terça-feira, 8 de novembro de 2011

Governo enrola, enrola, mas nós não vamos desistir dos nossos direitos; nem agora, nem nunca! Eles passarão, enquanto nós...



Governo enrola, enrola, mas nós não vamos desistir dos nossos direitos; nem agora, nem nunca! Eles passarão, enquanto nós...


"Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!"

Mário Quintana


Seria esperar demais que na reunião da tripartite saísse, ontem, alguma coisa que representasse o atendimento pleno dos nossos direitos. De forma involuntária, cheguei até a cantar a pedra no post de ontem, quando disse que seis reuniões haviam acontecido e que até agora, nenhum avanço fora produzido em relação ao principal foco da nossa luta: o piso na carreira. Seis reuniões, eu dizia. Na verdade, a sexta reunião acontecera depois do meu texto. Mas, em face do resultado, teria razões para alterar o post de ontem?

O resultado pareceu-nos algo repetitivo: o sindicato apresenta as tabelas de acordo com a lei do piso em vigor no país, e o governo responde que não pode pagá-las. Não pode ou não quer? Afinal, a Lei do Piso não fora aprovada para que os cinco mil e poucos prefeitos e os 27 governadores pudessem optar entre cumpri-la ou não. Se assim fosse, não careceria lei federal alguma: bastaria que cada ente federado mantivesse a sua política regional - quase todas de confisco e arrocho salarial - que reservara para os educadores.

Um dos problemas sérios desse país, é que só se aplica punição aos governantes quando eles ferem interesses dos de cima. Se deixam de pagar os juros dos banqueiros, podem perder o mandato; se deixam de cumprir a famigerada Lei de Responsabilidade Fiscal, cuja principal função é limitar os investimentos com os servidores públicos de baixa renda, eles podem ser punidos. E se deixam de cumprir uma lei federal - a lei do piso - o que lhes acontece? Até agora, nada. O procurador geral da justiça, que deveria fiscalizar o cumprimento da lei, aliou-se ao governo para punir os educadores que fizeram justa e heroica greve de 112 dias pelo cumprimento da lei.

Isto me lembra uma frase dita pelo mineiro Darcy Ribeiro, quando, em referência ao Golpe Militar de 1964, que derrubara o presidente constitucional João Goulart, dizia: "Nós fomos derrubados por nossas qualidades, não por nossos defeitos".

Nós, os educadores de Minas, que lutamos corajosamente durante 112 dias e ainda continuamos de pé e em resistência e luta pelos nossos direitos, estamos sendo castigados pelas nossas qualidades, por lutarmos por direitos que a Constituição Federal e a legislação infra-constitucional nos asseguram. Enquanto os malfeitores e agressores da lei são poupados e blindados pela máquina de poder existente no estado e no Brasil.

Mídia comprada, judiciário silente, legislativo corrompido. Só mesmo a nossa força organizada, a força de milhares de educadores, com o apoio de multidões de estudantes, pais de alunos e demais apoiadores poderá fazer a diferença. E obviamente que uma boa assistência jurídica para buscar nossos direitos nas barras da Justiça, por mais morosa que ela seja.

O governo de Minas pode enrolar, pode ganhar tempo, enquanto sobrevivemos com muitos arranhões provocados pela política de destruição de seres humanos que o infeliz faraó e e seu afilhado impuseram aos educadores e demais movimentos sociais. Centenas de educadores, muitos dos quais dedicaram toda uma vida à Educação pública, vivem hoje uma situação de penúria, com dívidas e dificuldades de toda ordem, pois o infeliz rei, parodiando a bela música de Geraldo Azevedo, "Canção da despedida": "Um rei mal coroado / Não queria / O amor em seu reinado / Pois sabia / Não ia ser amado / Amor não chora".

Claro que não estamos nos despedindo de nada, pois o nosso lugar é aqui e a nossa luta é agora. Nós do NDG, que enfrentamos 112 dias da nossa heroica greve não nos rendemos e não nos entregamos jamais! Mesmo diante de um governo que cultua o castigo e a punição como métodos de gestão, ao invés do diálogo sincero, democrático, e da busca de solução para os problemas tão elementares. As escolas de Minas hoje vivem um ambiente de tristeza e de terror; de decepção e de intrigas; de desilusão e de abandono. É o oposto do que se esperava construir, quando os legisladores, após 20 anos de espera por parte dos profissionais da Educação, aprovaram a Lei do Piso. De acordo com a Carta Magna, tal lei deveria criar uma política de valorização dos educadores, sem a qual jamais existirá ensino público de qualidade.

Em Minas e na maioria dos estados acontece exatamente o oposto: a lei em favor dos educadores tem provocado a destruição dos planos de carreira existentes. Enquanto foi conveniente para o governo manter os vencimentos básicos com valores ridículos, inferiores ao salário mínimo, ele jamais falara em mudar o plano de carreira. No entanto, quando uma lei federal fora criada para valorizar os educadores a partir dos vencimentos básicos existentes, qual foi a atitude do governo? Primeiro, criou, para os educadores apenas, uma outra lei, chamada lei do subsídio, que pela própria natureza desta forma de remuneração, acaba-se com o salário base e incorporam-se todas as gratificações a um vencimento único, atingindo desta forma, os valores mínimos exigidos pela lei do piso.

Mas tal perversa lei facultava a quem desejasse a saída deste sistema e a volta ao antigo regime remuneratório, composto de vencimento básico e gratificações. Mesmo sem que a lei do piso fosse aplicada, 153 mil educadores, mais bem informados, abandonaram a lei do subsídio e optaram pelo antigo sistema remuneratório. O que deveria fazer um governo sério diante disso? Pagar o piso na antiga carreira no mínimo para estes 153 mil educadores, que seguiram as regras do jogo, e inclusive foram penalizados covarde e ilegalmente pelo governo, que lascou um gritante confisco salarial ao reduzir a remuneração, no meio do ano, para estes 153 mil educadores, num ato que agride novamente a Carta Magna do país.

O governo não apenas reduziu os vencimentos nominais dos educadores que optaram pelo antigo sistema, como, agora, pretende alterar e destruir de vez o plano de carreira e os percentuais da tabela salarial em vigor desde 2004 se 2005. Na prática, o que o governo quer fazer é retirar um direito assegurado em lei federal, como a dizer: "o que vocês teriam de aumento no básico, eu lhes retiro nos percentuais de promoção e progressão". Isso representa uma espécie de soma zero, onde se adiciona um valor de um lado e retira-se de outro, mantendo o mesmo valor, ou até reduzindo, como seria o caso de todos os educadores novatos com até 10 anos de estado.

Trata-se de um jogo sujo e sórdido, pois as vítimas desta política desastrosa são milhares de educadores, sobre os quais repousam o sonho de uma educação de qualidade para milhões de estudantes, que dependem do ensino público como única porta de saída da realidade de exclusão social, imposta pela disputa de mercado e pela ação de um estado serviçal dos interesses dos de cima.

Em Minas, a política social do governo é a valorização da repressão em detrimento da formação crítica e digna dos seres humanos. E é por isso que os movimentos sociais são tratados com descaso; é por isso que a saúde pública, o Ipsemg, os servidores da Educação e os demais servidores de baixa renda são tratados como coisas secundárias. Minas cresce mais do que a China, dizem. A arrecadação anual comprova tal fato, como de resto, acontece com o Brasil. Mas, pergunta-se: para que serve este crescimento? Para enriquecer os mais ricos? Para construir obras faraônicas de utilidade duvidosa? Para servir aos empreiteiros, banqueiros, políticos profissionais, uma pequena elite, enfim, que se apropria dos poderes constituídos para destruir os sonhos da grande maioria da população pobre?

Ora, isso nós não podemos permitir que se reproduza ad infinitum. É hora retomarmos as nossas mobilizações de rua, combinadas com um paciente trabalho nas escolas, na base, e uma adequada assistência jurídica. Não aceitaremos este novo confisco que o governo pretende aplicar aos educadores. Temos direito ao piso implantado nas nossas carreiras, tal como manda a lei, sem cortes nas gratificações, sem redução de percentuais de promoção e progressão. Não tentem mudar as regras do jogo quando este não os favorece. Essa prática abre precedente para que outros sujeitos sociais queiram agir da mesma forma.

O governo deve provar que não pode pagar, caso tenha problema de caixa para investir no piso. E nós o ajudaremos a cobrar do governo federal, como manda a Lei do Piso, a complementação que se fizer necessária. Agora, caso o governo se recuse a abrir as suas contas, e procure um atalho para o que ele considera um problema - e que para nós é um direito -, então, não nos resta outro caminho senão impedir este novo golpe.

Nenhum deputado que tentar mexer nos nossos direitos terá direito a um sono tranquilo. Gritavam os indignados nas rebeldes praças da Espanha, para os políticos profissionais: "Se vocês não nos deixam sonhar, nós não os deixaremos dormir". Vamos mobilizar o Interior e a Capital de Minas, principalmente considerando que em 2012 ocorrem eleições municipais, que são decisivas politicamente para os projetos de 2014. Devemos nos mobilizar e trazer caravanas do Interior para pressionar os deputados e para acampar na ALMG e impedir qualquer tentativa de roubarem os nossos direitos.

Estamos com dois meses com salários cortados pela metade, reduzidos, e mais 53 dias sem salário. Esta mixaria que será paga hoje, como vencimento de novembro, com o salário reduzido e cortes realizados, não dará para pagar nem uma parte dos débitos que acumulamos. O ano letivo de 2011 não vai acabar em dezembro. E pode ser que não termine também no primeiro semestre de 2012, caso o governo insista com sua política de destruição da Educação pública e dos educadores.

É hora do Núcleo Duro da Greve - NDG - e demais colegas e apoiadores se mobilizarem em toda Minas Gerais. Fazer o chão de Minas tremer novamente, para que fique definitivamente claro para este governo e seus aliados, que os educadores de Minas não estão dispostos a aceitar esse jogo sujo, que resulta sempre em mais confisco salarial, em mais retirada de direitos, em mais humilhação para os de baixo - enquanto os de cima repartem entre si as maiores fatias do bolo.

No próximo dia 10, devemos retomar as nossa mobilizações, com a assembleia e o ato conjunto com outras categorias do serviço público de Minas. Além disso, é preciso intensificar os nossos contatos e diálogos com os colegas, com os estudantes e com os pais de alunos nas escolas; não aceitarmos as pressões das direções capatazes, e organizarmos a nossa rebeldia a esta máquina de moer gente, que foi construída nos últimos anos em Minas Gerais.

Não há outra alternativa para nós: é resistir, lutar e vencer, ou aceitar resignados a derrota imposta pelo governo. Temos consciência dos nossos direitos, sabemos lutar e por isso não temos o direito de esmorecer nessa reta final. A devolução da redução imposta em julho deste ano, e o piso na nossa carreira, sem qualquer corte ou redução, são direitos assegurados pela legislação vigente. Não podemos aceitar nada menos do que isso!

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!


***


Frei Gilvander:

Dandara coloca sua causa no colo dos vereadores de Belo Horizonte
Gilvander Moreira[1]

Por ausência de quorum, a votação do PL 1271/2010 sobre Dandara foi adiada.

Anteontem, dia 6 de novembro de 2011, das 15:00 às 22:00h aconteceu na Comunidade Dandara uma linda festa que contou com a participação de umas quatro mil pessoas. A Banda Graveola e Lixo Polifônico, em um Show inesquecível, na Dandara, lançou o 2º CD da Banda: Eu preciso de um liquidificador. MC Dedê (morador da comunidade Dandara), as bandas Julgamentos e Pequena Morte, e os Djs Luiz Valente e Alexandre Senna também se apresentaram. Tudo na paz, alegria e muita harmonia.

