sexta-feira, 14 de março de 2014

Há 50 anos, Jango era derrubado pelas qualidades. Perdeu o Brasil dos de baixo


Há 50 anos, Jango era derrubado pelas qualidades. Perdeu o Brasil dos de baixo

Tinha apenas dois anos de idade, quando, no dia 1º de abril de 1964, acontecera o golpe civil-militar que derrubou o presidente constitucionalmente eleito João Goulart - Jango. Era incapaz, portanto, de saber o que passava naquele momento, ainda mais na então bucólica e rural cidadezinha ou Arraial de Vespasiano, cuja população usufruía de um pequeno paraíso terrestre. Casas sem muros, ribeirão onde se podia nadar e pescar, áreas cobertas por matas, sem poluição. Bons tempos aqueles... Mas, no Brasilzão de meu Deus, o inferno abrira as portas, com figuras malignas conspirando pelo fim de um governo que sonhara construir um outro Brasil.

No dia 13 de março, exatamente há 50 anos, o Governo João Goulart, com seus aliados de esquerda - PCB, brizolistas, todo o movimento sindical, estudantes, lideranças camponesas, entre outros - realizara um grande comício na Central do Brasil, Rio de Janeiro, com a presença de milhares de pessoas. Neste grande ato, Jango anuncia as Reformas de Base que pretendia implantar, entre as quais, a reforma agrária nas terras às margens das rodovias federais, reformas política, educacional, entre outras. Nada que ameaçasse o sistema capitalista. Pelo contrário, eram reformas estruturais que certamente fortaleceriam o mercado interno, com melhor distribuição de renda. Reformas muito mais radicais haviam sido realizadas pelos países ricos do Ocidente. Mas o clima estava envenenado pela mídia, pelo contexto da Guerra Fria, pelos eternos conspiradores golpistas dos EUA e de seus aliados internos.

Dias depois deste enorme comício de Jango e de seus aliados, a direita golpista realizou uma igualmente numerosa "Marcha da Família com Deus pela Liberdade", em São Paulo, onde religiosos de direita, parte da classe média amedrontada, recalcada e teleguiada pela propaganda anticomunista, empresários e latifundiários tentaram criar o clima de caos a justificar o golpe que aconteceria alguns dias depois.

Em Minas Gerais, estava no governo o banqueiro Magalhães Pinto, que havia derrotado Tancredo Neves na disputa pelo Palácio da Liberdade. Magalhães Pinto foi um dos apoiadores civis do golpe militar. Publicamente (e cinicamente), manifestava apoio à manutenção de Jango até a realização de novas eleições. Por debaixo dos panos, conspirava para derrubar João Goulart. Tal como Lacerda, então governador do estado da Guanabara (Rio de Janeiro) - outro golpista contumaz, ambos da antiga UDN, partido da direita brasileira -, sonhava um dia assumir a presidência da República. Mas, como não tinha prestígio, nem voto para tanto, só restava mesmo o caminho do golpe. Consta, em revelações posteriores feitas por assessores do então governador mineiro, que este planejava inclusive fazer uma espécie de separação de Minas Gerais do resto do Brasil, tendo buscado clandestinamente apoio externo (EUA) para uma possível declaração de guerra de Minas contra o governo de Jango. Coisa bem patética, já que Magalhães Pinto, tal como Lacerda no Rio, não passava de marionete nas mãos das poderosas "forças ocultas" que articulavam o golpe contra Jango.

João Goulart era um político gaúcho de grande prestígio popular e com apoio dos sindicalistas. Seguira os passos de Getúlio Vargas, seu padrinho político, de quem fora ministro do Trabalho e caíra depois de anunciar um reajuste de 100% no salário mínimo. Fora eleito vice-presidente em 1960 - naquela época o vice-presidente era eleito separadamente do presidente - pelo então PTB (partido trabalhista), enquanto o líder populista Jânio Quadros era eleito presidente da República pela UDN. Sete meses depois, Jânio renunciara ao governo. O vice, Jango, que estava na China, teve dificuldade para assumir a presidência. Não fosse a Campanha da Legalidade liderada pelo então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, cunhado de Jango, e este não tomaria posse. Mesmo assim assumiu com poucos poderes, já que houve um acordo às pressas dando maiores poderes ao parlamento. Tudo isso no início dos anos 60.

Logo se percebeu que este arranjo político não daria certo e em 1963 foi realizado um plebiscito para saber se a população concordava ou não com o parlamentarismo; ou se era a favor do retorno a um sistema presidencialista, com maiores poderes ao chefe do Executivo. A maioria da população aprovou este sistema, que daria a Jango mais poderes. Enquanto isso, a direita conspirava. Banqueiros, latifundiários, setores de alta patente das Forças Armadas, setores da Igreja Católica conservadores, grupos anticomunistas, e, logicamente, os EUA, através da CIA e de outros grupos, que financiavam a eleição de vários deputados da UDN e do PSD; financiavam também a mídia para atacar o governo de Jango, mídia esta que, tal como a mídia atual (quase os mesmos personagens, ou seus herdeiros de sangue e de ideologia), atacava sem dó ao governo de Jango.

Estou convencido de que Jango, com todas as críticas que a esquerda lhe faz, por não ter liderado uma resistência armada ao golpe de 1964, ainda terá o seu papel de destaque reconhecido pela história e pela memória dos brasileiros. Jango se cercou de muita gente boa. Cito o exemplo de Darcy Ribeiro, um dos seus ministros de estado, a quem conheci pessoalmente no início da década de 80, com a volta dos exilados políticos. O mineiro Darcy Ribeiro, de vasta cultura, era destes sonhadores que queriam um Brasil melhor para os de baixo. Fora ele quem dissera que o governo Jango havia caído muito mais pelas qualidades, do que pelos defeitos.

Na época, a direita e a sua mídia acusavam o governo Jango de querer implantar uma "república sindicalista", de querer implantar o comunismo, que iria agredir a santa propriedade privada dos ricos; os setores de direita da igreja diziam que a família estava ameaçava. Parte do oficialato do exército, representando uma classe média preconceituosa, alardeava pelos "bons costumes morais"; Minas e São Paulo eram talvez os dois estados mais conservadores, com uma elite política - com as devidas exceções -, muito medíocre, falso moralista, golpista e serviçal dos de cima, e colonialista. Ou seja, uma elite pronta a servir os interesses empresariais norte-americanos, desde que a população brasileira, na sua maioria pobre, ficasse de fora.

Se analisarmos bem, este cenário não mudou muito não. Temos uma mídia golpista, que ataca o governo federal 24 horas por dia, e conspira pela derrubada deste governo, já que pelo voto eles até agora ficaram de fora. Pelo menos nos últimos 12 anos tem sido assim. Claro que o contexto atual é outro. O mundo não está mais polarizado pelos discursos ideológicos (mais do que pela prática) entre comunismo e capitalismo. O capitalismo teve uma vitória de Pirro. Mas, encontra-se tão decadente, em estado terminal, que tende a se prostrar agonizante e de joelhos ante qualquer inimigo que se apresente para assumir o bastão. Ainda que demore mais alguns anos, ou séculos, o destino deste sistema está escrito. Não pode sobreviver eternamente uma forma de sociedade que se autodestrói quando se reproduz. É o capitalismo. É a morte anunciada.

Mas, aquele contexto de 60 era de Guerra Fria, marcado pela disputa entre EUA e a então União Soviética - que tive o gostinho de conhecer pessoalmente lá pelos idos de 1985, durante o XII Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, realizado em Moscou. Dizem que figuras como Aécio Neves e Sérgio Cabral também passaram por lá. Ainda bem que não os vi. E nem poderia, já que, ao contrário destes personagens, meus círculos de amizade eram formados por pessoas da esquerda, marxistas de diversas matizes, e os deles, obviamente... bom, nem preciso dizer, né? Basta ver por aí com quem eles andam. A União Soviética tinha sido herdeira da grande Revolução Russa de 1917, e que, infelizmente, se enveredou por caminhos que desembocaram nos braços do capital. A história é assim, gente. Não é feita de forma reta, sem tropeços, sem solavancos; e nem tampouco é feita ao nosso bel prazer. Não controlamos as coisas, menos ainda as pessoas. Isto é bom. O nosso destino não está marcado. O nosso não, mas o do capital sim, podem anotar.

Jango era um sobrevivente daquela disputa ideológica. Tinha um perfil mais próximo de um conciliador, de um bem nascido que queria o bem para todos. De uma destas figuras raras no Brasil, que tendo nascido e vivido entre estancieiros (fazendeiros), pessoas de posse, tinha a sensibilidade de querer repartir com os pobres os frutos colhidos. A proposta de reforma agrária de Jango, por exemplo, que poderíamos considerar modesta, continua mais radical do que qualquer governo posterior, mesmo os de FHC, Lula e Dilma, juntos. Além disso, Jango era um nacionalista moderado, que defendia a presença sob controle do capital estrangeiro, ou seja, que eles tivessem lucro, mas que parte deste lucro ficasse aqui no Brasil. E isto o império norte-americano não aceitava de jeito nenhum. Queriam, como querem ainda hoje, tudo. Querem o céu só para eles, nem que tenham que transformar a Terra num verdadeiro inferno. Como fazem ainda hoje.

Na política externa, Jango defendia um caminho independente, não alinhado nem aos EUA e nem à então União Soviética. Não admira, portanto, que o governo dos EUA e seus grupos empresariais conspirassem e financiassem o golpe para derrubá-lo. Contavam com apoio de parlamentares da UDN e parte do PSD, com parte grande da igreja, parte do exército, com parte do judiciário imperial, com a mídia golpista - ah, esta mídia, até quando o Brasil dos de baixo vai aceitar viver sob a ditadura da palavra imposta por estes canalhas! Enfim, era pouca gente do contra, mas com muito poder em dinheiro e armas e influências. Do lado de Jango, uma parte mais radical de esquerda, de certa forma contribuía para entornar o caldo, pois radicalizava em palavras, em jogo de cena, fazendo portanto o jogo da direita, já que na prática não detinha poder real, nem organização social disposta a enfrentar o dragão do mal. Era o PCB, que se julgava no poder, sem tê-lo de fato; era uma UNE bem mais atuante que a de hoje; eram as Ligas Camponesas de Julião e outros sonhadores; eram comunistas como Gregório Bezerra, Prestes e Marighella, grandes figuras, que sacrificaram suas vidas por causas aparentemente perdidas.

