terça-feira, 23 de abril de 2013

A visita do comandante Martinho ao bunker do Blog


A visita do comandante Martinho ao bunker do Blog

Encerrado o expediente no outro emprego, ao invés de me dirigir para a escola, como faço todos os dias, vim direto para o bunker, para um repouso antecipado. Por volta das oito da noite, deitei um pouco, com a TV ligada, não para assistir coisa alguma. É que o som da TV me dá sono e assim eu me vingo da telinha, dormindo, quando o que eles desejam é que eu assista e seja engolido pelas verdades, deles.

Em meio ao cochilo, alguém bate no portão de aço reforçado do bunker do Blog. Fui até a porta e perguntei quem era, pois manda o bom senso que não se abra a porta de primeira, como se fazia em outros tempos. De trás do portão, reconheço a voz do comandante Martinho, a quem não via há algum tempo.

Tratei logo de colocá-lo para dentro do bunker. Afinal, não se pode deixar um comandante à espera por muito tempo. João Martinho veio direto da assembleia e da passeata dos educadores de Minas, realizadas hoje em BH. Bons tempos aqueles em que eu tinha tempo livre para acompanhar as movimentações e trazer o relato fresquinho aqui no blog. Ofereci o que tinha na mesa do bunker para o comandante: pão de queijo, leite, café, biscoito, banana e água mineral. O comandante é sistemático. Não aceitou nada, muito provavelmente porque ainda fará sua refeição noturna na casa dele, bem mais reforçada.

Colocamos a conversa em dia. Ele me relatou sobre a realidade da escola onde trabalha e eu passei o relato dos problemas que vivemos recentemente onde eu trabalho. O encontro entre professores é sempre assim. A gente começa falando das realidades específicas, e depois passa para avaliações mais gerais. Ele me deu o informe do indicativo de greve geral para o início de junho de 2013; falou da conquista obtida pelo sindicato em relação a não obrigação do professor de assumir as aulas além das 24 horas; e por fim, fizemos uma avaliação do movimento dos educadores em Minas.

O comandante tem passagem longa pela estrada da luta dos educadores. Está no magistério há 30 anos, ou mais, e participou de todas as greves da categoria. Houve época, aqui em Vespasiano, que fora o único professor a ficar em greve, ele sozinho, e mais ninguém. Dirigente da subsede local, sempre foi oposição no Sind-Ute. 


Repassamos os últimos movimentos, especialmente as greves de 2010 e 2011. Eu lhe disse que em 2010 tínhamos tudo para ganhar a luta. Era final de governo, o faraó era candidato ao senado, o afilhado candidato a reeleição, e a adesão da categoria à greve era boa, bem forte. Tanto que no último dia de greve, após 47 dias, o pátio da ALMG estava lotado, com mais de 10 mil educadores, e a votação foi dividida ao meio, com a direção do sindicato apoiando o fim da greve. Disse ao comandante que por trás da decisão do sindicato estavam interesses políticos partidários. Não compensava mais que a greve continuasse e criasse um impasse que seguramente poderia influenciar nos resultados eleitorais. Depois veio um mês de negociação sem greve, e sem informação alguma para a categoria, até que o governo se sentiu à vontade para acabar com a carreira e impor o subsídio, que representava pequeno ganho salarial para os novatos.

Naquela época, o piso dos educadores estava suspenso pelo STF, e sem o piso, e com o vencimento básico em R$ 369,00, e sem as gratificações para os novatos, qualquer outra fórmula que representasse ganho salarial seria considerada melhor do que estava. Somente em 2011, quando o piso fora considerado constitucional pelo STF, faria retornar a luta pela antiga carreira. Infelizmente, a maioria da categoria não entendeu o que estava em jogo, e se prendeu aos ganhos momentâneos, pequenos, do subsídio, em relação à antiga remuneração já defasada e corroída pelos constantes confiscos.

Em 2011, a greve foi numericamente mais frágil do que em 2010, apesar de ter sido marcada por maior radicalidade nas ações. Foram 112 dias inesquecíveis de luta, de suor, de perdas, de sofrimento, de expectativa, de sonhos e pesadelos. Vivemos cada dia daquela luta, como protagonistas. O nosso blog, sem modéstia, foi a principal fonte de informação e discussão que a categoria adotou. E as ações de luta, dos acorrentados, dos acampados, das ocupações, das passeatas e enfrentamentos com a PM, marcaram época. O comandante Martinho estava lá, firme, sempre presente. Participei de boa parte das movimentações, e me dediquei a colocar este espaço virtual a serviço da luta real. Nem se pode dizer que em 2011 a greve tenha acabado por decisão política partidária, apenas, pois não era um ano eleitoral. Era começo de governo, e o governo, que já tinha feito concessões para a PM, estava disposto a levar às últimas consequências a destruição da carreira dos educadores, hoje sem piso, com salário congelado e com um batalhão de inspetores, diretores (salvo honrosas exceções), supervisores, pipeiros e outros tipos, na cola dos professores. A ordem é não dar tempo para que os educadores tenham tempo para refletir sobre suas próprias condições de explorados, quase escravizados.

O comandante me disse que o capitão Rômulo apresentara, na sua fala de hoje, no conselho, problema de voz. É sério. Rômulo se notabilizara como o principal orador do NDG. Trabalhando em dois cargos de ensino regular, é preocupante. Não aconselho ninguém a assumir aulas em dois cargos. O problema é que com um cargo só, ninguém consegue sobreviver dignamente. Por isso as pessoas estão adoecendo, da voz e da cabeça.

Disse para o comandante que a situação da Educação não é boa. E que somente uma grande greve poderia reverter este quadro. Mas tinha que ser um movimento construído com uma base sólida, em torno de uma proposta comum, que contemplasse uma grande maioria da categoria, envolvendo também os estudantes e pais de alunos. Mas, no final das contas, quem teria que segurar a barra mesmo seria (é) a própria categoria, e mais ninguém. Somos 400 mil educadores, 250 mil na ativa e 150 mil aposentados. Uma greve que arrastasse 150 mil trabalhadores, com atuação forte em todo o estado, poderia fazer a diferença e nem precisaria ser tão longa quanto a de 2011.

O problema todo é que boa parte da categoria não confia na direção sindical. Nesse caso, teria que se criar um comando confiável, que pudesse reunir as diversas correntes ideológicas e também lideranças não partidárias do movimento. Que conseguisse sensibilizar a sociedade acerca da realidade dos educadores e da Educação básica em Minas e no Brasil. Talvez assim o governo e seus apoiadores começassem a sentir o chão desaparecer dos seus pés. Um forte movimento social é capaz de destruir qualquer projeto político, seja local ou nacional. E ninguém pode ser poupado, nem os governantes de Minas, e tampouco os governantes da esfera federal.

Essa é a utopia que este blog apresentou para o comandante Martinho, que se mostrou disposto a travar a luta que fosse necessária. No final, falamos de amenidades. No seu pequeno latifúndio na Serra do Cipó, Martinho constrói um pequeno barraco para abrigar o encontro de amigos da luta e de gole. Combinamos de nos encontrar por lá, assim que o barraco ficar pronto, não se sabe ainda quando será. Ele se despediu de mim dizendo que se precisasse era só procurá-lo, mesmo que em sala de aula, que ele estaria pronto para o combate. Anotei. Martinho é valente. Me lembro ainda quando bem jovens, eu mais do que ele, claro, embalados nos sonhos dos Diários do Che, nas leituras do marxismo para iniciantes, e inspirados nas lutas de Zumbi dos Palmares. Sonhávamos em pegar em armas e derrubar o que sobrara da ditadura militar, que já estava em ruína, para construir um mundo novo, "de festa, trabalho e pão". Ahhh, bons tempos aqueles em que o céu não era o limite para as nossas utopias.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***

153 comentários:

  1. aécin no banco dos réus

    TJMG confirma: Aécio Neves é réu e será julgado por desvio de R$ 4,3 bi da saúde

    http://adrenaline.uol.com.br/forum/showthread.php?t=459509&p=1067911992

    ResponderExcluir
  2. Por não vocês não assumem a direção do Sind Ute. Precisamos de pessoas como vcs.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. É o ideal, o mais lógico e coerente.

      EM VOCÊS NÓS CONFIAMOS.

      Excluir

































  3. 23 de Abril de 2013•09h01• atualizado às 11h40

    Professores iniciam greve nacional para cobrar o cumprimento do piso

    A paralisação da rede pública vai até quinta-feira. Segundo a CNTE, alguns Estados e municípios podem aprovar a prorrogação da greve

    Os professores da rede estadual de São Paulo se anteciparam à mobilização nacional e decidiram entrar em greve na última sexta Foto: Ricardo Matsukawa / Terra


    Professores da rede pública de todo o País iniciaram nesta terça-feira uma greve nacional de três dias para cobrar o cumprimento da Lei do Piso, sancionada há quase cinco anos e que ainda não é cumprida por boa parte dos Estados e municípios. Levantamento feito pelo Terra com base em dados fornecidos pelas secretarias da educação e pelos sindicatos aponta que 10 Estados pagam abaixo de 1.567,00 para um docente com jornada de 40 horas semanais.



    A pior situação é verificada no Rio Grande do Sul, onde um professor com o ensino médio ganha míseros R$ 977,05 como vencimento básico. Sem condições de cumprir com a lei sem alterar o plano de carreira da categoria, o governo gaúcho optou por pagar um complemento para quem recebe menos que o piso. Situação semelhante enfrentam o Paraná, Goiás, Rondônia, Alagoas, Bahia, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Maranhão, que também precisam reajustar os salários do magistério para se adequar à lei.

    Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, estima uma grande mobilização até quinta-feira para fazer cumpri a lei. "Precisamos fazer uma grande mobilização para que a lei seja cumprida, temos que brigar, ir para a rua, para cobrar por algo que foi aprovada por unanimidade no Congresso há cinco anos. Isso é uma vergonha, precisamos começar a valorizar os profissionais da educação", disse ao Terra.



    Leão estima que a paralização pode resultar em greve por tempo indeterminado em alguns cidades e Estados, já que os professores farão assembleia até quinta-feira para definir os rumos da mobilização. Em São Paulo, a greve já teve início na segunda-feira e além de reajuste salarial, os professores cobram o cumprimento de um terço da jornada de trabalho para atividades extraclasse - como preparação de atividades e correção de provas, outro ponto definido pela Lei do Piso.​
    Saiba MaisSindicato: greve tem adesão de 25% dos professores de SP
    SP: após greve de professores, secretaria chama sindicato de mentiroso
    Professores aprovam greve por tempo indeterminado em São Paulo



    Em São Paulo, um professor das séries iniciais do ensino fundamental ganha R$ 1.803,92 como vencimento básico, valor acima do piso, mas que segundo os professores ainda é muito baixo. Para o presidente da CNTE, com salários mais atrativos na iniciativa privada, os jovens não se interessam pelo magistério. Ele estima que faltam hoje no Brasil cerca de 300 mil docentes na educação básica pública. "Isso é resultado da política de desvalorização da profissão. Sem perspectiva de carreira promissora, o jovem se afastou do magistério."

    Além do piso, a mobilização vai cobrar a aprovação da emenda que destina 100% dos royalties do petróleo para a educação, a aprovação do Plano Nacional da Educação (PNE), que tramita no Congresso Nacional, a valorização dos funcionários das escolas e mudanças na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

    A paralisação de três dias tem início com uma série de atividades promovidas pelos sindicatos estaduais e municipais. No Rio Grande do Sul, por exemplo, os professores agendaram uma passeada da sede do sindicato, na avenida Alberto Bins, até o palácio do governo estadual no começo da tarde para pressionar o governador Tarso Genro (PT) a cumprir com a Lei do Piso. Na quarta-feira haverá uma grande mobilização em Brasília, com a presença de professores de todo o Brasil em uma marcha pela educação e reuniões com parlamentares e governantes. Na quinta-feira ainda estão previstas assembleias dos sindicatos.

