sábado, 17 de maio de 2014

Educadores de Minas aprovam greve; blogueiros realizam encontro nacional


Educadores de Minas aprovam greve para o dia 21. No Brasil: blogueiros realizam o 4º Encontro Nacional com a presença de Lula e temas importantes em debate


Um outro olhar sobre a Copa do Mundo.

Um outro olhar sobre a Venezuela.


Vou começar o novo texto da semana falando da greve dos educadores de Minas, que foi marcada para iniciar no próximo dia 21. Como todos sabem, não pertenço mais formalmente aos quadros da categoria dos educadores de Minas. Mas, de forma alguma estou totalmente alheio ao presente e aos destinos da Educação pública e especialmente da realidade dos educadores de Minas. Durante quase 10 anos atuei como professor e como militante, por melhores condições de trabalho e salários mais dignos para todos os educadores,  como condição essencial para uma educação de qualidade. Especialmente nas duas últimas greves da categoria, a de 2010 e a de 2011, respectivamente de 47 e 112 dias, participei ativamente, ao lado de centenas de combativos colegas de todo o estado de Minas, que muito me orgulham. Considero que tenha valido a pena ter participado dessas duas grandes greves e não hesitaria em participar de uma terceira grande greve tendo em vista as condições em que os educadores de Minas foram e continuam tratados - mal tratados, aliás, pelo estado, com a carreira destruída, o piso salarial burlado e o salário praticamente congelado. O governo não tem vergonha de anunciar na mídia bem paga que a Educação de Minas é a melhor do planeta, enquanto paga apenas dois salários mínimos de teto para os professores. Vergonhoso.

Mas não quero incentivar ninguém a fazer nada, principalmente por não poder mais participar pessoalmente das lutas. Caberá a cada educador refletir sobre o que fazer, sempre lembrando de uma coisa básica que aprendemos logo que iniciamos a militância social: união e luta! Sem unidade e sem luta, não há conquistas. E claro que esta unidade não nasce pronta. É preciso ser construída na própria luta. Uma outra coisa: o governo joga pesado para desunir a categoria, porque sabe que a categoria dos educadores unida poderá arrancar qualquer conquista, inclusive política e eleitoralmente falando, já que são 400 mil educadores, entre aposentados e na ativa. Daria para colocar ou tirar governo, eleger grande bancada de deputados, fazer mudar as leis e impor outras normas em favor dos educadores e da Educação. Mas esta grande quantidade de pessoas, desorganizada e sem consciência social crítica, não é capaz de fazer valer a sua força. Vira alvo fácil da manipulação da mídia. Não quero apontar culpados por esta situação, até porque são muitos - nós todos, inclusive, temos uma parcela de culpa. Mas, nunca é tarde demais para se repensar uma realidade, e mudá-la.

Para contribuir com este momento que os educadores de Minas vivem, reproduzo abaixo dois textos que encontrei na Internet de dois professores que merecem o nosso respeito: Gílber Martins Duarte e Marly Gribel. Seria interessante que em cada escola os educadores pudessem discutir a sua realidade e buscasse compartilhar com os demais colegas as muitas opiniões e leituras que se fazem. Evitando os interesses egoístas e buscando sempre construir a unidade em torno dos interesses comuns. Este é o caminho da vitória, sempre. Contem com a nossa solidariedade e apoio moral.

     ***





O outro tema da semana que trago, em breves palavras, é o 4º Encontro Nacional dos blogueiros progressistas, que acontece neste final de semana em São Paulo. Tenho acompanhado parte dos debates aqui de casa mesmo. Pude ver uma parte da fala do ex-presidente Lula, que defendeu - finalmente - o marco regulatório da mídia, coisa que deveria ter feito quando foi presidente. Infelizmente, os organizadores do evento não conseguiram viabilizar uma transmissão ao vivo não artesanal, como de fato aconteceu. A nossa esquerda é simplesmente melancólica quando se trata de usar bem as tecnologias disponíveis. A direita, é claro, dispõe de capital e dos meios de comunicação para transmitir suas ideias 24 horas por dia. E a esquerda, quando realiza um encontro com boa qualidade, inclusive com a participação de pessoas como o líder do MST, do ex-presidente Lula, entre outros, não consegue viabilizar uma transmissão de qualidade. Vergonhoso para todos nós esta situação. Até a mídia Ninja, quando quer - por falar nisso, o movimento Fora do Eixo participou do evento - consegue coisa com mais qualidade.

Na tarde deste sábado, teve destaque o apoio à revolução bolivariana na Venezuela, inaugurada com o ex-presidente Chávez. De fato, este é um tema que a mídia golpista trata segundo os interesses do grande capital e dos EUA. É preciso apoiar a Venezuela, que vive grandes mudanças sociais. Na América Latina, a Venezuela representa um avanço nas conquistas sociais, no retorno ao sonho de um mundo melhor para todos.E por isso mesmo é atacada 24 horas por dia pelo imperialismo norte-americano e pela direita de lá e de cá. E uma coisa que o debate revelou: a importância de se eleger no Brasil um governo que dê apoio ao presidente Maduro na Venezuela, ao presidente do Equador, da Bolívia, da Argentina, enfim, de todos os países cujos governos representam um avanço progressista em favor dos de baixo. No Brasil, a reeleição de Dilma representa este reforço na direção das conquistas sociais, contrariando o imperialismo.

Portanto, quem defende o retorno das medidas impopulares como arrocho salarial, desemprego em massa, choques de gestão com cortes de direitos dos servidores públicos, estado mínimo para os serviços públicos em favor dos de baixo e máximo para os de cima, fiquem à vontade para eleger os tucanos ou afins. O imperialismo norte-americano agradece o apoio. Agora, quem deseja continuar com os avanços sociais inaugurados com o governo Lula e Dilma, mesmo fazendo críticas e exigindo mudanças, não há outro caminho que não seja o da reeleição da presidenta Dilma. Já disse aqui que respeito os colegas que defendem o voto nulo, mas não concordo com esta atitude na atual conjuntura. Acho que o voto nulo, nesta conjuntura, favorece a direita golpista brasileira e mundial, mas tudo bem, cada qual tem o direito de fazer a leitura que quiser do contexto em que vivemos. Alguns consideram que Dilma e Aecio e Eduardo são tudo a mesma coisa. Miram-se em exemplos isolados para estabelecer o julgamento: são todos iguais! Mas, será mesmo?

Outro dia li na blogosfera (não leio mais os jornais das elites) que uma pesquisa feita entre os grandes empresários dava em torno de 80% de preferência pelo candidato do tucanato; e que o candidato neto de Arraes ficava com cerca de 17%; e que Dilma ficou com os restantes 3%. Ou seja, a elite brasileira tem um lado, que não é o do povão sofrido do Nordeste, ou dos assalariados de todo o Brasil. Um outro dado: a família mais rica do país, dona de uma fortuna de R$ 60 bilhões (60.000.000.000,00!), segundo a revista Forbes, é a dos Marinho, dona da Rede Globo, que claramente sempre foi anti-petista, anti-Lula, anti-Dilma. Mesmo que Lula e Dilma tenham feito de tudo, em nome de uma suposta governabilidade, para agradá-los. Eles sabem o que representa um governo que pode ser pressionado pelos de baixo e que realiza políticas sociais para o povão. Essa gente - o grande capital, a Globo, etc. - sempre apoiou o golpismo, o arrocho salarial, as medidas anti-povo, para que sobre cada vez mais para os de cima. Ainda mais agora que, finalmente, Lula e Dilma começam a defender o marco regulatório da mídia - que representará o fim do monopólio da mídia golpista - seguramente os barões da mídia vão jogar pesado na derrota da presidenta Dilma.

Se você quer ajudar os barões da mídia, o imperialismo norte-americano, o fim das políticas sociais, o desemprego em massa, a privatização da Petrobras, fique à vontade para votar no tucanato ou votar nulo. Agora, se quer que haja continuidade nas políticas sociais, com aumento real no salário mínimo e mudanças e melhorias em várias áreas - na Educação, na saúde pública, na política de moradia, na mobilidade urbana, no fim do monopólio da mídia, etc. - então ajude a reeleger a presidenta Dilma e una-se às muitas lutas e movimentações dos de baixo em favor dos nossos interesses comuns.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

       ***

GREVE na Educação em Minas - só resta esta alternativa.


        Por: Marly Gribel*

Não resta mais nenhuma alternativa para a categoria - só a greve. É lamentável tudo que vem ocorrendo com o funcionalismo público, mas a situação nossa é de tamanha gravidade, de extremo desrespeito e descaso do governo do PSDB com a  educação, com a lei,  que fica impossível ficar indiferente, inerte e assistir passivamente a este circo e cerco.

