quinta-feira, 30 de junho de 2011

Editor do blog envia carta aos jornalistas da Itatiaia

Contracheque do mês de junho/2011 foi adiado. Por que será?



Caro sr. jornalista Eduardo Costa e aos demais jornalistas e editores da Rádio Itatiaia:


Impressiona-me a falta de ética com a qual vocês estão tratando a questão da greve dos educadores de Minas. Especialmente você, Eduardo Costa, sabe muito bem da realidade de penúria na qual vivem os educadores mineiros. Um professor com curso superior em Minas Gerais (meu caso, por exemplo), com oito anos de Estado, recebe dois salários mínimos. E só. Nem um centavo a mais para custear transporte, moradia, vestimenta, remédios, alimentação, etc.

Vocês tentam fazer parecer que estão sendo democráticos, abrindo espaço para todos. Não é verdade. Vocês se comportam de maneira injusta. Abrem um pequeno espaço para a coordenadora do sindicato falar e depois todo o espaço do mundo para o governo se pronunciar e falar aquilo que não corresponde à nossa realidade. Procurem ouvir mais as pessoas da base da categoria, também. Conheçam a realidade de fato dos educadores e a forma com a qual o governo nos destrata.

Vou dar um exemplo: o governo diz que já paga o piso através do sistema do subsídio. Vocês, como jornalistas, por acaso tiveram interesse em saber o que representou esse tal de subsídio para os educadores? Claro que não, mas posso esclarecer em poucas palavras: a lei do subsídio representou um gigantesco confisco salarial para os educadores mineiros. Incorporou todas as gratificações e vantagens conquistadas ao longo dos anos pelos trabalhadores da Educação ao vencimento básico; reduziu os percentuais de promoção (de 22% para 10%) e progressão (de 3% para 2,5%) na carreira; confiscou o tempo de serviço dos educadores, que foram posicionados no grau inicial da carreira. Quem ingressar hoje no estado, vai receber o mesmo salário de quem está há 10 anos ou mais.

Além disso, caro Eduardo Costa e demais jornalistas de Itatiaia, o subsídio representa o oposto daquilo que decidiu o STF no dia 06 de abril deste ano, quando julgou a ADI 4167, impetrada por cinco governadores contrários à lei do piso. Esta ADI pedia exatamente o que fez o governo de Minas com o subsídio: que o piso fosse considerado remuneração total, ou seja, somatória de vencimento básico com as gratificações. Por ampla maioria, o STF rejeitou essa ADI e considerou a Lei do Piso plenamente constitucional. De acordo com a Lei do Piso, a partir de janeiro de 2010, todos os governos estaduais e municipais deveriam pagar o piso enquanto vencimento básico, e sobre este valor incidiriam as gratificações e vantagens, como quinquênios, biênios, pó de giz, etc.

Repare, caro Eduardo Costa e demais jornalistas da Itatiaia, que durante décadas os educadores e demais servidores de Minas receberam seus salários pelo sistema de vencimento básico (ou inicial) e mais as gratificações. E justamente no momento em que este vencimento básico dos educadores seria um pouco mais valorizado por força da Lei do Piso, o que faz o governo? Pega o vencimento no seu valor mais rebaixado, antes de aplicar o piso, soma com as gratificações e o transforma em parcela única, para fugir da responsabilidade constitucional de pagar o piso. Isso é correto? Vocês gostariam que fizessem isso com vocês?

Reparem que os educadores foram os únicos contemplados com este "presente de grego" por parte do governo. Nenhuma outra carreira do estado de Minas sofreu este confisco, que pelos meus cálculos, baseado em números apresentados pelo próprio governo, representou um corte de quase duas cidades administrativas no bolso dos educadores.

Estamos sem carreira e com salário defasado. E o pior: sem perspectiva de futuro. Ao fazerem vista grossa para esta realidade, os senhores acabam contribuindo com a permanência de uma realidade dramática para os educadores. O segundo ou terceiro estado mais rico da federação paga dois salários mínimos para o professor com curso superior. E mantém o vencimento básico mais baixo do país: R$ 369,00 para o professor com ensino médio. Uma vergonha para Minas. Uma vergonha também para a imprensa mineira, que julga poder esconder essa realidade eternamente.

Pelo menos esta carta, que tomo já a liberdade de publicar em meu blog pessoal, servirá como testemunha de que vocês sabiam da realidade. Espero que mudem a sua postura e passem a tratar a questão da nossa greve e da Educação pública com mais respeito. Não gostamos de fazer greves, passeatas, ocupações, etc. Mas, se não fizermos isso, daqui a pouco a carreira dos educadores acaba e no lugar de escolas, o governo terá mesmo é que construir mais cadeias!

Finalmente, caro Eduardo Costa e demais jornalistas da Itatiaia, talvez os senhores não saibam, mas a Lei do Piso (11.738/2008), no seu artigo 4º, diz que o governo que provar que não tem dinheiro em caixa para pagar o piso, poderá solicitar a complementação ao governo federal. Eu lhes pergunto: por que o governo do estado não faz isso? Porque não consegue provar que não pode pagar o piso. E com isso quer nos empurrar uma solução que é muito boa para o governo - sobra mais dinheiro para as obras faraônicas -, mas não é boa para os trabalhadores da Educação. Estamos cobrando o que é lei federal: o nosso piso salarial.

Com os cumprimentos de quem, até então, nutria respeito e admiração pelo trabalho desenvolvido por você, Eduardo Costa, e pelos colegas seus, despeço-me.

Atenciosamente,

Euler Conrado - Professor da rede pública de Minas. Vespasiano - MG.

Blog do Euler: http://blogdoeulerconrado.blogspot.com/

***
"Anônimo:

Euler, gostaria de parabenizá-lo pelos textos que, de uma maneira clara, descreve a situação calamitosa na qual se encontram os educadores de Minas Gerais. Também sou professora e, acredite, em uma situação ainda mais alarmante, já que a instituição na qual trabalho não é vinculada à Secretaria da Educação. Enquanto os educadores vinculados à SEE pelo menos podem vislumbrar uma possibilidade de aumento, eu e meus companheiros não temos a mesma esperança. De qualquer maneira, torço para que o Sr. Governador reflita sobre os rumos que a educação mineira poderá tomar caso a carreira de professor continue nessa trajetória rumo ao abismo. Torço também para que os pais reconheçam que esta luta também é deles."


"S.O.S. Educação Pública:

Caro Euler

Parabéns pela iniciativa. Não se pode calar diante da injustiça. Os meios de comunicação pertencem ao povo, não podem ficar à serviço dos poderosos manipulando e oprimindo a população.

Recomendo a vocês que façam um twitaço, repudiando a atitude dessa emissora.

Força e sorte para a greve de vocês. Nós aqui no Estado do Rio continuamos firmes na luta.

Grande abraço

Graça Aguiar"


"Rita:

Caro Euler,
Perfeita sua carta. Também eu e uma dúzia de incorformados com a entrevista escrevemos ao jornalista colocando esta mesma situação.

E, é claro, ele, utilizando-se do meio amplo que tem, tentou se desculpar. Entretanto, sabemos que são meras desculpas.
Gostaria de sugerir que essa carta fosse endereçada a outros jornalistas, a revistas fora de Minas, a quem puder nos ouvir.
Você conseguiu escrever exatamente a nossa angústia de maneira coerente e sincera, pois que é a sua também.
Novamente, envie a quem puder ler, a outras rádios, tvs. Alguém haverá de nos escutar.

Um abraço e continue firme , pois nós, professores estamos do mesmo lado, lutando por nossa valorização."


"Anônimo:

CARÍSSIMO PROFESSOR EULER...VOCÊ NÃO IMAGINA COM QUE ALEGRIA EU LEIO SEUS POSTS AQUI...VOCÊ NÃO IMAGINA A SEGURANÇA QUE VOCÊ ME INSPIRA E ACREDITO QUE O FAZ A OUTROS TAMBÉM...UM SER HUMANO SIMPLES, CAPAZ...HUMILDE...EDUCADO...
FRANCO...INTELIGENTEPERSPICAZ...E MAIS E MAIS...
VOCÊ TEM UM GRANDE PODER...O DE DEIXAR PESSOAS TRANQUILAS...SABEDORAS E CONVICTAS DO SEUS IDEAIS...SEJAM QUAIS FOREM...VOCÊ ESTÁ NO LUGAR ERRADO...SIM TOTALMENTE ERRADO...O SEU LUGAR É JUNTO AO COMANDO DE GREVE DO SINDUTE...E NÃO SOMENTE NESTE ESPAÇO...SUA CONFIANÇA, MATURIDADE E CORAGEM MAS COM SABEDORIA PODE FAZER MUITA DIFERENÇA.BEATRIZ CERQUEIRA ESTÁ DEIXANDO ISSO PASSAR...BEM...VAMOS AO INTERESSANTE...MUITO INTERESSANTE MESMO ESTA CARTA...ACHO QUE DESSA MANEIRA AS COISAS VÃO SE CLAREANDO E PODERÁ TRAZER MUITOS BENEFÍCIOS A TODOS NÓS...SOU MUITO OTIMISTA...É MINHA CARACTERÍSTICA PESSOAL...E PENSO ESTARMOS MUITO PRÓXIMO DE UM BELO DESFECHO DESTA CATASTRÓFICA SITUAÇÃO.CONTINUE..CONTINUE COM ESTE DOM DE ESCREVER...MAS ACHO ...CONTINUO ACHANDO QUE SEU LUGAR PODERIA SER EM OUTRO PATAMAR....
DEUS LHE ILUMINE COMBATENTE COLEGA"


"Eduardo BH:

Euler com todo respeito a você e os nossos colegas, estou cansado de blá, blá, blá vamos nos acampar na porta das Rádios, Televisões, Jornais. Já passou da hora de tomarmos uma atitude e denunciarmos o nosso Governador, e seus apadrinhados.

Greve forte é greve atuante com destaque, não é a quantidade de dias parados que vai fazer com que o nosso movimento se torne vencedor.

Quando vamos ter ações de mais impacto ? Cadê SIND UTE ?

Vamos sair da toca, quantos mais dias se passarem a tendência do movimento é perder força.

O nosso sindicato pode muito bem oferecer toda a logística para acamparmos por toda a cidade, com cartazes ESCLARECEDORES QUANTO AO CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO."


"luisinho34:

Caro Euler,

Já havia enviado um e-mail para o citado jornalista, em resposta à famigerada entrevista dada pela secretária da educação, e é claro, não obtive qualquer resposta, o mesmo era um resumo sobre os assuntos que você detalhou de maneira bem oportuna. Considero importante nós pegarmos este textos e espalharmos pela net à fora, para que as máscaras deste governo e do seu "digníssimo" antecessor caiam de vez!!
Só para vc e caros amigos de profissão terem uma idéia, me formei em Goiânia e uma colega de turma que havia uns 10 anos que não tinha contato, lamentando, como ocorre aqui, as péssimas condições salarias e de trabalho, me disse que aqui deveria estar melhor, já que o antigo e o novo governador estavam fazendo um excelente governo. Perguntei na hora, de onde ela havia tirado aquela informação? Ela me disse que das propagandas que chegavam lá, inclusive em outdoors. E em alguns "programas" de entrevistas e reportagens de "algumas revistas". Depois de um breve relato explicando para ela o que REALMENTE ocorria aqui, inclusive com a conivência da imprensa em troca de verba publicitária, altíssima diga-se de passagem, aprovadas pelos "ilustres" deputados da situação. Ela se surpreendeu e só vez um comentário: Eles conseguem manipular os fatos de modo a parecer que vocês vivem num paraíso aí, que ABSURDO!

Disse para ela que estávamos utilizando a net para tentar derrubar a máscara do famoso: "choque de gestão". Este papo foi em Janeiro , e desde então envio tudo para ela e demais amigos.

FORÇA GALERA!!! VAMOS COMEÇAR O RESGATE DA NOSSA PROFISSÃO, E O INÍCIO PASSA PELO PISO (POUCO AINDA, MAS UM AVANÇO SE COMPARADO AO QUE RECEBEMOS DESTE GOVERNO!!)."
.

"Waender:

Caro Euler já viu a reportagem da ALMG?

http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_849601.asp

Publiquei no blog da subsede Governador Valadares.

http://sind-utegovernadorvaladares.blogspot.com/2011/06/proposta-concreta-ja-esta-em-estudo.html?showComment=1309448168502#c4695209655723977210

Proposta concreta já está em estudo pelo executivo.

"Vamos manter em greve! Queremos o Piso Salarial! O piso é Lei!"

Presidente da ALMG recebe servidores da educação e da saúde

Representantes dos servidores estaduais das áreas da educação, saúde e previdência solicitaram, nesta quarta-feira (29/6/11), a intervenção do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), na negociação de reivindicações sindicais com o Poder Executivo.

De acordo com os representantes das duas categorias, o Governo do Estado vem resistindo a abrir negociações efetivas. Dinis Pinheiro disse que os presidentes das Comissões de Educação, Ciência e Tecnologia, deputado Bosco (PTdoB); e da Saúde, deputado Carlos Mosconi (PSDB); já estão conversando com representantes do Executivo tanto sobre o andamento das negociações quanto sobre propostas efetivas.

O presidente da ALMG garantiu que somará esforços pessoais para que se estabeleça o mais pleno diálogo entre servidores e o Governo. "Tenho o dever de dar minha contribuição para que o diálogo seja permanente. A greve não é boa para ninguém", afirmou Dinis Pinheiro. Ele ressalvou, no entanto, que só poderia atuar dentro de seus limites, uma vez que não cabe ao Poder Legislativo autorizar o atendimento de qualquer reinvindicação.

