quinta-feira, 18 de outubro de 2012

"Professor no fundo do poço"


Olá, pessoal! Recebi e-mail de um colega professor, Moysés Peruhype Carlech, hoje com 70 anos, que se aposentou com um salário mínimo. Como ele autorizou a publicação de sua carta, eis, a seguir, a transcrição na íntegra da mesma. Para a reflexão de todos os colegas professores, de Minas e do Brasil.

***
"PROFESSOR NO FUNDO DO POÇO

Esta é a minha situação como Professor Efetivo do Estado de Minas Gerais, aposentado no mês de Junho/2012 com “Proventos por média” no valor de R$ 622,00 , brutos, isto mesmo, salário mínimo, ao completar 70 anos e com 15 anos de trabalho como Professor Efetivo de Física no ensino médio, com os descontos normais e de um empréstimo consignado no valor de R$396,91, recebo líquido apenas R$150,00 mensais. 
 
E agora, José? Se você gritasse se você gemesse se você tocasse a valsa vienense, se você dormisse, se você cansasse, se você morresse... Mas você não morre, você é duro, José! O que eu posso fazer? Você marcha José! José, para onde?”

Até o mês de Julho/2012 estava recebendo mensalmente R$ 3.121,10 trabalhando em dois períodos, não é um grande salário, mas, comparando com a situação atual é infinitamente melhor. 
 
Prevendo a situação atual, tentei continuar lecionando, pois a saúde me permite, mas, o sistema não me deixa continuar, devido à idade. E agora, o que eu vou fazer para sobreviver e ter uma vida digna? Quem vai empregar um velho de 70 anos?

Optei pela educação desde o ano de 1994 e naquela época os professores podiam aposentar com o último salário que estavam percebendo quando estavam na ativa. E hoje? O estado economiza nas costas de uns para sobrar para outros. 
 
Esta minha situação é uma alerta para os professores que estão trabalhando, pois, quando se aposentarem, irão perceber o mínimo do mínimo e não o necessário para a sua sobrevivência. 
 
Esta situação precária dos professores vem de há muito tempo, minha mãe, hoje com 95 anos, era professora do estado/MG e vendo que não poderia sobreviver com R$ 1.000,00 por mês quando fosse aposentar, fez concurso no próprio estado para outra área para ganhar mais e ter uma aposentadoria um pouco mais tranqüila, isto ocorreu há mais de trinta anos. 
 
A projeção do estado para o salário de um professor que hoje ganha R$ 1.524,59 mensais para o ano de 2015 é de R$ 1.550,00, enquanto um soldado da PM que hoje percebe R$ 2.500,00 irá ganhar em 2015 R$ 4.000,00. Não tenho nada contra, apenas pergunto, por que fazem isto com a educação e seus profissionais?

Não há na educação um plano de progressão dos seus profissionais, como na PM, quando um soldado, teoricamente, pode chegar ao posto de coronel, através de concursos e promoções, dando-lhe direito de aposentar com proventos integrais correspondentes ao último posto ou da última promoção. 
 
E o que consta no Estatuto do Idoso, Lei 10.741 de 1º de outubro de 2003, no Art. 3º: É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. Será que o poder público está me assegurando todas essas garantias e prerrogativas, como professor e cidadão, ora em fim de carreira e agora aposentado?

Alguns podem argumentar que muitos ganham salário mínimo neste país e não morrem de fome, sabe lá Deus se isto é verdade. Infelizmente, estes, não têm instrução suficiente para almejar uma situação melhor. No meu caso, é totalmente diferente, não estou acostumado a ganhar salário mínimo, pois luto desde a minha maioridade para almejar um futuro melhor, para isto estudei e me formei em: Engenharia Mecânica na PUC/BH (1966/1970), tenho cursos de Licenciatura Plena em Matemática e Física (1994/1996) e Pós-Graduação em Física na UFV (2001/2002), além de vários cursos de aperfeiçoamento e participação em vários eventos como na VII FEBRACE (USP/SP) em 2007. Para o estado, nada disso é importante, nós, os mais experientes, somos equiparados salarialmente aos iniciantes. 
 
Trabalhar no estado/MG, hoje, como professor, só é um bom negócio para aqueles que estão ganhando salário mínimo. Basta fazer um curso presencial ou não de Licenciatura de 2 ou 3 anos e imediatamente, sem comprovação se estão aptos ou não para darem aula, pois não existe uma “prova” como na OAB, já podem lecionar no Estado como contratados e são muitos nesta situação, percebendo o mesmo valor salarial igual àqueles professores que lá estão há 15 ou 20 anos e até mais. Esta é uma das causas da má qualidade do nosso ensino: professores despreparados para a função “fingindo que ensinam e os alunos fingindo que aprendem” e todos ganhando mal. O estado quer alguém na frente dos alunos dizendo que é professor, se é bom ou ruim não importa. 
 
Dizem que se conselho fosse bom, valeria dinheiro, mas, mesmo assim, aconselho aos mais jovens para optarem por carreiras mais sólidas e valorizadas que lhes garantam uma aposentadoria mais digna no futuro, tais como: Carreira Militar, Judiciário e Carreira Política. São profissões intocáveis, pois não há leis para diminuir os seus salários, ao contrário, sempre percebem aumentos substanciais e aposentam com salários integrais e com gordas vantagens. 
 
Este meu protesto não é apenas um protesto solitário de um professor prejudicado por ações e leis injustas que relegam os profissionais da educação às piores situações de abandono e desvalorização do ser humano. É um clamor de toda a nação para rever este sistema de injustiça e descaso por que passa a educação neste país, no sentido de valorizar o ensino e os seus profissionais, pois, se o Brasil quiser entrar para o primeiro mundo, tem que valorizar a educação. A educação é o princípio de tudo, qualquer profissão precisa de um “bom professor”.
(...)
Há um provérbio coreano que diz: “Nem sequer pise na sombra de um professor.”
O respeito ao professor é uma questão cultural.

Aqui no Brasil, além de pisarem na sombra do professor, pisa-se nele mesmo. Sinto que pisaram não foi só no meu corpo e sim também na minha alma.

É desumano o tratamento dado ao professor no Brasil, seja de qualquer grau de escolaridade ou de posição cultural. Esta vulgarização do professor ocorreu após 1960, antes, não era assim, lembro-me que os professores do Colégio Estadual da minha terra, onde estudei o ginasial, eram respeitados tanto dentro da sala de aula como na sociedade em geral.

O meu sentimento de frustação e decepção por eu ter escolhido a profissão de professor num determinado momento da minha vida, é enorme, mas, normalmente escolhemos os caminhos que sabemos que não nos levarão onde gostaríamos de chegar, talvez por teimosia, talvez por esperança, talvez por querer acreditar que aquilo que queremos é possível.

A dor se torna maior quando a decepção é esperada e não queria admitir essa possibilidade, pois a esperança é maior do que a própria certeza e, consequentemente fiquei abalado com esta situação que inconscientemente antevia que poderia acontecer e de fato ocorreu.

Que os deuses olímpicos que moravam em um imenso palácio, em algumas versões de cristais, construído no topo do monte Olimpo, uma montanha que ultrapassaria o céu. Alimentavam-se de ambrósia e bebiam néctar, alimentos exclusivamente divinos, ao som da lira de Apolo, do canto das Musas e da dança das Cárites e o nosso Deus que cremos,  ilumine os nossos governantes para mudarem radicalmente e de imediato o “status quo” vigente e tomem atitudes mais humanas.


-->

Ipatinga(MG), 02 de outubro de 2012

Moysés Peruhype Carlech

Masp: 881.292-7"

***

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!
 

177 comentários:

  1. Meu caro e amigo professor se é que posso dizer que vc é meu amigo com sua permição, cheguei agora do meu último turno de trabalho depois de passar manhã , tarde e noite trabalhando , com meus pés doendo ainda tive como de costume da uma passadinha p/ ver o blog do Euler, fiquei muito triste depois de ler seu relato ,pois estou com 18 anos de serviço no Estado , pensando que iria ter uma aposentadoria digna uma trabalhadora, poder cuidar melhor de mim depois que deixar a sala de aula , vejo que não terei esse almejado descanso com esse salário, terei que aplicar em algo que possa me proporcionar uma sobrevivencia , ainda não sei como mas terei que faze-lo e rápido.Espero que voce tenha dias melhores pois tudo que vc disse é realmente verdade . Um grande abraço e que dias melhores virão mais cedo ou mais tarde, confie em DEUS e ele tudo nós proverá.Um abraco forte e força na luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou muito comovido com o seu depoimento. Abraços, Moysés.

      Excluir
  2. Vamos todos enviar essa carta aos jornais, revistas, emissoras de Rádio e TV.
    Força na luta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esquece meu amigo minas não tem lei nem mídia contra o governo. Nunca esta carta será lida nos maiores jornais do país. Esqueça, leia o relatória do OEA e entenderá o que estou falando.

      Excluir
    2. Obrigado pela força e não me oponho se esta carta for divulgado em outros orgãos. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  3. Pode não resolver nada, mas esta carta tem que rodar o Brasil, isso tudo é um escárnio com o professor, postem em todas as mídias sociais.

    ResponderExcluir
  4. É necessário divulgar esta carta, é sem dúvida a maior vergonha que já vi até hoje na minha vida inteira.O carrasco do Anastacia não enxerga nem um palmo do nariz.Aquele cretino precisa respeitar o ser humano.Quando morrer irá arder no inferno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio e incentivo. Abraços, Moysés

      Excluir
  5. Agora que entendio porque muitos professores ficaram satisfeitos com o subsídio do governo descarado.Diziam veio um bom aumento no meu salário.Foi erro ou pura embromação?Agora ele manda carta taxando o pessoal de bandido.Recebeu a mais tem que devolver,senão...Muita hipocrisia,muita safadeza deste sujeito.Querendo sujar o podre do trabalhar com sua jogada suja e mesquinha.Pobre do satanás,ele não sabe o que lhe espera. Vai pagar...

    ResponderExcluir
  6. Ao amigo professor não sei se ajudará em alguma coisa mas este desconto em seu salário, agora que está reduzido, não pode ultrapassar 30% de sua renda , tirando os descontos obrigatórios.Este empréstimo tem que ser reduzido pois essa é a lei vigente.Quando vamos pegar algum empréstimo , isso é verificado.Não pode ultrapassar seu limite .Se continuar o desconto de praticamente a metade 50% vá até a SEPLAG e reclame.Ou refinanciam em parcelas que estarão dentro da lei ou ficam sem desconto.Eu também já estive olhando isso pois vou me aposentar aos 6o anos ano que vem.Sei que receberei pelo tempo que terei até lá 22 anos a metade do que recebo hoje.Mas não posso me acabar dentro de uma sala de aula.É muito pesado.Não tenho mais energia suficiente para lidar com 300 alunos diferentes todos os dias.Prefiro sair para ter qualidade de vida mínimo pois sem dinheiro só me resta sobreviver com o que ganharei.Mas sairei ano que vem antes que eu adoeça e morra dentro de sala.Tudo que você fala em sua carta é realmente a pura e triste verdade de uma carreira (que foi nos roubada).Nossos sonhos vão morrendo com todas essas injustiças.Brasil precisa ser um país sério .Essa lei tem que ser revista.Por isso, digo mais uma vez.O que as pessoas ainda pensam do tal sindinutil??/ e ainda falam que tem história??? A história é de decepção, tristezas, lutas em vão, trapaças, falcatruas, etc.Essa é a verdadeira história desse sindicato que deveria ter visto tudo isso a muito tempo pois você não é o primeiro e nem será o último a sofrer essa penalidade.Isso mesmo você está sendo penalizado por ser , um dia, professor em Minas Gerais ou melhor, Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, na sua aposentadoria tem outro agravante, você poderá ser aposentado sem paridade, isto é, não receberá os aumentos de salário junto com os aumentos dos professores da ativa, receberá somente a correção salarial pela inflação. Um abraço, Moysés

      Excluir
    2. Estou vendo você dizendo que vai se aposentar no próximo ano com 60 anos de idade e 22 de serviço.estou com 62 e 24 anos de serviço e na minha escola me disseram que tenho que esperar os 25 anos.Em março do próximo ano faço 25 anos,só que terei que trabalhar mais 1 ao para pagar esse ano que fiquei na secretaria por insistência da diretora que não achou quem assumisse em 1995.Regina

      Excluir
  7. Uma clarividência dessa monta no brasil, só poderia vir de um experiente professor que sofre os ataques de um governo despótico e inresponsável que governa esse estado... Enquanto isso acontece com o professor, a justiça e o legislativo fazem conta com as poupudas vantagens de final de ano.