E digo lei porque não respeitam nem as coisas mínimas-  Coisas pequenas como o direito a progressão prometida e não paga, o direito a férias-prêmio suspensa este ano.  Nem estas migalhas previstas em lei são cumpridas. Para não falar no  fim da nossa carreira com o subsídio, que  congelou definitivamente os salários. De uma imoralidade tão aviltante que não cabe mais nenhuma dúvida. Nem a "mesa de negociação" para enganar tolos, nem isto foi feito pelo governo.

Seria muita pobreza de nossa parte aceitar isto de cabeça baixa. É chegada a hora do levante... Quantos serão os insurretos? não sabemos. Mas eles tem que surgir e permanecer acreditando na justiça e no direito e alimentando os sonhos... Não acredito em greves movidas por pequenos grupos ou baseadas apenas num parecer de um grupo, mas, acredito num concurso de agentes  que alavaquem a greve e  argumentem ostensivamente com o governo e também com o sindicato, entendendo o sindicato como um instrumento para a garantia de direitos e não para manipulação de interesses, sejam eles quais forem. Os agentes principais não são eles, somos nós.

Entendo sindicato como mecanismo de organização, não como mecanismo de manipulação. Se manipulam é porque permitimos, se no passado recente  negociaram paralelamente com o governo  sem ouvir a categoria é porque permitimos. Se conduzem de forma errônea as estratégias de luta , também permitimos. Os espaços de discussão não podem se resumir exclusivamente nas decisões do conselho geral, elas tem que iniciar e  encerrar na Assembléia de rua. As últimas foram decididas pelo Conselho geral com o empurrão de deputados ditos de " esquerda" .


Beatriz fez suas últimas considerações na Rádio Itatiaia. Colocou todos os problemas que a categoria enfrenta, omitiu alguns, mas os principais estão colocados e, pelo volume  e pela gravidade e pela nossa dignidade não resta mais saída para nós : não existe argumentos contrários, só a greve poderá romper esta tensão.

A assembléia está marcada, dia 15 e o indicativo de greve também. Que nos resta nesta noite escura e agonizante? Temos dúvidas em relação a este sindicato? Inúmeras. Mas sempre penso que forças contrárias são capazes de romper forças estratificadas. O sindicato chama a greve e nossa responsabilidade enquanto educadores e avaliar nossa situação, nosso compromisso com a educação  e entender que o que move as lutas não são grupos isolados e sim a  ação coordenada de todos para o bem da coletividade.  Que surjam forças capazes de arrancar politicamente o que nos foi usurpado.

Forças que mobilizem novas ações políticas, porque a greve é política, visto que somos seres políticos. Política, porque fomos massacrados sistematicamente uma década por um mesmo grupo político: O PSDB e seus aliados no Parlamento e, temos que dar respostas. Chegou a hora: são tempos de eleição.

Em tempo: me encontro de licença e buscando o ajustamento funcional, visto que me aposentei de um cargo ano passado após 27 anos de serviço. Obviamente, após 27 anos de profissão o esqueleto fica danificado e me encontro em tratamento. Nunca driblei uma greve em Minas Gerais. Fiz todas  e só me retirei da praça no último suspiro da categoria, mesmo quando toda a escola já havia recuado. Estou à disposição da categoria para avaliar, denunciar e criticar.

*Marly Gribel - Professora de história, pós-graduada em história geral pela UFMG e em Novas Tecnologias na educação pela UNIMONTES; ativa participante e liderança dos movimentos de luta dos profissionais da Educação de MG; liderança do NDG.


      ***

21 de Maio: GREVE dos TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS

 
              Por: Gílber Martins Duarte

Mesmo avaliando que a maioria da categoria dos trabalhadores em educação de Minas Gerais parece não estar demonstrando disposição de fazer uma GREVE de massa nesse momento; mesmo tendo sido impedido de participar da última Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG por conta do assalto ao ônibus que eu e meus companheiros de caravana do Triângulo Mineiro sofremos, quando nos dirigíamos a BH – Assembleia Estadual, esta, em que eu colocaria novamente minhas preocupações quanto à deflagração da GREVE nesse momento, fruto do quadro baixo de mobilização que temos percebido nas escolas –; enfim, mesmo com essas observações, que, em nome da minha honestidade e da minha verdade militante, não posso esconder jamais da categoria, acato e acho que todos os sindicalizados deveriam acatar a decisão votada por maioria na Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG que optou pela GREVE nessa conjuntura.

Por que acatar a decisão de fazer GREVE votada pela maioria presente na Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG? Porque um sindicato de trabalhadores só é forte quando os sindicalizados acatam as decisões votadas coletivamente por maioria nas suas Assembleias Decisórias. Isso não quer dizer que temos de silenciar nossas discordâncias em relação à maioria, principalmente quando achamos que a maioria está EQUIVOCADA.

Em outras palavras, em nome da democracia operária do Sind-UTE/MG, mesmo estando impossibilitado de estar na última Assembleia Estadual, discutindo nossa discordância com essa proposta de GREVE nesse momento, não podemos e não vamos FURAR A GREVE votada por maioria na última Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG, mesmo preocupados com a possibilidade de que essa GREVE não obtenha vitórias concretas para nossa classe, já que a conjuntura das escolas, bem possivelmente, aponta para um movimento de luta de uma pequena minoria. Para nós, Socialistas Livres, na luta de classes não há espaço para amadorismos: GREVE tem de ser de massa. GREVE de minoria não tem chances de obter vitórias concretas. Ponto.

Por fim, gostaríamos de dizer que entendemos que a GREVE é uma importante tática de luta para tentar abrir negociação perante qualquer governo. Nisso, todos os lutadores do Sind-UTE/MG tem acordo. Sem luta não há nenhuma possibilidade de conquistas. Com o governo do PSDB de Minas Gerais não seria diferente: só com muita luta podemos abrir negociação favorável aos trabalhadores em educação. Com as ressalvas acima colocadas, portanto, chamamos a todos a aderir à GREVE que se inicia no dia 21 de Maio. Se a maioria das escolas parar, podemos ter alguma chance de abrir negociação sobre PAGAMENTO DO PISO; DESCONGELAMENTO DA CARREIRA; DIMINUIÇÃO DOS DANOS PARA QUEM É DA EXTINTA LEI 100; MELHORIA DO IPSEMG; POSSE PARA OS CONCURSADOS EM TODOS OS CARGOS VAGOS DIVULGADOS NO ÚLTIMO EDITAL; VOLTA DA EDUCAÇÃO FÍSICA E ENSINO RELIGIOSO; MAIS FUNCIONÁRIOS NAS ESCOLAS. O crescimento ou congelamento do movimento grevista é que determinará o avanço ou o recuo da GREVE na próxima Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG, a se realizar no dia 28 de Maio. Por enquanto, a hora é de INICIAR A GREVE no DIA 21 DE MAIO. Vamos à luta!

*Gílber Martins Duarte – Militante Socialista Livre do CSL/CAEP – Sind-UTE/Uberlândia/MG – Doutor em Análise do Discurso/UFU – Professor da Rede Estadual de Minas Gerais – Membro MEOB – CSP-CONLUTAS.



       ***

Sugestões de consulta na Internet:

- Blog Viomundo
- Jornal GGN
- Diário do Centro do Mundo
- Blog Escrevinhador
- Blog do Miro
- Blog do Mello
- Revista Forum
- Blog O Cafezinho
- Blog Cloaca News
- Blog Conversa Afiada
- Blog Tijolaço
- Blog Socialista Morena

- Blog Maria Fro
- Blog da Cidadania 
- Carta Capital
- Telesur ao vivo

- TV NBR (do governo Federal)
- Portal EBC

107 comentários:

  1. Sugestão: moramos em maioria, perto de vários líderes de sindicatos, políticos,etc... se, juntarmos em várias cidades e bairros, ao mesmo tempo, formando grupos pequenos (no máximo 40 a 60 pessoas mais ou menos), poderíamos pressionar, reivindicar nossos direitos e com mais pressão política. Sabe por quê? Não seríamos alvos das tropas de choque, cavalaria,etc... Como profissionais da área, sabemos o nome dessa tática. Inclusive, estes mesmos que nos traíram, já a usaram (pelo menos afirmaram que usaram por bastante tempo; tem momentos que tenho dúvidas disso). Esta se bem articulada, faz estragos e trazem muitas surpresas! O corpo a corpo, em várias regiões e cidades, pode ser facilmente controlada? Os de cima, tem efetivos ou capangas suficientes para nos rebater, combater, perseguir, espancar , afugentar,etc... na mesma hora? Não! Assim, imagine os que se sentem na "zona de conforto" político e econômico, como se sentiriam, ao perceber que ficaram e estão vulneráveis á grande massa?
    Sabemos que alguns bem organizados, podem fazer "estragos" grandes. Se ficarmos amontoados num lugar só, ou em poucos lugares, seremos alvos perfeitos, para controle e ser colocado para correr... Como se ganha uma luta? Só partindo para cima, mostrando onde se fica, o que vai fazer? Agora, tendo como surgir de surpresa, e outra história! Agindo sem ser repetitivo, tendo como trunfo o inesperado e saindo na hora certa, as coisas mudam... e como mudam!
    Não sei ainda o por quê, que esse tipo de atuação não foi ainda utilizado no país. Tem sindicato que conheço há anos e anos, que morrem de medo desse tipo de procedimento; pois perderiam a "filmagem da platéia grossa" e não mais poderiam dizer , olhem quanta gente estão juntos, a "greve está forte"; ficam mais contente ainda quando sai pancadaria, porque "mostram na grande mídia" (comprada pelos poderosos e controlada por eles); só não falam que eles determinaram o local, nos colocaram como alvo fixo; ou nos usaram como "coisas e objetos de manobra".
    Vamos á luta e deixemos de comodismos?

