sábado, 19 de maio de 2012

Os ataques à Educação são parte integrante da miopia política de uma elite imbecilizada

Os ataques à Educação são parte integrante da miopia política de uma elite imbecilizada

Minas e o Brasil têm assistido a permanentes ataques dos governos neoliberais à Educação básica, à saúde pública, às áreas enfim de lazer e cultura. Aliás, não se trata de uma invenção nacional, mas de uma cópia de práticas semelhantes das políticas ditadas pelos países ricos, hoje igualmente mergulhados em profunda crise. É sempre bom relativizar a palavra crise. Em crise o capitalismo se encontra, talvez desde o seu surgimento, já que se trata de um sistema que se autodestrói quando se reproduz. Mas a crise não é igual para todos: nós, os de baixo, pagamos o maior preço por uma crise que não foi gerada por nós.

Em Minas Gerais, por exemplo, os educadores estão pagando caro pela irresponsabilidade administrativa de um desgoverno de 10 anos, que em nome de um choque de gestão conseguiu levantar fundos para bancar obras faraônicas caríssimas, e de duvidosa utilidade, enquanto destruiu a carreira e as perspectivas de presente e de futuro para milhares de profissionais da Educação, e de milhões de alunos. A violência, o crime organizado, aumenta a cada dia, enquanto os problemas sociais, como a falta de moradia, são tratados como caso de polícia. É esta gestão que um dos candidatos a presidência da República quer apresentá-la como alternativa para o Brasil. Alternativa para quê? Para destruir o país, deve ser, aprofundando o fosso que separa os ricos dos pobres.

Mas, a desastrosa política realizada em Minas, que custou o fim da carreira dos educadores do ensino básico, não está isolada. Em todo o Brasil se percebe a mesma prática, a mesma lógica de destruição das políticas sociais e dos direitos ditos democráticos, da cidadania, conquistados em duras lutas. Tem sido cada vez mais comum a criminalização dos movimentos sociais, até mesmo com a execução sumária de lideranças dos trabalhadores, como é comum acontecer na área rural. E se é verdade que o governo do PT inaugurou importantes intervenções no combate à miséria e à fome, não é menos verdadeiro que se omitiu e vem se omitindo, tal como os governos neoliberais, em relação à Educação básica, por exemplo, que seria um dos pilares para o real resgate social de uma expressiva
parcela da população pobre. A Educação básica, enquanto estiver subordinada a interesses menores, regionais, que priorizam os acordos politiqueiros com empreiteiras e patrocinadores de campanha eleitoral, em detrimento do social, não produzirá qualidade. Era para se tratar a Educação básica como política e causa nacional, especialmente no que diz respeito à carreira, salário, formação continuada e condições de trabalho dos profissionais da Educação. Mas isso custa investimento, que o governo federal, de forma demagógica, lança para o pré-sal. De forma caricaturesca, o pré-sal simboliza a pré-história (embora conceitualmente não se recomende utilizar tal expressão) da Educação, uma volta à estaca zero, já que a promessa de realização para um futuro incerto é o mesmo que nada, tendo em vista a urgência atual de salvar a Educação pública ameaçada de morte.

A Saúde, a Educação e a moradia para os pobres não podem esperar por pré-sais, ou por sacrifícios ditados por políticas de choque de gestão, voltadas para beneficiar minorias privilegiadas. Não se cobra dos de cima este mesmo pesado fardo imposto aos de baixo. Mas até quando os de baixo vão tolerar esta pesada carga que as elites políticas, na sua habitual cretinice, jogam nas costas do povo pobre?

É evidente que tal política, apesar de conveniente aos interesses imediatos dos de cima, é burra, inclusive para os de cima, pois provoca a destruição da convivência social, banaliza a vida, entorpece as mentes com um consumismo predatório, sustentado por uma ideologia individualista, de concorrência de mercado, cuja essência desmerece os avanços e as conquistas culturais alcançadas pela humanidade ao longo dos tempos. Se não acordar a tempo, o Brasil pode se tornar um país loteado por bandos de gangsteres, que farão os grupos mafiosos da Itália ou do Japão parecerem infantis. Se juntarmos a banalização da vida humana, com a ideologia individualista embutida nesta disputa cega de mercado, a destruição das políticas sociais - incluindo a Educação básica - e o cinismo destes governos que sobrevivem de efeitos midiáticos - de uma mídia cada vez mais emporcalhada -, a resultante é algo explosivo, que já se vive no cotidiano.

A nossa esperança, portanto, não é o pré-sal, nem fórmulas mágicas de "gestão eficiente" de um estado que serve aos ricos, mas a capacidade dos de baixo de resistirem e de se unirem para defender os interesses coletivos e individuais da maioria da população. Contra os ataques de uma elite política imbecilizada, os de baixo precisam resistir, se organizar e lutar! 

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

 
*** 


Rômulo (pelo NDG, na Assembleia de Diamantina): 

Companheiras e companheiros,

Estive ontem na Assembleia Estadual do Sind-UTE em Diamantina e, apesar de não ter a memória fotográfica do nosso amigo Euler, vou tentar fazer um breve relato da atividade.

Avaliei previamente que pela distância de BH a Diamantina (300km) ficaria pesada a viagem em um dia só. Não deu outra. Saímos às 07 horas da sede do sindicato e chegamos já na primeiras horas de hoje (domingo). Pesa muito ainda a nossa disciplina com horários, mas penso que isso é assunto para depois.

Por outro lado, para mim foi possível sentir só um pouquinho do que passaram os bravos guerreiros dos rincões de Minas, que durante a heróica greve de 2011, chegavam a viajar uma vez por semana nesse batidão.

Chegamos no final da reunião do Conselho Geral e ainda consegui inscrever para apresentar propostas de luta. O NDG é um movimento combativo, espontâneo, coletivo e não tem nada de paralelo ao Sind-UTE. Ele está dentro e fora do Sindicato e quando está dentro tem a função de levar as melhores propostas de luta para a categoria de acordo com a realidade vivida.

Reafirmei que vivemos tempos do "plantar". Exaltei o belo trabalho de politização dos alunos realizado pela companheira Marly Gribel de MOC e que o mesmo deve servir também de exemplo. Saudei a alocação dos Out-Doors (antes tarde do que nunca), mas ponderei que o mesmo deveria ser mais direto e não muito recheado. A denúncia está correta, mas sugeri outra forma. Segundo a direção, as peças já estão prontas e no inicio dessa semana serão colocados em BH e RMBH.

Sugeri uma massificação do documento "dossiê da educação". Que o documento chegue em todas as escolas estaduais de Minas. Sugeri que uma nova tiragem da carta aberta "A realidade das escolas em Minas" fosse tirada e organizada uma nova programação de panfletagem.

Passou a proposta defendida por nós de organizar (em função da comemoração de 01 ano do inicio da Greve de 2011) um Dia Estadual de dialogo com a Comunidade Escolar. Será no dia 11/06, onde cada educador, trabalhará um texto comum em sala de aula. Esse texto resgatará a necessidade da luta por uma educação pública de qualidade para o povo trabalhador e a denúncia das políticas nefastas dos governos para com a educação pública.

Assembleia esvaziada, em torno de 500 trabalhadores, que contou com uma boa atividade cultural (peça teatral) que pode e deve ser reproduzida nas escolas. Observei o desinteresse de uma parte de educadores que aproveitaram a tarde turística em Diamantina, mas também vi inúmeros companheiros concentrados em buscar soluções para nossa luta.

Foi aprovada a continuidade da regionalização das Assembleias (mas já é preciso fazer um balanço crítico), colocar na balança mesmo, pois se tem aspectos importantes é preciso avaliar a repercussão política. Sendo a próxima Asembleia será dia 16/06 em Divinópolis.

O período atual é de acumulação de forças e de cobrança pela base.

Eu não ouvi informes de avanço no campo da batalha judicial (acerca do piso e da devolução do que nos foi roubado).

O NDG, não de forma paralela, trabalha para voltar a força de luta em cada escola. Participe, Organize-se e Lute!

