quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Por que o governo de Minas não quer pagar o piso a que os educadores têm direito por lei?



Por que o governo de Minas não quer pagar o piso a que os educadores têm direito por lei?

Essa é uma história que ainda será contada e recontada por estudiosos das manobras palacianas urdidas na calada da noite pelos detentores dos poderes que controlam os cofres públicos do estado. Estamos lidando com uma máquina, para usar uma expressão generosa, claro. Máquina de moer seres humanos, como já dissemos antes aqui no blog.

Contudo, vamos procurar entender algumas das razões do governo mineiro para não pagar o piso a que os educadores têm direito assegurado em lei. Publicamente, as desculpas do governo são as mais variadas: não têm dinheiro em caixa, ou já atingiram os limites da LRF, ou até que já pagam mais do que o piso através do subsídio. São desculpas esfarrapadas, já que nenhuma delas atinge o cerne da questão, ou das reais razões do governo. E que razões são estas?

A primeira razão, obviamente, está relacionada com a disputa do orçamento público entre os de cima e os de baixo, na escala social existente. Na luta de classes que impera neste sistema, cada centavo conquistado pelos de baixo, representa um centavo a menos na farta mesa dos de cima. E obviamente que o inverso se aplica imediatamente.

Quando o governo, em 2008, comunicou aos educadores que a implantação do piso em 2010 custaria R$ 3,1 bilhões a mais de impacto nas contas do estado, ele na verdade estava nos mandando um recado nas entrelinhas: esse repasse das verbas públicas para vocês, educadores, nós não faremos, pois achamos que vocês não merecem, que existem outras prioridades na nossa conta. Sem eira nem beira, era esse o recado dado pelo governo, travestido de uma roupagem cínica, que chamava os educadores para construírem uma solução comum para a nova realidade apontada pelo governo. Ou seja: o governo nos chamava para ajudar ao governo a nos golpear; ou seja, o governo nos pedia para que nós o ajudássemos a se livrar desse investimento a mais que teria conosco, por força da lei.

Foi dessa realidade que surgiu o subsídio. O custo total adicional do subsídio, anunciado pelo governo, era de R$ 1,4 bilhão. Considerando que o impacto adicional e atualizado do piso aplicado nas carreiras para todos os educadores, havia evoluído, em 2011, para R$ 3,7 bilhões, concluímos que o subsídio representou para o estado uma economia de R$ 2,3 bilhões de reais ao ano.

Mas, 153 mil educadores, ao optarem pelo antigo sistema remuneratório, estragaram a festa do governo e dos aliados. E aqui entra a segunda razão para o governo se recusar a pagar o piso.

Numericamente falando, se considerarmos que somos uma categoria com cerca de 380 mil educadores, poderíamos dizer que mais da metade da categoria ficou presa no subsídio. Uma parte - os designados - porque não pode optar. Uma outra parte - a dos aposentados - porque sequer foi informada sobre as desvantagens deste novo sistema; e por último, uma pequena parte dos educadores na ativa fez clara opção pelo subsídio, pois não quis correr qualquer risco. Alguns entenderam até que o subsídio era melhor do que o piso no vencimento básico, e por isso permaneceram naquele sistema.

É possível que o impacto sobre o orçamento causado pelo pagamento do piso para os 153 mil educadores represente, agora, algo próximo de R$ 1 bilhão. Isso significa que, mesmo pagando o piso corretamente para os 153 mil educadores, o governo já teria conseguido uma grande economia de quase R$ 1 bilhão de reais ao ano, ao não ter que pagar o piso para os 380 mil educadores.

O grande problema, neste caso, para o governo, é conter a indignação dos que ficaram no subsídio, quando perceberem que foram enganados pelo governo e seus aliados, que lhes disseram que este sistema era mais vantajoso que o piso. Claro que se tratou de uma "enganação" conveniente, já que só acreditou nessa lorota quem quis. Na prática, como poderia ser mais vantajoso um sistema que era defendido pelos inimigos, enquanto o outro, considerado desvantajoso, era negado? Ora, se o piso fosse pior e menos vantajoso para os educadores, bastaria ao governo pagá-lo aos teimosos que insistiram em voltar para o antigo sistema e assim o estado faria uma grande economia.

Mas a realidade era bem outra. E para não ter que admitir que enganou os educadores "ingênuos" que permaneceram no subsídio, o governo precisa de toda forma provar que o sistema de vencimento básico não é melhor do que o subsídio. E o que faz o governo agora? Tenta alterar as regras do jogo, mudando os percentuais das tabelas em vigor, para que o antigo sistema seja completamente descaracterizado.

Ora, nenhum dos 153 mil educadores voltou para a carreira antiga esperando que houvesse mudanças nas regras do jogo. Todos os que optaram pelo sistema de vencimento básico estavam conscientes de que: 1) mais dia, menos dia, o governo teria que pagar o piso; 2) pelo plano de carreira e pelas tabelas em vigor, o piso obedeceria a critérios que já estão delimitados em lei e são praticados desde 2005. Os percentuais das tabelas, por exemplo (22% de promoção e 3% de mudança de grau), embora não constem em nenhum texto formal, fazem parte das tabelas praticadas, da realidade fática, da prática usual de todas as carreiras dos servidores do estado. Logo, assumem força de lei, que só poderá ser alterada por uma outra lei. Mas, aí já se trata de um golpe. Por quê? Porque o governo não avisou aos 380 mil educadores que, aqueles entre eles que optassem pela antiga carreira, seriam punidos com a mudança nas regras do jogo que estão em vigor desde 2005.

Logo, além da redução ilegal de salário aplicada pelo governo em julho deste ano aos 153 mil educadores (precisamos urgentemente de um bom escritório de advogados para pegar essa causa!!!), o governo ainda quer alterar as regras do jogo já no final da prorrogação do segundo tempo.

Trata-se de um golpe sujo, de um ato de canalhice e o deputado que votar no projeto de lei com este teor deve ser exposto em praça pública como inimigo da população pobre, dos educadores de Minas, e da Educação pública de qualidade para todos. Devemos fazer uma campanha pública nas bases de cada um dos deputados, denunciando-os como vendilhões, canalhas, bandidos, e traidores do povo que o elegeu. Dia e noite, em cada palmo das 800 e poucas cidades de Minas, devemos escrever nos quadros, nas paredes, no chão das ruas, que tal e qual deputado é um canalha.

Acho inclusive que a nossa categoria deve promover um abaixo-assinado e um projeto de lei de iniciativa popular, para colher um milhão de assinaturas, para mostrar aos deputados qual é o desejo e o sentimento da população em relação a este tema. Se eles votarem a favor do governo, eles estarão traindo os seus eleitores e deverão ter suas carreiras sepultadas com aquele gesto.

Portanto, elencamos aqui hoje as duas principais razões para o governo não pagar o piso: 1) a disputa de orçamento, e 2) para não ter que reconhecer que enganou uma parte grande dos educadores com o subsídio. Mas, há ainda uma terceira causa: o investimento numa Educação de qualidade não faz parte do escopo de governos neoliberais, sempre receosos de que a população de baixa renda receba uma formação crítica e possa varrê-los do cenário político regional e nacional. De uma certa fora, isso se estende ao governo federal também, que faz política social com foco também nos resultados eleitorais, mas não investe adequadamente nas coisas básicas e estruturais, como na Educação pública, na Saúde, na reforma agrária e urbana, etc.

Por isso, a nossa atitude não pode ser outra senão a de continuar resistindo e lutando pelos direitos que a lei nos assegura. Temos direito ao piso salarial nacional aplicado nas nossa carreiras, com as gratificações e os percentuais existentes. O governo de Minas tem dinheiro para pagar o nosso piso; caso demonstre que não possui este dinheiro, que peça a ajuda da União, pois a lei prevê tal aporte de recursos. Não há, portanto, nos aspectos legal, moral e de financiamento qualquer impedimento para o pagamento do piso.

Não podemos perder de vista estes elementos na formulação das nossas estratégias. O piso é um direito garantido. O piso tem recursos próprios para a sua aplicação. O governo que não o paga está usando o nosso recurso para outros fins. Em outras palavras: está nos tomando um direito. Que o chão de Minas não pare de tremer, para impedir que o golpe do governo contra os educadores se materialize.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

- Dia 10 de novembro: paralisação geral, assembleia da categoria e ato conjunto no pátio da ALMG

- Em defesa do piso na carreira, contra o sucateamento do Ipsemg e pelo pagamento do prêmio por produtividade!

- Pela direito à moradia digna dos 5 mil moradores da Comunidade Dandara ameaçada de despejo!


***


Frei Gilvander:

Vários vereadores de Belo Horizonte tentaram reprovar o Projeto de Lei sobre a Dandara, hoje, dia 07/11/2011.

NOTA À IMPRENSA E À SOCIEDADE

Sem a presença da Comunidade Dandara nas galerias da Câmara Municipal de BH, ontem, dia 07/11/2011, na parte da tarde, para surpresa nossa, inesperadamente, vereadores discutiram no Plenário e votaram novamente o Projeto de Lei 1271/2010, de autoria do vereador Adriano Ventura (do PT), que visa declarar de interesse social para fins de desapropriação municipal a área onde se encontra a comunidade Dandara de modo a garantir o direito fundamental à habitação.

Resultado da votação: 12 vereadores votaram a favor do PL 1271/2010, ou seja, a favor da Comunidade Dandara; 6 votaram contra o PL, contra Dandara e 3 se abstiveram.

Eis, abaixo, os nomes dos 12 vereadores votaram a favor do PL 1271/2010, ou seja, a favor da Comunidade Dandara:

Arnaldo Godoy PT, Cabo Júlio PMDB, Chambarelli PRB, Daniel Nepomuceno PSB, Edinho Ribeiro PTdo B, Geraldo Félix PMDB, Hugo Tomé PMN, Iran Barbosa PMDB, João Bosco Rodrigues PT, Marcio Almeida PRP, Maria Lucia Scarpelli PC do B e Preto (DEM).

Eis, abaixo, os nomes dos 6 vereadores votaram contra o PL 1271/2010, ou seja, contra Dandara. Tarcísio Caixeta (PT), Heleno Abreu (PHS), Bruno Miranda (PDT), Joel Moreira Filho (PTC) e outros dois que ainda não soubemos os nomes. Esperamos vivamente que os 6 vereadores que votaram contra Dandara, repensem e passem a aprovar o PL 1271.

Eis, abaixo, os nomes dos 3 vereadores que se abstiveram. Não conseguimos pegar os nomes dos mesmos ainda.

Alguns se retiraram do plenário para baixar o quorum e, assim, evitar que a votação fosse válida: Adriano Ventura (PT), Sílvia Helena (PPS), Reinaldo/Preto do Sacolão (PMDB), Silvinho Resende (PT), ... Na prática, esses foram favoráveis a Dandara.

Como não houve quorum mínimo necessário de 2/3 (= 28 votantes), a votação não valeu. Após essa votação, o vereador Adriano Ventura, através de ofício, pediu a suspensão do PL 1271/2010. Isto significa que o PL 1271/2010 só poderá votar ao Plenário para ser votado após pedido do vereador Adriano Ventura, autor do projeto.

Antes da votação, houve um acalorado debate em Plenário. Saíram em defesa do PL 1271, defendendo Dandara os seguintes vereadores: Adriano Ventura, Cabo Júlio, Chamberelle e Divino. Defendendo a postura do prefeito Márcio Lacerda, usaram o microfone para falar contra o PL 1271, contra Dandara, os seguintes vereadores: Tarcísio Caixeta, Joel Moreira, Heleno e Bruno Miranda. Esperamos que esses 4 vereadores repensem antes que seja tarde e descubra a justeza e a necessidade de aprovar o PL 1271.

Belo Horizonte, 9 de novembro de 2011

Abraço terno. Frei Gilvander Moreira

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira


124 comentários:

  1. E ainda tem a quarta razão...O safado está "investindo" o dinheiro da educação para outros fins, para não dizer que está, literalmente, nos roubando.
    Tem muita coisa errada nesses 25% da educação e que se forem fiscalizados, serão todos presos.
    Esse é meu palpite...
    LUTA SEMPRE!
    FORA DITADOR
    FORA ANASTASIA

    ResponderExcluir
  2. ESSE PESSOAL ESTA BRINCANDO COM OS POBRES OS FAZENDO DE BONECOS JOÃO BOBOS, TERÃO SUAS RESPOSTAS NAS URNAS, VERGONHA...

    Votação do projeto sobre o destino dos moradores do Dandara é adiada por falta de quórum
    08/11/2011 19h44Avalie esta notícia

    A votação do projeto sobre o destino dos moradores da ocupação Dandara, no Céu Azul, em Belo Horizonte, foi adiada por falta de quórum. De acordo com informações divulgadas no blog feito pela comunidade, para ser aprovado o projeto precisa de 28 votos a favor, mas só obteve 14. Quinze vereadores votaram.

    Os moradores do Dandara dizem que a comunidade não deseja viver de ligações clandestinas de água e luz e pedem esses benefícios, esgoto e atendimento médico para mais de 900 famílias.

    Segundo informações do blog da comunidade, não há informações de quando o projeto será votado novamente. O relator Adriano Ventura disse que não pretende voltar com o mesmo para a pauta de votação sem antes convencer os vereadores.

    O adiamento ocorreu na segunda-feira (7).

    ResponderExcluir
  3. VEJAM MATERIA E REPAREM COM QUEM ELE APARECE ABRAÇADO NA FOTO DE COMEMORAÇÃO, VERGONHA...

    Ex-governador da Paraíba, barrado pela Lei da Ficha Limpa, é empossado senador
    08/11/2011 21h05Avalie esta notícia
    DA REDAÇÃO
    Siga em: twitter.com/OTEMPOonline
    NotíciaComentários(0) CompartilheMais notícias
    AA0
    Após ser barrado pela Lei da Ficha Limpa, o ex-governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), tomou posse nesta terça-feira (8) como senador, após ter sua eleição, em 2010, reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O impedimento de Cunha Lima para assumir o cargo deixou de existir, depois que o STF invalidou a aplicação da Lei da Ficha Limpa para as últimas eleições.


    Cunha Lima teve uma posse rápida, com a presença de diversos representantes de seu partido, como o ex-governador de São Paulo José Serra. Ele disse que não é contra a Lei da Ficha Limpa, mas alertou para as falhas provocadas pela “emoção” do momento em que foi aprovada.


    Na opinião do senador paraibano lacunas na legislação brasileira são prejudicial à democracia. Ele se declarou como um homem de “vida limpa”, e negou que já tenha sido condenado por um tribunal de contas. Cunha Lima justificou que foi barrado de assumir o cargo por uma interpretação errônea dos ministros sobre um programa de seu governo. A punição resultou na perda do cargo de governador.


    O próximo candidato barrado pela Lei da Ficha Limpa que deve tomar posse é João Capiberibe, que entrará no lugar do atual senador Geovani Borges (PMDB-AP). Outro caso de candidato eleito e barrado pela lei é o de Jader Barbalho. Se o STF liberar Barbalho para a cadeira no Senado, a senadora Marinor Brito (PSOL-PA) deverá ceder o lugar.

    ResponderExcluir
  4. DE UMA FORMA OU DE OUTRA OS BRASILEIROS ESTÃO TOMANDO CONSCIENCIA DOS SEUS DIREITOS, NO GERAL...

    Estudantes da USP decidem fazer greve geral a partir desta quarta-feira (9)
    08/11/2011 22h25Avalie esta notícia
    OTEMPOonline

    Durante a operação de reintegração de posse do prédio da USP, 70 alunos foram presos nesta terça-feira (8)
    Depois da reintegração de posse do prédio da Universidade de São Paulo Estudantes e da prisão de 70 alunos e servidores nesta terça-feira (8), os estudantes da USP decidiram entrar em greve geral a partir desta quarta-feira (9).

    O anúncio foi feito após uma assembleia geral realizada na noite desta terça-feira (8), e que foi convocada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), que representa os alunos da universidade. Eles votaram pelo o início imediato de greve ou um indicativo de paralisação - que seria decidido definitivamente numa próxima assembleia. Porém, eles optaram pela greve geral. Embora a votação tenha sido acirrada, não houve contagem dos votos e a primeira opção foi considerada pelos estudantes.

