sexta-feira, 1 de julho de 2011

Governo de Minas tenta intimidar educadores com a não divulgação de contracheque


Governo de Minas tenta intimidar educadores com a não divulgação de contracheque

Sem qualquer nota de esclarecimento, os educadores de Minas foram surpreendidos no primeiro dia útil deste mês, quando habitualmente consultam (consultamos) os contracheques, com a solene frase: "Erro 008 - Excepcionalmente neste mês, seu contracheque será liberado a partir do dia 07".

Ora, por qual motivo o governo adiou a publicação do contracheque, para justamente um dia após a data da nossa assembleia geral?

Quando consultamos o Portal do Servidor, observamos que os educadores que fizeram opção pelo antigo regime remuneratório já retornaram para a situação em que se encontravam posicionados na carreira, em dezembro de 2010.

Se o governo pretende pagar a estes educadores (entre os quais estou incluído) o mesmo salário de dezembro de 2010, bastaria simplesmente reproduzir a folha de dezembro, não havendo qualquer motivo para este inusitado atraso na divulgação do contracheque.

Contudo, com este ato o governo incorreria em pelo duas ilegalidades: a não aplicação da Lei do Piso, já que os vencimentos básicos anteriores estão no mínimo 93% aquém do valor mínimo exigido pelo piso proporcional do MEC, que é o mais conservador. A outra ilegalidade seria a redução do valor da remuneração do servidor, o que contraria a Constituição Federal.

Se a desculpa for o corte do ponto para tentar intimidar os trabalhadores em greve, o governo comete um erro ainda maior, pois isso constitui clara prática de intimidação e até terrorismo psicológico contra os trabalhadores que exercem um direito legítimo assegurado pela Carta Maior, que é o direito de greve.

O governo de Minas deveria pelo menos divulgar nota oficial esclarecendo os motivos de tal adiamento na divulgação dos contracheques. Até porque, se este adiamente se restringe aos que optaram pelo antigo sistema remuneratório, fica evidenciado a tentativa de intimidação e coação aos trabalhadores que fizeram tal opção, que é assegurada pela própria Lei do Subsídio.

O governo já teve tempo o suficiente, desde o dia 06 de abril deste ano, para aplicar o piso do magistério aos salários de todos os educadores. Aliás, inicialmente o governo dizia que pagaria o valor do piso do MEC proporcional à jornada praticada em Minas. Em seguida, diante da grande adesão dos educadores ao antigo sistema remuneratório, contrariando os planos do governo, ele tomou duas outras medidas para tentar estancar esta vontade manifesta pelos educadores. A primeira delas, com o adiamento por duas vezes do prazo de opção de carreira. E a segunda, foi a de dizer através da mídia que já paga o piso pelo subsídio, tentando com isso passar a idéia de que não pagaria o piso pelo sistema antigo, de vencimento básico e gratificações.

Mas, a categoria não se intimidou e entrou em greve desde o dia 08 de junho, após longo tempo de espera por um aceno, por parte do governo, em relação às reivindicações salariais e de carreira.

O governo diz que atendeu a 18 pontos da pauta da categoria, embora não tenha divulgado quais são estes pontos. Contudo, os pontos principais, como o piso para todos os educadores, o terço de tempo extraclasse, a devolução das gratificações confiscadas em 2003, entre outros, não foram atendidos pelo governo, o que provocou a deflagração da greve.

O governo vem utilizando os meios de comunicação como tentativa de intimidar os educadores dizendo duas coisas altamente desrespeitosas: primeiro, que os educadores não teriam feito as reposições de aulas na greve de 2010. A secretaŕia da Educação deveria ter mais cuidado ao usar este argumento de forma a tentar jogar a comunidade contra os educadores. É como se dissesse que os educadores de Minas receberam e não fizeram a reposição. Ou seja: somos desonestos! Isso caberia até um pedido formal de retratação por parte da secretária. Quem tem costume de confiscar e não cumprir o que promete não são os educadores.

Milhares de educadores repuseram as aulas em inúmeros sábados e domingos e feriados, conforme consta dos registros em livros de ponto das escolas, acompanhados pelas inspetoras. Ao generalizar, dizendo que um número espalhafatoso de 1,3 milhão de aulas não foram repostas, sem indicar que isso não corresponde à totalidade dos educadores, sem explicar as condições que isso ocorreu, e sem identificar, no tempo correto, inclusive contratando outros servidores no ano letivo de 2010 para suprir essa falta, significa um atestado de ineficiência do governo. É o governo quem tem que responder por isso junto da comunidade e dos órgãos de fiscalização, não os educadores.

Usar este argumento para dizer que não vai pagar os possíveis cortes salariais é ainda mais grosseiro e mostra o descaso deste governo para com a Educação. Primeiro, porque a greve ocorre em função de um descumprimento da lei pelo governo. Se tivesse cumprindo a Lei Federal, que manda pagar o piso, nós não estaríamos em greve. O governo não pode, portanto, punir quem luta por direitos legais e legítimos com corte de ponto. Isso seguramente causará revolta ainda maior.

Estou certo de que os educadores não vão repor as aulas que forem cortadas pelo governo, que deveria, antes, ter negociado com a categoria. Em Santa Catarina, por exemplo, cujos educadores estão em greve há 40 dias, o governo cortou o ponto dos colegas educadores em greve e imediatamente voltou atrás, dada à pressão tanto dos servidores quanto da comunidade.

Um outro equívoco do governo é dizer que não negocia com servidores em greve, como uma "questão de princípio", segundo a secretária do Seplag. Ora, o governo mineiro precisa aprender que o Brasil - incluindo Minas Gerais, embora alguns pensem que estamos em um território com leis próprias - é regido por uma carta constitucional, que assegura aos cidadãos o direito à greve para defender seus interesses de classe. Não pode o governo mineiro querer abolir mais esta conquista dos trabalhadores.

Negociar com trabalhadores em greve não diminui qualquer governo. Essa concepção é parte de um ideal neoliberal e neofascista, que se recusa a transigir, a negociar, diante das justas reivindicações dos de baixo. Para esta mentalidade ditatorial, o governo tem poder absoluto, não é regido por leis, não é controlado por outros poderes, não negocia com segmentos da sociedade organizada.

Houvesse nas Minas Gerais um Legislativo, ou um Ministério Público, ou uma Justiça com maior independência em relação ao Executivo mineiro e seguramente os governantes teriam que se explicar melhor em relação a esta tal de "questão de princípio não negociar com grevistas".

Portanto, deveria o governo, ao invés de tentar intimidar, buscar o diálogo com a categoria.

As nossas propostas são razoáveis, estão dentro do que a Lei do Piso impõe, e a realidade dos educadores de Minas (e do Brasil, diga-se) é dramática. É vergonhoso para o governo usar de mecanismos de pressão os mais variados para tentar amedrontar os educadores.

A realidade já demonstrou que a maioria dos educadores não se deixam intimidar perante essas práticas. O governo deve aceitar essa realidade e nos tratar com mais respeito.

Um abraço a todos, e unidade e força na luta, até a nossa vitória!

P.S. Assim que resolvermos a questão do piso aqui em Minas vamos ter que partir com carga total para cima do governo Federal, que até agora tem estado omisso e conivente com a sacanagem que os governos estaduais e municipais vêm praticando contra os educadores. É sabido da relação das entidades sindicais, especialmente da CNTE, com o governo federal. Essa realidade precisa ser alterada, e os intresses da nossa classe precisam falar mais alto, mesmo que contrariem aos interesses partidários. Estamos pagando já um preço muito alto pela omissão da CNTE em todo o primeiro semestre de 2011, quando educadores de mais de uma dezena de estados cruzaram os braços de forma isolada, como se o problema fosse somente dos respectivos governos estaduais ou municipais. Estes, têm a sua culpa sim, como ocorre com o governo de Minas, mas o governo Federal não pode se omitir dessa forma, deixando de cobrar dos governos das outras esferas, oferecendo apoio financeiro e reajustando o valor do piso para algo mais decente.

***
"Cristina Costa:

Boa noite, Euler!!

Acho que ele está de saia justa!!!
Está completamente encurralado e sem saída.

Quem sabe teremos uma surpresa agradável neste contracheque.Temos o costume de só levarmos rasteiras por parte deste desgoverno. Quem sabe ele nos surpreenda.

Acho que está aplicando o piso do MEC proporcional a 24 horas... Só assim ele não ficaria "fora da lei".

Eu sou muito otimista!!!!Não???

Porque se não for isto...Não temos nem conversa... é GREVE, GREVE, GREVE...ATÉ O PISO!!!!

obs: Na verdade, estou doidinha para exibir meu contracheque com o salário de dezembro e desmascarar este indivíduo que, atualmente, está com governador e esclarecer e provar para a sociedade o que estamos reivindicando ...

Um abraço!

ACHO QUE ESTA JÁ FOI UMA VITÓRIA DA CATEGORIA!!!!"


Comentário do Blog: tomara que você esteja certa, combativa amiga Cristina, e que no dia 07 sejamos surpreendidos com o nosso piso tão desejado, tão implorado, e tão sonegado, rsrs. Aliás, o governo facilitaria as coisas se esclarecesse esse ponto antes da nossa assembleia. Um forte abraço e força na luta!

"Anônimo:

EULER, UMA PESSOA DE DENTRO DE UMA SUPERINTENDÊNCIA ME CONFIDÊNCIOU O SEGUINTE, O GOVERNO VAI REALMENTE PAGAR O PISO-PISO, MAS SOMENTE PARA OS PROFESSORES EFETIVOS E, APOSENTADOS QUE TEM PARIDADE COM OS DA ATIVA, OS EFETIVADOS DA LEI 100 E, OS CONTRATADOS QUE SÃO A GRANDE MAIORIA E, NÃO É A TOA, TODOS NÓS SABEMOS, SERVEM COMO MASSA DE MANOBRA PARA ESTE GOVERNO TRAÍRA VÃO PERMANECER NO SISTEMA DE SUBSIDIO,VOCÊ ACHA QUE TEM ALGUM SENTIDO ESTA IFORMAÇÃO? SE SIM COMENTE POR FAVOR. EM TEMPO ESTA PESSOA PEDIU ANONIMATO POIS TAMBÉM É CONTRATADA E TEM MEDO DE REPRESÁLIA.""


Comentário do Blog: olá, colega, não considero que os efetivados e designados sejam "massa de manobra" do governo. Talvez a sua intenção tenha sido a de dizer que o governo tenta usar estes segmentos como massa de manobra, mas isso não tem funcionado. Na minha escola, praticamente todos os efetivados e designados estão em greve, e tem um efetivo que está furando a greve.

Quanto à sua dúvida, não considero que o governo tratará de forma diferenciada os efetivos e os efetivados em relação à lei do piso. Acho que manterá os designados na lei do subsídio, mas devemos lutar para que TODOS tenham direito de opção de carreira - incluindo os futuros concursados. Um forte abraço e força na luta
!


