domingo, 29 de maio de 2011

Lei do subsídio confiscou quase uma Cidade Administrativa e meia dos educadores de Minas



Lei do subsídio confiscou quase uma Cidade Administrativa e meia dos educadores de Minas

Para escapar da Lei do Piso, aqui em Minas Gerais o governo criou a Lei do Subsídio, que representou um confisco de 2,5 bilhões de reais para os educadores - o equivalente, portanto, a quase uma e meia Cidade Administrativa, que teria custado algo próximo de R$ 2 bilhões.

Essa informação pode ser confirmada pelas próprias declarações do governo, que em 2008, ao fazer os cálculos do custo da implantação do piso do magistério em Minas, dizia que o impacto seria na ordem de R$ 3,1 bilhões (clique aqui para ler a nota oficial do governo, por sugestão de um dos nossos visitantes). Isso quando o piso estava em R$ 950,00 para a jornada de 40 horas para o professor com ensino médio. Agora que o piso salarial, de acordo com o MEC, é de R$ 1.187,00 - portanto, 24,94% a mais - o custo da implantação deste piso em Minas, seguindo a lógica do governo, teria que ser atualizado para R$ 3,87 bilhões.

Contudo, para escapar deste necessário e obrigatório investimento, o governo criou a Lei do Subsídio. Com a implantação da Lei do Subsídio o governo de Minas gastará, em 2011, apenas R$ 1,3 bilhão, quase um terço, portanto, do que é obrigado a gastar para implantar o piso no antigo regime remuneratório, formado por vencimento básico e gratificações.

Mas, os confiscos na área da Educação não param por aí. Em 2003 o governo confiscou gratificações como biênios e quinquênios de todos os educadores que ingressaram na carreira a partir daquele ano - e que hoje são a maioria dos profissionais da Educação.

A implantação do subsídio representou uma jogada do governo milimetricamente calculada para atingir vários objetivos ao mesmo tempo. O primeiro deles foi a incorporação nominal dos valores pagos pelas gratificações ao salário, acabando com estas gratificações e vantagens para todos os servidores da Educação. O segundo objetivo foi o de reduzir os percentuais de promoção e progressão nas tabelas salariais dos educadores, que com o subsídio caem para 10% e 2,5%, respectivamente, contra os 22% e 3% do antigo regime remuneratório. Por último, o governo confiscou o tempo de serviço de praticamente todos os servidores, que foram posicionados no grau inicial da tabela do subsídio.

Mas, o subsídio teve um outro fundamento central, como parte dessas mudanças estruturais na carreira: o de livrar o governo mineiro de cumprir a Lei do Piso aprovada em 2008 e que deveria entrar em vigor de forma integral a partir de janeiro de 2010. Por esta lei, o piso é considerado vencimento básico, sobre o qual devem incidir as gratificações e vantagens conseguidas pelos educadores ao longo dos anos. Como o subsídio incorporou todas as gratificações e transformou o salário em parcela única, o governo se livra de ter que aplicar o piso, já que o valor deste é bem rebaixado.

Isso explica porque o governo evita falar da Lei do Piso e porque no site da SEE-MG o governo tenta convencer a categoria de que o subsídio é mais vantajoso do que o antigo regime remuneratório. O que não se demonstra na prática, conforme já explicamos em outros posts aqui no blog. Para os mais antigos na carreira, as perdas no subsídio são incalculáveis. E para os novatos, embora o valor nominal inicial nos dois sistemas se aproximem, a curto e médio prazo o antigo regime é imensamente mais vantajoso do que o subsídio.

Para tentar obrigar os servidores a permanecerem no subsídio o governo concedeu reajustes variados, com índice mais elevado para os novatos, que hoje são a maioria da categoria. E criou um artigo inconstitucional na Lei do Subsídio, que prevê redução salarial para aqueles que optarem pelo antigo regime remuneratório. Ou seja, você pode voltar livremente para o antigo regime remuneratório, mas será castigado com a redução (inconstitucional) do seu salário nominal.

Apesar disso, a mobilização criada a partir deste blog e da iniciativa de outros colegas, e que foi posteriormente assumida pelo sindicato, acabou produzindo uma reviravolta nos planos do governo. Filas de pessoas nas superintendências demonstravam que a categoria, na sua maioria, voltaria para o antigo regime remuneratório. Para conter essa "sangria" imprevista, tratou o governo de prorrogar o prazo de opção de carreira. Com isso, o governo tenta ganhar tempo e convencer as pessoas de que o subsídio é a melhor opção, e que os novos servidores já entrarão obrigatoriamente neste novo sistema.

Se já tivesse aplicado as novas tabelas, baseadas na Lei do Piso, que foi considerado constitucional de forma integral pelo STF nos dias 06 e 27 de abril de 2011, a categoria já teria uma visão clara das vantagens do antigo regime remuneratório em relação ao subsídio. E o nosso blog já demonstrou que os reajustes previstos para o piso em 2012 tornarão o sistema antigo ainda mais vantajoso, coisa que não se pode dizer em relação ao subsídio. Por isso, o governo vem protelando o pagamento do piso, sob a desculpa de que aguarda a publicação do Acórdão do STF. Ora, o Acórdão do STF, relatando o resultado do julgamento que aconteceu nos dias 06 e 27 de abril - já amplamente conhecido por todos -, não é mais importante do que a própria Lei do Piso, aprovada pelo Congresso, sancionada pelo presidente e considerada constitucional pelo STF.

Diante dessa realidade, que já é do conhecimento público, não resta outra alternativa ao governo mineiro senão deixar de enrolação e pagar o piso do magistério que manda a lei, além do terço de tempo extraclasse, reajustando ao mesmo tempo as tabelas de todos os educadores. O governo mineiro, dado aos prejuízos já causados aos educadores, tem a obrigação moral também de devolver as gratificações confiscadas em 2003 para uma parcela dos educadores. Que na reunião do dia 30 de maio a direção sindical e o governo se entendam sobre estas questões e evitem assim a paralisação total da categoria.

Da parte dos bravos educadores de Minas Gerais, que realizaram a história greve de 47 dias - a nossa maravilhosa revolta-greve de 2010, que balançou este estado - cabe agora decidir, na assembleia do dia 31 de maio, pela greve geral por tempo indeterminado. O governo tem uma última oportunidade para impedir este movimento, caso atenda as nossas reivindicações. Do contrário, não nos restará outra alternativa a não ser a paralisação total, seguida de grandes manifestações de rua, para que a comunidade mineira tome conhecimento da real situação da Educação pública em Minas e dos vergonhosos salários pagos pelo governo aos educadores.

Uma Cidade Administrativa e meia foi confiscada dos bolsos dos educadores mineiros... Isso nós não podemos aceitar mais!

***

"Rafael - GV:

Além da Greve, deveríamos conclamar todos os nossos colegas para entregar já, sem mais delongas o requerimento para o retorno ao ARR. Temos que bancar o preço de nossas lutas. Pessoas já aposentadas informam que já receberam o contracheque com o pagamento retornando ao ARR e não há redução de remuneração (mesmo que houvesse está na hora de realizarmos atos políticos que mostram um caráter de independência das posturas do Governo).

