sexta-feira, 4 de novembro de 2011

"As despesas com pessoal, uma vez criadas, não podem ser reduzidas" - diz o governador de Minas. Então, por favor, devolva o nosso dinheiro!




"As despesas com pessoal, uma vez criadas, não podem ser reduzidas" - diz o governador de Minas. Então, por favor, devolva o nosso dinheiro!


Em entrevista dada a uma das rádios da cidade, o governador de Minas reclamou da crise, disse que ela atinge toda a Europa e que acaba respingando também em Minas Gerais. Imagina! E eu que pensei que Minas estivesse imune a qualquer coisa! Como cidadão mineiro que sou, de carteirinha e tudo mais, cansei de ver e ouvir pelas TVs e rádios e jornais que Minas, sob a gestão do faraó e do afilhado, transformara-se na primeira maravilha do mundo. Minas cresce mais do que a China - diziam; que aqui tem tutu para todo gosto e lugar; que aqui tudo é melhor e mais bonito do que o resto do mundo. Até as leis aqui são diferentes - e disto soubemos por experiência própria, claro.

Nós, os educadores, aprendemos na prática que a Lei de Greve aqui não funciona, que o Ministério Público é um órgão de assessoria do governo do estado; que a imprensa tem o papel de repercutir as ideias do governo, jamais criticá-lo; que o legislativo é uma casa homologativa da vontade absolutista do governo e do seu grupo, enfim, todas essas coisas, são típicas do tempero político mineiro, embora não sejam uma exclusividade.

Contudo, que a crise mundial pudesse bater à nossa porta, ah, isso eu nunca imaginaria que tal coisa pudesse acontecer. Por isso, quando o todo poderoso governador do estado de Minas admitiu que Minas fosse atingida pela crise na Europa eu tomei um grande susto. Crise? Que crise, se aqui, até bem pouco tempo falava-se de superávit superando o déficit anterior; de crescimento acima do da China e de tutu esparramando-se para todo canto - menos, é claro, para o bolso dos educadores de Minas, que continuam comendo o pão que o diabo amassou e cuspiu em cima. Um diabo apelidado de satanasia.

Mas, para o meu espanto ainda maior, uma segunda revelação fora feita pelo governador das Gerais: foram feitas muitas despesas com os servidores públicos, maiores do que o crescimento da receita. Gozado, cá do meu canto, do outro lado, como ouvinte, e consultando meus contracheques, tive a impressão estranha de que alguma coisa estava errada. Então, quando o governador completou a frase, aí é que eu quase caí da cadeira. Vejam o que ele disse:

- As despesas com pessoal, uma vez criadas, não podem ser reduzidas". Gozado, pensei novamente que estava em outro estado, que não Minas Gerais. Os meus contracheques deste ano insistem em mostrar exatamente o oposto do que disse o governador: de janeiro a junho de 2011 minha remuneração total mensal era uma; a partir de julho houve uma sensível redução (ou seria garfada?). No meu e no de mais 153 mil educadores deste estado que parecia imune a crises e vendavais. Em janeiro deste ano, me lascaram um subsídio de R$ 1.320,00 - valor bruto - para ver se eu me contentava com isso nos próximos quatro anos de governo, abrindo mão do piso salarial, que é lei federal. Eu disse: não, eu quero é meu piso e pronto. Então, como castigo pela desobediência, em julho deste ano, o sr. Antonio Augusto Junho respondeu: devolve então o reajuste que lhe dei. Meu e de mais 153 mil educadores. E meu salário caiu para R$ 935,00 bruto. O básico? R$ 566 - menor, portanto, do que os tais R$ 712 do ajudante de pedreiro.

Mas, no discurso oficial, pronunciado numa rádio quase oficial - embora a simpática repórter mantivesse a postura de repórter não oficiosa -, o governador dissera com todas as letras: "uma vez criadas as despesas com o pessoal, não podem ser reduzidas". Dizem que ele foi professor de Direito. Será mesmo? Talvez tenha se lembrado de algum artigo constitucional, daquele, por exemplo, que trata do princípio da irredutibilidade salarial, pelo menos no seu formato nominal. Se eu recebo 1.000,00, eu não posso passar, seis meses depois, a receber 800,00. Mas, em Minas, pode. Minas tem leis próprias, embora, descobrimos agora, não está imune às crises internacionais.

O estranho é que essas crises só aparecem quando o assunto é reajuste salarial para os servidores, especialmente para os educadores. Para a polícia militar nem tanto. Basta que ameacem fazer greve, e no outro dia, sem lei federal nem nada, aparece uma proposta de 100% de reajuste até a Copa do Mundo de 2014. Não sei se eles estão satisfeitos, mas que pelo menos receberam propostas de reajustes, receberam. Educadores só recebem propostas de redução salarial. Vejam a tabela proposta pelo governo. Ah, vou aconselhar aos meus alunos e seus filhos para que na próxima encarnação, se nascerem em Minas, que venham para ser políticos profissionais, tipo deputado, senador, governador; ou, pelo menos, policiais militares. Mas, jamais, em hipótese alguma, queiram nascer professores. É fria! Em Minas, não dá.

E na sua desenvolta entrevista o governador faz nova revelação: teria gasto cerca de R$1,4 bilhão este ano para implantar o subsídio. Hummmm. Será mesmo? Bom, vamos às contas. O subsídio foi implantado compulsoriamente para os 380 mil educadores, entre aposentados e na ativa. Logo, os 1,4 bilhão de reais estão incluídos nos salários destes 380 mil educadores. De repente, mais que de repente, o governo de Minas dá uma garfada no bolso de 153 mil educadores que não quiseram permanecer no subsidio, em busca que estão (estamos) do sonho quase dourado de um piso que não encontra solo firme neste território à parte do planeta chamado Minas. Eu, pelo menos, vou perder, entre julho e dezembro deste ano, incluindo o 13º salário, cerca de R$ 2.600,00. Suponhamos que na média as perdas sejam um pouco menor, cerca de R$ 2.000,00 por pessoa. Logo, veremos que destes 1,4 bilhão de reais pelo menos R$ 300 milhões foram retirados dos nossos bolsos. Onde está este dinheiro? Ninguém sabe, ninguém viu ou ouviu dizer nada a respeito. Mas, com um pouco mais já daria até para bancar o prêmio de produtividade para todos os servidores da ativa do estado de Minas. Êta educadores generosos estes, que não se cansam de se entregar ao sacrifício geral da nação! E tome reposição, aula dia e noite, sem salário, sem auxílio transporte, nem auxílio moradia. O milagre mora em Minas.

Contudo, para a nossa estranheza, ouvimos o governador fazer uma outra revelação bombástica: não existe previsão de data para pagar o prêmio. Que coisa. Como fica a minha situação? Nem falo da minha situação financeira, que esta, como de resto, de todos os educadores-de-Minas, já se encontra há muito e cada vez mais de mal a pior. Mas, como eu fico com meus colegas de escola, que todo santo dia, impreterivelmente, me indagam, como se eu fosse o governador do estado: e o nosso prêmio, Euler, vai sair ou não vai? Ah, se dependesse de mim, sairia o 14º, o 15º, o 16º... Mas, de acordo com o governador, a crise internacional pode atrapalhar o nosso prêmio.

O estranho é que o governador foi buscar a crise de 2009 para se justificar. Muito estranho, não? Entre 2009 e o ano atual - 2011, para quem não sabe - existe um ano inteiro, batizado de 2010, segundo o calendário gregoriano, fincado entre estas duas datas. Em 2010, bem mais próximo de 2009 - ano da crise, segundo o governador - do que 2011, não houve problema algum. O prêmio foi pago em setembro, sem choro, sem crise e sem problema de arrecadação. Setembro, um pouco antes, portanto, de outubro. Mas, outubro? O que tem outubro a ver com esta estória? Ah, lembrei-me: outubro de 2010 era data de eleição. Que crise que nada, essas coisas não existiam por aqui, nas Minas do tutu sobrando, que cresce mais que a China. Crise? Em crise estamos nós, os educadores, sem dinheiro para pagar as nossas contas mais elementares, como água, luz, comida, telefone...

Oh, Minas! E assim ficamos nós, nesta terra sem palmeiras, com sabiás empolados e muitas aves que gorjeiam, mas dominada só por caô e pouco compromisso com os de baixo. Nós, os educadores, praticamente sem-salário, apesar dos repasses do FUNDEB, conferidos ano a ano, insistirem em mostrar que tem havido sucessivos aumentos de receitas. Mas, o nosso bolso continua vazio, com tantos cortes, confiscos e reduções salariais. Ora, um prêmio a mais ou a menos... O que queremos mesmo - queremos não, exigimos - é o nosso piso salarial implantado nas carreiras dos educadores. Com crise mundial ou sem crise, é lei, é direito assegurado, tem fonte própria, tem que pagar.

Querem discutir a crise mundial como argumento para sonegar o nosso piso? Tudo bem: aceitamos o debate, desde que outras despesas sejam colocadas na mesa de negociação. Vamos discutir a redução dos salários dos deputados, do governador, dos desembargadores, do procurador da justiça, as verbas da imprensa, os gastos com assessorias e terceirizados e empreiteiras, e banqueiros, e outros tipos mais. Discutir crise só pra cima de salário dos educadores? Aí não, né governador!

Mas, como a crise, dizem, produz saídas criativas, tenho uma solução definitiva para os governantes de Minas: durante a crise, já que ela está próxima de atingir o quase imune estado de Minas - e eu que pensei que estava totalmente protegido de coisas desse tipo! Como sou ingênuo! - que o governo do estado transfira para a União as despesas e as receitas do pessoal da Educação, para que a presidenta da República se vire e nos pague o piso, que é federal, e que Minas, em tempos de crise respingada da Europa, parece não estar dando conta de pagá-lo. Vocês ficam livres de nós; e nós ficamos livres de vocês. Uma troca justa, não acham?

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

118 comentários:

  1. Promotoria investiga Aécio, Anastasia e Lacerda por contratarem "casting" de artistas que os apoiaram
    O promotor Eduardo Nepomuceno de Sousa, do Ministério Público de Minas Gerais, abriu investigação na quarta-feira sobre a contratação sem licitação, e patrocínio financeiro, para cantores, pelos governos tucanos de Minas (Aécio Neves sucedido por Anastasia) e pela prefeitura de Belo Horizonte (prefeito Marcio Lacerda/PSB, aliado de Aécio).
    Alguns destes contratados apareceram no horário eleitoral das eleições-2010 apoiando o governador Anastasia (PSDB/MG).
    A banda Jota Quest, o cantor Milton Nascimento e a cantora Ivete Sangalo estão entre os investigados.

    ResponderExcluir
  2. Jota Quest:Na campanha eleitoral de 2010 o vocalista Rogério Flausino, apareceu no programa eleitoral de Anastasia cantando, em apoio.
    A Empresa Municipal de Turismo (Belotur) firmou, sem licitação, com a Própolis Brócolis Produções, contrato para financiar a “Turnê Jota Quest 15 anos”, no valor de R$ 300 mil. A vigência da parceria, conforme a publicação, é de cento e vinte dias, a partir do dia 24 de abril de 2011. A turnê acontece em todo o Brasil, e não apenas em Minas Gerais.
    Logo depois que terminou a vigência do primeiro repasse, a banda mineira foi novamente beneficiada. No dia 14 de outubro passado, o diário oficial publicou mais uma vez a concessão de auxílio financeiro para o Jota Quest, desta vez no valor de R$ 100 mil, para a mesma turnê. A parceria também envolve a Brócolis Própolis Produções e tem prazo de vigência de 120 dias.
    Em maio do ano eleitoral, o Jota Quest participou do show de inauguração do Circuito Cultural Praça da Liberdade, do governo estadual. O governo informou que empresas privadas patrocinaram, mas nem as empresas nem o governo informaram se os recursos foram obtidos com a lei de incentivo à cultura de Minas (o que torna a fonte do dinheiro público, via abatimento nos impostos a recolher).
    A assessoria da banda respondeu: "A banda Jota Quest participou de edital da Belotur, a qual visava divulgar o nome da cidade de Belo Horizonte em todo território nacional, com forte apelo turístico ao evento que ocorre em 24 capitais, cumprindo todas as exigências obrigatórias prevista em lei".

    ResponderExcluir
  3. Ivete Sangalo
    A cantora não participou da campanha eleitoral. Mas a promotoria vê patrocínio indevido da Prefeitura de Belo Horizonte em turnês nacionais e até internacionais, como “Ivete Sangalo no Madison Square Garden” (EUA).
    O repasse de dinheiro público de Belo Horizonte para a baiana Ivete já havia chamado a atenção do Ministério Público em 2009, que instaurou um inquérito envolvendo o então diretor da Belotur Júlio Pires. Para o evento “Axé Brasil”, a prefeitura da capital destinou R$ 453 mil.
    O promotor Eduardo Nepomuceno considerou o repasse “ilegal e imoral” e pede em processo judicial ressarcimento público. A ação em fase final pode ser julgada ainda neste ano.

