quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Anastasia já admite reajuste salarial para este ano


Após a repercussão negativa provocada pela declaração da secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, segundo a qual, apesar do crescente aumento de receitas, não haveria reajuste para os servidores este ano (2011), o governador Anastasia entrou em campo com nova declaração. Disse que pode haver reajuste sim, desde que os índices com os gastos com o pessoal não ultrapassem a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). E considerando a previsão de aumento da receita de Minas é possível sim que haja revisão dos salários ainda este ano. Além disso, o governador prometeu encaminhar para a ALMG, ainda no primeiro semestre, projeto de lei que prevê reajuste anual para os servidores de Minas. Isto é bem-vindo, sobretudo se o tal projeto não vier acompanhado de um tal número de amarras e obstáculos que o inviabilize na prática.

O nosso blog tem defendido a retirada da folha do pessoal da Educação da tal LRF, o que seria bom tanto para os educadores, quanto para as demais carreiras do estado, que teriam (teríamos) uma margem maior para reivindicar reajustes, sem o entrave constitucional imposto pela famigerada lei de irresponsabilidade fiscal. Na prática, esta lei só impede mesmo os reajustes aos servidores, já que não coibe práticas as mais variadas de desvios de verbas, manutenção de privilégios e superfaturamentos praticados por vários governos das três esferas da federação - municipal, estadual e federal.

Mas, considerando que o atual governo mineiro está no início do mandato, e levando em conta as entrevistas que tem dado em favor de mudanças de rumos, será que podemos prever uma era de recuperação das enormes perdas impostas aos servidores nos oito anos de governo Aécio-Anastasia? A conferir. Longe deste blog querer semear ilusões. Pelo menos nas entrevistas, ao contrário do seu antecessor, o atual governador tem falado na necessidade de reajustar os salários dos professores e manter uma política de revisão salarial permanente para os servidores do estado.

A lei do subsído aprovada em 2010 - lei 18.975/2010 - que criou novas tabelas salariais para os servidores da Educação de Minas, já está em vigor e o primeiro pagamento será no quinto dia útil de fevereiro, referente ao salário de janeiro de 2011. A lei implantou um novo teto salarial para os professores, passando dos atuais R$ 935,00 para R$ 1.320,00, o que representa um reajuste em torno de 41% - muito aquém do que merecemos, é claro. Tanto o reajuste quanto o período de implantação (janeiro de 2011) foram resultado da luta dos educadores mineiros, na maravilhosa greve de 47 dias ocorrida em 2010, embora o governo não tenha atendido as principais reivindicações do sindicato, como o piso integral de R$ 1.312,00. Além disso, o governo mineiro confiscou parte dos direitos históricos dos educadores. Um dos principais confiscos da nova lei, além do fim dos quinquênios e biênios para uma parcela da categoria que optar pelo novo plano (a outra parcela já havia tido este corte em 2003), foi o novo posicionamento na carreira, que desconsiderou o tempo de serviço prestado. Desta forma, praticamente todos os servidores foram posicionados no grau A da nova tabela, correspondendo ao início de carreira.

Tendo em vista o crescente aumento de arrecadação de receita do ICMS, o governador Anastasia poderá fazer justiça, pelo menos em parte, negociando com o Sind-UTE um novo reposicionamento para os servidores da Educação, considerando o tempo de serviço prestado - seja enquanto contratado ou efetivo/efetivado. Além disso, será necessário também rever os percentuais de reajuste para as promoções e progressões aprovados na lei do subsidio. A nova tabela reduziu estes percentuais de 22% e 3% para 10% e 2,5%, respectivamente, para as promoções e progressões. Até por uma questão de tratamento isonômico entre as diferentes carreiras do estado, será necessário que o governador restabelça os mesmos percentuais dos demais planos de carreira.

Uma outra demanda a ser considerada pelo atual governo diz respeito à redução do tempo de interstício para as promoções, especialmente para a primeira, uma vez que esta ocorre após oito anos do ingresso do servidor na carreira (três anos de estágio probatório e mais cinco anos do interstício previsto, combinados com cinco avaliações de desempenho positivas e a correspondente titularidade).

Muitas outras demandas serão reapresentadas e discutidas pelo sindicato da categoria - o Sind-UTE - com o atual governador. Entre elas, a realização de concurso público, a eleição para diretores das escolas, a prática de uma gestão democrática nas unidades escolares - o que é previsto pela LDB -, a questão das 30 horas, a ampliação do tempo extraclasse para a jornada de 24 horas (1/3 do tempo), além, é claro, do aumento salarial para todas as carreiras da Educação.

Os servidores de Minas, especialmente os da Educação, viveram nos últimos 10 anos um longo processo de perdas de direitos, inclusive salariais. Esperamos que o novo governo não seja uma reprodução automática do governo do Faraó, que não negociava com os sindicatos e movimentos sociais e praticou o choque de gestão pra cima dos servidores. O atual governador, nas suas primeiras declarações após eleito e empossado, tem se manifestado em favor de um novo direcionamento na política governamental, com maiores investimentos nas áreas sociais. Até quando as palavras do governador se materializarão de fato é o que vamos conferir e cobrar nos próximos meses e anos. Uma coisa é certa: pelo menos o atual governador mora em Minas Gerais. Isso, em si, representa um pequeno grande avanço em relação ao governador anterior.

***

Incorporo ao texto central os comentários abaixo, entre os quais o do nosso combativo amigo professor Luciano.

"Luciano História:

Euler, você sabe se os pós-graduados já irão receber os 1452,00 em fevereiro? O colega Rômulo começou o ano inspirado, belo comentário, um abraço a todos acompanhantes do blog em especial a você caro amigo virtual. Euler, você não para de escrever sobre os problemas da educação nem nas ferias, também, com o salário de professor o máximo que a gente consegue é viajar para a cidade que fica ao lado da nossa.
"


Comentário do Blog: Kkk, pois é, Luciano, nossa diversão é continuar lembrando e cobrando as demandas da Educação. Sobre o posicionamento, acredito que se o servidor já tiver obtido a promoção no antigo plano ele ficará no nível correspondente à sua titularidade. Do contrário, terá que aguardar o interstício de tempo para obter a promoção na nova tabela. Mas, confesso que não tenho certeza se é assim mesmo. De qualquer forma, o posicionamento no nível e no grau já foi lançado no portal do servidor, nos dados funcionais de cada educador. Um forte abraço e aproveite as férias, mesmo que com pouca grana, rsrs.

