quinta-feira, 7 de julho de 2011

Minas - a dos educadores - decide: a greve continua! Até que nos pague o piso.

Charge que recebemos do Cleuber, combativo amigo do Rômulo.




Minas - a dos educadores - decide: a greve continua! Até que nos pague o piso.

Já passa da meia-noite quando preparo o meu chá, antes de rabiscar no teclado essas fugidias linhas. Noctívago desde criança, nada como o silêncio da noite para pensar e escrever - e ouvir música, e ver filmes, e outras coisas mais, ao sabor da imaginação de cada um dos nossos ilustres visitantes.

Ali no pátio da ALMG, onde a categoria se encontra mais uma vez para decidir os rumos do movimento, reencontro velhos amigos e conhecidos, e também muita gente nova para mim, que fico conhecendo graças a este espaço virtual, que se tornou praticamente um espaço apropriado pela categoria. Impressionante como as pessoas curtem este espaço, como uma trincheira de resistência, ante ao descaso vindo de toda parte. É bom ter um (ou muitos) canto (s) de resistência, quando somos atacados. Ou mesmo quando vamos atacar.

O resultado da assembleia não foi novidade para ninguém, obviamente, posto que o governo mineiro insiste em bater as mesmas teclas, de que não negocia com servidores em greve, e de que já paga o piso através do subsídio. Duas inverdades: ele negociou com as polícias quando estavam em greve - a polícia Civil estava em greve, até ontem, pelo menos, e quanto a PM, bastou ameaçar de entrar em greve e o governo rapidamente negociou. Logo, deveria o governo dizer que somente com os servidores da Educação e da Saúde, áreas que não são prioridade deste governo, é que se aplica a tal regra do "não negociamos enquanto estiverem em greve".

A outra inverdade é dizer que já paga o piso através do subsídio. Mas, sobre isso nem vou tornar a argumentar - não nesse post - pois, seguramente iria cansar os nossos guerreiros com repetição de idéias, do tipo: piso é vencimento básico, antípoda de subsídio, que é somatória total de salário.

O clima da assembleia estava carregado de energia positiva, de alegria, de confiança. Não notei, pelo menos no meu entorno, nenhum sentimento de desconforto em relação à posição assumida. As pessoas até entendem que a greve poderia estar mais forte, que muita gente ainda não aderiu, mas, assim mesmo, há um número suficiente de valentes lutadores para manter e ampliar a paralisação por tempo indeterminado. Nossa causa é justa, é legal, é legítima.

Tanto na assembleia quanto na passeata que aconteceu logo em seguida, faço questão de ir colhendo informações com os colegas das diversas regiões de Minas. E assim a gente acaba conhecendo um pouco as diferentes realidades. Mas, no fundamental, o que ouço é muito comum: muitas escolas pararam totalmente, outras parcialmente e algumas continuam com pouca ou nenhuma adesão. Contudo, noto que quem aderiu para valer está disposto a levar a greve até as últimas consequências.

O governo mineiro precisa ter essa sensibilidade (difícil cobrar sensibilidade deste governo, mas, vá lá!) para entender o que está em jogo. Primeiro, a luta em favor de um direito, após muitos anos de perdas. Segundo, a vontade muito firme de um núcleo duro da categoria, composto por centenas de educadores muito esclarecidos sobre os seus direitos.

O governo não pode tratar a categoria como vinha fazendo até há algum tempo. Hoje existe uma outra realidade. Após a greve de 2010 formou-se um núcleo duro, um grande grupo de aguerridos educadores dispostos a lutarem obstinadamente pelos direitos a que fazem (fazemos) jus. Não estou falando aqui da direção do sindicato, ou de meia dúzia de pessoas, não, mas de centenas de pessoas, sobretudo da base da categoria, mas não somente, que organizam e fazem a greve no cotidiano. Dezenas de lideranças de todas as regiões de Minas constroem cotidianamente este movimento, por mais que o governo utilize todas as suas artimanhas para tentar nos dividir, solapar a nossa greve e desinformar através da sua mídia de aluguel.

O movimento vem construindo mecanismos próprios de comunicação, organização e mobilização. E o grande risco, para o governo, é forçar a radicalização do movimento com tentativas de criminalizar e ampliar os cortes e pressões sobre os trabalhadores em greve. Seguramente isso despertará mais ódio no seio da categoria. Poderá fazer com que a greve se fortaleça e crie uma situação tal que o ano letivo se inviabilize.

Num sentido oposto, que seria o retorno ao trabalho sem conquista, a situação também não ficaria boa para o lado do governo. Imagine-se o clima de terror ou frustração nas escolas se tivermos que voltar ao trabalho sem conquistar nosso piso, que é lei federal? Quem está em greve hoje são os setores talvez mais consequentes da rede pública em Minas Gerais - e no Brasil também, haja vista o grande número de greves de educadores nas redes estaduais e municipais.

Por isso, se o governo for inteligente, ele vai buscar a negociação, abandonar esse mau momento que marcou as relações entre o governo e os educadores, após a deflagração da nossa greve. O governo mineiro precisa reconhecer que errou na sua estratégia de negociação. Primeiro, tentou nos enrolar com o atendimento de coisas que são importantes, mas não tocam nas principais reivindicações dos educadores, como o piso, o terço de tempo extraclasse, a devolução das gratificações de 2003 para todos, etc.

O governo poderia muito bem ter construído um calendário de negociação objetivo, propondo, por exemplo, algo assim: este ano eu pago o piso, em 2012 eu implanto o terço de tempo e no máximo em janeiro de 2013 eu devolvo todas as gratificações confiscadas em 2003 para os novatos, incluídos aí os novos concursados. Pronto. Seria uma proposta a ser analisada com critério, podendo ser antecipado o calendário mediante à compravação da possibilidade de fazê-lo.

Mas, não. O governo, desconhecendo a força da lei federal que se consubstanciou após a decisão do STF de que piso é vencimento básico (como já constava da lei), insistiu em desconhecer essa nova realidade e manter a solução que melhor lhe atende - a lei do subsídio -, mas que traz profundas perdas para toda a categoria, e com maior força para os mais antigos.

Além disso, passou a ameaçar os trabalhadores de cortar os dias parados, de não negociar com os servidores em greve e a jogar trabalhadores contra trabalhadores, ao usar da chantagem da igualdade entre efetivos e efetivados como mecanismo de divisão na categoria. Ao invés de buscar uma solução racional e inteligente, o governo apostou na divisão e na desmoralização até da categoria (quando disse que não repusemos as aulas em 2010, o que constitui outra inverdade). A impressão que se tem é que o governo jogou e tem jogado abertamente na destruição da carreira dos educadores. Seria esta só uma impressão da minha parte? Ou seria uma realidade calculada, tendo em vista outros objetivos, como a privatização cada vez maior da Educação, a terceirização e a manutenção de um quadro de educadores cada vez menor e de menor qualidade, apenas com o intuito de manter a inclusão às avessas das famílias de baixa renda?

Claro que não assistiremos a tudo isso de forma passiva. Apesar de um número ainda razoável de educadores que ainda permanecem em sala de aula, preocupados com a conta de luz e do aluguel que mal dão conta de pagar - e que vão ter que arrumar mais um cargo ano que vem para pagar as mesmas contas que pagam hoje se não conquistarmos o piso -, apesar disso, há um grande número de pessoas que estão em greve. O governo precisa saber, reconhecer até, que não está lidando com pessoas idiotizadas. Temos hoje na categoria um núcleo pensante e também com grande capacidade de mobilização popular. Pensar que apenas dominando o aparelho estatal (Justiça, Legislativo, etc.) e a mídia é o suficiente para nos manter acuados, é subestimar a nossa capacidade de pensamento e de ação.

Pausa para mais um chá...

Retomando. Portanto, colegas de luta, temos sim capacidade de realizar grandes movimentos de pressão para alcançarmos nossos objetivos. Esperamos que o governo se sensibilize com essa realidade e retome as negociações, como diziam os colegas de Santa Catarina, "negociações efetivas", e não para nos enrolar. Queremos o piso, que é o que manda a lei federal, não o subsídio. E queremos que todos os trabalhadores em educação tenham direito a este piso, incluindo os designados e novos concursados.

Mas, enquanto o governo não nos chama para negociar, continuaremos as mobilizações. Uma delas, já prevista anteriormente, será uma grande concentração na Cidade Administrativa, no próximo dia 12, reunindo os trabalhadores da Educação e da Saúde. Será muito importante que todos participem. Já no dia 13 estaremos de volta ao pátio da ALMG para mais uma assembleia da categoria. Além disso, regionalmente os educadores continuarão tentando contato direto com o governador nas suas andanças pelo estado. E em cada subsede, a ordem é: fortalecer a nossa greve, através da visita dos comandos de greves em todas as escolas, e de realização de atos públicos com a participação de pais de alunos e estudantes.

Penso que estamos no caminho certo. Na passeata que fizemos até a porta do TJMG na Gonçalves Dias ia pensando nessas coisas, enquanto conversava com colegas de luta de várias partes de Minas. Nossa luta está boa. Pode melhorar, claro. Mas, temos um núcleo forte de educadores, com pique, com energia, com força e unidade para resistir pelo tempo que for necessário. E isso, esse elemento objetivo e subjetivo, o governo não pode desconhecer.

No decorrer da semana, espero trazer novas análises, enriquecidas pelas inúmeras contribuições que nos trazem os combativos leitores e visitantes aqui do blog.

A todos/todas, um forte abraço, força e unidade na luta, até a nossa vitória!


***

"Anônimo:

Oi EULER, Me desculpe ficar no anonimato, mas estou escrevendo pela indignação que senti ontem na assembleia. Um companheiro acho que é de Uberlândia, fez uma proposta que a coordenadora ignorou e não colocou em votação. A proposta seria o afastamento dos pelegos traidores da Luta,os diretores do sindUTE. Pois a direção estadual é conivente, com certeza se não fossemos nós( a base) a Greve não saia. Ele deveria citar os nomes e eu sei de alguns: Jakes Paulo Félix que é da direção Estadual SindUTE(Uberlandia) e da direção da CNTE(que também não age a nosso favor); a Maria do Rosário direção estadual do SindUte (Ituiutaba, os dois estão trabalhando, ignorando a greve. Além dos diretores da subsede de Teófilo Otoni que brigaram na justiça pra ficar na direção e estão furando Greve. E muitos mais diretores de outras subsedes que não me lembro os nomes.
A NOSSA LUTA DEVERIA SER APENAS CONTRA O GOVERNO.
"

"Anônimo:

Greves pipocam por todo o país. Cada vez mais radicalizadas!
Leia matéria do Jornal A Nova Democracia

http://www.anovademocracia.com.br/no-79/3546?task=view"


"Anônimo:

Na assembléia de ontem foi falado que tem diretores do SindUTE furando greve.
Como a pessoa que falou, é necessário fazer um levantamento sobre isso e, se for verdade, esses diretores tem que renunciar.
É um absurdo uma aittude dessa."


"Anônimo:

o supremo tribunal federal entrou de ferias e, os professores que se danem, ei CNTE, ei SINDUTE como vamos ficar."

"Paula:

Oi Euler, estou feliz pelo dia de ontem. Saí da assembleia renovada e depois que vi o meu contracheque conclui que ganhamos mais uma. Voltamos para o piso, mas o valor do contracheque está o subsídio porque como vc mesmo falou ele não pode baixar o valor. Ele tentou fazer um suspense liberando o contracheque só hoje e mostrou o que já sabíamos. Não é uma vitória? Então, ele vai ter que cumprir a lei do piso. Agora, eu acho que ele não tem que abrir a negociação porque não tem negociação. É só aplicação da lei, não só no seu valor do piso como tbém toda ela. Ele cortou dois dias de paralisação e fique sabendo que serão dois dias sem reposição. Um grande abraço para todos que estão na luta e força sempre. Paula."

"Anônimo:

gostaria de saber se o governo pode cortar o recesso de julho caso a greve se entenda até agosto."

"Anônimo:

É EULER AI DE NÓS SE NÃO FOSSE SEU BLOG POIS NO BLOG DA DIREÇÃO DO SINDICATO, QUANDO A INFORMAÇÃO CHEGAR, SINCERAMENTE NÃO SEI SE VAI VALER A PENA LER MAIS, PORQUE DEMORA TANTO!!!!!!!!!"

"Anônimo:

IMPRENSA BURGUESA COMEÇA DIVULGAR NOSSA GREVE!!! SERÁ????

Manifestação de professores estaduais complica o trânsito no Centro de BH

Cristiane Silva

Publicação: 06/07/2011 17:33 Atualização: 06/07/2011 19:39
Depois de assembleia, professores fizeram uma passeata em direção ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (Reprodução/BH)
Depois de assembleia, professores fizeram uma passeata em direção ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Professores da rede estadual de ensino votaram mais uma vez pela continuidade da greve da categoria. A decisão foi tomada durante uma reunião no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na tarde desta quarta-feira. Depois da assembleia, os professores seguiram em passeata até o prédio do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na Rua Gonçalves Dias, deixando o trânsito complicado na região.

Os professores deixaram as salas de aula no dia 8 de junho reivindicando o cumprimento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) de R$ 1597,87, para uma jornada de 24 horas. De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute), Minas Gerais paga hoje o piso de R$ 369,00, que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores (CNTE), é considerado o pior dos 27 estados brasileiros."


"Anônimo:

EULER,TALVEZ SEJÁ O CASO DA ASSESSORIA JURIDICA DO SIDUTE FAZER UM ESTAGIO EM SANTA CATARINA ."

"Anônimo:

MEU CONTRACHEQUE VEIO COMO SUBSIDIO MESMO TENDO SIDO PUBLICADO O MEU DESEJO DE RETORNAR AO SITEMA ANTIGO DE PAGAMENTO E, AGORA SINDUTEEEEEEEE..., O QUE O APLICADO CORPO JURICO DESTA INSTITUIÇÃO PRETENDE FAZER ?."

"Anônimo:

Euler, a continuidade da greve é necessária. Não podemos nos calar diante de tanta injustiça e descaso com a nossa classe. Desde abril fiz o requerimento para o retorno a carreira antiga e não imagina a minha decepção ao ver o meu contracheque deste mês,continuo no subsídio nos dois cargos. Não entendo como esse ditador descumpre a própria a lei que nos dá direito ao retorno a carreira anterior.Fica a minha pergunta: Qual atitude deve tomar o servidor nessa situação? Acredito que isso aconteceu não apenas comigo, mas com vários profissionais.Só nos resta continuar a luta, com fé em Deus e a certeza de que é legal; não estamos reivindicando nada além dos nossos direitos que foram cruelmente confiscados, de forma tosca e arbitrária. Obrigada por tudo, Euler. Você é a nossa fonte de informação mais eficaz nesse período conturbado, em que precisamos estar antenados com tudo que acontece nesse contexto."

"Bira Bio PEB3E:

Oi Euler,
Aqui o Governo dando uma de espertinho segurou nossos contracheque até hoje. Nos portal do servidor já estou na carreira antiga desde 6ª feira passada como PEB3E. Mas ele segurou o contracheque de todos os que voltaram para a carreira antiga e minha surpresa que hoje ao ver meu contracheque continuo recebendo o subsídio e ainda com desconto de falta/greve.
Estava louco para receber o contracheque com o valor antigo, mas parece que o governo anda lendo seu blog e está com medo de criar provas contra si (rsrsrsrsrssr), acho que é um leve sinal de que nossa greve desde o dia 08 não é em vão.
O governo diz que não negocia com grevistas, mas eu não saio desta greve de mãos abanando e espero que todos os que estão nesta luta aguentem, pois preciso de vocês para desmoronar este ditador "alegre".
Muita força, abraços a todos e sou elo da corrente."



"Blog de Marcelo Simas Mattos:

Euler, meu nome é Marcelo Simas, sou de Juiz de Fora, designado e estou em greve.

Aqui em minha cidade tem várias escolas em que a participação na greve é pouca. Mesmo com a atuação do sindicato local que vem fazendo vários atos em prol do movimento de greve, vejo que muitos professores, por conformismo ou alienação, não estão dando importância a nossa causa e reivindicações.

Em conversas com professores que não quiseram entrar em greve, pude constatar que vários professores se sentiram ameaçados com a possibilidade de corte de salário (o que não ocorreu) ou estão contentes com o pífio aumento que tivemos em 2010 e aceitam passivamente o que o governo vem fazendo com relação à tentativa de retirar as conquistas dos professores com implantação do subsídio. Temos que conscientizar estes professores que as conquistas, por causas justas, só são alcançadas com mobilização.

