domingo, 18 de março de 2012

Como Minas vai provar para Mercadante que já paga mais que o piso, até a chegada do pré-sal



Como Minas vai provar para Mercadante que já paga mais que o piso, até a chegada do pré-sal

Em breve, como tem sido noticiado, acontecerá a importante reunião entre o novo ministro do MEC, Mercadante, e os/as representantes das secretarias estaduais e municipais da Educação. No fundo é uma reunião meio quadrilhesca, já que todos ali, ou quase todos, são cúmplices na prática ilegal e imoral de não estarem cumprindo a Lei do Piso. Mas vão se reunir justamente para discutir o cumprimento da Lei do Piso, que eles não cumprem, mas dizem que cumprem. Se já cumprem, não haveria nem o que se discutir.

Logo, a primeira coisa que deveriam dizer, se fossem pessoas sérias, era isso:

- Caros colegas, devemos reconhecer que não estamos cumprindo a lei federal, que não pagamos o piso, não aplicamos o terço de tempo extraclasse, que não cumprimos os artigos da lei 11.738/2008. Então devemos pedir desculpas aos profissionais da Educação, aos alunos e aos pais de alunos e a toda a população brasileira, pelo mal que fizemos. E devemos, a partir de hoje, cumprir a lei, aplicando-a na carreira que existia (no caso de Minas e de outros estados) e que nós a destruímos para burlar a lei.

Contudo, esperar essa elevada atitude moral dos governantes é mais ou menos como esperar que os deputados abram mão dos seus salários, por pelo menos uns três meses, em prol de alguma causa social. Sejamos então mais realistas e imaginemos como será o diálogo entre os responsáveis pela política educacional do país.

O ministro do MEC pede a palavra e diz:

- Senhoras e senhores, venho aqui em nome da presidenta da República trazer uma mensagem de esperança e de otimismo para com o futuro da Educação no Brasil. Trata-se de uma prioridade do Governo Federal investir cada vez mais e melhor na Educação e na valorização dos profissionais da Educação. Nosso governo planeja reservar uma robusta parte do pré-sal para garantir o financiamento do piso (aplausos acalorados acontecem).

Em seguida, empolgada, pede a palavra a representante do governo de Minas Gerais:

- Senhor Ministro, fiquei encantada com a sua fala. Quero dar o meu testemunho de que em Minas Gerais o governo vem realizando o máximo possível em favor da Educação. Cumprimos até mais do que manda a Lei do piso. Até ontem, pagávamos 85% a mais do que manda a lei. Com o reajuste do piso de 22% para 2012, ainda estamos pagando 51,62% a mais do que o piso. Acreditamos que os professores de Minas, com esta supervalorização, nem precisam esperar pelo aporte extra do pré-sal.

Neste instante, o representante do governo do Pará pede a palavra:

- Prezados, tenho inveja do governo de Minas, que paga o piso com folga, pois afinal é um estado rico. Nós, do Pará, que somos um estado com receitas bem inferiores, estamos penando para conseguir pagar o mínimo necessário exigido pela lei, que é R$ 1.451,00 para o profissional com ensino médio. Nossos professores, com este salário básico de R$ 1.451,00, passarão a receber, como remuneração total, um vencimento próximo de R$ 3.500,00 para quem está em início de carreira. Que inveja nós temos de Minas Gerais, que pagava 85% a mais e agora paga 52% a mais!

Imediatamente, o representante de São Paulo, na guerra de poder existente com o de Minas - pois os caciques dos dois estados sonham com a presidência da República -, dá uma de bobo e espeta:

- De fato, prezados, eu também estou admirado com o desempenho de Minas Gerais nesse campo particular da Educação. Gostaria que a representante deste estado nos dissesse exatamente qual é o salário inicial de um professor em Minas Gerais.

Todas as atenções se voltam para a representante de Minas, que inicia a sua fala com pequenos e proverbiais rodeios:

- Bom, pessoal, o nosso esforço tem sido muito grande, também. Criamos uma nova fórmula no estado que resultou numa remuneração única, mais transparente aos olhos da população. Antigamente, os professores tinham grande dificuldade em calcular seus vencimentos, pois havia vários penduricalhos que atrapalhavam essa compreensão. Uma coisa muito incômoda. Agora não, os contracheques vêm enxutos, com duas linhas apenas, e com valores expressivos, que dá até vontade de voltar a lecionar.

A representante de Minas ia mudar de assunto, mas o de São Paulo insistiu:

- Mas, afinal, quanto é que ganha um professor em Minas Gerais?

- Ah, já ia me esquecendo - disse. Em Minas Gerais pagamos 52% a mais do que manda a lei do piso. Um professor em início de carreira recebe, para uma jornada de 24 horas, o equivalente a R$ 2.200,00 caso tivesse uma jornada de 40 horas.

Nisso o ministro Mercadante, que teoricamente é um economista, e que assistia ao debate sem grande entusiasmo, pediu que a representante de Minas esclarecesse melhor as coisas.

- Afinal, vocês pagam R$ 2.200,00 para a jornada de 24 horas de vencimento básico, ou isso é o salário total.

A representante de Minas desconversou, claro.

- Não, nós pagamos 52% a mais do que o valor proporcional ao piso de R$ 1.451,00.

O representante do Pará, meio irritado, tomou novamente a palavra e insistiu:

- Senhora representante de Minas Gerais, eu estava aqui morrendo de inveja do seu estado e querendo me inscrever para o próximo concurso público de professores em Minas, já que nós planejamos pagar apenas o piso de R$ 1.451,00, e com isso, somando-se às gratificações, o salário dos professores do Pará vai subir para R$ 3.500,00. Agora a senhora disse que paga R$ 2.200,00, o que já me deixou desiludido com a minha pretensão inicial de me mudar para Minas. Mas, acabo de receber um torpedo via celular, de uma professora do seu estado, que diz que o salário bruto dela, que tem curso superior e mais de 10 anos de estado, é de apenas R$ 1.320,00. Isso procede, sra. representante?

A sala ficou um silêncio total. E a representante do governo de Minas tomou um gole d'água e tentou explicar:

- Olha, o valor de R$ 1.320,00 é o salário inicial, entendeu? Ou seja, é para quem está iniciando na carreira agora, hoje, entendeu? E assim mesmo para uma jornada de 24 horas, o que consideramos seja um valor muito atraente e satisfatório. Sem falar que em abril próximo vamos dar mais 5% de reajuste!

Neste instante, os representantes do Rio, Goiás, Ceará, Bahia e Rio Grande do Sul pedem a palavra e tentam salvar a representante de Minas:

- Parabéns ao governo de Minas, disse o representante do Rio de Janeiro. Nós ainda pagamos um pouco menos do que vocês, mas vamos chegar lá.

- Faço minhas as suas palavras, disse o representante do Rio Grande do Sul, seguido, no mesmo tom, pelos do Ceará, de Goiás e da Bahia.

O ministro Mercadante se dá conta de que Minas se torna o melhor exemplo de cumprimento da lei do piso, já que, pagando apenas R$ 1.320,00 de salário total, o equivalente a dois salários mínimos, paga até 52% a mais do que o piso; e pede à representante do estado que detalhe para os demais colegas como conseguiu essa proeza.

- É simples, senhor ministro e demais colegas. O que eu vou dizer aqui é em off, está certo? Peço-lhes que não revelem para a imprensa, mesmo sabendo que ela é nossa aliada. Enquanto alguns governos entraram na justiça com aquela ADI 4167 pedindo para pagar o piso como remuneração total, nós, lá em Minas, que trabalhamos em silêncio, simplesmente aplicamos o princípio da remuneração total de forma diferente. Para isso, somamos o vencimento básico existente com as gratificações e aplicamos pequeno reajuste, resultando num valor total maior do que o valor proporcional do piso nacional. Entenderam?

O representante do Pará, ingênuo, perguntou:

- Mas pode fazer assim? O STF não determinou que piso é vencimento básico e que é proibido pagá-lo enquanto remuneração total, que era o que os governadores pediam na ADI 4167?

E a representante de Minas explicou:

- Vocês entendem as coisas muito ao pé da letra. Lá em Minas as coisas são diferentes. O STF disse que não podia somar vencimento com gratificações para atingir o valor do piso. Então o que nós fizemos? Acabamos com o vencimento básico e com as gratificações, e criamos uma outra forma de remuneração, o subsídio, entendeu? O valor deste novo modelo é, nominalmente, praticamente igual à soma do vencimento básico com as gratificações, mas a forma como ele se manifesta é diferente, e como ninguém questionou isso na justiça até agora, tá valendo.

Neste instante, o ministro Mercadante, atento ao interessante debate, pegou o celular, ligou para a presidenta Dilma, e disse:

- Presidenta, cancela o projeto do pré-sal que reserva mais verba para a Educação para daqui a 30 anos. Minas acaba de apresentar aqui e agora a melhor solução: como manter o mesmo com a aparência de mais. E nem será preciso esperar 30 anos. Já temos a fórmula pronta para salvar as prefeituras e os governos estaduais.

Diante da descoberta, o governo do Pará já pensa em congelar os salários até a chegada do pré-sal, no mesmo ritmo de Minas. Todos os outros estados se mostraram satisfeitíssimos com o desfecho da produtiva reunião e escolheram a representante de Minas para falar com a imprensa em nome de todos. O ministro do MEC retomou seu discurso sobre a distribuição de tablets, já que a questão salarial estaria resolvida para todo o sempre. E todos saíram dali felizes, diretamente para uma churrascaria, para um suculento rodízio, obviamente bancado com verbas da Educação.

E assim caminha o presente e o futuro das gerações de crianças, jovens e adultos do Brasil, que dependem de uma Educação pública de qualidade. Teriam antes que mudar a qualidade dos políticos que se dizem representantes do povo. Ou simplesmente abolir a representação e instalar uma forma direta de autogestão daquilo que os trabalhadores assalariados produzem. Pois se depender dessa elite brasileira, de diferentes cores partidárias, para valorizar os educadores, como meio essencial para se cumprir a constituição e oferecer ensino de qualidade para todos, estamos perdidos.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

211 comentários:

  1. Euler que texto ,aborda muito bem a situação de Minas e do Brasil com relação a educaçao!Qualquer pessoa por mais simples que for vai entender a realidade vivida por nós educadores e compreender a esperteza destes políticos desornestos.Força e fé na luta um dia juntos venceremos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como alguém vai provar???? Em um estado que suprimiu direitos adquiridos, efetivou sem concurso.....e etc...conta com a conivência da câmara e do MP...Anastahitler está totalmete embasado, e certo..perante seu IV REICH.
      Tenho plena convicção que esse ditadorzinho se auto setenciou ao esquecimento político e a execração, pelo menos por parte da educação e da saude de minas..Abaixo o PSDB...

      Excluir
  2. Alguém poderia enviar este post para o e-mail de Mercadante? Ou quem sabe publicar no blog ou enviar o facebook do ministro?

    ResponderExcluir
  3. Esse texto poderia ser veiculado pela grande imprensa como forma de nos proteger do que vai acontecer nessa reunião: exatamente o que o colega prevê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso ocorra algo de "INCOMUM", o chefe de imprensa contratará outra atriz global, enviarão cartas aos pais, nos humilhando mais uma vez, e contara com os r1 ex-deputados, "a partir da próxima eleição" e da conivência do MP.. E pronto..ANASTAHITLER está com "TUDO"

      Excluir
  4. Nossa, Vc é muito engraçado. Me acabei de rir. Só vc mesmo professor Euler para trazer um pouco de alento aos sofridos e derrotados de Minas e do Brasil. Adorei.Com certeza, vai debandar para isto aí......

    ResponderExcluir
  5. Compartilhe-o pelos facebooks e em pouco tempo está por todo o Brasil! Veja o cartaz que foi afixado nas escolas com intuito de punir os professores que paralisassem, ele não só está compartilhado pelo facebook, como foi parar na Rede de TV Alterosa,pelo twitter, então façamos o mesmo com esse texto, divulguemo-lo por todos os meios possíveis. Ele vai chegar a milhões de pessoas.

    ResponderExcluir
  6. Ninguém melhor do que o Sindicato que nos representa, através dos "que dizem nos representar" do PT. Será que eles teriam essa coragem, como a tem, quando estamos em greve ao subir ao palanque?
    Tomara que sim. Vamos experimentar.

    Querido Euler, cada vez mais, você se torna um "expert" no assunto. Parabéns! Que Deus te ilumine sempre!

    ResponderExcluir
  7. AS MESMAS RETÓRICAS DOS MESMOS POLÍTICOS

    Caros colegas professores,

    o texto acima mostra como todos os poderes instituídos deste país estão conchavados. Esses bandidos travestidos de políticos não farão nada, nadinha para mudar o "status quo" do qual tiram proveito.

    De fato, esta é nossa realidade. E a retórica desta corja denuncia o quanto são cínicos e cruéis. É que nos discursos demagógicos destes "lesa pátria", eles entendem que realmente a educação tem de ser melhor, que os professores devem ser mais valorizados, que o salário do professor não condiz com a realidade, pois eles têm curso superior, pós-graduação, etc, etc, etc e, por isso, deveriam ser equiparados a outras classes do serviço público com a mesma escolaridade.

    Entretanto, a história nos ensina que tudo isso não passa de uma artimanha já manjada para enganar os mais incautos. O certo é que discutir, falar sobre os problemas da educação não significa exatamente resolver estes problemas. E assim, assistimos a cada ano a mesma cantilena, a mesma conversinha fiada...

    Enquanto nós, professores, não partirmos para a ação, continuaremos assistindo a estas encenações vazias dos políticos que não respeitam a sociedade brasileira.

    O nosso sistema político corrupto, sujo e viciado, não permite que haja mudanças no cenário social deste país. E por isso que as propostas para uma sociedade mais justa só ficam mesmo no papel, ou melhor, na retórica vazia e mentirosa dos políticos brasileiros.

    E quando me refiro a políticos brasileiros, isto se aplica a todos os partidos políticos, pois todos eles são "farinha do mesmo saco sujo" e só farão aquilo que os interessa.

    Por isso, não podemos criar muitas expectativas de que uma reunião com o ministro da educação irá mudar alguma coisa em benefício da educação brasileira. Isso só acontecera quando nos posicionarmos de forma mais radical, coesa e participativa. E como não fazemos isso, eles continuam nos empurrando com a barriga...

    Portanto, não nos resta outra coisa senão a resistência através da unidade da categoria. É preciso conscientizar os colegas de que não existe vitória sem luta. À luz do capitalismo selvagem do serviço público, não existe conquista sem greve, e greve forte, organizada e consistente, com pelo menos 50% de seu contingente total.
    Na história de nossas lutas, nunca tivemos uma adesão de pelo menos 50% do professorado de Minas Gerais, embora alguns aqui, baseados em informações irreais do sindeútil, alegam que já tivemos uma adesão de até 70% em alguma greve do passado. Entretanto, isto é ilusão, pois se tivéssemos tido uma adesão desta proporção, já teríamos nossas reivindicações atendidas. É que uma greve que atinja pelo menos 50% do professorado, levaria ao caos o sistema educacional do estado. Assim, eles negociaram conosco e atenderiam nossas reivindicações. E se estamos há 10, 20, 30 anos reivindicando as mesmas coisas, isto é sinal de que nunca tivemos uma greve que pudesse transformar em caos a educação pública de Minas Gerais.

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Raimundo, você não entende nada de greve!
      Em 1980 a greve teve 80% de adesão!Procure se informar melhor!Depois do grupo articulação que tudo começou a desandar aqui nas Gerais!
      Trabalhe nas bases, se quer nos ajudar! trabalhe em todas as esferas!
      Aqui quem te escreve participou de todas as greves !
      atenciosamente
      Kátia
      Ps:Desculpe Euler mas Raimundo ao invés de ajudar está atrapalhando !Aqui não são dados do sindinútil e sim reais!

      Excluir
    2. Cara colega professora Katia,

      pelo visto é você que não entende nada, nadinha sobre as nossas reivindicações, assim como também está precisando estudar matemática.

      Mas mesmo que você estivesse correta nos seus cálculos, observe que a greve a qual você se refere, em 1980, está muito longe no tempo, na história de nossas reivindicações. Já se passaram mais de 32 anos.

      Portanto, continuo afirmando: passados 10, 20, 30 anos, nossas greves não conseguem atingir nem mesmo 20% do professorado mineiro. Sinto muito, mas não dá para negar esta realidade.

      Se você não aceitar estes dados é porque acredita na versão do "sintinútil" que, por exemplo, alegava que a greve de 2011 atingiu mais de 50% do professorado mineiro. Se isto fosse verdade, não mais estaríamos discutindo sobre pagamento de piso aqui neste blog, pois já teriam negociado conosco e nos pagado o que nos devem.

      Tente ser mais coerente.

      Atenciosamente,

      Raimundo Santos

      Excluir
    3. Rogério/Matemática20 de março de 2012 01:50

      Caro Raimundo, então tente mobilizar a categoria!
      Ou luta como a gente, ou nos dá uma solução!
      POIS as suas estão igualzinha ao do sindinútil!
      Esse seu discurso está chato caro colega, você não tem argumentos!Quem aqui acredita neste sindicato? Só os que invadem como anônimo e por sinal da turma de Beatriz!
      Estamos procurando soluções através do dialógo com a classe , com comunidade, enviando e-mails para Cristovám Buarque, para Mercadante, Dilma!Não precisa de matemática, nem interpretação de textos!
      SE for para vencer temos que nos manter unidos!
      Faça como o comandante Euler , lute com palavras contra a tirania , como a professora Marly, como o NDG DO EULER!
      MAS sem agredir colegas que lutam!
      Atenciosamente
      Rogério

      Excluir
    4. Olá, pessoal da luta!

      Vou dar a minha modesta opinião sobre a análise feita pelo colega Raimundo.

      Entendo a sua percepção da importância da greve na nossa luta (e na de todos os trabalhadores), mas acho que você está se prendendo muito ao dado do percentual ideal de 50% de adesão. Ter o apoio de um número expressivo da categoria pode, de fato, fazer toda a diferença, mas não se pode querer tratar tal questão pela ótica quantitativa, apenas.

      Toda luta social envolve muitos fatores conjunturais, contextos, correlação de forças, acertos e erros na condução, e até acasos que podem favorecer a um ou ao outro lado da disputa. Cada caso deve ser analisado considerando os diversos elementos presentes no combate. Na greve de 2010, por exemplo, tínhamos alguns elementos que nos favoreciam, como a proximidade das eleições estaduais e nacional, o maior envolvimento da categoria na luta, mas a categoria cometeu o erro de transferir o palco da luta (da paralisação) para a mesa de negociação, com o fim da greve. Em 2011, ao contrário, apesar de ter em mãos uma lei federal e uma decisão do STF, a mobilização da categoria foi menor, o atual governo estava no seu primeiro ano de mandato, quando geralmente os governos enfrentam as greves para tentar minar as lutas futuras, etc. Apesar disso, resistimos por 112 dias. Ao término da greve seguiu-se uma negociação que foi criada para nos enganar, envolvendo deputados e um governo que não queria ceder em nada.

      O que eu quero dizer é que essas experiências mostraram que precisamos nos preparar melhor. Organizar e unir a nossa base; aproveitar melhor os espaços das redes sociais e até os poucos espaços da mídia burguesa; não subestimar as possibilidades de ações na justiça, bem fundamentadas, com bons advogados; e procurar envolver a categoria e a comunidade na nossa luta, que precisa continuar, inclusive quando não estamos em greve.