Na véspera do golpe de 1964, que impôs ao Brasil longos 21 anos de ditadura, com direitos políticos cassados, tortura, extermínios, censura à imprensa, etc., o cenário era de uma guerra construída midiaticamente. De acordo com a mídia, o povo brasileiro queria a derrubada do governo. Contudo, uma pesquisa de opinião feita na época, que fora escondida, sonegada ao conhecimento da população, dava conta de que o governo de Jango contava com a simpatia de ampla maioria da população brasileira. Ou seja: pelo voto, a direita não ganharia o governo federal. Neste ponto, bem parecido com o cenário atual. Somente um golpe midiático, que consiga formar um caos construído no imaginário das pessoas, pode tirar a reeleição da presidenta Dilma. E é com este objetivo que a mídia brasileira trabalha. Basta ouvir os comentaristas bem pagos das Itatiaias, das Globos, das revistas Veja da vida, ou dos jornais Estado de Minas e Folha de São Paulo, para perceber o consenso instalado entre os de cima. Batem no governo federal o tempo todo, dizem que o Brasil está à beira do abismo, que haverá apagão, que a inflação vai disparar, que nenhum empresário mais quer investir no Brasil, que o mundo vai acabar se Dilma não for derrubada. Um verdadeiro TERRORISMO MIDIÁTICO sem direito de resposta. Querem fazer leis contra os garotos dos Black Blocs, que o máximo que fazem é quebrar meia dúzia de vidraças de agências bancárias. Já o terror midiático golpista não, este envenena o ambiente social, causa danos mentais talvez irreparáveis, destrói a convivência entre as pessoas, minam a possibilidade de organização social dos de baixo e ficam impunes. São os verdadeiros inimigos do povo pobre.

Por isso, ao lembrarmos novamente a passagem daqueles fatídicos momentos que marcaram a história do Brasil, e a história de cada um de nós individualmente, devemos retirar algumas lições. Uma delas, é a de que a frágil democracia brasileira continua ameaçada por forças que querem nos manter aprisionados aos interesses de minorias privilegiadas. E também, a de que todos nós seremos vítimas dos golpes, caso fiquemos alheios ao que acontece a nossa volta. Urge, portanto, refletirmos sobre estas e outras lições, e nos posicionarmos em defesa dos direitos sociais e políticos conquistados a duras penas; e de lutarmos por novas conquistas, na Educação básica pública, na saúde, pelo fim do monopólio da mídia, por uma reforma política e no judiciário, e por uma reforma agrária que alcance os interesses dos de baixo, entre outras mudanças. Ah, e até que a esquerda consiga construir uma real alternativa viável de poder, pela reeleição da Dilma, de preferência, com mais força, para se livrar de pesos à direita que compõem o seu governo.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

                             ***

P.S.: Caros bravos colegas educadores de Minas, como já havia anunciado anteriormente, pedi a minha exoneração do cargo de professor da rede estadual de Minas. Foi ontem, dia 13, coincidentemente, data do grande comício de Jango e seus aliados. Coincidência, apenas. Minha decisão, como disse, deve-se à impossibilidade de manter os dois cargos públicos que havia assumido: um no estado e outro na PBH - este, aliás, em turno de 8 horas diárias. Mas, como já havia me manifestado, deixei o cargo, mas continuo solidário com todas as causas da Educação pública, notadamente pela valorização dos profissionais da Educação, sem a qual não se pode falar em educação de qualidade para todos. Por isso, o blog continua, como mais um espaço a serviço dos educadores de Minas. Não é o único e nunca teve esta pretensão. Mas vai continuar, enquanto os colegas quiserem usá-lo para trocar informações, críticas e sugestões. E eu vou ganhar mais algumas horas livres para poder sonhar, respirar e conspirar contra os de cima. Sempre ao lado dos de baixo. Por isso não me despeço dos colegas, apenas comunico esta alteração funcional e profissional da minha decisão. Um abraço fraterno a todas e todos e meus mais sinceros sentimentos de que valeu a pena ter vivido com vocês cada momento de luta que passamos juntos nos últimos 10 anos, pelo menos. Nos veremos por aí e também por aqui, neste espaço virtual, todos os dias.

 

148 comentários:

  1. Feliz por você!!!! Mas muito triste por não ter mais aquele papo mineiro sincero e raro hoje em dia, mas na vida todos tem que dar um basta! não somos escravos e nem paus mandados.SOMOS PROFESSORES! QUE DEUS TE ILUMINE SEMPRE.

    ResponderExcluir
  2. Nossa quem vai nos manter informados ,de alguma indicação Euler, nos do interiorzão não sabemos a quem recorrer ai na capital. Cite alguns blogs que são confiaveis como o seu.

    ResponderExcluir
  3. Perdão, quis dizer informação real e atual e não indicação.

    ResponderExcluir
  4. Nossa fiquei muito emocionada sabe de saber que vc exonerou da educação de Minas, não sei se é por causa que dei a luz esses dias e ando muito sensível. acho que ficamos um pouco só, foram tantos colegas que exoneraram...que abandonaram seus cargos e foram em busca de outras profissões outros sonhos. A esperança hoje de dias melhores de termos força de lutar acho que ficou menor com essa notícia, tinha orgulho de ter você como colega de profissão, sempre nos fortalecendo de sonhar em dias melhores...

    ResponderExcluir
  5. Não nos abandone, não será possível aguentar essa barra sem o consolo, as informações, as brigas, as lamúrias diárias... Seu blog já faz parte da minha vida, abro ele todas as vezes que uso o computador. Mas desejo muito boa sorte nessa nova fase da sua vida. E como você diz, Até a vitória companheiro. Uma grande amiga do interior dessa grande Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  6. o tempooline tem reportagem legal sobre aecim.Perdeu processo contra o google,

    ResponderExcluir
  7. Gente,ele deixa o Estado,o blog continua.Bem acertada tua decisao Euler.FELICIDADES,

    ResponderExcluir
  8. Também estou me preparando quase oito horas por dia para concursos que ainda nem publicaram editais, mas vão publicar a qualquer momento. Eu sonho com este dia em que, assim como você, Euler, possa me exonerar para ocupar outro cargo. A qualquer momento parto desta pra melhor kkkk. Eu não me considero professor, eu estou professor por enquanto. Adoraria continuar nesta profissão que, afinal, escolhi por conta própria, ao contrário de muitos que só entraram no magistério por falta de competência para cursar outros cursos. Mas hoje em dia com estas circunstâncias às quais estamos sujeitos, está cada vez mais desanimador, cansativo, insalubre e perigoso para nossas vidas a prática do magistério nas escolas de educação básica. É super normal uma grande migração de professores para outros empregos públicos dadas às condições de trabalho impostas a nós. Você não foi o primeiro e não será o último, tenho vários colegas que já fizeram o que você está fazendo agora. O estado adora quando bons professores, assim como você, exonerem seus cargos. Assim, no seu lugar, entra outro bem pior e educará bem mal e exatamente por isso os governos conseguem mais fácil o voto deles nas eleições e ainda acreditam nas propagandas enganosas da televisão, kkk. Eu quero ser o próximo a exonerar meu cargo, mas por hora vou ficando com minhas oito horas de preparação para concursos que com certeza um dia minha aprovação virá também. A você, Euler, meus sinceros agradecimentos a toda dedicação durante todo esse tempo e sua companhia por aqui no Blog. Na certeza da continuidade do Blog (com letra maiúscula mesmo), continuamos trocando nossas experiências que, diga-se de passagem, são muito proveitosas. Um grande abraço.

    Lobo Guará Zona da Mata

    ResponderExcluir
  9. Caro Euler, sinto-me um pouco órfão com sua decisão. Boa sorte na nova empreitada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Euler,

      Você é nosso companheiro de todas as jornadas.

      Tamo junto!

      Excluir
  10. Minhas perspectivas estão cada vez piores. Já não tenho sonhos em relação à carreira que abracei a tantos anos atrás.

    ResponderExcluir
  11. A Educação perdeu um grande profissional. Que Pena! Aliás o mesmo tem acontecido na minha escola, muitas exonerações em apenas um ano.

    ResponderExcluir
  12. Que pena, mas não dá mesmo para tolerar esses governantes que acham que professor é lixo. SUCESSO...........e sempre apareça para um papo.

    ResponderExcluir
  13. Será que o governo comemorará sua saída??

    VITÓRIA DE PIRRO.

    A luta continua...

    ResponderExcluir
  14. Sinto muito a sua saída, mas a compreendo, os alunos mais uma vez perdem. Perdem com esse REM horroroso em que o governo faz propaganda de 6 horários, quando na verdade só funcionam 5, perdem aulas de português, matemática, história, geografia... e perdem os bons professores. Lamentável. Avante companheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha escola também não conseguimos despertar o interesse dos alunos, pois somente agora descobrirem que a área de meio ambiente não lhes interessa. Pode?

      Excluir
    2. A supervisora, vendo os alunos indo embora no quinto horário, afirmou que os professores tem que correr para a porta da sala para impedir que os meninos fujam. Pode?

      Excluir
    3. Na minha escola os 2º e 3º anos são liberados 5 min antes do sinal e fechado o portão. Após o sinal os alunos do 1º ano trocam de sala, por ser sala ambiente.Se não iriam também embora. Ipatinga.

      Excluir
    4. Este é o REENGANANDO O ENSINO MÉDIO. Como tudo na educação do Estado, mais um projeto pra inglês ver. E os professores do Reenganando? Capacitadíssimos!! E os prometidos laborátorios? Devem estar na propaganda...

      Excluir
  15. Caro colega de profissão Euler, felicidades na nova empreitada e parabéns pelo espaço que a cada dia se torna melhor . Espero que continuemos contar com suas valiosas postagens, principalmente aquelas destinadas aos profissionais da educação. Um grande abraço e sucesso!!

    ResponderExcluir
  16. Que Deus te abençoe e te ilumine nessa nova função. Sucesso e obrigada por manter o espaço.

    ResponderExcluir
  17. Euler
    Boa sorte na sua nova empreitada, mas penso que você trocou seis por meia dúzia porque aquele lacerda não me parece coisa boa.Não esqueço que na greve ele afirmou que mandaria os policiais pegarem os professores pelos pes e mãos para obrigá-los a desimpedir o trânsito.Ou seja, é tudo farinha do mesmo saco!
    Abraço grandão procê!

