quinta-feira, 22 de agosto de 2013

E o debate sobre a Educação prossegue. Apesar da urucubaca que colocaram em Minas, o país

E o debate sobre a Educação prossegue. Apesar da urucubaca que colocaram em Minas, o país
 
Eu não tenho dúvida: lançaram uma urucubaca em Minas. Nem manifestação de rua contra o governo do estado acontece mais. Greve nem se fala, né? No Rio, a rebelde juventude não dá trégua para Cabral. E é mais que merecido, tendo em vista que o governo de lá deixou a Educação e a Saúde para último plano, investindo na propaganda da tal pacificação nos morros. Paz não se constrói com polícia, mas com política social: Educação pública de qualidade, saúde pública decente, lazer e cultura ao alcance de todos. Investir em gente, em primeiro lugar. Em São Paulo também a moçada vai pra rua protestar, agora contra as tais propinas das obras do metrô durante os 20 anos de reinado dos tucanos. Mas em Minas, outro país, o governo pode pisar e desfazer dos educadores, como aconteceu com a política de destruição da carreira dos profissionais da Educação e do não pagamento do piso salarial. E nada acontece, pois jogaram uma urucubaca no território mineiro.

Durante as nossas greves de 2010 e 2011, foi proposto aqui no blog que pedíssemos às 13 almas para que elas interferissem no plano terrestre, mais precisamente em Minas, em favor dos educadores. Acredito até que as 13 almas chegaram a analisar os nossos pedidos, mas, quando se aproximaram do território de Minas e passaram pela Cidade Inadministrável, deram-se conta de que aqui a coisa era pior até do que elas imaginavam. Simplesmente desistiram. E disseram: aqui, nem reza brava em noite de lua cheia resolve o problema. É muito carma acumulado. Um pedaço de terra que nos últimos 30 anos foi governado por figuras como Tancredo, Hélio Garcia, Newton Cardoso, Eduardo Azeredo e fechando o ciclo com o faraó e seu afilhado, é dose cavalar, para alma nenhuma dar conta, por mais generosa que seja. Muitas gerações talvez tenham que sofrer, penar, para purgar tamanho peso.

Mas não se deprimam por isso. Quando acharem que tudo vai mal, basta ouvir as rádios e TVs de Minas. Todas elas apontam um estado de graça para o nosso estado-país. Uma das propagandas, que tem sido martelada dia e noite, é aquela velha ladainha neoliberal, segundo a qual, Minas economiza nos gastos com a máquina do estado para sobrar mais dinheiro para investir em favor do cidadão. É de doer ouvir isso a cada minuto. Dizem que vão cortar / economizar R$ 1 bilhão este ano. Ora, o que fizeram com os R$ 9 bilhões nos últimos nove anos de governo quando não houve tal corte? Bem que essa soma daria para pagar o nosso piso e ainda sobraria algum trocado.

Para a mídia mineira e nacional, o governo federal faz tudo errado, enquanto o governo do estado é perfeito. Tudo bem, o governo federal comete erros também, e muitos. Um deles? A omissão em relação ao monopólio da mídia. Querem outro? Os gastos com a dívida pública e o abandono de uma política para a Educação básica, que está morrendo. Mas, e os outros partidos e governos? É a tal história do chamado mensalão do PT - o único caso julgado pelo STF, com repercussão nacional durante as eleições. E os mensalões dos tucanos - privataria de FHC, mensalão dos tucanos mineiros, propinoduto dos tucanos de São Paulo, etc.? Quando é que terão o mesmo tratamento daquele dispensado ao PT? Todos sabem que não morro de simpatia por nenhum partido, que não apoio nenhum governo, que fui crítico e continuo denunciando a omissão dos diversos governos e partidos em relação ao não pagamento do piso dos educadores. Mas é duro ver diariamente o tratamento desigual e partidário que a mídia eletrônica, que é uma concessão pública, reproduz. Com total falta de respeito pela inteligência das pessoas comuns.

O bom de tudo é que a gente vive no dia a dia no meio de pessoas comuns, gente simples igual a gente. São alunos, são pais de alunos, são pessoas da comunidade, cada qual com sua história, seus sonhos, por mais simples que sejam. Até nisso, temos uma mídia imprestável, que só reproduz o lado negativo, de violência, de crimes, além dos enlatados norte-americanos. Tanta coisa boa acontece diariamente nas comunidades de Minas e do Brasil, tantos talentos, mestres de ofício - riquíssimo patrimônio cultural - que poderiam servir de exemplo positivo, mas que passam despercebidos pela programação inútil dessa mídia.

Portanto, apesar da urucubaca, e das 13 almas terem desistido de dar um jeito em Minas, ainda acredito nas pessoas comuns, que reconstroem as esperanças a cada momento. É essa força que vem de baixo, que parece não existir, mas que está lá, está aqui, é nela que boto fé. Essa gente brava ainda vai escrever outra história, em Minas, no Brasil e no mundo. Sai urucubaca!

Um forte abraço a todos e força na luta! Até a nossa vitória!
                            ***

Frei Gilvander:

Testamento-testemunho de Dom Antônio Fragoso, ex-bispo de Crateús, CE.

Observação de frei Gilvander.
Em setembro de 1998, enquanto eu fazia o mestrado em Exegese Bíblica, no Pontifício Instituto Bíblico de Roma, Itália, tive a alegria de encontrar no Colégio Internacional dos Carmelitas, em Roma, dom Antônio Fragoso, que no alto dos seus 78 anos contava sobre sua atuação missionária com um entusiasmo contagiante. Dizia se referindo a várias pessoas: “Esse tem uma cabeça arrumada.” Eu não tinha dúvida de que estava diante de um profeta, um homem do Deus dos pobres e dos pobres de Deus. E não sei bem porque, dom Antônio Fragoso me entregou uma cópia de um “Testamento-testemunho espiritual dele”, que eu guardei com muito carinho, depois digitei e o conservo no computador e, principalmente na minha memória e no meu coração como um bússola que me inspira. Eu já o partilhei com algumas pessoas, mas, agora, estimulado por Manoel Soares Martins, que me pediu cópia do “Testamento de dom Antônio Fragoso” se apresentando como “juiz de direito aposentado e filho de Crateús, Estado do Ceará, onde o nosso eterno e saudoso dom Antônio Batista Fragoso foi o Primeiro Bispo de nossa querida Diocese.” Pelo pedido de Manoel, Deus conosco, e também por ter ficado emocionado ao reler o “testamento-testemunho de Dom Antônio Fragoso”, eu estou disponibilizando-o agora na internet a partir de www.gilvander.org.br na certeza de que vai fazer um bem enorme a muitas pessoas que o lerão e meditarão sobre o sentido da vida. Obrigado, dom Antônio Fragoso, que já partilha vida em plenitude, envolvido no infinito mistério de Amor que é nosso Deus, o Deus da vida e dos pobres. Abraço terno. Frei Gilvander Luís Moreira.
Segue, abaixo, um Testamento-testemunho de Dom Antônio Fragoso, ex-bispo de Crateús, CE, organizado em sete partes eloqüentes.

Testamento-testemunho de Dom Antônio Fragoso, bispo de Crateús, CE.

1. DADOS PESSOAIS
Antônio Batista Fragoso.
Nato em 10/12/1920, dia dos Direitos Humanos, em Teixeira, Estado da Paraíba, Brasil.
Ordenado sacerdote, em 2 de julho de 1944, no Seminário da Paraíba.
De 1947 a 1957, Assistente da Juventude Operário Católica (JOC), para os Estados do Nordeste Brasileiro.
Ordenado bispo, em 30 de maio de 1957.
Bispo auxiliar, na Arquidiocese de São Luís do Maranhão, de 1957 a 1964.
Bispo Diocesano de Crateús, Estado do Ceará de 1964 a 1998.
Padre conciliar, no Vaticano II, em 1962, 1963, 1964 e 1965.
Bispo Emérito de Crateús, desde de 17 de fevereiro de 1998.

2. BISPO.
    A JOC me abriu os olhos para a realidade do mundo dos pobres (que, depois, chamados de Empobrecidos e, posteriormente , Excluídos).
    A Teologia dos tempos de Seminário eu a levei a sério com a "paixão" dos tempos de juventude. Mas não consegui ILUMINAR minhas práticas e os "sinais dos tempos", pois ela era mais "doutrinária", dedutiva.
    A metodologia Jocista - do VER, JULGAR e AGIR - vem testada nas experiências dos Militantes e Assistentes da JOC, me ajudou a partir da "Realidade", perceber o seu "sentido e a presença do Reino sob sinais  e a me confrontar com uma Prática Transformadora.
    A notícia da minha escolha para o Episcopado me apanhou de surpresa, convencido que a JOC era o meu futuro. Apelei para o Papa. A nomeação, enviada para mim, no início de dezembro de 1956, só foi publicada em março de 1957.
    É voz corrente (quem sabe desses segredos, com segurança?) que Dom Helder Câmara "sugeriu" à Nunciatura apostólica diversas idas e vindas da Ação Católica Especializada. Lembro-me de que, no Vaticano II, quando Monsenhor Joseph Cardajn foi escolhido Cardeal, nós , os Assistentes da JOC lhe oferecemos um almoço afetuoso. Éramos 18.
    Bispo Auxiliar do Arcebispo Dom José de Madeiras Delgado, tentei fazer UNIDADE com ele, mesmo se éramos diferentes, na nacionalidade e na visão da Igreja e do Mundo.
    Ele me confiou o acompanhamento da Ação Católica Especializada (JOC, JEC, JAC, ACO) e da Pastoral Catequética com as bênçãos e o apoio aberto dele, foi possível promover, em 1958, 1959 e 1960, uma SEMANA CATEQUÉTICA mobilizadora, em cada uma das 60 paróquias da Arquidiocese.
    É bom ter em vista que a, então, Arquidiocese de São Luís cobria as Paróquias  das posteriormente criadas Dioceses da  Viana, Bacobal, coroatã e Brejo.
   
3 - O VATICANO II.     
    Facto convocadas. Dependiam da anuência do Bispo Diocesano. Eu tive a graça de ser plenamente autorizado por Dom José de Medeiros Delgado para participar do Concílio em 1962, 1963 , em 1964 e em 1965 eu já era Bispo Diocesano de Crateús.
    O Vaticano II  marcou fundo a minha vida. O horizonte eclesial se alargou às dimensões dos 4 continentes.
Foi nos oferecida a oportunidade da renovação teológica, por meio de mais de 70 conferências-Debates de Expertos do 1o time teológico do mundo;
Deu-se a queda das imagens tradicionais de Igreja - Igreja Pirâmide  e Igreja centro e periferia - que foi proclamada como a comunidade dos Discípulos de Jesus, todos fundamentalmente iguais, onde a "autoridade" se torna diaconia;
Aprofundou-se o diálogo da Igreja com as "Realidades Terrestres";
O Vaticano II teve dificuldades de acolher o pedido  de João XXIII: apresentar ao mundo  um ROSTO NOVO DE IGREJA, sobretudo da IGREJA DOS POBRES;
Nos bastidores do Concílio, um grupo de Bispos se reunia no Colégio Belga e tematizava a identidade entre Jesus e os Pobres, ensaiando a compreensão das conseqüências sociais, políticas, culturais e místicas dessa identidade;
Ficou-nos a certeza de que o Vaticano II não era o ponto de chegada, mas o ponto de partida de um processo exigente de conversão pessoal e eclesial.
O Antônio Fragoso, que saiu do Concílio, não era mais o mesmo que nele entrou, em outubro de 1962.
Nunca direi demais a Deus toda a minha gratidão por ter sido e continuar sendo PADRE CONCILIAR.

4. EM CRATEÚS.
O Vaticano II me interpelou e se esvazia, se os cristãos e sobretudo o Episcopado não o puserem em prática.
As tentações chegam, previstas ou inesperadas. A "saudade das panelas do Egito", a recuperação do pré-concílio, a "restauração" de uma modernizada neo-cristandade podem gerar o "desencanto" até nos mais ardentes, sepultar a memória do acontecimento, levar a proposta de "hermenêuticas" ideologizadas (talvez, bem intencionadas).
O desafio é este: como assumir o processo conciliar, articulando a Comunhão Evangélica de Igreja e a Ousadia profética?
    A Igreja de Crateús, situada no sertão árido nordestino (os Sertões de Crateús e dos Inhamuns), também se sentiu desafiada e extremamente frágil para o sopro inspirador do Vaticano II (não dando?) referencial para ninguém, mas, expressamos o desejo de dizer "sim" ao Apelo do Concílio.
1.Buscou assumir um "rosto rural", priorizando o anúncio da Boa Nova aos Pobres, por vezes, dando pretexto às queixas das "classes Médias tradicionais”.
2.O Bispo com mais boa vontade do que “Know-how" não quis revestir a "figura histórica e popular de BISPO", mas ir se tornando companheiro e irmão.
3.Todas as decisões pastorais eram discutidas longamente com os leigos, as Religiosas e os Padres. O Bispo não quis prevalecer-se de seus "poderes canônicos" para destacar seu voto ou sua decisão, mas habitualmente aceitou que o voto de qualquer dos Leigos e Presbíteros fosse igual ao seu.
4.Desejando ser uma comunidade de discípulos, SEM PODER como Jesus, a Diocese recusou Ter OBRAS (Colégios, Escolas, Rádio, Hospitais). As obras, se necessárias forem, devem ser iniciativas da "comunidade" e não do Bispo, do Padre, da "Diocese", da "Paróquia".
5.A Diocese de Crateús, muito pobre, depois de experimentar, durante 10 anos, pedir DINHEIRO/AJUDA às "Agências doadoras" católicas e/ou não governamentais decidiu, sem muita unanimidade (!) não mais fazer projetos para o Exterior ou para o governo do País. A ideia inspiradora era esta: "uma mulher, um homem, crescem quando DÃO DE SI, não quando estendem a mão para receber".
6.A Diocese decidiu não fazer um "Seminário menor". Até mesmo chegou a pensar que "o coração da Diocese não é o seminário, mas a formação/educação da fé da comunidade, com seus Ministérios. Das Igrejas vivas na base nascerão, quando o Espírito soprar, VOCAÇÕES ORDENADAS E CONSAGRADAS suficientes.
7.Muitos Cristãos pediam "Espiritualidade", "Mística", "Nutrição da Fé", calor do coração na Liturgia", mas não aceitavam que a Fé movesse os Cristãos para o combate pela Justiça, para uma Prática transformadora e radical.
8.A Diocese assumiu a responsabilidade de lutar para que os Cristãos tivessem duas pernas sãs e articuladas: a perna da Experiência de Deus e a perna do combate pela Justiça. Esta opção trouxe tensões e afastamentos dolorosos.
9.Nos seus 34 anos, a Igreja de Crateús reconhece que está só NOS PRIMEIROS PASSOS de vivência da Inspiração do Vaticano II.