      Não será a quantidade de greves ou o percentual numérico de adesão que vai determinar a nossa vitória, mas a nossa capacidade de nos preparar melhor, nos organizar, envolver a categoria e a comunidade e criar uma situação tal que torne impossível, ao governo, deixar de atender as nossas reivindicações. Acho que esse é um processo em construção, que deve incluir as várias formas de luta, de manifestação (a começar pelo contato com os alunos e pais de alunos nas escolas), e até mesmo a preparação de uma greve, desde que no momento adequado, com ampla adesão da categoria.

      Um forte abraço e força na luta!

      Excluir
    5. Carla/Juiz de Fora20 de março de 2012 03:35

      Realmente você é magnifico comandante Euler!
      Tudo que escreveu nós estamos fazendo!
      Precisamos de União!
      como você faz todos os dias!
      um grande abraço e até nossa vitória!
      Carla . pedagoga e professora!
      Maravilhoso seu texto sobre Como Minas vai provar para Mercadante que já paga mais que o piso, até a chegada do pré-sal amei!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    6. Afluência "massiva" de pessoas

      [Pergunta] Também tive esta dúvida, mas continuo a utilizar a palavra massivo, não no sentido de ser cópia do francês massif, mas porque tem a ver com massa, com ser compacto e denso.

      Afluência "massiva" de pessoas = afluência "em massa". Por isso tenho dificuldade em aceitar maciço como sinónimo de "massivo": são termos que exprimem coisas diferentes. Quando muito, massivo pode ser uma adopção da forma usada em língua inglesa, em que massive sugere a mesma ideia.
      Mário Rui Belo Ferreira :: :: Portugal
      http://ciberduvidas.pt/pergunta.php?id=9107

      [Resposta] Não parece que haja necessidade de usarmos o adjectivo massivo, talvez por cópia do inglês massive e/ou do francês massif, porque o nosso adjectivo maciço, além de o compreendermos melhor por ser da nossa língua, traduz perfeitamente os sentidos originais dos termos estrangeiros massive e massif.

      O nosso maciço também tem que «ver com ‘massa’, com ser compacto e denso», pois que, entre as várias significações, tem as seguintes: que é compacto; pesado (sinónimo de denso) – acepções estas a que se refere o prezado consulente para justificar a adopção do estrangeirismo "massivo", de que não precisamos. É palavra que nem sequer vem nos dicionários...

      Excluir
    7. Pra que estudar?é só ir presidente prudente e conprar um diploma fresquinho. Na minha cidade mesmo tem é muitos desse tipo.

      Excluir
  8. Parabéns professor e comandante Euler! Sempre impressionante na sua visão, interpretação e discernimento dos acontecimentos com criatividade para abordar o mesmo assunto de diferentes maneiras.
    Mesmo o assunto sendo sério, não teve como não dar gargalhadas durante a leitura(o que ajuda a amenizar momentaneamente a angústia de ter que engulir as mentiras do desgoverno) fiquei imaginando a cena acontecendo como em uma peça teatral, que deveria ser encenada para o ministro Mercadante.

    ResponderExcluir
  9. Maravilhoso! A real verdade das mentiras dos de cima! Não confio em nenhum deles!
    Temos que destruir estes politicos corruptos!!!
    Você é o cara!!!!
    Com admiração, com carinho ao grande guerreiro EULER CONRADO!

    ResponderExcluir
  10. Não sei se rio ou se choro.Adoro você Euler.Sua postura é maravilhosa.Você tem uma grande missão, saiba disso.Sua segurança nos faz seguros.Seus textos são maravilhosos.Você me encanta e me apaixona.Dei tantas gargalhadas mas no final eu chorei.Chorei por estar vivendo neste país maravilhoso onde em minha classe de educadora ainda encontro maravilhas como você.Chorei por ter imenso desejo de sair do Brasil e ultimamente muito mais do que vontade, necessidade.Não podemos olhar para o salário e mordomias de um político e ver o que são capazes e logo olhar o salário de um professor.Não dá para tomar conhecimento através da mídia dos graves problemas dos brasileiros na saúde, segurança educação.Enquanto esses caras de pau estão preocupados com disputas eleitoreiras.O povo só tem exemplos de desvios de verbe a todos os momentos.eles não percebem que a própria mídia instiga a população estarem contra eles.os jornais fomentam a baderna instalada neste país.Nada acontece.Somos muito acomodados, talvez por medo, por descrença sei lá.Vejam o exemplo em outros países.Eles vão para as ruas imediatamente exigindo mudanças.Eu penso que devemos nos organizar nos preparar e fazer uma greve para arrebentar.Devemos nos organizar para um futuro próximo para tudo .Precisamos repensar uma greve .Eles sabem que estamos com as barbas de molho.Esses safados , ladrões sabem que temos força independemente de sindicato.Eles sabem quanto a internet tem poder e força atualmente.haja visto que eles agora também estão construindo blogs.Os fakes blogs.Querem também continuar iludindo os mais incautos com as mentiras criadas por eles.Vamos nos organizar e arrebentar em breve com uma greve jamais vista.Como dizem OU VAI OU RACHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com você e com o Raimundo.Uma greve que faça as crianças perderem o ano.Estamos no nosso direito.O governo que se vire.E ir para a porta das escolas e não deixar entrar nenhum substituto.

      Excluir
    2. ESSA CONVERSA É VELHA. DIZEMOS ISSO NO ANO PASSADO TAMBÉM.

      Excluir
  11. Euler meu querido, falar o que? Somente MEUS PARABÉNS!
    Posso copiar e levar pra escola? Dá uma peça de teatro! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. Euler, parabéns! Seu texto está brilhante!!!
    Deve mesmo ser enviado ao Mercadante e compartilhado
    nas redes sociais.
    Maria de Lourdes

    ResponderExcluir
  13. VEJAM AS PRIMEIRAS PALAVRAS DO TEXTO DO AECIM HOJE NA FOLHA. QUEM QUER DINHEIRO????É SO BUSCAR NO BID.FÁCIL NÉ??E SERÁ QUE VAI SER REALMENTE PARA ESTE FIM????ME ENGANA QUE EU GOSTO.
    Escrevo ainda em Washington, onde cumpri missão solicitada pelo governador Anastasia de negociar com o BID recursos para os programas de prevenção à criminalidade dirigidos a jovens que vivem em áreas de risco social em Minas.

    ResponderExcluir
  14. Vamos aguardar por parte do CNTE e do SINDUTE algum balanço das paralisações e o que já tem alinhavado para ser costurado, porque não pode ter posto os educadores na rua e não ter nada para dizer até o fim desta semana. Todos aguardam uma posição deles, porque não pode ter pedido para PARALISAR somente por PARALISAR. Aguardemos!! Caso contrário, confirma o que já temos em mente.

    ResponderExcluir
  15. Euler, ótimo texto, parabéns!
    Mas acho que deveríamos enviar para o Naná e as secretárias é a reportagem que fala do salário dos professores do Estado do Pará.Quem sabe, eles ficariam com vergonha de falar tanta mentira, e procurariam uma forma de fazer o mesmo que está acontecendo lá.
    Afinal, sonhar não custa nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem são as cinco secretárias de estado e por que o governador Anastasia confiou a elas pastas tão importantes

      Por Kátia Massimo e André Lamounier

      http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/120/capa/as-damas-do-poder

      A obstinada...

      Desafio de manter a educação do estado no topo do ranking nacional. "Meu patamar é mais acima"

      Quando ela precisou escolher qual profissão seguir, em plena ditadura militar, Ana Lúcia Gazzola teve dúvidas. Queria muito enveredar pelos caminhos da educação, seu sonho de menina, mas também tinha grande admiração pelo Direito, profissão do pai. Advogado atuante na época, o próprio pai foi o primeiro a desestimular a última opção. Não porque ela não levasse jeito. O temor paterno residia no fato de que ele conhecia bem uma característica de sua menina: quando ela mergulha numa área, ninguém a tira. Seu pai preocupava-se de que o eventual envolvimento da filha fosse tamanho que ela acabaria por criar indisposição com o temido governo militar. “Sou intempestiva e luto por aquilo que acredito”, diz Ana Lúcia. “Meu pai estava certo. Eu traria muitos problemas”. E foi justamente graças a esse perfil que a educadora se tornou uma das mais respeitadas gestoras e técnicas de sua área no Brasil. “Ela é a pessoa certa, no lugar certo”, diz o secretário de Comunicação, Nestor de Oliveira. Os vários cargos que ocupou permitiram também que ela construísse relações importantes em sua área. Peça fundamental para que a secretaria consiga buscar parcerias com instituições de fomento do país. Tudo para atingir aquele que é o maior objetivo de sua pasta: manter Minas Gerais no topo do ranking entre os estados com a melhor educação do país. Atualmente, Minas está em 1º lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira (IDEB). Mais: os indicadores de evasão no estado também melhoraram. A evasão é medida pela taxa de abandono, que entre os estudantes do ensino médio do estado passou de 4,12%, em 2008, para 3,51%, em 2009. Os números são, indiscutivelmente, bons. Mas o desafio de Ana Lúcia é ainda maior, o de promover a chamada “revolução da educação” em Minas. “Tivemos muitos avanços”, diz Gazzola. “Mas o patamar que quero alcançar é mais acima”.

      Excluir
    2. RENATA VILHENA

      Ela tem o controle da caneta (orçamento) e das estratégias para o futuro. Por isso, é considerada a "dama de ferro"

      Todos os dias, a secretária de Planejamento, Renata Vilhena, checa as anotações que faz em um caderno particular. O objeto se tornou cobiçado, mas ninguém, além da própria Renata, coloca as mãos nele. O caderno é só mais uma das formas que a secretária encontrou para acompanhar tudo. Mesmo porque, diariamente, passam pelas suas mãos orçamentos, compras, metas, negociações com servidores e projetos para os próximos anos.

      Extremamente organizada e metódica, Renata tem visão geral de tudo o que acontece no estado. Não sai um centavo sequer dos cofres públicos sem que ela assine embaixo. Sua principal missão: não permitir que os gastos superem as despesas. “É um desafio permanente”, diz. Mas nada que ela não tire de letra. Por isso, é considerada por muitos a “Dama de Ferro” do governo, devido ao choque de gestão implantado por Aécio Neves, tendo Anastasia e Renata Vilhena como seus principais artífices. Renata é hoje uma espécie de zeladora do choque de gestão. Cuida do dinheiro e também do planejamento para o futuro. Ela não se tornou guardiã do cofre por acaso. Tem mais de 25 de experiência na administração pública. Não tem qualquer dificuldade de exercer sua liderança e todo o poder a ela delegado. É firme, porém educada, e sabe dizer não sem sequer alterar o tom de voz. Sinal de que aprendeu bem com seu mentor. “Anastasia é a minha referência, o meu guru”, diz.

      Excluir
  16. Não adianta criar BLOGS se não tiver essa habilidade da escrita e essa capacidade de ser ao mesmo tempo argumentativo e objetivo no desenvolvimento do texto, seja ele escrito, seja ele falado. Essa inteligência linguística, meus caros, é para poucos! Ainda bem, que do nosso lado tem alguém com essa capacidade, imaginem se fosse do outro lado, estávamos em caquinhos!!!!

    ResponderExcluir
  17. Brilhante texto que pode ainda ser trabalhado pelos professores de arte. Uma historinha em quadrinhos deste texto cai muito bem.

    ResponderExcluir
  18. JÁ O VEJO ASSIM ,PARECE QUE ESTAMOS PARTICIPANDO DA REUNIAO.

    ResponderExcluir
  19. Euler e demais colegas.
    Seria inacreditável mas, será que nossas Secretárias não estariam confundindo formação em nível de ensino médio com atuação no ensino médio?
    Refiro-me à interpretaçõ do texto da lei do piso.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  20. http://www.hojeemdia.com.br/noticias/politica/vale-do-aco-vai-ter-sua-alexandria-ao-custo-de-r-630-milh-es-1.421237

    Esta é mais uma obra faraônica e que será o reduto dos tucanos mineiros PSDB / PSD / DEM.

    Obs: Terá uma população de mais de 40 mil habitantes, já nascerá grande.

    ResponderExcluir
  21. Brilhante sua colocação Euler!Fiquei mesmo imaginando isso acontecendo nessa reunião e quanta mentira! Sua forma "irônica" de nos passar a fala "dos de cima" foi fantástica!No mas, o que nos resta pedir:

    "DEUS APRESSA TE EM NOS SOCORRER!"

    PROFESSOR DE GOVERNADOR VALADARES

    ResponderExcluir
  22. EULER, PARABÉNS PELA POSTAGEM, SEMPRE CRIATIVO E COM MAESTRIA DE ARGUMENTOS.
    CREIO SER PREOCUPANTE A GUERRA DE INFORMAÇÃO QUE HÁ ENTRE SINDICATO E GOVERNO. SABEMOS QUE A SEE VIVE DIVULGANDO MENTIRAS ABSURDAS SOBRE O PISO, MAS ENTRARMOS NA DELES É DEMAIS.
    NÓS EDUCADORES DE MINAS TEMOS CLARO CONSCIÊNCIA QUE A ADESAO À GREVE NACIONAL NÃO PASSOU DE 5%. PORÉM O SINDICATO DIVULGOU 35%, O QUE É UMA GRANDE MENTIRA.
    NÃO PRECISAMOS DISSO! FALTAR COM A VERDADE DOS FATOS E DAR ARGUMENTOS AO INIMIGO PARA NOS ATINGIR. FALTAR COM A VERDADE DOS FATOS É SUJAR O NOME DE NOSSA INSTITUIÇÃO, QUE SEMPRE DEVE DIZER A VERDADE!
    INFELIZMENTE NESSE MOMENTO A SEE ESTÁ SENDO MAIS COERENTE DO QUE NOSSAS LIDERANÇA, O QUE PARA O MOVIMENTO SINDICAL É LAMENTÁVEL.
    PERGUNTO-ME PARA QUE MASCARAR OS DADOS.
    ESTOU INDIGNADA!
    ANA - BELO HORIZONTE,

    ResponderExcluir
  23. Hélio Costa twitter

    Se professores da rede púbblica municipal de BH aparecem tão felizes nos comerciais de TV por que 75% aderiram à greve pelo piso salarial?

    ResponderExcluir
  24. MERCADANTE DIZ EM SÃO PAULO HOJE QUE PISO É PRÁ VALER.
    http://br.noticias.yahoo.com/piso-%C3%A9-valer-diz-mercadante-s%C3%A3o-paulo-165734574.html

    ResponderExcluir
  25. Caro Professor,desculpe mas acho que nunca deveríamos escrever textos antecipando os acontecimentos principalmente sobre o piso,devemos a todo momento mostrar indignação.

    ResponderExcluir
  26. Olá, Pessoal!Só temos hoje e amanhã....
    Nosso Violeiro Bilora está concorrendo para fazer shows em capitais brasileiras através do VOA VIOLA.
    VAMOS VOTAR E COLOCAR BILORA NO TOPO. VOA VIOLA, VOA BILORA!
    Pra votar, segue orientação:
    Obs.: Você precisa ter um email.
    1.Entre no site: www.voaviola.com.br
    2.Clique em CADASTRE-SE;
    3.Abrirá uma nova página, clique em FÃ DE VIOLA;
    4.Preencha os dados da nova janela aberta: nome, email, senha, cidade, etc. Marque o quadrado abaixo informando estar de acordo com o regulamento e depois dê ENTER. Vai abrir uma nova janela e, acima, uma mensagem colorida informando que um email foi enviado pra sua caixa postal (seu email informado no cadastro).
    5.Vá lá no seu email, abra sua caixa postal e abra a mensagem recebida. Ela pode demorar alguns minutos pra chegar. Clique no ícone colorido da mensagem confirmando seu cadastro! Pronto! Irá abrir a página do voa viola novamente. Você já está cadastrado e pode entrar lá com seu email e senha.
    6.Abra minha página, BILORA, clicando em minha foto. Clique em tudo que tiver “aplaudir” na página: fotos, mensagens, músicas, aplaudir violeiro. Não se esqueça de aplaudir os videos e Fotos. Eles não aparecem na página principal. É preciso abrir o ícone pà esquerda página, depois clique em cada um. Aparecerá o “aplaudir” embaixo do video ou foto aberto.
    7.Você pode votar todos os dias em coisas novas que eu postar lá. Só não vai poder aplaudir novamente o que já aplaudiu uma vez, exceto o violeiro que pode aplaudir todos os dias.
    Obs.: cada aplauso em violeiro, videos, músicas e fotos vale 5 pontos. Nas mensagens vale 1.
    Calango na Cidade - http://www.youtube.com/​watch?v=1Kuysc9brDM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não acha que está no espaço errado não colega??o que tem haver nossa luta do piso com topo de lista para show de viola?

      Excluir
    2. (1920s Fads)
      http://www.absolutefact.com/1920s_Fads.html

      Excluir
  27. Beleza de texto. Dá vontade de rir. Mas é para chorar ao imaginar que tudo ficará como está.
    Somos uma classe na sua maioria sem garra e disposição até de conversar com os alunos e comunidade. Parece que não percebem quão grande e nobre é a função de preparar as futuras gerações em cidadãos críticos para melhorar esse país. Os mais antigos estão aposentando e os mais novos que estão começando ainda não entenderam que ser professor tem que ter disposição para a luta. Senão é um massacre. Porque nos pagariam mais se aceitamos trabalhar por tão pouco?

    ResponderExcluir
  28. Atenção todos que passaram no concurso: Vamos entrar com processo na justiça cobrando nossa imediata nomeação.
    A LEI 100 É INCONSTITUCIONAL, logos as vagas que não foram disponibilizadas são as nossas que o "di4v6" nos roubou.

    ResponderExcluir
  29. Estado do Pará implanta o piso nacional:
    A partir do mês de abril, o salário base do professor da rede estadual de ensino do Pará será de R$ 1.451, conforme reajuste nacional estipulado pelo Governo Federal. A integralização do piso, que representa um acréscimo de R$ 14,5 milhões por mês (R$ 188 mi por ano) na folha de pagamento do Estado, foi garantida nesta terça-feira, 6, pelo Governo paraense em reunião com a categoria, no Centro Integrado de Governo (CIG), em Belém. Com a nova base, mais as gratificações, o professor em início de carreira no Pará começa ganhando o equivalente a R$ 3.555, e o salário médio da maioria dos 27 mil educadores passa a ser de R$ 4.070. Durante a reunião, os professores também foram informados que o Estado nomeia até o final de março todos os 2.094 técnicos em Educação aprovados em concurso, que passarão a ser efetivados a partir de abril, até novembro, respeitando os prazos do concurso.

    De acordo com a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, a integralização do novo piso salarial, conforme reajuste estabelecido pelo Governo Federal, representa o grande esforço que o Estado está fazendo para garantir os direitos dos profissionais da Educação. “É um esforço muito grande, um desafio, devido ao grande impacto financeiro que este reajuste representa na folha de pagamento do Estado. Mas estamos impulsionando o controle dos gastos com pessoal e prevendo o crescimento da receita. Assim vamos garantir a partir deste mês de março, para o pagamento até o início de abril, o novo piso salarial dos professores da rede pública estadual”, explicou Alice, que participou da reunião juntamente com o secretário de Educação, Cláudio Ribeiro, e o secretário Especial de Promoção Social, Nilson Pinto.
    Enquanto isso, em Minas Gerais, o salário oh!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vOU ME EMBORA PARA O PÁRA

      Excluir
    2. Ola

      Voce poderia informar o link do texto?
      Obrigada!

