segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Sindicato e governo retomam hoje discussão sobre o piso dos educadores


Olha aí a turma de luta de PORTO FIRME. Quem comenta sobre os bravos colegas é a professora Maria Joselayde Ribeiro, após o texto de abertura do post.



Sindicato e governo retomam hoje discussão sobre o piso dos educadores

Hoje, às 15h, acontece a quarta reunião da comissão Tripartite, composta por representantes do sindicato, por parlamentares e pelo governo de Minas. Na pauta, o ponto central: o piso salarial nacional dos educadores, que é lei federal aprovada em 2008, e que até o momento não está sendo cumprida em Minas Gerais.

Após a nossa heroica greve de 112 dias pelo pagamento do piso, a comissão tripartite tem agora a incumbência de discutir e aprovar uma proposta de implantação do piso salarial nas carreiras dos profissionais da Educação de Minas Gerais.

Já havia sido acordado, de acordo com os informes do sindicato, que o governo pretende pagar o piso proporcional do MEC a partir de janeiro de 2012. E que levaria em conta o reajuste que será aplicado pelo MEC ao novo valor do piso para 2012. Este reajuste será ainda definido, mas deve ser o de 16,6% - percentual que parece interessar mais ao governo federal -, ou o de 22%, que acompanha o custo aluno ano de acordo com a lei federal. Como o MEC em outros momentos não seguiu a lei, poderá agora repetir a dose, indicando o percentual mais baixo de reajuste (16,6%). Mas, ainda assim será bem melhor do que a política remuneratória do governo de Minas, que prevê no máximo 5% de reajuste para abril de 2012.

É bom que fique claro que a Lei do Piso é uma lei federal, com política de reajuste própria, não subordinada às políticas de choque dos estados e municípios, e que possui fonte própria de financiamento, compartilhada entre os entes federados. Daí porque eu tenha dito anteriormente, que considero o piso, aplicado na sua integralidade, uma forma de embrião para a federalização da folha de pagamento dos educadores.

No momento em que a Comissão Tripartite inicia ou retoma a discussão sobre o piso, alguns eixos precisam ficar claros neste debate:

a) o piso salarial nacional tem assegurado o seu financiamento com recursos do FUNDEB, acrescidos de recursos da União, caso o governo comprove não poder pagar o montante dos investimentos que serão feitos para implantar o piso. É bom salientar que o governo de Minas, a partir de 2012, receberá aporte financeiro da União de cerca R$ 1,2 bilhão - e com isso se inscreve na condição de ente federado apto a pedir mais ao governo federal, de acordo com a Lei do Piso e a regulamentação adotada pelo MEC;

b) o piso salarial é para todas as carreiras dos profissionais da Educação de Minas, conforme pude detalhar em post específico sobre este tema. Ou seja, a Constituição Federal, combinada com a Lei do Piso e com o Plano de Carreira dos profissionais da Educação em Minas asseguram o pagamento do piso para todas as carreiras da Educação.

Em tese, até que a constitucionalidade do subsídio seja decidida pelo STF, o governo poderá se recusar a pagar o piso para quem ficou naquele sistema - pois os seus valores nominais atingem os valores proporcionais do MEC. Mas, aos 153 mil educadores das diversas carreiras da Educação que optaram pelo sistema de Vencimento Básico o governo não pode tergiversar: terá que pagar o piso, tal como manda a legislação federal, combinada com a legislação estadual (do Plano de Carreira);

c) o governo tem falado no escalonamento do piso, que é uma tentativa de parcelar o pagamento integral do piso até 2015. O sindicato não deve aceitar esta proposta, pois, como dissemos no item A, o piso tem fonte própria de financiamento, não carecendo de propostas de modulação dos efeitos da lei para o seu pagamento. O piso deve ser implantado nas carreiras, obedecendo os diferentes níveis e graus existentes, com a diferença percentual de 22% entre cada nível e de 3% entre cada grau;

d) o sindicato deve deixar claro também que não aceita qualquer corte, redução ou adiamento no pagamento das promoções, progressões e gratificações a que os educadores fazem jus. Pelo contrário: é preciso que se paguem tais direitos inclusive de forma retroativa, pois o governo não tem publicado estes direitos no devido tempo em que o servidor os adquiriu;

e) o sindicato não pode embarcar nas tentativas do governo de desviar o foco das discussões com coisas que não fazem parte do cenário da legislação vigente. Por exemplo: existem projetos no Congresso propondo a alteração da data base para o reajuste do piso e até para o critério deste reajuste. Tais projetos não foram ainda nem aprovados pelo Congresso e muito menos sancionado pela presidência da República. Logo, não se deve perder tempo com essas discussões de possibilidades.

No que tange ao subsídio, o sindicato deve cobrar do governo a abertura da porta de saída deste sistema, já que até agora o governo só admitiu abrir a porta de entrada para o mesmo. O sindicato deve cobrar do governo o direito de opção de sistema remuneratório para os designados e também para os novos concursados;

f) no que tange ao valor retroativo em relação ao piso, seguramente a comissão tripartite não conseguirá arrancar nada do governo, já que este vai alegar que aguarda o julgamento final dos embargos de declaração à ADI 4167, em fase final de tramitação no STF - o sindicato deve lembrar ao governo o correto posicionamento da PGR. O mais provável é que tenhamos que ingressar na justiça para receber nossos direitos anteriores ao piso que será aplicado em janeiro de 2012.

Mas, o sindicato tem a obrigação de cobrar do governo a devolução da diferença entre o reajuste aplicado em janeiro de 2011 e a redução feita na remuneração de 153 mil educadores em julho de 2011, como castigo por terem optado pelo sistema de vencimento básico. O sindicato deve cobrar do governo uma resposta formal acerca deste ponto, já que, na prática, houve, além da redução ilegal, uma suspensão, no meio do ano, de um reajuste que já havia sido aplicado desde janeiro para todos os educadores - e que estava inclusive previsto no orçamento deste ano.

Em linhas gerais, estes são os eixos que considero mais importantes na discussão sobre a questão do piso salarial nacional. Claro que outras questões acerca da vida funcional dos colegas que participaram da nossa greve continuam pendentes, e o sindicato precisa cobrar do governo, como:

a) os colegas que não quiserem repor, que não sejam punidos financeiramente e na vida funcional. Já receberam (recebemos) o corte de salário, não havendo motivo para nova punição, seja com novos cortes, ou com qualquer prejuízo para a vida funcional. Portanto, deve-se cobrar a total anistia dos colegas que participaram da greve;

b) o sindicato precisa cobrar do governo também a não demissão dos designados que participaram da greve, inclusive não aceitando a desculpa de redução de turmas e extensão de aulas. A justificativa para isso é simples: a redução de turmas foi provocada, em parte, pela intransigência do governo em não pagar o piso; e em parte por conta de evasão que acontece com um percentual de alunos durante o segundo semestre. Mas, nenhuma destas ocorrências tem qualquer impacto na receita do estado, especialmente no FUNDEB, cujo valor mensal é assegurado segundo outros critérios. Tanto que, apesar dessas reduções ocasionais de turmas e evasões de alunos, não há correspondência em relação aos repasses mensais do FUNDEB (já conferi isso em outros anos e a tendência é que se aumente a arrecadação do estado no final do ano). Logo, que se aproveite o designado que participou da greve na mesma escola ou em outra, mas que este não seja demitido com a desculpa de redução de turma; outros pontos, como férias-prêmio, podem inclusive ser considerados como meio de aproveitamento dos designados que participaram da greve, assegurando aos efetivos o direito de usufruírem das férias-prêmio a que fazem jus.

c) por último, o sindicato deve cobrar do governo o pagamento imediato do prêmio de produtividade. De preferência ainda em outubro, até como forma de reduzir, em parte, apenas, os enormes prejuízos causados pelo governo aos educadores de Minas Gerais.

Vamos aguardar, então, as negociações de hoje, para sabermos quais os encaminhamentos serão adotados. E que o sindicato seja ágil na divulgação das negociações.

Um forte abraço a todos e força na luta!

- Todo apoio aos moradores da Comunidade Dandara e demais comunidades de ocupação ameaçadas pela truculência dos governos de BH e do estado de Minas, com o respaldo da justiça, do MP e da força policial, todos em agressão à Carta Magna do país e aos Direitos Universais da humanidade, que colocam a vida humana como prioridade, e não os interesses de mercado e do estado. O direito à moradia digna, à alimentação, à Educação pública de qualidade, está acima dos lucros e da especulação financeira de construtoras e dos projetos neoliberais dos governos a serviço das elites dominantes.

***

"Joselayde Ribeiro:

Permita-me homenagear meus colegas da E.E. Imaculada Conceição (greve parcial) e Coronel Amantino de Porto Firme e também uma conterrânea da E.E. Padre Álvaro de Viçosa (somos todos de Porto Firme, zona da Mata) que comigo participaram dessa luta, sem enfraquecer um minuto.

Como todos os companheiros da grande Minas Gerais, tivemos verdadeiros momentos de tortura. A desunião entre colegas da mesma escola, cada um com sua DESCULPA para não aderir ao movimento... Algumas destas até compreensíveis, mas o mais difícil era quando voltávamos à escola para repassar as novidades sobre a greve e alguns nos tratavam com descaso: alguns de nós com mais de 25 anos de serviço naquela escola, outros com 16, 17... muitos anos que haviam nos tornado uma FAMÍLIA. E aquela nossa adesão à luta por todos que ali estavam, era pra ser motivo para nos unir ainda mais!

Mas não foi isso que aconteceu: Começaram a chegar notícias de que saíam comentários maldosos, irônicos, na sala dos professores tipo "Agora vou pra casa descansar porque os nossos HERÓIS estão lá em BH lutando por mim", entre outros.

Então paramos de ir à escola, para evitar confrontos. Quando ficávamos sabendo que algum colega estava meio "inclinado" a entrar em greve, então íamos até a casa dele e o trazíamos para o movimento. Isso fora da escola. Lá havia uma campanha "do contra", dos não politizados... É claro que alguns ficavam na sua, não se manifestavam, outros "amigos" nos respeitavam e até nos defendiam, realmente não podiam ficar sem pagamento (empréstimos a juros altos, etc). A gente sempre deixou clara nossa posição: ninguém é obrigado a entrar em greve, mas "pelo menos não atrapalha o nosso movimento", né?

Até que, com os editais de designação dos substitutos, tivemos que voltar a frequentar a escola para tentar impedir as designações. Foi então que a escola se dividiu mesmo: uma colega teve a coragem de "furar o olho da outra" com quem trabalhava na mesma secretaria, pegando seu 2º cargo na biblioteca... alguns colegas nossos começaram a "recrutar" candidatos de toda a região para pegar nossos cargos. Teve colega que nem trabalhava mais, o tempo todo pendurada no celular ligando pra todo mundo que conhecia... Soube que foi até nas turmas de Licenciatura da UFV.