    Ficou decidido ainda que não haverá novas ocupações ou acampamentos no campus e que o convênio entre a USP e a Polícia Militar para a segurança da Cidade Universitária deve ser revogado. O apoio à liberdade imediata dos estudantes e servidores detidos, sem que sofram retaliação administrativa foi votada na assembleia. Os estudantes decidiram ainda apoiar uma campanha pela saída do reitor da universidade, José Grandino Rodas.

    Com a aprovação da assembleia geral, cada faculdade realizará uma plenária para decidir a participação dos alunos, que podem promover piquetes, manifestações ou apenas aderir à paralisação.

    Entenda. Os protestantes são contra a presença da Polícia Militar nas dependências da USP, os processos administrativos contra servidores da universidade e ainda as prisões realizadas nesta terça-feira (8).
    Desde o último dia 2 os estudantes ocupavam o prédio da reitoria da USP, como forma de protesto. Membros do movimento estudantil afirmaram que havia cerca de 2 mil universitários reunidos no prédio da faculdade de História. No site da universidade, a informação é de que 89 mil alunos estão matriculados na instituição.

    ResponderExcluir
  5. VERGONHA NACIONAL TOTAL, VERGONHA...

    Código Florestal é aprovado no Senado sob protesto de estudantes

    A comissão conjunta deixou para quarta-feira, a partir das 8h30, a votação dos destaques, que são polêmicos

    Venilson Ferreira - 8/11/2011 - 14:26

    Estudantes protestam contra a aprovação do novo Código Florestal

    Os senadores da Comissão conjunta de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) aprovaram nesta terça-feira (8) o texto-base do novo Código Florestal, relatado pelo senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC). Na CRA o texto foi aprovado por unanimidade (15 votos). Já na CCT foram 12 votos a favor e 1 contra, da senadora Marinor Brito (PSOL-PA).


    A comissão conjunta deixou para quarta-feira (9), a partir das 8h30, a votação dos destaques, que são motivo de polêmica. Entre eles, está uma proposta do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) que desobriga a recomposição de reserva legal apenas para agricultores familiares com propriedades de até 4 módulos fiscais, constituídas antes de 22 de julho de 2008.


    A senadora Marinor chegou a pedir vista do relatório, alegando que o tempo era curto para avaliação. No entanto, prevaleceu decisão anterior tomada em 25 de outubro pelas duas comissões, a qual determinava que não seriam concedidos novos pedidos de vista.


    No relatório apresentado nesta terça-feira, das 66 emendas que foram recebidas, o relator Luiz Henrique acatou apenas três: de Cyro Miranda (PSDB-GO), Ana Amélia (PP-RS) e Paulo Paim (PT-RS). O senador Luiz Henrique ressaltou que o texto aprovado "não reflete a sua opinião pessoal mas, sim, busca o consenso para que seja aprovado novamente pela Câmara e que não seja vetado pela presidente da República".


    Depois de passar pelas duas comissões o novo projeto seguirá para a Comissão de Meio Ambiente, a última antes de ser votado no Plenário do Senado. O senador Jorge Viana (PT-AC) apresentará seu voto na comissão no dia 16, quando será concedido pedido de vista e marcada a data de votação do texto, prevista inicialmente para o dia 22.

    Estudantes da UnB e policiais entram em confronto

    Estudantes da Universidade de Brasília (UnB) que protestavam contra a aprovação do relatório do novo Código Florestal, proposto pelo senador Luiz Henrique (PMDB-SC), em duas comissões no Senado, entraram em confronto no corredor das comissões com policiais legislativos da Casa.

    Um estudante de Geologia da UnB, chamado Rafael, foi arrastado por quatro policiais por cerca de 20 metros, e ao tentar reagir, levou um tiro de phaser (arma paralisante). Ele foi conduzido para a delegacia da polícia legislativa, onde prestou depoimento. Ele estava acompanhado da senadora Marinor Brito (PSOL-PA), membro da Comissão de Agricultura.

    Durante toda a sessão, os estudantes da UnB usavam narizes de palhaço e gritavam palavras de ordem.

    ResponderExcluir
  6. Editorial II: MACACO EM CASA DE LOUÇA

    Por Geraldo Elísio

    “O tempo passa / o tempo voa / e a poupança Bamerindus continua numa boa” – Antiga publicidade do Banco Bamerindus, que acabou.

    Quando se escreve e o escrito se destina ao público, quem escreve deve ter a consciência de que alguém poderá gostar ou não do que ler. Faz parte do jogo e é uma regra inflexível da democracia.

    Neste mesmo espaço, com direito à ilustração escrevi que o vice- prefeito de Belo Horizonte estava desempenhando perante o prefeito Marcio Lacerda o papel de “rainha da Inglaterra”. Na época, auxiliares dele me disseram que ele estava contrariado, o que entendo, porém reafirmando que o meu compromisso como jornalista é com o leitor e acima de tudo com a verdade dos fatos.

    Certo é que o tempo passou e Marcio Lacerda, codinome “Gringo” em seus “devaneios da juventude”, ao brincar de guerrilheiro urbano pé de chinelo ao assaltar um armazém de secos e molhados, hoje não quer o vice Roberto Carvalho nem para ser palafreneiro do rei. E Roberto Carvalho se sente tão desprezado quanto a Gata Borralheira e “lamenta e chora”.

    Entretanto, em momento algum a abóbora do vice-prefeito de Belo Horizonte irá se transformar em carruagem e os ratinhos igualmente nunca deixarão de permanecer roedores para se transformar em corcéis ajaezados, eliminando qualquer possibilidade de sucesso, mesmo que ele perca um sapatinho de cristal.

    O tempo, com o passar dos anos, se encarregou de me dar a razão.

    Da mesma forma, alguns “companheiros” ficaram bastante irritados quando ao tempo da última campanha este repórter escreveu que o então prefeito de Belo Horizonte e hoje ministro Fernando Pimentel parecia um macaco em casa de louça. Como o tempo passa igualmente para todos, não é que o senhor ministro está sendo acusado de ligações diretas com o mensalão.

    Não faço questão de ganhar todas, pois sei que a vida é um perde e ganha, mas o tempo voltou a me dar razão.

    E o pior da história, é o mesmo tempo que as protelações jurídicas conseguiram ganhar a favor dos acusados que agora os atormenta. Porque surgiu em cena um ator inesperado que no futebol equivale à zebra, o “Imponderável de Souza”, ao que tudo indica parente próximo do “Sobrenatural de Almeida”, criado pelo dramaturgo Nelson Rodrigues.

    Ou seja, surgiram “Occupy Wall Street”, os indignados do mundo, a ministra Eliana Calmon, o ministro Joaquim Barbosa, uma esperança ainda que miúda de que não haverá mais impunidade e a web para colocar sob os holofotes aquilo que o PIG não mostra. Como deixar de punir corruptos e corruptores diante de tanta indignação que coloca o mundo à beira de um holocausto atômico?

    O “filósofo” definitivamente não é o melhor indicado, pois Fernando Collor de Melo foi inclusive impinchado, mas não se pode negar que a frase é dele: “O tempo é o senhor da razão.” Razão que por sinal vai conspirando igualmente contra o Partido Comprado do Brasil, vulgo PC do B, porque se existe algo de concreto é que já não se faz mais comunista como antigamente.

    Este espaço é permanentemente aberto ao democrático direito de resposta a todas as pessoas e instituições aqui citadas.

    geraldo.elisio@novojornal.com

    ResponderExcluir
  7. É E O LULA JÁ CHAMAVA ESTA CASA DE ALI BABA E SEU 400 LADRÕES, VERGONHA......
    9/11/2011 - 02h35
    Governo desiste de concluir DRU nesta madrugada
    MARIA CLARA CABRAL
    DE BRASÍLIA

    O governo decidiu deixar a conclusão do primeiro turno da votação da DRU (desvinculação das receitas da União) na Câmara para a tarde desta quarta-feira. Minutos antes, o texto principal que prorroga por mais quatro anos o mecanismo que dá mais flexibilidade aos gastos do governo foi aprovado por 369 votos a favor e 44 contra.

    Até agora, dois destaques que modificariam o texto foram rejeitados. Outros destaques ainda precisam ser analisados. Um deles, propõe a prorrogação da DRU por apenas dois anos.

    A intenção do governo era concluir o primeiro turno da proposta ainda hoje. Depois de quase nove horas de discussão, no entanto, foi obrigada a adiar o restante da votação com o temor de ser derrotado em algum destaque importante.

    A DRU (desvinculações das receitas da União) é um mecanismo que permite ao governo gastar livremente 20% de suas receitas e perderia a vigência em 31 de dezembro de 2011.

    Para a prorrogação entrar em vigor, o texto ainda precisa passar pela votação em mais um turno na Câmara dos Deputados --o que pode acontecer ainda nesta quarta-feira. Além de seguir para duas votações no Senado. Tudo isso deve acontecer antes do recesso parlamentar (dia 23 de dezembro).

    JBatista/Agência Câmara

    Deputados debatem a desvinculação das receitas da União (DRU) durante sessão na Câmara nesta terça-feira
    A desvinculação das receitas é um dos assuntos mais importantes para a presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Tanto que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) acompanhou a votação direto do gabinete do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Preocupados com a falta de tempo hábil para a conclusão da votação na Câmara e no Senado, deputados tentaram viabilizar um acordo durante todo o dia de hoje.

    As negociações giraram em torno da proposta de prorrogar a DRU por apenas dois anos. Em troca, líderes oposicionistas dariam a garantia de que não recorreriam ao STF (Supremo Tribunal Federal) por causa da quebra de prazo necessário entre a votação do primeiro e segundo turnos da proposta em plenário.

    A presidente Dilma rejeitou pessoalmente o acordo, após encontro com os presidentes da Câmara e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Segundo Maia, ela alegou que a perspectiva é que a crise econômica internacional dure mais tempo e que por isso a DRU é essencial para o Brasil enfrentar o cenário mundial.

    Por tratar-se de uma emenda constitucional, a proposta precisa ser aprovada nos dois turnos com pelo menos 308 votos --o governo conseguiu 61 votos a mais na primeira votação. De acordo com o regimento interno da Câmara, os deputados devem cumprir o prazo de cinco sessões do plenário entre as votações do primeiro e segundo turnos. A base aliada, porém, deve passar por cima das normas e votar o segundo turno ainda nesta quarta.

    Essa é a sexta proposta do Poder Executivo de prorrogação das desvinculação das receitas. O argumento do governo é que o excesso de vinculações gera ineficiência na administração de recursos públicos e que a DRU permite o financiamento de programas prioritários sem o aumento de endividamento da União.

    Ainda de acordo com o governo, a aprovação da DRU para mais um período permitirá a desvinculação de recursos da ordem de R$ 62,4 bilhões, contribuindo para viabilizar de modo mais equilibrado o superávit primário de R$ 71,4 bilhões, que foi fixado como meta para o próximo exercício financeiro.

    ResponderExcluir
  8. 9/11/2011 - 03h30
    A marcha de juízes insensatos
    DE SÃO PAULO

    É PRA RIR OU CHORAR, VERGONHA...

    As guildas e o corporativismo de juízes estão produzindo fatos e números que apequenam o Poder Judiciário. A corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, criticou a "impunidade da magistratura", reclamou da sua blindagem e fez a frase de sua vida: ªSabe que dia eu vou inspecionar São Paulo? No dia em que o sargento Garcia prender o Zorro.

    ResponderExcluir
  9. ESTA AÍ COMANDANTE EULER COMO A BANDA TOCA PARA OS PROFESSORES DO BRASIL E DILMA NÃO OUVE, NÃO ESCUTA E NÃO VÊ....TAMBEM PUDERA...A PRESITURISTA SÓ ANDA A MAIS DE 10 MIL PÉS DE ALTURA. SE NÃO AGIREM RÁPIDO ISTO VAI VIRAR EPIDEMIA NESTE PAIS SEM LEI, VERGONHA.......
    Governo do Pará vai demitir professor que mantiver greve

    AGUIRRE TALENTO
    DE BELÉM

    O governo do Pará anunciou nesta terça-feira (8) que irá demitir professores que mantiverem a greve da categoria, que completa hoje 42 dias.

    Uma decisão da Justiça do Pará na última sexta-feira determinou o retorno dos professores às aulas, mas eles descumpriram a ordem judicial.

    A estimativa é que cerca de 800 mil alunos estão sem aula desde 26 de setembro.

    Paralelamente à medida, a Polícia Civil abriu inquérito contra a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará, Conceição Holanda, uma das líderes da greve.

    Após o inquérito, ela poderá ser denunciada à Justiça sob acusação de descumprimento de ordem judicial e, caso condenada, poderá até mesmo ser presa.

    Os professores exigem que o governo do Pará pague o piso nacional da categoria, de R$ 1.187. Atualmente, eles recebem R$ 1.126.

    A proposta da Secretaria da Administração é que o piso nacional seja alcançado por meio de aumentos graduais no salário a partir do ano que vem, quando piso estará em torno de R$ 1.450.

    O órgão afirma que não tem recursos para pagar o aumento neste ano. O sindicato rejeita a proposta.

    Hoje, o governo anunciou que irá demitir os professores com contrato temporário que continuem em greve. Segundo a Secretaria de Administração, são cerca de 5.000 temporários e 22 mil efetivos.

    Também os diretores de escolas que mantiverem fechadas as unidades de ensino serão afastados de suas funções.

    Os professores com contrato efetivo responderão a processos administrativos da Secretaria de Educação.
    O sindicato dos professores, porém, contesta a determinação judicial e afirma que irá recorrer às instâncias superiores.

    "O próprio STF [Supremo Tribunal Federal] já reconheceu o direito dos professores ao piso nacional. Só queremos o cumprimento da medida", afirmou Eloy Borges, coordenador do sindicato em Belém.

    ResponderExcluir
  10. A PM já teve aumento de 10% agora no mês de outubro. Com certeza esse dinheiro é o da nossa classe. Reafirmo novamente: se for para escalonar o piso que seja para aqueles que estão no suicídio! Os 153 mil que retornaram ao VB não tem que carregar as outras classes da educação nas costas. Já conseguiram cogitar um bom advogado para resgatarmos nosso dinheiro confiscado?

    ResponderExcluir
  11. VEJAM O QUE ESTÃO PLANTANDO LÁ FORA SOBRE OS PROFESSORES MINEIROS, JÁ NÃO BASTA SÓ O DESRESPEITO A CLASSE, VALE TAMBEM DESMORALIZAR, MUI AMIGO ESTE TAL DE JOÃO FILOCRE, VERGONHA JOÃO TRAIDOR DA CLASSE...........
    Professores de MG erram 1/3 das questões que aplicam aos alunos

    LUIZA BANDEIRA
    DE SÃO PAULO

    Os professores de física da rede estadual de Minas Gerais erraram, no ano passado, 28% das questões de um teste que aplicaram a seus próprios alunos. Em português e geografia, o percentual de erros chegou a 26%.

    Os dados, da Secretaria de Educação de Minas Gerais, foram apresentados na segunda-feira (7) pelo pesquisador João Filocre, coordenador do grupo de pesquisa em avaliação educacional da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e ex-secretário adjunto de Educação de Minas. Ele participou de um seminário internacional sobre formação de professores, em São Paulo.

    A avaliação é feita a partir de um teste aplicado a alunos do ensino médio em todo o Estado, duas vezes por ano. Como os professores não recebem os gabaritos, precisam fazer a prova para corrigir os exercícios dos alunos. É essa correção que é avaliada pelo governo. Os dados se referem ao primeiro exame de 2010.

    O conteúdo é selecionado pelo próprio professor, com base naquilo que ele pretende ensinar ao longo do ano.

    "O professor usa isso para saber como vão seus alunos, e indiretamente a gente fica sabendo como é que eles estão", disse o pesquisador.

    Segundo ele, a avaliação é feita por assuntos, o que permite saber exatamente quais são os conteúdos em que os docentes têm mais dificuldade e tornar os cursos de capacitação de professores mais objetivos. Além disso, os exercícios que os professores fazem são corrigidos com explicações sobre o conteúdo.

    Filocre também mostrou que, em uma pesquisa feita há sete anos, mas divulgada somente neste ano, os professores não sabiam conteúdos básicos.

    Entre os docentes de história, mais de 70% disseram que era impossível um corpo permanecer em movimento sem que houvesse uma força atuando sobre ele, cerca de 40% disseram que é possível curar síndrome de Down com atendimento psicológico e pedagógico adequado e mais de 50% disseram que é possível aumentar a quantidade total de energia no universo.