    ResponderExcluir
  4. Milton Nascimento: A promotoria investiga a mais recente turnê de Milton pelo País, que conta com R$ 300 mil em recursos patrocinados pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a estatal mineira de energia.
    Outra verba polêmica são R$ 552 mil para a Associação dos Amigos do Museu Clube da Esquina, no primeiro semestre deste ano, destinadas por Anastasia.
    O montante representa 29% de recursos do governo mineiro para incentivo de atividades culturais.
    A associação é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Ocip), cuja meta é divulgar a produção artística do grupo musical Clube da Esquina, do qual Milton fez parte. O cantor não está diretamente ligado à direção da Ocip.
    Nesta quinta-feira, o governo de Minas enviou email ao iG sobre os recursos: "os repasses de recursos para a Associação dos Amigos do Clube na Esquina referem-se, na realidade, a recursos destinados ao programa Música Minas, uma parceria da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais com o Fórum da Música, que congrega sete das mais expressivas entidades representativas dos músicos mineiros".
    Em abril de 2010, poucos meses antes das eleições, Milton foi a principal estrela da inauguração da Cidade Administrativa Tancredo Neves, nova sede do governo mineiro. A inauguração foi um dos últimos atos de Aécio como governador. Ele deixou o cargo para se candidatar, com sucesso, ao Senado.
    Menos de um mêsdepois, também em maio do ano eleitoral, Milton foi novamente o principal nome da inauguração do Circuito Cultural Praça da Liberdade, mesmo evento citado acima onde também participou o Jota Quest.
    Segundo a assessoria de Milton. “Milton apenas participou de um vídeo da última campanha, não tem nada a ver com apoio eterno e permanente. A relação deles é somente cordial, e não tem nada a ver com política”, respondeu a assessoria de comunicação do cantor. O governo de Minas e as estatais justificam a presença dele nos shows porque Milton é um dos artistas que melhor representam o Estado.
    Aos artistas e aos tucanos, resta convencer o Ministério Público e o povo mineiro de que uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. (com informações do iG)

    ResponderExcluir
  5. BELO TEXTO , EULER ! COMPLETANDO , VOCÊ OUVIU ONTEM ? A NOSSA ILUSTRE "PRESIDENTA " ANUNCIOU QUE O BRASIL ESTÁ PRONTO PARA CONTRIBUIR PARA O FUNDO INTERNACIONAL , AJUDANDO AS NAÇÕES EUROPÉIAS . AFINAL , NÓS PODEMOS : OCUPAMOS SÓ A POSIÇÃO 84 NO RANK MUNDIAL . ESTAMOS PIOR QUE A ARGENTINA , PARAGUAI , COM CERTEZA . NOSSA EDUCAÇÃO ESTÁ PÉSSIMA , POIS NÃO PODEMOS PAGAR NOSSOS PROFESSORES , CONFORME MANDA A LEI , A SAÚDE VAI MAL , OBRIGADO , A SEGURANÇA , JÁ ERA .DE VENTO EM POPA , SÓ A CORRUPÇÃO , A LADROAGEM ,A EMPÁFIA IDIOTA DE POLÍTICOS QUE FALAM QUALQUER ESTUPIDEZ , QUANDO SERIA MUITO MELHOR FECHAREM A BOCA SUJA E MALDITA .TEM GENTE QUE NÃO SE ENXERGA : CONTRIBUIR PARA AS NAÇÕES EUROPÉIAS...ENQUANTO AQUI ESTÃO AS PROVAS VIVAS DE TODOS OS PADECIMENTOS . O POVO LÁ DE FORA DEVE MORRER DE RIR...A MELHOR CONTRIBUIÇÃO QUE OS BRASILEIROS ESTÃO PODENDO DAR É ESSA MESMA : FAZER RIR AS NAÇÕES ESTRANGEIRAS . FAZER RIR , ENQUANTO NOSSOS COMPATRIOTAS CHORAM E LAMENTAM A CARÊNCIA DO QUE É MAIS BÁSICO PARA UMA SOBREVIVÊNCIA DIGNA E HONESTA .AFINAL , ACHO QUE NADA MAIS DEVE NOS SURPREENDER...

    ResponderExcluir
  6. Leiam o que foi postado no blog do professor Helvanio, ontem...
    E-MAIL ENVIADO AOS DEPUTADOS DA ALMG NO DIA 03/10/2011


    Caríssimo Deputado
    Infelizmente o Governo do Estado deu mais uma mostra de sua incompetência na gestão estadual. Não cumprir acordos, não é ético. Suspendemos a Greve e iniciamos a reposição da carga horária dos alunos porque o acordo de greve previa a implantação da Lei do Piso na Carreira de Vencimento Básico. Posteriormente o governo fez vários compromissos durante as reuniões da Comissão de negociação. Foi então feito acordo de reposição da aulas baseado em acordos de contra partida. Desligamento de substitutos, pagamento integral em novembro, piso na carreira, anistia dos dias parados, regularização dos problemas relacionados ao ipsemg. Infelizmente o governo não cumpriu com alguns pontos de sua parte no acordo, enquanto que nós estamos cumprindo totalmente o acordo. Você que é Deputado, especialmente se é da Base Aliada ao Governo, tem que ficar atento a essas questões e cobrar do governo o cumprimento do acordo. Já pensou se estoura novamente uma greve porque o Governo não cumpriu a parte dele no acordo? Já pensou se a gente volta a fazer as nossas manifestações em BH e na ALMG? Já pensou se nossos filhos, alunos, voltam a ficar em casa porque o governo não cumpriu a parte dele no acordo? Com certeza "respingará" o resultado em você também, especialmente se você faz parte da comissão de negociação.
    Não se esqueçam! Não estamos pedindo aumento de salário. Estamos cobrando a implantação da Lei do Piso, que é Federal. Aliás, não cabe aí também uma CPI para pedir a Improbidade Administrativa do Governo?
    Ah! Corre também uma campanha via e-mail das escolas sobre o PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE que ainda não tem data certa para ser pago. Educadores estão dispostos a não fazer esforços para melhorar o resultado das avaliações sistêmicas (PROALFA, PROEB, SIMAVE), sabe?! Aquelas que estão relacionadas com a produtividade, com o acordo de resultados. Já que o esforço do ano passado não está sendo reconhecido financeiramente, então esse ano também não haverá esforço para se melhorar os resultados. Isso também "respingará" nos deputados já que a qualidade da educação ficará bem baixa explicitamente nos resultados dessas provas. Em muitas escolas, a reposição do calendário letivo já foi suspensa e em outras está em vias de acontecer.
    Já passou da hora de, você, deputado, especialmente, da base aliada, abrir o olho do governador, e mostrar pra ele que ele não é um REI ou IMPERADOR que manda e desmanda SEM LEI. Não é uma questão de pirraça ou de medir forças. A questão agora é de ilegalidade e de extremismo. Quem já está no fundo do poço, como o nosso caso, não tem mais nada a perder. Estender mais uns dias o calendário de reposição, ficar mais um tempo sem receber o salário, não vai fazer tanta diferença não. Passar necessidade das coisas, nós e nossos filhos já estão passando, trabalhar em domingos e feriados, recessos e sábados, já estamos acostumados. Não garantir os nossos direitos adquiridos por Lei é uma tremenda falta de responsabilidade do Gestor. Sem contar o Direito de Greve garantido Constitucionalmente e que foi lesado quando da contratação dos Substitutos. O DIREITO DOS ALUNOS ESTÁ SENDO GARANTIDO COM A REPOSIÇÃO. ELES NÃO PERDERAM NEM ESSE, NEM O PRÓXIMO ANO LETIVO, ESTÃO TENDO O DIREITO A TODOS OS DIAS LETIVOS NA ESCOLA. VAMOS TRABALHAR DEZEMBRO E JANEIRO, INCLUSIVE NO SÁBADO.
    AGORA SÓ QUEREMOS QUE O GOVERNO CUMPRA A PARTE DELE E QUEREMOS QUE VOCÊS ESTEJAM ATENTOS E COBREM DELE! ISSO É A FUNÇÃO DE UM VERDADEIRO REPRESENTANTE DO POVO!


    Prof. Helvanio Carvalho Júnior
    Sobrália - MG

    ResponderExcluir
  7. Professor Euler e companheiros queridos do NDG,

    Muito oportunas as suas reflexões a respeito da implantação do nosso tão sonhado PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL.Seu texto de hoje faz-nos refletir sobre os acontecimentos que envolvem a todos nós, educadores, a começar dos nossos 112 dias de greve, culmiando com o dia em que este mesmo governo,depois de confiscar os salários do funcionalismo público estadual com a imposição do subsídio e os reduzir quando 153 mil retornaram à carreira antiga (VB), assinou TERMO DE COMPROMISSO com o sindicato da categoria (SIND UTE MG), criando a Comissão Tripartite para a viabilização do Piso. Acontece que o que temos presenciado, depois de uma longa espera (já ocorreram cinco reuniões de tal comissão), é um total descaso deste governo, cuja intenção sem rodeio algum, é descaracterizar a nossa carreira, condenando-nos a ETERNOS MORTOS DE FOME.Como é natural, qualquer pessoa que começa trabalhando numa empresa, quer galgar todos os degraus possíveis para conquistar os mais altos cargos e os maiores salários. Também temos um PLANO DE CARREIRA que nos garante 22% de um nível para o outro e 3% de uma promoção horizontal para a outra, mas o governo, em vez de respeitá-lo, quer nos impor novas tabelas que nada têm a ver com a proposta do piso na carreira, o que inviabiliza qualquer possibilidade de crescimento na carreira. Urge então que voltemos a nos mobilizar para cobrar, ainda que na justiça os nossos direitos que são garantidos por lei e ignorados pelo governo.

    Grande abraço a todos, força na luta, rumo à nossa vitória.

    ALFREDO ANTONIO HERINGER - GOVERNADOR VALADARES

    ResponderExcluir
  8. Professor Euler,
    Que maravilha poder contar com esse seu texto maravilhoso logo pela manhã.O governo de Minas finge de débil mental quando tenta passar sucessivamente a ideia de que faz tudo para os servidores de Minas e, quando se sente ameaçado, ele atira para todos os cantos com declarações infundadas abusando da inteligência das pessoas, principalmente da dos educadores.
    Vamos logo começar uma campanha contra esse governo para miná-lo na eleição de 2014.Ah! Não esqueçamos de todos os seus aliados.Devemos atacar já o Faraó das Alterosas.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  9. Euler
    Quase tanto quanto a sacanagem do governo, uma coisa vem me inquietando ultimamente: a sua saude.
    Voce tem postado altas horas, mostrando que o sono esta comprometido. E a alimentacao?
    te cuida, cara. Precisamos de voce,

    ResponderExcluir
  10. Não à mentira!
    Cuidado! Uma mentira será sempre, mentira. Independentemente do número de vezes pronunciada. Ela nunca subsistirá sozinha, será preciso uma outra mentira para subsidia-la.

    Quanto mais mentiras disserem, mais verdades diremos sobre eles!

    ResponderExcluir
  11. Professores e professoras à beira de um ataque de nervos. Esta é a situação de uma classe tão largada e sucateada por um governante, mentiroso, fora da lei e sem nenhum tipo de vontade política para tornar seu funcionário verdadeiramente valorizado. Mente em Rede Nacional. Diz que deu aumento aos professores. Pelo contrário ele nos tirou parte do salário, usa de seu poder para humilhar uma categoria inteira. Não há mais o que dizer numa hora dessas. Exigimos que seja cumprido o acordo e que se cumpra a LEI, porque se isso não acontecer, GREVE de novo e desde já, nada de esperar 2012. Não podemos nos omitir diante de tamanha desfaçatez. Assim como diz a canção, façamos todos nós:
    "Vem vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer"

    ResponderExcluir
  12. Que tristeza este governo e este governador de meia tijela

    ResponderExcluir
  13. "Atores somos todos nós, e cidadão não é aquele que vive em sociedade: é aquele que a transforma." Augusto Boal

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Euler!
    Temos que nos mmobilizar para encher o pátio neste dia 10 de Novembro; a nossa escola já passou a lista e pelo visto não teremos mesmo aula.
    O NDG ataca novamente.
    João Monlevade.

    ResponderExcluir
  15. Nós temos que deixar de ser inocentes! Desde o começo da luta pelo piso o governador de merda tenta nos mostrar que ele está no controle da situação. Mas é totalmente o contrário! Quando o pagamento do piso for determinado pela decisão final do STF ele não tem como recusar a implementação do piso salarial. Temos que continuar firmes não cedendo a pressão desse desgoverno.

    ResponderExcluir
  16. CONVOCAÇÃO GERAL

    Caros colegas, trabalhadores e trabalhadoras em educação do município de Jaíba,

    Diante dos últimos acontecimentos em que o governo Anastasia vem descumprindo o acordo firmado com a nossa categoria, vimos convidar e convocar a todos e todas para uma Assembleia Geral na nossa cidade que acontecerá amanhã às 16 horas na subsede do nosso sindicato (em cima da Brink Modas), onde avaliaremos a conjuntura e traçaremos as nossas estratégias locais.
    Vale ressaltar que o descumprimento do acordo feito entre o governo, o Sind-UTE/MG e os deputados estaduais atinge a todos os trabalhadores em educação, uma vez que o governo apresenta uma proposta de destruição do nosso plano de carreira e de não aplicação correta do piso salarial nacional, garantidos nas Leis Estaduais 15.293/04 e 15.784/05 e da Lei Federal 11.738/08.

    Às vezes pode até parecer que estamos perdidos, que estamos derrotados, mas não estamos. Estamos em dificuldades: o governo tenta de todo modo passar a imagem de que é o manda-chuva, de que está por cima dos nossos direitos. Mas se esquece que Deus nos deu o dom do conhecimento da verdade e do discernimento para saber suas reais intenções e para saber que vivemos em uma democracia e temos o direito e o dever de participar da construção da nossa sociedade.

    A nossa greve não foi feita para que construíssemos ato de heroísmo, nem porque queríamos ficar longe do nosso ofício. Fizemos a greve porque tínhamos um objetivo claro: implementação da lei do piso e permanência do nosso plano de carreira. Diante do reconhecimento do governo para essa reivindicação suspendemos a greve.

    Estamos vendo agora que a luta não acabou. O governo ainda tenta nos roubar esses direitos, descumprindo o Termo de Compromisso assinado por ele.

    Vamos à luta! Quem fez a greve deverá suspender a reposição imediatamente. Essa é a orientação do nosso sindicato que no momento é quem direciona e coordena o nosso movimento em defesa da nossa categoria.

    E todos nós: efetivos, efetivados, designados, professores, auxiliares de serviços ou auxiliares técnicos, participantes da greve ou não, do NDG ou não, devemos nos unir mais uma vez, darmos as mãos para conquistarmos a nossa dignidade enquanto ainda tem gente lutando.

    A educação precisa de nós! Vamos nos unir, somente assim venceremos!

    Um abraço fraterno a todos. Coordenação da subsede Jaíba

    ResponderExcluir
  17. Este governo é uma FRAUDE! e O GOVERNADOR é uma FARSA!

