segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Imagem do Dia...


Imagem do Dia...
...num território chamado Minas Gerais!

Comentário do Blog: Não se sabe por qual motivo, até hoje a direção sindical não tocou no assunto redução do salário. Houve um violento confisco nos nossos salários quando optamos pelo antigo sistema remuneratório. Confisco este ilegal, imoral e indecente. Existe verba no orçamento deste ano destinada ao pagamento de TODOS os educadores com os valores do subsídio. Como o governo de Minas NÃO CUMPRIU A LEI e não nos pagou o piso em 2011, ele teria, no mínimo, que nos devolver aquilo que nos ROUBOU, que é esta diferença entre o salário reajustado de de 2011 e o salário de dezembro de 2010.

Entre julho de 2011 e janeiro de 2012, data em que supostamente o governo começaria a pagar o piso, e mais o 13º salário - perfazendo um total de oito meses - a perda individual dos 153 mil educadores que optaram pelo antigo sistema remuneratório varia de R$ 2.100,00 a 3.100,00 por cargo. No total, haverá um confisco de cerca de R$ 400 mil dos nossos bolsos - isto apenas em relação aos valores do próprio subsídio que o governo implantou.

Em relação ao piso salarial nacional, a que temos direito, mas ainda não levamos, o confisco foi ainda maior: R$ 2,5 bilhões somente em 2011, que acrescido deste novo confisco, resulta em quase R$ 2,9 bilhões.

Portanto, é importante que os educadores saibam que estamos sendo, neste ano de 2011, duplamente confiscados.

O sindicato tem a obrigação de discutir o piso como prioridade, claro. Mas, se é para pagar o piso somente a partir de janeiro de 2012, não pode o sindicato deixar de tratar destes confiscos aplicados pelo governo no ano de 2011.

Por isso, não podemos abrir mão, de imediato:

1) da imediata devolução da diferença entre o reajuste aplicado em 2011 com a implantação deste famigerado sistema chamado subsídio e o salário de dezembro de 2010. Este reajuste nos pertence, foi pago até junho deste ano e depois cortado apenas para punir aqueles que optaram pelo sistema de VB. Portanto, foi ilegal e imoral a redução salarial - por contrariar a Carta Magna do país, por não poder dar reajuste apenas para uma parte de uma mesma categoria - e pelo teor de punição, castigo, chantagem, contra quem saiu do subsídio;

2) do pagamento de um salário inteiro em outubro e outro em novembro referente aos meses de agosto e setembro, quando estivemos em greve. Não haverá reposição se estes salários não forem pagos antecipadamente, ou regularmente, como deveriam ter sido pagos;

3) do pagamento do tal prêmio de produtividade, a que muitos chamam equivocadamente de 14º (pois ele representa apenas de 60 a 70% de um salário) agora em outubro.

Sem estas condições mínimas, temos que pensar a retomada das mobilizações nas escolas podendo resultar em nova greve ainda este ano.

É importante que o governo saiba que por trás da comissão que negocia nossa vida profissional e o piso, existe agora um NDG, um exército de classe, que não vai aceitar essa situação, e vai mobilizar a comunidade escolar, denunciando a patifaria que se pratica contra os educadores e a Educação pública em Minas.

O Governo de Minas, com os confiscos que aplicou este ano aos educadores, quer pagar:

1) o prêmio de todos os servidores de Minas Gerais,

2) o salário de todos os substitutos, podendo mantê-los até março de 2012;

3) os reajustes do Procurador-geral e do MP, do Legislativo e do Judiciário;

4) a mesada da grande mídia mineira, cada vez mais comprada;

5) além das obras da COPA do MUNDO!

E isso nós não podemos aceitar!

Um forte abraço a todos e um início de semana mobilizando as escolas para novas paralisações e atos de protesto caso o governo não nos atenda!

Força na luta, até a nossa vitória!



***


O Estado Hobbesiano e a questão da ilegalidade
Jeovandir Campos do Prado*

Entendo perfeitamente as angústias e frustrações contidas nas falas e comentários postados dos professores nos espaços virtuais destinados a eles. Concordo com alguns e discordo de outros, muito natural numa sociedade “dita” democrática. Penso também, que a polissemia dos conceitos de ilegalidade ou de legalidade tem que ser revista do ponto de vista jurídico-político. Seria legal ou ilegal a atuação dos poderes constituídos nos desdobramentos atualizados sobre a greve dos professores? Será que é legal, Senhores deputados, Senhores Juízes, Senhores desembargadores, Senhores governadores a manutenção da educação brasileira como uma das piores da América Latina? Ah Esqueci! Isso não se aplica para Minas.

Talvez seja ilegal, ao retornarmos para as nossas escolas encontrar colegas envergonhados por não terem se envolvido ou aderido a um movimento reivindicatório “ilegítimo”; pela não adesão justificada por medo na pressão exercida por um diretor qualquer; medo de atrapalhar a aposentadoria próxima; por achar que “uma andorinha só não faz verão”, como ouvi de uma professora se justificando; ou pelo transtorno causado pela reposição das aulas, trabalho nos finais de semanas e diminuição das férias, já que para os pessimistas a greve é sinônimo de perdas, constrangimentos, e não de conquistas, ganhos e avanços. Para estes, a greve é sempre ilegal.

É perfeitamente compreensível hoje, que qualquer projeto assentado em princípios coletivistas é refutado facilmente pelo pensamento político vigente, principalmente, quando este está protegido pelos poderes constituídos e pela indústria midiática que vive em espraiar e balizar a lógica individualista do “salve-se quem puder”. Do IDEB na porta da escola, dos prêmios e castigos para os “bons e os ruins” profissionais. É estranho ver que estas propostas são oriundas de “meia dúzia” de “espectros” que assombram a educação brasileira ao se intitularem especialistas em educação e por se esconderem atrás dos editoriais das revistas e jornais de grande circulação com suas receitas infalíveis imanente da lógica empresarial. Os ilegais aqui são os pesquisadores decentes e educadores sérios que quase nunca são consultados, muito pelo contrário, são castigados. Um bullying às avessas.

O episódio recente dessa luta travada no teatro mineiro mostrou o que Marx já havia comentado a mais de um século atrás. Nos seus últimos escritos, numa fase mais madura, especificamente n’O 18 Brumário de Louis Bonaparte ao retratar o momento político francês, Marx já atentava para o papel da mídia e seus formadores de consenso, ou melhor, de um senso comum em torno de um projeto hegemônico. É fácil também identificar nesse teatro o papel reservado a democracia, conspurcada e encostada em um canto qualquer. A democracia como “poder do povo” aqui é somente ardil discursivo plantado no imaginário popular, nada além disso.

Minas é a verdadeira representação do Estado hobbesiano. Aqui o “Leviatã” é materializado na figura de seu governante, no seu legislativo dócil e bem comportado, no aparato jurídico e da imprensa servil. O que há de ilegal nisso? O ilegal é que “compramos gato por lebre”. É que “ganhamos mais não levamos”. A democracia é letra morta no campo das aspirações sociais, políticas e jurídicas. Hayek dizia que a democracia “assanha a sanha dos que não deram certo no mercado”, por isso ela não pode ser levada a sério. No Estado aterrorizador de Thomas Hobbes o medo é componente indispensável. Sabemos que a democracia não combina com opressão e muito menos com o medo.

Os episódios na Praça da Liberdade, na data da inauguração do relógio da copa, reforçam a tese do Estado hobbesiano. A truculência e o despotismo entram em cena quando se trata de lutas em defesa dos direitos sociais dos trabalhadores e por melhores condições de trabalhado. No regime militar o nosso inimigo era mais previsível, no Estado hobbesiano ele é mais ardiloso. Penetra no inconsciente das pessoas, através do senso comum impregnado na sociedade, fazendo com que elas acreditem viver num país democrático no qual os poderes constituídos estão a serviço de todos. Ledo engano!

A greve é ilegal porque descortina ou retira a sujeira da farsa democrática escondida por debaixo do tapete, varrida pelo poder político e assentado no engodo e falácia das promessas eleitorais. A greve é ilegal porque consome capital político acumulado na poupança das propagandas do “país das maravilhas” (horário político) e balizado pela mídia a serviço. A greve é ilegal porque mostra as fragilidades econômicas dos estados e põe em “xeque” a eficácia dos “choques de...”. A greve é ilegal porque resgata práticas coletivistas que o senso comum neoliberal as considera ultrapassadas. A greve é ilegal porque trás esperança por dias melhores e mais justos.

Muitos de nós achamos que a greve deve ter efeitos imediatos traduzidos em ganhos financeiros e esquecemos os verdadeiros efeitos que em longo prazo sua “ilegalidade” produz. E um deles, está no papel da própria escola concernente ao seu poder irradiador sobre seus alunos, a comunidade e sociedade em geral. Anunciada e vivenciada na prática política dos seus atores em cena. Desvelando, parafraseando o Professor Luciano Mendes ao responder aquele tal desembargador, que nos “grotões de Minas” não só de pão vive o homem, eu acrescento, mas de toda ação que “conspira” em oposição a um projeto hegemônico de supressão dos direitos.

Ilegais são os professores que teimam em querer ensinar lições que fogem da alçada do aparato midiático e do adestramento infligido pelo modelo educacional posto. Ilegais estão nós, você que não se enquadra em nem uma das figuras aludidas acima e o povo que tem que aceitar as dádivas e benesses proporcionadas por anos e anos de programas de governo e de partidos, em detrimento de uma política séria de Estado para a educação.

Para finalizar, ao escrever este desabafo veio-me a mente um argumento conhecido muito utilizado pela imprensa conservadora para criticar o “Estado Providência”. O argumento do efeito perverso de Albert Hirschman, segundo ele, o Estado ao proteger o indivíduo ou cidadão da “falta de sorte” leva o mesmo Estado a “desgraça” e seu “inchaço”, tornando-se pesado para o próprio contribuinte, o cidadão. Gostaria de acreditar que a ilegalidade da nossa greve fosse capaz de produzir um tipo de efeito perverso materializado no cumprimento do nosso tão sonhado piso, na valorização profissional e que não ficasse restrito na letra morta da lei, ou seja, na “ilegalidade” como este texto provavelmente está.

*Jeovandir Campos do Prado é professor da rede estadual de Minas e mestrando em Educação (UFU).


166 comentários:

  1. Um absurdoooo... Quando vi o meu contracheque não acreditei...só agora caiu a ficha....A vontade é de voltar a greve, mas sem deixar escola abrir ou substituto entrar...um absurdo..

    ResponderExcluir
  2. Que Deus esteja a frente das negociações para que consigamos avançar nas propostas.Minha ansiedade é muito grande!Penso nos colegas passando necessidades com família para sustentar e fico em desespero.Tenho filha fazendo faculdade e minhas despesas com ela é enorme,tenho uma aposentadoria que me ajuda,mais quem não tem?Não consigo nem dormir!Não acredito na vitória após o término da greve!Que Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
  3. Sabe quando eu irei repor 1 aula sequer sem antes ver o pagamento na conta?
    NUNCAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.
    Abraços Euler.
    Rosilene (Cons. Pena)

    ResponderExcluir
  4. Vamos continuar a receber esta miséria até fevereiro do próximo ano? Não dou conta de viver assim até lá. Quase caí dura quando vi meu contra-cheque.Que absuuuuuurdo! Socorro!!!! Regina

    ResponderExcluir
  5. MARY-Ipatinga
    Acordei cedo p ver contra cheque;estou indignada.
    Voltei p carreira antiga e os valores das vantagens foram calculados todos abaixo do contra cheque 12/2010.No subsídio a diferença a mais era de 234,00,ao voltar p (VB) o valor foi 515,00 a menos.Fiquei pasma.Estou aguardando idade p aposentar 11/03 /2012 completo 50 anos enão sei o q fazer.Acho que vou fazer de conta q trabalho ,mesmo não sendo meu perfil,igual os professores tampão.Se o próprio governo não tem respeito com a educação,porque eu deverei ter.

    ResponderExcluir
  6. Sebastião Costa na comissão, esse eu conheço, só vota a favor do governo. Deus nos ampare.
    Nossa região está de olho, pois sempre tem votos por aqui.

    ResponderExcluir
  7. Biobira - Biologia3 de outubro de 2011 06:49

    Euler, todos nós deveríamos mandar para você nossos contracheques editados para que pudessemos ter mais uma ferramenta de comprovação do piso que não é pago e também sabermos o número de grevistas, se todos que acessarem mandarem para seu e-mail, daria um material fantastico.

    ResponderExcluir
  8. Vocês acreditaram que ele pagaria! Ele quer que aprendamos a lição para pensarmos duas vezes antes de deflagrar nova greve. Coitado! Quanta inocência a dele. Estamos apostos para uma nova greve bem mais organizada da qual terminamos, ele que aguarde. E estou adorando passar os vídeos da ditadura instalada em Minas para meus alunos, eles estão assustados e espantados com a forma com a qual o governo nos tratou, a falta de respeito. Professora, mas polícia não é pra bandido? Me perguntaram vários alunos. Eu disse que seria, mas que aqui em Minas e no Ceará, polícia é para professores que dão aula de cidadania e lutam por seus direitos. Em todas as turmas que leciono eles nos apoiaram e disseram que na próxima poderemos contar com eles. Um Grêmio Estudantil está sendo criado na escola na qual trabalho, e o líder conseguirá trazer para o nosso lado a maioria dos alunos da escola, além dos pais destes. Sugiro, então que, pensem na possibilidade de criarem um Grêmio Estudantil em suas escolas para que assim possamos articular com todos os alunos, pais e comunidade escolar. Eu já estou fazendo isto. Ele terá uma grande surpresa com nossa próxima greve, acredito eu, que será já no início de fevereiro de 2011, pois este homem, que se diz governador não honra as calças que veste e não vai cumprir com o quê foi combinado. Vou omitir meu nome, não por medo, mas para tentar não comprometer meus planos e dos meus alunos.
    Até a nossa vitória, pois como grandes guerreiros inteligentes que somos, demos uma recuada para traçar as estratégias que irá derrubar o nosso inimigo com um golpe só.

    ResponderExcluir
  9. Por que o governo de Minas pode reduzir o salário dos professores?Quem ficará com os meus 300 reis? Ele me pediu emprestado para me pagar o 14°?KKKK

    ResponderExcluir
  10. Estou indignada!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. Não dá pra saber se ingenuidade do sindicato ou se ta rolando alguma sacanagem por fora, acreditar em anastazia, só podia dar nisto, quero ver o que vai dar esta reunião hoje, na minha opinião merda nenhuma, o Leandro falou a coisa certa, botar pra fora da escola os substitutos e fazer linha dura com quem quer da aula para este governo maldito. Vamos aguardar até a noite e veremos ainda hoje o que Beatriz tem a nos dizer??? Quero ver isto postado Euler, todo mundo está indignado e muito, abços e obrigada, Celia-GV.