Ontem, dia 7 de novembro de 2011, pela enésima vez, parte do povo de Dandara faltou ao trabalho (vários já foram demitidos por participação nas lutas), cerca de 400 pessoas da Comunidade Dandara - quase 1.000 famílias que ocuparam um terreno abandonado dia 09/04/2009, no Céu Azul, Belo Horizonte e já construíram mais de 850 casas de alvenaria e estão reconstruindo vidas -, em mais um dia de luta, estiveram na Câmara Municipal de Belo Horizonte das 09:30h às 18:00h. Até às 15:00h tentamos conversar com vários vereadores, de gabinete em gabinete, buscando apoio para a aprovação do Projeto de Lei 1271/2010, de autoria do vereador Adriano Ventura (do PT), que visa declarar de interesse social para fins de desapropriação municipal a área onde se encontra a comunidade Dandara de modo a garantir o direito fundamental à habitação. Foi difícil encontrar vereadores nos gabinetes.

Às 15:00h, aberta a sessão na Câmara, o vereador Adriano Ventura apresentou o PL 1271/2010, com power point, no telão do Plenário, belíssimas fotografias da história de luta de Dandara. Foi comovente ver a firme defesa da Comunidade Dandara feita pelos vereadores Adriano Ventura (PT), Cabo Júlio (PMDB), Daniel Nepomuceno (PSB), Geraldo Félix (PMDB) e outro que não me lembro o nome. Um militante das Brigadas Populares conclamou o povo dandarense que lotava as galerias da Câmara a repetir com ele: “Senhores vereadores, (o povo repetiu “senhores vereadores ...”), nós da Comunidade Dandara / somos cerca de 5 mil pessoas organizadas. Viemos aqui para pedir / o apoio de todos vocês. Aprovem o projeto de Lei sobre Dandara / porque com esse projeto aprovado / será aberto o caminho / para resolver de forma justa / o grave problema social / que envolve todos nós. Estamos ameaçados de despejo, / mas jamais aceitaremos ser despejados. Não queremos que vocês vereadores / sejam cúmplices de um massacre anunciado. Esperamos o apoio de todos vocês vereadores. Lutamos por dignidade. Dandara é de luta! Pátria Livre! Venceremos!”, todos repetiram entusiasmados frase por frase. Os vereadores, em silêncio, ouviram o recado de uma Comunidade que luta de forma organizada, de cabeça erguida.

Em seguida, iniciou-se a votação de 14 vetos do prefeito Márcio Lacerda. Nenhum veto do prefeito foi derrubado, o que demonstra o grande apoio que o prefeito tem na Câmara.

O PL 1271/2010 sobre Dandara para ser aprovado precisava de 2/3 dos vereadores: 28 votos. Após a votação dos 14 vetos do prefeito com quorum de 30 a 35 vereadores, no momento que se iniciou a votação do PL 1271 o quorum caiu para 16 vereadores. Os outros saíram do Plenário. Era a orientação do prefeito. Assim, 15 vereadores votaram a favor de Dandara no PL 1271 e um vereador, o Tarcísio Caixeta (PT), líder do prefeito, votou contra. Com esse resultado nova votação do PL 1271 será feita, não sabemos quando.

Após a decisão de adiamento da votação, os vereadores encerraram a sessão. Nas galerias lotadas, houve uma Assembleia do povo dandarense para analisar a luta do dia, os resultados obtidos e para traçar passos a serem dados. Muita animação e intrepidez para seguir lutando foi demonstrado. Um jovem apoiador, com lágrimas nos olhos, bradou: “Estou emocionado porque hoje vi aqui uma cena que eu nunca tinha visto nessa Câmara. O povo nas galerias discursando, repetindo frases de uma liderança, e os vereadores ouvindo. Parabéns a todos pela luta obstinada em defesa de Dandara.” Uma dandarense disse: “Fiquei emocionada ao ver no telão as fotos da nossa luta. Só agora percebi o quanto nós já conquistamos. Muito mais do que eu percebia. Jamais vamos arredar o pé da luta pelos nossos direitos. Jamais aceitaremos o despejo!”

Enfim, a experiência de hoje mostrou a dificuldade que será para conquistar 28 vereadores para votar a favor do PL 1271, mas Dandara persistirá na luta até depois da vitória. A causa de Dandara, como uma batata quente, foi colocada no colo dos vereadores. Eles não poderão assumir uma postura semelhante à de Pilatos. Não podem ser cúmplices de um massacre anunciado. Esperamos vivamente que os vereadores de Belo Horizonte e o Prefeito Márcio Lacerda acordem para a justeza e necessidade de aprovar o PL 1271/2010. Pátria Livre! Venceremos!

Brigadas Populares, Rede de Apoio e Solidariedade a Dandara,

Cf. www.ocupacaodandara.blogspot.com e www.brigadaspopulares.org


Belo Horizonte, 8 de novembro de 2011

[1] Frei e padre carmelita; mestre em Exegese Bíblica; professor do Evangelho de Lucas e Atos dos Apóstolos, no Instituto Santo Tomás de Aquino – ISTA -, em Belo Horizonte – e no Seminário da Arquidiocese de Mariana, MG; assessor da CPT, CEBI, SAB e Via Campesina; e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br – www.gilvander.org.br – www.twitter.com/gilvanderluis - facebook: gilvander.moreira

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira


91 comentários:

  1. O que não entendi foi o tal ESTADO DE GREVE (ou alerta de greve) proposto no final da greve. Tinha entendido que se tivessemos motivos a categoria entraria novamente de greve, que motivos faltam?

    ResponderExcluir
  2. Monalisa - Contagem8 de novembro de 2011 06:49

    Euler,
    A reposição é um direito do aluno.
    Caso eu tenha uma carta de cada aluno (inclusive de seus responsáveis) abrindo mão deste direito para que não tenham aulas em janeiro, poderiamos cancelar esta reposição?

    ResponderExcluir
  3. Monalisa - Contagem8 de novembro de 2011 06:52

    É importante que o sindicato explique que 2012 é ano eleitoral e que o governo poderá passar por grande período de greve no próximo ano se não cooperar!
    Isto também é negociação!!!
    Não iremos aceitar ficar sem o piso e não fazer greve em 2012!

    ResponderExcluir
  4. euler querido, vamos então já entrar na justiça.O sindicato irá sempre estar nesta reunião tripartite e nada acontecerá.Ele está ganhando tempo.Dezembro já está aí e o piso não vai sair para 2012.Precisamos ter atitude e entrar na justiça.Ele quer exatamente isso, ganhar tempo.Se eu fosse o sindicato,não compareceria mais a nenhuma reunião.É inaceitável isso.Todos estão brincando de se reunirem.Não é possível mais esperar.Vamos terminar 2011 sem nenhuma proposta e consequentemente entraremos recebendo o mesmo salário que hoje.Até quando????Precisamos entrar urgentemente na justiça.Não temos futuro nestas reuniões de fachada.Eles querem isso.Fingir que está resolvendo mas nada de concreto e de real valor ou seja O NOSSO TÃO SONHADO PISO

    ResponderExcluir
  5. Vou citar minha experiência pessoal para vcs. Quando tinha quinze anos meu pai militar do exército brasileiro resolveu separar de minha mãe. Ele não nos deixou pensão e queria vender até a nossa casa. Minha mãe estava com um advogado mediano que realmente tentava intermediar as negociações entre eles mas as coisas não estavam se resolvendo. Minha mãe percebendo o tamanho do prejuízo contratou o melhor e mais caro advogado da cidade. O advogado falou que ia ligar para o meu pai. Depois de 5 minutos (estou falando cinco minutos) meu pai ligou de volta e disse que não queria mais a casa. Respeito os advogados do Sindiut Mg. Mas agora é hora de pegar pesado senão vamos perder nosso piso que já está proporcional e talvez até escalonado.

    ResponderExcluir
  6. Cansados! É assim que estamos todos nós. Não dá mais pra esperar. Chega! Estamos fazendo papel de palhaços , ou melhor, bobos da corte, nas mãos desse (des)governo. É preciso mudar nossa postura. Chega!!! Quero que seja dado um ultimato a esse povo , porque se eles não cumprirem a lei, não temos a obrigação de cumprir nossa parte do acordo!!! GREVE, GREVE, GREVE!!! JÁ NÃO HÁ MAIS SOLUÇÃO, ELES SÓ VÃO NOS ESCUTAR SE FORMOS REALMENTE DUROS!!! NDG NELES!!!!

    ResponderExcluir
  7. É COLEGA

    QUANDO A LEI É PARA BENEFICIAR O GOVERNO, CUMPRE EM 24 HORAS, MAS QUANDO É PARA VALORIZAR OU BENEFICIAR O SERVIDOR, TEMOS QUE BRIGAR, LUTAR E MESMO ASSIM NÃO SE CUMPRE.

    É MUITO REVOLTANTE ISSO, A LEI É PARA POUCOS NO BRASIL.

    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  8. Euler, caravana para Bh vai adiantar pouco. Qualquer movimento em Bh não chega ao interior. E aí os dep. continuaram indiferentes. Será mais proveitoso se fizermos isso nas cidades onde esses mercenários tem suas bases.

    ResponderExcluir
  9. Por isso mais vez digo aqui: Iniciemos já uma campanha de IMPEACHEMENT. Não adianta contarmos com a justiça em MG muito menos com o legislativo e a mídia. "O poder emana do povo..." Temos que fazer isso valer. IMPEACHEMENT JÁ!!!!

    ResponderExcluir
  10. Professor Euler,
    É isso aí. Devemos utilizar deste meio, que é a internet, todos os dias, incansavelmente para desmascarar este governo hipócrita que destrói a educação e o sonho de nossas crianças e jovens.Juntamente como ele, seus aliados também não serão poupados. Estou utilizando as minhas aulas de Português no Ensino Médio,inclusive para conscientizar os alunos sobre o governo fascista que temos em Minas Gerais.
    É uma questão de justiça e de dignidade.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  11. Euler,
    Socorro!!!Sinceramente,acho que é hora de dar um basta nessas reuniões com a comissão tripartite,nada será decidido enquanto ocorrer essas negociações mornas"cozinhando a classe em banho maria".Não há o que discutir,o que está em pauta é o pagamento do piso salarial;não aceitamos acordos, escalonamentos.Isso é fugir do objetivo da greve de 112 dias.O sindicato está vacilando muito e é péssimo para a classe.É urgente que a classe coesa encontre uma nova forma de atacar,mobilizar e deixar esse déspota sem saida para suas desculpas de não nos pagar o piso.Elenice -Montes Claros

    ResponderExcluir
  12. Vamos parar Minas Gerais dia 10, minha gente! E bombardear os deputados mineiros:

    DEPUTADOS ESTADUAIS DE MONTES CLAROS E REGIÃO (FEV.2011/JAN.2015)

    ARLEN SANTIAGO (PTB)
    Telefone: (031) 2108-5030
    Fax: (031) 2108-5033
    E-mail: dep.arlen.santiago@almg.gov.br


    TADEU MARTINS LEITE (PMDB)
    Email: dep.tadeu.martins.leite@almg.gov.br
    Telefones: (31) 21085899
    Fax: (31) 21085895

    PAULO GUEDES PT
    Telefone: (031) 2108-5188
    Fax: (031) 2108-5189
    E-mail: dep.paulo.guedes@almg.gov.br


    ANA MARIA PSDB
    Telefone: (031) 2108-5075
    Fax: (031) 2108-5077
    E-mail: dep.ana.maria@almg.gov.br


    LUIZ HENRIQUE PSDB (Janaúba, marido de Elbe Brandão)
    Telefone: (31) 2108-5151
    Fax: (31) 2108-5150
    E-mail: dep.luiz.henrique@almg.gov.br

    E mais os secretários de estado Gil Pereira e Carlos Pimenta, ambos de Montes Claros.

    Vamos incomodar, nenhum deputado pode ter sono tranquilo enquanto estivermos sendo tão desrespeitados...

    ResponderExcluir
  13. ESTOU DESAPONTADA COM A MINHA ESCOLA, AS MINHAS COLEGAS NÃO SE INTERESSAM EM MOBILIZAÇÃO, NÃO VÃO PARAR REPOSIÇÃO, NEM PARALISAR DIA 10, MUITO MENOS BOICOTAR O SIMAVE, A PROVA BRASIL OU O PAAE. PAREÇO UM PEIXE FORA D'AGUA.O SILÊNCIO IMPERA EM NOSSO MEIO.