Acredito neste “núcleo duro” de educadores citado por você e estou em greve pela confiança neste núcleo e para engrossar o movimento, a fim de lutarmos por nossos direitos e pelo respeito à nossa classe."


"João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Aqui vai um comentário ao seu artigo no blog do Luís Nassif

''João Paulo Ferreira de Assis

Não adianta só a Lei do Piso. No Brasil é preciso toda uma legislação para garantir o cumprimento da lei. Ou se faz a federalização da Educação Básica ou os objetivos procurados pela Lei 11738 não serão alcançados. Por exemplo, é preciso que o Congresso Nacional tenha competência para processar e declarar o impeachment de governadores que não cumprem as leis federais. Mas como essa proposta vai despertar uma tremenda grita, a condição sine qua non para a recepção pelo Congresso Nacional seria a rejeição do pedido de impeachment do governador pela Assembleia Legislativa, mesmo com a existência de provas que incriminem o governador. Em Minas, por exemplo, é humanamente impossível aprovar o impeachment do Anastasia. Seus deputados nunca iriam aprovar tal saneadora providência. Por isso que é preciso aumentar os poderes do Congresso Nacional''.

Porque convenhamos, a carneirada do Anastasia jamais vai aprovar a abertura de um processo de impeachment contra ele."


"Luciano:

Caro Euler,

A causa do Magistério é mais do que justa, mas precisam de algo maior, mais forte, para demover o Governo dessa posição de não querer saber de negociação enquanto a greve persistir. Se o Ministério Público não acatar a denúncia feita pelo SindUte em 10/06, a situação vai continuar desse jeito indefinidamente...
E a persistir essa indefinição, apesar de haver um bom número de professores dispostos a ir as últimas consequências, mas a Categoria como um todo também seguirá essa linha?? No pagamento efetuado hoje só apareceu os impactos das paralisações feitas em maio último, mas no próximo pagamento serão sentidos a paralisação deflagada a partir de 08/06 e se a greve persistir todo o mês de julho, ninguém terá pagamento a partir da referência de agosto/11... Vos coloco isso, pois todos indistintamente tem contas a pagar, comida a colocar na mesa além de outras particularidades que devem atender, e se a greve ficar nesse impasse, é perigoso o movimento se esvaziar, a despeito da legitimidade da causa. O "núcleo duro" do movimento segura isso só no discurso??
Sinceramente rogo que o Magistério logre êxito nesta jornada, mas nessa queda de braço sem fim parece que não irão chegar a lugar algum. É preciso provocar e contar com outros fatores para se chegue a solução final, e ao que parece serão os tribunais, local onde originou a situação que se tem agora. Se o STF de certo modo começou, ele deveria ser acionado a se fazer cumpir o que determinou.

Luciano."


"Anônimo:

Grande Euler, o governador está começando a balançar, tem que cobrar do sindicato esta questão de posicionamento de uma forma e suicídio do outro. Estamos incomodando kkkk. E Euler, estão realmente olhando o seu blog, cuidado para não dar dicas para eles kkkkk. Força na luta companheiro, vamos a peleia tchê. greve, greve, greve"


"Jose Antonio:

Sr Professor Euler sou pai de 3 alunos da escola publica porque não posso pagar colegio particular porque sou taxista aqui em BH e ganho pouco embora ganho mais que voces Quero manifestar o meu apoio pela greve de voces pois entendo perfeitamente o desprezo do Sr Governador Anastasia com voces e com os alunos entre eles meus filhos, sobrinhos e 1 irmão. E impressionante como os politicos trata os professores Este Sr Anastasia vai ficar guardado na minha cabeça e nas cabeças da minha familia Meu filho mais velho me ensinou a entrar no blog so para apoiar o Sr Professor Euler e os professores de todo o brasil Jose Antonio Agora o filho vai tentar mandar este recado Saudaçoes"
.

Comentário do Blog: Caro Jose Antonio, agradeço muitíssimo esta sua manifestação de apoio aos educadores de Minas, e à própria causa da Educação pública. De fato, estamos lidando com um governo insensível para com os de baixo; ele trata com desprezo educadores e trabalhadores da Saúde, justamente aqueles que prestam os mais relevantes serviços para as famílias de baixa renda. Como você mesmo salientou na sua importante mensagem, mesmo ganhando mais do que um professor, trabalhando dignamente como taxista, ainda assim não pode pagar escola privada para os seus filhos. E é um direito seu e dos seus filhos que o Estado ofereça escola pública de qualidade para todos. É para isso que trabalhamos e pagamos impostos altíssimos que estão embutidos nos produtos que consumimos diariamente. A nossa luta é por uma condição salarial e de trabalho mais digna para os educadores, que reflete na qualidade do ensino público que prestamos. Estejamos juntos nessa luta. Parabéns pela iniciativa, sua e dos seus filhos. Um forte abraço.


"Graça Aguiar:

Caro Euler

Você está certo em pensar que o objetivo dos nossos governantes estaduais é a privatização da educação e esse processo está sendo implementado pela desvalorização dos docentes e o sucateamento das unidades escolares. Não se iludam que esse é o propósito.

A educação pública sob essa ótica é um filão de verbas a ser explorado pela iniciativa privada, que generosamente sabe recompensar essa liderança com gordas contribuições para as campanhas eleitorais e apetitosas propinas.

Para nossa elite tacanha e seus acólitos, educação para pobre e direitos trabalhistas são encarados como favores e não direitos constitucionais. O exercício da cidadania tem que ficar restrito ao cumprimento dos deveres (pagar impostos, votar, etc.), a luta do cidadão em defesa dos seus direitos é vista como insubordinação e rebeldia.

Nós professores somos uma pedra no sapato desses senhores, pois o nosso trabalho é libertar a população e terminar com as trevas coloniais que ainda insistem em nos manter nas trevas da ignorância. Em tese somos inimigos do sistema.

Tens razão quando afirma que a nata dos educadores é que estão em greve, somente aqueles que, são de fato educadores, compreendem e estão indignados com a educação placebo que está sendo prestada, pois ela não é de graça, aos contribuintes. Na greve há a separação entre o trigo e o joio, enquanto o primeiro vai à luta o segundo permanece em sala dando continuidade ao seu não-fazer, pois não respeitam os alunos da escola pública e se rebaixam atuando como jagunços dos neocoronéis.

É triste perceber a miséria econômica e moral desses pseudos professores, que mesmo sob a chibata continuam a lamber as botas dos seus senhores.

Força e união na luta, pois a vitória só depende de nós.

Grande abraço"


Comentário do Blog: ótima análise, combativa colega Graça Aguiar. E força na luta aí no Rio de Janeiro, onde os educadores também estão em greve. Parabéns pelo excelente trabalho que desenvolve também através do seu blog, o S.O.S Educação Pública. Um forte abraço e força na luta!


Caros colegas: A exemplo do conceituado jornalista Luis Carlos Azenha, que tem aberto espaço para os educadores através do seu blog Vi o Mundo, outro igualmente conceituado jornalista, Luis Nassif, tem feito o mesmo no seu visitadíssimo blog Luis Nassif Online. Desta vez, publicou um comentário que fiz sobre a questão do piso e a luta pelo PNE - que o nosso combativo amigo professor João Paulo já havia comentado acima. Quem desejar visitar o texto citado, clique aqui.

"Igor:

Opa companheiro Euler, saudações!!!

Fiquei muito feliz ontem com nossa ASSEMBLEIA lotada como nas duas últimas semanas, e mais ainda com o nosso ato e trajeto da passeata. Foi mto bom passar em frente ao MPF e TJMG mostrando nossa indignação.

Feliz ainda por que ontem encontrei companheiros da escola São Judas que tinham voltado sexta e nós fomos a escola na segunda pedindo que retornassem ao movimento, quando um colega da escola que estava presente me chamou e disse "VOLTAMOS PARA A GREVE", então posso garantir que os percentuais aqui continuam o mesmo, tinha sido o único refluxo da semana, ou melhor aumentou pois a escola Juca Pinto aderiu ao nosso movimento na totalidade.

Vamos rumo a vitória, o PISO é LEI e com força e garra o PISO sai na marra.

Abs
Igor"
.

"Professora:

Euler, Fui ver o meu contracheque e ainda está no subsídio, porém, apareceu a seguinte mensagem: OCORRÊNCIAS:
CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa., A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RETORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.007,20

Isso significa que no próximo mês meu salário vai diminuir... Não é inconstitucional?

Outra coisa, como saber quais e quantos dias de paralisação foram cortados? Lá só aparece o total.
Obrigada"


"Mara:

Oi Euler!
Quando comecei a ler seu Blog, você utilizava com certa frequência a palavra bunker, rsrsrs
Eu até pesquisei o que era...
Vc n a utiliza mais.
Curiosidade:
o bunker é a sua casa ou apenas a parte onde fica seu escritório? Abrs, MARA"
.

Comentário do Blog: olá, combativa colega Mara, o meu bunker é de fato um bunker, ao mesmo tempo morada, refúgio, escritório e outras cositas más! rsrs.

"Anônimo:

Caros Amigos,

Sou 'SOFREDORA", quer dizer, "professora"... e vivo assim como todos da classe, uma luta constante para sobreviver nesta selva, onde ser professor, é ser sofredor... durante o dia trabalho também em outra área, onde também não somos respeitados como deveríamos: área da saúde... como não posso participar das assmbléias, vou acompanhando através de seu blog, do sindicato e contato com outros colegas...Definitivamente é triste saber e sentir "na pele" como somos desvalorizados, desrespeitados por nossos governantes.
Mas enquanto isso, vamos caminhando... lutando por uma educação melhor, um ensino de qualidade e condições de trabalho mais digno...
Recebi hoje pela manhã o "Sermão da Montanha" versão para educadores...
Nem Cristo aguentaria ser professor!
Nem o Senhor Jesus aguentaria ser um professor nos dias de hoje....
O Sermão da montanha (*versão para educadores*)

e achei interessante...

abraço e muita força para todos nós

Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem.
Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens.

Tomando a palavra, disse-lhes:

- Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.
- Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
- Felizes os misericordiosos, porque eles...?

Pedro o interrompeu:
- Mestre, vamos ter que saber isso de cor?

André perguntou:
- É pra copiar?

Filipe lamentou-se:
- Esqueci meu papiro!

Bartolomeu quis saber:
- Vai cair na prova?

João levantou a mão:
- Posso ir ao banheiro?

Judas Iscariotes resmungou:
- O que é que a gente vai ganhar com isso?

Judas Tadeu defendeu-se:
- Foi o outro Judas que perguntou!

Tomé questionou:
- Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?

Tiago Maior indagou:
- Vai valer nota?

Tiago Menor reclamou:
- Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.

Simão Zelote gritou, nervoso:
- Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?

Mateus queixou-se:
- Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!

Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
- Isso que o senhor está fazendo é uma aula?
- Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica?
- Quais são os objetivos gerais e específicos?
- Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?

Caifás emendou:
- Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas?
- E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais?
- Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?

Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
- Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade.
- Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.
- E vê lá se não vai reprovar alguém!
E, foi nesse momento que Jesus disse: "Senhor, por que me abandonastes..."
"

"Professora:

Oi de novo, rs
Postei comentário sobre a redução de salário anunciada no meu contracheque para julho. Lembro de ter lido aqui no blog, você, Euler, dizendo que isso não pode.
Queria saber se apareceu esta mensagem no contracheque de mais algum colega. Observem, fica no final de tudo.
O que devemos fazer?

OCORRÊNCIAS:
CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa.,
A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RE-
TORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.007,20"


"Beatriz:

Euler, ao consultar meu contracheque agora no portal do servidor, verifiquei que foi acrescentado a seguinte informação: "Ocorrências:

CONFORME OPÇÃO PREVISTA NO ART. 5º DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa., A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARÁ DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSÍDÍO, RETORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.179,10."

Sou efetiva numa cargo com exigência curricular totalizando 20 aulas.
E agora? Esse dado já não serve como comprovação do não cumprimento da lei do piso não? O que você acha?
Obrigada,

Beatriz"

"Anônimo:

Euler, meu contra chque continua no subsídio, portanto com a seguinte ocorrência:
CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa., A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RE-
TORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 927,81.
Isto significa que terei redução de salário no próximo mês?"


Comentário do Blog: de fato, colegas, reparei agora também que o governo inseriu esta "ocorrência" no nosso contracheque. No meu caso, o salário volta ao "teto" anterior de R$ 935,00. Mas, acho que o governo está fazendo isso para novamente tentar intimidar os colegas. Primeiro, porque considero ilegal rebaixar os salários; segundo, porque por este valor terá que citar o vencimento básico abaixo da lei do piso, cometendo assim outra ilegalidade. Ora, já existem evidências suficientes para o sindicato acionar novamente a Justiça e pedir providências imediatas. O governo deve pagar o piso e não cortar os dias parados, pois está comprovadamente evidenciado que está agindo ao arrepio da lei.

"Luciano:

Caro Euler,

Se me permite o pitaco na questão da ocorrência que consta no demonstrativo referente a Junho/2011 que está sendo pago hoje, como já lhe havia postado em outra oportunidade, creio que o Governo fez bobagem com quem optou por retornar a sistemática anterior ao Subsídio. Como consta no artigo citado na ocorrência, quem manifestasse e protocolasse seu pedido de retorno a sistemática vigente em Dez/2010 teria efeito a partir do primeiro dia do mês seguinte ao do protocolo. Pois é, ao que parece isso não foi possível e se não houver mais nenhuma tamancada, no pagamento referente a Julho/11 que será pago até o 5º dia do mês de Agosto quem requereu o retorno finalmente terá a remuneração com a sistemática vigente em Dezembro/2010. Acho que isso explica o motivo da não consulta dos demonstrativos no portal do servidor antes de hoje, 07/07. Ah, no próximo pagamento também começaram a ser sentidos os efeitos da greve, pois certamente serão descontadas as faltas-greve referente ao mês de junho e o movimento pegou mesmo a partir de 08/06. Além de voltarem a remuneração referente a Dez/2010, ainda vem os descontos da greve...
Vou bancar o Advogado do Diabo mas não pode se argumentar que houve um rebaixamento de salários, visto que foi opção do servidor retornar a remuneração vigente em Dez/2010 e o servidor ao fazer esta opção sabia que se comparando a remuneração do citado mês com a do subsídio teria perda financeira se optasse pela sistemática anterior ao subsídio... Mas vai dar margem a questionamentos judiciais essa diferenciação entre quem recebe por subsídio ou não. O Governo não fala que paga o Piso Nacional através do subsídio, mas se tivermos professores que manifestaram e exerceram um direito que a Lei do Subsídio lhes facultou (justamente o que consta na ocorrência dos demonstrativos) poderia continuar afirmando isso??
Agora é suposição minha, passível de confirmação, mas o Governo será forçado a cumprir a Lei do Piso, não da maneira que o SinUte vem colocando, com aquele piso de R$ 1597. Se pubicado o tal do Acordão do STF e se exercidas as pressões em cima do MP e até do próprio STF para que uma decisaõ em instância máxima da justiça brasileira seja cumprida, não duvido que o Governo já tenha seu plano traçado, e neste ele dará um jeito de beneficiar sua cria, o subsídio. Estou a supor que ele irá cumprir o piso de R$ 1187 mas proporcional a carga horária praticada aqui em Minas, e de cara suponho que irá incorporar pelos menos duas verbas ao vencimento básico: A Vantagem Temporária Incorporável (VTI) e a Parcela Complementar Remuneratória do Magistério (PCRM). A VTI creio que será incorporada e a PCRM caso não seja, será usada para balizar a remuneração de quem optou pelo sistema antigo não ultrapasse o valor do subsídio correspondente...
Há outras situações que poderão ser questionadas, visto que elas gerarão conflitos de igualdade de direitos aos professores. É só aguardar e prestar atenção.

Até!!

Luciano."


