domingo, 13 de novembro de 2011

Propaganda paga não vai esconder o que o governo de Minas vem fazendo com os educadores. Devia pagar o piso e pronto!



Redução salarial no pagamento de julho de 2011, cortes nos meses de agosto e setembro e contracheque zero no pagamento de outubro: no ano do piso salarial nacional, educadores de Minas recebem confiscos e cortes. E ainda falam em propaganda que valorizam os educadores...




Propaganda paga não vai esconder o que o governo de Minas vem fazendo com os educadores. Devia pagar o piso e pronto!

Confesso a vocês que não tive o desprazer de ver ou ouvir a propaganda que o governo de Minas, mais uma vez, teria veiculado na mídia mineira em novo ataque aos educadores. Foram os nossos ilustres navegantes que trouxeram tal infeliz acontecimento através dos comentários que enriquecem este espaço. Ultimamente quase não tenho sintonizado em rádios e TVs, cujo conteúdo é quase sempre empobrecedor e nos emburrece, ao invés de proporcionar uma reflexão sadia e crítica do nosso cotidiano.

Mas, tomando como base o depoimento de vários colegas que assistiram à propaganda do governo em novo ataque aos educadores, o que podemos fazer é um chamado à comunidade para que ela cobre do governo o cumprimento da lei - coisa que o governo de Minas não fez até agora em relação à Lei do Piso, entre outras.

Pelo que disseram os colegas, o governo teria mencionado o piso de R$ 1.597,00 da CNTE e também as tais reposições da greve de 2010 supostamente não realizadas. Os dois temas já estão mais do que superados, e se o governo os apresenta para a população, ao invés de dizer que pagará o piso como manda a lei, é porque, mais uma vez, pretende aprontar pra cima dos educadores.

Com relação ao piso da CNTE, este assunto foi superado quando o sindicato aceitou flexibilizar a proposta da categoria para o piso do MEC, que era aquele que o governo vinha divulgando para todo lado, o de R$ 1.187,00. Quando o sindicato, atendendo em grande parte à pressão feita pelo nosso blog, aceitou o piso proporcional do MEC, desmontou a ladainha do governo, que passou a não mencionar mais o piso do MEC, dizendo apenas que já o pagava por meio do subsídio. Mas, esqueceu-se o governo de dizer que, além do subsídio, existe na rede estadual um outro sistema remuneratório, que por sinal, é o original, criado pelo próprio governo em 2004 e 2005, composto por vencimento básico e gratificações.

Cerca de 153 mil educadores optaram pelo antigo sistema de vencimento básico - e isso o governo não explicou para a população. O governo também não explicou que neste sistema de vencimento básico, os educadores continuam recebendo piso salarial de R$ 369,00 - para o profissional com ensino médio -, e R$ 550,00 - para o profissional com ensino superior, numa clara agressão à Lei do Piso e aos valores que o próprio governo dizia reconhecer - que era o piso do MEC.

O governo também não explicou para a população que ao invés de pagar o piso no antigo sistema, aplicou um novo confisco salarial contra os 153 mil educadores, com uma redução ilegal nos valores nominais dos vencimentos que, em julho deste ano foram alterados para menos, ou seja, os salários reajustados em janeiro deste ano, por força de lei e com previsão orçamentária, voltaram aos valores de 2010, num acontecimento sui generis no país. Como relatei em outro post, tive uma perda pessoal de R$ 4.200,00 entre os cortes durante a greve e a redução mencionada. Outros colegas tiveram perdas ainda maiores. Isto sem falar no fato de que sobrevivemos durante vários meses com salários cortados - apesar da nossa heroica greve não ter sido declarada ilegal -, e até mesmo com contracheque zerado, ou seja, sem-salário durante mais de 50 dias, mesmo após a suspensão da nossa greve - o que constitui em mais um ato de crueldade covardia e desumanidade contra os educadores mineiros.

O governo de Minas não tem moral para vir a público criticar os educadores, pois é ele quem está em débito com os 380 mil educadores da rede pública, entre ativos e inativos. Enganou os educadores que ficaram presos ao subsídio, confiscando-lhes o tempo de serviço, as gratificações e sonegando-lhes todas as vantagens que a Lei do Piso proporcionaria, caso eles pudessem usufruir desse direito. E aos 153 mil educadores que optaram pelo antigo sistema, o governo tem se recusado a pagar o piso como manda a lei, ou seja, aplicando-o nas carreiras existentes, seguindo os percentuais de promoção e progressão existentes nas tabelas em vigor no estado. Ao invés disso, o governo tenta agora destruir o nosso plano de carreira e as tabelas que estão vinculadas a este plano. Coisa que o governo jamais faria, por exemplo, com a Polícia Militar, a qual recorre com frequência para reprimir os educadores em greve, ou aos moradores das comunidades de ocupação e outros movimentos sociais. Claro que o pessoal de segurança, aí incluídos os policiais militares, quando no exercício de suas atividades em favor do cidadão, merece todo o nosso respeito e somos favoráveis a que sejam valorizados com salários dignos e condições adequadas de trabalho. Mas, não aceitamos que sejam usados para reprimir trabalhadores, pois isso faz parte da herança de triste memória da época da ditadura militar, cujo legado de terror e mentira parece ser do gosto do atual governo.

Com relação às supostas reposições de aula não realizadas no ano passado - acusação que beira à irresponsabilidade, pois é feita de forma generalizada -, quem deveria se desculpar perante a comunidade é o próprio governo. Quem tem a tarefa de zelar pelo acompanhamento das reposições e inclusive contratar novos servidores caso seja necessário é o governo. Aliás, o governo deveria dizer para a população que na greve de 2003 nós fizemos a reposição das aulas e não recebemos por elas. Milhares de educadores sofreram mais este calote do governo, já que tiveram os salários cortados, repuseram as aulas e não receberam por elas. Em 2010, muitos reclamaram que receberam aquém do que foi cortado, já que o governo tem a prática de excluir os sábados e domingos para fins de pagamento, mas não para fins de corte salarial.

Mas, a prova de que nesta questão em especial, da reposição, o governo não está agindo corretamente com os educadores é que não cumpriu o que fora acordado com o sindicato, de que pagaria o salário de novembro integral para os grevistas. Vários colegas receberam contracheques zerados ou com valores reduzidos. A desculpa esfarrapada do governo é que o novo corte se deve a débitos anteriores ao mês de setembro. Ora, tem que haver uma mentalidade muito mesquinha para querer aplicar esta cobrança justamente no minguado salário pago em novembro, após três meses de cortes e de salário zero no contracheque de outubro. Trata-se de mais um ato de covardia, de desumanidade e de abuso até de poder, uma vez que tais cortes, se necessários, poderiam ser realizados em outro momento, talvez em meados de 2012, quando a situação do servidor já estivesse mais ou menos equilibrada.

Ou seja, o governo continua apertando a corda e passando feito trator sobre os direitos dos educadores. Não demonstra o governo a mesma rapidez aplicada aos cortes, quando se trata de nos pagar os direitos assegurados em lei. Por acaso o governo se dispôs a nos pagar o piso a que temos direito, inclusive de forma retroativa? Por acaso se dispôs o governo a negociar o pagamento ou a concessão do terço de tempo extraclasse que consta da Lei do Piso? Por acaso está o governo em dia com a publicação dos biênios, quinquênios, das promoções e progressões a que fazemos jus?

Além disso, o governo não pode sequer alegar falta de dinheiro em caixa como argumento para aplicar os novos cortes, pois manteve nas escolas um exército de 3.000 pessoas como substitutos dos servidores em greve, mesmo após a suspensão da greve. Por mais de um mês o governo teve caixa para pagar salários acima daqueles que paga aos educadores efetivos para este exército de substitutos, a maioria dos quais sem habilitação sequer para lecionar.

Tudo isso mostra o desrespeito e o descaso do governo para com os educadores e com a Educação pública em Minas. O governo aposta na divisão da categoria o tempo todo, para implementar sua política de choque de confisco salarial, sonegando direitos constitucionais. Sua política é de sucateamento da Educação pública, para que o estado possa oferecer um ensino qualquer, de aparência apenas, com pessoal sem qualificação - já que com essa política em pouco tempo nenhum estudante vai querer seguir o ofício do magistério -, verdadeiros tomadores de conta de crianças filhas dos trabalhadores de baixa renda.

Trata-se de um desprezo de classe, que beira também ao preconceito para com os mais pobres da população - tanto os educadores, que são trabalhadores de baixa renda, a maioria formada por mulheres, bravas guerreiras - um outro preconceito, aliás, dos nossos governantes, de Minas e do Brasil -, e aos filhos dos trabalhadores de baixa renda. Um duplo preconceito, portanto: de classe e de gênero. E se fizermos um levantamento mais a fundo descobriremos também um terceiro preconceito, de natureza racial, já que uma parcela muito expressiva dos educadores é composta por colegas afrodescendentes, como é o caso do nosso comandante NDG João Martinho, uma das grandes lideranças do movimento negro, de classe e de luta.

Portanto, o desprezo do governo pelos educadores tem todas esses componentes e origens de recusa das elites aos pobres, às mulheres, aos negros, aos índios, aos sem-terra, aos sem-teto. É um governo de elite, para as elites, que vive de propaganda paga, como a que agora as pessoas dizem ter visto ou ouvido.

Mas, não se iluda o governo em relação a este esquema montado em Minas, e que cada vez mais cai em descrédito. Para além da propaganda, as pessoas estão em contato diário com a realidade que é vivida pelos educadores. Realidade de salário de fome, de condições inadequadas de trabalho, enquanto na propaganda tudo parece o paraíso. Minas e o Brasil vão sediar a Copa do Mundo, constroem enormes estádios e cidades administrativas, esbanjam riqueza e luxo quando se trata de atender aos de cima; mas, quando se trata de valorizar aqueles que trabalham diretamente com a população de baixa renda, como o pessoal da Educação, da Saúde e da Segurança Pública, o governo corta salários, ataca pela mídia, reduz salários e trata com total desprezo, além de sonegar direitos constitucionais, como o piso salarial nacional.

Logicamente que o resultado dessa desastrosa política não poderá dar em outra coisa senão no aumento das mobilizações populares, das lutas sociais e da resistência organizada dos de baixo contra os ataques dos governos, especialmente do governo de Minas.

Que o governo aproveite o feriado para realmente estudar e apresentar uma proposta decente de pagamento de piso, que contemple a lei federal aplicada ao plano de carreira existente no estado. Se o governo não quiser que aconteça uma sistemática ação de mobilização, de boicote, de paralisações, de operações tartarugas, de denúncias públicas, de mobilização das comunidades escolares, que ele passe a respeitar os educadores de Minas, coisa que até agora não o fez.

É bom que o governo saiba que o tempo da escravidão já acabou. Que ele precisa educar melhor seus assessores diretos a tratarem os servidores e a comunidade pobre com mais respeito, inclusive com mais respeito à inteligência das pessoas. Embora algumas pessoas investidas de poder pensem que podem tudo, é sempre bom lembrarem que este poder é também finito, mais até do que o orçamento do estado. Como também nunca é demais lembrarmos aqui o que diz a nossa Carta Magna logo no primeiro artigo:

"Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição."

Cada vez mais este poder deve ser exercido diretamente pelos de baixo, tendo em vista a postura que têm assumido aqueles que deveriam praticar uma representação que respeitasse o princípio constitucional, do poder que emana do povo, e não contra o povo, como ora se verifica.

Cumpram a lei federal e paguem o nosso piso na carreira, senhores governantes de Minas e do Brasil, e nem precisarão gastar dinheiro com propagandas enganosas para nos atacarem.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

Frei Gilvander:


Governador Anastasia X Professoras, em Minas Gerais.


Indignação diante da postura do Governo de Minas Gerais, Sr. Antônio Anastasia, com relação às reivindicações dos Professores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais.



Fiquei indignado com a propaganda das Secretarias da Educação e do Planejamento do Governo de Minas Gerais demonstrando uma postura de total insensibilidade e truculência sobre o SINDUTE-MG – Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação do Estado de Minas Gerais – e sobre os professores da Rede Estadual de Minas. Diante dessa postura nada democrática, não podemos nos calar. Acompanho de perto a realidade das escolas estaduais de Minas e a luta dos professores pelos seus legítimos direitos que estão sendo negados, inclusive o Piso Salarial Nacional, que não está sendo pago. Por isso, partilho com milhares de pessoas 3 entrevistas no Programa Palavra Ética, da TV Comunitária de Belo Horizonte – TVC/BH – com 3 professoras que sentem na péle a realidade da educação pública em Minas. Elas, sim, têm autoridade e legitimidade para falar. Ouçamos o que nos dizem três professoras da Rede Estadual de MG: Beatriz da Silva Cerqueira, Mônica Maria de souza e Silvânia Morais.


