quarta-feira, 29 de junho de 2011

O dia em que a ALMG tremeu nas bases com o grito de indignação dos educadores


O dia em que a ALMG tremeu nas bases com o grito de indignação dos educadores

Estava previsto que na parte da manhã de hoje, 29/06, aconteceria uma audiência pública na ALMG, para que o governo explicasse sobre a dívida do estado com a União.

Na verdade, é preciso que se diga, em alto e bom tom, que estado e governo federal deveriam realizar audiência pública para discutir a dívida que ambos têm conosco, educadores. Como eu não tenho espaço institucional para falar, exponho minhas idéias através deste blog.

Pois bem. Chegamos, nós educadores, na parte da manhã, naquela Casa que dizem ser do povo. Pelo menos na teoria, já que na prática, em quase tudo, tudo o mais é o contrário do que vive e do que pensa a população de baixa renda, que elege aqueles que teoricamente deveriam representar a este mesmo povo trabalhador sofredor.

A audiência já havia começado, com a presença de dezenas de educadores que lá estiveram. Estavam convidados para o evento o ex-desgovernador de Minas, também conhecido como faraó das Alterosas; e a secretária do Seplag, entre outros. Claro que eles, sabedores da presença dos educadores naquela Casa, jamais compareceriam ao evento. O que eles têm a dizer para nós, olhando nos nossos olhos? Nada!

Virou hábito do governo mineiro mandar representantes que começam a sua fala dizendo que "são servidores de carreira iguais a vocês". Mentira. Nós não temos mais carreira. Eles podem ter, nós não. Roubaram-nos as carreiras da Educação. Além disso, se estão representando secretárias e governantes, eles são a personificação daqueles aos quais representam. Portanto, devem aguentar as vaias e cobranças que faríamos caso lá estivessem os convidados que não compareceram por medo ou covardia.

O presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, deputado Zé Maia, tentou de todas as formas realizar uma reunião formal, para que os representantes do governo explicassem os dados e as magias contábeis de Minas para lidar com a questão da dívida do estado.

Mas, os educadores não estavam dispostos a ouvir essa baboseira, quando a dívida maior do estado de Minas, que é com os educadores, não foi paga. Por isso, todos nós, centenas de educadores, que lá estivemos, começamos a cobrar o pagamento do piso.

O presidente da Comissão ameaçava nos retirar do local, e nós avançávamos mais um passo em direção a mesa; ameaçava de encerrar os trabalhos, e nós continuávamos a cantar, em coro, que o governo não paga o piso; que nós é que fazemos a história do Brasil; que aquela Casa é do povo; e abaixo a ditadura; e se o governo enrola, enrola, não voltamos para a escola, etc., etc.

Apitaço e palavras de ordem, cantadas e gritadas, num coro bonito e ao mesmo tempo incômodo para os deputados da base do governo. O presidente insistia, diante da transmissão que ainda era feita na TV Assembleia (depois trataram de cortar a transmissão): "mas, vocês estão dando mau exemplo como educadores". Respondíamos em coro: mau exemplo dão vocês, canalhas, que fingem não saber da nossa greve, que o governo não paga o piso".

E o presidente da tal comissão ainda tentou falar, dizendo que nosso comportamento era de desordeiros e que aquilo não representava a maioria dos educadores. Um professor respondeu "na lata": isso que vocês estão aguentando aqui agora, nós aguentamos todos os dias em sala de aula para receber uma mixaria de salário".

Inicialmente, alguns colegas vieram com aquela velha tentativa de panos quentes, de tentar deixar que o deputado governista falasse, quando ali, quem estava sendo tripudiado, e quem estava tendo o microfone cortado éramos nós, que não podemos falar, que estamos sendo enrolados pelo governo, que não quer pagar o nosso piso. Era um tal de alguns colegas tentarem fazer a gente se calar, que já causava irritação, até que a maioria se deu conta de que o nosso papel, doravante, terá que ser assim mesmo: ou nos respeitam, ou ninguém fala. Me lembrei da frase mais ou menos assim, dos insubmissos jovens da Espanha que invadiram as praças do país a dizer para os políticos profissionais: "se tirarem os nossos sonhos, vamos tirar o seu sono". Se não pagarem o nosso piso, ninguém terá sossego em Minas Gerais!

E foi assim, durante mais de uma hora, que a assembleia legislativa tremeu. O deputado ze maia encerrou a reunião menor do que quando entrou naquela sala; os representantes dos convidados arrumaram suas pastas e se retiraram; a audiência foi interrompida, graças ao grito de desabafo e de indignação de dezenas de bravos educadores, que estão em greve para receber o piso salarial que é lei federal e que o governo não quer pagar.

Este foi o ponto alto da manhã. Em seguida, alguns deputados da oposição conseguiram articular uma reunião com o presidente da ALMG, deputado Diniz Pinheiro, que ouviu as críticas dos educadores e também do pessoal da Saúde, e do Ipsemg, que apareceu em seguida. Ele se comprometeu a tentar abrir um canal de negociação com o governo de Minas. Vamos aguardar e vamos cobrar. Ali, tivemos a oportunidade de dizer para ele: o piso é lei federal; se o governo de Minas provar que não tem como pagá-lo, pode solicitar ajuda da União. Por que então não paga o piso?

Ficou evidenciado, com o acontecimento dessa manhã, que é preciso pressionar o governo mais diretamente. Além de manter e fortalecer a greve, precisamos articular movimentações que pressionem o governo, como aconteceu na ALMG.

A categoria não vai aceitar passivamente esta atitude do governo, de tentar esconder a nossa greve e mentir para a mídia, dizendo que já paga o piso. Assim como não aceitamos também a omissão dos meios de comunicação de Minas, que continuam dando importância para qualquer outro assunto, menos para a realidade da greve dos servidores da Educação.

Lutamos pelo piso salarial do magistério - nem que seja o do MEC, mas o governo tem que pagar o piso no antigo regime remueratório. Queremos também que ele nos devolva as gratificações e vantagens roubadas dos servidores que ingressaram no estado após 2003. E exigimos que os colegas designados e os novos concursados tenham também o direito à opção pelo antigo regime remuneratório.

É hora de nos concentrarmos em cada subsede, para discutir o fortalecimento da nossa luta em cada região e nos prepararmos para um grande movimento unificado na Capital mineira.

