domingo, 8 de fevereiro de 2015

O Brasil dos de baixo precisa reagir ao golpe em curso no país





A combativa deputada Jandira Feghali abre o verbo e denuncia da tribuna da Câmara dos Deputados a mídia golpista. 

Mas, o BLOG DO EULER vai além e lança um desafio: comparem o que o Brasil perdeu com 30 anos de corrupção na Petrobras e o que o país está perdendo em alguns meses com a operação Lava Jato e o espetáculo da mídia golpista em torno do tema. Praticamente estão paralisando várias grandes obras, fechando as maiores empreiteiras, paralisando a Petrobras e criando um clima de caos no país. A corrupção na Petrobras nos últimos 30 anos - e que deve ser combatida com seriedade - deve ter custado algo próximo de R$ 2 a 4 bilhões de reais ao país. Já as perdas causadas pela Lava Jato e seu show político golpista midiático deve superar, em perdas para o país, mais de R$ 100 bilhões de dólares.

No fundo, é isso o que eles querem: o caos, a destruição da nossa economia, o enfraquecimento do governo Dilma, até que se possa derrubá-la. Assim os grupos de rapina internos e externos poderão se apropriar de todas as riquezas do país, e nós voltaremos à condição de escravidão formal.

O complexo que envolve a Petrobras - exploração, refino e distribuição de petróleo e gás - representa algo próximo de 13% do PIB brasileiro. É a maior empresa do país, que investe dezenas de bilhões de reais anualmente, e paga outros tantos de impostos, além de mobilizar dezenas de grandes indústrias, como as da construção civil, a indústria naval, etc. Não menos que 2 milhões de empregos são gerados a partir desse conjunto de investimentos - que mobilizam a Petrobras, as grandes empreiteiras, os bancos estatais, etc.

Todos esses setores da economia, que são vitais para o país continuar sobrevivendo, estão ameaçados e paralisados em função das denúncias e do escândalo midiático feito sob encomenda a partir da Operação Lava Jato. Que é hoje uma espécie de estado paralelo no país, que praticamente anula as leis vigentes e deixou o governo atônito.

É preciso que o governo Dilma reaja, que convoque a população para resistir e para debater o problema criado com esse esquema midiático. É preciso também que a presidenta Dilma forme um alto conselho de guerra até, liderado por pessoas como Lula, Celso Amorim e Franklin Martins. 

Ao mesmo tempo, Dilma precisa apresentar um programa positivo de reformas, que inclua grandes obras em todo o país para alavancar a economia, gerar milhares de novos empregos; precisa ainda convidar os movimentos sociais para um diálogo aberto e atender as demandas sociais, com aumentos reais dos salários e mais conquistas para os trabalhadores do campo e da cidade. Por último, é necessário criar urgentemente uma mídia alternativa, mesmo que seja pela Internet, com vídeos, documentários, entrevistas e jornalismo honesto para abastecer a militância e os apoiadores e a população em geral de argumentos que derrubem o golpismo em curso montado pela mídia.

Não vamos permitir que os golpistas derrotem os sonhos do povo brasileiro, de um Brasil mais justo, menos desigual, mais democrático, com real liberdade de expressão para todos, e mais investimentos na saúde e na Educação pública de qualidade para todos!

***



O Brasil dos de baixo precisa reagir ao golpe em curso no país

Muitos ex-colegas da Educação gostariam que eu falasse apenas sobre os problemas dessa importantíssima área, e até estranham quando direciono o foco para outros problemas nacionais. Mas, no fundo, quando abordo esses outros temas nacionais, estou de olho também na melhoria das condições para a Educação pública. Um país destruído não terá educação nenhuma. Nem piso, nem salários, nem nada. E é isso que corremos risco de ver, se prevalecer o golpismo em curso no Brasil.

A verdade é que a direita golpista cansou-se de perder eleições presidenciais para o PT. Foram quatro derrotas consecutivas – ou oito, se considerarmos os segundos turnos. E agora partem para o golpe, com fachada de institucionalidade.

O golpe atual, como já aconteceu em outros países, não será no modelo clássico, com as famosas quarteladas, quando os militares ocupam as ruas e entregam o poder para as elites continuarem aplicando suas políticas contra o povo em favor delas, de uma minoria que espoliou o Brasil e a América Latina e o mundo nos últimos séculos.

Agora é diferente. O principal articulador do golpe é a mídia, que pertence aos grupos dominantes do país. A família mais rica do Brasil hoje é a dos Marinho, dona do complexo da Rede Globo, que apoiou e se enriqueceu nas asas da ditadura civil-militar instalada no Brasil em 1964.

Mas, a mídia não age sozinha. O papel dela é o de dar voz às vozes golpistas nas instituições, incluindo parte da Polícia Federal, Congresso Nacional, Justiça e Ministério Público. O outro papel é o de calar a voz dos que resistem ao golpe, ou dos que são atacados para justificar o golpe. Finalmente, a mídia, por ter o monopólio das comunicações – que democracia, hein pessoal? - passa os dias e as noites fazendo a cabeça de milhões de desavisados, que acreditam nas manchetes dos jornais e revistas e rádios e TVs. Um exército de colunistas, especialistas de aluguel e comentaristas, todos muito bem remunerados, passam os dias e as noites a atacarem o governo federal, a Petrobras, o PT e os interesses dos de baixo.

Na última sexta-feira, data que o PT completou 35 anos e cuja comemoração ocorreu em BH, pudemos ver como age a mídia. Os maiores jornais de Minas e do Brasil estamparam com letras garrafais a acusação sem prova ainda de que “O PT recebeu U$ 200 milhões de propina” do esquema da Petrobras. Pode até ser verdade, mas não há, ainda, uma única prova sobre essa acusação, a não ser a fala de um delator, que para escapar da prisão, descobriu que se atacar o PT ele recebe o prêmio da liberdade, com a tal “delação premiada”.

Reparem que, há menos de um mês, o ex-governador Anastasia também foi acusado de ter recebido pessoalmente uma propina de R$ 1 milhão de reais das mãos de um policial que supostamente trabalhara para o doleiro Alberto Youssef – outro delator que trabalhou no passado para os tucanos e agora ataca o PT através de um advogado que é tucano desde criancinha. Anastasia negou a acusação. Eu, pessoalmente, não acredito também que Anastasia tenha recebido propina. Ele pode ser conservador, neoliberal, não gostar dos educadores de Minas, mas, não consta que ele esteja envolvido em qualquer esquema. Até prova em contrário acredito na palavra dele, e não na do delator.

Mas, reparem a diferença de tratamento. Não vimos um único jornal estampar com letras garrafais, como fizeram contra o PT, algo como: “ANASTASIA RECEBEU R$ 1 MILHÃO DE PROPINA”. Pelo contrário, a imprensa abriu os microfones para que o agora senador pudesse se defender. Os espaços para defesa do ex-governador foram 100 vezes maiores do que os da denúncia. Podemos dizer que neste caso, a imprensa agiu de forma correta, pois nenhum cidadão pode ser acusado e condenado sem prova e sem direito ao contraditório.

Mas, com o PT, com a presidente Dilma, com Lula, com a esquerda em geral, enfim, a história é diferente. Basta que alguém diga que repassou um caminhão de dinheiro para o PT, sem provar nada, que a denúncia vira manchete como se fosse verdade já provada, julgada e condenada.

Não dá mais para aceitar esse tipo de imprensa, pessoal, ainda mais quando sabemos que essa mídia tem o monopólio, o latifúndio, o controle das comunicações no país. Não se trata de uma mídia de bairro, ou de uma cidade específica, não – e ainda que fosse teria que ser criticada. Mas, de uma mídia nacional, que invade os lares de todos os cidadãos diariamente, criando, como disse Lula no seu discurso em BH, “uma narrativa para incriminar o PT”, inviabilizar o governo Dilma e privatizar a Petrobras.

Há um conjunto de ações em andamento no país hoje, voltadas para o golpe, para a derrubada da presidenta Dilma, eleita pela maioria do povo brasileiro. A operação do golpe começa com a operação Lava Jato, preparada por um grupo de delegados da Polícia Federal do Paraná, claramente anti-petistas, pelo juiz Sérgio Moro, igualmente com ligações com os tucanos, promotores, e o suporte da mídia, claro.

Durante toda a campanha eleitoral essa operação ofereceu vazamentos seletivos, sempre contra o PT, apenas, com o claro intuito de derrotar eleitoralmente a presidenta Dilma. Aliás, eram, e continuam, dois os objetivos: derrubar Dilma e privatizar a maior empresa do país, a Petrobras, dona de enorme reserva em petróleo e gás, geradora de 80 mil empregos diretos e a maior pagadora de impostos do país.

Não conseguiram derrotar a presidenta Dilma nas urnas, mas o golpe continuou. Graças à campanha de baixíssimo nível, e às campanhas sistemáticas nas TVs e rádios contra o povo brasileiro, assistiu-se à eleição de deputados federais majoritariamente fisiológicos, atrasados politicamente, conservadores e abertos a quaisquer tipo de golpes, desde que eles tenham vantagens a receber. O congresso nacional hoje se tornou, após a eleição de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara, outro centro do golpismo no país.

Então nós temos a mídia, o congresso nacional, parte da PF, da Justiça e dos promotores em clara campanha para derrubar Dilma e colocar na presidência um fantoche qualquer, que atenda aos interesses dos de cima. E que interesses são estes?

Os interesses da Casa Grande são conhecidos nossos de longa data: é a chibata no lombo dos trabalhadores, o arrocho salarial, a miséria e a fome para milhões de pessoas, que nos últimos anos tiveram suas vidas transformadas por políticas sociais.

O PT, já dissemos aqui, tem muitos equívocos, cometeu vários erros, e ainda comete o erro grave de não enfrentar a mídia como deveria. Mas, ninguém poderá negar que nos últimos 12 anos o governo federal implementou várias políticas sociais que beneficiaram diretamente milhões de brasileiros e brasileiras. Muita gente saiu da miséria, houve crescimento no mercado interno, com políticas de geração de emprego, além de várias outras obras sociais.

A direita golpista, que trata o povo pobre como paisagem, não aceita nem mesmo essas reformas sociais, que sequer tocam nas questões estruturais do país. Em toda a América Latina, a vitória de pessoas e partidos ligados ao campo popular e de esquerda – Chávez na Venezuela, Mujica no Uruguai, Evo Morarales na Bolívia, Lula no Brasil, só para ficarmos em alguns exemplos –, assustou a direita local e mundial, especialmente a dos EUA, que sempre teve vida boa no quintal do império. De repente, esses governos começaram a assumir o controle de empresas de petróleo, de gás, de água, a desenvolver políticas de distribuição de renda, geração de empregos, a investir mais na Educação, na saúde pública, a mudar, enfim, a lógica draconiana imposta pelas elites de fora e de dentro.

Em todo o mundo, a direita age de forma articulada para derrubar governos populares e impor políticas de destruição, saque das riquezas locais e arrocho salarial. Até mesmo as chamadas ditaduras, como a do ex-dirigente da Líbia, que, com todas as críticas, desenvolvia políticas sociais em favor da maioria da população, foram derrubadas e seus países praticamente destruídos. Iraque, Irã, Síria, Egito são países em franco esfacelamento, guerras civis, fome, destruição e miséria, tudo o que os países ricos desejavam. Eles falam em democracia, mas levam o inferno para os quintais vizinhos, para preservar o paraíso em seus lares. 


No Brasil, o inferno começa com a mídia, que dissemina ódio diariamente. Divulga notícias negativas, sempre contra o governo federal, enquanto esconde as boas coisas. É uma boa coisa saber, por exemplo, que o Brasil em dezembro teve a menor taxa de desemprego dos últimos anos, inclusive se comparada com a maioria dos países do planeta. É uma boa coisa saber também que, apesar da corrupção – que deve ser combatida com todo rigor – a Petrobras bate recorde na produção de petróleo a cada mês. Outra boa notícia é que o governo federal vai manter a política de reajuste salarial com aumento real para o salário mínimo.

Mas, a mídia não quer saber de boas notícias para o povo brasileiro. Quer apresentar um país em crise, com tudo dando errado, com corrupção generalizada e forçando a barra para que a população queira o fim do atual governo. Eles precisam de um mínimo de apoio popular para o golpe, já que o congresso nacional está dominado, a justiça (parte dela, pelo menos) idem, a PF (parte dela, pelo menos) se tornou uma PF tucana e a mídia desempenha esse papel de colocar fogo no país a cada final de semana.