Além do abaixo assinado para o Governo, o blog poderia promover mais um para o STF (Se o problema é o acórdão, deveríamos lembrar a suas excelências, os meritíssimos ministros que seus burocratas parece que guardaram suas decisões que já são públicas debaixo de um calhamaço qualquer e que milhões de professores estão aguardando uma posição oficial para que os des-governadores, prefeitos e o escambal tomem nota do óbvio e ululante...)
Sei que é redundância, mas parabéns pela iniciativa..."


"Anônimo:

Oi Euler,bom dia e vamos torcer que tenhamos boas notícias.Lendo hoje o seu blog sobre o que diz da cidade administrativa, só quero acrescentar que o ordinário governador está despachando lá na cidade vergonhosa em meio a pilhas de material de construção para a reforma das rachaduras e isso fica em torno de bilhões,então de onde tirar?Do nosso bolso,porque do aumento que vai sair para PM jamais e a nós ele achava que já estávamos acostumados a aceitar as manobras sujas dele e dos demais companheiros,mas creio que desta vez ele já está vendo que a classe não está engolindo as manobras sujas dele não.Fé em Deus e força na luta!"


"Anônimo - Januária:

Ola, combativo colega de luta Januária também esta conectado no seu blog e vamos aluta nós unidos somos imbatível. JÁ ESTA CLARO QUE SÓ VENCEREMOS UNIDOS, ENTÃO VAMOS NOS UNIR. Sabemos companheiros de luta que seremos castigado, mas a nossa estoria é essa, porque não ser castigado mais uma vez e sabermos que a vitória é certa. QUEM SABE FAZ HORA, a hora é essa. Vamos juntos que o Brasil e o mundo vai conhecer o poder desta palavra. UNIÃO"

"Anônimo:

Bom dia Euler,
entrei no portal do servidor para olhar se o governo me voltou para o antigo piso remuneratório, opção que fiz no dia 29 de abril e ainda continuo la, reposicionada no subsídio."


"Eduardo BH:

Euler,

O S de subsídio significa, subtraír nossas vantagens acumuladas durante toda a carreira.Como você mesmo disse o governo faz tanta propaganda do subsídio, qual será o motivo ? Vamos acordar pessoal o Anastasia fez o subsídio porque sabia que teria que pagar o piso.

Quem não quiser ter o seu salário corrigido anualmente pela lei do piso, fique no subídio, agora aqueles que estão cansados de serem desrespeitados vamos nos unir em torno da volta ao vencimento básico."


"Nilza - Governador Valadares:

Admiro seu trabalho e fineza por nos deixar informados sobre todas as manobras radicais desse governo hipócrita e medíocre, que tenta de rodas as formas ludibriar o professor. Tem somente uma coisa a fazermos, nos juntarmos à essa luta que é justa e nobre. Será que o senhor governador nunca teve professor? Nunca foi a escola? Não sabe como é estar em uma sala de aula? Será que ele conseguiria sobreviver com o nosso salário? São questões que ele deveria parar e pensar, você não acha? Mas pra ele é mais cômodo e lucrativo afanar nossa classe, do que tirar de seus peixes. Estamos paralisando amanhã e não me importo de deixar minha aposentadoria para mais tarde por essa luta. Depois de julho poderei entrar com os papéis do processo de aposentadoria, mas já começo desde já meu trabalho em prol de nossa classe. Já enviei o link de seu Blog para todos os professores que conheço. Estou buscando mais para ampliar cada vez mais o número de funcionários que precisam ler e estar informados do que acontece e você para para nós. Parabéns pelo trabalho de divulgação que está fazendo para nós. Nilza . Governador Valadares."


"Anônimo:

Bom dia Euler, veja o e-mail da APPMG
APPMG INFORMA - Maio/2011

ORIENTAÇÕES PARA OPÇÃO DE REMUNERAÇÃO

1- Olhar o contracheque de Dezembro de 2010, que é a base para o subsídio. Todas as vantagens deste contracheque foram somadas e corrigidas no mínimo de 5% e no máximo de 70% para o pagamento pelo subsídio.

2- PARA FAZER A OPÇÃO:

Verifique o total das vantagens do contracheque de Dezembro de 2010 e subtraia do valor do subsídio do contracheque de Janeiro de 2011, veja o que foi benéfico para você.

No subsídio não tirou nenhuma vantagem, apenas somou.
Lembramos que esta opção é pessoal, pois cada caso é um caso.

3- Quanto ao Piso Nacional do professor é de R$1187,00 para jornada de 40 horas, em Minas Gerais a carga horária do professor é de 24 horas.

R$1187,00 (Piso Nacional) ÷ 40horas (Jornada) x 24horas (Jornada de MG) = R$712,20 e o menor salário do professor em Minas Gerais com nível médio é de R$1122,00 para 24 horas. O menor salário para professor com licenciatura plena é R$1320,00 para 24 horas.

4- A partir de 10 de junho de 2011, os servidores da Educação terão 60 dias para optar pelo modelo de remuneração, Minas Gerais de 28/05/2011, página 06 capa.

5- No Minas Gerais de 28/05/2011, publicou o posicionamento de servidores da educação, páginas:33 a 109."


"Anônimo:

Colegas educadores, vamos fazer uma corrente pela públicação do acórdão, enviem esse e-mail para o gabminjoaquim@stf.jus.br

Excelentíssimo Ministro Joaquim Barbosa,

Os trabalhadores em educação do Estado de Minas Gerais, assim como os educadores dos demais Estados brasileiros, solicitam a imediata publicação do acórdão do julgamento da ADIN 4167 . Sabemos dos trâmites legais do judiciários, mas os profissionais da educação aguardam desde 2008 para receber de forma digna um Piso Salarial, que é fundamental para toda categoria!

Infelizmente, alguns governadores, entre eles o de Minas Gerais, alegam que é necessário que se publique o acórdão para iniciar o pagamento do PISO. O nosso entendimento é que não há necessidade de se esperar o acórdão, mas sim vontade e responsabilidade política para fazer valer a Lei 11.738/2008.

Dessa forma, enquanto seguem as negociações entre o governo de Minas e o nosso Sindicato (Sind-UTE), temos a certeza do vosso empenho para que elas aconteçam de forma profícua para todos.

Atenciosamente,

EDUCADORES DE MINAS GERAIS"


"Carmem:

A professora Amanda Gurgel estará na assembléia dos trabalhadores dia 31 de maio.
Carmem Ramos"


"Anônimo:

euler não sei se a noticia é veridica. Uma professora diz ter ouvido na rádio itatiaia que o governador de MG só irá se pronunciar sobre o Piso Salarial depois que terminar os prazos para o retorno a carreira antiga. Se for verdade está aí a explicação para mais essa prorrogação."

