quarta-feira, 20 de julho de 2011

Educadores mineiros rejeitam divisão. A luta pelo piso continua, até a vitória!



Educadores mineiros rejeitam divisão. A luta pelo piso continua, até a vitória!


Por volta das 10h da madrugada, quando acordei, após o café da manhã de um professor de Minas - modestíssimo, claro - tratei logo de abrir o blog e ler os comentários que já me aguardavam. Um deles, dava conta de que estaria - um certo "pessoal da Lei 100" - organizando um blog para fazer campanha pela desfiliação do sind-UTE e dando apoio ao governador mineiro.

Ficou evidente que aquilo era mais uma das tentativas do governo de dividir a categoria, muito provavelmente através de entidades ou pessoas que estão a serviço dele. Elaborei rapidamente uma resposta, pois o comentário tentava atribuir tal blog aos combativos colegas efetivados. Ou autor do comentário foi muito inocente e caiu feito patinho na jogada do governo, ou fez de propósito, para acirrar os ânimos. Na minha resposta ao comentário fui claro: as evidências demonstram cabalmente que se trata de mais uma jogada do governo e nada tem a ver com a nossa categoria.

Meia hora depois o combativo colega Rômulo me telefona e, após debater rapidamente sobre o tema, propõe: e se a gente escrevesse um manifesto em apoio ao sindicato e contra as investidas do governo? Respondi: tudo bem, Rômulo, escreva você o texto e envie por e-mail. Como a gente conversa muito durante as assembleias da categoria, ele conhece o que eu penso - em parte, pelo menos, pois nem eu mesmo me conheço, às vezes -, e eu conheço, também em parte, apenas, as idéias do Rômulo, sempre conspirando contra os de cima, como deve ser.

Poucos minutos depois, o Rômulo envia o texto do Manifesto que virou o post abaixo. Fiz apenas alguns pequenos retoques, sem mexer em nada tanto na forma, quanto no conteúdo, pois ele havia conseguido passar de forma bem sintetizada aquilo que era necessário. Ficou claro no texto: 1) que rechaçamos as investidas do governo para nos dividir, 2) que precisamos de uma entidade sindical para nos organizar e que o sind-UTE é esta entidade; 3) que existem diferentes propostas e visões de mundo na base da categoria e essa diversidade cultural é importante, mas não é sinônimo de divisão; 4) que apesar da diversidade, era importante conquistar a unidade da categoria na luta; 5) que os segmentos ou grupos ou indivíduos que não concordam com alguns posicionamentos do sindicato, aprovados nas instâncias da entidade, deveriam participar dessas instâncias para fazer valer os seus pontos de vista; e 6) que era importante, principalmente neste momento, manter a nossa unidade, papel que cabe especialmente, mas não somente, às lideranças da base da categoria.

Assim que publiquei o post, começaram a chegar os primeiros nomes de apoio ao manifesto. O do comandante João Martinho, por exemplo, por ter uma patente acima da minha e do Rômulo, teve que ser consultado: comandante Martinho, o texto ficou assim e assim, vai subscrever? "Claro! Pode botar o meu nome aí embaixo", disse. Em seguida, dezenas de colegas educadores, diria até, aguerridas lideranças da base da categoria, das mais diferentes regiões de Minas, deixaram o seu apoio ao manifesto, subscrevendo-o. No final da noite, tivemos a notícia de que o tal site pró-governo fora retirado, ou melhor, os textos teriam sido apagados. Mais uma vitória dos educadores de Minas.

É importante deixar claro, que o nosso apoio ao sindicato não representa um apoio incondicional a tudo o que for feito pela direção sindical ou por quem quer que seja. Nós temos uma visão crítica em relação a todas as instituições existentes neste sistema, embora reconheçamos a necessidade de lançarmos mão destas instituições, como é o caso do sindicato, para alcançarmos nossos interesses de classe. Se, em algum momento, a instituição que nos representa demonstrar que não existe espaço para o debate democrático, ou que haja ocorrido uma traição de classe, não tenham a menor dúvida que construiremos outra entidade que nos atenda. Claro que não é esta a situação do sind-UTE, razão pela qual divulgamos e subscrevemos o manifesto mencionado. O sind-UTE é a entidade que nos representa. Achamos que muita coisa precisa ser aprimorada no interior desta entidade, por isso não abrimos mão das nossas críticas quando necessárias, procurando sempre atuar sem provocar a divisão interna da categoria.

O governo de Minas precisa aprender que não está lidando com um bando de pessoas ignorantes e incapazes de entender as suas jogadas, algumas das quais bem infantis e até imorais. A tentativa de impor outra entidade como representativa da nossa categoria, por exemplo, não vai colar. Somos uma categoria que tem uma forte base combativa, esclarecida, aguerrida, testada em muitas lutas. Um núcleo duro, como tenho dito aqui. A grande maioria da nossa categoria vive em situação de miséria, aliás, em situação semelhante no que diz respeito aos baixos salários. Efetivos, efetivados e designados, estamos todos no mesmo barco, por mais que alguns insistam em não ver que o governo joga para nos dividir.

Como já havíamos mencionado aqui no blog há algumas semanas atrás, o governo tenta criar uma base social de apoio ao governo e às entidades sindicais de aluguel. O governo imaginou que esta base social seriam os 100 mil efetivados, mas esqueceu-se de uma coisa elementar: a simples condição funcional não altera a realidade de miserabilidade em que os colegas efetivados estão inseridos, juntamente com os efetivos e designados.

Logo, a realidade objetiva, juntamente com a subjetividade criada a partir dos debates nas unidades escolares, nos blogs, nas assembleias, nas ruas, etc., jamais permitirão que se forme um consenso em favor do governo. É provável que haja pequenos segmentos da categoria, desavisados, sejam efetivos, efetivados ou designados, que tenham alguma ilusão em relação ao governo. Mas, a maioria consciente, politizada, esclarecida, não tem a menor ilusão. E aí é preciso que se reconheça: mesmo muitos dos que não entraram ainda em greve não significa que estejam de acordo com as políticas do governo. Pelo contrário, morrem de raiva dos confiscos de que estão sendo vítimas, mas ainda não haviam conseguido aderir à greve. Mas, isso vai mudar, esperamos.

Um outro ponto que gostaria de trazer aqui é sobre os acontecimentos do final da semana passada, envolvendo a reunião do governo com o sindicato e com alguns deputados. A obstrução feita pelo bloco da oposição, em apoio à nossa greve, foi bem vista. Mas, não se pode dizer o mesmo em relação à suspensão dessa obstrução em favor de uma abertura para negociação, que de fato não aconteceu. O governo não negociou nada com o sindicato, apenas reafirmou o que vinha dizendo: que não negocia com servidores em greve, que não quer falar do piso e que quer consolidar o subsídio. Ora, isso não é negociação é imposição.

O bloco de parlamentares do MSC deveria ter colocado claramente as condições dessa negociação: debater o piso como prioridade. Isso não foi feito. Não adianta dizerem que o instrumento da obstrução tinha um limite. Que se esgotasse esse limite, no sábado, no domingo, na segunda, afinal era este o propósito inicial. Ao suspender a obstrução para uma negociação que não existiu, a oposição agiu com amadorismo, no mínimo. Precisa agora exigir do governo - tem, aliás, esse compromisso moral com a categoria - que este retorne à mesa de negociação para fazer aquilo que é o prioritário: pagar o piso, que é lei federal. Os outros temas podem até ficar para depois da greve, o piso não: sem ele, a greve continua!