Comentário do Blog: caro Luciano, para a lei não existe esta opção de voltar a ganhar menos, não importa em que regime remuneratório esteja o servidor. Não se trata de uma opção pessoal, do tipo, eu peço para ganhar menos. A jurisprudência é clara: não se pode reduzir o valor nominal da remuneração do servidor, mantida a mesma carga horária e função. Além disso, o governo não pode dar reajuste salarial para uma parte apenas da categoria, estando todos submetidos ao mesmo plano de carreira. No sistema do subsídio, após somar tudo, o governo aplicou um reajuste salarial, mas esqueceu-se de que, ao retornar ao antigo sistema - possibilidade que a lei do subsídio faculta -, o servidor ficaria sem este reajuste já aplicado e pago nos últimos seis meses. Isso, caso não houvesse a lei do piso, já seria uma enorme dor de cabeça para o governo. Com a lei do piso então, nem se fala. O governo estará pagando um valor de vencimento básico abaixo do que manda a lei, num período posterior à decisão tomada pelo STF (06 de abril), num claro gesto de desrespeito aos mandamentos legais vigentes: descumpre a Lei do Piso e descumpre a decisão do STF. E se em função desta redução salarial, o servidor arguir na Justiça que teve inviabilizada a possibilidade de honrar os compromissos firmados com base no poder aquisitivo adquirido, talvez o governo tenha que ressarcir, inclusive com multa, os danos materiais e morais do servidor. Ou seja, sob todos os ângulos que se analisem a questão, quem está em pior situação é o governo, que não cumpre a Lei do Piso, e nem mesmo a do subsídio, a da Greve, enfim. E se considerarmos que o governo pode não estar aplicando os 25% da Educação, então já se pode pensar na abertura de uma CPI na ALMG ou até no Congresso Nacional (como vem sugerindo nosso dileto amigo João Paulo) para apurar as contas da Educação em Minas. Tudo isso sem falar no desgaste político que o governador e seu padrinho sofrerão, pois está em jogo toda a gestão deste governo e do anterior, tão propalada como "eficiente". Talvez seja melhor para o governo pagar o piso, a continuar com esta queda de braço contra os educadores.

"Paulo:

Redução de salários. Educadores em greve. Nenhum sinal de que o governo estadual vá pagar o piso.Nenhuma intervenção do governo federal e do Mec a nosso favor. É companheiros..... temo que o velho e conhecido "filme" das lutas inglórias da educação esteja se repetindo. Nadamos, nadamos, nadamos..... e morremos na praia. O que o sr ministro da educação do brasil (brasil com letra minúscula mesmo) tem a dizer sobre toda essa desgraça armada pra cima dos educadores ??? Alias, é dificil esperar que um ministro, que sequer foi capaz de organizar um enem, tenha algo produtivo a dizer aos educadores do país. Como bem disse Charles de Gaulle : "O brasil não é um país sério!""


"Anônimo:

Após reunião iniciada às 14 horas desta quarta-feira (06) no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), trabalhadores da educação decidiram pela permanência em greve por tempo indeterminado. A assembleia contou com a participação de cerca de 5 mil servidores, segundo o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG).
De acordo com a coordenação do sindicato, durante o encontro foi feita uma avaliação do cenário das paralisações e traçados os novos rumos do movimento. Também foi atualizada a adesão à greve que, até o momento, está superior a 50% de paralisação em todo o Estado. Um percentual pouco maior do que o registrado no início do movimento, no dia 8 de junho.
Já o governo contesta esta informação, apresentando números que mostram que apenas cerca de 3% das escolas estejam totalmente paradas e que outras 16,33% tenham aderido parcialmente ao movimento grevista.
Os trabalhadores da Educação reivindicam o imediato cumprimento do Piso Salarial, conforme estabelece a lei 11.738, que regulamenta o Piso hoje em R$ 1.597,87, para uma jornada de 24 horas e ensino médio completo. Segundo eles Minas Gerais paga o Piso de R$ 369,00, que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores (CNTE), é considerado o pior Piso Salarial dos 27 estados brasileiros.
O sindicato afirma que, até o momento, não houve acordo com o governo. Já a assessoria de imprensa do governo afirmou que os canais de negociação sempre estiveram abertos, mas que não houve procura por parte do sindicato.
Nova Assembleia Estadual foi marcada para quarta-feira (13) no mesmo horário e local.

Portal Realeza
portalrealeza@portalrealeza.com"


"Paulo:

Caro Euler, após ler seu último comentário em reposta ao que foi digitado pelo Luciano história,eu fico pensando: Até que ponto o governo estará criando problemas ao desrespeitar todas essas leis e, ainda por cima, criar outras inconstitucionais ? Digo isso por estar ciente de que estamos lidando com governos que desrespeitam toda e qualquer lei e nada acontece com eles.O próprio governo federal e o ministério público são coniventes com os governos estaduais e municipais. Até agora, depois de décadas e décadas, os únicos penalizados, massacrados fomos nós educadores!!! Entra governo , sai governo , desrespeitam leis , direitos , violam constituição e nada acontece. Pelo contrário, nós é que somos tratados como bandidos pelo sistema.Como acreditar que ainda podemos sair vitóriosos com todo o sistema e poder nos oprimindo e nos massacrando ??? E não me venham com palavras como : "temos que acreditar"....temos que lutar!....ora bolas, acreditar em que instituições nesse país podre e corrompido ???? Desculpem o desabafo, mas as vezes eu comparo o nosso esforço de luta contra o sistema com o esforço de uma formiga tentando carregar um elefante para dentro do formigueiro."


Comentário rápido: O Luciano em questão não é o Luciano História, mas outro Luciano. Segundo: calma, pessoal, não vamos superestimar a capacidade do governo de fazer tudo o que bem entende. Não é bem assim. Já teve governador que perdeu mandato, presidente que sofreu impeachment, prefeitos que estão presos, deputados e senadores que foram cassados, desembargadores (o último deles, primo do faraó), que foram afastados por venderem habeas-corpus para traficantes, etc. Enfim, apesar de tudo, a pressão popular, a nossa greve que pressiona o governo, as auditorias, por mais lentas que sejam, acabam surtindo algum efeito. Não vamos também nos fazer de derrotados eternos. Já tivemos conquistas anteriores e derrotas também. Ontem mesmo eu publiquei a vitória dos colegas de Santa Catarina na Justiça. Não pensem vocês que lá também não tem os seus coronéis. Tenhamos uma visão mais otimista das coisas, e acreditemos na força da nossa luta, pois é ela que fará toda a diferença, até mesmo para influenciar as decisões judiciais.


"Anônimo:

CAROS COMPANHEIROS DO BLOG,
SINCERAMENTE EU TENHO A SENSAÇÃO OU MELHOR A CERTEZA, DE QUE O GOVERNO NÃO VAI, NÃO VAI MESMO NOS PAGAR O PISO. SE UMA LEI COMO A LEI 100 QUE É TOTALMENTE INSCONSTITUCIONAL ESTÁ EM VIGOR A QUASE 5 ANOS, E NEM O MINISTÉRIO PÚBLICO FOI ACIONADO, VCS ACHAM QUE STF, TJMG E OUTROS SEGMENTOS COMPRADOS VÃO PRESSIONAR OS GOVERNADORES A PAGAREM O PISO? JAMAIS. E ESSE NEGÓCIO DE QUE É INSCONSTITUCIONAL BAIXAR O SALÁRIO DOS PROFESSORES É CONVERSA PRA BOI DORMIR. VCS SABEM QUE PARA O GOVERNO DE MINAS NÃO EXISTE LEI. SE EXISTISSE, AS COISAS NÃO ESTARIAM NO PÉ QUE ESTÁ. É UMA PENA CHEGAR A ESSA CONCLUSÃO, MAS VAMOS ACABAR O ANO EM GREVE E O GOVERNO ESTÁ SIMPLESMENTE FIGINDO DE MORTO PRA GENTE. DESCULPEM MEU DESABAFO!!!"


"ABC:

Euler, o meu contracheque também vem avisando que voltarei para a carreira antiga e receberei menos. Perguntas:

- Quem ficará com a diferença que não receberei?
- Se no subsídio houve aumento médio de 5%, por que não aplicá-lo no sistema antigo também? Pior do que está não fica.
- Quando há aumento para governantes, ninguém discute, mesmo a população sendo contra, o pagamento já aparece no mês seguinte. Assim por que tanta prorrogação para pagar o piso?

COM FORÇA, COM GARRA, O PISO SAI NA MARRA!!!

ABC"


"Prof. Sebastião de Oliveira - Carangola:

Caro Euler,
Acho que os professores não precisam se preocupar, se o valor do contra cheque de agosto for o mesmo de dezembro de 2010. Neste caso é só entrar na justiça que ganharão, com certeza, na primeira instância. Se achar que o jurídico do Sind-ute é lento, procurem um advogado particular, formando grupos para não encarecer a ação. Os documentos necessários serão:

a) Contra cheque
b) Lei do Piso
c) Ata do Julgamento do Piso pelo STF

Prof. Sebastião de Oliveira - Carangola"


"Luciano:

Caro Euler,

Bateste num ponto crucial do assunto: temos quase por todos os angulos pontos que poderiam ser questionados por via administrativas e até judiciais, caso os argumentos apresentados ao Governo não fossem atendidos. Será que antes de deflagrada a greve, todas as contradições apresentadas pelo subsídios foram colocadas na mesa pelo SindUte quando dessas enfadonhas reuniões com a SEE, e mais envidenciadas pela decisão do STF de 06/04, essa queda de braço que ora acontece estaria nesse impasse?? Se o Governo não cedesse amistosamente na mesa de negociação, judicialmente a coisa seria outra e visto que estão devidamente embasados... E como dizem, decisão judicial é para ser cumprida.
O que me chama atenção é que a Lei do Subsídio foi promulgada em 30/06/10 e, salvo engano, até a decisão do STF o SindUte estava meio reticente com opinar afirmativamente com relação ao mesmo. Se não fosse isso... Agora entendo que o Jurídico do SindUte deve atuar mais fortemente do que nunca, pois se esperarem algum passo do Governo... Agora creio que a decisão dessa confusão toda passará pelos tribunais, e que a representação do Magistério esteja bem preparada para defender seus interesses e demolir as contraargumentações do Governo, pois esse aí mesmo quando achamos que está acuado, ele aparece com uma jogada que ninguém espera e deixa todo mundo desconcertado. A greve do ano passado que o diga, pois ninguém esperava que ele soltasse o subsídio...
Mas o próprio subsídio atenta contra ele mesmo, pois o Governo com a implementação deste simplesmente solapou e fez desmoronar o parco Plano de Carreira que nos deram em 2004. Até para quem optar pelo subsídio tem como questioná-lo, pois o mesmo é só uma forma de remuneração e de maneira alguma deveria ter mexido nas evoluções das carreiras dos servidores. E só para constar, o atual Plano de Carreira precisa de mudanças urgentes...
Enfim, meu caro, essas querelas parecem que só se resolverão nos tribunais. Mas atente pois de repente o que for deliberado não será como o reivindicado. E se me permite, evitem o máximo colocarem a ALMG e até o Congresso Nacional no enrosco atual, pois uma CPI tanto aqui como em Brasília serão barradas. A da ALMG por questões obvias do Anastasia ter a maioria e a turma não vai querer afrontá-lo e lá em Brasília não sai por conta do Governo Federal ser de certa forma obrigado a assumir responsabilidade que não lhe seria conveniente agora e também o colocaria em saia tão justa como a do Governo mineiro. Mas que tanto um como o outro tem que ser chamados não só pelos profissionais da Educação, mas por toda a Sociedade Mineira e Brasileira a discutirem e encaminharem soluções para a Educação do Brasil, que dia a dia vai se definhando e se providências não forem tomadas, brevemente teremos uma geração de pessoas incapazes de gerirem seus destinos e deste país, fomentando ainda mais o atual quadro de concentração de riquezas e poder nas mãos de poucos.
Quem dera que o problema da Educação fosse só os salários de seus educadores, mas sabes muito bem que só boa remuneração não vai resolver tudo que passa ao lecionar e se sentir realmente valorizado e digno do nobre ofício que exerce.

Luciano."


"Anônimo:

Voces leram no rodapé do cotra cheque de Junho.
CONFORME OPÇÃO PREVISTA NO ART 5º DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSª, A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARÁ DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RETORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA. Ele pretende diminuir os salários.KKKKKKK"
.

"Anônimo:

Não é mesmo...o brasil é um paraíso para toda sujeira e por que não dizer roubalheira????Nós vemos todos os dias "desvios daqui, dali..." dinheiro está sobrando para eles pegarem mas os trabalhadores não merecem...Meu Deus que indignação...Eles viram e vêem a cada dia que tudo que fizermos aos outros ...estamos fazendo para nós mesmos...que pagamos tudo aqui..mas eles não enxergam que os professores ganham uma merreca...existe leis ..e precisam ...devem ser cumpridas....Não sei o que esta gente tem na cabeça...Eles sabem que estão errados mas não tomam tenência...a vida passa ...eles passam...morrem ...e continua a corrupção neste país...Não precisava isso ...nada disso...bastaria um pouco de boa vontade política, honestidade, escrúpulos, brio, Eles não tem ...e veriam o quanto estamos ganhando ...se estes governantes não querem um país bem visto...culturalmente bem visto...com menos criminalidade...então iriam investir mais na educação... Aqui tudo é para "inglês ver"...vivemos num sonho... não pesadelo.. fazemos greve para receber o que é de direito...alunos ficam sem aulas... e eles continuam sonhando que são os melhores...Se alguém deste governo ler este blog...por favor mostre a ele... que não se brinca de fazer greve...estamos nos desgastando.. os pais... os alunos....e aí é pior... ficaremos mais frios...rígidos...sem alma .. mesmo....daí surge a criminalidade...é assim...vendo injustiças ...e injustiçados... O que eles querem afinal????Passar nesta vida fazendo somente coisas erradas... sendo cruéis com os mais fracos???os de Baixo??? Por favor... sejam mais humanos... Não irá lhes custar muito..."
.

"Anônimo:

Fazendo um passeio na net agora, vi uma notícia no site da CNTE que me fez analisar: não é necessário publicação do Acórdão para que a Lei 11.738 seja cumprida. Que informação desnecessária! Eu e muitos colegas gostaríamos de saber é o que esta entidade representativa da Educação está fazendo para cobrar o cumprimento desta Lei aos gestores, em nível nacional. Paralização dia 16 de agosto? Brincadeira. E o SindUte? Novamente vamos voltar às discussões de meses atrás , com relação a opção remuneratória: o Sindicato precisa fazer diferente! E acho que podemos cobrar, sim, pois somos filiados, contribuimos, pagamos um corpo jurídico, não é mesmo? Se queremos fazer valer nossos direitos diante do Governo Estadual, também o queremos com relação aos representantes da nossa categoria.Já está mais que claro que esta pendenga só tem um caminho:judicial. A estratégia tem que ser por aí, porque eu nunca vi tanta inconsistência, bagunça e desrespeito de uma vez( olha que tenho 27 anos de magistério e muitas greves!)Quando vejo essas coisas, como por exemplo , a notinha de rodapé do contracheque, o corte dos dias de greve, fico pensando: que país é esse? E vejo educadores se rindo "eu não falei que não adiantava, que vocês iam sair perdendo?" "se alguém tá podendo trabalhar por ideal..." me sinto muito triste, mesmo.Acho que a mais pura desilusão. Enfim, precisamos trabalhar com a idéia de resolver essa situação nos tribunais, porque é insuportável pensar que o Sr. Bolinha de Azia pode ganhar esta ."

"Anônimo:

É preciso fazer a diferença!

Com essa insensatez do governo, temos de ponderar alguns aspectos, que neste espaço foi mencionado:
Primeiro, os educadores que aderiram são EDUCADORES, não estão só professando o conhecimento em sala de aula, é gente politizada, conhece seus direitos, sabe bem o que está almejando, tem dimensão de futuro e também de um país decente. Já se tem o panorama de quem está parado, com raríssimas exceções são educadores que fazem acontecer os projetos nas escolas, são educadores que tomam as rédeas do que acontece na escola, mas não se deixam sucumbir aos desmandos do governo. São esses educadores que fazem a diferença na escola e que estão fazendo a diferença nesta paralisação. São aqueles educadores que quando tiram licença ou ficam de férias-prêmio os alunos sentem a falta deles, pois esses mais do que conhecer o conteúdo que ministram têm exemplo a dar, têm postura de educador, é dessa gente que a escola brasileira/mineira precisa, então trate o governo de respeitar esses EDUCADORES, porque são eles que elevam o nível de educação deste Estado. Que esses governos deixem de discursos vazios nos palanques eletrônicos para angariar votos do Povo e se mostrem verdadeiros em seus discursos na hora de cumprirem a Lei, este descumprimento da Lei, também é um péssimo exemplo para um governo que quer ser DECENTE.
É preciso haver mais respeito, pois da mesma forma que não se EDUCA com maus exemplos, também não se GOVERNA com maus exemplos.
Professora Mineira"


"Anônimo:

Caro Euler e colegas que visitam esse blog Copiei o texto abaixo do blog Beatriz Cerqueira, é importante que leiam para dar andamento a nossa luta. Se alguém recebeu o contracheque com remuneração composta é importante que o envie a ao sind ute até ida 15.