Educação - Com relação aos servidores da educação, que estão em greve desde o dia 8 de junho, o deputado Bosco informou aos servidores que uma proposta concreta já está em estudo pelo Executivo e que será submetida à aprovação do governador Antonio Anastasia nesta sexta-feira, quando ele retorna de viagem.

O estudo, segundo ele, foi feito pelas Secretarias de Estado de Educação e de Planejamento e Gestão. Os detalhes da proposta não foram revelados pelo Executivo. A partir do exame feito pelo governador, na sexta, seria marcada uma reunião com os servidores.

Reivindicações - De acordo com a coordenadora do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação (Sindi-UTE), Beatriz Cerqueira, a principal reivindicação da categoria é o reajuste do vencimento básico dos servidores do setor. Eles questionam a adoção do subsídio único como forma de remuneração dos servidores. "Não vamos começar o segundo semestre sem a negociação de um piso salarial. Há uma lei federal que diz que piso é vencimento básico inicial de carreira", afirmou Beatriz. Ela se queixou que a Secretaria de Educação só admitiu negociação se a greve fosse encerrada.

A presidente do Sindicato dos Servidores do Ipsemg (Sisipsemg), Antonieta de Cássia, disse que os servidores do órgão ainda nem foram reposicionados no plano de carreira aprovado na Assembleia. Eles estão em greve desde o dia 27. "Tínhamos 8 mil funcionários, hoje são 4 mil", afirmou.

O dirigente do Sindisaúde, Renato Barros, informou que trabalhadores da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) e da Fundação Ezequiel Dias (Funed) já estão em greve e que a Fundação Hemominas e a Unimontes estão para paralisar suas atividades.

Trabalhadores da educação e saúde também apresentaram queixas específicas com relação à falta de condições de trabalho. Diretora do Sindisaúde, Neusa Freitas disse que servidores e pacientes do Hospital Júlia Kubitschek sofrem desde 2007 com comida contaminada, que seria fornecida pela empresa contratada pelo Estado. A servente Maria Helena Duarte se queixou das inundações que atingem a Escola Estadual Dr. Arthur Bernardes, em Sete Lagoas; e o professor Welshman afirmou que a Escola Estadual do povoado de Lagoa de Baixo, em Rubelita, não conta nem mesmo com água potável.conosco neste sonho possível. O Piso é Lei!"
.

"José Alfredo Junqueira - Leopoldina:

Caro Euler,venho compartilhar da minha indignação, decepção com a Rádio Itatiaia, outrora um baluarte das informações sem censura. Mas a notícia boa, é que finalmente aqui em Leopoldina, a grande escola, o Ginásio Leopoldinense amanhã vai ter que parar. Só 3 ou 4 professores gatos pingados (comprados?) vão comparecer na escola. Creio que após o grande movimento da última assembléia o desgoverno vai apresentar alguma proposta razoável, para chegarmos há algum acordo. Força para todos combatentes corajosos."

"Lourdes:

Valeu nobre Professor...
Força e garra!
Estou do seu lado."
.

"Anônimo:

Euler, não encontro palavras para parabenizá-lo pela carta enviada à Rádio Itatiaia. Já falei em seu blog que você é o "cara" é o nota 10. Falou tudo que precisava ser dito de maneira clara a essa imprensa mineira desqualificada, inoperante, que nunca amparou os professores nos momentos mais difíceis como agora. Os jornalistas mineiros estavam precisando de um choque de 220 volts para acordarem do berço esplêndido. Fez você muito bem, todo magistério lhe renderá homenagens por esta iniciativa tão nobre. Que Deus lhe dê saúde e forças para continuar sua luta em favor de toda classe. Obrigado pelo espaço, abraço a você e todos colegas professores"
.

"ABC:

Euler, enquanto pensava em escrever uma carta, você a fez e a enviou. Faço das suas, as minhas palavras. Assino também. O educador mineiro não pode ser tratado com descaso por aqueles que babam no governo e depois, no dia 21 de abril, ganham medalhas da Inconfidência. Se a Itatiaia, a rádio mais ouvida em Minas tem que se calar, não sei a qual preço, nós precisamos fazer mais barulho, não acha? Anastasia não é político, mas quem o colocou lá é, precisa de votos e nós podemos, temos que mudar esta realidade. Ano que vem tem eleição. Não podemos mais nos calar. Força e até a conquista do piso salarial nacional. ABC "

"Anônimo:

Euler
Já falei em outros momentos sobre a imprensa mineira no seu blog, e está carta reforça o meu pensamento e o de milhares de pessoas.
Vivemos a mercê de um jornalismo medíocre que não merece a credibilidade do povo mineiro."


"Anônimo:

Bravo, Euler.Você é nota mil. Sua carta endereçada aos jornalistas da Itatiaia foi objetiva ,coesa, expressando de forma clara toda a situação da nossa classe e esclarecendo o jogo sujo do governo com a categoria. Não vamos desanimar, jamais; enquanto não conquistarmos o piso salarial, que é nosso direito legal, não retornaremos ao trabalho. E você, Euler, continue com essa força, esse entusiasmo, levantando a bandeira em defesa dos nossos direitos. Esse é um dom que Deus lhe deu, exercite-o, pois a cada dia Ele o abençoará e multiplicará esses dons. Boas Sorte!".

"Geane - Teófilo Otoni:

Amigos,
Boa noite.
Essa carta do Euler ficou realmente incrível.
Seria interessante torná-la pública. Gostei muito da postagem do colega acima, que propôs o acampamento em frente as estações de rádio e TV. Faz muito sentido. Tempos atrás, como as informações andavam a passos de tartarugas e não havia tanta inovação nos meios de comunicação, guerreiros se propunham a fazer greve de fome em nome da causa. Hoje, podemos nos fazer notícias com mais dignidade e com a mesma intensidade.

O que lamento, é que radialistas como esse Eduardo Costa, tem muitos por ai, mas a teoria deles se fortalecem, pela inércia de grande parte dos nossos colegas educadores, que enquanto tentamos mostrar a toda sociedade o porque da nossa luta, eles estão satisfeitos no seu trabalho. Ou pelo menos fingem. O que é pior.

Acho que não estamos pedindo nada de mais, além do que, cada um faça a sua parte.

Fazer sua parte pela dignidade da profissão, fazer sua parte pela dignidade da sua família, fazer sua parte pela dignidade da Educação e fazer sua parte pela dignidade dos seus próprios educandos. Que educadores são esses, que não tem compromisso com a Educação? Que cidadãos irão formar?

Que qualidade de vida pretendem ter e dar as suas familias?
Tomara que eles tenham conhecimento dessa carta, e se sintam cada um, um Eduardo Costa da vida. Mas que mudem de postura.

Beijo grande a todos e que Deus nos dê muita força para levar essa greve até a nossa vitória."


"Anônimo:

Euler,
Acabo de ler no site do luiz nassif online a resposta do governo de MINAS sobre salários dos professores enviado pela Renata vilhena. Sinal que estamos começando a incomodar. Acho que devemos entrar no site e comentar.
Parabéns pelos artigos."


"Anônimo:

Euler, acreditar nessa mídia popularesca de BH é o mesmo que acreditar na honestidade de Renan Calheiros, Sarney, Maluf e etc. E o pior hj todos aliados do PT. PT que aliás é o partido de nossa direção. O que essa mídia gosta de pessoas do nível deles: exemplo, Bruno , Aécio, Anastasia, Mario de Assis e outros mais. Mas parabéns pela carta."

"Anônimo:

EULER, CADÊ A CNTE DIANTE DESSA FALTA DE VERGONHA DESSES GOVERNADORES QUE NÃO CUMPREM A LEI?

NÃO DEVERIAM ESTAR A FRENTE DESSE MOVIMENTO E NA MÍDIA DENUNCIANDO ESSE ABSURDO COM A EDUCAÇÃO DO BRASIL?
OLHA NÃO ENTENDO."


"Solange:

Euler, você é grande... no caráter, no coração, na sinceridade, na garra... se eu disser que me admiro com os seus posts, estarei mentindo, pois bem sei da sua capacidade. Graças a Deus que um dia eu achei este Blog.

Tenho certeza de que a batalha continuará, mas, a "Guerra do Piso" certamente será vencida pela categoria que,pelo que tenho observado vem se unindo a cada dia. Meu fraterno abraço, Solange."


"Anônimo:

CARO, EULER!
PARABÉÉÉÉÉNNNNNNSSSSSS! SEUS TEXTOS SÃO PERFEITOS! VEJA O MAIL ENVIADO PARA AS ESCOLAS PELO DEPUTADO BOSCO:

"Belo Horizonte, 30 de junho de 2011

Prezadas (os) diretoras (es),

Na condição de presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa, comunico-lhes que o governador Antônio Anastasia, após se reunir com as secretárias Lúcia Gazzola e Renata Vilhena, titulares das pastas de Educação e Planejamento, anunciará medidas que beneficiam aos servidores do ensino.

Estas medidas, que atenderão a reivindicações dos trabalhadores do setor educacional, são resultado do trabalho conjunto entre a Comissão de Educação e o Grupo criado na audiência pública do dia 6 de abril (grupo composto por representantes servidores e das Secretarias de Educação e Planejamento), contou com a sensibilidade do governo do Estado de Minas Gerais.

Durante negociações mantive contato permanente com a secretária da Educação e a assessoria da Secretaria de Planejamento. O compromisso assumido pelo governo, após a realização de estudos sobre o impacto financeiro, certamente atenderá, em grande parte as reivindicações do setor da educação.

Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria.

Dentre as medidas a serem anunciadas, serão contemplados: diretores, seus vices e secretários das Escolas Estaduais. Também os professores da rede estadual de ensino terão grandes avanços nas medidas a serem anunciadas, com a apresentação de propostas que asseguram substancial melhoria no sistema remuneratório da educação em Minas Gerais.

Reafirmo meu compromisso de estar atento as reivindicações dos trabalhadores da educação e manter permanente contato para repasse de todas as informações pertinentes a categoria.

Cordialmente,

Deputado Bosco
Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia

Assembleia Legislativa de Minas Gerais"
SERÁ?! QUANDO?! ABRAÇO"

"Anônimo:

EULER, PARABÉNS, PARABÉNS E PARABÉNS! É TUDO QUE POSSO TE DIZER NESSE MOMENTO,VOCÊ DISSE TUDO QUE PRECISAVA SER DITO A ESSE JORNALISTA COMPRADO PELO GOVERNO, SE ELE QUER REALMENTE TRABALHAR NESTA PROFISSÃO QUE TENHA AO MENOS A DIGNIDADE DE SER HONESTO. FIQUE ELE SABENDO QUE NINGUÉM SOBE NA VIDA SE VENDENDO DESSA FORMA SUJA E DESONESTA, ELE MOSTROU QUE FOI BEM PAGO PARA NÃO TRANSMITIR A FALA DOS EDUCADORES, SENDO ASSIM DEVERIA SE CALAR DIANTE DO MEIO DE COMUNICAÇÃO A QUE MANTÉM VÍNCULO. UM ABRAÇO E OBRIGADO PELO ESPAÇO DISPONÍVEL."

No jornal O Tempo de hoje, dia 30, um bom artigo, escrito pelo professor Daniel de Souza B. M. Braga. Para ler o texto clique aqui.

"Katia - Ipatinga:

Euler,
também já mandei cartinha, email, comentários pra todos os jornais, radios, tvs, blogs que falam de nós ou que não falam (rsrsrs), explicando tudo direitinho. A gente fica assim, meio sem ter o que fazer e começa a perturbar, né? (rsrsrs) Mas quando leio os seus posts fico pensando: pôxa, era isso que eu queria ter escrito. Vc é mesmo ilunimado! Fala o que queríamos ouvir! É um dom de Deus. São as suas palavras que dão força a todos para a luta, empolgam, estimulam e nos mantém fortes. Para Obama, Lula era "O Cara". Pra nós " O Cara" é vc. Deus te abençoe.
Katia - Ipatinga."
.

"Márcia Guedes:

"Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria."

Alguém poderia responder o que seria essa classificação de escolas e impossibilidade de dois cargos??"

"Anônimo:

Foi publicada no jornal o tempo uma carta muito interessanta de um professor da rede pública. Vale a pena ler."


"Paula:

Oi pessoal, vendo este email enviado pelo deputado Bosco tive um arrepio estranho e estou imaginando o que vem por aí. Espero que ninguém caia em mais uma armadilha do governo. No email ele mesmo fala que vai atender "quase" tudo que a categoria está pedindo. Mas tenho certeza que o piso não. Senhor deputado, espero que saiba que não somos otários e que não vamos cair em qualquer história do governo. Afinal, ele não cumpriu o acordo assinado em 2010. Mas de qualquer jeito, vamos aguardar. Um abraço para todos. Paula."

"Clayton Coelho:

Caro colega Euler,

Excelente carta, direta e sem curva. Você tem uma capacidade de síntese muito boa.

Temos que enviar e-mail cobrando uma posição do TJMG, OAB, MEC, entre outras, pois essas instituições devem assumir uma postura isenta, ética e democrática sobre os absurdos que estão ocorrendo com a Educação em Minas."


"Beatriz:

Olá Euler e demais colegas,
lendo o texto do deputado Bosco fiquei curiosa para saber o que vem por aí. Fui ao portal da educação na página de consulta ao contra-cheque e fui surpreendida com a informação:"Contra-cheque liberado a partir do dia 7." Deduzi: alguma coisa o governo está tramando, meu marido que também é professor olhou o dele e já apareceu a informação: "Contra-cheque liberado no 1º dia útil". Concluí que seria por causa da opção pela carreira antiga. Eu optei, ele ainda não. Liguei para outros colegas e comprovei. Quem optou pela carreira antiga não poderá consultar o contra-cheque amanhã, 1º dia útil. Gostaria que postassem a respeito disso. Alguém tem alguma informação?
Obrigada,

Beatriz."