Lula descreveu qual a metodologia de ação dessas elites. Na quinta-feira eles espalham os boatos contra o governo federal, que começam a repercutir no congresso nacional, com os discursos de senadores e deputados da oposição. Na sexta, a imprensa escrita exibe nas bancas de jornais os boatos como se fossem verdades já apuradas, sempre contra o PT, Dilma, Lula, a Petrobras, enfim, os de sempre. O Jornal Nacional se incumbe de “fechar” a noite com reportagens sob encomenda, sempre contra o PT e o governo federal. (Detalhe: vazou pela Internet o e-mail de uma chefe de redação da Globo, que teria passado a ordem para as sucursais da Globo, com o seguinte teor: “Não incluir FHC nas matérias da Operação Lava Jato”. Precisa de mais?). No sábado, a revista Veja faz o trabalho sujo de costume. E no domingo, para fechar a semana, cabe ao Fantástico da Globo dar o tom das denúncias.

Com isso eles constroem uma narrativa de denúncias que antecipa o julgamento dos acusados, como aconteceu com o chamado Mensalão do PT. Neste, por exemplo, o ex-dirigente do PT José Dirceu foi acusado e preso sem uma única prova contra ele. Absolutamente nada. Criaram a tese de que ele tinha a obrigação de saber que acontecia o caixa dois de campanha, já que ele era chefe da Casa Civil da presidência da República. E pronto. Foi o suficiente para condená-lo.

Enquanto isso, por negligência dos governos tucanos de Minas e de São Paulo, o Brasil vive enorme crise hídrica. Mas, jamais veremos a mídia culpar os governos tucanos por qualquer coisa. Eles são inimputáveis. A culpa será sempre de São Pedro, que não mandou as chuvas.

Durante mais de um ano a Petrobras segurou o preço da gasolina para não provocar inflação. A mídia criticava a Petrobras por isso. Agora que houve aumento, a mídia critica novamente. A mídia esconde do povo brasileiro que os esquemas de corrupção que existem na Petrobras começaram muito antes do governo Lula, e jamais foram denunciados ou apurados. Só agora está havendo apuração. A mídia tenta colocar no colo do PT todos os esquemas de corrupção do planeta. É bem provável que algumas pessoas do PT estejam envolvidas no esquema da Petrobras e em outros. O PT está longe de ser um partido “puro”, tem todo tipo de gente, inclusive canalhas, como quaisquer outros partidos ou agremiações humanas. Mas, e os outros? E os esquemas das mesmas empresas da operação Lava Jato aqui em Minas, na era dos tucanos? E o trensalão em SP? E o caso Banestado? E a privataria tucana, que entregou quase todo o patrimônio brasileiro para alguns poucos grupos privados? E as centenas de outras práticas lesivas aos interesses públicos, incluindo a SONEGAÇÃO (em caixa alta mesmo) de impostos dos ricos, que a mídia finge que não vê, né dona Globo?

Infelizmente, temos uma mídia serviçal da Casa Grande, porque ela é parte desse grupo privilegiado. Os Marinho, Os Civita, os Frias são hoje grandes empresários, cujos interesses são os mesmos das elites privilegiadas. Eles agem em colaboração com os grupos estrangeiros que estão de olho gordo no nosso petróleo e demais riquezas do país. Se dependesse dessa gente, o Brasil teria voltado à condição de colônia, com escravidão formal e tudo mais. Mão de obra de graça para trabalhar pra eles é tudo o que eles querem, além das riquezas fartas do solo brasileiro.

É bem verdade que o PT não é um partido revolucionário, de esquerda, que deseje uma mudança radical no país. Um partido que tenha coragem de enfrentar a burguesia brasileira e internacional, de cortar a sangria da dívida pública, de peitar os banqueiros e a sua mídia, enfim. Não. O PT é um partido de centro esquerda, moderado até, com uma militância que se acomodou nos cargos dos governos e parlamentos. Mas, até o momento, o PT continua sendo aquele partido que realizou importantes conquistas em favor dos de baixo. Foi, de certa forma, com todos os defeitos e omissões e covardias, o melhor, até o momento, que a população brasileira, desorganizada e despolitizada, conseguiu produzir. Daí o ódio das elites, incluindo a sua mídia, contra o PT.

Partidos como o PSOL, PSTU, entre outros, que têm uma linha ideológica mais definida, mais politicamente correta, não conseguiram, até o momento, alcançar a massa dos mais pobres. Seja porque não têm espaço para atuação, ou porque não têm mídia, não têm recursos sequer para uma ampla campanha política. Isso explica em parte o não crescimento desses partidos. Mas, deve-se também ao radicalismo verbal e à dificuldade de negociar, fazer concessões, ainda que pontuais, para avançar nas conquistas. O jogo político exige concessões, o saber construir consensos e alianças para avançar. Quem acha que na política se avança com algum programa fechado, feito dogma, acaba virando seita religiosa.

Assim, politicamente falando, ficamos reféns, de um lado, de uma esquerda radical que não cresce, e de uma centro esquerda – o PT – que cresceu, ganhou o governo, mas parece não conseguir dar um salto à frente, preso que está com o conjunto de alianças fisiológicas e à direita, de um lado, e à pressão dos de cima, de outro. A direita no Brasil cresce nas asas da desinformação, da manipulação midiática e na ausência do confronto político e ideológico. Essa direita, incluindo os fundamentalistas de seitas fanáticas, têm o domínio da mídia, do congresso nacional, da justiça (que é pautada pela mídia) e dos capitais. Uma parada dura. Falta a última palavra, a do povo brasileiro, que é disputada diariamente pela mídia, com sua notória e vulgar forma de enfocar os problemas nacionais. Enquanto isso, a presidenta Dilma não se comunica com a população e a esquerda não tem mecanismos de mídia para falar diretamente com os de baixo.

O pior cenário, que é o que estamos assistindo, é a tentativa de envolver o governo federal, especialmente Dilma, no escândalo da Petrobras. Já falam em Impeachment no congresso nacional. E a mídia cumpre o papel de bombardear as mentes indefesas de milhões de brasileiros: é culpada, é culpada, é culpada. Dilma pode ter vários defeitos, inclusive o de não saber se comunicar melhor com a população. Mas, não há qualquer prova do seu envolvimento em corrupção. É uma militante de esquerda, que foi presa e torturada quando muitos se enriqueciam ou viajavam pelo mundo curtindo a vida. Suas posses, registradas no TSE, estão aquém até de qualquer quadro político que ocupou cargos na alta esfera do estado durante uma dezena de anos.

Dilma chegou à presidência da república, no primeiro mandato, em parte por causa do Mensalão do PT. Como a mídia e a oposição acabaram com a vida política de algumas das principais lideranças do PT – José Dirceu, José Genoíno, outro que não provaram que ele tenha levado um centavo sequer naquelas denúncias, ao contrário de alguns caciques tucanos que estão soltos e ricos – , coube ao então presidente Lula escolher alguém com firmeza ideológica para tocar o governo. Este alguém foi Dilma, que é de fato uma mulher de grande coragem. Era praticamente desconhecida do grande público, mas, na sombra do Lula, se elegeu presidente. Dilma bebeu em três fontes: na resistência à ditadura civil-militar; depois passou um tempo ligada ao ex-líder Leonel Brizola e depois ligada ao PT e a Lula.

No atual mandato, que se inicia, Dilma passa por um profundo cerco: no congresso, na mídia, na chamada operação Lava Jato, que, de uma operação que poderia agir tecnicamente contra a corrupção, o que seria louvável, acabou se tornando um instrumento de golpe contra o Brasil. A Petrobras foi praticamente destruída com esse bombardeio diário. As perdas que essa empresa vem sofrendo são muito maiores do que as propinas que os delatores receberam durante décadas. Mas, a presidenta Dilma, com as qualidades e honestidade conhecidas, não tem o carisma de um Lula ou um Brizola para convocar a população a resistir, para conversar diretamente e diariamente com a população, desfazendo as manipulações urdidas pela mídia. Por isso apanha isoladamente, sem esboçar reação. O próprio PT parece um partido morto, sem capacidade de resistir. E os movimentos sociais, com justa razão, estão indignados com as ações tomadas pela presidenta no primeiro mês de governo – medidas que deveriam ser discutidas previamente com a sociedade, se houvesse canais de diálogo.

É fato que existem muitas demandas sociais para ontem. Vejam o exemplo de Minas Gerais. Os educadores têm pressa no resgate do tempo perdido. Foram 12 anos de governo tucano, de cortes e não pagamento do piso salarial nacional. Antes de completar um mês de governo Pimentel, já existem vozes querendo a cabeça dele, o que considero de uma irresponsabilidade a toda prova. Seria o momento das pessoas se organizarem, construírem um movimento de pressão democrática para fazer cumprir a lei do piso e retomar a carreira destruída, dentro de um processo de diálogo construtivo, que o governo do PT parece ter oferecido. Mas, é certo que o governo Pimentel não fará milagre, ainda mais debaixo de grande crise mundial e nacional e estadual também. Crise que se agrava graças ao clima de pessimismo que a mídia cria diariamente.

Imaginem um empresário querendo investir no Brasil. Ele abre o jornal pela manhã e encontra somente notícias negativas: a inflação vai subir (não subiu, mas os especialistas já preveem que vai subir), a economia está estagnada, o governo federal está envolvido com todo tipo de corrupção, a maior empresa brasileira vai quebrar, enfim, o inferno está instalado. Quem é que vai investir num cenário desses? E claro que isso tem repercussão na geração de emprego, na arrecadação de impostos e na capacidade do estado bancar aumentos salariais.

Na época em que o Brasil crescia de 4% a 5% ao ano, e que o governo tucano de Minas dizia que crescia mais do que a China, e a mídia regional blindava o governo, os educadores colheram arrocho salarial, o não pagamento do piso, a destruição da carreira. Agora, debaixo da crise, do pessimismo fomentado pela mídia, do clima de golpe, não dá para exigir que o governo, no primeiro mês, devolva aos educadores tudo o que os governos tucanos tiraram. É preciso, sim, exigir uma política bem definida de recuperação dos salários, do pagamento do piso, da devolução da carreira, dentro de um cronograma, de um tempo, que permita ao governo redirecionar suas prioridades. E que propicie também alguma recuperação imediata do poder de compra dos educadores.

É hora de negociar e dialogar com o novo governo mineiro o aumento real e algum ganho imediato nos salários dos educadores, isso é fato. E o sindicato precisa chamar a categoria para discutir as propostas, apresentar as alternativas e buscar soluções de consenso.

Enfim, o cenário nacional é grave. Há um clima de golpe, perigoso para o presente e o futuro do país. As pessoas envolvidas não estão nem aí para o que pode acontecer com o país. Estão pouco se lixando se a economia vai para o abismo, se milhões de pessoas voltarão a passar fome, se milhões perderão o emprego, enfim, muitos até torcem para que isso aconteça, pois eles têm bilhões de dólares estocados nos bancos de outros países. Querem ver o circo pegar fogo para depois tirarem proveito disso. Cabe a nós, os de baixo, não permitir que isso aconteça. E deixar claro que, se alguma mudança houver, terá que ser em favor dos de baixo. Se eles criarem o clima de guerra, eles podem se queimar com isso. Nas últimas eleições, o povo brasileiro fez a opção por mudanças em favor dos de baixo. Não quer o retrocesso. Não aceitaremos o golpe sem resistência.

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

                      ***

254 comentários:

  1. Este texto mostra uma realidade que muitas pessoas esquecem.Conquistas maravilhosas nossa que os de cima querem tomar.Estados Unidos se unindova esta corja.E loucos para se apossarem de nossa principal fonte de lucro.Acabariam tudo que conquistamos.Ainda tem muita gente indo junto com esta midia.Muitos....... Eu era feliz e nao sabia.

