quarta-feira, 22 de junho de 2011

Blog capta diálogo telefônico entre dois figurões das Gerais



Blog capta diálogo telefônico entre dois figurões das Gerais

O nosso blog não tem culpa de estar ligado a um poderoso satélite que rastreia as falas e grava diálogos impertinentes entre os figurões da República brasileira. Neste caso, o diálogo foi entre dois figurões das Gerais. Vejamos o que eles disseram.

- TRRRRRIIIIIMM
- Alô, residência do Faraó das Gerais, quem fala?
- Aqui é o afilhado, me coloca na linha imediatamente com o padrinho.
- Alô, aqui é Ele!
- Padrinho, querido, fiquei sabendo que caíste do cavalo. O que é isso, meu pai? Precisa de ajuda? Quer que manda um helicóptero, um hospital-ambulância, diga do que precisa, que eu faço agora.
- Obrigado, meu filho, pode deixar que já fui socorrido. Quebrei umas cinco costelas e a clavícula, mas já estou bem. Sentindo umas dorzinhas, mas tudo bem.
- Mas, que coisa, padrinho, isso só pode ser praga desses educadores aborrecidos que estão em greve...
- É possível. E por falar nisso, tá mantendo os confiscos e os cortes que iniciamos em 2003?
- Claro, padrinho, tô mantendo tudo de acordo com o combinado. Afinal, não pode faltar grana para as nossas obras FARAÔnicas. A Copa do Mundo vem aí e nós temos muita obra pra fazer.
- E a minha candidatura a presidência também vem aí e eu vou precisar do apoio dessas empreiteiras...
- Pois é, padrinho, mas essa queda do cavalo me deixou preocupado... Só pode ter sido praga desses educadores...
- Preocupa não, afilhado, que o importante é não cair do cavalo em 2014. Por isso não pode faltar dinheiro para as grandes obras. E com o estádio de futebol novinho, o povão vai ficar encantado. Cê acha que vai faltar dinheiro para construir as obras do povão?
- Claro que não, padrinho. Já providenciamos o subsídio dos educadores que é justamente para sobrar mais. Com o piso deles nós garantimos o nosso teto.
- Aiiiiiiiii!
- O que foi, padrinho?
- É que doeu muito numa das costelas...
- Só pode ser praga desses educadores, êta turma aborrecida essa...
- E a nova secretária da Educação, como está?
- Cumpre direitinho as minhas orientações. Fala que quer dialogar, é muito palavrosa, vai empurrando os educadores com a barriga, até eles se cansarem.
- Mas, e a greve? Da última vez, eu viajei para a Europa e lá fiquei por mais de um mês. Agora não dá mais, ainda mais depois que caí do cavalo.
- Pois é, padrinho, essa greve é uma pedra no nosso caminho. Já tive que aumentar a verba de publicidade das rádios e jornais e das TVs pra comprar o silêncio deles. Tomara que a greve não dure muito tempo, senão vou ter que pressionar nossos amigos desembargadores para que eles declarem a ilegalidade da greve.
- Pois faça isso logo, antes que a greve se fortaleça. Tenho horror a greves e a esses movimentos subversivos, desde o tempo do meu avô. Aiiiiiiiiiiiii!
- O que foi, padrinho, quer que eu mande um helicóptero agora, para te levar para o hospital?
- Precisa não, afilhado, isso é passageiro. Só não posso mesmo é cair do cavalo em 2014.
- Só pode ser praga desses educadores... Vou aumentar o corte no salário deles pra ver se eles ficam bonzinhos.
- Faça isso, afilhado, você é bom nessas coisas. Mas, não esqueça de reservar muito dinheiro para as obras, os empreiteiros, os banqueiros, são todos meus amigos.
- Eu sei, padrinho, são meus amigos também. Ah, padrinho, antes que eu me esqueça, depois da Cidade Administrativa estou com um novo projeto magnífico para o próximo ano.
- Que projeto é esse, afilhado?
- Quero construir uma estátua sua, gigante, bem no centro de Belo Horizonte, o que você acha disso?
- Cê tá doido, meu filho, espera pelo menos eu morrer! Mas, se quiser erguer uma estátua em homenagem a meu avô, aí tudo bem, já tem o meu aval.
- Não tinha pensado nisso não, padrinho, mas taí uma idéia magnífica. Como que eu não tinha pensado nisso antes, heim? Vou mandar fazer o projeto agora!
- Mas, onde você vai arranjar recursos para fazer essa obra?
- Ora, padrinho, você está meio esquecido ultimamente. O que nós economizamos com o subsídio dos educadores dá para fazer duas estátuas gigantes, uma do seu avô e uma do meu.
- Aiiiiiiiiiiiiiiii!
- O que foi padrinho, a dor nas costelas de novo? Só pode ser praga desses educadores...