5. VIOLÊNCIA E NÃO-VIOLÊNCIA.
    A Igreja de Crateús não é uma ILHA, cujas pontes para "invasão" de idéias e propostas culturais estivessem cortadas.
    A consciência da MISÉRIA (= Pobreza, Empobrecimento, Exclusão) leva facilmente, à INDIGNAÇÃO ÉTICA.
    A indignação ética é o primeiro passo necessário para o combate pela Justiça e pode-se abrir para a SOLIDARIEDADE ATIVA ou para VENCER A VIOLÊNCIA do Sistema com a violência popular.
    As últimas cinco décadas "empurraram" mais no sentido de combater a violência com a violência.
    Ultimamente, emergem Apelos para a Solidariedade (= "novo nome da Paz?").
    Em Crateús, fortemente marcada pela injustiça e a opressão, a tendência dos intelectuais"  e dos "Ativistas" era a "Revolução armada". Não havia estratégias  com armas, havia mais "idealismos"  e discursos.
    Eu fui muito motivado por homens como Gandhi, pelo "movimento Internacional de Reconciliação" (Jean Goas e Hildegard Gon Mayer), pela  "irmandade do servo sofredor" (Bispo do Padre Alfredinho Kunz), pela "pressão Libertadora" (Dom Helder Câmara) pela "Firmeza Permanente" (Dr. Mário Carvalho de Jesus).
    Não consegui convencer a maioria da Diocese de que o combate pela Justiça, NÃO VIOLENTO, inspirado na Força Libertadora do Amor, era a Esperança. Ninguém queria a Revolução Armada, mas tinha medo de que a "Não Violência "fosse negativa, acomodada, "inocente".
    Chego a pensar que a maioria da população da Diocese tem práticas não-violentas, mas é carente de EDUCAÇÃO para a ATITUDE solidária, que recusa usar as armas dos opressores.

6 – MONSENHOR BETTAZZI E PAZ CHRISTI.
    Não é meu propósito falar do meu colega do Vaticano II, Monsenhor Luigi Bettazzi, Bispo de Ivrea, e Nem da "Fraternidade dos Pequenos Bispos", que cerca de 20 Padres conciliares organizamos, durante o Concílio, como um pequeno grupo de Amizade e mútuo apoio, inspirado no Irmão Carlos de Foucauld e sua Espiritualidade, dos 20, 9 já se foram para a casa do Pai. Eram do Vietnam, da Coréia do Sul, da África, da Alemanha, da França, os outros, ainda sobreviventes, DAMOS GRAÇAS a Deus por este grupo.
    Quero falar do testemunho de Monsenhor Bettazzi em favor da PAZ (= Pax Christi).
    Monsenhor Bettazzi foi sempre um bispo da Solidariedade ativa não violenta e da Profecia audaciosa. Nem sempre encontrou compreensão a que tinha direito.
    Lembro-me das suas posições pela autodeterminação do Vietnã na Mídia ocidental.
    Lembro-me de suas abertas e corajosas mensagens, nos congressos da Pax Christi italiana e da Pax Christi internacional. 
    Lembro-me de seus livros deliciosos de ler, interpelantes para os que querem sair do "status quo" ou de atitudes sectárias, especialmente o denso e profético "La Sinistra di Dio".
    Lembro-me da Visita Pesquisa à América Central e da publicação contraditada do relatório.
    Sinto-me gratificado por ter Monsenhor Bettazzi como Amigo e Irmão e como um militante não violento da PAZ.

7 - ESPERANÇAS PARA O FUTURO.
    Um homem com quase 78 anos ainda pode ter esperanças "concretas"?
    Sou filho de um sertanejo paraibano muito pobre, que foi sempre um sonhador incorrigível, "jovem aos 90 anos carregando utopias mobilizadoras”.
    São estas algumas das minhas esperanças:
Uma Igreja com ROSTO DE POBRE, comunidade de servidores de Jesus, sem poder, vivendo a mística do serviço de "lavar os pés" da humanidade, principalmente dos pobres, conheço muitos testemunhos. Por isto, sei que é possível.
O ministério dos Cristãos que, na Igreja Católica, unem a comunhão eclesial evangélica e a profecia explícita. Quem não se lembra do Padre Haering, do Arcebispo John Quinn, do Padre Tissa Balasuriya, de Monsenhor Oscar Romero, de Monsenhor Ivan Girardi, da multidão dos catequistas e celebradores da palavra nas CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), dos milhões de mártires "anônimos" no combate pela justiça?
As CEBs - pequenas Igrejas Vivas na Base - de tipo rural e, no futuro, de tipo urbano em que unem, no cotidiano "anônimo" a maior fidelidade ao Evangelho e a teimosia profética.
O pluralismo de rastos da Igreja vinda de Teologias, de Liturgias, de formas de ser PADRE ensaiando, já na História presente, a UNIDADE NA DIVERSIDADE.
A invenção  de realizações históricas da UTOPIA SOCIALISTA, que os assim chamados "SOCIALISMOS REAIS" experimentaram e traíram e a "globalização" se gloria de havê-lo sepultado definitivamente.
A resistência multissecular dos Indígenas, dos Negros, das Mulheres, dos Sem poder e que não é resgatada pela opinião pública de hoje, mas faz tremer o sistema global que o "ignora" e o "escanteia".
Estas ESPERANÇAS "CONCRETAS" estão fazendo o seu caminho e NINGUÉM vai impedi-los  de florescerem e frutificarem, no tempo que o Espírito programa.

                      Antônio Fragoso,
Bispo Emérito de Crateús. João Pessoa, Paraíba, Brasil, 15 de setembro de 1998.

Um abraço terno na luta
Frei Gilvander Luís Moreira
gilvanderr@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
facebook: Gilvander Moreira

124 comentários:

  1. Que alívio Euler, você apareceu!

    ResponderExcluir
  2. SRE Almenara

    Ninguém pode reclamar nada

    só repressão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Votem contra Aécio/Anastasia.

      Excluir
    2. SRE de Curvelo também... é ditadura.Os primeiros a irem pro paredão: professores. É o que resta depois da tortura a que somos submetidos.

      Excluir
  3. COMO SEMPRE...CARO EULER, VOCÊ TRADUZ OS NOSSOS PENSAMENTOS, DESEJOS, ANSEIOS E CONCLUSÕES EM PALAVRAS... AQUI EM MONTES CLAROS, PASSAMOS OBRIGATORIAMENTE POR 16 HORAS DE LAVAGEM CEREBRAL PARA NOS CONVENCER QUE AS PROVAS DO PAAE (FORMULADAS PELO INSTITUTO AVALIAR, E NÃO POR PROFESSORES DA REDE MINEIRA) SÃO UMA FERRAMENTA QUE MELHORA EM MUITO A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO...DETALHE, NOS DERAM A INCUMBÊNCIA DE REPASSAR ESSAS MENTIRAS PARA NOSSOS COLEGAS. O PALESTRANTE, MUITO SUTILMENTE, DISSE QUE O GOVERNO DE MINAS, PAGA E CARO PARA QUE ELES ELABOREM ESSAS PROVAS...QUE PREGUIÇA DESSE GOVERNO IDIOTIZADOR...

    KELLLEM- MONTES CLAROS

    ResponderExcluir
  4. Aleluia, Euler. Finalmente vc deu sinal de vida.
    Olha o que a Injustiça mineira nunca fez por nós.
    Justiça do Rio impede corte de ponto de professores estaduais em greve
    22/08/2013 - 20h26
    Justiça
    Da Agência Brasil

    Rio de Janeiro – O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu hoje (22) liminar que impede o corte do ponto dos profissionais de educação da rede estadual que estão em greve. Na decisão, a desembargadora Cláudia Pires dos Santos Ferreira garante o direito de greve aos servidores nos dias de paralisação, desde que haja notificação prévia da administração. Caso a decisão seja descumprida, o governo estadual terá de pagar multa diária de R$ 10 mil.

    “Esse resultado é de fundamental importância uma vez que os governos vêm se antecipando na avaliação sobre a legalidade da greve e impondo de forma imediata o corte de ponto. Essa é uma resposta que com certeza vai fortalecer o movimento”, disse a coordenadora-geral do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), Ivanete Conceição. Para ela, a liminar pode influenciar também a greve dos profissionais da rede municipal.

    Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que recorrerá da decisão judicial. De acordo com a secretaria, com a greve, 91 mil professores e funcionários administrativos deixaram de trabalhar e mais de 200 mil alunos podem ficar sem aulas. "Não obstante a decisão liminar, a secretaria ratifica a necessidade do registro formal das infrequências [Código 61] pelo fato de ter que programar a reposição de conteúdo das aulas para os alunos prejudicados", diz a nota.

    Os profissionais da educação, em greve há 14 dias, reivindicam reajuste salarial de 28%, dos quais 23% referentes a perdas salariais nos últimos anos e 5% de valorização profissional. A secretaria alega que já concedeu reajuste de 8% (aprovado em junho deste ano pela Assembleia Legislativa do Rio). De acordo com a secretaria, o percentual representa ganho real de 5,8% acima da inflação e do reajuste do piso nacional do magistério.

    De acordo com a coordenadora-geral do Sepe, o aumento concedido pelo governo é insuficiente. “Esses 8% não atendem ao que nós reivindicamos, então nós mantemos na mesa a reivindicação da complementação de 20%. O governo não ofereceu mais nada além dos 8% e a partir do momento em que o governador implementou esse reajuste, ele deu esse assunto como encerrado, não se dispõe a abrir de novo a mesa para discutir a questão do reajuste salarial”, disse.

    A categoria terá uma nova audiência amanhã (23), às 14h, com o subsecretário de Gestão de Pessoas, Luiz Carlos Becker, na sede da secretaria, quando serão apresentadas as respostas do governo à reivindicações da categoria.

    O Sepe fará uma nova assembleia na próxima terça-feira (27). A concentração será na Cinelândia, às 12h. De lá, os profissionais deverão seguir em passeata para as escadarias da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), onde ocorrerá uma audiência aberta a partir das 14h.



    Edição: Carolina Pimentel

    Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

    ResponderExcluir
  5. E o calendário de reposição dos dias parados? Este direito também nos será usurpado?

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Euler. Também estranho muito a falta de fôlego de nós professore prá reagir aos desmandos do desgoverno. Mas ao mesmo tempo, temos que lutar contra a indiferença de autoridades que deviam zelar pelo cumprimento da Lei, mas é indiferente aos brados da voz das ruas. A esperança é varrer do poder esta turma. Olha, Euler sou muito grata pelas palavras de esclarecimento, com seu discernimento nos ajuda a entender os meandros dessa situação de Minas.

    ResponderExcluir
  7. DENGUE, SALÁRIO BAIXO, INFLAÇÃO, DÓLAR SUBINDO, AUMENTO GASOLINA, ENDIVIDAMENTO DO ESTADO, ETC.

    ISSO ME LEMBRA ALGUMA COISA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca arrependido.24 de agosto de 2013 00:05

      Lembra sim... Do PSDBosta.

      Excluir
  8. No Rio um professor ganha salário bruto de 1100 reais para um cargo de 12 horas-aula. Isso é simplesmente uma lástima. Um policial também ganha mal lá. Em São Paulo e no Rio vemos quase todos os dias, principalmente pela mídia ninja( verdadeira mídia ), manifestações contra governos estadual, municipal e federal. Já aqui em Minas parece que tudo está mesmo nas mil maravilhas. Ninguém reclama de nada, até a assembléia popular horizontal que no início nos ajudou exigindo uma reunião com o governo, ultimamente sumiu também, se bem que nenhum professor participa também. Quanto a mobilização de nossa classe, reitero aqui que com esta lei 100 é infinitamente difícil para o sindute e qualquer outra entidade conseguir união dos professores. Estamos divididos pela base pela situação funcional de cada um de nós, cada qual com suas intenções e motivos. 80% das cidades mineiras são pequenas com população de menos de 20.000 habitantes onde falta emprego. E para professores efetivados nestas cidades o emprego dado pelo governo é tudo que eles pediram a Deus. E salve Anastasia e pronto!!! Assim fica duro conseguirmos unidade e força contra o governo. A engenharia da lei 100 foi é e continuará sendo imprescindível para o sucesso do governo na nossa destruição. Soma-se a isso um pesado investimento em mídia para fazer tudo parecer que está às mil maravilhas e o povo, cada vez mais alienado, acredita, e acredita tanto que nem manifestações fazem mais. Como a mídia é importante! Que dinheiro "bem gasto" por parte do governo heim? Do jeito que as coisas estão indo em Minas acho que até no dia 7 de setembro não terá nada aqui, apenas lá pelas bandas de Sampa e nas terras cariocas... Vamos fazer nossa parte, vamos mandar emails para a assembléia popular horizontal para o movimento BH nas ruas e outros movimentos mais para irmos às ruas 7 de setembro. Minas e nós, povo sofredor e explorado, precisamos muito dessa força das ruas, como disse Euler, das pessoas comuns...Será que vamos apenas ficar acompanhando pela mídia ninja as manifestações em São Paulo e no Rio no dia 7 de setembro? Espero que não!