Um forte abraço a todos e unidade e força na luta! Até a nossa vitória!


P.S. Não vamos parar a greve de maneira alguma, até o governo nos pagar o piso. Mesmo que tenhamos que avançar o mês de julho... e agosto e setembro, e com isso inviabilizar o ano letivo. Minha posição é essa: ou governo nos paga o piso, ou não voltamos de maneira alguma ao trabalho!

***

"ANGELICA:

EULER ESPERO COM ANSIEDADE POR CADA POSTAGEM SUA. A MEDIDA QUE VOU LENDO SUAS NARRAÇOES MEU CORAÇAO VAI BATENDO MAIS FORTE. ESTOU CONSEGUINDO UNS COMPANHEIROS AQUI E TENTAREMOS COMPARECER NA PRÓXIMA ASSEMBLEIA. OLHA, HOJE APRESENTEI VOCE PARA MINHA NETA (ATRAVES DO BLOG DA CRIS). ESPERO QUE NOSSA LUTA SEJA FORTALECIDA A CADA DIA. ONDE ESTÁ O COMPROMISSO DESSES DEPUTADOS QUE NADA TEM FEITO PELO POVO? SERÁ QUE NÃO CONSEGUEM OLHAR ALÉM DOS SEUS PRÓPRIOS UMBIGOS????? TEMOS QUE NOS UNIR E NA PRÓXIMA ELEIÇÃO FAZERMOS UM PACTO PELO VOTO NULO (APESAR DE NÃO SER A FAVOR DESSA PRÁTICA).
UM ABRAÇO"


"Anônimo:

Grande Euler, gostei muito, tem que ser assim mesmo, estilo oriente médio kkk, se não for assim, eles não estão nem aí e sobre uma grande mobilização,de caravanas de todo o estado, melhor ainda. Força na luta companheiro."


"Anônimo:

O Jornal Alterosa tem um quadro de ofertas de empregos via sine onde anunciava 01 vaga para borracheiro salário: 1.150,00/ soldador : 1.280,00/ garçom : 1.000,00. É grande Euler, está ficando difícil, pois, nossos ganhos não estão dando para nada."

"Anderson - Movimento Quem Luta Educa:

Caro Euler

O site da ALMG traz a notícia de que o Deputado Bosco (presidente da comissão de educação) informou aos presentes no ato de hoje na Assembleia que o governo já elaborou uma proposta e será apresentada aos servidores nos próximos dias.

Veja : http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_849601.asp

Eu não estava presente . Alguém confirma a notícia ?
Um abraço

Anderson - Pará de Minas"


Comentário do Blog: De fato, combativo colega Anderson, houve essa fala mesmo por parte desse deputado durante o encontro com o presidente da ALMG. Disseram que o governador está viajando e só voltará na sexta-feira, quando tentarão agendar a retomada da negociação entre o sindicato e o governo.

"Kátia - Ipatinga:

Euler e companheiros,

Vejam o que disse "A capitã do mato", sra. Gazzola. A escravidão aqui ainda continua. Se "bestá muito", o próximo concurso vai ser pra trabalhar de graça e ainda agradecendo as chibatadas. Fico pensando: será que ela tem família? Será que não tem medo do futuro? Tem amor a Deus? Não sabe que o mal que fazemos aos outros retorna a nós mesmos? É, realmente ela deve ser de Marte!

/www.jornalvaledoaco.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=91813
29/06/2011 13:40 - quarta-feira, 29 de junho de 2011.

VEJA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA:

"Greve: Estado diz que vai descontar dias parados
Secretária de Educação garante que Minas paga piso nacional
DA REDAÇÃO – Diante da nova greve dos professores que já dura desde 8 de junho, a secretária Estadual de Educação, Ana Lúcia Gazzola, argumentou em entrevista, nesta terça-feira (28), que o Governo de Minas paga o Piso Nacional da Educação por meio do sistema de remuneração por subsídio. Ela reafirmou o compromisso do Governo com o diálogo, mas voltou a cobrar o fim do movimento paredista.

Segundo Ana Lúcia Gazzola, de janeiro a maio, deste ano foram realizadas dez reuniões com os representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores de Minas Gerais (Sind-UTE/MG). Esses encontros teriam durado, em média, quatro horas cada. Ana Lúcia Gazzola esclareceu ainda que o valor do piso o nacional é de R$ 1.187 para uma jornada de trabalho de, no máximo, 40 horas. “Em Minas Gerais, a remuneração inicial no sistema de subsídio para um professor com formação em nível médio é de R$ 1.122,00 para uma jornada de 24 horas semanais de trabalho, valor que, estabelecida a proporcionalidade conforme regulamenta a lei, é 57,55% superior ao piso nacional”, reforçou.

A secretária Ana Lúcia Gazzola ressaltou que espera o retorno da categoria às salas de aulas para retomar as negociações. Segundo ela, as faltas estão sendo apuradas e não haverá pagamento antecipado dos dias parados. “É importante esclarecer também que o parágrafo 3º do Artigo 2º da Lei Nº 11.738, de 16 de julho de 2008, em vigor no País, afirma que esse piso é proporcional ao número de horas trabalhadas”, diz ela. Além disso, acrescentou a secretária, já no próximo concurso, cujo edital deve ser divulgado no próximo mês, o valor mínimo da remuneração para os professores (Licenciatura Plena) será, para uma jornada de 24 horas semanais, pelo sistema de subsídio de R$ 1.320,00."

Abraços,
Kátia - Ipatinga"
.

"Anônimo:

Oi, Euler.

Como mentem esses tucanos, por isso o bico é tão grande.
Hoje, a tarefa "pinoquiana" ficou para Marcílio Lana, coordenador da assessoria de comunicação social da SEE.
Veja a contribuição do Governo Estadual, quando esclarece os salários da educação em Minas.
Abraços.

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-salarios-da-educacao-em-minas?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter"


"Isabel Assumpção - Manhuaçu:

Euler, fico emocionada ao saber que este movimento está aí para dar um novo rumo aos educadores, pelo menos aos que se encontram em greve, mesmo sabendo que a vitória é para todos, temos a consciência que os que ainda não se posicionaram não poderão jamais nos olhar sem ter aquele sentimento de culpa pela covardia de não lutarem conosco neste momento ímpar da história da educação mineira. Porém estamos nos fortalecendo e vamos seguir em frente. Se preciso for, este ano letivo será perdido e não por nossa culpa. O desgoverno que se explique com a comunidade, pois queremos trabalhar sim, mas com justiça e dignidade. Força na luta! Um abraço a todos que acreditam na força da união desta classe.
Isabel."


