quarta-feira, 25 de maio de 2011

Quanto já perdemos com a enrolação dos governos que não pagam o nosso piso salarial?


Quanto já perdemos com a enrolação dos governos que não pagam o nosso piso salarial?

É difícil para nós calcular exatamente o quanto já perdemos, desde de janeiro de 2010, data em que, pela Lei do Piso, já deveríamos estar recebendo pelo menos o valor mínimo deste piso. Houve na verdade um verdadeiro complô contra os educadores, desde então, envolvendo o Judiciário, o Executivo e o Parlamento.

A aprovação da Lei do Piso já havia sido uma verdadeira novela, como já relatei aqui no blog. Os parlamentares foram tão complacentes que incluíram na lei vários mecanismos que protegiam os governantes e davam tempo de sobra para o ajuste das finanças da União, dos estados e dos municípios.

Aprovada em 2008 com o valor de R$ 950,00 para a jornada de até 40 horas para o profissional do magistério com ensino médio, a lei previa que somente em janeiro de 2010 os entes federados deveriam pagar de forma integral, e como vencimento básico, o tão mísero valor, devidamente reajustado.

Mas, logo em seguida cinco infelizes desgovernadores (SC, MS, RS, CE e PR), com o apoio envergonhado de todos os demais, ingressaram com a famigerada ADI 4167, pedindo a revogação da Lei do Piso. Na prática era isso: pedir para que o piso fosse remuneração total e que não se aplicasse o terço de tempo extraclasse era o mesmo que pedir para anular a lei aprovada pelo Congresso e sansacionada pelo presidente da República.

Imediatamente o STF aceitou a liminar, suspendendo, na prática, a lei do piso. Desde então, nenhum governo praticamente, das cinco mil e poucas prefeituras e dos 27 estados da Federação (incluindo o Distrito Federal), paga o piso do magistério. O que constitui uma vergonha nacional. E mesmo após o julgamento do mérito daquela famigerada ADI, que foi rejeitada e o piso considerado constitucional, ainda assim os governantes continuam nos enrolando e fazendo hora com a nossa cara.

Só para que os nossos leitores entendam como funcionam as coisas. Uma lei aprovada no congresso, como foi o caso da Lei do Piso, mas suspensa por força de algum instrumento judicial (no caso, a ADI 4167), quando é considerada constitucional de forma irrecorrível (na última instância), passa a vigorar desde a data em que se prevê a sua validade inicial. No caso da Lei do Piso, esta data é janeiro de 2010. Claro que o acórdão do STF poderá mudar esta interpretação e mais uma vez servir aos interesses das elites, nos negando os valores retroativos. Mas, a aplicação da lei é imediata após o julgamento do mérito da tal ADI.

De janeiro de 2010 até o presente momento a nossa perda é incalculável. Mesmo porque existem diferentes realidades na categoria em Minas e no Brasil. Aqui em Minas, por exemplo, além das perdas que tivemos na gestão do Faraó, com sua política de Gestão do consfisco, somam-se as enormes perdas pelo não pagamento do nosso piso.

Num cálculo conservador que tentei fazer, encontrei valores na ordem de R$ 5.000,00 apenas para os novatos com curso superior que ingressaram em 2010. Imagine-se o que perderam os colegas que têm 10, 15, 20 ou 30 anos de Casa? Muito provavelmente os prejuízos estariam entre R$ 15.000,00 e 40.000,00 de perda apenas durante este ano e meio de sonegação dos nossos direitos.

E nós sabemos que receber dinheiro em atraso por parte do estado é a coisa mais difícil do mundo. Por isso não podemos permitir que continuem nos enrolando. Não há qualquer justificativa para que os governos não paguem imediatamente o nosso piso e o nosso terço de tempo extraclasse, realizando ainda um reajuste em todas as tabelas das demais carreiras da Educação.

A comunidade precisa urgentemente ser informada de que o governo do estado de Minas, estado que cresce em proporções chinesas - de acordo com o próprio governo -, não paga sequer o mísero piso do MEC aos educadores da rede estadual.

A desculpa esfarrapada por parte do governo, de que aguarda o acórdão é mera ladainha vazia (nestes casos o pleonasmo está liberado!), pretexto para ganhar mais tempo, além do tempo extra que já teve desde 2008, quando a lei foi aprovada, ou desde de 2010, quando o piso deveria ser pago enquanto vencimento básico.

Agora não tem mais qualquer pretexto minimamente aceito. O STF já julgou o mérito da famigerada ADI, já lavrou e publicou ata dando ciência aos interessados, já divulgou no seu site inclusive a Certidão de julgamento, que contém o teor do resultado das reuniões ocorridas nos dias 06 e 27 de abril. Já expediu incluive ofício dando ciência à Presidência da República e ao Congresso Nacional do teor desta Certidão de Julgamento. O governo mineiro já foi cientificado desta decisão pelo sindicato da categoria, não bastasse a ampla divulgação na mídia do julgamento da ADI pelo STF.

Então, o que espera o governo de Minas para nos pagar o piso imediatamente? Será que o governo, subestimando a inteligência dos educadores, espera que a maioria permaneça na lei do subsídio, que praticamente acaba com a lei do piso em Minas, confisca o nosso tempo de serviço, reduz os percentuais de promoção e progressão, confisca as gratificações dos servidores da Educação e praticamente inviabiliza a nossa carreira?

Ora, o governo deve saber que, apesar da blindagem imposta à mídia corporativa (ou porcorativa, como se diz no Blog do Melo), hoje existem outros mecanismos de comunicação mais ágeis e eficientes que atingem rapidamente a milhares de pessoas. A Internet é um desses mecanismos. As pessoas estão se informando cada vez mais sobre seus direitos e sobre as arapucas que os governos armam contra os trabalhadores o tempo todo. Agora que o piso virou vencimento básico, o subsídio é uma dessas arapucas.

Por isso, colegas de luta, vamos reforçar aqui o que queremos e o que faremos para atingir os nossos objetivos: a) o pagamento imediato do piso do magistério (mesmo que seja no seu valor mais conservador, o do MEC: R$ 1.187,00 para 40 horas para o professor com ensino médio); b) o retorno de todos ao antigo regime remuneratório, sem redução salarial; c) a aplicação imediata do terço de tempo extraclasse, podendo ser com o pagamento das aulas de extensão extra que já estão sendo lecionadas de graça pelos professores; d) o reajuste em todas as tabelas das demais carreiras dos educadores, pelos índices de reajuste aplicados aos professores; e) a devolução das gratificações como biênios e quinquênios confiscadas dos educadores a partir de 2003.

Este é o programa mínimo, prioritário, que contempla de imediato a todos os educadores. Mas, é claro que existem outras demandas importantes que cobraremos do governo, a partir da conquista do nosso programa mínimo. Não devemos aceitar nada menos do que isso, já que as nossas perdas são incalculáveis, como mencionei acima. E se o governo decidir atender à plataforma citada estará apenas iniciando um processo de reparação pelas ennnnooorrrmes perdas provocadas na vida dos educadores.

