terça-feira, 4 de maio de 2010

Governo usa velha tática de tentar jogar comunidade contra os educadores em greve

Os jornais Estado de Minas - que não viu a greve dos educadores acontecendo nos últimos 25 dias - e O Tempo divulgaram matéria na edição de hoje, dia 04 de maio, dizendo que a greve vem prejudicando os alunos. Quem faz a reclamação é uma tal de Federação das Associações de Pais e Alunos das Escolas Públicas de Minas Gerais (Fapaemg), que teria pedido o fim da greve, depois de reconhecer, ao mesmo tempo, que os educadores têm direito de reivindicar reajuste, e que o estado tem seus limites para atender, mas que a greve deve acabar. Ô dó!

Na prática, é a velha tática de tentar jogar a comunidade contra a greve dos educadores. Não vimos a mobilização desta entidade nos últimos sete anos, quando a situação da Educação pública em Minas se deteriora a cada instante. Se se tratasse de uma entidade realmente preocupada com uma educação de qualidade para todos, há muito já teria cobrado do governo investimento adequado na educação, a começar por um salário decente para os profissionais. Se isso tivesse acontecido não haveria greve.

Por isso, é hora de reforçar ainda mais a greve, enviar e-mails para essa imprensa cobrando coerência na cobertura jornalística e exigindo a abertura de negociação por parte do governo. Ampliar as manifestações e marcar presença em peso na Assembléia de amanhã em BH, às 14h, no pátio da ALMG, é a nossa resposta, até que o governo negocie conosco.

Em tempo: o Sind-UTE já está divulgando comunicado nas rádios rebatendo a nota do governo na TV e informando sobre a liminar conquistada na Justiça e que o sindicato está aberto para negociar, desde que o governo mostre boa vontade e apresente propostas, o que não tem feito até o momento.

2 comentários:

  1. Carol (Renato Azeredo)4 de maio de 2010 08:59

    OI Euler,

    Muito obrigada pela excelente intervenção no Renato Azeredo ontem. O pessoal me ligou à noite e fiquei sabendo que foi um sucesso. Aproveito para ressaltar que a equipe da subsede de Vespasiano sempre foi muito lutadora, muito solícita e bem articulada. Agradeça por mim ao Jõao Martinho, à Cláudia e a todos que estiveram no Renato Azeredo. A você Euler, o meu agradecimento e carinho especial.

    Carol

    ResponderExcluir
  2. Oi Carol,

    Agradeço as palavras, mas quem merece todo o agradecimento é você e a combativa turma do Renato. Guardo as melhoras recordações da EE Renato Azeredo e especialmente dos colegas de trabalho com os quais convivi, entre os quais você, Carol, que eu tenho como referência profissional e pessoal. Um forte abraço!

    ResponderExcluir