terça-feira, 15 de novembro de 2011

Humilhados, se não receberem o piso, educadores mineiros podem se engajar na luta pela derrota eleitoral dos apoiadores do governador


Jornal Folha de São Paulo revela: Minas paga o pior piso salarial do país para os educadores. Só a imprensa mineira não sabia disso.


Humilhados, se não receberem o piso, educadores mineiros podem se engajar na luta pela derrota eleitoral dos apoiadores do governador. Em 2012 e em 2014.

A heroica greve de 112 dias realizada este ano pelos educadores de Minas tinha um único e principal objetivo: o cumprimento de uma lei federal, a Lei do Piso, aprovada em 2008 e considerada constitucional pelo STF em 2011. Mas, ao invés de cumprir a lei federal e pagar o piso, o governo de Minas submeteu a categoria a um intenso e exaustivo processo de humilhação, descaso, tortura, cortes salariais, redução salarial, pressão psicológica e desgaste emocional e físico.

Como resultado desse processo desumano e imoral, a categoria dos educadores de Minas encontra-se revoltada. Há sérias evidências de que esse processo não ficará impune. Ou seja: haverá resposta da categoria. Uma das formas de protesto e resistência tem sido a mobilização popular, com as paralisações, e agora também com a redução de jornada e o boicote às chamadas avaliações sistêmicas. Contudo, cada vez mais a categoria se convence de que, para atingir o cerne da máquina voltada para destruir os educadores, torna-se necessário derrotar o projeto de dominação política dos grupos que sustentam o atual governo.

Diante dessa avaliação, não será surpresa, caso o governo de Minas continue negando o direito constitucional dos educadores ao piso, que os profissionais da Educação se engajem de corpo e alma na tarefa de derrotar eleitoralmente a base de apoio do governador: de vereadores a prefeitos, passando por deputados estaduais e federais, senadores, até o próprio cargo do governo do estado.

Tal objetivo não pode ser menosprezado, se levarmos em conta que os educadores, numericamente falando, somam cerca de 380 mil profissionais, entre ativos e inativos, e que estão em contato diário com dois milhões de alunos, além dos pais de alunos. Trata-se de um segmento social de grande força política, mas que até agora não havia conseguido utilizar esta força potencial em favor dos seus objetivos e interesses de classe.

A partir de agora, graças à desastrada política desenvolvida pelo atual governo, tudo começa a mudar. A categoria está destruída emocional e financeiramente. Mas, começa a recuperar a sua energia para uma ação combinada em várias frentes: uma ação de mobilização popular, uma ação jurídica mais efetiva, e uma ação também no campo da representação, tendo em vista principalmente a derrota do projeto de poder representado pelo grupo que domina a máquina de estado em Minas Gerais.

O primeiro teste deste possível envolvimento organizado da categoria contra o governo será realizado já em 2012. Um dos objetivos que são considerados é o de derrotar o governo de Minas em todos os principais polos eleitorais do estado, a começar por Belo Horizonte, cujo candidato apoiado pelo grupo do governador é o atual prefeito da cidade.

Caso o piso salarial nacional - que é lei federal descumprida pelo governo - não seja pago corretamente, ou seja, respeitando-se exatamente os termos da atual carreira e dos percentuais das tabelas salariais vigentes, um exército de educadores pode transformar o cotidiano num campo de batalha para derrotar todos os apoiadores deste projeto de poder. Candidatos a vereador e prefeito, seus financiadores e apoiadores, incluindo os deputados da base do governo, todos, sem exceção, podem fazer parte de uma lista a ser trabalhada diariamente nas ruas, nas escolas, nos ônibus, em cada bairro, em cada igreja, em cada canto do estado, a mostrar para a população que, aqueles que sustentam um projeto que não investe na Educação pública de qualidade e na valorização dos educadores não merecem ser eleitos para cargo algum.

Claro que essa possível açã organizada dos educadores no campo eleitoral não será um fim em si mesmo, pois todos nós já percebemos o comprometimento dessas instituições de poder com os piores objetivos. Eles são contrários aos professores, aos moradores do Dandara, aos trabalhadores da Saúde, aos movimentos sociais, enfim, enquanto investem bilhões e obras faraônicas, ou em juros para banqueiros, ou com os cargos da alta cúpula dos três poderes, além da mídia comprada.

Portanto, a ação no campo eleitoral deve estar combinada com a ação de auto-organização popular dos trabalhadores, para que se construam instrumentos de real poder direto dos de baixo. O ideal, inclusive, seria a recusa total, um verdadeiro boicote às eleições, que resultaria numa recusa organizada da população em participar deste processo. Mas, reconhecendo que não temos, ainda, consenso para implementar tal prática, é possível imaginar uma forma combinada de boicote com a participação voltada para a destruição de um determinado projeto de poder. Neste caso, as duas formas se complementariam, desde que o objetivo central fosse o da derrota dos projetos políticos reconhecidos como inimigos dos educadores e da população pobre.

Ao mesmo tempo que essas estratégias são discutidas pela base da categoria, ganha corpo também a movimentação dos educadores para as próximas duas semanas. Entre os dias 16 e 18, por exemplo, deve acontecer a redução de jornada de trabalho nas escolas, pelo pagamento do piso e em defesa da carreira ameaçada. No dia 16, haverá uma reunião entre os educadores, inclusive para preparar a reunião do dia seguinte, 17, com a comunidade escolar - pais de alunos, estudantes e apoiadores -, para expor toda a realidade dramática que os educadores estão vivendo. Já no dia 18, após a jornada reduzida, acontecem as assembleias locais, promovidas pelas subsedes do sind-UTE de toda Minas Gerais.

No dia 22, ocorre a paralisação de um dia, com assembleia geral em BH, para a pressão direta sobre os deputados estaduais, que ameaçam votar o projeto do governo que destrói a carreira dos educadores. A batalha campal não terá fim, até a nossa vitória! Se o governo pensa que, ao submeter os educadores à total miserabilidade e à humilhação - através dos grandes (em negociatas, não em jornalismo) jornais, rádios e TVs - fará com que nos calemos, ele está redondamente enganado. Estamos cheios de energia e disposição para enfrentá-lo e derrotá-lo, já que, ao invés cumprir a lei federal, de pagar o piso e criar um ambiente de pacificação, ele preferiu o caminho da guerra contra milhares de pessoas. Seguramente, colherá a derrota. Nas ruas e nas urnas.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!


P.S.: no dia 26 de novembro, um sábado, a partir das 14h, acontece a reunião metropolitana do Núcleo Duro da Greve - NDG - em Belo Horizonte. Esta reunião deve traçar uma estratégia de ação para enfrentar os ataques do governo. Todos e todas estão convidados. Mas, tem alguns que estão convocados: o comandante Martinho, o capitão Rômulo, os tenentes NDG Flávio Bozó, André Buzina, Nelson Pombo, Rodrigo da Brama, Gleiferson Crow, Liliane, Alex e Diógenes. A reunião será realizada na Escola Popular, à rua Ouro Preto, 294, 2º andar, Bairro Preto, em BH. Sem a carteirinha do NDG não entra, rsrs. Quem puder participar, será uma reunião horizontal, não partidária, para a qual estão convidados educadores, estudantes, pais de alunos e apoiadores.


***

177 comentários:

  1. Acabou-se o tempo de aceitar as humilhações impostas por este governo, se ele ainda não compreendeu o poder da categoria e novamente quer experimentar, então é só aguardar daqui para frente, nós temos um exército de pessoas ao nosso redor, e ainda temos a internet. Enquanto, eles ficha-suja, têm a Imprensa e um bando de lambe-botas, mas a sociedade já não mais acredita nesses canalhas, enfeitados de políticos. Os Deputados, Prefeitos e Vereadores que se cuidem, daqui para frente estão todos na nossa mira. Se quiserem pagar para ver, basta ficar ao lado desse desnorteado desgovernador e destratarem os educadores, porque faremos com eles o mesmo que estamos fazendo com o governador. Vamos desmoralizá-los ao vivo e em cores por todo o Estado, por meio dos contatos tanto físico quanto na internet.

    ResponderExcluir
  2. A primeira derrota será o boicote ao SIMAVE, para sentir que os Educadores não estão de brincadeira nem com ele, nem com a corriola que lhe dá apoio. o ano ainda não terminou e pode não terminar. E 2012, pode até nem começar!

    ResponderExcluir
  3. Tem que ter carteirinha mesmo para entrar, pois devem mandar arapongas travestidos de educadores, para essa reunião. kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Euler,
    Pelo psdb os candidatos a governo em 2014:
    Anastasia que quer se reeleger ou
    Marcio Lacerda.
    Pelo pt se cogita: Pimentel ou Patrus.
    Vamos todos entrar em contato com o Pt e dizer que apoiaremos Patrus Ananias e começar ja a campanha.Nunca mais psdb.

    ResponderExcluir
  5. Mai um belo texto comandante Euler, eu agora alem de postar materias de interesses dos mestres aqui no seu blog, tambem estou colando seus textos no facebook, o mundo precisa saber quem é quem em MG, já me surpreendi com uns amigos de estados diferentes que sabem muito bem da situação de MG e dos seus governantes sacanas, desejo um bom dia a todos, abços comandante Euler e segue a luta firme até a vitoria.

    ResponderExcluir
  6. 16/11/2011 - 05h30
    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor

    DE SÃO PAULO

    Hoje na Folha Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação, informa a reportagem de Fábio Takahashi e Luiza Bandeira, publicada na edição desta quarta-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

    A legislação prevê mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, por 40 horas semanais, excluindo as gratificações.

    A lei também assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas para poderem atender aos estudantes e preparar aulas.

    A regra visa melhorar as condições de trabalho dos docentes e atrair jovens mais bem preparados para o magistério.

    O levantamento da Folha mostra que a jornada extra-classe é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe. Entre esses 15, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial.

    O ministério da Educação afirma que a lei deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a isso.

    A maior parte dos Estados que descumprem a lei disse que vai se adequar à regra.

    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação recomendou a seus sindicatos que entrem na Justiça.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    Começou a guerra Serra x Aécio...

    ResponderExcluir
  7. 16/11/2011 - 05h30
    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor. Reportagem encontra-se no uol.com.br
    Estamos entre o que tem de pior no Brasil.

    ResponderExcluir
  8. Vcs acham que um bacaca como anastazia através de propagandas baixas contra nossa classe vai nos respeitar hoje na mesa de negociação? Duvido muito! Vamos utilizar de advogados particulares! Essa comissão tripartite não vai resolver nada porque o desgoverno não quer negociar só enrolar!

    ResponderExcluir
  9. EULER olhe no you tube vídeo que desmascara AECIO NEVES NAS PROPAGANDAS, PELO ENTÃO CONHECIDO HUGO BRAGA DA REDE LOBO. BASTA ESCREVER GOVERNO DE MINAS E LOGO APARECE.SÃO DOIS VÍDEO DE ARREBENTAR.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Professor Euler, reportagem hoje na folha:
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    ResponderExcluir
  11. Euler, veja matéria de hoje da Folha de São Paulo sobre a lei do piso
    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor

    Ao menos quatro Estados estão fora das duas normas para o magistério

    Lei nacional prevê remuneração de R$ 1.187 para 40 horas semanais e 33% de tempo extraclasse

    Entidade recomenda que sindicatos de professores entrem com ações judiciais contra Estados infratores
    André Fossati/Folhapress
    Diliana dá aulas em 2 escolas de MG e ganha menos que piso
    Diliana dá aulas em 2 escolas de MG e ganha menos que piso

    FÁBIO TAKAHASHI
    LUIZA BANDEIRA
    DE SÃO PAULO

    Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação.
    A legislação prevê salário mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, em jornada semanal de 40 horas, excluindo as gratificações, e assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas.
    A ideia é que os professores tenham melhores condições de trabalho com aumento salarial e período remunerado para atender aos alunos, preparar as aulas e estudar.
    O levantamento da Folha com as secretarias estaduais de Educação mostra que a jornada extraclasse é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe.
    Desse grupo, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial, ou seja, estão totalmente fora da legislação nacional. Outros dois desrespeitam só o salário.
    Para aumentar o período dos docentes fora da sala de aula é preciso contratar mais profissionais ou elevar a carga dos que já estão na rede -ambas opções são custosas.
    A lei pode ajudar professores como Diliana Márcia de Barros Lisboa, 43, que leciona história e geografia a adolescentes em duas escolas estaduais de Minas Gerais. Seu salário base é R$ 712.
    Ela só consegue corrigir trabalhos e preparar aulas à noite. "Com esse salário, apenas sobrevivo", diz Diliana.

    IMBRÓGLIO JURÍDICO
    A implementação da lei do piso foi conturbada. Sancionada em julho de 2008, foi contestada três meses depois no Supremo Tribunal Federal pelos governos de MS, PR, SC, RS e CE. Uma das principais argumentações era que a regra significava intromissão em assunto que caberia a cada Estado e município.
    Em abril deste ano, o Supremo decidiu que a lei não fere a Constituição.
    O Ministério da Educação afirma que a regra deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a cumpri-la.
    Por outro lado, a gestão Dilma disse que pode ajudar redes com dificuldades financeiras, desde que elas comprovem a necessidade -o que não tem ocorrido, afirma o Ministério da Educação.
    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação disse que recomendou a seus sindicatos que entrem na Justiça para cobrar a adoção. Governadores e secretários podem sofrer ações de improbidade administrativa.
    "Estados e municípios não se prepararam porque apostaram que ganhariam no Supremo", disse o presidente da confederação, Roberto Leão.
    O Consed (órgão que reúne secretários estaduais de Educação) disse ser favorável à lei, mas que é necessário um período para transição. "O impasse não interessa a ninguém", disse o vice-presidente Danilo de Melo Souza.

    Colaboraram PAULO PEIXOTO, em Belo Horizonte, e as Sucursais de Brasília e Rio

    ResponderExcluir
  12. cont. reportagem da Folha sobre o piso
    Governos dizem que irão se adequar à lei

    DE SÃO PAULO

    A maior parte dos Estados que descumprem a lei disse que vai se adequar à regra.
    O governo de São Paulo informou "que finaliza" o mecanismo para adotar a carga extraclasse mínima. O Rio Grande do Sul disse que se adaptará até 2014.
    Minas Gerais afirmou que já encaminhou projeto ao Legislativo para se adequar. A tramitação, porém, foi suspensa após a criação de comissão de negociação que discute o acordo que pôs fim a uma greve de 112 dias.
    O piso é desrespeitado em uma das duas opções de carreira, que possui 38% da categoria, segundo o governo.
    A Bahia afirmou que fechou acordo na semana passada com docentes. Maranhão disse que já finalizou o projeto. Rondônia, Goiás, Pará e Espírito Santo afirmaram que se adequarão.
    Acre e Rio Grande do Norte disseram possuir avaliação interna que aponta que cumprem a carga extraclasse, ainda que os percentuais informados estejam abaixo dos 33%.
    Pernambuco afirmou que ainda há dúvidas jurídicas em relação à lei.
    "Todos queremos o piso e a jornada extraclasse. Mas se o impacto é muito grande, não adianta insistir, precisamos de tempo para transição", disse o vice-presidente do Consed (conselho dos secretários estaduais de Educação), Danilo de Melo Souza. (FT e LB)

    ResponderExcluir
  13. Veja que quando são reportagens nacionais o famigerado governo de Minas admite que não paga o piso já para a comprada mídia mineira tenta vender a imagem de que paga o piso. Primeiro foi levantamento feito pelo site Terra e agora prestigiado jornal Folha de São Paulo

    ResponderExcluir
  14. Com mita vergonha do Governo de MG.
    Um jornal de circulação nacional mostrou na primeira pagina a realidade do cumprimento da Lei 11738/08 em todo o Brasil.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    ResponderExcluir
  15. Não se iludam com Patrus, sou professora da Rede Municipal de Belo Horizonte e ele quase destruiu nossa carreira. Fizemos uma greve de quase um mês qundo ele era prefeito, ele cortou todo os dias parados e não negociou com a categoria! Sou totalmente anti-psdb mas não tenho nenhuma ilusão com o pt. Cuidado companheiros com o canto da sereia! Busquemos candidaturas verdadeiramente comprometidas com a classe trabalhadora!