    ResponderExcluir
  12. Euler, teve andamentos no processo no STF
    http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2645108

    ResponderExcluir
  13. MAIS UMA VEZ O GOVERNO NOS PASSOU A PERNA!!!!!!! MAS E DAÍ,SOMOS SOMENTE UNS MEROS PROFESSORES QUE NÃO TEM VERGONHA NA CARA. O SENHOR ANASTASIA ACENA COM UM SORRISINHO MAROTO E TODOS BABAM E VOLTAM PARA AS SALAS COMO UNS HEROIS.AGORA NÃO ADIANTA RECLAMAR,JÁ ERA,PISO....... NUNCA MAIS.TÔ SARTANDO FORA,ATÉ LÁ,GREVE BRANCA: NÃO ENTREGO DIÁRIO,NÃO FAREI PLANEJAMENTO,NÃO PARTICIPAREI DE NÓDULO 2,POIS É UM NÓDULO MESMO,NÃO INCENTIVAREI OS ALUNOS A FAZEREM AS AVALIAÇÕES EXTERNAS,OU MELHOR,VOU FALAR PARA NÃO FAZER!!!!!
    A ÚNICA COISA QUE VOU FAZER,SERÁ DA PORTA DA SALA DE AULA PRÁ DENTRO: PARA MEUS ALUNOS CONTINUAREI SENDO PROFESSORA,VOU PASSAR E DIVIDIR CONHECIMENTOS COM ELES.NO MAIS VÃO TODA ESSA CÚPULA DO DESGRAÇADO SE FERRAR.A PARTIR DE AGORA VÃO VER COM QUEM ESTÃO MEXENDO,PELO MENOS COMIGO SERÁ ASSIM!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Euler, já que você publicou o seu contra cheque, posso enviar para os deputados?
    Tallllvezzz. acenda uma luz na cabeça deles.
    Anastasia deverá pagar com tudo isso. Este homem nunca ouviu falar em DEUS.
    DEUS está dando asas para ele, mas elas serão cortadas muito rápido e o tombo será grande.
    Eleição, nunca mais.
    Ele está despedindo com crueldade,terá que prestar contas ao nosso bom DEUS.

    ResponderExcluir
  15. Anastasia não tem coração, pois se o tivesse DEUS conseguiria tocá-lo.
    Disse em outro post que dia 15/10 será LUTO NA EDUCAÇÃO e alguns responderam:
    "LUTo p* nenhuma", "LUTO por quê? Eu não morri"
    A estes, parabenizo, pois para mim, já era difícil sobreviver no mês com o salário de professor, imagine o mesmo zerado. Talvez eu morra sim, de fome, de ataque cardíaco, assassinada por dar calote na padaria, no aluguel, etc.
    Minha opinião continua sendo a mesma, enquanto TODAS as nossas reivindicações não forem atendidas (respeitadas, "justiçadas")é LUTO NA EDUCAÇÃO sim, profisão que jaz na miséria, na desvalorização, não há o que se comemorar no dia 15/10. Esse dia não pode ser de comemoração e sim de protestos.

    ResponderExcluir
  16. Por e-mail:

    "Lis O.:

    Não consigo postar no seu blog. Estou revoltada com o contracheque desse mês 650 de corte greve sem 14 salário! GREVE GREVE"

    ResponderExcluir
  17. Carlos José - Nova Lima3 de outubro de 2011 09:34

    Euler e colegas professores do NDG,
    Sabe para onde está indo o nosso dinheiro? Para pagar as despesas da Cidade Administrativa que já estourou todo o orçamento. Veja esta notícia fresquinha no UAI:

    O gasto operacional da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, sede do governo de Minas, ultrapassou em setembro o valor previsto para todo o ano. No orçamento foram destinados R$ 97 milhões, mas já foram gastos R$ 99,6 milhões. Entre os itens das despesas estão material de consumo, energia elétrica, alimentação, locação de máquinas e equipamentos, serviços gráficos, TV por assinatura, veículos, telefonia e manutenção das instalações, entre outros. Os dados foram consultados no Orçamento de 2011, disponível no site da Secretaria de Planejamento e Gestão e no Portal da Transparência.

    A despesa com energia elétrica na Cidade Administrativa chegou, até setembro, a R$ 6,9 milhões. Esse valor é quase o total do orçamento reservado para esse tipo de gasto em 2011. Boa parte do sistema de iluminação dos prédios Minas e Gerais tem ficado acesa à noite e durante a madrugada e pode ser observado por quem trafega pela Linha Verde. Foi o que constatou o Estado de Minas às 2h de sexta-feira.
    Abraços, Carlos José - Nova LIma

    ResponderExcluir
  18. Euler, hoje nao consegui seguer levantar da cama,pois sou diabetica tipo 1,ou mais claro os que tomam insulina e outra coisa que me atormenta,se diz tanto em inclusao em escola ,mas nos que fazemos parte das diferenças as esçolas nao tem um pingo de consideraçao,pois o professor e a exclusao ,outra coisa que tenho observado,o desconto esta maior que o salario,estou pensando em reclamar e no ministerio publico,pois temos que por esse povo pra trabalhar,onde ja se viu uma coisa dessa ,outra coisa voce e uma pessoa bem esclarecida,o atestado medico para o professor nao serve pra nada,pois se estamos sem condiçoes e as vezes ate no pronto socorro e eles nao o aceita,pois convivo com esse problema,temos que continuar trocando ideias neste blog,pois so assim poderemos ir mais longe,pois tenho colegas que voltaram com uma depressao enorme,por favor me diz o que eu posso fazer ,pois tenho 23 anos em um cargo e 18 no outro,e estou muito cansada,e acho que tem politico conseguindo muito ajustamento para pessoas com condiçoes boas simplesmnte para nao ficar na sala ,pois somos trabalhadores comuns,mas nao podemos passar mal,isso nao pode continuar assim,atravez deste blog,podemos fazer a difernça me ajude

    ResponderExcluir
  19. Amigo NDG, bom dia! Temos que filmar os tampões na escola e montar um material e denunciar o desgoverno de MG. Eu não estou em estado de greve e sim literalmente de greve. Até a vitória na luta pela implementação do piso salarial nacional.

    ResponderExcluir
  20. O amigo Euler,
    fiquei com muita pena de você.Meu DEUS como que pode? o meu contra cheque não está diferente.
    GILVÂNIA, HISTÓRIA

    ResponderExcluir
  21. Carlos José - Nova Lima3 de outubro de 2011 09:52

    Euler, não sei se o problema está no internet explorer que eu tenho instalado, mas quando envio meus comentários, eles somem e não são postados. E quando consigo enviar é somente como anônimo. Já no Chrome, consigo enviar normalmente, com rapidez e com minha identificação.
    Dá umas dicas aí para o pessoal, pois parece que estão passando pelo mesmo problema.

    ResponderExcluir
  22. João Paulo Ferreira de Assis3 de outubro de 2011 10:08

    Prezado amigo e companheiro de luta Prof.Euler

    Prezado amigo e companheiro de luta Prof.Paulo Andrade

    Prezados companheiros de luta

    Fiz uma pesquisa no Yahoo sobre irredutibilidade de salários e achei a notícia no site Jus Brasil Tópicos (www.jusbrasil.com.br/topicos/516694)
    que transcrevo na íntegra:

    sobre Irredutibilidade salarial:
    » Irredutibilidade salarial em Notícias e doutrina (233)
    » Irredutibilidade salarial em Jurisprudência (2.679)
    » Irredutibilidade salarial em Legislação (11) Notícias e Doutrina sobre "Irredutibilidade salarial"
    Constituição garante irredutibilidade salarial da classe de professores

    A Constituição de 1988 consagrou entre os direitos dos trabalhadores empregados (celetistas)
    a irredutibilidade salarial, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo (artigo 7º, VI). A
    mesma Constituição assegurou o mesmo direito aos servidores estatutários e empregados pú...

    Consultor Jurídico - 14 de Abril de 2011

    Funcionário da CEF consegue gratificação com menos de 10 anos na função

    A 13 dias de completar 10 anos na função, um trabalhador conseguiu, na Justiça, incorporar a
    gratificação de função. Com base em princípios constitucionais como o da irredutibilidade
    salarial e da razoabilidade, assim como a analogia com normas referentes ao pagamento de fér...

    Consultor Jurídico - 30 de Novembro de 2009

    Redução de carga horária de professor só é válida com autorização do sindicato

    da irredutibilidade salarial é antiga conquista da categoria e se encontra em todos os
    instrumentos normativos que cobrem o contrato de trabalho da reclamante.

    Correio Forense - 11 de Outubro de 2008

    Saudações e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  23. Gente estúpida... Gente hipócrita!

    ResponderExcluir
  24. João Paulo Ferreira de Assis3 de outubro de 2011 10:12

    Prezados companheiros de luta

    Sobre os professores, há a notícia na revista Consultor Jurídico:

    Redução de salário de professor é inconstitucional Por Alessandro Chiarottino

    A Constituição de 1988 consagrou entre os direitos dos trabalhadores empregados (celetistas) a irredutibilidade salarial, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo (artigo 7º, VI). A mesma Constituição assegurou o mesmo direito aos servidores estatutários e empregados públicos, ou seja, a todos aqueles que trabalham, em caráter permanente, sob a égide da administração pública (artigo 37, XV).

    A pergunta que se coloca é: o que se aplica aos trabalhadores da iniciativa privada e aos servidores públicos em geral também se aplica aos professores que se enquadrem nestas categorias? A resposta é afirmativa, em que pesem algumas diferenças devidas às peculiaridades da profissão em questão.

    No que respeita aos professores que mantêm vínculo de caráter estatutário com instituição pública, não resta dúvida que qualquer alteração que importe em redução de remuneração (ou seja, dos vencimentos e das vantagens de caráter permanente) importa em violação da norma constitucional supramencionada.

    Não importa aí se a redução ocorreu por mudança do regime de trabalho (de regime de dedicação exclusiva para turno completo, por exemplo) ou em razão de alteração na forma de cálculo dos vencimentos, ou outra razão: qualquer mudança que importe na redução do valor nominal da remuneração deve ser considerada ilegal.

    Já para os professores que mantêm vínculo de natureza contratual (CLT) com a administração pública (empregados públicos), a situação comporta algumas distinções. Com efeito, para os professores “horistas”, a redução salarial é possível, desde que vinculada à redução do número de alunos da instituição de ensino (não é suficiente a redução de turmas, já que a instituição poderia “burlar” a regra ao reduzir as turmas mesmo na ausência de uma redução do número de alunos).

    Também se admite a redução no caso de um professor passar a ocupar temporariamente a vaga de outro mais antigo: nesse caso, quando ocorrer a volta do último, aquele que havia assumido suas aulas poderá ser reconduzido à situação anterior sem que isso signifique redução ilegal. Todavia, mesmo nestes casos, a redução não pode ultrapassar o mínimo permitido pela Lei 9.394/96, conhecida como Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que, em seu artigo 57, garante ao professor que atue em instituições públicas um mínimo de oito horas-aula semanais.(CONTINUA)

    Saudações e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  25. João Paulo Ferreira de Assis3 de outubro de 2011 10:12

    Prezados companheiros de luta

    2ª parte:

    Já para os professores em jornada integral ou parcial (qualquer que seja a denominação dada a estes regimes), a redução salarial não é possível, sob nenhuma hipótese. Entretanto, é preciso lembrar que reduções salariais ocorridas em razão de o professor ter deixado de exercer função de confiança (como, por exemplo, a de coordenação) não se encaixam na descrição acima: os ocupantes de funções de confiança podem ser livremente removidos destas a critério da própria administração, sem qualquer ônus para esta última. Por óbvio, os professores que deixam uma função de confiança, voltam ao status quo anterior, aplicando-se a estes as regras aplicáveis aos demais.

    Já para os professores empregados em instituições privadas de ensino, a situação é muito semelhante à dos empregados em instituições públicas sob a égide da CLT, com duas diferenças importantes: a) na esfera privada, não se aplica o mínimo legal de oito horas-aula semanais, salvo se assim for estipulado em convenção coletiva; b) a redução ilegal, se ocorrer, dará ensejo à despedida indireta por culpa do empregador, o que não acorre na administração pública: no caso de servidores, as reduções ilícitas devem ser remediadas com o pagamento das verbas devidas e a correção da redução havida.

    Finalmente, ressaltamos que procuramos aqui apresentar apenas um panorama geral do tema, que comporta inúmeras situações peculiares, como é usual na seara jurídica.
    Alessandro Chiarottino é advogado em São Paulo.

    Revista Consultor Jurídico, 14 de abril de 2011

    Saudações e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  26. João Paulo Ferreira de Assis3 de outubro de 2011 10:20

    Prezado amigo e companheiro de luta Prof.Euler

    Prezados companheiros de luta

    Talvez seja melhor nós terminarmos este ano primeiro, e a começarmos uma nova greve a partir do início do ano letivo de 2012.
    Primeiro porque é preciso uma preparação minuciosa para a greve. Em segundo porque seria de bom aviso deixar três alternativas para as escolas escolherem: greve total, nesse caso os seus professores não necessitariam participar de atividades de retaguarda; greve parcial, com paralisação apenas nos dias de Assembleia (nesse caso o Sindute faria um rodízio de dias), mas com participação de ações na retaguarda: arrecadação de cestas básicas para professores que estiverem de salários cortados; e não greve, também com participação nas mesmas ações. Isto seria uma forma de todos participarem da luta.

    Saudações e até a vitória.
    João Paulo Ferreira de Assis, (que teve 940 reais descontados)

    ResponderExcluir
  27. OLHA AÍ PESSOAL, UMA MATÉRIA DO G1 (GRUPO GLOBO) MOSTRANDO A POSIÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO À GREVE. UMA REPORTAGEM IMPARCIAL, TÔ ATÉ ESTRANHANDO POR SER UMA REPORTAGEM DA GLOBO, MAS BEM FEITA... MUITAS FALAS A NOSSO FAVOR.

    http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2011/10/apos-greve-alunos-estao-apreensivos-com-enem-e-vestibulares-em-mg.html

    ResponderExcluir
  28. SOMOS DE AÇO E SOMOS DE FLORES

    “O aprimorado da vida ainda insiste em nascer dos contrários. As mulheres sabem mais sobre isso. Elas experimentam na carne o destino de serem como Deus, em pequenas partes. Geram o mundo; embalam os destinos e entrelaçam num mesmo tecido as cores da fragilidade e da força. Elas são de aço. Elas são de flores”
    Fragmento de uma resenha do livro Mulheres de Aço e de Flores de Pe. Fábio de Melo.

    Para a colega ANÔNIMA das 9h34min e a todos que se encontram na mesma situação, não podemos perder nossa energia, o momento exige que estejamos mais revigorados, mesmo que sintamos esvaziados, ainda assim é preciso entrelaçar “num mesmo tecido as cores da fragilidade e da força”.

    E vamos seguindo em frente!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  29. Dica para o Carlos José, sobre comentarios nos blogs,todos que tem o xp e tem o explore antigo devem baixar o novo ou colocar outro como mozila chome, para poder postar os seus comentários.
    Como os professores vão pagar as contas? É mesmo um abuso.....

    ResponderExcluir
  30. Passo pelo mesmo problema,sou diabética tipo 2 e quando vi o contracheque zerado e com contas a pagar minha glicemia foi 500 e tive que ser internada .Meu Deus porque tantas injustiça? NÃO EXISTE LEIS E ESTAMOS A MERCÊ dos desmandos dos políticos safados e de um sindicato incompetente!Se hoje não for resolvido nada teremos que ser radicais,Uns com tanto e nós nesse sufoco todo.Querido Euler,você com suas idéias brilhantes é nossa esperança!