    A rede estadual de Minas Gerais tinha, no ano passado, 157 mil professores, quase todos com curso superior. Para Filocre, os dados mostram que a preocupação não deve ser somente com a graduação e titulação de professores, mas com a qualificação. "Não basta ter um título, porque eles têm e não sabem as coisas."

    ResponderExcluir
  12. SOBRE JOÃO FILOCRE, QUE SE DIZ "PESQUISADOR" FOI SEC. ADJUNTO NA GESTÃO AÓCIO NEVES, TÁ EXPLICADO O COMENTARIO DESTE BABA OVO DO PODER, VERGONHA NA CARA JÕAO, JOGANDO CONTRA.....


    Baixos salários, condições precárias de estrutura física e de ensino, ameças constrantes da integridade física.... esse é o retrato da educação deixada po quase 20 anos de governo do PSDB, sendo 08 anos de AÉCIO NEVES. investiu mais numa cidade administrativa que está em constante reforma, em pouco mais de 1 anos da emtrega das obras. não é de se admirar tal resultado, diante das condições oferecidas para os professores. DESÂNIMO TOTAL, diante de uma gestão maquiada.

    Nossa...sem comentários...


    Esse "pesquisador" foi adjunto do governo estado? Tá explicado, depois dos professores começarem a mostrar os podres que ocorrem com as verbas da educação o governo do de Minas mandou fazer a pesquisa por uma pessoa da propria equipe...kkkkkk
    Quanto sera que levou para fazer essa pesquisa??e por que não fez dos jornalistas,que falam coisas erradas sobre diverças áreas em suas notícias, edos economistas que estão levando o mundo a maior crise econômica da história...

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, Euler!
    Gostei muito da idéia do abaixo- assinado.
    Envolverá a população toda que já começará a tomar consciência da droga que colocou no poder!
    Começamos aí a campanha ante- PSDB além da pressão que faremos.

    ResponderExcluir
  14. ELOGIAR UM MESTRE TAMBEM ORA BOLAS, MESMO QUE NÃO BRASILEIRO, ALIAS SERIA DIFICIL PARA UM MESTRE BRASILEIRO NA ATUAL DESMORALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL TER CABEÇA AGORA A NÃO SER PARA SOBREVIVER A TANTAS INGRATIDÕES E SACANAGENS SOFRIDAS PELO ESTADO, UNIÃO E POVO NO GERAL, UMA PENA NÃO SABEREM O VALOR DE UM PROFESSOR, VERGONHA...

    "1 + 1 = 2 é o conto de fadas da matemática", diz professor

    da Livraria da Folha

    Divulgação

    Livro traz a história das fórmulas matemáticas e de seus criadores
    A primeira equação que a maioria aprende é a elementar "1 + 1 = 2". Subestimada pela simplicidade, ela resume o formato de todas as outras e a própria definição da adição.

    Segundo Richard Harrison, professor de inglês no Mount Royal College, no Canadá, "1 + 1 = 2 é o conto de fadas da matemática, a primeira equação que eu ensinei ao meu filho, a primeira expressão do poder milagroso que a mente tem de mudar o mundo real. Eu me lembro de meu filho com os indicadores em riste --os dedos 'um'-- quando aprendeu a expressão, e aquele momento de maravilha, talvez seu primeiro pensamento filosófico, quando ele percebeu que os dedos, separados por seu próprio corpo, poderiam ser unidos num só conceito por sua mente."

    Robert P. Crease, professor do departamento de filosofia na Universidade Stony Brook, em Nova York, reuniu as histórias das equações e dos homens que as criaram em "As Grandes Equações", volume que se inicia com a famosa e simples soma e chega aos computadores quânticos.

    O livro, que acaba de ser publicado no Brasil pela editora Zahar, acompanha a trajetória dessas descobertas de suas tentativas, sucessos e fracassos.

    ResponderExcluir
  15. ESTA AÍ A NOVA MINISTRA, VAMOS PROCURA-LA, UMA ESPERANÇA A MAIS...
    Juízes federais dizem aprovar indicação de Rosa Weber para STF

    A Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) considerou positiva a indicação da ministra do TST (Tribunal Superior do Trabalho) Rosa Maria Weber para o STF (Supremo Tribunal Federal).

    "Rosa Maria, juíza de carreira, certamente contribuirá muito para a Corte, pelo seu preparo técnico e conhecimento jurídico, e fará jus ao cargo antes ocupado pela ministra Ellen Gracie. Precisamos de juízes de carreira no STF, a presidente Dilma está resgatando esta tradição constitucional positiva para a sociedade", disse o presidente da entidade, Gabriel Wedy.

    OAB diz aprovar indicação de ministra do TST para Supremo
    Presidente do TST elogia escolha de Rosa Weber para o STF
    Dilma escolhe ministra do TST para vaga de Ellen Gracie no STF

    Divulgação/Tribunal Superior do Trabalho

    Rosa Weber, escolhida para a vaga de Ellen Gracie
    A associação não foi a única a considerar positiva a escolha. Ontem, o presidente do TST, João Oreste Dalazen, disse que a escolha da ministra foi "uma feliz indicação" da presidente Dilma Rousseff.

    O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcanti, também avaliou como positiva a indicação.

    "Ela tem uma trajetória de defesa dos direitos sociais. Isso confere a ela legitimidade para integrar a Corte Suprema", disse o advogado.

    Cavalcanti ainda destacou o fato de que já era esperado a indicação de uma mulher para a vaga que era ocupada por Ellen Gracie. "Essa expectativa foi atendida por conta de tudo o que as mulheres representam ao mundo jurídico."

    Nesta segunda-feira, foi anunciada a escolha da presidente Dilma Rousseff para o lugar que estava vago desde agosto.

    Esta é a segunda indicação de Dilma Rousseff para o Supremo, que no início do ano escolheu Luiz Fux para assumir uma cadeira na Corte.

    A gaúcha Rosa Weber contava com o apoio do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), e do ex-marido de Dilma, o advogado trabalhista Carlos Araújo.

    O blog Presidente 40 já tinha antecipado que que Rosa Weber liderava a bolsa de apostas para a vaga.

    Ellen Gracie foi a primeira mulher a se tornar ministra do STF na história do Brasil, e a única a ocupar a presidência da corte. Com sua saída, a ministra Cármen Lúcia ficou como a única representante do sexo feminino no Supremo.

    PERFIL

    Natural de Porto Alegre, Rosa Maria Weber Candiota da Rosa ingressou na magistratura trabalhista em 1976, como juíza substituta, por concurso promotivo pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 4ª Região.

    Em 1981, foi promovida ao cargo de juíza presidente, que exerceu sucessivamente nas Juntas de Conciliação e Julgamento de Ijuí, Santa Maria, Vacaria, Lajeado, Canoas e Porto Alegre. Em Porto Alegre, presidiu a 4ª Junta de Conciliação e Julgamento de 1983 a 1991.

    Com diversas convocações para atuar na segunda instância desde 1986, foi promovida em agosto de 1991 ao cargo de juíza togada do TRT da 4ª Região. Também foi presidente do tribunal no biênio 2001-2003, após ter sido vice-corregedora de março a dezembro de 1999, e corregedora regional, por eleição, no biênio 1999-2001.

    Também foi professora da Faculdade de Direito da PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul, no curso de graduação em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1989 e 1990.

    Convocada em maio de 2004 para atuar no Tribunal Superior do Trabalho, em 21 de fevereiro de 2006 tomou posse no cargo de ministra deste tribunal.

    ResponderExcluir
  16. Você tem toda a razão amigo. Na minha opinião ele está simplesmente numa "sinuca de bico". Sabe que não poderá deixar de pagar o piso, mas sabe que se pagar terá 200 mil cobrando dele o que é direito. Agora o real motivo dele não pagar o piso e cumprir a lei sem pestanejar é a disputa orçamentária. Nos pagar o Piso tira um pouco a "margem de lucro" deste que é um governo que se passa por bonzinho, mas que trabalha na base da tirania, do controle da imprensa e do domínio da justiça. Sem falar em deputados coniventes com essa atrocidade. é possível que ele até nos pague, mas acho que teremos que entrar em greve de novo, lutar de novo, nos acorrentar de novo, chorar de novo, apanhar da polícia de novo, tudo de novo. É uma pena vivermos num país onde a lei oprime ao invés de beneficiar.

    ResponderExcluir
  17. Esse papo de escalonamento é maior furada! O salário dos PMS vão duplicar até 2015 (eles já ganham bem). Qual a fonte que o desgoverno vai tirar para esse pagamento? Se cairmos nessa onda de escalonamento o próximo governo pegará o pepino financeiro deixado por esse verme anastazista e não nos pagará alegando falta de recursos.

    ResponderExcluir
  18. Não sou egoísta mas vamos pensar um pouco!

    Quem já teve bom aumento salarial:

    - Diretor;

    - Vice Diretor (Alguns estão ganhando mais que os Diretores);

    - Pessoal adminstrativo da Educação;

    Eu acho muita utopia querer auxiliar essas classes.

    Os professores e auxiliares de serviço geral são os únicos sem aumento e estão carregando a cruz dos outros.

    Eu creio válida a proposta de pagar o piso para aqueles que retornaram ao VB. Que escalone o piso para todos aqueles que ficaram no subsídio!

    ResponderExcluir
  19. PARA FLÁVIO/BHTE:

    "Flávio/Bhte disse...
    Olá Euler e blogueiros!

    [2] "Coloque o piso dentro da carreira de professores e especialista, e escalone nas outras carreiras, que eu entendo não são atuantes na luta, e para tal podem esperar um pouco mais para ter o piso totalmente implantado em suas carreiras."
    ________________________________ Assino onde?"


    Por favor, não generalize tá? Tem ATB's e ASB's que ficaram de greve 112 dias e são bem atuantes ok? No mais, se essas seventes não fizeram greve, não tem pq ir aos sábados repor, só que elas tem que bater boca é com a diretora e não com o professor grevista que tá no seu direito! Eu sou ATB participo de quase todos os congressos, atos, manifestações e além de ser representante da minha escola junto ao sind-ute.

    Conceição.

    ResponderExcluir
  20. Que tal pensarmos em mandar e-mail para o Zé Simão, da Folha de São Paulo, contando sobre a realidade educacional em Minas e sobre a vergonha dos salários da educação.
    Ele poderia fazer uma análise, denunciando, de forma cômica, como faz com diversas situações que acontecem no Brasil e pelo mundo....

    Vamos lá.... simao@uol.com.br

    ResponderExcluir
  21. Euler, não corre o risco das negociações ficarem paradas, por conta do final do ano...????
    Hj é dia 09/11, logo chega dezembro e ai, como ficamos??????

    ResponderExcluir
  22. Realmente , Euler , precisamos entrar na justiça urgentemente com o melhor advogado possível . Há aqueles que pegam a causa de todos os que optaram pelo sistema antigo , cobrando uma porcentagem sobre o que recebermos ( temos boas diferenças atrasadas para receber ). O conjunto dará um bom fencimento para o advogado e não precisaremos desembolsar agora .Será que o sindicato seria capaz de viabilizar isto ?

    ResponderExcluir
  23. Mais uma mentira descarada do nosso governador, jornal o tempo:

    Governador quer guarda nas escolas
    O governador do Estado, Antonio Anastasia, anunciou, ontem, a existência de uma iniciativa na Assembleia Legislativa (ALMG) de voltar com os guardas escolares para as escolas estaduais. "É uma ideia muito positiva porque percebemos hoje que há, de fato, uma grande violência também nas escolas", disse.


    A assessoria da ALMG informou desconhecer a iniciativa. Já as secretarias de Estado de Defesa Social e de Estado de Educação afirmaram não ter sido comunicadas. (Fernanda Nazaré Assis)

    deixem seus comentários no jornal:

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=187391,OTE

    ResponderExcluir
  24. Euler, bom dia!
    Vamos pesquisar um bom e sério escritório de advogacia e montar um grupo de educadores para juntos entrarmos com uma ação conjunta. Eu com certeza farei parte deste grupo. Vamos pesquisar pessoal. Nós somos muitos, conhecemos muitas pessoas quem sabe alguém nos indica um excelente advogado.
    Amplexos,
    Elenice Vidal Prata

    ResponderExcluir
  25. Professor Euler,
    Ontem eu apliquei a prova de "análise das imagens" aos alunos do 3º ano do Ensino Médio. Embora falte aos alunos aprimorar a visão crítica dos fatos, eles ficaram surpresos com o que está acontecendo em Minas.Pergunta se alguém quer ser professor! Ninguém. Mostrei a eles também a diferença entre o quanto receberá um professor de nível médio para um que tem doutorado. Era visível, em seus rostos, a demonstração de tristeza.
    Professor Herbet
    Crsitália - MG

    ResponderExcluir
  26. Faço minhas as palavras do Euler, inclusive estas:"...precisamos urgentemente de um bom escritório de advogados para pegar essa causa!!!" URGÊNCIA URGENTÍSSIMA!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  27. Bom dia a todos(as)

    Não estou gostando nadinha dessa comissão tripartite, as negociações não avançam e está evidente para nós que se trata de uma estratégia para nos enganar novamente, a exemplo da greve de 2010.
    Companheiros do NDG, acho que deveríamos voltar com a greve. Hoje cedo, ouvindo a rádio Itatiaia, fiquei surpreso quando a repórter mencionou sobre projeto do governo em caráter de urgência URGENTÍSSIMA que dispõe sobre reajustes ao funcionalismo público para o ano que vem.
    ISSO É QUE É SER APUNHALADO PELAS COSTAS!
    Evidente que a pauta está obstruída pela oposição, que pretende ganhar tempo, mas até quando? O Dep. Gustavo Valadares "governista" em sua fala disse que até final semana que vem o projeto estará aprovado. Que projeto é esse?
    Essa semana é decisiva!!!
    Amanhã na assembléia precisamos tomar sérias decisões!
    Se a próxima reunião tripartite acontecerá dia 16/11, então de nada adiantará, pois, o projeto terá sido aprovado em plenário da ALMG.
    Estejamos Alerta!
    Abraços a todos(as)

    Prof. Romeu de Caratinga

    ResponderExcluir
  28. O que deveria estar em negociação é data ínicial do pagamento do piso e o saldo devedor das parcelas retroativas. O sindute não poderia ter feito a proposta ao Governo que considerasse aplicar o Piso Salarial para todos os níveis no grau A e discutisse o restante dos graus de forma escalonada(a não ser que esta proposta foi aprovada em assembléia). Com este procedimento, o Governo poderá apresentar mais propostas indecentes ou seja, incoerentes da carreira vingente.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  29. No comentário anterior sobre quem ganhou aumento esqueci de citar que nossos colegas especialistas também estão sem aumento sofrendo como os professores. Peço desculpas!

    ResponderExcluir
  30. Bom.. turma, temos que nos organizarmos para amanhã dia 10/11 fazermos bastante barulho, para que o governo possa nos ouvir, ou ao menos tentar!! Ontem eu estava assistindo a tv senado, e a senadora do Pará estava
    falando e apoiando a greve dos professores deste Estado. bom, o q vou falar aqui, não é novidade para quem está acompanhando a luta desde o início. Quando a senadora estava no meio de sua fala, de repente o microfone parou de transmitir o que ela estava dizendo. O Brasil é o país da censura. Temos que derrubar governos.. O brasileiro tem que deixar de ser passivo. Vamos a luta.. e se for necessário retomaremos a greve , até que absolutamente todos os problemas relacionados a educação sejam resolvidos. Greve já.....

    ResponderExcluir
  31. QUANDO NÃO É O GOVERNADOR É O PREFEITO QUE DESPREZAM A CLASSE DOS PROFESSORES...PROF.antonio anastazia...PIADA, SÓ PODE SER, VERGONHA....

    Diretora agredida por aluno está sob proteção policial
    Docente disse que irá pedir licença; colegas afirmam que ela está triste
    Publicado no Jornal OTEMPO em 09/11/2011Avalie esta notícia »

    RAPHAEL RAMOS
    NotíciaComentários(5) CompartilheMais notícias
    Descanso. Professora comentou com colegas que, apesar da licença, não pretende abandonar escola
    Quase três meses após ser agredida e depois ameaçada por um aluno, a diretora da Escola Municipal Maria Silva Lucas (Caic Jardim Laguna), em Contagem, na região metropolitana da capital, ainda vive sob o medo. Desde a última quarta-feira, Maria Aparecida de Fátima está sob a escolta de um policial. Ela conseguiu a proteção na Comissão de Segurança Pública da Assembleia.