    ResponderExcluir
  2. Bravos guerreiros:Euler,Marly e Gilber.Parabéns também a quem ler estes textos maravilhosos.Que só fortificam ainda mais nossa luta política.E nos fazem refletir ainda mais p quanto estes suga-suga tentam atrapalhar quem realmente faz alguma coisa de bom neste país.

    ResponderExcluir
  3. é uma pena que os politicos também não sejam idealistas como voces.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o ser humano que dentro de si não carrega um ideal,é um ser vazio.

      Excluir
  4. amigos, fiquei triste por saber que o Euler abandonou a educação formalmente... É uma pena, pois quantos mais tivermos a contar, melhor!
    Por outro lado, entendo, parece-nos que nossa estrutura educacional não dá futuro a nenhum profissional que nela está sobrevivendo! Sem nenhum reconhecimento social, descaso total político, salário de fome, sendo constantemente denegridos publicamente por nossos líderes políticos, por algumas entidades alheias á educação, fica difícil levantarmos e sustentarmos essa bandeira. A afirmativa de que educação é "vocação" não passa de balela, de enganação; ainda hoje, muitos distraídos, alienados"viajam" nessa. Precisamos de um mínimo de estrutura, plano de carreira, respeito social e principalmente, melhores salários; segurança no trabalho, melhores condições de transporte, recursos tecnológicos (não sucatas),etc...
    Colega Euler, pelo tempo que resistiu, lutou bravamente na educação, levou a sério a profissão, apesar de não o conhecer pessoalmente, meus agradecimentos como colega de trabalho, de luta, de insistência, assim como, de um cidadão brasileiro que sou.
    Uma sugestão, não aceite "companheiros políticos" , que se dizem amigos, pois nessa área, que tão bem conhecemos, podes perder o seu valor, se não tomar cuidado, até o caráter; porque algumas víboras políticas são especialistas nisso! Valeu! Sucesso na nova empreitada!

    ResponderExcluir
  5. que essas pessoas sirvam de exemplo para toda categoria,faço das palavras do gilber as minhas também.

    ResponderExcluir
  6. Euler,como eu já disse em postagens anteriores,a greve de 112 dias,só existiu,devido ao seu empenho e ao grande acesso do seu Blog.Sou ex-efetivado e como você sabe,hoje nas Mianas gerais,existem mais de 200.000 servidores efetivos na área da educação.Agora é hora dos servidores efetivos lutarem por seus direitos,saírem às ruas e mostrarem a mesma garra que eles mostraram contra a Lei 100 e os servidores efetivados.Lembro a todos que tanto como designado quanto como servidor efetivado,sempre fui grevista,hoje não sou mais.Quem quiser lutar que lute pelos seus direitos.Servidor designado,não tem direito nenhum.Ademais,como servidores efetivos são os donos da razão,inclusive falando que quem elege as raposas que estão no poder são os efetivados,peço aos mesmos que politizem os alunos e servidores que não votam no PT.Lembro a vocês que em uma grande maioria das greves,ví servidores efetivos que não participaram do movimento.Quanto ao Sindute,está de parabéns pelas desinformações com que tem tratado seus seguidores.Quanto àqueles que irão falar que eu deveria ter feito concurso,só não fiz porque para a minha cidade e região não existiam vagas e eu não tive interesse em fazer concurso para lugares mais longe da minha cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pe. Fábio de Melo diz que as palavras tem que maturar primeiro dentro da gente, para depois coloca-las no papel, pois se saem "verdes" saem acompanhadas de um rancor que não nos faz bem...

      Excluir
    2. Parabéns a quem citou as palavras de Pe Fábio. Vieram a calhar para este anônimo desiludido. Da minha parte devo dizer que a animosidade dos efetivos contra efetivados foi criada pelos próprios efetivados. Senti na carne sempre que tinha greve. Os da minha escola pelo menos se achavam os peixinhos do Anastasia. Eu é que tinha sempre que fazer a lista e passar de sala em sala para assinar. Os efetivos eram solícitos e assinavam logo.Os efetivados jogavam uns para os outros e acabavam não assinando. A escola funcionava pela metade.Nunca conseguimos fechá-la por causa dos efetivados. Estes,inclusive ficavam com as salas lotadas dos alunos das grevistas. Aí você já viu, Só passavam filmes ou davam brincadeiras. Só pra não dispensarem os alunos. Eu pirava de ódio. Agora me afastei para aposentar.Não sei como vai ficar.

      Excluir
    3. Anônimo desiludido onde?Repare que o meu nome está constando no comentário.Sou ex-efetivado e não tenho medo de expor o meu nome nos meus comentários.Como eu disse anteriormente,é hora dos servidores efetivos mostrarem a força que têm.Lembro-me que em anos anteriores,nos períodos de greve,o Blog estava cheio de comentários.Será que os comentários eram na grande maioria de servidores efetivados e designados?O boi só aceita a corda,porque não sabe a força que tem.

      Excluir
  7. Fico indignada com o nível desrespeitoso com que funcionários da mesma categoria se referem uns aos outros.Como se fossem rivais.Efetivos e efetivados, que postura vergonhosa da grande maioria.Tem espaço para todo funcionário eficiente no mercado de trabalho.Se valorize e se faça respeitar ao invés de culpar seu colega pelo seu descuido ou fracasso.Prove que é bom profissional ou desocupa o lugar e parte p outra.Ninguém é culpado pelo fracasso de quem se permitiu...Infelizmente...

    ResponderExcluir
  8. se trata de justiça, e ninguem saiu as ruas para pedir o fim da ex lei 100,os culpados,tdos sabem a dupla AA,isso uma hora iria acontecer o que não pode e nunca poderá acontecer é que uns tenham regalias sobre outros o que sempre pedimos e cobramos foi concurso publico.

    ResponderExcluir
  9. Caros colegas, vcs viram o q esse economista , filhote e cria do PIG disse a respeito de nossa classe?
    Veja só a prepotência desse imbecil da Veja...só podia ser.

    http://naofo.de/8g5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos fazer alguma coisa contra esse crápula nas redes sociais e contra essa revista. Fizemos com a globo e o povo já está mais consciente sobre as mentiras que a globomerda mostra.

      Excluir
    2. Este gustavo é um idiota. Não sabe nada sobre a educação e desrespeita os educadores. Temos que dar respostas a esta reportagem e esse desinformado.

      Excluir
  10. Leia e deixe suia indignaçao pela tamanha prepotência desse sujeito da Veja...nojenta..

    http://naofo.de/8g5

    ResponderExcluir
  11. Em resposta ao economista da Veja....nojenta
    Esse sim , nos representa.

    http://avaliacaoeducacional.com/2014/05/14/acorda-gustavo/


    ResponderExcluir
  12. Na ultima greve, eu e mais 10 ex-efetivados paramos e não tivemos apoio dos 2 nomeados da nossa escola e pior tivemos que brigar pois, os mesmos ameaçavam os alunos. Hoje sinto muito, mas não tenho mais força para para, não tenho muito que lutar, só espero que o acordão saia logo, para deixar o meu lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que deve ser sempre lembrado aqui os políticos que votaram a favor do subsídio, assim eles verão nas urnas que o professor tem memória sim.

      Excluir
  13. É uma pena. Mas no final do mês sai o acordão e nós ex- efetivados teremos nossos contratos alterados. Tem ex efetivados que perderá as aulas , outros só a extensão. Espero que tenha outro concurso no final do ano, caso contrário não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não seria o momento de todos se unirem para exigir providências do governo? Se ficarmos de braços cruzados nada acontecerá, pois o governo está ignorando completamente todas as reivindicações da categoria, inclusive as relacionadas aos ex efetivados.