    ResponderExcluir
  31. OS PROBLEMAS DE UMA MÁ ADMINISTRAÇÃO


    Despesa com manutenção da Cidade Administrativa já estourou orçamento de 2011

    Só a energia elétrica da sede do governo custou ao estado R$ 6,9 milhões até setembro

    Quando a Cidade Administrativa foi inaugurada, em março de 2010, o governo anunciou que havia a previsão de reduzir em R$ 85 milhões por ano as despesas com a máquina pública ao transferir as secretarias para o prédio localizado no Vetor Norte da capital mineira. Um ano depois de concluída, a Cidade Administrativa ainda não conseguiu, como previa, concentrar em um só local secretarias, autarquias e fundações.


    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2011/10/03/interna_politica,253794/despesa-com-manutencao-da-cidade-administrativa-ja-estourou-orcamento-de-2011.shtml

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  32. Balanço

    No Brasil da educação é assim: o mínimo merece ser parabenizado

    Ainda bem que a greve dos professores chegou ao fim. Todo mundo ganhou com o anúncio, na última semana. Nós jornalistas, que acompanhávamos por dever as movimentações dos dois lados, torcíamos para o fim daquela agonia homeopática.

    Não há motivo para o Estado e seus representantes se sentirem derrotados. Ouvir, negociar e buscar o consenso, para quem possui o monopólio constitucional da coerção, são gestos de nobreza. Contudo, a atitude demorou mais do que deveria.

    As imagens lamentáveis registradas na Assembleia Legislativa do Ceará redundam em reflexões. Rostos ensanguentados, portas de vidro quebradas, cenário anacrônico de uma época em que movimento de trabalhador se dissolvia a paulada debaixo dos cascos dos cavalos.

    Professores, mestres, preceptores, mulheres e homens a quem é confiada a tarefa de se tornarem referências intelectuais e morais pelo resto da vida apanhando da polícia feito bandidos. Isso porque, pelo visto, não recebem a remuneração digna de um bandido para assumirem tal papel de professor, mestre, preceptor, referência.

    Pareceu uma situação semelhante à dos colegas mineiros, e a exacerbação generalizada acabou em pancadaria. Por aqui, foram quase 120 dias de paralisação.

    Parabéns aos professores, que reivindicaram, puseram o bloco na rua e lutaram para mostrar a justiça do que defendem. Parabéns ao Estado, não por ter "distensionado" a corda, mas pela sobriedade de não ter apelado para a guerra física. Era o mínimo que se esperava de um governo cujo chefe faz questão de ser chamado de professor. (João Gualberto Jr.)

    Disponível em:http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=183960,OTE&busca=Greve%20dos%20professores&pagina=1 Acessado em 3 de outubrod e 2011.

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  33. Urgente! Urgente!
    Euler, o que podemos entender sobre: ".Conclusos ao(à) Relator(a) com 6 volumes e 1 juntada por linha". sobre o acórdão que saiu no dia 30 de setembro? Não é perigoso assinarmos um acordo nesta comissão e darmos argumentos para o não cumprimento do acórdão? Pelo que entendi ele será publicado nos próximos dias. Não vale a pena esperar?

    ResponderExcluir
  34. O contra-cheque, além de zerado, está reduzido...
    Mesmo pagando o que foi cortado devido à greve, ainda receberemos muito pouco. E o pior é que não há nenhuma luz no fim do túnel. Os jornais já esqueceram a greve. O site do sindute não é atualizado há dias. O da secretaria só diz que a educação vai muito bem, obrigado. Somente este blog para reclamar, chorar, pedir... Sei que não deveríamos lamentar aqui, mas tá difícil! Ninguém nos ouve mais.

    ResponderExcluir
  35. Acho que este governo está na corrida contra o tempo. Ele já sabia desde o dia 27 que ia sair algo a nosso favor. Eu só não sei o que era, mas com certeza, os seus informantes já tinham lhe passado o recado.

    ResponderExcluir
  36. Bom dia amigos.

    DE BRAÇOS DADOS!

    AÉCIO NEVES elogia administração de ANASTASIA.

    É A "CRIA" E O "CRIADOR" DE BRAÇOS DADOS.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  37. Bom dia....

    IMBRICAÇÃO!!!

    TAL "PAI", TAL "FILHO"!

    NOJOOOOO


    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  38. Colegas de luta,para ficarmos mais calmos e ter esperanças que dias melhores virão entrem no Sindiute de Montes Claros que falam do andamento da ADIN 4167 e os advogados da CNTE fazem uma análise e 30/09 ,o relator emite um parecer.Tá interessante,podemos ter esperança!Quanto tudo isso passar vamos saber votar,apesar de não ter votado nessa corja que aí está!Euler não consigo viver longe de você !

    ResponderExcluir
  39. Ao anônimo das 11:12. Olhei no blog da Beatriz e tem uma atualização de ontem. Vale a pena conferir pois ela traz novidades da Reunião com a Ministra em Brasília.

    ResponderExcluir
  40. Bom dia a todos os amigos.

    AÉCIO NEVES CANDIDATO À PRESIDÊNCIA...

    SOCOOOOORRROOOO BRASIL!!!

    CUIDAAAAAAAADOOOO BRASIL!!!

    O CARCINOMA QUE INICIOU EM MINAS GERAIS, PODERÁ CAUSAR METÁSTASE NO BRASIL.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  41. saiu também em 30/09/2011, sobre o acórdão: Decorrido o prazo Em 26/9/2011, sem que o Congresso Nacional e a União se manifestassem em atenção ao despacho de 5/9/2011.
    O que isso quer dizer?

    ResponderExcluir
  42. MUITO BOM DIA.

    VASCULHANDO O BLOG DO EULER...

    Cadê alguns de nossos amigos do NDG que contribuíam tanto com seus comentários inteligentes?

    Saudades!

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  43. Pessoal que voltou à carreira antiga em agosto: já estão recebendo pelo sistema antigo de remuneração? Eu e um colega voltamos na mesma data; ele já está recebendo pelo VB e eu ainda pelo subsídio (conferi hj o contracheque).

    ResponderExcluir
  44. Caros companheiros(as) continuo na luta, mando twitters todos os dias para os deputados q nos perseguem e zombam de nós e tb para o subsecretário de estado Leo Portela... Não podemos deixa-los sossegados enquanto não ganharmos essa guerra...

    ResponderExcluir
  45. Agradecemos ao amigo e colega de luta professor João Paulo, pelo ótimo texto que nos trouxe, de um advogado, que corrobora com a tese que sempre defendemos aqui, de que a redução salarial aplicada pelo governo de Minas é ilegal. Além de imoral. E quando falo em moralidade, neste caso, uso a expressão em dois sentidos:

    1) em relação à moralidade pública, que é um dos princípios constitucionais da Administração pública. Por exemplo, deixar de pagar um determinado valor previsto em orçamento estadual - como é o caso dos valores das tabelas do subsídio -, apenas para uma parte da categoria é um ato de imoralidade administrativa. Isto fere a moralidade e a razoabilidade;

    2) tal ato é imoral também, porque fere o bom senso, a ética, pois eivado por uma clara prática de chantagem e punição contra aqueles que optaram pelo antigo sistema de Vencimento Básico. Na ânsia de garantir a permanência dos servidores no pior sistema - o subsídio, que representa confisco salarial se comparado com as tabelas do piso aplicado -, o governo comete este ato imoral, além de ilegal.

    Mas, penso que o nosso sindicato se omite em relação a este tema. Não vi uma nota, uma declaração, uma consideração jurídica sobre este tema por parte de algum advogado ou escritório com o qual o sindicato mantenha contrato. Acho isso uma grande debilidade do nosso sindicato, que deveria ser o primeiro a denunciar, junto ao Ministério Público e a acionar na Justiçar contra tal ato.

    Por que não o faz? Nem mesmo agora, nas negociações, tal tema é colocado. Por que será? O sindicato vai aceitar este confisco de quase R$ 400 mil reais que representou a redução dos nossos salários?

    ResponderExcluir
  46. Euler,
    no blog da Beatriz fala que no dia 08 será comando de greve.
    Tinha entendido que seria assembléia. Com tantos problemas como o comando pode resolver?
    Teria que ter assembléia.
    Fomos enganados novamente.

    ResponderExcluir
  47. Ao Anônimo das 13:00,

    Desde já o convido e a todos os membros do NDG que puderem participar da reunião do comando de greve do dia 08. Geralmente as reuniões do comando são abertas aos educadores, mesmo que não sejam delegados, podendo usar o direito de voz, e não de voto. Por isso é importante que esta reunião tenha mesmo o maior número de participantes, para que possamos estabelecer nossas estratégias de ação em face das negociações entabuladas entre sindicato, governo e parlamentares.

    Um forte abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  48. Fátima - Professora de História - Ubá3 de outubro de 2011 13:13

    Euler, hoje foi o meu primeiro dia de aula após a greve. Tudo estava muito triste, até o dia amanheceu triste. O céu nublado, anunciava as primeiras chuvas que irão fazer florir a estação mais linda do ano, a primavera.
    Eu estava triste, pois de acordo com relatos de colegas que haviam voltado na semana passada, as coisas não seriam nada facéis.
    Na escola em que leciono, éramos quatro professores em greve desde o dia 08 de junho, tivemos duas ou três adesões posteriores, mas a maioria portanto embora tenham optado pelo vencimento básico permaneceram na escola.
    Não sei fingir e não tenho talvez alcançado ainda o grau de superioridade espiritual para poder olhar cada um deles e sentí-los meus colegas de profissão. Algo se quebrou dentro de mim e acho que para sempre, não adinta, nunca mais serei a mesma.
    E sei que eles perceberam, pois estava meio que robotizados, até o bom dia parecia mais um sussuro. Se era vergonha não sei, mas com certeza eles perceberam pelo meu comportamento o que eu pensava deles.
    Para completar a tristeza do dia, no final da terceira aula a diretora, que por sinal chegou me ignorando, me chamou para uma conversa, pois ficou sabendo da minha intenção de não repor as aulas. Eu disse que sim, mas que essa conversa não poderia ser naquele momento pois eu aguardava as orientações do sindicato e que só poderia falar do assunto depois da assembleia do dia 08. Então ela disse que eu seria obrigada a repor as aulas, pois o governo proibiu novas contratações, e que a escola que já estava repondo com os tampões pretendia seguir normalmente com as reposições. Inclusive repondo no feriado municipal do dia 8 próximo. Como não conseguiram tampão para minhas aulas e não podem contratar, serei "obrigada a repor as aulas. Minha resposta foi a seguinte,aproveite então, os tampões cujos professores optarem por reporem as aulas e ela respondeu respondeu que não sabia se eles tinham formação que permitisse lecionar o conteúdo de História. Então eu disse, mas durante a greve eles podiam, agora não podem mais.
    O governo ainda não saciou sua sede de vingança pra cima dos pofessores e como ele tudo pode, muito em breve mandará erguer no pátio das escolas um tronco, pois os capatazes e os chicotes já estão lá dentro. Assim a punição se tornará bem evidente e além de exemplo para os outros, serviremos também como espetáculo para sua politica do pão e circo.
    Como não podemos contar com ninguém para nós defender, tratemos de nos unir pois somente a nossa força e a nossa união poderá conter esse senhor de escravos e libertar essa grande senzala chamada Minas Gerais.
    Senhor tende piedade de todo povo mineiro e brasileiro que neste momento sofre e luta por seus direitos.
    a luta continua!

    ResponderExcluir
  49. Por que não boicotamos as avaliações externas?
    Neste ano terá Prova Brasil e PROEB. Vamos parar!!!!!!!!
    O prêmio também está vinculado às avaliações externas, como não recebemos, para quê fazer?
    O governo só cobra dos professores e não tem que fazer nada? BASTA!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  50. A greve que dá mais certo é a "operação tartaruga" nas escolas. Trabalhar pouco enquanto o salário for pouco. Dar aulas de 30 minutos e ganhar o nosso dia (escumungado) sem ter que fazer nenhuma reposição, pois o dia letivo foi considerado.Eu acho que esse tipo de greve incomoda muito o estado! Será que incomodaria o DITADOR NANÁ? É pagar prá ver...

    ResponderExcluir
  51. Sen_Cristovam Cristovam Buarque
    [No meu Site] Sob protesto, Assembleia do Ceará aprova piso dos professores bit.ly/nLocmC

    ResponderExcluir
  52. Boa tarde a todos. Companheiros fica aqui uma pequena sugestão para que possamos em uma próxima greve estarmos ainda mais fortalecidos e organizados. Creio na minha opinião ser importante em cada escola estadual ter núcleos de professores (não somente um, mas, vários) que possam estimular outros a paralisarem, aqueles que não puderem participar da greve devido aos parcos salários estarem comprometidos com aluguel, alimentação etc, que pudessem fazer paralisações periódicas em torno de 5 ou 10 dias no mês, mas fortalecerem as frentes de combate indo às assembléias, para que o governo possa ver que a categoria participa em peso, e, assim induzindo o governo a uma negociação.

    ResponderExcluir
  53. O DIA EM QUE CHARLOTTE LEU LÊNIN:

    foi um erro SUSPENDER A GREVE!
    deu no que deu!!!
    agora fica a pergunta no ar: O QUE FAZER?

    ResponderExcluir
  54. Sindicato registra uma denúncia de violência contra professores a cada três dias, mostra balanço

    OTEMPOonline

    O disque-denúncia criado pelo Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro Minas)
    recebe, em média, uma ligação relatando ocorrência de violência contra educadores a cada três dias. Os números foram divulgados nesta segunda-feira (3) e englobam tanto instituições privadas quanto escolas da rede pública.

    De acordo com o sindicato, entre fevereiro, quando o serviço começou a funcionar, e setembro, foram 40 ligações denunciando casos em escolas particulares. Nessas ligações, o Sinpro registrou 59 ocorrências, entre ameaças, agressões verbais e físicas e assédio moral.

    Durante o mesmo período, em colégios da rede pública, foram 43 denúncias. Segundo o sindicato, a maior parte das ligações é referente a casos envolvendo aluno e professor, mas também há ocorrências com pais dos estudantes e diretores das instituições.

    Serviço - Em funcionamento desde fevereiro deste ano, o disque-denúncia gratuito (0800 770 3035) foi criado para atender os professores que sofreram ou presenciaram algum tipo de violência dentro de escolas particulares. A ferramenta funciona das 9h às 13h e das 14h às 18h.

    O sistema também está disponível no portal do Sinpro Minas. O sindicato ressalta que a identidade e os dados dos professores são mantidos em absoluto sigilo.


    Não vamos sumir: deixem lá os comentários!

    ResponderExcluir
  55. Corrigindo o meu comentário das 12:57...

    Disse:

    "O sindicato vai aceitar este confisco de quase R$ 400 mil reais que representou a redução dos nossos salários?".

    Quando deveria ter dito:

    "O sindicato vai aceitar este confisco de quase R$ 400 MILHÕES DE REAIS (e não R$ 400 mil) que representou a redução dos nossos salários? ".

    ResponderExcluir
  56. CHARLOTTE COMENTA:

    Diógenes disse...