    Sem um salário digno, sem um convênio de saúde que preste, sem que ninguém nos ouça... Fica difícil ter esperança. O sistema capitalista imposto ao Brasil está aos poucos devorando as pessoas que se debatem inutilmente.

    Obrigado professor pelo alerta! Professor é isso mesmo... achincalhado como somos, ainda estende a mão ao próximo! Pode ter certeza sua dor ha de atravessar as fronteiras dessa terra ingrata e de fora virá batendo forte o braço da justiça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, obrigado pelo reconhecimento e solidariedade. Um abraço. Moysés

      Excluir
  8. Essa carta precisa chegar até as mãos do Ministro Joaquim Barbosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não consigo entender o que faz vocês pensarem que esse Barbosa seja a solução! No face já lançaram até candidatura a presidente,tenho ressalvas!

      Excluir
    2. Só para lembrar que enviar apenas a carta para o Ministro Joaquim Barbosa,não basta. Ë necessário enviar as ¨provas¨.

      Excluir
  9. Euler, faça essa carta chegar à OEA.Lá precisam conhecê-la.

    ResponderExcluir

  10. http://www.youtube.com/watch?v=VfbJfMIKh6M

    ResponderExcluir
  11. OEA civilsociety@ohchr.org
    ONU no Brasil www.onu-brasil.org.br/view_news.p
    CENTRAL de denúncias www.dhnet.org.br/denuncias/index
    http://www.stf.jus.br/portal/centralDoCidadao/enviarDadoPessoal.asp
    Basta escrever.Este do Ministro Joaquim Barbosa é só preencher um formulário.Se várias pessoas denunciar, vamos de alguma forma ter alguma resposta.Devemos enviar esta carta do professor para todos os políticos, órgãos internos e externos.
    Vamos colocar as mãos na massa de alguma forma.Vamos gente, façam chover denúncias nas caixas postais de muita gente .

    ResponderExcluir

  12. Se em 2014, este governo satânico e o seu companheiro do INFERNO, conhecido por Aécio, tiverem um número expressivo de votos neste Estado, estado de lástima, pode por fogo e queimar tudo, porque não é possível que nós sabedores de todo o funcionamento deste Circo dos Horrores ainda eleja esses dois infernais para alguma coisa. Aprendamos com o POVO DO VALE DO AÇO, gente de fibra, gente de aço, acabaram com a raça dessa gentalha em toda a região, que o exemplo de inteligência e de moralidade venha do VALE DO AÇO para toda a MINAS GERAIS, lá o ninho dos tucanos foi queimado NOS ALTOS FORNOS DE IPATINGA!Parabéns aos mineiros do AÇO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, os Altos Fornos de Ipatinga estão prontos para queimar todo esse pessoal que está prejudicando a educação, como na inquisição. Um abraço, Moysés.

      Excluir
    2. Aqui em Ponte Nova também a geração dos tucanos já era, agora é PT. O Danilinho de Castro ficou chateado mas agora aqui em Ponte Nova é terra do PT. E bem feito.

      Excluir
  13. UMA TRISTE REALIDADE QUE NOS AFETA A TODOS

    Caros colegas professores,

    certamente que o relato na carta em questão é muito triste e serve como exemplo para todos nós, professores estaduais. Também concordo que importante divulgar a carta em todas as mídias possíveis, nas redes sociais, etc. Entretanto, como já sabemos, isso não tem dado muito resultado. Lembram daquela professora do Rio Grande do Norte, quando esteve no plenário da Assembléia Legislativa daquele estado e falou muitas verdades àqueles safados? Pois é, a notícia correu a mídia brasileira, a Internet, as redes sociais, etc, entretanto, nada mudou desde então, nem no Rio Grande do Norte e nem tampouco no resto do Brasil.

    Portanto, o fato é que enquanto não se tiver uma reforma política e eleitoral neste país, nada mudará.

    Todos sabem que um dos maiores problemas do país tem a ver com a péssima qualidade da educação pública, a desvalorização dos professores, etc. Entretanto, ninguém faz nada. O tema educação, inclusive, é ponto alto durante as campanhas eleitorais e politiqueiras, como se estes pilantras estivessem mesmo interessados em valorizar a educação e o professor.

    Portanto, não é por falta de informação que a educação brasileira e os professores continuam desvalorizados. A questão é outra. É preciso propor e trabalhar urgentemente por uma reforma política e eleitoral neste país. É o legislativo quem faz o executivo e judiciário. Estes poderes não são independentes. Gosto sempre de citar aqui o exemplo que tivemos em nossa última greve. A partir do momento que um desembargadorzinho "pau mandado" do governado decretou ilegal a nossa greve, só tivemos perdas, retaliações, cortes de salário, culminando na perda da carreira. Portanto, estes poderes não farão nada, nadinha para mudar o "status quo" do qual tiram proveito ilícito, corrupto e imoral.

    A carta do professor é um alerta a todos nós. Muitos já estão aqui há 10, 20 anos e não vêem nenhum perspectiva de mudanças. O "sindinútil" que alega nos representar faz acordos sujos e imorais nos bastidores e tem o "rabo preso" com partido político. Portanto, urge que façamos uma "revolução" de idéias, urge que tomemos consciência de nossa força como professores estaduais, formadores de opinião que somos. Somente através da unidade da classe é que poderemos reverter esta situação.Esperar de políticos, de partidos políticos, dos poderes instituídos do Brasil é ignorar nossa capacidade de mudar nossos rumos.

    Fora "sindinútil"! Abaixo o sistema político brasileiro! Greve já!

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos
    Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega Raimundo, enviei esta carta ao SINDUTE-BH e autorizei a sua publicação, faz 15 dias, até hoje não obtive resposta nem satisfação de seus dirigentes. Acredito nas suas palavras à respeito do nosso Sindicato. Não são dignos da nossa confiança. Não estão agindo a favor da nossa classe. Um abraço, Moysés

      Excluir
    2. Concordo com o professor Raimundo e tenho uma sugestão.Que tal trabalharmos de terça a quinta feira com vão fazer os deputados?Viram que aprovaram uma lei para diminuir suas cargas horárias? Agora eles só trabalharão de terça quinta.Vamos fazer uma greve assim? Espalhem a ideia.

      Excluir
    3. GREVE QUE TENHA 90% DE ADESÃO DOS PROFESSORES E QUE OS MESMOS TENHAM A CONSCIÊNCIA DO LADO EM QUE DEVEMOS FICAR, QUE AS ATITUDES POSSAM ESTAR COESAS E QUE NÃO FIQUEM AMARRADOS AOS INTERESSES DE PARTIDOS POLÍTICOS.

      SE PRECISO FOR DEVERÍAMOS PREPARAR CANDIDATOS PARA QUE CONCORRAM AO PLEITO DE DEPUTADOS ESTADUAIS, POIS ALI NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA ESTADUAL PODEREMOS COSTURAR OS INTERESSES À FAVOR DO PROFESSORADO, DESDE QUE POSSAMOS TER UMA CERTA MAIORIA, UMA VEZ QUE LÁ É QUE SE DECIDE A VIDA DE TODOS OS CIDADÃOS MINEIROS E ATÉ MESMO COMO FORMA DE CONSEGUIR PROTEGER OS LÍDERES GREVISTAS QUE COM TODA CERTEZA SERÃO VÍTIMAS DE PERSEGUIÇÃO DEVIDO AO CARÁTER DA GREVE QUE PODE REPERCUTIR NO BRASIL.

      Excluir
  14. Meu querido amigo Moisés!!!
    Eu sei da sua capacidade enquanto PROFESSOR. Sei da sua dedicação enquanto EDUCADOR e sei da sua organização e entusiasmo enquanto COORDENADOR de GDP.
    Por quantas vezes conversamos sobre a nossa profissão. Nunca em nossas conversas, por mais realista que fossem,jamais imaginávamos o que este governo faria com a nossa profissão e carreira.
    Um absurdo que deve ser levado aos quatro cantos do planeta. Não há mal que dure para sempre...
    A máscara já começa a cair, vide relatório da OEA, que envergonha a todos os mineiros de bem. O faraó mineiro disse em recente entrevista a ISTO É: "temos que fazer o dever de casa". Eu pergunto: qual dever? Em qual casa? Força meu grande amigo, o Brasil necessita urgentemente rever seus conceitos de civilização. Se te pisaram na sombra, no corpo e na alma, estão te machucando, mas jamais roubarão a sua dignidade. Um abração do seu amigo.
    Claucir Araújo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Claucir, que bom ler o seu comentário de um amigo de longas datas e receber o conforto de um excelente professor politizado e consciente sobre os acontecimentos. É triste a nossa situação como educadores pertencentes à SEE/MG. Mas, tenha certeza, igual você fala, nunca pisarão na nossa dignidade. Um abração, também, do seu amigo Moysés.

      Excluir
  15. "O GOVERNO É A CIÊNCIA DE PUNIR" - Arthashastra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Colega, para os inimigos aplica-se a Lei e para os amigos as benesses da Lei. Nós somos os inimigos e estamos sofrendo as consequências. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  16. É ISSO AI PAULISTANOS, PASSEM O RODO NO PSDB, FAREMOS ISSO AQUI EM 2014 PARA GOVERNADOR. RODO NELES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega, o sistema político brasileiro é perverso. Há necessidade de elegermos governantes que sejam estadistas, isto é, que governem para o povo. Abraço, Moysés

      Excluir
  17. TRABALHEI MUITO TEMPO COMO AUTONOMO, TENHO 42 E JÁ TENHO MAIS DE 15 DE SERVIÇO 11 ESTADO 6 DE INSS.

    VEJA AI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, se não mudar de profissão, prepara-te para uma futura decepção. Abraços, Moysés

      Excluir
  18. A minha cunhada, depois de dedicar mais 23 anos como professora, teve problemas depressivos seríssimos e se aposentou faltando menos de 2 anos para completar o tempo integral.
    Recebe, hoje, um salário mínimo por mês. E o estado lhe enviou, há pouco tempo, uma carta lhe comunicando que ela não tem direito a paridade salarial.
    Eu só acreditei no valor de seu salário porque vi seu contra cheque. Uma parte desse dinheiro ela gasta com remédios .Para melhorar sua renda, faz marmitas, tortas e pudins.
    Situações como a do prof Moisés e outras semelhantes, precisam ser denunciadas para desmascarar esses politiqueiros de Minas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, estamos denunciando, mas, quem tomará as devidas providências? Onde está o nosso Sindicato? Abraços, Moysés

      Excluir
  19. Carta muito triste e revoltante.

    Pode mandar pro ministro e até pro papa que não vai adiantar nada. Nossos governantes e demais autoridades políticas não tem vergonha na cara. Portanto, continuarão nos explorando, enquanto continuarmos nos sujeitando a isso...

    Absurdo, lamentável...

    A carta prevê nosso futuro, infelizmente, sem dinheiro, sem dignidade e, provavelmente, adoentados.

    Sou professor de carreira há 7 anos - concursado e efetivo - mas após vivenciar tanta espoliação nesse período de trabalho, decidi que vou me dedicar à outras atividades para sobreviver.
    Estou estudando novas funções e possibilidades de negócios, porque na Educação não tem jeito, não vai haver melhorias salariais e nem das condições de trabalho, pois já ultrapassamos o fundo do poço.

    Lamento pelo desabafo e pelo pessimismo, mas é um pouco de nossa realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, caia fora desse barco o quanto antes, faça outros concursos, estude outras profissões, siga o conselho do amigo. Infelismente é o que posso aconselhar. Um abraço, Moysés

      Excluir
    2. Vou fazer o enem daqui uns dias exatamente na intenção de abandonar esta profissão.

      Excluir
    3. MOysés,

      Se mais de 30% de sua renda estiver comprometida com crédito financeiro, sugiro que procure seu banco e tentar renegociar, para diminuir as prestações. Talvez alivie o fardo.

      Se o banco se recusar a lhe ajudar, justiça nele que resolve.