    ResponderExcluir
  16. Caro Euler e demais internautas. Hoje, está na primeira página da Folha de São Paulo uma reportagem que fala sobre os estados que não pagam o Piso Nacional. Acessem e vejam.

    ResponderExcluir
  17. Apoio a qualquer partido, menos PSDB.
    P=Perversos
    S=Senhores
    D=Diante da
    B=betoneira=máquina de concreto entre os de cima e os de baixo
    Esta parede de concreto tem que ser derrubada pela classe trabalhadora.Sem os trabalhadores honestos e de baixo, os de cima não se promovem, pois é tudo tirado do nosso suor e bolso.
    Novamente aconselho,não deixem de aplicar a prova, mandem os alunos marcarem TODAS as questões para que a prova não seja nem reaproveitada, dando ao governo o mesmo prejuízo que tem dado ao povo.

    ResponderExcluir
  18. Deve-se apresentar para a reunião do Barro Preto somente pessoas com contracheque e isentidade para evitar olheiros do governo.Cuidado,os traíras estão para todo lado.

    ResponderExcluir
  19. Vamos tomar cuidado com o posicionamento partidário. Nenhum partido se mostrou, na prática, favorável à nossa luta. Apesar de achar o PT ainda melhor.

    ResponderExcluir
  20. Redução de horário esta semana......não se esqueçam.. e aquela provinha que o Governo de minas vai tirar zero, igual ao nosso piso, se cuida Anastasia. KKKKKKKK

    ResponderExcluir
  21. Não se esqueçam essa semana é de redução de horários, Vamos mandar um recado pra esse governador. Ou paga o piso na carreira ou não vai ter sossego

    ResponderExcluir
  22. Boicote no SIMAVE orientando aos alunos a a marcarem todas as alternativas, é sujo que este governo quer jogar, então tome do próprio veneno, quer resultado para o BID, para retirar empréstimos de bilhões para serem desviados e não aplicados na educação. BOOOIIIIIICOOOOOTEEEEEE!

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Euler e companheiros de luta!

    Apesar dos valores estarem diferentes da realidade a Folha de São Paulo fez uma reportagem sobre o não pagamento do Piso por 17 Estados.
    Vale dar uma conferida.

    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    Abraços

    Silvio Gontijo

    ResponderExcluir
  24. Bravo,Euler!!!Estamos prontos para derrubarmos essa corja de corruptos insanos nas próximas eleições. Eles subestimam a nossa capacidade de pensar, analisar e montarmos estratégias para detoná-los desses cargos,cuja função é escravizar e ludibriar os trabalhadores.Aguarde, Anastasia!O seu poder é efêmero,porém as marcas das transgressões,torturas e desrespeito sofridas pela nossa classe, deixarão cicatrizes que não nos permitirão esquecer tudo que passamos no seu governo.E a nossa luta continua até o piso.Nada e ninguém mudará os rumos da nossa luta que é a implantação do piso salarial.Força, companheiros,não podemos desanimar agora.

    ResponderExcluir
  25. Anônimo das 00:56 :
    O que Patrus Ananias ou o PT estão fazendo por nós ? Não pretendemos trocar 6 por meia dúzia .

    ResponderExcluir
  26. Essa cambada de políticos nojentos precisam entender que somos muitos e ainda temos a nossa família. Aqui em casa são 4 votos e já estou começando a fazer campanha contra essa corja nojenta com familiares e amigos mais próximos mostrando a nossa realidade e para que prova maior que o contracheque? Tem uns que só acreditam quando apresento para eles, todos ficam de queixo caido com o valor pago pelo governozinho tampa de binga. Ele e a trupe da Assembléia que se preparem porque a coisa não vai ser bonita não. Eles estão pensando que lagartixa é filhote de jacaré.
    Abraços a todos e força na luta.

    Gleide Maura

    ResponderExcluir
  27. GRAÇA:
    BOM DIA PROF EULER:
    TENTATIVA DE JUSTIFICAR O INJUSTIFICÁVEL:
    JORNAL FOLHA DE SP 16/11/11
    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor-(MG, RS, PA e BA) não pagam o mínimo salarial, ou seja, estão totalmente fora da legislação nacional
    Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação.
    A legislação prevê salário mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, em jornada semanal de 40 horas, excluindo as gratificações, e assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas.
    A ideia é que os professores tenham melhores condições de trabalho com aumento salarial e período remunerado para atender aos alunos, preparar as aulas e estudar.
    O levantamento da Folha com as secretarias estaduais de Educação mostra que a jornada extraclasse é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe.
    Desse grupo, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial, ou seja, estão totalmente fora da legislação nacional. Outros dois desrespeitam só o salário.
    Para aumentar o período dos docentes fora da sala de aula é preciso contratar mais profissionais ou elevar a carga dos que já estão na rede -ambas opções são custosas.
    A lei pode ajudar professores como Diliana Márcia de Barros Lisboa, 43, que leciona história e geografia a adolescentes em duas escolas estaduais de Minas Gerais. Seu salário base é R$ 712.Ela só consegue corrigir trabalhos e preparar aulas à noite. "Com esse salário, apenas sobrevivo", diz Diliana.
    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  28. IMBRÓGLIO JURÍDICO
    A implementação da lei do piso foi conturbada. Sancionada em julho de 2008, foi contestada três meses depois no Supremo Tribunal Federal pelos governos de MS, PR, SC, RS e CE. Uma das principais argumentações era que a regra significava intromissão em assunto que caberia a cada Estado e município.
    Em abril deste ano, o Supremo decidiu que a lei não fere a Constituição.
    O Ministério da Educação afirma que a regra deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a cumpri-la.
    Por outro lado, a gestão Dilma disse que pode ajudar redes com dificuldades financeiras, desde que elas comprovem a necessidade -o que não tem ocorrido, afirma o Ministério da Educação.
    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação disse que recomendou a seus sindicatos que entrem na Justiça para cobrar a adoção. Governadores e secretários podem sofrer ações de improbidade administrativa.
    "Estados e municípios não se prepararam porque apostaram que ganhariam no Supremo", disse o presidente da confederação, Roberto Leão.
    O Consed (órgão que reúne secretários estaduais de Educação) disse ser favorável à lei, mas que é necessário um período para transição. "O impasse não interessa a ninguém", disse o vice-presidente Danilo de Melo Souza.
    A maior parte dos Estados que descumprem a lei disse que vai se adequar à regra.
    O governo de São Paulo informou "que finaliza" o mecanismo para adotar a carga extraclasse mínima. O Rio Grande do Sul disse que se adaptará até 2014.
    Minas Gerais afirmou que já encaminhou projeto ao Legislativo para se adequar. A tramitação, porém, foi suspensa após a criação de comissão de negociação que discute o acordo que pôs fim a uma greve de 112 dias.
    O piso é desrespeitado em uma das duas opções de carreira, que possui 38% da categoria, segundo o governo.
    A Bahia afirmou que fechou acordo na semana passada com docentes. Maranhão disse que já finalizou o projeto. Rondônia, Goiás, Pará e Espírito Santo afirmaram que se adequarão.
    Acre e Rio Grande do Norte disseram possuir avaliação interna que aponta que cumprem a carga extraclasse, ainda que os percentuais informados estejam abaixo dos 33%.
    Pernambuco afirmou que ainda há dúvidas jurídicas em relação à lei.
    "Todos queremos o piso e a jornada extraclasse. Mas se o impacto é muito grande, não adianta insistir, precisamos de tempo para transição", disse o vice-presidente do Consed (conselho dos secretários estaduais de Educação), Danilo de Melo Souza.
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/9253-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  29. O QUE PREVE A LEI E O QUE É FEITO EM CADA ESTADO:

    IMAGEM AQUI:

    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    ResponderExcluir
  30. Caros colegas,

    Volto a ressaltar: até o crime organizado tem seus legítimos representantes no congresso nacional. Nos unirmos de verdade para elegermos os nossos legítimos representantes é o mínimo que podemos fazer em prol de nossa categoria tão humilhada, apesar de toda a força que temos. Já passou da hora de usarmos essa força a nosso favor nas eleições. Vamos mostrar a esses bandidos a potência que somos!Não cumprir as leis é crime! Fora os criminosos!!! Xô Satanasia!!! Aqui em casa o Destemido Euler e sua seleta equipe já são nossos candidatos.

    Vamos mostrar nossa força pra essa corja!

    Patrícia Ferreira - Montes Claros

    ResponderExcluir
  31. Reportagem da Folha:

    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor

    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    O pior de tudo na matéria é: O ministério da Educação afirma que a lei deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a isso.

    Engraçado que os impostos que eu pago em dia, o governo tem como me obrigar a paga sob pena de duras sansões.

    Feche as portas MEC, só fizeram porcaria.

    Outra coisa, porque ninguém do sindicato fala sobre os 1/3 extra-classe?

    ResponderExcluir
  32. TEMOS QUE EXTERMINAR ESSES TUCANOS NA URNAS...PSDB NUNCA MAIS,FÉ EM DEUS E BORA FAZER CAMPANHA CONTRA ESSA CAMBADA.

    ResponderExcluir
  33. TEMOS QUE EXTERMINAR ESSES ESSES BICHOS NAS URNAS,TUCANO NÃO É GENTE...PSDB NUNCA MAIS,BORA TRABALHAR PARA QUE ISSO ACONTEÇA.

    ResponderExcluir
  34. Gente, temos que ser mais realista,entrar com açoes contra o governo,pois a lei e pra todos e ele tem que ser acionado,pois nos professores,estamos acostumado a so cumprir metas,vamos encher o mP de reclamaççoes,pois nossas forças estao no limite,que DEUS ilumine cada um de nos.FOrça MUTUM

    ResponderExcluir
  35. Bom dia colegas,

    Minha sobrinha é professora no Rio Grande do Sul e lá tal como cá, os professores não recebem o piso e o desgoverno impera!
    MINAS GERAIS: NUNCA + PSDB!
    RIO GRANDE SUL: NUNCA MAIS PT!

    ResponderExcluir
  36. Isso mesmo vamos apoiar os os advesarios politicos dos candidatos so psdb (minusculo mesmo )em massa ai a coisa mudara .Apoiado entrar rm contato com o Pt URGENTÌSSIMO e aguardem para ver . Força a todos(as) agora è ahora .DEUS è PAI .Beijos no coração de todos (as).

    ResponderExcluir
  37. PELO AMOR DE DEUS VAMOS COMENTAR ESSA MATÉRIA:


    Estados não cumprem lei do piso nacional para professor

    Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação, informa a reportagem de Fábio Takahashi e Luiza Bandeira, publicada na edição desta quarta-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
    A legislação prevê mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, por 40 horas semanais, excluindo as gratificações.
    A lei também assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas para poderem atender aos estudantes e preparar aulas.
    A regra visa melhorar as condições de trabalho dos docentes e atrair jovens mais bem preparados para o magistério.
    O levantamento da Folha mostra que a jornada extra-classe é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe. Entre esses 15, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial.
    O ministério da Educação afirma que a lei deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a isso.
    A maior parte dos Estados que descumprem a lei disse que vai se adequar à regra.
    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação recomendou a seus sindicatos que entrem na Justiça.

    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    ResponderExcluir
  38. Notícia fresquinha do jornal o tempo sobre a reunião de hoje, deixem seus comentários , eu já deixei o meu; Professor Luciano

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=188038,OTE

    ResponderExcluir
  39. Aos educadores, um bom dia para todos.Notícia quente.Leiam:ESTADOS NÃO CUMPREM LEI DO PISO NACIONAL PARA PROFESSOR.Blog do Noblat- Folha de São PAulo.-16/11/2011

    ResponderExcluir
  40. MINISTRO DO MEC QUER MESMO É SER PREFEITO DE SP, ESTA NE MAI PARA OS PROFESSORES!
    QUANDO ELEITOS PT É IGUAL PSDB!
    SOCORRO!!!!

    ResponderExcluir
  41. Euler e companheiros/as

    Quero voltar aqui à indecente atitude do Filocre quanto aos educadores mineiros:

    [...]Para Filocre, os dados mostram que a preocupação não deve ser somente com a graduação e titulação de professores, mas com a qualificação[...]
    "Não basta ter um título, porque eles têm e não sabem as coisas."

    A qual "saber" o Filocre fanfarrão se refere? Penso que por esta atitude, ele deveria ser convocado para chapa de Vice-prefeito de São Paulo (embora o povo de São Paulo não mereça coisas tão ruins)!

    A meu ver, o ex secretário-adjunto se refere, aqui, àquele saber livresco, decoreba que, há muito tempo deixamos pra trás com nossos alunos. Este saber ou esta sabedoria não é a do povo. A sabedoria do povo serve à vida, à transformação, à solidariedade (lembremo-nos de Dandara); à que ele se refere somente favorece aos poderosos, megalomaníacos, defensores da morte. É o que estamos vendo nas MINAS GERAIS. De que adianta o saber do Anastasia se ele não a usa para o bem, para o fortalecimento da democracia e construção de um estado onde o "fosso entre ricos e pobres" diminua?
    Estou indignado com esta campanha suja, alimentada por quem deveria ser o primeiro a defender a educação e aos educadores. Por isso, preciso concordar com os colegas: vamos fazer este país tremer.
    - Faixas nos aeroportos, rodoviárias, praças públicas, semáforos (claro, com presença dos bravos educadores, como diz o Euler).

    - Boicote às avaliações sistêmicas - PAAE e SIMAVE;

    - Diminuição de carga horária com aproveitamento do tempo para discutir a situação (profissionais de toda a escola e alunos).
    - twittar : ANASTASIAFORADALEI

    ResponderExcluir
  42. estado de minas paga o pior salario do pais.


    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    ResponderExcluir
  43. estado de minas pior salario de professor do pais ,que vergonha ser mineiro ,acorda Anastasia,Aécio e companhia .




    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=135242

    ResponderExcluir
  44. Uma dúvida: será que podemos contar com todos para boicotar as avaliações? Lembrem-se de que nem todos fizeram greve e há aqueles que estão satisfeitos com o subsídio

    ResponderExcluir
  45. Acabo de deixar o seguinte comentário no portal do jornal O Tempo:

    Então quer dizer, segundo o ministro falastrão do MEC, que fizeram uma lei federal que não precisa ser cumprida? O nome disso chama-se: PALHAÇADA! Para mim são todos moleques, pois quando se trata de atender aos interesses dos de cima - banqueiros, empreiteiros, e seus próprios interesses - eles se apressam em fazer cumprir a lei. Aliás, passam por cima da lei para atender as elites do país. Agora, quando uma lei federal é aprovada a duras penas, após 20 anos de espera (CF de 1988), e mais de três de enrolação no STF, estes senhores ainda têm a cara de pau de nos negarem este direito. O governo de Minas quer agora alterar o nosso plano de carreira e as tabelas salariais, reduzindo percentuais de promoção e progressão, e com isso, na prática, vai deixar de pagar o piso a que temos direito. O governo federal finge que o problema não é com ele. Ora, isso mais parece uma cumplicidade de quadrilhas, reunidas para massacrarem os educadores, prejudicando diretamente a milhões de estudantes filhos de trabalhadores de baixa renda, que dependem do ensino público de qualidade para escaparem do crime organizado ou da exclusão social a que foram atirados pela disputa cega de mercado. Uma vergonha para Minas, cujo governador, apoiado por um senador carioca omisso, se diz professor; e para o Brasil, cuja presidenta nos enganou durante a campanha, prometendo valorizar os professores. O país não merece estes governantes!