Cf., via internet, nos links, abaixo.


Sob a coordenação de Gilvander Moreira, no Programa Palavra Ética, da TV Comunitária de Belo Horizonte -- TVC/BH -, Beatriz da Silva Cerqueira, Coordenadora Geral do SINDUTE -- Sindicato Único dos Trabalhadores/ras da Educação do Estado de Minas Gerais, se apresenta, fala um pouco de sua história, analisa a situação da Educação Pública em Minas Gerais, justifica a pertinência da Greve dos Professores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais -- maior greve da história de Minas (112 dias de greve, terminou em 29/09/2011) - e denuncia o Governo Antonio Anastasia por não estar ainda cumprindo Lei Federal que manda pagar Piso Salarial Nacional para professores. Para maiores informações, cf. www.sindutemg.org.br ou www.blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com
Belo Horizonte, MG, Brasil, 30/08/2011.


1) Palavra Ética com Beatriz Cerqueira, do SINDUTE: http://www.youtube.com/watch?v=5QuIDfzORcs


No Programa Palavra Ética, da TV Comunitária - TVC/BH - Gilvander Moreira entrevista Mônica Maria de Souza, da coordenação do SINDUTE-MG. Mônica fala da sua luta como professora e como sindicalista. Faz uma análise da mais longa greve do estado de Minas, que foi a greve dos professores da Rede Estadual de Educação do Estado de Minas Gerais. A reivindicação básica foi o pagamento do Piso Salarial Nacional da Educação que ainda não está sendo pago pelo governo estadual. Para maiores informações cf. www.sindutemg.org.br

... (mais informações)


2) Palavra Ética com a profa. Mônica Maria de Souza, do SINDUTE:

http://www.youtube.com/user/palavraetica?feature=mhee#p/u/20/3tB0aJ6q_gI


Sob a coordenação de Delze dos Santos Laureano, no Programa Palavra Ética, da TV Comunitária de Belo Horizonte -- TVC/BH -, Silvânia Morais, professora da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais e integrante das Brigadas Populares, Silvânia, que trabalha com educação de pessoas portadoras de necessidades e direitos especiais, faz uma rápida retrospectiva da sua história de luta, analisa a situação da educação pública em Minas Gerais e conta como foi participar ativamente da mais longa greve do estado de Minas, que foi a Greve dos professores da Rede Estadual: 112 dias. Luta pela Piso Salarial Nacional e etc. Belo Horizonte, MG, Brasil, 04/10/2011.


3) Palavra Ética com a professora Silvania Morais, das Brigadas Populares:

http://www.youtube.com/watch?v=GMgKayDFaGE


Abraço terno. Gilvander Moreira, frei carmelita.

www.gilvander.org.br

gilvander@igrejadocarmo.com.br

facebook: gilvander.moreira

twitter: gilvanderluis


105 comentários:

  1. Bom dia Euler e demais colegas,

    Sem ao menos ter assistido as agressões feitas pelo governo, a nós sindicato, ontem na tv (infelizmente não tenho estômago para assistir globo), estou indignada pelo que li nos comentários a respeito disso. Tem o lado bom da situação; é a força que atitudes hipócritas e indecorosas como esta nos dá para lutar com mais garra.
    Caros colegas. Não vamos deixar passar a oportunidade nesta semana, de esclarecer ponto a ponto, para nossa comunidade escolar, o que realmente tem acontecido com a categoria.
    Estou aqui neste momento, confeccionando cartazes, como aqueles usados pelo Rogério Correia no dia 09/11/11, na Assembleia, quando perfeitamente explanou nossa situação. São três cartazes. Um mostra como ficaria nossos salários a partir do deprimente projeto que está na Assembleia. Outro como ficaria com os ridículos 5% nos níveis, como foi apresentado pelo governo na penúltima reunião. E por fim, como é o quase justo, aplicando o piso dentro do nosso plano de carreira. Vamos usar esses cartazes para apresentar aos alunos e pais, na quarta e quinta-feira desta semana.
    Reúnam pais e alunos e esclareçam todos fatos. Não deixemos que o governo deboche e desrespeite o sindicato e ainda diga a todos que somos meros fantoches como se não tivéssemos capacidade intelectual.
    Na quinta-feira, dia 17/11, ao reunirmos com a comunidade escolar (e temos que fazer isso) se inteirem perfeitamente da situação para poderem argumentar de forma clara e principalmente, correta a respeito dos acontecimentos.

    Até a vitória
    Patrícia da Costa Mata
    João Monlevade

    ResponderExcluir
  2. Olá Euler!

    Sugiro que deixe na página principal um post permanente de movimentação. Assim, o servidor estabelece contatos e avalia as sugestões postadas por outros colegas no que diz respeito à mudança de lotação, remoção ou permuta conforme o caso.

    Esse micro blog responde melhor dado a morosidade e burocracia das metropolitanas em conceder esse benefício não pecuniário somente duas vezes por ano.

    Se algum professor de GEOGRAFIA lotado na Metropolitana 'A" - regional Nordeste da capital - tiver interesse em movimentação por permuta para escola localizada na regional Centro-sul, deixe e-mail de contato. Motivo: estou mudando de endereço em 2012.

    Gde abraço! Paz e bem!

    Sem mais,

    Flávio/Bhte

    ResponderExcluir
  3. Vamos twitter, divulgar isto para o Brasil e o Mundo, da um basta nos desmandos do Aecio e Anastasia:

    -Cumpram a lei paguem o piso na carreira governantes de Minas e do Brasil, parem gastar dinheiro com propagandas enganosas para nos atacarem.

    -Propaganda paga não vai esconder o que o governo de Minas vem fazendo com os educadores. Devia pagar o piso e pronto! http://blogdoeulerconrado.blogspot.com/

    -A mulher da saia preta esta na midia, com suas inverdades, tentando jogar a população contra os professores kd a lei, STF?

    -Minas Gerais, mais uma vez gasta milhões com a mulher da saia preta, falando inverdades dos professores. Cumpra Lei e pague o piso diz STF.

    -Em Minas Gerais, negar direitos que os professores tem com propaganda enganosa é melhor do q assumir que o estado esta em crise, pelo PSDB.

    -A verdade é que Minas Gerais deve quase 70 bilhoes para governo federal, nega cumprir a lei 11738/08 piso aos professores, julgada pelo STF.

    -A GREVE DE MINAS DA EDUCAÇÃO - Resta ao governo estadual respeitar as Leis Estaduais 15.293/04 e 15.784/05, além da Lei Federal 11.738/08.

    ResponderExcluir
  4. TRISTE REALIDADE DESTE ESTADO ONDE PODE SE INTITULAR"ESTADO DA FANTASIA" VENHO AQUI ESCREVER E DEIXAR MARCADO O QUE EU PRESSINTO APÓS TODAOS OS DIAS DA INESQUECÍVEL E MARCANTE GREVE DE 112 DIAS .APÓS TODA ESTA TRAGICO-COMÉDIA DA PROPAGANDA ENGANOSA NA MÍDIA MINEIRA E QUIÇÁ BRASILEIRA.SEI QUE ESTA BESTA DO APOCALIPSE VISITA ESTE INCRÍVEL BLOG QUE DIGA-SE DE PASSAGEM É O ALENTO E ACALANTO PARA TODOS QUE AQUI PASSAM.TRISTE FIM DESTE SER DESUMANO TRAVESTIDO DE HOMEM SER CRIADO PARA O AMOR.TIVE UM GRANDE SONHO E QUERO DEIXAR AQUI EXPOSTO .ESTE SER TERÁ UM DRAMÁTICO FIM.SEUS DIAS SERÃO DE AGONIA E DOR.TUDO QUE CADA UM DE NÓS PASSOU NESTES POUCOS DIAS (PARA O UNIVERSO - DEUS O TEMPO NÃO É CONTADO COMO O NOSSO TEMPO )TUDO...TUDINHO ESTÁ SENDO CONTABILIZADO NA ESFERA UNIVERSAL E SERÁ RETORNADO A QUEM DE DIREITO OS CRIOU.OU SEJA A LEI DO RETORNO É INFALÍVEL E IMPERDOÁVEL.ESTAMOS ENTRANDO 2012 E TUDO SERÁ CLARAMENTE CUMPRIDO.CADA DIA SERÁ COBRADO COM REAÇÕES DE ACORDO COM AS AÇÕES.VAMOS SER VITORIOSOS NAS NOSSAS QUESTÕES.SABEMOS QUE TEREMOS DE LUTAR AINDA MAS SEREMOS VITORIOSOS SEM DÚVIDAS.QUE ESTE AVISO SIRVA COMO ALERTA A ESTE SER E SUAS CÚMPLICES .

    ResponderExcluir
  5. Essa pessoa que ocupa o cargo de governador de MG é um verdadeiro psicopata. Veja uma das definições de psicopata no livro Mentes Perigosas de Ana Beatriz Barbosa Siva. "Os psicopatas em geral são indivíduos frios, calculistas, inescrupulosos, dissimulados, mentirosos, sedutores e que visam apenas o próprio benefício. Eles são incapazes de estabelecer vínculos afetivos ou de se colocar no lugar do outro. São desprovidos de culpa ou remorso e, muitas vezes, revelam-se agressivos. Em maior ou menor nível de gravidade e com formas diferentes de manifestarem os seus atos transgressores, os psicopatas são verdadeiros "predadores sociais", em cujas veias e artérias corre um sangue gélido". ... Esses indivíduos charmosos e atraentes frequentemente deixam um rastro de perdas e destruição por onde passam. O jogo deles se baseia no poder e na autopromoção às custas dos outros, e eles são capazes de atropelar tudo e todos com total egocentrismo e indiferença".

    ResponderExcluir
  6. Não espero nenhuma novidade para a reunião do dia 16/11! Ele vai novamente tentar nos enrolar! Vamos acabar com ele através de bons advogados particulares! Vamos arrancar o piso integral e todo o retroativo corrigido!

    ResponderExcluir
  7. Conclamo a todos que possuem twitter que publiquem a rashtag #Anastasiaforadalei, vamos fazer ela ir para os primeiros lugares dos tt's seria uma forma de chamar a atenção para nossa situação!!!

    ResponderExcluir
  8. Penso que nós professores deveríamos encontrar uma forma de um direito de resposta a esse governo. Não fazendo como o sindute faz usando aqueles textos como propaganda, mas gravando um vídeo com depoimentos dos próprios professores sobre esse governo. O SINDUTE não é algo inteligível, mas somos todos nós, o governo fala do SINDUTE como se fosse algo que os professores não estão envolvidos. Devemos mostrar que o sindicato somos nós e sermos "agressivos" com esse governo. Penso que deveríamos fazer uma propaganda,mesmo que fique cara- mas que fosse impactante e reafirmando que vamos fazer paralisações, não vamos aplicar essas provas que o governo manda e que queremos nosso piso de 1,187,00 reais e que o governo deixe de gastar dinheiro com tantas propagandas e respeitem quem realmente se preocupa com a educação que somos nós professores. Penso que seria uma grande forma de sensibilizar a população e desmascarar esse governo.

    ResponderExcluir
  9. Boa Tarde Colegas
    Pela reação do governo ( com a propaganda enganosa de ontem à noite)o caminho é mesmo bocoitar as avaliações sistêmicas. Vamos fazer uma corrente nas nossas escolas. NÃO ÀS AVALIAÇÕES!!!

    ResponderExcluir
  10. Não contemos mesmo com nenhum passo em prol da categoria, por isso devemos mesmo enxovalhá-lo por todos os cantos do país, para que o brasileiro saiba que tipinho de governo tem-se em Minas Gerais, devemos tirar a máscara desse sujeito que posa de fino e de bom moço. Vamos malhá-lo de agora, até 2014, sem tréguas e a corriola dos deputados, também, a nossa META daqui para frente tem de ser o PISO na CARREIRA e a destruição deste governo, banir todos, vamos nos valer da rede social para desgastá-los ao máximo.

    ResponderExcluir
  11. Temos que trabalhar incessantemente para desmascarar este governo. Quem está perto dos alunos somos nós, perto das famílias deles somos nós, então aproveitemos dessa oportunidade e acabemos com esses calhordas que estão aniquilando a sociedade. Vamos aniquilá-los, antes que nos aniquilem cada vez mais.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia a todos os amigos do NDG/NDE.

