sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Por que os educadores de Minas desistiram de lutar?


Por que os educadores de Minas desistiram de lutar?

Tenho um pensamento diferente de alguns bravos colegas que aqui no blog têm afirmado que os educadores são covardes e que não partem para a luta por seus direitos. Pode até ser que uma parte da categoria - de qualquer categoria, aliás - seja de fato acomodada, alienada ou coisa que o valha. Mas, vejo a apatia da categoria dos educadores de Minas por um outro ângulo. Na verdade, o que ocorre hoje em Minas é o resultado de uma política deliberada, por parte da gestão Aécio-Anastasia, de destruição da carreira dos educadores, e consequentemente, de destruição da perspectiva de uma Educação pública de qualidade.

Os educadores de Minas, que foram capazes de realizar grandes paralisações nos últimos 30 anos, pelo menos, simplesmente deixaram de acreditar num futuro melhor para as carreiras do magistério. A maioria dos educadores, não importa se efetivos, efetivados ou designados, não trata mais a Educação como uma carreira que se deva levar a sério. Muitos estão adoecidos, outros conseguiram outras fontes de renda ou empregos, ou estão prestes a se aposentar. Afinal, são 12 anos de gestão de ataques ininterruptos aos direitos dos educadores de Minas. É dose cavalar, até mesmo para uma categoria acostumada a sofrer e a ser mal remunerada, tratada como se fizesse parte de uma obra de caridade e não de uma profissão considerada por alguns como das mais nobres.

No Brasil, o professor (e demais educadores) é tratado como artigo fútil por uma elite mais fútil ainda, que não se compromete com o presente e com o futuro de gerações de brasileiros, especialmente os mais pobres. Trata-se de uma elite mesquinha, acostumada a tratar os mais pobres como escravos, e que enxerga na Educação um artigo de luxo para as camadas populares.

A categoria de educadores, acostumada a sofrer, a lutar e a conquistar, mesmo que pequenas migalhas, de repente, num dado momento aprendeu que poderia sonhar com uma carreira decente. Acreditou nisso piamente quando aprovaram a Lei do Piso em 2008, com algumas regras bem definidas no seu texto constitucional, embora com um ridículo valor nominal no salário inicial.

Contudo, nem este mínimo que seria o piso enquanto vencimento básico foi cumprido pelos governos, a exemplo do governo de Minas, que tratou de burlar descaradamente a norma federal, abolindo de uma só tacada o vencimento básico e todas as gratificações e vantagens (quinquênios, biênios, pó de giz) adquiridas pelos educadores ao longo de muitos anos de luta. A Minas Gerais do neto de Tancredo, que hoje aparece na TV dizendo cinicamente que investiu na qualidade da Educação, simplesmente destruiu a carreira dos educadores. Implantou um subsídio como valor total (teto) de dois salários mínimos congelados até 2016. Rebaixou, apenas para os educadores, os percentuais de promoção e progressão na antiga carreira; aboliu, para a maioria,  o direito a férias-prêmio, depois de ter reduzido, apenas para os educadores, de três para dois meses o tempo que supostamente estes poderiam usufruir  o suposto direito - com quase 10 anos de carreira e já tendo direito a férias-prêmio publicado no Diário Oficial, fui informado pela secretaria da escola que só depois de 2020 eu teria uma remota possibilidade de usufruir tal direito, situação aliás comum à maioria dos educadores mineiros.

Minas usou todo o seu aparato estatal - governo, legislativo, judiciário, ministério público, e incluindo a imprensa, que é parte integrante da dominação de classe da mesma elite que detém o poder do estado em Minas e no Brasil -  para destruir a carreira dos educadores, e com isso, sucatear a própria Educação pública no ensino básico. Os educadores de Minas estão fora da Lei do Piso nacional, não têm carreira, estão divididos por políticas deliberadas do governo; e tiveram praticamente todos os seus direitos cassados por uma política de estado criminosa - sim, meus caros, quando se destrói deliberadamente uma carreira como a dos educadores comete-se crime contra milhares de pessoas que dependem do ensino público de qualidade para saírem da situação de miséria em que se encontram.

O governo de Minas - e de certa forma, o governo federal também, por omissão - é responsável direto pelo aumento da violência não só nas escolas, mas na sociedade como um todo; quando se destrói uma carreira como a dos educadores, aposta-se na destruição da possibilidade de se proporcionar a milhares de pessoas uma formação crítica, humanista e universal. Mas, para o governo de Minas e seus aliados, é mais importante investir em cadeias, na repressão, do que na educação dos seres humanos. É um governo que pensa em favor da elite dominante, a qual serve.

Talvez por terem percebido, diante de tantas perdas, de tantos ataques a seus direitos, de tanta insensibilidade por parte dos governantes, e de tanto sofrimento, que não mais vale a pena lutar pela valorização das carreiras do magistério é que os educadores se encontram apáticos. Não querem mais lutar. É um gesto que pode ser comparado com o suicídio coletivo de tribos indígenas quando atacadas pela cultura branca, ocidental, etnocêntrica. Os educadores mineiros não têm mais sonhos em relação à carreira deliberadamente destruída nos últimos 12 anos. Em Minas não existe mais sequer o direito de greve - outro direito constitucional que a gestão Aécio-Anastasia transformou em crime, sujeito à prévia punição.

A Educação em Minas e a realidade dos educadores só aparecem como boas na propaganda paga pelo governo. Nesta propaganda, Minas vive o paraíso, mais ou menos como no filme Matrix, uma projeção social de perfeita harmonia, ante um mundo real destruído.

Quando vejo as heroicas lutas dos professores do Rio de Janeiro, que recebem a solidariedade de milhares de pessoas, percebo que pelo menos lá eles ainda conseguem sonhar com um novo horizonte. Aqui, ao contrário, o sonho acabou para os educadores. Não há mais horizonte - logo num lugar com tão belos horizontes. O governo de Minas deixou um legado de destruição praticamente definitiva da carreira dos educadores, e dificilmente será possível mudar este quadro. Para a Educação pública básica, pelo menos, Minas não existe mais.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória, que não se resume ao cenário da Educação-de-Minas!

***

261 comentários:

  1. Lutar contra o que? esse governo que impõe regras e compra até chefe STF com medalha?

    é complicado

    ResponderExcluir
  2. ESTADO PROIBE ESCOLAS DE CONTRATAR ASB E ATB
    NA ESCOLA QUE TRABALHO, SÃO 6 AO TODO, DOIS AFASTADOS E 1 AFASTARÁ, FICARMOS COM 3, COMO DAR ANDAMENTO NOS SERVIÇOS COM 3 ASB?

    ResponderExcluir
  3. PROIBIDO ADOECER EM MINAS, SE UM DIRETOR, VICE E SECRETÁRIO AFASTAR MAIS 60 DIAS PERDE CARGO
    AGIRA UMA NOVA, NÃO PODERÃO CONTRATAR ASB E ATB EM SUBSTITUIÇÃO

    ENTÃO SE ADOECER UM NA SUA ESCOLA, VÁ PARA CANTINA AJUDAR NA MERENDA, KK

    ResponderExcluir
  4. o acórdão foi publicado, vamos ver como o governador de minas irá nos pagar ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O acórdão é sobre qual processo?

      Excluir
  5. Euler,


    Realmente o cenário é de extrema desolação!Contudo tenhamos fé em dias melhores!

    ResponderExcluir
  6. Verdadeiro...real e triste.

    ResponderExcluir
  7. As relações que estão se configurando são típicas das relações entre Senhores e Escravos.

    ResponderExcluir
  8. Somente um trabalho ativo do sindicato em cada escola poderá reverter este terrível quadro que se instala, essa descrença no próprio futuro. É preciso acreditarmos que podemos fazer a diferença e não ficar chorando pelos cantos da escola. porque o que vejo são professores chorando pelos cantos da escola a invés de lamentar porque não ir a luta.

    ResponderExcluir
  9. Meu caro Euler e colegas,
    É incrível como você consegue retratar o sentimento dos profissionais da educação, pois é assim mesmo que se sentem... apáticos, desiludidos, desesperançosos. Nesta semana mesmo, comentei com minha esposa. Não há ambientes melhores do que uma escola e um hospital para se perceber que vivemos um caos... principalmente nas áreas mais importantes para a sociedade: educação, saúde e segurança, os quais são os temas preferidos da corja política deste país.
    Prof. Herbet - Cristália -MG

    ResponderExcluir
  10. Na verdade, o sindicato somos todos nós... E não estamos fazendo nosso papel...

    ResponderExcluir
  11. É só sabermos em quem votar nas próximas eleições e esse quadro poderá mudar.Poderemos ser melhores remunerados e teremos mais dignidade e respeito.Está em nossas mãos o nosso futuro .Com todas essas manifestações, imprensa internacional falando abertamente sobre educação, segurança e saúde, alguma coisa deve mudar.Senão será uma verdadeira guerra nesse país.Estamos assistindo as manifestações no Rio e são Paulo.Essa juventude está determinada a mudar essa vergonha que se chama Brasil-minas.Eu acredito nessa juventude.Li hoje um artigo onde um jovem fala para a "puliça" carioca que ele não deveria fazer o que fazem com quem educa os filhos deles.Achei lindo essa postura.Aqui , eu ainda penso que, se esse demônio que está em minas continuar, algo de ruim irá acontecer a ele e seus apadrinhados.Não é possível continuar como está.Acredito que nossos alunos estão sentindo na pele a nossa descrença, o nosso desânimo o nosso adoecimento mental e físico.Não há quem aguente essa pressão psicológica por muito tempo.Eles irão lutar conosco e por nós.Pode acreditar nisso.Afinal eles são diretamente prejudicados com tudo que está acontecendo nesse fim de mundo chamado de minas.

    ResponderExcluir
  12. Frequentadores deste espaço;

    Tudo é cenário de desilusão na educação mineira. O salário, a carreira que não existe e que começou a ser destruída quando Aécio Neves cortou os biênios, alunos que não querem estudar, indisciplina, falta de respeito.
    Ser professor em Minas e no Brasil é uma situação muito complicada. Possuímos um diploma de 3º grau, mas isso não significa nada para o governo.
    Não acho que a classe dos professores seja covarde, é que com a política de corte de ponto - como na heroica greve de 2011 - ficou claro que fazer greve em Minas é passar fome literalmente.
    Respeito muito este espaço, mas aqui só se fazem discussões, e discussão sem ação não resolve nada.
    A única força que ainda temos é o sindicato, que por mais que se fale mal dele, é o que nos representa e luta pelos nossos direitos.
    Uma luz surge no fim do túnel com a possível eleição de um governo do PT para governar o estado. Por mais que se fale que não vai mudar em nada, o PT é mais sensível à questão da educação. Poderemos ter uma reformulação na carreira, na melhor das hipóteses.
    Por enquanto é aguardar o cenário político que se desenrolará na eleição para governo do Estado o ano que vem. Ter o PSDB fora do comando de Minas já será uma grande vitória, um aceno de que nosso salário e carreira podem ter alguma perspectiva de melhora.
    Por enquanto, vamos debatendo por aqui e fazendo campanha contra Aécio Neves, pois um homem deste no comando do Brasil será um verdadeiro desastre para a classe trabalhadora. Como eu li num comentário do blog O Cafezinho, se o PT é ruim, o PSDB representa o péssimo.
    Vamos ter esperanças, afinal esta é a última que morre.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro concordo plenamente com você. Vamos fazer campanha e derrubar este Aócio.

      Excluir
    2. Vamos fazer 'e uma atitude muito distante. Ja deveríamos estar fazendo. Os videos do VAMOS CONVERSAR, que foram esclarecidos pelo Sindicato não estão sendo compartilhados. E preciso agir, gente

      Excluir
  13. Minas não faz parte do Brasil. Sabe de quem eu tenho pena?
    Dos filhos dos trabalhadores que precisam da escola pública.
    Vou aposentar daqui a um ano e meio.Será que dou conta desta MENTIRA chamada educação de MG?
    Enojada...

    ResponderExcluir
  14. Caros colegas professores,

    repetindo, e se for necessário, desenho para alguns professores entenderem: não se conquista nada sem luta, nenhum governante no Brasil, no nosso atual contexto político e econômico, concederá, de bom grado, qualquer que seja o benefício à educação e aos professores. Se quisermos conquistar alguma coisa, isso só será possível através de nossa luta, através da unidade da classe que, hoje, é inexistente.

    Também não se pode esperar nada, nadinha da "INjustiça" mineira e brasileira, pois esta também é conchavada e amordaçada. A "INjustiça" mineira e brasileira não tem autonomia, está atrelada e dependente do que mandam o legislativo e o executivo. São paus-mandados que só se preocupam com seus próprios interesses, ou melhor, seus próprios cargos. Um exemplo claro disso tivemos na nossa última greve, em que um desembargadorzinho desonesto, a mando do governador de Minas Gerais, julgou ilegal o nosso movimento. Isso, somente após 100 dias de greve.

    Portanto, não esperem por sindicato, não esperem por governo, não esperem pela "INjustiça" brasileira. Faça sua parte! Somente com a unidade da classe em prol de um mesmo objetivo é que conseguiremos mudar nossa história.

    Esqueçam as diferenças impostas pelo governo e participem da luta através de greve. Se grande parte de nós, professores, aderirmos aos movimentos de greve, mudaremos este quadro.

    Será que vou ter que desenhar?

    Atenciosamente,

    Raimundo Santos
    Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir
  15. Euler, como já comentei você como sempre muito sensato, penso como você a greve não acontece porque todos nós estamos sem esperança. Vou colocar uma pergunta novamente mas não em relação as manifestações
    "Euler sempre achei você uma pessoa muito sensata imparcial, sei que você é efetivo mas nem por isso critica os efetivados, Mas sempre sabe analisar a questão com um olhar realista, gostaria que postasse o que você acha que ira acontecer com a lei 100, será que o julgamento vai acontecer esse ano, porque ela está com relator a quase 5 meses, se ele é o relator tem interesse que o julgamento aconteça, para ser sincera acho até estranho o julgamento ainda não ter acontecido.
    Laura

    ResponderExcluir
  16. É.................. você disse o que sinto em minha alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O link da ADI da lei 100:
      http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=4332889

      Nesse outro link estão os documentos anexos como parecer,petições :

      http://redir.stf.jus.br/estfvisualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcessoEletronico.jsf?seqobjetoincidente=4332889

      Excluir






















  17. Realmente você disse o sentimos ,desmotivação ,frustração sem esperança num salário digno ,principalmente para quem já está aposentando e sem direito as ferias premio,q ficará para eles. Um abraço a você e a todos professores neste dia nosso que está chegando que é provável que não receberemos nem sequer os parabéns deles na tv.

    ResponderExcluir
  18. Euler, acredito que você conseguiu fazer uma análise profunda do que nós educadores sentimos no mais íntimo do nosso ser. De tudo que nos foi roubado, acrescento ainda o direito de se realizar um trabalho decente em sala de aula, de ensinar de fato e chegar ao final do ano consciente e satisfeito em saber que os nossos alunos realmente aprenderam o que lhe foi ensinado durante o ano letivo. Já não se fala mais em qualidade e sim quantidade.É a estatística falando mais alto.
    Hoje, é lamentável saber que aluno dominando ou não o conteúdo, ele será aprovado para a série seguinte. Eis aí, a política educacional de doze anos de governo do psdb, com letra minúscula mesmo!
    Precisamos unir nossas forças e tirar de vez essa corja do poder político de MG. Aécio para presidente, nem pensar! Melhor ficar do jeito que tá! Para governador, pode ser um do PT. TUDO, MENOS psdb.
    Com diz nosso caro Euler: força na luta e até a vitória!!!