"O Sind-UTE foi notificado pela Promotoria Especializado de Defesa do Patrimônio Público a comparecer ao Ministério Público, no dia 12/07, para prestar esclarecimentos para fins de instrução do Inquérito Civil Público que apura a ausência de cumprimento da Lei Federal 11.738/08.

Uma importante prova do descumprimento da lei é o contracheque atual.

Peço que quem conseguiu visualizar o contracheque e que já esteja na remuneração composta do vencimento básico, o encaminhe por e-mail para apresentarmos à Promotoria como prova.

Precisa enviar até 18 h do dia 11/07.
E-mail do Sind-UTE MG: sindute@sindutemg.org.br" Será que alguém recebeu na remuneração antiga , se isso aconteceu as coisas começam a melhorar. Fé, muita fé."


"Silvia:

Não vou comentar sobre a greve, salários e pisos. Só quero chamar atenção para uma reportagem que acabo de ler. ânsias de vômito(com o perdão do termo). EXISTE ALGUMA LEI QUE IMPONHA LIMITES PARA CINISMO???? http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=123466
QUEM TEM UM ESTÔMAGO FORTE, OLHE E DEIXA UM "ELOGIO"!!!! "


"Ricardo:

Caro Euler,

o momento é de reflexão... deixemos o pessimismo de lado e continuemos com a mobilização. Não há porque ficarmos contabilizando em seu blog pontos de vista que não acrescentam em nada. Se lamentações resolvessem problemas já teriamos muitas situações resolvidas. O momento é de novas articulações. Com certeza o sindicato, juntamente com os professores, encontrará novos caminhos para a nossa conquista definitiva. Ainda acredito que estamos no caminho certo.

FORÇA NA LUTA!!!

P.S. Continue sendo essa voz importante para o nosso movimento."


"Alexandre Campos:

Boa noite Euler, caro combativo e amigo, acho que posso o chamar assim, pois a informação aqui é em tempo real. Obrigado.
Vamos lá, precisamos lembrar que a maioria optou pelo antigo sistema remuneratório em maio, então no mês subsequente, que seria em junho/2011 já deveríamos receber o sistema antigo. Mais uma vez esse governo não cumpre nem com sua própria lei, pois teve a "dignidade", pensou ele, em nos informar que a partir de julho é que receberemos no sistema antigo. Como ele colocou SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL, ele que dizer seu vencimento bruto não será o piso nacional...Pois o meu valor, que tenho dois cargos estou é perdendo salário.
Mas como ele já disse através de seus representantes, que a proporcionalidade do piso para o professor com ensino médio seu salário será de 712,00. Ele não estará cumprindo com a lei do piso no próximo pagamento.
Esse governo não joga para perder, precisamos fazer alguma coisa... Governo mentiroso e descumpridor de leis, vamos começar a gritar impeachment deste governador.
Outra coisa, ontem visitei o portal R7.com, lá no programa do cidade Alerta com o Datena, tem como fazer denúncia, fiz a minha contra mídia que não divulga nossa greve, explicando um pouco como você sempre faz aqui. Seria interessante que mais, mais e mais professores fossem até ao portal R7 e fizessem a mesma denúncia, que em Minas os professores estão parados desde o dia 8 de junho por que o governo não cumpre a lei do pagamento do piso salarial.
Abraços"
.

"Anônimo:

Prof Euler,
Apesar dos pesares, há esperanças e muitas! Depois de S.Catarina, agora, a Justiça do Rio dá exemplo a ser seguido pela justiça de Minas, veja:

VITORIA DOS COLEGAS DO RIO
Justiça proíbe governo do Rio de cortar o ponto de professores em greve
Plantão | Publicada em 07/07/2011 às 19h10m
O Globo (granderio@oglobo.com.br)
O Tribunal de Justiça do Rio concedeu liminar em favor do Sindicato Estadual dos Profissonais de Educação (Sepe), impedindo o corte no ponto dos profissionais da rede estadual de ensino, em greve desde o dia 7 de junho. A decisão também impede que o governo do estado desconte os dias parados e determina que seja feita a devolução, em folha suplementar, dos valores que já tenham sido indevidamente descontados. De acordo com o Sepe, a medida é uma vitória da mobilização da categoria que, por duas vezes foi até o Fórum acompanhar audiências da direção do Sepe com o juiz encarregado de julgar o pedido de liminar do sindicato para impedir o corte no ponto dos grevistas.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/07/justica-proibe-governo-do-rio-de-cortar-ponto-de-professores-em-greve-924861014.asp#ixzz1RSzXUYiY

© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/07/justica-proibe-governo-do-rio-de-cortar-ponto-de-professores-em-greve-924861014.asp#ixzz1RSzHkCMa"
.

"Paula:

Vejam o que eu li no blog da Beatriz. Isso é bom ou ruim? Será que o MInistério Público pediu isso porque sabe que o sindicato não tem como apresentar um contracheque atual com o valor do piso? Um abraço, Paula.

Contracheque para o Ministério Público
O Sind-UTE foi notificado pela Promotoria Especializado de Defesa do Patrimônio Público a comparecer ao Ministério Público, no dia 12/07, para prestar esclarecimentos para fins de instrução do Inquérito Civil Público que apura a ausência de cumprimento da Lei Federal 11.738/08.
Uma importante prova do descumprimento da lei é o contracheque atual.
Peço que quem conseguiu visualizar o contracheque e que já esteja na remuneração composta do vencimento básico, o encaminhe por e-mail para apresentarmos à Promotoria como prova.
Precisa enviar até 18 h do dia 11/07."


"Anônimo:

PESSOAL DO MAGISTÉRIO, DINHEIRO TEM E MUITO, O QUE SOBRA É LADRÃO. NÃO FOSSE ISSO O BRASIL SERIA O MELHOR DOS MUNDOS. MAS PAGAR BEM A PROFESSOR????? VAI SOBRAR MENOS............ E ELES PRECISAM DE MUITO PARA ENVIAR PARA OS PARAÍSOS FISCAIS."

"PROFESSOR ODAIR JOSÉ - MONTES CLAROS:

Grande Euler,
foi um grande prazer conhecê-lo pessoalmente e agradecê-lo por esse esclarecedor trabalho que fortalece, e ajuda nos rumos da nossa forte greve.
Combativos colegas,assistimos uma assembléia de vitoriosos, com pessoas que sabem exatamente o que querem - DIGNIDADE -COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO - COMPROMISSO COM A CIDADANIA
BRAVOS GUERREIROS EM COMBATE...
A História nos mostra que só conseguiremos ser vencedores, LUTANDO, RESISTINDO!
Não vamos dar ouvidos a PELEGAGEM, vamos continuar firmes na nossa luta e certamente seremos vitoriosos...!

COM FORÇA, COM GARRA, O PISO SAI NA MARRA...
VAMOS RADICALIZAR ESSE MOVIMENTO!
ABRAÇOS E FORÇA NA LUTA...!

PROFESSOR ODAIR JOSÉ - MONTES CLAROS"
.

Comentário do Blog: o prazer foi todo meu em conhecê-lo, combativo colega Odair José. Vamos continuar a nossa luta com coragem e determinação. Até a nossa vitória. Um abraço aos valentes colegas de Montes Claros e força e unidade na luta!

"Anônimo:

Vou jogar um pouco de purpurina nesse maravilhoso blog.
Sou gay. Professor competente. Grevista. Enrustido. Professor enrustido não. Gay. Ainda há muito preconceito. Estou no armário, trancado (aff!!!). Como professor estou atrelado a um salário miserável. Como grevista, tenho esperança.

Juro. No dia em que esse piso for pago, ainda que na marra, saio do armário, uso cor de rosa.
Giz? Só se for colorido! Vou saltitar feliz pela conquista do que me assiste por uma lei superior aos desmandos do governador Anastasia. Não é ele professor também? (...)Deveria conhecer e reconhecer as necessidades e a importância do professor mineiro.
Me aguardem todos os bofes. Dane-se o preconceito.
Pronto. Falei.
Fui. Hoje estou particularmente purpurinado.
Chique esse post? Eu acho. Ui!!!"


"Prof. Rogério Trindade:

A decisão está nas mãos da nossa justiça mineira (que é mais cega que as outras) e que anda se fingindo de surda. Então, acho que é o caso de caçarmos não só o Anastasia, mas também os juízes para que julguem o caso. Não deveríamos deixá-los ter paz nem pra dormir: apitaço e panelaço na cabeça deles."


"Anônimo:

Não entendo por que o Sindute ainda não entrou com uma ação ou liminar para suspender o corte de ponto dos professores. Uma verdade é que o jurídico do sindicato é muito fraco, parece que só tem estágiarios cursando o primeiro período do curso de Direito"

"Anônimo:

Ai... parem de se lamentar! O faraózinho não vai diminuir os nossos salários. Ele pode fingir de doido, brincar de ser faraó, mas alguém já o viu rasgando dinheiro ? Não, né?
Pois bem, caros colegas, (tbém tenho contas a pagar, alias, mais conta do que dinheiro) nosso coronezim não é doido não! O bicho é tinhoso. Ele não vai diminuir o salário de ninguém porque sabe que não pode: é um BLEFE. Depois de lerem este blog, eles devem jogar Poker enquanto montam as estratégias para nos desestabilizar e minar nossas forças.
Pensem bem: ano que vem é ano político. Eles sabem que não podem fazer isso e sabem QUE NÓS TAMBEM SABEMOS, afinal nos acompanham todos dias (rsrsrs) – “Oi chefinho Faraó! E aí dona Gazzola! Firme na luta? Nós tbém!”) – bem, voltando ao assunto: ninguém quer perder sua cadeira e MUITO MENOS DAR MUNIÇÃO PRO ADVERSÁRIO. Alguns podem dizer: tá todo mundo comprado: Justiça, ALMG, etc, etc... mas sempre vai ter um adversário usando o horário político pra jogar no ventilador a podridão do outro. E nós sabemos que, quando cai uma “cáca” no ventilador sempre cai outra e outra... E político é assim: são amigos desde criancinha, mas quando a coisa fica feia pra um, o resto some todo e “juram de pé junto” que nunca se viram antes.
O plano é, e sempre foi, nos vencer pelo cansaço e ir nos empurrando com a barriga.
Eles colocaram isso no contracheque e vão acrescentar a ele uma parcela de alguma coisa com uma sigla bem diferente para chegar ao valor do que recebemos. BINGO, cara sub-chefinha Gazzola - é que não dá pra jogar POKER, professor só consegue jogar bingo e na festa junina da escola que não vai ter este ano – rsrs.
Abraços e muita calma nessa hora!!!"


"Paulo:

Euler e colegas, pelo que li acima o sind ute está sendo convocado a demonstrar na justiça que o governo está fora da lei, ou seja, que não paga o piso. Mas, para isso precisa de contracheques constando o vencimento básico, os quais só teremos em mãos no próximo mês, pois o atual (mês de junho) ainda está no subsídio. Em resumo, por enquanto não temos como provar que o governo está na ilegalidade. Correto meu comentário?"


Comentário do Blog: não, colega, seu comentário passou bem perto, mas ainda esqueceu de alguns detalhes. Então vamos ajudar o jurídico do Sind-UTE a resolver o quebra-cabeça:

1) trancreve-se o artigo da Lei do Piso que manda o governo pagar o valor mínimo enquanto vencimento básico a partir de janeiro de 2010;
2) transcreve-se a ata da decissão do STF rejeitando a ADI 4167, dos dias 06 e 27 de abril;
3) transcreve-se o artigo 5° da Lei do subsídio que faculta a opção de regime remuneratório;
4) reproduz-se o contracheque de junho de 2011 de vários servidores com o valor atual do subsídio;
5) grifa-se e reproduz-se com destaque a ocorrência dizendo que o salário do mês julho será inferior ao de junho e igual ao de dezembro de 2010, de acordo com o artigo 5º da Lei do Subsídio;
6) reproduz-se o contracheque de dezembro de 2010 do grupo de servidores com o valor citado pela ocorrência e onde aparecem discriminados os valores do vencimento básico e demais gratificações;
7) denuncia-se e cobra-se ação imediata contra: a) a ilegalidade pela redução salarial; e b) a ilegalidade pelo não pagamento do piso salarial conforme anexos citados.

Pronto. É isso. Nada mais, nada menos.


"Anônimo:

Grande Euler, alguns colegas demonstram fraqueza, falam de greves antigas que terminavam em nada. Isto acabou companheiros, nós estamos fazendo história, lutamos juntos, e a sociedade compreende como nunca nossa luta. Nunca se falou tanto em educação neste país. Nosso estado é famoso pelos gritos de liberdade, e aqueles que tentam abafar estes gritos serão vencidos. Tenho plena certeza que vamos receber o piso, mas temos que travar o bom combate, vamos dar os braços aos que estão desanimados e juntos vamos vencer. Que Deus nos abençõe e fica aqui uma frase : Muitos me perseguem, mas somente um me acompanha. Força na luta."

"Anônimo:

Ei, Euler. Olha o que saiu no blog do Lucas Figueiredo : "Aécio e a imprensa livre".

http://lfigueiredo.wordpress.com/2011/07/07/aecio-e-a-imprensa-livre/

Leia e pense na possibilidade de entrar em contato com ele do mesmo modo que vc fez com Nassif e Azenha. Quem sabe o blog do Lucas não é mais um espaço para divulgar nosso movimento e os desmandos do governo?

Bem, é só uma sugestão. Tem também as revistas Caros Amigos e Carta Capital, eu até já mandei e-mail para todos eles, porém quanto mais gente mandar, melhor. E vc, com certeza, tem mais possibilidade de ser ouvido, seu blog é conhecido e reconhecido, seus textos são esclarecedores. Enfim, acho que vale a pena tentar.
Abraço!"


Vitória também na Justiça do Rio de Janeiro: ontem eu coloquei todos os educadores mineiros que visitam o nosso blog para dormirem com uma importante vitória dos colegas educadores de Santa Catarina. Por lá, a Justiça mandou o desgoverno suspender o corte dos salários e rodar uma folha extra pagando os salários dos colegas em greve. Hoje foi o dia da vitória dos colegas educadores do Rio de Janeiro, que alcançaram o mesmo objetivo na Justiça de lá: o desgoverno Cabral não pode cortar o ponto dos colegas do Rio. Leiam aqui, no blog da nossa colega Graça Aguiar, sobre este tema (um dos comentários acima já havia mencionado a respeito, citando até o link de um mega portal). Parabéns aos colegas do Rio de Janeiro por esta importante vitória!

Agora, esperamos que a Justiça mineira, como mencionei ontem, não se apequene e também proíba o desgoverno daqui de cortar o ponto dos trabalhadores em educação. Não podemos de maneira alguma aceitar esta prática de corte de ponto quando temos diante de nós os seguintes elementos:


1) a greve é um direito constitucional. O corte do ponto representa a cassação deste direito, pois priva os trabalhadores dos meios essenciais de sobrevivência, como bem mencionou o desembargador de Santa Catarina;
2) na medida em que as aulas podem ser repostas, a greve não representa prejuízo para os estudantes, já que o ano letivo e os conteúdos podem ser aplicados normalmente após o final da greve;
3) a greve em Minas foi provocada por conta do descumprimento, por parte do governo, de uma lei federal em plena vigência e que assegura aos educadores um piso nacional. Portanto, a greve é legal, é legítima, é justa.

Sendo assim, a Justiça mineira precisa seguir este bom exemplo tomado pela Justiça de Santa Catarina e do Rio de Janeiro, em favor dos educadores, amparados que estão em sólidos e inquestionáveis direitos constitucionais.


"Anderson- Pará de Minas:

Caro Euler

A cidade de Leandro Ferreira , no centro-oeste de Minas Gerais, é conhecida como local de sepultamento de Padre Libério , padre que faleceu em 1981 e que são atribuídos vários milagres. Na região ele é considerado santo e há uma peregrinação até a cidade para visita ao seu túmulo , onde pessoas fazem seus pedidos e agradecem por graças alcançadas .

Pois bem, no dia 07/07 haveria na cidade a entrega de 30 casas construídas através do Projeto Minha Casa Minha Vida que contaria com a presença do Governador Anastasia .

Os trabalhadores em educação das cidades de Pará de Minas , Betim e Divinópolis marcaram presença em Leandro Ferreira a fim de recepcionar o governador que cancelou a visita à cidade por volta das 14 horas , mas foi representado pelo deputado aliado Inácio Franco , um representado da COHAB e autoridades locais .