"
Luzia Gomes:

Euler, com licença, gosto muito de visitar seu blog e ler tudo que postam nele. Sou professora da rede estadual já com mais de 20 anos de jornada. Acompanhei e participei de toda a nossa luta em 2010, não estou criando expectativas neste atual governo, tenho os pés no chão. Mas, estou segura no fato de que não precisaremos fazer as constantes greves, pois já estamos vivendo "a greve fria", ninguém quer ser professor. Em nossa região (leste) não estão formando mais turmas em licenciaturas. O que será do futuro? Você pode ser um médico, dentista, advogado, engenheiro... mas antes tem que passar nas mãos de um PROFESSOR.
"

"
Anônimo:

Caro Euler:

Uma das questões que o sindute tem que colocar em pauta nas negociações com o novo governo, é esse plano de carreira, não vi ninguém satisfeito com ele, na prática ele não funcionou, fui efetiva por concurso em 2005, e não fui posicionada com a minha especialização, sei que na esfera federal é tudo automático e rápido nas progressões do plano de carreira deles, o nosso plano de carreira... foi te falar... ninguém merece...nem se implorar por um direito seu, não consegue, é só DESCASO.
"

"
Paulo Miquéias:

Prezado Euler;

Infelizmente permita-me contradizer parcelas de suas afirmações, mas aos olhos deste Geógrafo aqui, não vejo nenhuma possibilidade de melhorias salariais e também de condições de trabalho deste novo governo. A arrogância que eles desmonstram em entrevistas e pronunciamentos me provoca naúseas, só falta colocar o chicote e tronco nas escolas para os professores. Ainda em visita ao site da SEE, pude ler as afirmações da nova secretaria de educação enaltecendo a gestão anterior, afirmando que ocorreram significativos avanços em nosso Estado. Temos que vir ainda mais preparados para este ano e já emplacar ações mais impactantes em nossa luta, que NÃO VAI SER FÁCIL.

Um abraço;

Paulo Miquéias
"

"
Anônimo:


Olá companheiros!
Para tirar algumas dúvidas sobre o subsídio entrem no site www.almg.gov.br, clicar em legislação, clicar legislação mineira, escolher lei, digitar número da lei e ano.

Lei 18975/2010. Decreto 45527/2010.

Já conferi, mesmo assim continuo perdendo, como sempre.

Abraços.
"

Comentário do Blog: A dica acima é boa. Não tinha lido o decreto 45527/2010 publicado no final do ano (clique aqui para lê-lo), que regulamenta em parte a lei 18.975 (lei do subsídio). Vejam a seguir como fica o posicionamento no nível correspondente, considerando a situação do professor na tabela atual:

CARREIRA [atual] NÍVEL GRAU =
CARREIRA [subsídio] NÍVEL GRAU

PEB I A . P = PEB T1 A . P
PEB II A . P = PEB T2 A . P
PEB III A . P = PEB I A . P
PEB IV A . P = PEB II A . P
PEB V A . P = PEB IV A . P
PEB VI A . P = PEB V A . P


Detalhe do Blog: Pelo que pesquisamos anteriormente na lei 18.975, o posicionamento no Grau (de A a P) corresponderá à somatória do vencimento básico com os penduricalhos mais 5%. Como os salários são muito baixos, muito provavelmente a maioria ficará mesmo no grau A do nível a que fizer jus pela tabela do subsídio acima. Assim, quem for atualmente PEB3 (de A, B, etc) e receber salário bruto inferior a R$ 1.320,00 ficará como PEB I A. Quem for atualmente PEB IV (A, B, etc.) e receber salário bruto inferior a R$ 1.452,00 pelo cargo ficará como PEB II A. É a mesma lógica para quem tem dois cargos. Quem desejar copiar as novas tabelas das carreiras da Educação clique aqui.

"
Maria das Graças Souza:

Caros professores!

Não sou professor, sou mãe de aluno. Uma amiga professora,me sugeriu entrar nesse blog e deixar uma dúvida, sobre o que está acontecendo em minha cidade. Alguém saberia me dizer se é legal várias turmas de uma Escola Estadual serem "mandadas" para uma escola Municipal. Está acontecendo algum processo de municipalização no Estado? A escola do Estado funciona no centro do município e a da prefeitura afastada, perto de um córrego, sem muita segurança. As turmas enviadas são de alunos de séries iniciais. Algo que nós pais de alunos possamos fazer?

Agradeço a atenção e sugestões, e quem sabe alguém conheça alguma lei que impede isso.
"

"
João Paulo Ferreira de Assis:

Prezado amigo Professor Euler

Sobre o comentário da Professora Luzia Gomes, só tenho a dizer palavras de apoio. Aqui na região de Barbacena também não há mais licenciatura de professor, com exceção da de Química, no IFET, e Letras na UNIPAC. Acabaram-se os cursos de História, Geografia (que agora é misto com Meio Ambiente, se os parentes do Lafayette Andrada já não tiverem acabado com ele), Matemática. Agora na UNIPAC só cursos procurados, como o de Direito. Agora quem for de Barbacena e quiser cursar alguma licenciatura, há de ir para Juiz de Fora ou São João del Rei. A coisa complica, por exemplo, para quem é de Senhora dos Remédios (49 km de Barbacena), Alto Rio Doce (52 km) e Cipotânea (70 km). O que eles irão fazer? Será se os senhores pais irão querer arcar com imensas despesas de seus filhos durante a graduação, para que eles sejam professores? Duvido. E com isso começam a faltar os profissionais. Inclusive tive notícias de um aluno que saiu transferido da EE Deputado Patrus de Sousa para outra em Barbacena. Ele chegou lá e defrontou-se com a falta de um professor de Matemática, visto que a da sua nova escola padecia de câncer e estava no hospital. E ninguém se interessou em assumir as aulas. É este o futuro que aguarda a nossa carreira, se não se tomarem medidas urgentes.
"

"
Anônimo:

Os dirigentes políticos já enfrentam a falta de professores, aqui em Uberlândia na prefeitura, as professoras efetivas de matemática não conseguem tirar suas férias-prêmio, por não conseguirem um substituto, elas podem tirar desde que consigam outro professor no seu lugar, o curso de licenciatura em matemática na universidade federal vai acabar por falta de procura. O apagão na educação já é uma realidade.
"

"
Marcos:

Caros Professores,

Estamos discutindo o nosso posicionamento na carreira e estamos esquecendo das consequências do subsídio. O desgoverno Anastasia no dia 3 de janeiro, discursou sobre suas metas e para a educação está a criação do "Professor da Família". Saiu no Jornal O Tempo On-line do dia 3/01/2011. Ao que tudo indica sairemos perdendo novamente.
"

"
Sebastião M. Gonçalves:

Companheiro Euler,

Quando falamos em Direitos do povo sempre estamos desinformados. Estou também desinformado sobre se vamos ou não receber a nova tabela salarial do subsídio. Mas confesso e comentei com alguns colegas de trabalho, amigos e familiares que o governador Anastasia não irá aplicar essa lei, pois como nós sabemos ele também não aplica a Lei Nacional do Piso Salarial dos Professores.

