e vileza- ESTA PROPOSTA DE APERFEIÇOAMENTO DO SUICÍDIO É ENRROLAÇÃO.ESTAS "PERSONA NON GRATA" NÃO CONTAM MAIS COM A CREDIBILIDADE DOS PROFESSORES.ELES ACHAM QUE SOMOS IDIOTAS?SEDUZIR PROFESSOR COM PROMESSAS FALSAS É TÃO IMPROVÁVEL QUANTO ARREBANHAR GATOS.
    PRÓXIMA PIADA POR FAVOR DONA gorgonzollona.

    ResponderExcluir
  66. Olá, a Paz do Senhor Jesus,
    Como mãe de aluno estou preocupadíssima.
    Será que com essa greve o ano vai ser cancelado?
    Não vejo a hora de isso turdo terminar, pois tenho medo que os alunos percam o ano.
    Sei que os professores são pessimamente remunerados, pois também sou professora municipal.
    Aguardo uma resposta e já agradeço.
    A Paz!!!

    ResponderExcluir
  67. Euler,
    Os seus textos deveriam ser publicados em jornais e revistas de grande circulação, para que a população entenda melhor a situação da Educação no País e em Minas Gerais. Talvez, depois de ler os seus textos, que possuem uma análise perfeita de todo cenário em que vivemos, mais pessoas iriam compreender, apoiar e aderir à nossa greve. Somente quem "conhece" a Educação consegue escrever com tamanha propriedade. NADA justifica um Profissional da Educação, que optou pela CARREIRA ANTIGA, não aderir ao nosso movimento de luta. Quando conhecemos as causas das lutas não tem como deixar de lutar. Greve até o PAGAMENTO DO PISO SALARIAL no vencimento básico. O governo compra a Mídia para que ela divulgue apenas o que lhe é conveniente, mas enquanto houver EDUCADOR nenhum "ditador" irá calar a nossa voz e impedir que lutemos por melhorias na EDUCAÇÃO! A nossa VOZ há de ser ouvida nos quatro cantos deste BRASIL!!!

    ResponderExcluir
  68. Pessoal, vamos ficar firmes, estamos com tudo! Não importem com os professores-tampão do 3º ano, esta estratégia falida vai, a qualquer momento, ser derrubada! Temos que continuar focados na luta pelo PISO SALARIAL! Recuar agora, é tudo que o governo quer. Diante das medidas adotadas pelo "Ditador" temos que provar que conhecemos os nossos direitos e sabemos lutar por eles! PISO, PISO, PISO. DIGO E REPITO. SIM PARA O PISO E NÃO AO SUBSÍDIO!

    ResponderExcluir
  69. Olá, pessoal da luta!

    Tomemos cuidado com a contrainformação feita pelo governo em seus sites e pela mídia, a serviço do governo. As nossas referências de informação têm sido o site do sindicato e os blogs dos educadores, incluindo o nosso blog.

    Sobre a questão da contratação dos professores-tampão, já foi informado que um desembargador não aceitou o pedido de liminar para que as contratações fossem suspensas.

    Isso não significa que o governo esteja na legalidade. E a própria decisão desse desembargador será questionada em recurso que o sindicato fará.

    Vocês sabem muito bem que Minas é outro país.

    Vejam o que diz a Lei de Greve (7783/1989) em vigor:

    "Art. 7º Observadas as condições previstas nesta Lei, a participação em greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais, durante o período, ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da Justiça do Trabalho.

    Parágrafo único. É vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos, exceto na ocorrência das hipóteses previstas nos arts. 9º e 14.


    Art. 9º Durante a greve, o sindicato ou a comissão de negociação, mediante acordo com a entidade patronal ou diretamente com o empregador, manterá em atividade equipes de empregados com o propósito de assegurar os serviços cuja paralisação resultem em prejuízo irreparável, pela deterioração irreversível de bens, máquinas e equipamentos, bem como a manutenção daqueles essenciais à retomada das atividades da empresa quando da cessação do movimento.

    Parágrafo único. Não havendo acordo, é assegurado ao empregador, enquanto perdurar a greve, o direito de contratar diretamente os serviços necessários a que se refere este artigo.

    Art. 14 Constitui abuso do direito de greve a inobservância das normas contidas na presente Lei, bem como a manutenção da paralisação após a celebração de acordo, convenção ou decisão da Justiça do Trabalho.

    Parágrafo único. Na vigência de acordo, convenção ou sentença normativa não constitui abuso do exercício do direito de greve a paralisação que:

    I - tenha por objetivo exigir o cumprimento de cláusula ou condição;

    II - seja motivada pela superveniência de fatos novo ou acontecimento imprevisto que modifique substancialmente a relação de trabalho."

    Reparem que o artigo 14, citado no artigo 7º, pesa em nosso favor, pois o dado novo foi a decisão do STF de que o piso é vencimento básico.

    Além disso, a reposição de dois meses de aula não resolverá o aludido risco em relação ao ENEM, já que este exame avalia os três anos do ensino médio, ou os 12 anos, pelo menos, de ensino básico (fundamental e médio). Não serão dois meses de aula com professores-tampão sem habilitação que suprirão as dificuldades dos alunos.

    Logo, o governo continua na ilegalidade sim, inclusive nas contratações.

    A pressão do governo para que haja essas contratações é para causar um efeito psicológico negativo sobre os camaradas de luta. Não nos deixemos abalar por isso. Em todas as cidades onde os diretores estão tentando contratar tem havido manifestações contrárias.

    Num comentário acima nós demos as dicas de quais têm sido as condutas dos nossos guerreiros/guerreiras. Montem equipes de vigilância e procurem os melhores métodos para impedir mais esta ilegalidade do governo.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  70. Companheiros,
    Essa greve não simboliza somente salário, representa nossa dignidade como educadores, nossa auto-estima, nossa coragem para lutar pelos direitos legítimos, nossa expressão em um estado que reprime a liberdade de expressão que contraria visões políticas.
    Força a todos, a luta continua rumo a vitória!!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  71. Estamos a poucos passos de alcançarmos as margens do rio tenebroso que estamos atravessando (como disse nesse espaço um colega). Não é possível que alguém com um mínimo de bom senso esteja pensando em desistir.
    A reunião de ontem foi produtiva, haja vista o representante do MP se dispor a intermediar as negociações com o governo. Na verdade, tal representante deveria lançar mão dos mecanismos legais para obrigar o governo a cumprir a lei. Porém, dada a promiscuidade em que andam os poderes é de bom algúrio perceber que o próprio MP, com tal atitude, atesta que o governo está errado, embora ainda queira conversar e não enquadrá-lo nos rigores da lei.
    Tenhamos fé e não desistamos, colegas. Precisamos de fortalecer nossa corrente nesse momento decisivo.
    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  72. Ao casal Pastor Giovani e Missionária Delair,

    Agradecemos a visita e vamos esclarecer essa importante questão levantada por vocês:

    os alunos não perderão o ano com a nossa greve. O chamado ano letivo, composto de 200 dias, não precisa necessariamente encerrar dentro do ano corrente. Ou seja, se for necessário, o ano letivo pode se estender até o início do ano seguinte, e com isso os alunos concluem o ano letivo referente a 2011.

    Além disso, após a greve, é comum que haja a reposição das aulas. Claro que o governo terá que nos pagar por isso, pois ele praticou a ilegalidade de cortar os dias em greve, mesmo sabendo do risco de não haver reposição.

    O governo de Minas é o único responsável por esta situação. Ele não está cumprindo uma lei federal, que determina o pagamento do piso salarial no vencimento básico dos educadores. Imagino que os senhores não aprovem essa atitude ilegal do governo.

    Contamos com o seu apoio, pois também estamos torcendo para que a greve termine. Mas, isso não vai acontecer enquanto o governo não nos pagar o que é de direito. Não somos escravos. Somos trabalhadores e exigimos respeito deste governo.

    Um forte abraço,

    Euler

    ResponderExcluir
  73. Bom diaaaaaaaaaaa !

    A greve continua e agora, com o apoio dos nossos estudantes e seus familiares, pois os gritos da verdade falam mais alto que um governo "ditador" e "fora da lei".

    Que o azul do céu e o raiar do sol, traga mais energia para todos nós.

    Um abraço para a Cristiana e Maria da Penha de Lajinha - MG, vamos pessoal de Lajinha unir e ajudar nossas companheiras a construir um futuro melhor para nossos estudantes !!! Vamos ???

    Abraço a todos!

    "Sem PISO, não p-i-s-a-m-o-s na escola."

    Gleiferson Crow
    LEIA: O Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  74. Professor Euler,

    Meus comentários neste blog, não estão sendo mais publicados desde ontem 16/08/11, espero não estar sendo censurado.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  75. Saudações aos companheiros de batalha,

    Bem diz a Torah: “Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, 2 Tessalonicenses 2:3”.
    Anastasia e sua equipe são ergazomenoi thn anomian = desprezadores das Leis. Dizendo-se sábios, mas tornaram-se loucos.
    Estamos em Agosto de 2011, 70 dias de greve. Greve a qual não escolhemos , porém foi a única alternativa que o Faraó (conforme Euler) nos deixou e qual é a nossa meta nesta batalha?
    A nossa meta é o mínimo de dignidade, não é um piso suficiente, é um piso garantido por lei de 2008, que não é respeitada pelo governador mineiro que insiste em veicular o engano e a hipocrisia em vez de cumprir a lei.
    Onde está a sabedoria?
    Em muitas pessoas simples de coração! É o caso do candango José Silva Guerra, um dos que ajudaram na construção do Congresso em Brasília. Ele "José Silva", que no ano de 1959 trabalhou aproximadamente 208 horas normais mais 98 horas extras por mês, perfazendo um remuneraçao não superior a dois salários mínimos no mês, mesmo com tanta hora extra! Ele, provavelmente vítima do não cumprimento de leis, escreveu a frase que dá uma lição de sabedoria ao Anastasia, quem puder mande esta frase pra ele... por favor, leiam pra ele se ele não quiser lê-la...
    “Que os homens de amanhã que aqui vierem tenham a compaixão dos nossos filhos e que a lei se cumpra” (frase de José Silva Guerra) em 1959.
    Assim como o candango que com o seu suor construiu o piso de muitos administradores brasileiros que não cumprem a lei, da mesma maneira que ele deixou o registro do não conformismo diante da exploração do ser humano e do não cumprimento da lei, nós, educadores mineiros, vítimas do desprezo à lei, deixamos registrado aqui neste blog “queremos simplesmente que a lei se CUMPRA”!
    Avante guerreiros até a vitória!
    Aproveito para parabenizá-lo “ Euler” pelo honroso trabalho em seu blog!
    Grata,
    Patrícia de Oliveira Cruz. E.E. Manoel Batista de Pará de Minas.

    ResponderExcluir
  76. Estado contrata "autorizados" para substituir licenciados e especialistas.
    Em Rio Piracicaba foram contratados estudantes e até um ex-vereador.
    O bom é saber que um ex representante do povo dá apoio para que o governo burle o direito do cidadão.
    Na última assembléia contamos com o apoio de masi professores de uma escola da zona rural de Rio Piracicaba e de pais e alunos de João Monlevade.
    O governo contrata Subistitutos e os grevistas recebem apoio de novas combatentes( professores,pais e alunos.
    Ontem era visível a presença maciça de estudantes uniformizados e de outras lideranças sindicais e politicas.

