sábado, 21 de abril de 2012

As Derramas dos educadores mineiros: sem piso, sem carreira e sem reajuste de 22%


Neste dia 21 de abril, data que conspira contra as muitas Derramas de recursos e dinheiro públicos, quase sempre carreados para os bolsos de minorias privilegiadas, vamos divulgar aqui os dois vídeos da nossa combativa colega professora Marly Gribel. O primeiro, é uma aula completa de visão crítica da realidade mineira e nacional: o descaso com a Educação pública, com a Saúde, com a moradia, etc. Os alunos participam do projeto e redescobrem o quanto o governo de Minas manipula a população com propaganda, enquanto a realidade real é a do não pagamento do piso salarial e a destruição da carreira dos profissionais da Educação.





No segundo vídeo, Marly revela os supostos erros ocorridos no processo de gravação, mas que mostra na verdade os bastidores do processo, que acontecem com muita alegria, de forma direta, revelando um pouco mais do perfil da nossa combativa comandante Marly - a qual parabenizamos pela brilhante iniciativa. Seguramente, esta iniciativa vai inspirar outras ações semelhantes, para que Minas se transforme num grande canteiro de rebeldias, de questionamentos, de impertinências em relação aos atos dos governos e das elites dominantes.



Não temos muito o que comemorar neste 21 de abril, pois o nosso piso salarial, o nosso reajuste de 22% e a nossa carreira, bem como o terço de tempo extraclasse, foram drenados para outros fins, tal como o ouro do solo do Brasil fora (e continua) transferido para outros portos, distantes dos reais interesses e necessidades dos de baixo.


Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

***


Frei Gilvander:

Aconteceu MAIS UMA NOVA OCUPAÇÃO URBANA EM BELO HORIZONTE: OCUPAÇÃO ELIANA SILVA, no Barreiro.

A tensão é grande no local, pois são 350 famílias sem-casa com cerco da Polícia.

Aos órgãos de imprensa e à Sociedade em Geral,

Na madrugada do dia de hoje, 21 de abril de 2012, cerca de 350 famílias organizadas pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), reivindicando o direito garantido pela Constituição brasileira de acesso a moradia digna, de forma organizada, realizaram uma nova Ocupação Urbana em Belo Horizonte numa área que não cumpre a função social da propriedade, área abandonada. 

A ocupação é uma conseqüência do descaso da Prefeitura de Belo Horizonte e do Governo do Estado de Minas frente ao déficit habitacional em BH e no estado, que chega a índices alarmantes, denunciados pelos movimentos sociais e órgãos de imprensa. Entretanto mesmo sendo um direito, as famílias acampadas estão sobre forte cerco policial. Desde as 4 horas da manhã, policiais do Batalhão de Choque estão no local ameaçando as famílias e helicópteros sobrevoaram a ocupação por toda a noite. 

Contamos com a solidariedade de todas as pessoas de boa vontade, pois não vamos permitir que um novo Pinheirinho – O Massacre de São José dos Campos, SP - aconteça em Belo Horizonte.




A ocupação leva o nome de Eliana Silva, belo-horizontina, uma das principais lutadoras das causas sociais, em especial da luta por moradia digna para o povo pobre, que morreu em 2009.

Endereço da Ocupação Eliana Silva:
Rua Perimetral, lotes 29 e 30, quarteirão 155, na altura da Fábrica PREMIAÇO, no Barreiro de Baixo, em Belo Horizonte, MG. Referência: Próximo ao final do ônibus 31, perto do Campo do Santa Rita.

CONTATOS PARA MAIORES INFORMAÇÕES:

Para entrar em contato ligue para Leonardo Péricles: celulares: (31) 9133-0983 ou (31) 9331 4477 ou (31) 9716 5356.

Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB-MG)

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira


184 comentários:

  1. Alguém poderia me explicar esta notícia no Portal do Servidor?
    Trata-se de mais um golpe?

    "A partir da próxima segunda-feira (23), o Governo de Minas começará a receber, por meio de consulta pública, sugestões à minuta de projeto de lei complementar que visa modificar o Estatuto dos Servidores Públicos Civis de Minas Gerais. O mecanismo da consulta pública foi instituído pelo governador Antonio Anastasia com o objetivo de submeter à sociedade matérias de competência do governador, como anteprojetos de lei e minutas de decretos. É uma proposta de diálogo do Poder Executivo com a sociedade, com chancela do governador."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diálogo com esse governo é um perigo, "dialogou" com os professores, dando-lhes opção entre a carreira antiga e o subsídio, depois deu no que deu....
      Não vamos torcer contra, mas pode sim ser mais um golpe!
      Josélia-GV

      Excluir
    2. Concordo plenamente, mas pensem pelo lado positivo, já sabemos quanto vamos receber de salário até 2015, não é fabuloso, estou até pensando onde vou investir meus 5% de aumento mês que vem...Não vejo a hora das eleições estaduais, para darmos o troco nesse FACISTA Pós moderno...
      Anastahitler NUNCA MAIS!!!

      Excluir
  2. Ontem na TV Assembléia aconteceu um debate da CPI envolvimento da polícia com roubo em supermercados
    com os deputados, esses policiais foram denuciados e os denunciantes e familiares estão sendo ameaçados de morte.O governador determinou que os deputados da base votassem contra o projeto de abertura da CPI que vai apurar o caso. Omtem esse projeto tinha que ser votado e os deputados da base não quiseram votar alegando que não iriam votar aquele projeto porque eles desconhece-o que primeiro eles teriam que ler o projeto e conhecer o que estão votando não podem votar nele sem conhecê-lo. Veja a contradição... e os mesmos deputados da base do governo votaram o projeto do subsídio II, sem conhecê-lo e sem se quer ler o projeto. Claro ano plítico ladroes fazem festa NÃO PODE PRENDER ladrões. A sociedade que se cuide, mais essa agora...O governador de Minas, quer camuflar e apoiar e votar contra projetos de CPI de bandidos isso ele pode fazer mas apoiar os professores trabalhadores e melhorar salarios isso não pode.Parabéns deputado Célio Moreira e o governador Anastasia. Acho sim que precisamos fazer uma campanha de ensinar as pessoas de como escolher um representante do povo. Mais um alerta. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Comandante em chefe, que bom que gostou! Os educadores tem que criar situações novas na sala de aula de combate a esta situação que o povo brasileiro no seu conjunto vive; pobreza, péssimo atendimento nos serviços essenciais. A Constituição é boa no papel mas na prática não funciona nas questões que tratam dos direitos fundamentais do ser humano: saúde, educação, moradia, lazer, segurança. A Campanha da fraternidade da CNBB este ano está trabalhando a questão da saúde no Brasil que é caótica. Ou seja, temos alguns aliados importantes aí. No rumo que vai, vou escrever para o papa, para a ONU, para as organizações internacionais(rs). Mas para que as coisas mudem precisamos de todos: alunos, pais, sociedade organizada e principalmente professores dispostos a lutar. Temos que contar com os professores do Brasil para isto. Como? trabalhando as bases- as pessoas, as comunidades em que trabalha. Senão a carroça não avança.
    Temos um longo caminho pela frente, mas marcharemos juntos como fez o Gandhi: utilizando o lema- desobediência civil contra quem não obedece a Constituição.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marly, como vai? Tenho contribuído com a minha parte trabalhando textos seus e do Euler com os alunos em sala de aula, É uma ótima forma de politizá-los e já está dando resultado. Abraços Dalgiza

      Excluir
    2. Marly Gribel,
      Meus parabéns!!!!

      Apesar das mídias já estarem por aí sendo cada dia mais usadas de formas positivas e também muito negativas ou sem um objetivo de conscientizar ou ajudar a termos um mundo melhor, nós professores, custamos muito a ter coragem, ou mesmo a fazer um esforço maior para utilizá-la como você tão dedicadamente a está utilizando.
      Novamente meus parabéns!
      E que outros(as) dedicados(as)e criativos(as) educadores apareçam mostrando a "cara", inovando e participando desta ferramenta que chegou para permanecer como mais uma alternativa de educação.

      Excluir
  4. DECRETO NE Nº 254, DE 20 DE ABRIL DE 2012.
    Transfere, simbolicamente, a sede do Governo do Estado
    de Minas Gerais para a cidade de Ouro Preto.
    O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere
    o inciso VII do art. 90, da Constituição do Estado, e tendo em vista o § 2º do seu art. 256,
    DECRETA:
    Art. único. A sede do Governo do Estado de Minas Gerais fica, no dia 21 de abril, simbolicamente
    transferida para a cidade de Ouro Preto, para as celebrações alusivas à Inconfidência Mineira.
    Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, aos 20 de abril de 2012; 224º da Inconfidência Mineira e
    191º da Independência do Brasil.
    ANTONIO AUGUSTO JUNHO ANASTASIA
    Danilo de Castro
    Maria Coeli Simões Pires
    Renata Maria Paes de Vilhena
    mais um GOLPE DO GOVERNADOR CONTRA OS QUE VÃO A TIRADENTES, MUDOU, VÃO PARA OURO PRETO URGENTE!
    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  5. Eles...
    Dalmo Ribeiro
    PSDB
    Ouro Fino, Santa Rita do Sapucaí, Extrema, Jacutinga, Passa Quatro, Pouso Alegre, Monte Sião, Itanhandu, Elói Mendes, Cristina, Itajubá, Borda da Mata, Cruzília, Inconfidentes e São Sebastião da Bela Vista.

    Deiró Marra
    PR
    Patrocínio, Baependi, Sacramento, Vazante, Romaria, Curral de Dentro, Santa Cruz de Salinas e Januária

    Délio Malheiros
    PV
    Belo Horizonte, Itamarandiba, Além Paraíba, Contagem, Minas Novas, Diamantina, Conquista e São José do Jacuri.
    Provável candidato a prefeitura de Belo Horizonte, imaginem o que ele faria pelas Escolas Municipais e pelas UMEIs ?

    ResponderExcluir
  6. Marly, seu trabalho foi tão bom que até os momentos de preparação para a gravação foram interessantes e enriquecedores, pois escola é exatamente isso, gente viva, coração pulsando, aprendizado. Nada está pronto, nem nós, conforme diz o mineiro Guimarães Rosa. Fiquei maravilhada ao ver você preparar essa moçada, pois vi interação entre você eles. Essa relação na qual impera a verdade, o respeito e até as broncas é que faz da escola um espaço de formação de gente, de cidadão. Parabéns mais uma vez a você e a toda essa moçada bonita e inteligente!

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço minhas as palavras da mestra Ivete, ficou "chique" demais ...

      Excluir
  7. Acidente fatal ressalta divisão de classes no Brasil

    Um perfil do jovem Batista publicado pela revista "Veja", em 2011, descrevia passeios para baladas em São Paulo a bordo de um jato Gulfstream. Ele contou ser relativamente comedido, nunca gastando mais do que US$ 3.300 por noite e expressou sua falta de interesse por leitura, a menos que os temas incluam carros, musculação e finanças.

    "Nunca li um livro inteiro", ele declarou à revista.

    Enquanto isso, Eike Batista faz uma defesa veemente do filho, deixando claro no Twitter que usaria todos os meios à mão. "Somente contrato os melhores", comentou em referência à contratação de um ex-ministro da justiça para representar o filho. "Algum problema?"

    The New York Times News Service/Syndicate – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times._NYT_
    segue o link
    http://nytsyn.br.msn.com/colunistas/acidente-fatal-ressalta-divis%C3%A3o-de-classes-no-brasil-1
    os ricos tudo pode , os professores nada e os de baixo menos ainda!

    ResponderExcluir
  8. Tô impressionado, com o que está acontecendo aqui em Tiradentes, Estão marcando assembleia regional e pontos turisticos, para vê se consegue adesão da categoria. Pois ouvir alguém dizer o bom que nós pagamos o sindicato, mas também passeamos e conhecemos o lugares turisticos de minas, e ainda recebo ajuda de cousto. A proxima é em Diamantina e depois Pirapora, e vamos que vamos, PÃO E CIRCO. Politizar a categoria é a última coisa que a direção está pensando. Isso é uma vergonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sempre repito o sindinútil não pensa no educador, só em passeios turisticos carissimos é a campanha colegas, Beatriz só quer poder!
      abraços a todos
      e principalmente a você grande Euler!

      POÇOS DE CALDA

      Excluir
    2. Anônimo de 11:07.Primeiramente ,não precisamos de opiniões que visem separar sindicato dos professores. Existem pessoas de caráter duvidoso em todas as profissões.Não queira por lenha numa fogueira que, para o bem de todos, deveria,já, ter virado cinzas. Foi difícil entender seu texto devido aos inúmeros erros,mas prá quem sabe ler (e escrever) um pingo é letra,já dizia minha avó.

      Excluir
  9. Dívida de Minas Gerais em 2006 era 13,6 bilhões com os famosos "choques de gestões(QUE ZERARAM AS DÍVIDAS DE MINAS, LEMBRAM - SE, QUE MINAS NÃO DEVIA MAIS NADA ?): CHOQUE DE GESTÃO fase 1, CHOQUE DE GESTÃO fase 2 e já ia começar a CHOQUE DE GESTÃO fase 3" que estão sendo aplicados pelo psdb( Pior Salário Do Brasil) no Estado. Essa dívida subiu para 62,7 bilhões em 2011. Vamos eleger aócio never presidente do Brasil, para ele ter a chance de exercer O CHOQUE DE GESTÃO NACIONAL. Essa competência deve ser estendida a todos os brasileiros. Ele, aócio never, é perito em sextuplicar uma dívida, Minas avança a passos largos para o abismo impagável... Fontes da dívida: Secretaria do Tesouro Nacional, Agência da Câmara e publicada pelo Estrago de Minas, o grande jornal dos banheiros públicos dos mineiros e que agora está sendo entregue nas Escolas Estaduais... "Para quem sabe ler, um pingo é letra." Imaginem vários pingos formando uma reticência. ATRAVÉS DESSES DADOS VAMOS NOS EMPENHAR NA NOSSA CAMPANHA: AÓCIO PRESIDENTE? NEVER ! Vejam também a sarge sobre os funcionários públicos que foi veiculada no mesmo dia, pelo mesmo jornal (20/04/2012). Esse grande jornal só publicou essa notícia porque eles, governos, querem que mude o indexador da famosa dívida com a União, que foi provocada pelo famoso CHOQUE DE GESTÃO .Mas creio que teremos muitas surpresas pois ainda não SABEMOS se temos dívidas externas, do dinheiro usado para comprar o mundo de cimento para as famosas empreiteiras construirem o monte de viadutos por toda Belo Horizonte e adjacências da não menos famosa e eterna construção babilônica intitulada LINHA VERDE e Cidade (IN)administrativa. Sem falar das construções de quase 10 penitenciarias que totalizam 1,3 bilhões http://www.abrasil.gov.br/estados/pdf/mg.pdf (me corrijam se eu estiver errada pois a INTERNET BRASILEIRA é tão boa que o arquivo nem abriu MAS DEVE SER IMPORTANTÍSSIMO DE SER LIDO NA ÍNTEGRA) e dos sei lá quantos caveirões IMPORTADOS do Rio de Janeiro e ainda dos 89.925 efetivados da LEI 100concurso público do inconstitucional do cabide de empregos do aócio never.
    E ANTES QUE ME ESQUEÇA QUERO APROVEITAR PARA AGRADECER A DEUS PELA VIDA DE TIRADENTES - JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER E PELA VIDA DE TODOS QUE DOARAM AS VIDAS PELO BEM COMUM.
    INDIGNADA!

    ResponderExcluir
  10. os 22% não são executados porque o próprio sindicato e inclusive NDG, aceitou a proporcionalidade da lei, passivamente, porque era rentável estando ela aplicada na carreira de VB. Agora a proporcionalidade ta sendo usada contra a categoria servindo de argumento para que o aumento não venha. Temos que bater nessa proporcionalidade , como sempre eu disse aqui.
    Até o Euler eu vi defendendo a proporcionalidade como algo que a lei prevê. Defendo uma tese, e não há quem me convença que a lei dê ao governante essa brecha. Acorda gente!!!!

    ResponderExcluir
  11. Não queremos CRER, anônimo das 11:07, que o Direção do SINDUTE tenha chegado a esse nível. Porque é dinheiro meu, seu e de milhares de sindicalizados que é recolhido mensalmente para que o Sindicato que nos representa faça algo de sério e de importante para a categoria. Não é função do Sindicato patrocinar lazer e cultura nas cidades históricas, nesses moldes, para alguns sindicalizados. Isso é importante, mas noutro momento, ou seja, quando a questão do PISO SALARIAL já estiver resolvida, aí sim, pode convidar os interessados a fazerem esses passeios, mas agora, DEFINITIVAMENTE. Então como não queremos CRER EM TAL BARBARIDADE, reitero que estamos todos esperando pelas atitudes do Sindicato em fazer os tais outdoors que já foram aprovados em outras reuniões do sindicato e, ainda, a confecção dos bonés, adesivos, sacolas/bolsas, porta-moedas e tudo o mais que com criatividade possa dar visibilidade a nossa luta que não acabou no ano passado. ESTAMOS TODOS DE OLHO! Aliás, o SINDICATO deveria mesmo tomar essas providências de forma mais rápida, pois outro dia alguns professores ficaram comparando a atuação do SINPRO com o SINDUTE, e chegou-se á conclusão de que o SINPRO favorece muito mais seus sindicalizados do que o SINDUTE, pois por intermédio do SINPRO os educadores conseguem um percentual razoável de bolsa para seus filhos, do ensino fundamental até a faculdade, além de cursinhos de língua estrangeira. E no SINDUTE? O sindicalizado só contribui, não há esses favorecimentos. Por isso, quando fazemos essas comparações a nossa chateação aumenta ainda mais. ESTAMOS AGUARDANDO ATITUDES DO SINDICATO, JÁ ESTAMOS EM ABRIL!!

    ResponderExcluir
  12. DEPUTADO TIAGO ULISSES, UM DOS 51 TRAIDORES DA EDUCAÇÃO NA ALMG.


    ANASTASIA, O PIOR GOVERNADOR DE TODOS OS TEMPOS!

    ResponderExcluir
  13. Aécio e a Copa de 2014: Um “mineirão” de irregularidades
    Por aecioneves | Terça-feira, 13 Setembro , 2011, 13:41

    Aécio Neves está contando os dias para a Copa do Mundo de 2014. Em seu texto publicado na FSP (12/09/2011) ele diz que faltam mil. Os indícios dos problemas em relação à Copa, no Brasil, seriam os atrasos nas obras dos aeroportos, dos estádios e do sistema viário. Ele reclama do Regime Diferenciado de Contratação (RDC) que tramita no Congresso e que visa, dentre outras coisas, evitar a combinação de preços entre empreiteiras. Faz eco, dessa forma, com a reclamação... das empreiteiras.
    Na sequência, ele insinua que os atrasos, somados aos problemas de gestão e planejamento gerariam medidas emergenciais que podem resultar em corrupção.
    LEIAM NA ÍNTEGRA POIS FALA SOBRE O PRÉDIO DO IPSEMG :
    http://aecioneves.blogs.sapo.pt/26517.html

    ResponderExcluir
  14. ASSISTAM :
    http://www.youtube.com/watch?v=VV0WDgqmvt8

    ResponderExcluir
  15. EDUCADORA MINEIRA21 de abril de 2012 21:22

    Vamos mostrar que a nossa LUTA é séria e verdadeira, e não a enganação dos governantes desta nação que insistem em dizer que o dossiê da educação mineira é partidário. Mostremos que somos inteligentes e honestos, virtudes as quais muitos representantes não conhecem, porque perderam muitas aulas.
    psdb, pt, pv.... Assim minúsculos, como seus representantes. QUERO O MEU PISOOOOOOOOOO, MINHA CARREIRAAAAAAAAAAAA!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esclarecimento do Blog: A colega acima, das 05:22, que assina com o nome de Educadora Mineira, não é a Educadora Mineira, colega do NDG, que tem assinado outros textos há um bom tempo aqui no blog. Mas, tal como a colega acima, nós também queremos o piso na carreira!