Pelo visto, continuaremos recebendo o mesmo valor de teto salarial imposto pelo PSDB em MG, ou seja, sem pagar o PISO salarial dos professores.

Acredito que a Lei do Subsídio não virá, pois como está no site do Sind-UTE/MG a Resolução SEE nº1.773 de 22/12/2010 que estabelece normas de organização do quadro de pessoal das escolas estaduais e designação para 2011 está sendo analisada pelo sindicato. Nesta Resolução, jornada de 30 horas estabelecida na Lei no. 18.975/10 será regulamentada em nova resolução que NÃO tem data para ser publicada.

Obrigado e vamos a luta!

Feliz ano novo e boas férias!
"

Comentários do Blog: Analisemos alguns dos nossos impertinentes e sempre interessantes comentários dos bravos guerreiros e guerreiras que nos honram com sua visita.

1) Ao amigo Sebastião: Estou contando certíssimo com a nova tabela para o quinto dia útil de fevereiro. Não é o que merecemos, lógico, mas representa algumas caixas de leite e de miojo a mais na minha prateleira. O governador já disse que os reajustes acertados em 2.010 estão contabilizados para o Caixa deste ano. As novas tabelas já foram implantadas no sistema, inclusive. Seria a total desmoralização do governo se não as pagasse, o que não creio que acontecerá. Me ajuda aí, meu filho!

2) Quanto a jornada de 30 horas, o que parece definido, pelo decreto citado neste post, é que somente os efetivos concursados terão direito à mesma. Falta, de fato, a publicação das normas regulamentando a tal jornada. Devemos bater o pé para que o terço de tempo extraclasse seja de fato extraclasse.

3) Ao amigo Marcos: o subsídio substitui o sistema anterior e de fato não é o ideal. Para se fazer aceitável, será preciso que haja correções, como: o posicionamento dos servidores de acordo com o tempo de serviço; os mesmos percentuais do atual plano de carreira para promoções e progressões; e um terço de tempo extraclasse para jornada de 24 horas. Mas, vamos aguardar o desfecho, no STF, sobre a lei do piso, que, tal a sua elaboração sacana (um texto cheio de falhas), que virou uma grande piada nacional, vez que não é levada a sério nem pelo governo federal e menos ainda pelos governantes dos estados e municípios.

4) Aos amigos João Paulo, Luzia Gomes e anônimo, que fazem referência à falta de professores e à extinção de cursos de licenciatura. É fato. Trata-se de uma profissão reconhecidamente desvalorizada, com baixos salários e péssimas condições de trabalho. Será preciso muito para que a carreira se torne atraente. O que mantém as redes funcionando é a dedicação dos profissionais que, ainda, apesar dos pesares, permancem nas carreiras da Educação. Se dependesse dos governantes, tudo ficaria como dantes, com uma Educação de baixa qualidade para os mais pobres, e outra um pouco melhor para os mais ricos. É nosso dever moral e ético não permitir que destruam a Educação pública, sobretudo no ensino básico, para as famílias de baixa renda. A valorização dos educadores, como reconhece a presidenta Dilma, é o primeiro item a ser considerado caso queiram levar a sério o discurso de uma Educação de qualidade. Coisa que, infelizmente, não está contemplada no novo PNE do ministro Haddad (leiam post mais abaixo sobre o tema).

5) À mãe de aluno Maria das Graças Souza: a transferência de turmas de uma rede para outra pode até ser legal, mas nem sempre é moral e atende aos interesses dos alunos, que é o que deve ser levado em conta. Por isso, o nosso conselho é que a senhora reúna outros pais e mães de alunos e façam um grande movimento na sua comunidade. O que deve prevalecer são os interesses da comunidade e jamais o de políticos ou diretores de escola, ou secretários de educação, etc. Um abraço e obrigado pela visita.

6) Ao amigo Paulo Miquéias, mais conhecido como Paulão, e que abalou os microfones da Rádio Itatiaia durante a nossa maravilhosa greve de 47 dias: entendo a sua descrença para com o projeto ao qual está ligado o atual governador. No meu texto disse que não estava semeando ilusões, mas que era importante registrar as atitudes e as falas do atual governador, naquilo que diferenciava do seu antecessor. Até para que possamos cobrar. E de fato, concordando com você: precisamos estar preparados para os novos desafios.

7) Finalmente, quero comentar sobre vários e-mails que recebi sobre um tal projeto de lei sobre o 14º salário para os professores. Tive o cuidado de ler o projeto em questão - de autoria de Cristóvam Buarque - e o substitutivo elaborado pelo relator no Senado. Não se iludam: trata-se de mais uma enganação. O que foi aprovado na Comissão prevê o pagamento do tal 14º somente em condições tais que inviabilizam a sua aplicação. Cada ente da federação (estados e municípios) deve fazer previsão orçamentária para tal, de maneira opcional e levando-se em conta a receita existente, ou seja, ninguém o fará. Segundo: para receber o tal bônus, a escola deverá melhorar pelo menos 50% do índice do Ideb ou atingir a nota 6 (era 7, no projeto do senador que não me engana). Enfim, não assinei o tal abaixo-assinado e acho que se trata de mais uma embromação. Se querem fazer projetos em favor dos professores, votem um piso salarial decente e reduzam a carga horária das atuais 40 horas para a jornada praticada em cada rede, ou pelo menos uma jornada de 20 horas. Um abraço a todos e até breve.

8) Já o abaixo-assinado em favor do reajuste do piso do magistério pelo mesmo índice do reajuste aplicado aos salários dos congressistas merece o nosso apoio. Assinei a lista quando ela estava em torno de 2.000 pessoas, repassei para meus contatos por e-mail e uma rede de blogs comprometidos com a Educação tem divulgado o abaixo-assinado. Agora, aos 50 minutos do dia 10 de janeiro, quando acessei o link Petição Pública (cliquem aqui para assinar o abaixo-assinado) já somavam 17.954 assinaturas. Embora seja um montante expressivo ainda assim está muito aquém daquilo que podemos alcançar, já que nacionalmente somos uma categoria com 2 milhões de professores. Que a corrente continue e que possamos pelo menos atingir 100 mil assinaturas.

