quarta-feira, 9 de junho de 2010

Anastasia disse que o GT pode apresentar resultados positivos


Em entrevista hoje à tarde ao jornalista Eduardo Costa, na Rádio Itatiaia, o governador Anastasia, indagado sobre a realidade da remuneração paga aos educadores em Minas, disse que reconhece os baixos salários. Disse também que já foi uma grande conquista colocar os salários em dia e pagar o décimo terceiro. E disse ainda que qualquer alteração na folha da Educação, em função do grande número de servidores, esbarra nas condições de finanças do estado. E, finalmente, disse que a comissão paritária entre sindicato e governo está fazendo um esforço para incorporar os penduricalhos ao piso e que deve apresentar resultados positivos.

Agora, os nossos comentários:

Ouvi atentamentte a entrevista e o que se percebe é que o governador passa a maior do tempo justificando o que deixou de fazer quando deveria apresentar soluções. Poderia muito bem ter dito: é, nós erramos em tratar a educação com descaso, mas vamos corrigir isso, pagando o piso dos profissioanais da Educação. Ao contrário, preferiu dizer que o problema dos baixos salários vem de décadas e que o melhoramento ocorrerá por etapas. Mas, quando, senhor governador? Daqui a cem anos?

Depois de oito anos de governo, quando a economia de Minas mais que duplicou - e o próprio governador cantava vantagem na entrevista sobre o crescimento do PIB mineiro, que seria o maior do Brasil - os educadores não viram o resultado deste crescimento. Falta de dinheiro não é, pois o governo se deu ao luxo de construir grandes obras faraônicas.

Esperamos sinceramente que amanhã, dia 10, quando será apresentada a proposta preliminar de alteração salarial - que, ao que parece limitar-se-á à incorporação de algumas gratificações - eles não tenham a ousadia de mostrar uma tabela salarial ridícula.

Uma pergunta que o jornalista Eduardo Costa jamais faria, e por isso não fez, claro - volto a dizer que Eduardo Costa foi dos poucos profissionais de imprensa que apoiaram a nossa greve e defenderam um salário mais justo para os educadores -, mas, que colocaria o governador para refletir melhor é:

- Caro governador, o senhor conseguiria sobreviver uma semana que seja com o salário que paga aos educadores de Minas?

4 comentários:

  1. Euler, ele não perguntou porque sabe a resposta:o salário de um professor não daria nem para um dia, quanto mais para uma semana.Será que esse GT vai anunciar os resultados antes ou depois do jogo? KKKKKK, diante dos fatos temos que encontrar algum motivo para rir.

    ResponderExcluir
  2. Euler,

    Estou achando que a "cara" que vc colocou na outra postagem é a minha... de horror, mesmo...

    Depois desta entrevista cheia de desculpas e o mesmo blá, blá de sempre tenho até medo de ver esta tal proposta...

    Não podemos aceitar migalhas..., esmolas..., tem dinheiro pro judiciário, polícia, tribunal de contas, pra todo mundo só prá nós educadores que nâo!!!???? CHEGA NÉ????

    Esperemos...

    Até amanhã!!
    Boa noite!

    OBS; Adriana está só com o cabelo arrepiado de tanto choque de gestão eu estou é toda!!!! (Minha desculpa é o frio!)

    ResponderExcluir
  3. Euler,

    Fiquei sabendo que não será divulgado a proposta;

    que existe uma clausula que impede o Sindute

    repassar para nós o andamento dos encontros.

    Só termos acesso as informações no dia da

    assembléia 17/06.

    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  4. Flávia Caldeira Brant Costa9 de junho de 2010 22:52

    É Galera, dia 17/06 vamos lá conferir e votar (a favor ou contra) a nova proposta, lembrem que todos que não forem estarão dando o seu voto a minoria, NÃO DEIXEM QUE OUTROS DECIDAM O QUE VOCÊ QUER....... EU VOU, E VOCÊ???????

    ResponderExcluir