    ResponderExcluir
  2. Em relação às considerações que você faz nesse post, embora também ache que no Brasil por trás de qualquer denúncia há interesses escusos, me permito discordar de sua posição sobre o que o PT representa atualmente para a esquerda brasileira. As atitudes de Lula e Dilma são incompatíveis com os ideais de uma esquerda séria. As alianças que Lula fez e que Dilma repete são um horror, PMDB, PP. kassab, Jader barbalho, Ciro e Cid Gomes, Maluf, Sarney, Newton Cardoso,Renam calheiros, Sérgio Cabral e outros. Fico de boca aberta com Joaquim levy comandando a economia de um país que supostamente tem um governo de esquerda. Fico de boca aberta quando leio que um diretor de 3º escalão propõe devolver 256 milhões, fruto de corrupção, e que seus chefes garantem não ter percebido nada. Tais chefes são cegos ou idiotas? Me estarreço quando leio que esse mesmo diretor era indicação de José Dirceu e era mantido na função por insistência desse senhor que parte do PT trata como mártir. Fico estarrecido em saber que o PT que nasceu dos porões do sindicalismo tem a coragem de promover ações que punem o trabalhador e que é incapaz de taxar as grandes fortunas. Fico pensando porque todo político muda quando vira situação e se submete a qualquer negociata. Precisamos avançar e buscar novas alternativas. Não podemos ficar nas mãos dessa dualidade PT/PSDB, que possuem as mesmas formas de agir. Precisamos votar em quem durante as campanhas proponham soluções e que vencendo as eleições não mudem seu discurso. Precisamos de gente séria, que se comprometa com os menos favorecidos e que produzam uma sociedade mais justa, sem o assistencialismo barato que mantém as pessoas atreladas a governantes pois os programas implementados nunca lhes dá independência, mas apenas cria a subserviência.
    Chega de ouvir falsas promessas. E nessa situação das falsas promessas inclua nossa categoria aqui em MG, durante a campanha era possível adotar o piso como vencimento básico, era possível devolver nossas vantagens, era possível sanar as arbitrariedades do governo anterior. Agora, após ter o voto da classe, tudo é dificil. Será que o então candidato Fernando Pimentel não tinha nenhuma noção da situação financeira do estado ou sabia e seu propósito era nos enganar? Se não sabia era um desinformado, se sabia agiu de forma desonesta.
    Chega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, faço minhas as suas palavras. somos os "de baixo" em nosso estado e é doído ver aumentos e adicionais para aqueles que representam "os de cima" e desculpas e mais desculpas para corrigir distorções que penalizaram por anos a fio toda uma categoria profissional que acreditou, nutriu esperanças e foi às ruas para garantir a vitória de um partido que se "solidarizava" com a classe. Pleitear o governo de um estado e desconhecer completamente a real situação financeira de tal instituição é negligência. Prometer algo aos professores conhecendo a situação financeira do estado que impedia o cumprimento da promessa é ser cruel e enganoso. Conceder 40% de aumento a quem já ganha suficientemente bem, em tempos de crise (será?) é debochar dos professores. Chega!

      Excluir
    2. Vamos lutar sim por melhoras.....E para que a Dilma continue.Ou teremos que esperar mais 12 anos?

      Excluir
    3. "(...) Chega de ouvir falsas promessas. E nessa situação das falsas promessas inclua nossa categoria aqui em MG, durante a campanha era possível adotar o piso como vencimento básico, era possível devolver nossas vantagens, era possível sanar as arbitrariedades do governo anterior. Agora, após ter o voto da classe, tudo é dificil. Será que o então candidato Fernando Pimentel não tinha nenhuma noção da situação financeira do estado ou sabia e seu propósito era nos enganar? Se não sabia era um desinformado, se sabia agiu de forma desonesta.
      Chega.

      ((((((((((((((((((((Eu gostaria de ter escrito isso. Parabéns pela lucidez))))))))))))))))))

      Excluir
    4. TRAIU PT, PATRUS E OS PROFESSORES.

      Excluir
    5. Sábias palavras, parabéns!

      Excluir
    6. Zzzzzzzzzzzzzzzzzzz

      Que canseira! O mesmo mimi de sempre.

      Esquece que na política exige-se alianças.

      A nossa Constituição não permite o poder absoluto.

      Dilma não pode fazer o que bem quiser.

      E é necessário alianças para conseguir a governança.

      Excluir
  3. É esse o papel que a mídia deveria fazer.O que você disse aqui é o que a maioria do povo brasileiro deveria saber .Mas a mídia não faz o papel dela de ser honesta nas informações.Você é o salvador dessa pátria tão carente de tudo.Continue assim amigo Euler esses esclarecimentos são de total importância a todos nós indistintamente de o que somos e onde estamos.Não vai acontecer isso se Deus quiser e Ele quer.Brasil não merece retroceder na história.Obrigada por ser essa pessoa tão esclarecida e que faz um papel importantíssimo para a sociedade .

    ResponderExcluir
  4. Professores do Parana entram em greve, tai leiam os motivos.educação falida no Brasil, começou os nossos noventa dias uma parte ja passou... esperamos.

    ResponderExcluir
  5. Apesar de toda desinformação, distorção, dá uma vergonha ver professor citando como fonte O Globo, Veja... Quem é analfa pode se dar ao luxo de não enxergar essas artimanhas, mas gente "instruída" defender o indefensável é de doer!

    ResponderExcluir
  6. Gente,o que mais assusta seria o Brasil n no controle destes loucos. Todos sabem da loucura dos EUA por lugares que existe riqueza mineral.Querem tomar tudo que for nossop
    E com isto tudo que o povo lutou se acaba em nada.Em Minas ,alguma coisa poderia mudar,agora?....Adeus .


    ResponderExcluir
  7. CARTA CAPITAL
    Política

    Análise/Marcos Coimbra

    Dois janeiros
    O primeiro mês do segundo mandato de FHC foi pior. Mas ele tinha a simpatia da mídia
    por Marcos Coimbra — publicado 08/02/2015 09:09

    inShare
    1
    Televisão Cultura/Flickr
    FHC
    O primeiro mês do segundo mandato de Dilma Rousseff ainda é melhor que o mesmo período de governo de Fernando Henrique Cardoso
    Leia também
    Dilma, um e dois
    A Petrobras e a opinião pública
    Aceitar os fatos
    A democracia em risco


    Janeiro foi um mês péssimo para o governo Dilma Rousseff. Nem é preciso enumerar as razões, da falta de chuvas à interminável agonia da Petrobras. Como se não bastassem, a presidenta enfrentou a hostilidade das esquerdas ao ministério e as malcriações da direita, que abusa de um discurso cada vez mais grosseiro. Para coroar os padecimentos, em 1º de fevereiro os deputados elegeram Eduardo Cunha presidente da Câmara.

    Ruim? Com certeza, mas esse janeiro está longe de ser o pior primeiro mês de um segundo mandato presidencial em nossa história. O título continua nas mãos de Fernando Henrique Cardoso, no início de seu segundo mandato em 1999.

    Para quem está impressionado com os problemas de Dilma no mês passado, a comparação com os de seu antecessor peessedebista é pedagógica. O que dizer de um mês no qual a inflação anualizada saltou de 1,78% para 20%? Do momento em que uma desvalorização não coordenada do real elevaria em pouco o tempo a cotação do dólar de 1,32 para 2,16? No qual as reservas internacionais haviam se exaurido após uma tentativa malsucedida de evitar o derretimento da moeda nacional? Calcula-se que o Brasil perdeu 48 bilhões de dólares naquele período, o que torna coisa miúda os desvios até agora denunciados na Petrobras.

    Janeiro de 1999 foi um mês de tanta balbúrdia na economia que o Banco Central teve três presidentes, um dos quais preso pela Polícia Federal. Ficou evidente que o governo tinha “amigos” no mercado financeiro, pois alguns bancos e corretoras receberam informações privilegiadas e amealharam uma fortuna, enquanto o resto do País pagava a conta.

    Inflação explosiva, erosão do real, fuga de capitais, descontrole administrativo, suspeitas de favores, policiais a vasculhar a vida do presidente do Banco Central. Assim foi o primeiro janeiro de Fernando Henrique depois da reeleição.

    FHC, óbvio, tinha uma vantagem sobre Dilma, a simpatia dos barões da mídia e, por extensão, da maioria dos jornalistas empregados nesses meios de comunicação. Por mais que se inquietassem com o vendaval a vergar a economia e as denúncias de malfeitos, nada do que se vê hoje contra Dilma acontecia. Se você duvida, imagine como ela seria tratada pelas corporações midiáticas se um cenário como o de 1999 se repetisse agora.

    A simpatia dos meios de comunicação pouco serviu, porém, a FHC. Todas as pesquisas feitas de janeiro de 1999 em diante mostraram quedas na popularidade e na avaliação positiva do governo. Em fevereiro daquele ano, um levantamento do Vox Populi revelou que a soma de “ótimo” e “bom” ficava em 19%, enquanto a de “ruim” e “péssimo” alcançava 47%. Em setembro, a positiva afundou a minguados 8% e a negativa saltou para estratosféricos 65%.

    Dilma, como sabemos, ostenta índices muitíssimo melhores: nas últimas pesquisas disponíveis, sua avaliação positiva estava em 42%, enquanto a negativa era quase a metade, perto de 22%. Quisera FHC obter números como esses. (...)

    ww.cartacapital.com.br/revista/836/dois-janeiros-8626.html

    ResponderExcluir
  8. Não há que ter medo. Tem que se provar realmente que há políticos, chefes, presidentes, com intenções sérias, mas provar, mesmo que essa mídia imunda tente o contrário. Agora já vem as contas que o HSBC prova de brasileiros na Suíça, e se for ver está tudo junto e misturado. Tem que se jogar com as mesmas cartas. E provar que quem não presta vai sair. O resto é chorar o leite derramado... Isso eu não faço. Olho pra frente, sempre e vejo qual o próximo passo. Isso tinha que ser todo governante. Em MG, vide AECIO, e Anastasia, nada fizeram, o próximo abre as contas, e começa a trabalhar, e fazer o que for possível, para o seguinte continuar. Mas, só bate boca não dá...

    ResponderExcluir
  9. No " Paraná Tucano", professores da rede estadual iniciaram hoje uma greve por tempo indeterminado. Força a eles! E vamos ficar atentos aqui em Minas!

    ResponderExcluir
  10. Dizem que um banqueiro injetou dinheiro na midia para aumentar mais e mais as reportagens sobre a petrobras.Resultado:as cotas caem.Este banco compra tudo.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Euler!!! Vamos continuar apoiando o governo, criticando seus deslizes para aprimorarmos cada vez mais. Jamais compactuar com este estado de coisas que só visa o pior para o Brasil e os brasileiros. Querem o poder pelo poder. Não vamos aceitar de forma passiva este complô idiota armado por uma elite entreguista(já demonstrou várias vezes). Vamos apoiar o Pimentel e saber que com os tucanos só perdemos. Vamos buscar a "reconquista" com esperanças de dias melhores. Força na luta e até a vitória.

    ResponderExcluir
  12. Sim, com esperanças de dias melhores para, quiçá, 2025, 2030; quem sabe???

    ResponderExcluir
  13. Parece que os brasileiros estão hipnotizados pela mídia. Devemos relembrar que essa mesma rede globo e veja que tanto bate na Dilma, Lula, PT e demais partidos da esquerda é a mesma que foi a favor de golpes militares, apoiou a ditadura, foi contra as diretas já, apoiou Fernando Collor( o caçador de marajás), esconde o máximo que pode as falcatruas dos partidos da direita e sempre fez uma campanha velada contra o Brizola.
    Essa mídia porca sempre prestou um desserviço à democracia e aos brasileiros. Nós educadores temos a obrigação de informarmos nossos alunos e orientá-los a buscar outros caminhos para se informarem.

    ResponderExcluir
  14. Tem muito inocente que acredita em tudo que a mídia propõe e muito inocente que insiste em não ver os absurdos cometidos. As manifestações de 2013 deveriam voltar com força e arrancar de seus postos essa banda podre da política brasileira, ou seja fazer uma limpeza geral. Não sobraria praticamente ninguém.

    ResponderExcluir
  15. Vc pode nos informar qual o motivo do corte do Ipseng,menos os descontos ,o q falam é q não houve pagamento do hospital e médicos .Parabéns pelo seu texto,ele nos esclarece muito!!!!!!!!!!apesar de um tanto decepcionada com a situação q nos encontramos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  16. Antonio Anastasia foi uma farsa. Pimenta seria uma farsa. Pimentel é uma farsa. Esse país é uma farsa.
    Como dizia meu querido roceiro: Esse povo é tudo farso.
    Rsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  17. QUANDO IREI RECEBER? PARECE QUE O SISTEMA DE PAGAMENTO TÁ TRAVADO A ALGUNS MESES.
    1º Parcela ( Ref. Setembro / 2014 ) Pagamento efetivado ( 08/01/2015 20:36 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento
    2º Parcela ( Ref. Outubro / 2014 ) Aguardando pagamento ( 20/01/2015 22:05 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento
    3º Parcela ( Ref. Novembro / 2014 ) Aguardando pagamento ( 20/01/2015 22:05 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento
    4º Parcela ( Ref. Dezembro / 2014 ) Aguardando pagamento ( 20/01/2015 21:07 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento
    5º Parcela ( Ref. Janeiro / 2015 ) Aguardando pagamento ( 27/01/2015 20:44 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento
    6º Parcela ( Ref. Fevereiro / 2015 )
    [mais] Detalhes da avaliação
    [mais] Detalhes do pagamento

    ResponderExcluir
  18. Este blog tá cada dia pior.Nada a ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só não acessar, tchau!!