Neste instante, a ligação telefônica caiu...

***

"Anônimo:

Euler
Está é se preparando para substituir os autores de novela da globo?
KKKKKKKK. Lá paga bem!"



"Anderson - Movimento Quem Luta Educa:

GREVE HISTÓRICA

A greve na rede estadual de educação de Minas Gerais de 2011 é uma greve histórica. É uma greve como nenhuma outra na história deste país, como dizia aquele presidente. É uma greve para reduzir os salários.

Esta conclusão foi tirada a partir da leitura de carta da Secretária de Planejamento Renata Vilhena ao jornal O Tempo, que transcrevo abaixo:

Outra reivindicação do sindicato é a necessidade de o governo de Minas pagar o piso salarial. Ocorre que, com o subsídio, o Estado já paga acima do piso. Segundo o MEC, o piso nacional é de R$ 1.187 para uma jornada de 40 horas semanais, o que representa R$ 712,20 para 24 horas. Em Minas Gerais, o rendimento inicial de um professor de educação básica, no nível médio, para 24 horas semanais, é de RS 1.122, ou seja, 57,54% acima do piso.

O mais intrigante é que até agora o Governo do Estado de Minas Gerais não aceitou a proposta do Sind-UTE. Isto reduziria muito a folha de pagamentos do Estado e o limite prudencial de gastos com pessoal conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal. Poderia antecipar o reajuste do pessoal da segurança pública e até conceder um aumento ainda maior. Sobraria dinheiro para aumentar a capacidade do estádio Mineirão propiciando aos educadores mineiros assistir os jogos da Copa gratuitamente , como forma de recompensa pelo ato de proporem a redução de salários.

Neste momento é importante o Sind-UTE intensificar as ações para aumentar as adesões ao movimento. Vamos alcançar a tão desejada redução de salários. Na próxima semana receberemos apoio dos pais e a imprensa cobrirá diariamente nossas ações. A justiça mineira encontrará alguma lacuna na legislação permitindo a redução de salários. O quadro será muito favorável para alcançarmos 100% de adesão.

Vamos à luta companheiros e entrar para a história. No futuro, teremos bustos construídos em praças e escolas públicas receberão nossos nomes como homenagem.

Anderson - Pará de Minas"


Comentário do Blog: Boa, Anderson, para ser coerente, o governo deveria mandar pagar o piso no antigo regime remuneratório imediatamente, já que, de acordo com a secretária do Seplag, isso representaria uma redução dos nossos salários. A secretária da Educação também disse na entrevista-combinada na Rádio Itatiaia que o subsídio é melhor do que o piso. Ora, por que então não pagam logo o piso e com isso nós terminamos a greve? Simples, assim. Um forte abraço e força na luta!

"Solange:

Euler, você está cada dia melhor.O Tiago Santiago, autor de Amor e Revolução (SBT), e autores de novelas da Globo precisam te conhecer para uma parceria. Fico feliz ao ver você assim. Meu fraterno abraço, Solange."


Comentário do Blog: um forte abraço e obrigado pelas palavras de apoio, combativa colega Solange. A Globo e o SBT já tentaram me contratar, mas eu sou teimoso e não troco meu salário-de-professor-de-Minas pelos exorbitantes salários de autores de novelas e filmes. Só não abro mão mesmo do nosso piso, rsrs.

"Anônimo:

EULER, QUE BELA PEÇA DE TEATRO DARIA ESSE MAGNÍFICO TEXTO."