      Excluir
  16. Pedi ao deputado Sávio Sousa Cruz, no twitter, para fazer para nós um Mandado de Segurança Coletivo junto ao STF e vejam a resposta, estou animada:

    Savio Souza Cruz ‏ @saviosouzacruz

    Responder
    Retweetar
    Favorito
    · Abrir

    @GracieusaBrito Vamos pedir ao jurídico do SIND-Ute para, em conjunto com assessoria jurídica do PMDB e PT , discutirem a possibilidade !

    Mandem e-mails ao gabinete dele para reforçar meu pedido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para quem está cumprindo Módulo II,vou passar a usar um crachá com os dizeres:¨Módulo II,estou cumprindo.E o meu 1/3 extraclasse?¨

      Excluir
  17. CHOQUE DE GESTÃO ELETROCUTOU A EDUCAÇÃO pelo dep. SÁVIO SOUZA CRUZ.
    http://www.youtube.com/watch?v=cqr9WHcQfhY
    Título do vídeo - assistam e repassem quem tiver face favor repassar tudo.

    ResponderExcluir
  18. professoramaluquinha21 de abril de 2012 22:46

    FIQUE DE OLHO:

    https://www.portaldoservidor.mg.gov.br/noticias/282-governo-de-minas-lanca-consulta-publica-para-discutir-modernizacao-do-estatuto-do-servidor

    leiam na íntegra "governo de Minas lança consulta pública para discutir modernização do Estatuto do Servidor" aí tem....

    O texto da minuta estará disponível em:

    http://www.casacivil.mg.gov.br/ConsultaPublica.aspx

    hauahauahaaaaaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kakakakakakakaka!!! É mentira Terta???Bizarro, não?

      Excluir
  19. ENTENDERAM ?
    NÃO É DEIXAR DE VOTAR. É SABER VOTAR.
    SOU ELEITORA DE SÁVIO SOUZA CRUZ E DE ROGÉRIO CORREA. NÃO VOTO EM PARTIDO. VOTO EM PESSOA CAPACITADA A DESEMPENHAR O CARGO, MESMO PORQUE SE EU NÃO VOTAR ALGUÉM VAI VOTAR E DECIDIR PRA MIM. TEM MUITO DEPUTADO EXCELENTE, MUITO VEREADOR EXCELENTE, MUITO GOVERNADOR EXCELENTE TAMBÉM, MAS TEMOS QUE VESTIR A CAMISA DOS NOSSOS CANDIDATOS E REPASSAR OS PROGRAMAS DELES AS PESSOAS CONHECIDAS. POLITICA NÃO SE FAZ SOZINHO MUITO MENOS EM SILENCIO. DESDE OS MEUS PRIMEIROS POSTS AQUI NESSE BLOG E EM TODOS OS QUE SIGO EU DIGO COM TODO ORGULHO : SÃO OS MEUS DEPUTADOS.

    http://www.youtube.com/watch?v=cqr9WHcQfhY

    http://www.youtube.com/results?search_query=sensuta+em+minas&oq=sensuta+em+minas&aq=f&aqi=&aql=&gs_nf=1&gs_l=youtube-reduced.12...1192537.1197780.0.1201359.16.16.0.0.0.0.656.3889.5j4j1j2j2j2.16.0.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracieusa,estou com você.Estes dois realmente brigam por nós.

      Excluir
  20. LEITURA DE DOMINGO: CARTA FUNDAMENTAL

    ESTÃ OACABANDO COM O MAGISTÉRIO - AURELIO MUNHOZ

    A mais nobre das profissões no rol das gloriosas ocupações que integram o universo da Educação está a um passo de entrar em colapso. O magistério nunca esteve tão desmotivado e nem nunca foi tão vilipendiado como tem sido na 6ª maior economia do planeta.

    Não que o drama da classe seja novidade. Professor é desrespeitado desde sempre. Mas esqueçamos as barbaridades cometidas contra o magistério no passado para nos concentrar em apenas um dos problemas centrais da categoria no Brasil de hoje: os baixos salários dos professores.
    O novo piso do magistério, anunciado no mês passado pelo MEC (Ministério da Educação), recomenda aos estados e municípios pagar um salário mensal de 1.451 reais aos professores por um regime de 40 horas semanais de trabalho. Note-se que este valor é apenas uma recomendação. Não uma exigência.

    Mesmo sendo baixo para uma categoria desta importância, o piso proposto é inatingível à grande maioria das 5,5 mil prefeituras brasileiras.

    Levantamento divulgado em março no Paraná, estado onde o cenário de crise da Educação é menor, revelou um dado assustador: 51% dos 399 municípios do Estado já concederam reajustes salariais ao magistério em 2012.

    Mesmo assim, não atingiram o valor. E o quadro deve piorar em 2013. Primeiro, devido à insuficiência das receitas das prefeituras. Depois, em função do efeito cascata que a correção do piso acarreta sobre as folhas de pagamento dos governos municipais devido à necessidade de repasse do valor aos professores aposentados e a todos os beneficiados pelos Planos de Cargos e Salários do Magistério – fato que, aliás, deve obrigá-los a superar o limite dos 52% de comprometimento de sua receita corrente líquida com pessoal, fixados pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

    Em estados mais pobres, o quadro é ainda pior. Seus governadores podem pedir ajuda à União para complementar os valores que as prefeituras pagam até atingir o piso. Mas apenas 1.756 municípios de nove estados do Norte e Nordeste (AL, AM, BA, CE, MA, PA, PB, PE e PI) que recebem recursos do governo por meio do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Magistério) têm este direito garantido. Os demais penam em tirar da cartola soluções financeiras mágicas para honrar as exigências previstas na Lei do Piso.

    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  21. CONTINUAÇÃO...
    Esta é uma das razões pelas quais, como denunciam os prefeitos, um dos pilares do problema é a insuficiência dos recursos para o financiamento da Educação. De acordo com o coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, de cada 1 real arrecadado em impostos pelo Brasil, 57 centavos ficam com a União e apenas 18 centavos, com os municípios.

    Isto não significa que os municípios não tenham culpa pelos baixos vencimentos pagos aos professores, mas que a política salarial do magistério não pode ser tratada apenas como uma questão econômica e de responsabilidade apenas das prefeituras. Há um componente fortemente político na solução dos baixos salários dos professores, que passa por uma ampla reforma tributária – seguida de uma distribuição mais justa de receitas entre os Entes Federados – para garantir o custeio dos aumentos de vencimentos que os professores merecem.
    Mas o caos do magistério é extremamente grave por outra razão – e é neste aspecto que reside o eixo deste artigo. É que a consequeência direta do descaso imposto ao magistério é o desinteresse dos jovens pela carreira e a fuga dos profissionais que já atuam na área para outras atividades, mais rentáveis e menos desgastantes.

    Os dados justificam esta preocupação. Estudo encomendado pela Fundação Victor Civita à Fundação Carlos Chagas revelou que somente 2% dos estudantes do ensino médio têm como primeira opção no vestibular cursos ligados ao magistério.
    E isto não é tudo.
    De acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), entre 2001 e 2006, o número de cursos de licenciatura cresceu 65%; o de matrículas, apenas 39%. As conseqüências do problema são palpáveis: ainda segundo o Inep, considerando-se apenas o Ensino Médio e as séries finais do Ensino Fundamental, o déficit de professores com formação adequada passa dos 710 mil no Brasil todo.

    Como se percebe, a degradação das condições de vida do magistério é muito mais que a degeneração de uma categoria profissional. É sinal da grave crise enfrentada pela instituição Educação.

    E não se diga que a culpa pelo problema é apenas dos governantes e legisladores que prometem – e nunca cumprem – posicionar a Educação como sua prioridade. A imprensa, o setor privado e a sociedade adotam rigorosamente a mesma atitude.

    A mídia porque, ao invés de promover um debate sério e profundo sobre a Educação, prefere concentrar seu poder de fogo na divulgação sistemática da mediocridade e da cretinice, classificadas de notícias. “Notícias” que agradam ao andar de baixo mas que, acima de tudo, rendem mais reais porque possuem perfil marcado por apelo supostamente popular – futebol, sexo, escândalos, criminalidade e as costumeiras idiotices envolvendo celebridades midiáticas.

    CONTINUA

    ResponderExcluir
  22. CONTINUAÇÃO...

    O setor privado porque, embora se defina como de vanguarda no ensino, guardadas as exceções de sempre, paga aos seus professores menos que a grande maioria dos profissionais com formação universitária e lhes oferece condições de trabalho nem sempre dignas. Com a diferença de que, pela pressão da lógica capitalista, cobra deles muito mais resultados que no setor público.

    A sociedade também é responsável pelo problema. Ao invés de enfrentar este cenário com a seriedade que o tema merece, intensificando as cobranças tanto dos agentes públicos quanto dos privados, prefere desestimular seus filhos a seguir a profissão, rendendo-se à lógica pragmática do capital. Ou apenas se omitir do processo, quando entrega às escolas o ingrato papel (que é seu) de educar os próprios filhos.

    O Brasil, que sonha em ser alçado ao seleto rol dos países desenvolvidos, está acabando com a carreira do magistério. Por analogia, está comprometendo seriamente a Educação e, o que é pior, o futuro que estamos reservando aos nossos descendentes. Triste que seja assim.

    *Aurélio Munhoz é jornalista, sociólogo, consultor em Comunicação e presidente da ONG Pense Bicho. Pós-graduado em Sociologia Política e em Gestão da Comunicação, foi repórter, editor e colunista na imprensa do Paraná.

    Facebook – https://www.facebook.com/aureliomunhoz
    Twitter – http://twitter.com/aureliomunhoz

    ResponderExcluir
  23. O SR. WELITON PRADO (PT-MG. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, amanhã, inicia-se em todo o País, a greve nacional dos professores com foco no pagamento do piso nacional da educação.
    Muitos Estados, como Minas Gerais, se recusam a cumprir a lei e pagar o piso definido para a categoria.
    Desde 2008, temos lutado para que a Lei n° 11.738, que instituiu o piso salarial profissional nacional da educação, seja respeitada e cumprida pelos Governos.
    Em Minas, a situação é ainda pior, porque autoritária e totalmente contrária à valorização dos educadores e da educação pública de qualidade e acessível para todos.
    O Governo de Minas, além de não valorizar a categoria e não pagar o piso nacional, lidera uma articulação nacional para alterar o cálculo de reajuste anual do valor do piso. Ou seja, mais uma vez não quer cumprir a lei que está em vigor e que o Supremo Tribunal Federal decidiu que é totalmente constitucional e deve ser cumprida pelos Estados e Municípios.
    A categoria tem como principais lutas:
    - a implantação do piso salarial profissional nacional com o valor defendido pela CNTE para 2012, R$1.937,26, como vencimento inicial na carreira;
    - o cumprimento integral da lei do piso garantindo que um terço da jornada seja destinada para a hora atividade; e,
    - a aplicação do valor do piso para as jornadas de trabalho que estão instituídas nos planos de carreira de Estados e Municípios.
    Ora, este ano, o Ministério da Educação reajustou o valor do piso em 22,22%. No entendimento do MEC, o valor passaria para R$1.451,00. Para a CNTE, porém, deveria ser R$1.937,26.
    O Governo Federal usa como parâmetro de reajuste o investimento por aluno no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica - FUNDEB, como prevê a Lei do Piso do Magistério, sancionada em 2008.
    Esse novo valor é o mínimo, é o vencimento inicial que deve ser pago para professores e é retroativo ao mês de janeiro de 2012. Mas a articulação do Governador de Minas e outros Governadores é para que a forma de cálculo do reajuste seja feita pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC, usado para medir a inflação, o que, este ano, daria um aumento médio de apenas 6%.
    Congelar o piso, não pagá-lo ou tentar impedir o direito dos professores a um reajuste maior é um retrocesso nas conquistas dos trabalhadores em educação. E estamos falando de pouco mais de dois salários mínimos.
    Apresentei, inclusive, nesta Casa, moção de repúdio ao Governo de Minas, que é contrário à valorização dos professores de todo o País.
    Na condição de Secretário-Geral da Frente Parlamentar em Defesa dos Servidores Públicos, integro uma comissão de Deputados que vai discutir o piso salarial e defender a valorização da categoria.
    Em Minas, não só não há o pagamento do piso, como o Governo desrespeita as carreiras e as progressões e instituiu outra forma de pagamento de forma autoritária: o subsídio.

    ResponderExcluir
  24. Professores se veem cada vez mais acuados por alunos em salas de aula

    Paula Filizola - Correio Braziliense

    Publicação: 22/04/2012 07:31 Atualização:
    Há 13 anos, grávida de oito meses, Edielza foi agredida por um aluno (Bruno Press/CB DA Press)
    Há 13 anos, grávida de oito meses, Edielza foi agredida por um aluno
    Brasília – Os vestígios de um trauma vivido há 13 anos em uma escola, em Ceilândia, no Distrito Federal, não conseguiram tirar a professora Edielza Figueiredo, 44, das salas de aula. Entretanto, o episódio de agressão deixou marcas profundas, que são lembradas com clareza até hoje. Grávida de oito meses de seu terceiro filho na época, ela foi vítima de um aluno, supostamente drogado, que jogou uma mesa escolar em sua barriga. “Na hora, mantive a calma e consegui até resolver o problema. Mas quando cheguei em casa, comecei a sentir muito medo. Até contrações eu tive. Senti-me vulnerável, não queria voltar”, relembra.

    Histórias como as de Edielza são rotineiras nas escolas da rede pública brasileira. Dados de uma pesquisa da Unesco, de 2006, revelam que 80% dos professores das principais capitais brasileiras enfrentaram, em algum momento, violência no trabalho. Em Minas Gerais, um levantamento feito pelo sindicato da categoria (Sinpro-MG), revelou que a cada três dias um caso de violência é registrado contra docentes em escolas públicas ou privadas do estado. A falta de políticas públicas educacionais formuladas pelo Ministério da Educação (MEC) e secretarias estaduais reforça o cenário assustador, que preocupa bastante sindicatos e especialistas.

    Os dados são alarmantes em várias partes do país. A pesquisa Observatório da Violência do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), divulgada no ano passado, mostrou que os casos de agressão a professores nas escolas públicas paulistas têm crescido cerca de 40% por semestre nos últimos três anos. Em Brasília, a média chega a seis casos por semana. Porém, representantes de sindicatos alertam que o número pode ser maior, já que muitos docentes preferem não oficializar as denúncias.

    Especialistas ouvidos pelo Estado de Minas afirmam que, na maioria dos casos de agressão, as motivações são corriqueiras. “É uma nota baixa, um professor que chamou atenção e tirou da sala de aula”, analisa a socióloga e coordenadora da área de Juventude e Políticas Públicas da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), Miriam Abramovay.

    Com 26 anos de magistério, Edielza conta que já passou por inúmeros episódios de violência nas escolas em que trabalhou. Mesmo apaixonada pela profissão, a professora até chegou a pensar em largá-la. O pedido, inclusive, também foi feito pelo seu filho mais velho, na época com 10 anos. “Ele me falava: ‘mãe, você é muito inteligente, vai fazer outra coisa’”, recorda. Porém, a professora decidiu continuar por acreditar na educação.

    Impunidade resulta em mais violência

    (Continua ...)

    ResponderExcluir
  25. (Continuação)

    Atrevido e indisciplinado, o aluno Carlos*, de 16 anos, provocou o professor de sociologia Roberto* ao acender um cigarro de maconha dentro da sala de aula em um colégio público do Recanto das Emas, no Distrito Federal. O menino era conhecido na região por participar de uma quadrilha de traficantes. Depois de confrontar o estudante, o docente foi relatar o caso na delegacia, sendo orientado a pedir transferência de instituição. Quatro meses depois, o professor retornou e foi informado de que o adolescente havia sido assassinado. Ainda assim, Roberto convive com o medo. Recentemente, no Rio de Janeiro, um aluno de 14 anos ameaçou voltar à escola com traficantes depois que a direção chamou seus pais para uma reunião.

    Em 2011, a diretora de uma escola pública de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi agredida com chutes e ameaçada de morte por um aluno. No mesmo ano, na capital mineira, uma diretora foi ameaçada e teve a cabeça empurrada contra a parede por chamar a atenção de um aluno de 15 anos.

    Episódios como esses favorecem a ampliação do debate em torno de punições mais severas aos infratores e presença constante de agentes policiais nas escolas da rede pública. Apesar dos casos cada vez mais frequentes de violência contra professores, a socióloga e coordenadora da área de Juventude e Políticas Públicas da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), Miriam Abramovay, acredita que a tendência de judicializar a educação é ruim. “Falta diálogo nas escolas. Os pais precisam participar mais. Porém, o caminho não é levar para o Judiciário.” O coordenador de Educação da Unesco, Paolo Fontani, concorda. “Sabemos que escolas mais ligadas à comunidade são menos violentas.”

    Para o presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), Roberto Magno Botareli Cesar, é preciso rever o Estatuto da Criança e Adolescente, porque a impunidade acaba resultando em mais agressões. A solução, segundo ele, pode ser o projeto de lei da deputada federal Cida Borghetti (PP-PR), que aguarda designação de relator na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Caso a proposta seja aprovada, o estudante infrator ficará sujeito à suspensão e, na hipótese de reincidência grave, será encaminhado à autoridade judiciária competente. A iniciativa da parlamentar mudaria o artigo 53 do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) para incluir o respeito aos códigos de ética e de conduta das escolas como responsabilidade e dever da criança e do adolescente.

    (Continua...)

    ResponderExcluir
  26. (Continuação)

    Na opinião do desembargador e coordenador da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo, Antonio Carlos Malheiros, o projeto não resolve o problema. “Não precisamos de novas leis. Se a lei vigente não é aplicada, é um sinal de displicência. Ou muitas vezes de medo dos professores e diretores da escola de denunciarem. Mas o estatuto é uma das leis mais completas que temos”, justifica.

    AMEAÇAS

    Muitas vezes, as agressões acabam afastando os docentes da sala de aula. No Rio de Janeiro, o sindicato acompanha de perto o caso de 10 professores que deixaram de lecionar por causa de ameaças sofridas e, hoje, estão de licença médica com diagnósticos de estresse pós-traumático ou síndrome do pânico. A pesquisa do Apeoesp aponta que 70% dos professores paulistas que sofrem de estresse foram vítimas de algum ato violento por parte de alunos.