    ResponderExcluir
  9. sexta-feira, 23 de agosto de 2013
    Na calada da noite, Alckmin renova 5,2 mil assinaturas da revista Veja


    No último dia 14 de junho, enquanto as atenções estavam voltadas para os protestos nas ruas de São Paulo, o Diário Oficial do Estado publicou a compra – sem licitação – de 5.200 assinaturas semestrais da revista Veja para serem distribuídas nas escolas da rede pública. O valor contratado foi de R$ 669.240,00, a ser desembolsado em nome da Fundação para o Desenvolvimento da Educação, órgão do governo estadual.

    Há anos os governos tucanos paulistas recebem duras críticas pela compra em grande volume destas revistas e jornais... Leia mais aqui.

    Leia também:
    - Alckmin tem que cobrar até R$ 444 milhões de imposto na herança de Civita. Vai 'esquecer'?

    ResponderExcluir
  10. Professores do Rio aproveitam o bom momento e a juventude para manifestarem e conseguirem melhorias na educação. Lá Cabral vacilou pois esqueceu de efetivar 98.000 professores. Agora está tendo que aguentar protestos de professores, kkk. Como uma efetivação ajuda né. A propaganda paga com nosso dinheiro então nem se fala viu!

    ResponderExcluir
  11. Os governadores do Rio e de São Paulo precisam ter algumas aulas com o professor anastasia sobre como governar um estado e conseguir sossego do povo. A primeira coisa que anastasia vai colocar pra eles é investimento pesado na mídia e depois efetivar sem concurso alguns milhares de professores, que são a categoria mais numerosa e passa fome e reclamadora. Mas cuidado Alckmim e Cabral, vocês não podem efetivar todo mundo não, tem que ser quase a metade dos servidores. Se não vocês não vão conseguir dividí-los e tirar a união deles. Façam como eu fiz aqui em minas, eu efetivei quase a metade e aí é só deixar que a mídia faça o resto e pronto, vocês vão desfrutar da mais completa tranquilidade para governar, kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olhe que ele é um bom "professor".Viram lá em Araxá? O capacho Jeová vai fazer o mesmo que ele ,contratar substitutos para colocar no lugar dos grevistas.
      Ele ensina e os puxa-sacos fazem o mesmo.
      Resta saber se vai encontrar professor para contratar, já que a espécie está em extinção,mas também pode colocar qualquer um,pois aqui na Terra das Alterosas pode tudo, ninguém faz nada e a justiça se faz de cega,literalmente!

      Excluir
  12. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/08/apos-proposta-de-paes-greve-de-professores-pode-acabar-na-segunda.html

    ResponderExcluir
  13. O capeta existe. E o verdadeiro nome dele é Antônio Augusto Junho Anastasia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dentro do nome "dele" tem a mensagem subliminar de +++satanás+++

      Excluir
    2. Ui, que medo daquela vozinha mansa, melosa, feminina. Credo. O capeta veste terno. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  14. sexta-feira, 23 de agosto de 2013
    Alckmin torra R$ 3,8 milhões da educação em 15.600 assinaturas da Folha, Estadão e Veja




    Não foi só a revista Veja que teve 5.200 assinaturas feitas pelo governo Alckmin (PSDB-SP) na calada da noite.

    O governo tucano usou verba da educação para comprar um total de 15.600 assinaturas, dos jornais "Folha de São Paulo" e "O Estado de São Paulo", além da citada revista Veja.

    Foram 5.200 assinaturas de cada publicação, por seis meses, totalizando o valor de R$ 3.778.840,00 os três contratos.

    Como desculpa para meter a mão nas verbas da educação, as assinaturas foram destinadas às escolas da Rede Estadual de Ensino, em um projeto chamado "sala de leitura". Porém muitos educadores questionam a prioridade do uso destas verbas, e o melhor uso se direcionado a laboratórios digitais e bibliotecas multimídia, com muito mais diversidade informativa e conteúdo educativo mais rico disponível na internet.

    A que interesses você acha que mais atende estas assinaturas?

    1) Aos barões da mídia, donos dos jornalões e revistas, que compensam a queda de vendas e assinaturas avulsas com as compras governamentais paulistas;

    2) Ao governador Alckmin, que ganha a gratidão dos barões da mídia, e é blindado no noticiário destas publicações;

    3) Aos corruptos tucanos que receberam o propinão da Siemens e da Alstom, e os jornais e revistas não fazem jornalismo investigativo, se limitando a publicar só o que já é fato consumado em investigações oficiais;

    4) Ao PSDB que acredita que o noticiário do PIG (Partido da Imprensa Golpista) tem o poder de fazer lavagem cerebral nas cabeças juvenis dos estudantes, para eles se tornarem neoliberais reacionários lendo esta velha mídia.

    5) Todas as anteriores.

    Em tempo: antigamente os jornalões e revistas costumavam enviar exemplares de graça para as bibliotecas públicas. Não era apenas uma cortesia por generosidade. Era estratégia de marketing para formar público leitor, afinal estudantes, quando se tornavam profissionais, acabam assinando os jornais e revistas que adquiram o hábito de ler nas bibliotecas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Black blocks no em São Paulo rasgaram várias revistas hj na porta da editora abril kkkkkkk

      Excluir
    2. Armação.

      Não acredite.Houve forte aparato policial para impedir depredações.

      E ainda cala a boca da mídia com a compra um total de 15.600 assinaturas, dos jornais "Folha de São Paulo" e "O Estado de São Paulo", além da citada revista Veja.

      Foram 5.200 assinaturas de cada publicação, por seis meses, totalizando o valor de R$ 3.778.840,00 os três contratos.

      E assim, serve de motivação aos jovens para participarem do grande ato do dia 07/09.

      Não confio em movimentos, como os Black Bloc,
      que não possuem uma causa. Depredar só por depredar, por que está combatendo o capitalismo, é balela.

      Pois, ao quebrarem eles não apontam outra direção e nem solução.

      Querem tirar do poder um governo legitimo, eleito pelo povo. Pois já sabem que pelas vias legais, jamais retornaram ao poder.

      E nós queremos mais, e nós teremos mais.

      Excluir
  15. O campeão voltou...ufa!!!

    ResponderExcluir
  16. BOMBA! hoje ,Pimenta da veiga foi vaiado por varios vereadores quando fazia discurso em favor de Aecio

    ResponderExcluir
  17. Por trás de um grande ditador há sempre uma grande ditadora.
    Andrea Neves é uma dessas figuras que, de tão insondáveis, tão mitificadas, desmancham a fronteira entre a fantasia e a realidade

    Reza o lugar-comum que político sem voto é político sem poder. Pois bem... A máxima não vale a mínima quando proferida no Palácio Tiradentes, sugestivamente fincado na chamada Cidade Administrativa Tancredo Neves. Andrea Neves, uma das herdeiras do capital simbólico do ex-presidente, precisou apenas de um eleitor, o irmão Aécio Neves. O escrutínio em família foi o suficiente para transformá-la em uma das figuras mais poderosas – e temidas – da política mineira nos últimos anos. Sem voto, mas com mandato fraternalmente concedido, tornou-se uma espécie de Cardeal Richelieu das Alterosas durante os oito anos da dinastia Aécio. À frente do Grupo Técnico de Comunicação do Governo, Andrea despertou som e fúria, dependendo do gosto e do partido do freguês. Aos olhos da situação, ela teve papel fundamental na construção da imagem de Aécio como gestor competente que saneou as finanças do Estado. Para a oposição, não passou de um tentáculo do irmão esticado em direção à mídia, que se valeu dos mais variados instrumentos para afagar ou sufocar veículos de comunicação.
    Minas Gerais pede socorro!

    ResponderExcluir
  18. PAM Passivo Ate a Morte24 de agosto de 2013 01:14

    As ruas de Minas homenageiam o pré candidato do PSDB à presidência da República. Pó para senador?
    PÓ PARÁ, SENADOR.
    Homenagem das ruas de Minas Gerais ao pré candidato a presidente aético never
    Eu sabia que mais cedo ou mais tarde aparece a mais pura verdade!

    http://cidadedeminas.blogspot.com.br/2013/06/as-ruas-de-minas-homenageiam-o-pre.html?spref=tw

    ResponderExcluir
  19. Estudo revela miséria das cidades brasileiras
    Agência Brasil

    A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou ontem um ranking de miserabilidade das cidades brasileiras. O levantamento mostra que as cidades com menor proporção de miseráveis estão no Rio Grande do Sul e, as com um maior número de famílias carentes, no Maranhão e no Piauí.

    A partir de levantamento dos municípios, produziu-se também o ranking dos Estados:

    Os Estados com MENOS miseráveis:
    São Paulo 14,25%
    Santa Catarina 15,36%
    Distrito Federal 17,06%
    Rio Grande do Sul 18,36%
    Rio de Janeiro 19,45%

    Por que Minas Gerais não entrou no TOP 5?
    Falta de um governo real. Chega de fantasias! Carnaval é em fevereiro. Fora Anastasia! Fora Aécio Neves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minas não entrou deve ser porque aqui tudo fica camuflado.

      Excluir
  20. É lamentável q\ em pleno século XXI,ainda nos deparamos com situações de governo ditador , tdo foi arquitetado e mto bem planejada p\ enfraquecer a classe dos funcio´narios públicos da Educação,Saúde e segurança.O gverno economiza nessas áreas p\ investir nos prefeitos dos mucípios mineiros,nota-se claramente essa estrtégia política,agrada os prefeitos,e, esse assegura os votos p\ ele,nunca na hitória do país os munícipios haviam recebidos tantos recursos como agora.Quem em municípios pequenos , como eu,percebe claramente,como eles estão investindo pesado,é asfalto,carros com abundância:caminhões,Retros,ambulancias,carros esportes,Giricos,etc.Por isso acho difícil derrubar esse PSDB ,aqui em MG,particularmente nunca dei um voto em Presidente ,nem Governadores desse partido,mas mtos não pensam como eu,acho o PSDB,ainda mto forte em MG,a se observar pela apatia do povo em relação aos protestos .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O governo não tem culpa da comodidade dos professores.Os professores tem medo de fazer greve simplesmente por causa dos descontos na folha. Já fiz muita greve e hoje estou aposentada, sempre que posso ainda assisto as reuniões realizadas no pátio da assembléia.
      Está faltando coragem, senão vão morrer sem ter conseguido nada.
      À luta, meu povo.

      Excluir
    2. Seja você a mudança que tanto procura nos outros.
      As pessoas não mudam com cobranças,mudam com exemplos!

      Excluir
    3. Estou endividada até hoje pela nossa greve. E o que recebemos em troca? Golpe do sindute e calote do governo. Nem a reposição recebemos integralmente. Sempre participei de greves, mais nunca recebi um calote como o de agora.

      Excluir
  21. Sind-UTE/MG participa do Aulão da Assembleia Popular, mas
    Nem toca no assunto PISO NACIONAL NA CARREIRA E FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO...
    A atividade acontece dia 29 de agosto, às 19h, debaixo do Viaduto de Santa Tereza.
    site do SINDUTEMG.

    Neste sábado (24/08), às 16h, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, debaterá sobre o programa Mais Médicos com blogueiros. O encontro presencial terá transmissão ao vivo pela internet e poderá ser acompanhado pelo Blog da Saúde (blog.saude.gov.br) e pelas redes sociais do Ministério da Saúde.

    O evento também contemplará a participação das redes sociais, por meio da hashtag #maismédicos.


    ResponderExcluir
  22. 7 de Setembro vem aí. Vamos ficar parados sindute? Vamos organizar uma grande manifestação juntamente com os movimentos importantes que já existem, como APH, BH nas ruas e outros mais. Precisamos pressionar o governo que está tranquilo demais.

    ResponderExcluir
  23. Senador Aécio Neves (PSDB-MG) era acusado do "desvio" de R$ 4,3 bilhões de recursos da saúde, na época em que foi governador de Minas; denúncia vinha sendo usada por adversários políticos na internet e nas redes sociais contra a sua candidatura; decisão unânime, tomada ontem, retira um peso das costas do presidenciável tucano; recentemente, a Procuradoria-Geral da República arquivou outra representação contra Aécio, que chegará a 2014 sem problemas judiciais
    24 DE AGOSTO DE 2013 ÀS 13:32

    247 - O senador Aécio Neves (PSDB-MG), provável candidato do PSDB à presidência da República em 2014, já não precisará mais se preocupar com questões judiciais daqui até a eleição. Duas semanas atrás, a procuradoria-geral da República arquivou uma representação apresentada por adversários políticos, que questionava seu patrimônio pessoal (leia mais aqui). Ontem, Aécio teve mais uma vitória, quando o Tribunal de Justiça de Minas Gerais arquivou, por unanimidade, uma ação judicial que apontava supostos desvios de R$ 4,3 bilhões na área da saúde, no tempo em que ele foi governador de Minas Gerais (2003-2008).

