quinta-feira, 17 de junho de 2010

Com afeto, com linguiça e com pimenta



Acabo de chegar da nossa assembleía de educadores. Hoje nem vai ter pausa para o café. Vou direto ao assunto, relatando os momentos de emoção que todos nós que participamos da histórica greve dos 47 dias ainda vivemos. Se fosse em Portugal, diria que são as sementes dos cravos esquecidas n'algum canto do jardim, de que falou o Chico na bela música que coloquei na sessão de vídeos do nosso blog.

Por aqui é outra a sensação. O reencontro com os bravos guerreiros é sempre um mome
nto de grande emoção e de afeto. Assim que desci do especial que vem de Vespasiano e São José da Lapa, com aquela bonita e combativa turma de verde abacate, e pronta pra qualquer batalha, fui recebido na porta do ônibus por uma valente colega de luta com um recado: a colega Cristina pediu pra te avisar que não deu pra ela vir hoje. Cristina é uma guerreira, sempre presente nos 47 dias de greve, irradiando dianamismo e espalhando coragem para as/os colegas. Se não pode vir é porque não pode mesmo, tá mais do que justificado.

A nossa bancada de verde abacate foi assumindo a parte central do pátio da ALMG, já previamente reservada. Não demorou muito e uma comissão formada por colegas educadoras da cidade de Mutum se aproximou para me entregar dois presentes: um DVD (que v
ou ver no final da noite, ainda hoje), que eu agradeço de coração à companheira Sílvia de Mutum (impressionante a combatividade das Sílvias: a de Mutum, a de São José da Lapa, a de Vespasiano...). E juntamente com o DVD, os companheiros de Mutum, sensibilizados com a descrição que fiz do meu café matinal, regado a pão dormido e margarina, trouxeram um quilo da mais genuina linguiça de Mutum. Uma coisa que só pelo cheiro você já fica babando. Estou reservando o melhor momento da minha noite de hoje e do dia de amanhã para degustar este presente M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. Obrigadíssimo, colegas de Mutum! Vocês estão no meu coração. E não imaginam a disputa que foi dentro do nosso ônibus, com todo mundo querendo provar da minha linguiça.

Quando cheguei no meu bunker, liguei pra ca
sa da minha maẽ e contei pra ela o presente que recebi e ela cobrou: num deixa de trazer um pedaço da linguiça de Mutum aqui pra casa não. Um tempero, gente, que é coisa de louco. Nem vou falar mais senão já está dando água na boca e eu preciso de terminar este texto, pra falar das decisões tomadas na assembléia.

A assembléia começou, a coordenadora Beatriz deu um informe detalhado sobre o desenrolar das reuniões com o governo - entre os representantes do sindicato e do governo nos últimno 20 dias - e passou a analisar os pontos da proposta do governo. Pelo que foi explicado pela Beatriz, o governo apresentou várias propostas de tabelas salariais, algumas delas ridículas, que eram sucessivamente recusadas pelas bravas colegas que representaram o sindicato junto à comissão paritária. E todas as propostas apresentadas pelo sindicato, a começar pelo piso de R$ 1.312,00 para o profissional de ensino médio com jornada de 24 horas eram igualmente recusadas pelo governo.

No penúltimo dia da data final do cronograma do Grupo de Trabalho, marcado para o dia 15, as nossas representantes tomaram conhecimento da proposta do governo juntamente com toda a populaçãode Minas, pois o governador já anunciava a proposta passando por cima da comissão
sindicato / governo, que discutiria a proposta salarial. Esvaziou-se assim o sentido daquela comissão, já que apenas uma das partes apresentava a proposta como coisa pronta e acabada.

Não restou outra alternativa para o sindicato do que a de se dirigir para a ALMG, mantendo contato com os deputados que receberiam o projeto de lei do governo com as alterações na carreira e nas tabelas salariais.

A estratégia aprovada pelo comando de greve que se reuniu hoje pela manhã, e que foi aprovada na nossa assembléia, foi uma estratégia sábia: nós nem vamos aprovar na íntegra o projeto do governo, dando aval para tudo o que ele contém e inclusive para a prática antidemcrática do governador mineiro, nem tampouco vamos rejeitar o projeto, pois não há tempo hábil para reiniciar a luta para uma nova proposta ainda este ano.

Decidimos então que será preciso acompanhar de perto os trabalhos na ALMG e apresentar proposta de emenda que contenha cinco mudanças aprovadas em assembléia, sobre as quais vou falar daqui a pouco. Temos até o dia 30 de junho para resolver essas questões.