"Anônimo:

"Por que não te calas", Srª Gazzola? Chega de blá blá blá, queremos o piso a que temos direito e não esse camuflado, vergonhoso e imoral que a Srª insiste em dizer que já paga."

"Anônimo:

Euler, estive na assembléia ontem e sem dúvida foi uma atividade muito importante. Temos que continuar com atividades assim, que incomodem os deputados, vamos também para a cidade administrativa e impedir eles de trabalharem. Só assim para conseguir arrancar negociação de verdade e o piso.
Temos que agir rápido.
Abraços e até a próxima."


"Kátia - Ipatinga:

Euler,

Lá no fundo, bem, BEM no fundo... ainda tenho esperança na justiça. Até que enfim tem "alguém" na justiça que lembrou que professor é gente, precisa comer, pagar conta, vestir... e greve é DIREITO.

VEJA A QUANTAS ANDAM AS COISAS EM SANTA CATARINA

http://osnymartins.com.br/geral/30-06-2011-professores-grevistas-do-estado-ganham-presente-da-justica/

Kátia - Ipatinga"


"Thiago Coelho:

Bom dia companheiro!

Apesar de o movimento estar fraco na minha cidade, estou tentando fazer a minha parte. Gostei muito de ter participado da minha primeira Assembléia em BH na terça-feira, e espero poder comparecer no dia 6 novamente.

Mando um abraço aos companheiros do Norte de Minas, que são muuuuuuuito guerreiros!

Até mais!"


"Beatriz:

Olá colegas,
gostaria de saber se alguém já tem informações se no próximo pagamento já serão cortados os dias de greve. A mídia precisa conhecer em detalhes a realidade dos fatos porque pela versão do governo, que diz que já paga o piso, fica difícil entender a reivindicação dos educadores. Seria necessário frisar a possibilidade de voltar à carreira antiga e que nesta os salário básico é 339,00. O próprio apresentador da alterosa disse que essa situação está uma confusão. Talvez seja necessário desenhar para eles. Mas precisamos insistir nisso. Obrigada pelo espaço."



Comentário geral do Blog:

Colegas da luta, a mídia continua fazendo uma cobertura aquém do que precisamos. Notícias que distorcem a realidade da greve e da educação; abordagens superficiais, que não mostram a realidade dos educadores, e menos ainda, não mostram que o governo descumpre uma lei federal. Considero que temos que fazer alguma coisa para que essa mídia mude de atitude. E alguma coisa ao estilo de quem luta, ou seja, através de pressão direta, se necessário for, na porta dessas emissoras, ocupando o quarteirão de entrada desses locais. Quero que os colegas da base pensem nessa possibilidade e vamos articular a nossa ação no dia da assembleia, dia 06 de julho.

Uma outra sugestão que eu faço aos colegas das subsedes: mandem confeccionar faixas com os seguintes dizeres: "Estamos em greve porque o governo de Minas não paga o nosso piso salarial". E coloquem essas faixas nas escolas que pararam. Podem fazer cartazes também, acrescentando, ao gosto de cada subsede, sobre a realidade dos educadores mineiros.

Lembro aos colegas educadores, que a greve é de toda a categoria. Qualquer educador, mesmo que isoladamente, está autorizado a entrar em greve, caso a maioria da escola insista em descumprir a decisão aprovada em quatro assembleias gerais da categoria. A nossa visão deve ser a seguinte: nosso compromisso é com quem luta e não com quem fura greve. Não se trata de não participar da greve porque uma maioria ocasional na escola - geralmente por conta de algumas vozes atrasadas, ou egoístas, que nunca aderem à greve - continua em sala de aula. Devemos estar solidários com os que estão lutando em toda as regiões de Minas, em greve, enfrentando o governo, a omissão da mídia, as pressões de certos diretores das SREs.

Vamos nos preparando também para realizar uma grande concentração na Capital mineira. Não podemos descartar a possibilidade de uma ocupação com acampamento em locais estratégicos. A nossa greve pode durar pouco, se o governo resolver atender a reivindicação principal, que é o pagamento do piso. Mas, pode, ao contrário, se estender até o final do ano, caso o governo se recuse a negociar conosco em greve e não pague o piso. Temos que ter vergonha na cara e coragem para lutar pelos nossos direitos.

Um forte abraço e unidade e força na luta! Até a vitória!


"PROFº STENIO JOSÉ CARVALHO DA SILVA ( REDE PÚBLICA ESTADUAL - IMPERATRIZ, MA):

MUITA FORÇA, CORAGEM E DETERMINAÇÃO PARA OS COMPANHEIROS EDUCADORES DE MINAS! NÃO SE ENTREGUEM DIANTE DAS AMEAÇAS MIRABOLANTES DESDE DESGOVERNO (AFINAL DE CONTAS QUAL É O GOVERNO QUE ATENDEU IMEDIATAMENTE AS REIVINDICAÇÕES JUSTAS DOS TRABALHADORES? EU DESAFIO QUEM ACHAR ALGUM QUE TENHA FEITO ISSO!).

AQUI NO MARANHÃO FICAMOS 78 DIAS DE BRAÇOS CRUZADOS, FOMOS DESCONTADOS SIM! ALGUNS ATÉ TODO O ORDENADO MAS O DESGOVERNO DA "SINHAZINHA" DO ESTADO QUE ACREDITA QUE TUDO E TODOS FAZEM PARTE DO SEU "CURRAL", TEVE QUE SE RENDER E DEVOLVEU O NOSSO SALÁRIO QUE NOS FOI ROUBADO! NÃO DESANIMEM! JUNTOS CONSEGUIRÃO! NOSSOS OBJETIVOS MUITO SE ASSEMELHAM, PELO QUE PERCEBI A MÍDIA DAÍ TB É BOA PARTE VENDIDA! E NÃO MOSTRA A FORÇA DESTE GRANDE MOVIMENTO SOCIAL! É A MESMA LÁSTIMA DO MARANHÃO ONDE UMA CORJA DE DESOCUPADOS DOMINAM A TV O RÁDIO E A NET. ESTAMOS A ESPERA DE PRAZOS, ESTES ESTÃO TERMINANDO ESTAMOS RECARREGANDO AS NOSSAS FORÇAS! MANDO ABRAÇOS PARA A MINHA CUNHADA GUERREIRA DO MORRO ALTO! BOA SORTE PARA TODOS!
"


Comentário do Blog: agradeço as palavras de apoio do combativo colega Stenio José Carvalho da Silva, que pelo visto acompanha a nossa greve diretamente de Maranhão. A sua cunhada do Morro Alto, a combativa Rose, participa conosco da greve, desde o primeiro momento, e já havia me falado sobre você e sobre o heróico movimento de luta que vocês realizaram aí em Maranhão. Um forte abraço e força na luta aí também!