Rômulo


***




SERVIDORES ADMINISTRATIVOS DAS ESCOLAS DE IBIRITÉ CONTINUAM EM GREVE
 Por Renan Mendes
 
Cerca de um mês após o magistério de Ibirité encerrar uma greve, agora são os servidores administrativos das escolas municipais que estão de braços cruzados desde quarta-feira, 16.
Auxiliares de secretaria, biblioteca e administrativos, além de serventes e secretários escolares, reivindicam redução da carga horária para 30 horas semanais e reajuste salarial de 22%. Atualmente a jornada é de 37 horas semanais, sendo 25 horas de segunda a sexta e oito horas durante um sábado por mês. A paralisação atinge mais de 75% das escolas. Alegando suposta “ilegalidade” da greve, a prefeitura ameaça punir trabalhadores com substituições, cortes do abono, retirada de pontos na avaliação de desempenho e demissões.
Declaração do secretário de governo Hervê de Melo, feita em mesa de negociação, de que a categoria “coça o saco (sic) ao invés de trabalhar”, provocou revolta e deixou ainda mais evidente o desrespeito com a categoria. Particularmente quando se tornou público que o prefeito de Ibirité, o vice e doze secretários consomem anualmente mais de R$ 2 milhões só em salários. Os vencimentos de Lárcio Dias, chefe do executivo, ultrapassam R$ 23 mil por mês, quantia bem superior às que recebem os prefeitos de São Paulo (R$ 20 mil), Belo Horizonte (R$ 19 mil) e Rio de Janeiro (R$ 13, 3 mil).
O Sind-UTE de Ibirité intensificou a mobilização nas escolas, esclarecendo pais, alunos e população sobre a legitimidade e legalidade do movimento. “A greve só aconteceu depois que a prefeitura se recusou a negociar com seriedade. Mesmo assim, todas as exigências da lei 7783/89 foram cumpridas. Não há como argumentar que a greve é ilegal”, afirma Rafael Calado, diretor da entidade. “Ilegal é a pressão, a truculência e as ameaças que a prefeitura está fazendo. Tais práticas atentam contra o exercício do direito de greve, garantido por lei, e serão denunciadas ao Ministério Público do Trabalho”, diz o sindicalista.
Amanhã, 23/5, às 14h, em frente à prefeitura de Ibirité, haverá nova assembleia da categoria para deliberar sobre os rumos da greve.
Mais informações:

Rafael Calado: (31) 8713-4527
Sind-UTE Ibirité: (31) 3533-2713
Expedita Fernandes: (31) 8462-8887
Fotos: Renan Mendes 

82 comentários:

  1. EEEEEUUUULLLLEEEERRRR,
    magnífica esta sua explanação.Mais uma vez!!!
    Abraço,caríssimo EDUCADOR!
    Helena Thaereh

    ResponderExcluir
  2. Euler,seu texto superou.Hoje você consegui dizer tudo que o povo precisa entender!Especialmente nós professores que somos ou deveriamos ser leitores assíduos de uma realidade desastrosa que não pode permanecer!Um abraço carinhoso a você meu companheiro e a todos que não fogem da luta.

    ResponderExcluir
  3. Companheiros do Blog,

    Alguém tem notícias da Assembléia do Sindute, realizada ontem em Diamantina ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estranho, recebi um telefonema de um colega relatando que a saída do ônibus estaria marcada para 07 horas da manhã, no entanto, ao chegarem ao local ficaram sabendo que o ônibus com destino à Diamantina já havia partido às 06 horas da manhã. Por que a pressa em saírem de Belo Horizonte descumprindo um horário programado? Quem souber o motivo que relate-o aqui neste espaço.

      Excluir
    2. Mto bom! Euler, qdo diz q. esta turma não tem cacife para debater com vc, eis mais uma vez a prova. Parabéns. JESUS lhe proteja. Abcs.

      Excluir
    3. Faço correção: "quando se diz q. esta turma não tem cacife .......'

      Excluir
  4. Euler,

    Parabéns por este maravilhoso texto.

    A sociedade precisa perceber as injustiças dos sistemas dominantes para combatê-lo firmemente e conscientemente.

    Esta é a nossa missão atual, conscientizar a população em busca de justiça social.

    ResponderExcluir
  5. E a Assembleia do Sindute ?
    Alguém sabe dizer o resultado ?

    ResponderExcluir
  6. Não pude participar da Assembléia do sindute por motivo de saúde...
    mas até agora nenhuma notícia sobre Diamantina???????????????????

    ResponderExcluir
  7. Parabens Prof. Euler!Ótimo texto! Deve ser divulgado para servir como "despertador" para todos que conseguem continuar dormindo, apesar de todos os horrores.

    O DIA DOS 30 MILHÕES JANIO DE FREITAS

    O teste não tarda: será na terça-feira, próxima reunião da CPI do Cachoeira. É quando se constatará ou se desmentirá um pretenso acordo do relator Odair Cunha, para adiar até esta semana a votação das convocações da Delta Construções (por um dirigente) e de seu "ex-dono" Fernando Cavendish.

    Ambos foram excluídos das convocações de quinta passada, segundo o pretenso acordo, para facilitar o entendimento de PT-PMDB-PSDB que livrou de inquirição os governadores Agnelo Queiroz (PT), Sérgio Cabral (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB).
    Se a proteção for só por motivos partidários, que no fundo comprovam a culpa do protegido, até que sairá barato para os responsáveis pela imoralidade da CPI. Será outra de tantas repetições de uma ordinarice apelidada de política de partido.

    Mas é impossível esquecer a afirmação de Cavendish, em seus recentes tempos de arrogâncias, segundo a qual "eu [ele lá] ponho 30 milhões na mão de qualquer um deles e tenho o que eu quiser". (Houve transcrições da frase com diferenças de forma, mas todas iguais no valor, na razão do seu uso e no resultado produzido.)(...)
    Revira o estômago a última frase da mensagem do deputado do PT paulista Cândido Vaccarezza ao governador Cabral, captada por um câmera de TV: "A relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe você é nosso e nós somos teu". (Assim mesmo: "teu".) As tentativas faladas e escritas de Vaccarezza, depois, para revirar a frase, só confirmam: este empenhado protetor da Delta é um deputado azedo.
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/43949-o-dia-dos-30-milhoes.shtml

    DORA KRAMER - O Estado de S.Paulo
    COSA NOSTRA
    O que é a máfia?

    Uma organização de alicerces criminosos que se sofistica, investe na formação de "quadros", infiltra-se nas instituições para conferir feição legal aos seus negócios. Ao longo do tempo senta praça no Estado mediante cooptação de agentes públicos e privados permeáveis aos atrativos da corrupção.

    O que parece ser a rede montada sob a coordenação de Carlos Augusto de Almeida Ramos?

    Pelos fatos já revelados, justamente uma organização originada na operação ilegal de bingos e caça-níqueis que se aperfeiçoou investindo em atividades de natureza lícita enquanto ampliava seus tentáculos formando relações e firmando contaminações na polícia, no Judiciário, no Ministério Público, no Executivo e, com especial desenvoltura, no Legislativo.(...)
    É com esse cenário de contorno nitidamente mafioso que a CPMI "do Cachoeira" se depara. Seu trabalho é revelar à sociedade o que fazia essa organização, quem participava dela, como trabalhava e por que conseguiu crescer.

    Ainda não dá para dizer se a comissão soçobrou de vez ou se há chance de prosperar, mas uma coisa é evidente: perde fôlego, patina e vive um momento ruim.

    Já gastou quase um dos seis meses previstos para as investigações e até agora o que se viu foi dispersão e perda de tempo com discussões sobre convocações de um jornalista, do procurador-geral da República e de sigilos de documentos.

    Adiam-se depoimentos, restringem-se alvos de investigações, mas, vá lá, pode ser parte da estratégia que venha a se revelar acertada adiante.

    Não contribui para a seriedade dos trabalhos um deputado do PT (Cândido Vaccarezza) passar um recibo - literalmente por escrito - de que há na CPMI possibilidade de oferta de proteção, enviando mensagem por celular a um governador do PMDB (Sérgio Cabral Filho) para tranquilizá-lo quanto a uma possível convocação.

    Muito menos nos termos utilizados. A frase "você é nosso e nós somos teu", além de um atentado idiomático, remete à existência de uma "coisa nossa" cuja natureza não se sabe exatamente qual seja.

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,cosa-nostra-,875396,0.htm

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Euler...bom ver umnovo texto seu por aqui.Preciso e verdadeiro como sempre. Sabemos, como vc mesmo explicou, que está sem tempo, precisando exercer outras atividades...Mas, parece que quando os blogs dos combatentes colegas, (Euler, Cristina Costa, Anderson..) só par citar os do "cinturão do pó do parque cimenteiro":Vespá, São José da Lapa, Pedro leopoldo....eu pelo menos me sinto meio órfã e sem esperança.A energia de vocês faz falta caro amigo!!!! Abraços e e boa semana. Não deixando de registrar aqui minha admiração por essa turma que tanto tem batalhado em prol de toda uma categoria.
    Obs:.Insistiram tanto para que vc fizesse seu perfil no face, e vejo todos meio que "dormindo" por lá....Sei que poucos dos nossos contatos alunos e pais, não costumam "compartilhar" denúncias...Mas sempre comentam quando encontram com a gente depois,e temos chance de explicar.Vamos lá colegas. A luta é desigual, as cartas são marcadas...tentemos angariar mais "soldados" para nosso combate!!!
    Uma semana iluminada para todos!!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, Professor, mais uma vez pelo texto bem construído! É dessa lucidez que os colegas sentem falta!!
    Abraços!
    Educadora Mineira

    ResponderExcluir
  10. Companheiras e companheiros,

    Estive ontem na Assembleia Estadual do Sind-UTE em Diamantina e, apesar de não ter a memória fotográfica do nosso amigo Euler, vou tentar fazer um breve relato da atividade.

    Avaliei previamente que pela distância de BH a Diamantina (300km) ficaria pesada a viagem em um dia só. Não deu outra. Saímos às 07 horas da sede do sindicato e chegamos já na primeiras horas de hoje (domingo). Pesa muito ainda a nossa disciplina com horários, mas penso que isso é assunto para depois.

