terça-feira, 7 de setembro de 2010

Artistas populares distantes das realidades


A campanha do faraó e do afilhado tem o apoio de vários e conhecidos cantores e compositores mineiros. O que é uma pena. Que eles não quisessem apoiar nenhum dos dois candidatos com maiores chances eleitorais, seria compreensível; mas, fazer a opção que fizeram demonstra grande alienação e distanciamento da realidade dos mineiros de baixa renda.

Tal prática se repete também com os comentaristas e jornalistas da grande mídia. Espertamente, estes setores foram privilegiados pelos recursos públicos, ao contrário de educadores e demais servidores públicos, que foram castigados durante oito anos de choque de gestão.

Mas, os nossos cantores não estão nem aí para a nossa realidade. Não vimos nenhum deles se oferecendo para apoiar a nossa maravilhosa revolta dos 47 dias. E em alguns casos, nem se pode alegar razão de sobrevivência, pois são artistas consagrados, que sobreviveriam independentemente de verbas do governo. O que revela ainda mais o distanciamento e a alienação destes artistas, que, tal como os jogadores de futebol mais famosos e outros tipos, vivem num outro mundo.

Nem tenho o direito de cobrar nada, nem coerência nem nada destes artistas, pois eles não professaram compromisso ético com as lutas sociais e fazem seu trabalho de forma a sustentar uma carreira, que sabemos, é de difícil sobrevivência no Brasil. Poetas, cantores e escritores neste país são geralmente maltratados. Por aqui privilegiam bandidos de colarinho branco, espertalhões e outros tipos de puxa-sacos. Mas, ao apoiar políticos ligados às políticas neoliberais, tais artistas acabam contribuindo para manter e reproduzir a realidade que criticamos.

Essa realidade algum dia pode mudar, quando a sociedade também mudar. Na época da ditadura, por exemplo, quando havia uma efervescência política entre os estudantes, o artista que fizesse apologia dos governos ditatoriais ficava "queimado". O dia em que estes artistas de hoje forem cobrados nos shows pela postura que assumem pode ser que pensem melhor nas atitudes políticas que tomam e que contribuem para a manipulação da grande massa.

Por enquanto eles estão a salvo pelo escudo protetor da grande mídia, além da generosidade dos cofres abertos para eles pelos governantes de plantão. Mas, a história é assim: uma hora a onda vai para um lado, outra hora volta sobre nós, ou sobre nossas atitudes. E cada um terá que responder por aquilo que fez ou deixou de fazer.

* * *

Incorporo ao texto central o comentário do nosso colega e amigo João Paulo:

"João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler:

Os artistas sempre estiveram ao lado das elites. Eles não são populares. São elitistas. Você acha por exemplo que a Beatriz Segall é a nosso favor? Quando ela representou uma verdadeira bruxa como Odete Reutemann, parecia tão verdadeira que quase passou a ser conhecida como O.R, em vez de Beatriz Segall. Temos o exemplo do Padre Perereca, cujas ''Memórias para servir à História do Reino do Brasil'' são um monumento à bajulação. Quando li o texto dele sobre a morte de D.Maria I a louca, eu não aguentei. Ri às gargalhadas, tão engraçado me pareceu. Minha mãezinha de mais de 80 anos, não entendeu nada.

Por isso não esperemos nada dessa gente. São contra nós."

* * *

Leiam também:

- Boletim Nº 21 do BLOG do COREU com as atualizações. Clique aqui.

* * *

Solidariedade na luta

Renovamos aqui as nossas palavras de agradecimento aos que se manifestaram em solidariedade e apoio aos professores da escola onde trabalho, contra as demissões e remoção ilegais e arbitrárias em curso. Não vou citar o nome de todos os colegas aqui de Minas, pois são mais de duas dezenas os/as bravos/as colegas educadores que se manifestaram em comentários aqui no blog ou por e-mail. O que mostra que nossa histórica luta forjou uma unidade que não será quebrada pelas engenharias políticas das elites dominantes.

De fora do cenário mineiro - onde os educadores foram a única força social a balançar as estruturas de poder montadas pelo faraó e afilhado - recebemos manifestações também da colega Graça Aguiar, brava professora do Rio de Janeiro e coordenadora do Blog S.O.S. Educação Pública; e do professor da Universidade Federal de Goiás Nildo Viana. Ainda não tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, mas já mantivemos conversações por e-mail e em fórum de debate pela Internet há alguns anos. Intransigente defensor de uma sociedade livre da exploração capitalista, Nildo participa do Movimento Autogestionário - Movaut - que, além do extenso trabalho teórico apoiou a recente greve dos educadores de Goiânia. Um abraço e força na luta aos camaradas de Goiânia!

