terça-feira, 25 de outubro de 2011

Governo enrola, tenta dividir a categoria, e ganha tempo na questão do piso.Mais uma morte no Pará: país de latifundiários e capitães do mato

Governo enrola, tenta dividir a categoria, e ganha tempo na questão do piso; sindicato não pode cair nesse jogo. Mais uma morte no Pará: país de latifundiários e capitães do mato!

Acabamos de ler os informes da coordenadora geral dos sind-UTE, Beatriz Cerqueira, sobre a reunião realizada hoje pela comissão tripartite para discutir a implantação do piso salarial dos educadores de Minas Gerais. Mais uma vez, o governo ganhou tempo, como já era esperado. De acordo com a coordenadora do sindicato, o governo alega que um parecer da advocacia geral do estado sustenta que o piso é somente para professores e especialistas. Trata-se de uma manobra divisionista. Vamos tentar analisar a jogada do governo. E nos preparar para enfrentá-lo.

Que o governo de Minas não deseja pagar o piso, isso não constitui novidade. Que ele tenha escolhido a categoria dos educadores como a principal vítima da sua política de confisco salarial implantada pelo faraó e seu afilhado, isso também não é novidade. A grande novidade é a imposição constitucional para que o governo pague o piso - e é contra isso que o governo tenta, desesperadamente, desvencilhar-se.

Ao eleger como foco da discussão as categorias que serão beneficiadas pelo piso e as que serão excluídas, o governo tenta mais uma vez nos dividir. Primeiro, com dois sistemas de remuneração - o de vencimento básico e o subsídio. Agora, tenta isolar os professores e especialistas que optaram pelo vencimento básico. Além disso, o governo já havia excluído os designados do antigo sistema, e no edital do concurso só existe um sistema remuneratório: o do subsídio.

A estratégia do governo continua a mesma: não pagar o piso, ou só pagá-lo quando conseguir uma grande maioria no subsídio, pois neste sistema o piso não se aplica com suas principais características. O subsídio é na verdade a política de confisco salarial que dá continuidade ao choque de gestão iniciado pela dupla faraó e afilhado há quase nove. São dois bilhões de reais de confisco anualmente arrancados dos bolsos dos educadores - quantia essa que é transferida para outros setores, que o governo trata com maior prioridade.

A questão do piso é também uma questão de disputa de orçamento. Quais são as prioridades do governo? As obras que beneficiam as empreiteiras - que depois financiam as candidaturas aos cargos eletivos do grupo do faraó; a grande mídia, que sai relativamente barata pelo estrago que provoca na sociedade em favor do governo; o beneficiamento de grandes empresas com políticas de isenção fiscal; além dos empregos para cabos eleitorais, os altos salários dos equipamentos do estado entre os três poderes constituídos, que em Minas funcionam como poder único, a serviço do governador e do seu grupo político. A Educação pública não é e nunca foi prioridade do grupo que detém o poder em Minas - razão pela qual, qualquer investimento nessa área é sempre visto como um gasto supérfluo, que devesse ser cortado.

Mas, para além da (má) vontade do governador e de sua equipe, existe uma lei federal, baseada na Carta Magna, e que determina aos governos o pagamento do piso salarial nacional dos educadores, como forma de valorização dos profissionais da Educação, e como condição para que haja uma Educação pública de qualidade. Os dias finais para o pronunciamento definitivo do STF estão próximos. O governo não terá como escapar de pagar o piso. Sua única saída é continuar dividindo, apostando no fortalecimento do subsídio.

O nosso sindicato comete um erro neste confronto com o governo, quando deixa de cobrar do governo a devolução daquilo que o governo confiscou dos 153 mil educadores quando impôs uma redução salarial - ilegal, de acordo com a Carta Magna - como punição para quem deixou o subsídio. Na prática, o governo, além de reduzir salários, cancelou, para 153 mil educadores, o reajuste salarial que foi aplicado em janeiro deste ano. Uma suspensão de reajuste no meio do ano, coisa que nunca se viu em qualquer parte. Só em Minas, onde não existem poderes com autonomia em relação ao governo estadual. O sindicato deveria desde o começo ter entrado com uma ação junto ao MPE, MPF, junto ao TJMG e ao STF, pedindo o cancelamento desta ilegalidade que representou um violento confisco dos nossos salários. Teremos agora que lutar na justiça para receber este dinheiro de forma retroativa, quando já poderíamos estar de posse do que é nosso por direito.

Mencionei este confisco porque ele foi usado pelo governo para impedir uma maior fuga do subsídio - e novamente continua sendo usado para tentar atrair as pessoas menos resistentes. Não se trata de perder ou ganhar uma diferença salarial imediata, apenas, mas de abrir mão de toda uma política de valorização dos educadores, que a lei do piso incorpora.

Só para se ter uma ideia - e não deixar que discussões periféricas nos afastem do foco principal - no subsídio, o governo poderia congelar o valor atual das tabelas, e mesmo que durante os próximos três anos houvesse um reajuste em torno de 16% ao ano na lei do piso, ainda assim, o subsídio atingiria o valor proporcional do MEC. Ou seja, o subsídio é a fórmula criada pelo governo para escapar da lei do piso, e das políticas nacionais que esta lei criou - de reajuste, de financiamento próprio, etc.

Por isso, não podemos cair na jogada do governo, que tenta nos dividir, mais uma vez. Exigimos o piso salarial para todas as carreiras da Educação em Minas. O governo pode até limitar o pagamento do piso aos que vieram para o sistema de Vencimento Básico - e certamente o fará. Mas, não pode deixar de pagar o piso para os 153 mil educadores das oito carreiras da Educação.

Do ponto de vista do investimento, os professores e especialistas talvez representem de 90 a 95% do total necessário para se pagar o piso inicialmente aos 153 mil educadores que optaram pelo VB. Por que então o governo não quer pagar para as outras carreiras? Porque deseja nos dividir, colocar trabalhador contra trabalhador.

Mas, a nossa resposta a este novo ataque do governo tem que ser o oposto: temos que nos unir ainda mais. Devemos exigir que o governo pague o piso para todas as carreiras, pois é isso o que está na lei federal aplicada ao nosso plano de carreira. E ainda veio este parecer ridículo da Advocacia Geral do estado sustentando que a lei que criou o nosso plano de carreira é anterior à lei do piso. Ora, que besteira é essa! Existe uma hierarquia na legislação, estando a lei federal, como as estaduais, subordinadas à Carta Magna. Se uma lei federal é criada alguns anos depois e determina que os planos de carreira sejam adaptados (ou criados) a esta lei, não há que se discutir a temporalidade entre elas. A lei federal - lei do piso - com base na Carta Magna, que é anterior ao nosso Plano de Carreira - determina que os estados e municípios façam as adaptações nos respectivos planos de carreira para o cumprimento da lei. E quais são estas adaptações? Aquelas apontadas pela própria lei do piso, ou seja: que se institua nos planos de carreira o terço de tempo extraclasse, o vencimento básico com base no valor nacional do piso, a política de reajuste salarial com base na política nacional do piso, etc.

Ora, se for obedecer à lógica sem lógica da AGE, nada do que foi aprovado pela Lei do Piso teria que ser aplicado em Minas, pois a lei estadual tem outras definições para tudo. Então, aquilo que interessa ao governo, ele aplica, e aquilo que não interessa ele diz que a lei estadual é anterior à lei do piso? Que conversa fiada é essa?

Logo, devemos nos preparar para cobrar do governo os nossos direitos:

a) ao piso salarial nacional implantado em todas as carreiras no mínimo a partir de janeiro de 2012, com o reajuste previsto e respeitando-se todas as gratificações e promoções e progressões a que temos direito;

b) à devolução, aos 153 mil educadores que optaram pelo sistema de VB, daquilo que o governo nos confiscou (em torno de R$ 320 milhões) a partir de julho de 2011, com a redução ilegal de remuneração e a suspensão absurda do reajuste que recebemos durante seis meses;

c) ao pagamento retroativo do piso, de acordo com o que for aprovado pelo STF no julgamento dos embargos de declaração à famigerada ADI 4167;

d) ao direito dos designados, novos concursados e demais educadores poderem optar pelo sistema de VB.

O governo não joga limpo com o sindicato, e o sindicato precisa cobrar do governo as informações precisas que nos deem elementos para análise. Por exemplo: é preciso saber qual o exato percentual de professores e especialistas no montante de 153 mil educadores que optaram pelo sistema de VB? Qual o peso nos investimentos de cada uma das carreiras dentro ainda do montante dos 153 mil educadores? Qual o peso da aplicação do piso, respeitando-se o plano de carreira, para os 400 mil educadores? Qual o peso de cada uma das carreiras?

Por enquanto, o governo discute assuntos periféricos, para não tocar no ponto central: o piso é o melhor sistema, enquanto o subsídio representa um gigantesco confisco salarial para os educadores.

É preciso discutir isso nas escolas. Mostrar que nossos direitos estão sendo sonegados. Que existe uma lei federal já aprovada desde 2008, considerada constitucional em abril de 2011, e que o governo de Minas continua tergiversando para não nos pagar este direito.

Não é o momento ainda de chamar uma nova greve. Mas, é o momento de nos mantermos atentos, discutindo com os alunos, os colegas, os pais de alunos, construindo os nossos núcleos duros da greve (NDGs) em tempo de relativa paz, para enfrentar o governo. Somente a nossa força organizada pela base, em união com outros movimentos sociais, terá condições de enfrentar a política de choque e confisco do governo.