      Excluir
  20. Me formei recentemente, todo dia me pergunto se vale a pena...
    Gosto muito do que faço, mas vejo muita injustiça, vejo que tudo de errado no Brasil está sempre relacionado à educação.Na TV aparecem pessoas "ditas", especialistas em educação, mas nunca encararam uma sala de aula, nunca enfrentaram descaso de superiores e país, nunca encararam a realidade de um aluno.
    Estas sim tem valor para sociedade,concordo quando na carta relata-se que a educação em outros países é vista como algo cultural.No Brasil, isto foi fragmentado...
    Tentamos seguir uma linha elegante, fomos aceitando opiniões de fora, sem ao mesmo saber se caberia à nossa realidade.
    Hoje o professor não tem nem direito de utilizar uma metodologia que julgue adequada à seus alunos.Ele tem que escutar a opinião de assistente social psicólogo, médico, e se acharem necessário pedirão em ultima instância sua opinião( que ao meu ver á a que deveria ser mais valorizada, pois o aluno passa maior tempo com o professor.
    Em meio à tantas injustiças contribuímos com a sociedade, pois somos sonhadores, teimosos, carregamos cruzes extra-profissionais, para depois no final da carreira acabarmos assim.Obrigada pelo desabafo professor, creio que esta carta deveria ser visualizada por todos.Ficarei alerta e vou ver até quando aguento... infelizmente somos reconhecidos somente quando entramos em greve.Aí somos chamados de vagabundos, baderneiros.Que situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, nós sonhamos com coisas boas, mas, os nossos governantes não participam desse sonho nosso, somente o sonho deles de ganahar o poder, o resto você sabe. Caia fora com urgência. Abraços, Moysés

      Excluir
    2. Todo mundo dá ordens para os professores o diretor, supervisor, inspetor, orientador a secretária o aluno o pai do aluno enfim. E quando um professor dá uma opinião a respeito de algum fato quase ninguém dá a mínima pra opinião do professor, mas quando um engenheiro, um advogado, um médico fala meia dúzias de besteiras todo mundo bate palma, kkkk é impressionante o quanto somos um zero à esquerda neste nosso país.

      Excluir
    3. E o que são esses "pipeiros" infiltrados nas escolas??? Mas gente que não sabe nada de nada para dar pitaco no trabalho do professor!

      Excluir
  21. É uma vergonha para um estado ter este tipo de situação com nossos professores ,enquanto sobra dinheiro para tantas coisas bem menos importantes . Seria muito bom que se mostrasse paraa a mídia nacional para que todos vissem o descaso que se tem com a aducação neste país !!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, tem dinheiro para tudo, menos para valorizar quem merece. A nossa situação não vai melhorar tão cedo, ou nunca. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  22. Passem para o jornal "NOVO JORNAL","VI O MUNDO" e "CONVERSA AFIADA" que certamente eles publicarão.Não sei como fazê-lo.Passe também para "BRASIL247"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega, se for interessante para os leitores desses jornais, não me oponho. Um abra, Moysés.

      Excluir
    2. Porque estes jornais nunca aparecem nas bancas de revistas heim? kkkk pergunta idiota né... Basta analisar que falam mau do governador que entendemos o porque desses jornais não serem falados por aí na boca do povo.

      Excluir

  23. POR UM PROFESSOR...

    Caminhando pela estrada da vida...

    O renascer do sol a cada dia,
    nossos pensamentos e nossas ações...

    Precisamos deixar extravasar nossos sentimentos de CIDADANIA, JUSTIÇA, BEM ESTAR E COLETIVIDADE.
    Afinal fazemos parte de uma sociedade.

    E os nossos alunos, nossa profissão, nosso senso de justiça, nossas avaliações próprias??

    Quem somos nós?

    - Orgulhosos;
    - Egoístas;
    - Omissos;
    - Insensatos;
    - Medrosos;
    - Covardes ou...

    Não acredito em nenhuma destas opções, pois devemos saber que algum dia teremos que lutar por nós mesmos.
    Serão estas as batalhas mais duras de nossas vidas, das quais não poderemos fugir.
    E só teremos vitórias individuais verdadeiras, se lutarmos pelo conjunto, por todos, por um objetivo comum.
    Por isto devemos aprender a reivindicar nossos direitos e a nunca sermos omissos aos direitos da coletividade.
    A mínima ação torna-se muito necessária.

    Vamos repensar nossas ações, talvez pensando em nossos filhos, nossos pais, nossos amigos, nossas crianças, nosso futuro...

    Em todas as situações da vida que nos encontrarmos, temos escolhas a fazer e a principal delas é procurar estar bem, em paz e com a consciência tranquila, cientes que estamos combatendo o bom combate, procurando sempre a felicidade, sabendo-se que, vivemos em comunidade e esta também necessita principalmente de justiça para todos.

    Nas batalhas da vida, temos sempre a oportunidade de evoluirmos como seres humanos, seja nas vitórias ou nas derrotas.

    Nestas passagens de nossas vidas escolheremos entre:

    - o bem e o mal;
    - a justiça e a injustiça;
    - a amizade e o egoísmo;
    - a ação e a omissão;
    - a coletividade e o individualismo;
    - o desenvolvimento e a inveja;
    - isso ou aquilo,
    e seremos sempre o REFLEXO de nossas escolhas, pois com certeza as sementes plantadas produzirão frutos.

    SIGAM VOZ DO SEU CORAÇÃO!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, bonitas palavras e conclusões acertivas. Acho a classe um pouco desunida, quem sabe esclarecendo, mostrando a realidade, esta união venha. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  24. José Alfredo Junqueira20 de outubro de 2012 11:28

    É um alerta para os acomodados e covardes.Só uma greve geral por tempo indeterminado,que seja anos,pode reverter esta situação da educação em Minas.É melhor passar aperto e até necessidades básicas agora do que nem poder sobreviver ao aposentar.É um alerta para que os que só pensam no pr´pio umbigo e nas contas do fim do mês.Isto é escravidão.Os professores públicos fadados a "tomar conta" dos filhos dos operários para que estes escravos também sirvam à elite.Ambos com salários de fome!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, acho que devemos fazer greve sim, não a greve metalúrgica que é feita e não dá em nada, apenas prejuizos financeiros para os grevistas. A nossa greve deve ser silenciosa, "greve padrão" aplicando o que prescreve a LDB, as Normas e Resoluções sobre um ensino de qualidade e o CBC. Devemos ensinar como ensinam as escolas militares, exigindo nos trabalhos e provas o saber dos alunos para todo o currículo. Deve ir para a frente somente os que sabem. Quem sabe a nossa classe será valorizada, pois, iremos trabalhar com qualidade total. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  25. João Paulo Ferreira de Assis20 de outubro de 2012 14:04

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Li o depoimento do Professor Moysés e fiquei assustado.
    Pelo visto o Professor assumiu as aulas quando já tinha 55 anos de idade, o que fez com atingisse 70 anos, limite da aposentadoria compulsória, com apenas 15 anos de serviço.
    Eu acho que o Professor Moysés deveria consultar um advogado para ver se tem jeito de pelo menos melhorar os ganhos da sua aposentadoria. Quem sabe, invocando a Lei 11738?

    Talvez uma boa solução para o professor seria ministrar aulas particulares, visto que Física é uma matéria que inspira medo a muitos alunos.

    Fica um alerta: se você tem mais de 40 anos de idade, NÃO FAÇA CONCURSO PARA SER PROFESSOR,pois além de o vencimento ser uma miséria, na hora em que você atingir a idade de 70 anos, aposenta automaticamente, querendo ou não querendo. Daí para eles não te quererem pagar a aposentadoria integral é um passo.

    Saudações, João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele tivesse ao menos um tempo de previdência paga seja privada ou em algum outro serviço público ele não teria ficado prejudicado assim, pois poderia averbar o tempo que ele já tivesse e daria pra se aposentar integralmente. Mas pelo visto ele iniciou no magistério aos 55 anos e até nesta idade ainda não tinha nenhuma contribuição previdenciária em nenhuma outra profissão. Isso também é alarmante né...

      Excluir
    2. Colega, você está certo, a pessoa com mais idade e os mais novos, também, devem fazer concurso para outras áreas, não a educação. Veja, agora, a nomeação de um Ministro do STF com 64 anos de idade e daqui a 06 anos irá se aposentar com salários e vantagens integrais. Os bobos somos nós! Um abraço, Moysés

      Excluir
  26. qUEM ESTÁ PRESTES A APOSENTAR OU JÁ APOSENTOU, PONHA AS BARBAS DE MOLHO. cONTAR MOEDAS É O NOSSO PASSA TEMPO. QUE LINDO FINAL PARA QUEM ENFRENTOU 05 ANOS DE FACULDADE OS ANOS 80, ......E 30 DE CARREIRA. É VERGONHOSO , ENQUANTO DEVERIA SER VISTO COMO VITORIA......... CADE UM SINDICATO PARA NOS DEFENDER??? CADE CNTE????????????? CADE TUDO ENQUANTO DESGRAÇA AQUI DA TERRA QUE REPRESENTA, GANHA DOS AFILIADOS E NÃO FAZ NADA?????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, não basta lamentar temos que agir. De certa forma nós somos os culpados, elegemos pessoas incompetentes. Uma coisa é certa, atualmente, quem pensa em se candidatar a qualquer coisa, está pensando somente nele, os eleitores são apenas um meio. Abraços, Moysés

      Excluir
  27. VAMOS COLOCAR PESSOAS QUE NOS REPRESENTEM NO SINDICATO. PELO AMOR DE DEUS....................

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, vamos agir, vamos infiltrar no meio deles e ganhar o poder. Abraços, Moysés

      Excluir
  28. ANASTASIA, AÉCIO E ESTA CORJA PRECISA SUMIR DO PLANETA. SÃO INIMIGOS DOS PROFESSORES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, sõa verdadeiramente inimigos, mas, o povo não os vê assim. Abraços, Moysés

      Excluir
  29. INFERNO ESTE ESTADO E SEUS COMANDANTES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, é a pura realidade. Abraços, Moysés

      Excluir
  30. Lamentável a situação dos professores em Minas Gerais!Triste! Desestimulante! Vergonhoso!Infelizmente essa é a nossa realidade!Histórias como a do professor Moysés Peruhype Carlech é fato!O que estão fazendo conosco? Quando vão para essa corja que está nos levando ao abismo e, junto conosco, a educação e o futuro de muitos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, tudo isso é verdade, não há muita esperança para nós. Abraços, Moysés

      Excluir
  31. Orientação
    Milhares de servidores receberam correspondência da Superintendência Central de Administração de Pessoal da SEPLAG informando a instauração de processo administrativo para apurar o que o governo chamou de "possíveis irregularidades" quando fez o posicionamento do servidor na tabela de subsidio. A comunicação da Superintendência indica que o servidor receberia mais do que deveria pelo fato do governo ter considerado verbas transitórias para o posicionamento. Isso significa que o governo pretende diminuir o valor recebido atualmente.
    Durante o ano de 2012 foram realizadas várias reuniões entre o Sind-UTE MG, a Secretaria de Estado da Educação e a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão e, em nenhum momento esta questão foi apresentada, o que demonstra, mais uma vez, a forma autoritária com que as as questões da categoria têm sido tratada.
    Diante disso, o sindicato orienta que os profissionais que receberam esta correspondência protocolem o requerimento disponibilizado pela entidade solicitando as informações necessárias para realizar a defesa. Este protocolo deve ser feito em duas vias, no prazo estabelecido na correspondência que recebeu. O requerimento foi enviado às subsedes e está disponível no site do sindicato.
    O Sind-UTE também solicitou reunião com a Secretária de Estado da Educação e com a Secretaria de Planejamento e Gestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, o Sindicato SINDUTE-MG divulgou satisfatoriamente essa notícia para todos os professores? Segundo a SEE/MG, estão descontando da minha mísera aposentadoria, todo mes, R$ 38,00 referente a pagamento a mais do
      décimo terceiro, durante 20 meses. Sabem o que aconteceu, trabalhei em 02 períodos até dezembro e a escola considerou um período até novembro. Abraços, Moysés.

      Excluir
  32. hoje na novela guerra dos sexos teve critica a nossa profissao...muito bommmmmmmmsalario de fome,etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, estamos numa pior, todos criticam a nossa profissão. Será a profissão pior do mundo? Abraços, Moysés

      Excluir
  33. Precisamos de um Sindicato forte sim, que lute pelos direitos dos professores.

    Vamos caprichar nessas eleições sindicais, para elegermos representantes de classe e não pessoas que pretendem utilizar a função sindical com vistas às eleições municipais.

    Saudações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não adianta meu amigo com este governo aí e ainda mais neste estado sem lei não tem sindicato nenhum que funcione. O próprio estado já não funciona, segundo o OEA Minas é um estado sem lei, agora você quer um sindicato funcionar?
      Pode até ser mas em outro governo de outro governador não neste aí viu...

      Excluir
    2. Concordo que o atual governo de MG é bastante autoritário com os professores da rede estadual de educação. Contudo, não podemos deixar de fortalecer nosso instrumento de organização e de luta, companheiro. Esse instrumento é o nosso Sindicato.

      Eu repito que precisamos de um Sindicato integralmente comprometido com os seus filiados, os profissionais da Educação. Atualmente, e há muito tempo tem sido assim, os líderes sindicais preocupam-se mais com as eleições municipais para vereador e prefeito, do que com as causas dos educadores.

      Temos que fortalecer nosso Sindicato renovando nossas lideranças, escolhendo pessoas comprometidas com o benefício e a proteção de nossa categoria e não com a busca de cargos políticos.