    Apesar da segurança policial, Maria de Fátima deverá entrar com um pedido de licença a partir de hoje na Secretaria Municipal de Educação de Contagem. Por telefone, ontem, ela confirmou que pretende dar um tempo em suas atividades escolares, mas não deu detalhes de seu afastamento.

    Ainda que consiga a licença, a docente terá mantida a proteção. "Isso vai permanecer até que não haja mais riscos a ela", garantiu o presidente da comissão, deputado João Leite (PSDB). O aluno, de 15 anos, autor das agressões à diretora, está em liberdade.

    Colegas de trabalho da educadora contaram que Maria de Fátima ainda teme sair sozinha. Ontem, ela não teria ido à instituição. Segundo eles, o policial que faz a escolta da docente vai até a casa dela, em Belo Horizonte, e a acompanha no trajeto para a escola. O PM permanece no local até a saída da diretora e depois a escolta na volta para casa. "A Fátima (Maria) ficou muito abalada. Desde que tudo aconteceu, está triste, chora à toa", contou uma professora.

    De acordo com pessoas da escola Caic Jardim Laguna, Maria de Fátima comentou a intenção de se afastar, mas ela teria dito que não irá abandonar a instituição. "Ela sempre foi dedicada e gosta muito daqui. Pra ela, foi um baque muito grande, uma decepção, mas abandonar, jamais", afirmou uma colega.


    A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação de Contagem informou não ter sido notificada oficialmente do pedido de licença de Maria de Fátima. Ainda conforme a secretaria, o estudante acusado de agredir a diretora foi transferido de escola e cumpre medida socioeducativa no Núcleo Regional Ressaca, desde a semana passada. Ele exerce funções administrativas. A medida vai até janeiro do ano que vem.

    ResponderExcluir
  32. Euler ,onde posso encontrar a tabela que Beatriz disse que ia publicar ontem?

    ResponderExcluir
  33. Euler,
    será que está sendo falado nas reuniões tripartite a respeito de 1/3 da carga horaria extra classe, conforme manda a lei do piso.

    ResponderExcluir
  34. O INÍCIO DO FIM JÁ COMEÇOU.


    MINAS GERAIS AINDA TEM UMA BOA ARRECADAÇÃO.

    TEM UM GRANDE ORÇAMENTO.

    MAS ESTÁ QUEBRADA.

    ENTÃO ELES AUMENTAM OS GASTOS E AS DESPESAS.

    AUMENTAM A DÍVIDA O QUANTO PODEM.

    BUSCAM EMPRÉSTIMOS NO EXTERIOR.

    AUMENTAM O VOLUME DE DINHEIRO.

    DEPOIS...

    O PRATO ESTÁ FEITO.

    QUEM FOR MAIS ESPERTO E MAIS RÁPIDO, QUE ROUBE MAIS.

    SEM NENHUM PUDOR.

    E O ÚLTIMO LADRÃO QUE SAIR, APAGUE A LUZ.

    ... OH! MINAS GERAIS...

    ...

    ResponderExcluir
  35. GRAÇA:

    SÃO PAULO:
    PISO PARA PROFESSOR RETROATIVO A MAIO/11 2.152,10 a R$2.600,00 p/6 horas/dia!(era de 1.184,00 p/40/h/semanais)

    A Câmara Municipal de São Paulo aprovou hoje a criação de um piso de R$ 2.600 para os professores. O reajuste foi de 13,42% para todos os funcionários da rede, que conta com cerca de 50 mil funcionários.

    Além desse aumento, que é retroativo a maio de 2011, haverá mais três reajustes escalonados: de 10,19% em maio de 2012; 10,19% em maio de 2013 e de 13,43% em maio de 2014.

    Com as mudanças, o menor salário será de R$ 852, por seis horas de trabalho, para o quadro de apoio da educação municipal. O maior será o dos supervisores, que pode ficar até 20% mais alto, com gratificações, chegando a um total de R$ 4.460.


    O salário do professor da rede, para uma atuação de seis horas, será de R$ 2.152,10. Mas, com as gratificações que já são incorporadas no primeiro ano da carreira, o piso sobe para R$ 2.600. O piso nacional para 40 horas hoje é de R$ 1.184.

    O aumento passa a vigorar em 2012, ano de eleições municipais em que o prefeito Gilberto Kassab (PSD) e vereadores devem tentar vender o reajuste da categoria como bandeira eleitoral.

    http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,camara-de-sp-aprova-piso-de-r-2600-para-professor,796249,0.htm

    ELEIÇÕES 2012 ! COM URGENCIA URGENTÍSSIMA: CENTRAR E DIVULGAR A PRESSÃO SOBRE A ALMG!

    ResponderExcluir
  36. E AÍ PESSOAL DO BLOG E DO SINDICATO,

    VAMOS MARCAR UMA PARALISAÇÃO PARA O DIA 23 E 24/11. DIA DAS PROVAS DO SIMAVE?

    ISTO SIM SERIA UMA AÇÃO ESTRATÉGICA.

    VAMOS MOSTRAR PARA ESTE governozinho A NOSSA FORÇA.

    E ELE QUE SE PREPARE PARA A MAIOR GREVE DA EDUCAÇÃO EM 2012.

    O QUE VOCÊS ACHAM?

    ResponderExcluir
  37. Olá! Com tanta enrolação e falta de respeito, penso que o governo esta querendo é acabar de vez com a escola pública. Não há como sobreviver dessa forma. Os alunos em um sistema extremamente ignorado e os professores, também. Metas devem ser atingidas pelas escolas, projetos executados, alunos bem sucedidos e professores felizes... Como? Que governo cego e ordinário é esse, que não conseguiu, até hoje, entender a importância que temos e a diferença que fazemos para a sociedade? O que fazer, Meu Deus? Estou muito triste com a justiça, com o governo, com meus colegas que não abraçam a causa e com aqueles que se calam nesse momento tão difícil para os educadores. Não desistir da luta, mas tá pesado. É difícil digerir tamanha injustiça com essa categoria que a anos vem sendo massacrada pelo sistema.

    ResponderExcluir
  38. A lei é clara, mas não é cumprida, e dai?
    Tenho um amigo que trabalha na justiça e ele sempre diz que o governo abusa dos educadores porque não conhecemos nosssos direitos. Quando todo mundo resolver lutar pelos seus direitos, ele terá mais cuidado e será um " pouco mais honesto" em suas atitudes.

    ResponderExcluir
  39. ANO QUE VEM JÁ ESTÁ CHEGANDO.

    SERÁ ANO ELEITORAL.

    E NÓS PROFESSORES VAMOS FAZER A MAIOR GREVE DE TODOS OS TEMPOS.

    O ANASTASIA ESTÁ CIENTE DISTO.

    E SEU CANDIDATO EM BH TAMBÉM ESTÁ CIENTE.

    SE CORRER O BICHO PEGA SE CORRER O BICHO COME.

    É MELHOR PAGAR OS DIREITOS DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.

    CASO CONTRÁRIO O DESGASTE SERÁ GRANDE.

    E AÍ renatinha?...

    ResponderExcluir
  40. João Paulo Ferreira de Assis9 de novembro de 2011 11:26

    Anônimo das 7:07

    Que tipos de prova são essas que os professores de História erraram? As do SIMAVE? Mas as do SIMAVE são sobre o conteúdo que ele ministra. E esses exemplos pertencem a outras disciplinas como Física e Geografia. Só que isso não foi informado ao leitor.

    Eu sei (e muito bem, modéstia a parte) o meu conteúdo, História. Tenho conhecimentos suficientes de Geografia, e de Português. Mas não me perguntem por Matemática, Física, Química e Biologia. Nesses conteúdos eu passei pela generosidade dos meus professores e professoras.

    Acho que o governo de Minas está nos difamando para o País, a fim de não nos pagar o Piso. Talvez criar uma reação popular que nos inviabilize o pagamento do Piso salarial. Aí alegariam que a opinião pública é contra, que é ano eleitoral, etc. E continuaríamos com a miséria de 369,00.

    Saudações. João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  41. OLÁ PESSOAL DO BLOG E DO SIND UTE,

    PODEMOS E DEVEMOS ORGANIZAR UMA PARALISAÇÃO PARA OS DIAS DA PROVA DO SIMAVE.

    SE FORMOS COMPETENTES PARA AGILIZAR COM SUCESSO ESTA IMPORTANTÍSSIMA PARALISAÇÃO,

    ENTÃO TEREMOS RESULTADOS MELHORES NAS NEGOCIAÇÕES COM O GOVERNO.

    QUE JÁ FIQUE AVISADO QUE SE ESTAS REUNIÕES NÃO DEREM RESULTADOS, JÁ ESTÁ MARCADO A GRANDE GREVE PARA 2012.

    renatinha, por favor pense nisso...

    ... e também mo seu padrinho e senador do Rio, o aécio NEVER.

    ResponderExcluir
  42. João Paulo Ferreira de Assis9 de novembro de 2011 11:38

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Prezados companheiros de luta

    Agora de manhã esteve uma moça, aqui em casa, fazendo uma pesquisa eleitoral sobre as intenções de voto em Ressaquinha e opinião sobre a administração pública. Deixei claro que apesar de aprovar o prefeito Fred com louvor, não votaria nele se ele tiver o apoio do Anastasia.

    Saudações, e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  43. Olá, turma da luta, membros do NDG e demais colegas de combate!

    Concordo com o amigo e professor de luta João Paulo: o governo de Minas está querendo é desmoralizar os professores nacionalmente para fugir da responsabilidade de pagar o piso.

    E parece que usou o sr. Filocre, que era outro responsável pela realidade dramática da Educação em Minas, para realizar esta cretinice de avaliar os educadores sem que eles sequer soubessem que teriam suas atividades avaliadas.


    E estes senhores, como o Filocre, Anastasia, Gazzola, Vilhena e tantos outros, por acaso são submetidos a algum tipo de avaliação? A principal avaliação que seria a correta aplicação do dinheiro público, com o cumprimento da lei federal, eles já demonstraram que não passaram no teste, e estão tentando enganar a população inteira.

    E agora têm a cara de pau de exibirem para o país resultados de um teste que, segundo o ex-assessor do desgoverno (que deve estar em busca de nova promoção com este serviço sujo prestado ao governo), teria sido feito indiretamente.

    Como é que se aplica um teste indireto? Quem deu a esses senhores o direito de submeterem profissionais de carreira a este tipo de teste? Acho que o sindicato deveria processar este senhor e todo o governo por esta prática. Já somos avaliados por mecanismos institucionais, legais, como: a formação acadêmica existente no país; o concurso público; a avaliação de desempenho, etc.

    Ora, se nada disso é levado a sério então é preciso mudar todo o sistema. Mas, vamos começar por isso, com esses canalhas que se apropriam dos recursos da Educação em proveito próprio, enquanto submetem os educadores às piores condições salariais, de trabalho, etc.

    Deveriam ter vergonha na cara de criticarem os educadores de Minas, pela realidade que eles são os responsáveis.

    Um forte abraço e força na luta! Até a vitória!

    Euler

    ResponderExcluir
  44. Pessoal da luta, membros do NDG,

    Estou preocupado com a falta de envolvimento direto da nossa turma de luta. Estamos todos trabalhando e repondo aulas, e assim não sobra tempo para articular, conspirar e resistir aos golpes do governo.

    Não estou propondo nova greve agora, não, mas acho que precisamos encontrar um meio termo, que seria a redução da jornada, ficando um tempo livre para as nossas atividades coletivas nas escolas.

    Precisamos discutir isso com os colegas: o governo está querendo roubar o nosso piso e a nossa carreira!

    Não podemos continuar trabalhando normalmente! Não se trata de fazer greve agora ou suspender a reposição, não. Estou falando de uma ação organizada em todo o estado: redução de jornada de trabalho, com um tempo livre de uma hora ou mais por dia, na própria escola, para que os professores possam organizar as atividades de protesto, inclusive com o apoio dos alunos e pais de alunos.

    Podemos organizar atividades na Internet, preparar faixas e cartazes, organizar o abaixo-assinado, as visitas às lideranças da comunidade para pressionarem os deputados, etc.

    Isso mantém o dia letivo, impede o corte, e cria um ambiente de luta e unidade nas escolas cotidianamente. Possibilita também a discussão da nossa realidade. Seria interessante que parte desse tempo fosse usado com leitura dos textos publicados na Internet (neste blog e em outros), vídeos durante a greve, etc.

    Precisamos mobilizar a nossa turma para enfrentar esse governo!

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  45. O mec já deu um calote em nossa classe reduzindo o piso de 1.560 para 1.187 reais.

    Nosso aumento anual do piso que seria de 22% caiu para 16,6%.

    Estamos tentando negociar um mísero piso salarial de 712 reais e ainda estamos encontrando resistência do desgoverno.

    Ainda se fala em escalonar!

    Por favor pessoal se continuar assim vamos acabar é com uma mão na frente e outra atrás.

    Temos que mudar a postura de negociação com esse desgoverno! Ele está fazendo hora com a nossa classe.

    ResponderExcluir
  46. PARALISAÇÃO GERAL PARA OS DIAS DA PROVA DO SIMAVE.

    ResponderExcluir
  47. para quem ficou no subsídio:

    Vejam uma prova (site da ALMG -PL 2355)
    de que o governador tá curtindo com a cara dos bobos que acreditaram nele:

    O projeto mantém dois sistemas de remuneração para os servidores: por vencimento básico, que tem assegurado o pagamento do piso conforme determinou o Supremo Tribunal Federal, e por subsídio, no qual o servidor abre mão de quinquênios e gratificações.

    viram? ele diz que o pagamento pra quem optou pelo VB será de acordo com o STF e que quem ficou no subsídio abriu mão das vantagens kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    EU NÃO ABRO MÃO. QUERO O MEU DIREITO GARANTIDO PELA LEI DO PISO.

    ResponderExcluir
  48. Oi Euler! BOA TARDE!

    GOSTARIA DE SABER ONDE O ANÔNIMO AÍ TIROU QUE OS ATB'S TIVERAM UM AUMENTO SALARIAL? COMO ASSIM? O GOVERNO SÓ ESCOLHEU O PESSOAL DA SECRETARIA DE ESCOLA PARA DAR UM AUMENTOOO? ME FALE QUANDO FOI ESSE AUMENTO POIS ENTÃO TENHO QUE RECLAMAR NA METROPLOTANA B QUE MEU PAGAMENTO ESTÁ ERRADO, POIS HÁ ANOS NÃO TENHO AUMENTO ALGUM!

    DENISE

    ResponderExcluir
  49. Quem é esse canalha de Filocre para avaliar os educadores de Minas.Ele contribuiu de forma decisiva para enterrar a nossa escola pública.Com as péssimas condições de trabalho e com esse mísero salário os professores não conseguem fazer milagres.Somos verdadeiros herois. A escola pública está na UTI.SINDUTE porque não acionou o STF? Está esperando o fascista acabar com a nossa carreira? Estou muito indignado com o SINDUTE.

    ResponderExcluir
  50. Alexandre - Contagem9 de novembro de 2011 12:27

    Eu discordo que vice-diretor esteja ganhando bem. Não sei se é só eu, mas exigem-me que eu cumpra carga horária de 30h semanais sendo que no contracheque recebo subsídio de 24h, sendo que os mesmos em todas as reuniões que participamos na implantação deste regime (é um regime mesmo), o vice-diretor receberia subsídio de 30h semanais além dos 20% de gratificação. Não recebi um mês sequer assim.
    Sobre os estudantes da USP, a grande verdade é que aquela galera é uma minoria que se viu ameaçada porque a polícia estava constrangendo os alunos que queriam usar suas drogas em paz. Paz? Com drogas? E os alunos que não usam drogas, onde ficam? Ficam obrigados a conviver com a presença de traficantes, cachimbos e zumbis ao seu lado, alem do cheiro que é horrível? Acho que tem outras com o que os estudantes deveriam se preocupar.
    Até hoje não vi em nenhuma negociação um comentário sequer sobre o 1/3 de extra-classe e a necessária revisão da carga horária da carreira do professor no estado. 27h (18 + 9)? 24h (16 + 8) ou 30h (20 + 10). Sou simpático à última proposta.
    E quanto ao pessoal que teve o desconto do ipsemg e está tendo suas consultas, exames e internações desmarcadas ou remarcadas para 1, 2 meses a frente por causa do rebaixamento do teto de despesas que o governo impôs ao ipsemg "para fechar a conta no final do ano".
    E por último, minha nota de vergonha pela quantidade de erros de ortografia praticados pelo professores em todos os blogs, foruns de discussão e sites de jornais mineiros na internet. É impressionante!!! A começar pelo Sind-UTE que disparou o e-mail coletivo com o link do cartaz da paralisação do dia 10 com paraliSação escrito com Z.