    Na decisão, os desembargadores do TJ-MG chegaram até a questionar as motivações da procuradora que apresentou a ação, uma vez que o caso de Minas foi semelhante ao de vários outros estados. Na prática, o que se questionava era se recursos aplicados em saneamento poderiam ou não ser enquadrados como investimentos em saúde – e os juízes entenderam que sim, concluindo, portanto, que não teria havido desvios.

    Até antes dessa decisão, a pendência judicial alimentou uma intensa guerrilha de informações na internet. Setores mais próximos ao PT disseminavam a informação de que Aécio teria desviado R$ 4,3 bilhões da saúde, em proveito pessoal. O PSDB, por sua vez, acusava o PT de utilizar a ação para patrocinar uma campanha difamatória contra Aécio na internet. Depois da decisão de ontem, o caso tende a murchar também nos meios digitais.

    ResponderExcluir
  24. Será que aqui em Minas Gerais não acontece o mesmo??


    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/por-que-alckmin-nao-deveria-comprar-lotes-de-revistas-e-jornais-amigos/

    SERÁ QUE TEMOS ALGUM DEPUTADO PARA SOLICITAR ESSAS INFORMAÇÕES?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha escola chegava muitas VEJA e Estado de Minas. Como eram negociadas que nunca soubemos...

      Excluir
  25. Chegou uma conversa na escola em que trabalho que o subsidio havia sido considerado ilegal e que não cabia mais recurso do governo. Assim, o nosso querido governador teria que pagar retroativo para quem optou pelo piso a partir de 2011. Não li nada no sindute, mas a professora que comentou disse que quem estava trazendo a notícia era um representante dos profs. no sindute. Alguém ouviu esta notícia?

    ResponderExcluir
  26. Hipocrisia: Governo Federal fala em Programa mais Professores!
    Com a falta de professores principalmente nas áreas de Física, Matemática e Inglês, o Governo Federal já fala publicamente em Programa mais Professores. Na região nordeste, segundo dados do próprio governo, a carência é de 120.000 professores.
    Ora, os trabalhadores em educação já vêm denunciando essa situação da destruição da carreira docente há muitos anos e o Governo Federal criou apenas um Piso Nacional pífio, atualmente em torno de R$1.500,00, por uma jornada de 40 horas, sem inclusive obrigar Governadores e Prefeitos a cumprirem esse Piso Nacional miserável com um plano de carreira decente. Consequência: a falta de professores é uma realidade não só do nordeste, mas do país inteiro. Há muitos profissionais não habilitados dando aulas por aí, tapando buraco, fazendo “bico” na educação. E como se vê, com um Piso Nacional em torno de R$1.500,00, por uma jornada de 40 horas, o incentivo para atrair novos profissionais é praticamente NULO.

    ResponderExcluir
  27. continua - Em vez de atacar a raiz do problema, criando um Piso Nacional digno, com um plano de carreira que de fato incentive o ingresso na profissão de professor, mais uma vez o Governo Federal vem tapar o sol com a peneira, ou seja, oferece bolsas para professores aposentados ocuparem o déficit de profissionais. Esse é o jeitinho hipócrita de fingir que vai resolver o problema da educação no país.
    Chega de brincar com a escola pública: 10% do PIB para a educação já! Piso Nacional para os trabalhadores em educação de acordo com o salário mínimo do Dieese já, o que está em torno de R$ 2.500,00, por uma jornada de 20 horas. Dia 30 de Agosto, paralise! Lute pela escola pública!

    ResponderExcluir
  28. Anastasia já está planejando a nova obra faraônica, um prédio gigantesco e lindo prox ao dele, para a UEMG, vi o projeto no jornal, algo semelhante ao palácio do Aécio, em termos de dindin. É época de recolher grana para a campanha. Essa UEMG que praticamente não tem nada realmente, não decola, mas, será o novo plano de metas deste moço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lá que ele vai gastar os royaltes do petróleo dizendo que está gastando com educação.
      Pode esperar!

      Excluir
    2. E vai fazer política em cima disso, porque é a única tábua de salvação que tem, estadualizar uma meia dúzia de faculdades para poder ganhar eleição no Estado, aguardem que veremos, está prometendo que até o ano que vem já estadulizou várias faculdades, enquanto isso ferra os ensino básico mineiro. Tira dinheiro de um lado para colocar noutro e angariar votos. É um projeto puramente eleitoreiro, ainda mais agora que a candidatura deles está prestes a virar água.

      Excluir
  29. Resposta a Rita BH (16:50)
    Não ouvi esta notícia ainda, mas veja no link abaixo, o parecer contrário ao subsídio no Estado do Amapá. O texto é muito grande, por isso não o colei aqui.

    http://jus.com.br/artigos/21898/inconstitucionalidade-da-lei-estadual-do-amapa-que-cria-subsidio-sob-o-nome-de-vencimento

    ResponderExcluir
  30. Li no jornal O Tempo:
    "... o mesmo ocorre em Minas, onde a coalizão PSDB-PSB pode lançar Marcio Lacerda, prefeito socialista de Belo Horizonte, ao governo estadual."
    Sai o diabo e entra o capeta.
    Socorro!Deus tenha compaixão de nós mineiros,não merecemos tanta maldade.
    Acorda povo mineiro, fora Lacerda!

    ResponderExcluir
  31. Inconstitucionalidade da lei estadual do Amapá que cria subsídio sob o nome de vencimento
    Franck Gilberto Oliveira da Silva
    Elaborado em 05/2012.
    Página 1 de 1
    a A
    3 comentários
    100%gostaram 1votos
    • ASSUNTOS:
    • DIREITO ADMINISTRATIVO
    • AMAPÁ
    • SUBSÍDIOS
    • AGENTE PÚBLICO
    A Lei estadual nº 0618/01 é flagrantemente inconstitucional, pois ela não altera o Regime Jurídico Único instituído pela Lei Estadual nº 066/93, e cria disfarçadamente o subsídio como forma de remuneração para oito categorias profissionais do Estado do Amapá.


    Uma lei estadual tem poder de revogar o direito adquirido, de revogar (mesmo que indiretamente) vantagens previstas na Constituição Federal, e ainda criar o SUBSÍDIO utilizando-se da nomenclatura de VENCIMENTO?
    A Lei Estadual nº 0618/01 dispõe sobre o Plano de Cargos e Salários do Estado do Amapá. Além de imprecisa em suas disposições, a referida Lei revoga expressamente direitos garantidos pela Constituição Federal, em especial, o direito adquirido (Cláusula pétrea em nosso ordenamento constitucional).
    Vejam o que diz a Lei n° 0618/01 do Estado do Amapá:
    LEI N.º 0618, DE 17 DE JULHO DE 2001
    Publicada no Diário Oficial do Estado nº 2488 de 23.07.01
    (Alterada pelas Leis 0641, de 28.12.01; 0704, de 05.07.2002; 0779, de 30.10.2003; 0822, de 03.04.2004 e 0875, de 03/01/2005.)
    Reestrutura o Plano de Cargos e Salários do Estado do Amapá, aprovado pelo Decreto (N) nº 0319, de 18 de dezembro de 1991 e dá outras providências.
    O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAPÁ,
    Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Amapá decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
    Art. 1º - O salário dos servidores públicos civis do Estado do Amapá, ora composto por gratificações e adicionais de caráter permanente e vencimento básico, ficam transformados em vencimento, conforme os anexos das categorias que integram o quadro de servidores civis da Administração Direta do Estado do Amapá, observadas as classes e os padrões respectivos, sem prejuízo das gratificações temporárias.
    § 1º - As gratificações temporárias manterão o seu valor nominal vigente em 31 de julho de 2001 e no caso de alteração serão calculadas sobre percentual do vencimento a ser estabelecido em regulamento.
    § 2º - Ficam mantidas da transformação de que trata este artigo as gratificações de regência de classe, de titulação, de desempenho, de produtividade fiscal e de Atividade de Auditoria, bem como a Parcela Compensatória e, o Programa de Remuneração Variável.
    ** o § 2º foi alterado pela Lei nº 0822, de 03.05.2004.
    § 3º - As vantagens nominalmente identificadas, de caráter individual, já incorporadas pelo exercício de função gratificada ou cargo em comissão, de que tratavam os §§ 3º, 4º e 5º, do artigo 80, da Lei nº 0066/93, revogados pela Lei nº 0420, de 25 de maio de 1998, não integrarão o valor do salário, de que trata esta Lei.
    Art. 2º - Fica terminantemente proibida, na transformação de que trata o artigo 1º desta Lei, redução do salário vigente na data da publicação desta Lei.
    Art. 3º - A quantidade de cargos por grupos que compõem a Administração são os constantes no Anexo XII desta Lei.
    Art. 4º - Revoga-se o Decreto (N) nº 319, de 18 de dezembro de 1991.
    Art. 5º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos a partir de 01 de agosto de 2001.
    Macapá - AP, 17 de julho de 2001.
    JOÃO ALBERTO RODRIGUES CAPIBERIBE
    Governador

    ResponderExcluir
  32. A Lei, em seu art. 1º, revoga adicionais e gratificações. No entanto, ela não especifica quais gratificações e adicionais são extintos para compor o VENCIMENTO. Também, em nenhum momento a Lei fala, diretamente, em SUBSÍDIO. Portanto, ela não dá limites ao Estado-Executivo conferindo-lhe poderes sobrecomuns, pois, ao seu bel-prazer, ele pode escolher quais vantagens não serão concedidas aos seus servidores públicos (mesmo aquelas devidamente previstas em lei), indo além do poder discricionário e se tornando um verdadeiro poder arbitrário.
    TEXTOS RELACIONADOS
     Requisição de servidor pela Justiça Eleitoral: prorrogação e limites
     Benefícios previdenciários pagos indevidamente: devolução ao INSS
     São públicos os autos de processo administrativo disciplinar já encerrado?
     Contratação de serviços de supervisão e fiscalização de obras com eficiência e celeridade
     Pregão: contratação de obras e serviços de engenharia
    Tal dispositivo é, juridicamente, uma afronta ao ESTADO DE MOCRÁTICO DE DIREITO, pois, conforme o caput do Art. 37 da Constituição Federal, a Administração Pública deve obedecer ao Princípio da Legalidade. Ou seja, somente pode atuar nos limites estabelecidos pela Lei. Mas o que fazer quando a Lei não impõe limites à Administração Pública?
    Com base na Lei Estadual nº 0618/01, o E. Tribunal de Justiça do Estado do Amapá entende que as espécies remuneratórias VENCIMENTO e SUBSÍDIO significam a mesma coisa e, ao arrepio da Constituição Federal, devem ser pagas aos servidores públicos emPARCELA ÚNICA, sendo-lhes vedado o acréscimo de quaisquer vantagens, ainda que devidamente previstas em lei.
    A Lei Estadual n° 0618/01 não pode permanecer no ordenamento jurídico local por sua manifesta incompatibilidade com os preceitos decorrentes da Constituição Federal. Por isso, ela deve ser declarada inconstitucional pelo Poder Judiciário.
    Os servidores efetivos do Poder Executivo Estadual sofrem redução em seus vencimentos. Tal redução se dá por conta da aplicação da Lei nº 0618/01 a esses servidores. Por isso o presente estudo pretende demonstrar inconstitucionalidades contidas na referida Lei. É certo que a Administração Pública tem a prerrogativa de alterar a situação de seus servidores de maneira unilateral, em razão do princípio da Supremacia do Interesse Público. Todavia, tal modificação deve ser baseada em Lei que seja totalmente compatível com os preceitos decorrentes da Constituição Federal. Caso isso não ocorra (obediência aos princípios decorrentes da Lei Maior) de que vale, então, a Constituição Federal.