    KELLEM- MONTES CLAROS

    ResponderExcluir
  14. LEMBRANDO QUE MARCARAM O SIMAVE PARA 22 E 23 DE NOVEMBRO. O QUE FAREMOS?

    ResponderExcluir
  15. Euler,

    Bom dia!

    Continuando a história, paramos sexta-feira( as mães e pais ficarm indignados por seus filhos não terem aula) e ontem conseguimos por escrito da Secretária de Educação um documento falando que o Projeto de Lei entrará na Câmara quinta- feira dia 10/11/2011.Se não entrar ou se entrar nos prejudicaando famos continuar parando de trabalhar às sextas-feiras e uma outra coisa: Vamos entrar com MANDADO DE SEGURANÇA COM LIMINAR.Porque o Sindicato não entra na justiça.Pode- se entrar individualmente também....


    Atenciosamente,

    Aparecida

    ResponderExcluir
  16. KELLEN - mONTES CLAROS!!
    FAÇO MINHAS SUAS PALAVRAS! NA MINHA ESCOLA VÁRIOS PROFESSORES QUEREM VOLTAR PARA O SUICÍDIO!!! ELES ALEGAM QUE ESTÃO PERDENDO DINHEIRO É AGORA!! QUE O QUE INTERESSA É ESTE MOMENTO, MESMO SABENDO QUE ELES FICARÃO PREJUDICADOS DAQUI UNS ANOS!! E O GOVERNADOR ESTÁ CONSEGUINDO O QUE QUERIA.. QUE MUITOS VOLTAM PARA O SUICÍDIOS...
    MARIA - CONTAGEM

    ResponderExcluir
  17. Dia 10/11 PARAR BH, a mídia vai ter que noticiar!
    Para tudo.

    ResponderExcluir
  18. Euler, bom dia!
    Espero que os professores e demais servidores tenham consciência do que está para acontecer com a nossa carreira. Um desgoverno que só pensa nele e em seus ideais está massacrando toda uma categoria. Esta deveria se organizar em unidade, pois só assim conseguiremos o piso nacional. Temos uma lei federal a nosso favor e a decisão do STF. Espero que os colegas que não fizeram greve parem no dia 10/11 e participem, pois não é momento de ficar em casa em dia de paralização.
    Amplexos,
    Elenice Vidal Prata

    ResponderExcluir
  19. Antes da greve escrevi que o piso só é bom em uma boa carreira,o amigo Euler deve se lembrar, se o governo acaba com a carreira( algo que eu temia antes da greve, embora achava que ele mexeria no pó de giz) o piso vai perder sua importância.Pagar o piso o governo vai, minha preocupação é em qual carreira que ele vai pagar o piso?Gente, a luta agora é principalmente pela vida da carreira VB, sei que 153 mil não entraram em greve, mas 153 mil optaram pela carreira VB e tem que lutar por ela, sei que muitos queriam a carreira VB e não puderam optar,por isso,a paralisação do dia 10 tem que ser geral.

    ResponderExcluir
  20. Olá, pessoal da luta, membros do NDG e demais colegas de combate!

    Bom dia!

    A omissão da mídia é algo impressionante. Ontem, dois acontecimentos da maior importância deveriam ter sido capa dos jornais de hoje e das manchetes das emissoras de rádios e TVs:

    1) a reunião da tripartite, que apesar da enrolação, pelo menos teoricamente estaria discutindo o destino de uma categoria que ficou 112 dias de greve - e que essa mídia não cansou de pedir para fosse suspensa a paralisação;

    2) na câmara de vereadores de BH, estava em pauta um projeto que interessa aos 5 mil moradores da Comunidade Dandara. A mídia não deu uma nota sequer. Na hora de apresentarem o projeto, os vereadores do prefeito caíram fora para que não desse quorum. Uma vergonha para os vereadores, e para a mídia.

    Precisamos trabalhar esta questão da mídia também com os nossos alunos e pais de alunos. Primeiro, denunciá-la, como órgão de manipulação a serviço dos governos e das elites. Sugerir também aos estudantes e seus pais que enviem e-mails protestando contra essa omissão da mídia. É preciso encher as caixas de e-mails dos jornalistas e diretores da Rádio Itatiaia, TV Globo, TV Band, TV Alterosa, TV Record, jornais EM, HD e OT. Que usem também o Orkut, Facebbok e twitters.

    Mesmo que a mídia não nos atenda, pelo menos seus diretores e jornalistas ficarão sabendo que milhares estão dispostas inclusive a boicotar esses veículos de comunicação.

    Além disso, é preciso denunciá-los em todos os órgãos nacionais e internacionais, principalmente às rádios e tvs, que são concessão pública, e deveriam prestar serviços a comunidade, e não apenas servirem de instrumento de dominação dos de cima.

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  21. A Escola Estadual Pandía Calógeras valoriza mais os tampax leigos que seus professoreS de carreira. Eles estão lá até hoje. Compromisso com a educação .... É lero.

    ResponderExcluir
  22. Tem razão o amigo Luciano História: a defesa da carreira, das gratificações e dos atuais percentuais das tabelas interessa a todos.

    Em primeiro lugar, aos 153 mil educadores que optaram pelo sistema de vencimento básico; mas interessa também aos designados, que não puderam optar, mas que seguramente vão querer que este direito seja estendido a todos; interessa também aos que optaram pelo subsídio, pois no futuro eles poderão reclamar, mesmo que seja na justiça, pelo direito de mudar de sistema. Ainda que demore um pouco, seguramente a justiça lhes dará este direito. E finalmente, interessa aos novos concursados, que não vão querer permanecer numa carreira destruída.

    Trata-se, portanto, do interesse geral da categoria dos educadores de Minas.

    ResponderExcluir
  23. Pois é. Essa questão dos substitutos, já teria sido resolvida, até mesmo sem acordo com o governo, se o sindicato tivesse um bom jurídico. Neste caso, tendo em vista que a greve fora suspensa no dia 27 de setembro, bastaria que se ingressasse na justiça contra o governador, sua secretária da educação e a do seplag, pedindo ressarcimento aos cofres públicos pela manutenção nas escolas de servidores contratados para nada. Ou seja, um desperdício de dinheiro público. Se eles foram contratados para substituir grevistas (uma tremenda agressão à Lei da Greve) e a greve acabou, logo, eles deveriam ser demitidos no dia seguinte. Ao manter um quadro com 3 mil pessoas recebendo sem nada fazer, porque não tinham mais função - e ainda mais que foram contratados em caráter excepcional, para furar a nossa greve - os agentes do governo deveriam ter sido responsabilizados pessoalmente por estes gastos do dinheiro público.

    Ainda mais levando em conta o contexto atual, no qual o governador anuncia que uma crise na Europa está atingindo Minas, que é preciso fazer economia; que o prêmio por produtividade não fora pago por falta de dinheiro; etc.

    Portanto, seria necessário cobrar destes agentes cada centavo do dinheiro público jogado fora com os substitutos. O serviço público exige moralidade, transparência, impessoalidade (vários diretores mantiveram substitutos que são parentes e amigos deles, um absurdo total) e publicidade. Nada disso acontece em Minas.

    ResponderExcluir
  24. ANASTASIA ESTÁ ACABANDO COM A CARREIRA POLÍTICA É DO AÉCIO NEVES, MUITA GENTE VOTOU NO ANASTASIA POR CAUSA DE AÉCIO NEVES O QUE LEVARÁ A PIOR.

    ResponderExcluir
  25. Bom dia a todos os amigos do NDG/NDE.

    Parece que fomos algemados e estamos debatendo, debatendo, todavia, uma força superior continua nos imobilizando.

    NOSSAS MOBILIZAÇÕES PARECEM INEFICAZES!

    Que país é esse minha gente?
    Que estado é esse minha gente?

    TIRAR O SONO DELES, É O QUE NOS RESTA!
    INCOMODÁ-LOS!

    Um grande abraço a todos.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  26. Kellen
    Estou na mesma situação. Aqui na minha cidade, parece que cestão no mundo da lua.
    Vou parar sozinha e, vou para BH.

    ResponderExcluir
  27. DIFÍCIL É ENTEDER ESSA CONTABILIDADE DO GOVERNO
    FALA QUE NÃO TEM VERBA, ARRECADAÇÃO CAIU, MAS AUMENTO PREVISÃO PIP MINEIRO EM MAIS DE 6 BI

    VÁ ENTENDER

    ResponderExcluir
  28. Euler,

    O Sindicato, acriticamente, está aceitando o jogo do governo. Com tantas reuniões, sem nenhuma decisão e/ou compromisso do governo, já passou da hora de abandonar a Comissão Tripartite. Ou estão acreditando que ainda "sai coelho daquela mata"?

    É hora de jogo aberto com a categoria; do contrário, não conseguiremos mobilizar nem os que acreditam na luta e doaram parte de suas vidas aos 112 dias de greve, além dos 47 dias de 2010.

    SIND-UTE fora da Comissão Tripartite, já!!!

    Joaquim - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
  29. Caros colegas de luta!

    Tbm em minha cidade o diretor não havia dispensado os substitutos, então redigimos uma carta solicitando a imediata dispensa deles e apresentamos nossas disponibilidades para reposição.
    Assinamos e protocolamos com a secretária capacho dele.
    Então, sem saída ele teve que dispensar os tampax.

    Espero que tenha contribuido para solucionar essa novela tampax.

    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Só complementando meu comentário, o fato de termos protocolado uma disponibilidade não significa que estamos ou vamos repor.

    ResponderExcluir
  31. FORA ANASTASIA !
    VIVA A DEMOCRACIA!!!
    LIBERDADE DE EXPRESSÃO!!!

    ResponderExcluir
  32. Anastasia,

    Você hoje representa a imagem do Aécio.

    Ano que vem é ano eleitoral.

    E nós professores estaremos firmes reivindicando nossos direito.

    GREVE EM 2012.

    ResponderExcluir
  33. Por e-mail:

    "Frei Gilvander:

    Ação de grileiros eleva tensão em Minas

    Dados da Pastoral da Terra mostram que o número de conflitos praticamente dobrou nos últimos dois anos.

    (Reportagem do Jornal Hoje em Dia, de 06/11/2011 – Cf. no link, abaixo, pois a maior parte da reportagem está no final da reportagem na versão eletrônica do Jornal.)

    http://www.hojeemdia.com.br/noticias/economia-e-negocios/ac-o-de-grileiros-eleva-tens-o-em-minas-1.365410

    "Sofremos ameaça. Estamos aqui sem assistência nenhuma, com medo. Somos humildes e analfabetos. Só queremos resolver tudo na Justiça. Não queremos violência. Por favor, nos ajude". O apelo, feito por telefone ao Hoje em Dia , é de J.B.A., um pequeno produtor rural do Norte de Minas que pediu anonimato e diz ter tido suas terras tomadas por grileiros da região.

    O drama de J.B.A. não é um caso isolado. Levantamento da Comissão Pastoral da Terra armazenado no banco de dados da Secretaria Nacional de Direitos Humanos mostra que o número de conflitos por terra em Minas praticamente dobrou nos dois últimos anos. Em 2009, foram 16 ocorrências no Estado, envolvendo 874 famílias. No ano passado, o número de ocorrências subiu para 31, englobando 2.457 famílias.

    A intensificação dos conflitos no campo se reforça agora com a operação "Grilo", desencadeada por promotores e policiais federais. No Norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri estão sendo identificados diversos casos de grilagem de terras.

    A Comissão Pastoral da Terra e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa denunciam a participação da Polícia Militar em ações de grileiros. Na zona rural de Manga, no Norte de Minas, dois posseiros tiveram as cercas de suas propriedades derrubadas e os terrenos tomados por empresários.