E aqui tocamos num outro ponto: a continuidade da greve é ruim para o governo. Quanto mais se aproxima o final do ano, menor fica o calendário para a reposição das aulas e o fechamento do ano letivo em 2011. Quem está contra a parede para buscar uma solução para o fim da greve agora é o governo. E se a greve retorna em agosto com mais força, aí que a situação do governo ficará feia.

Soma-se a isso o fato de que o acórdão do STF, que manda pagar o piso enquanto vencimento básico - e não enquanto somatória de salário, como é caso do subsídio - não demora a ser publicado. É mais um instrumento contra o governo e em favor dos educadores de Minas e do Brasil. O governo não terá outra justificativa para não pagar o piso no antigo sistema remuneratório.

E aí o governo se encontrará cada vez mais num beco sem saída. Vejam: se os nossos contracheques referentes ao mês de julho trouxerem vencimento básico de R$ 369,00 (para PEB I) ou R$ 550,00 (para PEBIII), com total de salário abaixo do valor atual do subsídio, será um tiro no pé para o governo. Como já dissemos aqui anteriormente, o governo estará incorrendo em duas ilegalidades, pelo menos: ao rebaixar o valor da remuneração dos servidores da Educação, contrariando a Constituição Federal; e ao não pagar o piso do magistério no antigo sistema, como manda a Lei, comprovando-o em contracheque.

Se somarmos a isso o anunciado corte de salários, teremos uma situação explosiva em Minas Gerais. Imaginem o desgaste político do governo quando centenas de educadores montarem barracas em todas as praças públicas de Minas Gerais, recolhendo alimentos e doações para resolver o problema de fome criado pelo governo com o corte dos salários? Que imagem restará deste governo que corta o salário dos educadores, não paga o piso, e ainda por cima rebaixa o valor da remuneração destes educadores?

Além do desgaste político que arranhará profundamente a imagem do governo do afilhado e do seu patrocinador, o faraó das Alterosas - que não sairá ileso nesta história, já que cobranças lhe serão feitas, seguramente -, crescerá a emergência de que os órgãos de fiscalização, como o Ministério Público, tomem providências. Seguramente, será difícil também para a Justiça ficar alheia a esta realidade.

E para fechar o quadro de nuvens e tempestades que ameaçam o governo, não podemos deixar de fazer uma forte cobrança sobre Brasília. Que o MEC e a presidente Dilma parem de se omitir e cobrem dos governos estaduais e municipais o pagamento do piso, bem como aumentem o valor da verba para a complementação do piso, caso necessário.

Estes elementos nas nossas mãos indicam que devemos ter muita tranquilidade, pois assim conquistaremos nossos direitos, sendo o piso o principal deles. Devemos nos organizar durante uma parte deste "recesso em greve", no descanso relativo a que me referi anteriormente, para que a greve seja fortalecida no início de agosto.

Nos dias finais de julho, todas as subsedes devem colocar o bloco nas ruas, com carros de som, panfletagem, divulgação em praça pública, visitando os colegas educadores para fortalecer a nossa luta, para que o nosso movimento se fortaleça, e para que os pais de alunos saibam quem é o responsável pela greve: o governo.

São estes os caminhos para que arranquemos o nosso piso, que é lei federal, e que o governo se recusa a pagá-lo, até o momento. Sem o piso, não pisamos na escola e o chão de Minas vai continuar tremendo, cada vez mais forte. Até a nossa vitória! Um forte abraço e força na luta!

***

"Isabel Assumpção - Manhuaçu:

Bravos combatentes e caríssimo Euler,
estamos mesmo unidos e dispostos a lutar de todas as formas possíveis para que nunca mais tenhamos vergonha de sermos professores. Ainda não conseguiram arrancar nossa voz e juntos sabemos do nosso poder. É exatamente isso que está enlouquecendo ainda mais (se é que é possível) essa corja que se intitulam governantes e sua curriola. Achamos o caminho certo e nada poderá nos deter, pois Deus não se agrada de injustiças e nos dará a vitória. Força na luta, unidade e até a vitória!!!
Um grande abraço, Isabel.
"

"Anônimo:

Euler , o texto diz quase tudo que a categoria pensa ,sei que com relação aos parlamentares vc pegou mais leve ao falar em amadorismo, mas não é amadorismo são é profissionais pois quando da votação da reforma administrativa agiram da mesma forma. Só usaram outro argumento, o de que eram minoria e não conseguiram barrar o projeto e todos votaram com o governo. Devemos é deixar essa cambada de lado, já ficou mais do que claro que o interesse desses "senhores é o mesmo de todo político: voto.


Para sair deste antro estreito
Façamos com nossas mãos
Tudo o que a nós nos diz respeito."


"Vandir Paulino Pereira:

Combativo colega,
Contrariando a sua decisão de não falar sobre o problema da lei 100/2007, quero dar minha contribuição.
Em primeiro lugar gostaria de dizer que faço parte deste grupo, não porque quero, mas por que este desgoverno retirou de mim o direito de ser efetivo por intermedio de concurso porque ele não o realizou.

O desgoverno está publicitando por ai uma grande mentira, coisa que não é novidade. Ele esta dizendo que concedeu a todos os efetivados os mesmos direitos que os efetivos, ele realmente é um grande marqueteiro que quer comprar a categoria, e infelismente alguns menos esclarecidos que se deixam levar. No entanto vale a pena lembrar algumas coisinhas:
1. o desgoverno apenas concedeu estabilidade, a meu ver provisoria, para os efetivados publicando a resolução que revoga o artigo da lei 100 de que trata sobre servidor que não tiver mais condiçoes de permanecer em sua escola por questoes de vaga.

2. Em ato o desgoverno concede autorização aos servidores de mudança de lotação. Isso significa que este ano pode acontecer e no ano que vem poderá publicar outro ato e não conceder mais mudança. Uma coisa muito vulnerave.

3. Tudo isso, para se tornar eficaz, deveria passar pelo crivo da assembleia legislativa para apreciar e aprovar tais alteraçoes.

4. E com relação aos outros direitos dos efetivos, tais como ferias premio e etc... Se o desgoverno anuncia que concede os mesmos direitos aos efetivados, será que o desgoverno não reconhece ou conhece todos os direitos dos efetivos.

Essa é mais uma amostra que este desgoverno quer realmente nos dividir e infelismente iludir a muitos de nossos colegas com estas esmolas. Chega, quero ser tratado como um cidadão de direito. Esse engodo deste desgoverno não me engana.

Um abraço.

Atte.
Vandir Paulino Pereira"


"Dirceu C. Santos - Prof de Matemática - Ouro Preto:

Euler!
Concordo plenamente com você!
Já que o nosso governo mineiro consegue manipular a imprensa e outros, temos que resistir com bravura.
Estou de licença para o Mestrado, mas mesmo assim estou acompanhando essa importante luta. Temos que nos unir cada vez mais. Espero que as escolas que não aderiram a greve, não retornem em agosto!
Eu quero meus biênios, quinquênios que me foram roubados ao passar no concurso!!! Quero um piso real e satisfatório!!
Dirceu C. Santos - Prof de Matemática
Ouro Preto
"

"Luciano História:

Uma coisa que me deixa irritado é a meia verdade Anastasista e bem que o governo federal poderia dar uma força para essas meias verdades acabarem.Vejamos, o governo paga o piso através do subsídio é uma meia verdade,mas não deixa de ser verdade, essa meia verdade poderia acabar com a aprovação de duas PL:
-PL698/11( projeto de um deputado do PSDB) que determina fixar o valor do piso em torno de 4 salários mínimos para um professor com ensino médio
-PL1578/11( deputado do PT) que determina que um professor com curso superior tem que ter um piso 50% acima de um professor com nível médio, além do disso determina promoções de mudança de nível de 25%
Se essas PL fossem aprovadas até mesmo se o governo federal permitisse a prática do subsídio na educação ,o governo mineiro estaria descumprindo integralmente a lei e não tinha como justificativas meias verdades pois se são 4 salários (2180,00) para 40 horas, em Minas o valor seria 2,4 salários (1308,00) para 24 horas ensino médio e de 1962,00 com curso superior.
Projetos para melhorar a carreira mas principalmente o salário existem, só falta boa vontade na aprovação dos mesmos."