    ResponderExcluir
  18. Euler,
    Bom dia!
    Sou professora pela rede municipal de Carmo de Minas e faço parte da Comissão de Professores.Em 15 de julho fizemos uma paralização de 03 dias e foi feito um acordo entre o prefeito e os professores.Neste acordo nossa carga horária de 24 horas( somos regente de turma) passaria para 30 horas e o piso receberíamos a partir de 01/09/2011, retroagindo a ajneiro de 2010.No entanto o acordo não foi cumprido.Aqui não temos um sindicato confiável e contratamos uma adovagada que elaborou uma notificação que os professores a partir de hoje dia 04/11/2011 iriam cumprir o Art. 2º, parágrafo 4º da Lei Federal 11.738 de 16/07/2008.Pela Lei temos que trabalhar somente 16 horas em sala e estavámos trabalhando 20 horas.Foi uma maneira que encontramos de fazer pressão junto à Prefeitura para que cumpra a palvra empenhada e assinada.A maior Escola parou em peso tanto os efetivos como os contratados e agora estamos esperando...


    Aparecida

    ResponderExcluir
  19. Estes tucano aqui de Minas são malditos, em nenhum outro Estado existe essa raça de tucanos que odeia educador. Veja as tabelas salariais dos outros estados superam essa vergonha de Minas. Em São Paulo o tucano Geraldo Alckmin paga o piso bem acima do piso nacional.
    Ainda Aécio sonha em ser presidente! Brasileiro não vai cair nesta, primeiro cortou os quiquiênios, depois se virar presidente vai detonar a CLT, adeus décimo terceiro, seguro desemprego...etc

    ResponderExcluir
  20. Caro Euler
    A união é indispensável para garantirmos nossos direitos.
    Na minha escola poucos estão dispostos a abrir mão de interesses individuais e imediatistas em prol da valorização da educação.
    Estamos tão empobrecidos financeiramente quanto espiritualmente.Perdemos a capacidade de sonhar.

    ResponderExcluir
  21. O pior de tudo é ver colegas nossos chorando o dinheiro que veio faltando porque voltaram pro vb e mais,falando mal de quem fez greve,como se fóssemos culpados pela caótica situação em que estamos...é...parece mentira,mas tem muitos professores tapados que não enxergam um palmo na frente do nariz nos apontando o dedo.Não se informam da nossa realidade e nos criticam por terem de trabalhar no sábado e feriados.Tem professor que se contenta com miséria,parece não dar valor ao seu trabalho.Os pelegos que não acompanham a própria carreira,como formarão cidadãos críticos?desculpe Euller,mas eu precisava desabafar...

    ResponderExcluir
  22. O problema é que os professores empobreceram financeiramente e, também, intelectualmente, este quadro é estarrecedor.

    ResponderExcluir
  23. Esse governador não sabe nem o que fala mais. Está perdido nas próprias malvadezas. Continuo insistindo na TESE de que devemos iniciar uma campanha de IMPEACHEMENT em todos os cantos de Minas de GeraiS. A mídia não divulga a greve de professores que querem a aplicação de um Lei Federal, mas com certeza divulgará os motins de IMPEACHEMENT. Temos que aproveitar a onda de insatisfação de todo o funcionalismo de MG por conta do não pagamento da Produtividade. Até a polícia do Governador irá apoiar o nosso movimento, afinal, "pimenta nos olhos dos outros é refresco." MEXEU COM A PRODUTIVIDADE, MEXEU COM TODOS"

    ResponderExcluir
  24. Enquanto a campanha do IMPEACHEMENT a que sugeri não dá Ibope...
    Gostaria de saber se alguém tem alguma novidade com relação aos andamentos jurídicos do SINDUTE?!!

    ResponderExcluir
  25. que governador fdp....como pode fazer isso tudo com os educadores e ainda afirmar que já tem despesa e que não pode voltar atrás com elas???!!!tem vergonha não viu...
    FORA SATANASIA
    FORA DITADORRRRRRR

    ResponderExcluir
  26. Muito bem exposto pela Beatriz, parabéns a ela:

    ""Temos que ter ações ATIVAS e não reativas..."

    Isto é fundamental e é necessário que todos nós, professores, especialistas, auxiliares, ATBS, diretores, enfim, todos da educação, entendamos e o praticamos.
    É verdade sim: por que muitos já praticavam a reposição enquanto o sindicato estava na mesa de negociação? por que se criticar algo pontual com tanto afinco, e não agir da mesma forma buscando a coesão e união apoiando o sindicato, para dar forças na mesa de negociação? Ora, se não tivermos munição, como poderemos atirar contra o inimigo? Ou, se não nos apoiarmos uns aos outros e na direção do sindicato, como nos manteremos de pé, lutando por uma educação de qualidade e pelo reconhecimento de nosso salário?
    Você está certíssima!
    Não podemos querer apenas algo pontual, uma batalha apenas!
    Temos que nos fortalecer para sermos respeitados sempre, não só agora com a questão do Piso! A questão da Educação de qualidade é para sempre, a categoria tem que ser forte sempre, e o sindicato tem que ser respeitado e temido pelo governo, sempre também! Isto fará com que as proximas batalhas sejam mais desnecessárias e mais humanas, e não cruéis e desiguais como agora está sendo!

    É preciso que se construa um mecanismo, um sistema que leve a todos os cantos de Minas, a presença das lideranças e do sindicato, fortalecendo seu papel e deixando que todos possam se sentirem amparados e parte da categoria, e não, ficando isolados pela distãncia da capital, pelo sentimento de que nos remotos cantos de Minas as coisas não funcionam, o sindicato não chega ou não existe. Deve-se ter uma comissão para visitar toda Minas, todas as Escolas e envolvê-las neste processo de fortalecimento.
    Muitas escolas de Minas não tiveram nenhuma visita de representantes do Sindicato, isto é ruim. Todos têm que se sentirem amparados e atendidos. Isto dará mais forças ao Sindicato. Provavelmente, até, a reposição possa ter iniciado nestas escolas antes da negociação, por ter faltado um braço do sindicato nestas Escolas.

    Não podemos pensar o Sindicato só hoje, é preciso nos concientizarmos de que ele deve existir para sempre, e para tanto temos que nos unir e fazê-lo forte, para sermos ATIVOS e não "reativos"!

    (Professor, que trabalhou e foi diretor de um sindicato em uma das maiores empresa da América Latina,com várias filiais, que lutou, fez greve, conquistou benefícios e salários que mudaram a cara da empresa , dos funcionários, mas que depois de alguns anos, por não ter coesão e união da categoria, estas conquistas se exauriram e hoje, seus funcionários vivem suas frustrações e derrotas)

    Força na luta pessoal!

    ResponderExcluir
  27. ATENÇÃO - - as SRE, estão por meio dos inspetores fazendo um levantamento de quem irá repor as aulas, pois caso contrario, irão contratar "outros prostitutos" para fazê-lo.
    ENTÃO - - vai uma sugestão: Confirmar que irá pagar aula, adoecer (depressão),afastar 15 dias (não haverá prostituto) voltar ao cargo e faltar alguns dias ( alternados), e os dias que for trabalhar e fortificar o movimento junto aos alunos/pais.

    ResponderExcluir
  28. Olá, turma da luta, membros do NDG, demais colegas de combate, estudantes e pais de alunos!

    Boa tarde!

    Hoje, dia 04/11, encerra a nossa campanha de ajuda mútua. Até esta data e horário 36 colegas nossos receberam repasses, graças às doações feitas por dezenas de educadores, mesmo em crise e sem-salário.

    Pedimos, portanto, que não façam mais depósitos - se bem que nesta altura do campeonato, duvido que alguém tenha condições de contribuir. Todos já fizeram muito e estão de parabéns. Ainda existe saldo em caixa e também uma pequena lista de espera de cinco pessoas das quais aguardo o retorno com os dados que pedi.

    Caso, amanhã, no acerto e prestação de contas, ainda haja saldo, discutiremos aqui, coletivamente, o que fazer com os recursos.

    Um forte abraço e força na luta! Até a nossa vitória!

    Sem o piso, o chão de Minas vai tremer de novo até derrubar tudo, inclusive o governo!

    ResponderExcluir
  29. Inspetora que não conhece a lei faz ameaças em escola de BH. Vamos começar a ligar no disque denúncia da SEE

    ResponderExcluir
  30. Nas carreiras do SUBSÍDIO, o governo de MG, considera as 8 carreiras, PORTANTO, para o PISO FEDERAL ele também tem que considerar as 8 CARREIRAS. Coerência, justiça e prudência.
    O sindicato tem que questionar isso.

    ResponderExcluir
  31. Boa tarde Euler e demais colegas. Bem, greve este ano ou em 2012? Este ano estamos sem condições $$$, ano que vem está muito longe. Minha sugestão é de fazermos ainda este ano, uma semana de greve a cada mês, começando já agora em novembro, depois dezembro e ano que vem em janeiro. Além de parar todas as reposições. É algo que certamente traria de volta a publicidade que precisamos.

    ResponderExcluir
  32. Euler... Tem uma professora da minha escola, que teve o contracheque ZERADO pela segunda vez e está precisando da ajuda dos nobres colegas. Sei que já venceu o prazo hoje, por isso gostaria que abrisse uma excessão para ela. Se puder me passar o seu fone fixo, posso te ligar. Por favor não vamos parar a campanha ainda, pois o DesGovernador não cumpriu com o que foi acordado, e tem muita gente que mais uma vez, ou melhor mais um mês sem salário..
    Ricardo ( NDG de Gov.Valadares)

    ResponderExcluir
  33. O Sind UTE, deve fazer um relatório completo sobre a Educação em Minas Gerais. As relações entre o Governo e os servidores da Educação.
    A Educação de RESULTADOS MAQUIADOS.

    Este documento deve se possível, ter o respaldo dos Deputados da oposição, de entidades e instituições privadas e principalmente dos PROFESSORES E SERVIDORES DA EDUCAÇÃO EM MINAS GERAIS.

    ESTE DOCUMENTO DEVE SER ENVIADO COMO DENÚNCIA,

    À DIREÇÃO DO BANCO MUNDIAL;

    DEVE SER ENVIADO À SECRETARIA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS;

    AO STF;

    A TODOS OS DEPUTADOS E SENADORES DO CONGRESSO NACIONAL;

    À CASA CIVIL;

    AO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA;

    À CNBB;

    À OAB;

    À OIT;

    E À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA;

    ONDE SE FIZER NECESSÁRIO...

    EM SEGUIDA MONTAR UM OUTRO DOCUMENTO SOFRE AS FRAUDES DO GOVERNO EM MINAS GERAIS E ENVIÁ-LO AOS MESMAS INSTITUIÇÕES.

    O SIND UTE TEM REPRESENTATIVIDADE PARA ISTO.

    PRECISA DELEGAR PODERES, USAR E DIRECIONÁ-LOS.

    O SIND UTE, É UM GRANDE PODER EM NOSSAS MÃOS, PRECISAMOS SABER AGIR CONSISTENTEMENTE E COM ESTRATÉGIAS.

    ResponderExcluir
  34. Prezado Euler, Já postei alguns comentários, mas não foram publicados.Mas acredito que você os leia. Postei vários E-mail, para vários deputados, senadores falando sobre o desrespeito feito conosco em Minas Gerais.Peço-lhes que intercedam por nós no cumprimento de leis, que o dito cujo governador não obedece.Estou tão indignada quanto todos vocês. Pois sou da velha guarda de luta.Participo desde a primeira.Nunca vi ninguém tão inconsequente e irresponsável com nossa classe como este senhor.Temos que lutar e nunca fraquejar. Força grande professor!

    ResponderExcluir
  35. Caro combativo Ricardo / Goval

    Peça para esta colega - ou você mesmo - enviar para o meu e-mail (euler.conrado@gmail.com) os seguintes dados:

    - nome completo
    - escola em que trabalha
    - nome da cidade
    - dados bancários do Banco do Brasil (Nº da agência e da conta corrente)
    - telefone para contato
    - cópia de contracheques de setembro e outubro

    ResponderExcluir
  36. A crise na Europa é sentida porque anestesia e o faraó não vão poder gastar seus euros que são muitos nos salões onde neguem lhes da bola.

    Atte.

    ResponderExcluir
  37. Pensando uma estratégia de impacto público.

    Imaginemos: mais de mil educadores de Minas resolvem divulgar os contracheques de agosto (com cortes salariais), setembro (aquele que veio zerado) e o de outubro (que veio com cortes). Enviar para uma lista de autoridades e entidades, como:

    - deputados estaduais e federais, senadores, governadores, prefeitos, ministros do STF, Papa, CNBB, OIT, consulados e embaixadas de vários países, MEC, grande mídia (mesmo que não dê em nada), e pelas redes sociais da Internet.

    Todos os contracheques com um pequeno histórico, tipo:

    "Meu nome é fulano, sou professor na rede pública de Minas Gerias há tantos anos, sou arrimo de família, etc e tal, e ao invés de receber o piso salarial a que tenho direito, segundo a lei federal 11.738/2008, estou recebendo este valor dos contracheques. Os educadores de Minas estão vivendo momentos de desespero. Onde estão a justiça, o parlamento, o ministério público, a mídia, todos, enfim, que adoram falar em educação como prioridade?".

    ResponderExcluir
  38. Professor Euler,

    PARABÉNS PELAS 1.200.000 VISITAS A ESTE BLOG.

    BLOG DE UTILIDADE PÚBLICA PARA OS PROFESSORES DE MINAS GERAIS.

    OBRIGADO PELAS OPORTUNIDADES E LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

    ResponderExcluir
  39. Ao Sind UTE,
    À Beatriz,

    O jurídico do sindicato precisa de apoio.

    Precisa-se aprender a fazer CONSULTAS aos tribunais, à ex-juízes, ex-ministros e à escritórios de advocacia e à juristas experientes. Eles conhecem o caminho das pedras. Eles conhecem as peculiaridades de cada tribunal. Eles são muito bem relacionados nesta área.

    Saber formalizar e encaminhar as denúncias é PRIMORDIAL.

    Agindo desta forma tornaremos o jurídico forte.

    Esta é uma crítica construtiva que faço para melhorar a qualidade e os resultados.

    Com humildade e buscando o fortalecimento da CATEGORIA.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde Euler!
    Sou funcionária publica e percebi que apenas houve uma simulação de acordo por oarte do governador. Foi só voltar as aulas e tudo voltou a estaca zero. Os corréios fizeram greves rapidamente foram sucedidos, os bancarios também agora com os professores e demais funcionários dá para perceber o descaso para conosco. Tá na hora de exigir um piso digno de nossos esforços e será muito bem merecido pois também temos família para nós sustentarmos.