Com apitaços , faixas e bandeiras mostramos à população local qual é a verdadeira realidade no serviço público em Minas Gerais ( greve em diversos setores ) e que o governo de estado não cumpre a Lei do Piso Salarial .

O deputado Inácio Franco foi cobrado pela sua postura adotada no ano de 2010 na votação da lei do subsídio e pela postura do governador que estava representando, de não cumprir uma lei federal . Ele se limitou a dizer que alcançaremos a vitória e se esquivou de outros questionamentos .

Avaliamos como positiva a atividade . O recado foi dado : se Anastasia ou deputado aliado inaugurar obra na região , estaremos lá para denunciar o governador fora da lei .

Anderson - Pará de Minas"
.

comentário do Blog: parabenizamos os valentes colegas educadores de Pará de Minas, Betim e Divinópolis pela mobilização realizada, que mostra a disposição da categoria de fazer o chão de Minas tremer, até que o governo pague o piso!

"Anônimo:

ERA uma vez... Um professor que deitado em sua cama em uma longa noite insone pensou: "Ah! Quer saber de uma coisa? o piso de mil quinhentos e tanto tá muito pouco ainda.
Trabalhar em um sistema falho, servir de babá, policial, padre/pastor, psicólogo e ainda tendo que ter o máximo de cuidados para não cometer o modismo do "bulling" (nem sei se essa é a grafia correta), o mínimo para um professor deveria ser de 5 mil (eu ainda sendo leve com o estado).
Um sistema onde o aluno entra na escola, atenta os colegas, ameaça os professores, não faz NADA a não ser responder e criticar e ainda é aprovado com êxito, mostra como está o sofrimento do professor.
Pra que estudar? Vou passar mesmo. Essa é uma das falas que ouço diariamente.
Se ele não tem pra que esforçar... Não tem boas notas por que lutou por elas...
...Então NUNCA será um cidadão digno (já que na cabeça dessa criança o mundo sempre estará lhe devendo favores).
O pior de tudo é que essa criança vai se formar, vai encontrar faculdades que com o dinheiro saído do bolso dos pais irá aprová-lo, e entrará no mercado de trabalho como médico (nosso e dos nossos filhos), advogados,policiais (para prender professores "grevistas e arruaceiros" - como nos chamarão), engenheiros e arquitetos (para construir nossas casas sem "piso" e com um "teto" bem pesado).
Muitos ainda acertarão as carreiras (já que nunca precisara fazer nada), entrarão para a política, se tornarão vereadores, deputados... GOVERNADORES e quem sabe até presidentes.
Quando isso ocorrer, ele pensará da seguinte maneira: "Pra que obrigar as crianças a agüentar aqueles professores ditadores como eu agüentei? EU VENCÍ... SEM AJUDA DE NENHUM! Vou fazer com que ganhem pouco, já que a única função deles é a de reclamarem e fazerem greve. Ganham o tanto que lhes bastam.
... E aí... Nós não teremos porque lutar.... Pois a luta já estará perdida.
Nesse caso, com todo esse movimento se formando, devemos pedir um salário digno SIM! E também uma mudança no sistema de ensino.
Por que senão alegarão da seguinte maneira: O salário está ótimo para a classe, já que não estão fazendo NADA (se referindo aquelas crianças que passam de ano sem nada saber, e nada quer), culpando injustamente aos professores.


Para mim o piso de 1500 está ainda baixo.

Voltei para a carreira antiga com muito orgulho! (tendo ainda um empréstimo que fiz para pagar em 3 anos descontando direto do meu contra cheque, meu salário vai cair para 780). Tenho somente um cargo da lei 100, ao qual não pedi para estar assim . Fiz uma pós graduação pensando em me concursar e ganhar um pouco mais, já que por essa lei 100 eu não teria direito a nada com ela (motivo do empréstimo).
Devo agradecer a DEUS pelo meu salário? Afinal ele é milagroso! Já que água, LUZ, gás, telefone, aluguel, comida, roupas da loja de 9,99, tudo isso deve "caber" e ainda sobrar para divertir (ultimamente, com o salário que a classe se encontra, o divertimento mais barato é beber pinga - pena eu não gostar - então não vou me divertir). :(

Sendo assim... Talvez seja a hora de rasgar o meu diploma e me tornar político... Mas infelizmente minha mãe e minhas professoras da época me auxiliaram a formar o meu caráter... E, dessa maneira, eu não conseguiria ser um bom político.
Divorciar-me e casar com uma mulher rica também me passou pela cabeça... Mas infelizmente amo demais minha esposa (na riqueza e na pobreza- ultimamente estou na pobreza).
Talvez então, me tornar traficante. Estranho que nesse país essa classe tenha crescido tanto. Ainda teria a vantagem de não ser preso. Infelizmente nunca mexi com drogas, portanto nem sei onde começar.
Já sei! GAROTO DE PROGRAMA! A vida fácil talvez me auxiliasse nessa empreitada! Pena eu já ter passado um pouco da idade, portanto não ganharia muito.
... ... ... É... ... ...
Estou sem solução... O que fazer?
Hoje estou em greve... Esperando (palavra que vem de ESPERANÇA - a qual minha saudosa avó sempre dizia para eu ter), que como nos contos de fadas que ouvi na minha infância, o lobo, o gigante, a bruxa e o prefeito corrupto (do flautista mágico) tenham o que merecem.

... E que eu possa, enfim, viver FELIZ PARA SEMPRE.

Nova Serrana, 08 de Julho de 2011"


"Anônimo:

A minha frase já está pronta: "SUBSIDIO uma afronta, PISO NACIONAL um calote".

Abraços e força na luta!"


"Anônimo:

Ola Euler e amados companheiros,
que lindo o texto do anônimo de Nova Serrana, fiquei emocionada e também acredito que o bem prevalecerá. Fiquemos firmes e tenhamos fé, Deus está conosco..."


"Anônimo:

Olá,
É uma pena que muitos colegas não tenham a consciência do nosso poder e, com isso, desfaleçam na luta. Os professores têm que aprender a lutar contra as pessoas certas: o governo. Mas o que temos visto em nossas escolas são professores lutando contra as pessoas erradas: os alunos. Quando precisamos triplicar nossa jornada, quando não temos tempo de preparar uma aula decente, quando estamos estressados com nossos alunos por causa de uma salário rídiculo, estamos fazendo exatamente o que o governo espera de nós. Que o espírito de luta aqueça o coração das cabeças pensantes do Estado de Minas Gerais.
Ana Gabriela da Costa Lara Medeiros. Juiz de Fora
"

"Helcilene:

Oi Euler...
Achei incrível a jogada do governo. No meu contracheque ele mandou um recadinho avisando que terei redução no salário no próximo mês. Isto porque tive um aumento irrisório com o subsídio, tentando assim mim convencer que ele é bonzinho e está preocupado comigo. A minha amiga que foi posicionada errada no contracheque e teve perdas no pagamento ele não avisou, mas publicou no portal o seu retorno ao vencimento antigo. Fizemos o nosso protocolo de retorno no mesmo dia e hora. Percebe-se que somente não vê maracutaia neste subsídio os alienados do sistema.
Um abraço.
Helcilene"
.

"Anônimo:

Na verdade o erro são de todos. Professores, alunos, pais e governo.

Erro dos professores por aceitarem trabalhar roboticamente, aceitando tudo o que lhes é empurrado "guela abaixo" e receber o mísero salário , não se importando com mais nada além disso (indiferente a tudo , muitos ainda assinam o livro de ponto com orgulho, rindo das notícias da greve na hora do recreio e dizendo que a mesma não vai adiantar nada.
Erro dos alunos que aceitam com alegria passarem de ano sem nada aprender.

Erro dos pais que brigam o tempo todo CONTRA os professores, mas nunca se colocam no lugar dos mesmos. Afinal... O Filho NUNCA erra.

E o pior de todos... Erro do governo. ... Que na verdade só quer saber de se vangloriar. De dizer que em MINAS a reprovação é quase zero.

Pensem bem... Educação só dá despesa. Para que ele se preocuparia? Ele já nos mostrou a maldita força política dele. Ganhou a eleição sem o voto da classe da educação. ANE(A)STESIOU a maioria dos mineiros.

Só mesmo a força INDIVIDUAL, transmitida ao CONJUNTO, resolveria tudo.

QUE OS PROFESSORES QUE AINDA TRABALHAM, DEEM SUAS MÃOS A CAUSA DA VALORIZAÇÃO DO SALARIO E DA CLASSE, PARA QUE UNIDOS POSSAMOS DIZER COM ORGULHO QUE SOMOS PROFESSORES DE MINAS GERAIS (VALORIZADOS PELO ESTADO)... sendo enfim considerados pelos ALUNOS E PAIS.

Euler... Aqui em Nova Serrana, entramos com um processo individual contra o governo.

Estamos xerocando nossos contra cheques desde 2008... Mostrando assim que desde quando a lei do piso foi colocada, não recebemos nem um centavo do valor do mesmo (até a data de janeiro de 2011).

Luto bravamente pelo salário digno dos professores... Mas não quero só isso! Quero que o ENSINO realmente dê bons frutos. Quero um sistema digno! Chega de projetos!

Nova Serrana 09/07/2011"


59 comentários:

  1. Euler,a continuidade da greve é necessária.Não podemos nos calar diante de tanta injustiça e descaso com a nossa classe. Desde abril fiz o requerimento para o retorno a carreira antiga e não imagina a minha decepção ao ver o meu contracheque deste mês,continuo no subsídio nos dois cargos.Não entendo como esse ditador descumpre a própria a lei que nos dá direito ao retorno a carreira anterior.Fica a minha pergunta: Qual atitude deve tomar o servidor nessa situação?Acredito que isso aconteceu não apenas comigo, mas com vários profissionais.Só nos resta continuar a luta, com fé em Deus e a certeza de que é legal;não estamos reivindiando nada além dos nossos direitos que foram cruelmente confiscados, de forma tosca e arbitrária.Obrigada por tudo, Euler.Você é a nossa fonte de informação mais eficaz nesse período conturbado,em que precisamos estar antenados com tudo que acontece nesse contexto.

    ResponderExcluir
  2. Oi Euler,
    Aqui o Governo dando uma de espertinho segurou nossos contracheque até hoje. Nos portal do servidor já estou na carreira antiga desde 6ª feira passada como PEB3E. Mas ele segurou o contracheque de todos os que voltaram para a carreira antiga e minha surpresa que hoje ao ver meu contracheque continuo recebendo o subsídio e ainda com desconto de falta/greve.
    Estava louco para receber o contracheque com o valor antigo, mas parece que o governo anda lendo seu blog e está com medo de criar provas contra si (rsrsrsrsrssr), acho que é um leve sinal de que nossa greve desde o dia 08 não é em vão.
    O governo diz que não negocia com grevistas, mas eu não saio desta greve de mãos abanando e espero que todos os que estão nesta luta aguentem, pois preciso de vocês para desmoronar este ditador "alegre".
    Muita força, abraços a todos e sou elo da corrente.

    ResponderExcluir
  3. EULER,TALVEZ SEJÁ O CASO DA ACESSORIA JURIDICA DO SIDUTE FAZER UM ESTAGIO EM SANTA CATARINA .

    ResponderExcluir
  4. MEU CONTRACHEQUE VEIO COMO SUBIZIDIO MESMO TENDO SIDO PUBLICADO O MEU DESEJO DE RETORNAR AO SITEMA ANTIGO DE PAGAMENTO E,AGORA SINDUTEEEEEEEE...,O QUE O APLICADO CORPO JURICO DESTA INSTITUIÇÃO PRETENDE FAZER ?.

    ResponderExcluir
  5. IMPRENSA BURGUESA COMEÇA DIVULGAR NOSSA GREVE!!! SERÁ????

    Manifestação de professores estaduais complica o trânsito no Centro de BH

    Cristiane Silva

    Publicação: 06/07/2011 17:33 Atualização: 06/07/2011 19:39
    Depois de assembleia, professores fizeram uma passeata em direção ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (Reprodução/BH)
    Depois de assembleia, professores fizeram uma passeata em direção ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais
    Professores da rede estadual de ensino votaram mais uma vez pela continuidade da greve da categoria. A decisão foi tomada durante uma reunião no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na tarde desta quarta-feira. Depois da assembleia, os professores seguiram em passeata até o prédio do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na Rua Gonçalves Dias, deixando o trânsito complicado na região.

    Os professores deixaram as salas de aula no dia 8 de junho reivindicando o cumprimento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) de R$ 1597,87, para uma jornada de 24 horas. De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute), Minas Gerais paga hoje o piso de R$ 369,00, que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores (CNTE), é considerado o pior dos 27 estados brasileiros.

    ResponderExcluir
  6. É EULER AI DE NÓS SE NÃO FOSSE SEU BLOG POIS NO BLOG DA DIREÇÃO DO SINDICATO,QUANDO A INFORMAÇÃO CHEGAR ,SINCERAMENTE NÃO SEI SE VAI VALER A PENA LER MAIS,PORQUE DEMORA TANTO!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. o supremo tribunal federal entrou de ferias e, os professores que se danem ,ei CNTE,ei SINDUTE como vamos ficar .

    ResponderExcluir
  8. Na assembléia de ontem foi falado que tem diretores do SindUTE furando greve.
    Como a pessoa que falou, é necessário fazer um levantamento sobre isso e, se for verdade, esses diretores tem que renunciar.
    É um absurdo uma aittude dessa.

    ResponderExcluir
  9. gostaria de saber se o governo pode cortar o recesso de julho caso a greve se entenda até agosto.

    ResponderExcluir
  10. Oi Euler, estou feliz pelo dia de ontem. Saí da assembleia renovada e depois que vi o meu contracheque conclui que ganhamos mais uma. Voltamos para o piso, mas o valor do contracheque está o subsídio porque como vc mesmo falou ele não pode baixar o valor. Ele tentou fazer um suspense liberando o contracheque só hoje e mostrou o que já sabíamos. Não é uma vitória? Então, ele vai ter que cumprir a lei do piso. Agora, eu acho que ele não tem que abrir a negociação porque não tem negociação. É só aplicação da lei, não só no seu valor do piso como tbém toda ela. Ele cortou dois dias de paralisão e fique sabendo que serão dois dias sem reposição. Um grande abraço para todos que estão na luta e força sempre. Paula.

    ResponderExcluir
  11. Greves pipocam por todo o país. Cada ves mais radicalizadas!
    Leia matéria do Jornal A Nova Democracia
    http://www.anovademocracia.com.br/no-79/3546?task=view

    ResponderExcluir
  12. Oi EULER, Me desculpe ficar no anonimato, mas estou escrevendo pela indignação que senti ontem na assembleia. Um companheiro acho que é de Uberlândia, fez uma proposta que a coordenadora ignorou e não colocou em votação. A proposta seria o afastamento dos pelegos traidores da Luta,os diretores do sindUTE. Pois a direção estadual é conivente, com certeza se não fossemos nós( a base) a Greve não saia. Ele deveria citar os nomes e eu sei de alguns: Jakes Paulo Félix que é da direção Estadual SindUTE(Uberlandia) e da direção da CNTE(que também não age a nosso favor); a Maria do Rosário direção estadual do SindUte(Ituiutaba, os dois estão trabalhando, ignorando a greve. Além dos diretores da subsede de Teófilo Otoni que brigaram na justiça pra ficar na direção e estão furando Greve. E muitos mais diretores de outras subsedes que não me lembro os nomes.
    A NOSSA LUTA DEVERIA SER APENAS CONTRA O GOVERNO.

    ResponderExcluir
  13. Euler, meu nome é Marcelo Simas, sou de Juiz de Fora, designado e estou em greve.

    Aqui em minha cidade tem várias escolas em que a participação na greve é pouca. Mesmo com a atuação do sindicato local que vem fazendo vários atos em prol do movimento de greve, vejo que muitos professores, por conformismo ou alienação, não estão dando importância a nossa causa e reivindicações.

    Em conversas com professores que não quiseram entrar em greve, pude constatar que vários professores se sentiram ameaçados com a possibilidade de corte de salário (o que não ocorreu) ou estão contentes com o pífio aumento que tivemos em 2010 e aceitam passivamente o que o governo vem fazendo com relação à tentativa de retirar as conquistas dos professores com implantação do subsídio. Temos que conscientizar estes professores que as conquistas, por causas justas, só são alcançadas com mobilização.

    Acredito neste “núcleo duro” de educadores citado por você e estou em greve pela confiança neste núcleo e para engrossar o movimento, a fim de lutarmos por nossos direitos e pelo respeito à nossa classe.

