sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sexta-feira 13, a gosto... De Deus


Não tenho uma noção muito precisa da hora em que o dia começa para mim. Pode ser quando eu acordo, depois das 9h30 da madrugada; ou quando eu adormeço, por volta das 3h da noite. Fato é que só me dei conta de que hoje é sexta-feira 13, ainda por cima de agosto, bem depois que levantei. Preparei o café instantâneo, uma maçã - que no ano passado uma especialista do curso quase instantâneo sobre o que é bom para a voz recomendou -, alguns biscoitos, um naco de margarina e tá tudo muito bom.

Estava mesmo sem fome, pois havia degustado algo bem mais forte após o debate da meia noite entre os candidatos ao governo de Minas. Miojo com molho de tomate que preparei, ou melhor, que já veio preparado de fábrica, ao qual acrescentei umas salsichas cozidas em pedaços. O suco de uva, a substituir o vinho, já havia acabado, por isso tomei guaraná mesmo. Só após este pequeno lanche passei a rabiscar o texto de análise do debate.

Não chegou a ser totalmente indigesto. O debate, não o miojo, que na ausência de algo mais substancial, serve como muleta a contrariar a fome. Mas, confesso, não aumentou o meu apetite. O debate, não o miojo. Uma hora depois, com o texto pronto, preparei um chá preto de boa procedência, que sorvi lentamente, observando a fumaça que desaparecia num canto qualquer do meu bunker. Aquele, que não tem copa, mas, ao contrário do nosso salário-de-professor-de-Minas, tem piso e tem teto, e que às vezes balança, mas não cai, tal como a Cidade do Faraó.

O bunker também não tem forno microondas. Mas tem um fogão bem novo, que comprei ano passado, com um pedaço do pedaço do que chamamos de décimo-quarto, que é uma fração do nosso salário-de-professor-de-Minas (ou-do-Rio, que, segundo a colega Graça, perde para o de Minas. Pensei que fosse impossível encontrar um salário-de-professor mais baixo do que o de Minas).

"O dado concreto", como costuma dizer o presidente Lula, é que Minas tem orçamento de mais de 40 bilhões anuais e apesar disso não consegue pagar mais do que um salário mínimo e mais uma fração do que seria um segundo salário mínimo para os professores com curso superior. Em outros termos, menos de dois mínimos. O resto é perfumaria - eis outra frase feita que peguei de aluguel.

Mas, o que tem a ver tudo isso com a sexta-feira 13, ainda por cima de agosto? Nada, absolutamente nada. E quem disse que era para ter alguma coisa a ver com outra neste texto onde exponho idéias de um dia como outro qualquer da minha modesta vida? Dirão: nunca um dia, ou momento, é igual ao outro. Têm razão. Cada momento é especial, ainda que seja marcado por um nada a fazer, ou por fazeres quase que automáticos. Neste "quase" sempre escapa algo que faz a diferença.

Como acordei quase 10h da madrugada e nem sequer me dei conta de que era uma sexta-feira 13, a gosto de Deus, ia lendo as notícias do mundo real através do espaço virtual enquanto ouvia George Harrison e Kid Abelha, numa salada musical que copiei da programação que havia escutado na Rádio Guarani FM. Visitei a página desta rádio para ver o que ela tinha a dizer, além da boa programação musical e fiquei espantado, quase decepcionado, não fosse a minha já amadurecida capacidade de separar as coisas e dar pouca importância para outras.

É que a tal rádio diz mais ou menos no seu site algo assim: a programação da Guarani FM é voltada para as classes A e B. Sempre achei um tanto estranha essa forma de separar a sociedade entre classes com letras: A, B, C, D e E. Minha escola marxiana me ensinara, ainda na adolescência, que a sociedade atual é dividida fundamentalmente entre burgueses e proletários, e que eu sou um destes. E ponto final. Então, dividir a sociedade em letras já é algo estranho demais da conta para o meu cérebro. E mais estranho ainda é querer enquadrá-la por gosto musical a partir dessa divisão. Ninguém merece! Eu, por exemplo, pela minha renda de professor-de-Minas estou na última escala da letra E. Estaria então impedido de ouvir aquela programação que, segundo a rádio é voltada para as classes A e B? Ora, pois sim! Isso é discriminação social - quase racial e de gênero!!!

Mas, o que é que tudo isso tem a ver com o dia 13 de uma sexta-feira de agosto? Mania de implicar com as coisas. Deve ser a idade. Quase meio século de vida me fez ficar assim, nojento, implicante, ranzinza!