O objetivo do governo é isolar os professores e especialistas que optaram pelo sistema VB, desgastá-los ao máximo, jogar uns contra os outros, a ponto de poder roubar-lhes o piso, através de um projeto de lei que retire a essência da lei do piso aplicado ao nosso plano de carreira.

Neste ponto, o sindicato terá que jogar mais duro. Não pode fazer o papel de legitimador deste golpe do governo contra a categoria. Na próxima reunião da comissão tripartite, as definições centrais acerca do piso precisam estar colocadas, para que a categoria se prepare ainda mais para novas mobilizações.

As (más) intenções do governo precisam vir a tona, para que a categoria se mobilize e se prepare para enfrentar novamente o governo e sua trupe, caso o piso seja sonegado.

Vamos discutir mais sobre isso durante a semana.

Um forte abraço e força na luta! Até a nossa vitória!

P.S. E a tal comissão do Congresso Nacional? Quando é que vai aparecer aqui em Minas? Talvez depois da Copa!

P.S.2: Amanhã, dia 26, será dia de mobilização em Brasília pelos 10% do PIB e pela cobrança do piso. O movimento acontece um pouco tardiamente, como denunciamos anteriormente. Mas, oxalá consiga pelo menos cobrar do governo federal uma postura mais ativa em relação ao piso salarial. Nem vou mencionar os 10% do PIB porque isso ainda tem que passar por um longo caminho. Mas, que pelo menos o piso, que já é lei desde 2008, seja colocado como prioridade pelo até agora omisso governo federal, com seu ministro do MEC falastrão.

P.S.3: fiquem a seguir com dois textos: uma homenagem à nossa brava colega Rosângela, feito por outra guerreira, a colega Denise; e com a nota de repúdio, assinada por Dom Frei Wilmar Santin, contra mais um assassinato no Pará, que atinge às lideranças que trabalham em defesa da natureza, ao lado dos sem-terra, dos camponeses pobres, dos trabalhadores, enfim. É o Brasil do latifúndio, dos capitães do mato, da truculência, que continua presente, de uma forma ou de outra, em todas as regiões do país. Minas que o diga!


***

Rosângela e Denise: duas guerreiras da nossa heroica greve de 112 dias

Prezado Euler,

Prazer enorme falar com você por aqui.

Como eu te disse, minha colega Rosângela Gonçalves é de Montes Claros, mas trabalha na E.E. Senador Antônio Martins, de Ponte Nova, onde é professora de Matemática já há alguns anos.

Trabalhamos juntas também na Rede Municipal de Oratórios até o ano passado, por anos, e onde estou de LIP, porque fecharam o quinto turno, e como trabalho no estado, não dava pra conciliar, pois meu cargo é de 40 horas.

Rosângela é tímida, tranquila, e juntas já fizemos mesa redonda no turno da noite, numa prefeitura tucana, mas nós nunca nos intimidamos. Falamos com os alunos sobre Política com P maiúsculo, conscientizamos aqueles sofridos alunos e temos o maior orgulho em te dizer que a maioria de nossos alunos não votaram em Anastasia. Fizemos nosso trabalho bem feito.

Rosângela participou da greve do ano passado os 47 dias e esse ano, desde o início do movimento, lá estava ela, com sua camisa, bandeira e o coração. Foi em todas as Assembleias, foi uma das professoras que ficou acampada na ALMG, e foi uma das que ficaram acorrentadas dentro do plenário da ALMG por quase 30 horas, passando frio, fome, necessidades fisiológicas e medo, claro, quando a polícia de choque chegou e foi falado que eles seriam tirados de lá a força. Como ela própria me disse, teve momentos da luta em que ficava psicologicamente abalada com tudo que esse governo fazia, mas desistir, jamais. Mais firme ela ficava, com mais raiva também, mas sempre esperançosa, que essa luta é nossa, e que ninguém, a não ser a gente, faz a nossa história.

Ela é um exemplo para mim, que quem luta, realmente educa.

Eu fiquei na vanguarda. Compartilhei seus posts, mandei msg, twittei por demais, escrevi comentários, mas nem de longe fiz aquilo que Rosângela fez, ficar na frente da batalha e dar a cara a tapa (epa, a bombas, spray de pimenta, a frio, etc).

Quem luta, Educa.

Ela merece minha amizade , minha admiração e minha homenagem hoje e sempre.

Euler, como você solicitou, vai aqui uma foto minha e de Rosângela. Eu sou esta com a blusa preta e ela a de blusa caqui.

Valeu Euler. Seu blog uniu os educadores desse estado e nos deu alento, principalmente nos piores momentos.
Sua importância nessa greve pode ser medida pelo número de acesso (mais de um milhão gente), e pelo sentimento de amizade que nasceu entre nós educadores e pelo sentimento de pertencimento e classe. Fico orgulhosa de um professor ter conquistado tudo isso.

Denise Carmo

Rosângela, solicito ler o Blog do Euler no post de ontem e no de hoje (23 e 24/10/2011).
Abraços amiga.

Breve comentário do Blog: Rosângela, Denise e tantas e tantos outros bravos e bravas guerreiras da nossa greve são os melhores exemplos para Minas e para o Brasil. Exemplo de luta, de cidadania, de comportamento ético, de verdadeiros educadores.

***

Frei Gilvander:

"Denunciamos o assassinato covarde de mais um defensor da natureza na Amazônia.

Sábado foi assassinado o líder comunitário João Chupel Primo em Miritutuba, município de Itaituba, PA. Conheci o João foi em sua comunidade que realizei as primeiras crismas como bispo de Itaituba.

Eu o tinha encarregado de fundar uma nova comunidade. Justamente no dia da crisma em junho deste ano, ele deixou de ser o coordenador da Comunidade Nossa Senhora de Nazaré de Miritituba para poder se dedicar à fundação da nova comunidade.

Ele vinha fazendo denúncias sobre grilos de terras e extração ilegal de madeira (veja a nota). Por isso foi assassinado brutalmente com um tiro na testa sábado passado.

Quando os defensores da natureza e da legalidade vão deixar de serem mortos? Quando o Governo Federal colocará pra valer a Polícia Federal para agir no Pará?

Fraternalmente

Dom Frei Wilmar Santin, O.Carm.
Bispo da Prelazia de Itaituba, Pará - Brasil"

**** Peço o favor de enviar para todos os seus contatos.

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira

89 comentários:

  1. NÃO ACEITAR O PISO E AINDA ESTENDER O PRAZO PARA QUEM QUER VOLTAR PARA O SUBSÍDIO??????????????????
    PODERIA TER ACEITO E DAR CONTINUIDADE COM A BRIGA, AGORA ESTENDER O PRAZO NÃO É O QUE O GOVERNO QUER.
    EULER CADA VEZ MAIS MINHA PULGA ATRAS DA ORELHA COÇA MAIS, TEM COELHO NESTA MOITA, AH SE TEM E OLHE QUE NEM EXPLICAÇÃO PARA TAIS ATITUDES SÃO DADAS NO BLOG DA BEATRIZ, ENQUANTO PASSAMOS O RESTO DO ANO COM ESTA "REUNIÕES", VAMOS REPOR AULAS, FAZER O ANO LETIVO DE 2011 PARECER NORMAL E O GOVERNO E SEU ASSECLAS DANDO RIZADAS E NÓS COMO SEMPRE, COM UMA MÃO NA FRENTE E OUTRA ATRAS, MUITO TRISTE ESTA SITUAÇÃO, NA PROXIMA GREVE ERREM MEU NOME, NÃO PARTICIPO DE MAIS NADA, SÓ ESTOU VENDO ENRROLAÇÃO DOS DOIS LADOS, NADA MAIS QUE ISSO, ALGUEM NOS DEVE EXPLICAÇÃO E MUITA, E AINDA TEM MUITOS PONTOS PARA TRÁS, COMO REDUÇÃO DE SALARIO E OBRIGAÇÃO DE REPOR AULAS SE NÃO RECEBI POR ISTO E OUTRAS COISAS MAIS, MUITO PANO QUENTE PRA CIMA DAS AÇÕES DO SINDICATO E COMISSÃO, ABÇOS EULER E COMPANHEIROS DE LUTA, VERDADEIRAMENTE DECEPCIONADO COM TUDO.

    ResponderExcluir
  2. “Quem confia na vitória do bem espera com paciência”. Maria Dolores

    ResponderExcluir
  3. Acho que vou começar a jogar na Mega Sena....
    Quem sabe, eu ganho e não preciso mais trabalhar na educação....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Está mais óbvio do que o piso.....

    ResponderExcluir
  4. Bom dia professor euler!
    O que nos deixa triste é saber que o própio governador faz a desunião da classe. Afirma que toma uma decisão precisa, com data e horários marcados, mas não passa de um farsante. Pois até agora eu ainda não vi nenhuma tabela, e também não vi em lugar algum o nosso direito de pedir biênio e quinquênios, apena vi só falação. Vamos governador, respeite a constituição se você que respeito do povo. Você briga para não pagar um valor rosoavelmente justo aos funcinários públicos e esquece dos malditos poderosos que ganham o burro do dinheiro. Isso é terrível.

    ResponderExcluir
  5. A QUESTÃO DO IPSEMG

    Isto que está ocorrendo no IPSEMG é muito grave, É GRAVÍSSIMO.

    ISTO É APROPRIAÇÃO INDÉBITA, pois está sendo descontado de servidor e não está sendo repassado ao instituto e este está negando atendimento aos CONTRIBUINTES.

    ISTO CABE O TERMO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, podendo ter um processo de cassação do mandato do governador.