    Há 15 dias, parlamentares estaduais estiveram em São João das Missões (Norte) junto com policiais federais para evitar que índios fossem expulsos da reserva Xacriabá. Em outra frente, foi necessária a inclusão de uma testemunha no programa de proteção estadual, em Salto da Divisa (Jequitinhonha), onde pequenos agricultores também foram vítimas de grileiros.

    Segundo a Pastoral da Terra, estudo encomendado à Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) mostra que um terço das terras do Estado são devolutas. Estas áreas e as vizinhas a elas constituem o principal alvo dos grileiros. "Os posseiros e pequenos proprietários vêm, gradativamente, sendo encurralados.

    Ainda mais com a pressão das monoculturas de eucalipto e cana-de-açúcar, além da mineração. É muito comum nessas regiões o fazendeiro e a empresa terem escritura de uma determinada área de terra e alegar possuir 20, 30 vezes mais, expulsando quem já mora na propriedade há décadas", afirma Frei Gilvander Moreira, da Comissão Pastoral da Terra.

    O deputado estadual Durval Ângelo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, avalia que "o barril (de pólvora) está prestes a explodi r". "Vamos ter um processo de acirramento muito grande. Hoje, o Norte de Minas está pegando fogo", afirma. Segundo ele, além dos posseiros e agricultores, índios e quilombolas sofrem com a ação dos grileiros em Minas.

    Leia mais na edição eletrônica do jornal Hoje em Dia

    Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
    e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
    www.gilvander.org.br
    www.twitter.com/gilvanderluis
    Facebook: gilvander.moreira
    skype: gilvander.moreira".

    ResponderExcluir
  34. A EDUCAÇÃO AGONIZA EM MINAS GERAIS.

    SOMENTE A SOCIEDADE PODE SALVÁ-LA.

    AÉCIO + ANASTASIA + DANILO DE CASTRO = ACABARAM

    COM A EDUCAÇÃO EM MINAS.

    ResponderExcluir
  35. Alô Tânia, diretora do Pandiá,
    Cadê o seu gogó ? Por que ainda não dispensou os tampax?
    Valorize seus professores.

    ResponderExcluir
  36. ACABARAM COM A EDUCAÇÃO E COM MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir
  37. A COPA DE 2014 E OS GOVERNOS.

    FIFA EXIGE A VENDA DE BEBIDA ALCOÓLICA NOS ESTÁDIOS.

    BELO INCENTIVO AOS JOVENS.

    A FIFA É UMA ENTIDADE SOMENTE PREOCUPADA COM OS LUCROS.
    NÃO SE IMPORTAM DE ONDE VEM O DINHEIRO DESDE QUE VENHA EM ABUNDÂNCIA...

    LEMBRAM DAQUELA MÚSICA DO ZÉ GERALDO, FEITA A MUITOS ANOS, SERVE DIREITINHO PARA OS TRABALHADORES QUE ESTÃO REFORMANDO O MINEIRÃO:

    - Tá vendo aquele edifício moço, eu também trabalhei lá.

    ... Só isso, vocês e o povão não terão acesso aos jogos da copa.

    ESTE EVENTO TORNOU-SE PURAMENTE CONSUMISTA.

    TIRARAM A BELEZA E O ENCANTO DESTA FESTA.

    A COPA NÃO É FESTA PARA O POVÃO.

    ... E depois da copa a ARENA MINEIRÃO será explorada por uma empresa.

    O GOVERNO ESTÁ GASTANDO UM DINHEIRÃO E DEPOIS FARÁ CONCESSÃO DO ESTÁDIO.

    ... ELES ACREDITAM QUE, essas são "istórias" para o povo continuar dormindo.

    ... ELES ESTÃO DEPENANDO MINAS GERAIS.

    ... Acordem MINEIROS, antes que seja tarde demais.

    ...

    ResponderExcluir
  38. Companheiros professores.
    Estou muito preocupado com os rumos das negociações que aconteceram até o momento.Foram seis reuniões realizadas,e podemos dizer que não houve avanço algum,muito pelo contrário, a contra-proposta feita pela Betriz de escalonamento representa um retrocesso,já que emcima dessa proposta o Governo vai certamente fazer dela o ponto inicial de negociação.Não podemos abrir mão do Piso aplicado no nosso plano de careira atual,isso é o mínimo.Na assembléia do dia 10/11 devemos encaminhar ações imediatas como por exemplo boicote ao SIMAVE,greve branca,horários de 35 minutos,paralização das reposições,etc.Não podemos sair dessa assembléia sem definir uma forma de pressão imediata contra o Governo.O Sind-UTE deve continuar negociando,mas adotar essas medidas de pressão para que o Governo perceba,sinta na pele que não estamos brincando de negociar.
    Professor Antonio Carlos-Patrocínio

    ResponderExcluir
  39. Calma, Joaquim Sete Lagoas.
    Vamos dar corda...
    Estamos preparando a forca...

    ResponderExcluir
  40. Acho que o anônimo das 13:42 está coberto de razão. Sugiro que façamos pelo menos uma ressalva nessa proposta do Sindute. Coloque o piso dentro da carreira de professores e especialista, e escalone nas outras carreiras, que eu entendo não são atuantes na luta, e para tal podem esperar um pouco mais para ter o piso totalmente implantado em suas carreiras.

    ResponderExcluir
  41. Olá Euler, responda-me:

    Quando vc diz que o governo terá que pagar o piso na carreira em vigor e não a alterada, pois a alterada teria que passar pela assembleia em duas votações... Na prática, como conseguiremos persuadir essa assembleia a votar contra o governo, cujos deputados estão, em sua maioria, do lado de lá? Que estratégias de convencimento ou pressões REIAS podemos colocar em prática? (Essa é a minha dúvida e preocupação).

    Outra, qdo vc diz que temos argumentos fortíssimos para convencer a população sobre a sacanagem que o governo vem fazendo com os educadores, que estão amparados por uma lei federal, etc.; concordo com você, mas... na prática, como convencer essa população? E, o que vc compreende como ‘população’? Penso que ela é ampla demais... sabemos que, na prática, as pessoas (população) são egoístas e pensa cada uma em seus próprios interesses. A educação para nossa sociedade não passa, muitas vezes, de um noticiário que preenche as telas de jornais, seja com conteúdo repetitivo, seja com algo chocante que apenas chama a atenção aos curiosos, e mais nada!!! Ou seja, essa população a qual vc se refere acaba se restringindo em (alunos, pais de alunos; bem como parentes e amigos dos funcionários da educação, dos alunos e dos pais); que são aqueles que podem colaborar conosco (os interessados).

    Abraço,
    Flávia (MC)

    ResponderExcluir
  42. José Alfredo Junqueira8 de novembro de 2011 14:25

    Calma,gente.A força de nós professores ficou demarcada nas ocupações da ALMG.Esta é a atividade que tem que ser retomada.Claro,os guerreiros que se acorrentaram,que fizeram greve de fome,foram fundamentais para exigir nossos simples direitos,a lei do piso.Estamos enfrentando uma perigo0sa e poderosa máfia,que se apoderou de Minas.Não vou citar nomes,creio que já são de conhecimento de todos.Até imagino que os dirigentes sindicais estejam sofrendo ameaças(máfia?isto realmente é perigoso).Embora saiba que este país definitivamente não seja sério,ainda confio na nossa força.Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  43. MINAS GERAIS ENDIVIDADA E SUA DÍVIDA IMPAGÁVEL.

    MAS ELES SÓ AUMENTAM O GASTOS, AS DESPESAS.

    MENOS PARA OS PROFESSORES.

    *** ELES ESTÃO SAQUEANDO MINAS ANTES QUE TUDO SE ACABE.

    ... O último ladrão que sair, apague a luz.

    ResponderExcluir
  44. Site TERRA, 08/11/11.


    LARYSSA BORGES
    Direto de Brasília

    Na reunião da Comissão Especial da Câmara dos Deputado que analisa a Lei Geral da Copa realizada nessa terça-feira, em Brasília, o deputado federal Romário não poupou críticas aos dirigentes Ricardo Teixeira, presidente da CBF, e Jérôme Valcke, secretário-executivo da Fifa, que compareceram à sessão. O parlamentar criticou a utilização de dinheiro público no Mundial, lembrou as acusações de corrupção que rondam a Fifa e chegou a sugerir a renúncia de Teixeira.

    Romário citou dois casos de suspeita de irregularidades. A primeira envolvendo a International Sport and Leisure (ISL), antiga empresa de marketing da Fifa que decretou falência em 2001 e cujos livros contábeis mostrariam que Ricardo Teixeira e o então presidente da Fifa, João Havelange, teriam aceitado propina e embolsado recursos para garantir à ISL a lucrativa comercialização de direitos de transmissão da Copa do Mundo nos anos 90.

    A outra acusação, que culminou com a condenação da entidade máxima do futebol em US$ 90 milhões, envolve Valcke. Quando diretor de marketing da Fifa, ele teria violado uma cláusula de preferência da patrocinadora Mastercard para negociar a exclusividade de patrocínio da Copa do Mundo com a concorrente Visa.

    Relembrando os dois escândalos, Romário destacou que Ricardo Teixeira já depôs na Polícia Federal sobre o caso ISL, e questionou: "o senhor recebeu propina? Se o seu nome aparecer no processo, o senhor renunciará à presidência da CBF e ao COL?" Em seguida, provocou: "A Fifa pode acreditar no Ricardo Teixeira?"

    Diante de Jérôme Valcke, o ex-camisa 11 da Seleção perguntou como se pode confiar no secretário-geral da Fifa, protagonista do caso Mastercard, para cobrar do Brasil a organização da Copa do Mundo.

    "Não vou responder precisamente sobre o caso Mastercard porque não é uma coisa que temos que fazer. Foi julgado e é a maior punição que eu tive. O caso Mastercard carrego como carrego uma cruz e é suficiente como pena", limitou-se a comentar Valcke.

    O deputado ainda questionou a utilização de dinheiro público nas obras do mundial. Dirigindo-se a Ricardo Teixeira, perguntou: "o senhor tinha colocado alguns anos atrás que o Brasil faria uma Copa sem dinheiro público. Não é o que se vê, infelizmente. Diante do investimento do Governo Federal com dinheiro público, o que aconteceu? Na concepção do senhor, não houve planejamento da CBF, da Fifa, e do Ministério do Esporte?"

    ResponderExcluir
  45. Só falta o departamento jurídico do Sind-UTE/MG mandar a gente voltar para a carreira antiga - VB que era um direito legal prevista na lei do subsídio(minúsculo propositalmente) e deixar o governador extiguir nossa carreira pela qual optamos sem ao menos um madado de segurança específico, exatamente só para esse fim e muito bem fundamentado na Lei para nos garantir ao menos esse direito, uma vez que, retornamos porque o próprio governo nos deu esse mínimo direito, que é básico e fundamental na LEI 11.738/2008 do PISO NACIONAL. O piso sem carreira ou com a carreita usurpada não valerá de nada. E o Ministro Joaquim Sousa se calou... E a Dilma se calou... ABSURDO ISSO QUE ESTÁ ACONTECENDO COM OS PROFESSORES NO BRASIL. UM PROFESSOR DOUTOR O MESMO VALOR QUE SE DÁ AO USUÁRIO DE CRAQUE PARA SE TRATAR E O PROFESSOR COM NÍVEL DE ENSINO MÉDIO COM VALOR ABAIXO DO SALÁRIO RECLUSÃO... SÓ JESUS NA CAUSA!!! E O SIND-UTE/MG SEM DEPARTAMENTO JURÍDICO, POIS NEM AS CRÍTICAS RESPONDEM. DEVEM ESTAR USANDO O MESMO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO DO GOVERNO: SILÊNCIO TOTAL... AO MENOS O STF PODIA AGIR NÃO ERA DE UMA SEMANA A QUINZE DIAS PARA SAIR O TRANSITADO E JULGADO? SE O MINISTRO ESPERAR AS MANOBRAS PARA DESTRUIR A CARREIRA NÃO VAI PRECISAR ASSINAR NADA MAIS NÃO. ESTÃO TREPUDIANDO EM CIMA DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E MATANDO OS EDUCADORES COM A SUPOSTA "VALORIZAÇÃO DA CARREIRA". ACORDA SIND-UTE/MG - VERGONHA NA CARA! CADÊ O REPÚDIO A NOVA TABELINHA DO EXCELENTÍSSO GOVERNADOR? UM MANDADO DE SEGURANÇA NELE NA OIT É CLARO. URGENTE!

