quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Educadores de Minas aguardam a resposta do governo para o direito ao piso e à carreira profissional



http://www.vtv.gob.ve/en-vivo


Venezuela enfrenta os golpes mobilizando a população e travando a luta ideológica sem medo e sem trégua. Cliquem na imagem e assistam ao vivo à mobilização convocada para este sábado pelo governo, contra o imperialismo e em defesa das conquistas bolivarianas.




Atualização em 25/02/2015: O ex-presidente Lula defende a Petrobras dos ataques da mídia golpista. E convida a todos a resistir ao golpe que está em curso no país. Não falou exatamente nesses termos, mas o Blog do Euler diz as coisas assim, abertamente. O Brasil está sendo atacado por forças lesa pátria, inimigas do povo pobre brasileiro. A mídia faz o trabalho sujo. Todo dia detona o país, a economia, o governo federal, e especialmente o PT. Se dependesse dos analistas da mídia - quase todos serviçais das elites - o país já tinha quebrado e hoje seríamos uma colônia dos EUA e países ricos da Europa. Mas, nada dizem sobre os caciques tucanos, que são inimputáveis, ou seja, não podem ser processados, nem julgados e nem condenados, e jamais aparecem na mídia como alvo negativo. No nosso próximo post vamos retomar este tema, já que o golpe armado contra o Brasil, em várias frentes, precisa ser combatido com muita determinação. Aguardem.

***



Educadores de Minas aguardam a resposta do governo para o direito ao piso e à carreira profissional



Nessa quarta-feira de cinzas, após mais um belíssimo carnaval com muita folia por todo o país - e especialmente em BH, onde o carnaval dos blocos de rua renasce com força total – gostaria de retomar a discussão sobre as principais demandas dos educadores de Minas.



É fato que durante os últimos 12 anos de governos tucanos a categoria dos educadores sofreu enormes perdas. Primeiro, com a retirada das antigas gratificações, como quinquênios e biênios, para os novatos. Em pouco tempo os novatos se tornaram maioria e isso acabou contribuindo para dividir a categoria – pois uns tinham as gratificações e outros não. Toda vez que um governo quer dividir uma categoria da importância que têm os educadores, a primeira coisa que faz é manter direitos para alguns, e retirar de outros. É uma tática antiga, que num primeiro momento ninguém percebe, já que os “antigos”, no momento da mudança, são a quase totalidade da categoria. Logo, eles são poupados apenas aparentemente, até que os atingidos se tornem a maioria, e aí o governo pode cortar os direitos de todos.



O caso da Educação em Minas foi emblemático nessa estratégia. Primeiro os governos tucanos de Aécio e Anastasia retiraram os quinquênios dos novatos, mantendo tais direitos aos antigos servidores da Educação. Em seguida, alguns anos depois, retiraram essas gratificações e vantagens de todos os servidores, inclusive dos antigos, ao criar o subsídio.



Não fosse o papel que o nosso blog, especialmente, embora não fosse o único, assumira ao denunciar a tática do governo e a maioria da categoria poderia ter apoiado a implantação do subsídio, pois, no aspecto nominal ele superava o valor do vencimento básico já despido das gratificações para os novatos. Procuramos demonstrar aqui que, a opção pelo vencimento básico, mesmo na sua forma proporcional – ou seja, não no valor integral do piso, mas proporcional à jornada de 24 horas – ainda era mais vantajoso ficar com o vencimento básico inicialmente mais baixo do que com o subsídio dos tucanos.



Explicamos que o subsídio acaba com as principais vantagens do piso nacional. Uma delas, ao desatrelar-se dos reajustes anuais do MEC, que têm acontecido sempre acima da inflação, com ganhos reais. Uma outra desvantagem é que o subsídio não contempla gratificações, a não ser os reajustes impostos pela carreira, ligados à promoção e à progressão. Neste caso, o governo tucano tratou de alterar para pior e congelar a carreira dos educadores até 2015, data em que haveria uma progressão meia-boca com reduzido reajuste salarial.



O governo Pimentel, na sua propaganda eleitoral divulgada nas rádios e TVs, disse que daria para pagar o piso que os governos tucanos não fizeram. Aliás, na propaganda tucana, dizia-se que em Minas já se pagava até mais do que o piso. Um caso citado aqui num comentário feito no post anterior pelo nosso colega Professor João Paulo Ferreira de Assis ilustra bem a força da propaganda tucana. Enquanto os educadores amargavam um miserê em matéria de salário, muitos na sociedade pensavam que os professores estavam ganhando muito bem. Pois a propaganda do governo era mais ou menos assim: nenhum professor em início de carreira receberia menos que R$ 1.400,00 e que o governo pagava até 80% acima do piso, que estava em torno de R$ 1.600,00. Então se um professor tinha dois cargos e era mais antigo no estado, passava-se a ideia de que ele receberia mais que R$ 5.000,00 por mês, quando na verdade era a metade disso ou menos. Por dois cargos de jornada de 24h cada – ou seja, por 48 horas de trabalho semanais.



Assim que tomou posse, Pimentel pediu um prazo de 90 dias para negociar uma proposta para os educadores. Oficializou uma comissão composta pelo governo e pelo Sind-UTE e mais outra entidade sindical. Algumas reuniões foram realizadas, o sindicato apresentou a proposta que tem sido apresentada aos governos, desde antes: o piso cheio enquanto vencimento básico e a carreira que foi retirada dos educadores. Na última reunião dessa comissão, o governo, segundo nota do sindicato, apresentou alguns dados, mais ou menos com as seguintes fórmulas:



a) se pagar o piso cheio enquanto vencimento básico e voltar com os percentuais da carreira antiga isso terá um impacto na folha dos educadores que representará algo próximo de 172% de reajuste. Não foram divulgados outros dados que fundamentem esses números. Sabe-se apenas que os educadores representam talvez 60% de todos os servidores de Minas. Ou talvez mais. Sabemos também que a folha de pagamento do estado envolve os salários dos aposentados e pensionistas, já que o fundo da previdência foi consumido pelos diversos governos anteriores. Ou seja: os recursos recolhidos pela previdência, que agora deveriam ser usados para pagar aos aposentados, praticamente evaporaram e essa conta tem que ser paga pelo caixa do estado. Esta é uma das razões, talvez, do estado atingir o tal limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. Se os proventos dos aposentados fossem bancados com recursos do fundo de previdência, certamente haveria mais recursos para aumentos reais de salários aos servidores públicos. Mas, a culpa não é dos aposentados, e sim dos governos que não atentaram para este problema. Além disso, isso não pode cair nas costas dos trabalhadores como desculpa para não dar reajustes de salários, pois é um problema que os governos precisam resolver, já que foram eles que criaram tais problemas. Ou seja: recolheram dinheiro dos servidores para um fim e usaram para outro.



b) se pagar o piso cheio (R$ 1.917,00) em forma de subsídio, a partir do profissional com curso superior e mantendo os percentuais atuais da carreira piorada pelos tucanos – 2,5% para progressão e 10% para promoção – o impacto na folha cairia para algo próximo de 55%. Ou seja, para o governo – veja bem: para o governo! - esta proposta seria bem mais interessante, pois o impacto na folha de pagamento seria de um terço se comparado com o impacto do piso cheio enquanto vencimento básico mais os percentuais da carreira antiga.



Na minha análise, que fiz como comentário no post anterior, chamei a atenção do fato de o governo não ter apresentado um estudo do piso proporcional enquanto vencimento básico. Isso ajudaria bastante na compreensão mais ampla do que se pode negociar com o governo. De uma certa forma, o governo mandou um primeiro seguinte recado: se pagar o piso cheio e carreira antiga, como reivindica o sindicato, o estado quebra, pois não conseguirá bancar um reajuste imediato de 170% na maior folha de pagamento que é a dos servidores da Educação. Por outro lado, se pagar o piso cheio em forma de subsídio e com percentuais da atual carreira, talvez seja possível ao estado bancar tal aumento. Não disse que daria, mas os números mostram uma grande diferença entre uma fórmula e a outra. Infelizmente não houve, por parte do governo – e talvez até porque não havia sido solicitado ao governo – um estudo dos impactos na folha com o pagamento do piso proporcional.



Já dissemos aqui que o ideal e o mais merecido para os educadores é a proposta do sindicato, na fórmula piso cheio (R$ 1.917,00) + carreira antiga (que inclui a formação em ensino médio como nível I e a do professor com graduação plena como nível III). Contudo, uma vez demonstrada a impossibilidade de bancar de imediato esta proposta, penso que a categoria pode buscar mediações que se aproximem do ideal.



Alguns dirão: o governo de Minas pode buscar ajuda do governo federal. Em tese sim, mas há condicionantes. Uma delas é a comprovação de que o governo não pode pagar o piso com recursos próprios. A outra, é a de que o governo federal não tem a obrigação de complementar o piso cheio quando a própria lei do piso prevê a possibilidade do piso proporcional enquanto vencimento básico. Logo, dificilmente o governo federal bancaria os custos do piso cheio para Minas Gerais, pois isso acabaria forçando igual tratamento a todos os estados. Aí será a vez do governo federal dizer que tal aporte de recursos quebraria o tesouro. São três ou quatro milhões de educadores em todo o país. Uma força numérica que a própria categoria dos profissionais da Educação jamais soube usar para o seu próprio bem - e dos brasileiros. [Parênteses: Imagine que belíssima bancada de deputados federais, estaduais e vereadores seria possível eleger com tão grande número de profissionais, e cuja influência, se organizada, teria a força de multiplicar por 10 até. Ou seja, os educadores poderiam eleger a maior bancada do congresso nacional e fazer aprovar leis federais em favor da Educação pública – e obrigar os governos a cumpri-las. Mas, ao invés disso, o congresso que temos é formado por maioria de pastores fanáticos, ruralistas contra os sem-terra, representantes de grandes empresários e banqueiros. Um ou outro apenas carrega as bandeiras dos educadores e do pessoal da Saúde pública. Mas, este é outro papo. Retomemos a nossa linha de raciocínio.]



Num primeiro momento, portanto, as coisas terão que ser resolvidas aqui mesmo, em Minas, com o novo governo, que propôs olhar com outros olhos os problemas dos educadores e da Educação pública. O estudo do governo com o subsídio cheio (R$ 1.917,00) para o profissional com graduação plena, de imediato representaria um reajuste salarial em torno de 32%. Acho que a categoria poderia fechar nesse valor do piso cheio como ponto de partida para o salário inicial. Se adotar o piso proporcional, mesmo na fórmula da carreira antiga, o valor inicial do piso para o professor com curso superior seria de R$ 1.712,00 (esta fração final me fez lembrar daquele antigo embate na porta da ALMG: “R$ 712? Se eu ganhasse R$ 712, seria servente de pedreiro”. Quem não se lembra?).



Em termos reais, a diferença entre o piso proporcional enquanto vencimento básico e o subsídio cheio, neste caso concreto, seria de R$ 205 a menos para o piso proporcional. Qual seria a diferença então entre subsídio e vencimento básico? Vamos falar sobre isso agora.