    ResponderExcluir
  14. João Paulo Ferreira de Assis7 de julho de 2011 11:01

    Prezado amigo Professor Euler

    Aqui vai um comentário ao seu artigo no blog do Luís Nassif

    ''João Paulo Ferreira de Assis

    Não adianta só a Lei do Piso. No Brasil é preciso toda uma legislação para garantir o cumprimento da lei. Ou se faz a federalização da Educação Básica ou os objetivos procurados pela Lei 11738 não serão alcançados. Por exemplo, é preciso que o Congresso Nacional tenha competência para processar e declarar o impeachment de governadores que não cumprem as leis federais. Mas como essa proposta vai despertar uma tremenda grita, a condição sine qua non para a recepção pelo Congresso Nacional seria a rejeição do pedido de impeachment do governador pela Assembleia Legislativa, mesmo com a existência de provas que incriminem o governador. Em Minas, por exemplo, é humanamente impossível aprovar o impeachment do Anastasia. Seus deputados nunca iriam aprovar tal saneadora providência. Por isso que é preciso aumentar os poderes do Congresso Nacional''.

    Porque convenhamos, a carneirada do Anastasia jamais vai aprovar a abertura de um processo de impeachment contra ele.

    ResponderExcluir
  15. Grande Euler, o governador está começando a balançar, tem que cobrar do sindicato esta questão de posicionamento de uma forma e suicídio do outro. Estamos incomodando kkkk. E Euler, estão realmente olhando o seu blog, cuidado para não dar dicas para eles kkkkk.Força na luta companheiro, vamos a peleia tchê.greve,greve,greve

    ResponderExcluir
  16. Caro Euler,

    A causa do Magistério é mais do que justa, mas precisam de algo maior, mais forte, para demover o Governo dessa posição de não querer saber de negociação enquanto a greve persistir. Se o Ministério Público não acatar a denúncia feita pelo SindUte em 10/06, a situação vai continuar desse jeito indefinidamente...
    E a persistir essa indefinição, apesar de haver um bom número de professores dispostos a ir as últimas consequências, mas a Categoria como um todo também seguirá essa linha?? No pagamento efetuado hoje só apareceu os impactos das paralisações feitas em maio último, mas no próximo pagamento serão sentidos a paralisação deflagada a partir de 08/06 e se a greve persistir todo o mês de julho, nimguém terá pagamento a partir da referência de agosto/11... Vos coloco isso, pois todos indistintamente tem contas a pagar, comida a colocar na mesa além de outras particularidades que devem atender, e se a greve ficar nesse impasse, é perigoso o movimento se esvaziar, a despeito da legitimidade da causa. O "núcleo duro" do movimento segura isso só no discurso??
    Sinceramente rogo que o Magistério logre êxito nesta jornada, mas nessa queda de braço sem fim parece que não irão chegar a lugar algum. É preciso provocar e contar com outros fatores para se chegue a solução final, e ao que parece serão os tribunais, local onde originou a situação que se tem agora. Se o STF de certo modo começou, ele deveria ser acionado a se fazer cumpir o que determinou.

    Luciano.

    ResponderExcluir
  17. Caro Euler

    Você está certo em pensar que o objetivo dos nossos governantes estaduais é a privatização da educação e esse processo está sendo implementado pela desvalorização dos docentes e o sucateamento das unidades escolares. Não se iludam que esse é o propósito.

    A educação pública sob essa ótica é um filão de verbas a ser explorado pela iniciativa privada, que generosamente sabe recompesar essa liderança com gordas contribuições para as campanhas eleitorais e apetitosas propinas.

    Para nossa elite tacanha e seus acólitos, educação para pobre e direitos trabalhistas são encarados como favores e não direitos constitucionais. O exercício da cidadania tem que ficar restrito ao cumprimento dos deveres (pagar impostos, votar, etc.), a luta do cidadão em defesa dos seus direitos é vista como insubordinação e rebeldia.

    Nós professores somos uma pedra no sapato desses senhores, pois o nosso trabalho é libertar a população e terminar com as trevas coloniais que ainda insistem em nos manter nas trevas da ignorância. Em tese somos inimigos do sistema.

    Tens razão quando afirma que a nata dos educadores é que estão em greve, somente aqueles que, são de fato educadores, compreendem e estão indgnados com a educação placebo que está sendo prestada, pois ela não é de graça, aos contribuintes. Na greve há a separação entre o trigo e o joio, enquanto o primeiro vai à luta o segundo permanece em sala dando continuidade ao seu não-fazer, pois não respeitam os alunos da escola pública e se rebaixam atuando como jagunços dos neocoronéis.

    É triste perceber a miséria econômica e moral desses pseudos professores, que mesmo sob a chibata continuam a lamber as botas dos seus senhores.

    Força e união na luta, pois a vitória só depende de nós.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  18. Opa companheiro Euler, saudações!!!

    Fiquei muito feliz ontem com nossa ASSEMBLEIA lotada como nas duas últimas semanas, e mais ainda com o nosso ato e trajeto da passeata. Foi mto bom passar em frente ao MPF e TJMG mostrando nossa indignação.

    Feliz ainda por que ontem encontrei companheiros da escola São Judas que tinham voltado sexta e nós fomos a escola na segunda pedindo que retornassem ao movimento, quando um colega da escola que estava presente me chamou e disse "VOLTAMOS PARA A GREVE", então posso garantir que os percentuais aqui continuam o mesmo,tinha sido o único refluxo da semana, ou melhor aumentou pois a escola Juca Pinto aderiu ao nosso movimento na totalidade.

    Vamos rumo a vitória, o PISO é LEI e com força e garra o PISO sai na marra.

    Abs
    Igor

    ResponderExcluir
  19. Oi Euler!
    Quando comecei a ler seu Blog, você utilizava com certa frequência a palavra bunker, rsrsrs
    Eu até pesquisei o que era...
    Vc n a utiliza mais.
    Curiosidade:
    o bunker é a sua casa ou apenas a parte onde fica seu escritório? Abrs, MARA

    ResponderExcluir
  20. Euler, Fui ver o meu contracheque e ainda está no subsídio, porém, apareceu a seguinte mensagem: OCORRÊNCIAS:
    CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa.,
    A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RE-
    TORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.007,20

    Isso significa que no próximo mês meu salário vai diminuir... Não é inconstitucional?

    Outra coisa, como saber quais e quantos dias de paralisação foram cortados? Lá só aparece o total.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  21. Caros Amigos,

    Sou 'SOFREDORA", quer dizer, "professora"... e vivo assim como todos da classe, uma luta constante para sobreviver nesta selva, onde ser professor, é ser sofredor... durante o dia trabalho também em outra área, onde também não somos respeitados como deveríamos: área da saúde... como não posso participar das assmbléias, vou acompanhando através de seu blog, do sindicato e contato com outros colegas...Definitivamente é triste saber e sentir "na pele" como somos desvalorizados, desrespeitados por nossos governantes.
    Mas enquanto isso, vamos caminhando... lutando por uma educação melhor, um ensino de qualidade e condições de trabalho mais digno...
    Recebi hoje pela manhã o "Sermão da Montanha" versão para educadores...
    Nem Cristo aguentaria ser professor!
    Nem o Senhor Jesus aguentaria ser um professor nos dias de hoje....
    O Sermão da montanha (*versão para educadores*)

    e achei interessante...

    abraço e muita força para todos nós

    Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem.
    Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens.

    Tomando a palavra, disse-lhes:

    - Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.
    - Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
    - Felizes os misericordiosos, porque eles...?

    Pedro o interrompeu:
    - Mestre, vamos ter que saber isso de cor?

    André perguntou:
    - É pra copiar?

    Filipe lamentou-se:
    - Esqueci meu papiro!

    Bartolomeu quis saber:
    - Vai cair na prova?

    João levantou a mão:
    - Posso ir ao banheiro?

    Judas Iscariotes resmungou:
    - O que é que a gente vai ganhar com isso?

    Judas Tadeu defendeu-se:
    - Foi o outro Judas que perguntou!

    Tomé questionou:
    - Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?

    Tiago Maior indagou:
    - Vai valer nota?

    Tiago Menor reclamou:
    - Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.

    Simão Zelote gritou, nervoso:
    - Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?

    Mateus queixou-se:
    - Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!

    Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
    - Isso que o senhor está fazendo é uma aula?
    - Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica?
    - Quais são os objetivos gerais e específicos?
    - Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?

    Caifás emendou:
    - Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas?
    - E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais?
    - Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?

    Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
    - Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade.
    - Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.
    - E vê lá se não vai reprovar alguém!
    E, foi nesse momento que Jesus disse: "Senhor, por que me abandonastes..."

    ResponderExcluir
  22. Oi de novo, rs
    Postei comentário sobre a redução de salário anunciada no meu contracheque para julho. Lembro de ter lido aqui no blog, você, Euler, dizendo que isso não pode.
    Queria saber se apareceu esta mensagem no contracheque de mais algum colega. Observem, fica no final de tudo.
    O que devemos fazer?

    OCORRÊNCIAS:
    CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa.,
    A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RE-
    TORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.007,20

    ResponderExcluir
  23. Euler, ao consultar meu contracheque agora no portal do servidor, verifiquei que foi acrescentado a seguinte informação: "Ocorrências:
    CONFORME OPÇÃO PREVISTA NO ART. 5º DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa., A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARÁ DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSÍDÍO, RETORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 1.179,10."
    Sou efetiva numa cargo com exigência curricular totalizando 20 aulas.
    E agora? Esse dado já não serve como comprovação do não cumprimento da lei do piso não? O que você acha?
    Obrigada,

    Beatriz

    ResponderExcluir
  24. Euler, meu contra chque continua no subsídio, portanto com a seguinte ocorrência:
    CONFORME OPCAO PREVISTA NO ART 5o. DA LEI 18.975 MANIFESTADA POR VSa.,
    A PARTIR DE JULHO/2011, DEIXARA DE PERCEBER NO REGIME DO SUBSIDIO, RE-
    TORNANDO O SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL PARA R$ 927,81.
    Isto significa que terei redução de salário no próximo mês?

    ResponderExcluir
  25. Caro Euler,

    Se me permite o pitaco na questão da ocorrência que consta no demonstrativo referente a Junho/2011 que está sendo pago hoje, como já lhe havia postado em outra oportunidade, creio que o Governo fez bobagem com quem optou por retornar a sistemática anterior ao Subsídio. Como consta no artigo citado na ocorrência, quem manifestasse e protocolasse seu pedido de retorno a sistemática vigente em Dez/2010 teria efeito a partir do primeiro dia do mês seguinte ao do protocolo. Pois é, ao que parece isso não foi possível e se não houver mais nenhuma tamancada, no pagamento referente a Julho/11 que será pago até o 5º dia do mês de Agosto quem requereu o retorno finalmente terá a remuneração com a sistemática vigente em Dezembro/2010. Acho que isso explica o motivo da não consulta dos demonstrativos no portal do servidor antes de hoje, 07/07. Ah, no próximo pagamento também começaram a ser sentidos os efeitos da greve, pois certamente serão descontadas as faltas-greve referente ao mês de junho e o movimento pegou mesmo a partir de 08/06. Além de voltarem a remuneração referente a Dez/2010, ainda vem os descontos da greve...
    Vou bancar o Advogado do Diabo mas não pode se argumentar que houve um rebaixamento de salários, visto que foi opção do servidor retornar a remuneração vigente em Dez/2010 e o servidor ao fazer esta opção sabia que se comparando a remuneração do citado mês com a do subsídio teria perda financeira se optasse pela sistemática anterior ao subsídio... Mas vai dar margem a questionamentos judiciais essa diferenciação entre quem recebe por subsídio ou não. O Governo não fala que paga o Piso Nacional através do subsídio, mas se tivermos professores que manifestaram e exerceram um direito que a Lei do Subsídio lhes facultou (justamente o que consta na ocorrência dos demonstrativos) poderia continuar afirmando isso??
    Agora é suposição minha, passível de confirmação, mas o Governo será forçado a cumprir a Lei do Piso, não da maneira que o SinUte vem colocando, com aquele piso de R$ 1597. Se pubicado o tal do Acordão do STF e se exercidas as pressões em cima do MP e até do próprio STF para que uma decisaõ em instância máxima da justiça brasileira seja cumprida, não duvido que o Governo já tenha seu plano traçado, e neste ele dará um jeito de beneficiar sua cria, o subsídio. Estou a supor que ele irá cumprir o piso de R$ 1187 mas proporcional a carga horária praticada aqui em Minas, e de cara suponho que irá incorporar pelos menos duas verbas ao vencimento básico: A Vantagem Temporária Incorporável (VTI) e a Parcela Complementar Remuneratória do Magistério (PCRM). A VTI creio que será incorporada e a PCRM caso não seja, será usada para balizar a remuneração de quem optou pelo sistema antigo não ultrapasse o valor do subsídio correspondente...
    Há outras situações que poderão ser questionadas, visto que elas gerarão conflitos de igualdade de direitos aos professores. É só aguardar e prestar atenção.

    Até!!

    Luciano.

    ResponderExcluir
  26. Redução de salários.Educadores em greve.Nenhum sinal de que o governo estadual vá pagar o piso.Nenhuma intervenção do governo federal e do Mec a nosso favor.É companheiros.....temo que o velho e conhecido "filme" das lutas inglórias da educação esteja se repetindo.Nadamos, nadamos, nadamos..... e morremos na praia.O que o sr ministro da educação do brasil ( brasil com letra minúscula mesmo )tem a dizer sobre toda essa desgraça armada pra cima dos educadores ??? Alias , é dificil esperar que um ministro, que sequer foi capaz de organizar um enem, tenha algo produtivo a dizer aos educadores do país. Como bem disse Charles de Gaulle : " O brasil não é um país sério!"

    ResponderExcluir
  27. Caro Euler,

    Bateste num ponto crucial do assunto: temos quase por todos os angulos pontos que poderiam ser questionados por via administrativas e até judiciais, caso os argumentos apresentados ao Governo não fossem atendidos. Será que antes de deflagrada a greve, todas as contradições apresentadas pelo subsídios foram colocadas na mesa pelo SindUte quando dessas enfadonhas reuniões com a SEE, e mais envidenciadas pela decisão do STF de 06/04, essa queda de braço que ora acontece estaria nesse impasse?? Se o Governo não cedesse amistosamente na mesa de negociação, judicialmente a coisa seria outra e visto que estão devidamente embasados... E como dizem, decisão judicial é para ser cumprida.
    O que me chama atenção é que a Lei do Subsídio foi promulgada em 30/06/10 e, salvo engano, até a decisão do STF o SindUte estava meio reticente com opinar afirmativamente com relação ao mesmo. Se não fosse isso... Agora entendo que o Jurídico do SindUte deve atuar mais fortemente do que nunca, pois se esperarem algum passo do Governo... Agora creio que a decisão dessa confusão toda passará pelos tribunais, e que a representação do Magistério esteja bem preparada para defender seus interesses e demolir as contraargumentações do Governo, pois esse aí mesmo quando achamos que está acuado, ele aparece com uma jogada que ninguém espera e deixa todo mundo desconcertado. A greve do ano passado que o diga, pois ninguém esperava que ele soltasse o subsídio...
    Mas o próprio subsídio atenta contra ele mesmo, pois o Governo com a implementação deste simplesmente solapou e fez desmoronar o parco Plano de Carreira que nos deram em 2004. Até para quem optar pelo subsídio tem como questioná-lo, pois o mesmo é só uma forma de remuneração e de maneira alguma deveria ter mexido nas evoluções das carreiras dos servidores. E só para constar, o atual Plano de Carreira precisa de mudanças urgentes...
    Enfim, meu caro, essas querelas parecem que só se resolverão nos tribunais. Mas atente pois de repente o que for deliberado não será como o reivindicado. E se me permite, evitem o máximo colocarem a ALMG e até o Congresso Nacional no enrosco atual, pois uma CPI tanto aqui como em Brasília serão barradas. A da ALMG por questões obvias do Anastasia ter a maioria e a turma não vai querer afrontá-lo e lá em Brasília não sai por conta do Governo Federal ser de certa forma obrigado a assumir responsabilidade que não lhe seria conviniente agora e também o colocaria em sai tão justa como a do Governo mineiro. Mas que tanto um como o outro tem que ser chamados não só pelos profissionais da Educação, mas por toda a Sociedade Mineira e Brasileira a discutirem e encaminharem soluções para a Educação do Brasil, que dia a dia vai se definhando e se providências não forem tomadas, brevemente teremos uma geração de pessoas incapazes de gerirem seus destinos e deste país, formentando ainda mais o atual quadro de concentração de riquezas e poder nas mãos de poucos.
    Quem dera que o problema da Educação fosse só os salários de seus educadores, mas sabes muito bem que só boa remuneração não vai resolver tudo que passa ao lecionar e se sentir realmente valorizado e digno do nobre ofício que exerce.