      Um abraço,

      Rodolfo
      Leopoldina.

      Saudações Euler.

      Gostaria de sugerir que fomentasse esse debate sobre as eleições Sindicais que se aproximam. Tenho certeza que um post seu vai contribuir para o debate e para conscientizar os menos atentos sobre a importância do Sindicato.

      Excluir
    3. Colega, você está certo e com razão. Um abraço, Moysés

      Excluir
  34. LI e RELI a CARTA.
    Enquanto isso ... as OBRAS FARÔNICAS do MINEIRÃO vão de VENTO EM POPA (advertências do Prof. Euler não faltam).
    POSTOS DE SAÚDE??? ESCOLAS ESTADUAIS??? SALÁRIOS DE PROFESSORES DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO??? SALÁRIOS DE MÉDICOS do PRONTO SOCORRO??? Esquerda "saca" de um lado e "direita" de outro (advertências do Prof. Raimundo não faltam).
    ***EDUCAÇÃO: DESPESAS A SEREM CONTIDAS ("pra variar").
    Será que depois dessa "ainda" aparecerão professores pleiteando uma vaga através de CONCURSOS "estaduais"??? (muito bem questionado pelo Prof. João Paulo).
    E ... amanhã "NOVO JOGO DE LOTERIA" da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL" (entra direita, entra esquerda e o "TME" continua o mesmo : LOTO FÁCIL, "salário difícil", "pra variar", "pra variar").
    (Monstro Adamus)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Monstro Adamus disse: onde se lê FARÔNICAS, leia-se FARAÔNICAS; onde se lê "TME", leia-se "TIME".

      Excluir
  35. É lamentável, tudo de ruim acontece com os profissionais da educação por incompetencia do Faraó.A ância dele acabar com a nossa raça é tão grande que ele esqueceu de uma coisa;Não ficará eterno no poder,então daqui a pouco ele sai e vai ser lembrado como o MAIOR INCOMPETENTE A GOVERNAR UM ESTADO QUE ELE MESMO FALIU E O aECIM CARIOCA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, nada como o tempo para consertar certas coias. Esperamos que esta esperança se concretize brevemente. Não se esqueça que brevemente o STF irá julgar o mensalão mineiro. Abraços, Moyses

      Excluir
  36. E OS NOSSOS COLEGAS , TANTO NO INTERIOR E NA CAPITAL CONTINUAM ELEGENDO O PSDB , É AÍ QUE A DITADURA SE FORTALECE.E GOVERNOS TIRANOS NÃO EXERGAM EDUCAÇÃO , SAÚDE E SEGURANÇA COMO PRIORITÁRIOS. VAMOS PADECER ATÉ LÁ....SE PREPAREM FUNCIONÁRIOS SERÁ SÓ CORTES , SEM CHORO E NEM VELA....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, o partido influi,mas, devemos escolher melhor as pessoas, seus planos e suas intenções e atitudes. Abraços, Moysés

      Excluir
  37. No Japão, a única profissão que não precisa se curvar diante do imperador é do professor,pois segundo os japoneses numa terra que não há professor não podem haver imperador. Então aqui em Minas é o contrário,o incompetente do faraó joga a culpa nos professores.SIM ELE É UM SEM NOÇÃO OU FAZ DE BESTA PRA VIVER?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, aqui, o professor é pisado na sua sombra, no corpo e na alma, por todos, inclusive os alunos. Um abraço, Moysés

      Excluir
  38. E a polícia terá, nestes mês, um aumento de 12%. A folha de pagamento dos bombeiros, inclusive já foi rodada e eles já sabem deste aumento, no ano que vem e até 2015 terão mais, então o problema deste homem que degoverna Minas é com os professores, certamente o sonho dele era ser militar,por isso trata-os tão bem, com esse tratamento tão diferenciado fica evidente que ele tem alguma coisa contra a carreira de professor. Ele prefere a farda à lousa. kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade meu esposo é militar.2015 ele irá ganhar R$7.000,00 com o 2º grau apenas e eu R$1500,00 caso ainda esteja viva.

      Excluir
    2. Colega, perceba que os governantes puxam o saco dos policiais, pois são eles que os garantem no poder. Os professores, ao contrário, querem retirá-los. Para quem eles darão aumento de salários? Outra coisa, antigamente, para um policial oficial chegar ao posto de capitão, estava bem velho e para chegar ao posto de coronel, só era para poucos. Hoje, um capitão da polícia tem 30 anos, muito novo para o posto. Sabem a manobra, para aumentar os salários mais rapidamente.Um abraço, Moysés

      Excluir
  39. NA VERDADE, NUNCA TIVEMOS GARANTIAS QUE A OPOSIÇÃO FARÁ ALGUMA COISA PO NÓS, MAS COMO JA DIZIAM HÁ MUITO TEMPO NOS FILMES.

    "O INIMIGO DO MEU INIMIGO, É MEU AMIGO"

    ENTÃO AGORA SOU OPOSIÇÃO AO PSDB É CLARO, VAMOS ACABAR COM ESSE PARTIDINHO REPETITIVO, QUE SÓ TEM SERRA E AÉTICO E O HOME QUE VENDEU O BRASIL, O FERNADO HENRIQUE LEMBRAM?

    ESTAMOS DE OLHO

    ResponderExcluir
  40. Após a greve temos presenciado do incompetente somente vinganças, maracutaias selecionadas para nos atingir e assim será até o fim de seu mandato.Se eu fosse um mágico mandaria esse senhor para dentro de caixão.

    ResponderExcluir


  41. Vai ver que o sonho dele era ser MAJOR Anastasia, o MAIOR!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, como ele é muito pequeno, ficou MAIOR Anastasia que dá asia. Abraços, Moysés

      Excluir
  42. Se bem que ele usa uma farda.Que farda é essa?Não estou entendendo.Pra que essa farda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Que farda é essa???

      Excluir
    2. Parece que o (a) colega se referiu ao fato de o Governador gostar mais da farda (dos policiais) do que da lousa (dos professores). Entendeu?

      Excluir
  43. Queridos colegas!
    Tem um assunto aqui no no blog que muito me incomoda. As vezes as pessoas compram dos professores a vitoria do PSDB na capital, porem nem só de professores e o eleitorado da capital...... estou errada?

    ResponderExcluir
  44. Estou cansado de ver neste blog um Muro de Lamentações, caros colegas vamos parar de bla bla bla, como tenho visto desde o fim da greve, e começar a agir, falou-se muito aqui no blog sobre o boicote ao SIMAVE, houve? Falou-se muito em não entregar os resultados à secretaria, houve? Falou-se muito em ações judiciais, houve? Então devemos tomar vergonha na cara e agir parar de ficar resmungando e reclamando como vitimas e começar realmente a lutar. Pois é muito cômodo ficar reclamando e esperar de braços cruzados (vi isto durante a greve e vejo novamente).
    Foram idealizadas várias ações - onde estão? - no plano das ideias ótimas e bem sucedidas na gaveta da escrivaninha.
    Ai vai uma que estou fazendo e sugiro: Filmar as mazelas das escolas - infra-estrutura - postar o vídeo no you tube, divulgar o endereço nas redes sociais, e mandar para os jornais dos EUA, e Europa, Oriente, o vídeo deve conter os textos curtos em 3 ou mais idiomas (inglês, Espanhol, francês, árabe, etc) - Google Tradutor - e todos os vídeos com o mesmo título, a verdade da educação do Brasil em Minas Gerais. ( o mesmo nome para que ao ser digitado no You Tube venha um monte).
    É Guerra, então vamos usar as armas do inimigo (meios de comunicação), a desmoralização, sendo esta a AÇÃO N°1.
    Outro erro é que falamos muito e não estabelecemos prazos, portanto ai vai:

    PARA A AÇÃO N°1, PRAZO PARA CONCLUSÃO (FILMAGEM E POSTAGEM NO YOU TUBE) DIA 04-11-2012.

    Aguardem que viram mais ações..




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E virão mesmo!

      Excluir
    2. Boas sugestões.

      Precisamo agir mesmo. Ficamos de braços cruzados por muito tempo, tempo demais e pagamos com nossas carreiras por isso.

      Uma das ações começa pelo fortalecimento e renovação de nosso sindicato. Temos que agir com "agressividade" em certos momentos e não ficar apenas em cima do muro, tentando ficar bem "na fita" com todos.

      Rodolfo

      Excluir
    3. por que o NDG não forma uma chapa para concorrer ao sindINUTIL para tentar transforma-lo em sindUTIL?

      Excluir
  45. Olá, pessoal da luta!

    Bom dia!

    Aproveito uma parte desta manhã de domingo para fazer um breve comentário. Primeiramente, minha solidariedade ao Moysés. Considero um absurdo que um professor, tenha ele 5, 10 ou 15 anos de serviços prestados como professor, ao chegar aos 70 anos, tenha que se aposentar com um salário mínimo. É uma falta de respeito aos professores e a todos os trabalhadores.

    Mas, observo, por dever de justiça, que a questão da aposentadoria não está afeita apenas ao governo de Minas. Posso estar enganado, mas estamos tratando de leis federais que têm piorado a cada governo, sempre contra os trabalhadores. As novas regras da previdência, aliás, são terrivelmente prejudiciais aos servidores públicos novatos, tenham eles ingressado no serviço público com 20, 30 ou 40 anos de idade.

    Infelizmente, não temos uma assessoria jurídica à altura das nossas demandas. Não somos informados adequadamente dos nossos direitos - e daqueles direitos que nos roubaram.

    Consta, pelo que li rapidamente pela Internet, que a paridade agora (paridade = aposentar-se e continuar recebendo o mesmo salário de quem está na ativa) praticamente foi extinta para os novos servidores públicos. Não sei se já está em vigor esta nova regra, mas deveríamos ser informados por órgãos que dizem nos representar.

    Observo ainda que os ataques aos direitos dos aposentados vêm da época de FHC (ou antes, talvez), com o famigerado fator previdenciário. E tais ataques continuaram nas gestões de Lula e Dilma. É a realidade, não posso escondê-la. É provável que no âmbito estadual tenham piorado ainda mais as leis federais. E para completar, com a sistemática política de confisco e cortes salariais imposta pelos governos Aécio/Anastasia, a realidade do professor se torna ainda mais prejudicada: ruim enquanto estivermos na ativa; péssima quando aposentarmos (ou quando nos aposentarem compulsoriamente, aos 70).

    Portanto, não há dúvida que é preciso mudar essa realidade. Isso passa pela mobilização, pela organização dos de baixo e pela luta. Passa também pela denúncia e crítica, que alguns chamam de "lamentação" aqui no blog. Sem a denúncia, sem a crítica, sem o lamento, não há fermento para construir a organização e a unidade dos de baixo.

    Um forte abraço, força na luta, e um bom domingo para todos!

    Euler

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Concordo plenamente, com você professor, inclusive o INCOMODADO que por aqui se refere às exposições como lamentações vai ser vítima dessas mazelas, não tenha dúvida disso, pois conforme bem expôs, você, professor, essa questão da aposentadoria no Brasil sempre foi humilhante para o trabalhador assalariado, e a tendência não é das melhores. Pois se se mudar a regra para o INSS, tenhamos certeza de que para o nosso MAL, todos os governadores mexerão nas regras de aposentadoria do servidor estadual, por isso o que está ruim, ainda tende a piorar, se isso for seguido na esfera estadual Veja abaixo.

      " Fim do fator previdenciário pouco ajuda quem quer se aposentar

      VINICIUS SQUINELO 09/07/2012 00h02

      Para trabalhador prestes a se aposentar mudança do fator previdenciária não tem efeitos

      Proposta que ganhou “musculatura” no Congresso, o fim do fator previdenciário gera polêmica entre parlamentares, porém, caso aprovada, pouco deve mudar para o verdadeiro interessado: o brasileiro que quer se aposentar

      Criado em 1991, e regulamentado em 99, o fator previdenciário aplica um cálculo do valor da aposentadoria por tempo de serviço, levando em conta diversos fatores, desde à expectativa de vida do brasileiro até a “sobrevida” do assegurado. Sempre contestado, o fator pode estar chegando perto do fim, ameaçado de perder o posto para a já apelidada “fórmula 85/95”, proposta com maior apoio dentro do Congresso.

      “Por essa proposta, para conseguir a aposentadoria, a soma da idade da pessoa e o tempo de contribuição ao INSS deve atingir 85 anos para as mulheres, e 95 para os homens”, explicou Santiago. “Na prática, um homem, por exemplo, tem que ter 60 anos de idade e 35 para se aposentar”.

      Disponível em: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/fim-do-fator-previdenciario-pouco-ajuda-quem-quer-se-aposent_154099/ Acessado em 21 de outubro de 2012.