    ResponderExcluir
  19. Raimundo,

    Essa unidade de classe a que você se refere não existe no professorado mineiro. Muitas pessoas tem feito cursos de licenciatura visando obter algum benefício financeiro. Os estudantes de licenciatura na sua grande maioria são pobres (e há quem diga que incapacitados de terem feito outro curso como engenharia, direito, medicina) e já durante o curso costumam pegar umas aulas como bico. Penso que você deve ter muitos anos de profissão, então não dá para comparar um tempo em que o salário era melhor aos tempos atuais. Não temos o reconhecimento dos alunos (que já não privilegiam o saber), não temos o reconhecimento da sociedade, que vê a escola apenas como um lugar aonde vai deixar seu filho.
    Nem naquelas manifestações da Copa das Confederações, o sindicato conseguiu aglutinar um significativo número de pessoas. Você fala mal do sindicato, mas bem ou mal é ele que tem lutado pela categoria. O blog do Euler foi importante para a classe começar a discutir e trocar ideias, mas aqui só existe teoria, o blog não conseguiu reunir lideranças para comandar uma greve.
    O que temos hoje nas escolas são pessoas que muitas vezes não tem a vocação de professor, são pessoas que vislumbram na educação apenas alguma perspectiva melhor do que trabalhar 8 horas no comércio e receber o que ganhamos num cargo. Para os professores, a saída é toda a família trabalhar, pois realmente este salário não atende há um padrão de vida que um professor quer ter como: viajar, comprar roupas de grife, comprar um carro.
    Mas o movimento da história é dinâmico, transformador: ou o governo que sucederá Anastasia retoma a nossa carreira, melhora o salário, ou esse modelo de educação vai implodir. Já faltam professores de exatas na rede.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  20. A Educação para o governo de Minas virou lixo e como lixo não podemos mais lutar, não acreditamos mais!!!!!!!!
    Chegaaaaaaaaaaaaaaa´e os jovens devem partir para outra e nunca devem insistir em ser lixo do governo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O que temos hoje nas escolas são pessoas que muitas vezes não tem a vocação de professor, são pessoas que vislumbram na educação apenas alguma perspectiva melhor do que trabalhar 8 horas"VERDADE DITA! E vou além :São bem intencionados mas não tem competência para o cargo!

      Excluir
    2. Concordo, a maioria estão fazendo bico, portanto, alheio ás lutas por uma educação de qualidade e com responsabilidade. Não gostam de greve e nem de paradas e muito menos de reposição aulas.

      Excluir
  21. BRAVO! ESTUPENDO COMENTÁRIO! VOCÊ DISSE TUDO O QUE ACONTECEU COM A EDUCAÇÃO MINEIRA. NÃO TEMOS JUSTIÇA, GOVERNO, LEGISLATIVO. AS FORÇAS VOLTARAM-SE CONTRA OS PROFESSORES. ESTAMOS SOZINHOS E ENFRAQUECIDOS. TEMOS 2014 PARA MUDAR ESTE CENÁRIO. VAMOS ELEGER PIMENTEL. ACREDITO QUE COM ESTA ELEIÇÃO TEREMOS NOSSOS DIREITOS ASSEGURADOS. FAZER GREVE NESTE MOMENTO, COM UMA CATEGORIA FRAGILIZADA? VAMOS SER DETONADOS MAIS UMA VEZ. POR QUE NÃO INVESTIMOS EM CAMPANHA POLÍTICA? É MAIS FÁCIL O GOVERNO TREMER AS BASES.
    CONVERSANDO COM AMIGOS QUE MORAM EM BH, MUITOS DELES, QUE NÃO PERTENCEM A NOSSA CATEGORIA, DISSERAM QUE ESTE É O PIOR GOVERNO DE TODA HISTÓRIA DE MINAS. VAMOS DETONÁ-LO NAS ELEIÇÕES. VAMOS TRABALHAR PELO INTERIOR, POIS ESTE DESPÓTICO VAI INJETAR MUITO DINHEIRO DA EDUCAÇÃO EM 2014. VAMOS LÁ GENTE. SE NÃO CONSEGUIMOS NOSSOS DIREITOS DE UM JEITO, LUTAMOS EM OUTRAS FILEIRAS. VAMOS LÉ GENTE!!!!!!
    SOMOS PROFESSORES E POR MAIS QUE NOSSA SITUAÇÃO ESTEJA LASTIMÁVEL, MERECEMOS UM FELIZ DIA DOS PROFESSORES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eleger Pimentel por eleger, não da, se ele quer ser vitorioso que faça compromisso público e em Cartório que vai cumprir realmente o que foi sentenciado pelo STF, caso contrário devemos votar para Governo oo confirmo e para os carneirinhos que votaram contra os professores na ALMG 00000 também.
      Eu vou seguir está regra.
      Se concordar bem, se não paciência.
      Para mim chega. Sou Professor e não sou valorizado por eles.
      Abraço, saudações, PT.

      Excluir
  22. Nossa,Euler desta vez você me fez chorar. Apesar de tudo somos amorosos e apegados aos nossos alunos e justo hoje que me afastei para me aposentar leio est de que o sonho acabou.Foi duro. Mas é a realidade. O meu sonho acabou. Apesar de ter Licenciatura Plena desde 1998 e Pós desde 2008,devido a um certo tempo que fiquei de licença por depressão e não fui avaliada,estou me aposentando como PEBTII com um salário de 1280,00.bruto.Estou chorando com seu texto.Meus sonhos terminam aqui.De hoje em diante só as dificuldades com tantos remédios caros e nem sei como será.Agora teri só mais tempo prá pensar e me preocupar. Este é o meu prêmio por 26 anos de dedicação e trabalho. Quantas vezes deixei de aproveitar feriados e fins de semana para corrigir trabalhos e preparar a melhor aula. Quantas vezes pedi a meus filhos para saírem de perto de mim pois estavam me atrapalhando.Hoje,com todos casados e se posso sair ou passear dependo deles me levarem pois não me sobra dinheiro nem pré almoçar fora num domingo se eles não pagarem prá mim .Não posso pagar uma empregada trabalho doente e gasto o que tenho com remédio e outras poucas despesas.Vou ter que vender minha casa conseguida com tanto sofrimento através de financiamento porque ela é grande e não dou conta de mantê-la. Literalmente o meu sonho acabou graças a Aécio e Anastasia. E eles não vão pagar por isto. Não acredito em justiça.Tenho certeza que temos colegas que ainda votarão neles,como tenho certeza que o fim delas será igual ao meu.O deles não. Serão cada vez mais ricos.Roubarão cada vez mais.Só se pagarem no inferno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem com uma história de vida desta, alguns professores não se sensibilizam e ainda votam neste traste do psdb/bosta. Não vejo outra saída que não seja a política. Temos que dar o troco em 2014. Eu já estou trabalhando a todo vapor!!!!!!!!!!!!!!!! Não descansarei de denunciar tanto descaso com as camadas mais pobres da sociedade. Espero que todos façam o mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. Nunca mais pedirei para meu filho sair de perto de mim.

      Excluir
    3. Cara colega gostaria de imprimir o seu texto e postar no face pra que todos saibam com está a situação dos profissionais da educação em Minas. Veralúcia Conselheiro Pena

      Excluir
  23. Paulinho da força diz que: "O motivo de criar o solidariedade é porque os partidos atuais só pensam no seu próprio umbigo e não representa a classe trabalhadora". O que os P71Tem a dizer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que tenho a dizer apesar de eu não ter partido,é que este Paulinho é ingrato covarde traíra e perigoso. Mais que o PSDB este aí é que só pensa no próprio umbigo.CUIDADO!!!

      Excluir
    2. O Paulinho traiu os ideias de Brizola. Coligou o partido

      de esquerda ao PSDB.

      Ele criou outro partido pata servir de apêndice ao

      PSDB na derrubada de garantias constitucionais e

      da CLT. Pois é uma exigência dos EUA e Inglaterra..

      Excluir
  24. Bem, nós, professores, estamos espalhados por todo o estado. Isso em termos de propaganda política é super forte. Cabe a cada um de nós fazermos nossa parte. A nossa família, por exemplo, deve ser a primeira a votar contra os candidatos do PSDB. Na sequência devemos acionar todos os nossos vizinhos, amigos, alunos, ex-alunos, parentes de outras cidades, conhecidos, amigos de nossos amigos, e nas redes sociais para que NÃO VOTEM EM AÉCIO/ANASTASIA E EM NENHUM CANDIDATO DO PSDB. Somos ao todo quase 400.000 professores entre os da ativa e aposentados, mas tirando daí 98.000 efetivados ainda nos resta um contingente enorme de 302.000 professores. Se cada um desses 302.000 conseguir convencer outras pessoas como citei acima poderemos fazer uma enorme diferença nas eleições do ano que vem. Assim conseguiremos tirar de uma vez por todas este PSDB do governo de Minas. Isso seria uma vitória, ainda que parcial, mas já seria sim, uma grande vitória! Seria uma grande vitória pois todas as nossas infelicidades profissionalmente falando começaram no governo do PSDB de Aécio/Anastasia. Se acaso um candidato do PSDB ou coligação vencer as eleições aqui em Minas no ano que vem o nosso massacre vai continuar por mais 4 anos..........Temos que quebrar esse elo e para isso somos milhares e é simples, muito simples quebrarmos esse ciclo de maldades conosco. Basta cada um de nós fazermos nossa parte. E pronto! Nunca podemos esquecer que somos milhares e estamos em todo o estado. Mãos à obra!

    ResponderExcluir
  25. Desistir de lutar??? Nunca.
    Agora que os movimentos de luta pela educacao estao em pleno vapor...desistir?? Gente,gente saiam desta melancolia. O Governo esta acuado e voces nao estao percebendo.Esta fora da lei,as eleicoes estao chegando,tenta convencer que paga o piso mas nao convence, sabe que uma hora a bomba vai explodir.. E ele que esta fragilizado tentando mostrar uma forca que nao tem, cheio de processos na justica....Ele sabe muito bem que podera perder o controle da situacao assim como esta acontecendo no Rio. Pensem nisto.Eles tem medo do povo. Vamos enganjar os alunos nesta luta. Sera que voces nao sabem a forca que tem???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de tanto negativismo,eis alguem sensato.Cuidado gente temos que segurar as cartas na manga que ainda temos,jogando a toalha o governo por certo fica muito feliz.

      Excluir
  26. Eleger nem PSDB, nem PT, pois são farinha do mesmo saco. Acordem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que escolher um,senão não ganhamos nenhum. Neste caso prefiro o PT.Continuar com o PSDB é continuar na lama.Dividir votos é dar vitória ao PSDB. PENSEM NISTO.Qualquer coisa é melhor que ficar como está,mas votar em quem não tem chance é dar voto pro inimigo.

      Excluir
    2. Eleger muito menos PSB, PV, PSD, PEN, REDE ...

      São partidos da direita que estão juntos EUA,

      Holanda e Inglaterra que querem colonizar o Brasil

      novamente.

      Essa é razão do ódio contra o PT.

      Excluir
  27. Euler, caro mago das palavras, disseste quase tudo... Explico. Sutilmente citaste a divisão em "castas" a que somos submetidos desde novembro de 2007 através da Lei Complementar número 100. Neste momento, no meu modo de ver, foi crucial para a atual situação vivida por todos(as) educadores(as) do estado. A nossa situação não mudará enquanto a Lei 100 não for julgada e cair. Tudo foi planejado por um governo malévolo e cruel. Dividir para governar, princípio da Roma antiga, entretanto, eficiente. Quando a mesma for julgada e, obviamente, destituída de sua pseudo legalidade teremos uma nova categoria em nosso meio: OS INSATISFEITOS(AS) com a realidade de contratados(as) para provimento imediato. Teremos mais força de movimentação com isto? Quiçá nenhuma. Entretanto, alguma coisa mudará no "status quo" das Gerais. O tempo de sermos IDIOTAS ÚTEIS está se findando! Quem viver verá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que tem alguma notícia CONCRETA sobre como anda o processo da Lei 100.Favor posta link,que souber de algo agradeço.

      Excluir
    2. Excelentes palavras, disse tudo.

      Excluir
    3. Se vc é somente um concursado, desista de tomar o lugar dos efetivados da lei 100. Agora se vc é efetivo e está prejudicado por eles( lei100), aí sim, lhe dou todo apoio. Eu não acho certo que tomem o lugar de vcs, se é que vc é um merecedor da vaga. Mas preste atenção! Quando abriram as vagas para o concurso, não ofereceram as vagas dos efetivados. Se vc fala é dessas vagas e torce para cair a lei, elas nunca serão de ninguém (concursados). Portanto, é literalmente uma grande e maldosa INVEJA!!!!!!! Pode e deve lutar sim, mas por aquilo que lhe é direito. Mesmo estando errado(lei 100), como sei que é, mas não deve querer o que não lhe pertence. Para com esta perseguição. Ando cansada de ver aqui, esses papos de quem gosta de querer o que não lhe pertence!!!!
      Marlise

      Excluir
    4. Cara colega Marlise, peço que volte ao que postou. Veja como é incoerente o que fala.Cuidado para não achar que é de direito apenas o que lhe convém. Abços.

      Excluir
  28. Colegas Professores,
    divulguem - Anonimus, mobiliza mais pela educação que o sindicato, apoiem vamos junto aos jovens, vamos divulgar...
    https://www.facebook.com/events/529960087079226/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonymus não me representa.

      Quem é meu representante legal é SINDUTE.

      Estarei presente, como sempre, na assembleia do dia

      16/10.

      O pseudo Anonymus está á serviço da direita. Tem

      por finalidade tirar Dilma da presidência na marra.

      Excluir
    2. Caro colega, talvez se entrar no face, ler e interpretar, verá que o anonymus, não é contra Dilma, ou PT, várias postagens mais antigas fazem menção a Aécio e ao PSDB, estão criticando "todo o sistema político ". Em nossa profissão ler é fundamental. E sim, devo ir para a rua SIM, agradecer o apoio que tivermos da população , apoio este que mensuravelmente poderá ser maior do que o que tivemos durante toda a nossa greve, mobilização jamais conseguida pelo nosso representante de classe - "O Sindute" E findando este pequeno esclarecimento nobre colega classista, não sou representado por ninguém a não ser por mim e minhas ações junto a classe, buscando melhorias e combatendo enquanto educador essa politica porca praticada seja pelo PSDB seja PT, sem ilusões de direita e esquerda que no final simplesmente significa " Poucos corruptos no poder e o povo a pagar as contas seja educação, saúde, estradas etc.

      Portanto colega equivocado estou solicitando o apoio dos colegas e do sindicato, conforme postagem, e lembrando que as manifestações em prol da educação e dos professores surgiu devido as atrocidades no Rio e serão em "todos os estados "não somente em Brasilia".

      Excluir
    3. A sua ironia e sarcasmo chega a ser patética.

      O grupo Anonymus e Black Bloc não me

      representam.E nunca me representarão.

      E considero ingenuidade ir na onda de páginas de

      Facebook. Basta uma releitura da história, estamos

      na luta contra um governo de direita que conseguiu

      destruir a nossa carreira, a unidade de nossa

      categoria, e a representatividade do nosso

      sindicato.