    ResponderExcluir
  41. Se estamos lutando para o PISO SALARIAL nas 8 carreiras da educação, então, a maioria dos servidores desses quadros tem de engrossar a fileira reivindicando o PISO SALARIAL. Dia 10/11, no pátio da Assembléia Legislativa a presença tem de ser maciça, a pça da Assembléia tem que ficar pequena diante a presença dos servidores da educação.

    "A grande presença, o volume de pessoas, intimida aos mais poderosos."

    ResponderExcluir
  42. PAPAGAIADA!!!!!ISSO TUDO É ARMAÇÃO PARA TENTAR GANHAR CONFIANÇA DA SOCIEDADE QUE JÁ NÃO ACREDITA MAIS EM JUSTIÇA NO BRASIL, NO FINAL TUDO VAI DAR EM PIZZA!!!!!!!!!!
    Promotoria investiga Aécio, Anastasia e Lacerda por contratarem "casting" de artistas que os apoiaram
    O promotor Eduardo Nepomuceno de Sousa, do Ministério Público de Minas Gerais, abriu investigação na quarta-feira sobre a contratação sem licitação, e patrocínio financeiro, para cantores, pelos governos tucanos de Minas (Aécio Neves sucedido por Anastasia) e pela prefeitura de Belo Horizonte (prefeito Marcio Lacerda/PSB, aliado de Aécio).

    ResponderExcluir
  43. FIZ UM EMPRÉSTIMO PARA PAGAR EM 75 PARCELAS DE 118,00 CADA, PAGUEI MINHAS DÍVIDAS, FIQUEI LISO E ESTOU INDO TRABALHAR A PÉ EM DUAS ESCOLAS COM 36 AULAS SEMANAIS.

    JÁ SABEM A QUALIDADE DAS AULAS NÉ, POIS DEPOIS DE SUBIR UM BAITA MORRO DO CARATINGA E DEPOIS OUTRO DA ESCOLA ESTADUAL DEPUTADO AGENOR LUDGERO ALVES, QUE SE LEVANTAR A MÃO ENCOSTA AO CÉU, TÔ MORTO DE CANSADO E AÍ COMO EXPLICAR MATÉRIA??????????

    MAURO NDG CARATINGA COM MUITA HONRA E POUCO DIDIM!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  44. Euler e amigos(as) do blog, boa tarde!

    Apesar de ter dois descontos para assistência médica
    do IPSEMG (tenho dois cargos) e eperar um tempão para
    agendar uma cirugia, fui informada hoje pelo cirugião que a autorização para cirurgias estão suspensas até fevereiro/2012.
    É muita robalheira!!! Dá para aguentar!!!

    ResponderExcluir
  45. Euler, estes governantes estão é puxando com enxada o nosso salário e não garfando. Confisco é próprio de quem nunca teve nada e hoje ele o governador (que nunca deve ter tido nada, ele acha que sabe sobre leis),nos confisca DIREITOS CONSAGRADOS EM LEI. TENHO MINHAS DÚVIDAS quando se diz que ele fez e foi professor de direito, será? Quanto aos respingos, não é bem de dívidas européias não, são respingos de m.... mesmo, uma vez que estamos sendo muito mal direcionados e administrados por factóides como ele. Breve teremos boas notícias sobre sua saída do poder. Ele que aguarde. Surpresa! Não podemos perder de vista o que ele diz e faz. Vamos cobrar a todo instante o nosso PISO SALARIAL. Piso este que está escrito em LEI FEDERAL, E POR ISSO SR JUNHO CUMPRA A LEI.Você não gosta de lei, nós também gostamos, portanto cumpra a lei Sr Anastasia. Não estamos no faroeste estamos em Minas Gerais, estados onde nasce grandes líderes e infelizmente andróide como VOCÊ.Beijos a todos (as) companheiros (as). Até a vitória.

    ResponderExcluir
  46. O SIND UTE PRECISA ORGANIZAR E COMUNICAR AO PESSOAL PRINCIPALMENTE DO INTERIOR COMO VAI SER ESTA MOBILIZAÇÃO DO DIA 10/11/11.

    O SIND UTE JÁ INFORMOU A SEE/MG QUE HAVERÁ ESTA PARALISAÇÃO?

    SERÁ UMA PARALISAÇÃO ESTADUAL NESTE DIA?

    SERÁ CONSIDERADA FALTA-GREVE?

    HAVERÁ CARAVANAS DO INTERIOR?

    A RESPOSTAS A ESTAS PERGUNTAS NOS DÁ SEGURANÇA E TAMBÉM VERIFICAMOS COMO ESTÁ A COORDENAÇÃO DESTA PARALISAÇÃO.

    *** ESTAMOS CONVERSANDO COM O SIND UTE ATRAVÉS DO BLOG DO EULER.
    É MAIS RÁPIDO E INTERATIVO, QUEM SOUBER NOS RESPONDER, ESTAMOS AGUARDANDO.

    ResponderExcluir
  47. Olá, combativo Mauro de Caratinga! Parabéns pela dignidade e disposição de luta, apesar da situação em que está vivendo. Converse com seus colegas e com os alunos. Precisamos retomar as nossas mobilizações. Dias melhores virão! Um forte abraço!

    Um abraço para o combativo Diógenes! Tem razão, amigo, temos que começar a encher as praças públicas novamente, e cobrar nossos direitos: atendimento adequado no Ipsemg (um absurdo o adiamento da cirurgia da combativa anônima das 14:43); piso na carreira, devolução do nosso dinheiro garfado em julho; prêmio de gratificação, etc.

    Boa dica do Anônimo das 13:58 para o jurídico do sind-UTE: manter contato com juristas e ex-desembargadores, que possam apontar os melhores caminhos para atingirmos nossos objetivos.

    Ao combativo colega Carlos Fiuza: penso que parar uma semana por mês, sem que haja uma forma de pressão direta sobre o governo, pode não mobilizar nossa categoria este ano. Mas, as reduções de jornada, como tempo para discutir os nossos problemas na escola, talvez apresentassem melhores respostas. Precisamos envolver o pessoal das escolas e da comunidade escolar na nossa luta. Manter a escola funcionando, neste momento, após 112 dias de greve, talvez seja a melhor forma de conquistar o apoio da comunidade e envolver os colegas, pois ninguém teria os dias cortados.

    Mas, manter a escola funcionando não precisa ser da forma tradicional. Uma parte do tempo seria usada para as aulas, com horário reduzido; a outra parte para as atividades em defesa do piso, da escola pública ameaçada, da democracia interna, dos demais direitos dos servidores públicos, hoje ameaçados ou cortados.

    Cada escola precisa se transformar num espaço de rebeldia. Precisamos construir este clima nas escolas. Esqueçam os diretores traíras. Mobilizem os colegas educadores e os alunos; formem núcleos, conspiremos na cantina, nos corredores, nas salas de professores, criemos um verdadeiro clima de rebelião em cada escola. Conversemos com os pais de alunos e falemos para eles: vocês podem nos ajudar a não realizar uma outra greve em 2012. Participem conosco das nossas lutas por uma escola de qualidade e respeito aos direitos dos educadores.

    Um abraço também aos bravos guerreiros e guerreiras de Jaíba, especialmente para a combativa Cida.

    Força na luta! Até a nossa vitória!

    ResponderExcluir
  48. Euler
    Vc como sempre tem ótimas idéias! Gostei da de mandar os contracheques para autoridades e entidades! Em grande número acho que surtirá efeito.

    ResponderExcluir
  49. Li agora um texto postado pela Beatriz Cerqueira em que ela responde a vários questionamentos nossos com relaçao ao sindicato e fala da importância de mantermos uma relação de confiança nesta hora apesar de tudo que estamos passando.É necessário seguir as intruçoes do sindute ,principalmente quanto a suspenção das reposiçoes,já que o governo não cumpriu o acordo. Na minha escola infelizmente ainda não entenderam que se o ano letivo não fechar,a culpa não será dos professores! O problema é da SEE...eles que resolvam! Acho que representantes das subsedes deveriam ir nas escolas para esclarecimentos e isso não está acontecendo! Não vamos desistir ,gente ! Força, coragem, Vamos Vencer se Deus quizer! E Ele quer.

    ResponderExcluir
  50. De fato, é importante esclarecer se o dia 10 será dia de paralisação geral, constando como falta greve, ou apenas um ato conjunto. Se for paralisação geral, o sindicato deve enviar cartazes para as escolas, através das subsedes. Isto, seguramente, preocupará o governo.

    Quanto às reposições: ainda não tivemos nenhum retorno do governo sobre o corte no contracheque de novembro? O sindicato precisa cobrar uma resposta do governo urgentemente. E mais: precisamos levantar quantas pessoas ficaram com contracheques abaixo do que foi combinado com o governo. De imediato, o governo deveria determinar que se excluíssem quaisquer outras faltas deste contracheque de novembro.

    Acho, pessoalmente, que a suspensão da reposição é uma arma poderosa para usarmos na questão do piso e na votação das tabelas salariais. E pode ser usada de forma a não permitir que o governo contrate novos substitutos.

    Ao mesmo tempo, é preciso pressionar o governo também. O governador anda dizendo que está economizando R$ 6 milhões com a não impressão dos contracheques. Mas está jogando fora R$ 12 milhões com a contratação de substitutos. Os agentes responsáveis por este gasto desnecessário do dinheiro público precisam ser cobrados na justiça. Eles devem pagar ao estado pelo prejuízo causado.

    ResponderExcluir
  51. Ministro da Educação vc não disse que iria intermediar pessoalmente as negociações do piso em Minas? Onde está vc agora? Devemos mandar uma enchurrada de emails para ele cobrando o que prometeu.

    ResponderExcluir
  52. Desculpe minha ignorância! Mas o que falta para a lei do piso valer?

    ResponderExcluir
  53. Por e-mail:

    Lista de deputados, para enviar e-mails:

    dep.adalclever.lopes@almg.gov.br; dep.adelmo.carneiro.leao@almg.gov.br;
    dep.alencar.silveira.junior@almg.gov.br; dep.almir.paraca@almg.gov.br;
    dep.ana.maria@almg.gov.br; dep.andre.quintao@almg.gov.br;
    dep.anselmo.jose.domingos@almg.gov.br; dep.antonio.carlos.arantes@almg.gov.br;
    dep.antonio.genaro@almg.gov.br; dep.antonio.julio@almg.gov.br;
    dep.antonio.lerin@almg.gov.br; dep.arlen.santiago@almg.gov.br;
    dep.bonifacio.mourao@almg.gov.br; dep.bosco@almg.gov.br;
    dep.bruno.siqueira@almg.gov.br; dep.carlin.moura@almg.gov.br;
    dep.carlos.henrique@almg.gov.br; dep.carlos.mosconi@almg.gov.br;
    dep.cassio.soares@almg.gov.br; dep.celinho.do.sinttrocel@almg.gov.br;
    dep.celio.moreira@almg.gov.br; dep.dalmo.ribeiro.silva@almg.gov.br;
    dep.deiro.marra@almg.gov.br; dep.delio.malheiros@almg.gov.br;
    dep.delvito.alves@almg.gov.br; dep.dilzon.melo@almg.gov.br;
    dep.dinis.pinheiro@almg.gov.br; dep.doutor.viana@almg.gov.br;
    dep.doutor.wilson.batista@almg.gov.br; dep.duarte.bechir@almg.gov.br;
    dep.duilio.de.castro@almg.gov.br; dep.durval.angelo@almg.gov.br;
    dep.elismar.prado@almg.gov.br; dep.fabiano.tolentino@almg.gov.br;
    dep.fabio.cherem@almg.gov.br; dep.fred.costa@almg.gov.br;
    dep.gilberto.abramo@almg.gov.br; dep.gustavo.correa@almg.gov.br;
    dep.gustavo.perrella@almg.gov.br; dep.gustavo.valadares@almg.gov.br;
    dep.helio.gomes@almg.gov.br; dep.hely.tarquinio@almg.gov.br;
    dep.inacio.franco@almg.gov.br; dep.ivair.nogueira@almg.gov.br;
    dep.jayro.lessa@almg.gov.br; dep.joao.leite@almg.gov.br; dep.joao.vitor.xavier@almg.gov.br;
    dep.jose.henrique@almg.gov.br; dep.juninho.araujo@almg.gov.br;
    dep.leonardo.moreira@almg.gov.br; dep.liza.prado@almg.gov.br;
    dep.luiz.carlos.miranda@almg.gov.br; dep.luiz.henrique@almg.gov.br;
    dep.luiz.humberto@almg.gov.br; dep.luzia.ferreira@almg.gov.br;
    dep.maria.tereza.lara@almg.gov.br; dep.marques.abreu@almg.gov.br;
    dep.neider.moreira@almg.gov.br; dep.neilando.pimenta@almg.gov.br;
    dep.paulo.guedes@almg.gov.br; dep.paulo.lamac@almg.gov.br;
    dep.pinduca.ferreira@almg.gov.br; dep.pompilio.canavez@almg.gov.br;
    dep.rogerio.correia@almg.gov.br; dep.romel.anizio@almg.gov.br;
    dep.romulo.veneroso@almg.gov.br; dep.romulo.viegas@almg.gov.br;
    dep.rosangela.reis@almg.gov.br; dep.sargento.rodrigues@almg.gov.br;
    dep.savio.souza.cruz@almg.gov.br; dep.sebastiao.costa@almg.gov.br;
    dep.tadeu.martins.leite@almg.gov.br; dep.tenente.lucio@almg.gov.br;
    dep.tiago.ulisses@almg.gov.br; dep.ulysses.gomes@almg.gov.br;
    dep.vanderlei.miranda@almg.gov.br; dep.ze.maia@almg.gov.br;

    ResponderExcluir
  54. E aqui, um modelo de carta que recebi por e-mail, que pode ser enviada na íntegra ou resumidamente, adicionando elementos da realidade de cada pessoa (pai de aluno, professor, auxiliar de serviço, estudante, etc.):

    "Sr. Deputado, Senhora Deputada,

    Como cidadãs mineiras queremos registrar nossa indignação para com as atitudes tomadas pelo governo de Minas em relação à Educação Pública e seus Educadores.