    E a criação do nosso partido: PEB - Partido dos Educadores Brasileiros (embora alguns não gostem dessa sigla, sou muito simpática a ela, aliás, foi criada por mim rsrsrs), ou PNE - Partido Nacional dos Educadores, ou ainda como preferem alguns PTE - Partido dos Trabalhadores em Educação (pessoalmente não gosto dessa sigla - lembra outro partido que não simpatizo), embora odeie antes de qualquer outro partido o PSDB.
    Vamos minha gente providenciar a criação desse partido (temos colegas advogados que demonstram aqui muita competência, além de nosso advogado nato Euler) e lançar nossos colegas candidatos. Precisamos unir o Brasil nessa causa. Já pensaram os educadores brasileiros unidos, lançando seus candidatos e combatendo esses políticos inescrupulosos? Poderemos eleger quem nós quisermos e derrotar quem nós quisermos também.
    - Euler candidato.
    - Beatriz candidata (embora ela nunca publique meus comentários. Até hoje não identifiquei os motivos, pois não sou adepta a palavras chulas nem de baixo calão! rsrsrs - só um desabafo).
    - João Paulo Ferreira candidato.
    - Cristovam Buarque candidato.
    - Rogério Correia candidato.
    - Vários outros colegas e raros outros políticos sérios candidatos.

    VAMOS MUDAR ESSE PAÍS!

    SOMOS FORTES, SOMOS VALENTES, SOMOS INVENCÍVEIS, SOMOS NDG!

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  13. EULER

    Um Diretor pode por conta própria manter os professores substitutos na escola só para humilhar os professores grevistas.
    Aqui na EE TRES PODERES - SRE C nenhum substituto foi dispensado. Estão todos no computador ou contado piada e o diretor rindo da cara do sindicato.

    ResponderExcluir
  14. Fiquei preocupado com o argumento de uma pessoa que me disse que a questão do confisco salarial feito pelo governo e nossa reivindicação para que nos pague o que foi furtado seja um desvio de foco para a questão principal que é o piso salarial. Argumentaram dizendo que quando deixamos o subsídio sabíamos que teríamos a redução salarial. Ora, precisamos ter cuidado, pois o que o governo fez fere a Constituição Federal e se pensarmos assim estaremos concordando que no Brasil constituição só no papel e que Minas é um feudo onde o governador faz o que bem entende. Assim, estaremos nos igualando a toda a politicagem instituída e dizendo amém para as afrontas a nossa lei maior. Fico triste com a falta de discernimento da categoria, principalmente em questões como a LC 100. Essa lei deve ser usada por quem é efetivado sim, sem se esquecer que pertencem a uma categoria e não deixar que o governo use dela para nos dividir ou iludir com uma eternidade que sabe lá até quando vai durar. Quem tem ouvidos para ouvir e olhos para ler fique esperto!

    ResponderExcluir
  15. Caro governador e sua turma de incompetentes,
    se os professores não fizeram a reposição no ano passado é porque faltou organização por parte do governo, da secretaria e diretores de escolas.
    Para começar, o calendário é feito nas escolas por uma equipe, é mandado para a secretaria para ser aprovado e então entregue aos diretores para fazer cumpri-lo.Quem errou? Quem deixou de cumprir? Os professores? Não me faça rir.....
    Pare com a mentirada e paga logo este piso e vamos viver todos em paz, dormindo tranquilamente.
    Acoooooooorrrrrrda, governador.

    ResponderExcluir
  16. Patrícia de João Monlevade,

    Boa ideia. Poste pra nós este material e a gente o reproduz em tamanho grande.

    Não paremos a nossa luta. A hora da verdade está chegando... e ele sabe disso!

    ResponderExcluir
  17. "A mulher da saia preta" kkkk!!!

    Acho que o governador acredita nas proprias mentiras de suas propagandas ou é um louco mesmo.

    IMPEACHEMENT JÁ!!!!

    ResponderExcluir
  18. Euler e companheiros/as de luta.

    Mais uma explanação maravilhosa sobre a situação dos educadores em Minas Gerais. Não resisti à leitura pessoal, copiei e enviei para todos os meus contatos por e-mail. O Brasil precisa ficar sabendo das inverdades ditas por este (des)governo.

    Tive a infelicidade de, ao acordar, o rádio despertou-me com esta fala mentirosa do governo. por outro lado, fiquei contente. Conseguimos colocar o dedo na ferida.

    Já deveríamos estar fazendo uso destas estratégias há mais tempo. Não podemos deixar de incomodar, principalmente nos dias de reunião da Comissão Tripartite.

    Espero que a próxima seja a última e se nada for definido, continuo defendendo a ideia de retirada do Sind-Ute da mesa de negociação. Temos muitas coisas pra serem feitas até dezembro se o governo não cumprir, ao menos, o que foi estabelecido no Acordo. Ele deu provas inequívocas, com a sua reação e gastando o nosso " rico dinheirinho", de que não resistirá às nossas ações articuladas.

    Estou em plena recuperação para voltar à luta!!!

    Um abração e bom domingo a todos.

    Joaquim - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
  19. Euler,

    invadiram a Comunidade da Rocinha no Rio para ,segundo dizem, acabar com o tráfico. Você não acha que tava na hora de invadirem Minas e Brasília pra acabarem também com o "tráfico de influência"? Aqui nas alterosas, este mal tem sido tão grande quanto o outro.
    Continuamos sonhando com uma Minas livre. "Liberdade, ainda que com Anastasia". Será possível?

    ResponderExcluir
  20. Estou deixando o blog pra ir twittar. Usarei o rashtag sugerido pelo colega: #Anastasiaforadalei.
    Não podemos dar trégua. A hora é agora!

    Joaquim - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
  21. Anônimo de 12:56 e demais colegas que se interessarem.

    Eu reproduzi em cartolinas mesmo, três tabelas. Duas delas têm aqui mesmo no blog do Euler. Uma cartolina para cada tabela. Vá no post de título "Governo de Minas neoliberal tenta sucatear a educação pública" que você encontra nos arquivos do blog, no lado direito desta página.
    Fiz uma com os valores ridículos propostos pelo governo, onde um professor com doutorado ganharia R$ 908,97. Outra com os valores pedidos pelo sindicato. E fiz mais uma com os valores que recebemos hoje, que começa com os míseros R$369 e vão até R$999 para quem tem doutorado.
    Todos que forem à escola terão acesso as esses dados.

    Vamos planejar com segurança uma reunião com a comunidade e trazer ainda mais gente para o nosso lado!

    Abraços
    Patrícia da Costa Mata

    ResponderExcluir
  22. Euler e colegas,

    Agora seria uma boa hora para colocar alguns out doors, mostrando os contra-cheques e também à sociedade este governozinho mentiroso e hipócrita.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo das 13h24min, sua ideia é ótima (rs), mas o melhor mesmo é se o DITADOR daqui tomasse a mesma atitude de Berlusconi na Itália, renunciasse. Que maravilha seria se ficássemos livres deste MALIGNO!

    ResponderExcluir
  24. Gente, vamos espalhar nossa indignação!
    Vamos escrever para os deputados, ministros, aos jornais. Mostrem a todos como nosso governo é inescrupuloso, cínico, cretino. Já escrevi a todos que pude e continuo fazendo. Precisamos espalhar a verdade. Não se recolham!! Agora mais que nunca AÇÃO!!

    "Enquanto houver perguntas sem respostas, continuarei a escrever..." (Clarice Lispector)

    Patrícia da Costa Mata indignadíssima

    ResponderExcluir
  25. "Deputado Rogério Correia, até quando, Vcs, que são os representantes legítimos dos direitos do trabalhador, deixarão que este governador e seus colaboradores continuem a caminhada em direção às classes trabalhadoras deste estado. BEMGE, Caixa Econômica Estadual já foram extintos , DER está sendo sucateado para o seu, em breve, total extermínio, para que assim possam contratar as empreiteiras a preços superfaturados e agora...Professores, Médicos, Policiais... Por favor Senhor Deputado Rogério Correia, EDUCAÇÃO, SAÚDE e SEGURANÇA PÚBLICA são a base de uma sociedade organizada, não deixem, Vc e os deputados que lutam pela coisa certa, que eles continuem o desmando que andam fazendo. Eu chamo isto de DITADURA, DITADURA CIVIL, o que seria ridículo deixar e temerário se deixarem continuar a acontecer. Façam algo URGENTEMENTE!!!"

    ResponderExcluir
  26. Enquanto isso, o governo ganhou e continua ganhando tempo.Precisamos agir rápido. Penso que devemos suspender as reposições definitivamente.

    ResponderExcluir
  27. Já não basta o que estamos passando nas escolas diariamente, agora temos que aturar mentiras do governo (des) no fds... Mídia comprada com nosso dinheiro!!!

    PESSOAL, TEMOS QUE DESCOBRIR O NOME DAQUELA PESSOA (SER CORRUPTÍVEL) QUE FEZ A PROPAGANDA!!!
    e DETONÁ-LA NA MÍDIA!!! Comungou com Anastasia contra nós, merece "coro"!!!

    ResponderExcluir
  28. Quem tem costume de ouvir rádio , devia nesse momento gravar entrevista e repassar aos alunos , bem como aos pais , a comunidade e até na escola para os colegas. Seria uma forma de desmascará-lo fazendo o paralelo com os contracheques em mãos. Perca não , estaria assim atingindo e ganhando a credibilidade das famílias e derrubando o governo com sua equipe sem ética . Essa equipe comandada pelo desgoverno não sabe o que é ética .!!!!!!!! Todos são insanos, Anastasia ,Renata Vilhena ,Gazzola.

    ResponderExcluir
  29. Feio pra esse desgoverno , está cuspindo e amparando com o rosto ,se é que ele o tem ,digo isso em função do anõnimo das 12.34 ter comentado que o tal sujeito "Anastasia"ter dito que não aconteceu reposição da greve em 2010. O professor é muito comprometido com sua função ,educa até com o contracheque zerado,agora esse déspota não se compromete com a verdade . a cada vez que abre essa boca suja ,só o faz para dar uma de Pedro Bó. Fora Anastasia ,Gazzola ,Vilhena .!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!essa pontuação aí é de ódio ........................

    ResponderExcluir
  30. Que tal , cada um fizesse uma camiseta , sei lá , com o "Anastasia fora da lei"" desgoverna Minas.

    ResponderExcluir
  31. Pessoal ,
    Boa tarde!!!!
    Que tal se cada de nós fizesse sua própria camiseta com :
    Anastasia fora da lei desgoverna Minas!!!

    ResponderExcluir
  32. Completando :
    Sou aposentada e farei uso da minha camisa como uniforme , visitarei SRE ,escolas ,abrirei espaço para seguidores.Outra, farei campanha com meus colegas aposentados e por que não dizer , incentivo ao pessoal da ativa tbm? Usarei na igreja .
    Grande abraço a vc ,Euler e todos os bravos lutadores

    ResponderExcluir
  33. Olá, turma da luta, membros do NDG e demais colegas de combate!

    Acabei de ouvir numa rádio a propaganda do governo. Êta governozinho infeliz! Vou me ater à parte final da propaganda, com a voz feminina parecendo estas propagandas chamativas de TV sobre sites de relacionamento, tentando atrair as pessoas para ligar e encontrar a sua alma gêmea, rsrs.

    Diz o governo que o sindicato está apresentando uma proposta que representa bilhões e que seria impraticável. Ora, pelo que nos consta, o sindicato apresentou a tabela do piso do MEC, que é aquele que o governo diz ser o correto. Logo, não importa o custo deste piso: o governo tem que pagá-lo e pronto. Para isso existem os recursos do FUNDEB e a possibilidade de pedir ajuda para o governo federal, mas nada disso aparece na propaganda fajuta do governo. E ele não presta contas do orçamento da Educação.

    É hora, portanto, de intensificarmos a nossa mobilização, pois tudo indica que o governo deverá apresentar outra proposta indecente e está tentando incriminar os educadores previamente, para que a nossa mobilização não seja bem recebida pela comunidade.

    Mais do que nunca temos que contra-atacar com mais ação, mais diálogo com a comunidade, mais campanha pela internet, outdoors, etc., além da assistência jurídica adequada.

    Sobre este tema - jurídico - quero dizer a vocês que não existe esse negócio de que nenhum escritório queira pegar a nossa causa. Somente na sexta-feira enviei vários e-mails para alguns escritórios e certamente eles nos responderão nesta semana. Vamos aguardar e continuar contatando novos escritórios.

    Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

    Euler

    ResponderExcluir
  34. Já não se faz mais políticos como Athos Vieira de Andrade (in memória), O deputado mostrava resultado de seu trabalho ,fez jus aos seus mandatos , retrubuiu aos seus eleitores com trabalho digno , respeitou a constituição e fez valer sua cadeira na ALMG. Qta saudade !!!!!!!! Agora essa turma ai? !!! é uma turma de come quieto. só trabalha qdo em função própria . Seus próprios aumentos ,legislam na calada da noite . Ainda podemos contemplar com nosso reconhecimento aos poucos que como Rogério Correia estão juntos da classe.