    Link:

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=135242

    ResponderExcluir
  46. Estados não cumprem lei do piso nacional para professor

    Ao menos quatro Estados estão fora das duas normas para o magistério

    Lei nacional prevê remuneração de R$ 1.187 para 40 horas semanais e 33% de tempo extraclasse

    Entidade recomenda que sindicatos de professores entrem com ações judiciais contra Estados infratores

    André Fossati/Folhapress

    Diliana dá aulas em 2 escolas de MG e ganha menos que piso

    FÁBIO TAKAHASHI
    LUIZA BANDEIRA
    DE SÃO PAULO

    Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação.
    A legislação prevê salário mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, em jornada semanal de 40 horas, excluindo as gratificações, e assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas.
    A ideia é que os professores tenham melhores condições de trabalho com aumento salarial e período remunerado para atender aos alunos, preparar as aulas e estudar.
    O levantamento da Folha com as secretarias estaduais de Educação mostra que a jornada extraclasse é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe.
    Desse grupo, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial, ou seja, estão totalmente fora da legislação nacional. Outros dois desrespeitam só o salário.
    Para aumentar o período dos docentes fora da sala de aula é preciso contratar mais profissionais ou elevar a carga dos que já estão na rede -ambas opções são custosas.
    A lei pode ajudar professores como Diliana Márcia de Barros Lisboa, 43, que leciona história e geografia a adolescentes em duas escolas estaduais de Minas Gerais. Seu salário base é R$ 712.
    Ela só consegue corrigir trabalhos e preparar aulas à noite. "Com esse salário, apenas sobrevivo", diz Diliana.

    IMBRÓGLIO JURÍDICO
    A implementação da lei do piso foi conturbada. Sancionada em julho de 2008, foi contestada três meses depois no Supremo Tribunal Federal pelos governos de MS, PR, SC, RS e CE. Uma das principais argumentações era que a regra significava intromissão em assunto que caberia a cada Estado e município.
    Em abril deste ano, o Supremo decidiu que a lei não fere a Constituição.
    O Ministério da Educação afirma que a regra deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a cumpri-la.
    Por outro lado, a gestão Dilma disse que pode ajudar redes com dificuldades financeiras, desde que elas comprovem a necessidade -o que não tem ocorrido, afirma o Ministério da Educação.
    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação disse que recomendou a seus sindicatos que entrem na Justiça para cobrar a adoção. Governadores e secretários podem sofrer ações de improbidade administrativa.
    "Estados e municípios não se prepararam porque apostaram que ganhariam no Supremo", disse o presidente da confederação, Roberto Leão.
    O Consed (órgão que reúne secretários estaduais de Educação) disse ser favorável à lei, mas que é necessário um período para transição. "O impasse não interessa a ninguém", disse o vice-presidente Danilo de Melo Souza.

    Colaboraram PAULO PEIXOTO, em Belo Horizonte, e as Sucursais de Brasília e Rio

    Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/9253-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml


    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  47. Governos dizem que irão se adequar à lei

    DE SÃO PAULO

    A maior parte dos Estados que descumprem a lei disse que vai se adequar à regra.
    O governo de São Paulo informou "que finaliza" o mecanismo para adotar a carga extraclasse mínima. O Rio Grande do Sul disse que se adaptará até 2014.

    Minas Gerais afirmou que já encaminhou projeto ao Legislativo para se adequar. A tramitação, porém, foi suspensa após a criação de comissão de negociação que discute o acordo que pôs fim a uma greve de 112 dias.
    O piso é desrespeitado em uma das duas opções de carreira, que possui 38% da categoria, segundo o governo.

    A Bahia afirmou que fechou acordo na semana passada com docentes. Maranhão disse que já finalizou o projeto. Rondônia, Goiás, Pará e Espírito Santo afirmaram que se adequarão.
    Acre e Rio Grande do Norte disseram possuir avaliação interna que aponta que cumprem a carga extraclasse, ainda que os percentuais informados estejam abaixo dos 33%.

    Pernambuco afirmou que ainda há dúvidas jurídicas em relação à lei.
    "Todos queremos o piso e a jornada extraclasse. Mas se o impacto é muito grande, não adianta insistir, precisamos de tempo para transição", disse o vice-presidente do Consed (conselho dos secretários estaduais de Educação), Danilo de Melo Souza. (FT e LB)

    Disponível em:http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/9258-governos-dizem-que-irao-se-adequar-a-lei.shtml

    ResponderExcluir
  48. Análise

    Sem pacto, país fica distante da educação de qualidade

    MOZART NEVES RAMOS
    ESPECIAL PARA A FOLHA

    Ao contrário do que ocorre nos países que estão no topo da educação, os jovens brasileiros não desejam seguir a carreira de professor.
    São necessárias políticas para mudar o cenário, incluindo salário, plano de carreira atraentes e formação.
    Um professor no Brasil, segundo a Pnad 2009, ganha, em média, 40% menos do que profissionais com o mesmo nível de escolaridade.
    Para reverter o quadro, o MEC propôs meta de equiparação salarial do magistério com as demais profissões, no Plano Nacional de Educação, que está no Congresso.
    Uma das estratégias é fazer valer a decisão do Supremo Tribunal Federal de implementar a lei do piso salarial do magistério. Isso só irá se concretizar com a efetiva suplementação financeira do governo federal, uma vez que a maioria dos municípios tem dificuldades orçamentárias.
    Há ainda o entrave em relação aos 33% da jornada de docente destinados às atividades extraclasse. Segundo alguns Estados e municípios, o percentual implica a necessidade de novas contratações, o que esbarraria na Lei de Responsabilidade Fiscal.
    Diante de tantas dificuldades, uma coisa é certa: sem pacto nacional pela valorização dos professores, continuaremos distantes da educação de qualidade a todas as crianças e jovens do Brasil.

    MOZART NEVES RAMOS é conselheiro do movimento Todos Pela Educação e do Conselho Nacional de Educação

    Disponível em: http://blogdoeulerconrado.blogspot.com/2011/11/humilhados-se-nao-receberem-o-piso.html#comment-form

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  49. O que Patrus Ananias ou o PT estão fazendo por nós ? Não pretendemos trocar 6 por meia dúzia .(2)
    maria - contagem

    ResponderExcluir
  50. Parabéns Euler, cada dia você se supera em suas análises. Você deveria ser o nosso candidato a deputado para as próximas eleições, iria dar muito trabalho à Assembléia Legislativa ou ao Congresso... pense nisso... é sério. Realmente, temos que semear a organização política nas escolas, percebeu como ela funciona em época de eleições de diretores? Devemos fazer o mesmo para a eleição de vereadores, deputados, etc. Acho que você deve reforçar o NDG e trabalhar politicamente nas escolas, um trabalho que o sindicato não dá conta, mostrar a grande importância de ser sindicalizado, temos que ter representantes a altura da nossa categoria, a organizada claro, pois tem uma parte dela que dá nojo... tanta a inércia... a covardia mesmo. Acredito que o NDG pode se tornar uma grande força de mobilização e formação política nas escolas de Minas Gerais. Ía te passar um email sobre a matéria da Folha mas já está no blog, claro. Mais uma vez, obrigado por este blog.

    ResponderExcluir
  51. últimas notícias

    Minas é o estado que paga salário mais baixo para professor, diz jornal
    16/11/2011 09h52
    Avalie esta notícia »

    Pelo levantamento da Folha de S. Paulo, os professores mineiros recebem o pior salário do país

    A lei nacional do piso para o magistério já foi aprovada há três anos, mas não saiu do papel na maior parte do país. Das 27 unidades da Federação, pelo menos 17 descumprem o pagamento do valor previsto. Pela legislação, o salário mínimo é de R$1.187 para os professores da educação básica pública, em jornada semanal de 40 horas. Esse valor exclui gratificações e também deveria ser garantido um tempo de pelo menos 33% fora das salas para preparar os encontros.

    Minas, Pará, Rio Grande do Sul e Bahia também não pagam o mínimo salarial. Para elevar o tempo dos educadores fora da sala de aula só há duas saídas: contratar mais gente ou aumentar a carga horárias dos que já estão contratados. No entanto, essas soluções exigem muito investimento. Em Minas, os professores só têm 25% da carga horária para as tarefas extra-classe. Entre 25 unidades da federação pesquisadas, Minas Gerais é o lugar onde o professor recebe o pior salário (R$616 para 40 horas semanais). Rondônia (R$950) e Rio Grande do Sul (R$791) são os outros dois estados que ocupam a parte de baixo da tabela.

    Em vários estados, esse embate entre professores e governo foi parar na Justiça. A alegação em alguns tribunais é que esse assunto compete aos estados e aos municípios e a União deve ficar de fora disso. O Ministério da Educação diz que a regra precisa ser aplicada, mas não pode obrigar as administrações estaduais a aplicá-la.

    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação afirmou que a recomendação para os sindicatos em todo o país é recorrer na Justiça. Com isso, governadores e secretários podem receber ações por improbidade administrativa.

    Neste ano, houve uma greve na educação pública em Minas que durou 112 dias. Houve acordo com o governo estadual, mas as negociações desandaram nesta semana. Os professores vão pedir nesta quarta (16) que a tramitação do projeto de lei que discute a política salarial da categoria saia do caráter de urgência. Para os professores, não pode ocorrer votação enquanto não houver acordo entre as partes.

    As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=135242

    ResponderExcluir
  52. "O Ministério da Educação afirma que a regra deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a cumpri-la."

    Para que serve essa porcaria de Ministério então? Se eles não podem obrigar quem será então? O Ministério da Agricultura? O Ministério do Esporte?

    Já basta de tanta hipocrisia neste país! Ministro frouxo!

    ResponderExcluir
  53. "Como em Minas a jornada é de 24 horas, o piso proposto é de R$ 712,20, mais todas as gratificações do modelo antigo que também serão corrigidas", explica Gazola.

    Dia decisivo para pôr fim a embate na educação
    www.hojeemdia.com.br
    Termina nesta quarta-feira o prazo para mudanças no projeto de remuneração dos professores

    ResponderExcluir
  54. EULER PEDE PA ABIA LEVAR O JORNAL DE SÃO PAULO E ESFREGAR NA CARA DE TODOS DO GOVERNO.
    VAMOS VER SE ELES TEM VERGONHA NA CARA DE QUESTINAR A TABELA DE TODOS OS ESTADO.

    PORQUE NO DF O SDALARIO É ESSE?

    QUAL A DIFERENÇA ENTRE O PROFESSOR DE MG E A DO DF?

    ACHO QUE VOU MUDAR PRA LA.....

    ResponderExcluir
  55. Pessoal vamos fazer esse vídeo correr:

    http://www.youtube.com/watch?v=rZD1UwaccPA

    Ele faz uma demonstração simples e cômica do descaso do governador com a educação mineira.

    ResponderExcluir
  56. Bom dia companheiros de luta!
    Companheiro Euler,
    que o nosso Criador possa iluminá-lo sempre, preservando-lhe toda essa energia e força na incansável luta e compromisso para com a Educação Pública de Qualidade. E, além disso, nos unindo contra a política ditatorial implementada em Minas e no Brasil.

    É CONSENSO PARA TODOS OS EDUCADORES QUE O GOVERNO NÃO CUMPRE LEIS QUE NOS FAVORECE.
    É CONSENSO TAMBÉM QUE VIVEMOS EM UMA DITADURA “DISFARÇADA”.
    QUE O JUDICIÁRIO, MP, MÍDIA, ASSEMBLÉIA HOMOLOGATIVA, TODOS ESTÃO VENDIDOS. ATUAM CONTRA OS EDUCADORES.

    GOVERNO MENTE,MENTE,MENTE... PIOR QUE PINÓQUIO. MAS O PIOR MESMO É QUE COM O NOSSO DINHEIRO, VAI PRA MÍDIA MENTIR E TENTAR COLOCAR A POPULAÇÃO CONTRA NÓS EDUCADORES.

    DIANTE DE TUDO ISSO NÓS EDUCADORES, QUE ESTAMOS EM CONTATO DIÁRIO COM MILHARES DE ESTUDANTES. QUE TEMOS A OBRIGAÇÃO COMO PROFISSIONAIS DE ESCLARECER E CONSCIENTIZAR A SOCIEDADE ATRAVÉS DE NOSSOS ALUNOS E DE NOSSAS AÇÕES SOBRE A LEITURA CRITICA DA NOSSA REALIDADE.

    VAMOS FAZER O QUE? FOMOS AGREDIDOS PELO GOVERNO. CHAMOU-NOS DE MARIONETES. HUMILHOU-NOS.
    E AINDA... CONFISCA OS NOSSOS SALÁRIOS.
    NÃO CUMPRE A LEI.

    VAMOS FAZER O QUE?

    ACOVARDAR-NOS? OU VAMOS FAZER O NOSSO PAPEL DE EDUCADORES.
    ESCLARECER PRA SOCIEDADE O QUE REALMENTE ESTÁ ACONTECENDO?

    ORGANIZAÇÃO. ORGANIZAÇÃO. ORGANIZAÇÃO.
    RESISTÊNCIA A TIRANIA.
    REDUÇÃO DE HORÁRIO JÁ.
    BOICOTE AO SIMAVE SIM.

    FICAR DE OLHO NOS DEPUTADOS E PARTIDOS QUE FAVORECEM O ESTADO DE DITADURA, E PREJUDICA A EDUCAÇÃO.

    Por fim companheiros proponho que pensemos na formação de um PARTIDO DA EDUCAÇÃO. Devemos estar presentes em áreas estratégicas para impedir A NOSSA DESVALORIZAÇÃO. E LUTARMOS SEMPRE POR VALORIZAR-NOS. CONSEQUENTEMENTE, RESGATE DE UMA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE.

    LUTEMOS PARA FORTALECERMOS A NOSSA ORGANIZAÇÃO!!!
    COM LUTA, COM GARRA, NOSSO PISO SAI NA MARRA. CASO CONTRÁRIO VAMOS EXTINGUIR O PSDB E OUTROS DE MG.
    Professor Odair José

    ResponderExcluir
  57. R$ 3400,00 no DF

    Caramba... que contraste com os R$616,00 em Minas

    ResponderExcluir
  58. Seria uma boa idéia o sindicato fazer uma propaganda curta e falar dessa tabela da F. de São Paulo. Quero ver o governo negá-la

    ResponderExcluir
  59. Caro amigo, Euler. Você tem toda a razão quando pede a destruição do projeto de poder que impera em Minas, mas mais que isso, precisamos pensar urgentemente uma alternativa para um novo projeto. O grande erro das atuais reivindicações sociais em todo o mundo é a falta de uma alternativa clara que vá substituir a que aí está. Vou ver se consigo participar da reunião no dia 26/11, mas tenho prova do PROFMAT em São João Del Rei e não sei se estarei aqui às 14 horas. Um grande abraço,
    Prof. Paulo Vieira

    ResponderExcluir
  60. VAMOS FAZER UM OUTDOOR DESSA TABELA DOS ESTADOS COM O PISO.
    MOSTRAR A TODOS DE MINAS COMO ANSTAZIA MENTE."U O JORNAL DE CIRCULAÇÃO NACIONAL ESTA MENTINDO"

    QUERO VER SE TERÁ CORAGEM DE DIZER QUE Q FOLHA DE SÃO PAULO ESTA MENTINDO..

    A JUSTIÇA DE DEUS VEM A CAVALO, MAS UM DIA CHEGA.