"Anônimo:

Ola Euler e companheiros de luta.

Estou revoltada com alguns acontecimentos (mais alguns) na EE Gramont Alves Gontijo, os professores dos anos iniciais no periodo da tarde estão em sala de aula, até ai vá lá, mas colocaram as eventuais para ocuparem as salas de duas professoras que estão em greve. ATE QUANDO?????????"
.

"Paula:

Prezado Euler, gostaria de usa autorização para enviar o seu post "Aos pais de alunos e à sociedade mineira:por que estamos em greve novamente?" Não sei se vão publicar, mas temos jornais locais que são distribuídos gratuitamente e estão sempre buscando notícias. Se tiver mais alguma orientação, fico aguardando a sua resposta. Um abraço, Paula."

Comentário do Blog: claro, combativa colega, todos os textos deste blog estão à serviço da nossa luta. Um forte abraço!

"Anônimo:

EULER ,O PRIMO DO FARAÓ FOI PRESO HOJE PELA PF.

http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/06/30/interna_gerais,237078/empresario-e-vereador-sao-presos-em-operacao-da-policia-federal.shtml"
.

"Roberto:

Prezado Euler,
Meus parabéns pela lucidez dos seus artigos aqui no seu blog, tão esclarecedores. O que tem dado uma enorme contribuição para as análises e reflexões sobre a nossa situação de profissionais da educação aqui em MG. Muito válida a sua carta à rádio Itatiaia, um puxão de orelhas nos jornalistas daquela emissora, para que não cerceiem as verdades necessárias sobre o debate da educação e dos seus profissionais públicos do nosso Estado. Um abraço!"


"Vilma Luiza (Montes Claros):

Acabei de cancelar minha assinatura do jornal ESTADO DE MINAS. Fiquei especialmente indignada com a edição de ontem, 29/06/11. Já telefonei pra lá, escrevi e, em ambas as situações, "soltei os bichos": como é possível não escreverem uma linha sobre os cerca de 6 mil profissionais da educação reunidos na Assembleia e gastar páginas e páginas com as tardias e melosas lágrimas do Bruno, assassino de amante grávida, fazendo campanha pela sua "salvação"? Foi demais pra essa professorinha do sertão norte mineiro! Estão brincando com o meu dinheiro! Abraço a todos os bravos companheiros de luta."

"Anônimo:

Caro Euler,
realmente me causa muita indignação assistir um presidiário ser recebido na ALMG como se fosse um pop star e nós, educadores mineiros, que tanto trabalhamos, sermos tratados com tanto desrespeito. Um presidiário senta-se à mesa junto com os deputados, tem o microfone à sua disposição... na verdade, ele saiu do presídio esbanjando ótima condição física e psicológica e foi dar uma entrevista coletiva apoiado pelos deputados de plantão. A nós, não nos é dado o direito de expor as nossas angústias e frustrações diante da imposição de um pagamento mensal que não supre as nossas necessidades pessoais. Gostaria muito que todos os colegas da categoria pensassem sobre isso e se unissem ao movimento grevista. Abraços... "
.

"Anônimo:

VERGONHA!!!
Só faltou colocarem um tapete vermelho para a recepção ao ex-goleiro Bruno... Para nós, educadores mineiros dão tratamento de choque... CHOQUE DE GESTÃO!
AVANTE COM NOSSA LUTA!!! PISO JÁ!!!"
.

"Anônimo:

Professor Euler,
Eu não conhecia seu blog até que uma colega da SEEMG me falou de você e desde então, leio todos os dias e repasso para todos colegas suas mensagens esclarecedoras e encorajadoras a todos os educadores que estão na luta.

Hoje estou muito mais consciente e sei da importância do piso e da vergonha que é esse roubo disfarçado que é o subsidio e que o governo fez tanta propaganda enganosa para nos ludibriar.Se tivéssemos 10 por cento dos educadores tão conscientes, não chegaríamos nem a ter greve,pois nossa força é enorme, somos a maior categoria dentre o funcionalismo e só não temos quem nos represente condignamente na ALEMG.
Estamos construindo na luta, a nossa história.
Estou muito mais tranquila para as opções que a vida nos coloca.

Você esta sendo exemplo para milhares de educadores e para mim também,por isso agradeço
Denise - BH"


"Gê:

GOVERNO PODE INICIAR UMA NEGOCIAÇÃO, DIZ DEPUTADO BOSCO:

"Belo Horizonte, 30 de junho de 2011

Na condição de presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa, comunico-lhes que o governador Antônio Anastasia, após se reunir com as secretárias Lúcia Gazzola e Renata Vilhena, titulares das pastas de Educação e Planejamento, anunciará medidas que beneficiam aos servidores do ensino.

Estas medidas, que atenderão a reivindicações dos trabalhadores do setor educacional, são resultado do trabalho conjunto entre a Comissão de Educação e o Grupo criado na audiência pública do dia 6 de abril (grupo composto por representantes servidores e das Secretarias de Educação e Planejamento), contou com a sensibilidade do governo do Estado de Minas Gerais.

Durante negociações mantive contato permanente com a secretária da Educação e a assessoria da Secretaria de Planejamento. O compromisso assumido pelo governo, após a realização de estudos sobre o impacto financeiro, certamente atenderá, em grande parte as reivindicações do setor da educação.

Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria.