    ResponderExcluir
  33. A Lei estadual nº 0618/01 é flagrantemente inconstitucional, pois ela não altera o Regime Jurídico Único instituído pela Lei Estadual nº 066/93, e cria disfarçadamente o SUBSÍDIO como forma de remuneração para oito categorias profissionais do Estado do Amapá, conforme se depreende do seguinte julgado do E. Tribunal de Justiça do Estado do Amapá, in verbis
    CIVIL E ADMINISTRATIVO –Servidor público estadual do grupo magistério – Regime jurídico – Direito adquirido – Inexistência – Orientação pacífica do STF – Transformação do salário em subsídio – Extinção do adicional por tempo de serviço – Lei específica para diversas categorias – Ausência de ofensa aos princípios da igualdade , do direito adquirido e da irredutibilidade de vencimentos – Lei posterior para o magistério – Referência genérica ao tempo de serviço – Necessidade de criação, por lei, de critérios para a concessão do benefício – Apelação – Improvimento. Omissis 2) Editada lei específica transformando o sistema de remuneração em subsídio, não há de se falar em ofensa aos princípios da igualdade, do direito adquirido e da irredutibilidade de vencimentos, mormente quando o servidor público ingressou no serviço público após a vigência do novo diploma legal – omissis – 4) Apelação improvida. (APELAÇÃO CÍVEL. Número do processo 0006741-80.2009.8.03.00/02. Rel. Des. Mário Gurtyev. Câmara Única. Número do acórdão 16021. Votação unânime. Julgado em 20/04/2010. Publicado no D.O.E. nº 71, de 26/04/2010). (Sem grifos no original). (Disponível em www.tjap.jus.br).
    O seguinte trecho do julgado acima comprova que o judiciário amapaense entende que as espécies remuneratórias SUBSÍDIO e VENCIMENTO são a mesma coisa, in verbis
    Também é incontroverso que o Poder Executivo, ao editar a referida norma, transformou os salários dos servidores estaduais civis, dos grupos que especificou no anexo I, inclusive o grupo magistério, em subsídio, ainda que o legislador tenha se utilizado de outra terminologia (vencimento), visto que pela interpretação lógica e sistemática do texto legal, exsurge clara a ratio legis, no sentido de estabelecer a remuneração dos servidores públicos em parcela única, omissis (o V. Acórdão não contém os mesmos destaques)
    Datissima venia, tal entendimento é um absurdo. É que VENCIMENTO e SUBSÍDIO são institutos jurídicos totalmente diferentes posto que, este é pago em parcela única e insuscetível de qualquer acréscimo, e aquele pode ser acrescido de vantagens devidamente previstas em Lei. É importante alertar o perigo que esse entendimento pode ocasionar ao país inteiro. Imagine um governador de qualquer unidade da federação que não queira mais pagar aos servidores públicos vantagens devidamente previstas em Lei. Ele pode dizer: “o Estado não deve mais nenhuma vantagem aos seus servidores, pois o VENCIMENTO que cada um recebe éSUBSÍDIO, na forma da EC 19/98. Portanto, VENCIMENTO deve ser pago em parcela única”. Isso inevitavelmente ocasionaria outra inconstitucionalidade: redução de vencimentos.
    O renomado e internacionalmente respeitado constitucionalista JOSÉ AFONSO DA SILVA, com toda a sua simplicidade que lhe é peculiar, nos ensina em relação a SUBSÍDIO:
    A proibição expressa de acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória reforça o repúdio ao conceito tradicional e elimina o vezo de fragmentar a remuneração com múltiplos penduricalhos, que desfiguram o sistema retributório do agente público, gerando desigualdades e injustiças. Mas o conceito de parcela única só repele os acréscimos de espécies remuneratórias do trabalho normal do servidor. Não impede que ele aufira outras verbas pecuniárias que tenham fundamentos diversos, desde que consignados em normas constitucionais. (SILVA, 2.008). (Sem grifos no original).

    ResponderExcluir

  34. Com relação a VENCIMENTO, o constitucionalista é enfático:
    Vencimento, no singular, é a retribuição devida ao funcionário pelo efetivo exercício do cargo, emprego ou função, correspondente ao símbolo ou ao nível e grau de progressão funcional ou ao padrão, fixado em lei. Nesse sentido, a palavra não é empregada uma só vez na Constituição. Vencimentos, no plural, consiste no vencimento (retribuição correspondente ao símbolo ou ao nível ou ao padrão fixado em lei) acrescido das vantagens pecuniárias fixas. Nesse sentido, o termo é empregado em vários dispositivos constitucionais. (Idem, Ibidem. Pág. 684/685) (O original não contém esses grifos).
    Observe-se que a lição de José Afonso da Silva é sábia e, acertadamente, José dos Santos Carvalho Filho faz uma colocação bem ponderada ao se referir à REMUNERAÇÃO e ao VENCIMENTO do servidor público
    O sistema remuneratório no serviço público, seja em nível constitucional, seja no plano das Leis funcionais, é um dos pontos mais confusos do regime estatutário. O grande choque de interesses, o escamoteamento de vencimentos, a simulação da natureza das parcelas estipendiárias, a imoralidade administrativa, tudo enfim acaba por acarretar uma confusão sem limites, gerando uma infinidade de soluções diversas para casos iguais e uma só solução para hipóteses diferentes. Vejamos o sistema normativo constitucional a respeito.
    Remuneração é o montante percebido pelo servidor público a título de vencimentos e de vantagens pecuniárias. É, portanto, o somatório das várias parcelas pecuniárias a que faz jus, em decorrência de sua situação funcional.
    Vencimento é a retribuição pecuniária que o servidor percebe pelo exercício de seu cargo, conforme a correta conceituação prevista no estatuto funcional federal (art. 40, Lei nº 8.112/90). Emprega-se, ainda, no mesmo sentido vencimento-base ou vencimento-padrão. Essa retribuição se relaciona diretamente com o cargo ocupado pelo servidor: todo cargo tem seu vencimento previamente estipulado. (CARVALHO FILHO, 2010) (O original não contém os mesmos destaques)

    ResponderExcluir
  35. Com relação à espécie remuneratória SUBSÍDIO, o eminente doutrinador ensina que
    Com efeito, de acordo com o art. 39, §4º, da CF, introduzida pela EC nº 19/98, a remuneração pelo sistema de subsídios é fixada em parcela única, sendo, por conseguinte, vedada a percepção de acréscimos de qualquer natureza, como adicionais, gratificações, abonos, prêmios, verbas de representação e outros do mesmo gênero. Significa dizer que a remuneração hoje percebida, em várias parcelas, pelos agentes incluídos no sistema de subsídio deverá futuramente ser transformada em parcela única, sempre obedecido o teto remuneratório previsto no art. 37, X e XI, da CF. (Idem, ibidem. Pág. 800 e 801)(O original não contem esses destaques).
    Outra violação à Lei Maior está inserta no Art.1º, §3º da Lei nº 0618/01
    § 3º - As vantagens nominalmente identificadas, de caráter individual, já incorporadas pelo exercício de função gratificada ou cargo em comissão, de que tratavam os §§ 3º, 4º e 5º, do artigo 80, da Lei nº 0066/93, revogados pela Lei nº 0420, de 25 de maio de 1998, não integrarão o valor do salário, de que trata esta Lei. (Sem grifos no original).
    O dispositivo em tela está, claramente, revogando o constitucionalmente protegido direito adquirido. Pois vejam o que diz o Art. 6º, § 2º da Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro (a LIDB foi recepcionada pela Constituição Federal, conforme sábia lição de Pontes de Miranda)
    Art. 6º A Lei em vigor terá efeito imediato e geral, respeitados o ato jurídico perfeito, o direito adquirido e a coisa julgada.
    Omissis
    § 2º Consideram-se adquiridos assim os direitos que o seu titular, ou alguém por ele, possa exercer, como aqueles cujo começo do exercício tenha termo pré-fixo, ou condição preestabelecida inalterável, a arbítrio de outrem.
    Grifei.
    Assim, vantagens nominalmente identificadas, de caráter individual, já incorporadas pelo exercício de função gratificada ou cargo comissionado devidamente previstos em Lei são direitos adquiridos que os titulares exercem em virtude de Lei. Ora, se essas vantagens não integram mais o valor do salário do titular, é porque elas foram revogadas. Isto incide em violação do disposto no Art. 5º, XXXVI, da Constituição Federal.
    Outrossim, não há como vantagens já incorporadas serem retiradas do salário do servidor público sem que haja redução deste, o que viola expressamente o disposto no Art. 37, XV, da Constituição Federal (Irredutibilidade de vencimentos), posto que em nenhum momento a Lei Estadual nº 0618/01 disciplina como será procedido o pagamento das vantagens adquiridas por decisão judicial, em decorrência de decisão administrativa ou decorrentes de Lei.
    Observe, também, que a Lei determina proibição de redução salarial. Porém, ela não diz como será garantida essa irredutibilidade.
    ________________________________________
    REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
    CARVALHO FILHO, José dos Santos. Manual de Direito Administrativo. 23 ed. rev., ampl. e atualizada até 31.12.2009. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
    DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 21 ed. São Paulo: atlas, 2.008.
    SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 33 ed. rev. atual. São Paulo: Malheiros Editores LTDA, 2010.


    Leia mais: http://jus.com.br/artigos/21898/inconstitucionalidade-da-lei-estadual-do-amapa-que-cria-subsidio-sob-o-nome-de-vencimento#ixzz2czb3Jx00

    ResponderExcluir
  36. Já pensaram bem se o NEVER FOREVER, fosse derrotado nas próximas eleiçoes? Que delicia,seria mais gostoso do que torresmo, cerveja, caipirinha e tudo o mais que poderiámos comer. Seria" bão por dimais". Agora uma coisa é certa só aconteceria se nós quisessemos e ai, vamos lá pessoal derrotar os pançudos de política. Comem, bebem,dormem e roncam os quatro anos e para nós nada, nem farofa de farinha com angu. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os professores do ensino médio estão com a faca e o queijo na mão. Trabalhem com os eleitores em sala de aula e muita coisa pode acontecer.Derrotar este povo safado.

      Excluir
  37. Anônimo do dia 24/08 das 14:12 h, deputado o que é isto? Um extaterrestre? Um super homem, ou come e dorme? Deputado é artigo de luxo meus queridos, no Beo Zonte só vemos o depu.Tá? vai esperando. Eles só aparecem em momentos de crise. Quando não tem mais nada para fazer, ou se perdem junto com o vento. Eles voam ao sabor do vento.nâo é só em BH é em Minas todo. Digo BH porque lá está o WC deles. As eleiçoes veem ai, vamso votar neles? Abraços.

    ResponderExcluir
  38. ww.novojornal.com/politica/noticia/tjmg-anula-acao-contra-aecio-na-area-de-saude-25-08-2013.html

    ResponderExcluir
  39. O Governo de Minas está falido?
    Sinais de esgotamento do "Choque de Gestão" mineiro
    Falta de execução de Orçamento, aplicação camuflada do mínimo constitucional em saúde e educação, crise política, base aliada em desespero, falta de candidato à sucessão estadual...
    Rudá Ricci, cientista político, do Instituto Cultiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em nível nacional as coisas estão "PRETAS" para o senador "zé carioca".

      Talvez por isso estejam segurando a vaga para candidato a governo do estado para o "zé carioca".

      DEUS NOS LIVRE!!

      Excluir
  40. Sobre a questão de subsídio como vencimento aqui em Minas... estou esperando sentada para ver se não me canso dessa novela. Todo mundo sabe que é INCONSTITUCIONAL. Mas aqui em Minas, o país das maravilhas, o governo faz e acontece e tudo sob os olhares do governo federal, da justiça mineira e até mesmo do STF. Todos sabem há muito tempo que estamos recebendo através de subsídio e ninguém faz nada. E ainda querem que eu acredite que existe justiça. Na terra??? Duvido. Acredito somente na justiça divina. E como diz o ditado: ELA TARDA, MAS NÃO FALTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As instituições citadas por ti estão comendo na palma da mão do PSDB mineiro. O esforço intelectual e investigativo que tem de ser feito é descobrir onde está aí o nó górdio. De uma certa maneira podemos notar que grupos do PT de Minas fizeram acordo com Aécio Neves, e se as outras instituições estão paradas em relação à flagrante inconstitucionalidade aqui praticada significa que tem muita coisa de podre por trás disso e que não cabe mais às instituições representativas da democracia fazer nada e sim apelar ao poder popular.

      Excluir
  41. Vocês ainda acreditam nessa novela que minas esta falido??? Falido coisa nenhuma,,,mesmo golpe de sempre.Toda vez que falam em aumento para professores, vem a desculpa que minas esta falido.Não sejamos bobo,tudo não passa de um golpe,pena que muitos trouxas ainda acreditam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A falência é em prol de alguma candidatura.

      Excluir
    2. No ano que vem o dinheiro vai aparecer na campanha do PSDB. AGUARDEM.

      Excluir
    3. Já está aparecendo na propaganda global da CEMIG. Vocês acham que custa quanto aquela propaganda daquele tamanho o dia todo? A CEMIG cara de pau, não reduziu o imposto na conta e ainda faz propaganda da energia mais cara do Brasil, e lá está: Governo do Estado De Minas Gerais. Em Minas só tem dinheiro para propagandas. Mas também, Minas boa só existe mas propagandas mesmo.

      Excluir
  42. Médicos investigados por descumprir horários
    Outros profissionais da Saúde também estão na mira do Ministério Público, que pede ressarcimento aos trabalhadores pelos prejuízos ao Erário

    Por GUILHERME ARÊAS - 25 de Agosto de 2013 - 07:00

    O descumprimento da carga horária de trabalho e possíveis irregularidades na acumulação de vínculos públicos de profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) estão na mira do Ministério Público Estadual (MPE). Mais de cem médicos de Juiz de Fora estão respondendo a inquéritos civis públicos abertos pela Promotoria de Defesa da Saúde. A suspeita é de que alguns deles estariam trabalhando até menos da metade do tempo que deveriam cumprir em hospitais, unidades básicas e postos de saúde do SUS.

    http://www.tribunademinas.com.br/cidade/medicos-investigados-por-descumprir-horarios-1.1333392

    ResponderExcluir
  43. Rogério Correia:
    Aécio, atenção! Médicos cubanos vão ganhar mais que os mineiros
    publicado em 25 de agosto de 2013 às 16:00
    Dica de Julio Cesar Macedo Amorim, via e-mail

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-aecio-preocupado-com-salario-dos-medicos-cubanos-mineiros-ganham-menos.html

    Leia também:

    Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de socorro

    ResponderExcluir
  44. Olá. Meu processo para receber a diferença entre piso e subsídio já foi julgado.pelo que eu entendi," Foi julgado procedente em parte", os professores que ganhavam menos que o piso proporcional a 24 h tem direito a receber a diferença, piso este pra professor com apenas segundo grau, eu tenho licenciatura plena, pós, 25 anos, lógico que estou ganhando mais que o piso, não tive direito a receber a diferença, porque recebo mais que os 950,00 reais...Então colegas a justiça decidiu, não entrou nas diferenças de piso para as diferentes graduações dos professores, quem tem mestrado então, ta´mais que no prejuízo.Mais uma vez fomos vencidos. Será que há como recorrer? Coisa difícil é ser professor neste estado-país das Minas Gerais. Até abril temos que aturar os desmandos deste desgoverno, segundo ele em entrevista recente,se for candidato para algum cargo, deixará o governo em abril.Mas por outro lado, o juiz determinou que se pague as diferenças para os outros professore, então o direito ao piso foi reconhecido, não é ? Já é um bom começo. Quem sabe à partir daí todos nós não iremos receber o piso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu processo também foi julgado procedente, vamos ver quando vai sair.