""Carlinhos do Machado":

" Fala Carlinhos" Mas quem fala é o mestre conhecedor dessa nossa luta que para o ANESTESIADO, pois não terá fim a luta enquanto não divulgar o nosso piso. Gostaria eu de saber pelas suas sábias palavras e conhecimento o porquê, ou o que foi oferecido à policia civil, para que houvesse uma interrupção temporária em sua greve. Por que tanto descaso com a educação, ou será que os governantes sempre acharão que é mais fácil manipular os demais e nós é que representamos resistência.... E VAMOS À LUTA, A GREVE CONTINUA..."

"Benjamim - Cataguases:


Caro companheiro Euler.
Acredito que somente com ajuda de um espírito de luz teremos aberto a nossa negociação com o desgovernador de Minas. Companheiros que ainda nao se manifestaram para a nossa luta, venham ter o inusitado prazer de ser mais um guerreiro da educação de nosso país. Nossa luta é para todos os brasileiros e brasileiras e brasileirinhos de nossos rincões. Vamos ter unidade na luta e na base. Juntos venceremos. Um abraço fraterno.

Benjamim - Cataguases"


"Anônimo:

Euler, vc tem alguma informação sobre o fim da greve em SC? Será que os guerreiros de lá receberão o piso?"

"Anônimo:

Vcs já viram aquela "Senhora de Propaganda" do Governo... aquela do "tutu mineiro"? Nessa propaganda o governo afirma que Minas Gerais tem arrecadado mais que o Brasil. Ora, já que é assim, tem dinheiro sobrando nos cofres mineiros para pagar o nosso piso e até complementar o piso dos demais Estados."

"Anônimo - Coronel Fabriciano:

Caros colegas, quero denunciar que muitas superintendências não estão acatando a decisão dos profissionais de voltarem ao antigo sistema. Sou de Coronel Fabriciano fiz o pedido em maio e até agora nada. Perguntei a vários colegas e nenhum ainda foi posicionado no antigo sistema. Nem aquele informe que vários tiveram no contracheque, que mês que vem estará no antigo sistema ocorreu. Será que não etão fazendo o jogo do governo, queremos resposta e ação do sindicato. Que esse blog nos ajude a divulgar, se você se encontra nessa situação faça também o seu reclame."

"
Luciano História:

Euler, você sabe qual é o meio utilizado em Santa Catarina para valorizar o tempo de serviço? O governo de lá vai pagar o piso mas adaptou o plano de carreira reduzindo promoções (essa estratégia de reduzir percentuais de promoções e progressões eu já tinha mencionado a uns dois meses atrás que iria acontecer). Eu sinceramente acho que o governo mineiro vai fazer a mesma coisa, me estranha o fato de ainda não ter feito isso."

Comentário do Blog: Não estou muito apar do desfecho da greve em Santa Catarina, que durou 62 dias, num movimento histórico. Sei que o governo de lá incorporou algumas gratificações ao salário (como o daqui fez com o subsídio), mas manteve outras, reduzindo os percentuais, que serão retomados ao seu valor original até janeiro de 2012. Nessas condições, ao que parece, o piso será pago, mas os colegas educadores de lá não ficaram satisfeitos, pois dizem que houve alteração no plano de carreira em desfavor dos educadores. Sabe-se que por lá o dinheiro do FUNDEB é usado para tudo, até mesmo para pagar despesas do Poder Judiciário. Ou seja, mais um desgoverno que não cumpre as leis e que trata a Educação com total desrespeito, com a conivência / cumplicidade da mídia, do judiciário, do legislativo, e da esfera federal também. Enfim, cá como lá, estamos diante de máquinas, máquinas, máquinas, má... fias, rsrs. Mas, amigo Luciano, o governo daqui não vai tentar mudar novamente o nosso plano de carreira, retirando mais direitos do que já tirou nos últimos oito anos, porque se isso acontecer nossa greve vai durar até a Copa de 2014. No mínimo.

"
Anônimo:

COMUNICADO:
Informamos que a resolução conjunta seplag/see nº 8386/2011, com a revogação do posicionamento
em tabelas de subsídio, por opção de servidores da secretaria de estado de educação, foi
publicada em anexo a este jornal, e estará disponível para consulta nos sites www.portaldoservidor.
mg.gov.br e www.iof.mg.gov.br a partir do dia 25/07/2011
"

"
UM PAI DESESPERADO:

Governo e Professores,
em nome de todos os pais dessa grande nação mineira, eu venho a público pedir para que haja um entendimento e que as aulas dos nossos filhos recomecem...Nós pagamos impostos durante toda nossa vida,somos ordeiros e acreditamos na democracia...nossos pais viveram na ditadura e não podemos imaginar que algo tão ruim esteja de volta! Temos o direito de vermos os nossos filhos estudando numa escola pública de qualidade,em condições iguais áqueles da escola privada.
SENHOR GOVERNADOR, EU E MINHA FAMÍLIA VOTAMOS NO SENHOR, CONFIAMOS NO SENHOR ...E AGORA O SENHOR NÃO VALORIZA OS PROFESSORES, NÃO CUMPRE UMA TAL LEI DO PISO QUE OS PROFESSORES QUEREM(ORA, SE OS PROFESSORES JÁ RECEBESSEM MAIS QUE ESSA TAL LEI , ELES JÁ NÃO TERIAM ACABADO COM ESSA GREVE?)
PROFESSORES,vocês devem ser valorizados,vocês são fundamentais na sociedade, NÓS DECLARAMOS TOTAL APOIO A TODOS VOCÊS, TOTAL APOI Á GREVE...
MAS QUEREMOS OS NOSSOS FILHOS ESTUDANDO...
O GOVERNO, RESOLVE ISSO LOGO ...EU CUMPRO A LEI ,SEMPRE CUMPRÍ DURANTE TODA MINHA VIDA! PORGUE VOCÊ O GOVERNO NÃO TÁ CUMPRINDO...ISSO É UM MAL EXEMPLO...SE TEM TUTÚ SOBRANDO,PAGUE OS PROFESSORES. NOSSOS FILHOS VOLTAM PRA SALA DE AULA E TODOS VAMOS FICAR FELIZES!
MINHA FILHA TEM QUE FORMAR... LOGO TEM O PROUNI, O ENEM , E COM VAI FICAR?
GOVERNO TENHA PIEDADE...PROFESSORES RECEBAM ESSE PISO E VOLTEM PRA SALA DE AULA...
Esse é o nosso apelo,não vou me identificar porque não sei se vivemos em Minas numa DEMOCRACIA OU NUMA DITADURA...
"

"
Anônimo:

Professor Euler.
Eu proponho que no dia que o professores saíssem às ruas para pedirem ajuda à população que ao mesmo tempo seja colocado outdoors, divulgando a situação dos professores, por culpa do governo.
Podia ser alguma coisa assim: “Tem um professor pedindo ajuda em sua cidade, contribua, o governo mineiro cortou o seu salário só porque o professor cobra dele cumprimento da lei”
"