"
Anônimo:

Olá Euler:

Uma das notícias sobre as 30h da carreira, é que somente o pf [professor? kkk - grifo do Blog] que trabalha nas séries iniciais é que poderão passar para ela. Tive essa notícia do sindute da minha cidade, parece que as SRE estarão em reunião, o que poderá nos esclarecer melhor.
"

Comentário do Blog: Caro Anônimo, não conheço nenhuma lei, decreto ou resolução que delimite o alcance das 30 horas aos professores nas séries iniciais. O assunto, no que já está publicado, garante tal possibilidade a todos os professores efetivos que fizerem a opção para a tal jornada, na dependência apenas das normas reguladoras que serão publicadas ainda sem data marcada. Aguardemos.

"
Anônimo:

Euler, foi a notícia que a coordenadora do sindute me passou hoje. Espero que você tenha razão, mas por que a demora?
Pelo que já conversei com alguns colegas nenhuma escola fez a distribuição das aulas, nem para os efetivos, será que tem alguma negociação com o sindicato a esse respeito?
Todos nós PROFESSORES (desculpe-me pelo pf) estamos na expectativa de como serão regulamentadas essas 30 horas.

Um abraço!
"

"
Sebastião M. Gonçalves:

Prezado professor Euler,

Eu não acredito em política suja. E o que estão fazendo conosco não tem preço. Só vou acreditar que essa lei do subsídio vai sair do papel e da boca de Anastasia, Renata entre outros, no dia que estiver no MEU BOLSO, por enquanto não vi nenhuma manifestação do nosso sindicato.

E um detalhe pra todos comentarem. Sou professor efetivado na Lei 100 'nada' e queria perguntar o seguinte:

Os efetivados LC100 e contratados designados são a maioria em MG. Porque apenas os efetivos concursados poderão usufruir das 30h? Lembrando que a maioria dos efetivos na minha região não participaram da greve ou fizeram a chamada greve de pijama.

Aguardo considerações. Respeito o seu otimismo, mas cansei de promessas. Outro ponto, se o salário mínimo continuar crescendo como está em 2017 estaremos recebendo apenas um salário mínimo com curso superior.

E parabéns pelos/as companheiros/as que mesmo de férias estão acompanhando essa indecisão.
"

Comentário do Blog: Caro amigo Sebastião: pessoalmente sou favorável a que os efetivados da Lei 100 tenham os mesmos direitos de promoção, progressão, 30 horas, etc. As principais vantagens da Lei 100 são a relativa estabilidade assegurada aos efetivados e o direito de aposentadoria pela Previdência. Quanto à Lei do subsídio, aguardemos até o primeiro dia útil de fevereiro, quando os contracheques estarão disponíveis no Portal do Servidor. Um abraço e boas férias.

"
Solange:

Prezado professor Euler, é muito fácil nossos representantes legislarem em causa prória. Quanto mais o Estado arrecada, maior aumento para eles, mas, os professores(as), povo guerreiro, sem os quais este país seria ainda mais medíocre, não merecem da parte de nossos representantes a menor consideração. É como se nos disséssem, quanto menos vocês recebem, menos interesse terão em passar conhecimento, daí a população se torna um bando de idiotas, fáceis de manipular por falta de conhecimento. Amigo, piso salarial é uma coisa, salário é outra, e é por aí que teremos que lutar, incluindo os aposentados e pensionistas das Gerais. Meu fraterno abraço,e que DEUS abençoe a todos os(as)mestres.
"

"
tocadaspacas:

SERÁ QUE O REJUSTE DOS PROFESSORES VAI SER COMO ESSE ABAIXO?
POLICIAIS EM GREVE RECEBEM ANESTESIA NAS COSTAS

Esse título é de dar arrepio. Anestesia nas costas? Aquele agulhão danado! Disso todo mundo tem um pouco de medo. Mas ão é dessa anestesia que falo. É de outra. Pior.

É a anestesia do ANASTASIA. e ELE APLICOU POR TRÁS! NAS COSTAS DOS GREVISTAS TODOS, QUE TODO DIA ENFRENTAM BANDIDO COM SALÁRIO DE FOME. Sabe como?

Reuniu a cúpula da polícia e ofereceu a eles o que ele chamou de UM GRANDE E EXPRESSIVO AUMENTO DE SALÁRIO. Depois, saiu nos jornais que a greve estava resolvida e os policiais muito satisfeitos. Mas não é bem assim, de jeito nenhum! Estão todos ainda em greve e descontentes.

O salário oferecido foi assim oferecido: 1) uma migalha agora; 2) uma migalhinha daqui a um ano; 3) outra migalha daqui a 3 anos; 4) uma banana daqui a 4 anos; 5)uma vantagenzinha daqui a 5 anos; 6) um presentinho e duas aves-marias depois de morto.

No fim das contas, nenhum aumento que agrade os trabalhadores da polícia. Os policiais e os professores são irmãos de salário de fome. Os sindicatos das duas categorias deveriam unir forças, de verdade.

Enfim, Anastasia é bom de anestesia: mas essa não vai funcionar para imobilizar a classe. Todo cidadão sabe que não pode haver bom trabalho deles - e de ninguém - com salário de fome.

Genésio Fernandes
"

"
Anônimo:

Gente valente,

O Blog "PASTODEEGUAS.BLOGSPOT,COM.BR" de um grupo de de maria da Fé acompanha a greve dos professores e policiais.

Vejam lá um texto " O caso dos professores-gambás da cidade de Bruzundanga", feito para reivindicar a adoção do piso pelo prefeito da cidade.

Queria mandar o texto para este blog, mas, por ser um pouquinho maior do que o exigido para postagem, não vai. Como poderia mandar, Euler?
Grato.
"

Comentário do Blog: eis o link para o referido texto:

http://pastodeeguas.blogspot.com/2011/05/o-caso-dos-professores-gambas-da-cidade.html


42 comentários:

  1. Euler, você sabe se os pós-graduados já irão receber os 1452,00 em fevereiro?O colega Rômulo começou o ano inspirado, belo comentário, um abraço a todos acompanhantes do blog em especial a você caro amigo virtual.Euler, você não para de escrever sobre os problemas da educação nem nas ferias, também, com o salário de professor o máximo que a gente consegue é viajar para a cidade que fica ao lado da nossa.

    ResponderExcluir
  2. Euler, com licença, gosto muito de visitar seu blog e ler tudo que postam nele. Sou professora da rede estadual já com mais de 20 anos de jornada. Acompanhei e participei de toda a nossa luta em 2010, não estou criando expectativas neste atual governo, tenho os pés no chão. Mas, estou segura no fato de que não precisaremos fazer as constantes greves, pois já estamos vivendo "a greve fria", ninguém quer ser professor. Em nossa região (leste) não estão formando mais turmas em licenciaturas. O que será do futuro? Você pode ser um médico, dentista, advogado, engenheiro... mas antes tem que passar nas mãos de um PROFESSOR.