      Excluir
    2. Onde você viu isto? Dê a fonte legal.

      Excluir
    3. Você se refere ao processo julgado ou ao fato de se o anastasia for candidato se afastará do cargo em abril do ano que vem? Bom se for a primeira alternativa, www.tjmg.jus.br, se for a segunda alternativa vi num vídeo no youtube é uma entrevista à repórter Carla do jornal O TEMPO, "Anastasia explica medidas para redução de gastos em Minas". Só entrar no youtube. Espero ter ajudado.

      Excluir
    4. Faça a consulta na página do TJ.Os andamentos estão lá.

      Excluir
  45. Bom dia meu caro Euler,
    Infelizmente parece que a situação dificilmente irá mudar em nosso Estado. Na minha cidade parece até proibido falar em greve ou manifestação e muitos funcionários estaduais vão votar novamente neste cidadão. Se existissem pelo menos mais uns 50 com a sua coragem certamente alguma coisa mudaria. Mas infelizmente somos um bando múmias e cordeirinhos.

    ResponderExcluir
  46. O pessoal falando sobre a inconstitucionalidade do subsidio, mas em Minas pode tudo olha a situação da lei 100.

    ResponderExcluir
  47. Parabéns Anônimo23 de agosto de 2013 18:25, pelas belas palavras, aqui em minas somos efetivos, efetivados, novos concursados e designados, bela união, não sei como o Euler permitiu que vc escrevesse estas belas palavras porque ele é defensor da lei 100.

    ResponderExcluir
  48. Denúncias
    Leandro Fortes: Tucano é acusado de tráfico de órgãos
    Leandro Fortes, em CartaCapital, sugestão de Julio Cesar Macedo Amorim

    Enquanto o Congresso Nacional é submetido a um constrangimento diário desde a eleição do deputado Marcos Feliciano (PSC-SP), pastor evangélico de discurso homofóbico e racista, para o comando da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, um caso semelhante na forma, mas muito mais grave no conteúdo, permanece escondido na Assembléia Legislativa de Minas Gerais.
    Em 1˚ de fevereiro, o tucano Carlos Mosconi assumiu pela quarta vez consecutiva a presidência da Comissão de Saúde do Parlamento mineiro.
    Médico de formação, Mosconi é idealizador da MG Sul Transplantes, ONG que servia de central clandestina de receptação e distribuição de órgãos humanos em Poços de Caldas, no sul do estado. Segundo uma investigação da Polícia Federal, Mosconi chegou a encomendar um rim para o amigo de um prefeito da cidade mineira de Campanha.
    Em 19 de fevereiro, o juiz Narciso Alvarenga de Castro, da 1a Vara Criminal de Poços de Caldas, condenou quatro médicos envolvidos no esquema de compra e venda de órgãos humanos, a chamada “Máfia dos Transplantes”.
    João Alberto Brandão, Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Alexandre Zincone, todos da Irmandade Santa Casa, eram ligados à MG Sul Transplantes. Scafi era sócio de Mosconi em uma clínica da cidade. A ONG era responsável pela organização de uma lista de pacientes particulares que encomendavam e pagavam por órgãos retirados de pacientes ainda vivos. A quadrilha realizava os transplantes na Santa Casa, o que garantia, além do dinheiro tomado dos beneficiários da lista, recursos do SUS para o hospital.
    A máfia de médicos de Poços de Caldas foi descoberta em 2002 por causa do chamado “Caso Pavesi”, que chegou a ser investigado na Câmara dos Deputados pela CPI do Tráfico de Órgãos Humanos, em 2004. Em 19 de abril de 2000, Paulo Veronesi Pavesi, 10 anos de idade à época, caiu de um brinquedo no prédio onde morava e foi levado à Santa Casa. O menino foi atendido pelo médico Alvaro Ianhez, coordenador do setor de transplantes do hospital e, soube-se depois, chefe da central clandestina de tráfico de órgãos. Ianhez é amigo particular do deputado Mosconi, responsável por sua nomeação no hospital.
    A partir de uma denúncia do analista de sistemas Paulo Pavesi, pai do garoto, a PF abriu um inquérito e descobriu que a equipe de Ianhez havia decretado a morte encefálica de Paulo quando ele estava sob efeito de substâncias depressivas do sistema nervoso central.
    Ou seja, teve os rins, o fígado e as córneas retirados quando provavelmente ainda estava vivo. Pavesi pai foi obrigado a pedir asilo na Itália, depois de ser ameaçado de morte por diversas vezes em Minas Gerais. Atualmente, mora em Londres, onde aguarda até hoje o julgamento do caso do filho.
    CONTINUA...
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/leandro-fortes-tucano-carlos-mosconi-um-feliciano-piorado-na-assembleia-mineira.html

    Outros oito casos semelhantes foram descobertos pela PF e pelo Ministério Público Federal durante as investigações.

    ResponderExcluir
  49. È, Graciusa Brito, você tem razão quando disse que não se fala no assunto do piso, será porque envolve o descaso do PT? O sindicato não quer envolver os petistas na luta? CADÊ O PISO NACIONAL? Eu mesmo respondo: O Piso os "ratos" comeram( AÉCIO, ANASTASIA, LULA, DILMA , OS MINISTROS DA EDUCAÇÃO, MPE,MPF, TJMG, STF, SINDICATOS DA CLASSE E TODA A CORJA).
    Sind-UTE/MG
    Calendário de lutas - Após ocupar a Assembleia Legislativa, os trabalhadores em educação se reuniram no pátio da ALMG e votaram diversas atividades que compõem o seguinte calendário de lutas:
    Agosto
    29 - Aulão Popular, promovido pela Assembleia Popular Horizontal (19h), debaixo do Viaduto de Santa Tereza – BH/MG.
    30 - Paralisação Nacional, com atos regionais de protesto organizados pelas subsedes.
    31 - Seminário Estadual sobre o Reinventando o Ensino Médio e Pronatec.
    Setembro
    07 - Participação no Grito dos Excluídos e realização de atos regionais de protesto.
    10 a 12 - Acampamento em frente ao Senado em Brasília pela votação do Plano Nacional de Educação (PNE).
    13,14 e 15/09 - Assembleia Horizontal promove Seminário preparatório à CONAE, em Belo Horizonte/MG.
    14 e 15 - Seminário de Formação para Formação de Formadores do Plebiscito.
    23 - Reunião com o Governo do Estado, na Cidade Administrativa – Belo Horizonte/MG.
    26 - Assembleia Estadual, com paralisação total de atividades.
    Outubro
    6 a 10 - Fase estadual da CONAE – BH/MG
    19 a 27 - Realização do Plebiscito Popular pela redução da tarifa de energia e do ICMS na conta de luz.
    RESULTADO: AO MEU VER O SONHO ACABOU, LULA SÓ QUIS FAZER NOME NAS COSTAS DOS PROFESSORES. ABAIXO TODOS OS RATOS!
    ADEUS PRA VOCÊS. VOU TRABALHAR CALADO E DE CABEÇA BAIXA, A PARTIR DE AGORA. NINGUÉM ESTÁ NEM AÍ PARA NÓS. DEVEM ESTAR GANHANDO E MUITO PARA FAZER ISSO COM A GENTE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sindicato é tão V??????dido, que já sabe o resultado da reunião com o governo, visto que o calendário de "lutas" vai até 27 de outubro.
      Vou dar um de vidente: a reunião vai terminar com a nova dada para outra reunião, onde o governo não atendeu as revindicações e a nova dada será marcada com a mesma pauta...

      Findo este comentário com pesar por um sindicato apático, senão vendido, que esta ludibriando a todos com ganho de tempo (empurrando com a barriga) a favor de quem? (dos professores, do PT-Minas ou pior do governo posterior, atual e talvez futuro?)

      Excluir
  50. O TJMG inocentou Aécio do processo da dívida com a saúde e ele vai entrar limpo nas eleições de 2014. E vai ficar por isto mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual o preço da inocência?

      Excluir
  51. http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-aecio-preocupado-com-salario-dos-medicos-cubanos-mineiros-ganham-menos.html

    ResponderExcluir
  52. Fernando Pimentel lidera com folga a disputa pelo governo mineiro

    Fernando Pimentel, Ministro da Indústria e Comércio

    O jornal Hoje em Dia, deste sábado, 24.08.13, divulga pesquisa que confirma os boatos no meio político de uma outra enquete (esta última, encomendada pelo PT mineiro) em que demonstrava que o ministro Fernando Pimentel teria aberto uma larga vantagem sobre os outros concorrentes ao governo estadual mineiro.
    A pesquisa do Hoje em Dia não apresenta o nome do prefeito Marcio Lacerda. Contudo, o boato a respeito da pretensa pesquisa petista teria revelado queda da intenção de voto de Lacerda.
    Como já havia indicado em nota anterior, a situação política dos tucanos em Minas Gerais é angustiante.

    Rudá Ricci, cientista político

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho intenções políticas e nem sou defensora de ninguém como candidato a governo de Minas, mas como professora, gostaria mt de apoiar Fernando Pimentel para Minas . Não o conheço pessoalmente, mas,todos que falam dele, falam bem.
      Vamos dar tempo ao tempo e vamos ver se falam a verdade.Sou uma simples professora com direitos a sonhar por um futuro melhor na minha carreira. Uma professora me contou que qd ele foi prefeito de Belo Horizonte,foi um dos melhores tempos na carreira dela.Humano, justo em suas atitudes com todos . Vamos amadurecer esta ideia .

      Excluir
    2. "Piment(a)el" no olho dos outros é refresco, tudo farinha do mesmo saco.

      Excluir
  53. professoramaluquinha26 de agosto de 2013 23:02

    Herman Jacobus, secretário de Educação de São Paulo, alerta que o Brasil enfrentará falta de professores da educação básica, por causa da desvalorização profissional:

    http://noticias.r7.com/educacao/noticias/brasil-enfrentara-falta-de-professores-da-educacao-basica-alerta-secretario-20130814.html

    ResponderExcluir
  54. terça-feira, 27 de agosto de 2013
    FAZER GREVE NA 6ª FEIRA NÃO GERA CORTE NO SÁBADO E DOMINGO
    Veja os exemplos contidos no Despacho Normativo MG/11/08/80, que regulamenta o artigo 100 da lei 869/52 (Fonte: Manual do Secretário Escolar. Cada escola tem um exemplar, consulte na secretaria da sua escola):

    6ª feira, sábado e domingo - 1 falta
    Sábado, domingo e 2ª feira - 1 falta

    Essa informação desmente o boato de desconto de três dias no caso de paralisação nas 6ªs ou 2ªs feiras

    NÃO VAMOS TEMER O CORTE DE PONTO. SÓ A NOSSA LUTA POLÍTICA PODE DERRUBAR ESSA MEDIDA DITATORIAL DE ANASTASIA

    TODOS À PARALISAÇÃO NACIONAL DO DIA 30/08.

    VAMOS FAZER UMA MANIFESTAÇÃO DE IMPACTO EM JUIZ DE FORA. CONCENTRAÇÃO AS 7:30 NA ESCADARIA DA CÂMARA.
    CHAMEM OS COLEGAS DA ESCOLA. VAMOS SACUDIR O GOVERNO DE MINAS

    PARA TER EDUCAÇÃO DE QUALIDADE: FORA ANASTASIA

    ResponderExcluir
  55. Caro Euler. Temos a obrigação de extirpar este câncer que governa Minas, e o outro que quer governar o Brasil da vida pública. Vamos encarar este desafio!!! O anasta, filhote do demo, e o aecinho do pó não podem lograr êxito em seus projetos para 2014. Este deve ser um ponto de honra para a categoria. Estou em campanha a muito tempo, e posso dizer que meus alunos e muitos pais da comunidade estão tendo uma visão mais crítica em relação a estes dois. Deus está conosco e o fim desta turma do mal está perto. Vamos confiar e trabalhar para demolir este projeto neo-liberal dos infernos. Estamos sozinhos nesta luta, mas somos mais!!!! Vamos lá turma, Minas está a caminho da pirambeira. Tudo está muito ruim, a violência só aumenta e todos estão percebendo a incoerência entre realidade e a propaganda mentirosa!!!! Vamos lá derrotar esta bomba ambulante com muita garra!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anõnimo das 16:42, vc ñ está só. Aqui, já estamos trabalhando há tempos para extirpar esta corja do poder. E que eles não consigam eleger nem para vereadores neste Brasil, nunca mais na vida deles.
      Por mais que a campanha deles sejam de muita promessa, ninguem irá votar neles e em ninguém que eles apoiarem em Minas e no Brasil todo.

      Excluir
  56. Pressao neles.