      Excluir
    2. Euler, agradeço a solidariedade do amigo. Quanto ao processo de aposentadoria, realmente é complexo e só beneficia o Estado, tanto pelas Leis Estaduais quanto pelas Leis Federais. Quem foi admitido de 2003 para cá, quando aposentar, não terá direito à paridade. O que resta é o apego à Lei 11738/2008 Lei do Piso Salarial, que determina que o Piso Salarial não é remuneração e o estado considera assim. A esperança nossa é a justiça. Um abraço, Moysés

      Excluir
  46. Li, gostei e achei certíssimo o que está escrito.Vamos ler e refletir em nossa profissão.O que fazer??? Sinceramente não vejo uma luz no fim deste túnel.
    http://www.geomundo.com.br/sala-dos-professores-20120.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, está difícil enxergar a tal luz no fim do túnel. Um abraço, Moysés

      Excluir
  47. São vários os problemas que estamos enfrentando no nosso estado, sou obrigada a ter dois cargos, porque todo mundo sabe que com o valor de apenas um cargo é quase impossível sobreviver, muitos professores nessa situação pegavam extensão de aulas, mas penso que com a posse do concursos essas aulas não estarão mais disponíveis nas escolas, para complementar nosso salário tão reduzido. Outro detalhe, é que muitos professores que estão na lei 100 passaram no concurso e estão perdidos, sem saber o que fazerem, acreditar nessa lei 100, e continuar no cargo, ou exonerá-lo e tomar posse, enfrentando o estágio probatório, e mais 5 anos para progredir na carreira, e na lei 100 não se teve esse estágio probatório, inclusive foram publicadas já a mudança de letra na carreira desses profissionais, tendo já a possibilidade de tirar as férias-prêmio a partir do ano que vem.
    Me encontro nessa situação, tenho um cargo efetivo e outro da lei 100, e nesse concurso passei bem e provavelmente estarei no número de vagass publicadas no edital do concurso.
    Pergunto: O que fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre o cargo público concursado e o cargo público não concursado é lógico que o primeiro responde aos ditames legais.

      Todo e qualquer juiz poderá sustentar a lei 100 somente por algum tempo, pois se houver uma pressão veemente dos servidores a mesma cai, só não cai porque muitos trabalhadores estão sendo amparados por ela e o governo conta com ela para amparar servidores que após servirem a educação por muito tempo necessitam de gozar seus direitos à aposentadoria, então, ela foi criada para isso, para possibilitar o direito à aposentadoria daqueles que trabalharam anos à fio e não tiveram uma contribuição previdenciária, no entanto, existem as distorções que eu conheço bem daqueles que ainda estão estudando e por apadrinhamento com determinados servidores e partidos políticos aproveitaram para adentrar a educação como professores.

      O acesso ao emprego público via concurso é disparadamente melhor e não tem que titubear, pois está em consonância com a legislação federal e não faz com que o servidor esteja na dependência desse ou daquele padrinho que pode ser um servidor influente ou até mesmo político que almeja fazer com que o seu protegido faça campanha dentro das escolas nas surdinas.

      Excluir
    2. Colega, se ficar o bicho pega, se correr o bicho pega. O que devemos fazer? Esteja certa, de uma coisa, sempre você será prejudicada. Um abraço, Moysés

      Excluir

  48. Qualquer atitude que você tomar será devorado(a) pela ONÇA que são as leis que regem a carreira do Servidor Mineiro, de qualquer forma você verá seus direitos solapados, surrupiados. Nesse mato que nos encontramos, não temos para onde correr, em qualquer clareira estaremos encontrando com as ONÇAS que infernizam este Estado em vez de governá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, precisamos bolar armadilhas para pegar essas onças. Lembre-se, quem colocará o "guiso" no pescoço do gato? Abraços, Moysés

      Excluir
  49. Professor no fundo do poço, ele conseguiu transformar o nosso salário em pó para o seu padrinho cheirar e ficar feliz da vida ao ver que o seu plano deu certo.Gostaria de ver o afilhado e o padrinho ganhando um salário ridículo desse e ficar contente.Pois é minha gente chumbo é bom na bunda de veado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, quem não sofre não se sensibiliza pela desgraça dos outros. A realidade é cruel. Abraços, Moysés

      Excluir

  50. (...) pois devemos saber que algum dia teremos que lutar por nós mesmos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, este dia chegou! Vamos à luta! Abraços, Moysés

      Excluir
  51. Fico indignada com esse nosso governo,já não tenho mais esperança estou na mesma situação desse professor,vou aposentar com um salário mínimo,alias menos p há os descontos do nosso belo ipseng q não ajuda em nada.Fui p um ajustamento funcional devido um problema de saúde e acabei perdendendo oq já não tinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, o que temos que fazer é procurar a justiça. Vamos apelar para STF. Um abraço, Moysés.

      Excluir
  52. PROFESSORES, SE HABILITEM!

    Caros colegas professores,

    sugiro aos colegas professores que estão mais empenhados em termos nossos direitos garantidos e cumpridos, e também que lutam pela valorização do professor, que formem uma chapa e concorram às eleições do sindicato.

    De fato, primeiramente temos de extirpar toda a sujeira que infesta o "sindnútil" e, posteriormente, construir um sindicato que realmente só busque a valorização do professor estadual e nada mais.

    Se não confiamos mais neste "sindinútil", se queremos um sindicato sem conchavos politiqueiros, sem coluio com partidos políticos, é importante que primeiro, tentemos mudar este sindicato que aí está.

    Portanto, é importante que alguém tome à frente e componha esta chapa. Quanto a mim, não tenho nenhum interesse em compor e fazer parte de sindicato. Nunca me filei ao mesmo, pois sempre o vi como plataforma politiqueira para pilantras que buscam o poder as nossas custas. Entretanto, coloco-me à disposição para derrubar e desmascarar a atual direção do "sindnútil".

    A primeira ação do novo sindicato deve se voltar para a unidade da classe, através de campanhas ostensivas sobre nossa capacidade de mudar a história da educação pública em Minas Gerais. É que a opressão, as retaliações, as perseguições, o achatamento salarial e a perda da carreira fizeram com que o professor estadual perdesse sua identidade, sua força e auto-autoconfiança. O fato é que não podemos continuar com um sindicato que busca primeiramente os conchavos politiqueiros e deixa a valorização do professor em segundo plano. E isto vem acontecendo nos últimos 10, 20, 30 anos.

    Portanto, que o novo sindicato deixe claro para os professores, para a sociedade e para os poderes instituídos, que não teremos o "rabo preso" com nenhum deles.

    Não são os políticos que devem fazer a educação pública, mas a educação é que deve fazer os políticos deste país.

    É hora de agir!

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos
    Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, vamos agir! Abraços, Moysés

      Excluir
    2. Falou tudo, Raimundo.

      A bandeira do Sindicato tem que ser única - valorização dos professores e demais profissionais da educação.
      Só precisamos disso, nada mais...

      Abraço,

      ROdolfo.

      Excluir
  53. CONCORDO PLENAMENTE, COLEGAS DIVULGUEM E FAÇAM....

    Estou cansado de ver neste blog um Muro de Lamentações, caros colegas vamos parar de bla bla bla, como tenho visto desde o fim da greve, e começar a agir, falou-se muito aqui no blog sobre o boicote ao SIMAVE, houve? Falou-se muito em não entregar os resultados à secretaria, houve? Falou-se muito em ações judiciais, houve? Então devemos tomar vergonha na cara e agir parar de ficar resmungando e reclamando como vitimas e começar realmente a lutar. Pois é muito cômodo ficar reclamando e esperar de braços cruzados (vi isto durante a greve e vejo novamente).
    Foram idealizadas várias ações - onde estão? - no plano das ideias ótimas e bem sucedidas na gaveta da escrivaninha.
    Ai vai uma que estou fazendo e sugiro: Filmar as mazelas das escolas - infra-estrutura - postar o vídeo no you tube, divulgar o endereço nas redes sociais, e mandar para os jornais dos EUA, e Europa, Oriente, o vídeo deve conter os textos curtos em 3 ou mais idiomas (inglês, Espanhol, francês, árabe, etc) - Google Tradutor - e todos os vídeos com o mesmo título, a verdade da educação do Brasil em Minas Gerais. ( o mesmo nome para que ao ser digitado no You Tube venha um monte).
    É Guerra, então vamos usar as armas do inimigo (meios de comunicação), a desmoralização, sendo esta a AÇÃO N°1.
    Outro erro é que falamos muito e não estabelecemos prazos, portanto ai vai:

    PARA A AÇÃO N°1, PRAZO PARA CONCLUSÃO (FILMAGEM E POSTAGEM NO YOU TUBE) DIA 04-11-2012.

    Aguardem que viram mais ações..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Virão, por favor!
      Concordo com voce...

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkk Não assassine a língua pátria, por favor, pois quem vai lamentar somos nós!

      Excluir
    3. Colega, cuidado com as perseguições dentro das escolas. Abraços, Moysés

      Excluir
  54. professoramaluquinha22 de outubro de 2012 22:05

    Enquanto isso... lá vem mais bomba !!

    "A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) realiza nesta quinta-feira (18) o VIII Fórum de Planejamento e Gestão, no auditório JK da Cidade Administrativa. O fórum vai apresentar o “Perfil de Competências Essenciais dos Servidores do Estado de Minas Gerais”, que irá subsidiar a avaliação de desempenho dos servidores do Governo de Minas a partir de 2013.

    O novo modelo de avaliação de desempenho por competências tem como objetivo integrar as necessidades e expectativas individuais e organizacionais, contribuindo para o alcance dos resultados, explica Fernanda Fonseca, analista da Diretoria Central de Gestão do Desempenho, da Superintendência Central de Políticas de Recursos Humanos da Seplag. “Este modelo de avaliação começou a ser construído em 2009 e já vem sendo utilizado por 11 órgãos e entidades do Governo de Minas. Agora será expandido para todo o Estado”, disse.

    O Perfil de Competências Essenciais dos Servidores do Estado de Minas será apresentado pela subsecretária de Gestão de Pessoas da Seplag, Fernanda Neves. O evento terá, também, a palestra “Gestão de desempenho por competências: o que temos a ganhar?”, conduzida por Eduardo Faro, graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestre em Administração com ênfase em Recursos Humanos e Organização pela PUC de São Paulo. Participam do fórum profissionais de Recursos Humanos; de Planejamento, Gestão e Finanças; das Assessorias de Gestão Estratégica e Inovação e chefias de Gabinete."

    FIQUEM DE OLHO!!

    fonte:

    http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seplag-realiza-viii-forum-de-planejamento-e-gestao-em-belo-horizonte/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, as Avaliações de Desempenho só beneficiam os "peixes" dos diretores das escolas. Um abraço, Moysés

      Excluir

  55. Isso aí é para pagar o tal prêmio somente há alguns Servidores do Estado analisados como deExcelência, o resto não vai receber nada porque será considerado pela análise como um bando de incompetentes. É uma forma de não pagar mais este prêmio, aguardem e verão, o prêmio de 2012, pago, certamente na Copa de 14, vai ser dentro dos moldes deles e aí serão apenas dezenas de agraciados. Essa gente quando reúne não é para o bem do Servidor é para dar rasteira, ainda mais à sombra de gente do PSDB, há alguma coisa neste país que esse povinho fez de bom em termos de direitos e garantias do trabalhor? NADA, NADA, NADA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, as migalhas (o que sobra) serão o nosso prêmio. Um abraço, Moysés

      Excluir
  56. Euler, por favor faça uma análise e esclarecimentos do processo eleitoral para direção do sindicato. Vejo muita gente reclamando que as datas estão atropeladas e que teria que aguardar o fim do 2º turno. Obrigado, Paulo - Contagem

    ResponderExcluir

  57. 23 DE OUTUBRO DE 2012 ÀS 10:59

    Minas 247

    Em menos de dois anos, o Governo do Estado de Minas Gerais, cargo de Antônio Anastasia (PSDB), no segundo mandato consecutivo, já solicitou à Assembleia Legislativa autorização para contrair R$ 9 bilhões em empréstimos. Apenas neste mês, o Estado já enviou projetos aos deputados no total de R$ 3,49 bilhões em pedidos de permissão para operações de crédito com instituições financeiras.

    No mais recente, encaminhado na quarta-feira (17) e já lido em plenário, o projeto de lei autoriza o Executivo a obter recursos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no valor limite de R$ 93,3 milhões.

    Antes mesmo, no dia anterior, Anastasia enviou mensagem com pedido de financiamento de R$ 3,4 bilhões com o Banco do Brasil a serem aplicados no Programa de Desenvolvimento Estadual (PDMG).