    ResponderExcluir
  3. Caro Euler:
    Uma das questões que o sindute tem que colocar em pauta nas negociações com o novo governo, é esse plano de carreira, não vi ninguém satisfeito comele, na prática ele não funcionou, fui efetiva por concurso em 2005, e não fui posicionada com a minha especialização, sei que na esfera federal é tudo automático e rápido nas progressos do plano de carreira deles, o nosso plano de carreira... foi te falar... ninguém merece...nem se implorarpor um direito seu, não consegue, é só DESCASO.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Euler;

    Infelizmente permita-me contradizer parcelas de suas afirmações, mas aos olhos deste Geógrafo aqui, não vejo nenhuma possibilidade de melhorias salariais e também de condições de trabalho deste novo governo. A arrogância que eles desmonstram em entrevistas e pronunciamentos me provoca naúseas, só falta colocar o chicote e tronco nas escolas para os professores. Ainda em visita ao site da SEE, pude ler as afirmações da nova secretaria de educação enaltecendo a gestão anterior, afirmando que ocorreram significativos avanços em nosso Estado. Temos que vir ainda mais preparados para este ano e já emplacar ações mais impactantes em nossa luta, que NÃO VAI SER FÁCIL.

    Um abraço;

    Paulo Miquéias

    ResponderExcluir
  5. Olá companheiros!
    Para tirar algumas dúvidas sobre o subsídio entrem no site www.almg.gov.br, clicar em legislação, clicar legislação mineira, escolher lei, digitar número da lei e ano.
    Lei 18975/2010
    Decreto 45527/2010.
    Já conferi, mesmo assim continuo perdendo, como sempre.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Maria das Graças Souza7 de janeiro de 2011 20:49

    Caros professores!
    Não sou professor, sou mãe de aluno.Uma amiga professora,me sugeriu entrar nesse blog e deixar uma dúvida, sobre o que está acontecendo em minha cidade.Alguém saberia me dizer se é legal,várias turmas de uma Escola Estadual serem "mandadas" para uma escola Municipal. Está acontecendo algum processo de municipalização no Estado? A escola do Estado funciona no centro do município e a da prefeitura afastada, perto de um córrego, sem muita segurança. As turmas enviadas são de alunos de séries iniciais. Algo que nós pais de alunos possamos fazer?
    Agradeço a atenção e sugestões, e quem sabe alguém conheça alguma lei que impede isso.

    ResponderExcluir
  7. João Paulo Ferreira de Assis7 de janeiro de 2011 21:11

    Prezado amigo Professor Euler

    Sobre o comentário da Professora Luzia Gomes, só tenho a dizer palavras de apoio. Aqui na região de Barbacena também não há mais licenciatura de professor, com exceção da de Química, no IFET, e Letras na UNIPAC. Acabaram-se os cursos de História, Geografia (que agora é misto com Meio Ambiente, se os parentes do Lafayette Andrada já não tiverem acabado com ele), Matemática. Agora na UNIPAC só cursos procurados, como o de Direito. Agora quem for de Barbacena e quiser cursar alguma licenciatura, há de ir para Juiz de Fora ou São João del Rei. A coisa complica, por exemplo, para quem é de Senhora dos Remédios (49 km de Barbacena), Alto Rio Doce (52 km) e Cipotânea (70 km). O que eles irão fazer? Será se os senhores pais irão querer arcar com imensas despesas de seus filhos durante a graduação, para que eles sejam professores? Duvido. E com isso começam a faltar os profissionais. Inclusive tive notícias de um aluno que saiu transferido da EE Deputado Patrus de Sousa para outra em Barbacena. Ele chegou lá e defrontou-se com a falta de um professor de Matemática, visto que a da sua nova escola padecia de câncer e estava no hospital. E ninguém se interessou em assumir as aulas. É este o futuro que aguarda a nossa carreira, se não se tomarem medidas urgentes.

    ResponderExcluir
  8. Os dirigentes políticos já enfrentam a falta de professores, aqui em Uberlândia na prefeitura, as professoras efetivas de matemática não conseguem tirar suas férias-prêmio, por não conseguirem um substituto, elas podem tirar desde que consigam outro professor no seu lugar, o curso de licenciatura em matemática na universidade federal vai acabar por falta de procura. O apagão na educaçãojá é uma realidade.

    ResponderExcluir
  9. Companheiro Euler,
    Quando falamos em Direitos do povo sempre estamos desinformados. Estou também desinformado sobre se vamos ou não receber a nova tabela salarial do subsídio. Mas confesso e comentei com alguns colegas de trabalho, amigos e familiares que o governador Anastasia não irá aplicar essa lei, pois como nós sabemos ele também não aplica a Lei Nacional do Piso Salarial dos Professores.
    Pelo visto, continuaremos recebendo o mesmo valor de teto salarial imposto pelo PSDB em MG, ou seja, sem pagar o PISO salarial dos professores.
    Acredito que a Lei do Subsídio não virá, pois como está no site do Sind-UTE/MG a Resolução SEE nº1.773 de 22/12/2010 que estabelece normas de organização do quadro de pessoal das escolas estaduais e designação para 2011 está sendo analisada pelo sindicato. Nesta Resolução, jornada de 30 horas estabelecida na Lei no. 18.975/10 será regulamentada em nova resolução que NÃO tem data para ser publicada.
    Obrigado e vamos a luta!
    Feliz ano novo e boas férias!

    ResponderExcluir
  10. Caros Professores,
    Estamos discutindo o nosso posicinamento na carreira e estamos esquecendo das consequências do subsídio. O desgoverno Anastasia no dia 3 de janeiro, discurssou sobre suas metas e para a educação está a criação do "Professor da Família". Saiu no Jornal O Tempo On-line do dia 3/01/2011. Ao que tudo indica sairemos perdendo novamente.

    ResponderExcluir
  11. Olá Euler:

    Uma das notícias sobre as 30h da carreira, é que somente o pf que trabalha nas séries iniciais é que poderão passar para ela. Tive essa notícia do sindute da minha cidade, parece que as SRE estarão em reunião, o que poderá nos esclarecer melhor.