"Alexandre Campos:

Boa Noite,
Colega Beatriz é verdade acabei de verificar meu contracheque e também obtive a informação:

Erro: 008 - EXCEPCIONALMENTE NESTE MES, SEU CONTRACHEQUE SERA LIBERADO A PARTIR DO DIA 07.

Como também já fiz a opção pela remuneração antiga, será que vem bomba por aí?

Euler mais uma vez parabéns pelo belo texto.
Agora o que será, que o governo pretende, com a liberação do contracheque só a partir do dia 07?

Eu já havia programado até alguns questionamentos sobre meu pagamento, quando fosse olhar amanhã, se pagarem com o subsídio o que devo fazer, reclamar com a SRE ou acionar mais uma vez o Ministério Público, pois meu pagamento estaria errado, neste mês tenho que receber no antigo sistema remuneratório e como o Estado diz "que paga o piso", como outros que cacarejam por aí. Devo receber o piso nacional, será?????

Na verdade o tempo passa e nós ficamos a mercê deste calhordas, políticos sem nenhum pingo de respeito pela classe dos professores.

Força a todos que lutam pelos seus direitos e sabem que não devemos nada a este governo(mísero).
Abraços"


"Anônimo:

Caro Euler,
já leu a matéria publicada no HOJE em dia? Greve se arrasta há 22 dias e atormenta pais e alunos.
Movimento está desarticulado, mas exige que famílias façam malabarismos para se adequar à mudança na rotina"


"Anônimo:

Márcia Guedes, acredito que o Deputado Bosco fez referência à situação do diretor de escola, porque classificou-se o diretor pelo número de alunos da escola e não por nível de escolaridade. Outra referência que percebi foi a situação de dedicação exclusiva do diretor , o que o impede de exercer dois cargos, como poderia se fosse professor.

Agora, Euler, me veio uma dúvida ao acessar o site do STF (http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2645108) duas datas sem ordem cronológica; após 30/05, lista 29/10/2008. Significa alguma coisa?"


"Alexandre Campos:

Euler acabo de ler essa inforamção no Blog da Beatriz Cerqueira e gostaria de também postar aqui.
Publicação do Acórdão pelo STF
Um argumento utilizado pelo Governo do Estado para não discutir o pagamento do Piso Salarial é a ausência da publicação do Acórdão com o resultado da votação da Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.167 que questionou a Lei do Piso Salarial. Sabemos que não seria preciso esta publicação para que o Estado iniciasse a negociação sobre o Piso Salarial em Minas. O Governo já mudou de estratégia e agora afirma que paga o Piso porque paga o subsídio. Mas avaliamos em vários espaços de discussão que a publicação do Acórdão é mais um elemento a favor do nosso movimento. Por isso, paralelo a greve, a direção do sindicato iniciou um processo de acompanhamento e pressão junto ao STF pela publicação do Acórdão.
Com a ajuda do Gabinete do Deputado Federal Padre João, conseguimos o agendamento de várias reuniões com os gabinetes dos Ministros do STF. Iniciamos pelo Gabinete do Ministro Joaquim Barbosa, que foi o relator da Ação. Depois fomos dialogando e reunindo com os gabinetes dos Ministros que ainda não tinham enviado seu voto (Ministros Gilmar Mendes, Ayres Brito, Carmen Lúcia e Celso de Melo). No final da tarde desta quinta-feira, dia 30/06, reuni com o Gabinete do Ministro Gilmar Mendes, em Brasília. Era o voto que faltava. Após a reunião, conseguimos o compromisso de que o voto do Ministro será liberado ainda hoje. O Deputado Federal Padre João também participou desta reunião (foi com a ajuda do gabinete dele que conseguimos o agendamento dela).
Com isso todos os votos foram liberados para publicação do Acórdão."


No blog do conceituado jornalista Luis Nassif, o Governo de Minas mais uma vez tenta explicar o inexplicável: que já paga o piso através do anti-piso, o subsídio. Leiam o texto e os comentários, clicando aqui.


"Anônimo:

Boa noite,
eu também acabo de entrar no site portal do servidor para consulta ao contracheque,e lá está a seguinte mensagem:
seu contracheque será liberado a partir do dia 07.Tambem já fiz a minha opção pela remuneração antiga, o que será que vem por aí?!
Euler parabéns por tudo que publica por aqui, realmente é o que nos mantem informado de tudo!
sou fã deste blog!"
.

"Anônimo:

Acabo de ver no Portal do Servidor que o Contra cheque eletrônico só será liberado a partir do dia 07."

Comentário do Blog: o meu contracheque também não foi liberado. Dizem que será liberado a partir do dia 07. Muito estranho isso. Deveriam pelo menos avisar o motivo desse atraso. Uma coisa é certa: se governo pretende pagar nossos salários de acordo com o antigo regime remuneratório sem aplicar o piso (ou seja, apenas voltando ao salário de dezembro de 2010), ele cometerá duas ilegalidades: 1) por reduzir a remuneração dos servidores, e 2) por não aplicar o piso ao vencimento básico. Seguramente isso provocará o fortalecimento da nossa greve. Agora, se o governo tem uma carta na manga com o tal estudo que o deputado diz estar em andamento, é bom que este estudo atenda plenamente os termos da Lei do Piso. Aliás, nem precisaria de estudos: basta cumprir a lei. Vamos aguardar, e enquanto isso fortalecer a nossa greve, pois este é o caminho da nossa vitória.

"Paulo:

Eu voltei para a carreira antiga no dia 2 de maio. Retirei meu contracheque na unidade da seplag, aqui da minha cidade, e não ocorreu nenhuma alteração no salário, exceto os cortes das paralisações feitas no mês de maio."
.

"João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Tenho uma ideia de proposta de emenda constitucional para dar ao Congresso Nacional a competência para promover comissões parlamentares de inquérito quando houver corrupção de governadores, desvio de verbas do FUNDEB, e não pagamento do PSPN, isto, mediante a rejeição por uma vez, pela Assembleia Legislativa, do pedido de CPI. Bastaria como comprovante a certidão da ata correspondente.

Pensei nisso em consideração aos colegas de Santa Catarina, pois lá, já está comprovado que o governo comprou os juízes, desembargadores e promotores com a verba do FUNDEB. Não sei se é o caso de Minas. Espero que não.

Uma vez investigado e confirmada a realização do crime, o Congresso Nacional poderia declarar o impeachment do governador por decreto legislativo."
.

"Anônimo:

Acredito que o fato de o contracheque não ter sido liberado não está relacionado ao retorno para a antiga remuneração, mas ao fato de não querer influenciar na decisão de continuar em greve com corte ou sem corte, ou de novas adesões, pois a assembleia será dia 06/07, um dia antes da liberação. Tem gente dizendo até que receberemos o prêmio por produtividade, nosso "presentinho de grego". Rrsrs"
.

"Anônimo:

Pessoal, depois de vária tentativas, consegui consultar meu contra cheque. Continua como subsídio e foi feito o desconto de falta greve relativo as paralisações de maio.

Muito me preocupou a carta do deputado Bosco quando ele fala em melhoria no sistema "remuneratório" da educação em Minas Gerais. Ele não fala em piso, será que o estudo (quer vai virar pós doutorado, rsrsrs) está vinculado a remuneração por subsidio?
Reafirmo meu compromisso."
.

"Marcel:

Acredito que o sistema do portal do servidor tenha entrado em colapso devido às consultas realizadas do estado inteiro. À meia-noite, consegui consultar o contra-cheque de junho normalmente, tendo vindo o pagamento como subsídio igual nos meses anteriores."
.

"Paula:

Pessoal, vcs acham que a proposta do governador vai ser pelo piso? Ele deve fazer alteração no subsídio e tentar convencer quem está na corda bamba. Ele deve achar que está lidando com pessoas ignorantes. Sem o piso a gente não volta. Queremos o piso e pronto acabou. Paula."


"Ivanete:

Euler, entrei no portal do servidor, e vi que lá ja aparece meus 2 cargos na carreira antiga, como PEB4B. Acho que o pagamento neste caso deverá ser também pelos valores da carreira anterior. Mas como só será possível ver dia 07, o jeito é esperar."


"Anônimo:

Também estou na luta pelo direito dos designados e novos concursados para receberem o provento pelo antigo sistema. Já xinguei até aqui hoje... Na realidade, todo mês é a mesma coisa: sempre fazendo milagre com o salário. E na minha escola, ninguém está em greve! Todas esperando aposentadoria! Contando os dias para as férias. Temos que implorar para ir na Assembleia. Estou muito triste... "


"Paula:

Pessoal, tenho novidades. Acabei de ver o meu contracheque e está no piso novamente. O valor do piso é de 617,90 (Pós-graduação). Está difícil de entender porque teve o desconto de falta greve de 633,43. Então não sei o valor real. Mas o piso está abaixo da lei e comigo o governador está fora da lei. Posso divulgar o meu contracheque, pois não recebo o piso. Outra coisa que está errado é o meu símbolo. Em dezembro era EEB2B e no subsídio era EEB2A. Permanece no contra cheque EEB2A. E agora, o que o governo quer? Vamos esperar. Um abraço, Paula."

"Paula:

Pessoal, mil perdões, mas fui olhar o meu contracheque de novo porque tava todo mundo da escola me ligando para saber porque só o meu estava no piso e acho que digitei errado. Coloquei 2010. No meu está escrito igual ao de todos: disponível só dia 07. Desculpe a minha falha. Acho que é pressão demais. Um abraço para todos, Paula."

"ABC:

Euler, bom-dia! Quem não voltou para o salário antigo, ficou no suicídio, parece que está conseguindo ver o contracheque. Esta é mais uma artimanha do governo para coagir a categoria. Firmes até a conquista do piso salarial nacional estabelecido em lei. ABC".

"Petrônio /Contagem:

Bom dia!!!!

Essa confusão da questão dos efetivados esta deixando claro que o desgoverno tucano conseguiu aquilo que queria dividir a categoria em 3: "com direitos" Mas sem carreira (efetivos), os com direitos incostitucionais (efetivados) e os sem direito algum (designados). Por isso pessoal vamos cair na real e refletir que no fundo estamos no mesmo barco e se continuarmos com essa papo besta, a deriva.

Petrônio /Contagem - Em greve até o piso.
Viva a greve".


"Anônimo:

Euler ,
Bom Dia!
Leia o caderno -Educação do jornal Hoje em Dia de hoje. Acabei de passar e-mail para você.
É lamentável !!! Que Secretária de Educação, Minas tem!!! Falta com a ética colocando em situação irresponsável os Diretores das SREs - 2010, a sua própria antecessora - a Secretária Wanessa. Muito feia a postura de Gazzola!!!!!!!!!!!!!!!"
.

"Anônimo:

Anast...AZIA
O mesmo cavalinho turbinado que derrubou Aecim, Já está na sua porta, cuidado pois pode cair por cima do pescoço.
Ass: Mãe Dinás ... Tasia"
.

"Lau:

Eu consegui acessar o contracheque por volta de 10 horas da manha, o meu apareceu e descontou paralisação. Acho bom que tenha descontado, eu não estava querendo ir pagar esses dias mesmo rsrsrs, agora que não vou de jeito nenhum"
.


"Subsede do Sind-UTE de Itajubá convoca:

Pedimos a presença de todos na manifestação!

Data: 01/07/2011 – hoje
Horário: 17 h
Local: UNIFEI
3.º Congresso Internacional da Educação de Itajubá"
.

"Isabel Assumpção - Manhuaçu:

Combativos colegas,
agora a coisa está começando a andar a nosso favor. Este corte dos dias paralisados vai nos dar mais força para não voltarmos sem o recebimento do piso. Quero ver como o desgoverno vai contratar alguém para esta reposição. Chego mesmo a vibrar por saber que estou ajudando a escrever um capítulo tão importante da história da educação deste país que tanto amamos. FORÇA NA LUTA, UNIÃO E RUMO À VITÓRIA!!!"


"Dinha:

Euler ,
Boa tarde!
Entrei no portal do servidor, nos dados funcionais tem histórico funcional ja consta a minha opçao de retorno para VB isto é bom ,o meu contracheque esta bloqueado, a união vaz a força greve ate ganhar o piso."


Comentário do Blog: de fato, no quadro "dados funcionais" do Portal do servidor, que acabo de consultar, já estou posicionado no antigo regime remuneratório: PEB 3 B (embora já deveria ser C, mas tudo bem, por enquanto). Agora espero que o governo pague o piso neste sistema, senão continuará na ilegalidade. Pelo visto, a nossa greve já começa a surtir efeitos... Sem piso, não voltamos. E se cortar os dias parados, não tem reposição. O governo precisa aprender a nos respeitar!


Abraços do Blog: aos combativos colegas de Citrolândia, MG, especialmente para as colegas Paula Soraia e Tânia Regina, que, de acordo com a também combativa colega Fatinha, acompanham diariamente o nosso blog. "Adoramos você", disse a educadora Fatinha na manifestação que aconteceu na ALMG. Também adoro vocês! Um forte abraço a todos/todas e unidade e força na luta! Até a vitória!

"Anônimo:

Caro Euler,
Estou preocupada com os rumos da nossa greve.
Acho que está muito parado.

Temos que fazer atividades de maior impacto mas parece que a diretoria estadual não percebe isto. Vamos tentar organizar alguma ação, mesmo que não seja organizada pela direção estadual. Verifique esta possibilidade, que seja organizada por subsedes que também querem mais ação.
Contamos com você nesta.
Abraços."


"Anônimo:

Caros colegas de luta.
Entrei para verificar meus dados funcionais e pude constatar que já voltei para a carreira antiga.Acho que o mesmo deve ter acontecidos com meus colegas que já fizeram opção.Esperemos pelo dia sete. Penso eu que é mais uma jogada do governo tentando amedrontar quem já fez a opção voltar para o subsídio. Deixe ele pensar que somos bobos. A vitória será nossa.
Abraços."