      E por falar em atrocidade, lembro-lhe que em 2011, sofremos várias. E nem o apoio dos nossos

      colegas obtivemos. Bastava apenas que os

      acomodados reagissem por ao menos uma

      semana, pra pressionar o Anastasia.

      E o que ganhamos? As costas. nossos colegas

      nos deram as costas. E continuaram em sala de

      aula, aceitaram passivamente as nossas

      substituições em sala de aula. Portanto, não será

      jovens em sua grande maioria pagos por grupos

      internacionais que irão nos oferecer apoio. Esse

      grupo precisam de movimentos, quaisquer que

      sejam eles, para infiltrarem e criar o clima de

      desordem em nosso país para o mundo, Estão

      agindo da mesma forma que fizeram e ainda fazem

      no oriente médio.

      A prova maior deste movimento é que todas as

      páginas no Face de esquerda são tiradas do ar.

      Se você adora o ativismo virtual, sugiro que vá para

      o Twitter. É no Twitter que as mentiras ditas no

      Face são desmontadas, uma a uma,

      O Sindiute me representa, queira PSDB ou não.

      Essa é a minha opinião.

      Opinião que foi construída através dos meus olhos.

      A minha opinião não foi induzida através de

      imagens manipuladas pela mídia. Isso eu posso

      garantir.

      Excluir
  29. É bom que se alerte: Estão destruindo os professores e professoras de luta atacando o moral das mesmas através de processos, prisões, delações dos mesmos e/ou de membros dos seus familiares. Se ninguém apoiar os professores mineiros destruídos, ficaremos sem voz. Podem observar como todos que assinavam sumiram. Estão todos sofrendo perseguições bravas, e ninguém os procuram saber porque eles se calaram. É uma pena que o mundo seja dos mais ricos e que eles possam comprar juizes,policiais, autoridades e até mesmo pessoas que trabalham ao lado da outra para incrimina- las. Pronto, falei! "Minas não existe mais..." como disse o poeta. Salvem- se enquanto pode, pois a ditadura de Minas Gerais esta instaurada a tempos. O dossiê que a Bia entregou ao Lula e a Dilma eles nem devem ter lido... Estamos abandonados as traças da velha república, nos porões da Ditadura aécista e todos sabem o que se passa, mas infelizmente não se interessam por Minas mais. Minas faliu. ADEUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso igual a você colega. A reação para ser verdadeira

      e legitima tem que nascer de nós. Não acredito nos

      Black Bloc e nem tão pouco neste pseudo Anonymus

      que aí estás.

      Minas está acabada. E só saberemos a dimensão do

      que o PSDB fez, somente quando saírem do poder.

      Excluir
  30. Rodney C. Estevão - Cataguases
    Não sei quando os profissionais da Educação de MG irão acordar, nem se isso irá acontecer. Reclama-se do Sindicato, porém, todas as vezes que presenciei representantes do mesmo indo às escolas para passar algum recado, o mesmo era praticamente ignorado, dá-se mais atenção a vendedores que de vez em quando aparecem. Os governos aprontam e vão continuar aprontando com os educadores sempre. Ou aproveitamos o momento para acordar ou estaremos participando da destruição da Educação como espectadores passivos. Talvez algum dia alguém nos pergunte: -Você era professor no início desse caos que se tornou a educação pública, o que você fez para que isso não acontecesse?

    Sinceramente, mesmo após ter participado da última greve e das paralisações e de algumas manifestações, acho que fizemos muito pouco.

    ResponderExcluir
  31. No discurso que Aécio fez em Nova York ditado por Fernando Henrique,ele prometeu,nas entrelinhas desvalorizar a Caixa e o BB,para privatizá-los e vende aos EUA,tudo isto o leva a receber verbas exorbitantes da terra do Tio Sam para sua campanha e poderá comprar milhões de votos. Maquiavélico, ele pensa que é um príncipe e assim "os fins justificam os meios"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mundo está em crise. O Brasil é um dos poucos,

      junto à China, que estão conseguindo crescer. Além

      de uma séries de medidas econômicas, está a

      atuação dos bancos públicos, BB e a Caixa.

      O nosso Brasil tornou-se um país visado. Acreditam

      que ainda podem nos colonizarem, E o Aécio, assim

      como toda direita brasileira defendem o entreguismo

      aos americanos.

      O que mata esse povo de raiva é quantidade de carros

      nas ruas, é saguões de aeroportos e navios lotados

      de gente, pobre tendo direito a moradia própria,

      pesquisadores brasileiros ganhando renome

      internacional... etc.

      E saber que o responsável por isso, foi um homem

      simples, por um partido que nasceu das lutas nas

      ruas, isso é demais para a direita.

      Temos que renascemos já.

      Lutamos pela nossa carreira.

      Excluir
  32. José Alfredo Junqueira13 de outubro de 2013 11:15

    URNAS FRAUDADAS=BANDIDOS NO PODER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas pq ninguém não fez nada em relação a isto? Agora entendi o porquê que este homem ganhou!!!!! Fraude né?
      Tomara que a votação sendo digital, eles não consigam fazer isto.

      Excluir
  33. Em Nova York, Aécio Neves fala mal do Brasil e acena com privatização da Caixa e BB
    O presidenciável tucano repetiu também um velho costume tucano: falar mal do Brasil no exterior.
    FHC era useiro e vezeiro nesta prática
    Marcos Oliveira- Agência Senado

    O banqueiro dono do BTG Pacual, André Esteves, não esconde de interlocutores próximos o sonho de arrematar o controle acionário de algum dos grandes bancos estatais brasileiros – Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil – caso um governo privatista resolva vendê-los. Não por acaso, junto com seu sócio tucano Pérsio Arida, um dos ícones das polêmicas privatizações no governo FHC, promoveu uma conferência em Nova York sobre investimentos cujo palestrante principal foi Aécio Neves, o pré-candidato tucano que tem defendido toda e qualquer privatização realizada de 1995 a 2002, mesmo a polêmica venda da Vale a preço pífio, subavaliada, e o sistema Telebrás, arrecadando menos do que o valor investido nas teles ainda estatais, para saneá-las.

    Aécio, em sua palestra, não chegou a prometer diretamente privatizar a Caixa e o Banco do Brasil, mas não faltaram indiretas quando criticou os governos Lula e Dilma por terem descontinuado pilares da política econômica de FHC e por fazerem o que ele chamou de “intervenção estatal”. Para bom entendedor, meia palavra basta. Afinal, como os dois governos petistas preservaram a estabilidade da moeda no controle da inflação, sobra a interrupção da privatização do controle acionário de empresas estatais estratégicas.

    ResponderExcluir
  34. Aécio, no linguajar tucanês que muitas vezes não tem compromisso com a realidade, disse que “o Brasil se tornou pouco confiável”. Ora, basta olhar o risco-Brasil na era tucana e agora para confirmar que uma declaração destas seria adequada apenas como piada.

    O tucano criticou um dos maiores sucessos brasileiros na última década: o crescimento do consumo pela inserção de milhões de brasileiros que saíram da pobreza para ingressar na nova classe média. Criticou também a expansão do crédito, com mais gente tendo acesso a financiamentos, como pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Criticou o que ele chama de “intervencionismo” no setor energético, a renovação negociada da concessão de hidrelétricas tendo como contrapartida a redução na conta de luz, que beneficia não apenas o cidadão em sua residência, mas também a indústria que tem a eletricidade como insumo nos custos de produção.

    O discurso soou como música para especuladores que gostam de ver aquilo que desejam comprar depreciado, para comprar barato. O preocupante é quando trata-se do patrimônio do povo brasileiro e esse discurso vem de um candidato a presidente da República. Certamente capta investidores interessados em financiar candidatos para depois recuperar o investimento feito na campanha eleitoral através de negócios privilegiados com o Estado. Os antecedentes dos cartéis que pagavam propinas a autoridades dos governos tucanos paulistas por contratos no Metrô, inclusive para financiar campanhas do PSDB, delatados pela multinacional Siemens, recomendam cuidado redobrado com esse discurso de Aécio Neves.

    As informações são da Rede Brasil Atual.

    ResponderExcluir
  35. Infelizmente o Euler está coberto de razão! A classe dos professores está cabisbaixa a tempos! Minha escola sempre participou das greves do 1º ao último dia, mas esse ano a coisa mudou! Quase não participamos das paralisações! Eu mesmo, passei no concurso e resolvi não assumir outro cargo no estado (com letra minúscula sim, pois não sei o que é Estado)! A profissão de professor está em extinção! O que eu vejo é que quem está entrando, já tem prazo para sair! Virou emprego provisório, enquanto não se arruma coisa melhor! A principal profissão de um país sério, aqui em Minas e no Brasil virou "BICO"! Essa é a nossa triste realidade...

    ResponderExcluir
  36. Euler parabéns pela sua inteligência. Seu texto representa o que muitos de nós sentimos na alma. Ser professor é maravilhoso, difícil é trabalhar de graça para o governo. Eu tenho 25 anos de sala de aula, mas não tenho idade para aposentar, terei que trabalhar mais difíceis 5 anos. Quando entrei acreditava em uma educação de qualidade, sempre ouvindo falar no tão sonhado plano de carreira. Hoje estou totalmente apática, abaixei a cabeça, só quero trabalhar o que falta e cair fora. Não quero voltar na escola nem para ser homenageada. Tenho dó de novos poucos professores que ainda querem tentar. Ser professor hoje, não é para fracos. Tomara Deus que eu esteja equivocada, pois fico preocupada com as gerações futuras. E a educação ainda é o caminho. Mas onde achará o bom professor?

    ResponderExcluir
  37. Dia 09/10/2013 STF confirma que piso e devido deste 27/04/2011.
    O fragilizado aqui parece ser o Governo de Minas que vai ter que cumprir a lei pois nao tem outra saida. Vai ter que pagar o piso desde esta data. Vai ficar bem claro o golpe do subsidio. Caros professores diante disto seria melhor pressionar. Chega de negativismo. Saiam deste lugar de vitima.Ninguem vai solucionar este problema para vcs. Quanto mais falar que a classe esta dividida, que com este Governo nada se pode esperar, que sindicato isto e aquilo, mais fortalecem o adversario e fragilizam a classe. Nao se vence uma batalha entrando como perdedores.Vamos mudar este discurso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de uma causa ganha. Líquida e certa, cabe a parte prejudicada, nós no caso, via sindute EXECUTAR o governo na justiça. Simples assim. Será que agora sai o tão supracitado mandado de segurança? kkkkkkkk Isso é tão surreal que está virando piada de péssimo gosto. EU NÃO VOU PRA RUA, EXIJO O SINDUTE ME DEFENDENDO CORRETAMENTE, SEM CHICANAS.

      Excluir
  38. Estão falando de manifestações em quase todos os estados para amanhã, dia 15/10 dia dos professores, e na página do sindute nem sinal de nada.... O sindute deveria colocar uma mensagem no seu site, que dever ser visitado por milhares de pessoas em todo o estado, convocando o maior número de pessoas possível para a manifestação de amanhã dia 15/10 na praça sete. Falta mobilizar mais a galera. O sindute tem que usar melhor o seu site. O sindute está perdendo um ótimo espaço que tem na internet para melhorar a mobilização da categoria. Amanhã no Rio o bicho vai pegar e bem que poderia pegar aqui também mas........... cadê a mobilização? Até o site do sindute não tem nada e é todo dia a mesma coisa. Será que é difícil colocar alguém pra tomar conta do site e atualizá-lo todos os dias sobre manifestações em prol da educação, aqui em Minas e em todo o Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o sindute não vai postar nada, pois tem pretensões politicas, é um trampolim para seus membros entrarem na politica - hoje PT em outros momentos PMDB,PSDB,etc. Pouco se importa com as questões profissionais dos professores, somente trabalha na tangente ganhando dos 2 lados "governo federal e estadual" como se explica a inercia junto ao TJMG e STF quando o subsidio foi considerado inconstitucional em outro estado e em minas ele persiste? "Incompetência ou conivência"??

      Excluir
    2. Inutilidades próprias!

      Excluir
    3. Vejo que você não foi na site do nosso sindicato.
      Se tivesse ido não falaria goma.
      Tem um chamado desde a semana passada para a nossa manifestação no dia 16/10.
      A nossa luta é de classe. A luta contra o governo federal (rsrs) é dia 15/10.

      Excluir
    4. O SindINÚTIL, INÚTIL!!

      Excluir
  39. me diz uma coisa vice diretor pode continuar dando aula?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim, tem que cumprir seis horas como vice e quatro como professor, total de dez horas... Só que nenhum cumpre seis horas de vice e todo mundo finge que não vê. Legal não é?

      Excluir
    2. "Anônimo14 de outubro de 2013 16:25

      me diz uma coisa vice diretor pode continuar dando aula?"
      R: Pode.

      Excluir
  40. Vamos pra rua amanhã!!!!!!

    ResponderExcluir
  41. Vai que é sua...
    Aécio/Anastasia!!

    http://www.novojornal.com/politica/noticia/mpmg-estoura-esquema-de-concessao-ilicita-de-beneficio-fisca-14-10-2013.html

    ResponderExcluir
  42. governo vergonhoso e sindicato mais vergonhoso ainda!!! tão ingenuo o nosso sindicato né? o governo promete, e antes de cumprir o sindicato abandona a greve q volta a trabalhar antes de se concretizar as promessas por duas vezes isto aconteceu! só que eu me lembre desde que eu trabalho na educação. será que desta vez o sindicato vai deixar de ser tão "ingênuo" e brigar até que as promessas se tornem realidade antes de se acomodar?? ou vai continuar sendo "ingênuo"??
    o que me fez desanimar com essa luta foi isto e acredito que grande parte de nós se vê na mesma situação que eu!! sejam menos "ingênuos" e mais realistas sindute que agente concerteza vai voltar a ser os lutadores que sempre fomos!!!! aq vai meu desabafo!!! desistir da luta eu não desisti só deixei de ter a confiança que eu tinha na mudança!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 28 anos de Estado e nunca conseguimos ganhar nada através do Sindicato. Os novatos ainda acreditam em papai Noel .

      Excluir
    2. É mesmo? Você iria garantir fechar quantas escolas
      para manter a greve?
      Se tivemos colegas que receberam de braços abertos
      os substitutos?
      O Sindicato teve que aceitar o acordo. Muitos colegas arrimo de família já estavam passando fome e outras privações.
      O lamentável foi que Anastasia conseguiu desmoralizar o nosso sindicato, no momento que era o único grupo institucionalizado em MG que o enfrentou.

      Excluir
  43. Acorda Sindicato de Minas Gerais! Hoje em pleno Dia Dos Professores Ouvi agora as 8:30 no SBT o "reporter "desse horário falando uma enorme inverdade sobre a greve do Professores do Rio De Janeiro falando, que a greve deles de 2 meses esta sendo A MAIOR DA CATEGORIA DE TODO BRASIL! E a nossa de 112 dias? Eiii isso não deveria estar acontecendo!
    "Professora de G.V que participou da greve de 112 dias!" "Desculpe publique esse comentário pois houve correção em uma palavra incorreta no comentário anterior!"