    ResponderExcluir
  35. Temos que contra-atacar mesmo, pois essa onça macha até então estava à espreita, agora resolveu sair da toca, antes que ela dê seu pulo.

    ResponderExcluir
  36. Caríssimos colegas:
    Seria interessante que as subsedes do sindicato tivessem acesso aos vídeos das propagandas do governo na televisão e oferecessem esses vídeos às escolas para que os professores pudessem anexá-lo a outros materias (demonstrativo de pagamento, notícias veiculadas na mídia impressa, a lei do piso, as tabelas salariais, depoimentos de professores quanto à recusa do IPSEMG em atender funcionário contribuinte,etc.)para realizar reuniões com alunos e familiares nos dias de aulas de 35 minutos.
    Interessante seria também se nos cotizássemos para comprar espaço(ainda que pequeno) na mídia impressa regional ou nacional a fim de mostrarmos a real situação da educação em Minas, fruto do descaso da gestão Aécio/Anastasia. Sei que essa ação será um tanto complicada, considerando o receio que tais meios de comunicação têm em melindrar o "faraó e seu afilhado", mas temos em nossos quadros professores talentosos que poderão escrever uma sucinta peça publicitária que dará conta de informar a população sem, entretanto, ser agressiva.

    ResponderExcluir
  37. Concordo com o companheiro João Paulo Ferreira de Assis quando diz que os advogados, em sua maioria são PSDB. Eu tenho três amigos advogados que são tucanos e completamente alienados politicamente.

    Acabei de ver uma chamada para o fantástico de hoje onde será feita uma reportagem sobre os professores! Será que a grobo a TV dos bobos vai falar sobre os míseros salários? Sobre o piso? Duvido muitooo...


    Depois que vi a propaganda do satanasia de ontem mentindo descaradamente fiquei ainda mais revoltada e me deu uma injeção de ânimo e com mais força para lutar sempre! Aiii que ódioo!

    Denise- ATB

    ResponderExcluir
  38. NÃO FALAM POR AÍ QUE QUEM CALA CONSENTE????????

    Secretária classifica declarações como "mentirosas" e irresponsáveis
    A troca de farpas entre o governo de Minas e o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) teve mais um capítulo ontem. A secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, convocou a imprensa e classificou como "mentirosas" e "irresponsáveis" as declarações feitas pelo sindicato. "Eles estão mentindo, causando pânico na categoria e na comunidade escolar", afirmou a secretária.


    A coordenadora do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, disse que não rebateria as acusações feitas pela secretária de Planejamento e Gestão. "Não vou entrar nesse mérito, (sic) me rebaixar. A única coisa que eu quero é que o governo cumpra com o acordo que foi assinado", disse.
    Ao afirmar que o Estado tem cumprido com as exigências da categoria, Renata Vilhena se mostrou indignada com uma suposta articulação do sindicato para que os professores não cumpram a reposição das aulas.


    A secretária disse que tem recebido denúncias de que o Sind-UTE estaria tentando também boicotar o Sistema Mineiro de Avaliação da Educação, utilizado para aprimorar as condições pedagógicas da rede estadual, além de convocar, por meio de redes sociais na internet, uma "operação tartaruga" para o feriado do próximo dia 15, data que faz parte do calendário de reposição. "Isso é um movimento político. O sindicato está preocupado somente com ele e não com a educação", afirmou Renata.


    Beatriz Cerqueira disse que as declarações da secretária e do governo comprovam a "perseguição" e a "desvalorização" que a categoria vem sofrendo. Ela considera que toda a morosidade para fechar a proposta é uma estratégia para tentar enfraquecer o sindicato. "O governo tem pagado os dias parados por outras categorias. Mas, com a educação, a história é bem diferente", justificou Beatriz. (CG)

    ResponderExcluir
  39. CONCORDO COM EULER AO DIZER QUE O SAFADO NÃO VAI PROPOR NADA QUE ESTAMOS QUERENDO NA PRÓXIMA REUNIÃO TRIPARTITE .ESTA PROPAGANDA JÁ É UMA PRÉVIA DO QUE VIRÁ.ENTÃO TEMOS QUE BOICOTAR MESMO O SIMAVE E PARAR AS REPOSIÇÕES.SE ELE FALA QUE PAGOU E NÓS DEVEMOS UM MILHÃO DE HORAS QUE É TALVEZ ESTA A ALEGAÇÃO PARA NÃO NOS PAGAR ANTES , ENTÃO NADA DE BOM VIRÁ NA PRÓXIMA REUNIÃO.DEVEMOS JÁ NOS PREPARAR PARA NÃO TERMOS UMA DECEPÇÃO.VAMOS JOGAR PESADO COM ELE.SE ELE ESTÁ QUERENDO ISSO , ELE O TERÁ.VAMOS FAZER TUDO.FAZER UMA "VAQUINHA" JÁ QUE O SINDICATO NÃO FAZ, E COLOCAR UMA PROPAGANDA NA MÍDIA TAMBÉM.ELE ACHA QUE SOMOS TÃO MISERÁVEIS QUE NÃO PODEMOS COMPETIR COM ELE NA MÍDIA???VEREMOS.QUE TAL COMEÇAR HOJE E SOLTAR UMA BELA FALA SOBRE NADA MAIS QUE A VERDADEIRA VERDADE PARA O POVO ??? VAMOS EULER, PODEMOS COMEÇAR E ORGANIZAR ISSO AGORA.

    ResponderExcluir
  40. Sub-comandante Euler, 712 professores com camisas de protesto com frases de efeito perfilados formando um cordão na porta do mercado central, isto sim teria efeito. Onde está a criatividade minha gente ? vamos lá, eles vem de globo e nós vamos de povo.Força na luta.

    ResponderExcluir
  41. Vocês estão se esquecendo de que a responsabilidade dessas atrocidades não recai apenas sobre o governo estadual , mas também ,infelizmente e principalmente sobre o governo federal e poder judiciário .Os dois últimos têm a autoridade de exigir o cumprimento da lei e não o fazem. Omitem-se covardemente e convenientemente .Imaginem o que nos acontecerá após a copa , depois de concretizadas todas as roubalheiras , os superfaturamentos ,os exibicionismos fúteis e vantajosos para os nossos políticos incansavelmentes corruptos .Deus nos ajude .Que haja um milagre capaz de dotar o nosso povo de energia e vontade , de despertá-lo da embriaguês das arenas do futebol,de iluminar a sua mente e o seu coração ,para excluir das nossas eleições essa cambada vil que pleiteia nossos cargos públicos .Nunca houve tanta corrupção como agora .O brasileiro nunca foi tão diminuído , tão humilhado em detrimento da vilania e da mentira e da perfídia. Deus nos ajude !!!!

    ResponderExcluir
  42. (1)
    Professores estão excluídos do debate público sobre política educacional

    Os professores estão fora do debate público sobre a educação e suas vozes não estão presentes nas coberturas jornalística da América Latina, segundo pesquisa do Observatório da Educação feita em 18 jornais do continente. Foram analisadas mais de 1.200 reportagens de maio a julho deste ano. As matérias indicam que as políticas públicas implantadas, os novos temas, disciplinas e materiais para as aulas são modificados sem que os professores sejam consultados sobre a política educacional.
    "O professor é sempre um personagem e nunca uma fonte para balizar a política pública. E a má qualidade do ensino é sempre atribuída a eles. Estão sendo responsabilizados, mas não têm seu direito de resposta", disse Fernanda Campagnucci, editora do Observatório da Educação, que participou do lançamento de Rede pela Valorização dos Docentes Latino-Americanos, hoje (9), na capital paulista.
    Segundo Fernanda, a análise indicou que entre os temas mais comentados nos jornais estão a qualidade, seguida dos sistemas de avaliação, problemas de infraestrutura e violência nas escolas. Depois aparece a questão das tecnologias de informação na educação. "Nesse caso, dependendo do enfoque, entra em conflito com o docente, porque tem problemas de informação e uma ideia de que o aluno não precisa do professor para aprender porque consegue aprender sozinho com o computador". Outro problema destacado nas reportagens analisadas são as greves e paralisações.

    ResponderExcluir
  43. (2)
    A vice-presidente da Internacional de Educação da América Latina, Fátima Aparecida Silva, disse que no geral a categoria dos professores é composta principalmente por mulheres, que chegam a ser 80% no ensino infantil e médio, enquanto no superior há mais homens. Além disso, apontou que os professores estão envelhecendo ao redor do mundo, já que a média de idade é de 45 anos. "A profissão não atrai mais gente jovem. Nos últimos dez anos, os mais novos ficam cerca de quatro anos dando aula até encontrar outra ocupação melhor."
    A ausência de formação é presente em todos os países, assim como a fata de um processo de negociação que traga valorização para a profissão, com diferenças entre a zona rural e urbana, tanto na formação quanto na remuneração. "Quando conversamos com os professores que vivem o dia a dia da aula, percebemos que eles reclamam ainda do número excessivo de alunos em sala de aula e da falta de participação nas políticas públicas, além da ausência de plano de carreira e do ressentimento por serem culpados pela má qualidade educacional."
    A coordenadora do Comitê Diretivo da Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (Clade), Camila Croso, disse que tem notado a tendência de desvalorização dos trabalhadores da educação, além do desprestígio e do processo de culpabilização e criminalização. "São tendências muito preocupantes, mas há também processos de resistência a tais tendências. Mas se sobressai o conjunto desvalorização, desprestígio e criminalização."
    Ela destacou ainda a tendência à privatização traduzida no nome de parcerias público-privadas, que aponta para outro lado, procurando ser atrativa. Disse também que há um marcante discurso sobre resultados na aprendizagem que não avalia os rumos da educação, mas dentro do foco de escola como fábrica de seres homogêneos montados para o mercado de trabalho.
    "Esse sistema de ranqueamento é preocupante porque o resultado é medido sobre o quê? Aí voltamos ao ponto de partida que é perguntar para que serve a educação. Toda análise parte do aluno homogêneo que tem que responder ao mercado de trabalho", assinalou Camila.
    Ele também reforçou que há uma criminalização de professores e até dos alunos. "Há uma perda de noção do coletivo, porque há ataque aos sindicatos. Assim individualiza os professores e coloca o sistema de avaliação com prêmio e castigo. Desvaloriza o professor, porque leva a política de ensinar para o teste, para ir bem na prova. Adapta o currículo, se articula como o não protagonista do fazer pedagógico.".
    Guillermo Williamson, da Universidad de La Frontera, do Chile, disse que em seu país a educação apresenta cifras de desigualdade e que não há gratuidade para o ensino. Lá, as universidades são pagas ou se têm bolsas de estudo para os pobres. "No Chile, 40% dos jovens podem ir à Universidade, mas se a família tem dois filhos precisa escolher qual deles pode ir ter o ensino superior".
    Segundo ele, assim como no Brasil, os jovens estão desistindo de ser professores por conta da precarização do ensino. "Temos que trabalhar fortemente na educação pública estatal e podemos buscar a gestão social com cooperativas mistas com o Estado". Para ele é preciso retomar a função do professor, que em sua avaliação é ensinar os alunos e ser um mestre. Além disso ele destacou que é preciso que o professor recupere sua autoridade em sala de aula.
    O Globo

    ResponderExcluir
  44. Esse governador está armando...

    A cascavel está preparando para dar o "bote" em todos nós.

    ResponderExcluir
  45. Gente, deu pra perceber q o governo está com muito medo d boicotarmos a avaliação do Simave, pois, caso contrário, não teria tido o trabalho d colocar no ar uma propaganda ridícula daquela... O q ele pretende é jogar a opinião pública, a sociedade contra nós e nos deixar com medo d boicotar a prova... Temos uma grande oportunidade d mostrar a nossa força nesse momento, TODOS devemos boicotar a prova e ver onde o governo vai arrumar números para educação mineira... Se houver números para o ano de 2011, pode ter certeza q são números falsos e maquiados como tudo nesse governo q vai de mal a pior...

    ResponderExcluir
  46. Oi turma do blog!
    Concentro parte do meu tempo livre no twitter.Sugiro que todos façam o mesmo.Precisamos desmascarar o governo e o psdb.
    Não esqueçamos também das orações. Anastasia não é blindado contra os poderes de DEUS.Confiemos no DEUS dos justos.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  47. ANDREA NEVES... ESSE É O NOME POR TRÁS DA PROPAGANDA DO GOVERNO QUE MARGINALIZA NOSSA CLASSE. É ELA RESPONSÁVEL PELA PUBLICIDADE DESDE O GOVERNO AÉCIO... ESSE É O NOME.