    ResponderExcluir
  51. Pedro Paulo G. Teixeira - Gov. Valadares9 de novembro de 2011 12:34

    Este blog tem sido um ótimo fórum de discussão sem dúvida. Contudo, nenhuma ação da categoria tem valor ou efeito se não for articulada e liderada pelo sindicato. Então não adianta ficarmos fazendo propostas maravilhosas aqui, elas precisam ser encaminhadas à Beatriz, ao sindicato. Por melhores que sejam nossas idéias, elas são funcionarão se a classe a adotar em peso, e isso só acontece se houver uma forte mobilização a partir das lideranças. Nós somos a base e devemos atuar, mas a pressão deve ser exercida diretamente sobre os líderes instituídos. Não podemos simplesmente decidir por uma paralisação, redução da carga horária ou greve, sem que tudo percorra os caminhos previstos em lei, o que implica ação da direção sindical, que é a representação legal da nossa categoria.

    ResponderExcluir
  52. Acho que falamos demais e deixamos de agir. Muita coisa já poderia ter saído do papel, digo, do post.
    As acoes na justiça... o abaixo assinado...
    Mas também penso que não pode ser iniciativa de qualquer um. Ha uma hierarquia que precisa ser respeitada.
    Por favor, Euler, leve isso para as proximas reunioes do sindicato

    ResponderExcluir
  53. Ao anônimo das 07:07.

    A postura de trabalho dos governistas vinculados ao PSDB,DEM e PMDB principalmente é a de escrachar e humilhar a classe do professorado mineiro, de colocá-lo como incompetente e assim não pagarem o piso salarial digno. Todos os governantes ou pessoas poderosas procuram enxergar nos outros as suas fraquezas para atacarem. Vide o caso do agora ministro, Carlos Lupi, que vem sendo acusado pela "porca" oposição de que esteja envolvido em falcatruas. Ora, a "porca" oposição está toda enlameada e vocifera aos brados que os políticos tais são corruptos. E eles próprios? Ahh! Aí está o jogo do poder, para estar no poder, e governar para os seus.

    Esta OLIGARQUIA PATRIMONIALISTA brasileira dilapida o erário e governa para os seus.

    Estamos com um pé inteiramente afundado na chamada REPÚBLICA VELHA. Mantém-se o povo no CABRESTO para se conseguir arregimentar os votos para os políticos apaniguados.

    E assim vai se reproduzindo o sistema sujo e corrupto nas esferas macro e micro, desde a camada ligada ao executivo passando pelo legislativo até o judiciário.

    Disso tudo não escapa a população brasileira que tem em várias instâncias regionais os seus "capitães do mato" como sendo os vários cabos eleitorais que estão lado à lado dando tapinha nas costas do "José Povo".

    ResponderExcluir
  54. Prezado Euler, Já leu o jornal O Tempo hoje? O projeto 2355/11, o do subsídio voltou em pauta para votação.Precisamos precionar nossos deputados e os outros também para não deixar ir adiante.Este DEsgovernador não cumpre uma palavra sequer.24 horas para ele é uma eternidade, já muda sua palavra.Não foi suspenso até terminar as negociações? Temos uma guerre pela frente não é só uma luta. Abraços. Até amanhã.Clarice.

    ResponderExcluir
  55. Monalisa - Contagem9 de novembro de 2011 13:10

    É importante um observação!
    Na escola em que trabalho, alguns professores entraram de greve e a escola constinuou tendo os dias letivos com os outros cuidadores de alunos que ficaram. Não existem dias letivos a serem cumpridos (faltantes) e sim carga horária.
    Até agora não fiz nenhuma reposição, juntamente com alguns colegas grevistas, pois até então não foi firmado em documento nenhuma obrigação legal para tal, mesmo outrora quando o sindicato por telefone afirmava que teriamos que repor, sem nem eles mesmo ter documentos para tal.

    ResponderExcluir
  56. Olá, pessoas queridas,

    Recebi por E-mail e achei por bem postar neste maravilhoso Blog.
    Um beijo a todos, mas um bem especial pra você, Euler querido.

    Prezados Companheir@s:
    A Bancada do PT tem apoiado todos os projetos de reajuste dos servidores em todas as comissões nos quais têm tramitado.
    Agora, no momento em que tais projetos estão prontos para, finalmente, serem votados, o Projeto de Lei nº 2355/11, que cria o subsídio para a Educação, por estar em regime de urgência,
    entra na Ordem do Dia em Plenário, trancando a pauta.
    Nada mais poderá ser votado antes deste projeto de lei.
    O governador recusa-se a retirar o pedido de urgência, cumprindo a negociação com os professores quando do encerramento da greve.
    A Assembleia, nesse momento, encontra-se num impasse que só o governador poderá resolver.
    Salientamos que a Bancada do PT encontra-se em processo de obstrução do referido projeto, já que as negociações da Comissão Tripartite ainda não chegaram a um consenso sobre o piso e a tabela de remuneração.
    Um abraço, boa sorte para tod@s,
    Lília
    Assessora do Dep. André Quintão
    PT/MG



    Veja a seguir a situação dos diversos projetos de reajuste em tramitação na Assembleia Legislativa.

    Tribunal de Justiça:
    Projeto de Lei 2125/2011
    Apresentado em: 30/06/2011
    Situação atual: Pronto para ordem do dia em Plenário (2º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2125&t=PL

    Ministério Público do Estado:
    Projeto de Lei 2188/2011
    Apresentado em: 14/07/2011
    Situação atual: Pronto para ordem do dia em Plenário (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2188&t=PL

    Executivo (subsídio Educação):
    Projeto de Lei 2355/2011
    Apresentado em: 07/09/2011
    Situação atual: Faixa constitucional - Iniciada a discussão em turno único.
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2355&t=PL

    Executivo (reajuste demais categorias e data-base):
    Projeto de Lei 2571/2011
    Apresentado em: 20/10/2011
    Situação atual: Aguardando designação de Relator na Comissão de Administração Pública (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2571&t=PL

    Tribunal de Contas do Estado:
    Projeto de Lei 2601/2011
    Apresentado em: 27/10/2011
    Situação atual: Aguardando parecer - Comissão de Constituição e Justiça (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2601&t=PL

    ResponderExcluir
  57. Governo está querendo roubar o nosso piso e a nossa carreira! (ELE JÁ ROUBOU)

    Estou preocupado com a falta de envolvimento direto da nossa turma de luta. (NÃO SE TRATA DE ENVOLVIMENTO APENAS, TRATA-SE DE desistência MESMO!!!
    SUSPENDER A GREVE=desistir de lutar

    ResponderExcluir
  58. Euler,

    Não basta nós querermos fazer isto ou aquilo.

    Precisamos que o Sind UTE, tenha ação para coordenar as propostas. Tem muitas propostas excelentes.

    Já está passando da hora de começarmos as aulas de 0:35 min.

    Somente esperamos a coordenação do Sind UTE e o SINAL VERDE.

    É uma medida apenas paliativa para mostrarmos a nossa INSATISFAÇÃO COM ESTÁ SITUAÇÃO e pressionarmos o Governo nas negociações.

    Mas temos que agir e precisamos urgentemente da coordenação do sindicato.

    TEMOS QUE TER VÁRIAS AÇÕES DIRECIONADAS ESTRATEGICAMENTE:

    - Ações nas escolas, como as aulas de 0:35 min.
    Estritamente dentro da lei;

    - Ações judiciais, onde for necessário e em números suficientes;

    - Participação nas reuniões TRIPARTITE;

    - Visitas a diversos órgãos como Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, STF, Casa Civil, MPF, PGR, OAB, CNBB, MJ, etc...

    - Mobilizações, precisamos fazer a PARALISAÇÃO NOS DIAS DO EXAME DO SIMAVE.

    - ...

    NÃO PODEMOS FICAR PRESOS SOMENTE À UMA AÇÃO, ESPERANDO QUE AS COISAS ACONTEÇAM.

    Mas...
    Com esta lerdeza do Sind UTE, talvez no próximo século tenhamos alcançado algum resultado.

    Obs. Para as nossas almas.

    ResponderExcluir
  59. Companheiros do NDG, abaixo o email que recebi:
    pode ser algo interessante:

    email,

    Prezados Companheir@s:
    A Bancada do PT tem apoiado todos os projetos de reajuste dos servidores em todas as comissões nos quais têm tramitado.
    Agora, no momento em que tais projetos estão prontos para, finalmente, serem votados, o Projeto de Lei nº 2355/11, que cria o subsídio para a Educação, por estar em regime de urgência,
    entra na Ordem do Dia em Plenário, trancando a pauta.
    Nada mais poderá ser votado antes deste projeto de lei.
    O governador recusa-se a retirar o pedido de urgência, cumprindo a negociação com os professores quando do encerramento da greve.
    A Assembleia, nesse momento, encontra-se num impasse que só o governador poderá resolver.
    Salientamos que a Bancada do PT encontra-se em processo de obstrução do referido projeto, já que as negociações da Comissão Tripartite ainda não chegaram a um consenso sobre o piso e a tabela de remuneração.
    Um abraço, boa sorte para tod@s,
    Lília
    Assessora do Dep. André Quintão
    PT/MG


    Veja a seguir a situação dos diversos projetos de reajuste em tramitação na Assembleia Legislativa.

    Tribunal de Justiça:
    Projeto de Lei 2125/2011
    Apresentado em: 30/06/2011
    Situação atual: Pronto para ordem do dia em Plenário (2º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2125&t=PL

    Ministério Público do Estado:
    Projeto de Lei 2188/2011
    Apresentado em: 14/07/2011
    Situação atual: Pronto para ordem do dia em Plenário (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2188&t=PL

    Executivo (subsídio Educação):
    Projeto de Lei 2355/2011
    Apresentado em: 07/09/2011
    Situação atual: Faixa constitucional - Iniciada a discussão em turno único.
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2355&t=PL

    Executivo (reajuste demais categorias e data-base):
    Projeto de Lei 2571/2011
    Apresentado em: 20/10/2011
    Situação atual: Aguardando designação de Relator na Comissão de Administração Pública (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2571&t=PL

    Tribunal de Contas do Estado:
    Projeto de Lei 2601/2011
    Apresentado em: 27/10/2011
    Situação atual: Aguardando parecer - Comissão de Constituição e Justiça (1º Turno)
    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2601&t=PL

    ResponderExcluir
  60. Ao Anônimo das 13h14:

    Não tem essa estória de que suspender a greve é desistir de lutar. A greve é uma forma de luta, entre uma variedade de outras que podemos e devemos lançar mão. A greve é importantíssima, mas não significa que tudo se resolva somente através da greve. Há outras formas de luta e de pressão que são válidas e necessárias, também. Nós temos discutido aqui várias dessas formas.

    Vamos levantar a cabeça e levar a luta adiante. Esse papo de que está tudo perdido é coisa de governo ou de colegas que estão precisando de uma sacudida para reagir.

    Vamos lá, pessoal! Força na luta!

    ResponderExcluir
  61. PRESTENÇÃOOOOOOOOOOOOOO!!!

    TURNO ÚNICO!

    GRAVE! GRAVÍSSIMO!

    OCUPAR A ALMG URGENTE!

    Executivo (subsídio Educação):
    Projeto de Lei 2355/2011
    Apresentado em: 07/09/2011
    Situação atual: Faixa constitucional - Iniciada a discussão em turno único.

    http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2355&t=PL

    ResponderExcluir
  62. Filocre e suas opiniões...Quem o conhece sabe muito bem qual a essência desse cidadão. É o fim do mundo mesmo, que toquem a trombeta do apocalípse!

    ResponderExcluir
  63. Ao colega das 13h14 (o ou a outra colega, já que tem dois comentários no mesmo horário):

    Concordo com você que temos que agir. E que essa ação deve ser coordenada pelo sindicato. Mas, todos nós somos sindicato e não apenas a direção.

    Concordo que cabe à direção o encaminhamento prático de algumas decisões. Na questão jurídica, por exemplo, é a direção que representa formalmente o conjunto dos educadores, que pode realizar contratos, etc. Se isso não for feito, temos que buscar outra solução.

    Cabe-nos aqui fazer as cobranças que é o que estamos fazendo.

    Esperamos que amanhã seja aprovada no comando e na assembleia uma linha de ação que funcione de fato. Até agora a direção sindical não conseguiu estabelecer um diálogo e uma organização da luta que resultasse numa pressão direta ao governo.

    Apostou nas reuniões com o governo e na aliança com alguns deputados da oposição. Esta linha está fraca. Precisa mudar. As escolas estão funcionando sem uma discussão necessária, salvo raras e brilhantes exceções.

    Precisamos do apoio dos deputados da oposição. Mas, precisamos principalmente organizar melhor a própria ação da categoria, sem a qual seremos derrotados.

    E para isso é preciso de tempo livre nas escolas: tempo para organizar a luta, para discutir com os colegas e com os alunos, com os pais, para construir a nossa resistência organizada.

    Estabeleçamos contato com os colegas de luta da região e reorganizemos nossa turma para a ação. Não podemos desanimar agora (nem hora nenhuma)!

    Força na luta, pessoal!

    ResponderExcluir
  64. Euler e colegas,

    Acessem os links abaixo,

    a fala do nosso senador do RIO DE JANEIRO.

    http://youtu.be/tlUt5tegPQM

    ESTE É O NOSSO SENADOR DO RIO DE JANEIRO

    http://www.youtube.com/watch?v=bosByUxLlVs&feature=related



    http://youtu.be/tlUt5tegPQM

    http://www.youtube.com/watch?v=bosByUxLlVs&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=NiJFv4OWSYo&feature=related

    ResponderExcluir
  65. Boa tarde, com certeza o que o governo está fazendo, ele ta loko, gostaria de saber se este abaixo assinado ja começou a funcionar, pois é o que devemos fazer, e outra tbem todos, quando digo todos são todos mesmos, não é apenas 1/3 dos professores baterem de frente e outra parte dar aula ir trabalhar, o sindicato tbem , não está ajudando em nada, pois , estamos sem noticias, o nosso premio foi pra agua abaixo, diretores e vice-diretores sem saber de suas posse, enfim, o certo é tirar este governo tirar este lá do governo caçar ele, tem que sair, pra onde foi o nosso dinheiro que foi feito o orçamento no começo do mês, ja tinha que ter saido do governo, vamos fazer este abaixo assinado o mais rápido possivel gente, só nós que não temos vez, PM tentou entrar em greve e ele pagou a PM, poruqe nós temos que ser diferentes, vamos fazer este abiaxo assinado agora, vamos pelo nosso direito.

    ResponderExcluir
  66. Euler, 13:42,

    PRECISAMOS DE VÁRIAS AÇÕES DIRECIONADAS ESTRATEGICAMENTE.

    ResponderExcluir
  67. COLEGAS,
    O ACORDO PARA SUSPENSÃO DA GREVE PREVIA A SUSPENSÃO DO PROJETO DE LEI 2355 MELHORIAS DO SUBSIDIO ATÉ QUE SE ACORDASSE O PAGAMENTO DO PISO PARA TODAS AS CARREIRAS NOS TERMOS DA LEI.

    ENTRETANTO NEM ISSO ESTA SENDO CUMPRIDO PELO GOVERNO, O PROJETO/SUBSIDIO SERA VOTADO EM TURNO ÚNICO.

    A COMISSÃO TRIPARTITE É PURA ENROLAÇÃO!

    ACORDA SINDUTE VEJA AI:

    Executivo (subsídio Educação):
    Projeto de Lei 2355/2011
    Apresentado em: 07/09/2011
    Situação atual: Faixa constitucional - Iniciada a discussão em turno único.

    ResponderExcluir
  68. PARTE 1

    EX-GOVERNADOR DE MG E NOSSO SENADOR DO RJ


    AÉCIO NEVES...

    A imagem que Aécio Neves tenta construir dele mesmo é uma farsa que, repetida tantas vezes pelos meios de comunicação, pode acabar se tornando uma perigosa verdade na percepção do eleitorado brasileiro. Todo mundo conhece aquela história de que uma mentira repetida mil vezes vira uma verdade.