    O quadro também se repete em Brasília. Depois de ser vítima de perseguição por parte de uma gangue em Taguatinga, no ano passado, o professor de educação física Hudson Paiva, 33 anos, tirou seis meses de licença. De volta à ativa, Hudson exibe características típicas de um trauma. “Fico alerta o tempo todo. Se levantarem a voz, logo registro queixa na delegacia”, acrescenta.

    *Nomes fictícios para preservar a identidade dos entrevistados.


    Disponível em:http://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2012/04/22/interna_nacional,290251/professores-se-veem-cada-vez-mais-acuados-por-alunos-em-salas-de-aula.shtml Acessado em 22 de abril de 2012.

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  27. Professor Euler,
    Observando meu contracheque de março, percebi que há um desconto com a nomeclatura de CONT. SIND. IND1/08 MTE.(nos dois cargos). Gostaria de saber se se trata daquele velho desconto de contribuição sindical que acontece todos anos. Parece ser, mas estou achando estranho constar 1/08. Será que isto significa que serão 08 parcelas? Creio que não, mas se alguém tiver alguma informação, por favor escreva aqui no blog.
    Grato.
    Professor Herbet
    Cristália - MG.

    ResponderExcluir
  28. Ao anônimo, Apr 21, 2012 05:53 AM

    A estratégia do governo estadual é essa, vai modificar o estatuto dos Servidores Públicos Civis e ao mesmo tempo pressiona o governo federal para promover um novo PACTO FEDERATIVO, com a ajuda de outros governantes de estado, principalmente do PT. Dentro desse novo pacto a educação pública tende a perder, pois a ordem do dia é cumprir a pauta do projeto neoliberal retirando direitos dos servidores públicos e beneficiando o setor privado.

    Pergunto aonde está o sindicato da educação pública do estado de Minas Gerais?

    Está fazendo TUR pelo interior de Minas Gerais alienando alguns professores e não fazendo frente aos desmandos do governador, pois senão atrapalha os planos deste. É PRECISO FAZER O PROFESSOR PENSAR QUE SE ESTÁ FAZENDO ALGO, QUANDO NÃO SE ESTÁ FAZENDO NADA, pois o projeto neoliberal está em curso e desestabilizar as massas dividindo-a e desmobilizando frente aos ataques em curso torna-se imperioso e adequado aos governos que coadunam com o sistema e o PT não está fora disso.

    ResponderExcluir
  29. Gracieusa,
    Reforcei solicitação de ajuda ao Deputado Sávio Sousa Cruz na elaboração de mandato de segurança coletivo junto ao STF.

    ResponderExcluir
  30. MEC E O BALCÃO PETISTA

    Está aberta a corrida por 12 vagas no Conselho Nacional de Educação.
    Trata-se de um dos cargos mais cobiçados no governo. Na Câmara de Educação Superior, por exemplo, o escolhido dá pareceres que orientam o MEC a autorizar ou negar a criação de cursos e faculdades. Por isso, a disputa envolve muito lobby e jogo partidário. É a primeira nomeação na gestão do ministro Aloizio Mercadante (foto). Os nomes dos ungidos serão conhecidos em maio.

    Haddad amigo
    Flagrado em escutas feitas pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, Demóstenes Torres admite ter explicações a dar. Ótimo, pois assim poderá falar sobre o Instituto de Nova Educação, em Contagem (MG), cujo controle acionário divide com Marcelo Limírio – sócio de Carlinhos Cachoeira em vários negócios. Em 2010, o MEC, chefiado por Fernando Haddad, autorizou a instituição a virar universidade em apenas 15 dias. Recorde absoluto. Um processo igual tramita no ministério, em média, dois anos.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/200932_PAREO+DURO

    ResponderExcluir
  31. O sindinútil, sindicato de 5 ª, não ajuda o servidor quando precisa com nada, estou precisando de uma ajuda de custo, para bolsa de minha filha na faculdade ficar mais barata, pois na faculdade, quem é sindicalizado no Simpro , os filhos tem descontos nas bolsas?
    E nós?
    Nada.
    Nem Piso, nem descontos em nada, nem ajuda por parte do juridico quando estamos precisando.
    Vão pro meio dos infernos.
    Algum colega aí, pelo amor de Deus, me ajudem a descindicalizar dessa desgraça, por favor.
    moro no interior, qual o meu procedimento para sair desse inferno?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evaldo José de Souza22 de abril de 2012 19:33

      CAro Anônimo! Não é papel do sindicato procurar descontos em lugar algum. O papel de um sindicato e de sua categoria é fazer o embate com o patrão que nos oprime. O papel de um sindicato é lutar para que você tenha um salário digno e não precise de desconto para pagar faculdade. Aliás, porque sua filha estuda em faculdade particular? essa é uma discussão que teria que ser feita?
      Agora, você está fazendo o jogo do governo, com esse seu discurso raso.
      Fazemos oposição à direção estadual, mas não ao SindUTE, Fazer oposição em um sindicato é estar junto, em TODAS, as lutas, é propor, é questionar, é tentar mudar a realidade colocada.
      Nosso inimigo é o governo do Estado e não o nosso Sindicato.

      Excluir
    2. Alienadaa política..

      Excluir
    3. Que coisa HORROROSA!!!Você será mesmo professor(a)? Desfiliar é fácil.Se você nem sabe como chegar ao sindicato é sinal que nunca o procurou prá nada. Sinto lhe informar que não é atribuição de sindicato arranjar bolsa de estudo. Meus três filhos estudaram,1 na UFMG e as outras duas em universidade particular, PUC. Todos eles trabalharam e pagaram, eles mesmos, suas faculdades.O nosso negócio com o sindicato é outro.Atualmente estamos focados no Piso e no 1/3 da carga horária para trabalhos extra-classe.Não queremos bolsa pobreza.Queremos ter condições de arcar com nossos compromissos.

      Excluir
    4. Esse aí nunca soube o que é um Sindicato!
      Acho que ele está confundindo Sindicato dos Trabalhadores com Sindicato Patronal.

      Excluir
  32. O Negócio está feio para o lado dos políticos e das autoridades brasileiras (vejam ocaso do Supremo, a sensação que nos dá é que essa gente nasceu todas numa mesma década e que nesse período de nascimento de todos eles, os astros estavam em conflito lá em cima e descarregou sobre toda essa gente as energias mais negativas que pode existir no planeta, porque não é possível, é muita gente desqualificada, nefasta, torpe dentro de um mesmo território e pior ainda, comandando o Brasil num mesmo período de governo. Acho que agora os astros estão contra os brasileiros, porque esse tipo de gente está brotando por todo o país como formiga brota de um formigueiro, aos montões. E todos os que vêm se apresentando com bons moços são os mais pilantras, verdadeiros artistas, estão sempre representando para a mídia e para a sociedade, basta citarem o nome deles que se assemelham a um novelo. Pronto, haja fios para puxar! Que horror!

    ResponderExcluir
  33. O deputado WELITON PRADO (PT-MG) é um excelente deputado também, mas infelizmente eu só tenho dois votos. Sempre peço votos para os meus deputados sem nenhum interesse pessoal. Mas, contudo, nossa categoria precisa de bolsas de estudo para cursos que são carríssimos e as vezes até no exterior, só pra citar algum benéfício que poderia ser concedido, pois por exemplo os professores de SP tiveram com o Gabriel Chalita na Secretaria da Educação de SP. Quando que em MG tivemos isso? Só agora durante as ultimas greves que revelei meus votos, sempre na minha rede de amigos eu peço votos pros meus deputados sim. São mega deputados os meus como citei antes. Como somos 400 mil só na ativa e só na rede estadual é fácil pra nossa categoria reeleger só AMIGOS DA EDUCAÇÃO por todo o Estado se tivermos uma fala coerente com as 4 redes: Municipal, Estadual, Federal e Particular. E essa fala deveria percorrer todo o país para fazermos um próximo governo mais amigo dos professores do Brasil, chega de tanta humilhação. Amei Marly Grimbel quando disse: Desobediência civil com quem não obedece a Constituição - Gandhi. Juntos seremos imbátiveis... PROFESSORES UNIDOS, JAMAIS SERAM VENCIDOS! PORQUE JUNTOS SOMOS MAIS! Até a vitória que virá com certeza com o Mandado de Segurança Coletivo pelo cumprimento da Lei 11.738/08. Tenho fé absoluta que o deputado Savio Souza Cruz ‏ @saviosouzacruz (PMDB) e o deputado Rogério Correia @rogeriocorreia (PT) , incasáveis amigos da Educação vão propor e aí a nossa vitória será fácil, podem até comprar os foguetes para a comemoraçao!
    “...Quem gosta de viver não tem preguiça de reinventar, nem medo de ousar. Quem gosta de viver não tem medo de ternura, da gentileza, do amor. Quem gosta de viver, educa!...”
    Gabriel Chalita
    http://pensador.uol.com.br/autor/gabriel_chalita/

    ResponderExcluir
  34. Professora Sandra22 de abril de 2012 19:14

    Professora Marly,
    Parabéns pelo trabalho feito em sala de aula.
    O caminho é esse: conscientização, politização.
    Que sirva de exemplo pra todos.

    ResponderExcluir
  35. Cindy Gotlibb/Nova York22 de abril de 2012 19:16

    la cosa importante es presentar quejas sobre la los absurdos de la educación en las minas de Brasil. los textos del profesor Euler ,Marly necesitan la fuerza de todos los profesores! Yo estoy con ellos, e incluso muy lejos estoy trabajando por todo el mundo!
    con cariño a todos los profesores

    ResponderExcluir
  36. Cindy Gotlibb/Nova York22 de abril de 2012 19:17

    Me gusta mucho teacher Euler y Marly!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então nosso comandante está fazendo sucesso rsrsrs
      Uma americana está poderoso!!!!!!!!!
      Abraços

      Excluir
    2. Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical

      A CUT está realizando o Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical, que faz parte da Campanha Nacional por Liberdade e Autonomia Sindical - uma bandeira histórica da Central Única dos Trabalhadores. A coleta de votos foi prorrogada até o dia 15 de junho, em função da demanda - o prazo final de votação seria 30 de abril. Isto porque trabalhadores de todo o País, inclusive de sindicatos filiados a centrais que são contra o fim do imposto, estão telefonando ou enviando e-mails para a coordenação do plebiscito dizendo que também querem votar. No próximo dia 30, a direção executiva da CUT vai divulgar a primeira parcial sobre a votação.

      O desconto do imposto equivale a um dia de salário por ano de todos/as trabalhadores/as que têm carteira assinada. E todos pagam, sejam ou não associados a um sindicato, queiram ou não. O fim deste imposto, segundo o presidente da CUT, Artur Henrique, “é fundamental para a classe trabalhadora brasileira conquistar a liberdade e a autonomia sindicais, bandeiras históricas que fazem parte dos princípios de criação da nossa Central”. “O fim do imposto sindical é fundamental para fortalecer os sindicatos, torná-los mais atuantes, combativos”, afirma Rosane Silva, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT.

      Segundo Artur, a CUT já fez várias lutas contra a cobrança, mas este ano decidiu fazer uma ampla e ousada campanha. “A diferença, este ano, é que decidimos consultar diretamente os maiores interessados para saber o que acham do imposto”, explica. (CUT).

      Excluir
    3. professores!
      O que vocês acham que o Anastasia está pretendendo com essa consultoria pra modificar o estatuto dos servidores???

      Excluir
  37. Faz papel de bobo quem continuar filiado no sind ute. A assembléia em Tiradentes foi um fiasco. A mesma encenação da diretoria estadual, o mesmo blá, blá, blá desde 1979. Resolvi dar um tempo disso tudo e estou pensando na desfiliação.
    Pena foi nao encontar algum companheiro do NDG lá para trocarmos algumas idéias

    ResponderExcluir
  38. Patrícia Matos, essa foi ótima!

    #ProfessoresiNDGnados

    Quanta criatividade tem os professores. Parabéns, colega.

    ResponderExcluir
  39. CADÊ O CONCURSO


    VEM AI MAIS UMA PEIXEIRADA NO FIGADO DO SERVIDOR


    REFORMA DO ESTATUTO

    NUNCA VI UMA REFORMA PARA BEBEFICIAR, APENAS PARA PREJUDICAR

    APOSTO QUE NAS ENTRELINHAS IRÃO FERRAR TODO MUNDO

    ResponderExcluir
  40. Macha nacional 26 de outubro em Brasília em defesa de 10% do PIB para a Educação - SINDINÚTIL ficou louco, até essa data os professores já morreram de fome. Queremos uma macha nacional em defesa da Lei 11.738/08 urgente! Acorda sindicato. Vamos lá... marchar agora. Tem tempos que estou pedindo acampamento em Brasília.
    iNDGnada!

    ResponderExcluir
  41. "Férias prêmio" Eu tinha direito no ano passado, mas com a greve ela se foi e parece que nunca mais vou ter! Um governador que faz o que bem entende com os educadores.

    ResponderExcluir
  42. Oi Euler.
    Amo ler seus depoimentos aqui no blog. Sou sua fiel defensora. Fico tão desiludida quando leio algo te criticando negativamente.
    Mas será que alguma mídia em Minas vai abrir às declarações e acusar este lunático?
    Ás vezes eu acredito que vamos ganhar sim esta causa , qd toda a verdade vier à tona e este bando de safados serem caçados. Estes hipócritas.
    Mas já dá pra ver uma luz no final do túnel, desmascarando esta corja.
    Beijos e força na luta, que a causa é justa!
    Marlene

    ResponderExcluir
  43. No Dossiê da Educação ,postado no site da SEE ,está escrito que o professor que se aposentará em menos de um ano, pode gozar férias prêmio.Será verdade ou será mentira? Aqui em Januária, fomos informadas , por um servidor da SRE que isso não é verdade, mas o dossiê ainda està postado lá com essa notícia e nós continuamos sem férias. Em quem aredito, hem?

    ResponderExcluir
  44. Ontem no fantástico da globo teve uma denúncia de compra de habes corpus para traficantes em que estavam envolvidos desembargadores, advogados e um empresário.Só que ninguém falou que o dito empresário Trancredo Tolentino é o priminho querido do Aécio.Por que será que que omitiram esta informação tão importante?
    Ainda tem muita merda para ser jogada no ventilador. Aguardem...

    ResponderExcluir
  45. Lula antecipa viagem a Brasília para aplacar turbulência no PT

    BRASÍLIA, 23 Abr (Reuters) - O ex-presidente Lula viaja a Brasília na terça-feira para aplacar a turbulência no PT, que tem afetado a articulação política do governo e as negociações sobre a condução da CPI criada para investigar as ligações políticas de Carlinhos Cachoeira, informaram à Reuters fontes ligadas a Lula e ao governo.
    http://br.noticias.yahoo.com/lula-antecipa-viagem-bras%C3%ADlia-para-aplacar-turbul%C3%AAncia-no-223306589.html
    PT , PSDB ACABOU NO BRASIL , SÓ TOLO PARA VOTAR EM CORRUPTOS

    ResponderExcluir
  46. DANILO DE CASTRO AÉCIO ANASTASIA E O BICHEIRO CACHOEIRA , ISSO É SÓ O COMEÇO

    Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) intercedeu diretamente junto a seu colega, Aécio Neves (PSDB-MG), e arrumou emprego comissionado para uma prima do empresário do jogo de azar Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mônica Beatriz Silva Vieira, a prima do bicheiro, assumiu em 25 de maio de 2011 o cargo de Diretora Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba. Do pedido de Cachoeira a Demóstenes, até a nomeação de Mônica, bastaram apenas 12 dias e 7 telefonemas. Aécio confirma o empenho para atender solicitação de Demóstenes, mas alega desconhecer interesse de Cachoeira na indicação.
    São citados nos grampos Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas. Eles negam envolvimento na trama.(...)Em 13 de maio de 2011, Aécio é citado pela primeira vez. Cachoeira pede a Demóstenes para “não esquecer” do pedido. “É importantíssimo prá mim. Você consegue por ela lá com Aécio... em Uberaba, pô, a mãe dela morreu. É irmã da minha mãe.”

    Demóstenes responde. “Tranquilo. Deixa eu só ligar pro rapaz lá. Deixa eu ligar prá ele.”

    A PF avalia que o caso pode caracterizar tráfico de influência. “Seguem ligações telefônicas, divididas por investigado, em ordem cronológica, que contém indícios de possível cometimento de infração penal por parte de seus interlocutores ou pessoas referidas.”

    Na síntese que faz da ligação de Cachoeira para Mônica, a 26 de maio – contato durou 3 minutos e 47 segundos –, a PF assinala. “Falam sobre a nomeação de Mônica para a SEDESE/MG, conseguida por Cachoeira junto ao senador Aécio Neves por intermédio do senador Demóstenes Torres e de Danilo de Castro.”

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,com-ajuda-de-demostenes-cachoeira-nomeou-prima-no-governo-de-minas,864544,0.htm

    ResponderExcluir
  47. Alguém tem notícia do resultado do concurso? Até hoje nada. Dia 20 já foi há tempos... Tudo na educação é enrolado.

    ResponderExcluir
  48. Com ajuda de Aécio Neves, prima de Cachoeira conseguiu emprego no governo de Minas
    A lista de envolvidos com o bicheiro Carlinhos Cachoeira não para de crescer e o nome da vez é o de Aécio Neves (PSDB-MG), que conseguiu um emprego comissionado para a prima do empresário após pedido do colega Demóstenes Torres (ex-DEM-GO). Mônica Beatriz Silva Vieira, prima de Cachoeira, assumiu em 25 de maio de 2011 a Diretoria Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.

    Foram somente 12 dias e sete telefonemas entre o pedido de Cachoeira a Demóstenes e a nomeção de Mônica. O ex-governador de Minas chega a confirmar o esforço para atender à demanda do colega de Senado, mas afirma desconhecer os interesses de Cachoeira.

    Nos grampos telefônicos, também são citados Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio Neves em Minas e secretário estadual do governador Antonio Anastasia (PSDB).

    A Polícia Federal monitorou Carlinhos Cachoeira, a prima e o senador Demóstenes durante a Operação Monte Carlo, que desmontou um esquema de contravenção e fez com que o parlamentar deixasse seu partido, o Democratas. O trabalho de investigação também expôs práticas supostamente ilícitas da Delta Construções para atuar em projetos do governo.

    Aécio Neves ficou fora do grampo porque não era alvo da Polícia Federal, mas é mencionado tanto pelo bicheiro quanto por Demóstenes Torres. O grampo que revela o favor à prima de Cachoeira está no Supremo Tribunal Federal nos autos que tratam das relações entre o senador e o empresário de jogos de azar.

    O nome do tucano mineiro aparece pela primeira vez em 13 de maio do ano passado. Carlos Cachoeira pede a Demóstenes para dar uma força no pedido: “é importantíssimo prá mim. Você consegue por ela lá com Aécio... em Uberaba, pô, a mãe dela morreu. É irmã da minha mãe.” O senador é confiante ao responder: “tranquilo. Deixa eu só ligar pro rapaz lá. Deixa eu ligar prá ele.”

    Para a Polícia Federal, a troca de telefonemas pode caracterizar tráfico de influências. Quinze dias após a primeira menção ao nome do ex-governador de Minas, os 3 minutos e 47 segundos de telefonema resumem a movimentação. Segundo a PF, “falam sobre a nomeação de Mônica para a SEDESE/MG, conseguida por Cachoeira junto ao senador Aécio Neves por intermédio do senador Demóstenes Torres e de Danilo de Castro.”