As grandes desvantagens para o subsídio, que nós denunciávamos antes, era o seu conteúdo capaz de burlar a lei do piso. Como assim? - perguntarão. O subsídio, na forma colocada pelos governos tucanos, fazia desaparecer as vantagens do piso nacional. Uma delas: o compromisso com os reajustes anuais do MEC, sempre acima da inflação. A segunda: o fim das gratificações, como quinquênios, biênios e também os percentuais pelos títulos adquiridos. Tudo isso foi somado ao vencimento básico reduzido e transformado em subsídio, cujo valor estava abaixo do piso nacional, mas que nominalmente atingia o valor proporcional do piso. No fundo foi uma grande sacanagem com os educadores.



Contudo, porém, entretanto, se for dada uma outra característica ao subsídio, ele pode fazer desaparecer esses pontos negativos. Como? Primeiro, se for vinculado por lei ao piso nacional no seu valor cheio e com o compromisso legal de sofrer os reajustes anuais de acordo com os aumentos aplicados pelo MEC. O subsídio dos tucanos tinha justamente o objetivo de desvincular o salário dos educadores das regras do piso nacional, entre elas, o reajuste nacional pelo MEC.



Que vantagem teria o piso proporcional enquanto vencimento básico em relação ao subsídio com a característica que citei acima (piso cheio atrelado aos reajustes do MEC)? Neste caso, apenas uma vantagem: se o governo voltasse com as gratificações ou vantagens, como quinquênios e pagamento de percentuais pelos títulos. Somente esta vantagem. Mas, caso o governo queira manter apenas os percentuais da tabela de progressão e promoção – seja da carreira antiga ou da nova – , e implantar o subsídio na fórmula que eu indiquei (piso cheio + atrelado aos reajustes nacionais do MEC), este novo subsídio é mais vantajoso do que o piso proporcional em termos concretos: são R$ 205,00 a menos no bolso do professor em início de carreira, e para os antigos também.



Agora, se a categoria quiser brigar pelo o retorno do quinquênio para todos os educadores e o pagamento dos percentuais por títulos da antiga tabela (10% para especialização, 30% para mestrado e 50% para doutorado) aí sim, o vencimento básico fará toda a diferença, mesmo na sua forma proporcional. Isso se comparado ao subsídio na fórmula que eu indiquei e não no modelo tucano, que é o pior de todos, óbvio.



Uma outra alternativa, caso o governo insista em manter o subsídio, seria forçar o pagamento do valor cheio do subsídio atrelado ao MEC, mas para o profissional formado em ensino médio, ficando o profissional com graduação plena pelo menos com nível II. Aliado a isso, seriam restabelecidos os índices da antiga tabela (3% para progressão e 22% para promoção). Neste caso, o subsídio inicial para um professor com curso superior - a grande maioria da categoria - seria de R$ 2.338,00 para uma jornada de 24 horas. Se o professor tiver 10 anos de casa, aplicada a fórmula citada (subsídio cheio + nível II + percentuais da tabela antiga) seu salário, para um cargo, seria de R$ 2.710,00 – isto se não tiver mudado de nível, apenas com as progressões. Atualmente este mesmo profissional recebe em torno de R$ 1.530,00.



Como eu disse no post anterior, nas negociações com o governo os detalhes pesarão muito. Não adianta somente adotar o vencimento básico se ele estiver despido das gratificações e vantagens. Também não vale a pena manter o subsídio se ele não ficar atrelado aos reajustes do MEC e seu valor nominal não apresentar ganhos em relação ao vencimento básico – tanto no presente quanto para o futuro. Dois dados que devem ficar na mira dos educadores: 1) garantir a vinculação automática dos reajustes do MEC aos salários dos educadores de Minas; e 2) reconquistar os percentuais da antiga carreira – 3% para progressão a cada dois anos e 22% para promoções, coisa que é garantida a todos os servidores do estado, menos para os educadores.



Uma palavra final: é preciso garantir um reajuste imediato a todos os educadores, que estão, como sabemos, com salários super defasados. Então é possível negociar um reajuste imediato, para sair do sufoco, e uma fórmula que contemple o pagamento do piso com os percentuais da carreira antiga, mesmo que num cronograma, desde que não seja muito esticado no tempo. Tudo isso dependerá, em última instância, da mobilização e da luta da categoria. Não adianta jogar a responsabilidade somente nas costas da direção sindical. Sem mobilização e sem luta, o governo vai fazer o que bem entender, ainda que tenha as melhores intenções do mundo. O inferno está cheio de gente com boas intenções. Se o governo perceber que a categoria está mobilizada, certamente terá maior disposição para atender as justas demandas dos educadores, seja com a volta do vencimento básico, ou com um subsídio renovado, tal como expliquei acima.



Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!

                                         ***
 

289 comentários:

  1. Genial Euler, obrigada pelas explicações. Ainda bem que continua aqui com a gente. Você tinha que estar lá no sindicato também, lutando por nós...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Euler e Sindicato são pólos oPosTos.
      Em suma: uma vez ParTido, nunca INTEIRO.
      Mas ... quem sabe não seria a ÚLTIMA ESPERANÇA???

      Excluir
  2. Caro Euler. Visito este blog diariamente. Tenho observado os comentários dos colegas e cheguei a seguinte conclusão. Aqueles que esbravejam, exigem greve, se mostram desapontados, em sua maioria, mantém acesa a chama da esperança. Claro que queremos tudo para "ontem". Concordo com seu post e entendo que, no momento, é melhor conseguirmos um gás para podermos respirar melhor com nossas contas. Adiante, não muito distante, com união e força, podemos avançar. Há esperanças sim. Nada poderá ser tão ruim para a categoria quanto os doze anos do PSDB. Portanto, esperamos avanços sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou seja: um REAJUSTE MODERADO para o próximo pagamento - TIRANDO-NOS DO SUFOCO - e um REAJUSTE com PRAZO MODERADO (não esticado) ainda para esse ano de 2015, atrelando nossos salários aos REAJUSTES ANUAIS do MEC, em consonância com os anseios da CATEGORIA, de conformidade com as VANTAGENS que pleiteamos, QUE ERAM para "ONTEM" e nos são de DIREITO ADQUIRIDO.
      Será que "AINDA ASSIM" o simpático PIMENTEL não vai nos atender??????????????????????????????????????????????????????
      "AINDA" queremos ACREDITAR em ALGUÉM no UNIVERSO POLÍTICO.
      Aguardemos, pois.

      Excluir
  3. Caro Euler. Sempre nos proporcionando esclarecimentos importantes. . Faço duas observações acerca dos comentários dos colegas: Primeiro; por mais que alguns se alterem (com razão) tenho a convicção que, bem no fundo, há nestas pessoas uma ponta de esperança de que algo vai mudar.
    Segundo, e por último, estes mesmos frequentadores do blog temem a desilusão com este que foi para os educadores a "Tábua de salvação" para não desistirem e continuar sonhando. Portanto, mais do que nunca, "força na luta".

    ResponderExcluir
  4. Euler, quem sabe agora, pelo menos enquanto estivermos nesta negociação entre Sindicato e governo, ele paga neste ínterim a progressão que tivemos. Estou com vários empréstimos no contra-cheque, sem margem até para pagar alguns, então, a situação é , de fato, desesperadora. Sou um eterno otimista. Acredito que a maré vai virar. Sou daqueles que pensam assim : Não há mal que sempre dure, nem bem que jamais se acabe.

    ResponderExcluir
  5. Meu caro Euler, não acredito que o governo vá atender prontamente nossas reivindicações. Primeiro estamos vivendo um ano de crise, não é atoa, que o governo começou as negociações abrindo os números do estado. Segundo, o documento assinado pelo governador Pimentel é muito vago, assim como também era vago o documento assinado pelos deputados, quando a categoria ocupava a sede do legislativo. Acredito que o governo vai tentar negociar partindo do valor cheio do piso 1.917,00 mas irá reduzir as promoções a tabela começará com licenciatura plena vindo depois a sequencia especialização, mestrado e doutorado.

    É importante frisar que isso tudo será feito através dos subsídio, como já foi mencionado o estado não tem condições financeiras no momento, portanto ficaremos esperando mais quatro anos a integralização desse novo modelo.

    ResponderExcluir
  6. Só penso o seguinte e aqueles que efetivaram no famigerado ano de 2004 com licenciatura plena e pós, mas até hoje permanecem na licenciatura curta o tenebroso PEBT2 ! continuaram na miséria? Estão ganhando dinheiro nas nossas costas a mais de 10 anos . Isso é roubo! E querem pagar o piso pra quem tem plena! e nós?!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o estado sabe da nossa situação, a não ser que o sindicato não comentou isso com o governo.

      Excluir
    2. BEM LEMBRADO ANONIMO DE 18,03, SERÁ QUE NÓS PET2 TEREMOS QUE FAZER UMA GREVE Á PARTE, PARA QUE NOSSA SITUAÇÃO SE NORMALIZE???

      Excluir
    3. SERÁ QUE NESSAS REUNIÕES O SIND UTE AINDA NÃO INFORMOU AO ESTADO A SITUÇÃO DOS PET2???

      Excluir
  7. EULER,texto perfeito...Concordo plenamente com vc.

    ResponderExcluir
  8. É isso mesmo,anônimo das 15:28 não há mal que dure apara sempre, vamos ficar no aguardo, eu também estou na mesma situação que a tua, um empréstimo atrás do outro, mas com esperança de que dias melhores virão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem necessita, tem pressa. Não dá para esperar mais.

      Excluir
    2. Sim, esperança não enche a pança.

      Excluir
  9. EULER, se o Governo Pimentel não levar em conta o peso decisivo dos educadores mineiros na derrota do PSDB em Minas, e , consequentemente, na reeleição da presidenta Dilma, em quem acreditaremos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, você tem razão. Os professores desempenharam importante papel nessa vitória. Tanto que, fui passear em um shopping em BH (sou do interior) e ouvi na praça da alimentação alguns senhores bem vestidos, todos arrumadinhos e com cara de tucanos rirem muito ao falarem sobre a enrolação do governo para pagar aos professores o piso. Diziam literalmente: "Bem feito, deram a vitória a esse governo, fizeram papel de bobos e agora vão chorar na cama que é lugar quente." foi duro ouvir isso...

      Excluir
    2. No Euler?????? A última esperança??????

      Excluir
  10. É preciso um plano de carreira que estimule a formação continuada. Não vejo qualidade na educação se o professor não está em constante aprimoramento. Hoje qualquer um pode dar aula, desde que fique dentro de uma sala as 4 horas, não querem nem saber o embasamento teórico do professor. Triste realidade!! Tenho vontade de buscar mais conhecimento, mas não sou remunerada pra isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em gênero, número e grau.

      Excluir
    2. Infelizmente, não teremos estímulo financeiro para investir na formação continuada, pois não teremos um plano de carreira que nos estimule a isso.
      É isso que vai acontecer.
      Pimentel nos dará um aumento?
      R: Sim, porém irrisório. Talvez, alguns acham bom visto o quão miserável está o nosso salário. Mas, a longo prazo, todos irão perceber a estagnação igual aconteceu com o maldito subsídio imposto pelos tucanos.
      Esse aumento compensa o apoio que nós demos a ele para o mesmo se eleger?
      R: Não, pois votamos na ilusão que iríamos ser valorizados de verdade.
      Que triste!

      Excluir
    3. Enquanto isso há dinheiro de sobra para conceder auxílio- moradia para os deputados que ganham tão pouco....