    Boa tarde a todos. Companheiros fica aqui uma pequena sugestão para que possamos em uma próxima greve

    Próxima greve??? Mas como assim? Uai, me disseram que a greve estava apenas SUSPENSA...

    Oh, admirável mundo das palavras???
    Será tudo só uma questão de interpretação!!!
    Por isso eu digo e repito: é um perigo o PT na liderança sindical. Nada pode atrapalhar o sossego do Lula

    ResponderExcluir
  57. "Operação tartaruga" na período de suspensão da greve. Pouco dinheiro, poucas horas de serviço!

    ResponderExcluir
  58. Comandante Euler, aqui em Caratinga está rolando uma papelada da SRE, EXIGINDO que os professores assinem se responsabilizando pelos danos causados à educação, caso não querem repor as aulas, sob pena de responderem processo administrativo. gostaria que você colocasse sua posição sobre esse tipo de exigência, ou seja, assédio.
    MAURO NDG.

    ResponderExcluir
  59. Ao combativo colega MAURO NDG,

    A orientação é para que ninguém assine papel algum. Quanto à reposição, aguardemos a negociação que será feita. Defendemos que, quem não queira repor, total ou parcialmente, que tenha este direito, sem prejuízo da vida funcional. Mas, para isso é preciso aguardar as negociações. Diga para o seu diretor dar um tempo, e se preciso for, formalize um texto dizendo que está disposto a repor sim, mas aguarda a orientação do sindicato, que negocia esta reposição com o governo.

    Isto fará com que o problema seja transferido para o governo e será ele, e seus agentes - governador e secretária da educação e diretores de escola - quem poderão responder judicialmente pela não reposição.

    ResponderExcluir
  60. A Irredutibilidade do Salário e a questão do Paradigma Salarial

    http://www.rh.com.br/Portal/Salario_Beneficio/Artigo/6002/a-irredutibilidade-do-salario-e-a-questao-do-paradigma-salarial.html

    Temos que ir no Ministério do Trabalho... com este artigo na Constituição, não tem desculpas para o Tonhão!!!!

    O nosso caso não se encaixa em nenhuma das exceções da lei.....

    Paulo Andrade - Barreiro-BH

    ResponderExcluir
  61. Minha escola não está esperando o pronunciamento do sindicato em relação à reposição e já estamos todos repondo. Agora, foda mesmo é ter que ficarmos trabalhando exaustivamente, sem direito à finais de semanas, feriados e férias (porque greve NÃO é férias), e os substitutos lá à toa, rindo, conversando e brincando nas salas dos professores enquanto nós, que ralamos para tentar alcançar um salário digno, estamos sem pagamento, ficamos em sala de aula corrigindo as muitas aberrações feitas por esses tampões. Não há mais função para eles nas escolas, estão lá aos montes ganhando dinheiro para não fazer nada. Precisamos de providência contra isso! Ou então que eles façam as reposições. Eu não estou nem um pouco afim de repor, ainda mais se o governo não pagar os meses de outubro e novembro de imediato. O sindicato poderia mandar um comunicado para todas as escolas falando dos riscos que corremos em repor e não levar. Nos ajude!!!

    ResponderExcluir
  62. Acho que o sindicato deveria enviar um comunicado para as escolas esclarecendo a reposição. Não podemos ser obrigados a pagar o que não devemos, já que cortou o nosso salário. E aqueles substitutos estão ganhando nas nossas costas. ódio!

    ResponderExcluir
  63. Acho que devemos voltar para a greve já! O governo não vai cumprir nada, não vamos ter piso, nem salário em outubro e novembro, e de acordo com a Beatriz, ainda corremos o risco de repor e receber só ao final de tudo, por horas trabalhadas. Precisamos nos mobilizar enquanto o sangue tá quente, senão depois, ninguém volta e adeus carreira.

    ResponderExcluir
  64. Minha redução foi pior, pois tenho extensão e dou 24 aulas. Então de R$ 1.845,00 caiu para R$ 1.234,00.
    Uma perda de R$ 611,00 até o piso ser implantado (se for!!!)...

    Paulo Andrade - Barreiro-BH

    ResponderExcluir
  65. Acho que se até dia 08 não for resolvido nada, dia 10 devemos voltar para a greve. Se não nos unirmos novamente, a tendência é dispersar, esmorecer, conformar, resignar e não conseguimos voltar à greve. Escutem o que estou falando: o governo vai nos passar a perna! Vamos dançar bonito. União já! Esse ano letivo não pode ser fechar. E mais. O governo agora achou a "arma" de minar nossa greve: contratar tampões. Temos que correr com eles das escolas urgente! Eu sou da opinião que se nada for resolvido, dia 10 retornaremos a greve? O que mais vamos esperar?

    ResponderExcluir
  66. EU LER JÁ BASTA NEH? ESSE(A) GOVERNADOR(A) QUE NÃO PRESTA NEM PRA SER SÍNDICO, POIS NÃO TEM ÉTICA E NEM CUMPRE LEIS, MUITO MENOS TEM PALAVRA, DEVE SABER QUE NÃO SE PODE ENGANAR O POVO, EU ADOREI A PROPOSTA DE UM ANÔNIMO DE IRMOS EM COMBOIO À BRASILIA, SERIA ALGO QUE TRARIA IMPACTO NACIONAL, PORQUE ESSE CARA DEVE SER ACHINCALHADO PRA COMEÇAR A RESPINGAR NO AÉCIO, E SE O AECINHO COMEÇAR A PERDER POPULARIDADE FICARÁ INCOMODADO. VAMOS À LUTA GENTE!!! SE NÃO BRIGARMOS AGORA SEREMOS ETERNOS VASSALOS NAS MÃO DESSE SENHOR FEUDAL TIRANO!!!

    ResponderExcluir
  67. Euler, será que até o dia 08 já temos alguma posição do Sindicato com os representantes do governo? Ou será que eles vão aguardar até a reunião com a categoria para repassarem as notícias?

    ResponderExcluir
  68. Vamos estudar esta questão da "OPERAÇÃO TARTARUGA".

    Temos que colocar algum tipo de pressão neste governinho safado, senão nada anda.

    O SINDICATO TEM QUE MOSTRAR MUITA FIRMEZA.

    ELES ESTÃO COM MEDO DA CONTINUAÇÃO DA GREVE.

    Sind UTE,
    SENTA A PUA NELES!!!

    ResponderExcluir
  69. É , Charlote, vc tem toda razão! Não tem como discordar de você. E agora?

    ResponderExcluir
  70. Na reunião de hoje, 03/10/11, dará para perceber a intenção do governo.

    Vamos começar em alguma forma de pressão.

    "OPERAÇÃO TARTARUGA"

    ResponderExcluir
  71. VAMOS COLOCAR O DEDO NA FERIDA DELES,

    AÉCIO + ANASTASIA = IMORALIDADE HUMANA + EXCREMENTOS

    ResponderExcluir
  72. ELES ESTÃO COM MEDO DA CONTINUAÇÃO DA GREVE.

    AÉCIO + ANASTASIA = IMORALIDADE HUMANA + EXCREMENTOS

    ResponderExcluir
  73. Na reunião de hoje, 03/10/11, dará para perceber a intenção do governo.

    Vamos começar em alguma forma de pressão.

    "OPERAÇÃO TARTARUGA"

    ResponderExcluir
  74. Vamos estudar esta questão da "OPERAÇÃO TARTARUGA".

    Temos que colocar algum tipo de pressão neste governinho safado, senão nada anda.

    O SINDICATO TEM QUE MOSTRAR MUITA FIRMEZA.

    ELES ESTÃO COM MEDO DA CONTINUAÇÃO DA GREVE.

    Sind UTE,
    SENTA A PUA NELES!!!

    ResponderExcluir
  75. PRECISAMOS ESTAR ATENTOS!
    DEVEMOS ESTAR PREPARADOS PARA NOVOS COMBATES.
    A LUTA CONTINUA!

    ResponderExcluir
  76. Está lançada a campanha pela probidade administrativa em Minas Gerais :dispensa imediata dos "tampões"...é nosso dever moral...Qualquer cidadão pode recorrer a uma ação cível pública(ACP) contra esta insanidade e sem -vergonhice(como o dito popular) do Anastasia.Se o Sindute não encabeçar tal campanha ,faremos nós- o NDG...

    ResponderExcluir
  77. Diz o portal de um jornaleco de quinta categoria aqui das Gerais:

    "Dilma afirma à Fifa que Brasil cumpre os compromissos para Copa de 2014".

    Comentário do Blog:

    Mais importante do que cumprir compromisso com a COPA seria cumprir compromissos com a Educação pública - e com os educadores - que tem importância vital para a vida de milhões de pessoas, durante várias gerações.

    ResponderExcluir
  78. É um Festival de Incoerências que Assolam este País!


    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  79. Euler, certa feita eu indaguei a um jurista sobre o que fazer caso fosse eu obrigada a assinar algo sem concondar pois a CONSTITUIÇÃO FEDERAL ME DA O DIREITO DE NÃO PRODUZIR NENHUMA PROVA CONTRA MIM e ele me informou que eu deveria assinar sempre colocando assim:
    sobreprotestogracieusabrito(EMENDADO e essa parte do meu nome pode ser a rubrica)ai fica evidenciado que assinei sob coação. Então é só assinar assim todo mundo ou não ?

    ResponderExcluir
  80. Colega Fátima
    Ainda não podemos ter a alegria da vitória. Mas temos a dignidade de quem luta. De quem defende os interesses da classe e a manutenção da democracia.
    Parabém pela sua coragem.
    Da consciência de que a nossa causa é justa, tiraremos forças para as novas batalhas.
    Que Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir
  81. De fato, concordo com os que dizem que devemos nos manter unidos e mobilizados e articulados.

    Proponho que o NDG de cada escola se reúna e discuta sobre isso. Depois nos dê o retorno. Nossa estrutura - a do NDG - é horizontal, cada núcleo e cada educador tem papel ímpar, destacado, com autonomia para discutir, planejar e executar as ações de mobilização.

    Claro que se pudermos organizar algumas ações em comum, será um tanto quanto melhor e mais forte.

    Por exemplo: podemos discutir um texto em comum em todas as salas de Minas Gerais, refletindo sobre a realidade da Educação pública e dos educadores.

    Até mesmo quem não participou da greve deve ser convidado a participar deste debate. Será uma oportunidade para que eles comecem um processo de mudança em relação à categoria e ao seu compromisso social.

    Este texto questionaria:

    - a importância da educação e o descaso dos governos que não investem nesta área (e na saúde, saneamento, etc);

    - o papel dos poderes constituídos - legislativo, executivo, judiciário - incluindo o MP - e como eles atuam em favor dos de cima (citar exemplos concretos na realidade local);

    - a inversão de valores na aplicação dos orçamentos públicos. Explicar que o orçamento público é o resultado dos impostos cobrados de todos os trabalhadores, dos pais de alunos e de todos os assalariados, quando consomem alguma mercadoria (imposto indireto, que vira ICMS), ou através do imposto de renda (direto).

    - Mostrar como o orçamento público, do Brasil e de Minas e dos demais estados e cidades, é apropriado pelos políticos e empresários, seja através de pagamento de juros abusivos de dívidas, ou de obras faraônicas, ou de megashows, ou de Copa do Mundo, ou de contratação de cabos eleitorais em cargos de confiança, etc. E enquanto isso não sobra recursos para a Educação pública, para pagar bem aos educadores, para a saúde pública, etc;

    - abordar todos estes temas a luz da realidade dos alunos e da realidade de Minas Gerais e do Brasil. Dividir a sala em grupos e pedir para que eles pesquisem, entrevistem os pais, os parlamentares da cidade, os vizinhos.

    - Se possível, organizar um seminário nas escolas com todas as turmas, passando vídeos sobre a nossa greve, em vários momentos. Convidar os pais para assistirem. Isto pode enriquecer as pesquisas e debates dos alunos;

    Como se trata de uma proposta pedagógica, a direção da escola não tem que dar opinião, a não ser que apoie tal proposta. Aí será bem vinda.

    Pensem, enriqueçam, alterem, acrescentem esta proposta, pois em sala de aula podemos começar a exercer o nosso trabalho de formação crítica e de preparação coletiva para enfrentar o governo.

    Se quisermos nos fazer respeitar - pelo governo, pela polícia, pelo judiciário, pelo legislativo, pelo MP, etc. - temos que organizar as nossa fileiras, os de baixo, os estudantes, os educadores, os pais de alunos e os apoiadores.

    Este é o único caminho para arrancarmos todos os nossos direitos.

    Um forte abraço e força na luta! Até a vitória!

    ResponderExcluir
  82. Caro Euler
    continuamos fazendo deste blog o nosso ponto de encontro.
    Devemos continuar unidos, atentos e prontos para nos defender.

    ResponderExcluir
  83. Olá companheiros

    Me expliquem, pois acho que já estou ficando burra!!! Iniciei a greve na última semana de agosto, recebo apenas 1.000,00 (25 anos de serviço)e já me descontaram 150,00??? Como pode? Meu Deus, não tenho nem vontade de trabalhar, como pode um ser humano fazer tanta maldade com seu semelhante. Eu tenho que ajudar a sustentar meus filhos, se o governo acha que me tornará fraca, aceitando as injustiças, está muito enganado. Estou triste sim, por ver meu trabalho desvalorizado, desmoralizado, mas tudo passa...
    Estamos em estado de greve, isto me basta!!!

    ResponderExcluir
  84. O que aconteveu na reunião, alguém sabe???????

    ResponderExcluir
  85. Além do ponto de encontro, Anônimo das 16h56min, este blog nos serve, também, como uma ferramenta de informação, pois hoje, na escola onde trabalho, um professor do NDG numa reunião em que estávamos com o Diretor, pela manhã, valeu-se dele para obter uma informação!
    Isso é muito importante, pois todos veem-no com muita credibilidade!
    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  86. #indignaçaocontraogovernodeMINAS
    vamos twittar

    ResponderExcluir
  87. Queridos colegas de peleja
    Como vamos trabalhar sem salário?
    Não é o meu caso pois moro perto da escola mas, muitos precisam pagar ônibus para chegar ao trabalho.Centenas inclusive,moram em cidades diferentes daquelas nas quais lecionam.
    Sua majestade Luiz XIV ,o adiposo das alterosas ,poderia resolver estre pequeno problema de locomoção enviando carroças para o transporte.Afinal,a educação de minas já foi pro brejo mesmo..
    Em tempo:
    Recado para o nojento e as nojentetes:
    NÃO HÁ BEM QUE SEMPRE DURE NEM MAL QUE NUNCA TERMINA.

    ResponderExcluir
  88. Tenho um 9º ano e sempre monto uma apostila pra prepara-los para o SIMAVE este ano não vou fazer isso, essa deve ser nossa resposta pra esse governadorzinho, que saiam mal no SIMAVE, que a educação de Minas seja desmascarada, porque só nós professores fazemos nossa parte e quase de graça!!

    ResponderExcluir
  89. Na minha opinião, os professores deveriam ir aos sábados,assinar o ponto e ficar dentro das salas de aula, assistindo as aulas dos tampax.
    Do jeito que elas estão ganhando para não fazer nada, vocês garantiriam presença.