    Por outro lado, para mim foi possível sentir só um pouquinho do que passaram os bravos guerreiros dos rincões de Minas, que durante a heróica greve de 2011, chegavam a viajar uma vez por semana nesse batidão.

    Chegamos no final da reunião do Conselho Geral e ainda consegui inscrever para apresentar propostas de luta. O NDG é um movimento combativo, espontâneo, coletivo e não tem nada de paralelo ao Sind-UTE. Ele está dentro e fora do Sindicato e quando está dentro tem a função de levar as melhores propostas de luta para a categoria de acordo com a realidade vivida.

    Reafirmei que vivemos tempos do "plantar". Exaltei o belo trabalho de politização dos alunos realizado pela companheira Marli Gribel de MOC e que o mesmo deve servir também de exemplo. Saudei a alocação dos Out-Doors (antes tarde do que nunca), mas ponderei que o mesmo deveria ser mais direto e não muito recheado. A denúncia está correta, mas sugeri outra forma. Segundo a direção, as peças já estão prontas e no inicio dessa semana serão colocados em BH e RMBH.

    Sugeri uma massificação do documento "dossiê da educação". Que o documento chegue em todas as escolas estaduais de Minas. Sugeri que uma nova tiragem da carta aberta "A realidade das escolas em Minas" fosse tirada e organizada uma nova programação de panfletagem.

    Passou a proposta defendida por nós de organizar (em função da comemoração de 01 ano do inicio da Greve de 2011) um Dia Estadual de dialogo com a Comunidade Escolar. Será no dia 11/06, onde cada educador, trabalhará um texto comum em sala de aula. Esse texto resgatará a necessidade da luta por uma educação pública de qualidade para o povo trabalhador e a denúncia das políticas nefastas dos governos para com a educação pública.

    Assembleia esvaziada, em torno de 500 trabalhadores, que contou com uma boa atividade cultural (peça teatral) que pode e deve ser reproduzida nas escolas. Observei o desinteresse de uma parte de educadores que aproveitaram a tarde turística em Diamantina, mas também vi inúmeros companheiros concentrados em buscar soluções para nossa luta.

    Foi aprovada a continuidade da regionalização das Assembleias (mas já é preciso fazer um balanço crítico), colocar na balança mesmo, pois se tem aspectos importantes é preciso avaliar a repercussão política. Sendo A próxima Asembleia será dia 16/06 em Divinópolis.

    O período atual é de acumulação de forças e de cobrança pela base.

    Eu não ouvi informes de avanço no campo da batalha judicial (acerca do piso e da devolução do que nos foi roubado).

    O NDG, não de forma paralela, trabalha para voltar a força de luta em cada escola. Participe, Organize-se e Lute!

    Rômulo

    ResponderExcluir
  11. Caro combatente Euler,

    Cada vez mais você me surpreende com suas colocações precisas e objetivas.É de pessoas como você e do Frei Gilvander que o mundo precisa.Torço para que vocês não desistam nunca da luta.
    Abraços combativos.
    Gilvânia

    ResponderExcluir
  12. De "A palavra- MSC" do deputado Sávio Souza Cruz: "Elevar Aécio Neves à condição de estadista, é o mesmo que querer transformar um pano de chão num santo Sudário".

    ResponderExcluir
  13. Mto estranho este TAG, a nova "criação" do "criador" a quem devemos nos curvar. É uma aberração jurídica! TCE é um mero Órgão auxiliar da ALMG. Meu Deus até onde iremos?

    ResponderExcluir
  14. Publicidade
    Rosto famoso em campanha de governo é ´case´ de

    Publicado no Jornal OTEMPO em 20/05/2012

    LARISSA ARANTE
    [...]

    Educação

    Emprestar a imagem traz risco

    Do mesmo jeito que as instituições e suas marcas precisam se preocupar com a reputação das celebridades escaladas para as campanhas, os famosos também precisam estar atentos ao "peixe" que vão vender. Recentemente, uma propaganda sobre a educação pública em Minas estrelada pela atriz Débora Falabella para o governo rendeu polêmica e constrangimento.

    A peça destacava os bons índices de avaliação dos alunos e ressaltava o papel dos professores e dos pais na jornada estudantil. A peça, no entanto, foi ao ar em um momento delicado: o Estado havia acabado de enfrentar a greve de professores mais longa da história, de 112 dias.

    A repercussão foi negativa, principalmente nas redes sociais, e incentivou o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) a direcionar uma carta pública à atriz, questionando a postura dela na campanha.

    A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da atriz mineira, mas recebeu o retorno de que Débora Falabella só poderia dar entrevistas a partir de junho por estar muito atribulada neste mês. Resposta semelhante foi dada também pelas assessorias dos atores Camila Pitanga e Reynaldo Gianecchini, devido ao intenso ritmo de trabalho de ambos. (LA)
    Disponível em: http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=203814,OTE Acessado em 20 de maio de 2012.

    ResponderExcluir
  15. O Príncipe

    Nicolau Maquiavel

    No capítulo 18, Maquiavel argumenta que o governante deve ser dissimulado quando é necessário, porém nunca deixando transparecer sua dissimulação. Não é necessário, a um príncipe, possuir todas as qualidades, mas é preciso parecer ser piedoso, fiel, humano, íntegro e religioso já que às vezes é necessário agir em contrário a essas virtudes, porém é necessário que esteja disposto a modelar-se de acordo com o tempo e a necessidade.


    capítulo XV a XIX: estimativas sobre a conduta de um Príncipe;
    Do capítulo XV ao XIX, vê-se a necessidade de uma certa versatilidade que deve adotar o governante em relação ao seu modo de ser e de pensar a fim de que se adapte às circunstâncias momentâneas – “qualidades”, em certas ocasiões, como afirma o autor, mostram-se não tão eficazes quanto “defeitos”, que , nesse caso, tornam-se próprias virtudes; da temeridade dele perante a população à afeição, como medida de precaução à revolta popular, devendo o soberano apenas evitar o ódio; da utilização da força sobreposta à lei quanto disso dependeram condições mais favoráveis ao seu desempenho; e da sua boa imagem em face aos cidadãos e Estados estrangeiros, de modo a evitar possíveis conspirações.

    Acima vemos duas interpretações de capítulos do livro, a primeira do capítulo 18 pelo Wikipédia e a segunda do capítulo XV ao XIX por um outro site,eles tecem os comentários análogos. Podemos perceber em LULA esta personificação das ideias maquiavélicas através das suas alianças, Como diria Holanda Cavalcanti, "nada mais parecido com um saquarema do que um luzia no poder". Essa realidade não é reflexo somente na terra brasílis, mas em todo o mundo. Mas, uma outra frase a do historiador LEANDRO KARNALL, me chamou muito a atenção em uma entrevista, referindo-se a uma certa ideia de engôdo de Barak Obama no poder e as investidas bélicas intensas pelo mundo, pois é um programa político encampado pelos Estados Unidos e todos os países desenvolvidos: "Em determinadas circunstâncias é preciso fazer chegar ao poder outras pessoas que compõem outros grupos sociais e étnicos diferentes para permanecer tudo tal qual está", é mais ou menos isso, numa demonstração de que assim evita-se um processo revolucionário originário das camadas sociais desprivilegiadas alçando ao poder e encampando um outro projeto a ser seguido e que rompa sobremaneira com os projetos das elites poderosas. Talvez isso explique um pouco a TEORIA DAS ELITES.

    ResponderExcluir
  16. José Alfredo Junqueira20 de maio de 2012 13:40

    Para ilustrar este maravilhoso post,vou cutucar os de cima mais uma vez.Talvez o maior motivo de não existir justiça em Minas(e no Brasil),e pouca gente fala disto(censura),seja o fato do roubo do Nióbio(super metal,valiosíssimo,imprencindível para as tecnologias de ponta)metal este que só existe no Brasil(97%)render vultuosas propinas para todos que "merecem" e ficarem calados.Este metal é "levado" a preço de banana de Araxá e simplesmente roubado pelos ingleses na reserva ianomani(de araque)nas barbas das autoridades.A reserva ianomani,em Roraima,do tamanho da Inglaterra(que coincidência) detem o maior estoque de nióbio do Mundo(ou do Brasil),e vejam que a Inglaterra vende nióbio na bolsa de valores(sem ter 1 grama deste metal no país)e fatura dezenas de bilhões de dólares anuais.Porque estou comentando isto?Um dos motivos porque Minas está dominada,comprada,submissa.Money para as "autoridades"!

    ResponderExcluir
  17. Esperamos que o episódio com a Débora Falabella sirva de exemplo e lição para os demais artistas que por dinheiro vendem até a alma. Podem até vender, mas serão cobrados nas redes sociais! Então, antes de estarem a serviço de governos nefastos, tratem de analisar o discurso que vão veicular na mídia, porque a imagem vai ficar arranhada, não tenham dúvida.