    ResponderExcluir

  4. Parabéns, prof. Euler, pela linda amizade cultivada entre vocês, por todos esses anos!

    ResponderExcluir
  5. Vi, ontem, no Blog do Miro(Altamiro Borges) uma entrevista com Amaury Junior, autor da "Privataria Tucana", e fiquei indignada. Entre outros horrores,ele falou sobre o"Domínio de Fato" que foi usado ilegalmente para julgar o "Mensalão" contrariando as leis da constituição para condenar sem provas.Falou do Mensalão Mineiro que Levandowsk devolveu para a justiça mineira por ser ele um tucano doente,sabe que aqui em Minas não vão julgar nada. Falou de uma matéria antiga do Estadão onde o Aécio queria tomar o lugar de Serra e o título da matéria era "Pó parar" que fazia alusão ao vício do Aécio.Falou do "Privataria II" que sairá em breve e o primeiro capítulo é sobre a "Lista se Furnas" que, segundo ele,é verdadeira e ele conta tudo.Falou que Andréia Neves é que controla,controla não,manda na mídia mineira e que só se publica ou vai ao ar o que passa pelo crivo dela.E muito mais...Este livro promete.Já estou doida que saia para comprar.Quem puder que leia "Privataria Tucana" e "Justiça Tucana",este último sobre Eduardo Azeredo e sua gang.

    ResponderExcluir
  6. Minas nunca aparece ente os estados que não cumprem o piso,porque será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque Minas já paga mais que o piso! Não escutou tia naná falarrrrrrrrrrrrrrr KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  7. vamos à luta, companheiros! Só um grande movimento salvará a nossa categoria. Estou pronta para o combate! Avancemos!

    ResponderExcluir
  8. Euler sou professora na rede estadual de MiNAS Gerais a quase 25 anos, em todas as mmanifestações eu estive junto, mas me decepcionei muito quando em 2010 sem nenhuma explicação o sindicato acabou com a greve, tudo bem que foi maioria, eu não, em 2011 fui até o fim , e após isto não se falou mais nada , o sindicato ficou calado e agora vem com esta , estou cansada de massa de manobra chega não conte comigo para nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você desistiu,não merece colher os louros.Eu tenho 26 anos de serviço e participei de todas...e continuo, apesar da idade e das doenças.Vou morrer lutando contra qualquer injustiça. Não vou ser carneirinho do governo.Isto nunca.A JUSTIÇA SE FARÁ MAIS CEDO OU MAIS TARDE.

      Excluir
  9. RESULTADOS PROEB JÁ SAIU, MAS COM CERTEZA GOV MANDOU SUBIR AS MÉDIAS PARA FALAR QUE MELHOROU, SE FOSSE TRANSPARENTE JÁ TERIA SAÍDO JUNTO PARA TODOS.

    ESTAMOS DE OLHO.

    ResponderExcluir
  10. Picaretagem.Um dia antes da parada nacional,aparece a midia fotografando para divulgação no diário do aço mais uma vez a escola como referência da melhor de Minas no resultado do IDEB.Tentaram desarticular a parada.O turno todo parou,mesmo diante ameaças.Queremos salários dignos e não propaganda enganosa.SRE Cel Fabriciano IPATINGA

    ResponderExcluir
  11. Anônimo das 8:20 por favor se pensarmos assim, nunca poderemos ter dignidade.O que passou faz parte do passado.Eu não sou filiada a mais de 20 anos.Eu acho este sindicato uma enganação mas somos nós quem comanda tudo isso.Se não unirmos mais uma vez, mais outra vez não chegaremos a lugar nenhum.Agora o momento é outro.Não podemos julgar o que ainda está por vir olhando o triste decepcionante passado.Vamos a luta colegas ou estaremos pior do que agora.Estes políticos querem sangue e precisam do nosso para sobreviver.Sangue bom o nosso.Vamos sim dar nosso sangue mas para nosso futuro e de nossas famílias.O que é pior?? Estar com este salário sabendo que a justiça seja ela suja ou não nos deu a causa do piso .Já temos um grande trunfo nas mãos que é (bem ou mal) essa lei do nosso lado.Se ficarmos com estes pensamentos , então precisamos ser enterrados de uma vez pois já estamos mortos.Quero, exijo uma greve ainda este ano.Não quero que tudo que eu fiz, estudei, passei seja jogado no lixo deste país.Eu tenho dignidade, eu sou justa, honesta e se preciso for, morrerei lutando.Minha família será gratificada com minha atitude.Atitude de uma professora sempre em luta neste país sem vergonha.Que pena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns anônima das 10:21.Você,sim deve ser chamada de MESTRA!

      Excluir
    2. VAMOS NOS UNIR COMPANHEIROS DE CORAGEM E PARAR TODO MUNDO NA MARRA. JÁ CONVERSAMOS DEMAIS, TODOS FAZEM DE SURDOS E O SINDICATO TÁ RECEBENDO O DELE. QUEM TÁ SOFRENDO? NÓS. ENTÃO VAMOS PARA O TUDO OU NADA. JUNTOS, SEM MEDO, VAMOS PRÁ BATALHA DE FATO.

      Excluir
  12. EULER ARRUMA UM PATROCINADOR BLOG, ASSIM GANHARÁ MAIS QUE PROFESOR E FICARÁ LIVRE PARA METER RIPA GOVERNO

    ResponderExcluir
  13. Acabei de entrar para o serviço publico estadual (ultimo concurso) e já estou ansiosa para sair, fico mais triste a cada dia quando vejo tanta hipocrisia. Qual será o futuro de nossos jovens, se continuarmos assim? Força.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha escola,8 concursadas que foram contratadas,segundo a lei, já saíram e retornaram as antigas designadas. NÃO DERAM CONTA DO RECADO.E saíram "cuspindo marimbondo". Vão desistir do magistério. E olha que isto foi até março somente.Algumas ficaram 15 e 20 dias só.

      Excluir
  14. Assistam na TV Assembleia reportagem de 23/04/2013 sobre assembleia dos professores. Observem a resposta do governo.

    ResponderExcluir
  15. UM RECADO AOS PROFESSORES PELEGOS E ACOMODADOS

    Caros colegas professores,

    O que mais impressiona quanto aos professores pelegos e acomodados é que eles sempre encontram uma desculpa para não aderirem à greve. A retórica de sempre deles é:

    "...agora não é o momento ideal para a greve..."

    Ou seja, mesmo tomando chibatadas do governo, tendo salários achatados e reduzidos há décadas, sem piso, sem dinheiro no bolso, sem carreira, também perderam a dignidade e a vontade de lutar.

    Que tipo de professor é esse?

    E como são a maioria esmagadora no estado, nossos movimentos grevistas não têm sucesso. Para termos sucesso teríamos que ter uma classe unida, coesa, robusta e determinada. Infelizmente, isso não acontece com os professores estaduais de Minas Gerais. Mesmo sofrendo retaliações de todos os tipos, mesmo sem eira nem beira, eles não têm coragem de reagir e se acovardam. E para isso inventam mil desculpas: "Ah, temos que mudar a nossa forma de reivindicação, temos de pensar algo diferente..." Isso foi argumentou uma colega professora. Entretanto, perguntei a ela: "...E qual seria a sua receita para algo diferente? Qual é a sua proposta para alguma coisa que substitua nosso direito inalienável de fazer greve?" Simplesmente ela emudeceu, pois não tinha nada o que dizer. Ela somente disse que "não adianta fazer greve" porque essa era a forma de se justificar porque não aderia à greve.

    Este é o perfil do professor acomodado, covarde e pelego de Minas Gerais. Eles inventam as mesmas desculpas para não participarem das greves, repetem as mesmas palavras como se eles participassem e aderissem aos nossos movimentos grevistas.

    No final da minha conversa com esta minha colega professora, disse a ela que "não aceitaria mais ouvir nenhum tipo de reclamação e choro por parte de professor pelego que não adere à greve". Para estas pessoas tudo deve estar certo. Elas devem estar satisfeitas com o tratamento que recebem do governo, com o salário (maior que o piso nacional), com as ótimas condições de trabalho nas escolas, etc, etc, etc...

    Portanto, esta é a realidade do professor estadual de Minas Gerais.

    Entretanto, ainda há uma saída se eles realmente saírem das tocas onde se escondem. Se tivermos uma adesão inicial de pelo menos 20% em qualquer que seja a greve, atingindo no seu ápice, pelo menos 50% do professado mineiro, certamente que derrubaremos as barricadas sujas do governo. É que uma adesão deste tamanho, transformará em caos o sistema educacional do estado. Aí o governo vai conversar conosco. Aí o governo vai nos respeitar.

    Simplesmente, não existe outra saída. Mesmo os poderes instituídos são conchavados e não farão nada, nadinha para mudaram o "status quo" do qual tiram proveito escuso, ilícito, imoral e corrupto.

    Também através da "INjustiça" comprada de Minas Gerais já sabemos que não obteremos êxito. São todos paus mandados do governador. Tivemos a comprovação na nossa última greve, em que um desembargador qualquer decretou nossa greve ilegal e, a partir disso, só tivemos perdas, retaliações e a perda da carreira. Se nossa greve não tiver adesão suficiente para romper as estruturas maléficas do estado, outro desembargador a decretará ilegal e logo seremos novamente derrotados. Por isso, é necessário que tenhamos a adesão do professore pelegos e acomodados. Juntos somos fortes. Separados não somos ninguém.

    Greve já!

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro prof. Raimundo, com todo o respeito, é fato o que escreve, mas a análise deve se aprofundar e ir além, pois, nem todos os professores realmente tem condições financeiras de aderir a uma greve por tempo indeterminado, chamá-los de pelegos e acomodados não resolverá a situação.

      Já escrevi no post anterior e repito neste: podemos até fazer uma greve, mas com paralisações alternadas, mas, principalmente devemos usar a mesma arma que nosso inimigo usa: a propaganda, todos os mineiros devem (deveriam) conhecer de perto como é a realidade nas escolas.

      Devemos usar nosso suado dinheiro de maneira inteligente, que nossas ações sejam múltiplas:

      1 - criando faixas e cartazes e postando as fotos no facebook;
      2 - fazendo videos com depoimentos de professores, alunos e pais de alunos;
      3 - paralisando toda semana em dias e horários alternados alternados;
      4 - usando outdoors mostrando as precárias condições das escolas;
      5 - entupindo a "justiça" com ações contra o governo.
      6 - ações mais ousadas durante os protestos, que deem publicidade positiva para os professores, a mídia é comprada, e só ficar andando entre as avenidas não tem atraído simpatia da população.

      Agora, como iniciar tais empreendimentos: precisamos de um sindicato mais presente, menos burocrático e mais atuante, que seja um divulgador das ideais e que abra espaço no site para
      divulgação do material de protesto.

      Excluir
    2. José Alfredo Junqueira25 de abril de 2013 07:35

      É isso aí ,Carlos Fiusa,já cansei de sugerir estas paralisações periódicas porem constantes.O que "incomodou" o governo na greve de 2011 foram as ocupações "barulhentas" nas galerias da ALMG.Para as outras manifestações(com exceção dos acorrentados na praça sete e praça da liberdade)o governo não estava nem aí.Então a minha sugestão é que se faça duas paralisações mensais,de dois dias,terça e quarta,com ocupação total das galerias da ALMG para protestos na terça á tarde e assembléia no pátio,sendo que a viagem para bh seria na segunda à noite,e a volta para casa na terça à noite,e repouso na quarta.Com uma estratégia deste tipo manteríamos o governo acuado e o povo informado,e só quatro faltas por mês.E,claro,usar as outras táticas que deram certo,que tal nós acorrentados nos portões do mineirão em dia de jogos importantes?