    ResponderExcluir
  77. Fico "passada" quando ouço, vejo e leio que professores estão retornando às salas de aulas. Cada dia que se passa nessa greve, com toda a afronta deste Governo prepotente, arrogante, ditador, manipulador, entre outros atributos, sinto-me renovada e fortalecida para a luta.

    Parodiando:"Ou ficar a Pátria livre, ou morrer pelo Brasil" Ou conquistar o piso agora ou morrer pela Educação (passando fome e desvalorizado na sociedade).

    Que custe o meu cargo, custe o que custar, não abro mão de receber o que me é de direito.

    E caso se esgote o último suor de cansaço (eu duvido, pois tenho muitas forças para lutar),não tenho dúvidas da decisão a tomar: EXONERAÇÃO. Vou fazer qualquer outra coisa na vida.

    ResponderExcluir
  78. Ao Anônimo das 11h06m:

    por qual motivo eu haveria de censurar seus comentários? Caso esteja com dificuldade de enviar comentário pelo método normal, pode mandar por e-mail que eu publico assim que puder, ok?

    Eis o meu e-mail: euler.conrado@gmail.com

    ResponderExcluir
  79. Enquanto isso, a corrida maluca para ver quem é o mais mentiroso segue a toda velocidade: Penélope Charmosa da SEPLAG, Rabugento da SEE e Dick Vigarista.

    ResponderExcluir
  80. Bravíssimos companheiros, camarada Euler!!!

    Estou intrigado... Também sou professor de História como a companheira Fátima de Ubá. Em seu comentário ela faz a mesma pergunta que farei a você, meu nobre e valente Guerreiro de Vespá. Talvez com a sua sagacidade poderá nos responder: "Esse governo é muito prepotente mesmo, já sabe quantos e quais são os professores que não querem nem ouvir falar neste tal de subsísio,então porque ele não paga o piso que por lei os professores tem direito?"

    Imagino que o fortalecimento da nossa greve depende de sabermos com antecedência os possíveis movimentos do governo (que aliás você o faz muito bem), pois de posse dessas respostas podemos argumentar com a segurança necessária para convercermos os menos corajosos, entre outras estratégias. Então, camarada de onde vem tanta intransigência, mesmo diante desse movimento inrresistível que estamos fazendo? Baseado em que possibilidades este governo se recusa a agir à altura que o cargo exige? O que senti hoje, nos principais telejornais do estado foi um silêncio ensurdecedor (preocupante) da podre imprensa mineira. Será que estes abandonaram a arena ou estão tentando minimizar os estrago da greve na imagem do governo e sua corja (incluído aí essa imprensa comprada)?

    Aqui em nossa cidade fizemos o diálogo com os pais e alunos e percebemos salvo raras exceções, um apoio incondicional à nossa luta e consequente conquista de valorização através do piso. Parece que a luta continua dado a inrresponsabilidade das autoridades mineiras em cumprir a lei... Então qualquer resposta à todas essas minhas indagações, nos auxiliarão no convencimento para a importãncia social e histórica da causa. Poderia até aventar uma possível resposta:

    imagino que muito mais importante que a imagem do afilhado são os projetos políticos do próprio faraó pra 2014, daí o total desdém da mercenária imprensa mineira. Dessa feita o afilhado torna-se uma espécie de para-raio. E não sei se já notou, o mesmo acontece com as secretárias do desgoverno.

    Euler gostaria ainda de fazer um apelo ao governo (tenho certeza que ele é seu visitante também). Ele tem nas mãos a grande chance de se tornar um figura de grande prestígio e respeito, pois terá a chancela do povo na medida em que valorizando a educação contrariando tudo e todos passará à história não como uma marionete política de interesses alheios à sua grande capacidade administrativa, mas de inaugurar uma outra maneira de governar, longe dos programas de faz-de-contas (fontes inesgotáveis dos marqueteiros de plantão, sem o mínimo de consistência para solução dos problemas sociais)... Onde ele será o governador do Estado, o gestor, Antônio Anastazia, o governador-professor mineiro que deu uma aula de ética e lizura com a coisa pública e responsabilidade social... E não um corpo estranho ao usurfruto eterno do Faraó.

    Companheiros e companheiras de luta, a nossa grande marca é a generosidade por isso nesse momento gostaria de contar com essa marca de todos aqueles que ainda não tiveram a nossa valentia, vir pra luta para que possamos dividir juntos o sabor da nossa gigantesca vitória. DEUS ESTÁ POR PERTO E NÓS SOMOS IGUAL BAMBÚ (enverga mas não quebra)!!!

    E pra não perder o costume...

    SEM O PISO NÃO PISO NA ESCOLA!!! AVANTE!!! SEM VACILAR, ATÉ A NOSSA CONQUISTA OU NO MÍNIMO ATÉ A FORRA...

    SE NÃO PAGAR O PISO NÃO REPOMOS OS DIAS PARADOS!

    Luciano Rodrigues - Curvelo

    ResponderExcluir
  81. "(...)os biênios não foram extintos para quem ingressou no estado após 2003"

    Retirei esse trecho de seu texto, poderia explicar o mesmo, pois não o entendi?!

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  82. quando terminar essa greve,aquele que estiver ou ser o meu tampao vai arrepender de ter nascido pois vou unir com os meus colegas e anula;los.............to com do deles....

    ResponderExcluir
  83. Olá, bravo guerreiro Luciano Rodrigues de Curvelo!

    O principal motivo para o não cumprimento da lei, pelo governo, é de fato o custo superior da lei do piso em comparação com o subsídio. O governo já foi derrotado nessa matéria, como sabemos. Mas, tenta reverter a situação. E isso só seria possível com o fim da greve. Ou seja, se a greve acabar sem que conquistemos o piso, o governo vai nos golpear com mais força. A greve é a nossa única garantia de vitória, e é isso que alguns poucos colegas que estão voltando precisam entender. Inclusive os que ainda não aderiram à greve. Todos nós seremos massacrados pelo governo se voltarmos para a escola agora.

    Ao contrário, se mantivermos a greve e conseguirmos mais adesões, como tem acontecido em toda Minas Gerais, o governo terá que ceder. E aí não poderá fazer nada conosco, porque, além do piso e das gratificações a que temos direito, vamos exigir um acordo assinado de que o governo não nos prejudicará após a greve.

    O nosso apólice de seguro, a nossa garantia de vitória, a nossa esperança por dias melhores, etc., chama-se: GREVE! Permanecer em greve, que já dura 71 dias, é uma questão de honra e um direito assegurado em lei.

    Queremos voltar para a escola de cabeça erguida, com o respeito dos alunos e da comunidade, e com a nossa autoestima elevada.

    Aguentemos o tempo que for necessário, colegas de luta, que a nossa vitória será recompensada!

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  84. Colegas, fomos ignorados nos primeiros 50 dias de greve, estamos vivendo o momento em que o governo quer minar nossa força a todo custo, esta estratégia de professores para 3ºs anos faz parte do jogo do governo. Não é momento de recuar, é hora de fazermos a greve crescer, deixe os tais professores tampão , será que o governo vai resolver a situação do estado todo? Vamos continuar firmes, nada de desânimo ou pessimismo, temos que ser realistas sim, mas quem esta em greve e voltar neste momento está mostrando para o governo que é um medroso, um bobo, uma marionete. A greve foi decidida em uma Assembléia e somente a categoria pode decretar seu fim. Ninguém entra em greve esperando receber flores do governador, tem pressão, medo, ansiedade, tensão, mas temos que nos mantermos firmes.Professor não pode pensar que greve é para descansar, ficar em greve o tempo que for conveniente e depois voltar por conta própria, repito: quem decide fim de greve é a Assembléia, tem muito professor que tá precisando de um pouco de vergonha na cara, se quisermos respeito temos que nos fazer respeitar.
    Força na luta, desanimar nunca, resistir sempre!
    Abraço Euler.
    Josélia- Governador Valadares

    ResponderExcluir
  85. O DESgoverno que se cuide, porque os caras-pintadas estão de volta gritando: FORA AnastAZIA! Onde está o opressor arrumamos defensor!

    ResponderExcluir
  86. Euler, você escreve com tanta clareza. Será que você escreveria uma carta aberta aos candidatos à designação para 3.ºs anos para entregarmos a eles amanhã quando chegarem para a reunião? Vamos esperá-los na porta da escola. Assim como aos alunos que foram chamados pelo diretor para assistir às aulas deles. Obrigadíssima. Você é super. Abraços.

    ResponderExcluir
  87. O governador deveria acabar com a greve de forma digna, séria e respeitosa, PAGA LOGO O PISO SALARIAL e todos voltam às salas de aulas. O Ministério Público deveria fiscalizar as ações do governo e investigar, a fundo, por que o governo insiste em manter a greve? AnastAZIA, você é o único e principal culpado pela greve. CUMPRA A LEI e resolve logo o dilema... Órgãos superiores, por que não fazem o governador mineiro CUMPRIR A LEI DO PISO SALARIAL no vencimento básico? Vocês existem pra quê?

    ResponderExcluir
  88. Olá, Josélia, brava guerreira de Governador Valadares!

    Assino embaixo! Quem decide pelo fim da greve é a assembleia geral da categoria. Não podemos desanimar, ainda mais agora, quando estamos próximos da vitória!

    Um abração,

    Euler

    ResponderExcluir
  89. Aos profissionais da Educação que ainda não aderiram à greve quero dizer que nunca é tarde para iniciar o combate. Mas, por favor, não coloquem a culpa de sua ausência, no movimento, nos seus colegas da "escola" com afirmações do tipo: "não entro porque o colega X é contra"; "não entro porque o sindicato não veio aqui"; "não entro porque a escola vizinha não reuniu conosco"... Não existe essa de que "eu só entro de greve se a maioria da escola entrar", isto não é atitude de um PROFISSIONAL COMPETENTE, CIDADÃO E QUE PERTENCE À CATEGORIA em luta e que sabe dos seus direitos. Não podemos transferir as nossas responsabilidades para outros e pior, colocando "neles" a culpa de nossas fraquezas. Na verdade, o profissional que usa desses argumentos não tem coragem e vontade de lutar por isso é tão difícil alcançarmos os nossos objetivos. Pensem e reflitam, juntos podemos mudar a nossa triste realidade educacional. Greve até o PISO SALARIAL no vencimento básico.

    ResponderExcluir
  90. Rosilene ( professora )17 de agosto de 2011 12:29

    Caríssimo colega Euler, é inconcebível professores que são PROFESSORES baixar a guarda! É agora ou nunca mais. Minha cidade está em greve, não é apenas as escolas estaduais mas sim, toda a sociedade indignada com este DESgoverno. Só cego não vê que o governo não tem professores para nos substituir, se ele não encontrou candidatos para 3.000 vagas, imagine para o volume de grevistas? Acorda pessoal! Nós somos o COMANDO e estamos no CONTROLE.
    GREVE, GREVE, GREVE, GREVE até o PISO.
    Abraços a todos colegas.