Por falta de informação, as opiniões se dividiam dentro de nossa escola. Vários nos criticavam por irmos conversar com os candidatos. Diziam que era direito deles, que podiam estar precisando do dinheiro... poucos se colocavam nos nossos lugares. Não entendiam que aquelas pessoas estavam atrapalhando o movimento de greve, atrapalhando a nossa luta fazendo o jogo do patrão, desestabilizando os efeitos de nossa greve, nossa luta pela conquista que seria para todos. Eram nossos cargos, pô! Era nosso dinheiro que Anastasia estava tirando de nossos bolsos para pagar aqueles TAMPÕES. Tanto que hoje, nem que quiséssemos poderíamos repor tais aulas. É um dinheiro irrecuperável, gasto com traíras.

Resultado: hoje em nossa escola está um clima insuportável. Muita provocação. Tem gente que fica até "vigiando" nossa reposição pra ver se damos motivo para denunciarem.

A escola é minha vida, minha família. Tenho dois cargos efetivos em Língua Portuguesa. Entrei na luta por acreditar no movimento, nos profissionais, também para recuperar minha DIGNIDADE.

E fiquei muito feliz por ter tido mais 17 colegas que, junto comigo, tiveram garra de aguentar o movimento até o fim (apesar de que um deles, Paulinho Passos, suicidou-se ainda na segunda semana da greve - mas não se sabe o motivo do enforcamento).

Entre estes companheiros de luta, posso citar um casal (os dois são casados e têm dois filhos), pagamento cortado em dobro; uma colega que é arrimo de família (sua mãe e marido fazendo pressão o tempo todo - ela até adoeceu e teve que tirar licença), outra com ex-marido também em greve, e com dois filhos e prestação de apartamento para pagar foi FAZER FAXINA pra fora: um exemplo de vida, de luta, de dignidade. Uma lição até para aqueles que não entraram em greve por causa de dinheiro "eu não, vai cortar o meu pagamento".

Fizemos panfletagem, corpo a corpo com alunos, pais... fomos a todas as assembleias em BH (5 horas de viagem), participamos de várias situações envolvendo polícia, seguranças, uma das nossas chegou até a tomar o microfone da mão de um repórter (ao vivo) quando ele cobria o caso da "bomba" , dizendo para ele "mostrar o lado bom também".

Foi muita luta, muita tortura, muita pressão...

E teve colega de nossa escola que disse que "quem sabe fazer greve é professor do Ceará que enfrenta polícia, deu no Jornal Nacional" Pelo amor de Deus!!! Globo!!! ALIENAÇÃO ! Sabe notícia do Ceará e não sabe de Minas, onde está lotado, em exercício.

Agora faço o balanço e sinto orgulho por ter participado de cada ato, de cada minuto, e agradeço a Deus por ter-nos dado forças e a OPORTUNIDADE de ter participado deste movimento que para mim foi realmente de muito aprendizado: hoje acredito que somos EDUCADORES, que nossa luta não foi apenas pelo Piso e depois pela Carreira... mas muito para termos a consciência de nossa Força, nosso Poder de Luta, de União (só entre os que querem).

Após toda a pressão moral, financeira, psicológica... hoje o saldo é muito positivo.

Foi neste movimento que conheci meus colegas e pude através dele distinguir, com segurança, quais deles são AMIGOS, HERÓIS, LUTADORES, EDUCADORES ... e quais são covardes, pequenos, fracos, traidores.

E me sinto honrada por ter participado da luta... de ter sido uma gotinha d'água no meio desse oceano que alagou tantas vezes o pátio da Assembleia, que foi exemplo para nossos alunos, para os mineiros, que com certeza tirou o sono do governador e ainda tira até hoje.

Agradeço muito a toda a categoria de todo o estado: aqueles que persistiram até o fim, ou até enquanto aguentaram, aqueles que se acorrentaram , os que receberam gás de pimenta nos olhos, bomba de efeito moral, tiros de borracha, ar condicionado em temperatura insuportável e se embrulharam em jornais, os que fizeram greve de fome, a você Euler que como a Beatriz, liderou todo nosso movimento, e continua liderando até hoje.

Obrigada aos meus colegas (em ordem alfabética): Bili, Eva, Clarete, Claudinho, Dalton, Danielle, Diego, Glória, João José, Kátia, Léscia, Malu, Marlene,Neide, Paulinho (in Memorian), Ronaldo, Roseli, Toninha e Zélia. (Gina, Ritinha e Antônia, apesar não estarem em exercício também lutaram conosco).

Hoje tenho orgulho de dizer e posso dizer: Sou PROFESSORA da rede estadual de Minas Gerais!
Para mim só estas conquistas já me realizam. O que vier agora é lucro.

MARIA JOSELAYDE RIBEIRO (professora da E.E.Imaculada Conceição - Porto Firme)".


124 comentários:

  1. Euler,
    Parabéns pela lucidez e clareza com que colocou aquilo que a gente quer desse governo, que nada mais é que o cumprimento de uma lei federal.
    Piso para todas as carreiras da educacão.
    Aproveito aqui para solicitar de todos que acessam a esse blog que não se esquecam de enviar msg para todos os deputados da comissão tripartite cobrando deles esse posicionamento.
    Paz e bem para todos os educadores dessa nossa Minas.
    Denise

    ResponderExcluir
  2. A "grobo" perdeu 34% de audiencia e teve suas calçadas lavadas para ser mais transparente e verdadeira, hoje o Faustão entrevistou Acione que citou uma professora que foi inflente na formação dela e disse que a professora não marcava prova mas o dia que a professora ia de vemelho era dia de prova. Devemos na próxima lavação da calçada da "grobo" ir todos de vermelho... bela cor da esquerda. E tem mais no intervalo do "fanatico show da vitima" teve apoio a campanha contra a violencia aos professores com divulgação do disk denuncia 0800 770 30 35. Devemos continuar a nossa campanha de SABOTAGEM A "GROBO" para que eles respeitem a verdade e não sejam tão bitolados. Beijos no coração de todos e todas. JUNTOS SOMOS MAIS !

    ResponderExcluir
  3. Se Deus quiser hj sai esse piso...
    FORA ANASTASIA
    FORA DITADOR
    FORA ANASTASIA
    FORA DITADOR!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Maria Joselayde Ribeiro,
    Não te conheco, mais desde já te parabenizo por ter participado da luta ao lado dos seus colegas e pelo sentimento de dever cumprido de quem participa de uma luta dessa.
    Com relacão aos que não fizeram,eles também não tem esse sentimento e o orgulho que só quem passou por tudo que vocês passaram tem.Essa semana tive com Rosângela, professora de matemática da EE Senador Antônio Martins, outra brava guerreira, NDG,que ficou acorrentada por 30 horas dentro do plenário da ALMG e ela me contando de como foi, do frio, da vontade de ir do banheiro, do sentimento da hora que eles ficaram sabendo que a Polícia de choque talvez fosse invadir onde eles estavam acorrentados, etc.
    Vocês viveram uma parte da história dessa Minas, que ninguém jamais vai tirar de vocês.
    Ai eu tive que contar para meu filho, ele ouvindo esses relatos de como foi essa greve, que, há 19 anos atrás, eu grávida de 7 meses dele, também estava lá na ALMG, quando a então dirigente do SINDUTE,Rosaura, disse as palavras que marcaram pra sempre meu compromisso com as nossas lutas SE ESSA É A CASA DO POVO, O POVO TOMA POSSE DE SUA CASA. Ficamos acampados uma semana lá dentro, dormindo, almocando etc, por mais de uma semana. Eu estava grávida de 7 meses e tive apoio de toda minha família.
    Meu filho mais velho, morando em BH, nessas paralizacões foi em algumas que não podia ir e dizia para mim: Fui porque eu sabia que se a senhora pudesse, estaria aqui, portanto, estou te representando.
    Quem ama, educa pelo exemplo.
    Parabéns....
    Denise

    ResponderExcluir
  5. O segredo da sabedoria é a paciência...

    Vamos esperar! E torcer por hoje...

    Ontem, um colega, deixa um post pedindo um momento de oração aos Céus, para que hoje,tudo seja resolvido.
    Eleve seu pensamento aos Céus. Faça sua oração às forças celestiais...

    Vou elevar meu pensamento!

    Embora exitam necessidades, este é o momento da educação!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Josias Guedes Carangola24 de outubro de 2011 08:12

    Quero agradecer à Professora Joselayde Ribeiro pelo relato de luta em sua escola. São pessoas como vocês que nos inspiram a prosseguir, não é fácil ser Professor politizado e lidar com esse governo e com uma categoria fragmentada.O blog do Euler nos tornou uma família no momento certo, aqui podemos trocar idéias e não nos sentirmos sós. Espero que o clima em sua escola melhore. Creio que a atitude de vocês é de orgulho e críticas infundadas doem mas devem ser consideradas, filtradas e trabalhadas para que numa próxima tenham apoio de outras pessoas. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Euler, você demonstra muita serenidade ao expor suas opiniões aqui. Queria apenas retomar uma discussão sobre a proporcionalidade do piso. Eu não concordo com ela, porque se o Estado usar a proporção , cidades como Ipatinga, onde a jornada de trabalho oferecida é de 20 horas e o plano de carreira não prevê, biênio, quinquênio e o adicional de especialização é de incríveis 2%, o professor estará fadado a não receber reajuste pelos próximos 5 anos. imagine então se formos calcular o piso na rede municipal de Ipatinga o professor em nível superior receberia um salario de 830 reais, sem praticamente nenhuma vantagem. Prá nós do estado é razoável aceitar a proporcionalidade, mas estaremos acabando com a carreira em nível municipal. Precisamos ter cuidado!!!

    ResponderExcluir
  8. Amigo, bom dia!
    Espero que o sindicato e os representantes do desgoverno respeitem o nosso direito e paguem o piso salarial nacional dentro da carreira de acordo com a lei 15.293. Vamos aguardar uma vez que esta comissão caminha a passos lentos.....
    Firme na luta.
    Amplexos, Elenice Vidal Prata (Pedagoga - NDG)

    ResponderExcluir
  9. Bom dia a todos. Euler, não podemos nos esquecer nem por um segundo sequer do 1/3 extra-classe, este assunto tem sido deixado de lado mais tempo do que é prudente.

    ResponderExcluir
  10. Olá, turma da luta, membros do NDG e demais colegas de combate!

    Bom dia!

    Olá, combativa Denise, merecidíssima a homenagem que você presta a colega Rosângela, brava guerreira, como você também é. Se tiver uma foto sua com a Rosângela mande para mim por e-mail. A memória de luta dos nossos colegas merece ser contada, preservada, estudada.

    Um abraço ao Josias de Carangola, turma valente, terra da Educadora Mineira e do Sebastião de Oliveira, exemplos, juntamente com outros valentes guerreiros, de profissionais da Educação para a nossa categoria.