    ResponderExcluir
  61. Caríssimos:
    Concordo plenamente com o(a) anônimo(a) das 8:14.Não podemos nos iludir com alguns partidos, pois todos eles têm representantes que oprimem os educadores. Temos exemplos claros nesses dias que vivemos: Anastazista em Minas Gerais; Tarso Genro No RS, Cid Gomes (apoiador do governo federal) no Ceará. RPrecisamos encontrar que realmente esteja comprometido com a nossa causa e não aqueles que querem usar a nossa força política e nos virar as costas depois, cooptando algumas de nossas lideranças e deixando os outros educadores ao "Deus dará".

    ResponderExcluir
  62. ACHO QUE DEPOIS DESSA O GOVERNO VAI ENFIAR O RABINHO NO MEIO DAS PERNAS E NOS PAGAR O PISO.

    O TEMPO ESTA FECHANDO PARA ELE( OU MELHOR JA FECHOU)

    MAS O SINDICATO TEM QUE TOMAR MUITO CUIDADO POIS ELES NÃO TEM CARATER.

    HOJE VAMOS DAR UM BASTA NESSAS NEGOCIAÇÕES, POR BEM OU POR MAL.


    E O NOSSO PREMIO DE PRODUTIVIDADE, VAI FICAR PARA OS PANETONES DELES?

    ResponderExcluir
  63. CHARLOTTE CONTRA A SUSPENSÃO DA GREVE!!!

    Taí, deu no que deu suspender a greve que NAQUELE momento era VITORIOSA E HERÓICA...
    Xeque-mate foi o que o governo nos deu com essa propaganda!!!
    Chave de braço em todos nós... e tudo por culta dessa gente que não gosta de ser radical...
    "Se ferramos"... com essa mania de ser esquerda light!!! kkkk
    BEM FEITO PARA TODAS NÓS!!!
    Esse Sindicato...

    ResponderExcluir
  64. Euler, assim como você disponibilizou sua conta para ajudarmos companheiros sem salário, que tal fazerms uma "vaquinha" e arrecadar fundos para confecção e publicação deoutdoors, cartazes que seriam colados em supermercados, igrejas, pontos de ônibus, lojas, etc.

    Vamos pensar nisso com calma, ver o preço e fazer o pedido.
    Além do sindicato, podemos nós mesmos fazer isso.

    ResponderExcluir
  65. KKKKOLHA SÓ, ESSA TABELA COMPARANDO TODOS SALARIOS DOS PISO DE CADA ESTADO DEVE SER COISA DO SERRA E GERALDO PARA FERRAR AECIO...

    VAMOS ENTAR EM CONTATO COM SERRA E GERALDO ELES VÃO ADORAR NOS AJUDAR.

    AERCINHO SO ESTA PREOCUPADO NAS VIAGENS PRESEDENCIAL.

    AI AI, MAS UMA DIA AINDA VOU OUVIR DA BOCA DE AECIO E NASTAZIA QUE A MAIOR BURRDA DA VIDA DELES FORAM MEXER COM OS PROFESSORES.

    ResponderExcluir
  66. VAMOS ESPELHAR OUTDDOR PELA CIDADE, VAI FICAR MUITO BARATO.

    E SO DIZER O QUNATO TEMOS QUE DEPOSITAR E VAI DAR PARA COLOCAR MUIIIITTTTOOOOS E ATE SOBRAR....

    VAMOS EM FRENTE QUE ATRAS VEM GENTE.....

    ResponderExcluir
  67. São absurdas as colocações desta Senhora, que se diz secretária da educação, ao Jornal Hoje em Dia. Impressiona-me como ninguém do Sindicato se preocupa em rebatê-las.
    Geislene - Pará de Minas

    ResponderExcluir
  68. Olá, turma da luta!

    Interessante também notar o percentual das redes estaduais dedicado ao tempo extraclasse. Chama-nos a atenção o estado de Santa Catarina: 45% de tempo extraclasse. Quase a metade da jornada, que é o que historicamente sempre se buscou atingir - e que, na esfera das escolas públicas federais, é o praticado.

    Um forte abraço a todos, com redução de jornada, boicote a todas as avaliações sistêmicas e paralisação dia 22 com assembleia para pressionar os deputados.

    ResponderExcluir
  69. IMPRENSA MINEIRA COMPRADA!REDE GROBO IDEM IDEM!
    SORTE QUE A FOLHA SP TEM REPERCUSSÃO NACIONAL E NA EDIÇÃO DE H0JE, DESMENTIU O GOV DE MG. MAS, ESSE DESGOVERNO TÁ GASTANDO NOSSO DIM DIM PRA BANCAR A PROPAGANDA MENTIROSA NA GROBO!
    BOICOTE Á REDE GLOBO JÁ!
    PRESSÃO NA ALMG JÁ!

    ResponderExcluir
  70. COLEGA DAS 13:05
    KD A TABELA?

    ResponderExcluir
  71. Será que o jornal "O TEMPO", vai publicar a tabela dos rendimentos dos professores em todos os estados, conforme fez com a matéria do PAAE?

    ResponderExcluir
  72. Vamos compartilhar a reportagem no Facebook e no twitter, eu já compartilhei.


    Vejam também: http://www.youtube.com/watch?v=rZD1UwaccPA

    ResponderExcluir
  73. NOTICIA DO TWITTER DO DEPUTADO ROGERIO CORREIA ,O GOVERNO CANCELOU A REUNIÃO DE HOJE COM O SINDUTE E DEPUTADOS,É MUITA COINCIDÊNCIA, JUSTAMENTE QUANDO ESTA BOMBA EXPLODIU NA CABEÇA DO GOVERNO NA FOLHA DE SÃO PAULO NÃO É ? MINAS PIOR SALARIO DE PROFESSOR DO PAIS,CHUPA ANASTASIA.

    ResponderExcluir
  74. Twitter do Rogério Corrêa

    Danilo de Castro informa cancelamento reunião da Comissão de Dep./Sindute/Gov. pois quer mais tempo para estudo da proposta @MGsemcensura

    Mesmo c/canc.do gov., reuniremos aqui no http://gab.PT/PMDB/Sindute as 16h p/avaliar em q ponto estão negociações.Negocia Anastasia! @MGsemcensura

    ResponderExcluir
  75. NECESSITAMOS URGENTEMENTE DE OUT DOORs COM A TABELA DE VENCIMENTOS DOS EDUCADORES EM TODO O BRASIL, PUBLICADA PELA FOLHA DE SÃO PAULO.

    PRECISAMOS DESMENTIR O GOVERNO MINEIRO.

    O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL.

    ResponderExcluir
  76. NÃO PODEMOS PERDER MAIS ESTA OPORTUNIDADE.

    OUT DOOR MOSTRANDO QUE MINAS PAGA O MENOR SALÁRIO DO BRASIL.

    ResponderExcluir
  77. Euler fiz um esboço de uma carta aberta à comunidade escolar, serve só de exemplo, precisamos melhorá-la, o que acha da idéia?

    Carta Aberta à Comunidade Escolar

    Desde o inicio do mês o governo de Minas Gerais vem vinculando na mídia uma propaganda dizendo inverdades sobre o atual momento da Educação em nosso estado e sobre as reivindicações dos professores.
    Sabemos que usar deste artifício pode ser uma maneira do governo tentar tirar de sua responsabilidade os erros que ele mesmo cometeu.
    É sabido que desde 2008 existe uma lei federal que obriga a todos os empregadores o pagamento de um Piso Salarial para os professores (R$ 1187,00 - valor atual), e sobre este piso não pode ser incorporada nenhuma vantagem, nem benefício, sendo assim, declarado como salário base da carreira dos professores. Porém o salário base dos professores em Minas inicia-se em R$369,89,
    bem longe do que a lei exige.
    Todavia em nosso estado o governo insiste em não cumprir a lei e ainda não satisfeito tem usado a mentira como uma de suas armas, tentando jogar a comunidade escolar contra os professores.
    Veja em alguns tópicos ações do governo de Minas que podem servir de referência para demonstrar o que tem passado os professores nesta luta pelo cumprimento de uma LEI.
    Além de não pagar o piso salarial, o governo de Minas:
     Reduziu o salário nominal de 153 mil educadores em julho de 2011;
     Cortou o salário de milhares de servidores em agosto e setembro;
     Pagou ZERO de salário para milhares de educadores em outubro de 2011;
     Aplicou cortes em novembro;
     Não pagou o prêmio de produtividade;
     Contratou pessoas não habilitadas para substituir professores em greve;
     Está previsto mais cortes na folha de dezembro.
    Como se vê ao invés de cumprir a lei federal e pagar o piso, o governo de Minas submeteu a categoria a um intenso e exaustivo processo de humilhação, descaso, tortura, cortes salariais, redução salarial, pressão psicológica e desgaste emocional e físico.
    Um governo que diz valorizar a Educação, não pode falar a verdade, desvalorizando os professores que são parte importante neste processo de construção de uma sociedade mais cidadão.
    Pedimos a todos a compreensão e o apoio em nossa incessante luta buscando a valorização de nossa profissão.
    Professores da Rede Estadual de Ensino

    ResponderExcluir
  78. Pedro Paulo G. Teixeira - Gov. Valadares16 de novembro de 2011 14:47

    Os partidos acabam caindo todos na mesma armadilha da ganância pelo poder. Contudo, se começarmos a mostrar que podemos prejudicar um partido nas urnas, eles pensarão duas vezes antes de brincarem conosco no futuro. Já elaborei um resumo de toda a situação e vou tentar entregar uma cópia para cada um dos meus alunos, para que leiam e mostrem às suas famílias. Também vou manter sempre comigo um símbolo, uma réplica da escultura "Os Guerreiros", mais conhecida como "Os Candangos", que fica na Praça dos Três Poderes em Brasília. Ganhei de uma aluna que esteve lá há alguns meses, e ela enfeitará a mesa do professor em todas as minhas aulas, para não deixar que os alunos se esqueçam da injustiça que estamos sofrendo. Feita por Bruno Giorgi, a escultura é uma homenagem aos trabalhadores que construíram a capital federal e agora vai representar os trabalhadores que constroem a cidadania e o conhecimento, nós professores. Todos podemos fazer isso, redigir algo didático e bancar as cópias para os alunos, além de criar uma maneira de manter viva a chama do protesto.

    ResponderExcluir
  79. Milito no NDG de Cartinga e gostaria de participar da reunião de sabado com vocês, mas estou sem dimdm devido aos cortes que o governo sacanasia fez em meus contracheques, será que tem como viabilizar um meio?

    ResponderExcluir
  80. Direto da EE Presidente Dutra,
    diretora acaba de ameaçar professores com corte do ponto nos dias de redução, alegando ordens da superintendencia.

    ResponderExcluir
  81. Euler, boa tarde!

    De onde o Jornal Folha de SP tirou a informação que o piso salarial em MG é 616 reais?
    É possível enviar uma cópia de um contracheque mostrando o valor verdadeiro do piso (369 reais) e solicitar a correção?

    Maria de Lourdes

    ResponderExcluir
  82. OLÁ EULER,OLÁ RITA DAS 13:04
    ESTOU DE ACORDO COM A RITA.MINHA CASA FICA NA CHEGADA DA CIDADE DE DIVINO (TERRA NATAL DO DEPUTADO SEBASTIÃO COSTA, VULGO SEBASTIAO CACUNDA,POIS SÓ SABE DAR TAPINHAS NAS COSTAS DOS ELEITORES E DEPOIS SOME) E JÁ ESTOU PRONTA PARA COLOCAR UM ENORME OUTDOOR DETONANDO OS POLÍTICOS QUE APOIAM O PSDB.SÓ PRECISO DE IDÉIAS PARA COLOCAR NESSE OUTDOOR, QUEM SOUBER ME MANDE UMA OU UMAS.VAMOS LUTAR PARA QUE ESSE PARTIDO DESAPAREÇA DO MAPA. EM MINAS NUNCA MAIS. MINHA FAMILIA É BEM NUMEROSA. TEM BASTANTE EDUCADORES, JÁ ESTAMOS NOS MOBILIZANDO PARA FAZAER CAMPANHA CONTRA ESSE MALDITO GOVERNADOR E QUEM ESTIVER DO LADO DELE.
    DIVINENSE INDIGNADA.

    ResponderExcluir
  83. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkPor que o cancelamento da reunião? Será mera coincidência? Claro que não! O cara deve estar todo borrado depois dessa. Mente mais Rentinha!

    ResponderExcluir
  84. AS NEGOCIAÇÕES TERMINARAM.

    O PERIGO É AGORA.

    ELES (O GOVERNO), VÃO AGIR SOZINHOS.

    TRAIÇOEIROS COMO SEMPRE.

    TODO CUIDADO, MUITO CUIDADO, PRINCIPALMENTE COM A TRAMITAÇÃO DO PROJETO.

    ELES ESTÃO PERDENDO O CHÃO.

    MENTIRAS TEM PERNAS CURTAS.

    VAMOS FAZER ALGUNS OUT DOORs DESMENTINDO AS INJUSTIÇAS FEITAS EM PROPAGANDA NA TV CONTRA O NOSSO SINDICATO E INDIRETAMENTE CONTRA OS EDUCADORES.

    VAMOS APROVEITAR QUE ELES ESTÃO MEIO TONTOS E DAR UMA BOA CACETADA NESTE governozinho sem vergonha.

    ResponderExcluir
  85. PROF EULER,
    FAVOR RESPONDER UMA DÚVIDA: 1.187,00 É O PISO PARA ATE´40 HORAS P/ PROFESSORES COM FORMAÇÃO EM ENSINO MÉDIO...PQ NA TABELA PUBLICADA CONSTA QUE MG PAGA 616,00 QUANDO NA VERDADE PAGA 369,00?

    DE ONDE SAIU 616,00????

    ResponderExcluir
  86. "IMBRÓGLIO JURÍDICO
    A implementação da lei do piso foi conturbada. Sancionada em julho de 2008, foi contestada três meses depois no Supremo Tribunal Federal pelos governos de MS, PR, SC, RS e CE. Uma das principais argumentações era que a regra significava intromissão em assunto que caberia a cada Estado e município.
    Em abril deste ano, o Supremo decidiu que a lei não fere a Constituição.
    O Ministério da Educação afirma que a regra deve ser aplicada imediatamente, mas que não pode obrigar Estados e municípios a cumpri-la."

    QUE PAIS É ESSE??? MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO AFIRMANDO QUE ESTADOS E MUNICIPIOS NÃO SÃO OBRIGADOS A CUMPRIR DECISÃO DO SUPREMO????

    SOS!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  87. Euler mesmo sem saber se vc leu minha carta abeerta a comunidade eu já fiz algumas modificações e espero que sirva de ideia para quem quiser usar este artificio no trabalho com aos pais.

    Carta Aberta à Comunidade Escolar

    Senhores pais / responsáveis,

    É prática do governo de Minas Gerais veicular na mídia propagandas bonitas e bem elaboradas sobre o atual momento da Educação em nosso estado e sobre as reivindicações dos Trabalhadores em Educação.
    Sabemos que usar deste artifício pode ser uma maneira de o governo tentar tirar de sua responsabilidade os erros que ele mesmo cometeu e passar para a população uma visão equivocada da educação em Minas Gerais.
    É sabido que desde 2008 existe uma Lei Federal que obriga todos os governantes a pagarem um Piso Salarial para os professores (R$ 1187,00 - valor atual). Como o próprio nome diz, é PISO, portanto, é o valor mínimo que um professor em início de carreira, com nível médio de formação, vai receber. Sendo por isso, declarado como salário base da carreira do Magistério. Porém o salário base dos professores em Minas é R$ 369,89, bem longe do que a lei exige.
    Como se vê, em nosso estado, o governo insiste em não cumprir a Lei e, ainda não satisfeito, tem usado a mentira como uma de suas armas, tentando jogar a comunidade escolar contra os professores.
    Veja em alguns tópicos ações do governo de Minas que podem servir de referência para demonstrar o que têm passado os professores nesta luta pelo cumprimento de uma LEI.