    ResponderExcluir
  12. Euler, foi a notícia que a coordenadora do sindute me passou hoje.
    Espero que você tenha razão, mas porque a demora?
    Pelo que já converssei com alguns colegas nenhuma escola fez a distribuição das aulas, nem para os efetivos, será que tem alguma negociação com o sindicato a esse respeito?
    Todos nós PROFESSORES (desculpe-me pelo pf) estamos na expectativa de como será regulamentada essas 30 horas.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. João Paulo Ferreira de Assis11 de janeiro de 2011 10:24

    Prezado amigo Professor Euler

    Eis aqui um material para ensinarmos nossos alunos a perceber corrupção nos atos dos agentes públicos. O Estado de Minas de domingo, jornal que tantas vezes nos combateu, à página 9 do primeiro caderno saiu com a manchete: ''Fiscais à caça de corruptos''. O jornal apresenta não só uma relação de sinais de corrupção como as instâncias onde devemos denunciar. E ainda tem reportagens com o sr. Fernando Fernandes de Abreu, que tem sido o terror de políticos corruptos de Sabinópolis, no Vale do Rio Doce. Também tem outra com o sr. Wilson Otero, cuja figura deve aparecer nos pesadelos noturnos de políticos corruptos em Nova Lima, e também da Núbia Souza que em Belo Horizonte desempenha o mesmo papel moralizador.
    Os sinais de corrupção são os seguintes:
    * pavimentação asfáltica esburacada indica camada muito fina, possível colocação em piso sem infraestrutura e indício de aplicação de menos matéria do que foi contratado e pago e de desvio de dinheiro. [Professores se vocês que lecionam fora de suas cidades tiverem de viajar por uma estrada nestas condições, abram os olhos]
    * Defeitos em obra nova detectados por cidadão ou divulgados na imprensa podem ter origem em descumprimento de projeto e utilização de serviços e materiais a menos do que se pagou eventualmente. [Exemplo, o anexo novo de uma escola. Menos de um ano depois, ao ver que caía do teto não uma goteira, mas UMA BICA D'ÁGUA, enquanto lá fora a cidade era castigada com uma tempestade tropical, o professor teve de separar alunos para a direita e para a esquerda, e renunciar assim a dar sua aula, pois os alunos puseram-se a conversar. O tal anexo foi inaugurado por Murílio Hingel Secretário de Educação do Itamar.] [OBSERVEM A CIDADE ADMINISTRATIVA]
    * Inexistência de medicamentos em farmácias de postos de saúde e merenda escolar precária e de baixa qualidade podem ser resultado de compra fictícia e licitação apenas burocrática e de desvio de recurso público.
    * Depositar taxa de inscrição em nome de empresa realizadora de concurso público também é indício de desvio de receita, licitação fraudulenta e de conluio e burla da ordem de classificação dos candidatos. [PRESTEM ATENÇÃO, se verem um caso assim num concurso, saibam que tem dente de coelho nesta história]
    * Sonegação de documentos públicos requeridos por cidadãos para o combate da corrupção viola os princípios da legalidade, publicidade e moralidade. [SE ISTO ACONTECER, MINISTÉRIO PÚBLICO NELES]
    * Campanhas políticas caras e incompatíveis com o salário do cargo são suspeitas e indício de corrupção.

    Por fim peço desculpas pela prolixidade, sei que o meu texto não é de convidativa leitura, mas o considero importante. Quem ainda estiver com o Estado de Minas de domingo, não jogue fora a página 9. Fique com ela para orientar nossos alunos.
    Saudações, João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  14. Prezado professor Euler,

    Eu não acredito em política suja. E o que estão fazendo conosco não tem preço.
    Só vou acrdditar que essa lei do subsídio vai sair do papel e da boca de Anastasia, Renata entre outros, no dia que estiver no MEU BOLSO, por enquanto não vi nenhuma manifestação do nosso sindicato.
    E um detalhe pra todos comentarem.
    Sou professor efetivado na Lei 100 'nada' e queria perguntar o seguinte:
    Os efetivados LC100 e contratados designados são a maioria em MG. Porque apenas os efetivos concursados poderão usufruir das 30h? Lembrando que a maioria dos efetivos na minha região não participaram da greve ou fizeram a chamada greve de pijama.
    Aguardo considerações. Respeito o seu otimismo, mas cansei de promessas. Outro ponto, se o salário mínimo continuar crescendo como está em 2017 estaremos recebendo apenas um salário mínimo com curso superior.
    E parabéns pelos/as companheiros/as que mesmo de férias estão acompanhando essa indecisão.

    ResponderExcluir
  15. Prezado professor Euler,é muito fácil nossos representantes legislarem em causa prória.Quanto mais o Estado arrecada,maior aumento para eles,mas,os professores(as),povo guerreiro,sem os quais este país seria ainda mais medíocre,não merecem da parte de nossos representantes a menor consideração.É como se nos disséssem,quanto menos vocês recebem,menos interêsse terão em passar conhecimento,daí a população s torna um bando de idiotas,fáceis de manipular por falta de conhecimento.Amigo,piso salarial é uma coisa,salário é outra,e é por aí que teremos que lutar,incluindo os aposentados e pensionistas das Gerais.Meu fraterno abraço,e que DEUS abençoe a todos os(as)mestres.

    ResponderExcluir
  16. Prezado colega eu como professora e coordenadora da minha escola em uma zona rural de minha cidade, não vi a cor desse subsidio, quando será que vou entrar nessa nova política salarial?

    ResponderExcluir
  17. amigo,quem aceitar este famigerado subsidio imposto pelo governo de minas, após implantação do piso não poderá voltar atrás e receber o piso?

    ResponderExcluir
  18. euler, sou pedagoga com 26 aos de serviço e 62 anos de idade. até agora ninguem da educaçao nao soube me explicar se eu preciso de 25 ou 30 anos para aposentar normalmente.Sou do quadro do Magistério. Pedagogo é diferente de Professor? Me ajuda por favor, nao suporto mais este jogo de empurra. Fico muito grata se vc conseguir descobrir este pepino tao sonhado.vregina70@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  19. OS PROFESSORES FORAM BARATEADOS
    É GENTE BARATA HOJE

    Segundo um grande professor da Unicamp, prof Wanderley Geraldi, o que chama atenção hoje é o cerco ao exercício da profissão: "o neoliberalismo em educação produziu parâmetros, sistemas de avaliação e programas de material didático, de modo que ser professor é cada vez mais o que chamei um dia o exercício de uma capatazia: o simples controle do tempo e do contato do aluno com o material, sua disciplina e seu comparecimento às aulas, às provas e provinhas, etc...

    Então, trata-se de uma nova 'profissão' que não requer qualquer formação específica! Por isso ela foi barateada. E se faz por EAD! Note que nenhum engenheiro é formado por educação à distância, mas professor sim!!!!"