    ResponderExcluir
  44. Parei de lutar sim e foi por causa da lei 100. O que o Sindicato faz pelo professor efetivo? Nada!!!!!!!!! Tenho 15 anos de profissão, sou efetiva e não tenho nem o direito de escolher meu turno porque tem uma efetivada de 2007 na escola e eu estou nesta escola desde 2011. É mole? Igual a mim estão muitos professores efetivos que não tem direito a nada!! Então, lutar pra que? Pra efetivado pelego? Porque quem manteve a greve de 2011 até o final foram os efetivos ( a maioria). Pra mim chega e convoco a todos os efetivos que estão na mesma situação que a minha a se desfiliarem... Deixe o Sindicato com os efetivados . Vamos ver onde ele vai parar...

    ResponderExcluir
  45. Parabéns a todos os professores!
    Apesar de todas as pedras, estamos indo.
    Felicidades!

    ResponderExcluir
  46. Hoje vi uma luz no fim do túnel.Vários programas da Itatiaia falando sobre a desvalorização dos professores,principalmente da parte dos governos. Entrevista com professores e com Beatriz Cerqueira.O programa de Fátima Bernardes cheio de professores,fazendo suas queixas,da falta de um salário digno,da falta da valorização financeiro e social.Até o progrma do Zé Lino e o Observatório Feminino foi sobre os professores.e a falta de um plano de carreira. As coisas estão apertando pro lado dos governantes.Não desanimem. Há esperança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No programa da rede Minas, na hora do almoço, também um professor da Federal falou sobre a falta de valorização do professor.Ele disse que enquanto não investir no salário as coisas não vão andar.

      Excluir
  47. POPULAÇÃO DO RIO JUNTO COM OS PROFESSORES,

    PASSEATA COM A CONFIRMAÇÃO DE 90.000 PESSOAS.


    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/10/em-nova-assembleia-professores-do-rio-decidem-manter-greve.html

    ResponderExcluir
  48. Que falta faz um Marcelo Freixo em Minas Gerais!

    https://www.youtube.com/watch?v=XX5XTWbZMpA

    Vejam aí!

    ResponderExcluir
  49. http://www.brasil247.com/pt/247/poder/117914/Vox-d%C3%A1-Dilma-em-1%C2%BA-turno-em-todos-os-cen%C3%A1rios.htm

    ResponderExcluir
  50. AGORA PRECISAMOS DETONAR O Psdbosta EM MINAS.

    FORA AÉCIO/ANASTASIA


    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/117914/Vox-d%C3%A1-Dilma-em-1%C2%BA-turno-em-todos-os-cen%C3%A1rios.htm

    ResponderExcluir
  51. PROFESSORES RJ

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/protestos/2013/cobertura/

    ResponderExcluir
  52. PARABÉNS a todos os PROFESSORES MINEIROS que apesar de tudo ainda caminham com as próprias pernas. Que Deus os abençõe. Até a VITÓRIA !

    ResponderExcluir
  53. O Governo de Minas não tinha o direito de retirar os direitos adquiridos dos trabalhadores da Educação para burlar a Lei do Piso.CADEIA NELE. Quem será irá prender este BANDIDO, almofadinho vestido de Governador?

    ResponderExcluir
  54. Estou desiludida sim com nossa carreira. Não vejo perspectiva nenhuma de mudança. E não acredito tb em nenhuma movimentação vinda desse sindicato pelego e que é modo de vida para seus dirigentes. Outra coisa tb que me desmotivou foi a contratação de substitutos para nossos lugares em 2011. A fila para pegar as nossas vagas era enor. os prórpios alunos falaram conosco que, se fizermos greve novamente, o governo põe outro professor no nosso lugar. E essa lei 100 já citada pela colega acima? Isso é cuspir na constituição. Concurso é para todo mundo. Infelizmente, cansei tô mudando de área.

    ResponderExcluir
  55. Parabéns ao ministro do STF que obrigou o prefeito a pagar o salário dos grevistas do RJ. O fim de uma greve deve ser com negociações não com repressão e abuso de poder.

    ResponderExcluir
  56. Cade a justiça de Minas? O STF considerou ilegal o corte de pagamento dos colegas do Rio de Janeiro.N'os não temos sequer o direito de repor os dias parados. Cade nossos advogados, gente?

    ResponderExcluir
  57. No último dia 27 de setembro completou-se dois anos da greve estadual da educação em Minas Gerais. Vale a pena relembrar alguns episódios e detalhes:
    1) A mesma foi deflagrada pela implementação do piso nacional salarial como vencimento básico para toda categoria;
    2) Durante aproximadamente 100 dias (111 dias para ser exato) houveram ataques a categoria por parte do governo e da mídia mineira;
    3) A secretária de educação foi a mídia e afirmou, categoricamente, que os efetivados tem os mesmos direitos dos efetivos. Garantia do governo de Minas através da Lei 100;
    4) A justiça mineira considerou nosso movimento ilegal e determinou multa a ser paga pelo sindicato da categoria;
    5) Tivemos os salários cortados;
    6) Houveram contratações de professores substitutos para os professores do terceiro ano do ensino médio de maneira escandalosamente ilegal e imoral por parte do governo e dos que nos substituiram;
    7) A coordenadora do Sindute-MG perseguiu a presidenta Dilma no aeroporto da Pampulha e entregou um dossiê sobre a nossa realidade em Minas. Esta recebeu o papel, deu as costas e nada fez para nos ajudar;
    8) Lembram-se da comissão parlamentar de deputados federais para implementação do piso no país inteiro. Foi proposta e nunca entrou em ação;
    8) A última assembleia da categoria terminou por volta da meia noite com um pseudo acordo assinado pelo secretário de governo Danilo de Castro e findou-se a greve.
    10) Criou-se uma comissão tripartite para as negociações pós greve e em novembro daquele ano a assembleia homologativa de MG aprovou por 51 votos contra 20 a destruição de nossa categoria. Tudo isto com a aprovação do famigerado subsídio.
    De lá para cá, dois anos se passaram, foram feito um congresso da categoria em Araxá; assembleias da categoria pelo interior de Minas; O STF apresentou o acordão e julgou a lei 11 738/88 como constitucional.
    E como ficamos depois de tudo isto???
    Na mesma situação ou pior do estávamos antes da greve de 2011. A categoria não reage a nada. Outros estados brasileiros dão o exemplo de luta e indignação contra os desmandos governamentais e as injustiças perpetradas contra os professores e professoras Brasil afora e os mineiros(as) continuamos inertes. Motivos podes dizer que temos, porém, indignar-se é sinal de vida interior. Portanto, morremos e não sabemos. Somos uma espécie de zumbis educacionais a mercê dos desmandos e maldades dos que, supostamente, nos governam. Somos, uma espécie em extinção. A propaganda é linda e conhecida pela população. Com a conivência de muitos e muitas. Até quando?
    Reminiscências e desabafo de um professor efetivo (em dois cargos) do estado de Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  58. MINISTRO DO STF DEFENDE PROFESSORES DO RIO

    Para o ministro Luiz Fux, atitude é ilegal, por inviabilizar o direito de greve dos professores

    Agência Brasil

    O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu hoje (15) a decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que determinou o corte de ponto dos professores que adeririam à greve da categoria. A decisão fica suspensa até a audiência de conciliação que será feita pelo ministro, no dia 22 de outubro.

    Conheça a nova home do Último Segundo

    No dia 7 de outubro, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou o recurso do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) contra a liminar que obrigava os professores a voltar às salas de aula, sob pena de multa diária de R$ 200 mil para entidade. Após a decisão, o sindicato recorreu ao Supremo.

    Dia dos professores: Manifestação em favor da educação tem princípio de tumulto

    Para o ministro, o corte de ponto é ilegal, por inviabilizar o direito de greve dos professores. “A decisão reclamada, autorizativa do governo fluminense a cortar o ponto e efetuar os descontos dos profissionais da educação estadual, desestimula e desencoraja, ainda que de forma oblíqua, a livre manifestação do direito de greve pelos servidores, verdadeira garantia fundamental”, argumentou.

    Fux convocou representantes dos professores, do governo do Rio de Janeiro e da Procuradoria do Estado para audiência de conciliação, no dia 22 de outubro, às 18h, no STF. “A fase conciliatória é uma etapa de notória importância, e diante da possibilidade de se inaugurar um processo de mediação capaz de ensejar um desfecho conciliatório célere e proveitoso para o interesse público e, também, nacional, designo a realização de audiência de conciliação", justificou o ministro.

    Leia tudo sobre: STF • Rio de Janeiro • professores

    ResponderExcluir
  59. Uma grande inverdade visto acima (anônimo das 6:29),tenho mais de 23anos de professor e posso afirmar com certesa que tudo que conseguimos até hoje foi através das lutas com o sindicato.Em nenhuma história do trabalhador houve conguistas a não ser através das lutas e mobilizações .Procure estudar mais sobre as conquistas trabalhista.Pena que o povo tem memória curta e se deixa levar pela emoção.Também é bom lembrar:Sindicato somos nós se você não colabora como teremos vitória,acorda povo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. certeza conquistas conquistas trabalhistas

      Excluir
    2. Me aponta todas!!!!

      Excluir
  60. Eu estava assistindo uma audiência pública no Senado, na qual discutiam o Plano Nacional de Educação (ontem pela manhã), foi dito que é meta para daqui a 10 anos, o professor terá um salário equiparado a outras profissões, ou seja, o governo tem que discutir ainda a questão do financiamento da educação...DENTRO DE DEZ ANOS... falou-se também em federalizar a educação básica...mas tudo ainda num futuro não tão próximo...tudo a longo prazo...Até lá o que terá sido de nós?

    ResponderExcluir
  61. O FRUTO DA MOEDA
    Graças as sacanagens e ao estilo mais filho da puta possivel de lidar com as causas dos educadores na ultima greve, bem como o descaso e a falta de vergonha ao respeitar uma classe, deixando-a sem nenhuma perspectiva, Euler aí disse tudo, como também, o trauma de voltar de uma greve heroica e ficar na sala com uma substita por dois meses auxiliando e insinuando que se ocorresse greve novamente não haveria problemas e ainda alguns diretores seguem a risca o que propõe as superintendencia e a doutora Gazzola Merdificante, as aulas hoje resumem-se no CUMPRIR: Dar aular no estilo cuspe, giz e livro didático; cumprir o módulo II; e frequentar as disgracentas reuniões pedagógicas e administratvas sem nexo e objetivo logico, fazendo de conta que o sistema ainda dá resultados para avaliações externas como proeb, simave, brasil, paae e muitas outras coisas que não tem nada a ver nem aqui e nem nos infernos. Foda-se o sistema educacional implantado por este governo bambi de bosta. Tenho dito! Os Tozao.

    ResponderExcluir
  62. coloquem estes artigos nas redes sociais.Hoje é o melhor meio de divulgação, mesmo para quem ler possa se informar em que não deve votar. Se a imprensa está comprada que seja outra a forma de divulgação, e que se denuncie também a imprensa mineira e também a nacional por omitira verdade.

    ResponderExcluir
  63. http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/10/131015_valorizacao_professores_pai.shtml

    BBC diz em perquisa que Brasil está em penultimo lugar em valorização de professor.A matéria é muito interessante.Será que alguém do governo lê a BBC de Londres? Estão sempre falando de educação no Brasil.Tem uma matéria hoje sobre as manifestações no Rio.Deveria ter vergonha a presidenta e todos do governo.Brasil estã sendo olhado e analisado em tudo.Dizem até que a Copa está comprometida.Quem quer vir a este país? Aqui esta em guerra interna.Somente revolta da população.O povo está cansado.Será que ainda vem alguém para o Brasil depois de tudo isso?

    ResponderExcluir
  64. http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/07/130726_inclusao_social_indice_pu.shtml Brasil Brasil Brasil o que fazer?? Leiam

    ResponderExcluir
  65. Nossa é nesta hora que percebo o quanto os caras de pau estão sem o que falar mais para nós, educadores . Sempre, no dia 15 de outubro , a Dilma nos iludiam com aquele papo "educação é prioridade no meu governo" Promessas falsas de sempre.Ela nem deu a cara ontem. Aí eu vejo que a educação no Brasil está muito longe de ter valor. Também, valorizar pra que?Vai ficar mais cara né mesmo? SITUAÇÃO PAVOROSA !!!!!Só vamos conquistar nossos méritos a ferro e fogo. Unindo e impondo nas ruas, com cartazes, gritos de ordem,senão vamos ficar marcando toca a vida inteira. Alguém disse que os planos são para daqui há 10 anos? Tem que ser agora. Não terá mais professores qualificados e qualquer profissão poderá entrar para ser um professor, como um bico. è assim que mts falam : um bico.
    Mas uma coisa eu sempre falo:Nada é eterno. O bem passa,mas o mal tb passa. Vamos lutar .
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  66. Da vontade de chorar todos absolutamente todos os comentários corretos mas ainda falta comunicação objetiva com o publico aquele que pode fazer alguma coisa seja o interessado, o patrão, sindicato leis etc. AINDA NÃO ESTAMOS COM AS ARMAS NECESSARIAS TUDO SEM PONTO FRACO. Essa arrogancia descaso esse cobre cobre de ações ilegais não vai continuar impune Deve haver um caminho,mineiro não é burro só precisa entender o que esta acontecendo de verdade e reagir.



    ResponderExcluir

  67. Minas Gerais
    Ações no STF podem alterar carreira de 110 mil servidores
    Supremo irá julgar processos que questionam legalidade de leis que efetivaram contratados
    Enviar por e-mail
    Imprimir
    Aumentar letra
    Diminur letra
    Fonte Normal
    Mais Notícias
    Cerca de 100 mil servidores foram efetivados sem concurso em 2007 e são alvos da Adin
    Cerca de 100 mil servidores foram efetivados sem concurso em 2007 e são alvos da Adin
    PUBLICADO EM 16/10/13 - 03h00
    Tâmara Teixeira

    O Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar duas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (Adins) que interferem na carreira de 110 mil servidores, podendo inclusive levar à demissão desse grupo, que corresponde a um quinto do total de 547.693 servidores ativos e inativos. Os processos questionam a legitimidade da Lei Complementar 100, de 2007, e da Lei 10.524, de 1990, que efetivaram esses funcionários sem a realização de concurso público. Essa espécie de conversão fere o artigo 37 da Constituição, que exige a seleção para posse de cargos públicos.
    Veja Também
    video Estado pode ter um ano para se adequar
    infografico Servidores na corda bamba
    Mais


    As ações contra o Estado de Minas são de autoria da Procuradoria Geral da República (PGR). Os processos ganharam força depois que a Corte declarou inconstitucional uma lei do Acre que atingiu 11 mil servidores e é semelhante a de Minas.

    A Adin 3.842, pronta para ser votada no STF, pede a nulidade da Lei 10.524, de 1990, que concedeu status de servidor a 11,9 mil contratados que não prestaram concurso. Na lista estão comissionados e terceirizados. Segundo a assessoria do Supremo, o relator, ministro Gilmar Mendes, pode colocar na pauta a qualquer momento o processo que tramita desde 2007.

    A ação que pode interferir de forma mais drástica no quadro de servidores mineiros é a Adin 4.876. Ela questiona a Lei Complementar 100 de 2007, que assegura, exceto a estabilidade, os direitos e o regime previdenciário de servidor para 98 mil contratados até 2007 que tinham mais de cinco anos de serviços prestados.

    A maioria deles está lotada na Secretaria de Estado de Educação. O relator do processo, ministro Dias Toffoli, pediu, em maio, que o processo seja julgado junto à uma ação semelhante contra o governo de Brasília.