      Excluir
    2. O espaço está aberto ás discussões dos nossos problemas comuns e o pacto pelo fortalecimento do ensino médio interessa a todos nós que atuamos no ensino médio.

      Excluir
    3. Realmente....

      Esse blog está chato mesmo !

      Inclusive a própria GLOBO com a mesma chatice de PETROBRÁS...

      Como não vai dar em nada, fica essa chatice...

      Excluir
    4. E você mais chato ainda por fazer uso de algo que o contraria.

      Excluir
  19. Aumenta o número de professores que abandonam as salas de aula
    ("por exemplo" : nosso grande Prof. Euler Contado" > com tem visão, "cascou fora")

    O Jornal Nacional começa a apresentar nesta segunda-feira (02), uma série especial de reportagens sobre a situação dos professores no Brasil.

    É uma profissão que todo mundo elogia, todo mundo concorda que é fundamental, mas que tem despertado o interesse de um número cada vez menor de brasileiros. Os motivos disso estão em discussão na reportagem da Graziela Azevedo e do Ronaldo de Sousa.

    O Brasil tem uma necessidade urgente na escola. O país tem uma promessa: "Nosso lema será: Brasil pátria educadora”, afirmou a presidente Dilma Rousseff no discurso de posse.
    E um grande desafio: “O apagão já começou há muito tempo. O déficit de professores nas áreas de química, física, matemática e biologia é da ordem de 150 mil professores” conta o diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos.

    “Eu fiquei dois anos sem professor de matemática. Na 5° e na 6° série. Então até hoje eu tenho muita dificuldade”, conta a estudante Larissa Souza.

    “Fiquei trocando de professor de história na 8° série cinco vezes”, reclama um aluno.
    Aqueles que poderiam ser futuros professores também estão sumindo dos cursos universitários de formação.

    Acontece nas faculdades particulares: “Na licenciatura de pedagogia, sempre no primeiro semestre é lotada. São 60, quase 70 alunos e vai diminuindo. O pessoal do 6°semestre, nós temos 10 alunos”, explica Carolina Gato, estudante de Matemática e Pedagogia.

    Nas universidades públicas a desistência também é notória: “Porque as lacunas começam a aparecer, então coisas que deveriam ter aprendido no ensino médio não aprenderam e aí chega na hora da prova tira zero, tira 2 na prova. Vira uma bola de neve e abandona o curso”, conta Rebeca Omelczuck, estudante de Física.

    Mas e quem ficou? Como estão os professores que levaram seus cursos até o fim e estão encarando as salas de aula?

    ResponderExcluir
  20. Espero que o sind ute junto ao governo resolva a situação de quem tem lic.plena e recebe como curta peb t2,isso aconteceu com quem tomou posse no primeiro semestre de 2004, conforme me informaram na superintendencia.

    ResponderExcluir
  21. Minas, tome coragem!
    Professores do Paraná invadem e interrompem a votação do pacotaço.




    10/02/2015 19h59 - Atualizado em 10/02/2015 23h08
    Após invasão, Alep adia votação de 'pacotaço' do Governo do Paraná
    Reunião na manhã de quarta-feira (11) deve definir retomada da sessão.

    ResponderExcluir
  22. Compaheiros e companheiras, neste momento em que alguns( mas )bundas sujas querem a piada _"impichimem", deveríamos sim ´´e pensar em continuar dando uma mãozinha e fazer a nossa parte como cidadãos e cidadãs neste governo que aí está. Agora que uma mulher GANHOU, as eleiçoes e naturalmente DERROTOU um frango velho, do pé cascudo ( igual ao pavão -penas bonitas e pés feios, ainda que el o pavão esteja com cara de mofo, precisando de tirar umas férias e descansar ( olha as olheiras, cara inchada, corpo marronzado). E ai? que , vamos trabalhar. A justiça que apure o que há de errado em qualquer instância, seja no municipal (pricipalmente prefeitos que não deveriam terminar o mandato - faz uma pesquisa, que vocês vão achar), seja no estado e no federal. tudo vai chegar no lugar. ainda que demore. Estamos ainda no atraso intelectual, moral e até mesmo no físico, mas não podemos desfocar o que é direito do povo. Alguns deputados (as) federais,estaduais e senadores é sim ,que deveriam ser cassados , sofrer o famoso impichimente Vão trabalhar senhores (as) desejosos de impichimente. Cruz credo que falta de sossego.Deixem o BRASIL em PAZ. Tudo por causa do pré sal. Vão te catar. Vão ler mais, estudar, trabalhar, divertir. Parem com disse me disse. Até a vitória. Bjs.

    ResponderExcluir
  23. É geral, em várias partes do estado está faltando professores, parece que nem aqueles que gostam de fazer um bico, estão querendo mais.

    ResponderExcluir
  24. QUE FARRA , HEIN !!! ????

    http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2015/02/em-votacao-relampago-deputados-aprovam-auxilio-moradia-no-2-turno.html

    http://www.folhavitoria.com.br/politica/noticia/2015/02/sob-vaias-assembleia-de-minas-aprova-volta-do-auxilio-moradia.html

    DEFENDO PAREDÃO E FUZILAMENTO PARA TODOS ESSES DEPUTADOS. ELES SÃO OS VERDADEIROS BANDIDOS DA NAÇÃO !

    E ENQUANTO ISSO : http://www.jogodopoder.com/blog/politica/com-a-palavra-o-sindute-pimentel-nao-vai-pagar-piso-aos-professores/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. www.jogodopoder.com, site mais tucano impossível... Reverencia o aecio never a cada frase.

      Excluir
    2. O site pode até ser tucano, mas a informação procede. E aí, como ficamos ?

      Excluir
    3. Estranho.... fazer qualquer crítica ao Pimentel é, na visão de alguns, ser aecista. Que bom então. Vamos admitir que está tudo bem e que o novo governo não precisa cumprir as promessas feitas em campanha.

      Excluir
    4. Estranho ... tão estranho, que até Pimentel parece ser tucano, assina compromisso não cumpre, dá aumento para quem já ganha muito aí vem falar em lei de responsabilidade fiscal.Para o professor seria reajuste, mas pelo jeito, serão só reuniões e reuniões...Sindute faça valer a pena cada filiação...Só podemos contar com o Sindute ou então GREVE GREVE GREVE GREVE............

      Excluir
  25. UM MILHÃO DE REAIS, FARIA A MINHA INDEPENDENCIA FINANCEIRA, MEU CARO COALHADA: FALOUUUUUUUUUUUUU

    ResponderExcluir
  26. GARANTIDO COM SUAS 40 AULAS SEMANAIS, ERA SÓ ALEGRIA AQUELE ENGENHEIRO. É A REALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário de uma PROFESSORA : " - E pensar que a campanha de Pimentel se baseou no salário do Magistério. Entendo a situação financeira do Estado, mas não entendo sermos usados desta maneira odiosa nas campanhas eleitorais.Educação em Minas virou trabalho voluntário?"

      Excluir
    2. Trabalho voluntário não, escravo...

      Excluir
  27. Está na hora de Pimentel mostrar a que veio. Dilma e Pimentel precisam do apoio dos professores mineiros e do restante do Brasil. Precisamos do empenho do governo mineiro para a recuperação financeira dos profissionais da educação. A situação está alarmante. Valha-nos Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mostrar a que veio??? Ora, aumentar o $eu.

      Excluir
  28. ACORDA PROFESSORES!!!!! NINGUÉM FALA MAIS SOBRE O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE DE 2013 E 2014. ENQUANTO ISSO DEPUTADOS AUMENTAM SEUS GANHOS. ONDE SE ENCONTRA O SINDICATO PARA COBRAR O PRÊMIO??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FAZEM LEIS PARA PUNIR O CIDADÃO E SOBRAR DINHEIRO PARA DESVIAREM EM OBRAS QUE NÃO EXISTE

      Excluir
    2. O JEITO É IRMOS PARA RUA MESMO

      Excluir
    3. Na rua da amargura já estamos há muito tempo.

      Excluir
  29. Pensei que a nossa categoria tivesse mais maturidade. Eu votei no Pimentel por acreditar que com ele teremos mais possibilidades de diálogo e negociações. Mas eu sabia o tempo todo que ele não iria resolver os problemas acumulados por (des)governos passados, como se tivesse uma varinha de condão. Acredito que melhor que o psdb ele será. Mas se queremos piso salarial nacional e a carreira antiga de volta, temos que ir a luta. Precisamos dar um tempo para vermos as pretensões de nosso governador, caso ele não se manifeste, somente a mobilização da categoria poderá surtir algum efeito. Aos profissionais que acreditam que um dia, teremos um político que nos dará tudo sem que façamos alguma coisa, espere sentado por que em pé vai se cansar.

    ResponderExcluir
  30. Eu vou confessar: Sou PSDB (quase) doente (risos), mas diante da simpatia do candidato Pimentel, fazendo louvores à valorização dos professores mineiros, com essa história de pagamento de piso salarial, votei nele. Meu estômago embrulhou, porque eu detesto o PT. Eu vendi o meu voto. Espero que na reunião do dia 12, algo se resolva a nosso favor. Entendo que o moço não pode fazer tudo se transformar num mar de rosas, de repente, mesmo porque a herança deixada por Anastasia vai dar muito pano pra manga, mas ele, o Governador, deveria ter feito uma previsão do estado financeiro do Estado, antes de espalhar sua simpatia e falácia. Essa história e aumento de 40% e auxílio moradia a setores já privilegiados me deixa "doente". Se isso for mesmo verdade, então não justifica dizer que Minas não tem caixa para pagar o piso.
    Oremos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma lenga lenga do Anastasia está sendo usada pelo Pimentel. A reunião acabou e nada de concreto. Pior do que não fazer, é assinar termo de compromisso, prometer e depois criar uma comissão de mentira que não vai fazer nada. Só enrolar. Marcaram nova reunião para Abril. Se alguém ainda confia em político, espera a próxima eleição. Quem sabe?

      Excluir
    2. Porque te deixa doente os privilégios dos políticos?

      O seu partido do coração (PSDB Gargalhada Alta), vive à custa da coisa

      publica há séculos.

      Excluir
    3. GENTE, essa situação em que nos encontramos chega a ser
      apolíPTica.
      Todo mundo pulou no alçapão para PEGAR O OURO PROMETIDO, inclusive eu.
      Continuaremos CARREGANDO PEDRAS e com PIMENTA NOS OLHOS.
      "Pra variar".

      Excluir
  31. E agora....vamos todos tambem candidatar a deputados!!!Mas dizem que da muito trabalho.Muitos votos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como PROFESSORA do ESTADO DE MG, estou em dúvida : - Em 2016 não sei se me candidato a dePTada ou a de-PUTA-da.

      Excluir
  32. Alguém ainda acredita que deputados como os do pt, psdb, pmdb e tantos outros partidos estão a favor do povo? Risos

    Eu quero meu auxílio moradia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os parlamentares do PT não receberam e não receberão o auxílio moradia.

      Generalizar é muito complicado.

      http://www.rogeriocorreia.com.br/noticia/nota-de-esclarecimento-continuaremos-nao-fazendo-uso-de-%E2%80%9Cauxilio-moradia%E2%80%9D/

      Excluir
    2. Porque então votaram a favor dessa vergonha?
      Ah! Me esqueci, é a síndrome de carneirinho, maria vai com as outras.

      Excluir
  33. O PSDB segue uma mesma cartilha para governar no país inteiro. No Paraná ,o governo também quer transferir o dinheiro de um fundo de previdência dos servidores, reservado para o pagamento de futuras aposentadorias, para o caixa único do estado e também quer acabar com direitos adquiridos durante anos de trabalho. Sempre querem jogar o prejuízo nas costas do funcionalismo. Greve neles!! Aqui estamos de olho! Queremos o retorno do nosso fundo de pensão!

    ResponderExcluir
  34. GOVERNO FALA QUE GASTA 38% DA FOLHA COM SERVIDORES APOSENTADOS E INATIVOS, ORA, O FUNDO DE PREVIDÊNCIA QUE OS GOVERNOS COMERAM QUE DEVERIA BANCAR ESSA DÍVIDA, LOGO ESSES 38% DEVE SER CONTABILIZADO COMO PAGAMENTO DE DÍVIDA E NÃO COMO PARTE DA FOLHA DE PAGAMENTOS ASSIM A LEI DE RESPONSABILIDADE FICARIA COM FOLGA PARA OS AUMENTOS.