    ResponderExcluir
  91. LAMENTÁVEL,acabo de ver no MG TV reportagem que mostra a escola no qual trabalho Leonina Mourthe de Araújo e outra da região São João da Escócia mostrando que a direção contratou todos os professores para os alunos do 3º ano.O mais repugnante ainda é que os professores substitutos deram entrevistas ao MGTV.Outra coisa repugnante é que apesar de nossa escola estar na luta desde 08/06/2011 na reportagem de MG TV mostra um professor de matemática efetivo ( que não aderiu a greve mas cumpria horário (Anderson prof. de matemática) aparece dando aulas aos alunos.As Escolas citadas são do município de Santa Luzia São Benedito).Se esses professores substitutos estiverem na escola quando voltarmos vamos colocar eles nos deviso lugares.Gente como essa não merece ser respeitado.Vamos deixa-los constragidos,se é que gente que se presta a um papel desses sente vergonha na cara.Anderson ,que traição vergonhasa essa. Voce não se sente constrangido em trair seus colegas de escola.

    ResponderExcluir
  92. Caro Euler,
    Gostaria de fazer um comentário a respeito da tentativa de negociação de ontem. Não sei se procede o que vou argumentar. Tudo faz crer que na reunião feita no dia 10/08 entre o MPE , representantes do governo e do Sind-Ute, não foi descartada pelos representantes do Sind-Ute, que o governo não poderia apresentar nenhuma proposta a respeito do subisidio na negociação agendada para 16/08. Por isto que não houve nenhum avanço na negociação de ontem. Mas, agora está descartada a palavra SUBSIDIO. Então acreditamos que na próxima reunião, o governo apresentará a nova tabela do Piso.
    A VITÓRIA ESTÁ MUITO PRÓXIMA.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  93. olá! Euler,
    Também estou otimista com a greve.
    Quero deixar meu apoio ao impeachment do Governador de Minas.Espero que esta campanha chegue logo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  94. Caro das 12h37m,

    A TV Globo tem histórico de manipulação e ação contra os interesses dos de baixo. Está totalmente a serviço do governo mineiro. Me parece que a TV Alterosa também. Aliás, todos os meios de comunicação de Minas exibem a cada minuto propagandas do governo e com isso se calam, com raros momentos em algumas emissoras. Uma vergonha e um atento à liberdade de expressão!

    Eles não mostram as escolas onde não estão acontecendo as tais contratações, não procuram saber se o contratado tem formação adequada, etc.

    Mas, vejam no vídeo abaixo um exemplo de como a globo tentar colocar a culpa nos de baixo, tenta incriminar os movimentos sociais. Neste exemplo que indico no vídeo abaixo, a globo acabou levando uma enquadrada muito bem dada por um sociólogo, que respondeu com decência às provocações dos repórteres da Globo.

    Vejam o vídeo que colocarei agora, embaixo do post

    ResponderExcluir
  95. José Alfredo Junqueira17 de agosto de 2011 13:28

    Este Blog está bombando como nunca.Aposto que a maioria dos professores que não aderiram à greve assistem ao jornal nacional,às novelas da globo,e o máximo para eles é o Big Brother.E quando tem tempo,a grande Ana Maria Braga.Não acreditam que em Minas a grande parte da imprensa é amordaçada(ou não recebem as polpudas propagandas).Aqui em Leopoldina os professores gatos pingados que comparecem às escolas estão aterrorizando os poucos alunos que comparecem,juntando turmas de qualquer jeito,dando 5 pontos por cada presença(que desespero!).Há tb os que dizem:"podem jogar baralho se ficarem quietinhos".Há os alunos que moram nos distritos,acordam às 5:30 da manhã,para assistir uma (uma mesmo)aula em um dia com medo das ameaças de professores(as).E tem que esperar,zanzando pela cidade até 11:30 para pegar o transporte escolar e voltar para casa.Que vergonha!!!!!!!

    ResponderExcluir
  96. Olá Professoras(es),

    DETERMINAÇÃO!

    "Até que esteja determinado, vai existir hesitação, vai existir a chance de voltar atrás, vai existir a ineficácia. Com respeito a todas as ações de iniciativa (e criação) existe uma verdade elementar, e ignorá-la mata incontáveis idéias e planos esplêndidos: no momento que uma pessoa se compromete definitivamente, então a Providência também se move. Todo tipo de coisas ocorrem para ajudar; coisas que jamais ocorreriam se não houvesse a determinação. Toda uma corrente de situações resultam da decisão, surgindo a favor da pessoa uma série de acontecimentos, de encontros e de material para assisti-lo, que nenhum homem seria capaz de imaginar. Aprendi a ter um profundo respeito por um dos versos de Goethe: Tudo que puder fazer, ou sonhar que pode fazer, faça. A ousadia tem gênio, poder e mágica inerentes."
    W.H. Murray da Expedição Escosesa ao Himalaia

    VENCEREMOS!

    FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO;
    A NOSSA CAUSA É JUSTA;
    TEMOS A CONSCIÊNCIA TRANQUILA;
    COMBATEMOS O BOM COMBATE;
    A VITÓRIA ESTA SE APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  97. Euler e amigos de greve,
    boa tarde!
    Causou-me e causa-me repugnância saber que
    várias diretoras tem feito um papel asqueroso
    de fazer nítida campanha contra a "NOSSA GREVE".
    È muita cara de pau,,,O que me indigna ainda
    mais é que em um passado bem recente,muitos
    de nós demos a cara para bater para que houvesse eleições diretas para essas pessoas se
    arvorassem no "PODER"(?) e agora são nossos algozes!A gente mesmo fora da escola por estes 70 dias,acaba tendo informações.Agora,mostram claramente de que lado estão ou sempre estiveram.
    Parafraseando alguém:O poder não muda as pessoas,as revela".
    Desculpe o desabafo,Euler.È que a indignação é
    demais.
    Firmes na luta.Deus é conosco.
    Abraços

    ResponderExcluir
  98. Atenção companheiros, fiquem atentos! O governo está usando todos os seus parceiros para tentar desmobilizar a categoria. Diretor de escola que dá declaração na imprensa sobre contratações feitas é inimigo do educadores. Precisamos denunciar e divulgar o nome destes traidores.

    ResponderExcluir
  99. Professora designada17 de agosto de 2011 13:51

    Ei, Euler!
    Sou professora designada desde 2009. Estou na greve desde o dia 08/06 por acreditar que o piso é a melhor opção para o professor. Fui até a superintendência da minha região e protocolei pelo retorno ao plano de vencimento básico, mesmo sabendo que não me era permitido. Mas, humildemente, pergunto: como fica essa situação para nós, designados? Não consigo entender até agora o que o designado ganha com isso. Se o piso for pago, será apenas para os 153.000 que protocolaram a favor dele? E o concurso, como fica nesta história? Sou a favor da greve, acredito na conquista dos nossos direitos, participo de quase todas as assembleias em BH e continuo firme na luta, mas sinto que é preciso mais esclarecimentos quanto a essas questões que coloquei. Ficarei muito agradecida se puder me responder.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  100. Não dá para entender POR QUE o grande professor EULER CONRADO não foi convidado pelo SIND-UTE a participar da reunião realizada ontem (16/08/11) com o Ministério Público.
    VAMOS ACORDAR, PESSOAL!!!
    Força na luta.
    VOLTAR SEM O PISO PARA A ESCOLA,
    NESTA HORA,
    A CATEGORIA ATOLA.
    VAMOS ACORDAR, PESSOAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  101. Caros colegas de luta!

    Não deixemos abalar por mais essa derrota. Seguimos firme nessa luta, pois só os que lutaram são lembrados até hoje. Sejamos como a Fênix que surgem das cinzas, forte guerreira pronta para o combate. Estamos escrevendo a nossa história em Minas Gerais, não deixemos os nossos bravos que por aqui passou e deixaram os seus exemplos para seguimos seus passos. Esse (dês)governo está deixando a sua. É uma pena que não será de orgulho.

    Mas à nossa vitória será lembrado, como uma das mais belas conquistas que já obtemos. Então companheiros força na luta. Desistir Jamis.
    Até a vitória por que venceremos.

    Não importa o tamanho do nosso inimigo, o importante é o tamanho de nossa força.

    Se você não quer ser esquecido quando morrer, escreva coisas que vale a pena ler ou faça coisas que vale a pena escrever." (Benjamin Franklin)

    "Os homens que tentam fazer algo e falham são infinitamente melhores do que aqueles que tentam fazer nada e conseguem." (Martyn Lloyd Jones)

    Possuímos em nós mesmos, pelo pensamento e a vontade, um poder de ação que se estende muito além dos limites de nossa esfera corpórea."
    (Allan Kardec)

    “As pessoas refletem o que existe em si mesmas.

    Se o seu navio não chega, nade até ele." (Jonathan Winters)
    Elton - Januária

    ResponderExcluir
  102. Fico indignado com a falta de informação da classe de professores em geral. Meu Deus do céu!!!! 70 dias em greve, esclarecimento a respeito do piso e do suicídio, e ainda uma parte dos "mestres" tem a coragem ou de retornar à sala de mãos abanando ou, não entrou em greve e ainda critica os colegas que estão lutando pelo direito de todos. As vezes me pergunto, como um profissional formador de opinião, colaborador na formação de um futuro cidadão, pode ensinar cidadania se não sabe lutar pelos seus próprios direitos? E ainda...imagino como esses ditos professores fura-greve ou esses bonequinhos de presépio que estão assumindo vagas dos grevistas agiriam se estivéssemos vivendo os anos de chumbo. Certamente estariam nas salas lendo a cartilha da ditadura e lambendo as botas dos militares. Portanto, aos que estão nas salas enquanto seus colegas estão lutando por vocês, digo que essa atitude não é digna de que vocês sejam chamados de professores, profissionais da educação ou pior, mestres. No mínimo, são covardes, indignos do título que possuem ou, já nem sei mais, alguns deveríam possuir. Eu, se estivesse no lugar de vocês, não teria coragem de olhar nos olhos do meu aluno e ensiná-lo a lutar pelos seus direitos, não teria moral para falar de cidadania, e o pior, como ensinar meu filho a lutar por um futuro melhor, se nem sei o que é isso?? Vergonha!!! Vergonha!!!

    ResponderExcluir
  103. Trabalhadores em Educação da rede estadual do Ceará fortalecem a greve! Um grito de viva a luta dos educadores cearenses!

    Mais um Governador Fora da Lei: Cid Gomes, irmão do Ciro Gomes, ambos se dizem "socialistas" do PSB.

    Olha a última que o ilustríssimo governador aliado e amigo de Dilma Roussef soltou:

    "Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado".

    Ele disse isso em uma palestra em Natal (RN). Na ocasião, ainda disse que o serviço público precisa começar 'a demitir os servidores que não fazem seu trabalho direito para que o setor funcione melhor'. Fonte: Tribuna do Norte, 14/08/2011.

    Mais informações da greve: http://www.opovo.com.br/app/opovo/politica/2011/08/13/noticiapoliticajornal,2279380/professores-decidem-manter-greve-e-marcam-novo-protesto.shtml

    Um deputado do PT declarou apoio a greve e se auto-elegeu intermediário das negociações com o governo. Tomou uma vaia sonora!

    É negrão! Muita cautela e canja de galinha, mas as coisas estão mudando...