    Continuo mandando recado no Dilma.com.
    E o Governo Federal nao vai fazer nada?

    ResponderExcluir
  57. O problema e que as manifestações são mal planejadas.Aqui em Araxá, os professores municipais fizeram greve e conseguiram o aumento de salario.Mas como confiar nesse sindicato comprado pelo governo???????

    ResponderExcluir
  58. http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/113050/Eles-s%C3%A3o-respons%C3%A1veis-pelo-corredor-polon%C3%AAs.htm

    ResponderExcluir
  59. https://www.facebook.com/photo.php?v=575125279211186

    ResponderExcluir
  60. Sabe o que eu acho? Por isso o governo do capeta não aumenta o salário de professor.Vocês tem medo dele, medo de perder um dia de serviço para lutar.O que é nada de nada? Meu Deus é tão pouco o desconto que não se deve nem pensar nisso.Eu não acredito nisso.Professores ganhando uma miséria e tendo medo de fazer uma paralisação por levar falta e descontar no pagamento.Isso é muita miséria mesmo.Tudo isso faz vocês perderem a dignidade e por tão pouco.Governo quer realmente isso.Através desse medo.Medo de perder um dia, dois, ele ameaça, não aumenta o salário para com isso ser mais e muito mais fácil evitar que a classe faça greve ou mesmo paralisaçoes.Pense se isso valha a pena pessoal.Não tenha medo de perder uma miséria dessa.Isso atrasa a vida de vocês.Miséria atrai miséria.Medo de quê? Um dia fará vocês mais ricos ou mais pobres? Vocês deixarão de se alimentar e dormir por isso? Não gosto de chegar aqui e ver essa classe tão bonita chorando , com medo de perder, o ponto ser cortado e descontar no salário miserável de professor.Que Deus tome conta de vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou da mesma opinião.Os professores ca...m de medo deste senhor. Deixa descontar, é muito pouco.

      Excluir
  61. http://www.youtube.com/watch?v=75GjqgEf8F8

    Bom dia!!

    ResponderExcluir
  62. http://www.brasil247.com/pt/247/poder/113092/Aprova%C3%A7%C3%A3o-de-Dilma-sobe-para-41-em-pesquisas-do-Planalto.htm

    ResponderExcluir
  63. BOA TARDE, AMIGOS

    SOU PROFESSOR DE ENSINO MÉDIO na cidade de Uberaba/MG.
    JÁ ESTOU TRABALHANDO COM MEUS ALUNOS SOBRE AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES . Estamos com a faca e o queijo na mão, colegas..
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Prof. Luciana. UBERABA/MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já postei isto aqui. Aproveitem os novos eleitores.Eles estão vendo a luta de vocês. Boa sorte!

      Excluir
  64. http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/113151/CRM-MG-n%C3%A3o-pode-negar-registro-a-estrangeiros.htm

    ResponderExcluir
  65. Colegas, gostaria que alguém respondesse se houve cancelamento da "semana do saco cheio" ( de 14/10 a 18/10)ou se isso só acontecerá em minha SRE.

    ResponderExcluir
  66. a luta ta tanta que ja ate esqueceram o blog do euler eta governadorzinho bao so

    ResponderExcluir
  67. Vamos divulgar.
    O filme explora as relações entre o Governo de Minas Gerais e a mídia no país, e como ele usa seu poderio econômico para suprimir críticas e construir a imagem do Governador Aécio Neves, através de investimentos publicitários.
    É só ir para o link...
    http://br.youtube.com/watch?v=R4oKrj1R91g.

    ResponderExcluir
  68. Sabem pra onde vai esta economia, não sabem?Pro bolso dos professores é que não é.

    A Assembleia Legislativa de Minas Gerais recebeu na quarta-feira (28) o projeto de reforma administrativa proposto pelo governador Antonio Anastasia (PSDB) que promete economizar R$ 1,1 bilhão em despesas da máquina do Estado em 2014. A medida dá sequência ao choque de gestão iniciado por Aécio Neves (PSDB) em 2003.

    Medidas como a redução de 20% dos cargos de confiança, proibição de viagens e restrição de telefones corporativos e veículos valem desde o fim de julho. O corte de 23 para 17 secretarias e a exclusão de 52 cargos de confiança, entretanto, dependem de aprovação dos deputados mineiros para entrar em vigor a partir do dia 1º de janeiro.

    Leia mais notícias no R7 Minas

    A proposta entregue pelo governador altera as Leis Delegadas nº 174 e 175, de 2007, e Leis Delegadas nº 179 e 180, de 2011, com previsão de economia de R$ 365 milhões até dezembro e outros R$ 700 milhões em 2014.

    Crise financeira

    Para o deputado Bonifácio Mourão (PSDB), líder do governo na Assembleia, o projeto vai ajudar Minas a superar a crise financeira internacional a partir da racionalidade dos gastos públicos.

    — Economizando esta quantia o governo terá mais facilidade para administrar a crise, fazer obras e pagar funcionários públicos e a dívida do Estado em razão da crise internacional. O governo de Minas está dando exemplo para o governo federal com o corte de seis secretarias. Em Brasília são 39 ministérios, que precisariam ser reduzidos para 20.

    Segundo o tucano, a medida, que entra em vigor no último ano da administração, amplia o choque de gestão proposto pelo ex-governador e senador Aécio Neves (PSDB).

    — Não temos dúvida de que essa gestão para a cidadania coroa o choque de gestão iniciado em 2003. A meta é clara: o corte de secretarias e cargos para racionalizar o dinheiro público.

    O Estado enfrenta problemas na execução do orçamento: em 2012, investimentos da administração direta chegaram a R$ 3,1 bi (46% do previsto). No primeiro semestre deste ano, as cifras chegam a R$ 1 bilhão - ou 13% do esperado.







    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a notícia do PIB do Brasil chegamos á conclusão de duas coisas. Ou Minas está dando uma de quebrada pra roubar dinheiro pra campanha política do ano que vem ou esses PSDBistas estão mesmo ruins de administração visto que o Brasil cresce e minas não acompanha este crescimento, kkk salve anastasia.

      Excluir
  69. Concordo ,com o colega q\ diz apoiar Pimentel,caso seja candidato ,precisamos mudar,do jeito q\ está é q\ não pode ficar.A maior ameaça p\ o PSDB é sem dúvida um candidato do PT,porisso temos q\ amadurecer esta ideia,e tentar convencermos o maior número possível de professores p\ votar nele,não vejo nenhuma desvantagens nisso ,pior q\ o PSDB p\ educação naõ tem.

    ResponderExcluir
  70. 30/08/2013 -247 - Um livro bombástico chega, neste fim de semana, às livrarias de todo o País. Trata-se de "O Princípe da Privataria", lançado pelo jornalista Palmério Doria, autor do best-seller Honoráveis Bandidos, sobre o poder da família Sarney, e colunista do 247. Desta vez, o foco de Doria é lançado sobre um dos homens mais poderosos e cultuados do Brasil: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No livro, o autor aborda as contradições do personagem e algumas manchas de sua biografia, como a compra da emenda da reeleição e a operação pesada para blindá-lo na imprensa sobre o filho fora do casamento com uma jornalista da Globo, que, no fim da história, não era seu filho legítimo.

    Leia, em primeira mão, o material de divulgação preparado pela Geração Editorial, a mesma casa editorial que lançou livros-reportagem de sucesso como Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr., e Segredos do Conclave, de Gerson Camaratti:

    O Príncipe da Privataria revela quem é o “Senhor X”, o homem que denunciou a compra da reeleição

    Uma grande reportagem, 400 páginas, 36 capítulos, 20 anos de apuração, um repórter da velha guarda, um personagem central recheado de contradições, poderoso, ex-presidente da República, um furo jornalístico, os bastidores da imprensa, eis o conteúdo principal da mais nova polêmica do mercado editorial brasileiro: O Príncipe da Privataria – A história secreta de como o Brasil perdeu seu patrimônio e Fernando Henrique Cardoso ganhou sua reeleição (Geração Editorial, R$ 39,90).

    Com uma tiragem inicial de 25 mil exemplares, um número altíssimo para o padrão nacional, O Príncipe da Privataria é o 9° título da coleção História Agora da Geração Editorial, do qual faz parte o bombástico A Privataria Tucana e o mais recente Segredos do Conclave.

    O personagem principal da obra é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o autor é o jornalista Palmério Dória, (Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney, entre outros títulos). A reportagem retrata os dois mandatos de FHC, que vão de 1995 a 2002, as polêmicas e contraditórias privatizações do governo do PSDB e revela, com profundidade de apuração, quais foram os trâmites para a compra da reeleição, quem foi o “Senhor X” – a misteriosa fonte que gravou deputados confessando venda de votos para reeleição – e quem foram os verdadeiros amigos do presidente, o papel da imprensa em relação ao governo tucano, e a ligação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) com a CIA, além do suposto filho fora do casamento, um ”segredo de polichinelo” guardado durante anos...

    Após 16 anos, Palmério Dória apresenta ao Brasil o personagem principal do maior escândalo de corrupção do governo FHC: o “Senhor X”. Ele foi o ex-deputado federal que gravou num minúsculo aparelho as “confissões” dos colegas que serviram de base para as reportagens do jornalista Fernando Rodrigues publicadas na Folha de S. Paulo em maio de 1997. A série “Mercado de Voto” mostrou da forma mais objetiva possível como foi realizada a compra de deputados para garantir a aprovação da emenda da reeleição. “Comprou o mandato: 150 deputados, uma montanha de dinheiro pra fazer a reeleição”, contou o senador gaúcho, Pedro Simon. Rodrigues, experiente repórter investigativo, ganhou os principais prêmios da categoria no ano da publicação.

    ResponderExcluir
  71. Nos diálogos com o “Senhor X”, deputados federais confirmavam que haviam recebido R$ 200 mil para apoiar o governo. Um escândalo que mexeu com Brasília e que permanece muito mal explicado até hoje. Mais um desvio de conduta engavetado na Era FHC.

    Porém, em 2012, o empresário e ex-deputado pelo Acre, Narciso Mendes – o “Senhor X” –, depois de passar por uma cirurgia complicada e ficar entre a vida e a morte, resolveu contar tudo o que sabia.

    O autor e o coautor desta obra, o também jornalista da velha guarda Mylton Severiano, viajaram mais de 3.500 quilômetros para um encontro com o “Senhor X”. Pousaram em Rio Branco, no Acre, para conhecer, entrevistar e gravar um homem lúcido e disposto a desvelar um capítulo nebuloso da recente democracia brasileira.

    O “Senhor X” aparece – inclusive com foto na capa e no decorrer do livro. Explica, conta e mostra como se fazia política no governo “mais ético” da história. Um dos grandes segredos da imprensa brasileira é desvendado.

    20 anos de apuração

    Em 1993, o autor começa a investigar a vida de FHC que resultaria neste polêmico livro. Nessas últimas duas décadas, Palmério Dória entrevistou inúmeras personalidades, entre elas o ex-presidente da República Itamar Franco, o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes e o senador Pedro Simon, do PMDB. Os três, por variadas razões, fizeram revelações polêmicas sobre o presidente Fernando Henrique e sobre o quadro político brasileiro.

    EXÍLIO NA EUROPA

    Ao contrário do magnata da comunicação Charles Foster Kane, personagem do filme Cidadão Kane, de Orson Welles, que, ao ser chantageado pelo seu adversário sobre o seu suposto caso extraconjugal nas vésperas de uma eleição, decide encarar a ameaça e é derrotado nas urnas devido a polêmica, FHC preferiu esconder que teria tido um filho de um relacionamento com uma jornalista.

    FHC leva a sério o risco de perder a eleição. Num plano audacioso e em parceria com a maior emissora de televisão do país, a Rede Globo, a jornalista Miriam Dutra e o suposto filho, ainda bebê, são “exilados” na Europa. Palmério Dória não faz um julgamento moralista de um caso extraconjugal e suas consequências, mas enfatiza o silêncio da imprensa brasileira para um episódio conhecido em 11 redações de 10 consultadas. Não era segredo para jornalistas e políticos, mas como uma blindagem única nunca vista antes neste país foi capaz de manter em sigilo em caso por tantos anos?

    ResponderExcluir
  72. O fato só foi revelado muito mais tarde, e discretamente, quando Fernando Henrique Cardoso não era mais presidente e sua esposa, Dona Ruth Cardoso, havia morrido. Com um final inusitado: exame de DNA revelou que o filho não era do ex-presidente que, no entanto, já o havia reconhecido.

    Na obra, há detalhes do projeto neoliberal de vender todo o patrimônio nacional. “Seu crime mais hediondo foi destruir a Alma Nacional, o sonho coletivo”, relatou o jornalista que desvendou o processo privativista da Era FHC, Aloysio Biondi, no livro Brasil Privatizado.

    O Príncipe da Privataria conta ainda os bastidores da tentativa de venda da Petrobras, em que até a produção de identidade visual para a nova companhia, a Petrobrax, foi criada a fim de facilitar o entendimento da comunidade internacional. Também a entrega do sistema de telecomunicações, as propinas nos leilões das teles e de outras estatais, os bancos estaduais, as estradas, e até o suposto projeto de vender a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. “A gente nem precisa de um roubômetro: FHC com a privataria roubou 10 mil vezes mais que qualquer possibilidade de desvio do governo Lula”, denuncia o senador paranaense Roberto Requião.