    Henrique Carvalhais, presidente da Comissão de Advocacia Pública Municipal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG), explica que se declarada a inconstitucionalidade, os servidores podem perder os cargos. “A inconstitucionalidade está clara. Por mais que sejam leis antigas, o Estado teve tempo para fazer concurso e regularizar a situação. A consequência final seria a exoneração”, disse. O advogado avalia ainda que a decisão contra o Acre cria forte precedente para que as ações contra Minas tenham o mesmo desfecho.


    Se confirmada a Adin, o STF dirá como o Estado irá definir a situação dos funcionários atingidos: se eles serão exonerados ou se terão o regime alterado.

    Histórico. A Constituição de 1988 exigiu que a partir daquele ano só tivessem benefícios de servidores pessoas que ingressassem no quadro por meio de concurso. Os funcionários que já tinham cargos até 1988 foram efetivados automaticamente. Até então, os colaboradores eram contratados, na maioria dos casos, por indicação.

    ResponderExcluir
  68. Ações no STF podem alterar carreira de 110 mil servidores
    Jornalotempo no dia 16/10/13

    ResponderExcluir
  69. ALGUÉM TEM NOTÍCIA DA MISÉRIA PRODUTIVIDADE???????????????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto estivermos atrás dessa miséria, sem entrar no Ministério Público pelos nossos direitos, apenas estaremos trocando idéias, e isso já é um passo para mudanças. Trocar idéias, elas nos fazem mudar, um dia...

      Excluir
    2. O governo compra todos os direitos. Nunca conseguimos nada na justiça.É impressionante.

      Excluir
  70. Parece que teremos notícias em breve sobre a Lei nº 100/2007. Vejam o link , é do jornal "O Tempo" de 16/10/2013:

    http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/a%C3%A7%C3%B5es-no-stf-podem-alterar-carreira-de-110-mil-servidores-1.729843

    ResponderExcluir
  71. No tempo online reportagem sobre a lei 100,Agora cai mesmo.

    ResponderExcluir
  72. Euler, vc me permite publicar no meu face este trecho q gostei?
    No Brasil, o professor (e demais educadores) é tratado como artigo fútil por uma elite mais fútil ainda, que não se compromete com o presente e com o futuro de gerações de brasileiros, especialmente os mais pobres. Trata-se de uma elite mesquinha, acostumada a tratar os mais pobres como escravos, e que enxerga na Educação um artigo de luxo para as camadas populares.

    ResponderExcluir
  73. Jornalotempo 16/10/2023 Ações no STF podem alterar carreira de 110 mil servidores
    Supremo irá julgar processos que questionam legalidade de leis que efetivaram contratados
    Enviar por e-mail Imprimir Aumentar letra Diminur letra Fonte NormalMais Notícias

    Cerca de 100 mil servidores foram efetivados sem concurso em 2007 e são alvos da Adin Cerca de 100 mil servidores foram efetivados sem concurso em 2007 e são alvos da Adin
    PUBLICADO EM 16/10/13 - 03h00
    TÂMARA TEIXEIRA
    O Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar duas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (Adins) que interferem na carreira de 110 mil servidores, podendo inclusive levar à demissão desse grupo, que corresponde a um quinto do total de 547.693 servidores ativos e inativos. Os processos questionam a legitimidade da Lei Complementar 100, de 2007, e da Lei 10.524, de 1990, que efetivaram esses funcionários sem a realização de concurso público. Essa espécie de conversão fere o artigo 37 da Constituição, que exige a seleção para posse de cargos públicos.
    VEJA TAMBÉM

    video Estado pode ter um ano para se adequar infografico Servidores na corda bamba Mais


    As ações contra o Estado de Minas são de autoria da Procuradoria Geral da República (PGR). Os processos ganharam força depois que a Corte declarou inconstitucional uma lei do Acre que atingiu 11 mil servidores e é semelhante a de Minas.

    A Adin 3.842, pronta para ser votada no STF, pede a nulidade da Lei 10.524, de 1990, que concedeu status de servidor a 11,9 mil contratados que não prestaram concurso. Na lista estão comissionados e terceirizados. Segundo a assessoria do Supremo, o relator, ministro Gilmar Mendes, pode colocar na pauta a qualquer momento o processo que tramita desde 2007.

    A ação que pode interferir de forma mais drástica no quadro de servidores mineiros é a Adin 4.876. Ela questiona a Lei Complementar 100 de 2007, que assegura, exceto a estabilidade, os direitos e o regime previdenciário de servidor para 98 mil contratados até 2007 que tinham mais de cinco anos de serviços prestados.

    A maioria deles está lotada na Secretaria de Estado de Educação. O relator do processo, ministro Dias Toffoli, pediu, em maio, que o processo seja julgado junto à uma ação semelhante contra o governo de Brasília.

    Henrique Carvalhais, presidente da Comissão de Advocacia Pública Municipal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG), explica que se declarada a inconstitucionalidade, os servidores podem perder os cargos. “A inconstitucionalidade está clara. Por mais que sejam leis antigas, o Estado teve tempo para fazer concurso e regularizar a situação. A consequência final seria a exoneração”, disse. O advogado avalia ainda que a decisão contra o Acre cria forte precedente para que as ações contra Minas tenham o mesmo desfecho.


    Se confirmada a Adin, o STF dirá como o Estado irá definir a situação dos funcionários atingidos: se eles serão exonerados ou se terão o regime alterado.

    Histórico. A Constituição de 1988 exigiu que a partir daquele ano só tivessem benefícios de servidores pessoas que ingressassem no quadro por meio de concurso. Os funcionários que já tinham cargos até 1988 foram efetivados automaticamente. Até então, os colaboradores eram contratados, na maioria dos casos, por indicação.

    ResponderExcluir
  74. Jornalotempo de 16/10/2013 Ações no STF podem alterar carreira de 110 mil servidores.

    ResponderExcluir
  75. Engraçado, Luís Fux ministro do STF, suspendeu a liminar que dava ao estado do Rio o direito de cortar salários dos professores em greve. Mesmo estando em greve vão continuar recebendo seus salários. Já aqui em Minas, tivemos 112 dias de greve e nenhum juiz do STF obrigou o estado mineiro a continuar pagando os professores grevistas. Tratamento bem diferenciado né. Será que a lei mudou de 2011 para 2013? Ou será que Minas é um arraial e que ninguém nem nota nada por aqui? Ou será que na nossa greve tudo aconteceu com muita tranquilidade? É, porque no Rio o bicho tá pegando mesmo e está tendo 50, 60 mil nas manifestações por lá com o povo todo apoiando e com muito quebra pau. Lá não tem lei 100 e o povo une de verdade e peita o estado na boa mesmo. Aqui é roça e a categoria é dividida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O governo do Rio é do PMDB, partido da base do Governo Federal enquanto que o STF é da oposição. É tudo política!

      Excluir
    2. Não,no Rio,sempre foi assim. Osprofessoressãoefetivos.Raramente se contrata, muito menos, se efetiva alguem, em troca de votos...

      Excluir
  76. Aqui em MG o Governo não tem um oposição que o ameaça,tem tudo ao seu favor :mídia,emprsários,funcionários divididos,prefeitos etc.Manipula todos,infelizmente ,continuo acreditando q\ ainda vencerão as próximas eleições.Nunca votei em candidato do PSDB,mas vejo a sua força aqui em MG.Por enquanto não creio em mudanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se já achamos que isto vai ocorrer, não preciso nem fazer propaganda contra. Já estão eleitos!!!!!!!

      Excluir
  77. O governo através da imprensa falada ou escrita, informa que paga mais de 50% do que o piso, principalmente depois do reajuste de 5%. Quem lê ou vê através da TV acredita que isto é verdade, aplaudem o governo e criticam os professores. A população deveria ser esclarecida desta mentira, mostrar que o piso deveria ser aplicado na carreira destruída pelo governo e os deputados comparsas.

    Sebastião de Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tire uma cópia ampliada do seu contra-cheque (apague seu nome) e mostre em sala de aula o que é pago a um professor em Minas. Eu tenho feito isto em todos os lugares que frequento. Todos ficam chocados com o que é pago. Faça o mesmo!!!!!!!!!!!!!! Todos dizem que corremos risco de vida para ganhar uma merreca...... e sem direito a usar uma arma. Que desgraça!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  78. Algum professor viu no seu contracheque as perdas da URV? Meu processo terminou improcedente porque disseram que já fui recompensada além do que deveria.Por que não veio discriminado? Onde será que foi depositada esta recompensa? Só aqui no Brasil das mentiras.
    Ontem falaram no MGTV que o GOVERNOZINHO já paga 50% a mais do piso.Com trinta anos de serviço, aposentada, com 5 anos de dobra e as vantagens, eu só recebo 2600,00.Nas minhas contas seriam mais de 4.000 reais.
    O governo finge que não sabe das coisas. Nas urnas também vou fingir e todos os meus familiares também.Vai ser aquela queda.

    ResponderExcluir
  79. Falar que efetivado vai pra rua após o julgamento da Lei100 é muito coitadismo. Vão apenas deixar de ser estáveis, como são na prática, e transformar em designados. Lógico que em caso de excedente, sim, serão dispensados. Mas como está faltando professor em vários lugares do estado... É só descobrir as escolas que estão designando. O bom disso é que os efetivos passam a ter seus direitos respeitados, os ex efetivados que passaram no concurso, vão assumir seus cargos pela porta da frente e os que se acomodaram vão se atualizar para prestar novos concursos. É o fim da espada na cabeça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é triste ver nossa classe tao desunida.O q hj sta acontecendo com os EFETIVADOS é lamentável e eles n pediram para serem efetivados,mas um dia,n muito tarde,pode acontecer alguma coisa com os EFETIVOS,e aí ,ñ terão efetivados p ajudarem ,é triste essa classe,q é da EDUCAÇÃO.

      Excluir
    2. Caro anônimo das 21;01, poderia me informar EM QUE OS EFETIVADOS AJUDAM OS EFETIVOS? Só isto....

      Excluir
  80. Caro Sebastião de Oliveira, respeito o seu comentário, mas parece que a população não quer entender. Há exatamente 2 anos que nosso discurso é o mesmo: explicar de FORMA EXPLÍCITA que o governo não nos paga de forma correta. Parece que há um bloqueio no cérebro das pessoas; pois até hoje elas não conseguem entender o óbvio. Ressalto ainda que nossos COLEGAS TRAÍRAS, aqueles que furam greve, que não se interessam a participar das assembleias cooperam para que a população pense que estamos lutando por uma questão desnecessária, ou seja, que nossos salários estão ÓTIMOS e estamos GANHANDO DEMAIS pelo trabalho que exercemos.

    ResponderExcluir
  81. Governo de Minas Gerais:

    "Em respeito aos servidores estaduais e aos cidadãos mineiros, o Governo de Minas Gerais reafirma seu compromisso de que, por meio da Advocacia-Geral do Estado (AGE), vai utilizar de todos os meios que estiverem ao seu alcance para garantir os direitos dos trabalhadores beneficiados pela Lei Complementar Estadual nº 100/2007, especialmente no que tange aos direitos previdenciários, devidos a todo trabalhador brasileiro.

    Com relação à ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), o Governo de Minas aguarda com tranquilidade a decisão da Corte Suprema e espera que os efeitos da Lei Complementar nº 100 sejam completamente mantidos. A Lei 100 corrigiu uma distorção que perdurava há mais de três décadas e atingia aproximadamente 98 mil trabalhadores, a maioria da Secretaria de Estado de Educação.

    Ao regularizar a situação funcional desses trabalhadores, a Lei 100 representou a garantia dos direitos previdenciários para servidores que dedicaram anos ao desenvolvimento da educação em Minas Gerais. Boa parte dos trabalhadores é composta por serventes escolares, que viviam a incerteza de ter o direito à aposentadoria.

    A interpretação dada pelo governo federal em relação à Emenda Constitucional nº 20, promulgada em 1998, representou a insegurança previdenciária para milhões de trabalhadores em todo o país. Até 1998, o Governo de Minas reconheceu todos os benefícios previdenciários previstos na legislação, grande parte deles, inclusive, dispostos na Constituição Mineira.

    A primeira tentativa de resolver o problema foi feita em 2002, por meio da Lei Complementar 64, que assegurou os direitos previdenciários dos trabalhadores não efetivos no âmbito estadual. O governo federal questionou o reconhecimento do direito desses servidores terem benefícios previdenciários custeados pelo Estado, o que levou, além da disputa judicial, uma grande insegurança a esses servidores que, apesar de já possuírem as condições de se aposentar, não conseguiam obter o benefício.

    Desta forma, quase nove anos após a promulgação da EC 20/98, milhares de trabalhadores, especialmente professores e serventes escolares, continuavam numa situação de abandono previdenciário e de completo desrespeito, mesmo após uma vida inteira de dedicação e prestação de relevantes serviços à sociedade, uma vez que o benefício da aposentadoria, devido a todo trabalhador, não era reconhecido nem pela administração pública estadual, tampouco pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

    Foi neste contexto e como resultado de entendimento entre o Governo do Estado e o Ministério da Previdência que foi elaborado o projeto de lei complementar que culminou na Lei Complementar nº 100, devidamente fundamentado tecnicamente. Igual acordo foi feito pelo Governo de São Paulo para atender 205 mil servidores daquele estado que se encontravam na mesma situação funcional.

    A partir da LC nº 100, os servidores efetivados passaram a ter reconhecidos seus direitos previdenciários pelo Governo do Estado. No caso dos aposentados, compete ao Estado o custo com a aposentadoria integral. É importante ressaltar que os servidores efetivados pela Lei 100 não adquiriram estabilidade, direito exclusivo dos funcionários aprovados em concurso público.

    Quanto à Lei Estadual 10.524, de 1990, o Governo reafirma que a legislação mineira apenas disciplinou a transição para o regime jurídico único imposto pela Constituição de 1988. A legislação estadual é semelhante à que rege os servidores federais, com o artigo nº 243 da Lei 8.112/1990. Nele, os antigos empregados foram transformados em detentores de cargo público, no regime estatutário."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lobo em pele de cordeiro. Não citaram os quase 500 efetivados na assembleia legislativa mineira cujos salários não são subsídios e cujas indicações ocorreram através das indicações dos nobres deputados(as) estaduais e/ou políticos mineiros. Só para citar. Portanto, a benesse da lei quanto a aposentadoria é controversa e polêmica. A pseudo estabilidade dos efetivados na educação é utilizada a favor dos governantes e contra os demais. Explico através de exemplo: a secretária de educação, logo no início da greve de 2011, foi a mídia avisar que os "direitos dos efetivados eram os mesmos dos efetivos" num claro interesse de dividir a categoria (e conseguiu). Além disto, tente você efetivo mudar de escola para uma que possui um efetivado no cargo pleiteado para você ver se conseguirás. Ou seja, a lei 100 serve, inicialmente, aos interesses governamentais e caso possível a quem lhe interessa. Causou e causa injustiças, divisão, enfraquecimento da categoria e, acima de tudo: É INCONSTITUCIONAL!
      Que seja feita a justiça e que a mesma seja destituída da sua falsa legalidade!!!