    É, no mínimo, vergonhosa a proposta apresentada pelo governo no que tange a remuneração do professorado mineiro. Não é hora de apresentar propostas de redução de vencimentos e desmerecimento da categoria. É hora, sim, de cumprir a Lei Federal 11.738/2008, que foi aprovada, sancionada, julgada pelo STF e considerada extremamente constitucional.

    Minas vive um momento já conhecido por todos os mineiros quando o governo matou e enforcou e exilou, aqueles que sonhavam com liberdade.
    Minas está nas mãos de um ditador e seu parlamento assiste em silêncio todos os desmandos deste homem.

    Alguém precisa pôr ordem nesta bagunça.

    Não é possível, nem humanamente compreensível, que este parlamento assista a tudo isto sem se manifestar a favor do povo que o elegeu. Não é leal por parte da casa legislativa deste estado apoiar os desmandos deste governo apenas por acordo ou conveniência política.

    Que país é este? Que estado é este?

    O descaso com a educação e seus servidores é chocante, é absurdo. Como pode um profissional com nível médio de escolaridade receber por seu trabalho R$369,00 reais? Menos que o salário mínimo vigente no país! Tem este servidor que abrir mão de toda a sua vida funcional para receber o famigerado subsídio? Mas, que ditadura é esta?
    Vivemos tempos sem liberdade em um mundo de liberdade!

    Que cumprimento da Lei 11.738/08 é este que ignora seus artigos e incisos e ainda corre o sério risco de ter a aprovação do parlamento mineiro?

    A proposta feita pelo governo mostra a vergonha que se instaura em Minas Gerais e também a intenção de sucatear a Educação Pública.
    Essa atitude do governo mineiro mostra o receio de que a educação de qualidade traga discernimento político àqueles que por ela procuram e que possuem baixa renda, uma realidade constante nesse país.
    Não vale a pena estudar se o governo não investe na educação. Nem para ser estudante de uma educação sem qualidade, nem para ser profissional de um seguimento tão mal remunerado.

    Minas insiste em ignorar a Constituição Federal, a legislação educacional, a valorização do trabalhador em educação e consequentemente o povo que precisa de uma educação de qualidade.

    (cont...)

    ResponderExcluir
  55. Parte 2 (cont...)

    Penso que o governo mineiro discrimina o educador devido ao discernimento que este tem e passa aos seus educandos e às comunidades no entorno das escolas. Impressiona-me como o este governo insiste, claramente, em investir na repressão e não na formação do cidadão mineiro.

    O governo de Minas se recusa a pagar o Piso Salarial Nacional, mesmo o proporcional do MEC, que é nosso direito garantido por lei, indiscutivelmente, constitucional, nos oferece um valor vergonhoso como vencimento e nós ainda corremos o risco de ver o parlamento mineiro, eleito pelo povo, ignorar esse mesmo povo e aprovar as loucuras deste gestor.
    A Lei 11.738/2088 não carece mais ser adiada em seu cumprimento, precisa, apenas, ser cumprida e ponto final. Chega de desonrar o educador mineiro. A Lei “traz todos os elementos para que seja implantada: indica as fontes de financiamento, inclusive com o compartilhamento entre os entes federados, caso algum deles prove não possuir recursos próprios para pagar o piso; aponta também o tempo desta implantação, dando prazo para que os estados e municípios, desde de 2008, pudessem se preparar para este investimento previsto no artigo 206 da Constituição Federal; disponibiliza os recursos do FUNDEB e dos 25% da receita da Educação para este fim; e finalmente, com base em estudos técnicos, aponta o valor nacional do piso e os mecanismos de reajuste, tendo como base o custo aluno ano.”

    Não há mais o que se discutir em relação à Lei do Piso, é pagar ou pagar. Cabe ao Parlamento mineiro fazer valer sua função de fiscalizador e executor das leis.

    Minas está vivendo, novamente, um período triste de repressão, ditadura, descaso e desumanidade.

    Por tudo isto, estamos cobrando do Legislativo Mineiro uma atitude digna para com seu povo, uma atitude de retribuição à confiança que este povo dedicou a cada um de vocês quando cada um veio até nós pedir o voto que o elegeu. Quem de vocês estiver contra os educadores, estará, também, contra a Educação Pública de qualidade para todos e consequentemente contra o povo mineiro. Não poderá, por merecimento, ser eleito a nada.

    Estão chegando as eleições de 2012 e o povo não se esquecerá das atitudes de seus políticos. O povo espera na dignidade e consciência de cada um de vocês para ter uma atitude definitiva em favor do educador e da educação mineira.

    Aguardamos,"

    ResponderExcluir
  56. MARY-Ipatinga
    Companheiro Euler,se cuide.Você está postando comentários altas horas da noite ou pela manhã.
    Estou até preocupada com sua saúde sinceramente.Cuide mais de seu descanso.Estou falando por mim.Fiquei tão envolvida e indignada com o descaso com a educação e com as injustiças cometidas pelo governo que me custou um estresse e início de depressão tendo que afastar 60 dias e ouvir muito meu reurologista.Esse homem é um cancer malígno que destroe silenciosamente.Fique atento.Seja racional e crítico,não envolva emocionalmente.ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  57. Obrigado pela preocupação, combativa Mary, de Ipatinga. Geralmente eu durmo pouco mesmo, em torno de seis horas por dia, às vezes um pouco menos, ou um pouco mais.

    Mas, estou bem, dentro do possível, claro.

    Quem não ficará bem será este governo quando nossas mobilizações de rua forem retomadas.

    E aqui eu lanço o foco sobre um outro pilar deste governo: a grande mídia.

    Precisamos mexer com essa mídia. Balançá-la, pois este governo e seus agentes estão blindados e se mantém graças ao controle que eles têm da mídia mineira.

    Penso que seria interessante organizarmos atividades em frente dos seguintes órgãos de comunicação:

    - Rede Globo
    - TV Alterosa
    - Rádio Itatiaia
    - TV Band

    Na TV Record o sindicato deveria tentar algum contato para organizar entrevistas ou reportagens. Na nossa greve foi talvez a única emissora que deu um espaço maior para as nossas atividades.

    Aos jornais impressos, especialmente o da família do faraó, que atende pelo nome de Estado de Minas, penso que bastam os protestos por e-mail. Eles têm cada vez menos leitores e devemos estimular as pessoas a boicotarem este jornal (EM), e também o Hoje em Dia, que teve péssima atuação durante a nossa greve.

    ResponderExcluir
  58. Pessoal,
    Temos que "gastar" com a grande mídia.
    Mostrar o péssimo salário dos professores: R$ 712,00 ( nível médio) e R$ 945,00 ( doutorado) em horário nobre da televisão.
    Isso é uma vergonha.
    Vamos solicitar entrevistas com professores com mestrado e doutorado daqui de MInas Gerais e de outros estados para desmascarar este governador. Se ele não está dando conta de administrar este Estado, que seja homem pelo mesno uma vez na vida e peça exoneração/demissão, seja lá o que for. Chega, esta novela tem que acabar imediatamente.

    ResponderExcluir
  59. Professor Euler e demais,
    Não se esqueçam! Estou falando do BOICOTE às provas do governo. O tempo está acabando. Se Minas apresenta bons resultados (se for verdade), o governo aproveita isso para dizer que os educadores não precisam ganhar muito, pois para que melhorar algo que já está bom.Fora Anastasia, fora Aécio, fora PSDB.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  60. Este blog é de muitas utilidades.Adoooooro.
    Vamos lá minha gente, consultar o dicionário na hora de postar.
    Exurrada é com X
    Xícara é com X
    Depois de n escreve-se SÓ um "s", um "r".
    Professor tem que ter a preocupação de escrever corretamente, ok?

    ResponderExcluir
  61. A inspetora da escola em que trabalho queria nos obrigar a assinar uma ata, na qual nos comprometeríamos a repor toda a greve. Fizemos a ela várias perguntas . Ela não sabia a maioria. Além de mal informada é mal intencionada.

    ResponderExcluir
  62. OI colegas imbatíveis,quanto mais eu penso, e leio todas essas ricas explanações, mais indignada eu fico com o desenrolar da situação.Eu nunca ouvi falar em "mesa de negociação" para que qualquer cidadão decidisse como e quando iria cumprir uma lei, ou melhor, se iriam cumprí-la..No berço, eu aprendi que "lei existe para ser cumprida".Já pensaram se os outros bandidos cismarem de também quererem "sentar" para negociar como irão pagar "seus crimes"?Ai,ai, que esta moda não pegue!Na minha opinião, a nossa categoria nunca deveria ter se prestado A NEGOCIAÇÃO nenhuma,o que tem que se fazer é buascar o cumprimento da lei.E onde se faz isso? NA JUSTIÇA!!!!!!!!!!!Se a de Minas inexiste, vamos avante.Desistir jamais.

    ResponderExcluir
  63. Quanto aos boicotes mencionados, prof. Euler, é uma ideia excelente, penso que devemos estendê-lo á Revista Veja, também. Quem tem assinatura desfaça-a, até porque com a Internet não precisa de assinar esses jornais e revistas medíocres, posto que fazem mal para a capacidade intelectiva do indivíduo. Há outros meios de comunicação do qual podemos nos valer na internet sem sermos encabrestados, pois se não agrada é só mudar de página, então não há razão para gastarmos com o que não presta. Além do que, precisamos buscar informações para melhorar nosso nível de conhecimento, enriquecermos culturalmente, nossa categoria carece de desse enriquecimento, até para podermos ter argumentos, a fim de que possamos lutar por uma qualidade de vida e de trabalho, pois é inumano trabalhar 2 ou 3 turnos por décadas para ter uma melhor condição de vida. Pensemos nisso!

    ResponderExcluir
  64. Euler, boa noite!
    Sempre na luta...não podemos deixar este "vingador Anastasia" fazer o quer da educação. Afinal professores somos nós que educamos e lidamos todos os dias com os nossos alunos e familiares. Somos milhares e ele é apenas um. Temos que nos organizar e mostrar para este desgoverno que quem luta educa!!!! Conte sempre comigo...acabei de enviar o texto aos deputados...e aos meus contatos...
    Amplexos, Elenice Vidal Prata (NDG)

    ResponderExcluir
  65. Gente,
    Penso que o governador de minas tem inveja do rapaz que atacou aquela escola lá no Rio de Janeiro. Só que, ao contrário de disparar em meninas, ele dispararia contra os professores, devido a algum tipo de trauma que ele deve ter tido em sua vida escolar. Em tese, é isso o que ele está fazendo com os professores. O mesmo que o jovem doente fez com as alunas daquela escola, só que de uma forma sutil, imperceptível para a sociedade. Ele está nos matando aos poucos. Seja homem governador. Mande a sua polícia retirar os alunos das escolas, deixar lá apenas os professores e após, bombardeá-la. Eu penso que o senhor sonha com isso todos os dias. Entretanto, cuidado, os grandes ditadores sempre encontram ao final o que merecem. O que será dos pequenos?

    ResponderExcluir
  66. Fátima - Professora de História - Ubá4 de novembro de 2011 20:35

    Euler,
    O primeiro paragráfo do seu texto de hoje é o retrato fiel de um ditador, e olha que você apenas relatou os fatos.
    É assim mesmo que agem os ditadores, primeiro procura exaltar suas realizações para convencer a população de sua força, poder e capacidade de governar. Depois através de um discurso nacionalista, convence a população que o seu país, no caso estado é o melhor lugar do mundo e que todos devem contribuir para manter essa ordem inalterada. E assim, mantém o controle da população, que se anula e entrega tudo nas mão do "grande" chefe.
    É por essas e outras que o Sr Anastasia/Aécio quer por que quer nos desrtuír, pois sabe que não conseguirá enganar os professores.
    De repente ele descobriu que contrariando a sua política de detruíção e desvalorização da educação e abandono dos mais pobres, existe um grupo de educadores que estão dispostos a mudar essa realidade. E tudo isso devemos a você Euler, que com sua coragem e sabedoria tem sido nossa força e inspiração.
    Por uma Minas livre e soberana.
    Sempre unidos, até a nossa vitória.

    ResponderExcluir
  67. Em relação ao pagamento das reposições pasmem!!! Conversei com a secretá ria da escola e ela me disse que para o pagamento no 5 dia útil irão as reposições referentes a setembro ou seja 1 dia e irá descontar quase a metade referente ao mês de setembro,em janeiro de 2012 é isso mesmo receberemos o relativo as reposições de outubro, mas ainda com o desconto da segunda metade dos dias parados em setembro, somente em fevereiro iremos começar a receber as reposições de novembro e assim por diante, ou seja terminaremos receber até abril de 2012, isso é um absurdo , o nosso dinheiro confiscado e os professore perdendo a saúde trabalhando todos os sábados.O sindicato tem que fazer alguma coisa.

    ResponderExcluir
  68. Euler,

    As diretoras já estão enviando, via e-mail, a data para aplicação de provas do PAAE:

    "Destacamos que a geração e aplicação das provas, bem como a inserção de dados, a geração de relatórios e gráficos ocorrerão no período de 08/11 a 13/12/2011. "

    É a nossa hora de dar o troco... ou é a hora do "pulo do gato".
    SEM PISO, SEM PROVA!

    ResponderExcluir
  69. Outro exemplo de texto enviado a deputados:

    "Senhor Deputado:

    Gostaria de exigir respeito para com os professores de Minas Gerais. É dever de cada Deputado mineiro garantir a remuneração legal dos professores, respeitando o piso salarial e o plano de carreira vigente. A omissão perante a atitude desrespeitosa e ditatorial do governador de diminuir os percentuais de progressão na carreira, para nós eleitores, será tomada como falta de compromisso para com a população mineira.

    Antecipo meus agradecimentos pelo apoio aos professores e meu repudio à omissão perante a improbidade do Governador.

    Atenciosamente,"

    Abraço a todos (que fique claro, fora das aspas)
    Ana

    ResponderExcluir
  70. Querida anônima das 18:02. Estou mais preocupado em resolver a questão do piso do que me preocupar com a gramática! Se vc não sabe a linguagem da net aprenda que erros ocorrem devido a velocidade com que se digita ou pensa no momento. Não estou fazendo nenhuma redação neste momento. Estou buscando sugestões para obter o piso salarial nacional.