    SE OS GOVERNOS ANTERIORES NÃO TIVESSE SURRUPIADO OS FUNDOS, COM CERTEZA ESTARIA AI COMO A PREVI, ETC. CHEIOS DA GRANA.

    Despesa de Pessoal Pessoal Ativo Pessoal Inativo Contratados Total
    Despesa Pessoal 21.498.714.582,22 13.565.424.453,32 707.723.873,64 35.771.862.909,18

    ResponderExcluir
  35. O PROBLEMA ESTA AI DESPESA 12/14

    FUNDO FINANCEIRO DE PREVIDÊNCIA 8.066.294.733,64

    ISSO É DÍVIDA E NÃO FOLHA DE PAGAMENTO DEVERIA SER CONTABILIZADO COMO PAGAMENTO DE DÍVIDA DO ESTADO UMA VEZ QUE GOVERNOS VEM SACANDO OS FUNDOS DOS SERVIDORES.

    ResponderExcluir
  36. OUTRO PROBLEMA ESTA AI, PMMG
    ]
    POLICIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS 4.270.641.648,60 3.033.395.447,52 0,00 7.304.037.096,12

    OS INATIVOS CONSOMEM METADE DO PAGAMENTO DA FOLHA SEM FALAR QUE A FOLHA DA PM É MAIO QUE A DA EDUCAÇÃO

    ResponderExcluir
  37. A REAL MESMO É ESSA AI, SOMOS MAIORIA COM SALÁRIO MERRECA
    PORCENTAGEM RELATIVO A 2014 EM GASTOS COM A FOLHA ANUAL


    INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES MILITARES DO ESTADO DE MINAS GERAIS 3%
    SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA 3%
    SECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL 4%
    POLICIA CIVIL DO ESTADO DE MINAS GERAIS 4%
    SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCACAO 22%
    POLICIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS 24%
    FUNDO FINANCEIRO DE PREVIDENCIA 27%

    ResponderExcluir
  38. cade a tabela que falaram que sairia hoje?

    ResponderExcluir
  39. Como pode uma anta como esse deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi eleito?? E ainda mais, é presidente da câmara??

    ResponderExcluir
  40. Euler,por favor, dê notícias... Cadê você???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá enchendo os bolsos como funcionário de algum deputado!!! Já perceberam a tática dele? Não? Então prestem atenção na mudança dele!!! Olho vivo...Cada um quer mais é se arrumar...

      Excluir
    2. Poder e política : jogo de CONVENIÊNCIAS.

      Excluir
    3. A habilidade com a palavra a serviço da alienação...

      Excluir
  41. Pimentel aprendeu com Anastazia, comissão de avaliação do piso, so para inglês ver, subsídio é melhor para o estado. AGORA E HORA DE PRESSIONAR GREVE JÁ .....
    VAMOS MOSTRAR A INTENÇÃO DA CATEGORIA SOU O 1○ CONCORDO CO A GREVE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um ladrão dá exemplos para o outro.

      Excluir
  42. ENFIM ... mais um ano com a mesma LENGA-LENGA.
    E pensar que "ainda" tem gente prestando concurso para professor do Estado de MG!
    Depois vêm chorar aqui ... no "MURO DAS LAMENTAÇÕES".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. A pouca esperança que eu tinha acabou hoje com a notícia do resultado da reunião com o sind ute. Vou me desfiliar do sind ute e me arrependo ter votado no Rogério Correia.

      Excluir
    2. Também vou me desfiliar. Chega!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  43. Boa noite!
    Em tempos de crise hídrica, esse novo governo MG foi a última gota d'água para nós servidores da educação, salve-se quem puder.

    ResponderExcluir
  44. Pimentel dando pra trás.Só em abril é que vai apresentar nova proposta.É muita enrolação.Não vai poder pagar o piso???? Espere pra ver na próxima eleição.O professorado já está treinado em derrubar candidatos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gente" espere na próxima eleição " espere próximo fazer o mesmo, somos capazes de parar agora,AGORA E JÁ sinto muito mas não acredito em mais nada nem na palavra educação escola acabou, temos que lutar.....raiva

      Excluir
  45. Cidade Inadministrável12 de fevereiro de 2015 22:13

    Supremo Tribunal Federal e Governo do Estado de Minas Gerais: Cumprimento da sentença da ADI 4876
    https://secure.avaaz.org/po/petition/Superior_Tribunal_Federal_e_Governo_do_Estado_de_Minas_Gerais_Cumprimento_da_sentenca_da_ADI_4876/edit/

    ResponderExcluir
  46. Começou tudo de novo !Pra educação nunca tem dinheiro !Engraçado ,nunca vi eles chorarem o dinheiro que gastam com os presos e seus familiares !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, EDUCAÇÃO é o MAIOR CONTO DA CAROCHINHA implantado na Republiqueta Brasil.
      O negócio é dar CAMISINHA pra todo mundo e alienar o povo com o
      "CHUTE"bol.

      Excluir
  47. Aí está ! Estamos tendo a mais clara demonstração de que o PT pretende manter a mesma postura do PSDB. É hora de greve , de barulho e de ir pra rua !

    http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=7223

    ResponderExcluir
  48. http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=7223

    PARABÉNS SR PIMENTEL !!! O SENHOR APUNHALOU UMA CATEGORIA INTEIRA PELAS COSTAS !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Não admito que um professor fale assim do nosso Governador Pimentel,
      pois tenho a certeza de que ele nos dará um bom aumento no ....
      "finalzinho de seu SEGUNDO mandato", o que ficará para o próximo Governador. Parabéns a todos os professores que votaram no nosso querido Pimentel.
      "PRA VARIAR".

      Excluir

  49. SIND-UTE : NOTÍCIAS
    "A reunião de hoje explicitou um impasse sobre o trabalho do grupo instituído pelo governador Fernando Pimentel."

    " O governo apresentou duas simulações de tabelas:

    1) Tabela na atual estrutura do subsídio, iniciando em R$1.917,78 com progressão de 2,5% e promoção de 10%, que gera um impacto de 55,03% na folha de pagamento.

    2) Tabela na estrutura de vencimento básico, iniciando em R$1.917,78 com progressão de 3,0% e promoção de 22%, que gera um impacto de 172%.

    No entanto, ao final da apresentação, o Governo informou que as tabelas não constituíam uma proposta do Executivo e que não havia delegação da Comissão para fechar uma proposta. O grupo faria um relatório a ser entregue ao governador em abril e que este decidiria o que fazer.

    Diante disso, instalou-se um impasse. No entendimento do Sind-UTE/MG, desde a primeira reunião estava estabelecido um processo de negociação. A entidade já havia apresentado as reivindicações relacionadas a salário e carreira e esperava que nesta reunião, o governo apresentasse alguma proposta, o que não aconteceu.

    O governo apresentou novamente a discussão de proporcionalidade. Apresentou também a referência do Piso Salarial para licenciatura plena, e não para nível médio e que, na avaliação do governo, não valeria a pena voltar ao modelo anterior de remuneração.

    Com isso, voltou-se ao debate da primeira reunião, onde o Sindicato já havia esclarecido que a reivindicação era do Piso Salarial para a jornada existente e iniciando no primeiro nível da carreira, que é o nível médio. Sobre o modelo de remuneração, lembramos ao governo que o Governador Fernando Pimentel, assinou um documento se comprometendo a pagar o Piso Salarial como vencimento básico e não para manter a atual estrutura de remuneração. Não há inflexibilidade por parte do Sindicato, mas não é possível sistematicamente abrirmos mão e recuarmos sem que a categoria entenda como ficará sua vida, que proposta está sendo construída.

    Para a direção do Sindicato não é possível continuar nesta dinâmica de grupo de trabalho. É necessário que o governo apresente uma proposta que seja um ponto de partida de negociação. E o grupo de trabalho tem que ser uma mesa de negociação, que este ritmo não atende às necessidades da categoria, que viu o Piso Salarial Nacional ser reajustado em 13%, além de promessas de reajuste em 2014 que não se concretizaram.

    Depois dos debates e questionamentos, foi pactuada uma nova reunião no dia 5 de março, quando o governo apresentará uma proposta."

    Durante os debates, após o governo ser questionado sobre práticas do PSDB que permanecem, a Secretaria de Governo informou que os atuais Superintendentes Regionais de Ensino terão os atos de exoneração publicados no sábado, dia 14 de fevereiro.
    .............................................................................
    "PRA VARIAR", a "LADAINHA" de "SEMPRE".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sindicato caiu na onda do Anastásia, agora na onda do Pimentel, quando é que esse sindicato vai cair na real e deixar essa politicagem e dessa mala sem alça desse Rogério e lutar com garra para os professores. Chega de frescura BIA engrossa a coisa porque não tem greve pois, ninguém vai acreditar em você e nem no governo sem palavra.

      Excluir
  50. Estava assistindo hoje tv assembleia, e o deputado João Leite, indignado quanto às ações do governo Pimentel. Acho que ele esqueceu do que foi feito com a carreira do professor, e ele foi um dos que votou para acabar com o piso salarial da classe, no governo do psdb. A maioria desses deputados sofre da doença do esquecimento. É uma vergonha! Agora estão tirando onda dizendo que querem defender direitos dos servidores ! Então quando estava do lado do governo passado, porque n votou a favor dos servidores? E hoje, diz que quer defender os interesses dos servidores! Conta outra, vai! Quem ler bem, entende bem, interpreta bem, e repassa bem, também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigos professores,
      política e poder = um jogo de conveniências.
      Muita gente fala "nos de baixo", mas, conforme a conveniência, passam a defender "os de cima".
      Vamos acordar, minha gente!
      Fiquemos de olho nas publicações.

      Excluir
    2. João Leite : um demagogo de marca maior.

      Excluir
  51. Uai socorre me gente eu sou burra??? Não é que se o estado não tem dinheiro para pagar o piso no "país da educação, segundo a dita presidenta" poderia pedir ao governo federal???????? Por quê não vai pedir então??? Será que está roubando também Pimenta?????Ou ja quer começar a baderna???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas tem dinheiro para pagar auxílio moradia para aqueles safados que recebem até para participar de reuniões.Nós, professores, se faltarmos um dia de serviço, este é cortado.Não temos direito a nada.

      Excluir
  52. Todo governo é igual, usa os "intelectuais" da educação para se eleger e depois vira as costas.

    ResponderExcluir
  53. E agora? O sindicato vai aceitar continuar indo as reuniões para não chegar a lugar algum? Voltar sem respostas para os milhares de professores que esperavam a tabela ser apresentada? Braços cruzados não resolve nada, tem de tomar uma atitude já porque a credibilidade vai cair cada vez mais. Afinal o voto do professores dado ao PT não pode ficar sem valer nada. Hora de arregaçar as mangas e partir pra uma saída já. Caso contrário vai ficar vergonhoso, tanta luta e comemoração para nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Anastásia teve no programa do Eduardo Costa e deu muita risada qdo o mesmo perguntou a respeito da promessa e o Anastásia deu risada dizendo ELE não vai PAGAR O PISO VCS VÃO VER É SÓ PROMESSA DE CAMPANHA. MAIS UM KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  54. Companheiras e companheiros, Greveeeeeeee, já!!!

    ResponderExcluir
  55. Qual o burro que pensou que Pimentel seria diferente de Anastasia? É tudo uma cambada de safadsos que falou do antigo governo e vai fazer mesma coisa. Gente não precisamos esperar jamais que esse Pimentel vai pagar o piso. Essa negociação é conversa fiada Nós não vamos ter um aumento até decidir o que fazer sobre o piso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que ir à Brasilia e conversar direto com a presidente.Ela não disse que a educação sera prioridade?

      Excluir
    2. Dizer é uma coisa; cumprir é outra.

      Excluir
    3. políticos canalhas. são todos farinha do mesmo saco.

      Excluir
  56. Somente o Euler que acredita nesse babaca do Pimentel

    ResponderExcluir
  57. Euler, por favor, decifra esta tabela da reunião de ontem para nós.

    ResponderExcluir
  58. Favor detalhar, se possível, a tabela salarial da reunião de ontem.

    ResponderExcluir
  59. Na página do sindute tem um texto nada animador.Piso??????????????
    Só no depósito de material de construção.
    Se este piso não sair, Pimentel pode esquecer de nova eleição aqui em Minas.
    Campanha de professor tem força.Do jeito que derrubamos Aécio, seguiremos da mesma forma.
    Tem estado que não teve aula no ano de 2014.Cadê a educação deste país? O que faz o ministro da educação que não fez nada para solucionar este problema?
    Esta notícia, ouvi ontem num jornal da tv.Não tenho certeza se foi no Nacional.