    ResponderExcluir
  18. Na escola onde trabalho, já assinamos a lista para a paralisação dos dias 17, 18, 19 sei que se ficarmos lá na escola calados estamos ajudando o Desgoverno fazer sua propaganda de que em Minas todos estão satisfeitos com o Subsídio. Por isso estamos parando!!!!!!!!!!! Vamos professores de Minas, levantem, lutem, a vitória está próxima!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Você está mais que certo em tomar essa decisão. Você merece mais que ser professor de MG. Com esse governantes, que não sabem valorizar os bons profissionais, é isso que irá continuar acontecendo. Os bons estão se evadindo em busca de melhores condições de trabalho e remuneração. Tenho um sobrinho que mês que vem, também estará abandonando a educação para um outro emprego.
    Fico feliz por você. Boa sorte e felicidades.
    Maria Helena

    ResponderExcluir
  20. Olá, Euler, belíssimo texto, como sempre. Ah! Parabéns pela mudança de emprego. Com certeza construímos uma história na educação em Minas. Um abraço! Sucesso! Tenho certeza de que você continuará acreditando na educação e continuaremos escrevendo a nossa história. Qualquer dia desses, os nosso gritos muitas vezes abafados irão ecoar e promoverão a mudança pela qual tanto lutamos. Está claro que o PSDB não apoia a educação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bravo.falou tudo

      Excluir
    2. Corrigindo: Os nossos gritos

      Excluir
  21. Querido Euler!
    Lamento que tenhamos perdido você na Educação,mas não tenho dúvidas de que será muito feliz,até porque seria uma grande covardia do destino se isso não acontecesse!
    Muito obrigada,de coração,por todos os serviços prestados e por permitir nosso desabafo muitas vezes neste espaço.
    Abraço forte!

    ResponderExcluir
  22. Olá Euler!Parabéns por sua decisão,embora meu coração esteja doendo.Obrigada por todas as palavras e opiniões postadas aqui!Obrigada,inclusive por manter o Blog ativo.
    Você foi decisivo em muitos momentos difíceis que atravessamos,e ainda é.Deus continue te abençoando e mais uma vez,parabéns por sua libertação...

    ResponderExcluir
  23. http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2014/02/13/interna_politica,497865/efetivacao-sem-concurso-publico-de-98-mil-servidores-em-minas-sera-julgada-no-stf.shtml

    ResponderExcluir
  24. Sei que o desgoverno lê esse Blog, então desgoverno é o seguinte: existe um clima geral de descrédito, de desânimo, de tristeza, de decepção dos profissionais da educação com o setor. Estamos doentes e cansados... Os pais são responsáveis por tudo isso, mas nem o governo nem os eleitores, principalmente os pais terão tempo de se arrependerem de seus pecados... O fim está próximo e coisas horríveis estão por vir, eu também sairei desse martírio, eu somente fico esse ano, pois preciso terminar de pagar meu carro. Já me sinto até leve de saber que ano que vem verei escola de binóculo. Milhares de amigos já saíram e continuarão saindo. O desgoverno filho do demônio e suas secretárias do capeta, podem ir procurando uma explicação para os seus eleitores bestializados... A educação está em seus últimos segundos de vida, o último suspiro está próximo. Parabéns canalhada desgovernada e maldita!!! O que farão sem o contraditório que faz o mundo avançar? Com o domínio de suas vontades, eis que o caos se aproxima para enfim devorá-los. 2014, será marcado como um ano histórico de liberdade ou da maldição eterna em Minas Gerais.
    A você "Guerrreiro de Vespá", só uma coisa: Obrigado por tudo Deus estará contigo, vai com Deus! Nós profissionais de Educação do estado de Minas Gerais, te amamos! Curvelo também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo de Curvelo. Adorei o seu comentário. Realmente é uma "canalhada desgovernada e maldita". Nunca vi coisa tão incompetente e ruim. Conseguiram engolir nossos planos de carreira. Tomara que engordem e haja uma explosão daquelas. Gostoso mesmo é fazer campanha contra eles, politizar mais, aprender mais. Porque esses que aí estão no comando no Estado Minas, merecem nota zero. Digo sempre aos meus alunos: o governo de Minas não acredita em Educação e mais que isso, quer acabar com ela, mas nós faremos diferente aqui na sala de aula. Você disse que sairá da Educação, acho muito justo. Como você sentiu na pele as maldades e a incompetência desse desgoverno, pode conscientizar outras pessoas. Satanasia e sua turma vão querer continuar no poder, eles vão precisar de votos. Fora com eles, vamos arrancar essas ervas daninhas usando as urnas. Boa Sorte! Nós profissionais da educação aqui no Sul de Minas também amamos o Euler.

      Excluir
    2. Obrigado colega, gosto do que faço, mas tá cada vez mais amargo. Importante sua força, que Deus o abençoe também.

      Excluir
  25. Euler, boa sorte para você nessa nova etapa de sua vida. Também estou me preparando para deixar a sala de aula. Não vejo um bom futuro e não consigo ver o marasmo em que encontra meus colegas e até eu mesmo. Sempre participei das manifestações, greves ( fui um dos acorrentados que ficaram fechados dentro do plenário na última greve) e não tenho forças para lutar no momento. O peso sobre nós está muito grande e vou sair antes que eu a doença. Não farei falta para a classe dos educadores como você vai fazer..... Seu blog foi meu alento e fontede informações por muito tempo. Sucesso.

    ResponderExcluir
  26. no jornal o tempoonline a reportagem do aecin ta bombando,poucos a favor dele.

    ResponderExcluir
  27. Parabéns pela tua decisão de sair dessa loucura em que se encontra a educação de Minas Gerais,também eu se não tivesse às portas de me aposentar mudaria sem pensar duas vezes de profissão,embora eu ame o que faço. Sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  28. Mantenha o seu blog sempre ativo, exatamente como sempre foi. O governo vai adorar que você abandone o blog. Até porque o governo adora tudo aquilo que caminha no sentido de prejudicar a população e a educação básica. Continue dando suas contribuições e informações que são essenciais para os educadores de Minas. Parar com um blog que tem milhares de acessos é uma loucura, muitos blogueiros sonham em ter a popularidade que você tem, não desperdice, já que seu blog é mais lido do que muitos jornais por aí. Parabéns pela saída da educação, eu também caminho neste sentido e até falo para meus alunos jamais serem professores, principalmente em Minas. Tenho certeza que até sua saúde melhorará depois da saída do magistério, kkkkk. Um grande abraço e aproveite bastante essa ótima e maravilhosa vida que você terá de agora pra frente longe das salas de aulas, que, na verdade, são campos de guerra.

    ResponderExcluir
  29. Euler, que você tenha muito sucesso no seu novo emprego. É bom saber que você continuará nos apoiando, pois precisamos de você para conquistar nosso piso salarial e outras melhorias na educação.
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  30. Paralisação total na minha escola em 17,18 e 19/03. Vamos colegas, coragem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns!Na minha escola o assunto nem foi mencionado!

      Excluir
  31. Euler, pode ter certeza a semente foi plantada,muitos educadores aprenderam realmente como ser politico.Afinal, todos somos ,mas a gente deixava as coisas acontecerem sem o debate.Pode ter certeza,muita coisa mudou para quem o acompanha.SEJA MUITO FELIZ.

    ResponderExcluir
  32. Euler,muito me entristece saber que você pediu exoneração, que demonstra claramente o caos na educação de Minas Gerais.A desvalorização de categoria tem servido como desmotivação.Culpa de quem?De um governo medíocre!Desejo que você seja feliz e bem remunerado na PBH.Meu fraterno abraço

    ResponderExcluir
  33. AMIGO EULER, FIQUEI MUITO COMOVIDA COM A SUA DESPEDIDA, MAS COM CERTEZA VOCÊ ESTÁ PROCURANDO O MELHOR. QUE DEUS TE ABENÇOE, CONTINUE SENDO ESSA PESSOA MARAVILHOSA QUE VOCÊ É, NÃO NOS ABANDONE, CONTINUE AJUDANDO OS DE BAIXO! PARABÉNS,SIGA EM FRENTE POIS VOCÊ É O CARA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  34. Professor Euler,
    Mesmo eu sendo da área de linguagens, fico maravilhado com essas aulas de História! Quanto a sua saída de Estado de Minas, espero realmente que você continue nos saboreando com estas belas palavras, e; continuemos com a luta em prol de uma educação melhor para os mineiros.
    Professor Herbet.
    Cristália - MG

    ResponderExcluir
  35. http://www.youtube.com/watch?v=jhdFe3evXpk#aid=P9h3GXHX7PI

    ResponderExcluir
  36. Um misto de pesar e alegria.
    Pesar por saber que milhares de alunos deixaram de sofrer sua influência em sala de aula por estes anos afora. Alegria por saber que você parte para fora das salas de aula e de dentro do sistema mineiro de educação que ultimamente tem sido a razão da nossa overdose de stress e doenças físicas e psicológicas.
    Daqui a um ano aposento-me e se não fosse por isso com certeza eu também estaria dando adeus para a educação de MG,apesar de amar o meu ofício.
    Parabéns pela coragem de mudar! Seja feliz Euller!
    Você com certeza fará falta para a educação de Minas Gerais e do Brasil .
    Vou dizer...Que venham os bons,porque os melhores estão saindo!
    Adriana - Sete Lagoas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo eu mesma:deixarão de sofrer e não deixaram de...(desculpe!)

      Excluir
  37. Caríssimo Euler,
    sinceramente,parece que estamos abandonados.
    Eu,que comecei com tanto amor pela profissão,
    cansei das lutas,não gosto de pensar em escola,
    estou de LTS e sem motivação alguma para voltar...
    Se você jogou a toalha,claro,acertadamente,agora
    sim,vejo que não estou só nessa prostração em
    que me encontro.Cansei do ambiente escolar...
    depois de tanto tempo,tantas lutas,tanto carinho
    pelo o que eu fazia,cansei...
    Deus esteja com você nessa nova empreitada!
    Helena Thaereh

    ResponderExcluir
  38. http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/93/lousa-giz-e-chumbo-1093.html

    Lousa, giz e chumbo
    Subfinanciamento da escola pública e privatização do setor estão entre os principais legados das políticas educacionais da ditadura
    por Cida de Oliveira e Sarah Fernandes publicado 15/03/2014 15:33
    O JORNAL / JCOM / D.A. PRESS / (RJ 12/07/1968)
    Correria e prisões
    Enquanto prendia estudantes e professores, a ditadura rapidamente mudou o modelo de ensino no Brasil
    Em meio a um emaranhado de fusões de escolas e concentração de conglomerados universitários, o ensino superior privado brasileiro segue de vento em popa. Um levantamento da consultoria Hoper Educação, com base em dados de 2013, constatou crescimento de faturamento de 30% entre 2011 e 2013, de R$ 24,7 bilhões para R$ 32 bilhões. Conforme a consultoria, estão matriculados hoje no ensino superior privado 5 milhões de alunos.