      Excluir
  14. Na escola que trabalho são muitos os contratados eles não fazem greve , na outra eu greve conseguir liderar pois pensei que era respeitada por colegas efetivos, depois que percebe que era tudo uma farsa resolve ficar na minha, sou ex efetivada e quando a lei caiu a máscara caiu junto. Pena sabe, pois eu era muito feliz ao lado deles mas torço por vitórias e conguistas mesmo sabendo que posso ser designada , minha classificação é boa, e quando sair concurso vou fazer e se aprovada vou lutar com todos com unhas e dentes más sem sentir que sou excluída, é horrível esse sentimento.Desejo sorte nessa empreitada companheiros de luta e até a nossa VITÓRIA. l

    ResponderExcluir
  15. QUEM É O OSSO THATCHER?
    Saulo Jagger, meu amigo, me fez uma pergunta: quem é nosso Thatcher?

    Ele ficara impressionado com a alegria irreprimível que se espalhara pelo Reino Unido com a notícia da morte de Margaret Thatcher.

    Na amostra mais formidável deste ódio, as pessoas levaram uma música velhíssima do Mágico de Oz ao topo da parada de sucessos ao comprá-la obsessivamente: Ding Dong! The Witch is Dead.

    Não soube o que responder na hora. A resposta mais óbvia não era a melhor: Serra.

    As malvadezas de Serra, como o célebre atentado da bolinha de papel, não são bastantes para credendiá-lo a um ódio nacional tão forte como o dedicado pelos britânicos a Thatcher. Até porque ele não teve poder suficiente para causar estragos.

    Mas agora ficou claro para mim quem é nosso Thatcher: é Joaquim Barbosa.

    Muitas garrafas de uísque ou de cachaça haverão de ser abertas para comemorar a notícia de sua morte, por mais anos se passem depois que ele saia dos holofotes. No caso de Thatcher, foram cerca de 25 anos.

    O que me trouxe o nome de JB à mente para a pergunta de Saulo foi o gesto de abjeta mesquinharia dele de negar mais prazo de recursos aos réus do mensalão.

    Ora, a cada dia que passa, crescem as dúvidas em relação ao caso. E estamos falando em penas de vários anos de cadeia.

    Mesmo juízes do Supremo que condenaram os réus admitiram que se deve dar mais prazo para os recursos.

    Mas Barbosa não: permaneceu agarrado a sua monumental falta de grandeza.

    A quem ele agrada assim? À justiça? Talvez não, tantas são as dúvidas em relação ao julgamento.

    À Globo?

    Com certeza. Mas sabemos todos quais são os reais interesses da Globo: basta olhar para a lista de bilionários da revista Forbes.

    Tenho para mim que Barbosa imagina que a bajulação que recebe da Globo, ou da Veja, é suficiente para garantir um bom lugar na posteridade.

    Mas é uma ilusão.

    Murdoch louvou Thatcher em todos os momentos: em sua chegada ao poder, durante os dias de primeira ministra e na vida pós-Downing Street.

    Mas não foi Murdoch que prevaleceu no julgamento popular da era Thatcher. A condenação veio da voz rouca das ruas, que empresa de mídia nenhuma controla, por maior que seja – e o império de Murdoch faz o dos Marinhos parecer a Gazeta de Pinheiros.

    Barbosa é a negação do brasileiro tolerante, cordial, simpático, magnânimo.

    E exerce o poder que lhe caiu no colo num acaso lastimável com uma severidade e uma impiedade que parecem muito acima de sua competência como magistrado.

    É o nosso Thatcher

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de tanto ver a globo, o brasileiro ficou bobo.

      Excluir
    2. De quem este post de 20:30? É mto bom bom queria saber quem é ò autor.

      Excluir
  16. Alô pessoal de Pompéu!

    Também sou dessa de terra de gente guerreira. Vou ficar daqui torcendo para que a cidade faça um movimento bonito. Não tem "bass" é continuarmos como estamos. Beijos! Léia BH

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Léia BH!!
      Se não me engano, estamos sem liderança aqui na cidade... e vc sabe, somos seres que precisamos de liderança... portanto estamos aguardando líderes (sindicais) pra nos colocar junto à tropa de guerreiros!!!

      Excluir
    2. Sou de Pompéu e tenho muita vontade de estar junto na greve, mas precisamos de conscientização dos alienados nas escolas. Há um grupinho de guerreiros que estão cansados de lutar por uma maioria que só pensa no próprio umbigo...

      Excluir
  17. Demorou a decisão pela greve!Não nos resta outra alternativa.Vamos à LUTA .Afinal, merecemos salvar a nossa categoria! Sejamos firmes em nossas decisões!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A greve é estratégica, o Brasil tem muita desigualdade social e no Estado de Minas se alastram os sem teto, sem terra, sem escola, sem emprego, sem justiça, sem segurança...Enquanto a imagem que vendem do país lá fora para convencer os gringos virem, é uma beleza... E é essa que os acolherão nos hoteis e risots de luxo com nossos incansáveis burgueses. Na rua entretanto estará a realidade nua e crua. Os gringos farão questão de expor o buraco negro entre ricos e pobres, principalmente de Minas Gerais (O primeiro a terminar o estádio).

      Excluir
  18. ESPERO QUE EFETIVOS, EX - EFETIVADOS E DESIGNADOS TENHA CONSCIÊNCIA QUE SALÁRIOS BAIXOS, LC 100/07 ( GRANDES PREJUDICADOS MAS SÓ PERCEBERÃO ISSO APÓS AS ELEIÇÕES),DESVALORIZAÇÃO PROFISSIONAL, SUCATEAMENTO DA EDUCAÇÃO É TUDO SERVIÇO DESSES MESMOS POLÍTICOS QUE ESTÃO AGUARDANDO SEUS VOTOS. ELES MANIPULAM TODOS OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO JOGANDO UNS CONTRA OS OUTROS. ELES ESTÃO USANDO A INTELIGÊNCIA, E VOCÊS VÃO CONTINUAR SENDO MANIPULADOS POR ELES? VOCÊ PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO; EFETIVO, EX-EFETIVADO E DESIGNADO - USE A SUA INTELIGÊNCIA, DEIXEM DE LADO O INDIVIDUALISMO. VAMOS ACABAR COM ESSES POLÍTICOS. UNIDOS NAS ELEIÇÕES, MOSTRAREMOS NOSSA INTELIGÊNCIA. EM SILÊNCIO MUDAREMOS O CENÁRIO DE MG. ELES NOS JULGAM MANIPULÁVEIS, FRACOS E INCAPAZ DE MUDANÇA.
    E VOCÊ VAI DEIXAR ISSO CONTINUAR!

    ResponderExcluir
  19. Euler, publique aí o meu post pois é a 2ª tentativa: alguém no blog sabe o que está acontecendo no Colégio Tiradentes?? Semana passada não houve aulas por três dias devido a uma paralisação dos profs insatisfeitos com a queda da lei 100 e o governo. Parece que está havendo dispensa de ex-efetivados em unidades do interior, o que estaria provocando mais insegurança no Colégio. Nada sai na mídia sobre o Tiradentes. Algumas diretoras da rede ampla dizem que haverá dispensa geral no dia 1º de junho ou julho, mas falam reservadamente. Será que esta notícia também já não corre solta no CTPM??

    ResponderExcluir
  20. a questão dos ex efetivados é pessoal,quem assinou suas nomeações,foi aécio,então é de aécio que eles tem de cobrar,o autor da burrada,agora quer ser presidente,e pasmem contando também com os votos dos ex efetivados,é ironia do destino.





    de cobrar,e o mesmo antiético aécio quer ser presidente da república

    ResponderExcluir
  21. trancafiado neves,não me parecia ser antiético ,assim como seu neto,o ex quase futuro candidato a quase ex presidente alérgico neves, trancafiado neves,fazia uso de outras substancias,como por exemplo, o diálogo,mas quando conseguia seu objetivo,trancafiado neves passava a ignorar seus eleitores,assim como alérgico, no final tudo farinha do mesmo saco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tancredo foi o maior, o melhor e o mais perspicaz entre os políticos OPORTUNISTAS do Brasil. Graças à justiça Divina não chegou a ser presisente do Brasil, graças a Deus!

      Excluir
  22. pelo jeito essa ex lei 100, detonou muita gente mesmo.

    ResponderExcluir
  23. a menina chega em casa e diz para o pai: os meus professores são dentistas,engenheiros.farmaceuticos,enfermeiros, o pai perplexo diz, ué mas eu te mandei para a escola,não foi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. só na provincia das minas gerais mesmo.

      Excluir
    2. Bom que ela terá vários conhecimentos.kkkkkkk

      Excluir
  24. Vamos nos unirmos a essa greve, sabemos que podemos sair sem nada, mas pelo menos manchamos um pouquinho o desgoverno do psdbosta.