"Anônimo:

Esse blog é porreta meu!...
Tudo que comentei se transforma em realidade .
Imprensa mineira, medíocre.
Víceras de professores covardes sendo as primeiras a ser dilaceradas pelo apetitoso ditador com vestimentas de democrAta.
LEVARAM BOLA NAS COSTAS...
SAIAM DA INÉRCIA OU ARCARÁS SOZINHOS PELA CONSEQUÊNCIAS CAROS COLEGUINNNNNHAS..."


"Anônimo:

Euler o BLOG está a mil. Parabéns! Espero que o governador pare de enrolar e pague o piso. Quanto a não pagar os dias que foram cortados, não reponho nem amarrado. Se normalmente já é difícil encontrar professores para substituir por licença de tratamento de saúde, imagine agora. Força para todos. Até a vitória!"

"Luciano História:

Se o governo fosse pagar o piso de acordo com a antiga carreira o governo não teria avisado? Afinal, o ponto central da greve não é o pagamento do piso de acordo com a antiga carreira? Se o governo quisesse pagar agora o piso por qual motivo prorrogou a escolha da antiga carreira até agosto? Será que o governo iria apresentar o contracheque com o salário base de dezembro e de última hora voltou atrás? Se ele vai pagar o piso agora por qual motivo não divulgou e acabou com a greve? Quem optou pela antiga carreira e não está de greve também está com o contracheque travado?"


"Luciano História:

Se o governo retornou os professores para a carreira antiga ele tem que pagar de acordo com a carreira antiga, pelo menos essa é a lógica. Se ele iria pagar de acordo com o salário de dezembro e depois percebeu que iria dar um tiro no próprio pé não escondeu a cagada pois permitiu que os professores consultassem sua vida funcional já registrada na antiga carreira.".

Comentário do Blog: não resta dúvida que algo está por acontecer, rsrs. O mais provável com o pagamento do piso proporcional do MEC. Junte a isso o discurso do tal deputado Bosco que diz que o governo tem uma proposta em andamento, e podemos concluir que vem algo novo por aí. Talvez até ao estilo deste governo, que age sempre unilateralmente, sem negociar com o sindicato. E aí você pode perguntar: por que o dia 07? Talvez porque o governo tenha a intenção de negociar até o dia 06 a tal proposta. Não descarto a possibilidade de haver uma proposta também para o subsídio (para torná-lo mais atraente para os novatos), juntamente com a implantação do piso. Ele sentiu que a greve pode crescer e que os pressupostos da sua defesa (do subsídio) não têm sustentação, nem legal, nem moral, e pode ser que troque a retórica vazia por propostas concretas. Mas, pode ser também que nada disso aconteça e a secretária da Educação continue funcionando como porta-voz de guerra do governo, demonstrando uma disposição para o diálogo semelhante àquele que o estado de Israel tem para com os palestinos. Aguardemos!

"Adriano:

Euler... não sei porque, mas meu contracheque está disponível normalmente. Será que só os efetivos e efetivados estão com problemas nos contracheques?

Adriano"
.

Comentário do Blog: caro combativo Adriano, acredito sim que os designados, por não terem opção de retorno ao antigo sistema, não sofrerão qualquer alteração em relação à remuneração praticada através do subsídio. Ao que parece, quem não optou (ou não pode optar, como os designados) pelo antigo sistema teve seu contracheque publicado normalmente.

"
Igor:

Governo divulgará contracheque somente no dia 07. Um dia após assembleia de educadores. Forma tosca de tentar intimidar.

GREVE vai radicalizar e com razão....

Igor
"

"
Anônimo:

euler eu acho muito bom q os professores lutem pelos direitos deles e ate apoio ate podemos ter aula dia de sabado mais bimestral ai ja e falta de respeito pq os professores querem a ajuda dos alunos mais na hora de ajudar nada os professores querem q nos vejamos o lado deles mais eles tambem nao pensam na gente VCS TEM Q ENTERDER Q ESTAO LUTANDO POR UM DIREITO SEUS NAO SOMOS NOS Q TEMOS Q DEPOIS SER DESRESPEITADOS. eu sei q a melhoria do salario influencia na educação mais temos q trabalhar juntos nao ajudando os lado de vcs e prejudicando os nossos..."

Comentário do Blog: caro aluno, não sei se entendi bem, mas parece que você não quer que haja provas bimestrais aos sábados, é isso mesmo? Da minha parte, estou de acordo. Inclusive acho uma sacanagem que certos educadores estejam, agora na greve, pressionando os alunos a comparecerem à escola sob o risco de perderem avaliações. E acho sim, que alunos e professores precisam trabalhar juntos por uma carreira mais decente para os educadores e por uma Educação de qualidade para todos. Além disso, acho que os estudantes precisam conquistar o seu espaço de organização através de grêmios livres, para reivindicarem seus direitos. Um abraço e obrigado pelo apoio.

"
Anônimo:

MEU DEUS, QUEM DILMA QUER REPRESENTAR NESSE PAÍS.... NÃO TEM LUGAR PARA COLOCAR TANTO DINHEIRO DE IMPOSTOS, NÃO TEM CORAGEM DE ENFERNTAR DITADORES DOS QUAIS ELA FOI VÍTIMA
NÃQ SE POSICIONA AO LADO DE PROFISSIONAIS QUE A JUSTIÇA COMPROVA LEGALIDADE.`AS VEZES ME PONHO A PENSAR ... QUEM É O PIOR DESTA HISTÓRIA ? QUEM INFRINGE A LEI OU QUEM ACHA CONVENIENTE O CAOS...
INFELIZMENTE NÃO ACREDITO QUE ESSE COMENTÁRIO VÁ A PUBLICO, MAS A NEGLIGÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL É MAIS ASSOMBROSO DO QUE TUDO O Q JÁ FOI POSTADO NO SEU BLOG. O CHOQUE Q DEVERIA SER DADO A DILMA TALVEZ SEJA MAIOR DO Q O Q DEVERÍAMOS DAR AOS NOSSOS GOVERNANBTES INERTES ÁS LEIS Q DEVERIAM SER CUMPRIDAS. SE VIVESSEVOS EM UM PAÍS DEMOCRATICO DE DIREITO
SE A LEI E FEDERAL... ONDE ESTÁ DILMA QUE NÃO O FAÇA CUMPRIR... ESTOU PASMO COM TANTA LESMICIDADE DA NOSSA PRESIDENTA. ESCLAEREÇO AOS FANÁTICOS QUE FUI ELEITOR DELA.
"

Comentário do Blog: tudo bem, colega, seu comentário está aí, sem censura, rsrs. Mas, pelo amor de Deus: não nos fale em "choque", porque todos nós, mineiros, estamos traumatizados com essa palavra (e prática contumaz do governo do faraó e afilhado contra o nosso bolso).

Governador aparece na terra do avô do faraó. E ao que parece os educadores prepararam uma recepção calorosa para ele. Vejam no blog Proeti no Polivalente, da nossa combativa colega Vanda.

Dilma em Minas: Nesta primeira quinzena de julho, a presidenta Dilma vem a Minas para assinar licitações de obras de rodovias. Seguramente encontrará com o governador. Eis uma boa oportunidade para cobrarmos dos dois: a) o pagamento do piso (pelo governador), b) o reajuste do valor do piso e o investimento de 10% do PIB na Educação (pela presidenta), e c) parar de fingir que a Educação não é problema dele/dela (ambos).

Peça teatral: recebi por e-mail uma engraçadíssima e muito criativa peça teatral elaborada pelo professor Luciano Rodrigues, de Curvelo. Ela trata de uma entrevista ocorrida com o governador de Minas, rsrs. Quem sabe ele (o Luciano, não o governador) não se dispõe a organizar esta peça para um próximo ato público dos educadores?

"
Anônimo:

EULER, POR ACASO É VOCÊ QUE ESTA NESTA FOTO DE COSTAS.

http://www.diariodearaxa.com.br/Noticia/Politica/2011/6/Bosco-conversa-com-servidores-da-educacao-que-estao-em-greve/8076.aspx "

Comentário do Blog: não, colega. Meu cabelo está mais crescido um pouco (sem cortar há um tempo, por falta de salário, rsrrs). E também estava com a barba por fazer (não pude comprar aparelho de barbear). E eu evito ficar muito próximo dos nobres deputados, por sugestão do Paulão ("cuidado com a carteira!", embora ela esteja vazia, rsrs).

"
Isabel Assumpção - Manhuaçu:

Euler e demais combativos e corajosos colegas,
Se este veto ao contra cheque teve a intenção de nos amedrontar, creio que o governo deu um tiro n'água, nós por fim entendemos que somente levando esta luta até o fim, ou seja, até o pagamento do piso é que recobraremos nossa dignidade e se pensam que esta é nossa única reivindicação, que nos aguardem. Vamos dar um passo de cada vez, mas sinto que agora estamos num caminho que não mais nos acomodaremos. Vamos todos lutar para que realmente tenhamos condições justas de trabalho e que possamos ter uma carreira educacional que seja verdadeira e assim recuperarmos o prazer em trabalhar na formação de verdadeiros cidadãos. Grande abraço e até a vitória.
"

"
Anônimo:

Sou apostilado e tive acesso ao meu Contra-Cheque sem nenhuma alteração (os apostilados estão na carreira antiga). O governo ainda não vai pagar o piso. Acredite se quiser.
"

"
Odair-Moc:

Companheiros,
a título de esclarecimento, quem ainda não fez a opção pela carreira antiga não sofreu censura no contra cheque.
Imagino que o governo vai tentar nos lubridiar mais uma vez...porém acredito que o nosso movimento se fortalecerá ainda mais!
GREVE...GREVE...GREVE...É A PALAVRA DE ORDEM.
Força na luta e até a vitória!
Odair-Moc
"

"
Anônimo:

Só para esclarecer. Os contracheques de todo o pessoal que o optou pela carreira antiga foram adiados, independente de ser grevista ou não. Os que não optaram puderam consultá-los normalmente."

"
Anônimo:

EULER,
Estou muito incomodado da posição da direção do SINDUTE, de não querer fazer uma ação de radical de impacto, para dar um maior fôlego a GREVE, e fiquei mais ainda chateado com a fala de uma diretora estadual na última assembleia que disse que ação de radical é ir parar as escolas. Como se nós não estivéssemos fazendo isso. Ela é da região do Centro Sul, e faz parte da direção da CUT e não não faz o que está falando. que tamanha incoerência. Até quando vamos ter que ficar escutando esses discursos incoerentes e desestimuladores. Desculpe pelo desabafo
"

"
Maria - Congonhas:

Bom dia!
De acordo com o portal do servidor, minha opção pelo regime antigo só foi registrada no meu cargo efetivo em que estou na ativa, no meu cargo efetivo em afastamento preliminar nada foi registrado (Minha dúvida: Será que não posso fazer opção nesse cargo?). Estou agoniada pois nunca me passou pela cabeça ficar no subsídio e trouxe essa dúvida para o blog pois acredito que muitas pessoas estão na mesma situação.
Pesquisei a lei do subsídio e gostaria que alguém (algum advogado por aqui? rs ) me ajudasse a entender a situação.