    O Sind UTE deverá DENUNCIAR IMEDIATAMENTE nos órgãos competentes este desmando do Governo Estadual.
    INDEPENDENTEMENTE de estar negociando com o governo o Sind UTE, precisa aprender a agir PERSISTENTEMENTE, CONSISTENTEMENTE E CONSTANTEMENTE.

    Os deputados deverão denunciar na Assembleia nas comissões de JUSTIÇA, de ADMINISTRAÇÃO e dos DIREITOS HUMANOS.

    E SE FOR PRECISO E NECESSÁRIO AO STF.

    Quanto aos servidores professores que tiveram o contra cheque zerados e estão sem assistência do IPSEMG, por causa da greve, que não foi julgada, novamente e prioritariamente o Sind UTE, deverá denunciar esta INJUSTIÇA em vários órgãos, como por exemplo na Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, na justiça trabalhista,
    na OIT, etc...

    O que não pode acontecer é o Sind UTE, achar que por estar negociando com o governo, pode ficar parado esperando as coisas acontecerem.

    O QUE NÃO ESTÁ SENDO NEGOCIADO, TEM QUE SER DENUNCIADO IMEDIATAMENTE.

    QUANDO HOUVER DÚVIDAS, É MUITO IMPORTANTE FAZER CONSULTAS AOS TRIBUNAIS.
    Agindo assim o sindicato estará sempre atualizado e sempre estará colocando pressão nas decisões do Governo que atingem a nossa categoria.
    ISTO É UMA MANEIRA DE MOSTRAR COMPETÊNCIA.

    Mesmo depois de negociado o PISO dentro da careira, o sindicato deverá sempre estar atento e denunciar imediatamente e consistentemente a todos os desmandos do governo e a todas as INJUSTIÇAS que vierem a acontecer contra os profissionais de Educação.

    Peço também a opinião do Euler e de nosso colega, João Paulo Ferreira de Assis, sobre este assunto.

    ResponderExcluir
  6. Em parte, concordo com o governo.Se a lei é para pagar o piso para professores e especialistas para que , no momento, insistirmos?Ele tem é que cumprir a lei.
    A questão dos outros profissionais é questão para depois, com outra luta.Devemos agarrar o que já consiguimos.
    Acho engraçado que na hora de fazer greve, 90% são professores, as pessoas das secretarias ficam só comentando, criticando. As seventes? São proibidas de fazer greve, pelo menos na minha escola acontece muito.
    Então, acho que o sindicato devia deixar esta briga para depois, com todo mundo entrando numa greve pra valer.
    Um abraço, Euler.

    ResponderExcluir
  7. Para Marlene professora Belo Horizonte-MG e outros!
    CLARO QUE OS PROFESSORES APARECEM MAIS EM GREVES E PARALISAÇÕES PORQUE PARA UMA ESCOLA, POR EXEMPLO, COMO A QUE TRABALHO COMO ATB, SÃO 45 PROFESSORES PARA SOMENTE 3 ATB'S (TEMOS SÓ 2 TURNOS)... TEMOS MAIS 3 PROFESSORES EM AJUSTAMENTO FUNCIONAL QUE TRABALHAM NA SECRETARIA. DAÍ O QUE SE VE MAIS EM ASSEMBLÉIAS SÃO PROFESSORES. SE FIZERMOS OS CÁLCULOS VOCES CHEGARÃO A ESSA CONCLUSÃO QUE OS NÚMEROS DOS PROFESSORES FURA- GREVE FORAM MAIORES OU SENÃO O MESMO QUE OS FURA-GREVES ATB'S E ASB'S. OBRIGADA MAIS UMA VEZ EULER, POR NOS DAR MAIS UMA INJEÇÃO DE ÂNIMO!

    DENISE- ATB

    ResponderExcluir
  8. Euler, para alguns a jogada do desgoverno está dando certo,eles tiram o foco do que realmente importa: o piso para todas as categorias. E passam a atacar os companheiros de luta. Não importa a quantidade de ATB ou ASB que tenha participado,mesmo que fosse só um, ele também tem contas para pagar e sofreu as mesmas penalidades, por isso merece o nosso respeito. Não estamos cobrando ética e respeito do desgovernador? Por que não fazemos o mesmo entre nós?
    E mais uma vez parabéns pela lucidez nos argumentos. Que Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  9. Alguma coisa nova nessa reunião? NÃO. Próxima reunião dia 31/10... último dia para retorno ao subsídio: 31/10. Não é pessimismo, não sou fura greve mas infelizmente o governo conseguiu o que queria (ou está conseguindo) ganhar tempo para depois nos dizer: A maioria prefere o subsídio. Na minha escola alguns estão voltando... O que fazer? Permanecer VB, pois quem chegou até aqui pode ir além.

    “Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas.” Mateus 5: 41

    ResponderExcluir
  10. Acho um grande erro do sindicato, devido a enrolação do governo, pedir que prorroguem o prazo para a escolha do sistema de remuneração. Afinal, nós, os 153 mil servidores, voltamos para o VB sem garantias nenhuma de piso, sem ter tabela oficial e estamos sendo confiscados a meses. Por que agora os que ficaram no subsidio precisam de ter garantias do piso para voltarem ou não? Quem ficou no subsidio que se dane. Ficou pq quis. Não quis abrir mão das migalhas a mais q o governs ofereceu. Nós que tivemos a coragme de voltar estamos sendo punidos e confiscados. O Sindicato tem q pensar é na gente e qto mais ele pedir prorrogação mais o governo vai enrolar

    ResponderExcluir
  11. Bom dia companheiros de luta!
    Bom dia Subcomandante!
    Já era previsível que o (des)governo, iria nos enrolar, e sempre quís dividir a nossa categoria. Penso que o momento é de cautela. A confiança no nosso sindicato não pode ser abalada, e o discurso da divisão deve ser encerrado, pois somos uma categoria e devemos nos manter unidos.TODOS QUE PARTICIPARÃO DA GREVE MERECEM O PISO.
    PRECISAMOS TER CONSCIÊNCIA QUE CASO SEJA PRECISO, EM JANEIRO OU FEVEREIRO ENTRAREMOS NOVAMENTE EM GREVE.POIS COM LUTA, COM GARRA O PISO VAI SAIR NEM QUE FOR NA MARRA! NÃO PODEMOS ESQUECER.
    Saudações aos que tem coragem!
    Professor Odair José

    ResponderExcluir
  12. Bom dia amigos do NDG/NDE.
    Boa tarde amigo NDG/NDE comandante (e todas as patentes além a que você faz jus) Euler.

    Todas as suas ponderações são justas e deveriam ser encaminhadas ao Sindicato como subsídio às negociações.
    ACHO QUE ESTÁ FALTANDO "EULERs" POR LÁ, COM TODO RESPEITO QUE A BEATRIZ CONSEGUIU DE TODA A CATEGORA.

    Euler nas negociações. Por que não????

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  13. O sindicato deveria ter aceito a proposta do governo que insiste que o piso é so para professor(a) e especialista.Nós é que participamos da greve. O pessoal da SEE/SRE raramente participa de uma greve.Portanto o sindicato deve aceitar sim a proposta do governo e não ficar insistindo que o piso e para todos.É claro que alguns poucos funcionários das SRE participaram da greve mas são minoria. O importante é concordar para que esse piso seja pago logo aos professores. Os colegas de outras áreas deverão se mobilizar para conseguir o piso.O sindicato deve ouvir e analisar a proposta do governo para os professores.

    ResponderExcluir
  14. Ao Anônimo das 08:31,

    Concordo com você sobre o IPSEMG: é um absurdo não haver atendimento em função dos cortes salariais durante a greve. Mais um ato de crueldade do governo contra os educadores, que não podemos aceitar. Cabe sim ao sindicato levantar estes casos e ingressar com ação na justiça contra o governo, com pedido de liminar, para que seja imediatamente suspensa a ordem para o não atendimento dos educadores grevistas. Isso já deveria ter sido feito antes, mas se ainda prevalecer esta situação, tal providência deve ser tomada imediatamente.

    Sobre os Direitos Humanos, desde a nossa greve que venho reclamando a necessidade de realizarmos uma audiência na ALMG, cujo presidente da Comissão é o deputado Durval Angelo, e que tem atuado com sensibilidade em vários casos.

    Tenho a impressão de que se o sindicato solicitar uma audiência para expor a realidade dos educadores sem salário a 53 dias, mais dois meses de corte salarial, além da redução salarial, e de todo tipo de pressão de que fomos e temos sido vítimas (inclusive com os substitutos), acho que isso teria uma grande repercussão.

    Mas, vamos continuar a nossa mobilização, a nossa pressão direta, até alcançarmos os nossos objetivos.