    Ao Anônimo das 08:28, que fala sobre a proporcionalidade do piso. Infelizmente, é o que está na lei federal. Mas a lei prevê também a adaptação aos planos de carreira de cada rede. Existem projetos de lei no Congresso que tratam sobre este ponto. Não podemos aceitar mais planos de carreira que não considerem a valorização por título acadêmico, com razoável percentual entre os diferentes títulos - como parece ser o caso que você citou. Existem orientações claras sobre isso aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação. É preciso lutar, tanto junto ao Congresso, quanto em cada rede, para que se construa planos de carreira decentes, que valorizem o título acadêmico, o tempo de serviço, a complexidade do serviço, etc. Este princípio está inclusive na Constituição Federal.

    Um abraço também na combativa Elenice Vidal, outra guerreira com quem encontramos muitas vezes nas nossas assembleias durante os 112 dias da nossa heroica greve.

    E uma abraço também para o combativo Leandro Galo: que o piso hoje torne-se uma realidade para nós, educadores mineiros!

    Um forte abraço a todos e força na luta!

    ResponderExcluir
  11. Relatos como esse da prof.Maria Joselayde Ribeiro nos choca, mas isso tudo vai passar. Parabéns a todos que vêm resistindo braviamente a essas adversidades. Não tenham dúvida de que essa luta vai valer a pena.
    Abraços!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  12. Gente, por favor, me deem notícias sobre o nosso bônus.

    ResponderExcluir
  13. Correção: Relatos como esse da prof.Maria Joselayde Ribeiro nos chocam..

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  14. João Paulo Ferreira de Assis24 de outubro de 2011 10:38

    Comovente o depoimento da Professora Joselayde. Infelizmente é isto. É a desunião que campeia na nossa classe. Meu Deus, chegar ao ponto de uma pessoa fazer ironias. Pode saber devem ser todos tucanalhas. Eu se fosse a Joselayde, na hora que a vitória chegasse, perguntaria, VOCÊ NÃO OPTOU PELO SUBSÍDIO? O SUBSÍDIO É TÃO BOM!
    VOCÊS DEVERIAM TAMBÉM USAR DE IRONIAS TAMBÉM.

    Sempre me traz uma reflexão o caso acontecido na rodoviária de Conselheiro Lafaiete. A empresa que faz a linha Ouro Preto a Ouro Branco estava fazendo concorrência desleal às empresas que fazem as linhas Ouro Preto a Conselheiro Lafaiete e Barbacena, e Ouro Branco a Conselheiro Lafaiete. Pelo preço de uma passagem Ouro Preto Ouro Branco ela transportava os passageiros até Conselheiro Lafaiete, onde o mesmo ônibus ia fazer a linha para São Paulo. Certo dia os passageiros se recusaram a descer na Avenida Professor Manuel Martins, e foram para a Rodoviária. O DER-MG deu o flagrante.
    Provavelmente a briga está na Justiça. Mas porque os patrões estão brigando não significa que os empregados têm de ser inimigos uns dos outros.
    E duas dessas empresas estão presentes na Rodoviária de Carandaí, e tenho visto, enquanto espero o ônibus de estudantes que me leva à escola, a camaradagem entre os colegas de uma e de outra empresa.
    Que sirva de lição para nós professores, pois os empregados do mesmo patrão não podem querer furar os olhos dos seus colegas, que têm o mesmo patrão.

    Saudações, e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  15. rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    Hoje, às 16h30, na Cidade Administrativa, haverá reunião da comissão de negociação sobre o Piso da Educação. Espero que haja avanços.

    ResponderExcluir
  16. GRAÇA:

    Bom dia Prof Euler,

    Esperamos suas palavras sejam lidas, entendidas e aplicadas durante a reunião de hoje!
    Temos orientado a que todos permaneçam na antiga carreira, porém,há muita angustia por parte daquele que estão tendo perdas por terem optado pela legitima carreira, uma vez que o prazo para optar pelo ja descartado subsidio encerra-se dia 31/10.Urgencia urgentissima : o sindicato precisa publicar, divulgar amplamente a tabela com a projeção dos vencimentos para todas as careiras com a aplicação do piso.A grande maioria so consegue visualisar através de tabelas, infelizmente.

    ResponderExcluir
  17. Euler,bom dia!
    Me desculpe mas os erros de português aqui no blog estão gritantes.
    Caros colegas, consulte o dicionário na hora da dúvida, eu faço isso.
    Acho horrível um professor cometer erros de ortografia.
    Hoje li a palavra licensa ao invés de licença.
    Somos PROFESSORES e muitos alunos estão antenados neste blog que é um SUCESSO.
    Não me levem a mal, por favor!

    ResponderExcluir
  18. GRAÇA:

    RICARDO SEMLER

    Mais aula não resolve

    Com a abolição gradual do sistema conteudista, pensar hoje em aumentar as horas de aula é quase criminoso

    Está todo o mundo tonto. Esse negócio de educação deficiente deu pano para todas as mangas. No redemoinho dos perdidos, o simplismo é "afundante".
    O Pisa e testes que tais -que não parecem com o Enem, em vários sentidos, superior a eles- passaram a ser o padrão-ouro para se medir a escola. Aqui e mundo afora.
    Falei por algum tempo com o ministro da Educação da Dinamarca, no ano passado, e fiquei perplexo ao descobrir que a sua meta era subir no ranking do Pisa. Não bastava ter obtido um dos melhores resultados do mundo -ele era cobrado pela sociedade dinamarquesa para melhorar a posição na listagem.
    O Brasil, há poucos anos, passou a se medir assim também. Como consequência, todos perguntam como fazer para subir no ranking (estamos na 53ª posição). Ora, descobrindo o que fazem as melhores escolas do mundo serem um sucesso.
    Viramos súditos das respostas simplórias. Todos fazem estudos que demonstram que professores melhores e mais tempo em sala de aula dão resultado melhor. Como a questão de professores melhores é subjetiva, de uma "ululância" vexante, e que leva tempo (uma ou duas décadas) para se consertar, parte-se para o segundo item.
    Assim, começa a grita pela escola integral e por mais tempo na sala de aula. Como se torturar a meninada com mais horas monótonas e mal pensadas fosse resultar em aprendizado duradouro. Que bobagem!
    Isso não passa de um clichê, que serve para dar aos pais e aos políticos a sensação, idealizada, de que algo está sendo feito.
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/saber/sb2410201103.htm

    ResponderExcluir
  19. Que depoimento maravilhoso e emocionante o da nossa querida professora de Porto Firme, Maria Joselayde Ribeiro! Parabéns por descrever tão bem o cenário vivido por todos nós, Educadores e Educadoras, do Estado de Minas Gerais! Que nossa LUTA sirva de exemplo para muitos... E que consigamos MUDAR o nosso triste cenário da Educação em Minas e no País...

    ResponderExcluir
  20. Para quem ainda estava em dúvida com relação aos substitutos, veja e-mail que a nossa escola recebeu:


    Ponte Nova, 24 de outubro de 2011

    Conforme orientações da Sra. Secretária Ana Lúcia Gazzola, a Direção da Escola deverá proceder imediatamente, o desligamento dos professores designados pelas Resoluções 1905/11 e 1924/11, considerando o término da greve.

    Atenciosamente,

    ResponderExcluir
  21. NAÕ DEIXEM QUE AS PALAVRAS PREVALEÇA EM NOSSOS CORAÇÕES, SÓ QUANDO ELAS FOREM OTIMÍSTAS. E DEUS COLOCARÁ TUDO EM SEU DEVIDO LUGAR, É UMA QUETÃO DE TEMPO E ELE(DEUS) NÓS RESERVARÁ UM FUTURO MUITO PRÓXIMO. SAÚDE A TODOS.

    ResponderExcluir
  22. Euler,
    parabéns pelas suas colocações, são claras e nos ajudam muito entender tanta lei.
    Quero comentar, desbafar ou denunciar a APPMG: eles postam nos e-mail institucionais das escolas suas versões tendenciosas e claramente casadas com as decisões do Governo, totalmente partidárias fazendo as colocações do sindicato e as suas parecerem mentirosas.
    Qual será o jogo de seus dirigentes?
    Qual será o esquema que eles adotam para viverem de boca, ouvidos e olhos fechados...
    Vocês que estão na capital tentem decobrir, porque uma certeza eu já tenho eles estão comendo no prato do governo.....

    ResponderExcluir
  23. Infelizmente o relato da professora de Porto Firme, Maria Joselayde Ribeiro, poderia ser aplicado a várias escolas de Minas, com pequenas modificações. Uma parte significativa dos profissionais da educação ainda não são politizados e não se preocupam em se informarem.
    Muitos não têm coragem de ler e ficam querendo que repassemos as informações, às vezes querem até,que tomemos decisões por eles.
    A categoria, se unida, alcançaria todos os seus objetivos, mas chego a pensar que isso é uma utopia, estou no estado desde 1979 e sonho com esse momento há 32 anos.
    Euler obrigado por nos manter informados e unidos. " Abraços a todos e até a vitória."

    Maria Helena - Ipatinga

    ResponderExcluir
  24. EULER,
    Parabéns por seu blog, o acompanho todos os dias.
    Quanto às negociações, não devemos nos esquecer do 1/3 de jornada extra classe. Ou o governo nos pague proporcional a 27 aulas ( 18 em sala e 9 fora)ou so temos que trabalhar 16 aulas em sala e não 18 como é hoje. Chega de ser explorados!!. Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Boa tarde Euler!
    Enviei um e-mail solicitando SEU CPF, para poder repassar através de DOC, uma contribuição dos professores e demais funcionários da Escola para a conta da campanha de ajuda promovida pelo Blog. Peço se possível, urgência no envio( Exigência do Bradesco). Nossa cidade não tem Agência do BB, e essa é a única forma de repassar a contribuição.
    A Agência fecha as 15 horas e gostaria de fazer esse repasse ainda hoje. Os dados estão no e-mail.
    Atenciosamente
    Ivone.

    ResponderExcluir
  26. Anonimo 11:37
    Concordo com sua colocação. Sugiro, inclusive, que não inicie a frase com pronome oblíquo átono. Ao invés de "me desculpe" troque por "desculpe-me"..rs. Brincadeirinha colega.
    Desejo sucesso nas negociações e que a questão do piso seja decidida, pois não suporto mais essa tortura.

    ResponderExcluir
  27. Olá Euler e colegas...

    Olha, estou otimista quanto ao produto final das negociações sobre nosso piso.

    Entretanto, entendo que as negociações de hoje serão apenas o começo de várias outras negociações deste tema. Não penso ser do interesse do governo ‘neste momento’ dar um parecer final; ademais, é do interesse do mesmo que os servidores voltem para o subsídio. Assim, creio que o nosso piso ainda será tema de uma novela que ainda se seguirá por mais um tempinho. Acredito que o governo vai procrastinar... enrolar... até o limite de sua conveniência.

    Portanto, sejamos otimistas sim, mas sem grandes empolgações para hoje, pelo menos. A Beatriz e seus companheiros terão que ser muito ‘persuasivos’, fechando todos as possibilidades de ‘brechas’ deste governo conveniente. Entendo que chegaremos lá sim, porém, subindo um degrau de cada vez mesmo.