    Além de não pagar o piso salarial, o governo de Minas:
     Reduziu o salário nominal de 153 mil educadores em julho de 2011;
     Cortou o salário de milhares de servidores em agosto e setembro;
     Pagou ZERO de salário para milhares de educadores em outubro de 2011;
     Aplicou cortes em novembro;
     Não pagou o prêmio por produtividade a nenhum trabalhador;
     Contratou pessoas não habilitadas para substituir professores em greve;
     Estão previstos mais cortes na folha de dezembro;
     Não está cumprindo o Termo de Compromisso assinado com o Sindicato, quando a greve foi encerrada, em 27 de setembro de 2011.
    Como se vê, ao invés de cumprir a Lei Federal e pagar o piso como forma de valorizar o educador, o governo de Minas submeteu a categoria a um intenso e exaustivo processo de humilhação, descaso, tortura, cortes salariais, redução salarial, pressão psicológica e desgaste emocional e físico. Sabemos que tudo isso reflete diretamente na (má) qualidade da educação dos filhos e filhas do povo trabalhador, que utiliza os serviços públicos.
    Um governo que diz valorizar a Educação, mas fala tanta mentira, calunia educadores, que são parte importante neste processo de construção de uma sociedade mais cidadã, não merece nosso respeito, presta um desserviço à educação e ao povo mineiro.
    Pedimos a todos a compreensão e o apoio em nossa incessante luta por melhores condições de trabalho, salário e, consequentemente, valorização de nossa profissão.
    Professores da Rede Estadual de Ensino.

    ResponderExcluir
  88. Olá, turma da luta!

    Esclarecendo algumas questões:

    a) o valor de R$ 616,00 colocado pela Folha é referente ao valor pago em Minas (369,00) convertido para a jornada de 40 horas. A mesma regra foi aplicada para todos os estados. Ou seja: para 40 horas, Minas deveria pagar pelo menos R$ 1.187,00, mas paga o equivalente a R$ 616,00 - que é o mesmo que dizer que deveria pagar R$ 712,00 para a jornada de 24h para o professor com ensino médio, mas só paga R$ 369,00

    b) não podem cortar o dia de trabalho por conta da redução, pois ficamos na escola no horário normal e cumprimos no mínimo 70% da jornada em sala de aula. O máximo que o governo poderia fazer é cortar o equivalente a uma ou duas aulas. Mas, a pergunta que devemos fazer: ele se comportou assim durante a greve, quando muitos ficaram na escola assinando ponto sem trabalhar?

    c) parece que a pressão popular, combinada com a matéria da Folha, mais as nossas mobilizações estão provocando efeito. O governo cancelou a reunião de hoje, o que significa que deve mudar sua proposta, que seguramente seria indecente. Ele vai se reunir na sexta-feira com os deputados, e na segunda-feira com o sindicato. Pode reunir até com o Papa. O importante é que ele saiba que a categoria está indignada, de pé e pronta para a luta, se ele não pagar o que nos deve, por direito assegurado em lei.

    Um forte abraço a todos e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  89. Euler, a notícia abalou o (des)governo. Saiu de fininho com sua nova proposta que, com certeza, seria
    indecente.

    ResponderExcluir
  90. CIDADE INADIMINISTRÁVEL
    16/11/11, 15:39

    Música de sucesso do momento em toda a CIDADE INADIMINISTRÁVEL:

    - "renatinha, mentirosa".

    ... a renatinha não gostou muito deste sucesso, pois está toda enrolada juntamente com o "daquilo castrado".
    ... esses professores me pagam por tanto trabalho.
    ... só o mesmo o desqualificado do MARO pode dar alguma satisfação, umas entrevistas mentirosas como sempre na rádio da iaiá...

    ... enquanto isso todos seguem cantando, o sucesso do momento,
    - "renatinha mentirosa".

    ... ô renatinha, não se esqueça dos supositórios ROLHEX GG para o MARO, viu?

    Da CIDADE INADIMINISTRÁVEL,
    repórter do blog do Euler.

    Voltaremos a qualquer momento.

    OBS: Hoje este lugar está fedendo mais do que de costume.

    ResponderExcluir
  91. O Sind UTE, no mínimo tem que fazer circular como encarte, esta matéria da "Folha.com".

    Se não fizer, mostrará grande FRAQUEZA diante dos educadores.

    Não podemos continuar a desperdiçando OPORTUNIDADES.

    OUT DOORs, JÁ!

    ResponderExcluir
  92. Minas tem o pior piso do país. É fato. Mas, ao que parece, Minas tem também a pior imprensa do país. Foi preciso que um jornal de São Paulo fizesse essa revelação nacional, já que os jornais daqui de Minas... Nada veem. Ou melhor, só enxergam $$$$$$$$$

    ResponderExcluir
  93. TUDO AGORA ESTÁ SENDO ESCLARECIDO.ATÉ QUE ENFIM UM JORNAL DE REPERCUSSÃO NACIONAL E ATÉ INTERNACIONAL FEZ O QUE NÓS ESTÁVAMOS SEMPRE FALANDO AQUI SOBRE OS JORNALECOS DE MEIA TIGELA QUE SOMENTE NOS DIFAMAE DENIGRE NOSSA IMAGEM.AGORA A BESTA DO APOCALIPSE ESTÁ ENCURRALADO.QUERO VER O QUE VAI ACONTECER POIS ELE TERÁ QUE DAR ALGO ALÉM DO IRIA NOS PROPOR HOJE(NADA) AGORA ESTA BESTA TEM QUE REVER SEUS CÁLCULOS OU O PADRINHO ESTÁ FERRADO E TODA A CORJA DE LADRÕES.ALI BABÁ E OS 40 LADRÕES OU 50 OU 60 KKKKKKKKK ACHO QUE JUNTANDO TUDO DÁ MUITO MAIS.DEUS ESTÁ DO LADO DOS OPRIMIDOS E INJUSTIÇADOS.PARABÉNS A FOLHA ESTE EXCELENTE JORNAL .PROFISSIONAIS GABARITADOS E NÃO SE VENDEM POR QUALQUER 30 DINHEIRO.VAMOS ESPERAR .ACHO QUE AGORA ESTOU MAIS CONFIANTE.DEVEREMOS TER MELHORES PROPOSTAS NA SEGUNDA KKKKKKK

    ResponderExcluir
  94. PERDOE ME ALGUNS ERROS QUE COMETI NO MEU COMENTÁRIO ANTERIOR .ESTOU ADORANDO.HOJE EU ESTOU EM PAZ.ADOREI.DEUS É FIEL

    ResponderExcluir
  95. SERÁ QUE A BESTA E SEUS CÚMPLICES ESTÃO REFAZENDO OS CÁLCULOS??? HAHAHHA ADOREI ESTE JORNAL É DE UMA CATEGORIA QUE JAMAIS VI.SEMPRE GOSTEI DESTE JORNAL.ELE É DE MUITA CREDIBILIDADE.AGORA O MUNDO TODO JÁ SABE DA PODRIDÃO QUE É ESTE DESGOVERNO.AÉCINHO O PADINHO DEVE TER LIGADO PARA ELE URGENTE.EULER ESCREVE UM DIÁLOGO SOBRE ISSO AMANHÃ , PLEASE ADORO AQUELES DIÁLOGOS CAPTADO POR VOCÊ.EU JÁ IMAGINO O PADINHO CUSPINDO FOGO E BEBENDO TODAS HAHAHAHHAHA

    ResponderExcluir
  96. SOCORRO!!!!!!!!ESTÁ ME FALTANDO O CHÃO!!!!!!!!!!!!
    OUVI DIZER QUE OS FURA-GREVE, AQUELES QUE FICARAM NA ESCOLA ASSINANDO O PONTO, IRÃO RECEBER AS AULAS DE REPOSIÇÕES, OU SEJA, VÃO RECEBER DOBRADO POR NÃO TEREM FEITO GREVE! PRÊMIO PARA OS NÃO-GREVISTAS!PARABÉNS PARA ELES! ORDINÁRIOS!!!!!!
    ISTO É MESMO VERDADE?

    ResponderExcluir
  97. Oi, pessoal não vamos nos esquecer:

    "SOU PROFESSOR, PSDB, NUNCA MAIS"

    A vitória está próxima.
    Um Abraço!
    Soraya, Bom Sucesso.

    ResponderExcluir
  98. temos que fazer circular esta noticia da folha de São Paulo a respeito do salario dos professores mineiros em todos os lugares do brasil e, do mundo. enviem para o blog do Azenha, do Paulo Henrique Amorim,do Nassif, e para qualquer outro que poder nos ajudar á disseminar esta bomba ,fora Aécio 2014.

    ResponderExcluir
  99. Muito estranho a notícia que o governo vai se reunir primeiro com os deputados. Cheira mutreta.

    ResponderExcluir
  100. Olá, pessoal da luta!

    O sindicato deveria cobrar do governo explicação pública sobre quais escolas e quem são os profissionais que não cumpriram a reposição das aulas em 2010. Pelos meus cálculos (vocês sabem que eu sou razoavelmente bom nos cálculos, rsrs), mais de um milhão de horas/aula sem reposição, segundo o governo, considerando um número de 30 dias letivos ou menos (tirando dos 47 dias os sábados, domingos, feriados e dias extraclasse), seria o mesmo que afirmar que entre 7 mil e 10 mil professores não teriam feito um único dia sequer de reposição de aulas. É como se em mais de 200 escolas não tivesse ocorrido qualquer reposição em 2010. Ora, as inspetoras, diretores de escola, e SREs não acompanham este trabalho? E se o fizeram, por que o governo ficou em silêncio ao invés de agir e garantir a reposição? Então ele escondeu estes dados dos pais de alunos, talvez por se tratar de ano eleitoral? E o MP não fará nada?

    São perguntas que o sindicato poderá fazer para os jornalistas, mesmo sabendo que esta imprensa mineira e nada é a mesma coisa, ou pior um pouco.

    Um forte abraço,

    Euler

    ResponderExcluir
  101. Sub-comandante Euler, temos que colocar a edição na mídia, sindicato, acooooooooooooooorda.Força na luta.

    ResponderExcluir
  102. Boa tarde!
    Euler, sou professor (sofredor) da rede estadual, moro em Lavras, cidade que,covardemente, quase não aderiu à greve, me sinto envergonhado por isso, mas, acompanho seu blog quase que diariamente e me sinto indignado com os desmandos que ocorrem em nosso estado. Ontem, quando assistia ao jornal nacional sobre as mobilizações contra a corrupção tive uma idéia que gostaria de compartilhar com você e se achar viável, compartilhar também com os milhares de colegas que visitam este blog. Como vc bem disse em seus comentários, somos uma classe que estamos em contato diário com muitos alunos (formadores de opiniões), pais de alunos, enfim, então que tal se passássemos a utilizar como "uniforme de trabalho" camisetas com frases de ordem alertando a população sobre a verdadeira situação da educação em minas e quem realmente é o nosso "governador". Como não temos dinheiro para usar a mídia como os grandes, vejo isso como uma forma barata e efetiva de protestar. Não sei em termos legais se teria algum problema (já que a corda só arrebenta do nosso lado).
    Exemplo de algumas frases que podemos estampar em nossas camisetas:
    ANASTASIA SEU FALASTRÃO, CADÊ O PISO DA EDUCAÇÃO.

    PELO CUMPRIMENTO DA CONSTITUIÇÃO FORA ANASTASIA

    POLÍTICO SEM PALAVRA, ESTADO SEM MORAL FORA ANASTASIA
    Estas são algumas frases que podemos usar em nossas camisetas, principalmente enfocando sobre (FORA ANASTASIA), acho que irá atingir algum resultado se o movimento se engrandecer.

    ResponderExcluir
  103. JÁ QUE TODOS OS QUE DEVERIAM COBRAR O CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO LAVAM AS MÃOS.A QUAL JUSTIÇA OS SINDICATOS DEVERÃO RECORRER, SE ESTA ENCONTRA-SE CEGA, SURDA E MUDA, QUANDO A VOZ QUE GRITA É DO POBRE?

    ResponderExcluir
  104. Euler,
    O Sindute-MG não pode deixar passar em branco esta matéria do Jornal Folha de São Paulo, que é um dos mais conceituados e respeitados do Brasil. Deus está nos dando uma grande oportunidade de rebater as mentiras deste governo. Se o sindicato não puder arcar com uma matéria em horário nobre, vamos arrecadar fundos para isso.

    ResponderExcluir
  105. "Carta de uma educadora mineira ao legislativo estadual.

    Else Vasconcelos Souza -

    Denhores Deputados e Senhoras Deputadas,

    Não sei existe mentira mais absurda do que esta divulgada pelo governo durante o final de semana prolongado..."

    Leia matéria completa no link:

    http://www.tribunavarginhense.com.br/2011/11/16/carta-de-uma-educadora-mineira-ao-legislativo-estadual/


    Há um jornal de Valadares - Diário do Rio Doce, se não me engano - que também publicou artigo contrário à propaganda do governo, mas o acesso pela internet é exclusivo para assinantes.

    Pelo que estamos vendo e sentindo, e já havíamos comentado aqui, a propaganda do governo teve um efeito inverso, ou seja, todos estão indignados com o governo, que não paga o piso, ataca os educadores e comete todo tipo de crueldade contra os servidores da Educação.

    ResponderExcluir
  106. Vamos para as ruas!!!!
    Acorda SINDUTE-MG, agora que a vaca foi para o brejo mesmo, vamos adotar como política do sindicato a destruição sistemática do PSDB no estado (NÃO ESQUECENDO DA CUMPLICIDADE DA DILMA E DO SONOLENTO MEC). O sindicato precisa deixar de fluflu e colocar como lema:
    SOU EDUCADOR PSDB NUNCA MAIS.

    MURILO MAIA - NÚCLEO ANTI-PSDB - NORTE DE MINAS
    Sd NDG

    ResponderExcluir
  107. Reunião cancelada , sem data para acontecer outra? E aí????
    Vai ficar por isso mesmo??????
    greve já...
    greve já...
    greve já....

    ResponderExcluir
  108. Boa tarde companheiros de luta!
    A desgraça maior é ver esse bando de PELEGOS, FURA-GREVE continuarem em sala como se nada estivesse acontecendo! Taí: um jornal de SP tem a coragem de dizer a verdade! Minas é o pior salário do Brasil! Que mais falta pra esse bando de baba-ovo se conscientizarem? Esse governo só desmarcou a reunião de hoje com o Sind-UTE pq a proposta deveria ser um LIXO! Pro inferno com esse povo! Minha indignição é tanta que é melhor parar por aqui: o que eu tenho a dizer pra esse governo fascista, calhorda, facínora e falacioso só pode ser expresso com um dúzia de palavrões que não merecem ser publicados aqui nesse blog...
    Um abraço a todos os professores de coragem que sustentaram essa greve!
    Prof. Marcelo
    B.H.

    ResponderExcluir
  109. Enfim, a reunião entre governo e o sindicato foi oficialmente marcada para o dia 21/11/11? Será lorota?

    ResponderExcluir
  110. O GOVERNO DEVE REUNIR-SE COM OS DEPUTADOS DA BASE E ENVIAR O PROJETO COM ALGUMA MÍNIMAS MODIFICAÇÕES À ALMG, AINDA HOJE.

    ResponderExcluir
  111. A vitória será conquistada... agora vejo isso mais do que nunca. Com essa reportagem da Folha de S. Paulo o governo não conseguirá nos desmentir.

    O povo já está indignado com o governo também... muitos já comentam comigo o quanto ele é incompetente. Muitos também estão revoltados com essas propagandas intermitentes e caríssimas.