Antes, porém, quero descrever o cenário da assembléia. Quem achou que a nossa assembléia, depoi
s da suspensão da greve, seria esvaziada, perdeu a aposta. Eu calculei de 5 a 6 mil pessoas. Alex, próximo de João Martinho e do Anderson, falou em 4 mil pessoas. Se perguntarem à polícia ela dirá que tinha no máximo umas 1.500 pessoas, pois é prática da PM calcular mais ou menos um terço ou um quarto do número de pessoas que realmente aparecem em atos públicos. Enfim, o pátio estava cheio. Claro que não foi igual aos momento de pico da nossa histórica greve, quando ficava gente espremida por toda parte. Mas, tinha muita gente, quase um mar de gente.


Na foto, os professores Wladmir Coelho, Euler e Carla Fortuna (COREU), durante a assembléia de hoje.

Me afastei por um momento da bancada dos bravos guerreiros de São José e Vespasiano e fui até o hall de entrada da ALMG. No caminho encontro com o Igor, um valente, batalhador incansável durante a nossa greve e até os dias atuais. Depois encontrei com o companheiro Wladmir, outro valente, coordenador do Blog do COREU e mais duas colegas da EE Coração Eucarístico. Tiramos uma foto e comemoramos o sucesso da nossa rede de informações alternativas, criada informalmente a partir dos blogs dos professores de Minas e do Brasil.

Em seguida, mais adiante encontro a comapanheira Beatriz. Pensei até que ela ia me xingar. As meninas dessa greve são mais bravas do que a gente. Mas, não. Estava alegre. Tinha cumprido uma missão dura e espinhosa que é se reunir com este governo. Saiu ilesa e mantinha a confiança que os educadores depositaram nela. E confidenciou que era leitora do meu blog. Mas, cá pra nós, isso já era de se esperar. Até o faraó nesta altura do campeonato deve estar lendo o nosso blog. kkkk. Mas, claro que com uma visitante ilustre como a Beatriz só aumenta a nossa responsabilidade. E irresponsabilidade, também. A gente briga, xinga um ao outro, mas no final estamos juntos no mesmo barco.

E assim foi, a cada passo um novo encontro ou reencontro com mais de uma centena de conhecidos, de novos contatos, que seria impossível citar o nome de todos sem cometer o pecado de esquecer de muitos. Houve até quem me dissesse: Euler, você tem que se candidatar a deputado estadual. Primeiro a risada, né gente - kkkkk -, depois uma resposta singela: não sou filiado a nenhum partido e a me candidatar a alguma coisa, não esperem menos do que o cargo de presidente da República, já que para Papa ainda não tem jeito. Este ano vou deixar pra Dilma.

Muito bem. Enquanto não sou candidato a nada, a não ser a continuar "...sobrevivendo sem um arranhão, da caridade de quem me detesta...", continuo nadando nessa piscina de educadores, que ao contrário da outra, não está cheia de ratos, mas de gente bonita e valente, cheia de afeto, poesia e garra. Mas, a linguiça, só eu quem ganhei, kkkk. Ah, já ia me esquecendo: a Beatriz me disse que em Uberaba ela ganhou dois vidros de pimenta da melhor qualidade. Tudo bem, ela merece!

E assim, após muitos contatos, abraços, apertos de mão e beijos - encontrei até mesmo com uma das minhas irmãzinhas queridas na assembléia - partimos para a aprovação das cinco alterações que foram apresentadas pelo sindicato, a saber:

1) não mexer na estrutura da carreira. (Nível I para ensino médio, nível II para licenciatura curta, nível III para licenciatura plena, etc. Manter o percentual de 22% para mudança de nível e de 3% para mudança de grau. Pela proposta do governo, o nível I começaria com a licenciatura plena, a mudança de nível teria o percentual de 10% apenas e a de grau apenas 2,5%);

2) dizer não ao aumento da jornada de trabalho, com a manutenção da atual jornada de 24 horas. (Neste ponto em particular eu concordo com a proposta do governo, podem me xingar o tanto que vocês quiserem. Acho boa a proposta das 30 horas semanais, sendo 20 horas em sala de aula, cinco na escola e cinco extraclasse. Mas, desde que seja opcional, e mantida a jornada de 24 horas, inclusive em concurso público. Aliás tem um monte de gente, especialmente quem tem um cargo apenas, que concorda comigo. Mas, tem muita gente que discorda. Como as propostas foram votadas em bloco, eu votei a favor do conjunto de propostas, pois esta não é uma questão de princípio para mim);