      Excluir
  16. Capitão Rômulo,
    Ande sempre com a garrafinha de agua, coma muita maça e evite gritar.
    Precisamos da sua voz e da sua garra.
    Ontem conversei com ele alguns minutinhos na assembleia. Reparei diferença na voz mesmo. Mas adimiro a sua serenidade e educação. É firme e ao mesmo tempo amável em suas palavras.
    Abraços Euler e Martinho!
    NDG de Contagem.

    ResponderExcluir
  17. Sem fazer contas detalhadas dá para perceber que com o Subsídio, ja nos foi tirado mais de 10 Bi, Onde está o piso e nossa vantagens alijadas pela dama dos contos de fada?

    ResponderExcluir
  18. Indignação e luta nas ruas de Belo Horizonte







    Centenas de professores da Rede Estadual de Minas Gerais lotaram a Praça Carlos Chagas (ALMG), nesta terça-feira (23/04). Após a Assembleia estadual da categoria, organizada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), o grupo saiu em passeata em direção ao centro da cidade. Os professores reivindicavam o cumprimento da Lei Federal 11.738/2008, que estabeleceu um piso nacionalmente unificado para as carreiras de Magistério. Há cinco anos, o governo tucano está descumprindo a lei. Os manifestantes pediam ainda o descongelamento da carreira, 1/3 de hora atividade sem aumento da jornada de trabalho, a nomeação imediata dos concursados e atendimento digno no IPSEMG.


    A coordenadora-geral do Sind-UTE/MG e presidente da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG), Beatriz Cerqueira, destacou a importância da unificação de bandeiras das várias categorias do funcionalismo público estadual, para fortalecer a indignação com o Governo Aécio/Anastasia. “Com os sindicatos unidos, fica mais fácil superar os obstáculos e alcançarmos novas conquistas, sempre tendo o cuidado de informar à sociedade sobre as repressões e injustiças praticadas por este governo contra os trabalhadores”, afirmou Beatriz.

    Os deputados petistas Maria Tereza Lara, Pompílio Canavez e Rogério Correia participaram do ato e foram unânimes ao relatar que muitas das reivindicações dos trabalhadores já são aplicadas na maior parte dos estados da federação. Em Minas, a educação avança somente nas propagandas feitas com atores globais. “Parece que temos a melhor educação do mundo, com o funcionalismo vivendo em lua de mel com o Governo do Estado, na já conhecida Minas da Fantasia”, disseram.

    ResponderExcluir
  19. Caros colegas, Prof. Euler:

    Não é o sindicato estar a frente que vai resgatar nosso respeito e nossas carreiras!
    Somos nós que devemos estarmos atrás do sindicato empurrando, brigando, lutando, gritando, greveando, enquanto for preciso e, só parando de lutar quando realmente quisermos, com os direitos reconhecidos, as carreiras recuperadas! E tudo isso oficializado em juizo, e não em promessas políticas de quem, sabemos, não as cumpre só com palavras.

    Se os professores não lutam, qualquer representação sindical apodrece!

    O colega Prof. Raimundo deve estar cansado de postar aqui,que só com uma boa adesão dos colegas teremos munição contra o que aí está.

    Mas no entanto, a maioria dos professores "desconhecem" a paralisação destes dias e sua importância para uma possível nova greve, e esperam que "outros parem" por eles, façam por eles aquilo que, se dividido por todos, a luta fica mais justa, e a nossa força aumenta.
    Não que esta paralias de três dias vá resolver, mas esta ação é uma grande chance que temos para sinalizar nossa intenção, nosso propósito, ao governo.

    O sindicato somos nós, ele é reflexo do que nós somos na profissão! Se paramos eles param, se lutarmos eles serão empurrados para frente, terão que lutar também!

    E mais, aqueles grandes guerreiros que estiveram à nossa frente durante toda a greve, sentirão o apoio e a força da categoria atrás deles, sustentando-os na linha de frente!

    Já não importa mais se na ocasião da greve em que se confiou em uma promessa feita em papel não oficial, se decretou o fim da histórica greve.
    Pelo contrário, devemos levar isto como mais um aprendizado em nossas lutas!

    O governo mostra o que ele quer nas TVs, mas nós podemos mostrar nas ruas, na prática, que a realidade é bem outra!

    Precisamos de união e coesão para incomodar.
    O sindicato somos nós. Somos nós que o fazemos ser "Sind-útil".
    Se ele é fraco e inútil é porque somos, na prática, fracos e inúteis.
    Nós viemos primeiro, o sindicato vem depois!

    Podemos ser fortes e respeitados, se quisermos!

    Antônio Carlos - Sul de Minas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magnífica colocação Antônio Carlos. Assino embaixo.

      Lourdes

      Excluir
  20. Como vocês, já fui professora do Estado também. E por esse tempo andava sempre triste, deprimida e completamente sem vaidade. Meu terapeuta, então, aconselhou-me a mudar de profissão. E assim fiz. Em poucos meses estava eu totalmente recuperada; meu ânimo voltou e com ele minha vaidade. Hoje me sinto uma mulher linda. Troquei o giz pelo batom. Cheguei a conclusão que Pó só nos prejudica. Pó é coisa de político graduado rsrsrs. Hoje sobrevivo muito bem graças ao sucesso do meu Salão de Beleza AnaBella. E caso você queira ficar feliz e bela... desista das greves!!! Nesse governo deixou de ser um instrumento de pressão; nesse caso, o feitiço vira contra o feiticeiro. Sugiro então outra estratégia: através de um documento coletivo os professores deveriam pedir demissão em massa. Aí sim, queria ver a prepotência desse ditadorzinho de araque. Pensem nisso. No mais desejo a vocês muita sorte e muita luz e muita luta! E o carinho dessa ex-colega: Maria Bonita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUMMMMM...RSRSRSRSRS... CISMOU, DEIXA, "NÉ"?
      KKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  21. Por favor alguém comenta essa resolução:


    "SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO
    RESOLUÇÃO SEPLAG N° 42, DE 22 DE ABRIL DE 2013

    Altera a Resolução SEPLAG nº 67, de 18 de outubro de 2010, que
    dispõe sobre a promoção pela regra geral dos servidores ocupantes de
    cargos de provimento efetivo das carreiras dos Grupos de Atividades do
    Poder Executivo que especifica.
    A SECRETÁRIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO,
    no uso das atribuições conferidas pelo inciso III do §1º do art. 93 da
    Constituição do Estado de 1989, RESOLVE:
    Art.1º.
    O §3º do art.2º da resolução SEPLAG nº 067, de 18 de outubro de 2010, passa a vigorar com a seguinte redação:
    “Art.2º (. . .)
    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    §3º Fica suspensa a exigência de comprovação do requisito constante
    no inciso V deste artigo para promoções com vigência entre 2010 e
    2014.”
    Art. 2º. O art. 5º da Resolução SEPLAG nº 067, de 2010, fica acrescido
    do § 3º e seu inciso IV passa a vigorar com a seguinte redação:
    “Art.5º (. . . .)IV- a partir de 06 de novembro de 2007, para os servidores de que tra-
    tam os incisos I, II, IVe Vdo o art.7º da Lei Complementar nº 100, de 05 de novembro de 2007.
    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    §3º A concessão da primeira promoção pela regra geral aos servidores de que tratam os incisos IV e V do art.7º da Lei Complementar nº 100, de 05 de novembro de 2007, é condicionada à comprovação de 8 (oito) avaliações de desempenho individual satisfatórias, obtidas a partir de 6 de novembro de 2007”
    Art.3° Esta resolução entra em vigor na data da sua publicação.
    Belo Horizonte, 22 de abril de 2013. RENATA MARIA PAES DE VILHENA
    Secretária de Estado de Planejamento e Gestão
    22 410063 - "


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. apenas dá direito a promoção pessoal da lei 100, mas só a aprtir de 2015, ou seja 8 avaliaçãoes
      tivemos 1 1ª em ,2088,2099,2010,2011,2012,2013,2014,2015.

      Excluir
    2. Não se aplica às carreiras dos Profissionais de Educação Básica, que integram o Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo.

      Excluir
  22. Sind-UTE/MG promove manifestação no entorno do Mineirão
    Os trabalhadores em educação vão fazer denúncias e apresentar reivindicações do setor para a sociedade

    O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) realiza hoje (24.04), à tarde, um ato no entorno do Mineirão, onde acontece a partida Brasil x Chile, prevista para às 22h.

    A categoria irá panfletar e dialogar com a sociedade para informar a verdadeira realidade da educação em Minas Gerais e o descaso do Governo para com o setor.

    Esta foi uma das decisões tiradas nessa terça-feira (23.04) pelos trabalhadores em educação, durante Assembleia Estadual, realizada no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Eles aprovaram extensa pauta de reivindicações e calendário de lutas, que prossegue até o dia 05 de maio, com indicativo de greve, quando realizam nova Assembleia.

    Para a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, a mobilização da categoria mineira é um indicativo de que a educação está insatisfeita com esse governo. “Os trabalhadores vão às ruas para lutar pelo pagamento do Piso, pois este governo não valoriza e não respeita a educação. O movimento determinou que o dia 05 de maio é o prazo para o governo descongelar a carreira, pagar o Piso Nacional, melhor o serviço do IPSEMG e nomear os concursados para todos os cargos vagos.”

    Vale informar que hoje é o segundo dos três dias da greve nacional da educação, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em todo o país.



    Sind-UTE/MG – Assessoria: Eficaz (31) 3047-6122 9976-4112

    ResponderExcluir
  23. Hoje ouvi na Itatiaia que a Gazoza disse que a adesão dos professores é de apenas 4%. Na minha escola todos os professores vêm atrás de mim para saberem as novidades.Dizem que sou esclarecida e que entendo tudo das leis.Eu procuro sempre me inteirar dos meus Direitos e respeitar meus deveres.Tem uma colega que todo dia vem atrás de mim e me pergunta:alguma novidade? Da outra vez parou só no dia de ir à Brasilia, desta vez ninguém conseguiu convencê-la. Quando eu voltar da greve e ela me perguntar,vou dizer a ela que tenho uma ótima.Que o Anastasia mandou dizer a ela que vai dobrar o salário de quem não fez greve. KKKKKKKKKKKk .Vou calá-la de vez.Me poupe.

    ResponderExcluir
  24. Uma boa notícia para começar a Greve Nacional



    Sind-UTE MG conquista direito de opção para exigência curricular



    Após a regulamentação da hora-atividade na rede estadual (Lei Estadual 20.592/12, Decreto 45.126/13), a Secretaria de Estado da Educação passou a obrigar os professores a assumirem aulas além do seu cargo de 24 horas semanais. Esta obrigatoriedade se deu através de exigência curricular. Desta forma, obrigatoriamente os professores, com dois cargos, passaram a fazer 60 horas horas semanais.

    O sindicato procurou insistentemente a Secretaria de Educação para discutir esta situação, mas ela não quis reunir com a entidade. A alternativa do sindicato foi recorrer ao Poder Judiciário na tentativa de reverter esta situação.

    O sindicato conquistou antecipação de tutela tornando facultativa as aulas a título de exigência curricular. Isso quer dizer que o professor não é obrigado a trabalhar jornada que exceda que exceda 24 horas.

    Esta é uma importante conquista da categoria. Os professores estavam obrigados a trabalhar até 60 horas semanais. blog da Beatriz cerqueira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fez mais que a obrigação !!

      Excluir
    2. E você está fazendo a sua enquanto categoria?