    E os pedidos para empréstimo não param por aí. Nos bastidores da Assembleia, segundo matéria publicada em O Tempo Online, há especulação em torno de uma nova demanda por empréstimo que chegará às mãos dos deputados, só que, dessa vez, com a Caixa Econômica Federal. Caso essa nova solicitação seja confirmada, a demanda pode chegar a R$ 5 bilhões.

    As duas proposições que entraram em tramitação em outubro já causam polêmica entre as bancadas. O principal argumento dos oposicionistas é que, desde o início da administração de Antônio Anastasia, vários projetos solicitando créditos, alguns inclusive com bancos internacionais, já foram aprovados.

    Três desses pedidos do Executivo aconteceram em maio deste ano. O primeiro solicitava aos deputados a alteração de projeto de lei, aprovado em dezembro de 2011, estendendo de R$ 1,35 bilhão para R$ 2,44 bilhões o valor dos recursos contraídos junto ao BNDES.

    Outro texto solicitou a concessão de novo empréstimo, no valor de US$ 300 milhões - cerca de R$ 547,8 milhões - com a Corporação Andina de Fomento (CAF) para utilização no programa Caminhos de Minas. Na mesma ocasião, foi pedida a redução para US$ 80 milhões (cerca de R$ 153,2 milhões), dos US$ 700 milhões já autorizados no ano passado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

    Os valores aprovados pela Assembleia em empréstimos indicam o limite máximo de crédito que pode ser adquirido pelo Estado em cada transação, ou seja, o governo não precisa obter o financiamento em sua totalidade. Assim, de acordo com relatório da execução orçamentária divulgado em setembro no "Minas Gerais", a previsão atualizada para esse tipo de crédito neste ano é de R$ 4,5 bilhões.

    "Destinação dos recursos não é clara"

    Na mesma matéria de O Tempo, o presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual de Minas Gerais (Sindifisco), Lindolfo Fernandes de Castro, diz que o governo de Minas de não especificar, de forma clara, em quais áreas serão aplicados esses recursos. "Eles colocam que é para a modernização, mas a gente não vê onde isso é investido. O que está melhorando? Eu não sei", critica.

    Ele afirma ainda que o governo é contraditório ao exigir a renegociação da dívida do Estado com a União, mas, cada vez mais, enviar novos pedidos de empréstimo à Assembleia.
    "O governo reclama o fato de comprometer 13% do orçamento para amortização da dívida, mas contrai mais dívidas. Isso vai gerar problemas lá na frente. O orçamento já está engessado, e isso compromete ainda mais os investimentos", argumenta.

    *** ELES só vão deixar Minas quando tiverem sugado tudo.

    ResponderExcluir
  58. Euler, por favor, se você não entrar em chapa pra concorrer a direção do sindicato, faça parte da comissão eleitoral.
    isso é muito importante.
    Grata
    Maria Clara.

    ResponderExcluir
  59. NÃO SE ILUDAM

    Caros colegas professores,

    posso parecer repetitivo, embora uma olhadela nos comentários aqui, mostrará que nosso discurso também é sempre o mesmo: repetitivo, redundante, sempre reclamando e exigindo as mesmas coisas. E isso é prova de que nada tem mudado para nós, professores estaduais de Minas Gerais, a não ser mais retaliações, mais achatamento salarial, mais perda da carreira, etc.

    É neste triste contexto que mais uma vez sugiro aos colegas professores que tiremos o foco político de nossas discussões, não privilegiando nenhum partido político, já que todos eles pertencem ao mesmo "saco sujo".

    É preciso entender de uma vez por todas que as coisas não mudarão, simplesmente, como num passe de mágica. É preciso que tomemos a iniciativa. É preciso organizar a classe e esquecer a politicagem. Estes pilantras que aí estão não têm nenhum interesse em nós, professores, e também na educação pública deste país. Em décadas de falsa democracia o discurso continua o mesmo: "é preciso investir em educação, "...é preciso valorizar os professores...", "...os professores são mal remunerados...", "...a educação do Brasil é uma das piores do mundo...", "...educação é base para qualquer mudança, etc, etc, etc..." O fato é que o discurso é o mesmo, e é ainda mais focado em época de eleição por todos os candidatos, por todos os partidos políticos. Eles estão nos fazendo de bobos. E muitos de nós estamos caindo na conversa mole deles, até mesmo professores formados, pós-graduados.

    Enquanto não entendermos que somente a união da classe em prol de condições melhores na educação, através de um "grande motim" que consiga levar ao caos a educação deste estado, não conseguiremos reverte este quadro: "é malhar em ferro frio".

    Somente com a unidade da classe, com os professores conscientes de sua força, é que poderemos conseguir nossos objetivos.

    Como sempre tenho dito aqui, nunca tivemos um movimento grevista que atingisse sequer 20% do professorado mineiro. Naturalmente que os números apresentados tanto pelo "sindinútil" quanto pelo governo são mentirosos. Na nossa última greve, por exemplo, de um lado o "sindinútil" alegava que 50% dos professores haviam aderido à greve. Por outro lado, o governo alegava que a adesão era de apenas 3%. Entretanto, os dois lados estavam errados. Se a nossa greve realmente tivesse atingido 50%, fatalmente teríamos saído vitoriosos. Se a adesão fosse de apenas 3%, a greve não teria nem existido de fato. O certo é que nossa greve atingiu, no máximo, 10% ou 15% do professorado mineiro, pois a maioria das escolas estavam funcionando normalmente. Portanto, ambos "sindinútil" e governo mentem.

    Entretanto, uma greve que arrebanhasse pelo menos 20% ou 30% do professorado mineiro já começaria a fazer grandes estragos, e aí sim, o governo começaria a perceber nossa força. Portanto, não se iludam, o sistema político e eleitoral no Brasil não permitirão que haja nenhuma mudança substancial na ordem social e política brasileira. Já um movimento grevista capaz de levar ao caos o sistema educacional, certamente que poderá mudar os rumos da educação pública no Brasil. Por exemplo, por que vocês acham que os policiais são melhor remunerados do que nós? Resposta: porque o governo os temem, porque os poderes instituídos se sentem ameaçados caso eles se rebelem. Não é porque o governo valoriza os policiais, mas sim porque um movimento grevista dos policiais pode levar ao caos a ordem social. Nós também, se fôssemos unidos poderíamos também levar ao caos o sistema educacional deste país em prol de mudanças substanciais para a valorização do professor e por uma educação de qualidade.

    Do contrário, é continuar aqui com as mesmas reclamações, a mesma cantilena...

    Atenciosamente,
    Raimundo Santos
    Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega Raimundo, os comentários revoltosos dos nossos colegas neste Blog irá durar alguns dias, depois, irão cair no esquecimento, como sempre. Considero, também, que estamos lançando uma "semente" que se for bem irrigada poderá tornar-se uma frondosa árvore cheia de frutos, que seria a nossa vitoria.
      "É impossível haver progresso sem mudança e, quem não consegue mudar a si mesmo, não muda coisa alguma" Bernard Shaw
      Vamos mudar, fazer coisas diferentes, outro tipo de greve, como falei anteriormente, outro tipo de ação, mais união e menos falatório. Abraços, Moysés

      Excluir
  60. NO STF SEGUE O ATOLÃO, A BOA FORMA DE DAR PIZZA É DANDO EMPATE.

    EMPATADO É PIZZA.

    BRASIL TERIA QUE SE CHAMAR PIZZASIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com ironia foi falado que em caso de empate favorece o réu.Deve ter dente de coelho aí.Neste caso o povo é que deveria votar.
      O Brasil deveria chamar Pizza de rolo.

      Excluir
  61. A POLITICA É UM BURACO SEM FUNDO, QUERO SABER QUAL GESTOR DEIXARÁ PARA SEU SUCESSOR CRÉDITO.
    SÓ DEIXAM DEBITO, DIVIDAS E OS PIORES FORAM AÉTICO E ANASTA, ITAMAR TINHA QUITADO UMA BOA PARTE.

    ESSE MODELO ESTÁ ULTRAPASSADO

    O GESTOR NÃO PODERIA DEIXAR DIVIDAS E SIM IR PAGANDO AS QUE JÁ TEM PARA ACABAR COM ISSO.

    BRASIL ESTÁ INDO PARA BURACO SEM FUNDO.

    ResponderExcluir
  62. UNS FALAM QUE MINAS CRESCE, ACHO QUE ESTÁ DIMINUINDO, AFINAL QUANDO COMEÇARAM A PAGAR O QUE DEVE? SE SÓ CONTRAI MAIS DIVIDAS?

    ResponderExcluir

  63. ASSIM É O GOVERNO DE MINAS...

    8° SRE CONS. LAFAIETE realiza reunião pedagógica, hoje dia 23/10/2012, com professores da região, sem nenhum aproveitamento justificável, uma banalidade total.

    NENHUMA PALAVRA SOBRE A VALORIZAÇÃO DO PROFESSOR.

    Mas é assim que as coisas estão acontecendo por aqui.

    E ainda cancelam as aulas para os alunos.

    Mas vejam o despreparo dessa reunião, A HUMILHAÇÃO da secretaria de educação com estes professores ...

    Professores que foram deslocados de cidades vizinhas, recebem MARMITEX de quinta categoria para almoçarem.

    Resta saber quanto estão pagando por esses coxinhos de alumínio com "comida".

    Tirar os professores de suas residências, de suas cidades, para curso da Secretaria de Educação de Minas Gerais e, oferecerem marmitas para almoçarem??

    ISSO É UMA VERGONHA!!

    Este é o respeito com a educação e com os educadores em Minas Gerais.

    INCOMPETÊNCIA DE UM GOVERNO FALIDO E ARROGANTE.

    E AÍ MINAS GERAIS??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, é impressionante, as reuniões da SRE e da própria escola, são inúteis, não trazem nada de novo e não são atrativas para os professores, me parece que são organizadas para consumir verbas disponíveis, para eles, é claro!
      Um abraço, Moysés.

      Excluir
  64. JOAIMA NO FUNDO DO POÇO

    PORTAL TRANSPARENCIA NÃO TEM NADA

    http://mg.portaldatransparencia.com.br/prefeitura/joaima/pt/listagem.cfm?pagina=listagem_licitacao

    PREFEITO SÓ PLATOU E DEU BANANA PARA POVO AGORA SE ACHA CIDADÃO DE ARAÇUAÍ

    CUIDADO ARAÇUAIENSES

    OME É BANDIDO
    FRAVIO DIS QUE É LEAL
    MAS É ENGANADOR

    ResponderExcluir
  65. Candidato vereador de Joaima, no Giru, deu terreno para todos, até em área particular

    era subprefeito, foi eleito.

    cadê tre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, algum professor ganhou terreno também?
      Um abraço, Moysés.

      Excluir
  66. NDG tem que tentar tá na Comissão Eleitoral. Quem não for sair candidato tem que tá lá pra fiscalizar possiveis mutretas.
    Já mandei email pro companheiro Rômulo. Peço para ele avaliar com carinho isso.
    Fátima - BH

    ResponderExcluir
  67. VEJA NO JORNAL O TEMPO"COM LICENCIATURA DESVALORIZADA,PODE FALTAR PROFESSORES EM MG".ISSO É MUUUUUUUUITO BOOOOOOM!

    ResponderExcluir
  68. Assim vivem e morrem os nossos professores:

    Leia:

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1174248-professora-morre-apos-passar-mal-em-escola-de-araraquara-sp.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente esse Juiz Antunes, "É o Cara" Precisamos dele do nosso lado

      O juiz da 1ª Vara da Fazenda de Belo Horizonte entendeu que aprovação da Emenda Constitucional 41/2003 possui um “vício de decoro parlamentar” que “macula de forma irreversível” a Reforma da Previdência e “destrói o sistema de garantias fundamentais do Estado Democrático de Direito”. Para sustentar seu entendimento, o juiz lembra que o “voto histórico” do relator Joaquim Barbosa foi seguido pela maioria do STF. “A EC 41/2003 foi fruto não da vontade popular representada pelos parlamentares, mas da compra de tais votos”, diz a sentença, publicada no dia 3 de outubro [faça download da íntegra da decisão abaixo].

      Excluir
  69. Parabenizo a todos q lutam por um Brasil melhor. A ideia de formar uma chapa para concorrer na próxima eleição do sindicato, é óootttimmmaaa ! Também seria muito bom se todos aderissem à Campanha REFORMA POLITICA JÁ ( à exemplo da gloriosa Ficha Limpa ) para (acabar) ou diminuir com tanta corrupção, pilantragem, safadeza, etc,etc.,que está acabando com nosso País...