    ResponderExcluir
  90. NÃO HÁ O QUE PENSAR
    NÃO HÁ O QUE TEMER
    SÓ HÁ UMA COISA A FAZER:
    GREVE JÁ

    ResponderExcluir
  91. Urgente
    Euler olhando o seu contra-cheque, pude perceber que seu adicional de desempenho sumiu,fui olhar no meu contra-cheque e desde que retornei ao VB não consta mais O tal Adicional de desempenho no meu caso que sou PEB3D em dezembro de 2010 ele era de 54 reais.
    Mais essa, nos não temos biênio, nem quinquênio, diminuiu o nosso salário e ainda nos tira o adicional?

    CADÊ O ADICIONAL DE DESEMPENHO?

    Helena.

    ResponderExcluir
  92. Charlotte, você voltou.
    Concordo com você Charlotte. NÃO ESTÁVAMOS EM ESTADO DE GREVE? A GREVE NÃO ESTAVA SUSPENSA? NÃO ESPERARÍAMOS SOMENTE A REUNIÃO DO DIA 08/10? Por que agora, SE retomarmos a greve? Há algo de estranho nas decisões tomadas no dia 27/9.
    Não vivemos apenas de palavras.

    ResponderExcluir
  93. Hoje às 16:30 começou a reuniao do sindicato com os representantes do governo. Apesar da expectativa de todos que participaram da greve o sindicato ainda não informou nenhum dos pontos discutidos. Se não conseguirmos o piso na carreira e o pagamento retroativo será uma injustiça. Temos que ter pelo menos esses dois pontos atendidos.

    No blog da beatriz a unica informação é que ninguém pague os dias de greve antes do posicionamento do sindicato.

    O sindicato já deveria ter se posicionado, no mínimo, sobre o que ele nãao vai aceitar.

    ResponderExcluir
  94. Boa tarde ao NDG.

    Parabéns caro professor Jeovandir Campos do Prado. Você, professor Euler e muitos outros, que não citarei nomes para não correr riscos (já corridos rsrsrs) de ser injusta, são exemplos de que as Escolas Públicas não estão sucateadas por conta da incompetência de seus professores, mas pelo descaso, desprezo pela Educação, por aqueles que deveriam lutar por ela.
    Sinto-me orgulhosa de ser colega de tão brilhantes profissionais.

    ISSO, COM CERTEZA, METE MEDO NAS (DES)AUTORIDADES.
    EU TAMBÉM, NO LUGAR DELES, NÃO GOSTARIA DE TÊ-LOS EM UMA ESCOLA, POLITIZANDO ALUNOS, CONSCIENTIZANDO FUTUROS ELEITORES E, QUEM SABE, FUTUROS DIRIGENTES DESSE PAÍS.
    SERIA O FIM DA DITADURA, DA CORRUPÇÃO E DA INCOMPETÊNCIA GERAL....
    EU, NO LUGAR DELES, IRIA QUERER DESTRUIR VOCÊS TAMBÉM.

    ORGULHOSA!

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  95. Caro Euler,

    Esse descaso está me matando. Fico impressionada com a falta de atenção do MPE, do STF, do governo. Os desmandos estão acontecendo, o governo faz o que quer e ninguém se dispõe a tentar, disse tentar dar um basta. Falta de pagamento pode. Nós e nossos filhos sem salário para nos manter durante o mês pode, professores substitutos sentados na sala dos professores ganhando bem mais do que nós pode, redução de salário pode. O governador pode tudo e onde está a justiça? Estou indignada e gostaria de saber quando o sindicato vai acionar o MP, o STF, a presidente, o papa? Estamos sendo massacrados, punidos por ter direitos. Chamemos os direitos humanos, de preferência internacional.
    Até quando o sindicato que nos representa ficará na base da conversa e não tomará providências judiciais? Fizemos greve ! Essa é a nossa parte. E a parte do sindicato, além de "negociar"!.
    Bem sabemos como terminou a negociação do ano passado.
    Se alguém souber como entrar em contato com direitos humanos, ou quem sabe, algum advogado que queira nos ajudar, já seria muito bom.

    ResponderExcluir
  96. Com o dinheiro do corte dos nossos salários ele está pagando os contratados para repor nossas aulas. Ninguém está entendendo de onde saiu tanto substituto. Tenho 20 aulas de língua portuguesa e tem 6 designados para repor minhas aulas. Agora gostaria de saber várias coisas que até agora ninguém consegue me explicar. Não vou ter direito a reposição? Porque sem o aval do sindicato não vou repor. Como ficam os diários??? Os alunos não estão comparecendo a estas reposições porque não sabem a qual professor seguir, e eles estão recebendo sem nada fazer. E aí??? Ninguém vai fazer nada??? vamos ter que engoir mais essa desse governo indescente?

    ResponderExcluir
  97. Boa tarde,

    SUSPENSÃO DA SUSPENSÃO!

    INTERROMPENDO A INTERRUPÇÃO, GREVE, ATÉ O ASSASSINO DA EDUCAÇÃO CUMPRIR O QUE PROMETE.

    Se não restar outra alternativa...

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  98. Copiei do twitter do Rogério Correia

    Na próxima segunda, 10/10/2011, uma nova reunião às 15h sobre o piso salarial.
    A pauta foi sobre reposição de aula, pagtos e anistia de punições. Governo, até quinta, dará uma resposta.
    Terminou agora a reunião na C. Admin. Estavam presente entre outros, o Sec. Danilo de Castro, Renata Vilhena e a Gazolla. @MGsemcensura

    ResponderExcluir
  99. Marisa Karla -Governador Valadares3 de outubro de 2011 18:29

    PARABÉNS PROFESSOR JEOVANDIR CAMPOS DO PRADO!
    Maravilhoso texto!Peço licença para trabalhar
    o seu texto nas salas de aula.
    Não podemos ser meros repetidores de um sistema
    ardiloso e injusto.Tudo que eu puder fazer para
    descortinar esse governo prepotente, eu farei!
    Eu não farei mais greve por quetões salariais,mas
    porque estou com ÓDIO de um governo desumano e
    arrogante.

    ResponderExcluir
  100. Uma pergunta: vamos a Brasilia com dinheiro depois dos contracheques zerados???

    ResponderExcluir
  101. Companheiros,minha luta está braba demais.Imaginem voces que dois tampões foram contratados para minhas aulas.Um prá me substituir - está na escola sem fazer nada - e o outro para fazer as reposições - este está fazendo a reposição e hoje veio me perguntar qual o planejamento que estou seguindo. Como querem que a gente tenha calma,pelo amor de Deus.Fiz greve sozinha e agora ainda tenho que aguentar isso? A minha resposta foi simplesmente olhar para a cara dele e dizer que não tinha nada contra a sua pessoa mas que não atravessasse o meu caminho de novo,pois aí a coisa iria ficar feia.Ele sumiu.Tô me sentindo num deserto,por isso quero saber de algum colega que tenha feito greve sozinho como tá sua situação na escola,prá gente trocar uma ideia.
    Temos que continuar firmes no propósito de que sem mobilização e sem resistência seremos depenados.Todos os tipos de resistência apresentados aqui tem seu valor.Mas o que mais vai chamar a atenção É A VIAGEM A BRASÍLIA.Vamos entrar em contato com os estados que mais se mobilizaram esse ano e marcar um encontro lá.Vamos acampar em frente ao stf,stj,mec e diabo a quatro,mas vamos botar prá quebrar.Quem sabe assim eles vêm que não estamos brincando.Que dessa vez estamos amparados por UMA LEI FEDERAL,apesar de que nem a justiça federal obriga o bandido safado de mg a cumpri-la.
    Continuo firme na luta.Não desisto jamais!!!!!
    Abraços a todos e que a nossa resistência se fortaleça a cada dia mais!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  102. Ao ser formalizada a constituição da Comissão na quinta, 29/9, o Sind-UTE/MG encaminhou aos seus integrantes cinco pontos para discussão:

    1) Pagamento do Piso Salarial para todos os níveis da carreira a partir de janeiro de 2012.

    2) Pagamento dos dias parados (corte do ponto) para todos os trabalhadores em Educação.

    3) Anulação de medidas como exonerações e outras punições durante a greve.

    4) Discussão com o Governo do Estado relativa às questões de aposentadoria e eleições de Diretores e Vices.

    5) Definição do cronograma de reuniões da Comissão Especial.

    Avaliação da greve pelo SindUTE de Uberaba

    ResponderExcluir
  103. Terminou agora a reunião na C. Admin. Estavam presente entre outros, o Sec. Danilo de Castro, Renata Vilhena e a Gazolla.
    A pauta foi sobre reposição de aula, pagtos e anistia de punições. Governo, até quinta, dará uma resposta.
    Na próxima segunda, 10/10/2011, uma nova reunião às 15h sobre o piso salarial.

    Vejo que o governo esta querendo ganhar e muito tempo.

    ResponderExcluir
  104. Euler meu amigo,não estou entendendo nada,entramos numa fria enorme.Gasola e Vilhena está a frente das negociações.Elas não iam ficar fora?Com relação as negociações de hoje o gov mg dará resposta na quinta feira e a negociação do piso vai ser na segunda feira 10/10,não entendo mais nada.Realmente acho que o sindicato foi comprado e portanto nos enganado de novo.Estão ganhando tempo.O que faremos?

    ResponderExcluir
  105. Euler,
    a greve foi suspensa e pensei que sábado teria assembléia, afinal, a instancia que tem poder de deliberação é a assembléia, mas no site do sind-ute consta que vai ter comando de greve.
    O comando não pode decidir os rumos da campanha.
    Nos ajude, por favor

    ResponderExcluir
  106. http://www.facebook.com/photo.php?fbid=218863674844996&set=a.160388077359223.41146.100001640960000&type=1&ref=nf

    ResponderExcluir
  107. Pessoal, cada escola faz de um jeito. Na minha eles perguntam se vamos repor ou não e isso está sendo feito sem pressão. Sei que não é certo começar reposição antes do sindicato negociar, mas o errado é sempre feito em Minas.
    Então, na minha escola, a reposição começou e os tampões estão repondo no lugar de quem não quer repor. Ninguém falou nada sobre sermos obrigados a repor. Eu mesma já deixei claro que não vou repor nem um dia que foi descontado, é lei e, se precisar, entro na justiça sozinha, pois parece ser mais fácil ganhar assim do que junto com a categoria tão visada e sindicato que sempre perde na (in)justiça mineira.

    ResponderExcluir
  108. Boa noite turma da luta, gostaria de saber do pessoal que entrou no estado pelo concurso de 2004, e optaram pelo VB se o governo SUMIU com o adicional de desempenho ( ADE ou ADI) no meu contra-cheque ele sumiu!

    ResponderExcluir
  109. Por que tem cidades que já dispensaram os substitutos e em outras eles continuam na sala dos professores jogando conversa a toa? Tem como denunciar o governo por jogar dinheiro da educação fora?

    ResponderExcluir
  110. Vocês já pararam para pensar que muitos dos nossos problemas estão ligados à própria formação dos professores? Grande parte deles comporta-se de forma alienada e não possui sequer potencial intelectual para compreender quais as reais circunstâncias do seu próprio cargo! São mesquinhos, ignoram o sentido de uma verdadeira democracia e da participação coletiva. Perdemos muito do potencial humano no Brasil após a Ditadura Militar. Os jovens e adultos do período sabiam o que queriam; lutaram pela liberdade de expressão; pelo direito de exercer cidadania; conheciam o significado da palavra "política". Os militares (1964-1985) conquistaram seus objetivos, auxiliados entre outras por Leis e Diretrizes Educacionais (um bom exemplo é a de 1971). Formaram jovens sem criticidade, sem conteúdo, sem força de mobilização. Pergunto: Como esses indivíduos poderão colaborar na formação de tantas crianças, jovens e adolescentes? Acredito que ainda por muito tempo reproduzirão em seus alunos uma formação desarticulada dos novos tempos. No entanto, uma parcela significativa de professores (os verdadeiros educadores), não são submissos ao sistema que pune, vinga, castiga, desrespeita, humilha, uma categoria que é essencial para qualquer sociedade. É assim que avalio os resultados da greve dos professores/educadores em Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  111. O que vamos fazer mais um mês sem salário? Não tem condições de continuar assim... Não tenho dinheiro nem para pagar as passagens para ir trabalhar e o sindicato está se omitindo a esta situação, que deve ser também a de outros professores. Estamos em uma situação calamidade e quase sem condições de reversão, já que parece que a nossa voza não é ouvida! Muito triste. Entramos em uma greve, porque acreditamos em uma proposta que seria boa para a classe, mas agora estamos na pior e sem garantia de piso!
    Se Pudesse voltar atrás não teria ficado quase 4 meses em greve!

    Ana
    Belo Horizonte

    ResponderExcluir
  112. CHARLOTTE..
    DISCORDANDO COMPLETAMENTE DA CHALOTTE EM TODA SUA ULTIMA POSTAGEM! NÃO JOGUE UM BALDE DE ÁGUA FRIA EM QUEM AINDA TA COM SANGUE QUENTE PARA O COMBATE COM EU!!! POR FAVOR NÃO POSTA MENSAGENS AQUI DE DESÂNIMO E NEM VENHA FALAR AQUI QUE A GREVE ACABOU PQ O SIND-UTE NÃO QUERIA ATRAPALHAR O SOSSEGO DO LULA! QUANTA ASNEIRA MENINAA!

    ResponderExcluir
  113. Parece não houve avanço na reunião entre governo, deputados e sindicato realizado no dia de hoje, 03/10/2011.
    Nova reunião somente na próxima semana, no dia 10 de outubro, conforme informação do deputado Rogério Correia.
    Alguém tem mais informação?

    ResponderExcluir
  114. Que infelicidade a nossa!
    Temos um arremedo de gente como governador!
    Leio neste blog que colegas do Ceará conseguiram seu piso.E nós aqui passando fome!

    ResponderExcluir
  115. VAI QUERENDO AÓCIO, VAI MALTRATANDO OS TRABALHADORES QUE VC CHEGA LÁ, BREVEMENTE TODO BRASIL VAI SABER QUEM É ESTE SENADOR QUE DEIXA FAMILIAS DE PROFESSORES DO SEUS ESTADO TREIS MESES SEM RECEBER POR PURA MALDADE, ABAIXA SALARIOS DE PROFESSORES, CONFISCA SEUS DIREITOS E MANDA A POLICIA, COMO NA ÉPOCA DA DITADURA BAIXAR O CACETE NOS MESTRES, TUDO ISSO APOIANDO SEU PROJETO DE GOVERNADOR ADIPOSO A FAZER MALDADES COM MILHÕES DE BRASILEIRINHOS POR PURA MALDADE MESMO, PORQUE SÃO ARROGANTES, COVARDES E NÃO GOSTAM DE POBRE, VEREMOS SE SEU PROJETO DE PRESIDENTE VINGA, VC PRECISA DE UMA MINAS UNIDA E O POVÃO JA NÃO AGUENTA MAIS, SAÍAM DOS SEUS PALACIO E PERGUNTEM SEUS PUXA SACOS, MAS PEÇAM QUE FALEM A VERDADE SOBRE O QUE O POVO EM GERAL PENSA SOBRE ESTE GOVERNO DO ESTADO E DO SEU SENADOR AÓCIO NEVES, PIADA, PARA PRESIDENTE.