    SOBRE O AUTOR

    Palmério Dória é repórter. Nasceu em Santarém, Pará, em 1949 e atualmente mora em São Paulo, capital. Com carreira iniciada no final da década de 1960 já passou por inúmeras redações da grande imprensa e da “imprensa nanica”. Publicou seis livros, quatro de política: A Guerrilha do Araguaia; Mataram o Presidente — Memórias do pistoleiro que mudou a História do Brasil ; A Candidata que Virou Picolé (sobre a queda de Roseana Sarney na corrida presidencial de 2002, em ação orquestrada por José Serra); e Honoráveis Bandidos — Um retrato do Brasil na Era Sarney ; mais dois livros de memórias: Grandes Mulheres que eu Não Comi, pela Casa Amarela; e Evasão de Privacidade, pela Geração Editorial.

    ResponderExcluir
  73. 247 - Mais uma ducha de água fria nos pessimistas. O IBGE acaba de divulgar, nesta manhã, o PIB do segundo trimestre do ano. A economia brasileira cresceu 1,5% no período, o que geraria um ritmo anual de 6%. É um número forte – e que surpreendeu o mercado, uma vez que a mais otimista das previsões apontava crescimento de 1,3%.

    No primeiro trimestre, o crescimento havia sido de 0,6%. Com o número do segundo trimestre, já se tem uma expansão superior a 2%, quando instituições financeiras, como o Itaú Unibanco, vinham apontando um desempenho medíocre, ao redor de 1,7% no ano.

    Ontem, durante a entrega do prêmio Melhores da Dinheiro, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, falou sobre a economia. "Foi plantado um pessimismo totalmente artificial no País", afirmou, sem antecipar os números do PIB. "Mas isso ficou para trás e o que importa, agora, é olhar para a frente".

    Um dado significativo da pesquisa foi a formação bruta de capital fixo, que aponta que os investimentos cresceram 3,6%. Ou seja: os empresários voltaram a apostar no futuro. "Apesar desse pessimismo artificial, a confiança foi restaurada", disse o ministro Mantega.

    Abaixo, do noticiário da Agência Brasil:

    Economia brasileira cresce 1,5% no segundo trimestre, aponta IBGE

    Vitor Abdala
    Repórter da Agência Brasil

    Rio de Janeiro – A economia brasileira cresceu 1,5% no segundo trimestre deste ano, em relação ao trimestre anterior. O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, totalizou R$ 1,2 trilhão no período de abril a junho, segundo dados divulgados hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    No primeiro trimestre, o PIB havia crescido 0,6% em relação ao trimestre anterior. Pelo lado da produção, o principal destaque foi a agropecuária, que teve alta de 3,9% no trimestre em relação ao trimestre anterior. Também registraram crescimento os setores da indústria (2%) e serviços (0,8%)

    Pelo lado da demanda, houve crescimento na formação bruta de capital fixo - que representa os investimentos, de 3,6%, no consumo do governo (0,5%) e no consumo das famílias (0,3%). As exportações tiveram alta de 6,9%, enquanto as importações subiram apenas 0,6% no período.

    Na comparação com o segundo trimestre de 2012, o PIB teve crescimento de 3,3%. A economia também cresceu 2,6% no acumulado do ano e 1,9% no acumulado de 12 meses.

    Agropecuária e construção civil são destaques no segundo trimestre

    Os segmentos da agropecuária e da construção civil, com altas de 3,9% e 3,8%, respectivamente, foram os destaques da economia brasileira no segundo trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior.

    Segundo a gerente de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, o bom desempenho da agropecuária é puxado pelo aumento da produção de soja, milho, feijão e arroz. "Todos com safra relevante nesse trimestre. E todos com ganho de produtividade, isto é, com um aumento de produção maior do que a área plantada", disse.

    Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, cresceu 1,5% no período. Todos subsetores da economia tiveram crescimento. A indústria da transformação e o comércio tiveram alta acima da média, ambos com 1,7%.

    Os demais subsetores tiveram as seguintes taxas de aumento: intermediação financeira, previdência complementar e serviços relacionados (1,1%); indústria extrativa mineral (1%); transporte, armazenagem e correio (1%); serviços de informação (0,9%) ; produção e distribuição de eletricidade, gás e água (0,8%); outros serviços (0,7%); atividade imobiliária e aluguel (0,7%); e administração, saúde e educação públicas (0,1%).

    Na comparação com o segundo trimestre de 2012, a agropecuária também foi o principal destaque, com alta de 13%. Também cresceram acima da taxa de 3,3% do PIB, os setores da indústria da transformação (4,6%); construção civil (4%); e comércio (3,5%).

    ResponderExcluir
  74. 247 – Após ter sua indicação aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o novo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu tratamento igual aos chamados mensalão mineiro e petista.

    "No caso dos processos da Ação Penal 565 [mensalão mineiro] e da Ação Penal 470 [mensalão petista], o tratamento tem que ser isonômico. Nós estamos tratando ali com uma questão de forma profissional", declarou. "Na minha terra, se diz que pau que dá em Francisco, dá em Chico".

    O caso envolve três réus do mensalão petista -- o empresário Marcos Valério e seus ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz -- e autoridades como o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG).

    Segundo a denúncia, o esquema montado por Valério serviu para desvio de verbas de estatais mineiras durante a campanha de Azeredo à reeleição ao governo mineiro, em 1998. O caso começou a ser investigado pelo Ministério Público em 2005 e está desde 2010 aguardando julgamento no STF. O processo foi desmembrado e também tramita na Justiça mineira.

    O procurador também disse ser favorável à aprovação de um projeto de lei pelo Congresso que regulamente os limites de investigação do MP. "É necessário que haja uma regulamentação prévia, clara e objetiva, que discipline detalhadamente como se darão as investigações", declarou.

    Questionado sobre a decisão da Câmara de manter o mandato de Natan Donadon (sem partido-RO), deputado condenado pelo STF a 13 anos de prisão, Janot disse que a discussão "é um pacote que nós vamos ter que desembrulhar".

    "Nós vamos ter que compatibilizar mandato com a perda dos direitos políticos. Vamos ter que compatibilizar o parlamentar e a restrição da liberdade dele com ausência nas sessões do Congresso Nacional. São vários os problemas jurídicos que daí decorrem", declarou.

    Quanto à situação do senador boliviano Roger Pinto Molina, para procurador, não há possibilidade de extradição enquanto durar o asilo. Na quarta-feira, o presidente boliviano, Evo Morales, disse que o Brasil deveria "devolver" Pinto Molina.

    "Se a imputação na origem é crime de corrupção, eventualmente, é possível que o senador boliviano seja levado às barras da Justiça brasileira", declarou.

    Em uma autocrítica à atuação do MP nos últimos anos, Janot defendeu mais transparência e diálogo com instituições dos três Poderes. "Somente por meio de uma interlocução aberta e permanente entre todos os órgãos da administração pública é que podemos construir o ambiente propício à consecução dos objetivos comuns a todo o Estado brasileiro", disse.

    O jurista mineiro de 56 anos é especialista em direito comercial e foi secretário de Direito Econômico no Ministério da Justiça em 1994. No Ministério Público Federal (MPF), Janot ingressou em 1984, ocupando o cargo de subprocurador em 2003.

    O nome de Rodrigo Janot precisa ser referendado por pelo menos 41 senadores em votação secreta no plenário, o que deve ocorrer na próxima semana. Ele será o sucessor de Roberto Gurgel no cargo e o representante do Ministério Público junto ao Supremo.

    ResponderExcluir
  75. Alguém tem notícia do pagamento do prêmio produtividade 2012?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esquece, deve sair tudo em 2014 para comprar os bestas

      Excluir
    2. Não precisa esperar nada do Anastácia!!
      Esquece esse Prêmio ou Bônus, como queiram chamar.

      Excluir
    3. ROGÉRIO CORREIA PARA GOVERNADOR!!!

      Excluir
    4. Assino abaixo, Anônimo31 de agosto de 2013 17:02 e repito e peço vênia...
      ROGÉRIO CORREIA PARA GOVERNADOR!!!

      Excluir
  76. Mais uma propaganda enganosa. Faz parte do pacote para ajudar eleger Aécio em 2014. Esta vai ser mais uma plataforma das campanhas.

    ResponderExcluir
  77. Sou professor e com orgulho, ano que vem tem o PIP já começa dia 3 de fevereiro

    (Programa de Intervenção na Política) vamos mudar tudo, novos deputados, novos governadores, etc.

    ResponderExcluir
  78. Atenção!
    A rádio fofoca informa: Anastasia adiantará o pagamento da gratificação em 2013. Em virtude da quebra do erário público, o valor pago para SEE será próximo do salário mínimo (R$ 600,00). Pagamento próximo do 13º.

    Aguardem!

    ResponderExcluir
  79. Atenção!
    A rádio fofoca informa: farra da roupa suja continua. O PSDPRê leva educadores desdentados e fétidos para o aulão da tapiação no Tauá Resort. João Pinto Ribeiro está rindo á toa, afinal, é dinheiro entrando nos bolsos e Anastasia juntando os cacos para campanha de 2014 no lombo dos educadores.

    Vou tomar até a tampa e dizer um monte naquela espelunca de hotel. Não ganho adicional noturno e não sou improbo para sustentar esses anelídeos do PDDPRê. Em tempo: onde está o bloco Minas Censura para publicizar essa lavanderia que transformaram o Tauá?


    ResponderExcluir
  80. Na notícia sobre PIB acima percebe-se que a saúde e educação públicas foram as que menos cresceram. Mas isso em se tratando de Brasil não é nenhuma novidade. E 7 de setembro, será que terá alguma manifestação pelo Brasil afora mesmo? Essa do congresso de manter no cargo o deputado ladrão já mereceria uns trinta mil manifestantes lá me Brasilia viu.

    ResponderExcluir
  81. O Sindiute está acampado na porta da residência do governador,no mangabeiras. Ontem teve até churrasco.Não vi ninguém aqui dando uma força,repassando a notícia, o convite, pelo visto,ninguém foi lá. É só falar mal do Sindiute,mas não apoiam em nada.É provavel que vão dizer que nem sabiam. Não duvido pois ficam só pendurados no Euler. Leiam outras coisas também.Ampliem seus horizontes.

    ResponderExcluir
  82. Só em Minas é que professor fica estacado, esperando cair do céu.

    Por ano, 3 mil professores desistem de dar aula em SP
    Estadão Conteúdo 01/09/201310h07
    Comunicar erro
    Enviar por e-mail

    São Paulo - A cada dia, oito professores concursados desistem de dar aula nas escolas estaduais paulistas e se demitem. A média de pedido de exoneração foi de 3 mil por ano, entre 2008 e 2012. Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono de carreira.

    Os dados obtidos pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação são inéditos. A rede tem 232 mil professores - 120,8 mil concursados, 63 mil contratados com estabilidade e 49 mil temporários. A fuga de professores também é registrada na rede municipal de São Paulo, mas em menor escala. As escolas paulistanas têm média de 782 exonerações por ano desde 2008.

    Proporcionalmente ao tamanho das redes, o índice no Estado é duas vezes maior. Além disso, a capital conseguiu ao longo dos anos ampliar em 12% o número de efetivos, enquanto a rede estadual tem 10 mil concursados a menos do que em 2008. Os docentes que abandonaram o Estado migraram para escolas particulares, redes municipais ou dão adeus às salas de aula. O bacharel em Educação Física Marco Antonio Uzunian, de 30 anos, decidiu ser instrutor de uma academia e hoje também trabalha em uma empresa.

    Apenas um ano em uma escola estadual na Vila Carrão, na zona leste da capital, foi suficiente para ele desistir. Uzunian é um dos 2.969 efetivos que pediram exoneração só no ano passado.

    ResponderExcluir
  83. Tio Naná tá quietinho, quietinho, certamente tá matutando, qual será o próximo passo. Juro, estou preocupada, pq carne professor não tem mais, para roer, só o osso. E acho que nós estamos fu...com ele. Parece só vai conseguir algum emprego, graças a sua genialidade de advogado da área administrativa, de alguma empresa que queira eletrocutar seus funcionários, com um novo choque de gestão. Preocupante...

    ResponderExcluir
  84. O tal acordo dos resultados ou prêmio o gato comeu faz tempo.E 2014, está chegando aí, quem viver verá.

    ResponderExcluir
  85. O que dizer da notícia abaixo, se em Minas Gerais a situação está pior ainda?

    A cada dia, oito professores concursados desistem de dar aula nas escolas estaduais paulistas e se demitem

    Agência Estado

    A cada dia, oito professores concursados desistem de dar aula nas escolas estaduais paulistas e se demitem. A média de pedido de exoneração foi de 3 mil por ano, entre 2008 e 2012. Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono de carreira.

    Os dados obtidos pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação são inéditos. A rede tem 232 mil professores - 120,8 mil concursados, 63 mil contratados com estabilidade e 49 mil temporários. A fuga de professores também é registrada na rede municipal de São Paulo, mas em menor escala. As escolas paulistanas têm média de 782 exonerações por ano desde 2008.

    ResponderExcluir
  86. Até que enfim! O jornal Hoje colocou a manchete dos professores acampados no palacio das mangabeiras e com vídeo bem esclarecedor da pauta de revindicações com Beatriz! Está muito bom.

    ResponderExcluir
  87. Cruz credo! Descontaram 600,00 no meu pagamento e disseram que é retroativo a revisão de subsídio executado em julho/2013. Se a cada revisão forem diminuindo o pagamento, o que receberei em 2015? Acho que nada, nada, nada...

    ResponderExcluir