    Anastasia e Aécio Never já perderam demais... todo o governo agora está se passando por mentiroso depois da matéria da Folha. Ninguém mandou ser palhaço e querer bater de frente com tudo.

    Ainda comete Improbidade administrativa, ato ilegal, com essa propaganda da mulher da saia preta.

    "A lei não prevê punições de caráter penal, mas sim de natureza civil e política, ou seja, incluem a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, multas e reparação do dano."

    Claro que isso não vai acontecer... mas que ele deve estar com a pulga atrás da orelha... isso está!

    E um videozinho aqui para rirmos da cara dele e da Vilhena :

    http://youtu.be/rZD1UwaccPA

    ResponderExcluir
  112. Concordo com a Charlote em grau, gênero e número. Agora de uma coisa estou certa: podemos nos preparar que vem Bomba!

    ResponderExcluir
  113. Leiam: uarta-feira, 16 de novembro de 2011, 18:41 HS
    Deputados da oposição repudiam ofensas do governo de Minas ao Sind-UTE

    Abaixo, nota elaborada por deputados do PT, PMDB e PC do B, após reunião realizada com coordenadores do Sind-UTE/MG para avaliar o curso das negociações com o governo do Estado.

    ResponderExcluir
  114. http://lfigueiredo.wordpress.com/2011/11/16/folha-desmonta-marketing-de-aecio-na-folha/
    Euler e leitores deste blog, o link acima é do blog do Lucas Figueiredo, o único jornalista mineiro que tem peitado o Aécio e sua corja.

    ResponderExcluir
  115. HC: falta a Aécio comportamento de presidenciável

    Aécio, vítima do humor ácido e das críticas de FHC
    Noutro dia, no seminário do PSDB no Rio, com toda a imprensa presente, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso chamou Aécio Neves de “carioca”. Foi um chiste, é claro, mas não só um chiste. Foi também uma boa espetada. Afinal, FHC sabe muito bem que, justamente neste momento, Aécio está sendo cobrado por seu posicionamento no Senado na votação do projeto de distribuição dos royalties do pré-sal. Quem lê o blog sabe que Aécio procurou favorecer o Rio de Janeiro, em detrimento dos interesses de Minas Gerais, Estado pelo qual se elegeu.

    Pois bem, FHC não parou no chiste maldoso. Veja abaixo a coluna de hoje Josias de Souza na Folha.com.

    Para quem não sabe, Josias escreveu, em parceria com Gilberto Dimenstein, um excelente livro sobre os bastidores do governo FHC (A história real: trama de uma sucessão). O jornalista tem boas fontes no tucanato, incluindo o próprio FHC.

    xxx

    FHC: Falta a Aécio “comportamento” de presidenciável

    Josias de Souza, para a Folha.com

    Em seus diálogos privados, Fernando Henrique Cardoso tem dedicado a Aécio Neves críticas ácidas. Na opinião de FHC, o comportamento de Aécio é incompatível com o desejo dele de ser candidato à Presidência da República.

    Presidente de honra do PSDB, FHC se queixa da “ausência” de Aécio na discussão sobre os temas mais relevantes. “Ele não dialoga com a nação”, resume.

    Ao esmiuçar o raciocínio, FHC declara: não se trata de antecipar a campanha, mas de escolher um rol de assuntos e se apresentar para o debate.

    FHC considera ultrapassada a estratégia de esperar que o calendário se aproxime do ano eleitoral para iniciar a exposição. É tática “velha”, eis a palavra que usou.

    Insinua que, desde que se elegeu senador, no ano passado, Aécio enfurnou-se no Senado. O ideal, segundo diz, é que o presidenciável corresse o país.

    Acha que Aécio deveria aproveitar a atmosfera de pré-campanha municipal para visitar os municípios com maior quantidade de eleitores.

    Sintomaticamente, Aécio prepara um ciclo de viagens para o início de dezembro. Deve passar por Pernambuco no dia 8, pela Bahia no dia 9 e pelo Espírito Santo no dia 10.

    De resto, Aécio articula com o aliado Sérgio Guerra, presidente do PSDB, uma agenda de viagens aos municípios onde o partido dispõe de candidatos bem postos.

    Na opinião de FHC, deve-se sobretudo ao vazio proporcionado pela inação de Aécio a sobrevida da candidatura presidencial de José Serra.

    FHC enxerga em Serra, por exemplo, credenciais para fazer incursões no debate sobre a degradação moral da política.

    Costuma dizer que sempre houve corrupção na política. Mas acha que, agora, subverteu-se a ordem das coisas: há política na corrupção.

    Dito de outro modo: hoje, a corrupção, por abundante, prevalece sobre a política, ofuscando-a. “O Serra é duro o bastante para romper com isso”, acredita.

    O que se esconde sob os comentários de FHC é, em essencia, uma ponta de decepção com Aécio.

    Nas pegadas da derrota de Serra para Dilma Rousseff, na eleição presidencial do ano passado, FHC dissera que a fila do PSDB andara. Seria a vez de Aécio.

    Daí o desapontamento. Na avaliação de FHC, Aécio desperdiça sua hora.

    EULER e leitores deste blog: a matéria acima foi copiada do blog do Lucas Figueiredo, o único jornalista mineiro que tem peitado o Aécio e sua corja.

    ResponderExcluir
  116. Neste post uma revelação importante a respeito da divida dos professores de um milhão de horas: http://grevepromg.blogspot.com/2011/11/anastasia-esquerda-o-traje-espacial.html

    ResponderExcluir
  117. O desgoverno de Minas se esquece que existe uma tabela proposta pelo próprio Sindicato, proporcional aos R$1.187,00, ou seja , R$712,00 por 24h de jornada semanal.
    Se nós devemos milhares de horas de 2010, onde estavam os diretores, inspetores e a SEE que admitiram tal calote. Livro de Ponto nenhum é fechado caso haja alguma falta de servidor.
    É uma mentira atrás da outra, tentando subestimar a inteligência dos mineiros, gastando milhões em propaganda enganosa.
    Por que não admitem que o Aécio deixou um Estado falido e que o desgoverno não tem como cumprir seus compromissos? Se é que algum dia cumpriram acordo com educadores!!!
    Nem aqui em Minas aquele Zé Carioca lá tem coragem de morar.
    Temos que boicotar as avaliações sistêmicas, sim, e mostrar pra todo o mundo que por aqui as coisas não são como essa porcaria de desgoverno vem divulgando.
    CHEGA DE MENTIRA!!!
    FORA PSDB, QUE HÁ ANOS VEM ACABANDO COM SERVIÇOS ESSENCIAIS PARA O POVO:EDUCAÇÃO E SAÚDE.
    MAS É ISSO: QUANTO MAIS MISERÁVEL UM POVO E MAIS IGNORANTE, MAIS FÁCIL DE SER MANIPULADO POR ESSA CORJA DE CORRUPTOS.
    É ESSA A POLÍTICA DELES:DÁ COM A COLHER(de chá!!!) E TIRA COM A PÁ!

    ResponderExcluir
  118. olá Euler
    Somos 380 mil professores mas não se esqueça que podemos multiplicar estes votos por mais um milhão se trabalharmos em sala de aula com alunos eleitores... Ainda temos voz em sala de aula e alunos eleitores podem nos escutar e multiplicar as informações... Ninguem se lembrou disso neste governo insano????

    ResponderExcluir
  119. AÉCIO ANDA CRITICANDO O PT. NÃO SOU PETISTA, MAS QUEM É ELE PARA FALAR ALGUMA COISA, ERA MELHOR FICAR CALADO
    DEIXOU UM ABACAXI PARA ANASTASIA E FICA AI DANDO UMA DE SANTO

    ResponderExcluir
  120. GOVERNO TA TÃO PERDIDO QUE ADIOU REUNIÃO
    ESTA PERDIDO SEM SABER O QUE FAZER
    SE NÃO PAGAR O PISO ACABAREMOS COM BONS RESULTADOS EM MINAS

    ResponderExcluir
  121. Gostei da idéia dos OUT DOORs. Contem com minha contribuição, caso a idéia se concretize. Concordo que não devemos esperar pelo sindicato. Não podemos perder essa oportunidade. Quem sabe, seus capachos fiquem com vergonha, e tomem atitudes mais dignas.
    Maria Helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  122. POXA, PENA QUE FOI SÓ A FOLHA, FALTA VEJA, ETC REPORTAGEM EDUCAÇÃO

    ResponderExcluir
  123. EI, QUEM É ASSINANTE FOLHA, QUERO VER REPORTAGEM POSTEM AI GENTE

    ResponderExcluir
  124. Boicote ao SIMAVE é indispensável. Mesmo porque não serve para nada, só para o governador aparecer e arrancar dinheiro do BIRD.
    ESCLAREÇA PARA OS ALUNOS.pORQUE TEM DIRETOR PUXA SACO QUE VAI TENTAR INVERTER A SITUAÇÃO.

    ResponderExcluir
  125. PRECISAMOS REDISCUTIR A POLITICA E A FUNÇÃO DO LEGISLATIVO.
    ELE TRABALHA PARA O POVO OU PARA O EXECUTIVO?

    ResponderExcluir
  126. Euler,

    Qualquer que seja a desculpa, achei um grande desrespeito do governador suspender a reunião de hoje sem, antes, com boa antecedência, informar ao Sindicato.

    Esta não seria a primeira, segunda, terceira...reunião. Ele está brincando com a nossa categoria e pisoteando o Sind-Ute, através da Comissão Tripartite.
    O momento é oportuno para abandonar estas negociações que não levam a nada. Dá-se mais tempo ao governo para que ele faça arranjos sempre fora do que ficou acordado. Precisamos impor as nossas condições e não esperar que o ditadorzinho imponha as dele.
    O céu escureceu pra ele e sua traia. No vídeo, por sinal muito engraçado, ele fala que o piso que os professores querem só no céu... Mas ele está provocando e humilhando os trabalhadores da educação é aqui na terra, e é aqui que vamos resolver esta parada.

    Não tem pra onde fugir, Anastasia. Ou cumpre a Lei ou o "bicho" vai pegar novamente.

    ResponderExcluir
  127. E as coligações ...Primeiro o "Partido" depois a categoria...

    ResponderExcluir
  128. E agora anestezia? Já está bolando a nova propaganda com mocinha de saia preta e música de fundo bonitinha para justificar a reportagem? Estamos aguardando!

    ResponderExcluir
  129. Euler, a idéia do anônimo da 17:13 parece ser boa. Imagine todos ou quase usando uma blusa preta (preta, por minha conta), com dizeres alusivos a FALTA DE RESPEITO DO governo PARA COM OS EDUCADORES/EDUCAÇÃO. Analise essa idéia Subcomandante. Grande abraço.
    RESISTÊNCIA!
    BOICOTE JÁ.
    FORA PSDB, E OUTROS...

    Professor Odair José

    ResponderExcluir
  130. SIND-UTE lavou a alma!!!!!!!!!!!!!!!!
    Renatinha, Lucinha,Satanazia, Onde estão todos?
    Atraz do nariz de Pinóquio????????????????
    Quem está mentido?
    Cadê a "grobo"?

    ResponderExcluir
  131. Euler tem escolas aplicando provas de todo tipo a mais ou menos há um mês o estado e regionais estão enviando essas provas e as escolas juntamente com uma serie de funcionários professores ALIEN trabalhando como se nada acontece FELIZES COMO OS SETE ANÕES DA BRANCA DE NEVE e quando vc fala ainda te olham de cara feia oh! Deus quero mudar de estado, pais, o povinho tem o governo que merece.. E O BOICOTE AO PAEE E SIMAVE ?

    ResponderExcluir
  132. as sedes dos sindicatos estão falhando muito tem escolas e regionais atuando normalmente aplicando provas de Paee e outras mais, visitas e os professores não sabem o que está acontecendo (porque querem) pois não acredito que tenha algum feliz mais tem muitos fingindo que estão trabalhando estão preocupados com a enorme fortuna do Prêmio Produtividade afinal são tão necessitados que qualquer esmola do governo o faça feliz por isso fingem estar normal e trabalhando bem para o ano que vem...

    ResponderExcluir
  133. Se os sindicatos não agirem esse boicote não irá acontecer falta pique, falta coerência , falta divulgação, falta falar a mesma língua em toda a Minas, Sindicato desprega a bunda da cadeira corre para as pequenas cidades onde os professores são uns cordeirinhos e até mesmo sem vontade própria só usam computador para brincar FORÇA GENTE AJUDEM E SERÃO AJUDADOS é assim que pensam...

    ResponderExcluir
  134. Os governos, inclusive o indecente de Minas dizem que não tem dinheiro pra cumprir a lei. Não tem porque se pagar o piso a roubalheira vai ter que diminuir. Nos aguardem na próxima eleição. POLÍTICOS DE MERDA IRÃO PARA A LATA DE LIXO.

    ResponderExcluir
  135. ... podem esperar mais peso na mídia pelo desgoverno ...

    ResponderExcluir
  136. INCRÉDULA CHARLOTTE:

    Com a "suspensão" da greve nos reduzimos a nós mesmos ao pó...aceitemos pois o pó de giz sem piso!!!
    Agora é tarde para retomar a luta. A patuléia jaz; sucumbamos ao terror imposto pelo IMPERADOR!!!
    E VIVA A ESQUERDA LIGHT... esquerda DIET de astúcia e inteligencia!!!
    Sejamos soft, suaves... e nunca radicais pois que radicais são livres, não é mesmo?

    ResponderExcluir
  137. Remuneração por subsídio já é opção de 70% dos servidores da Educação


    BELO HORIZONTE (16/11/11) - Desde janeiro de 2011, foi implantada no Estado uma modalidade de remuneração, denominada subsídio pela Constituição Federal, para todos os profissionais da Educação. Com esse novo modelo, 23% dos professores de educação básica tiveram um aumento de mais de 40% em suas remunerações finais; 41% receberam um reajuste entre 10% e 40%.

    Atualmente, 70% dos servidores da educação do Estado recebem por essa modalidade, cuja remuneração inicial é de R$ 1.122,00 por 24 horas semanais para professores com nível médio de escolaridade – um valor 57% proporcionalmente superior ao piso nacional do MEC, que é de R$ 1.187,00 para uma jornada de 40 horas semanais. Para professores com licenciatura plena, escolaridade mínima exigida desde 2007 para ingresso na carreira no estado, o salário inicial para jornada de 24 horas semanais é de R$ 1.320,00 – um valor 85% proporcionalmente superior ao piso nacional. Para professores com licenciatura plena, escolaridade mínima exigida desde 2007 para ingresso na carreira no estado, o salário inicial para jornada de 24 horas semanais é de R$ 1.320,00 – um valor 85% proporcionalmente superior ao piso nacional.

    A implantação do subsídio representou um aporte anual adicional de R$ 1,4 bilhão na folha de pagamento da educação. Mesmo com a implantação desse modelo, o Governo de Minas manteve aberta a possibilidade de os servidores permanecerem no sistema de remuneração antigo. Para esses servidores – que atualmente somam 30% do total – o governo encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 2355/2011, que em seu art. 13 determina que ”o vencimento básico dos servidores (professores e especialistas) da educação não poderá ser inferior ao Piso Salarial Profissional Nacional a que se refere a Lei federal 11738/2008 observada a proporcionalidade em relação a carga horária de trabalho.

    Importante ressaltar que em Minas Gerais nenhum professor que optou por permanecer no modelo antigo de remuneração recebe menos do que R$ 935,00 por contrato de trabalho, sendo que cada professor pode ter até dois contratos. Ao vencimento básico são acrescidos diversos abonos e gratificações. Em Minas Gerais são até 22 tipos de vantagens pessoais. Se o total da remuneração não chega a R$ 935,00, o Governo de Minas complementa o salário do servidor com a “parcela remuneratória do magistério”.