    ResponderExcluir
  18. RETIRADO DO BLOG DA MARLY GRIBEL

    Montes Claros - MG sofreu um terremoto: no país de faz de conta não temos o valor oficial da Escala Richter.
    Marly Gribel | sábado, 19 de maio de 2012 | 1 comentários

    Montes Claros, norte de Minas Gerais foi vitimada por um terremoto de 4.5 da escala Richter. Bem significativo para um país que não tem histórico de terremotos. No Peru, em 1970 ocorreu um abalo de 7.5 graus da escala Richter que provocou 75 mil mortos. Felizmente, em Montes Claros, não temos notícias de vítimas. Mas não é primeira vez que ocorrem acomodações de placas tectônicas por aqui. Recentemente fomos vítimas disto, num vilarejo localizado ao norte de Minas Gerais que gerou a primeira vítima fatal decorrente de um terremoto na história do Brasil. Mas nunca presenciamos nada parecido com o de hoje. A terra rugiu como um animal vivo e objetos começaram a balançar. Confesso que estava a dormir, às 10:40 desta manhã fria de maio(19) quando acordei sacudida por estes tremores e esta fúria. O instinto é sempre um fator importante: pulei da cama e corri em direção a porta da rua: já sabia que se tratava de um terremoto. Meus vizinhos saíram para a rua e lá estava eu com meu pijama transida de frio e de medo.

    Passado o susto, as constatações sobre a incompetência de Minas e do Brasil- o sismógrafo de Brasília- DF estava desligado e portanto, o cálculo foi baseado no relato dos incidentes ocorridos- relatos das pessoas, rachaduras nas paredes , quedas de muros e telhados e objetos domésticos que caíram dos móveis.

    O sismógrafo, instrumento importante, principalmente, numa cidade universitária como Montes Claros não existe - isto é mais um dado revelador, não se investe em tecnologia, muitos menos em educação em Minas. Será que existe sismógrafo em Minas? As universidades existem, mas servem apenas para distribuir diplomas. Minas está definitivamente confirmado - encontra-se numa falha não somente tectônica mas de acédia administrativa.

    O país não foge muito a regra , visto que o sismógrafo de Brasília estava de folga - portanto, não há um registro oficial brasileiro para o terremoto que acabamos de sofrer no norte de Minas. Mais um trauma para ser guardado no fundo do baú dos mineiros- abandonados pelo país faz de conta - Minas/Brasil - quase um monstro a rugir com fúria contra nós- vítimas de toda sorte de infortúnios.

    Por falar em infortúnios, mais uma vez, o governo de Minas Gerais adiou para o dia 31 de maio a pauta dos educadores que era para ser negociada após o termino da greve de 2011, assinada por parlamentares e pelo governo. Pontos acordados mas não cumpridos. Ficamos sem o Piso salarial, sem o tempo extra-classe, sem pagamento de dias repostos , sem férias-prêmios, literalmente sem direitos. Vivemos completamente à margem do Direito, com cinco ou seis ações do Sindicato na justiça tramitando- e estagnadas.

    Atualmente, só nos resta aguardar que o "mundo" consciente e livre possa ver o Brasil com outros olhos- não este que quer ser passado a qualquer preço- de país que escapou da crise. Quanta ilusão! Vivemos em profunda crise: moral, política e econômica. A Europa passa por uma marolinha perto do tsunami que nos varre todos os dias.

    Ainda nos resta mais uma saída- greve nacional dos educadores em todos os Estados da federação que não pagam o Piso Nacional estipulado em lei! Precisamos urgentemente sair da zona do conformismo.

    ResponderExcluir
  19. Bravo combatente Rômulo, o NDG tem que mostrar presença em todos os lugares e discutir formas novas de abordagem para o sindicato e para a categoria. Somos filiados, mas não somos atrelados a máquina sindical, nem a partidos políticos. Somos independentes. Fiquei feliz que um texto para ser discutido no Estado tivesse passado na Assembléia estadual em Diamantina e que tivesse o aval do sindicato. Já que eles tem a máquina e o dinheiro para isto.E também os outdoors. Agradeço por lembrar desta sua colega de luta, que todos os dias conspira e pensa em mil maneiras de desmontar esta máquina horripilante que é o PSDB em Minas e recuperar o que nos foi sonegado: O Piso e os Direitos.

    ResponderExcluir
  20. "DAQUILO CASTRADO" continua no governo devido a mais um "TAC" (Termo de Ajustamento à Corrupção).

    ResponderExcluir
  21. DESPERTAR É PRECISO

    Na primeira noite eles aproximam-se e colhem uma flor do nosso jardim e não dizemos nada.

    Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada.

    Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.

    (Eduardo Alves da Costa)

    Primeiro levaram os negros
    Mas não me importei com isso
    Eu não era negro
    Em seguida levaram alguns operários
    Mas não me importei com isso
    Eu também não era operário
    Depois prenderam os miseráveis
    Mas não me importei com isso
    Porque eu não sou miserável
    Depois agarraram uns desempregados
    Mas como tenho meu emprego
    Também não me importei
    Agora estão me levando
    Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém
    Ninguém se importa comigo.


    Bertold Brecht (1898-1956)

    "NO CAMINHO COM MAIKÓVSKI"

    É assim como a criança humildemente afaga a imagem do herói,
    assim me aproximo de ti, Maiakóvski.
    Não importa o que me possa acontecer
    por andar ombro a ombro com um poeta soviético.
    Lendo teus versos, aprendi a ter coragem.
    Tu sabes, conheces melhor do que eu a velha história.
    Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim.
    E não dizemos nada.
    Na Segunda noite, já não se escondem:
    pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.
    Até que um dia,
    o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa,
    rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo,
    arranca-nos a voz da garganta.
    E já não podemos dizer nada.
    Nos dias que correm a ninguém é dado repousar a cabeça alheia ao terror.
    Os humildes baixam a cerviz;
    e nós, que não temos pacto algum com os senhores do mundo,
    por temor nos calamos.
    No silêncio de meu quarto
    a ousadia me afogueia as faces
    e eu fantasio um levante;
    mas amanhã, diante do juiz,
    talvez meus lábios calem a verdade
    como um foco de germes capaz de me destruir.
    Vamos ao campo e não os vemos ao nosso lado, no plantio.
    Mas ao tempo da colheita lá estão
    e acabam por roubar até o último grão de trigo.
    Dizem-nos que de nós emana o poder
    mas sempre o temos contra nós.
    Dizem-nos que é preciso defender nossos lares
    mas se nos rebelamos contra a opressão
    é sobre nós que marcham os soldados.
    E por temor eu me calo,
    por temor aceito a condição de falso democrata
    e rotulo meus gestos com a palavra liberdade,
    procurando, num só sorriso,
    esconder minha dor diante de meus superiores.
    Mas dentro de mim,
    com a potência de um milhão de vozes,
    o coração grita - MENTIRA!"

    (Eduardo Alves da Costa)

    ResponderExcluir
  22. Leiam:

    http://www.valor.com.br/cultura/2618278/crise-global-revigorou-o-marxismo-diz-sociologo

    ResponderExcluir
  23. O TEMPO, 20/05/2012

    (...)
    Emprestar a imagem traz risco

    Do mesmo jeito que as instituições e suas marcas precisam se preocupar com a reputação das celebridades escaladas para as campanhas, os famosos também precisam estar atentos ao "peixe" que vão vender. Recentemente, uma propaganda sobre a educação pública em Minas estrelada pela atriz Débora Falabella para o governo rendeu polêmica e constrangimento.

    A peça destacava os bons índices de avaliação dos alunos e ressaltava o papel dos professores e dos pais na jornada estudantil. A peça, no entanto, foi ao ar em um momento delicado: o Estado havia acabado de enfrentar a greve de professores mais longa da história, de 112 dias.

    A repercussão foi negativa, principalmente nas redes sociais, e incentivou o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) a direcionar uma carta pública à atriz, questionando a postura dela na campanha.

    A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da atriz mineira, mas recebeu o retorno de que Débora Falabella só poderia dar entrevistas a partir de junho por estar muito atribulada neste mês. Resposta semelhante foi dada também pelas assessorias dos atores Camila Pitanga e Reynaldo Gianecchini, devido ao intenso ritmo de trabalho de ambos.

    ResponderExcluir
  24. Boa noite amigos. Boa noite amigo Euler.

    O amigo diz tudo que todos gostariam de dizer, e com uma excelência peculiar.

    Abraços a todos os guerreiros.

    Izabel/Geografia

    ResponderExcluir
  25. Parabéns pelo texto, realmente brilhante. Dalgiza

    ResponderExcluir
  26. Até quando veremos este governo impune por nos roubar. Conclamo a todos a ir às redes sociais e bater de frente com esse canalha, que rouba professores descaradamente. Coloquemos nos TT's do twitter, a tag #MGroubaprofessor e vejamos se isso alcança repercussão nacional. Algo tem que ser feito. Ficar apenas fazendo conjecturas não nos levará a nada.