    Um forte abraço e força na luta!
    Rômulo

    ResponderExcluir
  104. Euler, meu filho,

    Estou tão animada! Suas palavras enchem meu coração de otimismo. Estou afastada das minhas atividades de Professora (com P maiúsculo, modéstia à parte), mas tenho acompanhado o seu Blog e toda a movimentação na Internet sobre a greve.
    Olhe, sei que você não é de censurar, mas quando receber mensagens pessimistas, daquelas duras de "roer", por favor, descarte-as. As palavras têm poder. Seu Blog é visitadérrimo, como diria uma amiga. Imagine esse montão de gente lendo coisas negativas ao mesmo tempo! Cruzes. Vade retro!
    Gente, vamos comungar um só pensamento: o da esperança. Palavras e atitudes positivas geram respostas imediatas e benesses maravilhosas. Se alguém é contra os professores ou está pessimista, procure mudar o jeito de encarar os fatos. É bom para todo mundo. O foco agora é VITÓRIA. VITÓRIA!
    Euler, meu filho, se eu fosse mais moça, pedria pra ser sua namorada. Estou brincando. Eu sou casada.
    Um beijo grande a todos os que estão na luta e já veem o brilho intenso da luz da vitória no fim do túnel.
    Coragem! Esperança! Fé! Otimismo! Força. Vocês estão escrevendo a página mais bonita da História da Educação Mineira, quiçá Brasileira. Nunca mais nada será como antes, profetizo.
    "Tudo vale a pena, se a alma não é pequena" - meu querido Fernando Pessoa.
    Até breve.

    ResponderExcluir
  105. Por que ao falar do faraó se esconde o nome dele que é AÈCIO NEVES, o homem contra a boa Educação? Este indivíduo tem que ter a propaganda que merece, junto aquele outro lá que é o perverso do ANASTASIA. São 2 nomes que nos causam asco, ECA!!!!!!!Márcio, Maristela e Cláudio, alunos do segundo grau.Se perdermos este ano letivo, ai que ódio, famos fazer propaganda fortíssima contra estes dois indivíduos.

    ResponderExcluir
  106. O problema em Minas Gerais é que as instituições que deveriam resguardar a legalidade se deixaram enredar demais pelo faraó. E perderam a dignidade e mesmo a funcionalidade. Agora elas estão acuadas e são reles coadjuvantes. Acredito que agiam assim pensando em obter vantagens, caso o faraó vingasse como presidente. Agora se sentem acuadas com a cobrança da sociedade por um posicionamento relacionado à situação da educação. Como a questão da justiça parece ser a menos relevante para eles, é compreensível que votem sempre com o governo, até mesmo como forma de afirmação. Essa é a única explicação que encontro para justificar o porquê dessas instituições aceitarem as mentiras que o governo conta. Os argumentos parecem piada de mau gosto. Fico imaginando como pode um procurador de justiça ouvir isso sem ao menos questionar. E a imprensa também, tanto a local quanto a nacional. Penso que é sinal do quanto Minas é cada vez mais irrelevante tanto na esfera pública quanto política.
    O certo é que o movimento está desnudando tudo isso. Mostrando, para quem quer ver é claro, o quanto o mundo de Poliana não existe pelas Gerais, embora o governozinho tente mostrar que sim. Acho que o ideal seria nesse momento ter condições de fazer, pela televisão, uma anti-propaganda, contrapondo o universo idílico que o “Ana” tenta mostrar. Seria ótimo dar à sociedade mineira um “choque de realidade”.

    ResponderExcluir
  107. Professores-tampão sem habiitação estão em EXERCÍCIO ILEGAL DA PROFISSÃO. Cadê a justiça que pune pessoas que se passam por médicos, psicólogos, engenheiros, etc, para punir estas pessoas também? Tamanha a desvalorização desta profissão que QUALQUER UM finge ser e nada acontece.
    Nossa greve é pelo piso, mas sobretudo, pelo "resgate" da dignidade do Educador e da valorização da profissão.

    ResponderExcluir
  108. Oiê!!!

    Acabei de postar no Blog da Beatriz Cerqueira:

    Bia,
    Vou continuar insistindo, até que você me leia: convide o Professor Euler Conrado para participar da próxima reunião, por favor. Eu sei que você nos representa muito bem, mas que mal haveria em convidar o Euler?! Ele se tornou uma espécie de guru dos Professores grevistas, é super bem articulado. Seu Blog é visitadíssimo. É esperto, sagaz, persuasivo, inteligentíssimo... Por favor, Beatriz, você conhece o trabalho dele. Sua luta sempre foi incessante dutante esse tantos dias de greve. Convide-o. Veja o contato: euler.conrado@gmail.com
    Saiba que você fará muita gente feliz e não se arrependerá de contar com a colaboração dele. Tenho certeza de que o Euler saberá sua vez de opiniar.
    Sua estrela brilha, minha cara, mas imagine duas estrelas brilhando! Vai ser um fato memorável. Convide-o. Tenho certeza de que, por nós, ele aceitará o convite.
    Obrigada, Beatriz.
    Um beijo.
    Laurinha.
    - Gente, vamos fazer uma campanha acirrada!!! Euler, se for convidado, você aceita, né?

    ResponderExcluir
  109. Comente:
    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=127060,NOT&IdCanal=

    ResponderExcluir
  110. Agora sim, estamos no caminho certo! Tudo indica que logo, logo, teremos o nosso PISO SALARIAL! O DESgoverno está desesperado, tenta desmobilizar a CATEGORIA, mente mais uma vez na mídia querendo passar a falsa imagem de que a maioria dos professores estão retornando às salas de aulas e que a greve está acabando. Pura enganação! A nossa greve continua mais forte do que nunca! Estamos perto de alcançarmos o nosso principal objetivo que é o PAGAMENTO DO PISO SALARIAL! Mais uma vez o DESgoverno pensa que a população é desprovida de inteligência e que acredita em informações deturpadas! Não adianta a mídia tentar manipular as informações e a mente das pessoas. Já foi explicado várias vezes a diferença entre PISO SALARIAL no vencimento básico e TETO que é o sistema do subsídio imposto, aos servidores da educação, pelo governador mineiro. Só insistem na afirmação de que o governo mineiro já paga valor acima do piso porque o governo comprou a mídia e pretende a qualquer custo, manter o subsídio. Afinal, não posso acreditar que todos os repórteres não dominam as habilidades básicas de leitura, escrita, interpretação, análise e as quatro operações. Caso dominem tais habilidades, com certeza conseguem compreender a diferença entre PISO e TETO, conseguem também entender melhor o motivo da nossa greve e ainda, creio que conseguirão transmitir a verdade sobre os fatos. Abraços e firmes na luta até o PISO SALARIAL!

    ResponderExcluir
  111. Por e-mail:

    "Olá camarada Euler. sou professor aqui em Pedro Lepoldo e estou desde do dia 08/06 de greve. Ontem na assembleia não te encontrei... o que eu queria comentar com você por que não posta em seu blog a respeito das disciplinas ausentes. Aqui em Pedro Leopoldo falta geografia e ingles para o 3° ano. No ano passado faltou Física e Biologia. Será que isso naõ faz falta no ENEM? com meus alunos do 3º ano a minha conversa é essa e com alguns pais também.Um pai veio me interpelear falando que estávamos prejudicando o enem do filho, disse a ele que não era 35 dias letivos que iriam prejudicar o filho dele e sim a falta das disciplinas. Sei que nosso foco é o piso, mas não podemos pagar por essa conta, por que já temos varias. Abraços".

    Comentário do Blog: tem toda razão, camarada de luta, além disso, o aluno tem que ser preparado para o ENEM durante todo ensino básico e não apenas em poucos dias, com o agravante dos conteúdos que o estado já cortou, como vc mencionou corretamente.

    Um abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  112. Euler e colegas,
    Só apareceu um professor para a designação. Quando ele soube que a contratação era para substituir grevistas, ele não quis. Em contra-partida conseguimos convencer mais 8 colegas a aderir ao movimento, uma a partir de hoje e os outros a partir de 2ª feira. Aos poucos nossos colegas estão se comprometendo com essa luta que também é deles. Que Deus continue nos dando forças até a vitória. " Vamos seguir em frente, recuar, JAMAIS!"...
    Precisamos continuar nossas visitas às escolas, panfletagem, etc , etc , etc ........ não vamos deixar o movimento esfriar, pelo contrário, vamos fazê-lo ferver. Euler, se possível, poderia fazer uma tabela comparativa nos dois sistemas de remuneração para aqueles colegas que ainda estão com dúvidas e percebam o calote que o governo ainda insiste em nos aplicar.
    Maria Helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  113. Pessoal do combate,

    Agora a tarde o comandante João Martinho e eu passamos em revista por várias escolas de Vespasiano. Na escola polo já havia um grupos de educadores do Núcleo Duro de plantão. Soubemos que as contrações fracassaram, pois apenas uma pessoa, assim mesmo sem habilitação adequada, pegou aula de Biologia. Em duas outras escolas que passamos é resultado foi o mesmo: as poucas pessoas que apareceram não tinham os documentos exigidos, além da falta de habilitação.

    Ou seja, não existem professores habilitados para substituir os colegas em greve. Além disso, o profissional com vergonha na cara não quer assumir essas aulas, pois sabe que causará grande prejuízo para a Educação e para os educadores.

    Continuemos em luta até a nossa vitória. E acho que já temos que pensar em algo mais sério contra este governo que não respeita a Lei, não respeita os educadores, não respeita os alunos.

    Está na hora de colocar essa discussão no cenário mais amplo, nacional, e incluir o faraó neste dilema pois ele é o pai deste drama todo que a Educação em Minas está passando.

    ResponderExcluir
  114. Parabéns ao anônimo das 15:21, concordo plenamente. Infelizmente qualquer um pode FINGIR SER PROFESSOR, isto não seria "falsidade ideológica"? Onde está a JUSTIÇA para enquadrar estas pessoas?

    ResponderExcluir
  115. Caro colega de luta, sou contratado aqui na cidade de Uberlândia, e atuo no exercício do magistério desde o ano de 2008, sendo assim gostaria que você esclarecesse como ficaria a situação dos contratados e mesmo a situação do vencimento apontado no edital de concurso para os novos efetivos? Os ganhos seriam para todos ou apenas para aqueles que puderam optar pela carreira antiga? E caso todos tenham o direito de retornar a carreira antiga, teria eu direito ao biênio, mesmo sendo contratado, uma vez que segundo o sindicato, e mesmo você, o biênio não foi cortado para aqueles que ingressaram na carreira após 2003? Estou angustiado com isso, pois estou na luta, já tive pagamento cortado e perdi algumas aulas para efetivados da Lei 100, correndo o risco de perder até mais aulas caso o governo aprove na prática a Lei que permite a complementação de carga horária dos efetivados, e nem por isso abandonei a greve. Será que não conseguirei os benefícios juntamente com todos? E ainda terei de fazer um concurso para receber segundo o subsídio que tanto lutei contra? Vamos nos mobilizar para que os direitos possam alcançar a todos e não somente a uma parte da categoria, uma vez que a luta é de todos e não somente de uma parcela da mesma.
    Um abraço e até a vitória e que esta vitória possa contemplar a todos nós professores designados, efetivados e efetivos.

    ResponderExcluir
  116. Vamos lá galera: PISO, PISO, PISO. DIGO E REPITO. SIM PARA O PISO E NÃO AO SUBSÍDIO!

    ResponderExcluir
  117. Aos colegas designados,

    A nossa vitória será a vitória de todos, pois dificilmente o governo conseguirá manter o sistema de subsídio quando implantar o piso. Além disso, estamos pedindo a anulação total do subsídio no STF.