"MARIA ANGELICA:

EULER VOCE E DEMAIS. PENSO QUE ESSA GREVE ESTA FAZENDO BEM DEMAIS A VOCÊ. VIROU ATE ESCRITOR DE PEÇAS TEATRAIS. POR QUE VOCÊS NÃO ENCENAM ESTAS FALAS EM PRAÇA PUBLICA, DURANTE AS MANIFESTAÇÕES. ASSIM O POVO ENTENDE MELHOR ESSE NEGOCIO DE SUBSIDIO, TETO PISO... ALIAS PORQUE AQUI EM MINAS TETO AGORA VIROU PISO NÉ?
UM ABRAÇO
ANGELICA"


Comentário do Blog: Tem razão, combativa colega Angélica; literatura, teatro, cinema tem tudo a ver com a nossa luta, para que consigamos nos aproximar ainda mais da comunidade. Já que a mídia está comprada temos que abrir caminhos por outros meios, inclusive na Internet, procurando envolver mais e mais pessoas de forma criativa e horizontal. Um forte abraço e força na luta!

"S.O.S. EDUCAÇÃO PÚBLICA (Rio de Janeiro):

Caro Euler

Mande urgente a receita da "praga dos educadores mineiros", pois aqui, mesmo com o reforço da praga dos bombeiros só rolou uma tentativa de assalto.

Essa de vocês é super poderosa!

Parabéns a todos os colegas pela greve bonita que estão fazendo!

Grande abraço a todos

Graça Aguiar"


Comentário do Blog: Um forte abraço na combativa colega Graça Aguiar, extensivo aos valentes educadores do Rio de Janeiro, que também estão em greve. Mas, que safra de governantes nós estamos enfrentando, heim? Greve em seis estados, e mais quatro em estado de greve. Tudo por não pagarem o piso e melhores salários para os educadores. Que país e esse, onde a Educação e os educadores são maltratados dessa forma? Força na luta aí no Rio de Janeiro!

"Maria Joana:

EULER,VOCÊ TEM ALGUMA INFORMAÇÃO SOBRE A REUNIÃO DO SINDICATO COM A SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO? ATÉ AGORA SÓ ENCONTREI A VERSÃO DO GOVERNO, GOSTARIA DE SABER DO SINDICATO O QUE ACONTECEU."


Comentário do Blog: olá, Maria Joana, infelizmente nosso satélite estava desligado na hora da reunião e por isso não consegui gravar o acontecimento. A única informação que sei é aquela divulgada no site da SEE-MG, que diz que o governo só negocia se nós voltarmos ao trabalho. Além de descumprirem a lei do piso e a lei do subsídio, querem abolir também a lei de greve. Vamos aguardar que o sindicato se manifeste sobre a reunião. Um abraço.


"Anônimo:

Euler, comentário de um ex político,que ontem 2010, lutou mas não conseguiu e talvez não consiga mais: " O BOM DE TUDO É O PODER', nem é dinheiro é o poder. Nós podemos LUTAR, E TENHO CERTEZA QUE CONSEGUIREMOS O QUE É DIREITO NOSSO PISO SALARIAL. O governo também sabe que é direito nosso, ele sabe muito bem. Não adianta querer fazer uma maldadezinha com nossotros, PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO. Acima dele, GOVERNO, está a LEI. PENSEI CERTA VEZ EM FAZER direito, mas foi bom, não perdi nada, ESTOU TENDO UM MAU EXEMPLO QUE É ESTE GOVERNO. VENCEREMOS, CONQUISTAREMOS A VITÓRIA COM HONESTIDADE E A TRANSPARÊNCIA QUE ESTAMOS MOSTRANDO A TODOS- PAGAMENTO DO DIREITO ADQUIRIDO PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL. Até lá 28/06/2011."

"Anônimo:

Professor Euler, qual é a deste governo? Ele veio a quê? Fazer o quê? Será que ele está no Brasil? Não o tenho visto? Nem nos jornais nem em TV. É assim mesmo. Quando não sabe mais o que fazer que é cumprir a LEI, foge-se de cena e manda outros que menos sabem ainda o que fazer. Falta de planejamento. Pensei e pensar não é tão ruim, que tivessem mais competência. Fugir da raia é fácil, difícil é CUMPRIR A LEI."