    Os números do setor têm reflexo no Censo Escolar do Ministério da Educação. Os dados de 2011, divulgados em 2013, indicam que das 2.365 instituições que participaram do levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 88% são particulares – percentual que praticamente repete o do censo anterior. Entre as dez maiores instituições de ensino superior em números de matrículas de graduação, nove são privadas.

    A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, mostra que em 2012 estavam na rede privada 74,6% dos estudantes, percentual que aumentou em relação ao ano anterior, que era de 73,2%. O crescimento da educação como negócio é inversamente proporcional à queda na qualidade dessa modalidade ensino, pouco fiscalizado.
    (...)

    ResponderExcluir
  39. (...)
    A maioria dos cursos é noturna e alunos dessas faculdades dedica menos tempo aos estudos fora da sala de aula do que os das faculdades públicas. Justamente porque precisam trabalhar, não chegam a estudar mais do que cinco horas por semana em casa. E é na universidade pública, onde a qualidade do ensino é historicamente melhor, que estão os alunos com mais tempo para estudar. O dado revela mais um traço de desigualdade, já que ali estão os estudantes com melhor situação socioeconômica. Em 2013, dos mais de 10 mil estudantes aprovados no vestibular da Universidade de São Paulo – a mais procurada do Brasil –, apenas 28,5% estudaram em escola pública em algum momento da vida. O número é pouco maior que em 2008, quando era de 26,5%, conforme dados da Fundação para o Vestibular (Fuvest).

    Esse cenário decorre do conceito de que a educação é um negócio, cuja missão é forjar cidadãos para atender às demandas do mercado. E é cria de um processo que ganhou grande impulso há 50 anos.

    VITOR / CB/DA PRESS
    Enquadramento
    Hasteamento da bandeira em Gama (DF), 1975. Nas escolas, a disciplina e a ordem eram enaltecidas. E obrigatórias
    A educação que convém
    À noite, à luz de lampião, 300 trabalhadores rurais da pequena Angicos, no sertão do Rio Grande do Norte, aprenderam a ler, escrever, fazer contas e a se enxergar como cidadãos. Bastaram 40 aulas. O êxito da experiência levou a reunir, em seu encerramento, em março de 1964, o então presidente João Goulart e o general Humberto de Alencar Castelo Branco.

    Comandante da III Região Militar em Recife na época, ele já via no método pedagógico do educador Paulo Freire uma forma de “engordar cascáveis” naqueles sertões. No mês seguinte, houve a primeira greve no município, atribuída à “praga comunista” trazida pelas aulas e, logo em seguida, o cancelamento, pelos militares, da adoção do programa em todo o país que tinha então taxa de analfabetismo superior a 30%. Freire foi preso e exilado.

    Não se sabe se o país teria erradicado o analfabetismo se a experiência de Angicos fosse ampliada para todo o território. Ou se ainda teria os mesmos 13 milhões de analfabetos. A certeza é que o golpe, que em 1964 brecou o processo de democratização em curso no país desde a década de 1940, fez da educação instrumento de legitimidade, alvo de seus órgãos de repressão e deu cheque em branco ao empresariado amigo. Tanto que as diretrizes da política educacional dos governos militares, marcada pela transferência de recursos públicos para o setor privado – sangria que acabou colocando o ensino público brasileiro entre os piores do mundo –, foram traçadas no Rio de Janeiro, em 1964, num seminário do Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (Ipes), organização que ajudou a criar o clima e a dar sustentação ao golpe. O tema do evento: “A educação que nos convém”.

    Dali saíram as bases da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968, aprovada duas semanas antes de ser baixado o Ato Institucional nº 5, o AI-5. A lei reorganizou o ensino superior numa concepção autoritária, segundo a qual mercado, e as instituições ao seu dispor, adequam as pessoas às suas necessidades. Criaram-se ainda mecanismos que justificaram abusos, intervenções, perseguição e cassação de professores e estudantes, censura à pesquisa e a subordinação direta dos reitores ao presidente da República.
    (...)

    ResponderExcluir
  40. (...)
    E, claro, a lei permitiu também a abertura de vagas em faculdades particulares para atender anseios do empresariado, que dependiam de mais profissionais capacitados. Nos primeiros anos do golpe, enquanto a Argentina tinha 36% dos jovens com idade entre 18 e 24 anos na faculdade, o Brasil não chegava a 12%. Para chegar perto, portanto, era preciso triplicar as vagas.

    “Até aquela época eram poucas as instituições privadas, geralmente tradicionais, religiosas, como a presbiteriana Mackenzie e a Pontifícia Universidade Católica. O ensino superior era oferecido majoritariamente pelo Estado, que nos anos 1940 encampou faculdades privadas. Mas desde então a proporção se inverteu. Hoje, as vagas públicas não chegam a 25% do total”, aponta o professor Dermeval Saviani, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

    Dois meses após o AI-5, o presidente Arthur da Costa e Silva baixou o Decreto-lei nº 477, o AI-5 das universidades. Escrito sob a batuta de tecnocratas da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid, na sigla em inglês), punia sumariamente professores, alunos e funcionários considerados culpados de subversão e os proibia de trabalhar ou estudar em outras instituições. Era a criminalização do movimento estudantil e de toda forma de contestação.
    (...)

    ResponderExcluir
  41. (...)
    Na época foram presos, processados e mandados para o exílio professores como Celso Furtado, Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro, Leite Lopes e Mário Schemberg. As forças militares invadiram universidades, incendiaram a sede a União Nacional dos Estudantes (UNE), no Rio de Janeiro, fecharam escolas e destruíram bibliotecas.

    “O argumento era colocar o país em ordem numa perspectiva estratégica de progresso conforme as convicções do regime, calando as insatisfações sociais e políticas que brotavam sobretudo nesses espaços”, lembra o professor José Willington­ Germano, do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), autor do livro Estado Militar e a Educação no Brasil 1964-1985.

    Obviamente, nenhuma medida se impõe exclusivamente pelo retrocesso. Ali se implementava também a pós-graduação no país, proporcionando a pesquisa universitária – ainda que de forma mutiladora, de universidade operacional, voltada à técnica e ciência instrumental, burocratizada, orientada pelo mercado, longe do ideal autônomo, pluralista e crítico, como observa Willington. A novidade, porém, acabou sendo um tiro pela culatra ao aglutinar professores e pesquisadores contrários à repressão. “Houve uma produção importante nas ciências sociais, humanas e da educação que despertou o senso crítico e levou à desconstrução do discurso hegemônico”, observa Saviani, da Unicamp.

    Os movimentos de educação e cultura popular também foram duramente reprimidos, entre elas as escolas radiofônicas do Movimento de Educação de Base (MEB), da Arquidiocese de Natal. O rádio que alfabetizava também incentivava a participação sindical dos trabalhadores rurais e a defesa da reforma agrária como enfrentamento à miséria. Ao discurso reformista democratizante foi contraposto o da Doutrina de Segurança Nacional, com disciplina e ordem enaltecidas, por exemplo, no ensino de Educação Moral e Cívica ministrado em todos os níveis, inclusive na pós-graduação.
    (...)

    ResponderExcluir
  42. (...)
    CC / DANILO RAMOS / RBA (FEV/ 2014)
    Frutos
    Alunos, professores e funcionários das ETecs e Fetecs (SP) protestam por melhores salários e condições de trabalho
    Promessa não cumprida
    Inspirada na teoria do capital humano com apelos de correção das desigualdades sociais defendida pelo empresariado do Ipes, a Lei nº 5.692, de 1971, ampliou de quatro para oito anos a escolaridade obrigatória no então ensino de primeiro grau. Teoricamente, todas as crianças brasileiras entrariam no primeiro grau e no quinto ano seriam sondadas quanto a aptidões para o mercado de trabalho, sem ter de mais passar pelo exame da ­admissão para subir do primário para o ginasial. E no segundo grau já seguiriam para um curso profissionalizante, com a justificativa de que o ensino profissional deveria ser destinado a todos, garantindo a todos uma profissão de nível médio.

    De certo modo, seria uma conquista comparada à escolaridade obrigatória anterior, de quatro anos, mas que na prática não se sustentou. Primeiro, porque o próprio primeiro grau não foi universalizado até hoje em algumas regiões periféricas. E, segundo, porque não foram feitos investimentos proporcionais ao crescimento. “Com o novo ensino de primeiro grau, com oito anos, e abolido o exame de admissão, mais alunos puderam continuar estudando”, reconhece a professora Alzira Batalha Alcântara, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). “Porém, sem a injeção de mais recursos, não havia como construir mais escolas para atender à demanda, faltavam laboratórios em escolas profissionalizantes de segundo grau, o currículo foi enxugado para reduzir a necessidade de mais professores, não havia concursos, os salários foram sendo achatados e a qualidade caiu”, completa.

    Pelas contas do professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF) Nicholas Davies, houve mesmo redução nos investimentos. Pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1961, cabia à União investir no mínimo 12%, o que a Constituição de 1967 suprimiu. Em 1969, pela Emenda Constitucional n° 1, os municípios continuaram obrigados a investir 20% da receita no ensino primário. Porém, estados e União ficaram livres de um percentual mínimo. Entre 1960 e 1965, o Ministério da Educação (MEC) investia entre 8,5% e 10,6%, percentuais que foram reduzidos para 4,4% e 5,4% no período de 1970 a 1975, do chamado “milagre” econômico.
    (...)

    ResponderExcluir
  43. (...)
    Só em 1983, com a Emenda Constitucional n° 24, do senador João Calmon, foi fixado mínimo de 13% para a União e 25% para estados, Distrito Federal e municípios. O dinheiro que faltava para o ensino público seguia para o setor privado, via isenções fiscais e incentivos.

    Um dos mecanismos era o salário-educação, criado em 1964 para financiar a educação primária. No entanto, permitia às empresas abrir escolas para filhos de funcionários ou pagar bolsas em escolas particulares em troca da isenção do recolhimento. Estudos mostram que em meados da década de 1980 metade de toda a rede particular que oferecia educação fundamental era mantida com o salário-educação.