    ResponderExcluir
  27. Caros colegas do NDG. Caro Euler.
    Estamos vivendo, creio eu, o "pior" momento da educação em todo o país. Em 11.06.2011, iniciamos uma greve histórica, marcada por 112 dias de muita luta, pressão e sofrimento. Outros Estados também entraram em greve: Bahia, Piauí,Goiás e, até o Distrito Federal... E o que me deixa indignada é que nem CNTE,e muito menos governo federal moveram sequer uma palha em prol da nossa causa, que é NACIONAL. Agora, assistimos ao mesmo espetáculo de horror tendo como protagonistas os professores de universidades federais. Será que dessa vez, a presidenta ficará novamente na inércia?

    ResponderExcluir
  28. professoramaluquinha21 de maio de 2012 15:53

    Euler, o mais agravante deste contexto, não é nem o que vem de cima para baixo: governo -> profissionais da educação. Os ataques "na educação" começam no interior das unidades de exercício. Como isso se dá?
    Por meio de problemas que alunos e "colegas" de trabalho nos aprontam. Professores que ocupam cargos de chefia que encarnam o próprio governo, utilizam-se dos instrumentos de retaliação contra os servidores. Companheiros adoecem, doenças adquiridas por causa da pressão e da opressão, quando deveria ser justamente o contrário. As unidades deveriam promover ao invés de práticas tecnicistas, relações humanitárias. Mas as pessoas estão ficando desumanizadas. Sem apoio, sem norte, sem estímulo, o professor segue aviltado e humilhado, carregando o que dá e caindo com o que não dá. Dentro da própria escola, há uma política de cobranças, críticas e isolamento daqueles hierarquicamente inferiores, que dependem de suas chefias, e essas, sem nenhuma ética, - e ótica também - promovem uma situação de exclusão, e isso se dá em faces de tantas LTS. Alunos contra professores, alunos utilizados como instrumento para desautorizar o professor, apoio incondicional à especialistas, que executam um papel de torturador psicológico ao invés de exercer função pedagógica, enfim, tudo é bate contra o autodesenvolvimento do educador. Portanto, minha opinião pessoal é esta: se se tivesse nas unidades de trabalho uma equipe libertária e humanitária, coesa, equilibrada, o impacto das políticas educacionais, seriam menos agressivas. Mas, a falta de pensar coletivamente, - lembra dos três mosqueteiros? "Um por todos e todos por um?" - faz com que cada um pense em seu próprio umbigo, gerando um ambiente onde grassa a subserviência, a bajulação, a falsidade, a hipocrisia. Um prova muito evidente é a ADI, que em suma, e de uma maneira simplista mesmo, está sendo aplicada da seguinte maneira: não importa seu PGDI, - tente fazê-lo o melhor que puder - mas, fique atento, pois quem é peixinho fica acima da média; quem não fede nem cheira, fica na média; quem é tomado por desafeto, fica abaixo da média. Enfim, essa é a triste realidade. Portanto, concordo com o título do tema proposto "Os ataques à Educação são parte integrante da miopia política de uma elite imbecilizada", mas devemos complementar "os ataques à Educação são parte integrante da miopia política de uma elite imbecilizada e da peble rude que adquiriu status de chefia e se acha, graças a uma certificação que não qualifica para a função, e o absurdo de se permitir reeleição; e reeleição enrustida!! Quando há troca na dança das cadeiras: quem era diretor passa a vice e o vice vai pra direção, eles não largam as tetas do governo... e assim caminha a educação"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. professoramaluquinha, você é muito inteligente parabéns!Deveria criar um blog, você expressa a nossa dor vivida diariamente....
      um abraço
      prof Heitor/bh

      Excluir
    2. Hipocrisia e canalhice.

      Excluir
    3. Endosso de cima embaixo o que disseste! Você através das palavras pintou o retrato fiel do que é a educação em Minas.

      Excelente!

      Excluir
    4. Claudia - Exatamente isto, prof Maluquinha...vou divulgar seu texto.

      Excluir
    5. PROFª MALUQUINHA, ESSE SEU RELATO CONFIGURA UM QUADRO DE ABUSO DE PODER E ASSÉDIO MORAL QUE DEVE SER DENUNCIADO AO PROMOTOR DE JUSTIÇA NO FORUM DA SUA CIDADE OU DA CIDADE ONDE ESTIVER OCORRENDO TAL FATO, PODENDO SER ACIONADO ATÉ MESMO A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA, A SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS. EU NÃO ACEITO TAL FATO JAMAIS. HÁ ANOS FIZ UMA DENUNCIA DESSE TIPO DE CONSTRANGIMENTO QUE EU SOFRIA EM UMA ESCOLA. FUI A METROPOLITANA C, NO RH MARCO TÚLIO E ELE SOLUCIONOU O PROBLEMA DE IMEDIATO. A PESSOA QUE PRATICA ASSÉDIO MORAL QUANDO DESCOBERTA E DENUNCIADA NAUM FAZ ISSO MAIS. NEM PRECISOU DE OUTRAS INSTANCIAS. RESPEITO É BOM E TODO MUNDO GOSTA. DEUS PROTEJA VOCÊ !

      Excluir
    6. Em tempo: Onde se lê NAUM(lapso internetês)leia - se não por favor. Obrigada.

      Excluir
  29. Tô mesmo desiludido com essa história toda, já não tenho mais forças nem pra tentar lutar.
    Alguém aí, pode me dizer se existe alguma luz no final do túnel e com ela alguma chance de voltarmos a receber o VB e o piso aplicado a ele? Quero verdade e não devaneios tolos e sonhos cheios de fantasias. Sejamos sinceros. Quero verdade aqui. quem sabe me informar úm caminho que possa levar a inverter essa situação. Esse governo demoníaco rouba meu direitos e nada acontece. Esse país é muito injusto. Como eu vou pedir ao meu aluno pra respeitar uma nação que não me respeita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu posso. Posso dizer-te que não há luz no fim do túnel, aliás, nem túnel há. Estamos sendo engolidos por um buraco negro e nos aproximando cada dia mais da escuridão.
      Esta é nossa realidade, mas tem gente que gosta de viver na ilusão. Talvez seja uma forma de não pirar.

      Excluir
    2. Bom dia, o caminho jurídico mais concreto seria entrar de forma particular (sem sindicato) juntando recursos com outros colegas de trabalho contra as alterações feitas pelo Estado no plano de carreiras, pois a lei do piso previa de qua as alterações deveriam ocorrer até 31/12/2009. A lei é clara e simples, o governo deu de esperto e o sindicato não fez nada.

      Excluir
  30. ..."irresponsabilidade administrativa de um desgoverno de 10 anos, que em nome de um choque de gestão conseguiu levantar fundos para bancar obras faraônicas caríssimas, e de duvidosa utilidade"...
    É isso aí! Falou tudo.

    ResponderExcluir
  31. "O período atual é de acumulação de forças e de cobrança pela base".

    Gostei Rômulo e é isso que sempre posto aqui... devemos somar e não dividir a categoria! JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

    Lourdinha

    ResponderExcluir
  32. É moleza?

    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2012/05/19/interna_politica,295221/funcionarios-do-tce-participam-de-festa-em-resort-pago-com-dinheiro-publico.shtml
    Funcionários do TCE participam de festa em resort pago com dinheiro público - Política - Estado de M
    www.em.com.br
    Hoje e amanhã, 445 funcionários do Tribunal de Contas do Estado participam de encontro de trabalho num resort com piscina aquecida, sauna e boate. Tudo pago com dinheiro público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O QUE CAUSA REVOLTA NOS EDUCADORES

      É nojento ver o sindute divulgando índices do governo federal.
      Bolsa-família - Monitoramento da frequência escolar no país chega a 88,1%.
      Como se isso fosse melhorar a educação no país.
      O sindicato que deveria estar a serviço da categoria, aparece divulgando estatísticas do governo numa clara intenção de blindar o mesmo.
      O sindute não devia divulgar índices politiqueiros do governo federal e sim cobrar do mesmo, reais investimentos nas bases da educação pública como um corpo, envolvendo profissionais da educação, infraestrutura nas escolas e cobranças em cima de alunos e pais de alunos. Isso sim, minimizaria os problemas da pobreza, violência e corrupção que estão se alastrando cada vez mais por esse Brasil.

      Excluir
  33. E o PISO que é bom NADA!
    Heloísa Fagundes.

    ResponderExcluir
  34. É anônomo 22:10, isto o STF tem que saber . Mesmo que o supremo ñ faça mada , mas ficariam desmoralizados, com certeza!
    Por aí já percebe-se que estão juntos nas decisões .

    ResponderExcluir
  35. Depois de assistir o PSDB destruir o IPSEMG, que era um dos melhores hospitais do Brasil e agora destruindo a educação, espero o fim do Estado de Minas Gerais em nome do PSDB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, o fim está próximo!!!É mto lixo para um caminhãozinho só.

      Excluir
  36. O NEGÓCIO NÃO É FAZER GREVE PARANDO O TEMPO TODO, PARAR SÓ QUANDO FOR TER ASSEMBLÉIA.