    Luciano.

    ResponderExcluir
  28. Caro Euler,
    Acho que os professores não precisam se preocupar, se o valor do contra cheque de agosto for o mesmo de dezembro de 2010. Neste caso é só entrar na justiça que ganharão, com certeza, na primeira instância. Se achar que o jurídico do Sind-ute é lento, procurem um advogado particular, formando grupos para não encarecer a ação. Os documentos necessários serão:
    a) Contra cheque
    b) Lei do Piso
    c) Ata do Julgamento do Piso pelo STF

    Prof. Sebastião de Oliveira - Carangola

    ResponderExcluir
  29. Caro Euler, após ler seu último comentário em reposta ao que foi digitado pelo Luciano história,eu fico pensando: Até que ponto o governo estará criando problemas ao desrespeitar todas essas leis e, ainda por cima, criar outras inconstitucionais ? Digo isso por estar ciente de que estamos lidando com governos que desrespeitam toda e qualquer lei e nada acontece com eles.O próprio governo federal e o ministério público são coniventes com os governos estaduais e municipais. Até agora, depois de décadas e décadas, os únicos penalizados, massacrados fomos nós educadores!!! Entra governo , sai governo , desrespeitam leis , direitos , violam constituição e nada acontece. Pelo contrário, nós é que somos tratados como bandidos pelo sistema.Como acreditar que ainda podemos sair vitóriosos com todo o sistema e poder nos oprimindo e nos massacrando ??? E não me venham com palavras como : "temos que acreditar"....temos que lutar!....ora bolas, acreditar em que instituições nesse país podre e corrompido ???? Desculpem o desabafo, mas as vezes eu comparo o nosso esforço de luta contra o sistema com o esforço de uma formiga tentando carregar um elefante para dentro do formigueiro.

    ResponderExcluir
  30. Após reunião iniciada às 14 horas desta quarta-feira (06) no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), trabalhadores da educação decidiram pela permanência em greve por tempo indeterminado. A assembleia contou com a participação de cerca de 5 mil servidores, segundo o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG).
    De acordo com a coordenação do sindicato, durante o encontro foi feita uma avaliação do cenário das paralisações e traçados os novos rumos do movimento. Também foi atualizada a adesão à greve que, até o momento, está superior a 50% de paralisação em todo o Estado. Um percentual pouco maior do que o registrado no início do movimento, no dia 8 de junho.
    Já o governo contesta esta informação, apresentando números que mostram que apenas cerca de 3% das escolas estejam totalmente paradas e que outras 16,33% tenham aderido parcialmente ao movimento grevista.
    Os trabalhadores da Educação reivindicam o imediato cumprimento do Piso Salarial, conforme estabelece a lei 11.738, que regulamenta o Piso hoje em R$ 1.597,87, para uma jornada de 24 horas e ensino médio completo. Segundo eles Minas Gerais paga o Piso de R$ 369,00, que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores (CNTE), é considerado o pior Piso Salarial dos 27 estados brasileiros.
    O sindicato afirma que, até o momento, não houve acordo com o governo. Já a assessoria de imprensa do governo afirmou que os canais de negociação sempre estiveram abertos, mas que não houve procura por parte do sindicato.
    Nova Assembleia Estadual foi marcada para quarta-feira (13) no mesmo horário e local.

    Portal Realeza
    portalrealeza@portalrealeza.com

    ResponderExcluir
  31. CAROS COMPANHEIROS DO BLOG,
    SINCERAMENTE EU TENHO A SENSAÇÃO OU MELHOR A CERTEZA, DE QUE O GOVERNO NÃO VAI, NÃO VAI MESMO NOS PAGAR O PISO. SE UMA LEI COMO A LEI 100 QUE É TOTALMENTE INSCONSTITUCIONAL ESTÁ EM VIGOR A QUASE 5 ANOS, E NEM O MINISTÉRIO PÚBLICO FOI ACIONADO, VCS ACHAM QUE STF, TJMG E OUTROS SEGMENTOS COMPRADOS VÃO PRESSIONAR OS GOVERNADORES A PAGAREM O PISO? JAMAIS. E ESSE NEGÓCIO DE QUE É INSCONSTITUCIONAL BAIXAR O SALÁRIO DOS PROFESSORES É CONVERSA PRA BOI DORMIR. VCS SABEM QUE PARA O GOVERNO DE MINAS NÃO EXISTE LEI. SE EXISTISSE, AS COISAS NÃO ESTARIAM NO PÉ QUE ESTÁ. É UMA PENA CHEGAR A ESSA CONCLUSÃO, MAS VAMOS ACABAR O ANO EM GREVE E O GOVERNO ESTÁ SIMPLESMENTE FIGINDO DE MORTO PRA GENTE. DESCULPEM MEU DESABAFO!!!

    ResponderExcluir
  32. Euler, o meu contracheque também vem avisando que o voltarei para a carreira antiga e receberei menos. Perguntas:
    - Quem ficará com a diferença que não receberei?
    - Se no subsídio houve aumento médio de 5%, por que não aplicá-lo no sistema antigo também? Pior do que está não fica.
    - Quanto há aumento para governantes, ninguém discute, mesmo a população sendo contra, o pagamento já aparece no mês seguinte. Assim por que tanta prorrogação para pagar o piso?

    COM FORÇA, COM GARRA, O PISO SAI NA MARRA!!!
    ABC

    ResponderExcluir
  33. Não é mesmo...o brasil é um paraíso para toda sujeira e por que não dizer roubalheira????Nós vemos todos os dias "desvios daqui, dali..." dinheiro está sobrando para eles pegarem mas os trabalhadores não merecem...Meu Deus que indignação...Eles viram e vêem a cada dia que tudo que fizermos aos outros ...estamos fazendo para nós mesmos...que pagamos tudo aqui..mas eles não enxergam que os professores ganham uma merreca...existe leis ..e precisam ...devem ser cumpridas....Não sei o que esta gente tem na cabeça...Eles sabem que estão errados mas não tomam tenência...a vida passa ...eles passam...morrem ...e continua a corrupção neste país...Não precisava isso ...nada disso...bastaria um pouco de boa vontade política, honestidade, escrúpulos, brio, Eles não tem ...e veriam o quanto estamos ganhando ...se estes governantes não querem um país bem visto...culturalmente bem visto...com menos criminalidade...então irião investir mais na educação...Aqui tudo é para "inglês ver"...vivemos num sonho...não pesadelo..fazemos greve para receber o que é de direito...alunos ficam sem aulas...e eles continuam sonhando que são os melhores...Se alguém deste governo ler este blog...por favor mostre a ele...que não se brinca de fazer greve...estamos nos desgastando..os pais ...os alunos....e aí é pior...ficaremso mais frios...rígidos...sem alma .. mesmo....daí surge a criminalidade...é assim...vendo injustiças ...e injustiçados..O que eles querem afinal????Passar nesta vida fazendo somente coisas erradas...sendo cruéis com os mais fracos???os de Baixo???Por favor...sejam mais humanos...Não irá lhes custar muito...

    ResponderExcluir
  34. Boa noite Euler, caro combativo e amigo, acho que posso o chamar assim, pois a informação aqui é em tempo real. Obrigado.
    Vamos lá, precisamos lembrar que a maioria optou pelo antigo sistema remuneratório em maio, então no mês subsequente, que seria em junho/2011 já deveríamos receber o sistema antigo. Mais uma vez esse governo não cumpre nem com sua própria lei, pois teve a "dignidade", pensou ele, em nos informar que a partir de julho é que receberemos no sistema antigo. Como ele colocou SEU TOTAL DE VANTAGENS MENSAL, ele que dizer seu vencimento bruto não será o piso nacional...Pois o meu valor, que tenho dois cargos estou é perdendo salário.
    Mas como ele já disse através de seus representantes, que a proporcionalidade do piso para o professor com ensino médio seu salário será de 712,00. Ele não estará cumprindo com a lei do piso no próximo pagamento.
    Esse governo não joga para perder, precisamos fazer alguma coisa... Governo mentiroso e descumpridor de leis, vamos começar a gritar impeachment deste governador.
    Outra coisa, ontem visitei o portal R7.com, lá no programa do cidade Alerta com o Datena, tem como fazer denúncia, fiz a minha contra mídia que não divulga nossa greve, explicando um pouco como você sempre faz aqui. Seria interessante que mais, mais e mais professores fossem até ao portal R7 e fizessem a mesma denúncia, que em Minas os professores estão parados desde o dia 8 de junho por que o governo não cumpre a lei do pagamento do piso salarial.
    Abraços

    ResponderExcluir
  35. É preciso fazer a diferença!

    Com essa insensatez do governo, temos de ponderar alguns aspectos, que neste espaço foi mencionado:
    Primeiro, os educadores que aderiram são EDUCADORES, não estão só professando o conhecimento em sala de aula, é gente politizada, conhece seus direitos, sabe bem o que está almejando, tem dimensão de futuro e também de um país decente. Já se tem o panorama de quem está parado, com raríssimas exceções são educadores que fazem acontecer os projetos nas escolas, são educadores que tomam as rédeas do que acontece na escola, mas não se deixam sucumbir aos desmandos do governo. São esses educadores que fazem a diferença na escola e que estão fazendo a diferença nesta paralisação. São aqueles educadores que quando tiram licença ou ficam de férias-prêmio os alunos sentem a falta deles, pois esses mais do que conhecer o conteúdo que ministram têm exemplo a dar, têm postura de educador, é dessa gente que a escola brasileira/mineira precisa, então trate o governo de respeitar esses EDUCADORES, porque são eles que elevam o nível de educação deste Estado. Que esses governos deixem de discursos vazios nos palanques eletrônicos para angariar votos do Povo e se mostrem verdadeiros em seus discursos na hora de cumprirem a Lei, este descumprimento da Lei, também é um péssimo exemplo para um governo que quer ser DECENTE.
    É preciso haver mais respeito, pois da mesma forma que não se EDUCA com maus exemplos, também não se GOVERNA com maus exemplos.
    Professora Mineira

    ResponderExcluir
  36. Fazendo um passeio na net agora, vi uma notícia no site da CNTE que me fez analisar: não é necessário publicação do Acórdão para que a Lei 11.738 seja cumprida. Que informação desnecessária! Eu e muitos colegas gostaríamos de saber é o que esta entidade representativa da Educação está fazendo para cobrar o cumprimento desta Lei aos gestores, em nível nacional. Paralização dia 16 de agosto? Brincadeira. E o SindUte? Novamente vamos voltar às discussões de meses atrás , com relação a opção remuneratória: o Sindicato precisa fazer diferente! E acho que podemos cobrar, sim, pois somos filiados, contribuimos, pagamos um corpo jurídico, não é mesmo? Se queremos fazer valer nossos direitos diante do Governo Estadual, também o queremos com relação aos representantes da nossa categoria.Já está mais que claro que esta pendenga só tem um caminho:judicial. A estratégia tem que ser por aí, porque eu nunca vi tanta inconsistência, bagunça e desrespeito de uma vez( olha que tenho 27 anos de magistério e muitas greves!)Quando vejo essas coisas, como por exemplo , a notinha de rodapé do contracheque, o corte dos dias de greve, fico pensando: que país é esse? E vejo educadores se rindo "eu não falei que não adiantava, que vocês iam sair perdendo?" "se alguém tá podendo trabalhar por ideal..." me sinto muito triste, mesmo.Acho que a mais pura desilusão. Enfim, precisamos trabalhar com a idéia de resolver essa situação nos tribunais, porque é insuportável pensar que o Sr. Bolinha de Azia pode ganhar esta .

    ResponderExcluir
  37. Caro Euler,

    o momento é de reflexão... deixemos o pessimismo de lado e continuemos com a mobilização. Não há porque ficarmos contabilizando em seu blog pontos de vista que não acrescentam em nada. Se lamentações resolvessem problemas já teriamos muitas situações resolvidas. O momento é de novas articulações. Com certeza o sindicato, juntamente com os professores, encontrará novos caminhos para a nossa conquista definitiva. Ainda acredito que estamos no caminho certo.

    FORÇA NA LUTA!!!

    P.S. Continue sendo essa voz importante para o nosso movimento.

    ResponderExcluir
  38. Não vou comentar sobre a greve, salários e pisos. Só quero chamar atenção para uma reportagem que acabo de ler. ânsias de vômito(com o perdão do termo). EXISTE ALGUMA LEI QUE IMPONHA LIMITES PARA CINISMO????http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=123466
    QUEM TEM UM ESTÔMAGO FORTE, OLHE E DEIXA UM "ELOGIO"!!!!

    ResponderExcluir
  39. Caro Euler e colegas que visitam esse blog Copiei o texto abaixo do blog Batrriz cerqueira, é importante que leiam para dar andamento a nossa luta. Se alguem recebeu o contracheque com remuneração composta é importnate que o envie a ao sind ute até ida 15
    "O Sind-UTE foi notificado pela Promotoria Especializado de Defesa do Patrimônio Público a comparecer ao Ministério Público, no dia 12/07, para prestar esclarecimentos para fins de instrução do Inquérito Civil Público que apura a ausência de cumprimento da Lei Federal 11.738/08.
    Uma importante prova do descumprimento da lei é o contracheque atual.
    Peço que quem conseguiu visualizar o contracheque e que já esteja na remuneração composta do vencimento básico, o encaminhe por e-mail para apresentarmos à Promotoria como prova.
    Precisa enviar até 18 h do dia 11/07.
    E-mail do Sind-UTE MG: sindute@sindutemg.org.br" Será que alguém recebeu na remuneração antiga , se isso aconteceu as coisas começam a melhorar. Fé, muita fé.

    ResponderExcluir
  40. Vejam o que eu li no blog da Beatriz. Isso é bom ou ruim? Será que o MInistério Público pediu isso porque sabe que o sindicato não tem como apresentar um contracheque atual com o valor do piso? Um abraço, Paula.

    Contracheque para o Ministério Público
    O Sind-UTE foi notificado pela Promotoria Especializado de Defesa do Patrimônio Público a comparecer ao Ministério Público, no dia 12/07, para prestar esclarecimentos para fins de instrução do Inquérito Civil Público que apura a ausência de cumprimento da Lei Federal 11.738/08.
    Uma importante prova do descumprimento da lei é o contracheque atual.
    Peço que quem conseguiu visualizar o contracheque e que já esteja na remuneração composta do vencimento básico, o encaminhe por e-mail para apresentarmos à Promotoria como prova.
    Precisa enviar até 18 h do dia 11/07.

    ResponderExcluir
  41. Prof Euler,
    Apesar dos pesares, há esperanças e muitas! Depois de S.Catarina, agora, a Justiça do Rio dá exemplo a ser seguido pela justiça de Minas, veja:
    VITORIA DOS COLEGAS DO RIO
    Justiça proíbe governo do Rio de cortar o ponto de professores em greve
    Plantão | Publicada em 07/07/2011 às 19h10m
    O Globo (granderio@oglobo.com.br)
    O Tribunal de Justiça do Rio concedeu liminar em favor do Sindicato Estadual dos Profissonais de Educação (Sepe), impedindo o corte no ponto dos profissionais da rede estadual de ensino, em greve desde o dia 7 de junho. A decisão também impede que o governo do estado desconte os dias parados e determina que seja feita a devolução, em folha suplementar, dos valores que já tenham sido indevidamente descontados. De acordo com o Sepe, a medida é uma vitória da mobilização da categoria que, por duas vezes foi até o Fórum acompanhar audiências da direção do Sepe com o juiz encarregado de julgar o pedido de liminar do sindicato para impedir o corte no ponto dos grevistas.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/07/justica-proibe-governo-do-rio-de-cortar-ponto-de-professores-em-greve-924861014.asp#ixzz1RSzXUYiY
    © 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.
    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/07/justica-proibe-governo-do-rio-de-cortar-ponto-de-professores-em-greve-924861014.asp#ixzz1RSzHkCMa

    ResponderExcluir
  42. PESSOAL DO MAGISTÉRIO, DINHEIRO TEM E MUITO, O QUE SOBRA É LADRÃO. NÃO FOSSE ISSO O BRASIL SERIA O MELHOR DOS MUNDOS. MAS PAGAR BEM A PROFESSOR????? VAI SOBRAR MENOS............E ELES PRECISAM DE MUITO PARA ENVIAR PARA OS PARAISOS FISCAIS.