    ResponderExcluir
  60. Meu filho de 15 anos que curso o 1º ano do ensino médio esta chegando todos os dias em casa com desenho de artes para colorir, que progresso tivemos na edução, ou seja saímos da mer. da CARSOLA para cairmos na bos. da MACA(ECA).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retrocesso total. É uma vergonha a educação nacional.Tem estado que nem teve aula em 2014 porque as escolas estão tão ruins, sem o mínimo para funcionar.

      Excluir
  61. O governo afirmou que prefere manter o subsídio e mencionou a proporcionalidade para o pagamento do piso !!!! Penso que não há ninguém na educação que não tenha ficado estarrecido ! Talvez por isso, o silencio sepulcral no blog e em toda Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  62. Mais uma vez fomos enganados. Só votei nele por causa de suas propostas para Educação, assinou um termo de compromisso com os professores. Agora, só reunião , reunião, reunião até terminar os 90 DIAS. "O grupo faria um relatório a ser entregue ao governador em abril, e que este decidiria o que fazer". Tá , então, as reuniões seria só pra não pagar os salários com reajustes? E mais:"O o governo apresentou novamente a discussão de proporcionalidade. Apresentou também a referência do Piso SALARIAL para a LICENCIATURA PLENA, e NÃO PARA NÍVEL MÉDIO e que , na avaliação do governo , não valeria a pena voltar ao modelo anterior de remuneração." Cheguei à conclusão de que na avaliação dos políticos, e olha que Pimentel foi a minha última aposta, a Educação é a última em suas prioridades. Primeiro é o bolso deles, segundo o bolso deles, terceiro o bolso deles...Vejam bem, "na avaliação do governo, não valeria a pena voltar ao modelo anterior de remuneração", pra ele,mas e pra nós valeria e muito... Os textos com aspas são transcrições do site do sindute. GREVE,GREVE,GREVE....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu texto reflete o meu pensamento. Não há diferenças significativas entre as diversas facções políticas no Brasil, a única diferença é a sigla. Quando são oposição defende os mais fracos, quando oposição são éticos, quando oposição tem soluções para todos os problemas. Ao tornarem-se situação as posições dão uma guinada de 180 graus e passam a agir da mesma forma que agiam aqueles que eles condenavam. CHEGA

      Excluir
    2. Ele vai precisar do nosso voto novamente e quando acontecer, será tarde demais, pois a nossa força será maior ainda em derrubá-lo.Aécio e Anastasia não fizeram nada, mas tb não prometeram.Com este aí, houve promessas escritas e tá pulando fora???

      Excluir
    3. Euler saiu do magistério e mudou o discurso.
      Enfim, os ideais partidários conforme as conveniências de cada um.
      Vamos acordar, minha gente!
      P.S.: Se ele não publicar meu comentário, confirmará ainda mais o que eu acabei de dizer acima.
      Lá se foi 2015.

      Excluir
  63. Pimentel deseja iniciar com greve dos servidores da educação e se assemelhar ao desgoverno do Paraná(PSDBosta)????

    ResponderExcluir
  64. Eu vejo que o Pimentel está acompanhando direitinho as cartilhas do Anastasia. Segundo comentam-se nas escolas que os professores de ensino fundamental inicial. vão receber, nos seus próximos pagamentos,menos R$300,00 aproximadamente,referentes as aulas de educação física, agora dada por professores habilitados . Mas como se explica isto, se quando eles lecionaram a educação física, nas séries iniciais, não receberam um centavo a mais por isto e agora vão tirar o que não deram? Ele está tal qual o outro na minha opinião.

    ResponderExcluir
  65. Votei em Rogério Correia, Pimentel e Dilma. Não só votei, como fiz campanha forte nas escolas onde trabalho junto aos alunos e famílias, vizinhos... Espero não ser decepcionada mais uma vez (Dilma já começou fazendo arrocho em cima dos trabalhadores aumentando luz e gasolina.) tenho muita esperança nesse governo. Não nos decepcione, Pimentel!! Você e Rogério Correa sabem que foram eleitos por meio do trabalho dos professores, se não fizerem o dever de casa direitinho, vão rodar na próxima e com o meu trabalho, fiquei boa nisso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 17:52, eu também fiquei boa nas campanhas.Colocar e tirar agora será conosco.Não fez o dever de casa, na próxima vai tirar nota baixa.

      Excluir
  66. ESAMOS LASCADOS, O GOVERNO COM O MESMO JOGO DE EMPURRA DO ANTERIOR, O SINDICATO"UNS FRACOS",QUE NEM PRESSÃO SABE FAZER,CAI NA PRIMEIRA CONVERSA,SINCERAMENTE ESTOU PERDENDO AS ESPERANÇAS.

    ResponderExcluir
  67. Não podemos esperar, as paralisações e assembleias precisam começar agora. Precisamos pressionar esse governo enganador. Paralisação com indicativo de greve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que vc participa mesmo das greves? Com esse ânimo todo, dá-se a impressão que nunca viveu a experiência.

      Excluir
  68. Não podemos esperar, as paralisações e assembleias precisam começar agora. Precisamos pressionar esse governo enganador. Paralisação com indicativo de greve.

    ResponderExcluir
  69. Os professores estão sem motivação nenhuma e com razão. Meu filho está no terceiro ano do ensino médio e sabem a 1ª matéria de matemática, qual foi?Matéria que foi ensinada no 5º ano, porcentagem daquela mais besta.Não sei onde vamos parar.Não devemos esperar muita coisa, porque eles não tem alegria nenhuma em ir para sala de aula e o que tá faltando de professor não é brincadeira.Todos os dias são duas e no máximo três aulas.

    ResponderExcluir
  70. Rogério Correia também votou a favor do auxílio moradia??? Quem diria?

    ResponderExcluir
  71. Sabíamos que o Estado está quebrado, mas não pagar o piso? Estelionato eleitoral!!!
    Ficamos mais que boas em fazer campanha contra governo que não cumpre o que escreve.E enviar secretário adjuntos no lugar do titular? Falta de respeito.
    Queremos o piso na carreira como assinado pelo candidato na campanha.
    Denise

    ResponderExcluir
  72. Olá, pessoal da luta! Boa noite!

    Vou dar uma primeira e superficial analisada nas propostas apresentadas pelo governo de Minas durante a reunião com o sindicato.

    Os dados fornecidos pelo sindicato ainda são muito precários e insuficientes para subsidiar uma análise mais profunda - esta é uma primeira consideração a se fazer. Se o sindicato deseja a participação ativa dos educadores, precisa fornecer mais dados.

    Por exemplo: qual o valor da folha de pagamento dos educadores hoje? O governo de Minas diz que se passar o subsídio inicial dos atuais R$ 1.455,00 para R$ 1.917,00, isto representaria um aumento de 55% na folha de pagamento. É possível, dadas as diferentes realidades. Na prática, para o professor em início de carreira, isso representaria um reajuste em torno de 31,62%. É um bom reajuste, mas não atende ainda o que os professores querem, que é o piso enquanto vencimento básico.

    Aí o governo de Minas apresenta uma segunda tabela, que o sindicato só mencionou mas não detalhou - ou foi o governo que não o fez, não sabemos -, que mostra o seguinte: se implantado o piso enquanto vencimento básico e com o valor cheio de R$ 1.917,00 para a atual jornada de trabalho e mais os percentuais da tabela da carreira antiga (3% de progressão e 22% de promoção), isso representaria um aumento de 172% na folha de pagamento.

    De fato, embora esta fórmula seja a desejável e aquela que os educadores merecem, talvez o governo de Minas não tenha caixa para bancar. Por isso quis saber qual o valor da folha de pagamento dos educadores e seu percentual em relação à folha total dos servidores do estado.

    E porque coloco as coisas nesses termos? Porque é bom lembrarmos que os aposentados não contam com um fundo próprio para o qual pagaram durante a vida toda, pois esses recursos foram usados pelos diversos governos. O tesouro do estado agora tem que bancar esses valores com seus recursos, o que faz aumentar o percentual da folha de pagamento, criando aquele velho dilema do tal limite prudencial da Lei de responsabilidade fiscal.

    Mas, não quero me ater a isso. Defendo a tese de que esse limite não deveria considerar a folha dos educadores, que têm recursos próprios, como o FUNDEB. Contudo, não há como negar que um aumento de 172% de imediato numa folha de pagamento para um estado que não está crescendo em matéria de arrecadação pode não ser viável.

    Infelizmente, o governo de Minas e o próprio sindicato não apresentaram uma terceira tabela com o valor proporcional do piso enquanto vencimento básico. Seguramente o aumento na folha de pagamento seria bem menor e talvez o governo pudesse bancar. Não sei.

    Lembro-me durante a nossa greve de 2011 que o sindicato trabalhou o tempo todo com o piso da CNTE, acima do piso do MEC, e que o governo dos tucanos aproveitou a deixa para dizer na mídia que o sindicato pedia aquilo que nem o MEC reconhecia. Só no finalzinho da nossa greve que o sindicato mudou o discurso.

    Agora o sindicato pode estar cometendo o mesmo erro em relação ao piso cheio para a jornada de 24 horas. Convenhamos: a Lei Federal não assegura isso aos educadores, e já cansamos de analisá-la aqui no blog. Ela diz claramente que os governos devem pagar o valor x de piso para jornada de ATÉ 40 horas. E em outro artigo, diz textualmente que os governos podem pagar proporcionalmente às jornadas praticadas. Ou seja, se quiser pagar o valor cheio do piso, pode. Mas, se quiser pagar proporcionalmente à jornada praticada, também pode, é legal, segundo a norma federal.

    (continua...)

    ResponderExcluir
  73. (parte 2)

    Não vamos confundir o que é legal e o que é moralmente justo e defensável. Os educadores mereciam receber um piso não de R$ 1.917,00, mas de R$ 5.000,00 para uma jornada máxima de 20 horas. Mas, vamos nos ater aqui ao que se pode arrancar do governo numa negociação atual.

    Quando o governo de Minas diz que o subsídio é melhor do que o vencimento básico, ele defende os interesses do estado, do patrão, e não dos trabalhadores. Para os educadores, o melhor é o vencimento básico, mais as progressões e promoções e outras gratificações, como o quinquênio (pelo menos este, né pessoal) e a valorização dos títulos.

    Por isso, pessoalmente, sempre defendi aqui que mesmo o valor do piso proporcional, partindo da carreira antiga que tinha sim o ensino médio como nível I, depois a licenciatura curta, depois a plena, em seguida a especialização, o mestrado e o doutorado. Nesse escopo, com promoções de 22% e progressão de 3% a cada dois anos, o valor proporcional do piso ainda é uma realidade aceitável. Para se ter uma ideia, um professor com curso superior começaria a carreira recebendo R$ 1.711,00. Mas, se já tivesse 10 anos de casa, por exemplo, e um título de especialização, o que daria direito a um nível a mais, e dois quinquênios, isso elevaria o seu salário inicial para R$ 2.500,00 para um cargo de 24 horas. Não é o melhor dos mundos, mas é bem superior aos atuais R$ 1.500 ou R$ 1.600,00.

    Mas, sinceramente, eu acho que a tendência do governo é trabalhar com a primeira tabela apresentada: subsídio com valor do piso cheio + 2,5% de progressão a cada dois anos e 10% de promoção com a mudança de nível na tabela. O que honestamente não é o pior dos mundos não, se olharmos para o resultado final, no contracheque dos educadores. Isso porque o governo estaria aumentando o valor do subsídio para o valor cheio do piso nacional, como salário inicial para o professor com licenciatura plena. O lado negativo é que essa proposta vem acompanhada da manutenção dos baixos índices de promoção e progressão.

    Se combinarmos o valor do piso cheio, mesmo em forma de subsídio, com os percentuais da tabela antiga, os resultados melhoram um pouco, vejam:

    - um professor em início de carreira passaria de R$ 1.455,00 para R$ 1.917,00;

    - um professor com licenciatura plena e com 10 anos de casa (nível I, letra E) passaria a ganhar R$ 2.222,00 para um cargo de 24h.

    - um professor com especialização ou mestrado, que tivesse direito ao nível II e 10 anos de casa (nível II, letra E), teria direito a um salário de R$ 2.711,00 para uma jornada de 24 horas. Igualmente, não é o melhor dos mundos, mas para quem tem dois cargos, já daria para respirar.