"
Maria - João Monlevade:

Boa tarde a todos e todas.
Caro Euler, sou de João Monlevade que fica cerca de 100 km de BH, participei da greve do ano passado e nesta também estou participando, mas nunca fui à BH nas assembleias, sempre tive vontade de ir, mas quando se tem criança pequena fica difícil. Porém, participo do jeito que posso, nas manifestações em minha cidade, indo a outras escolas e conversando com outros colegas, etc. Minha escola está fechada, são raros os pelegos que estão cumprindo o ponto. A rede municipal aqui acompanha a greve desde o dia 09/06 com 100% de adesão e até hoje nada do nosso prefeito negociar de forma séria conosco. Dois fatos nessa greve me chamam à atenção:
Primeiro que alguns servidores municipais também trabalham no estado e só estão em greve no município (não dá para entender!).
O segundo e o mais triste é que quando conseguimos parar a BR 381 por 50 minutos na semana passada dia 12/ 07, uma amiga nossa que entende que a luta é justa e séria, durante essa manifestação teve sua moto furtada (para essa moto ser comprada ela dava aulas em três turnos, pois as prestações eram caras). Trata-se de uma CG TITAN 150 ano 2006 preta de placa HDZ 0480. Caso alguém tiver alguma informação, favor entrar em contato no blog se assim o Euler permitir. Toda a matéria da manifestação e do furto se encontra no blog o popular de João Monlevade. E ainda tiveram pessoas que disseram que se ela tivesse ficado em casa nada disso teria acontecido. Medo todos nós temos, mas o que nos difere dos pelegos é como enfrentamos esses medos. Entendemos que lutar é a melhor opção e só estou AINDA na educação por acreditar nela, por achar que é só através dela que podemos mudar nosso futuro.
Peço a todos que estejamos unidos, sem essa de efetivo, efetivado ou designados, pois somos todos “educadores”. Estou junto até o fim.
Força na luta e até a vitória.
Euler você é muito gente boa, obrigado por tudo que tem feito.
“Quem não lutar por sua liberdade, não a merece”
Che Guevara
"

Comentário do Blog: parabéns, combativa colega Maria, pela sua forma corajosa e aguerrida de atuar. Precisamos de mais gente assim, como você. Sobre o roubo da moto da nossa colega Carla Patrícia, já havíamos noticiado no post anterior e aqui faço uma proposta: e se agente fizesse um fundo para comprar uma moto nova para a nossa colega; Afinal, ela foi roubada quando a colega estava em atividade no movimento de ocupação da BR 381. Não podemos permitir que ela seja prejudicada. Mexeu com um de nós, mexeu com todos. Então, primeiramente vamos cobrar da PM e da PC que localizem a moto roubada. Se não o fizerem dentro de um prazo curto de tempo, temos a obrigação moral de cotizar uma nova moto para a colega. Somos milhares de educadores em Minas. Contem com a minha modesta contribuição.

"
João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Eu tomei a iniciativa de escrever para o Deputado Jean Willis. Aqui vai a cópia da carta:

Excelentíssimo Senhor

Sou Professor da Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais. Minha categoria está em greve pelo pagamento do Piso Salarial, cujo pagamento, o governo de Minas se recusa a nos fazer. Ele está notoriamente fora da lei, e ao que parece todos os governos estaduais, com alguma exceção, estão se recusando.

Naturalmente que eles já estariam pagando se o governo Dilma estivesse pressionando nesse sentido. Para fazer esta pressão sobre o governo federal, não podemos contar com o PT, nem com a base aliada, que são governo. Também não podemos contar com o PSDB, que não quereria pressionar a presidenta a pressionar os seus próprios governadores. Só nos resta o PSOL, que me parece não elegeu representantes em Minas. Por isso recorro a V.Excia para que abra uma bandeira a mais na sua campanha. Questione o governo federal sobre o motivo de os governadores se recusarem a pagar o piso. Pergunte porque os governadores ainda não foram chamados à ordem. Critique, faça o que estiver ao seu alcance. Saiba que agindo assim, os professores hão de lhe ser reconhecidos.

Sem mais, eu me despeço, protestando estima e alta consideração.

Cordialmente, João Paulo Ferreira de Assis.
"

Comentário do Blog: ótima iniciativa e ótima carta, amigo João Paulo. De fato, os deputados de Minas no Congresso nada fazem, ou quando fazem, não ultrapassam os limites da cartilha partidária. Os da base da oposição não querem contrariar o governador de Minas, apoiado pelo PSDB-Demo. Os da situação, como o PT, criticam apenas o governo estadual, mas não cobram nada do governo federal. Assim, ficamos reféns desses interesses menores. Sem falar nos senadores que representam Minas, que são os piores tipos, a começar por aquele que mora no Rio de Janeiro. O Congresso Nacional deveria no mínimo chamar estes governos para uma audiência pública e cobrar o cumprimento da lei. Mas, como você bem destacou, estamos sem vozes autorizadas nas duas Casas do Parlamento Federal para nos representar. Quem sabe o representante do PSOL não tenha uma postura diferente? Vamos aguardar.

"
Maria Joana:

EULER, VI NO TWITTER DO ROGÉRIO CORREIA QUE EM UM EVENTO QUE ACONTECEU EM SÃO GONÇALO DO PARÁ, DOIS PROFESSORES INFILTRARAM ENTRE OS CONVIDADOS INTERROMPERAM O GOVERNADOR COBRANDO O PAGAMENTO DO PISO, FORAM APLAUDIDOS.OUTRA INFORMAÇÃO É QUE PM DETEVE TRêS PROFESSORES."

"
Anônimo:

Sen_Cristovam disse no twitter Não entendo pq nenhum sindicato de professor ainda não pediu cassação de prefeito/governador q não paga Piso"

"
Anônimo:

Informação é uma arma de resistência.
Entrem no You Tube e assistam o documentário:
A DOUTRINA DO CHOQUE: O ASCENSÃO DO CAPITALISMO DO DESASTRE.
"

"
Anônimo:

http://www.youtube.com/watch?v=3iUDPXytVAo&feature=related

No video acima o governador anastasia confirma que nao paga o piso. E diz que pagar custa 5 milhões a mais na folha salarial de Mg que total é de 11 milhoes.
"

Comentário do Blog: caro colega, apesar do vídeo ser da nossa greve do ano passado, mostra bem o impacto do piso sobre a folha de pagamento. Ainda que o piso do MEC seja menor do que os R$ 1.312,00 que nós reivindicávamos em 2010. O impacto deve ser mesmo aquilo que o deputado Rogério Correira disse na tribuna da ALMG, após reunião com a secretária do Seplag: cerca de R$ 4 bilhões. Parodiando os candidatos a prefeito de BH na última eleição: "Isso dá pra fazer (ou pagar)". Caso não dê, o governo tem três alternativas que eu já apresentei: a) peça empréstimo ao BID; 2) peça empréstimo ao FMI; ou 3) prove que não pode pagar e peça a complementação do Governo Federal.

"
Prof. Rogério Trindade: (diretamente de São Gonçalo do Pará!)