    ResponderExcluir
  46. Dia 10!!!!
    Vamos acordar!!!
    Perde-se tudo quando perde-se a vontade e a coragem para lutar!!
    Nossa indignação é a NOSSA FORÇA!

    ResponderExcluir
  47. PARTE 1

    Fazendo a nossa parte...

    Caros amigos do Brasil,

    É ultrajante - depois de nossa vitória histórica contra a corrupção, grupos de pessoas com interesses sujos estão tentando fazer a Ficha Limpa ser rejeitada pelo Supremo Tribunal. Mas essa fraca reividicação pode ser abafada pelo nosso apelo de apoio.

    Os opositores argumentam que os candidatos que já tenham sido condenados por um juiz e, em seguida, por um tribunal, não devem ser impedido de candidatar-se, caso eles queiram desesperadamente recorrer a um tribunal superior. É um argumento ilegítimo. Entretanto, lobbys poderosos estão pressionando duramente para tentar desfazer a mais forte legislação anti-corrupção que o Brasil já teve. Agora, um coro crescente de especialistas jurídicos está lutando fortemente argumentando que a Ficha Limpa é perfeitamente constitucional.

    O Supremo Tribunal Federal está dividido e vai votar a constitucionalidade da lei dentro de 36 horas. Se enfatizarmos a mensagem dos juristas, mostrando um apoio maciço a lei que lutamos muito para conquistar - poderemos convencer os juízes do STF a nos proteger dos criminosos no poder. Clique abaixo para assinar a petição urgente e nossas vozes serão entregues diretamente ao STF pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e através da mídia:

    http://www.avaaz.org/po/stf_protect_ficha_limpa_/?vl

    ResponderExcluir
  48. PARTE 2

    Fazendo a nossa parte...


    A presunção de inocência significa que nenhuma pessoa pode ser considerada como culpada até que se prove o contrário e o direito penal do Brasil toma todo o cuidado de preservar esse direito. Mas os adversários da Ficha Limpa estão usando isto para argumentar ridiculamente que as pessoas que foram condenadas por um crime grave por um conjunto de juízes, não podem ser impedidas de concorrer a cargos políticos.

    Isso significa efetivamente que criminosos condenados poderão concorrer a um cargo durante o longo processo de recurso legal que pode durar anos e tornaria assim ineficaz a lei da Ficha Limpa, permitindo que políticos ricos comprem seu direito de entrar com um recurso atrás do outro , permanecendo no cargo enquanto os processos são analisados.

    Felizmente, um time dos sonhos de juristas se uniu para se opor a estes truques sujos e vão apresentar hoje a base legal que mostra que na lei eleitoral é perfeitamente legal tratar alguém como inelegível depois de condenação confirmada por um tribunal. Vamos todos apoiar este grande desafio legal contra aqueles que querem enterrar a Ficha Limpa e mostrar ao STF que os brasileiros não vão mais esperar para ter nossa duramente conquistada legislação anti-corrupção. Clique abaixo para assinar a petição em apoio à equipe de juristas e depois envie este email para seus amigos e familiares.

    http://www.avaaz.org/po/stf_protect_ficha_limpa_/?vl

    A Ficha Limpa é exibida ao redor do mundo como um símbolo de vitória das pessoas empoderadas sobre a corrupção. Mas está à beira de ser desfeita por reviravoltas legais. Juntos, podemos vencer essas táticas desleais e exigir agora uma legislação anti-corrupção de verdade. Eles disseram que nunca traríamos a Ficha Limpa para o Brasil, e nós ganhamos! Agora vamos mostrar-lhes o poder do movimento do povo novamente.

    Com esperança,

    Luis, Carol, Diego, Mia, Emma, Alice, Ricken e o resto do time da Avaaz.

    Mais informações:

    STF marca para dia 9 julgamento da Ficha Limpa (O Globo)
    http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/11/04/stf-marca-para-dia-9-julgamento-da-ficha-limpa-925741991.asp

    Senadores defendem em discursos ficha limpa na eleição 2012 (G1)
    http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/11/senadores-defendem-em-discursos-ficha-limpa-na-eleicao-2012.html

    Projeto de lei da Ficha Limpa (Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral)
    http://mcce.org.br/sites/default/files/projeto_27_05.pdf

    Aplicação da lei da Ficha Limpa será julgada pelo Supremo na quarta-feira (Correio Braziliense)
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2011/11/04/interna_politica,276966/aplicacao-da-lei-da-ficha-limpa-sera-julgada-pelo-supremo-na-quarta-feira.shtml

    STF julga validade do Ficha Limpa para eleições 2012 (O Estado de S. Paulo)
    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,stf-julga-validade-do-ficha-limpa-para-eleicoes-2012,794687,0.htm

    ResponderExcluir
  49. Sub-comandante Euler, o ministério público de minha cidade está fazendo reuniões com os professores das escolas estaduais com o intuito de verificar o quadro de violência frequente no âmbito das mesmas. Aconteceu nesta segunda feira e alguns colegas falaram muita coisa e o interessante é que os promotores desconheciam( ou fingiam ) a verdadeira situação nas escolas, deixando claro para todos que os mesmos estão buscando mais informações e o interessante é que eles concordam que os professores recebem pouco para a importância da profissão. Os promotores falaram que reuniões como estas aconteceram em todo o estado, e uma reunião geral será feita em B.H com todos os resultados obtidos. Entendi como válidas estas iniciativas e acho que deveríamos participar mais, pois, temos que avançar neste terreno, sendo que ainda existem bons promotores. A reunião aconteceu na segunda-feira em Montes Claros. Força na luta.

    ResponderExcluir
  50. Boa tarde Prof. Euler,

    Chega de chororô! Volto a repetir:
    a pressão imediata tem que ser feita de forma ostensiva na ALMG!A decisão final dependerá da atuação dos deputados,que poderão derrubar a proposta do governo e ficar a favor dos educadores. Ou não.
    Assembléia Legislativa significa que tem que LEGISLAR e não HOMOLOGAR tudo que o governo manda!

    ResponderExcluir
  51. Oh amiga ou amigo anônimo de 11:06 do dia 07/11/2011 você falou a frase que mais desejo ouvir agora : _ "ENTREMOS COM TODAS AS MEDIDAS JUDICIAIS CABÍVEIS" mas esse sindicato morto, só nas veias da Bia corre sangue naquela sede. Estamos muito mal de sindicato mas somos brasileiros e não desistimos nunca dos nossos objetivos. Quem conhece um grande escritório de juristas renomados por favor, pesquise o preço e poste aqui. Vamos agir.

    ResponderExcluir
  52. Anastasia, você está sendo um péssimo cabo eleitoral para o seu padrinho.

    Aécio NEVER.

    ResponderExcluir
  53. O Estado do Rio passou a contar com 4 (quatro) senadores.

    Minas pode exportar mais 2 (dois) senadores.

    Afinal de contas não temos nenhuma representatividade no Senado Federal.

    Aécio NEVER.

    ResponderExcluir
  54. MINAS GERAIS ESTÁ QUEBRADA.

    MAS CONTINUAM AUMENTANDO OS GASTOS E AS DESPESAS.

    QUEM FOR MAIS EXPERTO QUE ROUBE MAIS.

    O ÚLTIMO LADRÃO QUE SAIR, APAGUE A LUZ.

    ...

    ResponderExcluir
  55. QUERIDA GRACIEUSA , EU ESCREVI A FRASE : ENTREMOS COM TODAS AS MEDIDAS JUDICIAIS CABÍVEIS E COM AS OUTRAS QUE DIZIAM CONCORDAR COM OS SEUS PONTOS DE VISTA .HOJE REPITO : CONCORDO PLENAMENTE COM GRACIEUSA BRITO (COMENTÁRIO DAS 15:09 ) . PELO VISTO , PENSAMOS DA MESMA FORMA . PENA SERMOS AS ÚNICAS ...

    ResponderExcluir
  56. Carlos José - Nova Lima8 de novembro de 2011 16:30

    Euler, tudo bem?
    Este seu texto/comentário de hoje está digno de ser postado no jornal Super para que todos os mineiros entendam os abusos deste governo. POr mais que este blog seja tão bem acessado, com 1.230.868 acessos; Minas Gerais precisa saber desta realidade. Sugiro que façamos um orçamento de uma página inteira do Super e que façamos uma campanha urgente para levantarmos estes fundos. Várias ações ( como os acorrentados) não partiram do SINDUTE e fizeram o maior sucesso a nosso favor. Amadureça esta idéia e já conte comigo para encabeçar a lista de donativos.

    ResponderExcluir
  57. João Paulo Ferreira de Assis8 de novembro de 2011 16:30

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Prezados companheiros de luta

    Mais do que nunca agora temos que buscar a federalização da Educação Básica, e urge agirmos enquanto a Dilma tem maioria no Congresso, pois estamos vendo mais um ministro a caminho de ser demitido. Dentro de um ano talvez a nossa Presidenta já não tenha mais maioria no Congresso. Acho que a Beatriz deveria falar nas negociações QUE SE MINAS NÃO TEM CONDIÇÃO DE PAGAR O PISO NA CARREIRA, FAÇA UM ACORDO COM A UNIÃO PELO QUAL ESTA ASSUMIRIA A REMUNERAÇÃO DOS PROFESSORES E O PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO E O GOVERNO DE MINAS A REDE FÍSICA DAS ESCOLAS E O FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS PEDAGÓGICOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO. Não há outro jeito. O STF tão cedo irá lavrar sua palavra final. Agora a federação dos municípios do Rio Grande do Sul entrou com o pedido para ser admitida como ''amicus curiae'', e o seu pedido é que o STF ordene o escalonamento por um ano e meio. Pelas minhas contas ainda falta solicitarem seu ingresso as federações municipais de SC, PR, MS e CE. Olhei agora o portal do STF, ainda está sem novidades.

    Se não der certo a federalização, talvez a gente tenha que tentar a territorialização de Minas Gerais. Extinção do Estado e criação de vários territórios federais. Aliás, depois que decidiram que o Estado todo terá direito a votar num processo de separação, o TRIÂNGULO SÓ CONSEGUIRÁ SE SEPARAR DE MINAS SE OS PROCESSOS DE SEPARAÇÃO DE OUTRAS REGIÕES DE MINAS FOREM SIMULTÂNEOS AO SEU. Assim, os povos de Governador Valadares, Juiz de Fora, Varginha, Montes Claros e Teófilo Otoni e respectivas áreas de influência votariam a favor da criação do Triângulo, pois estariam votando também pela separação de suas regiões.

    Saudações, e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    POST SCRIPTUM:

    Vamos tentar a federalização primeiro.

    ResponderExcluir
  58. Olá Euler e blogueiros!

    [2] "Coloque o piso dentro da carreira de professores e especialista, e escalone nas outras carreiras, que eu entendo não são atuantes na luta, e para tal podem esperar um pouco mais para ter o piso totalmente implantado em suas carreiras."
    ________________________________ Assino onde?

    Compramos a briga das ASB´s na minha escola e hoje as mesmas foram santificadas pela direção porque nos fiscalizam em relação ao cumprimento ou não das reposições. Estão cuspindo marimbondo por trabalharem os sábados, preparar merenda e limpar sala por conta de servidor grevista. É mole! Se o SINDUTE fizesse um trabalho de base nas escolas, sobretudo, com as ASB's e ATB´s, talvez não passaríamos por tal constrangimento e prática execrável de "XISNOVAR" colegas.

    Na próxima quinta-feira (10), todos firmes e de pé! Abraço Tina!