"Bira Bio:

Acredito que o governo tenha adiado para dar tempo de voltar o pessoal para carreira antiga e assim pagar menos que o subsídio para pressionar e iludir os professores quanto ao destino tenebroso que os aguardam, caso voltem para a carreira antiga.
Ou ainda, está fazendo isto para tentar cortar dias de greve ou paralisações que não tenha cortado, ferindo o direito constitucional de greve.
Finalmente, com certeza, coisa boa, não é."


"Sandra, Uberlândia:

Euler, postei esta mensagem no blog da Beatriz, mas como ela já censurou 3 mensagens minhas, acredito que não vai publicar mais esta.

Beatriz,
Acho inadmissível que você poste no seu blog informações sobre o movimento antes de serem divulgadas no site do nosso sindicato. Isso é promoção pessoal. Se o site do Sindicato está com problemas de agilidade, a solução apresentada pela diretoria deveria ser a agilidade de comunicação do sind-UTE e não de blogs pessoais. A luta e a organização do sind-UTE sempre foi pautada na coletividade e não no individual.
Além do mais , houve sim investimento do sindicato no seu blog pessoal. Está lá no site do sind-UTE bem como nos boletins a divulgação e a promoção do seu blog.
Acho lamentável tudo isto.

Sandra, Uberlândia".


"Anônimo:

É galera, eu também fiz opção pelo antigo regime remuneratório e meu contra cheque também não foi liberado.. só a partir do dia 07. Acho que aí tem, vem bomba por aí...
"Se o governo enrola, enrola, eu não volto para escola, se o governo corta o ponto, aí é que eu apronto"... rs rs
Abraços e força na luta companheiros!"


"Anônimo:

Euler,
Está tudo muito quieto, não?
Por favor, faça alguma coisa, vamos agir, vamos sacudir novamente a assembléia legislativa, vamos sacudir a cidade administrativa.
Acredito que você, juntamente com outros companheiros possam fazer a diferença."


"Anônimo:

Colegas, consultei no portal do servidor e estou na legislação VB.. isso quer dizer que já voltei para a carreira antiga? Sendo assim, devo receber o piso? Me respondam por favor, pois se não pagarem o piso, não sairemos da greve DE JEITO NENHUM!!!! Abraços!".


"Anônimo:

Euler, que saudade do governo do Newton Cardoso, eu era feliz e não sabia. Com dois cargos efetivos de P6A eu ganhava 10 salários mínimos na época e às vezes ainda reclamava. Isto mesmo, 10 salários mínimos. Não tinha 12 quinquênios, nem 20 biênios como tenho atualmente, mais gratificação de pós-graduação nos dois cargos e trintenários. Hoje recebo bem menos da metade de 10 salários. Nós, na escola, éramos alegres, na hora do intervalo contávamos piadas, gozávamos a cara um do outro por causa de futebol, promovíamos sempre jantares de confraternização regados com uma cervejinha na própria escola, ninguém era estressado como hoje. E olha que o Newtão era vivo para caramba, metia a mão no dinheiro público pra valer na prefeitura de Contagem e depois no governo do estado. Mas nosso salário era ótimo. Aposentei há somente dois meses e nós professores mudamos muito: somos nervosos, estressados no mais alto nível, sofridos, tristes, pensativos. Agora, eu pergunto de quem é a culpa? Dos futuros governantes que não cumprem leis, aterrorizam os professores com corte de ponto, de pressões de todo lado, sacanagens, tiram as vantagens profissionais, ameaças de todo o tipo e ainda querem que o coitado do professor tenha condições de desenvolver uma boa aula. Dizem que o ensino publico mineiro é eficiente. Só no papel, porque na realidade é uma porcaria se compararmos há 36 anos quando comecei a lecionar em 1975. Euler, um abraço e muito obrigado."

"Thiago Coelho:

Olhei meu contracheque hj no site, e tava normal, só um pouco lento por causa da quantidade de acesso simultâneos.

Abraço!"


"Luciano História:

Hipóteses:
1-O governo paga de acordo com o piso e de acordo com a antiga carreira e mata o subsídio pois quem não voltou a antiga carreira vai voltar(pouco provável)
2-O governo paga o piso de 712,12 desrespeitando as promoções da antiga carreira
3-o governo paga o piso sem o pó de giz para forçar os sem quinquênios voltarem para o subsídio
4-O governo vai continuar pagando através de subsídio e só fez isso para dar um susto nos grevistas
5-Uma outra coisa que eu não pensei e é o mais provável de acontecer"


"Luciano História:

Euler, outro bom tema para ser discutido:

PROJETO DE LEI N. º..........., DE 2011
(DO SR. PEDRO UCZAI)
Altera a Lei 11.738, de 16 de julho
de 2.008 que institui o piso salarial
profissional nacional para os
profissionais do magistério público
da educação básica.
Art. 1º. Esta Lei altera a Lei 11.738, de 16 de julho de 2.008 para estabelecer
valores mínimos para os salários de docentes que possuam curso superior
completo, especialização, mestrado e doutorado em relação ao piso salarial
profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação
básica.
Art. 2º. O § 3º do art. 2º da Lei 11.738, de 16 de julho de 2.008, passa a vigorar
acrescido dos seguintes incisos:
I - o salário do profissional do magistério público com nível superior
completo será, no mínimo, superior em 50%, relativamente ao piso salarial
profissional nacional definido no caput desse artigo.
II – o salário do magistério público com especialização será, no mínimo,
25% superior ao referido no inciso I.
III – o salário do magistério público com título de mestre será, no mínimo,
25% superior ao referido no inciso II.
IV - o salário do profissional do magistério público com título de doutor
será, no mínimo, 25% superior ao referido no inciso III.
Art. 3ª Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação
Se isso for aprovado, o governo estará fora da lei até mesmo pagando através do subsídio."


"ABC:

Euler, não sei qual é a verdade, acho que todos que fizeram opção não receberão o salário, já que há profissionais que estão trabalhando e foram informados que não receberão o salário com vantagens e gratificações. Este erro deve estar em todas as folhas, por isto o governo não quer revelar o contracheque. Amigos, espero estar errada, mas acho que este mês o salário não virá. Vamos aguardar dia 07. ABC"
.

Comentário do Blog: olá, combativa colega ABC. Não acredito nessa possibilidade. Pode até haver cortes, mas nenhum salário, incluindo para quem está em sala de aula (se bem que isso seria até interessante - para quem está trabalhando, claro, rsrs), acho pouco provável. O governo está é sem saber como resolver este dilema: ter que voltar ao antigo regime remuneratório e não querer pagar o piso. Ora, como explicar para o mundo esse paradoxo? Já imaginaram as pessoas exibindo contracheques de R$ 369,00 e de R$ 550,00 quando o governo diz que já paga até mais que o piso? Vamos aguardar e manter a mobilização. Um abraço e força na luta!

"Anônimo:

Acabei de olhar a minha situação funcional e apareceu:

OPCAO - RETORNO TABELA VB - ART.5 LEI 18.975, 2010

Posicionamento PEB 3B. Contracheque só no dia 7.
Vamos ver o que vai aparecer..."
.

"Marcos:

Parabéns Euler pelo texto. Precisamos denunciar esta imprensa mineira que faz o jogo dos governos e nunca retrata a verdade.

A imprensa deve ser livre e para tanto deve informar sem distorcer os fatos. É preciso lutarmos por uma imprensa justa e para isso temos de lutar contra os monopólios da mídia.

Acho que os contracheques deste mês virão com o retorno para a carreira antiga, mesmo o tempo para o retorno ainda não ter acabado. Concluo que vai ser mais uma forma de pressão do governo para o servidor voltar para o subsídio, uma vez que os salários deverão vir com aquela defazagem brutal em relação ao subsídio e, talvez o governo pense que retornaremos ao subsído visto o salário.

Por isso, acho que deveríamos entrar com requerimento para que seja cumprida a lei do piso. O governo terá de responder e, dependendo da resposta teremos com acionar a justiça para que o governo cumpra a lei.

Uma observação: A direção da subsede de Barbacena não está colocando transporte para todos os que querem ir às assembléias e também não estão informando a categoria como deveria. Daí o nível de paralisação baixíssimos na subsede."


"Kátia - Ipatinga :

Euler,
Vai lá no “viomundo, do Azenha . Ele também quer saber onde está o Faraózinho. Quem sabe a “Mãe Dinás... Asia”, como disse um colega(essa é muito boa - rsrsrs), saiba onde o coronézim tá. Azenha tá mexendo com fogo. Se eu fosse ele correria bastante que os coronéis estão chegando e aí vai todo mundo pro tronco. Ele não sabe que tem que passar tudo pela assessoria de imprensa do governo? Depois não vai poder escrever mais e vão mandá-lo ser professor pra ver o que é sofrimento (brincadeirinha).

http://www.viomundo.com.br/politica/greves-em-mg-educacao-saude-seguranca-ipsemg-onde-esta.html

Kátia - Ipatinga"


"Anônimo:

EULER, UMA PESSOA DE DENTRO DE UMA SUPERINTENDÊNCIA ME CONFIDÊNCIOU O SEGUINTE, O GOVERNO VAI REALMENTE PAGAR O PISO-PISO, MAS SOMENTE PARA OS PROFESSORES EFETIVOS E, APOSENTADOS QUE TEM PARIDADE COM OS DA ATIVA, OS EFETIVADOS DA LEI 100 E, OS CONTRATADOS QUE SÃO A GRANDE MAIORIA E, NÃO É ATOA, TODOS NÓS SABEMOS, SERVEM COMO MASSA DE MANOBRA PARA ESTE GOVERNO TRAÍRA VÃO PERMANECER NO SISTEMA DE SUBSIDIO ,VOCÊ ACHA QUE TEM ALGUM SENTIDO ESTA IFORMAÇÃO? SE SIM COMENTE POR FAVOR. EM TEMPO ESTA PESSOA PEDIU ANONIMATO POIS TAMBÉM É CONTRATADA E TEM MEDO DE REPRESÁLIA."

"Professora Mineira - Carangola/MG:

A LIÇÃO QUE VEM DE SANTA CATARINA, esperamos que aqui pelas MINAS GERAIS, possam aprender com este exemplo, porque em 2010 por aqui, foi vergonhoso, estarrecedor! Vejam!

Parabéns aos educadores de Santa Catarina que vêm lutando bravamente nesses meses e, também, à JUSTIÇA Catarinense que reconheceu como legítima a greve dos educadores

Vitória dos educadores em SC: juiz legitima greve
30-06-2011

Os trabalhadores em Educação da rede pública de ensino do Estado de Santa Catarina estão em greve desde o dia 18 de maio. Somente com uma forte mobilização foi possível fazer com que, em uma decisão histórica e carregada de elevado sentimento de Justiça e defesa das instituições democráticas, o Judiciário catarinense deferisse, na tarde de quarta-feira (29), medida liminar ao Magistério Público Estadual, determinando a suspensão dos descontos das “faltas de greve” e a imediata elaboração de folha suplementar, com o pagamento dos valores bloqueados, no prazo máximo de três dias, e reconhecendo a legitimidade da greve.

O Juiz responsável pelo caso ponderou, ainda, que essa é uma greve diferenciada, vez que pretende o cumprimento de uma política nacional de valorização do magistério. A luta dos educadores e educadoras de Santa Catarina é pelo pagamento do Piso Nacional (R$ 1187,00). Vale lembrar que piso aplicado no estado é de apenas R$ 609,46.

Ataques à Greve

O SINTE/SC vem frequentemente sofrendo ataques do Governo do Estado por meio da mídia, com inserções que confundem a opinião pública e intimidam a categoria com ameaças e chamadas para retornarem à sala de aula. Diante disso, o SINTE/SC, na busca de esclarecer a realidade da categoria e os motivos pelos quais se encontra em greve há mais de um mês, sofre com altíssimos custos para rebater os ataques que o Governo vem promovendo na mídia catarinense para reprimir o movimento legítimo de greve. A decisão judicial deixa claro que ainda há autoridades que pretendem assegurar o “mínimo existencial” aos trabalhadores grevistas, que seriam profundamente prejudicados pelo corte do ponto e acabaria por inviabilizar o próprio movimento de paralisação.

Leia a íntegra da Carta Aberta IV aqui.

http://www.cnte.org.br/images/pdf/carta_aberta_sc.pdf "


"Anônimo:

Companheiros, dêem uma lida no post referente à lei 100 e veja o comentário. E se possível, deixem seus comentários sobre o mesmo, já que só podemos tratar do assunto naquele post. Muito obrigada! Euler, por gentileza não censure esse comentário, pois estou apenas pedindo para os colegas irem no Post da lei 100. Obrigado."

"Ubirajara Biologia:

Muita gente ainda não entendeu...
Sou professor Biólogo e professor efetivo e trabalho em Contagem/MG a 8 anos.
Esse vencimento de 369,00 é o valor do vencimento básico (portanto o salário/piso) pago ao professos que possui apenas Ensino Médio, isto mesmo, pasmem, em Minas se o cara tiver apenas 2º grau ele pode dar aulas. Para um professor como eu com formação superior, esse vencimento na carreira antiga era de exatos 550,00 com as ?Vantagens? (não recebo nem biênio, apesar de publicados) o bruto em dezembro de 2010 foi a 974,00 e o líquido com os descontos 810,00 (este é o salário recebido por um professor formado em licenciatura de biologia pela UFMG até dezembro de 2010, para uma carga horária de 24horas). Em janeiro o governo implantou o subsídio e igualou todos os servidores a receberem o subsídio - um valor teto com todas as vantagens incorporadas sem oportunidade de carreira. Eu com 8 anos de estado, uma professora amiga minha com 18 anos e um outro com 2 anos receberiamos igualmente 1320,00 brutos (somente e nada mais), com reajustes mínimos somente quando o governador de minas achasse necessário.