    QUEM SABE SABE! Por isso os prefeito, o governo tratam assim o professor e compram apostilas lindinhas - e os paga mal, para ensinar os alunos a folhearem as apostilas lustrosas que vão "ensinar" os alunos no lugar do professor.

    O professor passou a ser concebido só como um sujeito de conhecimento rudimentar, para esse acompanhamento! VIRAM O QUE ESTÁ ACONTECENDO!!!

    GENÉSIO FERANANDES

    ResponderExcluir
  20. OLÁ ...SOU DO TRIÂNGULO MINEIRO,E ONTEM RECEBI DE UM COLEGA DE UBERLÂNDIA A INDICAÇÃO DO SEU BLOG.ADOREI,VC É CLARO E O MELHOR, RESPONDE A TODOS NÓS.DIVULGUEI SEU BLOG NA ESCOLA QUE ATUO E COM CERTEZA NOS AJUDARÁ MUITO NO SENTIDO DE ATUALIZAÇÃO E APRENDIZAGEM .BOM DIA E BOM TRABALHO!
    PROFESSORA ALESSANDRA MARIA.

    ResponderExcluir
  21. Muito bem Euler. Isto é que é bom companheiro. Lutar pela classe de PROFESSOR. Sou aposentadfo e moro em Guarapari-ES- mas estou sempre acompanhando as coisas de MG, onde fui professor por 42 anos. Vá em frente!!!
    Nicodemos Moreira Filho

    ResponderExcluir
  22. SERÁ QUE O REJUSTE DOS PROFESSORES VAI SER COMO ESSE ABAIXO?
    POLICIAIS EM GREVE RECEBEM ANESTESIA NAS COSTAS


    Esse título é de dar arrepio. Anestesia nas costas? Aquele agulhão danado! Disso todo mundo tem um pouco de medo. Mas ão é dessa anestesia que falo. É de outra. Pior.

    É a anestesia do ANASTASIA. e ELE APLICOU POR TRÁS! NAS COSTAS DOS GREVISTAS TODOS, QUE TODO DIA ENFRENTAM BANDIDO COM SALÁRIO DE FOME. Sabe como?

    Reuniu a cúpula da polícia e ofereceu a eles o que ele chamou de UM GRANDE E EXPRESSIVO AUMENTO DE SALÁRIO. Depois, saiu nos jornais que a greve estava resolvida e os policiais muito satisfeitos. Mas não é bem assim, de jeito nenhum! Estão todos ainda em greve e descontentes.

    O salário oferecido foi assim oferecido: 1) uma migalha agora; 2) uma migalhinha daqui a um ano; 3) outra migalha daqui a 3 anos; 4) uma banana daqui a 4 anos; 5)uma vantagenzinha daqui a 5 anos; 6) um presentinho e duas aves-marias depois de morto.

    No fim das contas, nenhum aumento que agrade os trabalhadores da polícia. Os policiais e os professores são irmãos de salário de fome. Os sindicatos das duas categorias deveriam unir forças, de verdade.

    Enfim, Anastasia é bom de anestesia: mas essa não vai funcionar para imobilizar a classe. Todo cidadão sabe que não pode haver bom trabalho deles - e de ninguém - com salário de fome.

    Genésio Fernandes.

    ResponderExcluir
  23. Gente valente,

    O Blog "PASTODEEGUAS.BLOGSPOT,COM.BR" de um grupo de de maria da Fé acompanha a greve dos professores e policiais.

    Vejam lá um texto " O caso dos professores-gambás da cidade de Bruzundanga", feito para reivindicar a adoção do piso pelo prefeito da cidade.

    Queria mandar o texto para este blog, mas, por ser um pouquinho maior do que o exigido para postagem, não vai. Como poderia mandar, Euler?
    Grato.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Euler
    Adoro seu blog. Comecei a acessá-lo à pouco tempo, estou adorando.trabalho há mais ou menos 10 anos como professora. Pena que efetivei na Lei C 100 com pouquíssimas aulas, as quais não eram da minha área e não compensava,pois era na zona rural, muito longe da minha cidade. Sou vinculada há 3 anos, e fiquei sabendo que irá sair outra lei para efetivar os vinculados. Você tem algum parecer sobre o assunto? Estou super ansiosa. Me dê um parecer.

    Obrigada
    KOL

    ResponderExcluir
  25. Olá, Euler
    estou acompanhando seu blog desde o dia 08 em que entramos de greve, e através dele tive acesso à tabela do subsídio. Eu sou contratada na funçao de Auxiliar de serviços Básicos e tenho ensino médio completo.Gostaria de saber de você se eu tambem me encaixo nessa tabela!

    Obrigada.

    Maria das Graças Fernandes

    ResponderExcluir
  26. Esse canalha, que uso de autoritarimo, admite reajuste sim, vindo que esse papo de apresentar proposta de aperfeiçoamento de subsídio. Algo que deixamos claro que NAO QUEREMOS!! QUEREMOS QUE ELE CUMPRE UMA LEI FEDERAL e que nos pague o PISO, como forma de remuneraçao. 153mil servidores deixou claro isso, pulando fora dessa merda. Em outras palavras, apresentando essa proposta de aperfeiçoamento é nos chamar de analfabetos... A GREVE TEM QUE CONTINUAR.. Professor e ATB José Geraldo Mota.

    ResponderExcluir
  27. Anonimo. Eu acho uma graça os politicos sabe porque,quando é aumento para eles é da noite para o dia .eles não pensam duas vezes.Eles alegam que não podem dar aumento porque ainflação sobe.Mas no aumento deles não sobe.Cada vez mais,e os pobres mais pobres.Eles não estão nem ai para a humanidade.Eles só querem para eles.

    ResponderExcluir
  28. Sei que todos vocês estão muito atentos e comprometidos com a causa da educação, mas é preciso ainda muita vigilância quando esse cara diz que vai apresentar proposta.Ele é terrível,como disse o nosso companheiro José.

    ResponderExcluir
  29. Um abraço a vc e a todos os educadores que lutam por dignidade neste estado. Tenho fé que vamos vencer esta batalha. O governo já esta amolecendo. Um abraço

    ResponderExcluir
  30. Caro Euler, gostaria de saber se os efetivados ao completar os cinco anos de acordo com a lei 100, de 07 de novembro de 2007. Teremos ou não direito a tirar férias prêmio depois de completar os cinco anos? Quero dizer após em 2012.

    ResponderExcluir
  31. Vcs ainda acredita nesse governador? que ingenuidade.
    Nem direito adquirido ele gosta de pagar.Tem gente esperando aposentadoria mais de um ano e o acerto não acontece.Imagine se fosse vc que devesse para o estado.