      Excluir
    3. Boa Noite Professor Euler,

      Seu texto é mesmo muito bom! Porém, sinto informa-lo, que corremos o risco real, dele vir a ser utilizado pelo mec para justificar a situação dos demais estados e prefeituras que não pagam o piso.Essa turma não entende a ironia mas sabe se aproveitar de todas as situações, mesmo as injustificáveis!

      Excluir
    4. O PISO É PRA VALER http://br.noticias.yahoo.com/piso-%C3%A9-valer-diz-mercadante-s%C3%A3o-paulo-165734574.html

      SÃO PAULO - O ministro da Educação, Aloísio Mercadante, voltou a cobrar nesta segunda-feira o cumprimento do piso nacional dos professores que foi reajustado em 22,2% e passou a R$ 1.451,00 recentemente. Mercadante disse que os professores ainda recebem salários muito modestos e que o piso tem que ser respeitado.
      - O piso é para valer. É lei. Tem que ser cumprida. E eu vou insistir. É verdade que 22,2% de reajuste é pesado. Pressiona as finanças estaduais e municipais. Mas um piso de R$ 1.451 é pouco mais de dois salários mínimos - disse
      Segundo o ministro, novas formas de reajustas o piso podem ser discutidas. De acordo com ele, deputados de uma comissão suprapartidária estão ouvindo prefeitos, governadores e profissionais de educação sobre o assunto.
      (DE NOVO???)SOS!!!

      - Se nos quisermos manter a educação de qualidade teremos de continuar a aumentar progressivamente e para o futuro estão abertas as negociações de novos critérios. O Congresso pode rever o critério.

      (OLHA O PERIGO!)

      Á ESPERA DO MILAGRE !

      Excluir
  30. Meu caro professor, esteve hoje exuberante em suas palavras.

    ResponderExcluir
  31. Euler, eu e milhares de professores daqui da zona da mata gostaríamos de saber se o sindute entrou com alguma ação em relação ao subsídio lá em Brasília e também se você terminou a carta (ou representação) que estava fazendo para entregar ao STF. Parabéns pelo texto e que inveja do Pará heim.....é assim que se faz política de verdade, valorizando os de baixo e resgatando o valor de uma classe historicamente sofrida e explorada pelos de cima.

    ResponderExcluir
  32. Apelo de Minas Gerais ao Ministro da Educação: Olhai por nós no Fórum Nacional!
    Marly Gribel | segunda-feira, 19 de março de 2012 |

    Sr. Ministro Aloizio Mercadante, tomei a liberdade de lhe escrever em nome dos meus colegas, os profissionais da Educação de Minas Gerais.

    Temos acompanhado com muito interesse o discurso que o Sr. vem desenvolvendo a favor da implementação do Piso Salarial Nacional para valorização dos profissionais do Brasil. O Sr. reconhece que os salários pagos são muito baixos, o que desvaloriza a profissão e afasta os profissionais mais capacitados da área.

    O Brasil é um país com enorme potencial humano, mas as estruturas/ as instituições educacionais são ruins em todo o Brasil e o resultado é este- um potencial desperdiçado e uma carreira cada dia mais comprometida e correndo o risco de desaparecer, ou empobrecer intelectualmente, em função dos míseros salários que são pagos.

    Sabemos que o Sr. promoverá um encontro com os secretários(as), estaduais e municipais de todo o Brasil num Fórum Nacional, inclusive com a participação das entidades que representam os profissionais do magistério e do próprio Ministério da Educação.

    No entanto, o nosso Estado - Minas Gerais - já está em plena campanha no seu Site oficial a alardear que paga até mais que o Piso estipulado em Lei, disponibilizando inclusive um link "Dito & feito", em que a Agência Brasil, ligada ao governo Federal, afirma que Minas já paga um valor bem acima do novo piso salarial. Isto não condiz em absoluto com a verdade.

    O que ocorre é que o governo de Minas orquestrou de forma organizada o fim das nossas carreiras, adotando um modelo de remuneração- o Subsídio, que nada mais é que o nivelamento/ achatamento salarial, com variações mínimas entre um nível e outro de escolaridade, desconsiderando inclusive o tempo de serviço trabalhado. Em síntese, o Piso Salarial é descartado e implantado uma nova forma de remuneração que contraria frontalmente o que está previsto na Lei 11.738/2008

    Outro ponto relevante da Lei que foi desconsiderado em Minas é o tempo extra classe. Assim como o Piso previsto em Lei este também não é adotado - A secretária de educação confirma isto no Site oficial do Estado de MG.

    A Educação no Brasil até o presente momento foi palco de inúmeras especulações de todos os partidos e sempre serve de base para Campanhas eleitorais, no entanto, redundam sempre em promessas que nunca concretizam, arruinando gerações inteiras que são submetidas a uma educação de péssima qualidade.

    Neste sentido, acreditamos que o investimento na Educação deve partir de uma coligação política proactiva e também de riquezas presentes no Brasil e, repudiamos prováveis medidas/promessas/ advindas de recursos como o do pré-sal, como o Sr. vem apregoando, porque seria o mesmo que condenarmos a uma realidade hipotética ou a longo prazo.

    Queremos recursos para a Educação vindos de riquezas reais, palpáveis e presentes no país, que o Sr. como economista e actualmente ministro da Educação sabe melhor que nós de onde provém.

    Neste sentido, aguardamos uma resposta positiva deste encontro no Fórum Nacional. Um retorno imediato para que os Estados cumpram a Lei como ela se impõe e não como os estados e municípios querem que seja, pois corremos o risco de comprometermos de forma irreparável a qualidade da Educação no Brasil, visto que esta é uma das profissões menos valorizados no país e portanto, menos atractivas no mercado de trabalho.

    Ciente que é grande a responsabilidade de sua missão, em função da importância da Educação para o futuro de qualquer nação, subscrevo em nome dos educadores de Minas Gerais.retirado do blog da PROF Marly vamos juntos enviar para MERCADANTE E CRISTOVÁM BUARQUE!
    AGORA CHEGOU NOSSA VEZ!
    A LUTA COMPANHEIROS(AS) JUNTOS NINGUÉM NÓS VENCERÁ!
    ABRAÇOS A TODOS!
    BETIM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns, mil vezes, parabéns.Excelente carta.
      Espero que tudo se mova a partir daí,para melhorar a educação.
      Mãe de aluno

      Excluir
  33. Enviei este texto para o E-MAIL de Renata Vilhena com o seguinte comentário. NÃO SEI SE CHORO OU SE RIO...NÃO SEI SE RIO OU SE CHORO. SEI QUE APENAS ORO. Regina.Sete Lagoas.

    ResponderExcluir
  34. Um grande abraço aos companheiros (as) !

    Euler, você nos surpreende a cada dia. Este é sem dúvida alguma um dos melhores e mais criativos textos lidos por nós até hoje.Estamos em outro país e este desgoverno anastahitler pagará tudo que esta fazendo conosco. Eu acredito nisto e é, por isso, que continuarei lutando e nossa vitória não tardará, grande SUB-COMANDANTE (PROFESSOR-MOR dos educadores desta terra sem lei) !

    Força na luta sempreeeeee ... !
    André Buzina.

    ResponderExcluir
  35. Eles venceram!
    Os exemplos de 13 jovens bem-sucedidos mostram como – e por que – o sucesso profissional está relacionado à disclipina adquirida no ensino básico.

    Por Tereza Rodrigues

    Qual o principal legado de uma boa escola? Disciplinar? Criar o hábito de estudo? Estimular o gosto pela leitura? Ensinar valores morais? Ou transmitir um grande volume e conteúdo acadêmico? A resposta não é única e não há, aqui, a intenção de simplificar o questionamento. Mas, para tentar entender como a trajetória escolar influencia a carreira e o sucesso das pessoas, Encontro selecionou perfis de alguns jovens talentos que, apesar da pouca idade, podem ser considerados bem-sucedidos em suas profissões.
    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/capa/eles-venceram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matéria espetacular. Informação valiosa para nós pais que estamos definindo a escola para nossos filhos. Parabéns a todos os vencedores que são parte desta matéria e todos aqueles vencedores anônimos que lutam diariamente com ética e responsabilidade para alcançarem seus objetivos. Parabéns também a Encontro por mais essa pérola. Adorei
      Izabela Nunes Chinchilla

      11/10/2011 08:22 PM

      Fantástica a matéria. Tinha tempos que não lia nada tão grande e bem escrito!
      diegogomes
      11/11/2011 04:24 PM

      Tão fácil vencer sendo rico..
      Lipe e Mari
      01/02/2012 09:12 PM

      Excluir
    2. Otávio Nunes, 32 anos: geólogo da Petrobrás, aos 17 anos, preferiu trabalhar em uma grande ferrovia!

      O aluno questionador que optou por fazer o curso de técnico em estradas no ensino médio não imaginava que, a partir de então, teria escolhas tão positivas para fazer ao longo da carreira. Aos 17 anos, preferiu trabalhar em uma grande ferrovia e postergar por um ano o curso de geologia na UFMG. Logo que terminou a graduação, fez mestrado e focou em concursos. Quando foi chamado pela Petrobras, em 2006, soube que tinha passado em 1º lugar no doutorado da UNB. Hoje, viaja para vários países para pesquisar sobre o pré-sal, inclusive para a Namíbia (foto). “Fiz um grande sacrifício para chegar onde estou. Não há conquista sem ralação”, diz.

      DICA: “Há um fator que foi primordial na minha vida: convivi com um grupo muito inteligente. É importante ter amigos que te estimulem, que sejam bons exemplos”.

      Os amigos que fez enquanto estudou no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) estão entre as principais referências que Otávio Nunes tem de Belo Horizonte, onde viveu grande parte de sua juventude. Hoje ele é geólogo na Petrobrás e mora em Vitória (ES), onde trabalha com campos do pré-sal. “A gente formava grupos muito unidos para estudar. Como a aula era em tempo integral, convivíamos muito de perto. E, por ser uma escola pública, tinha alunos de diferentes regiões da cidade, gente rica, gente pobre. Todo mundo estava ali com o mesmo objetivo”, diz.

      Excluir
  36. (CONTINUAÇÂO) Artigo de Tereza Rodrigues

    Por mais que haja diferenças entre os aspectos destacados por cada um dos entrevistados, as características estudantis mais marcantes que, ao menos na teoria, refletem diretamente na vida profissional deles têm origem no ensino fundamental. Isso confirma a colocação da professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Eliane Marta Teixeira Lopes, especialista em história da educação, de que é nas primeiras séries que se forma a “personalidade do estudante” e se constroem hábitos a serem carregados para o resto da vida. “Nos primeiros anos da escola, a pessoa aprende como absorver o ensino. Se ela não cria o gosto por estudar, por exemplo, depois fica difícil convencê-la da importância disso”, diz a professora.
    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/capa/eles-venceram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ludmila Helene Freitas, 26 anos: médica otorrinolaringologista, ex-aluna do Colégio Militar de Belo Horizonte.

      Ela não gostava de estudar e precisou recorrer a professores particulares para pegar o ritmo da turma da 5ª série, assim que entrou no Colégio Militar. Mas Ludmila não se surpreendeu quando soube que a instituição que a “disciplinou” foi a escola pública de BH mais bem classificada no ranking do ENEM em 2011. “Tudo conspirava para que a gente se dedicasse ao máximo. A estrutura do exército era rigorosa, mas muito legal. Tinha aula de dança e hipismo. Até de usar a boina eu tenho saudade”, diz a médica, residente no Hospital das Clínicas da USP.

      DICA: “Hoje sei o valor da palavra disciplina”.

      Excluir
  37. A educação e o intelectual, (A preocupação com o rumo – ou com a falta dele – da educação em nosso estado)

    Por André Lamounier

    A preocupação com o rumo – ou com a falta dele – da educação em nosso estado sempre esteve presente nas páginas da Encontro. É sobre este assunto que foi construída a matéria de capa desta edição, cujo conteúdo mostra casos de jovens bem-sucedidos nas carreiras que escolheram. O depoimento de todos converge num ponto: a formação escolar nos ensinos fundamental e médio – além, claro, do esforço pessoal de cada um e do exemplo da família – foi fator determinante para o sucesso alcançado por eles. Valer-se do exemplo de pessoas é uma forma de abordar o tema da educação a fim de fazer com que sua leitura se torne tão agradável quanto é importante.

    Infelizmente, apenas pequena parte dos milhares de jovens mineiros que estão em aula freqüenta escolas bem equipadas, com currículos modernos e professores preparados. Para a imensa maioria a realidade é oposta. As escolas são ruins; os currículos, insatisfatórios e ideologizados; e alguns professores, com nível de conhecimento rudimentar, encaram a profissão como simples bico, na falta de coisa melhor.
    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/editorial/a-educacao-e-o-intelectual.html

    ResponderExcluir
  38. A educação e o intelectual (CONTINUAÇÂO)

    O resultado de tamanha precariedade está expresso no desempenho dos alunos em exames de avaliação como o ENEM, e também no sucesso da carreira profissional.
    Não se está aqui querendo dizer que somente escolas particulares e ricas são capazes de fazer vencedores. Nada disso! Importante, para as escolas, é que sejam boas, rígidas na prática do ensino. A autora da reportagem, a jornalista Tereza Rodrigues, 28 anos, é bom exemplo: nasceu na pequena Ibertioga (MG), na região do Campo das Vertentes, onde concluiu o antigo 2o grau, sempre em escolas do estado. Formou-se em jornalismo na UFMG e hoje brilha como editora-adjunta desta publicação.

    “Uma boa escola tem de ter liderança forte, disciplina, rigor no estudo e bons professores”, diz o professor Claudio de Moura Castro, um dos mais brilhantes e renomados intelectuais do país na área de educação, que, a partir deste mês, escreve para Encontro. Graduado em economia pela UFMG, mestre pela universidade de Yale (EUA) e doutor pela universidade de Vanderbilt (EUA), Moura Castro foi professor de diversas universidades no país e no exterior. Trabalhou no Banco Mundial, no BID e atualmente é membro do conselho consultivo de cerca de 20 empresas. Carioca, mudou-se para Minas aos 10 anos, morou em Itabirito e em BH, onde vive atualmente. Estudou no colégio municipal Marconi – símbolo, no passado, de excelência acadêmica na capital mineira.
    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/editorial/a-educacao-e-o-intelectual.html

    ResponderExcluir
  39. Lembram-se colegas do filme: "As Minas do Rei Salomão'?

    Agora temos as Minas do Faraó !!!

    ResponderExcluir
  40. ENGUIÇOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
    A educação brasileira atual pode ser vista a partir de dois pontos de vista, um otimista e outro meio desanimador (4 assuntos críticos!)
    Por Claudio de Moura Castro

    A educação brasileira atual pode ser vista a partir de dois pontos de vista, um otimista e outro meio desanimador. O lado positivo é que, em meio século, demos um salto extraordinário. De um dos países de mais lastimável educação no continente, conseguimos chegar quase ao nível dos melhores. O lado pessimista é que, por haver começado com atraso – um século, comparado com Argentina e Uruguai –, continuamos bem ruinzinhos. Mas em tudo e por tudo, há muitos acertos e muitos escorregos nos tempos presentes. Vejamos quatro assuntos críticos.
    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/articulistas/enguicos-da-educacao-brasileira.html

    ResponderExcluir
  41. ENGUIÇOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
    1 – A falta de qualidade do ensino básico

    Dentre os que sabem, há meridiana clareza acerca do principal problema da educação brasileira: a falta de qualidade, sobretudo, nos primeiros anos. Paradoxalmente, na raiz do problema está o fato de que pais, alunos e professores acham a escola boa. Sendo assim, que força política haverá para melhorar uma educação que já agrada como é? Isso se torna ainda mais difícil quando consideramos que todas as “bondades” já foram feitas (mais vagas, prédios, contratação de professores, compra de livros etc.). Agora só restam “maldades” (aluno estudar mais, aula mais bem preparada, dever para casa e diretor cobrando resultados impiedosamente). Sabemos como melhorar a escola, mas sem uma sociedade exigindo melhor desempenho, nada vai acontecer.

    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/articulistas/enguicos-da-educacao-brasileira.html

    ResponderExcluir
  42. ENGUIÇOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
    2 – Os desencontros nas faculdades de educação

    As faculdades que formam professores não acham importante ensinar conteúdos, não acham prioritário ensinar a dar aulas e manejar o cotidiano de uma sala de aula. Grande parte do tempo é consumido com teorias rarefeitas e com ideologia. Futuros mestres aprendem a Teoria da Reprodução ou sobre o Imperialismo Cultural, mas não aprendem a ensinar a “regra de três”. As tentativas de mudar tais orientações geram reações iradas e intransigentes. Contudo, sem formar bons professores, tudo mais é quimera.

    3 – Semianalfabetos em um ensino médio para gênios

    O ensino médio foi copiado do que se fazia na França, com a sua elite social e econômica dos anos de 1950, quando lá apenas 5% da corte frequentava o secundário. Insistir nesses conteúdos excessivos e difíceis é uma solução fantasiosa no Brasil de hoje. É ensino para gênios, oferecido a alunos semianalfabetos. Mas, na França, há muitas outras opções escolares para os que não se enquadram no caminho real do secundário acadêmico de elite. Só que no Brasil temos uma escola para gênios e nenhuma opção para os mortais comuns. Nos Estados Unidos, a escola é a mesma para todos, mas cada um faz o seu currículo. Aqui, o currículo do Santo Antônio, pela lei, é o mesmo do aluno da favela Prado Lopes. Nosso modelo é absurdo. Resultado? Em vez de crescer, encolhe a matrícula. O que fazer: modelos de escolas diferentes ou escolas com currículos variados e flexíveis? O MEC nada diz de interessante, ousado ou criativo.

    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/articulistas/enguicos-da-educacao-brasileira.html

    ResponderExcluir
  43. ENGUIÇOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA (Final do Artigo)
    4 – Universidades públicas: caras e ingovernáveis

    À exceção de uma dúzia de universidades de primeira linha (incluindo algumas de Minas e que garantem ao Brasil uma posição destacada na pesquisa mundial), as demais instituições federais custam muito caro e produzem quase nada de pesquisa. Custam o mesmo que a média do ensino superior da OECD, três vezes mais que as faculdades privadas e entre cinco e dez vezes mais do que o ensino público básico brasileiro. Esse ensino caríssimo é oferecido gratuitamente a uma maioria de alunos de classes sociais elevadas e que poderiam pagar pelo menos uma parte dos custos. Com gastos tão elevados, não há recursos para uma expansão significativa dessa rede pública. O processo decisório é lento e, por vezes, perverso. Os professores são vitalícios e contratados em regime de tempo integral – que não cumprem, na sua maioria. Os reitores são escolhidos por regras que nenhum país de primeiro mundo adota. Pior, não mandam. Nesse modelo, o reitor não tem autonomia para dispensar ou contratar um reles contínuo. Mas tem autonomia para não ouvir nem o MEC e nem a sociedade, no que diz respeito à sua eficiência ou às áreas em que atuam.

    Esse sistema público travado cria espaço para uma participação cada vez maior do sistema privado. Na prática, é um sistema tão bom quanto é possível oferecer com o que podem pagar os alunos, em cada categoria de instituição.