    ResponderExcluir
  71. Colegas do blog, além dos deputados devemos mandar email para os partidos destes deputados, principalmente o PSDB. Estes partidos determinam as ações dos seus partidários.Lembre-se que o PSDB de Minas é o único que não paga o piso.

    ResponderExcluir
  72. (Euler. enviei o mesmo comentário para a Beatriz. O que você acha?)
    Beatriz, as arbitrariedades do governo anterior e atual só serão desmascaradas se o Sindicato puder pagar uma campanha publicitária de amplitude nacional.Dessa forma o Brasil todo conhecerá os resultados nefastos que o futuro candidato ao governo federal deixou, além de impor aos mineiros o seu braço direito (o homem das decisões importantes)no governo Aécio e no seu próprio. Acredito que se o Brasil conhecer os descaminhos de Minas provocados pela dupla Aécio/Anastasia, isso irá denegrir em cadeia nacional a imagem do candidato à presidência da República e do próprio PSDB. Quem se sentirá incomodado? Aécio Neves. Quem sabe ele não consiga chamar à razão e à legalidade seu sucessor, que tem passado por cima de direitos fundamentais (constitucionais, éticos, morais, etc.). Vamos buscar recursos financeiros para essa possível campanha? Quais as possibilidades reais desse investimento? Não podemos nos calar! Força e bênçãos a todos os educadores mineiros.

    ResponderExcluir
  73. Euler, estou de volta e queria dizer para quem tem acesso a Rede Vida que faça várias sugestões: l- convidar a coordenadora Beatriz Cerqueira para uma entrevista no Programa Frente a Frente.2- solicitar nesta mesma rede um convite para 4º feira participar também do Programa sobre Direito.
    3- pelo alcance do 1000000000 de postagem no Blog do Euler é merecido aparecer na TV: Programa do JÔ, Sem Censura (TV Brasil), Tribuna Independente (Rede Vida),Prazer em Conhecê-lo (Rede Vida),Programa de entrevista De Marilia Gabriela (SBT).Não escrevo porque não tenho acesso aos meios de comunicação desta Nova Era. Beijos. Até a vitória. Não nos desesperemos. Não tenhamos medo. Vamos em frente. TUDO É FORÇA, MAS SÓ DEUS É PODER!

    ResponderExcluir
  74. Esse governador é uma verdadeira farsa!

    ResponderExcluir
  75. Será que brigar com a mídia é realmente interessante?
    Não seria esse o desejo de Anastasia? Cautela colegas, vamos utilizar meios inteligentes para chamar atenção. Será que o jornal o tempo está morrendo de amores por nós ao divulgar algo a respeito de professores? Se nós não bombardeássemos de comentários será que estaria nos dando esta atenção? Respeito agente conquista, não exige. Conquistamos o respeito de um jornal e podemos utilizar da mesma estratégia para conseguir de outros, se continuarmos, em cada reportagem que sai a nosso respeito expondo o nosso sentimento e este sensibilizando a opinião pública.
    Todos àqueles que chamaram atenção da mídia devido as suas ações inteligentes merecem ser condecorados, desde os que fizeram um simples comentário até os que se submeteram à fome e ao acorrentamento.

    ResponderExcluir
  76. GRANDE PROF. EULER, BATALHADOR INCANSÁVEL! VEJA ESTA NOTÍCIA QUE RECEBI HOJE:

    Governo critica método para justificar 84º lugar no IDH 2011 (ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO 2011)
    04 de novembro de 2011 • 07h47
    (182 COMENTÁRIOS)




    A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, disse na quinta-feira que o resultado do Brasil no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH 2011)não reflete os avanços mais recentes do País em saúde, educação e transferência de renda. O Brasil foi o 84º colocado em uma lista de 187 países, divulgada no dia anterior pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

    O governo decidiu reagir depois que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a metodologia do Pnud. De acordo com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, Lula, que está em tratamento contra um câncer de laringe, telefonou pela manhã para o Palácio do Planalto reclamando do relatório. "Ele telefonou para falar sobre os números do Pnud. Estava irado, dizendo que (o relatório) era injusto e que o governo tinha que reagir", disse Carvalho.

    A principal crítica do governo é ao Índice de Pobreza Multidimensional (IPM), um dos indicadores complementares do IDH, divulgado no mesmo dia pelo Pnud. O IPM vai além da renda e avalia privações nas áreas de saúde, educação e padrão de vida para avaliar se uma pessoa é pobre. O índice considera privações em dez indicadores, como nutrição, acesso à água potável, saneamento, acesso à energia e anos mínimos de escolaridade. É considerado multidimensionalmente pobre o indivíduo privado de, pelo menos, um terço dos indicadores. Segundo o Pnud, 2,7% da população brasileira, cerca de 5 milhões de pessoas, estão incluídos nesse tipo de pobreza.

    "Preocupa-nos que o relatório trate do IPM com indicadores de 2006, porque é exatamente a partir de 2006 que o Brasil avançou num conjunto de elementos. incorporando essa multidimensionalidade da pobreza, se preocupando com a pobreza não só do ponto de vista da renda. A partir de 2007 é que se incorporou uma parcela muito grande da população no (Programa) Bolsa Família", disse Tereza Campello.

    Segundo a ministra, além do Bolsa Família, os avanços sociais e econômicos proporcionados pela política de valorização do salário mínimo, pelos investimentos em agricultura familiar e programas como o Luz para Todos (de universalização do acesso à energia elétrica) também não estão refletidos no cálculo do Pnud por causa da defasagem dos dados.

    "Se conseguirmos incorporar esses elementos nas estatísticas e nos relatórios do Pnud, certamente teremos um salto muito grande e um impacto muito maior nos próximos relatórios. O Pnud mostra que o Brasil avança, continua melhorando, mas, na nossa avaliação, esse avanço é ainda maior."

    Campello reforçou a crítica feita mais cedo por Gilberto Carvalho à metodologia usada pelas Nações Unidas para definir o desempenho dos países no desenvolvimento humano. "Há vários anos pedimos ao Pnud para que estatísticas recentes do País sejam consideradas no relatório. É muito preocupante usar dados de 2006. Parcela dessa metodologia não é nem conhecida pelo governo brasileiro, fica até difícil fazer uma discussão sobre a metodologia porque não a conhecemos", disse.


    Esta mensagem foi verificada pelo E-mail Protegido Terra.
    Atualizado em 05/09/2011

    ResponderExcluir
  77. Quando leio que Diretor nos obrigou a isso, a Inspetora mandou nos fazer aquilo, acho tudo isso estarrecedor e fico imaginando, que apesar dos pesares que estamos vivenciando tenho um Diretor melhor e pelo menos uma Inspetora que não chega a esses descalabros. Vejo que há muito de subjetividade no entendimento e na determinação desses desmandos do governo, penso que há pessoas que se valem do momento como este para se revelarem, como diz muito bem o prof. Euler, capitães do mato. Não é possível, dentro de uma mesma Secretaria ter gente com tanta vontade de amarrar no tronco e açoitar, que desejo louco de retomar à Casa Grande e Senzala. Por isso reitero, as pessoas devem se instruir mais, essa falta de leitura da palavra e de mundo emburrece as pessoas e faz com que tomem atitudes tão atrozes como as exemplificadas por aqui. Chega de atitudes perversas, basta as deste governador descompensado!

    ResponderExcluir
  78. EULER / BEATRIZ,
    FIZ 112 DIAS DE GREVE, AGUARDEI A ORIENTAÇÃO DO SINDICATO PARA INICIAR A REPOSIÇÃO E AGORA ORIENTAM SUSPENDER? REDUÇÃO DE CARGA HORÁRIA? ORA,QUEM DEFINIU ESSAS DECISÕES? QUE EU SAIBA NÃO OCORREU NENHUMA ASSEMBLEIA E NEM O COMANDO DE GREVE DO SIA 29 NÃO APROVOU ISSO.
    PRECISAMOS TRAÇAR ESTRATEGIAS INTELIGENTE E NÃO EMOCIONAIS.
    SE FOR PRA LUTAR, ESTOU PRONTO, MAS FAZER BESTEIRA, TÕ FORA

    ResponderExcluir
  79. Interessantes são as propostas. Entretanto continuamos a sermos tratados como lixo. Acompanhei uma reportagem na qual os educadores do Pará foram obrigados a retornarem às aulas. Eu fico aqui martelando, martelando pra saber o que fazer para fazer valer meus direitos. Aqui no interiorzão consultei advogados, mas a resposta só com pagamento..rs. e estou sem grana. É desesperador ficar ilhada num estado miserável como esse.

    Tia Solteirinha.

    ResponderExcluir
  80. Boa noite, turma da luta, membros do NDG, combativos colegas e demais apoiadores, aliados, estudantes, pais de alunos!

    De volta ao bunker, preparando-me para enfrentar a madrugada com novo texto.

    Pessoal, entendo a crítica da colega sobre o chamado à suspensão da reposição. De fato temos que organizar melhor as nossas atividades, para que funcionem.

    O que me parece urgente são duas coisas: o boicote ao SIMAVE e o ato do dia 10 de novembro. Acho que temos que discutir e apostar nessas atividades.

    Já a suspensão das reposições deve ser pensada de forma mais organizada, para que não haja o risco de atitudes isoladas, que poderiam trazer prejuízos individuais. A intenção da direção sindical foi boa, face à pressão dos colegas que tiveram cortes nos contracheques.

    Mas, neste caso, a reação melhor talvez fosse a ameaça da suspensão, combinada com a pressão sobre os membros da comissão tripartite - deputados e governo, já que esta comissão está avalizando o processo de negociação.

    Um forte abraço e até daqui a pouco.

    Euler

    ResponderExcluir
  81. Gostei dessa proposta de o Prof. Euler ir ao Jô Soares, primeiro pela notoriedade dos 1.206.277 acessos em seu blog, isso é muito significante em face dos poucos meses, haja vista que muitos jornalistas conhecidos na mídia não chegaram a esse patamar de acesso em tão pouco tempo,além do mais o professor é uma pessoa extremamente inteligente, o que agradaria ao Jô, pois é perceptível como a produção do programa estende a participação do convidado se ele sabe o que fala e como fala. Como o prof. Euler se enquadra neste perfil, seria muito válido! Resta saber se a produção se interessaria, afinal o programa é da Globo e não sabemos se o JÔ Soares tem tanta independência para colocar alguém que fará questionamentos de uma trupe governamental ligada a essa rede. Agora, que a ida do Professor daria uma audiência enorme não tenha dúvida, pois todos nós faríamos uma rede comunicação pelo país. Pode parecer difícil, mas não impossível. Afinal, por lá aparece cada convidado que quando acaba o programa nos perguntamos: por que razão a pessoa foi chamada para ir lá, pois disse nada, o que não aconteceria com o Professor. Então quem sabe não é possível viabilizar a ida dele ao programa?

    ResponderExcluir
  82. Não quero mais fazer reposição, agora quem não quer sou eu. E aí? Qual a posição para quem não quer repor ? Não é suspender temporariamente, eu não quero é de jeito nenhum. O governo não tem palavra. Estou adoecendo de tanta raiva desse satanás. Necessito de orientação

    ResponderExcluir
  83. O sindicato só pode pedir prá parar a reposição a partir do momento que a praga desse governo não cumpre os acordos feitos quando da suspensão da greve. Conforme se toca se dança. Já ouviu esse ditado?

    ResponderExcluir
  84. Além do Programa do Jô, há também o programa do Serginho Groisman, Altas Horas,não é à toa que antes era denominado de inteligência na madrugada, quem sabe se por este Programa não seria possível viabilzar a ida do professor, caso não consiga no programa do Jô?, bom seria se pudesse ir aos dois.

    ResponderExcluir
  85. ELEIÇÕES, ELEIÇÕES E MAIS ELEIÇÕES!!!!!!!!!
    MANIFESTAÇÃO EM MONTES CLAROS DIA 19/11/2011 CONTRA AÓCIO,SATANASIA E CONTRA A DESGRAÇA PELADA DO PSDB.
    É O PONTO DE PARTIDA NO NORTE CONTRA O PSDB E SUA CORJA.
    ATENÇÃO PROFESSORES DE MONTES CLAROS: FAIXAS, CAMISETAS (SOU EDUCADOR E NÃO VOTO NO PSDB) E OUTRAS MANIFESTAÇÕES SERÃO BEM-VINDAS!
    COMEÇAMOS ASSIM, A NOS MOBILIZAR CONTRA O PSDB.
    POR QUE ISSO NÃO SE REPETE EM MINAS INTEIRA, SERIA UM MARCO MARAVILHOSO.
    HASTA
    MURILO MAIA - NÚCLEO ANTI-PSDB NO NORTE DE MINAS.

    ResponderExcluir
  86. Tem alguma escola que ja suspendeu a reposiçao? na minha escola tudo continua.

    ResponderExcluir
  87. E muito engraçado para um drogado se tratar o governador de MG paga 900 reais e para um professor evitar que muitas crianças e adolescentes entre neste mundo ele paga em média 500 reais.

    ResponderExcluir
  88. Professor Euler, sugiro que façamos um abaixo assinado pedindo a Presidenta Dilma a restituição da dignidade do professorado mineiro, fazendo uma intervenção para que possamos receber o nosso piso salarial em Minas Gerais. A praça Sete seria um bom lugar para o recolhimento de assinaturas. Talvez , quem sabe, com nossas reivindicações em mãos ela poderá nos dar algum respaldo. Precisamos incomodar , insistir e fazer valer o nosso direito.

    PERSISTIR SEMPRE!!! RETROCEDER JAMAIS!!!

    ResponderExcluir
  89. Boa noite a todos os amigos do NDG/NDE.

    Nunca entrei nesse mérito, pois considero extremamente desagradável, mas colega das 18:02 de 4 de novembro de 2011, não é exurrada, mas enxurrada. Para corrigir as pessoas, necessita-se de cuidados.
    Em outro dia alguém corrigiu um aluno meu que postou nesse blog. Achei muito indelicado, pois inibiu o aluno.

    QUE PENA!

    Olha amigos, temos tantos problemas emergenciais para resolver, que não podemos perder tempo com mediocridades.

    Desculpem-me.