Mas, se o governo não nos atender, não nos resta outra alternativa, senão a greve. Que já deve estar sendo discutida e preparada junto à comunidade escolar. A minha posição inicial era a de que ela devesse começar no dia 31 de maio. Alguns colegas manifestaram aqui no blog preocupações em relação às eleições para diretores, que acontecerão no dia 05 de junho.

Então nós temos duas datas apenas, como limite da nossa tolerância - não me venham com uma terceira data porque nós não vamos nem discutir. Mas, uma coisa também é certa: no dia 31 nós já devemos aprovar a greve por tempo indeterminado, que pode entrar em vigor a partir daquele mesmo dia ou a partir do dia 05. Não tem esse negócio de tirar um novo "indicativo de greve" para o dia 05, não. A greve já seria aprovada pela categoria, claro que desde que a assembleia assim o decida. E, seja no dia 1º de junho (uma quarta-feira) ou no dia 06 de junho (uma segunda-feira), as escolas já amanheceriam fechadas.

E nós, trabalhadores da Educação de Minas, vamos amanhecer nas ruas, nas praças, nas portas de superintendências regionais, fechando rodovias, concentrando-nos na Assembléia Legislativa, no Centro Administrativo, realizando gigantescas passeatas por toda Minas Gerais, a denunciar que o governo mineiro paga salário de fome para os educadores, não cumprindo a Lei do Piso, apesar da receita do estado estar crescendo. É essa a nossa perspectiva, caso a categoria não queira ser enrolada por mais tempo.

Sigamos em frente, camaradas de luta, porque os governos inimigos da Educação e dos de baixo só conhecem a linguagem da greve, da luta! E nós não podemos decepcioná-los!

***

"Anônimo:

Seria bem interessante que no dia 31 a greve fosse votada para iniciar no dia 06, pois assim, os dias que antecedem o dia 6 seriam a nossa última chance para o governo mudar de ideia. Muito difícil? O governo mudar de idéia sim, mas esperar o processo eleitoral terminar , nem tanto. A princípio até relatei aqui o fato de não concordar em esperar. Repensando, termos sim um ganho com as novas mudanças que poderão vir com gestões mais democráticas. Assim espero, pois na escola onde trabalho a direção é a mesma desde 2003. Na minha opinião não deveria ter tido oportunidade para reeleição dessa mesmice e digo mais, candidato a reeleição deveria ficar fora de sala."


"Anônimo:

Deveriam descartar candidatas a diretoras de escolas quem ostentavam a fotinho do Farao.
Agora a partir do 6/6 vão a pendurar a foto de Anastasia e seguir rindo dos trabalhadores?"


"Anônimo - Aimorés:

Prezado Colega, creio que teremos um bom tempo ainda de "cozimento do galo" por parte do governo, considerando que o STF tem 120 dias para a publicação do acórdão da lei do piso. Por isso, deveriamos realmente partir para uma greve de proporções nunca vistas em Minas. Estamos juntos na luta!
Aimorés"


"Anônimo:

Olá Euler,

A greve tem que acontecer, a luta vai prosperar, mais as eleições devem acontecer primeiro, é muita gente que espera por uma nova Equipe Diretiva, com novos olhares, pessoas mais atuantes e participativas com a nossa luta, interessadas em fazer diferente, de buscar novos caminhos...Acredito eu, que com a nova direção os professores estarão mais confiantes e dispostos a lutar pelos seus interesses... Toda mudança é bem vinda, é o começar de novo, e essa faz tempo que estamos esperando... Abraços"


"Jussara - Divinópolis:

Boa noite a todas e todos.
Sempre acompanho o blog.
Acredito que greve tem que iniciar no dia 31 de maio, caso o governo não aponte nada na reunião do dia 30 de maio.
Espero que o sindicato poste no site as informações da reunião já na parte da tarde do dia 30, já que a reunião acontecerá a tarde.
Jussara - Divinópolis"


"Anônimo:

Algumas diretoras poderão até redecorar com uma fotinha do Anastasia a sala dos professores também. Afinal, se ele foi eleito e muitos estão satisfeitos com o subsido, por que não?
De repente até como marca d'água no contracheque!"


"Maria Sintra/Manga-MG:

Para mim, todos os candidatos aos cargos de direção e vice que exercem atualmente a função, deveriam ficar afastados do cargo durante o processo eleitoral . Imagine, o diretor que já exerce o cargo há 8 anos como disse o anônimo, quanta facilidade a seu favor ... Democracia e fiscalização? Existem. Mas o difícil é contar com a justiça e presteza dos ficais da SEE.

Maria Sintra/Manga-MG"


"Ruy Aguiar:

Euler, eu também fiz as contas das perdas salariais e do tamanho do prejuízo que o governo nos proporcionou - Fiquei assustado com as cifras... mas será que o STF vai nos sacanear também e não vai obrigar o governo nos pagar de maneira retroativa? seria muita (mais uma) injustiça com uma classe que pena ao sabor dos desmandos destes governantes. Mudando de assunto, quem vai encarar esse projeto de doido do Anastasia de "Professor da Família"? Ir na casa dos alunos? Ensinar para o pai e para a mãe, para a tia e avó? Cachorro e papagaio?
Só louco....

Ruy Aguiar
"

"Anônimo:

É EULER, O GOVERNADOR ANASTASIA VAI ANUNCIAR AUMENTO DE SALARIO PARA OS POLICIAIS NO DIA 08/DE JUNHO,E NÓS PROFESSORES."

"Anônimo - Caratinga-MG:

Desvalorização...
Sou professor em Caratinga-MG desde 1998 e lembro-me que em 1999 eu trabalhava com 1 cargo completo e ganhava aproximadamente 4 salários mínimos. Hoje sou efetivo em 2 cargos e ganhando os mesmos 4 salários mínimos aproximadamente. Vale ressaltar que em 1999 o SM era R$ 136,00 e em 2011 R$ 545,00, isso dá 400% de aumento no período. E o que é mais absurdo ainda, é que em 1999 eu não tinha nenhuma vantagem e hoje tenho 2 quinquênios e 6 biênios em cada cargo. E Esses caras aumentam os salários deles na maior falta de pudor."


O Blog apoia:

Colegas de luta,

Acabei de ler e assinar este abaixo-assinado online (assinatura número 5.055):

«#dezporcentodopibja»

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=dpcdpj

Caso concorde com este abaixo-assinado, que reivindica 10% do PIB já para a Educação, visite o link abaixo e assine também.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=dpcdpj

Obrigado.