    Flávia (MC)

    ResponderExcluir
  28. PISO! PISO PISO HOJE TEM QUE SAIR ESSE PISO PELO PODER QUE HÁ NO SANGUE DE JESUS! MARLI G.V

    ResponderExcluir
  29. Pessoas queridas,
    Vamos repetir à exaustão:
    Tudo vai dar certo! / Tudo vai dar certo! Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!Tudo vai dar certo!
    O sangue de JESUS tem PODER!!!

    ResponderExcluir
  30. Euler enviei mas uma contribuição na sua conta .Doação de meus colegas da escola onde trabalho.
    Marcia, carangola

    ResponderExcluir
  31. Euler, por favor divulgue novamente o numero da conta pois perdi o papel onde anotei.

    ResponderExcluir
  32. Ao anônimo das 15:43

    Nome do Banco: Banco do Brasil
    Número da Agência: 2770-7
    Número da C/C: 20.606-7
    Euler Conrado Silva Júnior

    Aos colegas que precisarem de ajuda emergencial, não esqueçam de mandar os seguintes dados:

    - Nome completo
    - Nome do banco (de preferência Banco do Brasil)
    - Nº da agência
    - Nº da Conta corrente ou poupança
    - Nome da escola onde trabalha
    - Telefone para contato
    - Descrição resumida das necessidades emergenciais

    Nunca será demais mencionar e agradecer o apoio de todos a esta campanha. Nós estamos realizando apenas o repasse das doações que estão sendo feitas por dezenas de colegas. Quem tiver informação de colegas que estão passando por grandes dificuldades, e que às vezes têm acesso à Internet, favor pegar os dados da pessoa e encaminhar para o meu e-mail (euler.conrado@gmail.com).

    Mais um detalhe: deem sempre preferência para as contas do Banco do Brasil, pois as transferências para este banco estão livres de taxas. Se a conta for de outro banco, além da taxa cobrada para transferência, precisamos também do CPF da pessoa que receberá o repasse.

    Um forte abraço,

    Euler

    ResponderExcluir
  33. GRAÇA:

    Realmente, os erros cometidos por alguns colegas são gritantes! Pressa não é desculpa para professor escrever errado.
    Sugestão: 1)Consultar dicionário, Lembrar que o verbo tem que concordar com o sujeito,2)Digitar o texto no word , passar pela correção automática e só depois colar aqui. 3)Imprimir a Tabela do novo acordo ortográfico,e deixar ao lado para consultar. Veja o link abaixo.

    http://livroseafins.com/wp-content/uploads/2008/12/acordo-ortogr%C3%A1fico.pdf

    ResponderExcluir
  34. ALMG. Comissão de Assuntos Municipais recolheu denúncias de prefeitos que amargam retaliação do Governador de Minas, Anastasia-PSDB = (22/10/2011)


    Um relatório técnico elaborado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE) revela que o (repasse de verbas) do ‘governo estadual’ aos municípios mineiros foi quase ‘cinco vezes maior’ em junho e julho de 2010 em comparação à média dos meses anteriores do mesmo ano. A ELEVAÇÃO COINCIDE COM O INÍCIO DO PERÍODO ELEITORAL. // Conforme o levantamento obtido ontem pela reportagem de O TEMPO, os valores das transferências variaram entre R$ 34,9 milhões e R$ 59,1 milhões entre janeiro e maio. Nos dois meses seguintes - ou seja, pouco antes do prazo final para a realização de novos convênios, conforme a legislação eleitoral -, foi registrado um "boom" de repasses: R$ 279,4 milhões e R$ 203 milhões, respectivamente. (...) // O relatório do TRE é resultado de uma Investigação Judicial Eleitoral impetrada no ano passado contra o governador eleito Antonio Anastasia (PSDB) e seu vice, Alberto Pinto Coelho (PP). A ação aberta pela coligação Todos juntos por Minas, dos candidatos derrotados Hélio Costa (PMDB) e Patrus Ananias (PT), questiona os critérios utilizados pelo governo na ‘distribuição das verbas’ e acusa os réus de praticarem ‘abuso de poder’ em troca de apoio político. O processo ainda corre na Justiça Eleitoral. Em maio deste ano, prefeitos de oposição foram à Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa e acusaram o governo de usar critérios eleitoreiros para distribuir verbas entre as cidades mineiras no ano passado. Eles foram rebatidos por deputados da base, segundo os quais Anastasia mantinha "um relacionamento republicano" em todo o Estado. // Para o líder da oposição, Rogério Correia (PT), os depoimentos revelaram "prática clara de crime". Segundo ele, muitos prefeitos se sentiram coagidos a apoiar o então candidato tucano. "Na época, tínhamos conhecimento sobre alguns desses números. Se os dados forem confirmados pelo TRE, qualquer juiz poderá se embasar neles para pedir a “CASSAÇÃO DE MANDATO", declarou.

    OBS.: CASSAÇÃO DE MANDATO?!? Quá!!!! Conta outra!!! Não acredito não.

    Disponível em: http://www.geogama.blogspot.com/

    Flávia (MC)

    ResponderExcluir
  35. GRAÇA:

    PARA REFLETIR:


    "Há um olhar que sabe discernir

    o certo do errado e o errado do certo.

    Há um olhar que enxerga quando

    a obediência significa desrespeito e

    a desobediência representa respeito.

    Há um olhar que reconhece os curtos

    caminhos longos e os longos caminhos curtos.

    Há um olhar que desnuda, que não hesita

    em afirmar que existem fidelidades perversas

    e traições de grande lealdade.

    Este olhar é o da alma".

    ..............Nilton Bonder _livro A Alma Imoral

    ResponderExcluir
  36. Boa tarde
    Prof. Romeu

    Pessoal, a união faz a força, já dizia minha avó Maria Cornélia Soares que partiu dessa para melhor há muitos anos.
    Aqui nesse espaço estamos unidos, esse blog nos despertou, nos encorajou e poderemos colher bons frutos dessa amizade virtual construída aqui.
    Vamos aguardar o resultado da reunião. Estou ansioso, mas acho que decisão final ficará para depois de 31 de outubro, data limite para reopção de sistema de pagamentos.
    Até amanhã, fiquem com Deus!
    Sempre vigilantes.

    ResponderExcluir
  37. Pessoal da luta,

    Estou de saída para a escola; volto somente depois das 22h30. Tomara que tenhamos boas novidades.

    Um forte abraço a todos e todas e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  38. Euler, você deve ter um bom relacionamento com a sua Diretora. Não dá pra conseguir uma negociação, com dispensa, durante este período de vigília do nosso piso (rsrsrsr) a fim de manter o plantão no bunker?

    ResponderExcluir
  39. Para Graça,

    Tantas coisas acontecendo, tanta amargura sentindo, tantas cobranças por parte das diretoras, vc as demais reclamando de colegas que estão escorregando em português? Fica fria colega! Assim, os que cometem erros, não ficarão a vontade para postarem aqui! Aqui é lugar de trocar idéias e não para ficar corrigindo os erros dos outros! Vá corrigir seus alunos em sala de aula ok?

    Conceição

    ResponderExcluir
  40. Oi,
    Eu sou a Tia Maluquinha e venho batendo na tecla de que Professor PRECISA escrever corretamente, mesmo porque ele serve de exemplo!
    Eu compreendo que a Língua Portuguesa é muito difícil mesmo, tantas são as suas regras. Entretanto, sou da seguinte opinião: se a criatura tem consciência de que não tem domínio da língua, procure escrever pouco, atentamente, pesquisando no Dicionário, perguntando...
    Digitar o texto no Word, pedir a correção é uma opção para se evitar erros crassos, como os que temos visto aqui. Alguns me deixam de cabelo em pé, porque sou enjoada mesmo; outros, nem tanto. Outro dia, alguém escreveu "au" em vez de "ao". E eu fico pensando: o que leva uma pessoa a cometer um erro desses? Só pode ser erro de digitação, que eu perdoo. Um aluno escreveu "abrido"...
    Todos estamos sujeitos a cometer erros, mas devemos ter um pouco de carinho para com a nossa tão maltratada Língua Portuguesa.Paciência e bom senso são fundamentais.
    Bem, se eu escrevi alguma coisa errada, podem consertar (com s), por favor.
    Beijo,
    Tia Maluquinha.

    ResponderExcluir
  41. Boa tarde a todos os amigos do NDG/NDE

    Não obstante a tantas adversidades vividas durante nossa heroica greve de 112 dias, esse blog conseguiu reunir um contingente de educadores, extremamente politizados e obstinados com a verdade e com a justiça, bem como obstinados contra todo tipo de injustiça.

    ESSA COESÃO CONSOLIDADA AQUI, FEZ, FAZ E FARÁ TODA DIFERENÇA, VISTO QUE, DORAVANTE, JAMAIS NOS PERMITIREMOS SER ULTRAJADOS.

    Unidos nós somos muito mais.

    MEXEU COM UM, MEXEU COM TODOS.

    DANDARA, eu apoio.
    A todas as comunidades de ocupação eu apoio.

    PELO DIREITO À MORADIA DIGNA PARA TODOS.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  42. Gente, parece que o relato feito pela professora Joselayde era sobre minha escola. Parece que em todo lugar temos colegas em comum. Aqueles que são do contra, só por prazer. E olha que minha escola se encontra em Vespasiano.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  43. Euler e companheiros/as:

    Tem gente comentando aqui que o nosso Sindicato é pelego. Não posso deixar de discordar. Não é justo ouvir esta difamação e ficar calado.

    Não sou da Diretoria. Sou educador filiado ao Sindicato. Concordo que precisamos melhorar muito na qualidade do trabalho sindical; precisamos renovar as estratégias caducas; precisamos investir na formação dos filiados... precisamos de um punhado de coisas! Mas daí à afirmação de que o Sindicato é pelego e se vende ao Governo há uma distância muito grande.

    Posso afirmar, sem dúvida: O nosso Sindicato é um dos poucos que realmente tem coragem de enfrentamento direto com o patrão. Qual órgão de classe ficaria 112 dias de greve se lhe interessasse o outro lado?

    O Sindicato não é algo etéreo. Ele é formado por gente, por você e por mim. Ele muda, à medida que nós também mudamos. É igual à política; ela melhora à medida que dela eu participo.

    Aproveitemos esta oportunidade histórica, quando temos à frente como coordenadora, uma Beatriz, mulher inteligente, forte, equilibrada para conquistarmos aquilo que perdemos durante estes anos de luta.

    Confio em nosso Sindicato. Caso contrário, jamais entraria para a luta. Não seria coerente da minha parte.

    Espero colaborar com a reflexão que, com certeza, não terminará aqui.

    Um abraço.

    Joaquim - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
  44. Euler,
    Rogério Correia acabou de postar no facebook:
    "Negociação mto ruim. Governo não apresentou propostas concretas e defendeu carreira restrita a professores e especialistas dentro da escola."