Colegas, estava muito bonito hoje em São Gonçalo do Pará! Quer dizer, quem fez bonito fomos nós, porque o desgovernador mais uma vez entrou e saiu vaiado e pelas portas do fundo. Todos os detalhes:

http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-1-da-caca-ao-governador-fora-da.html

http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-2-da-caca-ao-governador-fora-da_20.html

http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-3-da-caca-ao-governador-fora-da.html

http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-4-da-caca-ao-governador-fora-da.html

http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-5-da-caca-ao-governador-fora-da.html
"

Comentário do Blog: Parabéns aos colegas educadores que lá estiveram, nesse processo de pressão e caça ao governador que não quer pagar o piso. A luta continua, e a busca ao fora da lei também. Quem encontrá-lo, avise-nos, pois ele precisa cumprir a lei e pagar o piso. Do contrário, a greve continua, até a Copa de 2014.

"
Anônimo:

Acesse o link professores em busca do governador fora da lei na cidade de São Gonçalo do Pará. Três professores foram detidos pela PM.

http://www.youtube.com/watch?v=uehCQExp8Hw
"

"
Anônimo:

Quanta imprudência governador
Vossa Excelência, de novo ter que sair pelas portas do fundo! hora! Quando ajudou Aécio a dar o choque( golpe) de gestão, parece que estava jogando vídeo game, onde era mocinho e a principal vilã era a educação. Pois bem, maratonista de correr de professores, vc trabalhou muito bem na árdua tarefa de ser mocinho bandido. A bomba está estourando na mão daquele que acendeu o estopim, o secretário do choque de gestão, hoje governador de Minas. ANASTASIA! Deve está pensando! Porque não os matei! Educadores malditos! Deverias! Machucar cobras, com todo respeito colegas, é pior do que matar.
Senhor governador, destruidor de sonhos de jovens que almejam um futuro melhor, saia detrás desse vídeo game que é a sua consciência, caia na realidade. Até agora o que vimos é a v excelencia brincar com a segurança, saúde, educação. " São os games mais caros para a sociedade", pois é daí que vem as esperanças,sonhos... coisa que vaidade e prepotência de menininhos vaidosos desconhecem. Infelizmente, Dilma, MEC, MP vcs são os principais cúmplices desse curinga chamado Anastasia, inimigo dos professores e da educação.
Caros colegas, acho que deveríamos ser o Batman para salvar a educação, pois, pelos indícios, Minas sem censura,MEC, Dilma,UNE... Todos comem da fruta que Anastasia gosta,Ou melhor curtem os games desse maníaco que é contra a educação.
"

"
Anônimo:

Educadora Mineira, estou com saudades dos seus textos.
Um forte abraço e feliz dia dos amigos
".

"
Educadora Mineira:

"Sind-UTE/MG protocola mais de 1.700 ações no Tribunal de Justiça cobrando o pagamento do piso salarial
20/07/2011 18h23Avalie esta notícia » 246810PRISCILA COLENiga em: twitter.com/OTEMPOonline


Os trabalhadores da educação, coordenados pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), já ajuizaram 1.723 ações junto ao Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), cobrando o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). Segundo informou o Sind-UTE, as ações estão sendo protocoladas sistematicamente.

O objetivo é questionar, juridicamente, o Governo de Minas Gerais. Atualmente, o piso em Minas é de R$ 369, valor que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores, é o pior entre os 27 estados brasileiros. O sindicato cobra o valor de R$ 1597 para uma jornada de 24 horas, valor do piso segundo a lei de número 11.738.
Os trabalhadores já estão em greve desde 8 de junho. A interrupção das atividades é uma resposta ao Governo do Estado que oferece péssimas condições de trabalho ao funcionalismo público. Uma nova assembleia será realizada em 03 de agosto para decidir os rumos do movimento."
Educadora Mineira

Ao meu amigo anônimo ou anônima, um forte abraço desej0-lhe um feliz dia DOS AMIGOS, afinal nesses meses que temos nos encontrado por aqui, tem sido muito legal! Quando tudo isso passar, quem sabe não podemos preparar um ENCONTRÃO para que possamos nos conhecer lá na capital! rsrs. Um abraço a todos os AMIGOS EDUCADORES!

Educadora Mineira
"

"
MARIA APARECIDA:

CARO EULER SEGUNDO DADOS DO SINDUTEMG SE EM 2007 FORAM EFETIVADOS 96 MIL SERVIDORES, SENDO QUE MILHARES JÁ SE APOSENTARAM, OUTROS FORAM DISPENSADOS PELOS CRITÉRIOS PRÉ ESTABELECIDOS E OUTROS EXONERARAM, HÁ LEMBRANDO QUE DESTES 96 MIL SERVIDORES NÃO FORAM SOMENTE DA ÁREA DA EDUCAÇÃO. ENTÃO NÃO ESTÁ TENDO DIVISÃO... ACORDEM SÃO 73 MIL DESIGNADOS E APENAS 21 MIL VAGAS FORAM DIVULGADAS.....FIQUEMOS ATENTOS AS MANOBRAS DO GOVERNO QUERIDA "CLASSE DE PROFESSORES" EFETIVOS, EFETIVADOS, DESIGNADOS. POR UM PISO JUSTO!!!! A GREVE CONTINUA MESMO COM O CORTE DE SALÁRIO!!!! "LIBERDADE QUE SERÁ TAMÉM"!!!!MEU NOME É MARIA APARECIDA .. "

"
Anônimo:

Onde estão os vídeos do Caça ao governador em Pará de Minas? SErá que nimguém foi RECEPCIONÁ -lo? Ele esteve em PArá de MInas TAMBÉM..."

"
Anônimo:

Por favor, ninguém vai libertar Minas deste ditador? Onde está a Presidenta Dilma, o Ministro da Educação, STF, Deputados Federal e Estadual... Pensam que é só mordomia?! Queremos vocês trabalhando! A educação deste país e, do estado de Minas Gerais está indo pelo ralo abaixo e só se fala dela nas eleições! Até lá (próximas eleições) já não sobrou mais nada. Nenhum cidadão aguentará mais políticos usando, em seus discursos, o tema educação para ganhar as eleições. Chega! Sou mãe de aluno(a), só acredito na valorização do profissional da educação e na melhoria da qualidade da mesma, quando os políticos começarem a realizar as promessas feitas nas campanhas e quando o governador de Minas cumprir as Leis, a começar pelo pagamento do PISO SALARIAL. Meu filho(a) não pode "pagar" pelo erro desse governador prepotente, teimoso e mesquinho e que não depende da escola pública para estudar os seus... Pague logo esse PISO para as aulas começarem. Já pensou se a greve durar até a COPA!!! Cadê o Poder Judiciário? Vai fingir que nada está acontecendo? Ah! Esqueci! A justiça é cega, surda e muda..."

"
Educadora Mineira:

A todos os nossos amigos virtuais que estão na batalha e que aqui dividem os seus conhecimentos, as suas angústias, mas acima de tudo a alegria de poder lutar pelos seus SONHOS!
Um pouco de Milton Nascimento

" [...]
Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar
[...]"

Disponível em: http://letras.terra.com.br/milton-nascimento/27700/Acessado em 20 de julho de 2011.
Um grande abraço!