      Excluir
  82. STF - Quarta-feira, 16 de outubro de 2013

    Pauta de julgamentos previstos para a sessão plenária desta quinta-feira (17)

    Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 917
    Relator: ministro Marco Aurélio
    Procurador-Geral da República x Governador e Assembleia Legislativa de MG
    ADI, com pedido de medida cautelar, para questionar o artigo 20 (inciso IV) e o artigo 27 (parágrafos 1º ao 5º) da Lei 10.961/92-MG que dispõem sobre forma de acesso a “cargo vago do nível inicial do segmento de classe imediatamente superior da carreira” e os requisitos de habilitação. Sustenta o requerente que as normas questionadas, ao disciplinarem o acesso como uma das formas de provimento de cargo público, violaram a exigência constitucional de concurso público (artigo 37, inciso II, da Constituição Federal).
    A medida cautelar foi deferida pelo Pleno do STF na sessão de 04.10.93, para suspender até a decisão final os efeitos do artigo 27 (parágrafos 1º a 5º) da Lei estadual 10.961/92. O governador do Estado de Minas Gerais e a Assembleia Legislativa sustentam que as normas atacadas foram tacitamente revogadas por leis estaduais supervenientes que estariam a dispor sobre os planos de carreiras dos servidores do Poder Executivo mineiro.
    Em discussão: saber se os dispositivos impugnados violam o princípio da exigência de concurso público para investidura em cargo ou emprego público.
    PGR: pela procedência do pedido.
    AGU: pelo não conhecimento da arguição em razão da perda de seu objeto e, no mérito, pela procedência da ação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguém pode explicar melhor sobre esse processo.

      Excluir
    2. Departamento jerico do sindinútil não viu isso...kkkkk

      Excluir
  83. Não seria arrecadação para campanha?


    Sou BH Notícias
    17 OUTUBRO 2013 - 13:30 - Trabalho e Educação

    Compartilhe
    Facebook
    Twitter

    Inscrições para concurso da Seplag são prorrogadas
    As provas do concurso, que oferece 1.117 vagas para vários cargos de ensino médio e superior, serão realizadas em dezembro

    A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) prorrogou para 15 de novembro o prazo para as inscrições em seu concurso público. Serão oferecidas 1.117 vagas para vários cargos de ensino médio e superior, para Belo Horizonte e cidades do interior, com salário de até R$ 2.983.

    As provas acontecem no dia 15 de dezembro de 2013. O valor das inscrições é de R$59 para cargos de nível superior e R$46 para os de nível médio. Isenções podem ser solicitadas até o dia 27 de setembro...

    ResponderExcluir
  84. Estava fora, e hoje li seu comentário, muito bem colocado, como sempre, e acho que a greve , aqui, não leva a nada, já que não há unidade entre a classe. Depois de ele(patrão) ter efetivado os contratados, fez com que comessem nas suas mãos, e as migalhas que poderiam ser um pão, viraram farelos para todos.
    Há muita diferença de Rio , pq a maioria (maciça), é efetiva, por concurso, portanto, não tem tanto medo. Digo que nossa unidade foi-se no medo extremo da perda do emprego.
    Infelizmente, só se faz política verdadeiramentecommuita coragem e verdade.

    ResponderExcluir
  85. Tomara esta Lei 100 for julgada logo.Aí quero ver gente entrando na justiça contra Anastasia,pois conheço muita professora que guarda acarta que ele enviou na vépera do concurso dizendo que eles tinham garantia e que não precisavam fazer concurso. Aliás uma só destas cartas serve para todos.Mete o ferro nele mesmo.Ele foi sacana com estes professores.Se juga Deus,como o Aécio.Acham que estão acima do bem e do mal.Pensou que ninguém descobriria suas falcatruas? Atrás desta vem mais. Dançou!

    ResponderExcluir
  86. O Governo fala que paga mais que o piso e a população de MG acredita, porque é comodista! Mais do que a Bia já falou na mídia, já explicou... Não temos uma população que nos apoia como os professores do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engano seu. Todo mundo sabe que o Governo de Minas deu o tombo nos professores e que professor em Minas recebe salario de miseria. Quanto mais o Governo faz propaganda mais o povo desconfia. A populacao aprova quem esta disposto a lutar. Ninguem apoia quem fica so lamentando, se sentindo fragilizado e se colocando no lugar de vitima. Temos sim uma populacao que nos apoia. O povo esta nas ruas clamando pela educacao. Se os professores de Minas nao aproveitam da situacao e so ficam a reclamar uns dos outros, do sindicato e da sociedade, o problema dos professores e outro: gostam de sofrer

      Excluir
    2. Se ele paga o piso por que não tenha a coragem de especificar tudo no contracheque?
      E os servidores que optaram pelo vencimento básico?
      Cara de pau este governo.

      Excluir
    3. Caro anônimo 21:36, quando fizemos greve e estávamos na rua sempre fomos chamados de vagabundos pela população. Não tivemos apoio em nenhum momento da população mineira. Ela foi mesquinha com a gente. É lindo ver a população do RJ apoiando seus professores!!!

      Excluir
  87. Com a população acomodada, o Governo aproveita da situação e transforma as escolas em "CRECHES PARA ADOLESCENTES".

    O Governo promove o comodismo da sociedade da seguinte forma:

    - Transporte escolar gratuito para os alunos;
    - Merenda escolar gratuita para os alunos;
    - Professores como "TUTORES" dos alunos;
    - Não repetência programada;
    - Pais satisfeito com a situação;

    COM ISSO:

    - A EDUCAÇÃO ESTÁ CAINDO NUM POÇO SEM FUNDO;
    - A SOCIEDADE QUE NÃO QUESTIONA A QUALIDADE DO ENSINO;
    - OS JOVENS TENDO SEU APRENDIZADO SACRIFICADO;
    - A DESCRIMINAÇÃO INFERIDA AOS ESTUDANTES DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM RELAÇÃO AOS ESTUDANTES DAS ESCOLAS PARTICULARES;

    COM ISSO:

    - AS VAGAS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS FICARÃO "RESERVADAS" PARA OS ALUNOS DAS ESCOLAS PARTICULARES.

    GOVERNO AGE IMPIEDOSAMENTE, DE CASO PENSADO.

    ASSIM É A SITUAÇÃO ATUAL DA EDUCAÇÃO EM MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir
  88. http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=4332889

    ResponderExcluir
  89. Professor unido jamais será vencido!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  90. O colega das 22:13,diz tudo,a política do Governo é cruel,salário de professor é gasto q\ só interessa aos professores,não dá voto ,somente despesa,já rios de ônibus p\ fazer o transporte escolar,reforma dos prédios,encher as escolas de vices,melhorar os salários dos diretores e vice p\ tê-los como aliados,criar projetos,como ,PROET,mesmo a escola não tendo estrutura,sem falar no desperdício de livros didáticos,as escolas estão jogando toneladas de livros fora,sei q\ é responsabiidade do gov Federal ,não importa é nosso dinheiro indo ralo a baixo,onde fica a valorização do professor nesse modelo político????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro sem leitores não vale nada.

      Estudar, embora recompensador, já que o conhecimento liberta, é difícil e trabalhoso. Não é coisa para essa geração que quer resolver tudo num click. Além disso, existem matérias que nem todo mundo dá conta, e nem precisa, é para quem tem talento e motivação. O melhor seria direcionar os talentos, invés de ensinar tudo a todos, uma vez que ninguém dá conta de aprender tudo mesmo. Mas isso é questão de honestidade, bom senso e uma coragem imensa para aceitar a realidade, e não ficar com idealismos que não levam a lugar nenhum, nem contribuem para melhorar a vida de ninguém (menos dos políticos, dos emocionalmente desequilibrados, que estão sempre em fuga, e demais demagogos de plantão).

      Excluir
  91. Os professores de Minas acreditam que sempre existe uma luz no final do tunel .Desistir jamais,o gigante parece adormecido,imagine quando isto explodir.

    ResponderExcluir
  92. saiu no IOF de hoje, pagina 5, noticiário.
    Governo afirma mais uma vez que efetivado não possui estabilidade.Está começando a abandonar os que nele tanto cofiaram.

    ResponderExcluir
  93. Estado aguarda decisão do STF e espera
    que sejam mantidos os direitos assegurados
    a cerca de 98 mil servidores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda mais que o governador e o senador querem o voto destes 98 mil kkkk aí que eles vão dizer que estão aguardando com "muita tranquilidade" mesmo né kkkk.

      Excluir
  94. Eu não entendo o que o governo quer dizer quanto fala que efetivado não tem estabilidade. Se você quiser transferir para uma escola onde tem efetivado, não pode, na hora de escolher turma e horário eles escolhem na frente, nós, efetivos, ficamos excedentes eles estão tendo direito de pegar férias prêmio na nossa frente, a vaga deles não foi lançada no concurso. Já pensou se eles tivessem estabilidade então, heim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas informações não procedem de modo algum. nada disso a é verdade e se for procure a justiça.

      Excluir
    2. Qual justiça? A de Minas? kkkkk nós não temos justiça meu amigo, esqueça, aqui a lei é o Anásta.

      Excluir
  95. Aécio retoma tese 'puro-sangue', mas Serra rejeita vice

    O senador Aécio Neves (MG), provável candidato do PSDB à Presidência da República em 2014, autorizou seus aliados a intensificarem negociações para a construção de uma chapa tucana puro-sangue com o ex-governador José Serra. A possibilidade, categoricamente descartada por Serra, voltou a ser cogitada no PSDB diante da pressão com a chapa Eduardo Campos e Marina Silva, do PSB.
    .........
    http://br.noticias.yahoo.com/a%C3%A9cio-retoma-tese-puro-sangue-mas-serra-rejeita-122900750.html

    Um dos comentários...
    Um vice_ outro, viciado. kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  96. Correção:
    Um vice_ outro, viciado.
    A perder.

    ResponderExcluir
  97. A ESCOLA ONDE TRABALHO NÃO TERÁ MAIS TURMAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2014. O QUE ACONTECE COM OS PROFESSORES EFETIVOS? QUEM PUDER ESCLARECER-ME FICAREI GRATA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficará excedente na escola como eu fiquei,se tiver algum curso superior em alguma disciplina eles te obrigarão a pegar as aulas que sobra dos efetivos no cargo,se for Normal Superior ou simplesmente Magistério, pode ficar na biblioteca com eu estou esse ano.

      Excluir
    2. Meu Deus... mais de 20 anos de regência e acabar tendo que ficar com as sobras! Governo Cão! E eu que tenho que roer o osso! Obrigada colega pelo esclarecimento, valeu mesmo.

      Excluir
    3. Quando tinha greve, advinha quem nunca participava. Aquele velho ditado, enquanto não me incomodavam tudo bem. E agora?

      Excluir
  98. http://www.blogdadilma.com/dilma/4335-vale-cultura-pode-beneficiar-42-milh%C3%B5es-de-trabalhadores,-afirma-dilma.html

    ResponderExcluir
  99. http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-a-fantastica-internet-pode-combater-mais-rapidamente-o-monopolio-da-voz-da-midia-tradicional/

    ResponderExcluir
  100. quinta-feira, 17 de outubro de 2013
    A “agenda do passado” de Aécio Neves

    ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br
    Por Altamiro Borges

    Aécio Neves, o cambaleante presidenciável tucano, está desesperado. Além do incomodo causado pelo persistente José Serra, que até parece um bafômetro no seu encalço, ele agora foi descartado pela mídia – que é só holofotes para o casal Campos-Marina. Temendo ficar em terceiro lugar nas próximas pesquisas, o senador mineiro decidiu antecipar em quatro meses a apresentação do seu plano de governo – batizado de “agenda do futuro”. O título correto seria “agenda do passado”, já que ele prega o retorno ao destrutivo e rejeitado projeto neoliberal de FHC.

    Segundo a Folha tucana desta quinta-feira (17), “o presidente do PSDB e pré-candidato, Aécio Neves (MG), lançará em dezembro o conjunto de propostas inicialmente previsto para março de 2014. O comando do PSDB avalia ser necessário ‘disputar’ desde já o debate programático da eleição de 2014 depois que Marina e Campos monopolizaram o noticiário político dos últimos dias com a surpreendente aliança”. Ainda segundo o jornal, “fará parte também da estratégia do PSDB buscar aproximação com o PSB. ‘Nosso alvo é o mesmo’, disse ontem o senador Aécio Neves, lembrando que Campos e Marina têm defendido ideias que os aproximam do programa do PSDB”.

    Ele se referiu, evidentemente, à defesa apaixonada feita pela ex-senadora Marina Silva do chamado tripé macroeconômico – de juros elevados, arrocho fiscal e libertinagem cambial. Herdado do triste reinado de FHC, este receituário ortodoxo quase destruiu a economia brasileira, fazendo o país ficar de joelhos para o Fundo Monetário Internacional. A aplicação deste “tripé” resultou em taxas recordes de desemprego, arrocho fiscal, desindustrialização e desnacionalização da economia. Agora, Aécio Neves pretende retomar este receituário, batizando-o de “agenda do futuro”.

    Em artigo publicado nesta segunda-feira (14), o cambaleante presidencial tucano foi taxativo ao pregar o retorno deste modelo destrutivo. Para ele, os governos Lula e Dilma passaram “a intervir de forma excessiva na economia” e adotaram “uma atitude leniente no combate à inflação”, o que teria gerado incerteza no capital estrangeiro. Para voltar a crescer, afirma o neoliberal, o país deve se curvar novamente ao “deus-mercado”, submetendo-se servilmente às ambições das corporações capitalistas, principalmente às ordens dos agiotas financeiros.

    “Estamos sem uma agenda para o crescimento. No curto prazo, é preciso resgatar a matriz econômica que prevaleceu até recentemente: controle fiscal, câmbio flutuante e regime de metas de inflação com liberdade de atuação para o Banco Central. Essa agenda deve ser complementada por um esforço imediato de simplificação tributária, redução do número de impostos e estabilidade de regras para o investimento”. Ele ainda prega “contenção do crescimento do gasto público e maior integração comercial [logicamente com os EUA)”.

    A risível “agenda do futuro” é a mesma que foi aplicada pelo rejeitado FHC e que hoje causa tantos estragos na Europa. Para torná-la mais palatável, Aécio Neves até poderia acrescentar o termo “sustentável” ao seu projeto de crescimento econômico – Marina Silva iria adorar!

    ResponderExcluir
  101. Oi gente! ÂNIMO,graças a Deus na é pra sempre e o sr Anastasia esta findando o seu governo macabro!!!Cadê o cara que contava os dias? Horário de verão! e já estaremos em 2014, novo calendário escolar, copa e muiiiiita manifestações para este pais das falcatruas. PODE ESPERAR, estamos acumulando gás, spray,mascara... O MUNDO VERÁ QUE PAIS E ESSE!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o cara que contava os dias para o fim do governo dessa desgraça morreu. Morreu de raiva, de indignação, de fome mesmo.

      Excluir
    2. Deve estar é preso porque todos que pisam no calo desse psdb = partido só de bandidos terminam muito mal= preso, morto ou sem nenhum orgão interno(psdb vende tudo)...

      Excluir
  102. http://www.institutolula.org/

    ResponderExcluir
  103. “Temos com o pré-sal que recuperar a divida histórica que esse país tem com a educação”, diz Lula a professores estaduais em SP
    Oct 18, 2013






    “Não tem ninguém melhor que o Lula para falar de educação, afinal, ele foi o presidente que mudou o rumo da educação neste país”, assim a presidenta da Apeoesp, Bebel Noronha, abriu a conversa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com mais de mil professores da rede estadual de São Paulo, na noite desta sexta-feira (18), na capital paulista.