    Então, estejamos todos juntos nessa luta, pois a carreira e o piso para todos os educadores estão em jogo.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  118. Oi Euler,

    Sou designado, em greve. Não tive opção de mudar para o regime antigo e, mesmo q o faça, não tenho direito a nenhuma vantagem, ou seja, meu salário diminuiria. Sinto mto desamparado pelo sindicato, que não está mais interessado em defender tbm nossos interesses... (A Bia disse que não defenderá mais quem permanecer no subsídio), mas ela esqueceu de quem não teve opção...

    Percebi, Euler, que vc não comenta mto sobre nós, designados.

    Espero resposta,

    Abraços,

    Marcos, Valadares.

    ResponderExcluir
  119. Um toque de técnica aos amigos navegantes menos familiarizados com a informática:

    caso estejam achando as letrinhas pequenas demais, cliquem na tecla Ctrl e depois na tecla + do seu teclado. Cada vez que clicar o "+" mantendo a tecla do Ctrl pressionada, aumentará o tamanho das letas.

    Depois, para voltar ao tamanho anterior, basta adotar o mesmo procedimento, só que no lugar da tecla + você pressionará a tecla "-" (menos). Ok?

    ResponderExcluir
  120. Caros companheiros

    UNIDOS VENCEREMOS !!!

    Que o azul do céu e o raiar do sol,
    traga mais energia para todos nós. (Gleiferson Crow)

    Caro Euler e amigos

    O Blog do Euler ajuda os internautas, na sua maioria, servidores (professores e profissionais da educação) a entender sobre assuntos ligados a categoria. Com mais de 400.000 acessos traz informações e notícias sobre o nosso movimento, além de textos claros e informativos, de autoria do próprio Euler Conrado. A clareza das informações e a qualidade dos textos, despertaram nos internautas o carinho e o respeito por esse nosso amigo, parabéns Euler. Tem várias fotos de amigos e companheiros de luta com o Profº Euler Conrado e outras mais no LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com

    “Sonha e serás livre de espírito… luta e serás livre na vida. ” ( Che Guevara )

    abraço e continuemos nossa caminhada !!!
    Gleiferson Crow
    LEIA: o Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  121. Deputados pedem ao Governo de Minas que negocie com professores em greve

    Os deputados petistas da oposição ao governo de Minas, Rogério Correia e Paulo Lamac, juntamente com os da situação, Sebastião Costa (PPS) e Bosco (PT do B) se reuniram com a Secretária de Estado da Educação, Ana Lúcia Gazzola, nesta quarta-feira (17), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. A comissão de deputados pediu a flexibilidade do governo para a abertura de uma negociação definitiva com os professores, em greve há mais de dois meses.

    Se a greve terminasse nesta quarta, a reposição dos 40 dias letivos só seria concluída na metade do mês de janeiro. “Estamos disponíveis para conversar com o governador; é preciso que o governo pondere a sua decisão, pois os professores já demonstraram flexibilização para negociar”, disse Rogério Correia.

    Nesta quinta-feira (18), às 19h, no Ministério Público Estadual, está marcada uma reunião dos parlamentares da oposição com o Procurador-Geral de Justiça, Dr. Alceu Marques, com a finalidade de buscar apoio para o fim do impasse da greve.


    Acredito que estas e outras medidas despertem o interesse da população, outra medida importante e a ação dos alunos, pais, das outras series entrarem para luta tambem.


    Alunos da rede estadual farão manifestação no centro de BH nesta quarta-feira

    A favor das reivindicações feitas pelos professores da rede estadual ao governo, estudantes, que estão sem aulas devido a greve, farão uma manifestação na Praça Sete, no centro de Belo Horizonte, na noite desta quarta-feira (17), em apoio aos educadores.

    Segundo um estudante que entrou em contato com a equipe do Portal O TEMPO Online, mas preferiu não se identificar, usando apitos, megafones, faixas e cartazes, os alunos vão pedir as autoridades que atendam as demandas dos educadores e que melhorem a educação em Minas. “O objetivo é parar o trânsito para chamar a atenção”, disse o estudante.


    Vamos juntos na luta ate o piso. Piso e LEI deve ser cumprida.

    ResponderExcluir
  122. Boa tarde meu caro Euler e companheiros de luta!
    É ridículo a posição do Governo de Minas! A fala da secretária no jornal (que se intitula 'o grande jornal dos mineiros') "Estado de Minas" demonstra total desepero e desrespeito a inteligência alheia. E tome asneira da nossa digníssima secretária:" o sistema de remuneração antigo esta em extinção... devemos investir no subsídio que é mais atraente para o servidor... não há hipótese de aumentarmos os valores da tabela de remuneração antiga..." O que me intriga é: porque o repórter do jormal "Estado de Minas" não faz a simples pergunta que não quer calar: "Por que não pagar o piso proporcional ao do MEC, pela remuneração antiga?" Pronto! Era só isso! Gostaria de ouvir o que a nossa secretária iria responder!!! Parece que o repórter tem medo de perguntar... Cadê a essência do jornalismo investigativo? Cadê a imparcialidade? Parece que o espírito do bom jornalismo, o jornalismo de verdade que escuta ambos os lados, está morto no "Estado de Minas"...
    Ao que vejo, esse sistema parece estar em extinção só na área de educação! Tenho dezessete anos de magistério. Com o pagamento do piso proporcional ao do MEC, teria um ganho considerável, fora a perspectiva de melhoria salarial graças aos biênios, quinquênios e etc.
    A que grau chegamos na educação: pela tabela, um professor com nível superior, PEB 3 A, receberia R$ 1060,00. Isso é menos que dois SALÁRIOS MÍNIMOS! É triste ver que muitos colegas graduados voltam para a sala de aula contentando-se em ganhar menos que 2 SALÁRIOS MÍNIMOS!
    E que fique bem claro a toda a sociedade, NÃO ESTAMOS PEDINDO AUMENTO! Só estamos cobrando o que nos é de direito! Qualquer cidadão, se infringir uma lei, em especial uma lei federal, vai ser julgado e deverá pagar por isso. Pois devemos mostrar a todo país: Minas Gerais descumpre uma lei federal!!!
    A luta ainda é grande companheiros!!! Pelas notícias de hoje, alguns partidos que eram oposição debandaram-se para o lado do governo... devemos ficar atentos a todos os deputados e suas atividades na assembleia.
    Aquele que votar contra os professores, contra a educação, deve ter o nome marcado na memória de todos e nunca mais ser reeleito!
    Prof. Eduardo
    B.H.

    ResponderExcluir
  123. GRAÇA:

    Prof Euler,

    Veja a resposta do STF ao e-mail que enviei
    Em 17/08/2011 14:36, Atendimento < atendimento@stf.jus.br > escreveu:

    Prezada Senhora,

    Informamos que o acórdão da ADI 4167 encontra-se aguardando a liberação de votos por parte de alguns Ministros desta Corte, motivo pelo qual ainda não foi publicado.

    Atenciosamente,

    Supremo Tribunal Federal
    Secretaria Geral da Presidência
    Central do Cidadão e Atendimento
    Seção de Atendimento Não Presencial
    Anexo II – Térreo - Brasília (DF) – 70175-900
    ( (55-61) 3217-3705 61 3217/4465

    Vamos vencer!
    Todos podem ligar ou enviar e-mail para
    atendimento@stf.jus.br

    ResponderExcluir
  124. Olá turma da luta,

    Visitei o site da Rádio Itatiaia e deixei o seguinte comentário que já foi publicado:

    "A notícia da emissora fala por si. O sindicato fez concessão, abriu mão do piso de R$ 1.597 para o piso do MEC de R$ 1.187,00 e nem assim o governo quer negociar. Além de fora da lei, o governo mostra que não tem compromisso com a Educação de qualidade. Está realizando contratações de pessoas não habilitadas para lecionar, com a desculpa de estar preocupado com os alunos. Ora, se estivesse realmente preocupado com os alunos o governo já teria cumprido uma lei federal, a lei do piso, que determina o pagamento do piso enquanto vencimento básico, e não enquanto salário total. Além disso, mais de 150 mil educadores recusaram o subsídio e recebem pelo sistema de vencimento básico, cujo valor está muito abaixo do que manda a lei. Como se não bastasse, o governo poderia inclusive pedir a ajuda federal, prevista na lei do piso, caso comprovasse que não dispõe de dinheiro em caixa. Estamos, portanto, diante de um governo irresponsável perante a sociedade mineira. Até quando isso continuará assim?"

    O link para quem quiser ler a notícia e comentar é:

    http://www.itatiaia.com.br/site/noticias/noticia/4528


    ***

    Já no jornal O tempo, tem duas matérias que podem receber nossa visita. Eis os links:


    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=127064


    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=127060

    ResponderExcluir
  125. A análise que faço com relação à postura do governo diante desta greve é que, ele não aceita nenhum tipo de negociação que não seja a imposição absurda do subsídio. Na verdade ele quer que todos os Educadores abaixem a cabeça e falam sim para suas imposições. Ao meu ver, se depender do governador, não há negociação, pois nós já aceitamos que ele faça o pagamento do piso salarial proporcional e ele o que fez? Nada. Ou melhor, continua batendo na tecla do subsídio, fingindo não entender as nossas reivindicações. Tem que haver a intervenção dos órgãos competentes, exigindo que o governador mineiro CUMPRA A LEI FEDERAL DO PISO SALARIAL! Ao contrário, esta greve se arrastará por mais um longo período e ficará de um lado nós, lutando pelo PAGAMENTO DO PISO e o do outro lado, o governo IMPONDO a todos o subsídio. Assim não dá! Nossa escolha têm que ser respeitada e a LEI tem que ser CUMPRIDA! Firmes e Força na Greve até o PISO SALARIAL!

    ResponderExcluir
  126. Divino - MG

    Viva!!! Viva!!! Viva!!!...

    Boa tarde Euler.

    Das três grandes Escolas daqui, minha Escola e outra da roça, demoraram aderir ao movimento (a partir de 01/08), mais agora que aderimos é pra valer. Estamos fazendo Vigílias aos Editais dos Terceiros Anos: de quatro conteúdos designados na Escola da roça, dois ficaram sem ter quem assumissem os cargos. Todos que seriam divulgados em minha Escola e na Outra (que já aderiu o movimento desde o início), não houve pessoas para assumirem.
    Vitória da Classe!!! Em tais Vigílias (mais de 30 professores participando), houve conversa, explicação, convencimento. Por enquanto nossos terceiros anos não terão aulas (não vai haver furo na greve aqui).
    Outra estratégia executada: fomos nas casas dos alunos dos terceiros anos, conversamos com Eles, conscientizando-os a respeito dos professores tampões.
    Ainda outra estratégia que estamos executando é a de passar um abaixo assinado para os pais, o qual pede que a Promotoria da Cidade avalie a situação da greve e tome providencia.
    Enfim, hoje tivemos grandes conquistas!
    A inspetora que veio aqui para designar, marcou novas designações para Sexta-feira (19/08) às 9:00 h, na Sede da SRE/Carangola. Vamos nos organizar, e nos deslocar até a sede da SRE para tentar repetir o feito. Contamos, para isso, com a ajuda dos combativos companheiros de Carangola.
    Abraço! Força na Luta!!!

    ResponderExcluir
  127. Não aceitamos mais esta desculpa esfarrapada de que o governo mineiro já paga o PISO através do subsídio, e que este valor é acima do piso do MEC que é de 1.187,00. Já provamos, através do nosso CONTRACHEQUE que o governo não nos paga o PISO SALARIAL no vencimento básico. Se algum meio de comunicação ou algum indivíduo ainda têm dúvidas em relação ao assunto, favor analisar o nosso CONTRACHEQUE antes de publicar MENTIRAS. Vão querer ignorar a opção de 153.000 servidores? Este número seria muito maior se o governo tivesse dado a oportunidade de escolha a todos os servidores, inclusive aos designados e alguns aposentados. Mas como ele é "esperto" quis garantir que um número de servidores ficassem no regime imposto por ele, o subsídio, e para isso utilizou-se de seu autoritarismo, pois ele sabia que só mesmo "obrigando" ou melhor, não deixando-os optar é que conseguiria manter alguém no subsídio. Ao contrário a maioria, senão todos, escolheriam a CARREIRA ANTIGA. Esta é a mais pura verdade! A fala da Secretária Ana Lúcia Gazzola reforça a ideia de que o governo quer extinguir a CARREIRA ANTIGA quando afirma que "a carreira antiga será extinta". Desta forma, não precisamos falar mais nada. Precisamos cobrar dos órgãos competentes o julgamento, pois fica claro o desejo de impor-nos o subsídio a qualquer custo. O governo não quer que ninguém, que nenhuma esfera do poder compreenda o que acontece com o nosso pagamento e tenta seduzir a todos com a falsa ideia de que já CUMPRE A LEI! QUEREMOS PROVAS!!! GREVE ATÉ O PISO SALARIAL no vencimento básico!

    ResponderExcluir
  128. Caríssimos amigos de greve,
    Vamos fazer um coro:EULER NAS NEGOCIAÇÔES,
    EULER NAS NEGOCIAÇÔES EULER NAS NEGOCIAÇÔES,
    EULER NAS NEGOCIAÇÔES,EULER NAS NEGOCIAÇÔES,
    EEEEEUUUULLLLERRRR NAS NEGOCIAÇÔES!!!!!!
    Abraços,
    Helena Thaereh

    ResponderExcluir
  129. Comente:
    http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/08/17/interna_gerais,245692/estudantes-fazem-manifestacao-a-favor-dos-professores-no-centro-de-bh

    ResponderExcluir
  130. Euler novamente venho registrar minha indignação!

    Em outro post, você muito elegantemente me esclareceu sobre o que você considera "professor tampão". Não estou substituindo e nem irei substituir professor grevista, pois considero uma atitude imoral. Mostro a cara inclusive, sou professor de Física no Inês Geralda no bairro Juliana. No entanto devo respeitar quem toma tal atitude.
    Tenhos amigos licenciados que estão desempregados e estão concorrendo as tais designações, e há aqui que se dizer, substituindo professores grevistas não habilitados. O contrário acontece também mas temos que ser realistas.A forma como a categoria nesse blog e em outros está se manifestando é por vezes ofensiva. Se eu tivesse vontade poderia substituir no mínimo uns 10 professores de Física sem habilitação que conheço.
    Não podemos ficar mentindo pra sociedade se queremos o respeito dela. A SEE está contratando professores sem formação adequada não é de agora e pior, tornando eles efetivos.
    Sinto vergonha de ser professor em Minas.

    ResponderExcluir
  131. Professor Euler e colegas,

    Os Professores estão a 70 dias no movimento de greve da categoria.

    O Governo está há 8 dias fazendo de conta que estão negociando.

    Eles estão mais descansados.

    Não assustem mas ELES têm como prazo limite o dia 26/08/11.

    Querem nos vencer pelo cansaço, nos desvalorizando ao máximo.

    Portanto, tenhamos paciência.

    Vamos jogar o jogo, é uma carta de cada vez.

    Cada dia que passamos unidos nesta greve, significa um dia de pressão a mais para ELES.

    FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.

    A NOSSA CAUSA É JUSTA;
    TEMOS A CONSCIÊNCIA TRANQUILA;
    COMBATEMOS O BOM COMBATE;
    A VITÓRIA ESTÁ SE APROXIMANDO.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  132. SEM DÙVIDA COLEGAS TEREMOS NOSSOS NOMES CARIMBADOS NO "GUINES MINEIRO" COMO A MAIOR GREVE DE PROFESSORES EM BUSCA DOS SEUS DIREITOS.
    ENQUANTO O GOVERNADOR ANASTASIA TERA SEUS DEDOS CARIMBADOS NA NUMA DELEGACIA FEDERAL POR NÂO CUMPRIR UMA LEI DA SUPREMA CORTE.

    ResponderExcluir
  133. Rosilene ( professora )17 de agosto de 2011 19:18

    Caro colega Euler,
    Hoje eu mandei uma mensagem de indignação para a REDE GLOBO ( GLOBO MINAS ) pedi que fossem justos e não comprados pelo governador uma vez que a emissora é conhecida mundialmente e acredito não precisar de propina do governo de Minas, etc, etc.
    Postei tbm no jornal o tempo o esclarecimento da Beatriz Cerqueira sobre: Quanto custa para o Governo de Minas pagar o Piso Salarial. Será que eles irão postar?
    Aguardo prudência da emissora e justiça!

    ResponderExcluir
  134. Sou de Pará de Minas, aqui na E.E. Professor wilson de Melo Guimarães, houve uma contratação de professor-tampão. O caso é o seguinte: o profissional que apareceu tem graduação em Psicologia e assumiu aulas de Biologia e de Sociologia. Agora arrast'azia eu lhe pergunto; que qualidade de educação o desgoverno de Minas presta à população? É por isso e por muito mais que eu estou nesta luta até o fim e tenho a convicção de que sairemos vencedores.
    Inácio Lopes de Pará de MInas

    ResponderExcluir
  135. Olá Professoras(es),

    VAMOS ESTUDAR:

    A-É-C-I-O e A-N-A-S-T-A-S-I-A

    INIMIGOS N°1 DA EDUCAÇÃO E DOS EDUCADORES.

    Não vamos nos ESQUECER, em 2014 teremos PROVA.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  136. realmente o governador esta desesperado.Sou efetivada pela lei 100 e hoje no final da tarde recebi um contra cheque onde falava dos beneficios dados aos professores .Vai te catar marionete do governo,nao pedi para ser efetivada nem tenho medo de suas ameaças.Vai estudar para entender a lei do piso e larga do nosso pe.E que o contra cheque veio assinado por essa Senhora.Que nojo,vai abaixar em outro centro Satanas

    ResponderExcluir
  137. Recebi por e-mail:

    "Oi Euler!

    O nosso desgovernador está mais enrolado que bobina de motor elétrico, além de não pagar o piso para os professores, ele ainda está todo sujo em esquemas obscuros para desviar dinheiro público, deve se por isso que ele está resistindo em pagar o que é nosso por direito, para sobrar dinheiro para cobrir os rombos no orçamento.

    E nós é que temos que pagar o pato, essa não! vamos continuar com a greve que também serve como luta política para não deixar esses governantes corruptos usarem o dinheiro da educação dos menos afortunados, para encher os bolsos dos safados.

    Assunto: Governador tucano de Minas é alvo de CPI que defende contra Dilma

    Fonte: http://www.conversaafiada.com.br/"

    ResponderExcluir
  138. Olá Professoras(es),

    No jornal "ESTADO DE MINAS", nenhuma nota da greve dos professores, INCRÍVEL.

    "ESTADO DE MINAS", O GRANDE JORNAL DOS BANHEIROS PÚBLICOS.

    AÉCIO E ANASTASIA, INIMIGOS N°1 DA EDUCAÇÃO E DOS EDUCADORES.

    AGUARDAMOS VOCÊS EM 2014.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  139. Professor Euler,

    Precisamos de um pouco de HUMOR neste blog.

    Temos que descontrair um pouco.

    Vamos usar a criatividade, pessoal.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  140. EULER
    Boa noite
    Fiquei sabendo que na minha escola teria hoje uma reunião com os profs do 3º ano.Disseram-me que até aqueles que não queriam a greve resolveram não voltar.O pensamento geral é: dou um boi pra não entrar e uma boiada para não sair!
    Tá todo mundo por aqui ó com o anastasoca e sua corja!
    Reforça a segurança nega pois tem muita gente fazendo fila no terreiro de macumba procê! SARAVÁ!!!!

    ResponderExcluir
  141. O DESgoverno jamais fará com que abandonemos a nossa luta! A cada dia estamos mais fortes e unidos. Greve até o PISO!

    ResponderExcluir
  142. Chegará o momento em que a JUSTIÇA terá que agir! Não poderão fingir que está tudo bem entre o governo mineiro e os Professores/Educadores. Nós exigimos o que é nosso por direito. Queremos que o governador mineiro CUMPRA A LEI FEDERAL DO PISO SALARIAL no vencimento básico. Não adianta tentar vencer-nos pelo cansaço, porque não vão conseguir, resistiremos até a vitória. Estamos dispostos a lutar até atingirmos o nosso objetivo, nada e/ou ninguém será motivo para desistirmos. Greve até o PISO SALARIAL!

    ResponderExcluir
  143. Anônimo
    Olà Euler,
    Quando a Gasolina, na próximna reunião informar que 62% dos contratos são formados pelo subsídio, que tal a Beatriz, pedir a ela que faça uma pesquisa em todo o estado perguntando; -Qual regime remuneratório, o professor de Minas gostaria de estar? Certamente teriamos uma enxurrada de PROFISSIONAIS, mesmo aposentados e designados, escolhendo o sistema antigo, desmascarando essa farsa chamada subsídio.
    Firmes até a conquista do PISO!!!
    Abraços de Carangola!!!

    ResponderExcluir
  144. Enquanto algumas escolas cedem à pressão e voltam, muitas outras aderiram ao movimento nesse momento crucial. Não há baixas de professores em greve. Há, e em tempo: não pareceu nenhum professor tampão na minha escola e os próprios alunos do 3º ano foram lá para dizer que não iriam à escola assistir aulas dos tampax, querem os titulares e nos apoiam na greve. Estão de parabéns! Ah, e em relação a reposição? Somos obrigados a repor os dias parados? Eu não quero repor depois de tanta sacanagem do governo. Tenho pena dos alunos, mas também pouco aulas sábados. Eu leciono à noite e eles não podem ir, pois muitos trabalham. Então é reposição para inglês ver. Não há como negar que os alunos JÁ ESTÃO PREJUDICADOS e POUCO PODEREMOS FAZER POR ELES. NÃO VAMOS ILUDI-LOS. TENHO PENA, MAS AGORA O QUE ESTÁ EM JOGO É NOSSA VIDA PROFISSIONAL, NOSSA CARREIRA, NOSSA HONRA, SEM O PISO NÃO VOLTAMOS. VAMOS CONTINUAR FORTES. CHEGAMOS ATÉ AQUI COM A CABEÇA ERGUIDA. NÃO VAMOS RECUAR. O GOVERNO VAI TER QUE CEDER. GREVE ATÉ O PISOOOOO!!!

    ResponderExcluir
  145. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16977

    Haddad se manifesta sobre o piso

    ResponderExcluir
  146. URGENTE !!!!!!!SOU DESIGNADA EM 2 TURMAS DE 3 ANO ,E FUI SUBSTITUIDA POR UMA PROFESSORA TAMPÃO O QUE FAÇO A DIRETORA FALOU QUE TENHO QUE DEVOLVER O DIARIO E AS NOTAS QUE DISTRIBUÍ NO 2 BIMESTRE PQ QUEM VAI FECHAR VAI SER A NOVA PROFESSORA.ME AJUDEM O QUE DEVO FAZER ?

    ResponderExcluir
  147. Fátima - Professora de História - Ubá17 de agosto de 2011 22:19

    Como é revigorante para nós MESTRES em greve ver nossos alunos defendendo a nossa causa, porque sabem eles ser justa e necessária para o bem de todos. Como professora de História e Ética me pergunto que aula melhor eu poderia proporcionar ao meus alunos do que a que eles estão vivenciando na prática durante este estado de greve.
    Estas experiências o transformarão em cidadão consciente e politizados, capaz de diferenciar o Brasil legal e o Brasil real. Entenderam que o Brasil legal só existe para a elite que a luta dos professores é também a luta de todos aqueles que se sentem excluídos dos direitos assegurado em lei.
    Que belo exemplos esses jovens guerreiros mineiros têm dado ao Brasil, quanta honra tê-los do nosso lado,vocês estão nos ajudando a construir um Brasil melhor para todos. Com certeza este é o melhor ENEM ou vestibular que vocês com certeza estão fazendo, nota mil.
    Mesmo em greve senhor governador continuamos
    sendo o exemplo que os nossos alunos querem seguir, o senhor perdeu mais essa batalha nem professor-Tampão deu conta.

    Como dizia o grande filósofo iluminista John Lock, "Os homens ao nascer, tinham direitos naturais: direito à vida, à liberdade e à propriedade. Para garantir esses direitos naturais, os homens haviam criado governos. Se esses governos não respeitassem esses direitos, o povo tinha o direito de se revoltar contra eles. As pessoas podiam contestar um governo injusto e não eram obrigada a aceitar suas decisões.
    Acorda Sr Anastasia! estamos em 2011, o absolutismo a Revolução Francesa derrubou no século XVIII, a escravidão brasileira terminou em 1888, a Ditadura Militar caiu em 1985, o Muro de Berlim em 1989...
    Força companheiros!

    ResponderExcluir
  148. Do blogo Viomundo.com.br
    Os estados com professores parados são Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins. (Portal Aprendiz, 16/08/11)

    ResponderExcluir
  149. Professor Euler e colegas,
    sejamos firmes e pacientes até o cumprimento da lei, dure o tempo que durar. Somos pessoas esclarecidas e não vamos nos deixar intimidar com nada, nem mesmo com a falta de dinheiro. É melhor pedir ajuda aos parentes, amigos ou até mesmo pegar emprestado numa financeira do que recuar. Recuar agora pode significar desistir para sempre. "VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA." Até a vitória!

    ResponderExcluir
  150. Euler,
    como sempre, você tão gentil, nos passando informações de altíssimo nível. Além de excelente análise do movimento, também preocupa-se com as letrinhas miúdas... A dica da técnica para aumentá-las é excelente! Obrigada.

    Uma leitura recomendável é:
    http://www.viomundo.com.br/politica/maioria-dos-estados-e-municipios-nao-paga-o-piso-dos-professores.html

    ResponderExcluir
  151. Após um semestre inteiro de omissão, o falastrão do ministro do MEC descobre que os governos estaduais e municipais têm que pagar o piso. Mas, não anuncia nenhuma medida concreta para cobrar, punir ou ajudar a quem precisa ou quem deixou de pagar o piso por omissão e irresponsabilidade, como é o caso de Minas Gerais.

    Veja a nota sobre o tema a seguir:

    "Piso salarial

    Estados e municípios devem se adaptar para cumprir a lei, diz Haddad

    Quarta-feira, 17 de agosto de 2011 - 17:17

    Porto Alegre — O ministro da Educação, Fernando Haddad, declarou nesta quarta-feira, 17, em Porto Alegre, que considera justa a greve dos professores da educação básica. “Não há mais o que discutir, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou constitucional o piso salarial de R$1.187,14. Estados e municípios devem agora se adaptar e cumprir a Constituição Federal”, afirmou Haddad.

    O ministro esteve pela manhã em Curitiba, onde participou do evento Sala Mundo Curitiba 2011 – Encontro Internacional de Educação. Ele lembrou aos participantes que há uma linha de crédito, por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que permite à União complementar os recursos daqueles estados e municípios que comprovem carência de recursos para pagar o piso salarial nacional para professores da educação básica.

    “Infelizmente, até o momento, nenhum dos municípios conseguiu atestar que precisa de mais recursos para pagar o salário devido aos professores de suas redes”, disse. "

    Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16977

    ResponderExcluir
  152. Euler...
    Queria pedir-lhe licença para fazer uma corrente do Bem. Todo blogueiro deverá postar o nome de sua escola se estiver em greve. Os desertores não deveriam enviar mensagens dizendo que não é mais grevista. Este espaço é para os fiéis combatentes.
    Lembre-se o inimigo nos espreita para tentar nos enganar e enfraquecer o nosso movimento.
    Firmes continuaremos...

    ResponderExcluir
  153. Justiça pede senha ao governo de Minas para investigar governador
    Medida faz parte de ação que investiga convênios entre o governo e prefeituras e pede a cassação do mandato do tucano

    Denise Motta, iG Minas Gerais | 17/08/2011 20:11

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/mg/justica+pede+senha+ao+governo+de+minas+para+investigar+governador/n1597161244913.html#cometarios

    ResponderExcluir
  154. Governador tucano de Minas é alvo de CPI que defende contra Dilma

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=18224

    ResponderExcluir
  155. as com esta comissão. Se você puder leia as notícias de hoje.Abraços.

    ResponderExcluir
  156. MESTRES,
    MANTENHAMOS FIRME A BATUTA,
    POIS, COM CERTEZA, GANHAREMOS ESSA LUTA!
    A LUZ ESTÁ DESTE LADO:
    NAS PALAVRAS DO EULER CONRADO.
    VOLTAR COM O SUBSÍDIO
    É UM SUICÍDIO!
    FIRMES CONTRA A ESCÓRIA,
    FAREMOS DE MINAS A HISTÓRIA,
    PARA O NOSSO MORAL,
    PARA A NOSSA GLÓRIA.
    CATEGORIA QUE NÃO SE TRUNCA
    diz
    AGORA OU NUNCA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  157. Muito mais nos unimos quando temos uma causa em comum. A interação e a energia que vivenciamos nesses dias de luta já nos motiva, pois para todos os lados que olhamos "nos vemos" nos colegas que ocupam a praça da ASSEMBLÉIA. Lógico que temos uma imensa motivação: o PISO e com ele nossa carreira. Mas é preciso dizer que não há nada mais revigorante para uma categoria em luta do que uma manifestação como a do dia 16 de agosto (é pra ficar na memória) mais um dia de resistência contra o ditador e suas megeras. Não faz sentido abandonar a luta. Não tem argumento que seja aceitável tendo vista decorrido esses longos dias de espera. Já não é apenas o PISO. O pessoal que visita esse BLOG já sabe bem a que me refiro. Há uma história sendo construída nesse magnífico movimento. Educador não fica a criar justificativa para abraçar sua fraqueza e sua falta de consciência para caminhar de volta pra escola.
    SEM O PISO NÃO devemos, NÃO PODEMOS PISAR NA ESCOLA!!!!

    ResponderExcluir
  158. Parabéns aos colegas educadores de Divino, que vocês sejam exemplos para MUITOS OUTROS EDUCADORES da região que até agora não se posicionaram.
    Vocês são 10!!!
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  159. COVARDIA ou desespero !?

    Eu sou professor educador, formado e trabalho com turmas de 3º anos há muito tempo. Nesses anos dedicados a profissão de PROFESSOR por opção, já trabalhei com todas as turmas da 5ª série (atuais 6º anos)até os anos finais da Educação Básica, e se tivesse tempo e energia ficaria na escola de 7horas às 22:30h, pois gosto de estar onde trabalho (onde vivo) pois considero do fundo do meu coração como se fosse minha casa, meu lar, lá tenho amigos de verdade, amigos de caráter, tenho estudantes de verdade e todos dignos de respeito. Gosto muito do meu trabalho, e respeito todas as pessoas, todos cidadãos que fazem parte da comunidade escolar. E ainda, gosto da LEGISLAÇÃO (a Lei por si só já diz tudo), o processo de DESIGNAÇÃO, senhor GOVERNADOR e senhora SECRETÁRIA de EDUCAÇÃO do Estado, é muito mais sério do que vocês possam imaginar, vocês podem até que conseguiram abrir "vagas" para serem ocupadas por PROFESSORES TAMPÃO, mas vocês jamais vão conseguir a dignidade dos nossos verdadeiros alunos, verdadeiros estudantes, verdadeiros educandos. Colocar "qualquer pessoa" numa sala de aula, sem formação, não dá título de professor, mesmo que o candidato seja formado e que tenha até experiência de anos (que de repente tem repetido o que fez no primeiro ano, em todos os outros), agora sem formação demonstra d-e-s-e-s-p-e-r-o. Um recado ao candidato "mestres a caminho do 3º ano" atenção a resolução, R-E-S-O-L-U-Ç-Ã-O Nº 1905 - 8/2011 http://4.bp.blogspot.com/-znHYDAKiVKs/TkbcHQMGwII/AAAAAAAAAdw/q4Sn9VDEul8/s1600/resolucao_1905_8_11.jpg LEIA com muita atenção.

    Eu JAMAIS iria para a ESCOLA trabalhar no lugar de um companheiro que está em GREVE, que está lutando por um direito, lutando pela verdade. Pois, se fizesse seria um analfabeto cultural, um tampão, um "fora da lei", um desesperado, um covarde. Deixo um convite para você candidato a "vaga" venha participar conosco na GREVE, pois amanhã você será um vitorioso, UM PROFESSOR de VERDADE ! Leia e reflita:

    “Sonha e serás livre de espírito…
    luta e serás livre na vida. ” (Che Guevara)

    abraço a todos ! UNIDOS VENCEREMOS ! ! !

    "Sem PISO, não pisamos na escola."

    Gleiferson Crow (PROFESSOR DE VERDADE)
    LEIA: O Jornal do José Elias Issa
    http://leiajeissaeemg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  160. Olá companheiro Euler ,estou também na luta , na greve ,como vcs , mas infelizmente não pude retornar para o sistema antigo pois preciso do aumento salarial do subsídio até o ultimo centavo.Sou viúva, tenho 2 filhos e nesse ano peguei uma extensão de carga horária para aumentar os meus ganhos.Mesmo assim aderimos totalmente ao movimento com a ajuda financeira de alguns colegas q trabalham em outras redes e podem amparar os colegas por algum tempo.Agora q grande parte da categoria retornou à carreira antiga como ficarão os pagamentos? Pessoas q entraram no estado juntas com ganhos diferentes?O que acontecerá com aqueles que optaram pelo subsídio?
    Abraços,
    Prof.ªValtinha BH

    ResponderExcluir
  161. O cerco se fecha para o Governo de MG.
    Estados e municípios devem se adaptar para cumprir a lei, diz Haddad

    http://blogmcris.blogspot.com/2011/08/o-cerco-se-fecha-para-o-governo-de-mg.html

    ResponderExcluir
  162. Faça você também sua reclamação no STF!!!
    Confira:

    http://diegovelascodepaula.blogspot.com/2011/08/hoje-e-tempo-de-buscar-nossos-direitos.html

    ResponderExcluir
  163. Divino - MG

    Euler,

    receber elogios é muito bom, quando vem de pessoas com o gabarito de nossa estimada Educadora Mineira é ainda muito melhor.
    Pena que não fui seu aluno na FAFILE, mais fui aluno também com muito orgulho de sua grande Amiga da área das Letras da FAFILE, tenho certeza que o povo de Divino é reflexo do que aprenderam com Vocês.
    Obrigado pelas palavras.
    Pena que muitos não aproveitaram os ensinamentos dados pelas Dras. como nós Educadores atuantes nas Escolas Estaduais de Carangola, Divino e Espera Feliz.