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  59. Direto da fonte

    Somente dez parlamentares concentram R$ 828,4 milhões em patrimônio. Quase metade do que foi declarado pelos 667 políticos que exercem mandato no Congresso este ano.

    São eles: João Lyra, Blairo Maggi, Alfredo Kaefer, Newton Cardoso, Sandro Mabel, Antonio Russo, Paulo Maluf, Eunício Oliveira, Reinaldo Azambuja e Ivo Cassol.

    O levantamento, feito pelo Congresso em Foco, levou em conta licenciados, suplentes e falecidos.

    Raio X 2

    Na contramão, 220 parlamentares declararam ter menos de R$ 500 mil em bens, e 21 afirmaram não ter qualquer bem no próprio nome, nem mesmo um centavo depositado em conta bancária, no momento em que registraram a candidatura. Que dó…

    http://blogs.estadao.com.br/sonia-racy/raio-x-politico

    UAI KD O AÉRCIUUUU???

    ResponderExcluir
  60. O que não entendi foi o tal ESTADO DE GREVE (ou alerta de greve) proposto no final da greve. Tinha entendido que se tivessemos motivos a categoria entraria novamente de greve, que motivos faltam?
    8 de novembro de 2011 06:46

    FAÇO A MESMA PERGUNTA???

    ResponderExcluir
  61. Conselheiros do TCE aliviam para aprovar contas de Aécio

    O que os técnicos do TCE apontaram como irregularidade passou no julgamento dos conselheiros da corte

    O maior problema é na Educação, em que a Constituição prevê a destinação mínima de 25% da receita estadual. Em Minas, foi constatado um malabarismo na contabilidade que possibilitou à gestão tucana chegar ao índice de investimento de 28,1% da receita na área. Mas, se forem mensurados os valores reais despendidos com ações práticas no setor, o índice cai para 20,21%, abaixo do piso constitucional. “Mister ressaltar que, expurgando-se os valores mencionados (considerados irregulares), o Estado se torna inadimplente com a área da Educação, despendendo 20,15% dos seus recursos nessa área, abaixo, portanto, do mínimo constitucional determinado para os Estados”, destacam auditores do Tribunal de Contas.

    Conselheiros do TCE aliviam para aprovar contas de Aécio
    www.hojeemdia.com.br
    O que os técnicos do TCE apontaram como irregularidade passou no julgamento dos conselheiros da corte

    ResponderExcluir
  62. João Paulo Ferreira de Assis8 de novembro de 2011 17:10

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Prezados companheiros de luta

    Concordo plenamente com a Tina, que comentou agora às 16:41.
    Veja o que eu ouvi de uma das secretárias da escola onde trabalho, ao dizer-me revoltado porque muitos colegas vieram com o contracheque zerado. ''BEM FEITO, QUEM MANDOU ENTRAR EM GREVE?''.
    O Piso tem de ser pago agora para professores e especialistas. Pessoal de cantina e de secretaria que sempre dá número para derrubar greve em escolas, deveria exigir do SINDPÚBLICOS QUE LUTASSE PELO PAGAMENTO DO PISO. Eu disse SindPúblicos, porque uma vez na mesma secretaria da escola onde leciono, me foi dito que o sindicato delas não era o Sind-Ute mas o Sind-Públicos.

    Lógico que cada escola tem sua realidade, e sei de escolas onde essas companheiras foram grandes lutadoras. E deram memoráveis exemplos de consciência de classe. E por isso são merecedoras também. Talvez fosse o caso de uma alteração na legislação: só ter direito ao benefício quem lutou por ele. É assim nos Estados Unidos.

    Saudações, e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  63. De: Graça

    Para João Paulo Ferreira Assis:

    A proposta de federalização seria ideal, porém, contudo, todavia...vamos lembrar que a presidente Dilma tá nem aí para a educação. Tanto que apesar de todas as burradas e desperdício do dinheiro público, mantem o ministro falastrão no Mec e tal como o Lula, está empenhada em sua candidatura para prefeito de SP. Aliás todos eles, do pt, psdb, p sei lá o q, estão se lichando, só costuram acordos espurios para as eleições de 2012.
    Em MG , não foi por acaso que o poder foi concedido para o DANILO CASTRO. Antes teve LULÉCIO, DILMASIA e já está tudojuntomisturado, o cacique Mares Guia ditando e os demais pululando em volta, é só acompanhar bem e verá o que estão costurando. E no RG Sul, o governador T Genro do PT, tá fazendo jogando com tudo para não pagar o piso. Enfim só nos resta a esperança que o STF faça cumprir o que ele próprio julgou e ja proclamou!

    ResponderExcluir
  64. Olá Prof. Euler e demais colegas,
    Sou ATB, eu e uma colega participamos das manifestações, demos nossa cara a tapa. Retornei ao VB, já enviei email para todos os deputados, assinei no abaixo assinado pelo piso, acompanho o blog do Euler e da Beatriz e incentivo outros colegas a participarem também.Talvez seja apenas uma gota no oceano,mas será que os representantes do sindicato que estão nas subsedes e vão às escolas dão atenção a todos os funcionários? Os professores que participam, também incentivam a todos os colegas p participarem da greve? Ou a atitude é simplismente de criticar, de condenar? Sei que todos devem lutar, mas como disse a Beatriz: "onde precisamos melhorar a nossa organização de modo que eles(ATBs,ASBs...) estejam, em sua maioria, nas nossas próximas lutas;"?

    ResponderExcluir
  65. EULER, NÃO SERIA UMA BOA IDEA A ELABORAÇÃO DE UM VIDEO QUE DENUNCIE O ESTADO DE CALAMIDADE QUE SE ENCONTRA A EDUCAÇÃO EM MG. O NDG DE TODOS OS CANTOS DE MINAS PODERIA ESTAR ENVIANDO PARA VC DEPOIMENTOS DE PAIS E ALUNOS DENUNCIANDO A PROGRESSÃO AUTOMÁTICA ONDE OS ALUNOS ESTÃO SAINDO DO ENSINO MÉDIO SEM SABER LER E ESCREVER, TRANSPORTE ESCOLAR SUCATEADO QUE MAIS SE PARECE COM UMA "LATA DE SARDINHA", REDE FÍSICA EM PÉSSIMAS CONDIÇÕES ,ALÉM DA FALTA DE COMPROMISSO COM OS EDUCADORES, SALAS COM MAIS DE 40 ALUNOS,ETC. dEVEMOS USAR A INTERNET A NOSSO FAVOR.

    ResponderExcluir
  66. DIA 10: TODOS LÁ!!! FAREMOS O QUE DEVE SER FEITO! FORÇA NA LUTA! NÃO À NOSSA DESTRUIÇÃO!!!

    ResponderExcluir
  67. Esse Anestezia é um cara de pau msm.... qdo candidato a governador, enchia a boca para falar que iria cumprir com todos os compromissos e que o Prêmio por Produtividade, 13º salário, valorização do servidor público era uma das prioridades em sua gestão. Bastou ser eleito para mudar o discurso e deixar os servidores públicos nessa condição de total desmotivação, sem saber ao menos se irá receber o que lhe é devido ou não. Vira homem Governador

    ResponderExcluir
  68. Euler que tem o dom da expressividade podia fazer um documento cobrando da Bia uma postura a ser levada comissão tripartite dia 16.Outrossim , que esse documento ficasse disponível, ou aqui no blog , para nossas assinaturas , como ficar melhor . Ainda alertando essa comissão que 2012 saberemos dar o troco nas urnas.Afinal , somos 153 mil servidores e daí nossas famílias,porém esses parlamentares terão a primeira derrota,seus munícios não terão seus candidatos eleitos.By ,by ,candidatos a prefeitos e vereadores.Pressão muito forte documentada e levada a ALMG.Os assíduos poderão opinar ,e se Euler concordar .Creio que os pais , alunos e pessoal aqui envolvidos ,todos assinarão, e o documento terá peso.Por favor , reparem erros não , estou muito aflita e estou catando no teclado não sou boa nisso . Meu apoio incondicional a todos vocês bravos guerreiros!!!

    ResponderExcluir
  69. Eta enrolação, mais uma vez heim! Pra cobrar metas, pip, etc...e tal é com eles mesmo, mas na hora de nos pagar o que deve não tem, vai onerar os cofres do estado.Agora então, o pobre do professor não pode ficar doente, pois nem o tal do Ipsemg funciona. Mas eu tenho fé que vamos dar a volta por cima. Força a todos.

    ResponderExcluir
  70. Euler e demais do NDG,
    Boa noite!
    Estou engasgada de indignação, devido ao descaso do governo com todos os envolvidos na educação. Como o governo busca qualidade no ensino e, ao mesmo tempo desmotiva nós trabalhadores e trabalhadoras da educação.O governo só trata com respeito a educação, nos momentos de campanha eleitoral. Vamos acordar gente!! Vamos por para quebrar, na quinta-feira dia 10/11/2011.Não vamos dar um minuto de sossego para este ´governador hipócrita
    abçs

    ResponderExcluir
  71. Agora é que não estou entendendo mais nada!
    O PL 2355/2011, que trata do "aperfeiçoamento" do subsídio, voltou a tramitar na ALMG. Não estava suspenso? As "negociações" são apenas para desviar o foco?
    Acesse: http://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2011&n=2355&t=PL
    TRAMITAÇÃO DE PROJETOS

    PROPOSIÇÃO: PL 2355 2011 -
    PROJETO DE LEI
    INFORMAÇÕES REFERENCIAIS

    Ementa:
    DISPÕE SOBRE APERFEIÇOAMENTOS NA POLÍTICA REMUNERATÓRIA POR SUBSÍDIO DAS CARREIRAS DO GRUPO DE ATIVIDADES DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DAS CARREIRAS DO PESSOAL CIVIL DA POLÍCIA MILITAR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
    -------------
    Autor:
    GOVERNADOR ANTONIO AUGUSTO JUNHO ANASTASIA
    -------------
    Publicação:
    DIÁRIO DO LEGISLATIVO EM 07/09/2011
    -------------
    Prazo:
    045 DIAS. DATA LIMITE: 04/11/2011
    -------------
    Origem:
    MSG 106 2011
    -------------
    Regime de Tramitação:
    DELIBERAÇÃO EM DOIS TURNOS NO PLENÁRIO
    -------------
    Urgência:
    URGÊNCIA POR SOLICITAÇÃO DO GOVERNADOR
    -------------
    Anexadas:
    MSG 121 2011
    RQS 1767 2011
    -------------
    Observação:
    DISTRIBUÍDO A 3 COMISSÕES: CJU APU FFO.
    -------------
    Indexação:
    DISPOSITIVOS, APERFEIÇOAMENTO, POLÍTICA, REMUNERAÇÃO, UTILIZAÇÃO, SUBSÍDIO, CARREIRA, GRUPO DE ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO BÁSICA, PESSOAL, CIVIL, (PMMG).
    EMENDA 1: ADAPTAÇÃO, TÉCNICA LEGISLATIVA, ARTIGO.
    EMENDA 2: ADAPTAÇÃO, TÉCNICA LEGISLATIVA, ARTIGO.
    -------------
    Assunto Geral:
    PESSOAL
    EDUCAÇÃO
    (PMMG)
    -------------
    Legislação Citada:
    LEI 18975 2010 - LEI ORDINÁRIA
    LEI 15293 2004 - LEI ORDINÁRIA
    LEI 15301 2004 - LEI ORDINÁRIA
    LCP 64 2002 - LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL
    LCP 100 2007 - LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL
    Leia Mais
    -------------
    PROGRESSO NO PROCESSO LEGISLATIVO

    Apresentação
    1º turno nas Comissões
    1º turno no Plenário
    2º turno nas Comissões
    2º turno no Plenário
    Redação Final
    Sanção, promulgação ou veto
    - Deputados discutem e votam o projeto
    - Antes de ser votado, o projeto voltará à análise de Comissão se receber emendas
    SITUAÇÃO ATUAL 3INICIADA DISCUSSÃO EM PLENÁRIO
    LOCAL: PLENÁRIO
    ÚLTIMA AÇÃO DA TRAMITAÇÃO
    08/11/2011
    Local: PLENÁRIO
    Ação: FAIXA CONSTITUCIONAL. INICIADA A DISCUSSÃO EM TURNO ÚNICO.