    Para baixar imagens em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.

    Lula falou aos professores sobre as conquistas da educação na última década e afirmou que ainda foi pouco “diante da dívida que este país tem com a educação”. O ex-presidente reafirmou seu orgulho por ter sido o governante que mais fez universidades federais e escolas técnicas no país. Lula citou também as conquistas do Prouni, que trocou dívidas de universidades particulares com o governo federal, por bolsas de estudo, inserindo mais de 1,3 milhão de estudantes no ensino superior.

    O ex-presidente destacou também a aprovação dos recursos do pré-sal para a educação. “Nós triplicamos o orçamento da educação. E agora vamos fazer mais ainda com a presidenta Dilma. Temos com o pré-sal que recuperar a divida histórica que esse país tem com a educação. E eu sempre digo: a educação é a base para transformar este país”, disse.

    Outro ponto abordado por Lula em sua conversa com os trabalhadores da educação foi o piso salarial para os professores aprovado em seu governo. “Nunca antes na história desse país um presidente tinha aprovado um piso salarial. É porque eu sei que uma das condições para as pessoas irem trabalhar felizes todos os dias é saber que serão remuneradas de forma justa no fim do mês”. Lula lembrou que o piso não está sendo respeitado em alguns estados. “Infelizmente alguns governadores nem sempre tratam os professores com o respeito que merecem”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só faltou ele falar os nomes dos governadores como o de Anastasia e no caso Tarso Genro que na verdade é do PT né..............

      Excluir
  104. ESSA É A REDE GLOBO...

    http://www.youtube.com/watch?v=YGiQXNf02eQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta mentira...Quanta força bruta

      Excluir
  105. ALGUMAS PONDERAÇÕES..........

    Vai ser emocionante quando o STF decretar a lei 100 inconstitucional. Quero ver a cara de Aécio e Anastasia que tanto proclamam mentiras sobre a lei 100. Falam para os efetivados ficarem tranquilos, que seus direitos estão todos resguardados. Será? Eles têm mais que falar assim mesmo, já que está próxima as eleições e, lógico, eles vão querer o voto dos 98 mil efetivados, mais os votos de seus familiares. O estado tem que fazer parecer tranquila, calma e sob controle uma situação que na verdade é complexa, difícil e que foge ao controle do nosso governador. Eu quero ver o que o estado vai fazer com as férias prêmio que já foram publicadas para os efetivados, além de muitos outros direitos dados a eles de forma arbitrária e inconstitucional. Quero ver o que o governo vai dizer para os efetivados, após essa lei ser decretada inconstitucional, e após tanto falar que efetivo e efetivado são a mesma coisa, os direitos são iguais! Quanta vergonha vai ser para este governo meu Deus! Quero ver um "mar" de ações na justiça contra Anastasia da parte dos efetivados e um caos implantado nas "Gerais". Uma coisa eu sei, a revolta será grande, do tamanho da decepção que o próprio Anastasia e Aécio podem ter nas eleições do ano que vem. Essa dupla deve estar perdendo o sono de tanta preocupação com esta lei que está prestes a ser julgada no STF, preocupação esta perfeitamente compreensível, já que político nenhum quer perder 98 mil votos assim do dia para noite. Anastasia e Aécio devem estar pedindo pelo amor de Deus para que esta lei seja julgada depois das eleições do ano que vem, mas, parece que será julgada antes e quem sabe até este ano mesmo. O estado acredita em sua defesa e que a causa "já está ganha". Mas vamos analisar uma situação. Esta lei já foi julgada inconstitucional pela suprema corte de Minas e, claro, neste julgamento o estado também apresentou suas defesas e que, como já sabemos, não surtiu efeito algum já que foi tida inconstitucional pela justiça daqui de Minas. Este fato eu achei incrível pois Aécio/Anastasia mandam na justiça mineira e, mesmo assim, perderam feio. Realmente um fato incrível. Agora vamos a um fato mais incrível ainda. A lei do Acre é SEMELHANTE a lei 100 mineira e foi tida inconstitucional, a AGU já deu seu parecer e foi pela procedência da ADI, ou seja, pela inconstitucionalidade. O mesmo aconteceu com a PGR que também opinou pela inconstitucionalidade. Soma-se a isso, para terminarmos, o fato de a lei 100 já ter sido julgada inconstitucional pela própria justiça de Minas. Se depois disso tudo o STF não decretar a lei 100 inconstitucional eu perderei minhas esperanças neste nosso país, e este fato sim, será verdadeiramente incrível. Já pensou, a justiça mineira onde Anastasia manda e desmanda considera inconstitucional e lá no STF, onde, supostamente o PT manda, ela é tida constitucional!!!! Ahhhhh, isso vai ser demais meus amigos. Mas..........depois de tantos precedentes e de todos, isso mesmo, todos os comentários de advogados e entendidos do assunto que já ouvi, dizerem que a lei é inconstitucional, acho que só vai restar uma coisa aos juízes do STF: Decretar inconstitucional mesmo. Vai ser o mínimo a fazer!

    ResponderExcluir
  106. Eu acho que é muito engraçado o Sr. Lula falar que alguns estados não respeitam o piso salarial para os educadores... Ele era a maior autoridade do país e não esteve nem aí para que se cumprisse a lei em tempo hábil. ]E nem move uma palha para que sua afilhada "Dilma" tome as rédeas da situação. Em época de política somos obrigados a ouvir cada coisa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse tão simples assim, podemos rasgar a nova Constituição \federal. Retirar a soberania dos Estados.

      Assim todos os Estados ficariam subordinados ao governo federal.

      Somos nós que não temos unidade para irmos a luta.



      Excluir
    2. Não é engraçado não..... as eleições estão chegando, e ele quer livrar a cara dos seus companheiros.

      Excluir
  107. Falando em miserabilidade vamos ter no próximo pagamento os "grandes" aumentos de 5(miséria)%?Preciso saber onde colocar meu money.Olha nós iremos ganhar alguma coisa se lutarmos muitoo.Todos, PT PMDB PSDB e qualquer Bosta será a mesma coisa.Como nosso colega diz Todos farinha do mesmo saco sujo.Temos que ir para as ruas e fazer pressão.Eles precisam ter medo dos fessores já que não tem respeito mesmo.Só acredito se formos as ruas.

    ResponderExcluir
  108. CAPÍTULO IV lei 15961/05
    DA OPÇÃO
    Art. 21. Ao servidor lotado em órgão ou entidade de lotação dos cargos das carreiras a que se refere o art. 1º. será assegurado o direito de optar por permanecer no cargo ou na função pública ocupados anteriormente ao posicionamento de que trata o art. 11 desta Lei.
    § 1º. A opção de que trata o caput deste artigo deverá ser formalizada por meio de requerimento escrito ao dirigente do órgão ou da entidade de lotação do servidor, no prazo de cento e sessenta dias contados de 1º. de março de 2006.
    § 2º. Os efeitos da opção de que trata o caput retroagirão à data de publicação do decreto a que se refere o art. 11.
    § 3º. O servidor que fizer a opção de que trata o caput não fará jus às vantagens atribuídas às carreiras a que se refere o art. 1º., nem ao vencimento básico previsto nas tabelas estabelecidas por esta Lei.
    § 4º. Na ocorrência da opção de que trata o caput, a transformação do cargo ocupado pelo servidor em cargo de carreira a que se refere o art. 1º. somente se efetivará após a vacância do cargo original.
    § 5º. Será tacitamente ratificado o posicionamento, na estrutura das carreiras a que se refere o art. 1º., do servidor que não fizer a opção no prazo previsto no § 1º. deste artigo.
    § 6º. Os atos decorrentes da opção de que trata o caput deste artigo serão formalizados por meio de resolução conjunta do Secretário de Estado ou dirigente máximo do órgão ou da entidade de lotação do cargo de provimento efetivo ocupado e do Secretário de Estado de Planejamento e Gestão, a ser publicada no órgão oficial de imprensa do Estado ao final do prazo estabelecido no § 1º. deste artigo.
    § 7º. A resolução de que trata o § 6º. deste artigo relativa aos servidores da Administração Pública indireta do Poder Executivo posicionados na estrutura das carreiras a que se refere o art. 1º. será assinada pelo titular da Secretaria de Estado a que estiver subordinada a entidade de lotação do cargo, bem como pelo dirigente da autarquia ou fundação.
    § 8º. A aplicação do disposto no § 2º. não implicará restituição aos cofres públicos do valor dos acréscimos remuneratórios decorrentes do posicionamento de que trata o art. 11, percebidos entre a data de início da vigência das tabelas de vencimento básico de que trata o art. 1º. e a data da opção a que se refere o caput deste artigo.
    CAPÍTULO V
    DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS E FINAIS
    Art. 22.



    O tempo de efetivo exercício e o resultado da avaliação de desempenho individual anteriores ao posicionamento dos servidores nas carreiras de que trata o art. 1º. poderão ser considerados para fins da primeira progressão e da primeira promoção, na forma de decreto...

    ResponderExcluir
  109. Heloisa Cristaldo
    Repórter da Agência Brasil

    Brasília – O ministro da Educação (MEC), Aloizio Mercadante, criticou hoje (16) as faltas e as paralisações de professores que já duram mais de dois meses em várias cidades do país. “Sabemos que as condições de trabalho não são as melhores, mas temos que construir um pacto. Nos últimos três anos, os professores receberam 64% de reajuste no piso salarial. O professor precisa faltar menos nas escolas”, disse durante cerimônia de abertura do 5º Encontro Nacional de Fortalecimento do Conselho Escolar.
    Para Mercadante, as reposições de aula não devolvem aos alunos o período em que as atividades escolares ficaram paradas. “Em paralisações de quase três meses não se recupera o tempo perdido. É preciso que haja mais entendimento e mais diálogo. Condições de trabalho não podem justificar as ausências na sala de aula”, completou o ministro.
    No Rio de Janeiro, professores da rede municipal entraram em greve no dia 8 de agosto, pedindo a criação de um plano de cargos que oferecesse à categoria melhorias nos cargos e salários. Em disputa judicial, a sessão de aprovação do plano na Câmara Municipal, chegou a ser cassada. No entanto, o Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) de professores do município voltou a valer nesta quarta-feira.
    Os professores do estado do Rio, também em greve, receberam a recomendação do Ministério Público Estadual para retornar as aulas e não prejudicar os alunos prestes a fazer o Exame Nacional doEnsino Médio (Enem), nos dias 26 e 27 deste mês. As secretarias municipal e estadual de Educação informaram que só vão retomar as negociações quando o sindicato da categoria encerrar a greve nas duas redes de ensino.
    Em Goiânia, professores da rede municipal estão em greve desde o dia 25 de setembro. No estado de Mato Grosso, a greve dos docentes da rede estadual já dura 66 dias.
    Durante o discurso de abertura da cerimônia, o ministro defendeu ainda que as indicações para gestores municipais e estaduais de educação seja baseada em critérios curriculares. “Temos que acabar com a indicação política [para dirigente de educação]. O gestor tem que conhecer os programas do MEC, tem que ter formação adequada. Chega de ser a mulher do prefeito, o amigo ou o cabo eleitoral”, disse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em Minas em 2011 a greve foi encerrada e até hoje nada feito. Só promessas. Se não resolver com greve, depois é só enrolação.

      Excluir
  110. Euler,

    o sindicato vai lutar contra o reajuste de 5% proposto pelo Anastazista, o que você acha dessa postura do sindicato?

    Poderíamos discutir isso aqui, não?

    ResponderExcluir
  111. De que adianta reajustar o piso salarial dos professores, se os governadores não o pagam? Falar que o PISO SALARIAL A QUE TEMOS DIREITO aumentou 64% em três anos é fácil; o problema, senhor ministro da educação, é o seguinte: os PROFESSORES DE TODO O PAÍS ESTÃO REALMENTE RECEBENDO ATRAVÉS DO PISO??? Será que todos os professores que se encontram em greve neste momento ou ainda, todos os que participaram das várias manifestações por todo o Brasil no dia 15 deste mês estão recebendo de acordo com o que manda a lei??? Eu até hoje não recebi nenhum centavo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, se tem uma lei e essa lei já estipula o aumento (reajuste) do piso, por que então esse tanto de greve em quase todos os estados?
      Só eles é que não sabem a resposta, é porque quem governa os estados não está cumprindo a lei, e não acontece nada.
      Pra que lei do piso então, só pra inglês ver?
      Pura politicagem.

      Excluir
  112. PORQUE NINGUÉM, FALA DO CORTE DE ATB E SERVIÇAL DAS ESCOLAS?
    TEM ESCOLA 19 TURMAS 3 SERVIÇAIS PARA MERENDA E LIMPEZA.

    ResponderExcluir
  113. Quero ver quem tirará o poder de Minas e da sua lei 100. Duvido que julguem esta lei improcedente. Minas é Minas, aqui é território que o governo federal não tem vez. A lei aqui é de Minas. Quem manda é Aécio e Anastasia. Aqui é o pais Minas Gerais. Quero ver quem tasca. QUERO VER QUEM TASCA.Adin tal e tal não adianta. Aqui, é Minas Gerais que avança no seu sui generis jeito. Durmam tranquilos, efetivados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, não durma não, esta lei já caiu, prepare-se para o concurso que é a maneira correta.

      Excluir
  114. Democracia com fome,sem educacao e saude para a maioria e uma concha vazia.Nelson Mandela..

    ResponderExcluir
  115. Gostaria de saber quem disse que a lei 100 pode ser julgada esse ano? Se tem alguma coisa de concreto nessa informação?

    ResponderExcluir
  116. Em um país que tem como base a educação, em qualquer abertura de copa, o seu representante não é vaiado como como vimos aqui.Eu já desisti de lutar por uma coisa sem remédio que é a educação e digo aos nobres colegas que estão iniciando nesta carreira: Enquanto é tempo, procurem outra coisa para fazer. Eduquem seus filhos em casa para utilizar do serviço público só a promoção que leva à série seguinte . Que a aprendizagem seja feita em casa com o apoio dos pais. A educação não está precisando de bons profissionais mais. O dinheiro público deve ser passado somente aos políticos corruptos e analfabetos que estamos tendo no momento. Fiquem tristes não, pois, vai piorar. Principalmente se o écio ganhar para presidente. E aí, vamos conversar?

    ResponderExcluir
  117. ELE RECONHECEU,
    12 ANOS NO PODER EM MG E NADA.
    QUER DIZER ANDAMOS DE PASSOS LARGOS PARA TRÁS,
    OS PROFESSORES MG(sofressores) QUE O DIGAM.

    http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/118349/A%C3%A9cio-educa%C3%A7%C3%A3o-no-Brasil-vai-de-mal-a-pior.htm

    ResponderExcluir
  118. O julgamento da lei 100 pode acontecer a qualquer momento lá no STF. Por isso, pessoal, temos que voltar a enviar emails pro STF novamente. Vamos exercer a nossa cidadania, vamos ajudar a desmascarar este governo midiático e maquiavélico. A queda desta lei 100, na verdade, vai ser o começo da queda do governo Aécio/Anastasia.

    ResponderExcluir
  119. Cinco por cento não é aumento. Não chega a ser nem reajuste.