    ResponderExcluir
  45. Rogério Correia via Facebook:

    "Rogério Correia
    Negociação mto ruim. Governo não apresentou propostas concretas e defendeu carreira restrita a professores e especialistas dentro da escola."

    ResponderExcluir
  46. Euler o Sindute deve estar envergonhado por não ter avançado em nada hoje, mas é lógico que o governo quer deixar a dúvida no ar até vencer o prazo de retorno ao subsidio. Essa estratégia fará apenas ele perder, pois as decisões judiciais vão acabar saindo e o obrigando a pagar tudo. Ele vai dar um tiro no pé!!!

    ResponderExcluir
  47. Gente, alguma novidade sobre a reunião de hoje? Por favor, postem.

    ResponderExcluir
  48. Estas aulas de lingua portuguesa são ótimas continue.,estou estudando p/ o concurso.Sim como leio tudo que o mestre EULER escreve é simples e preciso.

    ResponderExcluir
  49. Agradeço a você, Euler, por ter postado meu relato. E também aos colegas que prestaram solidariedade. Eu realmente devia essa homenagem aos meus colegas dos quais tenho o maior orgulho.
    Agora, com a demissão dos "substitutos" as coisas tendem a melhorar um pouco na escola. E como dizia um padre amigo meu:"Nada como um dia após o outro e uma noite no meio".

    Mudando de assunto, a Bia já informou no seu blog o resultado da reunião de hoje.
    Por enquanto muita discussão e nenhuma decisão.
    E o tempo vai passando...
    E a gente recuperando força, energia para enfrentar mais uma GREVE em breve.
    Boa noite a todos.

    ResponderExcluir
  50. A reunião de hoje não deu em nada agora pergunto, o que que esse maldito esta querendo com tanta embromação? Ele está querendo ganhar tempo para que? Não aguento mais tantata espera.

    ResponderExcluir
  51. Euler,
    Obrigada pelas palavras gentis a minha pessoa. Eu não as mereco.Merecimento tem você, a Bia, a Rosangêla,a Joselaydes e toda a turma NDG de Porto Firme, ãs escolas de minha SRE que fizeram greve,aos educadores de Minas que enfrentaram tudo nesses 112 dias e não esmoreceram, a muitos heróis anônimos dessa nossa amada e combalida Minas.
    Como você me solicitou, enviei a foto minha e de Rosângela pelo seu email.
    Nós não vamos nos dispersar...
    Denise

    ResponderExcluir
  52. Notícias.....frescas... quem abe... alías, estava na cara que o governo iria nos enrolar....
    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com/
    4a reunião tripartite.....

    ResponderExcluir
  53. E depois de mais uma reunião, "Tudo como dantes no quartel de Abrantes."
    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  54. Prezada colega MARIA JOSELAYDE RIBEIRO,(em maiúsculo mesmo por respeito). Seu depoimento e carregado de um sentimento verdadeiro,de longos anos de caminhada junto a alguns companheiros.Mas às vezes somos surpreendidos com atitudes que a principio podem ter somente pontos negativos, mas ao analisarmos os fatos de "cabeça fresca" achamos pontos positivos que futuramente nos ajudaram em varias situações. Uma coisa eu te garanto:seus atos foram de luta por um bem comum. Você já e vitoriosa por ter oportunidade de participação de uma greve justa.Seus colegas? Os verdadeiros te pediram perdão. Os que não pedirem e bom que fiquem longe de você.Que não exista magoa no seu coração.
    BEIJOS .
    FICA COM DEUS
    MARIA/GV

    ResponderExcluir
  55. Anônimo 13:55,

    Eu também concordo com sua colocação.Sugiro,inclusive, que coloque acento circunflexo em anônimo. É um vocábulo proparoxítona e obrigatoriamente pede um acento.
    Brincadeirinha colega.

    ResponderExcluir
  56. Professor Euler e diletos membros do NDG,

    Acabei de ler o post do blog da Bia fazendo referência à quarta reunião da Comissão Tripartite e fico indignado com tanto descaso.
    Gente...nenhum avanço! Estamos caminhando a passos muitíssimo lentos! E agora vamos ficar mais uma semana na angústia da espera pela quinta reunião no dia 31. Meu Deus! Quanto descaso! Até quando vamos suportar tudo isso?!
    Confio na Beatriz e sei o quanto ela se empenha nessas negociações, mas não posso negar a minha ansiedade ante a lentidão dos trabalhos semanais que, segundo penso, não deveriam se limitar a apenas uma reunião por semana...

    ResponderExcluir
  57. O veneno na mesa - filme que trata de agrotóxicos (...)
    O veneno do governo foi servido ao Sindicato. As negociações não avançaram. Ai de nós, ATBS.
    Mas ainda tenho esperanças: quem sabe na próxima reunião o Governo não se dobra? Mas, gente, será por que o Sindicato não consegue persuadir essa gente, tendo a lei a seu favor? Francamente!
    Ora, bolas.

    ResponderExcluir
  58. E O PISO? SOMENTE ENROLAÇÃO...FICARAM MARTELANDO NO MESMO FERRO FRIO...PAGAR A TODAS AS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO! NÃO! SÓ AOS PROFESSORES E ESPECIALISTAS.
    E...CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS PARA A PRÓXIMA REUNIÃO:O IMPACTO DA APLICAÇÃO DO PISO PARA O POBRE ESTADO DE MISÉRIA GERAL NA GESTÃO ANASTASIA.
    NÃO MERECEMOS TANTO DESCASO...

    ResponderExcluir
  59. Infelizmente as novidades não são boas. Penso que o governo, propositadamente, protela a negociação para o dia 31.
    Não entendi direito uma fala da coordenadora do Sindicato quando ela diz que o governo deve prorrogar o prazo para o retorno ao subsídio porque as tabela não foram apresentadas. Será que ela não acredita na superioridade do VB.

    ResponderExcluir
  60. Olá colegas!
    Mais uma reunião sem resposta, mais um dia de enrolação do governo.
    O que esperar de tudo isso?!
    Confesso que ando muito chateada com esse desgovernador. Precisava de meu dinheiro para ontem.
    Admiro essa campanha que ocorre por aqui, mas ao mesmo tempo lamento, pois além de não poder ajudar, acho que não seria necessário passar por isso se nossa classe fosse mais unida. Vejo na escola onde trabalho, colegas que não aderiram a greve questinarem sobre a posição do sindicato, sobre questões salariais, sobre a reposição de greve e uma reclamação sem fim, mas nada fazem para ajudar ou amenizar o problema. Indignação!
    Acredito na força do povo, acredito na luta.
    Tudo tem limite, tudo tem um fim, mas esse governador parece não entender isso. Espero que um dia ele entende um pouco mais sobre o que é ser "gente", pois hoje o vejo como um monstro.
    Abraços

    ResponderExcluir
  61. Eu já imaginava e inclusive coloquei varias vezes aqui que a resposta do desgoverno só sairia depois do dia 31/10, então não me surpreendi, pois minha opção pelo piso já está feita mesmo perdendo 700 reais mensal até janeiro de 2012. Eu porém me preocupo com os desinformados que sem fazer cálculos para o futuro podem retornar para o subsídio e depois ficarem choramingando nos cantos.
    Agora eu estou avisando muita gente, mas depois é só alegria, neca de greve da minha parte por piso salarial pois a luta é agora e não depois.
    Mauro NDG de Carartinga

    ResponderExcluir
  62. Acabei de ler o blog da Beatriz não entendi por que ela pediu mais prazo para o subsídio se não queremos o tal,me deu a impressão que não acredita que o piso é melhor.Eu acho que ela deveria esquecer o subsídio.

    ResponderExcluir
  63. segunda-feira, 24 de outubro de 2011

    4a. Reunião da Comissão Tripartite
    A 4a. reunião da Comissão Tripartite aconteceu nesta segunda-feira, dia 24/10, de 16:30 as 18:15 h.Participaram da reunião:
    - Representando o Governo do Estado: Danilo de Castro (Secretário de Estado de Governo),(Secretária de Estado Adjunta da Educação), representante da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão.
    - Representando o Poder Legislativo: Adalclever, Rogério Correia, Pompilio, Antônio Júlio, João Leite, Cássio Soares, Sebastião Costa, Duarte Bechir.
    - Representando a categoria: comissão de negociação - Beatriz Cerqueira, Marilda Abreu, Feliciana Saldanha, Lecioni Pereira.
    SÍNTESE DA REUNIÃO
    O Sind-UTE apresentou aos deputados e representantes do Governo do Estado toda a argumentação que embasa a posição da entidade de que o Piso Salarial deve atingir as 8 carreiras da educação da rede estadual: Constituição Federal, Acórdão da ADI 4.167, Legislação Federal, Legislação Estadual.
    A Secretaria de Estado da Educação apresentou um Paracer da Advocacia Geral
    Próxima reunião: 31/10
    (BLOG DA BEATRIZ)

    E O GOVERNO CONTINUA ENROLANDO...

    PARABENIZO A PROFESSORA PELO RELATO SOBRE AS DIFICULDADES QUE ENFRENTARAM AO LONGO DA GREVE. È UM RETALHO DO QUE ACONTECEU NAS MINAS...
    EVIDENCIA-SE UMA BOA (MÁ) PARTE DA CATEGORIA DESPOLITIZADA, ETC,ETC,ETC...
    MAS A GREVE NOS MOSTROU QUE EXISTE UM NDG. PROFESSORES SE ORGANIZANDO CADA VEZ MAIS.
    NOSSOS AGRADECIMENTOS AO AMIGO EULER E BEATRIZ E DEMAIS LIDERANÇAS, POR APONTAREM O CAMINHO...
    FORÇA NA LUTA COMPANHEIROS!
    PROFESSOR ODAIR JOSÉ

    ResponderExcluir
  64. NADA X NADA...

    NADA DE PRÊMIO PRODUTIVIDADE
    NADA DE SALÁRIO EM OUTUBRO
    NADA DE ORIENTAÇÃO PARA QUEM NÃO QUER REPOR

    COMO DIZ A MINHA SOBRINHA; - TÁ OSSO!

    ResponderExcluir
  65. Olá pessoal!!!No blog da Beatriz já tem noticia da reunião de hoje.

    ResponderExcluir
  66. Os tampax da escola estão se achando!
    Só faltam cantar "daqui não saio, daqui ninguém me tira"...Tem uma lá que chega a assustar quando serve-se de macarrão na merenda. Pela amor de Deus!
    Vai passar uns 10 15 anos nós vamos contar isso tudo que está acontecendo e as pessoas não irão acreditar!
    É surreal!
    O bom dessa greve foi esse blog, o nível de politização que tá crescendo e a possibilidade da base vir a tomar as rédeas da nossa luta.
    Zé Martins

    ResponderExcluir
  67. Sub-comandante Euler, está evidente que nada se resolverá hoje. Somente após o dia 31/10/2011. Força na luta.