    Preocupado em garantir seu lugar nas eleições de 2014, Aécio Neves agora está procurando os holofotes. Depois de umas e outras em Florianópolis, disse que estava pronto para enfrentar até o Papa nas próximas eleições. Numa entrevista ao jornalista Kennedy Alencar semana passada, na Rede TV, reafirmou que estava preparado para ser candidato a presidente. Embora os mineiros tenham se manifestado contra a ideia, hoje o Estadão publicou mais uma entrevista sua na qual ele declara “eu estarei pronto, seja Lula ou Dilma”.

    O ex-governador de Minas Gerais, no primeiro ano de seu mandato como senador, não teve nada a declarar sobre seu trabalho legislativo. Aécio Neves tem dado mostras de que ou é muito incompetente e/ou está completamente inebriado pela realização de seu projeto pessoal de ser Presidente da República. Entontecido que está por esta ideia, fez declarações risíveis ao jornal.

    A principal delas foi sobre uma improvável disputa com Lula em 2014. Ele afirmou que seria

    “a disputa da gestão pública eficiente contra o aparelhamento da máquina pública; a disputa da política externa pragmática em favor do Brasil versus a política atrasada em favor dos amigos. Será o futuro versus o passado”.

    Parece piada, mas Aécio Neves atribuiu a si uma “gestão pública eficiente” e se colocou como o “futuro”.

    Vejamos quem é quem nesta história:

    GESTÃO PÚBLICA EFICIENTE:

    Durante a gestão de Aécio Neves, a Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG) comprou uma empresa falida – a Light - e hoje divide os enormes prejuízos causados por ela, como a onda de explosões de bueiros no Rio de Janeiro.

    Na gestão de Aécio Neves, foram repassados R$ 74 milhões para as chamadas Oscips (Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público). O dinheiro foi pago para que elas realizassem serviços que seriam obrigações da administração pública do Estado fazer. Ele privatizou a sua própria gestão.

    Aécio Neves desviou R$ 3,3 bilhões que deveriam ser gastos em saneamento básico entre 2003 e 2008. O Ministério Público ajuizou ação para obrigar o Governo de Minas e a COPASA a devolver o dinheiro aos cofres públicos.

    O Governo de Minas vai pagar 2.000% a mais pela área do entorno da Cidade Administrativa porque o governador Aécio Neves não desapropriou os terrenos antes que eles fossem valorizados.

    ResponderExcluir
  69. Patrícia Monti: Me incomoda muito os comentários preconceituosos de alguns educadores com relação ao que está acontecendo na USP. Nós, educadores de Minas, sentimos na pele o que é lutar contra um governo fascista e contra uma mídia vendida. Precisamos ouvir o outro lado, nos informar melhor sobre o que está acontecendo. A questão é muito mais complexa.

    ResponderExcluir
  70. PARTE 2

    EX-GOVERNADOR DE MG E NOSSO SENADOR DO RJ.


    Aécio Neves não conseguiu fazer com que as obras do Estádio do Independência custassem o que estava previsto no projeto original, R$ 12 milhões. Até agora, a previsão é que elas custem aos cofres públicos R$ 95 milhões, mas esse valor pode ser ainda maior.

    As obras do Mineirão para a Copa 2014 também são exemplos da péssima gestão de Aécio Neves. O Tribunal de Contas do Estado concluiu que o então governador de Minas Gerais não promoveu licitação para as obras e pagou por serviços não executados causando um rombo de R$ 29 milhões aos cofres do Estado.


    Enquanto era governador, Aécio Neves não previu no orçamento para 2011 o pagamento do piso nacional aos professores de MG. O piso nacional já era lei federal, mas ele não se importou. Resultado: os professores entraram numa greve histórica pelo cumprimento da lei, deixando os alunos sem aula durante mais de 3 meses.

    Esses foram apenas alguns exemplos da enorme ineficiência da gestão do ex-governador Aécio Neves.

    APARELHAMENTO DA MÁQUINA PÚBLICA (A “POLÍTICA ATRASADA A FAVOR DOS AMIGOS”)

    Aécio Neves saiu do Governo de Minas, mas continou empregando seus aliados políticos em vários cargos da gestão de Anastasia com o intuito de garantir a fidelidade deles nas eleições de 2014. Vejamos alguns exemplos escandalosos dessa ingerência que transformou o governo Anastasia num verdadeiro cabide de empregos dos amigos de Aécio:

    Além de ter garantido o espaço de seus aliados políticos na organização do secretariado de Anastasia, para o Conselho de Administração da Companhia de Gás de Minas Gerais foi nomeado um médico cardiologista que mora em Macapá! Ganhando R$ 6.616,00 mensais, João Bosco Papaléo Paes não compareceu nem na reunião em que foi nomeado! A única justificativa para esta nomeação é o fato de que o distinto conselheiro é ex-senador do PSDB do Amapá e estava sem emprego devido à derrota nas últimas eleições.

    Para o Conselho da CEMIG, o Governo de Minas indicou o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, do PSDB, claro. Ele saiu do Mato Grosso para trabalhar no Rio de Janeiro numa empresa do Governo de Minas com um salário de R$ 9 mil. Questionado, nem Anastasia soube explicar essa indicação.

    Mas enquanto ainda era governador, Aécio Neves também garantiu a “boquinha” de seus chegados no dinheiro do contribuinte mineiro. As obras de ampliação e modernização do Expominas, reinaugurado em 2006, foram confiadas pelo Governo Aécio Neves à mesma empresa que foi contratada sem licitação adequada para as obras do Mineirão, a Gustavo Penna Arquitetos. Gustavo Penna retribuiu o favorecimento do governador assinando o manifesto em apoio à sua candidatura nas últimas eleições.

    Isso sem contar a nomeação de sua irmã, Andrea Neves para a presidência do Grupo Técnico de Comunicação Social do governo estadual, vinculado à Secretaria de Governo. Aliás, sua atuação no silenciamento da imprensa mineira garantiu a, digamos assim, “discrição” dos jornalistas diante dos inúmeros escândalos envolvendo Aécio Neves.

    FUTURO

    Aécio Neves quer se colocar como “futuro”, mas ele é parte de um clã que existe em Minas Gerais controlando terras e pessoas no sul do Estado desde o século XIX. A família Neves está para Minas Gerais assim como a família Sarney para o Maranhão.

    O poder de Aécio Neves, portanto, é herança de um passado político extremamente atrasado e oligárquico que ninguém quer ver se repetindo no futuro.

    ResponderExcluir
  71. Concordo com a Patrícia Monti. Devemos ter cuidado para não repetir os preconceitos que a mídia burguesa tenta atribuir contra os que lutam. No caso da ocupação da USP, por exemplo, os estudantes protestam contra a forma ditatorial que tem sido imposta pelo atual reitor, que é um ditador, da escola do governador mineiro e de outros mais.

    Os alunos protestam legitimamente contra a presença da polícia militar no espaço da USP, que não tem resolvido o problema da segurança e tem sido utilizada como meio de constrangimento contra os estudantes e outros movimentos sociais.

    O uso de batalhão de choque para desocupar a reitoria foi mais um capítulo deste tratamento que lembra o regime militar. Pelo que já li através da Internet, nos blogs progressistas, especialmente do Vi o Mundo, do conceituado jornalista Azenha e da também respeitável jornalista Conceição Lemes, a indicação de reitores na USP é realizada por uma ínfima minoria, que não alcança nem um 1% entre educadores e estudantes.

    ResponderExcluir
  72. Meu querido Euler
    Amo ler seus textos. Meu entendimento sobre a situação política se alarga a cada dia quando leio seus escritos. Também muitos comentários dos colegas são ótimos. É essencial que todos os servidores participem dos blogs "de resistência" para que se sintam motivados, animados para lutar por seus direitos e tenham visão e consciência da realidade que estamos vivendo.

    ResponderExcluir
  73. Vamos deixar tudo muito claro: NÃO ACREDITO QUE A GREVE DE 2011, ESSA MESMA Q ACABOU DE ACABAR DIA 27 DE SET. TINHA CONDIÇÕES DE CONTINUAR!!
    Todos, toooodos sabemos que era inviável segui adiante. Por q?
    SimpleS: corte de pagamento.
    Fomos até onde foi possível ir!
    Foi muito prudente acabar com ela dia 27 de set. E sabemos bem que foi o desgoverno com sua máquina nojenta de moer ser humano que nos conduziu ao final dela.
    Sabemos das condições de quase pedintes a qual estávamos..PEDINTES..PRONTO FALEI!!!
    Então, a hora agora é de pensar em outras ações e urgente!!
    abraço e não podemos perder a UNIDADE!
    Embora ela ás vezes seja bem difícil!

    ResponderExcluir
  74. I M P E R D Í V E L !

    IMPORTANTÍSSIMO VOCÊS FICAREM A PAR DA VERDADE.

    ACESSEM:

    http://www.youtube.com/watch?v=DpX8pmZ736E&feature=related

    *** Por favor repassem aos colegas.

    ResponderExcluir
  75. A rede globo bem que poderia contratar a dupla de atores:Aécio e Anastasia.Eles são mais atores que políticos.

    Acho que deveríamos fazer paralizações mesmo nos dias 23 e 24 . Devemos tambem xerocar as tabelas do mec e do governo , entregar aos nossos alunos e explicar-lhes sobre as mesmas e pedir que mostrem aos pais para que eles veem o desrespeito do governo com a educação, e nos apoiem.

    ResponderExcluir
  76. REPETINDO: A PRESSÃO TEM QUE SER NA ALMG

    Assembleia Legislativa volta a travar pauta de votações

    A menos de dois meses do encerramento dos trabalhos do ano e com pelo menos cinco projetos de reajustes para votar, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais retomou nessa terça-feira o clima de guerra e viu seus trabalhos de plenário paralisados. Sem acordo com os servidores e a oposição na Casa, entrou em pauta o projeto de política remuneratória por subsídio da educação. Como tramita em regime de urgência, nenhuma outra matéria poderá ser votada até que a proposta seja aprovada. Foi o estopim para acabar com a trégua entre governistas e a oposição, agora com a ajuda até de integrantes da base, entrar em obstrução.
    Os deputados acusam o Executivo de não cumprir o acordo fechado no fim de setembro, quando depois de mais de 100 dias de greve os professores voltaram aos trabalhos graças à formação de uma comissão para negociar com o governo. Na ocasião, os governistas disseram que o texto não entraria em pauta enquanto não houvesse consenso. Ocorre que nesta segunda-feira, em reunião com os secretários de governo, Danilo de Castro, e de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, deputados de oposição pediram, sem sucesso, que fosse retirado o pedido de urgência para que o projeto continuasse fora da ordem do dia. Mais uma vez não houve acordo.

    Além de trancar a pauta, o projeto agora é votado em turno único. Também tem um prazo menor para discussão em plenário. Quem for contrário só tem quatro reuniões para obstruir e, depois disso, só resta votar. A manobra governista para acelerar a aprovação gerou bate-boca na sessão do plenário. Irritado, o deputado Adalclever Lopes (PMDB) pediu para sair da comissão de negociação do projeto. “Peço isso de público porque não acredito mais neste governo”, afirmou, pouco depois de o PT anunciar que não iria permitir a votação.
    Integrante da base, o deputado Sargento Rodrigues (PDT) também entrou em processo de obstrução. O parlamentar se queixa da inclusão de militares em outro projeto de reajuste, o da política remuneratória de várias categorias aprovado ontem na Comissão de Constituição e Justiça. Ele alega que, constitucionalmente, o militar precisaria de projeto de lei separado para sua remuneração. “O que vi hoje foi a CCJ rasgar a Constituição”, disse.

    Na Casa, há ainda a pressão de parlamentares da base e oposição para colocar o projeto de lei que trará aumento para o funcionalismo do Legislativo em pauta. A mesa, no entanto, vem condicionando a inclusão da matéria à aprovação anterior da política da educação. Em reunião do colégio de líderes ontem, não houve avanço neste sentido. Tramitam ainda reajustes para servidores do Judiciário e Ministério Público.

    O líder da maioria, deputado Gustavo Valadares (DEM), negou a quebra de acordo. Segundo ele, o Executivo já havia dito que não poderia atender o pedido de retirar o projeto. “Não cabe esse choro da oposição. Vamos continuar discutindo o projeto dentro da responsabilidade, sem demagogia, e esperamos votar na semana que vem”

    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2011/11/09/interna_politica,260918/assembleia-legislativa-volta-a-travar-pauta-de-votacoes.shtml

    ResponderExcluir
  77. Escolas de Conselheiro Lafaiete pararão nesta quinta -feira. Parabéns ,até que enfim. Não nos abandonem ,precisamos de vocês.
    Fiquei muito triste quando soube que não participaram da greve.Isso deu força ao governo.
    Mas agora contamos com vocês. Obrigado!

    ResponderExcluir
  78. O dep. Rogerio Correia fala agora na TV Assembleia;

    Link: http://www.almg.gov.br/acompanhe/tv_assembleia/aovivo/index.html

    ResponderExcluir
  79. Cade a tabela que seria publicada no site do sindicato?

    Creuza

    ResponderExcluir
  80. Estou assistindo a assembleia..OH vontade de dar um soco na cara desse Bonifácio...pqp

    ResponderExcluir
  81. Esse Bonifácio Mourão (PSDB) é um cara de pau mesmo!

    Nós, professores é que temos que entender as razões do estado, que gasta mal o dinheiro público e nos deixa sem salário... Canalha!

    ResponderExcluir
  82. Gasta mal é pouco..O problema é o rombo...
    E ainda tem a questão da complementação do Estado,pq esse nosso governo safado não pedi arrego e assume pra união que não tem grana?

    ResponderExcluir
  83. Professor Euler,
    Estou assistindo ao discurso desse José Bonifácio, mas estou com vômito.
    Vamos colocá-lo na lista dos inimigos da educação.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  84. Não tem nenhuma previsão de quando o ministro relator da ADI 4167 vai publicar o resultado? Eu creio que esse governador vai ficar nesse papo furado até essa publicação.
    Antônio Dutra
    Uberaba MG

    ResponderExcluir
  85. Queremos a prestação de contas do estado provando que não pode pagar o piso, de forma detalhada. Isso não foi feito. Se acontecer, basta pedir a complementação da União. É simples assim. Qualquer coisa fora disso, é conversa fiada. A política do piso não está subordinada às realidades de caixa dos estados e municípios.

    Ou então, que federalizem a folha de pagamento dos educadores e passem receitas e despesas para a União.

    O que não pode é jogar a crise no colo dos educadores, apenas, enquanto eles distribuem as receitas do estado entre eles e os amigos deles.

    ResponderExcluir
  86. Boa tarde Professor Euler, algumas considerações abaixo sobre Filocre e Simade:
    ATE DOIDAA disse:
    31/10/2011 às 10:20
    O SIMADE no inicio estava em nome do sobrinho do Filocre. Ainda não sei se permaneceu com seu nome no topo ou já arrumaram algum aluno da UFJF para servir de laranja.
    A questão é que aqui em Belo Horizonte muita gente andou sendo promovida na SEE depois que rolou uma ameaça de colocarem tudo na midia.
    Kondzilla disse:
    O seu comentário está aguardando moderação.
    17/10/2011 às 09:51
    Ao anônimo de 02/10/2011 às 21:00, obrigado pela resposta.
    Resposta ao Kondzilla disse:
    02/10/2011 às 21:00
    Oi colega Kondzilla, Venha aqui no Setor Financeiro da SEE, procure os contratos e aditivos no Jurídico, pesquise as faturas pagas. Veja também quais as pessoas que trabalham ou que trabalharam no CAEDE e que tem parentesco com secretários adjuntos, subsecretários, etc. É só pesquisar a história desse famigerado programa desde que ele se chamava SISLAME.
    Kondzilla disse:
    29/09/2011 às 08:34
    Bom dia pessoal, não obtive resposta quanto aos 20 milhões………….o que aconteceu? Fiquei sabendo através de um contato que o famigerado “Simade” é de um ex Secretário do governo. Então está explicado…rsrsrsrs
    Vera Maria disse:
    10/08/2011 às 19:25
    Quem elaborou esse programa, nao sabia o que estava fazendo. O programa é lentíssimo e eles acham que temos tempo para ficar esperando o dia inteiro resolver apenas um pequeno problema. Com certeza é um programa extremamento ineficiente e que ficamos todos com os nervos à flor da pele. Tenho pesadelo quando se fala em Simade. Para o próximo ano espero que tudo possa mudar. Joguem esse programa no lixo.
    Kondzilla disse:
    23/07/2011 às 21:28
    Boa noite pessoal, gostaria que o colega que citou vinte milhões de reais divulgasse a fonte de tal informação
    para consultarmos, e malhar os responsáveis.
    Sistema de vinte milhoes disse:
    21/07/2011 às 22:48
    Concordo com a colega lá de baixo. Esse lixo já custou mais de vinte milhões pagos ao caede, fora as despesas que o Estado tem para manter essa porcaria no ar. Dizem que o Filocre já arranjou uma boquinha no caede e a próxima vai ser a sonia anderi com todos os parentes dela. Acorda, nossa secretária!