    ResponderExcluir
  120. 22/10/2013 - 03h33
    Economia fraca arranha vitrine de Aécio em Minas

    Publicidade


    PAULO PEIXOTO
    DE BELO HORIZONTE
    FELIPE BÄCHTOLD
    DE PORTO ALEGRE
    Ouvir o texto

    Vitrine do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) para a corrida presidencial do próximo ano, Minas Gerais está com a economia estagnada e com índices piores do que a média nacional e de Estados vizinhos há mais de um ano.

    No segundo trimestre de 2013 (último dado disponível), o Estado governado pelos tucanos desde 2003 recuou 0,1% --já o PIB nacional surpreendeu e subiu 1,5%.

    Falta apoio do governo federal, afirmam tucanos

    O tema entrou na pré-campanha, e a oposição liderada pelo PT já fala em "pibinho".

    Pernambuco, berço do pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, tem um crescimento acumulado nos últimos 12 meses maior do que o do país, segundo dados do Estado.

    Ainda no segundo trimestre, o Rio Grande do Sul, puxado pelo desempenho da agricultura, cresceu 6,4%. Em São Paulo, o crescimento foi de 1,2% e, na Bahia, 2,2%.

    A agropecuária é uma das causas do mau desempenho em Minas Gerais, terceiro Estado mais rico do país, enquanto a supersafra do Centro-Oeste e do Sul ajudou a alavancar o PIB nacional.

    Também pesa contra o Estado a dependência de poucos setores, como mineração.Levantado pela oposição, o tema já chegou ao debate político nesta pré-campanha.

    Vice-líder do PT no Legislativo mineiro, Rogério Correia usou nos seus boletins informativos a expressão "pibinho" --mesmo termo empregado por Aécio para criticar o desempenho da política econômica da presidente Dilma Rousseff.

    O deputado peemedebista Sávio Souza Cruz, líder da oposição, diz que a economia mineira corre o risco de se tornar ainda mais "primária", dependente de matérias primas básicas, se não houver impulso à industrialização.

    No próximo ano, o PT deve lançar o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento e Indústria) como candidato ao governo de Minas. No PSDB de Aécio e do governador Antonio Anastasia, o ex-ministro Pimenta da Veiga tenta viabilizar seu nome.

    DEPENDÊNCIA

    A diversificação da atividade econômica tem sido o centro da discussão. O PIB dependente de produtos como minérios e café deixa o Estado mais vulnerável a incertezas externas, como agora.

    Segundo a Fundação João Pinheiro, centro de estudos ligado ao governo estadual, a baixa na produção do café contribuiu para a queda de abril a junho. No primeiro trimestre do ano, em que a economia mineira recuou 0,2%, pesou a menor demanda internacional por minérios.

    O economista Edson Domingues, da Universidade Federal de Minas, diz que o Estado não tem conseguido atrair investimentos como outras regiões do país e que há problemas de infraestrutura, como na malha rodoviária e em ferrovias.

    "Algumas indústrias do Estado não têm um dinamismo tão grande quanto em outras regiões", afirma o professor.

    Às vésperas do ano eleitoral, o PSDB se move para tentar anular o discurso da oposição e vai preparar um documento mostrando que Minas cresceu mais do que a média do país na década passada.

    ResponderExcluir
  121. Quando me desespero,lembro-me de q\ em toda a história a verdade e o amor sempre venceram.Houve tiranos e assassinos e, por um tempo,pareciam invencíveis mas,no final,sempre caíram.Pense nisso ! Sempre.

    ResponderExcluir
  122. http://www.youtube.com/watch?v=wEG0ZEmVUxs

    ResponderExcluir
  123. Espero que todos fiquem satisfeitos após a lc 100 cair .Ao que tudo indica, todo o mal que nos acomete se chama efetivados. Será que não acordaram ainda? Não é esse o problema. è outro bem maior. A lei vai cair e as coisas vão continuar como estão. Ou talvez piorar ainda mais. Infelizmente

    ResponderExcluir
  124. O Estado está quebrado e a mordaça em Minas é de assustar! Tudo controlado: MP, TCE, TJ, SEF, PIG e tantos outros. Terão que fabricar indicadores pela FJP. Esse Aécio é uma criação da grande mídia (muito bem paga, por sinal) e a “menina dos olhos” desses empresários retrógrados que sonham em ressuscitar a era FHC. Esse choque de gestão não passa de PROJAC DAS ALTEROSAS. A grande jogada do superávit foram os empréstimos, pois a dívida pública saltou de R$35 bilhões em 2003 para mais de R$100 bilhões em 2012. Deve ser bem maior, pois muitas empresas dependentes não entram no cômputo. Aqui o que se vê é só fraude. Pior, empréstimos com carência, cujo pgto inicia no próximo Governo, tal qual Azeredo fez com Itamar. O dinheiro dos royalties não entra no caixa do Estado e vai direto para CODEMIG, uma caixa preta. A despesa de pessoal do Estado também está fraudada, pois MGS foi inflada e jorra mão-de-obra para o Estado, sem qualquer contabilização, pois a LRF assim determina. Não investe o mínimo na saúde, educação e no social. Veja o alarmante índice de violência e as epidemias, sem dúvidas nesses casos Minas está na vanguarda, pois vê-se tudo sucateado e bilhões de reais gastos para manipular e enganar a opinião pública, em verdadeira e criminosa lavagem cerebral. Em média são R$10 bilhões anuais de benefícios fiscais a apadrinhados. E o pessoal-chave (TJMG, MPMG, TCE, SEF, etc) recebendo acima do teto, com alguns deles bem superior a casa dos R$100 mil mensais. Por isso essas denúncias de R$ bilhões de reais desviados da saúde e educação, p.ex., não andam. Essa elite sempre mamou nas tetas do dinheiro público. Em qualquer lugar sério do mundo esses políticos que governam Minas, desde 2003, estariam atrás das grades ou na câmara de gás. Ainda bem que temos a internet e fontes de informações alternativas e muito mais confiáveis que a grande mídia. Deus, proteja Minas e salve o Brasil desses energúmenos políticos, empresários e seus asseclas desmiolados e/ou mal intencionados! É o que eu sempre digo: O Estado está quebrado e a mordaça em Minas é de assustar! Tudo controlado: MP, TCE, TJ, SEF, PIG e tantos outros. Terão que fabricar indicadores pela FJP. Esse Aécio é uma criação da grande mídia (muito bem paga, por sinal) e a “menina dos olhos” desses empresários retrógrados que sonham em ressuscitar a era FHC. Esse choque de gestão não passa de PROJAC DAS ALTEROSAS. A grande jogada do superávit foram os empréstimos, pois a dívida pública saltou de R$35 bilhões em 2003 para mais de R$100 bilhões em 2012. Deve ser bem maior, pois muitas empresas dependentes não entram no cômputo. Aqui o que se vê é só fraude. Pior, empréstimos com carência, cujo pgto inicia no próximo Governo, tal qual Azeredo fez com Itamar. O dinheiro dos royalties não entra no caixa do Estado e vai direto para CODEMIG, uma caixa preta. A despesa de pessoal do Estado também está fraudada, pois MGS foi inflada e jorra mão-de-obra para o Estado, sem qualquer contabilização, pois a LRF assim determina. Não investe o mínimo na saúde, educação e no social. Veja o alarmante índice de violência e as epidemias, sem dúvidas nesses casos Minas está na vanguarda, pois vê-se tudo sucateado e bilhões de reais gastos para manipular e enganar a opinião pública, em verdadeira e criminosa lavagem cerebral. Em média são R$10 bilhões anuais de benefícios fiscais a apadrinhados. E o pessoal-chave (TJMG, MPMG, TCE, SEF, etc) recebendo acima do teto, com alguns deles bem superior a casa dos R$100 mil mensais. Por isso essas denúncias de R$ bilhões de reais desviados da saúde e educação, p.ex., não andam. Essa elite sempre mamou nas tetas do dinheiro público. Em qualquer lugar sério do mundo esses políticos que governam Minas, desde 2003, estariam atrás das grades ou na câmara de gás. Ainda bem que temos a internet e fontes de informações alternativas e muito mais confiáveis que a grande mídia. Deus, proteja Minas e salve o Brasil desses energúmenos políticos, empresários e seus asseclas desmiolados e/ou mal intencionados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é e já pensou se cada aluno de cada escola de Minas tivessem o hábito de ler notícias como essa aí acima? Seria ótimo para a população e péssimo para o governo. Nem precisa falar mais nada né, kkkk é exatamente por isso que jamais veremos governo algum investir seria e pesadamente em escolas ou outra forma de educação qualquer...Quanto mais burro melhor.

      Excluir
  125. Minas avança:na corrupção, falta de respeito com o cidadão, nas manifestações, falta de professores em todas as escolas,salário miserável, fome, enfim Minas (o BRASIL) sujeito guerra . viu como o aético e anastasia querem o BRASIL? Todo mundo BURROOOOOOOOO!!!!!!!

    ResponderExcluir
  126. Tá ficando até chato de entrar no blog do Euler, pois vcs só sabem falar da Lei 100.A queda desta lei 100, na verdade, vai ser uma gde queda para milhares de servidores que tem família, filhos e vcs está pensando que vai derrubar o governo de Aécio/Anastasia..Meus caros vcs tem mta maldade em mente. Sou efetiva aposentada e fico lendo e fico mto triste com essa classe de professores. Para quem torce para que acabe, é porque quer ver a cara do governo. Saibam que para ele tem faz e tem mta gente que vive desse salário. Amigos e colegas deixa na mão de DEUS que ele sabe o que faz e lembram que feitiço pode virar contra feiticeiro. PENSAM E REFLITAM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São milhares de pessoas dependentes deste salário de efetivado e outros milhares de pessoas que não estão tendo este salário de forma digna e constitucional devido a esta lei 100 que não deu oportunidades iguais de acesso aos cargos. Conheço pessoas honestas e de bem e que tinham na data da lei anos e anos de magistério mas que não estavam lecionando pelo fato de não terem conseguido pegarem nenhum contrato, ou estavam doentes. E aí? Isso é justo também? É simples, cada um interpreta a situação do jeito que quer há vários pontos de vista, inclusive o ponto de vista constitucional.

      Excluir
  127. Economia fraca arranha vitrine de Aécio Neves em Minas
    Baixo crescimento da economia mineira, inferior à média nacional, faz petistas criticarem “pibinho” da gestão tucana, que governa MG desde 2013
    Confira também
    Leilão do pré-sal “precisa ser aperfeiçoado”, afirma Campos
    Marina diz que candidatura “foi subtraída” quando TSE vetou Rede
    Supremo já recebeu recursos de 13 réus do mensalão
    Novatos Pros e SDD avançam nos municípios de olho nas alianças
    Fernando Henrique Cardoso leiloou Libra por apenas R$ 250 mil
    Interação
    Imprimir
    Enviar por e-mail


    Delicious
    Digg
    Google bookmarks
    Reddit
    Windows live
    Yahoo my web
    Vitrine do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) para a corrida presidencial do próximo ano, Minas Gerais está com a economia estagnada e com índices piores do que a média nacional e de Estados vizinhos há mais de um ano.

    No segundo trimestre de 2013 (último dado disponível), o Estado governado pelos tucanos desde 2003 recuou 0,1% - já o PIB nacional surpreendeu e subiu 1,5%.

    O tema entrou na pré-campanha, e a oposição liderada pelo PT já fala em “pibinho”.

    Pernambuco, berço do pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, tem um crescimento acumulado nos últimos 12 meses maior do que o do país, segundo dados do Estado.

    Ainda no segundo trimestre, o Rio Grande do Sul, puxado pelo desempenho da agricultura, cresceu 6,4%. Em São Paulo, o crescimento foi de 1,2% e, na Bahia, 2,2%.

    A agropecuária é uma das causas do mau desempenho em Minas Gerais, terceiro Estado mais rico do país, enquanto a supersafra do Centro-Oeste e do Sul ajudou a alavancar o PIB nacional.

    Também pesa contra o Estado a dependência de poucos setores, como mineração. Levantado pela oposição, o tema já chegou ao debate político nesta pré-campanha.

    Vice-líder do PT no Legislativo mineiro, Rogério Correia usou nos seus boletins informativos a expressão “pibinho” - mesmo termo empregado por Aécio para criticar o desempenho da política econômica da presidente Dilma Rousseff.

    O deputado peemedebista Sávio Souza Cruz, líder da oposição, diz que a economia mineira corre o risco de se tornar ainda mais “primária”, dependente de matérias primas básicas, se não houver impulso à industrialização.

    No próximo ano, o PT deve lançar o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento e Indústria) como candidato ao governo de Minas. No PSDB de Aécio e do governador Antonio Anastasia, o ex-ministro Pimenta da Veiga tenta viabilizar seu nome.

    Dependência

    A diversificação da atividade econômica tem sido o centro da discussão. O PIB dependente de produtos como minérios e café deixa o Estado mais vulnerável a incertezas externas, como agora.
    Segundo a Fundação João Pinheiro, centro de estudos ligado ao governo estadual, a baixa na produção do café contribuiu para a queda de abril a junho. No primeiro trimestre do ano, em que a economia mineira recuou 0,2%, pesou a menor demanda internacional por minérios.

    O economista Edson Domingues, da Universidade Federal de Minas, diz que o Estado não tem conseguido atrair investimentos como outras regiões do país e que há problemas de infraestrutura, como na malha rodoviária e em ferrovias.

    "Algumas indústrias do Estado não têm um dinamismo tão grande quanto em outras regiões", afirma o professor.

    Às vésperas do ano eleitoral, o PSDB se move para tentar anular o discurso da oposição e vai preparar um documento mostrando que Minas cresceu mais do que a média do país na década passada. As informações são da Folha.

    Notícias relacionadas

    O Estado de Minas Gerais está parado. E agora?

    ResponderExcluir
  128. Tomara que este dinheiro dos royalties chega de verdade nos Estados para resgatar as dívidas nossas (professores), como fala o Lula. Só que a Dilma deveria organizar uma equipe para rastrear este dinheiro, senão...já viu né? Assim
    como nunca tem dinheiro para educação, não terá dos royalties.

    ResponderExcluir
  129. Começa neste sábado (19/10), em todo o estado de Minas Gerais, um grande Plebiscito Popular - consulta que vai perguntar à população mineira o que ela acha do preço da conta de luz. As mais de 100 organizações que constroem o plebiscito esperam recolher 1 milhão de votos e entregá-los ao governo do estado, com a intenção de diminuir o preço da energia.

    O que o Plebiscito Popular vai perguntar:
    - Você concorda que o Governo de Minas deve reduzir o ICMS, que representa 42% da conta de luz, para 14% (como é em São Paulo e no Distrito Federal)?
    -Você concorda que a CEMIG deve reduzir em 50% (no mínimo) a tarifa de energia para o povo de MG?
    Como e onde votar:
    A votação será realizada entre os dias 19 e 27 de outubro. As urnas ficarão em lugares acessíveis, como igrejas, sindicatos e praças, e também serão levadas a bairros afastados do centro, nas chamadas urnas volantes. Além de Belo Horizonte, haverá urnas em municípios da Região Metropolitana, como Betim, Contagem, Florestal, Igarapé, Ibirité, Lagoa Santa, Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Vespasiano.
    Para votar, basta apresentar um documento de identificação (CPF, título de eleitor, carteira de motorista, de trabalho, de identidade ou outro)
    Mais informações sobre locais de votação ou como organizar o Plebiscito Popular na sua cidade, ligue para a Secretaria do Plebiscito: (31) 32285000.

    ResponderExcluir