      Excluir
    3. Estou fazendo, sim, esperando a contagem regressiva, para cumprir minha obrigação com a justiça eleitoral, sei muito bem em quem NÃO vou votar, porque... "Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão." Eça de Queiroz
      E parafraseando Eça de Queiroz, também é válido para: "A direção sindical e as fraldas devem ser trocadas frequentemente e pela mesma razão." Talvez na próxima década, haverá nova liderança, novos eleitores, quem sabe? Quando a ficha (de quem mantém a mesmice) cair.

      Excluir
    4. Estou cumprindo 60 horas semanais em dois cargos de 20 aulas (16 + 04 de exigência curricular) em cada um. O que tenho que fazer para retonar a minha carga horária de 24 horas semanais? Trabalho em escola que só tem o ensino fundamental e com a atual grade curricular não dá pra fazer 16 aulas (matematica 05 aulas semanais)

      Excluir
  25. Boa Noite Companheiro Euler,

    Realmente você é o nosso verdadeiro SindUte, pois o nosso sindicato só nos usa com interesses eleitoreiros.
    Os professores só serão respeitados quando toda a categoria se unir, sem medo de perder a miséria que ganha.
    A maioria dos educadores, com o passar dos anos, vai se desgastando, ficando sem forças pra lutar por uma vida melhor, por dignidade.
    Sempre participei de todas as greves e passeatas, e com muito pesar vi nossos colegas professores serem iludidos pelas mentiras do sindicato e encerrarem uma greve vitoriosa.
    Sempre animei todos os movimentos de greve com meu tambor e minha certeza na vitória.
    Entretanto, pairam algumas dúvidas na minha cabeça:
    Será que o Governo vai repetir as mesmas represálias de 2011 que deram certo e acabaram com a greve anterior?
    Será que o SindUte vai nos enganar novamente e encerrar a greve quando ela chegar no auge da força?
    Será que resistiremos a mais uma derrota vergonhosa ou lutaremos até as forças acabarem?
    Se perdermos essa greve, vai ocorrer uma desistência em massa da carreira de educador.
    Ultimamente, depois de ouvir centenas de jovens universitários dizendo que querem iniciar carreira com um salário de pelo menos R$ 5.000,00, penso seriamente em mudar de profissão, enquanto ainda tenho coragem de recomeçar do zero novamente.
    Reclamar sem agir, é melhor então ficar calado e baixar a cabeça para o Governo repressor.
    Nenhum movimento tende à vitória sem um líder natural que luta pelos verdadeiros interesses do grupo.
    E esse líder é você!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  26. "Dizem que guardam um bom
    lugar pra mim no céu
    logo que eu for pro beleléu
    A minha vida só eu sei como guiar
    Pois ninguém vai me ouvir se eu chorar
    Mas enquanto o sol puder arder
    Não vou querer meus olhos escurecer


    Pois se eles querem meu sangue
    Verão o meu sangue só no fim

    E se eles querem meu corpo
    Só se eu estiver morto, só assim.


    Meus inimigos tentam sempre me ver mal
    Mas minha força é como o fogo do Sol
    Pois quando pensam que eu já estou vencido
    É que meu ódio não conhece perigo
    Mas enquanto o sol puder brilhar...
    Eu vou querer a minha chance de olhar

    Pois se eles querem meu sangue
    Verão o meu sangue só no fim

    E se eles querem meu corpo
    Só se eu estiver morto, só assim.


    Eu vou lutar pra ter as coisas que eu desejo
    Não sei do medo, amor pra mim não tem preço
    Serei mais livre quando não for mais que osso
    Do que vivendo com a corda no pescoço
    Mas enquanto o sol no céu ainda estiver
    Eu vou fechar meus olhos quando quiser

    Pois se eles querem meu sangue
    Verão o meu sangue só no fim

    E se eles querem meu corpo
    Só se eu estiver morto, só assim."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FANTÁSTICO este poema! quem é o autor. Eu sou assim...

      Excluir
    2. Jimmy Cliff/ Versão Nando Reis

      Excluir
  27. Gostaria de saber e os efetivos que tomaram posse em 2004 e ate hoje não teve promoção nenhuma! Essa resolução 42....

    ResponderExcluir
  28. Pensam que irei dar minha saude, minha beleza, a minha inteligencia para este aaaaaaaaaaaaaaaaaAnastasia que se acha, zombar? Fora estrupicio, estamos na contagem regressiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contagem_Regressiva26 de abril de 2013 00:16

      Faltam par o fim do DesGoverno de Antonio Anastasia 615 dias 13 horas e 43 minutos

      Excluir
    2. Ainda é muito! Aff! Não vejo a hora desse sujeito mal acabado SE ESCAFEDER. Ô coisa sem jeito!!!

      Excluir
  29. É IMPRESCINDÍVEL QUE ESSE DES(GOVERNO)NOS RESPEITE!SOMOS TÃO CRIATIVOS EM SALA DE AULA!O QUE ESTÁ FALTANDO PARA USARMOS A CRIATIVIDADE A NOSSO FAVOR? GREVE POR TEMPO INDETERMINADO! NÃO TEMOS NADA A PERDER,UMA VEZ QUE NÃO TEMOS NADA!NINGUÉM MORRERÁ DE FOME SE TIVER O PAGAMENTO CORTADO.SOMOS CAPAZES DE SOBREVIVER EXERCENDO QUALQUER OUTRA ATIVIDADE.SE FÔSSEMOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS (MUITO DIGNOS)MAS NÃO COM TANTOS ANOS DEDICADOS AOS ESTUDOS, ESTARÍAMOS COM NOSSOS DIREITOS ASSEGURADOS.PENSE NISSO!

    ResponderExcluir
  30. A hora é essa ou nunca mais!Mostremos a nossa indignação!GREVE JÁ E POR TEMPO INDETERMINADO!
    VAMOS MOSTRAR DO QUE SOMOS CAPAZES!

    ResponderExcluir
  31. É isso aí anônimo das 23:44.Como é que vamos pagar um trabalhador doméstico para cuidar da nossa casa,enquanto damos o nosso sangue para alimentar os tubarões de boca aberta,se nosso salário é menor que o dele?
    Portanto essa luta é nossa e só nós devemos nos fazer respeitar.ESTOU INDIGNADO E PRONTO PARA A BATALHA.AVANTE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O momento é mais que oportuno, Copa das Confederações, imprensa em massa, inclusive internacional! É preciso seguir os passos dos vizinhos latinos, já dizia um querido professor de Geografia quando ainda fazia cursinho pré-vestibular, se não fizermos barulho, "panelaço mesmo", nada conseguiremos!

      Excluir
    2. CONTINUO PENSANDO QUE SOMOS MUITOS INDIGNADOS. ACHO QUE ESTAMOS PRONTOS PRÁ GUERRA.
      VAMOS MOSTRAR PRÁ ELES COMO NOSSOS ANTEPASSADOS QUE MORRERAM POR NÓS NÃO O FIZERAM EM VÃO.
      VAMOS DEIXAR OS MEDOS DE LADO E CHEGA DE LERO-LERO.
      VAMOS NOS REUNIR E AGIR PRÁ RESOLVER ESSA PENDENGA DE UMA VEZ POR TODAS.

      Excluir
  32. Euler,um bom guerreiro não foge a luta.Precisamos de você ativamente no seu bunker.Você sim,é a voz dos(as)professores(as) de Minas Gerais.Não desmerecendo ninguém,volte com aqule entusiasmo de 2011,daquela greve histórica(mesmo sem a merecida vitória).Meu fraterno abraço e,aguardo novas postagens suas mais animadas.

    ResponderExcluir
  33. Devemos tomar muito cuidado se ao iniciarmos a greve não incorrernos nos mesmos erros das greves de 2010 e 2011. Na greve de 2010 notei que no último dia de greve o pátio da Assembléia Legislativa estava lotado, mas, esse estar lotado era porque os pelegos compareceram em massa no último dia para votar em favor do sindicato para a paralisação do movimento, isso ocorreu também na greve de 2011. Devemos tomar muito cuidado com isso pois temos dentro da própria categoria professores alinhados e articulados com as propostas do PSDB, inclusive eu conheço vários e eles são muitíssimos articulados e até participam dos movimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada disso... Estava lotado de pessoas que o sômario mandou em vários onibus e a bia sabia bem disso. Por isso acho que para começar e findar uma greve há que ser em local fechado e com mostra do contracheque na portaria. Não se tira uma greve na praça aberta e muito menos se encerra na rua com pessoas infiltradas que nem a categoria pertence. Vamos ser mais espertos da próxima vez.

      Excluir
  34. Notícia quente no portal do servidor.Governador manda algo para a assembléia.Não entendi e se os educadores receberão isso , caso seja aprovado.Quem souber, explique please.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. professoramaluquinha26 de abril de 2013 00:11

      "O governador Antonio Anastasia encaminhou à Assembleia Legislativa o projeto de lei do novo Estatuto do Servidor do Estado. Com essa iniciativa, o Governo de Minas pretende modernizar o estatuto, criado pela Lei nº 869/1952, em vigor há 61 anos. O texto foi construído com a participação dos próprios servidores, por meio de reuniões e de consulta pública.

      Entre as sugestões recebidas e incluídas no projeto de lei estão uma antiga reivindicação do funcionalismo público de crédito adicional de 1/3 da remuneração no pagamento do mês anterior ao de gozo de férias e a concessão de indenização de transporte ao servidor que realizar despesas próprias de locomoção para executar serviço externo, mediante comprovação.

      Cerca de 400 mil servidores estão sujeitos ao novo estatuto no Poder Executivo, além dos que trabalham nos Poderes Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas.

      As novas regras foram elaboradas em reuniões coordenadas pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) com a participação de representantes de outros órgãos ao longo de 2010."

      Excluir
    2. professoramaluquinha26 de abril de 2013 00:12

      "Outras inovações

      O novo estatuto traz ainda inovações como a avaliação de desempenho como pré-requisito para o desenvolvimento na carreira; e a possibilidade de redução do prazo de posse de 30 para 15 dias, agilizando os novos ingressos de aprovados em concursos públicos.

      Um grupo de trabalho formado por servidores da Seplag foi responsável pela análise do conteúdo das contribuições recebidas e pela análise da viabilidade de seu aproveitamento, justificando e motivando os encaminhamentos adotados em relatório publicado no sítio Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais.

      Segundo a secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena,“muitas situações que integram a realidade do serviço público não estão normatizadas no Estatuto ainda em vigor, o que gera morosidade e insegurança na análise da viabilidade da concessão de direitos”. A secretária ressalta que as novas normas estatutárias são modernas e coerentes com o ordenamento jurídico contemporâneo e com diretrizes das políticas do Estado."

      Excluir
    3. Novo E-S-T-A-T-U-T-O ?? Vem chumbo pesadooooo

      Excluir
    4. MAIS ?! chulispaaaaaaaa

      Excluir
    5. Precisamos urgentemente de um pai de santo

      Excluir
  35. RESPOSTA AO PROFESSOR CARLOS FIUSA

    "...Caro prof. Raimundo, com todo o respeito, é fato o que escreve, mas a análise deve se aprofundar e ir além, pois, nem todos os professores realmente tem condições financeiras de aderir a uma greve por tempo indeterminado, chamá-los de pelegos e acomodados não resolverá a situação..."

    Caro colega professor,

    suas propostas são interessantes.

    Mas certamente que a análise deve se aprofundar, assim como tambémm os professores devem amadurecer e entender que, passivamente, não conseguiremos nada, senão mais retaliações, mais achatamento salarial e outras coisas mais...