    Em nota, Aécio informou que “desconhecia o parentesco e a origem do pedido”. O governo estadual informou que a prima de Carlinhos Cachoeira foi nomeada para um cargo DAD 4, com salário de R$ 2.310,00. Ao Estado de S. Paulo, a prima de Carlos Cachoeira afirmou que é funcionária de carreira há 25 anos, coordenou vários órgãos e o convite se deve a sua competência. Para o Executivo estadual, Mônica Silva Vieira preechia os requisitos para a função porque já tinha coordenado programss federais. O secretário Danilo de Castro esclareceu que a nomeação foi em “comum acordo” com o deputado federal Marcos Montes (PSD-MG, ex-DEM). Ele argumenta que cargos desse tipo costumam ser indicações políticas. A defesa de Demóstenes Torres não se pronunciou.
    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=347628

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem deve alguma coisa para a justiça é o primo dela e não ela. Se tem competência,tem que trabalhar.
      Ninguém tem culpa dos parentes que tem. Cada um responde por seus atos.
      Maria Imaculada Torres

      Excluir
  49. Comentem a notícia do Aécio no Yahoo.
    http://br.noticias.yahoo.com/dem%C3%B3stenes-ajudou-cachoeira-nomear-prima-mg-100000634.html

    ResponderExcluir
  50. alguém sabe informar se já tem classificação do concurso? não estou achando nada na fcc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novo resultado até dia 30/05. Inacreditável! Aí tem.

      Excluir
  51. Aécio Never e sua podridão que aparece aos poucos!!!
    http://br.noticias.yahoo.com/dem%C3%B3stenes-ajudou-cachoeira-nomear-prima-mg-100000634.html

    ResponderExcluir
  52. EU JÁ SABIA
    Desempenho de alunos de Minas Gerais cai Governo do estado divulga dados do Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica. Houve redução de desempenho, mas secretaria aponta tendência de alta

    Estado de Minas

    Publicação: 04/04/2012 07:02 Atualização: 04/04/2012 07:03
    Uma nova radiografia do ensino público mineiro foi divulgada ontem. Os dados do Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (Proeb) apontam redução no desempenho dos alunos dos níveis fundamental e médio em português e matemática, no comparativo entre o ano passado e 2010. Apesar da queda, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) afirma que o índice é superior ao de 2006, data do início das avaliações.

    No 5º ano do ensino fundamental, a média de desempenho em matemática caiu de 235,10 pontos, em 2010, para 232,90 pontos, no ano passado. Mesmo com a diminuição, o aprendizado está dentro dos parâmetros recomendados. No fim desta etapa do ensino (9º ano), houve redução de 268,89 pontos para 264, padrão considerado intermediário pela secretaria. Em 2006, os índices eram de 196,49 e 246,33, respectivamente.

    Em português, os alunos da primeira série avaliada passaram de 217,08 para 214,30. Já no 9º ano, o desempenho caiu de 255,66 para 253,90. Todos dentro do nível intermediário. Na comparação com 2006, houve elevação, já que, na época, os estudantes do 5º ano alcançaram média de 190,05 e do 9º ano, 242,74.

    No ensino médio houve também reduções no comparativo das duas disciplinas. Os alunos do 3º ano da etapa final do nível básico obtiveram média de 282,25 em 2010 e 271,40 ano passado, em português – pontuação de padrão intermediário. Em matemática, a nota passou de 290,64 para 284,80 no comparativo dos dois últimos anos – desempenho considerado baixo pela SEE. Em 2006, os números ficaram na casa dos 267,64 pontos em português e 274,66 em matemática.

    Em 2011, o índice médio de participação dos estudantes da rede estadual nos exames de desempenho em língua portuguesa foi de 85,67% e de 85% em matemática. Nas redes municipais das 853 cidades do estado, o índice médio para português foi 87,86% e para matemática foi de 87,49%.

    A redução nos níveis de aprendizagem está sendo analisada por técnicos da secretaria, que promete intervenções em todas as etapas de ensino para reverter os resultados. “Fizemos avaliações para tentar buscar explicações, mas nenhuma das hipóteses levantadas, como a greve dos professores ou as chuvas que atingiram o estado, têm correlação com a queda. Acredito que houve um conjunto de fatores que, de forma aleatória, interferiu no desempenho. A queda foi muito pequena e continua havendo uma tendência de crescimento no estado, na comparação histórica com 2006”, explica a secretária-adjunta de Educação, Maria Céres Pimenta Spínola Castro.

    Entre as apostas para melhoria dos resultados, o estado aponta o Programa de Intervenção Pedagógica (PIP), desenvolvido em todas as séries do ensino fundamental e o projeto Reinventando o Ensino Médio, que está sendo desenvolvido em 11 escolas da região Norte. “Vamos estudar caso a caso, mas o ensino médio mostra que precisamos de fazer uma intervenção mais radical. Assim como no restante do Brasil, Minas deve alterar o currículo básico e aumentar o tempo de permanência na escola para que essa etapa da educação básica passe a fazer sentido para o jovem”, conclui Maria Céres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UAI! Agora é só Maria Ceres? Cadê a Gazela?

      Excluir
  53. Aécio Neves confirma nomeação de prima de Carlinhos Cachoeira em Minas Gerais - A pedido de Demóstenes24/04/2012 | 08h08

    Senador afirmou que "desconhecia o parentesco e a origem do pedido"
    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/politica/noticia/2012/04/aecio-neves-confirma-nomeacao-de-prima-de-carlinhos-cachoeira-em-minas-gerais-3736941.html

    ResponderExcluir
  54. COM AJUDA DE AÉCIO NEVES

    Prima de Cachoeira conseguiu emprego no governo de Minas
    Mônica Vieira foi nomeada ao cargo em Diretoria Regional da Secretaria de Estado em Uberaba

    Vai começar a cair a Ditadura implantada em Minas...Oba!

    ResponderExcluir
  55. Em termos de austeridade e funcionalidade,o Brasil é uma bosta. Só mesmo aqueles que que vivem de falácias e de sofismas para discordar disso.

    ResponderExcluir
  56. Eu nao aceito isso que o governo esta fazendo pois na verdade eles querem verem ajente "burros" certo.
    Voces fizeram as cabeças dos pais da gente e agora voces do governo assume o que voces falaram.
    Seus bando de corrupitos senvergonhas e tudo mais de feio que nao irei falar;
    Mais eu deveria pois isso e ERRADO SEUS CORRUPITOS.
    E SE QUISEREM MANDAR A RESPOSTA MEU MSN E emersongrabriel22@hotmail.com certo estou esperando a resposta.
    E mais voces fecharam as vendinhas das escolas mineiras por causa que o dinheiro nao vai para o governo pois esse dinheiro vai para fazer umas coisas basicas como: comprar um ventilador, pintar alguma parede arrumar um buraco.Pois se voce pedir verba para o governo para comprar um ventilador demora 3,6,9,1 a 3 anos para eles mandarem as resposta.
    Ate a proxima estou lutando contra o governo

    ResponderExcluir
  57. É! Realmente o Aecinho não sabia de nada. Para que se preocupar né? Afinal ele manda em tudo e todos! niguém deveria saber mesmo né?
    Salarinho de mais de RS 2.000,00, e para que o Aecinho vai esquentar a cabeça para um empreguinho com um salário de merreca, afinal é apenas um carguinho de confiança né? Nestes cargos de confiança pode-se colocar qualquer pessoa mesmo. Aecinho tem que se preocupar é com os professores que não são de confiança...
    A casa tá caindo Aecinho...

    ResponderExcluir
  58. E O FICHA IMUNDA "DAQUILO CASTRADO", CONTINUA DANDO AS CARTAS NO GOVERNO.


    E AÍ MINAS GERAIS??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só quem aparece aqui.
      E aí, Minas Gerais?????

      24/04/2012 - 5:09
      A pedido de Demóstenes, Aécio intercedeu para que prima de Cachoeira fosse nomeada em Uberaba MG
      Josias de Souza (Fonte: http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/)

      *


      *



      *




      *





      Num telefonema de 13 de maio de 2011, o pós-bicheiro Carlinhos Cachoeira pediu ao pré-ético Demóstenes Torres para "não esquecer" de uma solicitação especial que lhe havia feito.
      "É importantíssimo prá mim", diz o contraventor. "Você consegue pôr ela lá com Aécio… em Uberaba, pô, a mãe dela morreu. É irmã da minha mãe." E o senador: "Tranquilo. Deixa eu só ligar pro rapaz lá. Deixa eu ligar prá ele."
      Captado pelo Guardião, o sistema de grampos da Polícia Federal, e trazido à luz pelo repórter Fausto Macedo, o diálogo se refere Mônica Beatriz Silva Vieira, uma prima de Cachoeira.
      Doze dias e sete telefonemas depois da conversa de Cachoeira com Demóstenes, Mônica foi empossada no cargo de Diretora Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.
      Deve-se a nomeação à interferência de Aécio Neves (PSDB-MG). A voz do senador tucano não soa na escuta. Estava grampeado apenas o aparelho de Cachoeira, não o de Demóstenes.
      Assim, Aécio livrou-se do constrangimento de ver registrados nas páginas do inquérito da Operação Monte Carlo os termos dos diálogos que manteve com o amigo que fez do mandato uma tribuna para o lobby de Cachoeira.
      Não foi poupado, porém, de uma avaliação da Polícia Federal sobre os resultados da atenção dispensada ao "importantíssimo" pedido de Cachoeira. Para os investigadores, há "indícios de possível cometimento de infração penal por parte de seus interlocutores ou pessoas referidas" nos telefonemas.
      Ao resumir um gampo de 26 de maio de 2011, no qual Cachoeira conversa com a prima um dia depois de sua posse no novo cargo, a PF anotou em relatório: "Falam sobre a nomeação de Mônica para a SEDESE/MG, conseguida por Cachoeira junto ao senador Aécio Neves por intermédio do senador Demóstenes Torres e de Danilo de Castro."
      Danilo de Castro é deputado federal por Minas Gerais e secretário-geral do PSDB federal. Licenciou-se do mandato na Câmara para assumir a Secretaria de Governo da gestão tucana de Antonio Anastasia. Ouvidos, secretário e governador negaram participação na nomeação da prima de Cachoeira.
      Procurado, Aécio reconheceu que se empenhou para atender ao pedido de Demóstenes. Alega, porém, que desconhecia que Cachoeira estava por trás da encomenda de nomeação. Agora que já sabe, Aécio talvez devesse requerer, com o mesmo empenho, a demissão da servidora tóxica.

      Excluir
  59. MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM CACHOEIRA."
    ESTADO DE S.PAULO, 23/04/12
    Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) intercedeu diretamente junto a seu colega, Aécio Neves (PSDB-MG), e arrumou emprego comissionado para uma prima do empresário do jogo de azar Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mônica Beatriz Silva Vieira, a prima do bicheiro, assumiu em 25 de maio de 2011 o cargo de Diretora Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.

    Do pedido de Cachoeira a Demóstenes, até a nomeação de Mônica, bastaram apenas 12 dias e 7 telefonemas. Aécio confirma o empenho para atender solicitação de Demóstenes, mas alega desconhecer interesse de Cachoeira na indicação.
    São citados nos grampos Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas. Eles negam envolvimento na trama.

    A PF monitorou Cachoeira, a prima e Demóstenes no bojo da Operação Monte Carlo, que desmantelou alentado esquema da contravenção, fez ruir a aura de paladino do senador goiano e expôs métodos supostamente ilícitos da Delta Construções para atingir a supremacia em sua área de ação.

    Aécio não caiu no grampo porque não é alvo da investigação. Mas ele é mencionado por Demóstenes e Cachoeira. O contraventor chama Demóstenes de ‘doutor’ e o senador lhe confere o título de ‘professor’.

    ResponderExcluir
  60. CONTINUANDO:
    "MINAS NÃO TEM MAR, MAR TEM CACHOEIRA."
    A PF avalia que o caso pode caracterizar tráfico de influência. “Seguem ligações telefônicas, divididas por investigado, em ordem cronológica, que contém indícios de possível cometimento de infração penal por parte de seus interlocutores ou pessoas referidas.”

    Na síntese que faz da ligação de Cachoeira para Mônica, a 26 de maio – contato durou 3 minutos e 47 segundos –, a PF assinala. “Falam sobre a nomeação de Mônica para a SEDESE/MG, conseguida por Cachoeira junto ao senador Aécio Neves por intermédio do senador Demóstenes Torres e de Danilo de Castro.”

    Aécio diz que ‘não recaía questionamento’ sobre Demóstenes
    O senador Aécio Neves (PSDB-MG), por meio de sua assessoria, confirmou nesta segunda-feira, 23, que indicou Mônica Beatriz Silva Vieira para um cargo no governo de Minas atendendo a um pedido do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), então líder do DEM no Senado e “sobre o qual, à época, não recaía qualquer tipo de questionamento”.

    ResponderExcluir
  61. CONTINUAÇÃO:
    "MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM CACHOEIRA."
    Aécio afirmou que “desconhecia o parentesco e a origem do pedido”. Segundo sua assessoria, a solicitação foi encaminhada para avaliação da Secretaria de Governo de Minas Gerais, a quem cabia a análise.

    O governo mineiro informou que a prima de Carlinhos Cachoeira foi nomeada para um cargo DAD 4, com salário de R$ 2.310,00. Em um diálogo interceptado pela PF em 26 de maio do ano passado – um dia após a publicação da nomeação no Diário Oficial do Estado – Cachoeira pergunta a Mônica se “o salário lá é bom”. Ela diz não saber. “Eu tentei pesquisar, mas não sai. Esses cargos comissionados não sai o salário.” Cachoeira responde: “Aqui (em Goiás) no mínimo um cargo desses aí é uns 10 mil reais.” A prima conta que trabalhava na diretoria de qualificação profissional da Prefeitura de Uberaba. “Até briguei, falei ‘se for menos eu tô perdida.’”

    ResponderExcluir
  62. CONTINUAÇÃO:
    MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM CACHOEIRA."Ao Estado, Mônica alegou que foi indicada para o cargo por sua “competência”. “Pode ter certeza disso. Eu sou funcionária de carreira há 25 anos, coordenei vários órgãos e o meu convite veio por competência”, disse a diretora.
    Para o governo mineiro, o currículo da servidora preenchia a qualificação para o cargo e ela possui experiência profissional como coordenadora dos programas federais.

    O secretário Danilo de Castro disse que a nomeação de Mônica foi em “comum acordo” com o deputado federal Marcos Montes (PSD-MG, ex-DEM). “Agora, pedido eu não lembro de quem. Todas as nomeações do interior partem daqui, da Secretaria de Governo. Esses cargos regionais têm indicações políticas. ” Montes foi procurado nesta segunda no seu escritório em Uberaba, mas não respondeu às ligações. O advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, também não respondeu.

    ResponderExcluir
  63. REPRISE PRA VOCÊ AMIGO DE 06:55 PM

    "MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM CACHOEIRA."

    O secretário Danilo de Castro disse que a nomeação de Mônica foi em “comum acordo” com o deputado federal Marcos Montes (PSD-MG, ex-DEM). “Agora, pedido eu não lembro de quem. Todas as nomeações do interior partem daqui, da Secretaria de Governo. Esses cargos regionais têm indicações políticas. ” Montes foi procurado nesta segunda no seu escritório em Uberaba, mas não respondeu às ligações. O advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, também não respondeu.

    SERÁ DE QUEM É O NOME QUE ELE NÃO LEMBRA...
    SERIA, SÓ PARA AJUDA - LO A SE LEMBRAR, DE UM CERTO SENADOR MINEIRO RADICADO NO RIO DE JANEIRO E QUE FOI FLAGRADO DIRIGINDO ALCOOLIZADO E COM HABILITAÇAO VENCIDA QUE EQUIVALE A MESMO QUE DIRIGIR SEM HABILITAÇÃO, NETO DE TRANCREDO NEVES, IRMÃO DE ANDREIA NEVES, MAS ASSIM, COMO DIREI... O NOME NÃO ME VEM A MEMÓRIA. AJUDA AI GENTE. COMO É MESMO O NOME ?

    ResponderExcluir
  64. MAS SÓ PRA RECORDAR...

    QUE MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM CACHOEIRA."

    São citados nos grampos Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas. Eles negam envolvimento na trama.

    A PF monitorou Cachoeira, a prima e Demóstenes no bojo da Operação Monte Carlo, que desmantelou alentado esquema da contravenção, fez ruir a aura de paladino do senador goiano e expôs métodos supostamente ilícitos da Delta Construções para atingir a supremacia em sua área de ação.

    Aécio não caiu no grampo porque não é alvo da investigação. Mas ele é mencionado por Demóstenes e Cachoeira. O contraventor chama Demóstenes de ‘doutor’ e o senador lhe confere o título de ‘professor’.

    FONTE DA REPORTAGEM:

    ESTADO DE S.PAULO, 23/04/12

    ResponderExcluir
  65. 1) 13 de maio de 2011, Carlinhos Cachoeira liga para o senador Demóstenes Torres às 18h18:42.

    Cachoeira: Ô doutor.
    Demóstenes: Fala professor.
    Cachoeira: Aquele currículo que eu te falei lá de Uberaba, da minha prima pô. O Manuel não te entregou, não?
    Demóstenes: Não, deixa eu ligar prá ele aqui... tá dentro do carro. Esse rapaz ele é difícil, ele é muito burro, sabe? Eu vou olhar aqui.
    Cachoeira: Não esquece de levar isso. É importantíssimo prá mim. Que tá tendo vaga lá, senão... você consegue por ela lá com Aécio... em Uberaba, pô, a mãe dela morreu. É irmã da minha mãe.
    Demóstenes: Não, tranquilo. Deixa eu só ligar pro rapaz lá. Deixa eu ligar prá ele e te ligo aí.

    2) 16 de maio de 201, Demóstenes fala com Cachoeira às 20h51:31

    Demóstenes: Tá tudo certo, tá lá, amanhã cedo eu pego. Amanhã antes de eu falar com ele eu te ligo e você me explica direito, falou?
    Cachoeira: Tá excelente, brigado doutor.

    3) 17 de maio de 2011, às 7h19:45.

    Demóstenes: Fala professor, só tô vendo currículo aqui. Tá assim, cargo, qualificação profissional, diretoria CEDECI, o que é CEDECI?
    Cachoeira: Ele sabe lá. É Estadual lá, um cargo.
    Demóstenes: Precisa decifrar, eu vou encontrar com o Aécio lá pelas 10 horas, só o que é CEDECI, prá perguntar direito, pra pedir direito.
    Cachoeira: Tá, eu vou decifrar aqui e te falo aí.
    Três minutos depois, às 7h21, Cachoeira liga para Demóstenes e o informa que a repartição chama-se Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social.
    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  66. CONTUNUAÇÃO...
    4) 18 de maio de 2011, às 11h52:05, Demóstenes liga para o bicheiro.

    Demóstenes: Fala professor. A mulher trabalha no Estado?, ela é funcionária do Estado? O Aécio quer saber.
    Cachoeira: Não, ela trabalha na Prefeitura Municipal de Uberaba.

    5) 20 de maio de 2011, às 20h48:28, numa ligação de 39 segundos, Demóstenes diz ao contraventor que Aécio conseguiu o emprego para a prima.