    ResponderExcluir
  68. Nada,nada,nada resolvido.
    É só enrolação.
    Não estou entendendo por que o prazo para retornar ao subsídio deve ser prorrogado.
    Me explique por favor, Euler.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  69. Pra variar, mais uma embromação do governo. Agora quer dividir a categoria. Na verdade, é a tentativa de ganhar tempo para ver como vai fazer com um Estado em que haverá duas formas de pagamento: subsídio e Piso. Além disso, conta com a falta de juízo de muitos que, calculando as "perdas" quando saíram do subsídio e foram para o VB, estão pedindo a entrada no fajuto subsídio. Esses não conseguem ver que os benefícios do subsídio só se aplicam aos que estão em início de carreira, ou seja, só existirão a curtíssimo prazo.Governinho mal caráter que conta com servidores desinformados dá é nisso! Mas o importante de tudo é que existem muitos outros, que se mantêm atentos a todas as malandragens e que estão prontos para retomar o combate, se preciso for! Fé, e Força na Luta!
    Cida Ribeiro - São Domingos do Prata

    ResponderExcluir
  70. Fiquei "burra" depois desta greve, ou o pedido do sindicato para a prorrogação do prazo para a volta para o subsídio, vai de encontro ao interesse do governo?A justificativa é de que nenhum prazo deve acabar antes da apresentação da tabela salarial, mas o prazo para a volta ao vencimento básico,terminou sem apresentação de tabela.
    Sei não..Pessoal, o que vocês acham disto?

    ResponderExcluir
  71. Euler,
    tudo joia?Precisamos pensar uma forma de pressao contra este Estado, ja estao passando dos limites... meu sentimento beira o desespero... sem dinheiro... sem esperança. Como encarar aulas ate março????

    ResponderExcluir
  72. sub-comandante Euler, que se pague o piso para professores e especialistas, depois o restante entra na justiça. Não adianta, o governo não irá pagar a todos, impossível. Força na luta.

    ResponderExcluir
  73. Euler,

    Piso só para os professores e especialistas! Pela lei do piso, realmente é. Você já dizia isto antes da greve, lembra?

    ResponderExcluir
  74. Guerreiro de vespá, valentes guardiões do sonho...

    "Uma vez que até esta reunião a Comissão não avançou à apresentação da tabela final do Piso Salarial, não se justifica o prazo final de 31/10 para retornar ao subsídio.(...) Por isso solicitamos ao Governo a prorrogação deste prazo."
    ???

    Como assim??? Pedir ao governo para prorrogar o prazo de retorno ao subsídio? Será que li isso no blog da coordenadora do Sindicato? Socorro!!!

    Esse assunto "não cabe no poema"! Já não era letra morta pra todos os valentes grevistas e agora blogueiros??? Pelo amor de Deus! É um pesadelo atrás do outro.

    NÃO QUEREMOS LER MAIS ESSA PALAVRA MALDITA... NÃO AGUENTAMOS MAIS TANTAS TORTURAS... NOSSA LUTA É PELO PISO CONTEMPLANDO A CARREIRA DE TODOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO.

    Sindicato, não fizemos greve por SUBSÍDIO...Então, não abra possibilidades pra esses abutres as usarem contra nós como se fosse uma dádiva.

    ResponderExcluir
  75. Oi Euler,
    parece que o desgoverno está enrolando mesmo.
    Deve estar esperando que migremos do VB para o suicídio. Dia 31/10 é o prazo que nos deram para optarmos e até agora , nada!
    Veja no link:


    http://www.rogeriocorreia.com.br/noticia/negociacoes-sobre-piso-nacional-da-educacao-nao-avancam/

    ResponderExcluir
  76. Quem não for professor ou especialista pode voltar para o subsídio, pois, o piso somente será aplicado aos primeiros, não tenham dúvidas.

    ResponderExcluir
  77. Olá Euler, como vai?
    Boa noite aos colegas!
    Não se desesperem...
    Com luta, com garra,
    o piso sai na marra!
    Abs

    ResponderExcluir
  78. Euler, coloque isto como fato consumado: o Governo pagará o piso para professores e especialistas, de acordo com a lei. Ele vai seguir a lei. Agora tem que orientar o pessoal, se não perderão o prazo para o subsídio e ficaram ferrados duplamente.

    ResponderExcluir
  79. É greve! É greve!
    É greve! É greve! É greve!

    E o governo lança suas redes! Quem for "peixe"... Cuidado, pessoal! O subsídio é uma maçã envenenada!!!
    Temos que estar firmes e unidos!

    Letícia.

    ResponderExcluir
  80. Boa noite a todos os amigos.

    Amigo Joaquim - Sete Lagoas, compartilho de sua reflexão e, com a devida vênia, torno minha as suas palavras.

    Abraços a todos.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  81. Oi, colega (?), vou responder por Graça: quem comete erros de português é igualzinho a quem tem mau hálito e "cc". Ou seja, só fica sabendo se alguém alertar!
    As críticas aqui são construtivas. Eu, por exemplo, ainda erro muito, mas estou me tornando cada vez mais cuidadosa!
    Não fique tão "enfezado"! Isso pode lhe fazer muito mal. Relaxe.
    Um abraço a todos. Tenhamos mais um tanto de paciência. Não há mal que dure para sempre!
    Até.

    ResponderExcluir
  82. Por que não se calcula o impacto da corrupção também! O do salário dos juízes e desembargadores... assessores...

    Interessante! Nós é que causamos impacto! Só se for de tanta penúria!

    DEPOIS DE TANTO NADAR, VAMOS MORRER NA PRAIA? NUNCA!!!

    SEM PISO, NÃO PISAMOS NA ESCOLA! É GREEEEVE!

    ResponderExcluir
  83. Todos os profissionais da educação fizeram parte deste movimento revindicatório.Houve confronto até nas subsedes políticos partidários.Me preocupa a Beatriz pedir prorrogação para retorno ao subsídio,já que este abominamos.Nossa luta é pelo piso, lei federal.Que Deus nos ajude,isto não está acontecendo!

    ResponderExcluir
  84. O Estado está completamente quebrado! Cadê o tutu? A tucanada bicou tudo! Acorda Minas! Não podemos deixar isso passar em branco. Lembram do slogan? "1,2,3,4,5, mil
    Nós é que fazemos a história do Brasil!

    ResponderExcluir
  85. Monalisa - Contagem24 de outubro de 2011 23:13

    No mínimo o governo deve ter dito a pequena Beatriz, deixa eu roubar mais algumas almas com o subsídio depois lhes damos o piso. Nessa de falar que é só para professor e especialista o governo ganha tempo e os demais cargos temerosos preferirão um subsídio na mão que um piso voando.
    Será?
    Amigo Euler poderias comentar?

    ResponderExcluir
  86. Pontos Importantes a serem Analisados.


    * A Secretaria de Estado da Educação apresentou um Paracer da Advocacia Geral do Estado argumentando que a Lei Federal 11.738/08 é posterior à Lei Estadual 15.293/04 e, por isso, continua sustentando que o Piso Salarial é para professor e especialista.

    * Alguns deputados se manifestaram a favor da postura da Secretaria de Estado da Educação.

    * Sabemos que pareceres são formulados de acordo com a conveniência de quem os solicita.

    Prazo de opção

    Uma vez que até esta reunião a Comissão não avançou à apresentação da tabela final do Piso Salarial, não se justifica o prazo final de 31/10 para retornar ao subsídio. Nenhum prazo deve finalizar sem que a categoria tenha a correta tabela do Piso Salarial. Por isso solicitamos ao Governo a prorrogação deste prazo. O Governo dará retorno ainda esta semana.


    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  87. É gente, tem jeito mesmo não. Vamos dar um tiro na cabeça que é mais negócio. Prazo maior para o subsídio? Cadê o piso? Ah gente, chorei tanto hoje. Tanto, de soluçar. Quanta amargura, Senhor. Vontade de sumir.

    ResponderExcluir
  88. Biobira - Biologia24 de outubro de 2011 23:32

    Me tire uma dúvida? Não foi professor e especialistas que fizeram a greve não?
    As outras categorias são:
    - Analista Educacional e Analista Educacional/Inspetor Escolar - essa turma ficou na secretaria, sem fazer greve e ainda infernizando a maioria do professorado, através dos diretores.
    - Assistente Técnico Educacional - Essa turma também não vi de greve, os vi foi na escola se revezando em turnos e obedecendo cegamente as ordens da direção.
    - Direção - esses sim são cargos de confiança e os poucos que tentaram não apoiar o governo (mais raros que adamantium se deram mal.
    - Auxiliar de Serviços gerais - Poucos fizeram greve, não optaram por vencimento antigo (pelo menos todos que conheço) e nem sabiam que a greve tinha haver com eles.

    ENFIM, O GOVERNO FALA QUE VAI PAGAR O PISO PARA AS CATEGORIAS QUE LUTARAM PELO PISO E O SINDICATO AINDA RECLAMA, ESTAMOS LUTANDO POR GRUPOS QUE NÃO MANIFESTARAM O DESEJO, NÃO APOIARAM A GREVE E SERVEM DE MOTIVO PARA NOS ENROLAR.
    O que o governo quer de fato é angariar mais pessoas para o subsídio, que pelo visto não vai deixar de existir tão cedo e vai ser a remuneração do futuro, daqueles que ingressarãoo no estado(pauta para futuras greve).
    A principio devemos nos contentar com a vitoria da conquista daqueles que merecem e lutaram para tal.
    Euler preciso que comente.

    ResponderExcluir
  89. Biobira - Biologia24 de outubro de 2011 23:35

    Aceitemos o Piso para os que lutaram por ele, e devemos agora lutar pelo nosso retroativo embolsado, temos que parar de dançar essa dancinha funebre com o governo e irmos logo ao que interessa.

    ResponderExcluir
  90. Até onde a minha percepção alcança:
    CARA A TAPA!
    CARA A TAPA!
    CARA A TAPA!
    CARA DE TACHO!
    CARA DE TACHO!
    CARA DE TACHO!
    Desde 1992 participei de TODAS as greves.
    Em 2002 houve corte de pagamento, voltamos e apresentamos calendário de reposição, em menos de cinco dias o pagamento foi efetuado.
    O que estamos passando é inédito, não existe registro, desde 1979, de nenhuma situação similar...
    NÃO ME IMPORTO DE DAR A CARA A TAPA, ACOSTUMEI ME ÀS PORRADAS... MAS CARA DE TACHO NÃO GOSTO! ESTOU ENVERGONHADA! NÃO SE CONSEGUE NADA???

    ResponderExcluir
  91. Olá turma do combate, membros do NDG e demais colegas de luta!

    Só agora, às 23h20, pude escrever estas poucas linhas iniciais, antes do post da madrugada. É que assim que cheguei da escola direto para o bunker, além de ler e aprovar cerca de 40 e poucos comentários dos nossos combativos e combativas colegas, ainda tive que agilizar os trâmites burocráticos da campanha de ajuda mútua.

    Vamos agora ao que mais interessa a todos: o piso.

    Tive a impressão, ao ler os comentários aqui do Blog, e depois consultar o texto da coordenadora Beatriz, que o governo, obviamente, quer ganhar tempo. Esta questão de piso só para professor e especialista para mim é cortina de fumaça. Estas duas categorias juntas representam, com o piso aplicado, algo próximo de 85 a 90% (ou mais) do investimento do estado para pagar o piso. Por que criar essa objeção em torno deste ponto?

    O governo quer ganhar tempo. Não quer se comprometer antes de conhecer os resultados do julgamento dos embargos pelo STF. Ele só faria isso se o sindicato aceitasse o pagamento do piso escalonado. Como ele sabe que o sindicato não vai aceitar, então ele tenta desviar o foco principal.

    Muito provavelmente, entre os 153 mil educadores que optaram pelo sistema do VB, cerca de 95% devem ser professores. Não temos esse dado, mas temos a intuição acerca disso. E se se confirmar tal intuição, o alvo do governo de maneira alguma são as outras carreiras da Educação em Minas, mas o piso em si, ou melhor, o parcelamento do piso para os professores.

    Entendi a atitude do sindicato de pedir o adiamento da adesão ao subsídio como forma de acalmar aqueles que desejam retornar àquele sistema apressadamente.

    Contudo, penso que o sindicato deveria cobrar também, como sugerimos no nosso post ontem, a abertura para saída do subsídio, também. E que as duas possibilidades estivessem abertas até que a tabela do piso fosse apresentada e aprovada pela categoria.

    Mais tarde eu volto com o nosso post. Mantenhamos a tranquilidade, porque, se não houve avanço, também não houve retrocesso. No máximo, um jogo para ganhar tempo. O nosso piso está previsto para janeiro de 2012. O importante é que ele seja aplicado nesta data e que ocorra de acordo com a lei: piso para todos os que optaram pelo sistema de VB (pelo menos no primeiro momento), aplicado nas carreiras dos educadores de Minas.

    Um forte abraço e até mais tarde!

    ResponderExcluir
  92. DEPOIS DE PASSAR VERGONHA A GENTE FICA COM CARA DE TACHO!!!!

    ResponderExcluir
  93. E nada foi falado sobre o confisco salarial dos que optaram por V B.
    E nada foi informado aos professores que, POR DIREITO, já que salários foram cortados, não querem repor e abrem mão de receber o que foi descontado.
    E a enrolação continua...
    É osso!

    ResponderExcluir
  94. GRANDE EULER. BOA NOITE!
    VC LEU MEU E-MAIL?
    TÔ AGUARDANDO SUA RESPOSTA,
    BJ

    ResponderExcluir
  95. DISCORDO COMPLETAMENTE DE VC BIOBIRA. COMO ASSIM SÓ OS PROFESSORES FIZERAM GREVEEEE? ACASO, EU ATB E SINDICALIZADA SEMPRE ESTOU PRESENTE EM TODAS AS GREVES... ALIÁS VC FOI EM ALGUMA ASSEMBLÉIA? SE FOI DEVE TER VISTO ATB'S E ASB'S LÁ, NÃO VIU? NÃO É ASSIM QUE SE FALA NÃO! FUI UMA DAS PROMEIRAS A OPTAR PELO VB, NÃO SO EU COMO VÁRIOS ATB'S E ASB'S QUE CONHEÇO! VC É UM EGOÍSTA ISSO SIM E TA QUERENDO DIVIDIR A CATEGORIA! ESTOU PERPLEXA COM SEU COMENTÁRIO!

    CONCEIÇÃO.

    ResponderExcluir
  96. Companheiros,vou ficar afastada por uns dias.Tô passando por um problema de doença em uma pessoa que amo muito. Peço a todos voces que em suas orações lembrem de um nome CIDA - ela é uma das pessoas mais importantes da minha vida. Continuo acreditando fielmente na nossa luta,mas me perdoem,no momento tô sem forças prá pensar em outra coisa a não ser na minha irmã. Beijos a todos e por favor, amanhã às 16:00 orem por ela pois vai passar por uma cirurgia de risco.
    Até mais companheiros.......

    ResponderExcluir
  97. PARA O ANÔNIMO DAS 23:28:
    FOI SÓ OS PROFESSORES QUE TIVERAM SEUS SALÁRIOS CORTADOS? O MEU, SOU ATB, NÃO FOI CORTADO? ME EXPLIQUE ISSO AMIGO!

    DENISE.

    ResponderExcluir
  98. Tina,
    desde já estou orando por sua irmã. Sei, por experiência, o que é ter alguém que amamos doente.
    Boas energias para vc e sua família. Que tudo corra bem e DEUS ilumine os médicos que vão cuidar dela.
    Um abraço e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  99. Olá, companheira TINA!

    Estamos você e com a sua irmã CIDA, em pensamento, em oração, e vamos torcer para que tudo corra bem na cirurgia, que segundo você acontecerá amanhã (ou seria hoje?) às 16h. Que todos os visitantes deste blog unam-se nesta corrente de fé e solidariedade a CIDA, irmã da nossa brava colega Tina.

    Um forte abraço e muita força!

    Euler

    ResponderExcluir
  100. Mesmo com todas as adversidades, não podemos perder a força, a determinação e o equilíbrio.
    Ainda temos muito pela frente para provar para nós mesmos que não foi em vão esses 112 dias de luta, ainda há muita força em todos nós para prosseguirmos, fácil não será, mas agora não é hora de querer sumir e muito menos desistir. Quanto mais empecilhos impostos, mais determinação deve ser demonstrada de nossa parte.
    Continuemos firmes e sem perder o fôlego!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  101. GRAÇA:

    Tina,

    Orando por Cida!Deus é Pai ! Tudo correrá bem!
    Amém!

    ResponderExcluir
  102. Acho que para evitarmos qualquer erro de português em nossos comentários, deveríamo pedir um revisão aos imortais da Academia Brasileira de Letras. (principalmente aos que já foram)

    ResponderExcluir
  103. FICO TRISTE COM OS COMENTÁRIOS DOS COLEGAS PROFESSORES AQUI! ESTÃO QUERENDO MESMO É DIVIDIR A CATEGORIA! SOU ATB, FIQUEI, COMO MUITOS EM GREVE 112 DIAS E SEM SALÁRIO COMO VOCES. SOU FILIADA A 23 ANOS NO SIND-UTE E PARTICIPO DE TODAS AS GREVES E PARALISAÇÕES! NÃO DEIXEM-ME TOMAR ÓDIO DE VOCES PROFESSORES QUE POSTAM AQUI QUE SÃO VOCES QUE CARREGARAM A GREVE. MUITOS, ATB'S E ASB'S NÃO ENTRARAM EM GREVE MAS VOCES NÃO PODEM GENERALIZAR. SE FOR ASSIM QUANTOS PROFESSORES FURARAM A GREVE? MUITOS TBÉM! EULER, POR FAVOR, NÃO DEIXEM QUE OS PROFESSORES DETONEM NOSSA CATEGORIA COMO ESTÃO FAZENDO! ESTOU INDIGNADA LENDO TANTOS COMENTÁRIOS NEGATIVOS E ABSURDOS SOBRE NÓS ATB'S E ASB'S, POR PARTE DOS PROFESSORES, QUE QUEREM O PISO SÓ PARA ELES. NÃO ESPERAVA ISSO DE NOSSOS COLEGAS JAMAIS! LAMENTO MUITO POR TER "PROFESSOR" ASSIM. ESTÃO PENSANDO NO PRÓPRIO UMBIGO... E AOS QUE COMENTAM A NOSSO FAVOR, TENHAM TODO NOSSO RESPEITO E AGRADECIMENTO! A GREVE SÓ ACABOU PQ O GOVERNO PROMETEU O PISO PARA TODAS AS CATEGORIAS DA EDUCAÇÃO! E AGORA TA VOLTANDO ATRÁS! ABRAÇO EULER! FICA COM DEUS!

    MARIA DE LOURDES

    ResponderExcluir
  104. Olá, colegas de luta!

    Tem razão a nossa combativa colega Educadora Mineira quando nos lembra que temos muita luta pela frente. E que devemos fazer jus à força do legado da nossa heroica greve de 112 dias. Não há nenhum motivo para desespero ou desistência da luta. Venceremos, mas temos que persistir, até o último momento.

    Quero também fazer coro às palavras da colega Maria de Lourdes.

    Não podemos aceitar o discurso divisionista do governo. O piso é para todas as carreiras da Educação, e disso não abriremos mão. Em todas as carreiras tivemos pessoas que atuaram heroicamente durante a greve e pessoas que agiram com mediocridade. Por isso, não podemos cair no discurso do governo, que quer, mais uma vez, nos dividir. Nossa categoria é uma só. As pessoas das diversas carreiras têm até o direito de optarem pelo subsídio - sistema pró-governo -, mas, no campo dos que optaram pelo sistema do VB, não pode haver divisão. E que se abra a possibilidade para que os designados e novos concursados também tenham o direito de escolher o melhor sistema - além, é claro, daqueles que, por uma outra razão, permaneceram no subsídio.

    ResponderExcluir
  105. CONSERTANDO O QUE ESCREVI ACIMA:
    ... A GREVE SÓ ACABOU PQ O GOVERNO PROMETEU O PISO, CONFORME A LEI, PARA TODAS AS CATEGORIAS DA EDUCAÇÃO! E AGORA TA VOLTANDO ATRÁS! ABRAÇO EULER! FICA COM DEUS!

    MARIA DE LOURDES

    ResponderExcluir
  106. NDG de Plantão

    De acordo com o que li no post do Blog da Beatriz Cerqueira e dos comentários aqui registrados, o fato que temos claro é que o governador de Minas Gerais quer ganhar tempo e sair como o BOM SAMARITANO em toda essa batalha. A conquista do Piso está sendo na marra mesmo é essa a principal realidade, nenhum de nós da educação entramos nessa greve para sair com propostas debaixo do braço. Eu exijo respeito e peço que todas as decisões acordadas e assinadas na Comissão Tripartite NÃO prejudique e NEM cause mais prejuízos a NÓS DA EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS que nos últimos anos sofremos a TOTAL desvalorização tanto SALARIAL como também PROFISSIONAL.

    abraços
    Gleiferson Crow
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  107. Concordo com Biobira, só deu professor na greve que durou 112 dias!Eu lutei, até o fim ..
    Vários ATB, SETOR PEDAGÓGICO, SERIÇAIS NÃO aderiram a greve!153 mil professores optaram pelo VB...os outros cruzaram os braços e abraçaram o subsidio!Prefiro ganhar menos , ficar zerada, mas ter ORGULHO E DIGNIDADE!E sei que meu piso terei!
    A hora é de pressão! um grande abraço a todos! rumo a VITÓRIA!E VOCÊ MESTRE EULER COMO SEMPRE GUERREIRO!UM MARCO CRAVADO NA HÍSTÓRIA DE MINAS GERAIS E DO BRASIL!
    BJOS COMPANHEIRO! A LUTA SÓ COMEÇOU!!TINA A CORRENTE DE FÉ E ORAÇÕES JÁ COMEÇOU TUDO DARÁ CERTO!
    Abraços , coragem e luta a todos companheiros de luta!
    Marlene professora belo horizonte minas gerais

    ResponderExcluir
  108. ERRATA do comentário anterior ( 01:36h)

    NDG de Plantão: “4a. Reunião da Comissão Tripartite”

    De acordo com o que li no post do Blog da Beatriz Cerqueira e dos comentários do Blog do Euler, o fato que temos claro é: o governador de Minas Gerais quer ganhar tempo e sair como bom governo em toda essa batalha pelo cumprimento da Lei Federal 11738/08. A conquista do Piso está sendo na marra mesmo é essa a principal realidade, nenhuns de nós da educação entram nessa greve para sair com propostas debaixo do braço. Eu exijo respeito e peço que todas as decisões acordadas e assinadas na Comissão Tripartite NÃO prejudiquem e NEM cause mais prejuízos a NÓS DA EDUCAÇÃO DE MINAS GERAL, que nos últimos anos tem sofrido a TOTAL desvalorização, tanto SALARIAL como também PROFISSIONAL.

    abraços
    Gleiferson Crow
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  109. Professor Euler,
    Creio que falte uma propaganda forte do Sindicato alertando os servidores a não migrarem para o subsídio, pois acho que não há mais 153.000 no VB,embora ele seja a melhor opção, porém muitos servidores em atitudes imediatistas saem desesperadamente do VB.Noto também que os servidores estão angustiados porque o governo não puniu somente quem estava de greve, mas a todos.Devemos fazer uma forte propaganda, em sala de aula mesmo,no Ensino Médio, contra o Governador e Cia.
    Professor Herbet
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  110. A QUESTÃO DO IPSEMG

    Isto que está ocorrendo no IPSEMG é muito grave, É GRAVÍSSIMO.

    ISTO É APROPRIAÇÃO INDÉBITA, pois está sendo descontado de servidor e não está sendo repassado ao instituto e este está negando atendimento aos CONTRIBUINTES.

    ISTO CABE O TERMO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, podendo ter um processo de cassação do mandato do governador.

    O Sind UTE deverá DENUNCIAR IMEDIATAMENTE nos órgãos competentes este desmando do Governo Estadual.
    INDEPENDENTEMENTE de estar negociando com o governo o Sind UTE, precisa aprender a agir PERSISTENTEMENTE, CONSISTENTEMENTE E CONSTANTEMENTE.

    Os deputados deverão denunciar na Assembleia nas comissões de JUSTIÇA, de ADMINISTRAÇÃO e dos DIREITOS HUMANOS.

    E SE FOR PRECISO E NECESSÁRIO AO STF.

    Quanto aos servidores professores que tiveram o contra cheque zerados e estão sem assistência do IPSEMG, por causa da greve, que não foi julgada, novamente e prioritariamente o Sind UTE, deverá denunciar esta INJUSTIÇA em vários órgãos, como por exemplo na Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, na justiça trabalhista,
    na OIT, etc...

    O que não pode acontecer é o Sind UTE, achar que por estar negociando com o governo, pode ficar parado esperando as coisas acontecerem.

    O QUE NÃO ESTÁ SENDO NEGOCIADO, TEM QUE SER DENUNCIADO IMEDIATAMENTE.

    QUANDO HOUVER DÚVIDAS, É MUITO IMPORTANTE FAZER CONSULTAS AOS TRIBUNAIS.
    Agindo assim o sindicato estará sempre atualizado e sempre estará colocando pressão nas decisões do Governo que atingem a nossa categoria.
    ISTO É UMA MANEIRA DE MOSTRAR COMPETÊNCIA.

    Mesmo depois de negociado o PISO dentro da careira, o sindicato deverá sempre estar atento e denunciar imediatamente e consistentemente a todos os desmandos do governo e a todas as INJUSTIÇAS que vierem a acontecer contra os profissionais de Educação.

    Peço também a opinião de nosso colega, João Paulo Ferreira de Assis sobre este assunto.

    ResponderExcluir
  111. Anônimo das 13:55,
    obrigada pela colocação do pronome me.Na escrita correta das palavras tomo muito cuidado,portanto vou estudar mais a colocação dos pronomes.Aprendi mais esta hoje, Valeu!

    ResponderExcluir
  112. E a tal comissão? Existe ou é apenas fruto de nossa imaginação, quem sabe estamos todos em um sonho longo e coletivo causado por alguma substância alucinógena nos giz?

    Alguma movimentação do STF? Podemos entrar com uma ação coletiva para o recebimento do piso na carreira em minas, se perder vai para o supremo?

    ResponderExcluir
  113. Concordo com biobira 24/10 às 23:32

    na escola onde trabalho a greve foi só de professor, a secretária, pseudo -advogada (pois ainda não conseguiu formar em 6 anos) além de não entrar na greve criticou os professores que entraram. Como ela vários fizeram o mesmo.

    ResponderExcluir
  114. A classe já é dividida, o governo só quer oficializar isto. Quem segura todo o movimento de greve são os Professores, apenas eles. As supervisoras vão pegar carona, são elas que tentam atrapalhar o movimento grevista nas escolas. Tenho 12 anos de profissão no Estado, sou professor, e só agora é que vejo o Governo nos favorecendo. Itamar Franco na nossa greve de 2002, dobrou os salarios do pessoal da Secretaria, Serviços Gerais e policiais e nos ficamos com apenas a PRC. Agora somos Nós Professores e se o Bolo é pequeno vamos dividir apenas com nossos verdadeiros Irmãos. (Montes Claros - MG)

    ResponderExcluir
  115. Queridos colegas de luta
    É com muito pezar que escrevo.Não estou acreditando no que estou lendo ,quanto egoismo,sou ATB e na minha escola todos os Atbs entraram em greve.Foram contratados 3 auxiliares para a escola não parar.Não podemos generalizar,temos que nos respeitar.Tô arasada.

    ResponderExcluir
  116. Onde se encontra o desgovernador?Três semanas viajando e ninguém sabe dos nossos direitos.Precisamos repensar nossos próximos passos.

    ResponderExcluir
  117. Não entendo essas discussões sobre um piso q nem sabemos se ou quando vamos receber... Pra que tanta desunião, minha gente!!! Juntos somos mais fortes!!! Enquanto houver divisão da classe, melhor para o governo, já que é com isso q ele conta. Será q vcs não percebem o estratagema dele? Esse governo irá passar como tantos outros já passaram... E nós? É esse o legado q vamos deixar para a educação? Exemplos de egoísmo e desunião? Espero sinceramente que não, pois estamos TODOS no mesmo barco...
    Perdoai-os, Senhor, eles não sabem o q dizem!!!

    ResponderExcluir
  118. Não podemos nos esquecer daquela história da ratoeira...
    Quando uma parte do corpo sofre, todos padecem.
    Parabéns Euler pela coerência em lutar pelo PISO para as 8 carreiras da educacào.
    De divisão, já basta as que o governo vive tentando fazer com a gente.
    Quem optou pelo vencimento básico, os designados e os futuros concursados também tem direitos.
    Que o governo publique as tabelas e nos possamos estar bem cientes que o que é bom para o governo, aquilo que ele faz tanta propaganda e não deixa ninguém que esta do lado de lá voltar, só pode ser muito bom para ele e se é bom para ele, com certeza não é bom para nós.
    Firmes na luta até o piso para todas as carreiras da educacão.
    Ashley

    ResponderExcluir
  119. Queridos,
    Como alguém pode afirmar que APENAS Professores retornaram ao VB e entraram em greve, com tanta propriedade? Às vezes, eu tenho que ler e reler alguns comentários, pois não acredito nos meus próprios olhos!
    Eu, hein?
    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  120. Se o PISO SALARIAL é para grevista, que se gaste tempo fazendo um levamento nominal. Ô belezura, gente!
    Eu entendo que, por enquanto, o PISO deverá ser pago a TODOS que retornaram ao VB. Simples assim. Para que complicar, gente? Quem optou pelo subsídio está rindo de orelha a orelha e torcendo, mas torcendo mesmo para que esse circo pegue fogo logo!
    E aí, jurídico do Sind, mãos à obra, que o tempo urge e 2012 já bate à porta.
    Beijo a todos.

    ResponderExcluir
  121. A comissão está vindo de Brasília numa carroça só chegará depois da copa e olhe lá.

    ResponderExcluir
  122. Segundo algumas colegas minhas e até parentes que estão no SUICÍDIO, digo, subsídio estão apenas e tão somente aguardando o STF acabar a lenga lenga do processo lá em Brasília para entrarem na justiça onde vão falar que não optaram por nada, não pediram e nem tao pouco assinaram que foi tudo automaticamente e exigiram o piso... Elas falaram que não renunciaram e muito menos pretedem renunciar ao piso salarial ... Eh, eh Minas Gerais, vou querer ver só o que vai acontecer. Um dia toda novela acaba. Deus é pai.

    ResponderExcluir
  123. NINGUÉM JAMAIS EM TEMPO ALGUM OPTOU PELO SUBSÍDIO. E NEM PODEMOS DEIXAR O GOVERNO DIVIDIR A CATEGORIA. EU VOLTEI AO VENCIMENTO BÁSICO, MAS JAMAIS FALAREI QUE ALGUÉM NO ESTADO DE MINAS GERAIS OPTOU POR SUBSIDIO. FOI COMPULSÓRIO. E A GENTE QUE VOLTOU SOFREU MUITAS PERDAS PARA DESENCORAJAR OS OUTROS FUNCIONÁRIOS. VAMOS SER HONESTOS, PESSOAL.

    ResponderExcluir
  124. * A Secretaria de Estado da Educação apresentou um Paracer da Advocacia Geral do Estado argumentando que a Lei Federal 11.738/08 é posterior à Lei Estadual 15.293/04 e, por isso, continua sustentando que o Piso Salarial é para professor e especialista.Anônimo disse...

    Anônimo disse...

    Quem não for professor ou especialista pode voltar para o subsídio, pois, o piso somente será aplicado aos primeiros, não tenham dúvidas.
    24 de outubro de 2011 22:38

    Gente, eu me recuso a acreditar que isso é fala de alguém que acompanha as notícias das votações no STF e que saiba o que é uma CONSTITUIÇÃO FEDERAL e que a Lei do Piso está lá desde 1988,são 23 anos de espera pelo piso, e que principalmente essa pessoa leu a Lei 11738/2008. Nunca vi tanta ignorância junta. O que nos dá segurança e garantia de que VAMOS receber o piso, todos no BRASIL é a LEI. Calma, nós já ganhamos é só questão de tempo. E todos, até mesmo quem está no subsídio porque não tem como provar que eles optaram por ele. O pessoal não é bobinho não gente. Eles sabem muito bem o direito que eles tem. Troco idéia com vários todos os dias.

    ResponderExcluir