    SE O SINDICATO CHAMAR PARA FAZER UMA GREVE BRANCA, ONDE IREMOS PARA AS SALAS MAS NÃO DAREMOS NADA OU FINGIREMOS DAR AULAS, ASSIM RECEBEREMOS NOSSO DIM DIM E O RESULTADO SERÁ RUIM, GOVERNO NÃO MUDA DE OPINIÃO PORQUE OS RESULTADOS AINDA ESTÃO BONS, FAÇAM CAIR OS RESULTADOS DAS PROVAS SIMADE E PROEB E VERÃO A CABEÇA DELES FERVER, AFINAL TEM QUER PRESTAR CONTAS AO BANCO MUNDIAL DAS AÇÕES NA EDUCAÇÃO.

    VAMOS FAZER DIFERENTE, BAIXANDO OS RESULTADOS.
    TODOS JÁ TIVERAL A OPORTUNIDADE DE VER QUE NAS ESCOLAS COM MAIS PROBLEMAS, FORAM AS QUE MAIS RECEBERAM, PROFESSORES DE APOIO, VERBAS, ETC PARA INTERVENÇÃO

    VAMOS MUDAR DE ESTRATÉGIA.

    ASSIM ELE NÃO TERÁ COMO CORTAR O PONTO, AFINAL ESTAREMOS NAS ESCOLAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anonimo, entendo sua angustia... mas a sua proposta equivale a uma greve de medicos que resolvessem matar os pacientes para chamar a atençao do governo... precisamos pensar numa proposta em que nós e os alunos possamos nos manter vivos.

      Excluir
  37. Hoje o Jornal da BAND das 19,20h falou bem(bastante) da situação salarial do professor que recebe 50% do salário de qq trabalhador com nivel superior, falou da greve das universidades, do porquê do desgaste da profissão, enfim o problema é de Brasil e está chegando com força, não devemos desanimar, e sim lutar, com outras armas, que não a greve.

    ResponderExcluir
  38. A GREVE BRANCA

    Vamos analisá-la:

    O Sind UTE, deveria sim estudar esta proposta da greve branca.

    As mobilizações ficariam mais fáceis, as adesões tornariam mais fáceis.

    Com uma assembleia semanalmente, que se tornaria ESSENCIAL E IMPORTANTÍSSIMA para o movimento.

    VAMOS EXPERIMENTAR ESTA OPÇÃO!

    Ao informá-la ao governo, deixaria-os no ar.

    Já pensou o professor(a), dentro da sala de aula, amparado pela lei, fazendo greve e recebendo seus salários?

    Com a greve declarada e o professor(a) dentro da salas de aula não existirá a reposição das mesmas.

    O governo é quem deverá informar a sociedade como faria as reposições.

    O MPMG não precisaria se "preocupar" com a merenda dos alunos carentes.

    Estaríamos neste momento então atingindo à sociedade, que está muito acomodada com esta "escola/creche" sem repetência e sem qualidade que este governozinho vem praticando.

    Enganando TODA a sociedade sem que esta perceba o crime que está sendo praticado.

    Então poderíamos estar dentro das salas de aula dando aulas de cidadania e ética e nenhum conteúdo.

    A resolução de um problema não acontece da mesma forma como ele foi criado, precisamos de criatividade.

    Este governozinho que está prejudicando toda a educação pública em nosso estado, jamais oferecerá a solução para os problemas por ele criado.

    É um governo INJUSTO E HIPÓCRITA POR NATUREZA.

    Pensemos nisso e vamos vencer sim este governozinho.

    UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE E JUSTA PARA TODA A POPULAÇÃO (Alunos, pais, professores e outros profissionais da educação).


    ANASTASIA, O PIOR GOVERNADOR DE TODOS OS TEMPOS.

    ResponderExcluir
  39. Acessem:
    https://www.facebook.com/pages/foraAnastasiacia/375534005837953

    ResponderExcluir
  40. José Alfredo Junqueira23 de maio de 2012 10:32

    Anônimo das 18:28,concordo com você.Assim como o Prof.Raimundo,que sempre defende que a greve é o único caminho para a vitória,mas defendo uma greve inteligente,com ocupações semanais ou quinzenais na ALMG,pois esta foi praticamente a única manifestação que incomodou o governo,pois a transmissão é ao vivo,e os deputados governistas não tinham mais mentiras para contar,nem como defender o indefensável.Estas ocupações nos levaram perto da vitória,mas a ingenuidade(ou outra coisa)do sindicato em acreditar num termo de compromisso assinado por Danilo de Castro(o capo),pôs todo o movimento a perder.Os 112 dias de luta,com todo tipo de dificuldades financeiras e problemas familiares foram em vão.Será que Beatriz Cerqueira e os deputados Rogério Correia e Antonio Júlio não conheciam o ficha suja mafioso Danilo de Castro?Difícil acreditar.Os acorrentados na praça próximo ao relógio "da copa" estavam prestes a dar o golpe final no governo,mas parece que houve traição.Voltando ao início este tipo de greve que proponho é inteligente porque o os ditadores de Minas só podem cortar alguns dias por mês.

    ResponderExcluir
  41. João Paulo Ferreira de Assis23 de maio de 2012 17:29

    Não adianta nada companheiro das 18:28, você propor isso, de greve branca, pois se dá a sua ideia em público, num blog que é lido pelo pessoal do governo, eles tomam as precauções e matam a sua ideia.

    ResponderExcluir
  42. professoramaluquinha24 de maio de 2012 07:54

    http://www.planejamento.mg.gov.br/governo/publicacoes/arquivos/choque_gestao10-10-2011.pdf

    Esse é o link do livro "Choque de Gestão" editado pela UFMG. Quando alguém ousará escrever um livro "Choque de moralidade"?

    Deliciem-se com a literatura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta "doença" meu Deus! Quem gostar de "sopa de letras", leia mais esta bobagem. Narciso é fichinha perto dsta tchurma.

      Excluir
  43. Gente vamos curtir e participar esta pagina no facebook, acessem:
    https://www.facebook.com/pages/foraAnastasiacia/375534005837953

    ResponderExcluir
  44. VAMOS APOSTAR QUE ANO QUE VEM, ANESTA VAI FALAR QUE PAGA O PISO E NÃO VAI DAR O AUMENTO DO MEC.


    ELE SEMPRE PAGARÁ O PISO, MAS QUERO MINHAS VANTAGENS, MEUS QQ BB E OS 20% DO PÓ, MAS É O PÓ DE GIZ.

    ResponderExcluir
  45. Eros Biondini vai fazer show no Chevrolet Hall. Ele pensa que esquecemos que ele é inimigo da categoria. Os cristãos deveriam esquecer a religião e colocar um pouco do enorme prejuízo que levamos na conta dele. Chega de políticos que usam a fé como palanque!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande enganador! Ser cristão é isto? Ensebar Bíblia debaixo do braço para se manter no poder?

      Excluir
  46. Alguém aí sabe se um ex professor que contribuiu durante quinze anos com a previdência estadual e tem agora 65 anos de tem direito à aposentadoria por idade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. O servidor pode aposentar neste caso por idade. Não terá direito a paridade. O salário será calculado pelo tempo de contribuição.

      Excluir
  47. Boa noite Euler e demais companheiros de luta.Obrigada por nos presentear com mais um texto tão real e interessante. Achei interessante também a complementação que a professora Maluquinha sugeriu para o título:"Os ataques à Educação são parte integrante da miopia política de uma elite imbecilizada e da Plebe Rude que adquiriu status de chefia e se acha...".Professora, você retratou exatamente o que acontece na maioria das escolas de Minas. Quando li o seu texto vi o retrato da minha escola e, o pior é que nós professores não temos a quem pedir ajuda porque já aconteceu de alguém cansar de sofrer pressão e denunciar na SRE e antes de o professor voltar para casa a inspetora já havia ligado para a direção da escola prevenindo-a do acontecido. Como diz um colega nosso aqui do blog as chefias são farinha do mesmo saco sujo.Os honestos estão fora tá bom?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, anônima, das 21h57. Pura verdade o que vc relata sobre o retrato da sua Escola. Mas isso não é privilégio de uma ou outra, está acontecendo em todos os rincões das "Minas Gerais".

      Embora concordando com você em alguns pontos, tenho que discordar de outro: [...não temos a quem pedir ajudar...]. No meu entender, ninguém poderá e nem quererá nos ajudar, a não ser nós mesmos! A luta é nossa e somente nós conhecemos as dificuldades pelas quais estamos passando. Se não me engano, somos a categoria com maior número de trabalhadores no Estado. Imagine o dia em que decidirmos não continuar sendo escravos e formos, realmente, à luta.

      A luta á qual me refiro não é, em última análise, a Greve. É,sim, a luta diuturna, travada a cada momento, em cada lugar que nos for possível.

      Comece a lutar pelas pequenas causas dentro da Escola, junto aos alunos, colegas de trabalho, serviçais, secretaria. Denuncie por e-mail, facebook, twitter.

      Hoje, ao ter contato com alguns pais que me procuraram para saber da vida escolar de seus filhos, aproveitei pra dizer-lhes das virtudes e dificuldades dos filhos, mas fiz questão de frisar que o trabalho não é melhor por falta de compromisso do Governo com a Educação. E eles entenderam...