    ResponderExcluir
  72. Não acretido em mais N I N G U E M .

    ResponderExcluir
  73. ELEIÇÕES, ELEIÇÕES E MAIS ELEIÇÕES

    Quantos somos hoje e quantos poderemos ser amanhã:

    (1) Os funcionários da educação são hoje aproximadamente 360.000;

    (2) Vamos estimar por baixo que somos 160.000 em sala de aula, aproximadamente 1,16% do poder de voto do Estado de Minas Gerais;

    (3) Segundo dados do TSE – noticiado em 14/01/08 pelo seu setor de comunicação – o número de eleitores de Minas Gerais em 2007 era de 13.762.441, número esse utilizado para fazer os cálculos acima e abaixo;

    (4) Se multiplicarmos os 160.000 x 40 (número aproximado de famílias em cada sala de aula tomando por baixo a paridade 1 x 1), teremos um total de 6.400.000 votantes, que representam 46,5% dos eleitores mineiros (seria um trabalho feito na comunidade e voltado para as famílias);

    (5) A Assembléia Legislativa de Minas Gerais conta hoje com 77 deputados que foram eleitos com aproximadamente 5.017.000 de votos, ou seja, 36% dos votos de Minas Gerais, a saber, menos de 50% da população votante;

    (6) Esses números significam que temos, como formadores de opinião que somos, capacidade de eleger todos os deputados da Assembléia e ainda capacidade de mudar a história de Minas nos próximos anos;

    (7) Precisamos, de agora em diante, participar de todo o processo eleitoral do estado e do país com o objetivo de transformar a educação e influenciar diretamente na escolha dos vereadores, deputados, senadores, governadores e presidentes; (estamos sentindo na pele e no bolso o nosso pouco envolvimento na escolha do nosso governador);

    (8) O poder de transformação está em nossas mãos. Pense nisso e adote essa ideia.

    MURILO MAIA - MONTES CLAROS

    ResponderExcluir
  74. Euler

    então quer dizer que o projeto do suicídio já voltou a tramitar na ALMG?
    É MAIS UM PONTO DO ACORDO QUE NÃO FOI CUMPRIDO PELO GOVERNADOR?
    É ISSO MESMO QUE ENTENDI?

    VEJA:
    HOJE TEVE DISCUSSÃO

    Proposição Original

    Dispõe sobre o aperfeiçoamento na política remuneratória por subsídios das carreiras do Grupo de Atividades da Educação Básica e das carreiras do pessoal da Polícia Militar. O projeto estabelece que o vencimento básico dos servidores da educação não poderá ser inferior ao piso salarial nacional da categoria. Para uma jornada de trabalho de 24 horas semanais, esse valor mínimo é de R$ 712,78, para professores com nível médio de ensino. O projeto mantém dois sistemas de remuneração para os servidores: por vencimento básico, que tem assegurado o pagamento do piso conforme determinou o Supremo Tribunal Federal, e por subsídio, no qual o servidor abre mão de quinquênios e gratificações.

    Para aqueles que optarem pela remuneração por subsídio, é garantido reajuste salarial de 5%. O PL 2.355/11 também garante a esses servidores reposicionamento na carreira conforme o tempo de serviço. Esse novo posicionamento considerará não apenas o vencimento do servidor, mas também o tempo de efetivo exercício no cargo, e será feito de forma escalonada, de 2012 a 2015.

    O projeto ainda estabelece reajuste para diretores, vice-diretores, secretários e coordenadores de escolas. Além disso, assegura aos diretores que ocupam dois cargos de magistério a possibilidade de evolução na carreira com relação a ambos os cargos efetivos e a contagem de tempo para aposentadoria sem arcar com os custos da contribuição patronal.

    Análise das Comissões

    A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) opinou pela aprovação com as emendas nºs 1 e 2, que apresentou. A emenda nº 1 faz uma correção formal no texto, sem alterar o seu conteúdo. Já a emenda nº 2 deixa claro que a gratificação dos coordenadores, de 10% do vencimento básico dos professores para cada turma da escola, observará o limite máximo de quatro turmas.

    As Comissões de Administração Pública e de Fiscalização Financeira e Orçamentária foram favoráveis à aprovação do projeto com as emendas 1 e 2, da CCJ.

    ResponderExcluir
  75. Eu tenho FÉ e com essa FÉ lutarei até o fim (com a nossa vitória, é claro) bravamente, lealmente e juntamente com os meus colegas, guerreiros e guerreiras que não se intimidaram e não se intimidarão diante de pressão e da opressão do desgoverno!

    Dificuldades? Inúmeras. Diversas. Enormes.

    Mas dentro de mim um desejo: derrotar o Anastasia! Derrotar o PSDB! Eles não conseguirão destruir a minha profissão e a minha carreira!

    Sei e confio que Deus caminha conosco, pois defendemos a Vida e a Justiça. O Evangelho é claro: felizes os que tem sede de Justiça e lutam por causa dela porque serão saciados.

    Força na luta! Dandara nos dá um exemplo de persistência. Vejam as dificuldades que enfrentam para defender um lugarzinho para morar. Continuam firmes apesar de tudo.

    Continuemos firmes também, companheiros!

    Pátria Livre! Venceremos!

    ResponderExcluir
  76. Murilo sua análise é muito sensata! Mas será que temos essa capacidade de influenciar todas as famílias? Basta falar da completa falta de interesse dos alunos, testemunhada inclusive por professores com vários anos de experiência profissional.

    Não creio que nossa classe ainda seja uma classe formadora de opinião. Ao longo dos anos perdemos o prestígio, inclusive no próprio ambiente acadêmico. Cursos de licenciatura são vistos como de qualidade inferior mesmo em universidades importantes. Nas greves, outros setores conquistam suas reivindicações mais rapidamente. Correios, TJ, Polícia Federal são exemplos clássicos. Olha que novela o piso! Se fosse o piso salarial nacional dos médicos ou policiais já tinha sido implantado até sem greve. Olha o reajuste da polícia militar.

    O governo faz campanhas publicitárias dizendo que professor é importante, que é autoridade blá blá blá. Mas e a valorização?

    Entro com a problemática: professor é uma profissão sem prestígio! E a solucionática? Não tenho essa resposta.

    Ninguém precisa ficar com raiva da minha fala não. Esse testemunho é de um professor que aos poucos vai desistindo da profissão, e portanto, não merece atenção. Mas tá aí para quem quiser refletir.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  77. Não tenho feito comentários, pois estou tão perplexa com as atitudes desse que se diz governador de nosso estado que não encontro predicativos para classificá-lo. Ele está nos roubando o prazer de trabalharmos.
    E o nosso sindicato? É muito ingênuo, ou finge?
    Será que essa ladainha continuará até quando?
    Não somos uma categoria unida, infelizmente, por isso estamos correndo o risco de perder todas as nossa conquistas, alcançadas com muitos sacrifícios.

    Maria Helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  78. Boa noite, pessoal da luta, membros do NDG, e demais colegas de combate!

    Vamos nos preparando para a assembleia e o ato conjunto do dia 10!

    Gostei da sugestão feita num dos comentários de colher o apoio direto dos pais de alunos e estudantes num documento. Poderia ser um abaixo-assinado, registrando de forma resumida o direito ao piso nas carreiras, o histórico da nossa luta e a postura do governo.

    Tal abaixo assinado seria dirigido para as autoridades dos três poderes constituídos: executivo, legislativo e judiciário, além da promotoria pública estadual e federal, MEC, presidência da República, ministros do STF, comissão de educação do congresso, etc.

    Já imaginaram se recolhêssemos 1 milhão de assinaturas entre educadores, alunos maiores de idade e pais de alunos?

    Penso que isso daria uma boa repercussão, principalmente se o documento amarrasse bem as questões legais e a fundamentação política.

    Aliás, já aprimorando a ideia, além do abaixo-assinado, poderíamos criar o nosso próprio projeto de lei de iniciativa popular e apresentar este projeto à ALMG, já com as tabelas e a aplicação da lei do piso tal como manda a lei.

    Os deputados teriam obrigatoriamente que apreciar e votar este projeto, com o acompanhamento de todos.

    O que vocês acham?

    ResponderExcluir
  79. Por que a imprensa de Minas age como age e não como deveria agir?

    Talvez esse texto que recebi por e-mail indique os motivos:

    "Informações Privilegiadas

    De 2003 a 2010, as despesas de publicidade do governo de Minas somaram R$ 1,278 bilhão

    De acordo com o Relatório Anual das Contas do Governador – Exercício 2010, divulgado pelo TCEMG-Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (www.tce-mg.gov.br), a publicidade governamental, no âmbito da Administração Pública do Estado de Minas Gerais, compreende as despesas decorrentes da difusão de ideias, conceitos, esclarecimentos, divulgação cultural e científica ou de defesa de interesses políticos, econômicos e sociais do Estado, bem como as destinadas a promover a comercialização de produtos e serviços, conforme Resolução 016/07 da SEPLAG. A matéria é disciplinada pelos artigos 17, parágrafo único, e 158, § 2º da CE/89 e 7º da Lei Estadual 13.768, de 1º/12/00 e, em nível nacional, pelo art. 37, § 1º da CR/88. No período de 2003 a 2010, as despesas de publicidade do Governo de Minas Gerais atingiram, em valores constantes, a cifra de R$ 1.278,28 ou US$ 767,742 milhões. A média anual dos oito anos é de R$ 159,786 milhões. De acordo com o relatório do TCE-MG, “o gráfico abaixomostra as despesas realizadas com publicidade pelo governo mineiro no exercício de 2002 – último ano da gestão anterior – e sua evolução até 2010, englobando duas gestões, em valores constantes (Deflator IGP-DI fator médio anual dez/09 = 1). Observa-se que, no primeiro ano da nova gestão, ocorreu redução significativa dessas despesas (54,98%), e oscilação no restante do período, mas com tendência crescente, apresentando, ao final do exercício de 2010, crescimento real de 17,80% em relação a 2002, último ano da gestão anterior, e de 161,67% em relação a 2003, primeiro ano da nova gestão. Destaca-se, novamente, a inexistência de parâmetro para os gastos com a publicidade governamental”, acrescenta o referido Relatório.

    A despesa com publicidade em 2010 totalizou R$ 158.908.854,75, sendo R$ 82.081.473,16 da administração direta (51,66%), R$ 1.572.038,79 das autarquias e fundações (0,99%), R$ 3.055.267,97 dos fundos (1,92%) e R$ 72.200.074,83 das empresas controladas pelo Estado (45,43%), conforme pode ser visualizado no gráfico seguinte. Do total realizado pelos órgãos da administração direta, das autarquias e fundações e dos fundos, no valor de R$ 86.708.779,92, R$ 11.075.774,35 foram inscritos em Restos a Pagar, ao final do exercício.

    Do total das despesas com publicidade no exercício de 2010 – R$ 158,909 milhões – 94,93% estão distribuídos
    entre a Secretaria de Estado de Governo, R$ 66,928 milhões, representando 42,12% do total do exercício;
    a CEMIG e suas subsidiárias, R$ 30,138 milhões (18,97%); a COPASA e suas subsidiárias, R$ 22,195 milhões (13,97%); a Assembleia Legislativa, R$ 14,332 milhões (9,02%); a CODEMIG, R$ 11,262 milhões (7,09%)
    e o BDMG, R$ 5,973 milhões (3,76%), conforme Anexo XXXIII. Ressalta-se que as despesas realizadas com publicidade pelo governo mineiro estão concentradas na Secretaria de Estado de Governo, por força de suas atividades institucionais. Das despesas com publicidade realizadas pelo Estado, no exercício de 2010, incluindo a administração direta, as autarquias e fundações, os fundos e as empresas controladas, 60,50% concentram-se nas Agências RC Comunicação Ltda (16,57%), Consórcio MPM/POPULUS (16,39%), 18 Comunicações (11,95%), Perfil Promoções e
    Publicidade Ltda (8,51%) e Casablanca Comércio e Marketing Ltda (7,09%), conforme detalhado no gráfico.
    Mais uma vez, nenhum nome dos veículos de comunicação – emissoras de rádio e TV, revistas, jornais etc beneficiados com as verbas publicitárias, com sede em Minas ou em outros Estados, foi divulgado pelo TCE-MG, não havendo a menor citação sobre os mesmos nos referidos relatórios."