Comentário do Blog: Boa pergunta, colega: onde está este governo? Um governo midiático é assim mesmo. Não dialoga com a comunidade, com os movimentos sociais; comunica-se apenas por meio da mídia, previamente contratada para só perguntar o que foi combinado anteriormente.


"Anônimo - Ouro Preto:

boa noite, Euler e companheiros de luta!!!
Trabalho em uma escola do distrito de ouro preto e aderi sozinha à greve, afinal acredito que preciso contribuir com a luta sim. Estão dizendo aqui que a greve está muito fraca, pois mesmo em BH poucas escolas pararam. Gostaria de um esclarecimento seu sobre como está sendo a adesão aí em BH e demais cidades. Desde segunda-feira resolvi não ir mais à escola e no próximo dia 28 estarei presente para levantar o braço apoiando a continuidade da greve. Só é uma pena que vocês não vieram por aqui para visitar as escolas resistentes para conseguirem o mesmo que aconteceu em sua cidade. Um abraço e por favor me dê uma resposta!!!" "


Comentário do Blog: olá, combativa colega, primeiramente parabéns pela atitude de parar, mesmo que isoladamente. A categoria está em greve, aprovada em três assembleias, o que significa que qualquer educador, mesmo que a maioria da escola não queira aderir, pode e deve entrar em greve. Como já relatei anteriormente, na subsede de Vespasiano e São José, a qual estou vinculado, a greve está forte e crescendo. Em outras regiões de Minas tenho ouvido falar que a paralisação está crescendo, também. Não se deixe induzir pela propaganda da mídia vendida e pelas vozes de inimigos da nossa luta. Infelizmente, não dá para acompanhar as discussões em todas as cidades de Minas, como desejaríamos, mas procuramos fazer a nossa parte divulgando as informações e comentários aqui no blog. Sugiro que você entre em contato com o pessoal da subsede da sua região e peça apoio. A visita dos colegas em greve às escolas é muito importante, pois muita gente indecisa, ou com pouca informação, após uma boa conversa, acaba aderindo ao movimento. Torço para que o quadro na sua região assuma outra perspectiva, pois precisamos da maior adesão possível para dobrar este governo e fazê-lo cumprir a lei e pagar o piso, ao invés de dizer pela mídia que o bom para nós é o subsídio. Ora, nós é que sabemos o que é bom ou não para nós, não é mesmo? Um forte abraço e força na luta!

Secretária reúne-se com o sindicato para discutir a cor do uniforme dos alunos

Quando li o texto da coordenadora do sind-UTE relatando sobre a reunião com a secretária da Educação e seus assessores, perguntei: ora, se não era para negociar nada, qual o motivo daquela reunião? Imaginei que só poderia ser para discutir a cor do uniforme dos alunos, já que a secretária está proibida de negociar com o sindicato enquanto estivermos em greve.

Além de descumprirem a Lei do Piso e a Lei do Subsídio, querem revogar também a Lei de Greve. Daqui a pouco vão abolir a Constituição brasileira em Minas e criar uma monarquia nas Alterosas.

Quem quiser ler o relato completo da coordenadora do sind-UTE, clique aqui.


"Anônimo - Caratinga:

Euler, gostaria que você olhasse para a gente aí porque a SRE de Caratinga tem tanto interesse em todos os dias listar nomes dos grevistas e permitir que colegas cumprem horário na escola para não perder o pagamento. Isto não é um tremendo desrespeito?"

Comentário do Blog: Muito estranho este comportamento da diretoria da SRE aí de Caratinga. Isso tudo é medo de perder o emprego? Devemos estimular os órgãos de imprensa aí da região a questionarem a diretoria da SRE se essa atitude ditatorial, que fere o princípio de autonomia da LDB, está sendo provocada pelo medo de perder o emprego, ou pelo puxa-saquismo convicto, ou por exeigência do governo. Além disso, se continuarem com essa conduta, em qualquer parte de Minas, proponho que o sindicato comece a denunciar publicamente, e nominalmente, as pessoas que desrespeitam a Lei de Greve e fazem terrorismo contra os educadores. Seria interessante também cobrar do Legislativo do Estado uma audiência pública com essas pessoas para que elas expliquem publicamente a sua atitude frente ao nosso movimento. Não podemos aceitar intimidações, de maneira alguma! Um forte abraço e força na luta!