      Excluir
  11. Quero saber se apesar da minha Pós vou continuar como T2. Tenho Plena desde 1998. É mole ou que mais? Recebia gratificação de 10% po pos e me colocaram como T2.

    ResponderExcluir
  12. Peguntem aos Bancos, principalmente os dos Governos, se eles esperam seu salário melhorar para pagar as dívidas.

    ResponderExcluir
  13. Enquanto se enrola o chorado aumento, nem se fala mais no prêmio esmola 2013 e 2014.

    ResponderExcluir
  14. Prezado Euler,
    É importante, também, destacar que um "subsídio renovado", atrelado aos piso nacional, é mais interessante ao se aposentar, pois não se perde gratificações como na carreira antiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inicialmente, o subsídio renovado é melhor. Mas, a longo prazo será péssimo para os professores se o mesmo não vier acompanhado de promoções e gratificações.
      Pq vc acha que o estado acha que o subsídio é mais vantajoso para nós? Pq ele é bonzinho?
      Use a lógica anônimo 20:47.

      Excluir
  15. Como Euller disse, radicalismo não ajuda em nada agora. Torço para que negociem pelo menos uma situação imediata e que tire a corda de nossos pescoços mas que nos dê escopo para continuar pleiteando melhores condições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns, colega! Esta é a QUESTÃO IMEDIATA!

      Excluir
  16. Penso que a carreira antiga já era. Nenhum governo, seja de qual partido for, vai voltar com biênios,quinquênios etc. Infelizmente teremos que engolir o subsídio mesmo. Mas que menos cumpram com o plano de carreira.Atualmente tenho o direito de ser peb 2 mas continuo peb 1.

    ResponderExcluir
  17. Obrigado Professor Euler, você realmente é fantástico em tudo que escreve, seu texto está bem esclarecedor!

    ResponderExcluir
  18. Boa análise da situação. O único questionamento que faço é sobre a forma que todos os partidos agem por ocasião da campanha, nesse período tudo é possível e ao ocuparem as funções de gestores tudo muda. Na minha opinião deveríamos lutar pelo retorno á antiga carreira, mesmo com piso proporcional.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. É o justo.
      Bem colocado: em época de campanha tudo é possível....
      Depois, a realidade é outra...

      Excluir
  19. Vergonha de ser mineira. Lá no Paraná tentaram roubar os professores e eles reagiram. Trabalhamos para colocar esse senhor no governo por ele ter assinado um compromisso. Acho que ele tem que honrar a calça que ele usa. Ele que não se faça de tucanado agora. Ele já provou docemente a força que temos, espero que ele não provoque o nosso lado AMARGO! Derrubaremos ele e o PT* como um todo e em bloco. Ele que não pague pra ver!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HOJE TEM MAIS, E SERÁ QUE OS DEPUTADOS SAIRÃO ESCOLTADOS DE NOVO PELA POLÍCIA?

      Excluir
    2. Apoiada anônimo 22:55

      Excluir
    3. Apoiada anônimo 22:55

      Excluir
  20. Já que está tudo infame (infamado, desacreditado) segue mais esta :
    - Pimen...Tell me what you want for teachers of the State of Minas Gerais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. He answer : Wait teachers I will think , dont worry ok?

      Excluir
    2. Ok. And I will wait for your "S" in "ANSWERS" (third person of the present tense).
      And ... LET'S GO AHEAD!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  21. A resolução deste problema da carreira da Educação em Minas não está nas mãos dos Governo e sim dos educadores. É por isso que ele não será resolvido tão cedo, ao menos que os próprios educadores se enxerguem enquanto categoria. Pelo histórico, isto não irá acontecer, pois em sua grande maioria, pensam no próprio umbigo.

    ResponderExcluir
  22. Interpretando o "maGIZtédio", digo maGIStério :
    "Havia uma pedra no meio do caminho.
    No meio do caminho havia uma pedra" .
    Até quando nos livraremos dessas pedras?
    O Prof. "Pedro Pedreiro" me disse: - Assim que chegar o TREM,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem,
    que já vem ... ...

    ResponderExcluir
  23. O BRASIL É REALMENTE UM PAÍS ATÍPICO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E minas também.

      Excluir
    2. Certa vez nesse mesmo blog um anonimo postou que a situação dos pet2, não se resolveria através da justiça,mas sim através de um acordo entre sind ute e o governo, que na época tinha o Anastasia no comando, penso que agora com o Pimentel, esse acordo seja fechado.

      Excluir
    3. Carro e viagens não são gêneros de primeira necessidade não, pensem nisso antes de se endividarem.

      Excluir
    4. 1ª necessidade com esse salário de R$1.260,00 é SOBREVIVER.

      - ALUGUEL;
      - ALIMENTAÇÃO;
      - TRANSPORTE;
      - FARMÁCIA;
      - ÁGUA, LUZ E CELULAR;
      - EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS;
      - ROUPAS?? Só ganhadas;
      - CALÇADOS?? Meu pé já está calçando 36,37,38 e até 39 de acordo com os que ganho.

      DIGNIDADE AOS PROFESSORES

      Excluir
    5. Pé de não tem tamanho!!!

      Excluir
    6. Anônimo das 18:13, estou na mesma.Muitos empréstimos, sapatos e roupas de irmã.Aluguel deste mês já é com dinheiro do 13º, Pode??? Enquanto os políticos que já têm casa própria vão receber auxílio moradia.
      É triste, mas é a realidade.Uns com muitos e outros com o mínimo.

      Excluir
    7. Ou assim : Uns poucos com TANTO e uns TANTOS com pouco.

      Excluir
    8. Bem, do jeito que o mundo caminha ao sabor das vicissitudes, "UNS já estão COM MUITOS", mesmo; outra gigantesca MINORIA com MUITO, e OS DE BAIXO com o MÍNIMO. Para "OS DE CIMA" isso é "O MÁXIMO".
      VIVA a REPUBLIQUETA MINAS GERAIS!!!

      Excluir
  24. Uma coisa eu não entendo. Como garantir reajuste do MEC no subsídio? Podemos até conseguir este compromisso neste governo mas posteriormente será um trunfo para qualquer outro governo que entrar dizer que já paga o piso e até a mais.

    ResponderExcluir
  25. Há muito que negociar, mas os quinquênios, não dá pra abrir mão. Se não fossem eles estaríamos quase todos no mesmo nivel. As letras, substituem os biênios, mas, o tempo de serviço, e as progressões por curso, não podem faltar, ou não se motiva o profissional a ir adiante, estudando, se informando.

    ResponderExcluir
  26. Temos que lutar por uma carreira atrativa. Esta lei do piso só serviu para achatar ainda mais nossos salários. O governo PSDB, muito astuto, percebeu que acabar com a carreira seria a fórmula para pagar salários irrisórios. Primeiro acabou com os biênios e quinquênios para os novatos ( os antigos tinham direitos adquiridos). Depois tentou empurrar o subsídio. Como num primeiro momento não conseguiu a adesão de todos, deu o golpe sujo com o aval da Assembleia Legislativa. O piso além de ser uma miséria sofre constantemente tentativas de modificação de seu reajuste por parte dos entes públicos e deputados na câmara. Portanto a luta pelo piso na verdade é um grande engodo por parte dos educadores. Piso sem carreira significa continuar na miséria. Chega até ser assustador como professor não consegue se valorizar e exigir um tratamento mais digno. Se a tática dos governos foi destruir a carreira é por que eles sabem o que fazem. É por aí que que eles encontraram um caminho para manter os salários de miséria. Enquanto isto ficamos aqui lutando por um piso irrisório, aceitando a destruição da carreira , sem condições de dar um basta a isto de uma vez por todas. O Brasil sai perdendo e muito porque aqui na educação não vai haver profissional interessado em se qualificar e construir uma carreira. Quem quiser ter uma vida mais digna vai ter que procurar outros caminhos. Aqui o só se fala em piso. Só se fala num mínimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc em tudo.
      Se o Pimentel quiser pagar um aumento mísero só pra falar que deu, então que faça. Porém, vamos nos unir e em 2018 iremos tirá-lo do poder. Nosso apoio foi fundamental para a derrota do Aécio aqui em Minas. Basta de governadores que não valoriza a educação em Minas. Já chega o que o PSDB fez com os professores nesses 12 anos. Não aguentamos mais.
      E tem mais, apoiamos a candidata indicada pelo Pimentel, ou seja, a Dilma. E como o PT está com índices cada vez maiores de reprovação, então nosso apoio em 2018 será fundamental. Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, o PT não ganha mais já que o estado é fiel ao PSDB.
      Não podemos esquecer que MG é o segundo maior colégio eleitoral do país, então se o PT quiser eleger políticos em 2018, que nos devolva a nossa carreira tirada injustamente pelos tucanos. Podemos denunciar na mídia, demonstrar na rua e para os alunos as promessas não cumpridas. Enfim, podemos fazer barulho...
      O Aécio disse na campanha eleitoral que a educação fundamental de Minas, segundo dados oficiais, é a melhor do país. Balela! Só nós, professores, sabemos o quão ruim é a educação em Minas. São apenas dados que não retratam a realidade das escolas. Se o Pimentel nos der esse aumento sem que haja um plano de carreira, vai ficar quase tudo na mesma.
      Os militares se uniram e conseguiram um bom aumento. Por que nós não podemos ter também um bom aumento?
      Foram anos e anos de desvalorização e talvez seja por isso que alguns professores subestimem o valor FINANCEIRO do seu trabalho.
      Vamos lutar por uma valorização de verdade e não pela continuação da falta da carreira em MG!
      Queremos aumento imediato E carreira!

      Excluir
    2. É isso aí. Mais uma vez vamos sendo lentamente enrolados. O outro governo não enrolava; já nos descia o cacete de uma vez ! O atual é mais astuto, enrola, faz jogo de cena.....

      Excluir
  27. É COMO APRENDI: COM UM CARTÃO DE CRÉDITO NA MÃO VOCE PENSA UMA VEZ E COMPRA, AGORA COM DINHEIRO NA MÃO VOCE PENSA DEZ VEZES E NÃO COMPRA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, é isso mesmo!!! Cancelei o meu cartão e com o dinheiro na mão, morro de pena de vê-lo indo embora... KKKKKKKK

      Excluir
    2. Já cancelei três cartões e vou cancelar o último que estou usando de vez em quando.Vou cancelar outra coisa que não posso dizer por aqui. senão cortam.

      Excluir
    3. Ofir Viana filho, professor da UFMG, disse certa vez que de 10 coisas que compramos, 7 são sem necessidade.

      Excluir
    4. o VALE-TREPADA???
      (só para descontrair, Comandante Euler)

      Excluir
  28. Penso e tenho a certeza q o Governo tem q honrar a Promessa de Campanha p c os professores. Se ficar no Blá blá blá aí teremos a certeza q ele quer nos enrolar. Assim será a hora de Greve q nem a do Paraná.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tudo é pra gente esquecer do premio e depois esquecer das promessas de campanha e no fim ficar tudo igual.