Dentre as medidas a serem anunciadas, serão contemplados: diretores, seus vices e secretários das Escolas Estaduais. Também os professores da rede estadual de ensino terão grandes avanços nas medidas a serem anunciadas, com a apresentação de propostas que asseguram substancial melhoria no sistema remuneratório da educação em Minas Gerais.

Reafirmo meu compromisso de estar atento as reivindicações dos trabalhadores da educação e manter permanente contato para repasse de todas as informações pertinentes a categoria.
Cordialmente,

Deputado Bosco
Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia
Assembleia Legislativa de Minas Gerais"

Tomara que digam que vão pagar o piso!!!
Visitante assíduo"
.

"Anônimo - RJ:

O Piso da vergonha.
Policial R$ 1.660,00 - Para arriscar a vida;
Bombeiro R$ 960,00 - Para salvar vidas;
Professor R$ 930,00 - Para preparar para a vida;
Médico R$ 2.260,00 - Para manter a vida;
E o Deputado Federal? Ganha R$ 26.700,00 para fazer o que mesmo com a vida dos outros?
(copie e cole se quiser e faça parte da campanha dos Bombeiros e professores)."


"Anônimo:

CORONELISMO, DITADURA: EM QUE TEMPO VIVEMOS?

Em uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de Montes Claros no dia 30/06 em defesa do meio ambiente, nós educadores em greve lotamos o plenário com o nosso uniforme de greve para manifestar o nosso apoio ao meio ambiente ,mas estrategicamente, também para divulgar a nossa greve , uma vez que toda a imprensa cobria o evento.
Para a nossa surpresa a INTER TV, NO MG TV 2ª EDIÇÃO DO MESMO DIA DEU UM ENFOQUE DE ALGUNS MINUTOS SOBRE A AUDIÊNCIA PÚBLICA DE UMA FORMA NO MÍNIMO ESTRANHA, POIS FOCOU SIMPLESMENTE OS AMBIENTALISTAS E ALGUNS VEREADORES,NÃO MOSTRANDO EM NENHUM MOMENTO O PLENÁRIO LOTADO DE CIDADÃOS!

NÃO HÁ DÚVIDAS DE QUE ESSA IMPRENSA ESTÁ VENDIDA VERGONHOSAMENTE...TENTADO ABAFAR UMA LUTA LEGÍTIMA DOS EDUCADORES, QUE LUTAM POR DIGNIDADE,HONRA E SOBREVIVÊNCIA... ISSO EM UM MOMENTO SINGULAR DA HISTÓRIA DE MONTES CLAROS QUE ESTÁ SE DESTACANDO COMO UMA DAS CIDADES MAIS VIOLENTAS DO BRASIL APROXIMANDO DE SESSENTA (60)ASSASSINATOS NESSE ANO (ATÉ O MOMENTO). E NÃO É NOVIDADE PRA NINGUÉM QUE ESSA REALDADE SÓ VAI MUDAR COM A BASE , FAMÍLIA , EDUCAÇÃO...

NESSE MOMENTO ESTAMOS DENUNCIANDO A INTER TV QUE DEVERIA ESTÁ A SERVIÇO DA SOCIEDADE E NÃO DO GOVERNO.

SE TEM ALGUMA SEMELHANÇA COM OS TEMPOS DO CORONELISMO, DA DITADURA, SERÁ UMA MERA COINCIDÊNCIA?
VERGONHA NA CARA E CANJA DE GALINHA NÃO FAZ MAL A NINGUÉM..

ABRAÇOS COLEGAS E FORÇA NA LUTA!
MONTES CLAROS-60% DAS ESCOLAS EM GREVE...ATÉ O PISO SAIR!"
.

"Inácio Lopes - Pará de Minas:

O governo Anastasia ignora a classe dos professores, faz ouvidos moucos aos gritos da classe que se manifesta em toda Minas Gerais. É hora de darmos um grito maior. Esse grito será dado por meio de uma atitude firme de todos aqueles que aderiram ao movimento de não retornar à sala de aula enquanto não nos fizermos ser ouvidos por este que se intitula professor/governador.

O momento é este, não se calará a voz que clama por justiça social.O piso é lei, se é lei, cumpra-se a lei e pronto.

Inácio Lopes - Pará de Minas"
.

"Anônimo:

Grande Euler, deu no Estaminas, concurso para Petrobrás, 587 vagas, cargo médio: 1.801,37 a R$ 2.615,31 , superior : 5.570,31 a 6.217,86 e ainda, previdência complementar, plano de saúde médico e odontológico/psicológico (este seria ótimo para nós kkkk) e auxílio educação para dependentes. Quer mais, e tem colegas nossos furando a greve. Que falta de valor próprio, hein companheiro? Força na luta e seu blog está bombando, hein Euler."

26 comentários:

  1. Grande Euler, gostei muito, tem que ser assim mesmo, estilo oriente médio kkk, se não for assim, eles não estão nem aí e sobre uma grande mobilização,de caravanas de todo o estado, melhor ainda. Força na luta companheiro.

    ResponderExcluir
  2. EULER ESPERO COM ANSIEDADE POR CADA POSTAGEM SUA. A MEDIDA QUE VOU LENDO SUAS NARRAÇOES MEU CORAÇAO VAI BATENDO MAIS FORTE. ESTOU CONSEGUINDO UNS COMPANHEIROS AQUI E TENTAREMOS COMPARECER NA PROXIMA ASSEMBLEIA. OLHA, HOJE APRESENTEI VOCE PARA MINHA NETA( ATRAVES DO BLOG DA CRIS). ESPERO QUE NOSSA LUTA SEJA FORTALECIDA A CADA DIA. ONDE ESTA O COMPROMISSO DESSES DEPUTADOS QUE NADA TEM FEITO PELO POVO. SERA QUE NAO CONSEGUEM OLHAR ALEM DOS SEUS PROPRIO UMBIGOS????? TEMOS QUE NOS UNIR E PROXIMA ELEIÇAO FAZERMOS UM PACTO PELO VOTO NULO( APESAR DE NAO SER A FAVOR DESSA PRATICA)
    UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  3. O Jornal Alterosa tem um quadro de ofertas de empregos via sine onde anunciava 01 vaga para borracheiro salário: 1.150,00/ soldador : 1.280,00/ garçom : 1.000,00. É grande Euler, está ficando difícil, pois, nossos ganhos não estão dando para nada.