    No final, o que contará mesmo é a amarração nos detalhes, tipo: a volta dos percentuais da tabela antiga (3% para progressão a cada dois anos aplicados automaticamente ao tempo real de trabalho de cada educador; e 22% de promoção para mudança de nível, considerando a especialização ou uma certificação adquirida pelo profissional, além dos outros títulos para as próximas promoções).

    Além desse importante dado dos percentuais, a categoria tem dois caminhos a escolher: ou o subsídio com valor cheio do piso, sendo reajustado de acordo com o piso nacional, o que garante reajustes anuais acima da inflação; ou o valor proporcional do piso como vencimento básico, mas neste caso partindo do profissional do ensino médio como nível I, tal como previa a antiga tabela.

    Percebo, numa rápida leitura, que estas duas fórmulas convergem para valores bem próximos, e até com ganhos para mais no caso do subsídio vinculado ao piso nacional. Reparem que nada tem a ver com o subsídio dos governos tucanos, que não estava vinculado nem ao valor do piso nacional, nem tinha compromissos com os reajustes anuais aplicados ao piso.

    (continua...)

    ResponderExcluir
  74. (parte final)

    A proposta do sindicato, que é a melhor e a mais justa para a categoria, que é a do piso cheio como vencimento básico e os percentuais da carreira antiga, partindo do ensino médio como nível I, pode se mostrar inviável para as contas do estado. Por isso precisaríamos de mais dados para questionar as contas apresentadas pelo governo de Minas. Coisa que nem o governo, e nem o sindicato forneceram (estes dados).

    Portanto, não acho que esteja tudo perdido, não. Há um processo de negociação, o governo já sinalizou que quer apresentar uma proposta diferente e superior à realidade existente. E que esta proposta do governo pode não ser a ideal para os educadores, mas pode ser bem melhor do que a atual.

    Caberá aos educadores de Minas cobrar do sindicato e do governo mais informações e mobilizar a categoria para discutir e participar dessa negociação. É preciso saber negociar, para arrancar conquistas e não ficar preso a algo que o governo não pagará, sob pena de inviabilizar a folha do estado. Mas, também não se deve aceitar aquilo que o governo quer pagar porque é mais confortável para ele. É sempre possível arrancar mais alguma coisa, mais um ganho real.

    Por exemplo: o piso nacional como salário inicial, mesmo que em forma de subsídio, mas vinculado ao piso nacional e com o compromisso em lei de reajustá-lo anualmente de acordo com o piso nacional é uma conquista importante.

    Outro exemplo: essa primeira conquista acima, acrescida dos percentuais da tabela antiga (3% para progressão mais 22% para promoção) é igualmente outra importante conquista.

    Um terceiro ponto: os dois primeiros exemplos mais a aplicação automática dessa regra (considerar o tempo efetivo de serviço de cada servidor e os títulos), seria outra conquista importante.

    Se, mais tarde, o subsídio pudesse ser transformado em vencimento básico e fosse readotado o pagamento do quinquênio, a coisa ficaria ainda melhor. E isto pode ser pauta de negociação dentro de um cronograma.

    Portanto, apesar da aparência não muito positiva, vejo que é possível avançar, mas para isso o sindicato precisa sair de um ponto fixo e cobrar propostas do governo e até apresentá-las como sugestão para fazer o governo avançar. Negociação implica também conhecer a realidade do outro, até para apresentar propostas, como: tal valor pode ser cobrado do governo federal, ou tal valor pode ser retirado da folha de pagamento e colocado em outro item, que não onere a folha.

    Enfim, é preciso mais dados e analisar as propostas para ver como é possível avançar nas conquistas. Ficar dizendo que os governos são todos iguais, que por não atenderem à proposta ideal está tudo perdido, não resolve. Isso é chorar em vão. É preciso construir os caminhos que produzam conquistas reais, mais dinheiro no bolso de todos os educadores de Minas, com garantias de reajustes reais e novas conquistas a cada ano até se atingir os patamares desejáveis e merecidos.

    É esta uma primeira análise que apresento, que, como disse, é muito superficial, com dados imprecisos, mas fica como contribuição ao debate.

    Um forte abraço a todos e conte conosco para fortalecer a luta dos educadores aqui no blog, como sempre fizemos. No final, a participação de todos será decisiva, até mesmo para mostrar para o governo que a categoria dos educadores não aceitará mais perdas. E que está disposta a lutar para arrancar seus direitos e novas conquistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Euler! Também sou professoa de História, só que aposentada. Fico pensando como o estado perdeu com você fora da sala de aula.
      O seu pensamento é o mesmo que o meu.
      Concordo com o que escreveu.
      Se exigir muito, ficaremos sem nada.
      Concordo também com a postura do sindicato.
      Carreira antiga (claro), se possivel agora com a proporcionalidade e no ano que vem piso cheio. Se pudesse escolher a minha carreira eu aceitaria assim. Esse é o MEU desejo.
      Se pudesse o piso cheio agora, ótimo, mas vejo que está muito difícil.

      Excluir
  75. Não tem como aceitar este subsídio. É inegável que que a carreira antiga nos garante um salário melhor pois os reajustes incidem sobre os quinquênios e biênios. Este subsídio é enganador. Amanhã qualquer governador que entrar pode falar que já paga o piso e não teremos nem como dizer qual é o nosso vencimento básico. Não vamos cair nesta armadilha. Iremos arrepender mais tarde. A carreira antiga nos garante percentuais maiores que farão diferença ao longo da carreira. Chega de ficar fazendo concessões. Já perdemos demais. A hora é agora. Não podemos ceder. Se o Estado não tem dinheiro que busque em Brasília. Chega de aceitar miséria. Queremos nossa carreira de volta. Abaixo o subsídio.

    ResponderExcluir
  76. Será que o Sindicato irá contra o governo (PT)e soltar uma greve por aí?É por estas e outras que um bom sindicato tem que ser anti-partidário.Só assim ele não terá rabo preso para defender sua classe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então porque nossas greves não tiveram adesão na era psdb?

      Excluir

  77. Publicado em 13/02/2015
    Paraná no Carnaval:
    “perdeu, playboy !”

    O professor peitou o Secretário de Segurança !

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/2015/02/13/parana-no-carnaval-perdeu-playboy/#.VN5OK-vTOVJ.twitter

    ResponderExcluir
  78. chega de radicalismo, vamos aceitar a proposta do governo, e o sind ute ve se não atrapalha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas qual proposta ? O governo apresentou dois modelos de tabela, mas disse que não eram uma proposta. Dá pra entender ?

      Excluir
    2. Concordo, do jeito que está, só tende a melhorar.

      Excluir
    3. NÃO É TANTA GENTE ASSIM QUE TEM PLENA E RECEBE COMO CURTA, É FÁCIL DO GOVERNO RESOLVER, SÃO AQUELES QUE TOMARAM POSSE NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2004. MEU DEUS ISSO JÁ SE ARRASTA HÁ MAIS DE DEZ ANOS. SÓ EM MG MESMO.

      Excluir
    4. Vamos parar com essa de que o estado está quebrado.Em 1997, Azeredo, então governador quadruplicou o salário da PM, após aquela greve. se tem grana pra policia, tem que ter pra professor também..

      Excluir
    5. Se tem grana pra dar auxílio moradia pra quem já tem moradia então, tem que ter pra professor também.

      Excluir
  79. Do jeito que entrou,sai.

    FORA PIMENTEL!
    FORA PT!

    SERÁ PIOR QUE AÉCIO/ANASTASIA.

    NÃO VOTO NUNCA MAIS NO PT E MUITO MENOS EM PIMENTEL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já decidi não votar em mais ninguém.Cheeeeeega de enganação e promessas não cumpridas.

      Excluir
    2. Fora Pimentellllllllll!!! Fora PT!

      Excluir
    3. As negociações mal começaram, o mandato do atual governador também, e você já deseja que ele saia? Deve estar com saudades das chibatadas de Aécio e Anastasia, só pode! Além disso, esperar que Pimentel atenda todas as reivindicações da categoria no primeiro mês de governo é no mínimo não ter o menor bom senso.

      Excluir
  80. Se aceitarmos o subsídio será a maior burrice que estaremos fazendo. Não deveria nem entrar como pauta de negociação. Temos que negociar a carreira antiga com piso no vencimento básico a nível médio. Sejamos inteligentes. Podemos até aceitar que num primeiro momento que o piso seja proporcional com compromisso assinado de que até determinada data ele passar a ser integral. Estaremos apenas exigindo o cumprimento da lei.É muito importante mantermos os índices de progressão da carreira antiga. O subsídio prejudicou principalmente os professores mais antigos.
    Esperamos que o sindicato não faça mais besteiras para arrepender mais tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! É o mesmo pensamento meu. Já ia escrever o que escreveu. Já esperamos demais. Se eu pudesse escolher o meu plano de carreira, ficaria como piso atual, com a proporcionalidade e depois negociaria, tudo assinado, claro, o piso cheio. Se ficar exigindo muito ficaremos sem nada. Lembram que o Anastasia (odeio psdb) propôs a carreira antiga para quem quisesse ficar nela e pediu que assinássemos, e quem quisesse ficaria no subsídio. O sindicato começou exigir demais e deu no que deu. Pé no chão sindicato. Vamos acabar ficando sem nada de novo.

      Excluir
    2. E agora, Sindicato?
      Fez campanha para o Pimentel. Tá aí o resultado.
      Pior do que o PSDBOSTAAAA

      Excluir
    3. Opinião inteligente e prática.Temos que trabalhar no real.Subsídio é a pior viagem.Melhor o piso proporcional, uma vez que o STF deu abertura para tal portanto piso integral para 24h só em sonho.

      Excluir
    4. Gente pior que o PSDB ? Se nem receber o sindute era recebido ? o que ganhamos com eles ? Está em negociação, fazer pressionar e voltar a carreira antiga. Melhor para os antigos e os novatos também, pois terão uma carreia para o futuro.

      Excluir
    5. Piso proporcional? Tá louco(a). Integral já é uma merreca, quem dirá proporcional. Vamos nos valorizar!!!

      Excluir
  81. Aécio júnior, o Anastasia, está de olho em 2018, meu caro Costinha: TAIS BRINCANDO?????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tais brincando mesmo.

      Excluir
    2. Essa história de costinha já deu, deixe de ser idiota e honre o título que tem, PROFESSOR, vá lutar pela categoria e se instruir. Pronto falei.

      Excluir
    3. CRUUUUUUUUUUUUUUUUUUZES, OLHA O NÍVEL, OLHA O NÍVEL.

      Excluir
  82. oPTei e será que me ferrei???

    ResponderExcluir
  83. Pessoal,

    O maior problema do ser humano é não saber controlar as emoções..

    Gente o Euler está totalmente correto !

    O estado está com problemas de orçamento, portanto é preciso chegar

    em um ACORDO. Essa é palavra mágica !

    Ambas as partes terá que ceder até chegar em um ponto razoavel...

    O próprio sindicato já enxergou isso, tanto é que solicitou que o governo

    apresente a proposta e a partir disso se posicionará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só os professores é que têm que pagar oo pato.Dinheiro para os deputados tem, pra turma que o governador empossou tem e com aumento.Pra que auxílio moradia? Nós não pagamos nosso aluguel com o nosso salário? O meu não tá dando nem pra isso, todo mês peço dinheiro emprestado para completar o salário.Roupa???? Nem pensar.Tenho 2 calças para revezar e sapatos, ganho de irmãs.Empréstimos e mais empréstimos.Não sei onde vamos parar.

      Excluir
  84. CHEGA DE LOROTAS> O Governador sabe muito bem o q queremos e necessitamos, tá fazendo de bobo p ingles vê. Não iremos abrir mão do piso na carreira. CHEGA DE PERDAS. Não somos otários.

    ResponderExcluir
  85. ALGUÉM AÍ DUVIDA QUE É TUDO FARINHA DO MESMO SACO???
    Mauri Torres empossado como corregedor do TCMG. Diversos magistrados e autoridades participaram da cerimônia, entre elas, o governador do Estado de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSD) o senador Antonio Anastasia (PSDB) o presidente do TJMG, desembargador Pedro Bitencourt e o presidente do TRE-MG, desembargador Geraldo Augusto. http://www.anoticiaregional.com.br/noticia.asp?id=467.

    ResponderExcluir
  86. A Carreira antiga só é vantajosa para os antigos, os novatos não receberão biênios e quinquênios desde em 2003 eles foram extintos, então devemos chegar em um plano que atenda a todos. pois tem mais novatos na ativa que antigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então que se discuta um mecanismo de se instituir os biênios e os quinquênios para os novatos ao longo desta gestão. É muito mais importante preservarmos a carreira. O piso será definido pelo MEC a carreira não. É pela carreira que temos que lutar. Se aceitarmos o subsídio a nossa luta acaba. Ficar no imediatismo agora pode ser a nossa destruição.