Este ano o governo federal junto ao STF votou a lei do Piso Nacional da Educação onde devemos (por Lei Federal) receber como vencimento básico cerca de 1187,00 para quem possui Ensino Médio e jornada de 40 horas semanais (para as 24horas aplicadas em Minas proporcionalmente o valor seria de 712,20 contra os 369,00 anunciados no início) para o professor com ensino superior o valor do piso para 40 horas 1781,00 e para 24 horas daria 1060,00 (contra os 550,00 que já recebo).

Além do mais estes valores de piso foram estipulados em 2008 e devem sofrer reajustes de 2 em 2 anos, portanto estamos sendo roubados em muito em Minas Gerais, um dos locais mais roubados do Brasil pelos portugueses e agora então pelos tucanos, que querem o dinheiro dos servidores para construir linhas verdes de transito, cidades administrativas, despoluir a Pampulha pela centésima vez, e construir muitos mineirões.

O governo alega o tempo todo que já paga o piso, será que os milhares de professores em greve são débeis mentais? O subsídio não é piso e sim teto no qual ficamos achatados e sem perspectivas legais de crescimento, não há carreira.
Na carreira antiga DEVO receber meu piso determinado por lei com vencimento básico, mais as vantagens como plano de carreira (as que sobraram porque o Aécio Neves destruiu muitas, como quinquenios por exemplo) e segundo a Lei do piso Nacional trabalhamos mais em sala em Minas do que deveríamos, por o certo seriam 16horas/aulas semanais e na nossa atual carga trabalhamos 18.

Então, estamos de greve porque precisamos, porque o PSDB corroeu nossa dignidade e carreira e ainda acha que toda a população é idiota com a apresentação de propagandas de escolas perfeitas e professores satisfeitos em um mundo de faz-de-conta."
.

"Maria José - Coronel Fabriciano:

Será que existe diferença de contracheque de aposentado e da ativa? O meu, aposentada abriu normalmente. Este governo bandido está e fazendo pressão psicológica com nossa categoria, pois sabe que quando fala em pagamento o povo balança. Mas, não tenham medo. Ele é doido mas não rasga dinheiro. A greve está fortalecendo cada vez mais.
Ele fez isto para neste fim de semamana ganhar tempo para os que têm medo fazerem a acabeça dos que balançam. Não podemos desistir agora.É desta vez ou NUNCA mais. A lei do nosso lado. Trabalhei 30 anos e sempre participei de movimento e nunca tivemos a lei do nosso lado. Tivemos sim foi muitas chibatadas.
Mas mesmo assim tudo que conseguimos foi com GREVE.Companheiros, força, fé, luta e muita força.
Até a vitória.

Maria José - Coronel Fabriciano."


73 comentários:

  1. Caro Euller já viu a reportagem da ALMG?
    http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_849601.asp

    Publiquei no blog da subsede Governador Valadares.
    http://sind-utegovernadorvaladares.blogspot.com/2011/06/proposta-concreta-ja-esta-em-estudo.html?showComment=1309448168502#c4695209655723977210

    Proposta concreta já está em estudo pelo executivo.

    "Vamos manter em greve! Queremos o Pios Salarial! O piso é Lei!"

    Presidente da ALMG recebe servidores da educação e da saúde


    Representantes dos servidores estaduais das áreas da educação, saúde e previdência solicitaram, nesta quarta-feira (29/6/11), a intervenção do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), na negociação de reivindicações sindicais com o Poder Executivo.

    De acordo com os representantes das duas categorias, o Governo do Estado vem resistindo a abrir negociações efetivas. Dinis Pinheiro disse que os presidentes das Comissões de Educação, Ciência e Tecnologia, deputado Bosco (PTdoB); e da Saúde, deputado Carlos Mosconi (PSDB); já estão conversando com representantes do Executivo tanto sobre o andamento das negociações quanto sobre propostas efetivas.

    O presidente da ALMG garantiu que somará esforços pessoais para que se estabeleça o mais pleno diálogo entre servidores e o Governo. "Tenho o dever de dar minha contribuição para que o diálogo seja permanente. A greve não é boa para ninguém", afirmou Dinis Pinheiro. Ele ressalvou, no entanto, que só poderia atuar dentro de seus limites, uma vez que não cabe ao Poder Legislativo autorizar o atendimento de qualquer reinvindicação.

    Educação - Com relação aos servidores da educação, que estão em greve desde o dia 8 de junho, o deputado Bosco informou aos servidores que uma proposta concreta já está em estudo pelo Executivo e que será submetida à aprovação do governador Antonio Anastasia nesta sexta-feira, quando ele retorna de viagem.

    O estudo, segundo ele, foi feito pelas Secretarias de Estado de Educação e de Planejamento e Gestão. Os detalhes da proposta não foram revelados pelo Executivo. A partir do exame feito pelo governador, na sexta, seria marcada uma reunião com os servidores.


    Reivindicações - De acordo com a coordenadora do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação (Sindi-UTE), Beatriz Cerqueira, a principal reivindicação da categoria é o reajuste do vencimento básico dos servidores do setor. Eles questionam a adoção do subsídio único como forma de remuneração dos servidores. "Não vamos começar o segundo semestre sem a negociação de um piso salarial. Há uma lei federal que diz que piso é vencimento básico inicial de carreira", afirmou Beatriz. Ela se queixou que a Secretaria de Educação só admitiu negociação se a greve fosse encerrada.

    A presidente do Sindicato dos Servidores do Ipsemg (Sisipsemg), Antonieta de Cássia, disse que os servidores do órgão ainda nem foram reposicionados no plano de carreira aprovado na Assembleia. Eles estão em greve desde o dia 27. "Tínhamos 8 mil funcionários, hoje são 4 mil", afirmou.

    O dirigente do Sindisaúde, Renato Barros, informou que trabalhadores da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) e da Fundação Ezequiel Dias (Funed) já estão em greve e que a Fundação Hemominas e a Unimontes estão para paralisar suas atividades.

    Trabalhadores da educação e saúde também apresentaram queixas específicas com relação à falta de condições de trabalho. Diretora do Sindisaúde, Neusa Freitas disse que servidores e pacientes do Hospital Júlia Kubitschek sofrem desde 2007 com comida contaminada, que seria fornecida pela empresa contratada pelo Estado. A servente Maria Helena Duarte se queixou das inundações que atingem a Escola Estadual Dr. Arthur Bernardes, em Sete Lagoas; e o professor Welshman afirmou que a Escola Estadual do povoado de Lagoa de Baixo, em Rubelita, não conta nem mesmo com água potável.conosco neste sonho possível. O Piso é Lei!

    ResponderExcluir
  2. Valeu nobre Professor...
    Força e garra!
    Estou do seu lado.

    ResponderExcluir
  3. Euler com todo respeito a você e os nossos colegas, estou cansado de blá, blá, blá vamos nos acampar na porta das Rádios, Televisões,Jornais. Já passou da hora de tomarmos uma atitude e denunciarmos o nosso Governador, e seus apadrinhados.

    Greve forte é greve atuante com destaque, não é a quantidade de dias parados que vai fazer com que o nosso movimento se torne vencedor.

    Quando vamos ter ações de mais impacto ? Cadê SIND UTE ?

    Vamos sair da toca, quantos mais dias se passarem a tendência do movimento é perder força.


    O nosso sindicato pode muito bem oferecer toda a logística para acamparmos por toda a cidade, com cartazes ESCLARECEDORES QUANTO AO CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO.

    ResponderExcluir
  4. José Alfredo Junqueira30 de junho de 2011 13:41

    Caro Euler,venho compartilhar da minha indignação,decepção com a Rádio Itatiaia,outrora um baluarte das informações sem censura.Mas a notícia boa,é que finalmente aqui em Leopoldina,a grande escola,o Ginásio Leopoldinense amanhã vai ter que parar.Só 3 ou 4 professores gatos pingados(comprados?)vão comparecer na escola.Creio que após o grande movimento da última assembléia o degovêrno vai apresentar alguma proposta razoável,para chegarmos há algum acordo.Força para todos combatentens corajosos.

    ResponderExcluir
  5. Caro Euler,

    Já havia enviado um e-mail para o citado jornalista, em resposta à famigerada entrevista dada pela secretária da educação, e é claro, não obtive qualquer resposta, o mesmo era um resumo sobre os assuntos que você detalhou de maneira bem oportuna.Considero importante nós pegarmos este textos e espalharmos pela net à fora, para que as máscaras deste governo e do seu "digníssimo" antecessor caiam de vez!!
    Só para vc e caros amigos de profissão terem uma idéia,me formei em Goiânia e uma colega de turma que havia uns 10 anos que não tinha contato, lamentando, como ocorre aqui, as péssimas condições salarias e de trabalho, me disse que aqui deveria estar melhor, já que o antigo e o novo governador estavam fazendo um excelente governo. Perguntei na hora, de onde ela havia tirado aquela informação?Ela me disse que das propagandas que chegavam lá, inclusive em outdoors.E em alguns "programas" de entrevistas e reportagens de "algumas revistas".Depois de um breve relato explicando para ela o que REALMENTE ocorria aqui, inclusive com a conivência da imprensa em troca de verba publicitária, altíssima diga-se de passagem, aprovadas pelos "ilustres" deputados da situação.Ela se surpreendeu e só vez um comentário: Eles conseguem manipular os fatos de modo a parecer que vocês vivem num paraíso aí, que ABSURDO!
    Disse para ela que estávamos utilizando a net para tentar derrubar a máscara do famoso:"choque de gestão".Este papo foi em Janeiro , e desde então envio tudo para ela e demais amigos.
    FORÇA GALERA!!!VAMOS COMEÇAR O RESGATE DA NOSSA PROFISSÃO,E O INÍCIO PASSA PELO PISO(POUCO AINDA, MAS UM AVANÇO SE COMPARADO AO QUE RECEBEMOS DESTE GOVERNO!!).

    ResponderExcluir
  6. Caro Euler,
    Perfeita sua carta. Também eu e uma dúzia de incorformados com a entrevista escrevemos ao jornalista colocando esta mesma situação.
    E, é claro, ele, utilizando-se do meio amplo que tem, tentou se desculpar. Entretanto, sabemos que são meras desculpas.
    Gostaria de sugerir que essa carta fosse enderaçada a outros jornalistas, a revistas fora de Minas, a quem puder nos ouvir.
    Você conseguiu escrever exatamente a nossa angústia de maneira coerente e sincera, pois que é a sua também.
    Novamente, envie a quem puder ler, a outras rádios, tvs. Alguém haverá de nos escutar.
    Um abraço e continue firme , pois nós, professores estamos do mesmo lado, lutando por nossa valorização.

    ResponderExcluir
  7. Euler, gostaria de parabenizá-lo pelos textos que, de uma maneira clara, descreve a situação calamitosa na qual se encontram os educadores de Minas Gerais. Também sou professora e, acredite, em uma situação ainda mais alarmante, já que a instituição na qual trabalho não é vinculada à Secretaria da Educação. Enquanto os educadores vinculados à SEE pelo menos podem vislumbrar uma possibilidade de aumento, eu e meus companheiros não temos a mesma esperança. De qualquer maneira, torço para que o Sr. Governador reflita sobre os rumos que a educação mineira poderá tomar caso a carreira de professor continue nessa trajetória rumo ao abismo. Torço também para que os pais reconheçam que esta luta também é deles.

    ResponderExcluir
  8. Caro Euler

    Parabéns pela iniciativa.Não se pode calar diante da injustiça. Os meios de comunicação pertencem ao povo, não podem ficar à serviço dos poderosos manipulando e oprimindo a população.

    Recomendo a vocês que façam um twitaço, repudiando a atitude dessa emissora.

    Força e sorte para a greve de vocês. Nós aqui no Estado do Rio continuamos firmes na luta.

    Grande abraço

    Graça Aguiar

    ResponderExcluir
  9. CARÍSSIMO PROFESSOR EULER...VOCÊ NÃO IMAGINA COM QUE ALEGRIA EU LEIO SEUS POSTS AQUI...VOCÊ NÃO IMAGINA A SEGURANÇA QUE VOCÊ ME INSPIRA E ACREDITO QUE O FAZ A OUTROS TAMBÉM...UM SER HUMANO SIMPLES, CAPAZ...HUMILDE...EDUCADO...FRANCO...INTELIGENTEPERSPICAZ...E MAIS E MAIS...
    VOCÊ TEM UM GRANDE PODER...O DE DEIXAR PESSOAS TRANQUILAS...SABEDORAS E CONVICTAS DO SEUS IDEAIS...SEJAM QUAIS FOREM...VOCÊ ESTÁ NO LUGAR ERRADO...SIM TOTALMENTE ERRADO...O SEU LUGAR É JUNTO AO COMANDO DE GREVE DO SINDUTE...E NÃO SOMENTE NESTE ESPAÇO...SUA CONFIANÇA, MATURIDADE E CORAGEM MAS COM SABEDORIA PODE FAZER MUITA DIFERENÇA.BEATRIZ CERQUEIRA ESTÁ DEIXANDO ISSO PASSAR...BEM...VAMOS AO INTERESSANTE...MUITO INTERESSANTE MESMO ESTA CARTA...ACHO QUE DESSA MANEIRA AS COISAS VÃO SE CLAREANDO E PODERÁ TRAZER MUITOS BENEFÍCIOS A TODOS NÓS...SOU MUITO OTIMISTA...É MINHA CARACTERÍSTICA PESSOAL...E PENSO ESTARMOS MUITO PRÓXIMO DE UM BELO DESFECHO DESTA CATASTRÓFICA SITUAÇÃO.CONTINUE..CONTINUE COM ESTE DOM DE ESCREVER...MAS ACHO ...CONTINUO ACHANDO QUE SEU LUGAR PODERIA SER EM OUTRO PATAMAR....
    DEUS LHE ILUMINE COMBATENTE COLEGA

    ResponderExcluir
  10. Euler, não encontro palavras para parabenizá-lo pela carta enviada à Rádio Itatiaia. Já falei em seu blog que você é o "cara" é o nota 10. Falou tudo que precisava ser dito de maneira clara a essa imprensa mineira desqualificada, inoperante, que nunca amparou os professores nos momentos mais difíceis como agora. Os jornalistas mineiros estavam precisando de um choque de 220 volts para acordarem do berço esplêndido. Fez você muito bem, todo magistério lhe renderá homenagens por esta iniciativa tão nobre. Que Deus lhe dê saúde e forças para continuar sua luta em favor de toda classe. Obrigado pelo espaço, abraço a você e todos colegas professores

    ResponderExcluir
  11. Euler
    Já falei em outros momentos sobre a imprensa mineira no seu blog, e está carta reforça o meu pensamento e o de milhares de pessoas.
    Vivemos a mercê de um jornalismo medíocre que não merece a credibilidade do povo mineiro.