    ResponderExcluir
  4. Caro Euler

    O site da ALMG traz a notícia de que o Deputado Bosco(presidente da comissão de educação)informou aos presentes no ato de hoje na Assembleia que o governo já elaborou uma proposta e será apresentada aos servidores nos próximos dias . Veja : http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_849601.asp
    Eu não estava presente . Alguém confirma a notícia ?
    Um abraço
    Anderson - Pará de Minas

    ResponderExcluir
  5. Euler e companheiros,

    Vejam o que disse "A capitã do mato", sra. Gazzola. A escravidão aqui ainda continua. Se "bestá muito", o próximo concurso vai ser pra trabalhar de graça e ainda agradencendo as chibatadas. Fico pensando: será que ela tem família? Será que não tem medo do futuro? Tem amor a Deus? Não sabe que o mal que fazemos aos outros reprna a nós mesmos? É, realmente ela deve ser de Marte!

    /www.jornalvaledoaco.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=91813
    29/06/2011 13:40 - quarta-feira, 29 de junho de 2011.

    VEJA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA:

    "Greve: Estado diz que vai descontar dias parados
    Secretária de Educação garante que Minas paga piso nacional
    DA REDAÇÃO – Diante da nova greve dos professores que já dura desde 8 de junho, a secretária Estadual de Educação, Ana Lúcia Gazzola, argumentou em entrevista, nesta terça-feira (28), que o Governo de Minas paga o Piso Nacional da Educação por meio do sistema de remuneração por subsídio. Ela reafirmou o compromisso do Governo com o diálogo, mas voltou a cobrar o fim do movimento paredista.

    Segundo Ana Lúcia Gazzola, de janeiro a maio, deste ano foram realizadas dez reuniões com os representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores de Minas Gerais (Sind-UTE/MG). Esses encontros teriam durado, em média, quatro horas cada. Ana Lúcia Gazzola esclareceu ainda que o valor do piso o nacional é de R$ 1.187 para uma jornada de trabalho de, no máximo, 40 horas. “Em Minas Gerais, a remuneração inicial no sistema de subsídio para um professor com formação em nível médio é de R$ 1.122,00 para uma jornada de 24 horas semanais de trabalho, valor que, estabelecida a proporcionalidade conforme regulamenta a lei, é 57,55% superior ao piso nacional”, reforçou.

    A secretária Ana Lúcia Gazzola ressaltou que espera o retorno da categoria às salas de aulas para retomar as negociações. Segundo ela, as faltas estão sendo apuradas e não haverá pagamento antecipado dos dias parados. “É importante esclarecer também que o parágrafo 3º do Artigo 2º da Lei Nº 11.738, de 16 de julho de 2008, em vigor no País, afirma que esse piso é proporcional ao número de horas trabalhadas”, diz ela. Além disso, acrescentou a secretária, já no próximo concurso, cujo edital deve ser divulgado no próximo mês, o valor mínimo da remuneração para os professores (Licenciatura Plena) será, para uma jornada de 24 horas semanais, pelo sistema de subsídio de R$ 1.320,00."

    Abraços,
    Kátia - Ipatinga

    ResponderExcluir
  6. Oi, Euler.

    Como mentem esses tucanos, por isso o bico é tão grande.
    Hoje, a tarefa "pinoquiana" ficou para Marcílio Lana, coordenador da assessoria de comunicação social da SEE.
    Veja a contribuição do Governo Estadual, quando esclarece os salários da educação em Minas.
    Abraços.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-salarios-da-educacao-em-minas?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

    ResponderExcluir
  7. Isabel Assumpção - Manhuaçu30 de junho de 2011 07:50

    Euler, fico emocionada ao saber que este movimento está aí para dar um novo rumo aos educadores, pelo menos aos que se encontram em greve, mesmo sabendo que a vitória é para todos, temos a consciência que os que ainda não se posicionaram não poderão jamais nos olhar sem ter aquele sentimento de culpa pela covardia de não lutarem conosco neste momento ímpar da história da educação mineira. Porém estamos nos fortalecendo e vamos seguir em frente. Se preciso for, este ano letivo será perdido e não por nossa culpa. O desgoverno que se explique com a comunidade, pois queremos trabalhar sim, mas com justiça e dignidade. Força na luta! Um abraço a todos que acreditam na força da união desta classe.
    Isabel.

    ResponderExcluir
  8. "Por que não te calas", Srª Gazzola? Chega de blá blá blá, queremos o piso a que temos direito e não esse camuflado, vergonhoso e imoral que a Srª insiste em dizer que já paga.

    ResponderExcluir
  9. Euler, estive na assembléia ontem e sem dúvida foi uma atividade muito importante. Temos que continuar com atividades assim, que incomodem os deputados, vamos também para a cidade administrativa e impedir eles de trabalharem. Só assim para conseguir arrancar negociação de verdade e o piso.
    Temos que agir rápido.
    Abraços e até a próxima.

    ResponderExcluir
  10. Euler,

    Lá no fundo, bem, BEM no fundo... ainda tenho esperança na justiça. Até que enfim tem "alguém" na justiça que lembrou que professor é gente, precisa comer, pagar conta, vestir... e greve é DIREITO.

    VEJA A QUANTAS ANDAM AS COISAS EM SANTA CATARINA

    http://osnymartins.com.br/geral/30-06-2011-professores-grevistas-do-estado-ganham-presente-da-justica/

    Kátia - Ipatinga

    ResponderExcluir
  11. Olá colegas,
    gostaria de saber se alguém já tem informações se no próximo pagamento já serão cortados os dias de greve. A mídia precisa conhecer em detalhes a realidade dos fatos porque pela versão do governo, que diz que já paga o piso, fica difícil entender a reivindicação dos educadores. Seria necessário frisar a possibilidade de voltar à carreira antiga e que nesta os salário básico é 339,00. O próprio apresentador da alterosa disse que essa situação está uma confusão. Talvez seja necessário desenhar para eles. Mas precisamos insistir nisso. Obrigada pelo espaço.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia companheiro!

    Apesar de o movimento estar fraco na minha cidade, estou tentando fazer a minha parte. Gostei muito de ter participado da minha primeira Assembléia em BH na terça-feira, e espero poder comparecer no dia 6 novamente.

    Mando um abraço aos companheiros do Norte de Minas, que são muuuuuuuito guerreiros!