    Quanto a não ter condições financeiras para fazer uma greve por tempo indeterminado, também eu me insiro nesta situação. Entretanto, tenho sempre participado de todas as greves desde que entrei no estado, em 2001. E certamente que o governo conhece nossa fragilidade. Eles sabem que somos frágeis financeiramente falando e, por isso, é que cada vez mais nos massacram.

    Se fôssemos seguir esta análise, de que nem todos temos condições financeiras de suportar uma greve por tempo indeterminado, então seria melhor esquecer todas as nossas reivindicações, salários, plano de carreira, piso, etc. É que por outro viés que não seja a greve, não conseguiremos nada, nadinha. Isso já comprovamos em décadas. A questão é que greve tem de ser greve de fato. Não uma greve em que apenas 10% ou 20% dos professores aderem. É preciso engrossar as fileiras dos grevistas para que tenhamos sucesso. Por isso eu insisto que os pelegos de plantão deveriam também sair de suas tocas. Se tivermos uma adesão que atinja no seu ápice pelo menos 50% dos professore, aí sim provocaremos um caos no sistema educacional do estado e o governo negociará conosco.
    Observe, por exemplo, a nossa última greve, que durou mais de 100 dias. Pode até parecer que foi uma greve forte, volumosa, coesa. Mas não foi. Se tivesse sido uma greve forte, volumosa e coesa teríamos conseguido dobrar o governo em pouco tempo. Uma greve que se estende tanto tempo assim não significa que foi forte. Pelo contrário, não fizemos nem cosquinha no governo. Naquela greve, no máximo, apenas 20% dos professores estaduais pararam. Por isso perdemos. Por isso o governo fez o que quis com a gente. E certamente que outras retaliações virão por aí...

    É preciso nos convencermos que só poderemos mudar a história do professor estadual a partir da valorização da classe pela própria classe. Por isso é importante convencer que mais e mais professores se posicionem a favor da greve.

    No mais é só chorar, lamentar, reclamar, falar mal do governo...

    E o salário?

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Fiusa,

      Se não se faz greve agora porque os professores não têm dinheiro meu caro, eu lhe pergunto: quando se fará então? Se não temos dinheiro agora e nem teremos depois também?

      A única linguagem que o governo entende é a greve.Só parados, todos, ou como bem diz o colega Raimundo, 50%, é que poderemos ter dinheiro no bolso para "não precisar" fazer novas greves.
      E isto os professores pelêgos não entendem mesmo, não querem entender. Preferem esperar que outros colegas parem e lutem por eles.
      Desta forma podemos afirmar que os PROFESSORES que lutam, estão sofrendo prejuízos não só com o governo, mas também, com os professores pelêgos que não apóiam a causa, que é para todos.

      Antônio Carlos

      Excluir
    2. Em momento algum digo para que não haja greve, mas sim que devem haver outras frentes de luta e formas diferenciadas.

      "Se fôssemos seguir esta análise, de que nem todos temos condições financeiras de suportar uma greve por tempo indeterminado, então seria melhor esquecer todas as nossas reivindicações, salários, plano de carreira, piso, etc"

      Uma coisa (não fazer greve) não tem relação com a outra ( esquecer nossas reivindicações)

      "por outro viés que não seja a greve, não conseguiremos nada, nadinha. Isso já comprovamos em décadas."

      Como comprovamos se a única coisa que fizeram foi greve?

      "É preciso nos convencermos que só poderemos mudar a história do professor estadual a partir da valorização da classe pela própria classe. Por isso é importante convencer que mais e mais professores se posicionem a favor da greve."

      No que tange a valorização profissional, o governo tem sido hábil em dividir a categoria (efetivos, efetivados e designados), então, muitos jamais se posicionarão a favor da greve, isto é fato, pessoalmente, duvido que consigam adesão de 50%, se conseguirem, retiro minhas sugestões como forma de luta.

      "A única linguagem que o governo entende é a greve."

      Como assim? Para mim, a propaganda favorável é muito eficaz contra o governo, basta ver que a propaganda é arma que ele usa contra a categoria.

      No mais, não quero tornar minhas ideias ponto de confronto, somente comentei com o objetivo de agregar novos meios de luta, já que é comum falarem que as pessoas emudecem quando são solicitadas para dar uma sugestão de algo diferente da greve.

      Abraço a todos.

      Excluir

  36. https://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fasintoniafina.blogspot.com.br%2F2013%2F04%2Fpor-tras-da-valentia-midiatica-contra.html%23more&h=cAQHe2gNM

    ResponderExcluir
  37. A diretora da minha escola comentou que, ano que vem ( 2014 )o ano letivo terá inicio por volta do dia 15 de janeiro, devido a copa . Alguém sabe algo a respeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra futebol pode, né?
      Governo saf...

      Excluir
    2. Li no portal da câmera ou do senado,mais é verdade!

      Excluir
    3. chulispa !!

      Excluir
  38. Pagamos impostos é pra isso; termos segurança, bons atendimentos na saúde e uma educação pública de qualidade, com professores valorizados.Mas, eles não querem que este dinheiro vá para isto, querem é que vá para os bolsos deles.Que democracia é essa? Temos aqui no Brasil uma ditadura instalada há séculos e nada é feito para reverter este quadro escabroso.

    ResponderExcluir
  39. Euler,veja a resulição Seplag 42/2013 publicada em 23/4/13 e faça uma análise, pelo que entendi os efetivados da Lei 100 ´só terão a primeira progressão apartir de 2015.

    ResponderExcluir
  40. Fátima- Professora de História25 de abril de 2013 17:12

    Greve direito fundamental.
    A greve muito mais que um direito, é uma forma de luta assumida pelas classes trabalhadoras. Antes uma prática proibida, sua repressão se fazia com o uso da força, inclusive policial, atualmente diante dos movimentos grevistas, governos,empresas e entidades patronais elegeram os tribunais como espaço de pressão para deslegitimar e por fim as lutas dos trabalhadores. O processo se dá por meio do falseamento do direito, da utilização arbitrária do processo e da manipulação dos tribunais. Opera-se a transferência de conflitos sindicais para dentro dos tribunais. E estes, ao invés de cumprirem o papel estratégico e fundamental de salvaguarda dos direitos e garantias e de limitação dos poderes públicos e privados,convertem-se em palco onde sobressai o lamentável espetáculo da negação ao direito de greve.
    Os tribunais possuem um efeito devastador sobre os movimentos dos trabalhadores, pois criam uma série de obstáculos para impedir a mobilização: multas pesadas contra os sindicatos, corte de pontos, e desconto de salários, decretação de ilegalidade entre outros. "Esquecem" que nas democracias as greves é, antes de tudo um direito fundamental dos trabalhadores, que a conquista dos direitos são resultados de práticas de lutas, e que cabe aos aos tribunais o cumprimento do dever de proteção do direito fundamental de greve.
    O que se tem a fazer diante diante de tudo isso é greve, e quando os sindicatos forem multados, que continuem a greve, que os sindicatos passem a informalidade, se estiverem junto aos trabalhadores, e que os patrões sintam o que é o peso de uma greve real, não dessa imposição que a justiça da classe dominante tenta colocar às classes dominadas.
    Abraços e coragem para todos nós!

    ResponderExcluir
  41. Eu acho que esta é a hora para se deflagrar uma greve, teremos Copa das Confederações agora no meio do ano, o mundo inteiro esta voltado para o Brasil, então por isso acho que a hora é essa!!

    ResponderExcluir
  42. Sind-UTE/MG faz nova manifestação em Belo Horizonte para dialogar com a população sobre a realidade da educação pública mineira

    Trabalhadores em Educação pararam o trânsito na Avenida Antônio Carlos antes do Jogo Brasil e Chile no Mineirão

    Cerca de mil trabalhadores em educação de Minas Gerais realizaram ato público nessa quarta-feira (24.04), próximo ao Mineirão, antes do amistoso de futebol Brasil x Chile. A categoria está insatisfeita com o descaso e o desrespeito do governo com a educação pública mineira.

    A manifestação aconteceu na Avenida Antônio Carlos, principal acesso ao estádio do Mineirão, que ficou completamente fechada por mais de uma hora. Na oportunidade, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG) dialogou com a sociedade e mostrou a verdadeira realidade da educação no Estado, além de informar as inverdades exibidas nas propagandas do governo, que desafia o povo mineiro a comprovar o que, na prática, não existe.

    Dezenas de estudantes se juntaram aos trabalhadores em educação. “Temos perdido o interesse em estudar, pois, os professores ganham um salário miserável e isso tem refletido nas salas de aulas. Os governantes gastam um absurdo com a Copa e para a educação, nada. Por isso, a categoria tem nosso apoio”, afirmou a estudante Natalia Avelar Gomes.

    A coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, disse que a categoria espera que o governo pare com essa relação de não negociação com entidade e cumpra o acordo formalizado em 2011. “Queremos um processo sério de negociação, que modifique a condição do professor e dos educadores de Minas. Como está não é possível continuar. Por isso, saímos às ruas para lutar por nossos direitos e reivindicações.”

    A luta continua

    O mês de maio terá intensa programação. Diversas atividades vão acontecer para pressionar uma resposta do governo de Minas. A direção do Sind-UTE/MG já informou a decisão, tirada em Assembleia Estadual, na última terça-feira (23.04). O dia 05 de junho é o prazo-limite para o governo de Minas realizar uma negociação concreta para o descongelamento da carreira da educação, o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional, entre outras reivindicações. Os trabalhadores definiram extenso calendário de lutas até esta data com indicativo de greve, quando realizam nova Assembleia Estadual.











    Créditos: Arthur Lobato

    ResponderExcluir
  43. NA MÍDIA NADA DA PARADA NACIONAL PROFESSOR, NÃO TEMOS CRÉDITO NEM NA MÍDIA.

    PRO SACO TODOS

    ResponderExcluir
  44. Salário de um garçom no senado: 14.000,00 reais kkkkkkkkkkkkk tem que rir kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  45. Brasil 2 x 2 Chile.
    Qual é mesmo o placar... Governo x Sindicato?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Governo 1893 X O Sind Inútil

      Excluir
  46. Olha aí meu povo:

    http://revistaforum.com.br/blog/2013/04/desisti-de-ser-professor-do-estado/

    Mais um companheiro vencido...

    ResponderExcluir
  47. quinta-feira, 25 de abril de 2013
    Barbosa será vice de Aécio Neves?
    Por Rogério Tomaz Jr., no blog Conexão Brasília-Maranhão:

    Um dia após Joaquim Barbosa ser a estrela de um evento tucano – deveria ser um evento apartidário, mas o PSDB aparelhou a solenidade e a transformou num palanque a favor de Aécio Neves [*] – em Minas Gerais, as redes sociais na Internet são inundadas com propagandas (com as cores amarelo e azul em destaque) “lançando” o ministro do STF à presidência da República em 2014.

    A tática dos tucanos é outra. E é tão óbvia quanto inócua. Mais uma prova do descolamento do PSDB da realidade concreta da política brasileira.

    Na verdade, o PSDB quer vincular a imagem de Joaquim Barbosa – “o juiz que condenou a turma do Lula” – ao nome de Aécio Neves, a autoproclamada “melhor alternativa da era pós-Lula”.

    Se não vingar a improvável chapa com o pernambucano Eduardo Campos (PSB), quem sabe convencer Barbosa a ser o vice do senador mineiro-que-mora-no-Rio-de-Janeiro.

    O esforço que o partido de FHC, Alckmin e Serra empreende para “cooptar” Joaquim Barbosa, porém, é mais furada do que peneira.

    Em primeiro lugar, porque dialoga basicamente com os 5% do eleitorado que odeia o PT de qualquer jeito e jamais votaria nesta sigla. É essa parcela da sociedade brasileira que, de fato, acompanha o julgamento do “mensalão” e deseja mais do que tudo na vida a condenação dos petistas. Além destes 5% e tirando os 30% da população que vota fielmente no PT, pouca gente sabe quem é Joaquim Barbosa ou se importa com as decisões do STF. Ou seja, o PSDB está fazendo um movimento na direção de quem já está convencido em não votar no PT.