    ResponderExcluir
  12. Euler, enquanto pensava em escrever uma carta, você a fez e a enviou. Faço das suas, as minhas palavras. Assino também. O educador mineiro não pode ser tratado com descaso por aqueles que babam no governo e depois, no dia 21 de abril, ganham medalhas da Inconfidência. Se a Itatiaia, a rádio mais ouvida em Minas tem que se calar, não sei a qual preço, nós precisamos fazer mais barulho, não acha? Anastasia não é político, mas quem o colocou lá é, precisa de votos e nós podemos, temos que mudar esta realidade. Ano que vem tem eleição. Não podemos mais nos calar. Força e até a conquista do piso salarial nacional.ABC

    ResponderExcluir
  13. Bravo, Euler.Você é nota mil.Sua carta endereçada aos jornalistas da Itatiaia foi objetiva,coesa,expressando de forma clara toda a situação da nossa classe e esclarecendo o jogo sujo do governo com a categoria.Não vamos desanimar, jamais;enquanto não conquistarmos o piso salarial, que é nosso direito legal,não retornaremos ao trabalho.E você, Euler,continue com essa força,esse entuasiasmo,levantando a bandeira em defesa dos nossos direitos.Esse é um dom que Deus lhe deu,exercite-o,pois a cada dia Ele o abençoará e multiplicará esses dons.Boas Sorte!

    ResponderExcluir
  14. Euler,você é grande...no caráter,no coração,na sinceridade,na garra...
    se eu dissér que me admiro com os seus posts,estarei mentindo,pois bem sei da sua capacidade.Graças a Deus que um dia eu achei este Blog.
    Tenho certeza de que a batalha continuará,mas,a "Guerra do Piso" certamente será vencida pela categoria que,pelo que tenho observado vem se unindo a cada dia.Meu fraterno abraço,Solange.

    ResponderExcluir
  15. CARO, EULER!
    PARABÉÉÉÉÉNNNNNNSSSSSS! SEUS TEXTOS SÃO PERFEITOS! VEJA O MAIL ENVIADO PARA AS ESCOLAS PELO DEPUTADO BOSCO:
    "Belo Horizonte, 30 de junho de 2011


    Prezadas (os) diretoras (es),

    Na condição de presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa, comunico-lhes que o governador Antônio Anastasia, após se reunir com as secretárias Lúcia Gazzola e Renata Vilhena, titulares das pastas de Educação e Planejamento, anunciará medidas que beneficiam aos servidores do ensino.
    Estas medidas, que atenderão a reivindicações dos trabalhadores do setor educacional, são resultado do trabalho conjunto entre a Comissão de Educação e o Grupo criado na audiência pública do dia 6 de abril (grupo composto por representantes servidores e das Secretarias de Educação e Planejamento), contou com a sensibilidade do governo do Estado de Minas Gerais.
    Durante negociações mantive contato permanente com a secretária da Educação e a assessoria da Secretaria de Planejamento. O compromisso assumido pelo governo, após a realização de estudos sobre o impacto financeiro, certamente atenderá, em grande parte as reivindicações do setor da educação.
    Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria.
    Dentre as medidas a serem anunciadas, serão contemplados: diretores, seus vices e secretários das Escolas Estaduais. Também os professores da rede estadual de ensino terão grandes avanços nas medidas a serem anunciadas, com a apresentação de propostas que asseguram substancial melhoria no sistema remuneratório da educação em Minas Gerais.
    Reafirmo meu compromisso de estar atento as reivindicações dos trabalhadores da educação e manter permanente contato para repasse de todas as informações pertinentes a categoria.

    Cordialmente,

    Deputado Bosco
    Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia
    Assembleia Legislativa de Minas Gerais"
    SERÁ?! QUANDO?! ABRAÇO

    ResponderExcluir
  16. EULER, PARABÉNS, PARABÉNS E PARABÉNS! É TUDO QUE POSSO TE DIZER NESSE MOMENTO,VOCÊ DISSE TUDO QUE PRECISAVA SER DITO A ESSE JORNALISTA COMPRADO PELO GOVERNO,SE ELE QUER REALMENTE TRABALHAR NESTA PROFISSÃO QUE TENHA AO MENOS A DIGNIDADE DE SER HONESTO.FIQUE ELE SABENDO QUE NINGUÉM SOBE NA VIDA SE VENDENDO DESSA FORMA SUJA E DESONESTA,ELE MOSTROU QUE FOI BEM PAGO PARA NÃO TRANSMITIR A FALA DOS EDUCADORES, SENDO ASSIM DEVERIA SE CALAR DIANTE DO MEIO DE COMUNICAÇÃO A QUE MANTÉM VÍNCULO.UM ABRAÇO E OBRIGADO PELO ESPAÇO DISPONÍVEL.

    ResponderExcluir
  17. EULER, CADÊ A CNTE DIANTE DESSA FALTA DE VERGONHA DESSES GOVERNADORES QUE NÃO CUMPREM A LEI?
    NÃO DEVERIAM ESTAR A FRENTE DESSE MOVIMENTO E NA MÍDIA DENUNCIANDO ESSE ABSURDO COM A EDUCAÇÃO DO BRASIL?
    OLHA NÃO ENTENDO.

    ResponderExcluir
  18. Euler,acreditar nessa mídia popularesca de BH é o mesmo que acreditar na honestidade de Renan Calheiros,Sarney,Maluf e etc.E o pior hj todos aliados do PT.PT que aliás é o partido de nossa direção.O que essa mídia gosta de pessoas do nível deles : exemplo ,Bruno , Aécio ,Anastasia,Mario de Assis e outros mais.Mas parabéns pela carta.

    ResponderExcluir
  19. Euler,
    Acabo de ler no site do luiz nassif online a resposta do governo de MINAS sobre salários dos professores enviado pela Renata vilhena.Sinal que estamos começando a incomodar. Acho que devemos entrar no site e comentar.
    Parabéns pelos artigos.

    ResponderExcluir
  20. Geane - Teófilo Otoni30 de junho de 2011 19:18

    Geane Camargo - Teófilo Otoni
    Amigos,
    Boa noite.
    Essa carta do Euler ficou realmente incrivel.
    Seria interessante torná-la pública.Gostei muito da postagem do colega a cima, que propôs o acampamento em frente as estações de rádio e TV.Faz muito sentido.Tempos atras,como as informações andavam a passos de tartarugas e não havia tanta inovação nos meios de comunicação,guerreiros se propunham a fazer greve de fome em nome da causa.Hoje,podemos nos fazer notícias com mais dignidade e com a mesma intensidade.
    O que lamento, é que radialistas como esse Eduardo Costa,tem muitos por ai, mas a teoria deles se fortalecem, pela inércia de grande parte dos nossos colegas educadores, que enquanto tentamos mostrar a toda sociedade o porque da nossa luta,eles estam satisfeitos no seu trabalho.Ou pelo menos fingem.O que é pior.
    Acho que não estamos pedindo nada de mais, além do que, cada um faça a sua parte.
    Fazer sua parte pela dignidade da profissão,fazer sua parte pela dignidade da sua família,fazer sua parte pela dignidade da Educação efazer sua parte pela dignidade dos seus próprios educandos.Que educadores são esses,que não tem compromisso com a Educação?
    Que cidadãos irão formar?
    Que qualidade de vida pretendem ter e dar as suas familias?
    Tomara que eles tenham conhecimento dessa carta, e se sintam cada um, um Eduardo Costa da vida.Mas que mdem de postura.
    Beijo grande a todos e que Deus nos dê muita força para levar essa greve até a nossa vitória.

    ResponderExcluir
  21. Euler,
    também já mandei cartinha, email, comentários pra todos os jornais, radios, tvs, blogs que falam de nós ou que não falam (rsrsrs), explicando tudo direitinho. A gente fica assim, meio sem ter o que fazer e começa a perturbar, né? (rsrsrs) Mas quando leio os seus posts fico pensando: pôxa, era isso que eu queria ter escrito. Vc é mesmo ilunimado! Fala o que queríamos ouvir! É um dom de Deus. São as suas palavras que dão força a todos para a luta, empolgam, estimulam e nos mantém fortes. Para Obama, Lula era "O Cara". Pra nós " O Cara" é vc. Deus te abençoe.
    Katia - Ipatinga.

    ResponderExcluir
  22. Oi pessoal, vendo este email enviado pelo deputado Bosco tive um arrepio estranho e estou imaginando o que vem por aí. Espero que ninguém caia em mais uma armadilha do governo. No email ele mesmo fala que vai atender "quase" tudo que a categoria está pedindo. Mas tenho certeza que o piso não. Senhor deputado, espero que saiba que não somos otário e que não vamos cair em qualquer história do governo. Afinal, ele não cumpriu o acordo assinado em 2010. Mas de qualquer jeito, vamos aguardar. Um abraço para todos. Paula.

    ResponderExcluir
  23. Foi publicada no jornal o tempo uma carta muito interessanta de um professor da rede pública. Vale a pena ler.

    ResponderExcluir
  24. "Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria."

    Alguém poderia responder o que seria essa classificação de escolas e impossibilidade de dois cargos??

    ResponderExcluir
  25. Olá Euler e demais colegas,
    lendo o texto do deputado Bosco fiquei curiosa para saber o que vem por aí. Fui ao portal da educação na página de consulta ao contra-cheque e fui surpreendida com a informação:"Contra-cheque liberado a partir do dia 7." Deduzi: alguma coisa o governo está tramando, meu marido que também é professor olhou o dele e já apareceu a informação: "Contra-cheque liberado no 1º dia útil". Concluí que seria por causa da opção pela carreira antiga. Eu optei, ele ainda não. Liguei para outros colegas e comprovei. Quem optou pela carreira antiga não poderá consultar o contra-cheque amanhã, 1º dia útil. Gostaria que postassem a respeito disso. Alguém tem alguma informação?
    Obrigada,

    Beatriz.

    ResponderExcluir
  26. Caro colega Euler,

    Excelente carta, direta e sem curva. Você tem uma capacidade de síntese muito boa.

    Temos que enviar e-mail cobrando uma posição do TJMG, OAB, MEC, entre outras, pois essas instituições devem assumir uma postura isenta, ética e democrática sobre os absurdos que estão ocorrendo com a Educação em Minas.

    ResponderExcluir
  27. Boa Noite,
    Colega Beatriz é verdade acabei de verificar meu contracheque e também obtive a informação:
    Erro: 008 - EXCEPCIONALMENTE NESTE MES, SEU CONTRACHEQUE SERA LIBERADO A PARTIR DO DIA 07. Como também já fiz a opção pela remuneração antiga, será vem bomba por aí?
    Euler mais uma vez parabéns pelo belo texto.
    Agora o que será, que o governo pretende, com a liberação do contracheque só a partir do dia 07?
    Eu já havia programado até alguns questionamentos sobre meu pagamento, quando fosse olhar amanhã, se pagarem com o subsídio o que devo fazer, reclamar com a SRE ou acionar mais uma vez o Ministério Público, pois meu pagamento estaria errado, neste mês tenho que receber no antigo sistema remuneratório e como o Estado diz "que paga o piso", como outros que cacarejam por aí. Devo receber o piso nacional, será?????
    Na verdade o tempo passa e nós ficamos a mercê deste calhordas, políticos sem nenhum pingo de respeito pela classe dos professores.
    Força a todos que lutam pelos seus direitos e sabem que não devemos nada a este governo(mísero).
    Abraços

    ResponderExcluir
  28. Márcia Guedes,acredito que o Deputado Bosco fez referência à situação do diretor de escola, porque classificou-se o diretor pelo número de alunos da escola e não por nível de escolaridade. Outra referência que percebi foi a situação de dedicação exclusiva do diretor , o que o impede de exercer dois cargos, como poderia se professor.
    Agora, Euler, me veio uma dúvida ao acessar o site do STF(http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2645108)duas datas sem ordem cronológica; após 30/05, lista 29/10/2008. Significa alguma coisa?