    ResponderExcluir
  48. O QUE SERIA HITLER SEM JOSEPH GOEBELS, O QUE SERIA DESSES TUCANOS INCOMPETENTES SEM ANDREA NEVES DA CUNHA...?

    ResponderExcluir
  49. Euler, o que me deixa mais triste nessa história toda é o SINDUTE que não desmente esse "projeto de homem" em horário nobre na televisão. Que a comunidade veja um vídeo que mostre provas contra o governo, depoimentos de professores e alunos desmentindo as falsas acusações, no que se refere a reposição da greve do ano passado. Do jeito que está o povo tem toda as razões para acreditar no que lhes dizem.Dizem que quem cala, consente.

    Em Minas deveria existir mais pessoas iguais a vc! Pois só assim o governador descobriria com quantos paus se faz uma canoa.

    Abraços de uma pessoa que o admira muito por sua coragem e determinação.

    ResponderExcluir
  50. Essa mistura entre propaganda e jornalismo, isso é bem tipico do nazismo. Aliás, o Brasil deve ser o pais onde mais se faz publicidade disfarçada de jornalismo. A blindagem dos tucanos em Minas é feita pela Andrea Neves...Cuidado turma...Anastasia não é mais candidato...mas a Andrea essa sim, almeja ser a próxima czar de Minas.

    KELLEM MONTES CLAROS

    ResponderExcluir
  51. Nós vamos acabar com os TUCANOS e com seus ninhos para não proliferar nenhuma espécie ruim.

    ResponderExcluir
  52. Caros colegas:
    A ideia de boicotar o SIMAVE é excelente, mas esbarra na questão operacional. TODAS as escolas têm de estar em sintonia com relação a esse projeto,pois se algumas resolvem fazer o boicote e outras não, haverá uma dura penalização para aquelas que o fizerem, como tem acontecido com quem aderiu à greve. O SINDICATO precisa coordenar seriamente essa ação e não deixá-la desarticulada sob o risco de quem aderir ao projeto, sofrer consequências desagradáveis. ATENÇÃO, colegas de todas as escolas do estado, precisamos da adesão de TODOS. O governador não será bonzinho com você por se juntar a ele no massacre aos profissionais da Educação. Veja bem que ele não hesitou um minuto em demitir os substitutos. Penso até que foi o único acordo que o déspota cumpriu com prazer. Não teve consideração nem com os incautos que atenderam ao seu chamado para serem soldados na cruzada contra os trabalhadores da Educação.

    ResponderExcluir
  53. Kellem mencionou em seu comentário que a próxima czarina a almejar o governo em Minas Gerais é a irmã do Senador das Alterosas, todavia na atualidade quem está com estatus de czarina é a Secretária de Planejamento, aliás parece que a governança é dela, pois conforme disse um comentarista no jornal o Tempo, hoje, esta é uma governança em que o Governo fala fino e a Secretária fala grosso, será que a Secretária de Planejamento é a promessa futura do czar Anastasia para contrapor a czarina que será aprontada pelo padrinho? Huuum daqui uns tempos padrinho e afilhado estarão se engalfinhando, vamos torcer para isso acontecer!!

    ResponderExcluir
  54. Boa tarde a todos os amigos.

    Não descansaremos enquanto não abolirmos da face da Terra esse clã malvado NEVES.

    NÃO À ANDREA NEVES!

    NÃO À AÉCIO NEVES!

    NÃO À ANASTASIA!

    AS DUAS SECRETÁRIAS CAIRÃO COM ELES. É SÓ QUESTÃO DE TEMPO. ELAS TÊM PRAZO DE VALIDADE!

    E ELES TAMBÉM, PODEM TER CERTEZA!

    Mostraremos a nossa força.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  55. Se TODOS os alunos marcarem TODAS as alternativas como resposta a TODAS as questões da prova, o boicote já está feito... E não há como o governo nos acusar de nada...

    ResponderExcluir
  56. O governo nao sabe o que ele cativa com estes mal feitos, sem fundamento, nao quer aceitar que perdeu a briga para a categoria. Nos resta ao STF com o texto final do acórdao, acelera isto ai Ministro Joaquim Barbosa por favor, vamos da a Cesar o que é dele por direito, cumprir uma lei federal 11738/08, julgada pela estancia maior ue nao cabe mais recurso. PSDB, nunca mais, fora Aecio, fora Anastasia, lobos vestidos de cordeiros estamos querendo distancia.

    ResponderExcluir
  57. Estou com o anônimo das 18:23, pra ser uma coisa válida todas as escolas tem que aderir o movimento, senão já sabe o que acontecerá. Força a todos

    ResponderExcluir
  58. EULER,
    vAMOS INICIAR UMA CAMPANHA: NÃO VOTAR EM NINGUÉM QUE JÁ FOI ELEITO UMA VEZ .EXCETO RARÍSSIMOS CASOS.
    NÃO A REELEIÇÃO. ISSO É PORQUEIRA. SÃO LADRÕES COM PÓS GRADUAÇÃO. ABAIXO FAMÍLIA NEVES E SEUS AFILHADOS.
    ESTE ANASTASIA NÃO TEM VERGONHA DE FAZER UMA PROPAGANDA DESSAS NA TV. ELE AINDA ACHA QUE TEM GENTE QUE NÃO SABE QUEM ELE É. AH! ah!

    ResponderExcluir
  59. Li o comentário sobre a preocupação em articular melhor as ações a respeito do Simave. Entendo a preocupação da colega e a necessidade da ação. Coloco aqui minha sugestão, como tentativa de preservar os professores. Sugiro que as coisas sejam colocadas de outra forma: apresentar aos alunos a hipocrisia do Estado e os verdadeiros motivos para esta avaliação, ou seja, estatíticas de que a Educação em Minas vai muito bem, o que eles mesmos podem constatar que não é verdade. A maneira como se apresentar a situação aos alunos vai ser determinante para a preservação do professor e a eficiência da luta. Seria bom, ainda, que fossem postados textos sobre a relação entre o Simave e suas estatísticas e provas concretas do descaso do governo com a Educação. Talvez apresentar aqueles quadros diagnósticos das capacidades e competências dos alunos e os depoimentos de professores grevistas, as tabelas salariais, as perdads salariais ao longo dos anos, depoimentos de professores mais antigos sobre a queda na qualidade do ensino ao longo ods anos, as políticas curriculares absurdas etc., enfim confrontar a realidade das estatísticas e aquela que os alunos e professores conhecem bem. Também, uma campanha mais ampla preserva os professores e, ainda, atinge outros segmentos da comunidade além dos alunos.
    Abs a todos
    Ana

    ResponderExcluir
  60. Por que o Estado de Minas Gerais não tem dinheiro para pagar o Piso Salarial
    O Estado de Minas Gerais não tem recursos para o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional porque estabelece outras prioridades na execução do orçamento estadual. Entre elas, o grande investimento em mídia paga nos meios de comunicação.
    Neste fim de semana assistimos mais um grande investimento. A partir dos orçamentos que o sindicato já fez é possível revelar alguns valores.
    Acompanhe:
    - Jornal Estado de Minas: R$104.401,44
    - Jornal Hoje em Dia: R$78.624,00
    - Jornal Super: R$39.065,00
    - Jornal Aqui: R$12.840,10
    - Jornal O Tempo: R$ 39.065,00 (valor de 1/2 página, preto e branco)
    - 1 inserção de 30 segundos na TV Alterosas: R$15.013,55
    - 1 inserção de 30 segundos na TV Bandeirantes: R$22.005,00
    - 1 inserção de 30 segundos na TV Record: R$ 16.822,00
    - 1 inserção de 30 segundos na TV Glogo: pode chegar a R$120.000,00 dependendo do horário.
    - 1 inserção de 45 segundos na Rádio Itatiaia: R$1.905,00
    Como cada inserção na televisão durou em média 5 minutos e foram várias, é necessário fazer as contas. Os valores são para inserção no Estado, mas se o Governo quis veicular em mídia nacional ficou muito mais caro.
    É preciso somar ainda a produção do VT, a Agência de Publicidade, bônus de veiculação e outras despesas.
    O governo gastou dinheiro público por vaidade de alguns secretários de Estado que não conseguem lidar com a divergência de opinião. O sindicato afirmou apenas que "Governo sério cumpre o que assina" e publicou o Termo de Compromisso. Cada um faria a leitura do documento e formaria a sua opinião. Mas o Governo resolveu ajudar para que a sociedade forme a opinião de acordo com os interesses dele.
    É lamentável a agressividade das peças publicitárias. Mas elas demonstraram que a estratégia da mobilização do dia 10 de novembro foi correta, o governo está desesperado com a não realização das avaliações sistêmicas e de fato ainda não cumpriu o Termo de Compromisso assinado no dia 27/09.
    É por isso que o Governo não tem dinheiro para o Piso Salarial e mesmo para o pagamento do prêmio por produtividade. Ele revela ter outras prioridades.

    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  61. Dinheiro tem. Falta definir prioridade
    Aumento do orçamento nacional para educação nos últimos anos. O Estado de Minas Gerais não é uma ilha.
    Confira:
    http://www.secom.gov.br/sobre-a-secom/nucleo-de-comunicacao-publica/copy_of_em-questao-1/em-questao-do-dia/orcamento-da-educacao-chega-a-r-75-bi-em-2011?utm_campaign=Newsletteremquestao&utm_medium=Educacao&utm_source=Troca.Fundeb&utm_content=111111
    Mas não se esqueçam da mobilização por 10% do PIB para educação pública já!

    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  62. Orçamento da Educação chega a R$ 75 bi em 2011

    http://www.secom.gov.br/sobre-a-secom/nucleo-de-comunicacao-publica/copy_of_em-questao-1/em-questao-do-dia/orcamento-da-educacao-chega-a-r-75-bi-em-2011?utm_campaign=Newsletteremquestao&utm_medium=Educacao&utm_source=Troca.Fundeb&utm_content=111111

    ResponderExcluir
  63. Orçamento da Educação chega a R$ 75 bi em 2011

    Desde o início da década passada, recursos para a área aumentaram quase cinco vezes e métodos de eficiência nos gastos foram implementados


    No primeiro ano desta década, o investimento público em Educação saltou para R$ 75 bilhões - quase cinco vezes mais do que os R$ 16 bilhões de quando a década passada começou e elevando a uma participação de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) (veja gráficos). Esse aumento da prioridade foi acompanhado de uma preocupação também crescente com a qualidade dos gastos. Entre as inovações se destaca o modelo de compras compartilhado, adotado a partir de 2005, que se baseia na medição dos indicadores da rede de educação pública e na análise desses dados.

    A definição dos critérios de atendimento dessa rede, no planejamento das compras, é debatida em audiências públicas, para melhor especificação dos produtos. A fase seguinte é um estudo do mercado fornecedor e definição do formato do pregão. O ministério usa o pregão eletrônico para registro nacional de preços.

    A uniformidade dos procedimentos e padronização dos produtos e serviços racionaliza os processos e reduz custos operacionais. O modelo permite ganho em função da economia de escala, controle mais eficiente dos gastos, transparência e celeridade. Os estados e municípios são beneficiados porque podem adquirir os produtos por meio da adesão aos pregões eletrônicos de registro de preços que passam pelo crivo de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).



    Fiscalização - O controle dos repasses de recursos federais para programas e ações educacionais em todo o País é feito por meio de um detalhado plano anual de auditoria nos estados e municípios. Além de um manual de auditoria interna e de um código de ética do servidor, foi desenvolvido um sistema informatizado voltado exclusivamente ao controle das contas públicas.

    O sistema contempla todas as fases da auditoria: da denúncia ou demanda até o acompanhamento do envio de tomada de contas especial ao Tribunal de Contas da União (TCU). Isso permitiu atingir níveis de fiscalização inéditos. No biênio 2009-2010, foram auditados nos locais cerca de R$ 1,04 bilhão.

    No período 2009-2010, a dotação orçamentária do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) alcançou cerca de R$ 46 bilhões. Desse total, R$ 13,1 bilhões referiam-se ao salário-educação, repassados diretamente aos estados e seus municípios, não cabendo fiscalização pela autarquia. Outros R$ 11,7 bilhões foram relativos ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) – , cuja fiscalização cabe exclusivamente à Controladoria Geral da União (CGU), conforme decisão do Tribunal de Contas da União (TCU).

    ResponderExcluir
  64. Vendo essas notícias vemos que o governador quer dar calote nos profissionais da educação! Para ele somos boi de piranha! Ele deve estar fazendo caixa dois para o PSDB!