    Em segundo lugar, porque, no mundo jurídico-midiático, Barbosa pode até estar “protegido” da exposição – para o grande público – de suas incoerências e defeitos. De fato, enquanto ministro do STF e algoz do PT, ele possuirá sempre uma redoma a protegê-lo de questionamentos mais amplos. “Ele é só um juiz”, é a lógica que prevalece no imaginário popular.

    Se vier a abandonar a carreira de magistrado, terá que entrar, necessariamente, na luta renhida no campo minado da política. Suas contradições e seus arroubos autoritários serão amplamente expostos, pois características e posicionamentos pessoais são elementos fortemente presentes no debate político – basta ver a guerra de palavras que é feita pela grande mídia a partir de qualquer ator político relevante.

    Barbosa teria que explicar, por exemplo, porque desmembrou o julgamento do “mensalão” do PSDB, garantindo o direito básico do duplo grau de jurisdição aos réus, e não adotou o mesmo critério em relação ao similar petista.

    Além disso, e em terceiro lugar, tenho muita curiosidade de ver a reação da população fiel a Lula ao saber que o vice de Aécio Neves foi o condutor principal de um julgamento de exceção que condenou com base e evidências e suposições alguns dos principais aliados do presidente mais popular da história.

    Sem falar que Barbosa – independentemente do seu mérito, que certamente é enorme – deve a Lula a nomeação para o STF. Poderia o ministro do Supremo vir a ser enxergado como um traidor pelas pessoas comuns, que não acompanham de perto o cotidiano político? A ver…

    Por isso eu digo: vem Barbosa, vem! Venha para a política para você ver com quantas contradições se forma um líder nacional.

    Vai com tudo, PSDB! Quem sabe com Barbosa de vice o Aécio passa dos 15% de intenção de votos.

    * Mesmo tendo sido governador de Minas por oito anos e tendo feito o sucessor, nem em seu reduto eleitoral (já que sua residência é a zona sul carioca) Aécio Neves não consegue aparecer à frente de Dilma Rousseff em pesquisas de intenção de voto para 2014. Se a eleição fosse hoje, segundo colunista do jornal O Tempo, a presidenta teria 44% dos votos e Aécio apenas 40%.
    Postado por Miro às 11:38

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quinzim & Aéreo Never?! CHULISPAAAAAAAA

      Excluir
  48. Doméstica
    Cozinheira forno e fogão salário R$3.000 mil, meio horário com uma folga semanal currículo com experiência p/ rhdhc_marcelo@yahoo.com
    kkkkkkkkkkkkkkk

    Viu só a que ponto chegamos. Vamos reagir. Trocar de profissão pode ser a opção. Chega de "brigar" com esse desgovernador, sua dessecretaria da deseducação e a sepraga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquisa babá com curso superior e verá que o salário está entre 3 e 5 mil reais.

      Excluir
  49. SEE não tem acesso! chamada concurso sem acesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o Google Chrome bloqueou o site dando aviso de malware :p

      Excluir
    2. SEE tá contaminado!! kkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. site da SEE está utilizando softwar malicioso, destinado a se infiltrar em seu PC de forma ilícita para roubar informações. Vírus de computador, worms, trojan horses (cavalos de tróia) e spywares são considerados malware. ATENÇÃO: Também pode ser considerada malware uma aplicação legal que por uma falha de programação (intencional ou não) execute funções que se enquadrem na definição citada. Não acessem, até que isso seja resolvido, ou instale programas antivírus e antispyware eficientes.

      Excluir
  50. Parabéns ao anônimo das 11:31 pela indicação da leitura da revista Forum sobre a carta de desistência de um professor da rede pública de MG.Tal carta mereceria maior destaque se publicada pelos sindicatos e neste blog.

    Prof Silvinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Repassei a carta para meu Face com o comentário "Com esta eu até chorei" e já tem montes de comentários.Tem que colocar com a foto do professor.Você encontra no blog do Rogério Correia.DIVULGUEM.

      Excluir
  51. TEM UMA VAGUINHA DE GARÇON AÍ?

    TÔ TOPANDO QUANLQUER COISA PARA TRABALHAR SENADO

    ResponderExcluir

  52. http://anovavia.blogspot.com.br/2013/04/a-autodesmoralizacao-do-supremo.html#more

    ResponderExcluir

  53. http://asintoniafina.blogspot.com.br/2013/04/renato-de-la-rocha-e-agora-seu-supremo.html#more

    ResponderExcluir

  54. http://www.minaslivre.com.br/destaques-da-pagina-inicial/333-destaque-1/4648-justica-aponta-que-governo-aecio-mentiu-sobre-investimentos-em-saude

    ResponderExcluir
  55. Na escola em que trabalho, aproximadamente dez por cento dos professores pararam (23,24,25/04). A escola manteve a escola funcionando, cobrindo as ausências com supervisores, inspetores, vice-diretores,acho que até diretor. Pediram nossos diários para lançar matéria dada.A superintendente da regional diz que esses dias de aula não serão compensados pelos grevistas (arrogante!) A escola enviou uma lista nominal dos grevistas. Os superiores parecem estar roxos de raiva com nossa "ousadia". Nós estamos admirados com os colegas que ousaram interromper o trânsito de torcedores fanáticos a caminho do Mineirão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digo, a diretoria manteve a escola funcionando...

      Excluir
  56. Gente, dizem que o resultado do Proeb já saiu. Já foi divulgado? Onde encontrar o resultado por escola?

    ResponderExcluir
  57. Ah, se pudesse e fosse esse o meu destino....leiam!!!! São reflexões de quem tem vontade de fazer isso.....
    http://www.geledes.org.br/areas-de-atuacao/educacao/noticias-de-educacao/18277-desisti-de-ser-professor-do-estado

    ResponderExcluir

  58. A mídia e o ministro Gilmar Mendes estão atacando a PEC 33 aprovada na comissão de constituição e justiça da câmara dos deputados. Para entender o assunto, vale a pena ler e ouvir a entrevista divulgada no link a seguir:

    http://www.viomundo.com.br/politica/nazareno-fonteles-reage.html

    ResponderExcluir
  59. Eles são todos iguais... Não se iludam.

    "Felipe Recondo, do Estadão,foi chamado de "palhaço" pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, porque foi incumbido de cobrir o Poder Judiciário para o jornal Estado de S. Paulo, o repórter foi acusado de chafurdar no lixo, pelo presidente do Supremo Tribunal, Joaquim Barbosa, quando se dedicava a apurar gastos determinados pela presidência da suprema corte. Um dos pontos da reportagem de Recondo, engavetada pelo Estadão, era a reforma determinada pelo STF no apartamento funcional de Joaquim Barbosa – um imóvel de 523 metros quadrados, em Brasília, antes ocupado por Carlos Ayres Britto.

    O tema, no entanto, foi retomado pela Folha, em sua edição deste sábado. E Barbosa, que critica gastos supostamente desnecessários do Poder Judiciário, decidiu gastar R$ 90 mil com a reforma de seus banheiros, pedindo peças de primeira qualidade, em mármore e granito."

    Confiram: http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/99440/Reforma-dos-banheiros-de-Barbosa-custar%C3%A1-R$-90-mil.htm

    ResponderExcluir
  60. Pois é,a Educação não pode ficar a mercê destes bandidos.Tem que Federalizar senão estamos todos fudidos.

    ResponderExcluir
  61. Pelo amor de Deus, parem com essa história de greve. Já vimos que não dá em nada e só passeio em BH e nada mais. A população não aguenta mais as passeatas atrapalhando o transito, os alunos ficando fora da escola e os pais nos odiando, isso já esta utrapassado gente os anos 70 já foi estamos no futuro 2013, o individualismo impera, para de bancar o idealistas do passado eles foram bons e agora é a nossa vez de mostrar outra coisa mais inteligente. Vou dar uma ideia. QUE TAL, IRMOS PARA AS ESCOLAS COM O TESÃO DE DARMOS UMA AULA DE CATEGORIA,DE NA HORA DO RECREIO DEBATER IDEIAS. qUE TAL DEBATERMOS NAS REUNIÕES DE PAIS OS ASSUNTOS REFERENTES AS NOSSAS LUTAS. MUITOS AINDA NÃO SABEM NEM O QUE É PISO SALARIAL. ALIAS ESSE PISO É UMA PIADA DA BOA. KKKKBEM PENSE ISSO: FIZEMOS NO ANO DE 2010 UMA GREVE QUE SÓ PIOROU NOSSA VIDA, DEPOIS VEIO 2011, AI O DANADO DO PISO ... PIOROU AINDA MAIS. SE O CUNHO, DA GREVE ERA POLÍTICO, O TIRO FOI NO NOSSO PÉ, O HOMEM GANHOU E DE MUITO. SOMOS INTELIGENTES, VAMOS USAR ISSO A NOSSO FAVOR. IR PRA RUA PARAR TRANSITO, FICAR GRITANDO, FALANDO MAL DO GOVERNO NÃO VAI NOS LEVAR A NADA, ESTAMOS VENDO ISSO AI. NOSSA CATEGORIA É FRACA, POBRE E INDIVIDUALISTA. EULER, MARTIM,ROMULO E OUTROS PAREM COM ESSA IDEIA DE GREVE. O QUE VCS QUEREM COM ISSO SABE QUE NÃO VAI DAR EM NADA MESMO!!!! TEMOS QUE ENSINAR NOSSO ALUNO E SUA FAMÍLIA A VOTAR E ISSO FAREMOS DENTRO DA SALA DE AULA. QUE TAL INSTITUIR UM DIA NA SEMANA PARA FORMAÇÃO CIDADÃ, DEBATER IDEIAS. ACREDITO QUE ISSO SIM É REIVINDICAR COM SABEDORIA. AQUELE AMUNTUADO DE GENTE COM BANDEIRAS GRITANDO NA RUA, AQUELES PROFISSIONAIS QUE VENDEM DE TUDO, AQUELES QUE LÁ VÃO PRA FAZER COMPRAS.ME POUPEM CHEGA VIU. E SE TIVER GREVE EU SOU A PRIMEIRA A ME DESFILIAR DESTE SINDICATO, NÃO VOU FICAR BANCANDO BRIGAS QUE NÃO VÃO DAR EM NADA. E OUTRA TENHO ATÉ PENA DA BEATRIZ, MOÇA BONITA EDUCADA NÃO MERECE FICAR FAZENDO ISSO NÃO. VAMOS INICIAR UMA CAMPANHA GREVE NÃO, TRABALHO SÉRIO E DEBATES NA ESCOLA SIM. PRONTO FALEI.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jisuis, me salva dessa pessoa!!!! Isso realmente trabalha em Minas Gerais ou será que é alguma inspetora ou diretora que receberam um aumento bem melhor que os pobres professores que morrem de trabalhar por 1400 reais bruto por mês????

      Excluir
    2. Isto só pode ter vindo da Naná,Vil hiena ou Gazoza.KKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    3. Anônimo27 de abril de 2013 23:02

      Mais uma professora doida, males da profissão.

      Excluir
    4. "TENHO ATÉ PENA DA BEATRIZ, MOÇA BONITA EDUCADA NÃO MERECE FICAR FAZENDO ISSO NÃO." "AQUELE AMUNTUADO DE GENTE COM BANDEIRAS GRITANDO NA RUA" ...

      É, colega, com argumentos como esses tá difícil de conseguirmos convencer alguém de que somos uma classe formadora de opiniões! Senhor Jesus! ... Pois vou te contar uma coisa: eu só não entristeci de vez ou desisti de fazer bem o meu trabalho pelo fato de ter estado, pelo menos uma três vezes durante a greve de 2011, no meio daquele “amuntuado” de gente pelas ruas de BH (de Montes Claros tbém, algumas vezes), de bandeira na mão, gritando a nossa indignação e colocando a população a par da mentirada do governo. Incomodada por estar incomodando, é verdade, mas ciente de que era o que podíamos e devíamos fazer naquele momento. Pagamos caro, mas lutamos bonito!
      E que negócio é esse de “greve não, mas trabalho sério sim”? Quer dizer que quem faz greve não trabalha sério?! Rotula não, colega, rotula não! Mesmo porque,colega, QUEM LUTA, EDUCA!


      Excluir
    5. BESTA!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    6. O nome dessa professora Anônimo 27 de abril de 2013 23:02 - eu conheço a figura muito bem - é Ofélia. O lema dela é: "Eu só abro a boca quando tenho c-e-r-t-e-z-a !!!"


      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    7. Tá parecendo gente do governo com este discurso.Arruma outra, esta tá fraca.

      Excluir
    8. Palmas para você. São profissionais como você que o Naná quer, para alienar mais ainda aqueles colegas desinformados e covardes que só sabem reclamar. E quem é você para falar das qualidades das aulas? Na escola em que trabalho, a maioria dos professores que não aderem ao movimento, fazem greve branca o ano inteiro, fazendo de conta que trabalham.....

      Excluir
  62. passei no concurso para ATB e sou designada. Alguém pode me dizer como fica essa situação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto voce aguarda sua nomeação, voce terá preferência em dsignações de acordo com a sua classificação.

      Quando for nomeada, voce poderá escolher a unidade na qual será lotada. a dica é: Escolha escola próxima a sua residência, pois o Estado não dá auxílio transporte e o nosso salário não é corrigido anualmente.

      Excluir
    2. Quando vejo pessoas ansiosas para entrar em exercício como efetivos, eu sinto uma pena.

      Tenho visto pessoas competentes, graduadas saindo da iniciativa privada para ter a ilusão de estabilidade.

      Eles estudam para concurso e não viram que a estabilidade acabou em 1998. Basta ler o IOMG e perceber a quantidade se servidores que são demitidos e ou exonerados.

      Começam a trabalhar num local que não podem alterar, não podem modificar que sua criativadae e proatividade não é reconhecida; e tão logo estará acomodados e desanimados com a condição tão sonhada de servidor público efetivo.

      Aí já terá passado anos e voltar a estaca zero é uma decisão muito difícil.

      Excluir
    3. Também vejo assim , pessoas passando em concurso para a educação, sou concursado, tenho vinte anos de profissão e não vejo nenhuma vantagem em ser professor efetivo do estado de minas gerais!!!!

      Excluir
  63. Sexta feira em um programa de rádio , estavam debatendo sobre a meia entrada . Eis que o locutor disse : concordo com a meia entrada para estudantes , mas acho que deveriam estender também para categoria que recebem muito pouco como professores e garis.
    Obs.Como disse o fascista do Boris chegamos ao mais baixo patamar.

    ResponderExcluir
  64. domingo, 28 de abril de 2013




    Desisti de ser professor do Estado



    Professor de Belo Horizonte desiste da profissão por não poder se sustentar com os salários que o Governo de Minas paga



    Hoje tive o dia mais triste como professor. Não estou me referindo a nenhuma indisciplina ou necessariamente a baixo rendimento escolar de meus alunos.




    SOLICITEI A MINHA DISPENSA NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS e fui surpreendido pelos meus alunos.




    Como sou muito exigente, muitas vezes coloco fardos pesados sobre meus alunos. Acreditava que a minha saída na transição dos bimestres seria encarada apenas como mais uma das tantas mudanças corriqueiras que ocorrem na Escola.




    Estava enganado. Fui surpreendido pelo choro mais desolador que já vi em toda a minha vida. Minha maior tristeza foi pensar que eu poderia ser responsável por esse choro.




    Jamais pensei que meus ALUNOS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS fossem chorar por minha saída.




    Preocupado com o que eu diria para eles como motivo, preferi a verdade. ESTOU SAINDO PORQUE NÃO CONSIGO ME SUSTENTAR NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS. Como são crianças, muitas não entenderam o que eu queria dizer e me responderam novamente com o choro mais desolador que já vi ou causei em toda a minha vida.




    “PROFESSOR NÃO NOS ABANDONE”!




    A criança não entende a opção que nós professores fazemos quando abandonamos a sala de aula. Uma de minhas alunas gritou: “Vou me mudar para a escola onde o senhor vai continuar como professor”. Nessa hora engasguei o choro e me perguntei como poderia ser isso? Se a maioria de nós no Brasil e na REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS não dispomos de recursos para bancar o ensino privado.




    Algumas crianças se puseram na porta e tentavam impedir minha saída, sem palavras e assustado com o choro e
    o pedido de que não as “abandonasse”, restou-me recolher na solidão de meu objetivo racional e deixar a sala com crianças chorosas como nunca vi a se despedirem com o olhar que jamais esquecerei, do professor que NÃO CONSEGUIU SE SUSTENTAR NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS.




    Eu poderia recolher-me na vaidade, em pensar que sou um bom professor e que vou conseguir o melhor para mim.




    Entretanto, sei que hoje a exemplo do que ocorreu comigo, DEZENAS DE OUTROS PROFESSORES DEIXARAM A REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS POR NÃO CONSEGUIREM SE SUSTENTAR, ASSIM COMO TAMBÉM DEZENAS DE CRIANÇAS CHORARAM AO SE DESPEDIREM DE SEUS PROFESSORES.




    Resta-me na revolta implorar a todos os mineiros e brasileiros que lerem essa carta.




    PELO AMOR DE DEUS! NÃO ACREDITEM NA EDUCAÇÃO FAZ DE CONTA DO GOVERNO DE MINAS GERAIS. O ESTADO FAZ DE CONTA QUE REMUNERA SEUS PROFESSORES, PROFESSORES INFELIZMENTE FAZEM DE CONTA QUE ENSINAM, ALUNOS FAZEM DE CONTA QUE APRENDEM E ATORES GLOBAIS FAZEM DE CONTA QUE FALAM DA MELHOR EDUCAÇÃO DO PAÍS.




    O episódio dessa carta ocorreu NO DIA 18 DE ABRIL DE 2013 NA ESCOLA ESTADUAL BARÃO DO RIO BRANCO EM BELO HORIZONTE. Infelizmente ocorreu também em dezenas de Escolas do Estado de Minas Gerais.

    ENQUANTO O GOVERNO DE MINAS PAGA MILHARES DE REAIS A ATORES GLOBAIS PARA MENTIREM SOBRE A EDUCAÇÃO NO HORÁRIO NOBRE, NOSSAS CRIANÇAS CHORAM OS SEUS PROFESSORES QUE ESTÃO SAINDO PORQUE NÃO CONSEGUEM MAIS SE SUSTENTAR NO ESTADO.




    Prof. Juvenal Lima Gomes


    EX-PROFESSOR DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS

    Várias fontes. Uma delas:
    http://www.geledes.org.br/educacao/desisti-de-ser-professor
    Leia alguns comentários:

    ResponderExcluir
  65. Infelizmente é uma situação muito complicada, porque NÓS professores estamos cada vez mais desmotivados a lecionar devido o descaso do governo com a educação...o fato é que a educação em Minas é uma farsa, uma mentira. Os resultados das avaliações que medem a proficiência dos alunos da rede pública são manipulados, fraudados, e nossos alunos estão cada vez mais alienados e despreparados para enfrentar concursos, vestibulares ou qualquer outro meio para conseguirem emprego razoável...e como resultado, cidadãos sem conhecimento real e senso crítico. O professor chegará em um momento que ficará extinto totalmente!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os alunos não querem estudar. Vão ser políticos, comerciantes, artístas ou jogadores de futebol. Se estudarem vão ser professores, também conhecidos como otários. Acorda gente! O mundo mudou, e nós continuamos cultivando os mesmos valores. A escola acabou. Pode fechar e abrir um boteco.

      Excluir
    2. Isso! Otários é o que nós nos tornamos. Professores otários. Não existe mais a turma do fundão. O que vemos hoje é um nada generalizado, com algumas exceções: algums alunos,esperando o que sabemos, mas não podemos...Não tenho nem vontade de terminar o texto. Estou enojada!

      Excluir
  66. O estado é uma máquina de destruir sonhos Ele não vê professores, alunos, pessoas. Ele vê numeros, ele quer indices. É revoltante, nojenta e asquerosa a forma como a educação é tratada, o descaso. Podem falar q não sou patriota, mas a cada partida de futebol, cada grito de torcedor, eu sinto mais raiva. O orgulho patriota só aparece na hora do futebol, na hora de ver como tá a educação ele some, evapora. Essa copa do mundo, quanto dinheiro que devia ta sendo investido na educação e saude, que tá "sendo investido" num evento que nao leva ninguem a lugar algum.

    ResponderExcluir
  67. É o grande choque de gestão! Vergonha estado de minas... Aécio é réu por desviar 4bi da saúde; não paga o piso nacional pros professores do estado alegando falta de verba... e tem mineiro o apoia.

    ResponderExcluir
  68. Que que é isto! O Mercadante defendendo "Folha de São Paulo" e a favor de ditadores? Prá mim chega! Não há esperança para a educação.Pelo menos por enquanto...estamos só no meio de traíras! Veja no "Vi o Mundo". Ofendeu terrivelmente as vítimas das torturas da ditadura. E isto que se diz MINISTRO DA EDUCAÇÃO? ESPALHEM PARA VER SE ELE SE RETRATA E TOMA VERGONHA NA CARA.O "Folha" é o maior dos PIGs e quer a todo custo derrubar Dilma e o PT para colocar o Aético na presidência. Esta prá mim foi demais!!!!! FORA MERCADANTE...

    ResponderExcluir
  69. Denúncias

    O que a Globo não mostrou de Brasil vs. Chile

    publicado em 27 de abril de 2013 às 23:32

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-que-a-globo-nao-mostrou-de-brasil-vs-chile.html

    ResponderExcluir
  70. http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-que-a-globo-nao-mostrou-de-brasil-vs-chile.html

    Essa reportagem do Viomundo, traz o vídeo do sindicato com uns mil participantes, em frente ao Mineirão. Assiste aêeeeeeee !!

    ResponderExcluir
  71. Que pena! Estou sentido desânimo em você , então é porque esta muito pior do que imaginamos

    ResponderExcluir
  72. Esta Professorado dia 27/04 de 23;02 deve ser da Turma do Anastacia,só pode.VERDADEIRA VERGONHA DO MAGISTÈRIO.

    ResponderExcluir

  73. Falas do presidente da CBF.


    http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-que-a-globo-nao-mostrou-de-brasil-vs-chile.html


    LOBO EM PELE DE CORDEIRO.

    ResponderExcluir
  74. A famigerada dupla Aécio/Anastasia destruiu Minas Gerais. São quase R$100 bilhões de dívidas com a União, graças ao ridículo Choque de INDIgestão. Os serviços públicos foram detonados por uma política de cunho neoliberal, que persegue o funcionalismo ao ponto de não se investir em educação e saúde o que a Constituição preconiza (12% do orçamento em saúde e 25% em educação) desde 2003. Além disso, não paga o PISO NACIONAL dos professores e congelou a carreira dos docentes até (pasmem!!) 2016.

    ResponderExcluir
  75. Assim como não noticiou a manifestção dos professores da rede pública em Ribeirão Preto na noite de quinta-feira passada, ou os de São Paulo, na Av Paulista, sexta-feira à tarde. Lamentável.