    Demóstenes: Seguinte, o Aécio arrumou o trem lá, e vão dar pro deputado um outro cargo. Agora, ele perdeu o currículo da mulher, então na hora que eu chegar aí você me dá o nome inteiro dela e o telefone prá eles ligarem, falou?
    Cachoeira: Então tá. Qual cargo que é, você sabe?
    Demóstenes: O que você pediu, ué.

    6) 21 de maio de 2011, às 12h05, Cachoeira liga para Mônica Beatriz, sua prima.

    Cachoeira: Eles vão te ligar aí, tá? O governador deu o OK aí no seu emprego aí de chefia.
    Mônica: Hum.
    Cachoeira: O Aécio acabou de ligar pro senador aqui, viu.
    Mônica: Então tá.
    Cachoeira: Já pegou seu telefone, mas fica com o telefone ligado que eles vão te ligar. Alguém do governo vai te ligar.
    Mônica: Tá ok, pode deixar, tá bom.
    Cachoeira: Então tá, tchau, me ajuda por lá.

    10 horas atrás
    - 4 dias restante(s) para responder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que perda de tempo esses comentários!!!!!!!!!!!

      Excluir
  67. CONTINUAÇÃO...
    Detalhes Adicionais
    7) 26 de maio de 2011, às 22 horas, Cachoeira e Mônica conversam durante 3 minutos e 47 segundos.

    Cachoeira: A pessoa te ligou?
    Mônica: Ligou, ligou no sábado de manhã.
    Cachoeira: Quem foi?
    Mônica: O Danilo de Castro.
    Cachoeira: Ele é forte ali.
    Mônica: Secretário de Governo, isso, daí me fez umas perguntas. Daí na segunda eu já me reuni com o Marcos Montes, né? Ele falou: ‘Mônica, a sua nomeação deve sair na próxima semana’. Ele ficou de...ele iria prá Brasília e retornava amanhã e assim que ele chegasse ele me ligaria prá gente sentar e conversar.
    Cachoeira: Sim, mas qual cargo?
    Mônica: Diretor regional do Sedese.
    Cachoeira: Uai, bom demais. Melhor ainda do que você queria.
    Mônica: Nossa, eu fiquei feliz demais, inclusive tenho que agradecer muito, Carlinhos.
    Cachoeira: A pessoa que vai sair do cargo é que não vai gostar, né?
    Mônica: Eu falei isso com o Danilo, Falei: ‘Danilo, eu não queria que prejudicasse a pessoa, ainda mais se for pai de família’. Ele falou: ‘Você não se preocup
    10 horas atrás

    Como em MG não tem mar, Aécio nadava no CACHOEIRA?

    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120424111100AAbBRnR

    ResponderExcluir
  68. "Nesta terça-feira (24), o senador Aécio Neves confirmou que indicou uma prima do bicheiro Carlinhos Cachoeira para um cargo no governo de Minas Gerais, em 2011, como revelou reportagem do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Mônica Beatriz Silva Vieira foi nomeada com um salário de R$ 2,3 mil.

    Aécio Neves disse que apenas atendeu a um pedido de Demóstenes Torres. E que desconhecia o parentesco e a origem do pedido.

    “Há um ano atrás eu também não tinha, como nenhum brasileiro, bola de cristal para imaginar as ligações do senador Demóstenes. Uma indicação do senador Demóstenes, ela credenciava o indicado. A verdade é essa. Um ano se passou e estamos todos aqui surpreendidos pelas ligações desse senador com a contravenção, isso é inadmissível e eu me sinto traído na minha boa fé”, disse o senador Aécio Neves.

    Uma gravação feita pela Polícia Federal com autorização da Justiça mostra que o deputado Leonardo Vilella, do PSDB de Goiás, teve a ajuda de Carlinhos Cachoeira para empregar a filha.

    Cachoeira: Eu preciso de arrumar um emprego urgente aí para uma farmacêutica. Como é que eu faço?
    Andrea: Ué, eu arrumo. Cadê o currículo dela? Quem que é?
    Cachoeira: É a filha do Leonardo Vilela, deputado federal.

    Vanessa Vilela, filha do deputado, conseguiu o emprego. O deputado disse que fez apenas um pedido para que a filha fosse entrevistada.

    “Não fiz contrato com nenhuma empresa, não recebi dinheiro, não tenho negócios ilícitos, não tenho relação com jogo e estou absolutamente tranquilo”, declarou o deputado Leonardo Vilela .

    ResponderExcluir
  69. http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/04/stf-abre-inquerito-contra-tres-deputados-envolvidos-com-cachoeira.html

    Nesta terça-feira (24), o senador Aécio Neves confirmou que indicou uma prima do bicheiro Carlinhos Cachoeira para um cargo no governo de Minas Gerais, em 2011, como revelou reportagem do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Mônica Beatriz Silva Vieira foi nomeada com um salário de R$ 2,3 mil.

    Aécio Neves disse que apenas atendeu a um pedido de Demóstenes Torres. E que desconhecia o parentesco e a origem do pedido.

    “Há um ano atrás eu também não tinha, como nenhum brasileiro, bola de cristal para imaginar as ligações do senador Demóstenes. Uma indicação do senador Demóstenes, ela credenciava o indicado. A verdade é essa. Um ano se passou e estamos todos aqui surpreendidos pelas ligações desse senador com a contravenção, isso é inadmissível e eu me sinto traído na minha boa fé”, disse o senador Aécio Neves.

    Uma gravação feita pela Polícia Federal com autorização da Justiça mostra que o deputado Leonardo Vilella, do PSDB de Goiás, teve a ajuda de Carlinhos Cachoeira para empregar a filha.

    Cachoeira: Eu preciso de arrumar um emprego urgente aí para uma farmacêutica. Como é que eu faço?
    Andrea: Ué, eu arrumo. Cadê o currículo dela? Quem que é?
    Cachoeira: É a filha do Leonardo Vilela, deputado federal.

    Vanessa Vilela, filha do deputado, conseguiu o emprego. O deputado disse que fez apenas um pedido para que a filha fosse entrevistada.

    “Não fiz contrato com nenhuma empresa, não recebi dinheiro, não tenho negócios ilícitos, não tenho relação com jogo e estou absolutamente tranquilo”, declarou o deputado Leonardo Vilela .

    ResponderExcluir
  70. EULER, FICOU MAIS FACIL DEPOIS DESSA ! BASTA O SINDUTE ACORDAR.



    http://www.cnte.org.br/index.php/giro-pelos-estados/380-pe/10092-sinduprom-pe-ganha-primeira-acao-judicial-que-reconhece-o-piso-como-salario-base-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. COMO O SINDUTE VAI ACORDAR SE ELE ESTÁ MACUMUNADO COM O GOVERNO GENTE!?

      Excluir
  71. Parabenizo aos professores que mesmo recebendo um salário de fome , estão cumprindo com seus deveres em sala de aula, respeitando os direitos dos alunos e das famílias que confiam neles,passando o melhor para nossos filhos.
    Não posso deixar de dar meus pêsames para alguns que não dão avaliações mensais porque não gostam de dar provas, como se isso fosse questão de gostar e não de obrigação.
    Peço às professoras que agem assim para que pensem um pouco.Se um pai ou mãe for à escola para saber sobre a nota do filho,de onde veio aquele valor se não houve provas?Em 25 pontos, só a prova bimestral? O resto foi pela cara do aluno?
    A prova é uma PROVA que os professores tem para mostrar aos pais o desempenho dos filhos e até mesmo para os próprios professores.
    O aluno está perdendo o incentivo,se não tem prova ele logo pensa, pra que estudar se vou ganhar notas nos deveres de casa? Se o livro está completo vou tirar nota mesmo.E por aí vai o barco....
    Reflitam, por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você quer resultados, cobre do governo miserável! Nós professores estamos de saco cheio de pressão e cobranças vindas de todos os lados. E nem salário digno temos! Vê se dá um tempo e cumpra a sua obrigação de educar os seus filhos!!

      Excluir
    2. Ô minha senhora, estamos em um sistema capitalista, os tempos mudaram nem o sacerdócio na igreja abre mão de uns trocos... Muitas vezes vivem melhor do que os assalariados. Negócio é o seguinte, o magistério é uma profissão e como tal deve ser valorizada $$$$$$$$$$, nossos credores como os seus não vivem de caridade...Exigir nossos direitos é também uma forma de ensinar pra tua filhinha que o sistema é bruto, competitivo, seletivo e cruel. "A gente não quer só comida" afinal Ele veio pra que todos tenham vida, que todos tenham vida plena". Sou do grupo dos primeiros professores e ainda assim discordo da senhora.Reflita, mas considere em sua reflexão todo prejuízo causado por esse governo a todos os profissionais da educação... Num exemplo: Um professor com 25 anos de serviço, recebe exatamente igual um recém formado.Pra ficar só neste exemplo.Triste!

      Excluir
    3. Ser professor(a) foi opção sua então faça direito ou pule fora.
      Faço a minha parte, faça a sua bem feita,se vc se considera PROFESSOR.

      Excluir
  72. FIQUEM ATENTOS AO ARTIGO 49! NOVO ESTATUTO DO SERVIDOR.


    "CAPÍTULO I

    DO VENCIMENTO E DA REMUNERAÇÃO

    |



    Art. 46 O servidor público receberá retribuição pecuniária sob a forma de vencimento, remuneração, subsídio ou provento.

    |



    Art. 47 Vencimento é a retribuição pecuniária pelo exercício de cargo público, com valor fixado em lei.

    |



    Parágrafo único. Nenhum servidor receberá, a título de vencimento básico, importância inferior ao salário mínimo.

    |



    Art. 48 Remuneração é o vencimento do cargo acrescido das vantagens pecuniárias permanentes e/ou temporárias estabelecidas em lei.

    |



    § 1º É vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para efeito de remuneração.

    |



    § 2º O vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens de caráter permanente, é irredutível.

    |



    Art. 49 Subsídio é a retribuição pecuniária fixada em parcela única, inacumulável com outras gratificações, adicionais, abonos ou outras espécies remuneratórias, ressalvada a percepção de verbas de natureza indenizatória, bem como acréscimos pecuniários decorrentes do exercício de função de confiança ou opção remuneratória para exercer cargo de provimento em comissão, e aqueles expressamente assegurados em lei aos servidores que fizerem jus a essa modalidade remuneratória.

    ResponderExcluir
  73. Meu nome é Marianna, sou aluna de escola pública e sei o que meus professores passam dentro da escola, um verdadeiro caos.
    Salas superlotadas, onde os alunos que realmente querem aprender não conseguem devido a mistura que fizeram com aqueles que não estão aí para nada, são agressivos com os professores, falam palavrões , e sequer podem ser chamados atenção, pois caso contrário, partem para a agressão física.
    A questão de não reprovar o aluno está clara para todos nós, acho que é por isso que ninguém mais leva a sério, ninguém estuda, os professores ainda são chamados de ruins,quando reprovam uma meia dúzia de ignorantes.
    Sei que são chamados pela inspetora escolar, pelas especialistas e por uma tal de técnica e são pressionados, ameaçados, porque não conseguiram aprovação total.
    Tudo culpa desse governo maldito, mas tambeḿ , nós adolescentes do Ensino Médio, estamos a par da situação da educação e sabemos que é o governo e esses deputados em sua maioria, que sequer votam um salário justo para o professor e melhores condições de trabalho.
    Isto ocorre porque seus filhos não tem que estudar em escolas públicas, estamos conversando com nossos pais, nossos familiares, mostrando a situação, nossos melhores professores doentes, de licença , por não aguentar tanta pressão dentro de escola.
    Marianna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por seu relato. Fico feliz por ainda encontrar estudantes críticos e inteligentes como você.
      Como professor me sinto um inútil por não poder fazer aquilo que deveria ser feito pelos bons alunos. Esses são os mais prejudicados pelo sistema educacional.
      Infelizmente a educação pública estadual está falida!!!

      Excluir
    2. Mariana,parabéns pelo seu depoimento.É por alunos como você que ainda vale a pena ser professora. Leve seu questionamento à frente, junte seus colegas e cobre do governo o direito que é de vocês.Vá aos jornais ,às radios ,TV...não se intimide.É de pessoas que se indignem como você que o nosso país precisa.Por isto é que a Dilma está lá na presidência.Pela sua capacidade,na juventude,de se indignar e lutar pelo direito e liberdade de todos.AVANTE,garota!!!Regina Pessoa

      Excluir
    3. Mariaana,
      Gostei muito de suas colocações em seu texto. Parabéns. Continue assim. Precisamos de gente como você, que não fecha os olhos diante da realidade em que vivemos na educação mineira.
      Um grande beijo e que Deus tena piedade de nós.
      Lúcia.

      Excluir
  74. Os professores da escola onde trabalho estão em polvorosa: comentário há de que o concurso foi anulado. Será verdadeiro esse boato?
    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou cagando e andando para boatos!!!

      Excluir
    2. Nossa, que grosseria!
      Mamãe não deu educação não?

      Excluir
  75. Quem diria! A fundação Carlos chagas não publicou o resultado do concurso. Eu seria capaz de apostar que ela iria cumprir a data do dia 20. Estranho . Ai temmmmmmmmmmmm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu liguei na FCC no dia 20/04 e a atendente me disse q estava tudo pronto, só faltava autorização do governo de MG pra divulgar. As organizadoras de concurso não atrasam . Tenho certeza que é alguma maracutaia. Eu mandei uma mensagem pra Renata Vilhena no Twitter mas ela não me respondeu. Eu falei q tudo q o Governo de Minas poe a mão vira bagunça, até a programação de uma banca tão organizada como a FCC rsrs

      Excluir
    2. Se voce desagradar a vilhena no twitter ela nao responde mesmo... so responde elogios...ou quando vê oportunidade para fazer propaganda do governo...

      Excluir
  76. CHARGE UOL

    http://charges.uol.com.br/2012/04/24/professor-da-rede-publica-ouro-de-tolo/

    MARAVILHA, DIVULGUEM.

    ResponderExcluir
  77. CEDECI = Secretaria de Estado da Defesa Social. Ainda por cima a prima do Cachoeira é burra. Secretaria com C? Social com C? Pois foi este currículo que o Demóstenes Torres teve em mãos.

    ResponderExcluir
  78. Estranho a FCC, fundação bem conceituada,responsável por vários concursos e parece que é esse da SEE MG é que não está sendo cumprido dentro da data(20 de abril)isto é comum?

    ResponderExcluir
  79. Assembleia

    Governo propõe mudança na carreira de servidor público

    Auditores ganham aumento escalonado e trabalhadores da saúde têm correção

    Publicado no Jornal OTEMPO em 26/04/2012

    6
    8
    10
    DANIEL LEITE

    A
    A
    FOTO: LIA PRISCILA/ ALMG - 24.4.2012
    Plenário. A mesa da Assembleia fez, anteontem, a leitura da mensagem do governo com a proposta

    O governo mineiro pretende mexer em diversas carreiras do serviço público, com alteração no sistema de gratificações, mudança do tempo de promoção e aumento de salário. Os auditores internos do Poder Executivo, por exemplo, terão reajuste escalonado até 2014, segundo um projeto de lei que começou a tramitar na Assembleia Legislativa ontem. A proposta foi lida em plenário na tarde da última terça-feira.

    Algumas categorias, no entanto, reclamam por não terem sido consultadas a respeito das mudanças propostas. Segundo os sindicatos, há casos de alterações de carreira que, na realidade, são correções de problemas criados pelo próprio Executivo há alguns anos.

    O Projeto de Lei 3.099 de 2012 concede aumento gradual aos auditores nos seguintes percentuais e período: 25,6% em agosto de 2012, 20,38% em agosto de 2013 e 16,93% em agosto de 2014. A matéria, que foi lida no plenário do Legislativo anteontem, também prevê a incorporação de parcela da Gedima, que é uma espécie de gratificação recebida por servidores do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

    Saúde. Pelo projeto, de autoria do Executivo, a forma de definição dos vencimentos dos servidores da saúde também vai passar por modificação. O sindicato que representa os trabalhadores do setor, porém, alerta que o governo estaria, na verdade, corrigindo uma falha de uma lei de sete anos atrás.

    O projeto define critérios para reajuste dos ganhos de funcionários que exercem atividades classificadas como especiais e pertencem à Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). São auxiliares de serviço, técnicos e auxiliares de enfermagem, dentre outros, que não eram incluídos nas negociações salariais com o governo desde 2005, segundo o presidente do Sind-Saúde, Renato Barros. "Nós tivemos que brigar para incluir esse pessoal nas conversas sobre aumento de salário", afirma o sindicalista.

    Agora, segundo Barros, a lei que trata das negociações salariais atende as expectativas dos servidores da saúde. "O governo está corrigindo a redação da lei de 2005. Não é uma gratificação, nem aumento de salário. É só uma correção", destaca o dirigente sindical.

    Além de alterar as carreiras de vários setores do Executivo estadual, o projeto de lei encaminhado nesta semana à Assembleia cria 20 cargos para a área cultural.

    (continuação|)

    ResponderExcluir
  80. Estão comentando na escola onde trabalho que deve estar em tramitação no congresso,um projeto de lei visando terminar com o direito do professor com 25 anos de sala de aula e 45 de idade de ser afastado da sala. Se for verdade, mais uma bomba pra cima de nós!

    ResponderExcluir
  81. Olá Euler e blogueiros!

    Olha a maracutaia ai genteeeeeeeeeeeee!
    Esse concurso público deveria ser cancelado!E mais, tem surpresa sendo preparada pelo Executivo para punir as professoras. Observem como a direita enxerga a mulher: 25 anos de exploração é pouco. Esse Governo é realmente um engodo!

    Não sustente parasitas!Vote nulo!

    ResponderExcluir
  82. INTERESSANTE, O TJMG FEZ GREVE E NAO TERÁ SEU PONTO CORTADO POR DECISAO DO MINISTRO DIAS TOFFOLI , EM RESPOSTA A UMA RECLAMAÇAO DIRIGIDA PELO SINDICATO DO TJMG AO STF. A DECISAO DO MINISTRO CONTÉM VÁRIAS CRÍTICAS AO GOVERNO DE MINAS EM RELÇÃO A LEIS QUE DEVERIAM SER CUMPRIDAS E NÃO O SÃO , EM RELAÇÃO, É CLARO, AOS FUNCIONÁRIOS DO TJMG. O JURIDICO DO SINDICATO DOS PROFESSORES REALMENTE NÃO CONSEGUE NDA...
    LEIAM NA ÍNTEGRA A DECISÃO NO STF.
    EX PROFESSORA GRAÇAS A DEUS

    ResponderExcluir
  83. DEIXA DE BESTEIRA GENTE, A FCC DEMOROU A PUBLICAR PARA DAR TEMPO PARA O GOVERNO FAZER PROPAGANDA.


    VEM AI MAIS UM FUMO

    REFORMA DO ESTATUTO, COM CERTEZA SÓ DIVULGARÃO AS BOAS MUDANÇAS NA MÍDIA, MAS NO DIA DA VOTAÇÃO VAI O FERRO E OS CANEIROS COMO SEMPRE HOMOLOGARÃO SEM DISCUTIR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente estes malditos vao esperar o novo estatuto para finalizar o concurso. Assim os novos candidatos a professores do estado entraram sob as novas regras... ou seja ja entrarao mais fudidos ainda.