Fato é que gato preto nenhum cruzou o meu caminho quando andei pela cidade durante a tarde, após o almoço. E bem que procurei uma escada para passar por baixo dela, a desafiar as superstições e provar que elas não têm sentido. Ou será que têm? Brrrr!

Após o banho, e já tendo preparado o material escolar, entro no tanque de guerra e penso: será que vai funcionar? Mistério... Rezo o sinal da cruz, mania que herdei do meu pai, aciono a chave de ignição e a máquina funciona às mil maravilhas. E com a ajuda de todos os santos o tanque de guerra se move impetuosamente estrada afora, com certa carga de pó sobre a lataria e na vidraça, pois faz um bom tempo que não chove em Minas. E o pó da fábrica de cimento, nesta época do ano, castiga sem dó. E disseram que isso ia acabar com um tal filtro novo que instalaram por lá. Conversa pra gente dormir. Com pó e tudo mais. E um bom número de pernilongos que eu tento eliminar com uma raquete de tela eletrônica, pra afastar de mim o cálice da dengue. Implicante sim, dengoso não!

Fato é que a sexta-feira 13, ainda por cima de agosto, está acabando e até agora não percebi a diferença entre um dia qualquer - que nunca é um qualquer dia, mas único, na nossa vida -, da data de hoje, com o simbolismo que tem uma sexta-feira 13.

Bom, vou ficando por aqui porque este papo já está caetaneanamente qualquer coisa pra lá de Teerã - "... qualquer coisa, você já tá pra lá de Marrakesh. Mexe qualquer coisa dentro, doida...Esse papo seu já tá de manhã...". Como hoje é uma sexta-feira 13, ainda por cima de agosto, melhor mesmo é deixar a barba de molho. E preparar uma sopa instantânea com um pão novinho que comprei numa padaria perto do local onde trabalho. Isso dá pra comer (quem não se lembra da frase: "Isso dá pra fazer!", dos candidatos a prefeito de BH?). Afinal, para um dia como este, melhor mesmo é não exagerar e ficar, parodiando alguns alunos meus, "só no suco, fessor". É pó, é suco, é sopa. Não. É sexta-feira 13, gente, ainda por cima a gosto... de Deus.

***

P.S.1: O time de comentaristas deste blog é de primeira linha. O colega e amigo virtual Luciano, por exemplo, chama a atenção para a indefinição do candidato do PMDB-PT, que ao não assumir compromissos concretos com os educadores também não recebe um claro apoio destes. E lembra que a sexta-feira foi realmente 13 - ou seria literalmente 13? - pois, pela primeira vez, Dilma dispara na pesquisa da Datafraude bancada pela Globo e pela Folha. Todas as outras pesquisas já tinham apontado grande dianteira para a Dilma.

P.S.2: A companheira Beatriz, coordenadora do Sind-UTE, redigiu um texto para o jornal Hoje em Dia criticando a terceirização da merenda escolar. Vale conferir. Mas, Bia, peça para o pessoal da imprensa do sindicato scanear melhor o texto. Tá muito apagado. Ou será que é a minha vista que está cansada e eu deveria usar óculos? Cliquem aqui para ler o texto.

P.S.3: O companheiro e amigo João Paulo, outro comentarista de primeira grandeza, tem manifestado preocupação em relação ao crescimento do afilhado - que ele chama de filhote, kkk - do faraó nas pesquisas. A pesquisa Voxfraude, por exemplo, aponta redução da diferença entre as duas candidaturas principais (principais, segundo a mídia) para 10 pontos. Mas, a outra pesquisa, da Datafraude, no mesmo período, diz que a diferença em favor do candidato do PMDB-PT continua na casa dos 20 pontos percentuais. É aguardar.

Leiam ainda:

- Informativo Número 20 do Blog do COREU, que está recheado de bons artigos, como de praxe.

- Náufrago da Utopia - A luta armada no tiroteio eleitoral.



- História Pensante - do professor Pedro Paulo Dias, que traz sempre novos textos sobre a História geral e brasileira.

- Filosofia - do professor Rodrigo Souza, sempre com novos textos filosóficos.


14 comentários:

  1. Professora Sonambulando14 de agosto de 2010 04:00

    Bom dia colega.
    Sem comentários salariais ou políticos..."apenasmente" como diria o "Odorico Paraguaçu"...para ser solidária... porque pesquisando por aí,constatei que "sonambulismo" é coisa de professor mesmo. Pior para mim que trabalha no turno da manhã também. Mas é durante a madrugada que pensamos melhor,temos boas ideias para aulas.( 24 horas semanais????? ou seriam por dia?)