    ResponderExcluir
  76. A Educação em Minas vai de mal a pior. Esse não é apenas o depoimento de um professor da rede estadual que está insatisfeito com o seu salário ou pela ausência de infraestrutura na escola. É a realidade escancarada nos quatro cantos do Estado. Se já tínhamos um ensino de má qualidade em função da baixa remuneração e da não aplicação do mínimo de 25%, conforme preconiza a Constituição Federal, agora, nem os prédios escolares escapam. A Educação está abandonada. Enquanto isso, os tucanos gastam milhões com propagandas mentirosas.

    Na já conhecida Minas da Fantasia, o funcionalismo até parece estar em lua de mel com o governo Aécio/Anastasia, mas, diferente das peças publicitárias, a realidade é vergonhosa. “Trabalhador na rua. Anastasia, a culpa é sua!”. A frase que ecoa pelas ruas de Belo Horizonte, nesta semana, demonstra a indignação dos professores mineiros, que se consideram desrespeitados e desvalorizados.

    Eles reivindicam o cumprimento da Lei Federal 11.738/2008, que estabelece um piso nacionalmente unificado para as carreiras de Magistério. Os educadores pedem também o descongelamento da carreira, a nomeação imediata dos concursados para todos os cargos vagos e atendimento digno no Ipsemg.

    Falta compromisso e seriedade por parte do governo mineiro que, em fevereiro deste ano, desqualificou o curso e o profissional de Educação Física. Numa manobra feita pela Secretaria de Estado de Educação, por meio da resolução nº 2.253, o governador Anastasia retirou os professores de Educação Física das escolas nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Além disso, tem ainda o escândalo das turmas multisseriadas. Com a medida, alunos de níveis diferentes passaram a estudar em uma mesma sala de aula, no mesmo horário, dificultando o trabalho do professor e prejudicando a qualidade do ensino.

    Assim, esmagados pelo governo tucano, mas vivendo na Minas da fantasia, os educadores seguem a sua luta.

    ResponderExcluir
  77. 29/04/2013

    O ghost writer de Aécio não aprende: escreve baboseiras e faz o chefe tomar, ora no cravo, ora na ferradura. O textículo da segunda-feira elenca, ou tenta enumerar, vários itens em que se registrariam supostas contradições do PT. Daí o título provocativo, “PT: quem te viu, quem te vê”. Ineficaz política e, eleitoralmente, a criatura volta-se contra o criador. Vamos lá.

    Tudo que ele critica no PT, ele pratica superlativamente.

    Os Cunha e Neves cuidam muito de si. Alguns inclusive foram em cana com Marcos Valério, recentemente: Eloá, Ildeu, Rogério Tolentino e Valério foram presos na “Operação Avalanche”. Aí não dá para disfarçar: é ácido desoxirribonucleico na veia. A irmã Andréa, além de ter recebido cheque de Valério, à época do mensalão tucano, depositado diretamente em sua loja de aluguel de produtos para bebês (Taking Care Ltda., que teve Aécio como cotista:49%), ainda é objeto de denúncia do Bloco Minas Sem Censura. Trata-se do estranho caso da Rádio Arco Íris, sob suspeita de ocultação de patrimônio, sonegação fiscal e improbidade administrativa. Inês Maria, a genitora, tem na IM Participações Ltda., um foco constante de dores de cabeça. Sem esquecer que ela foi, pelo menos, duas vezes investigada, por gestão temerária no Banco Bandeirantes. Numa delas foi multada pelo BC. Ela e o marido estiveram na mira do BC, em face das operações de risco feitas pelo citado banco. Algumas semelhantes às do Banco Rural. A NC (Neves e Cunha) Participações também não é benta. Fora o caso de Lídia Maria Alonso Lima que constou como sócia em várias empresas dos dois famosos irmãos Neves, apenas por exigência legal, comprovando sua função de “laranja”. E não nos esqueçamos do emblemático Tancredo Aladin Rocha Tolentinho com prisão, por suas vendas de sentenças judiciais. Tudo isso é devidamente documentado. E note-se: tudo no círculo de consaguinidade.

    No entanto, tem mais coisas: a atípica parceria com o Sr. Borges da Costa e sua Banjet; as nomeações de Papaléo Paes (PSDB-Amapá), Wilson Santos (PSDB-Mato Grosso), Raul Jungmann (PPS-Pernambuco), em empresas controladas pelo governo mineiro; a prima de Carlos Cachoeira, nomeada a pedido de Demóstenes Torres. Fora os mineiros de sua turma: mais de uma dezena de políticos que enfrentam processos pelas mais diversas acusações. Justiça seja feita: Aécio nunca faltou aos seus.

    No mais, o seu texto insiste no “se colar, colou”.

    Fala da autoria da PEC 33, que redefine o trato de questões julgadas inconstitucionais pelo STF: a iniciativa é de um petista, mas que foi aprovada sua admissibilidade pelo deputado tucano João Campos. Que fundamentou sua aprovação, louvando aquilo que ela tem de melhor: no caso de permanecer a divergência entre STF e Congresso, a consulta popular será o mecanismo de superação do embate. Logo, Aécio replica a mentira de que o Congresso estaria dando a última palavra no citado conflito.

    A PEC 37, de autoria de um deputado do PTdoB, com aprovação de um deputado do PTB, notório inimigo do Partido dos Trabalhadores (Arnaldo Faria de Sá) é outra arma de Aécio. A mesma trata de disciplinar as funções do Ministério Público, em face de seus contantes conflitos com as atribuições das polícias judiciárias. A mídia antiPT batizou a autoria dessas duas iniciativas: coisa de petistas. E Aécio repercute a mentira.

    O projeto 4470, que fortalece a fidelidade partidária, inibindo as negociatas com tempos de televisão e cotas do fundo partidário, tão comuns nas recentes criações de partidos, é divulgado como inibidor de adversários de Dilma Rousseff. Ah, o projeto é de autoria de um deputado do PMDB de São Paulo.

    Enfim, seguindo a famosa pregação de Goebbels, Aécio tenta repetir as mentiras mil vezes, para ver se se tornam verdade.

    Triste fim o de um presidenciável que precisa recorrer a tais subterfúgios para dar brilho à sua carreira.

    ResponderExcluir
  78. Assinem a campanha: Educação pública eu apoio. Está no site da CNTE.
    Precisamos fazer pressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.30 de abril de 2013 15:21

      Agora só assino campanha para os desgovernadores tomarem vergonha e pagar o PISO, o resto é enganação de cnte, cut, sindute e tudo que é safado que não quer trabalhar e ficam fingindo que defendem educação e educador.

      Excluir
  79. A presidenta Dilma está insistindo na destinação de 100% dos recursos do petróleo a educação. Está na hora de pressionarmos para que ela insista no cumprimento da lei do piso pelos governantes. Já escrevi no site: fale com a presidenta.Não podemos ficar esperando um recurso que sabe-se lá quando virá.Enquanto isto.. os governantes vão continuar alegando que não têm como pagar o piso. Vamos pressionar.

    ResponderExcluir
  80. É fim...É o fim... Uma decepção atrás da outra!!!

    Agora o famoso PIP está chegando em todas as escolas municipais também...
    É decepcionante ver colegas professores que até ontem criticavam o pip nas escolas estaduais se tornando pipeiros nas escolas municipais!
    Tomam frente nas reuniões de módulo II,até com certa arrogância, para defenderem o pip e reforçarem as "vantagens" trazidas pelo mesmo.Insistem em dizer que as escolas estaduais melhoraram depois do pip...
    Quanta enganação!!!
    Colegas que antes mereciam nossa admiração se bandeando para o lado podre...
    Também estou me desligando da educação pública mineira.Hoje é meu último dia.Vou trabalhar num escritório e ganhar $900,00/mês.É menos do que ganhava na escola,mas pelo menos vou com a cabeça leve para casa,sem levar aquele fardo pesado de tarefas.Não vou sentir saudade de nada!

    Que alívio estou sentindo...
    Adeus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Percebe-se que será um desligamento em massa de professores e demais profissionais da área educacional de Minas!

      Excluir
  81. GENTE, QUEM TEM ALUNO COM PROBLEMAS NA SALA DE AULA?
    SE NÃO GANHAMMOS A MAIS PARA ISSO QUEM DEVERIA ESTAR COM ELES É PROFESSOR DE APOIO.

    GOVERNO JÁ RECEBEU NOTAS PROEB, MAS DEMORA EM DIVULGAR SÓ PROVA A MAQUIAGEM

    GOVERNO MANDOU AUMENTAR NOTAS PARA MELHORAR EDUCAÇÃO EM MINAS..

    SE NÃO ACREDITAM, MANDEM ABRIR CPI DA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA.

    ResponderExcluir
  82. Alguém sabe me dizer se o tempo de licença para tratamento de saúde é computado para aposentadoria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim com toda certeza.É considerado efetivo exercício.

      Isso, se o Anastásia não alterar mais este direito no Projeto enviado à ALMG que modifica o Estatuto do Servidor.

      Excluir
  83. O tempo referente as licenças para tratamento de saúde é computado normalmente para aposentadoria.Apenas as faltas subtraem o tempo de serviço.

    ResponderExcluir
  84. PIP É>>>>>>>>>>>>>
    Programa de Intervenção Politica

    Só para aparecer, sem salário até os próprios pipeiros reclamam

    estão pelo salário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já vi muitos comentarem que só pelo salário mesmo... e ainda continuam insistindo nessa presepada toda!

      Excluir
  85. Maior doideira é essa a Prova do Concurso da Polícia de Minas fraudulenta. Ainda não soltaram o gabarito e nem se explicaram para as partes interessadas.Explica este acontecido Governador.Colocar pessoas inexperientes,incapazes de realizar um concurso .E mais ,despreparados para a aplicação da mesma.Para economizar a grana para o Governador gastar nas próximas eleições?.E ai Governador como se explica essa FRAUDE? Por que não contratou uma Instituição séria e competente para realizar o concurso?

    ResponderExcluir
  86. Contra cheque disponível no portal.

    ResponderExcluir

  87. http://www.youtube.com/watch?v=4SZ5ClHFgy0

    ResponderExcluir
  88. Euler, gostaria que comentasse sobre esses sites das superintendências que não funcionam mais, todos os dias estão fora do ar, e quem tem dinheiro pra pagar ônibus e ir de escola em escola e saber se tem vagas!

    ResponderExcluir

  89. Homenagem aos trabalhadores da Educação no estado do faz de contas.

    VÍDEO
    governo de minhas = FÁBRICA
    dr. manipulador = daquilo castrado
    secretária igualzinho à secretaria
    fudêncio = pipis
    o resto = ao resto

    É ASSIM QUE AS COISAS FUNCIONAM NO ESTADO DO FAZ DE CONTAS.

    NÃO DEIXEM DE ASSISTIR:

    http://www.youtube.com/watch?v=4SZ5ClHFgy0

    ResponderExcluir
  90. Amigos, o contra-cheque já pode ser visualizado, apesar de não haver nada de bom, só mesmo a decepção costumeira, mas de qualquer forma está lá!

    ResponderExcluir
  91. alguém sabe me informar se recebo em dinheiro, férias- prêmio que tenho acumuladas quando me aposentar? grata,telma ,boc.

    ResponderExcluir
  92. Eu posso lhe informar com certeza:se suas férias prêmio forem referentes até 2004,você as receberá em espécie,se for de 2004 prá cá ,se você não tirar,fica pro governo.Vou me aposentar este ano e tenho 2 meses de 2003 e estou guardando para recebê-las em espécie e as que tenho de lá prá cá vou tira em agosto voltando somente para me aposentar.

    ResponderExcluir