    *Claudio de Moura Castro é economista, pesquisador em educação e autor de diversos livros. Escreve bimestralmente na Encontro

    http://www.revistaencontro.com.br/revista/edicao/125/articulistas/enguicos-da-educacao-brasileira.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha apareceu um Privata no blog do Euler? Era só o que faltava. Professor da Rede pública começara a defender o ensino privado. Por isso e mais outras coisas é que estes governos fazem o que querem de nós.

      Excluir
    2. Olá, pessoal da luta!

      Os textos reproduzidos acima, da tal revista encontro, têm a cara dos textos da revista Veja. Abordam sobre a Educação sem ouvir os profissionais da Educação que estão em sala de aula. Falam em qualidade de ensino sem dedicar uma linha sequer às condições de trabalho e aos péssimos salários praticados. Provavelmente, para eles, a qualidade do ensino não é o resultado de mais investimento no ser humano responsável por produzir essa educação de qualidade, mas deve cair do céu. Fazem um rodeio diagnóstico embromatório (acho que não existe essa palavra, por isso acabo de criá-la) para, no final, concluírem que é preciso abrir espaço para o ensino privado.

      Então vamos deixar as coisas bem claras: 1) a rede pública de ensino tem excelentes profissionais, apesar de mal remunerados, desestimulados e de trabalharem em condições inadequadas; 2) nem os alunos, nem os professores consideram que a escola pública no ensino básico oferece uma educação de qualidade; quem faz propaganda de uma qualidade que não existe são os governantes - e com isso procuram justificar o baixo investimento e os péssimos salários praticados - tipo: se está tudo bem, para quê investir mais; 3) não precisamos de especialistas, seja do Brasil ou do exterior, para nos dizer o que é bom ou ruim para a Educação pública em Minas e no Brasil. Enquanto não investirem na valorização do profissional da Educação, com carreira decente e piso salarial mais decente ainda, não haverá ensino de qualidade - apesar da elevadíssima qualidade dos nossos profissionais; 4) defendemos a educação pública de qualidade para todos, como consta da nossa Carta Magna, pois é através do ensino público, gratuito, universal, formador de opinião crítica e de seres pensantes, que os de baixo poderão encontrar outros caminhos para suas vidas.

      E finalmente, a Educação básica, pública, é tratada com esse descaso porque as elites dominantes sabem que são as famílias dos trabalhadores de baixa renda que frequentam e dependem dessa escola. Esse descaso reflete, portanto, o desprezo que a elite política do Brasil tem para com os pobres - tal como se verifica também no SUS ou em outros programas e projetos sociais, nos quais aos de baixo são reservadas as migalhas, apenas.

      Excluir
    3. Prezado Euler

      Vc subestimou o "Poder de fogo" do adversário! (Propaganda Ostensiva da Ideologia do Estado de Minas)

      A Revista Encontro possui tiragem de 66.000 exemplares, é uma publicação mensal da ENCONTRO IMPORTANTE-Editora Ltda. Certamente, pelo critério do público-alvo trata-se de um forum privilegiado.

      Encaminhem rotineiramente os questionamentos e principais reivindicações, comentando os artigos publicados. A publicidade emblemática protagonizada pela atriz Débora Falabella é "Café Pequeno" comparativamente ao conteúdo da sofisticada revista. A qustão remanescente surge no horizonte: "Como promover voz ativa no perfil de "Gente de Sucesso" a profissionais que reclamam justamente do fracasso?

      Excluir
    4. Complemento

      Leia-se: "A questão remanescente surge no horizonte: "Como promover voz ativa no perfil de "Gente de Sucesso" a profissionais que reclamam justamente do fracasso?"

      Outrossim, Gostariamos de saber da RENATA VILHENA quanto o Estado gastou em 2011 em publicidade?! Quanto está previsto no orçamento para 2012 ?

      RAZÃO SOCIAL: Encontro Importante Editora Ltda
      CNPJ –. 04.889.743/0001-15; INSCRIÇÃO ESTADUAL - 062161923.00-37

      http://www.sintegra.fazenda.mg.gov.br/consulta_empresa_pesquisa.asp

      Consulta Pública ao Cadastro do Estado de Minas Gerais

      Excluir
    5. ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 156,
      DE 10 DE ABRIL DE 2002
      Concede o Registro Especial para operação com papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos.
      O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM BELO HORIZONTE/MG, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 227 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 259, 24 de agosto de 2001, publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 29 de agosto de 2001, e tendo em vista o disposto na Instrução Normativa (IN) SRF nº 71, 24 de agosto de 2001, DOU de 13 de setembro de 2001, alterada pela IN SRF nº 101, de 21 de dezembro de 2001, DOU 26 de dezembro de 2001, e considerando o que consta no processo 10680.003652/200218, resolve:
      Art. 1 Conceder à pessoa jurídica ENCONTRO IMPORTANTE EDITORA LTDA, CNPJ:04.889.743/0001-15, o Registro Especial nº UP/06101/39 para operação com papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos, de que trata a IN SRF nº 71, de 24 de agosto de 2001, alterada pela IN SRF nº 101, de 21 de dezembro de 2001.
      Art. 2 O presente Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data de sua publicação.
      HERMANO LEMOS DE AVELLAR MACHADO

      Excluir
  44. Pois é colegas,
    Pelo visto a educação e também o piso continuará tudo como era dantes no quartel do Mercadante.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  45. Parabéns Euler!
    Favor enviar este e-mail para o Mercadante. Se houver brio neste Senhor talvez haja alguma esperança para nós. Talvez.

    ResponderExcluir
  46. MAIS UM TEXTO EXCELENTE. CONTUDO, MAIS BLÁ BLÁ. RECLAMAMOS TANTO DO SINDICATO, MAS NINGUÉM QUER TOMAR A FRENTE DE NADA. NÃO SERIA SÓ O EULER CHAMAR E TODOS FAZEREM? VAMOS, EULER! PRA CIMA DELES.

    ResponderExcluir
  47. Belíssimo texto!!!!!!
    Se não fosse real...)

    ResponderExcluir
  48. "Antes tarde do que nunca !"
    Ministério Público Federal - Nessa sexta-feira, a direção do Sind-UTE/MG protocolou, no Ministério Público Federal, representação para que o órgão apure uma eventual intervenção em Minas Gerais por descumprimento à lei federal 11.738/08. O documento entregue ao órgão recebeu a seguinte numeração de protocolo: PR-MG 00008431/2012.
    http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=3159
    Também recorreram contra a malfadada carta que praticamente probia a GREVE NACIONAL.
    Sind-UTE denuncia pratica antisindical do Governo de Minas
    A tentativa de coibir a categoria de participar da Greve Nacional feita pelo Governo do Estado chega ao absurdo da irresponsabilidade ao orientar a manutenção do funcionamento das escolas estaduais. Desde o dia 29/02 o sindicato fez a notificação à Secretaria de Estado da Educação a respeito da Greve Nacional. O sindicato fez representação junto ao Ministério Publico solicitando abertura de inquérito civil publico.
    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cadê os advogados de SP, os melhores do Brasil do sindicato, não ganham uma ação... (só ganhou uma quando o governo quis perder pra colocar os efetivados contra os efetivos e depois rapidinho foi revogada)E nosso 1/3 de carga horária fora da sala de aula...NADA...NADA..NADA...NADA..

      Excluir
  49. Análise histórica sobre a Educação no Brasil apresentada em esclarecedora entrevista pelo Prof. João Batista dos Mares Guia. (Vídeo: Educação e suas dificuldades históricas.) 31/05/2007

    http://www.youtube.com/watch?v=V1BMIzCu6DQ

    ResponderExcluir
  50. IMPERDÍVEL...

    Joaquim Barbosa, ministro do STF
    E Gilberto Gil, cantor e compositor.

    Falam sobre a "População escrava em Minas Gerais no século 18"

    http://www.youtube.com/watch?v=Rh193ACoCkc&feature

    ResponderExcluir
  51. Sabemos que estamos vivendo essa realidade, onde os governantes são os que mais deveriam nos defender , porém são os que mais no prejudicam.
    Tenho certeza que o nosso estado irá para essa reunião afirmando que somos felizes aqui, é só ver a quantidade de escolas que pararam na GREVE NACIONAL. Mas essa atitude tirana deste governo nos envergonha de sermos mineiros e nos deixará a ver navios em plena Lagoa da Pampulha.
    Infelizmente estamos perdidos. a não ser que aconteça um milagre por parte do governo federal, coisa que sabemos, nunca vai acontecer. Principalmente porque o Partido dos Trabalhadores já não honra seu nome a muito tempo.

    ResponderExcluir
  52. SEI NÃO, MAS ACHO QUE SE O CONTRATO DOS DESIGNADOS É PELA CLT OU CELETISTA, ENTÃO GOVERNO TEM QUE DEPOSITAR O FGTS, MAS ACHO QUE NÃO ESTA FAZENDO VOU APURAR AQUI COM UNS DESIGNADOS E POSTO TUDO.

    DESIGNADO PELA CLT TEM DIREITO A ACERTO FINAL CONTRATO E FGTS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, entao eu vou exonerar e vou buscar ser contratada... aliás, seria o melhor mesmo para nós... nao ficariamos assim, como no meu caso, 17 anos de estado e se eu sair saio como entrei. Brincadeira.

      Excluir
    2. Por lei tem que recolher INSS e FGTS aos designados contratados em regime de CLT, porém...em MG isso não é feito, ai soltam uma Lei 100Vergonha para tentar socorrer os coitados dos contratados "resignados".
      E o pior que o sindute apoiou a tal lei 100, mesmo ciente que era e é inconstitucional.
      O governo ja sabe mas faz de conta que não sabe, pq não lhe convém divulgar seus próprios erros. Falar nisso pq o Sindute não publica o parecer sobre a Lei 100??? hein???
      Não lhe convém também????
      Alguém pode responder????
      Enquanto isso, o governo deita e rola, enquanto manipula a bel prazer os efetivados, a mídia, etc etc etc etc etc!
      Triste realidade.!

      Excluir
    3. Oi, sou designada e só recebemos o rateio,
      não temos FGTS, o que é isso, aliás? Onde e como sacar?
      E tem um tal de PIS, será que temos direito?

      Excluir
    4. Ao anônimo de MAR 21, 2012 10:16 AM

      Não devemos descartar também o apoio que determinadas escolas de nível superior tem dado ao atual governante. Lembremos que muitas faculdades estão nas mãos de políticos como Clésio Andrade e outros, portanto, as trocas de favores existentes, as manobras intelectuais moldando futuros profissionais já adestrados a um sistema no qual estarão eles incapacitados de interferirem no processo vigente, concordando precipuamente com tudo, o conluio nos bastidores entre os grupos dirigentes com a participação de personalidades nacionais e internacionais como as que vinham sendo realizadas desde o ano 2000 em Minas Gerais tendo a participação de muitos políticos, praticamente de todos os partidos, visando as organizações e as diretrizes econômicas a serem realizadas e a captação de recursos. Ora, percebe-se daí a não participação do povo mineiro em dadas tomadas decisórias. O que enfrentamos hoje é praticamente a exclusão do povo das tomadas de decisão para os rumos do país. Sendo assim, concordo com você os governantes deitam e rolam.

      Excluir
    5. RETIFICAÇÂO NECESSÁRIA

      Alguns professores, encaram a profissão como simples bico, na falta de coisa melhor.

      "A educação e o intelectual, (A preocupação com o rumo – ou com a falta dele – da educação em nosso estado)" Por André Lamounier

      Embora falte o reconhecimento público e consequente valorização financeira da façanha heróica de encarar diariamente turmas de 40 adolescentes. Tal como o Domador que entra no alambrado com as feras! E só conta com o fator moral, (sem o longo chicote, a pequena cadeira na mão para manter o distanciamento necessário e a arma para os casos extremos!)

      http://www.youtube.com/watch?v=t7DQ96agaSI

      Aluno é suspeito de sabotar freios de bicicleta de professora. Professora sofreu acidente e está internada no CTI em Patos de Minas.
      "Ela se desentendeu com um aluno pouco antes do acidente, diz PM."

      http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2012/03/aluno-e-suspeito-de-sabotar-freios-de-bicicleta-de-professora-em-mg.html

      Excluir
  53. RIO - A Confederação Nacional de Municípios (CNM) criticou ontem a pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) que mostrou que mais da metade das cidades do país está em situação fiscal difícil ou crítica. Chamando de "lamentável" a interpretação feita pelo estudo, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, disse ser necessário rediscutir o pacto federativo, se preciso por meio de uma Assembleia Constituinte. Ele reconheceu, porém, que há municípios "quebrados mesmo".Segundo Paulo Ziulkoski, só 6% de tudo que é arrecadado no país são municipais.


    O estudo da Firjan apontou que 83% dos municípios não geram nem 20% de sua receita. Para Ziulkoski, o problema maior não é a baixa receita própria:

    - Por que os municípios estão quebrados? E estão mesmo. É porque não estão regulamentadas as atribuições dos governos federal, estaduais e municipais - disse, e citou o impacto, para as cidades, do piso nacional do magistério (criado em 2008). - É de R$ 7 bilhões este ano. Cerca de 32% do gasto municipal com pessoal são só com magistério; o aumento desse gasto mostrado na pesquisa vem muito daí. Muitos não cumprem o piso. Se cumprirem, desrespeitam a Lei de Responsabilidade Fiscal. Se não cumprirem, caem em improbidade administrativa. Não sou contra o piso, mas, se a União quer crescer o salário do professor, por que não o assume? Temos de rediscutir o pacto federativo, se preciso até com uma Assembleia Constituinte para isso.

    ResponderExcluir
  54. Aposentadoria dos Professores da Educação Básica
    .
    Será devida ao professor aos 30 anos de contribuição e à professora aos 25 anos de contribuição a aposentadoria por tempo de contribuição do professor que comprove, exclusivamente, tempo de efetivo exercício em função de magistério na educação infantil, no ensino fundamental ou no ensino médio.
    .
    Considera-se função de magistério a exercida por professor em estabelecimento de educação básica em seus diversos níveis e modalidades, incluídas, além do exercício da docência, as funções de direção de unidade escolar e as de coordenação e assessoramento pedagógico.
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=_geFhW8HPMw&feature=plcp&context=C407ae4cVDvjVQa1PpcFP8eaGxISyEfLxlItqXi6XvU83R2nFyzIw%3D

    ResponderExcluir
  55. PECADO ORIGINAL
    Dora Kramer - Estado de SP 20/03/12

    Se o líder do governo no Senado, Eduardo Braga, foi fiel às palavras de Lula, se não pretendeu só apresentar uma versão mais bem acabada do que lhe teria dito o ex-presidente sobre a necessidade de alterar os "paradigmas" da coalizão governamental, estamos diante de um profundo exercício de autocrítica.

    Ou da materialização do "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

    Braga foi visitar o ex-presidente na sexta-feira e diz ter ouvido dele o seguinte raciocínio: "O País vive uma nova realidade política e social, por isso é fundamental a renovação e a instituição de novos métodos e práticas políticas".

    Nova realidade, conforme o explicado, em relação à época em que o PT assumiu a Presidência. Nove anos atrás, imbuído da disposição de reinventar o Brasil.

    Entre as novidades, introduziu no cenário a legitimação do aprofundamento de velhos vícios sob a justificativa de que seria essa a única maneira de se governar o País.

    De lá para cá muita coisa mudou. O uso do caixa dois em campanhas eleitorais, por exemplo, virou argumento de defesa e comportamentos tidos como desviantes passaram a ser vistos explícita e assumidamente como imperativos indispensáveis ao bom andamento dos trabalhos governamentais.

    Nos dois casos, alterações decorrentes da interpretação do próprio Lula sobre a vida e suas circunstâncias no poder. Quanto ao caixa dois, o "todo mundo faz" foi adotado pelo então presidente como baliza de conduta na inesquecível entrevista dada em Paris com o fito de enquadrar os crimes contidos na rubrica "mensalão" na moldura das infrações de caráter eleitoral.

    A respeito dos meios e modos de funcionamento de uma base de sustentação partidária no Congresso, ele falou claro à Folha de S.Paulo em outubro de 2009.

    A pergunta era sobre as críticas de Ciro Gomes à tolerância de Lula e Fernando Henrique ao uso de bens públicos como instrumentos privados na prática do fisiologismo.

    Resposta do presidente: "Qualquer um que ganhar as eleições, pode ser o maior xiita ou o maior direitista, não conseguirá montar o governo fora da realidade política. Entre o que se quer e o que se pode fazer tem uma diferença do tamanho do Oceano Atlântico. Se Jesus Cristo viesse para cá e Judas tivesse a votação (sic) num partido qualquer, Jesus teria que chamar Judas para fazer coalizão".

    Naquela altura já haviam transcorrido quase oito anos da posse de Lula e o que se via era a aceitação não o inconformismo com a situação posta. Desde então, passaram-se menos de três anos e o que se fala agora é na chegada de um "momento de transformação" imposto por uma "nova realidade".

    É de se perguntar qual realidade nova. As únicas mudanças visíveis são as decorrentes do acúmulo de deformações resultantes dos termos do contrato desde lá atrás firmado com os partidos, e renovado não faz muito tempo pelo próprio Lula.

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,pecado-original-,850727,0.htm

    O PODER PELO PODER!
    QUEM DIRIA? PT=PSDB=PMDB= P...ETC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história nos conta que o tempo derrubou reis, vilões, ditadores e impérios, pois tudo tem seu ciclo. Também, é justo que tenha um fim, por vezes, glorioso ou um pouco vergonhoso.

      Mas é inútil lutar contra o que está por vir. Mudar o presente para que o futuro seja promissor e o passado apenas uma figura distante, contada pelo tempo.

      Assim os segundos, as horas e os dias costumam agir em nossas vidas e tudo que fazemos tem um determinado momento para acontecer. Seja o momento das lágrimas, bem como, o da alegria, alternando bons e maus momentos.

      Sempre nos deparamos com o determinado instante em que temos que fazer determinadas escolhas para sermos algo mais ou alguém melhor. É natural da vida, e estamos sempre aprendendo com ela.

      Estamos vivendo um tempo presente em que tudo muda de forma tão rápida e brusca que mal temos como acompanhar em um piscar de olhos. Os segundos já não são o que pareciam ser.

      Somos a mudança que desejamos, somos as guerras que lutamos e, por isso, devemos ser grandes e arriscar a pensarmos de forma gloriosa, para que nossas vitórias sejam épicas.

      Com tudo isso, a palavra mudança tem uma nova forma de ser vista. Hoje no país, embora aconteça lentamente, vivemos um momento de grandes acontecimentos.
      PABLO DANIELLI
      DE CASCAVEL (PR)
      http://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/meuolhar/1062875-vivemos-um-tempo-em-que-tudo-muda-muito-rapido-diz-leitor.shtml

      Excluir
    2. (Continuação)

      Na política, leis que beneficiam a população estão sendo aprovadas. Políticos, tidos como dinossauros estão cada vez mais raros, quase extintos. Nessa nova era virtual, a população vem, cada vez mais, demonstrando a insatisfação que tem com a má administração pública.

      Até mesmo o nosso glorioso futebol está passando por mudanças de poder. Tudo muda, inclusive, nossas dúvidas e certezas.

      Mas, é necessário haver um maior envolvimento da população. É importante que os jovens se envolvam com a política, que está carente e precisa ser renovada. É essencial que sejamos todos comprometidos com a verdade.

      Em novos tempos, devemos todos sair da caverna e buscar a luz do conhecimento. Temos que cultivar novas raízes e jogar na terra sementes de esperança.

      Só assim, as lágrimas que tanto derramamos irão valer de alguma coisa. Ao tocar o solo, elas farão brotar uma nova vida e, assim, um novo mundo irá acontecer.

      PABLO DANIELLI
      DE CASCAVEL (PR)

      Excluir
  56. Enviei esse questionamento à secretária Vihena:

    Vocês gostam muito de apresentar números.Pois bem, por acaso fizeram um balanço para saber a porcentagem do número de pais que tomaram conhecimento ou leram a famigerada ”cartinha” enviada aos pais pelo “nosso querido governador e secretárias’’?
    Acho que deveriam fazer essa avaliação, porque na minha escola a maioria dos pais são analfabetos funcionais e não lêem nem um bilhete de 5 linhas que os filhos levam. Sendo assim foi mais dinheiro nosso pelo ralo, pois sabemos que isso não foi de graça.Dinheiro esse que poderia ter sido revertido para valorização dos professores, depois é só falar que o estado não tem dinheiro.Na sala de aula estamos sempre avaliando para replanejar, vendo o que deu certo ou não.
    Mas parece que o mesmo não acontece aí, pois estão sempre insistindo nos mesmos erros.Está faltando planejamento ou competência?

    Vamos ver se ela responde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas nao responde mesmo!! Renata vilhena so responde ao que lhe interessa. Mas com certeza valeu, por que ler ela sabe.

      Excluir
  57. Pessoal, não vamos nos enganar. Acabou o piso para nós. Só nos restou o conceito de piso como remuneração total (subsidio). Entregamos o vencimento básico para o governo quando encerramos a greve em 2010 acreditando em uma comissão (comissão só é forte com greve) e acabamos de entregar quando novamente acabamos uma greve e acreditamos em comissão.
    Acabou moçada, não tem volta.
    Falo isso com muita indignação. Este ano iria completar o 4º quinquênio em um cargo e o 3º em outro.
    Resultado: Estou com os míseros 1320,00. Fiz a greve de 2010 a de 2011, e de todas desde que entrei para o estado. Já saí de greve sem ganhar nada, mas nunca tinha saído de uma greve perdendo com foi estas duas últimas.
    Triste, mas fato, não vamos mais sair do subsidio. Acabou, para nós de Minas, o conceito de piso como vencimento básico, uma vez instituído o subsidio para todo mundo. Se preparem por que já já estaremos recebendo salário mínimo com o agravante de não termos mais gratificações para salvar alguma coisa.
    Sabe onde erramos? Em 2010, quando a própria direção aceitou o subsidio e defendeu o subsidio. Erramos quando o governo acreditou no piso (por isso implantou o subsidio) e o sindute não acreditou no piso.
    Agora, infelizmente, temos que nos contentar com o famigerado subsidio.

    ResponderExcluir
  58. Acho que você precisa repensar essa id´´eia de que acabou o piso para nós.Que é isso???está louco???Nós vamos recuperar tudo novamente.Pode demorar mas vamos.Isso estou muito certa.Meu Deus você precisa de psiquiatra.está muito deprimido.Não acredito nessa idéia jamais.Não entregaremos o ouro para o bandido.A única coisa que sinto é NOJO DE POLÍTICOS.NOJO...NOJO....DESTA CLASSE.

    ResponderExcluir
  59. RESPOSTA AO PROFESSOR ROGÉRIO

    "...Rogério/MatemáticaMar 19, 2012 09:50 PM
    Caro Raimundo, então tente mobilizar a categoria!
    Ou luta como a gente, ou nos dá uma solução!
    POIS as suas estão igualzinha ao do sindinútil!
    Esse seu discurso está chato caro colega, você não tem argumentos!Quem aqui acredita neste sindicato? Só os que invadem como anônimo e por sinal da turma de Beatriz!
    Estamos procurando soluções através do dialógo com a classe , com comunidade, enviando e-mails para Cristovám Buarque, para Mercadante, Dilma!Não precisa de matemática, nem interpretação de textos!
    SE for para vencer temos que nos manter unidos!
    Faça como o comandante Euler , lute com palavras contra a tirania , como a professora Marly, como o NDG DO EULER!
    MAS sem agredir colegas que lutam!
    Atenciosamente
    Rogério..."


    Caro colega professor,

    pelo visto, você "pegou o bonde andando" e, por isso, faz uma análise apressada e incorreta sobre minha participação na nossa "luta" por uma educação de qualidade, com professores mais valorizados.

    De fato, se você realmente prestasse atenção aos meus comentários, você teria visto as inúmeras vezes que chamei e chamo a categoria para utilizarmos as redes sociais e a mídia informal, em geral, para disseminarmos nossas reivindicações e mostrar para a sociedade brasileira como anda a educação neste país.

    Também por muitas vezes insisti com a categoria para execrarmos os 51 bandidos travestidos de deputados, que jogaram na lata do lixo a carreira do professor estadual. Quanto a isso, muito diferente do "sindinútil" ,também sempre deixei claro aqui neste blog a minha rejeição a todos os partidos políticos: PSDB, PT, PMDB, etc..., pois todos são "farinha do mesmo saco sujo". Portanto, não somente você, mas também eu, não acredito no sindicato. E isso sempre deixei muito transparente nas minhas participações neste blog. Sugiro a você que leia com mais atenção o que outros escrevem para não incorrer em interpretações equivocadas.

    Entretanto, quando sou favorável à greve, isso não significa que tenha mudado meu pensamento sobre o "sindinútil" ou que tenha me aderido à sua política. Duvida que tenha alguém aqui que rejeite mais o "sindinútil" do que eu. E esta minha rejeição é antiga. Sempre duvidei da honestidade deste sindicato, mesmo quando todos aplaudiam e teciam mil elogios à sua diretora.

    Ainda quanto à greve, em mais de 10 anos como professor estadual, continuo entendendo que uma participação efetiva, com pelo menos 50% do professorado de Minas Gerais, conseguirá dobrar os poderes instituídos deste estado.

    Se você acha que não é preciso fazer greve para conquistarmos nossos direitos adquiridos, isso é com você. Não vou criticá-lo por isso. Entretanto, se achar que conseguiremos garantir nossos direitos somente pelo viés da "INjustiça" brasileira e, particularmente mineira, prepare-se para se aposentar sem ter garantido o valor do piso nacional em seu contracheque.

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
  60. Vamos descontrair...

    Modéstia Mineira!!

    Estava um amigo num passeio em Roma quando, ao visitar a Catedral de São Pedro ficou abismado ao ver uma coluna de mármore com um telefone de ouro em cima.

    Vendo um jovem padre que passava pelo local foi perguntar razão daquela ostentação.

    O padre então lhe disse que aquele telefone estava ligado a uma linha direta com o paraíso e que se ele quisesse fazer uma ligação teria de pagar 100 dólares.

    Ficou tentado com o trem porém declinou da oferta.

    Continuando a viagem pela Itália encontrou outras igrejas com o mesmo telefone de ouro na coluna de mármore. Em cada uma das ocasiões perguntou a razão da existência e a resposta era sempre a mesma:

    Linha direta com o paraíso ao custo de 100 dólares a ligação.

    Depois da Itália, chegando ao Brasil, foi direto para Belo Horizonte. Ao visitar a nossa gloriosa Catedral de Nossa Senhora da Boa Viagem, ficou surpreso ao ver novamente a mesma cena: uma coluna de mármore com um telefone de ouro.

    Sob o telefone um cartaz que dizia: LINHA DIRETA COM OPARAÍSO - PREÇO POR LIGAÇÃO = R$ 0,25 ( vinte e cinco centavos ).

    Não agüentou e disse : Uai.... padre viajei por toda a Itália e em todas as catedrais que visitei vi telefones exatamente iguais a este, mas o preço da chamada era 100 dólares. Por que aqui é somente R$ 25 centavos?

    O Padre sorriu e disse ao meu amigo, você está em Minas Gerais. Aqui a ligação é local.

    O PARAÍSO É AQUI.....

    ResponderExcluir
  61. Acima de quaisquer atitudes em prol da classe, é preciso levar ao conhecimento, de forma bem nítida e afirmativa, de que o governo ludibriou a todos, lançando o subsídio, projeto este aprovado pela classe e representantes. É preciso expor claramente que o aumento do salário deveria ser em cima do salário básico trabalhado em dezembro/11, sem somar junto os "penduricalhos" que eram direitos adquiridos, também através de lutas e greves.
    É isso que precisa ser esclarecido. Que se pague o piso aplicado sobre o salário básico do ano passado. Aí sim, seria justo.

    ResponderExcluir
  62. Quero deixar aqui minha admiração pela postura que o Raimundo teve ao responder o Rogério.Muito educado e de uma classe incrível.Isso é o que falta a muita gente neste país.Vivi na Inglaterra por alguns anos e essa educação é característica de britãnicos.Ele disse tudo na maior diplomacia.E sim todas verdades.acompanho este blog e sempre leio o que Raimundo escreve.Realmente ele disse a verdade sobre a posição dele quanto a sindicato, governo, justiça políticos.Parabéns Raimundo.Continue pois sou sua admiradora.Sua postura é digna de um cavalheiro.O que falta em muitos brasileiros.Educação.

    ResponderExcluir
  63. Tanto o professor Raimundo quanto o professor Rogério são excelentes conhecedores da nossa causa e são orgulho pra mim em particular, assim como professor Euler, Gleifferson e tantos outros que enriquecem o STATUS de PROFESSORES DE MINAS GERAIS. O salário é pouco mas temos excelentes companheiros de profissão que embora não conhecendo pessoalmente alguns, sinto que são íntegros e absolutamente verdadeiros. Agora quanto a educação britanica, lembro - me de meu mestre em Sociologia, professor Gilgal da FAFI- BH : " Nesse país ganhamos as coisas só no grito, estudamos para saber responder e não se preocupem com quem nos provoca e depois diz: estudou tanto... isso não é papel de pessoas educadas... Papel de pessoas educadas é garantir para si o seus direitos e por tabela todos que não tiveram a sorte de ser "educado" saira ganhando também muitos direitos também." Obrigado por todos existirem pois afirmo que JUNTOS SOMOS MAIS !

    ResponderExcluir
  64. Nossa, no vídeo o ministro JOAQUIM BARBOSA fala em diminuir o eurocentrismo exagerado...
    Os senhores de engenho , donos de escravos se uniram e criaram a UDN = ARENA = PSDB <<< LEMBRAM SE DE QUEM REVITALIZOU A ESTRADA REAL ? A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO nos mostra que os primeiros professores na Grécia antiga e no Egito eram escravos. Se temos até hoje pessoas ligadas a senhores de engenhos da oligarquia nos governando porque nos pagariam salários justos ? Temos que levantar toda essa História da Humanidade e do Brasil , traçar um paralelo , eu não sou históriadora, posso até estar falando bobagens, de ímpeto . Vamos fazer uma manifestação envolvendo os professores que moram perto da ESTRADA REAL mostrando que agora o OURO É A EDUCAÇÃO E OS ESCRAVOS CONTINUAM SENDO NÓS os professores do ESTADO DE MINAS GERAIS.
    Deixo aqui minha sugestão : PROFESSORES ACORRENTADOS NA ESTRADA REAL COM FOTOS DOS 51 DEPUTADOS QUE ACABARAM COM A NOSSA CARREIRA E COM NOSSOS ALGOZES, todos que não tratam de fazer cumprir verdadeiramente a lei do PISO em fotos ao longo de toda a estrada real .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigos Euler, Buzina, Martinho, Claytinho e todos outros amigos e amigas do NDG,

      Aos poucos estou melhorando e em breve retorno as nossas gloriosas trincheiras de luta.

      Vejam que matéria super reacionária do Diário da Manhã sobre a Greve de Goiás. Lá as bases estão indo pra cima do SINTEGO Cutista.

      http://www.dmdigital.com.br/novo/#!/view?e=20120319&p=11

      Vamos refletir!
      Força na Luta!
      Rômulo

      Excluir
    2. Bravo guerreiro e amigo Rômulo!

      É bom saber que você se recupera rapidamente e em breve estará de volta à luta. Interessante o link que você indicou, que mostra que as bases dos trabalhadores precisam reagir e ir pra cima, literalmente, quando percebem que as direções não correspondem às expectativas da categoria.

      Em Minas, mais do que nunca, faz-se necessário realizar um paciente trabalho de base e junto à comunidade, cujo apoio é condição essencial para que alcancemos vitórias contra o governo.

      Ao mesmo tempo, é necessário usar as ferramentas virtuais da Internet para divulgar as nossas demandas, denunciar o que aconteceu em Minas, e cobrar do governo federal que ele assuma a causa da Educação básica como um desafio nacional, e não como um problemas regional.

      Além disso, é importante também viabilizar ações na justiça em defesa da nossa carreira, além de realizar ações pontuais, coletivas, organizadas nas escolas, que demonstrem o nosso nível de organização e unidade.

      Considero que temos um time de primeira linha para realizar este trabalho coletivo, entre os quais o amigo Rômulo assume lugar de destaque.

      Um forte abraço a todos e força na luta!

      Excluir
  65. MINAS É O PARAÍSO DOS PUXA SACOS DO AECIM E NASTAZIA.DUARTE BECHIR(ESSE CARA É UMA MALA!), BOSCO,MOURÃO,LUZIA HELENA E MAIS UM BANDO DE M... PRECISAMOS DAR DESCARGA NA ASSEMBLEIA DE MG.
    EDVALDO - VIÇOSA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E após a descarga jogar muitaaaaaaaaaaaaaaaaa soda CÁUSTICA,juntamente com VENENO PARA MATAR RATOS.

      Excluir
  66. "AnônimoMar 20, 2012 06:56 AM
    Mas nao responde mesmo!! Renata vilhena so responde ao que lhe interessa. Mas com certeza valeu, por que ler ela sabe."

    Pode até ser que ela saiba ler, mas escrever... hmmm... tenho minhas dúvidas:


    "Renata VilhenaMar 3, 2012 12:12 PM
    Li sua mensagem e imagino o tamanho da sua dor, já que tenho dois filhos, e sei o quão importante é ver-los bem, felizes.
    Em relação ao comentário que eu não respondi, coloque-o novamente aqui, por favor, e responderei.

    Abçs,
    Renata"

    "VER-LOS" rsrsrssssss


    "Renata VilhenaFeb 29, 2012 07:20 AM
    Qual comentário? Não devo ter registrado... me encaminha novamente, por favor."

    "ME ENCAMINHA" rsrsrsssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha,
      Quem fez o comentário fui eu.Estão me roubando 500,00 por mês e ela fala da minha dor!

      Fala sério?

      Excluir
  67. professoramaluquinha20 de março de 2012 19:35

    ... enquanto isso, no site da SEE a manchete:

    "Facebook da Secretaria ultrapassa a marca dos 1000 seguidores"

    e B(Atriz) chora... sniff!!

    "A política de confronto para destruir a identidade do profissional da educação em Minas Gerais"

    oops! acho que ela ERROU ! "(...)destruir a 'entidade' - subentende-se SindUTE - do profissional (...)"

    e começa o blá, blá, blá... [comentários até agora 0]:

    "As redes sociais têm sido espaços onde a categoria se expressa, critica, questiona e denuncia os problemas que vive. Como não há chefes de redação para mediar estas opiniões, não é possível censurá-las e assim todos sabem, partilham e se indignam.
    O governo reagiu e começou a fazer a disputa destes espaços(...)"

    http://blogdabeatrizcerqueira.blogspot.com.br/2012/03/politica-de-confronto-para-destruir.html

    ResponderExcluir
  68. ENVIADO A VÁRIOS JORNAIS

    ATÉ Q ENFIM !

    Não sei quando nem em que o governo da dona Dilma contrariou os intresses da Rede Globo. Mas a verdade é que nesse domingo em um programa de grande audiência, e no dia seguinte no Jornal Nacional, a empresa lider do setor finalmente prestou um grande serviço à cidadania, mostrando a decomposição do Estado brasileiro devorado por hienas oficiais e extraoficiais, que na república de Macuaníma são chamados de "empresários". Foram, em horário nobre, trinta minutos da mais pura bandidagem, marca registrada desse governo corrupto, verdadeira afronta ao cidadão que acabara de chegar em casa após um estafante dia de trabalho e do qual deixará para as quadrilhas oficias 27,5% do seu suor. Porém o que se viu é apenas a ponta do iceberg, a emissora, caso não faça acordo com o governo para fechar o bico, terá matéria suficiente para o resto do ano, inclusive para cobrir o horário do BBB.

    Humberto de Luna Freire Filho, médico

    ResponderExcluir
  69. Não gostei das conjecturas... apesar de muito inteligentes. Tenho receio de que "eles" decorem o texto e façam uso dele.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  70. ENQUETE:

    Quem são os 1000 seguidores da SEEMG no Facebook?!

    (1) diretores e vices [rsrsrsrssss]
    (2) os deputados (os 51, etc) e familiares [kkkkkkk]
    (3) as superintendentes e funcionários
    (4) Debora Fala... Bela!! e artistas em geral
    (5) professores pelegos
    (6) outros

    NÃO VOTE NULO. sE SUA OPÇÃO FOR A (6) COMENTEEEE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, eu nem entro la para ver quem sao, para nao dar Ibope.kkkk saravá!!!!!!!!kkkkk

      Excluir
    2. OPÇÃO 6: TODOS ACIMA.

      Excluir
  71. RS aprova reajuste abaixo do piso para professores

    O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), conseguiu aprovar na Assembleia do Estado na noite desta terça-feira um projeto que reajusta os salários dos professores da rede estadual para valores abaixo dos estabelecidos pelo piso nacional da categoria.

    PT = PSDB

    ResponderExcluir
  72. Olá, pessoal da luta!

    Vejam a notícia e o nosso comentário ao final:

    "20/03/2012 - 21h49
    RS aprova reajuste abaixo do piso para professores

    FELIPE BÄCHTOLD*
    DE PORTO ALEGRE

    O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), conseguiu aprovar na Assembleia do Estado na noite desta terça-feira um projeto que reajusta os salários dos professores da rede estadual para valores abaixo dos estabelecidos pelo piso nacional da categoria.

    Professores do RS protestam contra reajuste abaixo do piso

    A votação ocorreu após quatro horas de discussões e em meio a protestos de sindicalistas, que lotaram as galerias da Casa e fizeram manifestações do lado de fora.

    Pela proposta, o salário da categoria será aumentado em 23,5% até fevereiro de 2013. Os professores pediam que o reajuste fosse imediato.

    Deputados oposicionistas consideraram o projeto ilegal, por não respeitar a lei do piso nacional, e tentaram adiar a votação pedindo sucessivas verificações dos presentes. No começo da noite, a oposição se retirou do plenário e os petistas conseguiram aprovar o plano por 29 votos a zero.

    O governo afirma que chegou a seu limite financeiro e que não tinha mais como avançar nas propostas. O piso nacional de 40 horas hoje é de R$ 1.451, enquanto o Rio Grande do Sul tem salário inicial de R$ 791.

    No começo do mês, o governador criticou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, devido ao último reajuste concedido pelo governo federal na remuneração. Na mesma semana, a Justiça gaúcha mandou o Estado pagar o salário nacional aos professores.

    O governo afirma que até 2014 pagará pelo menos R$ 1.260 à categoria. O sindicato vem promovendo paralisações desde a semana passada e espalhou outdoors por Porto Alegre chamando o Estado de "fora da lei". "

    Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/saber/1064834-rs-aprova-reajuste-abaixo-do-piso-para-professores.shtml

    Comentário do Blog: Que esculhambação esta realidade partidária no Brasil. Fora do poder, dizem uma coisa; uma vez no poder, se comportam tal como os partidos conservadores. Como diria Holanda Cavalcanti em relação à disputa política entre conservadores e liberais no Brasil imperial: "nada mais parecido com um saquarema do que um luzia no poder". Um bom tema para se discutir com os alunos, atualizando-o. Pelo menos em relação à Educação básica, pode-se dizer que: nada mais parecido com um PSDB do que um PT no poder.

    Um forte abraço a todos e força na luta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novo paradigma político, PT = PSDB.

      Segundo suas ações o Brasil só é governável desta forma. (Com muito corrupção).

      Estão aceitando a corrupção como parte integrante do SISTEMA.

      Pobres trabalhadores...
      Pobres brasileirinhos...
      Pobre população ZUMBIs...

      CHEGA DE CORRUPÇÃO!
      CHEGA DE IMPUNIDADE!!!

      Excluir
  73. KKKKKKKKKKK Gostei do comentário, professor Euler! Eles são todos iguais!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  74. O destino de cada pessoa depende, em grande parte, das escolhas que ela faz ao longo de sua vida; além de fatores sobre os quais não tem controle. No caso das nações, salvo acidentes naturais, o destino depende inteiramente das decisões tomadas de maneira coletiva pela sociedade.
    Cristovam Buarque
    Comandante temos que reverter este subsidio de qualquer forma!
    saudações

    ResponderExcluir
  75. Euler enviei seu texto para o senador Cristovam Buarque
    FAÇAM o mesmo companheiros de luta
    cristovam@senador.gov.br
    Abraços comandante Euler

    ResponderExcluir
  76. NÃO QUEREMOS O SUBSÍDIO QUE O GOVERNO DIZ SER MAIS QUE O PISO. QUEREMOS O PISO. PRONTO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém quer o Subsídio. Só através de ação bem fundamentada, sem deixar nenhuma brecha na justiça, conseguiremos o Piso na carreira criada pelo Aécio em 2004.
      Não tem nada mais a ser feito para convencer este governador a cumprir a Lei.
      Repetindo: S Ó N A J U S T I Ç A.
      Sebastião de Oliveira

      Excluir
    2. Concordo plenamente, sempre emiti esta opinião.

      Somente com uma ação judicial muito bem fundamentada, contaremos com esta lei sendo cumprida INTEGRALMENTE.

      Precisa-se então de boa vontade e competência.

      Excluir
  77. O senador Cristovam Buarque deveria ser referência para o PDT nacional. Pois se fosse, os deputados deste partido não teriam sido cúmplices do governo de Minas. Eles também são contra o Piso nacional dos profissionais do magistério público do ensino básico.
    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
  78. Bom texto, Euler. Espero que, no futuro, ele seja apenas ficção.

    ResponderExcluir
  79. Olá, pessoal da luta!

    Quem puder, leia e comente matéria publicada no portal do jornal O Tempo. Deixei o seguinte comentário:

    "Infelizmente, o piso salarial nacional dos educadores, que deveria ser usado como instrumento de valorização profissional, virou piada nacional. Não sai do papel. Nenhum estado cumpre a Lei do Piso, e Minas Gerais é o pior exemplo dessa agressão à lei federal. E infelizmente nada acontece a esses governos. O piso provocou a destruição da nossa carreira, que antes era composta de vencimento básico e gratificações. Agora, todos recebem um teto salarial próximo de dois salários mínimos, o que constitui uma vergonha para Minas e para o Brasil. Em 2003, o salário inicial de um professor em Minas com curso superior era R$ 660,00, o equivalente a 2,75 salários mínimos da época (R$ 240,00). Hoje, 10 anos depois, o salário total de um professor com curso superior e 10 anos de estado é R$ 1.320,00, o equivalente a 2,12 salários mínimos. Sem contar que os mais antigos servidores, antes, pelo menos recebiam gratificações que aumentavam os vencimentos. Agora nem isso: todos foram igualados por baixo. Afinal, de que adiantou a lei do piso se tal "conquista" trouxe a destruição da nossa carreira e perdas salariais, com a cumplicidade dos governos municipais, estaduais e federal e demais poderes constituídos?"

    Link:

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=344362

    ResponderExcluir
  80. Enquanto isto...

    E O FICHA IMUNDA "DAQUILO CASTRADO"???

    Continua dando as cartas neste governozinho AÉTICO, IMORAL, INJUSTO....

    E AÍ MINAS GERAIS???

    COMO É QUE FICA ESTÁ BAGUNÇA??...

    ResponderExcluir
  81. MALDITOS...

    PORCOS IMUNDOS...

    ResponderExcluir
  82. (...) Quero avisar a todos os servidores EFETIVOS (CONCURSADOS) DA EDUCAÇÃO DE MINAS, que no TJMG tem ACÓRDÃO emitido pela Corte Superior daquele órgão (publicado no MG de 12.02.10), no qual julgou a LC 100/2007, INCONSTITUCIONAL (por unanimade de votos), por afrontarem os artigos 37,II e 40,$$ 13 e 14 da Const. Fed. Se quiserem consultar passo a todos o nº do processo: 1.0342.08.105745-3/002. E o Estado insiste em manter em vigor no âmbito da administração esta LEI INCONSTITUCIONAL.

    Comentário à matéria do jornal “O Tempo/últimas notícias” 21/03/2012

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por essas e outras é q se vê q os professores ñ tem união " querem comer us aos outros",uma parte dos professores foi efetivada a lei 100,e a outra parte efetiva por concurso querem vê-los na rua,ora gente,q professores são esse q pedem justiça se os próprios querem matar us aos outros.Deixem os efetivados em paz e sigam suas vidas em paz.Chega de tanta gente pisando nos professores,só faltava os próprios fazerem isso.Já é demais.Credo,Pelo amor de Deus,quanta ganancia ,eles ñ tem culpa disso ñ.Se vc é efetivo por concurso PARABÉNS ,mas daí vangloriar por uma lei q foi julgada CERTA OU NÃO já é demais.

      Excluir
  83. TRIBUNAL DE JUSTIÇA MINAS GERAIS

    Número do processo:
    1.0024.08.942689-4/002(1)
    Numeração Única:
    9426894-02.2008.8.13.0024

    Processos associados:


    Relator:
    Des.(a) ALEXANDRE VICTOR DE CARVALHO

    Relator do Acórdão:
    Des.(a) ALEXANDRE VICTOR DE CARVALHO

    Data do Julgamento:
    23/03/2011

    Data da Publicação:
    29/04/2011

    Inteiro Teor:


    EMENTA: INCIDENTE DE INCONSTITUCIONALIDADE - ARGUIÇÃO IRRELEVANTE - ART. 7º, INCISO V, DA LEI ESTADUAL Nº. 100/2007 –


    INCIDENTE DE INCONSTITUCIONALIDADE. ARTIGO 7º, INCISO V DA LEI COMPLEMENTAR 100/07 DO ESTADO DE MINAS GERAIS. PROFESSOR. FUNÇÃO PÚBLICA. TITULARIZAÇÃO EM CARGO EFETIVO. INCLUSÃO NO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO. AFRONTA AOS ARTIGOS 37, II E 40, §§ 13 E 14 DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA. INCONSTITUCIONALIDADE DA NORMA DECLARADA INCIDENTALMENTE. –
    Ao transformar em titular de cargo efetivo, sem submissão a concurso, servidor ocupante da denominada "“ função pública “", o artigo 7º, inciso V, da Lei Complementar nº 100/07 viola frontalmente o artigo 37, II, da Constituição Federal, que estabelece depender a investidura em cargo ou emprego público de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas, apenas, as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração. - Noutro vértice, se o dispositivo pretende incluir no regime próprio de previdência do Estado servidor não titular de cargo efetivo, afronta o artigo 40, §§ 13 e 14 da Constituição da República, que vincula os servidores ocupantes, exclusivamente, de cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração bem como de outro cargo temporário ou de emprego público, ao Regime Geral de Previdência Social –

    Rel.Des. Herculano Rodrigues, publicação em 12 de fevereiro de 2010).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...pois é...

      Não convém ao governo divulgar o resultado acima, que concluiu ser inconstitucional a Lei 100. Isso até dá para entender. O que não se entende é o motivo do sindute não divulgar tal notícia no seu site e no blog da Bea.
      Pq será hein?????

      Excluir
    2. Gente,efetivos ou efetivados,todos são professores e lutam pelo mesmo ideal,estão todos juntos em paralisações,greves,reuniões ,etc.Isso já esta sendo motivo de risos de outras classes,pois veêm nos professores discórdia,inveja,disputa,preocupação com o outro se esta melhor q eu ou ñ,gente estamos todos na mesma b.....,isso ñ vai levar a lugar nenhum.

      Excluir
  84. caros colegas, ontem, estava zapeando pelos canais de tv e, eis que notei uma figura sorridente....falante... e narigudo...muito narigudo, so podia ser o SENHOR FEUDAL DAQUI DAS MINAS GERAIS... o que ele dizia em uma entrevista deve ter custado muito caro, pois as perguntas eram bem elaboradas de acordo com o recado que ele queria dar... em plena e absurda campanha para presidente... chegou a chorar de emoçao ao falar sobre vovô ( que não devia se orgulhar tanto assim do netinho).TUDO QUE ELE DISSE SE RESUME EM;
    1- O GOVERNO FEDERAL NAO INVESTE NA EDUCAÇÃO...
    2 O GOVERNO FEDERAL NÃO INVESTE EM SEGURANÇA...
    3- O GOVERNO FEDERAL NÃO É UM GOVERNO DEMOCRÁTICO...
    4- É PRECISO INTALAR NO PAIS UM GOVERNO QUE TRABALHE COM A MERITOCRACIA NO SETOR PÚBLICO, BASEADO EM AVALIAÇÕES COTÍNUAS DOS FUNCIONÁRIOS...
    5- BLÁ BLÁ BLÁ...
    OBS. ELE DEVIA ESTAR SE REFERINDO UNICAMENTE AO ESTADO DE MG, MAS SE REFERIA AO GOVERNO FEDERAL, OU ENTÃO, FEZ EM MG TUDO E MUITO MAIS QUE ELE DIZ QUE REJEITA NA POLÍTICA FEDERAL.

    ESSE É O NETINHO, QUE A AVÔ NÃO NOS APRESENTOU... UM GRANDO DITADOR, QUE SE ACHA O SENHOR FEUDAL DAS MINAS GERAIS, COM MILHÕES DE SERVOS, E 51 QUE NEM EM PENSAMENTO OUSA CONTRARIÁ-LO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! reportagem encomendada e paga com o dindim surrupiado dos sofredores, ops! professores!

      Excluir
    2. CUIDADO! Ele frisa continuamente GOVERNO FEDERAL, isso é uma maneira de propagandear o seu próprio nome para o palanque presidencial. E aí estão algumas de suas propostas para quando estiver no palanque.

      CUIDADO.

      Excluir
  85. CONTINUANDO... ESSA "ENTREVISTA' FOI TRANSMITIDA EM UM CANAL RELIGIOSO, POR VOLTA DAS 23 HRS. NÃO SEI O MOTIVO, MAS O TAL SENHOR FEUDAL DAVA MUITAS RISADAS AO FINAL DAS FALAS... DEPOIS SIMULOU UM CHORO AO SE REFERIR AO AVÔ... TUDO MUITO ENSAIADO... TAMBÉM... VIVE EMBRAFUSTADO NO MEIO ARTÍSTICO... DEVE TER SE ESPECIALISADO EM REPRESENTAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas como é FALSO, o gajo. Será que ele pensa que engana? O nariz que já era grande cresceu mais...Este sujeitinho se esqueceu de mencionar tb que no Brasil é preciso instalar "POSÔMETRO" para medição da nariztocracia brilhante. Ele sempre foi um problema para o vovô que deixou esta "coisa" para nós. Qdo a pessoa não serve para nada vai ser político profissional. Eh, Brasil! Como tem b...ta no seu ventilador...

      Excluir
  86. CARO EULER, NA ULTIMA QUINTA FEIRA, ASSISTI A UMA RÁPIDA ENTREVISTA DA EX TORTURADORA DO PERÍODO DA DITADURA MILITAR... E ATUAL TORTURADORA DOS PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE MG... A DONA SEM GRAÇOLA... ELA DISSE QUE TERÁ QUE RECORRER AO GOVERNO FEDERAL PARA CONSEGUIR PAGAR O PISO NACIONAL DOS PROFESSORES EM MG... E DAÍ SECERÁRIA... QUEM DISSE QUE MINAS CUMPRE A LEI DO PISO E PAGA ATÉ 80% mais que o piso, foi o GOVERNO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde está essa entrevista? Isso tem que ser gravado e guardado! É documento!!

      Excluir
    2. Estão se lembrando dos 51 cafajestes que destruíram nossa carreira? A lista é grande mas é fácil.

      Excluir
    3. onde se lê SENHOR FEUDAL, entenda. SENHOR AECIO NEVES.

      Onde se lê secerária, entenda SECRETÁRIA, DONA GAZOLA.

      Excluir
    4. Mas o senhor Aécio Neves é um SENHOR FEUDAL!

      Excluir
  87. Mas até hoje, está chorando pelo vovô, faça-me o favor. Chega de encenação, ninguém lembra mais que esse senhor existiu, então qualquer choro ensaiado não terá plateia para aplaudir, pois ninguém sabe de quem se trata! Até porque não foi uma figura tão notória assim no meio, diga-se de passagem! Essa gente quer fazer história a todo custo, são umas pseudas-celebridades!!

    ResponderExcluir
  88. Achei interessante este comentário que li no jornal o tempo ( e claro, aproveitei e dei uma vomidficada nele ):"Quando investimentos na educação e valorização de seus mestres são deixados em 2º plano, obrigatoriamente os investimentos no combate ao crime, assistência aos drogados, acidentes de trânsito, saúde, construção de mais e mais presídios, sem dúvida, terão que ser maiores, e já estão sendo." Realmente, não adianta economizar de um lado e ter que gastar do outro, além do mais prevenir é melhor que remediar, ou seja, deixar o ser humano se perder e depois tentar recuperá-lo é muito mais difícil, trabalhoso e caro para o governo e toda a sociedade.

    ResponderExcluir
  89. Euler,

    Está ótimo o seu comentário no Jornal "O Tempo". O texto mostra, claramente, como, à medida que o tempo passa, vamos sendo cada vez mais desvalorizados.

    Uma sugestão para mostrarmos a nossa indignação à sociedade - que por sinal é cúmplice por tudo o que vem acontecendo - é colocar fogo em nossos Diplomas de Curso Superior. É uma ideia louca, mas explico-me: já que não vale nada ter estudado tanto, e nossos diplomas só servem para nos causar raiva, em um local que chame bastante a atenção, inclusive com a presença de alunos, façamos uma boa fogueira inquisitorial e coloquemos fogo nas bruxas...

    Alguém talvez diga: esse cara tá doido. Estou mesmo. Sou capaz de ser o primeiro: queimo o diploma, o histórico, o certificado de pós-graduação e a carteirinha do MEC (que me autoriza a trabalhar com História, Filosofia e Sociologia). Quem não quiser queimar o seu, tire uma cópia. O protesto vai chamar a atenção. Gostaria que fosse em Brasília, talvez em frente ao Ministério que deveria defender a educação no Brasil.

    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alternativamente, encaminhe uma cópia de seu currículo vitae para:

      http://lanic.utexas.edu/indexpor.html

      LANIC, do inglês Latin American Network Information Center, é o Centro de Informações sobre a Rede da América Latina.

      http://lanic.utexas.edu/info/faq/indexpor.html

      Excluir
    2. 22/03/2012
      Portugueses em busca de emprego transformam vilarejo na Suíça

      DA BBC BRASIL

      A crise financeira da zona do euro deixou cerca de 17 milhões de pessoas sem trabalho, muitas das quais estão procurando trabalho em outros países como a Suíça. A correspondente da BBC em Täsch, no sul do país, Imogen Foulkes, diz que a migração de desempregados está mudando a face de comunidades suíças tradicionais.

      À primeira vista, a pequena vila de de Täsch é uma comunidade alpina típica, com chalés de madeira, uma igreja, uma loja e uma padaria.

      Mas atualmente, a língua mais comum falada nas ruas do local não é o alemão nativo, mas o português e o supermercado local está vendendo especialidades de Portugal, como o bacalhau salgado e o vinho tinto.

      "Nós, os portugueses, somos metade da população. Quando você caminha pelas ruas e lojas, pode falar português em todos os lugares."

      LAVADORES DE PRATOS E CAMAREIROS

      A população de Täsch agora é de 1.270 pessoas e mais de 700 delas são estrangeiras, sendo a maioria portuguesa.

      Mas por que tantos cidadãos portugueses escolhem uma vila pequena e isolada no meio dos Alpes Suíços? A resposta está alguns quilômetros para dentro do vale, no resort de esqui de Zermatt.

      Aqui há mais trabalho do que os nativos conseguem dar conta: nos hotéis, restaurantes e no mercado de construção.

      Além disso, limpar camas de hotéis e mesas de bar não são trabalhos que a maioria dos suíços quer fazer. Em todo o país, a indústria do turismo depende do trabalho dos imigrantes.

      Na escola de Täsch a língua mais comum é o português e, no jardim de infância, o alemão só é falado por uma minoria.

      http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1065453-portugueses-em-busca-de-emprego-transformam-vilarejo-na-suica.shtml

      Excluir
    3. (Continuação) CHOQUE CULTURAL

      Yolande Carvalho, que trabalha com Zuber como líder da comunidade portuguesa local, concorda que o que podem parecer pequenas diferenças culturais pode impedir a harmonia no vilarejo.

      "Aqui há regras em todos os lugares e portugueses podem falar muito alto. É o nosso jeito", diz.

      "Os nativos vão dormir às nove da noite, até mesmo às oito e meia, e eles não gostam se estivermos fazendo barulho até às dez. É algo a que precisamos nos adaptar."

      O prefeito do vilarejo, Claudius Imboden, diz que a nova Täsch tem sido difícil para muitos moradores locais, mas acredita que a aceitação e a integração são as únicas opções realistas.

      "Isso costumava ser um vilarejo rural, mas agora ganhamos a vida com o turismo e a indústria de construção, e os imigrantes estão nos ajudando. Precisamos deles."

      Ele admite que algumas pessoas não estão contentes com as mudanças, mas diz que a onda atual de imigração para Täsch tem causas que os nativos devem reconhecer.

      "Há cem anos esta vila era muito pobre. As pessoas tiveram que sair para conseguir viver; moradores de Täsch foram para todos os lugares, até para a América do Sul. O mesmo está acontecendo agora, mas ao contrário", diz.

      Em nível nacional, pesquisas de opinião mostram que muitos suíços querem que o país saia do acordo de Schengen, que estabelece o livre movimento de pessoas, e reintroduza as cotas de imigração.

      O Partido Popular da Suíça (SVP, na sigla em alemão), de direita, recolheu assinaturas suficientes para realizar um referendo sobre o acordo, e a parlamentar do SVP Luzi Stamm está confiante no apoio dos eleitores.

      "Todos subestimaram a imigração para a Suíça. Ela é muito, muito maior do que qualquer pessoa pensou. Acho que temos que pôr fim ao livre movimento porque ele não é mais controlável. Precisamos estabelecer limites", afirma.

      Mas para comunidades como Täsch, será difícil voltar atrás e o prefeito Imboden acredita que os residentes locais podem não querer.

      "Sem os imigrantes, provavelmente não teríamos mais uma escola aqui, porque não temos crianças suficientes", explica.

      Yolande Carvalho diz que o relacionamento entre nativos e imigrantes melhora a cada dia.

      "Eu vejo nas ruas. Os mais velhos, quando vêem crianças portuguesas rindo e gritando, dizem 'ah, são os portugueses'. Mas agora eles estão sorrindo quando dizem isso, porque são crianças alegres."

      Excluir
    4. Joaquim,a melhor ideia que vi até agora foi esta sua.Vamos propagar a ideia.Poderemos convidar alunos,pais e sociedade em geral. Como em Brasília fica difícil para muitos,pensei em fazê-lo no dia 21 de abril em Ouro Preto onde estarão nossos governantes entregando a comenda da inconfidência. Assim comemoraríamos as duas maiores mentiras de Minas:Tiradentes e Tancredo.E no dia primeiro de abril fazermos uma festa para Minas como o dia do Estado da mentira.Estourar um champanhe na praça da liberdade e cantar parabéns para nosso Estado. Que tal?Avisar o máximo de jornalistas,inclusive de outro Estado.Regina. Sete Lagoas.

      Excluir
  90. Meu recado para Renatinha;
    AnônimoMar 19, 2012 07:14 PM
    Secretária, você já leu a reportagem sobre o piso salarial dos professores do estado do Pará.Ótima oportunidade para entender o que é piso salarial e parar de falar mentira.O mais interessante é que o estado do Pará não dispõe de tantos recursos como Minas Gerais, não teve déficit zero,nem choque de gestão e não arrecada tantos impostos como aqui, e mesmo assim vai conseguir pagar um salário digno aos seus professores.Por que será que Minas não consegue? Falta planejamento? Fico sem entender...

    Responder
    Respostas

    Renata VilhenaMar 19, 2012 07:25 PM
    Não há mentira; o Governo de Minas paga o piso salarial, como determinado pela Lei Federal.


    AnônimoMar 20, 2012 05:41 AM
    Se o governo já paga o piso, porque então ele não vai dar o reajuste do piso que é 22%, retroativo a janeiro. Ao contrário serão os míseros 5% apenas em abril.Se está cumprindo a lei que cumpra na íntegra.Você não acha? Ou vai continuar fora da lei?


    Renata VilhenaMar 20, 2012 05:45 AM
    O reajuste de 22% é para o valor do piso, não para os salários das carreiras da educação.

    Aí coloquei outro questionamento perguntando a ela o que quer dizer este salário da carreira da educação. Só que ela não respondeu.Difícil o debate com quem não tem argumento.

    ResponderExcluir
  91. Notíca do jornal nacional agora: Rio Grande do Sul paga menos que o piso aos professores.... hahaha
    Oooh globo fdp... só Rio Grande do Sul não paga o piso! aiiiiiiiii que ódio!

    Suely

    ResponderExcluir
  92. Acabei de assitir ao JN. Somente 03 estados não pagam o Piso Nacional. Rondônia, RGS e Amazonas.
    Meu Deus onde vamos parar com essa novela.

    ResponderExcluir
  93. Euler li os comentários no Jornal O Tempo,vi o seu.Agora no Jornal Nacional ,Notícias sobre o Rio Grande do Sul,o MEC divulgou que só três Estados brasileiros não pagam o piso.Entre os três não está Minas.Disse que o ministério do trabalho vai fiscalizar.Oh! meu Deus o que será de nós com perda irreparáveis,principalamente para nós com trintenários e pós-graduação,recebendo entre 1.350.Pobre e tristes.

    ResponderExcluir
  94. COMENTÁRIO COLADO DO BLOG DA B(ATRIZ):

    "Xilder Nogueira disse...
    Quando o governo de Minas Gerais reage é sinal que nossos objetivos estão sendo alcançados. Hoje estamos conseguindo comunicar com a população, o que tem obrigado o governador gastar rios de dinheiro para dizer o contrário. Percebo que estamos no caminho certo. Precisamos é ter um site, um blog, que nos dê munições contra esse governo. Charges, comentários, tudo que possa desmascara-lo. Vamos incrementar ainda mais a guerrilha contra essa “quadrilha” que nos roubou nossos direitos.
    20 de março de 2012 18:08"

    HILARIOOOOOOOOOO...

    Ledo engano do senhor X, pois, a reação do governo usando os espaços sociais: facebook, twiter, etc - o que sai mais barato que matéria comprada em jornais - é uma reação estratégica muito antiga: está mais que óbvio que governo e sindicato pelego são cúmplices. Categoria são marionetes. Nesse jogo, o governo tem que fazer o papel dele, ou seja, atacar o sindicato. Primeiro: pra não dar muito na cara. Segundo: pra lançar a falsa idéia de que o sindicato é bom, e também essa falsa idéia de que a reação é porque os objetivos estão sendo alcançados. Elementar meu caro, Watson.

    ADEUS PISO!! PERDIDO NAS DUAS ÚNICAS GRANDES CHANCES: 2010/2011 good byeeee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a conivência do sindicato pelego e, ainda vou mais longe o partido político do PT joga em várias frentes para massacrar a educação pública, querendo fazer dela o que se observa hoje na UFMG: ACESSO A ENSINO PÚBLICO DE QUALIDADE É PRIVILÉGIO SOMENTE DE ALGUNS, PRINCIPALMENTE PARA OS "BEM NASCIDOS" E ALGUNS REPRESENTANTES DO POVÃO.

      Na realidade o PT por um lado utiliza o sindicato para iludir e injetar "ESPERANÇA" nos profissionais da educação pública por outro utiliza suas militâncias para formação dos mais novos infiltrando-os dentro da comunidade escolar desestabilizando uma certa estrutura educacional, para a partir daí construir a sua em comum acordo com as instâncias privatistas da educação.

      É jogo de cintura e muita negociata, tem cabo eleitoral faturando muito mais do que professor, e existem alguns professores que descobriram o caminho das pedras.

      É Rogério Correia pró sindicato e Fernando Pimentel, Miguel Correa Júnior, Reginaldo Lopes e CIA LTDA pró governador das Minas Gerais. Haja luta por parte do professor, o Estado mais parece a HIDRA DE LERNA, corta-se uma cabeça e nasce outra. O professor também tem que ser a HIDRA.

      Excluir
    2. Para eles...

      Política é a arte de permanecer eternamente no poder.

      Esta turma do PT que querem a aliança com o PSDB, estão pensando neles mesmos e nas BOQUINHAS...

      O povo que se danem...

      Os professores que se danem...

      Eles só querem o nosso voto.

      PT + PSDB = FARINHA PODRE DO MESMO SACO.

      EXALAM UM MAL CHEIRO TERRÍVEL.

      E AÍ MINAS GERAIS???

      Se estamos CIENTES DA BADALHEIRA...

      NÃO ADIANTA CHORAR...

      Precisamos de ação, DETERMINAÇÃO com INTELIGÊNCIA E COMPETÊNCIA.

      Excluir
    3. E o ficha INUNDA, "DAQUILO CASTRADO", continua dando as cartas neste governozinho.

      E AÍ MINAS GERAIS???

      ATÉ QUANDO VAMOS TOLERAR ESTA BAGUNÇA (Z_n_)??...

      Excluir
  95. angeloneumman@hotmail.com21 de março de 2012 21:39

    Meu caríssimo Euler, excelente esse seu texto, dá até pra ser dramatizado pelos alunos da escola e de preferência aberta para a comunidade, antes no entanto, teria que conseguir passar pela resistência da supervisão e direçaõ da escola. Isso é lógico, em caso positivo do seu aval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. como sou uma pedagoga porreta eu mesma vou copiar, ensaiar e apresentar com os alunos na próxima reunião de pais.Reconheço que tenho colegas que por motivos os mais variados não aceitariam este trabalho, mas generalizar é demais colega. Euler, sempre copio e repasso seus textos, indicando a fonte, ok? Boa noite

      Excluir
  96. Essa informação enviaram para mim aqui no blog sobre a lei 100, não verifiquei se procede, caso alguém se interesse:
    " A inconstitucionalidade da Lei Complementar Estadual nº 100/2007 está sendo analisada pela Assessoria Jurídica da Procuradoria-Geral da República, por meio de procedimento cadastrado sob o nº 1.00.000.0.11978/2007-26, podendo-se obter informações pelo telefone nº (61)3031.5630."

    ResponderExcluir
  97. Boa Noite Euler, aproveitando o espaço desse blog espetacular e fantástico sempre a serviço da nossa classe, gostaria de saber se você e os demais servidores estão cientes que existem erros nos reposicionamentos e já tem escolas enviando contagem de tempo do pesssoal para as regionais. O prazo para entrar com as contagens é até 13 de abril. Alguém pode me informar se isso procede ?

    ResponderExcluir
  98. Hoje, designação em uma escola de Neves: 15 candidatos, a maioria com curso superior, porém nenhum habilitado; apenas 2 possuíam a inscrição de classificação no município para a área.

    O 1º informou já tinha outro cargo designado, então partiram para o 2º que ainda estava cursando o 4º período na faculdade e ficou com a vaga.

    Resultado = retrato da educação em MG. Pessoas sem qualificação assumem aulas enquanto outros professores formados continuam na árdua busca da designação.

    Alunos, professores e sociedade prejudicados!!!!

    ResponderExcluir
  99. Boa noite guerreiros(as)

    O Novo Jornal publicou hoje uma matéria sobre o piso em Minas,deixei lá o meu comentário,façam o mesmo,parece ser uma midia realmente democrática,vamos ver se publicam.

    Grande Rômulo,muita saúde e força pra você.

    José Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Amigo Zé Henrique!
      Força na Luta, sempre!
      Rômulo

      Excluir
  100. Caro Euler,

    Fico indignada ao ouvir informações mentirosas na TV. E olha que quase não vejo TV.
    Muitooo estranhoooo!!!!!!!
    Acabo de ouvir após a declaração do Governador do Rio Grande do Sul, que disse não ter como pagar o Piso Salarial o seguinte comentário feito pelo Ministro da Educação Aloísio Mercadante: "Que até fevereiro somente 3 estados não pagavam o Piso Salarial." Verdade??????
    Quem ouve isso até acredita. De onde ele tirou essas informações? Será que ele não conhece a verdadeira realidade de nosso país ou está se fazendo de inocente ou de bobo.
    Só rindo para não chorar..... Acorda ministro!!!!
    Procure saber sobre o Piso Salarial de Minas e de todos os demais estados e cumpra a lei!!!!!

    A esperança é a última que morre.....

    Professora indignada com a hipocrisia do "governo mineiro" e do "ministro da educação".

    Sul de Minas

    ResponderExcluir
  101. Para que isso não aconteça mais!!!!

    Vamos ver e comenta:

    http://www.conversaafiada.com.br/video/2012/03/16/tvpuc-viu-o-massacre-de-pinheirinho/

    ResponderExcluir
  102. Boa noite Euler e colegas de luta.
    Alguém do Norte de MG já teve oportunidade de ouvir a Rádio Educadora AM 670,de propriedade do Humberto Souto,a qual é servil do governo de MG?Os radialistas se prestam a garotos propaganda do famigerado suicidio.Inclusive um dos radialistas é professor aposentado(Benedito Said).De duas uma :ou ele é da rede particular ou recebe gordo salário para fazer propaganda enganosa.Se o suicídio fosse tão bom não precisaria de tantas propagandas.
    É necessário acordarmos e mostrarmos ao "povo" nossa realidade,contrariando a fala do desgoverno.Por que não fazemos outdoor e espalhamos por MG?Peça,Euler,contribuições e agilize por favor.
    Com carinho,educadora do Norte de MG.

    ResponderExcluir
  103. BEM FEITO: O deputado estadual Lafayette Andrada (PSDB) retornará à Assembleia Legislativa, e a deputada estadual Ana Maria Resende (PSDB) perde a cadeira e volta para a suplência.
    Vai cordeirinha de Anasthahitler......

    ResponderExcluir
  104. Professor Euler, a sua postura, a sua determinação e a sua coerência nos inspiram nessa luta, que é de todos nós!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  105. MP investigará repasses do governo de Minas para rádio de Aécio Neves

    BELO HORIZONTE - O Ministério Público Estadual (MPE) de Minas Gerais instaurou inquérito civil para investigar repasses feitos pelo governo do Estado à Rádio Arco-Íris entre 2003 e 2010, época em que o tucano comandou o Executivo mineiro. Além de Aécio, também consta no inquérito civil MPMG-0024.12.001113-5, o nome de sua irmã, Andrea Neves, atual presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e coordenadora do Núcleo Gestor de Comunicação Social do governo, responsável pelo controle do gasto com comunicação, inclusive a publicidade oficial, durante a gestão do irmão.

    Aécio dirigia um Land Rover da Rádio Arco-Íris quando foi parado em blitz no Rio de Janeiro

    A propriedade da rádio por parte de Aécio e Andrea veio a público em abril do ano passado, quando o senador teve a carteira de habilitação - vencida - apreendida e foi multado em R$ 1.149,24 após se recusar a fazer o teste do bafômetro ao ser parado em uma blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro. Ele dirigia o Land Rover placas HMA-1003, comprado em novembro de 2010 em nome da emissora, que detém uma franquia da Rádio Jovem Pan FM em Belo Horizonte.

    Na ocasião, o governo confirmou que havia feito repasses à emissora em 2010, mas afirmou que os pagamentos foram legítimos. O caso levou a oposição ao Executivo tucano na Assembleia Legislativa de Minas a tentar, sem sucesso, criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Agora, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do MPE vai apurar se foram repassadas verbas públicas á rádio também nos outros anos em que Aécio esteve à frente do governo e os critérios usados para a liberação dos recursos. O inquérito foi instaurado na sexta-feira, 16, após o órgão receber, em fevereiro, nova representação contra Aécio e Andrea.

    No período em que o atual senador comandou o Executivo mineiro, as despesas de órgãos da administração direta com "divulgação governamental" chegaram a R$ 489,6 milhões, segundo o Sistema Integrado de Administração Financeira de Minas Gerais (Siafi-MG), valor que ultrapassa R$ 815 milhões quando incluídos gastos de empresas, fundações e autarquias controladas pelo Executivo. Além da Rádio Arco Íris, o MPE também vai investigar se as empresas Editora Gazeta de São João del Rei Ltda. e a Rádio São João del Rei S/A, que têm Andrea como sócia, receberam recursos do governo durante a gestão do irmão. Ela é cotada entre lideranças tucanas de Minas para disputar o governo do Estado em 2014 pelo PSDB.

    Aécio se tornou sócio da Rádio Arco Íris, que já era dirigida pela atual presidente do Servas, em dezembro de 2010, dois meses após ser eleito para o Senado. A assessoria do tucano informou que sua mãe, Inês Maria, comprou parte das cotas de Andrea e as repassou ao filho. O Land Rover é um dos 12 veículos registrados em nome da emissora, que está registrada com capital social de R$ 200 mil e faturou R$ 5 milhões em 2010. Inês Maria já tinha participação na rádio quando Aécio entrou na sociedade.

    Por meio de nota, a assessoria do senador informou que os responsáveis pela representação - deputados estaduais Sávio Souza Cruz e Rogério Correia, líderes, respectivamente, do PMDB e do PT na Assembleia de Minas - são os mesmo que entraram com "ação idêntica" em 2011 e que a iniciativa tem "caráter político". A nota ressalta que o grupo técnico presidido por Andrea tinha função "meramente consultiva" e que o MPE já arquivou um procedimento sobre o assunto em julho do ano passado ao "considerar a regularidade de todos os procedimentos adotados", conforme documentos entregues ao órgão. O texto diz ainda que a rádio não recebeu patrocínios do governo durante a gestão de Aécio e que obteve "o mesmo número de inserções comerciais realizadas em mais de 300 emissoras" do Estado.

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,mp-investigara-repasses-do-governo-de-minas-para-radio-de-aecio-neves,851542,0.htm

    ResponderExcluir
  106. MEC afirmou que Ministério do Trabalho investigará Estados que não cumprem a Lei do Piso...

    Então, vamos todos para o Ministério do Trabalho, de porte de nossos contracheques e mostrar as inverdades do governo. Recebo bruto R$1328,00, e nem daqui a três anos receberei os míseros R$1451,00 que é o atual valor do piso. Mostrar na ponta do lápis o quanto estamos perdendo com esse subsídio que foi, inclusive, reformulado após a publicação do acórdão da Lei do Piso, o que prova que o Governo agiu de má fé para não pagar o que descrevia a Lei.
    Vamos todos entrar com denúncia de "trabalho escravo" no ministério do trabalho, pois este é o nome que se dá quando se trabalha e não recebe o valor justo pelo que trabalhou.

    ResponderExcluir
  107. "Óia" o "aócio" ai gente!!!!!!!!!!!

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=198939,OTE&IdCanal=

    ResponderExcluir
  108. Olha que absurdo:
    Na minha escola a diretora orientou que os professores entregassem aquela carta, lembram do governo, aquela com as inverdades. Quer dizer o próprio professor produzindo prova contra a si mesmo, pois é fizemos e conversamos com os alunos que as devolveram na forma de papel picado nos envelopes, filmamos e vamos disponibilizar o link para o governo, quem ele pensa que nós somos

    ResponderExcluir
  109. SIND-UTE/MG DENUNCIA O ESTADO DE MINAS GERAIS E PEDE INTERVENÇÃO FEDERAL
    O Sind-UTE/MG protocolou, no dia 16 de março, representação no Ministério Público Federal relatando a situação vivida pelos profissionais da educação da rede estadual e solicitando providências.

    Dispõe o artigo 127 da Constituição Federal de 1988, que o "Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis", disposição que encontra eco no artigo 1º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993. Compete ao Procurador-Geral da República, como Chefe do Ministério Público Federal, conforme disposto no artigo 48, inciso I, do mesmo diploma legal, propor perante o Superior Tribunal de Justiça a representação para intervenção federal nos Estados e no Distrito Federal, no caso de recusa à execução de lei federal.

    Acompanhe a posição do Sind-UTE/MG apresentada ao Ministério Público Federal:

    A edição das Leis Estaduais nº 18.975/10 e 19.837/11, que promoveram a conversão da remuneração dos profissionais da educação da rede pública estadual de Minas Gerais em subsídio, negou aplicabilidade à Lei Federal nº 11.738/08.

    Isso porque ao proceder à aglutinação do vencimento básico com as vantagens e gratificações pessoais dos profissionais da educação, o Governo de Minas desrespeitou os artigos 2º, § 1º e 5º, e parágrafo único da Lei Federal nº 11.738/2008, cuja constitucionalidade foi reafirmada em ação direta de inconstitucionalidade, julgada totalmente improcedente pelo Supremo Tribunal Federal. O que o Governo fez foi um artifício para alegar o cumprimento da Lei do Piso, mediante agregação da soma das parcelas remuneratórias, hipótese expressamente vedada pela Lei Federal.

    Ignorando a rejeição da esmagadora maioria da categoria pelo novo regime remuneratório (aproximadamente 153 mil trabalhadores em educação), o governo transpôs todos os profissionais ativos e inativos do Estado de Minas Gerais para a sistemática remuneratória do subsídio único, retirando-lhes a opção pela permanência na forma remuneratória anterior. Também não houve cumprimento da lei federal no caso dos que optaram pela percepção da remuneração sob a forma de subsídio após a edição da Lei nº 18.975/2010, na medida em que o vencimento básico por eles percebido antes da conversão da remuneração em parcela única não foi previamente adequado ao valor atualizado previsto no art. 2º, § 1º, da Lei Federal nº 11.738/2011.

    ResponderExcluir
  110. Parte II

    A transformação dos vencimentos em subsídio é uma forma de fraude ao Piso Nacional, na medida em que representa forma de “cumprimento” apenas aparente da Lei nº 11.738/08, pois mesmo que o subsídio alcance valor superior àquele previsto para o vencimento básico no art. 2º, § 1º, como alega a Secretaria de Estado da Educação, a criação do subsídio repousa sobre o desrespeito à lei federal.

    A Lei Federal 11.738/08 impõe aos entes públicos o dever de vincular o vencimento básico dos integrantes de suas carreiras docentes ao valor do Piso Nacional.

    Desta forma o Estado de Minas Gerais deveria, assim que a lei entrou em vigor, proceder a alteração de suas estruturas remuneratórias, visando à adequação progressiva do vencimento básico de seus profissionais do magistério dentro do cronograma estabelecido no art. 3º da lei federal. Isso porque não só a Lei Federal nº 11.738/2008 entrou em vigor assim que publicada, como também o STF, quando do julgamento de mérito da ADIN nº 4.167/DF, que conferiu ao respectivo acórdão, efeitos desde o início da sua vigência.

    Minas Gerais encontrava-se, desde a data da publicação da lei, obrigado a conferir plena aplicabilidade à Lei Federal, cujos efeitos passaram a ser imediatos e vinculantes aos seus profissionais da educação. Nesse momento, inseriu-se no patrimônio jurídico da categoria o direito subjetivo à percepção de seus respectivos vencimentos e proventos básicos com base no valor do Piso Nacional e ao reflexo de tal montante nas demais verbas remuneratórias calculadas com base no vencimento básico, o que não ocorreu.

    Com o transcurso do lapso temporal previsto no cronograma criado pela Lei Federal em 1º.1.2010, os profissionais da educação passaram a fazer jus à percepção do Piso Nacional, vinculado a seu vencimento básico, devidamente atualizado, na medida em que passaram a reunir a totalidade dos requisitos legais necessários para a fruição da referida garantia.

    Com isto, a percepção do valor integral do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério tornou-se um inequívoco direito adquirido, protegido pelo art. 5º, XXXVI, da Constituição Federal.

    A conduta do governo mineiro denota desrespeito aos objetivos da Lei nº 11.738/08 que, dentre suas diversas finalidades, fixou um Piso Nacional uniforme para os profissionais do magistério e vinculou-o ao vencimento básico, no intuito de estabelecer uma base remuneratória, independentemente de sua localização no Território Nacional, além de evitar que tal valor pudesse ser diluído nas parcelas remuneratórias complementares ao vencimento básico, ideal que resta frustrado pela aglutinação de diversas rubricas, com o objetivo de, artificialmente, atingir o valor do Piso Nacional.

    Se estados e municípios pudessem satisfazer a exigência da Lei nº 11.738/2008 mediante o somatório do vencimento com parcelas remuneratórias variáveis, gratificações e/ou outras espécies de vantagens, teríamos a situação em que as unidades federativas poderiam legalmente fixar diferentes vencimentos básicos para os profissionais do magistério, criando condições diversas para o pagamento integral do montante atualizado estabelecido em lei.

    ResponderExcluir
  111. Parte III

    Com isso, seria frustrada a garantia proporcionada pela lei que garantiu segurança e estabilidade ao Piso, ao vinculá-lo ao irredutível instituto do vencimento, além de perpetuar as diferenças existentes entre a remuneração dos profissionais do magistério em todo o Território Nacional, e, por conseguinte, entre o nível de excelência do ensino por eles prestados anteriormente à fixação do Piso Nacional, dificultando a concretização da almejada equalização no que concerne à qualidade da educação oferecida pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, agravando as desigualdades regionais combatidas pelo art. 3º, III da Constituição Federal.

    A legislação federal é categórica em proibir a consideração de parcelas remuneratórias diversas do vencimento básico no valor do Piso Nacional, consoante que reafirmou-se no julgamento da ADIN-4167. A instituição do subsídio intenta apagar todo o contexto fático que originou a edição da Lei Federal nº 11.738/08.

    Denúncia do descumprimento do Acordo

    A par das manifestações do Poder Legislativo (art. 2º, § 1º, da Lei Federal nº 11.738/2008) e do Judiciário (julgamento da ADIN 4.167 pelo E. STF), o Governo do Estado de Minas Gerais firmou com o Sindicato, em 29.9.2011, por meio de documento em que se comprometeu a discutir o aprimoramento das formas de remuneração então existentes (subsídio e vencimentos) e a orientar a bancada governista na Assembleia Legislativa a paralisar a tramitação do projeto de lei, que tinha por objeto a implantação automática do regime de subsídio, enquanto perdurassem as negociações. No entanto, ao invés de proceder a adequação do vencimento básico ao valor do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério, o Estado denunciado impôs aos seus docentes o regime de subsídio.

    Houve, dessa forma, não só nítida burla à lei federal, como também ofensa ao princípio da moralidade, cristalizado no art. 37, caput, da Constituição Federal, que impõe aos Poderes do Estado a atuação em observância à boa-fé objetiva, à legislação vigente e aos compromissos por eles assumidos, de modo a não frustrar as legítimas expectativas da sociedade.

    Tal aspecto do postulado da moralidade configura o princípio da proteção da confiança, cujo conteúdo impõe aos poderes estatais o dever de agir, no presente, em coerência com o ordenamento vigente e com suas manifestações pretéritas que nortearam as condutas implementadas pelos cidadãos. Evitar-se-á, dessa forma, a mudança abrupta da postura oficial em prejuízo da segurança jurídica e do próprio Estado Democrático de Direito.

    O Estado de Minas Gerais, por meio da Lei Estadual nº 19.837/2011, também deixa de cumprir o art. 5º, parágrafo único da Lei Federal nº 11.738/2008 no art. 15, IV, da Lei Federal nº 11.494/2007, na medida em que se limitou a estabelecer um reajuste de 5% para os subsídios ali estabelecidos, a incidir no dia 01.04.2011, sem assegurar aos profissionais da educação a atualização dos respectivos valores na forma prevista naqueles dispositivos federais que determinam o reajuste do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério. Isso corresponderá ao percentual relativo à diferença entre os valores mínimos por aluno do FUNDEB, fixados pelo Poder Executivo de um ano para o outro, a partir do exercício de 2009.

    ResponderExcluir
  112. Quanta bobagem você está escrevendo! Vai fazer alguma coisa de concreta, rapaz! Olha o blog do governo aí detonando com a nossa categoria e você escrevendo peças desse teatro idiota que existe na nossa realidade!
    Tenha santa paciência!

    ResponderExcluir
  113. Este ANÔNIMO OTÁRIO das 05:23 é professor? Porque se for é um POBRE, MISERÁVEL em todos os sentidos e que deve ser mesmo pisoteado pelo governo, porque lugar de puxa-saco, sem vergonha é debaixo dos sapatos lustrosos dessa gente! Mas, se não for, é um integrante da turma do chapéu que está aqui para demonstrar a sua ira pelo texto, já que ele beira à realidade. Será que o texto incomodou justamente porque vaticina o que pode acontecer?! De qualquer forma quem critica deve mostrar o que tem de melhor para confrontar. Como de antemão sabemos que esses PUXA-SACOS não têm capacidade alguma, tanto é que vivem de mexericos para defenderem a comida dentro de casa, porque se depender de capacidade passam fome, vão se tornar pedintes, então fiquemos com o texto do professor! De novo, reitero, a capacidade intelectiva do blogueiro incomoda os ANALFABETOS DE PLANTÃO! Tanto que suas escritas não passam de 5 linhas, pois não têm habilidades linguísticas para escreverem nem um parágrafo. Vá se matricular no PAV?! CAMARADA???

    ResponderExcluir
  114. Professor Indignado22 de março de 2012 10:18

    O anonimo do dia 22 05:23 ta mal humorado hein Euler, quero ver ele ter um blog e postar tanta coisa boa e ter criatividade ainda para manter a atenção dos leitores esse tempo todo de luta pelo piso. Tem gente que não junta e ainda tenta espalhar. Ô anonimo!!! da uma sugestão ai meu filho, ou você é um capacho do governo que tá querendo diminuir o trabalho do Euler? Se não tá gostando vai ver vídeo no youtube.

    ResponderExcluir
  115. Outra coisa que está incomodando esses otários que aparecem por aqui dando pitacos errados é que o contador de visitas mostra que este Blog chegará daqui a pouco a DOIS MILHÕES DE VISITAS, isso prova que o BLOGUEIRO tem inúmeros seguidores. Enquanto ficam soltando fogos de artifício por aí, por conta de 1000 seguidores no facebook da SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, o blog do PROF. EULER dá um show. Uma proeza não conseguida nem por jornalistas renomados. Então fica aí a dica. CRESÇAM, PONHAM INTELIGÊNCIA DENTRO DA CABECINHA, ALFABETIZEM, APRENDAM A ESCREVER E A ARGUMENTAR, depois então APAREÇAM, mas APAREÇAM com mais ou menos 5 milhões de seguidores, 5.000 não vale, porque qualquer MANEZINHO conseque!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falem baixo...

      ... Mas nem 20% das diretoras das escolas são seguidores(as) virtuais da secretaria da gazzola.

      ... E ainda estão se vangloriando??

      Vamos mostrar para "eles" o blog do Euler com 2.000.000 de acessos e milhares de seguidores.

      NÓS AINDA VAMOS TER A OPORTUNIDADE DE DAR O TROCO PRÁ "ELES" NAS URNAS.

      AGUARDEM...

      Excluir
  116. ENQUANTO ISSO ... ESCOLAS FECHADAS EM DIVINÓPOLIS , TURMAS FECHADAS E FUNDIDAS EM DIVERSAS CIDADES E PROFESSORES SEM O PISO E COM SALAS LOTADAS.NÃO PODE FORMAR TURMAS COM MENOS DE 40 MAS PODE FORMAR TURMAS COM ATÉ 50 OU MAIS ALUNOS.

    TAMBÉM QUALIDADE E COMPROMISSO COM EDUCAÇÃO NÃO É PRIORIDADE PARA ESSES QUE NOS DESGOVERNAM.

    ResponderExcluir
  117. http://pt.wikipedia.org/wiki/Subs%C3%ADdio


    SUBSÍDIO

    Significado de Subsídio

    s.m. Auxílio, socorro, benefício.
    Quantia que o Estado oferece a obra de beneficência ou de interesse público; subvenção.
    S.m.pl. Meios, elementos subsidiários; dados, informações: o manual oferece alguns subsídios para o estudo da matéria.
    Bras. Vencimentos de senadores, deputados e vereadores.

    A JOGADA DO GOVERNO É DANOSA SUBSIDIA O SALÁRIO DO PROFESSOR, OU SEJA, SOCORRE O PROFESSOR MANTENDO SEU SALÁRIO REAL AINDA BAIXO MAS DANDO A ELE SUBSÍDIO QUE ELEVA O SALÁRIO A R$1320,00 SENDO O REAL POR VOLTA DE R$860,00 E MOSTRA AO POVO BRASILEIRO QUE PAGA-SE BEM, TANTO QUE ELE PROPAGA AOS QUATRO CANTOS QUE PAGA MAIS QUE 50% DO PISO ESTIPULADO PELO GOVERNO FEDERAL, DADA A SUA INVENCIONICE DA PROPORCIONALIDADE. POR OUTRO LADO, SE POR UM MOTIVO DE FORÇA MAIOR, DADAS AS RAZÕES DE CONJUNTURA ECONÔMICA ELE TENHA QUE FAZER CORTES ELE O FARÁ NAQUILO QUE ELE ESTARÁ CONCEDENDO DE "BOM GRADO" E AINDA EXPORÁ O PROFISSIONAL AO RIDÍCULO DAS DEMISSÕES VOLUNTÁRIAS, VISTO A OCORRÊNCIA DE TAL EVENTUALIDADE EM GOVERNOS PASSADOS.

    ResponderExcluir
  118. professoramaluquinha22 de março de 2012 12:55

    "AnônimoMar 22, 2012 02:32 AM
    Para eles...

    Política é a arte de permanecer eternamente no poder."

    PIOR: "Política é a ciência de punir"

    ResponderExcluir
  119. O programa BALANÇO GERAL de hoje fez denuncia de escola sem condições de funcionamento e falou sobre a quantidade absurda de crianças mineiras fora da escola. Também deu um site de denuncias que não anotei mas se verificarem no site da record minas está lá. Só penso que o povo tem exatamente o governo que merece. Por isso a falta de investimento na educação. "Ganhar" voto de pessoas sem exclarecimento é bem mais facil... Mas esse país ainda tem jeito. Virá em muito breve por ai a resolução desses problemas. Fiquem atentos ao novo tempo que surgirá de dentro de uma escola da periferia da grande BH. Ainda teremos boas novas...

    ResponderExcluir
  120. Olá Euler! Fiquei estarrecida quando li no ' Novo Jornal' a gang dos Castros na zona da mata , e tambem todos os processos pelos quais danilo de castro responde na justiça agora entendo porque o acordo com o S I N D U T E não foi cumprido ! E aí, anastasia diga com quem andas... Margarida Andre Passos

    ResponderExcluir
  121. Colegas estou precisando de uma ajuda para fazer um plano de trabalho de quimica EM de acordo com o CBC,pois mudei o livro e estou com dificuldade para faze-lo se alguem puder me ajudar ou mandar para mim adaptar de acordo com o livro ficarei agradecida. Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!!! Nossa!!!
      Assim você me mata!!!
      Para "mim adaptar"?
      Aff!!!

      Excluir
  122. Olá companheiros, a entrevista da dona GAZOLA dia 15 onde ela declarou que o governo de MINAS vai RECORRER AO GOVERNO FEDERAL para buscar recursos para pagar o piso dos professores, foi na TV RECORD no jornal minas da noite.

    ResponderExcluir
  123. CAROS BLOGUEIROS DESTE BLOG... tenho feito um trabalho quase diário de divulgação deste blog com os alunos da escola onde trabalho, que atende a mais de 2000 alunos nos tres turnos, o resultado é que eles estão cada vez mais politisados e interessados em se mobilizar com todos os meios contra os abusos da SEE , inclusive tentar barrar fechamento abusivo de turmas.Para isso pretendem tomar algumas providências, entre elas apelar para alguns meios de comunicação e para o ministério público...ACHO QUE A CHAPA VAI ESQUENTAR...

    ResponderExcluir
  124. ENQUANTO ISSO... O TRIBUNAL DE FAZ DE CONTA NÃO FISCALIZA AS CONTAS EM MG...E O SENHOR FEUDAL FOI AOS EUA BUSCAR DINHEIRO PARA FINANCIAR A SEGURANÇA EM MG... E QUEM PAGA ESSA CONTA...

    ResponderExcluir
  125. O SALÁRIO DO PROFESSOR
    11 de março de 2012
    O Governo do Pará divulgou que vai pagar aos professores o piso integral garantido pelo Ministério da Educação no mês de fevereiro deste ano. O Pará vai pagar, para a maioria dos 27 mil professores da rede pública, um salário médio bruto de pouco mais de 4 mil reais, se adicionadas as gratificações do cargo. Um professor da rede estadual, em início de carreira, passa a ganhar 3,5 mil reais. O salário ideal talvez nunca seja alcançado, tamanha é a responsabilidade que tem um professor, seja da escola privada ou da pública, mas já é um indicativo de que as coisas começam a melhorar.

    Essa notícia, com certeza, agrada não só aos professores e seus familiares, mas a todos nós, alunos, pais e a comunidade, pois sabemos que um Estado que paga melhor seus professores tem preocupação com a educação. Ainda falta o atendimento de muitos outros itens, porque a Educação no Pará não anda bem das pernas. Existem escolas que há quase duas décadas não sofrem reformas. Nos municípios mais distantes, ou mesmo nas periferias de Belém, há escolas que não têm banheiro, o telhado está esburacado e, se duvidar, falta até giz. O aluno, que é o sujeito da questão, muitas vezes só conta com a boa vontade do professor. Mas, boa vontade não compra livros, nem bibliotecas, nem constrói prédios. Quem acompanha a luta e a caminhada dos professores no Brasil vai ver que eles andam meio tristes, desanimados com os rumos da educação. Os professores sabem que as próximas gerações vão sofrer as consequências da realidade atual.

    A Educação no Brasil, além de necessitar urgentemente de pagar melhor seus professores, deve estar preocupada com as condições das escolas e com a atualização dos profissionais. Não há mais como, nos dias atuais, o professor trabalhar apenas com um quadro negro e o giz. Esse quadro negro já está ultrapassado há décadas, no mundo todo. A era da informática nos dá notícias atualizadas de minuto em minuto. É preciso preparar os professores, equipar as escolas, dar condições de trabalho ao professor. Se um professor ganha melhor, trabalha mais feliz. Pode comprar seus equipamentos modernos, ler e viajar mais e assim adquirir mais conhecimento, mais informação para transmitir em sala de aula. É preciso investir em tecnologia.

    Outra questão urgente é trabalhar com a sociedade para colaborar com o governo e outras instituições na vigilância constante das condições das escolas. Todos nós sabemos que a educação está acima de qualquer outro fator para o crescimento do homem. Então, a sociedade deve estar atenta quanto à segurança, às condições de higiene das escolas, a uma qualidade melhor do ensino e à inclusão das escolas no mundo contemporâneo para preparar profissionais qualificados para o mercado de trabalho.

    Já governei o Estado por duas vezes, e todos sabem o quanto eu sou preocupado com a educação. No meu governo, implantei o Estatuto do Magistério e fiz o que pude fazer de melhor pela educação. Muitas ações do meu governo continuam a beneficiar até hoje professores e alunos da rede pública. Interiorizei o ensino superior em convênio com a UFPA e criei a Universidade do Estado do Pará que teve polos implantados nas diversas regiões do Estado. O Sistema Modular da Secretaria de Educação, nos meus governos, levou o 2º grau para o interior, onde os alunos estudavam em etapas até que todo o currículo fosse cumprido. O maior salário-aula do 2º grau no Brasil estava aqui no Pará.

    É ISSO AÍ COLEGAS, VAMOS EMBORA PARA O ESTADO DO PARÁ. TRABALHAR ATÉ 40 HORAS SEMANAIS PARA RECEBER MAIS DE R$ 3.500,00 É UM BOM COMEÇO.

    ResponderExcluir
  126. Tudo pistoleiro, corrupto e sem vergonha! Contem seus dias Danilo de Castro e demais 50 deputados de mentira, de araque! Está chegando o final de tanta vagabundagem!
    Se depender da região norte, Anastasia, Aécio, José Serra e esse bando de canalhas perderão as eleições, porque aqui eles não ganharam e nem ganharão.
    Agora vamos acabar também com a política vergonhosa da tal deputada Ana Maria, do tal Gil Pereira e do capitão do mato Luiz Henrique! Basta de patifes cuidando dos bens públicos!

    ResponderExcluir
  127. Quem pode me informar o endereço eletrônico para pesquisa mês a mês FUNDEB? Por favor é só colocar aqui no blog.
    atenciosamente ,

    ResponderExcluir
  128. http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=198939,OTE&IdCanal=

    ResponderExcluir