    Até mais!

    ResponderExcluir
  13. Ola Euler e companheiros de luta.

    Estou revoltada com alguns acontecimentos(mais alguns)na EE Gramont Alves Gontijo, os professores dos anos iniciais no periodo da tarde estao em sala de aula,ate ai va la,mas colocaram as eventuais para ocuparem as salas de duas professoras que estao em greve.ATE QUANDO?????????

    ResponderExcluir
  14. PROFº STENIO JOSÉ CARVALHO DA SILVA ( REDE PÚBLICA ESTADUAL -IMPERATRIZ,MA)30 de junho de 2011 11:52

    MUITA FORÇA, CORAGEM E DETERMINAÇÃO PARA OS COMPANHEIROS EDUCADORES DE MINAS! NÃO SE ENTREGUEM DIANTE DAS AMEAÇAS MIRABOLANTES DESDE DESGOVERNO (AFINAL DE CONTAS QUAL É O GOVERNO QUE ATENDEU IMEDIATAMENTE AS REIVINDICAÇÕES JUSTAS DOS TRABALHADORES? EU DESAFIO QUEM ACHAR ALGUM QUE TENHA FEITO ISSO!). AQUI NO MARANHÃO FICAMOS 78 DIAS DE BRAÇOS CRUZADOS, FOMOS DESCONTADOS SIM! ALGUNS ATÉ TODO O ORDENADO MAS O DESGOVERNO DA "SINHAZINHA" DO ESTADO QUE ACREDITA QUE TUDO E TODOS FAZEM PARTE DO SEU "CURRAL", TEVE QUE SE RENDER E DEVOLVEU O NOSSO SALÁRIO QUE NOS FOI ROUBADO! NÃO DESANIMEM! JUNTOS CONSEGUIRAM! NOSSOS OBJETIVOS MUITO SE ASSEMELHAM, PELO QUE PERCEBI A MÍDIA DAÍ TB É BOA PARTE VENDIDA! E NÃO MOSTRA A FORÇA DESDE GRANDE MOVIMENTO SOCIAL! É A MESMA LÁSTIMA DO MARANHÃO ONDE UMA CORJA DE DESOCUPADOS DOMINAM A TV O RÁDIO E A NET. ESTAMOS A ESPERA DE PRAZOS, ESTES ESTÃO TERMINANDO ESTAMOS RECARREGANDO AS NOSSAS FORÇAS! MANDO ABRAÇOS PARA A MINHA CUNHADA GUERREIRA DO MORRO ALTO! BOA SORTE PARA TODOS!

    ResponderExcluir
  15. Prezado Euler, gostaria de usa autorização para enviar o seu post "Aos pais de alunos e à sociedade mineira:por que estamos em greve novamente?" Não sei se vão publicar, mas temos jornais locais que são distribuídos gratuitamente e estão sempre buscando notícias. Se tiver mais alguma orientação, fico aguardando a sua resposta. Um abraço, Paula.

    ResponderExcluir
  16. Vilma Luiza (Montes Claros)30 de junho de 2011 13:11

    Acabei de cancelar minha assinatura do jornal ESTADO DE MINAS. Fiquei especialmente indignada com a edição de ontem, 29/06/11. Já telefonei pra lá, escrevi e, em ambas as situações, "soltei os bichos": como é possível não escreverem uma linha sobre os cerca de 6 mil profissionais da educação reunidos na Assembleia e gastar páginas e páginas com as tardias e melosas lágrimas do Bruno, assassino de amante grávida, fazendo campanha pela sua "salvação"? Foi demais pra essa professorinha do sertão norte mineiro!Estão brincando com o meu dinheiro! Abraço a todos os bravos companheiros de luta.

    ResponderExcluir
  17. Prezado Euler,
    Meus parabéns pela lucidez dos seus artigos aqui no seu blog, tão esclarecedores. O que tem dado uma enorme contribuição para as análises e reflexões sobre a nossa situaçao de profissionais da educação aqui em MG. Muito válida a sua carta à rádio Itatiaia, um puxão de orelhas nos jornalistas daquela emissora, para que nao cerceiem as verdades necessárias sobre o debate da educaçao e dos seus profissionais públicos do nosso Estado. Um abraço !

    ResponderExcluir
  18. EULER ,O PRIMO DO FARAÓ FOI PRESO HOJE PELA PF.

    http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/06/30/interna_gerais,237078/empresario-e-vereador-sao-presos-em-operacao-da-policia-federal.shtml

    ResponderExcluir
  19. Caro Euler,
    realmente me causa muita indignação assistir um presidiário ser recebido na ALMG como se fosse um pop star e nós, educadores mineiros, que tanto trabalhamos, sermos tratados com tanto desrespeito. Um presidiário senta-se à mesa junto com os deputados, tem o microfone à sua disposição... na verdade, ele saiu do presídio esbanjando ótima condição física e psicológica e foi dar uma entrevista coletiva apoiado pelos deputados de plantão. A nós, não nos é dado o direito de expor as nossas angústias e frustrações diante da imposição de um pagamento mensal que não supre as nossas necessidades pessoais. Gostaria muito que todos os colegas da categoria pensassem sobre isso e se unissem ao movimento grevista. Abraços...

    ResponderExcluir
  20. VERGONHA!!!
    Só faltou colocarem um tapete vermelho para a recepção ao ex-goleiro Bruno...Para nós, educadores mineiros dão tratamento de choque... CHOQUE DE GESTÃO!
    AVANTE COM NOSSA LUTA!!! PISO JÁ!!!