    ResponderExcluir
  65. CAROS COLEGAS DO NDG,COMBATIVO EULER,SAUDADES DE TODOS VOCÊS...

    O COMENTÁRIO DO ANÔNIMO DAS DAS 18:23 É BASTANTE PERTINENTE, TEMOS QUE TER O CUIDADO PARA QUE TODAS AS ESCOLAS COMPACTUEM DO PLANO DO BOICOTE AO SIMAVE.VOCÊS ACREDITAM QUE TEM GENTE AINDA PREOCUPADA COM O PRÊMIO POR PRODUTIVIDADE PARA O ANO QUE VEM?

    O ENGRAÇADO QUE O COISA RUIM NÃO PAGOU NEM O DESSE ANO(FAZ MAL MAL CITAR O NOME DELE, TRAZ AZAR)PIOROU PARA O DO ANO VINDOURO.FICO FULA DA VIDA COM PESSOAS QUE PENSAM TÃO PEQUENO E SÃO TÃO IMEDIATISTAS.

    NA MINHA ESCOLA A CLASSE COMO SEMPRE SE DIVIDE, NÃO CONSEGUIMOS FALAR A MESMA LÍNGUA.A MINHA COLEGA DO NDG AMEAÇOU BOICOTAR A AVALIAÇÃO DAÍ DIRETORA CASOU JEITO DE SUBSTITUÍ-LA NA MESMA DA HORA.ASSIM NÃO É POSSÍVEL...

    PORTANTO TEMOS QUE ARQUITETAR COM FIRMEZA PARA NÃO SOFRERMOS MAIS RETALIAÇÕES...
    FIRMES ATÉ A VITÓRIA
    GILVÂNIA, HISTÓRIA.|

    ResponderExcluir
  66. Este governo é tão maquiavélico que até a demissão dos substitutos foi uma estratégia contra nós professores.Eles estão usando as demissões para enganar a população, como se ""aqueles quaisquer coisas menos professores",estivessem fazendo alguma diferença dentro da sala.É como se dissessem:Viu gente!Como são maus os professores!Demitimos os excelentes e interessados substitutos e agora os professores ameaçam parar com as reposições.
    POBRE MINAS GERAIS.ELEGEU UM LOUCO QUE DEVERIA ESTAR AMARRADO EM CAMISAS DE FORÇA!

    ResponderExcluir
  67. OUT DOORs URGENTE.

    MARKETEIROS QUEREM MAQUIAR A IMAGEM DA EDUCAÇÃO:

    - Educação de qualidade para a população;

    - Profissionais da Educação não valem nada.

    - Salve o governo de Minas.

    BANDO DE MENTIROSOS E HIPÓCRITAS.

    Enquanto nós estivermos parados só falando, sem nenhuma ação, o governo vai continuar batendo com chicote.
    São profissionais na arte da mentira e de enganar a população.

    ResponderExcluir
  68. Prezado Euler, acredito que a melhor maneira de desmascarar este governo é usar seu próprio veneno.Ele não disse que nós não repusemos um milhão de horas aulas em 2010? então ele precisa rsponder por isto na justiçc, no conselho tutelar e outras áreas da lei. Como os alunos foram aprovados? como os alunos formaram? Só aconteceu com a co-autoria dele e de suas secretárias. Como há mentira se nossos contracheques estão à disposição de qualquer mídia que quiser vê-los ou fotografá-los. Sou a favor de uma campanha via internet, via aluno via tudo que tivermos direito. Abraços.Clarice.

    ResponderExcluir
  69. na minha escola tem professores que acreditam que ira receber o prêmio produtividade ainda esse ano PODE? e já pensa no ANO QUE VEM olha tem que ser ação de BOICOTE GERAL TODOS mesmos os mais distantes por favor gente , na minha escola os professores são verdadeiros tapetes do governo não pensam apenas fazem o que mandam precisamos acho melhor a ideia de marcar todas as respostas ...

    ResponderExcluir
  70. olá, pessoal da luta!

    A Internet ainda é um dos principais instrumentos de luta de que dispomos. Claro que outras atividades e meios devem ser realizados, como o calendário aprovado, a sugestão dos outdoors que já fora feito aqui no blog, dos cartazes, etc. Mãos a obra!

    Mas, para agilizar o processo de mobilização ao nosso alcance, utilizemos de forma sistemática essa ferramenta chamada Internet, via twitters, e-mails, orkut, facebook, blogs, fóruns de discussão nos portais da grande mídia, entre outros.

    Vou deixar um texto de sugestão para que seja enviado para vários destinatários: ministros do STF, deputados federais e senadores; presidente da república, MEC, AGU e PGR; deputados estaduais, MP, TCE, além dos portais da grande mídia. Se acharem conveniente, façam as alterações que desejarem.

    Eis o texto:

    Prezados(as) Senhores(as),

    A aprovação do piso salarial nacional, através da Lei Federal 11.738/2008, considerada constitucional pelo STF, tem causado um efeito contrário ao esperado. Ao invés da valorização dos educadores de todo o país, tem acontecido uma verdadeira destruição dos planos de carreira e das políticas salariais nos estados e municípios.

    O exemplo emblemático, embora não seja o único, verifica-se em Minas Gerais, que figura entre os três estados com maiores receitas do país. Em Minas Gerais, o governo não paga o piso salarial até hoje - o salário inicial no contracheque continua R$ 369,00 para o profissional com ensino médio, e R$ 550,00 para o professor com curso superior. Além disso, o governo quer destruir completamente o Plano de Carreira e as tabelas salariais vigentes, reduzindo percentuais de promoção e progressão na carreira, e com isso descaracterizando totalmente a aplicação da Lei do Piso, fazendo com que os salários continuem achatados.

    Em 2011 os educadores mineiros fizeram uma greve de 112 dias exigindo unicamente o cumprimento da Lei do Piso; no lugar de cumprir a lei, o governo cortou, reduziu ilegalmente a remuneração nominal de cerca de 153 mil educadores, e manteve os educadores em greve com salário zero durante mais de 50 dias - mesmo após a suspensão da greve. Milhares de profissionais da Educação, que são arrimo de família, passam por situação de enormes dificuldades financeiras e emocionais.

    No ano em que o piso salarial deveria ser aplicado, representando o início da valorização dos educadores, observa-se justamente o contrário: os educadores estão sendo massacrados, humilhados, desmoralizados pelos governo através de propaganda paga nos meios de comunicação.

    Ora, de que adianta aprovar uma lei federal, que indica recursos de financiamento (FUNDEB + a complementação pela União, se necessário), se na prática os governos das três esferas - municípios, estados e governo federal - insistem em aplicar o calote nos educadores? Que país é este, que trata com tanto descaso aos educadores do ensino básico, e com isso contraria a esperança de dias melhores para muitas gerações de famílias de baixa renda, que dependem da Educação pública de qualidade prevista na Carta Magna? Até quando as autoridades dos três poderes vão se omitir?

    Esperamos resposta.

    Atenciosamente,

    Fulano de tal (professor, aluno, pai de aluno), morador da cidade tal, MG (ou qualquer outro estado do Brasil).

    Data tal (local, dia, ano)

    ResponderExcluir
  71. Euler,
    tenho usado trechos dos seus comentarios e dos colegas no Twitter... pelo licença para isto. Ja que o Governo tem se aborrecido com o uso intensivo das redes sociais, vamos ajuda-lo a irritar-se mais.Passei o dia twittando.
    Abraços a todos. Firmes na luta.
    Claudia

    ResponderExcluir
  72. Completando...

    Se as autoridades federais e estaduais e a mídia e outras entidades receberem cerca de 10 mil e-mails sobre este assunto, originados dos mais diferentes locais, elas vão ter que ler e respondê-los. É a força na nossa mobilização. Precisamos envolver os alunos e pais de alunos, além dos colegas de trabalho nesta campanha. Todos os educadores estão sendo atacados e agredidos e confiscados pelo governo. Ninguém pode ficar imparcial ou em cima do muro.

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  73. Muito bem, Professor, encaminhei a carta, para todos da minha lista de contatos, começaremos já a nossa mobilização.
    Parabéns!
    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  74. OUT DOORs

    "MILHÕES PARA A MÍDIA

    TOSTÕES PARA A EDUCAÇÃO.

    ESTE É O GOVERNO DE MINAS GERAIS"

    ResponderExcluir
  75. Euler,
    Em discurso na Assembéia Legislativa o deputado Rogério Correia esclareceu o que foi discutido em reuniao com Governo:
    1)O Sr. Danilo de Castro diz que o governo não tem como pagar o piso de acordo com a carreira atual.
    2)A proposta que o sindicato aceitaria seria o pagamento do piso incluindo a progressão vertical e negociando a progressão horizontal até 2015.
    Isto significa que mais uma vez os professores com mais tempo de trabalho vão ter que abrir mão dos direitos adquiridos.Cnsidero grave se isto vier a acontecer porque estaremos dando respaldo a própria estratégia que o governo vem utilizando a anos: tirar dos antigos e aposentados o que conseguiram.Isto tem sido assim a muitos anos. Os reajustes de salários não são concedidos aos professores com mais tempo.
    O reposicionamento foi feito prejudicando os professores mais antigos. Professores com trinta anos foram posicionados na letra G quando deveriam já estar no final da carreira. Esta é a estratégia do governo que o sindicato parece estar caíndo.Aí o governo vai dizer que paga o piso mas as custas de tirar de uma parcela da categoria.
    Não podemos cair nesta.O piso é lei e esta é a nossa chance.O governo sabe que vai ter que pagar.Ele não tem outra alternativa a não ser que a categoria saia abrindo mão de seus direitos.

    ResponderExcluir
  76. Fátima - Professora de História - Ubá13 de novembro de 2011 22:10

    Conhecendo o campo de ação do nosso adversário

    Neoliberalsmo: Fundamenta-se na ideologia do darwinismo social. Ideia básica- o mundo é uma selva capitalista. Os países devem diminuir sua participação na economia e conceder liberdade de manobra para as investidas capitalistas.

    Princípios básicos da política neoliberal
    .Privatização da economia (venda de estatais)
    .Liberação do mercado- São eiminadas as leis que regulam a economia
    .Antinacionalismo- contrários a política de proteção as empresas nacionais, pois impedem o livre trânsito das empresas estrangeiras.
    .Política monetária- especial para os banqueiros e empresários, que devem pagar menos impostos. São eles que investem na economia, gerando empregos, precisam ter lucros para se motivarem.
    .Cortes nos gastos públicos- os neoliberais consideram que existem direitos sociais exagerados, que só servem para onerar o Estado. Portanto o governo deve gastar menos com a saúde, educação, ajuda aos desempregados e aposentados.
    Privatizações dos serviços públicos- o ideal neoliberal é privatizar a medicina e a educação. Assim as pessoas que queiram médicos devem pagar um plano de saúde. As escolas e as universidades devem ser todas particulares. A previdência social deve ser entregue aos bancos particulares: As pessoas pagam e quando tiverem idade avançada, se aposentam. Até os presídios devem ser privatizados.
    .Flexibilização do mercado de trabalho- é necessário que as empresas tenham mais facilidade para ontratar e demitir empregados. As leis trabalhistas protegem muito os empregados e devem ser eliminadas.
    O sindicato- para o neoliberal os sindicatos tentarão impedir a abolição das leis sociais e, terão que ser eliminados. Essa é uma das poucas funções dos governos neoliberais: combater e destruír os sindicatos que na visão dos neoliberais impedem a "modernização da economia".
    A política neoliberal substitui o Estado do Bem-estar social para a política do Estado mínimo.
    Introduzida efetivamente no mundo à partir dos anos 1980, o neoliralismo provocou o acúmulo de riquezas mas. Mas, mesmo nos países mais ricos, não conseguiu evitar as crises econômicas que tem abalado o mundo. O empobrecimento da população é causa dos constantes conflitos que atinge principalmente o mundo europeu.
    No Brasil a política neolibeal foi introduzida por Fernando Collor de Mello no final da década de 1980. Mas, foi no governo do neoliberal Fernando Henrique Cardoso, que foi efetivamente implantada no país.
    Precisamos conhecer bem o pensamento do nosso adversário para que possamos nos organizar e não sermos pegos de surpresa.

    ResponderExcluir
  77. OUT DOORs

    "GOVERNO DE MINAS GERAIS, DIZ NÃO PARA A EDUCAÇÃO"

    ResponderExcluir
  78. Galera de Luta tudo bem?
    Pois é mais uma vez uma punhalada do governo do PSDB E CORJA.

    Alguém tinha alguma dúvida?