    ResponderExcluir
  29. Caro Euler,
    já leu a matéria publicada no HOJE em dia? Greve se arrasta há 22 dias e atormenta pais e alunos
    Movimento está desarticulado, mas exige que famílias façam malabarismos para se adequar à mudança na rotina

    ResponderExcluir
  30. Euler acabo de ler essa inforamção no Blog da Beatriz Cerqueira e gostaria de também postar aqui.
    Publicação do Acórdão pelo STF
    Um argumento utilizado pelo Governo do Estado para não discutir o pagamento do Piso Salarial é a ausência da publicação do Acórdão com o resultado da votação da Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.167 que questionou a Lei do Piso Salarial. Sabemos que não seria preciso esta publicação para que o Estado iniciasse a negociação sobre o Piso Salarial em Minas. O Governo já mudou de estratégia e agora afirma que paga o Piso porque paga o subsídio. Mas avaliamos em vários espaços de discussão que a publicação do Acórdão é mais um elemento a favor do nosso movimento. Por isso, paralelo a greve, a direção do sindicato iniciou um processo de acompanhamento e pressão junto ao STF pela publicação do Acórdão.
    Com a ajuda do Gabinete do Deputado Federal Padre João, conseguimos o agendamento de várias reuniões com os gabinetes dos Ministros do STF. Iniciamos pelo Gabinete do Ministro Joaquim Barbosa, que foi o relator da Ação. Depois fomos dialogando e reunindo com os gabinetes dos Ministros que ainda não tinham enviado seu voto (Ministros Gilmar Mendes, Ayres Brito, Carmen Lúcia e Celso de Melo). No final da tarde desta quinta-feira, dia 30/06, reuni com o Gabinete do Ministro Gilmar Mendes, em Brasília. Era o voto que faltava. Após a reunião, conseguimos o compromisso de que o voto do Ministro será liberado ainda hoje. O Deputado Federal Padre João também participou desta reunião (foi com a ajuda do gabinete dele que conseguimos o agendamento dela).
    Com isso todos os votos foram liberados para publicação do Acórdão.

    ResponderExcluir
  31. Acabo de ver no Portal do Servidor que o Contra cheque eletrônico só será liberado a partir do dia 07.

    ResponderExcluir
  32. Boa noite,
    eu também acabo de entrar no site portal do servidor para consulta ao contracheque,e lá está a seguinte mensagem:
    seu contracheque será liberado a partir do dia 07.Tambem já fiz a minha opção pela remuneração antiga, o que será que vem por aí?!
    Euler parabéns por tudo que publica por aqui, realmente é o que nos mantem informado de tudo!
    sou fã deste blog!

    ResponderExcluir
  33. Pessoal, depois de vária tentativas, consegui consultar meu contra cheque. Continua como subsídio e foi feito o desconto de falta greve relativo as paralisações de maio.
    Muito me preocupou a carta do deputado Bosco quando ele fala em melhoria no sistema "remuneratório" da educação em Minas Gerais. El não fala em piso, será que o estudo (quer vai virar pós doutorado, rsrsrs) está vinculado a remuneração por subsidio?
    Reafirmo meu compromisso

    ResponderExcluir
  34. Acredito que o fato de o contracheque não ter sido liberado não está relacionado ao retorno para a antiga remuneração, mas ao fato de não querer influenciar na decisão de continuar em greve com corte ou sem corte, ou de novas adesões, pois a assembleia será dia 06/07, um dia antes da liberação. Tem gente dizendo até que receberemos o prêmio por produtividade, nosso "presentinho de grego". Rrsrs

    ResponderExcluir
  35. Eu voltei para a carreira antiga no dia 2 de maio. Retirei meu contracheque na unidade da seplag,aqui da minha cidade, e nao ocorreu nenhuma alteração no salário, exceto os cortes das paralisações feitas no mês de maio.

    ResponderExcluir
  36. João Paulo Ferreira de Assis1 de julho de 2011 09:26

    Prezado amigo Professor Euler

    Tenho uma ideia de proposta de emenda constitucional para dar ao Congresso Nacional a competência para promover comissões parlamentares de inquérito quando houver corrupção de governadores, desvio de verbas do FUNDEB, e não pagamento do PSPN, isto, mediante a rejeição por uma vez, pela Assembleia Legislativa, do pedido de CPI. Bastaria como comprovante a certidão da ata correspondente.
    Pensei nisso em consideração aos colegas de Santa Catarina, pois lá, já está comprovado que o governo comprou os juízes, desembargadores e promotores com a verba do FUNDEB. Não sei se é o caso de Minas. Espero que não.
    Uma vez investigado e confirmada a realização do crime, o Congresso Nacional poderia declarar o impeachment do governador por decreto legislativo.

    ResponderExcluir
  37. Pessoal, vcs acham que a proposta do governador vai ser pelo piso? Ele deve fazer alteração no subsídio e tentar convencer quem está na corda bamba. Ele deve achar que está lhe dando com pessoas ignorantes. Sem o piso a gente não volta. Queremos o piso e pronto acabou. Paula.

    ResponderExcluir
  38. Acredito que o sistema do portal do servidor tenha entrado em colapso devido às consultas realizadas do estado inteiro. À meia-noite, consegui consultar o contra-cheque de junho normalmente, tendo vindo o pagamento como subsídio igual nos meses anteriores.

    ResponderExcluir
  39. Euler,entrei no portal do servidor, e vi que lá ja aparece meus 2 cargos na carreira antiga, como PEB4B. Acho que o pagamento neste caso deverá ser também pelos valores da carreira anterior. Mas como só será possivel ver dia 07, o jeito é esperar.

    ResponderExcluir
  40. Pessoal, tenho novidades. Acabei de ver o meu contra cheque e está no piso novamente. O valor do piso é de 617,90(Pós-graduação). Está difícil de entender porque teve o desconto de falta greve de 633,43. Então não sei o valor real. Mas o piso está abaixo da lei e comigo o governador está fora da lei. Posso divulgar o meu contra cheque, pois não recebo o piso. Outra coisa que está errado é o meu símbolo. Em dezembro era EEB2B e no subsídio era EEB2A. Permanece no contra cheque EEB2A. E agora, o que o governo quer? Vamos esperar. Um abraço, Paula.

    ResponderExcluir
  41. Também estou na luta pelo direito dos designados e novos concursados para receberem o provento pelo antigo sistema. Já xinguei até aqui hoje...Na realidade, todo mês é a mesma coisa: sempre fazendo milagre com o salário. E na minha escola, ninguém está em greve! Todas esperando aposentadoria! Contando os dias para as férias. Temos que implorar para ir na Assembleia. Estou muito triste...

    ResponderExcluir
  42. Euler, bom-dia! Quem não voltou para o salário antigo, ficou no suicídio, parece que está conseguindo ver o contracheque. Esta é mais uma artimanha do governo para coagir a categoria. Firmes até a conquista do piso salarial nacional estabelecido em lei. ABC

    ResponderExcluir
  43. Pessoal, mil perdões, mas fui olhar o meu contracheque de novo porque tava todo mundo da escola me ligando para saber porque só o meu estava no piso e acho que digitei errado. Coloquei 2010. No meu está escrito igual ao de todos: disponível só dia 07. Desculpe a minha falha. Acho que é pressão demais. Um abraço para todos, Paula.

    ResponderExcluir
  44. Bom dia!!!!

    Essa confusão da questão dos efetivados esta deixando claro que o desgoverno tucano conseguiu aquilo que queria dividir a categoria em 3:
    "com direitos"Mas sem carreira (efetivos), os com direitos incostitucionais (efetivados)e os sem direito algum (designados).Por isso pessoal vamos cair na real e refletir que no fundo estamos no mesmo barco e se continuarmos com essa papo besta ,a deriva.

    Petrônio /Contagem - Em greve até o piso.
    Viva a greve

    ResponderExcluir
  45. Eu consegui acessar o contracheque por volta de 10 horas da manha, o meu apareceu e descontou paralisação. Acho bom que tenha descontado,eu não estava querendo ir pagar esses dias mesmo rsrsrs, agora que não vou de jeito nenhum

    ResponderExcluir
  46. Anast...AZIA
    O mesmo cavalinho turbinado que derrubou Aecim,Já está na sua porta, cuidado pois pode cair por cima do pescoço.
    Ass:Mãe Dinás ... Tasia

    ResponderExcluir
  47. Euler ,
    Bom Dia!
    Leia o caderno -Educação do jornal Hoje em Dia de hoje .Acabei de passar e-mail para você .
    É lamentável !!! Que Secretária de Educação ,Minas tem !!!Falta com a ética colocando em situação irresponsável os Diretores das SREs -2010, a sua própria antecessora -a Secretária Wanessa .Muito feia a postura de Gazzola !!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  48. Euler ,
    Boa tarde!
    Entrei no portal do servidor, nos dados funcionais tem histórico funcional ja consta a minha opçao de retorno para VB isto é bom ,o meu contracheque esta bloqueado, a união vaz a força greve ate ganhar o piso.

    ResponderExcluir
  49. Isabel Assumpção - Manhuaçu1 de julho de 2011 13:02

    Combativos colegas,
    agora a coisa está começando a andar a nosso favor. Este corte dos dias paralizados vai nos dar mais força para não voltarmos sem o recebimento do piso. Quero ver como o desgoverno vai contratar alguém para esta reposição. Chego mesmo a vibrar por saber que estou ajudando a escrever um capítulo tão importante da história da educação deste país que tanto amamos. FORÇA NA LUTA, UNIÃO E RUMO À VITÓRIA!!!

    ResponderExcluir
  50. Caro uler,
    Estou preocupada com os rumos da nossa greve.
    Acho que está muito parado.
    Temos que fazer atividades de maior impacto mas parece que a diretoria estadual não Percebe isto.
    Vamos tentar organizar alguma ação, mesmo que não seja organizada pela direção estadual. Verifique esta possibilidade, que seja organizada por subsedes que também querem mais ação.
    Contamos com você nesta.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  51. Acredito que o governo tenha adiado para dar tempo de voltar o pessoal para carreira antiga e assim pagar menos que o subsídio para pressionar e iludir os professores quanto ao destino tenebroso que os aguardam, caso voltem para a carreira antiga.
    Ou ainda, está fazendo isto para tentar cortar dias de greve ou paralisações que não tenha cortado,ferindo o direito constitucional de greve.
    Finalmente, com certeza, coisa boa, não é.

    ResponderExcluir
  52. Caros colegas de luta.
    Entrei para verificar meus dados funcionais e pude constatar que já voltei para a carreira antiga.Acho que o mesmo deve ter acontecidos com meus colegas que já fizeram opção.Esperemos pelo dia sete. Penso eu que é mais uma jogada do governo tentando amedrontar quem já fez a opção voltar para o subsídio. Deixe ele pensar que somos bobos. A vitória será nossa.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  53. Euler, postei esta mensagem no blog da Beatriz, mas como ela já censurou 3 mensagens minhas, acredito que não vai publicar mais esta.

    Beatriz,
    Acho inadmissível que você poste no seu blog informações sobre o movimento antes de serem divulgadas no site do nosso sindicato. Isso é promoção pessoal. Se o site do Sindicato está com problemas de agilidade, a solução apresentada pela diretoria deveria ser a agilidade de comunicação do sind-UTE e não de blogs pessoais. A luta e a organização do sind-UTE sempre foi pautada na coletividade e não no individual.
    Além do mais , houve sim investimento do sindicato no seu blog pessoal. Está lá no site do sind-UTE bem como nos boletins a divulgação e a promoção do seu blog.
    Acho lamentável tudo isto.
    Sandra, Uberlândia

    ResponderExcluir
  54. É galera, eu também fiz opção pelo antigo regime remuneratório e meu contra cheque também não foi liberado.. só a partir do dia 07. Acho que aí tem, vem bomba por aí...
    "Se o governo enrola, enrola, eu não volto para escola, se o governo corta o ponto, aí é que eu apronto"... rs rs
    Abraços e força na luta companheiros!

    ResponderExcluir
  55. Euler,
    Está tudo muito quieto, não?
    Por favor, faça alguma coisa, vamos agir, vamos sacudir novamente a assembléia legislativa, vamos sacudir a cidade administrativa.
    Acredito que você, juntamente com outros companheiros possam fazer a diferença.

    ResponderExcluir
  56. Colegas, consultei no portal do servidor e estou na legislação VB.. isso quer dizer que já voltei para a carreira antiga? Sendo assim, devo receber o piso? Me respondam por favor, pois se não pagarem o piso, não sairemos da greve DE JEITO NENHUM!!!! Abraços!

    ResponderExcluir
  57. Hipóteses:
    1-O governo paga de acordo com o piso e de acordo com a antiga carreira e mata o subsídio pois quem não voltou a antiga carreira vai voltar(pouco provável)
    2-O governo paga o piso de 712,12 desrespeitando as promoções da antiga carreira
    3-o governo paga o piso sem o pó de giz para forçar os sem quinhênios voltarem para o subsídio
    4-O governo vai continuar pagando através de subsídio e só fez isso para dar um susto nos grevistas
    5-Uma outra coisa que eu não pensei e é o mais provável de acontecer

    ResponderExcluir
  58. Olhei meu contracheque hj no site, e tava normal, só um pouco lento por causa da quantidade de acesso simultâneos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  59. Euler, outro bom tema para ser discutido:

    PROJETO DE LEI N. º..........., DE 2011
    (DO SR. PEDRO UCZAI)
    Altera a Lei 11.738, de 16 de julho
    de 2.008 que institui o piso salarial
    profissional nacional para os
    profissionais do magistério público
    da educação básica.
    Art. 1º. Esta Lei altera a Lei 11.738, de 16 de julho de 2.008 para estabelecer
    valores mínimos para os salários de docentes que possuam curso superior
    completo, especialização, mestrado e doutorado em relação ao piso salarial
    profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação
    básica.
    Art. 2º. O § 3º do art. 2º da Lei 11.738, de 16 de julho de 2.008, passa a vigorar
    acrescido dos seguintes incisos:
    I - o salário do profissional do magistério público com nível superior
    completo será, no mínimo, superior em 50%, relativamente ao piso salarial
    profissional nacional definido no caput desse artigo.
    II – o salário do magistério público com especialização será, no mínimo,
    25% superior ao referido no inciso I.
    III – o salário do magistério público com título de mestre será, no mínimo,
    25% superior ao referido no inciso II.
    IV - o salário do profissional do magistério público com título de doutor
    será, no mínimo, 25% superior ao referido no inciso III.
    Art. 3ª Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação
    Se isso for aprovado, o governo estará fora da lei até mesmo pagando através do subsídio.