    ResponderExcluir
  80. O governinho de Minas maltrata e desrespeita os Educadores.
    O governinho de Minas provou que não tem palavra, moral nem se fala...

    O grande problema é que tem um bando de idiotas nas escolas que se dizem professores, porém não tem coragem de lutar, de resistir, de reivindicar!

    VAMOS LUTAR PARA CONSEGUIRMOS RESPEITO, PISO, HONRA. E TAMBÉM PARA MANDARMOS ESSE GOVERNINHO PRA CHINA (COITADO DOS CHINESES), É MELHOR MANDÁ-LO PRA OUTRO LUGAR.

    Reuniãozinha semanal com o (dês)governo, JÁ ERA, TÁ ULTRAPASSADA.
    SINDICATO REAJA! MAS PRA ISSO É NECESSÁRIO AQUELES IDIOTAS QUE SE DIZEM PROFESSORES TEREM POSIÇÃO POLÍTICA, DEIXAREM DE SER COVARDES! E PARTIREM PRA LUTA COM O NDG.

    EDUCADORES CONSCIENTES, ORGANIZADOS. SINDICATO FORTE.
    ACORDEM!!! O SINDICATO SOMOS NÓS....!

    FIM IMEDIATO DAS REPOSIÇÕES! BRASÍLIA URGENTE!!!
    AÇÕES NA JUSTIÇA PRA ONTEM.
    ESMAGAR O PSDB , DEM E TODOS QUE FOREM CONTRA A EDUCAÇÃO NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES...

    DIMINUIÇÃO DE HORÁRIOS (35 MINUTOS) , URGENTE. PREPARAÇÃO PARA INICIAR 2012 COM GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO.

    CAÇA AO DESGOVERNO.

    ResponderExcluir
  81. Euler, concordo com você. Vamos agir, partir pra luta. O abaixo-assinado com um milhão de assinaturas também poderá assustar os deputados. Não fiquemos só nas palavras, por favor. Vamos começar a agir por nossa conta, porque se esperarmos o sindicato tomar qualquer iniciativa estaremos perdidos. Todo mundo sabe que essas reuniões darão em nada. Também vamos procurar bons advogados e entrar na justiça. Acho que a contribuição que pagamos ao sindicato dará para começarmos a fazer um caixa. Vamos construir o nosso Sindicato.

    ResponderExcluir
  82. Euler ,concordo em gênero ,número e grau ,abaixo assinado !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Vamos lá pessoal ,vamos trabalhar ´o abaixo assinado ,ele terá a força do apoio à classe. O tempo é curto ,podemos perdê-lo não.Todos leitores desse maravilhoso blog que tem a necessidade urgente de se transformar em livro , votem aí rápido.Lembremos Juvenal em "Senhora do Destino", o tempo ruge...

    ResponderExcluir
  83. Agora, comentando: R$ 1,3 bilhão de reais com publicidade, isso admitido oficialmente, é muita grana! Um governo que se disponha a gastar tais recursos com propaganda deveria ter, antes, resolvido problemas básicos com a Educação pública, com a saúde pública, com a moradia para as famílias de baixa renda.

    Além dessa gastança com publicidade, vejamos o que se gastou com obras faraônicas, como a cidade administrativa, que custou oficialmente cerca de 1,5 bilhão de reais.

    Com os juros da dívida pública os gastos são ainda maiores: cerca de 4 bilhões anualmente.

    E se somarmos a isso o que se gasta com os salários e verbas indenizatórias dos cargos de confiança nos três poderes, veremos assim a confirmação da nossa análise, de que a receita do estado é repartida entre alguns poucos grupos que dominam o poder - ou que detêm influência direta sobre os governantes.

    A grande maioria dos servidores e da população pobre acaba disputando migalhas, pois os de cima não se contentam com pouco.

    Enquanto brigamos pelo básico, pelo mínimo, e ainda abrimos mão, fazemos concessões, eles não abrem mão de nada e querem sempre mais.

    Por isso não podemos abrir mão dos nossos direitos legais e legítimos.

    Temos todas as condições para conquistar o piso na carreira, tal como manda a lei federal, combinada com o nosso plano de carreira e as tabelas vigentes.

    Não podemos admitir a possibilidade de abrir mão disso.

    Temos apoio sim, junto à comunidade; temos apoio junto aos estudantes e temos uma unidade na categoria, que não é total, mas é expressiva e pode crescer.

    Temos que nos educar e parar de achar que está tudo perdido, que não somos capazes, que nossa categoria não consegue se unir, etc.

    É verdade que existem pessoas da nossa categoria despolitizadas, desinformadas, resignadas. Elas não são a nossa referência. Devemos fazer o possível para que elas ampliem a visão de mundo em relação às coisas à sua (nossa) volta.

    E devemos sempre lutar pelos objetivos comuns de toda a categoria. Mesmo que numa ou noutra escola aconteçam manifestações atrasadas de algum setor da nossa categoria. Por exemplo: vários colegas disseram aqui que na escola deles alguns servidores agiram contra a greve. Mas, em outras escolas isso não aconteceu. Logo, não dá para generalizar.

    Em quase todas as escolas teve professor que furou greve, que jogou para baixo a nossa luta, assim como teve auxiliar de serviço que participou da greve, ou ATB que também participou ou que não aderiu à greve.

    Não dá para generalizar, pessoal. Já demonstrei aqui que do ponto de vista legal, com base no nosso plano de carreira, todas as carreiras fazem parte do mesmo quadro de profissionais da Educação. E para a nossa realidade específica, cindida por dois sistemas remuneratórios, a única diferença momentânea não é quem é desta ou daquela carreira, mas quem optou pelo antigo sistema e quem não optou.

    Devemos lutar para que o piso seja pago inicialmente para os 153 mil educadores que optaram pelo antigo sistema de VB. Em seguida, as portas serão abertas para outros segmentos, como os designados; e mais tarde para os que ficaram no subsídio.

    É o que eu penso. Devemos lutar para unir, não para separar, pois a escola é um todo.

    ResponderExcluir
  84. COLEGAS,
    este comentário do Prof. Luciano (História), postado às 11:13 de ontem (08/11) é
    ALTAMENTE RELEVANTE.
    Vejam:

    " Antes da greve escrevi que o piso só é bom em uma boa carreira,o amigo Euler deve se lembrar, se o governo acaba com a carreira( algo que eu temia antes da greve, embora achava que ele mexeria no pó de giz) o piso vai perder sua importância.Pagar o piso o governo vai, minha preocupação é em qual carreira que ele vai pagar o piso?Gente, a luta agora é principalmente pela vida da carreira VB, sei que 153 mil não entraram em greve, mas 153 mil optaram pela carreira VB e tem que lutar por ela, sei que muitos queriam a carreira VB e não puderam optar,por isso,a paralisação do dia 10 tem que ser geral.
    8 de novembro de 2011 11:13

    ResponderExcluir
  85. OUTRO COMENTÁRIO MUITO INTELIGENTE:
    - Este do Prof. José Ferreira Santos.
    Confiram:
    " ANASTASIA ESTÁ ACABANDO COM A CARREIRA POLÍTICA É DO AÉCIO NEVES, MUITA GENTE VOTOU NO ANASTASIA POR CAUSA DE AÉCIO NEVES O QUE LEVARÁ A PIOR."
    8 de novembro de 2011 12:04
    P.S.: B...sta com M...rda dá é nisso mesmo.

    ResponderExcluir
  86. Infelizmente, acho que não terá como eu ir a assembleia quinta(condições de transporte e financeiro) mas, estarei parado, nem que seja sozinho em minha escola....
    FORA ANASTASIA
    FORA DITADOR

    ResponderExcluir
  87. GENTE, GENTE, vejam, aqui, outro comentário MUITO PERTINENTE, ALTAMENTE RELEVANTE do ANÔNIMO das 23:43 de ontem (08/11). Confiram:

    " Euler, concordo com você. Vamos agir, partir pra luta. O abaixo-assinado com um milhão de assinaturas também poderá assustar os deputados. Não fiquemos só nas palavras, por favor. Vamos começar a agir por nossa conta, porque se esperarmos o sindicato tomar qualquer iniciativa estaremos perdidos. Todo mundo sabe que essas reuniões darão em nada. Também vamos procurar bons advogados e entrar na justiça. Acho que a contribuição que pagamos ao sindicato dará para começarmos a fazer um caixa. Vamos construir o nosso Sindicato.
    8 de novembro de 2011 23:43

    ResponderExcluir
  88. Gente,gente,
    tenho lido com muita atenção todos os comentários e tenho observado uma GRANDE PREOCUPAÇÃO da maioria dos colegas professores com o PAGAMENTO DO PISO. Ora, o Estado já nos deu o PISO e uma PISADA, simultaneamente ("mexeu" no nosso PLANO DE CARREIRA).
    Eu sabia que a DESGRAÇA do ESTADO ia partir para esse tipo de APELAÇÃO. A briga a partir de agora vai ser TENEBROSA: 1) Estado nos dá o piso, mas altera, "mexe" no nosso PLANO DE CARREIRA; 2) Não dá o PISO, mas mantém indelével, "imexível" o nosso PLANO DE CARREIRA.
    Mas ... que GENTINHA desgraçada de ordinária!
    Desculpem-me o desabafo. O grande Prof. EULER já deixou isso MUITO CLARO no blog, lá em cima.
    Mas ... NUNCA É DEMAIS REPETIR.
    FORÇA NA LUTA ATÉ A VITÓRIA!

    ResponderExcluir
  89. Gilson,
    eu tambem penso como voce...a cada greve vamos perdendo o prestigio. A sociedade, de uma forma geral , nao gosta de pobre. Quando nossos salarios sao expostos assim,revelam nossa fragilidade... passamos a ser considerados menos... gente com que nao se deve preocupar...
    Estou muito triste, pressao para todos os lados... muita humilhaçao. A diretora da minha escola esta me pressionando a pagar a reposiçao do periodo em que eu estava de ferias-premio - traduzindo: pagar uma reposiçao de greve que eu nao fiz!!! Disse que vai abrir um processo administrativo contra mim... Eu nao quero mesmo é repor nada... alem disso meus colegas nao querem parar dia 10.... vou parar sozinha, por que considero isso um direito meu.

    ResponderExcluir
  90. ANÔNIMO DE 09/11/2011-07:12

    Denuncie a sua Diretora ao Ministério Público se ela continuar lhe ameaçando. Ameace-a também.Por amor a Deus,entenda de uma vez por todas, que férias-prêmio é um DIREITO de todos e que não pode ser confiscado por ninguém.Como profissional,vc tem de saber de TODOS os seus direitos, colega! Além do mais, creio que como diretora ela não tem poderes para abrir processos administrativos.Fique "na sua", não reponha e não discuta mais com essa "pau mandado" do desgoverno.Ainda bem que vc vai parar no dia 10/11. Pelo menos esse direito seu vc reconhece! Parabéns!
    Abraços fraternos,
    Ruth - São Lourenço

    ResponderExcluir
  91. Ruth,
    obrigada pelo apoio, eu disse a minha diretora que nao vou repor as aulas do periodo de ferias-premio e que eu quero que ela me oriente tal reposiçao por escrito pois entrarei na justiça contra ela e o Estado. Eu disse tambem que caso abram tal processo contra mim, terao que me processar por toda a reposiçao...Amanha estarei firme em nossa Assembleia...
    Abraços fraternos tambem.

    ResponderExcluir