    ResponderExcluir
  70. Hoje na BBC de Londres vai começar uma série de reportagens sobre o Brasil.Serão 4 partes .Vou saber o que vão mostrar.Já avisei quem mora lá e me disse hoje que tudo será mentira, comprado, maquiado.Brasil país da mentira .O conto da carochinha.Avisei que o que falar na reportagem pode ter certeza que é mentira e foi dado muito dinheiro para o reporter.Aqui é o país da maquiagem, montagem.

    ResponderExcluir
  71. A crise da educação

    Publicado no Jornal OTEMPO em 24/10/2012

    Informação apurada pela reportagem de O TEMPO constatou que, na UFMG, a procura pela carreira do magistério caiu 4% nos últimos anos. No vestibular de 2012, entre os 15 cursos mais procurados, nenhum é de licenciatura, que forma professores para o ensino médio e o fundamental.

    Nesses cursos, a relação candidato/vaga caiu de 30 para três nos últimos dez anos. Isso quer dizer que vão faltar professores nos próximos anos para cuidar da formação de nossas crianças e adolescentes. A carência já é observada em disciplinas como química, física e biologia nas escolas públicas.

    A situação decorre de vários fatores. O principal deles é a questão salarial. Um professor no país ganha 40% menos do que outro profissional com a mesma titulação. Em Minas Gerais, ele é remunerado com a metade do que ganha um cabo da Polícia Militar. O Brasil é um dos países que mais malpagam ao professor.

    Isso reflete a desvalorização progressiva por que passa a profissão. No Japão, o único cidadão dispensado de se inclinar diante do imperador é o professor. A democratização da sociedade brasileira, ao ampliar as atribuições do Estado, expôs a incapacidade deste em atender às novas demandas, como a da educação.

    A crise é evidente. Apesar da meta de universalização, sete entre dez crianças de até 5 anos estão fora da escola. A qualidade do ensino foi nivelada por baixo. As condições de trabalho nas escolas são deficientes, e os professores vivem sob a tensão da violência proveniente de alunos e até de pais.

    A formação do ser humano depende da família e da escola. Estão se demitindo dessas atribuições. Salvo exceções, a escola privada funciona como negócio. Na escola pública, face à desvalorização do professor, ocorre um rebaixamento no quadro do magistério, inclusive com a ocorrência de desistências.

    Resultado à vista: a qualidade da educação repercute na formação da mão de obra e do PIB.

    ResponderExcluir
  72. Com licenciatura desvalorizada, pode faltar professor em Minas

    Para especialistas, baixos salários e desvalorização social são motivos
    Publicado no Jornal OTEMPO em 24/10/2012
    JOHNATAN CASTRO

    A falta de interesse pelos cursos de licenciatura, motivada pelos baixos salários e pela desvalorização social dos profissionais, pode levar à escassez de professores nas salas de ensino básico de Minas Gerais em até dez anos. A constatação é feita por especialistas com base nos números de matrícula em cursos superiores. No caso da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a maior do Estado, a procura pela carreira caiu 4% nos últimos anos. Em 2010, foram 6.815 matriculados, contra 6.510 neste ano.

    Para o professor de sociologia da educação e coordenador do Colegiado Especial de Licenciatura da UFMG, João Valdir Alves de Souza, o desinteresse pelos cursos de licenciatura - que formam professores - é preocupante e pode resultar na falta de professores em breve. "Mantida a atual tendência, em três ou cinco anos, não teremos candidatos aos cursos de licenciatura", afirmou, ressaltando que a relação candidato/vaga de cursos como letras e matemática diminuiu de cerca de 30 para apenas três nos últimos dez anos. "A UFMG está formando menos professores que no passado", constatou.

    O Censo da Educação Superior 2011, divulgado na última semana pelo Ministério da Educação (MEC), mostrou que a realidade é a mesma em todo o país. Segundo o levantamento, entre 2010 e 2011, o número de matrículas nos cursos de licenciatura ficou estagnado.

    Sem estímulo. O motivo para a queda na procura é unanimidade entre os especialistas. "A carreira no magistério tem sido de baixa atratividade", afirmou Mozart Neves Ramos, conselheiro da Organização Não Governamental (ONG) Todos pela Educação.

    De acordo com ele, os baixos salários aparecem como o principal motivo para os jovens fugirem da profissão. "Um professor no Brasil ganha, em média, 40% menos que outros profissionais com a mesma titulação. E não é só o salário que resolve. Falta um plano de carreira", afirmou.

    A desvalorização social da carreira é outro problema. "Vivemos um cenário em que a figura do mestre tem sido empalidecida", afirmou Valdir Souza. Junto com isso, segundo ele, estão as condições de trabalho dos profissionais, que enfrentam falta de estrutura nas escolas e violência vinda de alunos.

    Para Mozart Ramos, entretanto, é preciso investir na profissão, de modo a resgatar o prestígio da carreira. "A gente tem que fazer esse diagnóstico, mas acho que a saída passa por um pacto social pela valorização da carreira do magistério como um todo. Em outros países, os professores ganham tanto ou mais do que um engenheiro ou um médico qualquer", concluiu.

    ResponderExcluir
  73. Jovens não querem dar aulas

    Os problemas apresentados pelos especialistas são perceptíveis também na forma como os alunos de cursos de licenciatura lidam com a carreira. A estudante do segundo período de letras Danielle Cardoso Ferreira, 22, por exemplo, não pensa em ser professora, apesar de já dar aulas particulares de português. "Esse era um curso que eu jamais pensei em fazer. Mas comecei e gostei. Só que o que quero mesmo é trabalhar com edição de livros", disse.

    Já a estudante Poliana Jardim Rodrigues, 24, entrou na faculdade de história por afinidade com a área e com o ato de ensinar. "Comecei com a intenção de partir para a rede pública, mas, depois que vi as dificuldades da profissão, resolvi ficar com pesquisa", explicou a jovem, que ressalta os baixos salários e as greves enfrentadas pela classe como os principais pontos de desânimo.

    Para Julia Lery, 21, que concilia o curso de história com uma faculdade de jornalismo, a falta de estrutura em muitas escolas e os casos de violência contribuem para esse cenário. "A maioria das pessoas que optam pela faculdade quer ser professor, mas, logo que elas entram na área, aparecem as frustrações", disse.

    A diretora do instituto de ciências humanas da PUC Minas, Carla Ferreti, credita parte dessa rejeição à forma como a sociedade tem visto a carreira de professor. "Isso acontece por essa impressão que as famílias têm de que as melhores carreiras são as que estão na moda".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode me informar a fonte dessa notícia?
      É muito importante para todos nós!!!
      Obrigado!

      Excluir
    2. Jornal O TEMPO...

      É continuação da matéria:

      "Com licenciatura desvalorizada, pode faltar professor em Minas

      Para especialistas, baixos salários e desvalorização social são motivos
      Publicado no Jornal OTEMPO em 24/10/2012
      JOHNATAN CASTRO"

      Excluir
  74. O juíz mineiro que anulou efeito da Reforma Previdenciária por causa do mensalão usou os argumentos:
    “A Constituição garante os direitos adquiridos”, afirma o juiz. E continua: “considero uma expropriação de propriedade privada. Um ato violentíssimo, de total impiedade com o cidadão”.

    O magistrado argumenta que um indivíduo qualquer, antes de entrar na vida pública, pondera todas as vantagens e desvantagens que os rumos da sua carreira profissional podem lhe causar: salário, carga horária, estabilidade, aposentadoria e pensão, por exemplo. Dessa forma, não pode haver “revisão unilateral” nas regras do contrato público que subtraia direitos adquiridos e reduza a remuneração do servidor. O cidadão não pode ser “pego desprevenido ao descobrir que, de um dia para o outro, perdeu o direito que acreditava ter”, diz Juíz mineiro O juiz da 1ª Vara da Fazenda de Belo Horizonte
    o juiz, ao conceder o mandado de segurança.
    Arantes ainda critica o funcionamento do Estado brasileiro que, ao trocar o governo eleito, permite uma série de mudanças nas políticas implementadas, não raras vezes removendo direitos dos cidadãos. “As alterações ao alvedrio dos caprichos do príncipe deixaram de ser aceitas desde o fim da Idade Média”, observa o juiz, ao ressaltar que o sentimento de insegurança jurídica prevalece."

    Será que esse argumento não poderia ser usado a nosso favor, para obtermos de volta nossos direitos usurpados pelo governo estadual?
    Ele não poderá usar dois pesos e duas medidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JA FALEI E DIGO PRECISAMOS ENTRAR COM UMA AÇÃO COM ESSE JUIZ ELE É O CARA VAMOS LÁ BH AJUDE AI E PROCURE ELE

      PARECE SER HONESO AO CONTRARIO DO RESTO DO JUDICIÁRIO DE BH.

      ENTREM AÇÃO COM ELE PARA JULGAR

      ABRAÇOS

      UMS LUZ NO FIM DO TÉNEL

      Excluir
    2. HONESTO É EMOÇÃO

      Excluir
    3. QUANDO VOCÊS JÁ VIRAM ISSO, 4ª, 5ª, 6ª CHAMADA EM VESTIVULAR, A UFVJM LANÇÕU VESTIVULAR A DISTANCIA E JÁ ESTÁ NA 5ª CHAMADA, ATÉ OS QUE NÃO FORAM APROVADOS ESTÃO SENDO CHAMADOS,

      É UMA PERÇÃO NÃO PARA NÓS, POIS JÁ PERDEMOS TUDO, CARREIRA, CARGO, APOSENTADORIA, SALÁRIO.

      A PERCA É PARA ELES OS GESTORES DA VERBA QUE SÓ SE PREOCUPAM COM FAZER E FAZER DIVIDA PARA O ESTADO.

      Excluir
  75. COMPANHEIROS ,ACHEI MUITO BOM QUE O JORNAL -O TEMPO- TENHA PUBLICADO UMA MATÉRIA SOBRE A FALTA DE INTERESSE DOS JOVENS PELA PROFISSÃO DE PROFESSORES, E SUGIRO QUE AO LEVANTAR OS DADOS PARA SUSTENTAR A EXISTÊNCIA DO PROBLEMA, NÃO BASTA FAZER O LEVANTAMENTO DA QUEDA DO NÚMERO DE CANDIDATOS INSCRITOS NA UFMG, PARA OS CURSOS DO MAGISTÉRIO.... POIS O FOCO PRINCIPAL DEVE SER;... ENTRE OS ALUNOS QUE INICIAM UMA FACULDADE PARA SER PROFESSOR, QUANTOS CONCLUEM O CURSO?... DOS PROVÁVEIS DEZ POR CENTO QUE CONCLUEM, QUANTOS INICIARÃO A PROFISSÃO DE PROFESSOR?... DO TOTAL QUE COMEÇA A TRABALHAR EM SALA DE AULA, QUANTOS CONTINUAM LECIONANDO? ENTRE AQUELES QUE TENTARAM,QUANTOS ABANDONARAM A PROFISSÃO LOGO NO PRIMEIRO ANO? E MAIS... PORQUE OS FILHOS DE PROFESSOR NÃO QUEREM SEGUIR A PROFISSÃO DOS PAIS?,,,...pensando bem....VOU VIRAR JORNALISTA E FAZER UMA MATÉRIA SOBRE O ASSUNTO... QUE FOI OPORTUNO MAS DEVERIA SEGUIR ESTA LINHA DE PESQUISA E ESCLARECIMENTO PARA A SOCIEDADE...

    ResponderExcluir
  76. PENSO QUE AS LEIS APROVADAS DURANTE O MENSALÃO DEVERIAM PERDER A VALIDADE...E MUITA GENTE PREJUDICADA E LESADA POR ESSAS LEIS DEVERIAM SER INDENIZADAS PELOS DANOS QUE SOFRERAM, PARA ISSO É SO CONFISCAR OS BENS DOS ENVOLVIDOS... FAZER O LEVANTAMENTO DOS POLÍTICOS QUE GANHARAM MUITO DINHEIRO E FAZÊ-LOS PAGAR A CONTA...SIMPLES ASSIM....

    ResponderExcluir
  77. Assim vivem e morrem os nossos professores:

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1174248-professora-morre-apos-passar-mal-em-escola-de-araraquara-sp.shtml

    ResponderExcluir
  78. NOS ANAIS DO JUDICIÁRIOS AINDA TEM BONS HOMENS, HONESTOS, A FAVOR CA CARTA MAGNA E NÃO PELO PODER E POLITICA, PEÇO A DEUS QUE ELE NÃO SEJA NOMEADO DESEMBARGADOR, ELES NÃO NÃO PRESTAM SERVIÇO AO JUDICIÁRIO, MAS SIM AOS POLITICOS

    SE NÃO FOSSE ASSIM, NÃO PRECISAVAM SER NOMEADOS, SERIAM DE CAREIRA PRESTADA A CAREIRA.