Manchete do portal do Hoje em Dia (clique aqui para ver):

"Copa do Mundo vai custar R$ 100 bilhões, diz Romário"

Comentário do Blog: enquanto os governos, incluindo o Federal, descumprem a Lei do Piso e mantêm a Educação e os educadores em situação de miséria, damos de cara com essa informação. Em poucos anos os governos e seus "parceiros" vão desembolsar, às nossas custas, pelo menos R$ 100 bilhões para realizar um evento que dura 30 dias, enquanto se recusam a investir na Educação de qualidade, que é benéfica para todos, durante toda a sua existência. É este o perfil das nossas elites governantes. Quando interessa a estes senhores e senhoras, em pouco tempo eles levantam bilhões para gastar com obras faraônicas. Agora, para pagar um salário um pouco mais digno aos educadores, inventam desculpas. É por essas e outras que a nossa greve precisa ser mantida, até a vitória final. Ou nos pagam o piso, ou não haverá aula em Minas Gerais e no Brasil.


"Anônimo:

BOMBEIROS E PROFESSORES

JORNAL DO BRASIL 14/06/11 - Marcelo Migliaccio

(...)
Só o que me espanta nesse movimento grevista que tomou conta do Rio é a adesão da população. Nada contra, a causa é justa. Soldados do fogo que arriscam suas vidas têm que ter uma remuneração digna, claro.
Assim como os policiais civis e militares, que deveriam ganhar, no mínimo, R$ 5 mil por mês.
Mas eu fico me perguntando quantas greves de professores aconteceram sem que a população lhes desse a menor pelota.
E nem bombeiro, nem policial, nem médico _ apesar da nobreza e da importância de seus ofícios _ têm tanta responsabilidade social quanto o professor.
No entanto, nunca vi a cidade sair as ruas de fita vermelha na mão para protestar contra o salário de fome dos nossos mestres docentes. O que espera um país, um estado, uma cidade que paga menos de R$ 1 mil por mês àqueles que vão formar os cidadãos de amanhã?
Evidentemente, tudo que se pode esperar é um amanhã igual ou pior que o triste hoje em que vivemos. Com os jovens saindo das faculdades sem nem saber escrever uma simples redação sobre suas últimas férias.
Mas os bombeiros, com sua aura de heróis, ganharam a adesão dos cariocas. A mídia ajudou bastante, depois de subestimar o movimento até não poder mais e de atribuí-lo a uma jogada política do ex-governador do Rio Garotinho. A desastrada invasão do quartel com mulheres e crianças, porém, por incrível que pareça, revelou-se um catalizador da opinião pública. E a greve ficou tão forte que o governador teve que ceder.
Tomara que os bombeiros consigam salários dignos. Eles merecem.
Mas e os professores, que mal ganham para comer que dirá para se aperfeiçoarem e educarem melhor nossas crianças?
E esses educadores que arriscam suas vidas em escolas em áreas conflagradas e sofrem ameaças de alunos delinquentes e de pais piores ainda?
Quando vamos sair às ruas para que este país tenha uma educação decente?

Marcelo Migliaccio

A HORA É AGORA! A GREVE DOS PROFESSORES VAI TOMAR AS RUAS DE MINAS ! É GREVE OU GREVE!"


"Anônimo:

Euler,
Parabéns pelo seu senso de humor. Nós, brasileiros, rimos de nós mesmos, das situações críticas. Já faz parte de nossa cultura.

Estou beje, passada mesmo com a Sra. Gazolla, que convoca uma reunião com o Sind UTE, deixando todos na expectativa e para quê? - Para dizer NADA que a gente já não soubesse.
Socorro. Meus sais!

Gente, eu quero ir para Pasárgada. Lá, eu sou amiga do rei.
Um grande abraço e força na luta!"


Comentário do Blog: obrigado pela visita e pelas palavras, combativa colega. E me leve com você para Pasárgada, bem longe desse reino do Faraó e do afilhado e seus afins. Um abraço e força na luta!

Novo post do blog ao final da tarde de hoje: "A procissão dos educadores de Minas..." Aguardem!