      Excluir
  29. Manobra jurídica pode evitar demissões de 59 mil funcionários sem concurso em Minas

    Servidores públicos do governo de Minas devem ser exonerados até abril por determinação do Supremo Tribunal Federal



    postado em 19/02/2015 06:00 / atualizado em 19/02/2015 12:10

    Isabella Souto /Estado de Minas
    A 41 dias do prazo final estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o estado demitir 59 mil servidores efetivados sem concurso público pela polêmica Lei 100, o governo mineiro pode se valer de uma estratégia jurídica para evitar os cortes. É que já está pronto para julgamento um embargo de declaração apresentado no ano passado – ainda durante a gestão de Alberto Pinto Coelho (PP) – em que a Advocacia-Geral do Estado (AGE) pede a suspensão do efeito da decisão do STF enquanto não for julgada uma outra ação, também em tramitação no órgão, em que é questionada a lei que criou a “função pública”. Trata-se de outra forma de efetivação que beneficiou cerca de 20 mil pessoas que entraram sem concurso público.
    No recurso apresentado, o governo mineiro alega que “as duas ações impugnam normas (leis 100 e 10.254/90, esta última que criou a função pública) que, em diferentes contextos, estendem vantagens próprias de cargos efetivos a servidores admitidos sem concurso público”. Portanto, o governo argumenta que o questionamento de ambas tem o mesmo fundamento: “impossibilidade de serem efetivados aqueles servidores incluídos no regime jurídico estatutário sem prévia aprovação e classificação em concurso público”. Dessa forma, argumenta que uma decisão sobre a ação que trata da Lei 10.254/90 poderá repercutir diretamente no processo envolvendo a Lei 100. E ainda há o risco de decisões “conflitantes”.
    O recurso de Minas Gerais foi entregue ao ministro Dias Toffoli, que poderá julgá-lo sozinho ou encaminhá-lo ao plenário para uma decisão conjunta. A Procuradoria-Geral da República (PGR) – autora da ação direta de inconstitucionalidade que questionou a Lei 100 – apresentou contrarrazões em que pede a rejeição dos embargos de declaração porque o governo mineiro estaria almejando a “rediscussão da causa e inversão do resultado do julgamento”.
    Em março do ano passado, os ministros do STF acolheram a tese levantada pela PGR de que a legislação é inconstitucional e deu o prazo de 12 meses para a substituição dos designados, em sua maioria profissionais da educação, por concursados. Só escaparam da decisão aqueles com tempo para aposentadoria ou quem passou em concurso público para outros cargos. No recurso, o governo alega que a decisão do Supremo não levou em contra outras normas envolvendo servidores públicos e a Constituição estadual.

    Pedidos

    Nos requerimentos, o estado solicita que seja extinta a adin que questionou a Lei 100 – o que significa anular a decisão que a considerou parte do texto inconstitucional – ou pelo menos aguardar o julgamento final da outra adin referente à lei que criou a função pública. Outra hipótese levantada por Minas Gerais é que a legislação seja considerada totalmente constitucional ou, em última instância, o alargamento do prazo para que sejam realizados os concursos públicos com as vagas ocupadas pelos designados.
    Também há um pedido para que sejam resguardados os direitos daqueles designados que faleceram sem requerer a aposentadoria, embora tivessem tempo para o benefício. E também dos servidores que estão em licença-saúde, até que seja definido se eles não têm mais condições de trabalho, o que ensejaria a aposentadoria por invalidez.
    Procurado pela reportagem, o governo mineiro informou que nenhum servidor designado foi ainda demitido porque não acabou o prazo determinado pelo STF. Ninguém comentou sobre o recurso apresentado ao Supremo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ESSE REALMENTE É UM PAÍS ATÍPICO.

      Excluir
    2. Eu desanimo com esses políticos que ficam procurando um jeitinho de continuar com essas aberrações. Essa lei 100 é um câncer criado pelo psdb e que o pt insiste em mantê-lo para continuar corroendo os profissionais da educação. E o mais lamentável de tudo isso é a conivência da direção do sindicato. Se não tomarem uma atitude decente, vou me desfiliar desse sindicato, por que terei certeza de que ele não me representa. Minha paciência está no limite.

      Excluir
  30. Sonhava com um país de verdade e não com essa gentalha que está aí no poder, não é mesmo meu caro Kiko: GENTALHA, GENTALHA,GENTALHA.

    ResponderExcluir
  31. Ou seja, o jeitinho brasileiro de burlar a Lei maior. Não concordo com essa Lei 100 e muito menos voltar atrás. Existem muitos concursados esperando serem nomeados, inclusive os ex-Lei 100. Acho que passou da hora desses políticos e juízes fazerem cumprir as leis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O QUE ME ESTRANHA É QUE O PT, UM PARTIDO TÃO ÉTICO, APOIANDO ILEGALIDADES.

      Excluir
    2. Amigo, PT está mais para ÉTNICO do que ÉTICO.

      Excluir
  32. Concordo com Euler! Precisamos imediatamente de um aumento! O piso deve ser analisado com mais calma. Essa discussão vai longe, e enquanto isso o tempo passa e estamos ficando ainda mais defasados em termos de salários.

    ResponderExcluir
  33. mas que empenho á favor dos ex-efetivados é esse?

    ResponderExcluir
  34. A indignação de muitos por aqui é compreensível. Pimentel tinha que, no mínimo, aparecer com uma proposta, tabela, chamem do que quiserem, na última reunião. Ao contrário, adiou para a próxima. A propósito...e o Rogério Correia? Tá sumido...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rogério Correia é outro que só pensa em seus próprios interesses, só fala o que é conveniente a ele. Não contem com ele!!!

      Excluir
    2. Agora todo mundo some.

      Excluir
  35. Acho um absurdo enrolarem mais ainda essa questão da Lei 100. Tem-se que pagar o tempo para aposentadoria dos trabalhadores da Lei 100 e abrir os concursos. Cumpra-se a Lei. Com relação ao nosso aumento, precisamos para ontem. Que ele seja proporcional, com a volta de nossas vantagens. Absurdo 90 dias para discutir isso. Nossa data base é em outubro. Nesse passo, mas uns 9 meses até recebermos. Isso é estelionato com todos funcionários públicos. Injustiça para conosco.
    Denise

    ResponderExcluir
  36. Se passar essa "PEC Trem da Alegria", debandada geral do SINDUTE. Sindicato sério não aprova engenheiro, psicólogo, nutricionista, jornalista, advogado e outros profissionais que usam a licenciatura como subterfúgio para viagens, troca de veículos, dentre outros. Alguém conhece policial designado? Já tentaram fazer um puxadinho e se deparar com um fiscal do CREA? Eita classe difícil a dos professores! E agora Bia e Rogério Correia? Se passar vai ser uma aberração só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO BEM, FALOU TUDO EM POUCAS PALAVRAS

      Excluir
    2. Sim, o colega acima, falou tudo em poucas palavras.
      Alguém conhece um médico designado???
      Alguém conhece um advogado designado???
      Alguém conhece um engenheiro designado??? Ah, esse sim! 'Tá lá no Estado, EFETIVADO!
      Se essa "PEC Trem da Alegria" for aprovada, teremos a obrigação
      moral de dar uma debandada geral do SINDUTE.

      Excluir

  37. Achei interessante a fala da Beatriz Cerqueira:
    "Eu sei a história de vida de muitos colegas efetivados, sei que muitos não passariam num novo concurso, sei do adoecimento, sei das angústias porque passo meu tempo de dirigente sindical conversando e conhecendo a realidade e todas as minhas ações foram e são no sentido de contribuir para resolver isso. Mas sem mentir! Assim como sei as dificuldades de quem é designado e de quem é efetivo. E tenho a obrigação de defendê-los também!
    Por isso, acho que não foi correto este comportamento de incentivar ameaças e intimidações."
    Como assim? "sei que muitos não passariam num novo concurso", se a pessoa não passaria no concurso, como pode lecionar? Não é de deduzir que não sabe minimamente a matéria que leciona, já que o concurso cobra o mínimo?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 22;16. Você se esquece que a maioria dos funcionários da Lei 100 são serventes e muitas já idosas.

      Excluir
    2. É o que mais acontece, professor não saber a matéria e ficar encostado em colega.Convivi muito com isso.Eu tinha uma colega que tinha dois cursos superiores, psicologia e pedagogia e vivia na minha sala pedindo material ou mandava questões para eu resolver pra ela.Eu tenho só 2º grau.Em uma outra situação, dei uma prova em minha sala e a colega me pediu a matriz para xerocar para a turma dela.Sabem o que aconteceu??? Ficou igual sarna atrás de mim para que eu desse a resposta da prova pra ela.Esta tb tinha curso superior.Conclusão: Não é exigindo curso superior em concurso ou pra dar aula, que o ensino vai melhorar.A preguiça é que não deixa QUALQUER professor render suas aulas, não planejam e ficam esperando pelos outros.

      Excluir
    3. É SIM EXIGINDO CURSO SUPERIOR QUE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO VAI MELHORAR. Caro colega, você confunde as coisas, afim de confundir as outras pessoas e defender suas ideias. O fato de ter convivido e na educação termos péssimos profissionais com curso superior, não podemos abrir mão da exigência na formação para cada
      área, são coisas diferentes. Também existem péssimos advogados, dentistas, médicos, mas quem não tem formação superior em nenhuma dessas áreas não tem o direito de nem ser um péssimo advogado, dentista ou médico, simplesmente não podem nem pensar em exercer. Não podemos confundir as coisas: Educação é uma coisa, o que estão fazendo dela outra coisa completamente diferente.

      Excluir
    4. Anônimo da 22;16. Concurso não mede competência de ninguém.Aqui na minha escola, tem uma professora que passou neste último concurso em 2º lugar e não sabe manter a disciplina em sala de aula e outras situações que não posso citar aqui agora.. Enquanto outras que não fizeram concurso , como os da lei 100, trabalham dignamente bem e tem um domínio e tanto na sala de aula. Portanto.ser professor é um dom de Deus.E o fato é:sob pressão ninguém faz bem o que precisa, ainda mais um concurso público.

      Excluir
    5. Ao colega Pensador (de 20 de fevereiro de 2015 18:06):
      Realmente, amigo, o Anônimo de 20/02 16:10 está a confundir
      "as obras do mestre Picasso" com "a pica de aço do mestre de obras"
      Educação é uma coisa, o que estão fazendo dela é outra.
      Departamentos estanques, anônimo das 16:10!
      Dos médicos, advogados, engenheiros exige-se-lhes um DIPLOMA de CURSO SUPERIOR.
      Em suma, não confundamos
      BIFE À MILANESA com BIFE ALI NA MESA.
      (Professor MAIOR ABANDONADO)

      Excluir
    6. Concordo com o Pensador das 18:06.
      O outro colega está a confundir BIFE À MILANESA com BIFE ALI NA MESA ... ou ...
      AS OBRAS DO MESTRE PICASSO com a PICA DE AÇO DO MESTRE DE OBRAS.
      Em suma: - Algum médico (ruim ou não) já foi admitido SEM curso superior???
      Vamos RACIOCINAR, minha gente! VAMOS RACIOCINAR!!!
      Nossa amiga professora, ao que me pareceu, "apenas" quis se LOCUPLETAR do contexto ... como sói acontecer com 95% daqueles que entram no UNIVERSO POLÍTICO. Exemplos não faltam.

      Excluir
    7. Requisitos para contratação de professor: Ter apenas Dom de Deus.