    (Comentando nesse jeio não vao demorar para tirar o blog do ar, mas abriremos outro

    ResponderExcluir
  79. Euler, soube que haverá chapa única da direção esradual para eleição do sindicato. Isso é lamentável. o questionamento que faço é se você estará nessa chapa com os pelegos que nos fizeram ajoelahr para anastasia. Lamentável!

    ResponderExcluir
  80. A carreira seria melhor!

    ResponderExcluir
  81. Olá, pessoal da luta! (Parte 1 de 2)

    Boa noite!

    Sobre as eleições sindicais, quero trazer aqui algumas considerações pessoais:

    1) não pretendo participar do processo eleitoral sindical, nem lançando chapa (ou compondo alguma), nem tampouco participando de comissão de apuração ou fiscalização;

    2) explico meu posicionamento: não há condições de lançarmos uma chapa, por exemplo, do NDG, por vários fatores. Entre eles, a própria dificuldade estatutária, aprovada em congresso controlado pelo grupo que domina a máquina do sindicato há 30 anos. Pelas normas vigentes, é preciso ter representação em um grande percentual de subsedes para se lançar chapas, coisa que um grupo independente que desejasse participar dificilmente atingiria tais percentuais.

    3) além disso, a realidade dos educadores é marcada pelo empobrecimento, impondo a dupla jornada de trabalho como forma de sobrevivência. Nessas condições, não há tempo disponível para que as pessoas organizem chapas autônomas, visitem cidades, etc.;

    4) e finalmente, dada às políticas equivocadas da atual direção do sindicato, muita gente de luta se afastou do sindicato. E isto é preocupante, pois representa enfraquecimento da luta da categoria;

    5) na verdade, se desejasse uma real unidade da categoria, a atual direção deveria renunciar e tomar a iniciativa de propor uma espécie de refundação do sindicato, com a participação de todas as correntes e grupos e personalidades que desejarem. Mas, isso implicaria em abrir mão do poder, coisa que o grupo que está há 30 anos na direção não conhece. No lugar de refundar, prefere afundar o sindicato, causando perdas enormes à categoria, deixando de partilhar o poder com outros grupos e pessoas. Foi por isso, aliás, que este grupo foi contrário à proporcionalidade durante o congresso; foi por isso também que este grupo patrocinou a mudança nas regras do jogo para o lançamento de chapas, dificultando a possibilidade de surgimento de novas propostas de direção.

    6) diante desse quadro, o caminho que se tem, no meu modesto ponto de vista, é o seguinte: o sindicato precisa ser refundado. Mas, como? Perguntarão.

    (Continua...)

    ResponderExcluir
  82. (cont... parte 2 de 2)


    7) não acho que se deva proceder à desfiliação desorganizada e isolada. Isso pode enfraquecer um pouco o sindicato, e não aponta um outro caminho. Acredito que a categoria precisa discutir a importância de se construir coletivamente um instrumento de luta forte, devidamente aparelhado, desburocratizado, e capaz de prestar uma eficiente assistência jurídica para os educadores; além de travar o bom combate político contra os governos através das redes sociais e dos poucos espaços na mídia. É claro que o grupo que detém a direção do sindicato, isoladamente, não dispõe de tais condições. Aliás, nenhum grupo ou pessoa isoladamente dispõe dessa capacidade. Por isso a necessidade de uma refundação que inclua todas as correntes e ativistas.

    8) então, o que fazer? Insisto: é preciso discutir mais a importância de construir um instrumento de luta, classista, não atrelado a nenhum partido político ou governo. Mas, até que se realize essa discussão e que se tomem as necessárias providências, o mundo não para. Uma eleição sindical está em curso. O que fazer?

    9) como não vejo a possibilidade de se formar uma chapa autônoma das oposições, acho que a melhor estratégia é lutar para conquistar e manter as subsedes onde se possa fazer um bom trabalho de base, inclusive com a perspectiva de refundação do sindicato dos educadores de Minas. Quanto à direção estadual, nesse jogo de cartas marcadas, a alternativa é votar contra (ou nulo) a chapa única monopolizada pelo grupo que detém o aparelho do sindicato há 30 anos.

    10) resumindo: votar NÃO para a direção estadual; fortalecer as direções combativas das subsedes, e discutir com a base da categoria, filiados ou não ao sindicato, sobre a importância de se construir um instrumento sindical de luta, autônomo, classista, não vinculado a nenhum governo ou partido político. Pode ser a refundação do atual sindicato; ou a criação de outro, se a categoria assim o desejar.

    11) por último: esse processo é coletivo, com a participação de muitas lideranças. Pode ser que muitos ou alguns de nós, nos próximos anos, não estejam(os) mais na categoria dos educadores. O que só reforça a importância da categoria construir um instrumento seu, coletivo, de luta, de classe, capaz de incorporar as novas lideranças e de arrancar as conquistas e os direitos que têm sido roubados pelos diversos governos.

    São essas as considerações que gostaria de fazer aos colegas. Tive a oportunidade de conversar com o colega Rômulo, por telefone. Acredito que ele também deverá escrever um texto a respeito das eleições sindicais; seguramente a professora e comandante Marly Gribel fará o mesmo - ou seja, deverá formular seu posicionamento. Rômulo, Marly, duas das mais importantes lideranças do nosso movimento, e os demais combativos colegas do NDG, sejam quais forem o posicionamento que adotarem, certamente terão o nosso respeito.

    Por agora é isso.

    Um forte abraço a todos e força na luta!

    Euler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a melhor saída é tomar o controle do maior número possível de subsedes e anular o voto para direção estadual.Mas o duro é que já participaei do processo eleitoral e sei que esse processo é uma farsa tal ,qual,o processo eleitoral brasileiro.

      Excluir
  83. Euler, eu e muitos outros acompanhamos seu blog já há muito tempo. Você não imagina a representatividade que tem junto aos professores do interior. É claro que é preciso respeitar sua decisão, caso você não sinta vontade de compor uma chapa. Mas essa decisão deve ser pautada em foro íntimo ou na impossibilidade estatutária. Nunca por falta de apoio de seus companheiros professores. Abraços.

    ResponderExcluir
  84. Ontem fui por demais humilhada no DAG, só porque após 26 anos de trabalho e não tendo ainda completado 50 anos para me aposentar, duramente prejudicada pelo barulho de sala de aula, compareci com uma licença médica, receita e tudo mais para uma perícia. O médico me disse:
    - Escola é lugar de barulho mesmo! Você vai se tratar é trabalhando.
    Quando saí no corredor encontrei mais quatro professoras chorando e reclamando dos peritos. Interessante, somente professores estavam tendo suas licenças negadas ou cortadas pela metade.
    Precisamos fazer uma campanha urgente contra essa falta de respeito, que não posso afirmar ser ordem do governo, mas é praticada por profissionais que deveriam zelar pela saúde física e mental dos trabalhadores.
    Um professor com o psicológio abalado não consegue desempenhar suas funções satisfatoriamente e daí a educação vai por água abaixo.
    Será que os peritos tem filho em escola estadual???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara, Humilhada, a única LTS em que há silêncio na sala do perito e nenhuma discussão é para os cargos hierárquicos, inspetores, porque na perícia do professor e das merendeiras é um barraco só!! Fazer o quê?!

      Excluir
    2. A um tempo atrás fui maltratada lá no DAG por um ortopedista, que mais parecia um cavalo do que gente.Todas as pessoas saiam de lá chorando por causa da brutalidade e gritos.
      Ele era alto,claro e de cabeça branca.
      Não deixei de reclamar na recepção chamando-o de animal.
      Professor não tem direito nem de adoecer.

      Excluir
  85. SUPERSALÁRIOS NA JUSTIÇA MILITAR



    http://www.hojeemdia.com.br/noticias/politica/supersalarios-na-justica-militar-em-mg-chegam-a-r-162-mil-1.48885

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colegas, vejam a reportagem de hoje (25/10/2012) do jornal HOJE EM DIA - "SUPERSALÁRIOS NA JUSTIÇA MILITAR EM MG CHEGAM A R4 162 MIL" -
      No orgão não são os juizes os mais beneficiados, e, sim, servidores na maioria ocupantes de cargos técnicos.
      Segundo o portal do Tribunal de Justiça Militar, os funcionários têm direito a receber diversos benefícios, como vantagem nominal, adicional por tempo de serviço, auxílios para alimentação, transporte, pré-escolar, saúde, natalidade, moradia, ajuda de custo, dentre outros.
      O efetivo tem direito ainda à gratificação de atividade judiciária, vantagem individual, adicionais de qualificação, gratificação de atividade externa, gratificação de atividade de segurança e outros.
      Um técnico da área de biblioteca e pesquisa recebeu R$ 58 mil em Junho desse ano.
      Senhores, vejam porque cortaram os nossos "penduricalhos" e onde eles foram?
      Como uma classe "a dos professores" ficou tão orfã a ponto de ninguém defendê-la e ajudá-la?
      Estamos no mato sem cachorro - se ficar o bicho-pega, se correr o bicho-pega.
      Não somos tão burros assim para ficarmos inertes, vamos ser mais inteligentes: entrar na política para defender a nossa causa, ter representatividade forte, mais união e uma por todos e todos por uma.
      Um abraço, Moysés

      Excluir
  86. NOVA LEI DE GREVE ENTRARÁ EM VIGOR EM 2013

    http://www.servidorfederal.com/2012/10/funcionalismo-publico-nova-lei-de-greve.html

    ResponderExcluir
  87. se acaso tiver chapa única nas eleições do Sindute MG será uma vergonha para todas as pessoas que criticaram, principalmente aqui em seu Blog Euler.
    Seria uma demonstração de fraqueza por parte da oposição.

    ResponderExcluir
  88. Companheiros,cada dia vejo mais e mais injustiças em nossa carreira do magistério especialmente aqui em minas gerais.Temos que resgatar nossos direitos de volta,esse subsídio é uma afronta total a nossa carreira, a greve acho quase impossível,mas estou disposto a luta.Que tal se formarmos um grupo de 1000 professores disposto a irem em busca de nossos direitos,vamos montar campanas em Bh,vamos a Brasília ,estaremos dispostos a tudo inclusive perder o cargo,mas,não, voltaremos até resgatarmos nossos direitos.Se subsídio fosse bom ja teria implantado em outras categorias,poque só nós professores,vamos articular uma estratégia a guerra ainda não acabou.

    ResponderExcluir
  89. colegas ,ontem um jornal de TV afirmou que o tal MARCOS VALÉRIO terá que devolver um valor próximo de R$3.800.000,00,que foram desviados dos cofres públicos, durante o mensalão. A questão é... qual será o destino desse dinheiro???? Eu gostaria de saber, pois ninguém da imprensa levanta tal questionamento.

    ResponderExcluir
  90. Pode ter certeza que será para nos prejudicar ainda mais.

    ResponderExcluir
  91. a greve em tempos idos, era a expressão de revolução e desobediência civil, mas hoje em dia, o legislativo é tão parasitário e pernicioso, que "inventou" lei pra regular a greve. Só uma greve pra derrubar lei de greve. Greve é greve, uai !! Doa a quem doer. Esse papo furado de garantir o direito do cidadão e os serviços essenciais, descaracteriza a greve, que por si só é o instrumento de afetar serviços essenciais, isso é que faz a greve ser uma medida forte em prol dos interesses de quaisquer categorias, fora isso, não é greve. Melhor, esquecer e não fazer greve mais nesse país fdp, ou então, quebrar o pau como acontece na Argentina, literalmente, paus e pedras. Partir pra ignorância mesmo. Dane-se tantas leis, querer fazer lei até mesmo no único dispositivo de revolta dos trabalhadores é o máximo do despropósito, do absurdooooo.....

    ResponderExcluir
  92. MALHAR EM FERRO FRIO

    Caro colega Euler,

    não entendo seu discurso. Você alega não acreditar no sindicato, e ainda alega que existe um grupo que controla o "sindinútil" há 30 anos. Entretanto, mesmo assim, se nega a disputar as eleições ou compor uma chapa apoiando alguém. E se não fosse o suficiente, não defende a destruição deste sindicato através de uma desfiliação em massa.

    O certo é que se não fizermos nada, estaremos fadados a continuar como estamos, ou melhor, piorando a cada dia nos próximo 10, 20, 30 anos.

    É urgente que tomemos uma iniciativa mais concreta, que seja realmente radical. E no momento, não vejo ação mais radical que não seja uma campanha em para desfiliação em massa e, depois desta, uma greve que arrebanhe pelo menos 20% do professorado mineiro. Fora isso, é continuar "malhando em ferro frio".

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos
    Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir

  93. SEQUER POSSO ACREDITAR NO SEU RELATO. É INACREDITÁVEL. DIVULGUE ESSE ABSURDO EM TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÕES POSSÍVEIS. BJS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!11111

    ResponderExcluir