"Anônimo:

EULER , A ANA LUCIA GAZOLLA ESTA FALANDO SOBRE AS NEGOCIAÇÕES COM O SINDUTE NESTE VIDEO DO DIA 22/06/2011 ,VAI LA E CONFIRA.

http://www.youtube.com/watch?v=Jn-d0gzNsvA"



"Edna - Uberlândia:

Me desculpe colega, mas essa fala da Gazzola não tem nada a ver com a reunião do dia 22/06. Foi a partir dessa fala que o sítio da SEE montou aquela "entrevista" com o Eduardo Costa ou vice-versa."


"Anônimo:

Euler, sou detentor de dois cargos efetivos de PEB4F e pedi o retorno à remuneração antiga. Será que receberei os 10% de pós-graduação que eu recebia em agosto de 2010, por ter saído de vez do subsídio? Informe-me por gentileza. Grato."


"Anônimo:

A lei de políticos e magistrados colocarem os filhos em escolas públicas ,claro e evidente é boa, mas é mais uma piada. Pois até o Lula que ainda nem era presidente mandou sua filhinha para França quando estava estudando. Faz me rir... Acreditar em políticos... Mesmo sendo o Cristovam Buarque."

"Anônimo:

Se após esse "encontro"entre sindicato e governo
voltarmos outra vez sem garantia nenhuma e só com promessas. Estaremos decretando que aqueles que ficaram nas escolas furando greve tinham razão, o duro é que a possibilidade da direção arrumar um argumento para acabar com a greve dia 28 é até ...
Greve até o piso da "cnte""


17 comentários:

  1. Euler
    Está é se preparando para substituir os autores de novela da globo?
    KKKKKKKK. Lá paga bem!

    ResponderExcluir
  2. GREVE HISTÓRICA
    A greve na rede estadual de educação de Minas Gerais de 2011 é uma greve histórica . É uma greve como nenhuma outra na história deste país , como dizia aquele presidente . É uma greve para reduzir os salários .
    Esta conclusão foi tirada a partir da leitura de carta da Secretária de Planejamento Renata Vilhena ao jornal O Tempo , que transcrevo abaixo :

    “ Outra reivindicação do sindicato é a necessidade de o governo de Minas pagar o piso salarial. Ocorre que, com o subsídio, o Estado já paga acima do piso. Segundo o MEC, o piso nacional é de R$ 1.187 para uma jornada de 40 horas semanais, o que representa R$ 712,20 para 24 horas. Em Minas Gerais, o rendimento inicial de um professor de educação básica, no nível médio, para 24 horas semanais, é de RS 1.122, ou seja, 57,54% acima do piso.”

    O mais intrigante é que até agora o Governo do Estado de Minas Gerais não aceitou a proposta do Sind-UTE . Isto reduziria muito a folha de pagamentos do Estado e o limite prudencial de gastos com pessoal conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal . Poderia antecipar o reajuste do pessoal da segurança pública e até conceder um aumento ainda maior .Sobraria dinheiro para aumentar a capacidade do estádio Mineirão propiciando aos educadores mineiros assistir os jogos da Copa gratuitamente , como forma de recompensa pelo ato de proporem a redução de salários .
    Neste momento é importante o Sind-UTE intensificar as ações para aumentar as adesões ao movimento . Vamos alcançar a tão desejada redução de salários . Na próxima semana receberemos apoio dos pais e a imprensa cobrirá diariamente nossas ações .A justiça mineira encontrará alguma lacuna na legislação permitindo a redução de salários . O quadro será muito favorável para alcançarmos 100% de adesão .
    Vamos à luta companheiros e entrar para a história . No futuro , teremos bustos construídos em praças e escolas públicas receberão nossos nomes como homenagem.
    Anderson - Pará de Minas

    ResponderExcluir
  3. Euler,você está cada dia melhor.O Tiago Santiago,autor de Amor e Revolução (SBT),e autores de novelas da Globo precisam te conhecer para uma parceria.Fico feliz ao ver você assim.Meu fraterno abraço,Solange.

    ResponderExcluir
  4. EULER,QUE BELA PEÇA DE TEATRO DARIA ESSE MAGNÍFICO TEXTO.