    ResponderExcluir
  138. Cadê vc anasta? Porque vc adiou a reunião meu querido? Foi por causa da Folha de São Paulo? Fica nervoso não viu! Faz mais propagandas bonitinhas e agora contrata artistas globais! A balela talvez pegue melhor! Só tenha cuidado porque a Folha não vive em seu quintalzinho a República de Minas Gerais! Ela pode te ferrar!

    ResponderExcluir
  139. GRAÇA:

    A reportagem sobre o piso nacional dos professores, publicada hoje pelo Jornal Folha de São Paulo, "mesmo sem querer" desmente a propaganda que a rede globo vem veiculando contra os professores! Bom lembrar que 30 segundos na rede globo custam mais de 100 mil reais! E quem está pagando a conta? Todos os mineiros, uai!!!

    Divulguem a reportagem para todos seus contatos, facebook, etc etc
    clic para ler:
    http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

    Divulguem o texto de nossa colega:

    O REI ESTA NU
    É de autoria de Hans Christian Andersen a história “A roupa nova do rei”.
    Numa versão livre, Alfredo Braga nos introduz nela com as seguintes palavras:
    “Era uma vez um Rei que apreciava de tal maneira roupas novas que despendia com elas grandes fortunas. Ele não se importava com as bibliotecas, com as escolas, ou com os museus, a não ser para exibir as suas roupas.“
    Segue a historinha contando que toda a sua corte não teve coragem para dizer-lhe que, não vendo o tecido fingiam vê-lo, causando assim uma hilária estória que mostra a falsidade e o medo humano de se revelar diante dos outros.
    Na edição de hoje, 16 de novembro, o caderno Cotidiano do jornal Folha de S.Paulo mostra a tabela com o piso salarial de todos os Estados brasileiros, em artigo que trata do descumprimento da Lei que estabelece o Piso Nacional do Magistério.
    Mesmo os estados que não cumprem o referido piso, que é de R$1.187,00, para 40 horas semanais de trabalho, apenas MINAS GERAIS, Roraima e Rio Grande do Sul ficam abaixo das faixas salariais dos outros estados que estão pagando entre R$1.106,00 e R$3.400,00.
    Desses três estados, Minas é o campeão. O valor apresentado é de R$616,00.
    As emissoras de TV mineiras, têm veiculado fala oficial do Governo.
    Atentem para o fato que isso é feito com nosso dinheiro, enquanto contribuintes de impostos numa vergonhosa “queda de braço” com os professores que fizeram greve recentemente e que, mesmo através de seus sindicatos, não têm “verba” suficiente para responder no mesmo nível.
    Mas agora O GOVERNADOR ESTÁ NU e não apenas para os eleitores mineiros, mas para todo o Brasil e com ele, aquele que o apóia e comanda com objetivo político de, no futuro ter a pretensão em presidente da república.
    Se o “nosso reizinho” e sua corte não se importam com a educação em Minas, que dirá com a do Brasil.
    Iara Manata Pontes - Pedagoga

    ResponderExcluir
  140. Não era hoje que o projeto iria para ALMG e ai como fica?

    ResponderExcluir
  141. Olá, turma da luta, que nunca se rende, nem se entrega!

    Olha aí, pessoal, a matéria do Anônimo das 22h03m é claramente uma matéria do governo, defendendo o subsídio como a melhor opção. Este assunto já está superado. Se o governo diz que apenas 30% dos servidores da Educação optaram pelo antigo sistema remuneratório, então fica fácil de resolver o problema: é só pagar o piso para estes 30% que não haverá praticamente nenhum impacto nas contas do estado.

    Agora, se o governo insiste em dizer, que mesmo pagando para estes (nós) 30% que ficaram no sistema de VB, ainda assim ocorre um grande impacto, então ele precisa se justificar perante os 70% que ficaram no subsídio, pois todos eles foram enganados.

    Ou seja: de um jeito ou de outro o governo está aplicando calote em todos os educadores de Minas Gerais. E isso nós não vamos aceitar. Chega de lero lero e pague o piso, governador, porque senão Minas vai tremer cada vez mais forte!

    Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

    P.S.: Acabo de chegar da escola, onde tivemos uma boa discussão. Todos estão indignados com as atitudes do governo. A comunidade escolar, idem. Não podemos parar de cobrar e de movimentar a nossa turma! Força na luta!


    Euler

    ResponderExcluir
  142. Olá, pessoal!

    Não estou gostando dessa ideia de reuniãozinha separada com deputados e depois outra com sind-UTE na SRE. E a tal comissão tripartite? Foi destituída? Hummm

    ResponderExcluir
  143. CHARLOTTE E AS LÁGRIMAS SALGADAS...

    Valeu a pena? Tudo vale a pena
    Se a alma não é pequena.
    Quem quer passar além do Bojador
    Tem que passar além da dor.
    Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
    Mas nele é que espelhou o céu.

    POIS É, COMO BEM JÁ DIZIA PESSOA...QUEM QUER PASSAR ALÉM DO BOJADOR, TEM QUE PASSAR ALÉM DA DOR... como não quisemos a DOR da continuidade da GREVE, só nos resta chorar lágrimas de sal

    ResponderExcluir
  144. Gente abre o olho ! Ai tem porco espinho!Vem bomba! GENTEE! VAMOS PARAR DE VEZ ATÉ VENCER! MINAS SEM ESCOLA SEM TERMINO DE ANO LETIVO>GREVE JÁ!!!!!!!

    ResponderExcluir
  145. Euler,
    estou twittando e respondendo ao jornal O TEMPO, tudo que eu acho interessante, se achar alguma fala sua ou dos nossos colegas nao... Nao resisto...espero que nao se aborreça ...mas acho importante que boas informaçoes seja divulgadas ao maximo.
    um abraço,
    Claudia

    ResponderExcluir
  146. A diretora do Presidente Dutra é o cão. Adora ferrar professor.è por isso que tomou um sacode na última eleição. Sacana.

    ResponderExcluir
  147. Bomba
    Sabe o pessoal que foi contratado para PIPII que ganham R$ 2.500,00 por mês?
    Serão todos demitidos
    Foram fazer Tur a 60 Km de BH participaram do cursinho mequetrefe e agora serão demitidos
    Minas Avança

    ResponderExcluir
  148. Euler,
    mal chegamos na escola hoje e a pressao ja estava encomendada... a direçao veio logo ameaçando dizendo que se optassemos pela reduçao, nao poderiamos assinar o ponto e que alguns alunos haviam ameaçado jogar uma bomba na escola...e o pior , que so poderiamos discutir nossa posiçao quanto as reduçoes se ficassemos depois do horario de aula. Foi uma situaçao muito desagradavel... ficamos todos tristes, acuados... a pessoa sobe num tamborete e se acha melhor que todo mundo... esquece que direçao é um cargo transitorio... que voltara para sala de aulas...
    desculpe o desabafo...
    abraços a todos.
    Cláudia

    ResponderExcluir
  149. Por e-mail:

    "Graça:

    Envio mensagem secretária Renata Vilhena.,

    Senhora secretária,.
    Boa Tarde!

    A verdade que não foi dita por v.sa o tempo todo, dizendo que o governo,já pagava além do Piso Salarial,através do subsídio, hoje veio a tona,Imprensa conceituada e não comprada, a Folha de São Paulo!! Excelente matéria !!!!!!!!!!! Enviei e continuo enviado aos mineiros e bons mineiros para averiguarem quem está com a razão.

    Outrossim, é lamentável qdo uma Secretaria que devia trabalhar a bem do servidor público, lógico, a bem da Educação ,convoca a imprensa para atacar Sindicato, muito feio,falta a ética nesse momento. Puxa vida !!!!!!!! SEPLAG já teve peso e medida, a Educação tbm, é só lembrar de dois secretários daquela pasta: Agnelo Correia e Otávio Elísio .

    Almejo a v.sa, uma excelente e profícua ética em prol do cargo ocupado

    Atenciosamente ,

    MGMMAFFRA".

    ResponderExcluir
  150. Sabe pq?
    O Estado revogou o contrato com a instituição.
    Dizem a boca miuda que o negócio lá bombou.
    Foi a maior baixaria.
    Aqueles pseudos analistas com aquela carinha de boi sonço aprontaram coisa do balaco-baco, do arco da veia
    e Minas Gerais

    ResponderExcluir
  151. Que tal se começarmos fazer nossas criticas ao governo, na folha se São Paulo . Até que enfim um jornal que fala a verdade.

    ResponderExcluir
  152. Ô Seu Governador, que coisa feia! Que falta de finess. Até eu que sou mais boba e moro aqui no fundão das Minas Gerais, sei que é de bom tom comunicar antes uma visita ou se desculpar pelo atraso ou o não comparecimento...

    Vocês já viram fumo de rolo? Pois é, esse governador está "que nem"...
    A mentira e a desfaçatez são muito perigosas. A pessoa precisa estar o tempo todo no controle da situação, não pode dar um escorregão, senão estraga tudo. E o que o governador e sua troupe vêm fazendo? Não estão dando conta de sustentar tantas mentiras. Um dia, a casa cai!!!
    A matéria do Jornal "Folha" veio a calhar. Deus escreve certo por linhas tortas, gente.
    Euler, meu filho, estou cada vez mais orgulhosa da sua capacidade de argumentação. Você é tudo de bom!
    Um abraço a todos e vamos confiar. Não há mal que dure para sempre!

    ResponderExcluir
  153. Fiquemos atentos!
    O ano está findando, Assembleia votando orçamento para 2012...
    E o nosso piso, como fica? De fora, mais uma vez?
    Esse desgoverno só quer ganhar tempo.
    Temos que conscientizar nossa comunidade escolar do estrago que eles têm feito nesses últimos anos. Afinal, todos somos lesados.
    Devemos parar de treinar provas com os alunos, como as SRE exigem, pra camuflar resultados das avaliações externas.
    Tem escola, ou melhor, supervisor que monta até apostila com modelos de avaliações retiradas da internet para serem trabalhadas ao longo do ano.
    Tudo isso pra escola aparecer com nota boa, camuflar os índices de analfabetismos e o desgoverno conseguir gordos empréstimos, que nunca são investidos em educação.
    Será que esses bancos nunca quiseram saber se esses índices são forjados? Tudo farinha do mesmo saco, com certeza.

    ResponderExcluir
  154. Oi, Cláudia!

    Que coisa terrível esta sua escola, ou melhor, esta sua diretora, heim? Manda ela fazer um estágio comigo, em qualquer escola que eu esteja. Ela não tinha o direito nem de chegar perto de você, quando você vai assinar o ponto. Se depois ela tocar na sua assinatura sem sua autorização você processa ela. O máximo que ela poderia fazer era cortar a hora-aula não trabalhada, e assim mesmo como hora-aula-greve, sujeito à futura negociação com o sindicato, pois a decisão da redução foi tomada em assembleia.

    Alô, pessoal que tem diretor puxa-saco de governo: reúnam-se com os colegas de luta, com os alunos e pais de alunos mais avançados, conversem com eles, formem um movimento e imponham-se! Estamos discutindo os destinos da nossa carreira e do nosso piso. Não podemos permitir que esses babacas se intrometam nas nossas lutas e interesses de classe. Felizmente temos vários bons diretores que não se submetem a essas chantagens!

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  155. EM PARÁ DE MINAS:
    Leiam o relato e não riam, se puderem:
    Em Pará de Minas, houve uma passeata contra a corrupção, é claro que o NDG estava lá. Algumas entrevistas foram dadas e muitas pessoas da alta sociedade compareceram, ou melhor, só existiam pessoas da "nata" os de baixo eram poucos, ou melhor, alguns professores de escola pública e raros alunos também de escola pública, como forma de reposição de um dia de greve. Até aí tudo mais ou menos dentro do previsto, mas ei que senão quando, surge o deputadíssimo INÁCIO FRANCO com seus corregionários, sanguessugas, puxa-sacos, babaovo também se dizendo contrários à corrupção, vestiram camisa e tudo, caminharam o percurso a pé( não sei como conseguiram, pois só andam de carros importados)só os de baixo conseguem tal proeza, andar a pé sem reclamar...
    O inimigo dos educadores presente numa passeata para inglês ver... pois os maiores corruptos da cidade, da prefeitura estavam presentes, a quem eles pensam enganar? A nós cidadãos críticos ou a eles mesmos? Nem que eles se esforcem durante muitos anos eles não conseguiriam a façanha de se tornarem honestos, transparentes, dignos de serem "POLÍTICOS" administrar o dinheiro público com honestidade.
    Vai um recado a estes que tentaram passar uma imagem equivocada: Façam uma passeata todo mês aqui nesta cidade para ver se nos convencem de que são honestos e quem sabe não se tornam honestos mesmos por meio de uma graça do nosso valioso santo: PADRE LIBÉRIO.Salve, salve Padre Libério e nos proteja destes lobos em pele de cordeiros, ou melhor, no terno de político.
    Tenho dito.

    ResponderExcluir
  156. Euler, espero que seja uma ação inteligente e de impacto no estado de Minas, não podemos ficar assim vendo o que esta acontecendo e não esboçar nenhuma reação. Não aguento tanto desrespeito contra um grupo sofrido como o nosso. Eu não tenho palavras para dizer como estou sentindo por dentro, raiva, ódio, tristeza, tudo ao mesmo tempo. Temos que reagir. Temos que derrotar este governo e aécio. Acredito numa força maior Deus e Ele está com a gente e não com pessoas hediondas como gazzola, anastasia, vilhena. Sou professora e sei que nome próprio devem ser escritos com letra maiúscula, mas este quatro não são dignos disto.

    ResponderExcluir
  157. Anônimo disse...

    Leiam: uarta-feira, 16 de novembro de 2011, 18:41 HS
    Deputados da oposição repudiam ofensas do governo de Minas ao Sind-UTE

    Abaixo, nota elaborada por deputados do PT, PMDB e PC do B, após reunião realizada com coordenadores do Sind-UTE/MG para avaliar o curso das negociações com o governo do Estado.


    BUEMBA!BUEMBA! BUEMBA!!!
    O blog do Euler tá virando um STAND UP!!!
    >>avaliar o curso(sic)... que curso??? que negociação??? vai ver tanta bondade em acreditar em lorotas é em decorrência do Natal que já nos acena. Essa gente grande acreditando em Papai Noel... kkkkkkk

    ResponderExcluir
  158. Sabe,Euler,o recado nao foi dado so a mim.... foi para todo grupo de professores... eu fiquei chateada nao por mim, por que eu estive na greve o tempo todo...e estou pronta para o que der e vier, minha moral nao permite que meus colegas fiquem na luta sem mim... fiquei triste por aqueles que nao tem a mesma força de animo.Açoes como as da direçao da escola, jogam no chao a vontade daqueles que ja sao fracos... Foi como um balde de agua fria... A covarde da diretora nao se dignou a ir a sala dos professores , mandou recado pela supervisora... quando pressionei, ela- a supervisora- disse que nao sabia de nada... como passa um recado desses e nao sabe de nada...
    O problema se agrava quando a direçao da escola nao tem jogo de cintura para resolver os conflitos. E pior ainda quando gera conflitos.
    um abraço
    claudia

    ResponderExcluir
  159. Entendo, seu sentimento de indignação, combativa Cláudia. Mas não há de ser nada. Aos poucos os colegas vão amadurecendo politicamente e percebendo que precisam reagir, resistir, como você e muitos outros já fazem.

    Um forte abraço e conte conosco para o que der e vier.

    Euler

    ResponderExcluir
  160. Carta a um querido ditad...Integro Governante.