    ResponderExcluir
  25. Sempre votei em Aécio, mas tenho que concordar que os tucanos destruíram a educação em Minas. Nosso salário é muito baixo. Vou aderir à greve na quarta-feira.

    ResponderExcluir
  26. Estou devendo muito, mas se não me unir aos guerreiro professores deste estado viverei eternamente nesta merda. Também vou para a greve.

    ResponderExcluir
  27. Secretária de Educação de MG diz que está em negociação com professoresCOMENTE
    Rayder Bragon
    Do UOL, em Belo Horizonte 16/05/201419h50

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca Arrependido19 de maio de 2014 23:11

      kkkkkkkkkk Esse da monstrolla dizendo que paga mais que o piso... kkkk http://educacao.uol.com.br/noticias/2014/05/16/secretaria-de-educacao-de-mg-diz-que-esta-em-negociacao-com-professores.htm

      Excluir
  28. Sou efetiva, mas não gosto que despreze os efetivados e designados.
    Vamos nos unir. O governo está adorando esta baixaria.
    Lembre-se da frase da secretaria da educação durante a greve: o professor tem memória curta. vamos dar o troco nas urnas.

    Efetivados e designados está faltando muitos professores, vocês não ficarão sem emprego, pois há muitos lugares que os alunos estão sem aulas.

    Vamos dar o retorno nas urnas. Vamos mostrar que somos professores inteligentes.

    ResponderExcluir
  29. não podemos confundir piso com subsidio,é o governo mentindo descaradamente no uol.

    ResponderExcluir
  30. Como fazer para que os efetivados aderirem à greve? Estão receosos de quê? Espero que se conscientizem na grandeza de nossos ideais e juntem-se a nós. Temos que unirmos se não a greve se torna pífia.

    ResponderExcluir
  31. O verdadeiro professor, aquele que tem amor próprio sabendo que ele é o profissional mais importante e necessário para o desenvolvimento de um país, não votará em Aécio.´
    São quase 12 anos que o governo do PSDB está praticando as piores maldades com os profissionais da educação pública.
    Será importante votar em Fernando Pimentel para governador, pelo menos teremos esperança da situação dos educadores melhorar.

    ResponderExcluir
  32. PURA ENGANAÇÃO.NÃO ENTREM NESSA DE NEGOCIAÇÃO.HÁ MUITO TEMPO DEIXAMOS DE ACREDITAR NESSE DESGOVERNO. AVANCEMOS NA GREVE. PODEMOS SAIR SEM NADA, MAS O QUE É QUE NÓS TEMOS?NADA! SÓ DÍVIDAS!EU MEUS COLEGAS ESTAMOS PRONTOS PARA A BATALHA. AFINAL,COMO DIZ O TIRIRICA,PIOR QUE ESTÁ NÃO FICA.ENTÃO VAMOS À LUTA...

    ResponderExcluir
  33. E as férias prêmio, ainda estão suspensas? Qual o motivo da não liberação?Estou afastado da docência por idade, será que não tenho prioridade?

    ResponderExcluir
  34. Hoje ao ler a reportagem da tal revista veja, citada nesse blog me deu náuseas, aquele tal de Gustavo não conhece a realidade das escolas brasileiras e não sabe de nada do que fala, credo.

    ResponderExcluir
  35. Parece que o pessoal das escola militares já está sabendo de alguma coisa a respeito da nossa situação de ex efetivados. O comentário é de que seremos demitidos em breve. Alguém confirma ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, os profs do Tiradentes já sabem de uma lista, a ser divulgada em breve, para desligar formalmente os efetivados do vínculo com o Estado colocando-os na condição de designados. Daí as paralisações no colégio na semana passada quando deixaram a escola um caos; houve até intervenção dos comandantes da PM na sexta para jogar panos quentes. Há quem diga também que algumas unidades do Tiradentes do interior já andam dispensando efetivados. É isso que eles já sabem e que a rede ampla não sabe ainda porque, imagina-se, a secretaria teme turbulências nas escolas com adesão à greve de amanhã...

      Excluir
  36. EULER, É UMA VERGONHA!! COLEGAS QUE ENCABEÇAM PARALISAÇÕES E GREVES E DEPOIS CORREM PARA OS CONSULTÓRIOS MÉDICOS E ENTRAM EM LICENÇA SEM OS COLEGAS SABEREM. OU SEJA, OS BOBOS FICAM COM FALTA E ESSES GANHAM OS DIAS PARADOS É UM ABSURDO!!!! COLEGAS SEJAM ESPERTOS E VIGIAM ESSES POVOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso está acontecendo em várias cidades do interior. E o pior de tudo é que são dirigentes sindicais. Muitos estão afastados, são aposentados ou se licenciaram nessa semana. Assim é fácil levantar bandeira. É preciso ter coragem de fazer greve ou não fazer, mas é fundamental respeitar a luta do outro. GREVE COM DIRETORES SINDICAIS DESONESTOS NÃO ROLA!

      Excluir
  37. Negociando uma merda,ele não cumpriu nem a lei federal.Fica querendo enrolar com conversinha só p não ficar mais sujo ainda. A mídia tá comprada,mas os manifestos da copa n tem como ele comprar e tirar da mídia. É greve mesmo.Vamos botar p quebrar...

    ResponderExcluir
  38. Prezado Euler; Estou escrevendo um artigo sobre quanto seria o salário dos professores se os governadores não se utilizassem do dinheiro do Funde para pagar outras coisas. Uma vez li aqui no Blogger um post seu dizendo que o salário seria 4.000 por cargo. Nesta conta já está descontado o dinheiro para a manutenção das escolas? Me esclareça por favor. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Paulo Henrique, já escrevi vários textos tratando do FUNDEB, mas acho que o que se aproxima mais do que você indaga está neste link:

      http://blogdoeulerconrado.blogspot.com.br/2012/01/se-houvesse-federalizacao-os-recursos.html

      Apenas para conhecimento: os gastos com manutenção ou construção de escolas em geral são muito reduzidos. Na Educação e na Saúde os maiores gastos, ou investimentos, são feitos realmente com a folha de pagamento, ou seja, com os profissionais destas categorias. No referido texto tentei demonstrar que, mesmo com os recursos já disponíveis na Educação, seria possível uma substancial melhora na remuneração dos educadores caso houvesse a federalização. Mas isso foi em 2012! Teríamos que fazer uma atualização, que certamente elevaria os valores apontados no texto. Ainda mais agora, com os recursos do Pré-sal. Nas mãos de governadores e prefeitos, com as devidas exceções, estes recursos podem virar pó, rsrs.

      Excluir
    2. Sábias palavras,caro Euler.Muitos temem a federalização da educação;acredito portanto ser esta a única alternativa para aliviar o caos na educação.Reduzindo atravessadores.A verba é liberada na esfera federal;porém vira pó nas mãos de vários governadores,prefeitos,senadores e deputados através de acordos políticos ou mesmo desvio de verbas.Com a federalização evitaria esse desvio e poderia realmente oportunizar melhoria no salário dos professores;merenda escolar,tempo integral nas séries iniciais com aulas de informática,inglês,esportes:evitando que as crianças fiquem na rua se transformando em menores infratores como está acontecendo no Brasil.

      Excluir
    3. Euler, vou ler o seu texto. Abraços. Paulo

      Excluir
  39. Sou efetivado e tenho a consciência que serei demitido. Se fizer greve, mais rápido ainda. Então vou aguardar esperando perder o cargo para outro. Fazer o quê. Não fiz concurso. Não posso reclamar tanto. Sabia que a lei 100 não ia ser para sempre. Espero que outro concurso seja logo.

    ResponderExcluir
  40. Somente o seu blog para nos manter informados. Este estado de Minas está um caos. Nós da educação somos mártires como os inconfidentes. VAMOS À LUTA!!!

    ResponderExcluir
  41. Pessoal, costumamos com muita insistência em olharmos problemas em nível

    horizontal.Se olharmos verticalmente veremos que tudo está além do que pensamos.

    As elites enclausuram-se naquilo que chamam de neoliberalismo.São uma minoria,

    Contudo detêm muito poder.Todo o aparato do estado está a favor deles e sob seus

    comandos.A plebe rude dificilmente quebrará essa corrente, se não for pra cima.

    Isso é fato ! Muitos criticam o PT por ser corrupto, mas ainda é capaz de salpicar

    projetos sociais.Um governo tucano não é capaz de nenhuma prática social, só

    arrocha a economia para o lado da plebe rude.Isso só trará situação nefasta.