"Anônimo:

Hoje pela manhã teve reuinão do Sindicato com o governo. Bem que o sind-UTE poderia ser ágil nas informações e publicar hoje ainda no site o resultado da reunião.
Mas, infelizmente, agilidade não é o com o sindicato."


"Anônimo:

a pagina do sindute alem de não trazer noticia alguma das reuniões, inclusive a de hoje, ainda esta fora do ar."

"Anônimo:

Oi, pessoal! Alguém já tem notícias da reunião do Sind Ute e SEE agendada para hoje , às 9:00? Estou por demais curiosa...Ah! Recebi também o e-mail da APPMG, que poderia perfeitamente ter ficado sem circular."

"Everaldo M. Sá - Virgem da Lapa:

EM MARCHA

Amigo Euler:
Apesar de ultimamente não ter postado nenhum comentário, estive aqui, acessando esse nosso blog uma duas, varias vezes por dia, acompanhando suas sempre sensatas e bem pensadas considerações e os comentários dos colegas demonstrando o nível de mobilização que a nossa classe conquistou.
Hoje (ao contrário do governo de Minas, rss) resolvi sair do silêncio pois é um dia especial, quando me preparo mais uma vez para percorrer os setecentos quilômetros que separam a cidade de Virgem da Lapa da capital das Minas Gerais. Estarei embarcando daqui a pouco (as 16 Horas) para a cidade de Aracuaí, de onde um ônibus sairá as 18 horas com destino a BH, depois de 13 ou 14 horas de viagem estaremos aí, para que amanhã as 14 horas, possamos unir nossas forças para confrontar com as forças malignas do neoliberalismo.
Com a confiança e a coragem de quem persegue a justiça estaremos aí para unir os quatro cantos de Minas numa só voz, num só grito num só clamor. O clamor de um trabalhador, cuja matéria prima é o sonho, aquele que todos os dias cultiva a esperança de um futuro mais digno e mais justo.

Everaldo - Professor de História/Geografia"


"Anônimo:

CHEGA A SER EMOCIONANTE LER O COMENTÁRIO DO COLEGA EVERALDO DE VIRGEM DA LAPA. QUANDO A PESSOA SABE RECONHECER SEU VALOR ELA É CAPAZ DE ATITUDES E AÇÕES QUE ARRASTAM ADMIRADORES, ASSIM COMO VOCÊ TAMBÉM EULER, E É MUITO BOM SABER QUE EM NOSSA CLASSE COMPARTILHAMOS IDEIAS E OPINIÕES QUE EM MUITO NOS HONRAM, APESAR DO GOVERNO NÃO SE RENDER (POR ENQUANTO) SÃO EXEMPLOS ASSIM QUE NOS MOTIVAM A SEGUIR NA LUTA,CONFIANTES NA VITORIA. QUE DEUS NOS PROTEJA."

"Anônimo:

Boa tarde,
Já está no site do governo a informação de mais uma rodada de negociação com o sindicato. O problema é que no site do sindicato nada.

O governo fala que é a 5º rodada de negociações. O grande problema é que só tem conversa, proposta que é bom, nada.
Parece que vamos ter greve mesmo amanhã.
Então vamos a luta"


"Anônimo:

Boa noite !
Acabei de acessar a página do sindute, e nela já está mostrando os resultados da reunião de hojecom a SEE. Pelo que parece teremos greve amanhã, pois o governo diz que paga além do piso, pura balela .
Desta vez o site do sindute foi mais ágil com informações repassadas em um intervalo de tempo menor e com mais clareza sobre o piso salarial.
Esse avanço se deve a esse blog que vem contribuindo muito para a unificação dessa categoria tão sofrida e injustiçada .
Vamos à luta !!"


"GOVERNO DO ESTADO NÃO APRESENTA PROPOSTA SALARIAL

Em reunião realizada hoje (30/05), entre o Sind-UTE/MG e a Secretaria de Estado da Educação, não foi apresentada nenhuma proposta para viabilizar o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), de acordo com a Lei 11.738/08. O Governo também não apresentou a minuta de edital do concurso, alegando que está em fase final. A informação é de que ainda esta semana será encaminhada a minuta ao Sindicato.

O governo estadual apresentou sua versão para o Piso Salarial. De acordo com a Secretaria de Educação, o governo já paga o Piso através do subsídio.

A Comissão de Negociação do Sind-UTE/MG refutou esta interpretação. Resgatou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que votou a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.167, estabelecendo exatamente o contrário da interpretação da Secretaria de Educação de Minas Gerais, ou seja, o Piso Salarial é composto apenas do vencimento básico, excluídas quaisquer vantagens e gratificações. O subsídio, ao contrário do Piso Salarial, é composto de toda a remuneração do profissional da educação. Portanto, subsídio não é Piso Salarial.

O Sind-UTE/MG deixou claro, ao final da reunião, que a posição do Governo do Estado pode desencadear uma nova greve por tempo indeterminado, uma vez que aguardamos por quase dois meses para que o Governo negociasse o Piso Salarial, o que não ocorreu.

A categoria avaliará esta reunião no Conselho Geral e Assembleia Estadual, que serão realizadas amanhã, dia 31 de maio.

(Fonte: Sind-UTE - http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=1759)"


Comentário do Blog: Está mais do que evidente que o governo não quer pagar o piso, quer nos enrolar e usa este artifício de que já paga o piso através do subsídio. Diante disso, não nos resta outra alternativa senão arrancar, na luta, os nossos direitos. À greve, já, camaradas de luta!

Amanhã, dia 31 de maio, é dia de retomarmos em novo patamar de organização e unidade a mobilização que resultou na nossa maravilhosa revolta-greve de 47 dias. Só que desta vez não vamos suspender a paralisação sem antes alcançar os nossos objetivos. O governo teve tempo de sobra para repensar a sua conduta e atender as nossas reivindicações. Mas, prefere continuar nos tratando com pouco respeito, pagando salários miseráveis para os educadores, enquanto a receita do estado cresce ano após ano.

Já nos confiscaram as gratificações, nos impuseram, com a Lei do Subsídio, o confisco de uma Cidade Administrativa e meia e agora querem nos enrolar para não pagar o piso. Não vamos aceitar isso! É hora de nos unirmos para a luta!

Amanhã, dia 31, na assembléia, com a presença da professora Amanda Gurgel, da coordenadora do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, do combativo João Martinho, do bravo camarada Rômulo, do combativo Everaldo Sá - que viaja 13 horas de ônibus desde Virgem da Lapa até BH -, e de mais centenas de valentes educadores, entre os quais você, combativo educador que lê este texto neste momento, estaremos todos lá para levantar as mãos em favor da GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO! Minas vai experimentar novamente a força da unidade e organização dos educadores!

"luisinho34:

Aí galera.

O governo realmente está pedindo para entrarmos em greve mesmo.