Finalmente, quero mencionar o comentário da colega Ivone, que sugere a formação de uma rede pela Internet para divulgar os atos de abuso cometidos pelo governo em Minas. Tem todo o meu apoio. Não apenas para o caso em curso na nossa escola, mas contra toda e qualquer forma de abuso de poder e atos de perseguição, discriminação ou terrorismo psicológico contra os colegas trabalhadores. Diante de uma mídia que está morta, que serve apenas para canalizar recursos públicos e privados e ajudar a articular o domínio do grande capital e dos governantes a seu serviço, não temos outra alternativa senão criar mecanismos paralelos e horizontais de comunicação entre os de baixo. Só assim teremos força para enfrentar e resisitr aos ataques de inimigos tão poderosos. Seja em Minas, no Brasil ou em qualquer parte do mundo.

6 comentários:

  1. OI EULER!
    FIQUE FIRME EM RELAÇÃO À SUA SITUAÇÃO. VOCÊ NÃO MERECE PERSEGUIÇÃO, MAS SABEMOS QUE A ARMA DOS SEM ARGUMENTOS É A REPRESSÃO E A INTIMIDAÇÃO.

    QUANTO À QUESTÃO DA LEI 1OO ( CASO DA SUA AMIGA PROFESSORA), PENSO QUE ELE DEVE "CORRER ATRÁS" SIM E NÃO ACEITAR ESSA SITUAÇÃO DE DEMITIDA EM PERÍODO DE CAMPANHA POLÍTICA E SE EU FOSSE ELA CORRIA JUNTO COM VOCÊ, "COLAVA" NO EULER E PEDIA SOCORRO!PENSO QUE ELA TEM TODO O DIREITO DE QUERER JUSTIÇA E NÃO SÃO TODOS DA LEI 100 QUE IRÃO VOTAR NOS TUCANOS NÃO! EU NÃO VOTO E SOU DA LEI 100 TAMBÉM!
    ESSA LEI 100 TORNOU-SE UMA CHATICE DE SE QUESTIONAR, TANTO PRA QUEM ESTÁ NELE OU FORA DELA. EU NÃO ALIMENTO ILUSÕES EM RELAÇÃO À ESSA LEI, MAS SE TODOS PUDESSEM TER SIDO FAVORECIDOS, NÃO VOU DIZER QUE EU NÃO FICARIA SATISFEITA: CASO TODOS FOSSEM ATENDIDOS E COM OS MESMOS DIREITOS QUE UM CONCURSADO.
    QUEM TEM FAMÍLIA PRA CRIAR, PRECISA DO SALÁRIO QUE RECEBE TODO MÊS, AINDA QUE SEJA MISÉRIA! E MUITAS VEZES O CONCURSO NÃO DIZ MUITA COISA DA CAPACIDADE PROFISSIONAL DE UMA PESSOA.SOU À FAVOR DO CONCURSO, MAS SE A LEI 100 FAVORECEU, POR UM TEMPO, A MUITOS PROFISSIONAIS ( EU MESMA TINHA UMA BEBÊ DE QUATRO MESES QUANDO CONSEGUI UM CONTRATO MAIOR E LOGO DEPOIS VEIO A LEI 100; FATO QUE ME TRANQUILIZOU INCLUSIVE PELAS CONSULTAS DA MINHA FILHA); ENTÃO PENSO QUE TAL FATO TENHA SIDO ALGO BOM E NEM POR ISSO NOS ILUDE E NOS FAZ ( A MAIORIA) VOTAR NOS TUCANOS ( FARAÓ E SEU AFILHADO).

    AS PESSOAS QUANDO SÃO CONSCIENTES SÃO!
    QUANDO NÃO SÃO NÃO HÁ MUITO O QUE SE FAZER PARA QUE ELAS "LEIAM" A VIDA DE UMA FORMA MAIS CRÍTICA.OU SE É À FAVOR DE UMA MAIORIA OPRIMIDA OU NÃO SE É! E SABEMOS QUE BRIGAMOS POR PESSOAS NESSA VIDA QUE MAL ENXERGAM O OUTRO, VÊM SEMPRE O PRÓPRIO UMBIGO...

    P.S.SERÁ QUE O VENTO RUIM VIRA PRA CÁ??????SÓ DEUS!

    ABRAÇÃO CARINHOSO EULER!
    VANDA
    SÃO JOÃO DEL REI

    ResponderExcluir
  2. Euler esse é o modo como o faraó reage contra quem não está de acordo com ele, deve ter aprendido com a múmia ancestral do tempo da ditadura. Resistir ser firme e forte é o que precisamos com a coragem como escudo, porque na batalha que travamos nós só demos uma pausa, a guerra continua. "se queres paz te prepares para a guerra" é o que nos diz a música do Engenheiros. É o fim dos tempos ver algumas bandas e músicos mineiros apoiando o faraó e afilhado. Eu até ouvia alguns deles. Como a Bíblia nos diz no capítulo 4 versículo 3 o diabo (faraó e afilhado)f... tudo ao seu redor pelo radio, jornal, TV, outdoor e agora com nossos artistas.
    Obs.: Também sou da lei 100 e concordo com você, nós não temos culpa dessa situação e sim o governo. Eu e muitos colegas que são da lei 100 não votaremos nos famigerados faraó,afilhado e afins. Abraços e força amigo. Vander

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Euler.
    Tenho tentado escrever menos e agir mais. Estacionada, aceitando tudo, JAMAIS...
    Lendo seus posts sempre e outros relacionados. Deixando aqui minha solidariedade,e uma sugestão. Bastante blogueiros relacionados à educação, já estão denunciando em seus blogs essas arbitrariedades ocorridas em MG. O ideal seria que todos blogueiros,dessem ênfase nesse assunto, espalhando na imensa rede...denunciando.
    Twiter, blogs, e-mails, Orkuts, Msn...como ferramentas de denúncias.Uma grande corrente virtual. Já estou fazendo isso no Msn e por e-mail. Tenho conversado com bastante pessoas pessoalmente também.Sempre na luta e sempre alerta colegas!!! Isolados somos nada...JUNTOS SOMOS UM EXÉRCITO!!!

    ResponderExcluir
  4. João Paulo Ferreira de Assis7 de setembro de 2010 19:40

    Prezado amigo Professor Euler:

    Os artistas sempre estiveram ao lado das elites. Eles não são populares. São elitistas. Você acha por exemplo que a Beatriz Segall é a nosso favor? Quando ela representou uma verdadeira bruxa como Odete Reutemann, parecia tão verdadeira que quase passou a ser conhecida como O.R, em vez de Beatriz Segall. Temos o exemplo do Padre Perereca, cujas ''Memórias para servir à História do Reino do Brasil'' são um monumento à bajulação. Quando li o texto dele sobre a morte de D.Maria I a louca, eu não aguentei. Ri às gargalhadas, tão me engraçado me pareceu. Minha mãezinha de mais de 80 anos, não entendeu nada.
    Por isso não esperemos nada dessa gente. São contra nós.

    ResponderExcluir
  5. João Paulo Ferreira de Assis7 de setembro de 2010 19:57

    Prezado amigo Professor Euler

    Note que o senhor Mário Assis está caladinho, caladinho, boca de siri. Os professores sendo demitidos e removidos e ele, quieto no seu canto, sem nem ao menos questionar os prejuízos didáticos causados pela perda de um professor ao qual o aluno estava habituado consequente necessidade de se acostumar a toque de caixa a outro profissional. Eu é que sofro até hoje as consequências da minha 7ª série no Colégio N.S.de Lourdes, em Lavras MG. Tive três professores de Matemática. Até então, eu era um dos melhores alunos no conteúdo da Professora Cris, nossa amiga. Minha professora era a Dona Leia, que ao se casar foi proibida de trabalhar, e deixou as aulas. Os dois que a sucederam, eu não me dei com eles. Só passei em Matemática porque já tinha ótimas notas no 1º e 2º bimestres. No Ensino Médio, consegui a proeza de ficar dois anos em cada série, por causa de Matemática. Mas para o senhor Mário Assis nada disso é importante. Ele só age contra as nossas greves.
    Atenciosamente João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  6. João Paulo Ferreira de Assis7 de setembro de 2010 20:10

    Lembrei agora de um lance da greve. Os professores de Carmópolis de Minas, com aquele talento imenso de andar em pernas de pau, como vimos naquele 21 de abril em São João del Rei, com estes artistas nós podemos contar com certeza. Me deu até vontade de ir a Carmópolis só para conhecê-los.

    ResponderExcluir