    ResponderExcluir
  42. Tive nojo ao ler a reportagem da Veja.Só pode ter sido encomendada pelo Aécio.A propósito um dos jornalistas da Veja será um dos organizadores da campanha do Aécio. Este verme contratou mais de 9.000 internautas pra ficar o dia todo na internet falando bem dele e mal da Dilma.Inclusive pessoas de diversos países do mundo.Precisamos dar um fim a este reinado,ou coronelismo. Vá de retro,satanás

    ResponderExcluir
  43. Segundo cálculos obtidos pelo Estado, todas as categorias de juízes do Brasil passarão a ganhar acima do teto constitucional, de R$ 29,4 mil mensais. Com isso, os salários dos ministros do STF - chamados de "subsídios" na nomenclatura orçamentária - irão extrapolar o teto já no primeiro quinquênio. Com o primeiro adicional de 5%, seus subsídios passarão a R$ 30,9 mil por mês.

    A cada cinco anos, o adicional de 5% será aplicado, e ao final de 35 anos, o salário total chegará a R$ 39.774,04 por mês, em valores atuais. Um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai extrapolar o teto no segundo quinquênio, e chegará ao final com salário de R$ 37,7 mil. Hoje, o teto salarial do STJ é de R$ 27,9 mil por mês.

    Estados. Os juízes de tribunais estaduais sairão do atual patamar de R$ 26,5 mil para R$ 35,9 mil. Este é o maior grupo de juízes do País, onde estão quase 12 mil magistrados.

    ResponderExcluir
  44. O que este desgoverno tucano fez com Minas Gerais? Destruiu e impediu qualquer possibilidade das classes populares de sonhar com dias melhores. Como nós professores somos peça fundamental para isto, tivemos nossa carreira destruída. Chegamos ao fundo do poço. O Brasil cresce muito. Todas as categorias tiveram aumentos substanciais, até mesmo professores em outros estados e prefeituras, mas nós de Minas ficamos a ver navios. Não suporto mais bancos me ligando por causa de dívidas. Se você professor ficar doente ou alguém de sua família, tá f........... Estou de greve!

    ResponderExcluir
  45. Uma diretora do Sind-UTE foi na escola que eu trabalho e incentivou os servidores a fazerem greve branca. A greve branca seria os professores dispensarem os alunos mas irem para escola, cumpri horário e assinar o ponto. Com isso, de acordo com a diretora do Sind-UTE, não haveria corte de ponto nem retaliação.
    Não concordo com isso, expliquei que a greve é um direito constitucional, que todos podem fazer e não poderiam ser punido, mandado embora em função da greve. Porém a greve branca não existe, não tem amparo legal dispensar os alunos e permanecerem na escola assinando ponto e cumprindo horário. O que pode acontecer é de uma parcela aderir a greve e outra não. As pessoas que optassem por não fazer a greve e estando na escola, não poderiater corte de ponto, mesmo que os alunos não comparecerem. Agora dispensar os alunos e permanecerem na escola não tem amparo legal.
    Liguei no Sind-UTE, (31) 3481-2020, conversei no departamento jurídico e o próprio advogado do sind-UTE falou comigo que isto pode levar a processo administrativo. Solicitei que o jurídico conversasse com a direção, tanto estadual como de todas as subsedes para não dar este orientação de fazer a tal greve branca.
    Greve é um direito de todos. Cada um pode fazê-la sem medo, existe amparo legal para tal. Mas não vamos iludir que estamos amparados com a tal “greve branca”.
    Sara Daniela - Belo Horizonte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Greve branca não existe. Não tem jeito de fazer greve e assinar o ponto. Mesmo porque, se não tiver aluno a direção nem abrirá o livro de ponto para o professor assinar, e fará uma ocorrência das atividades do dia. Portanto ou a categoria tenha coragem de ir a luta, ou se prepara para lamentar e culpar o sindicato pelo fracasso da categoria, mais uma vez.

      Excluir
  46. AMIGOS DO BLOGUE, SOU EFETIVADA ESTOU ESPERANDO RESOLVER A SITUAÇÃO DOS MESMOS PARA RESOLVER A MINHA , COM CERTEZA IREI DEIXAR A EDUCAÇÃO MESMO COM ALGUNS ANOS NA CARREIRA. NÃO QUERO FICAR PREJUDICADA COM O TEMPO QUE EU TENHO NA FUNÇÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então se mobilize por que com esse (des)governo não se pode esperar nada de bom para qualquer funcionário da área da educação.

      Excluir
  47. http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/adesao-a-paralisacao-na-rede-estadual-de-ensino-e-baixa/

    ResponderExcluir
  48. Assistindo a tv assembeia hoje á tarde fiquei indignado com os deputados da base do governo e cheguei a uma conclusão: trata-se de um bando de safados filhos da p..... é vergonhoso como defendem este desgoverno. Estou entrando de greve sozinho em minha escola. estou indignado. não tenho outro termo para designar minha revolta. Voto PT em outubro em todos os cargos. Vou com Pimentel.

    ResponderExcluir
  49. 247
    PROFESSORES ESTADUAIS CRUZAM O BRAÇOS EM MINAS
    :
    Os professores da rede estadual de educação entraram em greve por tempo indeterminado; o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUTE-MG) afirma que o governo mineiro não reajustou os salários de acordo com o aumento do Piso Salarial Profissional Nacional que foi de 8,32% em janeiro de 2014; a categoria reivindica, ainda, nomeação de concursados para os cargos vagos, progressão de carreira e o direito a férias-prêmio
    21 DE MAIO DE 2014 ÀS 11:51

    Minas 247 - Os professores da rede estadual de educação entraram em greve a partir desta quarta-feira (21) por tempo indeterminado. O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUTE-MG) afirma que o governo mineiro não reajustou os salários de acordo com o aumento do Piso Salarial Profissional Nacional que foi de 8,32% em janeiro de 2014.

    A categoria reivindica, ainda, nomeação de concursados para os cargos vagos, progressão de carreira e o direito a férias-prêmio. O sindicato diz que ainda não recebeu proposta alguma do governo mineiro. No dia 28 de maio, os professores se reunirão, novamente, às 14h na Praça da Assembleia, para discutirem os rumos da mobilização.

    Ao G1, a coordenadora-geral do SindUte-MG, Beatriz Cerqueira, afirma que a pauta de reivindicações foi protocolada no dia 31 janeiro.

    "A estratégia do governo do estado é não negociar. Já avisou que não vai ter modificação na carreira e que não vai discutir reajuste antes de outubro. O momento é agora ou só teremos chance de conquistas em 2015. Por isso, propomos a greve por tempo indeterminado a partir de 21 de maio, com nova assembleia no dia 28 de maio", diz.

    ResponderExcluir
  50. Lendo as notícias sobre a greve dos professores é de estarrecer o posicionamento da mídia mineira. Colocam os professores como os bandidos e o desgoverno tucano como a virgem inocente agredida. E o papo da seemg que paga a mais que o piso 200%. Temos que publicar nossos salários e contra-cheques para a população saber quanto ganha um professor de Minas. Não consigo conceber uma maneira de quebrar esta deslavada mentira instituída sobre a educação deste estado, transformada em frangalhos.

    ResponderExcluir
  51. PROFESSORES ESTADUAIS CRUZAM O BRAÇOS EM MINAS
    :
    Os professores da rede estadual de educação entraram em greve por tempo indeterminado; o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUTE-MG) afirma que o governo mineiro não reajustou os salários de acordo com o aumento do Piso Salarial Profissional Nacional que foi de 8,32% em janeiro de 2014; a categoria reivindica, ainda, nomeação de concursados para os cargos vagos, progressão de carreira e o direito a férias-prêmio
    21 DE MAIO DE 2014 ÀS 11:51

    Minas 247 - Os professores da rede estadual de educação entraram em greve a partir desta quarta-feira (21) por tempo indeterminado. O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUTE-MG) afirma que o governo mineiro não reajustou os salários de acordo com o aumento do Piso Salarial Profissional Nacional que foi de 8,32% em janeiro de 2014.

    A categoria reivindica, ainda, nomeação de concursados para os cargos vagos, progressão de carreira e o direito a férias-prêmio. O sindicato diz que ainda não recebeu proposta alguma do governo mineiro. No dia 28 de maio, os professores se reunirão, novamente, às 14h na Praça da Assembleia, para discutirem os rumos da mobilização.

    Ao G1, a coordenadora-geral do SindUte-MG, Beatriz Cerqueira, afirma que a pauta de reivindicações foi protocolada no dia 31 janeiro.

    "A estratégia do governo do estado é não negociar. Já avisou que não vai ter modificação na carreira e que não vai discutir reajuste antes de outubro. O momento é agora ou só teremos chance de conquistas em 2015. Por isso, propomos a greve por tempo indeterminado a partir de 21 de maio, com nova assembleia no dia 28 de maio", diz.