    ResponderExcluir
  5. EULER VOCE E DEMAIS. PENSO QUE ESSA GREVE ESTA FAZENDO BEM DEMAIS A VOCE. VIROU ATE ESCRITOR DE PEÇAS TEATRAIS. POR QUE VOCES NAO ENCENAM ESTAS FALAS EM PRAÇA PUBLICA, DURANTE AS MANIFESTAÇOES. ASSIM O POVO ENTENDE MELHOR ESSE NEGOCIO DE SUBSIDIO, TETO PISO... ALIAS PORQUE AQUI EM MINAS TETO AGORA VIROU PISO NE?
    UM ABRAÇO
    ANGELICA

    ResponderExcluir
  6. Caro Euler

    Mande urgente a receita da "praga dos educadores mineiros", pois aqui mesmo com a com o reforço da praga dos bombeiros só rolou uma tentativa de assalto.

    Essa de vocês é super poderosa!

    Parabéns a todos os colegas pela greve bonita que estão fazendo!

    Grande abraço a todos

    Graça Aguiar

    ResponderExcluir
  7. EULER,VOCÊ TEM ALGUMA INFORMAÇÃO SOBRE A REUNIÃO DO SINDICATO COM A SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO? ATÉ AGORA SÓ ENCONTREI A VERSÃO DO GOVERNO, GOSTARIA DE SABER DO SINDICATO O QUE ACONTECEU.

    ResponderExcluir
  8. Euler, comentário de um ex político,que ontem 2010, lutou mas não conseguiu e talvez não consiga mais: " O BOM DE TUDO É O PODER',nem é dinheiro é o poder.Nós podemos LUTAR,E TENHO CERTEZA QUE CONSEGUIREMOS O QUE É DIREITO NOSSO PISO SALARIAL.O governo também sabe que é direito nosso, ele sabe muito bem. Não adianta querer fazer uma maldadezinha com nossotros,PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.Acima dele, GOVERNO, está a LEI.PENSEI CERTA VEZ EM FAZER direito,mas foi bom,não perdi nada, ESTOU TENDO UM MAU EXEMPLO QUE É ESTE GOVERNO.VENCEREMOS,CONQUISTAREMOS A VITÓRIA COM HONESTIDADE E A TRANSPARÊNCIA QUE ESTAMOS MOSTRANDO A TODOS- PAGAMENTO DO DIREITO ADQUIRIDO PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL.Até lá 28/06/2011.

    ResponderExcluir
  9. Professor Euler,qual é a deste governo? Ele veio a quê?Fazer o quê? Será que ele está no Brasil? Não o tenho visto? Nem nos jornais nem em TV. É assim mesmo. Quando não sabe mais o que fazer que é cumprir a LEI,foge-se de cena e manda outros que menos sabe ainda o que fazer. Falta de planejamento. Pensei e pensar não é tão ruim, que tivessem mais competência. Fugir da raia é fácil, difícil é CUMPRIR A LEI.

    ResponderExcluir
  10. boa noite, Euler e companheiros de luta!!!
    Trabalho em uma escola do distrito de ouro preto e aderi sozinha à greve, afinal acredito que preciso contribuir com a luta sim. Estão dizendo aqui que a greve está muito fraca, pois mesmo em BH poucas escolas pararam. Gostaria de um esclarecimento seu sobre como está sendo a adesão aí em BH e demais cidades. Desde segunda-feira resolvi não ir mais à escola e no próximo dia 28 estarei presente para levantar o braço apoiando a continuidade da greve. Só é uma pena que vocês não vieram por aqui para visitar as escolas resistentes para conseguirem o mesmo que aconteceu em sua cidade. Um abraço e por favor me dê uma resposta!!!"

    ResponderExcluir
  11. Euler, gostaria que você olhasse para a gente aí porque a SRE de Caratinga tem tanto interesse em todos os dias listar nomes dos grevistas e permitir que colegas cumprem horário na escola para não perder o pagamento. Isto não é um tremendo desrespeito?