    ResponderExcluir
  15. Minas Gerais situa-se em um universo paralelo. Nenhuma das leis funciona por aqui. A lei do piso é clara, foi contestada, mas corroborada pelo STF. O governo de MG parece dono do mundo. Faz o que quer. Lei nesse estado vale nada, ou melhor, vale o que o governador quer. A pior sensação é a de impotência.
    Convenhamos, no final das contas não pagarão piso coisa nenhuma. Nessa reunião de ontem ficou claro que continuarão utilizando argumentos estúpidos, toscos para justificar o não pagamento. E não sei o motivo de criar justificativas tão estúpidas. Poderiam chegar a mesa de negociações e pronunciar que fazem o que querem. Afinal podemos fazer alguma coisa contra?
    Cento e tantos dias parados resolveu alguma coisa? Sou pessimista? Posso ser, mas não quero ser mais idiota em crer que leis serão cumpridas nessa ditadura. A população clama por esse governador, adoram! Disseram que fiquei implorando aumento e prejudicando os coitados dos alunos. Depois de tudo sou eu ainda que não presto!
    Dia 31? Sabe o que virá? Um demonstrativo de que o estado não tem como pagar o piso, pois extrapola a tal lei fiscal (quando é para o benefício deles a lei vale). Daí o sindicato não fará nada, fará o que? Bater o pé e dançar o vira? Tudo o que é feito resulta em nada.
    Em seguida entupiremos o blog do Euler de desabafos de que a lei não foi respeitada e que a lei deve ser respeitada e que a lei... e que a lei. E que a lei $#@#$. Nesse arraial lei para pobre como nós e nada é a mesma coisa.
    Alguém se importa com pobre morto na rua? Não. É o mesmo que acontece conosco.
    Ah! Queridos professores não pensem que pagarão piso apenas para essa categoria. Pura ilusão. Sei que é dificil encarar essa realidade.
    Pensei que escola parada e manifestações ainda resultassem em algo. Incrível colegas como valemos nada para todos: governo, comunidade.
    Prorrogação de SB é apenas um golpe de misericordia à traquinagem que fizemos. E mais estranho é que a lei do SB afirmava que todos os anos os servidores que estivessem no regime antigo teriam um prazo para optar pelo SB. Só de raiva é capaz de o governador deixar todo mundo com VB ganhando 712,00. É 712,00 pra todo mundo de E. Médio a Doutor, de iniciante a fim de carreira e se quiserem, caso não queiram $@#@#.
    Bjs carinhosos.

    ResponderExcluir
  16. Ajudem-me, por favor

    Alguém sabe o que poderá acontecer com quem não fizer a reposição? Pela resolução da SEE não interessa quem fez ou não fez greve, o titular das aulas terá a obrigaçao de repor. Eu estive de licença maternidade durante todo o periodo da greve (se estivesse trabalhando com certeza teria aderido ao movimento) e ainda estou, só retornarei no início de dezembro e fui informada pela secretaria da escola que eu serei obrigada repor aula em janeiro, eu não tenho opção em repor ou não. Gostaria de saber que penalidade posso sofrer porque não pretendo de forma alguma repor, já fiz essa pergunta para a Beatriz e não obtive resposta se alguém souber SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  17. Olá, companheiro de luta e bravo guerreiro e tenente NDG Odair José, de Montes Claros!

    Tem toda razão quanto ao chamado à unidade da categoria. Todo mundo que está comprometido com a nossa luta deve ter esse compromisso. O discurso divisionista é do governo, não nosso. Podemos e devemos fazer críticas quando necessário, mas sempre visando o fortalecimento e a unidade da nossa categoria. E o combativo amigo Odair José tem essa exata compreensão.

    Um forte abraço e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
  18. Euler,gostaria de saber (se você souber), como ficará a situação de ATBs, ASBs que sempre tiveram quinquênios, direitos a progressões, igual a professores. Se o piso é só para professores e especialistas, como ficaremos a partir de agora se realmente confirmar essa situação? O que mudará para nós? Não teremos mais esses direitos? Nossas atuais tabelas no VB serão esquecidas? O que poderá acontecer? O nosso futuro será mesmo o famigerado subsídio?

    ResponderExcluir
  19. Pessoal da luta, vamos tentar não confundir e divulgar coisas que não existem.

    Por exemplo: dizer que o sindicato poderia ter aceito a proposta do piso para professores e especialistas.

    O governo não fez proposta nenhuma de piso até agora, nem para professores, nem para especialista, nem para ninguém. A única proposta do governo até agora é o subsídio.

    O piso, se depender do governo, não vai existir em Minas. Já expliquei mil vezes que do ponto de vista do impacto no orçamento as outras carreiras representam muito pouco em vista do impacto que é causado com o piso para os professores.

    Tentar dividir e isolar é a jogada do governo. E muita gente aqui está caindo nessa jogada. Devemos contar para os colegas de escola que o governo está enrolando, que não quer pagar piso para as outras carreiras, e que todos precisamos nos unir para combater o governo.

    Não importa se uma parte grande de todas as carreiras não fez greve. O que importa, pelo menos agora, é que a categoria dos educadores saiba dos direitos de classe que estão sendo ameaçados e prepare uma resposta contra o governo, caso ele continue nos enrolando e tentando nos dividir.

    Vamos parar com essa história de que tudo está perdido, ou que mundo vai acabar amanhã, etc.

    Precisamos nos fortalecer para os novos embates que virão.

    ResponderExcluir
  20. Olá Euler e colegas...

    Eu já sabia que seria assim. Tanto que disse na postagem anterior e vou copiar e colar aqui novamente exatamente o que disse:

    As negociações de hoje (ontem segunda) serão apenas o começo de várias outras negociações deste tema. Não penso ser do interesse do governo ‘neste momento’ dar um parecer final; ademais, é do interesse do mesmo que os servidores voltem para o subsídio. Assim, creio que o nosso piso ainda será tema de uma novela que ainda se seguirá por mais um tempinho. Acredito que o governo vai PROCRASTINAR... ENROLAR...ATÉ O LIMITE DE SUA CONVENIÊNCIA!!!

    E continuei dizendo: sejamos otimistas sim, mas SEM GRANDES EMPOLGAÇÕES. A Beatriz e seus companheiros terão que ser MUITO ‘PERSUASIVOS’, fechando todos as POSSIBILIDADES DE ‘BRECHAS’ deste governo conveniente. Entendo que chegaremos lá sim, porém, SUBINDO UM DEGRAU DE CADA VEZ mesmo.

    Outra coisa... li postagens de gente dizendo que está a beira do desespero. DESESPERO?!? Gente, pelo amor de Deus! NÃO PRECISAMOS DISSO!! Aliás, li em um livro sobre ‘inteligência emocional’ que o desespero é a pior forma de burrice. Neste momento, o que precisamos é dessa inteligência emocional. É analisarmos bem as manobras do governo (como tem feito brilhantemente o nosso colega Euler) e nos unir para encontrar soluções que sejam capazes de fechar todas as ‘brechas’ oportunistas que surgem do governo.

    Podemos começar por orientar nossos colegas (desinformados) sobre nossa real situação, de forma que os mesmos possam somar forças conosco.

    Abraço a todos
    Flávia (MC)

    ResponderExcluir
  21. Turma da luta!

    No próximo dia 29, sábado, haverá mais uma reunião do comando estadual de greve. Seria importante a participação de todos que puderem, mesmo que não sejam delegados, pois têm direito a voz - e não a voto.

    Sabemos que estamos em plena era da reposição, e que isso dificulta a participação. Mas, quem puder se ajeitar e participar seria importante, pois discutiremos os andamentos das negociações realizadas pela comissão tripartite.

    Acho que o sindicato precisa pontuar e exigir do governo declaração formal, assinada e testemunhada, de cada ponto acordado com o qual concordamos.

    Por exemplo: dizia-se que o governo havia concordado que o piso seria na carreira e para todas as carreiras. Mas, nenhum documento apareceu. Está na hora de registrar essas decisões pontuais e exigir um documento para cada ponto, lavrado, assinado, com muitas testemunhas e tudo o mais. Do contrário, a cada semana haverá uma surpresa: hora o governo concorda com uma coisa, hora ele volta atrás e diz que não concorda. É o jogo dele, do governo. Não pode ser o nosso jogo.

    ResponderExcluir
  22. Reflexão!

    Seu eu perguntar qual o seu peso e você responder, digamos, 80 kg, eu vou aceitar. Seu eu perguntar se hoje tá calor e você responder que sim, novamente vou aceitar. Mas está errado. Peso e massa são conceitos diferentes assim como calor e temperatura.

    Sejamos tolerantes. É chato encontrar nas redes sociais corretores físicos, químicos, biológicos e ortográficos. Acho sim, que erros de ortografia devem ser evitados. Mas ficar monitorando os erros alheios é chato!

    Como foi dito em outro post, devemos chamar os imortais da acadêmia brasileira de letras.

    Na pressa ou no calor das emoções as palavras podem ser digitadas de forma errada ou simplesmente estão erradas por desconhecimento mesmo.

    Não sou bom em escrever textos! E também não me envergonho disso.

    Você encontrou muitos erros nesse texto escrito em menos de 3 minutos? Como é bom ter sempre por perto um corretor ortográfico, físico, químico e biológico ambulante.

    ResponderExcluir
  23. Quem sabe seremos insistentemente chamados pelas outras categorias a fazer greve?
    E não duvide da nossa resposta:Faremos!Nem que seja para dar o tapa de luva!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Estamos com uma duvida, ainda tem chance de quem permaneceu no subsídio de voltar para o vencimento básico??? Alguns professores da escola em que atuo querem voltar, que procedimento deve ser adotado?

    ResponderExcluir
  25. VOCÊS QUEREM SABER QUEM É O NEGOCIADOR DO GOVERNO COM QUEM O SIND UTE, ATRAVÉS DA BEATRIZ ESTÁ NEGOCIANDO?

    ACESSEM NO GOOGLE: novojornal

    PESQUISEM QUEM É DANILO DE CASTRO E A GANG DOS CASTROS NA ZONA DA MATA.

    É MUITO IMPORTANTE SABER COM QUEM ESTAMOS NEGOCIANDO E COMO TEM SIDO A ADMINISTRAÇÃO DO AÉCIO/ANASTASIA.

    ResponderExcluir
  26. Olá pessoal!
    Na escola de vcs os tampax já foram dispensados? A pessoa que foi contratada para me substituir ainda permanece na escola; questionei a direção e disseram que ainda não receberam comunicado oficial determinando a dispensa.