Olhem o que estava no site do SINDUTE agora de tarde: "GOVERNO DO ESTADO NÃO APRESENTA PROPOSTA SALARIAL

Em reunião realizada hoje (30/05), entre o Sind-UTE/MG e a Secretaria de Estado da Educação, não foi apresentada nenhuma proposta para viabilizar o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), de acordo com a Lei 11.738/08. O Governo também não apresentou a minuta de edital do concurso, alegando que está em fase final. A informação é de que ainda esta semana será encaminhada a minuta ao Sindicato.

O governo estadual apresentou sua versão para o Piso Salarial. De acordo com a Secretaria de Educação, o governo já paga o Piso através do subsídio.

A Comissão de Negociação do Sind-UTE/MG refutou esta interpretação. Resgatou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que votou a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.167, estabelecendo exatamente o contrário da interpretação da Secretaria de Educação de Minas Gerais, ou seja, o Piso Salarial é composto apenas do vencimento básico, excluídas quaisquer vantagens e gratificações. O subsídio, ao contrário do Piso Salarial, é composto de toda a remuneração do profissional da educação. Portanto, subsídio não é Piso Salarial.

O Sind-UTE/MG deixou claro, ao final da reunião, que a posição do Governo do Estado pode desencadear uma nova greve por tempo indeterminado, uma vez que aguardamos por quase dois meses para que o Governo negociasse o Piso Salarial, o que não ocorreu.

A categoria avaliará esta reunião no Conselho Geral e Assembleia Estadual, que serão realizadas amanhã, dia 31 de maio".

VAMOS À LUTA!!! CHEGOU A NOSSA HORA!!!

UM GRANDE ABRAÇO,

LUISINHO/LAFAIETE"

"Geraldo:

Caro companheiro de luta: com enorme prazer tenho acessado seu blog pra inteirar-me das notícias sobre nossa luta pela implantação do piso salarial e vejo, com enorme tristeza e vergonha, a posição assumida pelo governo, na pessoa do "mandatário maior" e de seus asseclas. A posição da "secretária" afirmando ser o subsídio o piso salarial da categoria e dizendo ser o estado cumpridor de tal meta é uma ofensa a inteligência do educador, mais lógico e até mais aceitável seria mentir dizendo não ter o estado condições de cumprir tal decisão da justiça. Nossa categoria não suporta mais tanta enrolação e tanto descaso. Espero que nosso sindicato tome uma posição realmente dura, mostrando aos falsos donos desse estado que o magistério não vai se curvar e exigirá o cumprimento integral as decisões do STF. Vamos a luta.
Geraldo"

"João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Penso que além do instituto da greve deveríamos também fazer uma campanha junto ao Ministério Público Federal. Pois o Ministério Público zela pelo cumprimento das leis. Se o governo de Minas demorar a nos pagar, era melhor que procurássemos o MPF. Fica a sugestão, aberta aos juízos de valor dos prezados colegas, não só de Minas como de outros Estados.

Saudações, João Paulo Ferreira de Assis."

"Anônimo:

PARABÉNS EULER! DESDE QUE FUI INFORMADA DESSE BLOG ESTIVE E TENHO PRAZER DE SEGUI-LO E ACOMPANHAR TODO ESSE TRABALHO DIGNO DE CORAGEM E GARRA. MESMO NÃO TRABALHANDO NESSA ÁREA, SOFRO JUNTO COM OS EDUCADORES (PRINCIPALMENTE OS DE MG) PELA FALTA DE RESPEITO PARA COM OS MESMO, ACOMPANHO SEMPRE AS NOTÍCIAS DO SINDUTE, SEE CNTE ECT. É UMA VERGONHA TUDO QUE LEMOS E COMPARAMOS. MAIS CREIO QUE DEUS EM PRIMEIRO LUGAR ESTÁ DO SEUS LADO E DARÁ ESSA VITÓRIA COM TODA CERTEZA E PARA FINALIZAR,ACABEI DE ESPALHAR SEU BLOG NO MEU TWITTER, FACEBOOK, ORKUT ONDE TENHO AMIGOS INTERNAUTAS EM OUTROS PAISES QUE FICARÁ A PARTE DESSE DESCASO COM OS SERVIDORES EM EDUCAÇÃO EM NOSSO ESTADO (MG) ESTAREI AQUI ORANDO POR TODOS PELO AMANHÃ 31/05 E SEMPRE,QUE A PROTEÇÃO DIVINA VOS PROTEJAM. ABRAÇO E MAS FORÇA NESSA LUTA.
"

"Anônimo:

Pelo Piso, professores ocupam Palácio do governo na Paraíba
30-05-2011

Após realizarem assembleia geral na manhã desta segunda-feira, no auditório do Lyceu Paraibano, os professores da rede estadual de ensino da Paraíba resolveram se dirigir até o Palácio da Redenção em busca de uma audiência com o governador Ricardo Coutinho (PSB).

A multidão chegou até a frente da Casa Civil e teve que ser contida por policiais militares. Cerca de 300 pessoas ocuparam o palácio com carros de som e apitaço. Alguns estudantes, diretores de escolas e funcionários que apóiam a greve, também participaram da ocupação. A revolta dos docentes se deve ao corte de ponto e por não terem sido recebidos por algum membro da administração estadual. Um dos diretores afirmou que o governo retirou do ar o acesso via site aos contra-cheques

Durante a assembleia, muitos professores mostraram que receberam os contracheques zerados e em forma de protesto decidiram rasgar o documento. A Assembléia reuniu cerca de 500 professores que decidiram manter a greve que já dura quatro semanas.

Sindicato reclama - O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Paraíba (Sintep), Antônio Arruda, contestou as informações dadas pelo secretário de Educação do Estado. Ele declarou que o Governo quer enganar a população ao dizer que paga mais que o piso nacional:

- Ele está querendo enganar a população. Ele apenas pegou nossas gratificações e incorporou ao vencimento. Mudou o nome. Onde a gente poderia ter vantagens, no caso de um professor que adoece e tinha direito ao recebimento da GED, perdemos, porque a gratificação só será paga para quem está em sala de aula. Mentira tem perna curta.

O secretário não disse que o aposentado vai ter direito a bolsa de 230, que foi a única coisa que aumentou. o secretário fez uma bagunça no PCCR porque coloca docentes com vencimentos diferenciados.

Quanto ao corte de ponto, a frequencia usada para o contracheque é do mês de abril, quando não fizemos um dia de greve e não deveríamos ter recebido qualquer desconto.

Fonte: Com informações do PB Agora, 30/05/2011"

"Anônimo:

Euler

Boa Noite

Agradeço por nos manter informado(a)s, dos acontecimentos da categoria, aqui na nossa Escola em Itabira, sugiro a todos que leiam seu blog para se mater informado. Quanto ao sindicato???"

"Mônica Barcelos - Itabira:

Euler...

Tão logo chegue da Assembléia por favor, conte com detalhes, não dá para eu estar de corpo presente, mas fico com seu blog aberto o dia inteiro. Acredito em mudança, se houver unidade, e a sociedade se sentir incomodada.

Mônica Barcelos - Itabira"

"Anônimo Itajubá:

EULER, AQUI EM ITAJUBA SO ESTAMOS ESPERANDO A DECISÃO DE BH PARA INICIARMOS A GREVE."

"
Anônimo:

Oi Euler, desejo boa viagem e bom encontro amanhã e espero ansiosa por notícias. Não estarei presente porque não teremos condução daqui da região dos inconfidentes, pelo menos não tive notícias. Mas estarei presente em oração e articulando com meus colegas de trabalho que estão em cima do muro. Que estão com receio da greve por causa do sindute que tem demonstrado descaso. ESTOU NA LUTA. Um grande abraço."

"Linder:


Caro Euler e Companheiros!

Como estamos observando o governo esta marcando várias audiências de negociações com o nosso sindicato, além de não valorizar, nem respeitar nossa classe, ele esta nos tratando como massa de manobra. Eu acho que ele quer continuar com tais negociações até o ano 2014, quando terminar este mandato!!! Precisamos mostrar a nossa força com uma greve jamais vista. Se não contamos com o apoio da Imprensa façamos como na Rev. Francesa - vamos ocupar todas as esquinas das Minas Gerais e panfletar, nos ônibus, nas estradas, estádios, blogs, comunidade escolar, mostrando as façanhas do governo com a Educação, as proezas do Faraó, Rádios, MPE, vamos para a verdadeira Midia - As RUAS!!! NÃO HÁ NADA PIOR PARA UM POLÍTICO DASAVISADO DO QUE AS MANIFESTAÇÕES POPULARES.Vamos lá Companheiros.

Linder
"

"Paulo:


O COLEGA JOÃO PAULO FERREIRA DE ASSIS FOI DIRETO AO PONTO: DEVEMOS DENUNCIAR O GOVERNO DE MINAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO !!!!! "

"Anônimo:

Euler, aqui em Montes Claros estamos prontos para a greve, força companheiros, chegou a nossa hora."


"Luciano História:

O Governo mostrou que não quer negociar mesmo,sempre achei que ele não iria acabar( pelo menos não tão fácil) com o subsídio mas sinceramente eu até achei e ele poderia tentar fazer uma proposta de pelo menos pagar o salário inicial do subsídio o valor total do piso 1187,00( com os míseros 10% e 2,5% de promoção e progressão), com isso ele poderia dar aumento anual para os professores com a alegação que estaria cumprindo uma lei federal sem precisar aumentar o salário das demais categorias, mas como o governo tem um total descaso com os educadores nem essa proposta que já seria indecente ele foi capaz de fazer.Como o governo não fez nenhuma proposta e nem falou quando irá pagar a carreira antiga de acordo com o piso devemos exigir que a lei seja cumprida , temos que está preparados para todas artimanhas do governo,inclusive analisar detalhadamente a lei do piso é fundamental por parte de toda a categoria.Não existe momento melhor para a mobilização pois diferentemente de antes temos uma lei federal que legitima nosso movimento e as nossas reivindicações.Euler, meu amigo virtual, ficou famoso em colega, está recebendo tantos comentários que não está dando conta de responder todos.Um grande abraço, estarei aguardando seus comentários de amanhã."


"Joaquim - Itajubá:

Oi Euler, me desculpe usar o seu blog para responder as colegas Andreia de Contagem e Betania de Juiz de Fora. Essa direção está aí não foi escolha da maioria dos filiados pois houve fraudes, e foram comprovadas que ela não foi eleita, o problema é a chapa 1 não entrou na justiça por corvadia preferiu calar-se. E a Betania ela está reclamando de quê, pois o CONLUTAS, tinha todo espaço em 2010 na greve e não reivindicou participação na comissão. A Beatriz é personalista e antidemocrática sim, sabe fazer discurso panfletario. o restante da direção nem sabe por que estão lá que não apita em nada, a não ser o grupo de apoiadores de Rogério Correia, Temos sim que questioná-los mas temos que ter coerencia."


"M. Itajubense:

Boa noite, Euler e amigos
Já imprimi e preenchi o requerimento para voltar ao antigo regime. No entanto, estou com um problema: Não sei como fazer para enviar esse requerimento, pois estou fora de meu domicilio e tão cedo não tenho condições de ir até la.
Você poderia me orientar?

Inclusive quero transferir meu domicilio para cá e aqui me informaram que só posso fazer isso indo até DRE do meu domicilio de origem. É certo isso?
Estou aposentada ha 17 anos.
Um abraço

M. Itajubense"


33 comentários:

  1. Além da Greve, deveríamos conclamar todos os nossos colegas para entregar já, sem mais delongas o requerimento para o retorno ao ARR. Temos que bancar o preço de nossas lutas. Pessoas já aposentadas informam que já receberam o contracheque com o pagamento retornando ao ARR e não há redução de remuneração (mesmo que houvesse está na hora de realizarmos atos políticos que mostram um caráter de independência das posturas do Governo).
    Além do abaixo assinado para o Governo, o blog poderia promover mais um para o STF (Se o problema é o acórdão, deveríamos lembrar a suas excelências, os meritíssimos ministros que seus burocratas parece que guardaram suas decisões que já são públicas debaixo de um calhamaço qualquer e que milhões de professores estão aguardando uma posição oficial para que os des-governadores, prefeitos e o escambal tomem nota do óbvio e ululante...)
    Sei que é redundância, mas parabéns pela iniciativa...

    ResponderExcluir
  2. Oi Euler,bom dia e vamos torcer que tenhamos boas notícias.Lendo hoje o seu blog sobre o que diz da cidade administrativa, só quero acrescentar que o ordinário governador está despachando lá na cidade vergonhosa em meio a pilhas de material de construção para a reforma das rachaduras e isso fica em torno de bilhões,então de onde tirar?Do nosso bolso,porque do aumento que vai sair para PM jamais e a nós ele achava que já estávamos acostumados a aceitar as manobras sujas dele e dos demais companheiros,mas creio que desta vez ele já está vendo que a classe não está engolindo as manobras sujas dele não.Fé em Deus e força na luta!

    ResponderExcluir
  3. Ola, combativo colega de luta januária tambem esta conectado no seu blog e vamos aluta nós unidos somos imbativel. JÁ ESTA CLARO QUE SÓ VENCEREMOS UNIDOS, ENTÃO VAMOS NOS UNIR.Sabemos companheiros de luta que seremos gastigado, mas há nossa estoria é essa, porque não ser castigado mais uma vez e sabermos que a vitória é certa. QUEM SABE FAZ HORA, a hora é essa. Vamos juntos que o Brasil e o mundo vai conhecer o poder desta palavra. UNIÃO.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Euler,
    entrei no portal do servidor para olhar se o governo me voltou para o antigo piso remuneratorio, opção que fiz no dia 29 de abril e ainda continuo la, reposicionada no subsídio.

    ResponderExcluir
  5. Euler,

    O S de subsídio significa, subtraír nossas vantagens acumuladas durante toda a carreira.Como você mesmo disse o governo faz tanta propaganda do subsídio, qual será o motivo ? Vamos acordar pessoal o Anastasia fez o subsídio porque sabia que teria que pagar o piso.

    Quem não quiser ter o seu salário corrigido anualmente pela lei do piso, fique no subídio, agora aqueles que estão cansados de serem desrespeitados vamos nos unir em torno da volta ao vencimento básico.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Euler, veja o e-mail da APPMG
    APPMG INFORMA
    Maio/2011

    ORIENTAÇÕES PARA OPÇÃO DE REMUNERAÇÃO


    1- Olhar o contracheque de Dezembro de 2010, que é a base para o subsídio. Todas as vantagens deste contracheque foram somadas e corrigidas no mínimo de 5% e no máximo de 70% para o pagamento pelo subsídio.

    2- PARA FAZER A OPÇÃO:

    Verifique o total das vantagens do contracheque de Dezembro de 2010 e subtraia do valor do subsídio do contracheque de Janeiro de 2011, veja o que foi benéfico para você.

    No subsídio não tirou nenhuma vantagem, apenas somou.
    Lembramos que esta opção é pessoal, pois cada caso é um caso.

    3- Quanto ao Piso Nacional do professor é de R$1187,00 para jornada de 40 horas, em Minas Gerais a carga horária do professor é de 24 horas.

    R$1187,00 (Piso Nacional) ÷ 40horas (Jornada) x 24horas (Jornada de MG) = R$712,20 e o menor salário do professor em Minas Gerais com nível médio é de R$1122,00 para 24 horas. O menor salário para professor com licenciatura plena é R$1320,00 para 24 horas.

    4- A partir de 10 de junho de 2011, os servidores da Educação terão 60 dias para optar pelo modelo de remuneração, Minas Gerais de 28/05/2011, página 06 capa.

    5- No Minas Gerais de 28/05/2011, publicou o posicionamento de servidores da educação, páginas:33 a 109.

    ResponderExcluir
  7. Colegas educadores, vamos fazer uma corrente pela públicação do acórdão, enviem esse e-mail para o gabminjoaquim@stf.jus.br




    Excelentíssimo Ministro Joaquim Barbosa,



    Os trabalhadores em educação do Estado de Minas Gerais, assim como os educadores dos demais Estados brasileiros, solicitam a imediata publicação do acórdão do julgamento da ADIN 4167 . Sabemos dos trâmites legais do judiciários, mas os profissionais da educação aguardam desde 2008 para receber de forma digna um Piso Salarial, que é fundamental para toda categoria!

    Infelizmente, alguns governadores, entre eles o de Minas Gerais, alegam que é necessário que se publique o acórdão para iniciar o pagamento do PISO. O nosso entendimento é que não há necessidade de se esperar o acórdão, mas sim vontade e responsabilidade política para fazer valer a Lei 11.738/2008.

    Dessa forma, enquanto seguem as negociações entre o governo de Minas e o nosso Sindicato( Sind-UTE), temos a certeza do vosso empenho para que elas aconteçam de forma profícua para todos.

    Atenciosamente,

    EDUCADORES DE MINAS GERAIS

    ResponderExcluir
  8. Admiro seu trabalho e fineza por nos deixar informados sobre todas as manobras radicais desse governo hipócrita e medíocre, que tenta de rodas as formas dilubriar o professor . Tem somente uma coisa a fazermos , nos juntarmos à essa luta que é justa e nobre. Será que o senhor governador nunca teve professor? Nunca foi a escola? Não sabe como é estar em uma sala de aula?será que ele conseguiria sobreviver com o nosso salário?São questões que ele deveria parar e pensar , você não acha? Mas pra ele é mais cômodo e lucrativo afanar nossa classe, do que tirar de seus peixes .Estamos paralisando amanhã e não me importo de deixar minha aposentadoria para mais tarde por essa luta . depois de julho poderei entrar com os papéis do processo de aposentadoria, mas já começo desde já meu trabalho em prol de nossa classe. já enviei o link de seu Blog para todos os professores que conheço. Estou buscando mais para ampliar cada vez mais o número de funcionários que precisam ler e estar informados do que acontece e você para para nós. Parabéns pelo trabalho de divulgação que esta fazendo para nós. Nilza . Governador Valadares.

    ResponderExcluir
  9. euler não sei se a noticia é veridica. Uma professora diz ter ouvido na rádio itatiaia que o governador de MG só irá se pronunciar sobre o Piso Salarial depois que terminar os prazos para o retorno a carreira antiga. Se for verdade está aí a explicação para mais essa prorrogação.

    ResponderExcluir
  10. Oi, pessoal! Alguém já tem notícias da reunião do Sind Ute e SEE agendada para hoje , às 9:00? Estou por demais curiosa...Ah! Recebi também o e-mail da APPMG, que poderia perfeitamente ter ficado sem circular.

    ResponderExcluir
  11. EM MARCHA

    Amigo Euler:
    Apesar de ultimamente não ter postado nenhum comentário, estive aqui, acessando esse nosso blog uma duas, varias vezes por dia, acompanhando suas sempre sensatas e bem pensadas considerações e os comentarios dos colegas demonstrando o nível de mobilização que a nossa classe conquistou.
    Hoje (ao contrário do governo de Minas, rss) resolvi sair do silêncio pois é um dia especial, quando me preparo mais uma vez para percorrer os setecentos quilômetros que separam a cidade de Virgem da Lapa da capital das Minas Gerais. Estarei embarcando daqui a pouco (as 16 Horas) para a cidade de Aracuaí, de onde um ônibus sairá as 18 horas com destino a BH, depois de 13 ou 14 horas de viagem estaremos aí, para que amanhã as 14 horas, possamos unir nossas forças para confrontar com as forças malígnas do neoliberalismo.
    Com a confiança e a coragem de quem persegue a justiça estaremos aí para unir os quatro cantos de Minas numa só voz, num só grito num só clamor. O clamor de um trabalhador, cuja matéria prima é o sonho, aquele que todos os dias cultiva a esperança de um futuro mais digno e mais justo.

    Everaldo - Professor de História/Geografia

    ResponderExcluir
  12. a pagina do sindute alem de não trazer noticia alguma das reuniões, inclusive a de hoje, ainda esta fora do ar.

    ResponderExcluir
  13. Hoje pela manhã teve reuinão do Sindicato com o governo. Bem que o sind-UTE poderia ser ágil nas informações e publicar hoje ainda no site o resultado da reunião.
    Mas, infelizmente, agilidade não é o com o sindicato.

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde,
    Já está no site do governo a infomração de mais uma rodada de negociação com o sindicato. O problema é que no site do sindicato nada.
    O governo fla que é a 5º rodada de negociações. O grande problema é que só tem conversa, proposta que é bom, nada.
    Parece que vamos ter greve mesmo amanhã.
    Então vamos a luta.

    ResponderExcluir
  15. CHEGA A SER EMOCIONANTE LER O COMENTARIO DO COLEGA EVERALDO DE VIRGEM DA LAPA.QUANDO A PESSOA SABE RECONHECER SEU VALOR ELA E CAPAZ DE ATITUDES E AÇOES QUE ARRASTAM ADMIRADORES,ASSIM COMO VOCE TAMBEM EULER,E E MUITO BOM SABER QUE EM NOSSA CLASSE COMPARTILHAMOS IDEIAS E OPINIOES QUE EM MUITO NOS HONRAM ,APESAR DO GOVERNO NAO SE RENDER(POR ENQUANTO)SAO EXEMPLOS ASSIM QUE NOS MOTIVAM A SEGUIR NA LUTA,CONFIANTES NA VITORIA.QUE DEUS NOS PROTEJA .

    ResponderExcluir
  16. Boa noite !
    Acabei de acessar a página do sindute, e nela já está mostrando os resultados da reunião de hojecom a SEE. Pelo que parece teremos greve amanhã, pois o governo diz que paga além do piso, pura balela .
    Desta vez o site do sindute foi mais ágil com informações repassadas em um intervalo de tempo menor e com mais clareza sobre o piso salarial.
    Esse avanço se deve a esse blog que vem contribuindo muito para a unificação dessa categoria tão sofrida e injustiçada .
    Vamos à luta !!

    ResponderExcluir
  17. Aí galera.

    O governo realmente está pedindo para entrarmos em greve mesmo.
    Olhem o que estava no site do SINDUTE agora de tarde: " GOVERNO DO ESTADO NÃO APRESENTA PROPOSTA SALARIAL

    Em reunião realizada hoje (30/05), entre o Sind-UTE/MG e a Secretaria de Estado da Educação, não foi apresentada nenhuma proposta para viabilizar o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), de acordo com a Lei 11.738/08. O Governo também não apresentou a minuta de edital do concurso, alegando que está em fase final. A informação é de que ainda esta semana será encaminhada a minuta ao Sindicato.

    O governo estadual apresentou sua versão para o Piso Salarial. De acordo com a Secretaria de Educação, o governo já paga o Piso através do subsídio.

    A Comissão de Negociação do Sind-UTE/MG refutou esta interpretação. Resgatou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que votou a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.167, estabelecendo exatamente o contrário da interpretação da Secretaria de Educação de Minas Gerais, ou seja, o Piso Salarial é composto apenas do vencimento básico, excluídas quaisquer vantagens e gratificações. O subsídio, ao contrário do Piso Salarial, é composto de toda a remuneração do profissional da educação. Portanto, subsídio não é Piso Salarial.

    O Sind-UTE/MG deixou claro, ao final da reunião, que a posição do Governo do Estado pode desencadear uma nova greve por tempo indeterminado, uma vez que aguardamos por quase dois meses para que o Governo negociasse o Piso Salarial, o que não ocorreu.

    A categoria avaliará esta reunião no Conselho Geral e Assembleia Estadual, que serão realizadas amanhã, dia 31 de maio".

    VAMOS À LUTA!!! CHEGOU A NOSSA HORA!!!

    UM GRANDE ABRAÇO,

    LUISINHO/LAFAIETE

    ResponderExcluir
  18. Caro companheiro de luta: com enomrme prazer tenho acssado seu blog pra inteirar-me das notícias sobre nossa luta pela implantação do piso salarial e vejo, com enorme tristeza e vergonha, a posição assumida pelo governo, na pessoa do "mandatário maior" e de seus asseclas. A posição da "secretária" afirmando ser o subsídio o piso salarial da categoria e dizendo ser o estado cumpridor de tal meta é uma ofensa a inteligência do educador, mais lógico e até mais aceitável seria mentir dizendo não ter o estado condições de cumprir tal decisão da justiça.Nossa categoria não suporta mais tanta enrolação e tanto descaso. Espero que nosso sindicato tome uma posição realmente dura, mostrando aos falsos donos desse estado que o magistério não vai se curvar e exigirá o cumprimento integral as decisões do STF. Vamos a luta.
    Geraldo

    ResponderExcluir
  19. João Paulo Ferreira de Assis30 de maio de 2011 19:38

    Prezado amigo Professor Euler

    Penso que além do instituto da greve deveríamos também fazer uma campanha junto ao Ministério Público Federal. Pois o Ministério Público zela pelo cumprimento das leis. Se o governo de Minas demorar a nos pagar, era melhor que procurássemos o MPF. Fica a sugestão, aberta aos juízos de valor dos prezados colegas, não só de Minas como de outros Estados.

    Saudações, João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  20. PARABÉNS EULER!DESDE QUE FUI INFORMADA DESSE BLOG ESTIVE E TENHO PRAZER DE SEGUI-LO E ACOMPANHAR TODO ESSE TRABALHO DIGNO DE CORAGEM E GARRA.MESMO NÃO TRABALHANDO NESSA ÁREA,SOFRO JUNTO COM OS EDUCADORES(PRINCIPALMENTE OS DE MG)PELA FALTA DE RESPEITO PARA COM OS MESMO,ACOMPANHO SEMPRE AS NOTÍCIAS DO SINDUTE,SEE CNTE ECT.É UMA VERGONHA TUDO QUE LEMOS E COMPARAMOS.MAIS CREIO QUE DEUS EM PRIMEIRO LUGAR ESTÁ DO SEUS LADO E DARÁ ESSA VITÓRIA COM TODA CERTEZA E PARA FINALIZAR,ACABEI DE ESPALHAR SEU BLOG NO MEU TWITTER,FACEBOOK,ORKUT ONDE TENHO AMIGOS INTERNAUTAS EM OUTROS PAISES QUE FICARÁ A PARTE DESSE DESCASO COM OS SERVIDORES EM EDUCAÇÃO EM NOSSO ESTADO (MG)ESTAREI AQUI ORANDO POR TODOS PELO AMANHÃ31/05 E SEMPRE,QUE A PROTEÇÃO DIVINA VOS PROTEJAM. ABRAÇO E MAS FORÇA NESSA LUTA.

    ResponderExcluir
  21. O COLEGA JOÃO PAULO FERREIRA DE ASSIS FOI DIRETO AO PONTO: DEVEMOS DENUNCIAR O GOVERNO DE MINAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO !!!!!

    ResponderExcluir
  22. Oi Euler, desejo boa viagem e bom encontro amanhã e espero anciosa por notícias. Não estarei presente porque não teremos condução daqui da região dos inconfidentes, pelo menos não tive notícias. Mas estarei presente em oração e articulando com meus colegas de trabalho que estão em cima do muro. Que estão com receio da greve por causa do sindute que tem demonstrado descaso. ESTOU NA LUTA. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  23. Euler

    Boa Noite

    Agradeço por nos manter informado(a)s, dos acontecimentos da categoria, aqui na nossa Escola em Itabira, sugiro a todos que leiam seu blog para se mater informado. Quanto ao sindicato???

    ResponderExcluir
  24. Euler...

    Tão logo chegue da Assembléia por favor, conte com detalhes, não dá para eu estar de corpo presente, mas fico com seu blog aberto o dia inteiro. Acredito em mudança, se houver unidade, e a sociedade se sentir incomodada.

    Môica Barcelos
    Itabira

    ResponderExcluir
  25. Caro Euler e Companheiros!

    Como estamos observando o governo esta marcando várias audiências de negociações com o nosso sindicato, além de não valorizar, nem respeitar nossa classe, ele esta nos tratando como massa de manobra. Eu acho que ele quer continuar com tais negociações até o ano 2014, quando terminar este mandato!!! Precisamos mostrar a nossa força com uma greve jamais vista. Se não contamos com o apoio da Imprensa façamos como na Rev. Francesa - vamos ocupar todas as esquinas das Minas Gerais e panfletar, nos ônibus, nas estradas, estádios, blogs, comunidade escolar, mostrando as façanhas do governo com a Educação, as proezas do Faraó, Rádios, MPE, vamos para a verdadeira Midia - As RUAS!!! nÃO HÁ NADA PIOR PARA UM POLÍTICO DASAVISADO DO QUE AS MANIFESTAÇÕES POPULARES.Vamos lá Companheiros.

    Linder

    ResponderExcluir
  26. Pelo Piso, professores ocupam Palácio do governo na Paraíba
    30-05-2011
    Após realizarem assembleia geral na manhã desta segunda-feira, no auditório do Lyceu Paraibano, os professores da rede estadual de ensino da Paraíba resolveram se dirigir até o Palácio da Redenção em busca de uma audiência com o governador Ricardo Coutinho (PSB).
    A multidão chegou até a frente da Casa Civil e teve que ser contida por policiais militares. Cerca de 300 pessoas ocuparam o palácio com carros de som e apitaço. Alguns estudantes, diretores de escolas e funcionários que apóiam a greve, também particparam da ocupação. A revolta dos docentes se deve ao corte de ponto e por não terem sido recebidos por algum membro da administração estadual. Um dos diretores afirmou que o governo retirou do ar o acesso via site aos contra-cheques

    Durante a assembleia, muitos professores mostraram que receberam os contracheques zerados e em forma de protesto decidiram rasgar o documento. A Assembléia reuniu cerca de 500 professores que decidiram manter a greve que já dura quatro semanas.

    Sindicato reclama - O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Paraíba (Sintep), Antônio Arruda, contestou as informações dadas pelo secretário de Educação do Estado. Ele declarou que o Governo quer enganar a população ao dizer que paga mais que o piso nacional:

    - Ele está querendo enganar a população. Ele apenas pegou nossas gratificações e incorporou ao vencimento. Mudou o nome. Onde a gente poderia ter vantagens, no caso de um professor que adoece e tinha direito ao recebimento da GED, perdemos, porque a gratificação só será paga para quem está em sala de aula. Mentira tem perna curta.

    O secretário não disse que o aposentado vai ter direito a bolsa de 230, que foi a única coisa que aumentou. o secretário fez uma bagunça no PCCR porque coloca docentes com vencimentos diferenciados.

    Quanto ao corte de ponto, a frequencia usada para o contracheque é do mês de abril, quando não fizemos um dia de greve e não deveríamos ter recebido qualquer desconto.

    Fonte: Com informações do PB Agora, 30/05/2011

    ResponderExcluir
  27. EULER, AQUI EM ITAJUBA SO ESTAMOS ESPERANDO A DECISÃO DE BH PARA INICIARMOS A GREVE.

    ResponderExcluir
  28. Euler, aqui em Montes Claros estamos prontos para a greve, força companheiros, chegou a nossa hora.

    ResponderExcluir
  29. O Governo mostrou que não quer negociar mesmo,sempre achei que ele não iria acabar( pelo menos não tão fácil) com o subsídio mas sinceramente eu até achei e ele poderia tentar fazer uma proposta de pelo menos pagar o salário inicial do subsídio o valor total do piso 1187,00( com os míseros 10% e 2,5% de promoção e progressão), com isso ele poderia dar aumento anual para os professores com a alegação que estaria cumprindo uma lei federal sem precisar aumentar o salário das demais categorias, mas como o governo tem um total descaso com os educadores nem essa proposta que já seria indecente ele foi capaz de fazer.Como o governo não fez nenhuma proposta e nem falou quando irá pagar a carreira antiga de acordo com o piso devemos exigir que a lei seja cumprida , temos que está preparados para todas artimanhas do governo,inclusive analisar detalhadamente a lei do piso é fundamental por parte de toda a categoria.Não existe momento melhor para a mobilização pois diferentemente de antes temos uma lei federal que legitima nosso movimento e as nossas reinvindicações.Euler, meu amigo virtual, ficou famoso em colega, está recebendo tantos comentários que não está dando conta de responder todos.Um grande abraço, estarei aguardando seus comentários de amanhã.

    ResponderExcluir
  30. Joaquim - Itajubá1 de junho de 2011 19:54

    Oi Euler, me desculpe usar o seu blog para responder as colegas Andreia de Contagem e Betania de Juiz de Fora. Essa direção está aí não foi escolha da maioria dos filiados pois houve fraudes, e foram comprovadas que ela não foi eleita, o problema é a chapa 1 não entrou na justiça por corvadia preferiu calar-se. E a Betania ela está reclamando de quê, pois o CONLUTAS, tinha todo espaço em 2010 na greve e não reivindicou participação na comissão. A Beatriz é personalista e antidemocrática sim, sabe fazer discurso panfletario. o restante da direção nem sabe por que estão lá que não apita em nada, a não ser o grupo de apoiadores de Rogério Correia, Temos sim que questioná-los mas temos que ter coerencia.

    ResponderExcluir
  31. Boa noite,Euler e amigos
    Ja imprimi e preenchi o requerimento para voltar ao antigo regime. No entanto, estou com um problema: Não sei como fazer para enviar esse requerimento, pois estou fora de meu domicilio e tão cedo não tenho condições de ir até la.
    Voce poderia me orientar?
    Inclusive quero transferir meu domicilio para ca e aqui me informaram que só posso fazer isso indo até DRE do meu domicilio de origem. É certo isso?
    Estou aposentada ha 17 anos.
    Um abraço

    M. Itajubense

    ResponderExcluir
  32. espero q depois de tudo isto q esta acontecendo, os professores lembrem-se na URNA ,e não deixem acontecer como foi com Fernando Collor.Pois o Anastasia com certeza vai querer se canditadar a alguma coisa e com certeza vários servidoresa vãio esquecer e votar nele de novo.Pelo menos demonstraremos nas URNAs quem fala mais alto nesse estado.

    ResponderExcluir
  33. Euler gostaria de saber se há alguma possibilidade de o ATB trabalhar 40 hs pois se não aumetar a jornada não há como aumentar o vencimentom pois o aumento que tivemos foi uma merreca.

    ResponderExcluir