    Aécio Neves reafirma disposição de concorrer à Presidência em 2014

    Agência Estado
    Publicação: 03/10/2011 18:09 Atualização: 03/10/2011 18:47
    O senador Aécio Neves (PSDB-MG) reafirmou que está disposto a concorrer às eleições presidenciais de 2014. Em entrevista ao programa É notícia, da Rede TV, Aécio foi questionado pelo âncora Kennedy Alencar se é ou não candidato às eleições presidenciais de 2014 e respondeu: "Seria muito fácil dizer sim ou não, ninguém é candidato de si próprio. Eu tenho que estar preparado para isso. Se lá adiante, no momento certo, após as eleições municipais, se o partido considerar que sou eu que tenho condições de levar essas bandeiras, eu estou absolutamente preparado e pronto para fazê-lo."

    Saiba mais...
    Aécio propõe elevação de royalties do minério
    Dilma retoma proposta de Aécio Neves para o metrô
    Aécio defende 'pacto de governabilidade' com governo Dilma
    Senado aprova poposta de Aécio na tramitação de MPs
    Aécio diz que PSDB vai buscar aliança com PMDB em Minas
    Ao falar deste tema, Aécio considerou que se o partido optar "por um companheiro em melhores condições", ele saberá dar apoio apesar da disposição que tem em disputar a presidência da República. "Porque a vontade de ver o partido (PSDB) vencer as eleições é maior do que a de impor o meu nome a qualquer custo para essa disputa", argumentou. E continuou: "Eu sinto que há no partido hoje, e isso não havia nas eleições anteriores, um sentimento majoritário, com alguma naturalidade, em torno do meu nome. Isso me faz ter responsabilidade e dizer aos meus companheiros o seguinte: Estarei pronto, na hora certa, mas acreditem também no meu timing. A nossa prioridade é a refundação do PSDB."

    Segundo Aécio Neves, dentro de um mês, o PSDB fará no Rio de Janeiro um grande seminário para discutir os seus rumos e mostrar sua plataforma à sociedade. "Teremos uma agenda para o Brasil e lá na frente teremos um belo embate de ideias e projetos", destacou.

    Serra - Aécio disse que é absolutamente legítimo o ex-governador José Serra pleitear a disputa à sucessão da presidente Dilma Rousseff em 2014. E citou outros presidenciáveis de sua legenda, como os governadores Geraldo Alckmin (SP), Marconi Perillo (GO) e Beto Richa (PR). "É muito bom que o PSDB tenha alternativas, é um partido de quadros", disse, afirmando que sempre defendeu prévias como instrumento legítimo de escolha de um candidato e de mobilização do partido. "Teria enorme disposição (em disputar prévias) e isso criaria uma vitalidade no partido que não tem demonstrado em algumas regiões."

    ResponderExcluir
  116. Euler toda reunião é este suplicio, ninguem da noticia de nada, ficamos aqui numa angustia na espera de uma resposta que parece que ja sabemos e não queremos acreditar, a Beatriz por telefone ou coisa parecida deveria informar a classe, é deveras angustiante esta espera de noticias, abços Euler guerreiro.Em tempo, as ações do piso da turma de Gov, Valadares não entram, vejam pagina do sindicato e contem quantas pessoas de GV estão com o nome nas ações do piso, vou colocar o meu em advogado particular, ninguem merece e eu pedi pra vc publicar pela quarta vez e vamos ver se vc publica agora grande Euler, tem muita gente esperando esta ação por aqui e pelo visto lá para 2050 saí alguma coisa para o pessoal de GV,valeu guerreiro, obrigada(Carla-GV)

    ResponderExcluir
  117. AINDA ACHAM FACIL SER PROFESSOR AQUI EM MINAS GERAIS,ALEM DE ROUBADOS NOS SEUS VENCIMENTOS, TER SALARIOS ACHATADOS E AINDAM TEM QUE APANHAR DE ALUNO "DIMENOR", OS QUE CRITICAM, PASSEM UM DIA NA ESCOLA E VEJAM COMO FUNCIONA A EDUCAÇÃO EM MINAS SEM EDUCAÇÃO DESTE DITADORZINHO ADIPOSO.

    Sindicato registra uma denúncia de violência contra professores a cada três dias, mostra balanço
    03/10/2011 13h07Avalie
    FELIPE REZENDE
    Siga em: twitter.com/OTEMPOonline

    O disque-denúncia criado pelo Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro Minas) recebe, em média, uma ligação relatando ocorrência de violência contra educadores a cada três dias. Os números foram divulgados nesta segunda-feira (3) e englobam tanto instituições privadas quanto escolas da rede pública.

    De acordo com o sindicato, entre fevereiro, quando o serviço começou a funcionar, e setembro, foram 40 ligações denunciando casos em escolas particulares. Nessas ligações, o Sinpro registrou 59 ocorrências, entre ameaças, agressões verbais e físicas e assédio moral.

    Durante o mesmo período, em colégios da rede pública, foram 43 denúncias. Segundo o sindicato, a maior parte das ligações é referente a casos envolvendo aluno e professor, mas também há ocorrências com pais dos estudantes e diretores das instituições.

    Serviço - Em funcionamento desde fevereiro deste ano, o disque-denúncia gratuito (0800 770 3035) foi criado para atender os professores que sofreram ou presenciaram algum tipo de violência dentro de escolas particulares. A ferramenta funciona das 9h às 13h e das 14h às 18h.

    O sistema também está disponível no portal do Sinpro Minas. O sindicato ressalta que a identidade e os dados dos professores são mantidos em absoluto sigilo.

    ResponderExcluir
  118. Começou o jogo sujo do governo.

    Vão prorrogar o máximo estas negociações.

    Não vão ceder em nada.

    Querem nos vencer pelo cansaço.

    Eles não nenhum compromisso com a EDUCAÇÃO.

    CHEGOU A HORA DE UMA RESPOSTA INTELIGENTE.

    TEMOS QUE AGIR INTELIGENTEMENTE, MESMO DIANTE DE UM TRATAMENTO NÃO INTELIGENTE.

    VAMOS COMEÇAR A OPERAÇÃO TARTARUGA (AULAS DE 0:40 MIN), IMEDIATAMENTE, ATÉ O FIM DAS NEGOCIAÇÕES.
    ESTAREMOS RIGOROSAMENTE DENTRO DA LEI.
    TEMOS SOMENTE QUE AVISÁ-LOS EM TEMPO HÁBIL.

    ASSEMBLEIA GERAL DA CATEGORIA PARA O DIA 11/10/11.PARA AVALIAR A REUNIÃO PRORROGADA PARA O DIA 10/10/11.

    VAMOS TAMBÉM TOCAR EM SUAS FERIDAS.

    AÉCIO + ANASTASIA = IMUNDICE HUMANA + EXCREMENTOS

    ResponderExcluir
  119. NDG de plantão no TWITTER

    DITADURA VOLTOU: Minas avança nos salários dos professores e DEIXA CONTRACHEQUE ZERAAAAAAAADO
    (0000000000000) quem é o RESPONSÁVEL?
    ANASTASIA e Cia... (PSDB)

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    @
    @gscrow resposta virá na 5ªF.Minha sugestão acatada por deputados da situação e oposição é pagar grevistas sem cortes e cortar se não repor.

    -----
    gscrow Gleiferson Crow
    @
    @rogeriocorreia_ Espero que a JUSTIÇA ainda exista, sala escura da tortura Minas AVANÇA !!! ARRANCA!!! PÃO e Leite da mesa dos professores
    ____

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    @
    @gscrow resposta virá na 5ªF.Minha sugestão acatada por deputados da situação e oposição é pagar grevistas sem cortes e cortar se não repor.
    ______

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    @
    @NascimentoNeide piso na carreira ficou p/ discussão 2ªfeira.Clima da reunião foi de busca de entendimentos.Aguardemos resposta de 5ªF .


    Estamos de olho !!!
    Quero o meu salário de volta, cadê a LEI do Direito de GREVE, anastasia PSDB avançou e comeu!?

    abraços, sejamos práticos. Agradeço a todas as belas palavras e dos incansáveis discursos:

    QUERO MEU SALÁRIO, QUERO MEU PISO !

    Gleiferson Crow NDG
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  120. Olha entendo a posição e a aflição de quem não recebeu. Mas, quando entramos nesta greve, sabíamos o que nos esperava, pois do psdb, pode se esperar tudo. Corte de salário, pressão, etc., etc., e tal. Agora, falar que o Sindicato foi comprado aí já é demais. Tive a oportunidade de conhecer a Beatriz em um seminário em Divinópolis e pode sentir o quanto ela é íntegra, forte e mulher de muita fibra. Confio nela plenamente. Que teve algo muito estranho no dia da suspensão da greve, isto teve. Para um bom observador percebeu que ela estava abalada e estranha, pois ele é transparente, sensível e verdadeira. Este governo é capaz de tudo para não dar o braço a torcer e ou sair do poder. Só Deus sabe o quê está por trás disso. Agora falar do Sindicato é falar da coordenadora, aí já não concordo. Calma pessoal, também não recebi nada e acredito que tudo vai dar certo. Não percamos a esperança.

    ResponderExcluir
  121. NDG informa:

    ESPERO QUE ESSA FRASE QUE SEMPRE APARECE
    seja usada pelo menos por uma ÚNICA vez:

    "ATENCAO:Contra cheque provisorio.
    Valores sujeitos a alteracao ate o dia do pagamento. "

    ATENCAO:Contra cheque provisorio. (PESSOAL vamos ver se isso vai acontecer mesmo, porque papel e site aceita TUDO, isso é para ficarmos com raiva, esse ditador tem que sumir!!!

    Gleiferson Crow
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  122. TENDI NADA DESTA REUNIÃO E BEATRIZ TEM MUITO A EXPLICAR A CLASSE E LOGO, MUITO EMPURRA EMPURRA, VEJA QUANTOS DIAS JÁ SE FORAM E NEM UMA SATISFAÇÃO DESTE GOVERNO E NEM DO SINDICATO SOBRE ESTAS SACANGENS DOS CORTES, AS FAMILAS DOS GREVISTAS PRECISAM ALIMENTAR Õ TURMA DO SINDICATO, FALA ALGUMA COISA AÍ Ô, NINGUEM TÁ ENTENDENDO NADA E TÁ É MUITO DESCONFIADO DESTE SINDICATO ACEITANDO TUDO QUE NASTAZIA QUER, TEM ALGUM COISA PODRE AÍ, PODE TER CERTEZA, FAZER O QUE VAMOS CONTINUAR NO AGUARDO, COMO VOU TRABALHAR COM MINHAS PANELAS VAZIAS E HOJE CONVERSEI COM UM OFICIAL DA PM E ELE ME DISSE CONTRARIADO QUE TODO MÊS DE OUTUBRO RELIGIOSAMENTE RECEBEM O 14º E AGORA NEM SABEM EM QUE MÊS VÃO RECEBER, FALTA DE DINHEIRO NÃO É, BEATRIZ A PALAVRA ESTA COM VC E AGUARDAMOS EM BREVE, EULER PELO ANDAR DA CARRUAGEM, SEI NÃO. ABÇOS BRAVO EULER E OBRIGADO PELO SEU ESPAÇO PARA NOSSOS DESABAFOS.

    ResponderExcluir
  123. Marisa Karla-Governador Valadares3 de outubro de 2011 21:50

    Companheiros,
    Erro de digitação,"quetões",leia-se "questões".
    Obrigada,

    ResponderExcluir
  124. Pessoal da luta, turma do NDG em tempos de relativa pausa que pode ser suspensa,

    Recebi um e-mail de um colega nosso com o seguinte teor:

    "Caros colegas! Soube por fonte fiel que o 14º vai ser pago na terça-feira dia 11/10/2011.

    Um grande abraço a todos!"

    Será mesmo?

    Não pretendo criar expectativa, apenas reproduzi o que recebi.

    Além disso, vejamos que resposta do governo nos dará na quinta-feira - sobre reposição, sobre anistia dos educadores em greve e sobre o pagamento dos dias parados.

    Ao que parece o sindicato não tocou no assunto da redução salarial, que eu insisto, não podemos aceitar mais este confisco no nosso bolso.

    Além de não pagar o piso, o governo está nos confiscando R$ 400 milhões de reais - uma média de R$ 2.600,00 de acada um dos 153 mil servidores que optaram pelo antigo sistema remuneratório.

    Um forte abraço e estejamos unidos e discutindo com os colegas nossas impertinências e disposição para a luta.

    ResponderExcluir
  125. Vamos fazer campanha para uma ASSEMBLEIA DIA 11 DE OUTUBRO - SEMANA DO PROFESSOR - NÃO PODEMOS DEIXAR SÓ O COMANDO DE GREVE DECIDIR, TEMOS QUE AJUDÁ-LOS, AFINAL SOMOS UMA CATEGORIA QUE TEM QUE TER VOZ,VOCES NÃO ACHAM???????? VAMOS À LUTA,COMPANHEIROS, VAMOS FAZER O CHÃO DE MINAS TREMER DE VERDADE!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  126. EU AQUI COM O SALÁRIO CORTADO3 de outubro de 2011 22:03

    Gente, calma!!!!Precisamos ter bastante calma neste momento de decisoes e acreditar em nosso sindicato, afinal de contas deve ser muito difícil lutar contra esta máquina de moer seres humanos,que tem todos a seu bom paladar a qualquer hora do dia ou na calada da noite..Vamos torcer para que Deus dê a Bia bastante sabedoria durante as negociaçoes e que tudo venha a nosso favor!!!Nós merecemos!!Chega de tanto descaso com a nossa categoria.LIBERDADE!!!!!!VENCEREMOS!!!

    ResponderExcluir
  127. Euler,

    Bem provável que seja verdade! Rogério Correia deixou entender em seu twitter que tem novidades sobre o 14º. Disse que Beatriz dará detalhes.

    ResponderExcluir
  128. Me dá nos nervos não ter notícias das reuniões. E ainda mais quando sinto que estão protelando. Não falaram que essa reunião seria com o governo? Acho que vão enrolar o Sind-UTE/MG de novo. Essa comissão não tem poder algum haja visto que as duas que foram tiradas da negociação participaram da reunião. Estamos nos passando pra trás novamente, espaço de tempo muito grande para o governo responder, não podia ter sido aceito. Tenho dito.

    ResponderExcluir
  129. Em tempo: QUERO O MEU PISOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.
    PRA NÃO PERDER O FOCO DA QUESTÃO.

    ResponderExcluir
  130. Turma do combate,

    De fato devemos ter uma dose de cautela, prudência, neste momento. Evitar levantar desconfianças em relação ao sindicato ou à direção do sindicato, que negocia com o governo.

    Um primeiro passo já foi dado: a comissão tripartite foi formada - governo, sindicato e parlamentares -, houve uma primeira reunião, quando os temas foram discutidos.

    O fato de o governo não ter dito NÃO nesta reunião para as propostas apresentadas pelo sindicato - sobre a anistia dos grevistas, sobre o pagamento dos dias parados e sobre a reposição - significa que o governo poderá, na quinta-feira, aceitar as propostas ou apresentar uma contra-proposta.

    O problema todo é que estamos sem salário e seria de bom tom que o sindicato tivesse arrancado do governo, nesta reunião, pelo menos o compromisso do pagamento em folha separada, do salário integral de agosto - que corresponde ao salário que deveríamos receber em outubro.