Art. 5º. O servidor que, na data de publicação desta Lei, for ocupante de cargo das carreiras a que se refere o art. 1º poderá optar pelo retorno ao regime remuneratório anterior à vigência desta Lei, no prazo de noventa dias contados da data do primeiro pagamento de sua remuneração pelo regime de subsídio.

Cargos das carreiras do art. 1:

Art. 1º. Passam a ser remunerados por subsídio, fixado em parcela única, os servidores ocupantes de cargos de provimento efetivo das seguintes carreiras do Poder Executivo estadual:

I - Professor de Educação Básica - PEB -, Especialista em Educação Básica - EEB -, Analista de Educação Básica - AEB -, Assistente Técnico de Educação Básica - ATB -, Assistente Técnico Educacional - ATE -, Analista Educacional - ANE -, Assistente de Educação - ASE - e Auxiliar de Serviços de Educação Básica - ASB -, de que trata a Lei nº 15.293, de 5 de agosto de 2004;

e, por fim :

Art. 7º. O disposto nesta Lei aplica-se ao servidor inativo e ao afastado preliminarmente à aposentadoria que fizerem jus à paridade, nos termos da legislação vigente, bem como ao detentor de função pública de que trata o art. 4º da Lei nº 10.254, de 20 de julho de 1990, cujos proventos ou cuja remuneração tiverem como referência os valores aplicáveis às carreiras a que se referem os incisos I e II do art. 1º.

Um abraço a todos!
"

"
Maria - Congonhas:

Caro Euler,
parabéns pelo seu blog, ele é a minha principal fonte de consulta.
Sou efetiva em dois cargos e em um deles estou em processo de aposentaria. Fiz minha opção pelo antigo regime em abril e ontem, ao consultar o meu histórico funcional, percebi que me voltaram para o regime antigo apenas no cargo em que estou na ativa. No cargo em que estou em afastamento não há nada registrado,o último registro foi anterior ao subsídio. Estou agoniada, não quero o subsídio,alguém se encontra na mesma situação? Se o professor em afastamento preliminar não pode ter movimentação na carreira, por que me jogaram no subsídio? Estou afastada há 3 anos. Por enquanto são apenas suposições pois meu contracheque também não foi liberado.
Abraços
! "

"
Everaldo M. Sá:

Amigo Euler;

Na última assembléia que aconteceu aí em BH uma colega da cidade de Araçuaí retirou no UAI uma cópia do contracheque de junho, segundo ela havia um desconto de aprox. R$200,00. Sendo que ela possui dois cargos imaginei que poderia ser desconto das paradas anteriores a greve. Quem sabe essa pista contribua para desvendar o enigma dos contracheques bloqueados?

Everaldo
".

"
Silvio - Geografia:

Caros combatentes pelos direitos ao pagamento da Lei do Piso Salarial dos Professores. Que nossa luta é legal, direta, constitucioal, moral... bom, isso já foi falado inúmeras vezes neste blog. Que também já foram chamados para fazerem parte do nosso movimento aqueles servidores que AINDA NÃO aderiram a greve, também não é novidade. O interessante é que essas mesmas pessoas também serão beneficiadas, quando de nossa certa vitória, não compõem com toda a categoria, uma voz uníssona nesta questão primordial pela implantação da lei do piso. Como ficarão esses profissionais ante aos demais que estão fazendo sua parte? Como encarar de frente os guerreiros que através da junção das partes, que engrandece o todo? Ou mesmo seu filho, vizinho... Camaradas, não deixem que "coisas menores" impeçam que vocês façam parte dA VITÓRIA que ficará para a história de nosso estado (de direito). Ainda há tempo. Contamos com vocês.".

"
Anônimo:

Grande Euler, deu no Estaminas, concurso da Petrobrás, nível médio: de 1.801,00 a 2.200,00, superior de 3.000,00 a 6.200,00. Agora meu amigo vem os benefícios, plano de previdencia complementar, plano de saúde médico,odontológico e psicológico( este último estamos precisando muito kkkk ) auxílio farmácia e auxílio educação, ufa, e isto é no mesmo país que fala que a educação é prioridade. Colegas que estão furando a greve, parem e venha lutar para conseguirmos a grande vitória. Força na luta companheiro.".

"
Luciano:

Prezado Euler,

Nos sete anos de labuta que tenho na SEE, nunca vi tanta confusão com relação ao pagamento quanto ao subsídio. A Lei que o instituiu foi assinada em 29/06/2010, mas tanto a SEE como a SEPLAG cometeram erros crassos na preparação do Sistema de Pagamento que para mim não poderiam ser admitidos: baguraçaram os pagamentos de diretores e secretários de escola, além dos ocupantes de cargos em comissão e funções gratificadas da SEE. E ainda reflexos, situações não acertadas que ainda teimam... Quanto a não visualização do demonstrativo referente a Junho/2011 certamente é que foi detectada uma baita inconsistência no Sistema de Pagamento, especialmente para os servidores que optaram a retornar a sistemática anterior ao subsídio. Vos lembrando, se atentou e leu o requerimento de retorno ao sistema remuneratório anterior a 01/01/2011, o mesmo informa que vigência a remuneração de Dez/2010 seria no 1º dia do mês seguinte do protocolo do requerimento, sem ter que pagar nadinha pelo que já recebeu por verba única e sem perder esse período para contagem de tempo. Pois bem, houve muitos requerimentos, principalmente antes da primeira prorrogação que foi em maio último, além do que a SEE imaginava. E esta acho que vacilou de novo, pois quem fez e protocolou seu requerimento em abril, por exemplo, a partir do pagamento referente a Maio/2011 deveria recebê-lo na sistemática anterior ao subsídio, e por acaso isso aconteceu?? Sei não, mas prepare-se para mais problemas...
E quanto a greve ora em curso, ela não é motivo do não aparecimento do demonstrativo referente a Junho/2011. Neste pagamento deverão constar somente as faltas-greve feitas em Maio/2011 que foram informadas pelas escolas. Mas a partir do pagamento referente a Julho/2011 a ser pago até o 5º dia útil de Agosto/2011 é que começaram a ser descontadas para valer a greve por tempo indeterminado. No pagamento refente a Julho/11 serão as faltas-greve do mês de junho, e a persirtir a greve, o desconto será integral. E a reposição destes valores, ao contrário do ano passado, em que se pagou primeiro as faltas-greve de março, abril e maio/2010 para serem repostas a carga horária devida aos alunos, a SEE está disposta a só autorizar a pagar depois que a carga horária devida for reposta ao aluno.
No mais, meu caro, se não houver algo de novo que force o Governo a cumprir de uma vez por todas o que a Lei Federal diz (a Procuradoria Geral ainda não se pronunciou quanto a denúncia feita pelo SindUte em 10/06/2011) ou que faça chamar o Magistério para fazer um acordo justo e realmente benefíco aos professores, mais uma vez os nobres educadores estarão dando murros em pontas de facas afiadas, pois a ladainha da SEE e do Governo já está posta a opinião pública, que diz que cumpre o Piso Nacional através do Subsídio, mas curiosamente a própria Lei que o instituiu deu o direito do servidor optar pela sistemática remuneratória anterior a este, mas não seria discriminar e dar tratamento diferenciado as servidores que exercem as mesmas funções e tem carga horária semelhantes??
É, tem margem para se questionar de tudo que é jeito... Se o SindUte tiver um bom corpo jurídico, acho que dá para atormentar Anastasia, Renata Vilhena, Gazzola, Noronha e cia a ponto deles implorarem que parem e procurarem rapidinho um acordo. É usar as Leis que eles criaram para colocá-los em maus lençóis, como cantou certa vez Renato Russo em Geração Coca-Cola...

Um abraço.

Luciano.
".

"
Anônimo:

Pessoal, no Portal, quando assinala o retorno à carreira antiga(VB) no meu histórico consta existência de uma publicação de 01/07/2011. Não encontrei no MG. Alguém sabe de alguma coisa?
".

"
é o bicho!:

Caro Euler, seu texto é esclarecedor, aliás, como todos os outros têm sido. Porém, não posso concordar com uma coisa que escreveu: o governo de Santa Catarina não retrocedeu na decisão de não cortar o ponto. Foi a justiça que concedeu medida liminar ao Magistério Público Estadual, determinando a suspensão dos descontos das “faltas de greve” e a imediata elaboração de folha suplementar, com o pagamento dos valores bloqueados, no prazo máximo de três dias, e reconhecendo a legitimidade da greve."

"
Ivone:

Boa tarde grande Euler e colegas.
Tendo lido dúvida da colega Maria( Congonhas),creio que é a mesma situação minha.( Um cargo na ativa e um em afastamento preliminar). Gostaria de informar à mesma que voltei à carreira nos dois cargos, conforme verifiquei no portal do servidor. No meu caso, cerca de um Mês após o protocolo, fui informada por na escola que os professores em AFASTAMENTO PRELIMINAR, deveriam usar FORMULÁRIO ESPECÍFICO, diferente de quem estava na ativa. Sugiro que a mesma procure a SRE de Conselheiro Lafaiete, no caso de haver feito o pedido utilizando em ambos os cargos formulários idênticos. Pode ser ESSE O PROBLEMA QUE OCORREU COM A MESMA.
Meu abraço de admiração à sua força e garra colega. VC ORGULHA NOSSA CLASSE!!!
"

"
Anderson - Movimento Quem Luta Educa:

Caro Euler

Qualquer alteração salarial a ser feita na "carreira antiga" para adequar-se a Lei do Piso deve necessariamente passar pela Assembleia Legislativa .Isto não foi feito até o momento . Por isto ,acho improvável que o pagamento de Junho/2011 seja calculado de acordo com a proporcionalidade da lei do Piso ( mínimo de 712 reais ) .
Entendo que há então dois outros caminhos :
1) Pagar de acordo com o salário de 12/2010 e dar um tiro no próprio pé .
2 ) Pagar de acordo com a tabela do subsídio , apesar da informação de retorno ao VB já informada no portal do servidor . Neste caso , acredito que o sistema tem condições de informar no portal uma coisa e calcular o pagamento de outra maneira .Além disto , nesse caso , incorrerá no descumprimento da lei que o mesmo propôs , no artigo que diz que o retorno a forma de VB deve ser processado no mês subsequente ao protocolo nas SRE`s.
Segunda e Terça-feira prometem . Acho que na assembleia de Quarta-feira já teremos algumas respostas para estes questionamentos para tomarmos decisão sobre os rumos da greve .

Um abraço

Anderson - Pará de Minas.
"

"
Anônimo:

Luciano! Você também é o "cara"! Certíssimo: estou sentindo na pele todos esses erros crassos que você citou, como apostilada, fui para o subsídio, fiz opção de retorno em abril, não fui posicionada... enfim , tem um pagamento para mim, que não vi no contra cheque , como PEB1A. É demais ! Você também disse uma grande verdade: o jurídico do Sindicato pode colocar o bloco na rua que não tem para ASIA nenhuma..."

"
Anônimo:

OLÁ AMIGOS RESPONDENDO ALGUMAS QUESTÕES COLOCADAS AQUI SOBRE VOLTAR AO SISTEMA ANTIGO PARA QUEM TEM DOIS CARGOS E UM AFASTADO PARA SE APOSENTAR COMO EU.BEM EU FIZ A OPÇÃO DO CARGO QUE ESTOU TRABALHANDO NA MINHA ESCOLA...E NO CARGO QUE ESTOU AFASTADA NA SEE DIRETO NA SEÇÃO DE PROTOCOLO.TALVEZ SEJA ISSO ...A ESCOLA NÃO TEM MAIS NADA DE QUEM ESTÁ EM PROCESSO DE APOSENTADORIA...A TAL (MALDITA) PASTA ESTÁ EM PODER DA SEE ENTENDERAM?????
ME PERDOE MAS EU VOU COLOCAR O QUE PENSO SOBRE O ADIAMENTO DO CONTRACHEQUE NO SISTEMA....ACHO QUE O TAL GOVERNO VAI TENTAR NEGOCIAR NO DIA 6 DO JEITO DELE...(DEUS TEM MISERICÓRDIA) E DEPOIS SE ACEITARMOS TUDO BEM...(JÁ ESTÁ PRONTO...CALCULADO...BENZIDO..
..) DO JEITO DELE ..E SE NÃO ACEITARMOS...HAHHAHA CASTIGO...SERÁ COMO ANTIGAMENTE MESMO....2010...MENOS...HAHHAHA É AMIGOS ...ESTOU COM MEDO...E TENTANDO SORRIR..PARA NÃO CHORAR...ESSE POVÃO "OS DE CIMA" GOSTAM DISSO...DE HUMILHAR...PISOTEAR....ENROLAR...
SE ALGUÉM DA BENDITA SEE SETOR PAGAMENTO PUDESSE VAZAR ALGUMA COISA.....AÍ FICARÍAMOS MAIS FELIZES...SERÁ QUE TEM ALGUM "ANJO" DO INFERNO PARA NOS DAR ESTA LUZ????É SÓ PODE SER DE LÁ ESSE LUGAR TÃO TENEBROSO...NÃO SEI SE VOCÊS SENTEM O QUE EU SINTO...VERGONHA..DE SER PROFESSOR E MAIS VERGONHA É IR NAQUELE LUGAR...DEUS ME LIVRE QUE LUGAR TENEBROSO CHEGO LÁ QUANDO PRECISO E JÁ LOGO FICO DE MAU HUMOR...SÃO AS ENERGIAS NEGATIVAS...DO INFERNO MESMO...
ABRAÇOS E ORAÇÕES COLEGAS PORQUE NADA BOM VIRÁ...CERTAMENTE....SÓ ELES GANHAM O MELHOR..."


"
João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Segue comentário meu no blog Terror do Nordeste e a resposta do blogueiro:

João Paulo Ferreira de Assis disse...
Terror, fica aqui uma sugestão que você pode passar para algum deputado federal ou senador de seus contatos.

Olha, é muito difícil um governador que tenha uma assembleia legislativa prostrada diante dele ser investigado por corrupção. Veja por exemplo as 70 cpis abortadas pela maioria em São Paulo. Em Santa Catarinha o dinheiro do FUNDEB está sendo usado para pagar juízes e desembargadores, e há suspeita de que em Minas também é desviado. Lógico que as maiorias governistas nessas assembleias não vão autorizar abertura de nenhuma cpi. Então a proposta é a seguinte: toda vez que uma cpi estadual for indevidamente rejeitada pela maioria do governador, os interessados na mesma apresentarão as provas ao Congresso Nacional, e a CPI será aberta. Lógico que aquele pedido de cpi que foi rejeitado por insuficiência de provas não estaria sujeito a ir para o Congresso Nacional. Por exemplo: Minas não paga o PSPN conforme manda a Lei 11738. Se nós professores pedirmos uma cpi na Assembleia, a maioria governista vai passar sobre nós como um trator. E a CPI será rejeitada. Assim, se o Congresso Nacional puder ter a competência conferida por uma Emenda à Constituição, de abrir cpi que a assembleia do Estado não quis abrir, poderemos nós termos solução para o nosso caso. Obrigado pela atenção. E desculpe-me a prolixidade. Cordialmente João Paulo Ferreira de Assis.

01 Julho, 2011

TERROR DO NORDESTE disse...
João Paulo, faz sentido.Eu vou abraçar essa ideia.
01 Julho, 2011
"

"
Anônimo:

Companheiros de luta, Deus que me perdoe, mas acho que quando alcançarmos a vitória (sei que ela virá, ah virá , nem que fechemos o ano em greve), deveria haver uma maneira de só aqueles que lutaram de verdade (no caso: pararam tudo, cruzaram os braços e entraram em greve) pudessem usufruir das conquistas (no caso, o Piso), pois acho uma sacanagem, ou melhor, acho uma falta de respeito, escolas tendo aulas normais, fazendo festas juninas, como se nada estivesse acontecendo, se preocupando com férias e reposições ao sábados e toda essa balela. Essa gente deveria continuar a ganhar a merreca e se dar por satisfeita, afinal, se não lutam é porque não devem estar precisando. No meu bairro tem 4 escolas estaduais grandes e de influência na comunidade, mas somente a minha parou. Escuto todos os dias sinais batendo e alunos indo e voltando de uniformes como se estivesse tudo normal. Me dá tanta raiva, porque a gente em greve, vive em constante tensão, eu acesso esse blog mil vezes por dia, estou firme e forte na luta e sou orgulhosa disso. Tenho 29 anos de idade, fui nomeada em 2006, sei que quero um futuro melhor, então jamais vou me abster de ir à luta quando for para melhorar a situação da minha categoria e de outras (apoio a luta dos policiais, dos bombeiros, do pessoal da saúde). Temos que lutar, que país é esse que vou deixar para meus futuros filhos(a)? (Tenho até medo de colocar um filho no mundo do jeito que as coisas andam.). Bom, este é meu desabafo, pois mal entrei no Estado e já participo de duas greves (fiquei os 47 dias ano passado) e ficarei 100 dias se for preciso esse ano. Respeito e dignidade não se compra, se conquista. Força na luta!!! Abraços a todos os meus combativos colegas! A VITÓRIA VIRÁ, AINDA QUE DEMORE!".

Não deixem de ler, também, o blog SOS Educação Pública, da nossa colega educadora do Rio de Janeiro, Graça Aguiar, que está sempre contribuindo para a unidade da nossa luta. Inclusive ela elaborou uma matéria sobre as greves do Rio e de Minas. Vale a pena conferir, clicando aqui.

"
Anônimo:

Já me voltaram para a a carreira antiga também. Está o misterioso contracheque só a partir do dia 07. Gente, acho que dessa vez o governo se encalacrou. Alguma coisa vem por aí, e eu acredito que seja coisa boa, afinal o homem está num beco sem saída! E se ele tentar enrolar, nós não voltaremos! Sem o piso, não há conversa, sem negociação DURANTE A GREVE, não conversa, COM CORTES DE SALÁRIOS, NÃO HÁ REPOSIÇÃO. Podemos achar que estamos numa roubada com esse governo (e o pior é que estamos mesmo, rs rs), mas agora que está encurralado é ele. Acho que estamos por cima dessa vez. É PAGAR OU PAGAR, É O PISO OU O PISO. NÃO ACEITAMOS OUTRA CONVERSA! ".

"
Anônimo:

Fiz opção para retornar à carreira antiga desde o dia 17 de abril, consultei minha situação funcional e ainda continuo no suícido. Consegui ver meu contra-chequede junho, cotinuo recebendo no novo sistema, porem e veio nele desconto de greve no valor de R$ 180,00. Acredito que sejam referentes às paralisações de maio. Euler, devo preocupar por não terem me reposicionado na carreira antiga, uma vez que vários colegas postaram dizendo que já retornaram? O protocolo do pedido está bem guardado, mesmo assim estou preocupada.".

"
Anônimo:

Consultei meu reposicionamento nas duas carreiras, tanto na antiga, quanto na de subsidio. Nas duas aparecem uma mensagem dizendo que não encontrou reposicinamento para aquele masp (protocolei pedido de retorno à carreira antiga desde 17 de abril). Porém consegui visualizar meu contra-cheque de junho/2011 e ele veio ainda no subsídio, com desconto das paralisações de maio (R$ 180,00)."

Comentário do Blog: cara combativa colega, acho que você deve entrar em contato com a SRE e pedir explicação, pois todo mundo com quem eu conversei, e que optou pelo antigo regime, já teve sua situação funcional alterada no Portal do Servidor.

"
victoria mello:

Acho que o Anastasia tá começando a se desesperar. Sexta feira a subsede de Juiz de Fora enviou um grupo de 20 pessoas para uma manifestação contra o governo em São João Del Rey e o ônibus foi parado 4 vezes na estrada pela polícia rodoviária e militar. Agora estamos percebendo que essa não foi uma ação isolada da polícia, mas sim um cumprimento de uma ordem vinda direto do gabinete do governador. Isso demonstra desespero e evidencia que a nossa greve está incomodando muito. Anastasia não consegue mais se fazer de morto e fingir que a greve não existe. Vamos em frente.

Victória - Juiz de Fora
"

"
Rodrigues Damas Pontes:

Precisamos mesmo dar mais "corpo" a este movimento. Não podemos mais nos deixar enganar não somente por este governador, mas, sobretudo, pelos parlamentares que nós mesmos colocamos no poder. Em minha cidade, Pará de Minas, tem um Sr. Deputado, Inácio Franco, que, desde a greve de 2010 se posicionou escancaradamente "inimigo público número um" dos professores. Por estas plagas ele nem "beira" nossa classe. E o pior, assim como o governador, também é filho de professora! Aonde vamos parar desse jeito?
".

"
Anônimo:

Euler, o travamento dos contracheques começou a surtir efeito, algumas escolas aqui de Governador Valadares estão retornando amanhã com medo de não receberem seus proventos, uma pena, ô raça desinformada esta de profesores, uns atrapalham os outros e cadê esse tal de sind-ute, tá comprado pelo governo ou o que acontece com eles que não manifestão nada, o blog da Betraiz Cerqueira nunca esta atualizado e sem citar o site do sind-ute que esta mais desenformado ainda, uma pena, sua luta é muito bonita, parabens Euler, não sou professor, mas tenho parente que é e dá pra ficar puto com este Ditadorzinho Anastácia, se não houver um movimento rapido, parece que tudo que fizeram foi em vão, obrigado pelo espaço, mais uma vez parabens grande Euler Conrado, abços."

"
Anônimo:

Amigo Euler, a minha cidade possui 09 escolas estaduais, a maioria de grande porte. Somente eu e uma colega de outra escola, estamos em greve. Pensa bem, somente duas professoras, sendo que a minha escola é a maior da cidade. Infelizmente meus colegas são do tipo que espera que alguém lute por eles. Mas tudo bem, vou continuar até o fim, lutando por eles, coitados, são fracos e não têm noção do quanto é bom lutar por nossos direitos. Obrigada pelo espaço, só assim sei que não estou totalmente sozinha aqui, na minha cidade, pois a outra colega so trabalha aqui mas mora em Juiz de Fora. Abraços e muita força a todos nos."

Comentário do Blog: parabéns pelo bom exemplo e pela coragem, combativa colega. Infelizmente, uma parcela da categoria faz o jogo do governo, permanecendo em sala de aula. Quando alcançarmos nossos direitos, temos a obrigação moral de pregar cartazes em todas as escolas citando o nome de cada um dos colegas que tiveram a coragem de lutar. É bom que os colegas que se omitiram saibam que o nome deles não constará desta lista de guerreiros/guerreiras que conquistaram os direitos para o bem de TODOS. Apesar da omissão de alguns.

"
Anônimo:

Olá Euler, graças a Deus temos tantos educadores lutando por um salário e para uma educação mais justa. Sou do Estado de São Paulo, mas sou professora em Minas e meu pais vivem em Campo Grande-MS. Em São Paulo os professores tiveram 44% de aumento, 11% por ano e Campo Grande, que também entrou em greve, teve um reajuste salarial de 40%. Engraçado, será que o mesmo PSDB do Geraldo Alckimi é o mesmo PSDB do "Anestesia" e do "Craquécio Neves"? Na minha cidade, muitos querem entrar de greve, mas por outros, que são a maioria, não querem. Esses tais, não são bem informados e só pensam neles. Não importa, o que pensam, estou na luta com os educadores de Minas Gerais. Não iremos desistir. VAMOS LUTAR até que esse "fulano"( que gosta de ANESTESIAR a mente das pessoas) pague o que a lei nos proporciona."

"
Marco:

Maquiagem infla gastos com saúde em R$ 12 bilhões

DE SÃO PAULO

Estados maquiaram seus gastos com saúde pública em R$ 11,6 bilhões entre 2004 e 2008, informa reportagem de Daniela Lima e Mariana Schreiber, publicada na edição desta segunda-feira da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Despesas com reformas de presídios, aposentadorias de funcionários públicos, obras de saneamento básico e financiamento habitacional foram apresentadas como investimentos em saúde, de acordo com o Ministério da Saúde.

O artifício foi usado para cumprir a emenda 29 da Constituição, que obriga os Estados a gastar 12% de suas receitas na área.

Minas Gerais é o campeão dos gastos inflados na lista. Dos R$ 2,7 bilhões que declarou ter gasto com saúde em 2008, R$ 835,4 milhões foram descartados pelo governo federal.

Editoria de Arte/Folhapress
Marco
"

"
Anônimo:

Governo de minas é o que mais maquiou gasto com a saúde. E com a educação?"

"
Anônimo:

Euler e colegas...
O que vocês acham de irmos para Brasília.... Alugaremos um ônibus, acamparemos na sede, faremos faixas e protestos. Só assim conseguiremos mostrar para eles e para o Brasil, o que está acontecendo com a educação em Minas Gerais. Já que a imprensa foi toda comprada pela renda de nossos impostos. Com isso a Dilma verá quem são os tais que não aceitam as leis impostas e, que Minas está vivendo um tipo de ditadura. VAMOS PEDIR SOS. PAGUE A LEI, PISO EM MINAS GERAIS.
"

"
Anônimo:

Minha maior preocupação é com a falta de união da nossa classe, uma vez que, em cidades interioranas como a minha (Cristália - Norte de Minas), os colegas professores não aderem ao movimento grevista. Eles reclamam, mas continuam trabalhando firmemente. O ideal seria que o Sindicato conscientizasse todo o interior do estado sobre a força da união para conseguirmos melhorar a educação."

Comentário do Blog: o sindicato somos todos nós, colega. Reúna-se com um grupo de pessoas mais politizadas e visite as escolas. Aqui em Vespasiano, por exemplo, hoje mesmo (04/07) eu e mais três combativos colegas (Cláudia Luiza, João Martinho e Carlos Alberto) fomos na única escola que ainda não aderiu ao movimento grevista. Tivemos uma longa conversa com os educadores e esperamos que pelo menos alguns colegas participem da greve a partir de agora. É assim que a gente vai construindo a luta: reunindo a turma mais disposta, conversando com os demais colegas, dando o exemplo de luta (quem defende a greve tem que entrar em greve senão o exemplo é contrário). Um forte abraço a todos daí, de Cristália, e que a combativa turma de educadores desta cidade se levante e se recuse a continuar fazendo o jogo do governo. Nosso momento é de greve e não de acomodação.

"
Anônimo:

Euler, boa noite!
Amei seu blog! Está atualizado e é um bom espaço para que troquemos ideias e informações. O colega anônimo da cidade de Cristália fez um comentário, deveras importante e verdadeiro. As cidades do interior ficam abandonadas, sem assistência do Sindicato e , e os professores por falta de informação e entrosamento ficam fora da greve. Hoje, esteve em nossa Escola, um colega representante do Sindicato, e não deu outra: estamos em greve! É a mobilização da categoria através da informação, que nos põe em sintonia e nos motiva a levantar a bandeira de luta.
Um abraço e parabéns por seu trabalho.
"

Comentário do blog: um abraço, combativa colega, e parabéns para vocês que aderiram à greve, fazendo coro às muitas vozes que lutam pelo nosso piso e pela nossa carreira. Dê um abraço a todos aí da escola, e força na luta!

45 comentários:

  1. Boa noite, Euler!!

    Acho que ele está de saia justa!!!
    Está completamente encurralado e sem saída.

    Quem sabe teremos uma surpresa agradável neste contracheque.Temos o costume de só levarmos rasteiras por parte deste desgoverno. Quem sabe ele nos surpreenda.

    Acho que está aplicando o piso do MEC proporcional a 24 horas... Só assim ele não ficaria "fora da lei".


    Eu sou muito otimista!!!!Não???

    Porque se não for isto...Não temos nem conversa... é GREVE, GREVE, GREVE...ATÉ O PISO!!!!

    obs: Na verdade, estou doidinha para exibir meu contracheque com o salário de dezembro e desmascarar este indivíduo que, atualmente, está com governador e esclarecer e provar para a sociedade o que estamos reivindicando ...

    Um abraço!
    ACHO QUE ESTA JÁ FOI UMA VITÓRIA DA CATEGORIA!!!!

    ResponderExcluir
  2. EULER, UMA PESSOA DE DENTRO DE UMA SUPERINTENDÊNCIA ME CONFIDÊNCIOU O SEGUINTE, O GOVERNO VAI REALMENTE PAGAR O PISO-PISO, MAS SOMENTE PARA OS PROFESSORES EFETIVOS E, APOSENTADOS QUE TEM PARIDADE COM OS DA ATIVA, OS EFETIVADOS DA LEI 100 E, OS CONTRATADOS QUE SÃO A GRANDE MAIORIA E, NÃO É ATOA, TODOS NÓS SABEMOS, SERVEM COMO MASSA DE MANOBRA PARA ESTE GOVERNO TRAÍRA VÃO PERMANECER NO SISTEMA DE SUBSIDIO ,VOCÊ ACHA QUE TEM ALGUM SENTIDO ESTA IFORMAÇÃO? SE SIM COMENTE POR FAVOR. EM TEMPO ESTA PESSOA PEDIU ANONIMATO POIS TAMBÉM É CONTRATADA E TEM MEDO DE REPRESÁLIA."

    ResponderExcluir
  3. Euler o BLOG está a mil.Parabéns!Espero que o governador pare de enrolar e pague o piso.Quanto a não pagar os dias que foram cortados,n~~ao reponho nem amarrado.Se normalmente já é difícil encontrar professores para substituir por licença de tratamento de saúde,imagune agora.Força para todos.Até a vitória!

    ResponderExcluir
  4. Se o governo fosse pagar o piso de acordo com a antiga carreira o governo não teria avisado?Afinal, o ponto central da greve não é o pagamento do piso de acordo com a antiga carreira?Se o governo quisesse pagar agora o piso por qual motivo prorrogou a escolha da antiga carreira até agosto?Será que o governo iria apresentar o contra-cheque com o salário base de dezembro e de última hora voltou atrás?Se ele vai pagar o piso agora por qual motivo não divulgou e acabou com a greve?Quem optou pela antiga carreira e não está de greve também está com o contra-cheque travado?

    ResponderExcluir
  5. Esse blog é porreta meu!...
    Tudo que comentei se transforma em realidade .
    Imprensa mineira, medíocre.
    Víceras de professores covardes sendo as primeiras a ser dilaceradas pelo apetitoso ditador com vestimentas de democrAta.
    LEVARAM BOLA NAS COSTAS...
    SAIAM DA INÉRCIA OU ARCARÁS SOSINHOS PELA CONSEQUENCIAS CAROS COLEGUINNNNNHAS...

    ResponderExcluir
  6. Se o governo retornou os professores para a carreira antiga ele tem que pagar de acordo com a carreira antiga, pelo menos essa é a lógica.Se ele iria pagar de acordo com o salário de dezembro e depois percebeu que iria dar um tiro no próprio pé não escondeu a cagada pois permitiu que os professores consultassem sua vida funcional já registradas na antiga carreira.

    ResponderExcluir
  7. Euler... não sei porque, mas meu contra cheque está disponível normalmente. Será que só os efetivos e efetivados estão com problemas nos contra cheques?

    Adriano

    ResponderExcluir
  8. Governo divulgará contra-cheque somente no dia 07. Um dia após assembleia de educadores. Forma tosca de tentar intimidar.

    GREVE vai radicalizar e com razão....

    Igor

    ResponderExcluir
  9. euler eu acho muito bom q os professores lutem pelos direitos dele e ate apoio ate podemos ter aula dia de sabado mais bimestral ai ja e falta de respeito pq os professores querem a ajuda dos alunos mais na hora de ajudar nada os professores querem q nos vejamos o lado deles mais eles tambem nao pensam na gente VCS TEM Q INTERDER Q ESTAO LUTANDO POR UM DIREITO SEUS NAO SOMOS NOS Q TEMOS Q DEPOIS SER DISRESPEITADOS.eu sei q a melhoria do salario influencia na educação mais tempos q trabalhar juntos nao ajudando os lado de vcs e prejudicando os nosso..

    ResponderExcluir
  10. MEU DEUS, QUEM DILMA QUER REPRESENTAR NESSE PAÍS....
    NÃO TEM LUGAR PARA COLOCAR TANTO DINHEIRO DE IMPOSTOS,
    NÃO TEM CORAGEM DE ENFERNTAR DITADORES DOS QUAIS ELA FOI VÍTIMA
    NÃQ SE POSICIONA AO LADO DE PROFISSIONAIS QUE A JUSTÇA COMPROVA LEGALIDADE.
    `A VEZES ME PONHO A PENSAR ... QUEM É O PIOR DESTA HISTÓRIA ?
    QUEM INFRI9NGE A LEI OU QUEM ACHA CONVINIENTE O CAOS...
    iNFELISMENTE NÃO ACREDITO QUE ESSE COMENTÁRIO VÁ A PUBLICO, MAS A NGLIGÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL É MAIS ASSOMBROSO DO QUE TUDO O Q JÁ FOI POSTADO NO SEU BLOG
    O CHOQUE Q DEVERIA SER DADO A DILMA TALVES SEJA MAIOR DO Q O Q DEVERÍAMOS DAR AOS NOSSOS GOVERNANBTES INERTEIS ÁS LEIS Q DEVERIAM SER CUMPRIDAS. SE VIVESSEVOS EM UM PAÍS DEMOCRATICO DE DIREITO
    SE A LEI E FEDERAL... ONDE ESTÁ DILMA QUE NÃO O FAÇA CUMPRIR...
    ESTOU PASMO COM TANTA LESMICIDADE DA NOSSA PRESIDENTA.
    ESCLAEREÇO AOS FANÁTICOS QUE FUI ELEITOR DELA.

    ResponderExcluir
  11. Amigo Euler;

    Na última assembléia que aconteceu aí em BH uma colega da cidade de Araçuaí retirou no UAI uma cópia do contracheque de junho, segundo ela havia um desconto de aprox. R$200,00. Sendo que ela possui dois cargos imaginei que poderia ser desconto das paradas anteriores a greve. Quem sabe essa pista contribua para desvendar o enigma dos contracheques bloqueados?

    Everaldo

    ResponderExcluir
  12. Maria - Congonhas2 de julho de 2011 06:31

    Caro Euler,
    parabéns pelo seu blog, ele é a minha principal fonte de consulta.
    Sou efetiva em dois cargos e em um deles estou em processo de aposentaria.Fiz minha opção pelo antigo regime em abril e ontem, ao consultar o meu histórico funcional, percebi que me voltaram para o regime antigo apenas no cargo em que estou na ativa.No cargo em que estou em afastamento não há nada registrado,o último registro foi anterior ao subsídio. Estou agoniada, não quero o subsídio,alguém se encontra na mesma situação? Se o professor em afastamento preliminar não pode ter movimentação na carreira, por que me jogaram no subsídio? Estou afastada há 3 anos.Por enquanto são apenas suposições pois meu contracheque também não foi liberado.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Maria - Congonhas2 de julho de 2011 08:02

    Bom dia!
    De acordo com o portal do servidor, minha opção pelo regime antigo só foi registrada no meu cargo efetivo em que estou na ativa, no meu cargo efetivo em afastamento preliminar nada foi registrado (Minha dúvida: Será que não posso fazer opção nesse cargo?) .Estou agoniada pois nunca me passou pela cabeça ficar no subsídio e trouxe essa dúvida para o blog pois acredito que muitas pessoas estão na mesma situação.
    Pesquisei a lei do subsídio e gostaria que alguém ( algum advogado por aqui?rs ) me ajudasse a entender a situação.

    Art. 5º. O servidor que, na data de publicação desta Lei, for ocupante de cargo das carreiras a que se refere o art. 1º poderá optar pelo retorno ao regime remuneratório anterior à vigência desta Lei, no prazo de noventa dias contados da data do primeiro pagamento de sua remuneração pelo regime de subsídio.

    Cargos das carreiras do art. 1:

    Art. 1º. Passam a ser remunerados por subsídio, fixado em parcela única, os servidores ocupantes de cargos de provimento efetivo das seguintes carreiras do Poder Executivo estadual:

    I - Professor de Educação Básica - PEB -, Especialista em Educação Básica - EEB -, Analista de Educação Básica - AEB -, Assistente Técnico de Educação Básica - ATB -, Assistente Técnico Educacional - ATE -, Analista Educacional - ANE -, Assistente de Educação - ASE - e Auxiliar de Serviços de Educação Básica - ASB -, de que trata a Lei nº 15.293, de 5 de agosto de 2004;

    e, por fim :

    Art. 7º. O disposto nesta Lei aplica-se ao servidor inativo e ao afastado preliminarmente à aposentadoria que fizerem jus à paridade, nos termos da legislação vigente, bem como ao detentor de função pública de que trata o art. 4º da Lei nº 10.254, de 20 de julho de 1990, cujos proventos ou cuja remuneração tiverem como referência os valores aplicáveis às carreiras a que se referem os incisos I e II do art. 1º.

    Um abraço a todos!

    ResponderExcluir
  14. Só para esclarecer. Os contracheques de todo o pessoal que o optou pela carreira antiga foram adiados, independente de ser grevista ou não. Os que não optaram puderam consultá-los normalmente.

    ResponderExcluir
  15. EULER,
    Estou muito incomodado da posição da direçâo do SINDUTE, de não querer fazer uma ação de radical de impacto, para dar um maior fôlego a GREVE, e fiquei mais ainda chateado com a fala de uma diretora estadual na última assembleia que disse que ação de radical é ir parar as escolas.Como se nós não estivéssemos fazendo isso. Ela é da região do Centro Sul, e faz parte da direção da CUT e não não faz o que está falando. que tamanha incoerencia. Até quando vamos ter que ficar escutando esses discussos incoerentes e desestimuladores. Desculpe pelo desabafo.

    ResponderExcluir
  16. Isabel Assumpção - Manhuaçu2 de julho de 2011 08:27

    Euler e demais combativos e corajosos colegas,
    Se este veto ao contra cheque teve a intenção de nos amedrontar, creio que o governo deu um tiro n'água, nós por fim entendemos que somente levando esta luta até o fim, ou seja, até o pagamento do piso é que recobraremos nossa dignidade e se pensam que esta é nossa única reivindicação, que nos aguardem. Vamos dar um passo de cada vez, mas sinto que agora estamos num caminho que não mais nos acomodaremos. Vamos todos lutar para que realmente tenhamos condições justas de trabalho e que possamos ter uma carreira educacional que seja verdadeira e assim recuperarmos o prazer em trabalhar na formação de verdadeiros cidadãos. Grande abraço e até a vitória.

    ResponderExcluir
  17. Sou apostilado e tive acesso ao meu Contra-Cheque sem nenhuma alteração(os apostilados estão na carreira antiga). O governo ainda não vai pagar o piso. Acredite se quizer.

    ResponderExcluir
  18. Companheiros,
    a título de esclarecimento, quem ainda não fez a opção pela carreira antiga não sofreu censura no contra cheque.
    Imagino que o governo vai tentar nos lubridiar mais uma vez...porém acredito que o nosso movimento se fortalecerá ainda mais!
    GREVE...GREVE...GREVE...É A PALAVRA DE ORDEM.
    Força na luta e até a vitória!
    Odair-Moc

    ResponderExcluir
  19. EULER, POR ACASO É VOCÊ QUE ESTA NESTA FOTO DE COSTAS.


    http://www.diariodearaxa.com.br/Noticia/Politica/2011/6/Bosco-conversa-com-servidores-da-educacao-que-estao-em-greve/8076.aspx

    ResponderExcluir
  20. Grande Euler, deu no Estaminas, concurso da Petrobrás, nível médio: de 1.801,00 a 2.200,00, superior de 3.000,00 a 6.200,00. Agora meu amigo vem os benefícios, plano de previdencia complementar, plano de saúde médico,odontológico e psicológico( este último estamos precisando muito kkkk )auxílio farmácia e auxílio educação, ufa, e isto é no mesmo país que fala que a educação é prioridade. Colegas que estão furando a greve, parem e venha lutar para conseguirmos a grande vitória. Força na luta companheiro.

    ResponderExcluir
  21. Silvio - Geografia2 de julho de 2011 11:04

    Caros combatentes pelos direitos ao pagamento da Lei do Piso Salarial dos Professores. Que nossa luta é legal, direta, constitucioal, moral... bom, isso já foi falado inúmeras vezes neste blog. Que também já foram chamados para fazerem parte do nosso movimetno aqueles servidores que AINDA NÃO aderiram a greve, também não é novidade. O interessnate é que essas mesmas pessoas também serão beneficiadas, quando de nossa certa vitória, não compõem com toda a categoria, uma voz uníssona nesta questão primordial pela implantação da lei do piso. Como ficarão esses profissionais ante aos demais que estão fazendo sua parte? Como encarar de frente os guereiros que através da junção das partes, que engrandece o todo? Ou mesmo seu filho, visinho... Camaradas, não deixem que "coisas menores" impessam que vocês façam parte dA VITÓRIA que ficará para a história de nosso estado (de direito). Ainda há tempo. Contamos com vocês.

    ResponderExcluir
  22. Prezado Euler,

    Nos sete anos de labuta que tenho na SEE, nunca vi tanta confusão com relação ao pagamento quanto ao subsídio. A Lei que o instituiu foi assinada em 29/06/2010, mas tanto a SEE como a SEPLAG cometeram erros crassos na preparação do Sistema de Pagamento que para mim não poderiam ser admitidos: baguraçaram os pagamentos de diretores e secretários de escola, além dos ocupantes de cargos em comissão e funções gratificadas da SEE. E ainda reflexos, situações não acertadas que ainda teimam... Quanto a não visualização do demonstrativo referente a Junho/2011 certamente é que foi detectada uma baita inconsistência no Sistema de Pagamento, especialmente para os servidores que optaram a retornar a sistemática anterior ao subsídio. Vos lembrando, se atentou e leu o requerimento de retorno ao sistema remuneratório anterior a 01/01/2011, o mesmo informa que vigência a remuneração de Dez/2010 seria no 1º dia do mês seguinte do protocolo do requerimento, sem ter que pagar nadinha pelo que já recebeu por verba única e sem perder esse período para contagem de tempo. Pois bem, houve muitos requerimentos, principalmente antes da primeira prorrogação que foi em maio último, além do que a SEE imaginava. E esta acho que vacilou de novo, pois quem fez e protocolou seu requerimento em abril, por exemplo, a partir do pagamento referente a Maio/2011 deveria recebê-lo na sistemática anterior ao subsídio, e por acaso isso aconteceu?? Sei não, mas prepare-se para mais problemas...
    E quanto a greve ora em curso, ela não é motivo do não aparecimento do demonstrativo referente a Junho/2011. Neste pagamento deverão constar somente as faltas-greve feitas em Maio/2011 que foram informadas pelas escolas. Mas a partir do pagamento referente a Julho/2011 a ser pago até o 5º dia útil de Agosto/2011 é que começaram a ser descontadas para valer a greve por tempo indeterminado. No pagamento refente a Julho/11 serão as faltas-greve do mês de junho, e a persirtir a greve, o desconto será integral. E a reposição destes valores, ao contrário do ano passado, em que se pagou primeiro as faltas-greve de março, abril e maio/2010 para serem repostas a carga horária devida aos alunos, a SEE está disposta a só autorizar a pagar depois que a carga horária devida for reposta ao aluno.
    No mais, meu caro, se não houver algo de novo que force o Governo a cumprir de uma vez por todas o que a Lei Federal diz (a Procuradoria Geral ainda não se pronunciou quanto a denúncia feita pelo SindUte em 10/06/2011) ou que faça chamar o Magistério para fazer um acordo justo e realmente benefíco aos professores, mais uma vez os nobres educadores estarão dando murros em pontas de facas afiadas, pois a ladainha da SEE e do Governo já está posta a opinião pública, que diz que cumpre o Piso Nacional através do Subsídio, mas curiosamente a própria Lei que o instituiu deu o direito do servidor optar pela sistemática remuneratória anterior a este, mas não seria discriminar e dar tratamento diferenciado as servidores que exercem as mesmas funções e tem carga horária semelhantes??
    É, tem margem para se questionar de tudo que é jeito... Se o SindUte tiver um bom corpo jurídico, acho que dá para atormentar Anastasia, Renata Vilhena, Gazzola, Noronha e cia a ponto deles implorarem que parem e procurarem rapidinho um acordo. É usar as Leis que eles criaram para colocá-los em maus lençóis, como cantou certa vez Renato Russo em Geração Coca-Cola...

    Um abraço.

    Luciano.

    ResponderExcluir
  23. Pessoal, no Portal, quando assinala o retorno à carreira antiga(VB) no meu histórico consta existência de uma publicação de 01/07/2011. Não encontrei no MG. Alguém sabe de alguma coisa?

    ResponderExcluir
  24. Luciano! Você também é o "cara"! Certíssimo: estou sentindo na pele todos esses erros crassos que você citou, como apostilada, fui para o subsídio, fiz opção de retorno em abril, não fui posicionada... enfim , tem um pagamento para mim, que não vi no contra cheque , como PEB1A. É demais ! Você também disse uma grande verdade: o jurídico do Sindicato pode colocar o bloco na rua que não tem para ASIA nenhuma...

    ResponderExcluir
  25. OLÁ AMIGOS RESPONDENDO ALGUMAS QUESTÕES COLOCADAS AQUI SOBRE VOLTAR AO SISTEMA ANTIGO PARA QUEM TEM DOIS CARGOS E UM AFASTADO PARA SE APOSENTAR COMO EU.BEM EU FIZ A OPÇÃO DO CARGO QUE ESTOU TRABALHANDO NA MINHA ESCOLA...E NO CARGO QUE ESTOU AFASTADA NA SEE DIRETO NA SEÇÃO DE PROTOCOLO.TALVEZ SEJA ISSO ...A ESCOLA NÃO TEM MAIS NADA DE QUEM ESTÁ EM PROCESSO DE APOSENTADORIA...A TAL (MALDITA) PASTA ESTÁ EM PODER DA SEE ENTENDERAM?????
    ME PERDOE MAS EU VOU COLOCAR O QUE PENSO SOBRE O ADIAMENTO DO CONTRACHEQUE NO SISTEMA....ACHO QUE O TAL GOVERNO VAI TENTAR NEGOCIAR NO DIA 6 DO JEITO DELE...(DEUS TEM MISERICÓRDIA) E DEPOIS SE ACEITARMOS TUDO BEM...(JÁ ESTÁ PRONTO...CALCULADO...BENZIDO....) DO JEITO DELE ..E SE NÃO ACEITARMOS...HAHHAHA CASTIGO...SERÁ COMO ANTIGAMENTE MESMO....2010...MENOS...HAHHAHA É AMIGOS ...ESTOU COM MEDO...E TENTANDO SORRIR..PARA NÃO CHORAR...ESSE POVÃO "OS DE CIMA" GOSTAM DISSO...DE HUMILHAR...PISOTEAR....ENROLAR...
    SE ALGUÉM DA BENDITA SEE SETOR PAGAMENTO PUDESSE VAZAR ALGUMA COISA.....AÍ FICARÍAMOS MAIS FELIZES...SERÁ QUE TEM ALGUM "ANJO" DO INFERNO PARA NOS DAR ESTA LUZ????É SÓ PODE SER DE LÁ ESSE LUGAR TÃO TENEBROSO...NÃO SEI SE VOCÊS SENTEM O QUE EU SINTO...VERGONHA..DE SER PROFESSOR E MAIS VERGONHA É IR NAQUELE LUGAR...DEUS ME LIVRE QUE LUGAR TENEBROSO CHEGO LÁ QUANDO PRECISO E JÁ LOGO FICO DE MAU HUMOR...SÃO AS ENERGIAS NEGATIVAS...DO INFERNO MESMO...
    ABRAÇOS E ORAÇÕES COLEGAS PORQUE NADA BOM VIRÁ...CERTAMENTE....SÓ ELES GANHAM O MELHOR...

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde grande Euler e colegas.
    Tendo lido dúvida da colega Maria( Congonhas),creio que é a mesma situação minha.( Um cargo na ativa e um em afastamento preliminar). Gostaria de informar à mesma que voltei à carreira nos dois cargos, conforme verifiquei no portal do servidor. No meu caso, cerca de um Mês após o protocolo, fui informada por na escola que os professores em AFASTAMENTO PRELIMINAR, deveriam usar FORMULÁRIO ESPECÍFICO, diferente de quem estava na ativa. Sugiro que a mesma procure a SRE de Conselheiro Lafaiete, no caso de haver feito o pedido utilizando em ambos os cargos formulários idênticos. Pode ser ESSE O PROBLEMA QUE OCORREU COM A MESMA.
    Meu abraço de admiração à sua força e garra colega. VC ORGULHA NOSSA CLASSE!!!

    ResponderExcluir
  27. Caro Euler, seu texto é esclarecedor, aliás, como todos os outros têm sido. Porém, não posso concordar com uma coisa que escreveu: o governo de Santa Catarina não retrocedeu na decisão de nao cortar o ponto.Foi a justiça que concedeu medida liminar ao Magistério Público Estadual, determinando a suspensão dos descontos das “faltas de greve” e a imediata elaboração de folha suplementar, com o pagamento dos valores bloqueados, no prazo máximo de três dias, e reconhecendo a legitimidade da greve.

    ResponderExcluir
  28. Caro Euler

    Qualquer alteração salarial a ser feita na "carreira antiga" para adequar-se a Lei do Piso deve necessariamente passar pela Assembleia Legislativa .Isto não foi feito até o momento . Por isto ,acho improvável que o pagamento de Junho/2011 seja calculado de acordo com a proporcionalidade da lei do Piso ( mínimo de 712 reais ) .
    Entendo que há então dois outros caminhos :
    1) Pagar de acordo com o salário de 12/2010 e dar um tiro no próprio pé .
    2 ) Pagar de acordo com a tabela do subsídio , apesar da informação de retorno ao VB já informada no portal do servidor . Neste caso , acredito que o sistema tem condições de informar no portal uma coisa e calcular o pagamento de outra maneira .Além disto , nesse caso , incorrerá no descumprimento da lei que o mesmo propôs , no artigo que diz que o retorno a forma de VB deve ser processado no mês subsequente ao protocolo nas SRE`s.
    Segunda e Terça-feira prometem . Acho que na assembleia de Quarta-feira já teremos algumas respostas para estes questionamentos para tomarmos decisão sobre os rumos da greve .

    Um abraço

    Anderson - Pará de Minas .

    ResponderExcluir
  29. João Paulo Ferreira de Assis2 de julho de 2011 16:03

    Prezado amigo Professor Euler

    Segue comentário meu no blog Terror do Nordeste e a resposta do blogueiro:


    João Paulo Ferreira de Assis disse...
    Terror, fica aqui uma sugestão que você pode passar para algum deputado federal ou senador de seus contatos.

    Olha, é muito difícil um governador que tenha uma assembleia legislativa prostrada diante dele ser investigado por corrupção. Veja por exemplo as 70 cpis abortadas pela maioria em São Paulo. Em Santa Catarinha o dinheiro do FUNDEB está sendo usado para pagar juízes e desembargadores, e há suspeita de que em Minas também é desviado. Lógico que as maiorias governistas nessas assembleias não vão autorizar abertura de nenhuma cpi. Então a proposta é a seguinte: toda vez que uma cpi estadual for indevidamente rejeitada pela maioria do governador, os interessados na mesma apresentarão as provas ao Congresso Nacional, e a CPI será aberta. Lógico que aquele pedido de cpi que foi rejeitado por insuficiência de provas não estaria sujeito a ir para o Congresso Nacional. Por exemplo: Minas não paga o PSPN conforme manda a Lei 11738. Se nós professores pedirmos uma cpi na Assembleia, a maioria governista vai passar sobre nós como um trator. E a CPI será rejeitada. Assim, se o Congresso Nacional puder ter a competência conferida por uma Emenda à Constituição, de abrir cpi que a assembleia do Estado não quis abrir, poderemos nós termos solução para o nosso caso. Obrigado pela atenção. E desculpe-me a prolixidade. Cordialmente João Paulo Ferreira de Assis.

    01 Julho, 2011


    TERROR DO NORDESTE disse...
    João Paulo, faz sentido.Eu vou abraçar essa ideia.

    01 Julho, 2011

    ResponderExcluir
  30. Companheiros de luta, Deus que me perdoe, mas acho que quando alcançarmos a vitória (sei que ela virá, ah virá , nem que fechemos o ano em greve), deveria haver uma maneira de só aqueles que lutaram de verdade (no caso: pararam tudo, cruzaram os braços e entraram em greve) pudessem usufruir das conquistas (no caso, o Piso), pois acho uma sacanagem, ou melhor, acho uma falta de respeito, escolas tendo aulas normais, fazendo festas juninas, como se nada estivesse acontecendo, se preocupando com férias e reposições ao sábados e toda essa balela. Essa gente deveria continuar a ganhar a merreca e se dar por satisfeita, afinal, se não lutam é porque não devem estar precisando. No meu bairro tem 4 escolas estaduais grandes e de influência na comunidade, mas somente a minha parou. Escuto todos os dias sinais batendo e alunos indo e voltando de uniformes como se estivesse tudo normal. Me dá tanta raiva, porque a gente em greve, vive em constante tensão, eu acesso esse blog mil vezes por dia, estou firme e forte na luta e sou orgulhosa disso. Tenho 29 anos de idade, fui nomeada em 2006, sei que quero um futuro melhor, então jamais vou me abster de ir à luta quando for para melhorar a situação da minha categoria e de outras (apoio a luta dos policiais, dos bombeiros, do pessoal da saúde). Temos que lutar, que país é esse que vou deixar para meus futuros filhos(a)? (Tenho até medo de colocar um filho no mundo do jeito que as coisas andam.). Bom, este é meu desabafo, pois mal entrei no Estado e já participo de duas greves (fiquei os 47 dias ano passado) e ficarei 100 dias se for preciso esse ano. Respeito e dignidade não se compra, se conquista. Força na luta!!! Abraços a todos os meus combativos colegas! A VITÓRIA VIRÁ, AINDA QUE DEMORE!

    ResponderExcluir
  31. Já me voltaram para a a carreira antiga também. Está o misterioso contracheque só a partir do dia 07. Gente, acho que dessa vez o governo se encalacrou. Alguma coisa vem por aí, e eu acredito que seja coisa boa, afinal o homem está num beco sem saída! E se ele tentar enrolar, nós não voltaremos! Sem o piso, não há conversa, sem negociação DURANTE A GREVE, não conversa, COM CORTES DE SALÁRIOS, NÃO HÁ REPOSIÇÃO. Podemos achar que estamos numa roubada com esse governo (e o pior é que estamos mesmo, rs rs), mas agora que está encurralado é ele. Acho que estamos por cima dessa vez. É PAGAR OU PAGAR, É O PISO OU O PISO. NÃO ACEITAMOS OUTRA CONVERSA!

    ResponderExcluir
  32. Euler, se eu fosse prejudicado com essas vagas de professores efetivados que não irão para concurso, eu entraria na justiça mesmo. Ia criar o maior caso do mundo para cima desse desgoverno que nunca sabe o que faz. Eu ia chutar o pau da barraca. Ele efetivou porque quis, sabendo que estava praticando uma ilegalidade o que é normal de pessoas desse partido fajuto que é o PSDB. Aconselho a todos prejudicados a fazerem o mesmo. Às vezes você fica um tempão esperando um professor se aposentar para ficar no lugar dele e vem o governo preenche essas vagas sem nenhum critério legal. Aconteceu isto com um colega na escola onde trabalhei. O coitado, com família para criar, ficou esperando três anos o titular se aposentar e depois perdeu tudo. Isto é revoltante. Se o Anestesia não sabe ler a Carta Magna, peça a um de seus assessores e lá vai encontrar escrito que no serviço público só se entra com concurso público. Eu fiz dois e não devo favores a ninguém, méritos meus, pois tenho dois cargos efetivos, graças a Deus, ganho mixaria é verdade. Só falta o governo pagar o piso salarial para acabar com AZIA que sinto. Euler, grato.

    ResponderExcluir
  33. Fiz opção para retornar à carreira antiga desde o dia 17 de abril, consultei minha situação funcional e ainda continuo no suícido. Consegui ver meu contra-chequede junho, cotunuo recebendo no novo sistema, porem e veio nele desconto de greve no valor de R$ 180,00. Acredito que sejam referentes às paralisações de maio. Euler, devo preocupar por não terem me reposicinado na carreira antiga, uma vez que vários colegas postaram dizendo que já retornaram? O protocolo do pedido está bem guardado, mesmo assim estou preocupada.

    ResponderExcluir
  34. Consultei meu reposicionamento nas duas carreiras, tanto na antiga, quanto na de subsidio. Nas duas aparecem uma mensagem dizendo que não encontrou reposicinamento para aquele masp (protocolei pedido de retorno à carreira antiga desde 17 de abril).Porém consegui visualizar meu contra-cheque de junho/2011 e ele veio ainda no subsídio, com desconto das paraisações de maio (R$ 180,00).

    ResponderExcluir
  35. Acho que o Anastasia tá começando a se deseperar. Sexta feira a subsede de Juiz de Fora enviou um grupo de 20 pessoas para uma manifestação contra o governo em São João Del Rey e o ônibus foi parado 4 vezes na estrada pela polícia rodoviária e militar. Agora estamos percebendo que essa não foi uma ação isolada da polícia, mas sim um cumprimenro de uma ordem vinda direto do gabninete do governador. Isso demonstra desespero e evidencia que a nossa greve está incomodando muito. Anastasia não consegue mais se fazer de morto e fingir que a greve não existe. Vamos em frente.

    Victória - Juiz de Fora

    ResponderExcluir
  36. Rodrigues Damas Pontes3 de julho de 2011 19:44

    Precisamos mesmo dar mais "corpo" a este movimento. Não podemos mais nos deixar enganar não somente por este governador, mas, sobretudo, pelos parlamentares que nós mesmos colocamos no poder. Em minha cidade, Pará de Minas, tem um Sr. Deputado, Inácio Franco, que, desde a greve de 2010 se posicionou escancaradamente "inimigo público número um" dos professores. Por estas plagas ele nem "beira" nossa classe. E o pior, assim como o governador, também é filho de professora! Aonde vamos parar desse jeito?

    ResponderExcluir
  37. Euler, o travamento dos contra cheques começou a surtir efeito, algumas escolas aqui de Governador Valadares estão retornando amnhã com medo de não receberem seus proventos, uma pena, ô raça desinformada esta de profesores,uns atrapalham os outros e cadê esse tal de sind-ute, tá comprado pelo governo ou o que acontece com eles que não manifestão nada, o blog da Betraiz Cerqueira nunca esta atualizado e sem citar o site do sind-ute que esta mais desenformado ainda, uma pena, sua luta é muito bonita, parabens Euler, não sou professor, mas tenho parente que é e dá pra ficar puto com este Ditadorzinho Anastácia, se não houver um movimento rapido, parece que tudo que fizeram foi em vão, obrigado pelo espaço, mais uma vez parabens grande Euler Conrado, abços.

    ResponderExcluir
  38. Amigo Euler,a minha cidade possui 09 escolas estaduais,a maioria de grande porte.Somente eu e uma colega de outra escola, estamos em greve. Pensa bem,somente duas professoras, sendo que a minha escola é a maior da cidade.Infelizmente meus colegas são do tipo que espera que alguém lute por eles.Mas tudo bem,vou continuar até o fim,lutando por eles,coitados, são fracos e não têm noção do quanto é bom lutar por nossos direitos.Obrigada pelo espaço,só assim sei que não estou totalmente sozinha aqui,na minha cidade, pois a outra colega so trabalha aqui mas mora em Juiz de Fora.Abraços e muita força a todos nos.

    ResponderExcluir
  39. Olá Euler, graças a Deus temos tantos educadores lutando por um salário e para uma educação mais justa. Sou do Estado de São Paulo, mas sou professora em Minas e meu pais vivem em Campo Grande-MS. Em São Paulo os professores tiveram 44% de aumento, 11% por ano e Campo Grande, que também entrou em greve, teve um reajuste salarial de 40%. Engraçado, será que o mesmo PSDB do Geraldo Alckimi é o mesmo PSDB do "Anestesia" e do "Craquécio Neves"? Na minha cidade, muitos querem entrar de greve, mas por outros, que são a maioria, não querem. Esses tais, não são bem informados e só pensam neles. Não importa, o que pensam, estou na luta com os educadores de Minas Gerais. Não iremos desistir. VAMOS LUTAR até que esse "fulano"( que gosta de ANESTESIAR a mente das pessoas) pague o que a lei nos proporciona.

    ResponderExcluir
  40. Maquiagem infla gastos com saúde em R$ 12 bilhões
    PUBLICIDADE

    DE SÃO PAULO

    Estados maquiaram seus gastos com saúde pública em R$ 11,6 bilhões entre 2004 e 2008, informa reportagem de Daniela Lima e Mariana Schreiber, publicada na edição desta segunda-feira da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

    Despesas com reformas de presídios, aposentadorias de funcionários públicos, obras de saneamento básico e financiamento habitacional foram apresentadas como investimentos em saúde, de acordo com o Ministério da Saúde.

    O artifício foi usado para cumprir a emenda 29 da Constituição, que obriga os Estados a gastar 12% de suas receitas na área.

    Minas Gerais é o campeão dos gastos inflados na lista. Dos R$ 2,7 bilhões que declarou ter gasto com saúde em 2008, R$ 835,4 milhões foram descartados pelo governo federal.

    Editoria de Arte/Folhapress
    Marco

    ResponderExcluir
  41. Governo de minas é o que mais maquiou gasto com a saúde. E com a educação?

    ResponderExcluir
  42. Euler e colegas...
    O que vocês acham de irmos para Brasília.... Alugaremos um ônibus,acamparemos na sede, faremos faixas e protestos. Só assim conseguiremos mostrar para eles e para o Brasil, o que está acontecendo com a educação em Minas Gerais. Já que a imprensa foi toda comprada pela renda de nossos impostos. Com isso a Dilma verá quem são os tais que não aceitam as leis impostas e, que Minas está vivendo um tipo de ditadura. VAMOS PEDIR SOS. PAGUE A LEI, PISO EM MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir
  43. Minha maior preocupação é com a falta de união da nossa classe, uma vez que, em cidades interioranas como a minha (Cristália - Norte de Minas), os colegas professores não aderem ao movimento grevista. Eles reclamam, mas continuam trabalhando firmemente. O ideal seria que o Sindicato conscientizasse todo o interior do estado sobre a força da união para conseguirmos melhorar a educação.

    ResponderExcluir
  44. Euler, boa noite!
    Amei seu blog!Está atualizado e é um bom espaço para que troquemos ideias e informações.O colega anônimo da cidade de Cristália fez um comentário, deveras importante e verdadeiro. As cidades do interior ficam abandonadas, sem assistência do Sindicato e , e os professores por falta de informação e entrosamento ficam fora da greve. Hoje, esteve em nossa Escola, um colega representante do Sindicato, e não deu outra: estamos em greve! É a mobilização da categoria através da informação, que nos põe em sintonia e nos motiva a levantar a bandeira de luta.
    Um abraço e parabéns por seu trabalho.

    ResponderExcluir
  45. QUANDO SERA PAGO O PREMIO POR PRODUTIVIDADE DE 2011?

    ResponderExcluir