      Excluir
    2. Agora a queda de braço será servidores antigos versus novatos. É por isso que a educadores não conseguem NADA. Quando aprenderão? A união faz a força.

      Excluir
    3. O piso engloba biênio e quinquênio. Volte com eles!!!

      Excluir
  87. Sabemos que se o governo apresentar essa tabela de subsidio como proposta a maioria aceitará e não podemos ser radicais e entramos em uma greve de gatos pingados, em Ipatinga nenhuma escola paralisou nas últimas greves.

    ResponderExcluir
  88. Euler,
    Concordo com você. É importante manter os aneis, e não se perder os dedos.
    Esse aumento de 31% e uma política de carreira clara já dará uma folga aos nossos combalidos bolsos.Estamos numa situação crítica e nosso salario atual não está dando para pagar as contas e estamos cheios de dívidas de empréstimos consignados em folha.Eu devo ter uns 7 pelo menos e no vermelho no banco e nada disso é por comprar a mais.Aqui em casa é o básico e roupas, só na Loja dos 10. É porque estamos ganhando pouco e pagamos juros altíssimos. Precisamos de aumento já.Sindicato, pra ontem com essa negociação.
    Denise

    ResponderExcluir
  89. Sou efetivado da lei 100 e gostaria de saber como vai ficar a nossa situação em abril. Vamos continuar nas escolas? Vamos receber alguma coisa pelos 7 anos trabalhados? No ano que vem poderemos usar estes 7 anos em designação?
    Vão dar posse aos aprovados no concurso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que vocês foram beneficiados por uma ilegalidade, receberam por todo o tempo trabalhado enquanto que outros ficaram desempregados por vocês ocuparem essas vagas. Então, agradeçam ao PSDBosta por esses privilégios e vocês terão novas chances de serem concursados e terem a vaga por direito, o concurso está chegando.

      Excluir

  90. Defender a Petrobras é defender o Brasil!



    Ato em defesa da Petrobras e do Brasil vai reunir artistas e intelectuais dia 24/02, às 18h, na ABI, Centro do Rio

    Devido à gravidade que afeta o país e a classe trabalhadora, desde que a Petrobras passou a ser atacada por setores da sociedade que se opõe ao governo e, que apoiados pela mídia golpista, ameaçam o Brasil com a desestabilização da ordem democrática, a FUP junto a CUT, realizará um grande ato que dará inicio à campanha em defesa da Petrobras e do Brasil.

    O ato será no dia 24 de fevereiro, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), onde será lançado o manifesto em Defesa da Petrobras e do Brasil, com a presença de movimentos sociais, sindicais, artistas e intelectuais que, na atual conjuntura, mais uma vez vão se unir para defender o interesse de milhões de trabalhadores brasileiros.

    A Petrobras é nossa, pertence ao povo brasileiro. Foi conquistada na luta e será defendida na luta. Jamais aceitaremos sua privatização. Seus recursos devem ser aplicados no desenvolvimento do país, em especial na educação. Corrupção se combate com Reforma Política e esta se faz através de uma Constituinte Exclusiva e Soberana em relação ao poder econômico, aos partidos e ao governo. Todos à luta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente deveria tomar o dinheiro de quem roubou e não tirar das costas dos trabalhadores.

      Excluir
    2. Bravo!! Brasileiro não será mais enganado por essa mídia golpista.

      Excluir
  91. O funcionalismo público do Paraná insurgiu-se contra o governo.
    A mídia, como sempre acontece quando não se trata de bater em PT ou governo federal, calou-se para sempre.
    Se o governador fosse um petista, estaria no Jornal Nacional, no Fantástico.
    Como o governador do Paraná é tucano, silêncio sepulcral.
    Neste link tem um vídeo de manifestação.
    Abaixo, um artigo que uma leitora me enviou, dizendo ser um texto “equilibrado” sobre os acontecimentos no Paraná.

    http://www.ocafezinho.com/2015/02/13/o-caos-no-parana/#sthash.nTShxBDR.dpuf

    ResponderExcluir
  92. Que o sindicato tenha clareza desta vez nas negociações e repudie o subsídio. Não é possível aceitarmos agora aquilo que repudiamos durante todos estes anos.

    ResponderExcluir
  93. Já pensaram se o PSDB voltar em 2018? Se aceitarmos o subsídio agora adeus reajuste de piso. Vão dizer que já pagam além. Ou vocês acham que o subsídio foi criado pra quê? Na carreira antiga fica bem claro o valor do piso. Cuidado sindicato. Não faça a besteira de aceitar o subsídio. Vocês vão ser chamados eternamente de incompetentes. Teremos que pensar para frente. Não façam esta besteira. Usem a inteligência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o governo não quer colocar na folha vencimento básico, já tá provado que não paga nada além do piso e sim aquém.Por que ele não prova isso? Coloca vencimento básico e as vantagens em cima, vamos ver a realidade.
      Tria coragem????????????????????????

      Excluir
  94. O nosso problema não é o piso. O piso é lei. Tem que pagar. O nosso problema é que perdemos a carreira. É em cima desta tecla que o sindicato tem que negociar. Se o sindicato não conseguir nos restituir a carreira podemos desistir de dias melhores. Sinceramente , se o sindicato aceitar o subsídio estará deixando cravada a sua incompetência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendo o porque de tantos professores novos nas escolas.Gente, tente um concurso e caia fora enquanto novos.Ser professor hoje em dia é simplesmente se cadastrar na lista dos mais pobres.Estamos descendo ladeira.É triste, mas é verdade.

      Excluir
  95. Somente uma pergunta, por que quem foi nomeado no primeiro semestre de 2014, precisa ser tão injustiçado e receber como se tivesse apenas licenciatura curta até hoje???
    A minha dúvida seria resolvida tão fácil pelo governo, mas não existe boa vontade do sindicato em lutar por nós nem dos governos em reparar essa injustiça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PRIMEIRO SEMESTRE DE 2004.

      Excluir
    2. E ficamos ainda pior.Sem nem mesmo o que é nosso por direito Superior, pós.Até quando essa enrolação e má vontade?

      Excluir
  96. O NOSSO PRINCIPAL PROBLEMA É QUE O SINDICATO É UMA "MERDA",SÓ ISSO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.Sindicato é só pra inglês ver.Tem que ter pessoas de pulso neste sindicato.Depois da última reunião, era pro sindicato já propor uma assembléia e discutir com os rofessores, fazer um tipo de questionário com várias sugestões e pedir os professores para votarem, marcando x e depois apresentar o resultado em sua página.Quando a cabeça não pensa, o corpo padece e vamos padecer junto porque é ele que diz que nos representa.Tristeza pura.

      Excluir
  97. Analisando o comentário que o Euler fez a respeito da proposta, nem sei se podemos assim denominar, pois no final acabam dizendo que é uma simulação e que a comissão criada nada pode decidir, chego a conclusão que nossa pobreza é tamanha que qualquer migalha serve, vivemos tão desgraçadamente que enxergar a possibilidade de um salário de 1917,00 parece um sonho. Pobre de uma categoria que tanto se curva, pobre de uma categoria que ao invés de exigir seus direitos acaba mendigando por pequenos reajustes. Partindo do que o atual governo propõe e das desculpas que apresenta para não cumprir o prometido em campanha chego a conclusão que Anastasia e companhia estavam certos e as críticas feitas por nós erram injustas. Somente que não está mias no magistério pode defender tais propostas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua análise e conclusões estão bem fora do que eu disse e das realidades. Os tucanos impuseram um subsídio abaixo do valor cheio do piso, sem qualquer vínculo com o piso, inclusive desconhecendo os reajustes anuais acima da inflação aplicados ao piso nacional. Além disso rebaixaram os percentuais da antiga tabela. Leia o que eu escrevi e verá que não tem nada a ver com o que propus. Um pouco de boa vontade na interpretação dos textos ajuda bastante.

      Um abraço e bom carnaval!

      Excluir
  98. MURO DAS LAMENTAÇÕES MESMO.

    ResponderExcluir
  99. do jeito que a coisa caminha, PimenTel e o PT em minas, vão morrer abraçados em 2018.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se depender de mim não vão abraçar nunca mais.

      Excluir
  100. ESTUDANTE DE ENGENHARIA GANHANDO MAIS DE QUEM TEM PÓS???SIM, EM MINAS TUDO É POSSÍVEL.

    ResponderExcluir
  101. AINDA BEM QUE A VIDA É CURTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certo dia comentei com um motorisa de ônibus, que se ele e sua classe tivessem estabilidade, o salário desses seria um dos mais altos, pois nunca vi na vida uma greve gerar tantos transtornos ao comércio e a população.Eles tem a força, mas não tem a estabilidade.Se fossem funcionários públicos, estariam feitos.

      Excluir
    2. É verdade! Kkkkllkl

      Excluir
  102. Alguém já disse aqui, há um tempo, que Senador Cristóvão Buarque NÃO é o político de bem que pensamos. Acabei de concluir isso, vendo uma fala dele no senado.

    ResponderExcluir
  103. Eu sou professora e sempre acompanhei o blog. O Euler sempre defendeu a volta da carreira ANTIGA, inclusive é o que está escrito no início desta página.
    Porém, ficou claro que a postura do Euler mudou. E mudou para pior.
    Se Minas não tem dinheiro para pagar o piso, então é só o Estado comprovar que não tem recursos e pedir ajuda em Brasília, pois isso está previsto na lei do piso. E sempre foi isso que o Euler defendeu.
    Por que vc mudou de ideia? Por que vc acha vantagem aceitar uma proposta em que a carreira não será valorizada, ou seja, que a longo prazo será péssima para nós educadores ?
    Talvez seja pelo fato de vc não ser mais professor...
    Talvez seja pelo fato de vc agora trabalhar para o PT...
    Vc agora quer trair a classe para ajudar o PT?
    Eu votei no Pimentel e odeio o Aécio e o Anastasia, pois eles acabaram com a educação em Minas. O Aécio e o Anastasia foram verdadeiros monstros para os professores.
    Espero que o Pimentel cumpra o que prometeu na campanha e valorize de verdade o professor.
    Quando o PSDB estava no poder, vc sempre reivindicou a volta da carreira ANTIGA...
    A economia de Minas não está boa. Isso é fato. Então, é só o Pimentel pedir ajuda em Brasília para pagar o piso, caso não tenha recursos para isso. É tão simples...
    Fiquei triste e decepcionada com a mudança da sua postura.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em tudo o que você disse.Se Pimentel não pode pagar o piso porque não tem dinheiro então a lei não serve para nada .Basta ir a Brasília, PROVAR QUE NÃO TEM DINHEIRO (isso é que é o problema) .Eu não entendo o porque ele não faz ou não pode fazer isso.Será porquê??? Alguém aqui pode me explicar?? O que impede de Pimentel pedir auxílio à presidenta se a lei diz que pode??? Tem algo que impede essa atitude??

      Excluir
  104. SE O CANDIDATO DO PSDB FOSSE, POR EXEMPLO, DANILO DE CASTRO E NÃO PIMENTA DA VEIGA APOSTO QUE OS TUCANOS GANHARIAM EM MG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele já teria pago o nosso tão sofrido Prêmio Produtividade.

      Excluir
  105. A mídia, por exemplo não fala, que em janeiro, o poder de compra do salário mínimo foi o maior desde 1965, ou seja em 50 anos.

    ResponderExcluir
  106. Fora subsídio! Herança maldita tucana. Mas peraí, há possibilidade de continuar o subsídio tucano? Brincadeira né? Rrarararararara, noís sofre mais nóis gosta, vai indo que eu num vou.

    ResponderExcluir
  107. E ... o povo continua a prestar concurso para
    PROF. DO ESTADO DE MG!!!
    Governo agradece; Sindicato, idem.

    ResponderExcluir
  108. Já dizia o "VELHO DEITADO": - Quem tudo quer tudo perde.
    No UNIVERSO de PROFESSORES do ESTADO MG a RECÍPROCA não é verdadeira:
    - Quem Perde tudo, Tudo quer. PimenTel saudações.

    ResponderExcluir
  109. Já dizia o "VELHO DEITADO" - PIMENTA nos olhos dos outros é refresco.
    No UNIVERSO dos PROFESSORES do ESTADO MG a palavra em CAIXA ALTA
    modificou-se ao longo de MUITOS SOFRIMENTOS, culminando-se em:
    PIMENTEL nos olhos dos outros é refresco.

    ResponderExcluir