      Não há jogo perdido antes do término da partida. E a nossa, ainda não terminou.
      Preparemo-nos para para a luta que virá, inexoravelmente, pois a História não aceita retrocessos, exceto, se estratégicos para melhor se chegar à vitória.

      Um abraço a todos e todas que lutam e acreditam na vitória!

      Excluir
  48. ELES SÃO ESPERTOS! SUBSÍDIO? SÓ COM GARANTIA DOS DIREITOS ADQUIRIDOS! COPIA AI SINDUTE!

    ANAMAGES vai ao Supremo pedir a rejeição da Súmula Vinculante nº 71
    A Associação Nacional dos Magistrados Estadual (Anamages) protocolou, no Supremo Tribunal Federal, manifestação pedindo a rejeição de proposta da Súmula Vinculante nº 71, vez que ausente o reiterado entendimento sobre a matéria após o advento do novo sistema remuneratório dos magistrados introduzido pela E.C 19/98.

    Conforme petição divulgada nesta segunda-feira pelo presidente Antonio Sbano, com base nos termos do art. 3º, inciso VIII e § 2º da Lei 11.417/2006, pede que, caso se entenda pela sua existência, que a proposta se restrinja ao período anterior à implementação do novo sistema remuneratório dos magistrados (sistema de subsídios), o que gerou a revogação do art. 65 da LOMAN.

    Sucessivamente, seja rejeitada a proposta já que além das garantias previstas na LOMAN também são assegurados aos magistrados as vantagens decorrentes da correta interpretação do texto constitucional e do ordenamento jurídico como um todo, inclusive aqueles reconhecidos por atos normativos primários do Conselho Nacional de Justiça, extraídos da sistemática interpretação do ordenamento jurídico.

    Finalmente, em petição assinada pelos advogados Gustavo Alexandre Magalhães e David Oliveira Lima Rocha, pede que, sucessivamente, sejam ressalvadas as vantagens reconhecidas por ato normativo do Conselho Nacional de Justiça originários da regulamentação direta do texto constitucional.
    Anamages vai ao Supremo pedir a rejeição da Súmula Vinculante nº 71
    http://www.anamages.org.br/portal/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com todo esse palavrório, bonito o discurso, e parece(não, certamente é) correto, o poder judiciário tem poder, Ganha e Leva, mas nós só ganhamos e Tomamos, nunca levamos nada de bom.

      Excluir
  49. INFORMAÇÕES INTERESSANTES CIRCULANDO PELA NET:

    1) Coisas mais graves do que as apuradas pela operação Monte Carlo (da PF, criada para investigar Demóstenes e Cachoeira) foram apuradas na operação Las Vegas, que trata de ligações do Cachoeira com a cúpula do Judiciário. Haveria material incriminando (em maior ou menor grau) nove ministros do STJ e quatro do STF. Só que o STF requisitou toda a documentação a respeito, determinando que a PF não ficasse com cópia, e sentou-se em cima da papelada. Isso era sabido não só pelo Chico Otávio (Globo) e pelo Rubens (Folha), mas (pasmem!) pelo Wagner Montes.

    2) Como a área de atuação de Cachoeira é perto de Brasília e ele tem desenvoltura e poder de articulação, ele atua como representante de um pool nacional de contraventores que exploram bingos, caça-níqueis, video-poquer e afins. Não fala só por ele. Daí sua desenvoltura (e seu dinheiro).

    3) Cachoeira é um arquivista compulsivo. Tem gravações telefônicas e em vídeo que comprometem todos os grandes partidos e inclusive gente graúda do governo federal. Tem um vídeo em que dá R$ 1,5 milhão a uma alta figura ligada à campanha da Dilma. O Globo e a Folha tem a informação, mas não sabem quem recebeu o dinheiro. E não têm provas.

    4) O contador de Cachoeira, cuja foto está nos jornais, está em Miami, com cópia de tudo o que ele tem gravado. Se algo acontecer com o patrão, vem tudo à tona.

    5) Cachoeira está chantageando o governo federal. Diz que não vai aceitar a prisão. Diante disso, o PT está pagando os honorários de Márcio Tomaz Bastos (R$ 16 milhões), que o defende e vai de jatinho à penitenciária de segurança máxima de Mossoró, onde Cachoeira está preso. Folha e Globo têm a informação de que é o PT quem paga Márcio, mas não a publicam por falta de provas.

    6) Todo mundo está com medo de investigações sobre a Delta. Parece que ela – que contratou Dirceu como “consultor”, o que ele não nega – tem tido uma atuação muito mais agressiva do que as demais empreiteiras e cresceu de forma vertiginosa. Tem “negócios” com PT, PMDB, DEM, PSDB.

    7) Ninguém entendia muito bem por que Lula teria dado força à criação da CPI. Detonar Marconi Perillo parecia pouco para explicar uma CPI que pode abalar a república. Os jornais de hoje já dizem que o PT já pensa em recuar.



    De qualquer forma, como se vê, a Cosa Nostra chegou aos trópicos.
    ANAMAGES – Associação Nacional dos Magistrados Estaduais
    Sede: PR: Travesa José Zilioto 104, Centro – São José dos Pinhais/PR
    Trav. José Zilioto 104, centro, São José dos Pinhais/PR CEP 83005-080 – FONE: 42.3035 5721 a.sbano@anamages.org.br;
    ANAMAGES: WWW.ANAMAGES.ORG.BR

    ResponderExcluir
  50. Como você reagiria se soubesse que aquele que mais combate a corrupção (?) recebesse R$ 1.150.000,00, isso mesmo, hum milhão e cento e cinquenta mil reais foi o que a presidenta Dilma recebeu da Construtora Delta.
    http://www.asclaras.org.br/doador.php?inicio=1&doador=53563

    ResponderExcluir
  51. veja só o que está no site da CNTE, defendendo subsidio, que horror:


    "Subsídios

    No seminário também foram apresentadas boas experiências de implementação da Lei do Piso, a exemplo de Mato Grosso, onde a política remuneratória de subsídio garante que os profissionais de ensino recebam efetivamente o valor definido pelo MEC."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Paulo Ferreira de Assis30 de maio de 2012 23:52

      Talvez tenhamos que admitir que o subsídio veio para ficar. E pedirmos que em vez do Governo Federal passar para os Estados o dinheiro destinado ao nosso pagamento, incluir-nos no plano de carreira dos professores federais e pagar novas gratificações sobre o que recebemos de subsídio. Para isso é preciso mudar a lei. Já dei a ideia para a Fátima Bezerra, mas pelo jeito, agora ela está preocupada com o piso dos jornalistas.

      Excluir
  52. A psicopedagoga Bilá Bernardes escreve abaixo sobre as desigualdades.E não importa se elas aconteceram ontem ou hoje, no espaço-tempo da História:importa é que não voltem a acontecer, que consigamos harmonia social.

    CARREGADORES
    Bilá Bernardes

    Quando era criança
    me indignava
    com fotos e fatos
    de pessoas humildes
    transportando liteiras
    carregando a elite
    pelos caminhos

    Meu coração pequenino
    questionava:
    Como poderia existir,
    trabalho tão vil?
    pessoas obrigadas
    transformadas em instrumento
    sem vontade
    desejos esquecidos
    esquecerem que eram gente?

    Volto hoje a ver as cenas
    que a História me assombrara
    Não são pessoas que carregam agora
    É a dor do desemprego
    É o peso da exclusão

    É a opressão das cidades
    É a limpeza do mundo
    em suas mãos calejadas
    em seus corpos cansados
    esculpidos ainda meninos
    carregando cargas
    maiores que o peso esperado

    Hoje não mais
    escravos de senhores
    ainda carregam a elite
    são escravos de um sistema
    que arrebata dignidade
    e distribui
    cada vez mais dores.
    Será que percebem
    que não é opção?

    ResponderExcluir
  53. RETIRADO DO BLOG DA MARLY GRIBEL
    Releitura da História sob o ponto de vista da Arte do século XV ao XX.
    Marly Gribel | sexta-feira, 25 de maio de 2012

    http://www.youtube.com/watch?v=YO3cahBENSY&feature=player_embedded



    Este vídeo foi produzido com o propósito de contribuir com futuras ações coletivas escritas pelos educadores de Minas para o Brasil, no intuito de trabalhar na sala e fora dela com novas abordagens , objetivando formar cidadão crítico, reflexivo e atuante na sociedade, capaz de num futuro bem próximo e com a ajuda de todos os educadores do país de romper com este "imutável" status quo destas velhas oligarquias que permanecem no comando da nação. Oligarquias arcaicas, mas repaginadas agora com poderosos chefões do crime- máfias estas, representadas de forma perigosa, na figura do propalado bicheiro Carlinhos Cachoeira, criminoso envolvido com políticos e empresários vários e parte da imprensa brasileira. Mais um novo escândalo para a nossa coleção inesgotável de sujeiras e corrupção e que só será revolto se a nação brasileira cobrar de fato, com manifestações e protestos à apuração do mesmo. Do contrário terminará como todas as outras CPIs , sem que nada de concreto ocorra. Esvaziada sempre pela alienação da nação que aceita tudo- calada e quieta, ou fazendo festa com a CUT e CGT- atualmente tentáculos do PT.