    ResponderExcluir
  43. Grande Euler,
    foi um grande prazer conhecê-lo pessoalmente e agradecê-lo por esse esclarecedor trabalho que fortalece, e ajuda nos rumos da nossa forte greve.
    Combativos colegas,assistimos uma assembléia de vitoriosos, com pessoas que sabem exatamente o que querem - DIGNIDADE -COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO - COMPROMISSO COM A CIDADANIA
    BRAVOS GUERREIROS EM COMBATE...
    A História nos mostra que só conseguiremos ser vencedores, LUTANDO, RESISTINDO!
    Não vamos dar ouvidos a PELEGAGEM, vamos continuar firmes na nossa luta e certamente seremos vitoriosos...!
    COM FORÇA, COM GARRA, O PISO SAI NA MARRA..
    VAMOS RADICALIZAR ESSE MOVIMENTO!
    ABRAÇOS E FORÇA NA LUTA...!
    PROFESSOR ODAIR JOSÉ - MONTES CLAROS

    ResponderExcluir
  44. Vou jogar um pouco de purpurina nesse maravilhoso blog.
    Sou gay. Professor competente. Grevista. Enrustido. Professor enrustido não. Gay. Ainda há muito preconceito. Estou no armário, trancado (aff!!!). Como professor estou atrelado a um salário miserável. Como grevista, tenho esperança.

    Juro. No dia em que esse piso for pago, ainda que na marra, saio do armário, uso cor de rosa.
    Giz? Só se for colorido! Vou saltitar feliz pela conquista do que me assiste por uma lei superior aos desmandos do governador Anastasia. Não é ele professor também? (...)Deveria conhecer e reconhecer as necessidades e a importância do professor mineiro.
    Me aguardem todos os bofes. Dane-se o preconceito.
    Pronto. Falei.
    Fui. Hoje estou particularmente purpurinado.
    Chique esse post? Eu acho. Ui!!!

    ResponderExcluir
  45. A decisão está nas mãos da nossa justiça mineira (que é mais cega que as outras) e que anda se fingindo de surda. Então, acho que é o caso de caçarmos não só o Anastasia, mas também os juízes para que julguem o caso. Não deveríamos deixá-los ter paz nem pra dormir: apitaço e panelaço na cabeça deles.

    ResponderExcluir
  46. Não entendo por que o Sindute ainda não entrou com uma ação ou liminar para suspender o corte de ponto dos professores. Uma verdade é que o jurídico do sindicato é muito fraco, parece que só tem estágiarios cursando o primeiro período do curso de Direito.

    ResponderExcluir
  47. Grande Euler, alguns colegas demonstram fraqueza, falam de greves antigas que terminavam em nada. Isto acabou companheiros, nós estamos fazendo história, lutamos juntos, e a sociedade compreende como nunca nossa luta. Nunca se falou tanto em educação neste país. Nosso estado é famoso pelos gritos de liberdade, e aqueles que tentam abafar estes gritos serão vencidos. Tenho plena certeza que vamos receber o piso, mas temos que travar o bom combate, vamos dar os braços aos que estão desanimados e juntos vamos vencer. Que Deus nos abençõe e fica aqui uma frase : Muitos me perseguem, mas somente um me acompanha. Força na luta.

    ResponderExcluir
  48. Euler e colegas, pelo que li acima o sind ute está sendo convocado a demonstrar na justiça que o governo está fora da lei, ou seja, que nao paga o piso.Mas, para isso precisa de contracheques constando o vencimento básico, os quais só teremos em mãos no próximo mês, pois o atual(mês de junho) ainda está no subsídio.Em resumo, por enquanto não temos como provar que o governo está na ilegalidade. Correto meu comentário ?

    ResponderExcluir
  49. Ai... parem de se lamentar! O faraózinho não vai diminuir os nossos salários. Ele pode fingir de doido, brincar de ser faraó, mas alguém já o viu rasgando dinheiro ? Não, né?
    Pois bem, caros colegas, (tbém tenho contas a pagar, alias, mais conta do que dinheiro) nosso coronezim não é doido não! O bicho é tinhoso. Ele não vai diminuir o salário de ninguém porque sabe que não pode: é um BLEFE. Depois de lerem este blog, eles devem jogar Poker enquanto montam as estratégias para nos desestabilizar e minar nossas forças.
    Pensem bem: ano que vem é ano político. Eles sabem que não podem fazer isso e sabem QUE NÓS TAMBEM SABEMOS, afinal nos acompanham todos dias (rsrsrs) – “Oi chefinho Faraó! E aí dona Gazzola! Firme na luta? Nós tbém!”) – bem, voltando ao assunto: ninguém quer perder sua cadeira e MUITO MENOS DAR MUNIÇÃO PRO ADVERSÁRIO. Alguns podem dizer: tá todo mundo comprado: Justiça, ALMG, etc, etc... mas sempre vai ter um adversário usando o horário político pra jogar no ventilador a podridão do outro. E nós sabemos que, quando cai uma “cáca” no ventilador sempre cai outra e outra... E político é assim: são amigos desde criancinha, mas quando a coisa fica feia pra um, o resto some todo e “juram de pé junto” que nunca se viram antes.
    O plano é, e sempre foi, nos vencer pelo cansaço e ir nos empurrando com a barriga.
    Eles colocaram isso no contracheque e vão acrescentar a ele uma parcela de alguma coisa com uma sigla bem diferente para chegar ao valor do que recebemos. BINGO, cara sub-chefinha Gazzola - é que não dá pra jogar POKER, professor só consegue jogar bingo e na festa junina da escola que não vai ter este ano – rsrs.
    Abraços e muita calma nessa hora!!!

    ResponderExcluir
  50. Ei, Euler. Olha o que saiu no blog do Lucas Figueiredo : "Aécio e a imprensa livre".
    http://lfigueiredo.wordpress.com/2011/07/07/aecio-e-a-imprensa-livre/

    Leia e pense na possibilidade de entrar em contato com ele do mesmo modo que vc fez com Nassif e Azenha. Quem sabe o blog do Lucas não é mais um espaço para divulgar nosso movimento e os desmandos do governo?

    Bem, é só uma sugestão. Tem também as revistas Caros Amigos e Carta Capital, eu até já mandei e-mail para todos eles, porém quanto mais gente mandar, melhor. E vc, com certeza, tem mais possibilidade de ser ouvido, seu blog é conhecido e reconhecido, seus textos são esclarecedores. Enfim, acho que vale a pena tentar.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  51. Caro Euler

    A cidade de Leandro Ferreira , no centro-oeste de Minas Gerais , é conhecida como local de sepultamento de Padre Libério , padre que faleceu em 1981 e que são atribuídos vários milagres . Na região ele é considerado santo e há uma peregrinação até a cidade para visita ao seu túmulo , onde pessoas fazem seus pedidos e agradecem por graças alcançadas .

    Pois bem, no dia 07/07 haveria na cidade a entrega de 30 casas construídas através do Projeto Minha Casa Minha Vida que contaria com a presença do Governador Anastasia .

    Os trabalhadores em educação das cidades de Pará de Minas , Betim e Divinópolis marcaram presença em Leandro Ferreira a fim de recepcionar o governador que cancelou a visita à cidade por volta das 14 horas , mas foi representado pelo deputado aliado Inácio Franco , um representado da COHAB e autoridades locais .

    Com apitaços , faixas e bandeiras mostramos à população local qual é a verdadeira realidade no serviço público em Minas Gerais ( greve em diversos setores ) e que o governo de estado não cumpre a Lei do Piso Salarial .

    O deputado Inácio Franco foi cobrado pela sua postura adotada no ano de 2010 na votação da lei do subsídio e pela postura do governador que estava representando, de não cumprir uma lei federal . Ele se limitou a dizer que alcançaremos a vitória e se esquivou de outros questionamentos .

    Avaliamos como positiva a atividade . O recado foi dado : se Anastasia ou deputado aliado inaugurar obra na região , estaremos lá para denunciar o governador fora da lei .

    Anderson - Pará de Minas

    ResponderExcluir
  52. ERA uma vez... Um professor que deitado em sua cama em uma longa noite insone pensou: "Ah! Quer saber de uma coisa? o piso de mil quinhentos e tanto tá muito pouco ainda.
    Trabalhar em um sistema falho, servir de babá, policial, padre/pastor, psicólogo e ainda tendo que ter o máximo de cuidados para não cometer o modismo do "bulling" (nem sei se essa é a grafia correta), o mínimo para um professor deveria ser de 5 mil (eu ainda sendo leve com o estado).
    Um sistema onde o aluno entra na escola, atenta os colegas, ameaça os professores, não faz NADA a não ser responder e criticar e ainda é aprovado com êxito, mostra como está o sofrimento do professor.
    Pra que estudar? Vou passar mesmo. Essa é uma das falas que ouço diariamente.
    Se ele não tem pra que esforçar... Não tem boas notas por que lutou por elas...
    ...Então NUNCA será um cidadão digno (já que na cabeça dessa criança o mundo sempre estará lhe devendo favores).
    O pior de tudo é que essa criança vai se formar, vai encontrar faculdades que com o dinheiro saído do bolso dos pais irá aprová-lo, e entrará no mercado de trabalho como médico (nosso e dos nossos filhos), advogados,policiais (para prender professores "grevistas e arruaceiros" - como nos chamarão), engenheiros e arquitetos (para construir nossas casas sem "piso" e com um "teto" bem pesado).
    Muitos ainda acertarão as carreiras (já que nunca precisara fazer nada), entrarão para a política, se tornarão vereadores, deputados... GOVERNADORES e quem sabe até presidentes.
    Quando isso ocorrer, ele pensará da seguinte maneira: "Pra que obrigar as crianças a agüentar aqueles professores ditadores como eu agüentei? EU VENCÍ... SEM AJUDA DE NENHUM! Vou fazer com que ganhem pouco, já que a única função deles é a de reclamarem e fazerem greve. Ganham o tanto que lhes bastam.
    ... E aí... Nós não teremos porque lutar.... Pois a luta já estará perdida.
    Nesse caso, com todo esse movimento se formando, devemos pedir um salário digno SIM! E também uma mudança no sistema de ensino.
    Por que senão alegarão da seguinte maneira: O salário está ótimo para a classe, já que não estão fazendo NADA (se referindo aquelas crianças que passam de ano sem nada saber, e nada quer), culpando injustamente aos professores.

    Continua ...

    ResponderExcluir
  53. Continuando...
    Para mim o piso de 1500 está ainda baixo.

    Voltei para a carreira antiga com muito orgulho! (tendo ainda um empréstimo que fiz para pagar em 3 anos descontando direto do meu contra cheque, meu salário vai cair para 780).Tenho somente um cargo da lei 100, ao qual não pedi para estar assim . Fiz uma pós graduação pensando em me concursar e ganhar um pouco mais, já que por essa lei 100 eu não teria direito a nada com ela (motivo do empréstimo).
    Devo agradecer a DEUS pelo meu salário? Afinal ele é milagroso! Já que água, LUZ, gás, telefone, aluguel, comida, roupas da loja de 9,99, tudo isso deve "caber" e ainda sobrar para divertir (ultimamente, com o salário que a classe se encontra, o divertimento mais barato é beber pinga - pena eu não gostar - então não vou me divertir). :(
    Sendo assim... Talvez seja a hora de rasgar o meu diploma e me tornar político... Mas infelizmente minha mãe e minhas professoras da época me auxiliaram a formar o meu caráter... E, dessa maneira, eu não conseguiria ser um bom político.
    Divorciar-me e casar com uma mulher rica também me passou pela cabeça... Mas infelizmente amo demais minha esposa (na riqueza e na pobreza- ultimamente estou na pobreza).
    Talvez então, me tornar traficante. Estranho que nesse país essa classe tenha crescido tanto. Ainda teria a vantagem de não ser preso. Infelizmente nunca mexi com drogas, portanto nem sei onde começar.
    Já sei! GAROTO DE PROGRAMA! A vida fácil talvez me auxiliasse nessa empreitada! Pena eu já ter passado um pouco da idade, portanto não ganharia muito.
    ... ... ... É... ... ...
    Estou sem solução... O que fazer?
    Hoje estou em greve... Esperando (palavra que vem de ESPERANÇA - a qual minha saudosa avó sempre dizia para eu ter), que como nos contos de fadas que ouvi na minha infância, o lobo, o gigante, a bruxa e o prefeito corrupto (do flautista mágico) tenham o que merecem.
    ... E que eu possa, enfim, viver FELIZ PARA SEMPRE.

    Nova Serrana, 08 de Julho de 2011

    ResponderExcluir
  54. A minha frase já está pronta: "SUBSIDIO uma afronta, PISO NACIONAL um calote".
    a
    Abraços e força na luta!

    ResponderExcluir
  55. Ola Euler e amados companheiros,
    que lindo o texto do anonimo de Nova Serrana,fiquei emocionada e também acredito que o bem prevelecerá.Fiquemos firmes e tenhamos fé,Deus está conosco...

    ResponderExcluir
  56. Olá,
    É uma pena que muitos colegas não tenham a consciência do nosso poder e, com isso, desfaleçam na luta. Os professores têm que aprender a lutar contra as pessoas certas: o governo. Mas o que temos visto em nossas escolas são professores lutando contra as pessoas erradas: os alunos. Quando precisamos triplicar nossa jornada, quando não temos tempo de preparar uma aula decente, quando estamos estressados com nossos alunos por causa de uma salário rídiculo, estamos fazendo exatamente o que o governo espera de nós. Que o espírito de luta aqueça o coração das cabeças pensantes do Estado de Minas Gerais.
    Ana Gabriela da Costa Lara Medeiros. Juiz de Fora

    ResponderExcluir
  57. Oi Euler...
    Achei incrível a jogada do governo. No meu contracheque ele mandou um recadinho avisando que terei redução no salário no próximo mês. Isto porque tive um aumento irrisório com o subsídio, tentando assim mim convencer que ele é bonzinho e está preocupado comigo. A minha amiga que foi posicionada errada no contracheque e teve perdas no pagamento ele não avisou, mas publicou no portal o seu retorno ao vencimento antigo. Fizemos o nosso protocolo de retorno no mesmo dia e hora. Percebe-se que somente não vê maracutaia neste subsídio os alienados do sistema.
    Um abraço.
    Helcilene

    ResponderExcluir
  58. Na verdade o erro são de todos. Professores, alunos, pais e governo.
    Erro dos professores por aceitarem trabalhar roboticamente, aceitando tudo o que lhes é empurrado "guela abaixo" e receber o mísero salário , não se importando com mais nada além disso (indiferente a tudo , muitos ainda assinam o livro de ponto com orgulho, rindo das notícias da greve na hora do recreio e dizendo que a mesma não vai adiantar nada.
    Erro dos alunos que aceitam com alegria passarem de ano sem nada aprender.
    Erro dos pais que brigam o tempo todo CONTRA os professores, mas nunca se colocam no lugar dos mesmos. Afinal... O Filho NUNCA erra.
    E o pior de todos... Erro do governo. ... Que na verdade só quer saber de se vangloriar. De dizer que em MINAS a reprovação é quase zero.
    Pensem bem... Educação só dá despesa. Para que ele se preocuparia? Ele já nos mostrou a maldita força política dele. Ganhou a eleição sem o voto da classe da educação. ANE(A)STESIOU a maioria dos mineiros.
    Só mesmo a força INDIVIDUAL, transmitida ao CONJUNTO, resolveria tudo.
    QUE OS PROFESSORES QUE AINDA TRABALHAM, DEEM SUAS MÃOS A CAUSA DA VALORIZAÇÃO DO SALARIO E DA CLASSE, PARA QUE UNIDOS POSSAMOS DIZER COM ORGULHO QUE SOMOS PROFESSORES DE MINAS GERAIS (VALORIZADOS PELO ESTADO)... sendo enfim considerados pelos ALUNOS E PAIS.
    Euler... Aqui em Nova Serrana, entramos com um processo individual contra o governo.
    Estamos xerocando nossos contra cheques desde 2008... Mostrando assim que desde quando a lei do piso foi colocada, não recebemos nem um centavo do valor do mesmo (até a data de janeiro de 2011).
    Luto bravamente pelo salário digno dos professores... Mas não quero só isso! Quero que o ENSINO realmente dê bons frutos. Quero um sistema digno! Chega de projetos!

    Nova Serrana 09/07/2011

    ResponderExcluir
  59. Euler:
    Enquanto fazemos nosso movimento de lutas, você viu o artigo publicado pelo governador Antônio Anastasia no jornal Folha de São Paulo (13/07)? Verifique na seção Tendências e Debates, folha A3. É muita desfaçatez!

    ResponderExcluir