    Um grande abraço a todos.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  90. Monalisa - Contagem4 de novembro de 2011 23:41

    Inspeção e Direção são "cargos de confiança", ou seja não são na maioria das vezes capacitados a realmente exercer de forma PROFISSIONAL as funções que lhes são devidas.
    Principalmente em Minas devem seguir cegamente as ordens do governo senão sofrem as consequencias que alguns éticos sofreram durante a greve.
    Assim, uma vez que você acata piamente as ordens destes superiores, sem constatar a veracidade das mesmas, está acatando o desejo do governo e afinal de contas, nossa luta é contra quem mesmo?
    Beatriz deixou em seu blog um relato que merece reflexão:
    Interrompemos a greve para governo e sindicato negociarem o piso e as questões funcionais (inclusive a reposição). Muitos grevistas já voltaram repondo aulas, tem lógica? Tem coerência? Não entendi! Não tinhamos nada e já estavam pagando como se fossem devedores?
    Eu até o presente momento não repus, onde está a lei que obriga a repor?
    No dia 19 o sindicato reuniu como a SEE e chegaram em um acordo, não houve nenhum documento oficial regulamentando a reposição e aí o povo começou a repor loucamente (inclusive ao ligar no sindicato a ordem era a seguinte: TEM QUE REPOR), como o sindicato faz isso se ainda não haviam finalizado os tramites da negociação? Ou seja estavamos dando o ouro para o ladrão!
    Agora o sindicato sugere a suspensão da reposição que ele mandou repor sem a obrigação legal de repor, de novo tem lógica?
    Não é porque sou prof de matemática não, mas não fecha.
    QUEM ESTEVE DE GREVE NÃO TEM NENHUMA OBRIGAÇÃO LEGAL DE REPOR NENHUMA AULA ATÉ O PRESENTE MOMENTO, QUEM REPÕE DESTROI O ACORDO DE SUSPENSÃO DE GREVE, inclusive o sindicato que grosseiramente nos obrigou a repor depois do dia 19 e antes deste fez vista grossa.
    Tenho dito.

    ResponderExcluir
  91. Boa noite amigos.

    Adorei a ideia do amigo Marechal Euler - nosso legítimo porta-voz - no programa do Jô e do Serginho Groisman.

    Vamos tentar viabilizar essa sugestão.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  92. Os comedores de bolinhos de chuva estão adorando a paralisação do dia 10. Mais um dia de folga para arrumarem os ármarios.

    ResponderExcluir
  93. Olá, pessoal, agradeço a lembrança do meu nome para ir aos programas do Jô, do Serginho Groisman, rsrs, mas acho muito difícil que eles queiram levar um professor-de-Minas, com salário-de-professor-de-Minas (assim mesmo, tudo junto), para falar mal do faraó e do afilhado. Eu não caibo no padrão da emissora destes programas - e acho que em nenhuma outra grande emissora. E para ser sincero, prefiro muito mais a nossa rede alternativa de comunicação, que funciona melhor, sem produção prévia, sem maquiagem, e por isso mesmo, é mais sincera.

    Mas acho que devíamos pensar em determinadas atividades que chamassem a atenção, como foi o caso dos acorrentados. Na França, na década de 60 - já que estão com medo da crise na Europa, vamos puxar de memória alguns exemplos de lá - haviam os "situacionistas", influenciados pelas ideias de Guy Debord (autor de Sociedade do Espetáculo) e outros, que procuravam fazer uma crítica da realidade através da arte, como instrumento de mudança do cotidiano. Este movimento teve influência entre os jovens estudantes de Paris que balançaram os turbulentos anos da década de 60.

    A nossa greve acabou realizando um pouco (ou muito) dessa crítica do "espetáculo" midiático que se vive em Minas. Os acorrentados, por exemplo, conseguiram passar uma mensagem crítica da realidade dos educadores de um estado que se apresentava como "modelo" de eficiência para o Brasil, mas paga miséria de salário para os educadores.

    Da mesma forma, em vários momentos da nossa greve realizamos nos mais diversos locais atividades super criativas: das carroças em Venda Nova, passando pelo enterro com caixão e tudo numa escola de Inhapim; a procissão realizada na ALMG; a apresentação cultural em Montes Claros (várias, aliás), outras em Caratinga, Valadares, Carangola, dezenas de atividades criativas por ocasião do Grito da Independência; a caça ao governador em várias cidades de Minas; o acampamento na ALMG, enfim, tivemos mais de uma centena de atividades muito criativas, com grande participação dos nossos bravos e bravas guerreiras. E o nosso blog alimentava e se alimentava de tudo isso, junto com outros blogs e com a movimentação na rede social da internet.

    Precisamos recuperar este movimento para a nossa realidade atual (estou devendo o livro, eu sei, e não falta material para isso; vou ter que arranjar tempo e tranquilidade emocional para tal tarefa).

    A nossa turma está de pé, embora boa parte esteja, como se esperava, envolvida no cotidiano de reposição e aulas normais. Precisamos construir uma ponte entre este cotidiano massacrante e os nossos sonhos, que só se realizam através da pressão coletiva sobre os de cima, em defesa dos nossos interesses.

    ResponderExcluir
  94. Um pouco de reflexão!!

    Sem querer perder o foco do PISO, mas o blog já se caracterizou como um espaço para todo tipo de discussão inteligente. E como envolve, também, o nosso instrumento de luta - a Língua de que nos valemos para nos comunicar, abaixo segue o posicionamento de um brasileiro, conhecido e estudioso dessas questões de linguagem que volta e meia vem à baila neste espaço! - Professor-Doutor Marcos Bagno.


    Mentiras consagradas

    Marcos Bagno – Agosto de 2011*

    Hoje, no Brasil, acontece coisa semelhante com relação às novas concepções de ensino de língua na escola. Uma teoria igualmente sofisticada e elegante, a sociolinguística, é estupidamente deturpada pelos que não conseguem apreendê-la ou, conseguindo, não querem aceitá-la. Nenhum linguista nem sociolinguista sério afirma que “não é preciso ensinar a norma culta” (“norma culta” que é, de fato, um construto ideológico porque ninguém consegue defini-la com exatidão). No entanto, é essa formulação obtusa que aparece na voz e na pena dos supostos especialistas e, pior ainda, dos nada especialistas que se apegam a um modelo idealizado de “língua certa” que eles mesmos, se pressionados, não sabem dizer o que é. Mais grave ainda: eles mesmos cometem ao falar e ao escrever diversos “erros” que a tradição normativa rejeita, mas que, por estarem já plenamente enraizados na língua falada pelas camadas dominantes, não são vistos como “erro”. Ou seja: para os amigos tudo, para os inimigos, a lei. E os inimigos, no caso, são os milhões e milhões de brasileiros que não pertencem à ínfima elite letrada — 75% deles, segundo as pesquisas do INAF, realizadas há dez anos, sobre o grau de letramento e numeramento dos brasileiros.

    Em recente entrevista dada a uma emissora de rádio, a sociolinguista e educadora Stella Maris Bortoni-Ricardo, pioneira na área da sociolinguística educacional em nosso país, assim se expressou: “sou favorável à discussão da variação linguística na escola, mas insisto em que é preciso que professores e alunos estejam bem informados sobre o valor sociossimbólico das variantes, ou seja, quando falamos temos de levar em conta as expectativas de nossos interlocutores. ‘Nóis pega o pexe’ é uma forma adequada na situação de fala em que ela for bem recebida pelos nossos ouvintes. Se eles têm a expectativa de ouvir ‘Nós pegamos o pexe (ou peixe)’, então devemos usar essa segunda variante. Os alunos precisam saber disso para circular com desenvoltura em qualquer ambiente e desempenhar com segurança qualquer papel social que se apresentar a eles”.

    Pergunto: onde está dito aí em cima que “não é preciso ensinar a norma culta”? Somente na cabeça poluída ideologicamente dos que, pensando defender a “língua certa”, estão de fato defendendo uma concepção de “certo” semelhante à que só considera “certo” o cristianismo, o machismo, o racismo e outros terrorismos psicológicos da mesma laia. Ou seja: coisas de Bolsonaro.

    * MARCOS BAGNO vem se tornando conhecido por sua luta contra a discriminação social por meio da linguagem. Para ele, o preconceito linguístico precisa ser reconhecido, denunciado e combatido, porque é uma das formas mais sutis e perversas de exclusão social.Por causa desta militância, MARCOS BAGNO vem recebendo amplo apoio de todos aqueles que desejam construir uma sociedade verdadeiramente democrática, governada pelo respeito às diferenças e pelo acesso aos bens culturais de prestígio.

    ResponderExcluir
  95. PARABÉNS àquele cuja memória teve o "INSIGHT": EULER CONRADO
    no PROGRAMA DO JÔ.
    Sentir-nos-emos
    HONRADOS.
    FUERZA EN LUCHA HASTA LA VICTORIA!!!

    ResponderExcluir
  96. Convidar professor de Minas com salário de professor de Minas, penso que até convidam, a questão é: quem é o Professor convidado, certamente se se tratar de alguém que sabe o QUE FALA e POR QUE FALA,criarão algum empecilho, porque cérebro demais incomoda essa gente.

    ResponderExcluir
  97. Dentro da nossa busca de propostas para causar impacto junto à comunidade, recebi uma sugestão: que alugássemos outdoor em várias cidades de Minas. Acho a ideia interessante e talvez o custo seja mais baixo do que alguns segundos nas emissoras de TV.

    Uma arte bem feita derruba qualquer política de marketing do governo.

    ResponderExcluir
  98. Essa ideia do outdoor é interessante, imagine inúmeros espalhados pelo Estado. É uma ferramenta de muita visibilidade, ainda mais se confeccionado com criatividade. Chamaria atenção de inúmeras pessoas.

    ResponderExcluir
  99. Anônimo 00:17 incrível como tudo hoje é preconceito. Entretanto assumo que eu estou errada. Confesso: o problema está no fato de que gostaria que meus alunos, ao menos uma vez na vida, pudessem utilizar a variante linguística além do "nóis pega o peixe". Filho de juiz sabe disso e se bem educado circula entre a Casa Grande e Senzala sem dar vexame a fim de tratar todos com ares democráticos.
    Enquanto filho de rico se instrumentaliza, passa em seleções, concursos, etc, filho de pobre "vai pegando os peixe" e continua como está. Afinal existe norma culta, mas culta pra quem? Essa norma opressora, massacrante. Basta conhecer por cima para não se infectar por esse grupo dominante.
    Em todo caso deixa eu ir preparando a marmita porque trabalho daqui a pouco. Sairei assertiva a fim de mudar a estrutura basilar societária democrática tupiniquim. Como hoje estou inspirada e quero comunicar com todos, pergunto: seis sabe ce o gunvernio já dispositô o salaro nas conta?

    Ana Salmonela

    ResponderExcluir
  100. Vez ou outra aparecem aqui comentários sobre o uso de nossa língua ! Penso que aqueles que têm um pouco mais de experiência ( ... ) , de vivência... se incomodam mais com os erros aqui postados com tanta naturalidade. Eu sou um desses . Preciso me converter... Preciso urgentemente de cura nesta área! A cada erro, meu coração estremeçe , minha mente se indigna ! Entretanto, no andar da carruagem, começo a perceber que todos precisamos nos converter , rapidamente ! Senão a patrulha dos sócio-linguistas ideológicamente corretos nos alcança e seremos obrigados a repetir: " nois presiza de piso !!! Só de pizo ! Só de pizo !!!!"

    ResponderExcluir
  101. A discussão sobre a fala culta e a coloquial é interessante e bem vinda, especialmente neste universo, que é acima de tudo das letras, das palavras, dos símbolos. A língua, não querendo abordá-la-la aqui como uma das expressões da cultura de um povo, traduz principalmente aquilo que é o óbvio. Ou seja, a capacidade de expressar uma ideia. Se eu consigo transmitir esta ideia ao ouvinte - ou leitor - a linguagem utilizada cumpriu o seu papel. Tenha sido escrita desta ou daquela forma. Mas, é necessário que se diga, devemos nos esforçar sim, para melhorar a nossa escrita e a nossa fala, pois isso contribui também para ampliar o nosso universo de análise crítica do mundo. Eu, por exemplo, escrevo errado o tempo todo, segundo a norma culta. Uma vírgula fora de lugar aqui, outra ali; uma concordância verbal ou nominal, que teima em discordar do sujeito teimoso, que se transforma num entrevo de palavras. Fui corrigido algumas vezes, seja por e-mail ou até aqui, nos comentários; algumas vezes de forma elegante, sem que tenha sido diretamente abordado. Pessoalmente, confesso que eu gosto de ser corrigido das duas formas, e até agradeço, quando tenho a oportunidade. Nunca me esqueço, certa feita, ainda aluno da oitava série da E.E. Machado de Assis, uma ótima professora de Português me chamou a atenção discretamente, após fazer a leitura de uma redação que ela pedira aos alunos: "Euler, meu filho, você deve estar com algum problema. Você não disse nada com nada. Seu texto está horrível. Suas irmãs escrevem tão bem. Como pode você pode escrever assim, tão mal?". E eu não disse nada, apenas respondi que estava sem vontade de escrever naquele momento - na verdade estava viajando no pensamento, mais ou menos como alguns dos nossos alunos costumam fazer. Mas o fato é que aquelas palavras ficaram no meu inconsciente. E de alguma maneira acho que contribuíram para que eu melhorasse um pouco - não muito, claro. Minhas irmãs ainda escrevem melhor do que eu, rsrs.

    Mas, já vi colegas aqui se sentirem ofendidos pela correção feita por outros. Eu os entendo e os respeito. E lhes peço para insistirem, para continuarem escrevendo, transmitindo ideias, propostas, opinião. Como não há consenso neste tema, e a nossa língua mãe, com suas regras, é deveras complexa, apesar de bela - e como só conheço, e muito mal, diga-se, a língua portuguesa, é ela que admiro e curto de montão; logo, encontremos um meio termo para esta difícil combinação.