    A proposta da discussão em sala de aula de temas variadas que perpassem sempre pela História do Brasil e também pela história regional e mesmo local deve ser a tônica desta luta que inicia na sala e continua nas assembléias, na rua, nas redes sociais, para que a discussão tome corpo e forma e ocupe espaços no cenário nacional- A educação, a cidadania, valores morais, propositalmente desmantelados pela máquina pública e mediática tem que abrir seu espaço para recuperar o que estão tentando há séculos destruir no Brasil- A nossa cidadania, sempre aviltada e cada vez mais distante do Direito, estes previstos na Constituição como letras mortas, visto que residem sempre lá- no papel, no ócio das idéias, mas que nunca se concretizam de Fato e de Direito em nossas vidas. Minas é o exemplo clássico disto.

    A luta tem que ser uma construção diária e criativa, uma ferramenta a serviço do bem e das maiorias. Não podemos aceitar passivamente que nos massacrem desta forma, como tem ocorrido de forma recorrente em Minas e no Brasil. Temos que sair da inércia e colocar nossa razão e emoção para que o imutável sistema de castas- as velhas oligarquias sejam definitivamente banidas por nossas ações coletivas.

    ResponderExcluir
  54. PAULO RICARDO/BH25 de maio de 2012 22:02

    JÁ PASSOU DA HORA DA CATEGORIA FAZER O MESMO QUE A PROFESSORA MARLY ESTÁ FAZENDO ELA ESTÁ NOS DANDO UMA AULA DE CORAGEM , ATITUDE , GUERREIRA E NÓS EM QUE TEMOS CONTIBUIDO?
    PARABÉNS MARLY, SE O SINDINÚTIL E TODA CATEGORIA TIVESSE SUA GARRA E DETERMINAÇÃO, JÁ TERIAMOS O PISO!
    A LUTA CATEGORIA JUNTE-SE A MARLY E A EULER PARECE QUE TODOS MORRERAM NO TEMPO DE 2011 , AGORA É HORA DO TRIUNFO, SOMOS A MASSA!
    ABRAÇOS
    PAULO RICARDO /BH

    ResponderExcluir
  55. Maria Lucia Victor Barbosa

    Quem governa?
    Aqueles em que votamos? Que elegemos para dirigir os destinos do País e, portanto, o nosso? Parece que não é tão simples assim.

    Dilma Rousseff ganhou a eleição presidencial, contudo, é o ex-presidente Lula da Silva que em larga medida ainda governa. Mesmo porque, volta e meia ele se reúne com sua afilhada para orientá-la e teve o cuidado de indicar a maioria dos ministros que compuseram o ministério de Rousseff. Não deu certo porque muitos ministros caíram, não porque foram faxinados pela presidente, mas porque se tornou inviável mantê-los depois da enxurrada de provas de corrupção que circularam pela imprensa. Não é à-toa que Lula sempre atacou a mídia e o PT sonha há tempos em acabar com a liberdade de expressão, algo recentemente ostentado claramente pelo presidente do partido, Rui Falcão.

    Lula da Silva manda tanto que tem maquinado acertos eleitorais e, contrariando a presidente Rousseff que deve ter lá seus motivos para não ter querido a CPI do Cachoeira, ordenou que a Comissão fosse criada. Seu intuito segundo jornais e revistas seria o de salvar companheiros envolvidos no escândalo do “mensalão”, especialmente o chamado chefe da quadrilha, José Dirceu; desmoralizar o PSDB por conta do suposto envolvimento do governador de Goiás, Marconi Perillo, com o bicheiro; desmerecer o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que denunciou os quadrilheiros do esquema e, de quebra; conseguir ganhar em São Paulo elegendo o desastrado ex-ministro da Educação, Fernando Haddad.

    Entretanto, se Lula é tido como um gênio da política a jogada da CPI do Cachoeira não está dando certo. A ida de Carlos Augusto de Almeida Ramos ao Congresso foi desmoralizante. Afinal, os parlamentares sabiam de antemão que Cachoeira ficaria em silêncio por direito constitucional e por orientação de seu advogado, Márcio Thomaz Bastos que, curiosamente, foi ministro da Justiça de Lula da Silva. Mesmo assim, senadores e deputados aproveitaram a oportunidade para fazer da pantomima seu palanque com performances de indignação que não existiram, por exemplo, diante do silêncio de Delúbio Soares e Silvinho Land Rover em outra CPI que, como as demais, resultou em nada.
    continua...

    ResponderExcluir
  56. Continuação:

    A senadora Kátia Abreu, outrora DEM agora PSB, portanto, da base aliada do governo, foi cortante: “Isso é ridículo. Estamos aqui perguntando para uma múmia. Não vou ficar aqui dando ouro para um bandido. Não vamos fazer papel de bobo para um chefe de quadrilha com cara de cínico”.

    O deputado do PR-DF, Ronaldo da Fonseca, saiu-se com essa: “O senhor está com vontade de responder, seu Cachoeira, mas não responda agora não”.

    A senadora bem que poderia ter pedido o encerramento não apenas da sessão, mas da grotesca CPI. Afinal, se continuarem blindando a empreiteira Delta e seu dono, Fernando Cavendish, além de governadores e demais políticos envolvidos, a CPI não terá a menor serventia. Culpem, então, a senhora que serve cafezinho na Delta, o office-boy da Veja e apressem o que já se sabe irá acontecer: o impeachment do senador Demóstenes. Feito isso, desmontem o picadeiro.

    Quanto ao deputado Ronaldo, foi impróprio para maiorais. Imagine-se se Cachoeira resolvesse falar. Não ia sobrar muito gente.

    Na verdade, a CPI ficou desmoralizada quando o deputado petista, Cândido Vaccarezza, enviou um SMS para o governador peemedebista do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, grande amigo de Lula da Silva e de Fernando Cavendish, com os seguintes dizeres na mais pura versão da “Flor do Lácio”: “A relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe. Você é nosso e nós somos teu”.

    Aqui se volta à pergunta inicial: Quem governa? Além daqueles que elegemos para cargos do Executivo e do Legislativo, tudo indica que fomos governados também por Carlinhos Cachoeira tal seu poder de influência. Ele possuía uma impressionante rede de relações no Judiciário, na Polícia, no Ministério Público, no Executivo, no Legislativo, no mundo dos negócios. Cavendish, dono da empreiteira mais agraciada com obras pelo governo federal, pelo governo do Rio de Janeiro e de outros Estados, foi chamado de “sócio oculto” do contraventor. Além disso, Cachoeira nomeava pessoas, influía nas emendas ao Orçamento da União. Se isso não é governar não sei mais o que é.

    Esse imenso poder paralelo não impede o imperial comando de Lula da Silva. O processo do “mensalão” que se arrasta há quase sete anos corre o risco de não dar em nada se Lula insistir na tese de que o “mensalão” não existe. Se isso acontecer será a pá de cal no Estado Democrático de Direito e o PT continuará a reinar junto com os que também mandam no País: os Cachoeiras e o poder paralelo dos traficantes e de outros tipos de bandidos que afrontam impunemente a população. Afinal, sem o cumprimento das leis um país não é civilizado. Prevalece o “estado de natureza” de que falou Hobbes, “onde não há teu nem meu, mas o que eu puder tomar, pelo tempo que puder conservar”.

    www.maluvibar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  57. Professor Euler,
    Perece que o PIG invadiu o blog.

    ResponderExcluir
  58. Olá EULER. Cheguei ontem conversei com um amigo de São Paulo,ele me disse que a CNTE reuniu na sexta com liderança do Brasil e definiu uma greve de 24hs Dia 05 de setembro com PARALISAÇÃO e realização de uma MARCHA NACIONAL PELO PISO, CARREIRA,PNE E 10% do PIB. Toda iniciativa é boa. Vamos mobilizar a categoria pra irmos a Brasília dia 05. Penso que poderíamos ficarmos pra manifestarmos também no dia 07 no momento do desfile. Mas parece que eles irão ivestir na comferencia no final de setembro. Essas informações obtive ontem. Penso que na assembleia de Divinópolis o sindUte já chama esta paralisação.Vamos continuar insistindo na luta pelo PISO.

    ResponderExcluir
  59. João Paulo Ferreira de Assis30 de maio de 2012 23:54

    Tem gente do Anastasia colando reportagens reacionárias aqui. Essa tal Maria Lúcia Victor Barbosa, é da Sociedade Rural do Paraná. Pode ser gente da Turma do Chapéu.

    ResponderExcluir
  60. Olá Euler, todos os dias eu acesso seu blog para me informar das notícias com relação á nossa luta. gostaria que você nos explicasse melhor, se possível,sobre esse novo projeto de lei que circula na Assembléia legislativa, sobre o afastamento aos 25 anos, não tendo idade para a aposentadoria. Um forte abraço, e que Deus nos abençõe.

    ResponderExcluir
  61. Eis uma tirinha que fale sobre greve de professores.
    http://rosearaujocartum.blogspot.com.br/2012/06/iscola-o-crime_16.html

    ResponderExcluir