    ResponderExcluir
  2. A sexta foi realmente 13 para a globo, ela pela primeira vez teve que divulgar uma pesquisa onde a Dilma está 8 pontos à frente do Serra, considerando que essa pesquisa foi da folha a gente pode aumentar essa diferença para 12% ou mais.Acho que no governo federal mesmo se ocorrer segundo turno a Dilma leva essa, já em Minas isso não pode acontecer, me preocupa a quantidade de indecisos, se o Helio tivesse feito uma proposta concreta para a classe e os professores entrassem de corpo e alma na campanha a situação já teria sido resolvida, hoje eu critico mais o governador do que defendo o Costa.

    Luciano

    ResponderExcluir
  3. Governo anuncia ao SINDPÚBLICOS – MG pagamento de benefícios ainda este ano


    O Diretor Político do SINDPÚBLICOS – MG, Geraldo Henrique, conversou hoje (dia 13/10/2010) com o Subsecretário de Gestão, Frederico Melo, que informou que o governo pagará, em setembro, o Prêmio por Produtividade dos Servidores.
    Frederico informou ainda que as promoções por escolaridade adicional continuarão sendo executadas, sem nenhuma interferência por causa do período eleitoral.
    Que promoções são estas ?

    ResponderExcluir
  4. Olá Euler:

    Você está super comentado aqui em Uberlândia, eu e minha amiga que tem nomes parecidos, achamos que vc deveria mudar para cá, na minha escola tem até vaga, vamos adorar, quem sabe aqui vc arruma um ap maior?
    Você está sabendo se sairá o reposicionamento de letra para os efetivos agora? Eles terão prazo para fazê-los?

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. OLá Euler:

    Acho que a maioria dos professores estão esperançosos em relação ao candidato Hélio Costa, assisti ao debate na Band, e fiquei entusiasmada, foi o único que comentou da nossa situação atual em relação as negociações com o atual governo, que é muito intransigente, eu, particularmente, estou muito animada com a possibilidade de mudarmos de governador.
    Vamos torcer!

    ResponderExcluir
  6. É meu colega...

    Você divagou legal!
    Eu aqui esperando o momento que você iria comentar o debate,e você? N A D A.

    Ainda por cima, me deu uma vontade de tomar essa sopa que você preparou; e o pãozinho de sal novinho... (Eu particularmente adooooro pão com manteiga). Aliás, que Dr. Walter não leia, mas dá dificil manter o peso quanto mais perder o excedente. Não resisto ao um copão de café com leite quente e o pão com manteiga.Hum... tudo de bão.

    Olha, eu percebi que o AnastaZista não está e não fica a vontade quando o assunto é servidor e professores especificamente.

    Percebo que ele tem uma enorme dificuldade de mencionar algo, pois já sabe que não mais convence.

    E tem como atenuante o fato do AnastaZista prometer, assinar, publicar, divulgar (coletiva, peças publicitárias) e não
    C U M P R I R.

    Talvez a visão de futuro do AnastaZista fale mais alto; verbos no futuro do conjuntivo ações para o futuro. Pode ser ideologia do partido PSDB. Serra fala que educação é futuro e Anastazista não fica por menos.

    Amigo espero sua opinião.Bjim

    ResponderExcluir
  7. Olá colegas visitantes, gente da melhor qualidade. Um abraço especial a todos vocês!

    Denise, companheira de luta, minha opinião coincide com a sua. Aliás, já havia feito a crítica do debate na Band no post anterior. Acho mesmo que o afilhado foge do assunto quando se trata de servidores. Isso não é o forte dele. Mas, infelizmente, o outro candidato - do PMDB-PT - também divaga muito, literalmente. Critica o achatamento, diz que a lei com as novas tabelas aprovada na ALMG não é boa e que vai negociar com uma comissão após as eleições. Desconfio...

    Tudo bem que ele queira negociar com umaa comissão, mas já existem propostas formuladas pela categoria e ele poderia assumir compromisso público com estas propostas, coisa que não faz. Como disse o Luciano, sem isto, fica difícil "vestir a camisa".

    No meu caso, confesso que tenho dificuldade em vestir qualquer outra camisa além daquelas que vc conhece - a verde abacate ou a vermelha ou a preta - que usei insistemtemente durante a nossa maravilhosa revolta dos 47 dias.

    Quem sabe com a eleição da Dilma não ocorre um clima mais favorável para mudanças aqui em Minas, também?

    Fato é que precisamos nos mobilizar e manter a uinidade da categoria para os embates que travaremos com o governante eleito, seja ele quem for.

    E que pena que o faraó tem a vaga de senador praticamente garantida. Seria muito bom vê-lo perder ou pelo menos em segundo lugar. Mas, também, com um candidato como o Pimentel de oposição,..

    ResponderExcluir
  8. Olá combativas colegas de Uberlândia! Mudar para esta cidade maravilhosa é uma proposta tentadora, até mesmo se fosse para morar num ap menor,rsrs. E garanto que tem muita gente aqui em Vespá que pagaria a minha passagem... só de ida.

    Quanto ao reposicionamento nas letras, acho que para este ano não tem nada previsto. Mas, nós podemos cobrar e pressionar, pois ainda faltam cinco meses para acabar o ano e eu já estou ficando enferrujado, rsrs.

    Abraços a todos de Uberlândia e força na luta.

    ResponderExcluir
  9. Olá aos dois outros anônimos: o que torce para Hélio Costa, que eu respeito, e ao outro que trouxe a notícia de que o 14º será pago em setembro.

    O nosso blog, através da extensa rede de informantes que possui já havia detectado e anunciado esta possibilidade - a do pagamento agora em setembro da fração do 14º.

    Quanto a candidatura Hélio Costa, de fato tem muita gente que acredita nele. Vamos observar os próximos passos, a propaganda na TV e a reunião dos candidatos com o Sind-UTE no dia 04 de setembro.

    Respeitando a opinião de cada um, vocês sabem que a minha preferência é para a pressão direta sobre quem estiver no governo. Claro que se lá estiver alguém mais sensível às nossas demandas, será melhor. Mas, se não for assim, tudo bem. Nós encaramos assim mesmo, seja quem for.

    Um abraço e força na luta!

    ResponderExcluir
  10. João Paulo Ferreira de Assis14 de agosto de 2010 23:52

    Prezado amigo Professor Euler

    Também sou de parecer que Hélio Costa é nossa esperança, apesar de saber que ele é uma cria da Rede Globo. Mas veja que situação a nossa! Não temos a quem recorrer. Quem poderia nos valer (se tivesse chance) era a Vanessa Portugal. Com Hélio Costa pelo menos poderíamos garantir um diálogo com o Governo Federal que liberaria a verba para nos pagar o Piso de Lei. Agora com Anastasia no Palácio, podemos descartar o entendimento com o Governo Federal, pois jamais Anastasia irá querer qualquer parceria com a União, ainda mais com Dilma presidente.
    A propósito, peço que você entre no blog de um sem mídia, criado pelo senhor Carlos Augusto de Araújo Dória, petista do Rio de Janeiro. Nele há um post intitulado ''Eleições - muito importante sua divulgação'', em que nos avisa que será obrigatório apresentar um documento com foto junto com o título eleitoral, do contrário não será permitido que a pessoa vote. Ele mencionou que já fizeram uma lei casuística semelhante na Bolívia, que impediu que muitos partidários de Evo Morales pudessem votar nele. Peço que você coloque esse post no seu blog, e que esclareçamos nossos alunos, pois fizeram isso para poder impedir a vitória da Dilma. Não tenho dúvidas disso.

    ResponderExcluir
  11. Temos que tomar cuidado ao mencionar que queremos o piso João Paulo pois os 1320,00 do governador está de acordo com ele, o que queremos são as vantagens por tempo de serviço e um terço extra-classe (24 horas 16 aulas)para impedir que o piso se torne teto.Essa lei do piso também deixa muito a desejar, pois não padroniza uma carga horária nacional, o valor do piso é muito baixo para as 40 horas. No brasil possuimos muitas cargas horárias(20,22,24,25,30,40), a lei tinha que ser mais clara e impor algumas situações como por exemplo, no Estado em que o professor pode ter 2 cargos o cargo deveria ser de no máximo de 20 horas para não ultrapassar as 40 horas da lei, o valor do piso deveria ser o do dieese que é 2700,00 para 40 horas, 1350,00 para as 20 horas( que deveria ser o cargo de Minas).A Dilma menciona constantemente em valorizar o professor, reoganizar a lei do piso seria o primeiro passo.

    Luciano

    ResponderExcluir
  12. João Paulo Ferreira de Assis15 de agosto de 2010 15:09

    Você está certo.

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Gostaria de saber o que você sabe sobre os efetivados diante das novidades como: concurso,etc.

    ResponderExcluir
  14. Olá Euler , parabenizo o blog , informativo e interessante, disseram-me que o 14º já é direito nosso, gostaria de saber se o receberemos ???

    ResponderExcluir