    ResponderExcluir
  52. A HORA É AGORA E CHEGOU MUITO TARDE!GREEEEEEEEEEEEEEEEVE,COLEGAS.DE FOME NINGUÉM HÁ DE MORRER. SE NÃO LUTARMOS POR NÓS, QUEM LUTARÁ? ESTOU MUITO REVOLTADO! VAMOS MOSTRAR A ESSA CAMBADA DO QUE SOMOS CAPAZES!!!!!!

    ResponderExcluir
  53. PARA QUE TENHAMOS SUCESSO NAS NOSSAS REIVINDICAÇÕES É NECESSÁRIO QUE NOS ORGANIZEMOS E, PRINCIPALMENTE QUE LUTEMOS TODOS JUNTOS. VAMOS TOMAR COMO EXEMPLO OS GARIS QUE SOUBERAM POR QUE ESTAVAM LUTANDO!!!!!

    ResponderExcluir
  54. Será que as pessoas de bem irão permitir que o mau e a mentira permaneçam em Minas Gerais?

    ResponderExcluir
  55. Além da merreca que ganhamos ainda não temos direito nem de merendar. Já avisei a direção da escola que não contribuo nem com o cafezinho. Que desgoverno que tirou Minas dos trilhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só pode ser coisa de Diretor maldoso. Na nossa Escola a Diretora deixa a vontade e os servidores merendam suficientemente bem. Imagina você ficar quatro horas ou mais em uma sala de aula e no intervalo ver os alunos merendarem e o professor não ter direito... Isso é muito desumano. vocês precisam saber escolher a pessoa que vai dirigir sua Escola. pessoas mais humanas, com boas procedências, etc.

      Excluir
  56. Nós professores somos inteligentes o suficiente para sabermos que a unica solução é GREVE, temos que parar de sofrer por um governo que não está nem ai para a educação ,só papeis fictícios tem muita gente nas escolas fingindo trabalhar , mostre a cara vamos a LUTA somos nos que pagamos impostos e trabalhamos cimco meses ´so para pagá-los e sofremos em nossas casas falta de recursos básicos, como alimentos,saude, educação para os nossos filhos, PARA SUSTENTARMOS ESSES DEPUTADOS, GOVERNADORES E SECRETÁRIOS..... ACORDA VOCE PAGA VOE MESMO!!!!!

    ResponderExcluir
  57. VOCÊ PAGA VOCÊ MESMO!, GREVE AGORA E ATE O DIA QUE ESSES GOVERNANTES TE RESPEITEM OU ENTÃO QUE FIQUEM SEM OS SEUS GORDOS SALÁRIO, ANO DE ELEIÇÃO, NÃO SERÃO ELEITOS!!1 CAROS COLEGAS EDUCADORES PENSEM NISSO VOCÊ TEM O PODER DE ESCOLHA DO SEU SALÁRIO.... OK.

    ResponderExcluir
  58. O Ari da Franca entrou parcialmente.No passado a adesão era geral. Mas somos fruto do contexto histórico nacional, ou seja , a miséria das boas ideologias políticas.
    Que pena! Léia BH.

    ResponderExcluir
  59. Se não fizermos greve total, não vai adiantar nada. Mobilização geral da categoria. Mas alguns têm medo e não aderem à greve. Então, o que fazer? Enviar representantes do sindicato em todos os polos e cidades indecisas e convencê-los da nossa conquista. É agora ou nunca. Acordem, professores!

    ResponderExcluir
  60. ORIENTAÇÕES SOBRE A GREVE - do site do SIND-UTE

    Direito de Greve

    Todos os servidores públicos têm direito ao exercício da greve. Este direito está expressamente contido na Constituição Federal, no artigo 37, inciso VII.

    As faltas advindas da paralisação de greve não se confundem com faltas injustificadas. Em outras palavras, as faltas-greve não estão sujeitas a aplicação de sanções administrativas e não podem levar os servidores à demissão, suspensão, repreensão ou qualquer outra penalidade administrativa.

    Deste modo, nenhum servidor – efetivo, efetivado ou designado - pode ser punido pela simples participação na greve, até porque o próprio Supremo Tribunal Federal (STF) entende que a simples adesão à greve não constitui falta grave, vejamos:

    STF. SÚMULA 316 - "A simples adesão à greve não constitui falta grave."

    O limite de faltas injustificadas não se aplica no caso de greve, uma vez que as faltas não são injustificadas.

    O servidor designado não poderá sofrer rescisão de contrato por motivo de greve, sob pena de violação ao direito constitucional à greve.

    O servidor que estiver em estágio probatório também poderá aderir à greve, uma vez que o STF possui entendimento uníssono de que não pode haver exoneração de servidor em estágio probatório que aderir ao movimento grevista. Greve é direito fundamental.

    Qualquer conduta, ato ou ameaça de retaliação ou repreensão pelo fato do servidor aderir ao movimento grevista é inconstitucional, violando o Princípio da Liberdade Sindical, assegurado pelo artigo 8º da Constituição Federal e constitui crime contra liberdade de associação, nos termos do artigo 199 do Código Penal.

    Caso o servidor se sinta pressionado, seja pela direção da escola, inspeção ou direção da SRE, deverá procurar a Subsede do Sind-UTE mais próxima da sua região para relatar o fato ocorrido, obter orientações e tomar as medidas necessárias.

    Ressalte-se que o servidor que sofrer qualquer ato de discriminação, retaliação ou punição durante e após o movimento grevista, pode ser considerado vítima de assédio moral, conforme Lei Complementar 116/2011, além de outras medidas cabíveis.

    Importante apontar que o servidor não precisa comunicar previamente à Escola, Superintendência ou qualquer outro órgão a sua participação na paralisação, uma vez que o Estado de Minas Gerais já foi previamente comunicado do início da greve a partir do dia 21 de maio. Recomenda-se ainda, que o servidor não formalize nenhum documento quanto à paralisação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As leis nos garante todos os direito de greve, porém em Minas Gerais vivemos um período em que a Lei não existe para o Governo, a mídia fala a língua do governo e o ministério público, quase no geral também não toma as medidas necessárias para fazer valer a lei.
      O medo das pessoas, principalmente, as designadas é de serem mandadas embora, pois infelizmente em Minas isso pode acontecer. Resta pagar injustamente meses de salário para reconquistar uma coisa que é de direito, mesmo assim tendo que passar por uma loooooonga espera. O processo corre em Minas, tende que se recorrer novamente para subir para o supremo para depois de looongos anos sair uma resposta.

      Em tempo, sou totalmente a favor da greve, só entendo o medo de grande parte da categoria, fragilizada diante de tanto sofrimento, "fugirem" da luta. E a união é que faz a força e nossa categoria infelizmente, não consegue se unir.

      Excluir

  61. http://www.brasil247.com/pt/247/poder/140712/Ibope-vaza-e-d%C3%A1-vit%C3%B3ria-de-Dilma-em-primeiro-turno.htm

    ResponderExcluir
  62. Quanto ao assunto federalizacao da educação, entrei, sai e não vi. Trabalhando na rede estadual e com filhos na rede federal, a diferença era enorme, a minha atuação nao tinha a importância merecida.Hoje aguardo afastada a aposentadoria, na bagagem um mestrado e um salario de quase 3 mínimos, tudo por causa da politica mineira de subsídio. Desejo a todos que naquele dia acabaram com minha carreira usem o dinheiro que usurparam de mim para um tratamento médico, só assim saberei que ele nao foi usado em vão.

    ResponderExcluir
  63. Poços de Caldas, nao tem professor habilitado, nao tem professor em si, o aluno vai para a escola e não tem aula. Infelizmente assistindo a educação indo para o ralo e o descaso de nossos governantes escancarado. :(

    ResponderExcluir
  64. Colegas; eu tenho três aulas de sociologia e vai abrir mais uma turma na escola que eu leciono. O diretor veio com uma conversa que ele não consegue designar apenas uma aula. Ele então me disse que eu vou ter que deixar as aulas. Sou pai de família e essas três aulas representam R$ 200,00 reais no meu salário. Disse à ele que vou na Se amanhã. Gostaria de uma orientação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se já esta designado ou com extensão, você perde elas apenas para Habilitado, o certo é ele ampliar sua carga horária se já não excedeu limite. caso contrario, never não pode te tirar elas.

      Excluir
    2. O diretor não pode tirar as suas aulas. Procure a SRE de sua cidade. Infelizmente, os diretores deixam de ser professores e o poder sobe na cabeça deles. Mas fique tranquilo, o direito é seu.