      Excluir
  84. INVESTIGUEM A MGS TEVE TER CACHOEIRA LÁ TAMBÉM

    ResponderExcluir
  85. Ação judicial reconhece o piso como salário base PDF Imprimir E-mail
    Terça-feira, 24 de Abril de 2012 - 14:50h

    O SINDUPROM-PE (Sindicato Único dos Profissionais do Magistério Público das Redes Municipais de Ensino no Estado de Pernambuco) obteve a primeira decisão a nível nacional que reconhece que o Piso Salarial Profissional Nacional dos Profissionais do Magistério (PSPN) não é a somatória de todos os vencimentos e sim, única e exclusivamente, o salário base da categoria.

    Por meio dessa sentença na esfera judicial do Estado do Pernambuco, um grupo de profissionais do magistério de Quixaba-PE logrou conseguir que fossem declarados inconstitucionais alguns artigos de lei do vigente PCC por afrontarem a Lei n. 11.738/2008, conforme interpretação dada àquela lei pelo Supremo Tribunal Federal. No caso concreto o magistrado declarou serem inconstitucionais os artigos do PCC que englobavam as gratificações e outras vantagens para fins de pagamento do piso, reconhecendo que essas parcelas somente podem ser pagas em separado, tomando-se o PSPN como base de cálculo para adimplemento dessas verbas.

    "São inconstitucionais as normas do Município de Quixaba que não se adéquam ao piso nacional do magistério, fixado pela União na Lei nº 11.738/2008, com as sua atualizações anuais, posto que tais normas não observaram a regra da competência estabelecida no art. 206, VIII, CF/88. Ademais, o STF julgou ser constitucional o piso fixado no referido diploma legal, não sendo lícito ao município incorporar as gratificações para se chegar ao valor do piso, uma vez que ele diz respeito ao vencimento base."

    A sentença em apreço representa um marco, abrindo o primeiro precedente jurídico na luta dos profissionais do magistério pela verdadeira efetividade do cumprimento da lei do piso, cuja maior etapa dirá respeito ao reconhecimento, pelo Poder Judiciário, dos critérios de correção do seu valor tomando – se por base as definições contidas nas Leis 11.738/2008 e 11.494/2007. Afinal, é preciso reconhecer que nos anos de 2009, 2010, 2011 e até mesmo para o corrente ano de 2012, os entes públicos deverão pagar o PSPN tendo por base os valores mínimos calculados pelo MEC para o referido piso na forma prevista na Lei n. 11.494, de 20.6.2007 c/c o artigo 5º, da Lei n. 11.738, de 20.7.2008, o qual se acha assim redigido:

    Art. 5o O piso salarial profissional nacional do magistério público da educação básica será atualizado, anualmente, no mês de janeiro, a partir do ano de 2009.

    Na esteira da orientação da CNTE, o SINDUPROM-PE defende que o piso instituído pela Lei n. 11.738, de 16.7.2008, somente poderia ser exigido a partir de 01/01/2009, todavia, devendo ser corrigido tal valor pela fórmula instituída pelo legislador infraconstitucional, pelo que esse corresponderia em 01/01/2009 à quantia de R$1.132,68 e, após sucessivas atualizações, seu patamar para o ano de 2012 deverá ser de R$1.937,65. (SINDUPROM-PE 24/04/12)

    ResponderExcluir
  86. GENTE


    DE ONDE É O ANASTAZIA MESMO? É MINEIRO OU UM INFILTRADO QUERENDO ACABAR COM NOSSO ESTADO

    ResponderExcluir
  87. Gracieusa,você sugeriu a charge e fui conferir...
    Fiquei emocionada,mesmo sabendo que charge é pra rir.Valeu a indicação.
    Tomara que haja muitos acessos...
    Talvez o Brasil acorde.
    Um abraço a todos os guerreiros e obrigada,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico muito triste quando vejo videos e charges que denigrem ainda mais a imagem do professor...

      Excluir
  88. Amei,Maurício Ricardo é muito inteligente!

    ResponderExcluir
  89. Viram a bela surpresa que a Renata Vil hiena publicou no se twitter?Parece que ela que rir da cara da gente.Só pode.Mais um prejuízo para os professores.Que perseguição!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior é que ainda tem professor que acredita na "bondade" do governo que abriu uma consulta publica para rever o estatuto do servidor...kkk grande piada!!! Este novo estatuto ja esta pronto para acabar de vez conosco e sairá com ares de muito bom como sempre.

      Excluir
  90. Os nossos "amigos" Danilo de Castro e Aécio envolvidos no esquema Cachoeira. Ainda vão descobrir muita sujeira desses políticos corruptos.

    ResponderExcluir
  91. Duarte Bechir, inimigo da educação. Professores, se vocês hoje tem esse mísero salário agradeçam aos inimigos da educação.

    ResponderExcluir
  92. O ABSURDO DO GOVERNO
    Minas abre rodada de negociações com Sindicato dos Trabalhadores da Educação
    Reunião inaugura agenda de encontros para discutir pauta de reivindicações apresentada pela entidade, que conta com mais de 60 itens
    Em reunião na tarde dessa quinta-feira (26/04), na Cidade Administrativa, o Governo de Minas recebeu comissão do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG). O encontro, iniciado às 16h e encerrado às 18h, é o primeiro de uma série de reuniões a serem realizadas por sugestão do Governo de Minas para iniciar o período de negociações da pauta de reivindicações apresentada pela entidade.
    De acordo com os representantes do Governo, o primeiro encontro foi importante para ouvir dos representantes do Sind-UTE/MG esclarecimentos sobre a pauta. O documento conta com 64 itens e traz temas diversificados.
    Pelo Governo de Minas, participaram o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, Antônio Musa de Noronha, e o assessor para Relações Institucionais, Felipe Estábile Moraes — ambos da Secretaria de Educação — e a subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Fernanda Siqueira Neves e a superintendente Central de Políticas de Recursos Humanos, Maria Isabel Rolla França, também da Seplag. Pelo Sind-UTE/MG, compareceram a coordenadora Beatriz Cerqueira, e as integrantes da Comissão de Negociação, Marilda Araújo, Feliciana Saldanha e Lecioni Pereira.
    Reunião entre representantes do Governo de Minas e do Sind-UTE aconteceu na tarde de hoje. Foto: ACS/SEE
    Reunião entre representantes do Governo de Minas e do Sind-UTE aconteceu na tarde de hoje. Foto: ACS/SEE
    Para os representantes do Governo, é consenso a importância da abertura de um espaço de diálogo permanente com as entidades sindicais, fórum este dedicado ao debate e à conversa franca, elementos que serão capazes de atender, de forma mais justa, os atores sociais envolvidos.

    Pauta extensa

    A pauta apresentada pelo SindUTE-MG conta com 64 itens. São 14 temas relacionados ao item “Salário e Carreira”; 15 em relação ao tema “IPSEMG (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais) e Previdência”; 11 relacionados aos temas “Gestão das Escolas e do Sistema e Vínculo Funcional”; 12 sobre “Qualidade da Educação”; seis demandas específicas sobre “Servidores das Superintendências Regionais de Ensino”; e seis outras demandas gerais.

    Ainda que a pauta conte com mais de 60 itens, os representantes do Governo de Minas fizeram o agrupamento das reivindicações em três grandes eixos:

    * Demandas relativas ao conjunto dos servidores públicos: serão tratadas em um fórum ampliado, com a presença de todas as entidades sindicais competentes;

    * Demandas específicas da Educação: serão analisadas e tratadas ao longo do processo de negociação, a partir de uma agenda de diálogo e construção coletiva. Exemplos dessas demandas são as férias-prêmio e o posicionamento de servidores; e

    * Demandas já atendidas ou sob avaliação da Justiça.

    Em relação às demandas atendidas, por exemplo, encontra-se o cumprimento da Lei do Piso Nacional da Educação para o Magistério. Em Minas Gerais, o valor do piso já é pago desde a adoção do modelo unificado de remuneração. Adotado o princípio da proporcionalidade (Parágrafo 3º), o que é assegurado pela Lei 11.738, de 16 de julho de 2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público, o valor calculado para uma jornada de 24 horas seria, em Minas Gerais, de R$ 870,60. Como a remuneração inicial para o magistério na rede estadual é, desde este mês, de R$ 1.386,00, o valor instituído pelo modelo unificado de remuneração em Minas Gerais continua superior ao piso nacional. Este é 59,2% superior ao piso nacional que, com o aumento anunciado pelo MEC em fevereiro deste ano, passou para R$ 1.451,00 para uma jornada de 40 horas semanais.

    ResponderExcluir
  93. ACORDA SINDINÚTIL!
    ESTAMOS PRONTO PARA NOVAS BATALHAS TENHO 28 ANOS DE SERVIÇO E AINDA FALAM QUE PAGAM MAIS DO QUE O PISO?
    CADÊ MINHAS VANTAGENS?
    GANHO 1.400,00
    AGORA É GUERRA

    ResponderExcluir
  94. Comandante chegou a hora de você renascer, vamos ser mais uma vez massacrados?A HORA é de luta contra o governo e todas as esferas!
    SE DEIXAREM AS NEGOCIAÇÕES ENTRE BE(ATRIZ)MARILDA ETC ESTAMOS FRITOS!

    ResponderExcluir
  95. EULER, SEU SERVIDOR É CONFIAVEL?
    QUANDO DIGITEI DANILO DE CASTRO MEO COMPUTADOR FICOU DOIDO E RESETOU A NET

    TEM ODE AI

    ResponderExcluir
  96. EM MONITORAMENTO, ENTÃO MONITOREM ROUBRO AO PALNO DE CARREIRa

    ResponderExcluir
  97. http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=201935%2COTE
    LEIAM!
    OS SERVIDORES MINEIROS SÃO TRATADOS COMO MARGINAIS COMO SE FOSSEM CULPADOS PELO FRACASSO DESPOLITICA PODRE, INCOMPETENTE DA DUPLINHA AECIO/ANASTASIA, TODO FUNCIONALISMO DEVERIAM SE UNIR FIRMEMENTE CONTRA ESTE DESGOVERNO, PARADA GERAL JA!

    ResponderExcluir
  98. OLHA CONVERSA PARA BOI DORMIR OU ACORDAR!

    Governo de Minas abre rodada de negociações com Sindicato dos Trabalhadores da Educação

    Qui, 26 de Abril de 2012 17:34

    PDFImprimirE-mail
    Reunião inaugura agenda de encontros para discutir pauta de reivindicações apresentada pela entidade, que conta com mais de 60 itens

    Em reunião na tarde dessa quinta-feira (26/04), na Cidade Administrativa, o Governo de Minas recebeu comissão do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG). O encontro, iniciado às 16h e encerrado às 18h, é o primeiro de uma série de reuniões a serem realizadas por sugestão do Governo de Minas para iniciar o período de negociações da pauta de reivindicações apresentada pela entidade.

    De acordo com os representantes do Governo, o primeiro encontro foi importante para ouvir dos representantes do Sind-UTE/MG esclarecimentos sobre a pauta. O documento conta com 64 itens e traz temas diversificados.

    Pelo Governo de Minas, participaram o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, Antônio Musa de Noronha, e o assessor para Relações Institucionais, Felipe Estábile Moraes — ambos da Secretaria de Educação — e a subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Fernanda Siqueira Neves e a superintendente Central de Políticas de Recursos Humanos, Maria Isabel Rolla França, também da Seplag. Pelo Sind-UTE/MG, compareceram a coordenadora Beatriz Cerqueira, e as integrantes da Comissão de Negociação, Marilda Araújo, Feliciana Saldanha e Lecioni Pereira.

    Reunião entre representantes do Governo de Minas e do Sind-UTE aconteceu na tarde de hoje. Foto: ACS/SEE
    Reunião entre representantes do Governo de Minas e do Sind-UTE aconteceu na tarde de hoje. Foto: ACS/SEE

    Para os representantes do Governo, é consenso a importância da abertura de um espaço de diálogo permanente com as entidades sindicais, fórum este dedicado ao debate e à conversa franca, elementos que serão capazes de atender, de forma mais justa, os atores sociais envolvidos.

    Pauta extensa

    A pauta apresentada pelo SindUTE-MG conta com 64 itens. São 14 temas relacionados ao item “Salário e Carreira”; 15 em relação ao tema “IPSEMG (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais) e Previdência”; 11 relacionados aos temas “Gestão das Escolas e do Sistema e Vínculo Funcional”; 12 sobre “Qualidade da Educação”; seis demandas específicas sobre “Servidores das Superintendências Regionais de Ensino”; e seis outras demandas gerais.

    Ainda que a pauta conte com mais de 60 itens, os representantes do Governo de Minas fizeram o agrupamento das reivindicações em três grandes eixos:

    * Demandas relativas ao conjunto dos servidores públicos: serão tratadas em um fórum ampliado, com a presença de todas as entidades sindicais competentes;

    * Demandas específicas da Educação: serão analisadas e tratadas ao longo do processo de negociação, a partir de uma agenda de diálogo e construção coletiva. Exemplos dessas demandas são as férias-prêmio e o posicionamento de servidores; e

    * Demandas já atendidas ou sob avaliação da Justiça.

    Em relação às demandas atendidas, por exemplo, encontra-se o cumprimento da Lei do Piso Nacional da Educação para o Magistério. Em Minas Gerais, o valor do piso já é pago desde a adoção do modelo unificado de remuneração. Adotado o princípio da proporcionalidade (Parágrafo 3º), o que é assegurado pela Lei 11.738, de 16 de julho de 2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público, o valor calculado para uma jornada de 24 horas seria, em Minas Gerais, de R$ 870,60. Como a remuneração inicial para o magistério na rede estadual é, desde este mês, de R$ 1.386,00, o valor instituído pelo modelo unificado de remuneração em Minas Gerais continua superior ao piso nacional. Este é 59,2% superior ao piso nacional que, com o aumento anunciado pelo MEC em fevereiro deste ano, passou para R$ 1.451,00 para uma jornada de 40 horas semanais.

    ResponderExcluir
  99. CONTINUIDADE DAS MENTIRADAS, DAS ENGANAÇÕES.


    outro exemplo de demanda já atendida — proposta de capacitação dos servidores — é a criação da Magistra, escola de formação e desenvolvimento profissional, criada pela Lei Delegada nº 180, de 20 de janeiro de 2011. A instituição, que foi inaugurada este ano, tem como objetivo promover a formação e a capacitação de educadores, de gestores e demais profissionais da Educação nas diversas áreas do conhecimento e em gestão pública e pedagógica.

    Também há questões, como a regularização da utilização de 1/3 da jornada para atividades extraclasses, que estão em fase de regulamentação. Hoje, Minas Gerais já dedica ¼ da jornada para as atividades extraclasse.

    Há ainda itens que fazem parte da rotina da Secretaria de Educação, como a implementação de melhorias na rede física. Em 2011, foram investidos R$ 245,8 milhões na estrutura física da rede estadual. Este valor engloba desde reformas e construções de novos prédios, até compra de mobiliário e equipamento para as escolas.

    Outra iniciativa são as ações desenvolvidas com o objetivo de promover uma cultura de paz dentro das escolas. Para isso, estão sendo realizados, através da Magistra, treinamentos para capacitar gestores e professores para lidar com situações de conflito nas escolas. Outros destaques nessa área são a participação da Secretaria no Fórum pela Paz, que conta com a participação de outros órgãos do Governo e entidades da sociedade, e o esutdo a ser realizado pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), da UFMG, que vai fazer um diagnóstico junto às escolas para identificar questões geradoras de violência e vulnerabilidade. Esse diagnóstico vai permitir a qualificação das ações — atuais e novas — para o estabelecimento de uma cultura da paz.

    Além disso, foi lançado em março deste ano o programa Polícia e Família, com foco na atuação policial preventiva no ambiente familiar. Estão sendo instaladas bases comunitárias móveis nos bairros e desenvolvida uma ação de mobilização da comunidade, estimulando a discussão e a solução prévia dos problemas sociais e a prevenção dos delitos que têm sua origem no ambiente familiar. Estão, ainda, em processo de compra, com recursos da Secretaria de Educação no valor de R$ 3 milhões, 95 viaturas que vão atuar no programa de Patrulha Escolar



    E QUEM AINDA ACREDITA NESSA GENTE! ESSE ENCONTRO COM O SINDICATO É PARA VEICULAR NA IMPRENSA QUE ESTE É UM GOVERNO QUE PRIMA PELO DIÁLOGO!
    MAS TODOS SABEMOS QUE ELE CHAMA PARA CONVERSAR, MAS AO FINAL PREVALECE-SE A DETERMINAÇÃO DELE, TUDO ISSO É SÓ PARA DAR UM AR DE DEMOCRACIA, SÓ UM AR! ESTÃO VENDO O ESTATUTO DO SERVIDOR, DESDE QUANDO O GOVERNO VAI ACATAR OPINIÃO DE SERVIDOR, TANTO QUE A IMPRENSA JÁ MOSTRANDO AS MUDANÇAS OPERADAS POR ELE!

    DIANTE DISSO, É OU NÃO É, CONVERSA PARA BOI DORMIR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAIS UM GOLPE! ACORDA COLEGAS DA ÚLTIMA VEZ , SINDINÚTIL , GOVERNO PERDEMOS TUDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. Realmente governo quer fazer bonito para a população alienada que nada sabe sobre o que acontece dentro da escola. Interessante é que o governo abtre discussão mas já faz tudo o que é reivindicado. Educação falida mesmo!!!

      Excluir
  100. "DAQUILO CASTRADO", AÉTICO E CACHOEIRA,

    ESTE TRIO AINDA VAI FAZER UM BARULHÃO NESTE BRASIL.

    ESTAMOS ANSIOSOS PARA VER O QUE VAI ACONTECER AQUI NAS GERAIS.

    SERÁ UMA HECATOMBE RETUMBANTE QUE IMPLODIRÁ A DINASTIA FARAÔNICA E LIBERTARÁ O POVO MINEIRO.

    ResponderExcluir
  101. Este não é HITLER da AMERICA? VAMOS JÁ À RUAS E EXIGIR SUA RENUNCIA e seus COMPARSAS DA ALMG. TEREMOS QUE TER UM "TIRADENTES" DOS TEMPOS MODERNOS.. FFFFFOOOOOORRRRRRRRAAAAAAAA ANAST(AZIA) E COMPARSAS. VAMOS DAR O TROCO NAS ELEIÇOES MUNICIPAIS e em breve ESTADUAL.