    A suposta vinda do 14º pode amenizar, mas não resolve. Os colegas designados, por exemplo, não recebem a gratificação. Logo, eles ficariam sem nenhum salário - e isto nós não podemos aceitar, já que serão atingidos justamente os mais combativos, que aderiram à greve.

    A proposta do Rogério Correia, de pagar agora e cortar caso não seja feita a reposição pode ser aceita em parte, apenas. Por que digo em parte? Porque há colegas que não querem repor, por terem ficado revoltados com o corte antecipado dos salários. Devemos respeitar a vontade destes colegas. Embora eu, pessoalmente, considere que pelo menos a parte do salário que for antecipada agora em outubro, e no máximo uma segunda parcela em novembro (caso isso ocorra), deva ser reposta.

    Se o governo quer mudar a sua conduta com relação aos educadores, ele precisa começar atendendo as questões básicas:

    a) pagar o salário do mês integralmente e antecipadamente (outubro e novembro), incluindo aí, entre estas duas parcelas, o restante dos meses de junho e julho que foram cortados;

    b) pagar o 14º agora na primeira quinzena de outubro;

    c) devolver a parte confiscada na redução salarial para quem optou pelo antigo sistema remuneratório;

    d) dar posse aos novos diretores e vice-diretores;

    e) anular as exonerações de diretores e vice-diretores pela participação na greve;

    f) anistiar a todos os servidores em greve;

    g) discutir seriamente o pagamento integral do piso salarial nacional, considerando:

    1) o reajuste de janeiro de 2012, a ser anunciado pelo MEC;

    2) o piso aplicado na carreira (em todas elas), respeitando-se os diferentes percentuais pelo título acadêmico e pelo tempo (grau) no estado;

    3) manter e não mexer nas gratificações conquistadas, ou por conquistar, pelos servidores da Educação;

    4) abrir a possibilidade de mudança de sistema remuneratório para todos os educadores, em mão dupla, de um sistema para o outro e vice-versa.

    Sem essas premissas resolvidas, a categoria continuará em estado de greve e pronta para retomar as grandes mobilizações que abalaram Minas e o Brasil.

    Um forte abraço a todos, e força na luta!

    ResponderExcluir
  131. Colegas,
    Recebi como salário, após os cortes R$ 0,01. Fiquei triste, não por mim, mas pelos colegas que possuem só essa fonte de renda e tem família para alimentar e gastam com condução para ir para o trabalho. Vamos imediatamente começarmos uma campanha para arrecadarmos dinheiro e alimento para esses nobres colegas. Sinto-me no dever de ajudá-los, pois admiro força desses guerreiros e não podemos abandoná-los . Quero muito ajudar, começo com o valor que esse louco tem coragem de pagar como piso salarial a um professor:R$369,00.
    Quando comecei a trabalhar, nunca quis dobrar na rede estadual. Tive várias ofertas e oportunidades, mas nunca aceitei. Sempre desejei trabalhar em outra rede, até mesmo para fazer um paralelo entre as clientelas. Foi uma estratégia que me trouxe benefícios, principalmente financeiro. Poderia ter deixado o estado,mas quando pensava nos alunos, não tinha coragem de sair.
    Hoje, depois do tratamento recebido pelas autoridades de MG,( falta de respeito e desprezo), nunca vi em toda minha carreira profissional tamanho desmando e insensatez de um chefe de estado. Continuo no estado porque estou em final de carreira, mas sei que será difícil levar até agosto.
    Sugiro a vocês, mais jovens, fazer o que eu fiz. Ter um cargo no estado e o 2º em outra rede, pois os alunos da rede públicas merecem também, bons professores, e vocês são os melhores. Não fiquem a mercê unicamente dessa miséria que o estado dá nome de salário.
    Vamos iniciar já uma campanha solidária e caso o governo resolva devolver nossos salários, doaremos o que for arrecadado a alguma instituição de caridade.
    Já falei com a diretora que só vou repor se houver pagamento. Caso não haja, não vou repor.

    ResponderExcluir
  132. CHARLOTTE RESPONDE ANONIMA 3 de outubro de 2011 20:24

    Querida, eu não estou desanimada! Tenho muito sangue na veia para lutar.
    Mas só mesmo muita ingenuidade para perceber que essa greve não interessa ao PT.
    Balde d'água fria quem jogou foi a direção do sindicato como tem feito há décadas. Eu não votei pelo fim da greve!!!

    ResponderExcluir
  133. CHARLOTTE E OS Prolegômenos

    Todos nós sabíamos dos riscos de uma greve. Todos nós sabíamos que um embate com o governador Anastásia e sua gang de malfeitores não seria nada fácil. Sabíamos que seria uma briga de CACHORRO GRANDE.
    Não entendo agora tanta indignação com os contracheques zerados e etc e etc. Acaso esperavam ganhar do governo algum prêmio pelos 112 dias de paralisação? Ora, já vimos esse filme tantas vezes!!!
    O que me deixa “mordida de raiva” é ter parado com a greve a troco de nada depois que o movimento se radicalizou; ou será que 112 dias não é sinal de radicalização???
    Façamos a “mea culpa, colegas. Não medimos a água com o fubá. Achamos que parar uma greve de 112 dias era a mesma coisa que interromper uma de 45 dias. Mas a diferença é brutal e as conseqüências também. Após 3 meses de paralisação só poderíamos voltar com o PISO assegurado. Mas fraquejamos. Amarelamos!
    Só nos restam duas alternativas: aceitar resignadamente o castigo a que seremos submetidos ou retomamos a greve e seguimos em frente até o governo se convencer que sem o PISO não trabalhamos nunca mais. Na minha opinião é preferível suportar qualquer tipo de sofrimento lutando, em greve, do que aceitar chorando a vontade de um ditador. Não tenho a menor vocação para “coitadinha”, e olha que nessa vida já comi o pão que o diabo amassou. Mas não me curvo por nada. Passei a infância e adolescência na pobreza e aprendi que chorar só vale a pena se for de alegria. Gosto da lágrima cristalina.
    Quando, na última assembléia, o sindicato já tarde apresentou a proposta de “suspensão” da greve... logo pensei: GOLPE! E foi um golpe sim. Está claro para mim que o sindicato não queria essa greve tão longa. Tudo de positivo que aconteceu nessa greve, todas as ações, nenhuma foi feita pelo sindicato. Com exceção da greve de fome, já nos finalmnetes, tudo foi realizado pelo NDG e valorosos colegas. O sindicato queria sim o fim da greve e agora nós pagamos o pato. Essa greve não interessava à turma do Lula. Por isso a greve terminou.

    ResponderExcluir
  134. gente estúpida... gente hipócrita!

    ResponderExcluir
  135. CHARLOTTE DIZ:

    Uma greve de 112 dias
    Violência aqui e no Ceará...
    e o PT não moveu uma palha sequer!!!
    O que fez a CUT?
    O que fez a CNTE ?
    O que fez o Lula... Uai, ele não é O CARA???

    >> O QUE EXPLICA TANTA OMISSÃO??? >>>

    Meus amores, em terra de cego quem tem 1 olho é REI!!!

    ResponderExcluir
  136. Olha aí uma primeira notícia oficial, vinda da ALMG:

    "Comissão da greve dos professores tem 1ª reunião com governo

    Deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, secretários de Estado e dirigentes do Sind-Ute participaram, na tarde desta segunda-feira (3/10/11), da primeira reunião da comissão criada após a suspensão da greve dos professores estaduais. Realizada na Cidade Administrativa do Governo de Minas, a reunião foi fechada e recebeu avaliação positiva dos participantes que, ao final, concederam entrevista à imprensa presente no local.

    Para a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazolla, “a reunião, embora não tenha sido de soluções, foi respeitosa e cordial“. Ela disse que já foi combinado um pré-cronograma de reuniões, a serem realizadas toda semana, com temas definidos. A expectativa dela é de serão necessárias, no mínimo, três para se chegar a um bom termo quanto as reivindicações da categoria.

    Uma das propostas trazidas pelo sindicato, segundo Ana Gazolla, foi quanto à reversão das punições impostas aos grevistas pelo governo. Ela destacou, entre as punições que o Sindicato quer reverter, a exoneração de diretores e vice-diretores que aderiram à greve e ainda o pagamento imediato dos dias parados. A secretária disse que já nesta quinta-feira (6), o Governo do Estado se pronunciará por escrito sobre esses assuntos. E adiantou que, com base nessa resposta, o Comando de Greve do sindicato se reunirá no sábado (8) para avaliar a proposta. Nova reunião da comissão reunindo deputados, secretários e professores foi marcada para a próxima segunda-feira (10), de 15 às 17 horas.

    O deputado Antônio Júlio, que coordena a comissão, afirmou ter saído otimista do encontro, pois “tudo que foi combinado ao final da greve está sendo honrado”. Ele acredita que, em até no máximo, uns dez dias, haverá uma solução para as questões disciplinares, reivindicada pelo Sind-Ute. “Antes de passar para a discussão do piso nacional, queremos que o problema disciplinar esteja sanado”, defendeu.

    Representando a base do Governo na ALMG, o deputado Cássio Soares (PRTB) também considerou bastante proveitosa a reunião. “Houve flexibilidade por parte de todos os lados presentes”, afirmou ele, para quem os participantes estão trabalhando no sentido da convergência.

    Já a coordenadora-geral do sindicato, Beatriz Cerqueira, espera que as pendências quanto a punições de grevistas sejam resolvidas de imediato para que se passe para a negociação do assunto mais importante a ser tratado na comissão – a adoção do piso nacional da categoria. Para ela, se a greve não foi considerada ilegal, o governo não pode punir os que aderiram. Sobre o piso, na opinião dela, os números mostram que o Governo do Estado tem condições de pagá-lo, incorporando-o à carreira de todos os profissionais da educação. “Há uma complementação de recursos por parte do Governo Federal, e também os recursos do Fundeb”, reafirmou.

    Também estiveram presentes à reunião os secretários de Estado de Governo, Danilo de Castro, e de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena. Pela ALMG, participaram ainda os deputados Rogério Correia (PT), João Leite (PSDB), Pompílio Canavez (PT), Ivair Nogueira (PMDB), Sebastião Costa (PPS) e Duarte Bechir (PMN). Também estiveram presentes as diretoras do Sind-Ute, Feliciana Alves, Lecioni Pereira e Marilda Araújo."

    Fonte: http://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2011/10/03_comissao_greve_professores.html

    ResponderExcluir
  137. CAROÇO NO ANGU DA CHARLOTTE
    Para a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazolla, “a reunião, embora não tenha sido de soluções, foi respeitosa e cordial“.
    >> “respeitosa e cordial” depois de mandar polícia para nos bater, cortar salário e todo tipo de terror!!! >>>

    Ela disse que já foi combinado um pré-cronograma de reuniões, a serem realizadas toda semana, com temas definidos. A expectativa dela é de serão necessárias, no mínimo, três para se chegar a um bom termo quanto as reivindicações da categoria.
    >>> a estratégia do governo é fazer com que essas reuniões se arrastem por 100 dias enquanto, resignados, aguardamos SOLUÇÃO NENHUMA. >>>

    Representando a base do Governo na ALMG, o deputado Cássio Soares (PRTB) também considerou bastante proveitosa a reunião. “Houve flexibilidade por parte de todos os lados presentes” (sic!) >> proveitosa para quem??? >> de que proveito ele está falando???

    TEM CAROÇO NESSE ANGU!!!

    ResponderExcluir
  138. Uma segunda nota oficial, desta feita do sindicato:

    "Comissão Tripartite inicia trabalhos - Participam da reunião Sind-UTE/MG, Governo e ALMG

    Hoje (03/10), às 16:30, no gabinete do Secretário de Governo, Danilo de Castro, na Cidade Administrativa, acontece a 2ª reunião da Comissão Tripartite, composta pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), deputados estaduais e Governo do Estado.

    Na primeira reunião, que ocorreu na última quinta-feira (29/9), no Salão Nobre da ALMG, com participação do Sind-UTE/MG e parlamentares, o Sindicato encaminhou cinco pontos que precisam de solução: pagamento do Piso Salarial para todos os níveis da carreira e para todos os cargos e considerando o reajuste anual previsto para 2012; pagamento dos dias parados (em função do corte do ponto) para todos os trabalhadores em educação e calendário de reposição; anulação de medidas como exonerações e outras punições durante a greve; a negociação das demais negociações da pauta apresentada no dia 25 de fevereiro; além da definição do cronograma de reuniões da Comissão Tripartite.

    A greve foi suspensa em 28 de setembro, após 112 dias de greve. Porém, a categoria permanece em estado de greve e acompanha o andamento dos trabalhos da Comissão Tripartite.

    Por meio da pressão, a categoria conseguiu: o reconhecimento do Piso Salarial na carreira da educação, e não apenas para professor; a suspensão das demissões anunciadas pela Secretaria Estadual de Educação; a suspensão da tramitação do projeto de lei 2.355; a formação de uma comissão formada por representantes do Sind-UTE/MG, do Governo e da ALMG.

    Vale ressaltar que no próximo sábado (8/3), o Comando de Greve se reúne para avaliar o movimento e o andamento dos trabalhos da comissão."

    Fonte:

    http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=2600

    ResponderExcluir
  139. NDG presente e de plantão no TWITTER

    DITADURA AVANÇA SOBRE educação em Minas Gerais e
    deixa contracheque ZERO ZERO ZERO . . .

    e NO TWITTER:

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    @
    @EBitencour compreendo.Mas pelo que conversamos o Governo vai pagar sem cortes este e no próximo mês.É a única forma de garantir reposição.
    __________________
    gscrow Gleiferson Crow
    @
    @mcriscostabh @sabarbosab ESSA é a CARA da política partidária do Brasil PALHAÇADAAAA, VAMOS pedir ajuda para o TIRIRICA, esse sim entende.
    __________
    gscrow Gleiferson Crow
    @rogeriocorreia_ até quinta-feira, sem salário volto pra GREVE leialibertaminasndg.blogspot.com GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE
    __________
    mcriscostabh Cristina
    Fui.Em pleno mês dos prof's recebemos este presente do governo q/tanto se preocupa com a educação.E olha q a greve não foi decretada ilegal
    _________

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    @
    @AnaRosaDaros negociação sobre piso ficou para segunda feira e pagamento sem cortes este mês será respondido na quinta.
    _________

    rogeriocorreia_ Rogério Correia PT
    Ninguém leva a sério : Aécio reafirma disposição de concorrer à Presidência - Por isto tem de falar: bit.ly/q86l9Q @saviosouzacruz
    _________


    Gleiferson Crow
    LEIA: Liberta Minas NDG
    http://leialibertaminasndg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  140. Tomara Deus que tenhamos uma Semana promissora! Afinal, tem sido muito dolorido para todos essa situação!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  141. Colegas, todos sabíamos que teríamos o corte no pagamento, que histeria é essa?
    O que mais interessa nesta negociação não é anistia, pagamento em folha suplementar, 14º e mais essas coisas que foram discutidas.
    Quero saber do PISO na CARREIRA.A greve não está apenas suspensa? Que se negocie o que nos interessa: PISO.
    Daqui a pouco vamos ser eternamente gratos ao Anastasia por sua bondade em nos pagar os dias de greve e nada mais????.Por favor....Vamos parar com essa reclamação que miséria atrai miséria.
    Abraço a todos, muita força e coragem neste momento.
    Josélia- GV

    ResponderExcluir
  142. Na pressa de repassar a nota do sindicato para os amigos navegantes, publiquei antes de lê-la. É que a notícia foi redigida antes da reunião tripartite.