3) garantir reajuste anual acima da inflação. (Na minha avaliação talvez este seja o principal ponto. Eles falaram numa data base. Na minha opinião dever-se-ia seguir o que diz a lei do piso em relação à data: reajuste obrigatório todo mês de janeiro de cada ano);

4) aumento salarial ainda em 2010 e não em março de 2011. (Eis outro ponto importantíssimo. Se não conseguir para este ano, que se amarre em lei pelo menos para janeiro de 2011. Mas, devemos lutar até o último momento para que se apliquem as novas tabelas ainda em 2010);

5) a manutenção das gratificações conquistadas ao longo do tempo (quinquênios e biênios. Na minha opinião, é fundamental garantir pelo menos os quinquenios dos mais antigos e também assegurar o posicionamento dos servidores respeitando a combinação de tempo com titularidade).

Em suma, foram estes os pontos aprovados durante a assembléia, e quem me passou as anotações foi a companheira de luta Cláudia Luiza, outra brava guerreira, ao lado da companheira Carminha, ambas diretoras da subsede do SindUTE de Vespasiano.

Além disso, foi aprovada também a paralisação e o acompanhamento dos trabalhos dos deputados na ALMG na terça-feira, a partir das 9h. É fundamental comparecermos em peso neste local e data e marcar passo a passo, numa vigília que se necessário deve atravessar o dia e a noite e o dia seguinte. Preparem suas barracas de camping, água mineral, tragam farinha de casa - se sobrar um pouco da linguiça de Mutum eu prometo que levo. Peçam para a Beatriz levar a pimenta de Uberaba que vai dar uma saborosa farofa. O café é por conta da casa, lá na ALMG.

É isso gente, agora se me dão licença, vou saborear alguns pedaços de linguiça, que o óleo já está no fogo. Hummmm sintam a fumaça. Tá bom demais! Até mais tarde e um beijo no coração de cada um/uma das/dos mais aguerridas/os educadores mineiros. Até mais.


Leiam também o Informativo Nº 14 do Blog do COREU, clicando aqui

Vejam o Boletim Nº 14 do SindUTE distribuído durante a assembléia de hoje, clicando aqui

10 comentários:

  1. Vamos aguardar com com afeto, com linguiça,
    com pimenta e um copo bem cheio de água... Se pelo menos pudermos ter tudo isso até o aumento chegar tá bom. Ah, pede pro governador a farinha, depois de tudo misturado ficará ótima a farofa...Quem sabe ele poderá ser nosso convidado principal par enfeitar o prato?

    ResponderExcluir
  2. Euler, sou teu fã. Meu, você é uma mistura do mensageiro grego Hermes mais a bravura de Marte... E graças a "Deus", não és um marciano que justifique a existência de ufólogos, e sim um bravo mineiro que encoraja outros tantos como eu. 1. Sobre o aumento da carga horária, penso que é uma forma do governo resolver a falta de professores. 2. Com o fim do Quinq. não teremos férias prêmio.

    ResponderExcluir
  3. Euler, o seu blog está virando uma febre, já passei seu endereço para mais dois colegas, força companheiro, do colega Betão.

    ResponderExcluir
  4. Só você mesmo Euler para mim fazer rir um pouco neste momento tão tenso em que eu esperava seu texto, para ficar a par dos acontecimentos da tarde de hoje.

    Obrigada pela lembrança, colega, fiz até discurso na Escola para todos irmos à Assembleia para no mínimo rever os amigos, mas infelizmente,não consegui.Estava/estou mal... Até tentei, confesso, mas resolvi seguir os conselhos e graças a Deus eu os ouvi, senão...

    Já me disseram que eu estava era nervosa... e estou quase acreditando nisto! Acho que "amarelei", meu marido que acabou de chegar falou que tem certeza porque estou literalmente "AMARELA".

    Adriana já havia me contado da linguiça, e outros detalhes, mas sobre a Assembleia seu conselho foi:

    "Veja no Blog do Euler, ele não carrega nada, mas sabe de tudo, só abriu uma exceção hoje por causa da linguiça que ganhou e não deixou ninguém colocar a mão nela".

    Lendo seu texto,me senti lá com vocês, obrigada por me proporcionar este prazer.

    Já ia escrever que "ninguém, nem nada se segura na terça", mas lembrei da minha mãe a tempo, porque ela sempre me fala: " Minha filha, a gente não fala assim, a gente fala "se Deus quiser". Então digo,Terça-feira, se Deus quiser vou estar lá na luta novamente.

    Bom apetite!!!
    E boa noite!