Educadora Mineira
"

"
Anônimo - Carangola:

Caro Euler e amigos do combate, da caça ao governador e da luta pela implantação do nosso Piso, cheguei há exatos cinco minutos da manifestação dos professores e pais aqui em Carangola, bem verdade é que havia poucos pais. Mas o que interessa que nós estávamos lá. Muitos falaram, expuseram a situação vergonhosa em que vivem os professores de Minas Gerais. A sociedade, querendo ou não, ouviu o nosso clamor e todos ficaram cientes, se ainda não o eram, de quem é a culpa de estarmos em greve! Os alunos aceitaram o nosso convite, fizeram parte da nossa manifestação. Nosso movimento foi fotografado e filmado, aguardem nossas postagens. E, o melhor, vieram professores do DIVINO! E, lá, alguns corajosos professores estão em greve sozinhos em suas escolas. Essas atitudes me deixam bastante tranquila e feliz, porque saber que mais professores abraçam a nossa causa é muito bom! Por isso, reitero este pedido: Por favor, colegas de escolas que ainda não aderiram ao nosso movimento em prol piso da nossa classe, atendam aos nossos apelos, não voltem para as salas no dia primeiro de agosto! A nossa vitória está próxima! "Coragem... Coragem... Coragem! Uma guerra não se vence sozinho!" E será muito mais saboroso comemorar a vitória e o 'tutu' no bolso com todos! À luta companheiros! O piso é nosso!
"

Comentário do Blog: parabenizamos os combativos colegas de Carangola por esta importante manifestação. Precisamos de fato fortalecer a nossa greve agora em agosto, para arrancarmos na luta o nosso piso, que já é lei! Um forte abraço e força na luta!

28 comentários:

  1. Euler!
    Concordo plenamente com você!
    Já que o nosso governo mineiro consegue manipular a imprensa e outros, temos que resistir com bravura.
    Estou de licença para o Mestrado, mas mesmo assim estou acompanhando essa importante luta. Temos que nos unir cada vez mais. Espero que as escolas que não aderiram a greve, não retornem em agosto!
    Eu quero meus biênios, quinquênios que me foram roubados ao passar no concurso!!! Quero um piso real e satisfatório!!
    Dirceu C. Santos - Prof de Matemática
    Ouro Preto

    ResponderExcluir
  2. Combativo colega,
    Contrariando a sua decisão de não falar sobre o problema da lei 100/2007, quero dar minha contribuição.
    Em primeiro lugar gostaria de dizer que faço parte deste grupo, não porque quero, mas por que este desgoverno retirou de mim o direito de ser efetivo por intermedio de concurso porque ele não o realizou.

    O desgoverno está publicitando por ai uma grande mentira, coisa que não é novidade. Ele esta dizendo que concedeu a todos os efetivados os mesmos direitos que os efetivos, ele realmente é um grande marqueteiro que quer comprar a categoria, e infelismente alguns menos esclarecidos que se deixam levar. No entanto vale a pena lembrar algumas coisinhas:
    1. o desgoverno apenas concedeu estabilidade, a meu ver provisoria, para os efetivados publicando a resolução que revoga o artigo da lei 100 de que trata sobre servidor que não tiver mais condiçoes de permanecer em sua escola por questoes de vaga.

    2. Em ato o desgoverno concede autorização aos servidores de mudança de lotação. Isso significa que este ano pode acontecer e no ano que vem poderá publicar outro ato e não conceder mais mudança. Uma coisa muito vulnerave.

    3. Tudo isso, para se tornar eficaz, deveria passar pelo crivo da assembleia legislativa para apreciar e aprovar tais alteraçoes.

    4. E com relação aos outros direitos dos efetivos, tais como ferias premio e etc... Se o desgoverno anuncia que concede os mesmos direitos aos efetivados, será que o desgoverno não reconhece ou conhece todos os direitos dos efetivos.

    Essa é mais uma amostra que este desgoverno quer realmente nos dividir e infelismente iludir a muitos de nossos colegas com estas esmolas. Chega, quero ser tratado como um cidadão de direito. Esse engodo deste desgoverno não me engana.

    Um abraço.

    Atte.
    Vandir Paulino Pereira

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa que me deixa irritado é a meia verdade Anastasista e bem que o governo federal poderia dar uma força para essas meias verdades acabarem.Vejamos, o governo paga o piso através do subsídio é uma meia verdade,mas não deixa de ser verdade, essa meia verdade poderia acabar com a aprovação de duas PL:
    -PL698/11( projeto de um deputado do PSDB) que determina fixar o valor do piso em torno de 4 salários mínimos para um professor com ensino médio
    -PL1578/11( deputado do PT) que determina que um professor com curso superior tem que ter um piso 50% acima de um professor com nível médio, além do disso determina promoções de mudança de nível de 25%
    Se essas PL fossem aprovadas até mesmo se o governo federal permitisse a prática do subsídio na educação ,o governo mineiro estaria descumprindo integralmente a lei e não tinha como justificativas meias verdades pois se são 4 salários(2180,00) para 40 horas,em Minas o valor seria 2,4 salários(1308,00)para 24 horas ensino médio e de 1962,00 com curso superior.
    Projetos para melhorar a carreira mas principalmente o salário existem, só falta boa vontade na aprovação dos mesmos.

    ResponderExcluir
  4. Isabel Assumpção - Manhuaçu20 de julho de 2011 09:41

    Bravos combatentes e caríssimo Euler,
    estamos mesmo unidos e dispostos a lutar de todas as formas possíveis para que nunca mais tenhamos vergonha de sermos professores. Ainda não conseguiram arrancar nossa voz e juntos sabemos do nosso poder. É exatamente isso que está enlouquecendo ainda mais ( se é que é possível) essa corja que se intitulam governantes e sua curriola. Achamos o caminho certo e nada poderá nos deter, pois Deus não se agrada de injustiças e nos dará a vitória. Força na luta, unidade e até a vitória!!!
    Um grande abraço, Isabel.

    ResponderExcluir
  5. Euler , o texto diz quase tudo que a categoria pensa ,sei que com relação aos pralamentares vc pegou mais leve ao falar em amadorismo ,mas não é amadorismo são é profissionais pois quando da votação da reforma administrativa agiram da mesma forma.Só usaram outro argumento , o de que eram minoria e não conseguiram barrar o projeto e todos votaram com o governo.Devemos é deixar essa cambada de lado ,já ficou mais do que claro que o interesse desses "senhores é o mesmo de todo político voto.


    Para sair deste antro estreito

    Façamos com nossas mãos

    Tudo o que a nós nos diz respeito.

    ResponderExcluir
  6. "Carlinhos do Machado"20 de julho de 2011 10:22

    " Fala Carlinhos" Más quem fala é o méstre conhecedor déssa nossa luta que para o ANESTESIADO,pois não terá fim a luta enquanto não divulgar o nosso piso. Gostaria eu saber pelas suas sábias palavras e conhecimento o porque, ou o que foi oferecido á policia civíl,para que houvesse uma interrupção temporária em sua greve. Porque tanto descaso com a educação, ou será que os governantes sempre acharão que é mais fácil manipular os demais e nós é que representamos resistência.... E VAMOS Á LUTA,A GREVE CONTINUA...

    ResponderExcluir
  7. Caro companheiro Euler.
    Acredito que somente com ajuda de um espirito de luz teremos aberto a nossa negociação com o desgovernador de minas. Companheiros que ainda nao se manifestaram para a nossa luta, venham ter o inusitavel prazer de ser mais um guerreiro da educação de nosso pais. Nossa luta é para todos os brasileiros e brasileira e brasileirinhos de nossos rincões. Vamos ter unicade na luta e na base. Juntos venceremos. Um abraço fraterno.
    Benjamim - Cataguases

    ResponderExcluir
  8. Euler, vc tem alguma informação sobre o fim da greve em SC? Será que os guerreiros de lá receberão o piso?

    ResponderExcluir
  9. Vcs já viram aquela "Senhora de Propaganda" do Governo...aquela do "tutu mineiro"? Nessa propaganda o governo afirma que Minas Gerais tem arrecadado mais que o Brasil. Ora, já que é assim, tem dinheiro sobrando nos cofres mineiros para pagar o nosso piso e até complementar o piso dos demais Estados.