"Irlene Uberlandia:

Querido Euler,
Li um texto do jornalista Correa Neto na internet falando sobre a história dos deputados com a tal ficha-limpa, sei que isto não tem nada a ver com a nossa história do piso, mas o que mais me chamou a atenção nesta reportagem foi que o jornalista mencionou que os políticos que já estavam prontos para esvaziarem suas gavetas, ficaram onde estavam. POrque o STF está demorando em média 1 ano para publicar um acórdão. Quase desmaiei. E sem o acórdão da decisão judicial tal fato não tinha como ter validade. Será que isso acontecerá com a lei do piso também? Jesus, se este Anastasia conseguir nos enrolar mais um ano, estamos perdidos!!! O que vc acha disto? Abraços,"


"Janete:

Seria muito bom chegarmos com uma proposta unificada no dia 31/05. Precisamos esclarecer que a questão do valor do piso e a questão da jornada de 40hs foi um problema de quem fez a lei e de quem não pressionou na época. Mas nem tudo se perdeu! A lei tem lá seus aspectos positivos e devemos nos apegar a ele. Se não tivesse os aspectos positivos os governates não entrariam na justiça contra ela. Eu penso assim!

É saudável as divergências, mas seria ideal chegar com uma proposta unificada na assembleia. Eu estou convencido de que devemos votar para iniciar a greve dia 06/06 e que a pauta seja o programa mínimo apresentado pelo Euler. Se quiser evitar o prolongamento do movimento grevista o governo tem que atender o programa mínimo. E só voltaríamos caso isso acontecer. Uma amiga minha que esteve no último conselho disse que a Beatriz até chorou na hora de fazer uma homenagem ao companheiro Rômulo, que perdeu recentemente sua filha. Dizem que a relação dos dois não é de inimigos, é amigável. Então, numa conversa que tive com ele, o mesmo me convenceu do por que agora exigir do governo estadual o que esta garantido na lei e já partir para uma luta nacional. O dialogo para resolver a dicotomia dos pisos vai de fato existir? Eu acho que a tática da direção do sindicato é a de exigir o piso da CNTE para 24hs já sabendo que o governo vai pagar o que ele interpretar da lei. O único problema são as arapucas e desculpas esfarrapadas que o governo fará, como já nos alertou o Euler.

Janete"


"Anônimo:

Olá Euler;

A notícia que eu tenho é que a grande maioria da nossa categoria irá voltar para a antiga carreira, só aguardando o prazo que o governo apresentou, inclusivo alguns colegas efetivados que não tem mais as gratificações, por afastamento de mais de 300 dias ou porque ingressaram após 2003, já estão conscientes da importância do retorno, pois é o Piso que define anualmente o reajuste baseado no FUNDEB, e nessa nova carreira não temos essa segurança do reajuste, fora a aplicação de 1/3 das horas.

Uma proposta que eu gostaria que fosse considerada é um novo acordo com o governo para adiar mais uma vez o prazo para esse retorno, até que se defina o valor do PISO, evitando alguma dúvida, e a redução do salário. Somente depois que o governo negociasse, definindo os valores de cada nível é que poderia encerrar o prazo desse retorno. Será que o sindute não ingressaria com uma liminar para adiar esse prazo? Evitando assim a redução no salário.

Um abraço!!!"


"Anônimo:

Grande Euler, já indiquei seu blog para muitos colegas, parabéns,está virando referência pelas informações sem demagogia. Estamos prontos para a greve, pois meus colegas estão revoltados, um sentimento está aumentando entre todos,o de que chegou a nossa hora, e até a globo (não sei para que interesse) está apoiando. Vamos a luta, pois a única ação que o anestesia entende é greve e pressão. Abraços companheiro."

"Anônimo:

Euler, vários Estados já estão em greve, não podemos demorar, pelo peso de Minas no cenário nacional. Greve já. Abraços."

"Anônimo:

Euler alguem falou
"Algumas diretoras poderão até redecorar com uma fotinha do Anastasia a sala dos professores também. Afinal, se ele foi eleito e muitos estão satisfeitos com o subsido, por que não?
De repente até como marca d'água no contracheque!"
Creio que melhor seria a foto dessa diretora no papel Personal 30 m"


Comentário sutil do Blog: ou até mesmo numa marca mais barata e vagabundazinha do que essa que você sugere, rsrs.

Comentário geral do Blog: Que rufem os tambores! Dia 31 está chegando e nós nos preparando, seja para o dia 1º ou para o dia 6, como querem muitos. Mas, se do ano 2000 o mundo passou, do dia 31 a nossa decisão não passará. Que rufem os tambores! Avisem a quantos interessados estiverem. Os uniformes de guerra estão sendo retirados do guarda-roupa e esticados ao sol. O aparato de combate devidamente lustrado e preparado. Não sobrará pedra sobre pedra. Tomaremos de assalto as ruas de BH num primeiro momento. Caminharemos pacientemente por cada quadra, ocupando asfalto e passeios, até atingir o Centro, encravando a nossa espada no peito do sistema, que quer nos engolir, nos devorar, mas será antes, destruído. Que preparem as cantigas de guerra, porque a batalha vai começar. Que rufem os tambores! O governante tem até o dia 30 para acenar por uma trégua. Foi ele quem provocou; foi ele quem nos enrolou; foi ele quem prometeu e não cumpriu. Agora deve sentir o peso de milhares, milhões, talvez, a gritar por justiça, por pão, por água, por casa, por sobrevivência digna, que é o que representa o nosso programa mínimo. O piso, o terço de tempo extraclasse, o reajuste para todos, a devolução daquilo que nos tiraram em 2003, são os meios de sobrevivência. Por isso, se no dia 30 o gverno não mudar o discurso de enrolação e avançar para a prática do cumprimento imediato da Lei do Piso, Minas vai parar. Centenas, milhares, milhões de educadores, alunos, pais de alunos vão ocupar as praças e avenidas do estado, a imprimir outra história, em Minas e no Brasil. Que rufem os tambores! As espadas estão sendo afiadas, as bandeiras serão erguidas e no dia 31, com as mãos erguidas para o céu, um grande grito será dado! Restam poucos dias... para a assinatura da trégua, caso o governante cumpra o que manda a lei, ou para a declaração de guerra. Que rufem os tambpres! No dia 31, a nossa marcha vai começar!

"Anônimo:

Euler
Eu pergunto para que entra aqui essa diretora do Farao se está conforme com o subsidio?
Meu amigo pega o IP dela que deve ser do SIN
Fogo no c* dela o dia 31!"


"Geane -
Teófilo Otoni:

Boa noite colegas blogueiros.
Vocês tomaram conhecimento do Oficio Circular SEE/SG nº 13/2011, atendendo a solicitação do SindUTE, quanto aos afastamentos preliminar à aposentadoria e a devolução de recursos financeiros ao Estado, ao optarem pela remuneração antiga?

Então, tomem conhecimento, pois já fora enviado pelos emails das Escolas Estaduais de todo Estado, pelas respectivas Superintendências.

É mais uma das estratégias aterrorizantes desse desgoverno.

Geane,Teófilo Otoni"


"Anônimo:

Oi Euler,encontrei uma notícia no sindpúblicos/mg sobre uma Assembléia Extraordinária que acontecerá dia 28/05/2011 em BH,segundo o que li é sobre promoção por escolaridade.Você tem alguma informação sobre essa assembléia?Deixe notícias no seu blog por favor.Um abraço e tudo de bom!Obrigado!"

"Anônimo:

Euler gostaria que me informasse sobre o seguinte:
Se um professor foi concursado e efetivado para um cargo de 18 horas aulas em escola municipal e depois não houveram as devidas aulas,ficando o professor com apenas 16,ele tem direito de cumprir sua carga horaŕia e receber por ela ou por lei ele deve ficar só com as 16? Me socorre por favor, pois este é o caso de alguns professores em minha cidade, onde o prefeito altera o plano de carreira e acresce artigo que visa a o fracionamento das aulas."


Novo texto do blog a caminho: estou com um novo texto pronto, pessoal da luta. Mas, não quero publicá-lo hoje, dia 26 de maio. Quero guardá-lo para amanhã, ou quem sabe para depois de amanhã. Não se trata de suspense, nem de nenhuma revelação nova, mas do estado de espírito em que me encontro quando escrevo um novo texto. No soar das teclas, deixo escapar o calor do sentimento e da ira, que as vezes pesa. Por isso preciso deixar maturar, por um tempo mínimo que seja, certos textos que escrevo. Este é um deles. O título, vou logo adiantando: "O silêncio ensurdecedor dos governantes brasileiros". O resto... bom, não é bem um resto, mas uma percepção do que eu vejo, do que temos sido vítimas e dos sonhos de mudança. Por isso, no referido texto faço uma pergunta ao final: "o que faremos?", em alusão a este silêncio das elites e dos seus governos que grita alto na nossa cara, a nos humilhar, a nos explorar, a nos diminuir. Não pagam nem o piso do magistério para os educadores... Vão ter que se explicar! Mas, deixemos o desenrolar dessas mal traçadas idéias para quando publicar o texto, na íntegra.


Novo abaixo-assinado: colegas de combate, acabo de receber um e-mail da nossa combativa amiga Graça Aguiar, professora do Rio de Janeiro, nos dando conta de um novo abaixo-assinado, dos educadores de Santa Catarina, exigindo a imediata implantação da Lei do Piso naquele estado. Como todos sabem, os bravos educadores de Santa Catarina estão em greve. Tratei logo de assinar o abaixo-assinado - assinatura número 2008, coincidentemente o ano em que o Piso do Magistério foi aprovado.

Quem desejar expressar a sua solidariedade aos colegas de Santa Catarina poderá visitar o link a seguir e subscrever a petição:

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N10085

O nosso blog, a exemplo do que foi feito por ocasião da votação do terço de tempo extraclasse no STF, pretende organizar um abaixo-assinado dirigido ao governo mineiro com o nosso programa mínimo. Aguardem!


"Anônimo:

Notícias Professores unem esforços e realizam greves por todo o Brasil.

http://www.mundosindical.com.br/sindicalismo/noticias/noticia.asp?id=6216,

É ISTO AI EULER,REPARE BEM NO TITULO "PROFESSORES UNEM ESFORÇOS" DIA 31 É GREVE! NADA DE ESPERAR ELEIÇÃO DE DIREÇÃO NÃO, UMA COISA NÃO TEM NADA A VER COM A OUTRA."

"Joaquim - ITAJUBA:

Euler,
Vôcê viu o site do Sindute hoje? Um absurdo, pois a Dona Beatriz disse no último conselho que ele era atualizado 3vezes por semana e nós sabemos que é mentira,ontem eles postaram um pedido de adiamento da opção, estamos entendendo que eles estão fazendo a política de defesa do subsídio, e a defesa do piso é só para inglês vê.

Penso que a greve só vai sair se ela quiser, pois tem a oposição do lado dela,como também os puxa-saco daqui da nossa subsede. Isso foi visível na greve passada e agora quando vejo troca de amabilidade entre eles, me assusta.

O grupo da Articulação que disputou as eleições, optou pelo silencio e nós estamos aí assistindo as imposições dela, e o discurso panfletários inebriando, a grande parte da categoria despolitizada. Estamos no mato sem cachorro. Portanto esse meu desabafo é pedindo opinião sua como fazer nesta conjuntura? Desfiliar? e depois a quem recorrer? Você não concorda que ela está coliada com o governo? O que acontece pra ela calar a oposição? Cadê o pessoal do PSTU de Urberlândia, Contagem, Juiz de Fora e BH que eram a pedra no sapato das direções anteriores?Por que calaram?
Quero Piso e quero greve para conseguirmos"

"Alessandro - Araguari:

Euler
Eu acho que essa greve teria que ser deflagrada já, não segundo sugestão acima esperar terminar a eleição para Diretor, pois existem muitos Diretores são comprometidos outros nem tanto, o objetivo de alguns diretores e perpetuar no poder, outros para esconderem as suas maracutaias, depois que vi em muitas escolas tem razão de nossa educação está como tá pois muitos professores gostam de viver na opressão de Diretores e não faz o mínimo esforço de mudar, continua sendo massa de manobra de alguns diretores por conveniência ou puxa-saquismo mesmo"

"Anônimo:

Euler,
Parabéns!Seu Blog se tornou o canal de comunicação mais importante entre os educadores mineiros.

Quanto a esperar e exigir mais tempo para retornar ao antigo regime, como disse um colega acima, não seria fazer o jogo do governo?

Pois, se ele tiver que pagar retroativo ao dia do julgamento da ADIN do piso, não terá dívida nenhuma com aqueles que receberam pelo subsídio o mês de abril, maio, junho....
Se todos já tivessem retornado ao regime antigo, o governo já teria quebrado o seu silêncio, já que a dívida com os seus servidores cresceria a cada mês e ele não teria como levar nenhuma vantagem com a espera. Certo?"

"luisinho34:

Cara Irlene de Uberlândia,

Na verdade, não é bem assim a questão de publicação dos acordãos, depende de alguns fatores, entre eles, a agilidade do ministro relator, bem como, infelizmente, questões políticas envolvidas.Tenho pesquisado diariamente na página do STF e tem acordãos que são publicados com menos de 2 meses inclusive.

Abaixo segue endereço p quem quiser acompanhar o andamento da ADI 4167 (A FAMIGERADA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCONALIDADE SOBRE A LEI DO PISO NACIONAL.

www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2645108

TEMOS NA VERDADE QUE CONTINUARMOS NOS MOBILIZANDO, PRESSIONANDO GOVERNOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS E TAMBÉM O FEDERAL PARA AGILIZAR A PUBLICAÇÃO DESTE ACORDÃO, JÁ QUE APESAR DE NÃO SER PRECISO ESPERAR É A DESCULPA DA VEZ UTILIZADA PELO NOSSO "DIGNÍSSIMO GOVERNADOR E TURMA".

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!!!"


Abaixo-assinado dos educadores do Rio de Janeiro: pessoal da luta, vamos apoiar também o abaixo-assinado dos colegas do Rio de Janeiro, tal como acontece com a petição de Santa Catarina. O linlk é:

http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N10457

O blog dá todo apoio e solidariedade aos companheiros do Rio, que, ao que parece, já se preparam também para uma paralisação. A hora de darmos um basta regional e nacional nesses desgovernos é agora!


"Valéria, Ipatinga:

Não podemos fazer o jogo do governo.
Para queo sind-UTE faz nova prorrogação do prazo final para opção entre as formas de remuneração. O sindicato alega que é em função do Governo de Minas Gerais ainda não se pronunciou a respeito destas novas tabelas. O governo faz este jogo. Não é interessante nova prorrogação. Se o sindicato pede prorrogação é por que tem avaliação que o governo não vai se pronunciar até o fim do prazo de 10 de junho. Então a nossa estratégia tem que ser a greve e não trabalhar em cima de mais prorrogações. Dessa forma o que vamos ter de conquista é o adiamento da opção?

Reforço que prorrogação da opção só fortalece o governo, só dá mais prazo para o governo. Se não for apontado nada na reunião do dia 30, segunda-feira, a saída é a greve.
Chega de enrolação SIND-UTE .

Valéria, Ipatinga."



Atenção turma da luta de Vespasiano e São José da Lapa:

ônibus para a assembléia geral do Sind-UTE já devidamente confirmado!

- Local de saída: Praça da Igreja Matriz de Vespasiano, passando em seguida por São José da Lapa e depois pela Linha Verde para o pessoal do Morro Alto.

- Horário de saída: 13h

Vamos organizar a nossa ida em massa para a assembléia do dia 31, terça-feira, pessoal da luta!

Atenção colegas do Renato Azeredo, do Machado de Assis, do Francisco Viana, do Padre José Senabre (já trabalhei nas quatro escolas), do Elias Issa, do Beatriz Maria, do Guilherme Hallais França, do Cesec Caieiras, do Cesec Vila Esportiva, do Nila Faraj, do José Gabriel e do Maria Piedade.

Para confirmar presença no ônibus, ligar para a subsede de Vespasiano e São José (3621-0456) ou para Cláudia Luiza (3621-3735).


"Rômulo:

Assinei o abaixo-assinado dos companheiros de Santa Catarina e já enviei para a minha ainda tímida lista de email o pedido de assinaturas.

Quanto a manifestação virtual pelos 10% do PIB na Educação Já, eu concordo plenamente com a iniciativa, mas como sabem sou um desastre com computadores e nem imagino como fuçar no Twiter. É simples? Ou precisaria de uma oficina?..rsss, mas a propaganda eu tô fazendo.

Excelentes as ponderações feitas pelo companheiro Joaquim de Itajubá. Contudo, são pontos que precisam ser debatidos com tempo e nada contra o espaço virtual, mas entendo que fica melhor debatido pessoalmente. Caso o companheiro se interesse pela prosa, procure-nos na próxima assembleia. Ouviremos atentamente as críticas e procuraremos soluções coletivas, apreciando as sugestões de todos que que querem a luta.

Rômulo"


"Marcos:

Caros Colegas,

Acho que deveríamos fazer nosso próprio abaixo assinado em defesa da aplicação do Piso.
Primeiro para mostrar ao governo a nossa insatisfação e em segundo para mostrar à direção do Sind-UTE que, estão contra os professores de Mg, que também podemos lutar mesmo contra a vontade deles."


Pessoal da luta:

Já havia mencionado aqui sobre o abaixo-assinado, que o nosso combativo colega Marcos acaba de reforçar no seu comentário acima.

Rabisquei uma introdução para este abaixo-assinado, que ficou mais ou menos assim:

"Ao governo de Minas Gerais: pague o piso e deixe de enrolação!

Sr. Governador de Minas Gerais:

Durante os últimos anos de gestão, o Governo Aécio Neves (faraó), com a sua participação, cortou direitos e conquistas históricas dos educadores de Minas Gerais, como os biênios e quinquênios. Além disso, manteve os nossos salários achatados, através do tal "choque de gestão", que nada mais foi do que um choque de confisco dos nossos salários para sobrar mais dinheiro para empreiteiras e agentes das altas esferas de poder.

Finalmente, em 2010 o seu governo impôs uma Lei do Subsídio, que confisca todas as gratificações e o tempo de serviço dos educadores, reduz percentuais de promoção e progressão e elimina a possibilidade de avanços na carreira dos educadores.


A partir do dia 06 de abril de 2011, o STF julgou e rejeitou a ADI 4167 impetrada por cinco infelizes desgovernadores. A Lei do Piso do Magistério, desde então, foi considerada CONSTITUCIONAL, devendo estados e municípios cumpri-la na sua plenitude. Pagando o piso salarial como vencimento básico e aplicando a jornada de um terço de tempo extraclasse.

É inadmissível que o estado de Minas, que está entre os três mais ricos do país, e que vem crescendo em proporções chinesas, segundo o próprio governo, tenha a cara de pau de não cumprir a lei e não pagar o piso do magistério, como vem acontecendo.

Por isso, nós, educadores de Minas, exigimos:

- o pagamento imediato do piso do magistério;
- a não redução salarial daqueles que optarem pelo antigo regime remuneratório;
- a aplicação do terço de tempo extraclasse na jornada dos professores;
- o reajuste salarial para todas as carreiras da Educação de acordo com o reajuste dos professores;
- a devolução das gratificações confiscadas dos educadores mineiros em 2003.

Caso não sejam atendidas as reivindicações indicadas, os profissionais da Educação têm o legítimo e constitucional direito de cruzarem os braços em decisão que será apreciada na assembléia da categoria no dia 31 de maio. Esta paralisação pode ser evitada, caso o seu governo, sr. Anastasia, resolva cumprir a lei e atender as demandas prioritárias que constam acima. Do contrário, Minas vai parar.

Assinam:..."

O que vocês acharam?


Pessoal da luta, impaciente do jeito que ando ultimamente, já tomei a iniciativa de postar o abaixo-assinado, que está no seguinte endereço:

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N10480

Leiam, divulguem e assinem, se concordarem.


"S.O.S. Educação Pública:

Caro Euler

Na minha modesta opinião o texto do abaixo-assinado está perfeito, é só colocar o link que eu quero assinar, pois entendo que a questão da valorização do docente e uma educação pública de qualidade, é uma questão nacional. Essa é a hora de nos unirmos e mostrar para a sociedade e para os dirigentes a nossa indignação!

De norte a sul do país os problemas e o descaso são os mesmos. Essa é uma luta nacional.

Apoio e defendo a adesão em massa à paralisação do dia 31 maio!

Grande abraço

Graça Aguiar"


"geane- Teófilo Otoni:

Boa tarde incansáveis colegas da luta!!
No inicio dessa semana, um colega postou o trecho do artigo “37” inciso XV da Constituição brasileira, que fala sobre a impossibilidade de reduções salariais de servidores ocupantes de cargos públicos, por quaisquer mudanças dentro da questão legal. Estava pensando, pelo seu desconhecimento do conteúdo, se não seria interessante fazer essa leitura ao nosso governo no dia 31 próximo? Dá-se a entender,
a) ele realmente acredita estar lidando com tolos;
b) o Governo de Minas se considera realmente blindado, acima até mesmo da própria Constituição federal, como vem demonstrando há décadas.

Eu não encontrei nenhuma abertura na Lei do subsidio, que fala que optar pela forma de remuneração antiga significa retroceder ao valor da remuneração antiga.Estou errada?
Ou vamos barrar de vez a ousadia e os desmandos desse desgoverno, ou desacreditar no poder da luta e conseqüentemente, na legitimidade da vontade da maioria.

Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:

... XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; " (Constituição Federal)

Geane - Teófilo Otoni"


31 comentários:

  1. Seria bem interessante que no dia 31 a greve fosse votada para iniciar no dia 06, pois assim, os dias que antecedem o dia 6 seriam a nossa última chance para o governo mudar de ideia. Muito difícil? O governo mudar de idéia sim, mas esperar o processo eleitoral terminar , nem tanto. A princípio até relatei aqui o fato de não concordar em esperar. Repensando, termos sim um ganho com as novas mudanças que poderão vir com gestões mais democráticas. Assim espero, pois na escola onde trabalho a direção é a mesma desde 2003. Na minha opinião não deveria ter tido oportunidade para reeleição dessa mesmice e digo mais, candidato a reeleição deveria ficar fora de sala.

    ResponderExcluir
  2. Deveriam descartar candidatas a diretoras de escolas quem ostentavam a fotinho do Farao.
    Agora a partir do 6/6 vão a pendurar a foto de Anastasia e seguir rindo dos trabalhadores?

    ResponderExcluir
  3. Euler, eu também fiz as contas das perdas salariais e do tamanho do prejuízo que o governo nos proporcionou - Fiquei assustado com as cifras... mas será que o STF vai nos sacanear também e não vai obrigar o governo nos pagar de maneira retroativa? seria muita (mais uma) injustiça com uma classe que pena ao sabor dos desmandos destes governantes. Mudando de assunto, quem vai encarar esse projeto de doido do Anastasia de "Professor da Família"? Ir na casa dos alunos? Ensinar para o pai e para a mãe, para a tia e avó? Cachorro e papagaio?
    Só louco....
    Ruy Aguiar

    ResponderExcluir
  4. Olá Euler,

    A greve tem que acontecer, a luta vai prosperar, mais as eleições devem acontecer primeiro, é muita gente que espera por uma nova Equipe Diretiva, com novos olhares, pessoas mais atuantes e participativas com a nossa luta, interessadas em fazer diferente, de buscar novos caminhos...Acredito eu, que com a nova direção os professores estarão mais confiantes e dispostos a lutar pelos seus interesses... Toda mudança é bem vinda, é o começar de novo, e essa faz tempo que estamos esperando... Abraços

    ResponderExcluir
  5. É EULER, O GOVERNADOR ANASTASIA VAI ANUNCIAR AUMENTO DE SALARIO PARA OS POLICIAIS NO DIA 08/DE JUNHO,E NÓS PROFESSORES.

    ResponderExcluir
  6. Boa noite a todas e todos.
    Sempre acompanho o blog.
    Acredito que greve tem que iniciar no dia 31 de maio, caso o governo não aponte nada na reunião do dia 30 de maio.
    Espero que o sindicato poste no site as informações da reunião já na parte da tarde do dia 30, já que a reunião acontecerá a tarde.
    Jussara - Divinópolis

    ResponderExcluir
  7. Desvalorização...
    Sou professor em Caratinga-MG desde 1998 e lembro-me que em 1999 eu trabalhava com 1 cargo completo e ganhava aproximadamente 4 salários mínimos. Hoje sou efetivo em 2 cargos e ganhando os mesmos 4 salários mínimos aproximadamente. Vale ressaltar que em 1999 o SM era R$ 136,00 e em 2011 R$ 545,00, isso dá 400% de aumento no período. E o que é mais absurdo ainda, é que em 1999 eu não tinha nenhuma vantagem e hoje tenho 2 quinquênios e 6 biênios em cada cargo. E Esses caras aumentam os salários deles na maior falta de pudor.

    ResponderExcluir
  8. Para mim, todos os candidatos aos cargos de direção e vice que exercem atualmente a função, deveriam ficar afastados do cargo durante o processo eleitoral . Imagine, o diretor que já exerce o cargo há 8 anos como disse o anônimo, quanta facilidade a seu favor ... Democracia e fiscalização? Existem. Mas o difícil é contar com a justiça e presteza dos ficais da SEE.
    Maria Sintra/Manga-MG

    ResponderExcluir
  9. Algumas diretoras poderão até redecorar com uma fotinha do Anastasia a sala dos professores também. Afinal, se ele foi eleito e muitos estão satisfeitos com o subsido, por que não?
    De repente até como marca d'água no contracheque!

    ResponderExcluir
  10. Prezado Colega, creio que teremos um bom tempo ainda de "cozimento do galo" por parte do governo, considerando que o STF tem 120 dias para a publicação do acórdão da lei do piso. Por isso, deveriamos realmente partir para uma greve de proporções nunca vistas em Minas. Estamos juntos na luta!
    Aimorés

    ResponderExcluir
  11. Irlene Uberlandia26 de maio de 2011 11:21

    Querido Euler,
    Li um texto do jornalista Correa Neto na internet falando sobre a história dos deputados com a tal ficha-limpa, sei que isto não tem nada a ver com a nossa história do piso, mas o que mais me chamou a atenção nesta reportagem foi que o jornalista mencionou que os políticos que já estavam prontos para esvaziarem suas gavetas, ficaram onde estavam. POrque o STF está demorando em média 1 ano para publicar um acórdão. Quase desmaei. E sem o acórdão da decisão judicial tal fato não tinha como ter validade. Será que isso acontecerá com a lei do piso também? Jesus, se este Anastasia conseguir nos enrolar mais um ano, estamos perdidos!!! O que vc acha disto? Abraços,

    ResponderExcluir
  12. Seria muito bom chegarmos com uma proposta unificada no dia 31/05. Precisamos esclarecer que a questão do valor do piso e a questão da jornada de 40hs foi um problema de quem fez a lei e de quem não pressionou na época. Mas nem tudo se perdeu! A lei tem lá seus aspectos positivos e devemos nos apegar a ele. Se não tivesse os aspectos positivos os governates não entrariam na justiça contra ela. Eu penso assim!
    É saudável as divergências, mas seria ideal chegar com uma proposta unificada na assembleia. Eu estou convencido de que devemos votar para iniciar a greve dia 06/06 e que a pauta seja o programa mínimo apresentado pelo Euler. Se quiser evitar o prolongamento do movimento grevista o governo tem que atender o programa mínimo. E só voltaríamos caso isso acontecer. Uma amiga minha que esteve no último conselho disse que a Beatriz até chorou na hora de fazer uma homenagem ao companheiro Rômulo, que perdeu recentemente sua filha. Dizem que a relação dos dois não é de inimigos, é amigável. Então, numa conversa que tive com ele, o mesmo me convenceu do por que agora exigir do governo estadual o que esta garantido na lei e já partir para uma luta nacional. O dialogo para resolver a dicotomia dos pisos vai de fato existir? Eu acho que a tática da direção do sindicato é a de exigir o piso da CNTE para 24hs já sabendo que o governo vai pagar o que ele interpretar da lei. O único problema são as arapucas e desculpas esfarrapadas que o governo fará, como já nos alertou o Euler.

    Janete

    ResponderExcluir
  13. Olá Euler;

    A notícia que eu tenho é que a grande maioria da nossa categoria irá voltar para a antiga carreira, só aguardando o prazo que o governo apresentou, inclusivo alguns colegas efetivados que não tem mis as gratificações, por afastamento de mais de 300 dias ou porque ingressaram após 2003, já estão conscientes da importância do retorno, pois é o Piso que define anualmente o reajuste baseado no FUNDEB, e nessa nova carreira não temos essa segurança do reajuste, fora a apicação de 1/3 das horas.
    Uma proposta que eu gostaria que fosse considerada é um novo acordo com o governo para adiar mais uma vez o prazo para esse retorno, até que se defina o valor do PISO, evitando alguma dúvida, e a redução do salário. Somente depois que o governo negociasse, definindo os valores de cada nível é que poderia encerrar o prazo desse retorno. Será que o sindute não ingressaria com uma liminar para adiar esse prazo? Evitando assim a redução no salário.

    Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  14. Grande Euler, já indiquei seu blog para muitos colegas, parabéns,está virando referência pelas informações sem demagogia. Estamos prontos para a greve, pois meus colegas estão revoltados, um sentimento está aumentando entre todos,o de que chegou a nossa hora, e até a globo( não sei para que interesse)está apoiando.vamos a luta, pois a única ação que o anestesia entende é greve e pressão. Abraços companheiro.

    ResponderExcluir
  15. Euler, vários Estados já estão em greve, não podemos demorar, pelo peso de Minas no cenário nacional. Greve já. Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Euler alguem falou
    "Algumas diretoras poderão até redecorar com uma fotinha do Anastasia a sala dos professores também. Afinal, se ele foi eleito e muitos estão satisfeitos com o subsido, por que não?
    De repente até como marca d'água no contracheque!"
    Creio que melhor seria a foto dessa diretora no papel Personal 30 m

    ResponderExcluir
  17. Euler
    Eu pergunto para que entra aqui essa diretora do Farao se está conforme com o subsidio?
    Meu amigo pega o IP dela que deve ser do SIN
    Fogo no cu dela o dia 31!

    ResponderExcluir
  18. Boa noite colegas blogueiros.
    Vocês tomaram conhecimento do Oficio Circular SEE/SG nº 13/2011,atendendo a solicitação do SindUTE,quanto aos afastamentos preliminar à aposentadoria e a devolução de recursos financeiros ao Estado, ao optarem pela remuneração antiga?
    Então, tomem conhecimento, pois já fora enviado pelos emails das Escolas Estaduais de todo Estado, pelas respectivas Superintendências.
    É a mais uma das estratégias aterrorizantes desse desgoverno.
    Geane,Teófilo Otoni

    ResponderExcluir
  19. Euler gostaria que me informasse sobre o seguinte:
    Se um professor foi concursado e efetivado para um cargo de 18 horas aulas em escola municipal e depois não houveram as devidas aulas,ficando o professor com apenas 16,ele tem direito de cumprir sua carga horaŕia e receber por ela ou por lei ele deve ficar só com as 16? Me socorre por favor, pois este é o caso de alguns professores em minha cidade, onde o prefeito altera o plano de carreira e acresce artigo que visa a o fracionamento das aulas.

    ResponderExcluir
  20. Oi Euler,encontrei uma notícia no sindpúblicos/mg sobre uma Assembléia Extraordinária que acontecerá dia 28/05/2011 em BH,segundo o que li é sobre promoção por escolaridade.Você tem alguma informação sobre essa assembléia?Deixe notícias no seu blog por favor.Um abraço e tudo de bom!Obrigado!

    ResponderExcluir
  21. Notícias Professores unem esforços e realizam greves por todo o Brasil.

    http://www.mundosindical.com.br/sindicalismo/noticias/noticia.asp?id=6216,

    É ISTO AI EULER,REPARE BEM NO TITULO "PROFESSORES UNEM ESFORÇOS" DIA 31 É GREVE! NADA DE ESPERAR ELEIÇÃO DE DIREÇÃO NÃO, UMA COISA NÃO TEM NADA A VER COM A OUTRA.

    ResponderExcluir
  22. Euler,
    Parabéns!Seu Blog se tornou o canal de comunicação mais importante entre os educadores mineiros.
    Quanto a esperar e exigir mais tempo para retornar ao antigo regime, como disse um colega acima, não seria fazer o jogo do governo?
    Pois, se ele tiver que pagar retroativo ao dia do julgamento da ADIN do piso, não terá dívida nenhuma com aqueles que receberam pelo subsídio o mês de abril, maio, junho....
    Se todos já tivessem retornado ao regime antigo, o governo já teria quebrado o seu silêncio, já que a dívida com os seus servidores cresceria a cada mês e ele não teria como levar nenhuma vantagem com a espera. Certo?

    ResponderExcluir
  23. Joaquim - ITAJUBA27 de maio de 2011 09:26

    Euler,
    Vôcê viu o site do Sindute hoje? Um absurdo, pois a Dona Beatriz disse no último conselho que ele era atualizado 3vezes por semana e nós sabemos que é mentira,ontem eles postaram um pedido de adiamento da opção, estamos entendendo que eles estão fazendo a política de defesa do subsídio, e a defesa do piso é só para inglês vê.
    Penso que a greve só vai sair se ela quiser, pois tem a oposição do lado dela,como também os puxa-saco daqui da nossa subsede. Isso foi visível na greve passada e agora quando vejo troca de amabilidade entre eles, me assusta.
    O grupo da Articulação que disputou as eleições, optou pelo silencio e nós estamos aí assistindo as imposições dela, e o discurso panfletários inebriando, a grande parte da categoria despolitizada. Estamos no mato sem cachorro. Portanto esse meu desabafo é pedindo opinião sua como fazer nesta conjuntura? Desfiliar? e depois a quem recorrer? Você não concorda que ela está coliada com o governo? O que acontece pra ela calar a oposição? Cadê o pessoal do PSTU de Urberlândia, Contagem, Juiz de Fora e BH que eram a pedra no sapato das direções anteriores?Por que calaram?
    Quero Piso e quero greve para conseguirmos.

    ResponderExcluir
  24. Alessandro - Araguari27 de maio de 2011 10:38

    Euler
    Eu acho que essa greve teria que ser deflagrada já, não segundo sugestão acima esperar terminar a eleição para Diretor, pois existem muitos Diretores são comprometidos outros nem tanto, o objetivo de alguns diretores e perpetuar no poder, outros para esconderem as suas maracutaias, depois que vi em muitas escolas tem razão de nossa educação está como tá pois muitos professores gostam de viver na opressão de Diretores e não faz o mínimo esforço de mudar, continua sendo massa de manobra de alguns diretores por conveniência ou puxa-saquismo mesmo

    ResponderExcluir
  25. Cara Irlene de Uberlândia,

    Na verdade, não é bem assim a questão de publicação dos acordãos, depende de alguns fatores, entre eles, a agilidade do ministro relator, bem como, infelizmente, questões políticas envolvidas.Tenho pesquisado diariamente na página do STF e tem acordãos que são publicados com menos de 2 meses inclusive.
    Abaixo segue endereço p quem quiser acompanhar o andamento da ADI 4167(A FAMIGERADA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCONALIDADE SOBRE A LEI DO PISO NACIONAL.
    www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=2645108

    TEMOS NA VERDADE QUE CONTINUARMOS NOS MOBILIZANDO, PRESSIONANDO GOVERNOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS E TAMBÉM O FEDERAL PARA AGILIZAR A PUBLICAÇÃO DESTE ACORDÃO, JÁ QUE APESAR DE NÃO SER PRECISO ESPERAR É A DESCULPA DA VEZ UTILIZADA PELO NOSSO "DIGNÍSSIMO GOVERNADOR E TURMA".

    UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!!!

    ResponderExcluir
  26. Não podemos fazer o jogo do governo.
    Para queo sind-UTE faz nova prorrogação do prazo final para opção entre as formas de remuneração. O sindicato alega que é em função do Governo de Minas Gerais ainda não se pronunciou a respeito destas novas tabelas. O governo faz este jogo. Não é interessante nova prorrogação. Se o sindicato pede prorrogação é por que tem avaliação que o governo não vai se pronunciar até o fim do prazo de 10 de junho. Então a nossa estratégia tem que ser a greve e não trabalhar em cima de mais prorrogações. Dessa forma o que vamos ter de conquista é o adiamento da opção?
    Reforço que prorrogação da opção só fortalece o governo, só dá mais prazo para o governo. Se não for apontado nada na reunião do dia 30, segunda-feira, a saída é a greve.
    Chega de enrolação SIND-UTE .
    Valéria, Ipatinga.

    ResponderExcluir
  27. Assinei o abaixo-assinado dos companheiros de Santa Catarina e já enviei para a minha ainda tímida lista de email o pedido de assinaturas.

    Quanto a manifestação virtual pelos 10% do PIB na Educação Já, eu concordo plenamente com a iniciativa, mas como sabem sou um desastre com computadores e nem imagino como fuçar no Twiter. É simples? Ou precisaria de uma oficina?..rsss, mas a propaganda eu tô fazendo.

    Excelentes as ponderações feitas pelo companheiro Joaquim de Itajubá. Contudo, são pontos que precisam ser debatidos com tempo e nada contra o espaço virtual, mas entendo que fica melhor debatido pessoalmente. Caso o companheiro se interesse pela prosa, procure-nos na próxima assembleia. Ouviremos atentamente as críticas e procuramemos soluções coletivas, apreciando as sugestões de todos que que querem a luta.

    Rômulo

    ResponderExcluir
  28. Caros Colegas,

    Acho que deveríamos fazer nosso próprio abaixo assinado em defesa da aplicação do Piso.
    Primeiro para mostrar ao governo a nossa insatisfação e em segundo para mostrar à direção do Sind-UTE que, estão contra os professores de Mg, que também podemos lutar mesmo contra a vontade deles.

    ResponderExcluir
  29. Caro Euler

    Na minha modesta opinião o texto do abaixo-assinado está perfeito, é só colocar o link que eu quero assinar, pois entendo que a questão da valorização do docente e uma educação pública de qualidade, é uma questão nacional. Essa é a hora de nos unirmos e mostrar para a sociedade e para os dirigentes a nossa indignação!

    De norte a sul do país os problemas e o descaso são os mesmos. Essa é uma luta nacional.

    Apoio e defendo a adesão em massa à paralisação do dia 31 maio!

    Grande abraço

    Graça Aguiar

    ResponderExcluir
  30. geane- Teófilo Otoni27 de maio de 2011 14:27

    Boa tarde incansáveis colegas da luta!!
    No inicio dessa semana, um colega postou o trecho do artigo “37” inciso XV da Constituição brasileira, que fala sobre a impossibilidade de reduções salariais de servidores ocupantes de cargos públicos, por quaisquer mudanças dentro da questão legal.Estava pensando, pelo seu desconhecimento do conteúdo, se não seria interessante fazer essa leitura ao nosso governo no dia 31 próximo?Dá-se a entender,
    a)ele realmente acredita estar lidando com tolos;
    b)o Governo de Minas se considera realmente blindado, a cima até mesmo da própria Constituição federa,l como vem demonstrando à décadas.
    Eu não encontrei nenhuma abertura na Lei do subsidio, que fala que optar pela forma de remuneração antiga significa retroceder ao valor da remuneração antiga.Estou errada?
    Ou vamos barrar de vez a ousadia e os desmandos desse desgoverno, ou desacreditar no poder da luta e conseqüentemente, na legitimidade da vontade da maioria.


    Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:

    ... XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; " (Constituição Federal)
    Geane - Teófilo Otoni

    ResponderExcluir
  31. ACHO VÁLIDO TER GREVE POR TEMPO INDETERMINADO ESTOU NESTA LUTA TBM SO SINTO MUITO PELOS COLEGAS QUE ACOVARDARÃO MAIS RESPEITO O DIREITO DE CADA UM E NÃO IREMOS RECUAR PQ NÓS SOMOS MAIS QUE VENCEDORES

    ResponderExcluir