      Excluir
    8. EPAMINONDAS, com o DOM DO DIABO, foi logo exonerado.
      "Charles Anjo 45" a favor dos FRACOS e OPRIMIDOS.
      Comandante Euler, a ÚLTIMA ESPERANÇA no UNIVERSO POLÍTICO.
      Acabará com a ESQUERDA e com a DIREITA, ambos "partiDOS".
      Urge que tenhamos INTEIROS na política.

      Excluir
    9. Muitos distorcem o que leem. Infelizmente exercer esta missão de professor são para poucos. Talvez seja por isto que a educação está como está hj;sem valor algum.Tudo é dom. Se não o tem, não faz bem feito só pelo dinheiro. Primeiro precisa gostar do que faz.

      Excluir
  38. Caro Euler,
    Vc disse: "Sem mobilização e sem luta, o governo vai fazer o que bem entender, ainda que tenha as melhores intenções do mundo".
    Vc acha que o governo está com boas intenções? Então, por que o mesmo está tentando nos dar um aumento sem que haja um plano de carreira digno?
    Se o governo estiver realmente com boas intenções, então ele irá cumprir sua promessa de campanha e nos valorizar de verdade.
    Espero que Pimentel não seja mais um demagogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peraí !!!!!!!!!!!!!!! Vamos ter de lutar ???? Como assim ???? O governo eleito não era o governo dos de baixo ???????????????????????????????????

      Excluir
    2. O Euler tem boas intenções (FATO), mas o(a) colega acima
      acabou de colocá-lo em CHEQUE.
      Quem diria!!!

      Excluir
  39. EM 2018, NANÁ TÁ DE VOLTA E AÍ ADEUS PimenTel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Pimentel não atender a categoria, com certeza Nana estará de volta. Quem viver verá.

      Excluir
  40. Euler seu texto esclareceu tudo,parabéns você é 10! Esperamos você no poder para ajudar melhor agente. Nosso futuro deputado!!!!

    ResponderExcluir
  41. Tá vendo.Pelos comentários a indignação contra a lei 100? É isso que o PimenTel quer, continuar dividindo á categoria mantendo eles e de quebra agradar a oposição na assembléia.

    ResponderExcluir
  42. Secretário, subsecretário, secretário adjunto, eta farra com nossos bolsos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PIOR SOMOS NÓS, QUE ELEGEMOS ESSA CORJA TODA.

      Excluir
  43. Estranha também a fala da bia,né?

    ResponderExcluir
  44. Quem não tem salário e quem tem fome, não podem esperar, PimenTel.

    ResponderExcluir
  45. será que os bicudos(advogados,engenheiros, farmaceuticos)vão sair de cena com as 40 horas??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quatro mil para 40 horas já dava para conhecer o mar.

      Excluir
  46. Os PeçonhenTos já estão traindo os eleitores,né, digo nós professores.

    ResponderExcluir
  47. o inferno está cheio de gente com boas intenções.

    ResponderExcluir
  48. MUITOS POLÍTICOS PREOCUPADOS COM OS DA LEI 100 E COM OS EFETIVOS QUE ESTÃO DENTRO DA LEI E SÓ LEVANDO PREJUÍZO POR CAUSA DA LEI 100, SERÁ QUE TEM POLÍTICO PREOCUPADO? ACHO ISSO UM ABSURDO, OS POLÍTICOS PREOCUPADOS EM BURLAR A LEI PARA AJUDAR QUEM TÁ FORA DA LEI E NÓS QUEM VAI AJUDAR?NINGUÉM NÉ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho um absurdo essa politicagem nojenta. Aliás, o Brasil é pura corrupção.

      Excluir
    2. Já dizia o grande Kafunga, no brasil o errado é que é o certo. É realmente um país atípico.

      Excluir
  49. peb t2 h quando devera ser peb 2h quase 500 reais de prejuízo.

    ResponderExcluir
  50. Precisamos de melhorias salariais, mas acredito que a urgência maior é na organização da carreira do professor em Minas Gerais. Por que existem tantos pontos de vista diferentes em torno de um mesmo fim a ser alcançado? Porque não temos uma CLASSE DE PROFESSORES em Minas Gerais. Temos um amontoado de pessoas em situações diferentes e que não falam a mesma língua. Quem deve exercer o cargo de professor em Minas Gerais? Quando tivermos essa resposta válida para todos, sem exceção, poderemos pensar em melhorias, porque seremos uma classe profissional. A maior hipocrisia do quadro atual de professores é pensar que aumento de salário irá melhorar a qualidade da educação, pois é uma grande mentira. Professor se transformou em carrasco de si mesmo, muitos esnobam a profissão, literalmente cospem no prato que está comendo todos os dias, desanimam os alunos dizendo que a profissão é péssima e ainda querem que seus alunos sejam bons, desanima os mais novos a exercerem a profissão com dignidade. Existem muitas coisas para serem resolvidas, salário bom melhora a vida pessoal do professor, mas não a qualidade da educação. Vejo muitos professores reclamando de dívidas, de empréstimos que não conseguem ser quitados, alguns falam que passam necessidade, essas reclamações não tem relação nenhuma com o salário que recebemos, mas a falta de planejamento PESSOAL nas finanças da casa. Demonstra um descontrole nos gastos, onde não se mede o que ganha e o que deve gastar ou uma péssima escolha profissional, pois querem ganhar muito, ter uma vida que professor em sua história profissional nunca teve e nunca vai ter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doe o seu salário...

      Excluir
    2. Que idiotice é esta? Professor já teve bons salários e status,sim. Comecei a lecionar em 1971. Era considerada autoridade, só andava bem vestida,dava aulas de salto alto,todas nós éramos elegantes e bem de vida. Muitas compraram casa com descontos mínimos no contra cheque e várias outras mordomias. Hoje, aposentada, com Pós Graduação. Sou T2 e meu salário não dá para eu pagar alguém para me ajudar. Aos 65 anos,tomando vários medicamentos, tenho que cozinhar e fazer todo serviço de casa. Não gostaria de morrer sem ver a vitória das companheiras. Até os alunos e as mães dão preferência às professoras que andam chics. Como comprar roupas e pagar um salão? Infelizmente a aparência conta também. O preconceito maior que existe é com a pobreza. Ninguém respeita pobre.

      Excluir
    3. Isso mesmo.Falou tudo.Eu sou aposentada somente na rede pública.Não uso cartão de crédito .Tenho mas somente numa extrema necessidade(doença).Viajo todo ano para Europa.Economizo cada centavo.Não compro nada a prazo pois assim no final do mês eu vejo meus 1800 reais todinho.Pago minhas despesas +- 700.Tiro uns 100 para o pão do dia a dia porque leite verduras e frutas já estão incluídas nesse 700.Moro eu e minha filha somente .o que sobra, guardo.Décimo terceiro??? Nada de presentes.É a minha passagem para Europa.Claro quero reconhecimento de minha profissão.Quero ganhar o que eu mereço.Mas temos que ter planejamento em tudo.O tal do cartão de crédito é a desgraça do mundo.Aprendi isso viajando.Lá fora eles não usam cartão de crédito mas débito.Financia somente casa e carro(as vezes pois é muito barato).A palavra é Planejamento.Se isso acontece pode se até mesmo entrar em greve co o dinheiro guardado dá para segurar uma greve.Mas brasileiro é consumista ao extremo.Roupas etc.Lá fora eles não se preocupam com isso.

      Excluir
    4. Ô Bocaiúva, não concordo com as últimas linhas suas.Não é descontrole da finança.Uma família tem muitas necessidades que são básicas e muitos vivem de aluguel e pagam condomínio.Ninguém faz empréstimo em banco para bancar aparências.As coisas estão muito caras e todos sabem disso.O professor ou professora que tem marido ou mulher que ganha um salário mais alto, consegue manter os gastos de uma casa.Vc deve estar fora da realidade ou então seu salário é gasto com supérfluos, deve ter alguém que te banca.Pense bem.

      Excluir
    5. Atenção colegas olha o respeito e a educação.Podemos falar tudo menos ser mal educados e ofender com palavras.Podemos ser diretos e francos mas com educação e nada dessas palavras.Deus me livre discutir assim.Para completar.Deve sim ter planejamento de tudo.Nunca tive um marido que me desse alguma coisa, aliás eu sustentava a casa e filhos como professora estadual.Hoje tenho um bom apartamento(pagando) viajo, alimento muito bem(sem exageros).Ganho 1800 reais.Pago condomínio 120, luz 150 net 90, e apto 167 reais pois estou terminando de pagar.Faltam 500 reais para quitar mas vou esperar.e o restante até completar os 700 que eu disse alimentação.Roupas??? Sapatos??? compro quando viajo.Lá fora é super barato.No decorrer do ano não compro nada mais de vestuário.Economizo o máximo.

      Excluir
    6. Este tal de Bocaiuva é ridículo(a). Eu pago contas básicas. Não viajo há tempos. Tenho um carro velho para deslocamentos de escolas (meu trabalho) e as roupas...TODAS são doadas. Há tempos que não compro. Portanto, cale esta sua boca e reflita. Estamos (professores) no limite da pobreza. E isto não era assim. Lembro-me que tínhamos sempre um reajuste. com os doze anos desta corja, a vaca foi pro brejo.

      Excluir
    7. Viajar para a Europa com R$1800,00/mês, só rindo mesmo. Essa pessoa não come e não veste...hahahaha

      Excluir
    8. Infelizmente é muito triste chegar a essa constatação, mas o Bocaiuva de fevereiro de 2015 18:27, tem toda razão em tudo que disse. Não somos uma classe, poucos estão interessados na melhoria da educação, pois muitos professores são coniventes e amam as péssimas condições da educação. E, infelizmente, merecemos sim ganhar melhores salários, assim como um médico por exemplo ganha, mas mesmo pagando o piso com aumento ainda, não dá para viver como um médico, engenheiro vive.

      Excluir
    9. Muito bom o seu texto. Parabéns.

      Excluir
    10. Que pena que não posso colocar meus tickets aqui e minhas passagens ...Inclusive estou indo no dia 15 de abril deste ano .Que pena.Basta poupar 900 a 1000 reais ao mês e comprar passagem com o décimo terceiro.Quem sabe um dia você verá que dá.Faça suas contas e veja se em um ano posso ou não posso ir a Europa.Inglaterra, Portugal...

      Excluir
    11. Lamentável tudo isso que leio aqui. Será que Anastasia dorme com uma consciência tranquila, quando rever a filme do que ele fez com o professorado? O que eu percebi foi que em 2005, sem motivos, o meu salário de professor foi rebaixado de 1.287 para 1.050. Recorri à superintendência e não houve jeito. Eu entrei em depressão, até porque necessitava de aumento, Argumentaram que era plano de governo, mas como um plano teria total poder para isso, de mexer com seus direitos adquiridos e você não poder fazer nada! Injustiça com tamanha irresponsabilidade, sem pensar nas consequências que isso poderia causar. Até hoje eu tomo remédio controlando o meu descontrole do ano que marcou a minha desmotivação não só para a educação, como também , para a vida. Deus nos livre desse mundo político. Não é um mundo de Deus!