    ResponderExcluir
  10. UM PAI DESESPERADO
    Governo e Professores,
    em nome de todos os pais dessa grande nação mineira, eu venho a público pedir para que haja um entendimento e que as aulas dos nossos filhos recomecem...Nós pagamos impostos durante toda nossa vida,somos ordeiros e acreditamos na democracia...nossos pais viveram na ditadura e não podemos imaginar que algo tão ruim esteja de volta! Temos o direito de vermos os nossos filhos estudando numa escola pública de qualidade,em condições iguais áqueles da escola privada.
    SENHOR GOVERNADOR, EU E MINHA FAMÍLIA VOTAMOS NO SENHOR, CONFIAMOS NO SENHOR ...E AGORA O SENHOR NÃO VALORIZA OS PROFESSORES, NÃO CUMPRE UMA TAL LEI DO PISO QUE OS PROFESSORES QUEREM(ORA, SE OS PROFESSORES JÁ RECEBESSEM MAIS QUE ESSA TAL LEI , ELES JÁ NÃO TERIAM ACABADO COM ESSA GREVE?)
    PROFESSORES,vocês devem ser valorizados,vocês são fundamentais na sociedade, NÓS DECLARAMOS TOTAL APOIO A TODOS VOCÊS, TOTAL APOI Á GREVE...
    MAS QUEREMOS OS NOSSOS FILHOS ESTUDANDO...
    O GOVERNO, RESOLVE ISSO LOGO ...EU CUMPRO A LEI ,SEMPRE CUMPRÍ DURANTE TODA MINHA VIDA! PORGUE VOCÊ O GOVERNO NÃO TÁ CUMPRINDO...ISSO É UM MAL EXEMPLO...SE TEM TUTÚ SOBRANDO,PAGUE OS PROFESSORES. NOSSOS FILHOS VOLTAM PRA SALA DE AULA E TODOS VAMOS FICAR FELIZES!
    MINHA FILHA TEM QUE FORMAR... LOGO TEM O PROUNI, O ENEM , E COM VAI FICAR?
    GOVERNO TENHA PIEDADE...PROFESSORES RECEBAM ESSE PISO E VOLTEM PRA SALA DE AULA...
    Esse é o nosso apelo,não vou me identificar porque não sei se vivemos em Minas numa DEMOCRACIA OU NUMA DITADURA...

    ResponderExcluir
  11. Euler, você sabe qual é o meio utilizado em Santa Catarina para valorizar o tempo de serviço?O governo de lá vai pagar o piso mas adaptou o plano de carreira reduzindo promoções( essa estratégia de reduzir percentuais de promoções e progressões eu já tinha mencionado a uns dois meses atrás que iria acontecer).Eu sinceramente acho que o governo mineiro vai fazer a mesma coisa, me estranha o fato de ainda não ter feito isso.

    ResponderExcluir
  12. COMUNICADO:
    Informamos que a resolução conjunta seplag/see nº 8386/2011, com a revogação do posicionamento
    em tabelas de subsídio, por opção de servidores da secretaria de estado de educação, foi
    publicada em anexo a este jornal, e estará disponível para consulta nos sites www.portaldoservidor.
    mg.gov.br e www.iof.mg.gov.br a partir do dia 25/07/2011

    ResponderExcluir
  13. Professor Euler.
    Eu proponho que no dia que o professores saíssem às ruas para pedirem ajuda à população que ao mesmo tempo seja colocado outdoors, divulgando a situação dos professores, por culpa do governo.
    Podia ser alguma coisa assim: “Tem um professor pedindo ajuda em sua cidade, contribua, o governo mineiro cortou o seu salário só porque o professor cobra dele cumprimento da lei”

    ResponderExcluir
  14. João Paulo Ferreira de Assis20 de julho de 2011 13:27

    Prezado amigo Professor Euler

    Eu tomei a iniciativa de escrever para o Deputado Jean Willis. Aqui vai a cópia da carta:

    Excelentíssimo Senhor

    Sou Professor da Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais. Minha categoria está em greve pelo pagamento do Piso Salarial, cujo pagamento, o governo de Minas se recusa a nos fazer. Ele está notoriamente fora da lei, e ao que parece todos os governos estaduais, com alguma exceção, estão se recusando.
    Naturalmente que eles já estariam pagando se o governo Dilma estivesse pressionando nesse sentido. Para fazer esta pressão sobre o governo federal, não podemos contar com o PT, nem com a base aliada, que são governo. Também não podemos contar com o PSDB, que não quereria pressionar a presidenta a pressionar os seus próprios governadores. Só nos resta o PSOL, que me parece não elegeu representantes em Minas. Por isso recorro a V.Excia para que abra uma bandeira a mais na sua campanha. Questione o governo federal sobre o motivo de os governadores se recusarem a pagar o piso. Pergunte porque os governadores ainda não foram chamados à ordem. Critique, faça o que estiver ao seu alcance. Saiba que agindo assim, os professores hão de lhe ser reconhecidos.

    Sem mais, eu me despeço, protestando estima e alta consideração.
    Cordialmente, João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  15. Sen_Cristovam disse no twitter Não entendo pq nenhum sindicato de professor ainda não pediu cassação de prefeito/governador q não paga Piso

    ResponderExcluir
  16. Informação é uma arma de resistência.
    Entrem no You Tube e assistam o documentário:
    A DOUTRINA DO CHOQUE: O ASCENSÃO DO CAPITALISMO DO DESASTRE.

    ResponderExcluir
  17. EULER, VI NO TWITTER DO ROGÉRIO CORREIA QUE EM UM EVENTO QUE ACONTECEU EM SÃO GONÇALO DO PARÁ, DOIS PROFESSORES INFILTRARAM ENTRE OS CONVIDADOS INTERROMPERAM O GOVERNADOR COBRANDO O PAGAMENTO DO PISO, FORAM APLAUDIDOS.OUTRA INFORMAÇÃO É QUE PM DETEVE TRêS PROFESSORES.

    ResponderExcluir
  18. http://www.youtube.com/watch?v=3iUDPXytVAo&feature=related


    No video acima o governador anastasia confirma que nao paga o piso. E diz que pagar custa 5 milhões a mais na folha salarial de Mg que total é de 11 milhoes.

    ResponderExcluir
  19. Colegas, estava muito bonito hoje em São Gonçalo do Pará! Quer dizer, quem fez bonito fomos nós, porque o desgovernador mais uma vez entrou e saiu vaiado e pelas portas do fundo. Todos os detalhes:
    http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-1-da-caca-ao-governador-fora-da.html
    http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-2-da-caca-ao-governador-fora-da_20.html
    http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-3-da-caca-ao-governador-fora-da.html
    http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-4-da-caca-ao-governador-fora-da.html
    http://rogerioft.blogspot.com/2011/07/video-5-da-caca-ao-governador-fora-da.html

    ResponderExcluir
  20. Acesse o link professores em busca do governador fora da lei na cidade de São Gonçalo do Pará. Três professores foram detidos pela PM.