    ResponderExcluir
  27. Esta noite, o Blog do Euler vai propor a formação de uma comissão tripartite paralela, composta por:

    - representantes do NDG (05 pessoas)
    - representantes dos pais de alunos (05 pessoas)
    - representantes dos alunos (05 pessoas)

    São estes os três sujeitos sociais interessados na Educação pública de qualidade e na valorização dos educadores. A Educação pública tem receita própria - 25% do orçamento, que em Minas cresce mais do que a China; o FUNDEB, e a ajuda da União. Tem uma lei federal do piso, amparada na constituição federal, e considerada constitucional pelo STF.

    Esta comissão paralela teria a incumbência de se reunir no mesmo momento que acontece a reunião da comissão oficial. Seria lavrada uma ata com as decisões tomadas e encaminhada para os membros da comissão oficial e divulgada amplamente para toda a mídia, pela Internet, para o MP, para o MEC, e demais órgãos interessados.

    Vamos amadurecer esta ideia. O que vocês acham?

    ResponderExcluir
  28. Euler, eu concordo com você sobre não cair no jogo do governo, sobre a necessidade de mantermos a união e nos prepararmos para a manutenção da luta. Nossa democracia ainda é muito imatura e como professores de história sabemos muito bem que o processo de amadurecimento político é muito lento e exige paciência.
    No entanto, precisamos ser críticos com a direção do sindicato, é até uma questão de não sermos ingênuos. Desde que sou professor, por 16 anos, sempre tive motivos para desconfiar da transparência do nosso sindicato. Desta vez, refleti bastante, entendi que a luta era por uma questão muito grave, a direção do sindicato me pareceu mais determinada e confiável, então abracei a greve e a causa.
    Mas novamente me senti enganado já no dia seguinte à decisão da assembléia pela suspensão da greve. Tenho o vídeo no qual a Beatriz fala claramente para a assembléia sobre os pontos que foram acertados com o governo, eu mesmo gravei, momento em que enfatiza que tudo estava escrito e assinado. Claro que naquele momento não poderíamos conferir documentos e tínhamos que decidir com base nas palavras dela. E digo que já fiquei muito decepcionado ao constatar, no dia seguinte, que quase nada havia de escrito e não existia qualquer assinatura.
    Uma das coisas que foram apresentadas era de que a secretária de educação não participaria das negociações (muitos até entenderam que ela não permaneceria no cargo). Mas eis que ela está lá e nenhuma explicação nos foi dada.
    Portanto, quero deixar bem clara a minha decepção e dizer que me sinto traído, houve uma quebra de confiança, porque tomamos uma decisão com base em informações falsas e imprecisas. Gostaria de estar enganado, mas parece-me que houve manipulação e eu não aprecio ser manipulado, nem por governo e muito menos pelo nosso próprio sindicato.

    ResponderExcluir
  29. Eu estou achando que o governo protelando a decisão do subsídio, faz com que, seus cabos eleitorais que atuam dentro das escolas tentem arregimentar pessoas para o subsídio. A tentativa do governo é a de fazer com que boa parte dos professores estejam desacreditados quanto ao Vencimento Básico e migrem rumo ao subsídio, doutra maneira podemos perceber que ele sinaliza com a intenção de manter os quadros do funcionalismo posteriormente somente no subsídio. Logicamente, eu pressuponho que onde estiverem os grupinhos pró-subsídio, estarão a postos também os cabos eleitorais do governo que agem de maneira muito sutil e até fazem jogo duplo no afã de fisgarem os incautos.

    Em relação ao assassinato de líderes sociais, infelizmente esse tem sido o Brasil do Oiapoque ao Chuí. Cruel, preconceituoso, divisionista,segregador e fascista, na qual a elite se ampara e cria tentáculos através do Estado para submeter os que estão na base social.

    ResponderExcluir
  30. Euler é possível publicar uma tabela atualizada do piso proporcional, na carreira, ja com os 16% previstos para janeiro? É uma forma de mostrar aos que ainda pensam em voltar ao subsidio que eles perderão muito mais !!!

    ResponderExcluir
  31. João Paulo Ferreira de Assis25 de outubro de 2011 14:24

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor

    Euler

    Ótima ideia a da comissão tripartite paralela, com reunião prevista para o mesmo momento da comissão oficial, registro em ata e encaminhamento de decisões à comissão oficial.
    Proponho que cada escola faça o mesmo, seria um excelente instrumento de pressão.

    ResponderExcluir
  32. CARO EULER , VOCÊ TEM TODA RAZÃO : TODA CONQUISTA ALCANÇADA NAS NEGOCIAÇÕES DEVERÁ SER REGISTRADA E ASSINADA COM TESTEMUNHAS .CASO CONTRÁRIO , MIL REUNIÕES SERÃO INSUFICIENTES .O GOVERNO RECONHECEU QUE O PISO É DE DIREITO DO PROFESSOR E ESPECIALISTAS ? VAMOS ASSINAR ENTÃO .EM SEGUIDA , PODEMOS CONTINUAR AS NEGOCIAÇÕES .O QUE NÃO SE PODE ADMITIR É QUE O SINDICATO SEJA TÃO INÁBIL , TÃO INCOMPETENTE ,TÃO INFANTIL ... OU SERÁ QUE ESTÁ ACONTECENDO OUTRA COISA ?ATÉ UMA CRIANÇA PERCEBE QUE NÃO ESTÁ HAVENDO NENHUM PROGRESSO NESTAS REUNIÕES . É PRECISO SUBSTITUIR O PESSOAL DO SINDICATO , PORQUE PELO VISTO , DESSE MATO NÃO VAI SAIR NENHUM COELHO ...

    ResponderExcluir
  33. Oi, Gilson,
    "Sejamos tolerantes. É chato encontrar nas redes sociais corretores físicos, químicos, biológicos e ortográficos. Acho sim, que erros de ortografia devem ser evitados. Mas ficar monitorando os erros alheios é chato!".

    Não é chato não, bobo. É uma delícia, principalmente quando o corretor conhece bem a nossa Língua Portuguesa!
    Outro dia, alguém quis escrever bonito e lascou; "delimir". Está na cara que a intenção era escrever "dirimir". Simples assim. As pessoas leem e entendem, mas o amor à língua (ops!) fala mais alto.
    Não se aborreça não, Gilson. Aborrecimento causa malefícios à saúde.
    Ai, como é chato Professor que escreve errado, fala errado, "corrige" errado (rs!)
    Beijo, beijo.

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Concordo em número, gênero e grau com o anônimo das 11:11. O sindicato tem que lutar é por quem se arriscou e voltou para o VB sem ter nenhuma garantia, perdendo dinheiro com o corte de salário. Ah, sindicato, faça-me o favor! Lutar por quem até nos criticou! Não merecemos isso. Fiz minha opção pelo VB em maio e já perdi muito dinheiro para agora o sindicato vir com esta de que piso é para todos. PISO é para quem não teve medo de perder agora e ganhar depois. Piso não é para covarde.

    ResponderExcluir
  36. GRAÇA:

    Boa tarde Prof Euler,

    Perguntei à Bea se ela não apresentou à Comissão na reunião de ontem, o Parecer da Procuradoria da Republica divulgado em 19/10/2011, ela não me respondeu ainda.
    A lei do piso foi alterada pelo presidente Lula com o objetivo de incluir as demais carreira da educação, tendo em vista que a principio a lei se referia apenas ao professor.
    Voce poderia publicar tal alteração aqui?
    Acredito que isso pode tranquilizar os colegas.

    ResponderExcluir
  37. GRAÇA:

    APOIO SUA PROPOSTA!

    ResponderExcluir
  38. Muito estranho essas reuniões do sindicato, nenhum avanço!!!Acho que estou levando uma rasteira tanto do governo quanto do sindicato!!! Minha duvida é: porque a beatriz cerqueira solicitou a prorrogação para voltar pro subsídio que é dia 31? O piso não é a melhor opção de qualquer forma? nossa, nos professores estamos como baratas tontas nessa luta!!! não sei em quem acreditar!!! E o pior sem dinheiro e devendo o banco.

    ResponderExcluir
  39. Essa enrolação já está ficando chata!!!!!!
    Vai fazer um mês que a greve terminou e até agora nada de negociação!Nenhum avanço...O que o sindicato ainda está esperando do governo?Será que vamos ficar chovendo no molhado enquanto os professores que fizeram greve estão no maior sufoco? Beatriz,parte pra cima e decide isso!A nossa categoria está enlouquecendo!Todo dia é uma nova forma de fazer pressão em cima da gente...Chega de reunião! Sejamos mais específicos, é preciso decidir.

    ResponderExcluir
  40. DESACORÇOADA, como diria a minha avó...
    Blá blá blá demais...
    Não dá pra ser feliz...
    Preciso parar de chorar!

    No, woman, no cry, no woman, no cry
    Bem que eu me lembro, a gente sentado ali
    Na grama do aterro sob o sol
    Ob... observando hipócritas
    Disfarçados, rondando ao redor
    Amigos presos, amigos sumindo assim, pra nunca mais
    Nas recordações retratos de um mal em sí
    Melhor é deixar pra tráz
    Não, não chores mais... não, não chores mais
    Bem que eu me lembro, a gente sentado alí
    Na grama do aterro sob o céu
    Ob... observando estrelas, junto a fogueirinha de papel
    Quentar o frio, requentar o pão, e comer com você
    Os pés de manhã, pisar o chão
    Eu sei, a barra de viver, mas se Deus quiser
    Tudo, tudo, tudo vai dar pé! Tudo, tudo, tudo vai dar pé
    Tudo, tudo, tudo vai dar pé! Tudo, tudo, tudo vai dar pé
    No, woman, no cry, no, woman, no cry!
    Não, não chores mais ... menina não chore assim

    ResponderExcluir
  41. Euler,

    Peço que deixe os dados de sua conta bancária para receber doações na página de abertura do blog.