      Excluir
    3. Voce somente será dispensado se chegar um efetivo para assumir as aulas. Observe a legislaçao vigente

      Excluir
  65. A maioria dos educadores da minha escola são ex efetivados, designados, e morrem de medo de greve. Então, o restante quase aposentando, deixamos para que eles recebam o que merecem. Não querem greve? Não tem o direito de reclamar, trabalhem caladinhas, sorriam com o que ganham, e continuem com o mesmo MEDO. Não sabem nem que greve é um direito do trabalhador. Deixe estar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendo o medo dos professores designados, nem com vela acesa encontram professores, na minha cidade muitos que tomaram posse exoneraram. Já assisti essa novela e, desde
      1984, na condição de 6 anos designada nunca deixei de participar dos movimentos. Confiem e conquistem seus direitos. Abraços a todos.

      Excluir
  66. a verdade é que o fim da lei 100 era tudo que o quinteto AAAAA queria.

    ResponderExcluir
  67. Atenção Amigos!
    Não compartilhem e nem curtam as postagens da TV Revolta nas redes sociais.

    TV Revolta é subsidiada pelo PSBD.

    ResponderExcluir
  68. Lendo agora a folha de São Paulo equiparando o gasto da Copa com um mês da folha de pagamento na área educacional.Deveriam comparar com um mês da folha de pagamento dos senadores,deputados,supremo,prefeitos ; relacionando até o vale copa aprovado.Uma vergonha esse país.Já analisei de tudo quanto é forma e conclui que nenhum candidato é digno do nosso voto,pois quando entram no poder se corrompem da mesma forma , é uma máfia. Meu sonho é o povo não votar.Justificar em massa ,demonstrando total rejeição à política de corrupção.

    ResponderExcluir
  69. Colega, 20:06, vale a pena essas provocações? Isso serve para unir ou desunir? Os que estão contra nós e contra uma educação melhor da educação, com certeza estarão rindo ás nossas costas... A greve é um direito constitucional! Na democracia, ser cidadão nela, significa poder participar ou não de uma greve, manifestação, protestos, etc... Então, respeitar a opinião alheia ou de outrem é nosso dever cívico; gostemos ou não! A lei é clara sobre isso...
    Pensemos, vai que esses colegas que diz que morre de medo de greve, não concorda com o tipo de greve que está sendo realizada? Pensam em outro jeito de greve... Eu particularmente, não gosto de nenhum tipo de imposição, de radicalismo, de linguagem agressiva, provocativa... Fora dizer, que esse tipo de provocação que fez, é mais velha do que se imagina; e pode acreditar, não nos levará a lugar nenhum. Vamos nos unir, nos integrar, aí podemos vencer nossas batalhas e nossos adversários contra uma educação de qualidade.

    ResponderExcluir
  70. Amigos, estou sendo perseguido na escola que trabalho por um professor que fez faculdade comigo. Fico pensando onde está a unidade dos professores. Minha vontade é sair dessa profissão pois as decepções são muitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure o RH Relações Humanas da sua Metropolitana e denuncie, essa agressão agora tem nome e punição, chama-se Assédio Moral e quando você cria coragem e denuncia todos passam a te respeitar...

      Excluir
  71. É claro que eu, na condição de professor em Minas Gerais, já me aderi à greve logo no dia 21 deste mês. Mas apenas salários não deve ser o nosso foco. Apanhamos em sala, somos cuspidos, xingados, ameaçados e ninguém exige mudanças neste sentido do governo. Todos apanham calados dentro das escolas e fica tudo do mesmo jeito e querendo apenas melhores salários. É claro que devemos exigir salário, no mínimo à altura da nossa importância dentro da sociedade. Devemos exigir do governo segurança, autoridade, respeito, enfim melhores condições de trabalho em todos os sentidos. De que adiantaria ganhar cinco mil reais em um cargo e todos os dias apanhar de traficantes dentro das salas de aula das escolas? Continuaríamos adoecendo e enchendo os consultórios dos psiquiatras do mesmo jeito. As escolas não têm regras, os alunos chegam a hora que querem, com a roupa que querem, xingam, brigam, ameaçam, quebram tudo dentro da escola e tudo mais.... E não é feito nada com esses marginais, kkkk, é brincadeira né. Além dos salários, essa era a grande mudança que eu adoraria ver nas escolas. O ECA tem que mudar, os pais devem ser mais cobrados pelo governo sobre a educação e o comportamento dos seus filhos. Por exemplo, se eu for convocado para júri e não comparecer, posso ser multado pelo juiz em até 10 salários mínimos, mas não existe nem um centavo de multa para um pai que não vai à reunião da escola de seu filho. Um motorista que bebe e pega no volante é multado e fica sem a carteira, mas os pais de um aluno que quebrou uma carteira e ainda agrediu um professor na escola não paga nem um centavo e nada é exigido dele pelo estado..... É bom exigirmos salário nas greves mas, juntamente com salários, devemos exigir também mais qualidade de vida no nosso ambiente de trabalho que, a meu ver, já se tornou um campo de guerra há muito tempo. Repito o que já disse aqui, estou estudando quase oito horas por dia para me aprovar em um outro concurso para sair do magistério, assim como nosso amigo Euler. E digo ainda mais, mesmo que nesta greve, que tenho orgulho de participar, conquistarmos um salário de 5 mil reais, ainda assim continuarei estudando para outro concurso. Além de salário quero qualidade de vida e desejo o mesmo para todos vocês. Um grande abraço e felicidade para todos nesta nossa greve.
    Lobo Guará Zona da Mata

    ResponderExcluir
  72. ASSISTAM:

    http://www.youtube.com/watch?v=vgRlNAXVfoQ&feature=share

    ResponderExcluir
  73. Luis Nassif Online Posts recentes Siga o Luis Nassif Online RSS do Blog Luis Nassif Online
    política
    Eleitores de Dilma são mais ativos nas redes sociais em comparação a demais candidatos

    sex, 23/05/2014 - 12:40 - Atualizado em 23/05/2014 - 12:40

    Jornal GGN – Durante trinta dias e avaliando mais de 1,5 milhão de postagens, a empresa R18, especializada em pesquisas em redes sociais, constatou que os eleitores da presidente e candidata a reeleição, Dilma Rousseff, do PT, são muito mais ativos que os eleitores dos demais candidatos da oposição. A empresa utilizou a ferramenta AirStrip para filtrar 1.580.111 posts.

    Do total, 82,9% falavam sobre a atual presidente, sendo 3.461 referentes à declaração de intenção de voto para as eleições deste ano. Nesse quesito, Dilma também lidera, com 89,8% das manifestações. O candidato tucano Aécio Neves teve apenas 10% das declarações de voto do universo de postagens avaliadas, seguido por Eduardo Campos, do PSB, com apenas 0,2%.

    Ainda falando de Dilma, os temas mais citados sobre a presidente são saúde (58.833 vezes), transporte (17.448 vezes) e o programa Mais Médicos, do governo federal, com 6.292 menções nas redes sociais. Os pontos fracos de Dilma são a Copa do Mundo (45,8% dos comentários), o caso da refinaria de Pasadena (32,2% das menções) e o mensalão (12% dos comentários).
    Aécio Neves, do PSDB, teve 179.911 posts no mesmo período, sendo 21.375 sobre seu desempenho nas pesquisas de intenção de voto, 6.596 menções à atuação do seu partido na oposição ao governo federal. Os pontos fracos do tucano são as denúncias do cartel de trens do metrô em São Paulo, envolvendo lideranças do partido (25,1% dos comentários) e informações de sua vida pessoal, com 22% dos comentários.

    Ex-aliado de Dilma, Eduardo Campos foi citado em 89.792 posts durante os 30 dias de pesquisa. Os temas mais mencionados são sua atuação como governador de Pernambuco (2.125 vezes) e o apoio de empresários à sua candidatura (511 ocorrências). A recente foto publicada em um jatinho, enquanto a greve da PM em seu Estado deixava a população em pânico, foi um de seus pontos fracos: 82% dos comentários foi a esse respeito. E outros 6,5% foram postagens sobre a CPI do Porto de Suape.

    ResponderExcluir
  74. 247
    Senador Aécio Neves atribuiu ao PT a insinuação de que seria usuário de drogas; "A gente vive um submundo da política nas redes, onde se dissemina qualquer tipo de acusação contra os adversários esperando que alguém, talvez desavisadamente, leve o assunto para o dito jornalismo sério. Tenho uma história de vida, para quem não me conhece, absolutamente digna e honrada, reconhecida até pelos adversários", afirmou, ao ser questionado sobre uso de cocaína; "Como não têm sobre a minha vida absolutamente nada, dizem que eu sou despreparado, que eu sou incompetente. Me acusam (de usar drogas) há 15 anos, mas ao longo dos últimos 15 anos eu me especializei em uma coisa: em derrotar o PT. Há 15 anos eu ganho do PT no primeiro turno, em todas as eleições, no meu Estado"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo ditador diz isso! O Estado é dele.

      Excluir