    ResponderExcluir
  12. Euler,
    Parabéns pelo seu senso de humor. Nós, brasileiros, rimos de nós mesmos, das situações críticas. Já faz parte de nossa cultura.
    Estou beje, passada mesmo com a Sra. Gazolla, que convoca uma reunião com o Sind UTE, deixando todos na expectativa e para quê? - Para dizer NADA que a gente já não soubesse.
    Socorro. Meus sais!
    Gente, eu quero ir para Parságada. Lá, eu sou amiga do rei.
    Um grande abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  13. Euler me socorre! Sou professor designado e estou pasmo com o fato do concurso não contar com a vaga dos efetivados. O que será de nós, que vamos prestar o concurso? Que vagas não restarão uma vez que existem 96 mil efetivados. Moro em uma cidade pequena e se as vagas dos efetivados não forem para o edital, nem adianta eu fazer concurso, porque não vai ter vaga! O Sindicato precisa fazer alguma coisa e olhar por nós! Somos trabalhadores e pais de famílias, porque estão fazendo isso com a gente? Eu não me conformo, essa situação precisa ser revertida antes da publicação do edital? Como o Ministério Público vê isso? Isso ainda não foi parar no STF não? Não pode ser assim. Eu até engolia essa efetivação porque não havia tido concurso ainda, mas agora que vai ter, porque essa discriminação? Porque beneficiar uns e prejudicar outros tantos. Por favor Euler, você, o sindicato, olhe por nós, nós não temos acesso direto ao governo, vocês têm (tenho certeza que "agentes" do governo acessam seu blog), façam alguma coisa, peça para mudar esse edital e constar a vaga dos efetivados, caso o contrário será a amargura de muitos! Estou extremamente aflito!

    ResponderExcluir
  14. Caro Euler, tendo em vista que a Lei 100 foi feita para arrumar uma bagunça do governo em relação à aposentadoria de servidores antigos no Estado, ele deveria ter feito a coisa direito e só ter efetivado aqueles que tivessem 18, 20 anos de "casa", que realmente estivessem prestes a aposentar e não ter feito o que fez, colocar todo mundo na mesma "gaiola" e sair efetivando pessoas sem licenciatura, pessoas que nem ainda haviam se formado (e inclusive deixando servidores antigos que por algum motivo não estavam nas escolas nas datas estabelecidas para a tal efetivação de fora). Como nunca concordei com tal prática, sugiro que o Sindicato proponha ao governo arrumar de vez essa bagunça. Veja só: não acho justo que um servidor com 20 anos de casa por exemplo, prestes a aposentar seja "desefetivado", mas aqueles novatinhos, que se beneficiaram com a lei, devem fazer o concurso. Me sinto a vontade para falar disso, pois sou efetiva, e vejo casos na minha escola de professores que nem tem licenciatura dando aulas, enquanto alguns designados não têm como trabalhar mesmo com habilitação. Proponho que o Sindicato reveja isso com o governo, de forma que se faça uma espécie de "apanhado" e aqueles efetivados que tiverem menos de 15, 18, 20 anos de contribuição por exemplo, sejam sim, obrigados a fazerem o concurso e que a vaga deles estejam no edital. Isso seria mais democrático e não prejudicaria tanta gente. Um servidor com 5, 6 anos de carreira e está se beneficiando dessa lei fora da lei, deve sim fazer concurso para se tornar efetivo por meios legais. Um abraço e força na luta! Manhuaçu aos poucos vai aderindo cada vez mais ao movimento!

    ResponderExcluir
  15. EULER , A ANA LUCIA GAZOLLA ESTA FALANDO SOBRE AS NEGOCIAÇÕES COM O SINDUTE NESTE VIDEO DO DIA 22/06/2011 ,VAI LA E CONFIRA.


    http://www.youtube.com/watch?v=Jn-d0gzNsvA

    ResponderExcluir
  16. Edna - Uberlândia23 de junho de 2011 16:39

    Me desculpe colega, mas essa fala da Gazzola não tem nada haver com a reunião do dia 22/06. Foi a partir dessa fala que o sítio da SEE montou aquela "entrevista" com o Eduardo Costa ou vice-versa.

    ResponderExcluir
  17. Euler,sou detentor de dois cargos efetivos de PEB4F e pedi o retorno à remuneração antiga. Será que receberei os 10% de pós-graduação que eu recebia em agosto de 2010, por ter saído de vez do subsídio? Informe-me por gentileza. Grato.

    ResponderExcluir