    Quando alguém precisar já está lá disponível.

    ResponderExcluir
  42. Está declarada a extinção da carreira de professor. Quem em sã consciência entrará numa profissão onde o salário se resumirá à 1187,00 por uma carga horária de 40 horas e em Minas será usada uma proporção que iniciará o salário em 712 reais para um cargo? É inaceitável existir uma proporção dessas! Mas infelizmente estamos ai como Mico leões dourados, os últimos da espécie e literalmente criados em cativeiro, por um tirano!! Infelizmente uma lei que seria a redenção pra profissão, está sendo interpretada conforme o querer dos governantes e acabando com a nossa profissão, tanto hoje como no futuro. Que tentemos sobreviver a este momento, pelo menos com a cabeça erguida de termos lutado a té o fim. Valeu!!!

    ResponderExcluir
  43. Eule sou professora e participei de toda a greve e tenho poucos anos de serviço(4,5) sou efetivada.Mas uma dúvida não me deixa em paz desde segunda -feira (24/10/11)realmente vc tem certeza que o piso vai ser implantado na carreira? Para nós que possuímos pouco tempo só vale a pena com os benefícios existentes. Por favor me responda sou uma mãe que anda angustiada sem saber se fiz a escolha certa de voltar para o vencimento básico apoiada nos argumentos do sindicato e deste blog. O sofrimento está enorme.Por favor responda.

    ResponderExcluir
  44. Não podemos deixar que a atual administração nos coloque em compartimentos estanques, destruindo a unidade que tentamos a todo custo manter. Isso é uma forma de nos enfraquecer. E não podemos deixar que a nossa vontade de lutar diminua; na realidade, a luta por melhores salários e condições de trabalho será sem fim, não digo eterna, mas será necessária por muitos e muitos anos.
    Excelente ideia esta da comissão para divulgar as decisões que interessam a todos educadores. Acredito que seria importante sua participação em nosso sindicato para discutir determinados assuntos que estão sendo "deixados para trás" como o atendimento do IPSEMG.
    Interessante, também, cada participante colocar seu nome no texto produzido e a cidade em que reside.
    Muita pazbom ânimo!
    Alcione - GV

    ResponderExcluir
  45. Euler,

    Professores do Colegio Tiradentes da PMMG, terão 10% de aumento no contra-cheque desse mês... detale, quem optou pelo VB NÃO VAI RECEBER ESSE AUMNETO, Só quem ficou no suicidio.Mais uma vez fazendo a divisao da classe, trabalho no Colegio Tiradentes e o nosso contra-cheque aparece no sistema após o dia 20 de cada mês. Sou professora do Estado tbem, estou BOBA com o desrespeito desse desgoverno!

    ResponderExcluir
  46. Sinceramente, estou começando a colocar em dúvidas a viabilidade de greve como forma de conquistar objetivos.
    2011 foram 112 dias de greve e nada? 2010, foram 40 e alguma coisa, 2009 foram 30, tudo por essa novela do piso.
    Acredito que o piso será implementado sim, por ser uma lei federal, aos poucos os estados e municípios serão obrigados a cumprir a lei.Mas greve de professor não esta mais fazendo nenhum efeito, todos na correria para repor, o sindicato orientou sobre a reposição, sendo que o não fechamento do ano letivo seria a única forma de pressão que teríamos enquanto as negociações estão acontecendo. Tudo voltando ao normal.... foi uma verdadeira jornada de tolos.
    Pode ser que eu esteja errada, tomara q sim, mas que se faz necessário nós professores repensarmos sobre greve,refletirmos nosso papel e a função do sindicato que nos representa.
    Greve tem se provado ineficiente para se alcançar os objetivos da categoria.

    Muita força a todos na reposição.

    Josélia-GV

    ResponderExcluir
  47. Gostaria de fazer alguns comentários a respeito da reunião de negociação do piso realizada ontem 23/10/2011.
    A Beatriz não deveria ter solicitado prorrogação da opção de volta ao subsídio. A palavra subsídio não deve ser mencionada em nenhum momento durante as negociações. Este procedimento é bom para fortalecer o governo, ou seja fonecer munição a ele para continuar a enrolação. Todos os servidores já estão muito bem informados sobre a carreira e subsídio, o pessoal das secretarias e os ajundante de serviços gerais na sua maioria(mais de 95%) preferiram continuar no subsídio.
    Parece que o embate sobre quem tem ou não direito ao piso vai continuar nas proximas reuniões, ficando de lado o que nos mais interessa(piso).
    Seria interessante consultar um adv de renome para ter segurança, se a visão do governo sobre quem tem direito ao piso procede.
    Acho que o governo não vai abrir mão do seu conceito e aí, como vai ficar?(sem piso)
    No meu entendimento quem tem direito ao piso está explícito no texto da lei ou seja, são os proficionais do magistério público da educação básica; quem são eles? professores (que desempenham atividades de docência), diretores ou administradores,planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenadores educacionais, exercidas no âmbito das unudades escolares de educação básica, portanto quem não pertence a este grupo, não tem direito. Olha pessoal, é assim que vejo(tomara que esteja errado).
    Coforme o Art. 6º a União, os Estados, o Distrito Federalb e os Municipios deverão elaborar ou adequar seus planos de Carreira e Remuneração do Magistério até 31 de dezembro de 2009.
    Comentário: Quem não tinha o plano de careira deveria elaborar, quem tinha teria que adequar, ou seja ajustar ao piso para seu cumprimento e não o piso ao plano.
    É desta forma que eu vejo, não quer dizer que estou certo, por isto seria necessario consultar um ótimo jurista de modo que o piso seja cumprido na sua forma correta.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  48. Eu estou com a Josélia -GV temos que atacar de forma diferente. Que tal a prova do simave. Vamos dizer aos alunos para não fazerem-na.Que tal

    ResponderExcluir
  49. Anônimo 25 de outubro de 2011 14:27

    Não fiquei chateado não. Se você gosta de monitorar os erros de gramática, legal!

    O que eu não gostei foi da lição de saúde, aborrecimentos e blá blá blá. Pegou pesado! Pseudociência a altura de revista Veja, Super Interessante e Jornal Aqui. Cada macaco no seu galho.

    Malefício comprovado é devido aos 30 cigarros que fumo diariamente.


    Um abraço

    ResponderExcluir
  50. Euler,

    É bem contraditória a posição da Beatriz Cerqueira em solicitar a prorrogação para o retorno ao subsídio!!! É contraditório ao que o SindUte pregou a todos durante os 112 dias de greve!!! Por conta do que ela coloca isso??
    Infelizmente é bom abrirmos os olhos pois, tal como em 2010, vamos tomar uma rasteira...

    ResponderExcluir
  51. José Alfredo Junqueira25 de outubro de 2011 17:35

    Euler,me permita mudar dos assuntos tratados aqui,mas que tem em comum a hipocrisia,covardia e censura e manipulação dos imperialistas.Acessem redpill 1984.blogspot.com

    ResponderExcluir
  52. Monalisa - Contagem25 de outubro de 2011 17:35

    Euler a nova comissão foi a melhor idéia do mês de outubro. É um direito de todos nós.
    Cuidado apenas para o governo não criar uns cinco encontros para decidir se vocês devem ou não participar das reuniões. rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  53. Colegas, amanhã é dia de PARADA NACIONAL!!! Não vi ninguém falando disso aqui!!! A não ser o Euler, que falou sobre a manifestação em Brasília.
    Na escola em que atuo, todos que fizeram greve pararão amanhã!

    Abraço.
    Paula

    Qto à correção de textos, uma dica: usem o google chrome para acessar a internet; muito chato ficar corrigindo o outro aqui. E postar textos com erros ortográficos realmente não pega bem para nós! Fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  54. Roberto Uberaba.
    Eu acho que essa enrrolação é para esperar a publicação final do STF. O governo acha que ainda pode tirar alguma vantagem com a publicação final.

    ResponderExcluir
  55. Prof. Sebastião de Oliveira, penso que você esteja certo, pois a cada momento tendem para uma discussão e a central que é o PISO fica nas franjas das discussões,logo faz-se necessário buscar uma definição mais imediata, pois daqui a pouco vão querer discutir o que se pode entender verdadeiramente por PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO, pois ora entendem de forma mais abrangente, ora entendem de forma mais estrita. Aí, não dá! Os dias vão passando e todos se chateando, não é para menos!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  56. Euler, um exemplo de educador. É hora do NDG entrar em ação. O sindicato parece fazer o jogo do desgoverno. Vamos propor para a próxima semana a redução da carga-horária e divulgar nos meios de comunicação que o desgoverno não está cumprindo o acordo. Esclarcer para os alunos e seus pais. Força para a luta. até avitória.

    ResponderExcluir
  57. BOA TARDE EULER. UMA AMIGA JÁ APOSENTADA PEDIU QUE VOCE ESCLARECESSE A SEGUINTE DUVIDA DELA .COMO ELA JÁ É APOSENTADA, NÃO TEM SUPERIOR ,COMO NENHUMA GRATIFICAÇÃO PARA SAIR,ELA GOSTARIA DE SABER EM QUE SISTEMA SERIA VANTAJOSO ELA PERMANECER,SENDO QUE ELA AINDA ESTÁ NO SUBSÍDIO. DESDE JÁ AGRADEÇO A ATENÇÃO.