    Regra número Um: o importante é a ideia expressa aqui; regra número dois: se esta ideia vier embalada numa forma linguística dita correta, melhor ainda, mas se não vier, tudo bem, tá valendo do mesmo jeito; regra número três: as correções são bem vindas, desde que não se indique o autor das palavras tidas formalmente como incorretas. Assim, não importa quem escreveu: o que importa é saber que pela norma culta, ou dita (ou seria maldita?) culta, acentua-se corretamente tal palavra, ou grafa-se esta ou aquela palavra de tal modo. De preferência, se conseguirem fazer tal correção discretamente, elegantemente, melhor ainda; regra número quatro: revogam-se as regras anteriores e cada qual está autorizado a criar as suas regras, desde que não deixem de se comunicar.

    Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

    ResponderExcluir
  102. ESTRANHO...
    Estava lendo as notícias no Tempo online. Passei por várias, e quando cheguei nas mais lidas/mais comentadas, todas puderam ser lidas normalmente exceto uma que se referia ao "paga ou não paga" o prêmio, nas palavras do anast-AZIA. Exige-se que seja assinante. Peço verificarem, uma vez que se não for apenas um problema temporário, ou que tenha acontecido por alguma falha, é bastante sério. Professores normalmente comentam e denunciam nesse tipo de matéria. E grande parte está totalmente sem dinheiro para assinar até jornal!!!
    Boa noite e obrigada!!!

    ResponderExcluir
  103. * EM SUMA: Que cada um escreva e fale da maneira que lhe aprouver. Zorra total. "O errado tornando-se certo". Brincadeira! Eu também estou começando a achar que DOIS MAIS DOIS SÃO CINCO, NOVE VEZES TRÊS SÃO VINTE E OITO, QUEM DESCOBRIU O BRASAL foi o PEDRO ÁLVARES CABRIL, CASAMENTO DE HOMEM COM MULHER É ABERRAÇÃO DA NATUREZA, etc. Afinal, "regras na língua portuguesa para quê"??? Pronto! Ninguém pode ir "contra eu"! Mas um lingüista intelectualóide poderá ir "contra mim", porque ele consciente ou inconscientemente me vê como um "vampiro brasileiro", o BENTO CARNEIRO ("badaladas despois da meia noite"). Coisa de intelectualóide lingüista, reacionário brasileiro tupiniquim. Essas idéias estapafúrdias não proliferam em Portugal. Esse é o PAU BRASIL que não se incomoda com a EDUCAÇÃO NO FUNIL, e, enquanto isso, os nossos pobres alunos ao sabor dessas heresias intelectualóides.
    E os professores? AINDA MAIS SEM STATUS, alguns se submetem a esses "metidos a donos da língua"; o de PORTUGUÊS, então ... como sofre!
    Só existe UMA Língua Portuguesa. Se os alunos "pegá o peixe a vida inteira", continuarão marginalizados AD AETERNUM no mercado de trabalho. É exatamente o que o SISTEMA quer. Ah ....TEORIAS, TEORIAS, TEORIAS. Bem diz o AURÉLIO: - TEORIA: tudo aquilo que se opõe à prática.
    Ninguém é PERFEITO. Não existe MÉDICO PERFEITO, ADVOGADO PERFEITO, ENGENHEIRO PERFEITO, CIENTISTA PERFEITO. Todos nós escorregamos nos tomates, pisamos nas bolas, MAS DEVEMOS FICAR ATENTOS ÀS REGRAS, às REGRAS DE TUDO NA VIDA. Vejam a Europa em DECADÊNCIA, o PLANETA PEDINDO SOCORRO, a SITUAÇÃO PERICLITANTE por que passam os PROFESSORES do ENSINO BÁSICO (conseqüência de tudo acima e muito mais).
    Amigo, este ESPAÇO é para que NÓS LUTEMOS PELO PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL e, destarte, nos unirmos cada vez mais.
    Discussão das variações lingüísticas nas ESCOLAS DE ENSINO BÁSICO???!!! É deixar os alunos com a "corda no pescoço", sem o direito de dominar a NORMA CULTA, aquela que é COBRADA nos CONCURSOS DA VIDA. ***SERÁ QUE OS "DE BAIXO" NÃO TÊM DIREITO NEM A ISSO?????? Que "brincadeira" de MAU GOSTO!!!
    Portanto, pessoal, não embarquem na CANOA FURADA do TEXTO ABAIXO. "Apreciem-no":

    "Em recente entrevista dada a uma emissora de rádio, a sociolinguista e educadora Stella Maris Bortoni-Ricardo, pioneira na área da sociolinguística educacional em nosso país, assim se expressou: “sou favorável à discussão da variação linguística na escola, mas insisto em que é preciso que professores e alunos estejam bem informados sobre o valor sociossimbólico das variantes, ou seja, quando falamos temos de levar em conta as expectativas de nossos interlocutores. ‘Nóis pega o pexe’ é uma forma adequada na situação de fala em que ela for bem recebida pelos nossos ouvintes. Se eles têm a expectativa de ouvir ‘Nós pegamos o pexe (ou peixe)’, então devemos usar essa segunda variante. Os alunos precisam saber disso para circular com desenvoltura em qualquer ambiente e desempenhar com segurança qualquer papel social que se apresentar a eles”.

    * AMIGOS, VOLTEMOS AO BLOG DO GRANDE PROF. EULER e CONTINUEMOS A BATALHAR INCANSAVELMENTE PELOS NOSSOS DIREITOS e não "pelas direitas" "não muito combativas".
    EM TEMPO: - Gostei da resposta da ANA SALMONELA.

    ResponderExcluir
  104. Pessoal, o post da madrugada está quase pronto, mas o sono hoje não deu trégua. Nem o chá de costume vai ser possível tomar. Então, amanhã, ou melhor, hoje mais tarde eu termino e publico o novo texto, cujo título é : "Onde está o tutu de Minas?" Mas, o texto mesmo faz referência às avaliações tipo simave e proeb... então, zzzzz, até mais.zzzzzz.

    ResponderExcluir
  105. Reflexão:
    A ideia de colocar a discussão do linguista Marcos Bagno foi mesmo para fazer as pessoas pensarem e discutir, já que vez ou outra tem alguém chateado com os gramáticos de plantão (rs). A discussão é muito boa, instiga as pessoas ao debate, isso é fantástico. Quanto ao uso da linguagem é preciso ter claro que não podemos ter posturas radicais, nem só o FORMAL, nem só o INFORMAL, é preciso o equilíbrio. Onde estou e com quem falo. O importante é saber adequar a linguagem ao espaço e ao momento.
    No mais, vamos nos comunicar isso é que é importante. Afinal, a língua é viva e produzida por nós, os falantes, que estamos bem vivinhos e indignados com o ANASTASIA!
    Seu comentário foi muito bom, professor, nada de radicalismo, agora em relação ao preconceito linguístico temos que estar atento sim, porque não deixa de ser uma forma de preconceito, quando nego a linguagem do outro, estou negando, também, a sua cultura e não há cultura melhor ou pior, há culturas diferentes!

    Por falar nisso, hoje é o DIA DA CULTURA!

    ResponderExcluir
  106. Nova piada colegas! Trecho da reportagem do jornal o tempo. Até quando esse imbecil vai permanecer no poder?

    GOVERNO “PODE OU NÃO” PAGAR PRÊMIO, DIZ GOVERNO

    O governo dá cada vez mais sinais de que o pamento do Prêmio de Produtividade aos servidores públicos não deve sair este ano. Em entrevista coletiva na manhã de ontem, o governador disse que, primeiro, o Estado está se esforçando para cumprir as obrigações legais, citando o pagamento em dia dos servidores e o 13° salário na primeira quinzena de dezembro. Para

    ResponderExcluir
  107. Anônimo das 02:46 você fez uma leitura e uma análise equivocada da sociolinguista a respeito da linguagem coloquial. Ela não disse que o professor tem que ensinar dessa forma para o aluno e nem mesmo afirmou que os alunos que vivem num ambiente, cuja característica de linguagem é a oral, deva permanecer com essa variação. A sociolinguista enfatizou o respeito a todas as variações linguísticas e chamou atenção dos profissionais da educação para lidar com isso, de modo a propiciar aos estudantes, habilidades no uso dessas variações linguísticas, pois " o sujeito que enuncia não o faz simplesmente como um ato individual: o lugar do sujeito é um lugar do sujeito histórico, que enuncia a partir de uma posição-sujeito, e afetado pelo inconsciente e pela ideologia" (CAZARIN, 2005)
    Foi só isso!
    Valeu pela discussão!

    ResponderExcluir
  108. PAUSA PARA O RISO, NESTE DIA DA CULTURA!

    Luana Piovani diz que pensador do século 17 deve morar em SP

    A atriz Luana Piovani disse no Twitter que acha que padre António Vieira vive em São Paulo.

    O pensador português nasceu em 1608 em Portugal e morreu na Bahia em 1697.

    Piovani leu uma citação de Vieira em uma entrevista do diretor teatral Zé Celso Martinez Correa na revista "Trip".

    "Só existimos quando fazemos. Quando não fazemos somente duramos'. Não é demais? Te amo", escreveu a atriz para o namorado, o surfista Pedro Scooby.

    Ele então perguntou de onde era o Padre Vieira.

    "Num sabu (sic), li numa entrevista do Zé Celso, na Trip. Talvez de Sampa."


    Não sabemos se rimos ou choramos! Dessa a mídia gosta! Quanto mais besteirol mais audiência.

    Disponível em: http://f5.folha.uol.com.br/celebridades/1001607-luana-piovani-diz-que-pensador-do-seculo-17-deve-morar-em-sp.shtml

    ResponderExcluir
  109. 5 de novembro, dia Nacional da Cultura Brasileira!

    ResponderExcluir
  110. CORREIRO BRAZILIENSE
    Brasília, sábado, 05 de novembro de 2011.

    Dia da Cultura celebra a diversidade brasileira, diz presidente da Funarte

    Agência Brasil


    Brasília – O Brasil tem nas diferenças culturais uma das maiores riquezas, o que faria com que o Dia Nacional da Cultura, comemorado nesta sexta-feira (5/11), pudesse ser chamado de o dia da celebração da diversidade brasileira. A opinião é do presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Sérgio Mamberti.

    “O Brasil tem a capacidade antropofágica de absorver culturas das mais diversas possíveis como a indígena, as diferentes culturas do Continente Africano, a europeia, a asiática, entre outras. O brasileiro mistura-se com essa cultura e, ao mesmo tempo que a respeita, transforma isso numa forma de ser brasileiro”, observou Mamberti.

    Para celebrar a data, a Fundação Cultural Palmares promove uma programação especial com exibição de filmes e debates. O presidente da fundação, Zulu Araújo, disse que o Brasil e, principalmente, a população negra tem muito o que comemorar nesse sentido.

    “Temos muito que comemorar, não apenas pela cultura nos últimos 500 anos, mas a presença hegemônica na cultura afro-brasileira seja na música, na culinária, até a presença de intelectuais brasileiros negros”, disse em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

    O Dia Nacional da Cultura é comemorado desde 1970 em homenagem ao nascimento de Rui Barbosa – um homem de multifaces que atuou como jornalista, político intelectual e jurista e que ficou marcado por lutar e difundir a ideia da República no Brasil.

    Disponível em: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2010/11/05/interna_brasil,221878/index.shtml Acesso em 05 de novembro de 2011.


    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  111. DIA 5/11: DIA da CULTURA OU DIA DA SEPULTURA???
    Governo de Minas deve saber responder.

    ResponderExcluir
  112. Euler,
    Você é incrívellllllllllllll, até começar a me politizar através de seus textos, achava que greve era para quem queria ficar em casa. Agora, penso totalmente o contrário, não só entro em greve quando nosso sindicato nos chamar, como levo comigo uma boa parte dos meus colegas.
    Você é um anjo que DEUS mandou para unir nossa categoria.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  113. T R U C O! Vale 10!

    """Acesse o ambiente virtual do Programa de Educação Profissional (PEP)

    O Governo de Minas lançou em outubro de 2007 o PEP, que irá qualificar para o trabalho, nos próximos três anos, aproximadamente 110 mil jovens (alunos do 2º e 3º anos do Ensino Médio das escolas estaduais e para jovens de 18 a 24 anos que já concluíram o ensino médio em qualquer rede) e atender à crescente demanda dos jovens mineiros por mais e melhores oportunidades de acesso à formação profissional técnica de nível médio gratuita. É um programa abrangente que oferece, a partir de 2008, a possibilidade de formação técnica nas instituições que integram a Rede Mineira de Formação Profissional. Além disso, haverá cursos de qualificação básica para o trabalho, incluídos na parte diversificada dos currículos de todas as escolas estaduais que oferecem ensino médio.
    *** e bla, bla, bla, bla, bla - "PRA VARIAR""".
    TRUCO! Vale 10!

    ResponderExcluir
  114. Encontrei uma SOLUÇÃO para os EDUCADORES MINEIROS:
    - Para GOVERNADOR do ESTADO, EULER CONRADO.
    E não se fala mais nisso.
    O resto é postiço.

    ResponderExcluir
  115. POR QUE ESSE ANÔNIMO NÃO SE IDENTIFICA? Poatei um comentário, um desabafo em seu blog e foi deletado. Vim aqui por intermédio de uma colega de escola e creio que seu blog seja transparente, então as pessoas que comentam também tem que ser transparentes.
    Até mais...

    ResponderExcluir
  116. sugerir ao ministro da educação que a união assuma de vez a receita e despesas da educação de Mg e n o repasse da União para o Estado de Mg seja retido o percentual referente ao salário dos professores.Estes receberão diretamente da União

    ResponderExcluir
  117. o QUE PODEMOS FAZER, EULER, COM ESTE GOVERNO SAFADO QUE ´SO NOS PREJUDICA?
    TEMOS QUE TOMAR UMA ATITUDE, NÃO PODEMOS FICAR NO PREJUIZO SEMPRE... TEMOS QUE ACIONAR O STF

    ResponderExcluir
  118. NÓS PROFESSORES CONVIVEMOS COM TANTOS PROBLEMAS DENTRO DE UMA ESCOLA, VIOLÊNCIA E A FALTA DE MATERIAL DIDÁTICO PARA TRABALHAR. E CADÊ NOSSO SALÁRIO DE PRODUTIVIDADE? EU NÃO TENHO NADA HAVER COM A CRISE INTERNACIONAL, EU JÁ VIVO A CRISE AQUI EM MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir