terça-feira, 4 de junho de 2013

Sem luta, sem mobilização, sem greve, os salários dos professores-de-Minas continuarão congelados até 2088, ou mais


Sem luta, sem mobilização, sem greve, os salários dos professores-de-Minas continuarão congelados até 2088, ou mais

Minas é o estado-país que não cumpre a lei federal e não paga a lei do piso, instituída em 2008. E não cumpre a lei em função da conivência generalizada dos outros poderes, conforme já tivemos a oportunidade de denunciar. Mas, existe um outro fator, que contribui para que o governo de Minas trate, ou melhor, destrate a categoria dos educadores da forma como faz. No fundo, nos últimos 10 anos os governantes mineiros criaram uma "cultura" - se é que podemos chamar assim - da destruição da carreira do magistério. Apostou na divisão, na opressão, na cobrança e no tratamento de choque contra os professores e demais educadores. E isso tem uma razão de ser, que vou explicar em seguida.

Do avô do faraó até a gestão do seu neto e afilhado, Minas passou por tantos desgovernos que simplesmente quebrou. Na verdade, já de longa data, Minas é um estado quebrado, mas que sobrevive pela generosidade das riquezas materiais/minerais/quase naturais arrancadas e doadas para grupos nacionais e estrangeiros, com pouco ou nenhum retorno para a maioria dos mineiros. Sobrevive também em função da generosidade dos trabalhadores dessa terra, incluindo os servidores, e mais ainda os educadores, que são verdadeiros heróis, embora não tenham o reconhecimento devido por partes dos desgovernos que passaram por Minas, incluindo o atual.

Até então, ou seja, da gestão do avô do faraó até o primeiro reinado do seu neto, os governos lidavam com a quebradeira do estado mineiro de forma desarticulada, ao sabor de promessas eleitorais, que eram jogadas para o governo seguinte, que por sua vez jogava para o próximo, e vez ou outra concediam alguma vantagem aos servidores, em função das renhidas lutas travadas.

Contudo, foi na longa gestão do neto do faraó e seu afilhado que se iniciou um modelo sistemático e permanente de destruição da carreira dos educadores. Mas, isso não aconteceu por acaso, simplesmente pelo fato, por exemplo, de que os governantes talvez tivessem algum trauma de infância em relação aos professores. Não. Não se trata de um capricho dessa natureza. Trata-se, isso sim, do cumprimento de um projeto político neoliberal de gestão, voltado para servir a determinados grupos - como: empreiteiros e banqueiros, com agrados às altas esferas dos poderes constituídos. Tratou-se de uma opção política: entre transformar o estado num instrumento capaz de prestar serviços de qualidade para a população de baixa renda - investindo mais e melhor em Educação e saúde, por exemplo; ou transformar o estado num instrumento a serviço das elites, financiando a voraz ganância dos grupos empresariais, obviamente o governo de Minas optou pela segunda. E o fez de forma sistemática, planejada, quase cientificamente, através do chamado choque de gestão, que nada mais é  do que um grande choque de confisco salarial dos servidores públicos, especialmente dos educadores.

E por que os educadores mereceram essa atenção especial por parte do governo? Por uma razão óbvia: é a categoria mais numerosa do estado, e por isso, a que "custa" mais aos cofres públicos; é a categoria que dá as maiores "despesas" (com aspas, pois para o governo neoliberal, investir em educação é visto como despesa), mesmo com o minguado salário pago pelo governo. Os educadores representam entre 60 e 70% de toda a mão de obra do estado mineiro - são (somos) 400 mil educadores, entre os da ativa e os aposentados. Na cabeça neoliberal dos governantes mineiros, proporcionar alguma política salarial decente para os educadores representaria a quase incapacidade de colocar em prática o seu projeto de "investir" nas obras faraônicas, nas cidades administrativas, nas linhas verdes e estádios de futebol da vida. Nas obras que ficam expostas, do concreto formado de areia e cimento e brita, que fazem os cidadãos menos avisados babarem de orgulho, enquanto permanecem cegos frente ao descaso do governo para com as obras que não aparecem concretamente de imediato, como a educação das pessoas, ou a saúde pública. Além disso, grandes obras faraônicas são o caminho aberto para grandes negociatas. Já o que é investido com os salários dos professores, não. Isso é distribuir renda para um número maior de pessoas, e essa gente não é muito chegada na ideia de distribuição de renda para as grandes maiorias exploradas.

Pressionado pela Lei do Piso aprovado em 2008, que, se colocada em prática retiraria alguns bilhões de reais dos recursos hoje usados para os projetos citados, o governo deu logo um jeito de instituir o subsídio, que nada mais é, como já expliquei inúmeras vezes aqui no blog, a forma mágica e grosseira de burlar a Lei do Piso.

Mas, as consequências nefastas desse projeto, cercado por um escandaloso e espalhafatoso e espetaculoso esquema midiático, resultaram na destruição das carreiras dos educadores de Minas. E mais do que isso: na destruição da perspectiva, por parte de boa parte da categoria, de continuar sonhando com uma realidade melhor para a profissão que escolheram. Os professores de Minas hoje estão convencidos de que não há horizonte para a carreira do magistério em Minas e no Brasil. E essa talvez tenha sido a pior consequência da obra implantada a partir da gestão de choque do faraó e seu afilhado. Roubar o sonho dos educadores é pior até do que roubar o piso salarial, que esse, com luta, se conquista.

E digo isso porque tenho percebido um estado de letargia por parte de boa parte da categoria dos educadores. Na minha escola, por exemplo, quando eu falo em greve, as pessoas mostram um total ceticismo, desânimo, descrença. Não se trata somente de temer ao corte de salário, coisa corriqueira por parte desse governo, mas de não acreditar mais no presente e no futuro da carreira do magistério.

Os educadores, em função da gestão de cortes, achatamentos, pressão psicológica, cobranças, descaso, confisco, cortes de quase todos os direitos, tudo somado, por anos a fio, somando-se ainda os baixos salários e as péssimas condições de trabalho, resultaram nisso, numa cultura da apatia, da descrença, do desânimo em relação a essa carreira tão importante, que é a do magistério.

Hoje mesmo, quando conversei com alguns colegas, que foram sondados pela direção da escola - a pedido da Secretaria da Educação, segundo disseram -, sobre a possível adesão à paralisação do dia 05, ouvi somente desânimo. Eu lhes disse claramente que participaria, mesmo não acreditando na forma de condução da greve pela direção sindical, e mesmo sabendo da retaliação por parte do governo. E disse para todos eles: sem luta, nosso salário ficará congelado até 2088.

Mas, a verdade é que as pessoas estão descrentes, estão insatisfeitas, e essa insatisfação não é transformada em revolta, mas em apatia. E com esse estado de espírito, alimentado durante anos pelas políticas de estado, não se conseguirá nada além de sofrimento, salário congelado, e muita decepção. É verdade que temos uma parcela da categoria que é muito desinformada, acomodada, despolitizada, no pior sentido. Sabe apenas falar besteirol e da vida alheia. Mas, isso é consequência de toda uma cultura que as elites dominantes se esforçam para reproduzi-la, evitando que os de baixo se organizem, assumam uma consciência de classe, e lutem por seus direitos. Contudo, a categoria também tem uma fração muito avançada, politicamente falando, que é capaz de erguer barricadas e enfrentar o inimigo com muita valentia, como já deu provas disso em inúmeras oportunidades. Mas, mesmo essa fração mais avançada da categoria está desmotivada; o nosso bravo NDG, boa parte dele, pelo menos, encontra-se desmotivada. E sem a presença atuante dessa aguerrida turma não há greve. Foi ela quem sustentou a greve de 112 dias em 2011. Marly, Ivete, Rômulo, Martinho, André Buzina, Diógenes, Gracieuza, Flávio, Petrus, Cláudia Luiza, só para citar alguns/algumas, e dezenas e mais dezenas de outros e outras bravos/as combatentes foram o fermento da luta que se alastrou num dado momento por toda Minas Gerais.

Sei que é necessário retomar o movimento de luta e resistência. Sei que o sindicato, ou o comando do sindicato, é insuficiente, e eles, contribuindo indiretamente com o governo, têm pouca humildade para convidar os diferentes da base da categoria para construir algo novo. E este algo novo pode ser a velha e boa greve, conquista histórica e direito constitucional dos trabalhadores, mas que precisa ser melhor organizada, e combinada com outras formas de mobilização, como a nossa combativa colega professora Marly Gribel - uma das poucas lideranças que pensam a nossa luta de uma forma mais ampla - tem sugerido em seu blog (menos no papel que generosamente ela atribui a mim, quando na verdade precisamos mais de uma liderança coletiva, somando os esforços das muitas lideranças dos educadores).

Em suma, podemos enumerar as coisas da seguinte forma: 1) Minas é um estado quebrado. Ponto; 2) apesar disso, ainda tem recursos para investir, mas não de forma geral, havendo necessidade de fazer escolhas; 3) os governantes de Minas, especialmente a partir da gestão do faraó e afilhado, escolheram investir mais fortemente para servir aos de cima - empreiteiros, banqueiros, e um pouquinho, só um pouquinho mais, na PM, para garantir a retaguarda na possível repressão aos professores em greve (a lógica do governo era exatamente essa: se vamos cortar salários dos professores, haverá luta, resistência; logo, é preciso pagar um pouco melhor aos policiais, para reprimir esses movimentos. Talvez o governo agora esteja arrependido, pois nem tanto movimento houve, e eles, no pensamento neoliberal, poderiam ter acumulado um pouco mais de dinheiro para os empreiteiros, se tivessem dado um reajuste menor de salário para os policiais. Não que estes não merecessem até mais, mas o que estou trazendo aqui é apenas um possível raciocínio de uma mente neoliberal); 4) ante a tudo isso, os professores deixaram de sonhar, e estão apáticos, em busca de outra carreira, ou de se aposentarem, ou de deixarem o tempo passar, até que a morte os (nos) separe da nossa carreira; 5) e por último, reafirmo o que disse para os meus colegas: se não lutarmos, o salário dos educadores ficará congelado... até 2088, ou mais!

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

                               ***

197 comentários:

  1. José Alfredo Junqueira4 de junho de 2013 07:18

    Resumindo,fomos transformados em uma mistura de babás com carcereiros,as escolas em creches de marmanjos.Então vamos admitir isto?Que somos babaceiros?Ou somos carbabás?Ou vamos à luta recuperar a dignidade?

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Com transporte, alimentação e "tutores" as creches de adolescente, "escolas"...
      A sociedade fica cega diante de uma EDUCAÇÃO em baixa constante e acentuada.

      Quando perceberem já será tarde demais.

      GOVERNO DO PSDB faz isso com as pessoas.

      MENTIRAS, HIPOCRISIAS, FALSIDADE E PRINCIPALMENTE DESVALORIZAÇÃO DAS PESSOAS.

      AOS PROFESSORES, AS MIGALHAS.

      Excluir
    2. Nossa luta é e tem que ser do bom combate, política. Usar inteligência fazer nosso aluno de E.Médio e do Grêmio trabalhar conosco, repudiando esse Reinventando E.MEDIO...e todas as babaquices. Mostrando nossa quadra, biblioteca, sala de informática, inexistentes, aos pais para que eles usem o rádio de suas cidades. Comissão de pais e grupo dos bairros do entorno. Há muita luta, mas, se prefere cruzar os braços nesta greve, que nem explicada p/o aluno é. Só se cria indignação dos pais, pq os filhos certamente entrarão em desvantagem nas provas de ENEM, Cefet, etc. Falei hj várias vezes, alguém tem que ouvir. NUNCA MAIS faço greve até ir embora de vez.Tenho 20 anos , só em MG, de trabalho, e mais um bocado em outro estado.Já fiz todas as greves e fui do sindicato, cheguei a conclusão que temos de mudar a estratégia se quisermos ser mais rápidos, ou esperar, o TEMPO nos mostrará.

      Excluir
  2. Euler, com a maestria de sempre, você escreveu tudo que venho tentando explicar sobre a atual gestão (indigesta para os menos favorecidos) de Minas Gerais. No que se refere à educação, com alguns agravantes: o resultado do SIMAVE 2012 caiu muito, o que pode significar que a ação do PIP não foi eficiente, daí eles estarem em cima dos professores de Língua Portuguesa e Matemática, engessando nossas ações. Encontros e mais encontros com gestores e afins, em lugares bem confortáveis, e até com extras como visita à cidade administrativa, assim eles voltam para a escola de chibata na mão. Tablets para os professores do Reinventando o Ensino Médio... A Secretária zombando da nossa capacidade de mobilização, e com razão: o que ela fez foi expor a confiança nos seus métodos de divisão da categoria e de se impor perante a categoria submissa e letárgica. Quase choro, mas não o faço, eu luto.

    ResponderExcluir
  3. Tenho 29 anos de Estado e 49 de idade. Estou afastado da docência há dois anos. Não tenho nenhuma perspectiva de melhoras na educação. Basta. Chega. Até quando iremos ficar omissos? Quando houver o extermínio da categoria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu aposto nisso que vc diz. Qdo Cristovão Buarque fala na Federalização, eu acho graça, pq só os professores federais podem ter salários dignos? Pq o Estado é corrupto, faz propaganda c/educação e tira o corpo fora.
      Enquanto não mostrarmos a pais e alunos a verdade, não existe greve que leve a alguma coisa. Eles conseguiram desunir a categoria com contratos , lei 100 e tudo de sacanagem possivel. Leia UOL hoje e entenderá.
      Acho que só o tempo...

      Excluir
  4. Professor: uma profissão em extinção. Culpa de quem? de quem?
    Estamos órfãos e sem nenhuma perspectiva de melhoras. Até quando? Estou no Estado há 29 anos e fora da docência e vejo o que padece um professor. Será que existirá uma luz no fim do túnel?



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, alunos e pais engajados no processo, quando entrarem na faculdade e mal souberem ler e calcular.

      Excluir
  5. Engraçado é que para conceder o reajuste salarial dos(as) professores(as) não tem verba mas,o pessoal da ALMG vive votando seus aumentos de "subsídios",fora o pessoal do TJMG e outras categorias que estão com a caneta nas mãos.É hora de dar um BASTA nessa bandalheira,nessa hipocrisia.Não suporto ver a cara do "faraó" na televisão se auto-promovendo,mostrando suas mentiras de gestão de MG para o Brasil,me embrulha o estômago,aliás,viro o canal quando ele aparece.
    Está na hora de começarmos a minar a candidatura dele mostrando a verdade,mesmo que pra isso tenhamos que pedirmos apoio a colegas de outros estados na divulgação da realidade em MG.Ano que vem teremos copa do mundo (no Brasil)e eleições.O que vocês acham que dói mais para um mentiroso?Um "faraó"?
    Certamente a sua desmoralização em âmbito nacional,a queda de sua máscara.
    A luta continua companheiros(as)!
    Meu fraterno abraço a todos(as) e,estou aqui fazendo a minha parte.Até a vitória !
    Solange F.

    ResponderExcluir
  6. Caro Euler, texto muito bom, mas se continuar como está, em 2088 não haverá mais Educação.

    Tenho 12 anos de Estado e ví tantas mudanças para pior, que abaixo sua estimativa para 2030.
    sem um verdadeiro choque, mas é choque para melhor, não o choque de indigestão não, ficará a cada dia pior.
    Ex.: Na escola que trabalho, há uns anos atrás, todos eram monilizados, hoje entram na sala de aula e nem sei se está dando alguma coisa.

    Desmotivação total

    Sem falar que não estamos achando profissionais para ocupar vagas dos que saem.

    Como haverá Educação sem substituição dos que aposentarão?

    ResponderExcluir
  7. É minha gente, estamos no fundo do poço. Esperar o tempo passar para aposentar.... Escolher outra carreira... São essas as opções. Observaram como a Lei para as domésticas será regulamentada rapidinho?
    E para os profesores as Leis caem no esquecimento e nunca será cumprida? O descaso com o magistério é uma situação que foge ao meu entendimento. Professor que mora nas cidades maiores e que são arrimo de família moram onde? Compram remédios?
    É de doer. Em 42 anos que trabalho na educação nunca vi uma situação igual a essa. Quando iremos reagir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando alguns babacas resolverem a se juntar com a turma de luta.Aqui em Minas é assim, uma parte luta,a outra ri e ainda recebe o que for conseguido.Enquanto não parar geral, nada vai resolver.

      Excluir
  8. Tem razão do resultado do Simave cair. Cobram muito de nós, mas não nos valorizam . Com isso , ninguém mais quer ingressar na carreira de professor. Sou Professora de Matemática há 12 anos. Agora na escola onde trabalho apenas eu sou habilitada . Os outros 4 que começaram este ano três estão fazendo "bico", pois são estudantes de engenharia . A outra é formada em administração e como está desempregada na sua área, também está fazendo um "bico". Nenhum deles tem a responsabilidade que eu . Também não sofre a mesma cobrança , afinal,como disse a diretora, não tem como, pois não acha professor.

    ResponderExcluir
  9. Em Montes Claros nem houve cogitação por paralização. Se agarram a esmola que recebem e estão gratos por isso. Triste fim de carreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha Escola vai parar em MOC. Força na luta.

      Excluir
  10. E a GREVE não vai acontecer? O que estamos esperando?

    ResponderExcluir
  11. Prezados!!! Paz e Bem!!! O que estamos fazendo, não traz nenhuma consequencia para esta classe política que está administrando nosso estdo hoje. O que precisamos fazer é:
    1. Trazer os pais para nosso lado, como?: Não fazendo greve que prejudiquem nossos alunos.
    2. Precisamos tomar vergonha na cara e sabotar as provas do Estado, mostrando à eles que podemos ser, fortes sendo inteligentes e não prejudicando os outros.
    3. Somos pais também e não queremos ver nossos filhos sendo prejudicados, por isso colocamos nossos filhos em escolas particulares, na maioria das vezes, então não devemos querer para os outros o que não queremos para nós mesmos.
    4. É preciso ter coragem sim, para lutar por nossas carreiras, mas as estratégias precisam ser outras. INTELIGÊNCIA E SABEDORIA. SOMOS CAPAZES DE LUTAR, MAS PRECISAMOS TRAZER A OPINIÃO PÚBLICA PARA O NOSSO LADO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quando as avaliações externas tiverem maus resultados, assumir: fomos nós, professores, que fizemos greve branca e boicotamos os índices, para mostrar ao governo que categoria insatisfeita, resulta em resultado ruim. Melhorem nossos salários, nos respeitem, e os índices voltarão a subirrrrrr

      Excluir

  12. http://www.brasil247.com/pt/247/economia/104131/Pessimistas-perdem-outra-ind%C3%BAstria-cresceu-18.htm

    ResponderExcluir
  13. Como sempre voce está certo. E, outro dia, um amigo de São Paulo disse que eles estão pensando que o faraó mineiro é uma boa opção, eles acreditam que ele fez um ótimo governo em Minas. Vamos todos através das redes sociais mostrar a realidade aos paulistas, aos paulistanos e a todos que pudermos pois corremos o risco de acreditarem na propaganda veiculada na tv. Uma realidade que só quem sente na pele sabe !!! Greve sim! O que temos a perder? Já pensaram se ele for eleito presidente? Só pra saber, meu amigo é bancario, e todos que discutiam são pessoas preocupadas mas sem informação da mídia não tem como não acreditar no "bom moço"!

    ResponderExcluir
  14. DÔ A CARA A TAPA SE GOVERNO NÃO LAVA DINHEIRO COM O SIMADE

    PROGRAMA RUIM, LENTO, 30 MIM PARA FAZER UMA SIMPLES MATRICULA E ENTURMAÇÃO.

    COM O DINHEIRO GASTO ATÉ HOJE E COM MANUTENÇÃO, APOSTO QUE DÁ PARA COMPRAR UMAS 100 CÓPIAS DOS MELHORES SOFTWARES DO MERCADO PARA CADA ESCOLA.

    ResponderExcluir
  15. E estas bandidos ainda querem continuar no poder.Sacanagens............

    ResponderExcluir
  16. Euler,

    Parabéns pelo seu texto. Estou aqui na escola agora a tarde e na hora do recreio fez-se uma votação e decidimos parar amanhã.
    A companheira que tomou a palavra disse que temos que mostrar a esse governador que somos ainda uma classe capaz de se mobilizar. Disse ainda que pelas escolas se vê o quadro de pauperização dos professores: docentes que só comem na escola, professores que não tem dinheiro para o transporte, tendo que andar a pé ou de bicicleta, enfim, uma classe que agoniza.
    Tenho certeza que a exemplo de nossa escola, milhares de escolas amanhã não funcionarão em Minas.
    E se for decidido na assembleia de amanhã que entraremos em greve, que a façamos bravamente para desmascarar esse governo mentiroso que através da mídia apresenta a educação de Minas como a melhor do Brasil. Discurso esse que já é usado pelo pré-candidato a presidência da república Aécio Neves.

    Vamos todos unidos!

    ResponderExcluir
  17. O 'SINDINÚTIL" É A CÓPIA DO PROFESSOR ESTADUAL DE MINAS GERAIS
    O texto do professor Euler foi muito esclarecedor, mostrando com exemplos muito claros a situação vergonhosa do professor estadual de Minas Gerais.

    E o pior disso tudo, é saber que todos, inclusive nós, professores, sabemos muito bem como mudar este quadro. Entretanto, a categoria está tão debilitada e sem forças de reagir, que, a maioria dos professores não vê na greve como nosso única saída possível para virarmos este jogo.

    Temos aí uma assembléia com indicativo de greve marcada para esta semana. Entretanto, poucos são os professores que deixarão de dar aulas para aderirem ao movimento grevista. Assim, mesmo que sejamos críticos ferrenhos do "sindinútil", temos de aceitar que se o professor não aderir ao movimento grevista, nenhum sindicato conseguirá fazer nada. De fato, o "sindinútil" é a cópia fiel do professor estadual de Minas Gerais: apático, desmotivado, inseguro, sem perspectiva, medroso, covarde, e fraco.

    Portanto, se queremos um sindicato forte, que nós mesmos mostremos nossa cara ao aderirmos ao movimento grevista, até à vitória...

    Reiterando o que sempre escrevo aqui: se tivermos de imediato uma adesão de 20% do professorado mineiro ao movimento grevista, chegando no seu ápice a aproximadamente 50%, ganhamos esta guerra.

    Do contrário, é chorar e lamentar.

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "o "sindinútil" é a cópia fiel do professor estadual de Minas Gerais: apático, desmotivado, inseguro, sem perspectiva, medroso, covarde, e fraco."
      Muito pelo contrário, o professor é que copiou do diretório estadual do sindinútil-MG a sua covardia (quando debandou os grevistas em 2010 /enfraquecendo a greve 2011); a fraqueza (de conseguir perder a maioria das bandeiras que levantou a ponto da Gazola desafiar a entidade a mobilizar greve agora), e a peleguice. O próprio sindicato enfraqueceu os sindicalizados: desmotivando-os, passando insegurança e medo. Se a categoria já era fraca, agora é inapetente e apática, e isso é o resultado de um processo histórico de uma luta de classe adestrada em perder, em sofrer fracassos sucessivos, graças a essa diretoria que sempre dá aos finais de movimento o mesmo desfecho: NADA! porque essa diretoria que está aí, é pelega.

      Excluir
  18. É uma pena que uma categoria formadora de opinião esteja doente dessa forma. Precisamos buscar formas para despertarmos dessa letargia e ir a luta. "Uma andorinha sozinha não faz verão."

    ResponderExcluir
  19. Euler, se eles dão choque na gente nós devemos dar o choque neles ao verificarem que não há aprovação dos alunos no final do ano e como vão admitir novos alunos se não há vagas nas escolas. Chamo isto de "greve padrão", como os policiais federais, que cumprem o que diz as Leis, Decretos, Resoluções, etc, que o ensino deve ser de qualidade e sendo assim, poucos alunos irão passar de ano se os professores cumprirem o que está escrito. Devemos evitar o "empurra" de alunos para os anos seguintes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bacana a ideia Moysés! Leciono em Santa Luzia desde 2004 e ano passado no noturno tivemos uma média de 30% reprovações com pico de 50% no 2o ano do ensino médio. A SRE "estranhou" tais índices mas nada de oficial chegou a não ser o resultado sofrivel no acordo de resultados SEE Seplag Governo. Mas é isso aí, números são mais bem quistos do que virtudes...affff

      Excluir
  20. Querido amigo Euler,

    Há muito tempo não escrevo em seu (nosso) glorioso Blog. É a mesma, batida, mas verdadeira desculpa de sempre: acúmulo de tarefas políticas, além dos dois cargos públicos como professor da educação básica.

    Amanhã, dia 05 de junho, é dia de paralisação com indicativo de greve na Rede Estadual. Como sempre vou aderir, e às 09hs já estarei no CREA para a reunião do Conselho Geral. Será um dia de luta ao lado dos bravos educadores de Minas.

    A conjuntura não é a das mais favoráveis, o amigo já salientou bem em seu último texto. Sinceramente, defenderei no Conselho que precisamos sentir a atual força da categoria, não podemos descartar o atual quadro de desânimo que se abate em uma boa parte de educadores. Não defenderei uma Greve de Vanguarda, como defendi em 2008. Não estou sendo pelego e nem recuado, só tenho aprendido com a vida e com o correr das lutas.

    Para os revolucionários e lutadores sociais a greve não é um principio, a luta sim é um principio. E a greve é uma das várias formas de luta. O momento é de paciência, precisamos resgatar a força de luta da nossa brava categoria e através da força em cada escola.

    O governo faz o dia D. Façamos o nosso. Mas não só um dia, mas uma semana, quiçá uma jornada de vários dias de mobilizações de dialogo com a comunidade escolar.

    Suspender as aulas depois do recreio e juntar todos da escola pra discutir a realidade da educação.

    Se o coletivo votar pela greve, logicamente que vou aderir. Mas essas são minhas reflexões.

    ResponderExcluir
  21. temos que lutar! amanha vamos votar todos por uma greve geral e irrestrita. bravo post comandante Euler. Greve contra Anastásia! Greve contra Aécio! Greve contra o PSDB!
    POR UMA EDUCAÇÃO DE VERDADE!
    VIVA A REVOLUÇÃO!

    ResponderExcluir
  22. Covardia

    http://www.blogdogusmao.com.br/v1/2009/11/01/aecio-neves-da-empurrao-e-um-tapa-em-sua-acompanhante/

    ResponderExcluir
  23. Ai!!!... que desânimo de novo Beatriz e aquela enrolação... cruz credo desfaz da capacidade pensante do professor , já está embromando a um mês, reunião com secretária não deu em nada.É GENTE RECLAMO XINGO MAIS VOU A LUTA DE NOVO, E QUER SABER MAIS!!VAMOS TER FÉ E ESPERANÇA " ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA TANTO BATE ATÉ QUE FURA" tô CHEGANDO PRO QUE DER E VIER.Maria TRIANGULO MINEIRO

    ResponderExcluir
  24. Tô na área, Tô chegando no maior pique.Eu confio na capacidade do PROFESSOR MINEIRO e principalmente em mim.Maria , me aguardem...

    ResponderExcluir
  25. correria é tanta, rsss...que esqueci de assinar o post: Rômulo

    ResponderExcluir

  26. PL do Senado reduz prazo para contrato temporário de professor

    04/06/2013 15h01 Fonte: site uol

    Qualquer cidadão poderá exigir a realização de concurso público para preenchimento de cargo de professor de escola pública ocupado, por mais de dois anos, por profissional não concursado. Esta possibilidade está sendo aberta por projeto de lei do Senado (PLS 313/2012) aprovado, nesta terça-feira (4), pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte. A proposta será ainda votada em caráter terminativo pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o fim da lei 100. Agora é só entrar na justiça, de forma massista, para as vagas aparecerem. Efetivados, façam greve pelo direito de aposentarem-se no pelo INSS. Anastasia já depositou a contribuição????

      Excluir
    2. Carioca arrependido.5 de junho de 2013 10:54

      Pleno - Adiada decisão sobre prazo para substituir servidores sem concurso no Acre

      http://www.youtube.com/watch?v=Swg7bFrYmwk

      Excluir

  27. Menos de 1% das escolas brasileiras têm infraestrutura ideal

    Do UOL,
    04/06/201309h41

    Apenas 0,6% das escolas brasileiras têm infraestrutura próxima da ideal para o ensino, isto é, têm biblioteca, laboratório de informática, quadra esportiva, laboratório de ciências e dependências adequadas para atender a estudantes com necessidades básicas. O nível infraestrutura avançada inclui os itens considerados mínimos pelo CAQi (Custo Aluno Qualidade Inicial), índice elaborado pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós na escola não temos nenhum dos ítens básicos necessários,e no mesmo artigo fala da quantidade absurdo de professores temporários, e aí fala-se em greve. Pra quê? Como, com a classe aqui em MG ou de temporários ou efetivados pela L.100 maior que de efetivos, esqueceram?
      Quando nada mais tiver jeito e nossos alunos começarem a cobrar e seus pais, aí talvez alguma coisa mude. Quando o ENEM for o fracasso nas cotas...Enfim haverá a hora que sem a greve as coisas mudarão, mas, com a greve mudamos só nós, e nosso desgaste. A certeza é que sairemos um a um, dos que tem para onde ir e o último , se sobrar apagará as luzes.Desânimo? Não, a certeza da luta que iremos ganhar, mas, não rápido, isso nunca.

      Excluir
  28. Porta-voz de Aécio já fala em desistência da candidatura à presidência(Novo Jornal)
    "Se o PSDB de São Paulo, com os recursos conhecidos, impedir a marcha de Aécio, ele pode retornar às suas inexpugnáveis montanhas, e ao Palácio da Liberdade"

    Conhecido por sua proximidade e influência sobre o senador Aécio Neves, o jornalista Mauro Santayana publicou no último dia 26 editorial no Jornal do Brasil sobre o comportamento do PSDB paulista em relação à pretendida candidatura de Aécio a presidência, sinalizando com a possibilidade de Aécio, em vez de se candidatar a presidente, disputar o governo de Minas em 2014.

    Tido como o interlocutor dos interesses de Aécio com setores da imprensa, Santayana vem sendo há quase dois anos acusado de estar a serviço da irmã do senador, Andréa Neves, na distribuição de matérias e até mesmo “verbas” para seus colegas da imprensa nacional.

    Embora tenha ocupado diversos cargos de confiança no governo de Minas, seu último trabalho oficial para Andréa ocorreu nas comemorações do centenário de Tancredo, na organização da coletânea de discursos do ex-presidente.

    ResponderExcluir
  29. Na Europa se fala muito em política de austeridade, e claro, devido a uma crise enorme que assola todo o continente ou quem sabe de forma mais branda em todo mundo. Mas cá pra nós, aqui em Minas com a gestão do faraó e seu afilhado já vivemos uma política de austeridade há muito tempo. Engraçado que mesmo sem dinheiro se constrói estádios, cidades administrativas a ainda se gasta bilhões em campanhas políticas, kkk. O estado está quebrado para nós, pobres, povo e servidores, principalmente os da educação. Para os de cima, os que estão de terno e gravata e fechados em gabinetes com ar condicionado a coisa nunca é ruim, nunca se fala em greve, nunca se ouve reclamações e sempre quando indagados sobre alguma política de governo eles logo falam que tá tudo bem e melhorando, kkk. E o pior é que no fim de semana os estádios lotam e nas eleições todos votam e depois todos reclamam... Quanta alienação gente, que isso. Isso é Brasil, ou melhor, Minas Gerais. E olha que foi aqui nesta terra que um dia um tal de tiradentes tentou nos livrar da exploração da metrópole heim... Hoje em dia não há mais "tiradentes" e todos têm medo de fazer uma pequenina greve, mesmo que seja de apenas alguns dias.

    ResponderExcluir
  30. Eu não acredito em estado quebrado... O próprio governo as vezes joga esta notícia de estado quebrado exatamente para os servidores desanimarem de fazer greves contra o governo. Sempre quando se começa a falar em greve logo vem comentários que o estado está quebrado. Eu como servidor há 13 anos sempre ouvi dizer que o estado está quebrado e vou continuar ouvindo a vida inteira. Gente, dinheiro tem demais, tem tanto que ele nem investe os 25% que é obrigado a investir na educação. Já pensou se investisse os 25%? A saúde é a mesma coisa, o governo não investe o percentual exigido na constituição. Por aí vemos que dinheiro tem mas é mal administrado. Vocês já pararam pra pensar o quanto o estado arrecada apenas com a cemig? E com a copasa? Gente o estado arrecada cifras elevadíssimas, astronômicas. Mas, como Euler disse, este dinheiro vai para os banqueiros, empreiteiros e assim por diante. Gente, dinheiro tem de sobra pois a arrecadação de impostos no Brasil é uma das maiores DO MUNDO. O que existe é uma má administração e de propósito é claro.

    ResponderExcluir
  31. Em reunião na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa segunda-feira (03/06), sindicalistas reclamaram da atitude do Governo do Estado de tentar cercear a atuação das entidades que lutam pelos direitos dos trabalhadores. A motivação para o debate ocorreu em função de um processo judicial movido pelos tucanos contra a campanha publicitária do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual (Sindifisco).

    De acordo com o presidente do Sindifisco, Lindolfo Fernandes de Castro, as peças publicitárias que foram questionadas na justiça pelo governo de Minas foram fundamentadas em três eixos: primeiro, a categoria cobra do governo a realização do concurso público para auditores fiscais. O segundo eixo que fundamenta a campanha diz respeito à concessão de benefícios fiscais a empresas privadas. De acordo com Lindolfo, parte desses benefícios concedidos são ilegais. O último ponto abordado na campanha critica a fiscalização de tributos estaduais, o que seria ineficiente. As peças publicitárias evidenciam que a Secretaria de Estado de Fazenda estaria adotando medidas para enfraquecer a fiscalização, como o fechamento de postos fiscais.

    E a intolerância do governo Aécio/Anastasia também prejudica outras categorias. Segundo o coordenador-geral do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores na Indústria Energética e de Gás Combustível (Sindieletro), Jairo Nogueira Filho, as atividades sindicais estão sendo vigiadas e monitoradas por ex-policiais mantidos dentro da Cemig e com altos salários.

    Já a presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG), Beatriz Cerqueira, afirmou ser prática comum o monitoramento dos eventos promovidos pelo Sind-UTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação). O deputado Rogério Correia, autor do requerimento que originou a reunião, reforçou a denúncia da sindicalista e disse que ele mesmo esteve no Sind-UTE onde abordou policiais militares que estavam lá a mando do comando da Policia Militar. “Cheguei a conversar com o comandante da PM sobre isso, mas não tivemos retorno”, afirmou.

    O deputado Durval Ângelo defendeu a liberdade de atuação dos sindicatos. Ele ressaltou que “qualquer atentado à liberdade de organização sindical é um atentado ao Estado Democrático de direito”, disse.

    ResponderExcluir
  32. Síndrome de Burnout já pode ser epidemia na rede estadual de ensino de Minas
    64 mil professores se afastaram das atividades devido à depressão, angústia e desencanto com a profissão
    Do total de 179.727 educadores da rede de ensino do Estado de Minas Gerais, 63.900 (35,5%) se licenciaram em 2012 por problemas de saúde. Do total de licenciados, 30,8% apresentaram sintomas de transtornos mentais. Todos os anos nossa equipe assessora uma ampla pesquisa em toda rede municipal de ensino de São Paulo (Retrato da Rede, organizado pelo SINESP) e constatamos o alto índice de sintomas da Síndrome de Burnout, que articula aspectos de depressão, desencanto com a profissão, desânimo e angústia. Este ano verificamos aumento do índice de sintomas relacionados ao stress, desencadeado pela alta carga de demandas burocráticas, quadro de profissionais incompleto´, baixo grau de apoio das instâncias superiores do sistema educacional (em especial, em relação ao atendimento à adolescentes em liberdade assistida ou portadores de deficiências) e desvio de função.
    Um estudo realizado por Sandra Maria Gasparini, Sandhi Maria Barreto e Ada Ávila Assunção, da UFMG (ver AQUI ) que entre 2001 e 2002, 84,2% dos professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte foram afastados por problemas de saúde. Deste total, 15,3% representavam transtornos mentais.
    Estamos no período de realização das conferências municipais de educação (preparação para a conferência nacional que ocorrerá em fevereiro do próximo ano). Um dos temas é justamente valorização do profissional da educação. Infelizmente, o texto oficial do CONAE 2014 (sigla da conferência nacional) destaca a formação do professor e não as condições de trabalho como essencial para o desempenho da função. Estou participando de várias dessas conferências municipais como palestrante e procuro destacar este problema gravíssimo. Mas, muitas vezes, penso que a educação brasileira já definiu um rumo oficial, absolutamente cravado no administrativismo, com foco na melhoria de resultados estatísticos, com baixa repercussão real na vida dos alunos ou mudança do panorama nas salas de aula. Burocratizamos a educação. Aliás, tema que os professores, diretores de escola e coordenadores pedagógicos destacam como grande vilão do aumento do adoecimento de educadores públicos.

    Publicado pelo professor e sociólogo Rudá Ricci, no seu Blog

    ResponderExcluir

  33. O SindUTE não tem CREDIBILIDADE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O SindUTE somos nós sindicalizados. Fala besteira não.

      Excluir

  34. http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2013/06/a-revolucao-silenciosa-dos-pequenos-provedores-de-banda-larga-3815.html

    ResponderExcluir


  35. Minas

    Notícias

    Esportes

    Pop

    Especiais

    Colunas e Blogs

    Assine

    Edição Digital

    Clube

    Home »
    Notícias »
    Política »
    22/05/2013 23:06 - Atualizado em 22/05/2013 23:06
    PT, PMDB, PCdoB e PRB intensificam oposição a Aécio
    Hoje em Dia


    ANDRE DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO
    Parlamentares mineiros no encontro das bancadas - ANDRE DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO
    Líder do PRB na Câmara, deputado George Hilton (ao fundo), e o ministro Fernando Pimentel (E)

    PT, PMDB, PCdoB e PRB relançaram nesta quarta-feira (22), em Brasília, o bloco suprapartidário nacional e estadual “Minas sem Censura”, de oposição ao projeto político do senador Aécio Neves (PSDB) de chegar à Presidência da República. Para fortalecer o bloco, participaram do lançamento o vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e os ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT) e da Agricultura, Antônio Andrade (PMDB).

    A reunião inaugural do bloco contou ainda com a participação dos senadores do PMDB, Valdir Raupp e Clésio Andrade, e do deputado federal George Hilton (PRB).

    A primeira decisão estratégica do bloco é a repetição, em Minas, da aliança entre PT e PMDB para as eleições de 2014, na sucessão do governador Antonio Anastasia (PSDB). Na Assembleia Legislativa de Minas o bloco já contava ontem com 23 integrantes. “Vamos ter força para implantar CPIs importantes para o Estado e que não tínhamos força”, afirmou o deputado Durval Ângelo (PT), um dos coordenadores do bloco.

    ResponderExcluir
  36. Líderes antitucanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) preparam uma série de ataques ao senador Aécio Neves (PSDB), para minar a sua pré-candidatura à presidência. O plano dos deputados de PT, PMDB, PRB e PCdoB é abrir CPIs e, depois, convocá-lo para depor. O objetivo é colocar sob suspeita as políticas implantadas por Aécio no período em que ele governou o estado, de 2003 a 2010. A primeira CPI, a da Telefonia, foi aberta na terça-feira passada, para investigar os serviços prestados pelas operadoras que atuam em Minas Gerais. Para a oposição, a comissão será a primeira oportunidade de constranger Aécio em seu curral eleitoral, centrando fogo em um programa lançado pelo tucano, o Minas Comunica, que tem a função de levar telefonia aos 853 municípios mineiros. Dos 77 deputados da ALMG, 23 são de oposição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos fazer camisas com emblema PSDB, never
      nunca mais.
      criar frente ante-PSDB, terrorista natos da elite golpista

      Excluir
  37. Já não suporto mais tanta pobreza e dificuldade de cumprir com meus compromissos financeiros. Estou na berlinda para conseguir pagar as contas de final de mês e manter minha família. Quando fiz concurso público há alguns anos, não me informaram no edital que era para viver nesta pindaíba. Há se pudesse voltar no tempo!!!!!!!! Quantas oportunidades perdi em nome deste Estado de lástimas!!!!!!! Não devemos ter nenhuma preocupação ética e moral, pois nossas autoridades não têm conosco. Vamos à luta sem medo de ser feliz!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ética e moral, só com nossos alunos.

      Excluir
  38. Euler e companheiros, estarei lá. Espero que a maioria se conscientize que JUNTOS SOMOS MAIS e vamos conseguir porque a Constituição Federal/Lei 11.738/2008 está do nosso lado. Assistam o vídeo:
    CORAGEM - Rodrigo Coelho
    http://www.youtube.com/watch?v=SGYUsgLK-28

    ResponderExcluir
  39. Na escola que trabalho aqui em Sete Lagoas,adesão total do turno vespertino.29 servidores paralisados,destes 5 auxiliares de serviços gerais, 1 pedagoga , 1 bibliotecária e 22 professores.Só a diretora e a vice para receberem os 480 alunos que não foram dispensados.Força pra elas e muita luz e coragem pra nós educadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sensacional! Ah, se em todas as escolas fosse assim! A realidade da minha é bem diferente, de quase cem servidores, apenas seis paralisados.

      Excluir
    2. Parabéns a estas guerreiras de Sete Lagoas.Vocês merecem ganhar.A vitória está próxima. Só não podemos parar de lutar enquanto ela não chega.Cartão vermelho para quem não colabora com a classe.Estão lutando contra si próprios.É uma pena que ainda tenhamos na nossa classe gente tão covarde.Estes são os que atrasam nossa vitória.Envergonhem-se quando vier algum lucro às custas da nossa luta.

      Excluir
  40. Por favor,alguém pode me orientar:estou no abono permanência,30anos de estado e 49 anos de idade.Posso tirar minhas férias prêmio,tenho 3meses,sem entrar nos 20% autorizados pelo governo?
    A diretora disse que não,mas como não acredito nela,eu acho que posso,a resolução diz que quem preenche os requisitos para aposentadoria pode.Não tenho os 50 anos,mas já recebo abono por ter até mais de30anos de serviço.
    Se acaso eu não puder,perderei estas férias?
    obrigada por me ajudarem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você não tem 50 anos ainda não completou os requisitos. Agende as férias na escola para o ano que vem. Eu perdi dois meses no princípio de 2012, quando as férias estavam suspenas.

      Excluir
    2. Você só poderá usufruir de suas férias prêmio depois que completar 50 anos, porque só aí você terá preenchido todos os requisitos para aposentadoria:tempo e idade.
      Isso aconteceu comigo,esperei completar 50 anos,já tinha mais de 30 de serviço, e entrei com o pedido de férias e fiquei aguardando a publicação do afastamento preliminar "de férias".
      Só de pirraça não perdi minhas férias,além disso ainda recebi o adicional de exigência curricular por mais 2 meses.

      Excluir

    3. Se vc estiver no ano de aposentar sim.

      Excluir
    4. O seu abono permanência foi concedido de forma irregular. Para ter direito ao abono permanência você teria que ter tempo e idade para aposentar. O que significa: 25 anos de contribuição/50 anos de idade.

      A cada semestre é 10%. Você tem o direito de afastar pois você completou o tempo de contribuição para aposentar. Se tiver correto o seu tempo, você não entra no cálculo dos 10%. A resolução nº 8656/2012. "Critérios de Prioridades", se não estiver enganada é o Inciso II.

      Por experiência, não confie em sua diretora. Elas não são deste mundo.

      Excluir
    5. Dependendo do tempo de serviço que você tem, o abono permanência não foi irregular, mesmo não tendo 50 anos.Há cálculos a se fazer. Digo isso, porque o recebi durante uns seis meses antes de meu afastamento preliminar à aposentadoria, que aconteceu no dia seguinte ao meu aniversário de 50 anos.

      Excluir
    6. É condição que o servidor tenha completado tempo de contribuição e idade para ter direito ao abono permanência.

      O valor do abono corresponde ao valor da contribuição previdenciária mensal do servidor que o requerer, desde que tenha cumprido os requisitos para aposentadoria e opte em permanecer em atividade.

      Só há abono permanência para aposentadoria proporcional se adquirido o direito até 30/12/03, edição da Emenda Constitucional 41/2003.

      Neste caso só haverá abono permanência por idade se completada idade até 30/12/03 (homem 65 e mulher 60), acrescido de tempo de contribuição (homem 30 anos e mulher 25 anos) e demais requisitos. Pelas informações da colega acima, não é o caso dela.

      Excluir
  41. Alguém sabe informar sobre a transposição de tempo de serviço de um cargo para outro no momento da aposentadoria?Disseram que este era um benefício que tínhamos e que agora ,com o subsídio, não teremos mais.Não me refiro a tempo paralelo e sim quando o professor tem 2 cargos e no primeiro sobra tempo,isto é,passa de 25 anos e no segundo falta um pouco para os 25 anos e é possível se aposentar dos 2.
    PARALISAÇÃO JÁ...

    ResponderExcluir
  42. Para se divertir:

    Ex-governador e agora senador Aécio Neves tem habilitação apreendida em blitz no Rio

    http://www.youtube.com/watch?v=o3ud0FSQr3c

    AÉCIO NEVES EXPLICA A BLITZ NO RIO

    http://www.youtube.com/watch?v=LXeftKQcT8I

    Tem muitos mais...

    ResponderExcluir
  43. Carioca arrependido.5 de junho de 2013 00:34

    Se não fizer greve não vai adiantar nada...

    Pleno - Adiada decisão sobre prazo para substituir servidores sem concurso no Acre http://www.youtube.com/watch?v=Swg7bFrYmwk

    ResponderExcluir

  44. http://www.novojornal.com/politica/noticia/mensalao-barbosa-escondeu-provas-que-envolviam-marcio-lacerda-04-06-2013.html

    ResponderExcluir
  45. Transposição de tempo existe. sim . Procure a SRE e se informe melhor.

    ResponderExcluir
  46. Boa tarde colegas!

    E aí professorada de Minas? Esqueceram o desafio que a Gazola nos lançou? Que queria ver se a categoria teria força para se mobilizar e se unir para a greve?

    Então, chegou a hora de decepcioná-la não é mesmo?

    Em tempo, para aqueles que têm medo de parar, de atrapalhar o trânsito, de opnião pública, etc. e etc., proponho apenas três ítens para a pauta de reivindicações, para todos pararem juntos, e assim empurrarmos o sindicato (Lembrando colegas, que o Sind-Ute somos nós, todos nós) e arrancarmos o Piso com uma greve rápida e certeira:

    1º) Pagamento do Piso com todas as vantagens adquiridas e o restabelecimento da Carreira;
    2º) Pagamento dos dias parados sem corte de pagamento;
    3) Este acordo homologado na justiça, assinado e carimbado.

    As outras demandas, seriam negociadas depois.

    Ninguém para o trânsito, faz arruaça, quebra-quebra, etc. Nada! Apenas paramos, cruzamos os braços e ficamos sentados, sem reuniões vazias com a secretária. Até que eles sintam que desta vez não não arredaremos o pé, enquanto o acordo não for homologado na justiça. Desta vez sem papel escrito a mão!

    Ninguém poderia falar que os PROFESSORES estariam causando caos no trânsito,etc.

    Simplesmente paramos!

    Antônio Carlos

    ResponderExcluir
  47. William - Patos de Minas5 de junho de 2013 17:27

    Tenho uns 400 contatos de colegas de toda a Minas Gerais que pude coletar naquele congresso de Araxá. Recebi vários e-mails hoje de escolas que pararam completamente. Em algumas cidades a SRE orientou que os portões deveriam ficar abertos e as notícias que me chegaram foi que houve um caos generalizado nestas escolas.
    Pela minha avaliação a paralisação foi um sucesso.
    Estou esperando algum e-mail que me fale se a greve começa agora ou não. Fui na assembleia aqui de Patos de Minas, mas não tivemos notícia do que ficou resolvido em BH.
    É isto professores, nossa capacidade de mobilização está muito boa. Ninguém aguenta mais este salário achatado, as inúmeras cobranças que recebemos de supervisoras, da direção. Além de mal-remunerados estamos sob uma forte pressão.
    Não posso esperar uma greve para colocar a cabeça em dia. Sem nós na sala de aula a máquina da educação para no Estado.
    Como diz o Euler, até nossa vitória!

    ResponderExcluir
  48. No portal do Jornal O Tempo:

    MANIFESTAÇÃO

    Professores estaduais resolvem cruzar os braços durante cinco dias da Copa das Confederações. Durante o evento serão realizados protestos para reivindicar piso salarial

    PUBLICADO EM 05/06/13 - 17h31
    CAROLINA CAETANO

    Em uma assembleia realizada na tarde desta quarta-feira (5), professores da rede estadual de Minas Gerais decidiram realizar uma paralisação de cinco dias durante a Copa das Confederações.

    De acordo com informações do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE), os educadores cruzam os braços nos dias 17, 18, 22, 26 e 27 de junho. Os professores prometem realizar protestos para chamar atenção do governo para a reivindicação, entre outras coisas, do piso salarial e o plano de carreira da classe. Segundo o SindUTE, aproximadamente quatro mil pessoas participaram da manifestação.

    Trânsito

    Os professores saíram do pátio da Assembleia Legislativa, no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul da capital e seguiram para a Praça Sete. Segundo a BHTrans, o trânsito já foi liberado.

    http://www.otempo.com.br/cidades/professores-estaduais-resolvem-cruzar-os-bra%C3%A7os-durante-cinco-dias-da-copa-das-confedera%C3%A7%C3%B5es-1.658360

    ResponderExcluir
  49. Prezado William de Patos de Minas, espero que vcs consigam mobilizar sua região,pois nas greves de 2010 e 2011 ela não esteve presente em momento nenhum. As escolas de Patos de Minas, Presidente Olegário, São gotardo, Lagoa Formosa, Carmo do Paranaiba tem adesão zero. Precisamos montar um grupo e sacudir essa região ai. Sou de Presidente Olegário, mas trabalho em Alto Rio Doce, Zona da Mata de MG.
    Gilberto Amorim

    ResponderExcluir
  50. Uma sugestão!

    Passou da hora de mostrarmos as péssimas condições de trabalho a que estamos submetidos. Sugiro criarmos uma página no facebook e colocarmos fotos das escolas precarizadas em todo o estado de MG, nos moldes do https://www.facebook.com/DiariodeClasseSC

    Podemos publicar os contracheques (sem expor o nome do servidor, é claro), as resoluções arbitrárias e os casos de intransigência das SREs/Inspetores/as em cada escola.

    É um jeito de furar o bloqueio midiático aqui em Minas, expor o governo e mostrar ao conjunto da sociedade o que estamos vivenciando.

    Que tal povo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho ótima idéia! Quem vai criar a página?O nome da página precisa ser bem sugestivo...

      Excluir
    2. Ótima idéia.É através das redes sociais que vamos dar visibilidade da realidade da educação em Minas,pois nossa situação é insustentável. Com o salário que nos pagam, com as cobranças e pressão, ipsemg sucateado,as arbitrariedades... tudo é impensável para pessoas que tem como fonte de informação apenas os jornais,telejornais e as propagandas eleitorais. Boa, vamos investir nessa idéia.

      Excluir
    3. Eu empresto meu contracheque:professora com 26 anos de serviço,no estado, com licenciatura PLENA,pós graduação,90% de vantagens, classificada como PEB T II.Salário atual BRUTO 1300,00.Retire os 90% das vantagens e confira meu PISO.

      Excluir
    4. Quem vai colocar o guizo no gato? Esse é o problema, aluno pode fazer o que quiser, professor não. O ideal seria que a pagina fosse aberta por alguem da comunidade escolar sem vinculo direto com o estado, e nos entraríamos como "colaboradores".

      Excluir
    5. Fácil, criamos um perfil que não corresponde a um indivíduo, mas sim a uma coletividade. Dessa forma, evitamos perseguições políticas e não colocamos o pescoço de ninguém na corda. Tem que ser o professorado mesmo, ninguém vai fazer isso por nós. Também acredito que esse meio pode ser mais combativo e "bater com mais força", pelo menos midiaticamente, do que o sindicato que fica apenas publicando notas no próprio site.

      Excluir
  51. Gostei muito da proposta do sindicato. Greve por tempo determinado de 48 horas: os dias dos jogos da copa e com assembleias que chamem atenção de todos para nossa luta pelo Piso Nacional Salarial, Lei 11.738/08 e pela perda da nossa carreira. Assim não ficaremos com a folha salarial zerada e também não terá como ocorrer substituições de companheiros. Agora é mostrar a todos que JUNTOS SOMOS MAIS. Até a vitória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos dias dos jogos da copa já estaremos de férias.Não entendi.

      Excluir
    2. Acontece que os dias do jogo serão facultativo na região metropolitana. Então apenas o interior fará greve? Fora de cogitação!!!!!
      Essa proposta deve ser de quem trabalha apenas em BH.

      Excluir
    3. A folha não será zeranda e nem poderemos repor depois, pois não harevá possibilidade. Fazer barulho e chamar a atenção da imprensa não precisa de greve, precisa é de quem tem coragem de ir às ruas.

      Excluir
    4. Anônimo6 de junho de 2013 15:42, entenda que eu enquanto sindicalizada e pertencente a categoria PROFESSORES DE MINAS GERAIS quando o sindicato da categoria me convoca eu compareço, e se a manifestação tinha 4 mil pessoas e votamos essa pauta não há o que discutir mesmo porque você não estava lá nem mesmo para VOTAR CONTRA, então imagine só: De férias será melhor ainda. Eu não perderei meu dia. Mesmo porque férias sem dinheiro adianta pouco, não é verdade? Deixa de ser acomodado(a) e junte- se a nós pois precisamos de aliados para conquistarmos o Piso Nacional Lei Federal 11.738/08. Não perca sua capacidade de sonhar pois a Lei está do nosso lado e o SUPREMO TRIBUNAL já mandou pagar o Piso e retroativo a abril de 2011. Já imaginou quando essa vitória vier? Que feio para quem não lutou... Receberá do suor, das lágrimas, das perseguições sofridas pelos companheiros de classe sem ter sequer tentado ajudar e muitas vezes ainda ri e critica quem luta. O pior covarde não é aquele que tem medo de lutar é o que por medo e comodismo ainda tenta persuadir o companheiro do lado a cruzar os braços e a abandonar os colegas em uma luta que é de todos e para todos que se dizem PROFESSORES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. A gente não estudou tanto para nos acovardamos. E não é esse o exemplo que MINAS GERAIS espera de nós para as novas gerações. Minas que tem TIRADENTES e tantos outros mártires não merece ter filhos covardes. E olha que nossa luta não é nada perto da deles. Eu prefiro lutar. Não abro mão do meu Piso Salarial dado pela CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 a todos nós professores do Brasil e de Minas Gerais. A Justiça diz claramente: Lei é para se cumprir e não para se discutir. Pode demorar mas a vitória virá. Minas Gerais nunca se furtou aos seus deveres para com ninguém por que fará isso ad eternum conosco? Mais cedo ou mais tarde Minas Gerais reconhecerá nosso direito ao Piso Nacional. Se nos calarmos, as pedras clamarão (Lucas 19:40). Até a vitória, colega.

      Excluir
  52. EM PLENO SÉCULO XXI SEI O QUE SENTIAM OS ESCRAVOS DO NOSSO BRASIL.
    SEM SALÁRIOS, OBRIGADOS A SUBMISSÃO:HUMILHAÇÕES, PRISIONEIROS E SEM NENHUMA EXPECTATIVA.
    ESTAMOS ADOECENDO E CONOSCO TODA EDUCAÇÃO.

    ResponderExcluir

  53. Esta secretária da educação é muito burra se os professores querem receber o piso porque não paga já que a mesma que esta gaga diz que paga acima do piso nacional?
    Vai se .... ................................

    ResponderExcluir
  54. Compartilho do seu pensamento anônimo das 22:15, destacando uma importante diferença entre os educadores de hoje e os escravos de ontem,que consiste no fato de que eles, (escravos de ontem) nunca perderam as esperanças, nunca deixaram de acreditar na força da união, da luta para a conquista da tão sonhada liberdade.

    ResponderExcluir
  55. Vamos ver se isto realmente vai pra frente colegas Professores!

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/06/06/mp-quebra-blindagem-e-instaura-processo-contra-aecio/

    ResponderExcluir
  56. Já descobri uma página no facebook contra o Aécio"SOU MINEIRO E NÃO VOTO NO AÉCIO". Ótima maneira de fazermos propaganda contra ele para todo o Brasil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos criar uma específica da educação, de preferência que publique muitas imagens das escolas das diversas regiões do estado.

      Excluir
    2. TENTEI ACHAR A PÁGINA E NÃO CONSEGUI...COLOQUE O LINK.

      Excluir
  57. Atenção professores!

    Dias 17, 18, 22, 26 e 27 de junho estaremos em greve. Preparem seus cartazes, mobilizem seus colegas, vamos para as ruas! vamos articular um movimento de fechar estradas por toda a Minas Gerais, que certamente sairá no Jornal Nacional.
    Temos que provocar um verdadeiro auê para que atraiámos a atenção da mídia.
    Todos de braços cruzados!

    ResponderExcluir
  58. O Conversa Afiada republica texto do site na Câmara’:

    MG: MINISTÉRIO PÚBLICO QUEBRA BLINDAGEM E INSTAURA PROCESSO CONTRA AÉCIO NEVES


    Os deputados federais mineiros Margarida Salomão e Padre João avaliaram positivamente nesta quarta-feira (5) a decisão do Ministério Público Estadual (MPE) de Minas Gerais de instaurar inquérito civil para apurar fatos envolvendo repasses de verbas publicitárias do governo do estado para a Rádio Arco-Íris (Jovem Pan BH).

    A empresa de comunicação tem como sócios o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e sua irmã Andrea Neves. O período investigado pelo MPE é de 2003 a 2010, período em que o senador ocupou o cargo de governador.

    A Rádio São João Del Rei S/A e a Editora Gazeta de São João Del Rei Ltda, que também receberam recursos públicos durante a gestão de Aécio Neves no governo de Minas, serão investigadas. Essas empresas pertencem a Andrea Neves, atualmente presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).
    As forças democráticas do Estado comemoram essa ação do MPE como uma vitória. Embora o Ministério Público esteja cumprindo o seu dever, esse ato constitui uma quebra, uma ruptura da blindagem, que tanto Aécio como sua irmã Andrea têm desfrutado”, disse a deputada Margarida Salomão. De acordo com Margarida, do ponto de vista institucional, ocorre um “eco” que reflete as preocupações do povo mineiro. “Estamos convencidos de que a Justiça mineira vai cumprir o seu dever”, enfatizou Margarida Salomão.

    Ainda segundo a deputada, a movimentação do Ministério Público cria expectativa na sociedade de elucidação dos fatos que envolvem a figura de um ex-governador, hoje senador, e da irmã dele, então gestora de Comunicação Social do Governo. “Ela (Andrea) é quem definia para onde iam as verbas publicitárias. Aqui nós temos uma relação incestuosa do público com o privado. A rádio recebeu recursos públicos (alega o senador que de forma legal) e os destinou para, entre outras coisas, comprar um Land Rover que o ex-governador fazia uso privado. Essas coisas têm causado indignação na opinião pública mineira”, salientou a petista.

    Indiferença – Para o deputado Padre João, a Justiça mineira começa a acordar diante de tantas denúncias que envolvem Aécio Neves e membros da família dele. “O Ministério Público tem um papel importante, no entanto, eles ficaram indiferentes durante quase 10 anos em relação ao desvio do dinheiro público praticado na gestão tucana. Nós acreditamos nesse despertar do MP. Espero que ele cumpra, de fato, o papel a ele delegado. O povo não pode ser punido com a má destinação ou desvio de recursos público”, observou .

    O parlamentar petista relatou que, à época, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais tentou instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso, mas, segundo ele, foi barrada pelos defensores do governo tucano de Aécio Neves. “Minas é um estado governado por Lei Delegada, aniquilando o Poder Legislativo. Houve tentativa de CPI que foi impedida. Cabe ao MP e ao Judiciário ir a fundo na investigação, levantar todos os valores e punir, não só o senador, mas os responsáveis que ilegalmente receberam dinheiro público”, defendeu o deputado Padre João.

    Os fatos – A parceria comercial entre Aécio e a Rádio Arco-Íris só foi descoberta porque o senador foi parado em operação policial na cidade do Rio de Janeiro, em abril do ano passado, e teve a carteira de habilitação (vencida) apreendida ao recusar o teste do bafômetro. O senador era o condutor de um veículo Land Rover, de propriedade da Rádio Arco-Íris (Jovem Pan FM-BH), emissora que recebe regularmente recursos públicos do Estado de Minas Gerais.

    Benildes Rodrigues

    ResponderExcluir
  59. Vem vamos embora que esperar não é saber,quem sabe faz a hora não espera acontecer...

    ResponderExcluir
  60. O lixo da TV ALTEROSA de MG hoje, focou o transtorno no trânsito, nos fazendo parecer preguiçosos que atrapalham a vida das pessoas... Que ódio daquela imbecil...

    ResponderExcluir
  61. Os trabalhadores e trabalhadoras em educação de Minas Gerais deliberam na tarde dessa quarta-feira (05/06), durante Assembleia Estadual no Pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, por uma greve por tempo determinado nos dias 17, 18, 22, 26 e 27 de junho. No próximo dia 04 de julhoacontecerá uma nova assembleia estadual para definir os rumos do movimento.

    Cerca de 4 mil pessoas participaram da assembleia e, na sequência, seguiram em passeata até a Praça Sete, no Centro da Capital mineira.

    Segundo o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), a categoria quer o pagamento do Piso Salarial retroativo, descongelamento da carreira, atendimento digno no Ipsemg, nomeação de todos os concursados para oscargos vagos, cumprimento de hora-atividade sem o aumento da jornada de trabalho, valorização, respeito e negociação com o governo do Estado de toda a pauta de reivindicações.

    Para a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, os trabalhadores em educação de Minas Gerais, há muito, estão dando sinais de que não agüentam mais o descaso do governo do Estado. “Estamos novamente mobilizados e lutando pela mesma pauta, o que deixa claro o descaso do governo. Por isso, convidamos a todos aqueles não estão satisfeitos com esse tipo de tratamento, que se juntem a nós”.

    Calendário

    Na assembleia estadual dessa quarta-feira, os trabalhadores em educação de Minas Gerais, aprovam o seguinte calendário de luta:

    Junho

    · 17 e 18, 22, 26 e 27 – greve por tempo determinado.

    · 17, 22 e 26 – Nesses dias haverá jogos da Copa das Confederações e a categoria fará mobilizações estratégicas para dialogar com a sociedade antes das partidas.

    · 18 e 27 – Haverá manifestações regionais.

    · 19 - Diálogo com alunos sobre o movimento dos trabalhadores em educação.

    · 28 - Diálogo com alunos sobre o movimento dos trabalhadores em educação.

    Julho

    ResponderExcluir
  62. Euler, aqui em Montes Claros são 23 escolas, nenhuma paralisou., soube que saíram dois onibus para BH, cheio de estudantes e parentes e amigos da direção da subsede. Pra que? Passear? votar para os professores a greve. foram fazer número fazer número, para a passeata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 6 de junho 17:10, é de pessoas como você que o governo precisa. Os estudantes e a sociedade em geral são muito bem vindos ao nosso movimento.Fazer número faz a diferença para nós. Já que você não ajuda então não atrapalhe,por favor,nos poupe de comentários infelizes com este.Quem dera fossem ônibus lotados de todas as cidades do estado,seja com estudantes ou representantes da sociedade.É tudo que nossa luta precisa.

      Excluir
    2. Também acho que deveríamos mesmo levar ônibus lotados, seja de alunos, pais ou professores. Aliás, se alguns colegas não querem lutar estão dando o direito de outros fazerem o que quiserem. Espero que esta greve de 5 dias seja mesmo bem aproveitada. Chega de lenga-lenga. Acho que só vão nos ouvir se tomarmos atitudes drásticas como inviabilizar os jogos.

      Excluir
  63. Os sons que ecoam nos quatro cantos de Minas Gerais são o retrato da insatisfação dos trabalhadores mineiros com o governo do Estado. As entidades sindicais protestam contra um erro que perdura desde a gestão Aécio Neves: a incapacidade de diálogo com as diversas categorias. Além disso, existem as inúmeras tentativas de impedir manifestações que se oponham ao governo, provando, mais uma vez, que em Minas a liberdade termina onde começa a divergência com o pensamento dos tucanos. No caso dos trabalhadores da Educação e da Polícia Civil, por exemplo, as tentativas de negociação foram em vão. Mais greves vem por aí.

    O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), que representa 270 mil profissionais estaduais, realizará no dia 05/06 uma assembleia geral da categoria, com indicativo de greve. Durante sete meses, a Secretaria de Estado da Educação ficou sem reunir com o sindicato e os problemas acumularam. A educação mineira quer o pagamento do Piso Salarial retroativo, o descongelamento da carreira, atendimento digno no Ipsemg, nomeação de todos os concursados para todos os cargos vagos e cumprimento de hora-atividade sem o aumento da jornada de trabalho. Em resumo, valorização e respeito.

    Não pagar o Piso Salarial do MEC – de 1.597,00 – não só desrespeita o trabalhador da educação como também desqualifica a educação pública mineira. E a situação só piora. Em mais uma medida desastrosa, o governo estadual retirou, neste ano, 15 mil professores de Educação Física dos anos iniciais da formação escolar.

    A falta de diálogo com os trabalhadores também compromete a Segurança no Estado. Cansados de esperar, policiais civis anunciaram greve, por tempo indeterminado, a partir do dia 10/06. Além de protestar contra as más condições de trabalho e a falta de efetivo nas delegacias, a categoria reivindica a revisão da Lei Orgânica da Polícia Civil, que define o plano de carreira da corporação. Um dos pontos que chama atenção na atitude do Governo em alterar o projeto é a não previsão de aumento no efetivo. Em Minas, são apenas 10 mil policiais civis e, segundo estudo do Instituto Nacional de Desenvolvimento e Gestão (INDG) - contratado pelo próprio Governo - o ideal seriam 18.500, em 2010. De acordo com o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindipol/MG), sem as premissas de valorização, a situação da PCMG fica ainda mais precarizada diante do crescimento vertiginoso da violência no Estado.

    Segundo o Sindipol, a criminalidade violenta em Minas triplicou nos últimos meses em relação ao mesmo período de 2010 e 2011. E enquanto policiais civis reivindicam melhorias em plano de carreira para melhorar a prestação de serviços à sociedade, o governador Anastasia aumenta o desperdício de dinheiro público e as aplicações inadequadas com serviços supérfluos. À população, resta a insegurança.

    ResponderExcluir
  64. Acho que todos estão iludidos com os possíveis efeitos positivos dessa pseudo greve. Na verdade, só servirá para irritar a população de Belo Horizonte, que já sofre diariamente com o trânsito caótico da cidade!!! Cuidado... pode ser um tiro no próprio pé. Para mim, essa "grevezinha" não passa de uma desculpa covarde para não entrar em greve... pra valer!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh,Gente ignorante!

      Protesto é para perturbar mesmo. Se não amolar ninguém, causar algum prejuízo, chamar a atenção... não é protesto,e BURRICE; não haverá nenhum ganho para quem protesta. Simples assim.

      Excluir
    2. Repito o que disse o colega num comentário: É de pessoas como você que o governo precisa!

      Excluir
  65. É isto aí.Já que a Gazola só abre a boca pra falar que já paga acima do Piso,então tá na hora dela pagar apenas o Piso na carreira e pronto, assim não precisaria de haver Greve, não acha? Oh veia Mentirosa.

    ResponderExcluir
  66. Colegas, sinceramente estou muito desaminada. Em 2011, apenas duas escolas em minha cidade pararam. Nós demos a nossa cara a tapa, participamos de assembléias, fizemos caminhadas no centro e só veio repressão. A gota d'água foi contratação de substitutos e ver chovendo "professores" para assumir nossa vaga. Perdemos totalmente o crédito frente aos alunos. Eles mesmo já dizem que se a gente fizer greve o governador coloca outra pessoa no lugar. Também não sinto confiança nenuma no sindicato. para mim, é diretoria toda é pelega e vendida para o sistema. Sinceramente, não vejo sáida para nós.

    ResponderExcluir
  67. Caros colegas de luta,
    acabamos de criar a página de denúncia proposta por um lutad@r num comentário acima. Vamos lotar a página de denúncias e fotos que mostram a realidade precária a que estamos submetidos na rede estadual de educação.

    O endereço da página é

    https://www.facebook.com/TragediaAnunciada

    Para mandar denúncias e fotos, escrevam para tragedianaeducacao@gmail.com

    Vamos furar essa mídia vendida e botar a boca no trombone!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilha. Todo mundo curtindo e compartilhando. Vamos mostrar que não precisamos dessa mídia vendida, bendita seja essa tal internet. De Minas pra todo o Brasil...Vamos mostrar nossas escolas sem bibliotecas, sem computadores, sem muitas coisas básicas, apenas contam com o esforço,a ética de professores que dão o maximo de si. Vamos já cada um contribuindo com o que tem. Gente, agora tô com fé e que ELE nos ajude.

      Excluir
  68. Olha,esse subsídio tem mais desgraça do que imaginamos,alguém aqui perguntou sobre a transposição
    de tempo de um cargo para outro no momento da aposentadoria,uma colega não conseguiu,embora tenha 32 anos no primeiro cargo e só precisava de um ano e meio
    para completar os 25 no outro.Na SRE de Pouso Alegre disseram que com o subsídio a transposição acabou.
    Como vou ME APOSENTAR no ano que vem e também tenho essa mesma situação dela gostaria que se algum colega me orientasse.
    E tb quero aproveitar para dizer que abono permanência aos 48 anos e 30 ou mais de tempo existe
    sim,eu estou com o abono,esperando os 50 anos para me aposentar integralmente,mas há cálculos a se fazer,não é para todo mundo.
    Estou saindo,perdi todas as minhas vantagens com o subsídio,recebo a metade do que receberia com o piso
    e digo sempre na escola em que trabalho há 32 anos:nunca fomos tão prejudicados,o governo nos trapaceou,pagou o piso usando os nossos biênio,quinquênios,ainda por cima destruiu a carreira.
    Temos que deter esse governo que está no poder há 20 anos.Acho que é a única saída que temos,embora a greve é necessária ,ao menos para minar toda esta angústia de uma classe tão enganada e a beira um
    colapso. Agradeço a quem puder me ajudar.Sei que no blog tem muita gente que conhece a legislação.

    ResponderExcluir

  69. http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ZZ-K504dPBI#!

    ResponderExcluir
  70. Transposição de tempo
    Protocolize requerimaento na SRE e aguarde.
    Tudo precisa ser documentado. Onde está escrito que transposição acabou? Exija seus direitos, colega!

    ResponderExcluir
  71. Para quem tem facebook, vejam isso https://www.facebook.com/HistoricasImagens?ref=stream&hc_location=timeline

    O desespero de uma professora: vereadores aprovam projeto que retira direitos, reduz salários, aumenta a carga horária e corta benefícios dos professores que ficarem doentes no exercício da profissão em Juazeiro do Norte, no Ceará, em 2013.

    Fortes protestos marcaram a aprovação do Projeto de Lei, enviado pelo prefeito Raimundo Macedo (PMDB), que modifica o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos professores, com doze votos a favor e quatro contra o plano que reduz os salários dos professores da rede municipal em até 40%.

    Somente Tarso Magno (PR), Glédson Bezerra (PTB), Rita Monteiro (PT do B ) e Cláudio Luz (PT) votaram contra o projeto, e a favor dos professores. Os vereadores João Borges (PRTB), Zé Ivan Leiteiro (PT do B ) e Mara Torres (MD) não estavam presentes na votação. Além disso, o vereador Cláudio Luz discutiu com o presidente da Câmara, Antônio de Lunga (PSC), que replicava dizendo “Quem manda na sessão sou eu, cale a boca”.

    A já tumultuada sessão se agravou quando manifestantes tentaram entrar no Plenário e foram detidos por membros da Guarda Municipal e da Polícia Militar, que lançaram spray de pimenta nos manifestantes.

    Os manifestantes, em sua maioria professores, gritavam para os vereadores“quadrilha”, “ladrões”, “bandidos”, “vendidos” e também jogaram moedas e cédulas de dinheiro na tentativa de“comprar” o apoio dos vereadores: “Vocês são comprados, queremos comprar vocês”.

    Os vereadores de Juazeiro do Norte também aprovaram em 2013 a emenda que os concede três meses de recesso, totalizado três meses de férias por ano. Ao todo, usufruirão de 360 dias de folga durante todo o mandato. Além disso, em 2012, já haviam aprovado o aumento dos próprios salários de R$ 6,2 mil para R$ 10 mil.

    Texto de Diego Vieira
    Administração Imagens Históricas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GENTE! Isto é revoltante demais.Como podemos ficar de braços cruzados assistindo os desmandos desta ditadura?Estou à beira de um ataque cardíaco,LITERALMENTE.

      Excluir
  72. A SEE enviou para as escolas e-mail que muda o calendário dos dias 17/06 e 18/06. Nestes dias teremos reunião, portanto não será necessário o comparecimento dos alunos.
    Vejam que estratégia dos golpistas. Quem vai dizer que Minas Gerais estará em luta nos dias dos jogos? Será ainda um prêmio para os alunos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenham coragem e não compareçam à reunião.Vocês borram de medo.Largam disso porque o futuro é seus.Alguma diretora paga suas contas?Povo mineiro, deixe de rebaixar, é agora ou nunca mais.

      Excluir
    2. Estas reuniões serão feitas só para tirar vocês do compromisso com a greve.Não terão nada de novo, é a mesma baboseira de sempre.

      Excluir
  73. Caro colega das 17:10
    Aqui em Montes Claros temos 52 ou 56 escolas estaduais e a escola em que trabalho aderimos nos 3 turnos, nos representando a BH tivemos professores, ASB e alunos pois estamos montando um grêmio estudantil e tentando formar novos seres politizados para as próximas gerações "professora foi muito bom bem organizado e fiquei perplexa em como a TV ALTEROSA mostro e a forma como comentou" fala de uma aluna após voltar da assembléia em BH. E não vou informar a escola a que pertenço para que este nobre colega procure se informar mais dos acontecimentos da cidade a que pertence.

    professora Vanessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Professora Vanessa por favor coloque o link da reportagem para quem não conseguiu ver na televisão, possa ver.

      Excluir
  74. Caros colegas, o Anasta só ganhou a politica porque jogou muito dinheiro na campanha em 2010

    mas agora a oposição tem a Educação a favor.

    "JUNTOS PODEMOS FAZER A DIFERENÇA" contra esse que acabou conosco.

    ResponderExcluir
  75. SEXTA-FEIRA, 7 DE JUNHO DE 2013 - PORTAL IG
    Valorizar o professor, tem certeza?
    Sou daquelas que não acredita em ideia brilhante que produza educação de qualidade sem educadores e, para mim, internet, livro, música, lousa, ferramenta, vídeo, robô ou o que for, vem depois de garantir uma pessoa preparada para lidar com os alunos . A maioria (fiquei tentada a dizer todos, mas vá lá) dos especialistas e autoridades de Educação que entrevisto juraria o mesmo e, pelo resultado da enquete com 25 mil votantes do iG sobre qual é a meta mais importante do Plano Nacional de Educação (PNE), essa é a prioridade para 78% das pessoas. Não pode ser.
    Como para tudo na vida, virão os que gostam de dizer que a culpa é dos governantes. Claro que sim: se a valorização do professor não fosse apenas bordão, qualquer dinheiro de tablet, uniforme para crianças que nem querem usá-lo e compra de material didático que em geral já existe viraria investimento na formação e no bolso do professor. Inclusive, desconfio que há mais razões do que a simples ideologia para que governos privilegiem compras – e portanto pagamento a empresas que podem se tornar parceiras em campanhas – do que investimento em pessoal. Mas qual a reação que você leitor e cidadão tem quando vê o aluno com um computador portátil na rede pública? E quando se depara com professor em greve?
    Há poucas semanas, mais ou menos quando as redes estadual e municipal de São Paulo estavam parcialmente paralisadas, os professores também pararam na Dinamarca. Lá foram quatro semanas inteiras em que todos deixaram de trabalhar e, como no país com um dos melhores sistemas de ensino do mundo educação pública não difere classe social, todos os pais se viram com seus filhos em casa por um mês. Confesso que encontrei um número reduzido de relatos sobre o assunto, mas em geral os depoimentos ou reportagens comentavam como as famílias se revezaram para cuidar das crianças umas das outras ou as empresas permitiram que os funcionários levassem visitantes mirins aos escritórios. Nenhum insultava as pessoas a quem depois seria confiada a educação das crianças e adolescentes.
    Todos sabemos que no Brasil é diferente. Os alunos que agem com violência contra os mestres nas escolas são apenas reflexo da sociedade toda. Quando na matéria “As vidas que o PNE poderia mudar”, o professor Renato Ribeiro disse que chega a ganhar R$ 53 por mês – com holerite oficial do Governo do Estado de São Paulo na mão e explicação para o absurdo no texto – nem um, nem dois, mas vários leitores o acusaram de mentiroso. Nenhum prestou solidariedade. No máximo, outros professores corroboraram a informação.
    Em um outro comentário, do Geraldo Donizete dos Santos, fica claro que não é só o salário que desvaloriza: “Sou aluno de ciências sociais e apesar da grande carência de professores na rede pública estadual, prefiro dar aula para cachorro, pois sou adestrador de cães e é com esta profissão que pago minha faculdade e mantenho minha família. Infelizmente o governo de São Paulo coloca o professor e os alunos abaixo de cães. Como adestrador mantenho minha dignidade.” Lembrei da Geni, do Chico Buarque.
    Não se trata de mandar uma maçã para o professor – se bem que até um gesto simpático seria benvindo – mas ajustar o discurso à prática.

    ResponderExcluir
  76. ContagemRegressiva7 de junho de 2013 22:02

    Faltam para o fim do DesGoverno de Antonio Anastasia 572 dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá chegando o fim da tortura. Que Deus nos abençõe.

      Excluir
    2. Calma gente! Os maus também morrem.

      Excluir
    3. Aff! Ainda é muito!
      Quero ganhar abaixo do piso, mas quero o PISO! Se pagam além, paguem-nos apenas o PISO. Ô turma asquerosa!!! Jamais vi coisa igual em MG.

      Excluir
  77. GREVE: UTOPIA DE ALGUNS OUSADOS PROFESSORES

    Caros colegas professores,

    essa pseuda "greve", marcada para alguns dias durante a Copa das Confederações, não mudará em nada a sorte do professor estadual de Minas Gerais. Isso, porque a mídia não mostrará nada, nadinha. E enquanto isso, a polícia militar truculenta estará a postos para cumprir o papelzinho sujo de uma ditadura disfarçada de democracia.

    Observem que se fôssemos uma classe unida, coesa e forte, nem mesmo precisaríamos de mostrar ao "mundo" nossa triste história: sem piso, sem salário digno, sem carreira...Se fôssemos uma categoria realmente unida e forte, bastaria que cruzássemos os braços e não fôssemos trabalhar. Mas para isso, seria preciso de pelo menos uns 20% de professores logo no início do movimento, atingindo no seu ápice, pelo menos 50% do professorado. Se isto acontecesse, não seria nem preciso ir para as ruas, atrapalhar o trânsito e gritar marchinhas contra o governo estadual. Imaginem 50% dos professores de Minas Gerais parados, mesmo que em suas casas. Imaginem o estrago que faríamos nas bases corruptas e nefastas do sistema político vigente neste estado.

    Entretanto, isto não passa de utopia, uma vez que nunca na história da luta dos professores de Minas Gerais, tivemos uma adesão deste tamanho. E pelo visto, isto está cada vez mais difícil de acontecer. De fato, a perversidade e a astúcia do governo de Minas Gerais dividiram e sucatearam até mesmo a vontade do professor estadual de reagir. Hoje, somos muitos professores, muito diferentes uns dos outros, com diferentes objetivos e vontades. Somos esfacelados, fragmentados e divididos. Somos efetivos, efetivados, Lei 100, designados, contratados, pós-graduados, licenciados, estudantes que ainda não terminaram a licenciatura, mas que já ministram aula no estado, assim como também aqueles "professores" sem licenciatura (que não pertencem à educação) que fazem um "bico" na escola. Portanto, somos muitos diferentes, com idéias diferentes, com objetivos diferentes. Sendo assim, fica difícil imaginar qualquer mudança no "status quo" vigente na educação mineira. Por isso nossas greves são apenas arremedos de greve, nunca atingindo uma adesão satisfatória e que poderia mudar o estado de coisas vigente.

    Estas paralisações durante a Copa das Confederações não terão nenhum efeito positivo para a categoria, pois "uma andorinha só não faz verão". Enquanto alguns ousados professores estarão participando do movimento grevista, certamente que quase a totalidade dos professores mineiros estarão dentro das salas de aulas.

    Repito: Somente uma greve de fato, começando com 20% do professorado mineiro e, no seu ápice, atingindo pelo menos 50% do professorado, é que temos algumas chances. No mais é chorar, lamentar e ficar falando mal do governo.

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
  78. A página do facebook da SEE/MG está fora do ar desde ontem... alguém sabe informar o que está acontecendo?

    ResponderExcluir

  79. COMO SUGESTÃO PARA CONTRAPOR AO GOVERNO NOS DIAS DE JOGOS ATÉ A COPA CONVOCAR PELA INTERNET, OUTDOOR, RÁDIO COMUNITÁRIAS, JORNAIS, ESCOLA, ASSOCIAÇÕES COMUNITÁRIAS DE BAIRRO, DCEs DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UFMG, PUC, ETC ... ALUNOS, PAIS, INDIGNADOS COM O GOVERNO DO ANATAZISTA, DO CARIOCA CHEFÃO MAFIÃO, PARA UMA GRANDE MOBILIZAÇÃO NESTES DIAS. TENDO AULA OU NÃO. O POVO ESTARÁ NA RUA.
    E O GOVERNO VAI TREMER .....

    ResponderExcluir
  80. Essa pagina está infectada com CAVALO DE TROIA. CUIDADO. Só acesse se usar AVAST (anti virus) ou outro muito bom quanto.

    http://aecionevesnao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  81. Raimundo vc tem toda razão nós aqui do interior subúrbio das Minas ainda levaremos a fama de embromadores vai parecer que estamos parando pra ver jogo,inda mais que em minha escola de todos, sou a única efetiva e o restante é composto por tudo isso lei 100, designação, bico e + bico os alunos podem não vir a escola todos acham é bom , mas se falar em paralisação todos acham que é piada ou sou louca,desiludi, quero apenas vencer o meu tempo 24 anos e cair fora dessa total ignorância que vicia e é dominante, profissional, pais alunos...

    ResponderExcluir
  82. Sou apenas uma andorinha mas tenho convencido alunos, familiares e colegas a não votar em ninguém que seja psdb,é mais fácil e quem sabe um PMDB seja melhor para os professores e o povo sofrido de MINAS

    ResponderExcluir
  83. Não entendo porque governo insiste em falar que paga acima piso

    Minas paga a seus professores, com licenciatura plena, salário inicial 47,42% superior ao piso nacional estabelecido pelo Ministério da Educação. Compare!

    Um professor com 25 anos de serviço e com o piso de 940,00 como secretaria fala, receberia 2.068,00

    e ai como fica?

    ResponderExcluir
  84. Enquanto categoria formadora de opinião, devemos dar apoio irrestrito a um dos candidatos ao governo de Minas, claro que com o compromisso firmado em cartório para o pagamento imediato do Piso Salarial Profissional. Será uma estratégia bastante interessante para acabarmos de vez com este governo do anasta, filhote do diabo. Devemos agir politicamente, com inteligência e astúcia. O governo não espera que atuemos como categoria, e pode ser esta estratégia o que garantirá nossa vitória. VAMOS NOS UNIR PARA VENCER!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.9 de junho de 2013 13:47

      Se esse "um dos governos de Minas" não significar aócio never...

      Excluir
    2. Você acha que "compromisso firmado em cartório" significa alguma coisa?

      O governo estadual descumpre uma LEI FEDERAL e você ainda acha que vamos ter o piso por meio de uma promessa de campanha?

      Acorda pra vida!

      E não estou falando só do PSDB em Minas, o Tarso Genro do PT no Rio Grande do Sul também não paga.

      Excluir
  85. Alguém sabe informar a carga horária da vice-diretora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 30 hs semanais ou seja 06 hs diárias

      Excluir
  86. Aqui em Pará de Minas nen se fala em paralisação; onde está o representante do sindute?

    ResponderExcluir
  87. domingo, 9 de junho de 2013
    A luta deve ser sindical e política: contra Anastasia e o capitalismo
    O governador Anastasia continua intransigente em relação às reivindicações realizadas pelos educadores mineiros. Ele age como que se nada de importante estivesse acontecendo. Aliás, a educação para esse governo neoliberal não é importante, o importante para ele é sucatear a educação pública para beneficiar os empresários da educação, ou seja, o governo mineiro quer fazer com que a educação pública do Estado de Minas Gerais seja de péssima qualidade para que os pais que tenham a mínima condição financeira coloquem seus filhos em escolas particulares. E isso realmente já está acontecendo. Em toda Minas Gerais o número de escolas particulares nos últimos anos cresceu assustadoramente.
    Contudo, essa análise é muito mais complexa do que parece. O governador está apenas fazendo o que a política neoliberal determina que seja feita. No neoliberalismo, um dos mais importantes princípios é o do Estado mínimo e é justamente isso que o governador está fazendo. Privatizações já foram e estão sendo feitas. Em nível federal observamos o que o governo petista está fazendo. Privatizações de empresas e setores estratégicos para o país estão sendo realizadas de maneira indiscriminada, ou seja, beneficiando os empresários nacionais e estrangeiros em detrimento dos interesses da classe trabalhadora. Aeroportos, portos, sistema comunicação, a Petrobrás, enfim o governo petista está privatizando e seguindo a política neoliberal iniciada com o presidente Collor e mantida com FHC.
    O PT de Lula e Dilma fez e está fazendo um ótimo trabalho em benefício dos capitalistas e levando a classe trabalhadora a sofrer uma exploração ainda maior. O que o PT está fazendo em benefício dos capitalistas é até mais eficiente do que fez o presidente Fernando Henrique Cardoso do PSDB, pois tem apoio de alguns dos setores organizados dos trabalhadores como da CUT, por exemplo, e dos sindicatos a ela filiados para atacarem a própria classe trabalhadora.
    Sendo assim, a luta é contra o governador Anastasia para que este atenda as reivindicações dos trabalhadores em educação, mas acima de tudo contra o capitalismo neoliberal e toda forma de exploração que ataca de maneira aterradora toda a classe trabalhadora. A luta é sindical, mas também política. O ataque à educação é apenas mais uma ação contra toda a classe trabalhadora e é por isso que a unificação das categorias na luta conta o capitalismo e pela construção de uma sociedade igualitária está na ordem do dia. Vamos todos juntos demonstrar a força da classe trabalhadora deixando claro que os educadores mineiros sempre estarão na linha de frente dessa luta que é de suma importância para a ascensão dos trabalhadores.
    Os educadores mineiros vão realizar paralisações nos dias 17 com manifestação em Belo Horizonte com caravana saindo de Patrocínio no domingo à noite e no dia 18 em Patrocínio com ato em frente à Superintendência regional de ensino na Praça Honorato Borges a partir das 13:00 horas.
    Vamos todos manifestar e demonstrar nossa indignação com essa política de sucateamento da educação pública em Minas Gerais. Educação de qualidade e salário digno para os educadores só será possível com muita luta da categoria.Diga não aos ataques do governo à educação e aos educadores, venham para as ruas lutar com aqueles que já estão na batalha por uma educação de qualidade e salário digno.
    Viva a ascensão da classe trabalhadora.
    Viva a construção de um mundo igualitário, socialista.
    Que os educadores mineiros sejam sigam em frente nessa luta que é de todo o povo trabalhador.
    Professor Gilberto José de Melo
    Coordenador do SindUTE Subsede Patrocínio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Educação e saude só dá prejuizo, por isso desviam as verbas para obras, onde tem muita lavagem e desvio de verbas

      Excluir
  88. leem o blog do Professor Omar Martins

    ResponderExcluir
  89. Minha escola tem 2.400 alunos e todos os dias faço campanha contra o PSDB! Essa é a minha luta contra esse governinho, façam o mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou de acordo.Cada um fazendo a campanha contra os inimigos da educação,com alunos e pais. FOOOOOOOOOOORA PSDB!

      Excluir
  90. A carga horária da vice é de 30 horas semanais.

    ResponderExcluir
  91. Enquanto isso n a calada da noite o novo estatuto do funcionário está em andamento! e os interessados nem sabe o seu conteúdo! e aí gente! Vamos ficar calados!!!

    ResponderExcluir
  92. Governo de Minas distorce estatísticas ao promover 'choque de gestão' tucano

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,governo-de-minas-distorce-estatisticas-ao-promover-choque-de-gestao-tucano-,1040729,0.htm

    Efeito Serra!

    ResponderExcluir
  93. O governo de Minas Gerais distorce estatísticas de segurança pública, mortalidade infantil e educação ao fazer propaganda do chamado "choque de gestão", a reforma administrativa promovida na última década pelo ex-governador Aécio Neves e por seu sucessor, Antonio Anastasia, ambos do PSDB.
    ...
    Ao tomar-se 2002 como ponto de início da série histórica, o quadro que se revela é o oposto do que o governo estadual tenta propagandear: durante a gestão tucana, houve aumento de 14,1% nos homicídios em Minas e redução de 3,1% no País todo.
    ...
    Um terceiro gráfico explora os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na rede pública para os anos iniciais do ensino fundamental. Trata-se de um indicador de desempenho escolar que segue parâmetros nacionais. Mas ele só passou a ser divulgado em 2005 - ou seja, não é possível avaliar a qualidade da educação nas escolas mineiras antes e depois da implantação do choque de gestão, ocorrida dois anos antes.

    O que se sabe é que a nota média de Minas Gerais ficou estagnada entre 2005 e 2007 e subiu desde então até 2011. No mesmo período, porém, também houve melhora na média nacional - e em ritmo mais rápido. O Ideb do Brasil, na faixa de ensino avaliada, aumentou 30,8%, e o de Minas, 22,5%.

    ResponderExcluir
  94. http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/denuncia-choque-de-gestao-do-governo-de-aecio-neves-contem-informacoes-distorcidas/617420/
    Leiam sobre o que já cansamos de falar, será que vão começar a levantar o véu que encobre essa farsa?

    ResponderExcluir
  95. veja essa! Para chamar a atenção da opinião pública, os servidores da polícia, juntamente com os professores da rede estadual de ensino farão um "abraço coletivo" no Mineirão nas datas das jogos da Copa das Confederações na capital mineira. "Queremos mostrar para o mundo o descaso com que esse Governo trata as nossas categorias", destaca Armstrong. A expectativa do dirigente é que cerca de 200 servidores da Zona da Mata se encaminhem para Belo Horizonte para participar dos protestos.

    Além de mudanças no PLC 23/2012, com eliminação do inciso que considera transgressão a divulgação à imprensa de informações ou documentos oficiais sem a devida autorização de autoridade competente, os grevistas reivindicam a equiparação do salário da base a um terço do salário de delegado geral grau B; a reestruturação das carreiras administrativas; o aumento do número de servidores - o desejo é que o efetivo dobre, passando dos atuais nove mil para 18 mil funcionários - e melhoras nas condições de trabalho.

    ResponderExcluir
  96. É isso mesmo juntos seremos fortes, VAMOS PESSOAL EM BH, VAMOS FAZER BARULHO, dizem que somos barulhentos e que não resolve, pelo menos não morreremos de raiva...

    ResponderExcluir
  97. Numa coluna do EM tem: "Poeque os profissionais estão cada mais desmotivados?"

    Fácil responder se é servidor público, entrei estado em 2001, desde então só vejo desvalorização salarial.
    Melhor foi Itamar, lembro que salário era 180,00 e ele pagou professores 660,00 isso dá 2560,00 hoje.
    ganhamos 1.386,00 mal dá para feira.

    ResponderExcluir
  98. Esta greve por tempo determinado só serve para expor ao governo a fragilidade do movimento sindical dos professores. fica a nítida impressão que o sindicato se acovardou quando viu duas realidades que surgiam: a não-adesão a greve, já que muitos professores não se recuperaram dos prejuízos economicos da greve de 2011 e a ameaça de corte de ponto. enquanto minas for governada pelo psdb os professores não vão nem poder fazer greve. Enquanto isso, com um salário que não atende as necessidades básicas, mesmo com dois cargos, professores endividados com empréstimos, cobranças e mais cobranças nas escolas.
    não dá para enxergar uma luz no fim do túnel, porque ela não existe. o jeito é mudar de profissão enquanto é tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não podemos nos acovardar neste momento. Todo o funcionalismo mineiro não suporta mais este anasta, filhote do demo. Esta elite burguesa fajuta e incompetente tem que amargar uma derrota política que sepulte definitivo este projeto destruidor das políticas públicas. Esta turma está temerosa, pois acendeu uma bomba atômica de frustração no funcionalismo público mineiro. Temos que varrer este Estado, politicamente, desta trupe de incompetentes. Nós somos mais, eles passam, nós permanecemos. ATÉ A VITÓRIA. VAMOS NOS UNIR.

      Excluir

    2. HIPERCANALHISIA

      Excluir
    3. Excelente idéia colega, que tal levarmos vassouras para as manifestações, simbolizando a varredura que devemos fazer nas próximas eleições... varrer esse governo e toda a sua trupe!

      Excluir
    4. Mas que ideia fantástica das vassouras.
      Vamos dormir com esta ideia e acordar com atitudes pessoal??
      Isso vai dá IBOPE...KKKK

      Excluir
  99. Popularidade de Dilma cai. Aécio sobe na pesquisa Datafolha.
    Marina permaneceu estável.
    Aécio Neves subiu, após forte exposição
    na mídia

    É aquela história: a primeira vez a gente nunca esquece. Será a primeira vez do governo Dilma. Queda dos índices ótimo e bom, na pesquisa do Datafolha. Havia sinais que o governo já tinha informações a respeito, inclusive comentários que vazavam do Palácio do Planalto.

    Vários outros sinais, comentados neste blog, indicavam que se instalava insegurança nos segmentos que sempre apoiaram seu governo, no último mês. Insegurança em relação à estabilidade econômico e condições de consumo.
    O tranco ainda é leve: avaliações "ótimo" e "bom" foram substituídas por "regular". As avaliações "ruim" e "péssimo", embora tenham aumentado em 2%, ficando dentro da margem de erro e mantendo centra instabilidade que já ocorreu no primeiro semestre de 2011.

    A Presidente ainda se reelegeria no primeiro turno, se as eleições fossem hoje. Marina permanece em segundo lugar, com índice estacionado e Aécio subiu significativamente, após um período maior de exposição, mas mantém a terceira posição.
    Publicado por Rudá Ricci, no seu Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Marina do segundo lugar é a tal "amiga" da DONA DO ITAÚ. Que criou um partido chamado REDE em homenagem a rede globo. Que defende marco feliciano. Leiam aqui:

      Marina Silva e os bilionários que embalam seu sonho
      http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/02/marina-silva-e-os-bilionarios-que-embalam-seu-sonho.html

      Marina Silva defende deputado pastor Marco Feliciano
      http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2013/05/15/interna_politica,387687/marina-silva-defende-deputado-pastor-marco-feliciano.shtml

      Excluir
  100. Mudar de profissão? Não,vamos mudar é de governo.

    ResponderExcluir
  101. Carioca arrependido.10 de junho de 2013 23:37

    Mentiras do choque de gestão
    "O governo de Minas Gerais distorce estatísticas de segurança pública, mortalidade infantil e educação ao fazer propaganda do chamado "choque de gestão", a reforma administrativa promovida na última década pelo ex-governador Aécio Neves e por seu sucessor, Antonio Anastasia, ambos do PSDB."

    estadao.com.br/noticias/impresso,governo-de-minas-distorce-estatisticas-ao-promover-choque-de-gestao-tucano-,1040729,0.htm …

    Vergonhaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  102. OpovoQuerSaber ...11 de junho de 2013 01:28

    Euler e/ou companheiros!!

    Alguém sabe informar? O governo acabou com o acordo de resultados ou "prêmio por produtividade" (governo que não cumpre leis, a lei que disciplina o acordo é a de nº 17600 de 2008). Gostaria de saber se com o descumprimento da lei supracitada, faz-se necessário submeter-nos a ADI com elaboração do PGDI. Grato.

    ResponderExcluir
  103. Policiais em greve.Estes vão conseguir... Na copa das confederações vão precisar deles.Força e vitória,para vocês.

    ResponderExcluir
  104. Gente, tiraram a página do facebook da see mg do ar, a mesma estava com mais 60.000 acessos... será que foram as propagandas contrárias ao governo que motivaram essa retirada da página?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A página não foi tirada, mudaram o link é esse agora :https://www.facebook.com/pages/Secretaria-de-Educa%C3%A7%C3%A3o-de-Minas-Gerais/259205867484636

      Excluir
  105. DUPLA DE SAFADOS. FORA.........

    ResponderExcluir
  106. Anônimo disse...

    Se minas paga o piso como é insistentemente falado, porque há tantos professores insatisfeitos querendo o velho piso com vantagens?
    940,00 + 4 quinquênios, 10 biênios, mais pó gis, maos pós = R$ 2.068,00 isso sim é piso.

    11 de junho de 2013 15:55

    ResponderExcluir
  107. È vergonhoso e patético estes 2 senhores que acham que são donos do Estado de Minas. Tem que dar um basta.Deus nos livrai deste mal.

    ResponderExcluir
  108. temos que aumentar rede contra PSDB rápido.

    vamos a luta

    ResponderExcluir
  109. http://www.facebook.com/pages/Secretaria-de-Educa%C3%A7%C3%A3o-de-Minas-Gerais/259205867484636?fref=ts ta ai o novo endereço do facebook ,vamos divulgar ,eles tiraram o velho pra gente não fazer propaganda contra o governo

    ResponderExcluir
  110. Essa dupla é a maior vergonha que o Estado já teve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VERGONHA MAIOR SOMOS NÓS SERVIDORES ACEITARMOS ESSE SUBSÍDIO RIDÍCULO, SEM FAZER UMA GREVE QUE PRESTA, COM CORAGEM E LUTA, ENFRENTANDO ESSE GOVERNO MESQUINHO, HIPÓCRITA, MENTIROSO E AINDA NÃO COBRARMOS DESSE SINDICATO UMA ATITUDE DE VERDADE CONTRA ISSO TUDO E NÃO UMA GREVEZINHA DE 5 DIAS! MAS LUTA DE VERDADE! PÁRA TUDO!!!!! SERÁ QUE QUEM ESTÁ DENTRO DA ESCOLA NÃO SABE LUTAR PELOS SEUS DIREITOS E FICA ENGOLINDO TUDO! ESSA MISÉRIA DE SALÁRIO!!!!! PRESIDÊNCIA DO SINDICATO FRACA DIANTE DE TUDO O QUE ESTAMOS PASSANDO!!!!!

      Excluir
  111. Caros colegas professores,o BOM DIA BRASIL de hoje dedicou algumas reportagens importantes sobre a precariedade da educação brasileira. O alexandre Garcia,como sempre fez comentário importante sobre o saário dos prof/ de Assis (SP)X Deputados.Fiquei mais satisfeita já q/ não podemos contar c/ aGlobo de MG,pelos menos a nacional vem dedicando alguns minutos á EDUCAÇÂO.

    ResponderExcluir
  112. É ridículo esse comunicado que foi publicado hoje na Imprensa Oficial de Minas, meio horário só de ponto facultativo! Esse trânsito já está insuportável, imagina nos dias de copa das confederações todo mundo saindo do trabalho para chegar rápido em casa!


    COMUNICADO
    Por determinação do Senhor Governador ANTO NIO AUGUSTO JUNHO ANASTASIA, o ponto será facultativo nas
    repartições públicas estaduais na capital do Estado e nos demais municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte no
    dia 17 de junho de 2013, a partir de 12:00 horas, em decorrência da Copa das Confederações FIFA de 2013.
    Ficam ressalvados os serviços de natureza médico-hospitalar, de segurança pública, os das Unidades de Atendimento Integrado
    – UAI, no âmbito da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, e os dos Museus, considerados imprescindíveis
    a critério das autoridades competentes.
    (a)Danilo de Castro
    Secretário de Estado de Governo

    ResponderExcluir
  113. Trabalhadores em Educação de MG: Intensificar a luta contra os Governos e a relação política com os Pais e Alunos

    Nota do MOCLATE-MG (Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação)

    Os trabalhadores e trabalhadoras em educação de Minas Gerais deliberam na quarta-feira (05/06), durante Assembleia Estadual no Pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, por uma greve por tempo determinado nos dias 17, 18, 22, 26 e 27 de junho.
    As principais bandeiras de luta da categoria são o pagamento do Piso Salarial retroativo, descongelamento da carreira, atendimento digno no IPSEMG, nomeação de todos os concursados para os cargos vagos, cumprimento de hora-atividade sem o aumento da jornada de trabalho.
    Os educadores representam entre 60 e 70% de todo o funcionalismo público do estado mineiro - são (somos) 400 mil educadores, entre os da ativa e os aposentados. Na cabeça dos gerentes de plantão do Estado, proporcionar alguma política salarial decente para os educadores representaria a incapacidade de colocar em prática o seu projeto de "investir" nas chamadas obras de “mobilidade social”, nas cidades administrativas, nas linhas verdes e estádios de futebol.

    Pressionado pela Lei do Piso aprovado em 2008, que, se colocada em prática retiraria alguns bilhões de reais dos recursos hoje usados para os projetos citados, o governo deu logo um jeito de instituir o subsídio, confiscando inúmeros direitos da categoria

    Os educadores, em função da gestão de cortes, achatamentos, pressão psicológica, cobranças, descaso, confisco, cortes de quase todos os direitos, tudo somado, por anos a fio, somando-se ainda os atuais baixos salários e as péssimas condições de trabalho, são mais uma vez empurrados para o combate. Não há outra saída.
    Os últimos anos de luta trouxeram importantes lições para a categoria. A categoria sabe que seu grande inimigo é o Governo Anastasia/PSDB, mas aprendeu também que ele não age sozinho. Aprendeu que existe um conluio entre as gerências (municipal/estadual/federal) para destruir a educação pública no país.
    A gerência Anastasia reprime violentamente toda e qualquer categoria que se ergue em luta, semelhante à gerência Dilma que oprime e explora operários nas grandes obras do PAC, criminaliza a luta pela terra e assassina indígenas.
    A realidade da luta é difícil. Mas precisamos apontar todos nossos inimigos e não fazer como a direção do SINDUTE/MG que ataca determinados governantes e preserva outros.
    Aprendemos que é necessário lutarmos de outras formas e maneiras. Precisamos nos aliar cada vez mais ao povo, sobretudo àqueles que necessitam fundamentalmente da escola pública. Os governos jogam a culpa nos profissionais em educação e nós precisamos intensificar o debate sobre quem são os verdadeiros culpados pelas mazelas da educação.
    Para tal, precisamos denunciar os governos, realizar mobilizações, paralisar as atividades, mas precisamos também de espaços de debates com os pais e alunos, convocando-os a ocupar as escolas, recheando-as de debates políticos e atividades culturais.
    Esse é o nosso chamado para a brava categoria dos profissionais de educação de Minas. Nos dias dos jogos da Copa das Confederações vamos às ruas para denunciar às contradições desse evento em detrimento as necessidades fundamentais do nosso povo. No dia-dia, em uma luta permanente, façamos das nossas escolas verdadeiras trincheiras de lutas e debates.

    ResponderExcluir
  114. Nunca vi um governo tããããoooooo ruiiiiiiimmmmmm.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. AÉCIO/ANASTASIA, O PIOR GOVERNO DE TODOS OS TEMPOS!

      Excluir
  115. Companheiros de luta, somos milhares em todo o Estado de Minas. Cabe a nós professores, salvar a sociedade desse mal chamado "Aetético e Nanética". Pensem bem, podemos levar uma campanha bonita e inteligente, mostrando a verdade da situação nas escolas e na saúde em suas cidades, municípios e aí, tenho certeza, venceremos essa luta.

    ResponderExcluir
  116. Minas não paga nada,nem fogo na roupa........enquanto estiverem estes 2 aí.

    ResponderExcluir
  117. Olá pessoal!

    Convocamos a linha de frente do NDG no próximo dia 17/Jun. O quiprocó vai recomeçar e vamos mostrar as víSceras desse engodo das Gerais: Craquécio. Vários movimentos sociais, estudantes e sindicalistas já confirmaram presença.

    Quero ver pôr polícia pra cima como foi feito na pça da Libertinagem naquela festa particular da inauguração do relógio da copa. Temos que contactar os correspondentes internacionais, blogsferas e demais entidades para que o Governo não venha com a recorrente pancadaria.

    Atenção Diretórios acadêmicos, MST, SINDPOL, SINDIELETRO,SINDIFISCO, SINDSAUDE, MAB, FORA LACERDA E SEUS COLETIVOS, BRIGADAS POPULARES...

    é chegada a hora! Sem violência e com muito gás no gogó! Flávio/Bhte - PRESENTE, PRESENTE, PRESENTE...

    Luta e direito são irmãos siameses!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.13 de junho de 2013 11:54

      Onde vamos encontrar?????????? Onde será o quiprocó?????????? Até agora não sei. Estou perdido e com muita vontade de chegar lá.

      Excluir
    2. O que é Quiprocó?

      Excluir
  118. Notícia Educação/UOL
    Já pensou se o Anastasia copiar esta ideia?
    O choro da orientadora educacional Antônia Lucimeire Oliveira, 41, na última quinta-feira (6), foi o retrato fiel da indignação dos professores e servidores da rede municipal de Juazeiro do Norte (a 548 km de Fortaleza), que terão seus vencimentos reduzidos em até 40%. Apesar do choro, os professores terão seus rendimentos reduzidos, fora a selvageria como foram recebidos pela polícia de lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.12 de junho de 2013 23:54

      Só, meu amor anômimo, que lá um professor de Educação Básica recebe o Piso de R$1980,00 de salário básico e depois vai todos os direitos adquiridos da carreira. Eles estão passando por isso para que possa se dizer que Minas é o estado que paga até mais que o PISO. Entendeu? Pesquise e verá. Já se esqueceu que o senador craquécio andou pelo norte com o "BONDE DO CHAPÉU"? Pesquise e verá... Já imaginou a desmoralização um professor de JUAZEIRO DO NORTE ganhar muito mais que um de Minas Gerais?

      Excluir
    2. Anônimo 22:52 aqui em Minas não há esse risco, você não vê tv? Pelas propagandas de minas, esse estado é muito rico e tudo aqui funciona às mil maravilhas?

      Excluir
    3. Cê esta atrasado(a) ele já fez isso tirando as vantagens e congelando salário, dá mais de 40% fácil de perca

      Excluir
    4. Ele é capaz de fazer qualquer coisa para prejudicar os professores, aquele demo.

      Excluir
  119. Este Danilo de Castro nem comunicado sabe fazer. É mesmo um grande analfabeto frente e dos lados do Anastacia.KKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Completamente.

      Interior e exterior.

      Frente e verso.

      totalmente.

      Excluir
  120. Ele já fez isso com o salário dos q/ tinham muitas vantagens qdo implantou o subsídio. Com certeza o prefeito de Juazeiro é do PSDB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.13 de junho de 2013 22:33

      Ele foi do PSDB = PIOR SALÁRIO DO BRASIL E MIGROU- SE PARA O PMDB, MAS ESSE POVO DO PSDB É TINHOSO POR QUALQUER DINHEIRO ELES FAZEM QUALQUER NEGÓCIO. ESTÁ AJUDANDO O CRAQUÉCIO NETO KKKKKKKK VC QUASE ACERTOU!
      Raimundo Antônio de Macêdo – Wikipédia, a enciclopédia livre
      pt.wikipedia.org/wiki/Raimundo_Antônio_de_Macêdo‎
      Entrou para a política em 1988, elegendo-se vice-prefeito de Juazeiro do Norte pelo PSDB, partido em que esteve filiado até o ano de 2008. Em 1990, foi eleito ...
      LEIA:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Raimundo_Ant%C3%B4nio_de_Mac%C3%AAdo

      Excluir
  121. PUBLICADO EM 13/06/13 - 20h20
    JULIANA BAETA

    O governo de Minas Gerais adotou uma medida radical para evitar protestos durante a Copa das Confederações. Manifestações e greves estão proibidas no Estado durante o evento. A restrição foi divulgada nesta quinta-feira (13) pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).
    Veja Também
    video Professores estaduais resolvem cruzar os braços durante cinco dias da Copa das Confederações
    video Assessoria da Polícia Civil e Sindpol discordam sobre números da greve
    video Geraldo Alckmin chama manifestantes de baderneiros e vândalos
    video Polícia Civil faz lista com nomes de grevistas
    Mais

    Segundo decisão expedida pelo desembargador Barros Levenhagen, do TJMG, a pedido do governo estadual, foi determinado ao Sindicato dos Servidores da Polícia Civil (Sindpol) - que está em greve desde essa segunda-feira (10) - e ao Sindicato Único dos Trabalhadores na Educação (Sind-UTE) - que prometeu manter os professores de braços cruzados durante cinco dias no período da Copa das Confederações - que não façam ações de protesto nas vias de acesso ao Mineirão e em todo o entorno do estádio, assim como em outras vias públicas da capital e em Minas.

    A proibição se estende a outras manifestações que impeçam o trânsito de pessoas e veículos e que prejudiquem o funcionamento regular de serviços públicos, apresentação de espetáculos e outros eventos esportivos e culturais.

    Em caso de descumprimento da ordem judicial, as duas entidades sindicais serão penalizadas com multa diária de R$ 500 mil.

    Legislação

    Na Constituição Federal, a Lei 7.783 que dispõe sobre os direitos dos trabalhadores, assegura aos sindicatos ou organizações trabalhistas o direito a greve e manifestações, conforme o artigo 1° ("é assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender"), o artigo 2º ("para os fins desta Lei, considera-se legítimo exercício do direito de greve a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação pessoal de serviços a empregador") e ainda o artigo 6º ("são assegurados aos grevistas, dentre outros direitos: o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve e a arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento") e também no mesmo artigo, em seu inciso 1° ("é vedado às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento).

    A Polícia Civil passou a fazer uma lista com o nome e o número de matrícula de policiais civis que aderirem à greve. Segundo a corporação, o objetivo é apenas controlar o número de profissionais que estão trabalhando e quantos aderiram à paralisação. Já para a categoria, a medida causa temor - por causa de possíveis retaliações - e pode inibir outros profissionais de aderirem ao movimento.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então....nem manifestações pode fazer. E ai como fica?

      Excluir
  122. ISTO É DITADURA CONTRA AS LUTAS SOCIAIS. Ta se achando, em pleno sec. XXI,Governador mandão pega um desembargadozinho qualquer e aplica o golpe pra tirar dinheiro dos trabalhadores. Pra isto ele é mestre.

    ResponderExcluir
  123. Já era de se esperar essa atitude do governo, mas não foi proibido faixas escritas em alguns idiomas variados em locais estratégicos, que tal essa ideia em vez de ficar sofrendo com o!massacre desses tão inteligentes!NÓS SOMOS CAPAZES.

    ResponderExcluir
  124. Uma hora o feitiço vira contra o feiticeiro.

    ResponderExcluir
  125. ABAIXO O PISO PIRATA DO MEC! AJUIZADA AÇÃO JUNTO AO STF PARA O MEC COMPLEMENTAR O VALOR DO PISO CONFORME A FÓRMULA DO ARTIGO 5º DA LEI DO PISO – CERCA DE 100 PROFESSORES DE VÁRIOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS SÃO AUTORES DA RECLAMAÇÃO Nº 16013 – CONCLUSA PARA DESPACHO DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA A ESPERANÇA ESTÁ VIVA PORQUE A ESPERANÇA ESTÁ EM LUTAR - Matéria completa em: http://valdecyalves.blogspot.com.br/2013/07/abaixo-o-piso-pirata-do-mec-ajuizada.html

    ResponderExcluir
  126. Está de parabéns!!! Sou professor a 17 anos, desiludido, desanimado, mas ainda com algum fluido de forças para lutar. Vou denunciar o quanto puder as mazelas desse governo estadual Aécio/Anastasia. Divulgue também meu blog: ahoradosaber.blogspot.com onde desabafo sobre esses malditos que governam Minas.

    ResponderExcluir