    ResponderExcluir
  58. ESTOU 100% DE ACORDO COM O PROFESSOR SEBASTIÃO DE OLIVEIRA.TEM QUE PENSAR NOS QUE ESTÃO SEM RECEBER E PASSANDO NECESSIDADES.CHEGA DE NEGOCIAÇÃO QUE NÃO ESTÁ CHEGANDO A NADA.QUE CUMPRA A LEI DO PISO.

    ResponderExcluir
  59. Muitoo estranho essa história de prorrogar o prazo para o retorno ao subsidio!! Porque o sindicato quer prorrogaçao de prazo ao inves de única e exclusivamente se preocupar com o piso???
    Sei não heim!! Ai, tem coisa!!

    ResponderExcluir
  60. GILSON VIEIRA SOARES..
    MTO BEM AMIGO! FALOU TUDO! SIMPLES ASSIM! CORRETORES ORTOGRÁFICOS AMBULANTES DE PLANTÃO DEÊM-NOS UM TEMPO!

    CONCEIÇÃO APARECIDA

    ResponderExcluir
  61. Não entendo o pedido de prorrogação para o subsídio.De que lado Beatriz está?

    ResponderExcluir
  62. GRAÇA,

    ADOREI O SEU POST E ESPERO VER AQUI A RESPOSTA DELE!

    ALZIRA

    ResponderExcluir
  63. ESSA CALOU OS AMERICANOS.!!!
    SHOW DO MINISTRO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS

    Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!


    Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos,o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

    O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

    Esta foi a resposta do Sr.Cristóvam Buarque:

    "De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

    "Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

    "Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro.
    Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço.

    "Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado.
    Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
    Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

    "Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
    Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

    "Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA.
    Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

    "Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA.
    Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

    "Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola.
    Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

    "Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo.
    Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa!


    ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDE A
    DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇA TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS QUE DOMINAR.

    ResponderExcluir
  64. Concordo com o Professor Sebastião de Oliveira.
    Não estou entendendo esta briga do Sindicato querer o Piso, inicialmente, para as oito carreiras sendo que, a maioria que retornou para o antigo sistema remuneratório, faz parte da carreira de magistério, ou seja, Professores e Especialistas. Na escola onde trabalho nenhuma Auxiliar de Serviços Gerais e nem Assistente Técnico Básico (ATBs) retornou para o antigo sistema e claro, não entrou em greve. Agora, por quê ficar insistindo em Piso para quem não quer? Por quê não negocia logo o Piso para Professores e Especialistas e vê qual é a do governo, para depois Lutar para as demais carreiras? Do jeito que a coisa anda está enfraquecendo a carreira e fortalecendo o governo. Cada vez que estamos próximos da conquista do tão sonhado PISO SALARIAL, vem uma nova história e "impede" as negociações. Assim não dá! O Sindicato deve aceitar logo o PISO SALARIAL para quem o governo diz que vai pagar e vamos ver se na prática a coisa irá funcionar, acontecer... Depois reivindica para os demais... O que não pode é ficar fazendo o jogo do governo a cada vez que ele lança uma ideia nova!!! Assim não dá... Esta novela precisa acabar!!!

    ResponderExcluir
  65. Euler

    não é questão de egoísmo, nós sabemos que todos deveríamos ter o direito do piso na carreira independente da função. Nós professores já estamos muito fragilizados e muito desgastados não por causa de nossos colegas de profissão mas sim por causa deste governo que não cansa de nos humilhar, nos dividir e nos desmerecer.

    É fato que as outras categorias da escola não quiseram entraram em greve e nem lutar por seus direitos. Sabemos que a maioria deles possuem escolaridade baixa e muito das vezes não formulam opiniões próprias aceitando os desmandos do governo. Me desculpem se alguém ficar ofendido mas percebo isto nas conversas de corredor de escola.

    Em 12 anos no estado todas as greves que me lembro só foram feitas por professor e especialistas.

    No futuro, posso até fazer greve para melhorar as condições de salários para os outros profissionais da educação, mas no momento eu estou preocupado apenas com quem lutou, está com salário reduzido e ainda acredita no piso dentro da carreira. Não é por vaidade e nem orgulho mas por merecimento por tudo que passamos nos últimos anos e nestes 112 dias.

    ResponderExcluir
  66. Pessoas queridas,
    Será que a Beatriz Cerqueira visita este Blog? Já tentei colar os textos do Euler no Blog do Sind, mas ele tem limite de caracteres...
    Eu gostaria de saber, inclusive, se ela, pelo menos, lê os comentários que lhe são enviados, porque postar que é bom, ela não posta. TODOS os dias, eu mando mensagem e nada! Assim não dá! "PelamordeDeus!", como diz o outro.
    Abraços carinhosos e fé!

    ResponderExcluir
  67. Oi, gente,
    Eu achei que havia ficado combinado com o Sind Ute o seguinte: pagamento do piso para os 153 mil que migraram para o VB. Não estou entendendo mais nada. Ademais, acho esse Sindicato meio frouxo em termos de assistência jurídica. Advogados servem para CONVENCER!!! Não têm conseguido convencer a ninguém sobre nada de pitibiribas. Haja saco (que eu não tenho).
    O melhor da festa é esperar por ela. Aguardemos a próxima reunião. Fé em DEus e pé na tábua, meu povo!

    ResponderExcluir
  68. MARY_IPATINGA
    Euler,percebo que se o NDG não interferir intensamente na agilização das negociações,nosso esforço não vai dar em nada.Estão perdendo o foco;negociando particularidades e categorias;o governo ganha tempo e prof. cada dia perde mais.Contra-cheque zerado,impedimento de reposição,corte de férias prêmio.Tudo isso nos já sofremos.Negocie logo a proposta do piso pago aos profs.e especialistas para janeiro de 2.012. Estes é que sustentaram a greve.As outras categorias posteriormente .

    ResponderExcluir
  69. Sábias palavras Prof. Sebastiao. Procurar um advogado de renome. Uma pessoa com expressão que possa orientar essa categoria que esta a deriva. Chega de achismos e blá, blá, blá. Já que existe a lei, vamos faz-la aplicar. Para isso necessitamos de advogados e dos bons para orientação. Temos argumentos, mas não temos representantes legais que os coloquem de forma robusta, viril.
    O problema, professor, é o seguinte: onde encontraremos, em nossa miserabilidade do mais alto grau alguém que possa pegar essa causa? Quem? Onde?

    ResponderExcluir
  70. Mas haja paciência!!!
    Paciencia sem dinheiro no bolso para honrar os minimos compromissos é quase impossivel!!!

    ResponderExcluir
  71. Por favor peça a Bia para aceitar o piso para os professores pois os outros não fazem greve e ainda nos criticam não é justo perdermos o piso por eles! Quanto aos valores lembrar de trabalhar com porcentagens do valor do MEC ou STF para conseguirmos aumentos todo ano sem essa novela. Lembrem sempre os prejudicados somos nós.Nos criticam ,ficam bravos com reposições acham que somos culpados da greve,etc.

    ResponderExcluir
  72. As vezes eu não concordo muito com o que é escrito ai, mas quando se trata de ajudar a quem necessita estou dentro, e louvo a sua idéia, parabéns por essa iniciativa, eu não fiz greve pois trabalho em uma escola pequena de zona rural,mas estou com quem está lutando por dias melhores para nossa classe tão desunida.Lutar sempre,desistir jamais...

    ResponderExcluir
  73. Pode enrolar anastazista! Quando transitar em julgado a lei do piso vc vai ficar de joelhos perante nossa classe! Sua forca já está armada!

    ResponderExcluir
  74. Euler,

    Qual o objetivo da Bia em pedir prorrogação do prazo para volta ao subsídio? Não vejo nenhuma lógica diante dos fatos que ora conhecemos.

    ResponderExcluir
  75. Euler,

    Concordo, plenamente, com a formação da Comissão Tripartite paralela:
    "
    - representantes do NDG (05 pessoas)
    - representantes dos pais de alunos (05 pessoas)
    - representantes dos alunos (05 pessoas)"

    As coisas estão acontecendo de acordo com a vontade do governo. Ele e suas escravas não são confiáveis, como não são confiáveis esses Deputadinhos que vivem à sombra do poder.

    Eu manifestei várias vezes aqui no blog, a necessidade de acompanharmos as negociações, através de formas diversas. Votei, na dúvida, pelo final da greve, pois foi o sugerido pelo comando.
    Mas estou pronto para outra. Nem que seja somente com efetivos/as e do NDG.

    Não podemos permitir que este governo destrua a educação e os nossos sonhos.
    "Sonho que se sonha só, pode ser pura ilusão;
    sonho que se sonha juntos é sinal de solução".

    Um abraço.
    Joaquim - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
  76. Sinceramente, acredito que o sindicato está com o prazo de validade vencido. Puxa vida!!! 112 dias de greve, sem salário e me sentindo traído com tanta enrolação ...
    quem fez a greve ter vida longa? Quem acreditou e sonhou com mudanças? Quem lutou? E pedem tempo para defender o direito de quem nem greve fez???
    Exigimos que seja negociado o piso em primeiro lugar. Nada é mais importante neste momento. Deixem um pouco dos probçlemas para a próxima greve...

    ResponderExcluir
  77. e amanhã...Marcha para educação!!nenhum comentário a respeito! é paralisação? seu parar é falta greve ou falta comum!! tem algum movimento aqui em BH ou só em Brasília!!acho que o povo está com horror a repor mais um dia!!!

    maria - contagem!!