    ResponderExcluir
  60. Euler, que saudade do governo do Newton Cardoso, eu era feliz e não sabia. Com dois cargos efetivos de P6A eu ganhava 10 salários mínimos na época e às vezes ainda reclamava. Isto mesmo, 10 salários mínimos. Não tinha 12 quinquênios, nem 20 biênios como tenho atualmente, mais gratificação de pós-graduação nos dois cargos e trintenários. Hoje recebo bem menos da metade de 10 salários. Nós, na escola, éramos alegres, na hora do intervalo contávamos piadas, gozávamos a cara um do outro por causa de futebol, promovíamos sempre jantares de confraternização regados com uma cervejinha na própria escola, ninguém era estressado como hoje. E olha que o Newtão era vivo para caramba, metia a mão no dinheiro público pra valer na prefeitura de Contagem e depois no governo do estado. Mas nosso salário era ótimo. Aposentei há somente dois meses e nós professores mudamos muito: somos nervosos, estressados no mais alto nível, sofridos, tristes, pensativos. Agora, eu pergunto de quem é a culpa? Dos futuros governantes que não cumprem leis, aterrorizam os professores com corte de ponto, de pressões de todo lado, sacanagens, tiram as vantagens profissionais, ameaças de todo o tipo e ainda querem que o coitado do professor tenha condições de desenvolver uma boa aula. Dizem que o ensino publico mineiro é eficiente. Só no papel, porque na realidade é uma porcaria se compararmos há 36 anos quando comecei a lecionar em 1975. Euler, um abraço e muito obrigado.

    ResponderExcluir
  61. Euler, não sei qual é a verdade, acho que todos que fizeram opção não receberão o salário, já que há profissionais que estão trabalhando e foram informaados que não receberão o salário com vantagens e gratificações. Este erro deve estar em todas as folhas, por isto o governo não quer revelar o contracheque. Amigos, espero estar errada, mas acho que este mês o salário não virá. Vamos aguardar dia 07. ABC

    ResponderExcluir
  62. Acabei de olhar a minha situação funcional e apareceu:

    OPCAO - RETORNO TABELA VB - ART.5 LEI 18.975, 2010

    Posicionamento PEB 3B. Contracheque só no dia 7.
    Vamos ver o que vai aparecer...

    ResponderExcluir
  63. Parabéns Euler pelo texto. Precisamos denunciar esta imprensa mineira que faz o jogo dos governos e nunca retrata a verdade.
    A imprensa deve ser livre e para tanto deve informar sem distorcer os fatos. É preciso lutarmos por uma imprensa justa e para isso temos de lutar contra os monopólios da mídia.
    Acho que os contracheques deste mês virão com o retorno para a carreira antiga, mesmo o tempo para o retorno ainda não ter acabado. Concluo que vai ser mais uma forma de pressão do governo para o servidor voltar para o subsídio, uma vez que os salários deverão vir com aquela defazagem brutal em relação ao subsídio e, talvez o governo pense que retornaremos ao subsído visto o salário.
    Por isso, acho que deveríamos entrar com requerimento para que seja cumprida a lei do piso. O governo terá de responder e, dependendo da resposta teremos com acionar a justiça para que o governo cumpra a lei.
    Uma observação: A direção da subsede de Barbacena não está colocando transporte para todos os que querem ir às assembléias e também não estão informando a categoria como deveria. Daí o nível de paralisação baixíssimos na subsede.

    ResponderExcluir
  64. Professora Mineira - Carangola/MG

    A LIÇÃO QUE VEM DE SANTA CATARINA, esperamos que aqui pelas MINAS GERAIS, possam aprender com este exemplo, porque em 2010 por aqui, foi vergonhoso, estarrecedor! Vejam!

    Parabéns aos educadores de Santa Catarina que vêm lutando bravamente nesses meses e, também, à JUSTIÇA Catarinense que reconheceu como legítima a greve dos educadores

    Vitória dos educadores em SC: juiz legitima greve
    30-06-2011

    Os trabalhadores em Educação da rede pública de ensino do Estado de Santa Catarina estão em greve desde o dia 18 de maio. Somente com uma forte mobilização foi possível fazer com que, em uma decisão histórica e carregada de elevado sentimento de Justiça e defesa das instituições democráticas, o Judiciário catarinense deferisse, na tarde de quarta-feira (29), medida liminar ao Magistério Público Estadual, determinando a suspensão dos descontos das “faltas de greve” e a imediata elaboração de folha suplementar, com o pagamento dos valores bloqueados, no prazo máximo de três dias, e reconhecendo a legitimidade da greve.


    O Juiz responsável pelo caso ponderou, ainda, que essa é uma greve diferenciada, vez que pretende o cumprimento de uma política nacional de valorização do magistério. A luta dos educadores e educadoras de Santa Catarina é pelo pagamento do Piso Nacional (R$ 1187,00). Vale lembrar que piso aplicado no estado é de apenas R$ 609,46.

    Ataques à Greve

    O SINTE/SC vem frequentemente sofrendo ataques do Governo do Estado por meio da mídia, com inserções que confundem a opinião pública e intimidam a categoria com ameaças e chamadas para retornarem à sala de aula. Diante disso, o SINTE/SC, na busca de esclarecer a realidade da categoria e os motivos pelos quais se encontra em greve há mais de um mês, sofre com altíssimos custos para rebater os ataques que o Governo vem promovendo na mídia catarinense para reprimir o movimento legítimo de greve. A decisão judicial deixa claro que ainda há autoridades que pretendem assegurar o “mínimo existencial” aos trabalhadores grevistas, que seriam profundamente prejudicados pelo corte do ponto e acabaria por inviabilizar o próprio movimento de paralisação.

    Leia a íntegra da Carta Aberta IV aqui .

    http://www.cnte.org.br/images/pdf/carta_aberta_sc.pdf

    ResponderExcluir
  65. Euler,
    Vai lá no “viomundo, do Azenha . Ele também quer saber onde está o Faraózinho. Quem sabe a “Mãe Dinás... Asia”, como disse um colega(essa é muito boa - rsrsrs), saiba onde o coronézim tá. Azenha tá mexendo com fogo. Se eu fosse ele correria bastante que os coronéis estão chegando e aí vai todo mundo pro tronco. Ele não sabe que tem que passar tudo pela assessoria de imprensa do governo? Depois não vai poder escrever mais e vão mandá-lo ser professor pra ver o que é sofrimento ( brincadeirinha).
    http://www.viomundo.com.br/politica/greves-em-mg-educacao-saude-seguranca-ipsemg-onde-esta.html
    Kátia - Ipatinga

    ResponderExcluir
  66. Euler,
    Vai lá no “viomundo, do Azenha . Ele também quer saber onde está o Faraózinho. Quem sabe a “Mãe Dinás... Asia”, como disse um colega(essa é muito boa - rsrsrs), saiba onde o coronézim tá. Azenha tá mexendo com fogo. Se eu fosse ele correria bastante que os coronéis estão chegando e aí vai todo mundo pro tronco. Ele não sabe que tem que passar tudo pela assessoria de imprensa do governo? Depois não vai poder escrever mais e vão mandá-lo ser professor pra ver o que é sofrimento ( brincadeirinha).
    http://www.viomundo.com.br/politica/greves-em-mg-educacao-saude-seguranca-ipsemg-onde-esta.html
    Kátia - Ipatinga

    ResponderExcluir
  67. EULER,UMA PESSOA DE DENTRO DE UMA SUPERINTENDÊNCIA ME CONFIDÊNCIOU O SEGUINTE ,O GOVERNO VAI REALMENTE PAGAR O PISO-PISO ,MAIS SOMENTE PARA OS PROFESSORES EFETIVOS E, APOSENTADOS QUE TEM PARIDADE COM OS DA ATIVA,OS EFETIVADOS DA LEI 100 E, OS CONTRATADOS QUE SÃO A GRANDE MAIORIA E, NÃO É ATOA, TODOS NÓS SABEMOS, SERVEM COMO MASSA DE MANOBRA PARA ESTE GOVERNO TRAIRA VÃO PERMANECER NO SISTEMA DE SUBISIDIO ,VOCÊ ACHA QUE TEM ALGUM SENTIDO ESTA IFORMAÇÃO ? SE SIM COMENTE POR FAVOR.EM TEMPO ESTA PESSOA PEDIU ANONIMATO POIS TAMBEM É CONTRATADA E TEM MEDO DE REPRESALIA .

    ResponderExcluir
  68. Companheiros, dêem uma lida no post referente à lei 100 e veja o comentário. E se possível, deixem seus comentários sobre o mesmo, já que só podemos tratar do assunto naquele post. Muito obrigada! Euler, por gentileza não censure esse comentário, pois estou apenas pedindo para os colegas irem no Posta da lei 100. Obrigado.

    ResponderExcluir
  69. Ubirajara Biologia2 de julho de 2011 00:16

    Muita gente ainda não entendeu...
    Sou professor Biologo e professor efetivo e trabalho em Contagem/MG a 8 anos.
    Esse vencimento de 369,00 é o valor do vencimento básico (portanto o salário/piso) pago ao professos que possui apenas Ensino Médio, isto mesmo, pasmem, em Minas se o cara tiver apenas 2º grau ele pode dar aulas. Para um professor como eu com formação superior, esse vencimento na carreira antiga era de exatos 550,00 com as ?Vantagens? (não recebo nem biênio, apesar de publicados) o bruto em dezembro de 2010 foi a 974,00 e o líquido com os descontos 810,00 (este é o salário recebido por um professor formado em licenciatura de biologia pela UFMG até dezembro de 2010, para uma carga horária de 24horas). Em janeiro o governo implantou o subsídio e igualou todos os servidores a receberem o subsídio - um valor teto com todas as vantagens incorporadas sem oportunidade de carreira. Eu com 8 anos de estado, uma professora amiga minha com 18 anos e um outro com 2 anos receberiamos igualmente 1320,00 brutos (somente e nada mais), com reajustes mínimos somente quando o governador de minas achasse necessário.
    Este ano o governo federal junto ao STF votou a lei do Piso Nacional da Educação onde devemos (por Lei Federal) receber como vencimento básico cerca de 1187,00 para quem possui Ensino Médio e jornada de 40 horas semanais (para as 24horas aplicadas em Minas proporcionalmente o valor seria de 712,20 contra os 369,00 anunciados no início) para o professor com ensino superior o valor do piso para 40 horas 1781,00 e para 24 horas daria 1060,00 (contra os 550,00 que já recebo).
    Além do mais estes valores de piso foram estipulados em 2008 e devem sofrer reajustes de 2 em 2 anos, portanto estamos sendo roubados em muito em Minas Gerais, um dos locais mais roubados do Brasil pelos portugueses e agora então pelos tucanos, que querem o dinheiro dos servidores para contruir linhas verdes de transito, cidades administrativas, despoluir a Pampulha pela centésima vez, e construir muitos mineirões.
    O governo alega o tempo todo que já paga o piso, será que os milhares de professores em greve são débeis mentais? O subsídio não é piso e sim teto no qual ficamos achatados e sem perspectivas legais de crescimento, não há carreira.
    Na carreira antiga DEVO receber meu piso determinado por lei com vencimento básico, mais as vantagens como plano de carreira (as que sobraram porque o Aécio Neves destruiu muitas, como quinquenios por exemplo) e segundo a Lei do piso Nacional trabalhamos mais em sala em Minas do que deveríamos, por o certo seriam 16horas/aulas semanais e na nossa atual carga trabalhamos 18.
    Então, estamos de greve porque precisamos, porque o PSDB corroeu nossa dignidade e carreira e ainda acha que toda a população é idiota com a apresentação de propagandas de escolas perfeitas e professores satisfeitos em um mundo de faz-de-conta.

    ResponderExcluir
  70. http://poderlinux.blogspot.com/ entren la

    ResponderExcluir
  71. Será que existe diferença de contra cheque de aposentado e da ativa? O meu, aposentada abriu normalmente. Este governo bandido está e fazendo pressão psicológica com nossa categoria, pois sabe que quando fala em pagamento o povo balança. Mas, não tenham medo. Ele é doido mas não rasga dinheiro. A greve está fortalecendo cada vez mais.
    Ele fez isto para neste fim de semamana ganhar tempo para os que têm medo fazerem a acabeça dos que balançam. Não podemos desistir agora.É desta vez ou NUNCA mais. A lei do nosso lado. Trabalhei 30 anos e sempre participei de movimento e nunca tivemos a lei do nosso lado. Tivemos sim foi muitas chibatadas.
    Mas mesmo assim tudo que conseguimos foi com GREVE.Companheiros, força, fé, luta e muita força.
    Até a vitória.
    Maria José - Coronel Fabriciano.

    ResponderExcluir
  72. O meu contracheque abriu desde ontem sem nenhum probelma.

    ResponderExcluir
  73. Euler, Companheiro e Amigo de Luta,

    Gostaria de agradecer a todos que estiveram presentes e a você por divulgar os fatos, diante de tanta repressão em Rio Espera, a todos os companheiros que estiveram ao meu lado durante a prisão, ao Companheiros da Sede Central e da Subsede de Coronel Fabriciano, que estiveram ao meu lado com apoio jurídico, em geral a todos, pois, mesmo detido não me sentir só, pois estava ouvindo as vozes de meus companheiros...
    sem mais delongas,
    Obrigado.

    Prof. Frederico George
    SindUTE/MG, diretor Subsede Ribeirão das Neves

    ResponderExcluir