    ResponderExcluir
  87. Não entendo porque o piso é de 1187 reais e a tabela começa de 712,00.
    Básico é o menor salário no meu entendimento.

    ResponderExcluir
  88. GRAÇA:

    JÁ REPASSEI AOS DEPUTADOS RECORDANDO:


    Parecer da Procuradoria Geral da República emitidido pela Procuradora-Geral da República ,Débora Macedo Duprat de Britto Pereira e divulgado pelo STF em 19/10/2011, recusou todos os embargos, anulando um a um todos os motivos alegados pelos governadores.



    No item 34, a procuradora demonstra, citando texto produzido por um colega dela em 2009, que o pagamento do pisojá estava previsto desde 2006, com a Emenda Constitucional 53, e que caberia ao administrador público, ter se preparado previamente, organizado o orçamento a fim de atingir esta previsão de investimento na Educação.
    O parecer de 2009, cita a ajuda que a União está obrigada a prestar aos entes federados, caso estes provem não ter condições de pagar o piso



    No item 36: "Sabe-se que a elaboração dos orçamentos e o gerenciamento dos gastos públicos são tarefas complexas e repletas de desafios (...). Mas os estados têm condições de tomar providências para a resolução dos problemas que surgem. Podem rever as suas estratégias, traçar novos planos, adaptar seus orçamentos,cortar investimentos menos importantes, diminuir despesas de custeio etc. Mas devem garantir, prioritariamente, a valorização da educação pública, sempre atentos a tudo o que isso representa."

    No item 40, a procuradora fulmina a falácia governamental de que é preciso respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF. :"(...) a mesma lei [LRF] traz regras que excepcionam os pagamentos devidos em razão de decisão judicial" E cita o artigo 19, parágrafo IV.
    Após deixar claro que não há qualquer desculpa para que os estados deixem de pagar o piso, pois já tiveram tempo suficiente para se adaptarem à lei, a procuradora dá o seu parecer sobre quando o piso deveria ser pago: o acórdão há de surtir efeito retroativo, "comum a todas as decisões de mérito proferidas em ações diretas de inconstitucionalidade, e seu cumprimento deve ser imediato (deveria ter começado na data da publicação da ata de julgamento), independentemente de efeitos produzidos pela medida cautelar, que, por natureza, tem caráter meramente efêmero e precário."

    No item 54, a procuradora confirma a importante observação feita pelo ministro Joaquim Barbosa por ocasião do despacho sobre os embargos, a decisão de mérito em relação à ADI surte efeito imediato, independentemente do trânsito em julgado, conforme reclamo 2.576/2004 da ministra Ellen Gracie.

    No item 57, a procuradora praticamente atende à petição da CNTE que reivindica aos ministros do STF uma retificação pontual na emenda. Não se trata de mudar o mérito, mas de corrigir uma expressão usada - "ensino médio" - que deveria ser substituída corretamente pela expressão "educação básica", evitando-se assim, interpretações ardilosamente prejudiciais aos educadores.

    E a conclusão: pela rejeição de todos os embargos, pelo desprovimento do agravo, pela retificação das inexatidões apontadas pela procuradora.

    É neste Parecer e na Lei que os ministros do STF farão o julgamento final dos embargos, determinando toda a sistemática a ser observada para o pagamento do piso nacional do magistério.



    http://blogdoeulerconrado.blogspot.com/2011/10/educadores-de-minas-continuam-sem.html#comments

    ResponderExcluir
  89. VEJA QUE JORNALISTA ACABESTRADOS SÃO IRÔNICO,NÃO CITAM O PESSOAL DA SEGURANÇA, POLICIA CIVIL E NEM A ASSEMBLEIA AMANHÃ EM BH, VERGONHA...

    Profissionais da saúde de Minas paralisam suas atividades

    Dezenas de manifestantes estão reunidos na porta do HPS, e reivindicam o pagamento do reajuste salarial

    Teani Freitas - Do Portal HD - 9/11/2011 - 11:06. Última Atualização: 13:24

    CRISTIANO COUTO

    Duas faixas da Avenida Alfredo Balena foram interditadas no sentido Bairro-Centro


    Os profissionais da saúde de Minas Gerais paralisaram sua atividades nesta quarta-feira (9). Eles estão reunidos na porta do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS) para uma manifestação. Duas faixas da Avenida Alfredo Balena estão interditadas no sentido Bairro-Centro. O objetivo da greve, organizada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG), é reivindicar o pagamento do reajuste do salário e o prêmio de produtividade acordado em abril deste ano com o Governo do Estado.

    A greve da saúde, que aconteceu em setembro, de acordo com o Sindicato, conseguiu acordar um reajuste de 10%, divididos em duas parcelas de 5%, uma em outubro de 2011 e outra em abril de 2012. Entretanto, o sindicato afirma que o pagamento não ocorreu e, por isso, foi acertada mais uma paralisação de 48 horas, a contar desta quarta-feira. "A paralisação acontece em represália ao não cumprimento do acordo feito com os trabalhadores que garantia o reajuste de 5% em outubro, fato que não ocorreu, já que estamos em novembro”, afirmou Reginaldo Tomás de Jesus Silva, diretor do Sind-Saúde/MG.

    Além disso, o Sindicato afirma que o Governo juntou em um mesmo projeto de lei o ganho de greve com uma proposta de política remuneratória de longo prazo. Esse projeto foi encaminhado para a Assembleia Legislativa, também em setembro, e agora aguarda votação. Mas o objetivo dos profissionais da saúde era de que os dois projetos fossem encaminhados separadamente. Eles afirmam que, se aprovados juntos, legalizariam um "arrocho salarial".

    Um ato unificado entre os trabalhadores da saúde, da educação e da Polícia Civil está agendado para quinta-feira (10) , às 15 horas, no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Os profissionais da saúde vão sair em passeata do HPS para a ALMG por volta das 14 horas.

    A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) ainda não tem um balanço sobre o número de profissionais paralisados e os prejuízos no atendimento. O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed/MG) informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que apoia o movimento, pois acredita que as reivindicações são pertinentes. No entanto, não é possível fazer um levantamento sobre quantos médicos participaram da manifestação pela manhã. Conforme previsto por lei, os serviços de urgência e emergência não pararam suas atividades.
    *Com Bruno Carvalho - Do Hoje em Dia

    ResponderExcluir
  90. GRAÇA:

    "Sim, existe sofrimento, com certeza, ainda que não seja tudo aquilo que nos é passado pela mídia em suas principais modalidades: impressa, falada e TV.
    No entanto, se V. alcançar um pouco além da primeira sensação de medo, de perigo iminente, de risco, conseguirá separar o joio do trigo: o que realmente tem a ver com V. e sua vida e o que não faz parte do seu mundo. Poderá ainda lembrar que nada acontece por acaso -uma das irrevogáveis leis naturais-, a qual reza que colhemos o que plantamos e atraímos aquilo que está em sintonia com nossa vibração: semelhante atrai semelhante!

    É normal, portanto, que sejam eleitos graças a financiamentos ilimitados e maciças campanhas midiáticas, os administradores que, em qualquer país do planeta, governam para as corporações, os grupos oligárquicos e as máfias de todos os tipos; indivíduos de caráter moral duvidoso (para dizer o mínimo), que não passariam numa simples avaliação grafológica e que deixariam estatelado no chão um bom médium, dos que conseguem ver a aura dos seres humanos.
    (...)
    Vamos lembrar aqui que o Amor é contagioso. Espalha-se com grande facilidade. É infinito e ainda é ele que governa o Universo todo, mesmo que isto não seja noticiado!
    Tem mais: a escolha pelo amor é somente nossa, fortalece-nos e não admite nenhuma interferência. Seja qual for o "chefe", o sistema de governo ou o lugar.
    Sérgio STUM www.somostodosum.com.br

    Apesar dos horrores que emanam do governo mineira, Sejamos Faróis de Luz!

    ResponderExcluir
  91. CUT NACIONAL > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > EM DEFESA DA VALORIZAÇÃO E DO SERVIÇO PÚBLICO DE QUALIDADE

    Em defesa da valorização e do serviço público de qualidade
    09/11/2011
    CUT-MG convoca ato unificado dos servidores da Saúde, Educação, Segurança Pública e Eletricitários nesta quinta (10)
    Escrito por: CUT-MG
    A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG) convoca a todos os sindicatos de sua base para dar apoio e participar do Ato Público Unificado dos servidores da Saúde, Educação, Segurança Pública e Eletricitários às 15 horas desta quinta-feira, 10 de novembro de 2011, no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (Rua Rodrigues Caldas, 30, Bairro Santo Agostinho, Região Centro-Sul de Belo Horizonte).

    A manifestação faz parte da retomada da luta dos movimentos sociais e sindicais por um serviço público de qualidade e pela valorização dos servidores públicos diante dos desmandos do Governo do Estado. O Ato é organizado pela CUT-MG, Sind-UTE/MG, Sindieletro-MG, Sindágua-MG, Sind-Saúde/MG, Sindpol-MG, movimentos sociais e populares.

    Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG)

    ResponderExcluir
  92. Se Minas tem dinheiro ou não isso é problema do desgoverno! Eu quero é a implantação imediata da Lei do Piso! Lei Federal é absoluta! Não sei porque ainda temos dar ouvidos a essa conversa fiada de despesas do estado. Lei federal se aplica não tem justificativas nem churumelas! A ratazana anastazista está nos enrolando! De pessoas baixas e vulgares como essas não podemos esperar nada de justo e correto!

    ResponderExcluir
  93. Pessoal, acho que faltar no dia da prova do SIMAVE é pura bobagem e uma falta a mais para vocês.
    Acho que devem ir, entregar as provas e pedir para que os alunos marquem todas as questões, assim o prejuízo será enorme para o estado pois não poderá aproveitar as provas para outra ocasião. Pensem bem...

    ResponderExcluir
  94. Oi Euler e seguidores.
    Li que Renata Vilhena falou a respeito do décimo quarto, que irá pagar até dezembro.
    Ela faz parte da corja do governo. Eles querem que apliquemos as provas e depois, fazem como tem feito: riem da nós, por ter acreditado neles. Isto tem se repetido inúmeras vezes, com promessas e depois, negam em cumprir o prometido.
    Que eles percebam, que não caímos mais nas mentiras dele.
    Um abraço.
    Marlene

    ResponderExcluir
  95. Estou indignada,
    Acreditem que na minha escola, o turno vespertino decidiu parar todo amanhã, o matutino e noturno tem vários pelegos que vão fazer o favor de manter a escola aberta! Mas isso não é pior! O diretor mandou avisar aos alunos do vespertino que terá aula amanhã sim!! Mesmo sem professor do turno lá! Sabe como ele solucionou isso? Ta chamando os pelegos tampax de outro turno para trabalhar no vespertino!!!!!
    Valei-me Senhor! Tem pau mandado demais nessa profissão!!

    ResponderExcluir
  96. GENTE,
    ESTÁ FALTANDO ÓLEO DE PEROBA NO MERCADO! ESTÁ TUDO NA CARA DO DEP BONIFÁCIO CANASTRÃO! VAI SER CARA DE PAU NA CASA DO CHAPÉU! BABACA, OTÁRIO! ESTAMOS DE OLHO! O TROCO SERÁ NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES! VOU MOSTRAR O QUE NÓS PROFESSORES PRECISAMOS ENTENDER. JÁ ENTENDEMOS SEU SEM CARÁTER! BANDIDO!

    ResponderExcluir
  97. NUNCA VI TANTO SAFADO NO MESMO LUGAR! A ASSEMBLEIA ESTÁ PODRE!

    ResponderExcluir
  98. Queremos que o piso seja pago segundo nossa carreira atual. Isso ficou claro até porque optamos pelo VB. Entretanto, outros as ações do governo estadual já demonstraram total controle sobre os outro poderes. Assim há como mascarar dados sobre o valor investido na educação. E quem provará o contrário?
    Federalizar a folha de pagamento?rs.rs. Acho que será mais fácil e rápido passar em uma seleção para escola federal. Enquanto isso a lei do subsídio foi aprovada.
    Dia desses um colega comentou que nesse governo todos os movimentos que fizemos trouxeram como resultado mudanças, para pior na carreira. E não é que ele tinha razão? Em 2012 teremos uma carreira com 5% e 1%. Usar drogas rende mais. Quanto sadismo. Fazem isso para nos "castigar".

    Lenaildes

    ResponderExcluir
  99. Este governo cheira mal, quanta gente podre, quanta podridão. Que história essa do Filocre e dos que estão no entorno de SIMADE?! Este BLOG é fantástico, quantas sujeiras estão sendo expostas, quantas coisas viemos a saber! Tantos oportunismo! Com relação ao ex-Secretário Adjunto, uma coisa nos chama a atenção. No início da discussão do piso, ele colocou em seu blog uma tabela mostrando as vantagens de ficar no Vencimento Básico, fez comentários, respondia às perguntas dos educadores, tirou dúvidas. De repente emudeceu-se, por quê?? Naquele momento deveria estar irado por ter sido colocado para fora do governo, agora devem ter oferecido alguma boquinha para ganhar bem, resolveu defender o governo e malhar os educadores! Esta gente é PODRE!

    ResponderExcluir
  100. TABELAS SALARIAS - 2012
    APRESENTAÇÃO DO SIND - UT NA 6ª REUNIÃO TRIPARTIRE....

    http://www.sindutemg.org.br/novosite/files/TABELAS%20PSPN.pdf

    ResponderExcluir
  101. DEVE SE PEDIR O HIPTHAMAM DESSE GOVERNO COM URGÊNCIA , NAÕ PODEMOS ESPERAR MAIS!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  102. PRECISAMOS E DEVEMOS FAZER UMA PARALISAÇÃO NO DIA DA PROVA DO SIMAVE.

    ISTO É URGENTE E PRIORITÁRIO.

    ResponderExcluir
  103. TABELAS DO SINDUTE

    APLICAÇÃO DO PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL PROPORCIONAL A JORNADA NA CARREIRA E DE ACORDO COM A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DA REDE ESTADUAL E COM A PROJEÇÃO DE REAJUSTE DE 16,68% PARA 2012
    (Por ser projeção, este percentual pode ainda sofrer alteração)
    ver aqui:
    http://www.sindutemg.org.br/novosite/files/TABELAS%20PSPN.pdf

    ResponderExcluir
  104. as tabelas estão no site do sindute no item reunião da comissão tripartite, muitos sonhos e poucas ações não percamos as esperançasFORÇA NA LUTA

    ResponderExcluir
  105. Esta musica retrata a nossa realidade.
    Zé Ninguém
    Biquini Cavadão

    Quem foi que disse que amar é sofrer?
    Quem foi que disse que Deus é brasileiro,
    Que existe ordem e progresso,
    Enquanto a zona corre solta no congresso?
    Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
    Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar!

    Os dias passam lentos
    Aos meses seguem os aumentos

    Cada dia eu levo um tiro
    Que sai pela culatra
    Eu não sou ministro, eu não sou magnata
    Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
    Aqui embaixo, as leis são diferentes
    Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
    Aqui embaixo, as leis são diferentes

    Quem foi que disse que os homens nascem iguais?
    Quem foi que disse que dinheiro não traz felicidade?
    Se tudo aqui acaba em samba,
    no país da corda bamba, querem me derrubar!!
    Quem foi que disse que os homens não podem chorar?
    Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta?
    A minha acabou faz tempo, agora entendo por que ....

