sexta-feira, 2 de julho de 2010

Brasil perde e volta para casa. Argentina é a favorita.


Vou abrir esta exceção e escrever sobre futebol, coisa que não é comum acontecer. Talvez seja o primeiro e o último texto que escrevo sobre futebol neste blog. Deveria caprichar, mas não será o caso, pois não tenho bagagem sobre o tema para falar sobre o assunto.

E o time do Brasil perdeu... Ah... E olha que até jogou bem no primeiro tempo. Perdeu várias oportunidades de gol. Mas, não sei porque cargas d'água, no segundo tempo o time desapareceu. O Kaká, por exemplo, que o Galvão Bueno nos jogos passados citava o nome dele a cada dois minutos, bastava ele olhar a bola passando do outro lado do campo, praticamente desapareceu. O mesmo aconteceu com o Fabiano, pelo menos nesta partida. Não adianta atribuirem a culpa ao Felipe Melo, que foi expulso, pois, após tomar o primeiro gol o time se desequilibrou completamente.

Claro que o Brasil não tinha craques, daqueles que fazem a diferença dentro do campo. Quando isso acontece, é o trabalho de equipe, o conjunto - desde que saibam jogar bola -, que pode fazer essa diferença. O Brasil não tinha craque, tinha um pouco de harmonia, mas mostrou pouco controle emocional frente a um adversário um pouco mais forte. São "poucos" demais pro meu gosto.

Mas, perder o jogo acontece, mesmo quando se tem uma equipe com muitos bons jogadores. A expectativa em relação ao time do Brasil já não era lá muito grande, desde o começo. E a derrota foi merecida, convenhamos. Não vejo um culpado em particular. Não adianta quererem culpar o técnico ou um jogador qualquer. No conjunto, o Brasil jogou bem no primeiro tempo, perdeu algumas chances de gol, mas o time da Holanda foi superior. E ponto.

Agora, que venha a Argentina, cujo técnico Maradona fez e faz toda a diferença, dentro e fora do campo. Foi um cracão de bola, talvez o maior de todos, ao lado de Pelé, Garrincha e Reinaldo do Atlético Mineiro. E além de tudo, em toda a sua loucura, ele se diz socialista e tem uma tatuagem de Fidel na perna e uma do Che Guevara no braço. Ou seja, não regula bem. E diz que vai ficar nu na área mais movimentada de Buenos Aires caso a Argentina seja campeã. Por esta última promessa eu até torceria contra a Argentina, mas pelo conjunto da obra - pelo fato de ser um país sul-americano, por ter bons jogadores e por ter como técnico o craque Maradona - vou torcer para a Argentina. Se Mick Jagger fizer o mesmo, adeus Argentina!

Se a disputa for contra um time africano, meu coração ficará dividido. Se for contra o Uruguai, nem tanto. E se for contra a Alemanha eu torço para a Argentina, mas alguns parentes meus vão torcer para a Alemanha, que é também uma grande equipe, convenhamos. E o Brasil, tem agora mais quatro anos para se preparar para a Copa que será aqui. E até lá, seja quem for o campeão, a nossa pauta é uma só: a retomada das nossas lutas, dos bravos educadores e demais servidores do estado de Minas e assalariados-explorados do Brasil e do mundo! É esse o campeonato que eu quero participar como jogador, e não como torcedor.

5 comentários:

  1. Brasil 1 x 2 Holanda! Em comemoração a essa e outras decepções, estou disponibilizando o cartão do PROGRAMA BOLSA PALHAÇO, é só passar lá no blog, fazer um comentário no post do Bolsa Palhaço, deixando o e-mail, que eu mando personalizado com o nome da pessoa ou do blog! É gratis, precisamos difundir essa ideia! É só colar na sua página! Grande abraço!
    http://eticamicina-5mg-3vezes-ao-dia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá Euler!! Meu nome ´Erika e sou de BH. Gosto muito do seu blog.Você escreve muito bem!! Estou torcendo agora para a Argentina!Afinal o Maradora (Mará para os íntimos rs rs rs) está merecendo este título.

    ResponderExcluir
  3. Olá Euler, estava lendo a lei q regulamenta os nossos vencimentos através de subsídio e me veio uma dúvida importante e cruel . Na lei , está sendo dito q as férias prêmio convertidas em espécie continuarão sendo recebidas. Mas, e quem entrou em 2006 como eu(efetiva)terei direito à férias prêmio?Há algum vínculo entre as férias prêmio e o quinquênio?Outra coisa , para ter direito a certificação , é preciso aguardar algum tempo após a pós graduação?Abraços ,
    Elaine -Betim

    ResponderExcluir
  4. Elaine,

    Em 1998 a famosa Emenda 20, acabou com a conversão de férias prêmio não gozadas no momento da aposentadoria.

    O servidor tinha direito a duas prerrogativas:
    > converter para concessão de algum benefício;
    > e ou contar o período em dobro para completar o tempo para aposentar.

    E no caso do servidor não precisar do tempo para umas dessas modalidades acima, ele poderia optar em receber em espécie. O servidor tinha o direito a um salário para um mês não gozado.

    Portanto, tem muitos professores que tem o direito a essas prerrogativas, só para constar: O pessoal do quadro do magistério ficaram impedidos ao afastamento de Férias prêmio por muito e muito tempo.

    Consequência: Muitos professores ao aposentarem tinham o direito de receber em espécie o período não afastado.

    Em 2004, Aécio acabou com o direito ao recebimento em espécie.E como a aposentadoria leva quase o tempo trabalhado para ser publicado, ele já sabendo de mais este débito conosco, o safado mantem o direito dos professores em receber em espécie as férias prêmio. Aliás trata-se de uma verba indenizatória.

    Os recem nomeados ainda tem direito a concessão de férias premio. Não tem direito ao Biênio. O quinquênio passa a ser ADE (adicional de desempenho)que está vinculado à avaliação de desempenho e tempo (05 anos. Que aliás, nem chegou a ser concedido por falta de regulamentação.

    Elaine deveremos esperar Resoluções orientando sobre as certificações.

    Pelo o Plano de Carreira a promoção por escolaridade adicional seria imediatamente a apresentação do certificado, e ou a cada 5 anos.

    Infelizmente, sabemos muito bem que isso não aconteceu. Prevaleceu as suas (Aécio)regras.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Valeu Denise !Aproveitando a sua boa vontade , gostaria de saber se mesmo com a nova estrutura remuneratória ,através de subsídio, se continuaremos tendo direito às tão sonhadas férias prêmio.
    Abraços,
    Elaine.

    ResponderExcluir