    As escolas particulares proliferaram, sempre contando com a isenção de impostos sobre patrimônio, de renda e sobre serviços e financiamentos com juros negativos. O perfil privado, sem a representação democrática de todas as parcelas da sociedade, é, aliás um traço do período da ditadura que se mantém nos dias de hoje no estado de São Paulo, por exemplo. A combinação de um regime que inibia as possibilidades de contestação social com a deterioração da qualidade do ensino público criou mais um alicerce para a edificação do ensino privado. Em vez de contestar e exigir ensino estatal de qualidade, a classe média passou a incluir a escola particular cada vez mais em sua cultura e em seu orçamento.

    Passados 50 anos do golpe, os estudiosos não sabem dizer também se as medidas tomadas pelos governos autoritários teriam sido adotadas num eventual ­regime de alternância regular de poder civil. Mas quase 30 anos depois de iniciada a redemocratização, o que se sabe é que ainda são sentidos os efeitos do pós-1964 no ensino. E a luta por mais recursos para a educação pública é uma das principais bandeiras da sociedade que hoje pode e vai às ruas. “O mais perverso e injusto é o elemento ideológico resultante de todo esse processo que ainda persiste: que o público é ruim e o particular é bom”, diz o professor Luiz Antônio Cunha, da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    ResponderExcluir
  44. OBRIGADO POR TUDO QUE FEZ POR NÓS, CAMARADA / COMANDANTE !
    COMPANHEIRO: Força na luta e contra os de cima, sempre...

    André buzina.

    ResponderExcluir
  45. Euler, vc merece vida melhor que esta de ser maltratado pelo governa e pela educação. Seja mto feliz! Ainda bem q vc saiu a tempo de começar uma nova carreira profissional. Mas eu estou tão triste por termos perdido vc que eu até demorei postar um comentário , pois estou ainda remoendo este sentimento. Estou me sentindom órfã. Mas nao é órfã de pai falecido, nao. Estou me sentindo órfã de pai vivo. Quando o pai vai embora sem olhar pra traz. Me perdoa, descobri que sou egoista e invejosa. Vc fez o que eu deveria ter feito a alguns anos atrás. Mas tambem sou pirracenta: não saio, não saio, nao saio. Viu quntos sentmentos vc me obrogou a revelar? Precisamos deseperadamente de vc nos direcionendo, envolvendo, revelando as armacoese falcatruas,abrindo os olhos , nos tirando do estado de inércia e matando de raiva a gangue da dedeia e "a é sim". Não nos deixe sós. Quero que vc tenha tudo de bom que uma pessoa do bem como vc pode ter, mas não esqueça nunca de nós, os de baixo e do sofrimento dos professores mineiros. Voto em vc até pra sindico, viu? Ha... tô tao triste, pois a gsngue ta7 dando risada. Me perdoa tá? Nao sou tao ruim assim. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe os erros acima, mas ainda ñ aprendi a usar este tal de tablet. Foi a única coisa que sobrou pra mim, pois os filhos estão no computador e no not book.
      Já estou com saudades....

      Excluir
  46. Não consigo tirar os informes para imposto de renda do ipseng alguém já consegui?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comprovante de rendimentos pagos e de retenção de Imposto de Renda Retidos na fonte já estão aparecendo no site portaldoservidor. Bom, eu sempre uso o que aparece lá.

      Excluir
    2. Corrigindo: O comprovante de rendimentos pagos e de retenção de Imposto de Renda na fonte... Se bem que segundo o professor Néo Marques da Rede Estadual de São Paulo e também eu concordo: ATÉ 1964 (ANTES DA DITADURA) PROFESSORES E ESCRITORES NÃO PAGAVAM IMPOSTO DE RENDA!! JÁ QUE O AUMENTO DO SALÁRIO PARA OS PROFESSORES NÃO ESTÁ NEM PERTO DO QUE MERECEMOS, SERIA DIGNO QUE ISSO FOSSE REALIDADE.

      Excluir
    3. Sim, hoje, 19 de março consegui imprimir o do SEPLAG e do IPSEMG.

      Excluir
  47. E a LC 100 alguém tem notícia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está com falência múltipla de constitucionalidade. Creio que não dure muito.

      Excluir
  48. TSE manda PSDB tirar propaganda pró-Aécio Neves do Facebook 4
    Do UOL, em Brasília 14/03/201413h38

    Comunicar erroImprimir
    O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou na quinta-feira (13) ao Facebook que retire do perfil do PSDB a propaganda favorável à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República.

    Para o ministro Humberto Martins, responsável pela decisão, as imagens e mensagens postadas no perfil público configuram propaganda eleitoral antecipada.

    De acordo com a legislação, a propaganda eleitoral neste ano só será permitida a partir de 6 de julho. O responsável pela propaganda irregular e seu beneficiário, caso este tenha conhecimento prévio da propaganda, estão sujeitos as multas que variam entre R$ 5.000 a R$ 25 mil. A ação contra o PSDB foi apresentada pelo Ministério Público Eleitoral.

    Em sua decisão, o ministro afirma que a página da internet não é restrita àqueles que se cadastram e são autorizados e pode ser acessada por qualquer internauta.

    A reportagem tentou falar com o senador para comentar a decisão, mas não conseguiu localizá-lo até a publicação desta notícia.

    A Justiça também negou pedidos de Aécio para que sejam bloqueadas buscas na internet que o associam a uso de entorpecentes e desvio de dinheiro durante sua gestão como governador de Minas Gerais, segundo reportagem da "Folha de S.Paulo".

    O tucano não conseguiu impedir as buscas por desvio de verbas na primeira instância e entrou com recurso, com pedido de liminar. Já a ação que associam o tucano ao consumo de droga corre em segredo de Justiça desde dezembro de 2013.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá um tal de artista mandar felicitações de aniversário para o dito.Tudo estratégia.Só para o povo achar que ele está bem e para alguns sem informação cair nessa.Tudo propaganda disfarçada.

      Excluir
  49. Engraçado, Aécio era governador de Minas e nunca saía nada contra ele, kkk, já que a mídia mineira é fácil de segurar. Agora com ele sendo candidato a presidente não param de surgir na internet e em jornais notícias falando mal dele. Parece que mandar na mídia de todo o Brasil é bem mais difícil do que mandar apenas na mídia de Minas. O Brasil é bem maior do que Minas né senhor senador, kkkk. Quero ver você segurar a mídia do Brasil todo e a internet também.....Espere que muita coisa vai surgir ainda. Até a questão dos 4,3 bilhões da copasa a galera da internet falou também..... É, vida de candidato a presidente é dura né senhor senador. Em Minas era tão fácil calar a mídia né, agora no Brasil inteiro as coisas são um pouquinho mais difíceis, kkkkkk. Para quem estava a vida toda acostumado a ouvir apenas falar bem de sí, agora deve estar sendo um caos ouvir tanta gente falar mal, não é verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que falam nao e mal e apenas um pouquinho do muito que este cara aprontou.

      Excluir
  50. Euler, Preciso ter a sua coragem e exonerar. Desejo tudo de bom na sua nova caminhada.Abraços.

    ResponderExcluir
  51. http://www.diariodocentrodomundo.com.br/mais-gente-com-educacao-superior-usa-diariamente-a-internet-do-que-a-tv-no-brasil/

    ResponderExcluir
  52. Gostei dessa história. Vale a pena ler. Ocupação de espaço público.

    http://oesquema.com.br/bateestaca/2014/03/17/a-balada-que-e-a-cara-de-sao-paulo-hoje-acaba-de-ser-legalizada/

    ResponderExcluir
  53. Anônimo do dia 17 as 15:30, sim tirei .Você tem que desabilitar pop ups.É muito fácil.Veja seu navegador qual é , procure informação na internet e desabilite.Aí você verá.

    ResponderExcluir

  54. Anastasia anuncia que deixa governo para cuidar da campanha de Aécio
    Governador de Minas vai renunciar ao cargo no dia 4 de abril.
    Ele não confirmou, no entanto, se vai concorrer a algum cargo nas eleições.

    Será que vai resolver? Aécio não está com essa bola toda não. Tchau!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENTIRA DELE! ELE VAI LARGAR PARA CONCORRER AO SENADO FEDERAL E NÃO QUER FALAR PRA GENTE NÃO FALAR MAL DELE NAS REDES SOCIAIS... KKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    2. Vai tarde demais....

      Excluir
    3. Que pena que nana vai sair... tão tarde.
      Podia levar o queijo fedorento e o animal que ri muito e come merda...

      Excluir
    4. "Podia levar o queijo fedorento e o animal que ri muito e come merda..." Ele vai canetar todo mundo:EXONERADAS... Deveriam ir para a cadeia, roubaram o dinheiro da aposentadoria que arrecadaram dos professores "efetivados"... Processem eles!

      Excluir
  55. http://www.stf.jus.br/portal/pauta/verTema.asp?id=76469

    PROCESSO
    AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 4876
    ORIGEM: MG
    RELATOR(A): MIN. DIAS TOFFOLI
    REDATOR(A) PARA ACORDAO:
    REQTE.(S): MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
    PROC.(A/S)(ES): PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA
    INTDO.(A/S): GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS
    ADV.(A/S): ADVOGADO-GERAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS
    INTDO.(A/S): ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
    ADV.(A/S): SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS
    AM. CURIAE.: ASSOCOAÇÃO DE PROFESSORES PÚBLICOS DE MINAS GERAIS - APPMG
    ADV.(A/S): DÁCIO FERNANDO JULIANI
    ADV.(A/S): CRISTIANO REIS GIULIANI
    PAUTA TEMÁTICA
    PAUTA: P.10 SERVIDOR PÚBLICO
    TEMA: CONCURSO PÚBLICO
    SUB-TEMA: EXIGIBILIDADE DE CONCURSO PÚBLICO
    OUTRAS INFORMAÇÕES


    TEMA DO PROCESSO
    Tema
    1. Ação Direta de Inconstitucionalidade com pedido de medida cautelar, ajuizada pelo Procurador-Geral da República, em face do artigo 7º Lei Complementar nº 100, de 05 de novembro de 2007, do Estado de Minas Gerais.
    2. O Requerente alega que o dispositivo impugnado 'dispõe sobre a concessão de titularidade de cargos públicos efetivos a profissionais da área de educação que mantinha vínculo precário com a administração pública estadual há mais de cinco anos, sob a chancela de 'designados', pasando a ser lotados no Insituto de Previdência do Estado de Minas Gerais'. Nessa linha, sustenta, em síntese, que ‘A questão central diz respeito à investidura de milhares de cidadãos em cargos públicos efetivos sem a realização de concurso público. Tais medidas caracterizam evidente violação aos princípios republicano (art. 1º, caput, da CR), da isonomia (art. 5º, caput e II, da CR), da impessoalidade e da moralidade administrativa (art. 37, caput, da CR), e da obrigatoriedade de concurso público (art. 37 II, da CR)'.
    3.'Em razão da relevância da matéria e seu especial significado para a ordem social e para a segurança jurídica', o relator aplicou o procedimento abreviado do art. 12 da Lei nº 9868/99.
    4. O Governador do Estado de Minas Gerais prestou informações, pugnando pelo acolhimento 'das preliminares e indeferida a inicial'. No mérito, pela improcedência do pedido.
    5. A Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais prestou informações, pugnando pelo não conhecimento da ação e, se conhecida, pela sua improcedência.