    ResponderExcluir
  78. Para que grve,se ainda pensasse em subsídio,pra que tanto sacrificio? Meu Deus é justo sacrificar tantas pessoas em nome de nada.Uma classe inteira se sacrificou em nome da justiça e de seus ideais.Quem não colaborou tinha interesses políticos-partidários.Eu esst6ou de olho ,não desacredito no ser humano, também não sou tão creduo. A justiça vencerá maisw cedo ou mais tarde, assim espero.Agradeço a todos que quwrem o melhor para todos. Que Deus nos abenççoe amém.

    ResponderExcluir
  79. Boa noite a todos os amigos do NDG/NDE.

    Amigos, discutindo com uma colega participante do comando de greve de minha escola, conseguimos entender (acho) o possível motivo de a Beatriz pedir prorrogação de prazo para opção ao subsídio.
    O fato de o STF não ter publicado ainda a decisão final sobre o PISO e o prazo para volta ao subsídio expirar no dia 31 próximo, poderá motivar a migração em massa (dos desavisados evidentemente) da categoria para o famigerado subsídio.
    No entanto, se for prorrogado, os colegas ficariam mais seguros para aguardarem a decisão, sem precipitação.

    Não é razoável?

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  80. Acredito que fomos enganados mais uma vez.Nós estamos sendo vendidos a preço de banana pelos nossos próprios companheiros. Que triste sina não sejamos mais ingênuos. Que Deus nos ilumine foi como no ano passado, porém mais devastador.A nossa vitória depende de sabermos eleger nossos representantes ,a derrota não é de uma classe é de toda uma sociedade. Nem tudoestá perdido depende de nós. Tenham fé em Deus e não se curvem aos poderosos.

    ResponderExcluir
  81. Até que enfim um comentário de quem entende de leis...
    "Anônimo disse...

    Pode enrolar anastazista! Quando transitar em julgado a lei do piso vc vai ficar de joelhos perante nossa classe! Sua forca já está armada!
    25 de outubro de 2011 20:57"

    Todos os advogados dizem o mesmo.

    ResponderExcluir
  82. Olá, pessoal da luta, membros do NDG, demais colegas de combate e alunos do Estadual Central!

    Boa Noite!

    Somente agora, à meia noite e quarenta e seis minutos vou poder preparar o meu chá e degustá-lo com alguns biscoitos e um pedaço de pão com margarina. A janta na escola hoje foi canjiquinha - muito bem feita, por sinal, para alunos e educadores, como deve ser.

    Após o chá da madrugada, iniciarei a redação do post, cujo título já está pronto:

    "Blog propõe a formação de comissões tripartite paralelas em todas as escolas estaduais de Minas. Piso salarial é para as oito carreiras dos educadores de Minas. Não queremos saber de subsídio: queremos é o nosso piso na carreira! Manifestação em Brasília hoje vai cobrar piso e 10% do PIB. E o prêmio de produtividade? O gato vai comer? Sucateamento do Ipsemg pode ser a deixa para a privatização demotucana. Campanha de ajuda mútua continua."

    Não sei se terminarei a madrugada abordando todos os assuntos propostos. Mas, a intenção é esta. Caso o sono me apanhe antes, mais tarde, quando acordar, termino o texto.

    O debate aqui continua, rico, plural, democrático, como deve ser. Muitas ponderações importantes, por parte dos nossos valentes visitantes. E agora também com um combativo grupo de estudantes, que nos honra com a visita. Quem sabe o blog não se torna também um espaço a contar cada vez mais com a participação de pais de alunos e estudantes, formando, com os educadores, uma unidade na luta pela Educação pública de qualidade e valorização dos educadores? Os nossos interesses são comuns, e lutamos contra os mesmos inimigos: o governo e seus aliados, que tentam nos massacrar. Não conseguirão, claro.

    Então, daqui a pouco estaremos de volta!

    Um forte abraço a todos e força na luta!

    ResponderExcluir
  83. NDG de Plantão

    Juntos e unidos até a vitória...


    Hoje no BLOG da Beatriz Cerqueira tinha esse comentário, e resolvi compartilhar aqui também:

    COMENTÁRIO no Blog da Beatriz Cerqueira

    "O compromissado Professor Euler Conrado, de Vespasiano fez o seguinte comentário:Pessoal da luta, vamos tentar não confundir e divulgar coisas que não existem.

    Por exemplo: dizer que o sindicato poderia ter aceito a proposta do piso para professores e especialistas.

    O governo não fez proposta nenhuma de piso até agora, nem para professores, nem para especialista, nem para ninguém. A única proposta do governo até agora é o subsídio.

    O piso, se depender do governo, não vai existir em Minas. Já expliquei mil vezes que do ponto de vista do impacto no orçamento as outras carreiras representam muito pouco em vista do impacto que é causado com o piso para os professores.

    Tentar dividir e isolar é a jogada do governo. E muita gente aqui está caindo nessa jogada. Devemos contar para os colegas de escola que o governo está enrolando, que não quer pagar piso para as outras carreiras, e que todos precisamos nos unir para combater o governo.

    Não importa se uma parte grande de todas as carreiras não fez greve. O que importa, pelo menos agora, é que a categoria dos educadores saiba dos direitos de classe que estão sendo ameaçados e prepare uma resposta contra o governo, caso ele continue nos enrolando e tentando nos dividir.

    Vamos parar com essa história de que tudo está perdido, ou que mundo vai acabar amanhã, etc.

    Precisamos nos fortalecer para os novos embates que virão.
    25 de outubro de 2011 12:38
    Euler disse tudo pessoal."

    _______________

    O fim de toda batalha exige
    cautela e muita sabedoria. (Gleiferson Crow)

    Abraços
    Gleiferson Crow
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  84. ESTÁ TODO MUNDO INSATISFEITO COM A EDUCAÇÃO EM MINAS TOCADA A FERRO E FOGO.
    Agora mesmo acabaram de detonar uma bomba aqui em minha escola destas de que usam em festas juninas, mas que de bombinha não tem nada, foi um barulho assustador, eu quase chorei...não de medo mas de tristeza.
    Há alguns meses isto vem ocorrendo nesta escola, a polícia já esteve aqui e tudo, mas nada foi resolvido, acho que o descontentamento com a educação em Minas é geral, não acredito que seja apenas por vandalismo, estamos tentando ignorar e não procuramos interpretar as coisas ou seja fazer uma leitura mais crítica dessas atitudes que se repete incessantemente.
    E aí governo, secretaria de educação e sei lá mais quem que atitude vocês irão tomar para moralizar a educação em Minas?? Que tal começar valorizando o material humano? Creio que não precisaremos dar aqui aulas de gestão de pessoal...
    Estamos aguardando que seja feito algo para salvar nossas escolas e nossas crianças.
    Já ia me esquecendo as diretoras que serão substituídas pelas novas diretoras eleitas não estão mais nem aí para o que está ocorrendo. O que está faltando para que as diretoras eleitas tomem posse imediatamente?? Não compreendo.
    Atenciosamente,
    Rosevania.

    ResponderExcluir
  85. Euler, gostaria de esclarecer que em momento algum postei palavras ofensivas a quem quer que seja em seu blog, pelo contrário, não aprovo esta atitude,nem mesmo ao nosso governador(???) mesmo sendo totalmente contra às atitudes arbitrárias do mesmo, muito menos em relação à Beatriz, que foi uma pessoa muito importante nessa luta assim como o apoio que todos nós recebemos no seu blog Pelo fato de eu ter participado da greve do início ao fim (NDG) alguns colegas têm chegado até a mim e perguntado se sou eu quem estou postando como "Carla GV"...quero esclarecer que quando eu postar, sempre será "Carla do Abílio - GV", nome da escola em que trabalho, para não haver esta confusão. Obrigada pela oportunidade de esclarecer a todos, e... força e garra sempre a todos nós nessa batalha que pelo visto não parecer ter fim.
    Carla do Abílio - GV

    ResponderExcluir
  86. alguém sabe informar se é verdade que s e eu não repor minhas aulas..haverá processo administrativo!!por favor nos oriente..pois já passei necessidades e não quero repor essa merda!! já perdi mesmo minha dignidade, devendo todos, não quero mais essa mirreca de sala´rio!!saiu alguma coisa concreta! até agora só disse que me disse...

    ResponderExcluir
  87. Euler,
    mais essa: como todos os sabados tomados para reposiçao, a inspetora esta exigindo que a gente se vire para cumprir o moldulo II... pressao, em cima de pressao... ameaças ... ninguem faz nada???

    ResponderExcluir
  88. A mais nova: trabalho no PROETI e hoje recebi a noticia que professores do PROETI não podem pagar greve nem paralisações e nem vamos receber o que nos foi retirado.

    ResponderExcluir
  89. Euler,
    Primeiro queria parabeniza-lo pelo blog, que ajuda a ter uma visão melhor do que está havendo no "governo" de Minas.
    Este governo que da preferencia a Jogos e Copa e continua a menos prezar a educação que é base da estrutura de qualquer país,não pode continuar assim neste descaso todo com alunos,educadores,pais de alunos,ect...
    Que país é este que continua a ter pessoas poderosas no poder e que continuam a manobrar e pegar as rédias da justiça para seu próprio bem? Quando pensamos que melhoramos que somos um país melhor do que antigamente, surpreendo ao ver que nada mudou, só passou a ser "dominado" por outros políticos,mas com a mesma intenção de roubar/fraldar o dinheiro público.
    Obrigada,
    Hells

    ResponderExcluir