    ResponderExcluir
  102. PELO JEITO SÓ OS SOFRESSORES MINEIROS FICARÃO SEM O PISO!!!
    Governo do RS anuncia pagamento do piso nacional do magistério
    Professores da rede estadual receberão R$ 1.451 a partir da folha de abril.
    Acordo foi formalizado entre Piratini e Ministério Público Estadual.A principal reivindicação dos professores da rede pública do Rio Grande do Sul foi atendida. Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (26) no Palácio Piratini, sede do governo gaúcho, em Porto Alegre, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, anunciou que os professores da rede pública estadual receberão o valor do piso nacional do Magistério, de R$ 1.451. A medida foi adotada após acordo provisório formalizado entre o Piratini e o Ministério Público Estadual.
    O salário referente a abril já será reajustado, com a diferença deste mês a ser paga em folha suplementar em maio. O valor será pago aos profissionais da categoria que trabalham 40 horas semanais, e proporcionalmente aos que trabalham 20 horas semanais. "É um acordo em que ninguém perde e beneficiará mais de 20 mil professores", disse Pestana.
    O caráter provisório se deve ao fato de o Piratini não reconhecer o reajuste de 22,22% do índice pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Para o governo, o índice deve ser corrigido com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), cuja variação foi de 6,08%.
    "Não é uma discussão sobre o piso, mas sobre o reajuste. Não abrimos mão de que o reajuste se dê pela correção da inflação", disse Pestana à RBS TV após a coletiva. Também participou do evento o Procurador-Geral de Justiça do RS, Eduardo de Lima Veiga.
    Segundo o governo estadual, a parcela completiva não servirá como base de cálculo de vantagens temporais, gratificações e demais vantagens que incidam sobre o vencimento básico da carreira. Além disso, não repercute no escalonamento de classes e níveis do plano de carreira do magistério.
    Sindicato vê com ressalvas
    O Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS-Sindicato), que representa a categoria, vê com ressalvas o acordo entre o Piratini e o MPE. "Isso não é a implementação da Lei do Piso, é o básico do plano. O governo está descaracterizando a lei do piso, afirmando que é somente a remuneração máxima", disse ao G1 a presidente do sindicato, Rejane de Oliveira.
    Estado de greve
    O Ministério da Educação anunciou o reajuste de 22,22% do piso nacional no dia 27 de fevereiro deste ano. Em 2 de março, o Conselho Geral do Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS-Sindicato) decretou "estado de greve" – sem concretizar a paralisação – reivindicando o pagamento dos R$ 1.451. A entidade aderiu à paralisação nacional nos dias 14, 15 e 16 de março.
    No dia 20 de março, uma tumultuada sessão na Assembleia Legislativa em Porto Alegre concedeu 23,5% de reajuste salarial. Os deputados aprovaram uma parte do cronograma de reajustes que elevará o piso no estado para R$ 1.260 até novembro de 2014. A entidade representativa informou que aceitaria a correção, mas em parcela única.
    No dia 4 de abril, o CPERS-Sindicato decidiu manter o estado de greve. Uma nova assembleia geral da entidade está marcada para o dia 4 de maio, no Ginásio Gigantinho, em Porto Alegre.

    http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/04/governo-do-rs-anuncia-pagamento-do-piso-nacional-do-magisterio.html

    ResponderExcluir
  103. Euler vamos fazer um twitasso expondo os problemas de Minas. Todos os visitantes do blog divulgando que minas gerais está prejudicando os professores, não cumprindo a lei sugiro a Rashtag #MGforadaleidopiso ou #MGroubaprofessor. E aí oque vocÊ acha, se alcançarmos os TT nacional isso pode incomodar muito o governo acho que é uma forma de virar notícia nacional e até mundial. Tudo o que aparece nos TT é comentado por alguém. Temos que aumentar a pressão por todos os lados possiveis.

    ResponderExcluir
  104. No jornal ESTRAGO DE MINAS,o grande jornal dos banheiros públicos mineiros dia 25/04 tinha uma notícia que o governador quer com a reforma, EXTINGUIR a lei que fala do afastamento preliminar da aposentadoria aos 25 anos de serviço e 48 anos de idade e ainda institui o SUBSÍDIO. E já está recebendo " sugestões" de TODA a população mineira. E agora, o que o sindinútil que esteve passeando esse tempo todo vai fazer? Só estou vendo professor reclamando dele. E de falar em imprensa MAFIOSA a GROBO e você nada a ver, está ameaçando a DILMA de retaliação se a CPI mista for investigar o envolvimento dos jornaliras dela com o CARLINHOS CACHOEIRA. Eu não sei ao certo, mas pelo que eu entendi, a FÁTIMA BERNADES perdeu o lugar no jonal nacional para a repórter que é envolvida lá no esquema, de junto com os mineiros never e cia, de eleger cachoeira governador de Goiás. A márfia brasileira ta mais forte que a gamorra porque ela infiltrou em todas as áreas dos 3 poderes e da imprensa mafiosa como o estrago de minas, veja e um jornal de são paulo parece que é a folha. Não sei ao certo pq sou aluno ainda, mas um dia com o PISO serei professor, mas não professor de mafioso como o cachoeira chama aócio never não. Professor de verdade. Vou ser professor de História para ensinar isso q to vendo aqui no Brasil. Até logo.

    ResponderExcluir
  105. Só pra falar que, segundo o ESTRAGO DE MINAS dia 25/04 a lei que vai acabar com a aposentadoria da regra de transição COSNSTITUCIONAL não está tramitando no congresso nada, é na reforma da TIA NANÁ no site dos professores com o governo. Aluno mineiro envergonhado com a máfia aócim/cachoeira.

    ResponderExcluir
  106. O governo de Minas abre espaço para negociações com o sindute. Temos certeza que vem por aí mais prejuízos pra nós professores. O que precisamos é de salário digno e de melhores condições de trabalho nas escolas, como por exemplo, resolver a indisciplina e violência por parte dos alunos contra funcionários e professores nas escolas. É triste, mas podemos dizer com TODA CERTEZA E CERTEZA ABSOLUTA que seremos prejudicados mais uma vez, pois o governo não negocia com ninguém e no final das contas tudo é feito como ele quer e pronto. Espero que o sindute não fique apenas focado nas questões salariais e funcionais ( que de fato são importantes mesmo ) mas foque também na questão da violência e indisciplina enfrentada hoje em dia pelos funcionários em geral das escolas, exigindo do estado leis e ações para resolver este problema sério que não é apenas de Minas mas de todo o Brasil. Eu espero que desta vez o sindute seja mais esperto e torne público todas as promessas do governo para depois ficar mais fácil mostrar para a sociedade que ele enganou e fez tudo o contrário do que prometeu em suas promessas. Quando se negocia com gente de má fé temos que tomar todos os cuidados possíveis, sindute fique esperto, publique todas as promessas, coloque em outdors, panfletos enfim, vamos fazê-los ficar sem jeito e cumprir o que prometerem.

    ResponderExcluir
  107. A SITUAÇÃO É TÃO GRAVE NAS ESCOLAS PÚBLICAS QUE ESTAMOS PERDENDO OS BONS PROFISSIONAIS PARA OUTRAS ÁREAS COM PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO E VALORIZAÇÃO, OS BONS ALUNOS NÃO ESTÃO INTERESSANDO PELO MAGISTÉRIO O QUE ESTÁ ABRINDO ESPAÇO PARA PROFISSIONAIS SEM NENHUMA CAPACIDADE PARA EXERCÍCIO DA FUNÇÃO. NA MINHA ESCOLA A SITUAÇÃO É CRÍTICA RESTAM POUCOS BONS PROFISSIONAIS. O DESCRÉDITO, O DESESTÍMULO,É TOTAL. COM ESSE GOVERNO NÃO HÁ PERSPECTIVA NENHUMA DE MELHORIA. A REFORMULAÇÃO DO ESTATUTO DO SERVIDOR JÁ ESTÁ PRONTO, NÃO CRIEM EXPECTATIVA POIS O PACOTÃO SÓ FALTA A SUA OFICIALIZAÇÃO, BESTAS SÃO AQUELES QUE AINDA TEM CORAGEM DE ENVIAR SUGESTÕES PARA O QUE JÁ ESTÁ PRONTO, FALTANDO SÓ A PUBLICAÇÃO. O OBJETIVO É MASSACRAR O PROFESSOR, É DENEGRIR A SUA IMAGEM. O MAGISTÉRIO É UMA CARREIRA FALIDA EM MINAS. SOMENTE PARA QUEM REALMENTE NÃO TEM OPORTUNIDADE DE FAZER OUTRA COISA.
    SE EU PUDESSE AFASTAR COM MEUS 25 ANOS DE EFETIVO EXERCÍCIO E 50 ANOS DE IDADE JÁ TERIA AFASTADO A MUITO TEMPO. NÃO ACREDITO MAIS NESTA COISA CHAMADA DE EDUCAÇÃO QUE ESTÁ AÍ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. A falência é total!

      Excluir
  108. ACORDEM COM UM BARULHO DESSE:

    Marcel Beghini ‏ @marcelbeghini

    · Abrir

    Parabéns ao @rogeriodaforca, eleito secretario-geral do PSDB Sindical Nacional! :)
    Gracieusa Brito Gracieusa Brito ‏ @GracieusaBrito

    Fechar

    @marcelbeghini @rogeriodaforca PSDB SINDICAL ... FAZ - ME RIR... QUEREM ENGANAR A QUEM ? PSDB SINDICAL É PIADA NACIONAL!
    Esconder conversa
    12:06 - 27 Abr 12 via web · Detalhes

    Responder
    Excluir
    Favorito

    Marcel Beghini Marcel Beghini ‏ @marcelbeghini

    Fechar

    Em tempo: senador @AecioNeves a caminho para prestigiar o PSDB Sindical! :)
    12:06 - 27 Abr 12 via TweetDeck · Detalhes

    Responder
    Retweetar
    Favorito

    ResponderExcluir
  109. SOMENTE O SINDUTE NÃO GANHA UMA AÇÃO. A SITUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO EM MINAS É TÃO GRAVE E NO ENTANTANTO, NÃO HÁ UM CONFRONTO OU DISPUITA NOS TRIBUNAIS ENTRE O SINDUTE E O GOVERNO.
    GOSTARIA DE SABER QUAIS AS AÇÕES DO SINDIUTE QUE ESTÃO NO STF AGUARDANDO PARECER SOBRE O PISO OU ...
    QUEM SOUBER MANDE INFORMAÇÕES.

    ResponderExcluir
  110. AGORA ACABA O RESTANTE DOS PROFESSORES MAL PAGOS DOS ESTADOS, QUEM FOR JOVEM QUE MUDE RÁPIDO:
    MEC cria 70 mil cargos
    Imagem Interna

    Em clima de vitória a deputada federal Fátima Bezerra (PT) comemora a aprovação nesta quinta-feira (26), do Projeto de Lei N° 2.134/11 de iniciativa do Poder Executiva que cria cargos efetivos, cargos de direção e funções gratificadas no Ministério da Educação, destinados às Instituições Federais de Ensino. Estima-se a criação de mais de 70 mil novos cargos, o que garante o processo de expansão do ensino profissional e superior no Brasil.
    A deputada Fátima considera a aprovação como uma vitória da educação. “Venho acompanhando essa luta e atesto que a aprovação do PL 2.134/11 é uma grande conquista para a melhoria da qualidade da educação do Brasil.

    Fátima reforça a importância da criação dos mais de 70 mil cargos. “É fundamental para garantir o processo de expansão da educação profissional e o ensino superior. Para isso, serão realizados concursos para professor e servidor”.

    O PL N° 2.134/11 tem por objetivo criar 19.569 cargos de Professor de 3° Grau, 24.306 cargos de Professor do Ensino Básico, 27.714 cargos técnico-administrativos e 5.589 cargos de direção e funções gratificadas, para atender os programas como PRONATEC, REUNI e o BPEq.

    O PL, que teve como relator na CCJ o deputado Vicente Cândido (PT/SP), segue agora para votação no Senado.

    http://portal.fatimabezerra.com.br/site2011/noticias.php?id=3027

    ResponderExcluir
  111. COLEGA DAS 06:30
    "* Demandas já atendidas ou sob avaliação da Justiça.

    Em relação às demandas atendidas, por exemplo, encontra-se o cumprimento da Lei do Piso Nacional da Educação para o Magistério. Em Minas Gerais, o valor do piso já é pago desde a adoção do modelo unificado de remuneração. Adotado o princípio da proporcionalidade (Parágrafo 3º), o que é assegurado pela Lei 11.738, de 16 de julho de 2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público, o valor calculado para uma jornada de 24 horas seria, em Minas Gerais, de R$ 870,60. Como a remuneração inicial para o magistério na rede estadual é, desde este mês, de R$ 1.386,00, o valor instituído pelo modelo unificado de remuneração em Minas Gerais continua superior ao piso nacional. Este é 59,2% superior ao piso nacional que, com o aumento anunciado pelo MEC em fevereiro deste ano, passou para R$ 1.451,00 para uma jornada de 40 horas semanais."
    O QUE ELES ESQUECEM QUE ISSE VALOR AÍ É PARA PROFESSOR COM FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM NÍVEL DE SEGUNDO GRAU E QUE TODOS NÓS, PRATICAMENTE, TEMOS CURSO SUPERIOR. ALÉM DO MAIS É NA NOSSA CARREIRA QUE ELES DESTRUIRAM.
    VEJA A SALVAÇÃO PARA OS PROFESSORES MAIS JOVENS, PENA QUE EU JÁ ESTOU APOSENTANDO:
    http://portal.fatimabezerra.com.br/site2011/noticias.php?id=3027

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que você já está aposentando? Eu diria que você tem a maior sorte do mundo. Eu tenho 7 anos de estado e nem quero pensar o quanto mais tenho que ficar nessas FEBEM'S disfarçadas de escolas.

      Excluir
  112. Publicado no site do governo:

    Governo de Minas abre rodada de negociações com Sindicato dos Trabalhadores da Educação

    Reunião inaugura agenda de encontros para discutir pauta de reivindicações apresentada pela entidade, que conta com mais de 60 itens

    Em reunião na tarde dessa quinta-feira (26/04), na Cidade Administrativa, oGoverno de Minas recebeu comissão do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG). O encontro, iniciado às 16h e encerrado às 18h, é o primeiro de uma série de reuniões a serem realizadas por sugestão do Governo de Minas para iniciar o período de negociações da pauta de reivindicações apresentada pela entidade.

    De acordo com os representantes do Governo, o primeiro encontro foi importante para ouvir dos representantes do Sind-UTE/MG esclarecimentos sobre a pauta. O documento conta com 64 itens e traz temas diversificados.

    Pelo Governo de Minas, participaram o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, Antônio Musa de Noronha, e o assessor para Relações Institucionais, Felipe Estábile Moraes — ambos da Secretaria de Educação — e a subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Fernanda Siqueira Neves e a superintendente Central de Políticas de Recursos Humanos, Maria Isabel Rolla França, também da Seplag. Pelo Sind-UTE/MG, compareceram a coordenadora Beatriz Cerqueira, e as integrantes da Comissão de Negociação, Marilda Araújo, Feliciana Saldanha e Lecioni Pereira.
    Para os representantes do Governo, é consenso a importância da abertura de um espaço de diálogo permanente com as entidades sindicais, fórum este dedicado ao debate e à conversa franca, elementos que serão capazes de atender, de forma mais justa, os atores sociais envolvidos.

    Pauta extensa

    A pauta apresentada pelo SindUTE-MG conta com 64 itens. São 14 temas relacionados ao item “Salário e Carreira”; 15 em relação ao tema “IPSEMG (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais) e Previdência”; 11 relacionados aos temas “Gestão das Escolas e do Sistema e Vínculo Funcional”; 12 sobre “Qualidade da Educação”; seis demandas específicas sobre “Servidores das Superintendências Regionais de Ensino”; e seis outras demandas gerais.

    Ainda que a pauta conte com mais de 60 itens, os representantes do Governo de Minas fizeram o agrupamento das reivindicações em três grandes eixos:

    * Demandas relativas ao conjunto dos servidores públicos: serão tratadas em um fórum ampliado, com a presença de todas as entidades sindicais competentes;

    * Demandas específicas da Educação: serão analisadas e tratadas ao longo do processo de negociação, a partir de uma agenda de diálogo e construção coletiva. Exemplos dessas demandas são as férias-prêmio e o posicionamento de servidores; e

    * Demandas já atendidas ou sob avaliação da Justiça.

    Em relação às demandas atendidas, por exemplo, encontra-se o cumprimento da Lei do Piso Nacional da Educação para o Magistério. Em Minas Gerais, o valor do piso já é pago desde a adoção do modelo unificado de remuneração. Adotado o princípio da proporcionalidade (Parágrafo 3º), o que é assegurado pela Lei 11.738, de 16 de julho de 2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público, o valor calculado para uma jornada de 24 horas seria, em Minas Gerais, de R$ 870,60. Como a remuneração inicial para o magistério na rede estadual é, desde este mês, de R$ 1.386,00, o valor instituído pelo modelo unificado de remuneração em Minas Gerais continua superior ao piso nacional. Este é 59,2% superior ao piso nacional que, com o aumento anunciado pelo MEC em fevereiro deste ano, passou para R$ 1.451,00 para uma jornada de 40 horas semanais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que o governo paga o piso depois de ter confiscado a metade do tempo de cada professor.Eu tenho trinta anos e ele me pagou referente a dezoito anos e outras colegas reclamam que foram prejudicados em 10,12, 14...anos.
      É tanta lorota!

      Excluir
    2. Se eu ganhasse de piso 870 reais, no mínimo estaria recebendo quase 2500 e no entanto não recebo nem 1700.Tenho 4 anos de dobra,afastada para aposentar(êta negócio demorado,sô)e no entanto recebendo esta salário.

      Excluir
  113. Cuidado Beatriz e todos vocês do sindicato. O governo na verdade está abrindo este espaço de negociações para tirar a atenção de todos os professores e do próprio sindicato para que o governo possa fazer sua campanha política a favor dos candidatos a prefeito de seu partido.
    Porque ele sabe que nós professores e o próprio sindicato vamos pegar pesado contra os candidatos que são do psdb e dos deputados inimigos da educacão. O governo tem a seguinte ideia: Enquanto eu finjo que negocio com eles, vou empurrando as negociações durante todo o período eleitoral e assim eles me dão sossego para eu apoiar e eleger os candidatos que eu quero para as prefeituras. Vamos ficar espertos, continuemos a negociar com o governo e ao mesmo tempo vamos nestas eleições pegar pesado contra os candidatos do psdb e os 51 inimigos da educação. Vocês não acham muito engraçado o governo começar uma negociação exatamente nas vésperas do início da campanha eleitoral para as prefeituras? kkk na verdade o governo quer desviar a atenção dos professores e do próprio sindicato pra ter sossego para eleger os seus candidatos, mas vamos ficar espertos. Já estamos vacinados contra este mal.

    ResponderExcluir
  114. Aluno critica prova do governo aplicada na escola nesta semana.
    Prova para o nono ano a nível de sexto ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O aluno tira uma nota alta e o governo divulga como qualidade de ensino! Ensino falido aqui em Minas!!!

      Excluir
    2. É claro que o aluno tira notas boas com estas provas para bebê fazer.Até os alunos já estão criticando as imbecilidades das provas.
      Quem as formula ,teria primeiro que fazer uma reciclagem.É uma vergonha!

      Excluir
  115. GOVERNO NÃO TEVE RESPOSTAS

    Ao final da reunião realizada com o governo estadual nessa quinta-feira (26/04), o Sind-UTE/MG avaliou que não houve retornos práticos para a categoria, apenas encaminhamentos para novas reuniões.

    Prezados colegas, em especial os combativos de Carangola-MG, vejam que essas reuniões terão o mesmo fim que aqueles encontros do ano passado que resultaram do fim da greve: nada.