    Tese
    CARGO PÚBLICO. PROFISSIONAIS DA ÁREA DA EDUCAÇÃO. TITULARIZAÇÃO. ALEGAÇÃO DE VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO DO CONCURSO PÚBLICO. LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº 100/07-MG, ARTIGO 7º. CF, ARTIGOS 1º, CAPUT, 5º, CAPUT E INCISO II; 37 CAPUT E INCISO II.

    Saber se o dispositivo impugnado viola o princípio do concurso público.


    Parecer da PGR
    Pelo conhecimento e procedência do pedido.

    Parecer da AGU
    Pelo não conhecimento da ação direta e, no mérito, pela procedência parcial do pedido.

    Informações
    Processo incluído em pauta de julgamento publicada no DJE em 14/02/2014.

    ***>>>AGUARDANDO O ACÓRDÃO<<<
    REDATOR(A) PARA ACÓRDÃO

    ResponderExcluir

  56. Quarta, 12 de Março de 2014
    Opinião
    Indisciplina sufoca Escola Pública

    Sofia Canha
    55 comentários

    Ferramentas


    Share on email Share on print More Sharing Services
    21
    +a a -a
    Interessante
    Achou este artigo interessante?
    Cancelar o voto
    1/5
    2/5
    3/5
    4/5
    5/5

    Vou permitir-me ser politicamente incorreta. Normalmente há grandes pruridos em falar de indisciplina nas escolas e assumi-la como um verdadeiro problema com todas as consequências que daí advêm. Esta questão nunca é verdadeiramente discutida nas escolas, porque não se assume como um problema da escola, mas sim do professor.

    Desviou-se a questão para a natureza psicológica do professor, em vez de se assumir como um problema da escola e da sociedade e, assim, se dar instrumentos claros, precisos e justos, de regulação. Fazer depender a gestão da indisciplina na aula unicamente das características pessoais e do perfil do professor, não só é errado como pernicioso. A principal função do professor é mediar a aprendizagem dos alunos, mediante os conteúdos programáticos que, formal ou informalmente, constam do programa e/ou do projeto educativo. E é precisamente esta função que, não raras vezes, acaba por ser secundarizada, perante situações disruptivas constantes, que desviam a atenção do professor da sua principal função.

    A relação pedagógica deve assentar no respeito mútuo, tendo por base as condições para o pleno exercício das funções e papéis que cabem a cada um: ensinar/educar e aprender/educar-se. O professor ao longo de 90 minutos aciona constantemente o sistema límbico (responsável pelas emoções) e o reptiliano (instinto, segurança), devido às diversas situações e problemas que ocorrem na aula, significando que nem sempre está concentrado e focalizado naquele que deveria ser o seu conteúdo funcional. Esta intermitência causa uma grande pressão que, a longo prazo, acarreta graves prejuízos para a saúde do docente e compromete o processo de ensino-aprendizagem.

    Todos aqueles chavões que, de repente, se começaram a atribuir ao professor (gestor de conflitos, gestor de emoções, promotor de afetos, entre outros) transformaram-no num super-herói, capaz de assumir uma amálgama de papéis. E a sociedade agradece, as famílias agradecem, o sistema agradece, pois, ao delegar-se neste super-herói a tarefa de fazer tudo o que é da sua responsabilidade e tudo o que não deveria ser, a sociedade, a família e o sistema “lavam as suas mãos”… E pior do que isso, responsabilizam a escola e, em última instância, os professores.

    Na generalidade das salas de aula, em Portugal, gerem-se comportamentos e situações de conflito, quando sedeveriam gerir aprendizagens.Ou seja, são tantos os fatores de dispersão que a aprendizagem e o conhecimento ficam secundarizados. É aqui que as escolas privadas ganham terreno e se diferenciam (selecionando os alunos também pelos padrões de comportamento e com autonomia para definirem as regras de conduta e eventuais sanções que, na Escola Pública, seriam inaceitáveis).

    Por outro lado, a cultura do prazer que se instalou na sociedade pós-moderna, influenciada pelas correntes humanistas mais fundamentalistas, fez emergir algumas teorias sobre o papel da escola, algumas excessivamente românticas (“a escola deve servir para as crianças serem felizes”, “educar para a felicidade”, entre outras), que têm contribuído para uma maior naturalização dos “maus comportamentos”. Não consta que pessoas educadas em ambientes mais disciplinadores (não confundamos com repressores) sejam pessoas piores, com menos sentido crítico, menos educadas e menos sensíveis.

    A escola e os professores têm um papel fundamental no desenvolvimento dos indivíduos e na diminuição das assimetrias socioculturais. Mas é necessário que todos (escola, família e sociedade) tenham consciência do seu papel, relativamente à formação integral dos alunos, filhos, cidadãos.

    ResponderExcluir
  57. VOCÊ CONTINUARÁ SENDO REFERÊNCIA PARA OS COLEGAS DA GILBERTO CALDEIRA BRANT!!! NOSSO GUIA, NOSSA LUZ ABAIXO DE JESUS!!! ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  58. Euler / Blog do Euler18 de março de 2014 17:24

    Olá, pessoal da luta, colegas educadores,gente que vive no meu coração!

    Quero agradecer a todos e todas pelas manifestações carinhosas e de incentivo. Não esperava outra coisa desta turma valente, bonita, que merece o céu, aqui na Terra mesmo.

    Estamos juntos mesmos, mesmo não estando mais na rede estadual. Meu compromisso com a luta dos educadores é o mesmo e este espaço continuará, inclusive com as nossas modestas análises sobre os temas ligados à Educação pública. Este deveria ser um compromisso de qualquer cidadão comum. E mais ainda de um professor, de um educador, mesmo que seja um ex-profissional da Educação. No nosso caso, de professores, somos de certa forma "eternizados" enquanto tal. Principalmente pelos nossos alunos, que nunca nos esquecem, nunca.

    Não passa um dia sem que eu encontre algum ex-aluno que me pergunta como estão as coisas na escola, se eu ainda leciono, etc.. E eu sempre quero saber sobre ele (s), o que andam fazendo, se já formaram, onde trabalham. Esta relação é muito parecida com a que temos entre os colegas profissionais da Educação. Podemos ficar um século sem nos encontrar que vamos querer saber como está o/a colega, se ainda continua lecionando, se já se aposentou, rsrs.

    Podemos ganhar pouco e sofrer muito com as condições de trabalho e os muitos descasos dos diversos governos, mas temos uma história de vida e de luta em contato e em comum. Uma história que os educadores constrõem com dignidade, com muita perseverança, e paciência também, claro.

    A sociedade brasileira, e mais ainda o estado, não soube (não souberam) valorizar o papel do profissional da Educação, e em função disto colhemos uma realidade marcada pela violência, por maiores investimentos na construção de cadeias, no lugar de escolas. Quiçá um dia isto mude. Porque merecemos - nós, os de baixo - uma realidade melhor, uma real educação de qualidade para todos, com a valorização dos profissionais em primeiríssimo lugar, sem o quê, volto a dizer, não haverá futuro para a Educação.

    Um abraço fraterno em todos e todas e força na luta! Sempre! Até a nossa vitória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Euler, cada dia que passa, a sensação de abandono aumenta.

      Saber que não te verei nos campos de batalha chega doer.

      Mas desejo-lhe boa sorte nesta nova caminhada.

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. SENTIREMOS SUA FALTA NA NOSSA LABUTA DIÁRIA...MAS ESTOU MUITO FELIZ QUE VOCÊ TENHA SAÍDO DAS AMARRAS DO ESTADO E SEGUIDO SUA VIDA...ESTE É O SONHO DE MUITOS DE NÓS...TÍNHAMOS VOCÊ COMO EXEMPLO HÁ MUITO TEMPO, E HOJE AINDA MAIS...DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO ...O MÉRITO É TODO SEU.

      Excluir
  59. Parece-me que a blindagem que a mídia mineira perpetuou durante o governo do psdb está diminuindo e as matérias revelando a realidade estão começando a aparecer. Vamos detonar este partido em 2014.

    ResponderExcluir
  60. Gostei do título que lhe deram num comentário acima: "Guerreiro de Vespá". Você realmente é e sempre será o nosso guerreiro, você é e sempre será um professor mesmo fora da sala de aula, o professor já nasce com o titulozinho na testa "professor" o que deveria ser um orgulho, hoje é loucura! Mas sabemos que você sempre estará aqui com os seus textos maravilhosos, seus comentários e agora com mais tempo para lutar contra os de cima. Maravilha! Você está certo em procurar sobreviver com mais dignidade, aqui, morre-se todo dia um pouco, com as condições da educação, com a desvalorização, com o salário... Mas agora temos nosso GUERREIRO com mais força! Obrigada por tudo e temos certeza de que poderemos sempre contar com você, você é o nosso farol, é tudo que se falou acima. Um abraço! "Até a nossa vitória"!

    ResponderExcluir
  61. NOT ÍCIAS SOBRE FÉRIAS PRÊMIO,PELO AMOR DE DEUS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente soube que somente serão autorizadas as férias de quem aposentará no semestre subsequente, ou seja, poderá tirar férias premio até junho quem completar tempo e idade para aposentar a partir de agosto deste ano ( outros entendem julho deste). No segundo semestre poderá se afastar quem completar tempo e idade até julho de 2015. É o seu caso?

      Excluir
  62. Estão comentando que se a Lei 100 cair teremos que fazer inscrição no final do ano para concorrermos à designação no ano que vem. Alguém soube da notícia.