    ResponderExcluir
  32. É muito triste ter que repassar isto mas,afinal é a pura verdade.

    Ronaldinho Gaúcho - R$ 1.400.000,00 por mês (Homenageado na Academia Brasileira de Letras)
    Tiririca - R$ 36.000,00 por mês (fora auxílios e mordomias - Membro da Comissão de Educação e Cultura do Congresso Nacional).
    *Piso Nacional dos Professores - R$ 1.187,00
    SUGESTÃO: Mudar a Grade Curricular das Escolas
    EXEMPLO: Português - Prá quê?
    Matemática - multiplicação Fraudulenta do Dinheiro de Campanha.
    Biologia, Química e Física - excluídas por excesso de complexidade.
    Educação física - futebol.
    História - Grandes Personalidades da Corrupção bRASILEIRA; Biografia dos Heróis do Big Brother; História da arte - de Carla Perez a Faustão;
    Música - Pagode, Axé, Funk e ....

    MORAL DA HISTÓRIA: "Os Professores ganham pouco, porque só servem para nos ensinar coisas inúteis como: ler, escrever, pensar, raciocinar e formar cidadãos e profissionais competentes.

    ResponderExcluir
  33. Gostaria de saber quando vai começar a ter aula para o eja 1 da escola nelson de sena .

    ResponderExcluir
  34. Gostaria de saber quando as aulas do eja 1 da escola nelson de sena de governador valadares vai começar ;pois atè hoje està de greve.

    ResponderExcluir
  35. Eu, aluno do 3 ano do Estadual Central,quero dar os parabens aos bravos e guerreiros professores da rede estadual, pela a coragem de baterem de frente com o esse governo aé. Ao contrario dos substitutos que ao inves de apoiarem a luta, agem de forma contraditoria a sua classe, cade a etica no trabalho desses caras hein?

    ResponderExcluir
  36. Olá Euler ,cadê o nosso décimo quarto?Será que Anastasia anesteciou ele também?

    ResponderExcluir
  37. goverdador preguissoso kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  38. Prezado Euler
    Estamos hoje em 25/10, e nós que optamos ficar na carreira de vencimento básico temos até dia 31/10 para optarmos ou não ao subsídio.Lendo o site do SindiUTE vi que a reunião que ocorreu ontem, dia 24/10,o governo começa a falar em piso salarial, somente para prof. e especialista, o que é um absurdo. Mas começa a falar..já é uma esperança. Já promete pronunciar esta semana se pronunciar sobre o impacto do Piso Salarial.Bom,eu vou aguardar. Não vou optar pelo subsídio,pois tenho 24 anos e meio de carreira. Vou ficar na minha aguardando as próximas decisões.
    E você o que acha disso tudo? Essa tabela do piso para a turma do vencimento básico sai, ou não.
    Abraços, Helenice Fagundes Vilela e Silva de Boa Esperança.

    ResponderExcluir
  39. gostaria de saber até quando este governo elitizado e medíocre de Mg vai continuar negando ao servidor seus direitos?

    ResponderExcluir
  40. Ano de 2007 saiu para todos os trabalhadores da rede estadual aquela lei sem para uma efetivacao entao este ano que se inicia poderia eles ir para uma efetivada e nos para uma efetivacao depois do concurso por que nossa area nao tem concurso poderia sair para nos outra lei sem 100/2012 para que todos nos termos seguranca no servico por que o ano passa o ano entra e nada de uma noticia para nos e para isso nao vao gastar dinheiro publico por que na verdade sao imposto pago por nos se eles tem um direito e nos tambem temos por qiue somos trabalhador igualzinho eles eu por exemplo trabalho na escola a ha 3 anos e sete mes e meu o salario nao e pelo grau que eu tenho tenho 3ano completo tenho concurso que eu fiz quando estava fazendo magisterio e trabalho como auxiliar de servicos gerais nao tenho que ganhar um pouco a mais . mais se ele fazer esta lei para nos ficaremos gratados so te pensar que nao precisaremos nos preocupar com o amanha esta trabalhando e o outro nao isto e horrivel por que muitas vez ficamos ate noite sem dormir por causa disso nos ajuda nos dando uma informacao durante esta ferias um abracos

    ResponderExcluir
  41. professor Euler;

    Gostaria de dizer que este blog é um espaço maravilhoso, pois não se resume somente a críticas e lamentações, o senhor nos coloca informes, esclarece nossas dúvidas etc.
    Desde que voltei da Itália, me filiei ao Sindute, mas infelizmente eles só pensam em greve, fora a questão gravíssima de estarem a serviço de um partido político.
    Não é sempre que acesso, mas eu já li em algum lugar a proposta, se não me engano, de uma professora Marly, que deveriámos ingressar com uma ação popular no MPF para o pagamento do piso.
    Morei no primeiro mundo dez anos e lá um professor ganhava dois mil euros (algo em torno de R$ 5.000,00) para trabalhar das 9h00 às 15h00. Eu mesmo tentei fazer a prova de equivalência em Geografia, só que não passei. No fundo, eu sabia que era porque meu diploma era de um país de terceiro mundo.
    Outra coisa importante é não deixar fora destas conquistas os 47.000 aposentados que foram professores dos médicos, dentistas, engenheiros, advogados e professores que hoje estão trabalhando.
    Eu não queria me desfiliar do Sindute, mas se o senhor professor Euler, criasse uma espécie de fundo para contratarmos um escritório de advocacia - de preferência em São Paulo - que entrasse com a ação popular em nome dos 200.000 servidores da educação, eu me desfiliaria do Sindute - já que o partido deles não paga o piso aonde são governo - e os quase R$ 20,00 que são debitados na minha folha de pagamento, eu contribuiria com prazer porque eu sei que um dia o STF obrigará o então governador de Minas Gerais a pagar os R$ 1.900,00 que atualmente seria o valor do piso, por uma carga horária de 24 horas.
    Eu e mais 152.999 professores poderiámos preparar melhores aulas, poderiámos estudar mais, enfim, todos lucrariam: alunos, país, professores, pais de alunos que perceberiam que seus filhos terão a chance de ascender socialmente através do estudo.
    Tenho que ir pq preciso pegar o metrô para estar na escola 13h00. Não almocei, pq isto eu vou fazer lá na escola, porque graças a Deus lá tem comida.

    Até.:

    ResponderExcluir
  42. Querido Euler você sabe dizer a classe de professores o que foi esse desconto na folha de fevereiro de 2014?

    ResponderExcluir