    Não tem jeito ou solução, ou encaramos uma luta contra esse governo ou ele acaba conosco.

    DIA 19/11/11 vamos fazer o 1º ATO CONTRA O PSDB EM MONTES ClAROS.

    Durante os meses de novembro, dezembro e janeiro a nossa comissão ( de todas as escolas em montes claros ) escolherá nosso representante nas eleições municipais de 2012.

    E o nosso lema é: OPOR AOS CANDIDATOS DO PSDB E DA CORJA DE ASSOCIADOS. NINGUÉM MERECE UM GOVERNADOR DO PSDB, UM PREFEITO DO PSDB E UMA CÂMARA SERVA DO PSDB.

    Sempre falei aqui no blog:"com esse governo é na porrada".Enquanto não fizermos ações radicais as coisas não andam"

    NOSSO FOCO É A DESTRUIÇÃO DESSE CÂNCER NA POLÍTICA DE MINAS : PSDB (INIMIGO PREFERENCIAL, MAS QUE O PT DA DILMA ACORDE OU SOBRA TAMBÉM PARA ELE)

    MURILO MAIA - NÚCLEO ANTI-PSDB - MONTES CLAROS
    SD NDG

    ResponderExcluir
  79. Olá pesoal, um forte abraço.
    Vamos levar material para as aulas dessa semana e desmascarar esse ditadorzinho(porquinho da india). Vamos conversar com os alunos, mostrar a verdade para eles.Temos que ficar atentos também com as eleições, quando eles falam que nossa greve é politica, é porque eles tem medo que nós professores passamos a ter uma participação mais efetiva na politica. Temos que varrer o PSDB do cenário politico de MG e do Brasil. Onde eles estiverem (PSDB), temos que ser contra. Aécio 2014? nem em 2014 e nunca mais.

    ResponderExcluir
  80. OUT DOORs

    "AQUI EM MINAS GERAIS É ASSIM:

    OBRIGATÓRIO

    - SALAS DE AULAS DO ENSINO MÉDIO COM 40 ALUNOS"

    ResponderExcluir
  81. Gostaria de saber por que, até o momento, o sind-ute não se pronunciou contra a propaganda enganosa e difamatória que está sendo veiculada na mídia pelo governo de minas?
    Será que o sind-ute vai aceitar o que está sendo feito pelo governo contra os educadores do estado?
    Por que o sind-ute anda aceitando esses desmandos do governo de minas contra os profissionais da educação e não fez nada judicialmente?
    O governador está cometendo improbidade administrativa e o sind-ute não faz nada?
    Qual a explicação lógica que o sind-ute tem para os vários profissionais da educação? Eu sem ser profissional do estado de minas estou indignado com o que tem sido feito com eles, espero que o sind-ute tome uma atitude que todos esperam de um sindicato atuante.
    Agradecendo a atenção.
    Att.
    Ricardo Alex.

    ResponderExcluir
  82. Caro Euler,

    Vamos começar todos a fazer o nosso fundo de greve para 2012.

    Cada um deve abrir uma poupança e guardar um pouquinho a cada mês, pois em 2012 vamos fazer o chão de Minas tremer novamente com a nossa greve.

    Sugiro que a greve de 2012 seja feita na mesma data de 2011, pois assim, a nossa turma da luta já se recuperou um pouco da grande roubada do governo.

    Este governo vai conhecer a força de uma classe unida a favor de seus direitos que estão sendo roubados.

    Garanto que teremos em 2012 o dobro de participantes, porque aqueles que não entraram em greve e não receberam a produtividade e ainda tiveram outros confiscos em seus salários desta vez entrarão na greve.

    Vamos caçar este desgoverno em todos os locais aonde ele for.

    Vamos demosntrar a nossa força.

    Por isso, companheiros da luta, comecem já o fundo de greve. Vamos fazer eventos para arrecadar mais fundos para a nossa greve de 2012.

    Este desgoverno senão nos pagar o piso, ele nem conseguirá pisar no chão, pois aonde ele pisar lá estaremos nós, para cobrar dele o nosso piso.

    Conversando com uma inspetora amiga nossa, ela disse-me que temos que fazer uma greve que dure pelo menos um ano, para envergonhar este desgovernador diante do Brasil para que ele pare de desviar as verbas da educação para fins escusos.

    Força na luta até a nossa vitória!

    Um grevista de Uberlândia

    ResponderExcluir
  83. Boa noite guerreiros e guerreiras!
    E a reportagem do Fantástico? Vamos aproveitar para mandar uns e-mails para a grobo só para não deixar passar em branco. Quandro com pincel?Carteiras novas? Turmas pequenas? Tudo isso bem distante da realidade da escola em que trabalho.
    Boicote ao SIMAVE!
    Até a vitória!

    ResponderExcluir
  84. Euler
    E tem mais um agravante. Se o sindicato aceitar negociar progressão horizontal vai ser um avalanche de gente correndo para o subsídio.Tudo o que o governo quer.

    ResponderExcluir
  85. Propaganda mentirosa do governo contra nós sendo paga com o nosso dinheiro. É revoltante!

    ResponderExcluir
  86. OUT DOORs

    "CORROMPENDO CONSCIÊNCIAS,

    PROMOVENDO A DESIGUALDADE,

    DESTRUINDO A EDUCAÇÃO,

    SEMEANDO INJUSTIÇAS".

    ResponderExcluir
  87. Qual a operação matemática que se faz para chegar a um milhão de horas aulas em 47 dias de paralisação? Tentei calcular e não achei resposta.

    ResponderExcluir
  88. SE NÃO AGIRMOS,

    A QUALQUER HORA,

    ... VAMOS ENCONTRAR EM NOSSA FRENTE,

    OUT DOORs DO GOVERNO.

    "PROFESSORES NÃO QUEREM ENSINAR, SÓ QUEREM DINHEIRO".

    *** OPORTUNIDADES são assim, aquelas que não aproveitarmos, outros aproveitarão.

    ResponderExcluir
  89. Euler,

    Companheiros, a única forma que temos de mostrar a nossa força e divulgar, espalhar, cartazes, nas praças, postes, portas de escolas, mandar mensagens para os pais e outros - O Sind Ute, como já disse sempre, precisa jogar nossa luta na rua, vamos ganhar as esquinas - A sociedade precisa saber da realidade de Minas - Somente as ruas incomodam os politicos... Linder -Manhuaçu

    ResponderExcluir
  90. Entrevista com Rosa Maria Torres Del Castillo:

    O que é preciso para formar bons professores?
    ROSA MARÍA Atualmente, o educador desejável não é aquele que ensina as respostas corretas, já que elas estão disponíveis na internet, em sites como a Wikipédia. A rede provê informação, mas nunca substituirá o papel de uma relação pessoal. É essencial formar pessoas que compreendam isso e avaliá-las levando isso em conta. Também julgo necessário valorizar a carreira docente. E isso não tem a ver só com investimentos. Defendo construir outra percepção social da profissão, com base em medidas de apoio à carreira. O Brasil tem tentado inovar, mas dá pouca atenção aos professores, que por sua vez têm uma carga de trabalho muito pesada. A educadora brasileira com quem conversei leciona 70 horas por semana. Assim, não há corpo nem mente que resistam. Nesse ritmo, o Brasil ficará sem educadores. Eles têm acesso a muito material, mas não têm tempo para lê-los, pois estão sempre em sala.

    Há iniciativas em curso na América Latina que no futuro podem se concretizar como mudanças efetivas?
    ROSA MARÍA Todos os países estão fazendo a mesma coisa: investindo em avaliações nacionais, em provas que analisam exatamente as mesmas coisas e em rankings. É como se um copiasse o outro. O Chile começou e todos os demais o seguiram. Só que os chilenos fazem avaliações há 25 anos e não houve mudanças significativas. Isso mostra que os sistemas de avaliação, isoladamente, são ineficazes. Se não há medidas concretas para fazer frente a todos os problemas que essas provas mostram, nada muda. A maioria dos países tem provas nacionais. Alguns convertem os resultados em materiais de capacitação para os professores e classificam as escolas em rankings. Nada disso contribui para a qualidade do ensino. Essas provas também avaliam os docentes e isso só faz com que eles se sintam cada vez mais controlados. É um sistema punitivo. O que deve ser feito pelos docentes com a avaliação pode ser feito sem ela, que é capacitá-los. Na parte de infraestrutura, também não há nada que me chame a atenção. Investe-se em novas obras, mas elas seguem o modelo antigo. Os prédios parecem hospitais e não lugares destinados à aprendizagem. Há ainda outra tendência: as chamadas escolas de excelência. Acho esse tipo de solução elitista e discriminatória.

    ResponderExcluir
  91. A realidade deprimente dos educadores Minas e o abandono da escola é negada pela mídia. Existem pelo menos duas Minas aquela da mídia e a outra em que nós trabalhadoras e trabalhadores enfrentamos diariamente. É triste reconhecer mais uma vez a manipulação desse governo mentiroso no lixo que é a rede globo. Não queremos na próxima assembléia em BH essa corja de urubus nos espreitando. Vamos essa semana fazer o trabalho de conscientização com a comunidade escolar. Agora é uma questão de honra, pois, nem com o nosso magro salário podemos contar. Att Iara Pimentel/Montes Claros

    ResponderExcluir
  92. Estãooo desesperadosss...

    Corja de amadores..e ainda se fala em presidencia..
    vai aprender com o tio lula..rsrsrsrsrrs

    Interessante..se representa Bilhoes o aumento, ta vendo o tanto que a educação ta sendo roubada..????os professores???
    afinal é direito e piso do mec...nada d+..misero 712,00..

    MINAS CALOTEIRA, QUEM TE CONHECE NÃO ESQUECE JAMAIS...KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    MOVIMENTO JOVEM CONTRA ESSA CORJA DO PSDB...INTERIOR SE REBELANDO CONTRA ESSAS INVERDADES..

    MINAS EVOLUIU GENTE, PESSOAL TA MAIS ESPERTO!RS

    RENATINHA, ACORDAAAAA...PAGA O PIIIIII DO PISOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

    ResponderExcluir
  93. SE JANEIRO TIVER GREVE DE NV, COMO ESTÁ SE ESPERANDO, CASO O GOVERNO NÃO CEDA, VAI SER GREVE PRA MESES E MESES...

    SE NOSSOS FILHOS NÃO PUDEREM ESTUDAR, FILHOS DE SECRETÁRIOS NÃO VAI TAMBÉM NÃO...

    MOVIMENTO ESPECIAL PARA RENATINHA::RENATINHA, COLOQUE SEUS FILHOS NA ESCOLA ESTADUAL...KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  94. Renatinha...A QUE FALA GROSSO!!RSRS

    COLOQUE SEUS FILHOS NA ESCOLA ESTADUAL...
    NÃO É PERFEITO.???
    QUALIDADE 10???
    INVESTIMENTO 1000???
    ENTÃO...ADOTE A IDÉIA...RSRSRRSRSRSR

    ResponderExcluir
  95. Euler e colegas,

    Segue cópia de E-mail enviado ao Senador Cristóvam Buarque.

    Exmo Sr. Senador,
    Cristóvam Buarque.

    Inacreditável mas é verdade.

    AÇÃO INESCRUPULOSA DO GOVERNO MINEIRO.

    Governo de Minas Gerais, REPASSA dados a jornais com a intensão de
    DESQUALIFICAR os professores.

    Veja matéria veiculada hoje 13/11/11, na “Folha.com” (SP) e que será
    veiculada no jornal “O TEMPO” (MG), amanhã 14/11/11.