    Prezado Aecinho,

    Fico feliz caro amigo, em notar que você realmente leu aqueles livros que te indiquei, O Principe e Nazis and Workers: National Socialist Appeals to German Labor, apesar deste ultimo ser em inglês depositei uma fé muito grande na sua capacidade de utilizar um dicionário.
    Aprendeu o que é marketing hein?! Incrível esse seu protegido, como é o nome dele mesmo? Anestesia... digo Anastasia não é? Dá pra notar que ele também leu os livros com um afinco muito grande, e decidiu colocar logo em prática a teoria da desinformação.
    Devo dizer que adorei essa nova propaganda que está sendo vinculada, até Goebbels ficaria orgulhoso do seu afilhado.

    Um beijo no seu coração e fique esperto: Matenha a repressão nessa minoria que tenta corromper nosso futuro glorioso.

    PS:Leia com atenção o capitulo 24 de O Principe, afinal, 'do jeito que está fica'.

    "Uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade".

    "O governante deve ser dissimulado quando é necessário, porém nunca deixando transparecer sua dissimulação. Não é necessário, a um príncipe, possuir todas as qualidades, mas é preciso parecer ser piedoso, fiel, humano, íntegro e religioso já que às vezes é necessário agir em contrário a essas virtudes, porém é necessário que esteja disposto a modelar-se de acordo com o tempo e a necessidade".

    ResponderExcluir
  161. Obrigada, Euler,
    voce sempre sereno... quando eu crescer quero ser como voce, kkkk ... vamos seguindo fazendo nossa parte... meu marido me lembrou a historia do beija-flor e o incendio na floresta... sigo levando minhas gotinhas.
    um abraço,
    Cláudia

    ResponderExcluir
  162. Euler, boa noite,
    A nossa grande vitória, além do piso salarial que foi aprovado pelo STF e que não há como o Governo entender que o que ele está segurando não lhe pertence, será ver esse PSDB derrotado nas próximas eleições nas candidaturas ao Governo e a Presidência. Aécio e Anastasia é página virada na história da Educação mineira. Eles só não acabaram com a nossa dignidade, mas estão deixando muito descontentamento e injustiças acontecerem . Tenho orgulho de ter servido ao magistério por 30 anos ,mas amor e dedicação não pagam as nossas contas, não compram o nosso remédio, não aliviam nossas tendinites, enfim , não suprem as nossas necessidades materias. Precisamos nos organizar e mostrar a nossa voz nas urnas!!! Merecemos um governo transparente, verdadeiro e compromissado com os diversos segmentos da nossa sociedade.Um governo que dialoga e não enrola. Esse não é o exemplo que queremos para os nossas crianças e o nossos jovens. JÁ ESTAMOS CALEJADOS DE FALTA DE VONTADE POLÍTICA E DE PROPAGANDA ENGANOSA. ISSO É UMA VERGONHA!!!
    A REPORTAGEM DA FOLHA DE SÃO PAULO FOI MUITO OPORTUNA E MINAS ESTÁ NA LANTERNINHA EM MATÉRIA DE PISO SALARIAL. POR ONDE ANDA A IMPRENSA MINEIRA DEPOIS DESSA ?

    ResponderExcluir
  163. Só para relembrar o dia de hoje.

    Da reportagem na FSP:

    "O levantamento da Folha com as secretarias estaduais de Educação mostra que a jornada extraclasse é o ponto mais desrespeitado da lei: 15 Estados a descumprem, incluindo São Paulo, onde 17% da carga é fora da classe. Desse grupo, quatro (MG, RS, PA e BA) também não pagam o mínimo salarial, ou seja, estão totalmente fora da legislação nacional. Outros dois desrespeitam só o salário."


    Vamos repassar bem este ponto: ... MG, RS, PA e BA ... estão totalmente fora da legislação nacional".

    Por acaso alguém tem notícia do procurador geral da justiça de Minas?

    ResponderExcluir
  164. Eu não sei quanto a vocês, mas meus 500 alunos e suas famílias não votarão em candidatos do PSDB e aliados. Estão sendo todos muito bem informados sobre o que acontece em Minas.

    ResponderExcluir
  165. ATÉ QUANDO AINDA SEREMOS OMISSOS ?
    Filosofia Popular: "Quando o gato dorme, o rato faz a farra!"... Ou...
    "A audácia dos maus cresce com a omissão dos bons." (Leão XIII)
    Todos os dias, a mesma coisa: Jesus achincalhado por minorias ativas, latrocínio em lugares públicos, corrupção, desvio de verbas, desrespeito aos idosos, crimes contra a mulher, impunidade, Justiça travada, Saúde precária e Educação à revelia. É a desgraça de muitos para o deleite de poucos. Tudo isso por falta de amor ao próximo... e alienação popular.
    Pão e circo ainda engambela muita gente! E o povo entretido não busca escolher. Hoje, a Liberdade é dos bandidos e o Poder, da casta política.
    O Resto que se estrepe... a plebe não adoece e nem precisa estudar.
    O que nos espanta é a condescendência extraordinária que damos aos fora da lei. Autoridade é o povo unido! Gente como a gente que paga o salário e as mordomias dos representantes. A vontade do povo deveria prevalecer sobre os interesses pessoais das "autoridades" eleitas.
    Temos a impressão que não é vontade da maioria, o gasto astronômico em Estádios de Futebol, enquanto nos hospitais pessoas morrem sem atendimento. Também não deve convir ao povo, viver sob a ameaça de criminosos impunes e saber que as Leis vigentes os protegem.
    O ser humano merece o respeito dos outros e mais ainda, de si mesmo. Já não somos tão inteligentes, mas o que ainda nos resta dá para fazer bem melhor. O que precisamos é manifestar nossa vontade !
    A revolução do racional começa em cada indivíduo. Sem contendas, sem armas, sem heróis. A cada gesto, cada interação, cada palavra temos de levar a mensagem da Paz e da reconstrução social.
    Apesar do que dizem, o Amor não é utopia. Absurdo mesmo é imaginar que a guerra seja solução. Os problemas do bando começam sempre no indivíduo. Se não existir bandido não precisamos de polícia. Se ninguém transgredisse as normas do senso comum não haveriam mais conflitos.
    Para implantar a Paz, precisamos de comunicação. Os tempos mudaram muito. A civilização 2.0 tem que ser eclética e usar os recursos de mídia.
    No momento, a Internet é a grande opção. Porém, o uso dela no país é desconcertante. Serve para agendar agressões de torcidas organizadas, brigas entre Skinhead e Punk, pedofilia, exposição pornográfica, sites de adultério, proselitismo das abominações e, até, como meio de arrecadar dinheiro para campanhas políticas. Mas, quando se trata da propagação dos bons costumes, há um certo receio das pessoas mais decentes. Só para se ter ideia: No Brasil, 84% dos habitantes se declaram cristãos. Considerando que a publicação é grátis, presumir-se-ia que um número bastante significativo de publicadores utilizassem essa ótima ferramenta de divulgação. Infelizmente, não acontece assim. Somente 1% por cento dos assuntos veiculados é de orientação religiosa. A Doutrina de Jesus é racionalmente moralista e atende a maioria da população, por que razão, seus adeptos não manifestam esta hegemonia ?
    Ao calar, somos omissos e coniventes com a degradação moral !!!

    ResponderExcluir
  166. Sonço = sonso, segundo o Aurélio.

    ResponderExcluir
  167. Professores, a reportagem da Folha de São Paulo, de quarta =-feira,dá uma grande margem para estudo em sala de aula em todas as séries. de primeiro ao nono ano.
    Se trabalharem com ela, todos os pais saberiam da verdade,pois nem todo mundo pode comprar ou ler o jornal.
    Deveres de casa, questões matemáticas,até um pontinho de história sairia bem.Divulguem desta maneira.

    ResponderExcluir
  168. AÉCIO

    TRAIDOR DE MINAS E DO BRASIL
    ASSIM COMO TRAIU MINAS PARA DEFENDER O RIO PODERÁ TRAIR E BRASIL PARA O MUNDO

    CUIDADO GENTE

    CAMPANHA CONTRA AÉCIO JÁ

    ResponderExcluir
  169. AUTORIZA A ABERTURA DE CRÉDITO SUPLEMENTAR DE R$ 6.450.000,00 AO ORÇAMENTO FISCAL DO ESTADO, EM FAVOR DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS.

    ESTÃO VENDO, PARA O TRIBUNAL DE CONTAS TEM DIM DIM, SE NÃO LIBERAR ELES NÃO APROVAM AS CONTAS.
    RSRSRSRS

    ResponderExcluir
  170. Professor Euler,
    O estado de Minas não deixa que ultrapassemos o valor salarial (vencimento básico) de 935,00. Veja o que foi publicado no site da educação:

    Remuneração por subsídio já é opção de 70% dos servidores da Educação
    Qui, 17 de Novembro de 2011 11:51

    Salário inicial para professores de nível superior é de R$1.320, 85% superior ao piso nacional estabelecido pelo MEC

    O último levantamento da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) aponta que a maioria dos servidores da educação optou pelo modelo remuneratório por parcela única, o subsídio. Atualmente, 70% dos servidores da educação do Estado recebem por essa modalidade. O percentual aponta crescimento em relação aos últimos números, quando 62% dos servidores já haviam optado pelo subsísio.

    No subsídio, a remuneração inicial é de R$ 1.122,00 por 24 horas semanais para professores com nível médio de escolaridade – um valor 57% proporcionalmente superior ao piso nacional do Ministério da Educação (MEC), que é de R$ 1.187,00 para uma jornada de 40 horas semanais. Para professores com licenciatura plena, escolaridade mínima exigida desde 2007 para ingresso na carreira no estado, o salário inicial para jornada de 24 horas semanais é de R$ 1.320,00 – um valor 85% proporcionalmente superior ao piso nacional.

    A modalidade de remuneração denominada subsídio foi implantada em Minas Gerais em janeiro deste ano para servidores da rede estadual de educação. Essa forma de remuneração está prevista na Constituição Federal. Com esse novo modelo, 23% dos professores de educação básica tiveram um aumento de mais de 40% em suas remunerações finais; 41% receberam um reajuste entre 10% e 40%.

    A implantação do subsídio representou um aporte anual adicional de R$ 1,4 bilhão na folha de pagamento da educação. Mesmo com a implantação desse modelo, o Governo de Minas manteve aberta a possibilidade de os servidores permanecerem no sistema de remuneração antigo. Para esses servidores – que atualmente somam 30% do total – o governo encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 2355/2011, que em seu art. 13 determina que “o vencimento básico dos servidores (professores e especialistas) da educação não poderá ser inferior ao Piso Salarial Profissional Nacional a que se refere a Lei federal 11738/2008 observada a proporcionalidade em relação a carga horária de trabalho.”

    Importante ressaltar que em Minas Gerais nenhum professor que optou por permanecer no modelo antigo de remuneração recebe menos do que R$ 935,00 por contrato de trabalho, sendo que cada professor pode ter até dois contratos. Ao vencimento básico são acrescidos diversos abonos e gratificações. Em Minas Gerais são até 22 tipos de vantagens pessoais. Se o total da remuneração não chega a R$ 935,00, o Governo de Minas complementa o salário do servidor com a “parcela remuneratória do magistério”.

    Não poderá qualquer conquista que vier com salário total de R$935,00. Desta forma, aqueles que optaram pela carreira antiga vão perder e muito.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  171. O Brasil inteiro precisa saber mesmo as mentiras do governo mineiro sobre a educacao de Minas Gerais. Nós educadores estamos cobrando da presidente Dilma onde ela na sua campanha eleitoral dizia que a educaçao seria prioridade em seu governo. O nosso governador descumpre uma lei Federal e sai na Folha Sao Paulo que é para os sindicatos entrarem com recursos . Trabalharei contra os deputados e os dirigentes que não nos apoiaram na próxima campanha eleitoral. A copa de 2014 é a prioridade dos governos.Vamos mostrar para o mundo se este país está preocupado com a educaçao. Neuza.

    ResponderExcluir
  172. Os professores da Escola Estadual Maestro Villa Lobos aderiram a decisão da assembléia do dia 10 de novembro , pela redução das aulas nos dias 16 , 17 e 18 de novembro.
    Porém , hoje , exatamente as 15 horas , chegou a essa escola um comunicado da secretaria de educação , para que a direção da escola enviasse nomes e masps dos servidores que estariam reduzindo as suas aulas.
    Diante dessa ameaça , todos resolveram retornar ao horário normal.
    E aí colegas ????? Aconteceu também em suas escolas ????
    Que atitude tomaremos diante disso ?????????????

    ResponderExcluir
  173. Professor Euler,
    O governador disse que nenhum professor que optou pelo sistema antigo recebe menos de R$935,00 e, caso não chegue a esse valor, ele será complementado com uma tal de parcela remuneratória do magistério. Só que ELE ESQUECEU de dizer que este é o valor máximo que o servidor recebe, não importando seu tempo de serviço. E pelo subsídio, o servidor recebe R$1320,00 bruto. Neste caso, o servidor pode ter um ano de serviço, ou vinte anos.É um absurdo!Que venham as eleições!Estamos prontos para o combate.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  174. Olá pessoal!

    Essa publicação, ou melhor, desconstrução das certezas que craquécio tem como gestor público não foi a toa.

    Os próceres do tucanato paulista estão tiririca com Craquécio por conta do preciosismo e antecipação em relação ao pleito presidencial. É evidente que FHC, Serra e outros estão por trás dessa reportagem, o que mostra a fraqueza de Andrea Neves em espaços midiáticos nacionais.

    No zoológico humano, Andrea Neves e Craquécio são os pavões: passam o tempo todo se exibindo e vangloriando.

    Quem desse micro blog já apanhou de chicote, vara de laranja ou cinta sabe como dói. Na pedagogia política FHC, Serra e outros paulistas mostrararm a Craquécio como deve ser tratado menino pirracento: COM CIPÓ CAPETA PARA FICAR QUIETO.

    O açoite foi em rede nacional e agora vamos ver como o Zé Carioca reagirá! Aliás, tenho dúvidas se Craquécio é capaz de produzir texto. Afinal, terceirizar é algo que o Zé Carioca e demais tucanos adoram.

    Enfim, esse é o momento para mostrarmos aos demais brasileiros que Craquécio transformou o Estado numa carroça desgovernada levando as contss públicas à cifrões abissais.

    Ridicularizar e humilhar que tem poucas chances de se defender (magistério mineiro) como em Minas, onde há concetração de mídias, conveniências políticas e assembleia homologativa é fácil. Resta saber se os demais brasileiros comungarão com esse modelo desastroso e práticas execráveis adotadas em Minas.

    Todo material mostrando os horrores promovidos pelo Craquécio e sua equipe de [des]governo deve ser divulgado na internet e em outras mídias. Escândalos mineiros é o que mais quer a imprensa paulista.

    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  175. Que Pena que o combativos do Norte de Minas não poderão ir nesta reunião do dia 26! Pois acredito que todos nós do NDG, são os que realmente fizemos greve. Se a direção estadual finaciasse o transporte, seria muito bom, inclusive os companheiros de Uberlandia e Juiz de Fora.

    ResponderExcluir
  176. Olá Euler, é verdade que a direção estadual, liberou todos os trabalhadores para participar de um encontro em São Joao DelRei, mesmo aqueles que são filiados ao sindpúblico e gostaria de participar do encontro do SindUTE? Qual seria a estratégia da direção investir nosso dinheiro capacitando pessoas que não contribuiem com o nosso sindicato? Questiona isso Beatriz pra nós.

    ResponderExcluir
  177. Euller,

    Tenho a impressão de que mesmo acontecendo o boicote do simave, o governo fará falcatruas para parecer que tudo transcorreu sem problemas.Esquisito... os alunos do 5º ano não marcarem o gabarito.Este fica por conta do CAEd.Esta eu não sabia.
    Para um governo acostumado a mentir,fica fácil sair vitorioso,sem o calote ao simave.
    Concorda?
    Abraços.

    ResponderExcluir