    ResponderExcluir
  164. João Paulo Ferreira de Assis18 de agosto de 2011 00:56

    Prezado amigo Professor Euler

    Dando cumprimento à máxima latina ''ridendo castigat mores'', vou transcrever texto do meu comentário no blog da Beatriz Cerqueira. Ei-lo:

    Tem gente que não teme o ridículo:

    1ª linha: ''Gorvernador''.
    2ª linha: ''cumprira''.
    3ª linha: ''Replublica''
    5ª linha: ''possou''
    6ª linha: ''temporaria'' ''masa''
    7ª linha: ''subistituir''
    8ª linha: ''colacar''
    9ª linha: ''nossas criança''

    Satisfaça-me uma curiosidade: você é um professor tampax?
    Pelo seu domínio da gramática, você merece uma medalha da Inconfidência conferida pelo Anastasia. Se você ainda não se apresentou para substituir os grevistas apresente-se. Será muito benvindo.

    Agora o comentário propriamente dito do ''gramático'' da Língua Portuguesa:

    Anônimo disse...
    Senhor Gorvernador do Estado de Minas Gerais.

    È dever do Estado cumprir e fazer cumprira Constituição da Replublica federativa do Brasil.O direito a educação é assegurado pela constituição. A greve dos professores já possou dos limites. Uma contratação temporaria em masa para subistituir esta turma barulhenta ia ser bom de mais para colacar ordem na casa.Pense governdor e tome uma medida no sentido de não prejudicar mais as nossas criança.Ãproveita e manda esta turma incompetente de professores para casa mais cedo. precisamos de bons profissionais para que possamos ter um ensino público de qualidade.

    17 de agosto de 2011 19:48

    ResponderExcluir
  165. Professor Euler,
    Professoras(es) de Minas,
    Bom dia!

    AO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS.

    Por favor analisem que, com o cumprimento da lei do piso salarial nacional dos professores, diminuirá as greves desta categoria.
    Quando houver reivindicação por melhores salários, terá que ser feita em Brasília, no Ministério da Educação, por um PISO maior.
    O reconhecimento do plano de carreira pelo regime remuneratório, terá um impacto pequeno (3,44%) na folha de pagamento e será absorvido muito rapidamente.

    SIMPLES ASSIM.

    Será que ELES não têm bom senso, ou será que é imposição para desvalorizar a categoria, ou até mesmo falta de INTELIGÊNCIA.

    FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

    ResponderExcluir
  166. Citarei Paulo Coelho:os Guerreiros da luz se reconhecem pelo olhar.Estão no mundo, fazem parte do mundo, e ao mundo foram enviados sem alforje e sem sandálias, com frequência se perguntam o que estão fazendo aqui. Muitas vezes acham que suas vidas não t~em sentido.
    Por isso são guerreiros da luz. Porque erram. Porque perguntam. Porque continuam a procurar um sentido. E terminarão encontrando.Nós professores somos uma classe de cavaleiros da luz! FORÇA COMPANHEIROS NESTA GREVE HISTÓRICA! ABRÇS Á TODOS!

    ResponderExcluir
  167. BOM DIA, COLEGAS DE LUTA!
    GOSTARIA DE COMPARTILHAT COM VOCÊS UM E-MAIL QUE RECEBI SOBRE NOSSA LUTA. PODEM APRECIAR, POIS FOI ESCRITO POR UM DEPUTADO.:


    GREVE DOS PROFESSORES DO ESTADO DE MINAS"
    Rogerio Correia: Entre o contracheque e o “choque de gestão”

    por Rogerio Correia

    O governo tucano em Minas Gerais vem divulgando na mídia comercial um comunicado enganador: que em Minas é pago o piso salarial nacional da educação. Seu objetivo foi tentar jogar a população contra a justa greve de professores e professoras que se amplia e chega a dois meses.

    A peça é mentirosa.

    Por isso o Sindicato fez um cartaz de um contracheque real e o expusemos na tribuna do plenário da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Não há como enganar todos o tempo todo: R$ 369,00 é vencimento básico. Quando o STF diz outra coisa!

    Sofremos críticas dos deputados tucanos e afins pelo gesto que, segundo eles, contribuiria para desgastar o parlamento. Ora, temos uma categoria de educadores em greve, que tiveram seu salário cortado (logo, estão desobrigados a repor os dias parados) e centenas de milhares de estudantes que já estão prejudicados pela intransigência do governo. E que podem inclusive perder o ano letivo, não fazer o ENEM etc. A imagem do parlamento se arranha quando se impermeabiliza.

    Como era de se esperar a mídia comercial relatou o fato, mas não registrou a foto. Não a deste deputado, mas da cena inusitada de se ter um cartaz de um holerite afixado na própria tribuna do plenário.


    O fato concreto é esse: Minas Gerais inova em termos de política remuneratória. Há um tipo de professor que mantem ”vantagens” (quinquênios etc). Há um segundo tipo que teve tais vantagens suprimidas em 2005. Há os não “optantes”. E há os que optaram pelo “subsído”, que é o drible do piso nacional de salário. Essa barafunda é a verdade do choque de gestão tucano: quatro referências remuneratórias para uma mesma atividade.

    Basta imaginar o que isso significa para 200 mil trabalhadores em educação, divididos em “modelos” remuneratórios concorrentes.

    A alegação do governo Anastasia (PSDB) para não aplicar o piso salarial é que não teria sido publicado o acórdão pela Justiça. Pura embromação.

    A verdade é outra. Sabendo que seria reconhecido como constitucional, no Supremo Tribunal Federal, o governo tucano preparou a burla com mais de seis meses de antecedência, criando a “política de subsídios” e estimulando à adesão dos servidores a tal política. Nessa política se tem um salário base miserável, ao qual é somado um monte de penduricalhos para se atingir “nominalmente” o que eles chamam de piso. Só que isso incide negativamente na carreira dos servidores e, consequentemente, na aposentadoria.

    Implementar o Piso Nacional é uma decisão política. Corte-se gastos com publicidade, evite-se o pagamento das obras superfaturadas como as do estádio Mineirão, do Centro Administrativo, o inchaço fisiológico e eleitoreiro da máquina governamental, desmonte-se o governo paralelo (chamado Escritório de Prioridades Estratégicas), dentre tantas as medidas, para que sobrem recursos que remunerem os servidores.


    Rogerio Correia é deputado estadual e líder do Bloco Minas Sem Censura










    --
    "Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença
    sem se sentir melhor e mais feliz."
    Madre Tereza de Calcuta

    ResponderExcluir
  168. Aí pessoal de Ibirité ,amanhã iremos fazer um piquete na porta da Escola Pedro Evangelista ,contamos com o apoio de todos envolvidos no movimento.Barrar os professores "prostitudos"

    ResponderExcluir
  169. VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO

    O profissional do ensino não pode ser considerado como uma simples mercadoria, pois a sua valorização é fundamental para a sua dignidade. Somos educadores, temos orgulho do que somos, sabemos de nossa importância, mesmo que os outros não queiram e não saibam reconhecer.
    O professorado da Rede Pública de Minas Gerais está em greve há quase 70 dias porque o Governador de Minas se recusa a pagar o Piso Salarial instituído pela Lei Federal nº 11738/200. Descumpre essa Lei e impõe outra, a do subsídio, que descaracteriza completamente a Lei do piso a que temos direito. Com isso, o Governo realizou um grande confisco nos salários:
    • incorporou as gratificações e vantagens ao vencimento básico transformando-os em parcela única;
    • reduziu os percentuais de promoção de 22% para 10%;
    • confiscou todas as gratificações e vantagens como biênios, quinquênios, pó de giz, gratificação por pós graduação;
    • confiscou o tempo de serviço de todos os educadores.
    As consequências dessas medidas desastrosas podem representar a dificuldade de oferta de um ensino público de qualidade. Não satisfeito o governo propôs ainda, como última estratégia de pressão, a contratação de professores substitutos para o 3º ano do Ensino Médio.
    Dessa forma, os profissionais da educação da Rede Pública Estadual de Minas Gerais estão vivendo um momento decisivo em sua luta. A greve dos servidores públicos não só diz respeito ao pagamento do piso salarial, mas busca a VALORIZAÇÃO do profissional do ensino brasileiro e o fim dessa greve sem o atendimento de todas as reivindicações aniquila o poder de negociação da classe. Cabe, portanto, ao governador do Estado e à sua equipe interromper ou não essa greve.
    O estudioso brasileiro Paulo Freire nos deixou esta reflexão acerca da Esperança: “Não posso continuar sendo humano se faço desaparecer em mim a esperança. Não é, porém, a esperança um cruzar de braços e esperar. Movo-me na esperança enquanto luto, e se luto, com esperança aguardo”.

    Jacqueline Meire Antunes Jorge
    Pedagogia e Professora da rede
    pública estadual de Mariana

    ResponderExcluir
  170. Euler, cobre a corrente do bem, sugerida por um companheiro - cada cidade poderia mandar um plá- comunicando que estão de greve!!! para acabar com a mania de falar que são só 80 escolas - Só em Manhuaçu temos 6 e região várias outras...
    Linder

    ResponderExcluir
  171. Vejam no site do MEC! até o HADDAD apóia a nossa greve

    Estados e municípios devem se adaptar para cumprir a lei, diz Haddad
    Quarta-feira, 17 de agosto de 2011 - 17:17
    Tweet - divulgue esta matéria no twitter
    Porto Alegre — O ministro da Educação, Fernando Haddad, declarou nesta quarta-feira, 17, em Porto Alegre, que considera justa a greve dos professores da educação básica. “Não há mais o que discutir, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou constitucional o piso salarial de R$1.187,14. Estados e municípios devem agora se adaptar e cumprir a Constituição Federal”, afirmou Haddad.

    O ministro esteve pela manhã em Curitiba, onde participou do evento Sala Mundo Curitiba 2011 – Encontro Internacional de Educação. Ele lembrou aos participantes que há uma linha de crédito, por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que permite à União complementar os recursos daqueles estados e municípios que comprovem carência de recursos para pagar o piso salarial nacional para professores da educação básica.

    “Infelizmente, até o momento, nenhum dos municípios conseguiu atestar que precisa de mais recursos para pagar o salário devido aos professores de suas redes”, disse.

    17 de agosto de 2011 17:14

    ResponderExcluir
  172. Euler,eu sou professor em montes claras,na disiplina de química, para pesar em muito, devemos entra com o pedido de isoneração logo o governo ira verificar que não tem o número de professos competentes,mas nós servidores temos 30(trinta)dias se queremos o não tal dispensa das exonerações.Com isso nós servidores estamos colocando o estado (secretaria de educação de m.g )em choque de gestão para verificar se é possível, a contratação de professores.A nossa greve torna mais volumosa e ele vai ficar pensando se nós vamos ou não cumpri-la.De uma coisa eu vós falo sem o PISO EU NÃO VOLTO PARA A ESCOLA.E do mais eu estou em greve,greve,greve até Jesus voltar.Abraços.Edualdo.

    ResponderExcluir