    Segue:

    “Professores de MG erram 1/3 das questões que aplicam aos alunos”

    LUIZA BANDEIRA
    DE SÃO PAULO 13/11/11

    “Os professores de física da rede estadual de Minas Gerais erraram, no
    ano passado, 28% das questões de um teste que aplicaram a seus
    próprios alunos. Em português e geografia, o percentual de erros
    chegou a 26%.
    Os dados, da Secretaria de Educação de Minas Gerais, foram
    apresentados na segunda-feira (7) pelo pesquisador João Filocre,
    coordenador do grupo de pesquisa em avaliação educacional da UFJF
    (Universidade Federal de Juiz de Fora) e ex-secretário adjunto de
    Educação de Minas. Ele participou de um seminário internacional sobre
    formação de professores, em São Paulo.
    A avaliação é feita a partir de um teste aplicado a alunos do ensino
    médio em todo o Estado, duas vezes por ano. Como os professores não
    recebem os gabaritos, precisam fazer a prova para corrigir os
    exercícios dos alunos. É essa correção que é avaliada pelo governo. Os
    dados se referem ao primeiro exame de 2010.
    O conteúdo é selecionado pelo próprio professor, com base naquilo que
    ele pretende ensinar ao longo do ano.
    "O professor usa isso para saber como vão seus alunos, e indiretamente
    a gente fica sabendo como é que eles estão", disse o pesquisador.
    Segundo ele, a avaliação é feita por assuntos, o que permite saber
    exatamente quais são os conteúdos em que os docentes têm mais
    dificuldade e tornar os cursos de capacitação de professores mais
    objetivos. Além disso, os exercícios que os professores fazem são
    corrigidos com explicações sobre o conteúdo.
    Filocre também mostrou que, em uma pesquisa feita há sete anos, mas
    divulgada somente neste ano, os professores não sabiam conteúdos
    básicos.
    Entre os docentes de história, mais de 70% disseram que era impossível
    um corpo permanecer em movimento sem que houvesse uma força atuando
    sobre ele, cerca de 40% disseram que é possível curar síndrome de Down
    com atendimento psicológico e pedagógico adequado e mais de 50%
    disseram que é possível aumentar a quantidade total de energia no
    universo.
    A rede estadual de Minas Gerais tinha, no ano passado, 157 mil
    professores, quase todos com curso superior. Para Filocre, os dados
    mostram que a preocupação não deve ser somente com
    a graduação e titulação de professores, mas com a qualificação. "Não
    basta ter um título, porque eles têm e não sabem as coisas."

    Exmo Senador, observe no texto que esta pesquisa é feita a sete anos e
    só agora, neste momento de reivindicações dos professores é que divulgam a mesma.

    Se os professores não estão preparados, o Governo do Estado de Minas Gerais, deveria estar preocupado em melhorar o nível da Educação e não em destruí-la de vez.

    Estamos lutando contra um Estado gigante e um DITADOR maquiador.
    A imprensa está comprada com as gordas verbas publicitárias.

    Não temos voz no Senado Federal, gritamos por justiça, somente isto.

    A luta é injusta mas não vamos desistir de nossos direitos.

    ResponderExcluir
  96. Acredito qua a solução é uma só...Voltarmos para greve, acompanhe o raciocínio, se todos os professores que estavam em greve voltarem e conseguirem levar consigo mais um professor que não entrou, O Anastacia, não vai ter mais como tentar solucionar.
    Os substitutos que ele contratou não voltam mais a trabalhar para tampar os lugares dos grevistas, uma vez que o IDIOTA do Anastacia, não cumpriu a promessa de contrato até 31 de dezembro.
    Ou seja, se queimou com quem estava em greve e já o conhecia e também suas promessas, e ainda se queimou com os substitutos. Nessa altura do campeonato, se novamente saíssemos de greve, o ano letivo estaria perdido se ele não resolvesse o problema em uma, duas semanas.
    Vamos Euler, discuta com o Sindicato...Aos nossos com necessidades economicas, podemos levantar uma campanha no Brasil todo, para arrecadar ajuda para alimentação, para o básico.
    Devemos ainda formar um grupo de pais de cada escola e leva-los conosco a todoas as assembléias e também nos movimentos grevistas, mostrar a esses pais e aos demais da nossa sociedade o milagre que fazemos para sobreviver com a meséria que ganhamos.
    Podemos ainda pesquisar em quais escolas os filhos dos nossos políticos estudam e tentar divulgar fotos das salas de aula, refeitorio e todas as acomodações e previlegios que seus filhos tem, e fazer com que todo nosso povo do Estado de Minas e também de todo o Brasil veja que as condições que eles impõe ao povo, não se aplicam a eles.
    Outra Idéia é tentar com um deputado uma lei que já ouvi falar: Que todo político tenha que usar os serviços públicos, tanto de educação quanto de saúde.
    Talves seja muita utopia minha, mas se não começarmos a lutar...nada conseguiremos mudar.

    ResponderExcluir
  97. Boa noite a todos.

    Caça a Aécio!

    Vamos destruir esse senhor antes que ele nos destrua a todos.

    VAMOS PROMOVER "CALOROSAS" RECEPÇÕES PARA ESSE SENHOR POR TODOS OS LUGARES ONDE ELE FOR!

    Aqui em Minas temos o NDG. Em outros estados precisaremos da cumplicidade dos colegas educadores.

    BRASIL AJUDE-NOS A SALVAR A EDUCAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA IMPEDINDO AÉCIO DE CHEGAR PRESIDÊNCIA!

    SALVEMOS A EDUCAÇÃO E OS BRASILEIROS!

    Abraços a todos e durmam com Deus.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  98. Euler, temos que entrar com várias ações individuais contra essa blasfêmia de afirmar com todas as letras que não repusemos a greve do ano passado.Isso é um absurdo, eu repus cada minuto de greve e tenho que escutar esse desaforo?
    FORA ANASTASIA
    FORA DITADOR
    FORA PSDB

    ResponderExcluir
  99. Sugiro aos professores que coloquem uma faixa em um lugar estratégico, quer dizer, visível aos alunos solicitando a anulação da prova do simave. Peçam que marquem todas as alternativas.

    ResponderExcluir
  100. Ao anônimo das 14:12 de 13/11/2011

    A LEI DE CAUSA E EFEITO

    O futuro pertence a Deus, por isso, tenho certeza, nada me faltará, pois o "Senhor" é meu Pastor! Não temerei mal algum, pois sou cumpridora dos meus deveres e se "mais um" desafio aparecer, sei que Deus me sustentará.
    A democracia, o respeito aos colegas e à comunidade são princípios que regem minha conduta administrativa. Não tenho bandeira política e o Senhor Anastasia nem sabe que eu existo. Mas sou coerente com meus princípios e honro meus compromissos. Fui escolhida pela comunidade escolar por duas vezes e a ela tenho o dever de servir com dignidade. O mesmo respeito que tenho pelos direitos do servidor, inclusive o direito de greve, tenho pelos direitos do aluno, devendo garantir-lhe o cumprimento legal da carga horária através de atividades bem preparadas que minimizem os impactos e prejuízos naturais de uma greve. Jamais permitirei que nossas frustrações com a política da SEE/MG sejam descarregadas sobre os alunos que não têm culpa dessa situação.
    Estou deixando a direção da escola por opção, porque acho salutar o rodízio da diretoria, portanto, não há motivos para estar furiosa. Não sou mulher de fúrias, procuro agir com bom senso, ponderação e tranquilidade. Pelo contrário, tenho sido vítima da fúria de pessoas que agem por impulso ou desconhecem a legislação. Chamaram a polícia para me intimidar e fizeram um B.O. contra mim, simplesmente porque eu cumpri as determinações da resolução 1905/2011 da SEE/MG.
    E agora de novo, querem me constranger tentando sujar meu nome através da internet. Não tenho "panelas", tenho sim ao meu lado, pessoas que me conhecem e que procuram cumprir o seu papel na educação. Tenho certeza de que os servidores responsáveis não têm do que reclamar, pois são cumpridores do dever. Quem reclama, geralmente é quem foge da responsabilidade e não gosta de ser contrariado. Não sei lidar com a "chibata", pois não fui educada dessa maneira e não acredito na educação repressora.
    Mais triste do que a fúria dos que me atacam injustamente, seja através da polícia ou pela internet, é saber que há pessoas dessa mentalidade na educação. Lamentável que haja educadores que precisam se esconder atrás de um computador para falar o que pensam de forma leviana e irresponsável. Assim é fácil! Pode-se falar o que quiser sem se comprometer. Só os covardes ou os culpados se escondem. Graças a Deus, entre nós, educadores, isso é uma pequena minoria que ainda tem tempo para aprender que democracia é exercício de transparência, ética e liberdade de expressão.
    A lei de causa e efeito também se aplica a direitos e deveres, portanto: GREVE SIM. REPOSIÇÃO RESPONSÁVEL TAMBÉM! E disso eu não abro mão, mesmo que tenha que incomodar alguns que querem fazer da reposição uma enrolação. A lei de causa e efeito também se aplica ao direito do aluno que deve ser respeitado. Na mesma medida em que julgamos podemos ser julgados. Por Deus.

    Vanete Aparecida de Souza Domingos
    Diretora da E. E. Odilon Behrens
    Guanhães - MG

    ResponderExcluir
  101. EULER/BEATRIZ,
    O governo já está dando o recado sobre a nossa ação de boicotar o SIMAVE. Não podemos alardear o que vamos fazer, pois, infelizmente, temos muitos traíras no nosso meio.
    Se o professor titular não aplicar a prova, outras farão! Oreintar oa alunos a zerar a prova, influenciará diretamente na nota da escola( para baixo). Por outro lado, há uma incoerência da nossa parte quando exigimos o Prêmio de Produtividade ao mesmo tempo que boicotamos o SIMAVE. Ja vi esse filme antes. As pessoas não aplicam a prova e quando sofrerem as consequências, jogarão a culpa no sindicato
    Assim, agindo sem pensar, quem parece desesperados somos nós. Fazer besteira não vai nos ajudar em nada.

    ResponderExcluir
  102. SOCORRO!!!!
    DANDO UMA DE SER PENSANTE????
    O PULHA CONTINUA SUA EMPULHAÇÃO
    Aécio Neves
    Pensar é preciso

    Só os fanáticos não têm dúvidas. Esta frase, se não é de Nelson Rodrigues, poderia ser. E, na política, só os covardes, acrescento, não têm convicções. Mas, entre a dúvida e a convicção, entre a tibieza e o sectarismo, descortina-se um amplo espaço para que floresçam a reflexão, a busca do conhecimento e o exercício da inventividade.
    Relembro esse filósofo do cotidiano que foi Nelson Rodrigues, cético de carteirinha, não para me resignar ao imobilismo crônico que parece caracterizar a atual governança do país, mas, pelo contrário, para reagir à miudeza de um varejo político aprisionado na acomodação e voltado para o imediatismo. Ao grau zero de criatividade do continuísmo, cabe à oposição contrapor a responsabilidade cívica de pensar, ousar, debater, divergir e convergir.
    Realizamos, há uma semana, no Rio, o seminário "A Nova Agenda: Desafios e Oportunidades", promovido pelo Instituto Teotônio Vilela, sob a coordenação dos economistas Elena Landau e Edmar Bacha.
    O ITV é uma entidade partidária ligada ao PSDB. O seminário não o era. Quem teve a oportunidade de assisti-lo, de percorrer o repertório de propostas e ideias apresentadas por Pérsio Arida, Gustavo Franco, Armínio Fraga e Simon Schwartzman, entre muitos outros, compreendeu claramente que o ali proposto extrapola uma mera agenda de alternativa de poder.
    Foi encerrado com brilhantismo por um Fernando Henrique renovado e provocativo, que não nos deixou esquecer que a oposição precisa vocalizar -"Ou fala ou morre", sentenciou com razão.
    Afinal, há nove anos o Brasil é coadjuvante do seu próprio crescimento. Surfamos na onda da prosperidade mundial enquanto deu. Agora aguardamos, em perplexidade entorpecida, que a tormenta internacional se dissipe.
    Ao governo, absorvido pelo cotidiano gerenciamento da governabilidade, falta o combustível da energia política capaz de conduzir as reformas estruturais -na economia, na administração pública, na educação, na infraestrutura-que fariam o Brasil mudar de patamar como nação.
    Ouvimos formulações de alto alcance estratégico e outras de simplicidade desconcertante. Por exemplo, de como modernizar toda a malha ferroviária em operação no país com o dinheiro que está reservado para o inacreditável trem-bala; de como aumentar a remuneração da caderneta de poupança e do FGTS, impactando positivamente a poupança interna do país.
    Refletiu-se sobre novos caminhos para superação da baixa qualidade da educação e saúde oferecidas nas redes públicas. Muitas ideias surgiram. Outras certamente virão. Que elas possam inspirar o novo e necessário debate que o Brasil e os brasileiros merecem.

    AÉCIO NEVES
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/8803-pensar-e-preciso.shtml

    ResponderExcluir
  103. PAZ!
    Ficar ou sentir-se ofendido por coisas ditas aqui no blog não levará ninguém a nada; às vezes as pessoas dizem por saber que existe um canal aberto que jamais se teve!!! Penso que tudo serve para refletirmos e vermos até onde estamos indo com o "poder e liberdade" que nos foi concedido.Temos o controle de muita coisa, mas NUNCA o controle "do que pensam a nosso respeito"! Isso é livre... (aqui o anonimato é uma opção, mesmo que achemos bom ou ruim)
    PAZ! Abraço a todos e todas!!!

    ResponderExcluir
  104. gente eu concordo com vcs

    ResponderExcluir
  105. isso destrói a vida das pessoas e esses governadores deveriam ser presos esses ladroes corruptos

    ResponderExcluir