    http://www.youtube.com/watch?v=uehCQExp8Hw

    ResponderExcluir
  21. Quanta imprudência governmador
    Vossa Excelência, de novo ter que sair pelas portas do fundo! hora! Quando ajudou Aécio a dar o choque( golpe) de gestão, parece que estava jogando vídeo game, onde era mocinho e a principal vilã era a educação. Pois bem, maratonista de correr de professores, vc trabalhou muito bem na árdua tarefa de ser mocinho bandido. A bomba está estourando na mão daquele que acendeu o estopim, o secretário do choque de gestão, hoje governador de Minas. ANASTASIA! Deve está pensando! Porque não os matei! Educadores malditos! Deverias! Machucar cobras, com todo respeito colegas, é pior do que matar.
    Senhor governador, destruidor de sonhos de jovens que almejam um futuro melhor, saia detrás desse vídeo game que é a sua consciência, caia na realidade. Até agora o que vimos é a v excelencia brincar com a segurança, saúde, educação. " São os games mais caros para a sociedade", pois é daí que vem as esperanças,sonhos... coisa que vaidade e prepotência de menininhos vaidosos desconhecem. Infelismente, Dilma, MEC, MP vcs são os principais cúmplices desse curinga chamado Anastasia, inimigo dos professores e da educação.
    Caros colegas, acho que deveríamos ser o Batman para salvar a educação, pois, pelos indícios, Minas sem censura,MEC, Dilma,UNE... Todos comem da fruta que Anastasia gosta,Ou melhor curtem os games desse maníaco que é contra a educação.

    ResponderExcluir
  22. Educadora Mineira, estou com saudades dos seus textos.
    Um forte abraço e feliz dia dos amigos

    ResponderExcluir
  23. "Sind-UTE/MG protocola mais de 1.700 ações no Tribunal de Justiça cobrando o pagamento do piso salarial
    20/07/2011 18h23Avalie esta notícia » 246810PRISCILA COLENiga em: twitter.com/OTEMPOonline


    Os trabalhadores da educação, coordenados pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), já ajuizaram 1.723 ações junto ao Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), cobrando o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). Segundo informou o Sind-UTE, as ações estão sendo protocoladas sistematicamente.

    O objetivo é questionar, juridicamente, o Governo de Minas Gerais. Atualmente, o piso em Minas é de R$ 369, valor que, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores, é o pior entre os 27 estados brasileiros. O sindicato cobra o valor de R$ 1597 para uma jornada de 24 horas, valor do piso segundo a lei de número 11.738.
    Os trabalhadores já estão em greve desde 8 de junho. A interrupção das atividades é uma resposta ao Governo do Estado que oferece péssimas condições de trabalho ao funcionalismo público. Uma nova assembleia será realizada em 03 de agosto para decidir os rumos do movimento."
    Educadora Mineira

    Ao, meu amigo anônimo ou anônima, um forte abraço desej0-lhe um feliz dia DOS AMIGOS, afinal nesses meses que temos nosencontrado por aqui, tem sido muito legal! Quando tudo isso passar, quem sabe não podemos preparar um ENCONTRÃO para que possamos nos conhecer lá na capital! rsrs. Um abraço a todos os AMIGOS EDUCADORES!
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  24. CARO EULER SEGUNDO DADAS DO SINDUTEMG SE EM 2007 FORAM EFETIVADOS 96 SERVIDORES ,SENDO QUE MILHARES JÁ SE APOSENTARAM,OUTROS FORAM DISPENSADOS PELOS CRITÉRIOS PRÉ ESTABELECIDOS E OUTROS EXONERARAM, HÁ LEMBRANDO QUE DESTES 96 MIL SERVIDORES NÃO FORAM SOMENTE DA ARÉA DA EDUCAÇÃO,,,ENTÃO NÃO ESTÁ TENDO DIVISÃO...ACORDEM SÃO 73 MIL DESIGNADOS E APENAS 21 MIL VAGAS FORAM DIVULGADAS..........FIQUEMOS ATENTOS AS MANOBRAS DO GOVERNO QUERIDA "CLASSE DE PROFESSORES" EFETIVOS ,EFETIVADOS,DESIGNADOS,,,POR UM PISO JUSTO!!!! A GREVE CONTINUA MESMO COM O CORTE DE SALÁRIO!!!! "LIBERDADE QUE SERÁ TAMÉM"!!!!MEU NOME É MARIA APARCIDA ..

    ResponderExcluir
  25. A todos os nossos amigos virtuais que estão na batalha e que aqui dividem os seus conhecimentos, as suas angústias, mas acima de tudo a alegria de poder lutar pelos seus SONHOS!
    Um pouco de Milton Nascimento
    " [...]
    Amigo é coisa para se guardar
    No lado esquerdo do peito
    Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
    Mesmo esquecendo a canção
    O que importa é ouvir
    A voz que vem do coração

    Pois seja o que vier, venha o que vier
    Qualquer dia, amigo, eu volto
    A te encontrar
    Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar
    [...]"
    Disponível em: http://letras.terra.com.br/milton-nascimento/27700/Acessado em 20 de julho de 2011.
    Um grande abraço!
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  26. Por favor, ninguém vai libertar Minas deste ditador? Onde está a Presidenta Dilma, o Ministro da Educação, STF, Deputados Federal e Estadual... Pensam que é só mordomia?! Queremos vocês trabalhando! A educação deste país e, do estado de Minas Gerais está indo pelo ralo abaixo e só se fala dela nas eleições! Até lá (próximas eleições) já não sobrou mais nada. Nenhum cidadão aguentará mais políticos usando, em seus discursos, o tema educação para ganhar as eleições. Chega! Sou mãe de aluno(a), só acredito na valorização do profissional da educação e na melhoria da qualidade da mesma, quando os políticos começarem a realizar as promessas feitas nas campanhas e quando o governador de Minas cumprir as Leis, a começar pelo pagamento do PISO SALARIAL. Meu filho(a) não pode "pagar" pelo erro desse governador prepotente, teimoso e mesquinho e que não depende da escola pública para estudar os seus... Pague logo esse PISO para as aulas começarem. Já pensou se a greve durar até a COPA!!! Cadê o Poder Judiciário? Vai fingir que nada está acontecendo? Ah! Esqueci! A justiça é cega, surda e muda...

    ResponderExcluir
  27. Onde estão os videos do Caça ao governador em Pará de Minas? SErá que nimguém foi RECEPCIONÀ -lo?Ele esteve em PArá de MInas TaTAMBÈM...

    ResponderExcluir
  28. Caro Euler e amigos do combate, da caça ao governador e da luta pela implantação do nosso Piso, cheguei há exatos cinco minutos da manifestação dos professores e pais aqui em Carangola, bem verdade é que havia poucos pais. Mas o que interessa que nós estávamos lá. Muitos falaram, expuseram a situação vergonhosa em que vivem os professores de Minas Gerais. A sociedade, querendo ou não, ouviu o nosso clamor e todos ficaram cientes, se ainda não o eram, de quem é a culpa de estarmos em greve! Os alunos aceitaram o nosso convite, fizeram parte da nossa manifestação. Nosso movimento foi fotografado e filmado, aguardem nossas postagens. E, o melhor, vieram professores do DIVINO! E, lá, alguns corajosos professores estão em greve sozinhos em suas escolas. Essas atitudes me deixam bastante tranquila e feliz, porque saber que mais professores abraçam a nossa causa é muito bom! Por isso, reitero este pedido: Por favor, colegas de escolas que ainda não aderiram ao nosso movimento em prol piso da nossa classe, atendam aos nossos apelos, não voltem para as salas no dia primeiro de agosto! A nossa vitória está próxima! "Coragem... Coragem... Coragem! Uma guerra não se vence sozinho!" E será muito mais saboroso comemorar a vitória e o 'tutu' no bolso com todos! À luta companheiros! O piso é nosso!

    ResponderExcluir