      Excluir
    12. Oh! Enfim, ninguém precisa ganhar mais que um salário mínimo. Os médicos estão bem, os engenheiros, os advogados, os arquitetos. O país está uma "maravilha". Tudo funcionando a contento: saúde, segurança; educação, então, é o que há de melhor! Só precisamos encontrar os professores de química, física, história. Acho que não vai ser problema, pois os SALÁRIOS são assaz atraentes!!! Oh! Oh! Oh!
      "Grandes cérebros na EDUCACÃO" (sem a cedilha).

      Excluir
    13. Alguns professores tem uma dificuldade imensa de entender as coisas. Eu entendi bem o posicionamento do Bocaiuva. Em nenhum momento ele disse que o salário é maravilhoso e que devemos nos contentar com isso, mas que devemos organizar a nossa profissão para reivindicarmos nossos direitos, pois da forma em que está não existe uma classe, mas grupos isolados lutando por coisas diferentes e pensando apenas em salvar o emprego. Não encontramos os professores exatamente pelos baixos salários e a péssima propaganda que é feita da profissão pelos próprios professores. Como o professor vai ser autoridade, ter respeito e admiração dos seus alunos se ele diz que profissão é péssima e que seus alunos não devem ser professores? Concordo com o Bocaiuva, as pessoas devem viver de acordo com o que ganham independentemente de não ganhar aquilo que é de direito e, principalmente, o que poucos entenderam e que o Bocaiuva deixou claro no texto, ser uma classe que lute pelos seus direitos e que não fique só reclamando esperando dos outros. Mas primeiramente, é preciso organização, Afinal, quem pode mesmo ser professor em Minas Gerais? Gostei muito desse questionamento e poucos se atentaram para isso e só enxergaram de forma distorcida a fala sobre salários. Para se chegar aos fins, precisamos ver o início e o meio dessa educação mineira. Parabéns Bocaiuva.

      Excluir
    14. A colega não deve ter feito bem as contas, ou não explicou sua outra fonte de renda, pq também viajo, às vezes, mas tenho ou- tro salário, e ainda dou aulas particulares. Com renda de 1800 reais a gente não vai nem a S.Lourenço, fim de semana em hotel, todo mês, quanto mais Europa. Sem nenhum dependente, com mais de 2 rendas de professor, não consigo essa façanha. Mas, como bem, saio fins de semana, me distraio. Meu lazer é sagrado, mesmo sem ser esnobe. Compro vez ou outra livros, roupa etc.Ser professor não é viver de sonhos e sim da realidade, comer, beber, passear, ter seu carrinho, sua casa, é tudo que os outros tem direito. Tem gente que realmente gasta erradamente, mas, não acredito que quem ganha um salário(prof), seja esbanjado, com 2 seres pra sustentar...

      Excluir
    15. Esse ou essa Bocaiuva der ser alguém do governo...

      Excluir
  51. É como diz a minha tia: uma pele de nenem, impressionada com a jovialidade de Anastasia.

    ResponderExcluir
  52. Próxima eleição, façamos como o pessoal do MARANHÃO:
    Partido Comunista Do Brasil = PCDoB
    Vamos negociar com eles a partir do Maranhão, metade do salário dos "pseudo-deputados" que aí estão deve interessá-los e muito. Vamos guinar totalmente a esquerda e derrotar o capitalismo que nos escraviza até hoje. Somos escravos "intelectuais brancos" e em uma grande maioria do sexo feminino.
    Derrotaremos todos que ousarem nos derrotar com mentiras.
    Acorda, Pimentel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em tudo vamos começar agora a nossa mobilização.Chega desses que aí estão .Arrependi amargamente de ter votado no PT.Nunca mais.

      Excluir
    2. Será que o anônimo das 08:29 pensa que somos imbecis em acreditarmos quando diz que já se arrependeu de ter votado no PT. Vc não engana ninguém. Eles ainda nem começaram q governar e quer que os problemas sejam resolvidos de imediato. Porem ao aecim e o anatésico vc esperou 12 anos, e talvez esperaria o resto da vida. Hipocrisia pouca é bobagem.

      Excluir
    3. Do jeito que entrou, sai.

      Excluir
    4. Caro anônimo das 14:35..."vc esperou 12 anos e talvez esperaria o resto(sic) da vida"...alto lá: Neste ínterim, houve greve, insatisfação, etc...culminando com o fim da era Psdbosta no Estado. Portanto, não houve passividade como vc faz crer. Mesmo com artimanhas jurídicas do ex-governador, dividindo a categoria (lei 100) foi uma batalha árdua, mas conseguimos tirar esta corja. A resposta foi esta. O governo Pimentel sabia na campanha de toda esta problemática Tanto que postava várias coisas em sua conta nas redes sociais, prometendo mundos e fundos à categoria. Portanto, caro anônimo, não venha com esta resposta pronta, como se fosse um "tapa na cara" de quem está cobrando algo. Pare com isto. Nossa necessidade é pra "ontem" e Pimentel sabe disto.





      '

      Excluir
  53. Estou estranhando muito a postura de deputado Rogério Correa. Enquanto oposição gritava a favor dos professores e exigia a volta a antiga carreira.Virou situação, tudo muda. Até pensei que ele tivesse morrido, pois nunca mais entrevistas dele cobrando mudanças, cobrando justiça para os professores. Nós. brasileiros em geral, nunca prestamos muita atenção em quem votamos. Eu pretendo me reciclar e nunca mais votar em alguém pelo ouço a respeito dele, na maioria das vezes damos um chute para fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas jamais sabem agradecer o que os outros fizeram.Deve ser por isto.

      Excluir
  54. E não é só ele. Pode não ter aumento para os profissionais da educação, pode não pagar o piso, já tirou o nosso direito de 3 meses de férias prêmio. Duvido se o SINDIUPT fará mobilização para greve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sindicato somos nós. Tanto é verdade que, na era bsdb, o sindicato queria, mas a maioria dos professores não. Aí deu no que deu. Perdemos todos nossos direitos e nossa dignidade. Portanto não culpe somente a direção do sindicato. A culpa é nossa, onde a maioria parecia estar satisfeita com esse salário de fome.

      Excluir
    2. Esse sindicato e outros por aí são na verdade extensão do PT. Portanto, caro colega eu não sou esse sindicato por que não faço parte da massa de manobra que ele comanda.

      Excluir
  55. tem gente alta do atual governo viajando para Europa em classe executiva, gastos desnecessários para MG, enquanto fica o mimimi dos cofres quebrados para não pagar o funcionalismo......100 mil nas ruas como no Paraná.......abre o oi pimentel

    ResponderExcluir
  56. No Belvedere uma babá ganha 5 mil por mês para cuidar de um menino, enquanto nós professores da rede estadual...

    ResponderExcluir
  57. Se eu fosse esses 50 mil efetivados, juntaria todos eles e iria para Brasília e em frente ao Senado faria um apitasso cobrando de Aécio e Anastasia uma solução. Todo mundo cobra de Pimentel e Rogério Correia e os principais culpados estão lá em cima ganhando sua bolada pra não fazer nada,ou seja, pra azucrinar a Dilma. Aécio só quer o impeachiman de Dilma para tomar-lhe o lugar. Vai ser obsessivo assim lá longe...Será que ninguém percebe que isto é doença?. Este cara é louco. Só de ver o olho dele dá pra perceber.Agora diz que todos que votaram em Dilma estão envergonhados. Quem diz que eu autorizei este imbecil para falar por mim? Eu estou satisfeita com Dilma e Pimentel. Continuo não dando ouvidos a esta mídia comprada. Quem não vê que isto é golpe está cego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente! O Aécio é muito vaidoso. Quer o cargo só por vaidade.
      Ele não pensa no bem da nação, só status. Está visível.
      Quantos anos ele é funcionário do governo igual a nós mesmos, veja o temos e o que ele tem. Vem de onde?
      De onde vem o dinheiro da campanha milionária que o PSDB fez?
      E depois ainda tem a CORAGEM e MORAL de falar do PT.

      Excluir
    2. Concordo 100%, seu comentário foi muito sensato e realista. Ainda tem muito bobo por aí que se iludiram com aécio e o pior, professores formados.

      Excluir
  58. PROCESSO
    AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 4079

    ORIGEM: ES
    RELATOR(A): MIN. ROBERTO BARROSO
    REDATOR(A) PARA ACORDAO:

    REQTE.(S): CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO - CNTE
    ADV.(A/S): ALEXANDRE SIMÕES LINDOSO
    INTDO.(A/S): GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
    INTDO.(A/S): ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

    PAUTA TEMÁTICA

    PAUTA: P.10 SERVIDOR PÚBLICO
    TEMA: REGIME DO SERVIDOR PÚBLICO
    SUB-TEMA: VENCIMENTOS/VANTAGENS

    OUTRAS INFORMAÇÕES
    Data agendada: 25/02/2015

    TEMA DO PROCESSO

    Tema
    1. Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de liminar, impetrada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE, em face dos artigos 1º a 7º da Lei Complementar Estadual nº 428/2007 do Espírito Santo que 'dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para a carreira de magistério do Estado do Espírito Santo'.

    2. Alega que os dispositivos impugnados 'malferem a Constituição Federal, na medida em que a opção pela remuneração por subsídio, ali prevista, é condicionada à renúncia pelos optantes às vantagens de natureza pessoal incorporadas ao patrimônio jurídico dos integrantes da carreira do magistério do Estado do Espírito Santo sob forma de direito adquirido, ato jurídico perfeito e/ou coisa julgada'. Sustenta que os artigos citados 'chocam-se com a regra da irredutibilidade remuneratória, positivada no art. 37, XV, da Constituição Federal, haja vista que a transformação dos vencimentos dos integrantes do magistério do Estado do Espírito Santo em subsídio, condicionada à renúncia às parcelas de natureza pessoal, redundará na mitigação do valor nominal da contraprestação percebida pelos referidos docentes, mormente daqueles que se encontram nos últimos níveis da carreira'.

    3. O Governador do Espírito Santo e a Assembléia Legislativa estadual apresentaram informações e pugnaram pela improcedência do pedido.


    Tese
    SERVIDOR PÚBLICO. MAGISTÉRIO. REMUNERAÇÃO POR SUBSÍDIO CONDICIONADA À RENÚNCIA DE VANTAGENS DE NATUREZA PESSOAL. ALEGAÇÃO DE OFENSA AOS PRINCÍPIOS DA IRREDUTIBILIDADE DE VENCIMENTOS E DA VEDAÇÃO AO RETROCESSO SOCIAL. LEI COMPLEMENTAR 428/2007-ES, artigos 1º a 7º. CF, artigos 5º, caput, e XXVI; 37, XV; 39, § 3º, c/c art. 7, VII, IX, XII, XV, XVI, XVII e XVIII.

    Saber se os dispositivos impugnados ofendem os princípios da irredutibilidade de vencimentos e da vedação ao retrocesso social.

    Parecer da PGR
    Pela improcedência do pedido.