    Distrito Federal e Bahia estão em greve. A pequena vantagem que as professoras com 25 anos de carreira em sala possuíam foi retirada. Por que tanto sadismo contra os professores? Porque incomodamos. No entanto para chegarmos à vitória temos que incomodar ainda mais.

    Bons professores já pediram demissão porque um salário líquido de 1.000,00 você consegue vendendo produtos. Não há necessidade do enfrentamento com violência e desmandos, pois até mesmo os antidepressivos estão muito caros e não podemos pagar.

    Enfim, a qualidade deve piorar muito mais. Este seria um passo importante. Fora isto ainda penso em outras alternativas. Camisetas conscientizadoras é interessante. Amarramo-nos no meio da praça e não ocorreu nada. Estou pensando aqui. Vejo que o caminho para quem resiste à trabalhar nos "depósitos de gente" chamadas de escolas é lecionar com o mesmo compromisso que o governo do Estado tem em nos respeitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um tal de empurrar reunião.sempree foi assim, fica pra depois.

      Excluir
    2. Penso que podemos atuar em várias frentes, fingir que trabalhamos seria uma delas .

      Excluir
  116. EULER, VC FOI CITADO NO TWITTER HOJE.

    beatriz amorim ‏ @biacall8

    Responder
    Retweetado
    Favorito
    · Abrir

    @GModaro @STF_oficial O blog do Euler aglutina professores de todo o estado, deviam se juntar p pressionar o STF com dia e hora p twitaços

    ResponderExcluir
  117. Ney Carvalho

    TENDÊNCIAS/DEBATES

    Carta aberta a Aécio Neves

    Senador, que prazer ver o senhor e o PSDB defendendo as privatizações. Mas por que vocês não vendem logo Cemig, Sabesp e Sanepar também?

    Prezado senador Aécio,

    Foi com prazer que li o seu artigo "Coragem", publicado nesta Folha no dia 23 de abril. Ele traz merecidos elogios à privatização das telecomunicações no governo FHC.

    Percebo que o senhor, assim como os seus colegas tucanos, animou-se ao ver os adversários petistas aderirem a métodos de gestão que antes combatiam.

    Entretanto, o senhor e os outros tucanos devem à opinião pública uma descida do largo muro ideológico em que se abrigam. Vocês são, afinal, a favor de maior privatização na economia brasileira ou não?

    Se as "restrições ideológicas à privatização são, hoje, página virada na história do país", por que os governadores tucanos resistem em privatizar as empresas estatais de Minas Gerais, São Paulo e Paraná?

    Veja que coincidência: seus companheiros Antônio Anastasia, Geraldo Alckmin e Beto Richa controlam as maiores companhias estatais estaduais de capital aberto do país.

    Minas tem a Cemig (energia elétrica) e a Copasa (saneamento), duas megacompanhias. Alckmin comanda as análogas Cesp e a Sabesp, ambas com patrimônio líquido de cerca de R$ 10 bilhões. Nos mesmos setores, Richa tem a Copel e a Sanepar.

    Essas seis empresas são negócios maduros, consolidados, adultos, que não mais demandam a proteção de ventre, os cuidados maternos.

    Onde está "a coragem para fazer o que precisa ser feito", alegada pelo senhor no seu texto?

    Tais empresas já têm ações negociadas em Bolsa. Mas existem profundas incompatibilidades na existência de companhias ao mesmo tempo estatais e com capital aberto.

    Empresas privadas têm como objetivo maximizar os lucros de seus acionistas. O alvo maior de companhias públicas é exercer metas governamentais. Isso cria incongruências. Há exemplos bem atuais disso.

    A Petrobras é um. Importa derivados a preços mais caros do que os revende no país. Outro exemplo: bancos públicos usados para forçar a baixa dos "spreads". Essas atitudes obedecem a políticas de governo, não ao interesse dos acionistas.

    Mas não se preocupe, senador. O saneamento dos lares não ficaria à mercê de ganhos exagerados. Uma sólida regulação cuidaria do tema.

    Não esqueça também que a busca do lucro e a competição são as molas da eficiência, como se verifica no setor de telecomunicações, tão bem enfatizada pelo senhor.

    Senador, está mais do que na hora de o PSDB oferecer ao Brasil um segundo salto de modernização da economia, tanto quanto fez com as privatizações dos anos 1990.

    E veja o senhor que, naquela época, por causa da fraqueza do mercado de ações brasileiro, não foi possível dispersar o capital das empresas privatizadas. O mesmo não se pode dizer dos dias de hoje. A Bolsa está pujante como, o senhor me perdoe a citação, "nunca antes na história deste país".

    (Continua...)

    ResponderExcluir
  118. (continua...)

    Os sucessos alcançados nos 1990 com a siderurgia, os bancos estaduais, a Vale e as telecomunicações podem ser multiplicados, alterando visceralmente a feição do saneamento básico no país pela criação de megaempresas nacionais de capital aberto, competitivas e não monopolistas.

    Basta que o senhor e os seus colegas governadores do PSDB transformem as poderosas estatais que comandam em autênticas "corporations", vendendo-as ao público investidor. O controle pode ser difuso, como é o da Embraer.

    Por sua influência e posição, senador, o senhor deveria liderar naturalmente tal processo.

    NEY CARVALHO, 71, historiador, é autor de "A Guerra das Privatizações" (Editora de Cultura) e de "O Encilhamento: Anatomia de uma Bolha Brasileira" (CNB/Bovespa)

    Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. debates@uol.com.br

    Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/39485-carta-aberta-a-aecio-neves.shtml Acessado em 27 de abril de 2012.

    EDUCADORA MINEIRA

    ResponderExcluir
  119. ''As Derramas dos educadores mineiros: sem piso, sem carreira e sem reajuste de 22%'' ... sem vergonha, sem dignidade, sem raciocínio, sem revolução...

    "Um motorista do Senado ganha mais para dirigir um automóvel do que um oficial da Marinha para pilotar uma fragata!
    Um ascensorista da Câmara Federal ganha mais para servir os elevadores da casa do que um oficial da Força Aérea que pilota um Mirage.
    Um diretor que é responsável pela garagem do Senado ganha mais que um oficial-general do Exército, que comanda uma Região Militar ou uma grande fração do Exército.
    Um diretor sem diretoria do Senado, cujo título é só para justificar o salário, ganha o dobro do que ganha um professor universitário federal concursado, com mestrado, doutorado e prestígio internacional.
    Um assessor de 3º nível de um deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um "aspone" ou um mero estafeta de correspondências, ganha mais que um cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo buscando curas e vacinas para salvar vidas.
    O SUS paga a um médico, por uma cirurgia cardíaca com abertura de peito, a importância de R$ 70,00, equivalente ao que uma diarista cobra para fazer a faxina num apartamento
    de dois quartos.
    [Um professor de escola pública com pós-graduação e próximo à aposentadoria, ganha o mesmo que um motorista de caminhão, com educação básica incompleta. Meu vizinho, ganha R$ 1 400,00 entregando cerveja em seu caminhão.]
    Precisamos urgentemente de um choque de moralidade nos 3 Poderes da União, estados e municípios, acabando com os oportunismos e cabides de emprego.
    Os resultados não justificam o atual número de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores.
    ''O país do futuro'' jamais chegará a ele sem que haja responsabilidade social e com os gastos públicos."
    (recebido por e-mail)
    Vamos deflagrar a campanha CHOQUE DE MORALIDADE JÁ !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. APOIADO, O QUE VAMOS FAZER ENTÃO???

      Excluir
  120. AnônimoApr 27, 2012 12:35 PM
    Publicado no site do governo:

    "Governo de Minas abre rodada de negociações com Sindicato dos Trabalhadores da Educação

    Reunião inaugura agenda de encontros para discutir pauta de reivindicações apresentada pela entidade, que conta com mais de 60 itens"


    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sind INÚTIL, será usado mais uma vez por este governozinho.

      Que humilhação, que tristeza, que falta de caráter...

      "Pobre" Sind INÚTIL.


      O PAGTO DO PISO É INEVITÁVEL, SÓ FALTAM TRAZER "ZÉ CARIOCA" PARA FAZER ESTE MILAGRE.

      QUEREMOS O PAGTO DO PISO DENTRO DA CARREIRA E COM OS REAJUSTE PREVISTOS PELA LEI.

      SIMPLES ASSIM.

      SOMOS PROFESSORES DIGNOS, DE CABEÇAS ERGUIDAS, NÃO VAMOS HUMILHAR PARA ESTES PORCOS IMUNDOS.

      REIVINDICAMOS SOMENTE OS NOSSOS DIREITOS.

      Excluir
    2. Ui, ui. Esta história eu já sei o final.

      Excluir
  121. Meu Deus! como pude ser tão idiota?
    Eu tenho 53 anos de idade e 25 anos de exercício. Meu 5° quinquênio foi publicado, e a escola encaminhou meu pedido de afastamento da regência. E eu, pensando nos alunos, disse na Secretaria que pedia que fosse a partir de 1° de agosto, pois uma mudança abrupta de professor, sem dúvida que atrapalharia o aprendizado, ainda mais em História. Vejam o ferro que eu vou levar. Em primeiro de agosto, talvez a lei já esteja sancionada, e eu sem o direito. Fui pensar nos alunos e me dei mal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volte lá, meu filho, e saia logo... hoje se possivel...

      Excluir
  122. Atenção professores!
    Para ser nomeado para algum cargo no governo de Minas basta dizer pro cachoeira,( minúsculo mesmo) que vai dizer pro demóstenes, que vai dizer pro aécio,que vai dizer pro anastasia que você precisa porque perdeu a mãe.
    Simples assim!
    Salário:( mínimo 10 mil)

    ResponderExcluir
  123. Este blog está sobrevivendo de comentários.
    Até nossa vitória companheiros! No reino dos céus.
    Só se for.

    ResponderExcluir
  124. Vamos comentar:

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=202117,OTE&IdCanal=

    ResponderExcluir
  125. PELO AMOR DE DEUS PESSOAL VAMOS FICAR ACORDADOS E BEM ATENTOS COM ESTA RODADA DO GOVERNO QUE FOI NA CALADA QUE ELE INSTITUIU O SUBSIDIO E NÓS PERMITIMOS PORQUE NÃO REAGIMOS. ESPERO QUE DESTA VEZ A GENTE SE UNA MAIS

    ResponderExcluir
  126. Vergonha! O governo de Minas só cumpre realmente as leis que lhe interessa.

    Governo manobra para não investir em saúde e educação

    http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=202117,OTE

    ResponderExcluir
  127. ACORDO

    Governo manobra para não investir em saúde e educação
    Ajustamento de Gestão estabelece escalonamento das aplicações até 2014

    Publicado no Jornal OTEMPO em 28/04/2012



    ISABELLA LACERDA

    A
    A
    FOTO: PEDRO SILVEIRA - 3.12.2008
    Ajuste. Governo Anastasia foi beneficiado pelo relator Mauri Torres, mais recente conselheiro eleito
    O governo de Minas não pretende cumprir os índices mínimos constitucionais, de 25% da receita corrente líquida aplicados na educação e de 12% na saúde, até 2014. A aplicação da receita abaixo do mínimo determinado pela Constituição Federal recebeu aval do Tribunal de Contas do Estado (TCE) na última quarta-feira, por meio de Termo de Ajustamento de Gestão (TAG).

    De acordo com o termo, proposto pelo o governo estadual e aprovado pelo TCE, a administração estadual vai cumprir metas escalonadas das receitas até conseguir alcançar o mínimo exigido pela Constituição, o que só deve acontecer em 2014.

    Na saúde, os índices de investimento serão de 9,68% da receita neste ano, 10,84% no ano que vem e, finalmente, os 12% exigidos por lei em 2014. Na área da educação, os índices ajustados são 22,82% para 2012, 23,91% para 2013 e 25% apenas daqui a dois anos.

    Para o professor e especialista em direito constitucional e administrativo da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas) Fernando Horta Tavares, o acordo entre o Executivo mineiro e o TCE é irregular e, claramente, fere a Constituição.

    "Estamos tratando de duas questões que mexem diretamente com a população mineira, que são a educação e a saúde, garantias básicas do Estado. Ao permitir que o governo espere até 2014 para cumprir com o que define a Constituição, o tribunal está infringindo uma lei", afirmou.

    Como define a Constituição Federal em seu artigo 22, assim como a Lei de Responsabilidade Fiscal, Estados devem aplicar, no mínimo, "25% da receita resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino".

    Os investimentos em saúde são regulamentados pela Emenda 29 da Lei Complementar 141, de 16 de janeiro de 2012. Segundo a legislação, "Estados e o Distrito Federal aplicarão, anualmente, em ações e serviços públicos de saúde, no mínimo, 12% da arrecadação dos impostos".

    Para Tavares, o TAG seria "uma forma do governo empurrar com a barriga uma ordem constitucional que já não vem sendo cumprida há muitos anos pelos Estados". "Vejo que, mais uma vez, o Estado está arrumando um mecanismo de não cumprir a legislação, ainda mais com o aval de um tribunal fiscalizador", completou o advogado.

    Parecer. No entendimento do TCE, no entanto, não há irregularidades no acordo. Aprovado por unanimidade, todos os conselheiros do órgão seguiram o relator Mauri Torres que, em seu parecer, afirmou que, como o TAG foi criado para que o tribunal possa ajustar "medidas para sanar irregularidades e suspender a punição nos casos em que não foi comprovada a má-fé e em que não houve desvio de recursos públicos", é correto haver uma adequação por meio de uma tabela de progressão.
    [...}

    ResponderExcluir
  128. [...]

    CONTROLE
    Investigação. Segundo especialista em direito constitucional da PUC Minas, Fernando Mota Tavares, é importante que o Ministério Público Estadual (MPMG) apure o acordo feito entre o Tribunal de Contas d governo do Estado. O órgão tem poder para suspender o acordo no caso de alguma irregularidade.


    Resposta

    Objetivo é conseguir cumprir a lei

    ]O governo de Minas informou, por meio de nota, que propôs ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) o Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com o objetivo de cumprir as novas exigências determinadas pela regulamentação da Emenda 29 – sancionada em janeiro pela presidente Dilma Rousseff.

    Outro objetivo seria atender recomendação do próprio tribunal "que determinou que o governo, a partir deste ano, desconsidere, para efeito da aplicação do percentual mínimo na educação, o pagamento dos aposentados".

    Ainda segundo a nota, para o cumprimento do TAG foi necessário estabelecer uma programação até 2014 em função do fluxo de caixa do tesouro estadual. "O governo espera, entretanto, antecipar o cumprimento deste cronograma com as receitas que virão da cobrança da taxa de fiscalização minerária, que entrou em vigor este ano", garantiu. (IL)

    O que é
    TAG evita multa e penalidade
    A autorização para que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) realize Termos de Ajustamento de Gestão (TAG) é uma novidade. A ferramenta administrativa foi criada em projeto aprovado pela Assembleia Legislativa de Minas e sancionado em fevereiro deste ano pelo governador Antonio Anastasia. O intuito é buscar uma solução para irregularidades praticadas por gestores sem que seja necessária a aplicação de multas e penas restritivas, como a reprovação das contas do Estado.

    O TAG é semelhante ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), normalmente assinado entre os ministérios públicos, os executivos e legislativos e a sociedade civil. O objetivo é o mesmo: regulamentar uma situação sem que haja a necessidade de haver uma briga judicial. "Esses termos são positivos porque eles evitam brigas judiciais que ficam por anos sendo julgados", afirma o advogado Fernando Mota Tavares.

    A diferença entre o TAC e o TAG está apenas na finalidade do acordo. O TAC é destinado a regulamentação de condutas seja do poder público ou da iniciativa privada. Já o TAG tem por objetivo tratar de questões gerenciais da administração pública. Por isso, ele é selado pelos tribunais de contas, órgão a quem compete aprovar ou reprovar as finanças públicas.

    No caso do TAG de Minas, o TCE garante o cumprimento do acordo com fiscalizações recorrentes na destinação das receitas. Segundo a assessoria do órgão, o acompanhamento será feito pelo conselheiro Mauri Torres, que poderá solicitar informações e determinar diligências. (IL)

    Disponível em: http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=202117,OTE Acessado em 28 de abril de 2012.

    ResponderExcluir
  129. "Este blog está sobrevivendo de comentários."

    Anônimo, estamos aguardando o seu texto afim de que possamos enriquecê-lo com os nossos comentários, também! Dê sua contribuição, afinal este espaço é de todos nós. O dono do blog não boicota, então exponha suas ideias, afinal é sempre bom saber o que os companheiros pensam, aliás a matéria do Jornal O Tempo é um bom tema para você discutir.
    Aguardamos sua contribuição! Sucessos na escrita.
    Um abraço!

    P.S.: Só para não ESQUECER, ai de nós se não fosse esse blog!

    ResponderExcluir
  130. Efetivado formei em 2007
    Veja a situação
    Subsidio---1128,00
    Descontos
    Ipsemg----36,12
    Ipsemg Depen.---36,12
    Cont. Prev. Art.28 124,15
    Total descontos---196.39
    Líquido a receber—931,61

    Despesas
    Prestação Casa própria---211,50
    Conta de Luz --------58,00
    Água ------------------18,00
    Man. Aparelho ortodôntico—100,00
    Internet------49.90
    Transporte--- 195,00
    Feira --- 380,00 ( sem carne e leite )
    Total--- 1012,40
    Mais tinta para impressão de provas 40,00
    TEM QUE MUDAR NOSSA SITUAÇÃO.
    A LEI 100 ESTÁ SENDO PUNITIVA.

    ResponderExcluir
  131. Pois é pessoal isso esta mídia tosca aqui de Minas não vê não! Mas usar os microfones das emissoras contra a forma de educar e orientar os jovens dentro das escolas como se fossem os mais entendidos fazem. Que nojo, que raiva daquele jornalistazinho da Record Minas o tal Carlos Viana naquela questão da jovem que impôs sua entrada na escola naqueles trajes. Queria ver se fosse aquele palhaço indo fazer a apresentação do seu jornaleco com bermudas se iria entrar na emissora. Aquele palhaço não entende que nós assim como aquela escola educamos para a vida, aquilo não se tratava apenas de uma exigência da escola, era questão de postura da aluna, de bom senso em respeitar regras. Mas entendo porque aquele idiota tomou a defesa da aluna, é esse tipo de pessoas que eles querem na sociedade, dando escândalos, sem regras e sem limites, fazendo barracos e dando shows, porque assim o "emprego", deles está garantido, uma vez que vivem das mazelas sociais. Acho que deveríamos enchera Rede Record de mensagens de repúdio, a atitude daquele bestalhão. Vamos lá pessoal, não vamos permitir mas esta invasão em nossas escolas e salas de aula. vamos metralhar a Record, assim como fizemos com Débora. Aproveita para pedir para fazermos o mesmo com Anastasista, que agora paga para ele mesmo falar do seu desgoverno. CHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEGA!!!!

    ResponderExcluir
  132. BOA TARDE! GOSTARIA DE ME INFORMAR SOBRE O RESULTADO DO CONCURSO DA SEE MG PEB...NÃO VAMOS TOMAR POSSE EM JANEIRO? NÃO ENTENDI PORQUE SÓ O CARGO DE PEB TEVE PROBLEMA COM A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS...ALGUÉM TEM ALGUMA INFORMAÇÃO?

    OBRIGADA.

    ResponderExcluir