    ResponderExcluir
  5. Chegamos a um novo momento da luta. É hora de concentrarmos os esforços na ALMG, seja de forma presencial ou virtual. Todos pressionando os deputados para que modifiquem a proposta de acordo com o que queremos, aliás, de acordo com aquilo que é necessário para o início da valorização da nossa carreira! Estamos vencendo. bjs a todos.

    ResponderExcluir
  6. Euler, como fica a situação de quem tem 2 cargos, será que poderá optar por 30 horas nos dois ? Abraços

    ResponderExcluir
  7. Caro Euler, não pude comparecer às assembléias por ter uma filha pequena que mora comigo (somos só nós dois) mas acompanhei cada passo do que aconteceu através deste blog e outros que encontrei, porém sinto que estive lá e alguns companheiros de Leopoldina foram e relataram toda a emoção de estar perto de vocês. Quanto ao governo, ahh esse governo... esses caras vão nos encontrar nas eleições e não vão sentir nem cheiro do nosso precioso voto. Abraços e aproveite o seu presente, você merece.
    Ruy Aguiar, Leopoldina

    ResponderExcluir
  8. Caro Euler, também concordo com o aumento de jornada opcional. Acho que 30 horas, sendo 20h em sala de aula, não vai diminuir vaga de ninguém. Eu, particularmente só tenho um cargo (Língua Portuguesa) e sempre pego 20h/aula (exigência curricular); e sempre que posso pego extensão para aumentar os "caraminguás".
    Mas quero falar do quarto item: se não houver o aumento para esse ano, deveríamos rejeitar completamente a proposta do governo, para não deixá-lo fazer nome em cima da nossa classe. Aí, no próximo ano, já poderíamos começar negociando em janeiro com o próximo governador, que Deus queira que não seja esse. Não chegando a acordo, começaríamos o ano letivo em greve. A lei garante essa mudança para este ano se for votada até dia 30 de junho. Então, não percamos o foco. Terça, estaremos todos lá e espero te conhecer pessoalmente.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Eu de novo... me esqueci de dizer:
    Será por que tanto o Anastasia quanto o Aécio detestam os professores? Não custaria nada eles aceitarem a proposta do Sind-UTE para o PISO (aquela do piso proporcional a R$ 1.024,00). E ainda acho que foi um absurdo eles acabarem com a progressão (biênios e quinquênios) para quem ingressou depois de 2003.
    Quantos milhares de reais são gastos pelo estado em verbas extras para gabinetes, salários altíssimos para alto-escalão, ajudas de custos para quem nem precisa de ajuda, etc.? Se alguém puder responder essa pergunta...
    Anastasia ainda tem a cara-de-pau de "pagar de gatinho" com essa proposta na mídia, tentando novamente jogar a população contra a nossa categoria... Vai entender!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Beatriz Amigo Poncio18 de junho de 2010 02:18

    Ei meu querido, chegamos a Mutum há mais ou menos uns 15 minutos, sendo agora 01:54 da madrugada, mas é claro não poderia dormir sem passar por aqui e deixar o meu recado. Obrigada tb pelo carinho e receptividade que tive ao nos encontrarmos para a entrega da tão recomendada linguiça e dvd feita pela colega Silvia.Confesso que quando cheguei no pátio da assembleia já se aproximando a hora eu fiquei meio preocupada, pois haviam poucos colegas, e ficavam só te catando por todos os lados e nada, além da preocupação da quantidade de colegas e é claro não te encontrava até que de repente o pátio começo a encher, encher e eu acredito tb haviam uns 4 mil colegas espalhados naquele lugar, e veja bem que dai a pouco eu vejo a turma de verde, que por sinal não sei porque alguns momentos eu confundi as cores achando que era a turma de laranja que era os coleas de vespasiano, mas quando consegui te achar, Graças a Deus as minhas preocupações acabam, pois vi um pátio cheio e minhas entregas sendo feitas e literalmente realizadas.Quero dizer tb que a entrega da linguiça não foi pessoalmente pela colega Silvia, pois a mesma já havia firmado outro compromisso há mais tempo, mas a mesma foi bem representada por nós com uma turminha com um numero bem significativo. Agora vou dormir e por sinal muito feliz com a tão sabia decisão da colega e chará Beatriz e demais integrantes do sindicato e se Deus permitir estaremos em BH e o melhor com cheirinho de vitória, conquistas e não vamos esquecer com cheirinho de linguiça Mutuense. Abraços amigo.Que Jesus te abençoe. Beatriz Amigo Poncio

    ResponderExcluir