    Parecer da AGU
    Pelo não conhecimento da ação e, no mérito, pela procedência parcial do pedido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se no Espírito Santo o subsídio foi considerado ilegal porque aqui em Minas tivemos que engolir este assalto? Não seria o caso de aproveitarmos e solicitar a CNTE entar com ação idêntica ? Não há jurisprudência neste caso? Como bem disse o Ministro Roberto Barroso: "os vencimentos dos integrantes do magistério condicionada a renuncia ás parcelas de natureza pessoal, redunda na mitigação do valor nominal da contraprestação percebida pelos referidos docentes, mormente daqueles que se encontram nos últimos níveis da carreira."' Até o sr. ministro Roberto Barroso reconheceu o prejuízo. Não é possível nós educadores de Minas Gerais vamos aceitar que o sindicato concorde com o subsídio. Eu não renunciei as vantagens que adquiri ao longo dos anos. Está publicada a minha opção. Vou ter que entrar na justiça por conta própria? Estou encaminhando uma solicitação a CNTE esclarecimento a respeito. Nesta negociação com Governo Pimentel não precisamos ficar lutando por piso de miséria, até porque além do piso ser lei, o próprio Governador assinou com sindicato compromisso de pagar. O que precisamos é levar para o governo atual a ilegalidade que o governo anterior deixou para ele resolver. Não precisa ficar inventando nada. Basta seguir a lei. Sindicato não tem que ficar exigindo piso cheio.Isto é uma enganação para nos impor o subsídio. Não sejamos ingênuos.Se acatamos o subsídio mesmo que seja piso cheio podemos esperar a compensação disto na nossa carreira. Será que ninguém está percebendo isto?

      Excluir
    2. Acredito que você não tenha entendido o texto.

      A CNTE recorreu ao STF contra a Lei do Subsídio no ES.

      O PGR não concorda com o pedido do recurso.

      A AGU também não concorda.

      Portanto, estão de acordo com a Lei do Subsídio.

      Esperar o voto dos Ministros do STF...

      Excluir
  59. É ,com isso vamos esquecendo o nosso Prêmio por Produtividade atrasado desde de 2013 e Pimentel vai dando uma de bobo.

    ResponderExcluir
  60. Posso ser modesta, mas só queria ter certeza de algumas coisinhas mínimas:
    1. As decisões do supremo são soberanas uma vez que quando as coisas chegam lá já foram vistas e revistas e tudo o mais. NÃO É UMA DECISÃO PRECIPITADA.
    2. A formação de professor tem validade como Curso Superior tanto no quesito acadêmico quanto financeiramente.
    3. Não erramos ao votar no Pimentel ( e fazer campanha para ele).
    4. O slogan" Pátria Educadora" não será uma falácia. Um engodo para nossa classe de educadores.
    5. Nossa questão salarial será tratado com cuidado e não com o descaso com que tem sido tratada ao longo dos anos.
    6. A Beatriz realmente nos representará e não se curvará ao governo eleito pelo nosso labor , ou o chicote que descerá sobre nós será mais amargo.
    Que assim seja.............

    ResponderExcluir
  61. Olá pessoal!

    ____________________ [1]
    Acho louvável a indicação de Superintendentes pela categoria, mas o processo deve ser mais transparente. Contribuo com o Sindute faz tempo e, ainda que não faça parte da diretoria, deveria ter sido comunicado sobre o pleito. A escolha de Idalina para SRE Metropolitana “A” por exemplo, foi anunciada no SINDELETRO sem que fossemos informados sobre os critérios que a elegeu. Queira ou não, é preciso estofo para ocupar um cargo de tamanha envergadura. Não queremos sair da ditadura dos partidos para cair na ditadura dos sindicatos. É preciso por fim a essa estirpe que contamina sindicatos país afora.

    ____________________[2]
    Parabéns Rogério Correia e Bia Cerqueira! Sindute deve representar os interesses de contratados e efetivos também. Em tempo: sugiro a diretoria do Sindute que desdobre os esforços para que haja concurso a cada dois anos como na PBH. Chega do executivo criar mecanismos para dividir a nossa Classe. Fim da promiscuidade na SEE/MG já! Jornalista, nutricionistas, engenheiros, bioquímicos, advogados, dentre outros não podem usar a educação como subterfúgio para trocar de veículos ou comprar pacotes de turismo.

    ____________________[3]
    A Sra. Secretária de Educação precisa anular o concurso de CAPACITAÇÃO para que servidores possam ocupar cargos de direção escolar promovido pelo executivo anterior. É preciso levar em consideração que, muitos dos atuais diretores, se sintonizam com o partido de rapina. A maioria perseguiu professores, ATB´s e ASB´s em nome da incapacidade ou má vontade do Anastasia em apresentar propostas para que a greve acabasse. É preciso extirpar de vez todo e qualquer resquício deixado pelos tucanos.

    ____________________[4]
    Ao contrário, o Portal da Educação nada mudou. Há Projetos - dentre eles o REM que foi extinto e o Frankenstein Magistra concebido como paraíso de negócios entre o PSDB e a Fundação Renato Azeredo - estampam suas marcas até hoje (21). Não há, portanto, mudanças ou cara nova no site como pensam a secretária e o seus. O mesmo acontece no Portal do servidor. Várias notícias remetem ao executivo anterior.

    ____________________[5]
    O PNEM – Pacto Nacional do Ensino Médio – pode cair em descrédito se o Governo Federal não cumprir com o reembolso de bolsa aos participantes como foi prometido. Muitos professores abriram mão de ficar junto aos seus ou realizar outras atividades aos sábados, acreditando que se tratava de algo positivo na profissão. Em tempo: tá um furdúncio danado entre os pares professores da minha escola sobre a criação do Grêmio Estudantil como consta em um dos Cadernos do PNEM. Existe uma linha tênue entre prática e discurso. Enfim, o tradicionalismo é uma realidade até mesmo para quem participa da Capacitação. Não há, pois, cidadania, na medida em que professores não enxergam o discente como protagonista. A caneta vermelha, a cultura da nota, o conteudismo, enfim, a centralidade do professor em sala de aula é algo recorrente nas escolas e inevitavelmente empurra ainda mais o ensino para o abismo. Estamos no século XXI gente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho muito engraçado quando vejo críticas quanto ao conteudismo e nota.Quando o aluno terminar o ensino Médio com o que ele depara? Enem- Conteúdo e nota. O resto para mim é balela de quem não quer pegar o livro estudar e preparar uma boa aula, com conteúdo sim , mas atrativa, para que o aluno seja capaz de desenvolver habilidades para ter um bom resultado no enem.Sem nota não tem Sisu, Prouni, IFs, etc.

      Excluir
    2. Falou e disse, anônimo das 20:02. as aulas precisam atrair os alunos, mas não podemos nos esquecer de que aula é TRABALHO, do aluno e do professor, não programa de auditório como muitos querem nos fazer crer. Cobra-se 50% de rendimento durante anos e, ao final da educação básica, o ENEM cobra alto desempenho de quem foi durante muitos anos acostumado a medíocres 50%. Os concursos também cobram números e que vença o melhor; então, que preparemos nossas aulas da melhor forma para torná-las interessantes para os adolescentes, mas não nos esqueçamos de sempre dizer a eles que o trabalho, a vida fora da escola cobra eficiência, produtividade e, na maioria das vezes, sem prazer e diversão.

      Excluir
  62. Euler,
    Estou bastante chateada com esse pedido de 90 dias para sair as tabelas de aumento. Isso é um roubo, pois deveríamos ter aumento em outubro.Pagar retroativo depois não tem dinheiro, mas isso é calote contra os educadores. Ai enrolam e até recebermos, mais um ano quase se passou e o prejuízo é nosso. Precisamos de ter um aumento, enquanto se discute se o piso será proporcional, mas com a volta da carreira. Nossa situação está caótica. Tudo aumenta e para nós, dá-lhes reunião de comissão, que passa de um mes para outro, não é mesa de negociação, e assim o ano passa e a negociar, gente mais enganados que nunca. É o prêmio? podia se cortar tranquilamente, se se pagar salário justo, mas nesse caso, já estamos atrasados em 2 anos. Concordo que se precise negociar, mas 90 dias??? Isso é para enrolar a gente de novo. Em uma semana se resolveria essas questões mais urgentes. Dava-se um aumento e discutiria a carreira com calma. O resto é para nos enrolar mesmo. Queremos o Pimentel da campanha que disse que ia pagar o piso.

    ResponderExcluir
  63. Euler,
    Tem como nos explicar esse parecer sobre pagamento de magistério no subsidio?
    Se for anticonstitucional, vou entrar direto contra em MG.
    Grata,
    Denise

    ResponderExcluir
  64. Euler,
    teria como explicitar esse parecer do colega do dia 21/02. 9h09min?
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  65. Sério pessoal, pra que essa preocupação com prêmio de produtividade? Temos que lutar por salário decente. Se recebermos o piso e tivermos um bom plano de carreira, não precisaremos dessa esmola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merecemos salário digno e Prêmio de Produtividade sim. Afinal de contas, nós Professores, vivemos desenvolvendo o nosso trabalhando em cima de resultados. O Povo que não se valoriza!!!

      Excluir
    2. Estados e municípios não têm dinheiro para pagar o Piso porque não temos transparência em Educação no Brasil. Transparência já!!!

      Excluir
    3. Concordo plenamente com vc . Os professores tem que focar no piso e no planos de carreira.

      Excluir
    4. ProduTividade de 2013 e 2014.

      Excluir
    5. Tenho certeza que se fosse com o psdb no governo já teríamos recebido o prêmio de 2013 e 2014, agora quem achar que é esmola dá o prêmio pra mim.

      Excluir
    6. Que dia vai ser pago o PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE??

      Excluir
    7. Em agosto...Pelo amor de Deus...vocês estão preocupados com PP? Dá um tempo!!!

      Excluir
    8. Quem achar que o Prêmio é esmola passa pra mim. Viveremos recebendo um salário como esmola a vida inteira, pois Educação só serve pra discurso político, jamais para uma prática de valorização do(a) Professor(a). Então ajude com um pouco mais.

      Excluir
    9. Se acha que o premio de produtividade resolve alguma coisa só lamento.
      O fato é que se o salario fosse digno não ligaria pra esse prêmio. e sim acho q é esmola pra iludir e acalmar os ânimos. Pq enquanto ficarmos brigando e gastando energia por esse prêmio que o estado não tem obrigação de pagar, os anos passam e o piso nem sinal é isso. Não me interessa o Premio e sim o piso com uma carreira decente.

      Excluir
  66. Foi a primeira e última vez que oPTei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU TAMBÉM, SABE POR QUE? PELO MENOS A DUPLA AA JÁ FALAVA DE CARA NÃO E PRONTO, NÃO FICAVA ENROLANDO IGUAL A ESSE PIMENTEL.

      Excluir
  67. Tem tanta gente aqui fazendo milagres com nosso pequeno salário que dá até para duvidar. Não sei se quem ganha 1800,00 pode se dar o luxo de pagar plano de saúde,( aluguel, condomínio que no meu caso são 1200,00), passagem para trabalhar, alimentação, material de limpeza e por aí vai.Alimentação e material de limpeza aqui fica mais de 600,00. E aí??????? Roupa e sapato só resto de irmã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente você vive uma vida fora da sua realidade salarial, aí não dá mesmo. Quem ganha 1,800,00 e tem um mínimo de consciência sabe que não dá para viver em lugar com condomínio de 1,200,00. Acredito que não é fazer milagres, mas cada um vive de acordo com que ganha. Nem com o pagamento do piso acredito que será uma solução para sua vida. Temos que ser realistas, merecemos melhorias salariais urgentemente, mas querer ganhar de acordo com a vida que escolheu levar pessoalmente as vezes se torna incompatível mesmo.

      Excluir
    2. Realmente você paga muito de aluguel .Moro perto da escola, vou andando.Compro mensal 200 reais.Compro em um supermercado muito popular.Como bem, aliás como muitas frutas.Compro de tudo.iogurte(grego), queijo, doces (não) arroz feijao macarraõ oleo manteiga Itambé (gosto) .Nunca passou de 200 reais.Eu não faço frituras óleo gasto uma lata somente ao mês.Uso pouco óleo, café, acúcar(só para café) detergente, sabão em pó , amaciante, cloro, papel higiênico (sublime) sabonete(líquido) pasta de dente(closeup))etc.Sinto muito mas é a minha realidade.Não ganharia nada em mentir aqui.E nem preciso mentir.

      Excluir
    3. Penso que as despesas pessoais devem ficar fora de nossa luta. precisamos discutir o valor de nosso TRABALHO. O que cada um decide fazer com o que ganha é problema de foro íntimo. O que é importante para um pode não ser para o outro...

      Excluir
    4. Viver dentro da realidade de nosso salário seria viver na favela ou na rua. Tem gente aqui que não precisa de aumento. Fazem o milagre da multiplicação dos pães e transformam água em vinho...apesar de que eu prefiro transformar o vinho em água. KKKKKKKKKK

      Excluir
  68. Pagar água, luz, telefone, internet, alimentação, tratamento dentário, passagem, aluguel, condomínio com 1800,00? Só milagre.E tem gente escrevendo aqui que dá até pra viajar e pagar prestação de casa.ALguma coisa tá errada. É... dependendo do lugar que mora deve até sobrar mesmo, não que seja ruim o lugar, mas talvez pela distância e a sofrência para ir trabalhar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida eu moro em um lugar nobre de Contagem ELDORADO.Moro em um apartamento antigo e pago somente 167 reais.Faltam poucas prestações para liquidar.Como pago 120 reais de condomínio(disse isso) já inclui água.Veja:Apartamento 167
      Condomínio 120
      Luz 140+-
      telefone 29,90 (claro fixo)
      Net 94 reais junto com internet e canais privados.
      Compras (eu e filha mas ela so dorme em casa come no trabalho) 200 +-
      Dentista (uma vez ao ano) este ano está tudo bem somente fiz uma limpeza.
      Passagem dentro de minha região, pago pois tenho tudo perto.
      Viu? Fez as contas??
      Sobrou quanto?
      Não devo um centavo.O que me sobra coloco na poupança.

      Excluir
    2. Sou professora de um município com 6000 habitantes, e o salário de dois cargos não tá dando pra sobreviver. Contas e mais contas... O salário é de fome.

      Excluir
    3. Anônimo das 14:56, viu como nossa colega das 13:01 é controlada?O meu salário tb não dá. não tenho luxo nenhum.

      Excluir
    4. São esses pobres coitados que não saem da cozinha da escola matando sua fome para não ter despesa em casa, na escola que trabalho tem muitos, comem até aquele resto que fica nas marmitas de alguns funcionários.

      Excluir
  69. Precisamos de homens honestos, corretos e cumpridores de compromisso no poder. Mas, infelizmente com o atual quadro partidário isso é impossível. Vejam a lista dos deputados que votaram favoravelmente ao famigerado auxilio-moradia, nela todos os partidos fizeram questão de estar representados. Dá nojo ver que aqueles em que votamos conseguem nos deixar envergonhados logo nos primeiros dias de mandato. Negaram-se , para agradar ao atual governador, votar aquele aumento medíocre proposto pelo governo anterior, que embora ridiculo, ajudaria e em nada prejudicarai caso o novo governo quisesse nos dar algo melhor. A política e os políticos no Brasil chegaram ao fundo do poço. Para justificar que roubaram a ideia é dizer que os antecessores também roubaram. Vergonha de ter votado em algumas pessoas e nenhuma esperança de poderia ter votado em alguém melhor, pois hoje vejo que as opções eram ridículas. PT, PSDB, PMDB, PSB e outros todos recheados de pessoas que enxergam o poder como realizador de ambições pessoais. Triste uma nação que não oferece aos seus cidadãos homens íntegros para serem votados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O deputado eleito por Conselheiro Lafaiete e região também votou a favor deste famigerado auxílio-moradia?

      Excluir
    2. Fim do poço, ou fim dos tempos? já não sei. Todos os parlamentares e judiciário estão se locupletando com o auxílio moradia que é muitas x maior que o salário do professor. A EDUCAÇÃO é o que sobrar, as migalhas, ou vamos abandonar o barco ou vamos para as ruas, não tem saída.

      Excluir
  70. A posse de superintendentes escolhidos pela categoria é uma prova de que este governo é diferente do anterior. Vamos esperar, pois o Pimentel não está nem há dois meses no cargo.
    O Sindute irá cobrar do governo nosso piso e nossa carreira. Vamos confiar em Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E continuar na penúria.

      Excluir
    2. O problema é que Professor(a) se faz de pobre coitado(a). Se nós não fizermos a nossa parte e cobrarmos Transparência na Educação, não será Deus que resolva a nossa Miséria!!!

      Excluir
    3. Será que não vai sobrar uma suPerinTendencia pra mim não??? pode ser no sul de minas, na zona da mata, no norte...

      Excluir
  71. Acho interessante dizer que não tem dinheiro para pagar o professores, já viram as cifras que estão sendo roubadas? Em todos os níveis. Claro que não vai sobrar nunca. Vamos cobrar. senão nunca teremos nada, somos a escória ou a sociedade pensante? foco no piso.

    ResponderExcluir
  72. Euler, bom dia!!! Como vc acha que ficaria a situação dos ATBs? Sempre ganhamos bem menos que os professores e trabalhamos 6 horas por dia... Acha que na visão do atual governador, tb somos educadores? Pq para o PSDB, o piso só se aplicava aos professores e especialistas. Muito obrigada e aguardo resposta. Patrícia

    ResponderExcluir
  73. CADÊ O PRÊMIO PRODUTIVIDADE??? Ele é direito nosso, já que estamos recebendo pelo subsídio. O que vai acontecer depois não vem ao caso. Devemos cobrá-lo sim e o nosso atual governador( digo nosso porque votei e fiz campanha ) nem toca no assunto, aliás. ninguém fala nada. Estou começando a ficar preocupada, pois temo que estejamos mais sozinhos agora.

    ResponderExcluir
  74. Resumo das conquistas que já adquirimos com o governo atual:
    - Não deixaram que tivéssemos aumento de 4, 5%.
    - Reduziu de três para um mês as nossas férias prêmio.
    - Acabou com o REM tirando o emprego de vários colegas.
    - Não fala nada sobre as nossas férias prêmio.
    Diante de tanta crueldade desse governo no início de seu mandato, vocês acreditam ainda em receber o PISO ?-------- Como gostamos de ser iludido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você esta absolutamente certo. Cansei dessa brincadeira de ser PROFESSOR em Minas,è a mesma coisa que ser nada!!!!

      Excluir
  75. Após a votação do auxílio moradia, quando a bancada do PT em peso votou a favor, não tive outra alternativa me desfiliei do SINDPT.

    ResponderExcluir
  76. Quando nós deixamos de ter uma visão romântica do mundo e nos deparamos com a realidade - principalmente política - a gente acaba ficando meio desanimado mesmo. Cheguei a conclusão que PT, PSDB, PMDB são tudo farinha do mesmo saco. Claro que o PT, mesmo sendo um partido corrupto, não deixa de ter o seu valor ao investir no social. Ainda tenho esperanças em relação ao Pimentel, o problema é que ele pegou um estado quebrado. 12 anos de PSDB nos fizeram muito mal. Eu sou feliz com que eu faço, por isso vou continuar na educação. Temos que ser realistas, políticos não nos darão nossos direitos de graça, vamos ter de lutar por eles. Vamos esperar chegar abril e ver qual será a posição do governo. Pelo menos aqui na minha cidade, as lideranças do Sindute já se mostram insatisfeitas com o andar da carruagem. O tempo nos dará as respostas de nossas indagações. "Deus é bom".

    ResponderExcluir
  77. Certíssimo, anônimo das 13:46.Já fiz isso a muito tempo.

    ResponderExcluir
  78. Novela mexicana chegando ao fim.
    ATENÇÃO!
    Julgamento dos embargos declaratórios da ADI 4876, no dia 05/03/15

    http://www.stf.jus.br/portal/pauta/verTema.asp?id=85813

    ResponderExcluir
  79. Do jeito que o povo tá falando aqui que o salário tá dando e sobrando, pra que chorar o aumento?Se Pimentel ler estes comentários, ele não vai se preocupar em dar aumento.Só rindo.

    ResponderExcluir
  80. Ao anônimo de 22/02 18:29 Quando falo que minha filha come no trabalho eu quis dizer que ela come no restaurante com o ticket refeição que recebe.Por isso disse "come no trabalho" .Quanto a mim, não uso cartões de crédito.Experimente , faça uma experiência e verá que o que sobre é o salário real mensal.Também não estou dizendo que o que recebo com licenciatura plena é ideal.Somente uma pessoa sem inteligência pensará que um professor ganha bem e não precisa mais de nada.Se pensa que um governador inteligente , lendo os comentários aqui , pensará ou constatará que não precisamos de aumento, você está desfazendo , menosprezando a inteligência dessa pessoa.Ele sabe o quanto ganhamos e o quanto é ínfimo.Ele sabe que merecemos muito mais .Aí se vai nos valorizar com um salário digno, é outra história.Quanto a mim, não preciso me desculpar ao dizer tudo isso aqui.Não trabalho desde 2007 pois sou aposentada.Então não como em nenhuma escola e nem preciso disso.Não vou a casa de parentes também para comer.Basta ter planejamento e viver uma vida dentro dos padrões reais.Acho que o que mais pesa nessa relação é o valor de meu apartamento.É muito barato devido ser antigo.Talvez se eu fosse pagar um aluguel não me sobraria muito mas certamente eu moraria em um lugar dentro de minhas condições.Devemos ser realistas e adequar o nosso orçamento e poupar sempre.Comer fora ? Jamais.Não compro nada apenas o necessário.Compro uma vez ao ano quando viajo e só.Aqui é muitíssimo caro .Presentes? Somente no aniversário .Não preciso me expor e mentir.Apenas estou alertando a todos e que não podemos viver de aparências.Planejamento sempre.Gastar não pode ser um vício.Sinto muito se para você não dá.

    ResponderExcluir
  81. Quando prestei concurso e fui aprovado, ingressei no magistério com uma carreira bem definida. Se o salário não era bom pelo menos as vantagens compensavam. Hoje estamos sem salário e sem carreira e se pudesse optar preferiria minha carreira e seus benefícios. Poderia hoje estar afastado da sala de aula, pois tenho 32 anos de magistério e direção, no entanto este afastamento nos foi tirado a partir de 01/15 por uma Lei de 2013. Um absurdo que gostaria, profundamente, que fosse revertido. Ainda confio no Pimentel.

    ResponderExcluir
  82. Me poupe dessas estórias, precisamos em nos concentrar e lutar por nosso direitos e valorização chega de conversa, ACORDA ESTAMOS NOS DESTRUINDO ENTRE SI,SOMOS PROFESSORES MERECEDORES DE DIGNIDADE E RESPEITO.

    ResponderExcluir