    ResponderExcluir
  21. GOVERNO PODE INICIAR UMA NEGOCIAÇÃO, DIZ DEPUTADO BOSCO:

    "Belo Horizonte, 30 de junho de 2011


    Na condição de presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa, comunico-lhes que o governador Antônio Anastasia, após se reunir com as secretárias Lúcia Gazzola e Renata Vilhena, titulares das pastas de Educação e Planejamento, anunciará medidas que beneficiam aos servidores do ensino.
    Estas medidas, que atenderão a reivindicações dos trabalhadores do setor educacional, são resultado do trabalho conjunto entre a Comissão de Educação e o Grupo criado na audiência pública do dia 6 de abril (grupo composto por representantes servidores e das Secretarias de Educação e Planejamento), contou com a sensibilidade do governo do Estado de Minas Gerais.
    Durante negociações mantive contato permanente com a secretária da Educação e a assessoria da Secretaria de Planejamento. O compromisso assumido pelo governo, após a realização de estudos sobre o impacto financeiro, certamente atenderá, em grande parte as reivindicações do setor da educação.
    Dentre as reivindicações apresentadas consta classificação de escolas, compensação pela impossibilidade de exercícios de dois cargos, paridade aos aposentados, revisão de normas que objetivem melhorar as condições de remuneração, entre outros pedidos da categoria.
    Dentre as medidas a serem anunciadas, serão contemplados: diretores, seus vices e secretários das Escolas Estaduais. Também os professores da rede estadual de ensino terão grandes avanços nas medidas a serem anunciadas, com a apresentação de propostas que asseguram substancial melhoria no sistema remuneratório da educação em Minas Gerais.
    Reafirmo meu compromisso de estar atento as reivindicações dos trabalhadores da educação e manter permanente contato para repasse de todas as informações pertinentes a categoria.
    Cordialmente,
    Deputado Bosco
    Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia
    Assembleia Legislativa de Minas Gerais"

    Tomara que digam que vão pagar o piso!!!
    Visitante assíduo

    ResponderExcluir
  22. Professor Euller,
    Eu não conhecia seu blog até que uma colega da SEEMG me falou de você e desde então, leio todos os dias e repasso para todos colegas suas mensagens esclarecedoras e encorajadoras a todos os educadores que estão na luta.
    Hoje estou muito mais consciente e sei da importância do piso e da vergonha que é esse roubo disfarçado que é o subsidio e que o governo fez tanta propaganda enganosa para nos ludibriar.Se tivéssemos 10 por cento dos educadores tão conscientes, não chegaríamos nem a ter greve,pois nossa força é enorme, somos a maior categoria dentre o funcionalismo e so não temos quem nos represente condignamente na ALEMG.
    Estamos construindo na luta, a nossa história.
    Estou muito mais tranquila para as opções que a vida nos coloca.
    Você esta sendo exemplo para milhares de educadores e para mim também,por isso agradeço
    Denise
    BH

    ResponderExcluir
  23. O Piso da vergonha.
    Policial R$ 1.660,00 - Para arriscar a vida;
    Bombeiro R$ 960,00 - Para salvar vidas;
    Professor R$ 930,00 - Para preparar para a vida;
    Médico R$ 2.260,00 - Para manter a vida;
    E o Deputado Federal? Ganha R$ 26.700,00 para fazer o que mesmo com a vida dos outros?
    (copie e cole se quiser e faça parte da campanha dos Bombeiros e professores).

    ResponderExcluir
  24. CORONELISMO,DITADURA: EM QUE TEMPO VIVEMOS?
    Em uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de Montes Claros no dia 30/06 em defesa do meio ambiente, nós educadores em greve lotamos o plenário com o nosso uniforme de greve para manifestar o nosso apoio ao meio ambiente ,mas estrategicamente, também para divulgar a nossa greve , uma vez que toda a imprensa cobria o evento.
    Para a nossa surpresa a INTER TV, NO MG TV 2ª EDIÇÃO DO MESMO DIA DEU UM ENFOQUE DE ALGUNS MINUTOS SOBRE A AUDIÊNCIA PÚBLICA DE UMA FORMA NO MÍNIMO ESTRANHA, POIS FOCOU SIMPLESMENTE OS AMBIENTALISTAS E ALGUNS VEREADORES,NÃO MOSTRANDO EM NENHUM MOMENTO O PLENÁRIO LOTADO DE CIDADÃOS!
    NÃO HÁ DÚVIDAS DE QUE ESSA IMPRENSA ESTÁ VENDIDA VERGONHOSAMENTE...TENTADO ABAFAR UMA LUTA LEGÍTIMA DOS EDUCADORES, QUE LUTAM POR DIGNIDADE,HONRA E SOBREVIVÊNCIA... ISSO EM UM MOMENTO SINGULAR DA HISTÓRIA DE MONTES CLAROS QUE ESTÁ SE DESTACANDO COMO UMA DAS CIDADES MAIS VIOLENTAS DO BRASIL APROXIMANDO DE SESSENTA (60)ASSASSINATOS NESSE ANO (ATÉ O MOMENTO). E NÃO É NOVIDADE PRA NINGUÉM QUE ESSA REALDADE SÓ VAI MUDAR COM A BASE , FAMÍLIA , EDUCAÇÃO...
    NESSE MOMENTO ESTAMOS DENUNCIANDO A INTER TV QUE DEVERIA ESTÁ A SERVIÇO DA SOCIEDADE E NÃO DO GOVERNO.
    SE TEM ALGUMA SEMELHANÇA COM OS TEMPOS DO CORONELISMO, DA DITADURA, SERÁ UMA MERA COINCIDÊNCIA?
    VERGONHA NA CARA E CANJA DE GALINHA NÃO FAZ MAL A NINGUÉM..
    ABRAÇOS COLEGAS E FORÇA NA LUTA!
    MONTES CLAROS-60% DAS ESCOLAS EM GREVE...ATÉ O PISO SAIR!

    ResponderExcluir
  25. O governo Anastasia ignora a classe dos professores, faz ouvidos moucos aos gritos da classe que se manifesta em toda Minas Gerais. É hora de darmos um grito maior. Esse grito será dado por meio de uma atitude firme de todos aqueles que aderiram ao movimento de não retornar à sala de aula enquanto não nos fizermos ser ouvidos por este que se intitula professor/governador.
    O momento é este, não se calará a voz que clama por justiça social.O piso é lei, se é lei, cumpra-se a lei e pronto.
    Inácio Lopes - Pará de Minas

    ResponderExcluir
  26. Grande Euler, deu no Estaminas, concurso para Petrobrás, 587 vagas, cargo médio: 1.801,37 a R$ 2.615,31 , superior : 5.570,31 a 6.217,86 e ainda, previdência complementar, plano de saúde médico e odontológico/psicológico(este seria ótimo para nós kkkk ) e auxílio educação para dependentes. Quer mais, e tem colegas nossos furando a greve. Que falta de valor próprio em companheiro. Força na luta e seu blog está bombando em Euler.

    ResponderExcluir