    Aguardemos novas notícias tanto do governo, que ainda não se pronunciou, quanto do sindicato.

    ResponderExcluir
  143. GRAÇA:
    Boa noite Prof Euler,

    Proxima reunião só dia 10? Nessa toada chegaremos em janeiro sem definições. A campanha pelo retorno foi massiva, portanto, não há como o sindicato ignorar a questão.É urgente exigir o pagamento imediato da diferença!Como ficará a situação de todos que optaram pela antiga e legitima carreira? Vão ficar no preju ate quando?

    ResponderExcluir
  144. Olá, combativa Josélia,

    Considero correta sua posição de colocar o piso implantado na carreira como o foco principal das negociações da nossa luta. De fato, temos que tomar cuidado para não trocar uma coisa menor por outra maior: queremos tudo o que temos direito.

    Mas, penso que as outras coisas também são importantes. Exigir que o governo devolva o que nos tirou quando optamos pelo sistema de VB, além dos dias cortados, não é pedir nenhum favor ao governo.

    Concordo com você que não podemos dar esse tom de pedintes, rsrs - seria engraçado se não fosse trágico e real -, mas o fato é que, se não houver salário este mês, muita gente vai virar pedinte mesmo.

    Não esqueçamos que a nossa greve durou quase 4 meses e três deles já com salários cortados. E considerando que houve redução salarial e salário zero agora em outubro, é normal que estejamos todos exigindo uma solução imediata para esta situação - claro que sem abrir mão do foco principal, o nosso piso.

    Um forte abraço, extensivo aos combativos colegas de Governador Valadares.

    ResponderExcluir
  145. Gente eu concordo com o anônimo das 23:19h. é hora de cobrar o Piso na carreira, não podemos desviar o foco do PISO. Ele é nossa meta e o resto é secundário!!!

    ResponderExcluir
  146. CHARLOTTE CONCORDA com colega Jsélia=GV


    Josélia querida, você falou pouco... mas disse TUDO!!!

    ResponderExcluir
  147. Discordo da Charlotte que tudo é culpa do sind-ute e do PT. Confio no sind-ute e na Beatriz! Não seria o maior responsável o PSDB e toda sua corja? Pq fica o tempo todo desacreditando o sind-ute? Realmente o seu humor nos fazia sentir bem melhor!

    Carlos Magno

    ResponderExcluir
  148. Prof Euler,

    Se ate´sexta, dia 07, o governo não sinalizar a disposição de pagar a diferença do confisco a todos que optaram pela antiga carreira, bem como pagar ja a reposição da greve, devemos entender que nada mudou! E a partir daí, iniciar uma campanha em todas as escolas, em toda a internet, divulgando á exaustão os nomes dos deputados inimigos da educação e mais que isso, articular a campanha contra a candidatura aécio. Munição para isso ja temos de sobra, além de nossos contra cheques, os videos da greve, vamos divulgar a situação real da cidade administrativa, a não aplicação dos recursos na saúde e tudo o mais que possa provar que o tal choque de gestão, não passa de enganação da dupla aecio/anastasia. Voce acha que o sindicato tem coragem de fazer isso?

    ResponderExcluir
  149. Concordo plenamente com o Carlos Magno.

    ResponderExcluir
  150. Para pensarmos um pouco

    "Há gente que, em vez de destruir, constrói; em lugar de invejar, presenteia; em vez de envenenar, embeleza; em lugar de dilacerar, reúne e agrega."
    Lya Luft
    Disponível em: http://pensador.uol.com.br/autor/lya_luft/ Acesso em 03 de outubro de 2011


    Neste momento precisamos agregar as forças, as energias, as esperanças, pensar para frente.

    ResponderExcluir
  151. Pedro Paulo G. Teixeira - Gov. Valadares3 de outubro de 2011 23:53

    A divulgação da lista com os nomes dos deputados inimigos da educação já passou da hora. No meu entendimento, qualquer deputado que não tenha se pronunciado claramente a favor do pagamento imediato do piso na carreira é inimigo. Omissão é covardia e deputado omisso não merece voto de ninguém. Vamos fazer uma lista dos deputados que estão do nosso lado, que é mais fácil. Os outros são os que vamos denunciar para a população. Acho que seria importante também listar os deputados federais que defendem a educação. Já prometi essa lista para os meus alunos, eles estão esperando ansiosamente.

    ResponderExcluir
  152. Pedro Paulo G. Teixeira - Gov. Valadares3 de outubro de 2011 23:59

    A lista dos deputados inimigos é uma eficiente forma de pressão. Nós temos acesso a uma parcela significativa da população de eleitores, e a internet ajuda ainda mais na divulgação. Cada professor ainda pode dar ênfase nos deputados de sua região, normalmente onde recebem mais votos. Nós temos acesso aos jovens e eles têm um espírito revolucionário. Se os conscientizarmos, lutam facilmente do nosso lado. Não vamos negociar isso, quem não esteve até agora do nosso lado, está contra nós. Tomar tal atitude agora servirá para prevenir legisladores futuros, para que formem realmente uma Assembléia LEGISLATIVA e não homologativa.

    ResponderExcluir
  153. Euler,
    o ideal seria o governo pagar o 14º (adicional por desempenho) aos que optaram pelo subsídio e pagar o piso certo com as vantagens para aqueles que optaram pela carreira antiga, afinal o que nos é tirado na carreira antiga vale mais no ano que 14º, 15º...
    Isso seria justo, não seria? E então não ficaríamos submetidos a uma avaliação de desempenho fraudulenta, feita por muitas das vezes por incapazes (na escola que trabalho um funcionário de serviços gerais de outro turno, me avaliou como professor do ensino médio, tem lógica?)

    ResponderExcluir
  154. DE CHARLOTTE PARA Carlos Magno:

    Baby, meu humor continua o mesmo!!!
    Mas meu Gatinho... não podemos deixar de comentar o óbvo. Mas, tanto quanto o antigo cantor DALTO,continuo achando MUITO ESTRANHO a omissão do PT, da CUT e da CNE!!! Afinal, trata-se de uma crise de toda uma POLÍTICA PÚBLICA em nível NACIONAL!!!
    E POLÍTICA PÚBLICA, meu Fofucho, é coisa muito séria.
    CRITICAR não é sinônimo de PESSIMISMO.
    Pelo contrário, acho que a categoria deu provas mais do que suficientes que estão mais avançada que o Sindicato. E não concordar com a postura do sindicato é um direito de cada um de nós. Eu confio mais nos colegas que heroicamente foram para a linha de frente.
    Minha disposição para a luta é prova maior do meu OTIMISMO. Não aceitar que temos de fazer concessões para o governo que historicamente sempre nos explorou é também meu ponto de vista.
    Por décadas somos oprimidos e explorados por todos os governos. ACHO QUE CHEGOU A HORA DE POR UM PONTO FINAL nisso. Não acredito nessa COMISSÃO... não acredito que o governo irá propor algo decente para nós.
    CONFIO NOS COLEGAS QUE NESSA GREVE DERAM A CARA À TAPA!!! Isso é OTIMISMO!!!

    ResponderExcluir
  155. Daisy, a avaliação de desempenho não pode ser feita por alguém que tenha escolaridade inferior a sua, verifique isso direito.
    Eu quero o 14º e o piso na carreira.

    ResponderExcluir
  156. Brasil lidera primeiro ranking de universidades latino-americanas

    [...]

    "Enquanto muitos governos de países desenvolvidos cortam os gastos em universidades, os Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) estão investindo grandes quantias de dinheiro na construção de universidades de nível internacional", avaliou o diretor da página TopUniversities.com, Danny Birne, para quem o denominador comum é que todos consideram a educação um "elemento chave" para seu desenvolvimento.

    Disponível em: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2011/10/03/brasil-lidera-primeiro-ranking-de-universidades-latino-americanas.jhtm Acesso em 04 de outubro de 2011.

    Tomara que o governo brasileiro entenda que por ser a educação o "elemento chave" para o desenvolvimento do país, faz-se necessário, também, investir no ENSINO BÁSICO. Caso contrário, a política de cotas nas universidades não obterá êxitos.

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  157. Ah! se não existisse seu blog!!! veja quantas informações sobre a reunião de hoje e no site do sindute , nada, até o presente momento...
    estamos todos muito ansiosos, temos que receber as notícias imediatamente...não sei porque a Bia tá demorando tanto... já está publicado no site do Rogerio e no site da ALMG. desse jeito a gente fica igual mulher traída, é a última a saber... Bia, cadê o resultado da reunião de hoje? agora todo mundo já sabe, mas quero saber a sua opinião...

    ResponderExcluir
  158. Chegar o ano que vem ele vai falar que não paga porque é ano eleitoral...
    Vamos pedir a Bia para mudar essa agenda, está muito longa e o piso já é lei. Lei é pra cumprir!
    Temos que mostrar que não estamos satisfeitos. Euler, participe da reunião do comando de greve e mostre que estamos insatisfeitos e percebendo toda a enrolação. Estão nos fazendo de idiotas.

    ResponderExcluir
  159. ENTÃO CANTEMOS COM A MADRINHA(a vovó do rock nacional) DA CHARLOTTE:

    A rabada, o tutu, o frango assado
    O jiló e o quiabo
    Prostituta e deputado
    A virtude e o pecado
    Esse governo e o passado
    Vai você que eu 'tô cansado'
    Tudo vira bosta...

    >> por favor, é só uma música. Não tô xingando ninguém... é pura diversão! Um pouco do velho e bom rock n' roll faz bem!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  160. CHARLOTTE AvisA aos Meliantes
    Rita Lee

    Já meio caminho andado completamente demente
    Além de desempregado fui baleado no ventre
    Pra lá de desesperado aviso aos meliantes
    Quem não está no meu lado que saia da minha frente

    Com generais e soldados armados até os dentes
    Vou destruir o senado, vou depor o presidente

    Eu vou trancar os tarados nas celas dos delinquentes
    Criar mil planos cruzados e dez moedas correntes
    Vou torturar aleijados, vou alijar indigentes
    Não vai mais ter feriado, nem vai mais ter quem me aguente

    Depois de tudo acabado ainda faço o seguinte
    Misturo funk com fado, junto D2 com Da Vinci

    Vou fuzilar bem dotados, viúva, cego e doentes
    Jogar no mar viciados, poetas e diferentes
    Deportar deputados, reenforcar Tiradentes
    Detonar o corcovado, tornar o inferno mais quente

    ResponderExcluir
  161. NÃO À REPOSIÇÃO OBRIGATÓRIA !4 de outubro de 2011 00:52

    Essa conversa de pagar antes a todos vai obrigar a reposição, não concordo!
    Temos o DIREITO de escolher se queremos repor. Que cada um escolha e o desgoverno pague apenas para quem desejar fazer reposição. Não é possível que depois de tudo ainda tenhamos que aceitar essa imposição. Não considero que temos dever moral algum, pois o desgoverno age de forma ilegal e imoral!
    NÃO À REPOSIÇÃO PARA QUEM ASSIM O DESEJAR! NADA DE REPOSIÇÃO OBRIGATÓRIA - ATÉ ISSO VÃO NOS ENFIAR GOELA ABAIXO? Essa idéia do Dep Rogério é o fim, pois se pagarem antes a todos e descontarem depois de quem não repuser, serão faltas comuns e estaremos perdidos.

    ResponderExcluir
  162. Será que ninguém percebeu que nada de bom vai ser decidido nessas reuniões? Nada a nosso favor, só enrolação!
    Nossa única arma é greve, mas a categoria não participa como um todo...
    O bando de pelegos ficou de braços cruzados. Se a adesão tivesse sido enorme, nada disso estaria acontecendo. Eles demitiriam todo mundo? Contratariam para o lugar de todos?
    Enfim, ficar aqui elucubrando não vai resolver, a comissão decidirá e tenho quase certeza de que vamos, mais uma vez, nos ferrar!

    ResponderExcluir
  163. CHARLOTTE, SEU RACIOCINIO É SIMPLESMENTE BRILHANTE E SEU HUMOR É UMA ESPADA. VAI FUNDOOO NO CENTRO DAS QUESTOES. E CONTINUE ASSIM. DOA A QUEM DOER. JÁ FOMOS MUITO PREJUDICADOS POR UM Sind-UTE/MG INOPERANTE. O SINDICATO NÃO É SÓ A BEATRIZ E O RESTANTE DE LÁ É MORTO. SABE COLEGA CHARLOTTE NEM COMENTO SEUS POSTS, POIS SÃO IRREFUTÁVEIS. CONTRA A FORÇA DA VERDADE NÃO HÁ ARGUMENTOS. UNIDOS SOMOS MAIS.PARABÉNS.

    ResponderExcluir
  164. Quem sabe o e-mail de Rogério Correia?

    ResponderExcluir
  165. João Paulo Ferreira de Assis4 de outubro de 2011 21:59

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Prezados companheiros de luta

    Eu discordo da proposta de operação tartaruga, poia com ela os nossos alunos é que seriam prejudicados, em que pese muitos deles não terem interesse em estudar.

    O que acho que deveríamos era boicotar essas avaliações do Estado, ou demorar a passar os resultados. Não aceitar GDPEAS, e outros programas que a SEE-MG queira impor, resistir a quaisquer exigências como por exemplo, a do plano de aula semanal que a SRE de Barbacena queria impor a todas as escolas da sua jurisdição. Fazer um soviete de professores na escola, para decidir se acata ou não uma ordem da SRE. Lembrem-se que os programas que a SEE-MG manda aplicar, e nós aplicamos, resultam em prêmios para o governador e sua secretária. OU SEJA, NÓS TRABALHAMOS, E ELES RECEBEM OS PRÊMIOS. Nada de continuar aplicando o tal do CBC, que é uma piada, POIS ONDE JÁ SE VIU COLOCAR A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA E DA ÁSIA (fatos de 1945-1975) antes da PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL (1914-1918)? SEM CONTAR QUE O DO ENSINO MÉDIO TINHA ATIVIDADES QUE EU PARA PASSAR AOS ALUNOS TIVE DE XEROCAR PÁGINAS DE UM LIVRO DE GEOGRAFIA.

    Já que deitaram tanta falação com os prejuízos dos alunos, então vamos boicotar o CBC de vez, mostrando que no ENEM se cobra os PCN'S, e ainda vamos orientar os pais dos alunos a recorrer à Justiça contra a divisão do ensino médio por áreas.

    Outra coisa: se um aluno foge da escola, em vez de entregarmos sua caderneta aos agentes de disciplina da escola, anotemos o telefone de contato do aluno, e mandemos que um colega lhe entregue a caderneta. Mas avisemos os pais que o aluno fugiu da escola. Assim estaríamos matando dois coelhos com uma só cajadada. Exerceríamos nosso boicote e ainda ganharíamos o apoio dos pais.

    Saudações, e até a vitória!!!!
    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir