quinta-feira, 21 de julho de 2011

Por que os educadores devem ser sacrificados novamente? E os nossos R$ 4 bilhões?



Por que os educadores devem ser sacrificados novamente? E os nossos R$ 4 bilhões?



Há muitas coisas que não estão claras para muitos de nós. Normalmente, as coisas deveriam funcionar assim: existe uma lei federal que determina o pagamento do piso, ainda que proporcional à jornada de trabalho de cada rede (estadual ou municipal), então, que seja pago. Caso o governante não tenha recursos suficientes, que peça ajuda ao governo federal, desde que comprove que não possa pagar e que aplica corretamente os percentuais da receita destinados à Educação - no caso, os tais 25%.

Ora, por que então a Lei do Piso não é cumprida em todo o Brasil, e mais especificamente, em Minas Gerais?

O governo de Minas tem dois discursos. Para o público externo ele diz que já paga o piso através da Lei do subsídio. Claro que para um leigo, isso pode parecer que o governo já cumpre a lei e está pagando até mais do que o mínimo exigido pela Lei 11.738. Não sabem as pessoas que não estão ligadas à Educação, que o piso é vencimento básico, enquanto que o subsídio que o governo paga é a somatória deste vencimento encolhido com as gratificações e vantagens. Mas, o governo tem um discurso pronto: já paga o piso pelo subsídio e que este sistema representa um investimento adicional de R$ 1,2 bilhão de reais.

Contudo, para um público menor, formado por deputados e dirigentes sindicais, o governo tem outro discurso. Ele diz que não paga o piso, mesmo o proporcional do MEC, porque isso representaria um investimento adicional de R$ 4 bilhões. Com todas as letras foi isso o que o deputado Rogério Correia revelou no balanço que apresentou da atuação do bloco Minas Sem Censura no dia 15 de julho.

Infelizmente, ele não mais voltou a este tema, assim como os dirigentes sindicais que participaram da reunião com o governo sequer tocaram neste assunto, nem no site do sindicato, nem na reunião do Comando Estadual de Greve.

Este dado é muito relevante para ser esquecido. No fundo, tendo sido dito pela secretária do Seplag para uma comissão composta por deputados e dirigente sindicais, tem vários significados. O primeiro deles, é que o governo, para este seleto grupo, confessa que não paga o piso, pois isso acarretaria despesas maiores do que ele desejaria. Mas, de qualquer forma, é uma confissão não publicada de que o governo não paga o piso, mesmo o valor rebaixado do MEC.

Com base nessa confissão, de uma secretária autorizada a falar pelo governo, diante de uma comissão de deputados e dirigentes sindicais, não necessitaria de qualquer outro documento para provar que o governo descumpre a lei. Claro que temos (ou teremos) os nossos contracheques para exibir o rebaixado valor do salário inicial. Mas, o montante apresentado pelo governo é algo que chama a atenção e merece especial atenção.

De imediato, salta aos olhos, a se confirmar tal afirmação por parte do governo, que este está aplicando um confisco - ou calote, como queiram - de R$ 2,8 bilhões no bolso dos educadores com a não implantação do piso. E o faz sob a regência de uma lei federal que, tendo sido aprovada em 2008, foi considerada plenamente constitucional em abril deste ano pelo STF. Logo, o governo descumpre todos os instrumentos legais ao não pagar o piso.

Mas, os membros da Comissão Negociadora - deputados e dirigentes sindicais - estão nos devendo um esclarecimento público acerca do teor desta reunião. Pelo menos neste particular. Afinal, o deputado Rogério Correira disse a verdade na sua fala em plenário ou ele inventou essa história? Acredito que tenha dito a verdade. E os dirigentes sindicais presentes à reunião? Ouviram a secretária fazer tal afirmação, ou foi apenas o deputado que ouviu tal fala? Caso tenha sido apenas o deputado, em que circunstância teria sido passada esta informação ao mesmo, já que ele trouxera o relevante dado ao conhecimento público, em canal aberto da TV da Assembleia Legislativa, dizendo que ouvira tal confissão durante a reunião com a secretária Renata Vilhena?

Por que insisto neste dado? Porque ele é revelador e tem vários significados, como disse acima. E não é à toa que, para o público externo, o governo nem fale neste assunto, pois ele é revelador de muitas coisas. O governo prefere dizer que já paga o piso através do subsídio, e pronto. Fim de papo. Ora, mas subsídio não é piso, é o seu oposto, como dissemos antes. Então ele não paga o piso; paga subsídio, que não é piso. Mas, retomemos ao nosso raciocínio.

Se o governo diz que o piso verdadeiro representaria R$ 4 bilhões adicionais, por qual razão ele não o paga? Esta deveria ter sido a pergunta dos membros da comissão de negociação com o governo. Pelas palavras do deputado Rogério Correia, o governo teria alegado que, com este montante, seria ultrapassada a famigerada Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O deputado ainda sugeriu que o governo deveria ter tentado anteriormente fechar uma negociação que atendesse melhor aos educadores. Deixando a entender, com isso, que mesmo que não se pagasse o piso, que o governo oferecesse algo mais razoável do que o subsídio.

Contudo, deveria ele ter dito claramente para a secretária que o piso é lei federal, e como tal, precisa ser pago. Nem mais, nem menos. Aliás, pode-se até pagar para mais (a proposta dos R$ 1.597,00 para 24 horas, por exemplo, não é exigência mínima constitucional, mas pode ser paga, caso o governo queira). Mas, pelo menos o piso proporcional do MEC - até que o próprio MEC seja forçado a rever este ridículo valor - teria que ser pago.

Não pretendo culpar o deputado Rogério Correia por aquilo que não é da sua alçada resolver. Na prática ele tem feito a defesa, junto com outros deputados da oposição, das reivindicações dos servidores públicos na ALMG, incluindo os educadores. Mas, este relevante dado, o dos 4 bilhões, precisa ser recuperado.

Mas, suponhamos que os 4 bilhões a mais que representa o nosso piso, venham a ultrapassar a tal LRF. A questão, então, não seria de falta de dinheiro para pagar o piso, mas de conflito com outra lei federal, a LRF. Ora, como eu já havia esclarecido aqui anteriormente, este problema foge da alçada do governo de Minas. Ele precisa em primeiro lugar cumprir a Lei do Piso, que trata da remuneração nacional mínima dos educadores, que não está sujeita à limitação imposta por nenhuma outra lei. Não existe qualquer artigo na Lei 11.738 que estabeleça esta limitação em relação a outras leis, incluindo a LRF. E olha que a Lei do Piso passou pelo crivo do Congresso Nacional, do presidente da República (que infelizmente vetou o artigo que previa a improbidade administrativa do governante que não a cumprisse), e também do STF. Ou seja, o argumento da LRF não pode colar.

Este suposto conflito entre a Lei do Piso e a LRF não é da alçada do governo de Minas. Caso o governo cumpra a lei do piso, e por conta disso se ultrapassem os percentuais impostos pela LRF, deve o governo transferir tal problema para a esfera judicial, do TCE, ou até mesmo do Congresso Nacional. De qualquer forma, o governo teria um argumento sólido para provar que foi em cumprimento de uma lei federal que provocou o descumprimento de uma outra, a LRF.

O que ele não pode é inverter as coisas: para cumprir a LRF, o governo deixa de pagar o piso do magistério que supostamente ultrapassaria os limites de tal lei. Ora, ainda que assim fosse, o que dá ao governo o direito de previamente selecionar a quem sonegar um direito líquido e certo para não atingir os tais limites da LRF? Por que os educadores têm que pagar a conta, mais uma vez? Por que não os deputados? Ou os secretários do Governo? Ou os desembargadores?

Dirão: ah, mais isso fere direitos já estabelecidos! Muito bem, senhores, estamos de acordo. Mas, afinal, o que vocês estão fazendo, senão ferindo de morte os direitos dos educadores já assegurados em lei?

Mas, os 4 bilhões adicionais têm uma outra implicação. Suponhamos que além da LRF - que como já demonstramos não pode ser usada como argumento para deixar de pagar uma outra lei federal -, o governo argumente que não tem este dinheiro em caixa.

Neste caso, a situação é um pouco mais grave, pois a lei do piso prevê essa situação. Ela diz textualmente que, caso o governo comprove que não tem recursos para pagar o piso e que aplica corretamente a receita destinada à Educação (os tais 25%), então só lhe cabe pedir a complementação ao governo federal. A Lei do Piso sequer estabeleceu limite para este pedido. Mesmo que a presidenta Dilma tenha disponibilizado apenas R$ 1 bilhão de reais, certamente sabendo que nem isso será gasto, caso o governo mineiro - ou qualquer outro - provasse que precisa de mais do que R$ 1 bilhão, o governo federal estaria obrigado a atender este pedido.

No entanto, se reconhecer que não tem dinheiro para pagar o piso e assim mesmo não fizer o pedido de complementação, o governo mineiro estará fazendo uma confissão pública de má utilização dos recursos da Educação.

Ou seja: o governo não pode dizer que não tem recursos para pagar o piso, pois não pode provar que gasta bem a receita da Educação; e ao mesmo tempo, seria contraditório dizer que tem recursos, mas não quer cumprir a lei e pagar o piso. Por isso prefere apelar para o subsídio.

Aliás, o Brasil está vivendo esta situação sui generis. Existe uma lei federal que determina o pagamento de um piso salarial nacional, e que prevê a cooperação entre os entes da federação (municípios / estados / União), mas assim mesmo, praticamente nenhum governante cumpre esta lei. Sob o silêncio cúmplice dos governantes das três esferas, do Ministério público, da Justiça, dos legislativos municipais, estaduais e federal, e da mídia.

Quem são os grandes sacrificados? Os educadores do ensino básico, que atendem nacionalmente a 50 milhões de alunos de todas as faixas de idade, e que são majoritariamente de famílias de trabalhadores de baixa renda. Trata-se, portanto, de uma política pública de clara discriminação social. Mais um apartheid social com aparência de política inclusiva. Uma política de classe, por assim dizer, voltada para a exclusão dos de baixo, que na visão das elites governantes, não devem ter acesso ao ensino público de qualidade. E consequentemente, não se deve remunerar bem aos agentes deste ensino, os educadores do ensino público.

Então eu volto aos R$ 4 bilhões que o deputado Rogério Correia revelou na sua fala, mas que o governo de Minas não diz publicamente que não o paga, pois cairia em aberta contradição com o discurso oficial de que já paga o piso por meio do subsídio.

Os 4 bilhões precisam aparecer, de preferência no bolso dos educadores, que têm direito constitucional no mínimo sobre este confesso - de acordo com Rogério Correia - montante que não é pago.

Mas, finalmente, suponhamos que o deputado não tenha ouvido nada disso, que aquilo foi só uma suposição, que a secretária do Seplag jamais disse aquilo, afinal as reuniões da Comissão de Negociação não são gravadas, como deveriam ser. Então, o governo tem o compromisso moral de provar qual o custo da implantação do piso no antigo sistema remuneratório. Aliás, me estranha até que os deputados do bloco MSC não tenham cobrado esse esclarecimento do governo. É o mínimo que temos direito a saber: por que o governo se recusa a pagar o nosso piso? Qual o custo disso? De quanto estamos sendo lesados?

Claro que aqui no blog já fiz os cálculos aproximados e cheguei à conclusão, com base no piso proporcional do MEC - nem quis fazer sobre o piso sugerido pela CNTE, pois os números poderiam assustar -, que o governo está nos confiscando o equivalente a duas cidades administrativas. Pelo menos.

De todo esse quadro, chegamos à conclusão de que os educadores novamente estão sendo os grandes sacrificados nessa história, em Minas e no Brasil. Não adianta votarem leis em nosso favor, se elas não são cumpridas, ou se, após a sua aprovação, os governos regionais fazem adaptações nos planos de carreira retirando direitos que descaracterizam os poucos ganhos conquistados nessas leis. Foi assim em Santa Catarina, está sendo assim em Minas Gerais, e acredito que seja esta a situação de boa parte dos estados e municípios.

Por isso, não só não podemos abrir mão de receber o piso a que temos direito, como temos que nacionalizar esta luta. Por que daqui a pouco - como já estão tentando fazer - eles nos roubam a própria lei do piso, alterando-a para que ela fique totalmente descaracterizada.

O que temos que ter clareza é que: 1) o Brasil bate recorde de arrecadação tributária e vem crescendo ano após ano; 2) Minas bate recorde de arrecadação e vem crescendo em proporções chinesas, conforme anuncia o próprio governo; 3) os governos conseguem levantar 100 bilhões em quatro anos para realizar uma Copa do Mundo que dura um mês apenas; 4) os salários do primeiro escalão dos três poderes estão acima dos salários dos agentes, em cargos semelhantes, de qualquer país chamado de primeiro mundo; 5) não faltam recursos para o agronegócio, para mais de 100 bilhões anuais de juros para banqueiros e proprietários da dívida pública, além dos enormes gastos com empreiteiras em obras faraônicas.

Ora, eu pergunto: por que nós, educadores, é que temos que ficar no prejuízo?

Por isso a greve se justifica. Temos um direito assegurado em lei e um dever moral de não abrir mão deste direito. E devemos, ao mesmo tempo, fortalecer esta luta internamente, e ampliá-la para além das fronteiras do estado, porque trata-se de uma causa nacional. Não podemos continuar permitindo que as nossas lutas fiquem isoladas no âmbito regional, pulverizadas, quando somos levados ao desgaste até a derrota.

Desta vez, não. Ou nos pagam o piso e iniciam uma nova realidade para a Educação pública em Minas e no Brasil, ou temos que fazer um levante neste país. Em nome do presente e do futuro para a maioria pobre deste país, temos a obrigação moral de lutar pela valorização dos educadores do ensino básico e, consequentemente, pela Educação pública de qualidade.

E os 4 R$ bilhões?... Espero que eles não caiam nos bolsos de outrem, pois eles pertencem aos educadores de Minas.

***
"Divino - MG:

Euler, você sabe informar o percentual de escolas que aderiram "total" ou "parcialmente" a greve até esse mês?"


"Anônimo:

Caro professor:
Por ler textos tão elucidativos assim, sinto orgulho de ter familiares meus em tão nobre carreira. Digo isso porque muito me assusta ver profissionais da educação sem capacidade de se indignar diante da situação explicitada em seu artigo.
Sou mãe e tia de alunos(as) de escola pública que não aderiu à greve. Isso deveria ser motivo de alegria para mim, pois nossas férias junto aos filhos e sobrinhos estão garantidas, como também a tranquilidade do final do ano letivo nessa escola. Entretanto, preferiria que meus filhos e sobrinhos estivessem em casa ou lutando ao lado dos profissionais dessa escola para verem direitos legais respeitados. Eles estariam tendo uma maravilhosa aula de cidadania e de respeito às leis votadas nesse nosso tão castigado país.

Espero que os senhores donos do poder deem o que é de direito aos profissionais de educação, que ao contrário do que eles pensam (pelo menos é o que parece), tais profissionais são muitíssimo mais importantes que os governantes, juízes (que julgam inconstitucional a luta por direitos salariais já estabelecidos em lei - do alto de seus muitos milhares de reais de salário) e outras categorias profissionais mais valorizadas econômica e socialmente.

Chega, senhores, de usar tão importante categoria como arma em discursos eleitorais e virar-lhe as costas ao se encastelarem no poder.

Coragem, bravos professores de nossos filhos. Haverá um dia em que sua importância social será resgatada.
Um grande abraço de uma mãe que muito os admira."


"Anônimo:

Colega Euler, alguma coisa começa a acontecer . Veja esta noticia .

http://www.diariodenatal.com.br/2011/07/21/ultimasnot1_0.php

Greve dos professores estaduais é suspensa
Depois de 80 dias, sindicato e governo entram em acordo"


"Anônimo:

PARABÉNS PELO DISCURSO EULER. VOCÊ FOI D+ O GOVERNO PRECISA PAGAR O PISO JÁ. ESSA SIM É A NOSSA LUTA, PELO PAGAMENTO DO PISO. JÁ DISSE VÁRIAS VEZES QUE O NOSSO MOVIMENTO ESTÁ PERDENDO O FOCO QUANDO SE PREOCUPA COM A LEI 100. VAMOS DEIXAR ISSO DE LADO E NÃO VAMOS ENTRAR EM DIVISÃO..."

"Luciano História:

No milagre econômico mineiro o tutu cresce a cada dia mas somente os banqueiros e empresários é que se servem dele. Governador, cadê o meu tutu?"

"Divino - MG:

Fiz tal pergunta pois estamos organizando uma reunião para início de Agosto no intuito de conseguir a adesão de nossa Escola na greve, esse dado será relevante em nossa reunião."


"Solange:

Euler, os 4 bilhões que o governo alega não ter para cumprir com a lei federal do PSPN estão comprometidos com os empreiteiros (construção de estádios para copa, hotéis de luxo etc...) banqueiros e, aumento pra essa corja que não constrói nada, só serve pra mamar em gordas tetas. Ser político, secretário de estado dentre outros cargos da alta esfera é a melhor opção para "amarrar o burrinho na sombra". Dane-se a LRF, a lei do piso tem que ser cumprida ou, rasguem a constituição federal. Afinal de contas, "Que país é esse? Que país é esse?". Meu fraterno abraço, Solange"

"Anônimo:

COM SUA LICENÇA EULER QUERO POSTAR AQUI UM DESABAFO. SENHOR GOVERNADOR (SE É QUE MERECE SER TRATADO ASSIM), SENHORA RENATA E SENHORA GAZOLA, QUERO QUE SAIBAM QUE OS RISCOS QUE NOSSOS FILHOS ESTÃO CORRENDO DE FICAREM SOZINHOS EM CASA POR NÃO ESTAREM NUMA ESCOLA E NÓS PAIS SERMOS OBRIGADOS A SAIR PARA TRABALHAR, PORQUE QUERO OS SENHORES SAIBAM NÓS PAIS PRECISAMOS TRABALHAR PARA GANHAR MUITAS VEZES NEM O SALÁRIO MÍNIMO PARA O SUSTENTO DAS NOSSAS FAMÍLIAS, ESSE RISCO NÃO TEM PREÇO, MAS OS SENHORES NÃO TEM NOÇÃO PORQUE NUNCA FORAM ASSALARIADOS, NUNCA DEPENDEU DE UMA ESCOLA PÚBLICA, PORQUE VIVEM MERGULHADOS EM MILHÕES QUE SÃO ARRANCADOS DO NOSSO BOLSO ATRAVÉS DOS IMPOSTOS QUE PAGAMOS. POR QUE NÃO NEGOCIAM COM OS PROFESSORES? POR QUE DEBOCHAM DOS PROFESSORES COMO FEZ NA CIDADE DE MARIANA? PORQUE TANTOS OS PROFESSORES COMO NOSSOS FILHOS SÃO DE ESCOLA PÚBLICA. NÃO VOU INCOMODÁ-LOS MAIS COM MINHAS PALAVRAS PORQUE SOU PAI DE ALUNO DE ESCOLA PÚBLICA PORQUE É NESSA QUE POSSO COLOCAR MEUS FILHOS COMO GRAÇAS A DEUS É ATRAVÉS DE UMA ESCOLA PÚBLICA QUE UM DE MEUS FILHOS CHEGOU A UNIVERSIDADE, SÓ QUERO DIZER O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO COM OS PROFESSORES E COM NOSSOS FILHOS VOCÊ GOVERNADOR, VOCÊ RENATA E VOCÊ SECRETÁRIA GAZOLA HÃO DE RECEBER, POR SAIBAM ESTE PODER DE QUE VOCÊS ESTÃO USUFRUINDO COM CERTEZA VAI TER FIM UM DIA. POIS ESTÃO BRINCANDO COM O FUTURO DE DEZENAS, CENTENAS E MILHARES DE PESSOAS COMO NOSSOS FILHOS E PROFESSORES QUE SÃO PESSOAS DIGNAS DE RESPEITO, SÃO PESSOAS QUE DEPENDEM DO PRÓPRIO SUOR PARA CONSEGUIR ALGO DE BOM NA VIDA. OBRIGADO EULER, SÓ AQUI CONSEGUI ESSE ESPAÇO."

"
Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Por que os educadores devem ser sacrificados novam...":

POIS É QUERIDO EULER, NÃO VOU USAR BELAS PALAVRAS COMO DEVERIA , POIS AFINAL SOU EDUCADORA. MAS VOU USAR A PALAVRA CERTA PORQUE SEI QUE O DESGOVERNO E PESSOAS ENVOLVIDAS VISITAM ESTE BLOG. AFINAL O QUE O BRASIL TEM É SIMPLESMENTE LADRÕES. SIM ELES NOS ROUBAM DE TODAS AS FORMAS. SOMENTE PARA A EDUCAÇÃO É QUE ELES FALAM NESSA TAL DE LRF.MAS COMO VOCÊ MESMO FALA AQUI PARA A CLASSE POLÍTICA ELES NÃO USAM. BEM EU NASCI NO BRASIL... LINDA E AMADA TERRA... ADORO ESTE LUGAR MAS OS DE CIMA AQUI É UMA VERGONHA. LÁ FORA ELES SÃO OLHADOS COMO BANDIDOS MESMO... NÃO QUERO MORRER AQUI. ESTOU INDO PARA OUTRO PAÍS, E BREVE QUANDO ME APOSENTAR MUDAREI DEFINITIVAMENTE. AQUI ME SINTO ENVERGONHADA. LÁ FORA EXISTE TAMBÉM COISAS RUINS , MAS NO BRASIL É UMA COISA ESPANTOSA, CLARO COMEÇANDO DOS DE CIMA. BEM TEMOS QUE IR ATÉ AS ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS , TEMOS QUE SAIR COM ESTE PISO PELA PORTA DA FRENTE...ESTUDAMOS MUITO, SOMOS INTELIGENTES, TRABALHAMOS COM AMOR, E ELES NOS ENXERGAM COMO UMA CLASSE RIDÍCULA, IMPLORANTE, MENDIGOS E QUE NÓS ACEITAMOS TUDO CALADINHOS COM O RABINHO ENTRE AS PERNAS.SÃO LADRÕES DISFARÇADOS DE ANJO... E ASSIM CAMINHA O BRASILEIRO... E ASSIM VAMOS VIVENDO .. CALDOS E CABISBAIXO.VEJO COMO SÃO NOSSOS COLEGAS QUE AINDA PERMANECEM EM SALA DE AULA...MEU DEUS QUANTA IRONIA E DISSIMULAÇÃO.O QUE ELES ESTÃO FAZENDO COM ELES PRÓPRIOS??? SE DESVALORIZANDO A CADA DIA.SIM SE GANHARMOS ESTA LUTA ENTÃO SEREMOS MAIS RESPEITADOS. QUANTO AO SINDICATO QUE NOS REPRESENTA, TEMOS QUE ESTARMOS UNIDOS AGORA MAIS DO QUE NUNCA MAS... MAS... DEIXA A DESEJAR.NÃO SOU FILIADA A LONGO TEMPO. NÃO QUERO PAGAR UMA COISA QUE NÃO ME AJUDA E NÃO RESOLVE NADA.SIM...ONDE ESTÃO A PARTE JURÍDICA DO SINDUTE??? NÃO VEJO NADA CONCRETO REALMENTE MAS...DEPOIS DESTA GREVE PODE-SE REPENSAR ... E SE AGORA ALGO ACONTECER QUE NÃO FOR AGRADÁVEL AOS EDUCADORES, ENTÃO ESTE SINDCHUTE VAI TER QUE REFORMULAR TODAS AS SUAS FALS E OBJETIVOS.BEM ME DESCULPE MAS CLARO TEMOS QUE RESPEITAR O SINDICATO QUE NOS REPERESENTA MAS ESTA GREVE SERÁ TAMBÉM MARCANTE PARA ESTE SINDICATO. OU ELE SAIRÁ FORTALECIDO OU SE ACABARÁ DE VEZ."

"ABC:

Euler... ótima análise. Alguém já está comendo esse bolo. Quem???

Outra pergunta: O governo adiantou que cortará o salário do próximo mês. E o dinheiro reservado para esse pagamento ficará com quem??? Ele será depositado em juízo? ABC"


"Anônimo:

Euler aquela dona da propaganda do tutu mineiro é da cidade do Serro/MG. Seu nome é Dona Lucinha e aparece como cozinheira. Na verdade esta é sua segunda profissão porque ela é professora aposentada na rede Pública Estadual."

"Anônimo:

Euler, não sei se vai postar meu comentário, pois o que fiz sobre a questão da unidade do Sin ute, do seu texto- Viva o Sind Ute, que aliás estranhei, achei desnecessário vc tem uma postura sempre combativa, inteligente, e acreditar em teorias conspiratórias é de lascar, como já li em seu blog, e ri muito” de arrancar sabiá do toco”, mas meu comentário não foi postado. Enfim, tenho acompanhado a greve e fico analisando, a direção sindical chamou para essa greve com tanta firmeza, piso de 1597, o que eu discordei no começo e fiz crítica aqui, mas estava com a corda toda, só voltamos pra sala com o Piso da CNTE, depois de uma conversinha com o Rogério Correia e bloco de oposição, chama o comando de greve estadual para uma reunião extraordinária com a proposta de aumento de salário de diretor e secretária, edital de concurso, melhora no subsídio, enfim nada... é de arrancar sabiá do toco mesmo... onde está o discurso inflamado de piso de 1597??? Precisamos de unidade, óbvio, eu sou filiada, participo de greve, vou sempre ás Assembléias, agora vamos manter um discurso coerente, sem apelações, e democracia é debate de idéias, se chegar a um ponto que a direção sindical não admita mais idéias diferentes, aí meu amigo é hora de buscarmos outra forma de organização para lutarmos por nossos direitos, e como a dúvida faz parte do ser humano me permito questionar essa forma de luta, de organização sindical, as grandes mudanças acontecem a partir dos questionamentos, nada na vida é estático, tudo muda o tempo todo, apesar de não ser grande conhecedora da estrutura sindical, acredito que também esta estrutura necessita de mudanças, como diz Lulu: NADA DO QUE FOI SERÁ DO JEITO QUE JÁ FOI UM DIA, TUDO MUDA O TEMPO TODO NO MUNDO.
É isso combativo colega que admiro muito , vamos juntos nesta greve com coerência e garra, pois acredito na nossa luta, na nossa força.Viva a greve, Viva os bravos companheiros em luta. Força sempre!!!!"


Comentário do Blog: cara colega, se o seu comentário não foi postado é porque ele deve ter sido de um teor de provocação naquele momento em que as evidências mostravam - e mostram - que o governo tudo fez (faz) para nos dividir. Se você leu com atenção nosso manifesto, não deixamos de ressaltar a importância da pluralidade de idéias, da democracia operária, da horizontalidade e da autonomia que devem ser buscadas. O manifesto recebeu amplo apoio das lideranças de base, e o governo e seus aliados sentiram o impacto, tanto que retiraram o ridículo site contra o sindicato e em favor do governo. E no manifesto traduzimos claramente que uma coisa é a entidade sindical e a outra são os posicionamentos eventuais de quaisquer direções, também eventuais. Só não entendeu quem não quis. Não tocamos no mérito específico do encaminhamento das nossas lutas, pois não era este o objetivo. Mas, isso temos feito cotidianamente aqui e no blog, como você mesmo destacou. Um abraço e força na luta!

P.S. Mas, combativa colega, apesar da diferente interpretação acerca daquele episódio, respeito o seu ponto de vista. O fato é que durante a semana anterior eu havia recebido insistentes mensagens sugerindo a desfiliação do sind-UTE, e quando isso se materializou num site, não poderia ficar sem resposta, que acabou sendo aquela sugerida pelo amigo Rômulo. Força na luta e como você disse: viva os bravos companheiros em luta!


"Anônimo:

Os 4 bilhões estão sendo gastos em propagandas mentirosas e também para servir o "tutu" aos que fazem parte dessa corja (Governo)."

"Anônimo:

Acesse o link:

http://www.youtube.com/watch?v=DDkavk_L_8A&feature=related

é referente a entrada das ações junto ao TJ. Acho interessante divulgar, pois ainda temos amigos que não entraram com a ação."


"Anônimo:

Me desculpe o colega de Divino pela resposta que vou dar, pois penso que você deve estar indignado com tal situação, mas quero lhe dizer que em Carangola, as duas maiores escolas não esperaram as menores tomar uma posição nem mesmo a região, nós mesmos assumimos que íamos paralisar e paralisamos, então penso que não devemos esperar pelos outros para tomarmos uma posição, nós como verdadeiros EDUCADORES é que devemos saber se estamos satisfeitos ou não com a situação na qual nos encontramos. Por isso a hisória de que iam fechar o semestre, ou que precisa saber o percentual de escolas paralisadas para entrar para depois fazermos parte, não deve ser o pensamento de quem quer realmente mudanças. Na história da vida nós precisamos ter clareza do papel que queremos assumir, PROTAGONISTAS ou FIGURANTES, os professores do João Belo e do Polivalente,em Carangola, assumiram, desde julho que nesta história não seriam figurantes, claro que nem todos, mas a parcela necessária para juntos com os demais GUERREIROS EDUCADORES deste Estado figurarem, mais uma vez, como protagonistas de uma mudança. Desculpe-me, percebo em suas palavras que você está sofrendo, pois se encontra sozinho.
Força e Fé!"


Comentário do Blog: concordo plenamente com você, combativo colega. Até mesmo porque, se todo mundo tiver esse comportamento, nunca haverá uma greve, pois ficarão todos a esperar que o outro pare primeiro. Ora, a greve foi decidida em assembleia da categoria, com ampla divulgação e participação. Os colegas que ainda não aderiram à greve estão na contramão da história, ou, se preferirem, do lado errado, dos de cima. Podem corrigir isso, aderindo ao movimento no início de agosto e fortalecendo a nossa luta, que é para o bem de todos os educadores.

"Rogério Trindade - Curvelo:

Euler, sonhei tanto com a instituição desse Piso. Não desses famigerados 1187 reais estipulados pela Lei, mas algo digno de um educador que forma juízes, advogados, médicos, policiais, ou seja, todas as profissões. Deve ter uns seis anos mais ou menos que ouvi de um educador, numa das assembleias, na UFMG, que nossa situação só iria mudar quando o salário dos educadores fosse nacional. Aí, quando estourasse uma greve, ela seria nacional... ninguém poderia nos deter! O Piso veio (pelo menos é Lei) e eis que o sonho se transforma em pesadelo. Um pesadelo pois temos que lutar por ele justamente quando ele está mais próximo. Você mesmo já disse várias vezes aqui: a CNTE precisa agir mais e convocar uma greve é nacional. Aí sim, esses desgovernantes passariam a nos respeitar mais.Quanto aos deputados do MSC, penso que poderiam ter sido mais firmes. Sempre fui contra de, nas assembleias, ter de ficar ouvindo-os, quando eles só queriam fazer média conosco. Quando têm de arriscar a posição deles para nos defender realmente, dão um jeito de sair de fininho. Chega de dar vez a deputados! Vamos fazer do nosso jeito: no peito e na marra. Não é de hoje que prego atitudes mais radicais para arrancar deste governo sarcástico o que nos é de direito. Quem estava lá ontem em São Gonçalo do Pará, chegava até a embrulhar o estômago cada vez que saía lá de dentro um convidado com um sorrisinho no canto dos lábios como se não fôssemos nada ou apenas um bando de coitados ou ainda, como a senhora "Maria do Carmo", um bando de desocupados. Vamos nos fazer respeitar. Sempre tivemos fama de bonzinhos ordeiros, mas somos recebidos com grades, paus (porque aquilo era um pedaço de pau, não cacetete), um batalhão inteiro e portas na cara. De que então nos serve esta fama? De que nos adianta ficar na sala de aula ensinando os alunos a serem do bem, que a polícia é legal e nos protege, se ela própria é contra nós e a favor dos que não cumprem as leis. Chegou a hora... não podemos arrancar pé ou não seremos respeitados nunca mais. SIND-UTE, chame a CNTE à razão, intime a CUT: não somos filiados a elas? Vamos fazer algo de que o governo não se esqueça nunca mais. Chega de esperar que Globo, Alterosa ou Record se solidarize com nossa causa. Elas precisam do dinheiro do governo para se sustentarem. Estas redes também deveriam ser chamadas à razão de alguma forma pois nossos alunos são seus telespectadores. Chega de sermos "os bonzinhos", "os ordeiros"... vamos nos fazer "os respeitados". Depois que nos fizermos mais respeitados e valorizados poderemos dar um fim à farra de nossos políticos que nadam no dinheiro de nossos impostos e ainda riem de nós. Vamos lutar depois pela redução do número de deputados e de salário deles. Não precisam de tanto para não fazer nada. Chega de um país de faraós e reis que vivem mamando nas tetas da nação! Quanto aos pais e alunos (tenho visto alguns comentários aqui) falar só não resolve nada. É preciso atitude! Sigam o exemplo dos professores (dos que vão para o combate, é claro!) e vão à luta por um direito seus: educação de qualidade. O governo engana a todos não é de hoje ao colocar na sala de aula professores que não são habilitados porque a cada dia está mais difícil encontrar professores que queiram enfrentar os baixos salários, a falta de respeito e de condições de trabalho. Acordem!!! O governo fala muito de choque de gestão, mas quem está precisando levar um choque, uma sacudida é ele. Vamos lutar por nossos direitos. Cadê as associações de pais que ainda não tomaram nenhuma atitude? Só vão aparecer quando o governo pedir e jogá-los contra nós? Por mim, esta greve vai até o fim, ou seja, até o Piso.

Rogério Trindade - Curvelo"


"Maria João Monlevade:

Euler, por favor me exlique:

Onde está a Lei de Responsabilidade Fiscal nesses casos?

O salário mensal de um senador é de R$ 12.720, mas o custo total de cada um para os cofres da União supera os R$ 120 mil por mês, considerando as verbas a que têm direito os 81 senadores do país. Além do salário mensal, cada senador pode receber mais três salários extras (13º, 14º e 15º), R$ 2.750 para auxílio moradia ou residência oficial, R$ 3,2 mil com despesas de correio, 25 litros de combustível por dia, de R$ 6 mil a R$ 16,5 mil com passagens aéreas dependendo do Estado de origem, R$ 15 mil por mês para gastos no escritório do estado e até 80 mil por mês para contratar funcionários comissionados. Também não há limite de gastos para os telefones fixos do gabinete e celulares dos senadores. Na residência oficial, o limite de gastos para telefone é de R$ 500 por mês.
Fora o resto: ministros, deputados, vereadores, prefeitos, secretários, etc......

Socorro!!!"


Comentário do Blog: pois é, colega, aqui em Vespasiano mesmo, o jornal Hoje em Dia, de domingo último, revelou que os vereadores estariam usando uma verba indenizatória mensal de R$ 4 mil reais como salário, ou seja, eles apresentam notas fiscais frias - de posto gasolina ou de uma Papelaria que nem existe - e com isso engordam os seus salários, que já são elevados. Uma vergonha, se pensarmos que isso se reproduz em todo o Brasil, enquanto os governos dizem não ter dinheiro para pagar um piso miserável para os educadores!

"Anônimo:

Arreadação maravilhosa como diz Dona Lucinha (professora aposentada) Anastasia afirmando que jazidas de gás é como bilhete de loteria.

Mas prá que gastar com quem educa filho de trabalhador?

Antonio Anastasia – É uma notícia maravilhosa. Nós podemos dizer que Minas Gerais terá, a partir da exploração deste gás em cerca de dois anos, uma nova realidade econômica. Veja que o Rio de Janeiro teve um grande desenvolvimento com a descoberta do petróleo na sua plataforma continental. E agora Minas Gerais, que não tem petróleo, mas felizmente encontramos gás. Na realidade, este gás já era imaginado há muitos anos, até porque se aflorava este gás quase que de maneira original. E as pesquisas realizadas e os poços perfurados conseguiram demonstrar isso. E felizmente o primeiro poço, o poço pioneiro em Morada Nova de Minas, que eu inclusive visitei no ano passado, deixou claro a possibilidade da exploração econômica. É viável e há muito gás. Imagine que só este primeiro campo que está sendo explorado corresponde a 20% do volume que é importado da Bolívia pelo gasoduto Brasil-Bolívia. Ou seja, Minas Gerais terá gás suficiente para si e para exportar para outros estados. O gás, que é um combustível limpo, mais barato, ecologicamente correto e hoje muito disputado. Portanto, é uma notícia revolucionária para a economia de Minas Gerais.

Antonio Anastasia – É verdade, nós não vamos mais depender da importação de gás de outros países. Então vamos ter um gás verdadeiramente brasileiro, um gás mineiro da bacia do rio São Francisco, rio da integração nacional. E isso certamente vai nos dar, sob o ponto de vista estratégico, uma grande autonomia e, ao mesmo tempo, para Minas Gerais, uma grande riqueza decorrente imediatamente da exploração deste gás, também dos royalties que ele vai beneficiar os municípios, aonde ele for encontrado e também para o estado. E, ao mesmo tempo, com novas alternativas econômicas, porque sabemos que ao lado da exploração de gás, nós podemos trazer uma termoelétrica, colocar um parque industrial, distribuir este gás. São, enfim, muitas as alternativas, sem falar que trata-se de um combustível limpo, moderno e procurado hoje pelo mundo afora.

Podemos dizer que há benefícios para Minas Gerais, considerando-se o estado inteiro do ponto de vista do desenvolvimento econômico, e também para aquelas comunidades de onde se vai extrair o gás?

Antonio Anastasia – É isso mesmo. Porque nós temos os royalties. O royalty é o pagamento que o explorador faz. Que aquela empresa que vai explorar o gás faz a favor da União, do Estado e do Município onde se localiza aquela jazida. Então, nós vamos ter, no específico, os municípios onde está este campo de gás, na região do Alto São Francisco, vão receber este investimento e também o estado como um todo. E uma notícia ainda melhor: o que nós temos é que este primeiro poço é resultado de uma empresa na qual o estado é sócio, através da sua companhia de desenvolvimento, a CODEMIG. Ou seja: o estado, além de receber os royalties normais da exploração, vai receber também parte da exploração econômica. Então isso é muito positivo, pois vai significar, de fato, como se tivéssemos tirado um bilhete premiado. Nós conseguimos que o estado receba duas vezes, já que vai receber também pela exploração comercial como sócio do empreendimento de gás. E o mais importante de tudo: nós vamos gerar novos empregos para os mineiros, atrair novas empresas e novas indústrias, porque o gás é um combustível limpo e barato quando fornecido perto da sua exploração."


Comentário do Blog: o Brasil nunca teve problema em relação à abundância de terra, de riquezas minerais, de gente trabalhadora. Não adianta descobrirem novas jazidas de petróleo ou de gás, se isso sempre se reverte em favor dos de cima. O petróleo do Rio de Janeiro não favoreceu em nada aos professores da rede estadual, que recebem salário de R$ 800,00. Nem o crescimento anual de Minas e do Brasil representou melhoria para os educadores, para os sem-terra, para os sem-teto, enfim, para a maioria pobre do país. O nosso problema não é a ausência de riquezas materiais e humanas, mas o mau uso delas, em favor apenas dos de cima.

É preciso repartir melhor, agora, no presente, aquilo (as riquezas) que existe, e não contar com riquezas futuras.
Quem vive de futuro? Será que as lojas vão aceitar que eu compre as coisas agora e pague com um salário mais alto que virá no futuro? Me poupem, né pessoal
!


"Anônimo:

Grande companheiro Euler, quer uma boa notícia? O Prefeito de Montes Claros acaba de anunciar que vai pagar o piso nacional para os Professores da rede municipal, quer mais?, vai pagar também o 14º salário por critério de metas, quer mais ainda? aí também não né amigo kkkk, mas já é um começo, que os ventos do norte possam contagiar o restante dos governantes de nossa querida Minas. Força na luta mais do que nunca."

Comentário do Blog: um abraço aos bravos guerreiros do norte de Minas, que nos trazem pelo menos essa notícia boa, que algum governo neste país vai pagar o piso sem antes sacanear com os educadores.

"Anônimo:

Euler, sobre a questão das ações, se for julgado procedente, automaticamente se estende a toda categoria?"

"Anônimo:

Euler, vai passar agora na record minas A PROFESSORA QUE PAROU NO LIXO. Depois de 20 anos de serviço, para continuar vivendo terá que catar lixo."

"José Alfredo Junqueira:

1970, "noventa milhões em ação, pra frente Brasil, salve a seleção...". Ditadura militar, corrupção, prisões,
tortura, censura .2011, ditadura econômica e militar, repressão ,mentira, censura, falência do capitalismo, roubo do minério de Minas, como na monarquia portuguêsa, incônfidência mineira 2011 já . Satãnazia, estes supostos 4 bilhões no contra cheque da educação vai esquentar a economia de Minas, nas mãos dos empeiteiros etc., vai para os paraísos fiscais. Paraísos ou Infernos? Os bancos BMG, Bonsucesso, Santander e etc., não estão contentes com o corte no ponto deles. Um abraço!"

"Educadora de São Miguel do Anta-MG:

Belíssima análise Euler, como sempre...

É revoltante como os políticos insistem em dizer que não há verbas para investir na EDUCAÇÃO, quando na verdade, o que fazem é desviar tais verbas para os próprios "bolsos". Fica claro que os setores mais fáceis de serem roubados neste país e no nosso estado é a SAÚDE e a EDUCAÇÃO. Anastasia têm que aceitar que nós EDUCADORES e CIDADÃOS aprendemos a reivindicar, questionar, criticar e querer o que é nosso de direito. A sociedade também já está aprendendo. TODOS querem e precisam de mais investimentos na EDUCAÇÃO, afinal o governo não está investindo nem o que é definido por Lei (25%). Estamos de olhos bem abertos para ver como os políticos estão trabalhando, não foram eleitos para "curtir a vida", "rir da nossa cara", "fazer graça da desgraça dos outros", tudo às nossas custas. Queremos que mostrem serviço e excelentes resultados, pois foram eleitos para isso. Devem SERVIR AO POVO e servir muito bem. Temos direito a ESCOLA PÚBLICA e de QUALIDADE. Cabe ao estado garantir este direito. Anastasia quer cobrar excelentes resultados dos EDUCADORES mas não nos oferece condições dignas de trabalho para que possamos apresentar tais resultados. Aliás diga-se de passagem ele não está nem um pouco preocupado com aprendizagem efetiva dos nossos alunos, quer apenas números para apresentar na mídia, mesmo que estes não sejam fidedignos. Ao contrário dos EDUCADORES, ele (governador) tem condições total de proporcionar à população mineira, educação de qualidade desde que haja VONTADE POLÍTICA, a começar pelo pagamento do PISO SALARIAL aos profissionais da educação com a devida valorização deste profissional e reconhecimento da carreira. Nenhum ser que frequentou e/ou frequenta a escola acredita nas mentiras ditas por esse governador com relação a EDUCAÇÃO. Os políticos mudam, mas o discurso é sempre o mesmo: NUNCA TERÃO DINHEIRO PARA EDUCAÇÃO PORQUE ELA NUNCA FOI PRIORIDADE DE VERDADE... Quando será que esse discurso irá mudar? Queremos mudança na prática, na forma de pensar e fazer EDUCAÇÃO, não simplesmente na forma de dizê-lo. O que acontece e todos sabem é que Eles (políticos-despolitizados) querem e precisam do povo "ignorante" para aumentar cada vez mais o patrimônio pessoal, controlando, manipulando, exercendo o PODER sem maiores problemas. Mas lamento informar que para que isso continue acontecendo, os políticos terão que extinguir da face da terra os EDUCADORES. A nossa missão vai muito além de construir conhecimentos, mas sobretudo de formar cidadãos para intervir de forma justa e solidária em nossa sociedade. Vamos banir da EDUCAÇÃO os FORA DA LEI!!! Abraços aos que acreditam no PODER DA EDUCAÇÃO para a TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE... Rumo à luta em busca do PISO e tudo mais que temos DIREITO..."


"Anônimo:

Saudações Euler!

Euler, você sabe quem e com qual autoridade moral e técnica no desgoverno de Minas tem condições de sustentar que a capacidade de endividamento do estado tenha chegado ao limite? Quem???

Outra coisa: Anastasia, se cuida pois você que enche a boca pra dizer que é filho de uma professora, irmão da professora Carla Anastasia, e que é professor, a História, mais precisamente a História da Educação (disciplina acadêmica), será implacável com você. Assim como a História já é com o vovozinho do seu padrinho. Abra o olho "professor" Antônio Anastasia. Tua memória histórica vai ser um desastre cara! Pense bem, ou você não poderá andar de cabeça erguida dentro de 25, 30 anos se considerarmos que você é bem jovem."


"Anônimo:

Euler professora parar no lixo não é novidade em um estado em que para um professor sobreviver precisa ter quase metade de seus rendimentos comprometidos com os bancos através de empréstimos pessoais já que o salário não dá para pagar as contas. A Dona Lucinha da propaganda lembra bem disso...Como o Anastasia não respeita a Lei Federal, sendo ele um Governador, porque então não respeita meu direito de opção em tirar do meu contra-cheque os emprestimos pessoais? Será que ele permite? Como fazer para conseguir isto se o que estou recebendo não está dando para manter meus filhos já que sou separada?"

"Anônimo - Carangola:

Caríssimos Euler e anônima de Carangola, como me anima vê-los tão lúcidos, coerentes com o que pensam. Estou em greve pois, também, sou de Carangola. Mas como é triste pensar que, em nossa região, inúmeros profissionais estão esperando acontecer. Não optam pela greve, pois para eles o que ganham está muito bom. E o que vier e, se Deus quiser, virá, é lucro. Respondam-me os dois, por favor, será que eles dormem em paz à noite, sabendo que muitos estão lutando para um bem que será de todos? Serão corajosos o suficiente para não aceitarem o piso? ou pensarão que se deram bem através da luta, da garra, do suor e sacrifício de outros. Quantas perguntas..."

"Eduardo BH:

Euler, precisamos buscar um vídeo de impacto que retrate a realidade da nossa categoria.

Seria ótimo para o nosso movimento um vídeo mosstrando as reais condições de trabalho da nossa categoria.

Outra sugestão, para a próxima assembleia o sindicato poderia imprimir vários contra cheque num formato maior, durante a passeata levaríamos esses contra cheques para a sociedade ver."


"Anônimo:

sugestões :

Onde arrumar dinheiro :Anastasia Faz como os professores pega empréstimo consignado no BMG do seu amigo Ricardo Guimarães vide Máfia Russa.

Onde arrumar gente prá substituir os professores em caso de corte de pagamento e reposição é simples é só chamar os amigos da escola (Tony Ramos Didi dos trapalhões os professores da novelinha da globo (Malhação) e a dona lucinha do tutu (ela é professora aposentada).

Notícia urgente: Professores perigosos são presos pela polícia da terra do nosso senador Zezé Perrella (são gonçalo) crime falsificação de credencial para poder olhar nos olhos do Desgovernador (anast azia). Em Minas isso é crime
correm o risco de serem enforcados em praça pública."

"Anônimo:

Cara colega de Carangola:

Os subservientes se valem das conveniências para traçarem suas trajetórias de vida, por isso os discursos que proferem são vazios e intencionais."

"ANGELICA/ SDPRATA:

COLEGAS, PENSO QUE NO BRASIL ESTAMOS PRECISANDO LUTAR PARA QUE OS POLÍTICOS SEJAM TRATADOS COMO NA SUÉCIA.
ESTE VIDEO DEVE SER ATE CENSURADO AQUI NO BRASIL.......

www.youtube.com/watch?v=EBVio1LP9EE
www.youtube.com/watch?v=ODAqyf-PEjA"


"Graça:

Boa noite Prof Euler,

Uma vez mais, você foi feliz no post de hoje. Não é difícil entender para onde foram os 4 bilhões que o governo afirma não ter para pagar o piso minusculo dos professores. Veja abaixo, como o Chico Vargas explica bem a situação. Tanto faz o partido, depois de eleitos, no poder, são mordidos pela mosca que transmite a peste virulenta, apelidada de corrupção.
TOMARA OS PROFESSORES PERCAM O MEDO E DECIDAM LUTAR POR SUA DIGNIDADE!

Graça.

OS LADRÕES DE RUA E OS DO DINHEIRO PUBLICO
CHICO VARGAS 21-07-2011

Existe uma coisa comovente no mundo do crime que é o respeito com que são tratados os ladrões do dinheiro público. Começa que ladrão de dinheiro público não rouba, desvia. O que ele faz sequer é crime, mas irregularidade. Roubar é coisa de ladrão de galinha, geralmente preto ou pobre – ou os dois. Entre as mãos do ladrão fino e a grana da plateia existe um léxico que funciona para tudo, inclusive para manter o gatuno à segura distância do xilindró. Dispensa de licitação, aditivo de contrato e compras emergenciais são hoje as palavras mágicas que justificam a rapina sem o mais breve sinal de embaraço. Rouba-se, perdão, desvia-se a grana dos impostos sem piscar.

O Rio de Janeiro acaba de anunciar a compra de cinquenta ambulâncias para o Serviço de Atendimento Médico de Urgência, cuja frota se desmancha pelas ruas. Como a obsolescência de uma ambulância não se dá num par de meses, o que o Samu perdeu em eficiência e ganhou em queixas dos seus fregueses ocorreu ao longo de anos. Informa-se que as ambulâncias serão compradas no pregão eletrônico. Habitualmente, porém, no serviço público, esse processo é uma espécie de jogo. Ganha quem tiver mais sangue frio. Reclamações em cascata levam a urgências, que dispensam licitações e abrem a porta às compras emergenciais. Quem estiver interessado, portanto, só precisa sentar e esperar. Um dia a emergência chega e a mágica se instala.

Na serra fluminense, onde há seis meses milhares de pessoas morreram em consequência da incúria e da falta de escrúpulos de dois prefeitos, o cenário não é diferente. A urgência gerada pela tragédia que afogou as cidades de Nova Friburgo e Teresópolis permitiu que fossem dribladas licitações e tomadas de preço para abrir a porta à festa das compras superfaturadas. Nem as famílias inteiras mortas na tragédia justificaram mandar os prefeitos para o xadrez por nada terem feito, apesar de conhecerem há muito o perigo que rondava as cidades. Pior, em relação aos mortos nada vai acontecer. Não temos por tradição cobrar dos governantes a vida dos governados.

É como na república que o PR e o deputado Valdemar Costa Neto fundaram no ministério do Transportes. Na semana passada, uma pessoa morreu e mais de vinte sofreram ferimentos por causa de um radar mal instalado no trecho Niterói-Manilha da BR-101. Carros, ônibus, caminhões, tudo quebra nas estradas brasileiras, que têm pontes sem cabeceiras, pencas de aditivos de contratos e empreiteiras que recebem por trabalhos feitos pelo Exército. Mas os líderes do PR sugerem que o governo pare de lhes aplicar cascudos para não despertar a hidra que vive nas entranhas do partido.

Têm razão os ladrões do dinheiro público. Se não houver bulha, quando se descobrir que alguém passou a mão no butim os tempos já serão outros. Todos os pecados estarão restritos ao bate boca interminável entre tribunais de contas e administradores públicos. E isso, como se sabe, jamais botou alguém atrás das grades. Essa talvez seja a grande diferença entre os ladrões do dinheiro público e os pés de chinelo que assaltam pelas ruas. Esses últimos, quando apanhados e confrontados com seus crimes nas delegacias, são fotografados de cabeça baixa. http://xicovargas.uol.com.br/index.php/2407"
.


"David:

Companheiros
Vamos divulgar para todos o trato feito pelo governo do estado em 2008 que está no link

https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/1172-secretaria-divulga-comunicado-a-servidores

mostrando que o governo tinha assumido esse compromisso conosco e simplesmente não honra o acordo criando o subsídio.

Talvez as pessoas entendam o que está acontecendo.
Divulguem também nos jornais e outros meios de comunicação.

David
"


"Educadora Mineira:

PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO FAZEM MANIFESTAÇÃO EM FRENTE À SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE CARANGOLA.

http://jornalocombatente.blogspot.com/

PARALISAÇÃO DOS PROFESSORES EM FAVOR DO CUMPRIMENTO DO PISO SALARIAL NACIONAL

Atenção Comunidade Carangolense, o Piso Salarial Nacional é Lei Federal e direito de todos os trabalhadores da educação.
O governador ANASTASIA não respeita a Lei aprovada pelo SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL em 06 de abril deste ano, noticiada por todos os meios de COMUNICAÇÃO. Além disso, para não pagar o piso, conforme manda a lei, o governo criou um mecanismo salarial denominado SUBSÍDIO para enganar o trabalhador da educação neste Estado. Com esse mecanismo, ele retira os direitos que os PROFESSORES alcançaram por 10, 20, 30 anos de trabalho.

Por isso, o momento é de UNIÃO e de LUTA. Servidores efetivos, efetivados e designados não se acomodem, os nossos direitos estão sendo violados a olhos vistos. Se não lutarmos, agora, seremos mais uma vez prejudicados por este governo que não tem compromisso algum com a EDUCAÇÃO.

À Comunidade, solicitamos todo apoio, pois seus filhos estão na escola pública. Nós já estamos com 1 mês de paralisação e o governo continua descumprindo a LEI FEDERAL que institui o nosso piso salarial. E os pais que têm filhos no ensino médio sabem muito bem que em outubro haverá o ENEM, uma prova muito importante que possibilitará aos seus filhos entrarem numa faculdade, mas este governo não só prejudica os trabalhadores em educação como prejudica, também, os filhos dos senhores. Isso porque os filhos, os sobrinhos e/ou netos desses políticos não estão nas escolas públicas, por isso nem se importam com os seus filhos, agora para pedir votos lembram-se dos senhores, vão à televisão e prometem uma educação de primeiro mundo, mas só para ter o seu VOTO, chegando ao PODER, o tratamento é este que os Senhores presenciam quase todo ano, para qualquer cumprimento de nossos direitos, temos que apelar para a GREVE.

Não é à toa que já existe um movimento para que se institua uma lei que exija que os políticos ponham seus filhos na escola pública, para que eles possam valorizá-la, quem sabe quando os filhos deles estiverem lá não darão um tratamento diferente a ela, só que não podemos esperá-los colocar os filhos deles na escola pública, para que esta possa melhorar. Precisamos dar um basta nisso já, a escola brasileira é do POVO, por isso é uma luta que tem de ser travada por todos nós: professores, pais, alunos e sociedade.

Caso contrário, em poucos anos, este país vai crescer ainda mais, como preveem os economistas, porém os estrangeiros ocuparão os melhores cargos nas empresas brasileiras e o seu filho, trabalhador brasileiro, vai estar na condição de peão ou de empregado terceirizado dessas empresas. Isso já está acontecendo, são centenas de currículos de profissionais do exterior que estão chegando ao Brasil, pois, em outros países, sabem do nosso potencial econômico e sabem, também, da formação de nossos profissionais, por isso já estão vindo para cá para ocuparem o lugar que deveria ser, por direito, de um brasileiro.

Abram os olhos enquanto é TEMPO! Auxiliares de Serviços Gerais, Diretores, Professores, Secretários, Especialistas esta LUTA é NOSSA!

SINDUTE – SUBSEDE CARANGOLA / MG

Educadora Mineira"


Comentário do Blog: um grito de "bravo!" todo especial para os combativos colegas de luta de Carangola!


"João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Hoje à tarde fui a Barbacena, no Arquivo Histórico Municipal Professor Altair José Savassi. Este arquivo traz a documentação do Fórum de Barbacena, cuja comarca foi criada em 1833, desmembrada da Comarca do Rio das Mortes. Lá eu estava com vários colegas, Sheldon, Rosely, Erlaine, Ana Paula e em dado momento conversamos. Foi mencionado que um carcereiro tem salário de 2000 reais. (o prédio da Casa da Cultura fica em frente à Delegacia de Polícia). Diante da minha estranheza Sheldon me disse que era normal o Estado pagar melhor a policiais, carcereiros e juízes do que a professores. Porque isso faz parte do sistema. Os governos nos detestam e nos pagam mal e nos dão péssimas condições de trabalho, porque se um professor tivesse salário que atendesse às suas necessidades e excelentes condições de trabalho nenhuma tirano se sustentaria. E o Professor Sheldon, que leciona História na rede municipal de ensino de Conselheiro Lafaiete nos referiu uma frase de Napoleão Bonaparte: ''NÃO TEMO CEM GENERAIS, MAS TEMO UM PROFESSOR''. É claro que a estratégia do Anastasia é nos pagar mal pois somos tidos como inimigos a ser abatidos. Eu, não sei se vocês sabem, escrevi um livro, História do Município de Senhora dos Remédios. Se dependesse dos Andradas, ele já teria sido queimado em praça pública, pois eu disse ali umas verdades muito incômodas para os delicados olhos (olhos porque leem) àquelas ''excelências''.

Falei com o Sheldon que ele precisava vir aqui no blog do Euler. Mas eu entendo que lhe falta tempo pois ele está cursando um doutorado na Universidade Federal Fluminense. É um professor inteligentíssimo, consciente e que me disse que professor que conhece Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e toda a legislação a respeito é odiado por essa gente da direita, pois eles não conseguem enganá-lo. Aí lembrei de uma companheira discriminada por ser negra, mas que sabia (e sabe ainda toda a legislação) e que quase sempre punha em dificuldades o pessoal da SRE, sendo temida por eles, que sabiam que não estavam diante de uma professora qualquer, mas de uma profunda conhecedora da legislação. Com ela nunca aconteceu o que já houve com muitos na SRE, de ouvirem alguém lhes dizer ''ah, chegou uma resolução confidencial da Secretaria de Educação alterando tudo, você não tem mais direito às aulas''. E assim, aqueles que não tinham consciência dos próprios direitos saíam, deixando as vagas para os apadrinhados políticos.

Desculpe-me a prolixidade. Saudações, João Paulo Ferreira de Assis"


Comentário do Blog: amigo João Paulo, uma hora dessas vou querer ler o seu livro, pois a julgar pelos seus primorosos textos, deve ser uma obra de primeira qualidade. Mas, tem razão em relação ao desprezo dos governantes para com os professores, capazes que são de contribuir para a formação crítica das pessoas. Um forte abraço e força na luta!

"Anônimo:

Euler,
No blog da subsede de Montes Claros tem a notícia de que a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4631, na qual impugna o artigo 1º e parágrafo único da Lei Estadual 18.975/2010, de Minas Gerais, que transformou a remuneração dos profissionais da educação daquele estado em subsídio, fixando-a em parcela única."



"ASSESMIG:

COMBATIVO EULER:

Peço-lhe permissão p/ fugir um pouco da temática principal do seu blog - a greve.

Em resposta à postagem do(a) colega Lebê sobre o uso de PRESIDENTA pela nossa governante, tenho alguns pontos a esclarecer.

Caro(a) Lebê, quem lhe enviou o texto por e-mail - tomara q/ ñ seja professor(a) de Português - demonstra conhecer muito pouco do nosso amado idioma, já q/ o emprego de PRESIDENTE / PRESIDENTA certamente é conhecido por professores medianamente capacitados p/ lecionar o português, quando exploram o conteúdo "Flexão de Gênero dos substantivos/adjetivos".

A escolha da PRESIDENTA Dilma está corretíssima. Senão vejamos:

1)PRESIDENTA é substantivo feminino e, como tal, significa mulher que preside; mulher de um presidente.
2)PRESIDENTE é substantivo de dois gêneros e significa pessoa que preside. É, também, adjetivo de dois gêneros e significa que preside. Como professora de Língua Portuguesa, nem feminista nem conservadora, ñ poderia deixar de esclarecer o equívoco que o autor do texto cometeu.
Dizer também q/ a mídia em geral tem a "ética" (kkk) de escrever e falar corretamente é um outro ledo engano, haja vista o emprego aleatório e até incorreto q/ ela, alguns ministros, senadores, deputados, vereadores, intelectuais e até professores fazem de palavras como RECORDE, SUBSÍDIO e tantas outras, em total desrespeito às regras básicas da gramática portuguesa.

Portanto, caro(a) Lebê, cabe aqui uma advertência: ñ confie tanto no q/ ler ou escutar; em caso de dúvida, consulte "o pai dos inteligentes", ou seja, um bom dicionário.

Concluindo, nem o Aurélio está se remoendo no túmulo nem a Dilma violentou o nosso português.

Abraços fraternos,

RUTH - São Lourenço/RJ"


"Anônimo:

Euler,
estou com medo de nós pagarmos o pato. tenho um sobrinho PM e ele recebeu um informe de um deputado falando sobre os aumentos da PM. Nesse informe fica claro que em 8 anos do governo de aecinho , a categoria recebeu 100% de aumento. E agora no governo de anastasista (4 anos) a categoria tb terá aumento de 100% . Agora pense comigo: nós tivemos o salario congelado em 8 anos e agora se não lutarmos pelo piso teremos esse salario miserável por mais 4. 10% de aumento para um soldado corresponde a R$200 . Agora 10% para um professor não chega a 100. E adivinha quem vai pagar o evento da copa? qual categoria que vai sofrer para pagar essa conta? não preciso nem dizer. Temos que lutar é pelo piso , não queremos reajustes de 10, 20% parcelados em 50 vezes .".

"Clóvis:

Euler,
O governo insiste em dizer para a mídia e a opinião pública que já paga o piso, inclusive reafirmou hoje 21 07 2011 - Gostaria de sugerir uma coisa, se é que ela é legal? Quando o STF rejeitou a ADIM dos governadores, junto com a matéria do jornal saiu uma declaração do relator - Ministro Joaquim Barbosa: - Não me sensibiliza, não me comove nem um pouco, esta história de que o Estado não tem recursos - ele já teve tempo de mais para se adequar, hoje deve existir de 10 a 15 funções no Estado que paga mais do que a Educação. ( O Piso é o salário sem as vantagens) - Euler, você não acha que uma declaração dessa não derruba publicamente qualquer tentativa do governo em desmentir o piso? Você que seria legal o Sind Ute fazer boletins? teria algum problema? - Acho que uma declaração desta da maior alta corte, seria uma boa.
Abraços,
Clóvis
"

Comentário do Blog: Boa sugestão, combativo colega Clóvis. É preciso de fato trabalhar melhor as manifestações do ministro-relator - e a própria ata do STF já publicada - para demonstrar o quanto o governo é ilegal. Embora a própria lei do piso, no seu texto, aborde com todas as letras o conceito de piso enquanto vencimento básico, não incluindo quaisquer outras formas de gratificação ou vantagem.


"João Paulo Ferreira de Assis:

Muito obrigado Professor Euler, pelas palavras sobre o meu texto. Quanto ao livro, quando esta situação que vivemos for resolvida (se Deus nos ajudar a nosso favor), colocarei o meu email à disposição para quem quiser adquiri-lo."

"Ojuara (defensor da liberdade e do amor):

Caro Euler, sou professora da rede municipal de educação em Montes Claros e sinceramente, não acredito no anúncio de aumento salarial e 14º feito pelo Prefeito Luiz Tadeu Leite (PMDB). Na verdade, esse ainda irá passar pela aprovação da câmara municipal e conhecendo as artimanhas políticas que aqui são empregadas haverá um verdadeiro jogo de empurra. Se sair, só acontecerá no próximo ano para ser usado na campanha para prefeito. Faz-me rir e também chorar."

"Anônimo - Santa Bárbara:

Grande Educador Euler, obrigado pela oportunidade.

Quanto ao anônimo que anuncia a boa vinda de Montes Claros, ou seja, segundo o prefeito haverá o pagamento do piso nacional no município, é realmente uma grande notícia.

Mas infelizmente aqui em Santa Bárbara, ao contrário do que afirma o governo estadual, na grande mídia, temos vários computadores novos destinados aos alunos e alunas, em escola estadual, guardados em local impróprio há quase dois anos. Enquanto isto alunos e alunos permanecem como analfabetos digitais. Tudo isto por falta de verba para instalação dos equipamentos. São dois anos de espera!!!"


"Flávio/Bhte:

Olá Euler e blogueiros!

"É melhor morrer de pé que viver ajoelhado" - Emiliano Zapata.

Os pais precisam entender que o progresso técnico é aproveitado por um pequeno número de atores OMC, OCDE, FMI, BID, etc. Estes orientam e levam ao empobrecimento das massas, cerceando e alijando a sociedade do direito à informação.

Nesse sentido, a educação é o grande monstro a ser extirpado. Estamos experimentando um dos resquícios indigestos deixado pela DITADURA: supressão e engessamento das Ciências Humanas. Há, pois, convergência para a técnica, molde e produção o que não significa, necessariamente, emancipação ou satisfação no labor.

Todos de pé! Não acostumemos com a [re] produção vinda da mídia dominante sôfrega por recursos publicitários do Governo, em detrimento do jornalismo investigativo que traz à tona não interpretações, mas os fatos como eles são. Portanto, vamos mexer nos bolsos daqueles que controlam a mídia mineira, entre eles “OS DIÁRIOS ASSOCIADOS” e "ITATIAIA". Cancelem a assinatura e deixem de ouvir!

ANASTAZISTA, RENATA e GORGOZZOLA! Tenho certeza que visitam esse espaço para acompanhar o movimento e aproveitam para tentar nos desestabilizar. Saibam que a categoria está firme e estamos aguardando para vê-los de joelhos diante da classe. Apesar do tripé – mídia, executivo e judiciário jogando no time de vocês -, cairão um por um. A ampulheta foi posta e se cortar o salário, vai ter que se virar para cumprir o calendário.

Em tempo: vejo nesse micro blog uma oportunidade que o governo nos deu para troca intelectual. Estou otimista de que surgirão propostas de saraus, encontros, quermesses nos rincões dessas Minas Gerais. Quem sabe um Partido, jornal, rádio ou outras mídias como alternativa e produção de conhecimento. Fica a dica!"
.

"Silvio - Geografia:

BRAVOS EDUCADORES, de todos os cantos das Gerais, ATENÇAO! Nosso colega David, postou aqui neste blog um link onde a Secretaria de Educação publicou um comunicado aos servidores em:Peço especial atenção a este link. LEIAM TODOS e notem que, entre outras informações, o governo já sabia do valor quando da implantação da Lei do Piso, ISSO EM SETEMBRO DE 2008.

Imagino que esse comunicado, possa valer como documento em mais uma ação contra a não implantação da Lei do Piso e que o governo não cumpre o que promete. Que isso valha para que só voltemos às aulas quando atendidos nossos direitos! Paguem o piso que voltamos!
Valeu David! Força na luta!!!"


44 comentários:

  1. Euler... ótima análise. Alguém já está comendo esse bolo. Quem???

    Outra pergunta: O governo adiantou que cortará o salário do próximo mês. E o dinheiro reservado para esse pagamento ficará com quem??? Ele será depositado em juízo? ABC

    ResponderExcluir
  2. No milagre econômico mineiro o tutu cresce a cada dia mas somente os banqueiros e empresários é que se servem dele.Governador, cadê o meu tutu?

    ResponderExcluir
  3. Euler,os 4 bilhões que o governo alega não ter para cumprir com a lei federal do PSPN estão comprometidos com os empreiteiros (construção de estádios para copa,hotéis de luxo etc...)banqueiros e,aumento pra essa corja que não constrói nada,só serve pra mamar em gordas tetas.Ser político,secretário de estado dentre outros cargos da alta esfera é a melhor opção para "amarrar o burrinho na sombra" .Dane-se a LRF,a lei do piso tem que ser cumprida ou,rasguem a constituição federal.Afinal de contas,"Que país é esse?Que país é esse?".Meu fraterno abraço,Solange

    ResponderExcluir
  4. Divino - MG
    Euler, você sabe informar o percentual de escolas que aderiram "total" ou "parcialmente" a greve até esse mês?

    ResponderExcluir
  5. Divino - MG
    Fiz tal pergunta pois estamos organizando uma reunião para início de Agosto no intuito de conseguir a adesão de nossa Escola na greve, esse dado será relevante em nossa reunião.

    ResponderExcluir
  6. POIS É QUERIDO EULER, NÃO VOU USAR BELAS PALAVRAS COMO DEVERIA , POIS AFINAL SOU EDUCADORA.MAS VOU USAR A PALAVRA CERTA PORQUE SEI QUE O DESGOVERNO E PESSOAS ENVOLVIDAS VISITAM ESTE BLOG.AFINAL O QUE O BRASIL TEM É SIMPLESMENTE LADRÕES.SIM ELES NOS ROUBAM DE TODAS AS FORMAS.SOMENTE PARA A EDUCAÇÃO É QUE ELES FALAM NESSA TAL DE LRF.MAS COMO VOCÊ MESMO FALA AQUI PARA A CLASSE POLÍTICA ELES NÃO USAM.BEM EU NASCI NO BRASIL...LINDA E AMADA TERRA...ADORO ESTE LUGAR MAS OS DE CIMA AQUI É UMA VERGONHA.LÁ FORA ELES SÃO OLHADOS COMO BANDIDOS MESMO...NÃO QUERO MORRER AQUI.ESTOU INDO PARA OUTRO PAÍS, E BREVE QUANDO ME APOSENTAR MUDAREI DEFINITIVAMENTE.AQUI ME SINTO ENVERGONHADA.LÁ FORA EXISTE TAMBÉM COISAS RUINS , MAS NO BRASIL É UMA COISA ESPANTOSA, CLARO COMEÇANDO DOS DE CIMA.BEM TEMOS QUE IR ATÉ AS ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS , TEMOS QUE SAIR COM ESTE PISO PELA PORTA DA FRENTE...ESTUDAMOS MUITO, SOMOS INTELIGENTES, TRABALHAMOS COM AMOR, E LES NOS ENXERGAM COMO UMA CLASSE RIDÍCULA, IMPLORANTE, MENDIGOS E QUE NÓS ACEITAMOS TUDO CALADINHOS COM O RABINHO ENTRE AS PERNAS.SÃO LADRÕES DISFSRÇADOS DE ANJO...E ASSIM CAMINHA O BRASILEIRO...E ASSIM VAMOS VIVENDO ..CALDOS E CABISBAIXO.VEJO COMO SÃO NOSSOS COLEGAS QUE AINDA PERMANECEM EM SALA DE AULA...MEU DEUS QUANTA IRONIA E DISSIMULAÇÃO.O QUE ELES ESTÃO FAZENDO COM ELES PRÓPRIOS???SE DESVALORIZANDO A CADA DIA.SIM SE GANHARMOS ESTA LUTA ENTÃO SEREMOS MAIS RESPEITADOS.QUANTO AO SINDICATO QUE NOS REPRESENTA, TEMOS QUE ESTARMOS UNIDOS AGORA MAIS DO QUE NUNCA MAS...MAS...DEIXA A DESEJAR.NÃO SOU FILIADA A LONGO TEMPO.NÃO QUERO PAGAR UMA COISA QUE NÃO ME AJUDA E NÃO RESOLVE NADA.SIM...ONDE ESTÃO A PARTE JURÍDICA DO SINDUTE???NÃO VEJO NADA CONCRETO REALMENTE MAS...DEPOIS DESTA GREVE PODE-SE REPENSAR ...E SE AGORA ALGO ACONTECER QUE NÃO FOR AGRADÁVEL AOS EDUCADORES, ENTÃO ESTE SINDCHUTE VAI TER QUE REFORMULAR TODAS AS SUAS FALS E OBJETIVOS.BEM ME DESCULPE MAS CLARO TEMOS QUE RESPEITAR O SINDICATO QUE NOS REPERESENTA MAS ESTA GREVE SERÁ TAMBÉM MARCANTE PARA ESTE SINDICATO.OU ELE SAIRÁ FORTALECIDO OU SE ACABARÁ DE VEZ.

    ResponderExcluir
  7. Colega Euler, alguma começa a acontecer . Veja esta noticia .

    http://www.diariodenatal.com.br/2011/07/21/ultimasnot1_0.php

    Greve dos professores estaduais é suspensa
    Depois de 80 dias, sindicato e governo entram em acordo

    ResponderExcluir
  8. COM SUA LICENÇA EULER QUERO POSTAR AQUI UM DESABAFO.SENHOR GOVERNADOR(SE É QUE MERECE SER TRATADO ASSIM),SENHORA RENATA E SENHORA GAZOLA,QUERO QUE SAIBAM QUE OS RISCOS QUE NOSSOS FILHOS ESTÃO CORRENDO DE FICAREM SOZINHOS EM CASA POR NÃO ESTAREM NUMA ESCOLA E NÓS PAIS SERMOS OBRIGADOS A SAIR PARA TRABALHAR,PORQUE QUERO OS SENHORES SAIBAM NÓS PAIS PRECISAMOS TRABALHAR PARA GANHAR MUITAS VEZES NEM O SALÁRIO MÍNIMO PARA O SUSTENTO DAS NOSSAS FAMÍLIAS,ESSE RISCO NÃO TEM PREÇO,MAS OS SENHORES NÃO TEM NOÇÃO PORQUE NUNCA FORAM ASSALARIADOS,NUNCA DEPENDEU DE UMA ESCOLA PÚBLICA,PORQUE VIVEM MERGULHADOS EM MILHÕES QUE SÃO ARRANCADOS DO NOSSO BOLSO ATRAVÉS DOS IMPOSTOS QUE PAGAMOS.POR QUE NÃO NEGOCIAM COM OS PROFESSORES?POR QUE DEBOCHAM DOS PROFESSORES COMO FEZ NA CIDADE DE MARIANA?PORQUE TANTOS OS PROFESSORES COMO NOSSOS FILHOS SÃO DE ESCOLA PÚBLICA.NÃO VOU INCOMODÁ-LOS MAIS COM MINHAS PALAVRAS PORQUE SOU PAI DE ALUNO DE ESCOLA PÚBLICA PORQUE É NESSA QUE POSSO COLOCAR MEUS FILHOS COMO GRAÇAS A DEUS É ATRAVÉS DE UMA ESCOLA PÚBLICA QUE UM DE MEUS FILHOS CHEGOU A UNIVERSIDADE,SÓ QUERO DIZER O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO COM OS PROFESSORES E COM NOSSOS FILHOS VOCÊ GOVERNADOR,VOCÊ RENATA E VOCÊ SECRETÁRIA GAZOLA HÃO DE RECEBER,POR SAIBAM ESTE PODER DE QUE VOCÊS ESTÃO USUFRUINDO COM CERTEZA VAI TER FIM UM DIA.POIS ESTÃO BRINCANDO COM O FUTURO DE DEZENAS, CENTENAS E MILHARES DE PESSOAS COMO NOSSOS FILHOS E PROFESSORES QUE SÃO PESSOAS DIGNAS DE RESPEITO,SÃO PESSOAS QUE DEPENDEM DO PRÓPRIO SUOR PARA CONSEGUIR ALGO DE BOM NA VIDA. OBRIGADO EULER ,SÓ AQUI CONSEGUI ESSE ESPAÇO.

    ResponderExcluir
  9. PARABÉNS PELO DISCURSO EULER. VOCÊ FOI D+ O GOVERNO PRECISA PAGAR O PISO JÁ. ESSA SIM É A NOSSA LUTA, PELO PAGAMENTO DO PISO. JÁ DISSE VÁRIAS VEZES QUE O NOSSO MOVIMENTO ESTÁ PERDENDO O FOCO QUANDO SE PREOCUPA COM A LEI 100. VAMOS DEIXAR ISSO DE LADO E NÃO VAMOS ENTRAR EM DIVISÃO...

    ResponderExcluir
  10. Caro professor:
    Por ler textos tão elucidativos assim, sinto orgulho de ter familiares meus em tão nobre carreira. Digo isso porque muito me assusta ver profissionais da educação sem capacidade de se indignar diante da situação explicitada em seu artigo.
    Sou mãe e tia de alunos(as) de escola pública que não aderiu à greve. Isso deveria ser motivo de alegria para mim, pois nossas férias junto aos filhos e sobrinhos estão garantidas, como também a tranquilidade do final do ano letivo nessa escola. Entretanto, preferiria que meus filhos e sobrinhos estivessem em casa ou lutando ao lado dos profissionais dessa escola para verem direitos legais respeitados. Eles estariam tendo uma maravilhosa aula de cidadania e de respeito às leis votadas nesse nosso tão castigado país.
    Espero que os senhores donos do poder deem o que é de direito aos profissionais de educação, que ao contrário do que eles pensam(pelo menos é o que parece), tais profissionais são muitíssimo mais importantes que os governantes, juízes (que julgam inconstitucional a luta por direitos salariais já estabelecidos em lei - do alto de seus muitos milhares de reais de salário)e outras categorias profissionais mais valorizadas econômica e socialmente.
    Chega, senhores, de usar tão importante categoria como arma em discursos eleitorais e virar-lhe as costas ao se encastelarem no poder.
    Coragem, bravos professores de nossos filhos. Haverá um dia em que sua importância social será resgatada.
    Um grande abraço de uma mãe que muito os admira.

    ResponderExcluir
  11. Euler aquela dona da propaganda do tutu mineiro é da cidade do Serro/MG.Seu nome é Dona Lucinha e aparece como cozinheira. Na verdade esta é sua segunda profissão porque ela é professora aposentada na rede Pública Estadual.

    ResponderExcluir
  12. Euler, não sei se vai postar meu comentário, pois o que fiz sobre a questão da unidade do Sin ute, do seu texto- Viva o Sind Ute, que aliás estranhei, achei desnecessário vc tem uma postura sempre combativa, inteligente, e acreditar em teorias conspiratórias é de lascar, como já li em seu blog, , e ri muito” de arrancar sabiá do toco”, mas meu comentário não foi postado.. Enfim, tenho acompanhado a greve e fico analisando, a direção sindical chamou para essa greve com tanta firmeza, piso de 1597, o que eu discordei no começo e fiz crítica aqui, mas estava com a corda toda, só voltamos pra sala com o Piso da CNTE, depois de uma conversinha com o Rogério Correia e bloco de oposição, chama o comando de greve estadual para uma reunião extraordinária com a proposta de aumento de salário de diretor e secretária, edital de concurso, melhora no subsídio, enfim nada... é de arrancar sabiá do toco mesmo...onde está o discurso inflamado de piso de 1597???Precisamos de unidade, óbvio, eu sou filiada, participo de greve, vou sempre ás Assembléias, agora vamos manter um discurso coerente, sem apelações, e democracia é debate de idéias, se chegar a um ponto que a direção sindical não admita mais idéias diferentes, aí meu amigo é hora de buscarmos outra forma de organização para lutarmos por nossos direitos, e como a dúvida faz parte do ser humano me permito questionar essa forma de luta, de organização sindical, as grandes mudanças acontecem a partir dos questionamentos, nada na vida é estático, tudo muda o tempo todo, apesar de não ser grande conhecedora da estrutura sindical, acredito que também esta estrutura necessita de mudanças, como diz Lulu: NADA DO QUE FOI SERÁ DO JEITO QUE JÁ FOI UM DIA, TUDO MUDA O TEMPO TODO NO MUNDO.
    É isso combativo colega que admiro muito , vamos juntos nesta greve com coerência e garra, pois acredito na nossa luta, na nossa força.Viva a greve, Viva os bravos companheiros em luta.Força sempre!!!!

    ResponderExcluir
  13. Os 4 bilhões estão sendo gastos em propagandas mentirosas e também para servir o "tutu" aos que fazem parte dessa corja (Governo).

    ResponderExcluir
  14. Acesse o link
    http://www.youtube.com/watch?v=DDkavk_L_8A&feature=related

    è referente a entrada das açãos junto TJ. Acho interessante divulgar, pois ainda temos amigos que não entraram com a ação.

    ResponderExcluir
  15. Me desculpe o colega de Divino pela resposta que vou dar, pois penso que você deve estar indignado com tal situação, mas quero lhe dizer que em Carangola, as duas maiores escolas não esperaram as menores tomar uma posição nem mesmo a região, nós mesmos assumimos que íamos paralisar e paralisamos, então penso que não devemos esperar pelos outros para tomarmos uma posição, nós como verdadeiros EDUCADORES é que devemos saber se estamos satisfeitos ou não com a situação na qual nos encontramos. Por isso a hisória de que iam fechar o semestre, ou que precisa saber o percentual de escolas paralisadas para entrar para depois fazermos parte, não deve ser o pensamento de quem quer realmente mudanças. Na história da vida nós precisamos ter clareza do papel que queremos assumir, PROTAGONISTAS ou FIGURANTES, os professores do João Belo e do Polivalente,em Carangola, assumiram, desde julho que nesta história não seriam figurantes, claro que nem todos, mas a parcela necessária para juntos com os demais GUERREIROS EDUCADORES deste Estado figurarem, mais uma vez, como protagonistas de uma mudança. Desculpe-me, percebo em suas palavras que você está sofrendo, pois se encontra sozinho.
    Força e Fé!

    ResponderExcluir
  16. Euler, sonhei tanto com a instituição desse Piso. Não desses famigerados 1187 reais estipulados pela Lei, mas algo digno de um educador que forma juízes, advogados, médicos, policiais, ou seja, todas as profissões. Deve ter uns seis anos mais ou menos que ouvi de um educador, numa das assembleias, na UFMG, que nossa situação só iria mudar quando o salário dos educadores fosse nacional. Aí, quando estourasse uma greve, ela seria nacional... ninguém poderia nos deter! O Piso veio (pelo menos é Lei) e eis que o sonho se transforma em pesadelo. Um pesadelo pois temos que lutar por ele justamente quando ele está mais próximo. Você mesmo já disse várias vezes aqui: a CNTE precisa agir mais e convocar uma greve é nacional. Aí sim, esses desgovernantes passariam a nos respeitar mais.Quanto aos deputados do MSC, penso que poderiam ter sido mais firmes. Sempre fui contra de, nas assembleias, ter de ficar ouvindo-os, quando eles só queriam fazer média conosco. Quando têm de arriscar a posição deles para nos defender realmente, dão um jeito de sair de fininho. Chega de dar vez a deputados! Vamos fazer do nosso jeito: no peito e na marra. Não é de hoje que prego atitudes mais radicais para arrancar deste governo sarcástico o que nos é de direito. Quem estava lá ontem em São Gonçalo do Pará, chegava até a embrulhar o estômago cada vez que saía lá de dentro um convidado com um sorrisinho no canto dos lábios como se não fôssemos nada ou apenas um bando de coitados ou ainda, como a senhora "Maria do Carmo", um bando de desocupados. Vamos nos fazer respeitar. Sempre tivemos fama de bonzinhos ordeiros, mas somos recebidos com grades, paus (porque aquilo era um pedaço de pau, não cacetete), um batalhão inteiro e portas na cara. De que então nos serve esta fama? De que nos adianta ficar na sala de aula ensinando os alunos a serem do bem, que a polícia é legal e nos protege, se ela própria é contra nós e a favor dos que não cumprem as leis. Chegou a hora... não podemos arrancar pé ou não seremos respeitados nunca mais. SIND-UTE, chame a CNTE à razão, intime a CUT: não somos filiados a elas? Vamos fazer algo de que o governo não se esqueça nunca mais. Chega de esperar que Globo, Alterosa ou Record se solidarize com nossa causa. Elas precisam do dinheiro do governo para se sustentarem. Estas redes também deveriam ser chamadas à razão de alguma forma pois nossos alunos são seus telespectadores. Chega de sermos "os bonzinhos", "os ordeiros"... vamos nos fazer "os respeitados". Depois que nos fizermos mais respeitados e valorizados poderemos dar um fim à farra de nossos políticos que nadam no dinheiro de nossos impostos e ainda riem de nós. Vamos lutar depois pela redução do número de deputados e de salário deles. Não precisam de tanto para não fazer nada. Chega de um país de faraós e reis que vivem mamando nas tetas da nação! Quanto aos pais e alunos (tenho visto alguns comentários aqui) falar só não resolve nada. É preciso atitude! Sigam o exemplo dos professores (dos que vão para o combate, é claro!) e vão à luta por um direito seus: educação de qualidade. O governo engana a todos não é de hoje ao colocar na sala de aula professores que não são habilitados porque a cada dia está mais difícil encontrar professores que queiram enfrentar os baixos salários, a falta de respeito e de condições de trabalho. Acordem!!! O governo fala muito de choque de gestão, mas quem está precisando levar um choque, uma sacudida é ele. Vamos lutar por nossos direitos. Cadê as associações de pais que ainda não tomaram nenhuma atitude? Só vão aparecer quando o governo pedir e jogá-los contra nós? Por mim, esta greve vai até o fim, ou seja, até o Piso.
    Rogério Trindade - Curvelo

    ResponderExcluir
  17. Maria João Monlevade21 de julho de 2011 12:52

    Euler, por favor me exlique:

    Onde está a Lei de Responsabilidade Fiscal nesses casos?

    O salário mensal de um senador é de R$ 12.720, mas o custo total de cada um para os cofres da União supera os R$ 120 mil por mês, considerando as verbas a que têm direito os 81 senadores do país. Além do salário mensal, cada senador pode receber mais três salários extras (13º, 14º e 15º), R$ 2.750 para auxílio moradia ou residência oficial, R$ 3,2 mil com despesas de correio, 25 litros de combustível por dia, de R$ 6 mil a R$ 16,5 mil com passagens aéreas dependendo do Estado de origem, R$ 15 mil por mês para gastos no escritório do estado e até 80 mil por mês para contratar funcionários comissionados. Também não há limite de gastos para os telefones fixos do gabinete e celulares dos senadores. Na residência oficial, o limite de gastos para telefone é de R$ 500 por mês.
    Fora o resto: ministros, deputados, vereadores, prefeitos, secretários, etc......


    Socorro!!!

    ResponderExcluir
  18. Arreadação maravilhosa como diz Dona Lucinha(professora aposentada)Anastasia afirmando que jazidas de gás é como bilhete de loteria.

    Mas prá que gastar com quem educa filho de trabalhador.

    Antonio Anastasia – É uma notícia maravilhosa. Nós podemos dizer que Minas Gerais terá, a partir da exploração deste gás em cerca de dois anos, uma nova realidade econômica. Veja que o Rio de Janeiro teve um grande desenvolvimento com a descoberta do petróleo na sua plataforma continental. E agora Minas Gerais, que não tem petróleo, mas felizmente encontramos gás. Na realidade, este gás já era imaginado há muitos anos, até porque se aflorava este gás quase que de maneira original. E as pesquisas realizadas e os poços perfurados conseguiram demonstrar isso. E felizmente o primeiro poço, o poço pioneiro em Morada Nova de Minas, que eu inclusive visitei no ano passado, deixou claro a possibilidade da exploração econômica. É viável e há muito gás. Imagine que só este primeiro campo que está sendo explorado corresponde a 20% do volume que é importado da Bolívia pelo gasoduto Brasil-Bolívia. Ou seja, Minas Gerais terá gás suficiente para si e para exportar para outros estados. O gás, que é um combustível limpo, mais barato, ecologicamente correto e hoje muito disputado. Portanto, é uma notícia revolucionária para a economia de Minas Gerais.

    Antonio Anastasia – É verdade, nós não vamos mais depender da importação de gás de outros países. Então vamos ter um gás verdadeiramente brasileiro, um gás mineiro da bacia do rio São Francisco, rio da integração nacional. E isso certamente vai nos dar, sob o ponto de vista estratégico, uma grande autonomia e, ao mesmo tempo, para Minas Gerais, uma grande riqueza decorrente imediatamente da exploração deste gás, também dos royalties que ele vai beneficiar os municípios, aonde ele for encontrado e também para o estado. E, ao mesmo tempo, com novas alternativas econômicas, porque sabemos que ao lado da exploração de gás, nós podemos trazer uma termoelétrica, colocar um parque industrial, distribuir este gás. São, enfim, muitas as alternativas, sem falar que trata-se de um combustível limpo, moderno e procurado hoje pelo mundo afora.

    Podemos dizer que há benefícios para Minas Gerais, considerando-se o estado inteiro do ponto de vista do desenvolvimento econômico, e também para aquelas comunidades de onde se vai extrair o gás?

    Antonio Anastasia – É isso mesmo. Porque nós temos os royalties. O royalty é o pagamento que o explorador faz. Que aquela empresa que vai explorar o gás faz a favor da União, do Estado e do Município onde se localiza aquela jazida. Então, nós vamos ter, no específico, os municípios onde está este campo de gás, na região do Alto São Francisco, vão receber este investimento e também o estado como um todo. E uma notícia ainda melhor: o que nós temos é que este primeiro poço é resultado de uma empresa na qual o estado é sócio, através da sua companhia de desenvolvimento, a CODEMIG. Ou seja: o estado, além de receber os royalties normais da exploração, vai receber também parte da exploração econômica. Então isso é muito positivo, pois vai significar, de fato, como se tivéssemos tirado um bilhete premiado. Nós conseguimos que o estado receba duas vezes, já que vai receber também pela exploração comercial como sócio do empreendimento de gás. E o mais importante de tudo: nós vamos gerar novos empregos para os mineiros, atrair novas empresas e novas indústrias, porque o gás é um combustível limpo e barato quando fornecido perto da sua exploração.

    ResponderExcluir
  19. Grande companheiro Euler, quer uma boa notícia ? O Prefeito de Montes Claros acaba de anunciar que vai pagar o piso nacional para os Professores da rede municipal, quer mais ?, vai pagar também o 14º salário por critério de metas, quer mais ainda? aí também não né amigo kkkk, mas já é um começo, que os ventos do norte possam contagiar o restante dos governantes de nossa querida Minas. Força na luta mais do que nunca.

    ResponderExcluir
  20. Euler, vai passar agora na record minas A PROFESSORA QUE PAROU NO LIXO. Depois de 20 anos de serviço, para continuar vivendo terá que catar lixo.

    ResponderExcluir
  21. Euler, sobre a questão das ações, se for julgado procedente, automaticamente se estende a toda categoria?

    ResponderExcluir
  22. José Alfredo Junqueira21 de julho de 2011 14:07

    1970,"noventa milhões em ação,pra frente Brasil,salve a seleção...".Ditadura militar,corrupção,prisões,tortura,censura.2011,ditadura econômica e militar,repressão,mentira,censura,falência do capitalismo,roubo do minério de Minas,como na monarquia portuguêsa,incônfidência mineira 2011 já.Satãnazia,estes supostos 4 bilhões no contra cheque da educação vai esquentar a economia de Minas,nas mãos dos empeiteiros etc.,vai para os paraísos fiscais.Paraísos ou Infernos?Os bancos BMG,Bonsucesso,Santander e etc.,não estão contentes com o corte no ponto deles.Um abraço!

    ResponderExcluir
  23. Educadora de São Miguel do Anta-MG21 de julho de 2011 14:18

    Belíssima análise Euler, como sempre...

    É revoltante como os políticos insistem em dizer que não há verbas para investir na EDUCAÇÃO, quando na verdade, o que fazem é desviar tais verbas para os próprios "bolsos". Fica claro que os setores mais fáceis de serem roubados neste país e no nosso estado é a SAÚDE e a EDUCAÇÃO. Anastasia têm que aceitar que nós EDUCADORES e CIDADÃOS aprendemos a reivindicar, questionar, criticar e querer o que é nosso de direito. A sociedade também já está aprendendo. TODOS querem e precisam de mais investimentos na EDUCAÇÃO, afinal o governo não está investindo nem o que é definido por Lei (25%). Estamos de olhos bem abertos para ver como os políticos estão trabalhando, não foram eleitos para "curtir a vida", "rir da nossa cara", "fazer graça da desgraça dos outros", tudo às nossas custas. Queremos que mostrem serviço e excelentes resultados, pois foram eleitos para isso. Devem SERVIR AO POVO e servir muito bem. Temos direito a ESCOLA PÚBLICA e de QUALIDADE. Cabe ao estado garantir este direito. Anastasia quer cobrar excelentes resultados dos EDUCADORES mas não nos oferece condições dignas de trabalho para que possamos apresentar tais resultados. Aliás diga-se de passagem ele não está nem um pouco preocupado com aprendizagem efetiva dos nossos alunos, quer apenas números para apresentar na mídia, mesmo que estes não sejam fidedignos. Ao contrário dos EDUCADORES, ele(governador) têm condições total de proporcionar à população mineira, educação de qualidade desde que haja VONTADE POLÍTICA, a começar pelo pagamento do PISO SALARIAL aos profissionais da educação com a devida valorização deste profissional e reconhecimento da carreira. Nenhum ser que frequentou e/ou frequenta a escola acredita nas mentiras ditas por esse governador com relação a EDUCAÇÃO. Os políticos mudam, mas o discurso é sempre o mesmo: NUNCA TERÃO DINHEIRO PARA EDUCAÇÃO PORQUE ELA NUNCA FOI PRIORIDADE DE VERDADE... Quando será que esse discurso irá mudar? Queremos mudança na prática, na forma de pensar e fazer EDUCAÇÃO, não simplesmente na forma de dizê-lo. O que acontece e todos sabem é que Eles (políticos-despolitizados) querem e precisam do povo "ignorante" para aumentar cada vez mais o patrimônio pessoal, controlando, manipulando, exercendo o PODER sem maiores problemas. Mas lamento informar que para que isso continue acontecendo, os políticos terão que extinguir da face da terra os EDUCADORES. A nossa missão vai muito além de construir conhecimentos, mas sobretudo de formar cidadãos para intervir de forma justa e solidária em nossa sociedade. Vamos banir da EDUCAÇÃO os FORA DA LEI!!! Abraços aos que acreditam no PODER DA EDUCAÇÃO para a TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE... Rumo à luta em busca do PISO e tudo mais que temos DIREITO...

    ResponderExcluir
  24. Euler professora parar no lixo não é novidade em um estado em que para um professor sobreviver precisa ter quase metade de seus rendimentos comprometidos com os bancos através de empréstimos pessoais já que o salário não dá para pagar as contas. A Dona Lucinha da propaganda lembra bem disso...Como o Anastasia não respeita a Lei Federal, sendo ele um Governador, porque então não respeita meu direito de opção em tirar do meu contra-cheque os emprestimos pessoais? Será que ele permite? Como fazer para conseguir isto se o que estou recebendo não está dando para manter meus filhos já que sou separada?

    ResponderExcluir
  25. Caríssimos Euler e anônima de Carangola, como me anima vê-los tão lúcidos, coerentes com o que pensam. Estou em greve pois, também, sou de Carangola. Mas com é triste pensar que, em nossa região, inúmeros profissionais estão esperando acontecer. Não optam pela greve, pois para eles o que ganham está muito bom. E o que vier e, se Deus quiser, virá, é lucro. Respondam-me os dois, por favor, será que eles dormem em paz à noite, sabendo que muitos estão lutando para um bem que será de todos? Serão corajosos o suficiente para não aceitarem o piso? ou pensarão que se deram bem através da luta, da garra, do suor e sacrifício de outros. Quantas perguntas...

    ResponderExcluir
  26. Saudações Euler!

    Euler, você sabe quem e com qual autoridade moral e técnica no desgoverno de Minas tem condições de sustentar que a capacidade de endividamento do estado tenha chegado ao limite? Quem???

    Outra coisa: Anastasia, se cuida pois você que enche a boca pra dizer que é filho de uma professora, irmão da professora Carla Anastasia e que é professor, a História, mais precisamente a História da Educação (disciplina acadêmica), será implacável com você. Assim como a História já é com o vovozinho do seu padrinho. Abra o olho "professor" Antônio Anastasia. Tua memória histórica vai ser um desastre cara! Pense bem, ou você não poderá andar de cabeça erguida dentro de 25 30 anos se considerarmos que você é bem jovem.

    ResponderExcluir
  27. Euler, precisamos buscar um vídeo de impacto que retrate a realidade da nossa categoria.

    Seria ótimo para o nosso movimento um vídeo mosstrando as reais condições de trabalho da nossa categoria.

    Outra sugestão, para a próxima assembleia o sindicato poderia imprimir vários contra cheque num formato maior, durante a passeata levaríamos esses contra cheques para a sociedade ver.

    ResponderExcluir
  28. Cara colega de Carangola:

    Os subservientes se valem das conveniências para traçarem suas trajetórias de vida, por isso os discursos que proferem são vazios e intencionais.

    ResponderExcluir
  29. sugestões :

    Onde arrumar dinheiro :Anastasia Faz como os professores pega empréstimo consignado no BMG do seu amigo Ricardo Guimarães vide Máfia Russa.

    Onde arrumar gente prá substituir os professores em caso de corte de pagamento e reposição é simples é só chamar os amigos da escola(Tony Ramos Didi dos trapalhões os professores da novelinha da globo (Malhação) e a dona lucinha do tutu (ela é professora aposentada.

    Notícia urgente: Professores perigosos são presos pela polícia da terra do nosso senador Zezé Perrella (são gonçalo)crime falsificação de credencial para poder olhar nos olhos do Desgovernador (anast azia)Em Minas isso é crime
    correm o risco de serem enforcados em prça pública.

    ResponderExcluir
  30. ANGELICA/ SDPRATA21 de julho de 2011 17:12

    COLEGAS, PENSO QUE NO BRASIL ESTAMOS PRECISANDO LUTAR PARA QUE OS POLITICOS SEJAM TRATADOS COMO NA SUÉCIA.
    ESTE VIDEO DEVE SER ATE CENSURADO AQUI NO BRASIL.......
    www.youtube.com/watch?v=EBVio1LP9EE
    www.youtube.com/watch?v=ODAqyf-PEjA

    ResponderExcluir
  31. Boa noite Prof Euler,

    Uma vez mais, voce foi feliz no post de hoje.Não é dificil entender para onde foi os 4 bilhões que o governo afirma não ter para pagar o piso minusculo dos professores. Veja abaixo, como o Chico Vargas explica bem a situação. Tanto faz o partido, depois de eleitos, no poder, são mordidos pela mosca que transmite a peste virulenta, apelidada de corrupção.
    TOMARA OS PROFESSORES PERCAM O MEDO E DECIDAM LUTAR POR SUA DIGNIDADE!

    Graça

    OS LADRÕES DE RUA E OS DO DINHEIRO PUBLICO
    CHICO VARGAS 21-07-2011

    Existe uma coisa comovente no mundo do crime que é o respeito com que são tratados os ladrões do dinheiro público. Começa que ladrão de dinheiro público não rouba, desvia. O que ele faz sequer é crime, mas irregularidade. Roubar é coisa de ladrão de galinha, geralmente preto ou pobre – ou os dois. Entre as mãos do ladrão fino e a grana da plateia existe um léxico que funciona para tudo, inclusive para manter o gatuno à segura distância do xilindró. Dispensa de licitação, aditivo de contrato e compras emergenciaissão hoje as palavras mágicas que justificam a rapina sem o mais breve sinal de embaraço. Rouba-se, perdão, desvia-se a grana dos impostos sem piscar.

    O Rio de Janeiro acaba de anunciar a compra de cinquenta ambulâncias para o Serviço de Atendimento Médico de Urgência, cuja frota se desmancha pelas ruas. Como a obsolescência de uma ambulância não se dá num par de meses, o que o Samu perdeu em eficiência e ganhou em queixas dos seus fregueses ocorreu ao longo de anos. Informa-se que as ambulâncias serão compradas no pregão eletrônico. Habitualmente, porém, no serviço público, esse processo é uma espécie de jogo. Ganha quem tiver mais sangue frio. Reclamações em cascata levam a urgências, que dispensam licitações e abrem a porta às compras emergenciais. Quem estiver interessado, portanto, só precisa sentar e esperar. Um dia a emergência chega e a mágica se instala.

    Na serra fluminense, onde há seis meses milhares de pessoas morreram em consequência da incúria e da falta de escrúpulos de dois prefeitos, o cenário não é diferente. A urgência gerada pela tragédia que afogou as cidades de Nova Friburgo e Teresópolis permitiu que fossem dribladas licitações e tomadas de preço para abrir a porta à festa das compras superfaturadas. Nem as famílias inteiras mortas na tragédia justificaram mandar os prefeitos para o xadrez por nada terem feito, apesar de conhecerem há muito o perigo que rondava as cidades. Pior, em relação aos mortos nada vai acontecer. Não temos por tradição cobrar dos governantes a vida dos governados.

    É como na república que o PR e o deputado Valdemar Costa Neto fundaram no ministério do Transportes. Na semana passada, uma pessoa morreu e mais de vinte sofreram ferimentos por causa de um radar mal instalado no trecho Niterói-Manilha da BR-101. Carros, ônibus, caminhões, tudo quebra nas estradas brasileiras, que têm pontes sem cabeceiras, pencas de aditivos de contratos e empreiteiras que recebem por trabalhos feitos pelo Exército. Mas os líderes do PR sugerem que o governo pare de lhes aplicar cascudos para não despertar a hidra que vive nas entranhas do partido.

    Têm razão os ladrões do dinheiro público. Se não houver bulha, quando se descobrir que alguém passou a mão no butim os tempos já serão outros. Todos os pecados estarão restritos ao bate boca interminável entre tribunais de contas e administradores públicos. E isso, como se sabe, jamais botou alguém atrás das grades. Essa talvez seja a grande diferença entre os ladrões do dinheiro público e os pés de chinelo que assaltam pelas ruas. Esses últimos, quando apanhados e confrontados com seus crimes nas delegacias, são fotografados de cabeça baixa. http://xicovargas.uol.com.br/index.php/2407

    ResponderExcluir
  32. Companheiros
    Vamos divulgar para todos o trato feito pelo governo do estado em 2008 que está no link https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/1172-secretaria-divulga-comunicado-a-servidores
    mostrando que o governo tinha assumido esse compormisso conosco e simplemente não honra o acordo criando o subsídio.
    Talvez as pessoas entendam o que está acontecendo.
    Divulguem também nos jornais e outros meios de comunicação.
    David

    ResponderExcluir
  33. PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO FAZEM MANIFESTAÇÃO EM FRENTE À SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE CARANGOLA.

    http://jornalocombatente.blogspot.com/

    PARALISAÇÃO DOS PROFESSORES EM FAVOR DO CUMPRIMENTO DO PISO SALARIAL NACIONAL
    Atenção Comunidade Carangolense, o Piso Salarial Nacional é Lei Federal e direito de todos os trabalhadores da educação.
    O governador ANASTASIA não respeita a Lei aprovada pelo SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL em 06 de abril deste ano, noticiada por todos os meios de COMUNICAÇÃO. Além disso, para não pagar o piso, conforme manda a lei, o governo criou um mecanismo salarial denominado SUBSÍDIO para enganar o trabalhador da educação neste Estado. Com esse mecanismo, ele retira os direitos que os PROFESSORES alcançaram por 10, 20, 30 anos de trabalho.
    Por isso, o momento é de UNIÃO e de LUTA. Servidores efetivos, efetivados e designados não se acomodem, os nossos direitos estão sendo violados a olhos vistos. Se não lutarmos, agora, seremos mais uma vez prejudicados por este governo que não tem compromisso algum com a EDUCAÇÃO.
    À Comunidade, solicitamos todo apoio, pois seus filhos estão na escola pública. Nós já estamos com 1 mês de paralisação e o governo continua descumprindo a LEI FEDERAL que institui o nosso piso salarial. E os pais que têm filhos no ensino médio sabem muito bem que em outubro haverá o ENEM, uma prova muito importante que possibilitará aos seus filhos entrarem numa faculdade, mas este governo não só prejudica os trabalhadores em educação como prejudica, também, os filhos dos senhores. Isso porque os filhos, os sobrinhos e/ou netos desses políticos não estão nas escolas públicas, por isso nem se importam com os seus filhos, agora para pedir votos lembram-se dos senhores, vão à televisão e prometem uma educação de primeiro mundo, mas só para ter o seu VOTO, chegando ao PODER, o tratamento é este que os Senhores presenciam quase todo ano, para qualquer cumprimento de nossos direitos, temos que apelar para a GREVE.
    Não é à toa que já existe um movimento para que se institua uma lei que exija que os políticos ponham seus filhos na escola pública, para que eles possam valorizá-la, quem sabe quando os filhos deles estiverem lá não darão um tratamento diferente a ela, só que não podemos esperá-los colocar os filhos deles na escola pública, para que esta possa melhorar. Precisamos dar um basta nisso já, a escola brasileira é do POVO, por isso é uma luta que tem de ser travada por todos nós: professores, pais, alunos e sociedade.
    Caso contrário, em poucos anos, este país vai crescer ainda mais, como preveem os economistas, porém os estrangeiros ocuparão os melhores cargos nas empresas brasileiras e o seu filho, trabalhador brasileiro, vai estar na condição de peão ou de empregado terceirizado dessas empresas. Isso já está acontecendo, são centenas de currículos de profissionais do exterior que estão chegando ao Brasil, pois, em outros países, sabem do nosso potencial econômico e sabem, também, da formação de nossos profissionais, por isso já estão vindo para cá para ocuparem o lugar que deveria ser, por direito, de um brasileiro.
    Abram os olhos enquanto é TEMPO! Auxiliares de Serviços Gerais, Diretores, Professores, Secretários, Especialistas esta LUTA é NOSSA!
    SINDUTE – SUBSEDE CARANGOLA/MG

    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  34. COMBATIVO EULER:

    Peço-lhe permissão p/ fugir um pouco da temática principal do seu blog - a greve.
    Em resposta à postagem do(a) colega Lebê sobre o uso de PRESIDENTA pela nossa governante, tenho alguns pontos a esclarecer.
    Caro(a) Lebê, quem lhe enviou o texto por e-mail - tomara q/ ñ seja professor(a) de Português - demonstra conhecer muito pouco do nosso amado idioma, já q/ o emprego de PRESIDENTE/PRESIDENTA
    certamente é conhecido por professores medianamente capacitados p/lecionar o português, quando exploram o conteúdo "Flexão de Gênero dos substantivos/adjetivos".
    A escolha da PRESIDENTA Dilma está corretíssima. Senão vejamos:
    1)PRESIDENTA é substantivo feminino e, como tal, significa mulher que preside; mulher de um presidente.
    2)PRESIDENTE é substantivo de dois gêneros e significa pessoa que preside. É, também, adjetivo de dois gêneros e significa que preside.Como professora de Língua Portuguesa, nem feminista nem conservadora, ñ poderia deixar de esclarecer o equívoco que o autor do texto cometeu.
    Dizer também q/ a mídia em geral tem a "ética"(kkk) de escrever e falar corretamente é um outro ledo engano, haja vista o emprego aleatório e até incorreto q/ ela, alguns ministros, senadores, deputados, vereadores, intelectuais e até professores fazem de palavras como RECORDE,SUBSÍDIO e tantas outras,em total desrespeito às regras básicas da gramática portuguesa.
    Portanto,caro(a) Lebê,cabe aqui uma advertência: ñ confie tanto no q/ ler ou escutar; em caso de dúvida, consulte " o pai dos inteligentes", ou seja, um bom dicionário.
    Concluindo, nem o Aurélio está se remoendo no túmulo nem a Dilma violentou o nosso português.

    Abraços fraternos,

    RUTH - São Lourenço/RJ

    ResponderExcluir
  35. Euler,
    No blog da subsede de Monts Claros tem a notícia de que a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4631, na qual impugna o artigo 1º e parágrafo único da Lei Estadual 18.975/2010, de Minas Gerais, que transformou a remuneração dos profissionais da educação daquele estado em subsídio, fixando-a em parcela única.

    ResponderExcluir
  36. João Paulo Ferreira de Assis21 de julho de 2011 20:58

    Prezado amigo Professor Euler

    Hoje à tarde fui a Barbacena, no Arquivo Histórico Municipal Professor Altair José Savassi. Este arquivo traz a documentação do Fórum de Barbacena, cuja comarca foi criada em 1833, desmembrada da Comarca do Rio das Mortes. Lá eu estava com vários colegas, Sheldon, Rosely, Erlaine, Ana Paula e em dado momento conversamos. Foi mencionado que um carcereiro tem salário de 2000 reais. (o prédio da Casa da Cultura fica em frente à Delegacia de Polícia). Diante da minha estranheza Sheldon me disse que era normal o Estado pagar melhor a policiais, carcereiros e juízes do que a professores. Porque isso faz parte do sistema. Os governos nos detestam e nos pagam mal e nos dão péssimas condições de trabalho, porque se um professor tivesse salário que atendesse às suas necessidades e excelentes condições de trabalho nenhuma tirano se sustentaria. E o Professor Sheldon, que leciona História na rede municipal de ensino de Conselheiro Lafaiete nos referiu uma frase de Napoleão Bonaparte: ''NÃO TEMO CEM GENERAIS, MAS TEMO UM PROFESSOR''. É claro que a estratégia do Anastasia é nos pagar mal pois somos tidos como inimigos a ser abatidos. Eu, não sei se vocês sabem, escrevi um livro, História do Município de Senhora dos Remédios. Se dependesse dos Andradas, ele já teria sido queimado em praça pública, pois eu disse ali umas verdades muito incômodas para os delicados olhos (olhos porque leem)àquelas ''excelências''.
    Falei com o Sheldon que ele precisava vir aqui no blog do Euler. Mas eu entendo que lhe falta tempo pois ele está cursando um doutorado na Universidade Federal Fluminense. É um professor inteligentíssimo, consciente e que me disse que professor que conhece Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e toda a legislação a respeito é odiado por essa gente da direita, pois eles não conseguem enganá-lo. Aí lembrei de uma companheira discriminada por ser negra, mas que sabia (e sabe ainda toda a legislação) e que quase sempre punha em dificuldades o pessoal da SRE, sendo temida por eles, que sabiam que não estavam diante de uma professora qualquer, mas de uma profunda conhecedora da legislação. Com ela nunca aconteceu o que já houve com muitos na SRE, de ouvirem alguém lhes dizer ''ah, chegou uma resolução confidencial da Secretaria de Educação alterando tudo, você não tem mais direito às aulas''. E assim, aqueles que não tinham consciência dos próprios direitos saíam, deixando as vagas para os apadrinhados políticos.
    Desculpe-me a prolixidade. Saudações, João Paulo Ferreira de Assis

    ResponderExcluir
  37. Euler,
    estou com medo de nós pagarmos o pato. tenho um sobrinho PM e ele recebeu um informe de um deputado falando sobre os aumentos da PM. Nesse informe fica claro que em 8 anos do governo de aecinho , a categoria recebeu 100% de aumento. E agora no governo de anastasista (4 anos) a categoria tb terá aumento de 100% . Agora pense comigo: nós tivemos o salario congelado em 8 anos e agora se não lutarmos pelo piso teremos esse salario miseravel por mais 4. 10% de aumento para um soldado corresponde a R$200 . Agora 10% para um professor não chega a 100. E adivinha quem vai pagar o evento da copa? qual categoria que vai sofrer para pagar essa conta? não preciso nem dizer. Temos que lutar é pelo piso , não queremos reajustes de 10, 20% parcelados em 50 vezes .

    ResponderExcluir
  38. Euler,
    O governo insiste em dizer para a midia e a opinião pública que já paga o piso, inclusive reafirmou hoje 21 07 2011 - Gostaria de sugerir uma coisa, se é que ela é legal? Quando o STF rejeitou a ADIM dos governadores, junto com a materia do jornal saiu uma declaração relator - Ministro Joaquim Barbosa: - Não me sensibiliza, não me comove nem um pouco, esta história de que o Estado não tem recursos - ele já teve tempo de mais para se adequar, hoje deve existir de 10 a 15 funções no Estado que paga mais do que a Educação. ( O Piso é o salário sem as vantagens) - Euler, você não acha que uma declaração dessa não derruba publicamente qualquer tentativa do governo em desmentir o piso? Você que seria legal o Sind Ute fazer boletins? teria algum problema? - Acho que uma declaração desta da maior alta corte, seria uma boa.
    Abraços,
    Clóvis

    ResponderExcluir
  39. João Paulo Ferreira de Assis22 de julho de 2011 00:04

    Muito obrigado Professor Euler, pelas palavras sobre o meu texto. Quanto ao livro, quando esta situação que vivemos for resolvida(se Deus nos ajudar a nosso favor), colocarei o meu email à disposição para quem quiser adquiri-lo.

    ResponderExcluir
  40. Ojuara (defensor da liberdade e do amor)22 de julho de 2011 00:36

    Caro Euler, sou professora da rede municipal de educação em Montes Claros e sinceramente, não acredito no anúncio de aumento salarial e 14º feito pelo Prefeito Luiz Tadeu Leite(PMDB). Na verdade, esse ainda irá passar pela aprovação da câmara municipal e conhecendo as artimanhas políticas que aqui são empregadas haverá um verdadeiro jogo de empurra. Se sair, só acontecerá no próximo ano para ser usado na campanha para prefeito. Faz-me rir e também chorar.

    ResponderExcluir
  41. Grande Educador Euler, obrigado pela oportunidade.

    Quanto ao anônimo que anuncia a boa vinda de Montes Claros,ou seja, segundo o prefeito haverá o pagamento do piso nacional no município, é realmente uma grande notícia.

    Mas infelizmente aqui em Santa Bárbara, ao contrário do que afirma o governo estadual, na grande mídia, temos vários computadores novos destinados aos alunos e alunas, em escola estadual, guardados em local impróprio há quase dois anos. Enquanto isto alunos e alunos permanecem como analfabetos digitais. Tudo isto por falta de verba para instalação dos equipamentos. São dois anos de espera!!!

    ResponderExcluir
  42. Olá Euler e blogueiros!

    "É melhor morrer de pé que viver ajoelhado" - Emiliano Zapata.

    Os pais precisam entender que o progresso técnico é aproveitado por um pequeno número de atores OMC, OCDE, FMI, BID, etc. Estes orientam e levam ao empobrecimento das massas, cerceando e alijando a sociedade do direito à informação.

    Nesse sentido, a educação é o grande monstro a ser extirpado. Estamos experimentando um dos resquícios indigestos deixado pela DITADURA: supressão e engessamento das Ciências Humanas. Há, pois, convergência para a técnica, molde e produção o que não significa, necessariamente, emancipação ou satisfação no labor.

    Todos de pé! Não acostumemos com a [re] produção vinda da mídia dominante sôfrega por recursos publicitários do Governo, em detrimento do jornalismo investigativo que traz à tona não interpretações, mas os fatos como eles são. Portanto, vamos mexer nos bolsos daqueles que controlam a mídia mineira, entre eles “OS DIÁRIOS ASSOCIADOS” e "ITATIAIA". Cancelem a assinatura e deixem de ouvir!

    ANASTAZISTA, RENATA e GORGOZZOLA! Tenho certeza que visitam esse espaço para acompanhar o movimento e aproveitam para tentar nos desestabilizar. Saibam que a categoria está firme e estamos aguardando para vê-los de joelhos diante da classe. Apesar do tripé – mídia, executivo e judiciário jogando no time de vocês -, cairão um por um. A ampulheta foi posta e se cortar o salário, vai ter que se virar para cumprir o calendário.

    Em tempo: vejo nesse micro blog uma oportunidade que o governo nos deu para troca intelectual. Estou otimista de que surgirão propostas de saraus, encontros, quermesses nos rincões dessas Minas Gerais. Quem sabe um Partido, jornal, rádio ou outras mídias como alternativa e produção de conhecimento. Fica a dica!

    ResponderExcluir
  43. Silvio - Geografia22 de julho de 2011 16:22

    BRAVOS EDUCADORES, de todos os cantos das Gerais, ATENÇAO! Nosso colega David, postou aqui neste blog um link onde a Secretaria de Educação publicou um comunicado aos servidores em:

    https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/1172-secretaria-divulga-comunicado-a-servidores

    Peço especial atenção a este link. LEIAM TODOS e notem que, entre outras informações, o governo já sabia do valor quando da implantação da Lei do Piso, ISSO EM SETEMBRO DE 2008.
    Imagino que esse comunicado, possa valer como documento em mais uma ação contra a não implantação da Lei do Piso e que o governo não cumpre o que promete. Que isso valha para que só voltemos às aulas quando atendidos nossos direitos! Paguem o piso que voltamos!
    Valeu David! Força na luta!!!

    ResponderExcluir
  44. QUERO SABER SE VC PODE ME AJUDAR INFORMANDO SOBRE ALGUMA LEI QUE ME AMPARE, POIS, ESTOU GRAVIDA E NÃO TENHO NEM DIREITO DE IR AO MEDICO E TRAZER A DECLARAÇÃO DE COMPARECIMENTO. TRABALHO COMO ATB EM UMA ESCOLA ESTADUAL. ME INFORME POR FAVOR. QUERO ALGUMA LEI, POIS NO ESTADO SÓ NA LEI.......

    ResponderExcluir