    ResponderExcluir
  63. Caneta
    Alberto Pinto Coelho terá carta branca para montar secretariado
    Governador Antonio Anastasia vai exonerar todo o primeiro escalão um dia antes de sair do cargo; vice-governador poderá escalar seu time para contemplar aliados de Aécio Neves em Minas Gerais
    http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/alberto-ter%C3%A1-carta-branca-para-montar-novo-secretariado-1.810068

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Povo escroto e fedido.Não enganam mais ninguém.Até parece que as mocréias mor vão largar o osso.

      Excluir
    2. Tem uma superintendente na metropolitana (...) que continua superintendendo apesar de seus setenta e tantos anos.Dizem que ganhou um cargo vitalício.Uai, mas servidor público não tem que aposentar aos 70?

      Excluir
  64. Querido Euler,
    Parabéns pela sua decisão! muito corajosa! você certamente fez a escolha certa. Vá sim, procurar quem lhe dê real valor. Infelizmente o Estado de Minas não sabe valorizar seus bens reais: os educadores.Perdemos todos nós. Que Deus o proteja! por favor, continue a nos prestigiar com sua escrita pois esta é libertária e profícua.

    ResponderExcluir
  65. Já vai tarde, esse bando de demônios... Que o satanás os leve para o fundão do inferno!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tu acha que o capeta quer esta desgraça lá ?

      Excluir
    2. Nem no inferno eles serão bem vindos!!! Essa corja é pior que qualquer legião de demônios e eles não gostam de concorrência.

      Excluir
    3. OLHA O VENENO. O PEIXE MORRE É PELA BOCA.

      Excluir
  66. Se o malfadado vai sair significa que vai voltar pra sala de aula? Ou vai ficar recebendo sem trabalhar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senadooooorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

      Excluir
    2. A eleição é em outubro.E até lá?
      Faltamos um dia e ... TOMA.
      o fofo pode né?
      FALTA NELE

      Excluir
  67. Estamos no fundo do fosso. Sem salário, desvalorizado e com uma safra de alunos, que se estes forem o futuro do Brasil, estamos arrasados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E................lepo lepo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!cachaça, droga , celular e direção nada faz. E o cara vai saindo e deixando um abacaxi podre para nos.AMÈM.

      Excluir
  68. LEI 100
    http://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2014/03/20_educacao_servidores_contratados_lei_100.html
    Cerca de 300 servidores que foram efetivados com a Lei Complementar 100, de 2007, acompanharam, nesta quinta-feira (20/3/14), audiência pública da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), realizada para defender a constitucionalidade da norma. A lei está sendo questionada em uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF).

    Leis semelhantes já foram vetadas pelo Supremo nos Estados de São Paulo, Acre e Rio Grande do Sul. A Constituição Federal veda a contratação de servidores que não sejam aprovados em concurso público

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUE COISA FEIA.COLEGA TENTANDO FERRAR COM COLEGA. MERECEM O QUE GANHAM.

      Excluir
  69. A máscara do desgoverno está caindo, e a mídia começa a desmascarar a ILHA DA FANTASIA montada em cima de notícias falsas e de números manipulados. Com a aproximação das eleições o bicho vai pegar para esta turma: vamos fazer a maior propaganda já vista contra o psdb/bosta. Quem viver verá.

    ResponderExcluir
  70. Alguns dias atrás algumas pessoas postaram comentários falando que tinham ligado para o gabinete do ministro Dias Toffoli, relator da ADI 4876 (famosa lei 100) e que os funcionários atendiam muito bem com cordialidade, respeito e muita educação e que os mesmos tinham informado que a lei 100 seria julgada rapidamente. E não é que a informação era mesmo verdade. Basta olharmos no site do STF que a data do julgamento já está lá, confirmem:

    Calendário de Julgamentos
    Dia 26/03/2014

    7ª Sessão ordinária
    Início da sessão às 14:00

    Observação: 1) NO DIA 27-3-2014 A PAUTA SERÁ COMPOSTA PELOS PROCESSOS REMANESCENTES DO DIA 26-3-2014; 2) PODERÃO SER CHAMADOS PROCESSOS DA PAUTA EXTRA

    Ver todos os temas

    ADI 4876 (relator: MIN. DIAS TOFFOLI)
    P.10 - SERVIDOR PÚBLICO
    Ver Tema
    ADI 3237 (relator: MIN. JOAQUIM BARBOSA); Vista: MIN. EROS GRAU
    P.10 - SERVIDOR PÚBLICO
    Ver Tema
    ADI 3247 (relator: MIN. CÁRMEN LÚCIA)
    P.10 - SERVIDOR PÚBLICO
    Ver Tema
    ADI 3662 (relator: MIN. MARCO AURÉLIO)
    P.10 - SERVIDOR PÚBLICO
    Ver Tema
    PSV 45 (relator: MINISTRO PRESIDENTE)
    P.10 - SERVIDOR PÚBLICO
    Ver Tema
    MS 26860 (relator: MIN. LUIZ FUX); Vista: MIN. DIAS TOFFOLI
    P.16 - PODER JUDICIÁRIO E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA
    Ver Tema
    MS 28279 - EMB.DECL. EM MANDADO DE SEGURANÇA (relator: MIN. ROSA WEBER)
    P.16 - PODER JUDICIÁRIO E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA
    Ver Tema
    ARE 761661 - AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO (relator: MINISTRO PRESIDENTE)
    P.17 - MATÉRIA PROCESSUAL
    Ver Tema
    AR 1811 (relator: MIN. LUIZ FUX); Vista: MIN. GILMAR MENDES
    P.22 - COMPETÊNCIA DO STF
    Ver Tema

    Listas dos Ministros:

    MIN. GILMAR MENDES:
    LISTA2
    MIN. CÁRMEN LÚCIA:
    LISTA1 LISTA2 LISTA3
    MIN. DIAS TOFFOLI:
    LISTA1 LISTA2 LISTA3 LISTA4 LISTA5
    MIN. LUIZ FUX:
    LISTA2 LISTA3
    MIN. ROSA WEBER:
    LISTA1
    MIN. TEORI ZAVASCKI:
    LISTA1 LISTA2 LISTA3 LISTA4 LISTA5
    MIN. ROBERTO BARROSO:
    LISTA1

    LEGENDA

    Processo suspenso
    Processo julgado

    ResponderExcluir
  71. Saiu em vários jornais alguns dias atrás uma reportagem que ficou muito badalada sobre contratações sem concurso feitas por vários estados. Parece que isso ajudou o STF a se interessar em causas relacionadas a esse tema, é tanto que no dia 26/03/2014 portanto na próxima quarta-feira será julgada não apenas a lei 100 mas várias outras ADIs sobre concurso público e servidores públicos, a famosa Pauta P10 do STF. Entre a pauta P10 apenas a lei 100 foi escolhida para ser julgada, talvez seja pelo fato de o estado de Minas já ter um concurso em andamento e que termina no fim do ano. Essa informação consta nos autos da ADI da lei 100. O STF pode ter escolhido exatamente por causa do concurso que ainda está em validade, sendo assim sendo declarada a inconstitucionalidade da lei 100 o STF nem vai dar modulação, exigirá que o estado nomeie no lugar dos efetivados os concursados deste último concurso. Vamos aguardar a quarta-feira que vem. Enfim essa novela parece que vai ter um final feliz, para uns, e.... infeliz para outros.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cobranças "nervosas" nas redes sociais falam sobre CABOS ELEITORAIS DO PSDB e acusa STF de deixar o partido do Ah, é sim perpetuar no poder com mais de 600 mil cabos eleitorais no Brasil todo. Assim não tem STF que aguente!

      Excluir
    2. ISTO É O QUE VOCÊ QUER!! QUE CLASSE DESUNIDA ! UM QUERENDO FERRAR COM O OUTRO. CREDO

      Excluir
  72. JULGAMENTO DA LEI 100 AGENDADO PARA O DIA 26/03/2014
    ADI 4876 - STF

    http://www.stf.jus.br/portal/pauta/listarCalendario.asp?data=26/03/2014

    Está chegando a hora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUE COISA FEIA! OU CLASSE DESUNIDA. MERECEM O QUE GANHAM.

      Excluir
  73. Estou em plena campanha pró Pimentel. Tem que dar PT na cabeça, contra este desgoverno safado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JAMAIS !!!!!!!!!!!!1 DEUS NÃO VAI DEIXAR . SE DEPENDER DE MUITOS SERVIDORES VAMOS DETONAR O PT

      Excluir
    2. Senhor anônimo das 17:28, vocês detonam o PT todo ano e tomam em pé que nem vaca com esses tucanos! Continuem detonando os adversários deste desgoverno e seja feliz! Eu tô noutra, embora tenha muitos como você contentes com a situação vigente, tem gente que não aguenta mais... vamos ver se sua vontade acontece, mais quatro anos de PSDB em Minas ninguém merece. O FHC está dizendo que é a vez do Aécim por que não podemos ficar no continuismo, tem que haver alternancia de poder, mas alternar o poder em MG, SP, e outros estados que estão na mão do tucanato há mais de 20 anos eles não querem!

      Excluir
    3. É ruim que voto em PT e PSDB.Até hoje não fizeram NADA para o professor.

      Excluir
  74. Com estas últimas informações sobre o julgamento da lei 100, o martírio deste desgoverno estará chegando ao fim. Graças a Deus veremos a derrocada destes canalhas da pior espécie. Esta turma do demo vai queimar no quinto dos infernos e desinfetar nossa saldosa Minas Gerais. Tudo de ruim aumentou em nosso estado com este desgoverno, e vamos ter um trabalhão para restituir a dignidade de nosso povo. AVANTE MINEIROS! Vamos com PIMENTEL!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  75. Este desgoverno está mais perdido que trem descarrilhado, falta apenas o tiro de misericórdia. É como a campanha do menino do rio para a presidência: vamos eleger um marginal deste para um cargo tão importante?

    ResponderExcluir
  76. Quem viu as escolas de Minas anos atrás e vê as hoje se assusta, acabou tudo e o fracasso está a cavalo. O que nos resta? Que futuro nossos jovens terão? O governo tucano realmente conseguiu acabar com tudo e todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo. E o PT, quantos anos no poder.Fique ligado.

      Excluir
    2. Concordo com vc. Esse PSDB não conseguiu acabar apenas com o professor. Está acabando com tudo de bom que ainda restava.

      Excluir
    3. E O PT. DEUS QUE NOS LIVRE. PROCURE SE INFORMAR MELHOR.