    Cada dia eu levo um tiro
    Que sai pela culatra
    Eu não sou ministro, eu não sou magnata
    Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
    Aqui embaixo, as leis são diferentes (4X)

    Os dias passam lentos
    Os dias passam lentos

    Cada dia eu levo um tiro
    Cada dia eu levo um tiro
    Eu não sou ministro, eu não sou magnata
    Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
    Aqui embaixo, as leis são diferentes...

    ResponderExcluir
  106. Caro colegas NDG, olha a porcariada de Minas:
    http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=yamPTUtDXXM

    ResponderExcluir
  107. Companheiros,boa tarde!

    Escrevi uma carta para o senador Cristóvam Buarque e ele me respondeu:

    Prezada Professora



    Incumbiu-me o senador Cristovam de agradecer o atencioso contato e atender à solicitação.



    Neste sentido, cumpre-me informar que:



    1) O piso salarial é válido para todos os municípios e é devido aos profissionais do ensino básico da rede pública que trabalham quarenta horas semanais. Para os profissionais do magistério que trabalham menos que quarenta horas semanais, o piso deverá ser pago proporcionalmente.



    2) A lei não faz diferenciação quanto à formação dos profissionais. Nesse aspecto, o senador Cristovam já declarou que considera a lei injusta, pois o projeto original apresentado por ele fazia essa distinção, mas foi modificado para reduzir gastos.



    3) Em relação às gratificações e vantagens, a lei é expressa em seu art. 3º, inciso III, § 2o no sentido de que "até 31 de dezembro de 2009, admitir-se-á que o piso salarial profissional nacional compreenda vantagens pecuniárias, pagas a qualquer título, nos casos em que a aplicação do disposto neste artigo resulte em valor inferior ao de que trata o art. 2o desta Lei, sendo resguardadas as vantagens daqueles que percebam valores acima do referido nesta Lei". Ou seja, o gestor não pode mais computar os valores das gratificações para atingir o valor do Piso. Há, inclusive, entendimento do Supremo Tribunal Federal a esse respeito.



    4) O governo federal é responsável pela complementação ao valor do Piso nos estados onde há comprovada insuficiência de recursos para tal. Tal complementação deverá ser feitas através dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).



    O projeto de lei orçamentária de 2012, enviado ao Congresso pelo Ministério do Planejamento indica que a complementação financeira da União ao Fundeb será 23% maior que a de 2011, chegando a R$ 9,603 bilhões. Esse valor é distribuído entre dez Estados que, com sua arrecadação, não conseguem cumprir o custo-aluno de R$ 2.009,45. A novidade é que Paraná e Minas Gerais entram pela primeira vez nessa lista - geralmente composta por Estados pobres - e receberão, respectivamente, R$ 144 milhões e R$ R$ 1,115 bilhão do governo federal em 2012 a fim de cumprir suas obrigações financeiras na área educacional. O projeto prevê ainda que o Ministério da Educação (MEC) desembolse R$ 1,067 bilhão aos governos estaduais e prefeituras que tiverem problema para cumprir a lei do piso nacional dos professores.

    ResponderExcluir
  108. Pessoal não coloquei no testo mas o vídeo http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=yamPTUtDXXM é excelente para passarmos nas escolas no " DATA SHOW" PARA NOSSO ALUNOS DIVULGUEM

    INCLUSIVE PARA O EMAIL DOS DEPUTADOS ESTADUAIS PARA QUE POSSAM VER O QUE IRÁ SER FEITO COM A IMAGEM DO MARAJÁ CASO O SEU AFILHADO NOS SACANEIE.

    ResponderExcluir
  109. Que vergonha!

    Que Assembleia Legislativa horrorosa (ou melhor, homologativa como dizem por aí)!
    Dá nojo ver como se comportam esses que deveriam defender os direitos do povo!

    Assiti à reunião ordinária e tirando uns poucos, os outros (Bosco e um outro intragável que ouvi defender o "professor Anastsaia" (nem merece ter seu nome escrito corretamente) e o Aócio (outro crápula da política mineira). Esses caras não devem ter mãe, tamanha a cara de pau.

    Vamos juntos educadores! Vamos derrubar essa corja de opressores e canalhas sem vergonha, sem escrúpulos, sem ética, sem nada que possa construir alguma coisa boa para o povo!

    Deus está conosco! Vamos lutar e vencer!

    ResponderExcluir
  110. Continuação...


    5) A respeito do reajuste do PSN, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou no dia 25/05, substitutivo do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) a projeto de lei do Executivo alterando a forma de reajuste do piso salarial nacional dos professores da educação básica. A matéria – PLC 321/2009 (número recebido no Senado) ou 3776/2008 (número recebido na Câmara dos Deputados) – foi aprovada no Senado em 07/07/2010 e enviada à Câmara dos Deputados para nova apreciação. Pelo texto aprovado, o reajuste do piso profissional nacional do magistério público da educação básica será atualizado anualmente, no mês de maio, a partir de 2011. Tal atualização será calculada usando o somatório da variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) dos 12 últimos meses e a variação entre as receitas nominais totais do Fundeb. Esse cálculo, de acordo com o projeto, inclui a complementação da União no que diz respeito aos dois últimos períodos de 12 meses, descontado o INPC de duas variações aferidas em 30 de junho do ano anterior. O senador Cristovam Buarque disse que o substitutivo à proposta (PLC 321/09) resultou de negociações e estudos técnicos com o ministro da Educação, Fernando Haddad e com representantes do magistério. A proposta também atualiza para R$ 1.200 o valor do piso nacional da categoria. Ainda, em fevereiro de 2011, o MEC reajustou o Piso do magistério em 15,85%, subindo-o para R$ 1.187, retroativos a janeiro. Encaminho a nota em anexo.



    Ainda sobre o reajuste, segundo o MEC, o valor do piso terá reajuste nominal de 16,6% em 2012, passando dos atuais R$ 1.187 para R$ 1.384. A variação cumpre a lei 11.738, de 2008, que prevê aumento do salário-base docente conforme o incremento do custo anual por aluno previsto no Fundo Nacional de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização do Magistério (Fundeb).



    De acordo com a memória de cálculo do projeto de lei orçamentária enviado ao Senado pelo Ministério do Planejamento, o Fundeb também terá reajuste nominal de 16,6% no ano que vem, com arrecadação prevista de R$ 106,7 bilhões, considerando R$ 77,4 bilhões de aportes dos Estados e R$ 29,2 bilhões da União. Com isso, o Brasil aumenta o seu gasto por aluno na mesma proporção, para R$ 2.009,45.



    Até o fim do ano, o MEC publicará portaria validando todos esses números.

    ResponderExcluir
  111. 6) Em relação aos professores aposentados, a lei 11.738 em seu artigo 2º, § 5o dispõe que: “As disposições relativas ao piso salarial de que trata esta Lei serão aplicadas a todas as aposentadorias e pensões dos profissionais do magistério público da educação básica alcançadas pelo art. 7o da Emenda Constitucional no 41, de 19 de dezembro de 2003, e pela Emenda Constitucional no 47, de 5 de julho de 2005.”



    Seguem os links para acessar as Emendas Constitucionais supracitadas:



    http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/Constituicao/Emendas/Emc/emc41.htm#art7



    http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/Constituicao/Emendas/Emc/emc47.htm



    Informamos ainda que o Piso não está totalmente implementado devido à atitude de alguns governadores e prefeitos que se recusam a cumprir a lei com a alegação de sua inconstitucionalidade parcial.



    Entretanto, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria, declararam no dia 6 de abril de 2011 a constitucionalidade da Lei 11.738/2008, na parte que regulamenta o piso nacional - vencimento básico - para os professores da educação básica da rede pública.



    A constitucionalidade do parágrafo 4º do artigo 2º, que determina o cumprimento de no máximo 2/3 da carga horária do magistério em atividades de sala de aula, ainda será analisada pela Corte. Parte dos ministros considerou que há invasão da competência legislativa dos entes federativos (estados e municípios) e, portanto, violação do pacto federativo previsto na Constituição. Com isso, não se chegou ao quórum necessário de seis votos para a declaração de constitucionalidade ou inconstitucionalidade da norma.

    O julgamento, que durou mais de quatro horas, ocorreu no dia 6 de abril de 2011, durante a análise da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4167, ajuizada na Corte pelos governos dos estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Ceará.



    Ainda, o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou no dia 24 de agosto de 2011 o acórdão do julgamento ocorrido em abril que reconheceu a constitucionalidade da lei que criou o piso nacional do magistério. Alguns governos estaduais e prefeituras estavam aguardando a publicação do acórdão para se adequar à legislação.



    Contudo, nenhum gestor público está impedido de regulamentar o PSPN de acordo com a Lei 11.738, uma vez que o pacto federativo preserva a autonomia dos entes federados quanto à organização das carreiras de seus servidores.



    Mais que uma legislação salarial, a Lei do Piso constitui poderoso instrumento de ajuste administrativo e pedagógico para as redes de ensino, e pode ser uma aliada dos Secretários e Secretárias de Educação no que tange ao gerenciamento dos recursos constitucionalmente vinculados, conforme prevê o artigo 69, § 5º da LDB.



    O PISO é lei em vigência desde 1º de janeiro de 2009. É preciso procurar as entidades sindicais e as lideranças locais para pressionar pela sua aplicação. Você também poderá procurar o Ministério Público estadual para fazer valer os seus direitos. O PISO SALARIAL DOS PROFESSORES é lei e precisa ser respeitado.



    Para acompanhar as decisões e o processo de implementação do Piso Salarial dos Professores, recomendamos o site da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação - CNTE http://www.cnte.org.br/ - ou, sempre que julgar necessário, entrar em contato com o gabinete do senador Cristovam.



    Encaminhamos em anexo a lei 11.738.



    Reitero a garantia do apoio do senador Cristovam na luta pela valorização da carreira dos professores e coloco-me gentilmente à disposição para eventuais esclarecimentos.



    Atenciosamente,



    Fernanda Andrino

    Assistente parlamentar

    Gabinete do Senador Cristovam Buarque

    www.cristovam.org.br

    http://twitter.com/Sen_Cristovam

    O filho do trabalhador na mesma escola do filho do patrão

    ResponderExcluir
  112. secretarias de regionais exoneradas e novas nomeações de psdb...pode.....

    ResponderExcluir
  113. PARALISAÇÃO GERAL PARA OS DIAS DA PROVA DO SIMAVE.

    ResponderExcluir
  114. Boa noite a todos os amigos do NDG/NDE.
    Boa noite amigo Marechal Euler.

    Abaixo-assinado já!

    Justiça já!

    Acorrentamento dos professores no Mineirão já!

    Outdoors já!

    Que tal outdoors do Aécio e do Anastásia, satirizando suas práticas políticas em Brasília, em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em locais próximos às suas residências?

    Não entendo essa blindagem desses ilegítimos representantes dos mineiros.

    FORA AÉCIO E CLÃ!

    FORA ANASTASIA!

    Os mineiros não têm memória curta! Aguardem.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  115. Para pensar e se divertir um pouquinho...

    EPITÁFIOS:

    ESPÍRITA
    Volto já.
    AGRÔNOMO
    Favor regar o solo com Neguvon. Evita Vermes.
    ALCOÓLATRA
    Enfim, sóbrio.
    ARQUEÓLOGO
    Enfim, fóssil.
    ASSISTENTE SOCIAL
    Alguém aí, me ajude!
    BROTHER
    Fui.
    CARTUNISTA
    Partiu sem deixar traços.
    DELEGADO
    Tá olhando o quê? Circulando, circulando...
    ECOLOGISTA
    Entrei em extinção.
    ENÓLOGO
    Cadáver envelhecido em caixão de carvalho, aroma Formol e after tasting que denota presença de Microorganismos diversos.
    FUNCIONÁRIO PÚBLICO
    É no túmulo ao lado.
    MIRANDÃO
    Rígido, como sempre.
    GAY
    Virei purpurina.
    HERÓI
    Corri para o lado errado.
    HIPOCONDRÍACO
    Eu não disse que estava doente?!?!
    HUMORISTA
    Isto não tem a menor graça.
    JANGADEIRO DIABÉTICO
    Foi doce morrer no mar.
    JUDEU
    O que vocês estão fazendo aqui? Quem está tomando Conta do lojinha?
    PESSIMISTA
    Aposto que está fazendo o maior frio no inferno.
    PSICANALISTA
    A eternidade não passa de um complexo de superioridade mal resolvido.
    SANITARISTA
    Sujou!!!
    SEX SYMBOL
    Agora, só a terra vai comer.
    VICIADO
    Enfim, pó!
    PROFESSOR
    Cadê meu Piso?

    E,para fechar com chave de ouro, afinal de contas...ele não poderia faltar:

    O ADVOGADO
    Disseram que morri... Mas vou recorrer!!!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  116. É preciso que haja alguém para coordenar ações de impacto para o governo perceber que não estamos mortos. O Sindicato está apenas marcando passo nessa horrorosa comissão.
    A categoria apresenta muitas ideias, mas tudo está muito isolado, pulverizado. É preciso encontrarmos uma forma de canalizar todas essas sugestões postadas no blog para uma ação coordenada, organizada em todo o estado, em todas as escolas. Como fazer isso?

    ResponderExcluir
  117. O INÍCIO DO FIM JÁ COMEÇOU.


    MINAS GERAIS AINDA TEM UMA BOA ARRECADAÇÃO.

    TEM UM GRANDE ORÇAMENTO.

    MAS ESTÁ QUEBRADA.

    ENTÃO ELES AUMENTAM OS GASTOS E AS DESPESAS.

    AUMENTAM A DÍVIDA O QUANTO PODEM.

    BUSCAM EMPRÉSTIMOS NO EXTERIOR.

    AUMENTAM O VOLUME DE DINHEIRO.

    DEPOIS...

    O PRATO ESTÁ FEITO.

    VÃO SAQUEAR TUDO QUE PUDEREM.

    QUEM FOR MAIS ESPERTO E MAIS RÁPIDO, QUE ROUBE MAIS.

    SEM NENHUM PUDOR.

    E O ÚLTIMO LADRÃO QUE SAIR, APAGUE A LUZ.

    ... OH! MINAS GERAIS...

    ...

    ResponderExcluir
  118. EE.Bernardo Monteiro - representantes presentes na Assembléia de 10/11!!!

    ResponderExcluir
  119. Estou muito triste com o sindicato de Caratinga que não comunicou a ningúem sobre a paralização desta quinta feira e qundo fui procura-lo para ir na caravana para a assembléia a resposta que tive é que essa assembléia é só para os de BH, isso é verdade Euler?
    Fiquei muito triste pois penso que a luta tem que continuar a ser de todos e gostaria muito de continuar participando do movimento em BH, NÃO SOU O TIPO DE EDUCADOR QUE FICA SÓ ESPERANDO OS BENEFÍCIOS DE UMA LUTA QUE TEM QUE SER COLETIVA.(ESTOU TRISTE COM A ATITUDE DA SUBSEDE SIND-UTE DE CARATINGA)

    ResponderExcluir
  120. Olá, pessoal da luta, membros do NDG e demais colegas!

    Boa noite!

    De volta ao bunker, já estou com o post da madrugada quase pronto. Hoje ele sai mais cedo, daqui a 15 ou 20 minutos. Estou só arrematando as propostas para a reunião do comando e da assembleia geral da categoria que acontece amanhã, dia 10, na Praça da ALMG.

    Um forte abraço e até daqui a pouco.

    Ah, o título do post: "Minas está em crise? Vamos cortar pela metade o salário dos deputados, do governador, dos desembargadores, do procurador e das secretárias de estado. Será que eles concordam?".

    ResponderExcluir
  121. "Não entendo porque o piso é de 1187 reais e a tabela começa de 712,00.
    Básico é o menor salário no meu entendimento".

    - É assim, ó: 712,00 é para o Professor com Ensino Médio. Esse piso é proporcional (24 horas).
    Os tais 1.187 se referem a uma carga horária de 40 horas, o que não é o nosso caso. Esse piso é o inicial para o Professor com Ensino Médio, com carga horária de 40 horas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  122. Só aceito escalonamento do retroativo do piso!

    ResponderExcluir
  123. Companheiros,bom dia!
    A carta do senador Cristóvam Buarque foi postada em três partes,porque não consegui colá-la toda.
    Tem duas postagens intercalando-a.O número 6 faz parte dela. Sucesso para todos na assembléia de hoje.
    Professora aposentada e mãe de aluno.

    ResponderExcluir
  124. Correção:

    Testo
    A palavra correta é texto.

    ResponderExcluir