      Excluir
    4. Continuo falando.Cuidado com o PT. Quantos anos estão no poder. Sou contra o PT, por onde passo deixo a minha opinião.

      Excluir
    5. Eh? Então leva o PSDBOSTA pra adminstrar seu condomínio, sua casa, seu negocio, por favor! Da ujm emprego pra eles pra que deixem a nós, os professores de Minas que estao sendo exterminados pelos psdbostis: cheirador, nana, gorgonzzola, dedeia maligna, porque uma coisa eu tenho certeza: vc nao é professor em Minas. Pra defender assim nao sabe o que passamos. E nao precisa nem tentar argumentar. Perdeu pay boy, perdeu!

      Excluir
    6. Anonimo das 17:25,
      nao fique se informando com a globo, a veja, o estado de minas...
      Aqui mesmo vc encontra outras fontes de leitura, basta ficar atento(a) a todas as sugestões deste blog. Vc ainda tem cura.

      Excluir
    7. Sai pra lá urubu... Vai urubuzar outro partido... Sou PT* até morrer...

      Excluir
    8. Vou urubuzar o PT e o PSDB porque não fizeram e não fazem nada para o professor.
      Seja mesmo PT e continue sofrendo.

      Excluir

  77. FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA

    Publicado em Quarta, 19 Março 2014 11:21
    A decisão sobre a federalização da educação básica poderá ser submetida a voto popular por meio de um plebiscito. É o que prevê o Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 460/2013, que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) pode analisar em reunião marcada para quarta-feira (12), às 10h. A proposta, do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), estava na pauta da reunião do último dia 26, mas houve um pedido de vista coletivo.

    É a seguinte a pergunta proposta para o plebiscito: a educação básica pública e gratuita deve passar a ser da responsabilidade do governo federal? Esse questionamento poderá ser feito ao eleitorado brasileiro simultaneamente ao primeiro turno das eleições de 2014. A iniciativa é vista com simpatia pelo relator, senador Pedro Taques (PDT-MT), que defende sua aprovação. "A presente proposta é positiva e corajosa, pois permite que os cidadãos opinem diretamente sobre tema tão relevante e que impacta diretamente a vida de todos os brasileiros", avaliou Taques.

    Por sua vez, Cristovam acredita que a federalização da educação básica vai levar o Brasil "a dar o salto para o mundo do conhecimento". Também deverá permitir, conforme acrescentou na justificativa do projeto, a resolução de problemas centrais atribuídos à educação básica, como ineficiência, péssima qualidade e distorções em seu acesso.

    Se a proposta for aprovada, o presidente do Congresso Nacional deverá informar o fato ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caberá ao TSE orientar a realização do plebiscito e garantir a veiculação gratuita nos meios de comunicação das campanhas de partidos e de frentes suprapartidárias civis reunidas em torno da matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa proposta citada acima já foi tirada da pauta pelo CCJ. A educação aqui no Brasil é fica depois do último plano kkk. Por isso colhe-se violência como lá no Rio de Janeiro.

      Excluir
  78. O vídeo da secretária falando sobre a lei cem na assembleia demonstra o inusitado da situação.Fiquei com pena dos colegas que aplaudiam aquela mulher sem argumentos e crédito.A gazzolla esta sujando (mais ainda) sua biografia já tão encardida por tantos erros e desmandos.É triste ver alguém num cargo tão importante fazendo um papel tão ridículo. Assistam ao vídeo.No plantão inspesão escolar tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Favor deixar o link para que possamos assistir.

      Excluir
    2. Se será através de urna não vou confiar.Não tô confiando em mais nada que parta desse governo.

      Excluir
  79. Caso a lei 100 caia, o que é bem provável, onde a Gazola vai colocar sua cara heim? Depois da entrevista dela e de tanto dizer que efetivo e efetivado têm o mesmo direito.... Coitada, se fosse ela sairia junto com Anastasia. Caso a lei 100 caia ela vai ficar sem desacreditada no comando da secretaria. Desse modo ficaria tão sem lugar, com sua imagem desgastada, que a única saída para o governo seria substituí-la. Se eu fosse ela sairia mesmo junto com Anastasia....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. INVEJA MATA. SÓ PODE SER DA EDUCAÇÃO !!!!!!!!!!! UNS QUERENDO DETONAR O OUTRO.

      Excluir
    2. Inveja mata e os invejosos são prejudicados. todos tem consciência de que a lei 100 é inconstitucional. Por que não foram se preparando para perderem o cargo. Aceitem a ideia de que terão que prestar concurso e serem nomeados para terem segurança.

      Excluir
    3. Pessoal a saída dela já está planejada, o Anastásia já disse que Alberto Pinto Coelho terá o direito de escolher sua secretária, o que eles vão fazer jogar a batata quente na mão dela, e depois demiti-la

      Excluir
    4. Sobre as articulações para a formação da aliança em Minas, Aécio defendeu uma espécie de "armistício" com o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que também já adiantou a intenção de participar da corrida presidencial em outubro.

      Excluir
    5. Belo Horizonte - Presidente do PSDB e provável candidato à presidência, o senador Aécio Neves disse nesta quinta-feira, 9, que "há uma possibilidade concreta" de afastamento do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, até o final de março para se candidatar ao Senado. O tucano, no entanto, não confirmou quem seria o candidato do partido ao governo do Estado.

      Excluir
    6. Estamos com AÉCIO Neves.Funcionara Pública Federal.Chega de PT.

      Excluir
    7. Coitada dessa funcionária publica, kkkk. Saiba você que se Aécio for eleito ele vai privatizar seu setor e te demitir kkkkk. Espere só e vote nele.....

      Excluir
  80. Eu enviei o vídeo para o STF, aliás eu envio tudooooooooooooo... Odeio esse povo que destruiu a minha carreira... Mandei até a convocação da APPMG AMICUS CURIAE não é para ajudar a enganar as pessoas. Espero que a justiça se faça séria e mande prender todos eles: Aécio e todos que comeram o dinheiro da aposentadoria dos efetivados por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. A casa vai cair, tia naná dos infernos e sua trupe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TAMBÉM ENVIEI MILHARES E-MAIL PARA O STF PEDINDO COMPAIXÃO PARA MILHARES DE ASB QUE TEM MAIS DE 60 ANOS E MAIS DE 20 DE ESTADO E TER QUE PASSAR POR ESTA PRESSÃO PSICOLÓGICA DE QUE VÃO PARA O OLHO DA RUA. SEMANA PASSADA MINHA TIA FOI PARAR NO HOSPITAL. ISTO É QUE O STF TEM QUE OLHAR.

      Excluir
    2. O STF só olha a CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

      Excluir
    3. não estou pedindo a sua opinião.

      Excluir
  81. 'A urna eletrônica brasileira é a mais ultrapassada do mundo', diz especialista que violou o sistema
    folhapolitica.org

    ResponderExcluir
  82. EULER e CAROS COLEGAS,
    Segue aqui o link
    onde a SAPOLLA diz que a lei 100 é inconstitucional,
    Nâo é possível que os da lei 100 continuem votando nesses demônios que tinham tanta certeza que o que fizeram era errado que já estão abandonando o barco e até raparam os cofres do FUNPEMG,( fundo de aposentadoria dos da lei 100), já que esses ñ teriam mesmo direito à aposentadoria. São canalhas, discípulos do coisa ruim. Vão pagar por tudo, por toda mentira e enganação. A primeira derrota será nas urnas. Não vou cansar de trabalhar pra mostrar a todos o bando calhordas, ladrões, mentirosos, corrúptos, muito mais que os do PT. Qual dúvida puxem a ficha "criminal" do PIMENTA DA VEIGA pra ver.
    https://www.facebook.com/#!/photo.php?v=425101010967669

    ResponderExcluir
  83. KKKK essa urna eleitoral =e viciada. Nada confiável e faz tempos.

    ResponderExcluir
  84. Anônimo das 17:39.NÃO E NÃO.ISSO É O QUE PROFESSOR TEM NA CABEÇA? ENTÃO SER HONESTO, CORRIGIR O ERRO(AGORA SÓ FALTA ISSO PORQUE A LEI 100 FOI UM GRANDE ERRO), FAZER O QUE MANDA A LEI, ANDAR CORRETAMENTE PELA VIDA, QUERER JUSTIÇA, ETC É TER INVEJA??? AIAIAI SÓ MESMO PROFESSOR PODE PENSAR ISSO.CLARO OS QUE ESTÃO NESSA MALDITA LEI FORAM ENGANADOS, USURPADOS, LEVARAM UM TOMBO MAS E AGORA? SERÁ FEITO TUDO COMO DEVERIA SER E TER FEITO.QUEM SERÃO OS PUNIDOS? INFELIZMENTE A CORDA ARREBENTA PARA OS MAIS FRACOS.MAS UMA COISA EU POSSO LHES GARANTIR:DEUS QUE TUDO VÊ, NÃO DEIXARÁ PEDRA SOBRE PEDRA.VAI FAZER JUSTIÇA SIM E VAI PUNIR SIM.ESSES LADRÕES, LADRÕES MESMO SERÃO QUEIMADOS NO FOGO DO INFERNO .AQUI TUDO O QUE SE FAZ, PAGA E ESSA LEI NÃO FALHA.DEPOIS VEJO AS PESSOAS RECLAMARAM, CHORAREM POR TANTOS SOFRIMENTOS MAS SE ESQUECEM QUE ESTÃO COLHENDO O QUE PLANTARAM.POLÍTICOS, PÁRE, PENSE, REFLITAM, SEJAM HONESTOS COM VOCÊS MESMOS E COM O POVO.VEJAM QUANTO SOFRIMENTO TEM ACOMETIDO OS INJUSTOS...VOCÊS NÃO PERCEBERAM AINDA O GRAU DE SUAS PLANTAÇÕES? ESPEREM O MESMO GRAU, A MESMA MEDIDA PARA SUAS COLHEITAS.E DEUS ESTEJA COM OS JUSTOS E HONESTOS AQUI E SEMPRE.

    ResponderExcluir
  85. Aliás tudo nas Minas e no Brasil de meu Deus está viciado, kkkkk.Ah é sim tudo viciado .Que dó!!!Urnas????

    ResponderExcluir

  86. Professor da Unicamp destrói manipulação da Folha de S.Paulo sobre o SUS

    http://cartacampinas.com.br/2013/12/professor-da-unicamp-destroi-manipulacao-da-folha-de-s-paulo-sobre-sus/

    ResponderExcluir